Page 1

Págs 26 à 38

Págs 09 à 13

Págs 18 à 23


Sumário

53

06 PALAVRA DO PRESIDENTE

CALENDÁRIO 2017

Conra as palavras do presidente da CBO para todos os leitores.

Veja os principais eventos de julho 2017

07 COMUNICADO CBO A CBO tem um comunicado muito importante para os orientistas, conram.

38 14 ORIENTAÇÃO E A ESTRADA REAL - Parte 2 Texto enviado pelo leitor Carlos Alberto, falando sobre a corrida de orientação e a região da Estrada Real

COMO FOI

26 2ª ETAPA CAMBOR 2017 A revista PrisMagazine foi até Cassimiro de Abreu-RJ e cobriu de pertinho a 2ª etapa do CamBOr, conram.

Conra os que rolou nos principais campeonatos de orientação do Brasil em maio junho de 2017


Editorial Editorial Olá amigos e amigas orien stas! Mais um mês e aqui estamos, trazendo as principais no cias da orientação do Brasil. Primeiramente gostaria de nos desculpar pela demora em sair esse edição. Infelizmente estamos tendo muita dificuldade em receber matérias sobre as etapas e eventos de orientação, para montar uma revista recheada de informações para vocês, tanto que juntamos dois meses para finalmente conseguir montar a edição número 020 ano II. A Revista PrisMagazine de Maio/Junho 2017, está especial, com uma super cobertura da 2ª Etapa do Campeonato Brasileiro de Orientação, ocorrida na cidade de Cassimiro de Abreu-MG. Nos deslocamos até o estado do Rio de Janeiro para cobrir em primeira mão esse evento. Uma experiência maravilhosa que iremos compar lhar com todos. Temos uma super matéria do que rolou em comemoração ao WOD, Dia Internacional da Orientação. No Rio de Janeiro foi organizado 3 eventos em locais diferentes, na UFF – Universidade Federal Fluminense (Campus Gragoatá), na EEFD - Ilha do Fundão e na EMTAJ – Escola Municipal Tenente Antônio João (Ilha do Fundão). Na Paraíba os clubes do Rota Alterna va e Neblina fizeram uma parceria com o Século Colégio, para divulgar o esporte para os alunos. O atleta destaque desta edição será o Robson Reginfo, um destaque na orientação brasileira que também e faz parte da equipe brasileira de orientação Ainda contamos com a coluna fixa de nossa revista, assinada pelo o nosso presidente CBO, um comunicado da CBO importante para conhecimentos dos orien stas brasileiros. Acompanhe nesta edição detalhes dos eventos que movimentaram os úl mos dois meses na coluna “Como Foi”. Uma matéria enviada pelo atleta Carlos Alberto de Almeida, Corrida de Orientação e a Estrada Real Parte 2, vale a pena conferir. Veja ainda o calendário de eventos programados para o mês de Julho de 2017. Uma novidade para essa edição é a parceria da PrisMagazine com a Marinha Brasileira, onde iremos destacar todo mês uma matéria do informa vo da marinha, valorizando esse maravilhoso material sobre a orientação brasileira e mundial. Aproveitem e se mantenham informados com a REVISTA PRISMAGAZINE. Gostaríamos de agradecer a todos os leitores por acompanhar e divulgar nossa revista, é um trabalho árduo, mas gra ficante. Jeremias Araújo Diretor de Edição

Expediente Equipe Edição Jeremias Araújo Rafael Dantas

Diagramação, arte e criação Jeremias Araújo - jqcaraujo@gmail.com

Colaboradores Luiz Sergio Mendes - preside.cbo@gmail.com Antonio Dmeterko - antonio.dmeterko@uol.com.br Marcelo Malato - marcelomalato@hotmail.com Marden Sousa - guerreiro_ef@yahoo.com.br Jose Roberto Lesonier - sgtlesonier@yahoo.com.br Robson Rengifo - robsonfigueirare@yahoo.com.br

Presidente Cofort - presidente.cofort@gmail.com Lauro Mansur - informa ca@codiv.org.br Aislan Bacha - aislanbacha@gmail.com Piau! Esporte & Natureza - piau.esporte@gmail.com Junior Mesquita - juniormesquita.aj@gmail.com Carlos Alberto - carlosicmiguaba@gmail.com

Contato Comercial: (83) 9-8878 - 6800 Email: revistaprismagazine@gmail.com Site: www.primagazine.com.br Facebook: h ps://www.facebook.com/revistaprismagazine Instagram: revistaprismagazine


