Issuu on Google+


/ ÍNDICE / EDITORIAL 0 3 Carta ao leitor

Expediente MEDICINA

0 6 Testosterona: libido e agressividade 0 8 Entrevista (por Simone Bastos): Dr.

Luis Henrique Leonardo Pereira 1 2 Disfunção Erétil ou Impotência? 1 4 Cirurgia da Intimidade Feminina FISIOTERAPIA 1 6 Vida saudável ativa, sensações

corporais e a sexualidade de deficientes físicos (cadeirantes) NUTRIÇÃO

1 8 A Candidíase atrapalha

sua intimidade? 2 0 Alimentos e apetite sexual EDUCAÇÃO FÍSICA 2 2 Atividade Física x Vida Sexual

/ EXPEDIENTE /

SEXOLOGIA 2 4 Mais intimidade, menos sexo 2 6 Escolha Ideal x Relaciona-

mento Afetivo Sexua PSICOTERAPIA 2 8 Di(amante): o segredo FILOSOFIA 3 0 Aprimore-se e Divirta-se! L I T E R AT U R A 3 2 Conto de Fadas MODA 3 4 Ser Sexy MÚSICA 3 7 Amor e música ARQUITETURA 4 0 Entre paredes

Idealizadora: Rúbia Laidens | Editor: Pablo Pereira | Jornalista Responsável: Simone Bastos | Projeto Gráfico: Gabriel Bourg | Colaboram nesta edição: Dr. Alberto Ambrogini, Dr. Glaycon Michels, Dr. Eduardo Fraga, Giuliano Mannrich, Cristhiane Tozzo, Francine Ferrari, Pyter Bruno, Dra. Jussimara Steglich, Lucimar Secches Ghelfi, Elise Haas, Helton Santana, Jana Macial, Cristina Sorrentino, Karlo K. Kulpa, Jake Silva | Periodicidade: Trimestral | Contato: revistaseksa@gmail.com | www.seksa.com.br Foto da Capa: Cleber Valério Studio Fotográfico | Figurino: Makenji | Make: Agustin Fernandez


/ Editorial /

/ s e k s a /

A

escolha da palavra perfeita

to. Queríamos mais,

para uma revista sobre se-

queríamos uma mis-

xualidade,

tura de textos leves,

relacionamento

afetivo e saúde, idealizada já

instigantes

e

de

há algum tempo pela minha

fácil

princesa encantada. Momen-

mas com uma abor-

to divino, de inspiração, de

dagem séria e res-

lógica, de pesquisa. Ideias

paldada na ciência.

para cá, palavras acolá. De repente, as “Co-

Assim, fomos costu-

médias para se ler na escola”, de Veríssimo,

rando ideias e ques-

me puxam pela orelha e sussurram a pala-

tionamentos,

vra “sexa”. Seria o feminino de sexo? Provo-

versando com vários

cações linguísticas à parte, gostei da suges-

profissionais experientes da área da saúde e de fora

tão. Mas uma pesquisa sobre “sexa” não me

dela. E percebemos a necessidade de um projeto maior,

deixou prosseguir. Sacada, observei o mar, o

que englobasse revista digital e impressa, programa de

céu e a mata a se encontrar. Silêncio. Deus e

tv e rádio, palestras, cursos, eventos, livros. E mais, que

a transcrição fonética. Eis a escolhida: SEK-

tivesse um objetivo bem claro e altruísta. Que tal aju-

SA. Em Esperanto, esta palavra significa “se-

darmos casais em seus relacionamentos? Isso mesmo,

xual” (adj.). Pronto, tínhamos o nome perfei-

uma vida sexual satisfatória resulta em um relaciona-

to para uma revista. Hora da linha editorial

mento saudável. Sorriso estampado no rosto. Da esco-

e de outras escolhas. Não queríamos levar

lha da palavra perfeita ao casamento feliz, chegamos,

ao leitor uma revista meramente científica,

enfim, ao ponto de equilíbrio, à espinha dorsal da linha

nem recheá-la apenas com entretenimen-

editorial, ao começo de uma missão.

compreensão,

con-

/

PABLO PEREIRA* Editor da Revista Seksa e Escritor www.pablopereira.com.br

*Escritor, Palestrante e Editor da Revista Seksa. Autor dos livros Combalir: poesia (1998), Sinfonia nº 5: ficção (1999), Aura Clara e Outras Cores: pequenos poemas em prosa (2012) e Do Caos: a depressão em fragmentos (2013).

5


/ MEDICINA /

TEST TERO

LIBIDO OU AG

POR DR. GLAYCON MICHELS

Concluiu o Doutorado em Medicina e Cirurgia pela Universidad de Cordoba (Espanha). Especialista em Medicina do Esporte (UFSC). Diretor Técnico do Instituto Dr. Glaycon Michels – IGM. Atua na área médica com ênfase em Medicina do Exercício e do Esporte e em Medicina Antienvelhecimento.

6

A Testosterona é o principal hormônio sexual masculino. Quando suas concentrações circulantes estão baixas no organismo, o hipotálamo promove a liberação do fator liberador da gonadotropina (GnRF). O GnRF estimula a liberação do hormônio luteinizante (LH), que por sua vez, estimula as células de Leydig nos testículos a produzir e liberar testosterona. A concentração plasmática de testosterona varia de 300 a 1.000 mg/dl. Nas mulheres esse hormônio também é produzido pelas glândulas suprarrenais e ovários, porém em menores quantidades 0,25 a 1mg/dia. Suas funções são basicamente duas, denominadas anabólicas e androgênicas. Pela função anabólica, ele atua principalmente sobre as zonas de crescimento dos ossos e músculos, além de influenciar o desenvolvimento de praticamente todos os órgãos do corpo humano. Pelo lado androgênico, ele é responsável pelo desenvolvimento das características sexuais masculinas, sendo também importante para a função sexual normal e o desempenho sexual. Altas taxas de testosterona tendem a aumentar o comportamento agressivo. Além disso, estudos feitos com adolescentes mostraram que um alto nível do hormônio aumenta a predisposição a ter relações sexuais. O mesmo acontece com adultos. Só que entre esses, o maior nível de testosterona costuma acarretar problemas no casamento. Foram analisadas as rela-


TOS ONA

GRESSIVIDADE ções amorosas de 4.462 militares entre 30 e 40 anos e se percebeu que os homens com testosterona alta eram menos propensos a se casar e se divorciavam mais facilmente. Além disso, os homens com níveis mais elevados de testosterona tinham o dobro de chances de ter relações extraconjugais do que os que apresentavam níveis mais baixos. A testosterona é muito importante para saúde e atua no processo de acúmulo ou redução de gordura corporal. Um estudo de 2004 realizado com homens de 45 a 65 anos de idade (justamente quando a presença do hormônio começa a diminuir no organismo) verificou que os níveis de testosterona apresentaram relação inversa à resistência à insulina e à porcentagem de gordura corporal. Em outras palavras, quanto menos testosterona no corpo, maior o risco de desenvolver o diabetes e de engordar. E este é apenas um estudo, há outros que apontam resultados similares.

os homens com níveis mais elevados de testosterona tinham o dobro de chances de ter relações extraconjugais do que os que apresentavam níveis mais baixos. O treinamento de força de alta intensidade, por exemplo, musculação com cargas pesadas, é um potente estímulo para o aumento da concentração de testosterona como resposta aguda. Esse estímulo possui alguns mecanismos de controle, independentes da estimulação pelo hormônio luteinizante (LH). A testosterona parece aumentar após sessões curtas e intensas de treinamento, principalmente de força. ■

7


/ ESPECIAL /

QUEM DISSE QUE EXISTE IDADE PARA

FAZER SE SPRAY E GEL DO ORGASMO

8


EXO

A ideia de que existe idade para início e fim da vida sexual parece estar com os dias contados. Depois de várias pesquisas, médico descobre um produto revolucionário para os problemas de ejaculação precoce, disfunção erétil e perda de desejo sexual. Até na reposição hormonal ele ajuda e tudo isso sem riscos à saúde. “O spray é muito superior do que tudo que temos hoje no mercado para esses problemas. É um produto promissor e que vai revolucionar o mercado da área sexual”, diz o Dr. Luis Henrique. O médico e empresário, Luis Henrique Leonardo Pereira (CRM-SP 113703), veio para Florianópolis para dar continuidade a um trabalho que já vinha desenvolvendo desde 2009, em São Paulo, com resultados e resposta clínica surpreendente: o chamado “Spray para potência sexual”. O grupo médico de Andrologia e Sexualidade, www.grupodeandrologia.com.br, é o primeiro e único grupo brasileiro constituído de médicos atuantes na saúde sexual masculina, feminina e do casal, que age também à distância. Coordenado pelo médico Dr. Luis Henrique, esse atendimento

Por Simone Bastos

pode ser feito tanto em consultório médico, como por meio de transmissão online, via Telemedicina. Segundo o médico Luis Henrique, até 2009 existiam dois tipos principais de tratamento para impotência sexual: uma injeção no pênis e os comprimidos como o Viagra. “Faltava algo um pouco melhor. Tinha aí uma lacuna para ser preenchida no modo

O SPRAy é UM PRODUTO PROMISSOR E qUE vAI REvOlUCIOnAR O MERCADO DA áREA SExUAl. de tratamento. Uma formulação em spray sublingual que agisse como tratamento e que não tivesse a agressividade da injeção e nem conteúdo do comprimido, seria perfeito”. O empresário enfatizou que uma das maiores preocupações era achar algo que não agredisse tanto o paciente, como a injeção (10% dos casos ocorrem lesão irreversível) e o comprimido, medicamentos que, segundo ele, acabavam não ajudando no tratamento.

