Issuu on Google+

MSN raggadrops@hotmail.com

PHIL KLEIN/REUTERS

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Imortal Depois da morte do rei, o Ragga Drops preparou um especial

Pรกginas 4, 5 e 8


ESTADO DE MINAS

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Não se engane: ser profissional da música significa muito mais do que saber tocar um único instrumento

Fazer faculdade de música é o desejo de muitos. Mas, pra isso, é necessária uma introdução prévia no ramo, de preferência com alguns anos de antecedência. Não dá pra chegar aos 18 anos e decidir, de uma hora pra outra, ser músico. “Até porque, pra entrar no curso é exigido na prova de aptidão um nível mínimo de conhecimento de alguns tópicos. Tem que ter um tempo de relação com a música e um ouvido bem treinado também”, aponta o músico Pedro Morais, de 27 anos, já conhecido no meio musical da capital mineira. A maioria dos alunos que fazem faculdade de música hoje já entra na graduação depois de um longo contato com os instrumentos. Muitos deles também fazem parte de bandas de estilos diversos, desde samba e chorinho até o rock ’n’ roll, passando ainda por instrumentistas eruditos. Dentro do ramo musical, existem diversas áreas de atuação. No caso da Uemg, por exemplo, o aluno que optar pelo curso do turno da manhã vai sair preparado pra dar aulas na educação básica. Por outro lado, as aulas do turno da tarde trabalham o estudo mais aprofundado de instrumentos, com o objetivo de melhorar o desempenho nos aparelhos. Ainda existe a opção da graduação no turno da noite, em que existe uma mistura dos dois cursos citados anteriormente. Pra cada opção, o aluno deve selecionar o que tem mais a ver com seu objetivo. “A importância do

curso de música está ligado ao desenvolvimento, à consciência e às noções de técnicas do instrumento que o aluno vai adquirir. As informações capacitam o aluno tanto pra dar aula como pra tocar em bandas ou ser um arranjador, produtor etc.”, indica Fernando Rodrigues, coordenador do curso de licenciatura em música com habilitação em instrumentos e canto, da Uemg. Fernando também dá aulas de algumas disciplinas, como tópicos em música popular, além de tocar nas bandas DibSix (anos 70) e Dona Jandira. Uma boa prova de que é possível atuar em diferentes áreas dentro da profissão. O curso de música explica, por meio da teoria, como são formados os acordes, as regras harmônicas e suas origens. “É como se tudo isso fosse dissecado. O aluno acaba entendendo melhor como ocorre o seu processo de criação. No curso você vai aprender o nome dos acordes e se situar pra trabalhar com mais conforto e equilíbrio”, aponta Pedro Morais, que está no 7º período da Uemg. O músico garante que o curso é obrigatório tanto pra quem quer dar aulas de música como também para aqueles que pretendem ser instrumentistas. Para o produtor musical Gegê Lara, há 32 anos no mercado, o curso é fundamental pra quem quer seguir na carreira erudita. “A exigência nesse ramo é muito maior do que na música popular. A complexidade da música erudita exige essa formação, esse conhecimento”, explica. Gegê afirma que a faculdade não é necessária para um músico vender discos e fazer sucesso, mas todo aprimoramento e estudo são sempre bem-vindos. Aliás, essa é uma das questões que os três entrevistados concordam: estudar nunca é demais, ainda mais em se tratando de uma área do interesse do aluno. Pra quem pretende fazer o curso, sempre é importante pesquisar e conversar com professores e alunos. Essa é uma ótima maneira de se situar antes de tomar uma importante decisão.

QUANTO GANHA

Daniel Ottoni

Em Belo Horizonte, é possível encontrar o curso de música na UFMG e na Uemg. Dentro delas, são várias as opções de instrumentos e áreas de atuação.

Varia muito e depende da atuação do profissional. Um músico de boteco, por exemplo, costuma ganhar um “pouquinho” menos que o Mick Jagger.

Posso ser músico?