PALAVRA DO PRESIDENTE Caros Orien stas Um pensamento de Henry Ford nos traz à tona a importância do caminho que escolhemos com foco em mo vação e a tude: “ Você pensa que pode ou pensa que não pode. De qualquer forma você está certo”. Uma empresa nunca se torna grande, ou quebra, hoje. Quebra, ou cresce, cinco anos atrás. Quando falha, não se trata de falência financeira; é falência mo vacional. Os mo vados enxergam oportunidades nas dificuldades... Os desmo vados enxergam dificuldades nas oportunidades! Os posi vos fazem... os nega vos reclamam. Em conexão com esta ideia de mo vação trago à tona a realização, nos próximos dias, de vários eventos importantes do nosso calendário espor vo. Teremos a realização de nossa segunda etapa do Campeonato Brasileiro de Orientação e Brasileiro de Orientação de Precisão, este úl mo precedido de um Seminário Internacional de Pre-O. Logo em seguida, a nossa equipe nacional embarca para disputar o Campeonato Mundial de Orientação, e logo após, os Jogos Mundiais. Quem observa com cuidado vê que não é pouco. Poderia ser apenas uma etapa do CamBOr, mas é mais! É mais porque temos a volta do nosso campeonato ao Rio de Janeiro, após vários anos. É mais porque teremos um seminário internacional de Pre-O, com a presença de par cipantes de outros países e um instrutor convidado vindo de Portugal, nosso país irmão. É mais porque nossos atletas irão par cipar do Campeonato Mundial de Orientação. E, pela primeira vez, com recursos da CBO. Assim, pode ser mais fácil entender o que nos mo va: O que nos mo va é fazer mais, buscar mais, compar lhar mais. Você pode se perguntar: Mas e aí? O que isso tem que ver comigo? Tem muito. Quando se planeja algo com cuidado, os resultados nunca serão imediatos, mas de longo prazo. Pode parecer uma coisa simples, mas um evento internacional de Pre-O nos coloca na vanguarda desta disciplina na América do Sul e nos projeta como um país que pode fazer mais pelo nosso esporte. A mentalidade pequena nunca vê o que é grande, já que pequena, só vê e faz o que é pequeno. Já a par cipação num campeonato mundial nos destaca da mul dão e envia uma clara mensagem de que o esporte orientação quer crescer no Brasil. E não se cresce hoje, se cresce cinco anos atrás! Portanto, os resultados do que fazemos hoje, serão visíveis em 4 ou 5 anos. O que temos hoje é reflexo do que foi pensado antes. Se queremos uma orientação forte, temos que entender e conhecer o que os fortes fazem. É isso que estamos fazendo. Para acompanhar nossas equipes no Campeonato Mundial e nos Jogos Mundiais a CBO realizou a Campanha Vá Junto. O obje vo não era apenas captar recursos, já que sabíamos com antecedência que o valor arrecadado não cobriria os custos de levar dois orien stas filiados com a equipe. O obje vo era mostrar que somos capazes de fazer mais e ir mais longe, levando atletas comuns para conhecer eventos de porte mundial. E isso foi plenamente alcançado. A campanha teve a colaboração de 160 filiados que adquiriram cotas variando de vinte a noventa reais. A CBO agradece a cada um deles. O valor total arrecadado foi de R$9.331,20 líquidos. O suficiente para pagar as despesas de uma das viagens. A outra foi bancada pela CBO. E assim, dois felizardos; Josiane e Liro, ambos do COC, assis rão de perto os melhores atletas do mundo em ação. Há cinco anos isso não era nem sonhado! Que nos reste como legado a ideia de que nós, todos nós, atletas e dirigentes, temos que estar unidos e acreditar que quando estamos mo vados, podemos e fazemos mais, muito mais!


07

COMUNICADO CBO

Por Gilson Schropfer Diretor Técnico CBO

ANUIDADES CBO 2017

CBO Texto: Antônio Dmeterko, Secretario CBO

A CBO informa que a par r de amanhã (01 Jul 2017) os valores das anuidades não terão mais descontos, conforme nosso Regimento de Taxas aprovado na úl ma Conferência das Federações, realizada em 23 de setembro de 2016. Assim, passam a vigorar os seguintes valores: Art. 2º - TAXA DE ANUIDADE: a) federação estadual..................................................................... b) associação ou clube.................................................................. c) atleta filiado...... .......................................................................... d) atleta filiado menor de 18 anos............................................... e) cônjuge ou companheiro(a) de atleta filiado........................ f) primeiro dependente de atleta filiado, menor de 21 anos... g) demais dependentes de atleta filiado, menor de 21 anos.. h) atleta amparado pela Regra 45, das RGOP..........................

R$ 120,00; R$ 100,00; R$ 55,00; R$ 30,00; R$ 30,00; R$ 30,00; R$ 25,00; ISENTO.

Solicitamos a gen leza de dar ampla divulgação no meio de seus filiados.