9


“Comecei a trabalhar analisando e observando os tratamentos existentes e os riscos. Aplicar injeções em pacientes mais jovens e sem maior gravidade era muito agressivo, pois sabia que tinha chance de riscos de causar lesões irreversíveis”. O produto ainda não é comercializado em farmácias e sim vendido apenas sob manipulação médica. O médico ainda explica que o produto revolucionário não tem as substâncias da injeção, nem a quantidade de drogas do comprimido que fazem as pessoas passarem mal. “O spray conseguiu dar essa vantagem terapêutica. Hoje é a melhor opção tanto para a ejaculação precoce como a disfunção erétil. A vantagem geral do spray é a absorção que é muito melhor do que a do comprimido. Você usa menos remédios e o efeito colateral é menor. Essa é a grande vantagem do spray”. A intenção do médico Luis Henrique era uma só: trazer para Florianópolis um tratamento eficaz no tratamento e cura para os problemas de ejaculação precoce, de ereção e perda da libido. DR. LUIS HENRIQUE

E N T R E V I STA

A troca de spray (homem x mulher) pode gerar algum problema? Qual é a idade? E o tratamento de prevenção? As medicações usadas para os homens podem funcionar nas mulheres. Porém, nas mulheres a gente acaba usando alguns outros componentes que melhoram um pouco mais a parte de neurotransmissores. A Ocitocina é uma substância que ajuda muito a sensação sexual. Usado na mulher tem mais resposta do que no homem. A idade. Quando o paciente é mais jovem (abaixo de 40 anos) é mais provável que os problemas de ejaculação precoce ou disfunção erétil sejam de ordem psicológica. Eles têm as artérias e o organismo jovem, assim, os problemas tendem a ser mais psicológicos. Já a partir dos 40, estes começam a ser mais

10

de disfunção erétil de natureza orgânica: diabetes, sedentarismo, hipertensão. Prevenção. O estilo de vida, uma alimentação saudável são coisas que previnem doenças. Um dos principais termômetros físicos do homem quanto à perda da disfunção erétil é a ausência das ereções espontâneas. A partir do momento que isso começa a acontecer é típico de uma pessoa, que está evoluindo para uma disfunção erétil leve, procurar por um tratamento preventivo para que isso não evolua mal. Aí são feitas as técnicas de fortalecimento musculares penianas. E é neste momento que entra o spray usado à noite. Esse tratamento preventivo funciona quando a pessoa ainda não está sentindo o problema, a disfunção erétil mesmo. Porém, começa a notar uma diminuição da

qualidade de vida sexual. E é nessa hora que a dose do spray pode prevenir a disfunção. Qual o perfil dos seus pacientes em Florianópolis? Aqui atendo pacientes de 18 (casos mais emocionais) até 70 anos. Perfil geral. São os homens acima dos 50 anos que estão perdendo sua potência sexual ou estão desacreditados dos tratamentos convencionais. Ficam pulando de médico em médico, os quais não resolvem o problema. Temos atendimento feito pela parte médica e de fisioterapia, que somados o efeito é fantástico. Qual a diferença entre os dois na prática, já que em outras entrevistas você disse que o Viagra não tem nem 10% da eficiência do seu? Existem 3


(três) diferenças básicas: Viagra: Maior quantidade de drogas (medicamentos). 90% dele não é remédio, são excipientes, substâncias para permitir que o comprimido entre no corpo. Muitos deles danosos para saúde. A via de ingestão. Spray Menos quantidade. Não tem excipientes potencialmente danosos. A via é uma alternativa superior. Você já conseguiu um público que o deixe satisfeito, tanto com os pacientes como com a área médica? Quantos pacientes já o procuraram? Como chegaram ao Luis Henrique se não existe divulgação? Tenho uma empresa que presta serviço especializado de telemedicina. Meu foco hoje de trabalho é a telemedicina e isso ajuda bastante os pacientes que são muito tímidos ou que estejam distantes. Grande parte deles é atendida via telemedicina. Essa é a nova modalidade do atendimento médico, existe em outras áreas da medicina, porém, somos pioneiros na área de saúde sexual. Qual é a grande vantagem? Preservar a intimidade do paciente e atender pacientes que estejam distantes. Ele faz o tratamento na própria casa e deve continuar sim

“A vantagem geral do spray é a absorção que é muito melhor do que a do comprimido. Você usa menos remédios e o efeito colateral é menor. Essa é a grande jogada do spray. Ele NÃO dá o efeito colateral que o comprimido dá!”.

com o Urologista que o trata normalmente e eu complemento na parte sexual especificamente. Para ser acompanhado via telemedicina é importante que o paciente continue com o acompanhamento normal do profissional que já o trata. Mas por que via telemedicina? A telemedicina é uma alternativa para suprir as necessidades quando a distância geográfica é grande e também por questões íntimas. A telemedicina jamais substituirá uma consulta. Isso é óbvio. Então, por isso, sempre oriento que mantenha acompanhamento junto ao seu médico. Até agora falamos apenas sobre o spray. E o gel? O que faz de diferente do spray? O que traz de novidades para a vida sexual? O gel é tão bom quanto o spray. É usado via transdérmica, como um hidratante no corpo. Dentro do gel tem a subs-

tância do spray. Vantagem do gel é que é possível fazer reposição hormonal associada. Alguma novidade no tratamento desde 2009? Desde o início até agora os dois produtos vêm desempenhado a função esperada. Existe um período exato para o uso das substâncias? Existem vários tratamentos e períodos diferentes. Se o paciente precisar poderá tomá-lo por anos, pode utilizar. O que você pretende daqui para frente? Nosso foco é a telemedicina, pois gosto muito de atender pessoas que estejam também à distância impossibilitadas de vir ao consultório. Para quem está em Florianópolis, aguardamos no consultório. ■ Informações: www.grupodeandrologia.com.br

11


/ MEDICINA /

DISFUNÇÃO ERÉTIL OU

IMPOTÊNCIA

O

POR DR. Alberto Ambrogini Médico Urologista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Membro da Sociedade Europeia de Urologia e da Sociedade Brasileira de Urologia. Pesquisador do tema: “Apneia e suas implicações na Urologia”.

12


O

termo impotência, em desuso,

através de uma entrevista e exame fí-

deu lugar à expressão disfun-

sico. A grande maioria dos casos tem

ção erétil. Muito mais do que

seu diagnóstico baseado nestes dois

questões semânticas, esta mu-

elementos. Em determinados casos,

dança se dá em um contexto

pode-se recorrer a um ou mais exa-

de desmistificação dos assun-

mes complementares. Estes podem

tos relativos à sexualidade e,

ser exames laboratoriais (hemograma,

em especial, às dificuldades

glicemia, colesterol, triglicérides, dosa-

eréteis. Com isto, o termo im-

gens hormonais...) bem como testes

potência, que carrega consi-

Neurológica > diabetes, traumas da coluna

de ereção, que podem ser realizados

com acometimento da medula, cirurgias para

go uma conotação pejorativa de uma

com medicação oral ou injetável den-

a retirada de tumores da próstata são algumas

situação definitiva, dá espaço a uma

tro do corpo cavernoso peniano, asso-

expressão que traduz simplesmente

ciados ou não ao exame de eco-dopler.

uma alteração (do gr. dys – alteração, dificuldade, defeito) da função erétil,

O tratamento é individualizado

ou seja, da capacidade de obter ou

e depende de uma interação entre o

manter uma ereção peniana suficiente

profissional e o paciente, já que as pre-

para uma atividade sexual satisfatória.

ferências são diversas frente a diferen-

Segundo dados recentes, a DE aco-

tes opções de tratamento.