TESTE

POR

Quero ser músico porque: a) Meu pai tinha uma banda quando era adolescente. Ou seja, a música está no sangue da família. b) Tenho contato com música desde moleque. Cresci ouvindo de tudo um pouco e ainda toco violão desde os 6 anos. c) Com um pouco de sorte, serei em pouco tempo o Mick Jagger da minha geração. Só falta montar uma banda, gravar um disco, conhecer um produtor e arrumar um lugar pra tocar. Mole! Dentro do curso, pretendo... a) Conhecer, na teoria, como funcionam os acordes e harmonias pra ganhar uma noção melhor do que será realizado na prática. b) Levar meu bandolim e, no intervalo, impressionar todas as garotas do câmpus. c) Conhecer um tanto de gente que toca em bandas e tentar virar produtor de todas elas, se possível. Antes de entrar no curso, é necessário... a) Conhecer o maior número de bandas que tocam em BH, pra ter algum assunto na hora de trocar uma ideia com a galera. b) Conversar com profissionais, alunos e professores, pra saber informações do curso em geral e se ele atende as minhas aspirações. c) Ter uma banda. Afinal, pra ser músico temse que ter uma banda. Se marcou b/a/b, você tem futuro.

Músico

VESTIBULAR

PROFISSÕES


ESTADO DE MINAS

quinta-feira, 2 de julho de 2009

FOTOS: DUDUA’S PROFETA/ESP. EM

manda o seu!

NA 5ª SEXTANEJA MINAS

Galera

Carolina Majuri (21)

Galera

Érika Lopes (21) e Karina Leite (22)

Rodrigo Anjos, do Minas Tênis Clube

Daniela Santos (20), Lucas Catão (20) e Eliza Abreu (19)

Galera durante o show da banda Carron

Rick e Ricardo

PROMOÇÃO RAGGA DROPS MANITU

+

Mande uma foto da sua galera fazendo RAGGA para o nosso e-mail (raggadrops@hotmail.com) e concorra ao CD De tempos em tempos, da banda Manitu. As 15 mais criativas vão levar o prêmio pra casa. Érica, Érica Dani e Ana em emSão SãoJoão JoãoDel del Rey Rei

Thaysa Silveira (15) e Talita Tavares (15), de Divinópolis

As imagens devem ser enviadas até sexta-feira, dia 10, e as vencedoras serão publicadas no Ragga Drops da semana seguinte.


ESTADO DE MINAS

quinta-feira, 2 de julho de 2009

www.raggadrops.com.br

“Um pedaço de mim Por Thaís Pacheco

O depoimento de uma (ór)fã de Michael Jackson Karen Bhering Andrade nasceu em 1994. No ano seguinte, Michael Jackson fazia aquela que seria sua última apresentação em turnê. Quatro anos mais tarde, o pai dela, advogado e procurador do estado, Maurício Bhering Andrade, apresentava Thriller à filha: “Na hora, é claro que fiquei com medo, né? Tinha 5 anos”, lembra Karen. Mas bastou uma única música pra que ela se apaixonasse pelo maior ícone pop de todos os tempos. “Desde pequenininha... Comecei a ver os vídeos dele e a dançar como ele. Entrei em aula de street dance e a minha professora me deixava dançar no colégio vestida de Michael Jackson. Adorava fazer isso, me sentia perto, conectada com ele”, conta Karen, aos prantos. Em março, ela ficou sabendo que Michael Jackson voltaria aos palcos em uma turnê que incluía 50 shows só em Londres. Não titubeou. Falou logo com o pai e se ofereceu até pra trocar a festa de 15 anos pela passagem para a capital inglesa, com direito a ingressos para o show. O pai aceitou a negociação e resolveu que iria junto. Tentaram comprar os primeiros ingressos por todos os meios: a internet que dava pane no site do ticketmaster, acionistas de Londres e o American Express. E nada. Enquanto decidiam como comprariam ingressos, começaram a procurar voos. Não havia nenhuma companhia, nenhum voo. Às vezes tinha a ida, mas não a volta, não tinha passagem via Paris, Miami ou Lisboa. “Mas num lance de sorte,

