Page 1

nº2

FLORIANÓPOLIS VERÃO 2013 4 Exemplar exclusivo do hotel

BEM-VINDO DESCUBRA AS ATRAÇÕES ATRAÇÕES DA DA REGIÃO ONDE ONDE ESTÁ ESTÁHOSPEDADO HOSPEDADO

SHOW ME PARA CURTIR SANTA CATARINA

NO ROTEIRO COLOQUE O COLOQUE OPÉ PÉNA NAESTRADA ESTRADAE E CONHEÇA LUGARES CONHEÇA LUGARESINESQUECÍVEIS INESQUECÍVEIS

NA BAGAGEM LEVE PARA PARA CASA CASAAS ASMELHORES MELHORES LEMBRANÇAS DE LEMBRANÇAS DE SANTA SANTACATARINA CATARINA

VOLTE SEMPRE PLANEJE O ROTEIRO DA SUA PRÓXIMA VIAGEM PELO ESTADO

VIVA O VERÃO! APROVEITE TUDO O QUE O LITORAL CATARINENSE TEM PARA OFERECER


4 BEM BEM-VINDO VINDO XXÍndice Índice

QUAL É A

sua praia? 68

De balneários agitados a recantos agrestes, como a Praia dos Ilhéus (acima), selecionamos 15 lugares imperdíveis para quem visita a costa catarinense

p

Editorial Seu guia para o verão catarinense 1 8

Opinião Conquista merecida | Encontros de qualidade | Novos caminhos 1 12 Talento natural | Cheia de encantos | 150 anos de imigração 1 14 Vestida de festa | Guia para os viajantes | Destino perfeito 1 16

Bem-vindo Roteiros e lugares que você precisa conhecer na região onde está hospedado 1 20

No Roteiro Qual a sua praia? 1 68 Um pedacinho da Alemanha 1 80 Verão longe da praia 1 88 Encanto lusitano 1 92 Surfe, natureza e baleias 1 96 Nosso pequeno tesouro 1 100 Por água abaixo 1 104

No Cardápio 108 1 Delícias de Floripa 114 1 A costa dos sabores

Na bagagem 120 122 124 126 127

X Acessórios masculinos X Acessórios femininos X Beachwear X Relógios X Artesanato

Volte sempre 130 X Turismo cervejeiro 136 X Outubro é mês de festa 140 X Um brinde nas alturas 144 X Hospitalidade campeira 148 X O paraíso das águas 151 X Sul catarinense: Laguna e Jaguaruna 152 X Memórias da imigração 156 X O sonho de morar na praia 161 X Sul catarinense: Morro dos Conventos, Criciúma e Nova Veneza


SHOW ME 5

Imobiliário Fotos Victor Carlson

Gastronomia

156

108 p

O melhor da culinária local nos restaurantes de Floripa e Bal. Camboriú

p

96

Pomerode Leo Laps

Marcus Israel/Divulgação

Garopaba

A expansão imobiliária no litoral de SC atrai investidores de todo o país

80

Nove praias em meio à natureza fazem da cidade um point do verão

p

Rafting

104 p

Um banho de adrenalina nas corredeiras de Santo Amaro da Imperatriz

O pequeno município no Vale do Itajaí preserva a herança dos imigrantes

p


8

BEM-VINDO X Editorial

SHOW ME Uma publicação do Grupo RIC PRESIDENTE Mário J. Gonzaga Petrelli

Grupo RIC/SC

Seu guia para o verão catarinense É com um misto de prazer e orgulho que o Grupo

RIC, o segundo maior conglomerado de comunicação

Vice-presidente-Executivo Grupo RIC/SC Marcello Corrêa Petrelli

do Sul do Brasil, lança a segunda edição da revista

Diretor Comercial Reynaldo Ramos

deu inclusive um prêmio da Associação Nacional de

Diretor Administrativo e Financeiro Albertino Zamarco Jr. Diretor Operacional Paulo Hoeller

Revista SHOW ME Coordenador-geral Victor Emmanuel Carlson

SHOW ME. O sucesso do verão passado – que ren-

Editores de Publicações (Anatec) na categoria “Lan-

çamento de Publicações” – nos motivou a trabalhar para trazer até você uma publicação com a mesma qualidade editorial e com ainda mais conteúdo.

Este ano aumentamos o número de páginas e ex-

pandimos nosso raio de atuação para oferecer um

conteúdo que contempla todas as regiões de Santa

Editor-executivo Diógenes Fischer

Catarina. Ampliamos também a tiragem, que passou

Diagramação E FOTO DA CAPA Victor Emmanuel Carlson

distribuir a SHOW ME em hotéis e pousadas de todo

REPORTAGEM Adão Pinheiro, André Lückman, Cléia Schmitz, Emanuelle Gomes, Giselle Zambiazzi, Giovana Kindlein, Jeremias Thompson, Jerônimo Rubim, Leo Laps, Luciana Altamann, Luciana Zonta, Mateus Boing, Mônica Pupo e Rosana Rosar Fotografia Daniel Queiroz, Leo Laps, Marcello Sokal e Victor Emmanuel Carlson Consultora de Moda Débora Ferreira

de 50 mil para 65 mil exemplares, o que nos permite o Estado. Somente na região de Florianópolis e Bal-

neário Camboriú, a revista estará presente em mais de 15 mil leitos de 282 hotéis e pousadas.

Dentro da proposta de cobrir em detalhes os des-

tinos turísticos de Santa Catarina, a SHOW ME passa a destacar a cada edição um município catarinense

que se caracteriza por seus atrativos turísticos. O primeiro deles é Pomerode, que em 2013 comemora 150

anos de imigração alemã e encanta os visitantes com seu charme tipicamente germânico.

Outra novidade é o espaço dedicado às crianças.

MAPAS Rogério Moreira Jr.

Sabemos que muitos leitores se hospedam em hotéis

distribuição Simone Cristina de Souza Cláudia Catani

dicas imperdíveis para você aproveitar melhor sua

e pousadas com seus filhos. Pensando nisso, temos estadia com os pequenos. Mas não ficamos apenas

REVISÃO Sérgio Meira e Patrícia Regina da Costa

nisso. Trouxemos nesta segunda edição uma varie-

IMPRESSÃO Gráfica Posigraf

Esperamos que a SHOW ME sirva como o seu guia

www.revistashowme.com.br Dezembro 2012 e Janeiro, fevereiro e março 2013

Avenida do Antão, 1.857 CEP 88025-150 – Florianópolis/SC (48) 3221-4100

dade de informações para atender a todos os estilos. pessoal para curtir uma ótima temporada e como motivação para voltar sempre a Santa Catarina.l

Marcello Corrêa Petrelli Vice-Presidente-Executivo Grupo RIC/SC

“Este ano expandimos nosso raio de atuação para oferecer um conteúdo que contemple todas as regiões de Santa Catarina”


12 BEM-VINDO X Opinião

Conquista merecida A revista SHOW ME – a “revista de bordo” do turista que visita Santa Catarina –, veio com o intuito de consolidar-se como mais um canal de informação sobre o nosso potencial turístico. Isto ficou evidente na primeira edição. O diferencial da revista é a sua diversificação de conteúdo, mostrando todo o território catarinense de forma exuberante e fornecendo ao turista que nos visita a dimensão exata do quanto nosso estado é maravilhoso. A comprovação do sucesso da primeira edição da SHOW ME e sua imporDivulgação

tância para a divulgação do turismo catarinense veio com a premiação da entrega do VIII Prêmio Anatec de Mídia Segmentada 2012. Parabéns Grupo RIC, receba os cumprimentos de

Novos caminhos Um dos fatores relevantes para o turismo é, sem dúvida, a promoção e a divulgação de seus produtos e destinos. Nesse sentido, iniciativas como o lançamento da revista SHOW ME são um fator de grande importância para o sucesso de nosso turismo. A ABIH-SC, em nome da hotelaria catarinense, destaca

toda a equipe da Santur pela merecida conquista! Te-

a importância desta iniciativa do

mos certeza que a segunda edição da revista alcançará

Grupo RIC, que nos brinda pelo

o mesmo sucesso.l

segundo ano consecutivo com uma

Valdir Walendowsky

publicação de alto nível e que vem

Presidente da Santa Catarina Turismo S/A (Santur)

mais o interesse dos turistas pelos

contribuir para aumentar ainda nossos atrativos. A publicação, pela abordagem de suas reportagens, certamente vai despertar ainda

Encontros de qualidade Catarina

é

um

estado

que,

embora

pequeno,

exibe

em ampliar seus conhecimentos

uma

surpreendente variedade de paisagens. A costa litorânea tem 560 quilômetros e praias paradisíacas. As montanhas, com altitudes que chegam perto de 2 mil metros, são cobertas por grandes extensões de Mata Atlântica e contam com a majestade das araucárias. Há ainda rios, lagoas e dezenas de fontes de águas termais. Nosso estado apresenta cidades modernas e progressistas que convivem com paisagens rurais. O viajante atento perceberá que os contrastes desta terra não são apenas decorrentes de características geográficas, mas também da diversidade cultural catarinense, resultado do encontro de diversas nacionalidades que, no passado, escolheram a Santa e Bela Catarina para viver e trabalhar. Atualmente, a singularidade de seus aspectos culturais e econômicos

e desfrutar de novos produtos e serviços. Numa cobertura abrangente, a revista apresenta a grande diversidade de opções, desbravando novos caminhos, desvendando segredos sobre nosso passado ou promovendo o prazer da gastronomia, de nossos vinhos ou da convivência com nossa gente alegre e descontraída cuja marca registrada é a satisfação em bem receber o visitante.l

decorrentes destes encontros colocam Santa Catarina em destaque no cenário

João Eduardo A. Moritz

do turismo nacional e internacional. Por essa razão, o Conselho Estadual

Presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH/SC)

por meio de suas entidades, para o aumento da competitividade turística com foco na capacitação e

profissionalização

da

gestão

do

turismo

catarinense. Dessa forma garantimos proporcionar encontros de qualidade a cada viajante que escolher o nosso estado para passear ou fazer negócios. Bem-vindo a Santa Catarina!l

Joseli de Ulhoa Cintra presidente do

Conselho Estadual de Turismo

Divulgação

de Turismo assume o compromisso constante,

Divulgação

Santa

maior interesse dos visitantes


14 BEM-VINDO X Opinião

Cheia de encantos

Talento natural

É com muita alegria que o Balneário Camboriú Convention & Visitors Bureau escreve para a segunda edição da revista SHOW ME, mais um importante projeto de verão do Grupo RIC Record que agrega valor ao turismo de nossa região. Belezas naturais, atrações dos mais diversos segmentos, eventos consagra-

Florianópolis é a cidade do

dos como Brilhos de Natal, Réveillon Show, Carnamboriú, além de equipamen-

verão. Seus belos contrastes entre

tos turísticos cada vez mais inovadores, são algumas das opções de lazer que

a mata verde e as praias de águas

turistas e moradores encontram na temporada e durante o ano inteiro, afinal,

frescas, atraem turistas encanta-

Balneário Camboriú é cheia de encantos nos 365 dias.

dos com este pedaço de paraíso.

tion Bureau, que busca e fomenta eventos de turismo

sionalização de serviços no trade

e negócios, sinto-me feliz por saber que, com a união

turístico e investimentos em negó-

de todos os nossos associados, contribuímos para o

cios qualificados. As alternativas

desenvolvimento econômico e turístico da nossa bela

vão além dos passeios sob o sol.

Divulgação

Como presidente de uma entidade como o Conven-

E nós correspondemos com profis-

cidade. Obrigada aos colaboradores da revista SHOW

Beach clubs fazem festas diurnas

ME, que se preocupam em oferecer jornalismo de qua-

para visitantes de perfil jovem.

lidade e se comprometem com todos aqueles que visi-

O mesmo das festas eletrônicas

tam e amam Balneário Camboriú!l

com os melhores DJs do mundo. Restaurantes de alto padrão, bares

Margot R. Libório

sofisticados ou descontraídos,

Presidente do Balneário Camboriú Convention & Visitors Bureau

programação cultural e passeios alternativos movimentam todas as regiões. O centro histórico ganhou roteiro guiado, levando os turistas

150 anos de imigração

a pontos que guardam nossas memórias. E publicações como a Show Me cumprem o papel de

No século 19, a Europa passou por um processo de industrialização que

informar tudo isso. Durante esta

resultou em transformações sociais e econômicas com reflexos nas cidades

temporada teremos a transição

e campos. Nos Estados Alemães, a situação motivou a imigração de parte da

na prefeitura. A posse de Cesar

população a outros países. No Brasil, Santa Catarina recebeu grande leva de

Souza Júnior agrega mais expec-

imigrantes germânicos a partir de 1829.

tativas. Ele já esteve à frente da

No Vale do Itajaí, a Colônia Blumenau foi fundada em 1850. Expandindo-

Secretaria de Turismo, Esporte e

-se para o norte, fez do ano de 1863 o marco inicial de Pomerode, quando a

Cultura, o que deverá agregar ao

família do primeiro imigrante pomerano, João Fernando Luebke, se fixou nas

turismo dessa cidade de enorme talento natural. l

terras hoje pomerodenses. Na região, os imigrantes superaram dificuldades

Eugênio Davi Cordeiro Neto

pé escola, igreja e associações recreativas. Dali surgiu a cultura brasileira

e adaptaram suas tradições e costumes. Estruturaram a comunidade no tride origem alemã.

Florianópolis Região Convention & Visitors Bureau

presidente do

agrícola, diversificou sua economia a partir de 1946, com a instalação da Porcelana Schmidt S/A. O município, criado em 19 de dezembro de 1958 e instalado em 21 de janeiro de 1959, foi nomeado Pomerode em homenagem aos seus imigrantes pomeranos. Em 1984, foi criada a Festa Pomerana, que em 2013 chega a sua 30ª edição.l

Roseli Zimmer Secretaria de Turismo de Pomerode

diretora na

Denisse Lopes/Divulgação

Pomerode, inicialmente baseada na atividade Lio Simas/Divulgação

e


16 BEM-VINDO X Opinião

Vestida de festa Garopaba das nove praias. Nove formas diferentes de se relacionar com o mar, de Norte a Sul: Gamboa, Siríu, Central, Vigia, Silveira, Ferrugem, Barrinha, Ouvidor e Vermelha. Nove diferentes ondas numa só Garopaba. Enseadas, picos famosos do surfe, cenários preferidos pelas baleias francas para acasalar e criar seus filhotes. Povo acolhedor, pesca artesanal e preservação ambiental. A Praia da Ferrugem é a mais famosa entre os jovens do Cone Sul. Mas as baladas proliferam em outros espaços de lazer e diversão. A música ao vivo está no cardápio de bares e restaurantes. Cada praia no seu horário, no seu estilo. O cardápio é amplo e diversificado: pizzas, massas italianas, comida japonesa, churrasco gaúcho, muitos frutos do mar em diferentes preparos e temperos. A diversidade cultural na gastronomia faz parte do jeito Garopaba de ser. A rica cultura popular de Garopaba se veste de festa na temporada de verão: corrida de canoas-de-um-pau-só, carros de boi, Festa de Navegantes, Boi-de-mamão e Terno de Divulgação

Reis, engenhos e quilombolas. Manifestações centenárias de um povo gentil e acolhedor. O Centro Histórico de Garopaba ainda sinaliza, em alguns prédios, a Armação de São Joaquim da Garopaba, indústria

município durante todo o ano, vindas por terra ou pelo mar. A construção do píer turístico naval, a construção do Parque Ecológico Morro do Hospício, a qualificação dos eventos

qualificação contínua da mão de obra, através de cursos e treinamentos promovidos pela

gráfica quanto pela riqueza de conteúdo e detalhes que evidenciam as belezas de nossa região, destacando os atrativos, dicas de passeios, compras e hospedagem. Para Balneário Camboriú, uma cidade que vive o turismo e que recebeu no ano passado quase 4,5 milhões de visitantes, a revista SHOW ME veio para preencher uma lacuna existente na imprensa escrita, com um projeto belíssimo e inovador, que consegue transmitir para o leitor as impressões dos lugares Nathalia Donin/Divulgação

paradisíacos, bem como as melhores opções que ele

Secretaria de Turismo, melhorou o atendimento a turistas e veranistas. Quem visita Santa Catarina não pode deixar de conhecer a Mais Bela Cidade Histórica do Brasil. São Francisco do Sul tem tudo, só falta você!l

Augusto Kolling Secretário Municipal de Turismo e Lazer de São Francisco do Sul Divulgação

considerado o melhor destino do Brasil. A revista se destaca tanto pela qualidade

Isaac Pires

de pessoas que passam pelo

para turistas de veraneio. A

Uma revista que impulsiona ainda mais o turismo de Santa Catarina, que hoje é

Secretário de Turismo de Balneário Camboriú

para incrementar o número

torna-se o destino perfeito

Quero parabenizar a iniciativa do Grupo RIC em lançar a revista SHOW ME.

crescimento do turismo.l

traz anualmente novidades

das orlas das praias, São Chico

Guia para os viajantes

todo o trade e auxilia na divulgação da cidade e no

cidade mais antiga do estado

o ano inteiro. Com a revitalização

Secretario de Turismo, Esporte e cultura de Garopaba

estruturante do jornalismo segmentado que destaca

nacional e internacional. A

a oferta e movimentam a cidade

Marcus Israel

pra oferecer. Bem-vinda SHOW ME, um novo eixo

Francisco do Sul no cenário

outros eventos culturais, ampliam

1961 e chegou a meio século de existência em 2011.l

Um verdadeiro guia para os viajantes que estão

turismo têm destacado São

festivais gastronômicos, dentre

baleia, marco do povoado que só virou município e cidade em

dispostos a desfrutar o melhor que nosso destino tem

Os investimentos no setor de

tradicionais e a criação de

montada no fim do Século XVIII para a extração de óleo de

poderá encontrar em nossa cidade.

Destino perfeito


MODA, GASTRONOMIA, LAZER, PRESENTES, ACADEMIA, CINEMA, SERVIÇOS, CLÍNICAS, LABORATÓRIOS MÉDICOS E MUITO MAIS.

OS

GRANDES

MOMENTOS SE

ENCONTRAM AQUI.


www.beiramar.com.br


Fotos Daniel Queiroz

20 BEM-VINDO X Centro de Floripa

UM PASSEIO

pela história DESCUBRA OS PRINCIPAIS PONTOS TURÍSTICOS DO CENTRO HISTÓRICO DE FLORIANÓPOLIS E APRENDA UM POUCO MAIS SOBRE A CAPITAL CATARINENSE

U

Texto Mateus Boing

ma caminhada com o olhar atento pela região

descansar enquanto aprecia o vaivém de pessoas em

central de Florianópolis revela uma série de

praças e espaços públicos.

lugares que dão ao visitante um abrangen-

Os melhores dias para fazer o passeio são as

te retrato da arte, do artesanato, da arquitetura, da

quartas e sextas-feiras, quando coincidem a feira de

história e da cultura locais. Para percorrê-los, você

hortifrutigranjeiros do largo da Alfândega e a fei-

vai gastar entre duas e quatro horas dependendo do

ra de artesanato do largo da Catedral ( 1 no mapa

passo e das paradas ao longo do caminho para visi-

da pág. 41). A igreja, aliás, é o ponto de partida do

tar museus e igrejas, tomar chope no Mercado Pú-

percurso sugerido pelo Roteiro Autoguiado do Cen-

blico ou café no Senadinho, comprar lembranças de

tro Histórico de Florianópolis, um folder distribuído

viagem, provar iguarias de rua como pastel de feira,

gratuitamente pela Câmara de Dirigentes Lojistas de

caldo de cana e biscoitos de nata ou simplesmente

Florianópolis (CDL). Localizada em frente à Praça 15


de Novembro, a catedral foi concluí-

No jardim da praça, decorado com mo-

da em 1773 e reformada em 1922. Os

saicos do artista plástico Hassis, morto

vitrais e o órgão de tubos chamam a

em 2001, há bustos de outros catarinen-

atenção, mas o destaque é a escultura

ses notáveis, como o poeta Cruz e Sou-

em madeira Fuga para o Egito (1902),

sa ( 5 ). O maior simbolista brasileiro

do tirolês Demetz Groeden.

dá nome ao belo palácio ( 6 ) que se vê

Descendo os 19 degraus da escada-

no outro lado da rua. O prédio, que faz

ria da Catedral, você pode conferir as

parte do trecho final do percurso, é uma

barracas de artesanato (se for dia de

das construções de interesse arquitetô-

feira) ou seguir em direção ao lado es-

nico localizadas no entorno da praça.

querdo do calçadão, tradicional ponto

O lugar, hoje um museu, abriga expo-

de encontro de aficionados do dominó.

sições temporárias no térreo. O andar

Ali, na esquina da Rua dos Ilhéus com a

superior é uma pequena joia de deco-

Rua Fernando Machado, está uma das

ração e arquitetura, com escadaria em

mais antigas casas remanescentes da

mármore carrara, pisos em parquet, co-

época colonial ( 2 ) e, ao seu lado, outros

lunas neoclássicas e art-nouveau, além

sobrados do século 19, com suas saca-

de móveis e artefatos de época.

das decoradas e frontais em alto-relevo.

No centro da Praça é provável que

Descendo até a esquina da Rua Fer-

você perceba grupos de turistas an-

nando Machado você encontra um dos

dando ao redor da centenária figueira

pontos de parada obrigatórios: o Mu-

( 7 ) plantada em 1871 no terreno da

seu Victor Meirelles (

), que funcio-

Catedral e transferida para o centro da

na no sobrado onde nasceu, em 1832,

praça dez anos depois. Reza a tradição

o célebre autor do quadro A Primeira

que dar sete voltas ao redor da árvore

Missa no Brasil (1860). Aberto todos

no sentido anti-horário traz sorte, atrai

os dias a partir das 10h, menos nas se-

casamento e faz a pessoa voltar a Flo-

gundas-feiras (fecha às 14h nos fins de

rianópolis. Outra tradição, essa bastan-

semana e feriados e às 18h nos outros

te praticada por moradores, é simples-

dias), o museu reúne obras de artistas

mente sentar nos bancos da praça para

contemporâneos e o acervo de obras

apreciar o movimento.

3

de Meirelles, como a Vista do Desterro

Saindo da Praça está a Casa de Câ-

(1851), um panorama da cidade pin-

mara e Cadeia ( 8 ), concluída em 1780

tado do alto da Igreja do Rosário, que

e hoje fechada para reforma. Um pouco

também faz parte do percurso.

mais abaixo, está a Estação de Elevação Mecânica de Esgotos ( 9 ), peque-

siga até a Praça 15 de Novembro ( 4 ).

no marco histórico e arquitetônico da

Victor Carlson

Ao sair do museu, vire à direita e

Victor Carlson

SHOW ME 21

p

Na página ao lado, um dos cartões-postais mais

famosos da cidade: o Mercado Público Municipal A Catedral, concluída em 1773 e reformada em

p

1922, é o ponto de partida do roteiro pelo Centro

p

Segundo a tradição, dar sete voltas ao redor da

figueira da Praça 15 dá sorte e atrai casamento

p

Ao lado da praça, o casario na esquina entre as

ruas Fernando Machado e Ilhéus


p

22 BEM-VINDO X Centro de Floripa

Aberto para visitação, o Palácio Cruz e Sousa

é uma joia arquitetônica do Centro da cidade

p No centro do chafariz do largo da Alfândega, uma escultura faz homenagem às rendeiras

p A Igreja do Rosário, datada de 1830, é o

segundo templo mais antigo de Florianópolis

primeira rede de saneamento básico da

Figueiredo trocaram agressões com ma-

cidade, concluída em 1916.

nifestantes, durante o episódio conheci-

Na direção oposta à estação fica o

do como Novembrada. Nos tempos atu-

largo da Alfandêga ( 10 ), onde funcionou,

ais, o espaço ao redor do café Ponto Chic

até 1964, o porto de Florianópolis. A

continua a ser ponto de encontro, mas

Casa da Alfândega ( 11 ), inaugurada em

sem a mesma ressonância de antes.

1876, é considerada o melhor exemplo da

Dali até os fundos do Palácio Cruz e

arquitetura neoclássica do Sul do país.

Sousa ( 16 ), subindo pela Rua Trajano,

O local é hoje um ponto de exposição e

são apenas alguns metros. Você pode fa-

venda de artesanato. Ao lado, às terças,

zer uma breve parada no jardim da anti-

quartas, sextas e sábados, há uma feira

ga sede do governo estadual. Voltando à

com quiosques vendendo frutas, verdu-

Trajano, siga em frente até a escadaria

ras, queijos, salames, produtos naturais,

da Igreja do Rosário ( 17 ). Depois atra-

pastel, biscoitos e caldo de cana.

vesse a Rua Nereu Ramos para acessar

Da Alfândega você verá um dos pré-

o templo. Foi lá do alto que Victor Mei-

dios mais queridos pelos moradores da

relles pintou o panorama de Desterro –

cidade: o Mercado Público ( 12 ), com

antigo nome de Florianípolis – que hoje

suas peixarias, bares e comércio popular.

está exposto em seu museu. É a segun-

Vale a pena gastar um tempo passeando

da igreja mais antiga da cidade. Tanto o

pelo vão central e suas duas alas. Depois

tempo que demorou para ser construída

dessa parada, suba a Rua Deodoro, que

(43 anos, de 1787 a 1830) quanto a ar-

fica entre o Mercado e a Alfândega, até

quitetura (singela, apesar do estilo bar-

a próxima esquina, onde fica a Igreja da

roco) refletem a carência de recursos da

Ordem Terceira de São Francisco ( 13 ),

confraria que a ergueu, formada por es-

uma construção de 1815 que mistura os

cravos recém-libertos.

estilos barroco e neoclássico. Em seguida, dobrando à direita, você

Saindo da igreja e virando à esquerda na Rua Nereu Ramos, passe pela peque-

está no calçadão da Felipe Schmidt ( 14 ),

na Praça Pereira Oliveira ( 18 ) e vá em

principal rua de comércio da cidade. A

direção ao destino final do percurso: o

esquina seguinte é o Senadinho ( 15 ), que

Teatro Álvaro de Carvalho ( 19 ), que fica

tem esse nome porque já foi um espaço

logo ao lado. Oficialmente inaugurado

popular para a troca de anedotas políti-

em 1875 – chamava-se teatro Santa Isa-

cas, fofocas de sociedade e opiniões so-

bel antes de ganhar o nome do primeiro

bre assuntos correntes. Foi ali que, em

dramaturgo catarinense – recebe até hoje

1979, os seguranças do presidente João

peças e espetáculos de dança e música.l


Victor Carlson

Victor Carlson

SHOW ME 23

Ao lado do Mercado Público e do largo da Alfândega, a Rua Conselheiro Mafra também conta com imóveis históricos e um movimentado comércio

p

p

Ponto final do trajeto, o Teatro Álvaro de Carvalho é um tradicional espaço de cultura onde são encenadas peças e espetáculos de dança e música

aV

oe

lho

Oriente-se

Ru

lR

am

os

18

erô

nim

oC

pelo mapa

17 ida

aiv

us

ira

Ilhé

ve

te P

Sil

dos

idt

te

re s

hm

en

1

13

Rua

Ru

aA

Sc

rc i p

ro do

pe

aT en

eo

eli

Ru

aD

aF

Ru

Ru

a

Ru

aJ

19

16 14

Largo da Catedral

6

rio

aM ari a

11 10

aC

on

sel

he

i ro

z Lu o

Praça 15 de Novembro 4

Ma

7

fra

(Sete voltas)

3

8

Ru a or

ra Ti

9

M lle

es

re

nt

ei

de

Miramar

ct

a

Vi

Ru

Terminal Central de Florianópolis

Rit

Ru

5

íli

viá

12

15

Av .H er c

lR od o

an

ina

aT raj

rm

Ru

Te

o

2

s


24 BEM-VINDO X Patrimônio arqueológico

Museus a

céu aberto

DUAS PRAIAS NO NORTE DA ILHA GUARDAM VESTÍGIOS Da atividade HUMANA em Santa Catarina HÁ 4 MIL ANOS Texto Mateus Boing

U

Fotos Victor Carlson

ma viagem pela história, pela imaginação e por

principal acesso ao Santinho, e segue pela praia em di-

duas das mais belas praias de Florianópolis. É o

reção ao costão sul (ou direito, se você estiver de frente

que promete o circuito de inscrições rupestres e

para o mar). Batizado de Museu Arqueológico ao Ar Livre

oficinas líticas das praias do Santinho e dos Ingleses, no

do Costão do Santinho, o lugar tem boa infraestrutura,

norte da Ilha. São vestígios de povos indígenas que habi-

com trilhas e escadas pavimentadas, sinalização, deques

tavam o litoral entre mil e quatro mil anos atrás. As inscri-

e pontes de madeira. Esculturas em ferro homenageiam

ções e oficinas, todas feitas em rochas à beira-mar, estão

os povos antigos e um painel traz informações sobre as

localizadas em três pontos: nos dois costões da praia do

inscrições do local e de ilhas próximas, como a dos Corais,

Santinho e no costão direito da praia dos Ingleses.

do Campeche e do Arvoredo.

Em duas ou três horas de caminhada é possível visitar

A maior estrutura é a que serve de ponto de observação

todos estes locais, passando por um cenário de praias e

e proteção da mais conhecida inscrição rupestre de Santa

dunas. O roteiro começa pela Rua Raul Pereira Caldas,

Catarina. Adotado como símbolo do resort Costão do San-


SHOW ME 25

tinho, que também é mantenedor do museu, o desenho parece uma máscara, com dois triângulos unidos pelas pontas e linhas em curva preenchendo e dando movimento à peça. O significado dessa e de todas as outras inscrições rupestres é desconhecido. Especialistas divergem se elas seriam expressões artísticas ou indicariam pontos de pesca. Os traços predominantes são círculos, retas e conjuntos de linhas onduladas, quebradas ou em zigue-zague, além de triângulos, quadriláteros e figuras de homens e animais. O próprio nome “Santinho” vem do desenho de uma figura humana encontrado em uma rocha.

TRAÇOS DO PASSADO Como parece haver um padrão, há quem defenda que todas estas obras foram produzidas por um dos três grupos pré-coloniais que habitaram a região. O que intriga os estudiosos é o fato de terem sido feitas em lugares de difícil acesso, como o costão norte do Santinho. Cruzando a praia a pé ou indo de carro, você encontra na outra ponta um lugar bem mais agreste que o costão sul. Siga qualquer um dos diversos caminhos que levam à parte depois termina. Para avançar é preciso “escalar” uma parede de pedra com cerca de três metros de altura. Mas não se preocupe. Além de ser uma subida fácil, trata-se do último obstáculo antes de chegar à extensa laje rochosa que serve de ponto de observação e de onde se pode avistar não só as inscrições rupestres, mas também o belo cenário composto pela praia, o mar e a Ilha das Aranhas ao fundo. Um dos desenhos está numa pedra negra acima da laje, com outros dois ao lado. Com cuidado, você pode descer e chegar perto desses conjuntos de linhas sobre pedras lisas e escuras, chamadas diabásio. Voltando à praia pelo mesmo caminho, pegue a direção Norte nas trilhas abertas em meio à restinga. Depois de passar por ranchos de pescadores, chega-se à praia dos Ingleses andando cerca de 15 minutos. No canto sul da praia, o Museu de Oficinas Líticas dos Ingleses à primeira vista parece apenas um conjunto de pedras com marcas curiosas. Essa é a impressão que você pode ter se lhe faltar informação histórica e imaginação. Adicione esses ingredientes e o lugar se transforma, tornando-se uma fábrica milenar onde dezenas de pessoas produziam machados

As inscrições rupestres da Praia do Santinho ainda intrigam os

pesquisadores, que divergem quanto à sua origem e significado

p

Uma estrutura bem cuidada, com bancos e deques de madeira, facilita a

visitação ao Museu Arqueológico ao Ar Livre do Costão do Santinho

p

de baixo do costão. Mais a frente, a trilha se torna uma só e logo

p

Na parte sul do costão, o conjunto de esculturas em ferro instalado nas

pedras é uma homenagem à memória dos antigos povos indígenas

p As marcas encontradas nas pedras da Praia dos Ingleses mostram como os indígenas faziam para afiar e polir ferramentas e instrumentos de corte


26 BEM-VINDO X Patrimônio arqueológico

Dos deques de madeira do Museu de Oficinas Líticas dos Ingleses é

p

possível observar não só as marcas nas pedras, mas também ver de um outro ângulo o cenário composto pela praia, as dunas e o mar

de pedra e outros artefatos de corte usados depois em comunidades situadas bem longe dali. As cerca de 40 oficinas líticas dos Ingleses formam um dos maiores conjuntos de amoladores-polidores fixos do litoral brasileiro. Tirando a Ilha de Santa Catarina, apenas na Ilha Grande, no litoral fluminense, encontram-se vestígios dessa atividade em número tão expressivo. Segundo a arqueóloga Maria Madalena Velho do Amaral, a técnica de polimento é relativamente sim-

rad

Pra aD om

ia d o

Joã

ples. O instrumento de pedra a ser polido era esfregado na rocha maior junto com dois ingredientes abrasivos: areia e água. O

s In gle

ses oB eck er

Es tr ad a Ver. O ni ld o Le m os

Est

R. Raul P e re ir a C a ld a s

modo como uma pedra era movimentada sobre a outra produziu

Oficinas

as duas marcas básicas encontradas nos Ingleses, que são os sulcos e as bacias. Os sulcos eram criados com movimentos para afiar o gume das ferramentas de corte, enquanto as bacias sur-

Inscrições

giram com ações de polimento. Uma experiência de recriação desta técnica foi relatada pela arqueóloga Maria Cristina Tenório num artigo escrito para uma revista especializada. Segundo ela, em cinco minutos foi possível obter um gume afiado a partir de uma pequena pedra com um lado de no máximo dois centímetros de largura.

Praia do Santinho

Um dado interessante foi a dificuldade em encontrar rochas em formato apropriado para serem polidas e afiadas. Maria Cristina relaciona isso à descoberta de um lote de 36 lâminas prontas na Guiana Francesa e de outro, de 22 mil pedras não polidas, justamente na Ilha de Santa Catarina, na praia do

Inscrições e oficinas

Pantâno do Sul. Baseada nessa evidência, a pesquisadora considera a possibilidade de as lâminas terem sido usadas como objeto de comércio.l


Uma marina exclusiva

espera p or vo cê.

aptos

vaga na

suítes

por apto

3 e 4

marina

baln. camboriú s a n ta

O únic o e m p r e e ndi me n to na amé r ica d o sul c om mar i na p r ivat iva. at é 4 va g a s n a g a r a g e m | at é 2 va g a s n a m a r i n a decorad o no lo cal | venha com sua embarcação

( 47 ) 3 2 6 4 .8 7 1 7 | mar i nab e ac h .c o m . b r Registro de Incorporação no 2º Ofício de Registro de Imóveis da Comarca de Balneário Camboriú sob o nº 38879.

c ata r i n a

Re alização:


28 BEM-VINDO X Fortalezas

As guardiãs

da Ilha

CONSTRUÍDAS PARA DEFENDER AS TERRAS DA COROA PORTUGUESA, TRÊS CONSTRUÇÕES DO SÉCULO 18 formam o maior e mais bem preservado conjunto de fortalezas do Brasil Texto Emanuelle Gomes Fotos Daniel Queiroz

H

á mais de 200 anos, o brigadeiro José da Silva Paes,

Histórico e Artístico Nacional (Iphan), as fortalezas de San-

primeiro governador da Capitania de Santa Catari-

ta Cruz, Santo Antônio e São José da Ponta Grosa guardam

na, idealizou um sistema triangular de defesa mi-

a memória dos tempos de glória do povo português.

litar que protegeria a Ilha de Santa Catarina dos ataques

Hoje, passear pelas fortalezas é uma aula de história.

espanhóis, na disputa pelo controle da foz do Rio da Prata.

Mas, além disso, é um momento para apreciar os belos cos-

Foram escolhidas duas ilhas e mais uma área entre as praias

tões e cenários naturais que deram a base para as forti-

de Jurerê e do Forte para a construção de três grandiosas

ficações, além das construções arquitetônicas que os por-

fortalezas. O que o brigadeiro não imaginava é que seus pla-

tugueses escondiam para si atrás de grandes muralhas. A

nos se tornariam obsoletos décadas depois e que as belas

Fortaleza de São José da Ponta Grossa é a única que fica

fortificações seriam parada obrigatória para os turistas que

situada na parte insular da Capital, tendo acesso por ter-

visitam a Capital. Tombadas pelo Instituto de Patrimônio

ra. Começou a ser construída em 1740 e foi concluída qua-


tro anos depois. Foi tombada em 1938, já

um ambiente mais tranquilo deve optar

depredada. Somente na década de 1990 é

pelo passeio de escuna. Mas quem prefere

que as edificações foram restauradas pela

navegar ao som das músicas do momento e

Universidade Federal de Santa Catarina

com a animação de atores caracterizados

(UFSC). O Projeto Fortalezas da Ilha de

de pirata tem diversão garantida nos “bar-

Santa Catarina, criado pela universidade,

cos piratas” disponibilizados pelas empre-

é quem gerencia atualmente esses sítios.

sas de turismo.

A entrada para a Fortaleza de São José

Os roteiros são praticamente os mes-

fica próxima à Praia do Forte e a caminhada

mos, mas é bom ficar atento, já que os

é curta até a porta principal. Logo na entra-

barcos que saem de Canasvieiras não cos-

da vê-se a Casa do Comandante, edifício de

tumam parar na Ilha de Ratones para visi-

dois andares que também abrigava o paiol

tação da fortaleza. Além disso, os turistas

de pólvora. Hoje ele é utilizado para a expo-

que embarcam no Centro têm outra vanta-

sição de materiais encontrados em escava-

gem: uma vista privilegiada para o mais fa-

ções no local. Com a restauração feita pela

moso cartão postal da Capital, a ponte Her-

UFSC é possível identificar os materiais da

cílio Luz. Os passeios podem ter duração

construção original. Porém, antes de subir

de até seis horas, dependendo do roteiro

a rampa de pedras que dá acesso à casa e

escolhido. Além de parar nas fortalezas, há

a outras edificações, o visitante não pode

intervalo para almoço em uma das praias

deixar de conferir o espaço onde ficam os

de Governador Celso Ramos, município vi-

canhões. Além de serem verdadeiras obra

zinho de Florianópolis, parada para banho

de arte, os artefatos estão apontados para

de mar e – caso você tenha a sorte de cru-

uma das paisagens mais belas da Ilha.

zar com eles – observação de golfinhos.