mete cerca de 48,8% da população

Causas da impotência As alterações encontradas nos pacientes com DE podem ser enquadradas em uma ou mais das seguintes causas: Hormonal > pacientes com perda da libido, queda dos pelos e testículos diminuídos podem ter uma deficiência hormonal.

das situações em que se pode identificar lesão dos nervos responsáveis pela ereção. Vascular > obstruções das artérias cavernosas podem comprometer a irrigação adequada dos corpos cavernosos, dificultando a ereção. Medicamentos > sabe-se que alguns medicamentos têm impacto na qualidade da ereção. Em especial, os anti-hipertensivos e os anti-depressivos. Peniana> a doença de Peyronie é uma das

masculina com idade entre 40 a 70

De maneira geral, os tratamentos

anos. Se considerados os indivíduos

de primeira linha são os medicamen-

acima dos 18 anos, estima-se que 25

tos por via oral e a psicoterapia con-

milhões de brasileiros tenham algum

duzida, de preferência, por psicólogo/

grau de disfunção erétil.

terapeuta sexual. A vácuo terapia, tam-

doenças que pode acometer o pênis resultando em DE. Nesta doença em particular, uma fibrose do corpo cavernoso pode resultar em deformidade peniana e conseqüente DE. Psicológica> o aspecto psicológico está sempre presente. Mesmo quando a doença que

Acredita-se que, no futuro, este

bém considerada como de primeira li-

número possa ser ainda maior. Isto

nha, não encontrou no Brasil aceitação

porque os fatores de risco que estão

equiparável a de alguns países euro-

ção é habitual haver a preocupação quanto ao

associados à DE estão cada vez mais

peus e dos Estados Unidos.

desempenho na próxima relação É o que se

presentes no nosso dia-a-dia. Entre eles, pode-se salientar a obesidade,

Nos casos mais complexos ou

sedentarismo, aumento dos níveis de

naqueles em que o tratamento de

colesterol e triglicérides, depressão,

leva a DE é orgânica, sempre existe um componente psicológico. Após uma falha na ere-

entende por ansiedade de desempenho.

primeira linha não teve o sucesso es-

As cirurgias para colocação de

doenças coronarianas, hipertensão ar-

perado, pode-se recorrer à injeção in-

próteses penianas ficam reservadas

terial, diabetes. Além disto, contribuem

tracavernosa de substâncias que pro-

como última alternativa, podendo ser

a idade, baixa escolaridade e baixa

movem a ereção farmacologicamente.

implantadas próteses flexíveis ou in-

renda. Atualmente, com o novo perfil

Dentre as medicações mais usadas,

fláveis. ■

da mulher na sociedade, as exigências

destaca-se o Trimix, composição feita

e cobranças na esfera sexual estão

a partir da associação de fentolamina,

maiores e, não raramente, chegam a

papaverina e prostaglandina, que per-

intimidar o parceiro, que passa a se

mite doses menores de cada uma das

preocupar mais com seu desempenho

medicações, já que as mesmas poten-

do que com o relacionamento sexual

cializam a ação entre si. Isto promove

propriamente dito.

maior segurança e maior conforto du-

A avaliação médica é realizada

rante a aplicação.

estima-se que 25 milhões de brasileiros tenham algum grau de disfunção erétil. 13


/ MEDICINA /

uma regi찾o pequena, mas com peculiaridades e de extrema import창ncia na feminilidade e no bem-estar sexual.

14

CIRUR INTIM FEM


RGIA DA MIDADE MININA Nos últimos anos, observamos destaque de uma área específica da cirurgia plástica chamada de Cirurgia da Intimidade. São pessoas que procuram uma melhora estética da genitália externa. As alterações mais comuns nesta região são: flacidez, excesso ou falta de gordura do monte de Vênus, aumento ou diminuição do tamanho dos pequenos lábios vaginais, redução do excesso de pele em volta do clitóris e estreitamento do canal vaginal, além do escurecimento da pele da região. Em casos de excesso de gordura na região pubiana (Monte de Vênus) pode se realizar lipoaspiração, ou seja, retirada de gordura com uma cânula. No caso de falta de gordura nesta região, pode ser realizada aplicação de gordura (enxerto) da própria pessoa ou produto específico (ácido hialurônico), também com uma recuperação muito breve. Uma cirurgia muito realizada é a chamada NINFOPLASTIA, que é a diminuição dos pequenos lábios vaginais. Os pequenos lábios têm a função de proteger a entrada da vagina, porém, em algumas mulheres o tamanho é excessivo e causam desconforto na relação sexual já que podem entrar na vagina. Além disso, o seu tamanho aumentado pode chamar atenção nas roupas constrangendo as portadoras desta deformidade. A flacidez da região pubiana ocorre com muita frequência em casos de emagrecimento excessivo e múltiplas gestações. Muitas vezes está associado também ao excesso de gordura deste local. As pacientes queixam-se de volume aumentado desta região quando se sentam, utilizam roupas justas ou roupas íntimas.

POR Dr. Eduardo Fraga

Cirurgião Plástico – CRM-SC 6565. Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

A solução cirúrgica passa por uma lipoaspiração, quando há excesso de gordura, associada à retirada de pele, que acaba por “suspender” esta região. Uma flacidez do canal vaginal pode ser ocasionada pela distensão muscular nos partos normais, ou por fraqueza muscular do períneo. Algumas vezes está associado também a “uma queda da bexiga” com perdas urinárias involuntárias. A solução poderá ser cirúrgica ou em casos mais leves pode se estimular os exercícios da região perineal, conhecido como “pompoarismo” com ótimos resultados. É muito comum também na região vaginal, em mulheres submetidas ao parto natural, a presença de cicatrizes decorrentes de lacerações produzidas pela passagem da criança no canal vaginal ou pelo médico propositalmente - chamado de episiotomia. Estas cicatrizes algumas vezes são extensas e bem aparentes. Uma correção cirúrgica destas cicatrizes poderá atenuá-las. Uma queixa muito frequente entre as mulheres é o escurecimento da pele da região genital. Um tratamento dermatológico da região com cremes, clareadores ou laser pode melhorar o aspecto. Outros pequenos problemas da região íntima possuem fácil solução, por exemplo: o encravamento de pelos pode ser tratado com a aplicação de laser ou luz pulsada; sinais, pequenos tumores e cistos, podem ser removidos com pequenas cicatrizes. Afinal, uma região pequena, mas com peculiaridades e de extrema importância na feminilidade e no bem -estar sexual. ■

15


/ FISIOTERAPIA /

VIDA SAUDÁVEL ATIVA, SENSAÇÕES CORPORAIS E A

SEXUALIDADE DE DEFICIENTES FÍSICOS

D

esde que o mundo é

desenvolvimento e maturidade da sexu-

mundo, a sexualida-

alidade nos indivíduos.

de é parte essencial

Logo, quando pensamos em um de-

da vida do homem,

ficiente físico, um cadeirante atual, por

e ao mesmo tempo,

exemplo, que passou por um trauma em

um assunto pouco

algum momento de sua vida, imediata-

discutido e estudado,

mente, e de forma equivocada, conside-

provocando

muitas

ramos que o mesmo tenha sido lesado

polêmicas e criando

completamente de suas sensações, gos-

muitos mitos. A sexualidade nos faz identifica-

dos com a vida. Faz lembrar todos os

16

tos, vontades e emoções. E por que isso acontece? Por que ele não pode ter sua sexualidade preservada?

dias as nossas opções, gostos, escolhas,

Claro que um indivíduo que tenha

estilo, moda, literatura, cor, etc. Visce-

sofrido um trauma precisa de tempo e

ralmente nos caracteriza e diferencia

por vezes tratamento para superar as

quanto ao modo de sentir e escolher

mazelas desse trauma, e que a recupera-

em cada parceiro, as atitudes, gostos e

ção desse trauma possui fases emocio-

cheiros corporais que mais nos agra-

nais bem distintas e proporcionais a sua

dam.

recuperação e aceitação física, porém,

Como diria Oscar Wilde, “As sensa-

esses indivíduos, ainda estão imbuídos

ções são os detalhes que constroem

de suas sensações, inclusive a sexualida-

a história da nossa vida”. Essas sensa-

de! Então, por que pensar que nenhum

ções são descritas na neurofisiologia

deficiente físico cadeirante as teria?

como sensações somestésicas extere-

Sim as tem, e vai morrer com elas!

