Page 10

Documentário

O Diretório Regional Provisório eleito foi constituído por: 29/5/1935 SECRETARIA GERAL • José Ribamar de Moura • (bacharel). • Estevan de Jesus Filho • (operário) • Pedro Pomar (estudante de Medicina) SECRETARIA DE ORGANIZAÇÃO

• João Novaes (médico) • Osvaldo Rodrigues (estudante de Direito) • Henrique Santiago (funcionário da Companhia Inglesa) SECRETARIA DE FINANÇAS • Raimundo Marques • (operário) • José Florêncio Filho • (operário-barbeiro) SECRETARIA DE PROPAGANDA • Moacir Valmont (professor e estudante de Medicina) . • Apolinãrio Almeida (operário mecânico da Panair) • José da França (operário tecelão) Outra reunião ficou marcada para o dia 30 de maio de 1935, na Generalíssimo Deodoro, 472 da qual todos os simpatizantes puderam participar . Essa reu-

- Arte, política e cultura

nião, foi presidida por Pedro Pomar, e teve grande participação popular e vivas a Prestes, e nela ficou marcado o 1° Comício da ANL ao ar livre para o domingo, dia 02 de junho de 35 , na Praça da República em frente a estátua, junto ao pedestal do monumento à República. Foi também tirada uma Comissão para ir a Central de Polícia solicitar autorização para o Comício. Esse ato político teve grande participação popular, lotando a praça. Muito antes da hora efetivada para a efetivação desse “meeting” no qual diversos oradores iriam abrir diante da massa os postulados e normas da agremiação que obedecia à chefia de Luiz Carlos Prestes, adeansava-se nas imediações do lugar grande número de pessoas pertencentes a vários credos políticos e religiosos, todos ansiosos por ouvirem as vozes dos pregoeiros da nova doutrina. A hora aprazada se fez ouvir: O 1º orador foi Ribamar Moura, que era constantemente interrompido pelas ovações populares. O 2º orador foi Apolinário Almeida, mecânico da Panair, que leu perante o público um artigo estampado num jornal britânico, no qual se focalizava a situação econômica do Brasil. O 3º orador foi Dalcídio Jurandir, que era funcionário público.

10

Depois falaram o acadêmico de Medicina Lauro Lima, e outros, cujos discursos mereceram quentes aplausos do grande público que literalmente enchia aquele recanto da capital. Várias autoridades policiais observaram a situação e o aglomerado de pessoas de todas as classes sociais. Não houve tumultos e depois a díreção da ANL foi à Central de Polícia agradecer a colaboração. Em sua divulgação de Princípios a A.N.L oferecia uma resistência séria com uma “Frente Única Nacional Libertadora” que se essa soube-se, realmente, mobilizar as mais amplas massas populares, nem o governo reacionário de Vargas, nem nenhuma outra ditadura militar fascista ou nazista poderia oferecer uma resistência. Para isso precisavam, ao mesmo tempo, unificar e congregar na Aliança Nacional Libertadora todas as pessoas, grupos, correntes, organizações e partidos políticos, que quisessem lutar pelo seu programa, quaisquer que sejam os seus programas sob a única condição de que iriam lutar contra a implantação do fascismo no Brasil, contra o imperialismo e o feudalismo, pelos direitos democráticos. Ao criar a Frente Única Libertadora em cada fábrica, empresa, casa comercial, universidades, quartéis, navio mercantil ou de guerra, nos bair-

www revistapzz com br  

Edição Especial da Revista PZZ sobre a militância política de Dalcídio Jurandir

www revistapzz com br  

Edição Especial da Revista PZZ sobre a militância política de Dalcídio Jurandir

Advertisement