ESCUNAS E PIRATAS

deslumbrantes, as grandes atrações são

A visitação às outras fortalezas, no entan-

mesmo as fortalezas que, no meio do mar,

to, não é tão simples. As de Santo Antônio

permanecem imponentes. A primeira para-

e de Santa Cruz, que fecham o triângulo

da é na Ilha de Ratones Grande, onde, em

de fogo idealizado pelo brigadeiro, foram

1740, começou a construção da Fortaleza

construídas nas ilhas de Ratones Grande

de Santo Antônio. Quatro anos depois, três

e de Anhatomirim, respectivamente. Por

edificações – a Portada, a Fonte d’Água e

esse motivo, só podem ser visitadas a bor-

o Aqueduto – já estavam em pé e grande

do de embarcações que saem do Centro da

parte da Mata Atlântica continuava intac-

Capital e da praia de Canasvieiras. Quem

ta. Santo Antônio é a menor das três for-

pretende curtir o passeio com a família em

talezas, mas não perde em nada para as

Apesar da quantidade de paisagens

p

Victor Carlson

SHOW ME 29

Na fortaleza de Anhatomirim uma escadaria dá acesso à portada com arquitetura de inspiração oriental

p pp

A Fortaleza de Santo Antônio, a menor das três, fica na Ilha de Ratones e é cercada pela Mata Atlântica Próxima à Praia do Forte, São José da Ponta Grossa é a única fortificação que pode ser acessada a pé Na página ao lado, turistas desembarcam no trapiche de Anhatomirim depois de um passeio de escuna

PASSEIOS DE BARCO Saindo de Canasvieiras As escunas partem das 11h às 16h e a viagem custa R$ 35 Saindo do Centro As escunas partem das 10h30 às 16h30 e a viagem custa R$ 40 (48) 3225 1806 / 3266 1810 Taxas de visitação* Para uma ilha: R$ 8 (adulto) e R$ 4 (estudantes com carteirinha) Para duas ilhas: R$ 10 (adulto) e R$ 5 (estudantes com carteirinha) Fortaleza de São José da Ponta Grossa: R$ 8 adulto e R$ 4 (estudantes com carteirinha) *O valor arrecadado é usado na manutenção das fortalezas


30 BEM VINDO X Fortalezas

Verdadeiras antiguidades, os canhões da Fortaleza

p

de Santa Cruz nunca cumpriram sua função original: defender a costa de Santa Catarina dos espanhóis

outras. O isolamento da Ilha de Ra-

sários cinco anos para sua conclu-

tones Grande e a grossa vegetação

são. Atualmente é considerada a

que tomou conta do lugar permiti-

maior do sul do País.

ram a melhor conservação da planta original entre as três fortalezas.

Mas apesar de todo este aparato bélico, o sistema triangular de defesa não intimidou os espanhóis.

Forte de Anhatomirim

Praia de Jurerê Forte de São José da Ponta Grossa

Praia da Daniela

SC

-4

01

Forte de Sto. Antônio

InVasÃo espanHoLa

Em 1777, numa invasão com 116

A visita à Fortaleza de Santo Antô-

embarcações e cerca de 12 mil ho-

nio é breve se comparada à cami-

mens, eles atracaram com sucesso

nhada por dentro da Fortaleza de

na praia de Canasvieiras. Não che-

Santa Cruz, localizada na Ilha de

garam nem perto das fortalezas

Anhatomirim. É a fortificação mais

idealizadas pelo Brigadeiro. As edi-

importante das três, principalmen-

ficações foram abandonadas pelas

te por ter abrigado a primeira sede

tropas portuguesas e a população

do Governo da Capitania de Santa

procurou

Catarina. A casa do brigadeiro José

No século 19, no governo Floriano

da Silva Paes é uma das edificações

Peixoto, a Fortaleza de Anhatomi-

do local. Muitas histórias curiosas

rim acabou sendo transformada em

são contadas pelos guias que acom-

prisão e tornou-se cenário de mui-

panham os turistas nas visitas. Uma

tos fuzilamentos. Logo depois foi

delas se refere ao nome da ilha,

abandonada definitivamente e, após

Anhatomirim, que significaria, para

ser restaurada, foi reaberta para

os índios, “pequena cova do Diabo”.

visitação em 1984. Atualmente, o

Antes da colonização portuguesa,

Quartel da Tropa – o maior prédio

aquele território era um cemitério

da fortaleza, todo construído em pe-

indígena. A fortaleza começou a ser

dra – guarda uma arcada de baleia

construída em 1739 e foram neces-

encontrada na região.l

refúgio

no

continente.


32 BEM-VINDO X Centrinho da Lagoa

Flanando

pelo Centrinho

A REGIÃO MAIS MOVIMENTADA DA LAGOA DA CONCEIÇÃO RESERVA AGRADÁVEIS SUPRESAS EM UM PASSEIO A PÉ SEM COMPROMISSOS

E

Texto Mônica Pupo Fotos Daniel Queiroz ternizado na obra do poeta francês Charles Bau-

Afonso Delambert Neto para chegar à popular Ponta do

delaire, o termo flâneur refere-se àquele que

Pitoco. Ponto de encontro de casais e grupos de amigos,

perambula pela cidade sem destino, observan-

o lugar garante um lindo visual à beira da lagoa, com

do e captando as impressões ao redor. E qual o melhor

direito a rampa para jet-ski e pequenas embarcações.

lugar para se conjugar o verbo flanar se não na Lagoa

Saindo dali, o visitante pode aproveitar para repor as

da Conceição? Cercado de belezas naturais por todos

energias em uma das diversas casas de suco da região.

os lados, o bairro é também um dos mais agitados e

Por apresentar condições ideais para a prática de moda-

charmosos da Ilha, com atrativos para diferentes bol-

lidades como surfe, parapente, windsurfe e kitesurfe, o

sos, gostos e estilos.

bairro atrai atletas e praticantes de esporte em geral, o

Conhecido como “Centrinho da Lagoa”, o epicentro de toda essa efervescência está localizado entre a região

que reflete no menu de muitas lanchonetes, que primam pelo uso de ingredientes orgânicos e naturais.

ao pé do Morro das Sete Voltas e a ponte de acesso à

Desde 1997, o Suco da Saúde (Rua Henrique Veras

Avenida das Rendeiras. Num roteiro ideal para ser per-

Nascimento, 415) é famoso pelas tigelas de açaí e por

corrido a pé, o local guarda surpresas deliciosas a cada

clientes ilustres. No cardápio, sanduíches, omeletes, gre-

esquina, seja para comer, se exercitar, fazer compras,

lhados e salgados. Uma boa pedida é a quiche integral

dançar, paquerar ou simplesmente flanar por aí.

de salmão com cream cheese (R$ 12,90). Para refrescar,

E que tal começar o passeio descobrindo as belezas da paisagem local? É só seguir até o final da Avenida

há sucos com propriedades terapêuticas, como o “resfriado”, com tangerina, acerola e gengibre (R$ 7,50).


SHOW ME 33 Impossível não notar a presença dos

mesma linha, a rede de franquias DNA

cafés. Espalhadas por quase todas as es-

um convite para explorar as atrações do bairro

Natural (Rua Manoel Severino de Olivei-

quinas, as cafeterias também estão entre

p Aos domingos, ao lado do casarão na

ra, 654) tem um de seus endereços mais

os pontos de encontro mais badalados.

Praça Bento Silvério, acontece a tradicional

movimentados, onde as estrelas são os

Com temática musical, o Sintonia Música

feirinha reunindo o melhor do artesanato local

mais de vinte sucos que prometem melho-

e Café (Av. Afonso Delambert Neto, 740,

p Uma parada para conferir uma das diversas

rar o astral e a saúde. Entre os favoritos

lojas 4 e 5) é um dos mais antigos. Todos

da clientela estão o “Xô Stress”, à base de

os objetos de decoração estão à venda e os

guaraná e limão, e o “Digestivo”, de mara-

pratos levam nomes de artistas famosos,

cujá com abacaxi (R$ 6,50 cada).

a exemplo do “Tom”, que mistura cappuc-

p

A poucos metros dali e seguindo a

o mix de comércio, gastronomia e cultura são

O ambiente agradável à beira da lagoa e

cafeterias da lagoa é praticamente obrigatória

p Ao lado de uma marina e com vista

panorâmica para a lagoa, o restaurante Chef

cino, sorvete e chantilli. A duas quadras

Fedoca serve peixes, frutos do mar e mais de 50 variedades de moqueca

cafeterias e restaurantes

dali, o recém-inaugurado Café Olé (Rua

Quem busca uma refeição mais completa

Manoel Severino de Oliveira, 544.) faz a

pode optar por um dos restaurantes ao

festa dos apaixonados por doces, exibindo

redor. Amantes de peixes e frutos do mar

tortas e bolos – muitos em formatos orna-

encontram seu lugar no tradicional Chef

mentais – em uma iluminada vitrine que

Fedoca (Rua Senador Ivo D’Aquino, 133

chama a atenção de quem passa pela rua.

– Marina Ponta da Areia). Localizada ao

Depois do café, uma boa pedida é vi-

lado de uma marina, a casa possui vista

sitar o Casarão da Lagoa, onde está ins-

panorâmica para a lagoa. O cardápio as-

talado o Centro Cultural Bento Silvério

sinado pelo chef e proprietário Alfredo de

(Rua Henrique Veras do Nascimento, 50).

Oliveira, o Fedoca, lista mais de cinquenta

Em um conjunto arquitetônico datado de

tipos de moqueca, como a de cavaquinha,

1912, formado por uma antiga estação

servida com arroz e farofa de dendê.

rádio-telegráfica e sua casa de máquinas,

Na Cantina da Freguesia (Av. Afonso

acontecem exposições e apresentações

Delambert Neto, 740, loja 1), as mesas

culturais, além de cursos e oficinas volta-

situadas em um deque formam o am-

dos à preservação da cultura local.

biente perfeito para um jantar a dois. De

É em frente ao casarão, na Praça Bento

influência italiana, o menu inclui pratos

Silvério, que acontece uma das mais tradi-

como mignon ao vinho tinto acompanha-

cionais atrações do bairro: a feirinha de

do de risoto de brie. Também faz suces-

artesanato da Lagoa. Todos os domingos,

so o fettuccine al mare, com camarões

das 15h às 20h, expositores comerciali-

flambados, lula, polvo, molho de tomate

zam itens em cerâmica, renda de bilro,

e manjericão.

tecelagem e antiguidades, entre outros.l


A caminho da Costa Deixe pra lá o estresse e as preocupações

Fotos Victor Carlson

34 BEM-VINDO X Costa da Lagoa

com trânsito, poluição e congestionamento. Longe do agito da cidade, a Costa da Lagoa mantém intacta a atmosfera de colônia

de pescadores que lhe rendeu o título de patrimônio histórico e natural de Florianópolis. Com aproximadamente dois mil habitantes, o vilarejo colonizado por açorianos a partir de 1750 só é acessível a pé ou de barco. Para pegar a trilha, deixe o carro estacionado no final do Canto do Araçás e siga até o fim da rua. Com cerca de sete quilômetros de extensão, às margens da Lagoa da Conceição, o caminho é bastante acessível e passa por aos tempos da colonização açoriana. Fazem parte do percurso resquícios de um antigo engenho de farinha e casas com mais de duzentos anos, como as ruínas do sobrado da Dona Loquinha, construído por escravos em meados de 1780. A trilha leva aproxima-

p

uma vila cujos traços arquitetônicos remetem

O porto lacustre do Rio Vermelho é o ponto de

partida para quem sai do Norte da Ilha rumo à Costa

p

A trilha cruza o interior do vilarejo com cerca de 2

mil habitantes, colonizado por açorianos no século 18

p Depois da caminhada, é hora de saborear peixes e

frutos do mar em um restaurante com vista para a lagoa

Chegando pela água Outra opção para acessar o vilarejo é pegar um dos barcos que

damente duas horas para ser percorrida. O

saem do Centrinho da Lagoa, ao lado

percurso inclui uma vista panorâmica da lagoa

da ponte que segue para a Avenida

e diversos recantos em meio à mata nativa,

das Rendeiras. O trajeto leva de dez

como a cachoeira que desemboca numa pis-

a quarenta minutos, variando confor-

cina natural. Uma dica: vá de tênis. Apesar de

me a embarcação e o ponto de em-

ser largo e tranquilo, o caminho reserva alguns

barque. Para quem vem do norte da

trechos pedregosos.

Ilha, a opção é embarcar no trapiche localizado dentro do Parque Ecológico do Rio Vermelho. O passeio é mais curto, mas em compensação se chega mais rápido aos restaurantes. No meio

Gastronomia local

do caminho, há diversos “pontos”

Chegando na Costa da Lagoa, a principal atração é

cooperativas de transporte lacustre

a culinária local. Com ambiente simples e cardápio

que operam na região; basta apenas

caseiro, os 13 restaurantes da região se dife-

avisar aos cooperados em qual res-

renciam pela qualidade dos pratos à base de peixes

taurante se pretende desembarcar.

e frutos do mar, muitos deles pescados ali mesmo.

As baleeiras saem a cada meia hora,

Um exemplo é o Lagoa Azul, um dos primeiros a

ou conforme a demanda de passa-

funcionar no vilarejo. À beira da lagoa, instalado

geiros, e a passagem custa de R$ 4

numa das mesas sob a sombra de árvores, o cliente

a R$ 10, conforme o dia da semana.

pode se deliciar com a principal iguaria da casa: a se-

O percurso é uma ótima oportunida-

quência de camarão. O banquete inclui o crustá-

de para apreciar o modo de vida da

ceo servido nas modalidades alho e óleo, ao bafo

população nativa e a natureza exube-

e à milanesa, além de filé de peixe ao molho de

rante ao redor.

onde param as embarcações de duas

camarão. Para acompanhar, a cachacinha artesanal é cortesia da casa.

Textos Mônica Pupo


Evve E en n o Sum nto umme m r Sp Spor o ts (03/0 or 03 3/01 1 a 15 5/0 /02) 2) 2)

|

Flo lorriipa pa by Bu us

w w w. i g u a t e m i f l o r i a n o p o l i s . c o m . b r


36 BEM-VINDO X Trilhas

Caminhos do

Sul da Ilha

ALGUNS DOS RECANTOS MAIS PRESERVADOS DE FLORIPA SÓ SE REVELAM POR COMPLETO A QUEM SE DISPÕE A DESBRAVAR SUAS TRILHAS Texto André Lückman Fotos Victor Carlson

N

ada contra quem gosta de pegar o carro para

dos ao trilheiro como uma espécie de compensação pelo

visitar uma praia badalada, especialmente em

seu esforço físico.

uma terra com tanta gente bonita. Porém, se

você é daqueles que prefere fugir das filas, quer ouvir o

LAGOINHA VIA PÂNTANO DO SUL

barulho do mar sossegado e ter um contato maior com

Um dos melhores exemplos de paisagem agreste pra-

a natureza, talvez esteja na hora de experimentar fazer

ticamente “escondida” no fim de uma trilha é o Parque

uma trilha. Andar por estes caminhos é uma atividade

Municipal da Lagoinha do Leste, uma reserva ambien-

ancestral que transcende o mero esporte: com o espíri-

tal que compreende 453 hectares de beleza exuberante.

to leve e aventureiro, os sentidos ficam mais aguçados e

Para poder contemplar um cenário que agrega praia,

toda a percepção estética se transforma. Especialmente

lagoa, costões, quedas d’água e mata nativa, o único

para quem se aventura pela região Sul da Ilha de San-

meio é chegar lá a pé. Ao mesmo tempo em que não há

ta Catarina, privilegiada pela beleza de recantos ainda

estradas, o mar aberto para o leste é voraz o suficiente

preservados e até mesmo escondidos, que são revela-

para desencorajar uma viagem de barco, salvo quando


SHOW ME 37 há condições climáticas muito favoráveis.

buscar, a partir do topo do morro, a trilha

Exceto para quem pode voar, a única forma

que leva ao costão norte. O caminho mais

de pisar neste visual paradisíaco é suando a

arborizado, com vários trechos de sombra

camisa por alguns quilômetros.

nos pontos em que margeia a lagoa, cruza

A dificuldade de acesso tem funcionado,

pelo menos dois córregos e uma pequena

em parte, como escudo protetor do lugar. A

cachoeira. Ainda cercado pela mata nati-

praia da Lagoinha é a única da região onde

va, o último trecho é marcado pela areia,

não há infraestrutura alguma, tampouco

o que indica que a praia está próxima. Esta

serviços regulares – não existem bares,

trilha termina em uma área protegida por

lanchonetes, farmácia nem banheiros em

pedras que já abrigou ranchos de pescado-

um raio de dois quilômetros. Por isso, faz

res e é um dos locais mais procurados por

parte do kit básico de qualquer trilheiro a

quem pretende acampar. A poucos metros

sua própria água e um lanche para repor

dali está a vegetação rasteira da beira da

as energias, além de saco de lixo para não

lagoa, outra área usada para montar bar-

deixar nada para trás.

racas sob as árvores. Nos demais pontos

O acesso pode ser feito por dois camihos:

da praia, praticamente não há sombra e os

pela Praia do Pântano do Sul, seguindo a tri-

visitantes ficam expostos ao sol em meio a

lha mais curta (2,3 quilômetros) e íngreme;

dunas e restingas.

ou pelo Matadeiro, praia vizinha da Armação, cujo trajeto tem o dobro da distância

LAGOINHA VIA MATADEIRO

(4,6 quilômetros) mas conta com um longo

O acesso pelo Matadeiro tem início no fim

trecho plano. A primeira opção tem início a

da praia, onde acaba a areia e começa a tri-

poucos metros do último ponto de ônibus do

lha. Gasta-se aproximadamente meia hora

Pântano do Sul, na entrada para o balneá-

pela mata fechada para subir o costão. É o

rio de Açores. A subida já começa bastante

trecho mais difícil e cansativo, com algumas

íngreme, passando por trás do terreno de

bifurcações que podem confundir o visitan-

algumas casas. Em poucos minutos se está

te – porém, neste verão há algumas placas

em plena Mata Atlântica, e o barulho da civi-

manuscritas indicando o caminho para a

lização vai sendo deixado para trás.

Lagoinha. Em pouco mais de 30 minutos,

O trajeto é marcado por um pequeno cór-

abre-se um caminho plano que margeia o

rego e, em aproximadamente meia hora de subida, é possível chegar ao topo do morro,

Praia do Campeche

de onde já se vê a lagoa, em formato de ferradura, e o costão norte da praia. Com mais

Lagoa do Peri

um pouco de caminhada em terreno plano, atravessa-se outro córrego e é possível avistar a primeira paisagem de tirar o fôlego. Abre-se o cenário de toda a orla, que tem pouco mais de um quilômetro de extensão. À direita é possível ver o Morro da Coroa, no costão Sul, com sua inusitada formação rochosa com pedras pontudas que lembram um ouriço. A partir daí começa uma descida bastante acentuada em terreno pedregoso

Praia da Armação

Trilha da Lago do Peri Ribeirão da Ilha

Praia do Pântano do Sul

Trilha da Lagoinha do Leste

e irregular. Ao afundar os pés na areia da praia, vê-se outra fonte de água doce que desce por córregos e chega no mar. Uma forma alternativa de descer o caminho entre o Pântano e a Lagoinha é

Caieira da Barra do Sul Trilha da Praia de Naufragados

p

O grupo de trilheiros comemora a “conquista” do Morro da Coroa na Lagoinha do Leste

p

pp

Ao final de uma das trilhas que parte da Lagoa do Peri, uma queda d’água ajuda a aliviar o calor O caminho para a Lagoinha pelo costão do Matadeiro é mais extenso, mas também menos íngreme Da trilha que leva à praia de Naufragados é possível enxergar o farol e o forte de Araçatuba


38 BEM-VINDO X Trilhas

costão e revela uma sequência de paisagens exuberantes. Tendo a ponta da Ilha do Campeche à esquerda, cerca de uma hora e meia é necessária para cruzar as pontas do Quebra-Remo, do Facão e da Lagoinha. No entanto, a cada ponta (morro) atravessada surge um novo visual fascinante até se atingir a areia grossa da praia. Para curtir apropriadamente o Parque Municipal da Lagoinha do Leste, é importante lembrar que toda a área que circunda costões e praia é classificada como de preservação permanente pela lei n. 3.701/92. Portanto, é proibido o parcelamento do solo, a abertura ou prolongamento de vias e qualquer tipo de edificação, bem como o uso de veículos automotores, a caça de animais e a coleta de plantas.

NAUFRAGADOS O caminho que leva até a praia de Naufragados é provavelmente o mais percorrido entre todas as trilhas de Florianópolis. Sua história remonta à época da colonização e da construção do farol, inaugurado em 1861. Foi nesta época que várias famílias migraram para a região, expandindo a colonização a partir da Caieira da Barra do Sul, no final do Distrito do Ribeirão da Ilha. Lá construíram seus casarões, um engenho e fizeram as primeiras roças. Várias ruínas destes empreendimentos coloniais ainda podem ser observadas à margem da trilha, bem como melhorias como degraus e valos de drenagem feitos artesanalmente para facilitar o trajeto. Hoje esta é uma trilha bem fácil de percorrer, com aproximadamente três quilômetros de extensão. Já nos primeiros 20 minutos de

espelho d’água. O Parque Municipal da Lagoa

p

caminhada é possível abrigar-se do sol em um

do Peri abrange 20 quilômetros quadrados na

que leva atá o farol de Naufragados

“túnel” de vegetação nativa ou ainda refres-

região entre as praias da Armação do Pântano

p

car-se em um dos riachos que vão surgindo

do Sul e do Morro das Pedras. Apesar de ter

turistas, a Lagoinha do Leste é muito

pelo caminho. A chegada em Naufragados

uma área de lazer munida de restaurantes e

procurada pelos trilheiros durante a

exibe uma larga faixa de areia branca e fina,

banheiros bastante frequentada nos fins de

temporada de verão

cuja largura varia de 15 a 100 metros, e um

semana, o parque também esconde antigos

mar azul com ondas largas e fortes. Da mesa

caminhos de valor paisagístico e ecológico.

de um dos restaurantes locais é possível apre-

Existem duas opções de trilhas. Uma bem

ciar a Ilha de Araçatuba, as ruínas do Forta-

familiar, o Caminho da Restinga, que parte da

leza de Nossa Senhora da Conceição e o farol

sede do Parque e percorre a beira da Lagoa

no alto do morro. Uma trilha leva ao farol e a

no sentido sul. O caminho pode se estender

um conjunto de canhões de guerra.

por dois quilômetros, conforme o nível da água. Já o Caminho da Gurita tem início no

lAGOA DO PERI

final da Rua Túlio Oliveira e apresenta uma

A segunda lagoa mais famosa de Florianópolis

dificuldade média por causa das pedras. Para

é na verdade a maior lagoa de água doce da

compensar, no fim da trilha há uma bela ca-

costa catarinense, com quatro quilômetros de

choeira para refrescar os caminhantes.l

No topo, o belo visual da trilha Mesmo sem infraestrutura para


Fotos Victor Carlson

SHOW ME 39

Rodovia das ostras Seguindo pela estrada principal do Ribeirão, a Rodovia Baldicero Filomeno, você encontra uma sequência de restaurantes especializados em servir o principal produto cultiva-

do pelos maricultores locais. In natura, ao bafo, gratinado, com vinagrete e em mais de uma dezena de formas de preparo, o nobre molusco

Uma boa pedida para quem está em Florianópolis e quer conhecer um pouco de suas raízes açorianas é visitar o Ribeirão da Ilha. Voltado para a Baía Sul

As fachadas coloridas dão um

charme especial ao segundo distrito

está disponível a preços acessíveis, em ambientes agradáveis à margem das águas tranquilas

mais antigo de Florianópolis

da baía sul. Nomes como Ostradamus, Rancho

p

açoriano

p

Vilarejo

Açoriano e Porto do Contrato costumam figu-

do Contrato apresenta 14 formas

rar entre os restaurantes mais famosos da capi-

diferentes de preparar o fruto do mar

tal, mas também é possível encontrar lugares

p A praia do Morro das Pedras vista a

menores e menos badalados para se deliciar à

A sequência de ostras no Porto

partir do mirante na rodovia SC-406

vontade com esta iguaria abundante na Ilha.

e distante 36 km do Centro, um dos distritos mais antigos do município ainda preserva seu casario com arquitetura colonial, que forma o cenário perfeito para um passeio a pé, principalmente no trecho da Freguesia do Ribeirão. Mas a região inteira ainda conserva boa parte da herança cultural dos imigrantes vindos das Ilhas de Açores, que aqui aportaram no século XVIII. Entre ruas estreitas e casarões coloniais de fachadas coloridas, se descortina uma paisagem composta de canoas e baleeiras, balaios e cestos de

De

cima do morro

cipó. No mar tranquilo da baía, pode se avistar os moradores locais trabalhando na pesca e na maricultura. Principal polo produtor de ostras e mexilhões

Também na parte Sul da Ilha, há um trecho da SC-406 onde o mar grosso da praia

do país, o bairro concentra uma grande variedade

do Morro das Pedras contrasta com a restinga tranquila que circunda as águas

de restaurantes que servem os produtos cultivados

doces da Lagoa do Peri. Este cenário, com a Praia da Armação mais ao fundo, pode ser

a poucos metros dos estabelecimentos. Em razão

contemplado a partir de um mirante que faz parte de uma casa de retiro religioso edi-

disso, os pratos feitos com estes moluscos são mais

ficada em pedra pelos jesuítas em 1956. O visual deslumbrante é apreciado há várias

baratos do que em qualquer outra região do país. A

décadas. Os arquivos da Companhia de Jesus relatam o entusiasmo do padre Alfredo

orla é formada por um conjunto de pequenas praias

Rohr – pioneiro da arqueologia catarinense – ao encontrar o terreno que mais tarde

de água quente – a mais extensa com cerca de 700

sediaria a Casa de Retiros Vila Fátima: “[...] abrange parte de planície e parte de morro,

metros – que favorece a navegação e a ostreicultura.

tem estrada boa, linha de ônibus todos os dias, tem água suficiente porque a Lagoa do

Além dos restaurantes, duas atrações que valem a vi-

Peri é de água doce”. O belvedere é aberto ao público gratuitamente, mas como a casa

sita são a Igreja de Nossa Senhora da Lapa do Ribei-

ainda recebe hóspedes pede-se respeito à ordem e ao silêncio. Os portões da rampa de

rão, construída em 1806, e o Ecomuseu do Ribeirão

acesso ao mirante são fechados sempre no início da noite.

da Ilha, cujo acervo é dedicado a reconstruir o dia a dia da antiga colônia açoriana.

Textos André Lückman


40 BEM BEM-VINDO VINDO X X Programa Ilha do Campeche

UMA ILHA

mais ao leste

ENTRE INSCRIÇÕES RUPESTRES E PAISAGENS PARADISÍACAS, A ILHA DO CAMPECHE PROPORCIONA UM PASSEIO PARA FICAR GUARDADO NA MEMÓRIA Texto Emanuelle Gomes Fotos Daniel Queiroz


SHOW ME 41

C

erca de quarenta minutos de barco separam a Praia da Armação de um pedaço de terra, cercado por

água azul e transparente, que guarda um dos maiores patrimônios arqueológicos do litoral brasileiro. Um verdadeiro museu ao ar livre, formado por inscrições rupestres espalhadas em trilhas pela mata. Mas além de sua importância histórica, a Ilha do Campeche também é dona de uma das mais belas praias de Florianópolis e refúgio para um rico ecossistema que, juntamente com seus imensos costões rochosos, formam paisagens de tirar o fôlego. Em meio à vasta vegetação encontram-se dez sítios arqueológicos e oficinas líticas que guardam resquícios da presença dos povos antigos que habitavam a região antes da chegada dos portugueses. Os visitantes podem percorrer as seis trilHistórico e Artístico Nacional (Iphan), órgão responsável pelo tombamento da Ilha como Patrimônio Histórico e Ecológico Nacional. Os monitores do Iphan são os únicos habilitados para acompanhar os turistas pelos passeios. As trilhas são de baixo a médio grau de dificuldade e têm duração de cerca de uma hora, com paradas para descanso e para ouvir as explicações dos monitores. Os guias contam curiosidades, mostram as principais gravuras rupestres descobertas na ilha e apresentam um pouco da história da caça à baleia, praticada no local desde a época colonial até o início do século 20. Cada uma das caminhadas tem como ponto principal a chegada a mirantes naturais que revelam cenários únicos e inesquecíveis. A água calma e límpida, que por vezes chega a ficar com coloração esverdeada, é propícia para a prática do mergulho. Sem ondas e com tempo bom é possível atingir um raio de cinco metros de visualização embaixo da água. A riqueza de fauna e flora pode proporcionar uma experiência agradável a quem se aventurar pelas águas ao redor da ilha. Duas trilhas subaquáticas foram traçadas pelo Iphan e são feitas entre as rochas, também com a supervisão de monitores. Os snorkels e máscaras são alugados no local.

Para conferir tudo o que a Ilha do Campeche tem a oferecer é necessário pegar um barco em uma das duas praias que disponibilizam o transporte até lá durante a temporada. As saídas acontecem a partir das 9h e é preciso ficar atento, já que há um limite de 800 visitantes por dia, a fim de garantir a conservação do patrimônio histórico e paisagístico. A maioria dos prestadores de serviços, desde transporte até alimentação, não aceita cartão de crédito ou débito; por isso é importante ter dinheiro em mãos. Durante todo o verão empresas de turismo promovem passeios de escuna saindo da Barra da Lagoa, que levam cerca de uma hora e meia para chegar até a ilha. Fora da temporada, a Praia da Armação é o único local que disponibiliza embarcações para a ilha. O transporte é realizado por pescadores e o passeio dura em torno de 30 minutos. Mas, independente de qual seja o ponto de partida escolhido, a viagem é sempre tranquila e agradável. Ao chegar perto da ilha, ainda dentro do barco, já se consegue avistar parte dos costões que servem como limite entre terra e mar em diversos pontos. Um dos poucos lugares seguros para o desembarque é a Enseada, a única praia

p

has mantidas pelo Instituto de Patrimônio

CRUZANDO O MAR

A prainha da Enseada é onde chegam os

barcos que trazem turistas partindo de dois pontos diferentes de embarque p

Acompanhados de um monitor, visitantes

percorrem uma das seis trilhas disponíveis

p As pedras espalhadas pela ilha guardam

vestígios da presença de civilizações primitivas, como inscrições rupestres (foto abaixo a esquerda) e oficinas líticas (abaixo)


42 BEM-VINDO X Ilha do Campeche

p

O Iphan, responsável pela preservação

do lugar. É somente na faixa de areia

da Ilha do Campeche, limita o número de

que os turistas podem permanecer sem

visitantes a 800 por dia e não permite passeios

supervisão. A recepção dos visitantes é

p

sem monitoramento fora da faixa de areia Ao redor da ilha, o mar calmo e de águas

feita por monitores do Iphan, responsáveis por apresentar a estrutura do

transparentes forma o cenário ideal para

local, como sanitários e restaurantes,

mergulhos em duas trilhas subaquáticas

e por guiar os interessados em trilhas terrestres ou subaquáticas.

Av Pr . Pe ín cip que e no

Ilha do Campeche

Na temporada de verão, dois restaurantes ficam à disposição dos visitantes e ainda oferecem banheiros aos clientes. Mas não é possível dormir na

Ilha do Campeche SC-405

Ilha. O tempo limite de permanência vai até as 17h. A única forma de pernoitar é tornar-se sócio da Associação Couto de Magalhães de Preservação da Ilha do Campeche, que desde 1940

Morro das Pedras

cuida do local. A entidade possui três casarões, com alojamentos masculinos e femininos e quartos familiares. Com uma entrada de R$ 407 e mensalidade de R$ 159 o sócio tem direito a levar para a Ilha cônjuge e dependentes. Na tempo-

Praia da Armação SC-406

rada é preciso agendar visitas e há um limite de 15 dias de estadia nos meses Praia do Matadeiro

de dezembro, janeiro e fevereiro. A Associação ainda oferece barcos para o transporte dos sócios.l

PASSEIOS DE BARCO Saídas Saindo da Armação: buscar informação entre os pescadores. Saindo da Barra da Lagoa: R$ 70 (Operadora Aquarium 3232-4019)

Visitas guiadas pelas trilhas terrestres custam R$ 10 e pelas trilhas subaquáticas custam R$ 40 Iphan www.ilhadocampecheiphan.blogspot.com.br


44 BEM-VINDO X Passeios para crianças Victor Carlson

De férias COM A

TURMINHA Q

Texto Cléia Schmitz uem viaja com criança sabe que é preciso garantir agenda cheia para evitar cara emburrada e uma dose de confusão. Em geral, os pequenos não toleram ficar sem fazer nada, ainda mais longe de casa e dos seus

brinquedos. Além disso, o ócio costuma dar margem a brigas quando há mais de uma criança no grupo. Por isso, nada de ficar parado nessas férias! Florianópolis tem praia de sobra para a galerinha se esbaldar em banhos de mar e brincadeiras na areia, mas também oferece opções para quem prefere variar a programação ou mesmo evitar as horas de sol mais forte. Sem contar os eventuais dias de chuva, que não precisam necessariamente ser ocupados no co-

W Lagoa do Peri

G Projeto Tamar

Localizado no Sul da Ilha, o Parque da Lagoa do Peri é o lugar perfeito para passar o dia com as crianças. A água doce e tranquila é ótima para manter os pequenos longe dos “caldos”. O local também tem trilhas,

Bem pertinho da praia da Barra da Lagoa, no Leste da Ilha, o Projeto Tamar montou um centro de visitação com cinco tanques de observação de tartarugas marinhas. O local tem espaço para a criançada brincar

sombra e um parque infantil, além de

de colorir. Aberto todos os dias, inclusive

estrutura com restaurante, estacionamento,

feriados, das 10h às 19h. A entrada custa

banheiros, mesas e até churrasqueiras

R$ 10 (adultos) e R$ 5 (crianças). Crianças

públicas. Mas para conseguir uma é preciso

com altura menor que 1,20m não pagam.

chegar bem cedo. Aberto todos os dias, das

Rua Professor Ademir Francisco, s/n, Barra da

7h às 19h. A entrada é livre. A dica é não deixar na dentro do carro. Estrada Francisco Thomas dos Santos, 3150, Km 3, Pântano do Sul. (48) 3237-5660

! Dunas da Joaquina A praia da Joaquina, no Leste da Ilha, ficou famosa pelas ondas perfeitas para o surfe. Mas os surfistas não se contentaram em ficar apenas dentro d’água e aproveitaram o sobe e desce das dunas perto da praia para praticar o sandboard, uma espécie de “surfe de areia”. As crianças vão se divertir descendo os bancos de areia em pranchas que podem ser alugadas no local. A vista do topo das dunas vale o cansaço da subida. Só não se esqueça de reforçar o protetor solar. Estrada Geral da Praia da Joaquina

Daniel Queiroz

Victor Carlson

mércio. Confira a seguir nossas sugestões para curtir Floripa com a criançada.

Lagoa. (48) 3236-2015. www.tamar.org.br


! SESC Cacupé O Hotel SESC Cacupé oferece ótimas opções de lazer para não hóspedes.

Divulgação

SHOW ME 45

k Parque Ecológico do Córrego Grande Localizado próximo ao Shopping Iguatemi e à Universidade Federal de Santa Catarina, o local

Destaque para a Brinquedoteca

tem um amplo parque infantil com balanços e

(brinquedos que estimulam o desenvolvimento intelectual, a

escorregadores, quadra de areia e lagos com

criatividade e a motricidade); o Salão

patos, tartarugas e jacaré. Há também trilhas

de Jogos (tênis de mesa, sinuca,

simples que podem ser feitas até pelos pequenos.

pebolim, etc.); e a Sala de Jogos de

Leve repelente no final da tarde. Aberto todos os dias, das 7h às 19h. Entrada livre.

Todo Mundo (há jogos de tabuleiro de diferentes épocas e etnias). O acesso

Rua João Pio Duarte Silva, 535, Córrego Grande.