oceptivas, que nos fazem interagir com

Mesmo que demore a se encontrar e a

o ambiente externo e desenvolver re-

se conhecer novamente, as terá por toda

lações emocionais com as pessoas que

sua vida. Citando Freud, “Não posso ver

nos cercam, distinguindo amor, alegria,

mérito algum em se ter vergonha da se-

tristeza, dor, raiva, atração, paixão, te-

xualidade”, independentemente do trau-

são, carinho, por elas, dentre outras;

ma e do estado físico atual, pois assim

responsáveis por nosso desenvolvi-

como em “andantes”, os ditos indivíduos

mento neuropsicomotor, e causador do

sem deficiência, existem fases distintas


seja cadeirante, seja andante, ninguém é “deficiente de hormônios”

da maturidade sexual e dos gostos que en-

de indivíduos com deficiência física,

volvem a sexualidade ao longo da vida. O

onde de orgasmos à logística, surge

sexo, como exemplo, aos 20 anos de idade,

uma série de mitos e erros a se pensar

precisa de coisas que não são iguais e nem

sobre sexo e a deficiência física, como,

necessárias aos indivíduos de 70 anos de

por exemplo: 1. Todo deficiente não

idade.

se identifica com sexualidade; 2. De-

Sócrates, na antiguidade, já falava sobre

ficientes físicos não podem ser sexy;

tal afirmação: “Na velhice o prazer do sexo

3. Deficientes físicos não gostam de

é substituído pelo prazer da ternura, com-

ser tocados, onde não podem sentir;

preensão, companheirismo, é onde as duas

4. Deficientes físicos não sentem, logo,

pessoas realmente vivem uma sexualidade

não gostam de sexo; 5. Sexo nos en-

plena e responsável”; mas isso é para a ve-

tristece, deixa-nos com vergonha do

lhice, pois os indivíduos deficientes físicos

corpo; 6. Sexo com cadeirante é sexo

e cadeirantes jovens precisam sim senti-

sem graça; 7. Homens de cadeiras não

rem, passionalidade, paixão, tesão, desejo,

podem ter uma ereção (ou pior, ser pai

lascívia, amor e intensidade no sexo como

biológico); 8. Mulheres cadeirantes

qualquer indivíduo de sua idade, pois a se-

não podem ser mães e criar bebês; 9.

xualidade esta caracterizada pelo nível de

Deficientes físicos não podem atingir

desenvolvimento de seu estado físico e

o orgasmo; 10. Na hora do sexo com

mental atual.

um cadeirante tem que tomar muito

Logo, é preciso conhecer particularida-

cuidado. Mitos!

des nesses indivíduos deficientes, expan-

Por fim, o corpo humano é compos-

dindo a percepção dos limites aos quais

to de profundas camadas que captam

cada um está confinado pelas próprias ex-

sensações e prazeres sexuais, e são

periências de vida. A sexualidade, portanto,

os hormônios os responsáveis pela

é natural nos seres humanos, e é uma fun-

manutenção dessas sensações, assim,

ção como tantas outras.

como é no cérebro, que nos mantemos estimulados e satisfeitos pelo prazer

É importante salientar que indivíduos

atingido ou proporcionado ao parceiro.

com deficiência física sentem igualmente as

Portanto, seja cadeirante, seja andante,

mesmas emoções e inseguranças que todos,

ninguém é “deficiente de hormônios”

principalmente quando deixam a cadeira de

ou não possui um cérebro.

rodas ao lado da cama, pois na posição ho-

Mesmo que o indivíduo perca a

rizontal, assemelham-se a seu parceiro, que

sensibilidade em algumas partes do

está tão inseguro quanto o próprio cadei-

corpo, existem muitas outras formas

rante quanto ao seu desempenho. Então, o

de conseguir o prazer e de se atingir o

carinho, a compreensão, o desejo e a paixão,

êxtase durante o sexo, pois sexo é ale-

são fundamentais para uma relação quente

gria, relaxamento, prazer, autoestima,

e satisfatória.

além de ser largamente recomendado

Porém, nos dias atuais, dois terços das

a todos! ■

pessoas não têm ideia do que realmente se passa por trás das portas dos quartos POR Giuliano Mannrich

Graduado na Universidade do Estado de Santa Catarina. Mestre em Ciência do Movimento Humano / Fisiologia e Bioquímica do Exercício – UDESC. Especialista em Fisiologia do Exercício – Univ. Veiga de Almeida – UVA / RJ. Especialista em Fisioterapia Esportiva (SONAFE).. Fisioterapeuta Chefe do Instituto de Psiquiatria do Estado de Santa Catarina - IPq/SC. Sócio – Proprietário da MK1 FISIO Personalizada – Fisioterapia & Fisiologia do Exercício.

17


/ NUTRIÇÃO /

A CANDIDÍASE ATRAPALHA SUA INTIMIDADE?

A

PARE DE ALIMENTAR ESSA INIMIGA!

POR Cristhiane Tozzo

Nutricionista – CRN 10-2718. Pós-graduada em Nutrição Clínica Funcional. Pós-graduada em Fitoterapia Funcional. Mestrado em Nutrição.

18

Para ficar da candid precisa atençã alimenta gente n mas a má desequi flora in e favorece aparecime inimiga


A

Candida

Albicans

é o principal fungo

inclusive tornar o problema frequente,

ras, consuma cerca de três porções ao dia para

as chamadas “cândidas de repetição”.

garantir a ingestão de vitaminas e minerais

causador de infecção

importantes para o sistema imune.

vaginal, que, quan-

Saiba que o que você come pode in-

do associado à baixa

fluenciar muito nessa doença. Conheça

imunidade

calor,

as principais dicas para evitar os qua-

Alimentos e bebidas que são fermentadas

causa uma infecção

dros repetidos de infecção e melhorar

pela ação de fungos, como o fermento bioló-

chamada de candidí-

seu sistema imune via alimentação:

gico, estimulam o crescimento fúngico inter-

e

ase. A doença é um dos problemas femi-

Fique longe dos fermentados

no e desequilibram os microrganismos que Fique longe dos doces

vivem naturalmente em nosso intestino. Por-

ninos mais comuns e, infelizmente, a

Não tem jeito, para ficar longe da

tanto, durante os episódios de cândida, você

maioria das mulheres já teve ou terá

candidíase é preciso restringir os do-

deve evitar pães e massas, vinhos, vinagres,

ao menos uma vez na vida. Apesar

ces. Fungos e bactérias patogênicas ali-

cervejas, queijo gorgonzola, produtos embuti-

de não ser considerada uma doença

mentam-se de açúcar, além disso, o alto

dos e todos os tipos de cogumelos.

sexualmente transmissível, pode ser

consumo altera o ph intestinal e vaginal

transmitida através de relações sexu-

favorecendo a proliferação de fungos.

ais. Mesmo sendo

Quanto mais proliferação de fungos

Alguns alimentos possuem ação antifún-

menos comum em

você tiver no organismo mais vontade

gica e podem contribuir para a diminuição

homens, eles tam-

por doces vai sentir, pois eles mesmos

desses microrganismos no seu corpo. Os que

bém podem ser in-

liberam substâncias durante a digestão

mais se destacam com esse benefício são o

fectados.

para garantir a própria sobrevivência.

alho, o orégano, alecrim, tomilho e as semen-

Portanto, para quem apresenta o quadro

tes de abóbora. Outros grandes aliados são os

geralmente

de repetição da doença precisa ficar lon-

óleos extra-virgens, particularmente o óleo de

coceira nas partes

ge de açúcar, farinhas refinadas, mel, me-

coco e o óleo de orégano. Você precisará fazer

íntimas,

lado, refrigerantes, balas, doces em geral

uso diário desses alimentos para garantir a

e industrializados adoçados.

ação desejada, portanto abuse dos temperos

ficar longe didíase, você precisa prestar ão na sua tação, muita não sabe, á nutrição uilibra a ntestinal orece o aparecimento da imiga

A doença provoca

acompa-

nhadas de ardor e corrimento esbranquiçado

em

Ingira alimentos antifúngicos

acima, consuma as sementes de abóbora no Nem fruta esta liberada

lanche da manhã e inclua até duas colheres

ambos os sexos.

As frutas, se consumidas em exces-

Desconforto e in-

so, podem ser prejudiciais por conte-

cômodo na certa, o

rem uma grande quantidade de frutose,

Lembre-se de que seu sistema imunológi-

que atrapalha a in-

que também servirá de alimento para

co também precisa estar reforçado e cuidados

timidade do casal e

o crescimento exagerado de fungos e

com o intestino serão essenciais, invista no

adia o contato ínti-

bactérias patogênicas no intestino. Os

consumo de fibras e faça reposição de pro-

mo para o final do

sucos (sendo naturais ou não) contém

bióticos devidamente orientados por seu nu-

tratamento.

grande quantidade de frutose e devem

tricionista ou médico. O profissional também

Para ficar lon-

ser evitados, assim como caldo de cana

poderá lhe prescrever fitoterápicos específi-

ge da candidíase,

e xarope de milho, presentes em muitos

cos que diminuem a proliferação de fungos e

você precisa pres-

produtos industrializados. Frutas secas

melhoram o sistema imune. Não deixe a can-

tar atenção na sua alimentação, muita

e oleaginosas também devem ser evi-

didíase estragar o seu humor, sua saúde e sua

gente não sabe, mas a má nutrição de-

tadas, o modo de armazenamento da

intimidade, melhore suas escolhas e pare hoje

sequilibra a flora intestinal e favorece

maioria delas favorece a proliferação de

de alimentar essa inimiga! ■

o aparecimento da inimiga, podendo

fungos. Prefira as frutas frescas e intei-

ao dia dos óleos citados nas saladas.

