Page 1

R E V I S TA B R A S I L E I R A D E A D M I N I S T R A Ç Ã O

Ano XXIV • Nº 108 • Setembro/Outubro de 2015

Entrevista

Adm. Sebastião Luiz de Mello acredita na busca por objetivos e experiências

Patrono

Adm. Belmiro Siqueira lutou para fazer da

Administração uma carreira respeitada

EDIÇÃO HISTÓRICA

NA TRILHA DO

9 771517

200009

00108

Jubileu de Ouro

R$ 9,90

EX-PRESIDENTES DO CFA

ESPECIALISTAS QUE FIZERAM

EXALTAM AS CONQUISTAS

DA ADMINISTRAÇÃO SUAS VIDAS

Administradores que já estiveram à

Estudiosos que trabalharam duro

frente do CFA também evidenciam

pelo desenvolvimento e progresso da

valorização da profissão

Administração


2

Planejando hoje para ficar tudo azul no futuro.

RBA | REVISTA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO


9 DE SETEMBRO,

DIA DO ADMINISTRADOR #ADM50anos

Desde 1965 tornando o Brasil mais azul.

Uma homenagem do Sistema Conselhos Federal e Regionais de Administração aos nossos profissionais

Saiba mais sobre o Jubileu de Ouro e a história da Administração em tudomaisazul.com.br ou radioADM.org.br

SETEMBRO/OUTUBRO – 2015 | Nº 108

3


EDITORIAL

50 anos bem vividos A vida é feita, também, de

Administrador. Também foram reconfigurados o antigo

muitas escolhas. Uma delas,

Conselho Federal de Técnicos de Administração (CFTA),

em regra, deve acontecer

que se tornou Conselho Federal de Administração (CFA),

no período de transição da

e os Conselhos Regionais de Técnicos de Adminis-

adolescência para a juven-

tração (CRTAs), que viraram os Conselhos Regionais de

tude. Cedo, muito cedo para se tomar a decisão que irá influenciar no resto da vida. O momento é de optar pelo que cursar no ensino supeADM. CARLOS ALBERTO FERREIRA JÚNIOR

Diretor de Desenvolvimento Institucional e Coordenador da RBA

rior e por qual profissão seguir.

Funciona

como

A quarta década é de consolidação da imagem do CFA em todo o território nacional e, também, cabe atribuir ao período a construção da sede própria da entidade e a inclusão na era digital. A quinta década, como não poderia ser diferente, é festejada com muitos avanços

um casamento, uma união

conquistados pelos Administradores e pelo marco da

quase indissolúvel alimen-

chegada do Jubileu. Essa apresentação não passa de um

tada pela dedicação, amor, disposição, pela eterna

breve resumo de tudo o que aconteceu nos últimos 50

busca do aprendizado. Para quem escolheu caminhar

anos. Há muito mais nas páginas seguintes para lembrar

de braços dados com a carreira de Administrador, a

o quão grandiosa é a história e a missão da Administração

hora é de comemorar as “bodas de ouro”, os 50 anos da

brasileira.

regulamentação profissional. Em 9 de setembro de 1965, Humberto Castelo Branco, então presidente da República, sancionou a lei nº 4.769 regulamentando, assim, a atividade dos profissionais de Administração do Brasil. Naquele momento nasceu o embrião do Sistema Conselhos Federal e Regionais de Administração (CFA/CRAs). A autarquia chegou ao seu cinquentenário tendo mais de 400 mil profissionais registrados e muitas parcerias firmadas para promover administração responsável em diversos setores no País. Em homenagem ao cinquentenário, a Revista Brasileira de Administração (RBA) apresenta aos seus leitores uma edição especial, que une fatos históricos do Brasil e do mundo aos passos de desenvolvimento e fortalecimento do Sistema CFA/CRAs. A primeira década, marcada pela vigência do Regime Militar, foi a de

O entrevistado da presente edição é o atual presidente do CFA, Adm. Sebastião Luiz de Mello. Ele atuou em diversas áreas durante sua carreira e se mostra um crítico ferrenho da corrupção e da falta de valores éticos dos políticos e aconselha os Administradores a terem objetivos muito bem definidos, passar por experiências práticas durante a vida acadêmica e ter convicção de que será o melhor. A RBA também faz uma homenagem aos ex-presidentes do Conselho, pois, afinal, nesses 50 anos de regulamentação da profissão, muitos dos frutos colhidos hoje são graças ao empenho dos líderes do passado. Não poderia faltar o Adm. Belmiro Siqueira, o Patrono dos profissionais de Administração. O professor foi reconhecido por ter abraçado a causa de fazer da Administração uma carreira respeitada e regulamentada no

construir as bases legais para a criação do Conselho. Os

Brasil. Digno de todos os aplausos.

próximos dez anos foram de fortalecimento e expansão.

A edição 108 é e está muito especial. Vale a pena conferir.

Em clima de restabelecimento da democracia, na terceira década ficou registrada a queda da nomenclatura de Técnico em Administração para enfim o surgir a figura do

4

Administração (CRAs).

RBA | REVISTA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO

Parabéns Nação Administração! Boa leitura!


PLATAFORMA ITEC. APROXIMANDO OS DESAFIOS DAS SOLUÇÕES.

VENHA FAZER NEGÓCIO.

APROXIMA DEMANDANTES E SOLUCIONADORES DE FORMA RÁPIDA, DEMOCRÁTICA E SEM BUROCRACIA.

EMPRESA DEMANDANTE: ALAVANQUE SUA COMPETITIVIDADE PELO COMPARTILHAMENTO DE PROBLEMAS E DESAFIOS TECNOLÓGICOS REAIS E TENHA ACESSO A SOLUCIONADORES DE ALTO IMPACTO.

EMPRESA / INSTITUIÇÃO OFERTANTE: ACESSE PROBLEMAS E DESAFIOS REAIS DE MERCADO QUE INSPIRAM E CONECTAM SUAS SOLUÇÕES TECNOLÓGICAS (PRODUTOS E SERVIÇOS) A POTENCIAIS CLIENTES.

SE A SUA EMPRESA TEM UM DESAFIO LIGADO À TECNOLOGIA, VOCÊ PODE ENCONTRAR A SOLUÇÃO NA PLATAFORMA ITEC. UMA INICIATIVA DO MCTI, EXECUTADA PELA ANPEI, QUE VISA CRIAR CONEXÕES PARA A COMPETITIVIDADE TECNOLÓGICA POR MEIO DE GERAÇÃO DE NEGÓCIOS EM UM AMBIENTE DE INOVAÇÃO ABERTA.

PARA SAB E R M AIS, AC E SSE :

WWW.PLATAFORMAITEC.COM.BR EXECUÇÃO

COMITÊ TÉCNICO

INICIATIVA SETEMBRO/OUTUBRO – 2015 | Nº 108

5


SUMÁRIO ANO XXIV • Nº 108 • SETEMBRO/OUTUBRO DE 2015

ELES FIZERAM DO

Jubileu de Ouro

UM MARCO POSSÍVEL

10

50

ENTREVISTA

ÍCONES DA ADMINISTRAÇÃO

Adm.Sebastião Luiz de Mello, presidente do Conselho

Em plena comemoração pelos 50 anos de

Federal de Administração (CFA), tem experiência em

regulamentação da Administração no Brasil, o Sistema

diversas áreas dentro da carreira de Administrador. De

Conselhos Federal e Regionais de Administração

origem humilde, começou cedo a trabalhar e se tornou

(CFA/CRAs) resgatam a memória daqueles que doaram

um ferrenho crítico da corrupção e da falta de valores

momentos importantes de suas vidas para pensar e

éticos na política.

aplicar as bases da profissão.

18 CAPA

O Sistema Conselhos Federal e Regionais de Administração (CFA/ CRAs) completou 50 anos em 9 de setembro de 2015. A instituição atinge seu cinquentenário tendo mais de 400 mil profissionais registrados e com parceiros que colaboram de forma vital na promoção da Administração responsável. 6

RBA | REVISTA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO


REVISTA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO

56

BELMIRO SIQUEIRA Mineiro da cidade de Ubá, o Professor e Administrador Belmiro Siqueira teve todo o seu esforço para fazer da Administração uma carreira respeitada e regulamentada reconhecido em maio de 1988, quando o plenário do Conselho Federal de Administração (CFA) o concedeu o título de Patrono.

DE PRESIDENTES 60 GALERIA DO CFA

Ao longo desta edição especial em comemoração ao Jubileu de Ouro do Sistema CFA/CRAs, presidentes e conselheiros federais deixaram mensagens em homenagem a dedicação de todos os colaboradores que construíram estes 50 anos de regulamentação da profissão, contribuindo assim, para o desenvolvimento de todo o país.

Nesta edição especial, não poderia faltar a lembrança dos presidentes que já estiveram à frente do CFA.

PROJETOS CFA | 70 Preocupação em ser útil aos profissionais em suas empreitadas.

PUBLICAÇÕES CFA | 72 Informações e orientações para os profissionais de Administração. SETEMBRO/OUTUBRO – 2015 | Nº 108

7


LEITOR

As mensagens para a RBA podem ser enviadas para SAUS, Quadra 1, Bloco L, Edifício Conselho Federal de Administração, Brasília/DF, CEP 70070-932, e-mail: rba@cfa.org.br ou fanpage: facebook.com/cfaadm

Os 50 anos do Sistema CFA/CRAs demonstram tamanha importância do papel do Administrador perante a sociedade, assim como sua crescente expansão e disseminação de conhecimento. O Jubileu de Ouro da profissão nos traz a certeza de que estamos no caminho certo. ADM. PEDRO HENRIQUE COSTA

Fazer parte e ser profissional de Administração é muito importante, ainda mais no ano do Jubileu de Ouro da Administração! CFA/CRAs, invistam nas visitas aos municípios brasileiros. DANIEL MARTINS DE OLIVEIRA

Um país próspero é construído tendo a efetividade como essência. Gestão pública nas mãos dos Administradores: luto por essa causa ADM. JOSÉ REGINALDO DE ANDRADE

Que venham mais 50 anos de muitas lutas e mais conquistas para nossa classe. Parabéns, Administradores!"

50 anos de profissão. 50 anos planejando e promovendo as competências profissionais das organizações. O tempo de uma história dedicada a contribuir com a ética, competência e valorização da Administração no nosso país." PEDRO PASCOAL

Na linha do tempo: os processos administrativos mudaram, mas sua profissão é de ouro. Administração é para Administrador! ADM. TERESA GODEIRO Apesar de ser registrada há pouco mais de dois anos, conheço a história do Sistema CFA/CRAs. O que o Conselho fez nestes 50 anos foi fundamental para que me tornasse Administradora hoje! Obrigado por tudo e feliz cinquentenário! JOLIE SILVA DE JESUS

MARIA EDUARDA OLIVEIRA

50 anos de profissão. 50 anos planejando e promovendo as competências profissionais das organizações. O tempo de uma história dedicada a contribuir com a ética, competência e valorização da Administração no nosso país. ADM. LEIZE S. LEITE

8

RBA | REVISTA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO

Gostaria de parabenizar o Sistema CFA/CRAs pelas ações criadas em comemoração aos 50 anos da regulamentação da profissão de Administração." ADM. ENZO TEXEIRA


Leitor da RBA, mantenha sempre o seu endereço atualizado. Se houver qualquer alteração, encaminhe-a para rba@cfa.org.br ou pelo telefone: (61) 3218-1818.

Administração é para Administrador. Parabéns ao Conselho por atuar mais do que nunca nestes 50 anos. É uma conquista de todos nós, Administradores. ADM. JONATHAS TIAGO ALBIERE Parabenizo a todos os Administradores que contribuíram para o crescimento da profissão, e estes 50 anos da regulamentação da profissão estão demais. Parabéns ao Sistema CFA/CRAs. ADM. BRUCE MACEDO

EXPEDIENTE

EDITOR | Conselho Federal de Administração CONSELHEIROS FEDERAIS DO CFA 2015/2016 Adm. Marcos Clay Lucio da Silva (AC) • Adm. Armando Lôbo Pereira Gomes (AL) • Adm. José Celeste Pinheiro (AP) • Adm. José Carlos de Sá Colares (AM) • Adm. Tânia Maria da Cunha Dias (BA) • Adm. Ilaílson Silveira de Araújo (CE) • Adm. Carlos Alberto Ferreira Junior (DF) • Adm. Marly de Lurdes Uliana (ES) • Adm. Dionizio Rodrigues Neves (GO) • Adm. José Samuel de Miranda Melo Júnior (MA) • Adm. Alaércio Soares Martins (MT) • Adm. Sebastião Luiz de Mello (MS) • Adm. Sônia Ferreira Ferraz (MG) • Adm. Aldemira Assis Drago (PA) • Adm. Marcos Kalebbe Saraiva Maia Costa (PB) • Adm. Sergio Pereira Lobo (PR) • Adm. Joel Cavalcanti Costa (PE) • Adm. Carlos Henrique Mendes da Rocha (PI) • Adm. Jorge Humberto Moreira Sampaio (RJ) • Adm. Ione Macêdo de Medeiros Salem (RN) • Adm. Ruy Pedro Baratz Ribeiro (RS) • Adm. Paulo César de Pereira Durand (RO) • Adm. Antonio José Leite de Albuquerque (RR) • Adm. José Sebastião Nunes (SC) • Adm. Mauro Kreuz (SP) • Adm. Diego Cabral Ferreira da Costa (SE) • Adm. Rogerio Ramos de Souza (TO) DIRETORIA EXECUTIVA DO CFA 2015/2016 Presidente: Adm. Sebastião Luiz de Mello • Vice-Presidente: Adm. Sergio Pereira Lobo • Diretor Administrativo e Financeiro: Adm. Armando Lôbo Pereira Gomes • Diretor de Fiscalização e Registro: Adm. Jorge Humberto M. Sampaio • Diretor de Formação Profissional: Adm. Mauro Kreuz • Diretor de Desenvolvimento Institucional: Adm. Carlos Alberto Ferreira Junior •Diretor de Relações Internacionais e Eventos: Adm. Marcos Clay Lucio da Silva • Diretora de Gestão Pública: Adm. Ione Macedo de Medeiros Salem • Diretor de Estudos e Projetos Estratégicos: Adm. Alaércio Soares Martins CONSELHO EDITORIAL Prof. Adm. Idalberto Chiavenato • Prof. Carlos Osmar Bertero • Prof. Milton Mira de Assumpção Filho CONSELHO DE PUBLICAÇÕES Adm. Mauro Kreuz • Adm. Rogério Ramos de Souza • Adm. Sergio Pereira Lobo • Adm. Tânia Maria da Cunha Dias COORDENAÇÃO DOS CONSELHOS Adm. Carlos Alberto Ferreira Júnior PRODUÇÃO Coordenação Editorial: Straub Design • Diretor Executivo: Adm. Wilgor Caravanti • Editor–Chefe: Francisco José Z. Assis • Diretor de Criação: Ericson Straub • Direção de Arte: Amanda Camargo • Redação: Ana Graciele Gonçalves, Cinthia Zanotto, Mara Andrich, Nájia Furlan e Wellington Penalva • Revisão: Mônica Ludvich • Diagramação: Amanda Camargo, Rafaela Lech e Thaís Pacheco • Impressão: Ediouro Gráfica e Editora Ltda • Tiragem: 120 mil exemplares REPRESENTAÇÃO COMERCIAL Conecta Marketing Direto (Wladimir Reis) Tel.: (11) 98969-6075 E-mail: publicidade@cfa.org.br

Administração é a arte de lidar com pessoas extraindo o melhor de cada uma delas. Administração é paixão! Administração é garra! É força! É luta! Ser Administrador é um privilégio, é ter a profissão de Deus, o Administrador do Universo! Parabéns, Administradores! Parabéns, Administradoras! Que venham mais 50, 100, infinitos anos!"

ASSINATURAS E-mail: rba@cfa.org.br | Portal: www.revistarba.com.br Telefone: (61) 3218-1818 A RBA é uma publicação bimestral do Conselho Federal de Administração sob a responsabilidade da Câmara de Desenvolvimento Institucional e da coordenadora técnica RP Renata Costa Ferreira. As matérias não refletem necessariamente a opinião do CFA.

A RBA é certificada pelo Instituto Verificador de Circulação (IVC) como de circulação controlada de conteúdo dirigido.

ADM. ANNA MARÍLIA PAIVA

SETEMBRO/OUTUBRO – 2015 | Nº 108

9


POR_MARA ANDRICH

Sebastião Luiz de Mello Presidente do Conselho

Federal de Administração

10

Créditos: Divulgação

ENTREVISTA


objetivos Administrador feito de

experiências

PRESIDENTE DO CFA, ADM. SEBASTIÃO LUIZ DE MELLO NÃO POUPA CRÍTICAS AOS CORRUPTOS

D

e origem humilde, o presidente do Conselho Federal de Administração (CFA), Adm. Sebastião Luiz de Mello, atuou em diversas áreas durante

sua carreira. Oriundo de uma região agrícola de Presidente Prudente, São Paulo, muito cedo teve que sair de casa para estudar e trabalhar. Com persistência e enfrentando muitas dificuldades, chegou a cargos acadêmicos respeitados e à presidência do conselho de classe, onde representa a categoria com muita atitude. Crítico ferrenho da corrupção e da falta de valores éticos dos políticos, Sebastião Luiz de Mello defende que o Administrador tem que ter seus objetivos muito bem definidos, passar por experiências práticas durante a vida acadêmica e ter convicção de que será o melhor.

de trabalho. O país, como um todo, está carente de especialistas desses cargos de relevância. Segundo a Pesquisa Nacional Perfil, Formação, Atuação e Oportunidades de Trabalho do Profissional de Administração 2011, realizada pelo CFA, as grandes áreas funcionais (Administração Geral, Financeira, Vendas e Recursos Humanos) atingiram 58,82% do total de respondentes em 2011, sendo possível afirmar tratar-se das áreas mais demandadas da Administração. A Administração Geral, em 2011, manteve alto o índice de alocação de Administradores, embora o seu percentual tenha sido reduzido, considerando-se a pesquisa de 2006. É interessante verificar que a área de Recursos Humanos, que vinha decrescendo ano após ano, nesta pesquisa apresentou uma recuperação em relação à de 2006, passando de 6,73% para 9,46%.

REVISTA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO: Quais as áreas da Administração mais procuradas hoje? Por quê? SEBASTIÃO LUIZ DE MELLO: As áreas de Recursos Humanos, Marketing, Finanças, Logística e Materiais. Este foi um ano em que todos entenderam que é nessas áreas que estão as necessidades, as melhores oportunidades

RBA: Mudou esse perfil de procura nos últimos anos? O que vem mudando em relação a isso? SLM – Acredito que não vem mudando. Porque todas as empresas têm essas áreas e precisam desses profissionais. Até mesmo os pequenos e os médios negócios têm que conviver com essas práticas.

SETEMBRO/OUTUBRO – 2015 | Nº 108

11


Entrevista

Ele precisa ter visão de mundo, visão holística dos problemas do país, e focar numa área. Tem que ser melhor do que todos, tem que ser único. Precisa ter essa convicção."

Mas também há outras áreas conexas, como mediação e arbitragem, questões ambientais, e as demandas do futuro – nanotecnologia, longevidade, sustentabilidade e produção. Então, seguramente, essas áreas vão demandar mais Administradores. Isso também está muito relacionado com o que Domenico de Masi falou: no futuro, muitas pessoas deverão trabalhar em casa, talvez. Não sabemos até quando estaremos em escritórios, não é? Uma das teorias mais conhecidas do sociólogo italiano Domenico de Masi é o “ócio criativo”. Para ele, o ócio criativo é uma arte que se aprende e se aperfeiçoa com o tempo e com o exercício. Ele afirma ainda que existe uma espécie de “alienação” por excesso de trabalho, e isso aconteceu na era pós-industrial. Ele afirma que o “trabalho não é tudo na vida” e que “existem outros valores, como o estudo, a diversão (para a alegria), o sexo para o prazer, a família para a produção de solidariedade”, etc. RBA: O senhor nasceu em uma família humilde, em Presidente Prudente, São Paulo, e teve um início bastante difícil, não é? Como foi sua trajetória? Fale-nos um pouco sobre isso. SLM: Sou filho de agricultores. Mudamos de São Paulo para Mato Grosso do Sul (Dourados) na década de 1950. Meu pai, numa visita a Mato Grosso, verificou a fertilidade da terra de lá e se interessou. Então, vendemos o que tínhamos e viemos embora. Sou o nono filho de uma família com seis mulheres e quatro homens. A minha vida foi como a de qualquer criança. Eu caminhava cinco quilômetros de ida e cinco de volta para estudar (na Escola São José, que existe até hoje), fazia isso a pé todo dia. Depois conhecemos um padre que nos convidou para ir para

12

RBA | REVISTA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO

uma escola agrícola – éramos um grupo de quatro ou cinco garotos. Para continuar os estudos tive que ir para Cuiabá. Em Campo Grande, capital de Mato Grosso do Sul, fiz a 4ª série ginasial, primeiro e segundo científico (colegial). Era jovem, o mais novo da turma. Sabia as operações, capitais do mundo, do Brasil, fração, coisas que muitos alunos hoje não sabem. Comecei o primário com sete anos, mas tive a felicidade de cursar dois anos em um (2º e 3º primário). Concluí o científico com 17 anos. RBA: Quais as dificuldades que o senhor enfrentou nesta caminhada? SLM: Era tudo longe, região agrícola, só tinha até o 4º ano primário. Saí de casa com oito para nove anos para estudar. Só retornei para casa quando meu pai faleceu, em 1971. Eu estava com 18 anos, quando fui para Campo Grande com a minha mãe para continuar os estudos. E fazia cursinho. Foi um período difícil, com dificuldades, trabalhei no IBGE (como recenseador); na Faculdade Católica, como auxiliar de escritório; e até que enfim fiz o processo seletivo na Universidade Estadual de Mato Grosso e fui compor uma equipe de trabalho, que realizou uma modernização da universidade. Foi aprendizado prático, tudo que um Administrador podia querer para aprender: avaliação de desempenho, plano de cargos e salários, estrutura organizacional, denominado “Manual de Organização”. RBA: Mas tudo valeu a pena? SLM: Valeu a pena sim. Eu recebia 1.500 cruzeiros e passei para 5 mil – depois de formar-me em Administração, fui promovido! Fui fazer mestrado, mas não concluí. Fiz especialização na UFRGS, em Porto Alegre (em Administração Universitária).


Fui chefe da divisão de recrutamento, seleção e treinamento, depois coordenador de grupo de planejamento, diretor de imprensa, pró-reitor de extensão, assessor de pró-reitor, gerente financeiro e pró-reitor de Administração. Fui gerente administrativo da Secretaria de Educação da prefeitura e depois o governador me convidou para ser superintendente de Recursos Humanos e modernização administrativa. Foi desencadeado, então, um processo de reestruturação do Estado de Mato Grosso do Sul. Findo esse período cedido, retornei às minhas origens na universidade. Ministrava aulas desde o início da carreira na década de 80. E depois novamente fui pró-reitor de Administração – por dois mandatos de quatro anos, construímos sete novos campi universitários nas principais cidades do Estado de Mato Grosso do Sul. Foram oito anos como pró-reitor; foi um aprendizado de ouro. Passei ainda por outras funções, assessorando na gestão. E depois me aposentei. RBA: O que o senhor diria para um Administrador que está iniciando a carreira e pretende ser um profissional de sucesso? SLM: Eu diria que ele tem que ter foco. Ter motivação, alegria. Ser feliz com a profissão. Muitas vezes as pessoas a escolhem e depois dizem: “Ah, eu pensei que era isso!”. E não é. Ele precisa ter visão de mundo, visão holística dos problemas do país, e focar numa área. Tem que ser melhor do que todos, tem que ser único. Precisa ter essa convicção. Pode até não ser o melhor, mas tem que ter essa convicção de que é o melhor financista, o melhor em gestão de pessoas... Se não tiver essa convicção é porque nos quatro anos que passou em sala de aula ele deixou de focar. Depois, fazer uma especialização – infelizmente, a Graduação não oferece todos os conteúdos. Ter visão holística do mundo, do país e da empresa em que vai trabalhar. RBA: O que o senhor considera valores essenciais para uma pessoa bem-sucedida moral e profissionalmente? E para o Administrador, o que é mais importante neste sentido? SLM: Enquanto pessoa, considero que tem que ter caráter, ética, conhecimento. Sem conhecimento, habilidade e atitude, a pessoa não é nada. Tem que saber fazer, e não só saber ensinar. Tem que ter planejamento, atitude, conhecimento, habilidades, saber o que quer da vida. Ter metas, escrever seus objetivos e fazer daquilo uma possibilidade real. RBA: A que o senhor atribui tantas homenagens a seu nome, como Adm. Destaque em Mato Grosso, Adm. Emérito, etc.? SLM: Seria hipócrita dizer que durante todos estes anos não conquistei respeito e admiração dos Administradores. Fui o primeiro Administrador sul-mato-grossense que se tornou presidente do Conselho Federal de Administração. Claro que, quando a gente passa por esses estágios, por coisas que galgou, vai recebendo respeito da parte de quem é liderado. Eu sempre fui ensinando, discutindo junto. Você tem que estar o tempo todo sendo assertivo e colaborando com as pessoas. Isso vai fazer de você uma pessoa diferente. Essa maneira de ser, de ajudar e querer o bem das pessoas em todo o lugar foi o que deixei. Apesar de ser exigente e chato, consegui essa simpatia. Eu tenho que ser honesto com as pessoas. Não ponho meu nome em qualquer coisa.

