Page 1

Janeiro / Fevereiro 2012 | Nº 97

pró_tv

Exposição “60 Anos da Telenovela Brasileira” chega à Brasília pág. 04

Saudade: morre o eterno João Lorêdo pág. 09

Cidade da TV recebe mostra sobre os 30 anos do SBT pág. 12

Esta é uma publicação gratuita da Pró-TV / Museu da TV Brasileira - www.museudatv.com.br

revista


| Editorial | Vida Alves E a Pró-TV inicia, com muita disposição, mais um ano de vida. Inaugurada que foi oficialmente em 1995, é o 17º ano de existência de nossa associação.

também formada em Comunicação, que fica direto na “Cidade da TV”. E há a governanta da casa, a Nalva, baiana arretada, a mais antiga funcionária.

Tendo inicialmente o nome de existência de APITE – Associação dos Pioneiros da Televisão Brasileira, passou depois a se chamar APPITE – com dois PP, que significava uma abertura a mais, com o convite a todos os profissionais e também os incentivadores da televisão para que se juntassem a nós, os pioneiros.

Claro que há também a Vida Alves, isto é, eu, ao lado de todos, exigindo de todos; às vezes simpática, às vezes ranzinza, às vezes inteligente, às vezes “sem ação”, quando seu computador emperra. Aí sempre alguém corre para socorrer à “chefe”, que não sabe quase nada dessa modernidade.

E assim ficamos algum tempo, até que nos decidimos por Pró-TV – ou seja, somos uma entidade que agrega todos os que são pró, ou a favor da televisão, da história da televisão, da saga que foi sua implantação e do sucesso mundial, em que se transformou nossa televisão, hoje reconhecidamente uma das melhores do mundo. Quanto a nós, que aqui estamos para tocar a entidade em frente, somos uma equipe pequena, mas com uma qualidade plena: a união. E são jovens, aqueles que aqui trabalham. Há o Elmo Francfort, que tem mestrado em Comunicação e é também redator desta revista. Há a Luciana Bandeira, secretária e “gerentinha” da Pró-TV, formada em Publicidade. Há o Nelson Gonçalves, também formado em Comunicação, que redige, digitaliza, etc e tal. Há a Élida Alves, a mais nova da turma, iniciando agora a faculdade de Ciência da Computação. Há a Izabel, 2

Mas o que tenho a frisar é que nessa turma toda o importante é a união, é a soma, a amizade¸ a vontade de acertar sempre. Por parte de todos. Foi por isso que neste primeiro número da Revista Pró-TV de 2012, quis dedicar algumas palavras de gratidão à minha turma, aos meus meninos, que trabalham comigo, há muitos anos, tocam tudo, se somam sempre. Aqui fica então a eles, “quase meus filhos”, ou melhor: “quase meus netos”, o eu muito obrigada, de verdade e de coração. Parte da equipe Pró-TV


| Nosso acervo | Regina Duarte, como ViĂşva Porcina

Novela Roque Santeiro, da TV Globo (1985)

3


| Exposição | 60 Anos da Telenovela Brasileira em Brasília Em Brasília, no dia 19 de janeiro foi inaugurada a exposição “60 Anos da Telenovela Brasileira”. O lugar escolhido foi o lindo hall do Shopping Iguatemi da cidade. Presentes vários convidados, o diretor da TV Globo de Brasília, Toninho Drummond, os diretores da Pró-TV de São Paulo, entre os quais Vida Alves e dois convidados especiais: os atores Murilo Rosa e Rafael Almeida, brasilienses de nascimento e astros da Globo. Muita conversa, muita reportagem, gostoso coquetel e beijos, muitos beijos. Uma linda festa.

Acima, vista geral da exposição. E ao lado, os atores Murilo Rosa e Rafael Almeida, que foram os mestres de cerimônia da abertura

Murilo Rosa e Rafael Almeida com Toninho Drummond, Diretor Geral da TV Globo Brasília

Alguns dos figurinos expostos na mostra

Vida Alves, presidente da Pró-TV, recebe beijo de Murilo Rosa e Rafael Almeida. Depois, entrega homenagem a Toninho Dummond

4

Crédito das fotos: Sérgio Seiffert


| Homenagem| Toninho Drummond Nessa parceria tão gostosa, que a Pró-TV tem com a Rede Globo, levando ao público brasileiro a Exposição “60 Anos da Telenovela Brasileira”, além do prazer que dá realizar esse serviço cultural, há ainda a satisfação enorme de viajar por cidades lindas do Brasil. E mais: conhecemos, nessas viagens, os diretores e os principais artistas dessas cidades que visitamos.