19


/ NUTRIÇÃO /

ALIMENTOS QUE AJUDAM APETITE SEXUAL Mito ou verdade, estudados até hoje pelas civilizações, os Alimentos Afrodisíacos têm sua origem derivada da deusa grega do amor e da sexualidade, Afrodite. A relação entre os alimentos e a intensificação na relação amorosa e “sexual” é proveniente dos hábitos alimentares que geram o aumento metabólico do organismo. Alguns deles:

POR Francine Ferrari

Graduação em Nutrição na UMC. Nutricionista Clínica - Consultório Dietoterápico em Reeducação Alimentar focado em Geriatria, Transtornos Alimentares, Dietas Vegans e Reabilitação. Conselheira Efetiva do CRN10 no Estado de SC. Especialista em Terapia Nutricional na USP e na UFSC. Mestre em Psicopedagogia pela UNISUL.

20


ALGUNS DELES:

OSTRAS: são extremamente ricas em zinco, contribuindo para formação de espermatozoide; CHOCOLATE: contribui para o aumento do nível de serotonina e endorfinas, que são neurotransmissores do bem-estar; VINHO TINTO SECO: em quantidade moderada, libera GABA, um neurotransmissor relaxante, ajudando na diminuição da ansiedade; NOzES (OLEAGINOSAS): eram utilizadas pelos romanos em rituais de fertilidade pela contribuição cardiovascular; GENGIBE: por causa de sua ação hipermetabólica e cardiovascular, assume o rank dos alimentos afrodisíacos;

A RElAçãO EnTRE OS AlIMEnTOS E A InTEnSIFICAçãO nA RElAçãO AMOROSA E “SExUAl” é PROvEnIEnTE DOS hábITOS AlIMEnTARES.

Temos ainda a pimenta, o cravo, a canela, ovo de codorna, banana, peixes. Em suma, faz parte da reeducação alimentar a inserção destes alimentos que irão, inclusive, potencializar a absorção dos nutrientes pelos alimentos afrodisíacos citados. ■

21


/ EDUCAÇÃO FÍSICA /

C ATIVIDADE FÍSICA VIDA SEXUAL VS

POR Pyter Bruno

Diretor da Equipe Ivana Henn, formado em Educação Física com experiência na gestão de empresas fitness e principalmente na área do Pilates. Administra os setores da empresa que possui treinamentos no Método Pilates, Stúdios de Pilates e Academias.

22


C

aso você ainda não tenha se convencido que a prática de atividade física é fundamental para a saúde, está aqui um argumento que pode finalmente fazê-lo mudar de ideia: sua vida sexual melhora, muito! Além de melhorar o desempenho e performance na cama, a resistência aumenta na hora “H”, especialmente se você trabalhar as regiões como ombros, peito, glúteos e pernas. Resumindo, você fica super disposto e não se cansa rapidamente. E ainda tem outras vantagens. Durante a relação sexual, os órgãos genitais precisam de muito sangue. Quem faz exercícios regularmente, tem uma melhora considerável em toda a circulação sanguínea. Portanto, os sedentários correm o risco de comprometer os vasos, tanto os do coração como os genitais. No sexo masculino, esse é o primeiro passo para o grande medo: a impotência. No caso das mulheres, se não praticarem atividades, também perdem, pois não sentem todo o prazer que poderiam apreciar. A atividade física melhora sua satisfação com o corpo, e como consequência, a autoestima não fica baixa. Além de liberar substâncias como a serotonina que está relacionada com a sensação de prazer e bem-estar, os exercícios fazem o corpo produzir a endorfina, analgésico natural que relaxa e torna o ato sexual mais prazeroso. Outro hormônio estimulado pelos exercícios e que é essencial à atividade sexual é a testosterona, que vale lembrar, também é produzida pelo sexo feminino, em escala muito menor, mas é produzida. Para a sexuali-

dade essa substância é decisiva. Sem a testosterona, a vontade de fazer sexo diminui drasticamente. Para mulheres: o estrogênio é secretado em maior quantidade por aquelas que praticam alguma atividade física regular e esse hormônio preserva toda a estrutura do órgão genital feminino e ajuda na lubrificação. Não é por causa de todas essas vantagens mencionada que você vai exagerar, cuidado! Quem pratica algo até não conseguir mais ficar em pé e ficar exausto ao extremo, dificilmente aguentará um segundo tempo na cama. O excesso de exercício aumen-

O excesso de exercício aumenta o nível de cortisol, o qual aparece em períodos de estresse e tem efeito contrário, diminuindo o desejo sexual.

ta o nível de cortisol, que aparece em períodos de estresse e tem efeito contrário, e diminui o desejo sexual. Portanto, equilíbrio, sempre respeitando seus limites. Você pode perceber os sinais de que não dá mais para esperar e é o momento de iniciar uma atividade física para melhorar a sua qualidade de vida sexual que com certeza vai refletir na sua vida como um todo. Aqui vão alguns pontos para você observar: Você percebe que sua vagina

está pouco firme para as relações sexuais. Às vezes nem você e nem o companheiro sentem prazer; Tem dificuldades para segurar a urina (bexiga caída ou frouxa), quando ri ou tosse; O seu útero pode ficar muito perto da abertura da vagina (útero caído); Tem dificuldades de controlar os gases ou as fezes. Temos um conjunto de músculos que se chama Assoalho Pélvico, que é um dos grandes facilitadores do prazer tanto feminino quanto masculino, e a saúde dos músculos pélvicos é fundamental para manter a integridade e o bom funcionamento da vagina e da uretra, assim como a posição dos órgãos dentro da pélvis. Os músculos pélvicos controlam o fluxo de urina, a contração (aperto) da vagina e o bom fechamento do ânus. Tanto a uretra quanto o ânus têm um esfíncter (músculos especiais que funcionam como fechaduras) que garantem a retenção da urina e fezes. O assoalho pélvico é composto de várias camadas de músculos suspensos como uma “rede” pendurada em dois pontos, na frente e atrás da pélvis. Além dessa rede, os músculos também formam um triângulo. Também é importante não ficar segurando a vontade de ir ao banheiro. Quando tiver vontade de urinar ou de defecar, vá logo “atender o chamado da natureza”, como diziam os antigos. Segurar a urina provoca uma distensão muito grande na bexiga e força o esfíncter, facilitando a incontinência urinária e mesmo a infecção (cistite). Quando adiamos as fezes, elas vão secando no intestino, o que facilita o aparecimento da prisão de ventre, das hemorroidas e da dificuldade de segurar os gases. ■

23


/ SEXOLOGIA /

MAIS INTIMI DADE MENOS SEXO POR Dra. Jussimara Steglich

Formada em Medicina pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Especialista em Sexologia, Ginecologia e Obstetrícia pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia (FESBRAGO). Pós-graduada em Sexualidade Humana pela Universidade de São Paulo (USP/ PROSEX).

24


Para muitos casais, o sexo que era tão bom no início fica sem graça, para outros a chegada dos filhos significa um desastre erótico. Como apimentar de novo o sexo, trazendo certo erotismo para a relação?