por causa de uma desistência, conseguimos um upgrade com milha pra ir e voltar juntos”, conta o pai, Maurício. Já que sorte pouca é bobagem, alguns dias depois ficaram sabendo que a estreia da turnê havia sido adiada. Entraram na internet e não só acharam ingressos para o primeiríssimo show, que seria dia 13 próximo, como acharam um preço camarada: 400 pounds na sessão 112, que é ao lado da pista, bem pertinho do palco. Ao contrário dos US$ 2 mil que estavam vendo por aí. Estava tudo certo. Mas duas semanas antes, em 23 de junho, Karen sentiu algo estranho. “Estava com um pressentimento ruim. Do nada pensei ‘E se ele morre antes do show?’. Minha mãe até perguntou o que foi, disse que era um pressentimento ruim, e falei que não sabia o que era, mas estava mentindo. Já tava sentindo isso, mas não quis acreditar”, lamenta Karen, que emenda, sem conseguir conter a emoção: “Não estou acreditando que ele morreu. Tinha uma vida pela frente, com esses shows de agora ele ia conseguir recuperar o que perdeu, aquela vontade de entrar no palco, ele ia sentir tudo aquilo que tinha sentido antes. E eu ia ver. Faltava tão pouco”. O sonho acabou e esse não tem mais volta. No dia 25 de junho, Michael Jackson morreu vítima de uma parada cardíaca. No dia 26 Karen faltou à aula: “Não conseguiria. Fiquei até três da manhã vendo as notícias e se fosse pra aula ia ficar chorando lá. Todo

mundo ia falar disso”. Nesse mesmo dia, 24 horas depois da morte do astro, o Ragga Drops foi até a casa de Karen e a cena era mesmo triste. Entre fotos, desenhos, biografia, CDs, DVDs, os comprovantes de compra das passagens pra Londres e o ingresso do show, ela chorava pela perda do ídolo. A irmã mais nova, Brenda, chorava pela morte do (nem tão) ídolo e pela dor da irmã. E a mãe, Nilber, chorava por ver as duas filhas chorando. O pai segurava as pontas e tentava pensar na lição de vida que isso vale, enquanto tentava convencer a filha a manter os planos da viagem e ir pra Londres, nem que for pra assistir ao musical Thriller, que conta a vida do astro. Vai passar. A gente sabe. Mas chorar também é bom. Alivia... E Michael Jackson, cá entre nós, entra para o mesmo hall de imortais já ocupado por Elvis Presley e John Lennon. Confira a conversa com Karen, que agradece a chance de desabafar, e que representa toda uma legião de fãs:


manda o seu!

O que ele significava pra você?

Tudo. Ele era um exemplo e me inspirava nele. Foi um anjo que Deus enviou. Ele alegrava todo mundo. Ele é o cara. O que ele significava pra música? Nossa... Ele era o rei do pop. Sempre vai ser o rei do pop. Ninguém vai mudar isso. O que vai mudar daqui pra frente? Compara-se à morte de John Lennon ou Elvis Presley? Agora que ele morreu, todo mundo vai ficar imaginando como seria o show de Londres e o que ele ia fazer. O Michael não só cantava quando entrava no palco. Dava 100%, dançava... Os Beatles são ótimos, mas o Michael Jackson amava sinceramente o que fazia. Ele estava ensaiando de 6 a dez horas por dia pra fazer o show de Londres. Ele é um ícone, inspira muitas pessoas, será sempre lembrado por todos. Não tem uma pessoa que eu conheça que não saiba quem é Michael Jackson. Você sabia coisas da vida particular dele, como o nome da mãe ou o signo? Sabia pouco. Sempre quis ser amiga dele pra conhecer tudo, porque tudo que falam dele é um mistério. Então, não sei em quem acreditar, por isso sempre quis ser amiga dele. Pra saber realmente o que aconteceu na vida dele. É claro que sei muita coisa, mas pode não ser exatamente a verdade. Mas não tive oportunidade de vê-lo, tentar conversar com ele... Tem uma música preferida dele? Não. Amo absolutamente todas. Não tem nenhuma de que não goste.

