Issuu on Google+

quinta-feira, 19 de junho de 2008

MSN raggadrops@hotmail.com

Felipe Solari Aos 26 anos, ele trabalha na TV há 11. O que ele tem pra ensinar? Que contestar e se manter bem informado são coisas superpositivas Páginas 4 e 5

Urbanóide Seção nova no Ragga Drops! Beijo na boca É bom. Mas pode ser perigoso Página 8

MÁR CIO AMA RAL /DIV ULG AÇÃ O

Página 7


ESTADO DE MINAS

quinta-feira, 19 de junho de 2008

Ragga Drops

O tecido cartilaginoso, esse do nariz e das orelhas, não pára de crescer nem mesmo quando a gente se torna adulto. Engraçado, era pra nossos avôs escutarem mais que a gente, não? A maior ilha do mundo é a Groenlândia, que tem dois terços de seu território imerso no Círculo Polar Ártico. Ela fica entre os Eua e a Europa e seu território pertence à Dinamarca. O milho, além de ser um bom alimento, serve de matéria-prima pra fabricar tinta, tecidos, papel e até álcool. E você achando que servia só pra fazer pipoca, né?

resposta é não. Melhor é aprender a valorizar as suas características, o que você faz bem e tem de melhor. O menino mais bonito da sua sala pode deixar de ser assim. Do mesmo jeito, aquele outro nerd pode surpreender e virar um gato. Mas aparência não é tudo. E rótulo é nada. A vida é muito curta pra gente ficar com tanta bobeira! ATENÇÃO: O divã do Ragga Drops não é respondido por nenhum profissional da área! Isso aqui é um papo de amigos. Se conselho fosse bom, a gente vendia... Mas aqui a gente dá mesmo. Quer um? Manda a pergunta – raggadrops@ hotmail.com.

FOTOS: ERWIM ROMMEL/ESPECIAL PARA O EM

(in)úteis

Luana Guimarães

super

Botas na DivinaExpô Amanda Ribeiro

Curiosidades

A garota mais popular da escola, o menino supercomentado, a turma que chama a atenção de todo mundo. Até parece que estamos falando de personagens do seu colégio. Mas, na verdade, conviver com esses tipos não é exclusividade sua. Alunos pop são personagens de todos os colégios de que se tem notícia. Quem é parte do “hall da fama”, talvez pense que está tudo certo. Mas apesar dessa história de popularidade ser muito comum, também é meio brega. Geralmente, quando uma pessoa (ou grupinho) é o mais badalado, os outros podem se sentir inferiores. E, convenhamos, isso não é bacana. Pense

no quanto ser excluído é ruim e se liga: não vá tirar onda com seus colegas, porque você joga bola melhor ou é mais engraçado. Se você está fora dos holofotes, há duas maneiras de encarar o fato. A primeira é compreender que o mundo, e a escola, é mais do que ser pop. Mire nas pessoas bacanas que há pra se conhecer, sair junto, dar risada. Ter uma turma de amigos e se divertir é mais importante do que o fato de todo mundo saber seu nome. Talvez, você queira mesmo ser parte da constelação. Então, saiba: é possível sim, você pode olhar para as fórmulas que deram certo e fazer o mesmo. Será que vale a pena o sacrifício? A

Michele Fagundes

Divã

Para ouvir enquanto lê:

Gueto do universo, Charlie Brown Jr.

Quero ser pop

manda o seu!

Você na galera! FOTOS:BRUNO SENNA/ESPECIAL PARA O EM

meio ambiente

Taís Maciel Taís Maciel tem 19 anos e está no 3º período da faculdade de direito. Ela foi encontrada no meio da galera que estava na festa italiana que rolou na Savassi e contou que, apesar de ser tataraneta de imigrantes vindos da Itália, sente fortes laços com essa cultura. Quando perguntada sobre qual era seu prato preferido, não hesitou: “Nhoque com muito parmesão”.

Você não precisa parar de tomar banho pra mudar alguma coisa no mundo. Existem pequenas coisas que fazem a diferença, a começar pela cozinha da sua casa: Abra a geladeira uma única vez na hora de retirar os alimentos. O abre e fecha consome muita energia. Fale para os seus pais usarem panelas de pressão. Além de ser mais rápido, a parada economiza mais gás que você imagina. Não deixe que a geladeira de sua casa fique perto do fogão, ela gasta mais energia pra compensar o ganho de temperatura.


