Page 1


Guia médico

Revista Saúde Edição 1 | Abril . 2017 | Natal.RN

Dr. Bruno Thieme Lima Otorrinolaringologia CRM/RN 8225 | RQE 2111

Clínica Pedro Cavalcanti Avenida Rodrigues Alves, 758 | Tirol | Natal-RN (84) 4008-5909

Dra. Cátia de França Bezerra Médica CRM/RN 5926

Oncology Group | Clínica de Mastologia e Oncologia de Natal Avenida Afonso Pena, 1071 | Tirol | Natal-RN (84) 4008-3366 | 4008-3394 Hospital Dr. Luiz Antônio Rua Dr. Mário Negócio, 2267 | Quintas Natal-RN (84) 4009-5600

Dr. Felipe Pacheco Ferreira de Melo Urologia CRM/RN 3600 | RQE 2041

Dra. Daniela Cristina Caetano Maia Dermatologia CRM/RN 6030 | RQE 2004

Clinica Integrada Avenida Rodrigues Alves, 865 | Tirol | Natal-RN (84) 3222-0073 | 99977-1990 | 2226-4175 Clinica Pedro Cavalcanti Nova Parnamirim Avenida Maria Lacerda Montenegro, 1400 (dentro do Nordestão) | Natal-RN (84) 4008-5909 | 98169-5909 | 99988-1990

Dr. Glauber Bezerra Carvalho Cirurgia Plástica e Cirurgia Geral CRM/RN 5150 | RQE 2896 | RQE 2179

Av. Afonso Pena, 950 | Tirol | Natal-RN (84) 3201-1403 | 98151-0916

Harmony Medical Center Av. Coronel Joaquim Manoel, 615 | Petrópolis Natal-RN (84) 3086-1444 | 84 99856-3911

Dr. José Cabral

Dr. José Eustácio

Otorrinolaringologia e Cirurgia Estético Facial

Cirurgia Torácica/Endoscopia Respiratória e Cirurgia Geral

CRM/RN 1100 | RQE 2166

CRM/RN 5811 | RQE 1726 | RQE 1746

Clínica José Cabral Rua Maxaranguape, 621 | 1º Andar | Em frente da Casa de Saúde São Lucas | Tirol | Natal-RN (84) 3201-5367 | 3201-4427

Oncology Group Avenida Afonso Pena, 1071 | Tirol | Natal-RN 84 4008-3361 Hospital Dr Luiz Antônio Rua Dr. Mário Negócio, 2267 | Quintas | Natal-RN (84) 4009-5600

Endocrinologista

Dr. Pedro Flávio de Oliveira Batista

CRM/RN 7292 | RQE: 1561

Cirurgia Geral e Cirurgia Plástica

Dra. Júlia Torella

CRM/RN 5656 | RQE 1280 | RQE 2371

Incor Avenida Miguel Castro,1141 Lagoa Nova | Natal-RN (84) 3204 0350

6

Revista Saúde | Abril . 2017 | rsaude.com.br

Clínica AngioVascular Av. Rodrigues Alves, 861 | Tirol | Natal-RN (84) 3198-1100


Expediente

Revista Saúde Edição 1 | Abril . 2017 | Natal.RN

REVISTA TRIMESTRAL Abril/2017 | ANO 1 | Nº 1 | Natal - RN Editora Lopes e Rampani Ltda - CNPJ 07.986.256/0001-69 Franquia de Natal - Dirceu Conceição dos Santos Filho ESCRITÓRIOS Umuarama (sede): Rua Paulo Pedrosa de Alencar, 4291 - Ed. Manhattan Garden - CEP: 87501-270 | Centro | Tel.: 44 3622-8270 e-mail: revistasaude@sempresaude.com.br - Maringá: Av. Humaitá, 452 - Centro Empresarial Dalla Costa - Sala 303 CEP: 87014-200 | Zona 4 | Tel.: 44 3346-4050 - e-mail: artemaringa@sempresaude.com.br COLABORADORES LAYOUT E DIAGRAMAÇÃO: Alison Henrique, Bruno Assunção, Diego Correia, Dyego Bortoli, Jean Carlos, Marcio Garcia, Thiago Mantovani, Vinícius Ribeiro CORREÇÃO ORTOGRÁFICA: Professora Vera Lúcia Pimentel Maia Ribeiro FOTOGRAFIAS: Thiago Varela e Nayara Lima JORNALISTA RESPONSÁVEL: Marco Antonio dos Santos CIRCULAÇÃO: Natal - RN FRANQUIAS Apucarana/Arapongas-PR - Leandro Henrique | Paula Renatha Pontim - comercial@sempresaude.com.br - 43. 9611-5553 | 43. 9611-5563 - Araçatuba/Bauru-SP - Anderson Hernandes - aracatuba@sempresaude.com.br - 18. 99740-2777 - Boa Vista-RR - Julio Graziani Carlos boavista@sempresaude.com.br - 95. 99169-4071 - Cacoal/Ji-Paraná-RO - Flávio Junior Bezerra Paixão - paixao@sempresaude.com.br - 69. 99278-5703 - Campo Mourão-PR - Rafael Morimoto - rafael@sempresaude.com.br - 44. 9911-8081 | 44. 8811-6206 - Chapecó-SC - Fábio Bortolone - chapeco@sempresaude.com.br - 49. 9916-5719 - Cianorte-PR - Paulo Paixão - cianorte@sempresaude.com.br - 44. 3269-6430 | 44. 9922-0310 - Criciúma-SC - José Carlos Junqueira Alvarenga - criciuma@sempresaude.com.br - 48. 9912-5253 - Cuiabá-MT - Cristiana L. G. Donegá - cuiaba@sempresaude.com.br - 65. 8111-2423 | 65. 9640-2423 - Foz do Iguaçu -PR - Rosana Segovia - rosana@ sempresaude.com.br - 45. 9991-2500 - Florianópolis-SC - Paulo Victor Frasson Cordeiro - floripa@sempresaude.com.br - 48. 9133-3334 | 48. 9610-5357 - Goiânia-GO - Tiago Brito - goiania@sempresaude.com.br - 62. 9951-1899 - João Pessoa-PB - José Adriano Danhoni Neves | Ednéia Tenório - joaopessoa@sempresaude.com.br - 83. 98750-7070 | 83. 98812-7080 - Joinville-SC - Ana Paula de Campos - joinville@ sempresaude.com.br - 47. 9930-6364 - Londrina-PR - Leandro Henrique | Paula Renatha Pontim - londrina@sempresaude.com.br - 43. 9611-5553 | 43. 9611-5563 - Macaé/Rio das Ostras-RJ - Andreia Garcia | Paulo Cesar Ceranto - macae@sempresaude.com.br - 22. 988475455 | 22. 98842-9166 - Maringá-PR - Paulo Paixão - paulopaixao@sempresaude.com.br - 44. 3269-6430 | 44. 9922-0310 - Natal-RN Dirceu Filho - natal@sempresaude.com.br - 83. 98788-7070 - Palmas/Araguaína-TO - Jefferson Fila de Andrade | Rafael Thomaz - palmas@ sempresaude.com.br - 63. 98503-9960 | 63. 98426-2494 - Paranavaí-PR - Paulo Paixão - paranavai@sempresaude.com.br - 44. 3269-6430 | 44. 9922-0310 - Ponta Grossa-PR - Sérgio Oliveira | Mara Megda - pontagrossa@sempresaude.com.br - 42. 9987-8180 | 42. 8418-1290 Porto Velho-RO - Arthur Marandola | Rafael Morimoto - portovelho@sempresaude.com.br - 69. 9366-1466 | 69. 9366-1470 - Presidente Prudente-SP - Alexandre Lúcio Martins - prudente@sempresaude.com.br - 18. 98111-5145 - Ribeirão Preto-SP - Josy Vilela Le Senechal - ribeirao@sempresaude.com.br - 16. 99711-7770 - Rondonópolis-MT - Marcio Costa - rondonopolis@sempresaude.com.br - 66. 9683-1899 - São José dos Campos-SP - Marcelo Piai | Verônica Venâncio - sjcampos@sempresaude.com.br - 12. 99625.8005 | 12. 99625-1005 - São José do Rio Preto-SP - Renato Dias Renovato - riopreto@sempresaude.com.br - 17. 99669-1700 - Sinop/Sorriso/ Lucas do Rio Verde-MT - Emerson do Carmo - 66. 9.9994-2442 - rampani@sempresaude.com.br - Luiz Carlos Rampani - rampani@ sempresaude.com.br - 66. 9659-7210 - Uberaba-MG - Wander Marcio Rosada - uberaba@sempresaude.com.br - 34. 9990-2479 Uberlândia-MG - Wander Marcio Rosada - uberlandia@sempresaude.com.br - 34. 9990-2479 - Umuarama-PR - Ueslei Rampani | Marcelo Adriano - revistasaude@sempresaude.com.br - 44. 8407-0698 | 44. 9941-9930 | 44. 3622-8270

NOSSA CAPA Harmonização Facial Alexandra Calafange Nóbrega - CRO/RN 3353

Foto Capa Thiago Varela - (84) 3234-0404

DIREÇÃO GERAL

Marcelo Adriano Lopes da Silva

FRANQUEADOS DESTA UNIDADE

Ueslei Dias Rampani

Maysa Rocha Marcondes

Dirceu Filho

ENTRE EM CONTATO PARA MATÉRIAS E ANÚNCIOS Você também pode ler esta edição pelo aplicativo: REVISTA SAÚDE OFICIAL

Dirceu Filho: 84 99645-0101 Maysa R. Marcondes: 84 99960-3333 natal@sempresaude.com.br

www.rsaude.com.br

Facebook/revistasaudenatal

revistasaudenatal_

As matérias e imagens veiculadas são de responsabilidade dos seus autores. rsaude.com.br | Abril . 2017 | Revista Saúde

7


Guia médico

Revista Saúde Edição 1 | Abril . 2017 | Natal.RN

Dra. Regina Florêncio

Dra. Tatiana Maia

Médica CRM/RN 3561

Dermatologista CRM/RN 5430 | RQE 1427

Clínica Neoformas Av. Cel. Joaquim Manoel, 615 | Sala 101 Lobby. Ed. Harmony Medical Center | Petrópolis Natal-RN (84) 3027-0707 | 84 99694-0099 (84) 99136-1582

Clínica Angiocardio Rua Apodi, 556, Tirol | Natal-RN (84) 3133-4500

Índice 12 14 16 17 18 20

A Pele e o Sol Dra. Tatiana Maia

27

ESPECIAL CAPA Cirurgia de Bichectomia

28

ESPECIAL CAPA Ortodontia Autoligada

30

Nódulo na Tireóide: Como proceder? Dra. Júlia Torella

Problemas com o Suor?

Dra. Janaina Grossi

Dr. José Eustácio

O mal silencioso: Câncer de colo uterino

30

Aumento Mamário com Silicone Dr. Pedro Flávio de Oliveira Batista

Dra. Cátia de França Bezerra

A lipoaspiração é mesmo perigosa?

31

Doutor, o meu nariz é entupido, o que eu faço?

34

MMP® Microinfusão de Medicamento na Pele: uma técnica inovadora em dermatologia.

Dr. Glauber Bezerra Carvalho

Tratamento de Varizes com Laser Endovenoso Dra. Regina Florêncio

Dra. Daniela Cristina Caetano Maia

Dr. Felipe Pacheco Ferreira de Melo

35

Lipo Enzimática de Papada

22

Como lidar com o estresse do nosso cotidiano?

