Page 1


O NOME DO CONFORTO DESDE 1959

EXPERIMENTE O CONFORTO ABSOLUTO EM NOSSA LOJA.

VISITE-NOS EM: CHAPECÓ: AVENIDA GETÚLIO VARGAS, 2135 N TEL.: 49 2049 2500

natuzzieditions.com.br


Guia médico

Revista Saúde Edição 11 | Maio . 2019 | Chapecó . SC

Dr. Alessandro Ferroni Tonial Reumatologista CRM/SC 17397 | RQE 15974 Unitá Especialidades Médicas: Av. Porto Alegre, 427-D, Sala 1101, Centro, Chapecó/SC (49) 3322-6205 COT - Clínica de Ortopedia e Traumatologia: Rua São Marcos, 835-E, Bairro Santa Maria - Chapecó/SC (49) 2049-3800 Clínica de Reumatologia e Psiquiatria: Rua Frei Edgar, nº 138, Sala 508, Centro. Edifício Unique Office. Joaçaba/SC (49) 9.9835-6061

Dr. André Augusto Martins Cardiologista e Ecocardiografista CRM/SC 14732 | RQE 14166

Vitta Cardio Clínica de Cardiologia: R. Cel. Passos Maia, 360 Centro, Xanxerê/SC (49) 3433-1616

Dr. Alex Lazzari Dornelles Cirurgião Vascular CRM/SC 15370 | RQE 11689

Angioclínica: Av. Fernando Machado, 615 E - Centro Chapecó/SC 49 3328 9205

Dra. Ana Maria Melo de Castro Miranda Radiologia CRM/RS 38997 | RQE 55898

Clinica CDIP R. Mal. Floriano Peixoto, 430 Centro, Chapecó - SC 49 3311 2700

Dr. Cesar A. Bombardelli

Dr. Carlos Mendonça

Urologista

Ortopedia e Traumatologia

CRM/SC 6293 | RQE 3265

Medicina Esportiva CRM/SC 8487 | RQE 7935 | RQE 15473

Centro Integrado de Saúde: Rua Barão do Rio Branco, 430 D, sala 05 Centro - Chapecó/SC 49 3323 3569

Dr. Cristiano Scartazzini Cirurgião Plástico CRM 16620 | RQE 16018

Av. Porto Alegre, 427D Edificio Lazio Executivo - SL 903 Centro, Chapecó - SC, 89802-130 (49) 3316 2020 | (49) 9 9111 3465

6

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br

Clínica Mendonça: Av. General Osório, 42 - E Centro - Chapecó/SC 49 3324 4002 | 9 8432 8484

Dr. Christian Furtado Beller Nutrólogo CRM/SC 6055 | RQE 7787

Clínica Integrada: Av. Getúlio Dorneles Vargas, 531 Líder - Chapecó/SC clinicaintegrada.com.br 49 3328 0100


Guia médico

Revista Saúde Edição 11 | Maio . 2019 | Chapecó . SC

Dra. Daiana Dambrós Ferlin

Dra. Daniela Sperotto

Médica CRM/SC 19436

Médica Psiquiatra e Psiquiatra da Infância e Adolescência CRM/SC 17769 | RQE 15511 | RQE 15540

Centro Integrado de Medicina e Odontologia: Rua Pio XII, 26 D, Edifício La Place, Sala 01 - Centro (Próximo ao correio da praça central) - Chapecó/SC 49 3333 7781 | 9 9170 0373

Dr. Diogo Chagas Dalcin Oftalmologista

CRM/SC 24276 | RQE 14632

Edifício Unique Office Rua Frei Edgar, 138 - Sala 508 - Joaçaba/SC (49) 9 9835.6061

Dr. Eduardo Gesswein Medicina Ocupacional CRM/SC 17134 | RQE 15331

Av. Porto Alegre D, 427, sala 907, Ed. Lázio Executivo, Centro, Chapecó/SC 49 3025 3401 | 3025 3405

Instituto Gesswein Rua Austrália, 354-552 Santa Maria, Chapecó - SC @institutogesswein (49) 99119-499

Dra. Elisa Grando

Dr. Ivanor Alba

Médica Dermatologista

CRM/SC 16122 | RQE 11573

Av. Porto Alegre D, 427, sala 907, Ed. Lázio Executivo, Centro, Chapecó/SC 49 3025 3401 | 3025 3405

Dra. Luciana Zanela

Cirurgião Geral CRM/SC 3883 / RQE 9602

Clínica Cirúrgica LIVEN: Av. Porto Alegre 79-D, sala 05, térreo Salutare Centro Clínico Chapecó/SC 49 3323 5454 / 3199 2054

Médica Dermatologista

Dra. Liana Ortiz Ruas Winkelmann

CRM/SC 14008 | RQE 15127

Mastologista

Xanxerê/SC: Rua Papa João XXII, 202 - Centro 49 3433.2759 Chapecó/SC: Avenida Porto Alegre, 79D - Sala 308 - Centro 49 3316.3344

8

Edifício Lazio Executivo Av. Porto Alegre, 427-D - Sala 405 Chapecó/SC (49) 3322.6205 | 9 8437.7514

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br

CRM/SC 22915 / RQE 13695 RQE 13696 Clínica Cirúrgica LIVEN: Av. Porto Alegre 79-D, sala 05, térreo Salutare Centro Clínico Chapecó/SC 49 3323 5454 / 3199 2054


Guia médico

Revista Saúde Edição 11 | Maio . 2019 | Chapecó . SC

Dr. Leonardo Winkelmann

Dr. Luis Carlos Farret Jr.

Cirurgião do aparelho digestivo Endoscopista Digestivo

Coloproctologista e Cirurgião Geral CRM/SC 8817 | RQE 3352 | RQE 12869

CRM/SC 21533 / RQE 12348 / RQE 12349 / RQE 12856 Clínica Cirúrgica LIVEN: Av. Porto Alegre 79-D, sala 05, térreo Salutare Centro Clínico Chapecó/SC 49 3323 5454 / 3199 2054

Proctoclínica: Rua Marechal Floriano Peixoto, 427 O Sala 105 - Chapecó/SC 49 3323 5802

Dr. Márcio Telesca

Dr. Marcos Tadeu Cury

Ortopedia & Traumatologia

Médico Anestesiologista

CRM 9304 | RQE 5231

CRM/SC 4667 | RQE 16339

Centro Clínico Salutare Av. Porto Alegre, 79-D Sala 604 - 6º Andar Centro | Chapecó | SC 49 3025-3151 | 3324-7948 49 98404-0110

Clínica de Anestesiologia Chapecó: Rua Barão do Rio Branco, 300E - sala 310, Policlínica Santo Antônio (ao lado do Hospital Unimed) Centro - Chapecó/SC (49) 3322-2526 | (49) 98803-1036

Dra. Márcia Kotz

Dr. Márcio André Volkweis

Oncologia CRM/SC 10347 | RQE 9036

Dermatologista

Centro de Oncologia Unimed Rua Israel, 770 D Bairro St. Maria 49 3323 1235

Clinica Catarinense de Dermatologia: Av. Getúlio Dornelles Vargas, 283 - S, Salas 4 e 5 Centro - Chapecó/SC 49 3328 4242

Dra. Marielle lang

Dra. Patrícia Pereira de Oliveira

Clínica Médica Endocrinologia e Metabologia CRM/SC 25601 | RQE 15816 | RQE 15817

CRM/SC 24164 | RQE 14575

Ginecologista e obstetra CRM/SC 12603 | RQE 6130/8065

Edifício Salutare: Av. Porto Alegre, 79d - sala 807 - Chapecó/SC

10

(49) 3316-0209 | (49) 9.9811-2825

Ed. Lazio Executivo

Ejemed Centro Médico: Av. Darcí Sarmanho Vargas, 401 - Centro Faxinal dos Guedes/SC (49) 3436-0660

Av. Porto Alegre, 427 D, sala 404 Centro de Chapecó/SC 49 3328 6749

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br


Revista Saúde Edição 11 | Maio . 2019 | Chapecó . SC

Guia médico

Dr. Rafael de Almeida Tirapelle

Dr. Rafael Saretta Portugal

Cirurgião Plástico

Medicina Nuclear

CRM/SC 15206 | RQE 7657

CRM/SC 11014 | RQE 15661

Clínica de Cirurgia Plástica Dr. Rafael Tirapelle: Rua Florianópolis, 130 Centro - Chapecó/SC 49 3322 5044

Kozma Medicina Nuclear Rua Barão do Rio Branco, 370, Sala 03 Galeria Mondrian - Chapecó/SC 49 3329 5861

Dr. Raymundo Tomkowski Neurologista

Dr. Rodrigo Assmann de Oliveira

CRM/SC 24337 | RQE 15070

Médico Radiologista

Av. Porto Alegre 425D 7 andar sala 707 Edificio Lazio Executivo - Chapecó/SC (49) 3304-0214

CRM/SC 21606 RQE 5748

Clinicor Serviços Médicos e Vacinas Rua Coronel Santos Marinho, 190 - Ed. São Lucas - Sala 303 - Centro, Xanxerê/SC (49) 3433-5060

Clinica CDIP R. Mal. Floriano Peixoto, 430 Centro, Chapecó - SC 49 3311 2700

Dr. Rodrigo Biazus

Dra. Roberta Marina Grando

Coloproctologista

Médica Anestesiologista

CRM/SC 5980 | RQE 5518

CRM/SC. 18.871 RQE 16.368

Proctoclínica: Rua Marechal Floriano Peixoto, 427 O Sala 105 - Chapecó/SC 49 3323 5802

Clínica de Anestesiologia Chapecó: Rua Barão do Rio Branco, 300E - sala 310, Policlínica Santo Antônio (ao lado do Hospital Unimed) Centro - Chapecó/SC (49) 3322-2526 | (49) 98803-1036

Dra. Sarah Cristina Beirith

Dra. Vanessa Gheno

Otorrinolaringologista

Médica Dermatologista

CRM/SC 18734 | RQE 15154

CRM/SC 17854 | RQE 14819

Centro Integrado de Medicina e Odontologia: Rua Pio XII, 26 D, Edifício La Place Sala 01 - Centro (Próximo ao correio da praça central) - Chapecó/SC 49 3323 7781 | 49 9 9170 0373

Avenida Porto Alegre, 79-D. - Centro Clínico Salutare. Sala 902. - Centro, Chapecó/SC 49 3025 3639

rsaude.com.br | Maio . 2019 | Revista Saúde

11


Guia médico

Revista Saúde Edição 11 | Maio . 2019 | Chapecó . SC

Dr. Felipe Roisenberg

Dr. Gerson Kempfer

Radiologia e Diagnóstico por Imagem

Medicina Nuclear

CRM/SC 12721 | RQE 6912

CRM/RS 25298 | RQE 25044

Agilizze Centro de Imagem: Rua Barão do Rio Branco, 430-E , sala 1 Centro - Chapecó/SC 49 3304 3333

Kozma Medicina Nuclear Rua Barão do Rio Branco, 370, Sala 03 Galeria Mondrian - Chapecó/SC 49 3329 5861

Dr. Gustavo Felipe Luersen

Dr. Rafael Bragagnolo

Radiologia

Oftalmologista

CRM/RS 29840 | RQE 21705

CRM/SC 17362 | RQE 12980

CDIP: Rua Mal. Floriano Peixoto, 430-O Chapecó / SC 49 3311 2700 CDIP: Avenida Brasil, 230 Centro - Pato Branco / PR 46 3220 2700

Av. Porto Alegre, 79D | Sala 705, Ed. Salutare, Centro - Chapecó/SC 49 3025-0505

Dra. Simone Batisti Giroldi

Dr. Vinícius Mendonça

Ginecologia e Obstetricia

Ortopedista e Traumatologista

CRM/SC 16073 | RQE 13761

Rua Porto Alegre, 79 -D Ed. Salutare | Salas 806/808 (em frente ao Hospital Unimed) Centro - Chapecó/SC 49 3311.8076 | 99190.5801

12

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br

CRM/SC 25767 | RQE 16225

Clínica Mendonça: Av. General Osório, 42 - E Centro - Chapecó/SC 49 3324 4002 | 9 8432 8484


Expediente

Revista Saúde Edição 11 | Maio . 2019 | Chapecó.SC

REVISTA TRIMESTRAL Maio/2019 | ANO 03 | Nº 11 | Chapecó.SC Editora Lopes e Rampani Ltda - CNPJ 07.986.256/0001-69 Franquia de Chapecó/SC: Fábio José de Oliveira Bortolone Eireli - ME. CNPJ: 26.652.333/0001-99 ESCRITÓRIOS Umuarama (sede): Rua Paulo Pedrosa de Alencar, 4291 - Ed. Manhattan Garden - CEP: 87501-270 | Centro | Tel.: 44 3622-8270 e-mail: revistasaude@sempresaude.com.br - Maringá: Av. Humaitá, 452 - Centro Empresarial Dalla Costa - Sala 303 CEP: 87014-200 | Zona 4 | Tel.: 44 3346-4050 - e-mail: artemaringa@sempresaude.com.br COLABORADORES LAYOUT E DIAGRAMAÇÃO: Alison Henrique, André Silva, Bruno Assunção, Dyego Bortoli, Jean Carlos, Marcio Garcia, Thiago Mantovani. CORREÇÃO ORTOGRÁFICA: Tallis Oliveira Ferreira Resende | Maria de Fatima dos Santos FOTOGRAFIAS: Claudia Neckel Schuster | 49 9 8408 8917 - Vinicius Aguiar Fotografia | 49 9 9190 1234 JORNALISTA RESPONSÁVEL: Caio Henrique dos Santos Rosa 0011175/PR CIRCULAÇÃO: Chapecó e região FRANQUIAS Apucarana/Arapongas-PR - Leandro Henrique | Paula Renatha Pontim - comercial@sempresaude.com.br - 43. 9611-5553 | 43. 9611-5563 - Araçatuba/Bauru-SP - Anderson Hernandes - aracatuba@sempresaude.com.br - 18. 99740-2777 - Boa Vista-RR - Julio Graziani Carlos boavista@sempresaude.com.br - 95. 99169-4071 - Cacoal/Ji-Paraná-RO - Flávio Junior Bezerra Paixão - paixao@sempresaude.com.br - 69. 99278-5703 - Campo Mourão-PR - Rafael Morimoto - rafael@sempresaude.com.br - 44. 9911-8081 | 44. 8811-6206 - Chapecó-SC - Fábio Bortolone - chapeco@sempresaude.com.br - 49. 9916-5719 - Cianorte-PR - Paulo Paixão - cianorte@sempresaude.com.br - 44. 3269-6430 | 44. 9922-0310 - Criciúma-SC - José Carlos Junqueira Alvarenga - criciuma@sempresaude.com.br - 48. 9912-5253 - Cuiabá-MT - Márcio Costa - cuiaba@sempresaude.com.br - 66. 99683-1899 - Foz do Iguaçu -PR - Rosana Segovia - rosana@sempresaude.com.br - 45. 99912500 - Florianópolis-SC - Paulo Victor Frasson Cordeiro - floripa@sempresaude.com.br - 48. 9133-3334 | 48. 9610-5357 - Goiânia-GO - Tiago Brito - goiania@sempresaude.com.br - 62. 9951-1899 - João Pessoa-PB - José Adriano Danhoni Neves | Ednéia Tenório - joaopessoa@ sempresaude.com.br - 83. 98750-7070 | 83. 98812-7080 - Joinville-SC - Ana Paula de Campos - joinville@sempresaude.com.br - 47. 9930-6364 - Londrina-PR - Leandro Henrique | Paula Renatha Pontim - londrina@sempresaude.com.br - 43. 9611-5553 | 43. 9611-5563 Macaé/Rio das Ostras-RJ - Andreia Garcia | Paulo Cesar Ceranto - macae@sempresaude.com.br - 22. 98847-5455 | 22. 98842-9166 - Maringá-PR - Paulo Paixão - paulopaixao@sempresaude.com.br - 44. 3269-6430 | 44. 9922-0310 - Natal-RN - Dirceu Filho - natal@sempresaude. com.br - 83. 98788-7070 - Palmas/Araguaína-TO - Fábio Lima - palmas@sempresaude.com.br - 63. 98503-9960 - Paranavaí-PR - Paulo Paixão - paranavai@sempresaude.com.br - 44. 3269-6430 | 44. 9922-0310 - Ponta Grossa-PR - Sérgio Oliveira | Mara Megda - pontagrossa@ sempresaude.com.br - 42. 9987-8180 | 42. 8418-1290 - Porto Velho-RO - Arthur Marandola | Rafael Morimoto - portovelho@sempresaude. com.br - 69. 9366-1466 | 69. 9366-1470 - Presidente Prudente-SP - Alexandre Lúcio Martins - prudente@sempresaude.com.br - 18. 981115145 - Ribeirão Preto-SP - Eduardo Borges - ribeirao@sempresaude.com.br - 16. 99711-7770 - Rondonópolis-MT - Marcio Costa - 66. 99683-1899 - rondonopolis@sempresaude.com.br | Fernanda Lima - rondonopolis@sempresaude.com.br - 66. 98139-7824 - São José dos Campos-SP - Marcelo Piai | Verônica Venâncio - sjcampos@sempresaude.com.br - 12. 99625.8005 | 12. 99625-1005 - São José do Rio Preto-SP - Renato Dias Renovato - riopreto@sempresaude.com.br - 17. 99669-1700 - Sinop/Sorriso/Lucas do Rio Verde-MT - Emerson do Carmo - rampani@sempresaude.com.br - 66. 99994-2442 | Luiz Carlos Rampani - rampani@sempresaude.com.br - 66. 99659-7210 - Uberaba-MG - Wander Marcio Rosada - uberaba@sempresaude.com.br - 34. 9990-2479 - Uberlândia-MG - Wander Marcio Rosada - uberlandia@sempresaude.com.br - 34. 9990-2479 - Umuarama-PR - Ueslei Rampani | Marcelo Adriano - revistasaude@sempresaude.com.br - 44. 8407-0698 | 44. 9941-9930 | 44. 3622-8270

NOSSA CAPA Os craques das próteses: Vida sem limitações. Dr. José André Carvalho Crefito: 3/15151-F; Jakson Ragnar Follmann Embaixador da IPO Chapecó; Ricky Magnus Eric Benzing CPO.

Foto Capa Vinicius Aguiar | 49 9. 9190 1234

DIREÇÃO GERAL

Marcelo Adriano Lopes da Silva

FRANQUEADO DESTA UNIDADE

Ueslei Dias Rampani

Fábio Bortolone

ENTRE EM CONTATO PARA MATÉRIAS E ANÚNCIOS Você também pode ler esta edição pelo aplicativo: REVISTA SAÚDE OFICIAL

Fábio Bortolone: 49 9 9916 5719 chapeco@sempresaude.com.br contatochapeco@sempresaude.com.br

www.rsaude.com.br

14

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br

Facebook/ revistasaudechapeco

revistasaudechapeco


Índice

20

Revista Saúde Edição 11 | Maio . 2019 | Chapecó . SC

Cisteamina

As lesões da cartilagem articular Dr. Carlos Mendonça

37

22

A evolução no tratamento do melasma resistente Bio ativo

Descomplicando a anestesia

22

Dr. Marcos Tadeu Cury Dra. Roberta Marina Grando

Sedaçào consciente e implantes

40

24

dentários Oral Sin

24

Cuidando da voz Dra. Sarah Cristina Beirith

O que mais “incomoda”?

42

uso de aparelhos auditivos

28

FGA. Luciana Bramati

Bioestimulação facial:

28

A perda auditiva ou a estética com o

rejuvenescimento e pele saudável em um novo conceito dermatológico Dra. Vanessa Gheno

44

34

Casal infértil: E agora como faz? Dr. Felipe Roisenberg

42

Abscesso e fístula anal O que é um abscesso anal ou

32

O uso da tecnologia para melhorar

fístula? Dr. Luis Carlos Farret Jr. Dr. Rodrigo Biazus

os índices de infecções, evitar

45

complicações e melhorar a experiência do paciente durante a sua internação.

