Page 1

ano

90

nยบ 1054 maio | 2013

Papa Francisco


Editorial

Expediente Publicação mensal da Sociedade Vicente Pallotti Província N. Sra. Conquistadora Padres e Irmãos Palotinos

Redação e Central de Atendimento ao Assinante

Av. Assis Brasil, 1768 | 91010-001 Porto Alegre (RS) | DDG: 0800 516633 Fones: (51) 3021-5008 | 3021-5010 contato@revistarainha.com.br revistarainha.com.br

Superior Provincial

Pe. Lino Baggio, SAC

Diretores

Pe. Judinei José Vanzeto, SAC Pe. Jadir Zaro, SAC

Projeto Gráfico e Diagramação Juarez Rodolpho dos Santos

Turma da Mia

Textos: Benedita de Souza Ilustrações: Aline Reis

Revisão

Maria Burin Cesca Luciana Garcia de Oliveira

Assessor de Comunicação

Carlos Alberto Veit

Assinaturas e Expedição

Bianca K. B. da Silva, Dênia G. Franz Danelon Juliana S. da Silva

Impressão e acabamento

Gráfica Editora Pallotti Estrada Ivo Afonso Dias, 297 Fone: (51) 3081-0801 São Leopoldo (RS)

Revista associada a Os artigos assinados são de responsabilidade de seus autores, não expressando necessariamente a opinião da Revista Rainha dos Apóstolos.

RAINHA DOS APÓSTOLOS

PE. JUDINEI VANZETO, SAC

3

Papa Francisco: nós o acolhemos e o amamos!

M

aio é o quinto mês do calendário gregoriano e sua origem deriva da deusa romana da fertilidade. A versão grega diz que sua origem se deve à deusa Maia, a mãe de Hermes, que por sua vez é considerada a deusa da fertilidade. Entretanto, na cultura cristã católica o mês de maio é dedicado à Mãe de Jesus Cristo. Neste mês há muitas datas comemorativas, mas uma delas é muito especial: o Dia das Mães. As páginas da Miscelânea foram pensadas nas mães e nas tantas mulheres que fizeram e fazem a diferença na sociedade. Portanto, esta edição é dedicada a todas elas que trazem em si a vida e consistem num símbolo peculiar de doação e generosidade na criação divina. Caro leitor, sendo as mães homenageadas, você poderá estar se perguntando por que a capa e o Especial destacam o Papa Francisco? Uma explicação! O processo de elaboração de nossa revista começa sessenta dias antes de chegar na sua casa pelos Correios. Quando o cardeal Jorge Mario Bergoglio foi escolhido Papa não deu tempo para destacá-lo, pois a edição anterior já havia sido impressa, mas agora segue o Especial e mais dois artigos que fazem reflexões sobre o novo pontífice. No Especial, portanto, segue uma entrevista com o padre argentino Mariano Pinasco, que conheceu de perto o Papa Francisco. A teóloga paulista Benedita de Sousa escreve sobre “Um sorriso que cativa”, enquanto a teóloga carioca Maria Clara Bingemer reflete a partir do tema “Um Papa e dois Franciscos”. Papa Francisco, nós o acolhemos e o amamos pois com sua simplicidade e espontaneidade ganhou a nossa confiança e a dos não-católicos. Seu sorriso, palavras e gestos têm tocado os corações dóceis e sensíveis a Deus. Ajuda-nos a seguir, amar e conhecer Jesus Cristo. Sua missão consiste em nos conduzir seguros ao Bom Pastor, Jesus Cristo, o Filho de Maria. Que Nossa Senhora interceda e proteja nosso sumo pontífice, para ele cumprir com solicitude a missão de reger a Mãe Igreja e zelar por ela. Parabéns, mamães, pelo seu dia! Boa leitura! Maio | 2013


Especial

Papa Francisco:

Pe. Judinei vanzeto, sac

5

Simples, austero e humilde no coração da Igreja

No dia 13 de março de 2013, quando os cardeais elegeram o cardeal argentino Jorge Mario Bergoglio como novo Pontífice, a edição de nossa Revista já havia sido impressa. Contudo, para registrar esse acontecimento histórico segue entrevista com um padre argentino que conviveu com o Papa Francisco, tanto no seu país, como na Itália.

RAINHA DOS APÓSTOLOS

Maio | 2013


6

O

nosso entrevistado é o padre palotino Mariano Pinasco, cinquenta anos, que nasceu em Buenos Aires, Argentina. Mariano estudou em sua cidade natal até a conclusão do Ensino Médio. Ingressou na Família Palotina e foi enviado para estudar no Brasil. Estudou Filosofia e Teologia no Colégio Máximo Palotino, em Santa Maria (RS). Em 1990, foi ordenado sacerdote da comunidade palotina. De 1999 a 2005 fez Mestrado e Doutorado em História da Igreja pela Universidade Gregoriana de Roma, na Itália. O tema de sua tese é: “O desenvolvimento missionário da Sociedade do Apostolado Católico de 1844 a 1946”. Atualmente, reside em Santa Maria e é professor da cátedra de História no curso de Teologia na Faculdade Palotina (FAPAS) e presidente da Comissão Histórica dos Palotinos, sediada em Roma, Itália.

Foi surpresa para o senhor a eleição do cardeal Jorge Bergoglio?

Na verdade foi uma surpresa, até mesmo porque na eleição do conclave anterior, em que foi escolhido o cardeal Joseph Ratzinger (o Papa Bento XVI), o cardeal Bergoglio pediu para não votarem nele. Mas, segundo comentários, teria ficado em segundo lugar na votação. Nesse conclave imaginei que, pela sua idade, não seria escolhido Papa. Também o seu nome não aparecia entre os candidatos cotados. Foi, portanto, uma surpresa sua eleição.

O que muda na Igreja com a eleição de um Papa não-europeu, mas latino-americano?