Há 50 anos no Brasil e cinco no Acre, ao CRA-AC, com 1.600 profissionais e 200 empresas, é incumbido o engrandecimento da profissão, com a missão de demonstrar a sociedade, a importância da Administração para os resultados eficientes nas organizações. Adm. Fábio Mendes Macêdo Presidente do CRA-AC

No ano do cinquentenário da profissão, muito há para comemorarmos com as conquistas alcançadas. Porém, devemos manter vivos nosso amor e motivação para superar os desafios que antecedem o reconhecimento e a valorização de nossa classe profissional. Adm. Carolina Ferreira Simon Maia Presidente do CRA-AL

Ocasião de celebrar as conquistas advindas do pioneirismo, da determinação e do amor de Administradores de todo o país. 50 anos no Brasil e 5 anos no Amapá. Experiência que alicerça compromissos vislumbrando um país gerido por profissionais. Adm. Sheila Trícia Guedes Pastana Presidente do CRA-AP

SETEMBRO/OUTUBRO – 2015 | Nº 108

13


Entrevista

RBA: Em sua opinião, quais as áreas da Administração mais promissoras hoje, momento de crise no país?

Sebastião Mello recebe alunos de Administração na sede do CFA

RBA: O senhor acredita que a Academia está alinhada ao mercado? SLM: Essa é uma pergunta difícil. Mas acredito que não está alinhada. As condições de empregabilidade dos Administradores estão muito aquém. Isso não é só minha opinião, é de pesquisa, dos empresários. A parte prática e a teórica estão desalinhadas. As aulas têm que ter correlação com o cenário prático. O exercício é pleno. RBA: Quais seriam as adequações que poderiam ser feitas? SLM: Tem que fazer um debate construtivo, correto, sem achismos, sem enrolação. Precisa de grande reflexão. Sempre trazendo a possibilidade de fazer diferente. Faz isso, aquilo, mas nunca deu certo! Ninguém tem demonstrado a real capacidade de sair da inércia, do comodismo. É preciso inovar. RBA: Em quais áreas o senhor já atuou e qual (ou quais) mais gostou? SLM: Sempre exerci cargos de confiança, liderança e chefia. Convivi com todas as áreas e foi um privilégio. A que mais gostei mesmo foi o RH. Cheguei a liderar equipes da UFMS para realizar concursos para prefeituras de MS. Com o advento da Constituição de 88, fomos procurados pelas prefeituras de MS para fazermos concursos com vistas a oportunizar estabilidade àqueles servidores que não tinham cinco anos de casa.

14

RBA | REVISTA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO

SLM: Uma é a área financeira, e a outra, o RH. Neste momento de crise são essas duas. As empresas são as pessoas. Queira ou não queira, ninguém faz nada sem orçamento. A maioria das ações práticas, que dão resultado tangível, se faz com recursos financeiros, inovação e criatividade. RBA: E o Conselho? Quando ele passou a fazer parte de sua vida? SLM: Nunca pensei em entrar no Sistema CFA/CRAs. Mato Grosso do Sul era uma delegacia de São Paulo quando decidimos fundar o CRA-MS. Tornei-me então o primeiro conselheiro federal pelo CRA-MS, eleito e reeleito no período de 1995 a 2011. Nestes dez anos, fui diretor da Câmara de Desenvolvimento Institucional por mais de uma vez, e depois vice-presidente CFA, eleito por aclamação. RBA: No CFA, o que o senhor considera como destaques de sua gestão? SLM: Acredito que estamos em um momento de inovação nesta gestão, com atuações inovadoras. Inovamos com a Certificação e o tempo vai dizer a importância disso. O mercado de trabalho está demandando profissionais certificados na área de conhecimento dos profissionais de Administração. Criamos também a Câmara de Gestão Pública e a Câmara de Estudos e Projetos Estratégicos, além da Rádio ADM e o CFATV, e ainda o projeto “Plataforma do Conhecimento”. A capacitação de Administradores para atuarem nas micro e pequenas empresas, celebrada por meio de parceria com a Secretaria da Micro e Pequena Empresa da Presidência da República, é outro destaque. Também estamos tentando unificar o sistema com o banco de dados. E o AdmEmpregos: antes nossas atividades se voltavam muito mais para o mundo acadêmico, mas decidimos ampliar o leque de nossas atribuições. Pela minha experiência administrativa e pela realidade das coisas que ocorriam na sociedade, continuamos sempre propugnando pela qualidade do ensino.


O Administrador é o personagem sempre importante, porque todo processo de gestão tem que ser conduzido por um profissional."

RBA: O que o senhor considera que ainda precisa ser feito no CFA? Quais os desafios? SLM: Rádio, web, televisão, Plataforma do Conhecimento, eleições virtuais, PBLog, aproximação com os três poderes – Legislativo, Executivo e Judiciário –, preocupação com a gestão pública, entre outros projetos. Todos esses projetos flutuantes são legados que queremos deixar. Fizemos uma política austera de valorização de anuidade do contribuinte. Nisso, sou muito rigoroso. Até mudei o perfil das aplicações financeiras, pois o retorno se mostrou mais efetivo. Monitoro os regionais, alertando os presidentes, sempre que vejo o que vai maximizar ou reduzir os preços. Se eu não der exemplo, como vou cobrar deles? Convivência saudável, pacífica, ser orientador, fiscalizador. Exemplos arrastam. Temos dias de harmonia talvez nunca vistos antes em todo o Sistema. Mas ainda precisamos concluir o processo de informatização, o cadastro único, o autoatendimento, para que todos tenham acesso ao mesmo banco de dados e atendimento de qualidade – pagar tudo pela web, modernizar a gestão de maneira única. Sobretudo, nos posicionamos sobre como o profissional de Administração deve ser respeitado, ampliando a visão de país e de mundo sobre a sua importância. RBA: Para o senhor, quais são os ícones da Administração? SLM: Peter Drucker, um revolucionário. O

que foi Idalberto

Chiavenatto, também. Nosso patrono, Belmiro Siqueira, e os ex-presidentes, que também contribuíram para esse crescimento. E eu admiro todo bom professor – aquele que tem humildade de aprender, inovar, construir alunos melhores. RBA: Como fica a profissão do Administrador neste contexto de crise que estamos vivendo? SLM: O Administrador é o personagem sempre importante, porque todo processo de gestão tem que ser conduzido por um profissional. A Administração tem que ser profissional, mais do que qualquer outra coisa. Como você vai aceitar um jornalista que escreve errado, que não tem lógica no pensamento? A mesma coisa com o Administrador. Aliás, não deveria ser momento de crise se tudo tivesse sido pensado.

RBA: O senhor contribuiu com o governo de Mato Grosso do Sul. Como foi sua experiência em gestão pública? SLM: Na Secretaria da Administração, modernizamos a pasta. Havia muitos processos de aposentadoria, descentralizamos tudo isso pra dar resposta mais rápida. A experiência que tive foi poder melhorar a vida da população, com organização, planejamento, atender todo mundo com respeito. Um exercício profissional pleno numa prefeitura e no

O Conselho Regional de Administração do Amazonas parabeniza a todos os Administradores que, ao longo destes 50 anos de regulamentação da profissão, contribuíram de forma significativa para o desenvolvimento de nosso país. Desejamos sucesso aos Administradores! Adm. Antônio Jorge Cunha Campos Presidente do CRA-AM

Temos a missão de garantir profissionais competentes, éticos, que exerçam suas funções gerando riquezas, além de difundir a ciência da Administração, levando à sociedade tudo o que o avanço tecnológico, com suas inovadoras mudanças, pode proporcionar. Adm. Roberto Ibrahim Uehbe Presidente do CRA-BA

Congratulamos a todos os profissionais de Administração que desbravaram o mercado brasileiro nos primeiros 50 anos de criação da profissão. A Administração é uma ciência que é totalmente comprometida com o desenvolvimento do Brasil. Parabéns a todos! Adm. Leonardo José Macedo Presidente do CRA-CE

Estado.

SETEMBRO/OUTUBRO – 2015 | Nº 108

15


Administração

50 anos

ao longo dos


CapaCAPA POR_ WELLINGTON PENALVA

NA TRILHA DO

Jubileu

18

RBA | REVISTA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO


de Ouro Uma narrativa do que a autarquia protagonizou e testemunhou no último meio século da humanidade

N

o dia 9 de setembro, o Sistema Conselhos Federal e Regionais de Administração (CFA/CRAs) completou 50 anos. A autarquia chega ao seu

cinquentenário com: mais de 400 mil profissionais registrados; parcerias firmadas com outros órgãos para promover a Administração responsável em diversos setores no

QUANDO O SISTEMA CFA/CRAs CHEGOU AO MUNDO... O golpe militar brasileiro de 1964 completava o seu primeiro ano. Ao redor do mundo, outros golpes de estado eclodiam. As primeiras tropas norte-americanas chegavam ao Sudeste Asiático para a Guerra do Vietnã. Nos Estados Unidos, o ativista do movimento negro, Malcom X, acabara de ser assassinado. Aqui no Brasil, era inaugurada aquela que viria a ser a maior rede de TV do país, a Rede Globo. O Festival de Música Popular Brasileira surgia em sua primeira edição, premiando os compositores Edu Lobo e Vinicius de Moraes, além da intérprete Elis Regina.

país. Por isso esta edição, a 108ª, da Revista Brasileira

Diante de tamanha efervescência política, social e cul-

de Administração (RBA) chega a você com um propó-

tural, no dia 9 de setembro de 1965, o então presidente da

sito especial e conteúdo atípico, daquele que só se elabora

República, general Humberto Castelo Branco, sancionava

a cada 50 anos. A RBA passa a contar ao seu leitor quais

a Lei 4.769/1965, regulamentando a atividade dos pro-

fatos históricos do Brasil e do mundo o Conselho testemu-

fissionais de Administração do país. A medida deu luz ao

nhou à medida que escrevia sua própria história. Então,

Conselho Federal de Técnicos de Administração (CFTA) –

tome um assento confortável, dispense a formalidade do

hoje Conselho Federal de Administração (CFA). Começava

escritório e desfrute, à vontade, da leitura. A partir de ago-

ali, na ponta da caneta do primeiro presidente do regime

ra, começa a expedição pela vida do Sistema CFA/CRAs.

ditatorial militar, a história do Sistema Conselhos Federal

Boa viagem!

de Regionais de Administração (CFA/CRAs).

SETEMBRO/OUTUBRO – 2015 | Nº 108

19


Capa

1956

Lei anteprojeto

1965

1ª Sede própria em Brasília - DF

PRIMEIRA década

Humberto Castelo Branco sancionou a atividade dos profissionais

set.1965

Publicado a Lei 4.769 no DIário Oficial da República

Em 1956, o Adm. Wanderley elaborou o anteprojeto

Administração. Em 17 de janeiro de 1968, enfim, foi com-

da Lei 4.769/1965 para ser discutido pelos associados

posta a Junta executiva e instalado o CFTA. Na mesma

da Associação Brasileira de Administração Pública

ocasião, é publicada a Resolução Normativa n° 2, crian-

(ABAP). Com 70% dos artigos aprovados, o antepro-

do os dez primeiros Conselhos Regionais de Técnicos de

jeto chegou às mãos do deputado federal e técnico de

Administração (CRTAs).

Administração Alberto Guerreiro Ramos. Em posse do documento, Guerreiro Ramos fez diversas alterações e adequou o texto para, em seguida, apresentá-lo ao Congresso Nacional. Após aprovada e sancionada pelo presidente Castelo Branco, no dia 13 de setembro de 1965 a medida foi publicada no Diário Oficial da República. Começava ali a caminhada que neste ano chega ao seu cinquentenário.

Ao longo desses três anos – da instauração da lei à efetivação do CFTA e dos CRTAs –, o mundo seguiu seu curso na construção da história recente, em um período de divisão ideológica encabeçado pelos Estados Unidos (EUA) e pela União Soviética (URSS) com a Guerra Fria. O comandante da Revolução Cubana, Ernesto Guevara de La Sierna, o Che Guevara, fora capturado e executado pelas forças legalistas bolivianas. Martin Luther King, líder ne-

No ano seguinte à sanção da lei, mais precisamente no

gro e prêmio Nobel da Paz de 1964, foi assassinado a tiros

dia 20 de junho de 1966, o Decreto nº 58.670 foi pro-

em Memphis, Estados Unidos. No Brasil, em São Paulo,

mulgado, para a promoção de medidas regulamentando

morria aos 75 anos um dos maiores nomes do jornalis-

a Lei nº 4.769. Neste ano também foi empossado o pri-

mo nacional, Assis Chateaubriand, criador dos Diários

meiro presidente da autarquia, Adm. Ibany da Cunha

Associados e da extinta TV Tupi.

Ribeira. Um ano depois, o Decreto nº 61.394, de 22 de dezembro de 1967, regulamentou a profissão de técnico de

O clima político nacional também não era dos melhores. No dia 26 de junho de 1968 acontece a manifestação conhecida como Passeata dos 100 Mil, nas ruas do centro do Rio de Janeiro e em outras capitais do país. O fato gerou a proibição de manifestações no Brasil. Em seguida, o presidente Costa e Silva sancionou o Ato Institucional 5 (AI-5) –, uma das medidas mais duras do regime militar – fechando o Congresso Nacional. Músicos como Caetano Veloso e Gilberto Gil foram detidos pela ditadura. O elenco da peça Roda Viva, de Chico Buarque de Holanda, foi espancado pelo Comando de Caça aos Comunistas, organiza-

Lei anteprojeto

20

RBA | REVISTA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO

ção paramilitar apoiada pelo Exército brasileiro.


1966 1º Presidente da autarquia Adm. Ibany da Cunha Ribeira

1967 A profissão é regulamentada

Temos muito a comemorar. Nestes 50 anos, vencemos muitas batalhas. Entre elas, a recente aprovação do PL 2026/2014, que garante reserva de mercado para os Administradores. Vamos continuar o trabalho para fortalecer a categoria e ter sucesso sempre. Adm. Mônica Cova Gama Presidente do CRA-DF

Diante desse turbilhão de aconte-

da federação tinha sindicato, São

cimentos impactantes, novidades

Paulo. O então presidente do CRTA

mais brandas surgiram ao longo dos

8ª região, Adm. Roberto Carvalho

três primeiros anos de Sistema. É o

Cardoso, argumentou que o fato con-

caso da cultura que, aparentemen-

figuraria um “monopólio eletivo”.

te, transformou as atribulações em combustível de criação. Nesse período foi lançado 2001: A Space Odyssey, de Stanley Kubrick, um dos filmes mais importantes da história do cinema segundo os críticos. Em meio à ditadura militar brasileira, nascia

Diante do impasse, o Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS) assumiu a dianteira do Sistema CFTA/CRTAs, dando início ao período de intervenção ministerial na autarquia.

É com orgulho que comemoramos os 50 anos do dever que o Estado brasileiro nos delegou em defesa da sociedade. Por um Brasil mais bem administrado, cuidamos da profissão orientando e fiscalizando a conduta ética dos profissionais da Administração. Adm. Hércules da Silva Falcão Presidente do CRA-ES

o movimento cultural conhecido como Tropicália, abrangendo música, teatro, cinema e artes plásticas. A história se construía e a recém-criada autarquia ganhava corpo. Enquanto a juventude norte-americana gritava por paz e amor durante o Woodstock – festival de música, ícone da contracultura mundial – e Neil Armstrong se consagrava o primeiro homem

Manifesto minhas felicitações a todos os Administradores pelo Jubileu de Ouro da criação da profissão no Brasil. Reitero meu apoio, entusiasmo e luta pela valorização desta categoria, imprescindível na gestão das organizações e no desenvolvimento do país. Parabéns! Adm. Samuel Albernaz Presidente do CRA-GO

a pisar na Lua, em 1969, chegava ao fim o período de vigência da primeira diretoria do CFTA. Ocorreria, então, o processo eletivo do Sistema. De acordo com a Lei 4.769/65, os sindicatos elegeriam os conselheiros do CFTA. Todavia, apenas um Estado SETEMBRO/OUTUBRO – 2015 | Nº 108

21


Capa

1969 Neil Armstrong, primeiro homem a pisar na lua

1970

set.1969

A Intel lançou o primeiro microprocessador do mundo, surgiu a Microsoft e a Apple

Fim do período de vigência da 1ª diretoria do CFTA

O período de intervenção no Sistema durou Federal, foi nomeada uma junta (renovada anualmente) composta por três membros do MTPS. Durante esse período, algumas novidades foram implementadas no novo Conselho de Classe. O CFTA ganhou sua primeira sede própria em Brasília, promovendo a mudança do Rio de Janeiro, onde esteve sitiada desde 1965. Além disso, durante o período intervencionista, foi aprovado o primeiro modelo de carteira profissional. A partir do terceiro ano de intervenção, começaram as discussões para retomada do processo eletivo democrático do Sistema. Ao longo dos anos em que o Sistema CFTA/ CRTAs esteve sob a tutela do Ministério do Trabalho, o desenrolar dos acontecimentos por todo globo iam se dando. Ainda no campo da cultura nacional, em 1970, era lançado o primeiro disco de Tim Maia, a música popular brasileira passava a agregar o funk/ soul americano em seu melhor estilo tupiniquim. Já na área da ciência, a tecnologia moderna dos microcomputadores ensaia o boom tecnológico do final do século 20. A Intel lançou o primeiro microprocessador do mundo, Bill Gates e Paul Allen fundaram a Microsoft e Steve Jobs, em parceria com Steve Wozniac, lançou a Apple. As empresas se tornariam grandes potências da tecnologia no futuro próximo.

22

RBA | REVISTA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO

SEGUNDA década

sete anos (1970 a 1977). Para dirigir o Conselho Na metade dos anos 1970, o regime ditatorial brasileiro empossava seu quarto chefe de Estado, general Ernesto Geisel. Pouco tempo mais tarde, 20 anos depois de deflagrada, chegou ao fim a Guerra do Vietnã, uma das maiores derrotas da nação americana. Em 1976, chegava à Casa Branca um novo presidente eleito, o democrata Jimmy Carter. No Brasil, o Sistema CFTA/CRTAs entrava em acordo com o MTPS estabelecendo as primeiras eleições na autarquia e, consequentemente, o fim do período intervencionista. No ano em que o mundo se despedia de dois grandes ícones da cultura mundial – Elvis Presley e Charlie Chaplin –, o Brasil assistia ao nascimento de mais um Estado da federação, o Mato Grosso do Sul. O Sistema voltava a andar com as próprias pernas, com presidente eleito e diretoria executiva totalmente independente de outros órgãos. Quem assumiu a presidência na ocasião foi o Adm. Guilherme Quintanilha de Almeida, mantendo-se no cargo por uma década. Durante os dez anos da gestão de Quintanilha, a autarquia ganhou força e cresceu. Enquanto isso, a história seguia seu fluxo e uma reviravolta no quadro político-econômico mundial dava o pontapé inicial rumo à redemocratização das nações em regime ditatorial. Além disso, a Guerra Fria chegava à sua segunda metade, reduzindo paulatinamente as tensões até o seu desfalecimento no início dos anos 1990. No Brasil, a ditadura ainda era situação, mas começava a perder força. A chegada de Carter à presidência norte-americana foi decisiva para muitas mudanças no globo. O democrata foi o primeiro presidente americano, desde a morte de John F. Kennedy, em 1963, que não apoiou irrestritamente os regimes anticomunistas e autoritários da América Latina.


70 à 1977 Intervenção no Sistema CFA/CRAs

O primeiro ano da gestão Quintanilha

1975 A Guerra do Vietnã termina

moveu o concurso nacional para a

foi marcado pelas seguintes me-

escolha de um símbolo que represen-

didas: aquisição de uma nova sede

tasse a profissão. Entre os 309 tra-

para o CFTA, na Avenida primeiro

balhos apresentados, o da Oficina de

regimento da autarquia; e a primei-

Criação de Curitiba tornou-se vence-

ra edição do Encontro Brasileiro de

dor. A arte vencedora do símbolo da

Administração (ENBRA) - na época,

Administração passou a ser utilizada

Encontro Brasileiro de Técnicos de

em 1980.

Administração (EBRATA). A recuperação da autonomia do Sistema CFTA/CRTAs foi crucial para seu desenvolvimento. A profissão passou a crescer reconhecidamente no país, principalmente por meio de ações dos CRTAs, que atuavam diretamente com o público, se posicionando em defesa da classe. Assim como no primeiro ano, os outros nove em que Guilherme Quintanilha esteve na presidência foram bastante movimentados para o Sistema. Nos quatro cantos do mundo, paralelamente, a história dava seus passos e o Conselho assistia a cada um deles. Em 1979, enquanto o general João Baptista Figueiredo

Eis que chegou a década de 1980. A ditadura sofre considerável perda de força e a redemocratização do país tornou-se questão de tempo. Mesmo assim o Brasil ainda viveria momentos de tensão antes da reto-

50 anos da profissão de Administração; 50 anos promovendo inovações, conhecimentos e resultados; 50 anos de compromisso, respeito e ética; 50 anos fazendo a diferença para as empresas, para a sociedade e para o Brasil. Parabéns aos Administradores! Adm. Aline Mendonça Presidente do CRA-MA

Momento oportuno para salientar os 50 anos de regulamentação da nossa profissão. O mundo passa por crise singular, o que reforça a necessidade de uma Administração profissional na busca de mais justiça com desenvolvimento para todos. Adm. Hélio Tito Simões de Arruda Presidente do CRA-MT

mada do regime democrático. Prova cabal do enfraquecimento do regime militar foi a criação da agremiação política esquerdista, o Partido dos Trabalhadores (PT), em fevereiro de 1980. Ainda naquele ano, o país chorava a morte do poeta Vinicius de Moraes e o mundo dava adeus a Alfred Hitchcock, aclamado cineasta britânico, e John Lennon, ex-Beatle e ativista, também inglês.

É gratificante o exercício da missão dedicada aos Administradores. Enfatizo o prazer de comemoramos os 50 anos da profissão, de alavancar as atividades de empreendedorismo dos administradores e tecnólogos com a gestão compartilhada, beneficiando os profissionais e toda a sociedade. Adm. Gracita Santos Barbosa Presidente do CRA-MS

substituía Geisel na Presidência da República do Brasil, o Código de Ética Profissional do Administrador era aprovado. Posteriormente, por sugestão do CRTA-SP, o CFTA pro-

SETEMBRO/OUTUBRO – 2015 | Nº 108

23


Capa

1977

1977

1979

Acordo estabelecendo as 1ª eleições na autarquia

Presidente eleito Guilherme Quintanilha de Almeida e diretoria executiva totalmente independente de outros órgãos

1º Regimento da autarquia 1ª Edição do ENBRA

Código de Ética Profissional do Administrador é aprovado

O mundo se despede de Elvis Presley e Charles Chaplin No Brasil, nascia a Federação de Mato Grosso do Sul

Os anos 1980 foram carimbados pela irreverência semelhante à dos “anos dourados”, na visão de alguns historiadores. Com a Guerra Fria e a maioria dos regimes ditatoriais em declínio, e o ativismo ardente por todo o mundo, a “juventude 80” extravasava. No cinema, filmes como Star Wars, Platoon e O Lobo de Wall Street. Na música nacional surgia o Rock 80 com as bandas Legião Urbana, Barão Vermelho e muitas outras. À cultura pop mundial chegavam Madona, Michael Jackson, U2, The Police, entre outros. Até a Casa Branca se rendeu à cultura pop quando o ator holywoodano Ronald Reagan assumiu a presidência dos Estados Unidos. Entre os anos de 1981 e 1985, os eventos no Sistema foram pontuais, estáveis e gozavam da tranquilidade oferecida pela rotina. Nesse, o Conselho aderiu ao Protocolo dos Conselhos Federais Profissionais, o “Conselhão”, do qual participa até hoje. Totalmente contrária à calmaria da autarquia, a história prossegue se escrevendo, febril e metamórfica. O Papa João Paulo II sofreu atentado e foi atingido por dois disparos de arma de fogo; teve início a Guerra das Malvinas; e o governo militar brasileiro entra em colapso. Com as eleições diretas para o governo dos Estados, dez candidatos da oposição foram eleitos e surgiu o movimento conhecido como Diretas Já, reclamando eleições diretas para presidente da República. Em pouco tempo, o Brasil comemoraria a redemocratização e, ao mesmo tempo, amargaria um

TERCEIRA década

1976

Embora o movimento das Diretas Já não tivera obtido o que reivindicara, o povo brasileiro já podia comemorar uma vitória. A proposta de Emenda Constitucional que previa as eleições diretas para a Presidência da República foi rejeitada, deixando a decisão nas mãos de um Colégio Eleitoral. Nas eleições indiretas de 1985, Tancredo Neves (PMDB) foi eleito derrotando o candidato do regime militar, Paulo Maluf. Ao passo que o país reencontrava a democracia, o CFTA vislumbrava novos ares com a constituição da Organização Latino-Americana de Administração (OLA) e resoluções vindouras que se tornariam marco naquele vigésimo ano de vida do Sistema. Antes de tomar posse da Presidência, Tancredo foi internado em decorrência de um tumor abdominal. Seu vice, José Sarney, foi empossado como substituto do presidente eleito que, um mês após a liturgia de posse presidencial, faleceu vítima de infecção generalizada. Ao assumir o cargo máximo do Executivo, Sarney teve de lidar com a crise econômica que assolava o país. Contudo, o frenesi da redemocratização brasileira punha os holofotes nas medidas sociais do início do novo governo. Enfim retornavam as eleições diretas em todas as esferas da República; os analfabetos receberam, pela primeira vez, o direito de voto; os partidos comunistas voltaram à legalidade; e, o mais

grande desastre econômico. A ditadura estava morta,

importante, a convocação de uma Assembleia

só aguardava o sepultamento.

