Page 1

WWW.REVISTASERVIOESTE.COM.BR

1


2

www.revistaservioeste.com.br


www.revistaservioeste.com.br

3


4

www.revistaservioeste.com.br


www.revistaservioeste.com.br

5


editorial Alerta constante

Devemos estar vigilantes sempre com tudo. Nossos negó-

palavras do nosso entrevistado Antônio Geraldo da Silva,

cios, finanças, relacionamentos e, principalmente, a nos-

presidente da Associação Psiquiátrica da América Latina

sa saúde. Por isso, trazemos na capa da primeira edição

(APAL), “a depressão não é um mal-estar passageiro, é

de 2018 da Revista Servioeste esclarecimentos sobre a

uma doença séria e que precisa de tratamento adequado”.

doença que tem sido apontada como o grande mal deste

Mas essa não é nossa única abordagem. Projetos para le-

século: a depressão.

var água potável a regiões áridas, iniciativas de soluções

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, cerca de

ambientais de diferentes estados brasileiros, logística re-

5,8% da população brasileira sofre de depressão – um total

versa na indústria automobilística e a maior organização

de 11,5 milhões de casos. É o segundo maior índice das

médica voluntária do mundo são alguns dos destaques da

Américas, atrás apenas dos EUA. E estamos falando ape-

nossa 4ª edição.

nas dos casos diagnosticados, uma vez que boa parte das

Tudo isso e muito mais para você ficar bem informado nas

pessoas sequer dão atenção aos sintomas ou procuram

próximas páginas da Revista Servioeste.

qualquer tipo de ajuda. Portanto, vale a pena lembrar as

Boa leitura!

Doacyr Balbinot Presidente Expediente Presidente Doacyr Balbinot

Auxiliar de jornalismo Samara Grando

Projeto Editorial Vagner Dalbosco / JP 02458-SC

Projeto Gráfico / Diagramação Denis Cardoso

Jornalista responsável Carol Bonamigo / Mtb 3768-SC jornalismo@revistaservioeste.com.br

Diretor Comercial Deivid de Oliveira deivid@servioeste.com.br

Revista Servioeste | Rua Doutor Barros Junior, 1913, Bairro Metrópole CEP 26015-081, Nova Iguaçu-RJ | contato@revistaservioeste.com.br

6

www.revistaservioeste.com.br

Departamento comercial Cezar Nicknich comercial@revistaservioeste.com.br Administrativo / Financeiro Sandra Balbinot juridico@servioeste.com.br Impressão 15 mil exemplares Arcus Indústria Gráfica / Chapecó - SC

Jornalismo e Comercial | Linha São Roque, CEP 89801-973 Cx. Postal 77,Chapecó-SC | +55 (49) 3361-9696

A Revista Servioeste não se responsabiliza por textos opinativos e colunas.


30 o mal do século

A depressão lidera a lista de doenças incapacitantes e atinge cerca de 322 milhões de pessoas no mundo.

40

Indústria automobilística investe em inovações tecnológicas para energias renováveis

68

Com mais animais de estimação que crianças, brasileiros não economizam na hora de cuidar de seus filhotes.

64

Organização médica voluntária viaja o mundo transformando a vida de pessoas com malformação facial.

8-12 .........................................Legislação Ambiental 14 ...............................................................Inovação 16-18 .............................................Gestão em Saúde 20-22 ..................................................Energia Limpa 24-28 .................................................Gestão Pública 30 .......................................................................Capa 38-50 ...........................Responsabilidade Ambiental 54-62 ..................................................Vida Saudável 64 ....................................................................Sorria 68 ......................................................Espaço Animal

www.revistaservioeste.com.br

7


Legislação ambiental

RS lança sistema online de Manifesto de Transporte de Resíduos Ferramenta digital de controle de cargas está disponível no site da Fepam.

8

www.revistaservioeste.com.br

O novo sistema online de Manifesto de

sobre a movimentação de resíduos no

Transporte de Resíduos (MTR) entrou

Rio Grande do Sul. Entre as vantagens

no ar no final de janeiro no Rio Grande

do novo sistema estão o fim da geração

do Sul. Desde então, geradores, trans-

de talonário em papel, o fim da cobrança

portadores e destinadores devem usar

de taxas para emissão das autorizações,

a internet para informar dados sobre a

maior segurança para os envolvidos, que

movimentação de resíduos no estado, no

poderão acompanhar em tempo real,

site da Fundação Estadual de Proteção

através da visualização no sistema, todas

Ambiental (Fepam).

as etapas da movimentação da cadeia de

A inovação elimina o tradicional talonário

resíduos.

de MTR em papel e extingue a cobrança

De acordo com a secretária do Ambien-

de taxas para emissão das autorizações,

te e Desenvolvimento Sustentável do

que custavam mais de R$ 600,00. Além

Rio Grande do Sul, Ana Pellini, o sistema

disso, o novo sistema traz segurança e

dá agilidade ao acesso às informações e

transparência aos usuários, que poderão

garante mais segurança sobre a correta

acompanhar em tempo real todas as eta-

destinação dos resíduos. “Por meio des-

pas da movimentação dos resíduos, des-

se sistema, é possível acompanhar todas

de a geração até a destinação final.

as informações sobre a geração, o trans-

O sistema online moderniza o controle

porte e o destino dos resíduos. Esse é um


Licenciamento mais rápido A criação do Sistema Online de Licenciamento é ressaltada por Ana Pellini como um avanço e modernização do setor. Segundo ela, houve redução de 900 para cerca de 90 dias no prazo de análise técnica dos licenciamentos ambientais. Além disso, diminuiu-se o estoque de licenças na fila de espera. Conforme dados da Conforme dados da Secretaria de Meio Ambiente – Sema e da Fepam, entre 2014 e 2016, foram gerados mais de 290 mil toneladas de resíduos industriais perigosos circulando pelas estradas gaúchas. Por ano, são gerados em média 2 milhões de toneladas de resíduos sólidos urbanos. No cadastro da Fepam, mais de 3,5 mil empreendimentos ativos ainda usam talonário de MTR, entre geradores e centrais de recebimento.

“Por meio desse

grande passo que reduz as irregularida-

“Este sistema é mais um exemplo de mo-

des, estimula a destinação em locais de-

dernização das nossas práticas, trazendo

vidamente licenciados e proporciona um

maior eficácia e agilidade aos serviços

sistema, é possível

aumento do controle ambiental sobre o

públicos. Uma ferramenta que reúne agi-

processo”, destaca a secretária.

lidade, segurança e controle ambiental”,

acompanhar todas

O sistema já é utilizado com sucesso em

afirma o governador do Rio Grande do

as informações

Santa Catarina desde 2015. Com base

Sul, José Ivo Sartori.

neste programa, a Fepam assinou convê-

Para a secretária Ana Pellini, o primeiro

sobre a geração,

nio com a Fundação de Meio Ambiente

passo foi dado na melhor gestão dos re-

o transporte e o

de Santa Catarina (Fatma) para a utili-

síduos, que crescem em grande escala

zação da ferramenta e firmou termo de

na sociedade de consumo. “Agora, cada

destino dos resíduos.”

cooperação com a Associação Brasileira

transportador informa onde ele busca

de Empresas de Tratamento de Resíduos

e leva o resíduo. Com isso, teremos co-

e Efluentes (Abetre), que dará suporte

mando total de tudo aquilo que é gera-

técnico do sistema por um ano.

do, transportado e destinado. Agrupando

Na fase inicial de implantação serão

essas informações, podemos estabelecer

declarados os resíduos industriais, de

políticas públicas protetivas ao meio am-

hospitais, sólidos urbanos e de esgota-

biente, dando o melhor tratamento aos

mento sanitário.

materiais”, finaliza.

Secretária do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Rio Grande do Sul, Ana Pellini

www.revistaservioeste.com.br

9


Legislação ambiental

Sistema de Controle de Resíduos

Sistema de controle de Santa Catarina registra movimentação de mais de 5 milhões de toneladas de resíduos industriais. Por ser feito de maneira online e via web, a plataforma permite o acompanhamento em tempo real de todas as etapas da cadeia de destinação de resíduos sólidos no estado.

10

O estado de Santa Catarina registrou

e funcionou em caráter voluntário

tinados em Santa Catarina. Atualmen-

a movimentação de mais de 5 milhões

até abril de 2016, quando passou a

te, a ferramenta conta com cerca de

de toneladas de resíduos industriais

ser obrigatório para os geradores de

32.400 usuários cadastrados, muitos

no primeiro ano de funcionamento

resíduos industriais e assemelhados

deles de outros estados. Estão cadas-

do Sistema MTR Online, a plataforma

(resíduos comerciais e de serviços). A

trados usuários de 21 estados brasi-

de controle de resíduos da Fundação

partir de maio de 2017, passou a ser

leiros.

do Meio Ambiente (Fatma), desenvol-

obrigatório também parta os resíduos

Como o sistema implantado em San-

vida com o apoio da Associação Bra-

de serviços de saúde (RSS).

ta Catarina é fruto de um acordo de

sileira de Empresas de Tratamento de

Também registra os resíduos gerados

cooperação entre a Abetre e a Fatma,

Resíduos e Efluentes (Abetre).

no território catarinense e destinados

a ferramenta pode ser replicada nos

O sistema declaratório da Fatma está

em outros estados, além daqueles

demais estados da federação sem ne-

em operação desde junho de 2015

gerados em outras localidades e des-

nhum tipo de restrição.

www.revistaservioeste.com.br


Resultados do primeiro ano de funcionamento: • Resíduos de Saneamento Urbano (lodo e areia de filtros e sólidos grosseiros): 47.735 toneladas • Resíduos Industriais e Assemelhados classe I: 146.846 toneladas • Resíduos Industriais e Assemelhados classes IIA e IIB: 5.050.078 toneladas • Resíduos de Serviços de Saúde (RSS): 3.783 toneladas • Resíduos de Construção Civil (RCC) classe D – perigosos: 4.673,88 toneladas • Resíduos de Mineração: 1.293,50 toneladas

• Resíduos diversos destinados: • Lâmpadas: 3.370.090 unidades • Eletroeletrônicos: 187,10 toneladas • Pilhas e Baterias: 62,30 toneladas • Pneus: 1.195,00 toneladas

Essa estrutura de rastreamento e controle despertou interesse de outros órgãos estaduais de meio ambiente, e a Fatma já firmou Convênio de Cooperação Técnica com os seguintes estados: • • • •

Rio de Janeiro (Instituto Estadual do Ambiente – INEA) Rio Grande do Sul (Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luiz Roessler – FEPAM) Alagoas (Instituto do Meio Ambiente – IMA) Minas Gerais (Fundação Estadual do Meio Ambiente – FEAM)

www.revistaservioeste.com.br

11


Legislação ambiental

Seguro Ambiental Os riscos ambientais são uma realidade cada vez mais presente na atividade empresarial. Reportagem: Louise Marina Caramori

12

Os riscos ambientais são aqueles cau-

a sobrevivência e saúde dos seres vi-

sados por agentes físicos, químicos ou

vos. O excesso de gases ou vapores,

Seguro de Responsabilidade Civil Ambiental

biológicos que podem provocar con-

ruídos, vibrações, pressões anormais,

Cada vez mais, o mercado internacio-

sequências ao meio ambiente. Riscos

temperaturas extremas, radiações e

nal procura atender às expectativas

dessa espécie podem desencadear

resíduos, sem contar incêndios e ex-

da sociedade com produtos voltados

eventos poluidores em função da sua

plosões, são as ameaças mais comuns,

à proteção dos patrimônios naturais.

concentração, intensidade ou tempo

para aceitação ou não de um seguro

O seguro de riscos ambientais se re-

de exposição.

de riscos ambientais. As seguradoras

sume ao seguro de responsabilidade

Não causam apenas danos aos recur-

dão atenção, primeiramente, ao grau

civil por poluição súbita. Esse tipo de

sos naturais, pois afetam, também,

de ocorrência de cada um deles.

poluição é entendido como um even-

www.revistaservioeste.com.br


to acidental e repentino caracteriza-

próprio. Além dos danos ambientais,

do por emissão, descarga, dispersão,

o serviço inclui os custos judiciais do

desprendimento, escape, emanação

processo, como honorários advocatí-

ou vazamento de substância tóxica ou

cios e as perdas financeiras.

poluente.

Indústrias químicas, siderúrgicas, in-

O seguro visa ao acionamento de me-

dústria de cosméticos, alimentícias,

didas de contenção e mitigação de

empresas de papel e celulose, labo-

riscos ambientais. Além disso, ofere-

ratórios analíticos e/ou ambientais.

ce apoio para a análise, identificação

Além disso, empresas de energia,

e tratamento desses riscos. No públi-

como usinas hidrelétricas e termelé-

co-alvo, está um amplo leque de in-

tricas. Mas até as eólicas também tra-

dústrias, de empresas alimentícias a

zem danos ao meio ambiente: seja aos

companhias de petróleo.

pássaros da região ou durante a pró-

As opções de coberturas incluem

pria fabricação dos equipamentos eó-

responsabilidade civil de terceiros,

licos. O seguro abrange todo o univer-

encerramento e reaberturas das ins-

so da indústria, de diferentes formas,

talações durante as operações de

também englobando o transporte de

limpeza, transporte e lucro cessante

resíduos ou descartes perigosos.

A legislação brasileira, através do Decreto-lei nº 147/2008 de 29 de Julho já determina quais as atividades que são obrigadas à contratação de um seguro de Responsabilidade Civil Ambiental, ao estabelecer o principio do “poluidorpagador”, bem como o regime aplicável à prevenção e reparação dos danos ambientais.

50 ANOS DE EXPERIÊNCIA E TECNOLOGIA EM EXAMES DE IMAGEM. O Instituto de Radiologia Presidente Prudente atua há cinco décadas no Oeste Paulista, sempre investindo em novas tecnologias, como a do PET-CT, um dos mais avançados exames de imagem disponíveis na região.

www.revistaservioeste.com.br www.irpp.com.br

13


INoVAção

licença aMBiental a uM cliQue de distÂncia INEA lança aplicativo para desburocratizar licenciamento ambiental.