é gratuito. O Salão de Jogos e a Sala

(48) 3234-3522

todos os dias, das 9h às 22h. A Brinquedoteca abre de segunda a sexta, das 10h às 11h30, 14h às 15h30 e 18h30 às 20h, e nos fins de semana e feriados, das 10h às 12h, 13h às 16h e 18h30 às 20h. Rua Aroldo Soares Glavan, 1670, Cacupé. (48) 3231-3200 www.turismo.sesc-sc.com.br

Divulgação

de Jogos de Todo Mundo funcionam


Rosane Lima

Divulgação

46 BEM-VINDO X Passeios para crianças

G Barca dos Livros No segundo sábado do mês, a biblioteca comunitária Barca dos Livros promove dois passeios de barco na Costa da Lagoa com direito à parada para narração de histórias. As embarcações saem às 15h e às 16h do trapiche n. 1, no Centrinho da Lagoa. É bom fazer reserva. A Barca dos Livros oferece de terça a sábado, das 14h às 20h, uma série de atividades culturais em sua sede, também na Lagoa. O passeio de barco custa R$ 5 por pessoa. Crianças até 12 anos não pagam. Rua Hippólito do Valle Pereira, 620, Lagoa da Conceição. (48) 3879-3208. www.barcadoslivros.org

k MUSEU DO LIXO Inaugurado em 2003, o Museu do Lixo é um passeio diferente e divertido, que também contribui para a formação da consciência ecológica. Monitores apresentam todo o circuito de reciclagem do lixo e reforçam, de forma lúdica e informal, conteúdos sobre consumo sustentável. No local também estão expostos objetos curiosos encontrados pelos funcionários da empresa responsável pela limpeza das ruas de Florianópolis. As visitas devem ser agendadas por telefone e acontecem de segunda a quinta, das 9h às 11h e das 14h às 16h30. Rodovia Admar Gonzaga, 71, Itacorubi. (48) 3338-3031

G Água Show Park Com dez piscinas e 29 rampas aquáticas, o Água Show é diversão certa para crianças e adultos. Localizado no Norte da Ilha, próximo à praia dos Ingleses, o parque tem praça de alimentação, áreas de descanso, vestiário e salva-vidas. Aberto todos os dias, das 10h às 18h. A entrada custa R$ 50. Crianças com até 1 metro de altura não pagam. Rodovia 403, n. 3.868, Ingleses. (48) 3369-2354 www.aguashowpark.com.br

Daniel Queiroz

www.museudolixocomcap.blogspot.com


48 BEM-VINDO X Voo livre

FLORIPA VISTA

do alto

PLANAR SOBRE A ILHA EM UM PARAPENTE É UMA EXPERIÊNCIA ÚNICA E ACESSÍVEL ATÉ MESMO PARA QUEM NUNCA VOOU

P

Texto Mônica Pupo Fotos Victor Carlson

oucos esportes oferecem um ponto de vista tão pri-

ganhou status de atividade esportiva, chegando ao Brasil

vilegiado das belezas naturais da Ilha de Santa Ca-

no final da década de 1980. “A diferença entre parapente

tarina como o parapente. Com ventos abundantes

e paraquedas é a performance. O parapente é feito para

e contorno montanhoso, Florianópolis atrai praticantes

decolar de montanhas e encostas, sendo mais alongado e

da modalidade o ano todo. Para quem sempre sonhou em

dinâmico, enquanto o paraquedas deve ser menor e mais

voar por aí – mas nunca teve coragem – a cidade oferece

quadrado, facilitando a abertura no momento da queda

diversos pontos de voo e escolas especializadas.

livre”, explica Renato Papa Gonçalves, o “Curreca”, atleta

As principais rampas de decolagem estão nos morros que circundam a Lagoa da Conceição e as praias Mole, Brava e Santinho – locais que também funcionam como

e instrutor de parapente desde 1995. O passeio, que custa R$ 150, dura em média vinte minutos e depende das condições meteorológicas. Além dis-

excelentes mirantes naturais, de onde os menos radicais

so, o esporte impõe algumas restrições. Para voar é pre-

podem aproveitar para contemplar a paisagem ao redor. Espécie de paraquedas projetado para decolar de en-

ciso pesar entre 35 kg e 120 kg e não possuir histórico de doenças cardíacas ou labirintite. Já crianças e menores de

costas e morros, o parapente foi desenvolvido nos anos

idade devem estar acompanhados dos pais. No mais, é só

1960, com base em protótipos de equipamentos para re-

relaxar e desfrutar da sensação única de planar pelos ares

cuperação de cápsulas espaciais da Nasa. Tempos depois,

em meio a alguns dos principais cartões-postais da Ilha.l


SHOW ME 49

p

O morro do lado norte da Praia Mole é um

p

dos pontos de decolagem preferidos Com a Praia da Galheta ao fundo, iniciantes

são supervisionados por instrutores experientes

Principais pontos de voo 2 RIO VERMELHO – Impulsionados por fortes correntes térmicas, os voos podem atingir 800 metros de altitude, proporcionando visão completa das praias do leste e do norte da Ilha, além da Baía Norte.

2 PRAIA

MOLE – Beneficiado pelos ventos

sul e nordeste, o ponto propicia voos de até 250 metros de altitude, tendo abaixo o visual deslumbrante das praias Mole e Galheta e da Lagoa da Conceição.

2 LAGOA DA CONCEIÇÃO – Localizada no topo do chamado Morro das Sete Voltas, a rampa possibilita voos acima de 600 metros de altitude através de suaves correntes térmicas.

2 PRAIA DO SANTINHO – No canto direito da Praia do Santinho o ponto é uma alternativa interessante de voo no Norte da Ilha.

2 PRAIA BRAVA – É necessário percorrer uma trilha de 800 metros até alcançar a rampa no Morro do Rapa.

2 MORRO QUEIMADO – Loca-

Praia Brava

lizado em Santo Amaro da Imperatriz, distante cerca de 35 quilô-

Canasvieiras

metros de Florianópolis, sua rampa

Jurerê

SC 403

alcança 600 metros de altitude. É considerado um dos melhores pontos de voo da região, com vista deslumbrante.

Praia do Santinho Rio Vermelho

SC 401

Biguaçu SC 406 BR 101

VOOS GUIADOS h h

Lagoa da Conceição SC 405 Palhoça Santo Amaro da Imperatriz

BR 282

Morro Queimado

Fly Curreca – Florianópolis. (48) 9608

3500. www.flycurreca.com.br

Praia do Campeche

Praia Mole

Parapente Sul – Florianópolis. (48)

3232-0791. www.parapentesul.com.br

h

Ícaro – Florianópolis. (48) 3237-9095

e 9997-4939. www.icarovoolivre.com.br

h

Parapente Floripa – Santo Amaro da

Imperatriz. (48) 3279-6333. www.parapentefloripa.com.br


50 BEM-VINDO X Esporte

De prancha pelas dunas

Movidos

a

vento

Com ventos que sopram dos mais variados quadrantes

Entrecortada por extensas dunas de areia branca, Florianópolis é um dos me-

Floripa é um lugar ideal para a prática do kitesurfe.

lhores lugares do Brasil para a prática de sandboard. Equivalente tupiniquim

A modalidade utiliza uma prancha como suporte para os

do snowboard, consiste em deslizar sobre a areia em cima de uma prancha

pés e uma pipa (conhecida como papagaio) para a exe-

presa aos pés. Com exuberantes

cução das manobras. Já no windsurfe a prancha plana

campos de dunas à beira-mar, as

sobre as águas utilizando uma vela. Ambas as atividades

praias da Joaquina e Moçambique

podem ser praticadas tanto no mar como na Lagoa da

estão entre os pontos com melho-

Conceição. Windcenter – Aulas a partir de R$ 250. Alu-

res condições para quem preten-

guel por R$ 50 a hora. (48) 3232-2278. Open Winds –

de se aventurar nas areias. Para

Aulas a partir de R$ 230. (48) 9962-3778.

aperfeiçoar a técnica e as manobras é possível fazer aulas ou simplesmente alugar uma prancha e se divertir entre amigos. Na Joaquina – As pranchas podem ser alugadas diretamente nas dunas e custam R$ 20 por hora. (48) 9164 -9977. No Rio Vermelho – O pacote para duas pessoas tem duração de 4 horas e custa R$ 350, incluindo aula, equipamento, lanche e transporte. (48) 3284-3585 ou (48) 9121-2165.

p

Fotos Victor Carlson

A Joaquina é um dos

melhores lugares para a prática do sandboard

p

O SUP vem ganhando

adeptos, especialmente na Lagoa da Conceição Nos dias de vento, a

p

Lagoa vira palco para os

p

kites e windsurfers Em meio à natureza, o

ritmo puxado da corrida

Remando em pé

Esforço que compensa

Deslizar pela água em cima de uma prancha de grandes dimensões,

Outra maneira de entrar em contato com a paisagem cinematográfica

utilizando um remo para se deslocar, é o objetivo do stand up

da Ilha de Santa Catarina – e, de quebra, queimar calorias – é praticar

paddle (também conhecido como SUP), um dos esportes aquáti-

corrida ao ar livre. Também chamada de corrida outdoor, esta

cos que mais têm crescido nos últimos tempos. Na Lagoa da Con-

modalidade leva o praticante a percorrer trilhas em meio a dunas, bos-

ceição, por exemplo, é possível alugar pranchas e fazer aulas para

ques, montanhas e praias, melhorar o condicionamento físico e con-

se aprimorar na modalidade. Para quem deseja uma dose maior de

templar alguns dos principais cartões-postais de Florianópolis. Há várias

adrenalina, a dica é remar por entre as ondas da Mole. Floripa Surf

opções de percurso em treinos que podem ser individuais ou coletivos.

Club – Aluguel por R$ 30 a hora e cada aula por R$ 50. (48) 9991

Treinos guiados – R$ 60 por pessoa. (48) 9136-7972.

3535. Adrenailha – Aluguel por R$ 50 a hora e cada aula por R$ 80. (48) 3284-3585.

Textos Mônica Pupo


www.bobsinclar.com // www.mona-rennalls.de


Victor Carlson

52 BEM-VINDO X Roteiro de Compras

TEMPO BOM PARA

ir às compras SEJA NA CIDADE OU NA PRAIA, FLORIANÓPOLIS TEM INÚMERAS OPÇÕES PARA QUEM DESEJA EXPLORAR O COMÉRCIO LOCAL

F

Textos Cléia Schmitz lorianópolis vem facilitando a vida do turista que

lojistas costumam dividir o espaço com artistas que fa-

adora fazer umas comprinhas depois da praia.

zem da rua palco para espetáculos de música e teatro.

O comércio na maioria dos balneários tem ofe-

Quem procura pelo tradicional artesanato ilhéu não

recido cada vez mais opções bacanas e diversificadas

pode deixar de passar na Casa da Alfândega e no Merca-

para aqueles que preferem permanecer na região onde

do Público Municipal. Fique atento também às feirinhas

estão hospedados. Mas quem curte garimpar coisinhas

de artesanato espalhadas pela cidade. Uma das mais

ou simplesmente passear de loja em loja tem bons mo-

tradicionais é a Feirinha da Catedral, que acontece às

tivos para fazer um tour pelos diversos centros comer-

quartas e sextas-feiras em frente à Praça 15, também

ciais espalhados pela Ilha.

no Centro Histórico. Outras feirinhas que valem a visita

A maior concentração de lojas está no Centro Histó-

são a Feira das Alfaias, que funciona todos os sábados

rico da capital. Ali é possível encontrar de tudo: roupas,

em Santo Antônio de Lisboa; e a feirinha da Lagoa da

sapatos, livros, perfumes, brinquedos, eletrodomésti-

Conceição, na praça do bairro, sempre aos domingos.

cos, produtos de informática e telefonia. O eixo prin-

Florianópolis também tem ótimas opções para os

cipal desse grande centro comercial a céu aberto é o

apreciadores de shopping centers, destino de muitos

movimentado calçadão da Rua Felipe Schmidt, onde os

turistas, mas considere que durante o verão os centros


No caminho para o Norte da Ilha, na ro-

três grandes shoppings na Ilha e três na

dovia SC-401, o Floripa Shopping tem um

região continental, nas cidades vizinhas de

mix composto por 160 pontos comerciais e

São José e Palhoça. Todos contam com di-

inclui quatro grandes marcas de lojas de

versas alternativas de compras e lazer.

departamento, além das principais fran-

Ao lado da Avenida Beira-Mar Norte,

quias do segmento de moda e alimentação.

principal via urbana da cidade, margeada

Além das refeições rápidas, há alternati-

por um grande parque linear de caminha-

vas de bons e confortáveis restaurantes. O

das e uma ciclovia com vista para o mar,

Floripa Shopping promove com frequência

o Beiramar Shopping tem mais de 200 op-

eventos culturais e atrações específicas

ções de lojas e um mix bastante diversifi-

para as crianças.

cado, incluindo tradicionais magazines es-

Para completar o tour pelos shoppings,

pecializados em moda e as mais desejadas

há duas opções na cidade vizinha de São

grifes de roupas e acessórios. No vão cen-

José: o Shopping Itaguaçu, primeiro grande

tral do Beiramar estão sempre acontecen-

centro de compras da Grande Florianópolis,

do apresentações culturais, exposições,

e o novíssimo Continente Park, inaugurado

feiras e atrações infantis.

em outubro. Ambos ficam às margens da BR-101, a uma distância que não passa de dez quilômetros do centro de Florianópolis.

pping Iguatemi Florianópolis. Referência

O Continente Park é o maior de todos os

em moda, esse centro de compras traz

shoppings da região, dispondo de uma pra-

opções para diferentes bolsos e estilos, do

ça de alimentação com 1,6 mil lugares e um

esportivo ao clássico e sofisticado. O mix,

estacionamento com mais de 2,5 mil vagas,

composto por cerca de 200 lojas, é bem

identificadas por um sistema informatizado.

diversificado e inclui ótimas opções para

Em Palhoça, o Shopping Via Catarina

quem é aficionado por tecnologia. Para

acompanhou o forte crescimento do muni-

completar, o Iguatemi oferece uma boa se-

cípio e oferece lojas, praça de alimentação

leção de restaurantes no piso térreo, além

e cinemas com projeção em 3D, além de

das mais tradicionais e consagradas redes

supermercado e hotel em prédio anexo. Es-

de fast food na praça de alimentação.

colha o seu roteiro e boas compras!l

Além de um movimentado comércio

de rua, a Grande Florianópolis conta com seis shopping centers de grande porte

p

A cerca de cinco quilômetros dali, no bairro Santa Mônica, está instalado o Sho-

p

de compras costumam ficar lotados. São

Divulgação

SHOW ME 53

Com uma boa variedade de lojas e

bastante espaço para caminhar, o calçadão da Felipe Schmidt é o endereço mais tradicional do comércio no Centro

Shopping centers 1 Shopping Beiramar – Rua Bocaiúva, 2468, Centro. www.shoppingbeiramar.com.br 4 Jurerê

2 Iguatemi Florianópolis – Avenida Madre Benvenuta,687, Santa Mônica. www.iguatemiflorianopolis.com.br 3 Floripa Shopping – Rodovia SC 401, 3116, Saco Grande. www.floripashopping.com.br 4 Shopping Itaguaçu – Rua Gerôncio Thives, 1079, Barreiros, São José. www.shoppingitaguacu.com.br 5 C  ontinente Park – BR 101, esquina com a SC 407, São José. www.continentepark.com.br

Saco

6 V  ia Catarina – Av. Atílio Pedro Pagani, 270, Passa Vinte, Palhoça. www.viacatarina.com.br

Santa

Comércio de rua

3 Grande 4 5 6

São José

Palhoça

1

3

1 2

Centro

2 Mônica 5

Lagoa da Conceição

1 Rua Felipe Schmidt – Centro 2 Rua Vidal Ramos – Centro 3 Rua Bocaiúva – Centro

6

Campeche

4 Jurerê Open Shopping – Jurerê Internacional 5 Centrinho da Lagoa – Lagoa da Conceição 6 Rua Pequeno Príncipe e arredores – Campeche


CENTRINHO

da Lagoa

Fotos Daniel Queiroz

54 BEM-VINDO X Roteiro de Compras

A

concentração de bares, cafeterias e restaurantes faz da área central da Lagoa da Conceição um dos principais destinos de quem .busca badalação em Florianópolis. Mas a região também reserva

bons endereços para fazer compras, inclusive um pequeno shopping. O mix de lojas de rua é bem variado e agrada especialmente os mais descolados. A região é formada principalmente pelas ruas Afonso Delambert Neto, Henrique Veras do Nascimento e Manoel Severino de Oliveira. Destacam-se as surf shops e as lojas de decoração. Há também butiques de moda feminina, galerias de arte e lojinhas de artesanato. A maioria abre após o almoço e fecha por volta das 22h. Se você for ao centrinho num domingo, não deixe de fazer uma visita à feira de produtos artesanais que acontece na pracinha. Há barracas com as famosas rendas de bilro, produto típico de Florianópolis, além de bijuterias, antiguidades, tecelagens e cestarias. No verão, a feira vai das 17h até meia-noite.

G Lua Nova Especializada em presentes, a loja tem uma variedade incrível de artigos, incluindo peças tradicionais do artesanato ilhéu, como miniaturas das figuras do boi de mamão e réplicas da almofada de renda de bilro. Além disso, vende mandalas, pedras decorativas, luminárias, barquinhos, incensos, sinos de vento e cachaça produzida em Florianópolis. Rua Henrique Veras do Nascimento, 121 (48) 3232-1691 www.luanovafloripa.com.br

k Beco do Bagre A loja reflete o espírito dos habituais frequentadores da Lagoa e oferece uma infinidade de artigos descolados e

G Galeria Luciano Martins O espaço reúne uma amostra dos quadros pintados pelo artista plástico gaúcho radicado na Ilha desde 1994. O universo lúdico de Luciano Martins já conquistou inúmeros admiradores e hoje estampa coleções de grandes marcas como Cacau Show, Uatt, Pet Nap e Marisol. Na galeria do artista é possível comprar reproduções de telas, além dos próprios quadros em exposição. Rua Afonso Delambert Neto, 664 – Loja 2 (48) 3232-0823 www.lucianomartins.com.br

criativos. Entre eles, as estilosas câmeras lomográficas, aromatizadores da Greenleaf, chaveiros, pingentes, canecas, moringas, artigos de decoração, luminárias, castiçais, bijuterias e roupas indianas. É uma ótima pedida para quem procura sugestões de presentes. Rua Afonso Delambert Neto, 637. (48) 3234-0546 www.becodobagre.com.br


SHOW ME 55

originais do

Campeche

N

ão espere encontrar no Campeche, no Sul da Ilha, as tradicionais redes de lojas dos shopping centers. O varejo local é indicado para os visitantes que preferem comprar lembran-

ças diferentes, exclusivas do lugar, em vez de marcas consolidadas nacionalmente ou dos tradicionais artigos made in China. Há inclusive diversas opções para quem procura objetos originais, elaborados por artesãos da cidade com matérias-primas encontradas na região. Destacam-se artigos em patchwork, peças de decoração em vidro e brinquedos artesanais. Não há um calçadão de lojinhas. Os pontos comerciais com atrativo turístico estão espalhados pela região em meio a outros estabelecimentos de varejo, mas a maioria das lojas está localizada nas avenidas Pequeno Príncipe e Campeche, principais vias do bairro. O ideal é seguir de carro e parar quando passar por uma loja que lhe chame a atenção. O horário de funcionamento da maioria dos estabelecimentos é das 9h às 18h.

W Atelier Arte Luz

G Atelier Eliane Castelan

A especialidade aqui são luminárias em

É um paraíso para quem faz ou simplesmente aprecia

fibra de vidro e madeira, feitas pela

técnicas artesanais como o quilting e o patchwork. A

proprietária, a artesã Ana Losekann.

proprietária, Eliane Castelan, é uma referência nacional

Algumas são decoradas com paisagens

no assunto. O ateliê vende tecidos, linhas, botões e tudo

tradicionais de Florianópolis. As peças são

o que for necessário para colocar a mão na massa, mas

exclusivas e, com sorte, é possível conferir

também comercializa produtos prontos como almofadas,

a artesã fazendo a montagem das peças.

toalhas de mesa e bonecas. Prepare-se para ficar em

Ana também faz objetos utilitários, como

dúvida sobre o que levar.

blocos de anotações e porta-chaves em

Rua Auroreal, 910. (48) 3237 3595

fibra e madeira.

www.elianecastelan.com.br

Avenida Pequeno Príncipe, 1.104. (48) 3237-4873

W Oficina do Vidro Destino certo para quem busca artigos para presentear, a loja é especializada em artesanato em vidro para decoração e arquitetura. O proprietário, o vidreiro e designer Jorge Marinho, também é o autor das peças, feitas a partir de duas técnicas: vidro modelado e vidro soprado. A variedade de objetos é grande, incluindo luminárias, vasos, fruteiras, centros de mesa, petisqueiras e bibelôs como anjinhos e elefantes. Avenida Pequeno Príncipe, 859. (48) 3234-7193 www.oficinadovidro.com.br


Fotos Daniel Queiroz

56 BEM-VINDO X Roteiro de Compras

Bocaiúva

e ARREDORES

E

ndereço do mais antigo shopping da cidade – o Beiramar Shopping – a Rua Bocaiúva e seu entorno reservam ótimas alternativas de compras para quem adora exclusividades

e artigos que se destacam pela criatividade. Localizada próximo à Avenida Beira-Mar, a região também tem muitas opções gastronômicas, incluindo cervejarias que costumam ficar lotadas nos finais de tarde. Uma boa dica é estacionar o carro e circular a pé pelas ruas Alves de Brito, Rafael Bandeira, Altamiro Guimarães e Germano Wendhausen, além da própria Bocaiúva. A região tem as tradicionais butiques de roupas femininas, incluindo muitas grifes famosas, além de lojas especializadas em roupas para crianças, brinquedos, itens para casa, óticas, produtos de informática, floriculturas, artigos para decoração, obras de arte e antiguidades. Em geral, as lojas dos arredores da Bocaiúva seguem o horário de funcionamento do comércio do Centro da cidade, das 9h às 19h de segunda a sexta e das 9h ao meio-dia aos sábados.

G Mercato Art

W Espaço Garimpo

Loja, galeria e antiquário, a Mercato Art é o endereço

A loja é um charme. É indicada

certo para quem curte arte urbana e design. O espaço

para mulheres que gostam de

reúne uma diversificada coleção de toy art, fine art,

garimpar peças exclusivas de grifes

pop art e ecodesign, além de móveis antigos e vintage.

consagradas. Há um espaço só para

O proprietário, Fábio Gerevine, é autor de muitas das

bolsas vintage de marcas como

peças expostas.

Chanel, Hermés e Prada. Vende modelos exclusivos de roupas da

Rua Rafael Bandeira, 340.

Missoni, Roberto Cavalli e Daslu.

(48) 3224-6652

Rua Maestro Tullo Cavallazzi, 10.

www.mercatoart.blogspot.com.br

(48) 3207-3738

W Aesthetic Artistic O foco da marca criada em Florianópolis é a promoção da arte e de seus artistas, com destaque para aqueles que atuam na Ilha. A loja oferece uma grande variedade de camisetas com desenhos de tatuadores e artistas plásticos, além de referências a músicos como a Banda Skrotes, também de Florianópolis. Ótima opção para quem quer levar uma lembrança da Ilha com cara contemporânea. A loja possui lojas em diversas cidades de Santa Catarina e uma no Paraná. Rua Alves de Brito, 141 – Loja 4. (48) 9998-0080 www.aesthetic.art.br


SHOW ME 57

OPEN SHOPPING

A

da Vidal

Rua Vidal Ramos é uma das mais tradicionais vias comerciais da região central de Florianópolis. Revitalizada recentemente, tornou-se o primeiro shopping a céu aberto do centro histórico

da cidade. As lojas ganharam fachadas padronizadas e o calçadão passou a dispor de iluminação especial, lixeiras e floreiras, além de bancos para que os consumidores possam fazer uma pausa entre uma compra e outra. Apresentações musicais e teatrais são comuns durante a temporada de verão. O comércio no local é bastante diversificado. O mix é composto por mais de 50 lojinhas que vendem produtos para todos os gostos e idades, especialmente sapatos, bolsas e acessórios, moda casual para homens e mulheres, moda praia e fitness, roupas para festas, moda infantil, óculos, joias e bijuterias. Há também boas opções para alimentação, incluindo lanchonetes, cafeterias, restaurantes e uma franquia especializada em chocolates. Na alta temporada, as lojas ficam abertas das 9h às 19h30.

G Doris K Multimarca, a loja é especializada em moda para

W Priori A Priori comercializa roupas com marca própria, especializada em moda praia, fitness e peças casuais. O diferencial está na possibilidade de a cliente montar o seu próprio biquíni de acordo com o gosto e tamanho. A marca aposta em estampas e modelos sintonizados com as tendências mundiais, entre maiôs, biquínis, saídas de praias e acessórios como bolsas. Rua Vidal Ramos, 182. (48) 3224-6330 www.priorimoda.com.br

! Mais Q Básica Focada no universo feminino, a MQB vende uma coleção com marca própria e aposta no estilo casual com o máximo de conforto. Todas as peças são feitas em malha – de vestidos e saias a shorts, regatas e camisetas. Há uma ampla variedade de modelos, tamanhos e cores, capaz de agradar a todos os gostos. Além de roupas, a loja oferece tênis e acessórios como lenços para compor um look completo. Rua Vidal Ramos, 153, Loja 4. (48) 3333-6767 www.maisqbasica.com.br

mulheres mais clássicas. Há peças para diferentes ocasiões: casual, trabalho e festa. Nas araras, muitas opções de vestidos, saias, blusas, calças e camisas, tudo em sintonia com as últimas tendências da moda. O mix ainda oferece cintos, bolsas e bijuterias. Entre as grifes, destaque para Maria Valentina, Morina, AHA e Scalon. Rua Vidal Ramos, 153, Loja 5. (48) 3232-2961 lojadorisk.blogspot.com.br


Jurerê

open shopping

T

Fotos Daniel Queiroz

58 BEM-VINDO X Roteiro de Compras

udo num só lugar. Assim é Jurerê Internacional, o mais badalado balneário de Florianópolis. Além da praia, dos chamados beach clubs e de restaurantes sofisticados, o lugar oferece um comércio convidativo

a poucos metros da areia. As lojas se concentram no Jurerê Open Shopping, centro comercial que tem um calçadão central repleto de cadeiras e mesas com guarda-sóis. É uma ótima opção para um passeio após a praia, com direito a compras e parada para um lanchinho e um chope com a família e os amigos. Entre as butiques, há muitas opções para compor o visual: sapatos, bolsas e acessórios, moda praia, moda feminina, masculina e infantil, além de surfs shop e bijuterias. O mix se completa com objetos de decoração, presentes, chocolates, livraria e papelaria. O lugar ainda oferece uma série de serviços como bancos e salão de beleza, além de supermercado. As lojas ficam abertas das 10h à meia-noite.

W Lombok Surf Shop

G Santalina

Especializada em surfwear, tem opções

A loja oferece o look completo para um dia de

de bermudas, shorts, camisetas, bonés e

praia: biquíni, bolsa, chapéu, sandália e toalha

roupas de banho para homens, mulheres

– tudo com muito estilo. Entre as grifes, Lenny,

e crianças. A Lombok também oferece

Salinas, Mar Rio, Despi, Larissa Minatto e Açaí

roupas de borracha, equipamentos e

from Brazil. A Santalina também é representante

acessórios para a prática do surfe, incluindo

exclusiva em Florianópolis da UVLINE, marca

pranchas. Entre as marcas encontradas na

de roupas e acessórios com fator de proteção

loja, destacam-se Hurley, Rip Curl e South

solar 50. Para completar, a loja tem as últimas

to South.

novidades das Havaianas.

Avenida dos Salmões, 874, Loja 01.

Avenida das Arraias, 855, Loja 01.

(48) 3204-4230

(48) 3365-3845

www.facebook.com/lombok.surfshop

www.santalina.com.br

! Live It Loja multimarca com as últimas tendências em moda feminina e masculina. Nas araras, muitas opções de vestidos, saias, blusas, shorts e bermudas. Destaque para as camisetas da Liverpool, marca de Florianópolis que se autointitula o “suprassumo da nostalgia”. As estampas trazem bandas de rock, artistas pop, super heróis e desenhos animados das antigas. A Live It também vende as marcas Tapout, Eletric, Rock&soda e Dixie Denim. Avenida dos Salmões, 944, Loja 01. (48) 3282-9288. www.facebook.com/lojaliveit


SHOW ME 59

a florianópolis de

Bianca Rinaldi A atriz da rede record revela seus lugares preferidos Quando visita a capital catarinense Por Débora Ferreira

E

la é uma das principais estrelas da TV Record, tem 38 anos, é mãe das gêmeas Beatriz e Sofia, de três anos, e casada com o empresário Eduardo Menga

(60). Em 2013, a atriz Bianca Rinaldi se prepara para viver Tany, uma rainha do bem na minissérie da Record José – de escravo a governador. Bianca começou a brilhar desde cedo no universo da te-

Renan-Pissolatto/Divulgação

levisão. Iniciou a carreira como paquita no programa da apresentadora Xuxa Meneguel, e ao lado dela participou de alguns filmes infantis. Em 1997 fez seu primeiro papel na TV como coadjuvante em Malhação. Cresceu na carreira e desde 2004 está na Record integrando elencos de novelas e séries, sempre como protagonista. Uma das últimas que viveu foi Laura, em O Madeireiro. O teatro também é uma de suas grandes paixões e foi por conta dele que viajou o país e conheceu muitos lugares. Um deles é bastante especial: a capital de Santa Catarina. Ela é fã da cidade e contou, em um bate-papo especial para a SHOW ME, o que mais gosta de fazer quando vem para cá. SHOW ME Quanta vezes já esteve em Floripa? Já fui para Florianópolis algumas vezes, grande parte delas a trabalho. Mas em uma ocasião fui passar o ano novo na casa de amigos. Eu gosto tanto que até moraria em Floripa! SHOW ME E o que mais gosta na cidade? Acho Florianópolis encantadora. Adoro as pessoas, que são sempre muito educadas e atenciosas. As praias são lindas e com águas sempre limpas. SHOW ME Tem alguma praia que você goste muito e que indicaria aos nossos turistas? Eu adoro a praia da Joaquina! É muito bonita e ainda dá para se divertir muito brincando de escorregar nas dunas. SHOW ME De todos os lugares, passeios e comidas que você conheceu em Floripa, qual o mais inesquecível? Super indico o Costão do Santinho, já fiquei algumas vezes e adoro! Lá posso descansar, me divertir e sou muito bem tratada. Certamente, é um ótimo resort. Agora quero voltar com as minhas filhas; elas vão adorar aquele lugar.l


Divulgação

62 BEM-VINDO X Baladas

Festa para todos

os gostos

MUNDIALMENTE CONHECIDA PELA QUALIDADE DE SUAS CASAS NOTURNAS, SEJA NA PRAIA OU NO CENTRO DA CIDADE, Florianópolis tem variadas OPÇÕES DE DIVERSÃO com BALADAS PARA todos OS ESTILOS Texto Jerônimo Rubim e Victor Carlson

O

litoral catarinense transformou-se nos

Durante o verão, as baladas eletrônicas pre-

últimos anos em um verdadeiro paraíso

dominam e Floripa entra na rota dos grandes DJs

para os veranistas-baladeiros tamanho o

nacionais e internacionais. Muitos deles passam

sucesso de suas casas noturnas, muitas delas de

pelo Music Park, o maior complexo de entreteni-

renome international. A fama faz jus à qualidade

mento do Sul do Brasil. Localizado no caminho

das casas e à envergadura das atrações nacionais

de Jurerê Internacional, o empreendimento é for-

e internacionais. Cada vez mais cosmopolita, Flo-

mado por três casas: Posh, Pacha e Stage Music

rianópolis abriga moradores e turistas vindos dos

Park, que costumam receber artistas de destaque

lugares mais diversos. As casas noturnas acom-

na música eletrônica mundial. A Pacha, terceira

panham esse movimento, com propostas que vão

filial da famosa casa no país, vive lotada e tem

de barzinhos tranquilos a baladas eletrônicas,

um dos carnavais mais concorridos do estado. Em

com opções de diversão noturna que passeiam

2012, a folia foi animada por nomes como Armin

por vários estilos e faixas de preços. Esse cenário

van Buuren, eleito DJ número 1 do mundo diver-

chamou a atenção de destacados jornais america-

sas vezes. A Posh Club, que só abre durante o

nos e europeus que comparam a vida noturna da

verão, é considerada um dos clubs mais sofistica-

capital catarinense aos melhores points do mun-

dos do mundo, comparada aos de Saint-Tropez,

do, como a ilha espanhola de Ibiza.

Miami e Punta del Leste. A casa atrai público de


alto estilo e alto poder aquisitivo, além de figuras famosas no meio da moda e do entretenimento. O Stage é a casa brasileira do maior festival de música eletrônica do mundo, o Creamfields. Na edição de 2012, mais de 15 mil pessoas acompanharam artistas como Paul van Dyk, Fatboy Slim e Layo & Buschwacka. A edição deste verão acontece no dia 26 de janeiro (mais informações em www.creamfields.

Marco Dutra/Divulgação

Divulgação

David Collaço/Divulgação

SHOW ME 63

com.br). Existem mais noites de eletrônica nas três casas do Music Park, mas as festas não se limitam a este estilo. O Stage, por exemplo, é uma arena ao ar-livre bem eclética, que traz Exaltasamba numa noite e Ben Harper na outra.

paradores e day clubs

Ainda em Jurerê Internacional, mas agora à beira-mar, o Parador 12 (P12) é uma das casas mais memoráveis do verão de pessoas em uma área fechada com piscina, banheiras de hidromassagem, bangalôs, camarotes e uma das mais modernas boates do país, com som e iluminação de última geração. O esti-

p p p

Florianópolis. Seguindo o estilo day club, recebe até duas mil

O Donna Dining aposta no estilo dining club, em alta em Londres e NY Parador 12 promove day parties em um ambiente de lounge praiano A Pacha aposta no som eletrônico e em concorridas noites de carnaval

lo de música predominante é o ambient lounge e a house music. Já passaram pelo P12 artistas como Ale Rauen, Mario Fischetti,

praia, o local se transforma durante a noite e vira uma agitada

Michel Saad, Carlo D’Alanese, Jorge Benjor, Paralamas do Su-

balada com a presença de celebridades nacionais e até mesmo

cesso, Lulu Santos, Chris Kessler, entre outros. O sucesso da

de artistas do cinema americano.

casa inspirou a criação de empreendimentos semelhantes em praias de todo o litoral catarinense. Outro exemplo de day club em Jurerê é o Taikô, com uma construção inspirada nas casas

diversidade de estilos

Partindo para o Centro, o El Divino é uma das mais tradicionais

noturnas da ilha de Bali, na Ásia, onde as pessoas circulam li-

casas noturnas da Avenida Beira-Mar Norte, sinônimo de grandes

vremente entre o clube e a beira do mar.

festas e eventos. Ocupando um prédio tombado, construído em

Também em Jurerê Internacional, o Donna Dining traz uma

1907 para ser um estaleiro da marinha, o complexo é composto

estrutura contemporânea surpreendente. Inspirada nos dining

por uma boate, o restaurante internacional Arataka e o restau-

clubs de Nova York e de Londres, que misturam música e gas-

rante japonês Setai Sushi Bar. O ambiente segue a tendência vip

tronomia, o Donna apresenta um ambiente diferenciado e um

lounge, com um espaço fino e aconchegante. Mesclando lustres e

cardápio internacional desenvolvido pelo chef italiano Dino Pi-

espelhos no estilo francês com equipamentos modernos como pai-

sellini, com experiência no restaurante Cipriani (Veneza, Itália)

néis de LED e televisores LCD, além dos sofás e pufes. A casa abre

e no Hotel Copacabana Palace (Rio de Janeiro) e comandando

diariamente, exceto na segunda-feira, e tem programação variada

pelo chef peruano Hugo Oleachea. O som mais lento e intimis-

atendendo a diversos públicos em noites que vão do pop ao pago-

ta do jantar aos poucos vai acelerando até a chegada dos DJs.

de. Os eventos do El Divino já trouxeram DJs e artistas nacionais

Também no estilo dining club, o Café de la Musique tem lotação

e internacionais como Dexterz, Sebastien Drums, Tiko’s Groove,

máxima de 250 pessoas e atrai um público seleto. Na beira da

Wally Lopez, Southmen, Kurd Maverick, Gui Boratto, entre outros.


64 BEM-VINDO X Baladas Divulgação

Alguns bares são ideais para uma noite mais calma, mas também para o “esquenta” antes de partir para lugares mais agitados. Na Beira-Mar Norte, numa das áreas mais nobres da cidade, duas casas oferecem um ambiente sofisticado. O recém-inaugurado La Cave traz o conceito europeu de gastrobar para a capital catarinense. A moderna decoração é um convite para escolher um vinho ou uma champanhe da extensa carta. Ali perto, a The Double Seven é um dining club, filial da homônima casa nova-iorquina. O lounge é intimista e os muitos e exóticos coquetéis são a assinatura da casa. Chefs de currículo invejável comandam as cozinhas tanto aqui quanto no La Cave. A grande sensação sertaneja de Floripa também fica no coração da cidade, mas um pouco mais para o Centro.

A vodca Beatka, da Brastar Premium Brands, é uma das marcas que

A Fields, aberta em 2012 na Avenida Paulo Fontes, aposta

p

ajudam a esquentar a festa nas melhores casas noturnas catarinenses

no conceito de luxo com decoração sofisticada, dez camarotes, shows nacionais e mimos como o serviço gratuito

Combustível para a noitada

para retoque de maquiagem e cabelo no banheiro VIP feminino. Tirando a Fields, a noite do Centro é predominantemente alternativa. Os inferninhos Jivago Lounge (boa

As bebidas energéticas são um sucesso nas baladas, dominando as mais famosas casas noturnas no Brasil e no exterior. O que poucos baladeiros imaginam é que o energético Ecco! é um produto catarinense. A dona da marca é a Brastar Premium Brands, com sede em Biguaçu, na Grande Florianópolis. Desde 2007 no mercado de energéticos, a empresa trabalha diretamente com o público-alvo dentro das casas noturnas e disputa sua preferência palmo a palmo com as grandes marcas. “Nosso diferencial é a inovação. O que não é uma opção, mas um fator determinante para conquistar o mercado”, explica Luciano Santa Ritta, presidente da Brastar. O insight do empresário surgiu quando ele observou entre os frequentadores da noite o hábito de misturar energético com suco de cranberry. “Criamos então protótipos do Ecco! Fruit Energy até alcançar a melhor reação do público”, explica Luciano.

A Brastar também é inovadora ao investir na produção de cerveja. “Este mercado é dominado por marcas que têm todas a mesma comunicação, sempre a mesma mensagem vinculada à tradição. Nós buscamos uma abordagem diferente”, afirma Luciano. A Balsa Beer Cutback é inspirada nas imagens clássicas do surfe de longboard. O nome tem origem na madeira usada na fabricação de pranchões nos anos de 1950, que era mais leve do que a tradicional. A cerveja ganhou esse nome justamente porque é mais leve do que as cervejas artesanais tradicionais. “Estamos atraindo o público identificado com o estilo de vida do surfe, ligado a atividade física e contato com a natureza”, explica Luciano, ele próprio surfista e apreciador experiente de cerveja.

Velvet (apertado mas divertido) e 1007 Boite Chik (antigo bordel, é o mais pop dos três) são seus melhores representantes. Na mesma região, a Concorde é a casa gay mais conhecida da ilha. Tem ótima estrutura para receber DJs, que fazem ferver a pista cheia de luzes e descamisados.