44

Samira Pereira Cardoso

Cirurgia da Coluna Vertebral

34

esperado Dr. Márcio Telesca

36

16

48

Quando o resultado obtido não é o

Câncer de próstata tem cura? Dr. Cesar A. Bombardelli

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br

48

Abdominoplastia

50

Câncer de estômago

Dr. Cristiano Scartazzini

Dra. Márcia Kotz

50


Índice

Revista Saúde Edição 11 | Maio . 2019 | Chapecó . SC

MMP®: Você conhece este tratamento?

52

62 64

A técnica que vêm revolucionando

LASER TRANSDÉRMICO

70

resultados em tratamento de

Técnica inovadora no tratamento de “microvarizes” e “vasinhos” Dr. Alex Dornelles

Calvície. Dra. Luciana Zanela

68

72 Como podemos saber a hora certa

54

A “Paralisia Agitante” Dr. Raymundo Tomkowski

de procurar um cardiologista? Dr. André Augusto Martins

Emagrecimento Definitivo!

56

60

70 72

Por que devo fazer Mamografia?

74

Como emagrecer e não voltar mais a engordar?

Dra. Liana Ortiz Ruas Winkelmann

Magrass

Especial Capa

Facetas e Lentes de Contato Dental

Excelência na Prevenção e Reabilitação de Amputados

76

Dra. Samantha Socal Hentschke Dr. Ricardo Noskoski

IPO - Instituto de Prótese e Órtese

76

Transplante Capilar Fio a Fio

78

Neuropsicologia

80

Angústia e afeto

Implante de fios com aspecto e

62

Juliana A. Nissolla Pasquali

desenho natural, sem que ninguém perceba

78

Dr. Márcio André Volkweis

Dr. Jorge Assis Kersting

Harmonização Facial

80

64

Procedimentos estéticos para rejuvenescimento Dra. Vanessa Dall Agnol

Novo Código de Ética Médica

82

Ariel Francisco da Silva

Fisioterapia pélvica na

68

dor pélvica crônica masculina Ana Paula Padilha

Rafael Menezes Scussiato

84

Apesar das adversidades, o sucesso The Dogs

rsaude.com.br | Maio . 2019 | Revista Saúde

17


As lesões da cartilagem articular A cartilagem articular (hialina) é um tecido avascular (o que explica sua dificuldade de cicatrização) constituída principalmente por água (60% a 80%), colágeno tipo 2 e proteoglicanos, além de outras substâncias. Possui as funções de promover o deslizamento das superfícies articulares com baixo coeficiente de atrito, suporte da pressão articular agindo como um amortecedor e distribuição uniforme das pressões intra articulares. A cartilagem articular possui baixo potencial de regeneração. Várias são as causas das lesões condrais, sendo a traumática e a degenerativa as mais prevalentes. As lesões da cartilagem articular são classificadas conforme o tamanho e espessura do acometimento da sua estrutura. O diagnóstico na maioria das vezes necessita de exames de imagem como as radiografias e, principalmente, a ressonância magnética, devido ao início insidioso da doença. Na última década, o avanço no tratamento das lesões condrais foi muito significativo. O tratamento conservador (sem cirurgia) é o mais utilizado, principalmente nas lesões iniciais e sem maior acometimento da estrutura cartilaginosa. A fisioterapia e o fortalecimento muscular melhoram a função musculoesquelética e, consequentemente, melhoram a biomecânica articular, importante na preservação das articulações. O uso de medicações específicas

por via oral ou substâncias de aplicação intra-articular como o ácido hialurônico, fatores biológicos (PRP, plasma rico em plaquetas) e BMAC (aspirados de células de medula óssea) e outros, são opções importantes no tratamento das lesões e alterações das cartilagens articulares e atuam trazendo alívio dos sintomas e melhora da nutrição, qualidade e função do tecido cartilaginoso. O tratamento cirúrgico artroscópio ou mini open (pequena abertura) é reservado para os casos mais graves, ou aqueles onde o tratamento conservador não surtiu o efeito esperado. Já o tratamento cirúrgico constitui uma gama enorme de opções, cada uma relacionada a um grau específico do acometimento da estrutura condral. Dentre as opções cirúrgicas tem o desbridamento com nanofraturas (perfurações), resecção de corpos livres condrais, transplante osteocondral autólogo (mosaicoplastia), transplante autólogo de condrocitos com uso de membrana de colágeno, com ou sem o uso associado de agentes biológicos como PRP e BMAC e mais raramente no nosso meio o uso do transplante osteocondral fresco (de cadáver). Ainda fazem parte do arsenal terapêutico as osteotomias (cirurgias de alinhamento ósseo) nos casos de artrose mais graves como também as artroplastias articulares quando cessarem todas as possibilidades de cura daquela articulação.

A prevenção continua sendo o método mais eficaz para se evitar as lesões condrais, deve-se evitar a realização de atividades físicas acima da capacidade de suporte articular e da mesma forma evitar o aumento do peso corporal que desencadeia a sobrecarga articular. Essas são iniciativas efetivas para se evitar o dano articular.

Os estudos prosseguem e as lesões condrais articulares ainda continuarão por muito tempo sendo um desafio para o tratamento pelos médicos, fisioterapeutas e educadores físicos especializados.

DR. CARLOS MENDONÇA ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA | MEDICINA ESPORTIVA CRM/SC 8487 | RQE 7935 | RQE 15473

• Especialista Em Ortopedia & Traumatologia; • Universidade Federal Do Rio De Janeiro - Rj; • Sociedade Brasileira De Ortopedia E Traumatologia; • Especialista Em Medicina Esportiva; • Ucs Universidade Corporativa Mãe De Deus De Porto Alegre – Rs; • Sociedade Brasileira De Medicina Esportiva; • Especialista Em Cirurgia Do Joelho; • Universidade Federal Do Rio De Janeiro - Rj; • Sociedade Brasileira De Cirurgia Do Joelho.

20

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br

Mais Informações consulte nosso guia médico nas páginas, 6, 8, 10, 11 e 12


Responsável Técnico: Dr° Carlos Mendonça CRM-SC 8487 | RQE 7935 | RQE 15473

A tradição, conforto e estrutura, aliada a experiência do corpo clínico, proporcionam um atendimento diferenciado e de alta qualidade para os pacientes.

ESPECIALIDADES Ortopedia e Traumatologia Medicina Esportiva Cirurgia do Joelho Cirurgia do Ombro e Cotovelo Cirurgia do Quadril

Av. General Osório, 42 E Centro |Chapecó/SC

(49) 3324 4002 (49) 9 8432 8484

/clinicamendoncacco /clinica_mendonca


Descomplicando a anestesia Com o avanço da medicina, houve um grande progresso na área da anestesiologia. Algumas complicações que eram observadas no passado, hoje em dia raramente acontecem, pois os procedimentos se tornaram cada vez mais seguros devido às modernas tecnologias de monitorização dos pacientes, ao desenvolvimento de novos medicamentos e à capacitação dos médicos. Hoje, enquanto o paciente está anestesiado, seus sinais vitais (pressão arterial, ritmo cardíaco, respiração, temperatura) estão sendo monitorizados por diversos equipamentos e por um anestesiologista, responsável por cuidar da saúde do paciente enquanto este está sendo operado ou submetido a algum procedimento sob anestesia. É muito importante o paciente realizar uma avaliação com o Anestesiologista antes receber uma anestesia. Nessa consulta, é discutido com o paciente e/ou familiares o tipo de anestesia a ser usada, seus benefícios e riscos. O paciente levará seus exames de sangue, de coração e outros necessários (de acordo com a cirurgia a ser realizada) e também deverá levar as medicações que utiliza diariamente. Pessoas que fumam, hipertensos, diabéticos, obesos,pessoas que utilizam medicações para o coração, para os pulmões ou para “afinar o sangue”, por exemplo, merecem cuidados especiais e precisam de orientações antes de receber uma anestesia. Algumas medicações precisam ser suspensas e às vezes adicionadas antes da cirurgia. Com essas informações, cria-se um plano anestésico, com medicações e doses diferentes, conforme o perfil de cada paciente. Para algumas pessoas pode ser necessário realizar exames extras ou consultas com outros especialistas para compor o quadro completo da avaliação pré-anestésica. De uma maneira simplificada, as anestesias podem ser: GERAL: A anestesia geral age fazen-

do opaciente dormir profundamente, de forma que se perde a consciência, a sensibilidade e os reflexos do corpo, para que sejam realizadas cirurgias sem que se sinta dor ou desconfortos durante o procedimento. O medicamento entra na circulação sanguínea e alcança o sistema nervoso central. Pode ser injetada na veia e/ou inalatória. Geralmente utilizada em cirurgias mais complexas ou que envolva cabeça, tórax, abdômen. SEDAÇÃO: O paciente dorme, mas o sono não é tão profundo como na anestesia geral. Muito utilizada para procedimentos mais simples, como por exemplo: endoscopia digestiva alta, colonoscopia, colocação de DIU, ou quando o paciente vai fazer uma anestesia regional e também tem o desejo de dormir durante o procedimento. REGIONAL: Apenas uma região do corpo é anestesiada. A anestesia é aplicada próximo aos nervos da região a ser operada. Um exemplo desse tipo de anestesia é a Raquianesteia (utilizada nas cesarianas, cirurgias na perna, por exemplo) onde o anestésico é aplicado através de uma injeção dentro do canal do líquido espinhal. O paciente não sentirá dor na metade inferior do corpo. Essa anestesia não faz o paciente dormir, mas se ele preferir, pode solicitar ao seu anestesiologista uma sedação.

As complicações mais graves, como parada da respiração, parada cardíaca, arritmias ou sequelas neurológicas são raras, mas podem surgir em pessoas com a saúde debilitada. É ainda mais raro acontecer de a anestesia ter efeito parcial, quando a pessoa não consegue se mover, mas pode sentir os acontecimentos à sua volta.

MUITO IMPORTANTE Se você for realizar um procedimento com anestesia e receber alta no mesmo dia, lembre-se: É obrigatório ter um acompanhante na hora da alta hospitalar; Você não poderá dirigir e nem ingerir bebidas alcóolicas no dia que recebeu anestesia.

LOCAL: é aplicado o anestésico no local da cirurgia (pele e nos tecidos subcutâneos). Utilizada em procedimentos simples e superficiais. RISCOS E POSSÍVEIS COMPLICAÇÕES: Alguns pacientes podem apresentar efeitos colaterais durante a realização da anestesia ou até algumas horas depois, como enjoo, vômitos, tremores, dor de cabeça e alergias.

DRA. ROBERTA MARINA GRANDO

DR. MARCOS TADEU CURY

MÉDICA ANESTESIOLOGISTA

MÉDICO ANESTESIOLOGISTA

CRM/SC. 18.871 RQE 16.368

CRM/SC. 4667 RQE 16.339

22

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br

Mais Informações consulte nosso guia médico nas páginas, 6, 8, 10, 11 e 12


Cuidando da voz Anualmente, em 16 de abril, comemoramos o “Dia Mundial da Voz” para lembrar a todos da importância dos cuidados com a voz, seja tanto na prevenção de doenças relacionadas à laringe (órgāo que produz a voz) e a demais órgãos fonoarticulatórios (como lábios, língua e palato mole) como no diagnóstico precoce de lesões. Quase um terço da população tem problemas na voz em algum momento de suas vidas. A disfonia, conhecida popularmente como rouquidão, é ainda mais frequente em determinados grupos, como idosos e profissionais da voz, tais como professores, cantores e comunicadores. As desordens vocais podem ter origem orgânica, ou seja, resultantes de alterações físicas no mecanismo vocal como, por exemplo, os nódulos (popularmente chamados de calos) vocais e neurogênicas por problemas no sistema nervoso central ou periférico, como o tremor vocal, disfonia espasmódica e paralisia de prega vocal. A disfonia também pode ser resultante do uso inapropriado da voz em uma pessoa com a estrutura da laringe normal, como ocorre na fadi-

ga vocal. Fatores emocionais também podem afetar a qualidade vocal, porque a voz expressa nossos sentimentos. Assim, é comum que durante um estresse psicológico, o paciente possa apresentar disfonia. Geralmente a disfonia é causada por condições benignas e autolimitadas, mas também pode fazer parte de uma condição mais grave, como o câncer de laringe, exigindo diagnóstico imediato. Portanto, dentre todas as causas possíveis que podem explicar problemas na voz, o diagnóstico deve ser complementado através da visualização da laringe, um exame chamado videolaringoscopia. Para melhor qualidade da voz, instrumento de comunicação e expressão de sentimentos, alem de ferramenta de trabalho para muitos, é importante seguir os seguintes cuidados: Pare de fumar: o cigarro é o principal causador de laringites, edema de Reinke e do câncer de laringe, além de causar inúmeros outros cânceres e basicamente afetar todo o funcionamento do organismo.

Beba água: a hidratação da mucosa da garganta previne lesões e garante a lubrificação para melhor mobilidade e vibração das pregas vocais. Para alguns profissionais da voz, também é interessante realizar nebulizações com soro fisiológico 0,9% para melhores resultados. Preste atenção em sua respiração: a respiração oral resseca a garganta, podendo causar desconforto e sensação de corpo estranho local, infecções de via aérea superiores de repetição e tosse. Siga as recomendações do seu (sua) fonoaudiólogo (a): pratique os exercícios passados pelo profissional e respeite os períodos de repouso vocal. A avaliação do fonoaudiólogo também é imprescindível em casos de disfonia e deve ser individualizada. Procure um professor de canto: o conhecimento da técnica vocal previne lesões fonotraumáticas, portanto é importante para profissional e para quem canta por lazer. Procure um otorrinolaringologista em casos de disfonia para diagnóstico e tratamento adequados.

DRA. SARAH CRISTINA BEIRITH OTORRINOLARINGOLOGISTA CRM/SC 18734 | RQE 15154

• Médica pela Universidade Federal de Santa Catarina; • Residência Médica em Otorrinolaringologia pelo Hospital Federal da Lagoa; • Membro da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial.

24

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br

Mais Informações consulte nosso guia médico nas páginas, 6, 8, 10, 11 e 12


INFORME PUBLICITÁRIO

DR. RAFAEL DE ALMEIDA TIRAPELLE

CIRURGIÃO PLÁSTICO - CRM/SC 15206 | RQE 7657

• Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP); • Membro da Sociedade Americana de Cirurgia Plástica (ASPS); • Membro da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS); • Membro da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética e Reconstrutora (IPRAS).

26

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br

Durante o mês de maio Dr. Rafael Tirapelle esteve fazendo um fellow de quinze dias em rinoplastia com um dos maiores cirurgiões de nariz do mundo, o Professor Dr. Nazim Çerkes. Dr. Nazim é ex-presidente da Sociedade Europeia de Rinoplastia e presidente eleito da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS). Durante o estágio, Dr. Rafael teve a oportunidade de auxiliar as cirurgias do Dr. Nazim e acompanhá-lo durante suas consultas no consultório. Segundo Dr. Rafael foram dias intensos e de muito aprendizado pois Dr. Nazim

recebe muitos casos difíceis de todo o mundo, especialmente narizes operados previamente com complicações pós-operatórias e resultados insatisfatórios. A rinoplastia é uma das paixões do Dr. Rafael, sendo que dentro da cirurgia plástica é uma das cirurgias que mais apresentou evolução técnica e ao mesmo tempo uma das que mais necessita de senso artístico do cirurgião para se atingir o melhor resultado. Por estes motivos Dr. Rafael esta sempre em constante atualização nesta área buscando aprender sempre mais diretamente com os mais renomados cirurgiões do mundo.


Bioestimulação facial: rejuvenescimento e pele saudável em um novo conceito dermatológico A partir dos 30 anos, nosso organismo começa a perder colágeno, proteína responsável pela firmeza e elasticidade da pele. Como consequência, a pele enfraquece e as linhas de expressão começam a aparecer. Como aliada na busca de uma pele menos flácida, a bioestimulação de colágeno é a nova técnica sugerida. Com resultados naturais e progressivos, o tratamento consiste na aplicação de substâncias biocompatíveis e biorreabsorvíveis que induzem a produção de colágeno. São utilizadas a hidroxiapatita de cálcio, o ácido polilático e a policaprolactona, mais conhecidos pelos nomes comerciais: Radiesse®, Sculptra® e Ellansé®. Eles provocam uma leve reação inflamatória, fazendo com que as células responsáveis pelo colágeno produzam novas fibras. Ao ser aplicado em pontos específicos, o produto obtém como resultado o levantamento da pele e melhora do contorno facial, além de auxiliar a reposicionar a região malar e melhorar o bigode chinês. O procedimento é minimamente invasivo e pode ser realizado no rosto, pescoço, colo, braços e pernas.

A aplicação é semelhante a do ácido hialurônico e as únicas recomendações são não fazer esforço físico nas próximas 24 horas e evitar piscinas e lugares com altos riscos de contaminação. Para obter resultados satisfatórios, são indicadas três sessões com intervalos mensais. Uma avaliação prévia e completa da face deve ser realizada pelo dermatologista responsável, bem como grau de flacidez e envelhecimento. Apesar de poder ser aplicado em todos os tipos de pele, pacientes com doenças autoimunes, inflamações ou infecções devem evitar a aplicação. Não há como prever qual será o efeito em todos os pacientes, já que cada organismo reage de uma forma. Mas, estima-se que a produção de colágeno perpetue por até 18 meses após o procedimento.

DRA. VANESSA GHENO DERMATOLOGISTA - CRM/SC 17854 | RQE 14819

• Graduação em Medicina pela Universidade Comunitária da Região de Chapecó UNOCHAPECÓ; • Residência Médica em Dermatologia pela Universidade Estadual de Londrina - UEL; • Título de Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia SBD e Associação Médica Brasileira - AMB; • Professora do Curso de Graduação em Medicina da UNOCHAPECÓ.

28

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br

Mais Informações consulte nosso guia médico nas páginas, 6, 8, 10, 11 e 12


Abscesso e fístula anal O que é um abscesso anal ou fístula? Um abscesso anal é uma cavidade infectada preenchida com pus encontrados perto do ânus ou reto. Noventa por cento dos abcessos são o resultado de uma infecção aguda nas glândulas internas do ânus. Ocasionalmente, bactérias, material fecal ou corpos estranhos podem entupir uma glândula anal e entrar em um túnel no tecido ao redor do ânus ou reto, onde podem então se acumular em uma cavidade chamada abcesso.   Uma fístula anal é freqüentemente o resultado de um abscesso anal anterior ou atual. Isso ocorre em até 50% dos pacientes com abscessos. A Anatomia normal inclui pequenas glândulas dentro do ânus. A fístula é o túnel que se forma sob a pele e conecta as glândulas infectadas obstruídas a um abscesso. Uma fístula pode estar presente com ou sem um abscesso e pode se conectar apenas à pele das nádegas perto da abertura anal.

CLASSIFICAÇÃO

Os abscessos anais são classificados por sua localização em relação às estruturas que compõem e circundam o ânus e o reto: perianal, isquioanal, interesfíncteriano e supraelevador. A área perianal é a mais freqüente e a supralevator a menos. Se qualquer um desses tipos particulares de abscesso se espalhar parcialmente circunferencialmente ao redor do ânus ou do reto, é denominado abscesso em ferradura.

As fístulas são classificadas por sua relação com partes do complexo do esfíncter anal (os músculos que nos permitem controlar nossas fezes). Eles são classificados como interesfinctericos, transesfinctericos, supra-esfinctericos e extra-esfinctericos. O interesfincterico é o mais comum e o extra-esfincterico é o menos comum. Essas classificações são importantes para ajudar o cirurgião a tomar decisões sobre o tratamento.

32

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br

SINTOMAS

Dor anorretal, inchaço, celulite perianal (vermelhidão da pele) e febre são os sintomas mais comuns de um abscesso. Ocasionalmente, sangramento retal ou sintomas urinários, como dificuldade para iniciar um fluxo urinário ou micção dolorosa, podem estar presentes.  Pacientes com fístulas comumente têm história de abscesso anal previamente drenado. Dor anorretal, drenagem da pele perianal, irritação da pele perianal e, às vezes, sangramento retal, podem estar apresentando sintomas de uma fístula no ânus.