O município de Três Rios, no Rio de

56% a mais de licenças na comparação

para o estado do Rio de Janeiro.

Janeiro, sediou, no final de março,

com 2015 e aumentou suas fiscalizações

Existia uma grande dificuldade dos

o lançamento do aplicativo INEA Li-

em 90%”, disse Sérgio Mendes.

empreendedores

cenciamento, uma ferramenta para

De acordo com a secretária de Meio

como se dá o licenciamento am-

smartphones para modernizar e agili-

Ambiente de Três Rios, Alice Hagge, a

biental. Com a ferramenta, cria-se

zar o processo de licenciamento ambien-

ferramenta permite a desburocratização

condições para facilitar o acesso às

tal no estado do Rio de Janeiro. O evento

do licenciamento ambiental. “Estamos

informações e dar celeridade aos

foi promovido pelo Instituto Estadual do

sempre em contato com os empresários

processos”.

Ambiente e Prefeitura de Três Rios.

do município e percebíamos que eles ti-

No encontro, o subsecretário de Plane-

nham muitas dúvidas referentes à regu-

jamento do INEA, Sérgio Mendes, apre-

larização e o licenciamento ambiental. O

sentou o aplicativo para o público. Com

aplicativo facilitará o acesso a informa-

a ferramenta desenvolvida pelo Instituto

ções e a desburocratização”.

Estadual do Ambiente, o empreende-

O prefeito de Três Rios, Josimar Salles,

dor não precisará ir ao INEA nem ter

destacou a importância do aplicativo

conhecimento técnico para dar início à

para o desenvolvimento econômi-

primeira etapa do licenciamento: o en-

co do município e região. “Fica-

quadramento da atividade ou empreen-

mos muito felizes em sediar

dimento.

o lançamento do aplica-

“Buscamos mais eficiência nos proces-

tivo, que representa

sos e na relação com a sociedade. Esta-

um avanço sig-

mos dando um importante passo para

nificativo

consolidação do programa ‘Rio+Sustentável’ que trouxe, de fato, uma gestão ambiental eficiente. Mesmo na maior crise da história, o INEA, em 2016, emitiu

14

WWW.REVISTASERVIOESTE.COM.BR

para

entender


WWW.REVISTASERVIOESTE.COM.BR

15


gestão em saúde

Canoas Mais Leve Divulgação/Vinicius Thormann

Iniciativa de combate a obesidade em município gaúcho oferece atendimento multidisciplinar.

A Secretaria Municipal da Saúde da Prefeitura de Canoas (RS) implantou, em 2017, o projeto Canoas Mais Leve, que tem o objetivo de combater a obesidade e doenças relacionadas no município. O Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (Sisvan) do Ministério da Saúde aponta que a obesidade atinge 38,9% das mulheres adultas de Canoas e 32,85% entre os homens. A iniciativa mantém grupos nos quatro quadrantes da cidade. O atendimento é feito com uma equipe multidisciplinar composta por nutrólogo, nutricio-

16

nistas, psicóloga, psiquiatra, educador

Análise

morrem antes dos 70 anos”, frisou.

físico e assistente social. Conforme a

Amanda ainda destaca que os índices

A coordenadora do programa apon-

coordenadora do programa, Amanda

de obesidade de Canoas são próxi-

ta que, ao perder em 10% o peso

Barros, os pacientes que podem fazer

mos da realidade dos Estados Unidos,

corporal, o paciente apresenta que-

parte do Canoas Mais Leve precisam

onde o problema já é considerado

da na pressão arterial, diminuição

atender alguns critérios. “Adultos a

uma epidemia. “Nós queremos redu-

da glicemia, colesterol e triglicerí-

partir de 18 anos com Índice de Mas-

zir os índices de mortalidade e pro-

deos, reduzindo o risco para doença

sa Corporal (IMC) acima de 30Kg/m2,

longar a expectativa de vida com qua-

cardiovascular, que é uma das prin-

com ou sem comorbidades associa-

lidade. Hoje, 50% dos pacientes que

cipais causas de morte no mundo e

das”, disse.

chegam a óbito por doenças crônicas

em Canoas.

www.revistaservioeste.com.br


LIGANDO VOCÊ A UMA VIDA COM SAÚDE

O Hospital São Marcos é formado por uma equipe que reune o foco no exercício da medicina humanizada e a emoção em cuidar de vidas diariamente. Unindo pessoas a profissionais e saúde a tecnologia de ponta. Conectamos a expectativa da melhora ao desenvolvimento da cura.

Tudo isso você

encontra aqui

O HOSPITAL DO CORAÇÃO Pronto ATENDIMENTO

24 horas 2103-6100 34

Av. Santos Dumont, 2191 | Uberaba-MG

HSMUberaba

www.revistaservioeste.com.br 17 www.hsmuberaba.com.br


Informe Publicitário

gestão eM sAúde

aFinal, noSSoS HoSpitaiS pÚBliCoS eStÃo Sendo priVatiZadoS? A diferença entre terceirização, privatização e publicização.

com o melhor custo, contribuindo com a melhora na saúde voltada para a população atendida pelo Sistema Único de Saúde. Para o fundador de uma das mais conceituadas OSS do País, Dr. André Guanaes, superintendente técnico-científico do Instituto Sócrates Guanaes (ISG), as organizações sociais vêm ganhando cada vez

18

Muita gente ainda confunde os modelos

vidade-fim da unidade hospitalar, como

mais espaço e ampliado atuação em todo

de privatização, terceirização e publiciza-

uma firma de limpeza ou segurança. Nes-

o Brasil devido aos bons resultados que o

ção. O sistema de gestão de unidades hos-

ses casos, a administração da unidade con-

modelo apresenta. “Cabe às OSS fazer a

pitalares públicas em parceria com Organi-

tinua a cargo do Estado.

boa gestão dos recursos do Estado, com

zações Sociais de Saúde, as chamadas OSS,

Já publicização é o modelo que as OSS

ética, responsabilidade e transparência.

é relativamente novo no Brasil. Teve início

atuam. Nela, as OSS assumem a gestão

Cabe ao Estado fiscalizar a atuação dessas

em 1998, em São Paulo, e vem ganhando

de unidades hospitalares sem se torna-

OSS e separar o ‘joio do trigo’, identifican-

força, seguindo os passos de países desen-

rem proprietárias delas, e têm que pres-

do as verdadeiramente idôneas. Assim,

volvidos como os EUA, onde o sistema já é

tar contas de suas atividades e custos aos

quem ganha é a sociedade”, explica Gua-

bem aceito e consolidado. Mas, você sabe

governos, órgãos de controle e à socieda-

naes. No Brasil, as OSS são representadas

como atuam as OSS? E, afinal, qual a di-

de.

pelo Instituto Brasileiro das Organizações

ferença entre terceirização, privatização e

O Estado continua sendo o financiador do

Sociais de Saúde (Ibross). Um dos obje-

publicização?

serviço, ou seja, saem do seu orçamento

tivos da entidade, da qual o ISG é asso-

A privatização ocorre quando o Estado

os recursos para pagamento de pessoal,

ciado, é justamente criar metodologia

transfere o controle do seu patrimônio

de material e custeio geral da unidade

de certificação das organizações sociais

para a iniciativa privada, normalmente

hospitalar. E por serem entidades sem

efetivamente compromissadas em for-

com a venda de empresas estatais ou de

fins lucrativos, as OSS não podem se

talecer o SUS. Mais informações no site

parte significativa de suas ações. Se tal

apropriar dos recursos excedentes, que

www.ibross.org.br.

conceito fosse aplicado a um hospital, por

têm que ser reaplicados na própria uni-

exemplo, a empresa que assumisse sua

dade, e nem se apropriar do patrimônio

gestão passaria a cobrar pelo atendimento

do Estado. Neste modelo, o atendimen-

ou a exigir do usuário a apresentação da

to é 100% público e gratuito. O objetivo

carteira do plano de saúde.

é flexibilizar e imprimir mais agilidade e

Já a terceirização ocorre quando o Estado

qualidade à gestão pública. Desta forma,

contrata uma empresa especializada para

organizações sociais vêm demonstrando

www.isgsaude.org

executar serviços não relacionados à ati-

eficiência, gerando mais produtividade

facebook.com/ isgsaude.

WWW.REVISTASERVIOESTE.COM.BR


www.revistaservioeste.com.br

19


energia limpa

Energia solar nas escolas

Escola municipal mais antiga da cidade de Canoas, no Rio Grande do Sul, terá energia solar. A meta da prefeitura é ampliar projeto para todas as escolas da rede municipal. Reportagem: Marcela Panke

A Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Irmão Pedro, no bairro

Benefícios ambientais da energia solar:

Estância Velha, será a primeira da rede

- Energia limpa, renovável e sustentável;

municipal de Canoas a contar com

- Baixo impacto ambiental;

energia solar. A escola mais antiga do

- Energia inesgotável;

município será a sede de um projeto piloto, que no futuro pretende levar a energia alternativa a todas as institui-

- O processo de geração de energia não emite gases poluentes; - A energia pode ser produzida mesmo em dias nublados ou chuvosos.

ções da rede municipal de ensino.

20

Células fotovoltaicas serão instaladas

próximos meses, a prefeitura vai ava-

possível economizar de energia elétri-

na EMEF Irmão Pedro para converter a

liar o caso dessa instituição sob os mais

ca”, destaca o secretário municipal do

energia da luz do sol em energia elétri-

diversos aspectos, como o custo e as

Meio Ambiente, Paulo Paim.

ca. A partir do ano letivo de 2018, ini-

dificuldades de implantação do siste-

ciou o projeto para abastecer a escola

ma e as necessidades de readequação

Ampliação do projeto

por meio da energia gerada por essas

segundo as particularidades de cada

O projeto de implantação da energia

células. Participarão da iniciativa a Se-

instituição.

fotovoltaica em todas as escolas da

cretaria Municipal do Meio Ambiente,

“O uso de energia alternativa, mais es-

rede municipal de ensino de Canoas

a Secretaria da Educação e o Escritório

pecificamente a solar, através de célu-

foi apresentado a grandes empresas.

de Engenharia e Arquitetura.

las fotovoltaicas, faz parte da política

Algumas corporações recebem certi-

ambiental desta administração. O pro-

ficações internacionais de sustentabi-

Projeto piloto

jeto piloto que estamos colocando em

lidade por meio da compra de créditos

A utilização de energia solar na EMEF

prática na Escola Irmão Pedro vai nos

de carbono. Isso é viabilizado pelo fi-

Irmão Pedro servirá de exemplo para

permitir avaliar a proposta do ponto de

nanciamento de projetos ambiental-

que outras escolas da rede municipal

vista construtivo e econômico. O mais

mente sustentáveis. O projeto de Ca-

recebam as células fotovoltaicas. Nos

importante será verificar quanto será

noas está sendo avaliado.

www.revistaservioeste.com.br


O IDEAS alia a gestão de excelência e c o r p o c l í n i c o q u a l i fi c a d o c o m objetivo de trazer as suas unidades hospitalares o que há de melhor em saúde e qualidade de atendimento ao cidadão.

RESPONSABILIDADE, ÉTICA E SAÚDE DE QUALIDADE EM PRIMEIRO LUGAR.

I N S T I T U T O D E D E S E N V O LV I M E N T O , E N S I N O E A S S I S T Ê N C I A A S A Ú D E

s a i b a m a i s e m i d e a s . m www.revistaservioeste.com.br ed.br

21


energiA liMPA

transporte púBlico liMpo

Volta Redonda homologa a licitação para aquisição de ônibus elétricos.

Reportagem: André Aquino Foto: Divulgação/Derli Colomo Júnior

No início de março, a prefeitura do município de Volta Redonda, no Rio de Janeiro, homologou a licitação da compra de três ônibus elétricos e, segundo informações da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (SMDET), os veículos devem chegar ainda neste primeiro semestre para iniciar a segunda etapa do projeto Tarifa Comercial Zero. Segundo Eli Alves, gestor da Central Geral de Compras (CGC), no edital, além de que os ônibus sejam elétricos, a prefeitura exigiu uma garantia de 20 anos ao município. “É um patrimônio ecologicamente correto, com baixo

22

custo de manutenção de pneus e de

ra dos passageiros nos pontos será

ção deixe o carro em casa para vir aos

energia elétrica. Isso não tem nem

dentre 20 e 25 minutos. Os veículos

centros comerciais de ônibus elétrico.

comparação aos veículos que utilizam

contam com wifi, ar-condicionado,

Será bom para o meio ambiente, bom

combustíveis fósseis. O projeto ‘Tarifa

carregador de celular e velocímetro

para a economia e bom para a popu-

Comercial Zero’ vai beneficiar a econo-

exposto ao passageiro. Na primeira

lação. Estamos dando esse exemplo

mia da cidade, já que vai circular nos

etapa do Tarifa Comercial Zero, o per-

antes de outras modificações no trân-

principais centros comerciais da cida-

curso tinha 12 quilômetros e a auto-

sito”, finalizou Samuca Silva.

de (Vila Santa Cecília, Aterrado, Retiro

nomia da bateria do ônibus elétrico é

O projeto Tarifa Comercial Zero come-

e Avenida Amaral Peixoto)”, comen-

de 400 quilômetros.

çou a ser executado em Volta Redon-

tou o prefeito de Volta Redonda,

Com o projeto, a prefeitura pretende

da, em caráter experimental, em outu-

Samuca Silva.

melhorar a experiência em mobilida-

bro do ano passado, com a circulação

Quando o projeto estiver com três

de urbana dos passageiros de Volta

do primeiro ônibus elétrico do estado

ônibus elétricos, o tempo de espe-

Redonda. “Queremos que a popula-

do Rio de Janeiro.

WWW.REVISTASERVIOESTE.COM.BR


Expandindo as fronteiras do conhecimento Ensino superior de qualidade, gratuito e acessível Cursos de graduação e pós-graduação

Campus Chapecó. Fotografia: Cleber Magalhães Tobias e Tadeu Salgado.