A T E L AT E U Q A T S DE

ROBSON RENGIFO


10

Me chamo Robson Figueira Rengifo, natural de Taba nga/AM, filho de Mãe solteira, segundo filho num total de quatro, profissão Mecânico de Motores e Aeronave. Quando adolescente gostava de caçar na região onde morava, também ganhava meu tempo pescando. Na época não nha muitas informações a respeito de trabalho e do Brasil, rsrs, vida de interiorano do Amazonas! Então, do nada um Sr, Militar da Marinha, me orientou a ser Fuzileiro Naval, sem pensar muito fui, deu certo e estou ate hoje, muito feliz. Bom, já na Marinha do Brasil, em 2002, ve o privilegio de conhecer o Esporte de Orientação através do finado Cpt Reginaldo, responsável em me apresentar a modalidade e padrinho desse romance que dura ate os dias de hoje. Já em 2002 na região amazónica ve o prazer de compor a equipe de orientação do an go Grupamento de Fuzileiros Navais de Manaus, atual Batalhão de Operações Ribeirinhas, onde par cipamos ao longo do mesmo ano e conseguimos sair como campeões, ufa, aquilo foi de mais, seria o alicerce da minha tão gloriosa carreira. Passei um tempo afastado, pensando em outras modalidades despor vas, ate fiz!. A par r de 2005 voltei a modalidade, de uma vez por todas, de corpo e alma, dedicando-me quase que integralmente aos treinos e pensamento ao esporte orientação. No ano de 2006, meu primeiro CAMORFA, foi muito legal, conheci a verdadeira Orientação no País, já no mesmo evento consegui ser convocado para compor a Equipe Brasileira Militar que representaria o país no Mundial que seria aqui mesmo, na região do Paraná. 2007, dei na trave, rsrs, não consegui vaga para estar acompanhando a equipe. 2008, mais uma vez Derrota. 2009, este ano eu começava ganhar experiência e já despontava como um grande atleta no País, mas, como todo militar de carreira ve que parar por conta do Curso de Sargento, não consegui grande resultados despor vo. 2010 estava chegando e com ele a possibilidade de par cipar das sele vas que viriam ao longo do ano para compor a equipe que representaria o Brasil no ano seguinte 2011, JOGOS MUNDIAS MILITARES RIO 2011, lá esteve eu de fora mais uma vez!!!! Não pude par cipar, por mo vo de forca maior. Mas nem tudo e ruim ou por acaso, acredito que tudo tem um propósito, ainda em 2010 ve o prazer e a honra de conhecer o mais famoso atleta de orientação de Portugal, Sr Joaquim Sousa, que na ocasião apresentou-me o seu treinador que passaria ser o MEU também. 2011, justamente no ano do Mundial no Brasil, depois de um primeiro semestre do ano parado pela frustração de não ter sido convocado para o mundial, voltei a treinar, decidido a não parar mais, então, no mesmo ano com o cumprimento da planilha de treino fornecida pelo meu então treinador Sr João Albano, comecei a ganhar compe ções, uhuu, rsrs, parecia que as coisas começavam a dar certo, tanto na parte sica como na técnica, aquele método se encaixava muito bem no meu perfil de treino. Veio 2012, um ano cheio de surpresas porque no ano anterior nha ficado muito tempo sem treinar, ai voltei e as coisas começaram bem. Pois bem já no inicio do ano fiz um esforço financeiro e fui para Portugal, com dois obje vos, um de conhecer meu treinador e outro de

treinar bastante a parte técnica, o qual consegui, retornei ao país com certo… eu pouco! Na primeira etapa do CamBOr 2012 já fui o 2 lugar no percurso médio, façanha que era extremamente di cil de ser conseguida, rsrs, consegui. No mesmo ano fui selecionado para ir representar o País e a Marinha no Campeonato Mundial Civil-WOC 2012 Suíça, um evento lindo. Quando voltei vieram os frutos, 2 lugares, 3 lugares e etc.… No ano de 2013 depois de quase 8 anos de orientação ininterrupto, o esporte já parecia que era parte de minha profissão, passei todo o ano correndo, falando, vivendo orientação, rsrs, defini vamente já estava fazendo parte da Elite da Modalidade, boas conquistas. 2014 chegou com muitas expecta vas, meus companheiros e comissão técnica nham muita fé que aquele ano seria ó mo para mim e para todos da equipe, e realmente as coisas c o m e ç a ra m b e m , t r e i n a m o s b a s t a n t e , par cipamos dos campeonatos Estadual, Nacional, Sele va da Marinha, tudo caminhava ó mo, e foi, ate quando permaneci no país foi perfeito, o mês de junho! Então, no mesmo ano no mês de abril, recebi um convite de ir ser treinador de Orientação na Escola Naval da Colômbia por um período de 2 anos e 8 meses, aceitei… Meu sonho nessa época já era de ser treinador, mas treinador de uma equipe pequena sem muita responsabilidade, rsrs, então, como dizem por ai, quem muito pede recebe, já recebi foi uma oportunidade de muita responsabilidade, kkkk, mas, não hesitei, ves a camisa. Mas, antes de minha ida a Colômbia, aconteceram às compe ções, de março a junho muita coisa rolou, e por fim consegui a tão esperada/desejada vaga para compor a Equipe Brasileira Militar, o qual por mo vos de força maior não pude par cipar.


11 Julho de 2014 a fevereiro de 2017, Colômbia, par cipar de Intercambio Despor vo Militar na Marinha daquele País. Bom, nestes anos que passei por lá, efe vamente fui treinador, dediquei-me a equipe, formei a equipe, treinei a equipe, por fim, depois de um longo e árduo período de trabalho, conseguimos obter a tão esperada conquista, ganhamos 8 medalhas, num total de 12 medalhas de ouro disputadas, ou seja, foi excelente. Após esse período distante de compe ções, retornei ao meu lar, ufa, parece que duraram 100 anos, rsrs, o Esporte no País con nua a todo vapor, lindo como sempre.