EXAME FÍSICO

Um histórico cuidadoso em relação aos sintomas anorretais e à história médica pregressa é necessário, seguido de um exame físico. Achados comuns que levam ao diagnóstico de abscesso perirretal são febre, vermelhidão, inchaço e sensibilidade à palpação. No entanto, enquanto a maioria dos abscessos é visível do lado de fora da pele ao redor do ânus, é importante reconhecer que pode não haver manifestação externa de um abscesso, a não ser uma queixa de dor retal. Um exame retal digital pode causar uma dor aguda.   Ao diagnosticar uma fístula anal, uma abertura externa que drena pus, sangue ou fezes é geralmente vista no exame. Tecido acumulado na abertura externa sugere uma fístula bem estabelecida. Um exame retal digital pode produzir pus a partir da abertura externa. Algumas fístulas se fecham espontaneamente e a drenagem pode ser intermitente, dificultando sua identificação no momento da consulta. 

USO DE ESTUDOS DIAGNÓSTICOS

A maioria dos abscessos e fístulas anais é diagnosticada e tratada com base nos achados clínicos. Ocasionalmente, estudos adicionais podem auxiliar no

diagnóstico ou delineamento do túnel da fístula. Hoje, tanto a ultrassonografia endoanal bidimensional quanto tridimensional tradicional é uma maneira muito eficaz de diagnosticar um abscesso perirretal profundo, identificando uma extensão em ferradura do abscesso e delineando o trajeto de um trato da fístula. Isso pode ser combinado com injeção de peróxido de hidrogênio no trato da fístula (através da abertura externa) para aumentar a precisão. A tomografia computadorizada pode ser útil para pacientes com infecções complicadas ou com outras condições médicas que podem se apresentar de maneira semelhante, como a doença de Crohn. A ressonância magnética pélvica demonstrou ter uma precisão de até 90% para mapear o trato da fístula e identificar as aberturas internas.

TRATAMENTO DE ABSCESSO ANAL

O tratamento de um abcesso é a drenagem cirúrgica na maioria das circunstâncias. Uma incisão é feita na pele perto do ânus para drenar a infecção. Isso pode ser feito em um consultório médico com anestesia local ou em uma sala de cirurgia sob anestesia mais profunda. A hospitalização pode ser necessária para pacientes propensos a infecções mais significativas, como diabéticos ou pacientes com imunidade diminuída. Até 50% do tempo após o dreno de um abscesso, um túnel (fístula) pode persistir, conectando a glândula anal infectada à pele externa. Isso normalmente envolve algum tipo de drenagem da abertura externa. Se a abertura na pele cicatrizar quando uma fístula estiver presente, um abscesso recorrente pode se desenvolver. Até que a fístula seja eliminada, muitos pacientes terão ciclos recorrentes de dor, inchaço e drenagem, com períodos intermediários de aparente cicatrização. Antibióticos sozinhos são uma alternativa pobre à drenagem da infecção. A adição rotineira de antibióticos à drenagem cirúrgica não melhora o tempo de cicatrização nem reduz o potencial de recorrências em abscessos não complicados. Existem algumas condições nas quais os antibióticos são indicados, como pacientes com imunidade comprometida ou alterada ou no contexto de celulite extensa (disseminação da infecção na pele). 

Mais Informações consulte nosso guia médico nas páginas, 6, 8, 10, 11 e 12


TRATAMENTO DA FÍSTULA ANAL

Atualmente, não há tratamento médico disponível para este problema e a cirurgia é quase sempre necessária para curar uma fístula anal. Se a fístula for simples (envolvendo mínimo músculo esfincteriano), pode ser realizada uma fistulotomia. Esse procedimento envolve a abertura do trato, conectando a abertura interna no canal anal à abertura externa e criando um sulco que vai se curar de dentro para fora.  A cirurgia pode ser realizada ao mesmo tempo que a drenagem de um abcesso, embora às vezes a fístula não apareça até semanas ou anos após a drenagem inicial. A fistulotomia é um tratamento de longa duração com alta taxa de sucesso (92-97%). Esta alta taxa de sucesso deve ser equilibrada, no entanto, com as mudanças potenciais na continência do paciente (capacidade de controlar as fezes), como o esfíncter anal é dividido em uma fistulotomia, maior o risco de alterações na continência. Portanto, o cirurgião deve avaliar se a fistulotomia é apropriada para um determinado paciente. Além da fistulotomia, existem várias outras opções de tratamento cirúrgico para a fístula anal que não envolvem a divisão dos músculos esfincterianos. A injeção de cola de fibrina é uma dessas opções, na qual a cola de fibrina é injetada no trato da fístula para obliterar o trato com a intenção de se incorporar ao tecido circundante. Tem a vantagem de evitar dividir qualquer músculo esfincteriano, preservando assim a continência. Embora exista uma taxa de falha relativamente alta com essa abordagem, ela não “queima qualquer ponte” (risco que afeta a continência) e pode ser repetida.  Um plugue de fístula anal é um pedaço alongado de material que é colocado ao longo do comprimento do trato da fístula para preencher o espaço do trato e incorporar-se ao tecido ao seu redor. O plug também tem a vantagem de não reque-

rer divisão do músculo esfincteriano. No entanto, como a cola de fibrina, tem uma taxa de sucesso relativamente baixa, com a maioria dos estudos relatando sucesso inferior a 50%. Um retalho de avanço endoanal é um procedimento geralmente reservado para fístulas complexas ou para pacientes com risco potencial aumentado de sofrer incontinência de uma fistulotomia tradicional. Neste procedimento, a abertura interna da fístula é coberta por tecido nativo saudável, na tentativa de fechar o ponto de origem da fístula. As taxas de recorrência foram relatadas em até 50% dos casos. Certas condições, como doença de Crohn, malignidade, tecido irradiado e tentativas anteriores de reparo e tabagismo, aumentam a probabilidade de falha. Embora o esfíncter não esteja dividido neste procedimento, a incontinência leve a moderada ainda foi relatada. Ainda outro tratamento divisor não-esfincteriano para fístula anal é o procedimento LIFT (ligadura do trato interesfincteriano com fístula). Este procedimento envolve a divisão do trato da fístula no espaço entre os músculos esfincterianos internos e externos. Esse procedimento evita a divisão do músculo esfincteriano, mas não foi realizado por tempo suficiente para avaliar adequadamente seu sucesso ou os casos mais apropriados para realizá-lo. A maioria das operações pode ser realizada em nível ambulatorial, mas em casos selecionados, pode exigir hospitalização. Considere identificar um especialista em cirurgia de cólon e reto que esteja familiarizado com várias operações em potencial para tratar a fístula.

O QUE É UM SETON?

Como mencionado acima, se uma quantidade significativa de musculatura esfincteriana estiver envolvida no trato da fístula, uma fistulotomia pode não ser recomendada como procedimento

inicial. Seu cirurgião pode recomendar a colocação inicial de um seton de drenagem. Este é frequentemente um fino pedaço de borracha ou sutura que é colocado através do trato da fístula inteira e as extremidades do seton (ou dreno) são reunidas e fixadas, formando um anel ao redor do ânus envolvendo o trato da fístula. O seton pode ser deixado no local por 8 a 12 semanas (ou indefinidamente em casos selecionados), com o objetivo de fornecer drenagem controlada, permitindo assim que toda a inflamação diminua e forme uma área sólida de cicatriz ao longo do trato da fístula. Isso está associado com o mínimo de dor e você ainda pode ter a função intestinal normal com um seton no lugar.

PODE O ABSCESSO OU FÍSTULA RECORRER?

Como mencionado anteriormente, até 50% dos abscessos podem reapresentar-se como outro abscesso ou como uma fístula franca. Apesar do tratamento adequado e aparente cicatrização completa, as fístulas podem recorrer potencialmente, com taxas de recorrência dependentes da técnica cirúrgica particular utilizada. Caso surjam sintomas semelhantes, sugerindo recorrência, recomenda-se que você encontre um cirurgião de cólon e reto para controlar sua condição.

O QUE É UM COLOPROCTOLOGISTA?

Cirurgiões de cólon e reto são especialistas no tratamento cirúrgico e não cirúrgico de doenças do cólon, reto e ânus. Eles concluíram o treinamento cirúrgico avançado no tratamento dessas doenças, bem como o treinamento cirúrgico geral completo. Eles são bem versados no ​​ tratamento de ambas as doenças benignas e malignas do cólon, reto e ânus e são capazes de realizar exames de triagem de rotina e tratar cirurgicamente condições se for indicado para o fazer.

DR. LUIS CARLOS FARRET JR. CRM/SC 8817 COLOPROCTOLOGIA - RQE 3352 CIRURGIÃO GERAL - RQE 12869

DR. RODRIGO BIAZUS CRM/SC 5980 COLOPROCTOLOGIA - RQE 5518 Mais Informações consulte nosso guia médico nas páginas, 6, 8, 10, 11 e 12

rsaude.com.br | Maio . 2019 | Revista Saúde

33


Cirurgia da Coluna Vertebral Quando o resultado obtido não é o esperado

Mesmo com as importantes evoluções tecnológicas, há um significativo percentual de pacientes que não obtem um resultado satisfatório na cirurgia, sofrendo de dor crônica na própria coluna, dor persistente nos membros e limitações funcionais importantes com perda da qualidade de vida. A condição não define que o procedimento foi mal executado, mas sim que não conseguiu produzir um resultado que esperava-se, tanto por parte do médico como principalmente por parte do paciente. Alguns fatores são comuns nessa condição e podem ser identificadas: • Seleção inadequada do paciente para determinada técnica; • Expectativa do paciente sobre qual resultado esperado; • Planejamento cirúrgico inadequado; • Complicações trans-operatórias. Nesta matéria, abordaremos somente aspectos da dor naqueles pacientes que tiveram uma cirurgia tecnicamente bem realizada, mas que permaneceram com dor. As opções atuais continuam a evoluir e podem ser categorizadas em cinco classificações distintas: Exercício, fisioterapia e reabilitação comportamental Embora  as evidências científicas sejam moderadas  quanto a sua eficácia isoladamente, na prática clínica observamos que tais medidas juntamente com as demais citadas, ajudam a melhorar a função global do indivíduo e diminuir a necessidade de medicações.

Manejo medicamentoso: Até o momento, não existe nenhuma medicação “padrão-ouro” para o manejo da condição. Diversas classes de medicações tem sido utilizadas e a literatura é extremamente conflitante. No nosso meio, dados os custos de outras opções, esta acaba sendo a forma mais utilizada. É fundamental que o paciente conheça também os efeitos colaterais e riscos de uso a longo prazo de algumas dessas substâncias, cabendo ao médico orientá-lo corretamente quanto ao uso e revisão periódica para o ajuste ou troca. Procedimentos Intervencionistas Estudos rigorosamente realizados tem demonstrado eficácia de algumas das técnicas, entretanto custos para algumas dessas opções ultrapassam em muito a realidade econômica dos pacientes e isso infelizmente deve ser levado em consideração na tomada conjunta da decisão terapêutica. Neuromodulação e tecnologias implantáveis Esta opção inclui neuroestimuladores, que são implantados juntos a medula e produzem pulsos elétricos sobre ela, e sistemas de bombas implantáveis que liberam medicações lentamente sobre o sistema nervoso. A maior evidência atual fala a favor dos neuroestimuladores, sendo que até obter-se o resultado esperado, são necessários muitas vezes diversos ajustes  para chegarmos a resposta adequada do controle da queixa. A vantagem de ambos métodos: há a possibilidade de fazermos um período de teste, para que identifiquemos com uma boa margem se essa opção é a adequada ao paciente.

Reoperação Esta opção deve ser considerada quando há uma óbvia fonte anatômica sendo responsável pela queixa: uma raiz nervosa comprimida por um disco que herniou novamente, um nível que não foi fusionado em uma primeira cirurgia que evoluiu para  degeneração sintomática no decorrer do tempo. Independente disso, quaisquer reintervenções devem ser amplamente discutidas e pesados os prós e contras, pois tratamse de locais já operados, onde o risco de complicações num segundo procedimento cresce de forma exponencial em relação ao primeiro. Em conclusão, esse tipo de situação requer uma abordagem abrangente e multimodal, utilizando uma infinidade de opções de tratamento para otimizar os resultados. Em cada uma das opções, devem ser ponderados todos os aspectos de riscos e benefícios possíveis.

DR. MÁRCIO TELESCA ORTOPEDIA & TRAUMATOLOGIA CRM 9304 | RQE 5231

• Formação acadêmica: Graduado em Medicina pela Universidade Federal de Pelotas/2000; • Subespecialização: Cirurgia da Coluna-UFPR/2006; • Membro SBOT: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia desde 2004; • Membro SBC: Sociedade Brasileira de Coluna desde 2007; • Membro AOSLA: AO-Spine Latino-America desde 2010.

34

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br

Mais Informações consulte nosso guia médico nas páginas, 6, 8, 10, 11 e 12


Câncer de próstata tem cura? Câncer de próstata tem cura sim, principalmente quando o tumor é detectado na fase inicial. Quanto mais cedo o câncer de próstata for diagnosticado, maiores serão as chances de cura, já que no início o tumor está localizado na próstata e ainda não se disseminou para outros órgãos do corpo.

A cirurgia para remoção total da próstata (prostatectomia radical) é o tratamento mais indicado para os casos de tumores prostáticos localizados e com índices de cura próximo aos 100%, enquanto que a radioterapia, como forma de tratamento alternativa, permite cura em até 75 a 80% dos casos, em fase inicial. Quando o tumor já está disseminado para outros órgãos, as chances de cura são reduzidas. Muitas vezes, quando o paciente apresenta sintomas, o câncer de próstata já está num estágio em que é incurável. Saiba quais são os sintomas do Câncer de Próstata O rastreamento do câncer de próstata é realizado através do exame de toque retal e do exame de sangue para medir o PSA (antígeno prostático específico). Se houver alteração no exame clínico e o PSA estiver aumentado, é realizada uma ultrassonografia, tomografia ou ressonância magnética. Porém, como a maioria dos tumores de próstata não aparece em exames de imagem, o diagnóstico só é confirmado através de biópsia. O tratamento do câncer de próstata localizado é feito com cirurgia e radioterapia. Se o tumor já estiver avançado mas ainda localizado, é incluído também o tratamento hormonal. No caso de metástase, ou seja, quando o câncer já se disseminou para outras partes do corpo, o tratamento é feito sobretudo com terapia hormonal ou quimioterapia.

Quais os sintomas de câncer de próstata? Os principais sintomas do câncer de próstata são a dificuldade para urinar e o aumento da frequência urinária durante o dia ou durante a noite. Na fase avançada, pode haver ainda dor nos ossos, dor lombar, sangue na urina, insuficiência renal, infecção generalizada, entre outras manifestações. Contudo, o câncer de próstata não costuma causar sinais e sintomas na fase inicial, já que, na maioria dos casos, o tumor tem evolução lenta e silenciosa. Grande parte dos tumores malignos de próstata cresce muito lentamente, podendo demorar quinze anos para chegar a 1 centímetro. Por isso, muitas vezes a doença nem chega a manifestar sintomas ou trazer graves riscos à saúde e o paciente frequentemente vai a óbito por razões não relacionadas ao tumor. Porém, em alguns casos, o câncer pode crescer rapidamente e se disseminar para outros órgãos (metástase), podendo levar à morte. Alterações urinárias A próstata é uma glândula que envolve a porção inicial da uretra, que é o canal da urina. Está localizada em frente ao reto (porção final do intestino grosso) e abaixo da bexiga. Portanto, com o crescimento do tumor, o jato de urina fica mais fraco, a micção é feita em gotas ou em jatos (dois tempos) e é preciso fazer força para manter o jato de urina. Depois de urinar, o homem fica com a sensação de que a bexiga não esvaziou completamente. Outro sintoma muito comum é o aumento da frequência urinária, sobretudo noturna, levando o paciente a acordar várias vezes para ir ao banheiro durante a noite. Também pode haver urgência urinária, que é a necessidade urgente de urinar. O paciente, geralmente, apresenta dificuldade para começar e interromper a micção, daí ser frequente o gotejamento após o ato de urinar.

Outros sinais e sintomas À medida que o tumor continua crescendo, pode ocorrer dor na coluna lombar, dor pélvica, presença de sangue na urina, insuficiência renal, inchaço no saco escrotal e nas pernas. A dor nos ossos é sentida principalmente no quadril, na coluna e nas costelas e está associada ao alastramento do câncer ao tecido ósseo. Os exames de rastreamento podem ser realizados a partir dos 50 anos ou a partir dos 45 anos para homens com histórico familiar de câncer de próstata.

Congresso Americano de Urologia Dr. Cesar A. Bombardelli sempre em constante atualização participando do AUA Annual Meeting - 2019 Chicago/ EUA.

DR. CESAR A. BOMBARDELLI UROLOGISTA CRM/SC 6293 | RQE 3265

• Membro Títular da Sociedade Brasileira de Urologia - SBU; • Urologista Membro do Corpo Clínico do Hospital Unimed Chapecó; • Formado em Medicina em 1988 pela Univ. de São Paulo - USP.

36

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br

Mais Informações consulte nosso guia médico nas páginas, 6, 8, 10, 11 e 12


Informativo Técnico

Cisteamina A evolução no tratamento do melasma resistente Cisteamina é o novo ativo indi- e um grupo amina, produzida en- ciclo de metabolismo da coenzima cado para desordens de hiperpig- dogenamente a partir do amino- A e está naturalmente presente em mentação cutânea, atuando como ácido L-cisteína. Seu mecanismo todas as células dos mamíferos. Sua corretor de pigmentos, Naturalmen- de ação consiste na diminuição da atuação está relacionada a diminuite presente no corpo, a Cisteami- atividade da tirosinase e da tirosi- ção das espécies reativas de oxigêna reduz fortemente a melanina na nase 2, principais enzimas envolvi- nio, inibindo a produção de melaniepiderme, corrigindo eficazmente o das nos mecanismos de produção na pelas melanócitos. Os primeiros melasma e hiperpigmentação pós in- da melanina. Atua pela inibição da sinais de correção de pigmento toroxidação dessas enzimas, essen- nam-se visíveis após 6 semanas de flamatória.

A eficácia da Cisteamina tópica cial para iniciar a cascata da me- aplicação uma vez ao dia. Resultano tratamento do melasma foi re- lanogênese. Assim, a Cisteamina dos ótimos são obtidos 8 a 12 secentemente demonstrada em ensaios clínicos publicados nas mais renomadas revistas cientificas e presente nos principais congressos de dermatologia mundiais.

diminui a produção de melanina manas de uma aplicação diária. desde o inicio do processo. Cisteamina uso tópico: eficiên-

Benefícios

cia em pacientes com melasma re-

Eficácia significativa na

sistente

correção de hiperpigmentação e melasma;

Pesquisas demonstram que a Cisteamina uso tópico é muito mais

Relação beneficio/risco

potente e segura do que a Hidroqui-

superior;

nona, sendo indicada para pacientes

Biocompatível;

com melasma resistente ou com de-

Bem tolerado;

sordens de hiperpigmentação causa-

Não fotossensibilizante;

da pelo sol ou pós gestacional. Cisteamina tópica: potente mecanismo de clareamento da pele

Nova era de tratamento do melasma resistente

A Cisteamina é uma molécula

A L-cisteamina é um antioxidan-

mercaptacética, com um grupo tiol te endógeno produzido durante o

Contatos: 49 3323 0035 | 49 98428 2003

Não cancerígeno; Não mutagênico; Eficácia comprovada.

| bioativo@desbrava.com.br | Av. Porto Alegre, 26 E - Centro - Chapecó/SC rsaude.com.br | Maio . 2019 | Revista Saúde

37


Fundos de investimentos Seja qual for o objetivo, investir é o melhor meio para alcançá-lo! Os sonhos movem nossas vidas. É para alcançá-los que nos empenhamos diariamente, pois quando conseguimos realizá-los surge aquele sentimento de que todo o esforço foi válido. Sabemos, no entanto, que alguns desejos são mais difíceis de serem conquistados. Comprar uma casa ou um carro, viajar para aquele lugar especial ou simplesmente buscar a segurança financeira são necessidades que podem ser mais facilmente alcançadas se houver planejamento. Seja qual for o seu perfil, os fundos de investimento são ótimos meios para montar uma carteira que atenda suas necessidades e objetivos pessoais.