CARLOS HAUCK/ESP. EM

Como ficou sabendo que ele morreu? Meu pai disse que ele teve um ataque do coração. Falei: “Pai, você tá brincando, né?”. Estava jantando, subi correndo porque não estava aguentando, queria saber. Entrei no MSN e todos os nicks falando que ele morreu. Mesmo sem a confirmação não consegui me acalmar. Eu gritava... Aí veio a confirmação e as pessoas começaram a me ligar, porque sabem que sou fã. Não conseguia acreditar. Até agora não consigo. Faltavam 18 dias pra eu ir ao show dele. Eu ia pro show. Quando e como ficou sabendo do show? Quando abriram as vendas na internet. Fiquei louca por não ter conseguido comprar quando abriu. Precisava ir nesse show. E ia ficar perto do palco! Estava muito feliz! Como acontece isso? Parece que uma parte de mim morreu com ele. Por que ser fã de Michael Jackson? Com certeza, ele mudou o mundo. Não existe pessoa igual a esse cara. Ele dança, canta, produz, ele inventou todos aqueles passos... Não tem nenhuma pessoa que mudou o mundo igual a ele. O que ele tem que os outros não têm? Tudo. Ele tem alma, coração... Essas bobagens que o povo fica falando de ele dormir com crianças é tudo mentira. É porque ele sofreu muito com o pai, quando era criança e, por isso, gostava muito de crianças. Só por isso começaram a imaginar essas coisas. Tenho certeza absoluta de que ele é inocente.

Karen e as lembranças de Michael

FOTOS: MARK LENNIHAN/AP PHOTO

m morreu com ele”


conta aí!

ESTADO DE MINAS

quinta-feira, 2 de julho de 2009

www.raggadrops.com.br

VEST

Como se não bastasse a revolução que vem provocando nos meios de comunicação, o Twitter ainda está construindo um novo vocabulário no dia a dia dos internautas. Se você é novato na área, se liga nos principais códigos que vai precisar entender:

#: serve para identificar um assunto especial no Twitter. Ao utilizar o

símbolo, o usuário cria uma tag que pode ser difundida pelos demais perfis.

@

: usado antes do nome de algum usuário. Tem como objetivo direcionar a mensagem ao perfil em questão ou apenas para se referir a ele.

Followfriday: indica aos nossos amigos alguns perfis interessantes que estamos seguindo.

RT ou reweet: reprodução de conteúdo postado por outros usuários. Twitpic (twitpic.com): site que permite o compartilhamento de fotos

no Twitter.

Conhecimento nunca é o bastante. Ainda mais quando estamos nos preparando para o vestibular. E, por mais frustrante que possa parecer, quanto mais lemos, estudamos e aprendemos, mais percebemos o tanto que ainda temos que ler, estudar e aprender. Bom, pensando nisso, resolvemos separar alguns sites bem bacanas que buscam orientar os estudos dos vestibulandos. Como todo mundo gosta de uma listinha, olha aí:

supervestibular.com: dicas, teste vocacional, gabaritos, resumos e download das principais obras da literatura brasileira. universia.com.br: por lá você encontra todas as universidades brasileiras que oferecem o seu curso.

terra.com.br/vestibular: guia de universidades, agenda de provas e informações sobre as profissões mais tradicionais.

Provavelmente você não está grávida, pelo fato de ter tomado a pílula do dia seguinte. Essa pílula deve ser tomada em situações emergenciais, como esta. Mas cuidados sempre devem ser tomados pra que a camisinha seja usada da maneira adequada. Neste caso, nunca é demais consultar um ginecologista pra avaliar a situação.

mundovestibular.com.br: como sugere o próprio nome, o site traz absolutamente tudo sobre vestibular e Enem.

Dúvidas sobre sexo? Pergunta pra gente no raggadrops@hotmail.com. A coluna é respondida pela psicóloga Claudia Marques, especializada em sexualidade humana e sexologia clínica.

solta estas no intervalo! Depois das acusações envolvendo o rei do pop em relações sexuais com menores, alguém escreveu: “Menino Jesus que se cuide”.

NAVEGANDO NO CONHECIMENTO

twitter.com/vestibularenem: mantenha-se atualizado acompanhando as notícias do Enem.

“Tive relação com meu namorado e a camisinha parecia estar vazando. Tomei a pílula do dia seguinte e estou com receio de estar grávida.”

Fazer piada sobre o Michael Jackson é humor negro ou branco?

Guia do Vestibulando

Dicionário do

passeiweb.com.br: oferece cursos de apoio on-line, uma das melhores maneiras de aprender sem precisar sair de casa. veja.com.br/vestibular: traz um guia de profissões completo, simulados, palavras de especialistas e informações sobre os vestibulares do Brasil.