36

Cirurgia Plástica Nasal (Rinoplastia)

Dr. Akira Yano

ESPECIAL CAPA Harmonização Facial x Odontologia Moderna

40

Dr. José Cabral

Síndrome do coração partido. Quando o estresse emocional ataca o coração! Dr. Claudio Francisconi

ESPECIAL CAPA A Importância do Cirurgião Dentista no Tratamento do Câncer

Acupuntura No tratamento do transtorno de ansiedade generalizada

Revista Saúde | Abril . 2017 | rsaude.com.br

41

31

Dr. Roberto Tiago Alves Pinheiro

Dra. Alexandra Calafange Nóbrega

Dr. Gleidston Potter

18

Dr. Bruno Thieme Lima

21

26

12

Dr. Thiago Felippe Oliveira de Macêdo

O Avanço Tecnológico Aplicado à Urologia

24

8

Revista Saúde Edição 1 | Abril . 2017 | Natal.RN

Dra. Marília Pedralli Ferreira

24 36 40


Revista Saúde Edição 1 | Abril . 2017 | Natal.RN

Editorial

Revista Saúde® se consolida em Natal e região como veículo totalmente segmentado na Área da Saúde! Quando chegamos a Natal em meados de 2017, com o objetivo de trazer a Revista Saúde® para esta capital, tínhamos enraizado em nossos corações o verso nº 8 do Salmo 121: “O Senhor protegerá a sua saída e a sua chegada, desde agora e para sempre.” E assim chegamos aqui para lançarmos essa marca de alto nível no segmento da Saúde, e mais uma vez, Deus nos abençoou. O resultado assim se fez e atualmente a Revista Saúde® Natal já está entre as maiores e melhores da marca Revista Saúde® em nível nacional. Natal e Revista Saúde: um casamento perfeito! Somos especialistas na divulgação de anúncios e matérias na Área Médica e da Saúde. O que torna Natal um terreno fértil e muito promissor, tendo em vista que essa cidade Respira Saúde. Aqui, possuímos verdadeiras referências nacionais e internacionais em vários campos da medicina. Somado a tudo isso, estão profissionais de altíssimo nível nas áreas de Odontologia, Farmácia, Nutrição, Psicologia, Fisioterapia, Fonoaudiologia e Esportes, que fazem de Natal uma referência médica e também uma Capital da Saúde. Mas por que a Revista Saúde® traz tanto resultado? Somos líderes nesse segmento, atualmente estamos distribuídos em 40 cidades polos pelo Brasil. Temos 13 anos de “Know-how” e, durante este período, trabalhamos focados em resultados para nossos clientes, trazendo o que há de mais moderno nas impressões de alto nível e na sintonia fina com as mídias sociais. Dispomos de um portal super moderno e atualizado com o Guia Médico e Profissionais da Saúde. É comprovado que matérias ou anúncios em revistas segmentadas são reconhecidos como mídias eficientes e diretamente focadas na audiência, o que oportuniza resultado praticamente assegurado. Boa leitura.

Um abraço Dirceu Filho e Maysa R. Marcondes | Franqueados da cidade de Natal . RN

rsaude.com.br | Abril . 2017 | Revista Saúde

9


A Pele e o Sol

Os raios ultravioletas do sol (UVA e UVB) são responsáveis por 90% dos cânceres de pele e também pelas manchas, rugas, telangiectasias (vasinhos) e envelhecimento precoce da pele. Podem acometer qualquer área fotoexposta, porém esses efeitos são encontrados com maior frequência na face.

As manchas e sinais aos olhos leigos muitas vezes parecem semelhantes, porém é importante a avaliação de um profissional habilitado, médico dermatologista, pois existem manchas de diversas causas que acometem camadas diferentes da pele, apresentando, portanto, tratamentos completamente distintos. O melasma é caracterizado por manchas amarronzadas, de limites mal definidos que ocorrem principalmente na face em bochechas, testa e buço de mulheres jovens. Vários fatores estão envolvidos na causa como: exposição solar, uso de anticoncepcionais orais, exposição diária à fonte de luz(lâmpadas e computadores), hormônios e medicamentos. Após adquirir as manchas, nem tudo está perdido. Graças a tecnologias e diversos avanços na dermatologia, dispõe-se de diversas opções terapêuticas com resultados excelentes, associando o tratamento domiciliar com uso de clareadores e filtros solares físicos com pigmentos. Outra novidade que tem tido excelen-

tes resultados são os fitoterápicos orais com efeito anti-inflamatório agindo como um “calmante” para essa pele hiper-reativa. Porém, uso isolado de cremes não basta para atingir excelentes resultados. Para o sucesso do tratamento a associação de métodos como: peelings superficiais seriados, laser e IPCA( Indução Percutânea de Colágeno) são fundamentais . As melanoses solares conhecidas popularmente como manchas senis, são manchas que variam de marrom claro ao escuro e podem apresentar de milímetros a centímetros, bem delimitadas e que acometem principalmente face, braços e dorso das mãos. O tratamento domiciliar com clareadores associado a peelings médios seriados, laser e a luz pulsada apresentam bons resultados, trazendo um aspecto de pele jovem e saudável. As telangiectasias são dilatações de pequenos vasinhos da pele, tornando-os visíveis a olho nu, trazendo muitas vezes o aspecto enrubescido, o que acaba constrangendo muitas vezes o paciente. Podem estar associadas a exposição solar prolongada, uso de pomadas de corticoide e a rosácea, uma doença inflamatória crônica que se caracteriza por rubor facial, vasinhos na pele e as vezes pápulas(semelhante a espinha). A rosácea apresenta como fatores desencadeantes a exposição solar, bebidas alcoólicas, cosméticos inadequados e estresse. Para o controle adequado é importante associar medidas de prevenção aos fatores que desencadeiam a doença, medicamentos específicos de controle e uso de tecnologia como a luz pulsada e o laser para tratar do eritema(vermelhão) e das telangiectasias. O uso diário de medidas de fotoproteção (protetores solares, roupas, chapéus e guarda-chuvas), assim como consulta regular ao médico dermatologista são importantes condutas para se obter uma pele saudável e bonita.

DRA. TATIANA MAIA - CRM/RN 5430 MÉDICA DERMATOLOGISTA - RQE 1427

• Graduação em Medicina pela UFRN; • Residência em Dermatologia no Hospital Ipiranga-SUS- SP; • Professora Colaboradora de Dermatologia da UFRN; • Membro Titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

12

MAIS INFORMAÇÕES CONSULTE NOSSO GUIA NAS PÁGINAS 6 e 8.

Revista Saúde | Abril . 2017 | rsaude.com.br


Nódulo na Tireoide: Como proceder? Como são diagnosticados os nódulos tireoidianos? Os nódulos tireoidianos podem ser percebidos pelo próprio paciente desde que volumosos e portanto visíveis ao engolir, mas geralmente são encontrados durante palpação do pescoço por um médico ou por meio de ultrassonografia de tireóide.

O que são nódulos de tireóide e por que aparecem? Nódulos tireoidianos são alterações anatômicas da glândula tireóide decorrentes do agrupamento de células da própria glândula e que apresentam-se como formações sólidas ou sólido císticas( com componente líquido associado). São achados comuns, ao exame clínico ou através da realização de ultrassonografia, sendo mulheres e idosos mais propensos ao seu aparecimento. Podem ainda ser encontrados em membros de uma mesma família. Não se sabe exatamente o que causa a maioria desses nódulos, mas condições como deficiência de iodo, tireoidites( mais comumente a tireoidite crônica ou de Hashimoto) podem estar associadas.

Quais são os sintomas? Normalmente os nódulos não provocam sintomas exceto quando são grandes e acabam por pressionar estruturas no pescoço, levando a dor, rouquidão, dificuldade de engolir ou respirar. Existem casos em que o próprio nódulo produz excesso de hormônios tireoidianos, levando ao aparecimento de sintomas como palpitações, tremores, suor excessivo, nervosismo e perda de peso. Os nódulos são perigosos? A grande maioria, em torno de 90%, são benignos, entretanto, podem ser cancerosos, cerca de 8% em homens e 4% em mulheres, sendo o risco maior em jovens( < 20 anos) ou idosos( > 70 anos) , naqueles com história de exposição à radiação no pescoço ou história familiar de câncer de tireóide.

Como são feitos o acompanhamento e tratamento dos nódulos? São as características do nódulo à ultrassonografia associadas ao risco do paciente de desenvolver um nódulo canceroso que indicam a necessidade de investigação do mesmo. Nódulos considerados suspeitos para malignidade devem ser puncionados( punção aspirativa por agulha fina) embora antes seja necessária a realização da função tireoidiana para descartar nódulos hiperfuncionantes( que produzem hormônios tireoidianos em excesso). Os nódulos considerados não suspeitos ou os suspeitos que tenham sido puncionados mas com resultado benigno, podem ser acompanhados através de exame físico e ultrassonografia de tireóide a cada 6-12meses; no caso dos nódulos puncionados cuja biópsia mostrou-se suspeita ou positiva para câncer de tireóide, está indicada a remoção cirúrgica da glândula. Tenho um nódulo na tireóide. O que fazer? Procure um endocrinologista para adequada avaliação, seguimento e tratamento.

DRA. JÚLIA TORELLA - CRM/RN 7292 MÉDICA ENDOCRINOLOGISTA RQE 1561

• Graduada em Medicina pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU); • Residência médica em Clínica Médica e em Endocrinologia e Metabologia pelo HC UFU; • Título de especialista em Endocrinologia e Metabologia pela SBEM.

14

MAIS INFORMAÇÕES CONSULTE NOSSO GUIA NAS PÁGINAS 6 e 8.

Revista Saúde | Abril . 2017 | rsaude.com.br


PROBLEMAS COM O SUOR? Hiperidrose é uma desordem caracterizada por suor excessivo, que afeta aproximadamente de 1% a 2,8% da população. Geralmente ocorre nas mãos, nos pés e nas axilas, podendo, ainda, se manifestar na face e couro cabeludo. Embora não se conheça exatamente o mecanismo ou as causas pelas quais isto ocorre, em alguns indivíduos o suor intenso nas mãos, nos pés, nas axilas ou na face torna-se incontrolável. Em todo o mundo já foram tentados vários tratamentos clínicos para a hiperidrose, mas todos eles são paliativos e de efeito temporário. Atualmente está se desenvolvendo e publicando alguns estudos com o uso de medicamentos que tem se mostrado efetivo, no controle e no tratamento dos sintomas da hiperidrose primária em grande número de pacientes. No entanto, o procedimento cirúrgico ainda é considerado efetivo, definitivo e deve ser uma opção depois de algumas tentativas de controle com o tratamento clínico.

DR. JOSÉ EUSTÁCIO - CRM/RN 5811 CIRURGIA TORÁCICA/ ENDOSCOPIA RESPIRATÓRIA - RQE 1726 CIRURGIA GERAL - RQE 1746

• Graduado em Medicina pela Unversidade Federal de Pernambuco (UFPE) em 2008; • Residência Médica em Cirurgia Geral no Hospital Walfredo Gurgel 2010-2011; • Residência Médica em Cirurgia Torácica na Universidade de São Paulo (FM -USP) 2012-2013; • Médico Cirurgião Torácico efetivo do Hospital Walfredo Gurgel; • Médico Cirurgião Torácico da Liga Norte Rio - Grandense Contra o Câncer (LIGA); • Membro Aspirante da Sociedade Brasileira de Cirurgia Torácica (SBCT); • Membro da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia (SPPT).

16

MAIS INFORMAÇÕES CONSULTE NOSSO GUIA NAS PÁGINAS 6 e 8.