Desempenho no Cenário Estadual: Ÿ Campeão Estadual 2011 e Vice Campeão nos anos 2012/2013 Desempenho no Cenário Nacional: Ÿ 3º Colocado Geral em 2012- CamBOr Ÿ 4º Colocado Geral em 2013- CamBOr Ÿ Campeão do Troféu Sudeste 2017 e Desempenho Internacional: 4º Colocado no percurso médio 2006 2º Colocado no percurso médio 2013 e 4º Colocado no Sprint Final no WMOC 2014.

Ÿ Ÿ Ÿ

O que aprendi com tudo isso? De fato ocorreram muitas mudanças na minha vida, olhando rapidamente para o passado consigo ver que o aprendizado foi muito maior que o ensinamento; Ganhei com o passar do tempo, uma coisa que chamam Saber Trabalhar em Equipe, ser paciente, persistente, aprendi a nunca pré-julgar, valorizar as pessoas ao redor, valorizar a amizade, respeitar e etc. foram tantas mudanças que nem me reconheço! Até no sen mento para a modalidade mudei, rsrs, ontem gostava, hoje, amo. O que ganhei com tudo isso? Grandes coisas, como: Minha Família, uma casa; Meu Treinador; Meus Amigos; Qualidade de vida.

Medalha de melhor Treinador do evento. Iniciei o ano de forma especial, par cipei dos seguintes campeonatos: Ÿ Troféu Sudeste-Campeão Ÿ Campeonato do Rio de Janeiro-Campeão Ÿ Sele va para o Campeonato Mundial Militar na Finlândia (Uma vaga conquistada). Caracterís ca que me chama atenção no esporte e o fato de que nunca as provas são realizadas no mesmo lugar, sempre são realizadas em lugares diferentes, portanto, já conheço pra camente o país inteiro, muito legal. Meus melhores resultados ao longo destes 12 anos com interrupção 2009, 2010 (Curso de Formação) depois 2014 a 2017 (Comissão Militar) são: Desempenho como Militar Atleta: Ÿ Campeão do Campeonato da Marinha do Brasil – 5 vezes, 2008, 2009, 2011, 2012 e 2013; Ÿ CAMORFAs 2006, 2007, 2008 Ÿ Sele vas para Campeonatos Mundiais Militares 2009, 2012, 2013, 2014 e 2017.


14

CORRIDA DE ORIENTAÇÃO Por Gilson Schropfer E A ESTRADA REAL

Diretor Técnico CBO

Segunda Parte Texto: Carlos Alberto de Almeida - CBO: 1421

Na primeira parte do ar go sobre “Corrida de Orientação e a Estrada Real”, publicado na edição número 019 – abril 2017, da Revista PrisMagazine, a inspiração foi o Troféu Sudeste de Orientação 2017, evento realizado em Santa Luzia (MG), e que permi u aos orien stas o contato direto com vários trechos da Estrada Real. Iniciamos aquele texto falando sobre “rota”, mas nesta oportunidade a palavra é “percurso”, e quando falamos de percurso, ou caminho, no que diz respeito à Orientação, temos um “...conjunto de pontos de controlo que têm todos de ser visitados de forma sequencial. ” [1] Um percurso de Orientação pode ser realizado de várias formas, quais sejam: caminhando, correndo, de esqui, a cavalo, de bicicleta, e ainda temos a modalidade Trail-O ou Orientação de Precisão, que permite a par cipação de “...pessoas com capacidades sicas muito diferentes, incluindo as que tenham limitações de mobilidade muito severas, compe ndo todas em igualdade de circunstâncias” [2]. Foi por conta destes pos de prá ca da Orientação que corrigimos o tulo do nosso texto de “Corrida de Orientação e a Estrada Real” para “Orientação e a Estrada Real”. Ajustes feitos, vamos à 1ª Etapa do XIX Campeonato Brasileiro de Orientação, que teve como palco a cidade de Tiradentes (MG) e o distrito de Vitoriano Veloso, mais conhecido como “Bichinho” (Prados - MG), aos pés da belíssima Serra de São José, e que proporcionou aos orien stas um retorno à Estrada Real, mais exatamente ao “Caminho Velho”. No primeiro dia do evento, por ocasião do percurso “sprint noturno”, os par cipantes se enveredaram pelo Centro Histórico de Tiradentes buscando o melhor caminho para chegar em cada ponto de controle. E nesta busca, mesmo no afã de completar o percurso no menor tempo possível, não passaram despercebidas as relíquias históricas da cidade que em Figura 1: Marco da Estrada Real em “Bichinho” – Prados –MG seus primórdios recebeu o nome de Vila de São José Del' créditos da foto: Mateus Prenazzi) Rei, sendo ba zada mais tarde com o nome de Tiradentes, em homenagem ao herói da Inconfidência Mineira Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes. A prá ca da Orientação, por si só, já nos permite estas tantas experiências, mas, por meio deste modesto texto, venho ressaltar outras experiências que a Orientação tem nos proporcionado, além daquelas vividas em cada percurso. Com o obje vo de par cipar do Troféu Sudeste de Orientação 2017, realizado no mês de março, e organizado pelo Clube de Orientação do Colégio Militar de Belo Horizonte, na cidade de Santa Luzia (MG), lançamo-nos à primeira a vidade, qual seja, além dos prepara vos logís cos, e incluso nestes, foi preciso escolher o melhor caminho a seguir de nossas residências até o local da prova. Figura 2: Serra de São José vista da Matriz de Santo Antônio (Tiradentes-MG) [3]