Durante a autópsia, um médico levantou as evidências: “Foi ficando branco, branco, branco... Morreu!” O que é o que é: muda de cor, assusta as criancinhas e anda pra trás?

AGENDA

Quer saber das melhores baladas de BH e interior de Minas? Acesse: raggadrops.com.br


ESTADO DE MINAS

quinta-feira, 2 4 de julho junhode de2009 2009

manda o seu!

você sabia? A maior bandeira hasteada do mundo fica no Brasil Agora, quando você for a Brasília, além de conhecer o Palácio do Planalto, o memorial do presidente Juscelino Kubitschek e o Lago Paranoá, vai ter que procurar a maior bandeira hasteada do mundo. Ela fica na Praça dos Três Poderes, tem 20m de comprimento e 14,3m de altura. Se os políticos do Distrito Federal fossem tão grandiosos quanto ela, poderíamos dormir mais tranquilos.

Na garagem

“Música independente, críticas e resenhas sobre lançamentos, shows e festivais.” É assim que o estudante de jornalismo Lucas Oliveira apresenta o seu blog Na garagem para o Brasil, no ar desde 9 de setembro de 2008. Por lá você ainda encontra uma agenda especial dos eventos independentes que rolam por Minas Gerais, entrevistas, dicas de bandas e vídeos imperdíveis. E se você tiver alguma sugestão ou crítica, é só mandar um e-mail para blognagaragem@ gmail.com, que o Lucas não demora a responder. Vai lá:

dzai.com.br/ blog/nagaragem/

Músicas do Michael Jackson Manifeste seu mundo. Publique um blog, notícia, vídeo, foto ou podcast no Dzaí. A gente está de olho, e quem sabe seu conteúdo não vem parar no jornal?

Na última sexta-feira, a redação do Ragga Drops parou durante toda a tarde pra ouvir a discografia do Michael Jackson. Nossos vizinhos não reclamaram e todo mundo arriscou alguns passos na pista de dança improvisada na recepção. Selecionamos as 10 melhores músicas do rei que podem garantir o sucesso de qualquer festa. Anota aí e convide os amigos. Afinal, a vida continua.

Indicado pel 15 anos, de a leitora Karlinha Sedlm Belo Horizo aier, nte Beat it

. Essa músi fizeram um co ca é 10! Até os caras do Fa ll Out Boys ver, numa ve rsão mais rock No YouTube, , claro! (: assista procu rando pela m Indicado pel ú si ca Beat it. o leit or Guilher

me Ass 19 anos, de Vi um vídeo n Belo Horizo is, o YouTube qu nte e mostra a re soal com a n ação do pesotícia. A galer a tipo, choca Procure por “R da... eaction to the death of Mich ael Jackson”.

Indicado pel 19 anos, de a leitora Rochelle Calix Bocaiúva to,

FOTOS: ARQUIVO PESSOAL

or do Jackson No YouTube, 5. assista procu rando por Ab c.

2. Rock with you 3. Black or white 4. Beat it 5. Thriller 6. Bad 7. Will you be there

8. They don’t care about us 9. Scream 10. You rock my world

NOTINHA

Sidneyrezende. noticias em tecom. Indico esse link po fãs deixarem mpo real e ainda dá a o rque ele deu as pouco da his suas homenagens. E vaportunidade dos tória do Mich ael também. i contando um Procure a “C o b um link mu ertura da morte de M o bom, em q ic gueiros homiten ue ele faz umhael Jackson”. Tem ageando o ca a seleção de ntor. blo-

Indicado pel a leitora Isab el 14 anos, de le Dupim, O clipe de Ab Contagem c é o melh

1. Billie Jean

Intercâmbio na Espanha Agora ficou fácil embarcar pra Barcelona, Mallorca, Ilhas Canárias e Marbella. A World Study lançou na última semana o programa Study and work na Espanha, que oferece ainda aulas de idioma na cidade de Sevilha. Voltado pra jovens universitários e recém-formados, a duração do programa varia entre um e três meses, período em que o intercambista tem a chance de estudar e trabalhar em resorts, casas rurais e hotéis. Outras informações, ligue na World Study: (31) 2535-0987.