Certamente haverá um toque especial na Igreja com o Papa Francisco em Roma, pelo fato de ser latinoamericano. Os latinos têm por característica serem espontâneos e ele se apresenta assim. Ele é filho de imigrantes italianos e nasceu na Argentina e dará um toque diferencial para toda a Igreja, pois sempre houve Papas europeus. Agora, com seu jeito de ser, dará certamente uma nova característica à Igreja. Vai enriquecê-la com seu carisma, particularmente por ser latino, fugindo dos esquemas e dos aspectos tradicionais. Sairá dos documentos e se envolverá com a prática da fé do povo.

O nome escolhido, Francisco, o que lhe sugere?

No momento, ao ouvir o nome que escolheu, me veio à mente o pobre de Assis, que o Papa Francisco adotou Maio | 2013

RAINHA DOS APÓSTOLOS


7

Fonte: www.gazetamaringa.com.br

Seminarista Jorge Bergoglio

J

orge Mario Bergoglio nasceu no dia 17 de dezembro de 1936. Filho de Mario Bergoglio, ferroviário, e Regina Maria Sivori, dona de casa. Ele decidiu seguir a vida religiosa aos dezessete anos. O cenário não poderia ser mais propício: a Basílica das Flores. O Pe. Gabriel Marronetti, 46 anos, responsável pela igreja, conta que Bergoglio foi ao confessionário e ao sair disse que Deus lhe havia pedido para ser sacerdote. Quatro anos depois, ingressou no seminário. Marronetti conviveu com Bergoglio nos últimos vinte anos e com ele mantinha contato frequente. Conta que mesmo na condição de Arcebispo de Buenos Aires, sempre cumpria a agenda na igreja do bairro, onde rezava missas e fazia orações em frente à imagem de São José.

Capela da Virgem de Caacupe, na região de Barracas, em Buenos Aires, onde costumava rezar missas

e quer reaviver. Francisco de Assis, um homem rico que viveu a pobreza, a humildade, a simplicidade e mudou muitas coisas na Igreja com seu novo jeito de ser. Mudou a maneira de viver no seu tempo. Creio que essa inspiração levará a Igreja a ser mais presente entre os pobres e menos luxuosa e pomposa. O Papa Francisco, nesses dias, tem se mostrado simples, humilde e preocupado com a pobreza do povo. Com os pés no chão, apresenta ao mundo uma Igreja serva, humilde.

O que deve ser prioridade em seu pontificado?

A prioridade do novo pontífice consiste em achar o melhor caminho para se aproximar do povo simples, excluído, sem voz e vez. Que a Igreja se avizinhe do povo de Deus. Uma Igreja da realidade. Menos império e mais experiência de Deus. O Papa Bento XVI deu prioridade aos documentos, à fé e à doutrina. Agora, com o Papa Francisco, deverá ser uma Igreja do povo fundamentada na experiência de Deus.

A Igreja está em crise ou são normais as mudanças ao longo da sua história?

As mudanças são normais e sempre aconteceram na história da Igreja. No período da Idade Média, as crises internas eram muito piores que em nossa época. A Igreja é uma instituição guiada pelo Espírito Santo, mas somos nós que vivemos nela. As mudanças existem e são necessárias para o crescimento humano. Agora, o Papa Francisco é o nosso pontífice e se mostra humilde e simples. É um sinal para toda a Igreja. Não obstante, preRAINHA DOS APÓSTOLOS

Maio | 2013


8 cisa fomentar uma reforma na Cúria Romana tornando-a menos burocrática e mais próxima do povo. Apresentar Jesus Cristo às pessoas.

O senhor conhece o Papa Francisco?

Em várias ocasiões tive a oportunidade de encontrá-lo. Fiz meus primeiros estudos num colégio jesuíta, em Buenos Aires, quando o Pe. Jorge Bergoglio era o Provincial dos Jesuítas. Na época eu era adolescente e ele veio, algumas vezes, visitar o Colégio. Enquanto estudava em Roma, por ocasião do recebimento do chapéu cardinalício, o convidamos para almoçar em nossa Casa Geral dos Palotinos. A última vez que nos encontramos foi na Estação de Metrô Buenos Aires, em fevereiro de 2013, antes de sua viagem para Roma. Ele sempre manteve boa relação com os Palotinos. O Pe. Alfredo Kelly, palotino, pároco da paróquia San Patricio, em Buenos Aires, foi seu diretor espiritual. O Pe. Alfredo foi assassinado no dia 06 de julho de 1976, no tempo da ditadura militar, na Argentina, e o Pe. Bergoglio se mostrou sensível às injustiças.

O que ainda gostaria de destacar sobre esse fato histórico da Igreja pós-conclave?

Gostaria de ressaltar a figura do Papa Bento XVI, que ficou na história, não pelo fato de ter renunciado, mas pela coragem de enfrentar os problemas internos da Igreja

vigentes em nosso século. Enfrentou a problemática da pedofilia e da corrupção. Também chamou a atenção sobre o perigo do relativismo. Exaltou a importância da fé. O Papa Francisco tem a chave na mão e, com classe e coragem, dará andamento nas decisões importantes que devem ser tomadas. O Papa Bento XVI entendeu que sua idade lhe dificultava guiar a Igreja e deixou o seu lugar para outro. Ato de plena consciência e coragem.

A Jornada Mundial da Juventude será realizada em julho no Rio de Janeiro. Comente sobre o Papa Francisco e a juventude.

Algumas características do Papa Francisco já foram detectadas pelos meios de comunicação social, pois ele se mostrou como é, ou seja, simples, humilde, austero e usa o transporte público. Para os jovens isso é cativante. Por isso, acredito que ele vai tocá-los com seus discursos e pregações, mas ainda mais com seu jeito de ser. Vai cativá-los com sua práxis, pois o fato de usar metrô e ônibus o assemelha à realidade que o jovem vive no cotidiano da vida. Isso o jovem preza!