NOITES NA LAGOA

A Lagoa da Conceição é um bairro mais descontraído, mas também tem uma casa que aposta na dupla glamour e música eletrônica, com renomados DJs esquentando as noites. O Confraria Club segue a pegada dos clubes de Jurerê, com muitas Moet & Chandon estouradas durante a noite. A decoração inspirada na belle époque francesa é uma atração à parte. Quase ao lado, o movimentado Art Shop Center conta com o bar-restaurante Mustafá. É possível degustar pizzas e culinária árabe no salão com móveis de demolição e obras de arte da casa. No andar de cima, as noites se revezam entre festas alternativas, DJs tocando eletrônica Divulgação

A inovação e a visão de estratégia da empresa renderam à Brastar Premium Brands o prêmio Top de Marketing da ADVB/SC em 2012. Na ocasião da premiação, a empresa também ganhou o prêmio Top One como melhor case empresarial entre os dez premiados pela ADVB/ SC. Outra estratégia da Brastar foi investir na produção de vodca com a marca Beatka Czar’s Favorite Mistress, com uma proposta visual sedutora. Formado em Design Gráfico e com longa experiência em Marketing, Luciano dá atenção especial ao design dos produtos. A vodca faz parte da estratégia da Brastar de aumentar sua participação na demanda por bebidas nas casas noturnas.

discotecagem e mistura de público GLS e hetero), Blues


SHOW ME 65 David Collaço/Divulgação

As melhores baladas 2 Posh Club – Rod. Maurício Sirotsky Sobrinho, 2.500, km 1,5, Jurerê. (48) 3282-2533. www.poshclub.com.br

2 Pacha – Rod. Maurício Sirotsky Sobrinho, KM 1,5, Jurerê. (48) 3282-2054. www.pachafloripa.com.br

2 Stage Music Park – Rod. Maurício Sirotsky Sobrinho, KM 1,5, Jurerê. (48) 3282-2054. www.musicpark.com.br

2 P12 – Servidão José Cardoso de Oliveira, s/n, Jurerê Internacional. (48) 3284-8156. www.eldivinobrasil.com.br

2 Taikô – Av. das Lagostas, s/n, Jurerê Internacional. (48) 3282-9714. www.blogtaiko.com.br

2 Donna Dining – e black music, bandas de pop-rock e exibições de filmes de surfe. A Nomuro Temakeria Lounge é um restaurante japonês com ambientação de lounge, comandado por bons coquetéis, hip hop e muita paquera. Já o Santé Champagneria, logo ao lado, propõe um jantar e conversas em clima intimista e ao som de músicas mais tranquilas. A cinco minutos de caminhada dali, o pub Black Swan atrai uma legião de fãs com um estilo de bar inglês despojado, cervejas importadas e apresentação de boas bandas de rock. Aberto o dia inteiro, exibe jogos de futebol e

Av. dos Pampos, Jurerê Internacional. (48) 3282-1816. www.eldivinobrasil.com.br

2 Café de La Musique – Avenida dos Merlins, s/n., Posto 1-B, Jurerê Internacional. (48) 3282-1325

2 El Divino – Rua Almirante Lamego, 1.147, Centro. (48) 3225-1266. www.eldivinobrasil.com.br

2 La Cave – Av. Altamiro Guimarães, 260, Centro. (48) 3037-2828. www.lacavebar.com.br

2 The Double Seven – Rua Bocaiúva, 2.198, Centro.

rugby e funciona como happy hour, mas as noites de sexta

(48) 3207-8827. www.thedoubleseven.com.br

e sábado são as mais disputadas. Chegue cedo para não

2 Confraria Club – Rua João Pacheco da Costa, 31, Lagoa da

enfrentar filas. Rock também é a especialidade do John Bull, na Avenida das Rendeiras, com uma agenda que inclui artistas famosos do Brasil e do exterior, grupos locais e bandas cover. l

Conceição. (48) 3232.2298. www.confrariaclub.com.br

2 Mustafá – Av. Afonso Delambert Neto, 103, loja 7, Lagoa da Conceição. (48) 3232-2018. www.mustafafloripa.com.br

2 Nomuro Temakeria Lounge – Avenida Afonso Delambert Neto, 103, Lagoa da Conceição. (48) 3233-1775 O Stage, em Jurerê Internacional, é uma arena de shows eclética

p

e recebe tanto shows de rock quanto festivais de música eletrônica

p

O El Divino, uma das mais tradicionais casas noturnas de Floripa,

promove sua festas vip lounge em um belo prédio tombado de 1907

p O The Double Seven, no Centro, é filial da rede de dining clubs Divulgação

nova-iorquina que serve drinques exóticos em um clima intimista

2 Santé Champagneria – Av. Afonso Delambert Neto, 103, loja 5, Lagoa da Conceição. (48) 3204-8668

2 Black Swan – Rua Manoel Severino de Oliveira, 592, Lagoa da Conceição. (48) 3234-5682. www.theblackswan.com.br

2 John Bull Pub –

Avenida das Rendeiras, 1.046, Lagoa da Conceição. (48) 3232-8535. www.johnbullfloripa.com.br

2 Fields – Av. Paulo Fontes, 1250, Centro. (48) 3025-6646. www.fieldsfloripa.com.br

2 Jivago Lounge – Rua Deputado Leoberto Leal, 04, Centro. (48) 3028-0788. www.jivagolounge.com

2 Blues Velvet – Rua Pedro Ivo, 147, Centro. (48) 3225-4111. www.bluesvelvet.com.br

2 1007 Boite Chik – Rua Adolfo Konder, 1.007, Centro. (48) 3024-4667. www.1007boitechik.com.br

2 Concorde Club – Av. Rio Branco, 729, Centro. (48) 3222-1981. www.concordeclub.com.br


68 NO ROTEIRO X Praias

Qual é a sua praia? ENTRE AS DEZENAS DE OPÇÕES DO LITORAL CATARINENSE, DESTACAMOS 15 DAS MELHORES PRAIAS DO ESTADO PARA QUE VOCÊ ESCOLHA O LUGAR IDEAL PARA ABRIR SEU GUARDA-SOL E CURTIR O VERÃO Texto Mateus Boing Fotos Victor Carlson


SHOW ME 69

p

As águas transparentes da Praia das

Tainhas, em Bombinhas, uma das quatro sugestões de praia agreste da Show Me

A

revista que você tem em mãos

duro. Duríssimo. Sejam elas agrestes

está recheada de dicas e rotei-

ou ideais para levar a família, sejam

ros para aproveitar o que Santa

picos de surfe ou points do agito, aqui

Catarina oferece de melhor. Diversão,

existem, literalmente à sua mão, exce-

gastronomia, hospitalidade, compras,

lentes opções para todos os gostos. É o

passeios etc. Mas se você fosse obriga-

que você confere na matéria a seguir,

do a escolher apenas uma palavra para

na qual destacamos 15 das melhores

justificar sua decisão de visitar o lito-

praias catarinenses divididas em qua-

ral catarinense durante a temporada de

tro categorias, segundo suas caracte-

verão, que palavra seria essa? Nossa

rísticas em comum: familiares, agita-

aposta é que a maioria iria optar pela

das, agrestes e esportivas.

palavra “praia”. Ou melhor: “praias”. Até

porque,

convenhamos,

Afinal, se você está hospedado no

você

litoral de Santa Catarina neste verão é

pode encontrar belas atrações turís-

porque veio atrás de praia. Ou alguém

ticas em muitos lugares do país. Mas

por acaso entraria na melhor sorveteria

quando o assunto é praia, o páreo é

do Brasil apenas para tomar um café?


70 NO ROTEIRO X Praias para a família

De fácil acesso e próxima à Praia Central de Balneário

Laranjeiras

p

Camboriú, Laranjeiras possui boa infraestrutura, mar sem ondas e

A Praia de Laranjeiras fica a seis quilômetros do centro de Balneá-

natureza preservada que atraem famílias com filhos pequenos

rio Camboriú. É extremamente concorrida e ainda assim preserva a

p Em Governador Celso Ramos, a praia de Palmas tem

natureza intocada. Situada em uma linda baía rodeada pelo verde da

recantos ideais para crianças brincarem com segurança e prima

Mata Atlântica, seu mar de águas calmas mais parece uma piscina.

pela urbanização planejada, com ruas amplas e prédios baixos

A tranquilidade desse pequeno paraíso (são 600 metros de extensão) atrai muitas famílias com crianças e sua infraestrutura agrada a todos os visitantes. Há bares e lojas para divertir qualquer faixa etária. Há três formas de chegar: seguindo de carro ou de ônibus pela rodovia Interpraias, num passeio de barco que parte da praia de Balneário Camboriú ou a bordo de um moderno teleférico com 47 cabines para seis pessoas cada. O bondinho passa pelos morros de mata nativa e deixa o visitante bem no meio de Laranjeiras. A vista, lá do alto, é de tirar o fôlego.

Palmas Antes de 1996, ano da criação do balneário de ruas amplas, prédios baixos e esgoto tratado, Palmas era uma praia para jovens, remota e sem infraestrutura, em Governador Celso Ramos. Apenas famílias destemidas e aventureiras frequentavam o lugar. Hoje em dia, crianças, vovôs e surfistas dividem os 2,5 quilômetros de faixa de areia. Estacionamentos, bares e pontes de madeira sobre a restinga facilitaram essa diversidade. O que não mudou foi a beleza. O costão direito da praia parece um longo braço verde repousado sobre o mar azul. Logo ao lado, o rio de Palmas desemboca suas águas na praia criando um cenário de cinema e, ao mesmo tempo, um espaço aquático seguro para crianças.


SHOW ME 71

Daniela Banhado pelas águas da Baía Norte, o balneário da Daniela começou a ser loteado no início da década de 1970, e desde então passou a ser o destino preferido das famílias de Florianópolis. Muitos quarentões da cidade aprenderam a nadar no mar sem ondas e de temperatura agradável (a água mais quente entre as praias da Ilha). A praia forma uma pequena baía emoldurada por muito verde e natureza exuberante. Portanto, prepare sua câmera para não perder o famoso pôr do sol. Talvez a melhor maneira de aproveitar todos os encantos da Daniela seja hospedar-se por lá, alugando uma das casas de veraneio que compõem a arquitetura local. O balneário em si ainda tem pouca infraestrutura. Há uma ducha, cuja água é liberada por uma moeda que pode ser comprada em uma das duas barracas de bebidas e comidinhas que funcionam durante a temporada. Para passar o dia, uma cesta de piquenique bem abastecida é uma boa pedida. O canto esquerdo, que leva ao pontal da Daniela, é o local mais tranquilo para instalar o guarda-sol. Mas a maioria dos frequentadores concentra-se no outro extremo, onde quem chega cedo consegue um lugar à sombra e há aluguel de guarda-sóis e cadeiras. Ali é o ponto de partida para se alcançar a praia do Forte e a Fortaleza de São José da Ponta Grossa. Os cerca de 2 quilômetros de faixa de areia podem ser percorridos em 20 minutos de caminhada. E não se descuide com a tranquilidade desta imensa piscina, para que ela não se torne uma armadilha para as crianças mais empolgadas, que podem querer avançar mar adentro.

Itapema um dos destinos mais badalados do litoral catarinense, mas que ainda preserva recantos que convidam ao relaxamento. Suas praias atraem jovens em busca de surfe, agito e paquera, famílias com crianças e também aqueles que querem apenas relaxar em meio à natureza. Para essa turma, o Canto da Praia é o lugar mais indicado, com águas calmas e sem ondas, ideal para os pequenos brincarem à vontade. Com o charme de uma vila de pescadores, o local oferece excelentes opções de gastronomia. Há bares e restaurantes servindo uma variedade de pratos à base de frutos do mar. A Praia de Itapema, que fica bem no centro entre Meia Praia e a Praia de Ilhota, também tem mar calmo e cristalino. É uma opção mais urbanizada, com uma infraestrutura que inclui grandes hotéis. Há bares e restaurantes em praticamente toda a sua extensão, que é de 1,5 quilômetro.

A Daniela é a praia mais procurada de Florianópolis por pais que buscam um

lugar tranquilo e seguro para que seus filhos entrem no mar pela primeira vez

p Itapema é outro município que atrai famílias e jovens com boas opções de

hospedagem e alimentação, além de praias com águas calmas e poucas ondas

Marcello Sokal

A beleza ímpar e o acesso fácil fazem do município de

p

Itapema


72 NO ROTEIRO X Praias agitadas

Balneário Camboriú Uma cidade que não para. Assim é Balneário Camboriú. O movimento é grande mesmo fora da temporada, quando a população residente gira em torno de 100 mil habitantes. No verão e nos feriadões esse número pode passar de um milhão, e a dica para evitar aborrecimentos com o trânsito é tomar o bondinho que circula 24 horas pelas principais avenidas, inclusive à beira-mar. Restaurantes funcionam dia e noite. Por toda a orla, desde o entardecer, cervejarias, cachaçarias, bares com música ao vivo e boates oferecem estilos diversificados de música e ambientes para todos os gostos. A praia Central – de águas tranquilas, mas que em dias de ressaca chega a atrair surfistas – é a principal da cidade. É ali onde tudo acontece, seja na areia ou no calçadão da Avenida Atlântica. Quiosques ao longo de seus quase sete quilômetros de extensão oferecem petiscos e bebidas para quem quer se refrescar após uma caminhada ou prática desportiva – e também para começar o “esquenta” para a noite. Restaurantes e bares também estão presentes do início ao fim da avenida. Alguns têm mesas e cadeiras na calçada, ideais para tomar um chope e petiscar acompanhando o movimento.


Jurerê Internacional A música eletrônica também é a trilha sonora predominante em Jurerê Internacional, no Norte da Ilha, em Florianópolis. No verão, o lugar atrai turistas do Brasil e do exterior, especialmente jovens em busca não só da beleza da praia, mas também da agitação de

Markito/Fotomundo

SHOW ME 73

seus beach clubs e casas noturnas, onde se apresentam DJs de renome internacional. A festa começa ainda durante o dia e o público, não raro, chega em iates e carros importados. Muitos aproveitam as piscinas e a praia de mar calmo e areia fina enquanto bebem champanhe e saboreiam pratos de chefs famosos em lugares como Café de la Musique, Donna Jurerê Internacional, Parador 12, Simple on the Beach e Taikô. Sem deixar de lado o embalo e a azaração, celebridades e gente bonita assistem a pocket shows e ouvem música eletrônica, principalmente nos sunsets. Entre a festa na areia da praia e a balada nas casas noturnas, é possível recarregar as baterias em sofisticados restaurantes da orla ou da área comercial, distrair-se fazendo compras em lojas de grife ou simplesmente descansar nas mansões, apartamentos e hotéis de luxo. A praia tem 3,5 quilômetros de areia bem fina e branca e mar calmo. O lado direito é conhecido como Jurerê “tradicional” e no lado esquerdo fica Jurerê Internacional, tudo na mesma extensão da praia. É a

p

praia que recebeu o melhor planejamento de infraes-

sofisticação e agito em seus beach clubs, paradores e lounges à beira-mar

trutura entre as praias de Florianópolis. Entre Jurerê e

p Canasvieiras, também no Norte da Ilha, é a praia preferida dos turistas

Canasvieiras há quatro pequenas praias em enseadas.

Uma das praias mais badaladas da Capital, Jurerê Internacional reúne

argentinos em Floripa e conta com diversas opções de diversão noturna

Canasvieiras A praia é muito conhecida como o balneário dos turistas argentinos. Em várias temporadas o idioma espanhol era o mais ouvido no comércio local. Todavia, a situação político-econômica da Argentina deve reduzir a presença dos hermanos nessa temporada. Com uma boa infraestrutura urbana, a praia do Norte da Ilha de Santa Catarina conta com vários bares e restaurantes com música ao vivo, além das casas noturnas. Uma das mais procuradas, tanto por moradores quanto pelos turistas, é a Mood Canasvieiras, próxima ao trevo. Além de música eletrônica, conta com shows ao vivo e aulas de capoeira, axé e reggaeton. O complexo inclui bar, restaurante e um parque com redes entre árvores. Outra opção, bem na avenida principal do centrinho, é a Porto Night Floripa. Também atraem muita gente os bares que vendem o “capeta” – bebida à base de destilado, guaraná em pó, canela, mel, leite condensado e frutas.


74 NO ROTEIRO X Praias agrestes

Lagoinha do Leste

Praia dos ILhéus

O que a maioria das praias agrestes tem em comum é

Este pequeno paraíso de encostas verdes localizado no município

que chegar até elas pode ser um pouco complicado por

de Governador Celso Ramos tem mar de águas claras e uma faixa

causa das dificuldades do acesso. Mas ir embora é ain-

de areia com não mais que 200 metros de extensão, que abriga um

da mais difícil, diante de tantas belezas naturais. Le-

riacho que desemboca na praia.

vando estes dois aspectos em consideração, a Lagoinha

O acesso é por uma trilha que começa no canto sul da Praia de

do Leste, no sul da Ilha de Santa Catarina, é uma praia

Palmas, na estrada que leva ao resort Águas de Palmas. A caminha-

agreste por excelência. Há dois caminhos para visitá-la,

da tem início num caminho quase em frente ao condomínio Deitos,

ambos por meio de trilhas em meio a vegetação.

ao lado de um camping, e não leva mais do que 30 minutos. A trilha

Descrever a Lagoinha deveria ser uma tarefa exclusiva de poetas. Qualquer tentativa de objetividade fica distante da visão que se tem a partir de pontos elevados, como os oferecidos pelas trilhas. O cenário é composto por uma cadeia verdejante de morros que circunda uma lagoa sinuosa e uma faixa de areia fina com 1,25 quilômetro de extensão. Perto do costão norte, a lagoa aproxima-se do mar, interrompendo a restinga. A profundidade da praia aumenta aos poucos e não há correntes fortes, o que atrai os surfistas sem afastar os banhistas. Além do banho de mar, dar um mergulho na lagoa é praticamente obrigatório. A profundidade não é grande e a temperatura da água é agradável, principalmente no fim de tarde. Aliás, enquanto o dia vai chegando ao fim a vontade de ficar vai aumentando. Muitos visitantes já chegam prontos para acampar, e a área à beira da lagoa é o ponto preferido.

é bem demarcada. Quando a maré não está muito alta, a praia ganha mais um pequeno trecho entre as pedras do canto esquerdo.


SHOW ME 75

Praia da Tainha Se a brincadeira fosse escolher apenas um adjetivo para a Praia da Tainha, em Bombinhas, essa palavra dificilmente seria “agreste”. Mesmo assim ela está no grupo dos recantos naturais. Isso porque ela não deixa de ser isolada (ainda que existam algumas poucas casas na orla — e até mesmo duas petiscarias) e o seu acesso pode ser considerado difícil (ainda que seja feito de carro). Mas o principal motivo é por se tratar de um excelente lugar para dar a bebês e crianças pequenas a experiência de visitar uma praia “selvagem” sem abrir mão de conveniências como duchas, estacionamento e comida servida na areia. Aos pés do Morro do Macaco e banhada por águas calmas, essa joia do litoral catarinense tem 200 metros de extensão. O costão direito é bom lugar para mergulho livre, enquanto o lado esquerdo abriga pequenos ranchos de pescadores. O nome Tainha vem do fato de ela ser uma das primeiras praias do continente a receber os cardumes destes peixes, que passam pela Ilha de

Taquarinhas

Santa Catarina no inverno. Por R$ 10 a hora é possível alugar um

Difícil encontrar no litoral catarinense uma praia agreste com

caiaque e remar por 30 minutos até a Ilha do Macuco, ao norte, ou

acesso tão fácil quanto Taquarinhas. O lugar faz parte do circuito

por 20 minutos até a deserta Praia do Cação, ao sul.

Interpraias, em Balneário Camboriú, e fica entre Laranjeiras e Taquaras. Depois de estacionar o carro, basta descer uma escadaria de concreto que em dois minutos você estará com os

p

Além de um visual deslumbrante, a isolada Lagoinha do Leste oferece

a opção de dar um mergulho no mar ou relaxar nas águas calmas da lagoa

p

A pequena Praia dos Ilhéus, em Governador Celso Ramos, é um

pequeno paraíso com água transparente e boas ondas para o surfe

p De fácil acesso e intocada pela infraestrutura urbana, a praia de Taquarinhas fica à margem da Rodovia Interpraias, entre Laranjeiras e Taquaras

A Praia da Tainha, em Bombinhas, é uma opção para quem quer levar

p

as crianças para conhecer uma praia agreste com águas calmas e cristalinas

pés na faixa de areia que se estende por 700 metros. Tirando o acesso, Taquarinhas é uma típica “praia deserta” A infraestrutura é nula e a beleza excedente. Em seu entorno sem construções, a cor que prevalece é o verde dos morros próximos e da restinga exuberante. A areia é grossa e de tom amarelado. O mar, azul e perigoso. Além das ondas fortes, trata-se de uma praia de tombo, dessas em que a profundidade aumenta rapidamente. Portanto, mantenha-se perto da areia.


76 NO ROTEIRO X Praias esportivas

Quatro Ilhas

p

O ponto forte de Bombinhas, no litoral norte de

p Em Itajaí, a Praia Brava costuma sediar campeonatos de surfe, bodyboarding e jet-ski

Santa Catarina, é a natureza exuberante tanto

Quatro Ilhas, em Bombinhas, tem espaço para surfistas, banhistas e mergulhadores

em terra quanto na água: areias brancas e águas límpidas, com excelentes pontos de mergulho nos costões e na Ilha do Arvoredo. São mais de 30 praias, muitas delas acessíveis apenas por trilha ou barco, quase sempre em área de muito verde e Mata Atlântica preservada. Mas é a grande faixa de Mariscal e a enseada de Quatro Ilhas, urbanas e de acesso fácil, que têm mar aberto e são propícias para o surfe. Com barzinhos à beira-mar, a praia de Quatro Ilhas é destino de surfistas e ponto de encontro dos jovens. Seu nome deve-se às ilhas que podem ser vistas da areia: Macuco, Galés, Deserta e Arvoredo. Com aproximadamente 800 metros de extensão e em formato de ferradura, a praia tem mar mais calmo no costão esquerdo, que torna o ponto ideal para banho em suas águas de tom verde claro. Mas é o canto direito, com suas ondas fortes que quebram longe da areia, o principal atrativo do público jovem. Os costões, especialmente o do lado norte, são propícios para a prática de mergulho livre. A praia também atrai esotéricos em busca de energização. Eles acreditam que sua areia, rica em cristais de quartzo, armazena grande quantidade de energia. No local estão disponíveis várias formas de hospedagem: camping, pousadas e hotéis, mas também é possível instalar-se em estabelecimentos de outras praias da cidade, todas próximas.

Praia Brava A Brava, entre Itajaí e Balneário Camboriú, é conhecida por sua exuberante natureza, águas límpidas e tranquilidade. Isso na areia, pois o mar agitado faz do local um dos melhores pontos de surfe no Litoral Norte. A qualidade das ondas, especialmente no Canto do Morcego, à esquerda, onde costumam tomar a forma de tubo, torna a praia sede de campeonatos internacionais de surfe e jet-ski. Ao norte, no Morro do Morcego, amantes do voo livre podem decolar e ter uma linda vista da praia Brava. São quase três quilômetros de orla, do Canto do Morcego ao Canto dos Amores, do lado sul. O frescobol é outro esporte bastante praticado na faixa de areia, que fica praticamente vazia durante o ano todo e costuma lotar na alta temporada. Para chegar à Brava pelo canto direito, o caminho é pela Avenida do Estado, que liga Itajaí a Balneário Camboriú. Já o acesso para o lado norte é feito pela estrada da praia de Cabeçudas, passando pelo Morro do Cortado.


Markito/Fotomundo

78 BEM NO ROTEIRO VINDO XXPrograma Praias esportivas

Campeche Na continuação da famosa Joaquina, em Florianópolis, está a praia do Campeche, com três quilômetros e meio de extensão. A cerca de 200 metros à esquerda de sua entrada principal encontra-se a área conhecida como “Riozinho”, que desbancou nos últimos anos a Praia Mole como point da juventude dourada. No outro extremo está a praia do Morro das Pedras, também boa para o surfe, que acaba em um magnífico costão que avança sobre o mar. O Campeche é uma praia de mar grosso, com ondas fortes e bravias. As mais esperadas pelos surfistas são as direitas com ondulação sul, que no inverno podem chegar a mais de um metro. Na área mais central, a força das ondas é quebrada, em parte, pela ilha que leva o mesmo nome da praia. Mesmo assim é necessário cuidado ao tomar banho no local, pois é comum a presença de buracos. Vários outros esportes têm lugar nas águas frias e de forte salinidade, incluindo bodyboarding, kitesurfe e kayaking. O trecho do Riozinho concentra os praticantes desses esportes aquáticos, e nas suas areias de textura fina e alva, além de muita azaração, rolam sempre partidas de frescobol e futevôlei.

Praia Mole Com sua areia grossa e mar agitado, a Mole é uma das praias que mais atraem surfistas na Ilha de Santa Catarina. Entre aquelas de fácil acesso, talvez seja uma das mais agrestes. Localizada ao Leste, entre a Joaquina e a Barra da Lagoa, para chegar até ela basta deixar o carro nos estacionamentos e atravessar a pé a faixa de restinga. O problema é chegar até o estacionamento, já que na temporada a única rodovia que leva até a Praia Mole costuma ter trânsito complicado. Mas nada disso intimida os surfistas. O mar frio e bravo – perigoso para banhistas – é um convite irrecusável para quem pratica o esporte. A presença constante do surfe consequentemente atrai muitos jovens, tornando o local ideal para flertes e paqueras de verão. Nos dias quentes, seja na temporada ou fora dela, os bares à beira-mar e a faixa de areia ficam cheios de gente bonita tomando sol, observando ondas, surfistas, kitesurfistas e jogadores de frescobol. O tac-tac da bolinha de borracha nas raquetes costuma se misturar ao som das ondas quebrando com violência. Além disso, a qualquer momento alguém pode descer do céu bem ao seu lado, já que a encosta sul da Mole é bastante utilizada como rampa de decolagem para voos de parapente. No final da praia, no canto norte, antes de chegar à Galheta (onde se pratica o naturismo), fica o point GLBT da Ilha. Ali, o ponto de encontro é o bar do Deca. Nos feriados com festas especiais, como Réveillon e Carnaval, a Mole chega a receber por volta de 3 mil GLBTs por dia. Aqueles que não tiverem muita familiaridade com mar bravio, principalmente se estiverem com crianças, devem ter muito cuidado. De mar aberto, com fortes ondas, a Mole tem características de tombo, ou seja, a profundidade aumenta abruptamente após uns poucos passos em direção ao mar. Além disso, é comum a presença de buracos. Portanto,

A Praia Mole reúne a beleza agreste ao movimento de jovens e esportistas

se você não tiver muita segurança em suas habilidades de

Além do surfe, o frescobol é outro esporte popular na Praia do Campeche

natação é melhor não se arriscar. l

p p


80 BEM NO ROTEIRO VINDO XXPrograma Pomerode

Um pedacinho da

Alemanha


SHOW ME 81

A PEQUENA POMERODE ESTÁ PRESTES A COMPLETAR 150 ANOS DE IMIGRAÇÃO GERMÂNICA E AtÉ HOJE PRESERVA NA ARQUITETURA, NO ARTESANATO e NA GASTRONOMIA AS CARACTERÍSTICAS ÚNICAS QUE A TORNARAM CONHECIDA COMO A “CIDADE MAIS ALEMÃ DO BRASIL” Texto

e

Fotos Leo Laps

O

slogan que consolidou Pomero-

tes da região da Pomerânia, na antiga

de como um dos destinos mais

prússia, a cidade chama a atenção pelos

procurados no Sul do país conti-

jardins floridos e pela preservação da sua

nua guiando o jeito de fazer turismo no

história, que fica ainda mais visível para

município de 27 mil habitantes situado

quem visita o bairro rural de Testo Alto,

a 26 quilômetros do Centro de Blume-

na Rota do Enxaimel.

nau. Suas atrações culturais e históricas,

Santa Catarina possui o maior acervo

focadas principalmente na colonização

de arquitetura germânica fora da Europa

germânica, aliam-se a excelentes opções

e uma boa amostra desta riqueza pode

gastronômicas, belas paisagens naturais

ser apreciada neste roteiro turístico que

e um relaxante clima de vilarejo, aparen-

concentra mais de 50 propriedades, a

temente alheio à presença de grandes

maioria construída há mais de um século.

indústrias multinacionais, como as do

O enxaimel – técnica arquitetônica medie-

setor metal-mecânico Bosch Rexroth e

val, conhecida em alemão por fachwerk –

Netzsch.

faz uso de grandes vigas de madeira que,

O dialeto germânico ainda é ouvido

encaixadas umas às outras, formam uma

com frequência pelas ruas e também está

estrutura vazada que é preenchida com

presente nas placas indicativas e nos no-

pedras ou barro. Conforme a colônia e as

mes de ruas, bairros e estabelecimentos.

famílias prosperavam, as construções ga-

Colonizada a partir de 1863 por imigran-

nharam tijolos maciços. A beleza dessas

p

O Portal Sul recepciona com informações

turísticas e artesanato típico o viajante que

p

chega à cidade a partir da BR-470 O tradicional café colonial, servido por uma

p

família local no trajeto da Rota do Enxaimel As ruas limpas e tranquilas compõem um

cenário com ares de vilarejo do interior da Europa, onde o urbano e o rural se misturam


82 NO ROTEIRO X Pomerode

p

A técnica medieval de construção utilizada pelos

colonos pomeranos está presente nos mais de 50 imóveis tombados que fazem parte da Rota do Enxaimel

p Algumas das casas, muitas datadas do início

do século 20, são usadas até hoje como moradia

EM UM ROTEIRO PELA

casas, muitas delas ainda servindo de residên-

de Pomerode, e o Stollenfestival, celebrado an-

cia, é a principal atração do passeio.

tes do Natal. A criatividade dos artesãos resulta

Em novembro de 2012, após um ano de tra-

em produtos de uso doméstico, como panos de

balho envolvendo prefeitura e comunidade lo-

louça, aventais e mobiliário, além de objetos de-

cal, a Rota do Enxaimel ganhou 12 novas atra-

corativos como velas, bonecas e porta-retratos.

ções. Agora é possível degustar um farto café colonial ao lado de uma casa centenária, fazer

HOSPITALIDADE GERMÂNICA

passeios de jipe ou carro de mola, fazer trilhas

Representante da quarta geração a ocupar a casa

ecológicas e comprar roupas, doces e conservas,

construída em 1875 à beira da Rua Testo Alto,

além de conversar com os moradores e ouvir his-

Marcelo Lemke e sua família oferecem, em um

ALTO, DEZENAS

tórias sobre a região e seu cotidiano. O pacote

acolhedor rancho de madeira, um café colonial

completo é oferecido mediante agendamento, ao

acompanhado por apresentação de grupos folcló-

DE CASAS EM

custo de R$ 55 por pessoa, e pode ser planejado

ricos, além de um estande para a prática do tiro

no Centro de Informações Turísticas do Portal

ao alvo. “Sempre sonhei em abrir um estabeleci-

ESTILO COLONIAL

Turístico Sul, construção que recepciona os via-

mento aqui, que funcionasse todos os dias. Este

jantes que chegam pela BR-470. Ali também é

é o primeiro passo”, celebra o morador do bairro

ENCHEM OS

possível alugar bicicletas e obter as melhores

em frente à casa construída pelo seu bisavô.

LOCALIDADE RURAL DO TESTO

OLHOS DOS VISITANTES

dicas de passeio por toda a região.

Outra atração da Rota do Enxaimel é a visita

O artesanato, outra tradição herdada dos

à Casa Wachholz, a mais antiga de Pomerode,

imigrantes germânicos, também está presen-

tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico

te nas novas atrações do roteiro, mas pode ser

e Artístico Nacional (Iphan). A edificação, que

encontrado com facilidade em várias partes da

hoje abriga uma pousada de três quartos, foi

cidade, além de ser uma das principais atrações

construída em 1867 – apenas quatro anos após

de eventos como a Osterfest, o festival de Páscoa

a abertura dos primeiros loteamentos na região,


83 SHOW SHOW ME ME 83

GUIA DE ENDEREÇOS 2

Centro de Informações Turísticas do Portal Sul – Rua 15

2

Torten Paradies – Rua 15 de Novembro, 350 – Centro. (47)

de Novembro, 818, Centro. (47) 3387-2627. Aberto todos os dias

3387-0950 ou (47) 3387-5271. Horário: todos os dias, das 7h30min

das 8h às 18h. www.vemprapomerode.com.br

às 19h30min (exceto domingos e feriados, quando abre às 10h). www.torten.com.br

2

Zoológico de Pomerode – Rua Hermann Weege, 180, Centro.

(47) 3387-2659. Todos os dias das 8h às 19h. www.pomerzoo.org.br

2

Restaurante Wunderwald – Rua 15 de Novembro, 8444,

Centro. (47) 3387-4167 e 3395-1700. De segunda a sábado, das

Museus:

11h30 às 15h30 e das 18h às 22h30. Aos domingos, das 11h às 16h.

2

www.wunderwald.com.br

Casa do Escultor Ervin Curt Teichmann – Rua 15 de Novem-

bro, 791, Centro. Terça a domingo, das 13h às 17h. (47) 3387-0282

2

Casa do Imigrante Carl Weege – Rua Leopoldo Blaese, 11,

Pomerode Fundos. De terça a sexta, das 9h às 12h e das 13h às 18h; sábados das 8h às 12h; domingos das 9h às 17h. (47) 3387-2613

2

Museu do Marceneiro – Rua Alfredo Hoge, 525, Centro. De

segunda a sexta, das 9h às 12h e das 13h às 18h; sábados das 9h às 13h. (47) 3387-2073. www.behling.ind.br

2

Museu Pomerano – Rua Hermann Weege, 111, Centro. De

terça a sexta, das 10h às 11h30min e das 13h às 17h; sábados, domingos e feriados das 10h às 16h. (47) 3387-0408

Gastronomia: Adega Monsaraz – Rua 15 de Novembro, 1833, Centro. De

terça a sábado, das 18h às 22h30. (47) 3387-1406

Artesanato:

!

2

Associação dos Artistas e Artesãos de Pomerode

(Portal Sul) – Rua 15 de Novembro, 818, Centro. Diariamente, das

2

La Spezia – Rua Luiz Abry, 1206, Centro. De terça a domingo,

9h às 18h. (47) 3387-2627

das 18h à meia-noite. (47) 3387-3200. www.laspezia.com.br

2 2

Schornstein Kneipe – Rua Hermann Weege, 60, Centro. De

Arte e Mania – Rua Paulo Zimmermann, 90, Centro. De segunda

a sábado, das 9h às 11h30 e das 13h às 18h30. (47) 3387-0436

quinta a domingo, do meio-dia à meia-noite. Quarta-feira, a partir das 17h. (47) 3333-2759. www.schornstein.com.br

2

Arte do Lar – Rua 15 de Novembro, 4420, Testo Central Alto.

De segunda a sexta, das 9h às 18h30. Sábados, das 9h às 18h30.

!

