Issuu on Google+

Publicação trimestral - 4º Trimestre 2010 - nº166 - Ano 41 - 1€

Aldeia de Crianças

SOS

MÃE

LAR

Feliz Natal e um Bom Ano 2011


Obrigado pelo seu apoio

Estimado sócio, amigo, benfeitor Neste final de ano, venho agradecer-lhe, em nome das crianças das Aldeias SOS, todo o seu apoio e amizade, fundamental para assegurar-lhes uma infância feliz. Com a sua ajuda conseguimos dar um lar e uma família a muitas crianças, contribuindo para a sua integração na sociedade de uma forma positiva, autónoma e em igualdade de oportunidades. Todos os anos, graças à ajuda de muitos amigos, as crianças que acolhemos nas nossas três Aldeias SOS vivem numa família, em que se sentem acarinhadas e protegidas. São novos compromissos, são novas esperanças. Não podemos nem queremos falhar! Temos pela frente uma grande responsabilidade, um trabalho árduo, mas posso assegurar-lhe que é muito gratificante. A nossa responsabilidade é grande e só com o seu contributo, nos é possível continuar esta missão que é de todos nós. É pois com grande alegria e satisfação que contamos com o seu apoio – ao dar o seu contributo, dá um presente às nossas crianças, e dá-lhes um futuro. Obrigado pelo seu apoio, que nos ajuda de forma decisiva. Feliz Natal e Bom Ano Novo.

Manuel Matias Presidente do Conselho Directivo

2


Internacional SOS Internacional adopta directrizes das Nações Unidas O Senado Internacional das Aldeias de Crianças SOS aprovou por unanimidade as Directrizes da ONU para os Cuidados Alternativos de Crianças e são a primeira organização a manifestar formalmente a sua dedicação à sua implementação no seu trabalho, bem como para defender a sua aplicação em todo o mundo. O dia 20 de Novembro de 2009 foi um verdadeiro marco para as crianças sem cuidados parentais e ou em risco de perder a guarda dos seus pais. Neste mesmo dia, a Assembleia Geral da ONU congratulou-se formalmente com as orientações para o cuidado alternativo de crianças. Estas orientações visam assegurar que as famílias recebem todo o apoio necessário para cuidar dos seus filhos. As Aldeias SOS contribuíram para o desenvolvimento destas directrizes internacionais, trabalhando em conjunto com outras ONGs e especialistas em direitos da criança. Há cinquenta anos, a Declaração sobre os Direitos da Criança, proclamava que a humanidade tinha o dever de dar aos filhos o melhor que tem. A realidade ainda está longe desta declaração. As orientações para os cuidados alternativos, apresentam uma visão do que as Aldeias SOS querem em mais de 130 países, fornecendo serviços de qualidade e lembrar os Estados, do seu dever de implementá-las. "Porque todas as crianças têm o direito de desfrutar da protecção de um lar amoroso", disse Helmut Kutin, presidente da SOS International, após a aprovação na reunião do Senado Internacional. As Aldeias SOS tomam medidas para ajudar os pais nos cuidados, manter as famílias unidas e fortalecer as comunidades para evitar que as crianças sejam separadas. Quando as crianças

não podem crescer nas suas famílias, as famílias SOS prestam um cuidado individualizado, no melhor interesse da criança, por exemplo mantendo os irmãos biológicos na mesma família. Para cada criança, as Aldeias SOS são uma alternativa à base familiar de origem. Margaret Nkrumah, Vice-Presidente da SOS International e presidente do Conselho das Aldeias de Crianças SOS do Gana, afirma: "As directrizes refletem as metas que queremos alcançar e, ao mesmo tempo inspira-nos a fazer ainda mais. Ao adoptá-las no Senado Internacional, queremos expressar o nosso compromisso em garantir que os nossos serviços para as crianças vulneráveis e suas famílias estão em conformidade com as normas jurídicas internacionais." Bishwa Keshar Maskay, presidente do Conselho das Aldeias SOS do Nepal, acrescenta: "As orientações fornecem um mandato e uma base para trabalhar com as autoridades de protecção das crianças, governos, ONGs e outros prestadores de serviços para que os direitos sejam uma realidade, agora e no futuro." Na aplicação das orientações, as Aldeias SOS oferecem protecção e um lar temporário para crianças separadas ou desacompanhadas, e trabalham com o governo, ONGs e organizações comunitárias de base para reuni-los com as suas famílias, sempre que possível.