Uma questão de hábito

O que é um fundo de investimento? É a reunião de recursos de várias pessoas com o mesmo objetivo. Este recurso final será gerido por um gestor profissional que comprará ativos no mercado financeiro, para valorizar o capital dos aplicadores, chamados de cotistas.

Quando se fala em investimento, o valor não é o mais importante, o hábito sim! Pequenos valores aplicados com regularidade ao longo do tempo, transformam-se em grandes volumes, tudo graças aos juros compostos. Nos últimos anos, os fundos de investimento se popularizaram e já é possível fazer aplicações iniciais muitas vezes inferiores a R$ 100,00.

Qual a vantagem de investir através de um fundo?

Como saber qual o meu perfil?

Se você tem R$ 100 mil para investir, mas um atraente ativo financeiro disponível no mercado tem o custo de R$ 1 milhão, obviamente sozinho você não poderá comprar, porém se vários investidores aplicarem valores que somem esse montante, o investimento será feito e todos terão acesso ao ativo antes inalcançável. A união faz a força!

Não existe perfil certo ou errado, o importante é que você seja orientado a investir nos produtos que o deixem mais confortável quanto à volatilidade e prazo de resgate. Ao iniciar um investimento é importante identificar se você é conservador, moderado ou arrojado. Ainda assim, pode ser que seu perfil seja alterado ao longo do tempo, afinal as neces-

sidades vão mudando como casamento, filhos, poupar para uma casa nova, aposentadoria, etc. Tudo pode influenciar durante a jornada.

Quais são as modalidades? Há fundos de todos os tipos: renda fixa, multimercados conservadores, multimercados arrojados, ações, investimento no exterior, cambiais, etc. Opções não faltam e para cada investidor há uma composição de carteira adequada, pois as pessoas são diferentes e possuem objetivos variados. O importante é que o investimento atenda exatamente às suas necessidades. Para perfis mais conservadores, a Unicred conta também com o RDC (Recibo de Depósito Cooperativo), uma aplicação de renda fixa, com rentabilidade e liquidez diárias, podendo ser pré ou pós-fixado, que conta com a garantia do FGCoop.

Para ajudar você alcançar seus objetivos, a Unicred lançou uma plataforma com diferentes fundos de investimentos. Conte com assessoria especializada para lhe ajudar a atingir seus objetivos de curto, médio e longo prazo, de acordo com seu perfil.


I

N

V

E

S

T

I

M

E

N

T

O

S

F U N D O S D E I n v e s t i m e n t o S p e l o a p p ? N a U n i c r e d , a t é o s e u t e m p o

rende mais Investir traz mais resultados quando você tem ao seu lado uma Instituição Financeira que valoriza o seu dinheiro e também o seu tempo. Com a nova plataforma de investimentos da Unicred, você tem as melhores opções na palma da sua mão, direto pelo aplicativo.

Quer saber mais? Bai x e o APP UN I CR E D I nves t i m e n to s .

u n i c r e d . c o m . b r / D E S B R AVA D O R A S U L

/unicredSCPR


Você sabia que hoje em dia, através da sedação consciente, você pode fazer implantes dentários e enxertos ósseos dormindo e sem dor? É a forma mais segura e confortável de se fazer um procedimento cirúrgico. E pra saber mais sobre o assunto, entrevistamos o Dr Rafael Cordeiro, cirurgião dentista habilitado em sedação e membro da ABASCO (Associação Brasileira de Analgesia e Sedação Consciente). 1. O oxido nitroso é o gás anestésico utilizado para sedação. O que é esse gás? O Oxido Nitroso é um gás presente na atmosfera. Foi descoberto por volta de 1772 e foi utilizado como anestésico a partir de 1845 pelo dentista Horace Wells, para a remoção de dentes. 2. Então eu vou ficar completamente anestesiado? Sim. O oxido nitroso, porém, NÃO atua no centro do cérebro responsável pela RESPIRAÇÃO o suficiente para evitar que o paciente respire normalmente na concentração usada (70% do gás N2O misturado a 30% de oxigênio). Dessa forma, você respira por si mesmo e NÃO precisa ser entubado ou respirar por aparelhos de forma alguma. 3. Então qual é a vantagem de utilizar esta técnica? São muitas as vantagens. Ao permanecer consciente, o paciente pode ser atendido em ambiente ambulatorial, sendo que inconsciente apenas em hospital. A técnica proporciona uma sensação do bem estar e relaxamento, minimizando a ansiedade e o stress relacionados com o atendimento odontológico, induzindo dessa forma a sensação de sonolência. O pós operatório também torna-se muito mais tranquilo pela potencialização dos analgésicos. Sendo assim, o tratamento torna-se mais confortável e seguro tanto física quanto emocional/psicologicamente. 4. É um procedimento que envolve algum risco? Não. È a técnica mais segura que existe. É empregada em vários países do mundo há mais de 100 anos em milhões de pessoas. Na Odontologia mundial não há relatos de acidentes, óbitos e reações


alérgicas ( choque anafilático ). No Brasil , por exemplo, temos o exemplo do Dr. Regattieri ( Curitiba ), que tem mais de 35.000 casos documentados sem qualquer problema. 5. Quem pode se submeter a esse procedimento? Em principio qualquer pessoa que tenha nível adequado de compreensão, colaboração e boa respiração nasal. 6. E quem tem problema de saúde? De modo geral, quanto mais problemas de saúde a pessoa tiver, mais indicada a utilização da sedação consciente. O maior inimigo das doenças do coração, da hipertensão, do diabetes, das crises asmáticas e convulsivas se chama STRESS. Ao reduzir/eliminar o stress com a SEDAÇÃO nós estabilizamos as condições do paciente, proporcionando um tratamento muito mais seguro. 7. E da pra fazer os implantes dentários normalmente mesmo dormindo? Perfeitamente. Você responderá normalmente a comandos como abrir e fechar a boca, já que estará em um estado de sonolência e entorpecimento dos sentidos, e não inconsciente. Portanto, trabalhamos normalmente com implantes dentários e enxertos ósseos, realizando o sonho de quem tem trauma e/ou medo do procedimento. 8. Qualquer dentista pode empregar esta técnica? Não. Como qualquer outro procedimento, só deve ser feito por profissional capacitado. O profissional deve ter uma habilitação especifica reconhecida pelo Conselho Regional de Odontologia, com carga horária teórica e práticas comprovadas.


O que mais “incomoda”? A perda auditiva ou a estética com o uso de aparelhos auditivos O conceito do uso de aparelhos auditivos mudou muito nestes últimos anos, assim como o tamanho e as características dos aparelhos.Estávamos acostumados com aparelhos auditivos grandes, com aparência feia e qualidade sonora ruim.Assim como os computadores e nossos celulares evoluíram, os aparelhos auditivos também passaram por esta evolução tecnológica. Estas novas tecnologias associadas a designs mais modernos, tornaram os aparelhos auditivos mais discretos e com qualidade sonora mais próxima da audição normal.Pensando no reflexo que a perda auditiva causa ao indivíduo, se torna mais “discreto” o uso de aparelhos auditivos, do que ter que pedir a outra pessoa para repetir o que perguntou, ignorá-la sem querer ou até mesmo responder de forma errada. Viver e conviver com uma perda auditiva não tratada significa estar alheio ao meio, com dificuldades no ambiente social, perda de informações importantes no trabalho, e dificuldades para aproveitar os programas de lazer. Todos os cinco sentidos são extremamente importantes para nossa qualidade de vida e viver sem conseguir ouvir, é viver num mundo solitário e isolado, fazendo com que muitas vezes algumas atividades tornem-se impraticáveis. Desta forma, muitos preferem ficar em casa, evitan-

do situações que exigem atenção e o convívio social. As pessoas com perda auditiva têm um desgaste muito grande, pois, para lidar com a perda, a pessoa precisa se concentrar muito mais, sentindo-se exausta ao final do dia.O uso de aparelhos auditivos estimula a via auditiva, ajudando a evitar a deterioração da capacidade do nosso cérebro para ouvir, identificar e interpretar os sons. O importante da reabilitação auditiva é a estimulação da área do córtex cerebral responsável pela audição, pois o cérebro de uma pessoa que tem perda auditiva se acostuma a não ouvir os sons do nosso cotidiano e quanto mais tempo ficar sem estimulação, mais difícil ficará para o cérebro compreender novamente. Independente da origem da perda auditiva, quanto antes for iniciada a reabilitação, melhores serão as chances de sucesso com o uso dos aparelhos auditivos.Nem sempre as perdas auditivas são diagnosticadas precocemente, principalmente porque a perda de audição da maioria das pessoas se desenvolve gradualmente, com o passar dos anos, fazendo com que as pessoas “se acostumem” a não ouvir. Elas só irão se dar conta da perda auditiva quando começarem a se isolar do meio social. O importante é a avaliação e a investigação desta perda auditiva

Um simples exame de audição audiometria pode determinar se existea perda auditiva.O primeiro passo é consultar um profissional da área de saúde, especializado em audição (Médico Otorrinolaringologista ou Fonoaudiólogo) para realizar o exame e investigar o diagnóstico. Dependendo do resultado e da natureza da perda auditiva, o paciente será encaminhado para um exame mais detalhado, ou será orientado sobre o uso de aparelhos auditivos, adequados para aquela necessidade em específico. Fique atento aos principais sintomas da perda auditiva: Parece que todos os outros estão murmurando, e você pede que eles se repitam mais do que costumava fazer? Está ficando difícil entender uma conversa individual em locais ruidosos como um restaurante? Você não consegue ouvir quando alguém está falando com você de outro quarto?

Estes são alguns dos sinais mais comuns de perda auditiva e precisam ser investigados. Na dúvida, consulte um profissional especializado!Cuide de sua saúde! Preserve sua audição! Ouvir bem é qualidade de vida!

FGA. LUCIANA BRAMATI FONOAUDIÓLOGA - CRFA 5781

• Mestre em Distúrbios da Comunicação; • Especialista em Audiologia; • Especialista em Fonoaudiologia do Trabalho; • Diretora da Clínica Comunicação e Comunica Centro Auditivo; • Doutoranda em Distúrbios da Comunicação.

42

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br


Casal infértil: E agora como faz?

Casal infértil é aquele casal que, por definição, não consegue engravidar após 1 ano de tentativas; mas então, e agora, o que fazer? O objetivo do artigo é mostrar a linha de raciocínio e a avaliação básica preconizada em casais inférteis, sendo que, só após tal avaliação é possível estabelecer qual será a melhor forma de tratamento para a infertilidade. Em primeiro lugar vamos acabar com este conceito de que a infertilidade é feminina. Não é! Até 40% das causas de infertilidade são masculinas. O que acontece é que a avaliação masculina é muito mais simples que a feminina mas não pode ser deixada para segundo plano. Para a avaliação masculina, o espermograma (quantitativo e qualitativo) é essencial para se estudar a quantidade, forma, mobilidade e qualidade dos espermatozoides, além de processos inflamatórios que podem interferir na qualidade e mobilidade do esperma. Além do espermograma, estudos ultrassonográficos de próstata e bolsa escrotal se fazem necessários para descartar alterações anatômicas que causem alteração no esperma (varicocele, prostatite crônica, entre outras).

A avaliação feminina é mais complexa, não vou negar. Abaixo temos algumas questões a esclarecer: A anatomia feminina é normal? Para isso um ultrassom transvaginal é suficiente. Para avaliar alterações na forma do útero (útero septado/arqueado, etc) pode-se utilizar a ultrassonografia 3D complementar. As trompas estão desobstruídas? Neste caso, para avaliação tubária de qualidade, só existe um exame a fazer, a histerossalpingografia. Neste exame se coloca um pequeno cateter no útero, por onde se introduz contraste e, após, se faz várias incidências de RX. Com isto, sabemos se as trompas estão pérvias (essencial para haver o encontro do óvulo com o espermatozoide) e se são normais referente a posição e calibre. Por fim, mas não menos importante, a paciente realmente ovula? Inúmeras são as causas onde não há ovulação, neste caso, impossível engravidar (exemplo síndrome dos ovários policísticos). Para se estudar se há, ou não, ovulação, deve se fazer um

controle de ovulação por via ultrassonográfica. Este estudo consiste em uma série de ultrassons transvaginais sequenciais, que se iniciam logo após a menstruação, quando avaliamos o número de folículos primordiais, a seleção de um óvulo, seu desenvolvimento até a sua saída do ovário; configurando ovulação presente. Qualquer um dos exames, tanto masculinos quanto femininos, podem vir com resultados alterados; nestes casos, o tratamento será focado nas alterações encontradas. Os tratamentos podem variar, desde apenas orientações de coito programado (através do controle de ovulação), passando por tratamentos hormonais simples até, em casos específicos, a fertilização “in vitro”. Espero que, com este artigo, tenha esclarecido, um pouco, como funciona o raciocínio médico em caso de infertilidade. Para maiores informações, procure centros de referência de diagnóstico e/ou de fertilidade, que poderão auxiliar na investigação a ser realizada.

DR. FELIPE ROISENBERG RADIOLOGIA E DIAGNÓSTICO POR IMAGEM CRM/SC 12721 | RQE 6912

• Médico Especialista em Radiologia; • Formado na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFGRS); • Especialização na Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro (CESANTA); • Fellow na Beneficiência Portuguesa de São Paulo e no Armed Forces Institute of Pathology (AFIP- Washington DC-EUA); • Membro Titular do Colégio Brasileiro de Radiologia.

44

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br

Mais Informações consulte nosso guia médico nas páginas, 6, 8, 10, 11 e 12


O uso da tecnologia para melhorar os índices de infecções, evitar complicações e melhorar a experiência do paciente durante a sua internação.

O uso de um dispositivo intravenoso é inevitável no ambiente de uma unidade de terapia intensiva, mais que uma via de acesso para medicamentos, os acessos venosos podem influenciar diretamente na eficácia e desfecho do tratamento dos pacientes.

Dentre os dispositivos de escolha, temos o Cateter central de inserção periférica – PICC, que tem alto índice de indicação entre os paciente de terapia intensiva, pois são pacientes com necessidade de acesso vascular por tempo prolongado, em uso de medicações irritantes para os casos, uso de nutrição parenteral total, dentre outras indicações. Na prática diária, a inserção do PICC nem sempre é tarefa fácil devido à complexidade dos pacientes, sendo comum nos depararmos com pacien-

tes em extremos de idade, obesos, uso prolongado de drogas com pH altos que podem causar danos para as veias, tudo isso levando a dificuldade de visualização da veia e a inserção do cateter. Para trazer mais segurança aos nossos pacientes adotamos os cateteres Power PICC que além de trazer todos os benefícios de um dispositivo de inserção periférica, nos possibilita a utilização de uma de suas vias para injeção de contraste em bombas injetoras para exames diagnóstico tolerando até 300psi que equivale a um volume de 5 ml/s, fato que possibilita a melhoria na qualidade da imagem e contribui para facilitação do diagnóstico, o que não é permitido em outros cateteres pelo risco de rompimento. Outro benefício, é a utilização do ultrassom,onde minimizou os riscos de eventos adversos, tais como: punção inadvertida de artérias ou nervos, múltiplas punções, pneumotórax, entre outros riscos que encontramos em punções usuais de acessos centrais em subclávia, culminando em taxas de até 99% de assertividade da punção. Neste contexto, melhoramos também a experiência de nossos pacientes que deixaram de ser multi invadido, pois podemos mantê-lo até o final da terapia medicamentosa, sem necessidade de novas punçõese possibilidade de coleta de exames laboratoriais, tudo com taxas menores

de riscos de infecção por corrente sanguínea, uma luta diária no ambiente de terapia intensiva. Nosso serviço iniciou o uso dos cateteres PICC no setor de oncologia e devido ao sucesso, incorporamos o dispositivona UTI adulto, neonatal e setores de internação. O Hospital Socimed, oferece um serviço de qualidade em saúde, do diagnostico ao tratamento, com foco no atendimento humanizado, seguro e centrado na resolutividade de cada caso. Contamos com serviço de centro de diagnostico, hemodinâmica, UTI Adulto e há quase 2 anos ampliamos nossa Maternidade e abrimos a UTI Neonatal. Certificados pela ONA (Organização Nacional de Acreditação), pela sua excelência assistencial e compromisso com a segurança do paciente. Nosso compromisso com o paciente é aliar sempre a melhor tecnologia para garantir que toda terapia e tratamento prescrito, será realizado com qualidade, segurança e o prevenindo de eventos. Proporcionando assim, uma melhor experiência do paciente durante sua internação hospitalar e reintegração do indivíduo a sociedade.

SAMIRA PEREIRA CARDOSO ENFERMEIRA - COREN 243.312

• Gerente das Unidade de terapia intensiva Adulto e Neonatal do Hospital Socimed; • Licenciada em enfermagem pela universidade do Sul de Santa Catarina – Unisul – Tubarão/SC 2008; • Especialista em Serviço de assistência de Enfermagem em Urgência e Emergência e Intensivíssimo, pela Universidade do Extremo Sul de Santa Catarina – UNESCAgosto/2017; • Pós Graduação em Gestão de serviços hospitalares pela Instituição Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein- São Paulo. Fevereiro/2019.

Rua Aldomar Cardoso, 198 - Passagem, Tubarão/SC - 48 3621 2500 rsaude.com.br | Maio . 2019 | Revista Saúde

45


Abdominoplastia

A Abdominoplastia ou dermolipectomia abdominal tem por objetivo a melhora do contorno corporal. Ela remove o excesso de pele e geralmente é associada a lipoaspiração abdominal e correção da diástase ou afastamento do músculo reto do abdômen, criando assim um perfil abdominal mais suave e tonificado.

Mesmo pacientes que praticam exercício físico e tem um bom controle de peso podem ser candidatos a abdominoplastia caso desenvolvam um abdômen com protrusão e flacidez e as causas mais comuns destas situações incluem gravidez, envelhecimento, oscilações significativas no peso, hereditariedade e cirurgia prévia. Para se tornar um candidato ao procedimento o paciente deve ser saudável, não ter doenças que interfiram na cicatrização ou que aumentem o risco da cirurgia, não fumar e ter expectativas realistas quanto aos resultados. Cada paciente deve ser avaliado individualmente em uma consulta com o cirurgião plástico onde é explicado todos os passos do procedimento e todas as dúvidas do paciente são abordadas. Nesta avaliação a melhor indicação cirúrgica é decidida entre o paciente e seu cirurgião e então os exames pré-operatórios são solicitados. Nesta primeira avaliação é de suma importância a sinceridade da paciente pois ela será questionada quanto a expectativas, tratamentos prévios, uso de medicações, vitaminas, uso de álcool, fumo ou drogas. Aqui também é lembrado a paciente que se ela possui planos de engravidar ou perder peso logo após a cirurgia, a mesma deveria ser adiada. Na segunda consulta geralmente são tiradas novas dúvidas que possam surgir e são conferidos se os exames estão dentro da normalidade ou se o paciente deve fazer algum tratamento prévio antes da cirurgia. Não é raro pacientes que perderam grande quantidade de peso terem deficiências vitamínicas que devem ser tratadas antes da cirurgia, pois podem interferir em cicatrização, sangramento, ou na recuperação cirúrgica. Nesta avaliação o paciente deve assinar o termo de consentimento onde ele autoriza a realização da cirurgia. Uma terceira avaliação, geralmen-

te realizada no dia anterior a cirurgia, é realizada para tranquilizar a paciente quanto ao procedimento, relembrar sobre uso de medicamentos, horas necessárias de jejum, higiene pré-operatória e lembrar a necessidade de um acompanhante pelo menos na primeira noite após a cirurgia. Nesta consulta são tiradas as fotos pré operatórias e é realizado a marcação cirúrgica. Lembrando que em alguns casos pode ser necessária uma avaliação extra quando notamos que a paciente ainda não está segura quanto a realização do procedimento. Após a cirurgia, curativos ou bandagens podem ser aplicados sobre as incisões e o uso de modelador é imprescindível para minimizar o inchaço e sustentar os novos contornos do abdômen à medida que cicatrizam. Um dreno é utilizado temporariamente sob a pele para drenagem de qualquer excesso de sangue e de líquido que possam acumular. Na alta hospitalar o cirurgião ensina como cuidar do local da cirurgia e dos drenos, os medicamentos que tem de aplicar ou tomar por via oral para ajudar na cicatrização e reduzir o risco de infecção, e o acompanhamento pós-operatório é realizado no consultório. Conforme o retorno pósoperatório são decididos aspectos como volta ao trabalho, possibilidade de dirigir, realização de exercícios físicos, quanto tempo usar o modelador cirúrgico e a necessidade de drenagem linfática. Vale lembrar que um pós operatório bem realizado tem tamanha importância no resultado final quanto o ato operatório em si, por isso deve ser feito com todo o cuidado e seguindo as orientações do cirurgião plástico. E reforçando mais uma vez a abdominoplastia é um procedimento altamente individualizado e você deve fazê-lo para si mesmo, não para satisfazer os desejos de outra pessoa ou para se adaptar a qualquer tipo de imagem ideal.