O autor, colaborador desta Revista, é padre palotino e Jornalista em Porto Alegre (RS) jvanzeto@hotmail.com

O seminarista palotino e estudante do quarto ano do curso de Teologia da Faculdade Palotina (FAPAS), Sérgio Gonzáles, 33 anos, natural de Córdoba (Argentina), dá seu depoimento sobre o novo pontífice.

F

rancisco é um Papa de palavras e gestos externos que tocam o coração dos jovens com seu jeito simples. A juventude dá importância ao cotidiano e seus gestos não são alheios à realidade da vida. Ele é latino-americano com extrema preocupação com os pobres. Quando percebia nos seminaristas inquietudes e sensibilidade para o trabalho nas favelas, procurava dar-lhes uma preparação diferenciada. Na minha opinião, ele vai fazer muito bem para a Igreja, pois fala a nossa língua e manifesta alegria em viver a fé. Seus livros levam aos pobres uma fé encarnada na realidade do povo. Ele se mostrou, de fato, como é.

Maio | 2013

RAINHA DOS APÓSTOLOS


Momento Palotino

Sonia Maria de Souza Bonelli

9

São Vicente Pallotti e as Procuras Caros leitores, neste mês vamos falar um pouco sobre São Vicente Pallotti e as Procuras. Como qualquer pessoa curiosa, você deve estar se perguntando, o que são as Procuras? Bem, vamos retomar um pouco os fatos para compreendermos esse conceito.

RAINHA DOS APÓSTOLOS

Maio | 2013


10

P

allotti foi ordenado padre em 16 de maio de 1818, com 23 anos de idade. Naquele dia escreveu “Peço a Deus que faça de mim um trabalhador incansável”. Em 04 de abril de 1835, fundou a União do Apostolado Católico, da qual fazem parte: Padres, Irmãos, Irmãs e Leigos. Qual o objetivo dessa obra?  Despertar a consciência apostólica em todos os leigos. Todos podem ser apóstolos;  Suscitar vida nova na Igreja e em todas as obras já existentes;  Ser elemento gerador da unidade;  Levar todas as pessoas à unidade da Fé em Cristo para “Que haja quanto antes um só rebanho sob um só Pastor”. Seu carisma: reavivar a fé e reacender a caridade, bem como propagá-la em todo o mundo. Como decorrência do preceito do amor a Deus e ao próximo, Pallotti quis ajudar e promover todos os necessitados, os mais empobrecidos, os doentes, os presos, os abandonados, os soldados, os jovens, enfim, todas as pessoas necessitadas e, para isso, criou as Procuradorias ou simplesmente Procuras. O que são as Procuras? A palavra italiana “procura” vem do latim pro-curare, cuidar de, tomar cuidado por. Do latim, aliás, vem o significado que pode ter, em português: procuradoria, procurador. Procuradoria lembra plenos poderes, representação, ofício, encargo, escritório de representante autorizado. E “procurador”, no plano civil e eclesiástico, é o representante encarregado de determinada responsabilidade. Em 1839, Pallotti esboçou uma nova organização da União em treze Procuradorias, colocando cada uma sob a proteção de um dos doze Apóstolos e mais um Procurador Geral. A partir dessa nova coordenação, delineou Procuradorias provinciais e diocesanas, urbanas, obras e ministérios. Ramo feminino e masculino (todas as comunidades com direção própria, mas com direção geral do Padre Reitor). Todos movidos pela caridade de Cristo, conforme o Apóstolo Paulo aos Coríntios: “A caridade de Cristo nos impele” (2 Cor 5,14). Pallotti adota a antiga noção de procura, proveniente do latim clássico, e que traduzimos por Procuradoria, para designar cada um dos escalões organizativos de sua obra apostólica. Pe. Schulte Heinrich (colaborador de Pallotti) chama as Procuradorias de Pallotti de “comissões” para o apostolado ou grupos de trabalho. O objetivo das Procuradorias era: “manter sempre aceso o zelo de toda a comunidade ou corpo moral, motivo por que todos os membros da Procuradoria devem dispor o coração de todos, com orações, conselhos, obras a que se multipliquem Maio | 2013

os meios para conservação, aumento, defesa e propagação da piedade e da fé católica”. Destacamos, pois, as treze Procuradorias, cada uma das quais com o seu patrono e o seu objetivo. A primeira Procura, cujo padroeiro é São Pedro, tinha como função despertar e formar vocações sacerdotais, promover a formação permanente do clero, nos planos espiritual, científico e pastoral. A segunda, com o padroeiro Santo André, tinha como função as Missões Populares, retiros e atividades de pastoral especial. Para a terceira Procura, com o Padroeiro São Tiago Maior, a função era despertar o zelo do clero e do povo para as missões ‘estrangeiras’, vocações missionárias e

colégios para a formação de missionários. A quarta tinha como Padroeiro São João Evangelista e, como proposta, as associações e todas as obras de caridade e zelo em cada cidade. Como Padroeiro São Tomé, a quinta Procura tinha como objetivo a educação e formação religiosa, civil e profissional da juventude. A sexta, cujo Padroeiro é São Tiago Menor, tinha como função a orientação para o apostolado de todas as comunidades religiosas, colégios, seminários e institutos da cidade e sua agregação à Sociedade do Apostolado Católico. RAINHA DOS APÓSTOLOS