P

ara muitos casais o aumento da intimidade afetiva, muitas vezes, é acompanhado por uma diminuição do desejo sexual. Segundo a antropóloga americana Helen Fischer, a paixão pode alimentar os primeiros estágios de um relacionamento que com o coquetel hormonal da paixão dopamina, norepinefrina, dura no máximo alguns anos. A ocitocina, o hormônio do carinho, dura mais que todos esses. Atração e erotismo do início da relação se transformam com o tempo dando lugar a um amor maduro. Este declínio do amor romântico é sem dúvida uma realidade. A paixão romântica intensa consome uma enorme energia. Seria destruidor para uma pessoa e suas atividades diárias (inclusive criar filhos) passar anos obsessivamente idolatrando o amado. Entretanto, alguns casais continuam apaixonados por toda a vida. Uma das qualidades importantes nesses relacionamentos, e que faz com que ambos fiquem atraídos, é o humor. O humor é baseado na novidade, no inesperado, o que eleva os níveis de dopamina no cérebro. O riso inibe a liberação de hor-

mônios que causam estresse, como o cortisol. Níveis elevados de cortisol prejudicam o sistema imunológico, por isso a diminuição da quantidade desse hormônio beneficia a saúde de modo geral. Os terapeutas aconselham os casais a seguirem práticas padrão: • Ouvir seu parceiro, perguntar, responder, apreciar, manter-se atraente. • Continuar crescendo intelectualmente. • Aceitar as imperfeições dele/dela. • Discutir de forma construtiva. • Esquecer o passado. • Não pressupor que o relacionamento vai durar para sempre, construir um dia de cada vez. • Nunca desistir. Estes hábitos podem sustentar os sentimentos de ligação de longo prazo. Mas é provável que nenhum eleve os níveis de dopamina. Outras medidas, porém, podem manter esta chama. ‘’Deixe espaços em sua união”, aconselhou o escritor libanês Kahlil Gibran. Embora os homens gostem mais do que as mulheres de privacidade e autonomia, para os dois gêne-

ros, o “espaço” provavelmente ajuda a manter a paixão romântica. Seria também interessante ter “tempo para namorar”. Desenvolva uma série de interesses excitantes e faça questão de ter novidades e atividades estimulantes juntos. Variedade, variedade: ela estimula os centros de prazer do cérebro mantendo o clima do romance. A fantasia sexual também é um recurso valioso, seja cultivada individualmente ou em conjunto pelo casal. Funciona como um poderoso antídoto contra a perda da libido dentro da relação, portanto, pensar, ler, ver algum filme sensual, ouvir uma música são ferramentas poderosas que temos para manter vivo o desejo. As relações modernas são cercadas de desejos contraditórios: segurança e empolgação, o conforto do amor e o calor da paixão. O equilíbrio entre o erótico e o doméstico é uma operação delicada e exige conhecer o parceiro, cultivar uma intimidade que respeite a privacidade. ■

25


/ SEXOLOGIA /

POR Lucimar Secches Ghelfi

Psic贸loga e Sex贸loga. CRP: 12/02552. Membro da Sociedade Latino-Americana de Sexualidade Humana.

26


ESCOLHA IDEAL RELACIONAMENTO AFETIVO SEXUAL VS

É POSSÍVEL?

encontramos inúmeros casais dividindo o mesmo teto sem admiração, sem desejo e sem sexo. Por que é tão difícil falarmos sinceramente o que desejamos e encontrarmos o equilíbrio nas relações?

Vivemos na era da modernidade, porém esbarramos infelizmente ainda em uma herança educacional repleta de valores religiosos, culturais, inibições e repressões psicológicas. Recebemos modelos dúbios de relacionamentos com preconceitos, mitos e tabus acerca de nossos papéis como homem e mulher e nossa sexualidade. É certo que a evolução feminina tanto emocional como afetiva e sexual vem acontecendo em passos longos; mas quem é essa mulher que estabelece culpa entre ser boa mãe e trabalhar fora, ser boa dona de casa e excelente profissional, ser passiva sem ser submissa, ser feminina, sedutora e sexualmente “liberada” sem ser vulgar, mostrar desejo e atitude sem ser tão “fácil”, ser “expert” na cama sem ter vivenciado muitas experiências sexuais, ou melhor, não ter um “passado” para eles. Se eles querem tanto, o que dizer dessa mulher moderna, o que elas querem destes Homens; homens fortes sem serem controladores, ter “pegada” e ser sensível;

falar de sentimentos, mas sem ser “meloso”; ser provedor e protetor financeiro sem “dominar”, saber estimular sexualmente e adivinhar o que elas gostam sem ir direto ao ponto. É assim que encontramos inúmeros casais dividindo o mesmo teto sem admiração, sem desejo e sem sexo. Por que é tão difícil falarmos sinceramente o que desejamos e encontrarmos o equilíbrio nas relações? Projetamos no outro o que não conhecemos em nós mesmos, e assim vivemos conflitos e angústias e nenhum desejo sexual. Exatamente nessa era moderna, os casais podem e devem escolher entre viver conflitos ou procurar ajuda profissional. Os prazeres e o equilíbrio estão diretamente relacionados às escolhas adultas, e as escolhas felizes são frutos do amadurecimento. Não desista, vale a pena ser feliz! ■

27


/ PSICOTERAPIA /

DI(AMANTE) O SEGREDO “Posso perder tudo na vida, só não posso perder o meu João!” A frase pode dar margem a interpretações diversas. Carência, desespero, apego, dependência? Examine o que lhe vêm à mente ao ler e imaginar esta fala, seus conceitos e preconceitos. Você imagina uma daquelas mulheres maquiavélicas de novela, estilo vampira-sexy-perversa dizendo-a com voz vingativa, por ter sido desprezada? Ou a protagonista bonitinha e boazinha da trama, falando aos prantos, após ter levado algum golpe do destino e ter sido separada do galã? Fantasias e hipóteses à parte, revelo a autoria e uma breve história dessa fala: Uma senhora de quase oitenta anos, no dia seguinte ao baile em comemoração às suas bodas de diamante (sim, 60 anos de casamento), ainda na cama, deitada, descansando da grande noite de festa em que celebrou e dançou com o seu João, é chamada pela filha para almoçar: “Mãe, vamos levantar senão a senhora vai perder o almoço!”. Com simplicidade e naturalidade, responde, olhinhos apertados, riso maroto, ar apaixo-

28

nado: “Posso perder tudo na vida, só não posso perder o meu João!” Testemunha deste momento, e neta de Dona Olga, emocionei-me com a expressão clara e sincera do amor e, (como não?), paixão, que vinha sem rodeios, complicações, artimanhas, melindres, ou seja, sem toda aquela conotação artificial que caberia, talvez, às vilãs ou mocinhas sex-appeal de folhetins. Vale comentar que, na noite das bodas, ambos dançaram, rosto colado, mesmo com as pernas dela um pouco prejudicadas pela artrite, e se apoiaram mutuamente, a cada passo de antigos boleros. Ele, João, com mais de oitenta primaveras, sorria feito menino, flertava com ela. E a envolveu, conduziu, fazendo-a também sorrir, com cumplicidade, a cada troca de olhares, e passos mais ousados – apesar de o fôlego dele já não ser mais o mesmo de 60 anos atrás. O casal, que partilhou a vida, teve oito filhos, mais que o dobro de netos, e à época, já contava com meia dúzia de bisnetos, tinha nas mãos a receita nada mágica, mas muito bem construída, da esperança, da


POR ELISE HAAS

Escritora, Psicóloga Clínica e Psicoterapeuta, especializada em Gestalt Terapia.

O MISTéRIO, A CUMPlICIDADE, A COnFIAnçA E O RESPEITO À InDIvIDUAlIDADE vAlEM PARA qUAlqUER IDADE E DãO O TEMPERO DA PAIxãO, DA REnOvAçãO DO AMAR E DA ESCOlhA DIáRIA EM ACEITAR qUEM SE é E PODER SE DAR, SEM SE PERDER.

intimidade, do amar sem ter por quê. Uma das dicas, segundo ela recomendou certa vez às mulheres mais jovens, era “Não conte tudo ao homem, é bom manter certo mistério”. E ilustrava contando pequenos segredinhos, quase inocentes, do dia-a-dia, guardados como tesouro, para que a intimidade não se tornasse um peso, e sim um processo de entrega e confiança, no qual cada um dá o que tem, e não precisa exigir do outro um rol de informações, dados, e confirmações desnecessárias (“você me ama?”, “quanto?”, “o que fez hoje?”, “e amanhã?”, “vai me amar pra sempre?” e outros blablablás). O mistério, a cumplicidade, a confiança e o respeito à individualidade valem para qualquer idade e dão o tempero da paixão, da renovação do amar e da escolha diária em aceitar quem se é e poder se dar, sem se perder. ■

29


/ FILOSOFIA /

APRIMORE-SE

DIVIRTA-SE E

POR Helton Santana

30

Formado em Administração pela UNIVILLE e no Método DeRose pelo próprio sistematizador do Método com habilitação expedida pelo IELUSC. É diretor da sede do Método DeRose, no bairro Trindade, em Florianópolis/SC.


