Page 1

Revista

Supra

Condomínio

Supra Condomínio

1


Acessórios para limpeza....................................9,11,34

Impressão.................................................................26

Acessórios para piscina........................................13,23

Jardinagem................................................................24

Acolchoados para elevador.....................................9,11

Lavadora automática de piso.............................9,11,34

Apoio de pé...............................................................13

Lavadora de alta pressão...................................9,11,34

Armário multi-uso......................................................13

Lixeira.....................................................................9,11

Aspirador...........................................................9,11,36

Locação de lavadoras...................................9,11,32,34

Bebedouro............................................................11,26

Material para piscina..................................................13

Brinquedos...........................................................33,34

Máquinas para limpeza............................9,11,13,32,34

Cadeira para portaria............................................11,13

Móveis para áreas externas.......................................15

Caixas de correio.......................................................11

Paisagismo................................................................24

Câmera de segurança................................................19

Persianas...................................................................33

Capacho.................................................................9,11

Pintura predial..................................................30,31,32

Capas para Piscinas..................................................23

Piso de borracha.........................................2ª capa, 33

Carrinho de compras..............................................9,11

Piso Esportivo...................................................4ª capa

Carro Coletor.............................................................11

Piso Paviflex..............................................................33

Casinha de boneca...............................................33,34

Piso: restauração.............................................30,31,32

Circuito fechado de TV...............................................19

Placas de E.V.A..........................................................33

Claviculário...........................................................13,26

Placas de sinalização............................................19,25

Cobertura.............................................................26,27

Playground em madeira........................................33,34

Cobertura em policarbonato/vidros.......................26,27

Playground em plástico........................................33,34

Construtora .....................................................30,31,32

Playground em tronco de eucalipto............................33

Copiadora..................................................................26

Protetor de coluna p/ garagem..........................3ª capa

Cortinas....................................................................33

Protetor de pára-choque....................................3ª capa

Crachá para veículos............................................19,25

Protetor de parede.............................................3ª capa

Descupinização.........................................................23

Protetor de porta...............................................3ª capa

Desentupidora...........................................................23

Purificador de água...................................................26

Desratização..............................................................23

Quadro de aviso.........................................................26

Dispenser para papel higiênico/papel toalha...............11

Rede de proteção..................................................33,34

Dispenser para sabonete líquido................................11

Restauração de fachadas.................................30,31,32

Elevador..........................................................4,5,20,21

Revestimento...................................................30,31,32

Elevador: equipamentos..................................4,5,20,21

Serviços terceirizados................................................32

Elevador: manutenção....................................4,5,20,21

Sinalização: de solo/viária.....................................11,25

Enceradeira.......................................................9,11,34

Sistema de segurança: locação e projeto...................19

Engenharia.......................................................30,31,32

Tapete personalizado..............................................9,11

Espelho convexo.....................................................9,11

Tenis de Mesa...........................................................33

Exaustor.....................................................................13

Toldos..................................................................26,27

Filtro..........................................................................26

Tratamento de piso.....................................11,30,31,32

Geradores de energia.................................................13

Varredeira..........................................................9,11,34

Grama sintética.....................................................33,34

Ventilador...................................................................13

Impermeabilização...........................................30,31,32


Revista

4

Supra

Supra Condomínio

Condomínio


Revista

Supra

Condomínio

Supra Condomínio

5


Revista

Supra

SEGURANÇA

Condomínio

POR MARCOS MELO*

SEGURANÇA PREVENTIVA Customização de projetos garagem a segurança como um todo, de bens e de pessoas - especialmente em condomínios empresariais.

O

s condomínios empresariais e comerciais precisam buscar um projeto de serviço que preze por um sistema de segurança apropriado e competente. Não só para manter a salvo os bens materiais e preservar o valor das marcas trabalhadas no local, mas principalmente para resguardar as pessoas que trabalham e circulam no espaço, como funcionários, clientes e visitantes. O projeto de serviço a ser adotado dependerá de vários eventos, como os estilos da edificação; se são prédios, galpões, fábricas ou condomínios de empresas, entre outros. Cada local merece a adoção diferenciada de procedimentos e contratações de serviços terceirizados, como os de portaria, limpeza e segurança etc. Outro fato que merece atenção é a analise da localização, o volume de pessoas que circulam no local diariamente, a quantidade de profissionais qualificados (desde os