KEVORK DJANSEZIAN/AP PHOTO

mICHAEL


ESTADO DE MINAS

quinta-feira, 2 de julho de 2009

www.raggadrops.com.br

Por Daniel Ottoni

ELE NÃO SE FOI Nem vai tão cedo

Em 1968, quando completava 11 anos, a gravadora Motown (a principal pra lançar sucessos da black music na época) assinou contrato com a banda e o primeiro single foi lançado. O Jackson 5 foi o primeiro grupo na história da música a ter quatro canções (I want you back, ABC, The love you save e I’ll be there) em primeiro lugar nas paradas de sucesso. O talento e o carisma de Michael acabaram superando o sucesso de um grupo inteiro que, muitas vezes, aparentava ser eterno. A carreira solo apareceu em 1970 e com ela veio um reconhecimento ainda maior. Foram 10 discos de estúdio (além das coletâneas), entre 1972 e 2001, sempre ocupando lugares de destaque não só nas vendas, mas também nos pedidos de ouvintes em rádios de todo o mundo.

Jackson ficará pra sempre marcado na história da música, tanto pelos hits que embalaram gerações, pela criação de passos de dança, capacidade e visão de produção artística, seus dotes como ator e o pioneirismo nos videoclipes, como pelos escândalos divulgados na imprensa mundial. O fato é que, talvez, ninguém tenha marcado a música pop como ele.

REPRODUÇÃO

O primeiro grupo a ter quatro músicas nas paradas

Paradas e fãs

Quatorze músicas do cara ocuparam o primeiro lugar das paradas. Entre elas Beat it (1983), Bad (1987) e Black or white (1991). Nas duas apresentações no Brasil, em outubro de 1993, Michael levou mais de 200 mil fãs ao delírio, cantando grandes sucessos da carreira. Na turnê que começaria dia 13, 360 mil ingressos estavam à venda só no esquema preferencial. Quando abriram as vendas normais, foram vendidos 33 ingressos por minuto. Acabou tudo. Em menos de um dia. E estamos falando de 50 shows.

DIVULGAÇÃO

Michael Jackson começou a mostrar seu brilho muito cedo. Aos 5 anos, já integrava e liderava o grupo Jackson 5, ao lado de quatro irmãos. Naquela época já dava o ar da graça dançando, cantando e encantando. Raros são os que mostraram uma desenvoltura tão natural com tão pouca idade.

Só perde pra Bíblia O maior sucesso de todos foi o álbum Thriller,

de 1982, que vendeu, aproximadamente, 109 milhões de cópias. Simplesmente o disco mais vendido de toda a história. Em toda a carreira, Michel vendeu cerca de 750 milhões de álbuns. Se fosse um livro, só perderia para a Bíblia. Das nove faixas de Thriller, que misturava R&B, disco e funk, sete se tornaram hits inesquecíveis, como The girl is mine, Billie Jean e Beat it.

O inventor de videoclipe legal

O cantor aproveitou o momento e a moral pra cravar seu nome em superproduções de videoclipes, ideia dele mesmo, como o da música que dava título ao álbum Thriller, em que atores fantasiados de zumbis contracenaram com o astro pop. O vídeo, que conta com efeitos especiais de última geração, tem 14 minutos e a produção custou cerca de US$ 500 mil. A partir dali, todo artista que se prezasse, deveria ter um videoclipe. E deveria ter uma história, assim como inventou e definiu Michael Jackson.

agência de expedienteragga comunicação integrada (31) 3225-4400

raggadrops@hotmail.com

DIRETOR GERAL Lucas Fonda DIRETOR DE MARKETING E PROJETOS ESPECIAIS Bruno Dib DIRETOR FINANCEIRO J. Antônio Toledo Pinto EDITORA Thaís Pacheco SUBEDITORA Sabrina Abreu REPÓRTER Bruno Mateus DESIGNERS Anne Pattrice, Marina Teixeira e Maytê Lepesqueur ILUSTRADOR Matheus Dias ESTAGIÁRIOS DE REDAÇÃO Bernardo Biagioni, Daniel Ottoni e Izabella Figueiredo FOTÓGRAFOS Bruno Senna e Carlos Hauck COLABORADOR Lucas Machado


Ragga Drops #71