3ª melhor

instituição do conceito médio da graduação segundo o MEC. Seleção via SISU com a nota do Enem.

CERRO LARGO (RS)

CHAPECÓ (SC)

www.uffs.edu.br

ERECHIM (RS)

LARANJEIRAS DO SUL (PR)

(49) 2049-3100 contato@uffs.edu.br @uffsonline

PASSO FUNDO (RS)

REALEZA (PR)

WWW.REVISTASERVIOESTE.COM.BR

23


gestão pública

Fotografe, cadastre e compartilhe Plano Diretor de Arborização de Maringá, no Paraná, estuda aplicativo para cidadãos cadastrarem as árvores do município.

24

www.revistaservioeste.com.br

Com a popularização das redes sociais

do Plano Diretor de Arborização, exi-

voltadas para a valorização da fotogra-

gido pelo Ministério Público e iniciado

fia, cada vez mais os fotógrafos amado-

em março do ano passado. O cadas-

res compartilham seus cliques por aí.

tramento é o processo mais demorado

E se com as fotos das paisagens você

do projeto e com o uso do aplicativo

pudesse ainda ajudar a sua cidade?

será possível mapear a arborização

Para facilitar o cadastramento de árvo-

urbana em algumas regiões da cidade,

res, a Secretaria de Meio Ambiente e

com informações como coordenadas

Bem-Estar Animal (Sema) de Maringá

geográficas e estado da árvore.

(PR) estuda a criação de aplicativo para

O engenheiro florestal da Sema, Mau-

registro de informações sobre espécies

rício Sampaio, explica que o mapea-

de árvores existentes na arborização

mento já é realizado sem o aplicativo.

urbana. A expectativa é que, se o estu-

“Usamos imagens em alta resolução.

do for positivo, o software fique pronto

Já mapeamos a Zona 1, 2 e 3 e está

no segundo semestre deste ano.

em fase de análise a Zona 4 e 5”, co-

O sistema, em fase de estudo, faz parte

menta. “O aplicativo é uma ferramen-


Jeferson Doacyr Balbinot Presidente de Associação Nacional de Empresas de Tratamentos de Resíduos (ASSETRESS); Gestor Ambiental MBA Perícia e Auditoria Ambiental

ta a mais para ajudar a Sema nesse cadastro”, acrescenta. Além do cadastro, o Plano Diretor de Arborização é responsável por diagnosticar a situação das árvores e gerar

o que Pode Acontecer Ao contrAtAr uMA eMPresA seM licençA AMBientAl?

um planejamento para os próximos 30 anos. “Queremos criar um banco de da-

Às vezes pensamos que por terceirizar um serviço a uma empresa espe-

dos com informações de todas as árvo-

cializada, estamos livres de problemas, aí que nos enganamos. Conforme

res da arborização urbana de Maringá.

as legislações nacionais, a responsabilidade do gerador termina somente

As solicitações feitas pelo 156, de poda

com a destinação final correta dos resíduos, mesmo que terceirizada. A li-

ou remoção, por exemplo, deverão ser

cença ambiental estipula as condicionantes que a empresa deve cumprir e

registadas no nosso sistema para ter-

dizendo se a mesma está apta ou não para tal operação. Por isso, sempre

mos esse controle”, diz Sampaio.

que for contratar uma empresa, principalmente para coleta, tratamento e

A partir do projeto, Maringá terá árvo-

disposição final de resíduos, deve-se levar muito em consideração o que

res bem manejadas, evitando quedas,

essas condicionantes nos dizem.

problemas na rede de energia e riscos

Como já sabemos, os resíduos de saúde têm diferentes tipos de tratamen-

atuais e futuros relacionados ao meio

tos e para cada tipo deve estar contemplado na licença ambiental qual en-

ambiente, além de garantir a conserva-

caminhamento deve ter e, caso a empresa não esteja apta para o tratamen-

ção da biodiversidade.

to, deve-se analisar se ela terceiriza tal operação e se a terceirizada por ela

A arborização está associada ao equi-

está habilitada ao serviço. Afinal, sua responsabilidade só termina quando

líbrio da temperatura na zona urbana,

o destino correto foi dado.

interações humanas, controle da velo-

Atualmente, alguns órgãos ambientais estão utilizando os Manifestos de

cidade do vento, conservação das cal-

Resíduos Online e, em alguns sistemas, já bloqueia a empresa que não está

çadas, permeabilidade do solo e impor-

apta a prestar tal serviço, com isso facilitando a contratação. A ASSETRESS

tância histórica cultural.

também pode ser utilizada como um órgão consultivo, pois para que as em-

“São essenciais para a qualidade de

presas sejam associadas, as mesmas passam por avaliação de suas licenças.

vida. Quanto mais arborizada a cida-

O ato de operar central de resíduos ou coleta sem o devido licenciamento

de, melhor. Em Maringá, as árvores já

ambiental acarreta em crime ambiental, podendo gerar multas e até pri-

viraram referência e as pessoas reco-

são, por isso, sempre devemos analisar com frieza as limitações definidas

nhecem a cidade por conta da arbo-

por licença de nossos terceirizados, evitando, assim, que possamos ter in-

rização”, observa. O último levanta-

cômodos, mesmo agindo com as melhores intenções.

mento, em 2006, estimou a existência de 130 mil árvores no município.

WWW.REVISTASERVIOESTE.COM.BR

25


gestão pública

Recursos Hídricos protegidos Aquífero Guarani é bem público protegido pela legislação brasileira e acordos internacionais.

to que estabelece o Projeto Aquífero Guarani (SAG). A medida define normas de conservação e uso sustentável do corpo d’água. A transparência no fornecimento das in-

pulação brasileira pelos próximos 2,5

formações técnicas sobre a porção que

mil anos. Com tamanha relevância para

cabe a cada país é uma das determina-

o País, o Guarani, assim como todos

ções, o que facilita a fiscalização mútua

os corpos d’água, é protegido pela Lei

de possíveis prejuízos.

de Águas. A legislação determina que água é de domínio público e por isso

8º Fórum Mundial da Água

não pode ser explorada pela iniciativa

Com o objetivo de garantir segurança hí-

O Brasil é o país com maior oferta hí-

privada.

drica ao País, o Governo do Brasil assinou

drica do mundo. Cerca de 12% da água

A gestão dos recursos hídricos cabe aos

acordos de cooperação com organiza-

doce do planeta está em território bra-

estados brasileiros. Portanto, o Gover-

ções internacionais em março, durante o

sileiro. Parte dessa disponibilidade fica

no do Brasil não pode conceder a explo-

8º Fórum Mundial da Água, em Brasília,

em lençóis subterrâneos. O segundo

ração do aquífero à iniciativa privada. O

o maior evento global sobre o tema, pela

maior do País é o Aquífero Guarani, que

mecanismo funciona como mais uma

primeira vez organizado no Hemisfério

tem 1,2 milhão de quilômetros de ex-

proteção ao aquífero, que ainda está

Sul. A parceria foi firmada com o Ban-

tensão. Ao todo, 70% do aquífero está

garantido por acordos internacionais.

co Interamericano de Desenvolvimento

em solo brasileiro e corta oito estados.

Os quatro países que são abastecidos

(BID), a Organização das Nações Unidas

Segundo pesquisadores, essa reserva

pelo Guarani – Argentina, Brasil, Para-

para Agricultura e Alimentação (FAO) e o

tem capacidade para abastecer a po-

guai e Uruguai – assinaram documen-

Laboratório Nacional de Engenharia Civil de Lisboa (LNEC). Para o ministro Helder Barbalho, da Integração Nacional, a segurança hídrica a ser alcançada com os trabalhos em conjunto permitirá mais produção e oferta em alimentação. “E que o nosso País possa colaborar com a luta coletiva para garantir alimento para todo o nosso planeta”, comentou. De acordo com o ministério, os acordos assinados permitem a troca de informações e o intercâmbio de especialistas entre as instituições.

Foto: Agência Brasil

26

www.revistaservioeste.com.br


www.revistaservioeste.com.br

27


educação ambiental

Capital Verde

Reciclagem do lixo em Curitiba é destaque em simpósio da Unesco.

Os programas de reciclagem da capi-

A longa história do município em ter-

Alemanha. As visitas técnicas tiveram

tal paranaense Câmbio Verde e Eco-

mos de desenvolvimento sustentável

o objetivo de entender como iniciati-

cidadão receberam elogios de espe-

motivou a vinda, segundo o chefe

vas para sustentabilidade impactam a

cialistas internacionais em educação

da Seção de Educação para Desen-

vida das comunidades beneficiárias.

ambiental. Um grupo – formado por

volvimento Sustentável da Unesco,

No barracão do Ecocidadão, os visi-

20 representantes de universidades

Alexander Leicht. “Poder público e

tantes visualizaram todo o processo

e instituições de todo o mundo – visi-

população já fizeram vários esforços

do tratamento do lixo, desde a se-

tou núcleos dos programas, em mar-

neste sentido, então procuramos co-

paração até a prensa, e tiraram dú-

ço. A passagem por Curitiba fez parte

nhecer algumas destas experiências.

vidas sobre o formato de comercia-

da programação de um simpósio da

Os projetos funcionam muito bem e

lização. O trabalho com a reciclagem

Unesco na cidade, com duração de

é interessante ver como estão orga-

é uma forma de educar as pessoas

três dias.

nizados”, explicou Leicht, natural da

sobre problemas ambientais, afirmou

Foto: Daniel Castellano / Divulgação SMCS

Leicht. “É interessante ver como essas iniciativas podem ter um impacto na mentalidade das pessoas”. O Câmbio Verde chamou atenção do francês Louis Albert De Broglie, especialista em educação ambiental, ciências naturais e planejamento urbano. “É um programa fantástico”, comentou. “A combinação de trabalho com o lixo e a troca por alimento traz muito mais respeito à comida”, analisou De Broglie, representante da instituição Deyrolle, de Paris.

28

www.revistaservioeste.com.br


www.revistaservioeste.com.br

29


capa

30

www.revistaservioeste.com.br


O mal do século Considerada por muitos especialistas como a grande patologia desta geração, ela lidera a lista de doenças incapacitantes e atinge cerca de 322 milhões de pessoas no mundo. Conheça mais sobre a depressão. Reportagem: Carol Bonamigo

Há quase 18 anos, Fernando da Silva

da uma pré-disposição de transtornos

comer, ficava fraco e, quando deitava

Smaniotto convive com os pensamen-

mentais, devido ao histórico familiar

na cama, a palpitação no peito não me

tos pessimistas que o assombram. Si-

– seu pai fora diagnosticado com de-

deixava dormir. Emagreci bastante e es-

tuações que ameaçam sua segurança,

pressão anos antes. “Tinha pensamen-

tava sempre abatido. Até os 16 anos era

doenças terminais incuráveis, autode-

tos pessimistas recorrentes, que ficaria

muito tímido e retraído, e esses proble-

preciação e punições divinas permeiam

doente e iria morrer. Não conseguia

mas acabaram me afastando de todos.

a sua mente a cada instante. Basta uma

dormir, dominado pela ansiedade e o

Não saía de casa e quando saía não con-

hora de conversa com o garçom de 30

medo. Chegou ao ponto de meus pais

seguia me divertir”.

anos para se compadecer da exaustão

me levarem a fazer uma consulta com

Essa angústia durou muito tempo.

que deve ser lidar com este pandemô-

um psiquiatra e fui diagnosticado com

Curioso, estudioso e de família religiosa,

nio em sua mente. E isso sequer arra-

depressão, hipocondria e TOC (Trans-

quanto mais procurava aprender sobre

nha a superfície do que Fernando tem

torno Obsessivo Compulsivo). Isso aos

seus transtornos, mais se desesperava.

lutado por mais da metade de sua vida.

13 anos de idade”, recorda.

Sempre esperando o pior e levando as

Ele conta que, por volta de seus 12

Mesmo com tratamento especializado,

informações ao pé da letra, nem mesmo

anos, oito parentes próximos faleceram

Fernando demorou a achar seu ponto

a Bíblia proporcionava conforto. “Pela

vítimas de câncer em menos de dois

de equilíbrio em meio às crises fre-

maior parte da minha vida, ou eu acre-

anos. Se isso não foi o suficiente para

quentes. “Nessas crises sentia um em-

ditei que iria morrer de uma doença ter-

assustá-lo enquanto criança, havia ain-

brulho no estômago e não conseguia

rível ou que iria para o inferno. Situações

www.revistaservioeste.com.br

31


capa

De acordo com a OMS, cerca de 5,8% da população brasileira sofre de depressão – um total de 11,5 milhões de casos. O índice é o maior na América Latina e o segundo maior nas Américas, atrás apenas dos Estados Unidos, que registram 5,9% da população com o transtorno e um total de 17,4 milhões de casos.

que iriam me impossibilitar de ter uma vida feliz e satisfatória. Isso se estendeu até meus 22 anos”, recorda.