Nugali Chocolates – Rua 15 de Novembro, 181, Centro. De

Domingos e feriados, das 10h às 18h. (47) 3387-2528

segunda a sexta das 8h30 às 19h; sábados e feriados das 9h ao meio-dia e das 13h às 17h. Domingos, das 14h às 18h. (47) 3387-

2

5294. www.nugali.com.br

a sábado, das 8h30 às 12h e das 14h às 18h. (47) 3387-3040

2

Artesanatu’s – Rua 15 de Novembro, 2430, Centro. De segunda

Atelier Rose Darius (pintura em tela e aquarelas) –

Rua dos Imigrantes, 314, Centro. Aberto diariamente em horário comercial. (47) 3387-0454 e 9991-1636

2

Nani Atelier (pintura em madeira) – Rua Karl Guenther,

459, Centro. Diariamente, das 8h às 11h30 e das 13h30 às 17h. (47) 3387-3714

2

Guenther Velas Artesanais – Rua Frederico Weege, 3420,

Pomerode Fundos / De segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Sábados, domingos e feriados, das 9h às 16h / (47) 3387.0152 / www.guenthervelas.com.br


84 NO ROTEIRO X Pomerode

que naquela época ainda era parte da Colônia

o Centro também conta com seu roteiro históri-

Blumenau. Tataraneta do primeiro morador, o

co, formado por 35 atrações. O bairro preserva

imigrante Albert Christian Johann Wachholz, Si-

boa parte do casario antigo ao longo de ruas de

moni Wachholz recebe visitantes para contar –

paralelepípedo e movimentadas ciclovias, que

em português ou alemão – a história da família,

convivem com diversas empresas e institutos fo-

da casa e da própria cidade através de retratos

cados em áreas de inovação tecnológica. “Por seu

pendurados nas paredes.

valor histórico, a região central tem uma série de

No comando da recém-criada Associação de

restrições para novas construções. No entanto,

Desenvolvimento do Turismo da Rota do Enxaimel

trabalhamos para não impedir o desenvolvimento

(Adeture), o paulista Ronald Kreidel, filho de ale-

urbano, mantendo sua dinâmica ao mesmo tempo

mães, mudou-se para Pomerode acreditando no

em que a paisagem e a beleza da cidade são pre-

potencial turístico. “Queremos fomentar o turismo

servadas”, explica o secretário municipal de Turis-

cultural, ambiental e arquitetônico por aqui. Há

mo, Cultura e Esporte, Cláudio Marcos Krueger.

muito espaço para crescer nesse setor”, afirma

Uma das atrações mais populares do roteiro

ele, que em parceria com Jean Guenther fundou o

pelo Centro é o Zoológico de Pomerode. Tercei-

Pomerode Jeep Tour, serviço que translada os visi-

ro a ser fundado no Brasil, em 1932, reúne mais

tantes em um jipe Chevrolet GM C-15 pelas atra-

de 200 espécies de animais, incluindo leões, ara-

ções da Rota do Enxaimel ou em locais mais afas-

ras, girafas e hipopótamos. Além de atender ao

tados, como os morros da Turquia e do Schmitt.

público diariamente, o zoológico também realiza ações de preservação ambiental, como a reprodu-

CENTRO HISTÓRICO

ção em cativeiro de espécies ameaçadas e a rea-

Se o Testo Alto é um bom exemplo de preserva-

bilitação de animais recolhidos em apreensões da

ção da história e da cultura da Pomerode rural,

Polícia Ambiental.

p

Detalhes da arquitetura de inspiração germânica

estão por toda parte, como na janela deste restaurante O Zoológico de Pomerode, bem no Centro da cidade,

p

é um das atrações mais populares entre os visitantes O clima tranquilo da Praça Jorge Lacerda é um convite

p

para ocupar uma mesa, relaxar e tomar um chope gelado

O CONJUNTO DE 35 PONTOS TURÍSTICOS NO CENTRO De POMERODE GARANTE UM DIA repleto de atividades


SHOW ME 85

MEMÓRIAS PRESERVADAS No Centro ou no Testo Alto, a história de Pomerode está exposta ao ar livre. Mas a cidade conta ainda com quatro ambientes criados para preservar sua memória. O primeiro está localizado no bairro Pomerodefunds, em uma autêntica casa enxaimel que reproduz a decoração de um típico lar do século 19. Cozinha, quartos, sala de estar e até um engenho para fabricação de fubá, tudo é mobiliado como nos tempos de Carl Weege, o patriarca da família que marcou a história do desenvolvimento econômico da região. Na varanda, uma cadeira de balanço convida a apreciar a tranquilidade da vizinhança. Já o Museu Pomerano revela ao visitante, além de documentos históricos, utensílios de cozinha e vestuário, móveis, equipamentos agrícolas, instrumentos musicais e até charretes. Outros itens interessantes do acervo são as “caixas de casamento”, construídas em madeira e com um fundo falso, onde cada noivo colocava um bilhete com uma mensagem para o outro. Depois do casamento, o buquê era guardado na caixa, que era fechada com uma tampa de vidro para ser aberta somente após a morte de um dos noivos. O Museu do Marceneiro, uma iniciativa da Móveis Behling, foi inaugurado em 2004 e conta com uma roda d’água ainda em funcionamento e equipamentos utilizados nos primeiros anos da empresa, quando era apenas uma marcenaria. No local há também uma loja com diversos produtos, de brinquedos a móveis e utensílios domésticos. Homenagem póstuma da família do artista Erwin Teichmann, a Casa do Escultor é formada por um belíssimo acervo de desenhos e obras talhadas em madeira, retratando principalmente mulheres, cavalos e trabalhadores. Um dos destaques é o painel em alto relevo que retrata a Santa Ceia e ocupa uma parede inteira da casa.

p

A Estátua do Colonizador, na praça Jorge Lacerda,

é uma das várias homenagens que a cidade presta aos imigrantes que povoaram a região há 150 anos

p

No Museu Pomerano, móveis de madeira e

utensílios domésticos antigos são exibidos em um ambiente que reproduz o dia-a-dia da vida na colônia


Divulgação

Divulgação

86 NO ROTEIRO X Pomerode

(R$ 14 por pessoa). Uma receita típica do

tradicional receita da cozinha alemã, é o prato

para Pomerode em 1914, ainda criança,

Brasil com apelo regional e germânico.

mais pedido do restaurante Wunderwald

e faleceu em 1992, aos 85 anos. O artista

A influência italiana, a segunda mais

p

p

Nascido na Alemanha, Teichmann veio

também criou o brasão do município e está-

presente no Vale do Itajaí, pode ser sa-

acompanhamento ideal para a cerveja

tuas como O Imigrante, localizada na Praça

boreada no La Spezia, especializado em

artesanal produzida na cidade é o

Dr. Jorge Lacerda, bem em frente à Casa

massas como o conchiglione de carne seca

Hackepeter, um “quibe cru alemão”, que

do Escultor.

com abóboras (R$ 49 para duas pessoas),

O marreco recheado com purê de maçã,

No Schornstein Kneipe, o

e na Pizzaria Tarthurel, que tem entre

leva alcaparras e especiarias

Joinville Jaraguá do Sul

S. Francisco do Sul

BR 280

SC 418

Pomerode Itajaí BR 470

Bombinhas

BR 101 Distâncias até Pomerode: Blumenau: 26 km Joinville: 81 km São F. do Sul: 95 km Florianópolis: 167 km

Florianópolis

SABORES TÍPICOS

suas opções a pizza San Remo, mesclando

Além de encantar os visitantes com muita

champignon, camarão e os queijos kraeu-

história e cultura, Pomerode também sabe

terkaese e parmesão em uma redonda de

agradar paladares exigentes. A cidade

30 centímetros (R$ 42). Recentemente, o

dispõe de restaurantes e confeitarias de-

português Domingos Correia trouxe uma

dicados à culinária típica germânica, além

nova opção para a cidade: a Adega Mon-

de oferecer excelentes opções para apre-

saraz, com um menu à base de bacalhau

ciadores da cozinha italiana e portuguesa,

norueguês e uma carta com mais de 400

por exemplo. O acento alemão pode ser

rótulos de vinhos.

saboreado em restaurantes como o Wun-

Depois do almoço, quem estiver em

derwald. Entre os pratos mais procurados

busca de doçuras deve procurar a doceria

da casa estão o schlachtplatte (R$ 109),

Torten Paradies ou a loja de chocolates da

que traz à mesa, para duas pessoas, joelho

marca local Nugali. As duas ficam quase

e bisteca de porco, salsichões vermelho e

lado a lado, na Rua 15 de Novembro, uma

branco, mostardas e raiz forte; e o mar-

das principais vias da cidade. Famosa por

reco recheado (R$ 138) acompanhado por

seus strudels, a Torten Paradies oferece

repolho roxo, purê de maçã, nhoque de ba-

café colonial com mais de 100 itens todos

tata doce e aipim frito, servido em por-

os dias (R$ 36 o quilo). Recentemente, inau-

ções generosas para até três pessoas.

gurou sua linha de sorvetes artesanais que

Já no Schornstein Kneipe, bar da

tem sabores como chope e apfelstrudel.

microcervejaria local, é possível apre-

Já a Nugali é uma das mais conceituadas

ciar os seis estilos de chope produzidos

fábricas de chocolate do país, responsável

na cidade e experimentar pratos como

por produtos como Serra do Conduru 80%

o escondidinho de aipim com leberkäse,

Cacau, premiado no Salão Mundial do Cho-

presunto de carne grelhada comprado

colate de Paris (R$ 7,90 a barra de 85g) e

de um pequeno produtor do município

que pode ser adquirido na loja da fábrica.l


SCGÁS. Uma rede de desenvolvimento sustentável ligando Santa Catarina através do gás natural. Desde 2000, quando iniciou sua operação, a SCGÁS vem levando a várias regiões do Estado muito mais economia, segurança, comodidade e respeito ao meio ambiente. O gás natural é uma das fontes de energia mais limpas que existem e o resultado da sua utilização nos veículos, lares, empresas e indústrias catarinenses pode ser medido pela quantidade de CO² que deixou de ser emitido na atmosfera durante os 12 anos de atuação da empresa: 2,2 milhões de toneladas. O equivalente a 15,7 milhões de árvores plantadas, uma floresta do tamanho de 15 mil campos de futebol. SCGÁS. Ajudando a economia de Santa Catarina a crescer com sustentabilidade.


Marcelo Martins/Divulgação

88 NO ROTEIRO X Vale do Itajaí

VERÃO LONGE

da praia

ANIMADAS FESTAS TÍPICAS E DIVERSAS MODALIDADES DE LAZER AQUÁTICO FAZEM DO VALE DO ITAJAÍ UMA OPÇÃO DIFERENTE PARA QUEM PASSA FÉRIAS EM SANTA CATARINA

E

Texto Leo Laps

ngana-se quem imagina que o verão catari-

Realizar uma Oktoberfest fora de época é a pro-

nense se resume às belas praias do litoral. A

posta da Sommerfest, lançada em 2007 para diver-

cerca de uma hora de viagem de Balneário

tir blumenauenses e turistas durante o verão. Em

Camboriú, os municípios do Vale do Itajaí têm ofe-

seis noites de janeiro e fevereiro, sempre às quin-

recido cada vez mais atrativos durante esta época

tas-feiras, o Parque Vila Germânica recebe cerca de

do ano. Para se refrescar, há sempre as águas ge-

60 mil pessoas para uma festa regada a chope ar-

ladas de ribeirões, além das piscinas e brinquedos

tesanal, produzido pelas diversas microcervejarias

dos parques aquáticos de Gaspar e dos lagos de Rio

da região, além de música e comidas típicas alemãs.

dos Cedros. E para animar a estação há eventos no

Quem visita o evento ainda pode aproveitar para

melhor estilo germânico, como a Sommerfest, em

conhecer as lojas de artesanato e suvenires, bem

Blumenau, e a Festa Pomerana, que em 2013 chega

como os empórios e os bares do parque, um dos

à sua trigésima edição no município de Pomerode.

principais pontos turísticos de todo o Vale do Itajaí.


Enquanto a Sommerfest pode ser considerada uma novidade no calendário de eventos do Vale, a Festa Pomerana já é tradição. Em 2013, o evento comple-

Fotos Leo Laps

SHOW ME 89

ta três décadas e celebra o cinquentenário de emancipação do município. A festa acontece de 11 a 21 de janeiro e lembra uma Oktoberfest com um clima mais “família”. Delícias clássicas da culinária germânica, como o joelho de porco e o marreco recheado com repolho roxo, além de sobremesas como o apfelstrudel (folheado de maçã) e cucas, chope gelado e música são os principais atrativos. A festa de Pomerode conta ainda com uma exposição de artesãos e produtores locais e competições de tiro ao alvo, lenhador e serrador, além da inusitada alleswurst: lançada em 2012, a prova testa quem consegue comer um salsichão alemão de 23 centímetros em menos tempo. O evento também celebra o encontro dos 16 clubes de caça e tiro da cidade, bem como dos grupos folclóricos. E, assim como na Oktober de Blumenau, a Festa Pomerana também promove todos os anos a eleição de suas rainhas e princesas.

diversáo aquáticA Para se recuperar depois de tanta festa,

p

José Roberto de Oliveira/Divulgação

lho no dia seguinte. As ondas podem ser

Com piscinas, tobogãs e hospedagem, o Cascanéia é um dos principais parques aquáticos da região

um privilégio das praias, mas no Vale do

p

nada melhor que um refrescante mergu-

A Sommerfest, festa de verão de Blumenau, acontece em seis quintas-feiras, de janeiro a fevereiro

Itajaí há água para todos os estilos: dos

p Em Rio dos Cedros, os lagos formados pela Barragem do Pinhal garantem o lazer nos dias de sol mais aventureiros aos que buscam diversão e tranquilidade para curtir um dia de sol com a família. Em Rio dos Cedros, pequeno município ao norte de Timbó, a Região dos Lagos é destino tanto dos que gostam da adrenalina dos esportes aquáticos, como caiaque e jet ski, quanto dos que preferem o sossego de uma pescaria ou a hospedagem em hotéis, chalés ou cabanas à beira dos lagos formados após a construção de duas usinas hidrelétricas. No bairro do Belchior Alto, em Gaspar, o visitante pode escolher entre uma série de parques aquáticos, como o Cascanéia, que completou 25 anos em 2012. Com 100 mil metros quadrados de área construída, o local oferece hospedagem em quartos de frente para a piscina principal. Mas o grande atrativo são os diver-


90 NO ROTEIRO X Vale do Itajaí Divulgação

SERVIÇO 2 Sommerfest – Dias 10, 17, 24 e 31 de janeiro, e dias 7 e 14 de fevereiro. Ingressos a R$ 8. Parque Vila Germânica, Bairro da Velha, Blumenau. www.parquevilagermanica.com.br

2 Festa Pomerana – De 11 a 21 de janeiro. Ingressos a R$ 5 (exceto às sextas e sábados, quando é cobrado R$ 12). Parque Municipal de Eventos, Centro, Pomerode. www.festapomerana.com.br Durante 11 dias em janeiro, Pomerode promove a Festa Pomerana, que completa 30 anos em 2013

p

sos tobogãs: o maior deles tem 250 metros

d’água em meio à natureza – a área faz

de descida e, segundo os proprietários,

parte do Parque Nacional da Serra do Ita-

quem desce ali atinge velocidades de até

jaí, que possui mais de 57 mil hectares de

70 quilômetros por hora. Mas há versões

Mata Atlântica preservada. O parque foi

para todas as idades e coragens.

criado em 2004, mas bem antes disso al-

Outro destino bastante procurado em

guns moradores resolveram apostar no tu-

Gaspar, conhecido pela qualidade da água

rismo ambiental e abrir as portas de suas

de suas piscinas, é o Parque Hidromine-

propriedades para visitantes.

2 Parque Aquático Cascanéia – De terça a domingo, das 9h às 19h. Na segunda-feira abre às 10h. Rua José Patrocínio Santos, 2.355, Belchior Central, Gaspar. (47) 3397-8500. www.cascaneia.com.br

2 Cascata Carolina – Todos os dias das 9h às 19h. Estrada

ral Cascata Carolina. Fundado em 1984, o

O pioneiro foi o Recanto Silvestre,

parque é pioneiro na região e seu principal

que acaba de completar 32 anos e ofere-

diferencial é a integração com a floresta de

ce quiosques onde o visitante pode trazer

Mata Atlântica: há verde para onde quer

comida e bebidas para passar o dia à bei-

que se olhe. Na piscina, os visitantes se di-

ra de um ribeirão de águas límpidas. Às

vertem nos tobogãs e também na ponte-do-

sextas, sábados e domingos, o restaurante

-rio-que-cai, com direito à mangueira para

serve almoço com comida caseira e carnes

os dias, das 9h às 19h.

tentar derrubar quem enfrenta o desafio

assadas, a um preço médio de R$ 20 por

Rua Anna de Montte Smaniotto,

de atravessar uma ponte pênsil.

pessoa. Outro lugar que atrai muitos blu-

470, Progresso – Blumenau.

menauenses e turistas é o Paraíso do Mi-

(47) 3326-0523.

Carolina, 600, Belchior Alto, Gaspar. (47) 3397-8000. www.cascatacarolina.com.br

2 Paraíso do Miguel – Todos

piscinas naturais

guel, que também conta com quiosques à

Já em Blumenau, a região da Nova Rús-

beira de piscinas naturais, no próprio leito

2 Recanto Silvestre – Todos

sia, ao Sul do município, é a rota para

do rio, e área de camping para aqueles que

quem gosta de nadar em riachos e quedas

quiserem estender a visita.l

os dias, das 8h às 19h. Rua Santa Maria, 4.269, Progresso – Blumenau. (47) 3336-5895 e 3336-5447.

Rio dos Cedros

2 Rio dos Cedros – A

Pomerode SC 416

Penha

SC 417

diretoria de Turismo da Prefeitura Municipal oferece um serviço com

Timbó

informações completas sobre as opções de lazer no município.

BR 470 Blumenau

Mais informações pelo telefone

Itajaí

Gaspar SC 486

Balneário Camboriú

(47) 3386-1050.


92 VOLTE SEMPRE X São Francisco do Sul

ENCANTO

lusitano

EM MEIO À HERANÇA DA IMIGRAÇÃO PORTUGUESA, SÃO FRANCISCO DO SUL REÚNE 12 PRAIAS AO LADO DA DESLUMBRANTE BAÍA DA BABITONGA

C

Texto Rosana Rosar Fotos Fabrício Porto onhecida como o terceiro povoado mais antigo

las estreitas é possível observar a baía, de onde saem

do Brasil, São Francisco do Sul alia o charme

os barcos em direção às ilhas da Babitonga e onde os

do casario histórico à beleza natural de suas

passageiros dos cruzeiros desembarcam quando che-

praias e da Baía da Babitonga. Um passeio imperdível

gam à cidade.

para quem visita o litoral catarinense. Localizado a

É no Centro Histórico que fica o Museu Nacional

183 quilômetros de Florianópolis, a 107 de Balneário

do Mar, construído em estilo alemão e especializado

Camboriú e a 45 de Joinville, o município tem uma

em embarcações brasileiras, é o único do gênero na

população flutuante de 380 mil habitantes durante a

América Latina. Em seu acervo estão reunidas embar-

temporada de verão e desde 2010 voltou à rota de

cações como a canoa “Max” – primeiro barco de Amyr

cruzeiros marítimos das grandes companhias.

Klink – e o “Parati I”, no qual o navegador passou cem

Um dos programas mais interessantes para quem

dias cruzando o Oceano Atlântico apenas com o im-

visita São Francisco é dar uma caminhada pelo Centro

pulso dos remos e das correntes marítimas, em 1984.

Histórico. Tombado em 1987 pelo Instituto do Patri-

Outro belíssimo prédio é o Palácio da Praia do Mot-

mônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), o lugar

ta, que abriga o Museu Histórico de São Francisco

reúne cerca de 400 imóveis que remetem às constru-

do Sul. Construído no final do século 18, serviu como

ções em estilo colonial português. Dos casarões e rue-

Câmara de Vereadores e como cadeia pública. Hoje, o


SHOW ME 93 estrutura localizada a 15 quilômetros do

contam a história local, como fotografias

Centro preserva a bateria de canhões, o

de época, moinhos de cana e equipamen-

posto de observação, o paiol do corpo de

tos diversos.

guarda e a câmera de trigo e poço, reu-

O Mercado Público Municipal, outra referência para moradores e turistas, foi

nidos no Museu do Forte. A visitação ao museu é aberta ao público e custa R$ 2.

inaugurado em 1900 e complementado

Para quem quer aproveitar o céu, o sol

em 1938 com uma peixaria no centro co-

e o mar da costa catarinense, São Fran-

mercial. A Igreja Matriz Nossa Senhora da

cisco do Sul oferece 12 opções de praias.

Graça, que teve suas primeiras paredes

A Enseada tem a melhor estrutura para

levantadas antes de 1660, foi restaurada

receber turistas e águas tranquilas, per-

cerca de 75 anos depois de sua criação e

feitas para o banho de mar das crianças.

ainda está de pé por causa do empenho

É lá que acontece o projeto Estação Ve-

da população. No livro São Francisco do

rão, apoiado pelo Grupo RIC, com moni-

Sul – muito além da viagem de Goneville,

tores orientando atividades de recreação

a historiadora Raquel S. Thiago conta que

e esporte durante a temporada. Saindo da

“o povo voluntariamente se impôs um tri-

praia de escuna, em 30 minutos é possível

buto, o chamado imposto do vintém, sobre

chegar perto do Farol da Ilha da Paz.

diversos gêneros, tais como farinha, peixe,

A praia de Ubatuba também oferece

imbé, aguardente, numa verdadeira de-

boa estrutura para hospedagem e opções

monstração de participação comunitária”.

de bares e baladas. Na Prainha, surfistas

A colonização de São Francisco do

e turistas se reúnem para aproveitar o

Sul foi iniciada em 1658, com a chegada

mar agitado e curtir a noite. O Balneário

da expedição do português Manoel Lou-

do Capri abriga um Iate Clube e o de Pau-

renço de Andrade no território até então

las é conhecido pelas competições náuti-

habitado por tribos de nativos carijós. A

cas. As praias dos Ingleses, da Figueira,

ocupação da colônia foi feita basicamente

do Calixto, do Forte, Itaguaçu, Ervino e a

por portugueses e vicentistas. Os meca-

Praia Grande completam a lista de opções

nismos de proteção da ilha começaram

da península. No domingo de Carnaval, a

a ser idealizados a partir de 1800, mas

Rua Marcílio Dias se transforma na pas-

o Forte Marechal Luz foi oficializado so-

sarela do samba com o desfile das quatro

mente em 1915, seis anos após começar

escolas de samba da cidade e de blocos

a ser construído. Desativada em 1973, a

carnavalescos.l

Itapema do Norte

Mapa Baía da

Babitonga

Joinville BR 280

BR 101

São Francisco do Sul

p

museu abriga documentos e objetos que

Entre casarões e ruas estreitas, o Centro

Histórico reúne cerca de 400 imóveis que remetem ao estilo colonial português

p O Mercado Público Municipal, inaugurado em 1900, é um dos principais pontos de encontro entre moradores e turistas

p O deque em frente ao Museu do Mar,

único museu do gênero na América Latina

p

No Museu do Forte, a 15 quilômetros

do Centro, é possível visitar as instalações do Forte Marechal Luz, desativado em 1973


Fotos Marcus Israel/Divulgação

96 NO ROTEIRO X Garopaba

Surfe, natureza

e baleias

O CLIMA TRANQUILO DE GAROPABA É IDEAL PARA QUEM CURTE BOAS ONDAS, PRAIAS AGRESTES E A OBSERVAÇÃO DE CETÁCEOS NO INVERNO

O

Texto André Lückman

município de Garopaba atravessou mais de

-sede), Prainha, Silveira, Ferrugem, Barra e Ouvidor.

200 anos sendo conhecido apenas como

Bastante procuradas pelos praticantes do surfe e

uma pequena vila de pescadores do litoral

amantes da natureza, a maioria destes lugares não

Sul de Santa Catarina. Foi a partir de 1960, com a

dispõe de muita infraestrutura, como estacionamen-

chegada dos primeiros surfistas e aventureiros – vin-

tos ou banheiros. As áreas mais urbanizadas são o

dos do Rio Grande do Sul –, que suas nove praias

núcleo central da cidade e a Praia da Ferrugem, que

começaram a ser referência para os veranistas do

concentram bares, restaurantes e pousadas.

Sul do país. Hoje, com quase 20 mil moradores fixos,

De todas as praias de Garopaba, a do Silveira

a cidade recebe cerca de 100 mil visitantes a cada

pode ser considerada a mais agreste. Reduto prefe-

verão. No entanto, ainda preserva um estilo de vida

rido dos surfistas por ter boas ondas com qualquer

tranquilo e simples, que atrai aqueles que procuram

vento, há décadas sedia campeonatos de surfe. A

uma alternativa à correria da vida urbana dos gran-

dois quilômetros do Centro, ainda resiste à ocupação

des balneários.

desenfreada e tem poucas construções, salvo algu-

Apesar das praias não serem mais desertas, o

mas casas de veranistas. A atividade dos surfistas só

verde preservado e as águas cristalinas garantem o

diminui entre os meses de maio e junho, marcados

aspecto de “paraíso perdido” ao conjunto de baías

pela safra da tainha, quando parte dos costões fica

do Norte ao Sul – Gamboa, Siriú, Garopaba (praia-

interditada para a prática do esporte.


SHOW ME 97

BALEIAS FRANCAS

Além do surfe, outra atividade que vem atraindo visitantes para a região é o turismo

especializado

em

observação

de

baleias-francas. Estes grandes mamíferos costumam visitar com frequência a costa catarinense, e nos últimos anos mais de cem baleias têm sido oficialmente avistadas a cada temporada. Elas aparecem entre junho e novembro, fugindo do inverno antártico,

p

e elegem as águas mais quentes de Santa

Na página ao lado,

Catarina para descansar e cuidar de seus

as ondas chamam os Saul Oliveira/Divulgação

surfistas para cair no mar da agreste Praia do Silveira

p

Entre junho e novembro,

a região é visitada por dezenas de baleias francas, que chegam bem perto dos barcos com turistas

p

O Centro Histórico de

Garopaba, com a Igreja Matriz em destaque, guarda a memória da freguesia fundada em 1846

filhotes. Os dois municípios encontram-se na região costeira demarcada como Área de Proteção Ambiental (APA) da Baleia Franca, cujos 156 mil hectares se estendem do Balneário Rincão até o sul de Florianópolis. A observação de baleias tem aquecido os negócios das operadoras de turismo locais durante o inverno, com a oferta de hospedagem e passeios de barco para quem deseja ver os cetáceos de perto, com segurança e respeito ao bem-estar dos animais. Além de Garopaba, sede da gerência da APA, outros pontos com grande incidência de avistamento de baleias estão nas praias

sERVIÇOS

Paulo Lopes

2 Escolas de surfe

Praia da Gamboa

do Rosa, em Imbituba, e de Itapirubá, en-

Praia do Siriú

Nacional de Conservação da Baleia Franca.

Vento Sul (48) 3254-4520

Prainha

Garopaba

Surfari (48) 3254-0299

2 Trilhas, city tour e esportes Garopaba Experience (48) 3354-1534

Praia da Ferrugem Praia da Barra

mapa

2 Observação de baleias, serviços BR 101

SC 434

www.vidasolemar.com.br Centro Nacional de Conservação da

Laguna do Ibiraquera

Praia do Ouvidor Praia Vermelha Praia do Rosa

Baleia Franca (48) 3255-2922 www.baleiafranca.org.br

Praia da Luz

Assoc. de Guias da APA (48) 9977-6352

século 19. Boa parte das construções históricas da cidade feitas com esse material se mantém em pé até hoje. O casario açoriano de Garopaba pode ser observado pela orla e pelas ruas paralelas seguindo até a Praça 21 de Abril, no sopé do costão Sul. No alto do costão está a Igreja Matriz São Joaquim, que junto com o cemitério e a casa paroquial foram construídos na época da fundação da Freguesia de Garopaba, em 1846. Ao lado da igreja, no

e 9948-2224

Praia de Ibiraquera

www.juliocesarcetaceo.blogspot.com

2 Mergulho, observação e

local conhecido como Vigia, funcionava o escritório da administração da Armação Baleeira de São Joaquim de Garopaba, criada

passeios Base Cangulo (48) 3354-1606 e 8842-2993. www.basecangulo.com.br

mais extraía-se principalmente gordura,

para erguer casas, igrejas e fortalezas no

Garopaba Vertical (48) 3254-3942

Escuna Lendário (48) 9907-1382

econômica para a comunidade. Destes ani-

na iluminação no e da argamassa usada

2 Escalada

Turismo Vida Sol e Mar (48) 3254-4199

os cetáceos eram uma importante fonte

que servia para a produção do óleo usado

www.garopabaexperience.com.br

e passeios aquáticos

O Centro Histórico de Garopaba também tem íntima relação com a presença das baleias, pois na época da colonização

Praia da Silveira

aquáticos

tre Laguna e Imbituba, onde fica o Centro

Imbituba

em 1795. Hoje, a edificação é uma galeria de arte e artesanato.l


100 BEM-VINDO a Bombinhas

nosso pequeno

tesouro

BOMBINHAS É CAPAZ DE ENCANTAR TANTO QUEM busca AVENTURA QUANTO quem prefere CURTIR UMA TEMPORADA sossegada COM A FAMÍLIA Texto Giselle Zambiazzi Fotos Victor Carlson


uando se chega ao topo do morro

a praia, com pousadas, e restaurantes à

que separa Bombinhas de Porto

beira-mar. À direita funciona o comércio

Belo dá para entender porque o

com suas imobiliárias, mercados, farmá-

menor município de Santa Catarina, com

cias, lojas e lanchonetes. O artesanato

menos de 35 quilômetros quadrados, é

e as peças de decoração estão por toda

um dos destinos turísticos mais procu-

parte. Bombas é bem urbanizada, embo-

rados do estado. O verde esmeralda do

ra preserve muito da sua beleza original.

mar que explode lá embaixo é de uma

O mar costuma ser calmo e raso, ideal

beleza inacreditável, como diz o próprio

para crianças, e a pesca de arremesso

slogan da cidade. Aliás, foi exatamente

é um dos esportes favoritos de seus fre-

essa explosão que deu origem ao nome

quentadores.

da primeira entre suas 22 praias: Bom-

Continuando pela avenida, chega-se à

bas. Quando a descobriram, os primeiros

praia que leva o nome da cidade: Bombi-

moradores se espantaram ao ouvir, ainda

nhas. Mas não podemos esquecer de que

no meio da trilha fechada, o estrondo que

estamos falando de uma pequena penín-

as ondas faziam na orla.

sula bastante acidentada. Sua geografia,

A região também é ponto de encontro

repleta de reentrâncias, enseadas, mor-

de diferentes correntes marinhas, o que

ros e costões guarda pequenas surpresas

a torna um dos principais destinos para

para quem decide explorá-la. E não pre-

quem deseja praticar mergulho ecológi-

cisa ser nenhum aventureiro profissional

co. Se você não estiver disposto a enca-

para se deparar a cada dia com lugares

rar aulas, botar um cilindro nas costas e

novos e paradisíacos. Aqui, uma trilha

descer alguns metros mar adentro, com

de fácil acesso leva a uma praia com não

um simples snorkel já é possível apreciar

mais do que 100 metros de extensão. É a

a fauna e a flora submarina sem sequer

Praia do Ribeiro, cercada de mata nativa

tirar os pés do chão. Animais e plantas

e cheia de piscinas naturais onde repou-

estão presentes em quase todas as 22

sam peixinhos – e até mesmo tartarugas

praias. Obviamente, as menos urbaniza-

em algumas épocas do ano.

das oferecem espetáculos mais coloridos

Voltando à estrada principal, o centro

como é o caso das praias da Sepultura,

de Bombinhas se apresenta. Da mesma

Embrulho e Lagoinha, entre outras.

forma que Bombas, aqui o comércio fun-

Para entrar nesse paraíso, depois de

ciona a todo vapor diante do mar verde-

descer o morro, é só seguir pela Avenida

-esmeralda que contrasta com a areia

Leopoldo Zarling. Do lado esquerdo está

branca e fofa. A grande quantidade de

p

Q

SHOW ME 101

A água calma e transparente das praias

locais é ideal para o mergulho e também para as crianças brincarem com segurança

p A areia rica em cristais de quartzo tem um brilho diferente e, quando pisada,

produz pequenos estalos que serviram de inspiração para o nome da cidade

p Ondas perfeitas atraem os surfistas e

bodyboarders para a praia de Quatro Ilhas

p

Mais agreste, Zimbros tem um mar de

águas tranquilas e uma área preservada com diversas trilhas que levam a praias remotas


102 BEM-VINDO X Bombinhas

cristais de quartzo é responsável pelo brilho intenso da areia e também por outra curiosidade: os estalinhos que se ouve ao caminhar por ela, daí o nome Bombinhas. Com poucas ondas e boa infraestrutura, é mais uma opção para quem quer levar a família a uma praia limpa, preservada e que ofereça ao mesmo tempo comércio, serviços, boa gastronomia e hospedagem. Aqui também se concentram as operadoras de mergulho ecológico e de passeios de barco. Um desses passeios permite conhecer as ilhas que dão o nome à próxima praia: Quatro Ilhas. Das quatro – Macuco, Galés, Deserta e Arvoredo – apenas a primeira não fica na Reserva Biológica Marinha do Arvoredo. Elas reduto dos jovens. O mar aberto e as ondas perfeitas convidam para o surfe. Com acesso pavimentado, o local tem um comércio mais tímido, com restaurantes e alguns bares pró-

p

também podem ser avistadas da orla, que é

A Praia da Lagoinha é um dos muitos recantos de Bombinhas onde até mesmo as crianças

podem praticar o mergulho ecológico e observar de perto a rica vida subaquática da região

p Mesmo com o desenvolvimento da infraestrutura urbana em algumas praias, a cidade

consegue manter um equilíbrio entre a atividade turística e a preservação do meio ambiente

ximos à orla, casas para veraneio e pousadas. O mesmo estilo despojado é seguido pela vizinha Mariscal: pouco comércio e paisagem exuberante. Aqui mais uma vez os cristais de quartzo dão um brilho especial à areia.

DOIS extremos A esta altura encontramos uma característica geográfica bastante interessante: um istmo. Trata-se de uma faixa estreita de terra banhada pelo oceano dos dois lados. De costas para Mariscal – ou vice-versa – está Canto Grande. Se de um lado a praia tem ondas, do outro, o mar comporta-se como uma lagoa. Com ares de vila de pescadores, o lugar abriga uma comunidade que preserva a cultura açoriana herdada dos colonizadores. Bem na sua ponta está o Parque Municipal do Morro do Macaco. A trilha com pouco menos de 200 metros

Itapema

de altura e de fácil acesso oferece não só uma vista panorâmica do istmo como permite avistar até Florianópolis.

Praia de Bombas

Porto Belo

BR-101

A vila oferece algum comércio, restauran-

Praia de Bombinhas

Mapa

tes, campings e pousadas. Daqui para frente há quatro praias selvagens, todas comple-

SC-412

Bombinhas

Praia de Quatro Ilhas

tamente isoladas, como é o caso da Conceição, Tainha e Morrinhos. A única exceção é Zimbros, que é um pouco mais urbanizada, mas ainda assim tranquila. Seu mar quase sem ondas é ideal para a prática de esportes

Canto Grande

náuticos. A ponta direita da praia abriga uma área de preservação com praias acessíveis somente por trilhas ou pelo mar.l

Mariscal

Zimbros

Tijucas

Praia de Tainhas


SHOW ME ME 103 SHOW

A Praia da Lagoinha é

p

ideal para contemplar a

p

natureza nas piscinas naturais O canto direito é o reduto

dos jovens que buscam boas ondas para a prática do surf

p

Espaço na areia é o que não

falta na Praia do Mariscal

p A esquerda uma vista

geral de Bombinhas. Abaixo, a Prainha de onde partem os barcos de passeio e das escolas de mergulho

O costão entre a Prainha e a

p

Praia de Bombinhas é ideal para o mergulho de superfície usando apenas um snorkel

p

Bombinhas é uma praia para

as famílias. Mar calmo, água clara e limpa, boa infraestrutura de comércio e serviço atrai quem quer curtir um passeio tranquilo

p

As piscinas naturais são

um paraíso para as crianças brincarem cercados por peixinhos


Divulgação

104 NO ROTEIRO X Rafting

Por água

abaixo

EM SANTO AMARO DA IMPERATRIZ E IBIRAMA, AVENTUREIROS DE TODAS AS IDADES ENFRENTAM CORREDEIRAS COM MUITA ADRENALINA

A

Texto Giovanna Kindlein experiência de deslizar pela corredeira

pelas corredeiras do Rio Cubatão do Sul, que ser-

de um rio a bordo de um bote inflável pro-

penteia entre as montanhas cobertas pela Mata

voca uma mistura de sensações. Se por

Atlântica, é promovida por três empresas de tu-

um lado a velocidade das águas e as manobras

rismo de aventura que mantêm base de opera-

bruscas fazem o coração disparar, a experiência

ções na cidade: a TDA, Apuama Rafting e Ativa

dos guias nos deixam à vontade para aproveitar

Rafting e Aventura. São mais de 11 corredeiras

momentos únicos de contato com a natureza.

ao longo do percurso. O passeio em um bote in-

Em Santa Catarina, há dois lugares ideais para

flável leva duas horas e pode ser feito tanto por

se praticar o rafting: o Rio Cubatão do Sul, no

veteranos como por iniciantes de qualquer ida-

Parque Estadual da Serra do Tabuleiro em Santo

de, desde crianças de 10 anos até adultos com

Amaro da Imperatriz, e o trecho do Rio Itajaí-Açu

mais de 60 anos.

que passa por Ibirama, no Médio Vale do Itajaí.

O rafting começa em um trecho do rio com

“O rafting é a versão atual da atividade mi-

águas calmas até alcançar as três primeiras cor-

lenar da canoagem”, diz o animado guia da TDA

redeiras leves, chamadas de Cachorro, Right

Trekking das Águas Rafting & Expedições, Elea-

Side e Surf. Mais à frente surgem outras três

zar Garbelotto, mais conhecido como Keko. Em

com maior desafio: Caldeirão, Corredeira do S e

Santo Amaro da Imperatriz, a descida de botes

a Pedra do Navio, esta última uma enorme rocha


SHOW ME 105 ao lado de um poço. É durante a descida

Ibirama

pelas corredeiras mais difíceis, em um

OPERADORAS

BR 470

misto de água e pedras, que o instrutor

2

dá os comandos. “É importante prestar

BR 101

atenção às instruções e estar sempre pre-

www.tdarafting.com.br

so ao bote”, explica Keko. Ao vencer cada

Florianópolis

obstáculo, a tripulação dá seu grito de

Santo Amaro da Imperatriz

guerra, incentivada pelo guia. Continuando o passeio, surgem as

Corredeira do Saco, onde os guias fazem uma parada estratégica para descanso e banho. Os tripulantes descem das embarcações, caminham pelas pedras e nadam, experimentando toda a beleza da paisagem. De volta ao bote, com a energia recuperada, é hora de enfrentar as últimas quatro corredeiras: Calcanhar da Imperatriz, Americana, Borbulhas e Salto. Aos poucos, as águas vão se tornando mais tranquilas e chega-se ao fim do passeio, nas proximidades da estrada velha de Santo Amaro da Imperatriz.

AVENTURA ACESSÍVEL Mais ao norte, Ibirama tem um dos melhores pontos para a prática de rafting em todo o país. Devido à diversidade das corredeiras que forma em seu percurso, o trecho de 7 quilômetros do Rio Itajaí-Açu é considerado perfeito para todos os níveis de habilidade. A expedição no Médio Vale do Itajaí tem três opções: a normal, a radical, e o rafting noturno. Todas com duração de 3 horas e que podem ser feitas por toda a família. “Já tivemos muitas pessoas com mais de 60 anos de idade que fizeram rafting”, observou Dárcio Lucas, guia, instrutor e proprietário da operadora Ibirama Rafting. O trecho do rio mais procurado nas operadoras locais é o do Morro Pelado, com 7,5 quilômetros de corredeiras intercaladas com partes calmas. A partir da metade do percurso as manobras ficam mais emocionantes e a paisagem mais bonita. Além de contornar o morro, os botes passam por um cânion com três corredeiras seguidas. Para os mais experientes, há um trecho de 6 quilômetros que começa na forte corredeira da Montanha-Russa e segue pela Caninana, com três quilômetros de corredeiras contínuas. l

BR 282

Em Ibirama, o do Rio Itajaí-Açu

forma corredeiras perfeitas para rafteiros de todos os níveis de experiência

p Auxiliados por um instrutor, aventureiros

2

Ativa Rafting (Sto. Amaro da Imperatriz)

(48) 3245-7021 www.ativarafting.com.br

2

Ecoadrenalina (Ibirama)

(47) 9124 -1578 www.ecoadrenalina.com.br

2

Ibirama Rafting (Ibirama)

de primeira viagem conseguem vencer as

(47) 3357 2130 e 8813-1895

águas do Rio Cubatão, em Santo Amaro

www.raftingradical.com.br

Victor Carlson

adiante, uma importante referência é a

p

corredeiras Carrossel e Babilônia. Mais

TDA (Santo Amaro da Imperatriz)

(48) 3245-7279


C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K


108 BEM NO CARDÁPIO VINDO X Programa X Florianópolis


SHOW ME 109

DELÍCIAS

de Floripa

DO NORTE AO SUL DA ILHA, A CAPITAL CATARINESE OFERECE uma culinária que vai das tradicionais receitas portuguesas À LEGÍTIMA COMIDA ITALIANA, PASSANDO POR PEIXES E FRUTOS DO MAR PREPARADOS DAS MANEIRAS MAIS CRIATIVAS – E SABOROSAS! Texto Mônica Pupo Fotos Victor Carlson

Um aquário e painéis de

Polvo à lagareiro

azulejos com imagens de Portugal fazem parte da decoração da Marisqueira Cintra, que também possui

um deque externo à beira-mar, onde ficam as mesas mais disputadas. Assinado pela chef e proprietária Andrea de Paula, o cardápio reúne especialidades da cozinha portuguesa. Tradicional receita lusitana, o polvo à lagareiro é levado ao forno para assar com azeite de oliva extravirgem e lâminas de alho sobre cama de batatas ao murro (R$ 48 para uma pessoa). Uma carne macia com tentáculos crocantes para paladares refinados. Para quem não abre mão da sobremesa, vale a pena encerrar a refeição com os famosos pastéis de nata (R$ 5 a unidade).