6

Supra Condomínio

recepcionistas até os porteiros), assim como todas as entradas e pontos vulneráveis do local. Essa análise deve ser desenvolvida por uma empresa, que possua um especialista em condomínio e serviço, que dirá o que é mais indicado e prudente: se pode ser um esquema básico ou se precisará de uma estrutura mais complexa e elaborada. Nesse projeto é fundamental levar em consideração a segurança dos funcionários e clientes que circularão no local, para que todos se sintam seguros. De qualquer forma, independente do estilo e local da empresa, é muito importante que haja uma identificação obrigatória tanto de funcionários, clientes ou visitantes logo na entrada, quanto na recepção e na garagem. Nos prédios onde é possível a entrada pelo subsolo, sem a necessidade de passar pela recepção, a movimentação nas catracas deve

ser monitorada por câmeras, a fim de registrar as imagens das pessoas que utilizam crachás de acesso e também a identificação das placas dos carros. Existem hoje diversos sistemas de segurança eletrônicos de última geração, que permitem o intercâmbio de tecnologias com objetivo de integrar informações do controle de acesso com as imagens do CFTV – circuito fechado de televisão. Outro facilitador são os edifícios onde existem elevadores exclusivos para o tráfego entre as garagens e o térreo, obrigando a todos a passarem pela recepção antes de terem acesso aos andares. São fundamentais os serviços de recepção e portaria, com profissionais treinados e preparados para realizar o controle de acesso utilizando um sistema informatizado, onde são cadastrados dados como CPF, RG, empresa e registro fotográfico do visitante. Esse é um


Revista trabalho de segurança preventiva, que proporciona agilidade no atendimento aos clientes e visitantes, em suas próximas visitas à edificação ou condomínio, evitando filas, longas esperas e circunstâncias incômodas. É estratégico um projeto de instalação de CFTV (circuito fechado de

televisão), com câmeras posicionadas em locais importantes para segurança como nos acessos às escadas e entradas de elevadores. Também é imprescindível que as imagens registradas pelo CFTV, sejam cruzadas com as informações geradas pelo controle de acesso. Essas são

RECEPÇÃO E VIAS DE ENTRADA 1) É importante restringir o número de portas de entrada para o condomínio. 2) Todas as entradas devem ter portaria, recepção ou guarita, com catracas, inclusive nas garagens. 3) Todos os profissionais tanto de portaria como de recepção precisam ser treinados, ter boa educação e ser vigilantes. 4) Os recepcionistas ou porteiros devem informar detalhes dos visitantes e acompanhantes, como nome completo e a empresa que representa. 5) As pessoas da empresa que liberam a entrada para a portaria devem estar seguros se devem autorizar a entrada. 6) Pessoas sem documento de identificação não devem receber permissão de entrada.

Supra

Condomínio

ferramentas fundamentais para os profissionais de guaritas, portarias ou balcões de recepção. Em um condomínio de empresas de diferentes tamanhos costumam circular muitas pessoas diariamente, por isso, são necessários alguns cuidados para segurança preventiva.

7) O visitante precisa ser orientado a colocar o crachá de identificação de forma visível. 8) Cabe à recepção ou portaria informar com clareza o local onde o visitante ou cliente deve se dirigir. 9) Observar se a pessoa se dirige ao local correto, caso contrário é necessário informar ao segurança do local.

“Pessoas sem RG devem

ser barradas na portaria.”

Por tudo isso, é recomendável a contratação de uma empresa terceirização de serviços idônea, que treine seus profissionais quanto ao tratamento de pessoas, segurança de comportamento e quanto a situações perigosas e o uso correto das novas tecnologias de monitoramento de imagens - equipamentos essenciais para garantir a segurança dos funcio-

nários de condomínios comerciais. Os funcionários das empresas também devem colaborar para o bom desenvolvimento da portaria, recepção ou guarita das empresas, pois a liberação de carros ou pessoas dependerá de uma liberação interna. Essa participação harmônica auxilia a segurança de todos e também do patrimônio e da marca representada.

*Marcos Melo é especialista em condomínios da Speed Gold, empresa de terceirização de serviços customizados. Supra Condomínio

7


Revista

Supra

ESTRUTURA

Condomínio

POR DÉBORA CARVALHO

Síndicos podem mudar paisagem urbana de São Paulo Intervenções para modernizar e revitalizar os prédios podem deixar a cidade mais bonita.