Um grito de socorro Apesar da depressão ser uma doença que tende a isolar o indivíduo, como Fernando mesmo descreve, ele não está só, pelo menos não em estatísticas. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), os casos de depressão aumentaram 18% na última década, sendo hoje a maior causa de

32

“A depressão não é um mal-estar

de ânimo para realização de atividades que antes eram prazerosas, alterações de sono, apetite, libido, entre

passageiro, é uma

outros. “A tristeza é apenas um dos

doença séria e que

servada quando, em média, persiste

sintomas da depressão e deve ser ob-

precisa de tratamento

por mais de duas semanas. Devemos

adequado.”

sentimentos de culpa ou de baixa au-

Antônio Geraldo da Silva, presidente da Associação Psiquiátrica da América Latina (APAL).

nos atentar se o indivíduo apresenta toestima, além da redução da energia e dificuldades de concentração. É importante deixar claro que a depressão não é um mal-estar passageiro, é uma

incapacitação no mundo. Estima-se

doença séria e que precisa de trata-

que mais de 322 milhões de pessoas

mento adequado”, afirma.

vivam com a doença ao redor do glo-

ciação Brasileira de Psiquiatria (ABP)

E este tratamento é realizado de ma-

bo. No Brasil, 75,3 mil trabalhadores

e presidente da Associação Psiquiá-

neira individual, por isso é impres-

foram afastados por causa de depres-

trica da América Latina (APAL), a de-

cindível a avaliação médica de um

são, em 2016. Esse número equivale

pressão é, na maioria dos casos, uma

psiquiatra, que irá receitar o método

a 37,8% de todas as licenças médicas

doença silenciosa, porém é o trans-

mais adequado aos sintomas apre-

apresentadas no ano e que deram di-

torno psiquiátrico mais frequente

sentados, dependendo da gravidade

reito a recebimento de auxílio-doença

em todo o mundo. O médico explica

do caso e as particularidades do pa-

em casos esporádicos ou recorrentes.

que o diagnóstico é feito durante a

ciente. “Casos de depressão acarre-

De acordo com o psiquiatra Antônio

consulta com psiquiatra, através da

tam prejuízo nas atividades laborais e

Geraldo da Silva, superintendente

identificação dos sintomas da doen-

sociais, dificuldades de relacionamen-

técnico e diretor tesoureiro da Asso-

ça, como a tristeza persistente, falta

tos pessoal e familiar. Quadros mais

www.revistaservioeste.com.br


www.revistaservioeste.com.br

33


cAPA

graves também apresentam ideação suicida, sendo que muitos encerram

algum cargo, de executar algum trabalho, do mais simples ao mais com-

sua vida precocemente em morte

“o MAior ProBleMA

por suicídio”, alerta Geraldo da Silva.

PARA quEm SoFRE

percebe o que está acontecendo com

lançou, no ano passado, a campanha

de dePressão, é que

sair dessa situação, sua condição vai

“Vamos Conversar”, destacando a

ignorAMos A doençA

se agravando com a diminuição quase

PoR muIto tEmPo.”

podendo chegar ao extremo de não

Atenta para essa realidade, a OMS

importância em dar o primeiro passo e procurar ajuda. A iniciativa as-

plexo. “Na medida em que a pessoa ela, não tem ‘força’ e não sabe como

total do repertório comportamental,

sume o estigma existente acerca dos

querer comer, não querer tomar ba-

transtornos mentais e tenta elucidar

nho e, muitas vezes, querer morrer. É

esse cenário discriminatório. Fer-

a constatação da própria incapacidade

nando confirma esse contexto e con-

melhor será a compreensão e maior

e incompetência para viver”, observa.

ta que acabou se excluindo também

a procura por assistência médica”,

Mesmo assim, dados da OMS revelam

por conta do preconceito. “Algumas

opina Geraldo da Silva.

que menos da metade das pessoas

pessoas se afastaram de mim, outras

diagnosticadas no mundo – e, em al-

tiravam sarro. Quando eu chegava

a busca por ajuda

falavam ‘lá vem o louco’”, lembra.

Para a psicóloga Vera Regina Lignelli

– recebe ajuda médica. As barreiras in-

Uma discriminação que acaba ini-

Otero, membro da Sociedade Brasi-

cluem falta de recursos, falta de profis-

bindo o próprio paciente de buscar

leira de Psicologia (SBP), o organismo

sionais capacitados e o estigma social

auxílio. “A banalização do termo ‘de-

da pessoa deprimida vai deixando de

associado a transtornos mentais.

pressão’ deve-se, principalmente, à

produzir neurotransmissores como a

Segundo o psiquiatra Geraldo da Silva,

Psicofobia, mas também à falta de

serotonina, responsável, dentre ou-

quadros mais leves, tanto de ansiedade

informação correta sobre o tema.

tras sensações, pelo prazer. E como

como de depressão, podem ser tratados

Quanto mais conseguirmos chegar

resposta a essa condição, perde-se,

com psicoterapia ou com terapia medi-

à população com esclarecimentos

gradativamente, as capacidades de

camentosa, mas estudos apontam que a

sobre os transtornos psiquiátricos,

interagir, de se concentrar, de exercer

associação de ambos apresenta resulta-

guns países, menos de 10% dos casos

do ainda melhor. Casos mais graves são tratados obrigatoriamente com medicamentos, que levam algumas semanas

O investimento em saúde mental beneficia o desenvolvimento econômico. de acordo com a OMS, cada dólar investido na ampliação do tratamento para depressão e ansiedade leva a um retorno de uS$ 4 em uma melhor saúde e capacidade de trabalho.

antes de apresentar efeito. “Por isso, nada de abandonar o tratamento quando começar a se sentir melhor. Para todos os tipos de depressão e ansiedade, é necessário manter o tratamento por alguns meses mesmo após a melhora dos sintomas, o que evita recaídas”. Foi com essa combinação de trata-

34

WWW.REVISTASERVIOESTE.COM.BR WWW.REVISTASERVIOESTE.COM.BR


mentos que Fernando tem conseguido,

tagem estão certos. Então o obstáculo

Aprendizado este que Fernando não

como ele diz, “ter uma vida próxima do

é não aceitar e achar que está no con-

cansa de buscar. “Como na Oração da

normal”. “Quando iniciei a terapia, tive

trole, quando na verdade não está”.

Serenidade, comecei a aceitar o que

muito medo do julgamento do próprio

Com a Terapia Cognitiva Comporta-

não posso mudar na minha vida, que

profissional quanto a minha situação.

mental, o garçom aprendeu a se au-

está além do meu alcance, e aceitar o

Mas me ajudou muito, principalmente

toanalisar, tentar enxergar fora de si

meu passado e deixá-lo para trás. Foi

com as técnicas de relaxamento e res-

e entender a situação em que está

um reaprendizado a viver. Estou rea-

significação dos fatos. Às vezes, o que

inserido. “Ajudou a controlar com-

prendendo até hoje. Tive um grande

temos é uma deficiência orgânica, e a

portamentos que eram ‘gatilhos’ para

avanço, mas ainda tenho um longo

medicação atua para equilibrar isso. O

as crises e aprendi a conviver com a

caminho a percorrer. A depressão é

maior problema para quem sofre de de-

situação. É difícil, só quem vive essa

uma doença cuja finalidade é te iso-

pressão, é que ignoramos a doença por

situação para saber como é. A primei-

lar do mundo, então você não pode

muito tempo. Geralmente pensamos

ra coisa é se conhecer e se aceitar. E

alimentá-la. Eu alimentei a doença

que não tem nada de errado conosco,

autoconhecimento é um aprendizado

por muito tempo, agora não mais”,

que esses pensamentos de autossabo-

constante”, reflete.

declara, vitorioso.

WWW.REVISTASERVIOESTE.COM.BR

35


36

www.revistaservioeste.com.br


www.revistaservioeste.com.br

37


responsabilidade ambiental

Brasil sedia maior edição do Fórum Mundial da Água O 8º Fórum Mundial da Água, realizado na cidade de Brasília, foi a maior edição da história do evento e atendeu ao seu principal objetivo, colocar a água no topo da agenda política e da sociedade.

38

O 8º Fórum Mundial da Água aconteceu

a presença de 83 juízes, promotores e

como documento final: a Declaração

entre os dias 18 e 23 de março e, até as

especialistas de 57 países e emitiu como

Parlamentar.

14 horas do sexto dia de evento, havia

documento final a “Carta de Brasília”.

Autoridades locais e regionais lançaram

recebido 85 mil pessoas de 172 países

O Instituto Global do Ministério Público,

o “Chamado para Ação de Governos Lo-

diferentes. Destas, 74,5 mil visitaram

que reúne membros de ministérios pú-

cais e Regionais sobre Água e Saneamen-

a Vila Cidadã e a Feira; e 10,5 mil eram

blicos de diversas nações do mundo em

to de Brasília”, a conferência teve a parti-

congressistas que participaram das mais

torno de temas ligados à proteção dos

cipação de 150 prefeitos, governadores e

de 300 sessões temáticas do Centro de

recursos naturais, também elaborou a

deputados estaduais.

Convenções Ulysses Guimarães e visita-

“Declaração do Ministério Público sobre

A Expo e a Feira do 8º Fórum Mundial da

ram a Expo.

o Direito à Água”, que foi assinada por

Água contaram com 87 expositores que

A abertura contou com a presença de

nove países.

representaram diferentes setores sociais:

12 chefes de Estado, governo e altas au-

A Conferência de Ministros aprovou

pavilhões nacionais, empresas públicas e

toridades internacionais e o evento teve

a declaração intitulada “Chamado ur-

privadas, organizações e associações da

a participação de representantes de im-

gente para uma ação decisiva sobre a

sociedade civil.

portantes organismos internacionais,

água”, fruto das discussões entre minis-

O 8º Fórum ocupou também outros es-

como a Organização das Nações Unidas

tros e chefes de delegação de mais de

paços da cidade, com atividades esporti-

e suas agências, União Europeia, Banco

100 países.

vas e culturais na Orla do Lago Paranoá,

Mundial, BID, CPLP, OCDE entre outros.

O documento, produzido por 56 minis-

mostra de cinema no Cine Brasília e ati-

O Fórum Mundial da Água teve, nesta

tros e 14 vice-ministros de 56 países, es-

vidades ligadas aos Objetivos do Desen-

8ª edição, uma importante inovação: a

tabelece ações prioritárias para enfren-

volvimento Sustentável no Planetário.

participação do Poder Judiciário, instân-

tar os desafios relacionados ao acesso à

Nunca se falou tanto sobre água no País.

cia a que cabe a decisão final sobre dis-

água e ao saneamento.

Durante os seis primeiros dias de evento,

putas envolvendo os recursos hídricos. A

Na Conferência Parlamentar, 134 par-

houve quase 15 mil menções ao Fórum

Conferência de Juízes e Promotores teve

lamentares de 20 nações produziram

na imprensa escrita e uma ampla cober-

www.revistaservioeste.com.br


Foto: Andre Borges/Agência Brasília

tura de rádios e TVs, levando o assunto água para a casa das pessoas. Educar, conscientizar e divertir foi o objetivo maior da Vila Cidadã, um sucesso absoluto de público. O espaço ofereceu uma ampla agenda de atividades diariamente para dezenas de escolas de todo o Distrito Federal, além de crianças, jovens e famílias que se encantaram com as atividades interativas, as experiências de realidade virtual, oficinas e filmes. A Vila Cidadã também foi palco de importantes debates sobre crise hídrica, saneamento e gestão participativa de águas, e abriu sua arena para a participação de grupos de jovens, mulheres, indígenas, organizações não governamentais e comunidades rurais.

Importância mundial

tória dos fóruns mundiais da água”, decla-

O 8º Fórum Mundial da Água tam-

O diretor-executivo do 8º Fórum Mundial

rou o presidente do Conselho Mundial da

bém ajudou a movimentar a eco-

da Água, Ricardo Andrade, destacou o

Água, Benedito Braga. Para ele, isso mos-

nomia local. Foram cerca de 2.500

processo democrático e colaborativo de

tra que água está se tornando um tema

empregos diretos e outros 5.500 in-

construção do evento, que contou com

importante não só para os técnicos que

diretos. O alto engajamento dos par-

muitas vozes, sendo conduzido por mais

trabalham na área, mas também para o

ticipantes e visitantes realmente fez

de 1.500 organizações no mundo inteiro,

cidadão comum e para a classe política.

da cidade de Brasília a capital mun-

com mais de 40 países representados.

Paulo Salles, copresidente do Comitê Or-

dial da água durante o evento.

“Este Fórum é sem dúvida o maior da his-

ganizador Nacional do 8º Fórum Mundial da Água, ressaltou que a Vila Cidadã, inovação desta oitava edição, cumpriu seu

Criado em 1996 pelo Conselho Mundial da Água, o Fórum Mundial da

papel de ser um ambiente de lazer e de

Água foi idealizado para estabelecer compromissos políticos acerca

educação. “Temos certeza que as pessoas

dos recursos hídricos.

levarão essas experiências para a vida”,

Em Brasília, foi organizado pelo Conselho Mundial da Água, pelo go-

disse ao comentar sobre as diversas ativi-

verno local — representado pela Agência Reguladora de Águas, Ener-

dades integrativas oferecidas na Vila.

gia e Saneamento Básico (Adasa-DF) — e pelo Ministério do Meio Am-

Na mesma linha, o governador do Dis-

biente, por meio da Agência Nacional de Águas (ANA).

trito Federal, Rodrigo Rollemberg, des-

O Fórum ocorre a cada três anos e já passou por Daegu, Coreia do Sul

tacou que a Vila atingiu o objetivo de

(2015); Marselha, França (2012); Istambul, Turquia (2009); Cidade do

democratizar o acesso ao Fórum. De

México, México (2006); Kyoto, Japão (2003); Haia, Holanda (2000); e

acordo com ele, “foi uma das condições

Marrakesh, no Marrocos (1997).

colocadas pelo Brasil para sediar a oitava edição”.

www.revistaservioeste.com.br

39


responsabilidade ambiental

Corrida pela sustentabilidade Indústria automobilística investe em energias renováveis e inovações tecnológicas em um caminho para a mobilidade sustentável.

40

Cerca de 52 milhões de veículos

automobilística o desenvolvimento e

do assunto estar tão em voga. Como

circulam pelas vias brasileiras dia-

a produção de veículos tecnologica-

o caso da BMW, a primeira fabrican-

riamente. Isso corresponde a uma

mente aptos a promover a redução

te da indústria automobilística a no-

média de um carro a cada quatro ha-

do consumo de combustível, meno-

mear um executivo ambiental, em

bitantes. O acúmulo de automóveis

res níveis de emissões e ruídos, mo-

1973. “A sustentabilidade é imple-

trafegando sem condições adequa-

torizações com combustíveis alterna-

mentada em toda a cadeia de valor

das é um perigo para a população e o

tivos e veículos aptos a rodar dentro

do BMW Group. Em 2001, a empre-

meio ambiente.

dos padrões de segurança veicular

sa assinalou seu comprometimento

De acordo com a Confederação Na-

exigidos”.

com o Programa das Nações Unidas

cional da Indústria (CNI) e Associa-

Alguns fabricantes, já pensando à

para o Meio Ambiente, ao Pacto Glo-

ção Nacional dos Fabricantes de Veí-

frente do seu tempo, implantaram

bal das Nações Unidas e à Declara-

culos Automotores, “cabe a indústria

iniciativas sustentáveis muito antes

ção de Produção Mais Limpa. Hoje, o

www.revistaservioeste.com.br


A BMW Group opera quatro turbinas eólicas na fábrica de Leipzig, que fornecem exclusivamente energia para a produção do BMW i3 e BMW i8. A fábrica em Spartanburg, na Carolina do Sul, utiliza o gás metano de um aterro nas proximidades para gerar até 50% da energia necessária para a produção.