11 Para a sétima Procura, o padroeiro era São Filipe e o trabalho desta era a colaboração do clero e do povo no cultivo religioso-moral da população interiorana (os meios populares afastados da religião e não atingidos pela pastoral). A oitava tinha como Padroeiro São Bartolomeu e era responsável pela assistência religiosa e caritativa dos encarcerados e dos condenados à morte. Já a nona Procura tinha como Padroeiro São Mateus Evangelista e preocupava-se com a assistência religiosa e caritativa a todos os doentes, aos hospitalizados e aos abandonados nas próprias casas. Para a décima Procura, cujo Padroeiro era São Simão, o objetivo era a promoção da cultura religiosa e moral dos soldados e orientação dos nobres para o apostolado. A décima primeira tinha São Judas Tadeu por Padroeiro e valia-se da Literatura Religiosa e devocionários para círculos mais amplos do povo. São Matias era o Padroeiro da décima segunda procura, que tinha como finalidade o exercício das obras de misericórdia em favor dos pobres e necessitados de qualquer estado e profissão. A última Procura teve São Paulo como Padroeiro e a sua função era ajudar a todos os demais membros da Procuradoria e a todas as associações na recolha de fundos para objetivos válidos, dando prioridade à da propagação da Santa Fé. Como poderíamos definir estas Procuras nos dias atuais? Na linguagem da pastoral atual, usaríamos a palavra equipe ou grupos. Assim, as Procuradorias poderiam

ser pensadas como equipes ou grupos de coordenação e animação para a evangelização, ou seja, poderíamos entendê-las como as diferentes Pastorais que fazem parte de nossas paróquias, como a Pastoral Vocacional, as Missões Populares, as Vicentinas e Vicentinos, as Escolas de Formação, os grupos de jovens (Juventude Palotina, CLJ, ONDA, ROTA, etc.), Ministros da Palavra, da Eucaristia, Pastoral dos Encarcerados... enfim, uma série de trabalhos, de grupos e de equipes que formam uma comunidade com o objetivo maior que é a evangelização. E, como grande força motriz deste trabalho todo, teríamos o Conselho Nacional de Coordenação da UAC, força motriz e encorajadora de todos os demais grupos. Podemos afirmar então que São Vicente Pallotti foi um grande visionário em termos de organização para a Evangelização, pois conseguiu mobilizar diferentes pessoas em diferentes propostas, mas com um objetivo único que era a “missão social do Apostolado Católico” (Bonfada, 2002). Precisamos estar conscientes de nosso papel na comunidade lembrando que, como batizados, somos Igreja e como tal devemos nos guiar pelos critérios do Evangelho, ou seja, a vida de Cristo como preceito de caridade e serviço.

A autora, colaboradora desta Revista, é leiga com Compromisso Apostólico, Doutoranda da UFRGS e Professora da Faced - PUCRS, reside em Porto Alegre (RS)

Notas Palotinas O Reitor Geral da SAC acolhe o Papa Francisco

N

ós nos unimos com toda a Igreja, em agradecimento a Deus Todo-Poderoso por nos dar um pastor verdadeiramente humilde e santo, que certamente terá um papel profético no reavivar a fé e reacender a caridade no coração de todos os fiéis da Igreja. Através da colaboração com os Palotinos na Argentina, o Santo Padre conhece a nossa família Palotina e sempre manteve uma relação muito amigável conosco ao longo dos anos. Eu mesmo tive a oportunidade de me encontrar com o então Cardeal Jorge Mario em maio de 2011,

RAINHA DOS APÓSTOLOS

A Família Palotina saúda a eleição do novo Pontífice, o Papa Francisco. para discutir com ele sobre a causa de nossos cinco mártires Palotinos. Eu não esqueci a humildade e a simplicidade com que ele falou para mim. Desejamos ao nosso Santo Padre um ministério longo e fecundo de Supremo Pastor da Igreja. Sua humildade, sua simplicidade e fidelidade aos valores do Evangelho trazem uma nova era de fraternidade, de paz e de crescimento da Igreja. Os pobres do mundo encontrarão nele uma voz. Ao pedir a bênção ao Santo Padre para a nossa Família Palotina, asseguro-lhe a nossa humilde oração e a obediência filial. Pe. Jacob Nampudakam, SAC Reitor Geral | Roma - Itália Maio | 2013


12

Mundo Sustentável

Construindo ou reformando Deixe sua casa sempre mais agradável: mais fria no verão e mais quentinha no inverno!

E

m sustentabilidade, temos os 3 R’s: reduzir, reutilizar e reciclar. O que significa isso? Uma nova postura de vida. Reduzir o consumo, comprando (e utilizando) somente o necessário. Reutilizar objetos, equipamentos, utensílios sempre que possível. E reciclar, que é transformar algo em outra coisa, com novas utilidades. Neste mês, vamos mostrar como é possível utilizar os chamados recursos térmicos passivos, que nada mais é do que aproveitar o que já existe em prol de mais conforto em nossos lares. Com o aquecimento global, a preocupação maior é com o calor – nem poderia ser diferente. Porém, como ficam os lugares que experimentam variações constantes? Há locais do País, como São Paulo e Rio Grande do Sul, em que temos, num mesmo dia, temperaturas acima de 25º ao meio-dia e abaixo de dez graus à noite. Temperatura interna agradável, quem não quer? Nosso lar é nosso cantinho, quanto mais confortável melhor, não é mesmo? No mês de março, tratamos de como deixar a casa mais fresquinha no verão, a partir de providências internas (decoração, disposição dos móveis etc.). Agora, vamos abordar itens importantes na hora de construir ou reformar, que devem ser observados seja para resfriar, seja para aquecer. Até mesmo algumas pequenas reformas, que você mesmo(a) pode providenciar. Os benefícios são garantidos.