Nacional Constituinte. Tudo no Brasil estava mudando. Mudanças

24

RBA RBA || REVISTA REVISTA BRASILEIRA BRASILEIRA DE DE ADMINISTRAÇÃO ADMINISTRAÇÃO


1980

1981

Símbolo da Administração é escolhido e passa ser utilizado

Papa João Paulo II sofreu atentado no Vaticano durante audiência p'ública

1985

Surgiu o movimento de "Diretas Já"

Criação da agremiação política esquerdista dos Trabalhadores (PT)

radicais que objetivavam uma na-

haver uma conotação de profissão

ção livre e democrática, exorcizada

de nível médio na expressão “técni-

do fantasma da ditadura. As alte-

co de Administração”. Mais de 200

rações no Sistema também vieram

mil Administradores de todo o país

com o novo Governo Federal. No dia 13 de junho de 1986, o presidente José Sarney sancionou a Lei nº 7.321, mudando a nomenclatura de “técnico de Administração” para “Administrador”. Consequentemente, o nome da autarquia também foi reconfigurado:

o

CFTA

tornou-

afinal, entendiam que a denominação descredibilizava o profissional de nível superior. Parece pouco, mas a mudança no nome foi o prelúdio de um forte período de desenvolvimento para a autarquia. Ainda no ano de 1986, o CFA emitiu

Administração), e CRTAs torna-

expedientes ao presidente Sarney e ao

ram-se CRAs (Conselhos Regionais

ministro da Administração, Aluísio

de Administração). Daquele dia em

Alves, para que o CFA e os CRAs fos-

reportariam ao Sistema CFA/CRAs.

Adm. Afonso Victor Vianna de Andrade Presidente do CRA-MG

pleiteavam essa alteração há anos,

-se CFA (Conselho Federal de

diante, os Administradores do país se

Em 50 anos evoluímos bastante, mas ainda temos muitas conquistas pela frente. Para alcançá-las, participe conosco desta história. Somente com sua presença e atuação seremos capazes de transformar recursos e competências em resultados para a sociedade.

Fazemos um chamado especial à sociedade e aos profissionais de Administração, “vamos comemorar juntos as conquistas deste cinquentenário e, de coração aberto, unir forças para alcançarmos, por meio de ações conjuntas, o crescimento das organizações. Adm. José Célio Santos Lima Presidente do CRA-PA

sem considerados Órgãos Consultivos da Reforma Administrativa – ação

Essa mudança vinha sendo reivin-

que seria empreendida pelo Governo

dicada pela categoria, que entendia

Federal, à época.

Há 28 anos o CRA-PB dedica-se ao desenvolvimento de projetos para promoção da ciência da Administração, a valorização dos profissionais da Administração e das organizações registradas no órgão e Instituições de Educação Superior (IES). Parabéns, Sistema CFA/CRAs. Adm. Ednaldo Flor da Silva Presidente do CRA-PB

Diário Oficial com o decreto

SETEMBRO/OUTUBRO – 2015 | Nº 108

25


Capa

1985

1985

Constituição da Organização Latino-americana de Administração (OLA)

Conselho aderiu ao Protocolo dos Conselhos Federais Profissionais (Conselhão)

1986

Adm. Belmiro Siqueira então Vice-Presidente eleito, assume a presidência do CFA

jun.1986

Lei n.º 7.321 mudando a nomenclatura de "técnico de administração" para administrador

No final de novembro daquele ano, o universo da Administração nacional sofreu grande perda: falecia o professor e Adm. Belmiro Siqueira, Conselheiro federal e vice-presidente do CFA. Na ocasião, Belmiro estava a serviço da autarquia como presidente interino. Por força dos acontecimentos, o Adm. Luiz Carlos Nanan assumiu a presidência no mesmo dia. Passados os anos de chumbo no país e o conhecido “Milagre Econômico”, é chegada a hora de analisar o quociente oriundo da má administração ditatorial. Também chamada de “década perdida”, os anos 80 (e início dos 90) foram cruéis para a economia nacional. A taxa anual da inflação vinha numa assustadora crescente: 235,13%, em 1985; 415,87%, em 1987; chegando a 1782,85%, em 1989. Muitas medidas desesperadas foram adotadas pelo Governo Federal, tanto na gestão Sarney quanto na posterior, de Collor. Quem não se lembra do traumático “confisco das poupanças”? Até hoje, muita gente luta na

portância para o desenvolvimento, crescimento e valorização da profissão. O último ano da década de 1980 registrou mudanças que reconfiguraram o mundo em moldes muito próximos aos de hoje. George H. W. Bush (Bush pai) assumiu a Casa Branca;

justiça para reaver o dinheiro confiscado.

foi criado o World Wide Web (WWW); manifestações acon-

Apesar das intempéries econômicas, o Brasil continuava

Berlim; acabou a Guerra Fria; e a primeira eleição direta para

a se alegrar com a reconstrução da democracia. Em 1988, três anos após a convocação da Assembleia Constituinte, foi promulgada a nova Constituição brasileira. Enquanto isso, o Plenário do CFA deliberava a favor da homenagem post mortem ao Adm. Belmiro Siqueira, tornando-o patrono da Administração no Brasil. Ainda neste mesmo

26

Revistas RBA

teceram na Praça da Paz Celestial, na China; caiu o Muro de presidente no Brasil pós-ditadura foi realizada. O Sistema CFA/CRAs também se moldou, aproximando-se das características que tem hoje. Em 1989 foi realizado o primeiro Fórum Internacional de Administração (FIA), em Porto Alegre. Atualmente, esse é o maior evento dedicado à categoria no mundo. No mês de dezembro, entrou em circulação a

ano, o Conselho institui o Prêmio Belmiro Siqueira de

primeira edição da publicação que se tornaria referência na

Administração, vigente até a atualidade e de grande im-

área, a Revista Brasileira de Administração (RBA).

RBA | REVISTA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO


nov.1986

Faleceu o Adm. Belmiro Siqueira e Adm. Luiz Carlos Nanan assume a presidência do CFA

1987

1988

Adm. Heroni de Assunção é o 3º presidente eleito do CFA

Adm. Marco Antonio de Brito assume a presidência do CFA

1989

1ª Edição da Revista Brasileira de Administração (RBA) Queda do Muro de Berlim Primeira eleição direta para Presidente no Brasil

Há quase 26 anos e 107 edições, surgia o periódico que você

Após atualizar o código de ética, em 1992, e parti-

conserva sempre à mão. Mas esta não foi a primeira publi-

cipar da Comissão de Especialistas do Ensino de

cação impressa do CFA. Antes da RBA, existia a Revista

Administração do MEC, em 1993, o CFA realizou o

Administrando. O impresso trimestral da autarquia teve

1º Seminário Nacional sobre Avaliação e Qualidade

sua primeira edição expedida em dezembro de 1980, publi-

dos Cursos de Administração, em 1994, sob a égide

cando sua 27ª e última edição sete anos depois. A Revista

do novo presidente da autarquia, Adm. Rui Otávio

Administrando pode ser considerada um ensaio para a RBA,

Bernardes de Andrade. Nesse mesmo ano, a autarquia

publicação que hoje se consolida com a tiragem de 120 mil

desenvolve a pesquisa Perfil do Administrador, hoje

exemplares por edição. Quando o periódico foi extinto, quem

em sua sexta edição. Paralelamente, no velho mundo,

ocupava a cadeira da presidência da autarquia era o Adm.

foi criada a União Europeia; Mandela tornou-se pre-

Heroni de Assunção Jacques, terceiro no cargo. A RBA surgiu

sidente da África do Sul; Collor sofreu impeachment e

na gestão do Adm. Marco Antônio de Brito Carvalho, à frente

renunciou à presidência; surge o Plano Real; a Seleção

do Conselho entre os anos de 1988 e 1990.

Brasileira conquista o seu quarto mundial; e come-

Começou a década de 1990 e enquanto Nelson Mandela foi

çam as operações comerciais da internet

libertado após 27 anos de prisão, a Alemanha foi reunificada e Fernando Collor assumiu a Presidência da República; o CFA empossou seu quinto presidente eleito, Adm. Duran Leão Duarte. A gestão de Duran foi curta, encerrando-se em janeiro de 1991. A cadeira de presidente foi passada, então, por voto, para o Adm. Gilmar Camargo de Almeida. Almeida viu

no país. Em 1995, o Sistema CFA/ CRAs comemora seu trigésimo aniversário com muita experiência adquirida e, por conseguinte, muitas responsabilidades.

surgir, em seu primeiro ano de gestão, a Associação Nacional dos Cursos de Graduação em Administração (ANGRAD) e firmou parceria com a instituição mantida até os dias de hoje. Naquele ano, outra instituição recém-nascida chamava a atenção da América, o Mercosul. Já o mundo tinha sua atenção voltada para uma morte, a da União Soviética, exterminando os resquícios da Guerra Fria.

SETEMBRO/OUTUBRO – 2015 | Nº 108

27


Capa

1990

1990

Surgiu a Associação Nacional dos Cursos de Graduação em Administração (ANGRAD)

Nelson Mandela foi libertado após 27 anos da prisão

Adm. Gilmar Camargo assume a presidência do CFA

Nelson mandela torna-se Presidente da África do Sul

Fernando Collor assumiu a presidência da República

Surgimento do Mercosul, e término da União Soviética

Fernando Collor sofre impeachment e surge Plano Real

QUARTA década

5º Presidente eleito, Adm. Duaran Leão, tome posse no CFA

1992

Já com 30 anos em atividade, o CFA

do Planalto se deparou com a ira do

nova versão do sistema operacional

tem imagem consolidada no merca-

Movimento dos Trabalhadores Rurais

da Microsoft, o Windows 98; e com o

do brasileiro. Em 1995, ano em que

Sem Terra (MST): 40 mil membros do

surgimento do Google.

Fernando Henrique Cardoso (FHC)

movimento ocuparam as ruas da ca-

ocupou o Palácio do Planalto, foi criada a Federação dos Estudantes de Administração (Fenead). Nos anos seguintes – de 1995 até 2000 –, o Sistema CFA/CRAs conquistou espaços no exterior, principalmente nos continentes ibero-americanos, e enfatizou-se como órgão defensor dos profissionais de Administração. Em 1997, a autarquia entrou de cabeça na Era da Informação e lançou seu primeiro site, fazendo da mídia eletrônica o principal meio de comunicação com o público e a imprensa. Justamente no ano em que o CFA se lançou no mundo digital, o Palácio

Nova Sede

28

1991

RBA | REVISTA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO

pital federal em protesto ao governo FHC e à pífia reforma agrária. Ainda naquele ano, o mundo parou por alguns instantes para acompanhar o funeral da Princesa Diana. Mais de 2,5 bilhões de pessoas, em frente às suas TVs, assistiram à última homenagem àquela que ficou conhecida como “a Princesa do Povo”, graças ao seu engajamento social.

No dia 17 de maio do último ano do segundo milênio, dois meses após o Papa João Paulo II pedir perdão pelos erros cometidos pela Igreja Católica no decorrer dos seus dois mil anos, o Conselho Federal de Administração instalou-se em sede definitiva. Começava ali uma nova era para a autarquia. Nos Estados Unidos, a novidade era o presidente eleito, George W. Bush (Bush filho).

De 1998 a 2000, o Conselho seguiu

Bush comemorava sua vitória, mas o

em suas atividades rotineiras e em-

que o futuro reservara ao seu primei-

pregou muita energia na construção

ro ano de governo refutava comemo-

da nova sede. Ao longo desses anos,

rações. Os Estados Unidos e o mun-

a evolução tecnológica digital teve

do sentiriam o peso da insanidade

continuidade com o lançamento do

fundamentalista e da intolerância

iMac, computador da Apple; com a

religiosa.


1993

1994

1995

1º Seminário Nacional sobre Avaliação e Qualidade dos Cursos de Administração

Presidência do CFA é assumida pelo Adm. Rui Otávio

Criada a Federação dos Estudantes de Administração (FENEAD)

A memória da Administração brasileira é a história de pessoas comprometidas que desenvolvem seus talentos, compartilham ideias, unem seus esforços e produzem novas realidades para empreender o futuro com vigor e criatividade. Adm. Gilberto Serpa Griebeler Presidente do CRA-PR

Em 2001, enfim, iniciou-se o terceiro

federal continuava evoluindo em suas

milênio. No vigésimo dia do século

atribuições e nesse ritmo aprovou o

21, Bush assumiu o poder da maior

novo Código de Ética Profissional do

potência mundial. No mesmo ano,

Administrador. Logo chegaria o mês

constituiu-se o Fórum Nacional de

de setembro, incomum na vida do

Ensino de Administração (Fonead).

Sistema e do mundo.

O seminário foi criado para discutir as políticas de ensino de Administração no país e a sua inter-relação com o exercício profissional, normatizado e fiscalizado pelo Sistema CFA/CRAs. No CFA foi lançado o Prêmio de Honra ao Mérito em Administração e o Boletim do Sistema CFA/CRAs, folhetim bimestral com informações conjuntas dos Conselhos Regionais de Administração.

Os colaboradores do Conselho Federal de Administração chegavam para mais um dia de trabalho – era terça-feira. Ao mesmo tempo, nos Estados Unidos, quatro voos comerciais decolavam de aeroportos distintos.

Neste ano em que se comemora o Jubileu de Ouro da profissão precisamos, enquanto sistema, apoiar e fortalecer os CRAs que são as peças fundamentais para o engrandecimento da profissão do Administrador. Adm. Robert Frederic Mocock Presidente do CRA-PE

Às 9h46 em Brasília – 8h46 em Nova York (NY) –, enquanto os funcionários do CFA cumpriam suas obrigações rotineiras, o voo 11 da America Airlines se chocava contra a torre norte do World Trade Center (WTC),

Contrariando o clima de novida-

na megalópole norte-americana. O

des e progresso do CFA, que ainda

cenário era aterrorizante, destroços e

em 2001 lançou a coletânea Lei de

corpos despencavam do alto do prédio

Responsabilidade Fiscal: uma abor-

em chamas. Os nova-iorquinos entra-

dagem gerencial, o Brasil lamentava

ram em choque, mas acreditavam em

a vida de 11 trabalhadores, vítimas

um trágico acidente. Em menos de 20

da explosão da plataforma P-36 da

minutos, enquanto os olhos do mundo

Petrobras, na Bacia de Campos. O infe-

viam pela TV a cobertura do “aciden-

liz incidente aconteceu em março da-

te”, outra aeronave era lançada contra

quele ano, mas não passou de um tro-

a torre sul do WTC. Atestada a inviabi-

peço perto do que o mundo presencia-

lidade de uma macabra coincidência, a

ria dali a seis meses. Ainda em março,

hipótese de acidente foi refutada, dan-

no penúltimo dia do mês, a autarquia

do lugar ao alerta de guerra.

A excelência das ações do Sistema CFA/ CRAs, somada ao lastro intelectual e talento dos Administradores brasileiros, fez com que a ciência da Administração tivesse maior destaque que qualquer outra no país, nestes 50 anos. Parabéns à nossa classe! Adm. Pedro Alencar Carvalho Silva Presidente do CRA-PI

SETEMBRO/OUTUBRO – 2015 | Nº 108

29


Capa

1997

1º Site é lançado

1998

2001

Primeiro iMac lançado e surge o Google

O Brasil lamenta a vida de 11 trabalhadores da Plataforma P-36 da Petrobrras

40 mil membros do MST invadem o Palácio do Planalto em protesto ao FHC

Constituiu o Fórum Nacional de Ensino de Administração (Fonead)

Ainda na mesma manhã, outro

maior evento acadêmico da área

de realizar estudos visando consoli-

avião foi jogado contra o Pentágono

de Administração: o XIII Encontro

dar os parâmetros já existentes para

(Departamento de Defesa dos Estados

Nacional dos Cursos de Graduação

a autorização e o reconhecimento de

Unidos), 34 minutos após a segunda

em

Naquele ano, o encontro recebeu

novos cursos de Administração no

colisão em Nova York. A quarta aeronave, voo 93 da United Airlines, caiu

mais de 700 participantes. Dois me-

em uma zona rural da Pensilvânia,

ses antes do início do encontro rea-

26 minutos após o ataque à sede da

lizado no Rio de Janeiro, nos quatro

Defesa da maior potência mundial.

cantos do país o povo soltava o grito

Não havia como cogitar outra cau-

de “pentacampeão”. A seleção brasi-

sa que não um atentado terrorista.

leira de futebol havia conquistado o

Com o saldo de 2.977 mortos e um

seu quinto mundial. No fim do ano, um

trauma incalculável na população

fato inédito. Frente à crise econômi-

estadunidense (e mundial), o ataque

ca de 2002 e o descrédito do governo

foi uma catástrofe no primeiro ano de

FHC naquele momento, o ex-metalúr-

po da Administração e Organização

governo do presidente Bush. O episó-

gico Luiz Inácio Lula da Silva venceu

constitui atividade profissional do

dio desencadeou a Guerra ao Terror

as eleições com mais de 53 milhões

Administrador”.

e uma caçada ao líder da Al-Qaeda

de votos. O fato foi noticiado pela im-

(grupo terrorista responsável pelos

prensa de todo o mundo.

ataques), Osama Bin Laden, que du-

No dia 1º de janeiro de 2003,

raria dez anos. Chegou ao fim o ano de 2001, mas os resquícios do atentado terrorista nunca desapareceram. O atentado regeu a reformulação de normas de segurança em vários países ao redor do mundo.

30

jan.2001

Administração

(Enangrad).

Lula assumiu a presidência da República. A cerimônia de posse foi um grande acontecimento no país e lotou a Esplanada dos Ministérios, em Brasília. Em 2004, o mi-

O ano de 2002 começou e os brasi-

nistro Tarso Genro assinou

leiros se animaram para mais uma

a portaria instituindo um gru-

Copa do Mundo de Futebol. Já o CFA,

po de estudos entre o Ministério

honrando sua parceria com a Angrad,

da Educação e o Conselho Federal

se preparava para a realização do

de Administração, com a finalidade

RBA | REVISTA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO

Brasil. Este grupo de trabalho ainda está em atividade e é composto por representantes da SESU e da Angrad, além do MEC e do CFA, obviamente. O Conselho Federal encerrou sua quarta década editando resoluções normativas para retirar uma das determinações na Lei de 1965 que dizia: “O magistério de matérias técnicas do cam-


2001

2002

Lançamento coletânea Lei de Responsabilidade Fiscal: uma abordagem gerencial

Realização do evento com a Angrad: XIII Encontro Nacional dos Cursos de Graduação em Administração (Enangrad)

QUINTA década

O voo da American Airlanes se chocava contra a Torre Norte do World Trade Center

2003 Lula assumiu a presidência da República

2005 Roberto Jefferson falou ao Jornal Folha de São Paulo sobre o esquema do "Mensalão"

QUINTA DÉCADA E A CHEGADA DO JUBILEU DE OURO DA PROFISSÃO Já se passara 40 anos desde a assinatura do presi-

Nos anos seguintes ao Mensalão, o CFA entrou num

dente Castelo Branco sancionando a Lei 4.769/65.

ritmo acelerado de trabalho, empreendendo ações

Muita coisa havia sido realizada pelo Sistema

para criação de cargos e divulgação de oportunidades

CFA/CRAs em prol da Administração. Foi no ano

nas instituições públicas, empresas privadas, etc. Já

do quarentenário do Conselho que o mundo viu

os CRAs desenvolveram parcerias e ferramentas de

George W. Bush tomar posse do seu segundo man-

apoio, regionais, aos profissionais de Administração

dato, dando continuidade à Guerra ao Terror com

e reforçaram as fiscalizações. Ao longo desse proces-

tropas no Afeganistão à caça de Bin Laden, e, ini-

so, a gestão da autarquia mudou outra vez. Findado o

cialmente de maneira velada, no Iraque, a fim de derrubar o ditador Saddam Hussein. Do Vaticano para o mundo, era noticiada a morte do Papa João Paulo II, um dos mais longos pontificados da Igreja Católica até hoje. Dias depois, a Santa Sé escolhia seu novo líder, o cardeal Joseph Ratzinger, que, desde então, passou a se chamar Bento XVI. Naquele ano, o Brasil se escandalizaria com a delação do maior esquema de corrupção já noticiado no país até então. No dia 6 de junho, o deputado Roberto Jefferson falou ao jornal Folha de São Paulo explanando o esquema que passou a ser conhecido como Mensalão. Como saldo das investigações e processos, foram condenados políticos, parlamentares, empresários e doleiros. Sediado a menos de um quilômetro do Congresso Nacional, o CFA assistia à crise política com uma certeza: “Uma Administração pública profissionalizada

mandato do Adm. Rui Otávio, em 2007, quem assumia a presidência do Conselho Federal de Administração era o presidente eleito, Adm. Roberto Carvalho Cardoso. A visão empreendedora e objetiva do novo presidente levou a instituição a conquistar maior espaço e relevância no cenário nacional. Roberto Cardoso deixaria o seu legado, a começar pelo primeiro Planejamento Estratégico do Sistema CFA/CRAs. Ainda no ano da sua chegada à autoridade maior do Sistema, Roberto Cardoso cuidou de evidenciar a qualidade dos serviços realizados pelo CFA, conquistando a Certificação ABNT NBR ISO 9001. Com a Certificação, a política de qualidade do Conselho ficou definida da seguinte forma: “Assegurar a atuação plena dos profissionais de Administração, melhorando continuamente as ações voltadas para a promoção da ciência da Administração e o atendimento aos requisitos das partes interessadas”.

poderia evitar muitas inconformidades e improbidades nos governos”.

SETEMBRO/OUTUBRO – 2015 | Nº 108

31


Capa

2007

2008

2009

8º presidente eleito do CFA assume a presidência, Adm. Roberto Carvalho Cardoso

CFA obtém a Certificação ABNT NBR ISO 9001

CFA recebe delegação de Chineses em sua Sede

Apple lança iPhone e Google lança Google Street View

À medida que o Sistema CFA/CRAs

Em 2009, ano em que Barack Obama

caminhava com firmeza e determi-

tomou posse da presidência dos

nação, a história se fazia nos quatro

Estados Unidos, o CFA recebeu

cantos do mundo. No campo da tec-

uma ilustre visita. Roberto Carvalho

nologia, o norte-americano Mark

Cardoso fez a vez de cicerone para

Zuckerberg, com auxílio do brasileiro

uma delegação chinesa interessa-

Eduardo Severin, lançou a rede social

da em conhecer a estrutura de um

Facebook; a Apple lançou o iPhone; e

Conselho Profissional e o cenário da

o Google estreou seu Google Street

profissão no país. Compondo a dele-

View; surgiu também o microblog

gação estavam secretários de Estado

Twitter; e no Brasil começaram as

de Recursos Humanos das províncias

transmissões da televisão digital.

chinesas, economistas, inspetores e

Por fim, a crise na Bolsa de Valores

diretores administrativos do governo

de Xangai, na China, abalou as bol-

chinês. Algum tempo depois da ilus-

sas de todo o mundo, configurando

tre visita oriental, entrou em vigor a

nova crise econômica mundial, a

Resolução Normativa CFA nº 374,

maior desde 1929.

aprovando o registro profissional nos

Em sintonia com os avanços tecnológicos do terceiro milênio, o Sistema CFA/CRAs implantou, em 2008, o processo eleitoral virtual. A adoção do sistema online de votação possibilitou maior clareza no processo e diminuiu as possibilidades de fraude eleitoral. O modelo adotado pela autarquia teve aprovação total do Superior Tribunal

32

Sistema CFA/CRAs implanta a sua 1ª votação online

CRAs dos diplomados em curso superior de Tecnologia em determinada área da Administração, oficial, oficializado ou reconhecido pelo MEC. Além disso, no mesmo ano, o Conselho realizou a primeira edição da Convenção do Sistema CFA/CRAs, para debate e troca de experiências entre os membros da autarquia.

Crise na Bolsa de Valores de Xangai, abalando bolsas de todo mundo

de Administração (RBA), comemorando 20 anos do periódico. Em 2010, a versão impressa da RBA foi revitalizada, com a implantação do novo projeto gráfico e editorial. Nesse ano, a publicação-chefe do CFA alcançou a marca de 115 mil exemplares, certificada pelo Instituto Verificador de Circulação (IVC). Os últimos dez anos foram realmente agitados e produtivos para o Sistema. A história também cumpriu seu papel, deixando fatos a serem lembrados pela posteridade. Indiscutivelmente marcante foi a morte do popstar Michael Jackson. Outra perda cultural inestimável aconteceu no universo da literatura, a morte do único português ganhador do Nobel de Literatura, José

Eleitoral. Seu sucesso foi tamanho

No embalo da modernização e avanço

Saramago. No que tange ao avanço

que despertou o interesse de diversas

da tecnologia, em 2009, o CFA pas-

da humanidade, a Nasa encontrou

instituições, entre elas, o Itamaraty e

sou a disponibilizar, em seu portal, a

água em estado sólido na superfície

Conselhos de outras áreas.

versão digital da Revista Brasileira

lunar. Enquanto isso, na América do

RBA | REVISTA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO


2009

out.2009

2010

Sistema CFA/CRAs inicia aprova o registro profissional dos Tecnólogos em Administração

Nasa encontra água em estado sólido na superfície lunar

Sistema CFA/CRAs chega a 26 estados da Federação e Distrito Federal RBA alcança a impressão de 115 mil exemplares

Barack Obama assumiu a presidência dos EUA

Sul, o Brasil explora o pré-sal pela

fazendo de Dilma Rousseff a primei-

Mello também ficou marcada pela

primeira vez; José Mujica torna-se

ra mulher à frente da Presidência do

aprovação do Guia de Orientação

presidente do Uruguai, promovendo

Brasil. Dilma também quebrou outra

Profissional do Tecnólogo em deter-

uma mudança social positiva ampla-

marca, dessa vez internacional, tor-

minada área da Administração. O pre-

mente noticiada ao redor do mundo;

nando-se a primeira mulher a realizar

sidente ainda esteve à frente da cria-

e a Argentina torna-se o primeiro

um discurso de abertura na assembleia

ção do Programa de Desenvolvimento

país latino-americano a aprovar o

geral da ONU, realizada naquele ano.

dos

casamento homossexual.