Conselho de Sustentabilidade, forma-

Frota renovável

na produção apto a reciclagem. “Des-

do por todos os integrantes do Con-

Mas o aumento dos carros circu-

de a concepção à produção, desde a

selho Administrativo, define o alinha-

lando pelas estradas, bem como a

vida útil do veículo à sua eliminação,

mento estratégico por meio de metas

idade dos automóveis, leva a outra

cada detalhe baseia-se na sustenta-

obrigatórias”, informa a empresa.

preocupação. O que fazer com toda

bilidade. E a sustentabilidade é uma

O BMW Group – que engloba as mar-

essa frota, quando atingir o fim da

atitude que não tem início nem fim.

cas BMW, MINI e Rolls-Royce – adota

sua vida útil? A palavra “reciclagem”

Existem várias formas de reutilizar

uma abordagem holística, implemen-

não é novidade quando empregada

a bateria de alta tensão e íons de lí-

tando a sustentabilidade em toda a

ao setor automobilístico em países

tio de alta performance de um veí-

sua cadeia de valor. Além de redu-

como Estados Unidos, Alemanha e

culo BMW i após a sua utilização: o

zir as emissões de CO2, a estratégia

Japão. Entretanto, o Brasil ainda tem

armazenamento fácil e eficiente de

também concentra-se em alcançar

muitos quilômetros a percorrer nes-

energia intermediária em sistemas

progresso contínuo em áreas como

ta direção. Há apenas três anos a Lei

de energia solar ou eólica é apenas

a proteção ambiental, a sustentabili-

do Desmanche (Lei 12.977/2014) en-

um exemplo. A BMW i foi também

dade da cadeia de abastecimento, de

trou em vigor, tornando o mercado

pioneira no processamento de fibras

orientação dos funcionários e com-

de peças usadas um negócio legítimo

de carbono e na sua reciclagem. Para

promisso social.

e lucrativo.

o BMW Group, os remanescentes

Determinado a ser líder na utilização

E como podem os componentes elé-

da produção de carbono constituem

de energias renováveis na produção

tricos ser mais eficientemente reci-

materiais valiosos que são canali-

e criação de valor, 58% da energia

clados? Reutilizando-os. E com esse

zados de volta para o processo de

comprada pelo Grupo no mundo já

pensamento, a BMW lançou o mode-

produção ou reutilizados em outras

provém de fontes renováveis.

lo i3, com 95% do material utilizado

áreas”, explica a fábrica.

www.revistaservioeste.com.br

41


responsabilidade ambiental

Terras Secas

Reportagem: Carol Bonamigo

Escassez de água em regiões brasileiras causa preocupação e estimula novos projetos para levar frescor às comunidades semiáridas do País.

42

Apesar do Brasil ser detentor de 13% da

Dados da Organização Mundial da Saú-

Outro programa é o Aqua: Water4Health,

água doce superficial do planeta, quase

de (OMS) apontam que 1,8 bilhões de

da ONG Mundo A Sorrir, em parceria com

900 cidades já apresentavam situações de

pessoas no mundo usam fontes de água

a Águas do Porto, o Instituto Ciências Bio-

emergência reconhecidas pelo Governo

contaminada. Já a Organização das Na-

médicas Abel Salazar (ICBAS) da Universi-

Federal, entre janeiro e março de 2017,

ções Unidas (ONU) afirma que o planeta

dade do Porto, a DTE e a Engenho e Rio,

por um longo período de estiagem. O es-

enfrentará um déficit de 40% no abasteci-

cuja primeira missão foi realizada na re-

tado da Paraíba, no Nordeste, foi o mais

mento de água potável em 2030.

gião da Macia, Província de Gaza, em Mo-

afetado, com 198 municípios registrados

Movidas pela escassez iminente de re-

çambique. O projeto prevê a construção

junto à Secretaria Nacional de Proteção e

cursos hídricos, inúmeras iniciativas vêm

de infraestruturas e equipamentos capa-

Defesa Civil (Sedec), naquele período. Já

ganhando força para levar água potável

zes de transportar água potável às comu-

Brasília, por exemplo, enfrentou, no ano

a quem necessita. É o caso da Waves for

nidades, a capacitação dos profissionais

passado, a maior escassez de água desde

Water, criada pelo surfista Jon Rose que,

locais, a sensibilização da população so-

a sua fundação.

desde 2009, viaja com sua equipe a co-

bre a importância do acesso e o cuidado

De acordo com o Sebrae, 17% das peque-

munidades carentes para ensinar a popu-

com água potável e o saneamento básico.

nas e microempresas sofreram com os

lação como utilizar filtros especiais desen-

impactos da crise hídrica de 2017, e um

volvidos pelo exército norte-americano,

Unindo forças

estudo do Serviço aponta que 31% dos

para transformar água suja em potável. O

Estima-se que haja atualmente 35

pequenos negócios devem ser afetados

projeto já alcançou mais de 7 milhões de

milhões de brasileiros que não têm

pela falta de água em 2018.

pessoas em 27 países – incluindo Indoné-

acesso a água potável, sendo a maior

As apurações deixam em sinal de alerta.

sia, Nicarágua, Haiti, Índia e até o Brasil.

parte deles localizada no semiárido.

www.revistaservioeste.com.br


Atuando para recuperar e preservar as principais bacias hidrográficas do Brasil, em 2010, a Ambev lançou o Projeto Bacias. Em 2015, a cervejaria ampliou esse trabalho e anunciou a participação na Coalizão Cidades pela Água, uma iniciativa liderada pela ONG The Nature Conservancy, que pretende aumentar a disponibilidade de água para mais de 60 milhões de brasileiros.

Foto: Divulgação/AMA

Nesta região, de acordo com o Ministé-

çou a água AMA, expandindo seus pro-

diretora de Sustentabilidade da Am-

rio do Desenvolvimento Social e Agrário,

gramas de preservação e uso consciente

bev e cocriadora da AMA. “Este re-

famílias perdem até seis horas por dia

deste precioso líquido.

sultado mostra que os consumidores

buscando água. Visando ajudar essas co-

A marca destina 100% de seu lucro

brasileiros estão abertos a produtos

munidades, há dois anos a Ambev lan-

para projetos que levam água às famí-

com causas sociais”, complementa.

lias da região mais seca do País, atin-

Desta forma, a cervejaria contribui

gindo R$1 milhão em lucro de vendas

para que o sexto Objetivo de Desen-

já em seu primeiro ano. Mais de 6

volvimento Sustentável (ODS) da ONU

mil pessoas foram beneficiadas com

seja concretizado: garantir disponibili-

Pesquisa do Sebrae aponta

a construção de poços para captação

dade e manejo sustentável da água e

que 31% dos pequenos ne-

de água ou adutora, além de uma mini

saneamento para todos. “A AMA não

gócios devem ser afetados

usina gerada por sistema fotovoltaico

vai só financiar projetos que aumen-

pela falta de água em 2018.

para distribuição da água a um baixo

tem o acesso à água potável, mas vai,

O impacto deve ser maior

custo. “Isso abre portas para a melho-

também, ser uma forma de conscien-

nos empreendimentos das

ra na qualidade de vida destas famí-

tizar mais pessoas, de trazer atenção

regiões do Distrito Federal

lias. Já temos planos para sete novas

para esse problema, de conectar as

(53%), Goiás (55%) e Centro

comunidades, além de incentivos para

pessoas que vivem hoje em um mun-

Oeste (44%).

projetos inovadores de acesso à água

do tão polarizado e individualizado”,

desenvolvidos por empresas juniores

diz Renato Biava, diretor de sustenta-

e startups”, comemora Carla Crippa,

bilidade da Ambev.

www.revistaservioeste.com.br

43


responsabilidade ambiental

44

www.revistaservioeste.com.br


Reportagem: Marília Comelli de Oliveira* *Vencedora do IX Prêmio Unochapecó-Caixa de Jornalismo Ambiental

Produção de plantas alimentícias não convencionais traz benefícios à saúde e ao meio ambiente As PANC possuem grande qualidade nutricional, são naturalmente orgânicas e podem contribuir na diminuição do uso de agrotóxicos.

Pode não parecer, mas a alimentação diz

alimentícias existentes para uso imediato

muito sobre alguém, pois é um hábito

e para pesquisas correlatas”, escreve.

construído socialmente. Cada refeição

Kinupp é mestre em Botânica pelo Insti-

preparada é uma forma de expressão

tuto Nacional de Pesquisas da Amazônia

cultural, que agrega cheiros, memória,

(INPA) e doutor em Fitotecnia pela Uni-

sentimentos, saber e, claro, sabor. Se,

versidade Federal do Rio Grande do Sul

no passado, a humanidade sobrevivia da

(UFRGS). Sua tese deu origem ao livro

coleta e da caça, hoje as pessoas se man-

“Plantas Alimentícias Não Convencionais

têm reféns da mesmice encontrada nos

(PANC) no Brasil”, escrito em parceria

supermercados. O que é uma pena, pois

com Harri Lorenzi, fundador do Instituto

existem plantas com grande potencial

Plantarum.

alimentício que são simplesmente ignora-

As PANC são plantas — ou parte delas,

das e inexploradas.

como frutos, folhas, flores e sementes —

Em sua tese de doutorado, o pesquisador

que a maioria das pessoas não come por

Valdely Ferreira Kinupp esclarece que não

falta de costume ou desconhecimento.

existe uma listagem de todas as plantas

São, muitas vezes, tidas como ervas dani-

comestíveis do mundo. Estudos citados

nhas, pois são naturalmente orgânicas e

por ele apontam que a quantidade de

geralmente crescem de forma espontâ-

espécies pode variar de 12.500 a 75 mil.

nea no quintal de casa.

Contudo, 90% do alimento consumido

Também existem PANC que são cultíge-

no planeta vem de apenas 20 espécies.

nos, isto é, plantas domesticadas ou se-

“Uma verdadeira especialização alimen-

midomesticadas pelo homem, que pre-

tar que ignora a diversidade de opções

cisam ser propagadas por sementes ou

www.revistaservioeste.com.br

45


responsabilidade ambiental

galhos. É o caso da moringa, araruta e ariá. Além disso, cada local tem suas próprias PANC. A ora-pronobis, por exemplo, tem uso culinário bastante conhecido em Minas Gerais, mas em

“Aí você percebe o quanto a alimentação é globalizada, baseada na questão europeia” Christian Duarte, engenheiro ambiental

outras regiões pode causar estranhamento. De acordo com o botânico Valdely, as

afirmação de Valdely. “Uma vez que a

gião de Joinville (Univille) e se consi-

PANC são muito rústicas e resilientes.

gente cultive essas plantas em menor

dera um aprendiz de agricultura agro-

Elas evitam as queimadas, a erosão

escala, deixaremos de cultivar outras

florestal. Seu interesse pelas PANC

do solo e contribuem para a preser-

em larga escala”, explica. “Assim, va-

começou ainda na época da faculda-

vação da natureza e dos habitats na-

mos destruir menos florestas e poluir

de, em 2008. “Eu ia atrás de coisas al-

turais, como a Amazônia. “Quando

menos com agrotóxicos, pois as PANC

ternativas, mas era difícil inserir essa

manejadas não dependem de fertili-

não precisam de controle para as suas

discussão na universidade”, relata.

zantes sintéticos, adubos químicos ou

pragas”, justifica.

À medida que conhecia mais o assun-

agrotóxicos, nem são transgênicas”,

to, Christian começava a incorporar azedinha, broto de bambu e capu-

A bióloga Cynthia Hering Rinnert,

Mudanças no cardápio ocorrem aos poucos

doutora em Biodiversidade Vegetal

Christian Duarte Maia é um peque-

apreciador de trapoeraba, urtiguinha,

e Meio Ambiente pela Universidade

no agricultor que cultiva e consome

coração de banana e hibisco — ali-

de São Paulo (USP) e coordenadora

plantas alimentícias não convencio-

mentos com os quais produz risotos,

do projeto Uso Racional de Plantas

nais. Ele é membro do Coletivo Per-

saladas e até licor. “Aí você percebe o

Medicinais da Universidade da Re-

macultura, graduado em Engenharia

quanto a alimentação é globalizada,

gião de Joinville (Univille), reitera a

Ambiental pela Universidade da Re-

baseada na questão europeia”, critica.

ressalta.

chinha em sua dieta. Hoje ele é um

Dos sete dias da semana, Christian passa quatro em uma chácara, localizada na região do Itapocu. Os outros três são vividos na cidade, em Joinville. Ele e mais três famílias produzem uma cesta de alimentos, com algumas PANC inclusas. Entre uma viagem e outra, Christian faz a entrega na casa de conhecidos. “Não é algo que está inserido na alimentação diária, mas eles sempre compram”, esclarece. E é assim, devagarinho, que os joinvilenses dão os primeiros passos na quebra da monotonia alimentar.