3


Secretário-Geral da ONU encontra-se com Helmut Kutin Por ocasião da reunião da ONU sobre temas específicos do Conselho de Segurança em Alpbach, na Áustria, o Presidente da SOS International, Helmut Kutin teve a oportunidade de reunir com o secretário-geral Ban Ki-Moon, num jantar de gala, com altos representantes da ONU, ONGs e políticos austríacos. O presidente Kutin informou Ban KiMoon, sobre a ajuda de emergência no Haiti e Paquistão e sobre os objectivos estratégicos das Aldeias SOS para chegar às crianças mais necessitadas. Ban Ki-Moon, reconheceu o trabalho das Aldeias SOS, com o qual está familiarizado e assegurou ao presidente Kutin, o seu apoio. No ano passado, Richard Pichler, Secretário-Geral da SOS Internacional, também reuniu com Ban Ki-Moon, no

Fórum Europeu de Alpbach, um simpósio anual, reconhecido internacionalmente. Ban Ki-Moon, um dos oradores principais, assegurou ao Sr. Pichler, o seu compromisso de apoiar o acolhimento das "Directrizes para o Cuidado Alternativo das Crianças" na Assembleia Geral da ONU em Novembro de 2009, que foi de facto alcançado com êxito.

Reunião do Senado Internacional da SOS-KDI

Na reunião que teve lugar em Innsbruck, no passado mês de Outubro, o Senado Internacional da SOS-KDI, aprovou as directrizes das Nações Unidas para o cuidado alternativo como quadro de referência externo para o nosso trabalho. Estas directrizes são uma especificação mais detalhada da Convenção sobre os Direitos da Criança (CDC), para crianças institucionalizadas. Devemos encetar todos os esforços para disseminar estas orientações com os nossos parceiros e organizações; rever o nosso trabalho e

4

garantir que estamos em sintonia com essas directrizes. Desenvolver uma visão compartilhada sobre a responsabilidade de todas as associações membro em relação às crianças, aos doadores, comunidades, governos e na relação entre si. Com base na revisão do progresso da estratégia da organização, o Senado Internacional, deu entre outras, as seguintes indicações à Comissão Executiva e à Secretaria-Geral para o desenvolvimento do plano de 2012: - Na angariação de fundos, acelerar a captação de novos doadores em projectos piloto. Maximizar a utilização do Programa Estratégico de Crescimento do Investimento. Tomar medidas ousadas e corajosas. - Para aproveitar as sinergias da nossa organização, não deixar pedra sobre pedra na busca de melhorias, um melhor alinhamento, processos e sistemas mais eficientes. Citação de um membro do Senado, partilhada por todos: "Temos uma organização maravilhosa."


Dra. Maria Cavaco Silva visita Aldeia SOS de Bicesse

No passado dia 30 de Outubro, a Dra. Maria Cavaco Silva presenteou as crianças e jovens, com uma visita à Aldeia de Bicesse, por ocasião do 43º Aniversário da primeira Aldeia SOS de Portugal. Foi uma tarde em que as crianças, jovens e mães SOS conviveram e mostraram como é o dia-a dia da sua Aldeia, as casas em que vivem, as actividades que praticam e falaram das suas experiências de vida. A receber a Dra. Maria Cavaco Silva esteve o Presidente da Associação, Dr. Manuel Matias que agradeceu a honra de receber tão importante visita. No clube, as crianças deram as boas vindas cantando o hino da Aldeia de Bicesse e a Dra Maria Cavaco Silva teve a oportunidade de conhecer o modelo de acolhimento das Aldeia SOS, os princípios em que se baseia, a história e evolução, assim como os novos desafios

que se colocam hoje. De seguida, falou com cada uma das mães e seus filhos SOS, que presentearam a Dra. Maria Cavaco Silva com umas flores de pano feitas pelas mães e crianças. Seguiu-se a visita à aldeia, com a passagem por duas casas familiares, tendo a oportunidade de ver como se organizam cada uma das famílias SOS e conhecer com mais pormenor a vivência no dia-a-dia, o passado e o presente das mães que há ta n to s a n o s se d e d i ca m totalmente na sua missão de educar as crianças a seu cargo.