Novembro, 147, Marisqueira Sintra – Rua XV de 4-4219 Santo Antônio de Lisboa. (48) 323 www.marisqueirasintra.com.br


110 NO CARDÁPIO X Florianópolis

Salmão ao molho de ostras As duas unidades do Rancho Açoriano –

uma na Ilha e outra na área continental de Florianópolis – servem o mesmo cardápio à base de peixes e frutos do mar. Uma das especialidades da casa é o salmão ao molho de ostras com mostarda, que chega à mesa escoltado por arroz branco, salada, pirão e batata sautée (R$ 90 para duas pessoas) Outro prato que faz sucesso entre a clientela é a moqueca de camarão guarnecida de arroz branco, salada, pirão e farofa (R$ 130 para duas pessoas). Para beber, a dica é provar as caipirinhas feitas com cachaça artesanal, como a de abacaxi (R$ 16).

Rancho Açoriano – Rodovia Bald icero Filomeno, 5.634, Ribeirão da Ilha. (48) 3337-0848. www.ranchoacoriano.com

Surfista e adepto da alimentação natural, Valmeci

Pizzas de massa integral

Sousa, o “Cica”, inicou a produção de pizzas com massa integral no início dos anos 1980. Hoje proprietário da Pizzaria do Cica, ele faz

questão de comandar o preparo das redondas, num ritual que pode ser acompanhado da mesa pelos clientes. A maioria das pizzas tem nomes inspirados no surfe. Entre as mais pedidas está a “Melhor da Série”, com molhos especiais da casa, catupiry, pesto de manjericão, mussarela de búfala, tomate seco e tempero verde (R$ 51, oito fatias). Outra sugestão é a chamada “Série ao Fundo”, com molho de tomate, mussarela, provolone, parmesão, catupiry, molho branco, tahine e missô (R$ 49).

Antonio Luiz Moura Pizzaria do Cica – Rodovia Doutor (48) 3232-8638 Gonzaga, 577, Porto da Lagoa.


SHOW ME 111

Especializada em culinária

Espaguete com tiras de filé

italiana, a Cantina Santa Maria reúne diversas

opções de massas servidas em porções generosas, a exemplo do espaguete com tiras de filé mignon, champignon e pimentão – que oficialmente é um prato indivudual, mas é muito bem servido e sacia facilmente o apetite de duas pessoas (R$ 42). Todas as massas, molhos e sobremesas são produzidos na casa, que permanece aberta o ano todo. O carro-chefe da casa é o galeto al primo canto (R$ 83 para duas pessoas), mas o cardápio também oferece pratos à base de peixes, carnes e risotos.

stolo Paschoal, 267, Cantina Santa Maria – Rua Apó .cantinasantamaria.com.br Canasvieiras. (48) 3266-2652. www

Salmão com molho agridoce de manga

Não é necessário estar hospedado no Hotel Costa Norte para desfrutar do COSTA DO MAR, restaurante com vista para o mar presente em suas duas unidades. Para a entrada, a sugestão é o tartar de salmão com pequenos cubos de peixe fresco servidos crus e temperados com salsa, cebolinha, azeite de oliva e alcaparras (R$ 24 para uma pessoa). Na sequência, uma boa pedida é provar o filé de salmão com molho agridoce de manga, laranja e gengibre, acompanhado de batata baroa e arroz com açafrão (R$ 64 para duas pessoas). A casa tem adegas

Canto do Mar – Rua das Gaivotas , 984, Hotel Costa Norte, Ingleses. (48) 3261-3006. www .restaurantecantodomar.com.br

com espaços específicos para vinhos tintos, brancos e espumantes


112 NO CARDÁPIO X Florianópolis

das Linguado com bananas flamba Da decoração ao cardápio, o Bistrô do Jardim segue o

estilo dos bistrôs parisienses, com iluminação indireta, talheres de prata e louças finas. A inspiração para criar os pratos costuma surgir durante as viagens que o chef e proprietário Ricardo Almeida realiza anualmente para diversos países, de onde traz ideias que são adaptadas às técnicas da culinária francesa e aos ingredientes regionais. Novidade no menu, o linguado grelhado com bananas flambadas ao molho de manga custa R$ 55 para uma pessoa. Leve e saborosa, temperada com ervas, a receita foi elaborada especialmente para os dias quentes de verão.

n Constant, 663, Centro. Bistrô do Jardim – Largo Benjami im.com.br (48) 3224-1137. www.bistrodojard

Côngrio à café paris Com vista panorâmica para a Lagoa da Conceição, o salão externo do Barracuda Restaurante e Grill é

todo envidraçado; e por isso mesmo tem as mesas mais disputadas pelos clientes. Com foco em pescados e frutos do mar, a casa serve ainda opções de aperitivos, saladas, massas, risotos e moquecas. Um dos destaques é o filé de côngrio à café paris, grelhado ao molho de manteiga com licor de café e ervas finas, acompanhado de arroz e jardineira de legumes (R$ 104,90 para duas pessoas). A tradicional sequência de camarão para dois custa R$ 184 e inclui camarão graúdo, filé de

Barracuda Restaurante e Grill – Avenida das Rendeiras, 1.562, Lagoa da Conceição. (48) 3232-53 01. www.barracudagrill.com.br

linguado, dois bolinhos de peixe, duas casquinhas de siri e dois bolinhos de bacalhau.


113 SHOW SHOW ME ME 113

Restaurantes

Centro e continente

2 Botequim Floripa – Av. Rio Branco, 632, Centro. (48) 3333-1234. 2 Box 32 – Mercado Público, box 32, Centro. (48) 3224-5588. 2 Guaciara Restaurante – Rua Liberato Bitencourt, 1901,

2 Pitangueiras – Rod. Rafael da Rocha Pires, 2861, Sambaqui. (48) 3335-0398.

2 Pizzaria Tereza’s – Av. das Nações, 525, Canasvieiras. (48) 3266-2944.

Estreito. (48) 3244-2337.

2 Restinga Recanto – Rodovia Rafael da Rocha Pires, 2759,

2 Pizzaria Chico Toicinho – Rua Des. Pedro Silva, 2392,

Sambaqui. (48) 3235-2093.

Coqueiros. (48) 3954-2222.

2 Toca de Jurerê – Rua Accacio Melo, 78, Praia de Jurerê. (48)

2 Sanduicheria da Ilha – Rua Altamiro Guimarães, 18, Centro.

3282-1188.

(48) 3028-8686.

2 Villa do Porto – Rua XV de Novembro, 123. Santo Antônio de

2 Toca da Garoupa – Rua Alves Brito, 178, Centro. (48) 3223-1220.

Lisboa. (48) 3234-1000.

Norte da Ilha

2 Zé do Cacupé – Rod. Haroldo Soares Glavan, 1964, Cacupé.

2 Antonio’s – Av. Luiz Boiteux Piazza, 2214, Cachoeira do Bom

(48) 3335-6229.

Jesus. (48) 3284-5736.

Leste da Ilha

!

2 Bate Ponto – Rod. Gilson da Costa Xavier, 51, Santo Antônio

Cabral – Costa da Lagoa, ponto 19. (48) 3335-3132.

de Lisboa. (48) 3235-2121.

2 Café François – Rod. SC 401, 8.600, Santo Antônio de Lisboa. (48) 3226-0004.

2 Cantina Santa Maria – Rua Apóstolo Paschoal, 267, Canasvieiras. (48) 3266-2652.

2 Cantinho da Ostra – Praça XV de Novembro, 240. Santo Antônio de Lisboa. (48) 3235-2296.

2 Chef Fedoca – Rua Senador Ige D’aquino, 133, Marina Ponta da Areia, Lagoa da Conceição. (48) 3232-0759.

2 Maria Farinha – Av. das Rendeiras, 1716, Lagoa da Conceição. (48) 3232-5550.

2 Nigiri – Rua Afonso Delambert Neto, 413, Lagoa da Conceição. (48) 3232-5761.

!

2 Ponta das Caranhas – Rod. Jorn. Manoel de Menezes, 2377, Fortaleza da Lagoa. (48) 3232-3076.

Lisboa. (48) 3235-2186.

2 Sushi Yama – Rua Laurindo Januário da Silveira, 68, Canto da

Chão Batido – Rua XV de novembro, 103. Santo Antônio de

2 Coisas de MariaJoão – Rua Cônego Serpa, 57. Santo Antônio

Lagoa. (48) 3232-8612.

de Lisboa. (48) 3338-1937.

Sul da Ilha

2 Il Caravaggio – Av. Luiz Boiteux Piazza, 3180, Cachoeira do

2 Arante – Rua Abelardo Otacílio Gomes, 254, Pântano do Sul.

Bom Jesus. (48) 3284-8210.

(48) 3237-7022.

2 Lo Stivale – Av. Luiz Boiteux Piazza, 4838, Ponta das Canas.

2 Ostradamus – Rod. Baldicero Filomeno, 7.640, Ribeirão da Ilha.

(48) 3284-2079.

(48) 3337-5711.

2 Marisqueira Sintra – Rua XV de Novembro, 147. Santo

2 Porto do Contrato – Rod. Baldicero Filomeno, 5.544, Ribeirão

Antônio de Lisboa. (48) 3234-4219.

da Ilha. (48) 3337-1026.

2 Pé na Areia – Rua XV de Novembro, 18. Santo Antônio de

2 Restaurante Ostreria Umas e Ostras – Rodovia Baldicero

Lisboa. (48) 3364-6814.

Filomeno, 7680, Ribeirão da Ilha. (48) 3269-9270.


114 BEM NO CARDÁPIO VINDO X Programa X Balneário Camboriú e região


SHOW ME 115

A COSTA DOS

sabores

SEJA EM salões REQUINTADOS OU ambientes UM POUCO MAIS

INFORMAIS, OS RESTAURANTES DE BALNEÁRIO CAMBORIÚ E REGIÃO SE INSPIRAM NAs inovações da gastronomia Internacional sem deixar de lado as delícias da cozinha BRASILEIRA Texto Luciana Altmann Fotos Victor Carlson

Um filé de haddock defumado e grelhado ao molho de tomates

es verdes Haddock ao molho de tomat

verdes com pimenta jalapeño, trevos, arroz cremoso com ervas e cítricos. Para acompanhar, purê de batata doce assada, flores de begônia e uma inusitada “espuma de fumaça”. A receita traduz a essência do L‘assiete, bistrô de alta gastronomia que promete uma experiência para mexer com os sentidos. A visão é estimulada através do desenho do prato, suas cores e formas; o olfato pelo aromas das flores e pela essência de fumaça que o chef e proprietário Marconi Righi traz engarrafada da Colômbia. Já o paladar recebe uma onda de sabores com a mistura desses elementos. Todos os pratos da casa levam flores, brotos e ervas cultivadas no jardim do chef.

com a Av. Atlântica), Barra L‘assiete – Rua 4100, 21 (esquina 3-9818. Sul, Balneário Camboriú. (47) 336


116 NO CARDÁPIO X Balneário Camboriú e região

Camarão New Orleans

Com uma história de 27 anos, que se confunde com a da Praia de Cabeçudas, o restaurante chez raymond não inventa moda e segue com o cardápio que fez a fama da casa. Um dos pratos mais pedidos é o Camarão New Orleans, uma receita que surgiu de uma viagem do casal de proprietários à cidade americana. Camarões grandes grelhados, do tipo rosa pintado, um purê de batatas temperado e um perfumado molho de pimenta verde imprimem ao prato um sabor único. Tradicionalmente servida com carne vermelha, a pimenta realça o frescor dos camarões grelhados com uma sensação que

Chez Raymond – Rua Marechal Floriano Peixoto, 610, Cabeçudas, Itajaí. (47) 3348-70 15 e 3348-7032.

A expressão italiana fiaba – que

se espalha pela boca e satisfaz os paladares mais exigentes.

Tagliata de mignon

significa jogar conversa fora com os amigos – traduz bem o clima no La Madonna. De frente para a

Praia Brava, o restaurante prima pelo ambiente descontraído e por um cardápio contemporâneo e inovador assinado pela chef Aline Zacharjasiewicz. A sugestão para entrada é a tagliata de mignon, suculentas tiras de carne mal passada com rúcula à julienne e tomates frescos, servidas com fatias de pão italiano, azeite de oliva e pimenta moída na hora. O menu varia de acordo com as estações e traz pratos como camarões sicília flambados com molho à base de grapa e servidos com cuscus marroquino. Outro diferencial da casa são os drinques como o Cosmopolitan, eternizado pela série americana Sex and the City, o Mojito e o Ginger Martini.

Avenida José Medeiros Vieira, La Madonna: Cucina & Fiaba – 1-6533. 2.470, Praia Brava, Itajaí. (47) 336


SHOW ME 117

Palmito de pupunha in natura

Palmito assado

“made in” Blumenau, manteiga francesa e flor de sal. Esses são os ingredientes que tornaram o Palmito Assado do Madero Burguer & Grill um dos

mais famosos e apreciados do Brasil. A entrada que leva a assinatura do chef Junior Durski é uma exclusidade da rede de franquias que conta com um ponto à beira-mar em Balneário Camboriú. O carro-chefe é o famoso cheeseburger – intitulado “The Best Burger in the World” – que leva carne grelhada, queijo cheddar, tomate e cebola. Carnes

gourmet, sanduíches e saladas também estão no menu que conta com 11 tipos de hambúrgueres, incluindo uma opção vegetariana com queijo coalho, rúcula e tomate seco.

Balneário Atlântica, 3.180, Salas 01 e 02, Madero Burguer & Grill – Avenida .restaurantemadero.com.br Camboriú. (47) 3367-8009. www

Peixe à Ilha do Mel

Este prato remete à culinária típica do litoral paranaense: frutos do mar frescos, pirão, bobó de camarão e arroz de castanhas. De frente para a praia que dá nome à casa, o Restaurante Estaleirinho

oferece uma vista ímpar com pé na areia ao lado do costão e da Mata Atlântica. Há mais de 30 anos é especializado em frutos do mar, mas também traz opções de aves, carnes vermelhas e massas. O amplo salão tem vista para o mar esverdeado e o deque de madeira ganha a sombra de uma robusta seringueira. Todas às sextas-feiras, para a janta, há um farto Festival de Camarão ou de Frutos do Mar com opções como lagosta,

Restaurante Estaleirinho – Avenida Interpraias, rua Higino João Pio, 320, Praia do Estaleirinho. (47) 3263-2047

camarão à grega, ao bafo, bolinhos variados, risotos, sopa de siri, saladas e sobremesas.


118 NO CARDÁPIO X Balneário Camboriú e região

Sashimi Japa

Com uma apresentação que prima pela estética o Sashimi Japa, do Japa Temakeria, agrada pelo sabor e pela qualidade das peças. O prato, montado em um trabalho que lembra a arte oriental do origami, traz fatias de salmão cru e defumado, polvo, peixe branco, atum e kani servidos com leques de pepino, cenoura ralada, gengibre, raiz forte e salsa crespa. Entre os temakis, destaque para o filadélfia (salmão, cream cheese e cebolinha) e o de amêndoas (salmão, pepino, azeite, limão e amêndoas torradas). Serve ainda tradicionais pratos quentes, como o Tataki Salmão com molho de cogumelos shimeji. Na quintafeira tem festival de temaki com música ao vivo e nas noites de

Japa Temakeria – Avenida Atlântica , 3.200, Centro, Balneário Camboriú. (47) 3056-6878. www .japatemakeria.com.br

Polvo, viera, camarão rosa e lula servidos com

sábado promove o “Deep Fish”, um esquenta ao som de DJs.

Seafood pasta

fettuccine, tomate cereja e aspargos aromatizados com tomilho e manjericão fresco. A mistura de sabores com base na cozinha italiana faz parte do Seafood Pasta, prato assinado pelo chef Denis Ceratti Pernanchini, do Number Seven. Para quem busca uma opção mais contemporânea no estilo fusion

food, o restaurante agrada em cheio com seu ambiente requintado e sofisticado, com música agradável e atendimento diferenciado. No cardápio de receitas com frutos do mar, carnes e saladas elaboradas com produtos frescos e saladas orgânicas. Conta com uma adega refrigerada para 1,2 mil garrafas, com 150 rótulos.

, 400, Pontal Norte, Balneário Number Seven – Avenida Atlântica .numberseven.com.br Camboriú. (47) 3361.0057. www


119 SHOW SHOW ME ME 119

Restaurantes 2 Ático Estação do Sabor – Av. Brasil

2970, Centro. (47)

3368-0719.

2 Bella Roma – Av. Brasil, 1001, Centro / (47) 3363-6687 2 Camarão Beach Restaurante Choperia – Av. Atlântica, 1542, Centro. (47) 3263-0073.

2 Casa do Espetinho – Av. Brasil, 3.833, Centro. (47) 32640945.

2 Chaplin Bar – Av. Atlântica, 2220, Centro. (47) 3362-1227. 2 Chaplin Restaurante – Av. Atlântica, 2220, Centro. (47) 3367-0250.

2 China In Box – Rua 1101, 300, Centro. (47) 3367-8228.

2 Mundo Selvagem Pizzaria – 3ª avenida, 1115. (47) 3367-0103. 2 Natsu Sushi – Av. Atlântica, 1200, Centro. (47) 3366-5694. 2 O Pharol – Av. Atlântica, 5740, Centro. (47) 3367-3800. 2 Pasta & Grill – Av. Atlântica, 1750, Centro. (47) 3267-0209. 2 Pizza Bis – Av. Atlântica, 1750, Centro. (47) 3363-9962. 2 Pizzaria Disco Voador – Rua 2414, 430, Centro. (48) 33651181

2 Pizzaria Hipopotamus – 3ª Avenida, 1122, Centro. (47) 3366-8044.

2 Planet Pizza – Av. Brasil 2560, Centro. (47) 3366-2085. 2 Porto Camarões. Av. Atlântica, 3410, Centro. (47) 32640399.

2 Porto Grill Steak House – Av. Normando Tedesco, 949, Barra Sul. (47) 3268-0478.

2 Puerto Mexicano – Av. Normando Tedesco,

2050, Barra Sul.

(47) 3367-8960.

2 Quiosque Chopp Brahma – Av. Brasil, 1271, Centro. (47) 3056-5616.

2 Restaurante Boi na Brasa – Rua 1.201, 91, Centro. (47) 3367-3368.

!

Restaurante Guacamole Coxina Mexicana – Av.

!

Normando Tedesco, 1122, Barra Sul. (47) 3366-0311.

Didge Australian Bar e Restaurante – Rua 4450, 143,

Barra Sul. (47) 3361-6414.

2 Dom Alberto – Rua 401, 120, Centro. (47) 3366-4848. 2 Dom Cordoni Massas e Pasteis – Av. Atlântica, 2320, Centro. (47) 3361-0422.

2 Edomae Sushi Bar – Av. Atlântica, 3444, Barra Sul. (47) 3366-5354.

2 Enoteca Decanter – Rua 4600, 89, Centro. (47) 3360-0206. 2 José Joaquim Botequim – Av. Atlântica, 550, Centro. (47) 3264-2881.

2 L´Avion Croissants, porções e sanduíches – Av. Santa Catarina, 1, Bairro dos Estados. (47) 3062-8300.

2 La Pizza Mia – R: 1500, 376, Centro. (47) 3363-1525. 2 Macarronada Italiana – Rua Dom Afonso, 160, Via Gastronômica, Bairro dos Estados. (47) 3367-0788.

2 Marambaia Gourmet – Av. Atlântica, 300, Barra Norte. (47) 2103-4099.

2 Moenda Calamares – Av. Atlântica, esquina rua 1501, Centro. (47) 3361-2717.

2 Mr. Chinese – Av. Santa Catarina, 1, Bairro dos Estados. (47) 3263-8550.

2 Restaurante Lago da Sereia – Av. Atlântica,

5310, Centro.

(47) 3361-0101.

2 Restaurante Mangiare Felice – Av. Atlântica,

580, Centro.

(47) 3360-1943.

2 Restaurante Paladar – Av. Brasil, 762 / (47) 3264-7609. 2 Restaurante Telhadão – Av. Atlântica, 2270, Centro. (47) 3366-3141.

2 Sapore Speciale – Av. Brasil, 2680, Centro. (47) 3361-6671. Av. Brasil, 1500, Centro. (47) 3261-5072. Av. Atlântica, 1040, Centro. (47) 3363-5781. Av. Atlântica, 2010, Centro. (47) 33453544. Av. Santa Catarina, 1, Bairro dos Estados. (47) 3263-8540.


120 NA BAGAGEM X Acessórios masculinos

CHEIOS

de estilo CORES SÓBRIAS E AR DESCONTRAÍDO DÃO O

G

TOM Do LOOK MASCULINO NESTE VERÃO

ENXERGANDO LONGE

Os óculos estilo aviador continuam em alta. Esse modelo da Beagle tem detalhe de metal no centro, o que o deixa mais atual. Na Beagle, em Balneário Camboriú (Atlântico Shopping, Balneário Camboriú

Vi c t

arl or C

son

Shopping e Centro). www.beaglebrand.com

G

Clássico em couro

A carteira de couro marrom VR com fechamento de elástico é ideal para dar modernidade aos homens adeptos do estilo clássico. Na Voltz em Balneário Camboriú. www.voltzbalneario.com.br

G

FINO E DISCRETO

Para os adeptos de acessórios, o colar fininho da Osklen com corrente de metal é uma ótima pedida para enfeitar sem chamar atenção demais. Na JK Store, rua Travessa Carreirão, 62, em Florianópolis. (48) 3039 0242

W

CONFORTO PARA OS PÉS

O visual fica confortável e cheio de estilo com o sapatênis em couro da Osklen que mistura tons clássicos do verão: azul, vermelho e branco. Na JK Store, rua Travessa Carreirão, 62, em Florianópolis. (48) 3039 0242


SHOW ME 121

G

A TIRACOLO

A bolsa carteiro é ideal para quem precisa carregar muitos objetos durante o dia e esta na cor cáqui vai bem com tudo. Na Beagle, em Balneário Camboriú (Atlântico Shopping, Balneário Camboriú Shopping e Centro). www.beaglebrand.com

!

MARROM CASUAL

G

Pequena e prática, esta carteira da

O boné protege nos dias de Sol e ainda dá

Beagle faz a linha esportiva e agrada

um ar mais esportivo aos looks de verão.

aos adeptos de um estilo casual.

Na Beagle, em Balneário Camboriú

Na Beagle, em Balneário Camboriú

(Atlântico Shopping, Balneário Camboriú

(Atlântico Shopping, Balneário

Shopping e Centro). www.beaglebrand.com

Camboriú Shopping e Centro) www.beaglebrand.com

!

ELEGÂNCIA PRAIANA

Chinelos com tiras de couro, como

www.voltzbalneario.com.br

so arl ct Vi

Na Voltz, em Balneário Camboriú

C or

jeans e de sarja.

n

este da Mandi, podem ser usados tanto com bermudas quanto com calça

CABEÇA FRIA


122 NA BAGAGEM X Acessórios femininos

CHARME

sob o sol OS ACESSÓRIOS PARA ELAS COMBINAM o

GLAMOUR COM A LEVEZA DA ESTAÇÃO

k

SEMPRE À MÃO

Seguindo a tendência das transparências para este verão, a clutch acrílica verde da Lilly Sarti é supermoderna. Na Vive la Vie & Nomade, em Balneário Camboriú

Vi c t

arl or C

son

www.vivelavie.com.br

!

Sandália de festa

Para as festas de verão nada mais glamoroso do que uma sandália metálica furta-cor, que além de linda é confortável. Na Arezzo Florianópolis, nos shoppings e no Centro www.arezzo.com.br

G

PISANDO MACIO

A sapatilha étnica com detalhes em neon garante conforto para os passeios de verão. Na Santa Lolla, em Florianópolis, nos shoppings Beiramar e Floripa Shopping www.santalolla.com.br


SHOW ME 123

W

PARA DEPOIS DAS FÉRIAS

Nada como começar o ano organizada. Melhor ainda se for com a ajuda de uma agenda cheia de estilo e que ainda combina com a sua roupa! Na Folic do Beiramar Shopping, em Florianópolis www.folic.com.br

!

frescor dia e noite

A regata mullet floral é peça-chave para os dias quentes de verão e pode compor um visual tanto para o dia quanto para a noite. Na Folic do Beiramar Shopping, em Florianópolis www.folic.com.br

k

LOOK ARTESANAL

G

A moda feita à mão está em alta e os tons

Elegância a toda prova com a bolsa

terrosos também, como os da pulseira Terra, bordada com pérolas, contas, paetês e miçangas. Na Débora Ferreira Acessórios, Florianópolis www.dfacessorios.tanlup.com

couro duplo

estilo sacola que mistura dois tipos de couro em tons diferentes. Na Santa Lolla, em Florianópolis, nos shoppings Beiramar e Floripa Shopping. www.santalolla.com.br

!

proteção para a pele

Para manter a pele hidratada depois de um dia de sol, piscina e mar, nada melhor do que um gel de banho cheiroso e refrescante. Na L’Occitane, em Florianópolis, nos shoppings Beiramar e Iguatemi www.loccitane.com


124 NA BAGAGEM X Beachwear

PRONTOS PARA Victor Carlson

a praia

FIQUE LIGADO NAS TENDÊNCIAS EM BEACHWEAR PARA O ALTO VERÃO

W

G

Bolsa MASCULINA

As sungas mais largas fazem sucesso

Os homens levam tudo o que

nas praias de todo o Brasil e as listras em

precisam para a praia ou piscina

tons de cinza neste modelo da Carmim

e não perdem o estilo com esta

fogem do usual preto, mantendo a discrição.

bolsa descolada da Osklen.

Na Voltz, em Balneário Camboriú

Na JK Store, Travessa

www.voltzbalneario.com.br

Carreirão, 62, em Florianópolis (48) 3039 0242

k

FUGINDO DO TRADICIONAL

ESTILO SURFE

Os homens mais modernos vão adorar curtir a praia com este bermudão de estampa tropical colorida que tem a cara do verão. Na Vive la Vie & Nomade, em Balneário

Vi c

C tor

arl

so

n

Vi c t

or C arls

on

Camboriú – www.vivelavie.com.br


SHOW ME 125

k

SEMPRE CAI BEM

As túnicas estão em alta. Como esta, da grife Peace Bordô, que deixa você muito bem vestida e pronta para ir da praia a um passeio pela orla sem perder a elegância. Na Voltz, em Balneário Camboriú www.voltzbalneario.com.br

G G

BRILHO METÁLICO

Para arrasar à beira-mar ou

proteção casual

na piscina, a dica é uma maxi bolsa

Os bonés voltaram à cena com força total

metalizada que carrega tudo o que

e – além de protegerem do sol – ajudam a

você precisa com muito glamour.

compor um look casual e descontraído.

Na Arezzo Florianópolis, nos

Na Beagle, em Balneário Camboriú

shoppings e no Centro

(Atlântico Shopping, Balneário Camboriú

www.arezzo.com.br

Shopping e Centro). www.beaglebrand.com

k

ÁFRICA NOS PÉS

Você pode levar a tendência étnica para a praia com um chinelo de borracha com estampas afro que combinam com a alegria do verão. Ipanema, em Vive la Vie & Nomade, Balneário Camboriú. www. vivelavie.com.br

!

estampas e babados

Para desfilar tendências à beira-mar e destacar o bronzeado nada melhor do que um biquíni de cortininha com sustentação em estampa tye die e uma calcinha de babados candy . Srta. Lili – www.senhoritalili.com.br


126 NA BAGAGEM X Relógios / Artesanato

VERÃO

da hora Nas férias sobra TEMPO para DESCOBRIR NOVOS MODELOS NAS RELOJOARIAS

G Orient Feminino FTSCM007 Relógio casual e fashion com pulseira em couro branco, vidro de cristal mineral, caixa de aço em dois tons decorada com strass .

W

Orient Feminino

FGSSM008 Esse modelo faz a linha clássica e elegante com pulseira de aço dourada, mostrador

G Technos Legacy

de madrepérola, vidro

O relógio possui uma caixa de

de cristal mineral e

aço dourada retangular, fundo de

calendário multifunção.

pressão e resistente à água, 5 ATM. É um modelo que encanta os homens adeptos do estilo clássico.

G Technos Sport Esse modelo esportivo tem vidro de cristal mineral, pulseira de silicone laranja,

W Orient Feminino FGSS1016

calendário e cronógrafo com

Relógio delicado e

medição 1/1 segundo e é

elegante, o modelo possui

à prova d’água, 10 ATM,

strass incrustrados na caixa

perfeito para homens que

de aço dourada com fundo

gostam de esportes.

champanhe, pulseira de aço dourada e vidro de cristal mineral.

W Technos Conógrafo Ideal para homens modernos e casuais, possui caixa e pulseira

Todos os modelos estão à venda nas lojas

de aço, vidro de cristal mineral,

Quevedo Joalheria e Ótica, em Florianópolis

calendário e cronógrafo e é à

(ARS, Calçadão, Floripa Shopping, Shopping

prova d’água 10 ATM.

Beiramar, Shopping Iguatemi) e Balneário Camboriú (Balneário Camboriú Shopping www.quevedo.com.br


SHOW ME 127

FEITO COM

as mãos UMA AMOSTRA DO colorido e Da criatividade do artesanato local G

CORES NOS PULSOS

Pedras naturais e brasileiras dão forma a bijuterias artesanais feitas com um belíssimo crochê de fios metálicos dourados e prateados. Além das pulseiras, há colares, tornozeleiras e brincos no mesmo estilo. Na Pedrita Moça, Praça da Bíblia, em Balneário Camboriú

!

Garrafas

decorativas

Por meio da vidrofusão, artesãos reciclam garrafas de bebidas e as transformam em objetos decorativos. Fazem sucesso as garrafas de cervejas e os refrigerantes vintage.

Fotos Victor Carlson

Vidraçaria Dois Pontos, na Praça da Bíblia, Balneário Camboriú

G

Sacola-toalha

Esta sacola artesanal forrada com tecido atoalhado pode ser usada também como toalha de praia quando aberta. Tem um bolso frontal para colocar protetor solar e pequenos pertences e está disponível em tamanho adulto ou infantil. No Clube de Mães, Barra Sul, em Balneário Camboriú

G

Maricota estampada

Feitas de papel machê e colagem de tecidos que resultam em belas estampas, as tradicionais Maricotas podem ser encontradas em tamanhos que variam de 50 centímetros a mais de 1 metro de altura. Arlete Slomski, na Casa Açoriana Artes e Tramóias, em Santo Antônio de Lisboa, Florianópolis

G

FOLCLORE EM ARGILA

Figura típica do folclore ilhéu, a Bernunça feita em argila é colorida e rica em detalhes que trazem consigo as características do autêntico “manezinho da ilha”. Resgatarte, na Casa Açoriana Artes e Tramóias, em Santo Antônio de Lisboa, Florianópolis


Victor Carlson

130 BEM VOLTE VINDO SEMPRE X Programa X Turismo cervejeiro


TURISMO

SHOW ME 131

EXPLORE OS DIFERENTES SABORES DAS CERVEJAS ARTESANAIS PRODUZIDAS EM

Divulgação

cervejeiro SANTA CATARINA em UM ROTEIRO QUE INCLUI DEGUSTAÇÕES E VISITAS a FÁBRICAS

Texto Jerônimo Rubim

É

p

Em uma casa típica alemã,

a Wunder Bier, de Blumenau,

comum ouvir dos mestres cervejeiros

gourmet – aquele que se interessa por gas-

que essa é a melhor profissão do mun-

tronomia, cultura e viagens. Isso foi determi-

do. Alquimistas do malte e do lúpulo,

nante para a explosão do consumo de cerve-

são eles que ajudam a elaborar – e, coitados,

jas artesanais por todo o país, especialmente

têm que experimentar – cervejas dos mais di-

em Santa Catarina. “A qualidade das cervejas

versos tipos, das pilsners mais leves às porters

artesanais catarinenses é muito alta e reco-

mais encorpadas. Mas o acesso à alta cultura

nhecida. São ganhadoras de diversos prêmios

cervejeira não é mais privilégio destes nobres

nacionais e internacionais, estão superbem

profissionais. Hoje qualquer apreciador de-

colocadas no mercado”, atesta Wolff.

dicado da bebida que estiver visitando Santa

Quem mora aqui ou visita o estado tem a

Catarina pode conhecer de perto o processo

possibilidade de brincar de mestre cervejeiro

produtivo de diversas cervejarias artesanais e

e experimentar sua variada produção enquan-

provar in loco algumas das melhores cervejas

to passeia pelos lindos cenários catarinenses.

feitas no país. Fabricada em pequenas quanti-

Há mais de 20 fábricas espalhadas por diversas

dades e dentro de rígidas normas de qualidade,

cidades, mas a Rota das Cervejas do Vale do

a cerveja catarinense é diretamente influencia-

Itajaí, principal foco da colonização alemã, é a

da pela tradição dos imigrantes alemães, que

mais conhecida. Em um raio de 40 quilômetros

trouxeram as receitas diretamente da Europa

partindo de Blumenau há oito cervejarias que

no final do século 19.

seguem à risca a Lei de Pureza Alemã de 1516,

“Há um resgate mundial da cultura cerve-

a Reinheitsgebot, e utilizam apenas quatro in-

pesticos germânicos e chope

jeira, e o Brasil acompanhou a onda”, afirma

gredientes fundamentais à produção: malte (de

artesanal de primeira

Daniel Wolff, sommelier de cervejas e funda-

cevada ou de trigo), lúpulo, levedura e água.

dor do site mestre-cervejeiro.com. Além do

Como resultado, apresentam cervejas saboro-

Bier fabrica sete tipos de

surgimento de empresas mais comprometidas

sas e vivas, livres de aditivos ou conservantes.

cerveja, todas servidas

com modelos de negócio bem-sucedidos, hou-

A Einsebahn, de Blumenau, é a mais famosa

no pub da fábrica

ve uma mudança nos hábitos do consumidor

delas. Tem as cervejas mais premiadas no mun-

recebe os visitantes com

Em Forquilhinhas, a Saint

p


132 VOLTE SEMPRE X Turismo cervejeiro Victor Carlson

do e foi a grande responsável pelo renascimento da produção no estado. Na fábrica, há um bar onde se pode comprar os 15 tipos de cerveja produzidos, incluindo Dunkel, Pale Ale, Kölsch, Weisenbock e Rauchbier. Há até uma que parece espumante: a Lust, fabricada com o método champenoise, o mesmo utilizado pelos grandes champanhes. Há uma loja com suvenires no mesmo complexo e é possível agendar visitas guiadas ao interior da fábrica. A Bierland, também na capital nacional da cerveja, coleciona prêmios com seus rótulos diferenciados – como a Vienna e a Imperial Stout – e continua investindo para ampliar a produção, que já passa de 60 mil litros/mês. O bar da fábrica comporta até 100 pessoas e tem arquitetura inspirada nas tradicionais cervejarias da Europa, com estilo rústico e decoração temática. Blumenau conta ainda com a Wunder Bier, fundada em 2007 e que também recebe visitantes em uma casa típica alemã. Assim como nas demais cervejarias, o bar serve petiscos como bockwurst e weisswurst (salsichas alemãs, branca e vermelha, acompanhadas de mostardas amarela, escura e raiz forte) para acompanhar chopes como o Schwarzbier, feito com cinco tipos de malte. Para quem quiser se aventurar há também a Winebier, que leva suco integral de uvas rubi e vinho tinto fino.

DIVERSIDADE DE ESTILOS Descendo o Rio Itajaí-açu, na cidade limítrofe de Gaspar, a cervejaria Das Bier fabrica cinco tipos de chope que podem ser apreciados em um casarão reformado com vários ambientes, cercado por verde e com um deque para apreciar a vista. O cardápio inclui petiscos e pratos completos para almoço aos domingos, mediante reserva. Em Brusque, município vi-

p

Fotos Divulgação

zinho a Gaspar, a Zehn Bier oferece tours pela

O mestre

cervejeiro Ilceu Dilmer é responsável pela produção na Bierland, em Blumenau

p

A Imperial Stout

da Schornstein, em Pomerode, é o par perfeito para sobremesas a base de chocolate

fábrica, com dicas de degustação e harmonização. Do outro lado da rua, o Bar e Restaurante Zehn Bier tem música ao vivo, petiscos e comida típica da região. Timbó, ao noroeste e distante apenas 30 quilômetros de Blumenau, é a casa da Cervejaria Borck, uma das pioneiras da nova leva de fábricas artesanais do estado. Em 1996, o fundador Brunhard Borck largou o emprego no Banco do Brasil e viajou à Europa, de onde trouxe equipamentos, conhecimento e um mestre cervejeiro húngaro (que não falava português) para abrir seu próprio negócio.


133 SHOW SHOWME ME133

17h às 19h, a aos sábados das 15h às19h. O preço de R$ 5 por

Haendchen (estrada geral, na direção de Luis Alves), 5.311, Gaspar.

!

Serviço Bierland – O bar funciona de terça a sexta a partir das 16h30.

Sábados a partir das 10h. Visitas à fábrica devem ser agendadas com antecedência. Rua Gustavo Zimmermann, 5.361, Itoupava Central, Blumenau. (47) 3323-6588. www.bierland.com.br

pessoa inclui degustação de um chope de 300 ml. Rua Bonifácio (47) 3397-8600. www.dasbier.com.br

2 Wunder Bier – O bar abre de terça a domingo das 17h à meia-noite. Visitas à fábrica mediante agendamento, de segunda e sexta-feira, das 9h às 11h e das 15h às 17h. Rua Fritz Spernau, 155 Fortaleza, Blumenau. (47) 3339-0001. www.wunderbier.com.br

2 Borck – Não conta com bar anexo à fabrica. A visitação acontece aos sábados e custa R$ 8 por pessoa, com a degustação de um tipo de chope. Também é preciso agendar. Rua Pomeranos, 1.963, Bairro Pomeranos, Timbó. (47) 3382-0587. www.borck. com.br

2 Einsenbahn – O bar abre de segunda a sexta-feira, a partir das 16h. Aos sábados a partir das 10h. A visitação à fábrica é feita de segunda a sábado, mediante agendamento, e custa R$ 5 por pessoa (com degustação de um chope de 300ml). Rua Bahia, 5.181 Salto Weissbach, Blumenau. (47) 3488-7307. www.eisenbahn.com.br

!