ESTADO DE MINAS

quinta-feira, 19 de junho de 2008

FOTOS:CARLOS HAUCK/ESPECIAL PARA O EM

manda o seu!

NA FESTA JUNINA DO COLÉGIO SANTO ANTÔNIO Gabrich Pedro Cunha (15), Diogo(14 ) s are Tav e riqu (14) e Hen

Isabella Kuniko (16) e Anna Marina Santos (17)

Amos Leite (18), de Aimorés - via e-mail

Nayara Mendonça (17) e Clarissa Oliveira (17)

Taís Nascimento (17)

Galera do Colégio Santo Antônio

Galera a caráter

Julia e Stefania, de Patos de Minas - via e-mail

Galera da Joyce (aniversariante!), do Colégio Clita Batista, de Pedro Leopoldo - via e-mail

Camila Prado (17)

Hiero Crebaldi (18)


ESTADO DE MINAS

quinta-feira, 19 de junho de 2008

manda o seu! ARQUIVO PESSOAL

Felipe Solari:

E isso é b Além de ator e VJ, você também sabe tudo de bastidores? Meu pai sempre foi fotógrafo, depois virou diretor, então, minha infância inteira foi dentro de estúdios, filmagens e vídeos caseiros em casa. E sua mãe?

Ela é pedagoga, mas não trabalha no meio. Mas ela sempre foi a pessoa que me levou para os testes, a fanzona número 1, que me apoiou mais. Irmãos? Sou filho único.

O apresentador da MTV Felipe Solari bateu um papo com o Ragga Drops e contou tudo pra gente. Falamos com o cara sobre escola, faculdade, TV, família, enfim, tudo o que você precisa e até não precisa saber sobre ele! Ragga Drops – Desde quando você traba-

lha como ator? Felipe – Desde os 15 anos, na época eu fazia teste de comerciais, muito curta-metragem pra pessoal de faculdade e sempre fiz alguns cursos de ator, mas na verdade nunca concluí nenhum. Acabava fazendo, saindo no meio e ficando mais nos testes mesmo. Fiz muitos durante a adolescência e aí, no 1º ano da faculdade eu virei estagiário de TV, no programa Descontrole, do Marcos Mion. Você fez faculdade de quê? De rádio e TV. Mas essa eu terminei! Rs Quais foram seus trabalhos mais legais como ator? Fiz muito comercial, mas acho que isso é café com leite, porque você não consegue desenvolver muito essa parte de ator. O trabalho mais legal que fiz foi este ano. Um longa, que deve estrear agora, La Riña. Como é isso de fazer filme em outra língua? Eu conhecia uma turma de cinema e eles me

chamaram pra fazer um teste. Passei e fiz um personagem que se chama Hugo, um argentino. O filme é quase todo em inglês, o Hugo fala em espanhol, mas foi tudo gravado aqui no Brasil. Voltando à TV, como conseguiu um estágio? Foi através do RH mesmo. Levei meu currículo, depois fiz uma entrevista pra ser estagiário e eu nem sabia de qual programa. Aí acabou rolando o Descontrole, que era um programa que eu adorava. Já curtia o trabalho do Mion desde antes, quando entrei, a gente fez uma turma, acabei conhecendo o Mion e o Vesgo. A gente passava altas tardes juntos... Isso foi em 2001. No ano seguinte o programa acabou e eu continuei lá na TV Bandeirantes, trabalhando com a Márcia. (Confira o anexo ao lado). Depois, fui trabalhar com o Otávio Mesquita no programa Claquete. Acabei indo pra uma produtora. Como você foi parar na MTV? O Mion voltou pra lá e me ligou, disse que tinha um projeto novo e queria que eu fosse. Acabei fazendo entrevista e rolou de ir como assistente de direção de um novo projeto. Essa história acabou virando o programa De nadas, que era uma citycom em que eu, o Mion e o André (Vasco) atuávamos, mas não era VJ ainda. Trabalhava como estagiário, assistente de direção, atuava e editava. Depois rolou um teste pra VJ, eles chamaram eu e o André e acabou rolando o Chapa Coco, um programa que nós dois apresentávamos.