P

arte expressiva dos prédios da cidade possui mais de 30 anos de existência, dos quais alguns bem mais antigos, construídos há 50 ou 60 anos. Mas os síndicos dos cerca de 25 mil edifícios residenciais e comerciais de São Paulo podem ajudar a cidade a ficar mais bonita. Esta é a opinião da publicitária Angélica Delgado Arbex, gerente de Relacionamento com o Cliente da Lello, empresa que administra condomínios há 58 anos. Segundo ela, a necessidade é de intervenção, pelos síndicos, para manter, conservar e revitalizar os condomínios paulistanos, com consequente impacto positivo na paisagem urbana de São Paulo. “O estado de conservação dos edifícios pode contribuir de forma decisiva para que um bairro, rua ou conjunto de ruas pareça cuidado e preservado. O inverso também é verdadeiro. Prédios mal conservados podem tornar a região degradada e, consequentemente, desvalorizada”, afirma a publicitária. Ela observa que o “retrofit” é uma

8

Supra Condomínio

das medidas adotadas por alguns síndicos que podem ajudar na modernização dos prédios mais antigos, tanto do ponto de vista interno quanto externo valorizando os apartamentos em até 30% e auxiliando a mudar, para melhor, a paisagem das ruas e bairros onde estão localizados. Para Angélica Arbex, diversas tecnologias podem ser colocadas à disposição dos condomínios, como elementos de proteção solar para a fachada, itens de acústica dos ambientes e substituição dos caixilhos, entre outros. “Alguns projetos, além de trazer melhorias estéticas para o edifício, podem torná-los mais eficientes com a instalação de equipamentos que economizam água e energia, por exemplo”. É igualmente importante estar atento à segurança física da estrutura predial. Angélica destaca que tragédias como a ocorrida no Rio de Janeiro podem ser evitadas, e os síndicos paulistanos, responsáveis legais pelos condomínios, devem ficar

atentos à idade do empreendimento. Além da revisão periódica dos equipamentos instalados nas áreas comuns do condomínio, Angelica diz ser importante que síndicos de prédios com mais de 10 anos providenciem uma vistoria predial completa a cada dois anos, por empresa especializada, documentada com fotos, e com indicativo das medidas preventivas e corretivas a serem feitas para garantir maior segurança das instalações do condomínio. Os síndicos de São Paulo podem colaborar com o futuro da metrópole, implantando medidas de sustentabilidade que auxiliem a preservação do meio ambiente, estimulando o uso racional de água e energia elétrica e até mesmo adotando iniciativas como caráter de saúde pública, como, por exemplo, a realização de campanhas internas que auxiliem no combate ao mosquito transmissor da dengue nas áreas comuns dos edifícios, tais como jardins, piscina, caixa d’água, fosso de elevadores, ralos externos e marquises.


Revista

Supra

Condomínio

Supra Condomínio

9


Revista

Supra

AMBIENTE

Condomínio

POR DÉBORA CARVALHO

Verde é fundamental Projetos paisagísticos valorizam o empreendimento e agradam moradores, mesmo que sejam áreas verdes pequenas.

M

orar em um condomínio, além de representar mais segurança e privacidade, também permite mais contato com áreas verdes. Isso mesmo. A relação entre prédios e áreas verdes e até arborizadas está cada vez mais intensa. Isso porque as construtoras têm investido em projetos de paisagismo nos novos empreendimentos, e os condomínios antigos também, aproveitando todos os espaços possíveis. Tudo isso para que o residencial seja uma extensão do lar do morador e sua área de lazer funcione como o quintal da casa, onde ele possa passear e usufruir dos benefícios que um espaço natural pode proporcionar. A Lei de Uso e Ocupação do Solo (Luos), que varia por cidade, determina que todos os empreendimentos imobiliários possuam no mínimo 15% de área permeável, ou seja, espaços livres de pavimentos em que a absorção da água pluvial seja possível. Porém, além dos 15% estipulado pela lei, construtoras como a