Revista Saúde | Abril . 2017 | rsaude.com.br


O mal silencioso: Câncer de colo uterino A palavra assusta, dá medo e, muitas vezes, não queremos nem falar. Quem já não ouviu: “Ela está com aquela doença”, uma frase que sentencia quem está doente e, cria desesperança. O câncer pode ser grave, mas é importante saber que, se tratado no início, as chances de cura são grandes. Por isso, é melhor voltarmos para aquela frase também antiga e que é muito sábia: “Prevenir é melhor que remediar”. Isso mesmo! Prevenção é a palavra-chave quando falamos em câncer. Nessa matéria chamarei a atenção para o CÂNCER DE COLO UTERINO, câncer esse que podemos prevenir e caso ocorra, se detectado em fases iniciais, tem alta chance de cura. ENTÃO COMO PODEMOS PREVENIR O CÂNCER DE COLO UTERINO? Em 99% dos casos, esta doença está relacionada ao vírus HPV (Papilomavírus Humano), um vírus sexualmente transmissível. Por isso, a maneira que temos para prevenir e diminuir o número de casos é evitando-se a infecção pelo HPV, através da vacinação e uso de preservativo ou após a ocorrência dessa infecção, por meio do exame preventivo ginecológico (Papanicolau).Com este exame é possível descobrir precocemente se uma mulher tem lesões precursoras (que surgem antes) do câncer do colo do útero. Caso tenha, essas lesões devem ser tratadas, conforme a orientação médica para que não evoluam para o câncer. A PARTIR DE QUE IDADE E COM QUAL FREQUÊNCIA DEVE REALIZAR O PREVENTIVO? Em mulheres que iniciaram atividade sexual, o Ministério da Saúde recomenda a partir dos 25 anos de idade, sendo com uma frequência de a cada três anos, após dois exames normais consecutivos realizados com um intervalo de um ano. COMO FUNCIONA A VACINAÇÃO CONTRA O HPV? O HPV é um vírus que causa o câncer não só no colo do útero, mas também na vulva, vagina, ânus e até na cavidade

oral. Desde 2014 essa vacina faz parte do calendário nacional de imunização, sendo realizada gratuitamente pelo SUS nas meninas dos 9 aos 13 anos e a partir de 2016 nos meninos também. Existem dois tipos de vacinas a bivalente que protege contra os dois principais vírus que causam o câncer, HPV 16 e 18, e a quadrivalente (Essa é a do SUS) que além de proteger contra os vírus que causam câncer, protege também contra os vírus que causam as conhecidas verrugas genitais, HPV 6 e 11. Converse com seu médico sobre essa vacina e ATENÇÂO: a vacinação não elimina a necessidade da prevenção por meio do rastreamento com o papanicolau, pois as mesmas não oferecem proteção para 30% dos casos de câncer do colo do útero causados por outros tipos de HPV oncogênicos.

ou DURANTE A RELAÇÃO SEXUAL e CORRIMENTO VAGINAL DE CHEIRO RUIM. COMO É O TRATAMENTO DO CÂNCER DE COLO UTERINO? O tratamento do câncer de colo uterino depende do estágio da doença, ou seja, em fases mais iniciais do câncer o tratamento será cirúrgico, porém em fases mais avançadas o melhor tratamento pode ser radioterapia associado à quimioterapia e naquelas onde a doença já se espalhou pelo corpo a quimioterapia será o melhor tratamento. Dai, a importância da PREVENÇÂO e diagnóstico PRECOCE para que o tratamento tenha chance de cura.

O CÂNCER DE COLO UTERINO TEM SINTOMAS? A grande maioria das mulheres com esse câncer em sua fase inicial é ASSINTOMÁTICA,ou seja, não sente NADA. Daí a importância do exame preventivo que já falamos acima, pois será esse exame que irá detectar o câncer em sua fase inicial quando a chance de cura é alta. Porém para aquelas mulheres que não realizam a prevenção ou que não dão importância para as alterações em seu corpo, poderão ter um câncer de colo uterino que deixará de ser silencioso, crescerá e trará sinais e sintomas como: SANGRAMENTO VAGINAL ANORMAL

DRA. CÁTIA DE FRANÇA BEZERRA - CRM/RN 5926 MÉDICA

• Graduada em Medicina pela Universidade Federal da Paraíba - UFPB; • Residência em Cirurgia Geral pelo Hospital Universitário Onofre Lopes HUOl-UFRN; • Residência em Cirurgia Oncológica pela Liga Norte Riograndense Contra o Câncer - LNRCC; • Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica - SBCO; • Atua com ênfase na área de Ginecologia Oncológica. MAIS INFORMAÇÕES CONSULTE NOSSO GUIA NAS PÁGINAS 6 e 8.

rsaude.com.br | Abril . 2017 | Revista Saúde

17


A lipoaspiração é mesmo perigosa? Com o avanço da estética no mundo, estar de bem com sua autoimagem se transformou em medida de felicidade. Quem está na terceira idade, hoje, se lembra que na sua mocidade os “pneuzinhos” não eram problemas como são hoje. Os valores de felicidade mudaram e, com isso, os hábitos também.

Para realizar a lipoaspiração a paciente deve estar em boas condições de saúde, lembrando que o comprometimento da mesma no pré e pós-operatório é parte fundamental do sucesso da cirurgia.

A Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética, em conjunto com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, demonstraram que a lipoaspiração é a cirurgia plástica mais realizada no país A lipoaspiração vem evoluindo constantemente, não só pelo número variado de técnicas e desenvolvimento de táticas, como também por aparecimento de materiais, métodos e aparelhos. Sem dúvida a lipoaspiração é de longe o procedimento mais comumente efetuado pelos cirurgiões plásticos, seja isoladamente, seja associada a outras cirurgias, ou como complementação de outros tratamentos. Contudo, sua aparente simplicidade de realização e baixa morbidade, tem levado muitos médicos e cirurgiões sem o devido preparo a erros graves, por subestimarem seus riscos ou por desconhecerem a técnica em todos os seus aspectos, em todas suas minúcias. É comum a ideia de que a lipoaspiração é uma cirurgia perigosa, de grande risco. Por outro lado, alguns se referem à lipo como se esta não fosse considerada cirurgia. Ouvimos frequentemente a frase: “Dr.,preciso fazer cirurgia ou só lipo mesmo? Afinal, qual a realidade? Quão seguro é este procedimento? Quais as medidas de segurança que devo tomar para não me arrepender?” Primeiramente: Lipoaspiração é sim uma cirurgia, da especialidade da cirurgia plástica, e como qualquer cirurgia envolve riscos. Logo, um especialista em cirurgia plástica deverá ser o responsável pela execução. Exposto desta forma, até parece óbvio demais

DR. GLAUBER BEZERRA CARVALHO

para ser escrito em uma matéria séria sobre cirurgia plástica. Concordo, não fossem os muitos médicos não especialistas que tem se aventurado a fazer lipoaspirações e se divulgado como especialistas em medicina estética. Segundo: qualquer cirurgia será sempre mais segura se realizada em hospital, onde há muitos recursos disponíveis para eventuais adversidades. No consultório, o risco é imensamente maior se comparado ao hospital, pois além de não dispor de recursos, o ambiente é mais propenso a infecções. Para realizar a lipoaspiração a paciente deve estar em boas condições de saúde, lembrando que o comprometimento da mesma no pré e pósoperatório é parte fundamental do sucesso da cirurgia. No pré-operatório deve-se realizar exames laboratoriais, avaliação cardiológica e consulta pré-anestésica; no pós-operatório é fundamental a drenagem linfática e o uso de modeladores compressivos. O retorno às atividades normais acontece em torno de 30 dias. A lipoaspiração é uma das cirurgias mais realizadas no Brasil e com alto grau de segurança. Com certeza, adversidades podem ocorrer com qualquer um. Porém, se uma complicação acontecer em hospital e com um especialista, dificilmente terá uma consequência maior, pois o profissional saberá como lidar com ela e terá todos os recursos necessários para fazê-lo. Se todos os critérios técnicos de segurança forem respeitados, os riscos são mínimos. Portanto, para o sucesso de sua lipoaspiração, procure um especialista em cirurgia plástica.

- CRM/RN 5150

CIRURGIA GERAL - RQE 2179 CIRURGIA PLÁSTICA - RQE 2896

• Formação pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

18

MAIS INFORMAÇÕES CONSULTE NOSSO GUIA NAS PÁGINAS 6 e 8.

Revista Saúde | Abril . 2017 | rsaude.com.br


Tratamento de Varizes com Laser Endovenoso Atualmente, novos procedimentos minimamente invasivos vêm sendo introduzidos para o tratamento de varizes, principalmente quando é necessária abordagem de veias safenas ou varizes mais calibrosas. É possível reduzir muito o trauma, incisões, sangramentos, tempo de procedimento e de recuperação cirúrgicos, quando utilizamos técnicas endovasculares. Dentre estes novos tratamentos, o uso do laser endovenoso vem se destacando por permitir índices elevados de eficácia e segurança, além de poder ser realizado sob anestesia local e em nível ambulatorial. A técnica consiste na punção da veia a ser tratada (veias safenas ou varizes mais calibrosas) e introdução de delicada fibra óptica guiada por ultrassom sob anestesia local ou bloqueio espinhal. Após posicionamento da fibra óptica a energia laser é liberada e a veia destruída em toda sua extensão (Termoablação Endovenosa). Habitualmente o laser endovenoso é associado à técnica de microcirurgia e/ou escleroterapia para os demais vasos tornando a abordagem do paciente com varizes, mais completa. A dor pós-operatória e hematomas são muito

Varizes

A fibra laser é inserida na veia

menores quando se utiliza a técnica endovascular,

A fibra laser é removida lentamente

Veia fechada após o tratamento

permitindo retorno rápido às atividades cotidianas e menor tempo de restrição à exposição solar.

AS VANTAGENS DA CIRURGIA A LASER SÃO: • Menor trauma operatório • Melhor evolução • Menor tempo Cirúrgico • Menor incidência de complicações • Tempo de recuperação mais curto.

DRA. REGINA FLORÊNCIO - CRM/RN 3561 MÉDICA

20

MAIS INFORMAÇÕES CONSULTE NOSSO GUIA NAS PÁGINAS 6 e 8.

Revista Saúde | Abril . 2017 | rsaude.com.br


O Avanço Tecnológico Aplicado à Urologia A odisséia começa e termina diariamente na rotina corriqueira do urologista moderno. A grande maioria dos integrantes dessa geração de cirurgiões ainda não havia nascido quando o primeiro homem pisou na lua, a tecnologia necessária para tão fabulosa conquista era restrita a poucos privilegiados. Atualmente, outras jornadas às profundezas do corpo humano começam e terminam diariamente graças aos mesmos recursos. O paciente portador de cálculos urinários ou doenças de próstata e uretra se beneficiam de muitos instrumentos baseados em princípios científicos que se dominam atualmente. Com o tempo, chegou a capacidade de miniaturização de instrumentos e câmeras que, com o auxílio de fibras ópticas, permitiram a exploração de todos os recantos do sistema urinário, diagnóstico endoscópico de patologias, bem como a possibilidade de tratar efetivamente pacientes com cálculos, além de obter fragmentos de tecidos para pesquisa de câncer em várias localizações. A contribuição da física, com formas de energia de vários formatos como eletro-hidráulica, ultrassônica, mecânica e até os diversos tipos de LASERS disponíveis atualmente, permitem que o urologista trate com cirurgias endoscópicas (sem cortes), a grande maioria dos cálculos urinários. Cálculos renais de maiores proporções, que não podem ser tratados com cirurgias endoscópicas, são retirados

por pequena incisão, que dá passagem a um tubo especial, por onde passam instrumentos suficientes para sua fragmentação, aspiração e retirada. Há também a necessidade de cirurgias para retirada de órgãos ou correção de patologias de diversas origens, nesse campo cresce no Brasil, a cirurgia videolaparoscópica aplicada à urologia. A versão robótica, que acrescenta outros recursos à laparoscopia, permite até que um paciente seja operado à distância, por um cirurgião acoplado à máquina em outra cidade e até em outro continente. O treinamento do médico que se especializa em urologia nos dias atuais está cada vez mais, na dependência

DR. FELIPE PACHECO FERREIRA DE MELO

dos recursos tecnológicos que sua escola pode oferecer. O conhecimento do paciente, acerca das possibilidades de uso desses recursos tecnológicos, para o tratamento de sua patologia, vem acrescentar uma melhoria na qualidade da relação entre o médico e o paciente, contribuindo para a melhor compreensão do tratamento e consequentemente a maior satisfação de todos ao final do processo.