Sérgio Seiffert

E assim aconteceu em Brasília. A maravilhosa cidade Brasília nos recebeu de braços abertos, com o céu lindo e o seu pôr do sol circular, imenso, maravilhoso! Para receber a equipe da Pró-TV, no espaço da Exposição, estava Toninho Drummond, Diretor Geral da Rede Globo de Brasília.

Mineiro de Araxá, Antonio Carlos estudou Direito em Belo Horizonte, mas acabou se ligando ao jornalismo escrito, tendo trabalhado no Jornal “O Estado de Minas”, e depois no jornal “Última Hora”. Passou para a televisão Globo, a convite de Armando Nogueira, e transferiu-se para Brasília. Toninho, como é chamado por todos, fortaleceu o jornalismo da capital brasileira. mais da metade de seus funcionários é ligada ao jornalismo e há grandes nomes desse setor, que ou são brasilienses de nascimento, ou de coração, pois amam Brasília e sabem da importância do trabalho que fazem, pois estão perto do poder e são eles que levam as principais noticias desse setor, para todo o país. Toninho, homem tranquilo e gentil, trata a todos os funcionários com carinho, com atenção e os conquista inteiramente . A equipe da Pró-TV, composta por Elmo Francfort, Luciana Bandeira e Vida Alves ficou encantada com Toninho Drummond e registra aqui seu agradecimento a esse diretor importante da Rede Globo de Televisão, a quem a partir de agora podemos chamar de “amigo”. V.A.

A TV CULTURA e a Fundação Padre Anchieta fazem a diferença colaborando na manutenção da Pró-TV. História da televisão também é cultura. www.tvcultura.com.br

5


| Acontece | Elmo Francfort

Só que há uma grande parcela de pessoas que fica em casa e que quer ver todo espetáculo por uma visão privilegiada: o sofá. Bem diante da televisão, o camarote está ali, com direito a pipoca de microondas e refrigerante comprado no bar da esquina. Enquanto você descansa, muita, mas muuuuita gente trabalha. Logo tradicional da cobertura carnavalesca da TV Estou falando das equipes de TV, que vão para os Globo, e ao seu lado, Aline Prado, a Globeleza atual sambódromos da Sapucaí, no Rio de Janeiro, ou do Anhembi, em São Paulo... Ou ainda em outros lugares menores, espalhados por todo país! O jornalismo fica segmentado, voltado ao Carnaval, antes, durante e depois dos festejos. É possível ver desde um carnavalesco falando sobre as alegorias de sua escola até um repórter mostrando a recuperação de São Luiz do Paraitinga, pronta para volta dos foliões.

Diante disso você vê de tudo na TV na hora da folia. A Globo caprichando nos desfiles das escolas de samba (época de Globeleza no ar), a RedeTV! transmitindo os bastidores do Carnaval (talvez uma das únicas heranças que absorveu da Manchete), o SBT e Band cobrindo os carnavais do Nordeste, Cultura e Gazeta apresentando alternativas aos desfiles e bailes e Record deixando em clima de carnaval seus programas, como o “Melhor do Brasil”. Um enorme formigueiro de profissionais de TV se espalha do Eixo Rio-São Paulo, se locomovendo para todas as partes do país. Tudo pela melhor cobertura carnavalesca. Quem não quer entrar no clima, tem que desligar a televisão. Agora essa temporada não é de hoje, pois Carnaval se transmite desde os desfiles na Avenida São João e a cobertura dos bailes pela TV Tupi. E extintas emissoras, como Excelsior e Manchete, também fizeram sua parte. “Brasil 60”, com Bibi Ferreira, volta e meia mostrava Escolas de Samba, já a Manchete levava para o lado pessoal a briga pela melhor cobertura dos desfiles com a Globo. No passado, até a Cultura já teve a tradição de mostrar os desfiles de São Paulo, assim como a Gazeta, que foi pioneira a mostrar a cobertura de desfile em clubes, como o Monte Líbano, com narração de Carlos Aguiar. Aproveito para homenagear Haroldo Costa, que esse sim já passou por todas e é um mestre no Carnaval. Já narrou desfiles para Tupi, Manchete e continua firme e forte na Globo. E o Carnaval vem aí, entre você também no ritmo de folia. Vem aí Uma grande modernização acontecerá em nosso portal Pró-TV. O site virtual do Museu da Televisão vai ganhar roupa nova, mecanismos avançados e muito mais conteúdo. Aguardem!!! www.museudatv.com.br 6