10 Supra Condomínio

MZM, que atua há 17 anos no Grande ABC, apostam nessas áreas como um grande diferencial. “Além de uma bela paisagem, o morador ganha com a valorização do imóvel e mais qualidade de vida”, conta Patrícia Dada, arquiteta coordenadora da área de projetos da MZM. Se não é possível ter um bosque, por falta de espaço, jardins e floreiras ajudam a tornar o ambiente mais agradável e relaxante para a caminhada pelas vias do condomínio. Um deck cercado de vegetação também proporciona um clima muito agradável, explica Patrícia. “É muito bom ter um cantinho verde para olhar. Relaxa. É refrigerador. Poder sentar, ler um livro, ou dar uma caminhada tendo verde por perto é muito bom”, conta Fernanda Barros, que mora em um condomínio simples, mas com canteiros verdes até mesmo na garagem. “No meu condomínio não tem árvores nem trilha para caminhar, mas os grandes

vasos com plantas e as jardineiras espalhadas por todo canto, na garagem, na recepção, nos cantinhos sem uso, deixam tudo mais bonito e agradável. Adoro descer para ler um livro”, conta a condômina. A síndica de um condomínio na região do Campo Limpo, São Paulo, Amélia Conceição, conta que gosta muito de plantas, e todas as que estão plantadas no jardim do condomínio foram trazidas pelos próprios moradores. “Cada um traz uma muda e juntos encontramos o lugar ideal para plantar. Tem sido assim nos mais de 30 anos que moro aqui. Temos pé de abacate, manga e jabuticaba, além de plantas medicinais como boldo e babosa, temperos como hortelã e manjericão, flores, etc. E no hall colocamos grandes vasos com pequenas árvores, já que não podia quebrar o chão.” O que seu condomínio está esperando para reunir os moradores e contratar um bom paisagista? Falta de espaço não é mais problema.


Revista

Supra

Condomínio

Supra Condomínio

11


Revista

Supra

GESTÃO

Condomínio

POR DÉBORA CARVALHO

Riscos da autogestão P

A falta de informação e experiência pode gerar problemas como ações judiciais e até mesmo fraudes.

agar contas e impostos, emitir boletos para recolher a taxa condominal, avaliar orçamentos para prestação de serviços terceirizados, manter as despesas dentro do orçamento, pagar funcionários e prestadores de serviço, atender as demandas dos condôminos. Administrar um condomínio não é tarefa fácil. A falta de acompanhamento adequado pode trazer sérios transtornos ao síndico e também aos moradores. Os condomínios que pretendem economizar, podem julgar uma grande economia abrir mão da despesa com uma administradora profissional de condomínios, pois o custo é em torno de 5% do total de gastos mensais. Mas a economia vale a pena? O advogado especialista em Direito Imobiliário e sócio do escritório Karpat Sociedade de Advogados, Rodrigo Karpat, explica que à primeira vista, a economia pode ser tentadora: “Com a gestão interna, a solução dos problemas aparenta ser mais rápida e prática, uma vez que os

12 Supra Condomínio

gestores são os próprios síndicos e conselheiros”. Mas a autogestão não conta com assessoria administrativa, jurídica, contábil e financeira, o que pode representar grande risco. “A margem de erro aumenta de forma exponencial. Os balancetes de contabilidade, por exemplo, dificilmente estarão nos padrões internacionais. No caso de uma auditoria externa, isso pode ser extremamente perigoso”, afirma o advogado. Karpat alerta que o condomínio fica mais propenso a fraudes na autogestão. “Problemas financeiros acabam, muitas vezes, com ações judiciais contra os gestores, resultando em valores exorbitantes para corrigir os problemas gerados. Inicialmente, o que representaria uma economia, acaba se tornando uma grande dor de cabeça”, orienta. Segundo o Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP), em todo o Estado, incluindo a capital, há cerca de 50 mil condomínios (residenciais, comerciais e mistos) e mais de

3.000 administradoras que prestam serviços de consultoria a esses empreendimentos. Na opinião do especialista, o mais recomendável ainda é a contratação de uma administradora. “Por mais que existam vícios e problemas neste formato, a segurança do condomínio é maior”, diz. Segundo ele, há mecanismos de controle dessas empresas para tornar a gestão mais segura, como realização de auditoria independente; acompanhamento dos trabalhos da administradora por parte dos síndicos; elaboração de contrato com cláusula de rescisão de 30 dias; observância dos valores de tarifas apresentados pela empresa; contratação de departamento jurídico independente e até mesmo, se cabível, o auxílio de um síndico profissional. NOTA: Se seu condomínio pratica o modelo de autogestão, compartilhe com nossa redação as dicas de sucesso: cartas@editoracluk.com.br