No final, a Dra. Maria Cavaco Silva, muito sensibilizada pela obra que é construída todos os dias, para que as crianças tenham uma infância feliz e se preparem para a sua autonomia com sucesso, ofereceu uma mensagem especial para a Aldeia de Bicesse. Ao fim da tarde, algumas crianças pediram autógrafos para ficar como recordação, e todos agradeceram a simpatia, o carinho e o apoio da Dra. Maria Cavaco Silva. Desta visita, guardamos o seu contacto afável e directo com as crianças, com cada mãe SOS e colaboradores, as palavras de apreço, estímulo e ânimo, tão importantes para continuarmos a nossa missão de dar amor e um lar às crianças e jovens das Aldeias SOS.

5


Os Jovens nas Aldeias SOS Preparação para uma vida Independente

Todos os jovens, na sua preparação para a vida adulta, ficam numa situação difícil e vulnerável - e isto é especialmente verdade para aqueles que viveram fora das famílias de origem. Neste período de transição, todos necessitam de apoio emocional, assim como de competências básicas diárias, que lhes permitam fazer essa transição, de forma suave. O caminho de uma criança até à idade adulta é uma aventura! Terminar a sua formação, encontrar um trabalho, sair de casa, criar relações e talvez até criar a sua própria família, são marcos importantes nas nossas vidas, e sem o devido suporte da família e amigos a quem recorrer para um conselho, um jovem pode sentir-se sozinho, confuso ou pior – numa situação financeira difícil e num turbilhão de emoções. Muitas vezes, os jovens institucionalizados são forçados a “crescer” mais depressa do que os outros e será igualmente preciso ajudá-los. Embora as Aldeias SOS sejam mais conhecidas pelo seu trabalho com crianças pequenas, a sua experiência permite que a organização preste especial atenção às necessidades dos jovens adultos, que são muitas vezes incompreendidos e negligenciados por outras organizações, governos e media. Como resultado, esses jovens têm falta de suporte emocional talvez no período das suas vidas em que mais necessitam. As Aldeias SOS têm como objectivo permitir que todas as crianças que

6

apoiam se tornem adultos com competências para serem independentes e responsáveis por si próprios em sociedade. Acreditamos que todos os jovens devem ser preparados adequadamente para uma vida independente e deverão receber o apoio necessário depois de deixar a Instituição. As Aldeias SOS têm anos de experiência com jovens em processos de autonomia, e compreendem os desafios que estes enfrentam. O trabalho que desenvolvemos em conjunto com os jovens, particularmente aqueles que deixam de estar ao nosso cuidado, é fundamental.

Temos um papel importante na promoção deste debate e para advogar melhores condições e padrões de qualidade no acolhimento, em parceria com outras organizações pelo mundo inteiro. Durante décadas, construímos saber e experiência nesta matéria. Acreditamos que o processo de autonomia deve ser considerado como parte do processo de acolhimento e fundamental para o seu sucesso.


Quer ser meu AMIGO?

O António, os seus irmãos e muitas crianças, precisam de AMIGOS agora!

Ao ser AMIGO SOS, com uma contribuição mensal, está a dar a muitas crianças a possibilidade de crescer no seio de uma família. Crescer com uma mãe, irmãos e irmãs, com amor e segurança. Há mais de 40 anos, que as Aldeias SOS ajudam as crianças desprotegidas a ter uma infância feliz. Com a sua ajuda, podemos alargar esta dádiva a cada vez mais crianças.


Campanha Recrutamento Amigos SOS No último trimestre do ano, as Aldeias de Crianças SOS lançaram a sua primeira campanha de sensibilização e recrutamento de Amigos SOS em Portugal. Esta incluiu uma acção nas ruas de Lisboa em Setembro/Outubro, e na cidade do Porto, em que jovens abordaram as pessoas na rua, dando a conhecer a obra das Aldeias SOS e sensibilizando-as para aderirem a este ideal, inscrevendo-se como Amigos SOS e contribuindo com uma quantia mensal. Os resultados obtidos com esta acção-piloto, foram muito positivos, com uma grande adesão do público em geral, e obtendo um donativo médio mensal de 8€. Estes novos Amigos SOS, com o seu contributo regular, comprometem-se assim activamente na educação e desenvolvimento das crianças e jovens das Aldeias SOS. E esta campanha deu também uma maior visibilidade às Aldeias SOS e à sua actividade. Simultaneamente, esta campanha de recrutamento de novos Amigos SOS está a ser realizada através do nosso Boletim, do website e ainda com o apoio de algumas empresas parceiras. As Aldeias SOS necessitam de aumentar o seu número de amigos e apoiantes, que com o seu contributo financeiro, todos os meses, nos ajudem a levar por diante a nossa missão. No próximo ano continuaremos este esforço na angariação de novos Amigos SOS e apoiantes, em que estamos certos, muitas mais pessoas vão aderir a esta obra tão importante. Ajude-nos também a aumentar esta grande família dos Amigos das Aldeias de Crianças SOS que partilham e promovem esta missão. Faça-se AMIGO SOS - a sua contribuição ajuda-nos de forma decisiva! Se já é Amigo SOS traga um novo amigo para as crianças das Aldeias SOS.

Dar a mão às crianças é fácil. Para mudar realmente as suas vidas, exige compromisso, capacidade, disponibilidade. Mais que tudo, exige amor.

Dê agora este amor, fazendo-se AMIGO SOS. Se já é sócio/amigo SOS, traga-nos um novo Amigo SOS.


BOL. 3/10 - B

Sim, quero ajudar as crianças desprotegidas a terem um lar, uma família e educação, fazendo-me AMIGO das Aldeias de Crianças SOS com uma contribuição mensal de: 16€

8€

25€

€ outra quantia. (5€ mínimo mensal)

DADOS PESSOAIS Nome Morada Localidade

Cod. Postal

Nº Contr.

Data Nasc.

Telf./ Tlm Profissão

e-mail Em cumprimento com o disposto na Lei nº67/98 de Protecção de Dados, informa-se que os seus dados serão incorporados num ficheiro automático, propriedade da Associação das Aldeias de Crianças SOS de Portugal. Tem o direito de aceder aos seus dados pessoais e solicitar a sua rectificação ou eliminação dirigindo-se por escrito para Associação das Aldeias de Crianças SOS de Portugal, Rua José Dias Coelho, 40, R/C Dtº, 1300-329 Lisboa.

Autorização de Débito Directo NIB Entidade 106185 Aceito receber informação regular das Aldeias de Crianças SOS por e-mail ou por correio AUTORIZO A MINHA ENTIDADE BANCÁRIA A DEBITAR DA MINHA CONTA ACIMA INDICADA, POR SISTEMA (SSD), A PEDIDO DA ASSOCIAÇÃO DAS ALDEIAS DE CRIANÇAS SOS PORTUGAL PELA IMPORTÂNCIA INDICADA. Em cumprimento do aviso 10/2005 do Banco de Portugal, informa-se que é dever do devedor, conferir, através de procedimentos electrónicos, nomeadamente no multibanco os elementos que compõem as autorizações de débito em conta concedidas.

Data

Assinatura (igual à dos registos bancários)

Faça-se Amigo SOS e ajude muitas crianças!


Recorte pelo traçejado para destacar o cupão.

Recorte pelo traçejado para destacar o cupão.

Obrigado pela sua ajuda!


Os Jovens nas Aldeias SOS História de vida – Benvinda Neves Benvinda Neves nasceu a 6 de Novembro de 1960 no seio de uma família sem qualquer tipo de recursos económicos. É a segunda filha de uma fratria de 7 irmãos. Lembra-se de recorrerem muitas vezes à prática da mendicidade para conseguirem algo para comer. Aos 6 anos de idade perde a sua mãe, vítima de complicações no parto após o nascimento dos seus irmãos gémeos, os mais novos do grupo. Após este episódio dá entrada numa instituição de acolhimento da Igreja, com os seus irmãos. Esta instituição não permitia que estivessem juntos, uma vez que eram separados por sexo. A Benvinda recorda-se com alguma mágoa, das vezes que tentou fugir para a ala dos rapazes para poder ver os irmãos. Em 1967, esta situação altera-se com a integração desta fratria na Aldeia SOS de Bicesse. Com a saída da sua primeira mãe social, Ana, a sua família fica aos cuidados da mãe Helena que os acompanhou até à autonomia. A sua relação com a mãe Helena é descrita como positiva e afectuosa, foi esta a sua referência afectiva ao longo dos anos. Aos 16 anos e, tendo como objectivo uma maior autonomia, passa a viver no lar de jovens. Após concluir o liceu, formou-se em desenho técnico da construção civil. Arranjou emprego e por volta dos 19 anos decide sair da instituição. Um período complicado, pois sentiu-se muito perdida. Mais uma vez, a Aldeia de Crianças SOS, aquele que considera o seu lar, a sua verdadeira família, apercebendo-se das suas dificuldades, propõe-lhe que regresse para que possa reorganizar-se com alguma orientação e apoio afectivo. Após um novo período na instituição (cerca de um ano), decide sair de vez da Aldeia SOS para viver a sua independência e já com condições, leva consigo os seus irmãos mais novos.

Apesar de já não residir na instituição, foi mantendo contactos frequentes, não só para suprimir as saudades da sua mãe Helena, mas também do espaço físico onde cresceu e foi feliz. Ao longo dos anos a sua relação e preocupação com a instituição é de tal forma intensa, que decide apadrinhar uma menina com cerca de 10 anos. Após esta menina ter saído da instituição, logo apadrinha outra utente, apadrinhamento que mantém até aos dias de hoje. Apesar de já cá não ter a sua mãe social, mantém a mesma proximidade à instituição, desenvolveu fortes laços de amizade com algumas das nossas mães sociais, nomeadamente com a mãe da sua afilhada, por quem nutre uma forte admiração enquanto mãe social. A Benvinda é vista pelos seus pares como elemento unificador, funcionando muitas vezes, como elo entre a instituição e os seus “irmãos de casa”. Foi recentemente convidada para sóciaefectiva da nossa Assembleia, convite que aceitou com prazer…porquê? Porque o que é hoje deve-o segundo a mesma à Aldeia de Crianças SOS de Bicesse, que lhe permitiu alcançar o estatuto social que hoje tem, acolhendoa, educando-a, acarinhando-a e orientando-a no seu percurso de vida. Salienta que, toda a sua força vem da sua construção na Aldeia de Crianças SOS. Neste sentido, é pois impelida a intervir e a participar mais no seio da comunidade SOS para promoção do bem-estar daquela que vê como uma grande obra, no passado, presente e futuro.

7


Parcerias "Putts4Charity" a favor das Aldeias SOS

A Pro Putt Challenge, uma iniciativa que decorreu durante o Portugal Masters de Golfe, em Outubro, angariou fundos para o programa da Genworth Finantial, tendo em vista o apoio às Aldeias de Crianças SOS. Ross Fisher, Marcel Siem, JoséFilipe Lima, Thomas Levet, Edoardo Molinari, Francesco Molinari, MiguelAngel Jimenez e Robert Karlsson, que

representam os jogadores da Tour "Foundation", todos participaram no desafio, com o único objectivo de angariar fundos para o principal beneficiário do Putts4Charity. "O Pro Putt Challenge foi uma ótima maneira de terminar uma temporada de captação de recursos", disse Martin Ring da Genworth Financial. Foi fantástico, ver alguns dos maiores talentos do mundo de golfe, competindo uns contra os outros, em nome da caridade. Foi uma grande combinação de angariação de fundos divertida com uma competição ao rubro ". "Os jogadores, mais uma vez, ofereceram-nos todo o seu apoio a esta iniciativa, a qual está literalmente a transformar as vidas das crianças em toda a Europa através das Aldeias SOS, dando-lhes um melhor começo na vida."

Bolsa de Valores Sociais

8

A “Casa Porto”, lar familiar SOS situado na Aldeia de Bicesse, estava num estado de degradação tal que exigia obras profundas para puder continuar a acolher uma família SOS. No seguimento de uma candidatura que as Aldeias SOS apresentaram, o Fundo Caixa Fã da Caixa Geral de Depósitos, não só decidiu apoiar este projecto com uma comparticipação para as obras, como o colocou na Bolsa de Valores Sociais (BVS) possibilitando assim a angariação dos valores adicionais. A Bolsa de Valores Sociais é responsável pela monitorização e avaliação das iniciativas sociais que, anualmente, são apoiadas pelo Projecto “Fundo Caixa Fã” no âmbito de uma parceria entre estas duas instituições. Promove o encontro de organizações da sociedade civil, criteriosamente seleccionadas, com trabalhos relevantes e resultados

comprovados na área da educação, dos empreendedores e investidores sociais dispostos a apoiar essas organizações através da compra das acções sociais. Se quiser participar neste projecto e ajudar no apoio financeiro ao custo de reconstrução da Casa Porto poderá ir ao site da BVS, http://www.bvs.org.pt aos projectos do Fundo Caixa Fã e comprar acções do projecto “Pilares de Amor”.


Notícias das Aldeias 30º Aniversário da Aldeia de Crianças SOS de Gulpilhares No dia 8 de Setembro de 1980 foi inaugurada a Aldeia de Crianças SOS de Gulpilhares. Trinta anos depois, crianças, jovens, colaboradores e amigos uniram-se para preparar a festa de aniversário. Recebemos o Sr. Bispo do Porto, D. Manuel Clemente, o Pároco de Gulpilhares e todos os convidados com uma música cantada pelas crianças. Foi oferecida uma flor branca para homenagear as convidadas. Seguiu-se a cerimónia de Acção de Graças na Igreja Paroquial. As músicas e as palavras do Sr. Bispo alegraram a assembleia:"a alegria de Deus é a dedicação e o carinho com que são acolhidas e cuidadas as crianças na Aldeia de Gulpilhares.“ O testemunho de Acção de Graças de um ex-utente emocionou a todos.

Foram servidos aperitivos no jardim e seguiu-se a Sessão Solene que contou com a participação e homenagem de pessoas importantes para a Instituição.

O teatro, a música e o calor humano venceram o frio da noite que caiu. Todos ficaram deslumbrados com o bom ambiente que aqui se vive e que só é possível porque contamos com o apoio e solidariedade de bons amigos. Obrigado.

43º Aniversário da Aldeia de Crianças SOS de Bicesse

No passado dia 29 de Outubro a nossa Aldeia SOS de Bicesse completou 43 anos. Crianças e seus familiares, jovens, mães, colaboradores, ex-residentes, sócios e amigos da Aldeia, todos contribuíram para a consumação de um evento bem divertido e animado, que

contou com a presença da Sra.Vereadora Dra. Mariana Ferreira, em representação do Presidente da Câmara de Cascais. Não faltou música variada, animada com coreografias executadas pelas nossas crianças e jovens, deliciosos “pitéus” tão carinhosamente confeccionados pelas nossas mães sociais e ainda um espaço mais recatado no nosso Clube, onde se promoveu a conversa e o convívio em torno da nossa lareira. Foi feita uma apresentação de fotografias desde as mais antigas às recentes, das crianças e jovens que viveram na aldeia, o que causou grande alegria e alarido entre os mais velhos. O momento mais alto da festa foi sem dúvida o cantar de parabéns á nossa querida Aldeia finalizado com o hino cantado a plenos pulmões.

9


Aldeia SOS de Bicesse premiada pelo "EMAC Educa 2010-2011" A EMAC apresentou no passado dia 29 de Setembro, a 4.ª Edição do Programa EMAC Educa, uma Aposta no Futuro, no Centro Cultural de Cascais. O "EMAC Educa, uma Aposta no Futuro" é um programa de sensibilização ambiental c o n c e b i d o n o â m b i to d o P l a n o Estratégico Objectivo 66, elaborado pela empresa, que visa estimular correctos comportamentos ambientais e de cidadania entre a população escolar do Município. Na ocasião, foram anunciadas as actividades previstas para este ano lectivo, e divulgados os resultados das edições anteriores do programa que, desde que arrancou (2007), já envolveu mais de 24 mil alunos do Concelho. Foram entregues os prémios referentes à 3.ª Edição do EMAC Educa. As escolas receberam um cheque-oferta para material didáctico. A Aldeia SOS de Bicesse foi premiada no âmbito do Programa “Mérito Ambiental”.

Este merecido prémio deve-se à separação do lixo para reciclagem, que desde há muito, se pratica por todos na Aldeia de Crianças SOS de Bicesse. Até hoje, este programa permitiu a realização de mais de 500 acções de sensibilização nas escolas, equivalentes a 1.200 horas de formação sobre separação de resíduos e defesa da Natureza.

Estar em família – “Vamos Vindimar”

10

Esta actividade começou bem cedo, tal como é habitual na lavoura. Na aldeia do Mondego, Mizarela, as famílias SOS da Aldeia da Guarda, dedicaram-se à apanha das uvas amadurecidas. As crianças e adultos contribuíram com grande dedicação, na vindima deste ano. Depois da colheita, seguiu-se o transporte das uvas até ao lagar de vinho particular. No lagar esmagou-se o fruto com os pés e os mais fortes, com um

moedor de uvas tradicional. Este ano aprendemos a fazer a típica bebida do São Martinho, a jeropiga. Para os mais pequenos houve a prova do sumo de uva. No final do dia, ajudaram a alimentar os animais: cabras, ovelhas, coelhos, galinhas, perus e patos. Foi com grande alegria e sentimento de liberdade que crianças, jovens e mães passaram um dia, no campo. Uma acção pedagógica que prova que nada se faz sem trabalho e que explica que nem tudo vem “das prateleiras dos hiper-mercados”. Foi um dia enriquecedor, que permitiu que os residentes tomassem conhecimento das técnicas utilizadas pelos pequenos agricultores e criassem alguns hábitos de trabalho em zonas rurais, no sentido de um dia conseguirem criar “as suas próprias hortas” e de uma maior facilidade de arranjar trabalho no meio agrícola.


Embaixatrizes visitam Aldeia SOS de Bicesse A Associação das Famílias dos Diplomatas Portuguesas promoveu, no passado dia 5 de Novembro, uma visita de embaixatrizes em Portugal à Aldeia de Crianças SOS de Bicesse. Estiveram presentes, entre outras, Nancy Cohn (EUA), Joana Daniel Wrabetz (Áustria), Oh Sook Kwon (República da Coreia) e Christina Gillies (Canadá), assim como a Presidente da Associação das Família dos Diplomatas Portugueses, Rita Lucena. Depois da recepção de boasvindas pelo Presidente Manuel Matias, foi feita a apresentação mais detalhada do modelo de acolhimento das Aldeias de Crianças SOS. De seguida, visitou-se uma casa familiar onde tiveram a oportunidade de conhecer em pormenor como vive e se organiza uma família SOS, em conversa com uma mãe SOS, que falou dos seus muitos anos de vivência em Bicesse, em que educou já muitas crianças, num espírito de missão

e dedicação às crianças das Aldeias SOS. Patricia Westheimer, que apadrinha seis crianças da Aldeia de Bicesse desde 1998, deu o seu testemunho sobre a sua relação com as Aldeias SOS e o gratificante que tem sido esta experiência tão estreita de apoio aos seus afilhados, assistindo e contribuindo também para a educação e crescimento destas crianças.

Smile pinta exterior da Aldeia SOS de Gulpilhares No âmbito do programa Smile, voluntários da Sonaecom, reabilitaram o espaço exterior da Aldeia SOS de Gulpilhares. Durante cerca de três horas dez colaboradores, acompanhados de familiares e amigos, pintaram os muros exteriores da instituição. As Aldeias de Crianças SOS são parceiras do programa desde 2004. Recentemente, o programa de Intervenção na Comunidade da Sonaecom recuperou uma das casas da Aldeia de Crianças SOS de Gulpilhares que permitiu que

esta casa fosse habitada por mais uma mãe de acolhimento e seis crianças. Para além desta acção o Smile tem, neste momento, um projecto de formação em informática na Aldeia de Crianças SOS de Gulpilhares que pretende dotar as mães de acolhimento de conhecimentos básicos em informática, para que estas possam acompanhar as suas crianças numa navegação segura na Internet. Como principal desafio, a Sonaecom comprometeu-se a dotar as instituições de competências em tecnologias de informação, sendo esta uma área de carência, fundamental para que as instituições possam simplificar processos e procedimentos, ganhando disponibilidade para se focarem na missão social.

Este boletim tem o apoio:

11


Um Homem bom e activo, vive! A 17 de Setembro, quase 102 anos de vida, fértil em boas obras, deixou o nosso convívio, o Dr. Mário de Assis Lopes Vieira, um dos sócios fundadores da nossa Associação. Um homem que viveu com sabedoria o seu quotidiano, concretizando plenamente o conteúdo dos textos bíblicos proclamados na Eucaristia de seu funeral , na Igreja de Nª Srª das Dores, em Caxias. Tinha como lema da sua conduta, um «sempre mais além!», sintoma de não se acomodar às várias circunstâncias da vida, um exemplo para todos nós. E até ao fim da sua vida, um grande amigo das Aldeias de Crianças SOS.

De seguida, transcreve-se o belo e profundo poema que escreveu no dia em que completara 90 anos : CAMINHOS Do nascimento à morte a caminhar Pela estrada da vida ,à nossa frente , É destino que temos que aceitar Sem pressas, a pensar serenamente , Uns iludidos,cedo vão chegar Como se houvesse algum motivo urgente, Preferem autoestradas, sem olhar Para a estradinha, mesmo ali presente, E porque não veredas ou caminhos , Que ascendem lentamente aos altos montes, Deixando ouvir os passarinhos E beber a água pura pelas fontes ? É mensagem de quem partiu primeiro : "Não vás com tanta pressa, companheiro !

Votos de Feliz Natal e um Bom Ano 2010! Bem-Hajam! O Natal é uma época especial de reunião das famílias, da solidariedade e partilha, de paz e amor. As crianças sonham mais alto e escrevem cartas ao Pai Natal. Apelamos a todos os nossos amigos, para que nos ajudem a dar um pouco mais de magia ao Natal das crianças das Aldeias SOS.

Para o Natal das Crianças das Aldeias SOS envio a minha oferta de €.

Envio por Vale postal Cheque, incluso Transf. bancária:

Nome

Sócio nº

Morada

Localidade

C. Postal

Tlf

Contribuinte nº

Millenium BCP 003300005003849595205

e-mail

Por favor preencha para que nos seja possível enviar o recibo.

Proprietário e Editor: Aldeias de Crianças SOS Fundadora: Drª. Maria do Céu Mendes Correia Directora: Drª. Maria Teresa Costa Santos Redacção e Administração: R. José Dias Coelho nº40 R/c Dto. 1300-329 LISBOA Tlf: 213 616 950

Tiragem: 10 000 exemplares Depósito Legal nº 3573/83 Nº104519 inscrição do Inst. Com. Social 9/7/76 Composto e Impresso: Gigaresma - R. Vale Formoso nº39 1900-826 LISBOA

www.aldeias-sos.org

portugal@aldeias-sos.org


Boletim SOS