- CRM/RN 3600

UROLOGIA - RQE 2041

• Graduado em Medicina na Universidade Federal do Rio Grande do Norte UFRN. • Especialização em Cirurgia Geral na Fundação Hospitalar do Distrito Federal. • Especialização em Urologia no Hospital Federal de Ipanema. • Membro da Sociedade Brasileira de Urologia. • Membro Internacional da Associação Americana de Urologia. MAIS INFORMAÇÕES CONSULTE NOSSO GUIA NAS PÁGINAS 6 e 8.

rsaude.com.br | Abril . 2017 | Revista Saúde

21


Como lidar com o estresse do nosso cotidiano? É evidente que o modo de vida agitado nas grandes cidades e a crescente pressão no trabalho, tornam a vida cotidiana muito estressante.

Mas o que é estresse? Para Dr. Akira Yano: “Estresse é uma reação, uma resposta que deveria ser momentânea e que se torna permanente. A pessoa perde a capacidade de armar e desarmar. Ela fica armada o tempo todo”. O estresse é um mecanismo fisiológico, que desde os nossos ancestrais, é acionado como uma forma de defesa do nosso corpo, quando nos sentimos em situação de perigo. Como em um susto, o metabolismo todo se “arma” no intuito de nos proteger. Hoje os perigos não estão relacionados à sobrevivência, mas sim ao trânsito, a pressão do trabalho, das responsabili-

dades cotidianas, enfim do corre corre das cidades. Estamos em um modo contínuo de alerta, isto provoca um desequilíbrio que se reflete no corpo através das doenças e dores. Então a pergunta é: - Como conviver bem com estas situações estressantes? -Como conviver bem com estes excessos que nos vemos obrigados a cometer? “Não é normal ter uma vida estressante. O primeiro passo é ter a consciência dos excessos que se comete” diz Dr. Akira Yano, e continua: “Um empresário com uma jornada diária de 14 horas de trabalho tem um desgaste físico e mental enorme. Ele deve desenvolver a capacidade de perceber os excessos que se vê obrigado a cometer diariamente”. Este é o início do processo, mas sozinho é difícil, por isso utilizamos várias técnicas que ajudam a pessoa a voltar a seu equilíbrio físico e mental.

O estresse provoca um desequilíbrio emocional, físico e psíquico, que se manifesta, por exemplo, através de dores no corpo. A terapêutica oriental busca retomar este equilíbrio, tratando o indivíduo de forma global. A medicina chinesa cuida das causas das patologias e não do efeito de forma isolada Para Dr. Akira Yano: “Não existe doença, existem pessoas doentes, e esta máxima se aplica muito bem nos dias de hoje.” Dr. Akira Yano finaliza citando Hipócrates: “(...) não adianta cuidar da doença e sim do doente (...)” Para tanto é importante percebê-lo de forma global, biopsicossocial. Dentro desta visão, a utilização criteriosa de técnicas como a fitoterapia, quiropraxia, massoterapia e acupuntura, tem trazido em nossa clínica, com muito sucesso, o reequilíbrio do indivíduo, sanando, assim, os efeitos e eliminando as causas destas patologias”

DR. AKIRA YANO PSICÓLOGO - CRP/RN 17/1224

• Especialista em Acupuntura – CRAENE 0203 • Massoterapeuta • Quiroprático • Fitoterapeuta

Clínica Akira Yano - Av. Norton Chaves | 129 | Lagoa Nova | Natal | RN - (84) 3206-2666 22

Revista Saúde | Abril . 2017 | rsaude.com.br


ESPECIAL CAPA

Harmonização Facial x Odontologia Moderna O PADRÃO DE BELEZA atual vem ganhando muita força nos últimos anos, principalmente devido ao crescimento das mídias sociais, as pessoas sentem a necessidade de estar cada vez mais bonitas. A boa notícia é que a ciência vem correspondendo à altura, suprindo as expectativas, nos possibilitando materiais de excelência, procedimentos menos invasivos, mais rápidos e com resultados encantadores. Um bom Cirurgião-Dentista sempre deve avaliar o paciente como um todo, integrando o SORRISO. E o que isso quer dizer? Ninguém sorri só com os dentes. Ao sorrir, movimentamos a pele e os músculos da face. Portanto, ao planejar uma REABILITAÇÃO ORAL, devemos levar em consideração as expressões faciais, os lábios, as funções dos músculos da mastigação, as linhas de expressão, hábitos do paciente, dentes e gengiva. Para realizar a HARMONIZAÇÃO DA FACE, podemos lançar mão de várias possibilidades. Cada paciente tem um planejamento individualizado, visando suas necessidades, buscando, SEMPRE, em primeiro lugar a SAÚDE, a estética vem por consequência. Portanto, pode ser que o paciente precise apenas de um procedimento, outros podem estar indicados a realizar dois, ou três, por exemplo. Para mim, a primeira parte do tratamento é o ESCLARECIMENTO, mas esclarecimento de quê? • Do que o paciente está insatisfeito, ou seja, o motivo real da procura pelo tratamento; • Do que foi diagnosticado; • O que o paciente sonha X O que deve ser feito/O que é possível ser feito. “Considero essa a chave para TRATAMENTOS, EFETIVOS, com satisfação de ambos os lados. Tentarei, então, fazer uma breve explanação sobre quais são os procedimentos disponíveis para a tão sonhada Harmonização Facial.” Diz Dra. Alessandra.

24

Revista Saúde | Abril . 2017 | rsaude.com.br

• PRP (Plasma Rico em Plaquetas): tratamento estético revolucionário que consiste em aplicar na pele algumas injeções de plasma sanguíneo, proveniente do próprio paciente. Esse plasma contém fatores de crescimento, que estimulam a regeneração e o REJUVENESCIMENTO da pele, através do aumento da produção de colágeno, ácido hialurônico e elastina. Feito no próprio consultório, dura cerca de 40 minutos. • Implantes Dentários: são parafusos de titânio, que atuam como substitutos das raízes dos dentes perdidos, suprindo as necessidades funcionais (mastigação e fonação), como também, dando SEGURANÇA para o paciente falar e sorrir em público. Normalmente são instalados de maneira rápida e indolor. • Ortodontia: visa reposicionar os dentes de maneira a promover um EQUILÍBRIO entre o perfil facial, engrenagem dos dentes (oclusão), função mastigatória e estética. A ORTODONTIA AUTOLIGADA é, hoje, uma excelente opção para tratamentos ortodônticos mais rápidos e eficazes. Existem também a Ortodontia lingual e o Aparelho Invisalign, muito procurados pelos profissionais que vivem de sua imagem, que não “podem” aparecer de aparelho nos dentes. • Clareamento Dental: já conhecido pela maioria, visa melhorar a cor dos dentes. “Existem algumas variáveis nas técnicas, contudo, clinicamente, observo que o melhor resultado ocorre quando associamos o clareamento caseiro com o de consultório.” Diz a Doutora. “A SENSIBILIDADE varia muito em cada paciente, esse quesito me guia a selecionar qual a concentração ideal a usar em cada caso, como também o tempo de tratamento necessário.” • Bichectomia: trata-se de um procedimento cirúrgico, realizado no consultório odontológico, que visa reduzir o volume das bochechas através da remoção de uma gordura profunda (BOLA DE BICHAT). Está indicada principalmente para os pacientes que costumam morder as bochechas. O resultado estético é um rosto mais afilado.


ESPECIAL CAPA

A boa notícia é que a ciência vem correspondendo à altura, suprindo as expectativas, nos possibilitando materiais de excelência, procedimentos menos invasivos, mais rápidos e

• Toxina Botulínica: atua na função muscular, trazendo um EQUILÍBRIO FUNCIONAL. Excelente para bruxismo, apertamento dental, assimetria facial, dores e marcas por tensão muscular,correção do sorriso gengival, e suavização de músculos hipertróficos. • Lentes de Contato Dentais/Facetas de Porcelana: são lâminas de porcelana que corrigem falhas, espaços, defeitos estruturais, alterações de cor e tamanho. Uma opção RÁPIDA e EFICIENTE, que envolve muita TECNOLOGIA, desde o planejamento até a colagem, garantindo longevidade aos tratamentos. • Preenchedores Faciais: existem algumas opções no mercado brasileiro (permanentes e semipermanentes). Todavia, o de predileção é o ÁCIDO HIALURÔNICO. Trata-se de um material reabsorvível, de rápida aplicação, indolor (é feita anestesia local) e alto grau de satisfação. Pode ser utilizado em várias regiões da face para recuperar as estruturas perdidas, tais como: “BIGODE CHINÊS”, “RUGA DE MARIONETE”, “CÓDIGO DE BARRAS”, “MAÇÃ DO ROSTO”, OLHEIRAS, NARIZ e LÁBIOS. • Microagulhamento: através de um rolinho cheio de agulhas, é possível estimular a produção de COLÁGENO, melhorando o aspecto de MANCHAS, marcas de acne e das rugas, ou seja, melhora a qualidade da pele como um todo. Após o processo, a pele se encontra mais permeável, facilitando a absorção de dermocosméticos. É um tratamento que pode ser repetido tantas vezes forem necessárias, desde que se respeite o intervalo entre as aplicações. Conseguimos resultados fantásticos ao associar essa técnica com o PRP. • Fios de sustentação: possibilitam um LIFTING FACIAL, sem a necessidade de cortes, sangramento ou centro cirúrgico. É possível reduzir as rugas, recuperar volumes, através de uma técnica minimamente invasiva, que dura cerca de 30-60 minutos, com anestesia local.

com resultados encantadores.

DRA. ALEXANDRA CALAFANGE NÓBREGA - CRO/ RN 3353 ODONTOLOGIA • Cirurgiã-Dentista (UFRN) • Especialização Prótese Dentária (SP) • Aperfeiçoamento em Implantodontia (RN) • Aperfeiçoamento em Dentística (RN) • Harmonização Facial (SP) • Toxina Botulínica e Preenchimento Facial (BSB, RJ, SP) • Especialização em Acupuntura (ABA) • Plasma Rico em Plaquetas - PRP (SP) • Bichectomia (SP)

• Acupuntura Estética: sempre associo em meus tratamentos. Visa equilibrar o paciente, auxiliando na REABILITAÇÃO EFETIVA. Estimula o corpo a trabalhar a favor da recuperação das estruturas perdidas, otimizando os resultados preconizados. Enfim, atualmente, o paciente tem uma infinidade de opções terapêuticas. Não se deve deixar levar apenas pelo que se diz em redes sociais. Estar saudável é, sem dúvida, o mais importante! E o que é beleza? É o reflexo de sua essência! Não devemos aderir apenas aos padrões de beleza preconizados no mundo de hoje. Procure um profissional que lhe deixe seguro, que tenha responsabilidade com você. Ninguém é dono da verdade, mas conhecer a fundo o paciente, ajuda, e muito, a traçar o PLANO DE TRATAMENTO INDIVIDUALIZADO E ADEQUADO A VOCÊ.