DR. CRISTIANO SCARTAZZINI CIRURGIÃO PLÁSTICO CRM 16620 | RQE 16018

• Especialista pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

48

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br

Mais Informações consulte nosso guia médico nas páginas, 6, 8, 10, 11 e 12


CRISTIANO SCARTAZZINI

DR.

CIRURGIÃO PLÁSTICO CRM 16620 | RQE 16018

Av. Porto Alegre, 427D Sala 903

(49) 3316 2020 | (49) 9 9111 3465

• Formado em Medicina pela Universidade Luterana do Brasil; • Residência Médica em Cirurgia Geral pela Universidade Federal de Uberlândia MG; • Residência Médica em Cirurgia Plástica pelo Hospital Regional da Asa Norte DF; • Especialista em Cirurgia Plástica pelo Ministério de Educação e pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica; • Cursos na área de harmonização facial com ênfase em uso de ácido hialurônico, toxina Botulínica e bioestimuladores de colágeno; • Curso na área de Rejuvenescimento facial com ênfase em Rinoplastia e Ritidoplastia; • Cursos na área de contorno corporal com ênfase em lipoescultura, cirurgia da mama com e sem prótese e abdominoplastia; • Curso na área de contorno corporal em pacientes pós grandes perdas ponderais (pós-cirurgia bariátrica).


Câncer de estômago É a neoplasia maligna, que acomete o órgão estômago. Os tipos mais comuns são o Adenocarcinoma e os Linfomas. Pelas estimativas do INCA (Instituto Nacional do Câncer), é o quarto tumor maligno mais incidente entre os homens e o sexto entre as mulheres. Estima-se, para o Brasil, 13,540 casos novos nos homens e 7.750 nas mulheres, para os anos de 2018-2019.

PRINCIPAIS FATORES DE RISCO PARA SURGIMENTO DO CÂNCER DE ESTÔMAGO: • INFECÇÃO PELO HELICOBACTER PYLORI: É uma bactéria presente no estômago em até 40% da população. Causadora de gastrite crônica e úlceras gástricas. Em torno de 1 a 2% das pessoas infectadas, podem evoluir para uma neoplasia maligna. Portanto, mesmo se assintomática, deve ser tratada com terapia específica. • TABAGISMO: Estudo demonstrou um aumento de 60% de casos de câncer gástrico entre os homens fumantes e de 20% entre as mulheres fumantes, comparado com não fumantes. Parar de fumar diminui significativamente este risco.

• ALIMENTAÇÃO: A ingestão excessiva de sal, alimentos processados, defumados e o pouco consumo de frutas, legumes e verduras estão associados a um risco aumentado de câncer gástrico. A vitamina C, contida nos alimentos, além de cereais integrais, carotenoides são considerados protetores para o estômago. • GASTRITE CRÔNICA e ANEMIA PERNICIOSA • ALCOOLISMO • OBESIDADE • HISTÓRIA FAMILIAR: Fatores genéticos presentes que incluem história familiar de câncer de estômago, especialmente pais, irmãos; Síndrome Li-Fraumeni; pólipos adenomatosos de estômago. PRINCIPAIS SINTOMAS E SINAIS: Nos estadios mais iniciais do câncer, a pessoa pode estar assintomática. Geralmente são sintomas semelhantes a gastrite crônica, doença do refluxo ou úlceras, tais como: indigestão, desconforto gástrico, sensação

de estufamento pós alimentar, náuseas, perda de apetite, e dor. Nos estádios mais avançados do câncer a pessoa pode apresentar: sangue nas fezes, vômitos, perda de peso sem outra explicação, dor na região do estômago, icterícia (amarelo dos olhos e pele), ascite (água na barriga), dificuldade na deglutição. DIAGNÓSTICO: Inicialmente deve ser feito história médica e exame físico completo do paciente, de onde surge a suspeita de uma neoplasia. A endoscopia digestiva alta deve ser realizada para visualização direta da mucosa do estômago e através da qual o médico analisa as alterações, como gastrite ou úlceras. Pelo exame da endoscopia são coletadas amostras do tecido da parede gástrica. Estas biópsias são analisadas por médico patologista, e pelas alterações celulares presentes na amostra confirma a presença da neoplasia e o tipo de tumor. Após a confirmação do diagnóstico de câncer, deve ser realizado uma serie de exames chamados complementares para estadiamento, isto é, para avaliar a extensão da neoplasia. Será avaliado se está restrita ao estômago ou se ocorreu alguma disseminação para os linfonodos regionais ou outros órgãos, como fígado ou pulmões. TRATAMENTO: A indicação de quais tratamentos oncológicos serão necessários vai depender de vários fatores, especialmente o estado físico geral do paciente, da extensão da neoplasia no próprio estômago, nos órgãos adjacentes e também para outros locais (metástases). O tratamento inclui cirurgia, radioterapia e quimioterapia sistêmica. Além disso é essencial o cuidado integral do paciente, através da nutrição, controle dos sintomas, principalmente a dor, cuidado psicológico e espiritual.

DRA. MÁRCIA KOTZ ONCOLOGIA CRM/SC 10347 | RQE 9036

• Médica Oncologista Clínica do Centro de Oncologia Unimed Chapeco; • Membro da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica.

50

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br

Mais Informações consulte nosso guia médico nas páginas, 6, 8, 10, 11 e 12


MMP®: Você conhece este tratamento? A técnica que vêm revolucionando resultados em tratamento de Calvície. MMP® significa Microinfusão de Medicamentos na Pele. E vêm revolucionando resultados em tratamentos dermatológicos.

Procedimento patenteado e desenvolvido por dermatologistas brasileiros para o tratamento de várias patologias, como: • Leucodermia Solar (sardas brancas); • Cicatrizes de Acne e Cicatrizes em geral; • Rejuvenescimento; • Melasma; • Estrias; • Queloides; • Verrugas; • Siringomas; • Psoríase; • Alopecia Androgenética e Eflúvio Telógeno. É no tratamento de Eflúvio Telógeno e Alopecia Androgenética, popularmente conhecida como Calvície (masculina e feminina), que os efeitos são mais promissores. Esta moderna técnica terapêutica vem tornando-se ferramenta indispensável no trata-

mento para queda de cabelo em consultórios de Dermatologia, contentando médicos e pacientes em todo o Brasil por seus incríveis resultados apresentados. A técnica utiliza um equipamento específico, que permite a introdução de medicamentos estéreis na pele, através de microagulhas que fazem movimentos com velocidade e profundidade adequada para cada indicação. De acordo com cada diagnóstico são selecionados os medicamentos a serem infundidos no exato local onde deve agir. Outro conceito importante é que este método NÃO É MICROAGULHAMENTO! Com MMP®, os medicamentos são injetados juntamente com as agulhas e não depois. Esta pequena diferença, muda tudo, e faz com que o procedimento traga resultados muito mais eficazes. O “drug delivery” (“entrega” de medicação), se faz de forma precisa, pois as substâncias são entregues pontualmente nas áreas a serem tratadas. O diferencial desta técnica é

a delicadeza da microperfuração, associada à possibilidade de um tratamento uniforme e preciso. O procedimento é o grande aliado contra a Calvície e quanto antes seja iniciado, melhores serão os resultados. Em média, são necessárias de 3 a 4 sessões para uma avaliação dos resultados, com intervalos mensais, e posteriormente uma manutenção indicada de acordo com a evolução de cada paciente. Converse com seu Dermatologista de confiança. Ele é o profissional apto para a realização deste tratamento e tratando-se de uma técnica nova, possui treinamento exclusivo para Dermatologistas pertencentes à Sociedade Brasileira de Dermatologia.

DRA. LUCIANA ZANELA MÉDICA DERMATOLOGISTA CRM/SC 14008 | RQE 15127

• Membro Titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia|SBD; • Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica|SBCD; • Associada Titular do Grupo Brasileiro de Melanoma|GBM.

52

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br

Mais Informações consulte nosso guia médico nas páginas, 6, 8, 10, 11 e 12


Como podemos saber a hora certa de procurar um cardiologista?

Levantamento realizado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) mostra que as doenças cardíacas são as que mais matam em todo mundo, sendo responsáveis por 7,4 milhões de mortes por ano.

As doenças cardiovasculares são as principais causas de morte em pacientes acima de 40 anos de idade, em todo o mundo. Segundo dados do Sistema Público de Saúde (DATASUS), no Brasil, apenas no ano de 2016, ocorreram aproximadamente 350.000 mortes em decorrência desta doença. Estes dados demostram como é importante ficar atento à saúde do coração. Geralmente a orientação varia dependendo da idade e da presença de fatores de risco, sintomas e histórico familiar. Mulheres sem nenhum histórico o ideal é iniciar esse acompanhamento cardiológico entre 35 e 40 anos. Já para os homens, a partir dos 35 anos. A periodicidade indicada para as consultas também varia. Para aqueles que já têm algum diagnóstico de cardiopatia, a recomendação é uma visita ao médico especialista a cada seis meses - ou até menos, dependendo do indicado pelo profissional que faz o acompanhamento do caso. Outro grupo que precisa desse

acompanhamento semestral é dos hipertensos e pessoas com elevação do colesterol. Já quem apresenta algum fator de risco, mas não tem nenhum sintoma e está dentro da faixa de idade que mencionei anteriormente, pode realizar essa avaliação anualmente. Por último, uma pessoa mais jovem (com menos de 30 anos) que tenha o hábito de fazer check-ups, com colesterol normal, sem hipertensão, que pratica atividades físicas e não tem nenhum fator de risco, é possível fazer esse acompanhamento cardiológico a cada dois anos. No entanto, reforço, que em qualquer época da vida, ao sentir alguma limitação do ponto de vista físico, um cansaço fora do normal, falta de ar, uma palpitação (o coração bate de forma muito acelerada ou irregular), é essencial procurar um cardiologista. E isso não é válido apenas para adultos, mas também para uma criança ou adolescente, por exemplo, que faz atividade física na escola e percebe alguma limitação recorrente.

DR. ANDRÉ AUGUSTO MARTINS CARDIOLOGISTA E ECOCARDIOGRAFISTA CRM/SC 14732 | RQE 14166

• Formado pela FURG/2001; • Residência em Clínica Médica Hospital Univ. Rio Grande/RS- 2003; • Residência em Cardiologia Pela Santa Casa De Porto Alegre /RS -2005; • Residência em Ecocardiografia Pela Santa Casa Porto Alegre/RS- 2006; • Atualmente, Médico Cardiologista na Clínica Vitta Cardio em Xanxerê e Hospital Regional São Paulo.

54

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br

Mais Informações consulte nosso guia médico nas páginas, 6, 8, 10, 11 e 12


Por que devo fazer Mamografia? O rastreamento do câncer de mama inclui testes que detectam o câncer de mama em estágios precoces, antes que a mulher tenha apresentado algum sintoma. A grande vantagem de realizar o diagnóstico nessa fase da doença é que temos um maior índice de cura (95% dos casos). A chance de morrer pela doença diminuiu em um terço após a implementaçãodo rastreamento populacional.

O exame capaz de identificar o câncer de mama precocemente é a Mamografia.

A mamografia é o raio-x das mamas e é o único exame capaz de reduzir risco de morte pela doença, simplesmente ao realizá-lo regularmente. Esse é o motivo para deixar de lado o medo do desconforto do exame e buscar pela própria saúde. O momento ideal de realizar o exame é entre 7 e 10 dias após a menstruação, ou seja, nem antes, nem durante a menstruação. Nesse momento, a mama já perdeu aquele inchaço característico, retornando ao seu padrão habitual, com menor sensibilidade local. O câncer de mama acomete mais frequentemente mulheres com mais de 40 anos. É por esse motivo que devemos iniciar a realização da mamografia aos 40 anos. O exame deverá

ser repetido anualmente, sempre com o intuito de identificar pequenas alterações na mamografia e realizar o diagnóstico precocemente. Além dos altos índices de cura, o diagnóstico precoce permite que sejamos menos agressivos no tratamento cirúrgico e quimioterápico. Apesar dos mitos publicados na internet, a dose de radiação aplicada na mamografia é baixa e a possibilidade de induzir o câncer é muito pequena. O benefício continua sendo muito maior com uma redução da mortalidade de até 35%. A realização do exame físico das mamas pelo mastologista ou pelo Ginecologista também é extremamente importante. Em algumas situações, mesmo que precoces, há alterações percebidas pelo especialista, que podem não estar demonstradas na mamografia. Dessa forma, as consultas deveram ser anuais. Existem outros métodos de imagem da mama, que são também complementares à mamografia. A ultrassonografia ou ecografia mamária será solicitada para dar mais

detalhes ao achado da mamografia. Outra indicação desse exame é quando a paciente possui mamas densas, ou seja, muito tecido glandular e pouco tecido gorduroso na constituição da sua mama. Isso pode prejudicar a visualização da mamografia isoladamente, necessitando da realização combinada do ultrassom. A ressonância magnética mamária será indicada como método de rastreamento sempre que a paciente for considerada de alto risco (risco > 20%). Procure seu mastologista e descubra qual o seu risco de ter câncer de mama. A tomossíntese é conhecida como uma “mamografia 3D”, capaz de reconstruir a imagem da mamografia em 3 dimensões, dando mais informações e detalhes da mama. Esse exame também apresenta benefício em mulheres com mamas densas e também está indicada para complementar a mamografia 2D, quando esta mostra alguma alteração. Não espere fazer o diagnóstico do câncer de mama com a própria mão! A sua cura depende disso!

DRA. LIANA ORTIZ RUAS WINKELMANN MASTOLOGISTA CRM/SC 22915 / RQE 13695 / RQE 13696

• Graduação em Medicina pela Universidade de Passo Fundo – UPF; • Residência Médica em Cirurgia Geral pela Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre – UFCSPA; • Residência Médica em Mastologia pelo Hospital de Clínicas de Porto Alegre – HCPA; • Título de Especialista em Mastologia pela Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) e Associação Médica Brasileira (AMB) • Sócia da Clínica Cirúrgica LIVEN.

56

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br

Mais Informações consulte nosso guia médico nas páginas, 6, 8, 10, 11 e 12


Transplante Capilar Fio a Fio Implante de fios com aspecto e desenho natural, sem que ninguém perceba

Um transplante capilar bem realizado, oferece ao paciente um aspecto que normalmente não é percebido por pessoas que não sabem a respeito do procedimento. Mesmo profissionais que trabalham na área, podem ter dificuldades em notar que o penteado foi preparado cirurgicamente. Para que isso seja possível é fundamental que os implantes sejam preparados com delicadeza, um a um. Este preparo é realizado com o auxílio de microscópios e lupas, para poder intervir nos mínimos detalhes. Depois as unidades foliculares são implantadas, uma de cada vez.

Inclinação imitando a natureza

É comum a preocupação com a direção que os novos fios vão crescer. E isso é importante para que o aspecto geral do implante capilar seja natural. De nada adianta fios delicados, crescendo no sentido errado, de forma artificial. No momento da realização do sítio onde a unidade folicular será implantada, através de lâminas ou agulhas especiais, esse furinho deve direcio-

nar o sentido do nascimento do fio. Desta forma podemos angular o seu crescimento, inclinar para um lado ou outro, e até mesmo imitar os “redemuinhos” do couro cabeludo. Uma outra estratégia no direcionamento dos fios é produzir mais preenchimento com sua inclinação, em casos de calvícies muito avançadas. Nestes casos eles ficam mais deitados sobre a pele, assim como é feito com a restauração de barba e sobrancelhas.

Linha anterior irregular

A linha da frente do cabelo, que chamamos de linha anterior, possui como característica, ser levemente irregular. Isso quer dizer que os fios não nascem um ao lado do outro, eles estão posicionados de forma assimétrica, irregular. Desta forma, na hora de escolher a posição dos implantes na parte da frente do cabelo, temos que usar estratégias de desenho que imitam a natureza. Colocamos estes fios com uma irregularidade que dificulte a percepção da cirurgia. Muitos cirurgiões capilares acreditam que aí neste ponto resida a verdadeira parte artística desta cirurgia, o momento em que não seguir um padrão é o melhor. Claro que há uma

grande variação entre os diferentes cabelos, mas de uma forma geral a linha capilar inicia com fios aleatoriamente posicionados.

Correção do cabelo de boneca

Ainda é muito comum encontrar transplantes capilares com o famoso aspecto de “cabelos de boneca”. Isso se deve a técnicas antigas e enxertos grosseiros, mal preparados. Esta aparência artificial afasta os calvos de procurar cirurgia capilar e cria mal-estar nos pacientes que a fizeram. Cerca de 15% das cirurgias que realizamos são para corrigir estes casos e devolver ao paciente a autoestima e naturalidade na sua aparência. Na imensa maioria dos casos usamos a cirurgia sem o uso de bisturi, chamada FUE, com implantes fio a fio.

Sempre importante lembrar que um transplante capilar é um ato cirúrgico complexo, e que deve ser realizado com prudência. Informe-se com os médicos especializados na área, tanto dermatologistas como cirurgiões plásticos.

DR. MÁRCIO ANDRÉ VOLKWEIS DERMATOLOGISTA CRM/SC 24164 | RQE 14575

• Graduado em Medicina pela UFSM, Especialista em Dermatologia, Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e de Cirurgia Dermatológica (SBCD); • Fellow em Transplante Capilar pela AM-MED (American Hair Transplant Center); • Membro da ABCRC (Associação Brasileira de Cirurgia de Restauração Capilar) – Sociedade Exclusiva para Especialistas Reconhecidos na Área; • Palestrante em Congressos Internacionais na Área de Transplante Capilar.

62

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br

Mais Informações consulte nosso guia médico nas páginas, 6, 8, 10, 11 e 12


HARMONIZAÇÃO

FACIAL Procedimentos estéticos para rejuvenescimento O Brasil é o segundo país do mundo no ranking dos que mais fazem cirurgias plásticas, perdendo somente para os Estados Unidos. Em um país em que o clima geralmente estimula as pessoas a mostrarem o corpo, tratar rugas, linhas de expressões ou fazer clareamento dental são procedimentos relativamente comuns. A Harmonização Facial é um conjunto de procedimentos estéticos combinados para melhorar a harmonia do rosto, transformando os traços e tratando o envelhecimento facial, caracterizado pela perda da elasticidade da pele, queda dos tecidos, músculos e gordura. O conceito de um rosto bonito tem se modificado ao longo do tempo, e as pessoas têm valorizado mais a questão da harmonia facial do que um rosto com traços ditos perfeitos. O que é considerado belo não significa simétrico, mas harmônico, ou seja, proporcional.

Quais são os procedimentos que fazem parte?

A harmonização facial, como mencionamos, pode englobar diferentes procedimentos estéticos referentes aos dentes, lábios, gengiva. Ela pode também estar relacionada às funções de músculos faciais, assim como às expressões faciais e possíveis marcas de expressão. Bichectomia - A bichectomia é uma cirurgia feita para remover a bola de Bichat, que são almofadas de gordura localizadas na parte inferior do rosto a gordura da bochecha. Esse procedimento pode ajudar a reduzir as bochechas arredondadas e definir as maçãs do rosto, deixando a aparência um pouco mais esculpida. As cicatrizes ficam escondidas dentro da boca.