Uma marca menos louvável – na ver-

Administração (Proder), projeto que

Após

dade, lamentável – era o aniversário de

apoia os CRAs em seus processos de

10 anos dos ataques de 11 de setembro

desenvolvimento, oriundo do antigo

de 2001. Contudo, no dia 1º de maio, o

Programa de Apoio aos Conselhos

povo estadunidense lavaria sua alma

Regionais de Administração (Proar),

na busca por justiça (em alguns casos,

de 1999. Ainda nesse ano, a crise

a

criação

dos

Conselhos

Regionais de Administração do Acre, Amapá e Rondônia, em 2010 o Sistema CFA/CRAs chegou à sua maior marca: presença nos 26 Estados da federação e no Distrito Federal. A partir de então, os Conselhos Regionais não atendiam mais por região e sim por Estado. Esse foi também o último ano da gestão

vingança). Naquele dia, um esquadrão especial das forças norte-americanas localizou o líder da Al-Qaeda, Osama Bin Laden, invadiu seu esconderijo e,

do presidente Roberto, que, antes de

em meio ao confronto, matou o líder

passar o bastão da autarquia, lançou

terrorista. Depois disso, os Estados

o Prêmio Guerreiro Ramos e editou o

Unidos ainda declararam o fim da

livro "O Sistema CFA/CRAs no con-

Guerra do Iraque e a ONU anunciou

texto da Administração no Brasil",

que o planeta passou a contar com sete

homenageando os 45 anos do Sistema

bilhões de habitantes.

CFA/CRAs. Com o fim do mandato, o Adm. Roberto deixou a cadeira da presidência assumida pelo Adm. Sebastião Luiz de Mello, atual presidente do Conselho.

Conselhos

Regionais

de

econômica mundial se agravou, causando um boom de desemprego na Europa; Barack Obama foi reeleito; e no Brasil foi instituída a Comissão da Verdade para investigar crimes da ditadura militar.

No ano de 2012, enquanto o Facebook atingia um bilhão de membros cadastrados, o CFA instituía o Cadastro Nacional

dos

Profissionais

de

Administração e Pessoas Jurídicas

Assim como o CFA, em 2011 o Brasil

registradas no Sistema CFA/CRAs.

alternava a chefia da República,

O início da gestão do Adm. Sebastião

SETEMBRO/OUTUBRO – 2015 | Nº 108

33


Capa

2010

Argentina torna-se o primeiro país latino americana a aprovar o casamento homossexual

2011

2011

Adm. Sebastião Mello assume a presidência do CFA Dilma Roussef, a primeira mulher à frente da Presidência do Brasil

Em 2013, o CFA aprovou o seu novo regimento. Nesse ano, morreu o presidente vene-

Estados Unidos declara fim da Guerra do Iraque

2013

Presidente Hugo Chaves morre Papa Bento XVI renuncia o pontificado

No Brasil, o ano de 2013 foi bastante conturbado. Já no mês de janeiro, uma tragédia despertou comoção popular: o incêndio da boate Kiss,

zuelano Hugo Chávez – um dos mais

na cidade de Santa Maria, no Rio Grande do

polêmicos líderes da América Latina

Sul. No dia seguinte, os noticiários davam

– e Nicolás Maduro venceu as elei-

a conta de 242 mortos, quase todos jovens

ções presidenciais, mas enfrentou uma

com menos de 30 anos. Em abril, a primeira

grande crise política na Venezuela. E, no Vaticano, uma situação inusitada: o Papa Bento XVI renunciou ao pontificado e entrou para a história como o primeiro Papa a renunciar ao cargo, desde sua criação, há 1983 anos, com o Papa Pedro

grande manifestação contra o aumento das passagens foi promovida em Porto Alegre, seguida por várias outras ao longo do ano. Depois de os protestos ganharem força, milhares de manifestantes ocuparam a cúpula do

(pontífice do ano 30 até o ano 67 do calendário cristão).

Congresso Nacional, em Brasília.

Com a renúncia, o cardeal jesuíta argentino Jorge Mario

Por fim, no dia 13 de novembro,

Bergoglio – Papa Francisco – assumiu a liderança da

o corpo do ex-presidente João

Casa de Pedro e revolucionou a Igreja Católica ao adotar

Goulart foi exumado e levado à

uma postura humilde e progressista.

Brasília com honras militares.

Chegado o ano da Copa do Mundo no Brasil, com a pior e mais vexatória campanha da Seleção Brasileira, o CFA voltou a dar largos passos. Comemorando os 49 anos da profissão, o Sistema lançou a primeira web-rádio de um conselho profissional federal, a Rádio ADM. Confirmado o sucesso no empreendimento, hoje o veículo está próximo à marca dos 50 mil acessos. Foi também em 2014 que o CFA firmou o Acordo de Cooperação Técnica com a Secretaria da Micro e Pequena Empresa. A parceria objetiva a realização de ações destinadas à promoção e ao desenvolvimento das micro e pequenas empresas brasileiras. No final do ano, outro ineditismo promovido pelo Conselho: suas eleições foram transmitidas ao vivo pela Rádio ADM, permitindo que profissionais registrados acompanhassem as apurações e resultados de qualquer lugar do mundo. Além da Copa do Brasil, o ano de 2014 registrou outros fatos. Ainda no princípio do ano, um avião da Malaysia Airlins desapareceu com 239 passageiros e 22 tripulantes sem deixar pistas. O mundo também enfrentou grande perda na literatura, com a morte dos escritores Gael Garcia Márques, Ariano Suassuna, João Ubaldo Ribeiro, Rubens Alves e o poeta Manoel de Barros. O Brasil foi pego 34

RBA | REVISTA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO


2013

2014

CFA lança o seu novo portal www.cfa.org.br

Gabriel Medina torna-se o primeiro a conquistar o campeonato mundial de surf Dilma Roussef é reeleita a Presidência do Brasil

2014

CFA firma Acordo de Cooperação Técnica com a Secretaria da Micro e Pequena Empresa

2015

Começam as comemorações do Jubileu de Ouro da profissão

desprevenido com a morte do candidato à Presidência da

o fortalecimento da imagem e credibilidade da profissão

República Eduardo Campos. Contudo, a despedida do co-

perante a sociedade; além de outros. Em abril desse ano,

mediante Roberto Gómez Bolaños, criador do personagem

o órgão aprovou o Manual de Responsabilidade Técnica do

Chaves, fez chorar toda a América Latina. Aquém das mor-

Administrador e demais profissionais registrados nos CRAs;

tes, Gabriel Medina tornou-se, em dezembro de 2014, o pri-

e o Regulamento de Eventos apoiados pelo CFA.

meiro brasileiro a conquistar um campeonato mundial de surf. E, claro, foi nesse ano que aconteceu uma das disputas eleitorais mais acirradas do país, culminando na reeleição da presidente Dilma Rousseff. Presenciando outro grande escândalo de corrupção, o da Petrobras, o Sistema CFA/CRAs utilizou a edição nº 105 da RBA, segunda de 2015, para abordar o tema. Com a reportagem de capa intitulada Corrupção, o mal do Brasil, a revista abordou o assunto sob uma perspectiva histórica do problema. Além disso, os serviços de comunicação do Conselho foram ampliados. O novo portal do CFA, lançado em 2013, contabilizou mais de um milhão de acessos. Para integrar o conjunto multimídia da autarquia, foi lançado também o canal de web-tv CFATV, para divulgar ações do Sistema,

O futuro está nas mãos dos novos Administradores Desde o início de 2014, o Sistema CFA/CRAs tem trabalhado nas ações do Jubileu de Ouro da profissão. A ocasião, de fato, merece toda a pompa e será comemorada nas 27 capitais do país, afinal, meio século de história significa mais de 18 mil dias de trabalho direcionados a um único objetivo: construir um campo profissional sólido e indispensável à nação. Apesar de os anos passados terem construído o presente, são os anos futuros que guiarão a profissão em seu progresso e fortalecimento. Os novos Administradores são os grandes responsáveis por levar adiante a excelência da profissão, empregando seus conhecimentos no desenvolvimento equânime da sociedade brasileira.

além de levar informação com uma diversidade de vídeos coesos e objetivos. O CFATV também é utilizado para a transmissão ao vivo de eventos, entre eles a Plataforma do Conhecimento, um programa de capacitação profissional desenvolvido pelo CFA em parceria com os CRAs. A gestão do atual presidente também foi marcada por projetos

como:

Administrador

na Gestão Municipal, com o objetivo de promover a melhoria da qualidade e profissionalização da gestão pública; Certificação Profissional, visando inserir profissionais capacitados no mercado, contribuindo para

SETEMBRO/OUTUBRO – 2015 | Nº 108

35


Capa

NA VISÃO DOS DIRETORES DAS

CÂMARAS SETORIAIS DO CFA

As atividades desenvolvidas pelo Conselho Federal de Administração (CFA) são todas operadas por Câmaras Setoriais. Das Câmaras nascem os projetos que são executados e se tornam ações, impulsionando o campo profissional do Administrador no país. Sendo assim, ninguém melhor para falar sobre os 50 anos e o futuro da autarquia do que os líderes, os diretores das Câmaras.

ADM. SERGIO PEREIRA LOBO VICE-PRESIDENTE QUAIS AS ATIVIDADES E PROJETOS DESENVOLVIDOS PELA VICE-

QUAIS AS ATIVIDADES E PROJETOS DESENVOLVIDOS

PRESIDÊNCIA?

PELA CÂMARA DA QUAL O SENHOR É DIRETOR?

Cabe à Vice-Presidência, além da substituição circunstancial do presidente, coordenar as Comissões do Proder, Prêmio Belmiro Siqueira e Prêmio Guerreiro Ramos. Também coordena, juntamente com a Câmara de Administração e Finanças (CAF), a discussão anual do acordo coletivo e o plano de carreira dos

A CFR está desenvolvendo o programa de trabalho denominado “Ressignificação da Fiscalização no Âmbito do Sistema CFA/CRAs”, o qual visa ao provimento consciente e legal dos cargos e vagas de Administrador no mercado de trabalho. Para o biênio 2015/2016, está sendo desenvolvido o “Projeto CBA – Código Brasileiro de Administração”, objetivando esclarecer à sociedade o que faz o profissional de Administração em suas diversas frentes. Outro importante projeto é a capacitação a distância dos profissionais registrados nos CRAs, para atuarem como responsáveis técnicos por empresas prestadoras de serviços de Administração. Para tanto, a CFR lançará, em breve, por meio de convênio de cooperação com os CRAs já estruturados com plataforma de EaD, o Curso de Responsabilidade Técnica, com um rico conteúdo programático, incluindo matérias imprescindíveis para o exercício da função/cargo de responsável técnico. Outros cursos EAD serão programados e disponibilizados pela CFR, sempre utilizando a moderna tecnologia

colaboradores do CFA.

COMO O CFA PODE CONTRIBUIR PARA O DESENVOLVIMENTO DO PAÍS? O CFA deve participar de todas as discussões dos grandes temas/projetos brasileiros, emitindo pareceres e opiniões originadas da classe dos Administradores, como vem fazendo com bastante propriedade na atual gestão. Deve, também, colaborar com as instituições educacionais públicas e privadas para a busca do aprimoramento e melhor capacitação do Administrador, com a intenção de preservar o espaço que lhe é reservado legalmente.

36

ADM. JORGE HUMBERTO MOREIRA SAMPAIO– DIRETOR DA CÂMARA DE FISCALIZAÇÃO E REGISTRO (CFR)

RBA | REVISTA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO

como ferramenta de fiscalização da profissão de Administrador.

COMO O CFA PODE CONTRIBUIR PARA O DESENVOLVIMENTO DO PAÍS? O problema do Brasil é de gestão. O CFA contribuirá para o desenvolvimento do país colocando no mercado de trabalho, à disposição das empresas e órgãos públicos contratantes, Administradores profissionais competentes, éticos e capacitados para assumirem posições estratégicas nas diversas organizações públicas e privadas do país.


ADM. ARMANDO LÔBO PEREIRA GOMES – DIRETOR DA CÂMARA DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS (CAF) QUAIS AS ATIVIDADES E PROJETOS DESENVOLVIDOS PELA CÂMARA DA QUAL O SENHOR É DIRETOR?

ADM. MAURO KREUZ - DIRETOR DA CÂMARA DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL (CFP)

dos cursos de Administração junto à SERES/

QUAIS AS ATIVIDADES E PROJETOS DESENVOLVIDOS PELA CÂMARA DA QUAL O SENHOR É DIRETOR?

(vi) Prêmio Belmiro Siqueira de 2015, que

A

MEC, com mais de mil pareceres avaliativos já realizados; neste ano tem a inédita possibilidade de abordar dois temas. Um sobre “A logística

Profissional

como oportunidade de atuação profissional

tem se debruçado ativamente na con-

do Administrador” e “O impacto da logísti-

dução

ca para o desenvolvimento do Brasil”;

Câmara das

de

Formação seguintes

atividades:

(i) 6ª edição da Pesquisa Nacional Perfil,

(vii) Participação na Comissão do INEP/MEC

Formação, Atuação e Oportunidades de

para a capacitação dos avaliadores do Basis

Trabalho do Profissional de Administração; (ii)

Certificação

Profissional

em

Administração, com a realização das modalidades por experiência e por prova em

em Administração, nas avaliações in loco; (viii)

Cooperação

com

as

Comissões

Permanentes de Planejamento Estratégico e de Mediação e Arbitragem;

A CAF dá suporte a todas as ações desen-

Recursos Humanos, e da ampliação para

volvidas pelo CFA, zelando pela aplicação

outras áreas da atuação do profissional de

(ix) Cooperação com a Câmara de Estudos e

adequada dos recursos da autarquia.

Administração, bem como do projeto piloto

Projetos Estratégicos;

Anualmente, a Câmara realiza o Encontro

de inclusão das entidades representativas do

(x) Desenvolvimento do projeto piloto

mercado nos Estados da Bahia, São Paulo e

“Acompanhamento e perfil dos egressos

Paraná;

dos cursos de Administração”.

um sustentável aprimoramento dos instru-

(iii) Programa de Capacitação e Formação

mentos de gestão e controle do Sistema

de Multiplicadores de Conhecimento em

CFA/CRAs.

Micro e Pequenas Empresas. Estão sen-

COMO O CFA PODE CONTRIBUIR PARA O DESENVOLVIMENTO DO PAÍS?

dos Responsáveis pelas Áreas Administrativa, Financeira e Contábil dos CRAs, que reflete

COMO O CFA PODE CONTRIBUIR

do capacitados, na fase inicial em 2015, 275 Administradores, em cinco Conselhos

Além de todas as atividades que vem de-

Regionais. Para o ano de 2016, serão mais

senvolvendo, entendo que o CFA poderia

605 Administradores, em 11 Conselhos

ser mais proativo em temas nacionais que

Regionais, e em 2017, mais 605, nos demais

envolvam a administração pública e privada,

Conselhos Regionais, totalizando 1.485

com posicionamentos firmes, claros, coe-

Administradores capacitados;

rentes, consistentes e com embasamento

progresso no país. Deve, também, atuar

(iv) Realização do Ciclo de Palestras do

técnico e conceitual adequados, para res-

junto às instituições de ensino superior, aos

Sistema CFA/CRAs 2015, tendo como te-

paldar suas manifestações, mostrando para

mática central “O ENADE e as implicações

a sociedade brasileira as suas convicções e a

sobre os cursos de Administração”. O Ciclo

sua capacidade de se posicionar adequada-

de Palestras de 2015 teve a adesão de to-

mente. Adicionalmente, entendo que o CFA

dos os CRAs, com exceção do CRA de Santa

deveria refletir sobre temas estratégicos e de

Catarina, e já foi realizado em 11 Estados;

vanguarda do País. Somente assim podere-

(v) Avaliação das autorizações, reconheci-

mos ser protagonistas efetivos para o desen-

mentos e renovação de reconhecimentos

volvimento do País.

PARA O DESENVOLVIMENTO DO PAÍS? O CFA deve atuar como indutor e catalizador das demandas da profissão, aplicando o nosso conhecimento científico para o

órgãos governamentais, terceiro setor e instâncias representativas dos setores empresariais, possibilitando que o papel do profissional de Administração se consolide no contexto das organizações por sua contribuição significativa para o desenvolvimento econômico e social.

SETEMBRO/OUTUBRO – 2015 | Nº 108

37


Capa

ADM. CARLOS ALBERTO FERREIRA JÚNIOR - DIRETOR DA CÂMARA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL (CDI)

ADM. MARCOS CLAY LUCIO DA SILVA - DIRETOR DA CÂMARA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS E EVENTOS (CRIE)

QUAIS AS ATIVIDADES E PROJETOS DESENVOLVIDOS PELA CÂMARA DA QUAL O SENHOR É DIRETOR?

QUAIS AS ATIVIDADES E PROJETOS DESENVOLVIDOS PELA CÂMARA DA QUAL O SENHOR É DIRETOR?

A CDI é responsável pela comunicação organizacio-

A câmara é responsável pelos procedimentos: aprovação e repasse dos recursos, divulgação e análise de prestações de contas dos congressos, convenções, encontros, simpósios, fóruns e seminários apoiados ou realizados pelos CRAs.

nal, marketing, publicidade e assessoria de imprensa do Conselho Federal de Administração. Os projetos e ações mais importantes desenvolvidos pela CDI são: a web-rádio, Rádio ADM; o CFATV, canal de TV web; Plataforma do Conhecimento, transmissão de eventos de capacitação ao vivo; ações digitais – desenvolvimento de site padrão e produção de campanhas/peças publicitárias para os CRAs; e a melhoria da RBA, principal publicação da área no país.

COMO O CFA PODE CONTRIBUIR PARA O DESENVOLVIMENTO DO PAÍS? Há 50 anos o Sistema CFA/CRAs tem disponibilizado ao mercado profissionais habilitados e capazes de fazer o país crescer. No Brasil imperam o amadorismo e o jeitinho, frutos da ocupação dos principais postos administrativos do país por leigos que se apresentam como “Administradores”, sem nunca terem, sequer, estudado Administração. Quem realmente pode garantir que tudo funcione bem é o profissional de Administração registrado. Por meio da sua grande estrutura de comunicação, o CFA já interage com profissionais, organizações e a sociedade em geral. Agora, estamos avançando no relacionamento mais efetivo com a mídia, trabalhando o posicionamento do Sistema em questões nacionais e locais. A luta por um país mais bem administrado não pode ser somente do Sistema CFA/CRAs e de seus profissionais; deve ser de todos, afinal, ao Brasil e aos seus cidadãos interessa o sucesso desta nação. Todas as organizações e outras profissões precisam da Administração e dos Administradores para prosperar. Com as peças adequadas nos lugares certos, o país crescerá sem grandes entraves.

38

RBA | REVISTA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO

Também é de responsabilidade da CRIE o acompanhamento dos eventos já consolidados no sistema: o Encontro Brasileiro de Administração (ENBRA), o Fórum Internacional de Administração (FIA), o Encontro Nacional dos Cursos de Graduação em Administração (ENANGRAD) e o Congresso de Gestão Pública (CONGESP). Desenvolvemos trabalhos junto aos países do Mercosul visando à integração destes com a aceitação do Administrador nas nações que compõem o bloco. Em parceria com a OIT, CRA-RS, CRA-RJ e ONUBR (ONU Brasil), desenvolvemos o Curso de Capacitação e Formação de Multiplicadores para a promoção do Trabalho Decente e Responsabilidade Social.

COMO O CFA PODE CONTRIBUIR PARA O DESENVOLVIMENTO DO PAÍS? Estamos desenvolvendo atividades referentes a assuntos na área de Responsabilidade Social, Igualdade de Gêneros, Inclusão Social e Sustentabilidade. Buscando incentivar a melhoria contínua nos ambientes de trabalho com a contribuição dos Administradores. Dessa forma o CFA procura contribuir com o desenvolvimento do país nas discussões dos temas de interesse da sociedade.


ADM. IONE MACÊDO DE MEDEIROS SALEM DIRETORA DA CÂMARA DE GESTÃO PÚBLICA (CGP)

da cultura brasileira, evitando a indiscriminada aplicação de

QUAIS AS ATIVIDADES E PROJETOS DESENVOLVIDOS PELA CÂMARA DA QUAL A SENHORA É DIRETORA?

COMO O CFA PODE CONTRIBUIR PARA O DESENVOLVIMENTO DO PAÍS?

A CGP possui três projetos em execução: o Administrador na

Há uma frase do guru da Administração, Peter Drucker, que

Gestão Municipal, o Pacto pela Boa Governança Pública e o

já sintetiza tudo: “Não existem países subdesenvolvidos.

Prêmio Guerreiro Ramos de Gestão Pública. O Administrador

Existem países subadministrados”. A primeira contribuição

na Gestão Municipal visa inserir Administradores na gestão pública. Já o Projeto Pacto pela Boa Governança visa capacitar Administradores e sensibilizar gestores públicos a implantar a governança pública profissional. O Prêmio Guerreiro Ramos de Gestão Pública possui duas modalidades: a de Gestor Público e a de Pesquisador

“teorias enlatadas” nas organizações, em prejuízo da sociedade brasileira.

do CFA é fortalecer o profissional de Administração para que ele seja referência em gestão. O CFA está realizando várias parcerias, como é o caso da própria CGP, que tem mobilizado os CRAs para atuarem em seus Estados na aplicação de boas práticas de gestão pú-

Guerreiro Ramos. O objetivo do prêmio é valorizar a visão

blica. O Conselho é a referência nacional em gestão e deve

multicêntrica; a amplitude da visão de mercado e sociedade;

exercer esse papel de forma contínua, por meio de pronun-

o homem parentético, que detém uma consciência crítica da

ciamentos e debates sobre os assuntos que se reportem à

realidade, valores éticos, coletividade social, se contrapondo

gestão das organizações brasileiras, que são propulsoras do

ao homem operacional e reativo; a ecologia; a valorização

desenvolvimento.

ADM. ALAÉRCIO SOARES MARTINS DIRETOR DA CÂMARA DE ESTUDOS E PROJETOS ESTRATÉGICOS (CEPE)

COMO O CFA PODE CONTRIBUIR PARA O

QUAIS AS ATIVIDADES E PROJETOS DESENVOLVIDOS PELA CÂMARA DA QUAL O SENHOR É DIRETOR?

O CFA tem um papel preponderante na construção da qua-

A CEPE tem desenvolvido as seguintes atividades: Plano de

visão sistêmica e agilidade suficiente para formular soluções

Sustentabilidade; Comunidade On-line; Portal de Empregos;

rápidas. Desde o recrutamento e seleção, descentralização ou

Plugado no Futuro; Organização Ibero-Americana; Plenárias Itinerantes; Temas de Vanguarda em Concertação e

DESENVOLVIMENTO DO PAÍS?

lidade de ensino da profissão do Administrador. Os novos padrões do mundo globalizado exigem do profissional uma

centralização à gestão de novos conflitos, ele precisa estar

Debate; Plataforma do Conhecimento Científico; Centro de

ciente de sua importância nas tomadas de decisões, a fim de

Excelência; e a Hora Análise Técnica.

tornar seu papel de Administrador mais evidente.

SETEMBRO/OUTUBRO – 2015 | Nº 108

39


Capa

PROFISSIONAIS QUE CONTRIBUEM PARA O

DESENVOLVIMENTO DA ADMINISTRAÇÃO cionais que reduziram o número de níveis hierárquicos e boa parte das tarefas de supervisão e controle passaram a ser desempenhadas por programas e métricas, possíveis com o desenvolvimento da mi-

CARLOS OSMAR BERTERO DOUTOR PELA CORNELL

prego vitalício ou de longa duração eram possíveis porque havia um número suficientemente elevado de níveis hierárquicos

FGV E MEMBRO DO CONSELHO

por onde os Administradores iam ascendendo. Atualmente, isso desapareceu em boa medida e a quantidade relativa de Administradores certamente se reduziu.

RBA: O Sistema CFA/CRAs está com-

Vivemos um momento nacional em que

pletando 50 anos. Como o campo pro-

parece haver maior rigor investigativo de

Não há outro remédio para o Administrador

fissional da Administração evoluiu

corrupção. Suspeitas são levantadas em

a não ser ter que enfrentar um mercado

após a regulamentação?

assuntos

administrativos,

mais competitivo, em que um número

como governança corporativa, compras,

maior de profissionais se candidata às

licitações, provimento de cargos etc.

vagas existentes. Vários fatores podem in-

Vemos que advogados são indagados, se

fluenciar, como um currículo que ateste o

pronunciam sobre a matéria, mas há um

desempenho passado, a formação escolar

silêncio de Administradores. Em síntese,

e a rede de relações sociais e profissionais.

nossa profissão ainda carece de maior

Não há outra saída a não ser a busca cons-

carga de legitimidade.

tante do aprimoramento profissional.

Carlos Osmar: Não há dúvida de que muitas transformações ocorreram nos últimos 50 anos, mas em termos de profissionalização do Administrador ainda há um longo caminho a percorrer. A proposta de um profissional de Administração seja de empresas, seja da área pública, não se origi-

Imagens Divulgação

As carreiras tradicionais apoiadas no em-

UNIVERSITY, PROFESSOR DA EDITORIAL DA RBA

40

croinformática.

tipicamente

RBA: A regulamentação da pro-

nou em nosso país. Na Europa surgiram as

RBA: A crise nacional tem afetado di-

primeiras carreiras de Administração pública

versas empresas. De que forma a situ-

e dos Estados Unidos vieram as ideias e pro-

ação afeta o campo dos profissionais

postas para o profissional de Administração

de Administração? Como enfrentar

de empresas ou de negócios.

este momento difícil?

De que forma?

Como profissão, temos que reconhecer

CO: A crise econômica que vivemos afe-

CO: A regulamentação das profissões é um

que ainda estamos distantes das tradi-

ta a vida profissional de Administradores

movimento típico de nosso país, onde as di-

cionais como: Contabilidade, Engenharia,

com a redução da oferta de empregos

versas profissões, ao serem regulamentadas

Direito e Medicina. Quando se levanta um

e mais cruelmente com a eliminação de

por lei, buscam espaço garantido no mer-

problema de saúde o médico é visto como

muitas vagas por força de uma recessão

cado de trabalho. Isso acontece com profis-

o legítimo interlocutor. O mesmo aconte-

econômica. Mas a situação não é abso-

sões tradicionais, todavia, não é o caso da

ce com Engenharia e Direito. Quando se

lutamente nova. Os desenvolvimentos

nossa profissão. Nada impede legalmente

fala em Administração, curiosamente,

tecnológicos reduziram drasticamente o

que o Conselho de Administração de uma

em nosso país, procuram profissionais de

número de Administradores que havia

sociedade anônima ou os proprietários de

diversas áreas, não necessariamente um

nas empresas a partir da década de 1980.

uma sociedade limitada contratem diretores

Administrador.