ESPECIAL CAPA

A Importância do Cirurgião Dentista no Tratamento do Câncer O câncer no Brasil é considerado um problema de saúde pública, está entre as causas mais frequentes de morte ao lado das doenças circulatórias e infecciosas, seu tratamento requer uma criteriosa seleção e, dependendo do caso, de uma ou mais modalidades terapêuticas (cirurgia, quimioterapia e radioterapia). Nesse contexto, é imprescindível lembrar que devido à complexidade do problema, se faz necessário a existência de uma equipe multiprofissional em saúde que possa atuar de forma efetiva, promovendo, durante a terapia oncológica, conforto e qualidade de vida para o paciente. O ideal é que logo após a confirmação do diagnóstico, o paciente seja orientando a realizar uma consulta com um dentista capacitado para que seja feita uma avaliação das condições de saúde bucal, exames radiológicos e a elaboração de um plano de tratamento que priorize a remoção dos focos de infecção (exodontias, cáries e doenças periodontais), adequação do meio bucal (restaurações, fatores traumáticos, etc), além do controle e acompanhamento das condições de higiene oral. Além dos efeitos colaterais sistêmicos, estima-se que cerca de 40% dos pacientes oncológicos que realizam a terapia antineoplásica irão apresentar comprometimentos na cavidade oral, assim como pacientes que serão submetidos ao transplante de medula óssea (TMO), isto, em consequência da estomatotoxicidade direta e indireta do tratamento, aumentando esse percentual nos casos de tumores localizados na região da cabeça e pescoço, o que evidencia a importância da atuação de um dentista com

DR. GLEIDSTON POTTER - CRO/ RN

formação e conhecimento contextualizado com o diagnóstico\tratamento do câncer apresentando pela equipe e paciente. A aplicação sistemática de um protocolo de cuidados odontológicos antes, durante e após o tratamento do câncer está associada à redução das complicações bucais, diminuindo a incidência e severidade dos efeitos dessa terapia, são eles: mucosite, infecções secundárias, xerostomia\ hipossalivação, trismo, disfagia, odinofagia entre outros, e cárie de radiação e osteorradionecrose que são efeitos específicos da radioterapia na região da cabeça e pescoço. Dentre os efeitos orais da quimioterapia e radioterapia, a mucosite surge como a principal complicação não hematológica para o paciente durante o tratamento oncológico e TMO. Uma vez instalada, a mucosite limita a ingestão alimentar por via oral, em função da dor e do desconforto para mastigar e/ou deglutir causados pelas lesões ulceradas, podendo ocorrer um agravamento do estado nutricional, contribuindo para um aumento da morbidade e do tempo de internação hospitalar. Dentre outras condutas, a Laserterapia em Baixa Potência vem apresentando ótimos resultados com protocolos preventivos e terapêuticos no tratamento da mucosite. O Cirurgião – Dentista tem papel fundamental nos cuidados em saúde bucal durante o tratamento do câncer. É importante também que o profissional tenha conhecimento do tratamento que será utilizado pela equipe médica, a fim de avaliar o risco de alterações na cavidade bucal e as condutas propostas para o atendimento odontológico.

2821

ODONTOLOGIA • Formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) • Especialização em Saúde Coletiva (UFRN) • Curso de Aperfeiçoamento em Cirurgia Oral Menor (ABO/RN) • Curso Continuado de Odontologia para Pacientes Oncológicos / Instituto Sírio Libanês de Ensino e Pesquisa • Curso de Atualização em Odontologia em Pacientes Onco – Hematológicos / Instituto de Ensino do Hospital Israelita Albert Einstein • Habilitação em Laserterapia - Laboratório Especial de Laser em Odontologia / USP


ESPECIAL CAPA

Cirurgia de Bichectomia A cirurgia para retirada da bola de Bichat é uma técnica descrita desde os anos 80 com fundamentação da remoção do tecido adiposo presente entre a musculatura do masseter e o bucinador. É um acúmulo de gordura em uma posição anatômica do rosto, que dá maior ou menor volume para as bochechas. A funcionalidade desta se dá nos primeiros anos de vida para ajudar o bebê na amamentação e sucção materna e, com o passar dos anos, ela perde o princípio e acarreta em um depósito de gordura facial, sem função estrutural ou de sustentação. É indicada para pacientes que têm maior predisposição a repetidas mordeduras ou incomodadas com o formato do rosto. A flacidez facial, com o avanço da idade, irá acontecer, independente do paciente realizar bichectomia ou não, ao contrário do que se imagina, pacientes com excesso de gordura nessa região tem uma facilidade maior de perder a sustentação de pele com o passar do tempo, levando a uma aparência de cansado ou de bochechas caídas. Esta cirurgia é realizada através de uma incisão intraoral muito pequena (1,5cm), que não deixa cicatrizes visíveis e é aplicada sob anestesia local e/ou sedação leve. Através desta incisão, são removidas as bolas de Bichat. Todo procedimento é realizado na região dentro da boca e posteriormente, feita a sutura no local da incisão.

Após o procedimento, ocorre algum inchaço nas bochechas, que é completamente normal e controlado para qualquer pós-operatório. O paciente retorna a sua residência e a alta é dada no mesmo dia, após 1 hora em média. A cirurgia leva em torno de 50 minutos, e o paciente deve repousar e utilizar bolsas de gelo para melhora. Não é uma cirurgia dolorosa e o desconforto mínimo pode ser perfeitamente controlado com analgésicos orais. No entanto, é aconselhável abster-se de mastigação excessiva e alimentos quentes nos primeiros dias. Com um pós-operatório tranquilo e rápida recuperação, o paciente começa a apresentar seus primeiros resultados após 30 dias de cirurgia, tendo o seu resultado final em média com 90 dias. Avaliação e indicação do procedimento é de fundamental importância para o sucesso do tratamento. Uma análise bem-feita e diagnóstico do perfil do paciente irá ser necessário para traçar o prognóstico e obter o melhor resultado. Com essa cirurgia conseguimos melhorar o contorno facial, gerando assim uma sensação visual de um rosto triangular e alongado e proporcionando, por fim, ao paciente um alinhamento estético funcional.

DR. THIAGO FELIPPE OLIVEIRA DE MACÊDO - CRO/ RN 3546 ODONTOLOGIA • Cirurgião Bucomaxilofacial pela Universidade Federal da Bahia • Mestrando em Implantodontia SLMandic/SP • Atualização em Cirurgia Oral ABO/RN • Pós-Graduação em Cirurgia Bucal UFRN • Aperfeiçoamento em Implantes Dentários CEBEO/BA.


ESPECIAL CAPA

Ortodontia Autoligada Nenhuma outra área da odontologia evoluiu tanto nos últimos anos como a ortodontia. O sistema de bráquetes autoligáveis é um conceito de tratamento ortodôntico revolucionário, no qual os diagnósticos e planos de tratamentos são direcionados pela face, proporcionando um posicionamento dentário ideal e a melhora na simetria da face. Este inovador sistema de bráquetes apresenta duas diferenças básicas em relação a ortodontia convencional: os bráquetes autoligáveis e os fios termoativados. Os bráquetes autoligáveis, assim chamados por possuírem um dispositivo denominado de portinha/clip, dispensa o uso das “borrachinhas” para manter o fio dentro do slot. Este fator é muito importante, pois dispensa a necessidade das “borrachinhas” e elimina o local onde a placa bacteriana se depositava, tornando o tratamento com os bráquetes autoligáveis mais higiênico e o mais indicado para pacientes com problemas periodontais. Com isso, conseguimos diminuir a fricção na interface fio-bráquete e trabalhamos com menores intensidades de força para movimentar os dentes, causando muito menos dor aos pacientes. Apesar de usar uma força menos intensa, proporciona uma movimentação dentária muito mais rápida e, consequentemente reduz o tempo dos tratamentos. Essa força é mais fisiológica e elimina o apinhamento dos dentes através do desenvolvimento lateral dos maxilares (expansão dos maxilares), minimizando a necessidade de extrações dentárias, por conseguir o espaço para alinhar e nivelar os dentes. Os modernos fios termoativados são compostos por uma liga metálica de níquel-titânio termoativada, isto é, trabalha

na variação da temperatura da boca dos pacientes. Esta característica transmite forças menos intensas aos tecidos de sustentação, ossos e raízes, resultando em movimentações dentárias mais rápidas. São alcançados excelentes resultados com redução significativa do tempo de tratamento e do número de consultas, proporcionando ao paciente um tratamento mais confortável do que no sistema ortodôntico convencional.

• Mais rápido; • Mais confortável; • Menos dor; • Menos extrações dentárias ; • Menos acúmulo de placa bacteriana; • Sorrisos mais harmônicos.

DRA. JANAINA GROSSI - CRO/ RN 2493 ODONTOLOGIA • Pós-Graduada em Ortodontia pelo Centro Odontológico de Estudos e Pesquisas (COESP) • Especialização em Ortodontia pela UNP • Residência em Aparelhos Autoligáveis pelo Centro Avançado em Sistema Autoligado (CASA) • Meeting Internacional em Sistema Autoligado em Orlando EUA


Aumento Mamário com Silicone O implante de prótese mamária, ou mamoplastia de aumento é um dos procedimentos da cirurgia plástica mais realizados atualmente no Brasil. Com o decorrer do tempo, fatores como idade, genética, gravidez, alterações no peso, exposição ao sol e gravidade podem mudar o tamanho e a forma das mamas. Mulheres que estão insatisfeitas com o tamanho ou tiveram alterações na forma de suas mamas podem obter mamas mais firmes e com um melhor aspecto estético através desta cirurgia. A cirurgia pode aumentar o tamanho das mamas ou deixá-las simétricas, devolver seu volume ou reconstruí-las após perda total ou parcial. É importante lembrar que o implante mamário não consegue corrigir as mamas caídas. Nesses casos, geralmente é necessária uma mastopexia (lifting de mamas), que pode ser realizado em conjunto com esse procedimento.

Quais os tipos de prótese disponíveis? Existem diversas formas e volumes de prótese mamária para diferentes tipos de pacientes. O implante pode variar em sua forma (redondo, anatômico) em seu perfil (baixo, moderado, alto, super-alto, cônico). O revestimento da prótese também pode variar entre silicone (liso ou texturizado) e poliuretano. A escolha da prótese ideal para cada caso será feita em conjunto pela paciente e por um Cirurgião Plástico.

Como pode ser feita a colocação da prótese?

Este tempo pode variar de acordo com cada caso, mas, em média, entre 12-24h.

A colocação da prótese pode ser feita acima ou abaixo do músculo peitoral, dependendo de cada caso. Da mesma forma, a introdução da prótese pode ser feita via sulco mamário (inframamária), pela axila ou pela região ao redor da aréola. Cada método possui suas vantagens e desvantagens. Estes prós e contras serão discutidos na consulta com um especialista em Cirurgia Plástica.

Qual o tipo de anestesia utilizado? Os tipos de anestesia mais utilizados para cirurgia de mamoplastia de aumento são: anestesia local com sedação e anestesia peridural. Anestesia geral também pode ser necessária, principalmente quando são realizados procedimentos em conjunto. É importante salientar que a escolha do tipo de anestesia a ser utilizado vai depender da consulta com o médico anestesista. Qual o tempo necessário de internação?

Quando vou ver os resultados da cirurgia? O resultado de aumento do volume já é visto no pós-operatório imediato. Porém, o resultado final só é visto num período de 6 a 8 meses, com a diminuição do inchaço e amadurecimento da cicatriz. Quais cuidados devem ser tomados no pós-operatório? Deve-se evitar esforço com os braços por aproximadamente 2 semanas e atividade física por 1 mês. Será necessário o uso de sutiã compressivo por aproximadamente 30 a 45 dias. Dependendo do caso, também poderá ser necessário

o uso de dreno de aspiração por aproximadamente 1 a 3 dias após a alta. Não pegar sol no local da cicatriz por aproximadamente 6 meses, para evitar o escurecimento da mesma. Por fim, a decisão de se submeter à cirurgia de aumento de mama é pessoal e é você quem deve decidir se os benefícios estarão de acordo com seus objetivos. É importante saber que os resultados da cirurgia de implante de mama não são permanentes e os mesmos podem exigir substituição ao longo da vida. Você deve fazer acompanhamento com seu cirurgião plástico para discutir mudanças em seus seios. Com o tempo, seus seios podem mudar devido ao envelhecimento, às oscilações de peso, a fatores hormonais e à gravidade. Se, depois de alguns anos, você se tornar insatisfeita com a aparência de seus seios, você pode optar por se submeter a um procedimento de lifting de mama ou troca.