Divulgação Rede Globo

É tempo de Carnaval Quando chega essa época de Carnaval há aqueles que se aventuram a irem ao sambódromo, a matinês, clubes ou resolvem viajar.


|Diretoria| Reunião de diretores A diretoria da Pró-TV reuniu-se num almoço festivo. Foi em meados de dezembro do ano passado. Mais de trinta e cinco pessoas presentes e a alegria de estarem juntos, amigos sempre. Num lugar aprazível, à Av. Professor Alfonso Bovero, no bairro do Sumaré, parece para muitos, que o tempo passou, mas a verdade é que quando a televisão Tupi chegou, foi há 61 anos atrás. Muitos da diretoria vieram de outras emissoras, da TV Record, da TV Paulista, da TV Cultura, da TV Bandeirantes.... Mas estão todos alegres, jovens, unidos. E a Pró-TV comemorando a união.

Missa de Ação de Graças Dia 25 de fevereiro, às 11 horas da manhã, será realizada uma missa pelas almas dos nossos artistas falecidos em 2011 e 2012. Solicitamos a presença de todos os familiares. A missa será na Igreja Nossa Senhora de Fátima. Av. Alfonso Bovero, 1831 – Sumaré, São Paulo-SP. Compareçam!

|Visitação|

Site: www.cidadedatv.com.br Visitem a Cidade da TV, o maior centro de entretenimento sobre TV do Brasil. Horário: de terça a domingo, das 9h às 17h. Ingressos: R$ 10,00 e R$5,00 (crianças até 12 anos, estudantes com carteirinha e idosos acima de 60 anos). Visitas em grupo: ligue para: (11) 4330-6998 / Falar com Carlos ou Sandra Local: Cidade da Criança (Portão 4) – Rua Tasman, 301. São Bernardo do Campo / SP 7


| Saudade| A falta que vai fazer... Wando, que se chamava Wanderley Ales, faleceu em 8 de fevereiro. Desde menino foi chamado de Wando, apelido que lhe deu sua avó. Mineiro que era, nasceu na cidade de Cajuri. Estudou violão erudito e se dedicou à musica aos 20 anos. Teve banda, quando bem jovem e logo começou a cantar e a fazer sucesso. Seu samba puro, romântico e todo dedicado à mulher fez dele um ídolo. Vendeu mais de 10 milhões de cópias de suas canções. Um dia veio me visitar. Lembro-me bem. Faz anos. Eu, já na Pró-TV, tinha um programa que ia ao ar pela TV Comunitária de São Paulo. Telefonei, pedi, ele veio e trouxe o seu violão. Antes de gravar, cantou para mim e para minha filha Thais Alves, que era apresentadora do programa: “Encontro com os Artistas”. Pedi e ele cantou: “Moça”, minha preferida: me emocionei. Amei, agradeci e jamais esqueci. Wando se foi, mas seu jeito meigo, sua educação, sua arte, ficarão eternamente comigo e certamente com todos os seus fãs. Caro amigo, descanse em paz. V.A.

Faleceu Márcia Maria Muito bela e boa atriz. Márcia Maria nasceu em Vitória, capital ao Espírito Santo, em 1944. Veio cedo para São Paulo e foi garota propaganda. Depois passou a atriz. Fez belos papéis em novelas. Aturou muito na TV Record, onde fez importantes novelas, como: “As Pupilas do Senhor Reitor”, “Algemas de Ouro”, “Os Deuses Estão Mortos” e outras tantas. Foi também da TV Tupi de São Paulo, e esteve nas novelas: “A Viagem”, “Mulheres de Areia”, “Meu Rico Português”. Foi para a TV Bandeirantes e para a TV Globo. E também para o SBT e para o CNT. Por fim montou cursos de teatro, onde ministrava a arte da interpretação. Márcia Maria foi casada com o ator Adriano Stuart. Ela faleceu em 8 de fevereiro de 2012. Porém, jamais será esquecida, grande atriz que sempre foi. Nossa saudade. V.A.