Toxina Botulínica - É conhecida popularmente como botox. É produzida por uma bactéria chamada Clostridium botulinum. O botox é aplicado diretamente no músculo e provoca o relaxamento da região. Sua duração é de aproximadamente seis meses. Ácido Hialurônico - É uma substância produzida naturalmente pelo corpo humano e serve como um componente fundamental do tecido conjuntivo, ou seja, um conjunto de diferentes tipos de composição de tecido que tem o objetivo de dar suporte e estrutura a outros tecidos e órgãos do nosso corpo. Sua duração é de, dependendo do caso, até 1 ano. Reabilitação Oral - Os dentes são determinantes para ter um rosto bonito e harmônico. São vários os tratamentos propostos, partindo de algo

mais simples como clareamento dental, até as lentes de contato ou facetas de porcelana. Também podemos citar a reabilitação com implantes ósseos. Procure um profissional capacitado que possa esclarecer todas as suas dúvidas em relação aos procedimentos estéticos e que seja especializado e capacitado. Faça uma avaliação na Oral Unic ou consulte nosso site para maiores informações: www.oralunicchapeco.com.br

Ninguém faz melhor que a Oral Unic! Aqui cada sorriso é único! 64

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br


Fisioterapia pélvica na dor pélvica crônica masculina Viver com saúde: Todo homem precisa ter essa consciência! A fisioterapia pélvica é a especialidade da fisioterapia responsável pela abordagem terapêutica conservadora da região pélvica, especialmente da musculatura do assoalho pélvico. O assoalho pélvico é o conjunto composto por músculos e fáscias responsáveis pelo suporte das vísceras, oferece também resistência ao aumento da pressão intra-abdominal durante os esforços, além de possuir ação esfincteriana importante – responsável pela continência urinária e fecal e imprescindível na função e satisfação sexual masculina (ereção e ejaculação). Indicações da Fisioterapia Pélvica: Dor Pélvica Crônica, Disfunções Sexuais (disfunção erétil e ejaculação precoce), Incontinência Urinária e repercussões após cirurgia da próstata. A Síndrome da Dor Pélvica Crônica caracteriza-se por dor crônica ou persistente percebida em estruturas e orgãos relacionados à pelve masculina (área anatômica específica ou difusa), de caráter contínuo ou recorrente por pelo menos seis meses. Refere-se à ocorrência de dor pélvica na ausência de infecção comprovada ou patologia local óbvia que justifique a dor. Respostas e mecanismos cognitivos, comportamentais, sexuais ou emocionais, bem como disfunção do trato urinário inferior, sexual, intestinal e de assoalho pélvico devem ser investigados e avaliados criteriosamente por uma equipe multiprofissional.

Fisioterapia pélvica x síndromes dolorosas urológicas: A Síndrome da Dor Prostática: 1 a 14,2% apresentam sintomas de prostatite; homens com idade entre 50 e 59 anos têm 3,1 vezes chances maior de desenvolver prostatite do que aqueles com idade entre 20 e 39 anos. A Síndrome da Dor Escrotal/Testicular/Epidídimal A Síndrome da Dor Peniana e Uretral A Síndrome da Dor Pélvica e Dor Miofascial: déficit muscular de assoalho pélvico (hipertonia, hiperatividade muscular, falha no relaxamento, fraqueza e fadiga muscular), sobrecarga muscular repetida ou crônica; posturas compensatórias; estresse pré dispõem pontos-gatilho nos músculos e fáscias, e consequentemente manutenção da dor. A Nevralgia do Pudendo: dores neuropáticas são comuns em homens com quadros de dor pélvica crônica e merecem atenção especial. A Disfunção Sexual e a Síndrome da Dor Pélvica Crônica: estratégias terapêuticas que reduzem os sintomas da dor pélvica são relevantes em relação às mudanças na função sexual (ereção e ejaculação).

A Síndrome de Dor Pélvica Crônica é complexa e exige uma abordagem MULTIDISCIPLINAR e MULTIMODAL. Identificar o que realmente está causando a disfunção é o primeiro passo para que o tratamento seja, de fato, eficaz. A Clínica de Fisioterapia ORTO&PELVI dispõem de programas e abordagens terapêuticas na atenção integral a saúde do homem. Nossas condutas são baseadas em metodologias científicas e inovadoras, aliada a tecnologia e o que a de mais moderno na saúde masculina. Nossa missão é cuidar de você, promover qualidade de vida com responsabilidade, ética e acima de tudo, respeitando seus valores.

Fique atento aos sinais do seu corpo!Não ignore, pode ser um sinal de alerta! Consulte seu médico regularmente e fisioterapeuta pélvico, só assim podemos lhe ajudar!

ANA PAULA PADILHA FISIOTERAPEUTA CREFITO 221323-F

• Pós-Graduada em Fisioterapia Pélvica: Uroginecologia Funcional; • Pós-Graduada em Osteopatia

49 3329 6931 | 98833 3541 anapaula@ortoepelvi.com.br | @ortoepelvi Rua Sete de Setembro 250-e Ed. Laguna, Sala 01, Centro, Chapecó/SC 68

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br


LASER TRANSDÉRMICO Técnica inovadora no tratamento de “microvarizes” e “vasinhos”

Este tratamento é bastante eficaz e uma ótima alternativa para o tratamento de “microvarizes” e “vasinhos”

O que é o Laser? O Laser Transdérmico representa uma espécie de luz muito específica que, aplicada sobre a pele, aquece o sangue e promove a contração da veia, e, consequentemente, a oclusão do vaso. Este tratamento é bastante eficaz e uma ótima alternativa para o tratamento de “microvarizes” e “vasinhos”

Mas o Laser dói?

O tratamento com o uso de Laser pode causar desconforto no momento de sua aplicação e raramente fica dolorido após o procedimento. Durante o uso de laser é usado um equipamento que promove o resfriamento da pele para minimizar o desconforto no local. 70

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br

Quais as vantagens de utilizar esse tratamento? O Laser tem como vantagens ser pouco invasivo, induzir menor reação inflamatória cutânea e causar menor risco de manchas hipercrômicas (escuras) na pele. Além disso não impede o paciente de manter suas atividades cotidianas e praticar atividades físicas. Podendo retornar à vida normal logo após as aplicações.

Quais os cuidados devo tomar após as sessões? É importante salientar que como qualquer procedimento, o paciente deve tomar cuidados para que o trata-

mento alcance os objetivos desejados. O ideal é não estar com a pele bronzeada quando for fazer as aplicações e após as sessões evitar a exposição solar excessiva para evitar as manchas. O uso da meia compressiva é indicado como auxiliar no tratamento e deve ser usado conforme prescrição do seu Cirurgião Vascular.

Não utilize medicamentos ou cremes sem prescrição médica. O Laser é um procedimento médico, portanto deve ser realizado por um profissional que conheça a fundo as doenças vasculares e trate o paciente com segurança e respeito.

Mais Informações consulte nosso guia médico nas páginas, 6, 8, 10, 11 e 12


COMO TRATAR OS VASINHOS NA FACE?

O tratamento para vasos no rosto é diferente dos feitos nas pernas: Por estarem acima do nível do coração, esses vasos drenam o sangue a favor da gravidade; não estando submetidos à pressão hidrostática como nos membros inferiores. Assim, as paredes das veias tendem a ser mais finas,

além de muito superficiais. Isso as torna excelentes alvos para o tratamento com laser. Não é recomendável usar esclerosantes líquidos injetáveis, já que algumas regiões na face são drenadas para veias intracranianas. O uso do Laser transdérmico no tratamento de vasinhos na face é bastante eficaz e pode ser realizado em quase todos os casos, existem algumas contraindicações como: pacien-

tes com vitiligo, pessoas em uso de medicações fotossensibilizantes ou que estejam com a pele bronzeada. Os cuidados após as sessões são principalmente com a exposição solar excessiva, pois a pele fica sensível nos primeiros dias após a aplicação, também é recomendado o uso de protetor solar.

DR. ALEX DORNELLES CIRURGIÃO VASCULAR E ENDOVASCULAR CRM/SC 15370 | RQE 11689

• Título de Especialista em Cirurgia Vascular, Angiorradiologia, Cirurgia Endovascular, Ecografia Vascular com Doppler; • Graduado em Medicina pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM); • Residência Médica em Cirurgia Geral e em Cirurgia Vascular pelo hospital São Vicente de Paulo - HSVP- Passo Fundo RS; • Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Vascular (SBACV). Mais Informações consulte nosso guia médico nas páginas, 6, 8, 10, 11 e 12

rsaude.com.br | Maio . 2019 | Revista Saúde

71


A “Paralisia Agitante” Nos primórdios do século 19, durante a Era Vitoriana, um praticamente desconhecido cirurgião Londrino iniciou seus trabalhos de observação e investigação de um conjunto de sinais e sintomas que há havia tempos chamava sua atenção em um pequeno grupo de pacientes.

Baseado em suas observações feitas durante a prática médica, ele publicou em meados de 1817 um artigo denominado: “An Essay on the Shaking Palsy”. O dono do folheto de tão paradoxal título era o médico inglês James Parkinson e seu “Ensaio sobre a Paralisia Agitante” - como ele mesmo denominou - passou despercebido pelas rodas de discussões da cena médica na Londres de sua época. O conteúdo do ensaio passou por anos em total desconhecimento, até que quase meio século após sua publicação original, o destino caprichosamente fez com que o ele encontrasse as mãos e mente do neurologista francês Jean-Martin Charcot. Após ter tomado conhecimento da obra, Charcot instintivamente começou a notar que a “Paralisia Agitante”, conforme sintomas descritos pelo Dr. Parkinson, era real e até prevalente em muitos dos pacientes aos seus cuidados. Desta forma metodicamente descreveu e preencheu lacunas dos achados (agora com uma amostragem maior e sabendo o que procurar) e rebatizou a patologia em homenagem ao seu esquecido descritor: Dr. James Parkinson.

DR. RAYMUNDO TOMKOWSKI NEUROLOGISTA CRM/SC 24337 | RQE 15070

• Formado em Medicina pela UFPEL – Pelotas/RS; • Formado em Neurologia pela HCPA / UFRGS; • Neurologista Hospital Regional do Oeste; • Neurologista Hospital Materno Infantil; • Professor Medicina Unochapecó.

72

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br

Mais Informações consulte nosso guia médico nas páginas, 6, 8, 10, 11 e 12


Hoje, Mais de 200 anos do folheto original, a Doença de Parkinson - tal como batizada por Charcot - é uma das principais patologias dentro dos distúrbios do movimento estudados pela Neurologia, além de ser responsável por prevalente parcela das consultas neurológicas. O temor que apresentamos ao nos deparar com um mínimo “tremor”, nos causa angústia e a ideia quase que de certeza, muitas vezes, que estamos em frente a temida doença. Essa associação que se tem entre tremor e a Mal de Parkinson levou a uma espécie de banalização geral, onde “tudo que treme é Doença de Parkinson”, fazendo com que inúmeros diagnósticos sejam interpretados de forma equivocada. Certamente a presença do tremor (principalmente dos membros superiores) é sim um dos sintomas cardinais e se tornou quase como uma marca registrada da patologia. Porém, vale salientar que existem outros sintomas, de equivalente importância e que podem estar presente até mesmo antes do temido “tremor em contar moedas” como muitos autores descrevem o movimento das mãos quando em repouso. O conhecimentos deste conjunto de sinais e sintomas é de grande relevância para que se faça um diagnóstico cada vez mais precoce da doença, o que já se sabe está diretamente relacionado a um prognóstico mais favorável e melhor qualidade de vida para o paciente. Classicamente a Doença de Parkinson apresenta: Tremor: geralmente inicia em um lado do corpo predominantemente. Nota-se durante o repouso, diminuindo ou até desaparecendo quando o indivíduo executa uma ação.

Rigidez muscular: o paciente parece estar “travado”. Seus movimentos são duros, em etapas, algumas vezes lembrando uma roda denteada. Bradicinesia: o indivíduo fica globalmente com os movimentos e ações lentas, o que o dificulta para executar simples tarefas diárias. Instabilidade Postural: de suma importância no diagnóstico, pois pode apresentar-se como primeira queixa do paciente no consultório e aparecer bem antes do tremor. O centro de gravidade do indivíduo muda, passando a inclinar-se para frente, com passos curtos, arrastados, estando assim mais propenso a quedas recorrentes e traumas. Sintoma que piora drasticamente o prognóstico da doença. Ainda há outros sintomas associados como depressão, perda cognitiva, alteração do ciclo de sono… Hoje se sabe que a causa destes

sintomas é a falta do combustível regulador dessas vias neurológicas: a Dopamina. Com a degeneração dos neurônios de um local do nosso cérebro chamado substância nigra, há diminuição dos níveis deste neurotransmissor, levando a uma perda da qualidade dos movimentos digamos assim. O tratamento, de forma muito resumida, consiste basicamente na reposição e reaproveitamento da Dopamina, com fins de repor os seus níveis fisiológicos. Mas deixaremos isso para tema de outro artigo. O mais importante de tudo é ter em mente que a Doença de Parkinson possui outros sintomas, não se resume somente ao tremor tão associado a ela. O diagnóstico precoce é de extrema importância e que existem tratamentos seguros e eficazes.

Na dúvida procure seu neurologista. A demora para fazer diagnóstico só adia o tratamento e piora a qualidade de vida. De atraso já bastam os 50 anos que Dr. James Parkinson esperou por Dr. Charcot para ter seu mérito reconhecido.

rsaude.com.br | Maio . 2019 | Revista Saúde

73


INFORME PUBLICITÁRIO

EMAGRECIMENTO DEFINITIVO! Como emagrecer e não voltar mais a engordar?

Emagrecer de forma saudável e definitiva pode até não parecer algo fácil ou mesmo realizável, afinal, não existem soluções mágicas para isso. Mas o caminho se torna muito mais simples e abreviado quando se tem ao lado profissionais bem preparados. Em 10 anos, a Magrass já ajudou a transformar milhões de vidas por meio de seu Programa Alimentar batizado de Transformação Nutricional Consciente, que tem como objetivo central, a tomada de uma consciência nutricional por seus clientes, reeducando-os, para que consumam os alimentos certos, garantindo assim, além da eliminação da gordura de forma definitiva, enormes ganhos em saúde e qualidade de vida. O programa não é uma dieta. Ele é uma reeducação alimentar baseado no baixo estímulo insulínico. A solução é eficiente porque mantém os ní-

veis de insulina baixos (hormônio que converte as calorias ingeridas em gordura), fazendo com que o corpo utilize a gordura armazenada como principal fonte de energia. Parece milagre não é mesmo? Mas é pura cientificidade! Além desse programa campeão, a Magrass tem como outros grandes diferenciais, o apoio carinhoso e especializado de suas equipes multiprofissionais, aplicativos de alta tecnologia que proporcionam uma evolução controlada durante todo o tratamento, receitas, dicas e informações exclusivas que são passadas tempo todo para aqueles que buscam saúde, beleza e bem estar! Aprendendo novos hábitos, a vida dos clientes Magrass é transformada, hábitos antigos ficam para trás e nossos clientes seguem livres e felizes, mantendo de forma estável e sem esforços o peso desejado.

Nossa amiga Heloisa, reduziu 11kg em 13 semanas!!!

Venha você também viver um PLANO MAGRASS, o primeiro passo é gratuito!!! 74

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br


Facetas e Lentes de Contato Dental Vivemos em um país em que o sorriso, em todas as suas formas pode comunicar as emoções, sem a ajuda de nenhuma palavra. Vivemos em um país que valoriza a estética do corpo, um país que possui milhões de homens e mulheres que buscam envelhecer na sua melhor forma, optando por uma alimentação saudável, prática de exercícios físicos e tratamentos estéticos, incluindo os tratamentos voltados a esta parte do corpo tão valorizada pelo brasileiro, a boca. O sorriso faz parte da história da humanidade e sua evolução acontece a cada ano. Avanços das tecnologias, internet, redes sociais, fizeram do sorriso, um sinônimo de bem estar, saúde, beleza, e status. É certo que existem exageros acontecendo por toda a parte, mas não podemos subestimar e denegrir todo o conjunto de informações que nos é fornecida atualmente, para que se possamos resolver problemas estéticos e forneceremos ao nosso paciente o sorriso que ele tanto deseja. Entre uma série de recursos que a Nosksoki Odontologia possui voltados para a parte estética dental, estão as facetas e lentes de contato dental, nome popular dado à tecnologia cujo nome técnico é laminados cerâmicos e laminados cerâmicos ultrafinos. Os laminados possuem espessura mínima de 0,3mm, a escolha da espessura é relacionada a cada caso em específico, dando importância ao que se deseja corrigir. Por exemplo, se o paciente possui um dente mais escuro e deseja corrigir a cor dele, além do formato dos dentes restantes, neste dente em específico, precisamos ter uma lâmina mais espessa para que disfarce a sua cor. Contudo, se o paciente necessita somente de correção

do formato dos dentes, é possível utilizar laminados mais finos, evitando muito desgaste na estrutura do dente natural. O número de laminados também depende do que se necessita corrigir. Em alguns casos é possível resolver um déficit estético apenas com uma lente, em outros casos podemos indicar dez ou doze laminados para que se tenha um resultado satisfatório. Após um planejamento criterioso, os laminados podem ser utilizados para fechamento de espaços (diastemas), aumento do comprimento e/ou volume (dentes desgastados), devolver formatos para dentes fraturados ou lascados, alterações e correções de cor.

Neste caso, apresentado acima, foi planejada uma combinação de aparelho ortodôntico, implante e facetas em um tratamento que se realizou durante dois anos resultando em uma reabilitação total das funções e estética dentária. Desta forma, conseguimos concluir o tratamento sem medo de intercorrências que geralmente acontecem quando se tenta conseguir resultados acelerados.

Temos que ter em mente que facetas e lentes de contato são tratamentos especificamente estéticos e de maneira alguma podem substituir outros tratamentos necessários indicados para devolver função e saúde bucal. O que priorizados na Noskoski é um conjunto de fatores que possam devolver o bem estar do nosso paciente, a fim de que se tenha previsibilidade do caso, valorizando o investimento do mesmo. Autoria: Samantha Hentschke

Mais esclarecimentos através das mídias sociais e dos telefones (49) 3324-2668 | 9.9969-3669 | 9.9161-1336

DRA. SAMANTHA SOCAL HENTSCHKE CIRURGIÃ DENTISTA CRO 16116

• Formação na Universidade Federal de Santa Maria/RS; • Especialista em Prótese pela Uningá Santa Maria/RS; • Especialista em Radiologia e Imaginologia pela São Leopoldo Mandic Porto Alegre/RS; • Pós-graduada em Endodontia; • Pós-graduada em Harmonização Facial.

DR. RICARDO NOSKOSKI CIRURGIÃO DENTISTA CRO 9393

• Formação na Universidade Luterana do Brasil/RS; • Especialista em Implantodontia pela Facesc - Chapecó/SC; • Especialista em Ortodontia pela Uningá - Chapecó/SC; • Pós-graduado em Ronco e Apneia; • Pós-graduado em Harmonização Facial; • Credenciado no sistema Invisalign.

76

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br


Neuropsicologia A Neuropsicologia é a especialidade da psicologia que envolve o estudo das relações existentes entre disfunções cerebrais e manifestações comportamentais. O objetivo principal desta especialidade é avaliar cognitivamente as funções mentais analisando e verificando quais destas funções estão preservadas e quais estão comprometidas bem como detectar possíveis déficits que possam afetar o dia a dia dos avaliados. A partir desses resultados, elaboramos um plano personalizado de tratamento para reabilitação desses pacientes. Avaliação Neuropsicológica A Avaliação Neuropsicológica deve ser realizada, preferencialmente, com a colaboração dos familiares, paciente e profissionais da área. Esta Avaliação é composta por Investigação, Observação Clínica, utilização de Testes Neuropsicológicos, Escalas Padronizadas, Entrevistas e elaboração de um Relatório. O objetivo do relatório é registrar todo o processo de avaliação, fornecendo informações quantitativas e qualitativas aos profis-

sionais para um auxílio diagnóstico. O uso dos testes psicológicos é regulado pela Resolução CFP 02/2003 (Conselho Federal de Psicologia). A avaliação neuropsicológica em crianças e adolescentes é bastante utilizada para diagnosticar casos de: • Dificuldades atencionais; • Transtornos ou dificuldades na aprendizagem e hiperatividade; • Transtorno de Humor; • Rebaixamento na autoestima; • Dificuldades na socialização; • Transtorno do Espectro Autista (TEA); • Transtornos alimentares; • Funções avaliadas; • Inteligência; • Memória; • Atenção; • Linguagem; • Raciocínio; • Conceituação; • Percepção visual; • Orientação; • Funções Executivas. Uma característica importante da Neuropsicologia Infantil é a interdisciplinaridade. É fundamental a integração com profissionais de diversas áreas, especialmente ligadas às necessidades do desenvolvimento do paciente. Esta integração favorece a eficácia do tratamento e reabilitação. No caso de adultos e idosos, a avaliação Neuropsicológica tem as mesmas indicações relatadas para as crianças e além destas ainda: Tumores Cerebrais, Epilepsia, AVC (derrames), Mal de Parkinson, Demências, Esquizofrenia, Uso de Drogas, Encefalite, entre outros problemas, que podem causar danos cognitivos e comportamentais.