46

www.revistaservioeste.com.br


Nome científico: Colocasia esculenta Nomes populares: Inhame-chinês, inhame-japonês, inhame, taiá, taro, inhame-roxo, dasheen Usos culinários: Pode ser consumido de diversas formas, mas normalmente cozido, frito ou assado. Lave e cozinhe os rizomas (caules subterrâneos) com casca. Nome científico: Aloysia gratissima Nomes populares: Garupá, garopá, erva-santa, erva-da-graça, erva-cheirosa, white-brush Usos culinários: As folhas são usadas para chá e misturadas à erva-mate para o chimarrão. As folhas são também condimentares, especialmente para carnes de porco. Nome científico: Hibiscus acetosella Nomes populares: Vinagreira-roxa, vinagreira, groselheira, rosela, quiaboazedo, quiabo-roxo Usos culinários: Suas folhas jovens e frutos imaturos (cálices) são comestíveis, principalmente estes últimos, que podem ser usados no preparo de refrescos e geleias. Nome científico: Hypoxis decumbens Nomes populares: Tiririca-de-flor-amarela, falsa-tiririca, mariçó-bravo, maririçó-silvestre Usos culinários: Seus cormos (batatinhas subterrâneas) são comestíveis após preparo culinário adequado. Limpe e lave os cormos, corte em rodelas ou tirinhas. Pode ser frito ou cozido. Nome científico: Tropaeolum majus Nomes populares: Capuchinha, chaguinha, capuchinha-grande, mastruço-doperu, nastúrcio Usos culinários: Suas flores, folhas, frutos, sementes e ramos novos são comestíveis. Podem ser usados em saladas cruas, massas, cozidos, sopas, refogados ou bolinhos. Fonte: Livro “Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC) no Brasil”, escrito por Valdely Ferreira Kinupp e Harri Lorenzi. Editora: Plantarum.

www.revistaservioeste.com.br

47


responsabilidade ambiental

Em parceria com o meio ambiente Hospital Estadual Adão Pereira Nunes põe em prática ações sustentáveis e gera economia, transformando lixo em produto de limpeza.

rio de Estado de Saúde do Rio de Janeiro, Luiz Antonio Teixeira Jr. O resultado disso, além da conscientização ambiental, é economia e reaproveitamento inteligente de um ma-

48

Salvar vidas e cuidar de pessoas vai

para conscientizar pacientes, funcio-

terial que viraria lixo. De todos esses

muito além da prática da medicina

nários e moradores da região. Pape-

resíduos, foram reciclados, em 2017,

realizada dentro de um hospital. A

lão, papel, plástico, metal e caixinhas

mais de 20 toneladas de papelão, 1,4

cada ano que passa, a preservação

de leite tem destino certo: a recicla-

toneladas de papel, 1 tonelada de

de recursos naturais se faz ainda

gem. Além disso, mais de mil litros

plástico, 345 kg de metal, 3.593 kg

mais necessária para a sobrevivên-

de óleo de fritura e 2.297 litros de

de caixinha de leite e, ainda, 242 kg

cia no planeta e, pensando nisso, o

resíduo químico radiológico já foram

de películas de raios X e quase 3 mil

Hospital Estadual Adão Pereira Nu-

recolhidos pelo hospital.

litros de revelador/fixador. Todo esse

nes, em Duque de Caxias, no Rio de

Ir além da assistência em saúde pres-

material é transformado em blocos

Janeiro, desenvolve uma série de

tada no SUS é um dos objetivos da

de papel reciclado, sacolas retorná-

ações de sustentabilidade. Apenas

unidade, que visa promover a res-

veis, lixeiras, gasolina para serviço de

em 2017, a unidade já reaproveitou

ponsabilidade social, por meio de

roçagem na área externa, reforma em

cerca de 27,5 toneladas de resíduos,

melhorias do coletivo.

portas do abrigo de resíduos, confec-

o que corresponde ao peso de 24 es-

“A cultura de preservação do meio

ção de travesseiros para os pacientes,

tátuas do Cristo Redentor. Além de

ambiente e o reaproveitamento do

entre outras utilidades.

dar nova finalidade a essa “pilha de

que parecia não ser mais útil nas

“Estas iniciativas incentivam o espírito

lixo”, a unidade também se tornou

nossas unidades resultam em benefí-

de solidariedade para que tenhamos

um ponto de coleta para óleo de fri-

cios não só para a comunidade, mas

um mundo melhor, onde as pessoas

tura na região.

também aos profissionais. Ao mesmo

tenham conhecimento da impor-

Para organizar todo esse montante

tempo em que garantimos um futuro

tância da reutilização e transforma-

e não desperdiçar nada, a unidade

mais sustentável, colaboramos com a

ção das matérias-primas”, explicou

conta com um setor de Gerencia-

melhoria da vida dessas pessoas que,

Amanda Marinho, coordenadora do

mento de Resíduo Sustentável que

por sua vez, se sentem motivadas em

projeto de Gerenciamento de Resí-

frequentemente

ajudar o próximo”, destaca o secretá-

duo Sustentável da unidade.

cria

campanhas

www.revistaservioeste.com.br


Porque cuidar ĂŠ o que nos move

Empresa executora dos Programas de Monitoramento de Praias das Bacias de Santos, Campos e EspĂ­rito Santo.

www.cta-es.com.br ctameioambiente

www.revistaservioeste.com.br

49


responsabilidade ambiental Por: Diogo Mantovanelli, Fabio Santoro, Fernando Viana, Ravine Bolzan e Sérgio Vieira

Coordenação de logística sustentável Caminhos para institucionalização da Política Nacional de Resíduos Sólidos no campus da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.

50

Pensando no grande potencial da estru-

pera-se reduzir as despesas atuais com

da reutilização dos resíduos sólidos e a

tura física da Universidade Federal Rural

serviço de coleta, gerando receita e en-

destinação ambientalmente adequada

do Rio de Janeiro – UFRRJ para desenvol-

sinando sustentabilidade a baixo custo.

aos rejeitos.

vimento de um Campus mais sustentável,

A Política Nacional de Resíduos Sóli-

A UFRRJ deve-se adequar às normas

foi elaborado um estudo para viabilizar

dos – PNRS foi instituída pela lei nº

da PNRS, para que tenha seu desen-

meios de implementação de um Plano

12.305/10, que é bastante atual e

volvimento sustentável garantido e de

de Gestão de Resíduos Sólidos. Através

contém

importantes

forma inteligente, ser um modelo de

da aplicação de questionário semiestru-

para permitir o avanço necessário ao

Universidade Sustentável, que tenha

turado, foram obtidas informações pelo

País no enfrentamento dos principais

capacidade de dialogar interna e ex-

Departamento de Infraestrutura da

problemas ambientais, sociais e eco-

ternamente, através das práticas cons-

UFRRJ através da Coordenação de Logís-

nômicos decorrentes do manejo ina-

cientes. Dentro desta linha de raciocí-

tica Sustentável (COLOSUS), possibilitan-

dequado dos resíduos sólidos. Propõe

nio que a COLOSUS pretende difundir

do a quantificação e qualificação dos re-

a prevenção e redução na geração de

iniciativas de gestão dos resíduos sóli-

síduos gerados diariamente no Campus.

resíduos, tendo como proposta a práti-

dos, sendo este um dos eixos para sus-

A partir disso, foi elaborado um plano de

ca de hábitos de consumo sustentável

tentabilidade.

logística para a gestão e beneficiamento

e um conjunto de instrumentos para

Neste contexto, amplia-se a importân-

dos resíduos sólidos, através do qual es-

propiciar o aumento da reciclagem e

cia de diagnosticar dentro da Universi-

www.revistaservioeste.com.br

instrumentos


dade a sustentabilidade e a insustentabilidade como forma de identificar qual rumo e destino as atividades acadêmicas rotineiras estão tomando, visando clarear metas e desenvolvê-las junto com a comunidade acadêmica.

Resíduos gerados contabilizados As universidades, como centros de produção de conhecimento e protagonistas de ações em educação, vêm sendo convocadas a adotar diretrizes mais sustentáveis na gestão de seus campi universitários. Esta preocupação com o impacto provocado dentro e fora dos limites de suas cidades universitárias resultantes de suas decisões e atividades, cria então, momento propício para o convite à ação (AMARAL,2010). As instituições de educação superior já não são somente vistas como fonte única de conhecimento e formação de profissionais que integrarão a so-

O Campus de Seropédica da UFRRJ possui 3.439,60 ha, 12 institutos e 11

ciedade e contribuirão para seu pro-

estabelecimentos (restaurantes e/ou lanchonetes) que atendem a comu-

gresso econômico, mas sim como as

nidade universitária. Os estabelecimentos estão distribuídos pelo Campi

melhores candidatas para oferecer

da UFRRJ em diferentes institutos e departamentos.

exemplos de projetos sustentáveis tendo como fator chave a educação como ferramenta indutora de mudanças positivas de caráter coletivo. (OTERO, 2010).

lixo orgânico do inorgânico, apresen-

revisão da aplicação de recursos fi-

Conclui-se que a participação social

tam um volume menor de lixo para

nanceiros, como a geração de investi-

tem papel fundamental no bom fun-

descarte na coleta, do que no caso de

mento em pesquisas ou atividades de

cionamento da gestão dos resíduos.

estabelecimentos que não separam.

manejo que beneficiem os resíduos

O quantitativo de produção de resí-

O simples fato de separar os resíduos

orgânicos.

duos de cada estabelecimento é um

orgânicos diminui consideravelmen-

A seletividade dos resíduos para ges-

dos subsídios principais para compor

te o volume de lixo a ser destinado

tão é uma das chaves que abrirão os

dados estruturais no Plano de Geren-

para o aterro sanitário. Desta forma,

caminhos para a institucionalização

ciamento de Resíduos. Os estabeleci-

o custo para a coleta do lixo se torna

da Política Nacional de Resíduos Sóli-

mentos que realizam a separação de

passível de redução. Possibilitando a

dos no campus da UFRRJ.

www.revistaservioeste.com.br

51


52

WWW.REVISTASERVIOESTE.COM.BR


WWW.REVISTASERVIOESTE.COM.BR

53


VIDA SAUDÁVEL

Tudo que você precisa saber para resolver o excesso de peso

As diversas causas do sobrepeso e aspectos importantes para eliminá-lo.

54

www.revistaservioeste.com.br

O excesso de peso tem várias causas.

O diagnóstico do excesso de peso

Alimentação desequilibrada, seden-

é realizado com base no Índice de

tarismo, problemas hormonais, com-

Massa Corporal (IMC), calculado di-

pulsão alimentar, hiperinsulinismo,

vidindo-se o peso pelo quadrado da

fatores genéticos, problemas emo-

altura. Resultado de IMC a partir de

cionais e psicológicos, ansiedade e

25 indica sobrepeso. A partir de 30,

estresse são alguns fatores que le-

já é considerado um caso de obesi-

vam ao aumento do peso corporal.

dade grau I.

Para resolver o problema é neces-

Fora o cálculo de IMC, utilizamos o

sário buscar ajuda médica. Somente

método de avaliação por bioimpe-

os especialistas podem diagnosticar

dância, e também é necessário co-

com precisão as causas do excesso

nhecer a taxa de metabolismo basal

de peso, e, assim, definir o tratamen-

e fazer uma avaliação completa com

to correto, incluindo, por exemplo, a

exames laboratoriais.

modulação hormonal, e o plano de

Com acompanhamento médico e nu-

emagrecimento e atividades físicas.

tricional é possível eliminar o excesso


José Constantino Guimarães Junior Primeiro-tenente médico da reserva da Marinha do Brasil Especialista em Medicina do esporte pela AMB Especialista em Nutrologia pela Abran e AMB Membro da Sociedade Brasileira de Medicina de Esporte e Associação Brasileira de Nutrologia – Abran Membro da Associação Médica Brasileira de Oxidologia – AMBO

de peso com eficácia, sem efeito san-

mental calcular a taxa de metabo-

rindo uma quantidade excessiva de

fona. Neste artigo, apresento quatro

lismo basal da pessoa que deseja

comida até sentir-se mal fisicamen-

aspectos importantes para conseguir

perder peso para, a partir desse re-

te. Sente-se culpada, envergonhada,

perder peso: elevação do metabolis-

sultado, estabelecer o plano de ema-

baixa estima mas não consegue con-

mo basal, controle da compulsão ali-

grecimento, o qual estipula qual a

trolar a vontade de comer.

mentar, controle do hiperinsulinismo

quantidade de calorias que a pessoa

A doença pode se desenvolver em

e combate ao sedentarismo.

realmente necessita para manter as

consequência de problemas emo-

funções vitais do corpo.

cionais e psicológicos, estresse, die-

Elevação do metabolismo basal

Com a elevação do metabolismo ba-

tas rígidas feitas por conta própria,

Metabolismo basal representa o

sal é possível perder peso de manei-

rejeição ao próprio corpo, entre

conjunto de reações químicas que o

ra eficaz, pois o organismo queima-

outros fatores que levam a pessoa

organismo realiza para nutrir as cé-

rá mais calorias. Isto é possível com

comer sem controle e, com isso, tor-

lulas. A Taxa de Metabolismo Basal

uma dieta balanceada, na qual estão

na-se obesa. A pessoa que sofre de

corresponde à quantidade de calo-

incluídos alimentos termogênicos,

compulsão alimentar deve receber

rias mínimas necessárias para que

aumento da massa muscular e trei-

o tratamento terapêutico e medica-

o organismo consiga manter suas

namento físico intenso para acelerar

mentoso adequados para conter o

funções vitais em repouso. O índice

o consumo de energia. Tudo isso,

transtorno. Com tratamento médico,

varia conforme o sexo, altura, peso,

porém, precisa ser feito com acom-

nutricional e terapia é possível con-

herança genética e o nível de exercí-

panhamento médico, nutricional e

trolar a compulsão alimentar e man-

cios físicos que a pessoa realiza dia-

de educação física para alcançar o

ter o peso ideal.

riamente.

resultado desejado.