DR. PEDRO FLÁVIO DE OLIVEIRA BATISTA - CRM/RN 5656 CIRURGIA GERAL - RQE 1280 CIRURGIA PLÁSTICA - RQE 2371 • • • •

30

Médico Formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN); Residência Médica em Cirurgia Geral pelo HRAN de Brasília; Residência Médica em Cirurgia Plástica pelo HAM de Recife; Membro Especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. MAIS INFORMAÇÕES CONSULTE NOSSO GUIA NAS PÁGINAS 6 e 8.

Revista Saúde | Abril . 2017 | rsaude.com.br


Doutor, o meu nariz é entupido, o que eu faço? Doutor, o meu nariz é entupido, o que eu faço? A obstrução nasal é um sintoma muito frequente, que pode acometer até 70% dos brasileiros. Ela pode ser causada por uma série de doenças e cada uma vai ter um tratamento específico. Portanto, o correto é que você procure o atendimento médico, de preferência com um Otorrinolaringologista, que é o especialista nessa área, para fazer uma avaliação e tratar corretamente o seu problema. Por que ocorre a obstrução nasal? O nosso nariz tem a função de atuar como um filtro, para aquecer, umidificar e remover as impurezas, antes do ar entrar nos pulmões. Nós temos uma estrutura no nariz que é chamada de corneto nasal (também chamada popularmente de “cartuchos”). Na verdade são três cornetos em cada narina, sendo o principal o corneto inferior. Eles que ajudam a regular o fluxo nasal. Uma das principais causas de obstrução nasal, são as infecções respiratórias agudas (gripes, resfriados, etc). Nessas infecções, os cornetos ficam inchados e aumenta a produção de muco nasal, levando à obstrução. Na obstrução nasal crônica, quando os sintomas duram semanas ou meses, uma das principais causas são a rinites ou rinossinusites crônicas, especialmente a alérgica. Nelas, também ocorre a inflamação dos cornetos e, com o tempo podem levar a um crescimento exagerado dos mesmos. A obstrução também pode ocorrer devido a um desvio no septo nasal. O septo nasal é uma estrutura formada por osso e cartilagem, que divide os dois lados do nosso nariz, desde a entrada até a rinofaringe, que é onde o nariz se junta com a garganta. A maioria das pessoas

possuem um certo grau de desvio, de tortuosidade, no septo. Quando o desvio é muito acentuado, ele acaba também obstruindo o nariz. Uma outra causa frequente, principalmente em crianças, é a hipertrofia (o aumento) da adenoide. Ela é um tecido linfoide, como o das amígdalas, que fica localizado na rinofaringe. Outras causas menos frequentes, são pólipos e tumores na região nasal, que merecem muita atenção. E têm tratamento para isso? Cada causa tem um tratamento específico. Nas rinite alérgicas, geralmente, o tratamento medicamentoso com antialérgicos ou com vacinas, é bastante eficaz. Nos casos em que há uma obstrução anatômica, como no caso da hipertrofia dos cornetos, no desvio de septo nasal, na hipertrofia de adenoide, ou na presença de pólipos ou tumores, na grande maioria das vezes há necessidade do tratamento cirúrgico. Utilizando um descongestionante, não resolve o problema? Não. Em geral, eles aliviam a obstrução, mas não tratam o problema, então volta tudo de novo. O uso crônico pode levar à dependência, eles mesmos podem gerar uma rinite medicamentosa que causa obstrução nasal, além de uma série de outras complicações como alteração da pressão arterial e arritimias cardíacas. Além do mais, a pessoa pode apenas estar mascarando os sintomas e escondendo uma doença mais grave, como um tumor, por exemplo. Portanto, ao apresentar o nariz entupido, principalmente quando for um sintoma persistente, não tente resolver por conta própria, procure um especialista e resolva o problema sem colocar sua saúde em risco.

A obstrução nasal é um sintoma muito frequente, que pode acometer até 70% dos brasileiros.

DR. BRUNO THIEME LIMA - CRM/RN 8225 OTORRINOLARINGOLOGISTA - RQE 2111

• Graduação e Residência Médica na Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP • Fellowship em Otologia na Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP • Membro da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cir. Cérvico-Facial – ABORL-CCF • Preceptor de Residência em Otorrinolaringologia na Univ. Federal do Rio Grande do Norte – UFRN/HUOL e do Programa de Especialização da Clínica Pedro Cavalcanti MAIS INFORMAÇÕES CONSULTE NOSSO GUIA NAS PÁGINAS 6 e 8.

rsaude.com.br | Abril . 2017 | Revista Saúde

31


MMP® Microinfusão de Medicamento na Pele: uma técnica inovadora em dermatologia. Vários problemas que afetam a pele tais como: alopecia androgenética (calvície masculina e feminina), envelhecimento, leucodermia gutata (manchinhas brancas do sol), queloide (cicatrizes alargadas), estrias, melasma (manchas escuras no rosto), seringomas (pequenas bolinhas abaixo dos olhos), verrugas e até psoríase, exigem cuidados e estudos constantes para resolvê-los ou amenizar seus efeitos. Com essa finalidade, o dermatologista brasileiro, Samir Arbache, desenvolveu uma técnica que permite a introdução de medicamentos estéreis no local adequado de ação tornando o tratamento mais eficaz, rápido e praticamente indolor. A medicação é introduzida na pele através de uma máquina que utiliza microagulhas, em um movimento de vai e vem, com velocidades e profundidades adequadas para que possa agir no local ideal para tratar as doenças de pele. No tratamento da alopecia androenética, por exemplo, onde essa técnica tem tidos os resultados mais consistentes, a aplicação é feita na área afetada do couro cabeludo sob anestesia local, com intervalo mensal. A quantidade de sessões necessárias

depende do estágio da queda capilar. No caso das manchas brancas nos braços e pernas causadas pelo sol (leucodermia gutata) a MMP irá provocar um estímulo ao retorno da pigmentação natural da pele, obtendo uma resposta que já pode ser observada em torno de duas semanas após a aplicação. Além disso, nesse caso não há necessidade de anestesia e o tratamento é muito bem tolerado, apenas com um leve desconforto. Antes da introdução do MMP essas manchas tinham difícil resolução. As cicatrizes hipertróficas e os queloides também podem ser tratadas com a MMP utilizando medicamentos que atuam diminuindo a altura, rigidez e alargamento dessas cicatrizes, além de um retorno à cor natural da pele. Também são tratáveis por MMP o envelhecimento da pele, estrias, melasma (manchas escuras no rosto), seringomas (pequenas bolinhas abaixo dos olhos), verrugas e até psoríase. É importante destacar que esta técnica exige conhecimentos específicos para ser realizada e por essa razão recomenda-se que os pacientes procurem dermatologistas que sejam sócios da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

DRA. DANIELA CRISTINA CAETANO MAIA

É importante destacar que esta técnica exige conhecimentos específicos para ser realizada e por essa razão recomenda-se que os pacientes procurem dermatologistas que sejam sócios da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

- CRM/RN 6030

DERMATOLOGIA - RQE 2004

• Residência em Dermatologia pela Fundação de Medicina Tropical Doutor Heitor Vieira Dourado – Manaus - AM; • Residência em Hansenologia pela Universidade Federal de Pernambuco – Recife - PE; • Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

34

MAIS INFORMAÇÕES CONSULTE NOSSO GUIA NAS PÁGINAS 6 e 8.

Revista Saúde | Abril . 2017 | rsaude.com.br


Lipo Enzimática de Papada A Odontologia tem acompanhado os avanços tecnológicos da humanidade e, assim, desenvolvido técnicas cada vez mais modernas para proporcionar mais conforto e resolutividade nos tratamentos dos pacientes. Além disso, vários procedimentos têm sido utilizados com o objetivo de oferecer soluções para problemas estéticos e funcionais nos dentes, maxilares e em toda face como um conjunto integrado. A Odontologia Estética moderna, tem desenvolvido soluções que vão muito além dos dentes, através de um novo conceito de integração entre o sorriso e a face como um todo, que chamamos de Harmonização Orofacial. A partir desse novo conceito, inúmeros procedimentos podem ser lançados mão para solucionar problemas que comprometam um belo sorriso inserido numa face desarmônica. As soluções vão desde procedimentos minimamente invasivos, como uso da toxina botulínica que age na musculatura facial e os materiais preenchedores à base de Ácido Hialurônico que dão volume aos tecidos moles da face, até procedimentos cirúrgicos como a Bichectomia que reduz o volume das bochechas, Cerclagem Labial para correção de sorrisos que mostram muita gengiva, além das cirurgias que necessitam de intervenção em ambiente hospitalar, como é o caso das cirurgias reconstrutivas para instalação dos implantes dentários e as cirurgias Ortognáticas que corrigem o mal posicionamento dos maxilares. Todo esse leque de procedimentos pode ser utilizado para garantir um sorriso integrado a um rosto harmônico. Recentemente, mais um procedimento tem se popularizado para resolver um problema facial bem comum e que até então só tinha a cirurgia de lipoaspiração como solução. Esse procedimento é conhecido popularmente como LIPO ENZIMÁTICA DE “PAPADA”. A “papada” também chamada de queixo duplo, nada mais é, que o acú-

mulo de gordura e/ou pele localizada na região abaixo do queixo, o que compromete a harmonia facial. A nova solução para eliminar essa gordura é a aplicação de uma substância chamada Ácido Deoxicólico. O Ácido Deoxicólico é uma molécula existente naturalmente em nosso corpo, presente nos sais biliares que compõem a bile, com ação já conhecida de dissolver a gordura no organismo. A solução injetável é uma forma sintética dessa substância, ou seja, produzida em laboratório. Quando injetada na região da “papada” provoca uma reação inflamatória local dissolvendo a gordura localizada e, consequentemente, redução do volume na região abaixo do queixo. Para submeter-se à “Lipo de Papada” é fundamental uma avaliação clínica além de exames laboratoriais para análise da saúde geral. O procedimento é realizado através da injeção subcutânea do Ácido Deoxicólico na região abaixo do queixo com agulha bem fina, após aplicação de anestésico local na pele, sendo quase indolor. Para chegar ao resultado final, são necessárias de 4 a 6 sessões com intervalo de 15 a 30 dias entre cada sessão. As reações mais comuns são inchaço, vermelhão e sensibilidade nos primeiros dias após a aplicação. Enfim, a Lipo Enzimática de “Papada” é um procedimento simples, minimamente invasivo, realizado no consultório, sem grandes complicações, sem necessidade de afastamento das atividades rotineiras e com excelentes resultados.

... a Lipo Enzimática de “Papada” é um procedimento simples, minimamente invasivo, realizado no consultório, sem grandes complicações, sem necessidade de afastamento das atividades rotineiras e com excelentes resultados.