O que oferece a avaliação neuropsicológica? • Identifica os prejuízos e as habilidades cognitivas preservadas nos pacientes; • Auxilia no diagnóstico diferencial de doenças neurológicas e psiquiátricas; • Auxilia na tomada de decisão dos profissionais da área do direito em determinadas questões legais específicas; • Oferece subsídios ao neurologista, quando se cogita a indicação de tratamento cirúrgico para indivíduos epiléticos. Quando solicitar uma avaliação neuropsicológica? A Avaliação neuropsicológica é recomendada em qualquer caso onde exista suspeita de dificuldade cognitiva de origem neurológica ou comportamental. A avaliação não mais concentra seu interesse na localização, mas no estabelecimento da extensão, do impacto e das consequências cognitivas, comportamentais e na adaptação emocional e social que lesões ou disfunções cerebrais podem promover nas pessoas (FUENTES et al., 2014, p. 78).

JULIANA A. NISSOLLA PASQUALI PSICÓLOGA ESPECIALISTA EM NEUROPSICOLOGIA CRP-1205633

• Formada em Psicologia pela Unochapecó. • Especialista em Neuropsicologia-Instituto Paranaense de Terapia Cognitiva IPTC; • Atuando na área de Avaliação Psicológica e Clínica há 14 anos ,em Neuropsicologia há 7 anos.

Policlínica Santo Antonio - Sala 304 | juliananissola@bol.com.br | 78

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br

49 9 9987 4108


Angústia e afeto A angústia consiste em uma excitação interna, transtornos respiratórios, aumento da atividade cardíaca e distúrbios vasomotores (palidez ou rubor, transpiração abundante, etc); Além disso, ocorre aumento dos músculos do tronco e membros. A excitação motora, o aumento da atividade respiratória e cardíaca (transpiração, choro, diurese) e as alterações vasomotoras são expressões corporais de uma emoção cuja tonalidade afetiva depende de sua natureza. Os afetos, são derivados psíquicos mais diretos dos instintos; são representantes psíquicos de alterações do organismo e ligam-se regularmente a representações ou outras formas de relação a seu caráter desagradável. Ela possui um lado fisiológico, assim como um psicológico e pode ser provocada tanto por um como pelo outro. Somaticamente, ela pode ser reconhecida pelo aumento da atividade de certos sistemas orgânicos. O aumento da atividade orgânica que acompanha os afetos mostra que as energias provenientes de instintos estão sendo descarregadas. Esses processos de descarga, assim como as sensações específicas que os acompanham, são percebidas como afetos. As angústias, assim, consistem em

atividade, processos de descargas e de percepções de sentimentos e sensações desagradáveis específicas. De acordo com Freud, as inervações e sensações de cada afeto são determinadas historicamente. Seguindo a concepção de Darwin. Freud, admitiu, que filogeneticamente os afetos eram ações propositais adaptadas a realidade, representando uma reação primária a um evento importante, uma reação cuja a tarefa seria o domínio de experiências traumáticas. No decorrer do desenvolvimento, de geração para geração. estas ações, através da repetição contínua e inconscientes (id), foram herdados e finalmente apareceram como afetos na vida do indivíduo. O ataque histérico, que na verdade, representa uma aquisição máxima de ações inconscientes e descargas energéticas, pode ser considerados como paradigma dos afetos. Foi a primeira grande vitória da psicanálise provar que os ataques histéricos eram repetições inconscientes

de reações que foram adequadas em determinado momento em relação as experiências reais e olharmos para o o ataque histérico como paradigma do afeto, então os afetos representam o sentimento de experiências arcaicas e desempenham o papel de símbolos mnêmicos, na experiência do indivíduo e geralmente representam tentativas, nem sempre bem sucedidas, de adaptação a situação real. Eles representam ações hereditárias, como se fossem remanescentes ou resíduos de ações que foram outrora, adequadas a realidade, porém, que agora se encontram afastadas das influências do consciente e dependentes da vida instintiva. Do ponto de vista genético, a angústia, como um caso especial dos afetos, representaria uma reação a uma experiência traumática e ocupa uma posição única entre os afetos, devido ao modo específico pela qual é sentida HERMAN NUMBERG – PRINCÍPIOS DA PSICANÁLISE – PREFÁCIO SIG. FREUD.

DR. JORGE ASSIS KERSTING PSICANALISTA CLÍNICO | C.PN: 5703015.67

• Pós-Doutorado em Psicanálise Ortodoxa Grupo de Esquizofrenia; • Doutor em Psicanálise Ortodoxa Transtorno Personalidade Borderline; • Mestre em Psicanálise Ortodoxa; • Mestre em Transtorno de Personalidade Borderline; • Mestre em TPB Clínica Psicanalítica Freudiana.

Travessa Irma Rosa de Nes 51 D, Centro Empresarial Victor Breda, sala 302 - Chapecó/SC - 49 3328 7201

80

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br


INFORME PUBLICITÁRIO

Novo Código de Ética Médica Há tempos vivenciamos a transformação dos conceitos da relação médico paciente e a preocupação com a saúde sempre teve lugar de destaque no contexto social. Abandonou-se a compreensão de que cuidar da saúde limita-se a entender o que é doença, passando a um conceito amplo que envolve uma revisitação de o que é saúde, cuidado, tratamento, cura e, recentemente, busca-se a humanização da relação médico/paciente. Além disso, ganhou espaço a discussão sobre o respeito às autonomias e proteção das vulnerabilidades de ambos os envolvidos nessa relação milenar, são relações extremamente complexas e em constante evolução. No primeiro dia de novembro de 2018, foi publicada no Diário Oficial, pelo Conselho Federal de Medicina, a Resolução CFM 2.217/2018, que aprovou o novo Código de Ética Médico (CEM), com inovações que se sustentam no cenário apresentado acima, em que a medicina evolui pautada pela constante humanização. O texto do Código de 2009 foi, na maior parte, mantido no novo código, com algumas inovações, pontuais e necessárias. Não foram grandes modificações às condutas médicas, na medida em que foi limitada a pontos importantes e controversos. O novo Código entra em vigor 180 dias após a sua publicação, portanto, em 30 de Abril de 2019.

A lista de alterações substanciais é encabeçada pelo acréscimo de um princípio fundamental, elevando a um total de 26 princípios básicos ao exercício da medicina. O novo pilar, de nº XXVI, determina que: “A medicina será exercida com a utilização dos meios técnicos e científicos disponíveis que visem aos melhores resultados”. O princípio traz ao Código a noção de que o médico deve atuar conforme a disponibilidade de meios, reforçando a dependência do profissional em relação à estrutura disponível ao exercício da medicina. É a ideia de exercer a melhor medicina disponível e possível, não utópica, que leva em consideração os meios técnicos e científicos disponíveis. Entendendo que o resultado esperado é que justifica a decisão sobre a conduta médica a ser tomada. Outras pequenas alterações textuais nos demais princípios fundamentais vieram para reforçar a humanização da medicina, lembrando que o mister médico tem como alvo não apenas o paciente, mas também a sociedade e a coletividade. No que se refere aos Direitos dos Médicos, algumas pequenas alterações foram estabelecidas para contornar algumas controvérsias. A exemplo do artigo 23, no Capítulo “DIREITOS HUMANOS”, que determina que o ser humano deve ser tratado com civilidade, consideração e respeito, livre de discriminação de qualquer natureza. Foi acrescentado ao artigo parágrafo único que textualiza que “O médico deve ter para com seus colegas respeito, consideração e solidariedade”.

Outro exemplo das modificações do Código é o artigo 32, no qual foi acrescido o dever do médico em usar todos os meios disponíveis não apenas de diagnóstico e de tratamento de doenças, mas também de promoção de saúde e de prevenção. Isso significa, em especial, que o médico tem função de destaque na prevenção e promoção da saúde, que ocorrem, em boa parte, através do compartilhamento de informações e conhecimentos. São várias pequenas alterações no Código de Ética Médica, documento sobre o qual é fundamental o conhecimento completo por parte de todo médico, independente da área de atuação. A clareza sobre os parâmetros legais e deontológicos da profissão é que permite uma atuação tranquila e eficaz da medicina. Por esse e outros motivos é que é fundamental a orientação por profissional capacitado para tal, em especial por Advogado especialista em Direito Médico e da Saúde, que pode auxiliar na melhor atuação do médico e na proteção dos riscos inerentes à profissão. A proteção do patrimônio e da carreira é cada vez mais valiosa e significativa. Procure um advogado de sua confiança!

RAFAEL MENEZES SCUSSIATO ADVOGADO - OAB/SC 50.748

• Direito Médico e da Saúde.

ARIEL FRANCISCO DA SILVA ADVOGADO - OAB/SC 20.739

• Mestre em Direito.

Outras informações: (49) 9.8807-5328 www.hsadvocacia.com

Hanauer & Silva Advocacia Empresarial - OAB-SC 1529/09 (49) 9 9914.5778 | hsadvocacia@hsadvocacia.com (49) 3312.0970 | Rua Pará, 250 D, Bairro Maria Goretti, Chapecó-SC, 89801-400 82

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br


INFORME PUBLICITÁRIO

Apesar das adversidades, o sucesso Conheça a breve história desse médico veterinário empreendedor, focado no bem-estar animal e vanguarda em procedimentos cirúrgicos em Chapecó/SC.

A Clínica Veterinária The Dog’s foi fundada em agosto de 2012 na ciade de Coronel Freitas, em Santa Catarina, pelo médico veterinário Fábio Paradizo de Mello, formado em São Paulo no ano de 2004. Dr. Fábio tem uma vasta experiência na área clínica e cirúrgica com diversos títulos, especializações, cursos e congressos no Brasil e no exterior. São 15 anos de atuação na área de cirurgia veterinária de pequenos animais, o que possibilitou uma marca de mais de 8 mil procedimentos realizados ao longo de sua carreira. No dia 14/07/2015 na cidade de Coronel Freitas, um fato marcou profundamente sua historia: a clinica foi totalmente destruída por uma enchente. Fabio perdeu sua esposa neste trágico dia e quase perdeu sua vida também. Apesar do grande sofrimento e mesmo diante de tantas perdas, garra, determinação e visão empreendedora fizeram Fábio continuar lutando pelos seus sonhos e objetivos. O amor pelo trabalho foi o estimulo para Fabio retomar sua vida, e a clinica foi rapidamente reinaugurada em novembro de d 2015 na cidade de Chapecó. Atualmente é reconhecida pelos diferenciais nos serviços prestados na área clínica, cirúrgica e estética.

Tecnologia à serviço damedicina veterinária Devido a uma procura incansável pela minimização do trauma cirúrgico e após muito estudo sobre tecnologias ainda não exploradas na região, Fábio buscou ainda mais inovação ao setor pet: pensando no bem-estar dos animais a Clínica Veterinária The Dog’s torna-se a pioneira no Oeste de Santa Catarina trazendo para nossa região a primeira torre laparoscópica. Agora com a videolaparoscopia cirúrgica, as técnicas inovadores possibilitam grandes avanços na medicina veterinária reduzindo as incisões cirúrgicas para 5mm proporcionando assim uma incisão imperceptível, minimizando a dor pós-operatória e o uso de medicamentos por tempo prolongado, possibilitando a alta clínica e sem restrições a movimentos. A videolaparoscopia permite movimentos preciso e delicados, fazendo da cirurgia uma intervenção elegante, que não agride o paciente. “Essa ordem de procedimento, faz com que não se trate apenas de uma cirurgia, mas uma verdadeira obra de arte!”, finaliza o veterinário, que é membro do Colégio Brasileira de Cirurgia e Anestesiologia Veterinária.

Dr. e mestre Paul Coronel Reyes - Venezuela. Maior nome da videocirurgia no mundo.

Ovariectomia por videolaparoscopia. Curso de Treinamento em Cirurgia Minimamente Invasiva Veterinária Teórico Prático. Realizado na Faculdade de Medicina do Ocidente e Universidade do Chile - Santiago 11 á 14 de Abril 2019.

• Membro do Colégio Brasileiro de Cirurgia e Anestesiologia Veterinária; • 15 anos de experiencia; • 8 mil procedimentos realizados; • Certificação internacional em Cirurgia Minimamente Invasiva por Videolaparoscopia.

Rua Minas Gerais, 460E | Bairro Presidente Médici | Chapecó/SC | 49 3025 0417 | 9 9172 6118 | Plantão: 49 9 8822 4432 Veterinário Fabio Mello | Clínica Veterinária The Dogs | www.thedogs.com.br 84

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br


#curtas |

Revista Saúde Maio . 2019 Chapecó . SC

CONGRESSO AMERICANO DE UROLOGIA O Médico Urologista Dr. Cesar A. Bombardelli, participando do AUA Annual Meeting - 2019 Chicago/ EUA

CURSO REFRATIVA R.I.O. 2019 O Oftalmologista Dr. Diogo Dalcin, participando de Imersão em Cirurgia Refrativa, o Curso de Refrativa R.I.O. 2019, no Windsor Barro no Rio de Janeiro.

VIAGEM A ISTAMBUL, TURQUIA. O Cirurgião Plástico Dr. Rafael Tirapelle em recente viagem, onde esteve fazendo um fellow de 15 dias com um dos maiores Cirurgiões de nariz do Mundo, na foto visitando a Mesquita Süleymaniye em Istambul, Turquia.

XXXI - CONGRESSO BRASILEIRO DE CIRURGIA DERMATOLÓGICA O Dermatologista e Fellow em Transplante Capilar Dr. Márcio Volkweis, participando do XXXI Congresso Brasileiro de Cirurgia Dermatológica realizado em Goiânia - Goiás.

#estounocurtasdasaúde 88

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br


#curtas |

Revista Saúde Maio . 2019 Chapecó . SC

CONGRESSO ANUAL DA ACADEMIA AMERICANA DE CIRURGIÕES ORTOPEDISTAS O Ortopedista e Traumatologista Dr. Carlos Mendonça participou do congresso Anual da Academia Americana de Cirurgiões Ortopedistas,(AAOS) em Las Vegas (EUA). Durante o evento foram debatidos temas relativos à área, bem como apresentadas as últimas novidades em tecnologia, ciência e pesquisa ortopédica.

ATUALIZAÇÃO NA ITÁLIA. A Farmacêutica e Especialista em Acupuntura Dra. Francieli Baú Téo em recente viagem para Atualização na feira Cosmoprof em Bolonha, na Itália.

VIAGEM AO ESTADOS UNIDOS A Especialista em Micropigmentação Monica Santos em recente viagem para os EUA com sua família.

IMCAS 2019 - PARIS - FRANÇA A Dermatologista Dra. Daniella Fukumaru participando do IMCAS, maior congresso na área estética médica mundial em Paris - França no ultimo mês de Janeiro 2019.

#estounocurtasdasaúde 90

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br


Revista Saúde Maio . 2019 Chapecó . SC

| #curtas

SELO DE QUALIDADE EM ULTRASSONOGRAFIA A Clinica Agilizze é a primeira, e única, clinica em Chapecó com selo de qualidade em ultrassonografia, adquirido em 2019. Este é o selo de qualidade que o Colégio Brasileiro de Radiologia (CBR) entrega a quem esta em conformidade com as normas técnicas de exame, de corpo clinico e de maquinário, preconizadas pelo CBR e pelo Conselho Federal de Medicina. Reponsável técnico Felipe Roisenberg (@froisenberg).

CURSO EM HARVARD Os Médicos Coloproctologistas Dr. Luis Carlos Farret Jr. e Dr. Rodrigo Biazus estiverem no mês de Maio, fazendo uma Imersão na HARVARD university, em Boston EUA, fazendo Curso: Avanços e Controvérsias na Cirurgia Colorretal.

XVII - CBC - CONGRESSO BRASILEIRO DE COLUNA O Médico Ortopedista e Traumatologista Dr. Márcio Telesca, participando recentemente do XVII - Congresso Brasileiro da Coluna em São Paulo - SP.

XIV SIMPÓSIO - PROFESSOR EDWALDO CAMARGO Dr. Rafael Saretta Portugal, médico nuclear da Clínica Kozma esteve em Campinas - SP, participando da XIV edição do Simpósio Edwaldo Camargo – PET/CT e SPECT/CT em Oncologia. O evento deste ano conta com convidados internacionais e aborda as mais recentes aplicações da Medicina Nuclear em Linfoma e Mieloma Múltiplo.

#estounocurtasdasaúde rsaude.com.br | Maio . 2019 | Revista Saúde

91


#curtas |

Revista Saúde Maio . 2019 Chapecó . SC

EVENTO RAFANO CONSÓRCIOS Participando do Coquetel de apresentação da Marca Rafano Consórcios, Fábio Bortolone, Diretor da Revista Saúde de Chapecó, Darci Medeiros, Diretor da Rafano Consórcios e Édipo Jr. Mafessoni diretor da Imobiliária Édipo Junior.

PASSEIO EM VENEZA - ITÁLIA Em recente viagem a Europa, Cláudio, Luciana, Guilherme, Tioia, Letícia, Edson e Manuela.

EVENTO ASPMU NAVIO A Micropigmentadora Chaiana, participando do ASPMU NAVIO, o maior Congresso Nacional e Internacional de Micropigmentação a bordo do MSC SEAVIEW, na foto com Rodrigo Pimentel.

EVENTO COLÉGIO ALFA CHAPECÓ O diretor da Revista Saúde de Chapecó Fábio Bortolone com sua Esposa Paula Frasson, prestigiaram seus filhos Leonardo e Fernanda na apresentação do Dia das Mães no Colégio Alfa de Chapecó.

#estounocurtasdasaúde 92

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br


#curtas |

Revista Saúde Maio . 2019 Chapecó . SC

EM HARVARD MEDICAL SCHOOL O Médico Coloproctologista Dr. Luis Carlos Farret Jr, em constante atualização, esteve no mês de Maio, fazendo uma Imersão na HARVARD university, em Boston EUA, fazendo Curso: Avanços e Controvérsias na Cirurgia Colorretal.

INTERNATIONAL MEETING ON AESTHETIC PHLEBOLOGY – IMAP O Cirurgião Vascular Dr. Alex Dornelles participando do International Meeting on Aesthetic Phlebology – IMAP, na foto em companhia do Dr. Kasuo Myake criador da técnica CLACS, que combina o uso do Laser Transdérmico associado a Crioescléroterapia.

42 SIMASP - SÃO PAULO A Oftalmologista Dra. Cassiana Kannenberg em constante atualização, participando do 42 Simasp no ultimo mês de Fevereiro em São Paulo - SP.

CURSO DE TREINAMENTO EM CIRURGIA NO CHILE. O Médico Veterinário Dr. Fabio Mello este participando do Curso de Treinamento em Cirurgia Minimamente Invasiva Veterinária teórico e prático, realizado na Faculdade de Medicina do Ocidente e Universidade do Chile, em Santiago no mês de Abril 2019.

#estounocurtasdasaúde 94

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br


Revista Saúde Maio . 2019 Chapecó . SC

| #curtas

EM HARVARD MEDICAL SCHOOL O Médico Coloproctologista Dr. Rodrigo Biazus em constante atualização, esteve no mês de Maio, fazendo uma Imersão na HARVARD university, em Boston EUA, fazendo Curso: Avanços e Controvérsias na Cirurgia Colorretal.

VIAGEM A EUROPA A Coordenadora de Marketing e Mercado da Unimed Chapecó, Marlise Gurtler em recente viagem a Europa.