15 No primeiro dia do evento, por ocasião do percurso “sprint noturno”, os par cipantes se enveredaram pelo Centro Histórico de Tiradentes buscando o melhor caminho para chegar em cada ponto de controle. E nesta busca, mesmo no afã de completar o percurso no menor tempo possível, não passaram despercebidas as relíquias históricas da cidade que em seus primórdios recebeu o nome de Vila de São José Del' Rei, sendo ba zada mais tarde com o nome de Tiradentes, em homenagem ao herói da Inconfidência Mineira Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes. Não é possível, em um breve ar go, citar todos os detalhes da histórica cidade, contudo deixamos aqui registrados três locais que, se não foram contemplados em meio ao percurso por todos os atletas, sem dúvida a grande maioria teve os olhos voltados para estas construções que veram seus alicerces lançados nos idos do século XVIII. São elas: a Matriz de Santo Antônio (1), a Ponte das Forras (2), e a Igreja Nossa Senhora das Mercês (3), conforme ilustração a seguir.

Figura 3: Mapa u lizado pelo autor durante o evento e imagens dos pontos históricos conforme referências [4], [5], e [6]. No dia 8 de abril de 2017, segundo dia da nossa empreitada orien sta, foi realizado o “percurso longo”, e não sabemos se os mapeadores Luiz Carlos do Nascimento e Luiz Henrique Marchiori, veram esta intenção, mas o fato é que o trecho de estrada que permeia o mapa que foi u lizado pelos atletas, naquele segundo dia do evento, é exatamente um trecho do Caminho Velho da Estrada Real. “Com muitas histórias para contar, o Caminho Velho foi a primeira via aberta oficialmente pela Coroa Portuguesa para o tráfego entre o litoral fluminense e a região mineradora. São localidades de cultura pica de Minas Gerais, um combinado entre as raízes indígenas, africanas e europeias. Essa riqueza é responsável por atra vos como a arquitetura única de Ouro Preto, a gastronomia reconhecida internacionalmente de Tiradentes, as grandes estâncias hidrominerais do Circuito das Águas e a cultura latente de Paraty. ” [7]


16 Materializando este encontro dos orien stas com a Estrada Real, diversos atletas, na execução de seus percursos, veram a oportunidade de passar por um dos marcos do Caminho Velho, conforme podemos observar a seguir.

Figura 4: Mapa u lizado pelo autor durante o evento e foto do marco da Estrada Real rada pelo autor. (A linha con nua vermelha foi desenhada paralela ao trecho de estrada do mapa que corresponde ao trecho da Estrada Real)

E mais uma vez este esporte que é a paixão de cada orien sta, nos proporcionou, além do contato com a natureza, o contato com a história e a beleza do nosso País, sendo oportuno lembrar o que foi dito na primeira parte deste texto, “vivemos novas experiências”, pois andamos por novos caminhos, “Caminhos da Estrada Real que abrilhantaram ainda mais os nossos percursos de Orientação”. Referências [1]. Orientação – Desporto com Pés e Cabeça. Disponível em: <h p://fpo.pt/www/images/fpo/OrientacaoEscolas/livro_orientacao_desporto_com_pes_e_cabeca.pdf >. Acesso em 15 de maio de 2017 [2]. Orientação de Precisão ou Trail-O. Disponível em: <h p://www.opra cante.pt/trail-o/>. Acesso em 9 de junho de 2017 [3]. Serra de São José (Tiradentes-MG). Disponível em: <h p://www.aturistaacidental.com.br/tag/ radentes/> Acesso em 16 de junho de 2017 [4]. Matriz de Santo Antônio (Tiradentes-MG). Disponível em: <h ps://www.dubbi.com.br/blog/o-que-fazer-em- radentes-mg> [5]. Ponte das forras (Tiradentes-MG). Disponível em: <mapio.net/pic/p-5734782/> Acesso em 16 de junho de 2017 [6]. Igreja Nossa Senhora das Mercês (Tiradentes-MG). Disponível em: <brasil.gov.br/old/copy_of_imagens/revista-digital/edicao-3/igreja-nossa-senhora-das-merces- radentes/view> Acesso em 16 de junho de 2017 [7]. Caminho Velho da Estrada Real. Disponível em: <www.ins tutoestradareal.com.br/roteiros/velho> Acesso em 18 de junho de 2017


19 No dia 24 de maio de 2017 a EEFD (Escola de Educação Física e Desportos) da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) organizou três eventos em diferentes locais, com início às 9h e encerramento às 16h, em comemoração ao Dia Mundial da Orientação - WOD (World Orieentering Day), proposto pela IOF (Interna onal Orienteering Federa on), com o obje vo de difundir o Esporte Orientação nos ensinos fundamental, médio e superior nos Municípios do Rio de Janeiro e Niterói. As ações foram realizadas na UFF – Universidade Federal Fluminense (Campus Gragoatá), na EEFD - Ilha do Fundão e na EMTAJ – Escola Municipal Tenente Antônio João (Ilha do Fundão). Ação UFF – Através da parceria entre a EEFD/UFRJ e FME (Fundação Municipal de Educação) de Niterói, foi possível atender a alunos de sete escolas do ensino fundamental, inclusive alunos com necessidades especiais, respec vos professores e pais de alguns desses alunos. Ao chegarem, os par cipantes recebiam instruções básicas sobre como pra car o esporte, com o auxílio de um papa didá co ampliado, idên co ao que u lizariam no percurso e, em seguida, realizavam o “Percurso Escolar” com oito pontos de controle, acompanhados por monitores. Também houve a par cipação de alunos acadêmicos e professores dos cursos de Educação Física, Ciência Ambiental, Geografia e Geo sica, todos da UFF. Estes além das orientações básicas também aprendiam como u lizar a bússola, fazendo uso desta no “Percurso Universitário”, com doze pontos de controle.

