Page 18

Documentário

Fascismo

“Tudo está no Estado, nada contra o Estado, nada fora do Estado” Mussolini. O nacionalismo fascista era conservador e agressivo, pois ignorava as diferenças entre as categorias de indivíduos, ao mesmo tempo que justificava a agressão contra outras nações e povos. O fascismo foi um autoritarismo. Pregava uma concepção antiigualitária da sociedade. “O fascismo e o nazismo são hostis aos princípios da democracia igualitária e do sufrágio universal.” Mussolini denunciava a lei do número. O fascismo, dizia, não consente que o número, pelo simples fato de ser número, possa dirigir as sociedades humanas. Negava que o número possa governar por meio de uma consulta periódica. Afirmava a desigualdade irremediável, fecunda e benfeitora dos seres humanos. Hitler mantinha uma postura análoga. Tanto os nazistas como os fascistas italianos colocavam em primeiro plano o tema da elite, que na Alemanha se vinculou ao racismo. Isto levou ao mito do Chefe (Duce e Fuhrer) e do Super-Homem, que encarnava o Estado, “instrumento dos fortes e garantia dos fracos, pois o papel do mais forte

- Arte, política e cultura

consiste em dominar, não em fundir-se com o fraco” (Hitler). O Duce, responsável unicamente diante do Rei, governava através de decretos, nomeava os Ministros e era assessorado pelo Grande Conselho Fascista (formado a partir de 1928) ao mesmo tempo, era chefe do Partido Fascista. Cabia ao Grande Conselho Fascista elaborar a lista única dos candidatos às eleições legislativas, confirmadas através de plebiscitos. A Câmara dos Deputados tinha apenas um papel decorativo, sendo substituída, em 1938, pela Câmara dos Fáscios e das Corporações. A greve e o lock-out eram proibidos, sendo os conflitos submetidos à arbitragem do Estado. Em 1934 foi promulgada a lei sobre as corporações, sendo patrões e empregados reunidos em um mesmo conjunto, a Corporação, visando a estreitar ambos os setores sociais em benefício do Estado. Em Portugal, o salaza-

18

rismo, implantado por Antonio de Oliveira Salazar, manteve-se no poder por quatro décadas (1932-1974); na Espanha o Franquismo, imposto pelo general Franco, após violenta guerra civil, subjugou o povo espanhol durante 36 anos. No Brasil Getúlio Vargas viria dar um golpe e caçar os comunistas.

www revistapzz com br  

Edição Especial da Revista PZZ sobre a militância política de Dalcídio Jurandir

www revistapzz com br  

Edição Especial da Revista PZZ sobre a militância política de Dalcídio Jurandir

Advertisement