AMPLIMED NO HEALTHTECH CONFERENCE 2019 Participação Amplimed como patrocinador e parceiro do Healthtech Conference 2019 realizado pela StartSe no Expo Center Norte em São Paulo, lançamento da Inteligência Artificial no pré-diagnóstico dos sintomas.

WORKSHOP EM BELO HORIZONTE. O Cirurgião Plástico de Chapecó Dr. Cristiano Scartazzini participando do Workshop de harmonização facial e corporal com Dr. Alexandre Lima em Janeiro 2019 - Belo Horizonte.

#estounocurtasdasaúde rsaude.com.br | Maio . 2019 | Revista Saúde

95


#curtas |

Revista Saúde Maio . 2019 Chapecó . SC

CURSO REFRATIVA R.I.O. 2019 O Oftalmologista Dr. Rafael Bragagnolo, participando recentemente de atualização em Cirurgia Refrativa, o Curso de Refrativa R.I.O. 2019, no Rio de Janeiro.

AUA 2019 - CONGRESSO AMERICANO DE UROLOGIA. O urologista Dr. Paulo Caldas, esteve participando recentemente do Congresso da Associação Americana de Urologia (AUA), em Chicago.

XXXI - CONGRESSO BRASILEIRO DE CIRURGIA DERMATOLÓGICA A Dermatologista Dra. Vanessa Gheno, participando do XXXI Congresso Brasileiro de Cirurgia Dermatológica realizado em Goiânia - Goiás.

EVENTO DNA DO SUCESSO Os Sócios da Oral Unic Chapecó participando do evento DNA do sucesso em Balneário Camboriú - SC.

#estounocurtasdasaúde 96

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br


#social |

Revista Saúde Maio . 2019 Chapecó . SC

“NOVAS TECNOLOGIAS” A Clínica Comunicação e o Comunica Centro Auditivo realizaram um evento para colegas e médicos no dia 21 de março, com objetivo de apresentar as novidades em tecnologias que chegaram à clínica. Além de conhecer os novos exames, os presentes puderem conhecer outros espaços da clínica e degustar o coquetel. 98

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br


#social |

Revista Saúde Maio . 2019 Chapecó . SC

EVENTO RAFANO “Aconteceu no dia 07 de maio, o coquetel de apresentação da marca Rafano Consórcios, representante autorizada do Consórcio União para Chapecó e região. Na ocasião, estiveram reunidos amigos, clientes, colaboradores e imprensa em geral.” 100

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br


Revista Saúde Maio . 2019 Chapecó . SC

| #social

EVENTO RAFANO “Sob a direção de Darci de Medeiros, a Rafano Consórcios trabalha com investimentos para as mais diversos necessidades, através de cartas de crédito de imóveis, automóveis e serviços. A Rafano Consórcios convida a todos para conhecer nossas novas instalações na avenida Nereu Ramos, 970-E, Ed Las Vegas, centro de Chapecó.” rsaude.com.br | Maio . 2019 | Revista Saúde

101


#social |

Revista Saúde Maio . 2019 Chapecó . SC

UNICRED DESBRAVADORA SUL REALIZA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA Os resultados obtidos pela Unicred Desbravadora Sul, integrante da Unicred SC/PR, no último ano foram apresentados aos Cooperados em evento realizado dia 05 de abril, em Chapecó. Durante a Assembleia Geral Ordinária também foram eleitos os novos representantes dos Conselhos de Administração e Fiscal. 102

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br


Revista Saúde Maio . 2019 Chapecó . SC

| #social

EVENTO FELICITÀ No último dia 13 de Abril foi realizado o Coquetel de reinauguração da Felicità Clínica Avançada de estética e bem estar, em novo espaço e com uma equipe ainda maior. A Família Felicità recebeu com grande orgulho os clientes, amigos e familiares. Venha conhecer nossos profissionais e serviços, teremos o maior prazer em atendê-lo. @ Felicità - Estética e Bem Estar. rsaude.com.br | Maio . 2019 | Revista Saúde

103


Guia de profissionais A - ANESTESIOLOGIA

Dr. Marcos Tadeu Cury Clínica de Anestesiologia Chapecó Rua Barão do Rio Branco, 300 E – sala 310 Policlínica Santo Antonio Centro - Chapecó/SC 49 3322-2526 | 9.8803-1036

Dra. Roberta Marina Grando Clínica de Anestesiologia Chapecó Rua Barão do Rio Branco, 300 E – sala 310 Policlínica Santo Antonio Centro - Chapecó/SC 49 3322-2526 | 9.8803-1036

C - CARDIOLOGIA

Dr. André Augusto Martins Vitta Cardio Clínica de Cardiologia Rua Cel. Passos Maia, 369 Centro, Xanxerê/SC 49 3433-1616

C - CIRUGIA PLÁSTICA

Dr. Cristiano Scartazzini Av. Porto Alegre, 427 D - Edifício Lazio Executivo – SL 903 Centro - Chapecó/SC 49 3316-2020 / 49 9 9111-3465

Dr. Rafael de Almeida Tirapelle Rua Florianópolis, 130 E - Centro - Chapecó/SC 49 3322 5044

C - CIRURGIA BARIÁTRICA

Dr. Leonardo Voglino Winkelmann Clinica Liven: Av. Porto Alegre, 79 D - sala 05 89814-480 - Chapecó/SC 49 3323 5454

Dr. Ivanor Alba Clinica Liven: Av. Porto Alegre, 79 D - sala 05 89814-480 - Chapecó/SC 49 3323 5454

C - CIRURGIA VASCULAR

Dr. Alex Lazzari Dornelles Angioclínica: Av. Fernando Machado, 615 E - Centro - Chapecó/SC 49 3328 9205

C - COLOPROCTOLOGISTA

Dr. Luis Carlos Farret Jr. Proctoclínica: Rua Marechal Floriano Peixoto, 427 O - Sala 105 - Chapecó/SC 49 3323 5802

C - COLOPROCTOLOGISTA

Dr. Rodrigo Biazus Proctoclínica: Rua Marechal Floriano Peixoto, 427 O - Sala 105 - Chapecó/SC 49 3323 5802

D - DERMATOLOGIA

Dra. Daiana Dambrós Ferlin Centro Integrado Medicina & Odontologia: Rua Pio XII, 26 D - sala 01 Edifício La Place Centro, Chapecó - SC 49 3323 0373

Dra. Elisa Grando Av. Porto Alegre D, 427, Sala 907 Edifício Lazio Executivo Centro, Chapecó - SC 49 3025-3401 / 3025-3405

Dra. Luciana Zanela Centro Clínico Salutare Av. Porto Alegre, 79 D SL- 308 - Centro, Chapecó - SC 49 3316-3344 Rua Papa João XXII, 202 - Centro, Xanxerê – SC 49 3433-2759

104

Revista Saúde | Maio . 2019 | rsaude.com.br

Revista Saúde Edição 11 | Maio . 2019 | Chapecó.SC

Dr. Marcio André Volkweis Clinica Catarinense de Dermatologia: Av. Getúlio Dornelles Vargas, 283 - S, Salas 4 e 5 Centro - Chapecó/SC 49 3328 4242

Dra. Vanessa Gheno Centro Clínico Salutare Avenida Porto Alegre, 79-D. Sala 902. - Centro, Chapecó - SC 49 3025 3639 | 8980 2130

D - DIAGNÓSTICO POR IMAGEM

Dr. Felipe Roisenberg Agilizze Centro de Imagem: Rua Barão do Rio Branco, 430-E , sala 1 Centro - Chapecó/SC 49 3304 3333

Dr. Gustavo Felipe Luersen Clínica CDIP R. Mal. Floriano Peixoto, 430 - Centro, Chapecó - SC 49 3311 2700

Dr. Rodrigo Assman Clínica CDIP R. Mal. Floriano Peixoto, 430 - Centro, Chapecó - SC 49 3311 2700

Dra. Ana Maria Melo de Castro Clinica CDIP: Rua Mal. Floriano Peixoto, 430 - Centro, Chapecó - SC 49 3311 2700

E - ENDOCRINOLOGIA

Dra. Marielle lang Edifício Salutare: Av. Porto Alegre, 79d - sala 807 - Chapecó/SC (49) 3316-0209 | (49) 9.9811-2825 Ejemed Centro Médico: Av. Darcí Sarmanho Vargas, 401 - Centro Faxinal dos Guedes/SC (49) 3436-0660

G - GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA

Dra. Patrícia Pereira de Oliveira Ed. Lazio Executivo: Av. Porto Alegre, 427 D, sala 404 - Centro de Chapecó/SC 49 3328 6749

Dra. Simone Batisti Giroldi Centro Clinico Salutare Av. Porto Alegre, 79 D, salas 806 /808 - Centro de Chapecó/SC 49 3311.8076 / 9 9190-5801

M - MASTOLOGIA

Dra. Liana Ortiz Ruas Winkelmann Clinica Liven: Av. Porto Alegre, 79 D - sala 05 - Chapecó/SC 49 3323 5454

M - MEDICINA NUCLEAR

Dr. Gerson Kempfer Kozma Medicina Nuclear Rua Barão do Rio Branco, 370, Sala 03 Galeria Mondrian - Chapeco/SC 49 3329 5861

Dr. Rafael Saretta Portugal Kozma Medicina Nuclear Rua Barão do Rio Branco, 370, Sala 03 Galeria Mondrian - Chapeco/SC 49 3329 5861

N - NUTROLOGIA

Dr. Eduardo Gesswein Instituto Gesswein: Rua Australia, 354-552 - Santa Maria - Chapecó/SC 49 99119 4999

Dr. Christian Furtado Beller Clínica Integrada Av. Getulio Dorneles Vargas, 531 – Centro - Chapecó/SC 49 3328-0100

N - NEUROLOGIA

Dr. Raymundo Tomkowski Edificio Lazio Executivo: Av. Porto Alegre 425D 7 andar sala 707 - Chapecó/SC (49) 3304-0214 Clinicor Serviços Médicos e Vacinas Ed. São Lucas: Rua Coronel Santos Marinho, 190 - Sala 303 Centro, Xanxerê/SC (49) 3433-5060

O - OFTALMOLOGIA

Dr. Diogo Chagas Dalcin Av. Porto Alegre D, 427, Sala 907 Edifício Lazio Executivo Centro, Chapecó - SC 49 3025-3401 / 3025-3405

Dr. Rafael Bragagnolo Clinica de Olhos Dr. Rafael Bragagnolo Av. Porto Alegre, 79D | Sala 705, Ed. Salutare , Centro - Chapecó/SC 49 3025 0505

O - ONCOLOGIA

Dra. Marcia Kotz Centro de Oncologia Rua Israel, 770 - Santa Maria - Chapecó/SC 49 3322 2191

O - ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA

Dr. Carlos Mendonça Clínica Mendonça Av. General Osório, 42 – E Centro - Chapecó/SC 49 3324-4002 / 9 8432-8484

Dr. Márcio Telesca Centro Clínico Salutare Av. Porto Alegre, 79 D Sl. 604 Centro - Chapecó/SC 49 3025-3151 / 3324-7948 / 9 8404-0110

Dr. Vinícius Mendonça Clínica Mendonça Av. General Osório, 42 – E Centro - Chapecó/SC 49 3324-4002 / 9 8432-8484

O - OTORRINOLARINGOLOGIA

Dra. Sarah Cristina Beirith Centro Integrado Medicina & Odontologia Rua Pio XII, 26 D Edifício La Place Sala 01 Centro - Chapeco/SC 49 3323 0373

P - PSIQUIATRIA

Dra. Daniela Sperotto Edifício Lazio Executivo: Av. Porto Alegre, 427-D - Sala 405 - Chapecó/SC (49) 3322.6205 | 9 8437.7514 Edifício Unique Office: Rua Frei Edgar, 138 - Sala 508 - Joaçaba/SC (49) 9 9835.6061

R - REUMATOLOGIA

Dr. Alessandro Ferroni Tonial Unitá Especialidades Médicas: Av. Porto Alegre, 427-D, Sala 1101, Centro, Chapecó/SC (49) 3322-6205 COT - Clínica de Ortopedia e Traumatologia: Rua São Marcos, 835-E, Bairro Santa Maria - Chapecó/SC (49) 2049-3800 Clínica de Reumatologia e Psiquiatria: Rua Frei Edgar, nº 138, Sala 508, Centro. Edifício Unique Office. Joaçaba/SC (49) 9.9835-6061

U - UROLOGIA

Dr. Cesar Bombardelli Centro Integrado de Saúde Rua Barão do Rio Branco, 430 D, Sala 05 Centro, Chapecó - SC 49 3323-3569


Guia de profissionais

Revista Saúde Edição 11 | Maio . 2019 | Chapecó.SC

B - BIOMEDICINA

Mônica Raquel Sbeghen Felicità Estética e Bem Estar Rua Curitiba, 285 D. Edifício Majestic, Centro - Chapecó/SC 49 9 9909 - 2406

E - ENFERMAGEM

Patricia Bernardi Beal Felicità Estetica e Bem Estar Rua Oswaldo Aranha, nº 1123-E - Chapecó/SC 49 9 9973 0034

E - ESTÉTICA

Elisana Zamboni da Silva Felicità Estética e Bem Estar Rua Curitiba, 285 D. Edifício Majestic, Centro - Chapecó/SC 49 9 8802 1911

Fernanda dos Santos Beller Clínica Integrada Av. Getúlio Dornelles Vargas Nr. 531 S – Centro - Chapecó/SC 49 3328 0100

Kimberli Rodrigues Felicità Estética e Bem Estar Rua Curitiba, 285 D. Edifício Majestic, Centro - Chapecó/SC 49 9 8901 5710

Raquel Vieira Felicità Estética e Bem Estar Rua Curitiba, 285 D. Edifício Majestic, Centro - Chapecó/SC 49 9 9909 5067

Caroline Claus Felicità Estetica e Bem Estar Rua Oswaldo Aranha, nº 1123-E - Chapecó/SC 49 9 8811 1313

F - FISIOTERAPIA

Ana Paula Padilha Orto e Pelvi Rua Sete de Setembro 250 E – Edif. Laguna SL. 01 - Centro, Chapecó - SC 49 3329 6931 | 9 8833 3541

Anderson Maraschin Near – Núcleo Especializado em Avaliação e Reabilitação Infantil Rua Oswaldo Aranha, 66 E – Maria Goretti , Chapecó - SC 49 3329 8144 | 9 8501 7962

Giorgia Ditzel da Costa Near – Núcleo Especializado em Avaliação e Reabilitação Infantil Rua Oswaldo Aranha, 66 E – Maria Goretti , Chapecó - SC 49 3329 8144 | 9 8501 7962

Helena L. Betiatto Near – Núcleo Especializado em Avaliação e Reabilitação Infantil Rua Oswaldo Aranha, 66 E – Maria Goretti , Chapecó - SC 49 3329 8144 | 9 8501 7962

José André de Carvalho IPO – Chapecó - SC Av. Porto Alegre 516- Centro, Chapecó - SC 49 3316 0707 | 9 9186 3835

Marina Dalla Costa Near – Núcleo Especializado em Avaliação e Reabilitação Infantil Rua Oswaldo Aranha, 66 E – Maria Goretti , Chapecó - SC 49 3329 8144 | 9 8501 7962

Felipe Sales Comunica Centro Auditivo: Rua Lauro Müller 281D - Sala 03 - Clinica Comunicação - Centro - Chapecó/SC | comunica@clinicacomunicacao.com.br 49 3316 2687 | 3322 3781

Kátia Marques Roberti Near – Núcleo Especializado em Avaliação e Reabilitação Infantil Rua Oswaldo Aranha, 66 E – Maria Goretti , Chapecó - SC 49 3329 8144 | 9 8501 7962

M - MASSOTERAPIA

Dr. Ricardo Noskoski Noskoski Odontologia: www.noskoskiodontologia.com.br 49 3324-2668

P - PSICOLOGIA

Angeli Daros Felicità Estética e Bem Estar

Rosana Vargas

Rua Curitiba, 285 D. Edifício Majestic, Centro - Chapecó/SC

Felicità Estetica e Bem Estar Rua Oswaldo Aranha, nº 1123-E - Chapecó/SC 49 9 8843 8775

49 9 9818 1494

Marcelo Fernando Felicità Estética e Bem Estar Rua Curitiba, 285 D. Edifício Majestic, Centro - Chapecó/SC 49 9 9808 6052

N - NEUROPSICOLOGIA

Juliana A. Nissolla Pasquali Rua Barão do Rio Branco, Policlínica Santo Antonio SL 304 – Centro , Chapecó - SC 49 9 9987 4108

Rubieli Silvani Badalotti Near – Núcleo Especializado em Avaliação e Reabilitação Infantil Rua Oswaldo Aranha, 66 E – Maria Goretti , Chapecó - SC 49 3329 8144 | 9 8501 7962

N - NUTRICIONISTA

Gladis Daiana Petzinger Av. Porto Alegre, 79D - Centro, Chapecó - SC 49 3328 4242 | 49 9 9921 8174

Fernanda dos Santos Beller Clínica Integrada Av. Getúlio Dornelles Vargas Nr. 531 S – Centro - Chapecó/SC 49 3328 0100

Janice Danielli Near – Núcleo Especializado em Avaliação e Reabilitação Infantil Rua Oswaldo Aranha, 66 E – Maria Goretti , Chapecó - SC 49 3329 8144 | 9 8501 7962

N - NUTRICIONISTA

Maiara Magrin

Clínica Prevenza: Rua Machado de Assis, 266D - Jardim Itália, Chapecó - SC 49 3199 3322

O - ODONTOLOGIA

Juliana A. Nissolla Pasquali Rua Barão do Rio Branco, Policlínica Santo Antonio SL 304 – Centro , Chapecó - SC 49 9 9987 4108

Naiane Molon Near – Núcleo Especializado em Avaliação e Reabilitação Infantil Rua Oswaldo Aranha, 66 E – Maria Goretti , Chapecó - SC 49 3329 8144 | 9 8501 7962

P - PERSONAL TRAINER

Crauler Barra www.craulerbarra.com.br @crualerbarra 49 9 9806 0600

T - TERAPEUTA E PSICOLOGA

Marcia Lech Espaço Ser: Chapecó/SC www.espacoser.com | espacoser@espacoser.com 41 9 9521 2020

T - TERAPEUTA OCUPACIONAL

Letícia Cansian Near – Núcleo Especializado em Avaliação e Reabilitação

Dr. Luciano Viera Fonseca

Infantil

Centro Integrado Medicina & Odontologia: Rua Pio XII, 26 D - sala 01 Edifício La Place - Centro, Chapecó/SC 49 3323 0373

Rua Oswaldo Aranha, 66 E – Maria Goretti , Chapecó - SC

Dra. Vanessa Dall Agnol

Márney Costa

Clinica Oral Umic Implantes Dentários: R. Rio de Janeiro, 130-E - Centro, Chapecó - SC 49 3328 8080

Near – Núcleo Especializado em Avaliação e Reabilitação

Dra. Fernanda Sanches

Rua Oswaldo Aranha, 66 E – Maria Goretti , Chapecó - SC

Oral Sin: Rua Uruguai, 244 - D - Centro - Chapecó/SC 49 3361 9595

49 3329 8144 | 9 8501 7962

Dr. Rafael Cordeiro

49 3329 8144 | 9 8501 7962

Infantil

P - PSICANÁLISE

Oral Sin: Rua Uruguai, 244 - D - Centro - Chapecó/SC 49 3361 9595

Dr. Jorge Assis Kersting

Fga. Luciana Bramati

Dra. Samantha Socal Hentschke

Rua Barão do Rio Branco, 284-E - Edif. Belenzier, sala 03

Ridiger Laboratórios: Rua Condá, 368 E - Centro, Chapecó - SC 49 3316 2687 | 3322 3781

Noskoski Odontologia: www.noskoskiodontologia.com.br 49 3324-2668

Centro - Chapecó/SC

F - FONOAUDIOLOGIA

49 3328 7201 rsaude.com.br | Maio . 2019 | Revista Saúde

105


Profile for Revista Saúde

REVISTA SAÚDE CHAPECÓ - EDIÇÃO 11 - 24/05/2019  

REVISTA SAÚDE CHAPECÓ - EDIÇÃO 11 - 24/05/2019