Empresas adotaram formatos organiza-

para gerir a empresa sem qualquer exigên-

RBA | REVISTA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO

fissão e a criação do Sistema CFA/ CRAs foram benéficas para o ensino da Administração no Brasil?


cia legal de formação escolar ou titulação. De qualquer maneira, a regulamentação da profissão incrementou e muito a abertura de cursos de graduação e pós-graduação. O lado mais ambíguo dessa expansão é que chegamos a um número de cursos de graduação que compromete o próprio perfil da profissão. Não se pode conceber que mais de 2.500 cursos de graduação estejam a formar pessoas que exerceriam de fato atividades profissionais de Administrador. Isso

Sob pena de parecer irreverente, não considero a Administração uma ciência e não acredito que venha a ser no futuro. Administração é, antes de tudo, uma prática e, para ser eficaz, faz uso de intuições,

experiências,

aprendizado

e

também de alguma ciência. Mas o cerne da Administração é ser um conjunto de práticas. Portanto, espero que no futumanter

uma

permanente

disponibili-

dade para aprender.

tornasse, em grande medida, de formação

RBA: Que mensagem o senhor deixa

zante. Não se trata de mentalidade elitista, mas simplesmente lidar com a aritmética e verificar a impossibilidade de se empregarem anualmente centenas de milhares de Administradores que se graduam. Em nenhum país do mundo isso seria possível, por mais gigantesco e desenvolvido que fosse.

para os profissionais e estudantes de Administração neste momento comemorativo? CO: O momento brasileiro é hoje de depressão, desânimo, descrença no país e revolta contra as encruzilhadas de nossa política. Muitos jovens falam em emigrar. Mas convido os colegas Administradores

RBA: Em 50 anos, muita coisa mudou

a pensarem administrativamente o nosso

no exercício da Administração no

país. Não há dúvida de que somos um

país. Quais as suas perspectivas de fu-

país mal administrado. Isso é verdade para

turo em relação a profissão e a Ciência

qualquer lado que se olhe.

da Administração?

septuagésimo lugar no mundo e nossa

volvimento tecnológico reduziu em termos

mão de obra é vista como particularmen-

relativos o número de administradores.

te baixa neste quesito. A Administração

Acredito que esta tendência continuará e

pública, em seus vários níveis, deixa muito

atividades que hoje demandam adminis-

a desejar. Não logramos ainda criar uma

tradores serão substituídos por programas,

mentalidade de serviço público, mas nos

softwares e métricas. Essas mudanças atin-

acomodamos a um Estado ineficaz, custo-

gem especificamente os administradores

so e que ainda está distante da modernida-

de base (chão de fábrica) e de nível médio.

de. É patrimonialista em vários aspectos e

e continuará a ter importância crescente

Um marco para nossa profissão, celebrar os 50 anos, tanto histórico como de transformações futuras. Ainda é uma profissão muito jovem e devemos valorizar esta conquista. Temos que ter orgulho de dizer que somos Administradores. Adm. Kate Cunha Maciel Presidente do CRA-RN

Em produtividade estamos ao redor do

CO: Como disse anteriormente o desen-

A profissão de administrador se manterá

Adm. Wagner Siqueira Presidente do CRA-RJ

ro essa prática se aprimore e isso implica

fez com que o curso de Administração se geral, com reduzido conteúdo profissionali-

Nestes 50 anos, sofremos vitórias, derrotas, conquistas e insucessos. Por isso, é vital olharmos para trás a fim de seguir em frente e percebermos que a Administração só se torna forte com o esforço de cada um em seu posto de trabalho.

pouco propenso a se tornar um prestador de serviços à sociedade e aos cidadãos.

para os níveis mais elevados da organiza-

Por isso, minha mensagem é de que pas-

ção. Isto implica em que os administra-

sem a ver a precariedade com que admi-

dores deverão estar cada vez mais prepa-

nistramos organizações de todos os tipos

rados para desenvolver uma perspectiva

e nos diversos setores da sociedade, e

estratégica dos negócios e não se limitar

nos disponhamos a contribuir com nos-

ao aprendizado e desempenho de funções

sas competências profissionais para que o

operacionais que tenderão a ser realizadas

nosso presente seja no futuro uma página

por procedimentos tecnológicos.

virada de um passado remoto.

A globalização e o desenvolvimento tecnológico pautam os próximos 50 anos da Administração e, por isso, é honra de repensarmos as nossas estruturas administrativas. É preciso recapitular o passado para que possamos crescer e vislumbrar o futuro. Adm. Valter Luiz de Lemos Presidente do CRA-RS

SETEMBRO/OUTUBRO – 2015 | Nº 108

41


Capa

MILTON MIRA DE ASSUMPÇÃO FILHO PRESIDENTE DA M.BOOKS E MEMBRO DO CONSELHO EDITORIAL DA RBA

RBA: Quais conquistas o ensino da Administração obteve ao longo desses 50 anos de regulamentação? Milton Mira: Estes 50 anos foram de muitas conquistas. Em primeiro lugar, o reconhecimento da profissão foi um marco importante e significativo. Também houve aumento significativo na implantação de cursos de Administração

Não tenho dúvidas em afirmar que temos uma das mais fartas bibliografias em Administração de todo mundo."

no país, a criação dos Conselhos Federal e Regionais de Administração, oferecendo suporte e fiscalizando a implantação da profissão nas empresas, além da valorização da profissão de Administrador. RBA: A literatura nacional destinada à Ciência da Administração é satisfatória? De que forma contribui na formação de novos profissionais?

os profissionais de Administração retraiu-se diante da crise enfrentada pelo país nos últimos tempos? MM: Como todas as outras profissões, a situação econômica tem afetado os níveis de empregos de Administradores.

governamental e a necessidade de uma melhor organização e transparência na inciativa privada. O que precisa são reconhecimentos e oportunidades. RBA: Que mensagem o senhor deixa para o público da Administração no país nesta data comemorativa do

MM: Acredito que sim. Temos ótimos

Por outro lado, a situação econômica

Sistema CFA/CRAs?

livros de formação acadêmica, como os

requer um acompanhamento muito

MM: Em primeiro lugar, quero parabe-

livros do Adm. Idalberto Chiavenato,

mais rigoroso e transparente das em-

nizar a todos que contribuíram para a

pioneiro da área. Temos também outros

presas, que faz com que a função do

implantação e o desenvolvimento da

bons autores de livros de Introdução

Administrador seja mais valorizada.

profissão de Administrador. Depois, di-

RBA: Como os Administradores po-

zer que esta é uma profissão que tende

à Teoria Geral de Administração e Administração de Empresas. Além disso, os Administradores brasileiros têm à sua disposição uma farta bibliografia de livros

dem auxiliar o Brasil neste momento de dificuldades sociais, políticas e

a se valorizar cada vez mais, a partir de agora. O mundo está caminhando para

econômicas?

maior globalização e vai requerer uma

tanto de autores nacionais como inter-

MM: Na situação em que se encontra

te. Este é um momento em que devemos

nacionais (traduzidos). Não tenho dúvi-

o país, tanto governo como inciativa

nos unir para promover a Administração

das em afirmar que temos uma das mais

privada, a função do Administrador é

em todos os setores da atividade pro-

fartas bibliografias em Administração de

muito importante. Percebemos que há

fissional. Precisamos estar juntos para

todo o mundo.

uma desorganização grande na área

buscarmos objetivos maiores.

de vários temas relacionados à profissão,

42

RBA: O mercado de trabalho para

RBA | REVISTA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO

Administração cada vez mais competen-


ADM. IDALBERTO CHIAVENATO REFERÊNCIA MUNDIAL NA CIÊNCIA DA ADMINISTRAÇÃO E MEMBRO DO CONSELHO EDITORIAL DA RBA

RBA: Como o senhor vê a evolução da profissão de Administração no Brasil?

RBA: Como os Administradores e o Sistema CFA/CRAs podem ajudar o país?

Idalberto Chiavenato: A Administração em nosso país teve um desenvolvimento impressionante. Com muita satisfação e alegria, estamos comemorando os 50 anos de nossa profissão. Neste meio século, vivemos vários papéis gradativamente mais amplos e complexos. De início, passamos de simples técnicos de Administração para Administradores. E, neste novo papel ampliado, vínhamos sendo meros intermediários entre o capital e o trabalho, cuidando diretamente do gerenciamento das operações cotidianas.

IC: A nossa classe e o Sistema CFA/CRAs têm um papel importante na condução de nosso país, tanto de seu presente como de seu futuro. Afinal, como Administradores, participamos direta ou indiretamente da criação da riqueza nacional e nesse sentido somos os principais responsáveis pelo progresso e desenvolvimento econômico de nossa pátria.

Demos um pulo para cima e passamos a gerenciar taticamente unidades organizacionais como finanças, produção/operações, marketing, RH. A seguir, ampliamos a rede de intermediários, clientes e consumidores de um lado e, de outro, a rede de fornecedores de insumos e serviços, envolvendo, além disso, toda a logística interna e externa. Também alcançamos a direção estratégica do negócio como um todo e assumimos a interface direta com os stakeholders. Agora, já somos parte da governança corporativa que representa os proprietários na administração do negócio, cuidando da estratégia corporativa para o alcance da missão, da visão de futuro e dos objetivos do empreendimento. Assim, nestas rápidas pinceladas, a Administração cresceu em todos os sentidos: tanto vertical como horizontalmente. Uma formidável ampliação de raio de ação que certamente não deve parar por aí. Ainda temos muito a conquistar.

Movemos a imensa constelação de fornecedores de insumos tangíveis e intangíveis, lidamos para entregar à sociedade um imenso caudal de produtos e serviços que proporcionam e melhoram a qualidade de vida dos cidadãos, ajudamos a construir a enorme infraestrutura de nossa nação, pagamos impostos de todos os tipos, proporcionamos empregos à população e colaboramos intensamente para sua educação, capacitação e competência, além de contribuir para o bem-estar nacional. Já estamos fazendo o melhor possível dentro das condições atuais. Mas poderemos fazer mais ainda à medida que as condições de regulamentação do mercado, a conjuntura econômica e política do país possam ser menos impeditivas. E que nos ajudem e não atrapalhem tanto.

Afinal, o papel do administrador na sociedade moderna é crescentemente imprescindível para o sucesso, competitividade e sustentabilidade de nossas organizações." SETEMBRO/OUTUBRO – 2015 | Nº 108

43


Capa

RBA: Com a crise política e econômica vivenciada pelo Brasil atualmente, como devem se comportar as empresas para manterem-se em crescimento ou, pelo menos, não entrar em declive? IC: Toda crise política e econômica, quando abrupta e inesperada – embora prevista e até mesmo programada, como a que atravessamos –, traz consigo a necessidade de rápidas adequações e mudanças organizacionais em função das influências externas que põem em cheque o status quo até então vigente. Isso requer muito jogo de cintura e a adoção de novos paradigmas em paralelo com as rápidas transformações ocorridas externamente. Fazer sempre o mesmo quando as circunstâncias ao redor mudam tão drasticamente não pode levar a resultados melhores. Trata-se de navegar por mares tempestuosos nunca antes navegados e que exigem práticas, posturas e soluções completamente diferentes daquilo que antes caracterizava as operações empresariais. Para enfrentar este enorme e imprevisto desafio, as empresas precisam dispor de ativos tangíveis e intangíveis à sua disposição, o que nem sempre é possível quando se trata de ajustes imediatos e inesperados em suas operações. Em qualquer hipótese, uma das prováveis soluções reside na criatividade e inovação: desenhar diferentes alternativas possíveis juntamente com todos os colaboradores para que eles façam parte da solução e não do problema, e que sejam protagonistas e não simples expectadores. A criação de grupos de trabalho específicos para discussão do problema e de soluções pode ser de grande valia, além de fortalecer o senso de iniciativa e empreendedorismo interno e incrementar o moral da equipe frente a situações que provocam pessimismo e insegurança em todos. Isso também ajudará a olhar para fora da caixa, buscar soluções inovadoras com o respaldo de todos, transformar simples executores em formadores de opinião e tomadores de decisão, engajar todos em um mutirão de colaboração para pensar no coletivo sem deixar de pensar o negócio. Afinal, cada empresa é uma empresa e cada uma delas possui a solução adequada escondida em suas entranhas e nas suas raízes. É preciso saber buscar lá tudo aquilo que queremos encontrar. Ninguém melhor do que os próprios colaboradores e stakeholders, diretamente interessados, para ajudar nessa empreitada. É preciso buscar ajuda onde ela possa estar disponível. E o bom Administrador é aquele que sabe aproveitar totalmente os recursos e competências à sua disposição.

44

RBA | REVISTA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO

A criação de grupos de trabalho específicos para discussão do problema e de soluções pode ser de grande valia, além de fortalecer o senso de iniciativa e empreendedorismo interno e incrementar o moral da equipe frente a situações que provocam pessimismo e insegurança em todos." Quanto ao futuro da Administração no país, quais as expectativas? A Administração é fundamental em toda e qualquer atividade organizada. Contudo, o mundo mudou e as transformações que emergem a cada instante fazem com que as velhas práticas se tornem não somente ultrapassadas e arcaicas, mas principalmente ineficientes e ineficazes em um cenário de mudanças rápidas e incríveis. Não dá mais para resolver problemas novos com velhas soluções. Por outro lado, o nosso país precisa mais do que nunca de bons Administradores em todos os níveis da Administração pública ou privada, em organizações não governamentais ou entidades de todo e qualquer tipo ou natureza. Os cursos de Administração hoje estão entre os mais procurados e desejados no mercado. Afinal, o papel do Administrador na sociedade moderna é crescentemente imprescindível para o sucesso, competitividade e sustentabilidade de nossas organizações. E é delas que depende o futuro institucional, social e econômico de nosso país. RBA: Que mensagem o senhor gostaria de deixar para os profissionais nestes 50 anos da profissão? IC: Faço votos de sucesso a todos os Administradores e que a nossa profissão continue a ganhar, a cada dia, novos contornos de avanço profissional e uma imagem cada vez mais valorizada no mercado.


ADM. AUGUSTO NARDES MINISTRO DO TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO

RBA: Qual a sua opinião a respeito da profissão da Administração no país?

com a finalidade de preparar quadros para a execução de ativida-

Augusto Nardes: O papel da Administração é fundamental

bem assim de direção e assessoramento em escalões superiores da

para que as organizações públicas e privadas sejam bem estruturadas e atinjam seus objetivos e metas institucionais. Funções como

des de formulação, implementação e avaliação de políticas públicas, Administração direta, autárquica e fundacional, em graus variados de complexidade, responsabilidade e autonomia.

planejamento, controle, organização e direção, que são inerentes à

Temos notícia de que essa experiência, na busca de uma estrutura

Administração, são essenciais para o sucesso de qualquer organiza-

administrativo-organizacional estável e baseada na meritocracia no

ção. Uma instituição bem administrada consegue utilizar, de forma

Governo Federal, tem se repetido nas administrações estaduais, a

mais eficiente, os seus recursos e ser mais eficaz.

exemplo de Bahia, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Rio de Janeiro

Tenho dito reiteradamente que a Administração pública brasileira

e São Paulo, além do próprio Distrito Federal.

vive uma grave crise de governança e precisa urgentemente de um

No entanto, o acesso a essa carreira e várias outras da Administração

pacto nacional nesse sentido. Os exemplos que temos visto e os tra-

pública brasileira não é prerrogativa exclusiva do graduado em

balhos realizados pelo TCU demonstram que a maior parte das or-

Administração, mas, de regra, aos graduados em geral, que devem

ganizações públicas brasileiras está em estágio inicial de governança,

ser aprovados em concurso público, em estrita observância ao prin-

onde, talvez, resida um dos principais motivos pelos quais não con-

cípio constitucional da isonomia.

seguimos prestar serviços de qualidade à sociedade que, nos últimos anos, ocupou as ruas para reclamar por melhorias nos serviços de educação, saúde, segurança, etc.

Isso não obstante, conquanto não exclusiva do Administrador, essa e outras carreiras no âmbito da Administração pública permitem que esse profissional tenha amplo campo de atuação, uma vez que po-

Nesse sentido, ressalto a importância do Administrador que, por

derá atuar em organizações públicas das três esferas de governo

meio do desempenho de sua profissão, pode contribuir não só com

(federal, estadual/distrital e municipal), bem como no âmbito dos

o desenvolvimento da instituição em que atua, mas com o desenvol-

três poderes da República (Legislativo, Executivo e Judiciário).

vimento da nação e de toda a sociedade brasileira.

RBA: A sua formação em Administração contribui para o desenvolvimento das suas atribuições como ministro? De que forma?

RBA: Na área pública, as gestões têm dado o real valor aos profissionais de Administração na conjuntura econômica e estratégica dos governos?

AN: Com certeza. Além de minha formação em Administração

AN: Adotando como exemplo a Administração pública fede-

de Empresas pela FISA/FUNDAMES, da minha cidade, Santo

ral, considero que o governo tem dado valor aos profissionais de

Ângelo, no Rio Grande do Sul, tenho pós-graduação em Política do

Administração, à medida que examinamos o exemplo da carreira

Desenvolvimento pelo Institut Université d’Études, de Genebra, na

de gestores públicos (especialistas em Políticas Públicas e Gestão

Suíça, e concluí o mestrado em Estudos do Desenvolvimento pela

Governamental), criada pela Lei nº 7.834, de 6 de outubro de 1989,

mesma instituição suíça.

SETEMBRO/OUTUBRO – 2015 | Nº 108

45


Capa

Particularmente no exercício da Presidência do Tribunal de Contas da União, nos anos de 2013 e 2014, mas também no desempenho das atribuições de ministro, o domínio dos conceitos de Administração auxilia de forma determinante, seja no gerenciamento de recursos humanos, seja no desempenho de atividades administrativas, seja no planejamento de atribuições sob responsabilidade do magistrado de Contas. Assim, aliado à função de julgador, todos nós, ministros, desempenhamos, também, as funções de Administrador público, e a ciência da Administração contribui decisivamente para o bom desempenho

A governança pública é uma premissa basilar para a superação dos grandes desafios de nosso país, e considero-a essencial para que as expectativas de nossa sociedade sejam alcançadas."

dessas funções.

RBA: Quanto ao futuro da gestão pública profissional no país, quais as expectativas?

RBA: Qual o papel da ciência e do profissional de AN: Minhas expectativas se voltam para o aprimoramento da gestão Administração na construção de um país próspero? e governança corporativa pública. E que mensagem o senhor gostaria de deixar para o A governança pública é uma premissa basilar para a superação dos Sistema CFA/CRAs nestes 50 anos da profissão? grandes desafios de nosso país, e considero-a essencial para que as expectativas de nossa sociedade sejam alcançadas. O fato é que questões estruturantes de nosso país só serão efetivamente tratadas quando houver uma mudança significativa na forma como nossas políticas públicas são formuladas, avaliadas e implementadas. Não se pode permitir que políticas que envolvem recursos públicos materialmente relevantes, e que impactam consideravelmente a vida de nossos cidadãos, prescindam de um planejamento consistente, de metas e objetivos bem definidos, de avaliação e monitoramento, e de outros aspectos fundamentais para que produzam os efeitos esperados e atendam adequadamente às demandas da população. As auditorias realizadas pelo TCU demonstram que ainda há muito o que evoluir nesse sentido. Considerando essa necessi-

AN: Em todo este cenário prospectivo, é claro que o profissional de Administração exerce um papel fundamental. Com função determinante para o bom funcionamento das organizações privadas e públicas, do Administrador é requerida uma formação multifacetada, com conhecimentos e habilidades no campo técnico, na área política, na área jurídica e até mesmo nos aspectos sociais. Com essa formação múltipla, arejado pela modernidade nascente nos vários campos da atividade humana, o Administrador detém as condições adequadas para auxiliar e impulsionar o crescimento e o desenvolvimento do país. Gerar riqueza para o país, produzir renda para todos, proporcionar igualdade e justiça social - são, todos, papéis do novo Administrador.

dade, o Tribunal lançou o Referencial Básico de Governança e o

Para finalizar, deixo uma mensagem de otimismo aos

Referencial para Avaliação de Governança em Políticas Públicas,

Administradores do país e a todo o Sistema CFA/CRAs na passa-

instrumentos que visam contribuir para o aperfeiçoamento da

gem destes 50 anos. Otimismo, confiança e fé nas instituições

governança pública no país.

do país. Um país se faz forte quando fortalece suas instituições.

Nossa expectativa é de que todas essas sementes que estamos lan-

O Sistema fortalece o Administrador, e o Administrador forte

çando à terra germinem, produzam frutos e leguem ao país uma

perpetua o Sistema. Mais 50 anos, no mínimo, estão no horizon-

gestão pública mais profissional, mais voltadas para resultados e para

te próximo do Sistema CFA/CRAs, e nós, Administradores, com

o atendimento das necessidades da população.

certeza estaremos presentes nessa jornada.


50 anos

ao longo dos

Imagens Divulgação

Administração


Escolas de administração

Com a competência do Administrador, tudo fica no azul.


9 DE SETEMBRO,

DIA DO ADMINISTRADOR #ADM50anos

Desde 1965 tornando o Brasil mais azul.

Uma homenagem do Sistema Conselhos Federal e Regionais de Administração aos nossos profissionais

Saiba mais sobre o Jubileu de Ouro e a história da Administração em tudomaisazul.com.br ou radioADM.org.br


ÍCONES POR_ WELLINGTON PENALVA

ELES FIZERAM DO

Jubileu de Ouro

UM MARCO POSSÍVEL O Sistema Conselhos Federal e Regionais de Administração (CFA/CRAs) e os profissionais de Administração do país estão em festa com os 50 anos de regulamentação da Administração no Brasil. Então é momento de comemorar, de relembrar a trajetória e as conquistas obtidas neste meio século da autarquia. Neste frenesi legítimo e justificado, ao olhar para a estrada percorrida, é preciso identificar quem conduziu a Administração por esta trilha, quem contribuiu para que ela chegasse à marca do meio século. Sim, são muitos nomes ao longo da história e um livro seria pouco para citá-los. Entretanto, seria uma injúria fechar esta edição sem descrevê-los. Pensando nisso, a Revista Brasileira de Administração pinçou nove ícones da Administração que representarão os incontáveis nomes que fizeram do cinquentenário um dia possível, para imprimir um pouco de suas histórias.

50

RBA | REVISTA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO

TOM PETERS

ção e a tecnologia do óbvio são considera-

(1942 – atualidade) O norte-americano

das fatores fundamentais para o sucesso

Tom Peters, PhD em Business, ficou conheci-

empresarial. Ele diz ainda que as desordens

do como um grande guru do management.

e as irracionalidades não são impedimentos

Seu livro principal com Robert Waterman,

ao progresso; ao contrário, podem ser pro-

“In Search of Excellence: Lessons from

priedades positivas para o desenvolvimento

America’s Best-run Companies” bateu re-

empresarial.

cordes de venda em vários países. O livro

Para Peters, as empresas excelentes se dife-

foi escrito para o mundo prático, com lin-

renciam no essencial, na capacidade de pen-

guagem acessível. Fornece regras simples

sar e agir, além de destacar seus valores. Ao

fundamentadas em descrições de casos de

longo dos cinco anos da publicação do pri-

êxito. Um livro de respostas simples, factível,

meiro livro, Peters revisou algumas de suas

com sugestões e conselhos sob uma pers-

ideias e concluiu não haver empresas exce-

pectiva universalista. Peters defende que

lentes em um mundo de mudanças e incerte-

premiação e reconhecimento de mérito ge-

zas. Com "Thriving on Chaos" (Prosperando

ram alegria e entusiasmo nos colaboradores

no caos), lançou a proposta de ajudar a lidar

de uma instituição. A simplicidade, a intui-

com o problema e com a mudança.


Estamos muito orgulhosos pelos 50 anos desta profissão que encanta. O conceito da profissão é muito mais amplo porque não é só planejar e organizar. Administrar é hoje um processo global que exige inovação e renovação também do Administrador. Adm. André Luis Saoncela da Costa Presidente do CRA-RO

FREDERICK TAYLOR

GORETH MORGAN

(1856–1915) Considerado pai da ad-

(1943–atualidade) Goreth Morgan é

ministração científica, Taylor foi um dos

reconhecido pelo uso de metáforas na

maiores pensadores da administração. De

explicação da realidade organizacional.

maneira inédita, ele propunha a utiliza-

Sua obra “Images of Organization”, que

ção de métodos científicos cartesianos na

segue a linha metafórica, tornou-se um

gestão de empresas. Frederick Winslow

clássico da Administração. Morgan pro-

Taylor nasceu em 1856, na Filadélfia,

vou ser impossível entender organizações

Estados Unidos. Começou a sua carreira

por modelos únicos como as analogias

como operário industrial e teve rápida

mecânicas e biológicas. Por isso, apresen-

ascensão tornando-se chefe de equipe,

ta metáforas como alternativas para ver

supervisor, diretor de pesquisa.

a realidade organizacional. Para Goreth

A principal preocupação de Taylor era eliminar o desperdício e aumentar a eficiência, por meio da sistematização do trabalho. Em uma declaração a respeito do teórico, Peter Drucker afirmou: “Taylor foi o primeiro homem na história a considerar o trabalho digno de estudo e observação sistemática”. Frederick Taylor faleceu aos cinquenta e nove anos vítima de uma pneumonia. Suas teses, ainda hoje, são estudadas nos cursos de Administração.