Revista

Supra

Condomínio

Supra Condomínio

13


Revista

Supra

ESTRUTURA

Condomínio

POR DÉBORA CARVALHO

HOMENS e MULHERES

Como agradar

no condomínio

mulheres

Mulher é detalhista em relação às necessidades da família e homem pensa em retorno financeiro, status e segurança ao escolher o imóvel. Quem analisa é a especialista Roseli Hernandes, diretora comercial da administradora Lello, com base em relato de 200 corretores na capital paulista, ABC, interior e litoral.

DETALHES: Elas querem saber detalhes sobre a qualidade do imóvel, se de fato a unidade atende às necessidades da sua família de modo prático e funcional, e se aquele tipo de mobília as faz sentir bem. A mulher não vai olhar apenas se a cozinha tem armários planejados. Ela vai ver se os móveis e os espaços comportam aquilo que elas têm”, diz Roseli. LOCALIZAÇÃO: próximo da escola dos filhos, da farmácia, do supermercado, padaria? LAZER: Se as áreas comuns podem entreter

seus filhos – quadra, piscina, playground. ESPAÇO: “Elas também são mais exigentes quanto ao espaço da cozinha e da lavanderia”, observa Roseli. Além disso, as mulheres analisam se os quartos e banheiros atendem as necessidades dos filhos e, caso tenham animais de estimação, automaticamente procuram imóveis que os comportem. BELEZA: Elas dão valor adicional à beleza do imóvel, olhando para itens de decoração e azulejos, e em quais pontos da casa o sol ilumina.

FINANCEIRO: “Eles consideram, sobretudo, se a aquisição é um bom investimento, se haverá retorno financeiro à frente e se a região se valorizou, valor do condomínio”, diz Roseli. STATUS: Avaliam se o imóvel, bem como sua localização, oferecem status. REDE DE CONTATOS: “Eles querem estar perto de pessoas com as quais podem fazer uma boa rede de contatos”, diz Roseli.

SEGURANÇA: Se preocupam bastante com segurança, especialmente quem passa a semana fora de casa. Por isso, os homens avaliam o clima, os moradores e se inspira ou não segurança para a família. SE ATENDE AO PERFIL: Por último, avaliam se os ambientes podem atender seu perfil. “Se forem do tipo de passar bastante tempo com os amigos, vão querer salas grandes, com espaço para receber visitas”.

homens

14 Supra Condomínio


Revista

Supra

Condomínio

Supra Condomínio

15


Revista

Supra

AMBIENTE

Condomínio

POR DÉBORA CARVALHO

Como evitar doenças e animais indesejados Especialista fala sobre a importância da limpeza em condomínios residenciais ou comerciais para evitar doenças

S

aúde e cuidados com a limpeza em condomínios andam de mãos dadas. Nesse universo, os recursos mais importantes são pessoas. Sim, muito mais do que produtos de higienização e equipamentos de última geração disponíveis no mercado - que também não deixam de ter sua importância e lugar na hora de despoluir o ambiente. Além de tornar o local agradável e trazer a sensação de bem-estar e equilíbrio, a higienização adequada é fundamental para a saúde física de quem convive no condomínio. A limpeza evita o acúmulo de sujeira, e, consequentemente, evita a presença de insetos ou animais indesejáveis, causadores de doenças - que são atraídos por ela.

RECURSOS O especialista em condomínios Marcos Melo, da Speed Gold, destaca que as pessoas são o recurso mais importante para se garantir um padrão ideal de limpeza dentro de um condomínio. “Quem tem essa responsabilidade precisa ser treinado, preparado e atualizado com as inovações do mercado, em termos de produtos e procedimentos operacionais de higienização”. Não basta mostrar a área a ser cuidada. Outra questão importante no processo de limpeza é a utilização de produtos adequados. Eles funcionam

16 Supra Condomínio

como verdadeiras armas contra os inimigos invisíveis que podem se instalar nos poros dos pisos, cantos, vasos e plantas, paredes, tapetes, corrimãos, elevadores, luminárias, quadros, e cantos inimagináveis ou mais óbvios. Melo alerta que é muito importante que os administradores e síndicos dos condomínios tenham esses esclarecimentos sobre a importância de um serviço profissional na área de limpeza, para uma melhor

conscientização sobre a seriedade do processo com o uso adequado de produtos e ferramentas. “Um bom trabalho nessa área preserva a saúde e o patrimônio dos condôminos”.