Os atendimentos foram assim distribuídos: Masculino - 154 / Feminino - 123 Sendo: Até 12 anos - 124 De 13 a 16 anos - 73 De 17 a 22 anos - 32 Acima de 23 anos - 48 Total de atendimentos

- 277


20 A Ação EEFD teve como público alvo alunos do Ensino Médio das escolas públicas e par culares, que par cipavam do projeto “Conhecendo a UFRJ” oferecido anualmente aos alunos que se preparam para o ingresso no ensino superior. Eles eram recebidos pelos monitores, numa tenda, onde recebiam as instruções sobre a prá ca do esporte, com o auxílio de um mapa didá co ampliado, idên co ao que u lizariam no percurso, sobretudo aprendendo a iden ficar as linhas meridionais e sua u lidade durante o cumprimento dos doze pontos de controle con dos no mapa. Como foram oferecidos dez percursos em mapas diferentes, alguns alunos se interessaram em repe r chegando a ficar sessenta minutos em a vidade.

Os atendimentos foram assim distribuídos: Masculino - 102 / Feminino - 108 Sendo: Até 12 anos - 04 De 13 a 16 anos - 50 De 17 a 22 anos - 154 Acima de 23 anos - 06 Total de atendimentos

- 210


21 Ação EMTAJ - Como esta escola par cipa desde 2008 do projeto de extensão IDEO (Iniciação e Difusão do Esporte Orientação), apoiado pela Pr5/UFRJ, que tem por obje vo a transversalidade entre os conteúdos escolares e a interdisciplinaridade proporcionada pelo esporte orientação, optamos por oferecer a “A vidade LABIRINTO” com cinco percursos dis ntos. Os alunos das turmas do ensino fundamental I e II, que saíam da sala de aula acompanhados pelos respec vos professores eram recebidos pelos monitores que se incumbiam de dar instruções sobre a a vidade a ser realizada. Durante a execução dos percursos os alunos foram incen vados e auxiliados pelos integrantes do Projeto de extensão “Sou Feliz...”, também apoiado pela PR5/UFRJ. Ainda vemos a par cipação dos alunos dos cursos de Educação Física e Pedagogia da Faculdade de Educação da UFRJ.

Os atendimentos foram assim distribuídos: Masculino - 102 / Feminino - 108 Sendo: Até 12 anos - 04 De 13 a 16 anos - 50 De 17 a 22 anos - 154 Acima de 23 anos - 06 Total de atendimentos

- 210


22 Os eventos registraram a par cipação de 646 pessoas, distribuídos em 7 escolas municipais de Niterói, 1 escola municipal do Rio de Janeiro, 2 Universidades Federais e inúmeras escolas do ensino médio, públicas e par culares. Destes, 235 tem até 12 anos; 141 entre 13 e 16 anos; 208 entre 17 e 22 anos; 62 acima de 23 anos. Em 08 de junho a página da IOF informa que o WOD atendeu a 283731 par cipantes em 76 países. Pode-se concluir que o obje vo “UFRJ WOD” foi alcançado com eficiência, pois oportunizamos a vivência do esporte orientação para um número expressivo de pessoas, dentre elas docentes, que demonstraram grande interesse no desenvolvimento do esporte e discentes de áreas afins, que aceitaram com muito entusiasmo a oportunidade de aprender algo novo. Par ciparam do UFRJ – WOD: Profª. Lúcia Boss – Coordenadora de Educação Física/FME/Niterói Profª. Angélica di Maio – UFF Prof. Luiz Otávio Neves Ma os – UFF Atletas do COUFRJ, Monitores e alunos da Disciplina Fundamentos do Esporte Orientação, Alunos da Disciplina Fundamentos do Atle smo, Bolsistas dos Projetos IDEO e Sou Feliz... Coordenação – Prof. José Maria Pereira da Silva e Profª Tonia Costa Coordenadores Auxiliares - Nema Cardinot da Silva, Rodrigo de Souza Oliveira e Vanessa dos Santos Souza Apoios – UFF, Prefeitura Municipal de Niterói/FME e EMTAJ Realização: EEFD/UFRJ COUFRJ