Morgan, ver uma organização por várias perspectivas, simultaneamente, é essencial para compreender e realçar possibilidades de ações e mudanças. Morgan faz uma proposta de desenvolvimento individual, ao sugerir uma possibilidade de recons-

Valorizar a profissão do Administrador e do tecnólogo em Roraima é uma meta, e garantir o exercício da nossa profissão com dignidade é um dever do qual jamais nos afastaremos. Parabéns aos profissionais de todo o Brasil por este Jubileu de Ouro da Administração. Adm. Ubirajara Riz Rodrigues Presidente do CRA-RR

O Ano do Administrador! Por quê? Um conjunto de fatores favorece para que o nosso Sistema CFA/CRAs avance na busca pela valorização profissional, considerando que este ano comemoramos o Jubileu de Ouro da profissão. Precisamos unir esforços para defender e ocupar o nosso espaço! Adm. Evandro Fortunato Linhares Presidente do CRA-SC

truir o ser e o fazer da própria pessoa. Por meio de sugestão de imagens, pode-se levar as pessoas a descobrirem novas formas de análise sobre si mesmas como novas oportunidades para a própria vida. Suas teorias são estudadas e analisadas por estudantes e profissionais em exercício da Administração. SETEMBRO/OUTUBRO – 2015 | Nº 108

51


Peter Drucker

Henri Fayol

(1909–2005) Nascido em 19 de novembro

(1936–atualidade) Um dos maiores ex-

de 1909, o austríaco Peter Drucker foi um

poentes da Administração na atualidade,

professor, escritor e consultor administrati-

o brasileiro Idalberto Chiavenato é autor

vo. É considerado o pai da Administração

de dezenas de publicações relacionadas a

moderna. Foi um dos primeiros pensa-

diversos campos da Administração. Entre

dores da profissão a fazerem uma refle-

seus títulos, os de maior destaque abor-

xão sobre os efeitos da globalização na

dam: introdução à Administração, teoria

economia. É autor das obras de referên-

geral e gestão de Recursos Humanos. São

cia: “Administrando para o futuro” e

as obras mais requisitadas no ensino da

“Administração em tempos de grandes mu-

gestão no país. O livro “Teoria Geral de

danças”. Foi Drucker quem disse a celebre

Administração” é um dos mais vendidos no

frase “O planejamento não diz respeito às

universo acadêmico da Administração no

decisões futuras, mas às implicações futuras

Brasil. A obra aborda o processo evolutivo

de decisões presentes”.

da Administração. Já em “Administração de Recursos Humanos”, Chiavenato frisa a relevância do essencial humano para o sucesso organizacional. Atualmente, Chiavenato é conselheiro do Conselho Regional de

Idalberto Chiavenato

Administração de São Paulo (CRA-SP) e presidente do Instituto Chiavenato, que atua no ramo de Educação Corporativa.

Max Weber

Guerreiro Ramos

52

Elton Mayo

PETER DRUCKER

IDALBERTO CHIAVENATO

Peter Drucker faleceu em 2005, oito dias antes de completar 96 anos. Deixou como legado dezenas de livros, estudos e artigos que são literaturas obrigatórias na formação profissional do Administrador.

ALBERTO GUERREIRO RAMOS

ELTON MAYO

(1915-1982) Alberto Guerreiro Ramos in-

(1880–1949) Australiano, Elton Mayo foi o

das

principal teórico da Administração depois de

trouxe novas percepções para a ciência

Taylor e pioneiro ao questionar o papel do

da Administração, identificando elemen-

ser humano no trabalho após o taylorismo.

tos diferenciados – organizacionalmente

Na época, algumas indústrias enxergavam a

pouco explorados – como a racionalidade.

necessidade de novos padrões na dinâmica

Crítico dos sistemas sociais organizados,

organizacional. Então Mayo promoveu um

Guerreiro Ramos tornou-se um profes-

avanço ao introduzir uma nova compre-

sor bastante conceituado. Nas suas aulas,

ensão sobre o ambiente social. As conclu-

procurava estimular a análise do contexto

sões e propostas de Mayo causaram uma

político e o papel do cidadão nesse am-

reviravolta nas práticas correntes da época,

biente. Na década de 1940, atuou no

inaugurando um novo período na história

Departamento Administrativo do Serviço

da Administração. Ele desafiou o concei-

Público (DASP). Já como deputado federal,

to do homem econômico pela nova visão

elaborou o projeto que se tornaria a Lei

do homem social. Dessa forma, ajudou na

4.769/1965, regulamentando o exercício

harmonização e convergência de interesses

da Administração no Brasil. Após o gol-

entre trabalhadores e empregadores. Por

pe de 1964, Alberto Guerreiro Ramos foi

fim, Elton Mayo conclui que os efeitos da

cassado pela ditadura militar, tendo de se

mecanização não afetam os resultados de

exilar nos Estados Unidos. Lá foi reconhe-

uma indústria, infligindo grande avanço à

cido como o pioneiro na introdução da fe-

aplicação da Ciência da Administração.

nomenologia nos estudos de Administração

troduziu o estudo da sociologia no campo organizações.

Consequentemente,


MAX WEBER (1864–1920) O alemão Max Weber contempla várias áreas do conhecimento em sua obra: sociologia, antropologia, direito, política e, claro, a Administração. Para ele, a dominação e suas funções se exercem pela Administração e pelo controle contínuo de

Michael Porter

pessoas e de recursos. Weber acreditava na burocracia como o melhor sistema idealizado pelo homem em decorrência da sua

pública daquele país. Guerreiro Ramos

precisão, consistência, disponibilidade de

mostrou-se um profissional crítico da reali-

informações, continuidade, rigor na coor-

dade, expondo os elementos melindrosos

denação e minimização dos conflitos pes-

da sociedade e da gestão organizacional.

soais e dos custos materiais. A Ciência da

Seus estudos permanecem atuais e aplicá-

Administração logicamente se apropriou

veis à realidade brasileira. Guerreiro Ramos

das ideias de Weber por serem favoráveis

mostrou-se um profissional crítico da reali-

ao exercício da Administração como fator

dade, expondo os elementos melindrosos

social – primordial para garantir o progresso

da sociedade e da gestão organizacional.

e a equidade social.

Seus estudos permanecem atuais e aplicá-

HENRI FAYOL

veis à realidade brasileira.

MICHAEL PORTER (1947 - atualidade) Michael Porter é norte-americano e um dos maiores nomes nos estudos da estratégia empresarial. Sua obra conta com quase duas dezenas de livros e mais de cem artigos com atenção especial à vantagem competitiva. Entre as ideias inovadoras do teórico, três chamam a atenção: a desfocagem da ênfase nos concorrentes nas análises sobre a competitividade como o modelo das cinco forças; a cadeia de valor como fator de singularidade e FIT; e a diferenciação entre o conceito de estratégia e o conceito de eficácia operacional. Porter afirma que a essência da estratégia está na criação de características únicas, individuais, que possibilitem distinguir-se dos demais. O famoso modelo de cinco forças, desenvolvido pelo teórico, expõe um olhar mais amplo da competição ao focar numa arena industrial ou espaço de mercado.

(1841-1925) O francês Henri Fayol foi considerado um dos pais da administração. Foi um dos primeiros a estudar administração de maneira mais sistematizada. Desenvolveu princípios de management baseados em uma visão de maior alcan-

Nosso desafio é grande. O Brasil precisa de gestores capazes e comprometidos com a busca de resultados positivos. No vasto elenco das ações imediatas, a excelência na Administração se faz essencial. E o Administrador é a peça-chave deste processo. Adm. Roberto Carvalho Cardoso Presidente do CRA-SP

Aos Administradores de todo o Brasil, em especial aos sergipanos, desejo-lhes boas comemorações ao Jubileu de Ouro da Administração. Que 9 de setembro seja uma data não apenas festiva, mas que seja o início de uma nova era da Administração. Parabéns Administradores! Adm. Carlos Menezes Calasans Eloy dos Santos Filho Presidente do CRA-SE

ce e foi responsável por apontar os 14 princípios gerais da administração. Fayol também foi um dos primeiros a enfatizar a necessidade de educação dos administradores e gerentes. Achava que o ensino era ausente porque ainda não havia teorias. Assim, desenvolveu um pensamento de base normativa. Henri Fayol tinha como objetivo definir regras e critérios capazes de produzir uma boa administração. Suas propostas eram abrangentes, e pela primeira vez um autor propunha princípios que envolviam, conjuntamente, as clássicas dimensões de management, business e administration. Os princípios de Fayol fo-

Chegar aos 50 anos de reconhecimento da nossa profissão é um feito extremamente importante para nós, Administradores. É a demonstração inequívoca de que o Administrador conquistou de forma definitiva o seu espaço. E é com muito orgulho que nós, Administradores do Tocantins, comemoramos esta data. Adm. Eugênio Paccli de Freitas Coêlho Presidente do CRA-TO

ram amplamente reconhecidos tanto pelos profissionais praticantes como pelos aca-

Para ele, a estratégia corporativa deve ser

dêmicos que os utilizavam como material

elaborada para criar vantagem competitiva

de ensino. Fayol tinha uma visão muito es-

para cada um dos negócios da empresa e

tável e ordenada da empresa como forma

ser apresentada tanto no nível da unidade

de direcionar todas as ações a uma mesma

de negócio quanto no nível corporativo.

direção.

SETEMBRO/OUTUBRO – 2015 | Nº 108

53


CRAs

CONSELHOS REGIONAIS DE ADMINISTRAÇÃO

CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DO ACRE (CRA-AC) Presidente: Adm. FÁBIO MENDES MACÊDO Av. Brasil, nº 303 - Sala 201 - Centro Empresarial Rio Branco - Centro - 69900-076 - RIO BRANCO/AC Fone: (68) 3224-3365 – 3223-3808 E-mail: craacre@gmail.com Home Page: www.craac.org.br Horário de funcionamento: 7h às 16h CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DE ALAGOAS (CRA-AL) Presidente: Adm. CAROLINA FERREIRA SIMON MAIA   Rua João Nogueira, nº. 51 - Farol - 57051-400 MACEIÓ/AL Fone: (82) 3221-2481 - Fax: (82) 3221-2481 E-mail: cra@craal.org.br Home Page: www.craal.org.br  Horário de funcionamento: das 8h às 17h CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DO AMAPÁ (CRA-AP) Presidente: Adm. EDILJANE MARIA CAMPOS DA FONSECA Rua Jovino Dinoá, nº 2455 - Centro- 68900-075 MACAPÁ/AP Fone: (96) 3223-8602 E-mail: cra.macapa@gmail.com Home Page: www.craap.org.br Horário de funcionamento: das 8h às 17h Atend. público das 9h às 15h CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DO AMAZONAS (CRA-AM) Presidente: Adm. ANTONIO JORGE CUNHA CAMPOS Rua Apurinã, 71 - Praça 14 - 69020-170 - MANAUS/AM Fone: (92) 3303-7100 - Fax: (92) 3303-7101 E-mail: conselho@craamazonas.org.br Home Page: www.craamazonas.org.br Horário de funcionamento: das 8h às 17h30 CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DA BAHIA (CRA-BA) Presidente: Adm. ROBERTO IBRAHIM UEHBE Av. Tancredo Neves, nº 999 - Ed. Metropolitano Alfa Salas 601/602 - Caminho das Árvores 41820-021 – SALVADOR/BA Fone: (71) 3311-2583 - Fax: (71) 3311-2573 E-mail: cra-ba@cra-ba.org.br Home Page: www.cra-ba.org.br Horário de funcionamento: das 9h às 17h30 CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DO CEARÁ (CRA-CE) Presidente: Adm. LEONARDO JOSÉ MACEDO Rua Dona Leopoldina, nº 935 - Centro - 60110-484 FORTALEZA/CE Fone: (85) 3421-0909 - Fax: (85) 3421-0900 E-mail: presidente@cra-ce.org.br Home Page: www.craceara.org.br Horário de funcionamento: das 8h30 às 18h CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DO DISTRITO FEDERAL (CRA-DF) Presidente: Adm. MÔNICA COVA GAMA SAUS - Quadra 6 - 2º. Pav. - Conj. 201 - Ed. Belvedere 70070-915 - BRASÍLIA/DF Fone: (61) 4009-3333 - Fax: (61) 4009-3399 E-mail: presidencia@cradf.org.br Home Page: www.cradf.org.br Horário de funcionamento: das 9h às 17h CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO (CRA-ES) Presidente: Adm. HÉRCULES DA SILVA FALCÃO Rua Aluysio Simões, 172 - Bento Ferreira - 29050-632 - VITÓRIA/ES Fone: (27) 2121-0500 - Fax: (27) 2121-0539 E-mail: craes@craes.org.br Home Page: www.craes.org.br Horário de funcionamento: das 9h às 17h CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DE GOIÁS (CRA-GO) Presidente: Adm. SAMUEL ALBERNAZ Rua 1.137, nº 229, Setor Marista - 74180-160 GOIÂNIA/GO Fone: (62) 3230-4769 - Fax: (62) 3230-4731 E-mail: presidencia@crago.org.br Home Page: www.crago.org.br Horário de funcionamento: das 8h às 18h

Listagem atualizada até o dia 20 de setembro de 2015

54

RBA | REVISTA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO

CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DO MARANHÃO (CRA-MA) Presidente: Adm. ALINE MENDONÇA DA SILVA Rua dos Afogados, 920 - Centro - 65010-020 - SÃO LUÍS/MA Fone: (98) 3231-4160/3231-2976 - Fax: (98) 32314160/32312976 E-mail: crama@cra-ma.org.br Home Page: www.cra-ma.org.br Horário de funcionamento: das 8h às 14h CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DE MATO GROSSO (CRA-MT) Presidente: Adm. HÉLIO TITO SIMÕES ARRUDA   Rua 05 - Quadra 14 - Lote 05 - CPA - Centro Político e Administrativo - 78050-900 - CUIABÁ/MT Fone: (65) 3644-4769 - Fax: (65) 3644-4769 E-mail: cra.mt@terra.com.br Home Page: www.cramt.org.br Horário de funcionamento: das 9h às 17h CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DE MATO GROSSO DO SUL (CRA-MS) Presidente: Adm. GRACITA HORTÊNCIA DOS SANTOS BARBOSA Rua Bodoquena, nº 16 - Amambaí - 79008-290 CAMPO GRANDE/MS Fone: (67) 3316-0300 E-mail: presidencia@crams.org.br Home Page: www.crams.org.br Horário de funcionamento: das 8h às 17h30 CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DE MINAS GERAIS (CRA-MG) Presidente: Adm. AFONSO VICTOR VIANNA DE ANDRADE Avenida Afonso Pena, nº 981 - 1º. Andar - Centro - Ed. Sulacap - 30130-907 - BELO HORIZONTE/MG Fone: (31) 3274-0677 - 3213-5396 - Fax: (31) 32735699/3213-6547 E-mail: presidencia@cramg.org.br Home Page: www.cramg.org.br Horário de funcionamento: das 8h às 18h CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DO PARÁ (CRA-PA) Presidente: Adm. JOSÉ CÉLIO SANTOS LIMA – Rua Osvaldo Cruz, nº 307 - Comércio - 66017-090 - BELÉM/PA Fone: (91) 3202-7889 - Fax: (91) 3202-7851 E-mail: gabinete@crapa.org.br / presidencia@crapa.org.br Home Page: www.crapa.org.br Horário de funcionamento: das 9h às 15h CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DA PARAÍBA (CRA-PB) Presidente: Adm. EDNALDO FLOR DA SILVA Av. Piauí, nº 791 - Bairro dos Estados - 58030-331 JOÃO PESSOA/PB Fone: (83) 3021-0296 E-mail: crapb@crapb.org.br Home Page: www.crapb.org.br Horário de funcionamento: das 8h às 12h CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DO PARANÁ (CRA-PR) Presidente: Adm. GILBERTO SERPA GRIEBELER Rua Cel. Dulcídio, nº 1565 - Água Verde - 80250-100 CURITIBA/PR Fone: (41) 3311-5555 E-mail: presidencia@cra-pr.org.br Home Page: www.cra-pr.org.br Horário de funcionamento: das 9h às 18h

CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DO RIO DE JANEIRO (CRA-RJ) Presidente: Adm. WAGNER SIQUEIRA Rua Professor Gabizo, nº 197 - Edf. Belmiro Siqueira Tijuca - 20271-064 - RIO DE JANEIRO/RJ Fone: (21) 3872-9550 - Fax: (21) 3872-9550 E-mail: secretaria@cra-rj.org.br Home Page: www.cra-rj.org.br Horário de funcionamento: das 9h às 17h CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DO RIO GRANDE DO NORTE (CRA-RN) Presidente: Adm. KATE CUNHA MACIEL  Rua Coronel Auriz Coelho, nº 471 - Lagoa Nova - 59075050 - NATAL/RN Fone: (84) 3234-6672/9328 - Fax: (84) 3234-6672/9328 E-mail: cra-rn@crarn.com.br Home Page: www.crarn.com.br Horário de funcionamento: das 12h às 18h CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DO RIO GRANDE DO SUL (CRA-RS) Presidente: Adm. VALTER LUIZ DE LEMOS Rua Marcílio Dias, nº 1030 - Menino Deus - 90130-000 PORTO ALEGRE/RS Fone: (51) 3014-4700/3014-4769 -  Fax: (51) 3233-3006 E-mail: diretoria@crars.org.br;secretaria@crars.org.br Home Page: www.crars.org.br Horário de funcionamento: das 8h30 às 17h30 CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DE RONDÔNIA (CRA-RO) Presidente: Adm. ANDRÉ LUIS SAONCELA DA COSTA  Rua Tenreiro Aranha, nº 2988 Olaria – 76801-254  PORTO VELHO/RO Fone: (69) 3221-5099/3224-1706 - Fax: (69) 3221-2314 E-mail: presidencia@craro.org.br Home Page: www.craro.org.br Horário de funcionamento: das 8h às 17h Atend. público: das 8h às 14h CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DE RORAIMA (CRA-RR) Presidente: Adm. UBIRAJARA RIZ RODRIGUES  Rua Prof. Agnelo Bitencourt, 1620 - São Francisco, 69.305170 - BOA VISTA/RR Fone: (95) 3624-1448 - Fax: (95) 3624-1448 E-mail: craroraima@gmail.com Home Page: www.crarr.org.br Horário de funcionamento: das 7h30 às 18h CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DE SANTA CATARINA (CRA-SC) Presidente: Adm. EVANDRO FORTUNATO LINHARES Av. Prefeito Osmar Cunha, 260 - 7º/8º andares - Salas 701 a 707/ 801 a 807 - Ed. Royal Business Center Centro -  88015-100 - Florianópolis – SC Fone: (48) 3229-9400 - Fax: (48) 32224-0550 E-mail: crasc@crasc.org.br Home Page: www.crasc.org.br Horário de funcionamento: das 8h às 18h CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DE SÃO PAULO (CRA-SP) Presidente: Adm. ROBERTO CARVALHO CARDOSO Rua Estados Unidos, nº 865/889 - Jardim América 01427-001 - SÃO PAULO/SP Fone: (11) 3087-3208/ 3087-3459 - Fax: (11) 3087-3256 E-mail: secretaria@crasp.gov.br Home Page: www.crasp.com.br Horário de funcionamento: das 8h às 17h30 Atend. público: das 9h às 17h

CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DE PERNAMBUCO (CRA-PE) Presidente: Adm. ROBERT FREDERIC MOCOCK Rua Marcionilo Pedrosa, nº 20 - Casa Amarela - 52051330 - RECIFE/PE Fone: (81) 3268-4414/3441-4196 -Fax: (81) 32684414 E-mail: cra@crape.org.br Home Page: www.crape.org.br Horário de funcionamento: das 8h às 14h Atend. público: das 8h às 12h

CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DE SERGIPE (CRA-SE) Presidente: Adm. CARLOS MENEZES CALASANS ELOY DOS SANTOS FILHO Rua Senador Rollemberg, 513 - São José - 49015-120 ARACAJU/SE Fone: (79) 3214-2229/3214-3983 - Fax: (79) 32143983/3214-2229 E-mail: atendimento@crase.org.br Home Page: www.crase.org.br Horário de funcionamento: das 8h às 14h

CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DO PIAUÍ (CRA-PI) Presidente:Adm. PEDRO ALENCAR CARVALHO SILVA Rua Áurea Freire, nº 1349 - Jóquei - 64049-160 TERESINA/PI Fone: (86) 3233-1704 - Fax: (86) 3233-1704 E-mail: administrativo@cra-pi.org.br Home Page: www.cra-pi.org.br Horário de funcionamento: das 12h às 19h

CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DE TOCANTINS (CRA-TO) Presidente: Adm. EUGENIO PACCELI DE FREITAS COÊLHO 602 Norte, Av. Teotonio Segurado, Conj. 01, Lt 06 77006-700 - PALMAS/TO Fone: (63) 3215-1240/3215-8414 E-mail: atendimento@crato.org.br Home Page: www.crato.org.br Horário de funcionamento: das 8h às 18h


25 a 27 de outubro de 2015 Foz do Iguaçu / PR - Brasil Administração e Sustentabilidade DESTAQUES DA PROGRAMAÇÃO

26.out - Segunda

25.out - Domingo PALESTRA MAGNA DE ABERTURA Tema: Administração e Sustentabilidade -André Pereira de Carvalho FGV/EAESP

►PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA

Apresentação dos trabalhos selecionados das onze áreas

►PALESTRA

- Sustentabilidade no ensino e nas organizações - Caso de ensino de Administração

► Momento 50 anos da Administração - CFA

- Momento 50 anos da profissão

► Oficinas Pedagógicas:

27.out - Terça

- Sustentabilidade e Ensino de ADM

►PALESTRA INTERNACIONAL

- Metodologias de ensino de ADM - Como publicar em periódicos? - Responsabilidade Social e Sustentabilidade - Indicadores de avaliação - Mestrados Profissionais

- PADRÕES INTERNACIONAIS DE QUALIDADE PARA A GARANTIA DO APRENDIZADO DOS ALUNOS (ASSURANCE OF LEARNING)

- Richard Sorensen

Special Advisor AACSB Dean Emeritus Virginia Tech

►XIX SEMINÁRIO NACIONAL ANGRAD / MEC / INEP / CFA / CNE - ENADE: Dúvidas e Soluções

Realização

Hotel Oficial

Correalização

Patrocínio

Apoio


PATRONO POR_CINTHIA ZANOTTO

Belmiro Siqueira O homem da Administração A VIDA E A OBRA DE UM PROFISSIONAL DEDICADO A LUTAR PELA CAUSA DOS ADMINISTRADORES BRASILEIROS

E

m maio de 1988, o plenário do Conselho Federal

de Administração (CFA) concedeu a Belmiro Siqueira o título de Patrono dos Administradores.

O reconhecimento foi a forma encontrada pela instituição para homenagear um professor e Administrador que abra-

çou a causa de fazer da Administração uma carreira respeitada e regulamentada no Brasil. A condecoração foi feita in memorian, pois o mineiro da cidade de Ubá havia falecido três anos antes, no dia 28 de novembro de 1986, em Porto Velho (RO), aos 65 anos. Na época exercia o cargo de presidente do CFA, onde iniciou como Conselheiro federal e vice-presidente, em 1977. Siqueira se empenhou para expandir os campos de atuação do Administrador de Empresas no Brasil. Ele lutou para mostrar a necessidade de contar com o trabalho desse profissional nos setores sociais, jurídicos e econômicos do país. Também se dedicou à criação dos CRAs em várias capitais, com o objetivo de incentivar o crescimento da categoria nas esferas educacio-

Imagens Divulgação

nal e profissional.

56

RBA | REVISTA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO


“Todo o conhecimento adquirido como Administrador e os diversos trabalhos desenvolvidos na área renderam convites para lecionar em 25 faculdades e ainda para assumir a coluna de diversos jornais.” Mas os esforços em favor da Administração não se resumem aos anos de CFA, mas a toda a carreira do mineiro, boa parte dedicada ao serviço público. Em

Nestes 50 anos, foram muitas as conquistas, mas, para o Administrador acreano, a maior delas foi a instalação do CRA-AC. O filho caçula do Sistema completa 5 anos. Parabéns, Administradores! Adm. Marcos Clay Lucio da Silva Conselheiro federal do CRA-AC

todos os concursos aos quais se submeteu, sempre ocupou o primeiro lugar na lista dos aprovados. As primeiras funções desenvolvidas como servidor foram para instituições federais nos cargos de assistente administrativo e técnico de Administração, o que equivalia naquele tempo à atual profissão de Administrador. Enquanto estava no Departamento Administrativo do Serviço Público (DASP), desenvolveu vários papéis, inclusive o de diretor-geral, entre 1967 e 1968. Mais tarde passou a servir os Estados brasileiros na função de assessor e consultor de governo. No Rio de Janeiro, ganhou destaque ao assumir a diretoria da Escola de Serviço Público, para o então Estado de

No ano em que comemoramos o cinquentenário da profissão, podemos ver que muito foi construído para solidificarmos a nossa participação no cenário social e econômico brasileiro, mas ainda faremos muito mais. Esta é a bandeira. Parabéns, Administradores! Adm. Armando Lôbo Pereira Gomes Conselheiro federal do CRA-AL

Guanabara. Todo o conhecimento adquirido como Administrador e os diversos trabalhos desenvolvidos na área renderam convites para lecionar em 25 faculdades e ainda para assumir a coluna de diversos jornais. Em sala de aula e nos artigos escritos, teve como prioridade discutir o tema da Administração e suas vertentes. Ao reconhecer a importância da vida e da obra deixada pelo Administrador, o CFA também instituiu o Prêmio Belmiro Siqueira de Administração antes mesmo de nomeá-lo Patrono dos Administradores. Desde 1988, estudantes e profissionais da área de todos os

Inquestionável a participação da RBA, em todo o nosso contexto durante esses 50 anos que se passaram, sobretudo na formação e na informação dos profissionais de Administração. Nossos votos, para que continue com o mesmo dinamismo nos próximos 50 anos causando sempre, expectativa para recebe-la. José Celeste Pinheiro Conselheiro federal do CRA-AP

Estados têm a chance de se inscrever para concorrer em quatro modalidades: Livre, Monografia, Livro e Artigo. Os três primeiros colocados são consagrados com a premiação que relembra anualmente as contribuições de Siqueira ao setor administrativo brasileiro.

