Page 17

sociação conta, hoje, com uma equipe de dez pessoas. De acordo com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), atualmente, há mais de 31,6 mil pretendentes a pais e mães em diferentes partes do Brasil e cerca de 5,5 mil crianças disponíveis para adoção. O que acontece é que o perfil das crianças que estão na fila de adoção é bastante diferente do perfil desejado por muitos adotantes. Além disso, em virtude, entre outros, da burocracia envolvida a fim de assegurar a integridade dos envolvidos e um relacionamento duradouro entre as partes, os processos são demorados. Confira o passo-a-passo para adotar, de acordo com o site Portal Adoção:

estágio de convivência tenha sido iniciado na constância da sociedade conjugal; Tutor ou curador, desde que encerrada e quitada a administração dos bens do pupilo ou curatelado; Família estrangeira residente ou domiciliada fora do Brasil; Todas as pessoas que tiverem sua habilitação deferida, e inscritas no Cadastro de Adoção.

Não podem adotar:

Importante:

• Avós ou irmãos do adotado; • Adotantes cuja diferença de idade seja inferior a 16 anos do adotando. Então, se você pode adotar, o que fazer? • Veja qual fórum ou comarca se encontra na sua jurisdição e leve o seu documento de registro geral (RG) e comprovante de residência para saber como dar início ao processo. Depois disso, toda a documentação exigida deve ser apresentada; • Os documentos apresentados serão minuciosamente analisados para aprovação. Em seguida, ocorre a avaliação das motivações e expectativas dos requerentes à adoção. Os interessados em adotar serão entrevistados por uma equipe técnica da Vara da Infância e da Juventude, composta por profissionais da área da Psicologia e do Serviço Social. Assim, o objetivo é avaliar, por meio de uma cuidadosa análise, se o pretendente à adoção poderá vir a receber uma criança na condição de filho e qual lugar ele ocupará, além de identificar possíveis dificuldades ao sucesso da adoção e fornecer orientações; • Os interessados em adotar participam de um curso preparatório de 10 horas. Após passarem na entrevista e frequentarem todo o curso, passam a fazer parte do cadastro de habilitados; • Será feito um estudo para confrontar crianças com cadastros;

é muito mais fácil encontrar uma criança que se adapte ao perfil de um candidato à medida que haja poucas restrições quanto à criança (ou adolescente), a qual o adulto se disponha a adotar. • Após a apreciação favorável, a criança poderá ser encontrada na própria Vara, no abrigo ou no hospital, conforme a decisão do juiz. “O tempo que transcorre até que a criança seja levada para o lar adotivo varia, respeitando as condições da criança. Recomenda-se uma aproximação gradativa, tendo em vista que a adoção é um processo mútuo, que exige tanto uma despedida dos vínculos amorosos estabelecidos até então, seja no abrigo, seja na família guardiã, quanto um tempo de construção de novas relações”, finaliza o Portal.

Para ajudar o Educandário Santa Inês: Depósitos em conta da Associação Alfenense de Proteção à Criança: Banco do Brasil Agência: 0168-6 Conta: 5010-5

17

Revista QShow fevereiro/março 2016 - O Luxo do Lixo  
Revista QShow fevereiro/março 2016 - O Luxo do Lixo  
Advertisement