Cerca de 70% das calorias que consu-

Controle do hiperinsulinemia

mimos diariamente são gastas quan-

Controle da compulsão alimentar

do o nosso corpo está em repouso,

Compulsão alimentar é aquele de-

pâncreas produz com a finalidade

sendo que esta energia é utilizada

sejo incontrolável de comer mesmo

de transportar glicose para as célu-

para manter o funcionamento do

quando não sentimos fome. Mas não

las. O hiperinsulinismo corresponde

organismo. O restante é gasto em

é algo que acontece eventualmente.

ao aumento da quantidade de insu-

consequência do efeito térmico da

É uma doença mental. Este tipo de

lina que está circulando no sangue.

alimentação e durante a prática de

transtorno alimentar faz com que a

Não se trata de hipoglicemia. Esse

atividades físicas. Por isso, é funda-

pessoa coma muito depressa, inge-

processo é uma consequência da

A insulina é um hormônio que o

www.revistaservioeste.com.br

55


Vida Saudável

56

resistência do organismo à insulina.

colesterol, diabetes e vários proble-

terol ruim (LDL) e triglicérides, au-

Quando isso acontece o organismo

mas cardiovasculares como o infarto

menta o fluxo sanguíneo periférico,

envia comandos ao pâncreas para

do miocárdio. O sedentarismo causa

o que melhora o aspecto da pele; a

continuar produzindo mais insulina.

a regressão funcional e estrutural

pressão sanguínea, importante para

Isto provoca a elevação da taxa de

do corpo, prejudica o funcionamen-

prevenir doenças cardiovasculares;

insulina no sangue.

to do organismo, compromete a fle-

aumenta a capacidade respiratória;

A partir do momento em que pân-

xibilidade das articulações e causa a

alivia a tensão, ansiedade e estres-

creas não consegue produzir a quan-

hipotrofia das fibras dos músculos.

se; melhora a concentração, entre

tidade de insulina necessária para

Resulta também no envelhecimento

muitos outros efeitos positivos para

transportar o açúcar às células, a

precoce.

viver bem e por longos anos.

pessoa corre o risco de desenvol-

Quem precisa emagrecer deve mu-

Manter o peso ideal não é um obje-

ver diabetes do tipo 2. O hiperin-

dar os hábitos de vida e eliminar to-

tivo estético. É uma questão de saú-

sulinismo pode ocorrer devido ao

talmente o sedentarismo. A prática

de e bem-estar. O excesso de peso,

sobrepeso, obesidade e vida seden-

de atividade física regular, associada

como expliquei, compromete o fun-

tária. É necessário fazer os exames

a uma alimentação equilibrada, é es-

cionamento do organismo, gerando

para identificar o hiperinsulinismo.

sencial para o sucesso de um plano

uma série de complicações à saúde.

Para prevenir, é importante manter

de emagrecimento. Não é necessário

Não existe fórmula mágica para o

o peso ideal, com uma alimentação

ir a uma academia todos os dias. O

emagrecimento. O que funciona

balanceada e a prática de atividade

mais importante é estabelecer uma

mesmo é a reeducação alimentar,

física regular.

rotina de atividades físicas, incluindo

o tratamento dos problemas que

caminhada, andar de bicicleta, pra-

estão causando o aumento do peso

Combate ao sedentarismo

ticar esportes, correr, nadar, enfim,

corporal e o combate ao sedenta-

O sedentarismo é um problema sé-

reservar um período do dia, nem que

rismo. Com o acompanhamento de

rio devido às consequências para a

seja por meia hora, para exercícios.

especialistas, é mais fácil atingir o

saúde física e mental. Já é tratado

Combatendo o sedentarismo, fica

resultado desejado, uma vez que

como uma epidemia mundial, le-

mais fácil emagrecer. E perder peso

existe um controle regular de todos

vando ao aumento dos índices de

traz uma série de benefícios para a

os procedimentos terapêuticos e

sobrepeso, obesidade, aumento do

saúde física e mental: reduz o coles-

nutricionais.

www.revistaservioeste.com.br


www.revistaservioeste.com.br

57


VIDA SAUDÁVEL

Coração em alerta Hábitos saudáveis protegem o coração ao longo dos anos.

Reportagem: Samara Grando

58

Quando o assunto é saúde, logo é pos-

fora. Foi o caso de Eneia Mateas, 65

“Agarrei-me tanto em Deus, na mi-

sível pensar em qualidade de vida, exer-

anos. Foi preciso um grande susto para

nha esposa e nos conselhos do meu

cícios físicos, alimentação balanceada,

tornar o aposentado mais cuidadoso

médico que, aos poucos, me recu-

medidas calóricas, medicamentos na-

com a alimentação e adepto de exercí-

perei. Mas foi demorado, doloroso,

turais, tudo isso voltado para que uma

cios físicos diários, após sofrer um en-

passei a usar medicamentos para a

pessoa possa ter uma vida prolongada.

farte há dois anos. “Quando acordei me

pressão arterial, para o coração, parei

Dificilmente associa-se ao sedentaris-

senti imóvel, parado, como uma pedra.

de fumar e precisei emagrecer para

mo. Os próprios especialistas alertam

Aos poucos comecei a mexer meus de-

recuperar meus movimentos. E olha

que para haver uma vida saudável deve

dos, foram dias terríveis que estive em

que ainda estou na luta”.

existir equilíbrio. A má alimentação

tratamento”, conta.

Mateas passou a frequentar uma nu-

pode interferir gradativamente na qua-

Após 90 dias do ocorrido, ele passou

tricionista, se exercitar e fazer cami-

lidade de vida, a falta de exercícios pode

a recuperar 90% dos seus movimen-

nhadas todos os dias depois que vol-

levar a atrofiar os músculos e, muitas

tos, mas em seu corpo e no tom da

tou 90% do movimento das pernas. As

vezes, prejudicar até o funcionamento

sua voz é possível notar que há ainda

caminhadas são pela manhã cedinho,

do cérebro.

sequelas do incidente. Toda vez que

em torno de 40 minutos, aos passos

Isso tudo acaba sendo demostrado no

Eneia se lembra, se emociona tanto

lentos o senhor ganha forças da espo-

organismo, tanto por dentro como por

que nota-se as suas mãos trêmulas.

sa para seguir em frente. Ela passou

www.revistaservioeste.com.br


a se cuidar e também fazer atividades

a nutricionista orienta, ela melhorou a

tou, ela mudou o foco da sua vida e

físicas que, antes do susto, nenhum dos

minha vida”, comenta.

a sua rotina passou a ser totalmente

dois fazia.

diferente.

alimentação é preparada com base no

Doenças cardiovasculares não escolhem só a terceira idade

cardápio que sua nutricionista orien-

Outro caso que pode ser comparado

e passou a viver cada instante como

tou. Caldos de legumes substituíram

ao de Eneia Mateas é o de Lucineia

se fosse o último. Cortou de sua ali-

a massa de todo o dia. O pão branco

Andrade, o que difere é a pouca ida-

mentação refrigerantes e frituras,

deu lugar ao integral e frutas passaram

de comparada ao do aposentado. Lu-

quitutes que presentes em seu car-

a fazer parte do café da manhã. “Hoje

cineia, 34 anos, teve sua vida trans-

dápio diário. Os dias de sol foram

tomo leite no meu café da manhã, pas-

formada drasticamente após enfartar

escolhidos para caminhadas ao ar li-

sei a gostar de frutas e cereal, coisa que

aos 30 anos. Com 1,65m de altura e

vre e principalmente a natação. Já os

antes eu não me dava ao luxo de colo-

100kg, era considerada obesa pelos

dias chuvosos são aproveitados para

car na boca. Agora já não consigo ficar

médicos. Não se importava com os

fazer exercícios dentro da própria

sem. Não passo fome – o que sempre

quilos a mais, até que teve a sua vida

casa, com uma pequena academia

tive medo com as dietas alimentares – e

colocada em risco. Após uma parada

improvisada.

faço questão de fazer tudo certo, como

cardiorrespiratória que quase a ma-

Quatro meses após o incidente, ema-

Emagreceu cerca de 10kg e hoje a sua

Saiu do emprego para cuidar-se, realizar o que a medicina orientava

www.revistaservioeste.com.br

59


Vida Saudável

greceu 20kg, e os mantêm há quatro anos. “Um susto desses fez com que pensasse muito, principalmente em mim.

Conheça alguns alimentos funcionais terapêuticos e preventivos:

Em recuperação no hospital, o médico recomendou rever a alimentação e começar a praticar exercício, se não iria en-

- Beta-glucanos: Protetores contra doenças

fartar novamente. Mudei minha vida da noite para o dia e

cardiovasculares. São encontrados em aveia,

venci”, exalta.

cevada, linhaça e milho.

Além dos exercícios físicos, Lucineia cuida muito com alimentação. Passou a ingerir frutas e legumes, cortou car-

- Carotenóides: Como precursores da vitamina

boidratos e carne vermelha, preferindo grãos e alimentos

A, ajudam a manter saudável a função visual.

orgânicos. Os sucos industrializados e refrigerantes deram

Têm ação antioxidante e anticarcinogênica além

espaço aos sucos naturais, mas ainda prefere água e chás

de evitar infartos e derrames cerebrais, pois

para se hidratar constantemente. “Precisei me adaptar à

previnem a formação de coágulos sanguíneos.

nova vida como se fosse uma criança pequena. Tive que

Encontrados em cenoura, manga, pitanga,

conhecer novos alimentos e ler os rótulos, pensar e viver

abóbora, mamão, tomate, couve, agrião,

melhor. Se não fosse pelo susto tenho certeza que não daria

espinafre e almeirão.

esse salto maravilhoso em minha vida”.

Ajuda natural

- Licopeno: Pertence à família dos carotenoides e possui ação antioxidante, e anticarcinogênica.

Para a nutricionista Ana Julia da Silva a ocorrência de um

Auxilia no combate às doenças

enfarte requer alteração no estilo de vida do indivíduo.

cardiovasculares. Alimentos funcionais que o

“Mudanças nos hábitos alimentares, como a diminuição do

contêm: tomate maduro, pimentão vermelho,

consumo de alimentos industrializados, sal, açúcares e gor-

melancia, cenoura e mamão.

duras trans/saturadas são os primeiros passos que a pessoa deve adotar. Uma dieta balanceada incluindo frutas, verdu-

- Fitosteróis: São componentes naturais dos

ras, legumes, carnes magras e gorduras do bem, melhora a

óleos vegetais comestíveis e também são

condição de saúde e previne a obesidade, excesso de peso,

chamados de esteróis vegetais. Auxiliam na

diabetes e, consequentemente, as doenças cardiovascula-

prevenção de doenças cardíacas e reduzem

res”, informa.

os níveis de colesterol se consumidos

Segundo Ana Julia, a realização de atividade física diária

regularmente. Encontrados em verduras, frutas

superior a 30 minutos, seja a lazer, no trabalho ou no des-

e legumes.

locamento corriqueiro diário, é o segundo passo para o indivíduo combater o sedentarismo e evitar complicações.

- Polissulfeto de alila: Ajuda no controle da

A cessação do tabagismo e do consumo excessivo de bebi-

hipertensão arterial, tem ação antioxidante

das alcoólicas é a terceira etapa para a diminuição do risco

e também reduz a taxa de placas gordurosas.

cardiovascular. “Essas mudanças, muitas vezes, são difíceis,

Alimentos funcionais: alho e cebola.

mas a partir do momento em que a pessoa efetiva mudanças necessárias, passa a perceber os resultados positivos na sua saúde e qualidade de vida”, afirma a nutricionista.

60

www.revistaservioeste.com.br


www.revistaservioeste.com.br

61


VIDA SAUDÁVEL

Jejum Intermitente

Flavia Baldissera Nutricionista – CRN10-1227

O jejum tem sido praticado há milênios por povos ao redor de todo o globo, mas só recentemente, estudos têm lançado uma luz sobre o seu papel nas respostas celulares adaptativas que reduzem o dano oxidativo e a inflamação, otimizam o metabolismo energético e reforçam a proteção celular.

62

www.revistaservioeste.com.br

De acordo com pesquisadores nor-

doenças.

te-americanos do National Institute of

Mas afinal, o que é jejum intermitente?

Health e da University of Southern Ca-

Nada mais é do que abster-se de comi-

lifornia, em animais inferiores, o jejum

da por 24 horas. Os líquidos como água,

crônico estende a longevidade, em par-

chá, café sem açúcares e/ou adoçantes

te, através da reprogramação do meta-

estão liberados. O autor do livro Eat

bolismo e vias de resistência ao estres-

Stop Eat (“Coma, Pare, Coma”), Brad

se. Em roedores o jejum intermitente

Pilon, propõe que os jejuns sejam pra-

ou periódico protege contra diabetes,

ticados uma ou duas vezes por semana.

câncer, doenças do coração e neuro-

Alguns estudos mostram que os benefí-

degenerativas, enquanto nos seres

cios já ocorrem com 16 horas, de modo

humanos ajuda a reduzir a obesidade,

que não há rigidez. Um dia o jejum pode

a hipertensão, asma e artrite reumatoi-

ser de 17 horas, outro de 22 horas, ou-

de. Deste modo, o jejum intermitente

tro dia 26. O período de 24 horas foi es-

tem o potencial para retardar o enve-

colhido por praticidade – a pessoa, por

lhecimento e ajudar a prevenir e tratar

exemplo, almoça, não janta, não toma


café no dia seguinte, e almoça novamente 24 horas depois. Em outras palavras, passa 24 horas em jejum, mas não fica nenhum dia sem comer. Dr. Souto, grande defensor do jejum e da dieta low carb, relata em sua experiência pessoal, que o individuo se acostuma com a sensação de não comer e não se preocupa com o que comerá na próxima refeição. Torna-se mais fácil com o tempo, à medida que seu corpo se acostuma com a sensação de estar com o estômago realmente vazio. Justifica essa prática em simples e reduzidas palavras: “Não tenho certeza se isso se deve a uma maior facilidade em alternar entre o estado alimentado e o estado de jejum, ou trata-se simples-

“Benefícios metabólicos do jejum intermitente incluem todos os benefícios de uma dieta low carb (melhora da síndrome metabólica e da inflamação crônica).”