Filho único é mimado? Ah, não sei... Mas meus pais sempre me deixaram muito à vontade, tanto que eu moro sozinho há três anos. Você faz sua comida? Não sei cozinhar. Rs Eu lavo e passo minha roupa e arrumo a casa. Mas cozinhar é pedir demais. Rs Namora? Não. Inclusive, passei o dia dos namorados totalmente solteiro, mas de boa, também não estou à procura. Se alguém quiser ser VJ, o que deve fazer? O principal é estar bem informado e muito bem atualizado. Principalmente sobre música, você tem obrigação de saber tudo o que está rolando no mundo, pra poder emitir uma opinião. VJ é um nome que acabaram dando pra quem trabalha na MTV, mas na verdade nós somos apresentadores para o público jovem. Querendo ou não, a gente é meio formador de opinião, né? Pessoas que ainda estão formando sua personalidade assistem e ouvem o que a gente fala, então, temos uma responsabilidade muito grande de conversar com essa galera toda. Estar bem atualizado é o mínimo que você tem que fazer pra passar uma boa informação. Como é sua agenda? Eu tenho que ir pra MTV todo dia, porque faço um ao vivo de segunda à sexta, das 17h às 18h. Mas acabo chegando antes, pra assistir uns cli-

pes nov tas e fr um refú verde e do mat co de S Mas os comerc

E agora Fiz um mineira jogo do bastant preciso gizadas

Você e Sim, m sempre faculda ser con Precisa a galera

Os cont Não. Pr

Você t Eu era b Sempre apazigu Fui pre integrar

O que Acho q em vári assalto menos o celula só o di mei o c

E de pio Cozinh desastr


manda o seu!

: contestador. Anexo Márcia Goldschmidt é uma apresentadora que já passou por vários canais de TV no Brasil. A primeira vez que ela chamou atenção, causando polêmica, foi no programa Márcia, do SBT, em que platéia, convidados e telespectadores, por telefone, participavam, discutindo os problemas da vida das pessoas em rede nacional. Hoje, ela está à frente do programa que também leva seu nome e vai ao ar de segunda à sextafeira, às 16h30, na Band. O Ragga Drops quer saber o que você acha desse tipo de programa na TV: Chamar as pessoas pra contar seus problemas e pedir ajuda na TV é bom ou ruim? Ajuda ou atrapalha? Existiria uma fórmula de certo ou errado pra programas de televisão? Abrimos um tópico na nossa comunidade no orkut e chamamos a galera pra dar opinião! Tá esperando o que? Vai lá e fala o que você acha! Enquanto carrega a página, confira o que Solari contou da época em que trabalhava lá: “Era meio depressivo. Não por causa da Márcia, mas eu tinha que atender os telefonemas, ouvir os casos das pessoas e anotar os que achava mais interessante, para os produtores irem atrás. Então, passava minha tarde inteira conversando com pessoas ao telefone, que tinham casos de câncer, um que tinha tomado uma facada no peito, outro que tinha morrido com um tiro na cabeça. Era deprimente, né? Saía de lá arrasado. Não deu pra trabalhar e acabei pedindo as contas.”

vos. O resto do dia são reuniões, entrevisreqüento muito o clube, que é meio que úgio, porque tem uma parte grande de e eu gosto muito de ficar isolado, no meio to. No clube você consegue sair um pouSão Paulo, que a situação aqui está triste. s compromissos são muito aleatórios, um cial, um longa...

a, de férias, está fazendo o quê? retiro espiritual de quatro dias na cidade a de Extrema e, claro, não podia perder o o Brasil e Argentina no Mineirão. Gosto te de futebol e ver os craques jogarem. Eu o sair de São Paulo pra dar umas “re-eners” e voltar.

era bom aluno? mas era rebelde. Eu ia bem nas notas, mas e fui muito contestador, no colégio e na ade. Mas quando acabaram os estudos, ntestador me ajudou muito na profissão. ver quem estava errado, se eram eles, ou a de agora.

testadores não são muito bem-vindos? rincipalmente em uma rede de ensino.

você faz de melhor? que é sempre conseguir me expressar bem, ias situações. Uma vez melhorei até um na conversa, só na lábia. Rs Ele levou coisas do que queria. Começou pedindo ar e o som do carro, mas acabou levando inheiro, porque conversei na boa e acalcara. Rs

ior? har! Rs As vezes que tentei foram um re.