Saint Bier – O pub da fábrica abre de quarta a sábado das

18h à meia-noite. Aos domingos, das 11h30 às 14h, serve almoço típico alemão com visitação da fábrica e degustação de chope (gratuitos). Visitas em outros dias e horários devem ser agendadas por telefone. (48) 3463-3400. Avenida 25 de Julho, 1.303 – Vila Lourdes – Forquilhinha. www.saintbier.com

2 Zehn Bier – O bar da fábrica atende de segunda a sábado a partir das 17h. A visita à fábrica acontece de segunda a sábado, mediante agendameto, a partir das 14h e custa R$ 5 por pessoa (com degustação de um chope). Rua Benjamin Constant, 26, São Luiz, Brusque. (47) 3351-6685. www.zehnbier.com.br

2 Königs Bier – Não há bar na fábrica e a visitação é gratuita, !

Schornstein – O bar abre quarta-feira das 18h à meia-noite,

quinta das 18h às 2h30, sexta das 18h à 1h30, sábado do meio-dia

com agendamento prévio. Rua Erich Sprung, 215, Bairro Água Verde, Jaraguá do Sul. (47) 3370-5544. www.konigsbier.com.br

a 1h30 e domingos do meio-dia às 23h. Visitas à fábrica e segunda à sexta, sob agendamento. Rua Hermann Weege, 60 (ao lado do

2 Opa Bier – O bar da marca não fica na fábrica e funciona

Zôo), Centro, Pomerode. (47) 3387-6655 / 3333-2759. www.

às terças e quartas das 8h ao meio-dia e das 13h30 às 19h. Às

schornstein.com.br

quintas e sextas fica aberto até às 20h. Aos sábados atende das 8h às 20h. Visitas à fábrica são feitas mediante agendamento.

2 Das Bier – O bar funciona de quarta a sexta-feira das 17h

Rua Max Colin, 1.195 – Bairro América – Joinville (bar). Rua Dona

à meia-noite. Aos sábados das 15h à meia-noite e aos domingos

Francisca, 11560 – Pirabeiraba – Joinville (fábrica). (47) 3467-

das 11h30 às 19h. Visitas sob agendamento de quarta a sexta, das

0090. www.opabier.com.br


Divulgação

134 VOLTE VINDO SEMPRE X Programa X Turismo cervejeiro Turismo cervejeiro 140 BEM

Com esforço e muita pesquisa, desenvolveu uma bebida encorpada e de alta fermentação. Mas o seleto grupo de admiradores não foi o suficiente para manter a produção viável e ele teve que se render à preferência nacional: o tipo pilsen. Graças à mudança no gosto do público e ao maior poder de compra, a Borck prosperou, variou sua produção e passou a vender para todo o estado. Hoje, o chope escuro tipo malzbier – semelhante àquela primeira proposta – é um produto de sucesso. Pomerode, a cidade mais germânica do Brasil, também não poderia deixar de ter sua cervejaria. A Schornstein fabrica um dos

Sequência de chopes no deque da Das Bier, em Gaspar: Natural, Weizen (com

p

malte de trigo), Pilsen e Pale Ale – para arrematar, um legítimo schnaps (cachaça)

Victor Carlson

p Além dos bares, algumas cervejarias também oferecem visitas guiadas as fábricas

chopes mais populares de Santa Catarina e já abriu uma fábrica no interior paulista. O prédio da matriz é um patrimônio histórico da cidade, com seus tijolos maciços de 50 anos de idade e chaminé de 30 metros de altura. No bar colado ao imóvel, são servidos petiscos tradicionais da culinária holandesa e alemã para acompanhar os chopes Pilsen, Weiss, Pale Ale, Bock e Imperial Stout.

QUALIDADE DE NORTE A SUL Um pouco mais ao norte do “vale encantado” das cervejas, mas ainda em território de ascendência alemã, Jaraguá do Sul apresenta a sua Königs Bier (“cerveja do rei”), uma pilsen leve e com baixo amargor. Continuando rumo ao norte chega-se à Joinville, a maior cidade do estado e lar da Opa Bier. A fábrica, fundada em 2006, produz seis tipos de cerveja (inclusive uma sem álcool) e atualmente vem honrando a tradição joinvilense de produzir bons chopes devido à qualidade de sua água. O roteiro termina no outro extremo do estado, em Forquilhinha, a cidade mais germânica do sul de Santa Catarina. Dos tonéis da Saint Bier saem sete tipos de cerveja, como Belgian, In Natura e a Hefe-Weizen – cerveja de trigo que dispensa a filtragem e contém sedimentos de levedura, o que a faz ter coloração turva e ganhar o apelido de “pão engarrafado”. No pub da fábrica, o cardápio mistura as culinárias alemã e brasileira para agradar a todos os gostos. Há coleções de tampinhas, de canecos antigos e de bolachas de chope, e um espaço onde ficam os canecos dos frequentadores mais assíduos. Aqueles que, apesar de não serem mestres cervejeiros, não conseguem ficar longe do líquido precioso.l


136 VOLTE 136 BEM VINDO X Programa SEMPRE às Festas de outubro

OUTUBRO é mês

de festa


SHOW ME 137

A DOIS MESES DA TEMPORADA DE VERÃO, SANTA CATARINA TORNA-se PALCO DE TRADICIONAIS FESTIVAIS QUE CELEBRAM A HERANÇA DOS IMIGRANTES EUROPEUS

A

Texto Luciana Zonta mistura de ritmos, comidas e cenários conferiu

mantêm-se como um produto autêntico, que preserva

uma marca exclusiva a Santa Catarina: a alegria

música, gastronomia e folclore trazidos pelos coloniza-

.das festas de outubro. Há quase três décadas,

dores há mais de 160 anos. Durante seus 18 dias, seis

o estado famoso pelo litoral recortado e por uma das

desfiles oficiais movimentam a Rua 15 de Novembro, no

melhores infraestruturas hoteleiras do país soube tirar

Centro, com carros de grupos folclóricos, representan-

proveito de seu principal capital social – a cultura repas-

tes dos tradicionais clubes de caça e tiro, bandas e fan-

sada pelos imigrantes europeus – para atrair turistas de

farras, além da rainha e das princesas da festa.

várias partes do Brasil dois meses antes da temporada

Em Brusque, a 30 quilômetros de Blumenau, a tradi-

de verão. Somente no Vale do Itajaí, são cinco festas

ção de comer marreco recheado com repolho roxo deu

típicas promovidas simultaneamente.

origem a um verdadeiro festival gastronômico: a Festa

O chope e a cerveja artesanal produzidos em micro-

Nacional do Marreco (Fenarreco), que tem a culinária

cervejarias de cidades como Brusque, Timbó e Pome-

alemã como carro-chefe. A ave símbolo da festa está por

rode viraram as bebidas oficiais de todas as festas da

toda parte: dos diversos pratos feitos com marreco aos

região. Realizada desde 1984 e inspirada na tradicional

artesanatos e adereços de chapéus de feltro. O cardápio

festa de Munique, na Alemanha, a Oktoberfest blume-

ainda oferece opções como eisbein (joelho de porco),

nauense ostenta um número admirável: já recebeu mais

bock und weiss wurs (salsichas vermelhas e brancas)

de 17 milhões de pessoas em suas 29 edições. Isso signi-

e strudel de maçã com sorvete. A animação é garantida

fica dizer que um público próximo a 700 mil pessoas por

com apresentações de dança, shows com bandinhas típi-

ano, em média, participou da festa desde a sua criação.

cas, concurso de chope em metro e corrida de tamancos. O aroma característico do peixe na brasa e o la-

ceita muito simples: ao longo de tantas edições, a festa

mento musical do fado português destoam da tradição

Fotos Divulgação

O segredo de tanto sucesso pode estar em uma re-

p

O chope artesanal produzido em diversas cidades catarinenses é o combustível para encarar os 18 dias da Oktoberfest em Blumenau Os grupos folclóricos, com suas roupas e danças típicas dos imigrantes europeus, marcam presença nas festas de outubro no Vale

p


138 VOLTE SEMPREàX Festas de outubro Fotos Divulgação

SAIBA MAIS h Oktoberfest – Blumenau www.oktoberfestblumenau.com.br

h Fenarreco – Brusque www.brusque.sc.gov.br

h Marejada – Itajaí www.marejada.itajai.sc.gov.br

h Schützenfest – Jaraguá do Sul www.schutzenfest.com.br

h Festa do Imigrante – Timbó www.festadoimigrante.com.br

h Oberlandfest – Rio Negrinho www.facebook.com/oberlandfest

h Tirolerfest – Treze Tílias www.tirolerfest.com.br

h Oktoberfest – Itapiranga www.oktoberfestitapiranga.com.br

p

germânica e atraem a atenção do visitante

No Norte do Estado, Rio Negrinho pro-

para Itajaí, cidade portuária que dá nome à

move a Oberlandfest, cujos destaques são

bacia hidrográfica que delimita o Vale Eu-

os tradicionais concursos com temas bem

tradição da atividade pesqueira da cidade

ropeu. Inspirada na tradição pesqueira, a

germânicos – como a prova do serrador e

Marejada evidencia a gastronomia à base

o chope em metro – além de tiro ao alvo

p As competições promovidas pelos 16

de frutos do mar capturados pelas quase

e apresentação de grupos folclóricos. Em

são as principais atrações da Schützenfest

900 embarcações de todo o Brasil que têm

Treze Tílias, no Meio Oeste catarinense, a

Itajaí como base de apoio. O destaque é

Tirolerfest cultua as tradições dos imigran-

p Na Fenarreco, que celebra a tradição

para a tradicional sardinha na brasa, além

tes austríacos que lá chegaram há quase

de pratos com lula, camarão e bacalhau.

oito décadas. A cidade – conhecida como a capital catarinense dos escultores e das

também merece atenção do visitante que

esculturas em madeira – também faz ques-

circula pelo estado em outubro: a Festa do

tão de valorizar o artesanato local na festa.

Imigrante, em Timbó. São três dias para

Pouca gente sabe, mas a festa de outu-

comemorar o aniversário de colonização

bro mais antiga de Santa Catarina não é a

do municípío, fundado em 1869, com bai-

Oktoberfest de Blumenau. Seis anos antes,

les, danças folclóricas, desfile e gastrono-

a primeira edição da Oktoberfest de Itapi-

mia, alemã, italiana e brasileira. Já no Vale

ranga, no Extremo Oeste do Estado, dava

do Itapocu, a Schützenfest, em Jaraguá do

os primeiros passos na tradição de vestir

Sul; valoriza a história das 16 sociedades

traje típico alemão e tomar chope no mês

de atiradores da região. Trazidos para

de outubro. Desde sua primeira edição, a

Santa Catarina como a imigração alemã

festa promove desfile de carros alegóricos,

em 1850, os clubes de caça e tiro tiveram

mostrando a cultura germânica ainda pre-

papel destacado na vida social, cultural e

servada e a evolução histórica das comuni-

recreativa dos pioneiros e são exaltados

dades locais e do município de Itapiranga.

na festa através de competições de tiro,

A programação conta com apresentação de

tudo acompanhado da típica gastronomia

shows, danças típicas, concurso de tiro ao

germânica.

alvo e shows de clubes de patinação.l

Clubes de Caça e Tiro de Jaraguá do Sul

gastronômica do marreco recheado, a ave símbolo da festa está por toda a parte

Victor Carlson

Ainda no Vale do Itajaí, outra festa

A Marejada celebra a herança dos

imigrantes açorianos em Itajaí e também a


SHOW ME 139 Leo Laps

Moda direto

da fábrica

Duzentas lojas com preços diferenciados para compradores do atacado e varejo movimentam há duas décadas um dos principais centros comerciais do vestuário de Santa Catarina. Em Brusque, os espaços da FIP – feira da moda abrigam lojas de dezenas de confecções de pequeno e médio portes e ajudam a movimentar o turismo de compras no Médio Vale do Itajaí. Localizada na entrada na cidade, a FIP chega a oferecer preços até 50% mais competitivos do que os praticados em outros estabelecimentos da região. O ambiente climatizado conta com

em 1978 pela Malwee Malhas Ltda., empresa tradicional do setor têxtil com sede na cidade, o local possui 1,5 milhão de metros quadrados de área preservada e aberta ao público. Conta com pista de cooper, trilhas, pista de bicicross, quadras de futebol e vôlei de areia, ginásio de esportes, lagos e boa área para churrasqueiras. Há ainda dois restaurantes

Leo Laps

(um deles de comida típica alemã) e um museu. O Parque

e prática de esportes, o Parque

Abre de segunda a sábado, entre 9h e 20h. (47) 3255-6000. www.fipnet.com.br

Malwee, em Jaraguá do Sul, tem uma área preservada de 1,5 milhão de metros quadrados Em Brusque, a FIP reúne

dezenas de lojas de fábrica em um centro de compras onde é possível encontrar roupas e acessórios a preços reduzidos

p

A festa de rei e rainha do tiro

é uma das tradições germânicas

da Malwee fica localizado na Rua Wolfgang Weege, 770,

mantidas pelos moradores da

Jaraguá do Sul. (47) 3376-0114. Aberto diariamente, entre

Vila Itoupava, a 25 quilômetros

7h30 e 17h. www.malwee.com.br/parque

do Centro de Blumenau

Vizinhança

Divulgação

Itapocu, atende pelo nome de parque malwee. Criado

e ônibus. Rodovia Antônio Heil, 23, Brusque. Com boa estrutura para lazer

p

A área natural mais famosa de Jaraguá do Sul, no Vale do

vila gastronômica e estacionamento para carros

p

Refúgio da natureza

germânica

A arquitetura enxaimel, o ritmo tranquilo e as conversas na língua dos imigrantes dão a impressão de se estar em algum vilarejo do interior da Alemanha. Para quem olha de longe, a vila itoupava poderia muito bem ser confundida com um genuíno território germânico cravado no Sul do Brasil. Os 25 quilômetros que separam o bairro de 5 mil habitantes do Centro de Blumenau contribuem para a preservação de costumes como as festas do Rei do tiro e as danças folclóricas apresentadas por grupos locais. Mas a principal estrela local atende pelo nome de Abendbrothaus. Fundado há 26 anos pela família de René Jensen, o restaurante de gastronomia alemã ganhou fama nacional por seu tradicional marreco recheado com repolho roxo e purê de maçã. O cardápio é único e servido apenas nos almoços de domingo. Próximo dali, vale fazer uma parada na Schluck, empresa de destilados que produz licor de cerveja usando matéria-prima da cervejaria Eisenbahn. Para chegar à Vila Itoupava, siga pela SC-474, que liga Blumenau e Massaranduba. Para quem está no centro da cidade, basta seguir as placas. Textos Luciana Zonta


140 VOLTE 140 BEM VINDO X Programa SEMPRE X Enoturismo

UM BRINDE nas

alturas


SHOW ME 141

p

Na Vinhedos do Monte Agudo, um piquenique-degustação apresenta os rótulos produzidos pela vinícola

Fotos Divulgação

p Um dia de visitação na Quinta Santa Maria inclui café da manhã e um típico almoço serrano

EM SÃO JOAQUIM, A 900 metros acima do nível do mar, É POSSÍVEL PROVAR ALGUNS DOS VINHOS MAIS PREMIADOS DO PAÍS

J

Texto Jerônimo Rubim

á nos primeiros quilômetros da subida pela Serra

A alta qualidade de seus vinhos, aliada à estonteante

Catarinense, é possível sentir o ar ficando mais

beleza da região, fazem de São Joaquim um dos prin-

gelado, enquanto rios, cascatas, jardins floridos e

cipais polos do enoturismo no país. A união de visitas

fazendas formam o cenário de um passeio entre as mon-

guiadas aos vinhedos com a degustação de vinhos tem

tanhas. As curvas da BR-282 cortam o território de imi-

sido uma das grandes apostas dos produtores para tor-

gração alemã e italiana e nos levam até São Joaquim, a

nar seus rótulos mais conhecidos. Dos 28 membros da

200 quilômetros de Florianópolis. No topo do belíssimo

Associação Catarinense de Produtores de Vinhos finos

Planalto Serrano, a cidade é a mais nova sensação do

de Altitude (Acavitis), nove já oferecem algum programa

mercado de vinhos no Brasil. Seus tintos, brancos, rosés

de visitação a suas propriedades, sendo que cinco delas

e espumantes são feitos com uvas plantadas entre 900 e

estão instaladas na cidade.

1.400 metros de altitude e vêm recebendo elogios de especialistas, além de prêmios nacionais e internacionais.

A Villa Francioni é um bom lugar para começar. Com a proposta de misturar a tradição da viticultura

A geografia da região é ideal para o cultivo de uvas

com arte, a vinícola é um deleite para vários sentidos.

mais sensíveis. Além do inverno gelado, a latitude e o

Seus vinhos são premiados e reconhecidos por espe-

tipo de solo mostram-se bastante propícios à viticultura.

cialistas como alguns dos melhores do país, e sua sede

Mas o maior diferencial é a variação brusca de tempe-

de 4,5 mil m² é uma impressionante obra inspirada na

ratura. No verão, os termômetros marcam uma média

arquitetura italiana da Toscana. Mais de 600 mil tijo-

de 28°C durante o dia e não é raro baixarem para 5°C à

los de demolição emolduram vitrais, mosaicos, móveis

noite. Isso faz com que os frutos acumulem mais polife-

antigos, lustres, luminárias portais e janelas de ferro

nóis, açúcares e material corante, ingredientes necessá-

trabalhado. As cores em tom terracota e as paredes

rios para dar origem a vinhos mais estruturados. A as-

rústicas completam a viagem pelo tempo. Uma galeria

semblage Cabernet Sauvignon domina a produção, mas

de arte exibe obras de acervo e frequentemente re-

são as outras variedades de uvas – como as tintas Pinot

cebe exposições de artistas contemporâneos. Há três

Noir, Merlot e Cabernet Franc, e as brancas Sauvignon

visitações diárias para quem quiser conhecer a casa e

Blanc e Chardonnay – que mais chamam a atenção.

seus vinhedos.


142 VOLTE SEMPRE X Enoturismo Fotos Divulgação

Proporcionar um dia agradável, com enogastronomia à beira de um rio, é a proposta da Quinta Santa Maria. O passeio começa às 9h com um café expresso na loja da vinícola, no Centro de São Joaquim. Depois o destino é a fazenda, onde os visitantes conhecem os vinhedos, as instalações da cantina e a produção. Depois de um passeio pelos pomares de maçã, de ameixa e de pera, é servido um generoso almoço que mistura as culturas portuguesa e serrana às margens do Rio Lava-tudo (onde as pessoas podem se divertir no pesque-pague, cobrado à parte). Tudo regado aos melhores vinhos da Quinta Santa Maria. A vinícola Vinhedos do Monte Agudo é outro destaque da região. Seu Chardonnay 2008 foi eleito o melhor do país durante a Expovinis 2011, o maior evento do segmento nas Américas. A casa estreou a visitação às suas vinhas no inverno de 2012, oferecendo um piquenique em meio à plantação. A experiência traz fartura de pães, frios, geleias e doces caseiros, patês e queijos para

Em meio à paisagem serrana, as vinhas

p

encontraram condições ideiais para produzir uvas selecionadas que dão origem a premiados vinhos finos de altitude

p A Villa Francioni promove degustações orientadas por enólogos e visitas à sede

da vinícola, que é inspirada na arquitetura italiana e conta com uma galeria de arte

acompanhar a degustação de vinhos e uma explicação sobre os métodos de produção e a história da empresa.

DE MAÇÃS A UVAS Com larga experiência no cultivo de maçãs – principal produto agrícola de São Joaquim –, as empresas Sanjo e Suzin apostaram na diversificação e passaram a investir nos vinhos de altitude. A primeira é uma cooperativa de 84 associados cuja produção tem alcançado ótimos resultados.

vinícOlas 2 Villa Francioni Há três visitações guiadas diariamente, com início às 10h, às 13h30 e às 15h30. O ingresso custa R$ 30, valor que pode ser abatido em compras. Rodovia SC-438, km 70. (49) 3233-8200 e 8801-8382. www.villafrancioni.com.br

2 Quinta Santa Maria O passeio de um dia pela propriedade custa R$ 60 por pessoa, com grupos de no mínimo dez pessoas. Agendamentos devem ser feitos com quatro dias de antecedência. Rua Manoel Joaquim Pinto, 348 Centro. (49) 3233-3677. www.quintasm.com

2 Vinhedos do Monte Agudo O piquenique na propriedade acontece em dois horários: às 10h e às 15h, sob agendamento e ao custo de R$ 70 para grupos de no mínimo seis pessoas. Estrada Vicinal Rodovia SC 438,

Na edição 2012 da Expovinis, seu Chardonnay

km 69. (49) 9985-1446.

Maestrale Integrus 2010, elaborado em barris de

www.monteagudo.com.br

carvalho, foi eleito o melhor branco brasileiro. A Chardonnay é considerada uma uva de difícil cultivo e adaptação, o que atesta a qualidade do terroir catarinense e a alta capacidade das vinícolas do estado. A Sanjo oferece quatro horários de visitação guiada, quando é possível visitar a fábri-

2 Sanjo Visitas sob agendamento em quatro horários por dia , de segunda a sábado. De R$ 5 a R$ 15, dependendo de quantos

ca, acompanhar a produção e degustar os vinhos

vinhos o visitante degustar.

e o suco de maçã. Já a Vinícola Suzin tem uma

Av. Irineu Bornhausen, 677.

proposta mais simples. Sob agendamento, um

(49) 3233-0012.

diretor recebe as pessoas para um papo descon-

www.sanjo.com.br

traído na plantação da empresa. Não há degustação ou cobrança de taxa. Os vinhos finos de altitude catarinenses são vendidos em todo o Brasil, mas quem passa por São Joaquim não pode deixar de visitar um lugar onde é possível encontrar todos eles: a Casa do Vinho, com mais de 700 rótulos à venda. Mediante agendamento, oferece também degustação e um bate-papo sobre a bebida dos deuses. Tudo no mais típico estilo campeiro da Serra Catarinense.l

2 Vinícola Suzin Rua Juiz Fonseca Nunes, 379. (49) 3233-1038. www.vinicolasuzin.com.br

2 Casa do Vinho Rua Ismael Nunes, 7, Centro. (49) 3233-0824 e 3233-0336. www.casadovinho.net


144 VOLTE 144 BEM VINDO X Programa SEMPRE X Serra catarinense

campeira

Norberto Cidade/Divulgação

HOSPITALIDADE


SHOW ME 145

p

Campos ponteados por araucárias e a calma da vida rural fazem do planalto Serrano um lugar único

Marcus Zilli/Fotomundo

p Conversas com chimarrão aproximam os visitantes das tradições culturais locais nos hotéis-fazenda

ALÉM DA NEVE NO INVERNO, A SERRA CATARINENSE CONTA COM BELAS PAISAGENS E A CALOROSA CULTURA TROPEIRA PARA RECEBER BEM O TURISTA O ANO INTEIRO

P

Texto André Lückman

ouca gente sabe, mas a mesma vegetação de

A região da Coxilha Rica, distante 51 quilômetros do

Mata Atlântica que recorta o litoral catarinense

Centro da cidade, é formada por uma planície ondulada

e forma os belos cenários de montanhas verdes

a perder de vista. A mais de mil metros acima do mar e

encontrando o mar também é responsável por grande

guarnecida pela floresta de araucárias, ela compreende

parte dos encantos do Planalto Serrano, com suas escar-

o antigo caminho dos tropeiros que no século 18 trans-

pas e morros de pedra esculpidos pelo vento. A uma al-

portavam o gado do Rio Grande do Sul até São Paulo

titude que varia entre 500 e 1,2 mil metros, a paisagem

e Minas Gerais. Hoje há empresas especializadas em

da região se alterna entre os Campos Gerais, as Matas

oferecer passeios a cavalo que refazem este mesmo tra-

de Araucárias e a Floresta Pluvial Subtropical, que forra

çado e vivenciam um pouco da natureza campestre per-

o fundo dos vales. Este antigo cenário emoldurava a rota

correndo fazendas centenárias onde é possível provar

dos tropeiros que conduziam o gado entre o Rio Grande

comidas típicas como o entrevero de pinhão ou apenas

do Sul e São Paulo e hoje extrapola os atrativos do que

“pousar” para um descanso.

se convencionou chamar de “turismo de contemplação”.

Dentro do estilo de vida campeiro, a região também

Terra de frio cortante propício à culinária de fogão

oferece opções para quem tem a curiosidade de acom-

à lenha ou de fogo de chão, sempre regada a bebidas

panhar a rotina de uma fazenda. Do horário de acender

quentes, a Serra Catarinense dispõe de empreendimen-

o fogão a lenha até o momento de adubar o pomar, de-

tos sólidos adaptados ao estilo de vida campeiro, tanto

pois de ordenhar a vaca, os hotéis fazenda abrem suas

nos segmentos de hospedagem e gastronomia quanto no

porteiras para hospedar visitantes interessados em des-

até então inusitado turismo de aventura. Boa parte des-

canso e convívio com a natureza. Lages é considerada

ta cultura e destas belezas naturais pode ser encontrada

o berço do turismo rural no Brasil, promovendo a ati-

em Lages, o maior centro urbano da Serra – mas que

vidade desde a década de 1980. Hoje há hotéis-fazen-

ainda preserva o legado de campos nativos, rios cristali-

da profissionais na arte de entreter os visitantes, com

nos e as antigas taipas de pedra (cercas).

a particularidade de que nestes estabelecimentos as


146 VOLTE SEMPRE X Serra catarinense Marcus Zilli/Fotomundo

atividades voltadas à agricultura e à pecuária continuam normalmente.

AVENTURA, FRIO E GASTRONOMIA Mas a Serra Catarinense também dispõe de cenários para uma contemplação mais ativa e radical. A diversidade do relevo – com inúmeUrubici, a 136 quilômetros de Lages, um dos

Equestre – Lages. (49) 32223079 e 9973-1817. www.coxilharica.com.br

em mais de 40 hotéis e pousadas. Há cachoeiras com até 100 metros de queda livre, além de áreas apropriadas para canoagem e pesca esportiva – como a de truta, espécie típica das corredeiras limpas e geladas. A menos de 30 quilômetros do Centro de Urubici está o Morro da Igreja, ponto habitado mais alto do Sul do Brasil, a 1.822 metros acima do nível do mar. O município também abriga a Serra do Corvo Branco, acessível

p

preparado em um típico fogo de chão,

pela lendária estrada que começa em uma

um dos costumes mais tradicionais

“garganta” de dois paredões de pedra. A ro-

dos descendentes dos tropeiros

dovia é pavimentada, porém exige atenção do motorista. Para encarar a série de desafios que a região oferece, há empresas especializadas no ecoturismo em montanha, como a Corvo Branco Expedições (www.riocanoas. com.br) e a Graxaim Ecoturismo e Aventura (www.graxaim.com). Já para quem gosta de curtir o frio ao lado do fogo de chão depois de uma reforçada refeição serrana, boas opções também existem na pequena Urupema, com 2,5 mil moradores, que virou sinônimo de turismo de inverno. Depois que ali foi instalada uma unidade

o

quência de geada e neve no inverno. É lá que

SC 430

Urupema

centro, conhecido pela “Cascata que Congela” – uma queda-d’água de 12 metros que se A fim de manter as energias para encarar

SC 430

São Joaquim

fica o Morro das Torres, a sete quilômetros do

transforma em gelo nos dias mais frios. Urubici

SC 438

um cenário desses, frequentemente coberto

Urupema. (49) 3222 3031 www.fazendadobarreiro.com.br

! Morro Agudo – Urupema. (49) 9125-2500 www.serracatarinense.com/ fazendamorroagudo

2 Boqueirão Hotel-fazenda – Lages. (49) 3221-9900 www.fazendaboqueirao.com.br

2 Hotel Fazenda Pedras Brancas – Lages. (49) 3223-2073 www.fazendapedrasbrancas.com.br

2 Sesc Pousada Rural – Lages.(49) 3224-9988 www.sesc-sc.com.br

2 Fazenda Hotel Serra do Panelão – Urubici. (49) 32784566 e 8843-4138 www.serradopanelao.com.br

2 Estalagem Villa da Montanha – Urubici. (49) 9926-9679. www. estalagemvilladamontanha.com.br

de lascas de gelo, o cardápio dos moradores

2 Rio do Rastro Eco Resort

da Serra conta com carreteiro com carnes de

– Bom Jardim da Serra. Rod. SC 438, Km 130 (em frente ao Mirante da Serra do Rio do Rastro). (49)9112.0073 e 9112.0074. reservas@riodorastro.com.br

gado, porco e de ovelha, feijão tropeiro, enBom Jardim da Serra

2 Fazenda do Barreiro –

Rural – Urubici. (49) 3278-5113 www.serrabela.com.br

titude de 1.425 metros assegura grande fre-

SC 439

HOTÉIS FAZENDA

recordes de baixas temperaturas. Os últimos o

Lages

Urubici. (49) 3278-4273. www.caminhosdaserra.tur.br

2 Serra Bela Hospedaria

-10 C e média anual em torno dos 13 C. A al-

BR 282

2 Caminhos da Serra –

meteorológica, a cidade passou a registrar três anos tiveram mínimas absolutas perto de

Bocaína do Sul

Lages. (49) 3222-2920. www. liaramosturismo.com.br

2 Coxilha Rica Turismo

Atualmente, a cidade conta com 1,5 mil leitos

BR 116

2 Lia Ramos Turismo –

ras trilhas e mais de 80 quedas d’água – faz de paraísos nacionais do turismo de aventura.

O pinhão extraído das araucárias é

TURISMO RECEPTIVO

trevero de pinhão e o tradicional camargo – café forte preparado no fogão à lenha e com leite ordenhado diretamente na caneca.l


Ascom/Divulgação

Norberto Cidade/Divulgação

SHOW ME 147

Mirante na Serra À margem da rodovia SC-438 e a 11 quilômetros do Centro de Bom Jardim da Serra, um mirante a 1.460 metros de altitude é o melhor ponto para quem deseja apreciar toda a beleza da Serra do Rio do Rastro. Dali, nos dias mais claros é possível até avistar o mar, distante mais de cem quilômetros.

abrange 50 mil hectares em cinco municípios que frequentemente estão disputando o título de “cidade mais fria do país”. E não é por menos. Afinal, a uma altitude de 1,8 mil metros a temperatura pode chegar a

tarinenses” cria paisagens magníficas: de cenas campestres a impressionantes desfiladeiros e encostas reco-

2002. A força dos ventos locais gera eletrici-

um mirante 1.460 metros acima do

dade suficiente para iluminar toda a estrada

nível do mar proporciona a melhor

da Serra durante a noite.

vista da Serra do Rio do Rastro Aventura e natureza se unem em

dois parques localizados na SC-438

vores símbolo da região. As entradas do parque se dão

além de São Joaquim. O relevo irregular dos “alpes ca-

catarinense de energia eólica, inaugurada em

Próximo a Bom Jardim da Serra,

em 1961 para preservar os bosques de araucárias – ár-

seu território se espalha ainda por Orleans e Grão Pará,

também é possível visitar a primeira estação

do Parque Nacional de São Joaquim

13ºC negativos. A unidade de conservação foi criada

pelos municípios de Urubici e Bom Jardim da Serra e

cionamento. Nas proximidades do mirante

de circunferência, é uma das atrações

Divulgação

gião Sul, o Parque Nacional de São Joaquim

como quentão e pinhão, e um amplo esta-

rochosa com uma fenda de 30 metros

p

Uma das mais importantes reservas ambientais da Re-

No local há lanchonetes com comida típica,

A Pedra Furada, formação

p

intocada

p

Natureza

Adrenalina nas

alturas

bertas de mata nativa. As rochas que formam o Parque – chamadas de basalto – são de origem vulcânica e têm

Muito além do turismo contemplativo, a paisagem serrana também oferece op-

idade estimada em 133 milhões de anos. A formação

ções de lazer para os aficionados dos esportes de aventura. Inaugurado

rochosa mais famosa da região é a Pedra Furada, com

em 2008, o Adventure Park é cravado nas formações rochosas do Parque Pedras

seu “furo” de 30 metros de circunferência esculpido

Brancas, a 15 minutos do Centro de Lages. Além de possuir uma das maiores tiro-

pela lenta ação do vento e da chuva. Está localizada no

lesas do Brasil, com 1,2 mil metros de extensão, o complexo dispõe de atividades

Morro da Igreja, em Urubici. Apesar do acesso difícil,

como rapel, escalada, trekking, quadriciclo e paintball. Os mais corajosos devem

é possível entrar na pedra seguindo uma trilha de oito

experimentar o “Punk Jump”, um salto de bungee jump de uma plataforma de

quilômetros, de dificuldade moderada e aproximada-

pedras a 40 metros de altura. Em São Joaquim, o Snow Valley também dispõe de

mente duas horas e meia de caminhada. A trilha deve

tirolesas e pistas de arvorismo e escalada. Destaque para a trilha ecológica por

ser feita sempre na companhia de um guia credenciado.

uma mata de xaxins centenários, alguns com 10 metros de altura. Presume-se que

Flagrantes de visitantes desacompanhados por um guia

já estivessem ali antes da colonização do Brasil. Os dois parques de aventura fi-

oficial podem render multas de até R$ 1 mil. Também

cam na SC-438. Adventure Park – (49) 9911-8373. www.adventurelages.com.

é proibido deixar lixo por lá, mesmo material orgâni-

br Snow Valley – (49) 9116-7278. www.snowvalley.com.br

co. Mais informações pelo telefone (49) 3278-4994 ou pelo e-mail parna.saojoaquim@icmbio.gov.br.

Textos André Luckmann


Divulgação

148 VOLTE SEMPRE X Turismo Termal

Itá, no Oeste do Estado, conta com um parque aquático com 18 piscinas termais em um belo cenário natural

O paraíso

p

das águas

AS ESTÂNCIAS HIDROMINERAIS CATARINENSES CONVIDAM VOCÊ PARA RELAXAR IMERSO EM ÁGUAS TERMAIS DE QUALIDADE INTERNACIONAL Texto Jeremias Thompson

S

anta Catarina é um estado abundante em águas. As águas salgadas do litoral, as águas salobras dos lagos e lagoas, as águas doces de seus inúmeros rios,

o aquífero Guarani (uma das maiores reservas potável do mundo). E há mais: suas ricas águas termais, que brotam

exemplo. A cidade do Oeste catarinense de apenas 4,8 mil habitantes tem a maior estrutura hoteleira do estado voltada para as termas (2,5 mil leitos) e recebe cerca de 350 mil turistas por ano. O parque Termas de Piratuba – com seu jato de 30 metros de altura e águas a 38,6°C – tem 105

do chão a altas temperaturas e em diferentes composições

mil m² de área verde com piscinas, toboáguas, banheiras,

químicas (como sulforosas ou ferruginosas). Além de aju-

duchas, espaço para lodoterapia, massoterapia, hidrogi-

dar a aliviar os males de diferentes doenças como reuma-

nástica e outras atividades recreativas e terapêuticas. Há

tismo, artrite, cálculo renal, dermatites e inflamações, as

trilhas ecológicas e o lugar é equipado com lanchonete,

termas deram origem a estâncias localizadas em áreas de

churrasqueiras e área de camping.

verde exuberante e com hotéis bem montados. Muitos municípios aproveitaram esse verdadeiro tesouro natural para crescer em torno das estâncias hidrominerais e transformar suas economias. Piratuba é um

Para quem pretende visitar a cidade, vale a pena reservar algumas horas e explorar outras atrações locais. Uma delas é o passeio de 25 km em uma Maria Fumaça do começo do século 20, que sai da estação ferroviária local. A Hi-


SHOW ME 149 drelétrica de Machadinho, a apenas 18

verão. A cidade se prepara para a tem-

km da dali, também atrai olhos curiosos.

porada e suas praças, jardins e ruas re-

Estâncias

Seguindo para o Extremo Oeste, na

cebem tratamento especial para esperar

região que concentra o maior potencial

os turistas. O clima bucólico, em um lo-

hidromineral do estado, chega-se a uma

cal rodeado por verdes colinas e com ar

sequência de estâncias conhecida como

europeu, é ideal para descansar. O par-

Rota das Termas. Num raio de 60 km a

que Hidroeste é abastecido com águas

partir de Chapecó, cidade-polo regional

a 37°C e fica na beira do Rio Chapecó

equipada com aeroporto, cinco balne-

– bastante usado para passeios de barco

ários encantam milhares de visitantes

e para esportes como o jet-ski. Cruzando

durante o ano inteiro. A exuberante na-

a ponte sobre o Rio Chapecó, no municí-

tureza da região é o complemento ideal.

pio de São Carlos, há um parque recém-

As rodovias são bem sinalizadas e é fácil

-construído com estrutura semelhante

chegar aos complexos de águas termais.

à do balneário vizinho e que começa a

2 Águas de Chapecó – Parque Hidroeste.

funcionar a partir de dezembro.

Todos os dias das 8h às 11h30 e das 13h30

O município de Itá foi reconstruído

2 Piratuba – Parque Termas de Piratuba. Todos os dias das 7h30 às 20h. Estrada Geral de Piratuba, s/n. (49) 3553-0132. www.termaspiratuba.com.br Informações turísticas: (49) 3537-0997

2 Itá – Parque Aquático Thermas de Itá. Todos os dias das 8h às 20h. Rod SC-465, s/n, Bairro Lago Azul. (49) 3458-1909. Informações turísticas: (49) 3458-2299.

em 1996 para abrigar a população desa-

Subindo o Rio Uruguai, chega-se ao

lojada pela construção de uma usina hi-

Thermas de Ilha Redonda, um parque

3339-0661. Informações turísticas:

drelétrica. É lá que fica o parque aquá-

aquático a 16 quilômetros de Palmitos,

www.aguasdechapeco.sc.gov.br/turismo

tico Thermas Itá, um empreendimento

com quatro fontes que jorram 47 mil

recente mas que já conta com 18 pis-

litros de água mineral por hora, o ano

cinas, toboáguas, quadras de esporte,

inteiro. O balneário é famoso por rece-

camping e trilhas ecológicas. Os hotéis

ber muitos jovens nos fins de semana,

da cidade oferecem 995 leitos para os

mas durante a semana mantém a tradi-

(49) 3647-0410. www.ilharedonda.com.br

visitantes. A região tem vocação turísti-

ção de tranquilidade das estâncias da

ca inegável, em um cenário cercado por

região. Ao norte de Chapecó, saindo das

2 Águas Mornas – Parque Aquático

montanhas, florestas nativas, mirantes,

margens do Rio Uruguai, o município de

museus e um lago de 141 km². Um dos

Quilombo é o único do estado que tem

passeios mais bonitos é a visita às torres

um complexo com águas quentes loca-

da antiga Igreja Matriz, única constru-

lizado no Centro da cidade – especifica-

ção que permanece da antiga cidade e

mente na Praça Central. São cinco pis-

2 Santo Amaro da Imperatriz – Parque

que pode ser vista no passeio de barco.