ÁREA INTERNA Na limpeza interna dos prédios pode-se evitar um grande vilão chamado ácaro, que vive muito bem na poeira e causa uma série de problemas em pessoas com sensibilidade alérgica. E eles adoram tapetes, car-


Revista

Supra

Condomínio

“Um bom trabalho na área da limpeza preserva a saúde e o patrimônio dos condôminos.”

Marcos Melo, Speedy Gold

petes, cortinas e os sofás dos halls de entrada. “Temos também os fungos, grandes causadores de irritação na pele e vias respiratórias, e que tem como grandes aliados os vasos que adornam os prédios. O condômino também deve contribuir com a manutenção da limpeza, com as suas atitudes, como por exemplo, não jogando lixo no chão ou em qualquer lugar, ensinando os filhos para não mancharem as paredes com as mãos sujas, manter o elevador limpo e não jogar pequenos objetos pela janela” aponta o especialista. Para manter os diferentes ambientes do condomínio sempre limpos, é muito importante, além de bons pro-

fissionais, ter um bom planejamento. Marcos Melo detalha três tipos de limpeza que otimizam o processo: “Independente do tamanho do condomínio, sendo ele residencial, de apartamento ou casa, ou comercial, para manter a limpeza é preciso observação na rotina e corrigir o que não está funcionando corretamente”. Segundo Melo, as soluções podem estar em medidas simples. “Não é complicado manter o condomínio limpo, porém demanda atenção e faz toda a diferença no dia a dia, quando os condôminos percebem que as áreas comuns estão bem cuidadas, e a retirada de lixo, tratada com zelo e responsabilidade. Além

de valorizar o aspecto visual, bons hábitos de limpeza afastam doenças e ajudam a aumentar a durabilidade do patrimônio”.

TREINAMENTO Melo também destaca as vantagens de terceirizar o serviço com empresas que enviam o profissional já treinado, especialmente pela importância do papel humano, que deve estar preparado para executar a tarefa com eficiência e eficácia. “O sistema de transferência imediata de funcionários ausentes atende urgentemente às necessidades de manter o condomínio sempre limpo e bem cuidado”, finaliza o especialista.

Entenda a diferença entre os tipos de limpeza LIMPEZA GERAL

1

Limpa praticamente todas as áreas, principalmente as áreas de maior circulação, como halls e elevadores. Alguns locais devem ser limpos todos os dias, outros semanalmente.

MANUTENÇÃO

2

É uma limpeza mais leve, porém exige bastante atenção, sensibilidade e agilidade. Ela pode ser feita até mais de uma vez por dia para atingir o objetivo e manter determinadas áreas sempre limpas.

CONSERVAÇÃO

3

Limpeza que se faz no horário comercial, em que se conserva um ambiente por mais tempo limpo, como por exemplo, no recolhimento de lixo na área comum.

Supra Condomínio

17


Revista

Supra

GESTÃO

Condomínio

POR DÉBORA CARVALHO

Síndico terceirizado

O Dr. Daphnis Citti de Lauro, autor do livro “Condomínios: Conheça seus problemas”, fala sobre os prós e contras da terceirização. FOTO: REPRODUÇÃO

Síndico terceirizado deve ter autonomia registrada em contrado, para não servir de “testa de ferro” do Conselho Consultivo.

O

novo Código Civil prevê, no artigo 1.347, a possibilidade de escolha de um síndico não condômino. É o chamado síndico terceirizado, que pode ser pessoa física ou jurídica, especializada em condomínios, com conhecimento suficiente para poder representá-lo em juízo ou fora dele, praticando todos os atos previstos no artigo 1.348 do mesmo Código, que trata da competência do síndico. O termo “terceirizado” significa o síndico não condômino. Ele pode ser “síndico profissional” ou não. O cargo exige grande responsabilidade e nem sempre há morador disponível para assumir o encargo. O doutor Daphnis Citti de Lauro, especialista em condomínios, defen-