25 No dia 24 de maio foi comemorado o WOD-World Orienteering Day (Dia Mundial da Orientação). Para pres giar a data, os clubes Neblina e Rota Alterna va, com apoio a Federação de Orientação da Paraíba-FOP, fizeram uma parceria com o Século Colégio e Curso, para divulgar a Orientação aos alunos, e, com isto, tentarem superar o recorde mundial do ano passado, no qual par ciparam deste dia 252.927 novos atletas foram inseridos no esporte, distribuídos em 2013 localidades, em 81 países e territórios. Com coordenação do curso realizada pelos atletas Rota Alterna va e Neblina, ambos de João Pessoa(PB). Foram 2 dias de palestras nas unidades Bancários e Bairro dos Estados, dias 16 e 17 de maio, respec vamente; onde par ciparam os alunos do 4º ao 9º ano. A grande maioria ainda não conhecia o esporte. Além da apresentação ao esporte, foram feitos mapas das duas unidades para que os alunos pudessem pra car a orientação dentro do colégio, nos dias 27 de maio (Bancários) e 03 de junho (Bairro dos Estados). Ao total par ciparam 768 alunos, sendo 638 na unidade Bancários, e 130 da unidade Bairro dos Estados. Na unidade Bancários foi traçado um percurso que permi sse a par cipação de alunos com dificuldades de locomoção, como foi o caso do aluno Daniel Costa Carvalho, 6º ano, que é cadeirante, e fez um percurso acessível, porém com o mesmo nível técnico que os demais atletas. O aluno Daniel foi o atleta destaque e recebeu como prêmio uma bússola. Foram premiados com uma bússola os alunos com melhor tempo. Na unidade Bancários os alunos Roberto Duarte Barros Neto (5º D Tarde) e Rebeca Pimenta Oliveira (5º A Manhã). Já na unidade Bairro dos Estados se destacaram os alunos Enzo Emanoel (4º ano) e Samara Helen Borba Madeiro (8º ano). Todos os alunos que par ciparam da parte prá ca concorreram ao sorteio de bússolas, como incen vo a prá ca do esporte. Par ciparam ainda da a vidade as coordenadoras pedagógicas Guacira Menezes e Kézia Costa, e o coordenador de esportes Anderlúcio Rolim. Na ocasião, foram informados dos eventos que estão previstos para acontecer na Paraíba em 2017, sendo os principais deles o CBEUO-Campeonato Brasileiro Estudan l e Universitário de Orientação, a ser realizado nos dias 26 e 27 de agosto. Este evento acontecerá em conjunto com a 4ª etapa do Campeonato Paraibano de Orientação, e reunirá atletas estudantes de todo o país. Outro importante evento que acontecerá no estado será a Copa Nordeste de Orientação-COPANE, entre os dias 1 e 4 de dezembro. Em 2016 a COPANE aconteceu em Cumbuco-CE, e este ano a Paraíba terá o privilégio de ser sede do evento. Os alunos estão bastante empolgados com o novo esporte e já querem começar os treinamentos para as compe ções.


27 A tarde da calma e pacata cidade de Cassimiro de Abreu, interior do Rio de Janeiro, foi quebrada com a chegada de mais de 500 atletas e delegações de orientação de todo Brasil. Mas a faixa de boas vindas, colocada sobre a estátua do Cassimito de Abreu, na praça central da cidade, já demonstrava a recep vidade da cidade para com os atletas. Estava começando a 2ª Etapa do Campeonato Brasileiro de Orientação, agendada para serem realizada durante os dias 22 a 25 de junho de 2017. O presidente da Federação de Orientação do Rio de Janeiro, Marcelo Malato, deu início ás fes vidades de abertura da 2ª Etapa da Campeonato Brasileiro de Orientação 2017, apresentando aos presentes a gra dão para com os parceiros e órgãos que juntamente com a FORJ ajudaram na organização do Evento. O Sr. presidente Marcelo Malato ainda destacou a par cipação da prefeitura de Cassimiro de Abreu, enfa zando a parceria com a FORJ na realização de cursos de apresentação do esporte a mais de 900 crianças de escolas do município, agradecendo e consolidado que o obje vo é manter essa parceria que já iniciou com sucesso. O momento mais emocionante da cerimônia de abertura ficou pela execução do hino nacional brasileiro, sendo executada pela banda de música do Corpo de Fuzileiros Navais, que sob a batuta do 1º Sg-MU Ricardo, abrilhantando ainda mais o evento. Etapa oficial aberta, foi a vez dos atletas entrarem em ação. Com a chamada da organização para se prepararem para o inicio do Percurso Sprint, foi o estopim para que os mais de 300 atletas iniciassem o processo de aquecimento e o que se viu foi uma praça colorida, dos diversos fardamentos, em movimento em processo de aquecimento. Aos poucos as rua e vielas da cidade de Cassimiro de Abreu foram sendo tomadas pelos atletas em alta velocidade, a procura dos valiosos prismas. A chegada dos atletas foram emocionantes, com um corredor de aproximadamente 150 metros do ponto de mídia até o ponto de chegada, rendeu diversos “Sprints” e disputas acirradas. Uma novidade dessa etapa do CamBOr, foi a u lização de um sistema de rádio em alguns prismas, isso fez com que as parciais fossem atualizadas e divulgadas antes mesmo do atleta apurar o seu SiCard. No fim da tarde da sexta-feira foi realizado a premiação dos campeões, por categoria, do percurso Sprint, momento de parabenizar os melhores do dia iniciar o noite com um descanso, pois os percursos longo e médio do fim de semana estavam ainda por vim.