às 19h. Rua Florianópolis, 92, Centro. (49)

2 Palmitos – Termas Ilha Redonda. Todos os dias das 8h às 11h30 e das 13h30 às 18h. Rua Dom Pedro II, s/n, Ilha Redonda.

Primavera. De terça a sábado, das 8h30 às 19h30. Rua Geral Santa Isabel, s/n. (48) 9149-7433. Informações turísticas: (48) 3245-7252.

cinas, com tobogãs, área para camping,

Aquático Hotel Caldas da Imperatriz (anexo

A 110 quilômetros a oeste, o peque-

quadras de esporte e razoável rede ho-

ao hotel). Todos os dias das 7h às 19h.

no Município de Águas de Chapecó, com

teleira. Ao passar pela região, não deixe

Rodovia Princesa Leopoldina, Km 4.

pouco mais de 6 mil habitantes, tem um

de visitar o conjunto de três cascatas

(48) 3245.7088. www.hotelcaldas.com.br

movimentado complexo termal que che-

Santa Manella, um dos mais bonitos sal-

ga a atrair 50 mil visitantes ao longo do

tos do Rio Chapecó.l

2 Santo Amaro da Imperatriz – Parque Aquático Estrela Guia. Todos os dias das 9h às 19h. Estrada do Pantanal, 500. (48) 32452315. Informações turísticas: (48) 3245-3266

2 Gravatal – Parque Acquativo. Todos os dias das 7h às 19h. Av. Pedro Zappelini, 282,

BR 158 Palmitos

Águas de Chapecó

Bairro Termas. (48) 3648-8275. Informações

BR 282

Chapecó Itá

turísticas: (49) 3458-2299. BR 153 Concórdia Piratuba

Distâncias até as cidades:

Campos Novos

Santo Amaro da Imperatriz

BR 282

Palmitos: 611 km*/578km**/590km*** Águas de Chapecó : 591 km*/588km**/570*** Itá: 502km*/498km**/481km*** Piratuba: 426km*/434km**/405km*** Águas mornas: 39km*/197km**/171km*** Santo Amaro da Imperatriz: 31km*/189km**/186km*** Gravatal: 154km*/312km**/74km*** *Distância desde Florianópolis **Distância desde Joinville ***Distância desde Criciúma

Lages

BR 475

BR 282 Águas Mornas BR 101 Gravatal Tubarão


150 VOLTE SEMPRE X Turismo termal Fotos Divulgação

Banho

radioativo

Descobertas no começo do século 20, as águas de alto poder radioativo inspiraram a criação do primeiro hotel voltado ao turismo termal na cidade em 1961. Hoje Gravatal conta com uma rede hoteleira

com mais de mil leitos e leva muito a sério esse tipo de turismo – é um dos dez locais mais requisitados no programa Viaja Mais Melhor Idade, do Ministério do Turismo. O Parque Acquativo, mantido por dois hotéis, declara ser o maior parque aquático do Sul do país. A entrada é gratuita para quem está hospedado no Hotel Termas ou no Hotel Internacional de Gravatal. Para visitantes não hospedados, a taxa para uso diário é de R$ 20.

Em 1818, ao saber da descoberta de águas que brotavam do chão a 39°C, o rei D. João VI de Portugal (que governava o Brasil na época) mandou construir um hospital no Arraial do Cubatão, vi-

Os hoteis de Caldas da Imperatriz contam

com uma ampla estrutura de piscinas em propriedades cercadas pela Mata Atlântica

p

termal

p

Tradição

Gravatal atrai turistas da terceira idade

pelas qualidades terapêuticas de sua água

p Além das piscinas do hotel, a estância hidromineral de Águas Mornas também

oferece opções de passeios em duas cascatas

larejo localizado entre o litoral e a Serra Catarinense. Rebatizado de Caldas da Imperatriz depois da visita de D. Pedro II e da imperatriz Dona Tereza Cristina, em 1845, o município na região da Grande Florianópolis foi casa da primeira estância termal do país. Hoje, a cidade conta com um parque público onde moradores e turistas podem passar o dia nas piscinas (R$ 5 por pessoa) e banheiras (R$ 10) abastecidas por fontes termominerais radioativas que produzem uma das melhores água termais do mundo. Também é possível alugar uma churrasqueira (R$ 20 por dia). Para quem quiser passar mais tempo na região, há duas opções de hotéis com estilos diferentes

Águas nobres

Há apenas um hotel para hospedagem, o Águas

Imperatriz funciona no antigo prédio do hospital. Para quem procura instalações mais sofisticadas,

De acordo com a Santur, órgão oficial para

nheiras e atrações como trilhas ecológicas, lago

a indicação é o Plaza Caldas da Imperatriz Resort

a divulgação do turismo em Santa Catarina,

para pesca, quadras para esporte e city tour. É

Spa, eleito em 2011 o melhor Resort de Campo do

a qualidade das águas de Águas Mor-

altamente recomendável passear pela região e

país pelo prêmio O Melhor de Viagem e Turismo.

nas se compara às de Vichy, na França

visitar as cascatas do Salto do Rio Vermelho, e

A região é dominada pela Mata Atlântica e ofe-

– considerada a melhor do mundo. Mu-

a queda d’água Wasserplatz, na Fazenda Sacra-

rece muitas atividades de aventura como trilhas,

nicípio com nome de clara inspiração, fica

mento, a 5 quilômetros da cidade.

escalada, rafting e rapel.

a apenas 36 quilômetros da Florianópolis.

de hospedagem. Mais simples, o Hotel Caldas da

Mornas Palace Hotel, que oferece piscinas, ba-

Textos Jeremias Thompson


VOLTE SEMPRE X Sul catarinense

SHOW ME 151

André Luís/Secom/PML

Patrimônio aqueológico Além de 37 quilômetros de praias com água cristalina, dez lagoas e uma paisagem dominada por dunas, a cidade de Jaguaruna também abriga um verdadeiro tesouro ar-

queológico composto por mais de 30 sambaquis – antigas formações calcáreas formadas por restos de ossos, comida e outros vestígios dos primeiros habitantes do litoral. Ainda há incertezas quanto às origens desses depósitos, mas sabe-se que muitos deles são tão antigos quanto as Pirâmides do Egito, com registros de atividade social anteriores a 2.500 a.C. Entre as formações milenares que podem ser vistas em Jaguaruna, a mais famosa provavelmente é o sambaqui de Garopaba do Sul, considerado o maior do mundo em extensão, com cerca de 10 hectares e 30 metros de altura. Jaguaruna faz divisa com os municípios de Tuba-

antiga de Santa Catarina e que hoje mescla patrimônio histórico com belas paisagens naturais de mar, lagoas e dunas. Prova disso são as cerca de 600 edificações tombadas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), os museus em memória à heroína local Anita Garibaldi, bem como o centenário Farol de Santa Marta, que desde 1891 serve como guia para os navios que se aproximam do Cabo de Santa Marta. O farol foi erguido por franceses com uma mistura

imóveis tombados pelo patrimônio histórico Tão antigos quanto

as pirâmides do Egito, os sambaquis de Jaguaruna guardam vestígios dos antigos habitantes do litoral catarinense Pegar a balsa que

parte do Centro Histórico de Laguna é uma das formas de chegar até o Farol de Santa Marta

de pedra, concha, areia, barro e óleo de baleia. Até hoje mantém parte dos seus equipamentos

André Luís/Secom/PML

acontece em Laguna, a terceira povoação mais

tem cerca de 600

p

Um dos carnavais mais prestigiados do Sul do país

Além de um farol

centenário, Laguna

p

luz do farol

p

Sob a

Enio Rocha Reynaldo/Divulgação

rão e Laguna, e fica a 157 Km de Florianópolis.

originais e o título de maior farol em alcance visual da América do Sul (92 quilômetros). Por estar ainda em atividade seu interior é fechado ao público, que tem livre acesso à área externa da torre. Do alto da construção, que fica no ponto mais oriental da região, é possível avistar mais de dez praias de Laguna. As mais próximas são a do Farol

De balsa pelo canal Uma das formas de chegar até o Farol de Santa Marta, especialmente se você vem do

(Prainha), do Camacho, da Cigana e do Cardoso,

norte, é fazer a travessia do Canal da Barra. O trajeto consiste em uma viagem

que tem boa reputação entre os surfistas. A praia

a bordo de uma balsa por cerca de 600 metros e aproximadamente 20 minutos de carro

com mais infraestrutura de hotéis e restaurantes é

ou moto por uma estrada de terra entre as dunas. O ponto de saída da embarcação fica

a do Mar Grosso, e outro ponto bastante visitado

na Rua Pedro Rosa, 27, Magalhães (próximo ao Centro Histórico de Laguna). A distância

é a Praia do Gi, onde está a intrigante Pedra do

total do farol até o Centro da cidade é de 17 quilômetros. O serviço de balsa funciona

Frade.

diariamente, durante 24 horas, e atende pelo telefone (48) 3646-0887.


Leo Laps

152 VOLTE SEMPRE X História

MEMÓRIAS DA

imigração

POR TODO O ESTADO MUSEUS ETNOGRÁFICOS GUARDAM VERDADEIROS TESOUROS CULTURAIS DAS DIFERENTES ETNIAS QUE FORMARAM O POVO CATARINENSE Texto Mateus Boing

S

e você curtiu o verão no litoral catarinense e

pendendo da região que se visita. Traços deste legado

planeja voltar ao Estado em outra época do ano,

podem ser percebidos na arquitetura, no jeito de falar,

não fique surpreso se essa viagem de retorno lhe

na comida e nas demais tradições e costumes manti-

causar a impressão de nunca ter posto os pés nestas

dos por descendentes de alemães, italianos, açorianos,

terras antes. A multiplicidade de heranças culturais

tiroleses, indígenas etc. E os melhores lugares para ter

dá a Santa Catarina aspectos bastante diferentes, de-

uma visão geral da história dos povos que construíram


Leo Laps

Victor Carlson

SHOW ME 153

Santa Catarina são os museus etnográficos. Por isso, prepara-

p

mos um roteiro que atravessa o estado de leste a oeste apon-

Joinville, exibe uma coleção de carroças e charretes da colônia p

tando os museus mais representativos de cada região. Boa parte deles está localizada no litoral. É caso da Casa

Em Chapecó, o Museu Antônio Selistre de Campo conta

com um vasto acervo de arqueologia, arte e costumes dos índios

p

dos Açores, que fica às margens da BR-101, no município de

O galpão do Museu Nacional de Imigração e Colonização, em

No Museu Emílio da Silva, em Jaraguá do Sul, o ambiente rústico

Biguaçu, a 20 quilômetros de Florianópolis. O sobrado tipica-

das residências dos imigrantes europeus é reproduzido com fidelidade

mente açoriano forma um belo conjunto arquitetônico com as

p Às margens da BR-101, em Biguaçu, o museu etnográfico da

duas construções próximas, a Igreja de São Miguel e os arcos

Casa dos Açores abriga peças sacras, mobília de época e trajes típicos

dos primeiros colonizadores do arquipélago dos Açores trazidos ao Brasil, a Vila de São Miguel foi por alguns meses capital da província e refúgio para os moradores locais durante a invasão espanhola ocorrida em 1778. O museu abriga peças sacras, mobília de época, livros e artesanato. O destaque são os trajes típicos doados pelo governo dos Açores. Já o Museu Histórico de Itajaí, também no litoral, não é focado em um grupo étnico específico. Entre as mais de 10 mil peças do acervo estão objetos pessoais, máquinas fotográficas, roupas, armas, jogos e obras de arte que pertenceram aos imigrantes de diversas origens que chegaram à cidade desde a época do Império. O museu conta também com uma exposicão dedicada ao poeta Marcos Konder Reis, que nasceu em Itajaí e foi um dos principais expoentes da geração que sucedeu os modernistas. A curiosa arquitetura do palacete, em estilo eclético, com três torres, indica a utilidade inicial da construção, inaugurada em 1925 para ser sede dos três poderes do município.

RELEMBRANDO AS ORIGENS O próximo museu, localizado em Joinville, também segue a linha de não destacar apenas um grupo de imigrantes, mas com a diferença de que o foco não se resume à cidade. Essa característica já fica clara no nome: Museu Nacional da Imigração e Colonização. Nesse sobrado projetado em 1870 a ideia é mostrar como era a vida rural e urbana de toda a Região Sul. O galpão do transporte, com diferentes tipos de carroça, é um dos destaques. Em São Francisco do Sul, o Museu Histórico ocupa um dos prédios mais antigos do estado, datado do fim do século 18. Ob-

Victor Carlson

de um antigo aqueduto. Fundada por volta de 1750 por alguns


ATraÇÕes 2 Casa dos Açores – De terça a domingo, das 8h às 12h e das 13h às 17h. Gratuito. BR-101, km 189, Balneário São Miguel, Biguaçu. (48) 3243-4166. www.casadosacores.sc.gov.br

Victor Carlson

154 BEM-VINDO VOLTE SEMPRE X Passeio X História

2 Museu Histórico de Itajaí – De terça a sexta, das 8h às 18h. Sábado, das 9h às 13h. Domingo e feriados, das 14h às 18h. Gratuito. Rua Hercílio Luz, 681, Centro, Itajaí. (47) 3348-1335. www.fgml.itajai.sc.gov.br

2 Museu Nacional da Imigração e Colonização – De terça a sexta, das 9h às 17h. Sábados, domingos e feriados, das 12h às 18h. Gratuito. Rua Rio Branco, 229, Centro, Joinville. (47) 3433-3736. www.joinvillecultural.sc.gov.br

2 Museu Histórico de São Francisco do Sul – De terça a sexta, das 9h às 18h. Sábados, domingos e feriados, das 11h às 19h. Crianças acima de sete anos e adultos pagam R$ 1 e R$ 2, respectivamente. Rua Coronel Oliveira, 74, Centro Histórico, São Francisco do Sul. (47) 3444-5443. www.visitesaofranciscodosul.com.br

O Museu Histórico de Itajaí homenageia imigrantes de todas as

p

etnias em mais de 10 mil peças, incluindo roupas e objetos pessoais

p No Santuário de Santa Paulina, em Nova Trento, o Museu Colonial reúne itens domésticos e peças de moinho utilizadas pelos italianos

11h30min e das 13h30 às 16h30. Sábado, das 9h às 12h. Domingo, das 15h às 18h. Entrada gratuita. Avenida Marechal Deodoro da Fonseca, 247, Centro, Jaraguá do Sul. (47) 3371-8346 e 3372-2770. www.museu.jaraguadosul.com.br

Divulgação

2 Museu Histórico Emílio da Silva – De terça a sexta, das 8h às

2 Casa do Imigrante Carl Weege – De terça a domingo, incluindo feriados, das 9h às 12h e das 13h às 17h. Entrada gratuita. Rua Leopoldo Blaese, 11, Pomerode Fundos, Pomerode. (47) 3387-2613. www.pomerode.sc.gov.br

2 Museu da Família Colonial – De terça a sexta, das 9h às 17h. Sábados, domingos e feriados, das 10h às 16h. Entrada gratuita. Alameda Duque de Caxias, 64, Centro, Blumenau. (47) 3381-7516. www.arquivodeblumenau.com.br

2 Museu de Hábitos e Costumes – De terça a sexta, das 9h às 17h. Sábados, domingos e feriados, das 10h às 16h. Entrada gratuita. Rua XV de novembro, 25, Centro, Blumenau. (47) 3381-7979. www.fcblu.com.br

jetos pessoais, utensílios domésticos, móveis, equipamen-

2 Museu da Cultura Italiana – De terça a domingo, das 7h às

tos industriais, jornais e documentos contam a história

17h. A entrada custa R$ 8 (adultos) e R$ 5 (estudantes). Estrada Geral do Morro da Cruz, s/n, Centro, Nova Trento. (48) 3267-0028 e 3267-2100. www.pousadacantinaitaliana.com.br

centenária da cidade, cujo primeiro povoamento teria sido

2 Museu Colonial e Casa da Seda – Diariamente, das 8h às 20h. Entrada gratuita para a Casa do Colono. R$ 1 para o Museu da Seda. Rua Madre Paulina, s/n, Nova Trento. (48) 3267-3030. www.santuariosantapaulina.org.br

criado por exploradores franceses em 1504, o que nunca ficou provado. Ainda no Norte de Santa Catarina, a vida nos tempos da Colônia Jaraguá é lembrada graças ao trabalho de pesquisa do professor Emílio da Silva, morto em 1999, aos 98 anos. Autor do livro Jaraguá do Sul, um capítulo na povoação do Vale do Itapocu, ele é o patrono do museu

2 Castelinho – Segundas, quartas, quintas, sextas e sábados, das

histórico da cidade, que leva seu nome. Todo seu acervo

8h às 12h e das 13h às 17h30. Domingos e feriados, das 10h às 12h. Entrada: R$ 2. Rua Leoberto Leal, 195, Centro, Treze Tílias. (49) 3537-0997. www.trezetilias.com.br

fotográfico está em exposição no prédio, além de docu-

2 Museu Antônio Selistre de Campo – De segunda a sexta, das 13h às 19h. Visitas em fins de semana ou feriados precisam ser agendadas. Entrada gratuita. Avenida Getúlio Vargas, 17-N, Centro, Chapecó. (49) 3321-8509.

mentos, móveis e pertences pessoais. No Vale do Itajaí, três casas voltadas para a memória dos antepassados alemães merecem destaque. Em estilo enxaimel, a Casa do Imigrante Carl Weege, em Pomerode, é decorada de maneira tipicamente alemã e dá uma ideia de como era a rotina dos pioneiros, com uma roda


d’água, uma moenda de cana-de-açúcar e um moinho de fubá instalados na propriedade. Já os dois museus em Blumenau reúnem um grande número de utensí-

Leo Laps

SHOW ME 155

lios domésticos, roupas e acessórios, brinquedos, máquinas e móveis doados, em sua maioria, por famílias descendentes de imigrantes. Com 6,2 mil peças no acervo (destaque para um jogo de jantar do século 19), o Museu da Família Colonial é na verdade um conjunto de três casas tombadas pelo patrimônio histórico. Umas delas, de 1858, é a mais antiga residência do Vale do Itajaí. O Museu de Hábitos e Costumes vale a visita pela variedade de roupas e acessórios, como chapéus e calçados, usados pelos antigos colonos.

DE EUROPEUS A INDÍGENAS Cidade de colonização italiana, Nova Trento, no Vale do Rio Tijucas, conta com dois pontos de visitação para os interessados no assunto. De iniciativa privada, o Museu da Cultura Italiana é parte de uma pousada da região e chama a atenção pelos 600 rádios expostos entre os 5 mil itens do acervo. No Santuário de Santa Paulina, criado para cultivar a memória e o culto à primeira santa brasileira (ela própria uma imigrante italiana), o Museu Colonial abriga artefatos domésticos dos pioneiros e grandes engrenagens de madeira usadas em moinhos. Também no santuário, o Museu de Seda é uma réplica da fábrica em que trabalhavam a religiosa, suas colegas de fé e outras mulheres, com o objetivo de angariar fundos para a Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição. Os dois últimos museus etnográficos estão localizados no Meio-Oeste e Oeste de Santa Catarina, a mais de 500 quilômetros de Florianópolis. Em Treze Tílias, a antiga residência do fundador da cidade – um prédio de 1937 conhecido como “Castelinho” – serve atualmente

p

como sede do Museu da Imigração Austríaca. Entre os

Costumes, em Blumenau, dão uma ideia de como viviam os antigos colonos

pertences das famílias do pioneiro Andreas Thaler e de

p Em Pomerode, a Casa do Imigrante Carl Wegee tem uma roda d’água, uma

outros imigrantes do Tirol (região da Áustria), destaca-

moenda de cana e um moinho de fubá ao lado da propriedade em estilo enxaimel

lhe fornecendo o nome da cidade: Dreizehnlinden (justamente Treze Tílias, em português). Já o Museu Antônio Selistre de Campo, em Chapecó, é o único da lista dedicado aos índios. O local possui um importante acervo de arqueologia, arte e costumes dos kaingang e guarani, as duas principais etnias da região. Entre as peças em exibição estão vasos de cerâmica usados como urnas funerárias e esteiras com grafismos que indicam um mito de formação do povo kaingang a partir de duas outras etnias mais antigas. Alojado numa casa em estilo colonial italiano, o museu também reúne peças, utensílios, fotos e mobiliários dos antigos donos da residência, a família Bertaso.l

Leo Laps

se o livro de poemas em alemão que Thaler achou curioso ter encontrado numa livraria brasileira e acabou

As peças de roupa e itens de uso pessoal exibidos no Museu de Hábitos e


156 VOLTE SEMPRE X Imóveis no litoral

o sonho de

morar na praia

COM OPÇÕES PARA TODOS OS BOLSOS E A PROMESSA DE VALORIZAÇÃO DO INVESTIMENTO, O MERCADO IMOBILIÁRIO CATARINENSE FAZ MUITA GENTE VOLTAR DAS FÉRIAS COM PLANOS DE TER SEU PRÓPRIO CANTO À BEIRA-MAR Texto Adão Pinheiro Fotos Victor Carlson

O

desejo de ter uma imóvel no litoral catarinense,

das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administra-

para morar ou para passar férias, promete aque-

ção de Imóveis e dos Condomínios Residenciais e Comer-

cer o mercado local neste verão. Prazos amplia-

ciais de Santa Catarina (Secovi), acredita que a taxa de

dos e redução das taxas de juro devem deixar os clientes

valorização deve se manter estável nos próximos anos.

motivados a aproveitar oportunidades para fazer valer o

Lucas Madalosso, diretor de Marketing do Secovi Floria-

seu dinheiro. Como os imóveis residenciais em Florianó-

nópolis, aponta que a expansão imobiliária na cidade pas-

polis valorizam de 10% a 12% ao ano desde 2004, corre-

sa por investimentos em construções voltadas a clientes

tores consideram que a temporada deve puxar para cima

de todos os padrões. Ele considera que os empreendimen-

o volume de negócios. Na capital, o metro quadrado do

tos do programa Minha Casa Minha Vida – que começam

terreno gira em torno de R$ 1.800 enquanto o do aparta-

a ser oferecidos em Florianópolis – já chegam à capital

mento pronto pode chegar a R$ 6 mil, dependendo da lo-

catarinense “perdendo fôlego” em relação ao restante do

calização. Em outras cidades do litoral a valorização pode

Brasil, devido a uma acomodação do mercado para esse

superar os 70%, da compra na planta até a entrega.

tipo de imóvel. “No entanto, há ainda muito espaço para

Para o mercado, a meta é ampliar as vendas de fim de ano e manter o ritmo nos meses seguintes. O Sindicato

apartamentos de alto padrão para atender as classes média e alta”, observa.


SHOW ME 157 Madalosso explica que nos últimos anos houve uma maior concentração de compradores de outros estados do Sul e Sudeste em busca da segunda casa ou mesmo para mudar-se em definitivo para Florianópolis. “São famílias pequenas, com um ou dois filhos, que procuram investir em condomínios fechados onde é maior a segurança”, diz. A venda de culados nas universidades também ajuda a puxar para cima os negócios na capital, ascom mais de 60% de área protegida, chamariz para clientes com bom poder aquisitivo e preocupação com o planeta. Segundo o diretor do Secovi, é justamente o Sul da Ilha – ainda não tão “urbano” quanto a parte norte – e o entorno das duas maiores universidades locais (UFSC e Udesc) que devem concentrar os maiores investimentos nos próximos anos. No Norte da Ilha, na Praia dos Ingleses, a Hantei Construções e Incorporações vai lançar em 2013 o empreendimento Centrinho dos Ingleses. O negócio segue o mesmo modelo do prestigiado Resort Costão do Santinho. Investidores serão proprietários de uma ou mais unidades dos 333 apartamentos do apart-hotel, com a possibilidade de usá-los como moradia, usufruir ocasionalmente ou locar. “No Santinho, vários investidores liquidaram o imóvel apenas com o valor dos aluguéis e hoje possuem um patrimônio que vale em torno de R$ 750 mil”, explica Aliator Silveira, Diretor Executivo da Hantei. O Centrinho dos Ingleses terá 145 lojas do térreo, 375 vagas de garagem e um centro de convenções com 1.600 m². Os principais investidores são de Florianópolis, seguidos de moradores do interior de São Paulo, Rio Grande do Sul e Paraná.

Alto padrão

Um dos endereços mais valorizados da capital catarinense continua sendo a Avenida Beira-Mar Norte. A região tem atraído a atenção dos investidores graças a construção de condomínios de luxo, a exemplo do Simphonia WOA Beiramar, que está sendo erguido pela WOA Empreendimentos Imobiliários e engloba quatro condomínios independentes. A empresa não divulga o valor total do investimento, mas Walter Silva Koerich, diretor da construtora, acredita em uma importante valorização dos apartamentos depois de prontos. “A escassez de terrenos bem localizados

Na página anterior, o Novo Campeche,

no Sul da Ilha, uma das regiões com maior potencial de expansão na capital

p

sim como a infraestrutura ambiental da Ilha,

p

imóveis para famílias de estudantes matri-

Ao lado, os bairros Trindade, Itacorubi

e Santa Mônica, que crescem com demanda gerada pelas universidades

p Na Av. Beira-Mar Norte, obras das

construtoras WOA e Hopecke ampliam a oferta de condomínios de luxo em Floripa


158 VOLTE SEMPRE X Imóveis Imóveis no no litoral litoral Divulgação

na Ilha tem feito disparar o preço do metro quadrado, fazendo pressão sobre os custos e valorizando os imóveis”, comenta. Segundo Koerich, edifícios em áreas nobres, com cuidadosa arquitetura e equipados de tecnologia, estão no topo da lista de desejos dos clientes. Localizados na Avenida Trompowsky, o Plaza Danúbio, da construtora Hoepcke, e o Trompowsky Corporate, da construtora Formacco Cezarium, são outros exemplos de empreendimentos premium. O primeiro tem um moderno sistema de segurança com senha de acesso aos andares, câmeras em todas as áreas comuns, reaproveitamento da água da chuva e vagas para visitante, entre outras facilidades para o dia a dia de quem busca conforto e praticidade. O Trompowsky Corporate empreendimento comercial de alto padrão terá 340 vagas de estacionamento rotativo.

hotel com marina

Ainda na Avenida Beira-Mar Norte, Florianópolis vai seguir o exemplo das cidades mais modernas do mundo, como Dubai e Xangai, e ganhar um emprendimento de arquitetura contemporânea que deve transformar-se em um ícone da cidade. O Parque Hotel Marina Ponta do Coral, outro projeto da Hantei, terá três torres separadas internamente: uma delas abrigará escritórios, a outra será ligada ao centro de convenções com 20 salas e capacidade para 4 mil pessoas, e a terceira atenderá o turismo convecional. Para garantir a qualidade da obra, foram contratados três escritórios de arquitetura para elaboração do projeto. “O Parque Hotel simboliza o desejo da cidade de possuir empreendimentos que valorizem e qualifiquem o turismo e sirvam de parâmetro para o fu-

Divulgação

turo da capital catarinense”, afirma Aliator

p

O Parque Hotel Marina Ponta do Coral, na

Capital, terá três torres, 42 lojas, centro de serviços e uma área de lazer voltada para a população A marina do hotel terá espaço para 247 barcos

p


SHOW ME 159 Silveira, diretor executivo da construtora. O projeto prevê ainda 42 lojas, nove espaços para um centro gastronômico, além de infraestrutura para spa, salão de beleza, piscina aquecida e outros equipamentos. O empreendimento da Hantei também deve suprir uma das maiores carências de Florianópolis na área de turismo: a falta de marinas. Com uma área para abrigar 247 embarcações sob um espelho d’água de 57 mil m², o novo gigante da Beira-Mar Norte deve atrair turistas que usam suas próprias embarcações para viajar. Outro destaque é a estrutura voltada para a população, que inclui ciclovia e parque para passeio e lazer em um espaço de 34 mil m².

Partindo da Ilha em direção ao Litoral Norte, todas as cidades catarinenses à

p

LITORAL concorrido

Das cidades do litoral, Bal. Camboriú é uma das mais visadas por investidores de todo o país

p Em Itajaí, os atrativos turísticos da região da Praia Brava impulsionam o crescimento imobiliário

beira-mar também passam por uma fase de expansão imobiliária, com a construção de grandes condomínios voltados tanto para a primeira moradia como para o veraneio. As facilidades disponíveis para adquirir a casa própria contribuem, cada vez mais, para o desenvolvimento de um novo movimento no mercado imobiliário: o da segunda residência ou segundo lar. Para acompanhar esse ritmo, as incorporadoras estão investindo forte no potencial do litoral de Samta Catarina. Segundo o presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil de Balneário Camboriú, Carlos Haacke, a tendência do mercado é manter-se estável nos próximos anos. “Temos ótimas perspectivas para o setor”, acrescenta. Para Altamir Stolfi, diretor de marketing da Racitec Empreendimentos, de Itajaí, o

que a cidade também sofra uma redução

para atender esta demanda emergente”,

déficit imobiliário e a abertura de crédito

gradativa de novos lançamentos, assim

destaca Ricardo Rodrigues, proprietário

propiciam um panorama de expansão. No

que diminuir o estoque de imóveis em

da Ricardo Imóveis, de Itapema, que es-

caso de Itajaí, que atrai investimentos no

construção em função da escassez de ter-

tuda a abertura de seu primeiro escritó-

setor industrial e portuário, sua localiza-

renos em áreas nobres. Diante dessa pers-

rio fora de Santa Catarina para atender

çao estratégica próxima a BR-101, além

pectiva, as empresas do setor já começam

essa demanda. Ele já contabiliza mais de

da estrutura de ensino, lazer e belezas

a buscar novos mercados. Um exemplo

mil imóveis cadastrados para venda e lo-

naturais, dá ao mercado a oportunidade

desse movimento é o fechamento de negó-

cação. “Temos novos e usados, com pre-

de apostar em empreendimentos para

cios com clientes de outros estados, fenô-

ços variam de R$ 230 mil a R$ 3 milhões.

todas as classes sociais. Mesmo assim,

meno que se repete em todo o litoral.

Ou seja: para todos os gostos e bolsos”,

Stolfi acredita que a tendência a médio

“O mercado paranaense, por exem-

comenta. Segundo Rodrigues, empreen-

prazo é o cliente tornar-se mais seletivo.

plo, é interessante e promissor. Diaria-

dimentos adquiridos ainda na planta ga-

O presidente do Sinduscon de Balneá-

mente recebemos turistas e investidores

rantem uma valorização que varia de 50%

rio Camboriú não descarta a hipótese de

do Paraná, o que nos leva a criar produtos

a 70%, em média, até a entrega da obra.l


160 VOLTE SEMPRE X Imóveis no litoral

Negócios

em alto estilo

Empreendimento comercial sofisticado localizado na Avenida Trompowsky, um dos endereços mais nobres e tradicionais de Florianópolis, o Trompowsky Corporate é dividido em

duas torres (Medical Tower e Business Tower). Possui outros 30 pontos comerciais na Galeria Térreo, onde serão instalados cafés, lojas e serviços de conveniência. Para atender à demanda de clientes, o Trompowsky Corporate terá 340 vagas de estacionamento rotativas. O projeto é assinado pelo arquiteto Lauro Santiago. A construção e incorporação fica a cargo da Formacco Cezarium, que no mês de setembro completou quatro décadas de atuação no mercado catarinense. Av. Trompowsky, 291, Centro – Florianópolis. (48) 3027-2144. www.trompowsky.com.br

Sinfonia em quatro partes

Requinte nos detalhes

Localizado em um dos pontos mais nobres da

O Plaza danúbio residence,

Avenida Beira Mar Norte, em uma área de 13

da construtora Hoepcke, conta com

mil metros quadrados de frente para o mar,

área de lazer com dois salões de fes-

o projeto do Simphonia woa beiramar,

ta, piscina aquecida com raia, piscinas

prevê quatro condomínios independentes:

externas para adultos e crianças, sala

Soprano Hall, Jazz Club (foto), Sonata Pla-

fitness, sala de jogos e áreas de pai-

ce e Opera House, os dois primeiros já em

sagismo com projeto assinado pela

construção. Os apartamentos serão de alto

arquiteta Sílvia Monteiro. Os aparta-

padrão, planejados com foco na comodidade

mentos contam com três ou quatro

e pensados para suprir todas as necessidades

dormitórios, todos com sacada e chur-

das mais diferentes configurações familiares.

rasqueira. A cozinha é integrada com a

As obras do Soprano Hall, primeiro dos quatro

sala e a sacada, formando um espaço

condomínios, têm conclusão prevista para de-

amplo de living. O requinte é observa-

zembro de 2014. O condomínio terá seis dife-

do em detalhes de acabamento, como

rentes plantas de apartamentos, com duas ou

o piso de porcelanato na sala e o la-

três suítes, amplas sacadas, livings e um ático

minado de madeira nas áreas íntimas.

composto por duas coberturas. Avenida Bei-

Avenida Trompowsky, 373, Centro –

ra Mar Norte, 3.974, Centro – Florianópolis.

Florianópolis. (48) 3338-4878. www.

(48) 3224-1001. www.woa.com.br

plazadanubio.com.br

Conforto no Santinho O condomínio Água do Santinho é um empreendimento nobre com 4,5 mil m² de área de lazer, incluindo piscina semi-olímpica e piscina aquecida tratadas com água salgada e sem incidência de cloro. Construído pela Hantei Construções e Incorporações, o projeto ainda inclui salão gourmet e sala de jogos voltada integralmente para o mar. O empreendimento está situado em uma área de 30 mil m², com apartamentos de até cinco suítes. A localização é outra vantagem do condomínio: a bela Praia do Santinho, no norte de Florianópolis. Rodovia Vereador Onildo Lemos 2345 (Estrada Geral do Santinho) – Florianópolis. (48) 3369-6787. Textos Adão Pinheiro


VOLTE SEMPRE X Sul catarinense

SHOW ME 161

Sandro Ramos/PMA

Carnaval à italiana O esmero com que os moradores cultivam a herança dos antepassados fica evidente para quem visita o município de Nova Veneza. Além do patrimônio arquitetônico e do gosto pela mesa farta, animadas festas italianas também fazem parte do cotidiano local. Tanto que, em pleno inverno, a cidade para e reproduz o Carnevale di Venezia, exibindo máscaras e fantasias que remontam ao século 17 no velho continente. A influência cultural não é difícil de ser explicada, já que ali se instalou a primeira colônia de imigrantes italianos no Brasil República, em 1891. Hoje, mais de 90% dos moradores tem descendência italiaA 80 metros de altura, o mirante

Anderson Machado/Divulgação

p

Do alto

proporciona uma vista panorâmica das

das falésias

p

belezas naturais do Morro dos Conventos As máscaras inspiradas nos festejos

europeus do século 17 dão um charme De uma altura de aproximadamente 80 metros, o

único ao carnaval de Nova Veneza

mirante acima de antigos paredões de pedra re-

p Em Criciúma, a única mina de carvão

vela um cenário de dunas, restinga e o encontro

do Brasil aberta à visitação pública recebe

das águas claras do Rio Araranguá com o mar. O

grupos de turistas que percorrem suas

balneário de Morro dos Conventos é o prin-

galerias a bordo de uma minilocomotiva

cipal cartão postal do município de Araranguá e palco para variados esportes radicais. A altura das falésias é desafiada pelos praticantes de rapel e es-

butidas no folclore local, os dialetos vêneto e

Divulgação

oferece aos visitantes, além da bela paisagem, um

bergamasco ainda são falados pelos habitantes. E, claro, são raros os restaurantes que não servem galinha ensopada com polenta, radicci

calada, enquanto os fortes ventos da região costu-

e vinhos coloniais. A próxima edição do Car-

mam atrair os adeptos do voo livre e do windsurfe.

naval de Veneza está marcado para o dia 22

Além disso, jet-ski e outros esportes de mar aberto

de junho de 2013, durante o fim de semana

também são comuns na região, enquanto as du-

da Festa da Gastronomia Italiana.

nas de até 30 metros fornecem o cenário ideal para a prática do sandboard. O acesso ao distrito pode ser feito com a travessia de balsa pelo rio, que encanta pela cor da água, alternando entre o verde e o azul de acordo com a ação do vento. A estrada de chão batido leva também ao Balneário de Ilhas,

na. Além da religiosidade e das canções em-

Viagem ao fundo

Textos André Lückman

da mina

uma antiga colônia de pescadores contornada pelas

O trabalho dos primeiros exploradores de carvão mineral fez de Criciúma uma das maiores

águas. Ali é possível encontrar artesanato tradicio-

geradoras de riqueza do Estado no século 20. Hoje, a indústria extrativista não é a mais impor-

nal em palha, junco e vime, produzido pelos mora-

tante do município, mas as minas de carvão ainda atraem a atenção – principalmente a Octávio

dores. Com uma variedade de programas de lazer,

Fontana, desativada há quase duas décadas e reaberta em 2011 para receber turistas. Em um

o município tem acesso fácil pela BR-101 e dispõe

passeio que leva aproximadamente 30 minutos, os visitantes têm a oportunidade de conhecer

de bons hotéis no Centro e no Balneário Morro dos

a história do desenvolvimento da cidade a partir da visão dos mineiros. O trajeto de 300 metros

Conventos. Há também serviços de suporte para os

é feito em uma minilocomotiva e, em ocasiões especiais, é possível até jantar dentro de uma das

iniciantes nos esportes radicais. No voo livre, por

galerias. O complexo abriga loja de suvenires, lanchonete, exposições, gruta e estacionamento.

exemplo, a cidade sedia a Associação de Voadores

A Mina Octávio Fontana é a única mina de carvão no Brasil aberta à visitação turística

do Extremo Sul (Aves).

e pode ser visitada de terça a domingo, das 9h às 12h e das 13h às 18h.


Revista Show Me Florianópolis  
Revista Show Me Florianópolis  

Revista de verão 2013 da RICSC para Florianópolis

Advertisement