MÁRCIO AMARAL/DIVULGACÃO

também zoava os outros? bagunceiro, mas nunca sacaniei ninguém. e, até hoje, sou muito tranquilão. Eu era o uador, queria ser amigo de todo mundo. esidente do grêmio e sempre a favor de r as pessoas.

ARQUIVO PESSOAL

bom

Por Thaís Pacheco


ESTADO DE MINAS

quinta-feira, 19 de junho de 2008

manda o seu!

VOcê VIU isso? De pop star a herói

Eletrônica!

Por Sebah Rinaldi A dupla mineira Digitaria, formada por Dani Hell e Dani C., está em processo de finalização do segundo álbum. O material será produzido por ninguém menos que DJ Xerxes, figurão do drum´n´bass, que assina trabalhos em parceria com DJ Marky Mark. O disco, batizado de Plastic Population, já tem várias faixas prontas, entre elas, Data excess e Shopping center soundtrack. Só pra relembrar: Em 2005, a trupe, então um quarteto, fechou contrato com o alemão DJ Hell, que os lançou mundialmente pelo selo Gigolo Records. É gente daqui mostrando não ter vindo a passeio! Pra ouvir: myspace.com/digitariamusic. Quer saber mais ou palpitar? Acesse babyboombh.blogspot.com e converse com o Sebah.

solta essas no intervalo! A tia vira-se pra Mariazinha e pergunta: - O que você vai fazer quando for grandona como a titia? - Um regime! A aeromoça estreando no serviço chega para o passageiro toda educada: - O senhor aceita o jantar? - Quais as opções? - Sim ou não!

conta aí! FINA ESTAMPA

REPRODUÇÃO DA INTERNET/CAMISETERIA.COM-11/6/08

Para criativos em geral, o site Camiseteria é uma ótima pedida. Lá, é possível atacar de designer, ter suas criações reconhecidas e ainda ganhar uma graninha. O processo é simples: basta enviar um desenho original e submetê-lo à votação dos outros usuários. Se a galera aprovar, seu traço vai estampar camisetas de verdade, vendidas no próprio site. Nada mau. O regulamento completo e outras criações bacanas para dar inspiração, você confere no site.

MARKOS FORTES/DIVULGAÇÃO

Um português ganhou um pijama de presente, gostou tanto que só tira na hora de dormir.

POR Luiz Augusto Reis Almeida

Antes da fatídica queda do vôo 815, Charlie Hieronymus Pace era o baixista da banda Drive Shaft, de Manchester, na Inglaterra. Ele formava a banda com o irmão, Liam, e conquistou seus 15 minutos de fama como pop star. Na seqüência, vieram os problemas com as drogas e os relacionamentos conturbados. O único sucesso da banda foi a música You all everybody, que foi tocada muitas vezes em um bizarro comercial de fraldas. Nos primeiros momentos na ilha, Charlie se mostrou uma pessoa imatura, refém do próprio vício, a heroína, e da necessidade do status de estrela. Aos poucos, ele consegue se encontrar, dar um basta ao vício, vivenciar experiências únicas, como se apaixonar de verdade por Claire, e tornar-se um quase pai para o bebê Aaron. Ele se transforma em uma pessoa batalhadora, defensora dos irmãos de ilha, capaz de sacrificar até a sua pele em prol do grupo. O baixista da Drive Shaft foi um dos personagens da série que mais evoluíram com a queda do vôo 815. Se, pra muitos a queda foi o fim do mundo, pra Charlie foi o início da sua redenção como ser humano. Na ilha ele se conheceu, conseguiu dar a volta por cima e provar ser muito mais forte que uma mera heroína. Pra falar sobre Lost com o Luiz, acesse laugusto.zip.net.

Priscila Fantin Qual é a melhor banda do mundo?

U2.

Com o que você não poderia viver sem?

Não vivo sem água.

Você leva guarda-chuva pra cima e pra baixo, ou toma chuva mesmo?

Tomo chuva! Adoro!

Qual é o melhor lugar pra ir no inverno?

Campos do Jordão, SP. Você é ciumenta?