BRASIL: TELEVISÃO & MEMÓRIA www.museudatv.com.br/centrodememoria/

8


| Saudade| João Lorêdo Um grande profissional de televisão nos deixou: João Lorêdo. Foi no dia 25 de janeiro que passou. Estava com 81 anos de idade. Eu o conheci e acho que todo Brasil o conheceu bem jovem, há muitos anos atrás. Isso porque João Luiz Rodrigues Lorêdo viveu para a arte e mais precisamente para a televisão. Formado em Psicologia, era professor de Matemática, Português, Geografia e História. Respeitado como homem culto, o que gostou de fazer na vida realmente foi rádio e televisão. Além do teatro, é claro, pois ele era múltiplo. Na TV Globo, onde ficou longo tempo, ajudou na criação e lançamento do programa “Fantástico, o Show da Vida”. Citado várias vezes no “Livro do Boni”, era tido como o diretor que tinha “um chicote em uma mão e uma rosa na outra”.

João Lorêdo (1930 - 2012)

Isso quer dizer que ele era bastante exigente, caprichoso, inteligente, dedicado ao que fazia. Daí o “chicote”, a que se referia Boni. Na outra mão, porém, a “rosa”, a delicadeza, a bondade, a compreensão humana, a generosidade. Para mim, era um grande amigo, pois quando vinha a São Paulo, ficava em casa de Walter Ribeiro dos Santos, comediante antigo, que foi marido de minha irmã Poema. Também gostei de João Lorêdo por seu livro: “Era uma vez a Televisão”, para o qual cedi muitas fotos, e no qual fui homenageada. Saudade…. é o que sinto hoje, quando registro aqui seu falecimento. E também gratidão. Não apenas por mim, mas pela televisão, em cuja história ele colaborou tanto…. Saudade... e gratidão, pois sempre que pedi me ajudou. Não o esquecerei jamais. V.A.

A PROCIMAR APÓIA A DIGITALIZAÇÃO DO ACERVO DA PRÓ-TV Tel: (11) 3873.5888 www.procimar.com.br

9


| História |Padre Landell de Moura, pioneiro na história e nas ondas do Rádio Fábio Siqueira Roberto Landell de Moura nasceu em Porto Alegre, numa casa situada no coração do centro histórico da capital dos gaúchos, em 21 de janeiro de 1861 e desde muito jovem já demonstrava afeição por duas grandes áreas pelas quais dedicaria , praticamente sua vida inteira: a vida religiosa e as experiências tecno-cientificas. Ao sacerdócio abraçou ainda no Estado natal, quando ingressou no Colégio da Companhia de Jesus, na Cidade gaúcha de São Leopoldo e posteriormente, concluindo seus estudos eclesiásticos no Vaticano, nos conceituados Colégio PioAmericano e na Pontifícia Universidade Gregoriana. Muito jovem, já de volta ao Brasil, se destacava como pároco da Igreja de Mogi das Cruzes, próximo a Capital paulista. Padre Landell de Moura

Simultaneamente a ordenação sacerdotal, aflorou em Landell seu lídimo interesse pela ciência, pois em 1879 já era aluna da Escola Politécnica do Rio de Janeiro, e como menos de 30 anos já proferia palestras a Sua Majestade Dom Pedro II, o imperador brasileiro daquele tempo. Já transferido para São Paulo, incumbido de ministrar ofícios religiosos em uma Paróquia do bairro de Santana, padre Landell de Moura apresenta seu primeiro feito cientificotecnológico, quando consegue em 1894 concluir com sucesso a transmissão por telégrafo sem fio da palavra humana a uma aproximada distância de 8 quilômetros, do “espigão” da Avenida Paulista até o morro de Santana. É fundamental sublinhar que tal prodígio ocorreu pelo menos um ano antes da mundialmente conhecida experiência do físico italiano Guglielmo Marconi (1874-1937) , detentor do Premio Nobel de Física de 1909, que somente em 1895 fez similares experiências de Landell, na cidade italiana de Ontechi. Essa inovadora descoberta de Landell de Moura , acerca da real possibilidade de transmitir a palavra a distancia sem o uso de fios transmissores, foi viabilizada por meio da construção de um rústico mais eficiente aparelho transmissor sem fio que objetivava a transmissão de mensagens, datado de 1892.