DR. ROBERTO TIAGO ALVES PINHEIRO ODONTOLOGIA - CRO/RN 3316

• Graduação em Odontologia na Universidade Federal do Rio Grande do Norte - Natal/RN; • Residência em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial no Hospital da Restauração Recife/PE; • Título de Especialista pelo Colégio Brasileiro de Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial - São Paulo/SP; • Pós-Graduação em Cirurgia Anatômica em Estética Orofacial no MARC - Miami/EUA;

Avenida Miguel Castro, 779 | Lagoa Nova | Natal-RN | (84) 99613-1848 rsaude.com.br | Abril . 2017 | Revista Saúde

35


Cirurgia Plástica Nasal (Rinoplastia) Na evolução das cirurgias estéticas faciais a Rinoplastia talvez seja dentre todas, a que mais sofreu modificações em sua técnica básica no sentido de fornecer resultados mais naturais e que satisfaçam aos anseios dos pacientes. Das cirurgias faciais que realizamos ela é, de longe, a mais frequente e a que dá aos pacientes o melhor aumento na sua autoestima. De uma maneira geral as alterações estéticas nasais que operamos são na sua grande maioria localizadas no dorso e na ponta nasal. Narizes com dorso alto, dorso baixo ou quase ausente, tortuoso ou lateralizado são bastante comuns em nosso atendimento. A ponta nasal também apresenta alterações importantes como pontas quadradas, globosas ou caídas que são muito comuns em idosos. Na grande maioria dos casos as duas alterações estão associadas, ou seja, dorso e ponta necessitam de correção. Geralmente, quando um nariz apresenta um dorso alto encontramos uma ponta nasal caída ou mal definida e, quando o dorso é baixo, a ponta é globosa ou baixa necessitando de cirurgia com provável inserção de enxertos no dorso. É importante saber que, quanto mais cirurgias realizarmos em um nariz, maior dificuldade encontramos e o resultado estético tende a ser, na maioria dos casos, mais pobre que o esperado. Por este motivo, os cuidados e conhecimento do cirurgião são importantíssimos para corrigir as alterações em uma única cirurgia. Tornou-se muito conhecido o caso de um cantor de Rock já falecido que teve o

seu nariz deformado pelas sucessivas Rinoplastias. É muito importante que o cirurgião, ao tomar a decisão de realizar uma Rinoplastia estabeleça com o (a) paciente uma relação de absoluta confiança, detalhando cada ponto, fotografando cada detalhe em diversas posições e colhendo do paciente as mudanças que ele pretende ver realizadas no seu nariz e, principalmente, que o seu nariz seja mais bonito e lhe dê uma respiração confortável. Em virtude disso é muito comum realizarmos Rinoplastias associadas a cirurgias dentro do nariz como correções dos conhecidos desvios do septo nasal, as Septoplastias, e diminuição dos cornetos nasais para que o resultado não seja somente estético e sim estético e funcional. Isso só é possível quando o cirurgião domina todo o complexo funcional e estético do nariz. Por isso, é cada vez maior o número de Rinoplastias que estão sendo realizadas pelos Otorrinolaringologistas com especialização em Cirurgia Estética Facial. Existem duas abordagens cirúrgicas nasais. A abordagem fechada e a abordagem aberta que, na nossa opinião, por fornecer ao cirurgião uma visualização mais detalhada das estruturas, deformidades e suas possíveis correções, é a nossa técnica preferida e a que dá melhores resultados, pelo menos em nossas mãos. A Rinoplastia, cujo pós-operatório é completamente indolor e a alta hospitalar é no mesmo dia, consiste basicamente de pequenas correções de ossos e cartilagens nasais que dão suporte e formato à pele nasal e, em casos excepcionais, na colocação de

pequenos enxertos de cartilagem do próprio paciente com posterior fechamento da incisão de abertura com pequenos pontos cirúrgicos que são retirados no sétimo dia de pós-operatório. Não utilizamos qualquer tipo de tampão nasal e o paciente retorna às suas atividades dentro de 1 semana sendo recomendado que evite esforços para evitar pequenos sangramentos que são muitíssimo raros. O paciente retorna ao médico a cada sete dias nas 3 primeiras semanas para pequenas aspirações e é liberado para vida normal logo em seguida sem qualquer marca aparente de cirurgia da face. Caso necessite, o paciente também pode realizar outras cirurgias como Otoplastias (cirurgia da orelha em abano), Blefaroplastias (cirurgia das pálpebras), Frontoplastia (elevação do supercílio) ou outros procedimentos faciais que deseje em um mesmo tempo operatório e realizado pelo Cirurgião Plástico Facial. Concluímos, afirmando que a Rinoplastia é um procedimento estético de simples execução cujo pós-operatório é confortável e no qual o resultado é muito gratificante para o paciente.

DR. JOSÉ CABRAL - CRM/RN 1100 OTORRINOLARINGOLOGIA - RQE 2166 • Especialização em Cirurgia Estético Facial pela IBPG/SP; • Mestrado em Otorrinolaringologia PUC/RJ.

36

MAIS INFORMAÇÕES CONSULTE NOSSO GUIA NAS PÁGINAS 6 e 8.

Revista Saúde | Abril . 2017 | rsaude.com.br


Síndrome do coração partido Quando o estresse emocional ataca o coração! Síndrome do coração partido ou síndrome de Takotsubo, ou pela classificação da American Heart Association (Associação Americana do Coração) como sendo uma cardiomiopatia adquirida sob o nome de Cardiomiopatia induzida por Estresse. Isto vem do fato da doença surgir tipicamente após uma situação de grande impacto emocional ou físico, como desilusões amorosas, separações, sustos, assaltos, crises de raiva ou morte de pessoas queridas, problemas financeiros, em geral, quando envolve grandes perdas.

Sendo uma doença cardíaca que se assemelha “imita” o infarto agudo do miocárdio, e a pessoa sente dor no peito, a respiração fica curta (dispneia - falta de ar).

Sendo uma doença cardíaca que se assemelha “imita” o infarto agudo do miocárdio, e a pessoa sente dor no peito, a respiração fica curta (dispneia - falta de ar). A pessoa começa a transpirar, pode ficar pálida, ter palpitações, náuseas, as enzimas cardíacas se elevam, o eletrocardiograma altera, mas quando a pessoa é submetida ao cateterismo (exame realizado para verificar as artérias do coração) não existe obstrução coronária e nem placas de ateromas (placas de gorduras). A doença e muitas vezes, erroneamente diagnosticada e confundida com infarto ,apesar de ter fisiopatologia e tratamento distinto e representar entre 1,7% e 2.2% dos casos investigados de infarto do miocárdio. A Síndrome do coração “partido” também recebe o nome de doença de Takotsubo (Tako: polvo e Tsubo: vaso de barro) por ter sido descrita pela primeira vez em 1990, no Japão, onde significa o nome de um jarro japonês utilizado como armadilha para capturar polvos, pois o ventrículo esquerdo (uma das câmaras do coração) apre-

senta um formato dilatado (balonização apical do ventrículo esquerdo). Acredita-se que a diminuição do fluxo sanguíneo para coração causador dos sinais e sintomas presentes na síndrome seja causado pelo aumento na produção dos hormônios do estresse como a adrenalina, por isso curiosamente quando se “parte o coração” emocionalmente falando, pode aparecer esta síndrome, mais comum em mulheres com mais de 55 anos, geralmente pós-menopausa, representam 90% das vítimas da doença, não existindo um tratamento específico. Em geral, o tratamento é apenas de suporte, voltado para os sintomas, até que o músculo cardíaco tenha tempo suficiente para se recuperar. Sendo uma doença transitória, o paciente evolui com recuperação completa da função cardíaca e costuma voltar ao normal dentro de 1 a 4 semanas, porém apesar de apresentar um curso benigno sem maior gravidade pode ter uma mortalidade de até 3,20%. Assim sempre deve ser acompanhado por um médico cardiologista.

DR. CLAUDIO FRANCISCONI - CRM/PR 24129 CARDIOLOGISTA - RQE 18498 • Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cardiologia.

40

Revista Saúde | Abril . 2017 | rsaude.com.br


Acupuntura No tratamento do transtorno de ansiedade generalizada A ansiedade é entendida como uma característica biológica do ser humano, que permite que o organismo esteja preparado para responder da melhor forma possível a uma situação nova e desconhecida, ou já conhecida e interpretada como perigosa. Entretanto, se a ansiedade atingir graus muito elevados e contínuos, ela pode ser considerada prejudicial ao organismo, pois fará com que este permaneça em constante estado de alerta, configurando então uma situação patológica, podendo gerar vários tipos de transtornos. Dentre eles, está o transtorno de ansiedade generalizada. Este transtorno caracteriza-se por um estado de ansiedade crônico (superior a 6 meses) infundado e desproporcional ao estímulo. Possui como sintomatologia uma ansiedade ou preocupação excessiva, acompanhado de sintomas como fadiga, irritabilidade, dificuldade em concentrar-se, tensão muscular, perturbação do sono, dores de cabeça, falta de ar, entre outros.

A ansiedade, assim como qualquer outra doença, é resultado de um desequilíbrio energético, que pode ocorrer por fatores internos (emoções, alimentação, carências hereditárias), ou por fatores externos (vento, frio, calor, umidade, secura e fogo).

Ansiedade é uma palavra ocidental, que se refere a um estado somato-psíquico; portanto, na literatura clássica da Medicina Tradicional Chinesa (MTC) é impossível encontrar descrições de tratamento para ansiedade. Além disso, na MTC não existe separação entre mente, corpo e espírito, portanto, não existem classificações de doenças ou distúrbios exclusivamente psicológicos ou psiquiátricos, como ocorre no ocidente. Porém, os sintomas descritos são amplamente estudados pela MTC. Tal literatura considera essa patologia uma desarmonia do Shen – entidade visceral que reside no Coração, responsável pela inteligência global, que simboliza a Consciência, Razão, Sabedoria e Amor

- sendo muitas vezes traduzido para o ocidente simplesmente como espírito. Assim, para os chineses, um distúrbio no coração corresponde automaticamente a uma desarmonia no espírito. A ansiedade, assim como qualquer outra doença, é resultado de um desequilíbrio energético, que pode ocorrer por fatores internos (emoções, alimentação, carências hereditárias), ou por fatores externos (vento, frio, calor, umidade, secura e fogo). Como os órgãos estão ligados entre si, segundo as relações definidas pelo ciclo dos cinco elementos, o ataque de um órgão agirá, por repercussão, sobre outro. A terapia através da acupuntura visa, então, restaurar o equilíbrio energético dos meridianos, o que trará harmonia e saúde. A acupuntura não propicia curas milagrosas, e o restabelecimento da saúde é sempre realizado por um processo contínuo e gradual. No caso do tratamento do transtorno de ansiedade generalizada, a acupuntura tem um ótimo efeito sedativo e ansiolítico, além de tratar o indivíduo como um todo (corpo-mente-espírito), restaurando a saúde global, sem efeitos colaterais.

DRA. MARÍLIA PEDRALLI FERREIRA FISIOTERAPEUTA - CREFITO: 8/335-F

• Pós-Graduada em Fisioterapia Dermatofuncional pela Faculdade CBES (Curitiba-PR); • Pós-Graduada e Especialista em Acupuntura pela Associação Brasileira de Acunpuntura - ABA (São Paulo/SP); • Membro da SOBRAFISA - Sociedade Brasileira de Fisioterapeutas Acupunturistas. rsaude.com.br | Abril . 2017 | Revista Saúde

41


#curtas |

Revista Saúde Abril . 2017 Natal . RN

CURSO DE PERFORMANCE ESPORTIVA A médica, Sonia Umbelino, deu um tempo em sua agitada agenda de trabalho, para participar do Curso de Performance Esportiva, ministrado pelo Doutor Márcio Tannure, Diretor Médico da Comissão Atlética Brasileira e do UFC.

CURSO DE CIRURGIA ANATÔMICA EM ESTÉTICA ORO-FACIAL No último mês de outubro de 2016, o dentista Roberto Pinheiro participou do Curso de Cirurgia Anatômica em Estética Oro-Facial, realizado no MARC Institute (Miami Anatomical Research Center) em Miami | Flórida | Estados Unidos.

PRÊMIO MELHORES DO ANO 2016

ENDURO DE MANGALARGA MARCHADOR

A dentista Alexandra Calafange Nóbrega, recebendo o prêmio de 1º Lugar no Melhores do Ano 2016, na categoria Odontologia Estética, em evento realizado no La Mouette Recepções.