E

Será que você está fazendo o de descontração, de concentração investimento certo para ter mais e meditação ao aprimoramento sucesso nas suas relações afetivas comportamental. Esses são os que ou será que está jogando tempo e melhor entendem nossa proposta, dinheiro fora? esses facilitam o meu prazer de Gosto muito de ensinar e edu- ensinar e são os que mais evoluem. cando é quando mais aprendo. Apri- É um deleite educá-los. moro-me a cada dia com o intuito Esse grupo especial tem uma de lapidar pessoas. Pensando e re- maneira educada de agir em compensando a melhor forma de educar panhia de outras pessoas, de modo estou constantemente me aperfei- que não invadem o espaço alheio, çoando, me reconstruindo. não geram constrangimento e Nem sempre é possível ensinar possuem a capacidade de fazer como gostaria. Às vezes, do ban- com que todos se sintam bem e à quete que tenho vontade na sua a oferecer, o aluno companhia. São consegue degustar pessoas com a mulher deva ser apenas a entrada. apurado bomTudo bem. Aprendi senso, são pesvalorizada tanto nos meus oito anos soas que culquanto o ar que ensinando que pativam as boas respiramos. Ela ciência, muita pamaneiras. proporciona o ciência, é pré-reMas o que quisito para quem isso tem a ver maior de todos os quer se tornar um com sexualidaprazeres e, ainda, grande educador. de, tema relepode impulsionar a vante da revisDedico-me a evolução do homem. ta? reeducar comportamento, reeducar “De acordo respiração, implancom o levanto programa de qualidade de vida tamento, realizado com mil hoem empresas, aprimoro executivos, mens e mulheres no Reino Unido, treino desportistas de alta perfor- 63% das entrevistadas disseram mance. Todo o conjunto de técnicas que boas maneiras é a qualidade e conceitos que me dedico a trans- mais importante do homem ideal, mitir, e muito mais, vem de uma enquanto 29% optaram por inteliCultura que se denomina Método gência e apenas 2% privilegiaram DeRose. a aparência.” Do site da BBC. PerAlguns alunos querem mais, têm ceba que a aparência é um quesito fome de aprimoramento, se dedi- insignificante quando comparado cam ao refinamento das relações com boas maneiras. humanas e com o meio ambiente, É claro que ter um corpo baaliam a prática diligente de técnicas cana, estar bem vestido e com os respiratórias, corporais, exercícios dentes branquinhos compõem um

excelente cartão de visitas, mas a pesquisa aponta que é a forma como você se comporta que vai preencher, ou não, as expectativas femininas. Até o momento da conquista muitos homens já agem bem. Mas e no sexo? Boas maneiras “demais” não aniquilarão a espontaneidade e o desejo? No nosso ponto de vista, pelo contrário, boas maneiras no sexo consistem em permitir que nossa natureza se manifeste da forma mais espontânea, rompendo com os condicionamentos aprendidos por uma cultura machista e repressora. Muitos homens entendem o sexo como mera necessidade fisiológica e usam a mulher com um depósito onde descarregam suas tensões. Quanto desperdício de tempo, quanto desperdício de vida! Entendo que a mulher deva ser valorizada tanto quanto o ar que respiramos. Ela proporciona o maior de todos os prazeres e, ainda, pode impulsionar a evolução do homem, despertar o seu poder e conduzi-lo ao sucesso na vida, saúde, felicidade. Ao lado (e não atrás) de um grande homem há sempre uma grande mulher. Por isso, vamos cultivar as boas maneiras em todos os lugares, com todos que nos cercam, especialmente com quem vamos nos deitar. Menos pressa, mais sentimento, palavras mais doces e carícias plenas de afeto. Sem dispersão, sem agressividade. Aprimore-se e divirta-se! ■

31


/ LITERATURA /

CONTO FADAS DE

POR PABLO PEREIRA

Escritor, Palestrante e Editor da Revista Seksa. Autor dos livros Combalir: poesia (1998), Sinfonia nº 5: ficção (1999), Aura Clara e Outras Cores: pequenos poemas em prosa (2012) e Do Caos: a depressão em fragmentos (2013).

32


OS S

Do caos ao amor arco-íris. Das tempestades ao olhar que tudo revela. Das andanças errantes à simbiose do matrimônio. Foi assim. Do primeiro beijo aos votos, os hábitos diários foram se alterando. Aquele horário rotineiro para o café da manhã desapareceu, a leitura desinteressada do fim de noite deu lugar à conversa sobre sonhos e os 35 compromissos diários dela me deixavam tonto. Comecei a perceber a inversão, eram os ponteiros do relógio que tomavam conta da minha agenda. Isso mesmo, caro leitor, é a mulher quem manipula os ponteiros. Quando me atentei para esta questão, já não era mais possível separar. Virei um refém, enfim. Ah, e como adorei estar naquele cárcere privado; e não poderia ser diferente, eu tinha direito a banho de sol, a abraços inesperados e a palavras doces ao pé do ouvido. Conclusão: quis prisão perpétua. Resolvi pedir ajuda ao poetinha e propus à amada a leitura de “pela luz dos olhos teus”. Surpresa e lágrimas contidas, estava oficializado o pedido de prisão. Hora de contar os dias, e muitos detalhes a serem resolvidos. Não se preocupe, meu caro leitor, as mulheres adoram resolvê-los; e também controlam os ponteiros, lembra-se? Em meio a tantas sensações, acabamos por ser meros espectadores do porvir: data, horário, local, convites, lista de presentes, convidados (sempre há mais convidados por parte da noiva, assunto encerrado), cerimônia, festa, buffet, vestido, dia da noiva (o noivo fica sem dia mesmo), gravata, alianças, celebrante, bolo e doces, flores, decoração, músicas, fotos e filmagem. Ufa! Paciência, eis o segredo. E uma única certeza: o dia em que se joga as chaves fora é inesquecível. Sim, as noivas têm o poder de nos deixar boquiabertos, sou a própria testemunha da iluminação. De vestido branco, minha princesa encantada me embriagou. As pernas bambas quase me traíram, o coração acelerou e os olhos marejados denunciaram a felicidade de um conto de fadas. Daqueles que terminam com um sonoro: “e eles viveram felizes para sempre!”. ■

33


/ MODA /

A

pergunta acima daria margem a respostas distintas. Experimente tentar respondê-la? Difícil, não é mesmo? De repente, pode ajudar jogar esta palavra no Google para ver o que aparece relacionado a esse termo! Será? Aparecerão na tela do seu PC inúmeras imagens e links de ensaios sensuais de ex BBB´s, ofertas de sex shops, de peças de lingerie, até que, peraí! Deparome com uma matéria feita com homens influentes, nas suas mais diversas áreas de atuação, que responderam a um site o que consideram sexy em uma mulher. As respostas são as seguintes: “Uma mulher bem vestida, que use salto alto. Não gosto de mulheres largadas, usando aquela calça do tipo saruel, que não mostra o corpo, roupas largas ou desleixadas, como moletom. Gosto do tipo bem feminino e cuidado, com unha feita, cabelo bonito. Isso para mim torna uma mulher sexy”, Marcelo Negrão, ex-jogador de vôlei. “Antes de mais nada, feminina. Depois, inteligente, discreta, segura, com bom humor. E que saiba se vestir, ficar linda sem cair na vulgaridade e nem se expor muito. Também acho muito sexy numa mulher ser bem sucedida e independente”, Caco Ricci, modelo e empresário. “Aquela que transborda feminilidade em todos os gestos, que transmite sensu-

SER SE

O qu

34

/


alidade no olhar e te hipnotiza ao falar e sorrir, fazendo com que o mundo pare a sua volta por alguns instantes”, Cesar Filho, jornalista e apresentador. “Uma mulher de bem com a vida, de bom humor, companheira. Nada é mais sexy para mim do que uma mulher com visão positiva em relação à vida. Tem muito mais a ver com o comportamento do que com o físico. Você vê mulheres com físico interessantíssimo, mas que não têm estilo, feminilidade, postura positiva diante da vida”, Juan Alba, ator. Podemos perceber que, apesar de serem proferidas por interlocutores diferentes, há um ponto comum em todas as respostas que os homens deram a respeito do que consideram ser sexy nas mulheres: a feminilidade. Ao contrário do que muitas de nós arriscaríamos responder, não é simplesmente a nudez que é sexy para eles e sim o comportamento, o jeito de agir, de se vestir. Viram? Eles prestam sim atenção no que vestimos. E eu concordo com eles. Há certo tempo vestindo mulheres e há mais tempo ainda sendo uma, posso garantir que não há nada que faça com que uma mulher se sinta mais sexy do que vestir uma única e indispensável atitude: autoconfiança!