10

Por tudo isso, fica patente e comprovado que a experiência transmissora de voz em ondas sonoras de Landell de Moura é anterior a Marconi, somado ao fato que Landell fabricava seus próprios instrumentos científicos para a propagação do som a distancia, como o “anematófono” e o “teletition” ..Em 1900, os jornais paulistanos já noticiavam com grande destaque os experimentos desse grande inventor brasileiro, inclusive testemunhados por representantes de outros

paises, como o Reino Unido. Lamentavelmente, o grande criador pátrio teve o reconhecimento de seus importantes inventos bastante demorado, só conseguindo obter sua primeira patente em 1901 , mais de sete anos após a demonstração pratica da propagação da voz a distancia. Após essa primeira patente vieram outras, não menos importantes, como a do telefone sem fio (numero 775.337) e do telégrafo sem fio (número 775.846). Landell vive três anos nos Estados Unidos, dando prosseguimento a suas pesquisas tecnológicas e travando uma luta para a obtenção de um maior reconhecimento de seus pioneiros inventos. Com a consolidação da válvula de Crookes para a o desenvolvimento dos meios de comunicação sem fio, por meio da geração de ondas eletromagnéticas, Landell de Moura abriu um grande espaço para outros experimentos nessa área, que , por exemplo levaram o físico norte-americano Lee de Forest (1873-1961) a desenvolver as primeiras transmissões de rádio nos EUA (1907) e na França (1908). Por todo esse inovador conjunto de contribuições para a ciência e tecnologia em âmbito global, que infelizmente só não ganhou maior e justa notoriedade e reconhecimento por completa ausência de apoio governamental e institucional na época de sua realização, Padre Landell de Moura tem com certeza, garantido seu espaço na história do conhecimento brasileiro e mundial. O eminente sacerdote-cientista faleceu em sua natal Porto Alegre, precocemente, aos 56 anos, no dia 30 de junho de 1928, sem usufruir das láureas atinentes a suas necessárias descobertas. Por quase quatro décadas seu nome ficou praticamente esquecido, mais em virtude de revisões biográficas, como o excelente livro do conterrâneo gaúcho e exímio dramaturgo Ernani Fornari (1888-1964), que o biografou na década de 60, seus feitos foram recuperados e recordados. Em São Paulo, o Prefeito Olavo Setúbal (1923-2008), juntamente com o seu renomado Secretario de Cultura , professor e critico teatral Sábato Magaldi, homenageia Landell de Moura com o nome de uma rua na região do Tatuapé em 1975, curiosamente no mesmo dia que nomeia o Bispo Dom Paulo Rolim Loureiro (1908-1975), o religioso que abençoou os Estúdios da TV Tupi na data de sua fundação em setembro de 1950 como titulo de outra rua na capital paulista, no bairro de Santo Amaro. Essa é a síntese da trajetória de Roberto Landell de Moura, um lídimo e empreendedor brasileiro, que suplantando uma série de adversidades, deixou indelevelmente seu nome na ciência e na radiodifusão mundial.


Aniversariantes Janeiro 01 André Dias 01 Reimy 01 Ricardo Gouveia 01 Wilma Peramezza 02 Rita Guedes 02 Débora Duarte 03 Flamineo Fávero 03 Paulo Vilhena 04 Elias Gleizer 06 Márcia Real 06 João Kralik 06 Cássia Kiss 06 Carlos Manga 07 Nicette Bruno 09 Paulo Afonso Miessa 09 Paulo Goulart 11 Patrícia Pillar 13 Jéferson Cardoso 13 Renato Aragão (Didi) 14 Joelmir Antonio de Oliveira 14 Marco Aurélio Dias Mariano 16 Éderson de Oliveira 17 Mel Lisboa 17 Taumaturgo Ferreira 18 Nelson Gonçalves Junior 19 José Sebastião 20 Marina Toledo 22 Marília Pêra 23 Brancato Júnior 25 Beth Goulart 25 Carolina Ferraz 27 Ary Fontoura 27 Dan La Laina Sene 28 Fernando Loureiro 28 Maitê Proença 28 Marcello Antony 31 Solange Palma Torelli 31 Maurício Schermann