SETEMBRO/OUTUBRO – 2015 | Nº 108

57


Administração

50 anos

ao longo dos


Nós, profissionais da Administração, temos muito o que comemorar. Há 50 anos levando técnicas e soluções para um país melhor administrado. Adm. José Carlos de Sá Colares Conselheiro federal do CRA-AM

A Ciência da Administração permite, através do desenvolvimento de conteúdos, habilidades e comportamento ético, atingir resultados significativos de melhoria na qualidade de vida do planeta, das sociedades e das pessoas. Adm. Tânia Maria da Cunha Dias Conselheira federal do CRA-BA

Foram tempos pródigos criando estratégias para usar o que adquirimos no passado e guiar a descoberta das novas oportunidades para o presente. Fica uma marca de como dirigir negócios e pessoas. Ela está no coração e deve ser ensinada e aprendida. É um legado de ouro. Adm. Ilaílson Silveira de Araújo Conselheiro federal do CRA-CE

SETEMBRO/OUTUBRO – 2015 | Nº 108

59


EX-PRESIDENTES POR_NÁJIA FURLAN

Nesta edição especial, não poderia faltar a lembrança dos presidentes que já estiveram à frente do Conselho Federal de Administração (CFA). Afinal, nestes 50 anos de regulamentação da profissão, diante de inúmeras conquistas, principalmente a valorização da Administração e do Administrador, muitos dos frutos colhidos hoje são graças ao

Imagens Divulgação

empenho desses profissionais, líderes, representantes da classe no Brasil.

60

RBA | REVISTA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO


ADMINISTRADOR LUIZ CARLOS AIRES BARREIRA NANAN (CRA-CE) Presidente de 1986 a 1987

Iniciou no CFA durante a gestão empreendedora do inesquecível líder Guilherme Quintanilha de Almeida, a quem denomina “o Presidente dos Presidentes”, exemplo de educação, competência, correção

Formado pela turma de 1970 da Escola

e descortino. Na sequência, veio o grande

de

(EAC),

amigo, Administrador Emérito e Patrono

Nanan começou a carreira como técnico

da Categoria, professor Belmiro Siqueira,

auxiliar do Banco de Desenvolvimento

inteligência, ânimo e experiência disponi-

do Ceará S.A. (Bandece). Passou pelas

bilizada com alegria e simplicidade para

Centrais de Abastecimento do mesmo

todos os Administradores do Brasil, a

Estado (Ceasa). Foi superintendente do

quem teve a desafiante e dolorosa “mis-

Aeroporto Internacional Pinto Martins, de

são impossível” de suceder, após seu o

Fortaleza/CE, e técnico de Administração

falecimento, em pleno trabalho de divul-

do Instituto de Previdência do Estado

gação e fortalecimento da profissão de

do Ceará (IPEC) e do Ministério da

Administrador.

Administração

do

Ceará

Previdência e Assistência Social (MPAS), realocado depois para os quadros do Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social – Inamps (extinto), órgão integrante da estrutura do Ministério da Saúde, onde atuou, principalmente, na área de Planejamento e chegou a ser diretor estadual. Aposentou-se no cargo de Administrador do Ministério da Saúde, em 2014. Porém, ainda trabalha como comissionado na Secretaria da Saúde do Estado do Ceará (SESA/CE), sendo sócio-fundador do Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH). Paralelamente ao trabalho profissional, o Administrador

No decurso desse período de efervescência criativa e entusiasmo junto ao CFA, conviveu e compartilhou trabalho com Administradores que realmente ajudaram a fazer a história da profissão: Adm. Ailema Silva Pucú, secretária executiva da Presidência, modelo de profissiona-

– 3ª Região (CE-PI-MA), foi conselheiro e presidente do Conselho Federal de Administração (CFA).

DESAFIOS DURANTE A GESTÃO DO CFA

Adm. Carlos Alberto Ferreiro Júnior Conselheiro federal do CRA-DF

Avançamos muito nos últimos 50 anos e as mulheres passaram a exercer importante papel na sociedade contemporânea. No entanto, ainda temos muito a conquistar, especialmente, em relação à diferença salarial existente entre homens e mulheres ocupantes de mesmos cargos. Adm. Marly de Lurdes Uliana Conselheira federal do CRA-ES

lismo, competência e trabalho criterioso que merece todo o reconhecimento dos Administradores; Agnelo Alves Portugal, Ruy Xavier de Almeida, D. Maria Veras, Ralf Jordan, Roberto Carvalho, Atílio Cardinali, Antônio Sérgio, Gildo Galindo e muitos outros igualmente merecedores do maior reconhecimento.

sempre exerceu cargos de representação/ associação; entre esses, presidiu o CRA

Orgulho de pertencer a um grupo de profissionais que tem garantido nos últimos 50 anos o sucesso dos empreendimentos humanos no Brasil. Afinal, todas as organizações e outras profissões precisam da Administração e dos Administradores para prosperarem!

DESAFIOS PARA O ADMINISTRADOR HOJE Ocupar, com dedicação e competência, o amplo e diversificado campo profissional do Administrador, contribuindo para a difusão das boas práticas de

Participou de um período virtuoso, da

Administração e o aperfeiçoamento da

maior importância para a consolidação

gestão organizacional, fazendo-se assim

do Sistema CFA/CRAs, onde tudo era de-

útil e necessário para as transformações

dicação e empenho em favor da profissão

sociais, objetivando a construção e a

de Administrador, com espírito de solida-

consolidação de um modelo de demo-

riedade e respeito, não vicejavam senti-

cracia inclusiva, com igualdade de opor-

mentos menores e ambições pessoais.

tunidades e respeito às diferenças.

50 anos de aprendizagem, conhecimento e transformação, construindo o futuro no presente para garantirmos o fortalecimento da profissão de Administrador, através da ciência e do desenvolvimento humano sustentável. Adm. Dionizio Rodrigues Neves Conselheiro federal do CRA-GO

SETEMBRO/OUTUBRO – 2015 | Nº 108

61


Ex-Presidentes ADMINISTRADOR HERONI DE ASSUNÇÃO JACQUES (CRA-RS)

Entendo que o Administrador tem muito a dizer (e a fazer) acerca da gestão eficaz voltada para a resolução dos mais graves problemas estruturais e conjunturais que afetam o país. Ao Administrador, juntamente com todos os brasileiros, cumpre persistir na busca da eterna (e sempre nova) utopia de instituir uma sociedade de paz, cooperação e valorização da vida.

Presidente 1987/1988 Em janeiro de 1966, três meses após a regulamentação da profissão, ingressou no Curso de Administração de Empresas da UFRGS, no qual se bacharelou em 1971, sendo o primeiro funcionário concursado com o título de Administrador

SOBRE OS 50 ANOS DA REGULAMENTAÇÃO A boa administração dos recursos disponíveis foi sempre e em todos os tempos um importante diferencial no processo do desenvolvimento civilizatório. Os postos/ cargos/funções de Administrador, por sugerirem poder e autoridade, despertavam e continuam motivando disputas e acirrada concorrência entre postulantes dos mais variados campos profissionais. A regulamentação do campo de atuação privativo do Administrador representa uma grande conquista, especialmente para os milhares de jovens estudantes universitários de todas as regiões do país. É justa, oportuna e necessária a comemoração do cinquentenário de regulamentação da nossa profissão, sem esquecer, jamais, que a competência e o empenho pessoal são realmente o que assegura e garante o êxito profissional.

62

formado da Prefeitura de Porto Alegre, onde se aposentou, antes tendo passado, entre outros, pelos cargos de coordenador da Superintendência Administrativoas visitas aos órgãos de divulgação, a melhoria das instalações físicas do CRA – 3ª Região, a mobilização dos Administradores do Maranhão e do Piauí, as ações de fiscalização do exercício da profissão e de inscrição de pessoas físicas e jurídicas no CRA, a busca permanente de fortalecimento da voz do Administrador na interlocução dos problemas locais e nacionais, de forma crítica e construtiva. No âmbito do CFA, especificamente, como membro suplente e, depois, como conse-

Econômica do Departamento Municipal de Água e Esgotos de Porto Alegre; supervisor de Recursos Humanos e secretário substituto da Secretaria Municipal de Administração de Porto Alegre; e conselheiro titular do Conselho Municipal de Administração de Pessoal. Heroni foi ainda secretário municipal da Fazenda do município de André da Rocha, no Rio Grande do Sul. Em 1997 formou-se também em Direito.

lheiro efetivo e presidente, sempre somou

DESAFIOS NO CONSELHO

esforços para disponibilizar apoio técnico e

No início de 1979, passou a integrar a então

financeiro para o aprimoramento operacio-

Junta Administrativa do CRTA-RS na condi-

nal/organizacional dos Conselhos Regionais,

ção de conselheiro suplente. Na primeira

com vistas à valorização da profissão e de-

CONTRIBUIÇÕES DO PRESIDENTE PARA O ADMINISTRADOR BRASILEIRO

sessão em que compareceu para tomar

fesa das prerrogativas dos Administradores.

posse, o presidente da Junta renunciou; ne-

Sempre vivenciou uma longa militância pelo reconhecimento e valorização da ciência da Administração e do Administrador, desde os tempos de estudante universitário, participando da luta pelo fim do arbítrio, pela melhoria do ensino e realização de concurso para novos professores da EAC. No CRA – 3ª Região (CE-PI-MA) e na Associação Profissional dos Técnicos de Administração, o foco principal foi a pioneira e ampla divulgação da Lei 4.769/65, com distribuição gratuita de exemplares. Vieram então, anualmente, a “Semana do Administrador”, os encontros nas faculdades e locais de trabalho, os congressos regionais e nacionais, as edições mensais dos boletins informativos,

desmembramento daqueles inicialmente

RBA | REVISTA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO

Postulou, desde o início, pela instalação de novos Conselhos Regionais (um em cada Estado da Federação), com o gradativo circunscritos e jurisdicionados a outros.

nhum dos integrantes titulares aceitou ser presidente. Então, na mesma sessão, passou a titular e foi eleito presidente. Assim que assumiu a presidência, iniciou um intenso trabalho de equipe e de agregação.

Lutou, igualmente, pela modificação do

Ajudou a criar o Sindicato dos Técnicos

ordenamento normativo das eleições para

de Administração do Rio Grande do Sul,

conselheiro do CFA, visando instituir um

oriundo da Associação dos Técnicos de

voto igualitário para cada CRA (antes, os

Administração do Rio Grande do Sul

votos tinham peso proporcional ao número

(APTA-RS). Entre outras atividades, de-

de inscritos em cada CRA). Participou, ao

senvolveu grandes exemplos de ferra-

lado dos demais conselheiros federais, das

mentas de comunicação para a classe

lutas e campanhas de valorização profissio-

no Estado e instituiu eleições pelo voto

nal, de salvaguarda das prerrogativas dos

universal direto no Regional.

Administradores, de sustentabilidade e aprimoramento do processo eleitoral e de independência e plena autonomia do Sistema CFA/CRAs frente a episódicas incursões arbitrárias do Governo Federal.

Em 1980, contribuiu para a criação do Foro dos Conselhos Regionais de classe do Rio Grande do Sul: Administração, Economia, Engenharia, Psicologia e


Contabilidade, para melhor identificar e respeitar os respectivos mercados de trabalho. Ainda nesse ano de 1980, passou a participar das assembleias dos 15 Conselhos Regionais, em torno de

Administrar é semear o novo e compreender o imprevisível. O Administrador se reinventa nos segundos da vida, pois não há verdade irrefutável para os fenômenos organizacionais. Aprender com a Administração nos torna diferentes na imensidão da alma! #50anos

duas por ano, presididas pelo CFTABrasília, objetivando padronizar os procedimentos de fiscalização e valorizar o mercado de trabalho. No período de 1979 a 1981, presidiu o CRA-RS. Em 1981, juntamente com a eleição de um terço do Regional, obteve a indicação, pelo voto universal direto, como candidato a conselheiro federal. Em janeiro de 1982, foi eleito 1º conselheiro federal pelo Rio Grande do Sul, com man-

instalando-se os Conselhos de Sergipe e de Alagoas. No período em questão, exerceu os cargos de diretor administra-

Adm. José Samuel de Miranda Melo Júnior Conselheiro federal do CRA-MA

tivo, diretor financeiro e, por fim, o de presidente.

dato de três anos. Em 1984, repetiu-se o mesmo processo, para um segundo mandato de três anos. De 1982 a 1988, foi seu período no CFTA/CFA. Naquele momento, foi criada a Coordenação de Ação Parlamentar para acompanhar os Projetos de Lei de interesse da categoria junto ao Congresso Nacional. De 1984 a 1987, foi responsável pela comunicação social do Conselho Federal, oportunidade em que deu ênfase à “Revista Administrando”, que, em 1987, chegou à tiragem de 35 mil exemplares – hoje, Revista Brasileira de Administração (RBA). Em 1985, com um forte e coordenado trabalho, conseguiu a alteração, por lei, da denominação de técnico de

CONTRIBUIÇÕES NO CFA De 1987/1988, período em que exerceu a Presidência do CFA, além da intensa atividade desenvolvida, fez, com a equipe da época, uma excelente parceria de trabalho com a Federação Nacional dos Administradores, pela afirmação dos Administradores brasileiros. Presidiu o 8º Encontro Brasileiro dos Administradores, em Belém do Pará. E, no final de sua gestão, instalou o CRA de regulamentação profissional, foi o único gaúcho a assumir a presidência da entidade máxima dos Administradores, o CFA.

SOBRE OS 50 ANOS DA REGULAMENTAÇÃO

condizente com a ciência administrativa,

Neste momento especial de comemoração

passando o CFTA para CFA, e os CRTAs

dos 50 anos de regulamentação profissio-

para CRAs, definindo-se o atual Sistema

nal, o Administrador Heroni faz votos que

CFA/CRAs. Esse passo foi decisivo no rumo

os Administradores de ontem, de hoje e de

da excepcional dimensão de reconheci-

amanhã saibam preservar, consolidar e am-

mento e abrangência que, hoje, desfruta

pliar os espaços profissionais conquistados,

o Administrador em todos os segmen-

dominando um álbum de tecnologias em

tos de trabalho da sociedade brasileira.

todos os segmentos de nossa profissão, para

Manteve-se, também, uma permanente

que haja sempre motivos a comemorar.

articulação com o Ministério de Educação em razão da má qualidade dos Cursos de Administração, buscando-se, sempre, melhor qualificação.

Adm. Alaércio Soares Martins Conselheiro federal do CRA-MT

do Maranhão, em São Luís. Nestes 50 anos

sional de nível médio, para Administrador,

Administração, com conotação de profis-

Ao longo deste caminho, apesar dos muitos problemas e obstáculos, as empresas evoluíram e estão hoje na vanguarda do desenvolvimento. E, para este crescimento que enche os olhos do mundo, o trabalho dos Administradores tem feito a diferença.

Estamos comemorando 50 anos do Sistema CFA/CRAs. Uma data única, com representatividade ímpar. Com isso, desejo muito sucesso a todos que fizeram e fazem parte desta história. Uma luz, um caminho, Administração! Adm. Sebastião Luiz de Mello Conselheiro federal do CRA-MS

Por fim e para um futuro imediato, ele deixa o seguinte desafio ao Sistema CFA/CRAs: de “intervir” e profissionalizar a Administração pública nos três níveis – federal, estadual e

Deliberou-se, ainda, pela instalação de

municipal – para, com isso, capacitar e “des-

um Conselho Regional em cada Estado,

partidarizar” a gestão pública.

SETEMBRO/OUTUBRO – 2015 | Nº 108

63


" Sua capacidade de empreender será determinante para seu sucesso como empresário. Refiro-me aqui tanto aos Administradores quantos as Administradoras." Administrador MARCO ANTONIO DE BRITO CARVALHO

ADMINISTRADOR MARCO ANTONIO DE BRITO CARVALHO (CRA-DF)

República, analista de Ciência e tecno-

preender e respeitar as diferentes opiniões.

logia Sênior do Ministério da Ciência e

Para Carvalho, o desafio é viver da melhor

Tecnologia (MCT), conselheiro titular do

maneira possível o nosso tempo e compreen-

Presidente de 1988 a 1990

Conselho

Associação

dê-lo para que nossa contribuição profissional

Brasileira de Recursos Humanos do Distrito

seja efetiva e transformadora. Buscar enten-

Federal (ABRH/DF) e professor universitário.

der esta nova civilização descrita por Alvin

DESAFIOS DURANTE A GESTÃO

e Hedi Toffler, com novos estilos de família;

Fortalecer a atuação dos Conselhos Regionais

líticos; e, acima de tudo, uma consciência mo-

de Administração e Conselho Federal de

dificada. Como nos ensinam: a humanidade

Administração como um sistema de fis-

se defronta com uma profunda convulsão

calização do exercício da profissão de

social e reestruturação criativa. Sem que a re-

Administrador; ampliar a participação do

conheçamos claramente, estamos todos en-

CFA junto às instituições de ensino superior

gajados na construção de uma nova e extra-

no Brasil; manter o Conselho unido em torno

ordinária civilização a partir de seus alicerces.

Mestre em Gestão e Políticas Públicas pela Universidade de Brasília, especialista em Ciências Administrativas pela Universidade Federal do Pará, Marco Antonio graduou-se em Administração pela Universidade da Amazônia e ainda formou-se auditor de qualidade e fez curso de Gerência Mercadológica pela Fundação Brasileira de Marketing. A experiência profissional do Administrador passa pelo cargo de diretor de Recursos Humanos da Secretaria de Administração Federal da Presidência da República; chefia do Escritório de Brasília das Indústrias Nucleares do Brasil S.A.; Coordenação-Geral de Administração do Ministério da Integração Regional; assessor de Planejamento do Instituto de Desenvolvimento de Recursos Humanos do Governo do Distrito Federal – IDR/GDF; Direção de Recursos Materiais da Secretaria de Administração do Governo do Estado do Pará – SEAD/PA; entre outras atuações na Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento Nacional – ABTD; Conselho Interministerial de Salários e Proventos da Secretaria da Administração Federal da Presidência da República; Departamento de Modernização Administrativa da Secretaria da

Administração

Federal;

Comissão

Nacional de Energia Nuclear da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República; e Organización Latinoamericana

da

de seus ideais e posicionamento institucional; consolidar o processo eleitoral existente; elevar os níveis de participação dos debates nacionais e promover o Administrador junto às organizações.

DESAFIOS PARA O ADMINISTRADOR DE HOJE No sentido amplo, compreender os processos de mudanças e se manter na liderança. Atuar como facilitador dos processos de criatividade e inovação; promover a gestão ética, comprometida com a verdade e incentivadora do amor fraternal entre as pessoas. Isso impõe o respeito às diversidades sociais, às condições de sustentabilidade que envolvem a vida no nosso planeta, e a busca incessante pelo conhecimento por meio do estudo e do aprendizado permanente.

maneiras diferentes de trabalhar, amar e viver; uma nova economia; novos conflitos po-

SOBRE OS 50 ANOS DA REGULAMENTAÇÃO A profissão vive um momento especial. Está consolidada e reconhecida socialmente. Ou seja, aceita e requerida pelas organizações hoje de modo mais intenso e significativo que no passado recente. Nesta direção, o Conselho Federal de Administração e os Conselhos têm um papel fundamental e de grande importância, pois sempre atuaram em defesa e em prol do desenvolvimento da nossa profissão. Hoje, o Administrador chega ao mercado de trabalho mais jovem e mais preparado e precisa se destacar para conquistar seu lugar nas organizações. Quando empreendedor, suas realizações estão diretamente relacionadas à sua disposição em correr riscos e extrema determinação em

De maneira pontual, são condições neces-

obter resultados. Sua capacidade de empre-

sárias ao Administrador: compartilhamento

ender será determinante para seu sucesso

de modelos mentais, visão futurística, ousa-

como empresário. Refiro-me aqui tanto aos

dia, inteligência criativa, confiança, carisma,

Administradores quantos às Administradoras.

sabedoria, comunicação objetiva e sólida

Estamos muito bem 50 anos depois da re-

formação técnica e acadêmica; ser exemplo

gulamentação da profissão. Nosso mercado

de

e favorecer relacionamentos fraternos, ter

parece inesgotável, se considerarmos o que

da

sensibilidade em compartilhar seus conheci-

diz Etzioni sobre vivermos numa sociedade

Secretaria de Portos da Presidência da

mentos com modéstia e simplicidade, com-

de organizações, onde todos os indivíduos

de Administración do Brasil. Além de ter presidido o CFA, Carvalho já presidiu os Conselhos Regionais de Administração do Distrito Federal (CRA-DF) e do então Pará e Amapá (CRA/PA-AP). Atualmente, Administração

64

Deliberativo

é

coordenador-geral Interna

substituto

RBA | REVISTA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO


ADMINISTRADOR DUARAN LEÃO DUARTE (CRA-CE) Presidente de 1990/1991

DESAFIOS NO CFA Representar os Estados da região Nordeste diante da cultura nacional de gerência que, na época, dava mais crédito a representantes das regiões Sul e Sudeste; adaptar-se à política instituída pelo governo Collor (sedependem das organizações e nelas con-

questro e retenção de poupanças). Toda a

duzem suas vidas. Este é o universo dos

receita do CFA, no seu modus operandi, era

Administradores e seu mercado de trabalho.

representada por depósitos e pagamentos

CONTRIBUIÇÕES Quando assumiu a presidência do CFA, percebeu que deveria haver maior reconhecimento da profissão no cenário nacional. Acreditava que isso seria obtido por meio de uma forte atuação política do Conselho, especialmente na participação nos debates das questões nacionais emergentes. Essa percepção era compartilhada por todos no CFA, que também buscavam esse reconhecimento e forma de atuação. Nesse sentido, sua contribuição, com ajuda dos colegas da época, foi estimular a participação de todos os Conselhos Regionais na realização desses objetivos na autarquia e, por decorrência,

DESAFIOS PARA O ADMINISTRADOR HOJE Ainda persistem desafios, desde a regulamentação da Lei da Profissão do Administrador. A sociedade sabe que o profissional da gerência é o Administrador. Porém, é muito forte o viés político-partidário e pessoal do poder em todos os níveis (executivo, legislativo e judiciário) e, informalmente, na comunicação. Falta consciência democrática.

SOBRE OS 50 ANOS DA REGULAMENTAÇÃO É melhor ter um critério do que nada. Muita coisa poderia ter acontecido para melhor;

rais e regionais se consubstanciassem em

mas, enquanto persistirmos em não levar

ações em prol da categoria profissional.

em consideração valores éticos, morais e,

com foco no fortalecimento do sistema de fiscalização, especialmente com a criação de procedimentos operacionais e profissio-

certamente, conhecimento teológico na nossa prática do dia a dia, teremos muitas dificuldades em vencer o processo de barbárie que estamos a viver.

nalização das unidades de fiscalização, tan-

CONTRIBUIÇÕES

to do CFA quanto dos Conselhos Regionais

À frente do CFA, Duaran participou de

de Administração. Isso permitiu que o CFA

vários

se fizesse presente nos Conselhos Regionais

Administração. Entre estes, a mudança do

e participasse das suas realizações, amplian-

nome da profissão para Administrador (a ex-

do o reconhecimento da importância das

pressão “técnico de Administração” sempre

nossas ações. Instituíram o Prêmio Belmiro

teve uma conotação de nível médio na edu-

Siqueira em reconhecimento àquele que é

cação brasileira); a instituição do plenário do

o patrono da profissão e como estratégia de

CFA por representação de cada Estado bra-

estimular novos talentos profissionais, pro-

sileiro; a instituição do patronato da catego-

mover ideias novas e aproximar o Sistema

ria na pessoa do falecido professor Belmiro

CFA/CRAs das instituições superiores de

Siqueira; e o fortalecimento e divulgação da

ensino e da sociedade de um modo geral.

valorização do Administrador na sociedade.

processos

importantes

Administração é profissão que surgiu para, acima de tudo, agregar valor à humanidade. O Administrador é o catalizador das mudanças. Na realidade do mundo atual, em que há ideias que parecem caracterizar uma Era de Artificialidade, a ação do Administrador se contrapõe a isso. Adm. Aldemira Drago Conselheira federal do CRA-PA

dos colaboradores e dos conselheiros fede-

alizaram uma reestruturação da autarquia

Adm. Sônia Ferreira Ferraz Conselheira federal do CRA-MG

por intermédio da conta em poupança.

possibilitar que as competências e talentos

Para conseguir avançar nessa direção, re-

Há cinco décadas, regulamentamos a profissão. Na década atual, o grande desafio é reunir um conjunto de premissas gerenciais que possa estimular a resposta ética e a integralidade pessoal, que vêm sendo percebidas como forte fator para o sucesso.

para

a

Em setembro, nós Administradores completamos 50 anos de regulamentação profissional. Aproveito a oportunidade para parabenizar a todos que fazem parte da profissão que é responsável pela saúde organizacional de todas as empresas do Brasil. Adm. Marcos Kalebbe Saraiva Maia Costa Conselheiro federal do CRA-PB

SETEMBRO/OUTUBRO – 2015 | Nº 108

65


Ex-Presidentes

Organizações Virtuais. Conhece e tem relacionamento em todas as capitais brasileiras e na

"É fundamental que os profissionais de administração desenvolvam habilidades de relação interpessoal, principalmente de solução de conflitos."

maioria dos países da América do Sul.

Administrador

Além da graduação em Administração, a formação de Almeida inclui Mestrado em

GILMAR CAMARGO DE ALMEIDA

ADMINISTRADOR GILMAR CAMARGO DE ALMEIDA (CRA-MG) Presidente de 1991 a 1994 Gilmar Camargo é Administrador, empresário, professor, palestrante e consultor, com experiência em funções técnicas, acadêmicas, gerenciais e políticas nas áreas de Negócios, Marketing, Vendas, Logística, Financeira, Educacional, Telecomunicações e de

Engenharia da Produção; MBA em Gestão Estratégica de Negócios pela Fundação Getulio Vargas; Especialização em Marketing pela USP; e Pós-Graduação em

de relação interpessoal, principalmente de

Metodologia do Ensino Superior.

solução de conflitos.