Um pouco.

camiseteria.com

“Tenho Mania no coração, na alma... Meu sangue é mania.” Essa é apenas uma das declarações de amor que os fãs do grupo de axé Mania de Toalha deixaram em nossa comunidade no orkut. E sabe como é: leitor de Ragga Drops mandou falar, a gente fala! Então, aí vão as informações básicas que você precisa saber: Formado por Zannynho (vocal), Negão (baixo), Bambam (bateria), Michael Brasil, Nillyinho e Boquinha (percussão), o Mania já participou de micaretas e grandes eventos pelo Brasil. Em BH, eles fazem show todos os domingos, no Alambique (censura 18 anos). Informações: (31) 3296-7188. Músicas e fotos do grupo estão disponíveis na internet: maniadetoalha.com.br


ESTADO DE MINAS

quinta-feira, 19 de junho de 2008

URBANóides

manda o seu!

Tribos urbanas ou filosofia de vida?

Grunges: bermudão abaixo dos joelhos, tênis sujo e calça rasgada

REPRODUÇÃO DA INTERNET/ROTOTOMSUNSPLASH.COM -13/6/08

Góticos: Gostam de poesia e sombras

Rastafari: Cabelos dreadlock, adeptos ao conceito rasta e curtem o estilo musical reggae REPRODUÇÃO DA INTERNET/ KASTEELLIMBRICHT.EU -13/6/08

incorporam as mudanças constantes que ocorrem no mundo. Os Urbanóides vêm crescendo e se multiplicando a cada dia, mudando hábitos e costumes. São frutos do contexto social de quem vive nas grandes metrópoles e sobrevive nas ruas, praças, avenidas, galerias e shopping centers. São skatistas, surfistas, rappers, clubbers, skinheads, e outros mais. Vamos sair às ruas, em busca dessa galera e, daqui pra frente, apresentaremos as mais variadas tribos urbanas de BH, ou melhor, os Urbanóides. É isso ai: “Diga com quem andas e o Ragga Drops te dirá quem és“. Pra já ir sentindo o gostinho da coisa, se liga no estilão básico de alguns Urbanóides que já são velhos conhecidos da galera:

REPRODUÇÃO DA INTERNET/ DEMOLUTION.NLBIO1-13/6/08

Já disseram por aí, em outras épocas, que quatro ou mais pessoas reunidas era formação de quadrilha. O que seriam, então, pessoas que se organizam em grupos ou microgrupos e têm os mesmos costumes, códigos de linguagem, normas, posturas, escutam as mesmas músicas, gostam de freqüentar os mesmos lugares, usam as mesmas roupas e acessórios, lêem os mesmos autores e se comportam de forma semelhante? A resposta é: tribos urbanas ou, como a gente chama aqui no Ragga Drops, Urbanóides. Segundo a antropóloga e especialista em “tribos“ Mônica Barros, esse fenômeno é importantíssimo para a construção e desenvolvimento da sociedade, pois ele define como as novas gerações

Lucas Machado

REPRODUÇÃO DA INTERNET/HAMMERL-KOMMUNIKATION.DE -13/6/08

POR

Hippies: Cabelos e barbas compridos e estilo de vida nômade

TIHUANA TEATRO NA PRAÇA Neste domingo, a partir das 15h, tem Show Se você está a fim de fugir do lugar coMix Claro Coca-Cola na Barragem Santa Lúmum e explorar umas idéias novas, a boa cia - Região Centro-Sul de Belo Horizonte. pedida é se entregar a um programinha O show de abertura fica por conta da galera cult e, a melhor parte, de graça. Amanhã e sábado, às do Uberro. E a melhor parte: tudo grátis. 20h, a Praça de Santa Tereza recebe o grupo Teatro Não tem idade mínima, nem ingresso, é só Andante para a apresentação de A história trágica de chegar e curtir na paz. Édipo rei, em versão para a rua. Pra quem não sabe, o mito de Édipo fala de ambição, impunidade, limites do mixfmbh.com – Barragem Santa Lúcia. Inforpúblico e privado etc. Entrada franca e censura livre. mações: (31) 3209-0917 Praça Duque de Caxias – Santa Tereza. Informações: (31) 2555-3395 PROJETO FREEDOOM Oito bandas independentes, como Hadock e Conexão B, animam a galera, ao som de muito pop rock, no Projeto Patrocínio - MATINÊ SUB 16 COLOMBO Freedoom, neste sábado, das 15h às 19h. Os ingressos custam R$10, e a censura é para menores de 13 anos. Atendendo a pedidos, a Colombo inaugura, neste sábado, a Matinê Sub 16. Dj Borges comanda as pick-ups com muita música, na balada exclusiva pra galera que tem entre 10 e 15 Buffalo Beer – Av. do Contorno, 6.342 – Savassi. Informações: anos. A festa começa às 17h e vai até 22h. A entrada custa R$ 7 e, claro, não vai rolar bebida alcoólica. (31) 3221-2001 colombomusichall.com.br – Avenida Faria Pereira, 22.203 – Centro. Informações: (34) 8836-8889

agenda agenda


ESTADO DE MINAS

quinta-feira, 19 de junho de 2008

manda o seu!