Sentir-se confiante faz com que mascara aquelas imperfeiçõezinhas que totenhamos a ousadia de sonhar com das nós temos e desgostamos em nosso corum novo emprego, um po. novo amor, uma nova Transparência, apesar viagem e que possamos de ser tendência, pode SExy é USAR lInGERIE colocar em prática esou não ser sexy, porque bOnITA, bEM CUIDADA, ses mesmos sonhos. Faz se usada de maneira inaPARA vOCê MESMA com que possamos nos propriada, evidenciando dar ao direito de sermos APRECIAR; DE SEGUnDA gordurinhas indesejadas femininas e de nos ves- A SExTA, E nãO SOMEnTE e lingerie gasta, passará tirmos como tal, apesar a ser considerada como EM DIAS ESPECIAIS; de ocuparmos altos carvulgar. COM PARCEIRO OU SEM, gos no meio corporativo, Salto alto pode tornar PORqUE TE FAz bEM chefiando homens, ino andar de uma mulher SEnTIR-SE ESPECIAl, clusive! extremamente sexy ou E como obter autoextremamente grosseiro ATRAEnTE, FEMInInA. confiança? Essa é uma e de mau-gosto, caso a resposta complexa para mesma não saiba desfilar a qual não cabe uma os seus “stilettos”. Uma única resposta, e sim várias, pois commulher mancando, ou tentando equilibrar-se preende uma série de fatores dentre nos próprios sapatos pode ser considerado os quais uma tentativa de autoconhe“engraçadinho” se ela tiver por volta de quatro cimento por parte de quem procura anos de idade e estiver brincando no armário essa resposta. da mamãe, fora isso, não é nada sexy, pode Precisamos nos conhecer para nos crer no que estou dizendo! vestirmos bem. Roupas não existem Roupa decotada e justa nos lugares certos para que você se esconda atrás das e em ocasiões apropriadas é bem sexy, mas mesmas e sim para que você seja repode se tornar incrivelmente deselegante no alçada por elas. A roupa ideal coloca ambiente de trabalho, onde deve transparecer você em primeiro plano, evidencia as o seu profissionalismo e não os seus atributos suas qualidades, seus pontos fortes e físicos! Acho sexy mulher que se conhece, que sabe os seus pontos fortes, mas que nem por isso precisa sair por aí mostrando todos ao mesmo tempo, no mesmo look, de bandeja para o primeiro que passar pelo caminho. Sexy é usar lingerie bonita, bem cuidada, para você mesma apreciar; de segunda a sexta, e não somente em dias especiais; com parceiro ou sem, porque te faz bem sentir-se especial, atraente, feminina. É sexy usar a moda e as tendências a seu favor e comprar coisas que a valorizem e não agir como uma vítima do que é considerado fashion pelas revistas, comprando desenfreadamente para atolar o guarda-roupa de peças que não dizem nada sobre você, sobre o seu estilo, que fazem parecer apenas mais uma na multidão... Sexy é ser você e curtir isso! Sem forçar a barra para parecer sexy. Eu me curto e você? POR JANA MACIEL ■

EXY

ue é sexy, para você? Consultora de Moda & Estilo.

35


36


/ MÚSICA /

AMOR &

POR CRISTINA SORRENTINO

Soprano, formada em canto erudito em Madri (Espanha). Produtora musical tem em seu currículo a produção de “Evita”, “Os Melhores da broadway” e “Um doce sonho de natal”. Recebeu do jornal zero-hora o título de “A Diva dos Presidentes” por sua atuação no hino nacional brasileiro em várias ocasiões para receber Presidentes e Governadores do brasil, bem como Presidentes de outros países.

POR kARLO k. kULPA

Atua como professor, violonista, compositor e arranjador. Formado em licenciatura em Música (UFRGS).

37


ao ouvirmos uma música, liberamos uma substância chamada Dopamina, a mesma que nos dá o prazer quando comemos ou fazemos sexo.

A música causa diversas sensações diferentes no ser humano e dentre elas está o amor, o medo, a raiva e a alegria. Estudos recentes dizem que ao ouvirmos uma música, seja ela alegre ou triste, liberamos uma substância chamada Dopamina, a mesma que nos dá o prazer quando comemos ou fazemos sexo. Notem, por exemplo, quando uma criança escuta uma música em escalas maiores – aquelas escalas que deixam a música mais alegre – ela fica excitada, mexe as perninhas, os bracinhos e, normalmente, esboça um sorriso, demonstrando prazer naquilo que escuta. Quando crescemos, estes mesmos sons nos remetem instintivamente ao passado, trazendo prazer e alegria com o que ouvimos. John Sloboda e Patrick Juslin, no livro “Music and Emocion”, comentam que a relação entre música e emoções está muito interligada com as experiências vivenciadas no passado. Alfred Hitchcok usa a música como fator importante em seus filmes. Através de sons angulares de cordas em stacatto ou notas graves prolongadas, provoca, junta-

38

mente com a cena, angústia e medo nas pessoas. O amor, retratado em muitos filmes, traz juntamente com cenas românticas e trágicas melodias marcantes que, em alguns momentos de nossas vidas, voltam e, associadas ao que estamos vivendo, fazem-nos rir ou chorar. Na verdade, o amor é a grande inspiração para a maioria das músicas. É nele que os compositores da atualidade encontram suas grandes criações e seus devaneios encontram substancialidade. Talvez isto seja uma herança do período romântico, música do século XlX, em que os artistas eram inspirados pela subjetividade e completamente entregues a emoções, o que fez se distanciarem gradativamente das formas estabelecidas pelo classicismo. Poderíamos citar inúmeras músicas falando de amor, mas vamos deixar uma para reflexão “Eu sei que vou te amar”, de Vinicius de Moraes. Uma música que fala de um amor eterno, de entrega total entre duas pessoas. ■


39


/ ARQUITETURA /

podemos eleger um ambiente da casa no qual a prioridade n達o se altera, pois o foco permanece sendo o casal. O quarto!

40

EN PAR


NTRE REDES

POR Jake Silva

Arquiteta e Urbanista, especializada em projetos residenciais e comerciais. Proprietária do escritório Arch In – Arquitetura e Interiores.

O

projeto residencial costuma ser uma aula sobre relacionamento. Sinto-me uma observadora da vida conjugal. E nessa procura por absorver os desejos e anseios das pessoas, percebo a projeção de si mesmo que cada um necessita transmitir para o lugar onde mora. Homens e mulheres com suas individualidades. Um foca na funcionalidade do espaço, o outro na beleza das formas, cores e luzes, cada qual complementando um objetivo em comum. Às vezes, é necessária uma negociação, um cede aqui, o outro ali e as ideias vão fluindo. Nos dias atuais, muitas tendências influenciam nas decisões de um casal. Há os que sempre sonharam em dividir o teto com seu par amado, ter um jardim ou uma sacada, filhos, cachorro, espaço para receber visitas e todo o resto habitual que vem com essa escolha de constituir família. Há aqueles que não abrem mão da sua individualidade e preferem morar sozinhos, mantendo uma relação estável, com sua privacidade, suas coisas no lugar, seu gosto prevalecido, sua rotina intacta. E há também os que quase não ficam em casa, chegam apenas para dormir, fazer alguma refeição e olha lá.

Diante de todas essas adversidades de alinhar pensamentos no momento de projetar um novo lar, seja optando pela maneira tradicional ou por outra qualquer, podemos eleger um ambiente da casa no qual a prioridade não se altera, pois o foco permanece sendo o casal. O quarto! Através de um olhar técnico da arquitetura residencial, partimos de um programa básico de necessidades e o separamos em setores, estando o quarto na área intitulada como íntima. Na grande maioria das vezes quando chego à pergunta “e o quarto?”, os olhos brilham e a voz transmite palavras de uma maneira tão peculiar, quase como se estivesse pronunciando palavras únicas. Pronto, é a hora de revelar os desejos mais íntimos e delicados de cada um. Tem quem encare de maneira mais prática, mas mesmo assim estamos tratando de um lugar muito mais seu do que qualquer outro. Defino este ambiente com as seguintes palavras: aconchego, conforto, sofisticação, praticidade e intimidade. E assim temos perfis de clientes variados, como os que desejam muitos espelhos. Ou então os que preferem algo minimalista, uma cama, criado mudo e só! Há os que gostam de luzes diferenciadas, ou muito claro ou muito escuro. Os que curtem cores fortes, papéis de parede, o maior televisor possível. Os que necessitam de muitos, eu digo muitos, armários. E no final o que realmente importa é este ambiente ficar com a cara do casal. O papel do arquiteto, nessa fase tão importante, é captar o que cada um tem de mais especial e transpor isso para o projeto e futuramente para o ambiente real. Fazendo de um quarto não apenas um cômodo comum da casa, mas um lugar onde haja inspiração, amor e cumplicidade. ■ 41


Competência

Exclusividade

Resultados PERSONAL TRAINER · Escolha dia, hora e local · Avaliação Física · Avaliação Nutricional · Comodidade · Resultado · Treinos onde você preferir (casa, condomínio, parque, escritótio)

ligue agora e agende sua avaliação

(48)

3024.3677

www.equipeivanahenn.com e m a i l :

p y t e r @ m e . c o m

@pyterbruno 42

/pyter.bruno


www.seksa.com.br


Revista Seksa 001