Foi presidente do CRA-MG, vice-presidente para a América Latina e diretor acadê-

SOBRE OS 50 ANOS DA REGULAMENTAÇÃO

mico da Organização Latino-Americana de Administração (OLA, Quito - Equador); no CFA, além de presidente, foi vice-presidente (por um mandato – 94), diretor de Comunicação (90) e assessor parlamentar (89). Atualmente, exerce as funções de vicepresidente de Orientação e Fiscalização Profissional do CRA-MG.

DESAFIOS NO CFA Um dos principais desafios, além das dificuldades financeiras, administrativas e eleitorais do Conselho, na época, foi a falta de relacionamento mais permanente entre o CFA e os Administradores, nem mesmo com os Conselhos Regionais de Administração, pois

A profissão cresceu em visibilidade e prestígio, acompanhando o crescimento do reconhecimento da importância da ciência da Administração para o mundo dos negócios, embora em ritmo mais tímido do que a segunda; fruto das decisões e atitudes equivocadas, da regulação, entidades repre-

somente havia correspondência oficial escrita.

sentativas e dos próprios profissionais. Mas

Na área acadêmica, segundo ele, o currículo (diretrizes curriculares) do curso de

popularidade. Do nascedouro até 1985, era

Administração era o mesmo há 25 anos, desde a criação da profissão, sem qualquer atualização ou sequer discussão do que e de como era ensinada a ciência da Administração. Era uma estrutura rígida, sem qualquer liberdade para adaptação às realidades regionais ou culturais.

a profissão passou de mera desconhecida à apenas “técnico em Administração”, o que confundia com o nível médio de formação, sendo assim equiparada, sob a ótica da sociedade, a outras formações de nível técnico. Da criação aos dias atuais, embora pou-

DESAFIOS PARA O ADMINISTRADOR DE HOJE A sociedade mudou. Hoje a informação está real time! Os avanços das tecnologias – entre elas destacam-se as de telecomunicações e das comunicações –, que democratizaram o acesso às informações, por meio das mídias impressas, do acesso às bases de dados, de imagens, sons, etc. e trouxeram para o dia a dia dos profissionais de Administração maior disponibilidade de dados para ajudar no processo decisório. Se a tecnologia democratizou o acesso à informação e permitiu o “nivelamento do conhecimento”, o diferencial vai estar nas atitudes. Então, os desafios do Administrador de hoje, sob a ótica da tecnologia, vai estar na

co entendida no mundo empresarial, principalmente no âmbito das pequenas e médias empresas, que confundem empreendedor com Administrador, tornou-se a profissão com a maior demanda no mercado, maior procura nos cursos de graduação e pós-graduação (lato e estrito senso) e, consequentemente, maior contingente de estudantes, fruto da maior oferta dessa formação no mercado educacional brasileiro.

busca do conhecimento das tecnologias da informação, na capacidade de construir cenários com base em informações e saber estabelecer estratégias para aproveitar as oportunidades e se defender das ameaças vislumbradas nesses cenários. Sob a ótica comportamental, o desafio é ser protagonista, ou seja, o principal personagem no processo de definir e liderar a implantação de planos e projetos, mas, principalmente, em prestar conta dos seus atos e realizações aos seus pares e à sociedade. Para

66

CONTRIBUIÇÕES As contribuições deixadas pela gestão em que esteve à frente do CFA podem ser relacionadas nas seguintes macroações:

tal, será necessário desenvolver uma série de atitudes, como: iniciativa, autoconfiança,

Solidez: a reorganização do Conselho

visão crítica, criatividade e inovação, proatividade, espírito empreendedor, autodesen-

Federal de Administração àquela época,

volvimento e ousadia. Ainda sob a ótica comportamental, mas com foco na relação

com a adoção de modelo de Administração

social, é fundamental que os profissionais de Administração desenvolvam habilidades

fundamentado nos princípios de Gestão

RBA | REVISTA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO


Estratégica, com criterioso processo administrativo, permitiu a estabilidade da organização, com o saneamento e equilíbrio das contas, a recuperação dos créditos inadim-

Os próximos anos devem trazer grandes mudanças nos ambientes social e econômico, e também na estratégia empresarial. Os últimos 50 anos foram de consolidação da Administração. Agora devemos buscar a melhor capacitação para bem responder àquelas mudanças. Que venham os próximos 50 anos.

plidos, recuperação da imagem tanto no ambiente interno como no externo, mas, principalmente, a conquista da confiança junto aos stakeholders. Confiança: iniciou-se, na época, o processo de reforma na legislação da autarquia (concluída na gestão seguinte), que permitiu mudanças no processo eleitoral, pas-

Adm. Sergio Pereira Lobo Conselheiro federal do CRA-PR

sando a ser realizado de dois em dois anos, com a renovação de 1/3 e 2/3 dos CRAs e conselheiros, respectivamente. E a mudança na visão corporativa da organização deu mais confiança ao planejamento e à gestão dos Conselhos Federal e Regionais de Administração. Deixaram de pensar como conselhos isolados para ser uma organização de pensamento sistêmico. Sistema CFA/CRAs. Representatividade: a representatividade dos Regionais no CFA passou a ser de um representante efetivo e um suplente por CRA. Paralelamente à representatividade no Plenário do CFA, iniciamos a instalação de novos CRAs em cada unidade da Federação. Nos três mandatos, foram instalados os CRAs do Rio Grande do Norte, Maranhão, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Segurança: foi adquirida uma nova sede para o CFA no setor norte (sede de uma construtora), com espaço suficiente para acomodar a estrutura da época e possibilidade de ampliação das ações do Conselho, além de equipá-las com a infraestrutura ideal para funcionamento e de oferecer um melhor ambiente físico de trabalho aos colaboradores. A ação foi tão positiva que a estendemos aos CRAs. Assim criou-se e foi implantada a filosofia de ajuda aos CRAs com dificuldade de funcionamento por falta de estrutura mínima (mais tarde, em gestões subsequentes, regulamentados como PROAR e PRODER). Foram criados projetos de dotação de infraestrutura informacional e de aquisição de sedes para vários Regionais. Adequação: foram inúmeros fóruns de debates sobre a reforma do currículo mí-

nimo dos cursos de Administração, que fomentaram o Projeto do Currículo de Administração que deu origem à Resolução nº 2 do CFE, que introduziu a liberdade das IES para usar 30% do currículo do curso para adequação ao cenário regional. Desse movimento, surgiram outras iniciativas como os EPROCADs e outras iniciativas autônomas como a criação da ANGRAD. Visibilidade: a própria reformulação do currículo dos cursos de Administração deu boa visibilidade à profissão, aos Conselhos e à Administração. Assumiram a produção e editoração da RBA – idealizada pelo Adm. Valter Lemos (RS) e criada por um grupo de Administradores dos Conselhos do Rio Grande do Sul, Minas Gerais, São Paulo, Bahia, Paraná e Santa Catarina. Fruto de outra iniciativa do mesmo grupo que idealizou e criou a RBA, na gestão de Almeida também foi assumido o Fórum Internacional de Administração, transformando-o num evento de abrangência internacional que já passou por vários Estados e países, além de outros eventos. Ainda foi na gestão de Almeida que foi criada a primeira campanha de Valorização Profissional do Sistema CFA/CRAs.

O conselheiro federal possui o importante papel de intermediar as relações entre o CFA e o Estado que representa. Além das questões regionais, é preciso ter uma visão global, considerando os representantes dos 26 Estados e Distrito Federal. Adm. Joel Cavalcanti Costa Conselheiro federal do CRA-PE

Escolhi a profissão que realiza e transforma a sociedade. É nossa a responsabilidade de aplicar o conhecimento da ciência e habilidade na transformação de um mundo melhor. Aplaudo de pé todas as conquistas, todos os Administradores. #50 anos. Adm. Carlos Henrique Mendes da Rocha Conselheiro federal do CRA-PI

SETEMBRO/OUTUBRO – 2015 | Nº 108

67


Ex-Presidentes

“Se algo conseguimos fazer, foi graças a uma equipe de Administradores e Administradoras que acreditavam na força da profissão para alavancar o desenvolvimento do Brasil.”

ADMINISTRADOR RUI OTÁVIO BERNARDES DE ANDRADE (CRA-RJ) Presidente de 1994 a 2007 É Administrador, graduado pela Faculdade Mackenzie,

doutor

pela

Universidade

Federal de Santa Catarina, mestre em Business Administration (Wiscosin University – EE.UU) e mestre em Administração Pública e Governo pela Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas (EBAP – Fundação Getulio Vargas/FGV). E ainda é graduado em Direito pelo Centro Universitário Bennett. Livre docente pela Universidade Gama Filho e professor titular da Universidade do Grande Rio, onde dirige o Programa de Pós-Graduação. Andrade tem longa experiência na área de Administração, com

ênfase

em

Desenvolvimento

Gestão

Educacional,

Organizacional

e

Marketing, atuando principalmente nos seguintes temas: Administração, Ensino Superior, Educação, Gestão Universitária e Projetos Pedagógicos.

vamente,

Educacional; e autor de diversos livros sobre

e empresarial com ética, para que o

Gestão de Instituições de Ensino, Gestão

Brasil realmente alcance patamares de

Ambiental, Negociação, Ética e Teorias da

desenvolvimento que levem à melhoria

Administração.

na qualidade de vida dos brasileiros.

DESAFIOS DURANTE A GESTÃO Segundo Andrade, foram inúmeros os de-

na

Administração

pública

SOBRE OS 50 ANOS DA REGULAMENTAÇÃO A profissão Administração, mesmo que

safios enfrentados junto aos conselheiros

ainda muito jovem, já tem contribuído para

federais das diversas gestões e presidentes

o desenvolvimento do país. Porém, para

dos Conselhos Regionais da época. Entre

Andrade, ainda há pela frente enormes de-

estas, o Administrador elenca a preocupa-

safios que fazem os Administradores pensa-

ção com a identidade do Administrador, o

rem e agirem, preocupados com o presente

fortalecimento da profissão e o reconhe-

e já pensando no futuro que almeja para

cimento pela sociedade; a construção de

viver o país que sonha viver.

sedes próprias – para o CFA e os CRAs; a melhoria da qualidade de ensino de Administração; a informatização; a internacionalização do Administrador – com

CONTRIBUIÇÕES À frente do CFA, o Administrador procurou, humildemente, conduzir o Sistema em

Além de presidente do Conselho Federal de

convênios, eventos e parcerias; a realização

Administração, o Administrador foi presiden-

de pesquisas relacionadas ao mercado de

te do Conselho Regional de Administração

trabalho; a atualização da legislação sobre

do Rio de Janeiro; presidente da Organização

a atuação do Administrador; a discussão

Latino-Americana

Administração

sobre a efetividade da ação fiscalizatória;

(OLA); presidente do Conselho Consultivo

a estruturação do Sistema CFA/CRAs, com

da Associação Nacional dos Cursos de

o início da divisão do trabalho em câmaras

Graduação em Administração (ANGRAD); e

setoriais; e a exigência de uma atuação di-

graças a uma equipe de Administradores

consultor ad-hoc do MEC para Avaliações

nâmica, eficiente, eficaz e efetiva.

e Administradoras que acreditavam na

Institucionais. Andrade é diretor vice-

DESAFIOS PARA O ADMINISTRADOR DE HOJE

força da profissão para alavancar o desen-

Ensino Superior no Estado do Rio de Janeiro;

Preparar-se,

reconhecido pela sociedade como o agente

diretor-presidente da Andrade Consultoria,

nalmente, para atuar eficaz e efeti-

de

-presidente do Sindicato das Entidades Mantenedoras dos Estabelecimentos de

68

especializada em Gestão Organizacional e

RBA | REVISTA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO

acadêmica

e

profissio-

harmonia, aproximando a academia – responsável pela formação de Administradores – às expectativas de um país em desenvolvimento, com inúmeras injustiças sociais, com desafios internos, institucionais e internacionais. “Se algo conseguimos fazer, foi

volvimento do Brasil”, completa Andrade, concluindo que o Administrador precisa ser de transformação.


ADMINISTRADOR ROBERTO CARVALHO CARDOSO (CRA-SP) Presidente de 2007 a 2011 É Administrador, formado pela FEA/USP, com mestrado em Finanças pela EAESP/

Ao completar 50 anos precisamos deixar o papel fiscalizador e disciplinador para priorizar a gestão de pessoas e a tecnologia como fator de desenvolvimento.

FGV. Foi professor da EAESP/FGV e presidente do CRA-SP (de 1968 a 2006). De 1975 a 2010, presidiu o Fundo de Bolsas da EAESP/FGV e, até este ano, coordena o

Adm. Jorge Humberto Moreira Sampaio Conselheiro federal do CRA-RJ

curso de Controladoria na FGV. É presidente do Sindicato dos Administradores no Estado de São Paulo (SAESP), vice-presidente da Federação Nacional dos Administradores (Fenad) e diretor da Integração Escola de Negócios.

DURANTE SUA GESTÃO À FRENTE DO CFA Cardoso procurou fortalecer o Sistema CFA/CRAs, trabalhando para a valorização da profissão na defesa do Administrador e na ampliação de sua representatividade na sociedade, por meio de várias ações, entre as quais se destacam as seguintes: a ISO 9001/2000 – certificação da qual foi dotado o Conselho do Certificado de Registro do CFA no Sistema de Gestão da Qualidade, conforme requisitos da ISO 9001:2000, pela BSI Management Systems Brasil. Além disso, cada um dos 26 Estados brasileiros e mais o Distrito Federal passaram a contar com seus respectivos Conselhos Regionais. Outra importante ação foi a instituição do voto eletrônico, implantando em todo o país a votação via web em todos os CRAs e com o respaldo do Tribunal Superior Eleitoral. Também ficou estabelecido um projeto, apresentado ao MEC, para o combate à falsificação de diplomas, mediante parceria entre o MEC e o CFA. Ainda, durante sua gestão, foi criada a Plataforma do Conhecimento; firmado convênio entre o MEC e o CFA, viabilizando a participação do CFA nas ações de regulação e supervisão da educação superior definidos no Decreto 5.773/2006, especificamente na área de Administração; e a adesão do CFA aos dez princípios estabelecidos pelo Pacto Global da ONU.

Também se conquistou junto ao Ministério do Trabalho e Emprego, por meio da interferência do CFA, a inclusão da profissão do Administrador na CBO sob o código 2521.

DESAFIOS PARA O ADMINISTRADOR DE HOJE Manter-se atualizado. Isso significa, na prática, estar focado na constante atualização. Também é fundamental ter consciência da importância do seu papel e do seu desempenho nas organizações públicas e privadas. Isso é determinante para atingir objetivos e ser assertivo, qualidades essenciais e papel básico para a saúde das empresas. Vale salientar que, quando se fala em Administração, estamos considerando as áreas de TI, Comércio Exterior, Marketing, Recursos Humanos, Agronegócios, Finanças, Controladoria, Logística e diversas outras.

SOBRE OS 50 ANOS DA PROFISSÃO Há 50 anos, a profissão era praticamente desconhecida e, aparentemente, muito restrita. Passado esse período, a profissão “explodiu”, atingindo campos dos mais variados: rural, público, entre outros. A sociedade reconheceu a área de Administração, sua validade, seu papel e sua importância. Com o tempo, isso só se fortaleceu e hoje a Administração é o curso mais procurado pelos jovens.

Viva o Administrador! Reflexão e ação à luz da ciência da Administração alavancaram tarefas, estruturas, pessoas, ambiente e tecnologia. A profissão marcada pela ética, criatividade e inovação, imprimiu um novo sentido à vida dos brasileiros e das organizações. Adm. Ione Macêdo de Medeiros Salem Conselheiro federal do CRA-RN

Ao completarmos 50 anos da nossa profissão, com um passado de construção e uma presença viva nos processos de transformação da sociedade, desejamos um futuro com “arte” e muita objetividade na obtenção dos melhores resultados. Parabéns Administrador! Adm. Ruy Pedro Baratz Ribeiro Conselheiro federal do CRA-RS

SETEMBRO/OUTUBRO – 2015 | Nº 108

69


PROJETOS CFA-CRAs POR_MARA ANDRICH

facilitar PARA

A VIDA

TRABALHO, FAMÍLIA, LAZER, COMPROMISSOS QUE NÃO ACABAM MAIS. O CFA AJUDA A FACILITAR A SUA VIDA

U

m dos objetivos de um conselho de classe é facilitar a vida dos profissionais, em todos os aspectos. O Conselho Federal de Administração (CFA) se preocupa com isso e dia a dia vem trabalhando em projetos que auxiliem os profissionais de Administração em suas empreitadas. Esses são os objetivos dos projetos nacionais do Sistema CFA/CRAs. Na área de empregos, o CFA oferece AdmEmpregos, que visa oferecer mais um canal de busca e oferta de empregos para o profissional. Na questão de registros, o Sistema de Gestão Integrado é uma iniciativa que visa padronizar os registros dos Administradores e tecnólogos em todo o Sistema CFA/CRAs; e ainda a certificação profissional, programa que valoriza ainda mais a categoria. A eleição digital também veio para facilitar a vida dos Administradores no momento de escolherem seus representantes frente aos CRAs. Veja ao lado detalhes de alguns destes programas.

ADM EMPREGOS O AdmEmpregos foi criado exclusivamente para a oferta de trabalho na área da Administração, tanto para profissionais como para estudantes. Por meio do programa, o Administrador pode procurar ou pesquisar vagas, e o empregador pode ofertá-las. Acesse www.admempregos.org. br e confira.

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO O programa possibilitará que o profissional de Administração atualize diretamente as suas informações no banco de dados do Sistema CFA/CRAs. Outro objetivo do sistema é a padronização nacional das informações desses profissionais. A expectativa é de que SIG seja implantado até o final de 2015.

CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL No início de 2014, o Sistema CFA/CRAs lançou o Programa de Certificação Profissional, voltado a Administradores e tecnólogos que desejam se distinguir no mercado de trabalho. A realização atesta e posiciona o profissional de Administração como competente para exercer sua função. A certificação do CFA iniciou-se pelo setor de Recursos Humanos, mas deve se estender para outras áreas. Veja mais informações no site www.certificacao.cfa.org.br.

ELEIÇÃO DIGITAL Desde 2008, o Sistema CFA/CRAs realiza eleições digitais para novos conselheiros. O CFA é pioneiro em realizar eleições pela internet, com acompanhamento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O sistema eletrônico facilita o voto e a apuração ao trazer maior acessibilidade.

CONVÊNIO CAPACITA PROFISSIONAIS Em 2014 foi formalizada uma parceria entre o CFA e a Secretaria da Micro e Pequena Empresa da Presidência da República (SMPE-PR) para promover o desenvolvimento desses empreendimentos. O principal objetivo da parceria é estabelecer um canal de acesso às informações de interesse dos empreendedores.


PUBLICAÇÕES POR_MARA ANDRICH

Quem não se comunica...

se

TRUM BICA!

EM TOM DE BRINCADEIRA, ABELARDO BARBOSA, O LENDÁRIO CHACRINHA, GRANDE COMUNICADOR BRASILEIRO, JÁ CONSTATAVA ALGO MUITO IMPORTANTE: A COMUNICAÇÃO É FUNDAMENTAL PARA O BOM ANDAMENTO DE QUALQUER ORGANIZAÇÃO. E É PENSANDO NISSO QUE O CONSELHO FEDERAL DE ADMINISTRAÇÃO (CFA) DISPONIBILIZA PARA A SOCIEDADE EM GERAL UMA SÉRIE DE PUBLICAÇÕES QUE CONTRIBUEM COM INFORMAÇÕES ÚTEIS E DE

Estamos comemorando 50 anos da profissão, isso é importante, mais temos que avançar muito mais com políticas arrojadas na construção de legislação para buscar a valorização da nossa profissão em todos os seguimentos, e tornando-a uma profissão respeitada no cenário nacional. Adm. Paulo César de Pereira Durand Conselheiro federal do CRA-RO

A Administração avança velozmente para alcançar sua impreterível relevância. Não há nenhuma outra atividade no mundo que sequer tangencie a profissão de Administrador, de tão eclética, pluralizada e holística... e para qual está alicerçada e se inocula. Adm. Antonio José Leite de Albuquerque Conselheiro federal do CRA-RR

QUALIDADE, COM FOCO NA INOVAÇÃO.

U

ma das missões do CFA é valorizar a sustentabilidade das organizações, promovendo o desenvolvimento do país. Para tanto, a autarquia tem investido, ano após ano, em publicações que auxi-

liam no alcance dessa missão e contribuem com a conquista de um grande objetivo: ser uma entidade cada vez mais reconhecida pela sociedade, capaz de assegurar a atuação plena dos profissionais de Administração. Trata-se de publicações variadas, voltadas aos Administradores em geral, como é o caso da Revista Brasileira de Administração (RBA); aos gestores pú-

Administrador, o profissional que vive, faz e transforma as organizações por meio do capital humano. Adm. José Sebastião Nunes Conselheiro federal do CRA-SC

blicos, que têm disponíveis ferramentas interessantes como o Guia do Prefeito e o Guia de Responsabilidade Fiscal; além de publicações que atingem indiretamente públicos-alvos específicos, como, por exemplo, os Guias do Idoso e da Criança e do Adolescente, que trazem informações úteis para quem se preocupa com essas faixas etárias. Abaixo, a RBA traz algumas informações a respeito dessas publicações, que podem ser encontradas no portal o CFA (www.cfa.org.br).

SETEMBRO/OUTUBRO – 2015 | Nº 108

71


Publicações

GUIA DA RESPONSABILIDADE FISCAL A Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), oficialmente Lei

Pensando em melhorar esse entendimento, o CFA publicou no

Complementar nº 101, promulgada em 4 de maio de 2000, tenta

ano de 2001 o Guia da Responsabilidade Fiscal, que tem como

impor o controle dos gastos da União, Estados, Distrito Federal

finalidade auxiliar os dirigentes de organizações subordinadas ao

e municípios. A medida foi justificada pelo costume, na política

texto da Lei a operarem de maneira satisfatória os recursos dispo-

brasileira, de gestores promoverem obras de grande porte no final

nibilizados para a gestão. O Guia traz 15 temas, como a prática do

de seus mandatos, deixando a conta para seus sucessores. A LRF

planejamento, o prejuízo de cortar pessoal, estratégias de capaci-

também promoveu a transparência dos gastos públicos.

tação de fontes de recursos em administrações públicas, ética nas organizações, entre outros. O Guia é composto por três volumes.

RBA

MANUAL DE AUDITORIA E MANUAL DE PERÍCIA

A Revista Brasileira de Administração (RBA) é o veículo ofi-

A Auditoria e a Perícia são áreas exploradas pelos profissionais da

cial de divulgação do CFA. No entanto, a publicação não

Administração. Pensando neles, o CFA lançou o Manual de Auditoria

traz apenas informações institucionais, mas foca principal-

e o Manual de Perícia do Administrador. O objetivo dos manuais

mente em reportagens inovadoras, que trazem informações

é estabelecer regras e procedimentos técnicos a serem observados

úteis ao profissional de uma maneira geral. São textos vol-

pelo auditor e pelo profissional que trabalha na área de perícia.

tados para as áreas da Administração, marketing, varejo, logística, política, entre outras. Afinal, todas estão interligadas e servem de subsídios para os profissionais que buscam aprimoramento. A primeira edição da RBA foi publicada em 1989. Hoje, 26 anos depois, já são mais de 100 edições, com 120 mil exemplares impressos.

72

RBA | REVISTA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO


GUIA DA CRIANÇA E ADOLESCENTE O Guia da Criança e Adolescente, publicado em 2011, foi motivado pelas de-

Poder contribuir ativa e responsavelmente com a profissão que escolhi e abracei com muito amor é motivo de muito orgulho. Ser Administrador e pertencer a uma profissão que é tão relevante para o País e às organizações é, para mim, um diferencial competitivo do ponto de vista profissional.

terminações do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que permite aos contribuintes deduzir do imposto devido, na declaração do imposto de renda, o total de doações feitas aos Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente.

Adm. Mauro Kreuz Conselheiro federal do CRA-SP

PESQUISA NACIONAL DO ADMINISTRADOR Há 17 anos, o CFA tem investido na realização de pesquisas, de âmbito nacional, que permitam analisar cenários e identificar tendências relacionadas à Administração profissional em todo o país.

Os administradores brasileiros, nos últimos 50 anos, contribuíram para o desenvolvimento do país nas mais diversas áreas. A profissão de administração, devidamente regulamentada, ampliou o mercado de trabalho. Parabéns a todos os Administradores! Adm. Diego Cabral Ferreira da Costa Conselheiro federal do CRA-SE

GUIA DO PREFEITO O Guia do Prefeito, publicado em 2013, tem como principal objetivo mostrar os desafios e as responsabilidades do gestor público, demonstrando, inclusive, que eles têm obrigações semelhantes às dos empresários.

GUIA DO IDOSO Da mesma forma que o Fundo da Criança e Adolescente, o Fundo do Idoso também

A falta do profissional da administração revela em pesquisas, altos índices de falências de empresas privadas. Na área pública a má gestão é tão nociva quanto à corrupção, pois em ambas o dinheiro vai para o ralo. Está no administrador o resgate do país! Adm. Rogério Ramos de Souza Conselheiro federal do CRA-TO

deduz do imposto de renda. Traz informações sobre o que é o Fundo, como ele funciona, como é feita a gestão e a aplicação desses recursos em benefício do cidadão e como é realizada sua fiscalização. Além disso, o Guia traz telefones úteis de todos os Conselhos de Idosos do país, bem como informações sobre legislação. SETEMBRO/OUTUBRO – 2015 | Nº 108

73


Administradores, uma equipe que deixa tudo no azul


9 DE SETEMBRO,

DIA DO ADMINISTRADOR #ADM50anos

Desde 1965 tornando o Brasil mais azul.

Uma homenagem do Sistema Conselhos Federal e Regionais de Administração aos nossos profissionais

Saiba mais sobre o Jubileu de Ouro e a história da Administração em tudomaisazul.com.br ou radioADM.org.br


Profile for revistarba

Rba108web  

Rba108web  

Advertisement