mente de acostumar-se ao estômago vazio, ou por você desaprender seus hábitos típicos”. “Outra possibilidade é que, ao aprender a verdade sobre o jejum, você consiga se livrar da culpa que costumava ter quando imaginava que estava fazendo algo prejudicial à saúde se não comesse a cada poucas horas. Qualquer que seja o motivo, com a prática vai ficando mais fácil. E mesmo quando você sente fome durante o jejum, a sensação de fome normalmente não dura mais do que alguns minutos”. Lembre-se: essas orientações não substituem o atendimento médico e nutricional. Procure o profissional de seu interesse para avaliar o seu caso.

www.revistaservioeste.com.br

63


Sorria

Operando Sorrisos

Maior organização médica voluntária do mundo já transformou a vida de mais de 240 mil crianças e adultos carentes nascidos com fissura labiopalatina. Reportagem: Carol Bonamigo

Fundado em 1982, pelo casal norte-a-

e montaram uma equipe voluntária de

face que ocorrem por falta de fusão

mericano William e Kathleen Magee,

médicos e enfermeiros para retornar

dos processos maxilares e palatinos

a ONG Operação Sorriso é referência

às Filipinas. Trinta e seis anos depois,

durante a formação do feto. São a ter-

mundial ao tratar, especificamente, pa-

a Operação Sorriso é a maior organiza-

ceira causa de maior ocorrência entre

cientes com lábio leporino e fenda pa-

ção médica voluntária do mundo, com

as malformações craniofaciais congêni-

latina. Foi após uma viagem às Filipinas

sede em 60 países e mais de 5 mil vo-

tas no mundo.

com um grupo de médicos voluntários

luntários cadastrados de 80 países, os

Conforme orientação da ONG, no mo-

que ele, cirurgião plástico, e ela, enfer-

quais já transformaram a vida de mais

mento da confirmação da fissura, uma

meira e assistente social, perceberam

de 240 mil crianças e adultos caren-

das primeiras atitudes a ser tomada é

a necessidade de seus trabalhos serem

tes nascidos com fissura labiopalatina

se informar junto ao seu médico ou a

disponibilizados à comunidades ca-

mundialmente.

algum profissional de saúde. As fissu-

rentes ao redor do globo. “As pessoas

Um dos países agraciados com a inicia-

ras podem comprometer a capacida-

empurravam seus bebês contra nós,

tiva é o Brasil que, em agosto de 1997,

de de alimentação, fala, audição e o

puxando a manga da camisa com lágri-

recebeu a primeira missão humanitá-

desenvolvimento dos dentes, além de

mas nos olhos e nos pedindo para que

ria, em Fortaleza (CE), na qual 138 ci-

tornar a criança mais suscetível a infec-

ajudássemos seus filhos”, recorda Ka-

rurgias foram realizadas. Desde então,

ções das vias aéreas e do ouvido. Por-

thy Magee. Em uma das cidades, cer-

a ONG passou por 15 cidades brasilei-

tanto, além do acompanhamento ade-

ca de 300 famílias compareceram na

ras e operou mais de 5 mil pacientes

quado com médicos especializados, os

esperança de que seus filhos fossem

gratuitamente.

pais e familiares precisam ter cuidados

ser operados, mas a equipe só poderia

64

especiais com a alimentação, a higiene

cuidar de 40 crianças.

Como reagir ao diagnóstico

da boca e o estímulo ao desenvolvi-

De volta aos EUA, Bill e Kathy organiza-

O lábio leporino e a fissura palatina

mento da criança nos aspectos físico e

ram uma base de captação de recursos

(céu da boca) são malformações da

emocional. “Os bebês com fissura, de

www.revistaservioeste.com.br


Segundo a OMS, a incidência de fissuras no Brasil é de um a cada uma forma geral, são crianças com o

“Quando não tratada,

desenvolvimento normal, com as mes-

a fissura pode trazer

mas necessidades que qualquer outro recém-nascido. Porém, ele precisa ser

algumas implicações de

avaliado por uma equipe médica mul-

ordem estética, funcional

tidisciplinar – pelo menos um cirurgião

ou emocional na vida da

plástico, um pediatra, um fonoaudiólogo e um dentista – que podem dar

criança e da família dela”

650 nascidos. Estima-se que haja 300 mil brasileiros com fissura e, a cada ano, cerca de 6 mil novos casos são registrados. De acordo com a Organização, uma em cada 10 crianças nascidas com fenda palatina não completará o primeiro aniversário.

orientações acerca da alimentação, do desenvolvimento e do tratamento cirúrgico da criança”, informa Ana Stabel, diretora executiva da Operação

a própria cirurgia nesse período leva

não serão resolvidas com uma única

Sorriso no Brasil.

a resultados melhores, pois a criança

cirurgia. O tratamento tem etapas e

Para a cirurgia do lábio, a melhor idade

já passou pela anemia fisiológica (ou

envolve cirurgiões plásticos e outros

para se operar um paciente com fissu-

seja, já trocou o sangue recebido da

profissionais especializados que aju-

ra seria a partir dos três a seis meses

mãe na vida intrauterina pelo seu pró-

darão os pais a lidar com a situação.

de vida. Nessa idade, a criança já tem

prio sangue). “Adiantar a cirurgia não

No entanto, quando não tratada, a fis-

um melhor desenvolvimento de pul-

trará nenhum benefício à criança. Na

sura pode trazer algumas implicações

mões e coração, fazendo com que a

maior parte dos casos, as dificulda-

de ordem estética, funcional ou emo-

anestesia seja mais segura. Além disso,

des estéticas, funcionais e emocionais

cional na vida da criança e da família dela”, explica a ONG, lembrando que o tratamento nas fissuras completas (até o nariz) pode terminar por volta dos 16

Operação Sorriso Brasil em números:

20 anos no Brasil

aos 18 anos.

Mais de

Devolvendo sorrisos ao redor do mundo

humanitárias realizadas

Muitos pacientes que nasceram com

65 missões

fissura labiopalatina vivem escondidos da sociedade e não têm o tra-

350 voluntários cadastrados

15 cidades visitadas

Mais de 5 mil pessoas operadas gratuitamente

tamento especializado em suas regiões. “Mudamos para sempre a vida dessas pessoas, devolvendo a elas o sorriso, a autoestima e a perspectiva de inclusão social. As cirurgias oferecidas pela Operação Sorriso são

www.revistaservioeste.com.br

65


Foto:Divulgação | Operação Sorriso

Vida Saudável

1982

Operação Sorriso mundo em números: 60 países escritórios globais

5.000

ano de fundação

voluntários cadastrados

240 mil pessoas operadas gratuitamente

66

conduzidas por nosso time de pro-

globais de atendimento da Organiza-

da saúde locais para que possam dar

fissionais voluntários. A paixão deles

ção Mundial da Saúde (OMS), levando

continuidade ao tratamento multidis-

pelas crianças é a essência, o espírito

equipes, suprimentos e toda a estru-

ciplinar dos pacientes. “É uma enor-

e a razão pela qual somos capazes de

tura cirúrgica necessária aos lugares

me satisfação poder aproveitar um

oferecer milhares de transformações

mais remotos do País, principalmente

conhecimento que temos disponível

de vida sem nenhum custo aos nossos

nas regiões Norte e Nordeste, onde

para suprir a necessidade de muitos

pacientes. Voluntariado na Operação

há poucos centros de tratamento es-

cidadãos que não têm acesso a ele

Sorriso é muito mais do que um tra-

pecializados. O programa humanitário

se depender apenas das vias que o

balho feito por generosidade: é uma

ainda treina médicos residentes, in-

Estado disponibiliza”, afirma Eliana

filosofia de vida”, enaltece Ana.

centiva a criação de centros locais de

Midori, fonoaudióloga voluntária da

Sua atuação no Brasil segue padrões

atendimento e capacita profissionais

Operação Sorriso.

www.revistaservioeste.com.br


www.revistaservioeste.com.br

67


esPAรงo AniMAl

68

WWW.REVISTASERVIOESTE.COM.BR


FilHo de QUatro patas

Reportagem: Carol Bonamigo

O mercado pet aproveita os laços criados entre humanos e animais para expandir as possiblidades de produtos, oferecendo uma infinidade de alternativas para os tutores cuidarem cada vez mais de seus filhotes.

pets, o que faz de nós o quarto país no

adotar. Escolhemos o bulldog por ele se

ranking de população de animais de es-

encaixar no nosso estilo de vida. Mora-

timação no mundo. E para uma grande

mos em São Paulo, em um apartamento,

demanda deve haver uma oferta igual-

sem muito tempo, então deveria ser um

mente abundante. Por isso o Brasil é o

cachorro que entrasse na nossa rotina e

terceiro maior mercado para produtos

não precisasse estar o tempo todo ativo”,

e serviços voltados para animais de es-

recorda Larissa.

timação, atrás apenas dos Estados Uni-

Mas o que realmente aconteceu foi, em

dos e do Reino Unido. Calcula-se que

partes, o inverso. O casal readaptou seu

o setor tenha faturado cerca de R$ 19

dia a dia para passar o máximo de tem-

bilhões no ano passado, segundo dados

po possível com o cão e, quando viajam,

da Associação Brasileira da Indústria de

Quindim pode até curtir uma colônia de

Produtos para Animais de Estimação

férias. “Lá tem piscina e ele pode socia-

Em 2013, o Instituto Brasileiro de Geo-

(Abinpet). E isso apenas no solo nacio-

lizar com outros animais. É maravilhoso.

grafia e Estatística (IBGE) revelou, atra-

nal. Globalmente, o setor movimenta

Não podemos negligenciá-lo. E ele nos

vés da Pesquisa Nacional de Saúde, que

cerca de US$ 102,2 bilhões.

dá muito em troca. Amor, carinho e nos

44,3% dos domicílios do País possuem,

São milhões de tutores que não medem

obriga a sair e ver o mundo de outra for-

pelo menos, um cachorro. Isso significa,

esforços (e cifras) para garantir o bem-es-

ma”, afirma a designer de moda.

aproximadamente, 28,9 milhões de la-

tar de seus pets. É o caso do casal de de-

Exatamente por não descuidar de Quin-

res habitados por 52,2 milhões de cães,

signers Larissa Culau e Rafael Marcondes,

dim que Larissa e Rafael se preocupam,

o que dá uma média de 1,8 animal por

que há pouco mais de um ano adotaram

especialmente, com a saúde do pet. Até

casa. Essa estimativa demonstra que

Quindim, um bulldog inglês. Tudo foi

por carregar complicações comuns da

existem hoje no Brasil mais cachorros

pensado com muita cautela. “Lemos so-

raça, teve problemas de pele, tem hér-

de estimação do que crianças.

bre a raça, entramos em grupos do Face-

nia, passou por uma cirurgia e cuida da

São cada vez mais pessoas adotando

book para tirar as dúvidas e resolvemos

obesidade. Procurando atendimento

WWW.REVISTASERVIOESTE.COM.BR

69


esPAço AniMAl

especializado e personalizado, eles conheceram o veterinário Alexandre Eduardo Ribeiro, cirurgião e especialista em dermatologia de pequenos animais. Assim como na medicina humana, as especialidades capacitam o médico veterinário a lidar com determinados casos com maior assertividade e precisão. “Os bulldogs ingleses são animais extremamente fortes e devem ter cuidados específicos. Sua função respiratória merece uma atenção especial, pois são animais braquicefálicos, que possuem o focinho curto e isto pode causar problemas respiratórios. Outro fator de alerta é com sua constituição orgânica, cuidado com sobrepeso e o sistema ósseo locomotor, também uma atenção especial à pele, pois possuem várias dobrinhas que requerem maior precaução”, orienta Alexandre.

Cara de um, focinho do outro Para garantir essa maior dedicação para com a saúde de Quindim, seus tutores optaram por contemplá-lo com um plano de

Com o plano de saúde, Quindim tem atendimento constante e alguns exames preventivos.

saúde. Pode parecer exagero, mas o segmento de saúde animal tem atraído cada vez mais adeptos, chegando a crescer 13% em 2016, quase o dobro do mercado pet como um todo. Os planos partem dos R$ 60,00 – com uma cobertura básica de urgência

Uma garantia tranquilizadora, pensa Larissa. “Se ele pre-

e emergência, exames laboratoriais e vacinas – e podem chegar

cisar de algum atendimento de emergência, estamos pre-

a mais de R$ 300,00 – englobando consultas com especialistas,

venidos tanto na parte ambulatorial quanto financeira”,

cirurgias e exames por imagem. A ideia é ofertar tudo o que um

argumenta. E vê-lo feliz e saudável, não tem preço. “Não

humano possui à disposição. “O nosso objetivo é estimular a pre-

é uma criança, mas nós o tratamos como filho. Quando

venção de doenças por meio de diagnósticos precoces, fazendo

não estou perto, sinto saudade, meus pais querem saber

com que os animais tenham maior qualidade de vida com mais

notícias dele. Para nós, ele é muito especial. Um compa-

saúde”, comenta Fernando Leibel, presidente da Health for Pet,

nheiro, não dorme enquanto não vamos dormir, e é da

empresa que oferece planos de saúde para cães e gatos em Belo

farra, como nós! É impressionante como absorve as nos-

Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Curitiba.

sas personalidades”, orgulha-se.

- Tutores de cães gastam, em média, 300 reais por mês com seus pets; já os de gatos desembolsam R$120, em média. - 50% dos tutores de cães dizem ter relação de pai e filho com o animal. - 7 em cada 10 cães ficam dentro de casa e 43% dos tutores os deixam dormir na cama. - 70% dos veterinários percebem que os tutores estão mais atentos aos avanços da medicina veterinária e à saúde de seus pets. Fontes: Abinpet e Zoetis

70

WWW.REVISTASERVIOESTE.COM.BR


WWW.REVISTASERVIOESTE.COM.BR

71


72

WWW.REVISTASERVIOESTE.COM.BR

Revista Servioeste #4  

Na sua 4ª edição, a Revista Servioeste traz uma reflexão sobre o grande mal deste século: a depressão. Ela lidera a lista de doenças incapac...

Revista Servioeste #4  

Na sua 4ª edição, a Revista Servioeste traz uma reflexão sobre o grande mal deste século: a depressão. Ela lidera a lista de doenças incapac...

Advertisement