11 Flávio Prado 11 Edwin Luisi 11 Mário Prata 11 Paulo César Grande 11 Guy Loup 12 Regina Martinez 13 Bóris Casoy 13 Dino Moreno 15 Tito Bianchini 17 Dayse Bragantini 18 Priscila Fantin 18 Cristiane Torloni 18 Fábio Rolfo 18 Cuberos Neto 19 Alberto Dines 19 Adriano Stuart 21 David José 22 Aracy Balabanian 24 Antonio Bellini 25 Mohamad Said Mourad 26 Celso Luiz Tavares 27 César Monteclaro 28 Ruvin José

|Destaque |

O ator Elias Gleizer completou 78 anos de vida no último dia 4 de janeiro. Filho de judeus poloneses que fugiram da perseguição na Europa, começou sua carreira na Tv Tupi, em 1959. Trabalhou também na TV Bandeirantes, SBT e Rede Globo, tendo atuado em mais de 40 novelas, minisséries e seriados. Na foto acima, que é de 1975, Elias está em cena da novela “Ovelha Negra”, da TV Tupi.

|Centro de Memória | Esta foto faz parte do Centro de Memória Pró-TV.

Fevereiro 01 Luiz Francfort 01 Nadir Fernandes 01 Adriana Lessa 02 Maximira Figueiredo 02 Luiz Gustavo 02 Vivian Regina Bifulco 03 Bárbara Fázio Durst 04 Sabrina Sato 05 João Roman Neto 05 Laurindo Guzzi 05 Regina Duarte 05 Wanda Stefânia 06 Cláudia Ohana 08 Vanessa Vheelker 10 Roberto Petri 10 Josemar A.P. Fuzari 10 Cauby Peixoto

Já são mais de 2.500 fotos digitalizadas e catalogadas. Acesse nosso site e descubra mais desta ferramenta ! Fachada do prédio da TV Globo Rio de Janeiro, 1971

| Expediente |

Direção: Vida Alves | Design: Elmo Francfort e Nelson Gonçalves Junior | Redação: Vida Alves, Elmo Francfort e Nelson Gonçalves Jr. | Fotos: Francisco Rosa| Secretaria: Lú Bandeira Tel: (11) 3872.7743 | Site: www.museudatv.com.br E-mail: protv@museudatv.com.br | Expediente: Segunda a sexta - 10h/18h | Venha nos visitar. Agende sua visita!

11


Crédito das fotos: Lourival Ribeiro

|Cidade da TV | Exposição SBT 30 Anos Ritmo de Festa O SBT completou em 19 de agosto de 2011 três décadas de existência. Desde então comemora a data com uma grande exposição, que em 01º de fevereiro deste ano desembarcou na Cidade da TV, em São Bernardo do Campo. A abertura contou com a presença do diretor de planejamento e programação do SBT, Murilo Fraga, a presidente da Pró-TV, Vida Alves, o diretor da Cidade da Criança / Aquário de São Paulo, Anael Fahel e o Secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo da cidade, Jefferson José da Conceição e o Secretário da Cultura local, Oliveira Neto. São muitos os atrativos da exposição. Entre eles, o barril do Chaves, a sala da novela “Éramos Seis”, roupas e acessórios de personagem e personalidades do SBT, painéis com fotos e vídeos, o Troféu Imprensa, o chapéu do Raul Gil e até o Xaropinho do Ratinho. Não perca. Ficará aberta até 9 de abril. Apareça de terça a domingo, das 9h às 17h, na Cidade da TV (Cidade da Criança – Portão 4 – R. Tasman, 301 – S. Bernardo do Campo / SP).

Oliveira Neto (Secretário de Cultura de SBC), Murilo Fraga (Diretor Planejamento e Programação SBT), Vida Alves (Presidente Pró-TV), Jefferson José da Conceição (Secretário de Turismo SBC) e Anael Fahel (Cidade da Criança)

Maísa Alvês, Gerente de Comunicação do SBT, com Vida Alves

12

Entrada da Cidade da TV destaca exposição

Cenário da novela Éramos Seis, que faz parte da mostra

Oliveira Neto, Murilo Fraga e Jefferson José da Conceição

Revista Pró-TV - nº 97  

Edição número 97 da Revista feita pela Pró-TV

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you