18 Supra Condomínio

de que a tercerização do síndico é vantajosa. “Ele não é procurado no meio da noite porque alguém a vizinha está andando de salto alto depois das 22h, nem tocarão a campainha da sua residência na hora que ele está descansando depois de um dia de trabalho, porque está havendo infiltração de água em determinado apartamento. Não tem o desgaste do dia a dia com os demais moradores do condomínio e, por esta razão, está longe das picuinhas, simpatias e antipatias”, detalha. O advogado cita como exemplo o caso do morador de um prédio situado no Brooklin Paulista, que propôs recentemente uma ação contra o condomínio porque estacionaram

um veículo atrás do dele e o impedia de sair. “Na ação, relata que o síndico era desleixado e não cumpria com seus deveres porque, imagine, ele telefonou à meia noite e meia para o apartamento do síndico, a esposa atendeu, disse que ele estava dormindo e, incrível, não o acordou”. “Muitos síndicos renunciam seus mandatos ou desistem de ser reeleitos por não aguentar mais as pessoas tirarem o seu sossego a qualquer hora do dia ou da noite por problemas na maior parte das vezes de pouca importância. Nem no elevador eles têm paz. Entra algum morador e imediatamente queixa-se do porteiro noturno que dorme e demora a abrir o portão da garagem e por aí afora”. O conselho é recomendar que as pessoas escrevam um e-mail. “Nem sempre funciona, porque a maioria não quer se comprometer”, alerta. “Há também algumas desvantagens como não acompanhar de perto o que ocorre. O síndico terceirizado quer ter um ótimo zelador, escolher a administradora com cuidado e ir ao menos uma vez por semana no condomínio”, orienta. O mandato é de dois anos, mas pode ser renovado e se opera, de acordo com o artigo 653 do Código Civil, através de uma procuração. O salário é determinado em assembleia, e no contrato de prestação de serviços deve constar também a autonomia do síndico, para que não sirva de “testa de ferro” do Conselho Consultivo que deve apenas “dar parecer sobre as contas do síndico.”


Revista

Supra

Condomínio

Supra Condomínio

19


Revista

Supra

20 Supra Condomínio

Condomínio


Revista

Supra

Condomínio

Supra Condomínio

21


Revista

Supra

INVESTIMENTO

Condomínio

POR DÉBORA CARVALHO

A importância do lazer para quem abriu mão do quintal

Verticalização altera hábitos dos brasileiros e exige novas soluções e investimentos nos condomínios.

P

or que trocar o quintal por um condomínio-clube? Atualmente, morar em um apartamento é vantajoso tanto pela segurança, quanto pela comodidade de ter o ‘quintal de casa’ completo e equipado para aproveitar com amigos e familiares. A verticalização dos imóveis com foco na classe média nas cidades vizinhas a São Paulo está causando significativas mudanças, tanto na estrutura interna das cidades como nos hábitos dos brasileiros, que até então estavam acostumados a morar em casa térrea, com cômodos amplos e quintal. Esta revolução na forma de morar dos brasileiros, que são incentivados pelas taxas bancárias atrativas para compra do primeiro imóvel, está fazendo com que incorporadoras e construtoras pesquisem mais sobre o perfil deste público, a fim de invistir em projetos compatíveis com o conforto de uma casa - da infraestrutura das áreas comuns do condomínio à unidade. Francisco Diogo Magnani, presidente da MZM Incorporadora e Construtora, explica que áreas como o salão de festas, espaço gourmet, playground, áreas verdes com caminhos para andar ao ar livre e bancos de praça dão ao empreendimento o ar acolhedor que as famílias brasileiras procuram. Para tornar as áreas externas mais aconchegantes, é imprescindível

22 Supra Condomínio

FOTO: REPRODUÇÃO

Uma brinquedoteca bem equipada é ideal para que as crianças brincarem e interagirem, especialmente nos dias frios e de sol muito quente. contar com os serviços de um bom profissional de paisagismo em parceria com um projeto de arquitetura adequado ao espaço disponível. Os novos empreendimentos já são projetados de modo a satisfazer as necessidades de lazer das famílias modernas, que trocaram o quintal de uma casa por uma unidade de apartamento entre 50 e 60m² em um condomínio-clube com mais de 30 itens de lazer como piscina, solarium, fitness, quadras, espaço gourmet, churrasqueiras com forno de pizza, home office, brinquedoteca, etc.