É importante lembrar que:

O sol, a luz que se projeta no ambiente, é fonte de calor. Assim, no verão, quanto mais indireta a luz chegar aos seus aposentos, melhor. Em contrapartida, com temperaturas baixas, quanto mais direto o sol, melhor. Como fazer, então, para compatibilizar as duas situações? O importante é evitar a entrada do sol no verão e deixar o sol entrar no inverno. Encontre formas de sombrear as paredes das faces leste e oeste. Isso não quer dizer “pintar de escuro”. Maio | 2013

1) Jardim vertical e coberturas verdes. O reflorestamento urbano vai bem além de embelezar ou tornar agradável a sua casa. Beneficia a todo o meio ambiente. É um recurso valiosíssimo nos dias quentes, pois funciona como isolante térmico. Para que a umidade não se torne desagradável no inverno, você pode usar sarrafos ou pallets para prender os vasos ou revestir as paredes com um selador antes do reboco. Casas totalmente cobertas de verde, com trepadeiras cobrindo toda a sua extensão, são comuns em países muito frios. Plantar verde é também uma bela e efetiva solução para as casas que não têm telhado, apenas laje: cubra com verde (ecotelhado) ou cultive uma horta orgânica. Coberturas verdes são sugestões interessantes também em edifícios nas grandes metrópoles. 2) Bloqueadores, refletores. Muros ou garagens servem de bloqueadores para as altas temperaturas. Qualquer coisa que sirva de obstáculo para diminuir o calor, gerando sombra, irá refrescar nos dias de calor. No frio, revista os muros ou garagens com uma superfície de alumínio, espelho ou recicle as embalagens tetrapak. Para refletir os raios solares para dentro de casa, coloque uma “parede” de tetrapak ou espelho do lado externo da janela (com a parte “luminosa” voltada obliquamente para dentro, de forma a refletir a luz e o calor). Também pode colocar próximo a um canteiro mal ensolarado ou em algum aposento que receba pouca luz e pouco calor. 3) Plantar árvores ao redor da casa ou do edifício. As árvores proporcionam sombra e umidificação no verão. No inverno, precisam ser podadas (nos meses que não possuem R em seu nome – maio, junho, julho e agosto) para permitir a infiltração dos raios solares. Para tanto, dedique atenção especial ao tipo de árvores que irá plantar, levando em conta, também, o crescimento das raízes. O ficus, por exemplo, possui um sistema radicular “destruidor”. As suas raízes se projetam num raio de até trinta RAINHA DOS APÓSTOLOS


MARISE JALOWITZKI

metros da planta e podem comprometer muros, paredes e levantar calçadas. 04) Janelas grandes e envidraçadas. Ao construir, instale janelas voltadas para o lado leste – assim, o sol entra na casa apenas na parte da manhã. Janelas grandes garantem bastante luminosidade e troca de ar no ambiente, em poucos minutos. A ventilação é importante em qualquer situação. Como vidro não é isolante térmico, não impede a entrada dos raios infravermelhos – responsáveis pelo calor – mas atrapalha a sua saída. “Cortinas blecaute de plástico e insulfilm escurecem o ambiente, mas também absorvem, armazenam e transmitem calor para dentro do apartamento’’, salienta Raul Bueno, arquiteto urbanista e professor. Assim, no calor, além do ventilador de teto e do ar-condicionado (grau mínimo possível), coloque uma placa de isopor colada parcial ou totalmente sobre o vidro da janela, o que pode diminuir de cinco a dez graus a temperatura ambiente. No frio, abra as janelas, levante as cortinas, deixe o sol e o ar quente entrarem (se estiver muito frio, mas ensolarado, deixe a vidraça aberta alguns minutos até trocar o ar e, depois, permita que apenas o sol entre). A sua casa ficará aquecida mais rapidamente. Após o sol se pôr, a temperatura externa diminui rapidamente. Feche, portanto, as janelas quando o sol ainda estiver se pondo e conserve o calor absorvido no interior da sua casa. 05) Persianas externas ou persianas copacabana. Sim, estamos falando das velhas e boas persianas reclinadas, aquelas dos prédios antigos. Economia produzida ao longo dos anos, rende mais do que aquela gerada em curto prazo. De que adianta economizar na hora da construção e amargar uma geração excessiva de energia elétrica durante toda a vida? “Como fica do lado de fora da janela, mantém o calor por lá, refletindo a luz e os raios infravermelhos. Quanto uma persiana pode economizar? Fazendo cálculos básicos, um quarto de 12m² com um janelão de 4,5m² sem proteção, precisa de um condicionador de ar de 13.400 btus. Se tiver persiana reclinada, esse valor cai para 11.400 btus. Trata-se de uma redução de 2.000 btus ou 15% do total por aposento! Nada desprezível, pois economiza 585 watts/hora ou cerca de setenta reais por mês para cada cômodo desse tamanho, considerando um uso de oito horas diárias do aparelho”, explica o arquiteto Raul Bueno. RAINHA DOS APÓSTOLOS

13

05) Exaustor eólico. Coloque alguma forma de chaminé (aquelas “bolas de alumínio” que circulam sobre edifícios) para ventilar ambientes. Garantem ar mais puro e, no verão, ajudam o ar quente a sair de dentro da casa. Outro recurso é o brise soléil, aqueles tijolinhos “furados”, um quebra-sol que impede a entrada direta da luminosidade. 06) Varandas. Varandas ajudam bastante a diminuir a temperatura no verão, se você fizer um pé direito alto. Varandas de telhado de zinco e de pé direito baixo aquecem muito, pois potencializam a radiação. Assim, utilize telhas e, no frio, coloque as “paredes” isolantes em pontos estratégicos, como explicado no item 2. 07) Paredes e telhado. Ao construir, considere a quantidade de insolação lateral da casa. Se o sol bate direto (seja pela manhã ou à tarde), as paredes agirão como baterias térmicas, deixando o interior da casa bastante quente e acima da zona de conforto térmico. Paredes externas e telhado com cores claras refletem a luz solar e absorvem menos calor. Deixe espaço entre o telhado e a laje para o ar funcionar como barreira. 08) Material de construção. Escolha tijolos ecológicos, feitos de bambu, casca de castanha, madeira plástica, fibra pet reciclada etc. Ou, pelo menos, escolha telhas de cerâmica e evite as feitas de alumínio ou concreto, zinco ou calhetão, que deixam passar, facilmente, a temperatura externa. 9) Isolantes térmicos. Você também pode colocar, entre o teto e o telhado, materiais isolantes como isopor ou embalagens tetrapak ou aplicar uma manta térmica. O revestimento impede que o calor ou o frio excessivos entrem. Um reboco com pérolas de eps (o isopor) é, também um potente isolante térmico. 10) Barro - Adobe - Superadobe. Procure usar a maior quantidade de barro possível na construção. Livre-se do preconceito e informe-se. A terra in natura é um isolante térmico natural. Casas feitas com adobe ou superadobe (90% de terra + 10% de areia ensacada) estão sendo implantadas em diferentes projetos (veja detalhes de como fazer em nosso site). www.revistarainha.com.br/mundosustentavel A autora, colaboradora desta Revista, é escritora, educadora e ambientalista compromissoconsciente@gmail.com

Maio | 2013


16

Catequese, vocação e missão

A

pesar de ter passado quase dois meses da eleição do nosso Papa Francisco, estamos ainda surpresos e felizes com a sua escolha. Para nós, catequistas, foi uma alegria e uma graça ainda maior, pois sabemos que dele virão expressivas diretrizes que irão acrescentar ao nosso trabalho de evangelização missionária conteúdos e vivência real dos ensinamentos de Jesus Cristo. O momento é ainda de grande emoção e felicidade. Tudo nele encanta e emociona. O jeito de se comunicar, a humildade e o desprendimento das coisas supérfluas, a quebra constante dos protocolos, fazendo com que esteja sempre próximo do povo, um sorriso franco e aberto com sabor de pai forte e acolhedor, e o jeito todo especial de pedir: “rezem por mim”. Mesmo os que não professam a fé católica sentem-se contentes com suas atitudes como autoridade em relação à preservação do planeta. Numa certa vez, disse: “Guardem a criação de Deus, cada homem e cada mulher, com um olhar de ternura e amor. Não tenham medo de serem ternos e amorosos”. Este homem de Deus, desde o início, encantou a todos com seu jeito simples de se comunicar, de querer estar próximo das pessoas, cumprimentá-las, sorrir para elas, repetindo por várias vezes, a necessidade que todos têm ao direito de serem amados e protegidos, principalmente os idosos, as crianças, os pobres e os humildes. Analisando a reação da maioria das pessoas, percebemos que já fazia algum tempo que o povo não se identificava tanto com alguém de grande poder e autoridade na Igreja e que se mostrasse tão parecido com cada um de nós. Esta forma de agir cativou também aos catequistas que buscam, na sua caminhada de fé e missão catequética a necessidade de ter um líder que lhes transmita confiança nas suas palavras e ações, fundamentadas na caminhada de Jesus Cristo; e isso o Papa Francisco nos trouxe. A cada palavra que ouvimos de sua boca nos passou a ideia de como seriam seus projetos de caminhada seguidora do maior pregador da Galileia, Jesus Cristo e do apóstolo pescador São Pedro. Quando foi eleito, ele disse ao povo: “Agora iniciamos este caminho, Bispo e povo… Este caminho da Igreja de

Maio | 2013

Roma, que é aquela que preside a todas as Igrejas na caridade. Um caminho de fraternidade, de amor, de confiança entre nós”. Como ele bem o disse, presidir na caridade é o mesmo que no amor ágape, um amor fraterno, amigo, solidário, junto de Deus. Algumas características marcaram demais a identificação do Papa Francisco com os catequistas. Em uma de suas homilias, ele ressaltou que a tarefa da Igreja é evangelizar. Desta forma, todos nós temos certeza de que a Igreja recebeu um presente de Deus com a eleição deste servo de Deus e sucessor de São Pedro. Em nossas orações (como ele pediu), peçamos ao Pai que o nosso Pontífice possa conduzir a Igreja pelos caminhos do Evangelho e no testemunho da salvação de Deus. Que o seu pontificado seja, especialmente, fundamentado no poder do Espírito Santo, e isso já se fez real pelo nome escolhido: “Francisco”, o qual nos transmitiu um pouco da sua personalidade como chefe da Igreja. RAINHA DOS APÓSTOLOS


BENEDITA DE SOUSA

Francisco de Assis foi um homem da paz, viveu o Evangelho em profundidade, amigo dos pobres, da natureza e dos animais. Humilde, forte e grande catequista. O outro Francisco, o Xavier, foi um santo, jesuíta como ele. Um homem de muita coragem e fé, de ação missionária e voltada à evangelização. Catequista e missionário, foi companheiro de Santo Inácio de Loyola. Lutou toda a sua vida para que a mensagem do evangelho de Jesus Cristo chegasse ao Oriente e fosse conhecida por todos. Finalizando a nossa reflexão sobre o Papa Francisco em relação à catequese e à evangelização no mundo, percebemos que suas propostas e projetos em relação ao futuro da Igreja passam por caminhos difíceis, mas promissores, e nós, como catequistas, estaremos atentos a estes novos rumos. Vejamos o que disse Dom Leonardo Steiner, secretário geral da CNBB a respeito do Papa Francisco e a evangelização: “A eleição de Francisco revigora a Igreja na sua missão de RAINHA DOS APÓSTOLOS

17

fazer discípulos entre todas as nações, conforme o mandato de Jesus (cf. Mt 28,16). Ao dizer “sim” a este sublime e exigente serviço, Sua Santidade se coloca como Pedro diante de Cristo, confirmando-Lhe seu amor incondicional para, em resposta, ouvir: “Cuida das minhas ovelhas” (cf. Jo 21,17). Portanto, catequistas que somos e inspirados no talento, humildade, amor ao próximo e responsabilidade de pastor do nosso Papa Francisco, nos juntemos ao Cardeal Dom Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, que disse: “O Papa Francisco já entrou no coração do povo. Deus o ilumine e fortaleça! Deus abençoe toda a Igreja e a humanidade inteira através do seu ministério petrino, como servidor das ovelhas do Supremo Pastor! E São José, que festejamos no dia da inauguração solene de seu Pontificado, interceda paternalmente por ele. Amém”. A autora, colaboradora desta Revista, é teóloga e escritora em São Paulo (SP)

Maio | 2013


O Evangelho em sua vida COORDENAÇÃO: PE. EDGAR XAVIER ERTL, SAC

05 de Maio de 2013 6º Domingo da Páscoa

1ª leitura: At 15,1-2.22-29 Salmo: (67),2-3.5.6.8 (R/. 4) 2ª leitura: Ap 21,10-14.22-23 ou Ap 22,12-14.16-17.20 Evangelho: Jo 14,23-29 ou Jo 17,20-26 Branco | II Semana do Saltério Texto: Pe. Jurandir Goulart Soares, SAC

A

Liturgia da Palavra, neste 6º Domingo da Páscoa, vem nos assegurar a manifestação trinitária de Deus na comunidade dos crentes, pois, todo aquele que crê tornar-se-á morada do Pai, do Filho e do Espírito Santo. A primeira leitura apresenta um resumo do Concílio (reunião) de Jerusalém presidido pelos apóstolos, a fim de resolver o seguinte problema da Igreja nascente: devemos acolher ou não aos pagãos sem antes passar pelo judaísmo, isto é, sem a circuncisão? A decisão final dos apóstolos sob a instrução do Espírito Santo é muito sábia, pois reconhecem que não é a lei que salva, mas Jesus Cristo. Na leitura do Livro do Apocalipse (revelação), João tem a visão da Nova Jerusalém, Cidade Santa, a Igreja de Cristo, fundada sobre o alicerce dos doze apóstolos. A cidade não necessita de templo, porque nela habita Deus. Tampouco precisa de luz do sol, porque a glória de Deus a ilumina, a sua luz é Jesus Cristo, O Sol nascente que veio nos visitar. Para melhor compreender o Evangelho deste Domingo é preciso ter presente a pergunta de Judas (que não apareceu no texto). “Por que te manifestarás a nós e não ao mundo?”. A esta pergunta, Jesus dá a seguinte explicação: o mundo não O ama nem guarda seus mandamentos, por isso não pode perceber a grande manifestação de Deus que se dá em sua morte e ressurreição. É preciso amar para entender, e não existe amor sem ouvir e colocar em prática a Palavra de Deus. A todo aquele que crê, Jesus promete a morada de Deus na sua vida, isto é, o Reino de Deus. Esse Reino, que o próprio Jesus tinha iniciado com a primeira comunidade de seus seguidores, de agora em diante, será ensinado e recordado pelo Espírito Santo, enviado do Pai em seu nome. O Espírito da Verdade tem aqui duas funções: a de ensinar e recordar. Com relação à primeira, a função de ensinar, podemos o evangelho em sua vida

37 Ano c | MAIO 2013

O Espírito Santo vos recordará tudo o que eu vos tenho dito nos perguntar: haverá, talvez, alguma coisa que Jesus se esqueceu de ‘ensinar’ aos seus? Não. Ele não nos omitiu nada. Entretanto, é necessário que o Espírito continue nos ensinando por várias razões: somos lentos para entender, somos pessoas de pouca fé, as novas situações que a história nos apresenta, os problemas complexos que a Igreja enfrenta. Tudo isso requer a luz do Espírito da Verdade. O Espírito tem, também, a função de recordar. Diante de tantas violências, opressão e todo tipo de exclusão que há no mundo, é preciso que o Espírito recorde ao discípulo de Jesus o mandamento do amor e suas implicações. Por último, Jesus promete o dom da paz: ‘Deixo-vos a paz, dou-vos minha paz. Não vo-la dou como o mundo a dá’. A paz prometida por Jesus cresce quando se estabelecem entre as pessoas relações novas, onde o egoísmo cede lugar ao serviço e o amor desinteressado pelos últimos.

Para refletir

Toda comunidade que vive o amor fraterno torna-se templo de Deus. Como minha comunidade vive o mandamento do amor? Diante das situações adversas, há espaço em minha vida para os ensinamentos do Espírito Santo, o Revelador da Verdade, prometido por Jesus aos discípulos e, hoje, a nós seus discípulos missionários?

Leituras da semana

Seg.: At 16,11-15 | Sl 149,1-2.3-4.5-6a.9b (R/. 4a)| Jo 15,26 -16,4a. Ter.: At 16,22-34 | Sl 137(138),1-2a.2bc-3.7c-8 (R/. 7c) | Jo 16,5-11. Qua.: At 17,15.22-18,1 Sl 148,1-2.11-12ab.12c-14a.14bcd (R/. 3x Aleluia) | Jo 16,12-15. Qui.: At 18,1-8 | Sl 97(98),1.2-3ab.3cd-4 (R/. cf. 2b) | Jo 16,16-20. Sex.: At 18,9-18 | Sl 46(47),23.4-5.6-7 (R/. 8a) | Jo 16,20-23a. Sáb.: At 18,23-28 | Sl 46(47),2-3.8-9.10 (R/. 8a)| Jo 16,23b-28. Maio | 2013


Galeria

60

Homenagem aos oitenta anos de

Familiares homenageiam,

Iracema Schneider Corrêa,

P

ela passagem de mais um aniversário, completando 87 anos no dia 20 de fevereiro de 2013. Além disso, nunca deixa de ler a Revista Rainha da qual é assinante desde 1990.

Clementina Morgan Dal Pizzol

O

s seus onze filhos, 26 netos, treze bisnetos, genros e noras, desejam-lhe muitas felicidades por mais esta data completada. Tapera (RS)

Nadia Buske | Salto do Jacuí (RS)

Os amigos, Manuel Cesar, Gracinha, Jonathans, Bruno e Arquecelina, homenageiam

Margarida Gonçalves de Almeida

M

ulher forte e muito amiga de Jesus, é um sopro de simplicidade. Ela é membro da equipe de ofertas da paróquia Nossa Senhora dos Remédios e aniversariou dia 10 de fevereiro. Tão dedicada aos seus alunos e generosa com os seus. Desejamos a essa grande mulher e professora, muita paz, saúde e sucesso. E que possa realizar todos os seus sonhos. São os votos de seus amigos. Arquecelina Sá Catolé do Rocha (PB)

Maio | 2013

O pequenino

Gabriel Cruz de Mello,

de um ano e meio, com seus pais. Porto Alegre (RS)

Guilherme Francisco Stringari

A

o escrever esta mensagem, quero dividir com vocês, leitores e amigos, a alegria que vivi nestes dois últimos meses. Pensei que, quando chegasse aos 97 anos, não passaria mais por grandes emoções, mas Deus nos surpreende. Recebi da Secretaria de Educação e da Escola Estadual Piratini uma homenagem de professor destaque 2012. Trabalhei setenta anos e, passados vinte anos, lembraram-se de mim. Que alegria! Também fiz setenta anos de casado. Acreditem, setenta anos! Deus me deu esta benção. Hoje minha amada tem 92 anos de pura beleza,amor,respeito e amizade. O que será que a vida me reserva? Pago para ver! Com carinho, Guilherme Francisco Stringari

Estamos aguardando as suas fotos! Faça parte de nossa galeria!

Acesse nosso site e encontre as fotos na seção Galeria de cada mês!

revistarainha.com.br

Homenagem aos oitenta anos da paroquiana

Celita Fidelis

A

paróquia Vicente Pallotti e seus amigos a homenageiam por esta importante data. Celita faz parte do Apostolado da Oração e do projeto Formiguinhas. Parabéns!!! Porto Alegre (RS) RAINHA DOS APÓSTOLOS


Culinária

Receitas Testadas por CÉSAR BUFFET Fone: (51) 3341-4188 | www.cesarbuffet.com.br | atendimento@cesarbuffet.com.br

61

Picadinho com Molho de Iogurte INGREDIENTES ½ kg de alcatra 250g de iogurte natural 1 litro de caldo de legumes 1 gema 2 cebolas Suco de ½ limão 1 maço de salsa cortado bem fininha  Sal e pimenta-do-reino a gosto       

Dica: servir com arroz branco e mix de folhas verdes

MODO DE PREPARO Picar a cebola bem fininha. Cortar a carne em cubos pequenos. Temperar com sal e pimenta-do-reino. Cozinhar a carne temperada com a cebola e caldo de carne por 1 hora e meia. Preparar um creme misturando o iogurte, a gema e o suco de limão. Colocar na panela junto com a carne e cozinhar por 2 a 3 minutos. Salpicar com a salsa e servir.

Escondidinho de

Pinhão

INGREDIENTES  600g de pinhão cozido e descascado  250g de frango (pode ser sobras)  ½ sache de molho pronto  1 pote de requeijão (ou creme de leite)  200g de queijo parmesão ralado  2 ovos  Sal e pimenta-do-reino a gosto

MODO DE PREPARO Temperar o frango com sal e pimenta-do-reino. Cozinhar e desfiar, acrescentar o molho e reservar. Passar no processador o pinhão para fazer a paçoca. Temperar com sal. Misturar os ovos e a metade do queijo ralado. Colocar em um refratário a metade da paçoca temperada. Por cima, o frango com o molho e o requeijão. Cobrir com o restante da paçoca e do queijo ralado. Levar ao forno para gratinar.

RAINHA DOS APÓSTOLOS

Maio | 2013


62

Creme de Chocolate no micro-ondas

INGREDIENTES  4 colheres de sopa de amido de milho  6 colheres de sopa de chocolate em pó  1 gema  1 litro de leite  1 caixinha de leite condensado  2 caixinhas de creme de leite

MODO DE PREPARO Em uma tigela de vidro funda, misturar o amido de milho, o chocolate e a gema peneirada. Acrescentar o leite vagarosamente mexendo sempre. Depois de bem misturado, juntar o leite condensado e mexer bem. Levar ao micro-ondas por 10 min. na potência alta, mexendo a cada 2 min. até engrossar. Retirar do micro-ondas e deixar esfriar um pouco. Juntar o creme de leite e misturar até ficar homogêneo. Colocar em copinhos ou tigelinhas e levar à geladeira. Servir gelado.

Suco Nutritivo INGREDIENTES  Suco de 5 laranjas  Suco de 1 limão  ½ xicara de beterraba descascada e picada  ½ xícara de cenoura descascada e picada  ½ xícara de espinafre lavado e picado  1 xícara de água  Açúcar a gosto

MODO DE PREPARO Bater todos os ingredientes no liquidificador sem o gelo. Coar e servir com gelo.

Maio | 2013

RAINHA DOS APÓSTOLOS


Artesanato

rosa poletto

63

Pimentas decorativas para sua cozinha

Material:  moldes  tesoura  tecido de sua preferência  filtro marrom  agulha  linha de costura  linha de bordar marrom  fibra para enchimento  fitas para acabamento

RAINHA DOS APÓSTOLOS

Com o molde da pimenta risque duas partes iguais no tecido, recorte e costure à mão ou à máquina.

Maio | 2013


64

Virar o tecido e preencher com a fibra (com o auxílio da tesoura). Com o molde do acabamento, risque no feltro, recorte e costure na parte superior da pimenta. Introduza a fita na parte superior para fazer o acabamento. E está pronto o seu enfeite para a cozinha. Abaixo os moldes para você recortar e montar seus enfeites.

Maio | 2013

A autora, colaboradora desta Revista, é artesã

RAINHA DOS APÓSTOLOS

Revista Rainha dos Apostolos - Maio 2013  

Publicação Mensal da Sociedade Vicente Pallotti - Santa Maria (RS)

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you