POR Thaís Pacheco

BEIJA, BEIJA, TÁ CALOR? Beijar na boca é bacana. Bem bacana. Mas antes de sair beijando por aí, independentemente de moral, crença ou cultura, é bom que você tenha algumas informações sobre sua saúde. Sim, você leu a palavra saúde, ou está pensando que beijar é a coisa mais segura do mundo? O Ragga Drops conversou com Tânia Maria Marcial, que é médica infectologista e membro da Sociedade Mineira de Infectologia, pra nos ajudar a dar algumas explicações sobre o que rola durante um beijo:

DOENÇAS Algumas das doenças que podem ser transmitidas através do beijo são: •Gengivite – inflamação na gengiva •Cárie – deterioração dos dentes •Mononucleose – conhecida como “doença do beijo”, tem sintomas parecidos com o de uma gripe. •Meningite – a meningite pode até matar, mas se você beijou alguém e depois soube que a pessoa tem a doença, não entre em pânico. Basta procurar um médico. Existem remédios pra doença. •Herpes labial – Essa é a mais famosa de todas. Também conhecida como “sapinho” ou “boqueira”, é aquela ferida exposta nos lábios das pessoas. No Brasil, 90% da população tem, mas o vírus, Herpes simplex, só se manifesta em 10% das pessoas. Os motivos pra ter herpes labial são diversos, entre eles, o contato da pele de uma criança com um adulto que tem o vírus. Manifestação também se dá por diversos fatores, entre eles, estresse e calor. Essa, não tem cura. Mas tem tratamentos que fazem com que a ferida seque mais rapidamente.

SEM PÂNICO Você só vai pegar algum tipo de doença via beijo se você e a outra pessoa estiverem com alguma ferida na boca. Você só será infectado se seu sistema imunológico não estiver funcionando muito bem. Se sua saúde está em dia e você não tem nenhuma doença, tá de boa! Tânia fez até piada: “Se beijar na boca causasse algum problema muito sério, não teria ninguém vivo”. Rs CUIDADO! Agora que você tem algumas informações sobre o assunto, se liga e tome alguns cuidados na hora de sair por aí beijando todo mundo que vê na frente. Há algum tempo, o canal MTV fez uma campanha muito bacana sobre doenças sexualmente transmissíveis, que se aplica muito bem no caso de beijo: “Não existe grupo de risco, o que existe é comportamento de risco”. Beijar 15 pessoas em uma noite significa testar sua sorte 15 vezes. Beijar a mesma pessoa durante um mês, significa dar uma folga pro seu anjo da guarda. Além disso, convém dar uma olhada antes. Tânia explica: “É preciso se cuidar, observar a outra pessoa e ver se ela não tem ferida na boca. Beijar é muito bom, mas de preferência, saiba quem está beijando”.

de comunicação integrada expedienteragga agência Lucas Fonda DIRETOR GERAL DESIGNERS

(31) 3297-2426

DIRETOR DE MARKETING E PROJETOS ESPECIAIS Bruno Dib DIRETOR FINANCEIRO José A. Toledo EDITORA Thaís Pacheco SUBEDITORA Sabrina Abreu Maíra Miranda Filogônio e Marina Teixeira ILUSTRADOR Rafael Quick ESTAGIÁRIO DE REDAÇÃO Bernardo Biagioni FOTÓGRAFOS Bruno Senna e Carlos Hauck COLABORADORES Lucas Machado, Luiz Augusto Reis Almeida e Sebah Rinaldi

FOTOS: SXC.HU

BACTÉRIAS Todos nós temos bactérias na boca. Por mais estranho que isso soe, beijar também é isso: trocar bactérias. Nosso corpo – e isso inclui a boca – produz sistemas de defesa como enzimas e anti-corpos, você não está assim tão exposto e, a menos que viva em condição atípica de saúde, seu corpo saberá se defender das bactérias.


Ragga Drops #17