Mas os prédios mais antigos também podem investir no conforto e lazer dos moradores. Com planejamento e boa vontade, é possível contratar profissionais para realizar projetos de reforma para aproveitar alguns espaços vazios e construir uma brinquedoteca para as crianças, por exemplo. Procure bons fornecedores para adquirir um piso de qualidade, móveis, tinta lavável, e decoração adequada. É um investimento que pode fazer uma grande diferença para o bem-estar de todos os moradores.


Revista

Supra

Condomínio

Supra Condomínio

23


Supra PAISAGISMO

Revista

Condomínio

POR DÉBORA CARVALHO

PROJETANDO O SEU JARDIM >>> PLANTAS: É preciso que as espécies de plantas respeitem o perfil do jardim. Antes de comprar, repare se ele recebe muito sol ou se o local é de sombra. Se é grande ou pequeno. Se recebe muito vento. A umidade do solo e o tipo de terra também devem ser considerados. Essas informações serão fundamentais para que o fornecedor de mudas indique as espécies adequadas. >>> TERRA: Afofar a terra, misturando adubo orgânico. Retirar as impurezas: ervas daninhas, raízes mortas, torrões de terra seca. RECEITA DE MISTURA BÁSICA: Misturar uma porção de areia, com uma de terra e uma de terra vegetal. Para cada cinco litros de mistura básica, acrescentar uma colher de sobremesa de farinha de ossos, uma de farinha de peixe e uma de nitrato de potássio. Adicionar a mistura à terra e mexer bastante. CORREÇÃO DO SOLO: Acrescente areia em solos argilosos e compactos, e terra em solos arenosos.

>>> PLANTANDO: Para plantar as mudas, faça um buraco de bom tamanho, retirar o plástico da muda e colocar o torrão dentro do buraco. Colocar aquela mistura básica em torno do torrão. Para plantas com caules finos e altos, colocar também uma estaca de bambu ou madeira e amarrar a planta para que fique bem apoiada. >>> FOLHAS: Retire as folhas secas, murchas e doentes, com uma tesoura de poda, sempre que surgirem, mas deixe as flores murchas nas árvores frutíferas, pois elas viram frutos. Combata as pragas com inseticidas vendidos nas casas do ramo. >>> RAÍZES: Trocar os vasos das plantas à medida que as raízes crescem. Com o auxílio de uma pá, soltar a planta do vaso antigo. Segurar firme o caule e bater o vaso para soltar o torrão. Então, replantar no vaso maior ou no solo com a terra devidamente preparada para a espécie

>>> AVENCAS: As coloridas e ornamentais avencas podem brotar e se desenvolver em qualquer ambiente, desde que haja calor, umidade e luminosidade, com proteção contra a incidência de raios solares diretos. Em ambientes internos, o ideal é o xaxim, e nada de exagero ao regar. No jardim, escolha cantinhos, pois as avencas não suportam ventos diretos. E para combater pulgões e cochonilhas adote a calda de fumo ao invés de utilizar inseticidas.

G7 Gardens Paisagismo

A G 7 Gardens é uma empresa especializada na criação de jardins, projetos paisagísticos, execução, reforma e manutenção de áreas verdes em residências, comércios e condomínios. 24 Supra Condomínio

Tel.:(11)5511-6863

E-mail:g7@g7gardens.com.br Site:www.g7gardens.com.br


Revista

Supra

Condomínio

Supra Condomínio

25


Revista

Supra

26 Supra Condomínio

Condomínio


Revista

Supra

Condomínio

Supra Condomínio

27


Revista

Supra

28 Supra Condomínio

Condomínio


Revista

Supra

Condomínio

Supra Condomínio

29


Revista

Supra

30 Supra Condomínio

Condomínio


Revista

Supra

Condomínio

Supra Condomínio

31


Revista

Supra

32 Supra Condomínio

Condomínio


Revista

Supra

Condomínio

Supra Condomínio

33


Revista

Supra

34 Supra Condomínio

Condomínio


Revista

Supra

Condomínio

Supra Condomínio

35


Revista

Supra

36 Supra Condomínio

Condomínio

Profile for Editora Supra Ltda.

Supra Condomínio Outubro 2013  

Supra Condomínio Outubro 2013

Supra Condomínio Outubro 2013  

Supra Condomínio Outubro 2013

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded