Issuu on Google+

7ª EDIÇÃO | MAIO 2013

sonho “BALAS E BOLINHOS” O FILME QUE RETRATA O PAÍS SEM RODEIOS RODRIGOPAGANELLI

EXPLICA COMO SE LIDA COM A FAMA QUE O MUNDO DA TELEVISÃO PROPORCIONA

SOLANGEMUXANGA EX CONCORRENTE ÍDOLOS “A MINHA VIDA PESSOAL ERA UM DESCALABRO TOTAL”

HOMEMPERFEITO

COMO AS MULHERES O IDEALIZAM E O QUE PODES MUDAR PARA LÁ CHEGAR

PHOTOBOOK

PEDRO CABRAL MOSTRA-NOS O SEU TALENTO www.revistasonho.pt


´

FICHA TECNICA REVISTA SONHO #7 MAIO CAPA Cenário Mosteiro de Tibães Fotografia Samuel Costa Modelo Katarina Maia Andreia Mendo Estilista David Dias DIREÇÃO Leandro Covinha Mário Rui Samuel Costa REVISÃO Marta Bichança DESIGN GRÁFICO Mário Rui COLABORAÇÃO Mosteiro São Martinho de Tibães Direção geral da cultura TIRAGEM 5500 exemplares IMPRESSÃO ajnet www.ajnet.net ANUNCIE NA REVISTA SONHO E SEJA NOSSO PARCEIRO. ENVIE UM E-MAIL PARA geral@revistasonho.pt www.revistasonho.pt


ESTILISTA DAVID DIAS David Dias Pinhal, tem 22 anos, reside em Vila Nova de Famalicão e iniciou a sua formação na Escola Profissional Cenatex, situada em Guimarães. QUE DESFILES DE MODA JÁ FIZESTE? Iniciei a apresentação das minhas propostas no concurso «Namorar Portugal 2011», onde voltei a participar mais tarde nos anos 2012 e 2013. No ano 2011 apresentei ainda propostas no Moda Guimarães 2011 e no Sarau Cultural de Vermoim, este Último sendo repetido em 2012. Expus o coordenado da Prova de Aptidão Profissional num Evento de moda em Guimarães, no ano 2012, assim como trabalhos elaborados durante o estágio curricular, no Atelier Rafael Freitas. Pela Be Exotic Agency dei a conhecer as minhas mais recentes criações. QUAL O TIPO DE ROUPA QUE PRODUZES? Produzo roupa de alta-costura.


JÁ GANHASTE ALGUM PRÉMIO? Concorri no 11ºano no concurso «Namorar Portugal 2011», onde obtive o prémio “Jovem Revelação”. Até ao presente tenho sempre concorrido a este concurso. FALA-NOS UM POUCO DA MARCA DAVID DIAS A marca David Dias procura satisfazer todos os variados gostos das mulheres, de todos os tamanhos, mantendo sempre a sua linha pessoal, que são o glamour e a sofisticação. Para as minhas criações utilizo vários materiais como cetins, mousselines, organzas tules, chantung`s,..(no que diz respeito aos tecidos) e para elaboração dos bordados são usadas pérolas, missangas, vidrilhos, strass, entre outros materiais variados. Inicio sempre as minhas criações com protótipos, utilizando as medidas adequadas às modelos (a mesma medida no geral), caso não sejam pedidas medidas específicas. Relativamente aos preços, estes variam entre tamanhos (curto/comprido), design da própria criação e aos materiais utilizados. O preço mínimo estabelece-se em 50 euros.


ANDREIA MENDO Andreia Mendo, tem 24 anos, é natural de Barcelos e faz parte da Be Exoctic Agency.

O QUE NOS PODES DIZER SOBRE TI? Sou uma pessoa simples e humilde. Sou baixinha, brincalhona e muito teimosa. Gosto de ler, comer, fazer exercício, cinema, música, adoro dançar. Sinceramente é uma pergunta difícil, falar a respeito de nós próprios. COMEÇASTE HÁ POUCO TEMPO NO MUNDO DA MODA. ACHAS QUE FIZESTE BEM? Sim, comecei à relativamente um ano. Já tive alguns trabalhos, uns melhores que outros, uns que me agradaram mais e outros menos, mas vou fazendo sempre de bom gosto. Se acho que fiz bem? Não posso responder ao certo a essa pergunta, pois iniciei à pouco e ainda não tenho muita experiência, mas posso dizer que estou a gostar bastante e espero continuar. Espero ter grandes e ótimas experiências até conseguir alcançar o meu sonho. COMO ACONTECEU A TUA ENTRADA NESTA “DIFERENTE REALIDADE”? Aconteceu de uma forma quase estranha e não estava  nada a contar. Houve um casting da Be Exoctic Agency na minha cidade, tanto para manequim como para modelo fotográfico e teatro, decidi arriscar, pois como sou pequenina sei que manequim nunca poderia ser e fui mais pela parte de teatro. Entretanto recebi a informação de que tinha ganho o casting que oferecia a formação na agência, o que me deixou muito contente. Entretanto foram surgindo trabalhos como modelo fotográfico e alguns desfiles, comecei a ficar animada o que me fez gostar bastante e hoje, sou apaixonada por fotografia.

JÁ FIZESTE ALGUNS TRABALHOS. QUAIS OS QUE MAIS GOSTASTE? Sim já fiz alguns trabalhos, não foram muitos mas já foram alguns. Adorei fazer o trabalho de Miss Gil Vicente, pois foi a minha primeira verdadeira experiência como modelo fotográfico, o frio que se passa, a ansiedade, aquele friozinho na barriga, foi muito bom, uma ótima experiência. Também gostei muito de trabalhar para a revista Amol Magazine, pois sei que é uma revista muito bem falada e que também me pode lançar mais um pouco como modelo fotográfico. Adorei representar, fazendo duas curtas-metragens, como foi um dos motivos que me levou a inscrever no casting da agência, ter a oportunidade de representar foi uma sensação muito agradável, adorei mesmo e espero que venham a surgir mais oportunidades de representação. PODE-SE DIZER ENTÃO QUE TAMBÉM AMAS A REPRESENTAÇÃO? PORQUÊ? Sim é verdade amo, como referi foi o que me levou à inscrição, porque a representação é um mundo à parte. Adoro representar porque é como se estivesse a viver uma outra vida, ser uma outra pessoa, muitas vezes fazemos coisas que, se nao fosse a representar, se calhar nem faríamos mas, ali, naquele momento é diferente. Sei que ainda tenho muito para aprender, como se costuma dizer, ainda estou muito verde mas, com o tempo e oportunidades irei aprender mais e quem sabe não venha a representar numa ótima peça de teatro. A esperança é sempre a última a morrer. JÁ TIVESTE ALGUMA OPORTUNIDADE DE MOSTRAR O QUE VALES? Acho que já surgiram algumas oportunidades, mas penso que ainda não consegui mostrar o que valho,

acho que já consegui mostrar que posso melhorar e fazer bons trabalhos. Ainda tenho muito para aprender e a cada sessão, a cada trabalho que vai surgindo vou aprendendo novas técnicas, novas formas de melhorar ainda mais o meu trabalho. A cada um deles tento dar sempre o meu melhor, muitas vezes não corre como pretendo mas levanto a cabeça e tento fazer melhor numa próxima oportunidade. Quero mostrar que sou capaz de melhor. O QUE SENTISTE QUANDO POUSASTE PARA A REVISTA SONHO? Penso que foi dos trabalhos em que estive calma no início e que depois fiquei mais nervosa e um pouco perdida. Fiquei um pouco intimidada, mas a experiência foi boa. Podia ter feito um melhor trabalho acho que não me correu bem. Espero que as pessoas gostem e que a Revista Sonho também, a experiência foi boa e sei que as próximas capas vão adorar a experiência. QUAL É O TEU MAIOR SONHO? O meu maior sonho é concretizar todos os pequenos sonhos que tenho. Dois dos principais passam por ser modelo fotográfico e por ser atriz, posteriormente há aqueles que vêm depois mas que não deixam de ser importantes. Toda a gente tem vários sonhos, eu também, e concretizar todos seria um verdadeiro sonho, e ninguém deve desistir, deve-se lutar sempre pelo que queremos…no caminho receberemos muitas respostas que não serão do nosso agrado mas, devemos continuar porque haverá sempre alguém que nos vai dar a resposta positiva pela qual esperamos.


KATARINA MAIA Katarina Penso Maia, tem 17 anos, é de Braga e faz parte da agência Nobodymodels.

DESDE QUE IDADE TENS O SONHO DE SINGRAR PELA MODA? Desde que tive a minha primeira oportunidade, à cerca de 2 anos. COMO TE CARACTERIZAS? Considero-me curiosa, alegre, atenta, observadora, compreensiva e persistente. Sou também muito teimosa e direta. Costumam descrever-me com a expressão “muito pés à terra”, sou bastante ponderada. FALA-NOS UM POUCO DA TUA CARREIRA, DESDE O INICIO ATÉ AGORA. Fui descoberta no concurso Miss Mundo Portugal, ao qual concorri por iniciativa própria atendendo ao gosto e fascínio que tenho por esta arte, cheguei à final norte. Na eliminatória distrital fui eleita Miss Simpatia Braga e fui apoiada pela equipa da revista B’Glam (atual Nobodymodels), que me tem promovido e me tem lançado diversos desafios nas várias vertentes da moda, que me têm incentivado e contribuído para o enriquecimento da minha experiência enquanto modelo.  Tive a minha primeira experiência em desfiles no Dolce Vita Porto para uma produção das Noivas de Portugal com o grupo Chananoivos (Fátima Rodrigues e Susana de Castro). Fiz desfiles para várias marcas: Guess, Cotton, Matrimonius (noivas), Capulesa Studio, Hello Kitty, Vestidos de Sonho, Ruga, Rafael Freitas & Eugénio de Campos (jóias). Participei no concurso Miss Mundo Portugal. Desfilei em feiras de noivos como o Viana Noivos. Fiz desfiles para cabeleireiros: apresentação da técnica Flamboyage, Show Cabeleireira Paula Brás. Participei em iniciativas como Moda em Movimento

Braga, Street Fashion Show Rafael Freitas, B’Glam Fashion Winter 2011, Expobeleza 2012. Desfilei para os estilistas Elsa Barreto, Rafael Freitas, David Dias… Participei no editorial da revista B’Glam Magazine Julho/Agosto 2011, no catálogo Marta Serrão no catálogo Matrimonius e já realizei várias sessões fotográficas no âmbito de diversos temas e eventos. Ultimamente tenho tido alguns trabalhos de promotoria e desfiles televisivos. SABEMOS QUE ÉS DE BRAGA. ACHAS ISSO UM INCONVENIENTE PARA TEU SUCESSO NESTE MUNDO? É sem dúvida um meio com oportunidades reduzidas. As melhores agências e o centro do mercado de trabalho estão essencialmente na capital mas não encaro esse fato como um inconveniente, pois o sucesso vem das oportunidades mas principalmente da persistência, força, dedicação e vontade com que nos guiamos à procura do objetivo. Por esta razão também não me vejo coagida a ficar em Braga, se surgir uma boa oportunidade de ingressar em algum projeto da área em qualquer outra parte, porque não? Seja qual for a situação, Braga está agora a emergir neste mundo também pois a Agência Nobodymodels ainda tem muito para dar, estou confiante. ALÉM DA MODA, A REPRESENTAÇÃO FASCINA-TE. QUAL PREFERES? São áreas que embora estejam um pouco relacionadas são muito diferentes. Neste momento estou a apostar mais na área da representação, aliás, é a minha área de estudos. Teatro, cinema e televisão fazem parte das minhas pretensões futuras, entretanto levo a dança e o

piano em paralelo. Neste momento uma área complementa a outra. TENS PROJETOS FUTUROS EM VISTA? Alguns mas ficarão para já por revelar... TENS ÍDOLOS ? Os meus pais. A minha mãe é quem mais admiro pela sua garra e pela forma séria como leva as coisas avante. Além do mais, sempre esteve ao meu lado e me apoiou incondicionalmente. O meu pai pela sua forma de ver e pensar sobre as coisas, pela sua ponderação. Ambos me apoiam, pois gostam da área em questão e as características referidas que possuem acabam por me influenciar, ajudam a ultrapassar todos os obstáculos. QUE ACHAS DO PROJETO «REVISTA SONHO»? Conheço pouco ainda, pois ainda é recente mas acho que para projeto principiante está bastante interessante. Na minha opinião deviam continuar a apostar para ir cada vez mais longe. Têm o meu apoio! GOSTASTE DO ESPAÇO DA SESSÃO? Já conhecia, já tinha inclusive estado lá a atuar. É um local muito agradável, cheio de espaços verdes, algo que eu adoro. Tem espaços muito bonitos para fazer sessões deste género. Gostei muito! QUAL É O TEU MAIOR SONHO? Conseguir vincar na vida. Ser reconhecida positivamente pelo trabalho que realizei e realizarei. Ter as pessoas importantes sempre do meu lado. Sentir-me realizada e feliz.


Mosteiro de TIBÃES

Foto: Joaquim Pinheiro

Foto: Luis Ferreira Alves

Mire de Tibães - BRAGA

Venha conhecer e usufruir este sítio de exceção. www.mosteirodetibaes.org Direcção Regional de Cultura do Norte www.culturanorte.pt

Design: Atelier João Borges

Foto: Luis Ferreira Alves

Cultura . Lazer . Sentir


TRUQUES DE UM MODELO

NOME: Ana Burea IDADE: 17 anos LOCALIDADE: Armação de Pêra AGÊNCIA: Elite Lisbon

COMO SURGIU O MUNDO DA MODA NA TUA VIDA? Comecei a interessar-me pela moda quando tinha 12 anos. Os meus pais levaram-me à agência da Fátima Lopes e foi lá que me estreei. Dois anos mais tarde, decidi mudar de agência e participei num casting da Elite Model Look, onde fiquei entre as 10 finalistas. Desde aí vou tendo vários trabalhos. QUE TRABALHOS JÁ FIZESTE NA TUA CARREIRA DE MODELO? QUAL FOI O QUE MAIS TE PROJETOU? Fiz desfiles para o Portugal Fashion e Moda Lisboa e também para a Fly London, Fátima Mendes, L’Oréal e Louis Vuitton. Aquele que mais me projetou foi o desfile para a Fly London.

RELATIVAMENTE AO EXERCÍCIO FÍSICO…O QUE FAZES E O QUE ACONSELHAS? Não costumo fazer exercício físico, mas aconselho praticar algum exercício físico semanalmente como correr ou algo simples do género. QUE ROUPAS ESCOLHES USAR NUM CASTING? Nos castings opto por um biquíni preto e saltos altos. QUE TIPO DE MAQUILHAGEM COSTUMAS UTILIZAR DIARIAMENTE? MUDAS ALGUMA COISA NA MAQUILHAGEM PARA UM CASTING? No meu dia-a-dia não costumo usar maquilhagem, só mesmo rímel. E num casting só uso corretor para tapar as imperfeições e um pouco de rímel ou quase nada. O QUE É PRECISO PARA SE SER MODELO? Sobretudo, é necessário ter personalidade e confiança. É preciso também ter altura e uma boa figura física.

COMO REAGES A UM CASTING? Nunca me sinto nervosa, mantenho-me calma e penso que vai correr tudo bem.

EXISTE ALGUM TRABALHO QUE NUNCA ACEITARIAS? Sim, por exemplo, nudismo.

TENS ALGUMA DIETA OU ALIMENTOS QUE NÃO PODES COMER? Eu não faço dietas e posso comer de tudo.

QUAL O TRABALHO COM QUE MAIS TE IDENTIFICAS? Os desfiles, sem dúvida.

A TUA VIDA É APENAS MODA? SE NÃO, QUE MAIS FAZES? A minha vida não é só isto, também estudo e estou a pensar seguir medicina. QUAIS SÃO OS TEUS HOBBIES? Tenho alguns, principalmente ler e ouvir música. QUANTO TEMPO DEMORAS A PREPARES-TE PARA SAIR? Não sei ao certo, mas demoro pouco tempo. TENS ALGUNS CUIDADOS COM O TEU CORPO? Não gosto de estar exposta ao sol durante muito tempo e hidrato sempre a pele. QUE CONSELHOS DAVAS A NOVOS MODELOS? Aos novos modelos diria que o essencial é ter confiança, atitude e respeitar os colegas. TENS TRABALHOS FUTUROS OU PERSPETIVAS PARA TRABALHOS EM VISTA? Neste momento não tenho trabalhos planeados para o futuro. QUAL É O TEU MAIOR SONHO? O meu grande sonho é poder viver em Londres. PUB

9


ARTE NA FOTOGRAFIA e a construção do homem perfeito


HOMEM PERFEITO

Em pequenas, a maioria das mulheres teve um sonho frequente: entrar numa igreja com um perfeito vestido branco, preferencialmente comprido, com maquilhagem perfeita e caminhar até ao altar onde se encontra o homem perfeito à espera de cada uma delas.

Física ou psicologicamente, já todas nos fantasiamos sobre o nosso homem perfeito, sobre aquele homem que gostávamos de ter ao nosso lado. Imaginamos alguém que reúne todas as características que nos atraem, algo do género “tudo em um”…uma espécie de príncipe encantado que nos vem buscar num cavalo branco.

Aqui a escritora de serviço contentar-se-ia com um homem que brincasse com ela mas que soubesse ser sério nos momentos certos, que fosse sincero e fiel acima de qualquer obstáculo, que a respeitasse 1440 minutos por dia e a compreendesse mesmo nos seus dias mais difíceis, mas que também soubesse surpreender deixando o seu lado romântico vir à superfície. Por outro lado, interessa-me um homem bem constituído, de preferência com olhos verdes que me façam perder neles, que saiba como se deve apresentar nas variadas ocasiões que vão surgindo ao longo da vida, que se preocupe em cuidar de si próprio a um nível equilibrado (sem exageros) e, sobretudo, que soubesse ser sensual e fazer com que, aqui a sua mulher, o

deseje todos os dias. Será que é pedir muito que um homem assim me venha buscar no tal cavalo branco das histórias da nossa infância? Vou esperar para descobrir. Mas, quais seriam, de uma forma geral, as características desse homem perfeito do sonho das restantes mulheres? Como é que ele é idealizado? A revista Sonho pensou no assunto e decidiu pedir a opinião às suas leitoras, lançando-lhes o desafio de descreverem como seria o homem perfeito; falar de características que não poderiam faltar porque lhes é atribuída elevada importância.

PUB

12

M Ú S I C A

E

V I D A www.mvmtv.net


13

texto Marta Bichança produção Sara Barradas fotografia Samuel Costa modelos Sara Oliveira Simão Oliveira


14


15


16


opinião

Daniela Sousa

Primeiro de tudo, o homem ideal deve ser inteligente e conseguir manter um diálogo minimamente interessante. É obrigatório ter um bom sentido de humor, um homem que faz rir e sorrir uma mulher é imprescindível. Tem de ser companheiro, humilde e amigo...tem que saber surpreender a mulher e mostrar-lhe como esta é importante para ele. Como a beleza está nos olhos de quem a vê, fisicamente poderia ser tipo Miguel Veloso. Resumindo, mostrar que consegue abdicar de muitas mulheres para fazer única e exclusivamente uma feliz (tarefa que pode não ser fácil)! Revista sonho gosta disto.

Patrícia Moreira

O homem perfeito deve ser tímido mas alegre e divertido…um amigo verdadeiro, bonito fisicamente e bem constituído. Tem que ser bem-educado, organizado e muito romântico - oferecer presentes e flores quando menos se espera, fazer tudo para agradar a sua mulher. Também deve ser muito sensual, charmoso, delicado e sensível no que toca a sentimentos. Revista sonho gosta disto.

Andreia Reis

Cada mulher tem a sua maneira de ver o homem ideal na sua vida. Na minha opinião, toda a mulher gosta de um homem, respeitador, sensato, humilde, trabalhador, educado, charmoso, apresentável, bem constituído e bonito… dentro destes parâmetros existem os gostos de cada uma. Não podemos ter todas o mesmo gosto porque nenhum homem é igual, assim como nenhuma mulher o é. Acredito sim que, para cada mulher exista sempre um homem indicado e que ambos conseguem entender se bem e ser felizes. O homem ideal existe meninas, mesmo com os seus defeitos é sempre especial para cada uma de nós. Revista sonho gosta disto.

Sara Sousa

O homem perfeito deve ser leal acima de tudo, alguém em quem se pode confiar completamente. Deve ser divertido, querido, brincalhão mas, sobretudo, que saiba quando deve ser sério. Para finalizar, deve ser seguro de si... Revista sonho gosta disto.

17


18

Rua Padre Jos茅 Ant贸nio de Campos, n潞 21 | 4490-668 P贸voa de Varzim telef: 252 681 975 | escrit: 252 688 948 | fax: 252 688 949 e-mail: ajnet@ajnet.net

www.ajnet.net


MÚSICA SOLANGE MUXANGA O seu nome é Solange Muxanga, tem 21 anos, vive em Oeiras e integra o mundo da música. Descobre mais sobre ela de seguida…

FALA-NOS DE TODOS OS BONS MOMENTOS DA TUA VIDA. Já tive vários bons momentos durante toda a minha vida, e continuo a ter. Penso que dos melhores momentos que tive claramente foi a primeira vez que cantei para uma plateia já há alguns anos. Claro que na altura estava nervosíssima, mas os nervos, quando controlados, também sabem bem. Tive também já muitos bons momentos com as minhas amigas e amigos, no fundo com as pessoas que amo. ANTES DE “DESCOBRIRES” A MÚSICA, QUAL ERA A TUA PAIXÃO?   Não foi bem antes da música, mas antes de tentar alguma coisa no mundo da música (até porque ainda era pequena e menor), fiz um curso de teatro porque sempre gostei de representar e encarnar várias personagens e personalidades diferentes. Fiz ainda algumas peças de teatro e participei também na série Detetive Maravilhas, como Natália. Foi uma fase também bastante divertida da minha vida, era uma Solange completamente diferente. Por isso acho que posso dizer que para além da música também gosto de representar. COMO CHEGAS-TE AO MUNDO DA MÚSICA?  Desde pequena que a música sempre fez parte de mim, adorava fazer playback nos vídeos com músicas da Whitney Houston e da Christina Aguilera, tinha de ser assim porque sabia que não chegava às notas delas. Mas um dia lá tentei cantar um bocadinho mais além e alguém me disse que tinha boa voz. A partir daí

comecei a ouvir todo o tipo de música, vários cantores e cantoras e fui tentando cantar.  SABEMOS QUE PARTICIPASTE NUM PROGRAMA DE TELEVISÃO, COMO CORREU?  A minha participação no programa Ídolos foi sem dúvida um ponto de viragem da minha vida. Inscrevi-me, fiz o casting, fui selecionada e conheci pessoas lindas! Perdi aquele “medo” que tinha do palco (apesar de poder ter dado mais de mim no programa). Com isto, a minha vida deu uma volta de 180º não apenas em termos musicais mas também pessoais, posso dizer que foi agridoce, enquanto a parte musical ia de vento em popa, a parte pessoal era um descalabro total. A minha mãe foi para Moçambique e foi difícil para mim porque sempre morei e vivi com ela, era o meu refúgio, e de repente ela está num continente completamente diferente e tive que acordar para a realidade. Foi e tem sido difícil claro, mas também acho que amadureci e abri os olhos para muita coisa.  ENTRETANTO NA TUA VIDA PROFISSIONAL SURGIU MAIS ALGUM NOVO PROJETO?  Sim, neste momento estou numa girls band de R&B e Soul, L.NO.G (Ladies No Gentleman) com a Catarina Boto e a Mel Almeida, também elas ex-concorrentes do Ídolos…são ambas muito talentosas. Tem sido uma experiência engraçada, uma vez que sempre estive numa banda só de rapazes e agora estou numa só de raparigas. É completamente diferente, mas estou a gostar bastante.

QUAL O CAMINHO A PERCORRER PARA CHEGAR ONDE CHEGASTE?  Sinceramente, sinto claramente que cheguei longe mas ainda há muito por batalhar e trabalhar. Acho que temos de ser persistentes, manter os pés na terra e fazermos sempre tudo de coração, sermos fiéis a nós mesmos.  Vão existir sempre obstáculos porque nada é dado e temos que funcionar como um espelho, em que tudo o que fazemos é refletido de volta. E o mesmo acontece às pessoas à nossa volta, sejam elas boas ou más. QUAL É O TEU MAIOR ÍDOLO?  A minha mãe, sem dúvida. Tem um coração do tamanho do mundo, fez e deu sempre tudo o que tinha a mim e aos meus irmãos.  TENS ALGO A DIZER AOS TEUS FÃS?  Tenho a agradecer bastante pois ainda hoje tenho recebido mensagens muito bonitas e motivadoras. MUITO OBRIGADA. QUAL É O TEU MAIOR SONHO?  Sou sonhadora mas tento não me alimentar de sonhos. Tento pensar em objetivos a cumprir e um deles é ter sucesso. Para mim o sucesso significa felicidade, por isso o meu sonho é claramente ter sucesso, muito amor, ter sempre as pessoas certas do meu lado e sem dúvida saúde, porque sem saúde não vamos a lado nenhum.

19


20


NEW MODELS


MARCO DIAS

22

IDADE? 17Anos. QUAL FOI O MOTIVO QUE TE LEVOU A TORNARES-TE MODELO? Bem, basicamente foi para melhorar a minha autoestima, mas ao longo do tempo reparei que o mundo da moda mudou bastante a minha maneira de ser e de estar. QUAL A ÁREA DA MODA DE QUE MAIS GOSTAS? Definitivamente, a parte da passerelle…dá-me prazer fazer desfiles e ajudar determinadas marcas a vender as suas roupas. QUAIS OS TRABALHOS QUE JÁ REALIZASTE NESTE MUNDO? Para ser sincero ao certo não me recordo quantos, mas já foram bastantes. QUAL O MOMENTO MAIS MARCANTE DA TUA VIDA NA MODA? Sem dúvida o momento em que entrei para a passerelle do meu primeiro desfile, foi algo inexplicável. O QUE TE FAZ SENTIR REALIZADO? Sinto-me realizado quando recebo uma opinião positiva e tenho a aprovação do dono da loja dizendo que o desfile foi ótimo e que gostou do meu trabalho. O QUE MAIS GOSTARIAS DE CONSEGUIR NA MODA? Adorava poder viajar pelo mundo, desfilar em cada país e passar a ser conhecido mundialmente. QUAL A COISA MAIS MALUCA QUE JÁ FIZESTE? Ainda não a fiz mas farei. Irei para Itália ou Nova Iorque inscrever-me em agências, para lutar pelo meu futuro no mundo da moda. Só assim é que me posso tornar num modelo internacional…se as agências não te conhecem, tens que ser tu a ir ter com elas porque de certeza que elas não virão ter contigo. QUAL A PALAVRA OU EXPRESSÃO QUE MAIS USAS E EM QUE OCASIÕES? Se queres uma rosa tens que respeitar os espinhos. Isto quer dizer que se queres fazer alguma coisa demais, tens que te lembrar das consequências e perceber se é mesmo isso que queres. Uso-a em várias fases da minha vida… QUAIS SÃO OS TEUS HOBBIES? Praticar desporto, mecânica de automóvel e ajudar os meus verdadeiros amigos naquilo em que puder ser útil. O QUE MUDAVAS EM TI? Nada, se eu sou assim, feliz como sou, não entendo o porquê de querer mudar. As pessoas têm que gostar de mim como eu sou e não como elas querem que eu seja. A MODA PARA TI É.... Mais que um hobby, a moda para mim é um estilo de vida. Há quem pense que ser modelo é fácil, mas estão enganados, precisamos de abdicar de certas coisas para sermos bons modelos. QUAL É O TEU MAIOR SONHO? Decididamente é ser um modelo internacional e ser procurado pelas melhores marcas de roupa que possa haver por este mundo fora. ACHAS QUE A “REVISTA SONHO” TE VAI AJUDAR NO TEU PRÓPRIO SONHO? Espero que sim, espero que me ajude a promover-me para o mundo da moda.


LÍDIA OLIVEIRA IDADE?  25 Anos. DESDE QUE IDADE ESTÁS NA MODA?  Só comecei na moda este ano, 2013. QUAL A TUA AGÊNCIA ?  Be Exoctic Agency & LX Models. O QUE SENTES QUANDO ÉS FOTOGRAFADA? Sinto-me mais mulher, sexy e especial. Aconselho todas as mulheres a fazer uma sessão fotográfica porque é bom para o ego... QUAL É A ÁREA DA MODA DE QUE MAIS GOSTAS? Gosto de fotografia e também da passerelle. QUAIS OS TRABALHOS QUE JÁ REALIZASTE NESTE MUNDO? Já fiz alguns desfiles e uma sessão fotográfica. QUAL O MOMENTO MAIS MARCANTE DA TUA CARREIRA? Sem dúvida ganhar o concurso de modelos e a participação no Concurso Miss Audiência/ RTV. O QUE É QUE TE FAZ SENTIR REALIZADA? Quando faço o que gosto, porque há sempre mais entrega, mais empenho e claro mais satisfação no final. E quando isto acontece a realização é completa tanto a nível pessoal como a nível profissional.

23


CINEMA BALAS E BOLINHOS COMO É QUE SURGIU A IDEIA PARA O FILME “BALAS E BOLINHOS”? O “Balas e Bolinhos” surgiu primeiramente como uma necessidade de fazer cinema em Portugal, mais concretamente em Valongo. Queríamos fazer algo e na altura achávamos que o cinema português precisava de estabelecer pontes com o público isto é, precisava de voltar àquela reação que tínhamos quando em crianças víamos o “Pátio das Cantigas”, e outros filmes que povoavam o nosso imaginário e que nem questionávamos ver quatro ou cinco vezes, não havia aquela questão do «outra vez este filme?», achávamos natural. Pensávamos que o público português necessitava de uma ligação mais emotiva, sobretudo por parte da juventude que é a que recorre mais ao cinema mas também porque havia a necessidade de mostrar que Portugal não é assim tão politicamente correto como faz transparecer. Ficámos sempre muito chocados por ouvir a verdade das coisas, pensamos que não há racismo em Portugal mas há, achamos que não há pedofilia e, mais uma vez a verdade é que há. Basicamente pensamos que vivemos num jardim à beira-mar plantado e não é verdade… temos as mesmas virtudes e os mesmos defeitos que qualquer população do mundo, vivemos num «jardim zoológico à beira-mar plantado», por assim dizer. O “Balas e Bolinhos” surgiu para ser uma

comédia e para divertir mas sem qualquer tipo de limitações, quem gostar gosta. Quando fizemos o primeiro filme nem imaginávamos estar anos depois a falar num terceiro. O grande catalisador para fazermos o filme foi ter jovens a ler o guião e a perguntarem se íamos fazer mesmo aquilo… ficamos bastante tristes por ver jovens do nosso país que pareciam ter medo das palavras, quando a juventude deveria servir para questionar dogmas. A primeira situação que nos fez perceber que podíamos construir um filme do nada foi quando, um dia, o meu pai me pediu para vigiar os trolhas que estavam a construir o muro de nossa casa, para que eles não se pusessem só a conversar e a beber cervejas enquanto ele lhes pagava. Então eu pus-me lá e aquilo parecia o fim do mundo, vê-los a falar de nada mas cheios de entusiasmo era uma coisa do caraças. De repente chega outro homem que pede um cigarro a um deles… ele vai ao bolso procurar e o outro pergunta-lhe se lhe vai dar mesmo um cigarro àquele homem, começando a tratarem-se mal e quase ao ponto de se matarem por um cigarro e do nada parou tudo… o homem que tinha pedido o cigarro afasta-se sem ele e chegou mais a cima, numa curva gritou “ei depois a gente fala” e foi-se embora. Foi como ver um vulcão prestes a explodir mas que depois

25


26


acalma, e pensei se eu escrever algo parecido com isto não estou a inventar nada. O objetivo foi retratar pessoas que não sabem o que vão estar a fazer daqui a dois anos mas que pensam sempre no que vão fazer amanhã, pessoas que vivem com «mil paus para tabaco e bilhar» como se costuma dizer. O orçamento era pequeno e as filmagens acabaram quando acabou o dinheiro; como as personagens eram um bocado estúpidas também tinha sentido o filme ter um fim um pouco estúpido, um fim do qual as pessoas não estivessem à espera. COMO FOI CRIADO O TÍTULO DO FILME? O título deriva da cena em que o Tone pergunta quantas balas temos e o Culatra vai lá, afasta os bolinhos de bacalhau e conta as balas. Se esmiuçar-mos o título este significa «criminosos à portuguesa» porque os bolinhos de bacalhau são uma coisa tipicamente â portuguesa. COMO É QUE SURGIU A IDEIA PARA O SEGUNDO FILME? Nós já tínhamos a ideia de fazer um segundo filme no início de 2003, a associação em Valongo já estava mais consolidada, já havia mais material que nos podia fazer sonhar e pensamos “vamos lá ver se conseguimos fazer mais um filme”. Começamos com cerca de trinta pessoas mas acabamos com poucas, fazer um filme é

como um processo de erosão e muitas pessoas foram desistindo ou inventando desculpas para não poderem comparecer num determinado dia. Mas a ideia mesmo surgiu quando, um dia cheguei a casa às duas e tal da manhã e fui passear o meu cão e em frente à minha casa havia um grande monte e de repente vejo, ao longe e no meio do monte, dois faróis e pensei quem seria o maluco que vai aquela hora para o meio de nenhures, se acontecesse um acidente quem é que os iria encontrar….quando viro as costas acende-se uma luz e penso “e se eu fizesse um filme com os quatro do balas, a participarem num rally paper sem saberem?”, a partir daí fiquei com essa base estabelecida e depois comecei a escrever, demorou cerca de seis ou setes meses até ter o guião, os pormenores foram todos melhorados. O QUE SE PODE DIZER SOBRE O TERCEIRO “BALAS E BOLINHOS”? O terceiro filme para nós foi uma espécie de «até aonde é que podemos ir», qual é o máximo que nos é permitido. O objetivo era ser melhor que o segundo e conseguirmos aumentar o número de espetadores nos cinemas. No terceiro filme, tivemos condições técnicas fantásticas e lembro-me de perguntar se o filme não estaria mais comercial e menos ao estilo do “Balas e Bolinhos”, mas depois de vermos achamos que era só mesmo a qualidade que estava bastante melhor. É importante ter em conta que nós fizemos o primeiro

e o segundo filmes sem sequer termos a certeza que eles chegavam ao cinema. No fim do segundo filme passamos a contar com o apoio da LIGHTBOX, que já foi uma ajuda e, quando fizemos o terceiro filme andamos à procura de um distribuidor e por sorte, a Lusomundo ficou com o filme. “BALAS E BOLINHOS 3 – O ÚLTIMO CAPÍTULO”…É REALMENTE O ÚLTIMO? Claro, a escolha do subtítulo foi propositada, não foi à sorte…nós sentamo-nos e pensamos nisso, foi de forma a fechar esta história. Agora vamos ver quais são as novas aventuras que poderão surgir, para nós isso é giro porque nos vai obrigar a pensar e a questionar a nossa postura e, de alguma forma vai criar novos desafios. Vamos continuar fiéis a um cinema mais virado para as pessoas mas vamos surgir de uma forma completamente diferente, «pegar no baralho e voltar a dar as cartas». Para já precisamos de relaxar um bocado e viver este momento do final do terceiro filme porque também faz parte. COMO É QUE SURGIU A IDEIA DE PASSAR DO FILME PARA O TEATRO? Era uma ideia que já na brincadeira dizíamos que um dia havíamos de fazer e que haveria muita gente a querer ir ver. E foi muito giro ver as pessoas que ao longo dos anos nos apoiaram ali ao nosso lado. Sem dúvida que foi uma experiência muito interessante.

27


28

NR. SOLIDÁRIO 760 501 506 (0.60€ + IVA uma chamada reverte a bens essenciais para um animal desfavorecido)

JUNTOS POR UMA BOA C AUSA, APADRINHAM ESTE PROJETO!

NUNO PEREIRA

SÓNIA BRA Z ÃO


NESTA EDIÇÃO

CONSELHOS DE IMAGEM

Este mês venho falar-vos um pouco da questão do tratamento diário da pele. Desengane-se quem pensa que é um assunto exclusivo das mulheres: todos devemos cuidar da nossa pele. O que é certo, é que ainda é um assunto algo desvalorizado, mas a verdade é que a maquilhagem aplicada numa pele saudável fica com um acabamento perfeito! Todos devemos ter uma rotina diária de limpeza e hidratação, onde devem estar incluídos os seguintes passos: Desmaquilhagem, Limpeza, Tónico, Hidratação. Cada passo deverá ser realizado com produtos adequados a cada tipo de pele: pele mista a oleosa ou pele seca, não esquecendo a pele sensível. Para as peles secas, o mais aconselhado são os produtos vitaminados (especialmente Vitamina E). Isto permite que durante a limpeza a pele seja hidratada. No caso das peles sensíveis, sempre que possível devem utilizar produtos à base de Aloe. O Aloe é conhecido pelo seu poder cicatrizante, an-

tibacteriano e calmante, que é o procurado pelas peles mais sensíveis. Relativamente a quem tem pele mista a oleosa, é importante procurar um produto oil free, seja ele de limpeza, hidratação ou maquilhagem que ajude a controlar a oleosidade da pele. Alguns deles atuam mais profundamente na pele, atuando ao nível das glândulas sebáceas, regulando a sua atividade. Mito: Existe o mito de que as peles oleosas não precisam de hidratação. Isto é incorreto. As peles oleosas possuem oleosidade e não hidratação, e quanto mais desidratadas estiverem mais oleosidade produzem.

TRATAMENTOS DE PELE

PELES SECAS

Esta rotina de limpeza que falei acima, deve ser realizada duas vezes por dia: de manhã e à noite. Estas dicas, como já disse, servem para qualquer tipo de produto que apliquem na vossa pele. E agora com o início das estações quentes, não se esqueçam do protetor solar! Sabiam que é o melhor anti-rugas que podemos usar?

PELES OLEOSAS

PELES SENSIVEIS


PHOTOBOOK PEDRO CABRAL

30

Recordo ainda a primeira máquina fotográfica com que, muito novo, já tirava as minhas fotografias....devia ter uns dez anos e usava a máquina do meu irmão mais velho. Era uma Kodak Baby Brownie.

da revelação e ampliação. Na altura passava horas e horas no laboratório. Vivi também as primeiras aventuras no campo da reportagem fotográfica e comecei a habituar-me a ver os meus trabalhos publicados.

Mais tarde, pelos catorze/quinze anos , tive a minha primeira máquina .... uma Diana, curiosamente uma máquina que recentemente voltou a aparecer à venda. Nesse tempo os meus principais modelos eram os cães e gatos da casa, e recordo a ansiedade em que, terminado o rolo, corria para o fotógrafo para o deixar a revelar. Tarefa sempre para dois ou três dias.

Depois veio um grande período de paragem, em que as máquinas fotográficas existiram sempre mas mais dedicadas a férias do que propriamente a um trabalho mais criterioso. E recordo a chegada das primeiras máquinas digitais que francamente não me entusiasmaram.

Acho que o “bichinho” da fotografia esteve sempre em banho-maria e quando comecei a trabalhar como professor rapidamente comprei a minha primeira reflex com que há muito sonhava. O meu primeiro investimento foi uma Canon e, mais tarde, adquiri também uma Nikon usada. Carregava frequentemente as duas máquinas, uma com rolo de cor, outra com preto e branco. Teria os meus 22 anos quando adquiri o primeiro equipamento de laboratório, tanques de revelação, tinas, ampliador, químicos e papel e me iniciei nas aventuras

Mas o digital evoluiu e acabei por me render às DSLR digitais, comecei por uma Nikon 60D e, a partir daí, claramente Nikonista. A minha grande vocação, fotografia com modelos e moda, era agora mais fácil. As mentalidades mais abertas, a revolução sexual que ocorreu após a ditadura, a internet facilitadora de contatos e permitindo uma divulgação rápida de trabalhos, sites como net-model, model mayhem e o português ptvanity5 permitiam juntar as comunidades ligadas à fotografia, trocar experiências, trocar trabalho e evoluir.

E cá estou hoje… Hoje, dedicado à fotografia que vivo com intensidade. A gostar de fazer retrato, glamour, moda e nu. Adepto da cooperação entre fotógrafos e na possibilidade de aprender em conjunto. Com uma quantidade razoável de modelos já fotografados com quem tenho, de um modo geral, conseguido manter boas relações de amizade, fruto de uma relação “fotográfica” baseada na cumplicidade e no respeito mútuo. Coordenador de uma revista online que já nasceu há três anos, completamente gratuita e que começou em Janeiro a expansão internacional, tendo já colaboradores em Itália, Reino Unido e Holanda .... e isto tudo mantendo a minha profissão de docência no ensino superior e o meu estatuto “amador” na fotografia. Para terminar, uma referência à Be Exoctic com quem aceitei recentemente cooperar. Sou crítico com a maioria das “agências” instituídas por considerar que muitas se limitam a vender Books e Cursos mas, para surpresa de muitos amigos, achei o projeto da Be Exoctic interessante, precisamente porque não configura os aspetos de exploração de modelos que crítico.


ENTREVISTA RODRIGO PAGANELLI Rodrigo Gomes Paganelli, tem 20 anos e reside em S. Pedro do Estoril…define-se como um jovem ambicioso, sonhador e que deseja, um dia, conseguir ser reconhecido como um grandioso ator.

SABEMOS QUE NÃO VIVESTE SEMPRE EM PORTUGAL, MAS QUAL É O PAÍS QUE PREFERES? Vivi 6 anos em Itália, onde estudei teatro musical. Continuo a ir a Itália, pois o meu pai vive lá. Portugal é a minha casa, adoro o meu país e acredito nele! A Itália é como uma segunda casa, um refúgio. Não conseguiria abdicar de nenhum deles, mas agora estou aqui e espero conseguir seguir o meu sonho por cá. QUAIS OS TRABALHOS QUE JÁ REALIZASTE? Comecei neste mundo com 5 anos, iniciando a minha carreira num programa de televisão, em publicidade, para catálogos e rádio. Com 9 e depois 10 anos participei em 2 peças no teatro nacional D. Maria II, “A viagem de Pedro o Afortunado” com encenação de Fernanda Lapa e depois “Tito Andrónico”, coprodução com o teatro da Cornucópia e encenação de Luís Miguel Sintra. Antes de ir viver para Itália dobrei a voz do Nemo, no filme “À procura de Nemo” da Disney. Em Itália, durante os 6 anos de teatro musical na companhia “L’anfiteatro Spettacolo”, fiz ao todo 10 espetáculos (quase sempre como protagonista) cada um com um elenco de mais de 500 artistas, entre cantores, bailarinos e atores. Ao voltar para Portugal, depois de fazer o respetivo casting, integrei no workshop da Plural de preparação para os “Morangos com Açúcar”. Depois, entrei na sétima temporada da série e continuei na oitava. No verão que se seguiu entrei no telefilme da TVI “Vidas (des) enrascadas”. Depois disso comecei a gravar a novela “Doida por Ti”, que ainda está no ar.

32

QUAL O TRABALHO QUE TE DEU MAIS PRAZER FAZER? Costumo dizer que o trabalho que deu mais prazer é o que estou a fazer nesse momento! O bom desta profissão é que cada projeto é diferentes dos anteriores e por isso todos eles nos dão enorme prazer em fazer, pois é sempre um novo desafio.

NAS GRAVAÇÕES DE NOVELAS AS CENAS MAIS VIOLENTAS COMO ACONTECEM? JÁ ALGUMA VEZ CORREU MENOS BEM? Geralmente, nas cenas em que existe um contacto físico mais violento, há também um técnico especializado  que dirige a coreografia da cena. Portanto é como uma dança na qual os atores ou duplos não batem no parceiro, mas apenas tocam (nos murros e outros ataques à cara nem lhe toca), simulando um golpe com força e o colega tem que simular o impacto e a dor, depois o segredo esta nos ângulos das câmaras, parecendo que o golpe é real. Estas cenas têm bastantes ensaios, por isso o risco de correr mal é muito baixo.  Em certas alturas, os estalos são realmente dados. É claro que envolve concordância do realizador e dos atores mas, deste modo é sempre mais verídico. PORQUÊ É QUE GOSTAS DE REPRESENTAR? O QUE SENTES? Ser ator é uma forma de estar na vida. Um ator não o é só quando está a gravar, é-o 24 horas por dia, 365 dias por ano. Na rua observamos cada pessoa com que nos cruzamos, tentando perceber quem é, para onde vai, de onde vem, se está feliz, triste, zangada, nervosa, entusiasmada; tentando perceber a essência de cada ser, guardando essa essência num “cofre” mental para no futuro a usar ao criar uma personagem. Deste modo, quando não estamos a representar em frente a um público ou em frente a câmaras, estamos a criar. Este modo de viver juntamente com o imenso prazer de dar vida a personagens, a seres diferentes, torna esta profissão a melhor do mundo. COMO SE LIDA COM A FAMA? A fama é uma consequência direta deste trabalho e os atores têm que saber lidar com ela. De certo modo, temos que aprender a aproveitá-la como meio para ganhar motivação, para fazermos sempre melhor e melhor, querendo surpreender quem nos vê a cada novo projeto. Mas a fama é também muito perigosa, podendo criar uma grande ilusão e, se não tivermos

cuidado, podemos facilmente cair no erro de trabalhar para alcançar mais fama em vez de o fazermos para melhorar o nosso desempenho. O segredo será continuar a ter a sua própria vida e não viver em deslumbramento. MUDARIAS ALGO NA TUA VIDA? Acho que não mudaria nada, pois tudo o que fiz e aquilo porque sempre lutei trouxe-me onde estou hoje, trouxe-me uma vida cheia, com a concretização e ambição por sonhos maiores. TENS PROJETOS FUTUROS EM VISTA? Continuar a minha formação, aqui e lá fora, de modo a ter mais armas para melhorar o meu trabalho.  CONSELHOS PARA QUEM QUER SEGUIR ESTE MUNDO? Investir na formação, ir a muitos, muitos castings e tentar superar-se sempre. É um mundo muito difícil, por isso só o aconselho a quem queira mesmo ser ator. CONHECES PESSOAS COM ESSA VONTADE E QUE TENTASTE AJUDAR? Ultimamente tenho tido o privilégio de dar pequenos workshops a pessoas mais novas que eu e conheci bastantes jovens com este sonho. Nas aulas dou-lhes dicas e partilho métodos usados por mim de modo a ajudá-los. Digamos que é uma espécie de agradecimento por tudo o que cada um dos meus “alunos” me ensina. Portanto só me resta desejar muita merda a todos os que partilharem o meu sonho e um grande ATÉ JÁ!  TENS ALGUM SONHO QUE GOSTARIAS DE CONCRETIZAR NUM FUTURO PRÓXIMO? Gostava de conseguir entrar no mundo do cinema.


33


MAIO SEG

06 13 20 27

TER

QUA

QUI

SEX

SAB

DOM

07 14 21 28

F 08 15 22 29

02 09 16 23 30

03 10 17 24 31

04 11 18 25

05 12 19 26

PEDRO CABRAL


sonho Nテグ DEIXES OS TEUS SONHOS SEREM APENAS UM SONHO www.revistasonho.pt


REVISTA SONHO #7 - MAIO '13