O Cirurgião Plástico Glauber Bezerra Carvalho, que também é criador e expositor de cavalos da raça Mangalarga Marchador, participando de competições e ganhando o prêmio de Campeão Nacional em provas funcionais na categoria Adulto, em Belo Horizonte, Minas Gerais.

#estounocurtasdasaúde 42

Revista Saúde | Abril . 2017 | rsaude.com.br


Fissura Labiopalatina: FOTOS: SHUTTERSTOCK

O QUE É IMPORTANTE SABER.

Popularmente conhecida como “lábio leporino”, a fissura labiopalatina é uma malformação mais comum do que se imagina. Segundo o médico otorrinolaringologista Helder de Aguiar, chefe técnico de Serviços Médicos do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC/Centrinho) da USP em Bauru (SP) – referência internacional em tratamento e pesquisa –, a incidência pode variar de acordo com a população estudada, mas, de forma geral, a fissura atinge uma a cada 700 crianças nascidas. Apesar de ser cada vez mais frequente sua descoberta durante a gestação, a chegada de um bebê com fissura ainda provoca um choque e angústia aos pais e familiares. Portanto, é essencial saber que existe tratamento e que o indivíduo poderá ter uma vida normal! “No primeiro momento, é importante conhecer o que é a fissura, identificar os locais especializados e optar pelo centro de referência onde o tratamento será realizado. Quando não está associada a síndromes e ou-

tras anomalias, a fissura não impedirá que a criança se desenvolva intelectualmente, podendo frequentar a escola, ter atividade social e depois profissional”, salienta a fonoaudióloga Giovana Brandão, chefe técnica da Divisão de Apoio Hospitalar do Centrinho-USP. “A fissura resulta da falta de fusão dos processos faciais entre a quarta e oitava semana de gestação. Pode atingir diferentes estruturas, além de variar em forma e extensão. Pode ser uma fenda somente no lábio, atingindo ou não o nariz e a região dos dentes, acometer somente o palato (céu da boca) ou simultaneamente lábio e palato”. As causas não estão ainda totalmente esclarecidas. “A fissura pode ter causa genética e pode estar associada ou não a outras anomalias. Pode estar relacionada ainda a fatores ambientais como obesidade e deficiência de vitaminas na mãe, ou ao uso de determinados medicamentos, cigarro e álcool no início da gestação”, observa Helder de Aguiar. “Deficiência nutricional da mãe, exposição da gestante a agentes tóxico-infecciosos, estresse e radiação ionizante, durante o período de formação do bebê, também são fatores ambientais que podem estar associados”, acrescenta Giovana Brandão.

As principais implicações que as fissuras podem trazer ao indivíduo são dificuldade na alimentação, alterações na arcada dentária e na mordida, comprometimento do crescimento facial e do desenvolvimento da fala e audição. Ao longo dos anos, essa condição pode inclusive trazer impactos sociais e emocionais, como o bullying.

A reabilitação

O tratamento é um processo longo que envolve a atuação de equipe interdisciplinar. Inicia-se desde o nascimento, seguindo durante o período de desenvolvimento e, dependendo do acometimento, até a fase adulta. “As áreas de cirurgia plástica, odontologia e fonoaudiologia são consideradas o tripé do tratamento da fissura, no entanto, a equipe de apoio é indispensável para a reabilitação. Envolve áreas e especialidades como pediatria, genética, otorrinolaringologia, psicologia, fisioterapia, enfermagem, nutrição, serviço social, entre outras”, pontua Giovana Brandão. No Centrinho-USP, as cirurgias primárias para a reparação do lábio (queiloplastia) e do palato (palatoplastia) acontecem normalmente aos três e 12 meses de vida, respectivamente. “A medicina atua ainda na correção das demais alterações, como as cirurgias nasais, funcionais ou estéticas após a definição do crescimento, entre os 16 e 18 anos”, destaca Helder de Aguiar.

FOTO: ADAUTO NASCIMENTO / HRAC-USP


Você Sabia? • A fissura pode ser identificada por ultrassom, geralmente entre a 15ª e a 22ª semana de gestação; • O diagnóstico pré-natal favorece o planejamento dos cuidados com o bebê e o aconselhamento e orientação dos pais por equipe especializada tranquiliza a família; • Após o nascimento, o foco principal é o cuidado nutricional, visando ganho de peso e um bom desenvolvimento global que favoreça condições para as primeiras cirurgias.

Diretor Técnico Médico: Dr. Helder de Aguiar - CRM/SP 48749

Quando não está associada a síndromes e outras anomalias, a fissura não impedirá que a criança desenvolva intelectualmente, podendo frequentar a escola, ter atividade social e depois profissional

vimento da linguagem ou para a correção de possíveis erros articulatórios e hipernasalidade (‘voz fanhosa’). A fonoaudiologia também contribui para o processo de alimentação e na reabilitação da audição”, complementa. “O tratamento da pessoa com fissura engloba aspectos funcionais, estéticos e emocionais. O objetivo é a inserção do indivíduo no contexto social, educacional e profissional. Para isso, não basta somente a atuação da equipe interdisciplinar, a participação da família no processo é fundamental para a qualidade de vida do paciente e para o sucesso da reabilitação”, finaliza Giovana Brandão.

ESTE ANÚNCIO FOI GENTILMENTE CEDIDO PELA REVISTA SAÚDE AO CENTRINHO - USP

De acordo com a ortodontista Rita Lauris, chefe técnica da Divisão de Odontologia do Centrinho-USP, o cirurgião-dentista também participa da reabilitação desde o nascimento até o final do crescimento. “Todas as especialidades da odontologia se interagem para promover uma reabilitação adequada ao indivíduo, devolvendo-lhe a estética do sorriso e as funções mastigatórias tão necessárias para a boa qualidade de vida”, ressalta. Giovana Brandão explica que o ideal é que a criança inicie a produção da fala com o palato já operado. “Posteriormente, o tratamento fonoterápico pode ser indicado caso ocorra atraso do desenvol-


#social |

Revista Saúde Abril . 2017 Natal . RN

REVISTA SAÚDE® REALIZOU SUA 1ª CONVENÇÃO NACIONAL Os Diretores da Revista Saúde® Franchising, Marcelo Adriano Lopes da Silva e Ueslei Dias Rampani, recepcionaram nos últimos dias 06 e 07 de janeiro, dezenas de franqueados que compõem sua rede de franquias, totalizando 40, de vários estados brasileiros. Todos participaram de uma série de atividades, em um encontro que aconteceu no Hotel Caiuá, ocasião na qual os participantes puderam trocar experiências, vivências e expectativas, bem como foram fomentadas ações voltadas ao fortalecimento da marca em todo o Território Nacional para o ano de 2017.

46

Revista Saúde | Abril . 2017 | rsaude.com.br


Revista Saúde Abril . 2017 Natal . RN

| #social

CONFRATERNIZAÇÃO FRANQUEADOS REVISTA SAÚDE Após a 1ª Convenção da Revista Saúde de Umuarama, em janeiro de 2017, os diretores Ueslei Rampani e Marcelo Adriano reuniram seus franqueados para uma confraternização no Restaurante Monttana Bristô de Umuarama.

rsaude.com.br | Abril . 2017 | Revista Saúde

47


#social |

Revista Saúde Abril . 2017 Natal . RN

CASAMENTO CIVIL Os diretores da Revista Saúde Natal, Dirceu Filho e Maysa Rocha Marcondes, casaram em setembro de 2016. O local escolhido para a cerimônia foi a fazenda da família, no Paraná. Familiares acompanharam de perto esta bela cerimônia. Parabéns e muitas felicidades a este belo casal.

48

Revista Saúde | Abril . 2017 | rsaude.com.br


Guia de profissionais

Revista Saúde Edição 1 | Abril . 2017 | Natal.RN

CIRURGIA PLÁSTICA

OTORRINOLARINGOLOGIA

Dr. Pedro Flávio de Oliveira Batista

Dr. Bruno Thieme Lima

Clínica AngioVascular

Clínica Pedro Cavalcanti

Av. Rodrigues Alves, 861 | Tirol | Natal | RN

Avenida Rodrigues Alves, 758 | Tirol | Natal-RN

(84) 3198-1100

Dr. Glauber Bezerra Carvalho Harmony Medical Center Av. Coronel Joaquim Manoel, 615 | Petrópolis | Natal | RN (84) 3086-1444 | 99856-3911

CIRURGIA TORÁCICA

Dr. José Eustácio Oncology Group

(84) 4008-5909

Dr. José Cabral Clínica José Cabral Rua Maxaranguape, 621 | 1º Andar | Em frente da Casa de Saúde São Lucas | Tirol | Natal-RN (84) 3201-5367 | 3201-4427

UROLOGIA

Dr. Felipe Pacheco Ferreira de Melo

Avenida Afonso Pena, 1071 | Tirol | Natal-RN

Av. Afonso Pena, 950 | Tirol | Natal-RN

(84) 4008-3361

(84) 3201-1403 | 98151-0916

Hospital Dr Luiz Antônio Rua Dr. Mário Negócio, 2267 | Quintas | Natal-RN (84) 4009-5600

ODONTOLOGIA

Dra. Alexandra Calafange Nóbrega Orofaciale

DERMATOLOGIA

Dra. Daniela Cristina Caetano Maia Clinica Integrada

Rua Ângelo Varela, 1460 | Tirol | Natal-RN (84) 2010-8388 | 98899-6866

Avenida Rodrigues Alves, 865 | Tirol | Natal-RN

Dr. Gleidston Potter

(84) 3222-0073 | 99977-1990 | 2226-4175

Orofaciale

Clinica Pedro Cavalcanti Nova Parnamirim

Rua Ângelo Varela, 1460 | Tirol | Natal-RN

Avenida Maria Lacerda Montenegro, 1400 (dentro do Nordestão) | Natal-RN

(84) 2010-8388 | 98899-6866

(84) 4008-5909 | 98169-5909 | 99988-1990

Dr. Gustavo Cavalcanti

Dra. Tatiana Maia

Clínica Neo Odonto

Clínica Neoformas

Rua Açu, 664 | Tirol | Natal-RN

Av. Cel. Joaquim Manoel, 615 | Sala 101| Lobby. Ed. Harmony Medical Center | Petrópolis

(84) 3211-0777

Natal-RN (84) 3027-0707 | 84 99694-0099 | 84 99136-1582

ENDOCRINOLOGIA

Dra. Júlia Torella Avenida Miguel Castro,1141 | Lagoa Nova | Natal-RN (84) 3204 0350

Dra. Janaina Grossi Orofaciale Rua Ângelo Varela, 1460 | Tirol | Natal-RN (84) 2010-8388 | 98899-6866

Dr. Roberto Tiago Alves Pinheiro Clínica Aproniano Martins

MÉDICA

Avenida Miguel Castro, 779 | Lagoa Nova | Natal-RN

Dra. Cátia de França Bezerra

(84) 99613-1848

Oncology Group | Clínica de Mastologia e Oncologia de Natal

Dr. Thiago Felippe Oliveira de Macêdo

Avenida Afonso Pena, 1071 | Tirol | Natal-RN (84) 4008-3366 | 4008-3394 Hospital Dr. Luiz Antônio Rua Dr. Mário Negócio, 2267 | Quintas | Natal-RN (84) 4009-5600

Orofaciale Rua Ângelo Varela, 1460 | Tirol | Natal -RN (84) 2010-8388 | 98899-6866

PSICOLOGIA

Dra. Regina Florêncio

Dr. Akira Yano

Clínica Angiocardio

Clínica Akira Yano

Rua Apodi, 556 | Tirol | Natal-RN

Av. Norton Chaves, 129 | Lagoa Nova | Natal-RN

(84) 3133-4500

(84) 3206-2666 rsaude.com.br | Abril . 2017 | Revista Saúde

49


Profile for Revista Saúde

Revista Saúde Natal - Edição 1 - 04/2017  

Revista Saúde Natal - Edição 1 - 04/2017