Foto: Odete Rech


28 A chuva de sexta para sábado dificultou o acesso da Estância Dois Irmãos, aproximadamente dois quilômetros de estrada de barro até o local, mas mesmo estando molhada, todos os atletas conseguiram chegar ao local de concentração, até mesmo o caminhão pipa conseguiu chegar para reabastecer o P. Banho. Uma área de extensa área de reflorestamento de eucaliptos entrecortada por mata na va, num terreno movimentado com diversas formações de colinas e talvegues…. Essa é a descrição do cenário visto pelos atletas ao chegarem no local de concentração. Resumindo UAU!!!! Uma belíssima área para prá ca desse esporte maravilhoso, que nos proporciona poder conhecer locais como esses. Uma região muito isolada que não disponibilizava uma área de acomodação, muito confortável, para os atletas, mas a organização de desdobrou para oferecer aos par cipantes e familiares, boas condições durante a permanência no local, como u m P B a n h o n a s m a rge n s d a fl o re sta , u m a exc e l e nte disponibilidade de água e frutas e uma área coberta para tentar aconchegar melhor os compe dores e parentes. Área essa que foi de extrema importância durante o período de chuva no início da manhã. Aos poucos o terreno foi tomado pelos 500 atletas de todos brasil, como também alguns atletas de outras nacionalidades. Poucos minutos após iniciar a largada dos primeiros atletas, a chuva deu o ar da graça, o que tornou o terreno mais hos l, muito escorregadio e desafiador, mas nada que estragasse com o evento, pelo contrário, foi apenas um obstáculo a mais para ser transposto durante o percurso.

Foto: Odete Rech

E o que se viu durante o evento foram os atletas de todas as idades correndo felizes e dando o seu máximo para completar a prova, independente do mal tempo ou do frio. Ao final o sol apareceu para abrilhantar a chegada dos atletas e o retorno e descanso, pois ainda falta um dia de compe ção. Com a tarde e a noite de descanso os atletas, principalmente de outros estados, aproveitaram para visitar as praias de Rio das Ostras, como a Praia da Baleia (a mais visitadas), como também para se c o n f ra t e r n i z a r. U m d e s t a q u e p a ra a confraternização que a Revista PrisMagazine pode par cipar, junto os atletas do Ceará e Paraíba, na ocasião foi realizado o chá de revelação, onde foi conhecido o sexo do bebê esperado pela atleta e amiga Suelen Ferreira e junto ao Wladimir Sant’Anna. Ficamos muito orgulhosos em par cipar desse momento especial para o casal e desejamos muitas felicidades para com o mais novo orien sta do Ceará


29 O domingo amanheceu com um céu limpo e um sol estonteante, sinal que úl mo dia de compe ção iria ser um sucesso. A pista estava mais seca que o dia anterior, mas não menos desafiador. O terceiro dia de compe ção foi recheiado de surpresas e novidades. A primeira ficou a cargo da etapa do Campeonato Brasileiro de Pre-O, porém esta com a organização do Joaquim Margarido, uma das pessoas mais influentes no mundo nessa modalidade, membro da IOF o Joaquim Margarido esteve no CamBOr organizando e também ensinando. Em paralelo foi realizado o I Seminário Internacional de Orientação de precisão, promovida pela Confederação Brasileira de Orientação e organizada pela Federação de Orientação do Rio de Janeiro. No seminário o sr. Joaquim Margarido passou todos os conhecimento, detalhes e importância da Orientação de Precisão, um grande avanço para essa modalidade aqui no Brasil, que já vinha sendo bem aceita com o esforço e trabalho do Sr. Sérgio Brito. A Revista PrisMagazine teve a oportunidade de acompanhar toda a pista de Pre-O, autorizado a registrar a prova do atleta Fábio Hartmman, registramos toda a dinâmica e execução de uma pista completa de Pre-O, entendendo que essa modalidade (diferente do que se era propagado) é para qualquer

atleta, não necessariamente para atletas com alguma deficiência sica-motora, pois ela requer uma capacidade de interpretar o cenário, os prismas e a situação, o atleta vencedor não é necessariamente o mais rápido, mas o que a ngir uma maior pontuação, decorrente aos acertos e erros (com o desempate o ponto cronometrado). Outra novidade para essa etapa foi a validação do percurso Elite para a pontuação do mundial WRE. Para tal foi feita uma pista especial para nossos guerreiros da Elite, onde a largada e chegada foi em um local a parte dos demais, sendo os atletas levados ao local de par da por uma viatura do Corpo de Fuzileiros Navais. Infelizmente isso fez com que não pudéssemos ter registros dos atletas de Elite no terceiro dia em ação, mas foi importante para que eles pudessem pontuar e rankear mundialmente. Mas enquanto isso, os demais atletas o local de concentração já conhecido não foi fator de que o dia seria fácil, os mesmos desafios do dia anterior foram encontrados, mas desta vez com a presença iluminada do astro rei. Uma ajudinha ou obstáculo a mais, diante de um calor para os menos acostumados. Mas o sen mento ao final da prova foi de felicidade pelo trabalho cumprido, mas também de tristeza, pois o evento estava chegando ao final. E esse sen mento de final feliz foi concre zado na tarde do domingo, justamente na mesma praça onde tudo começou, no centro de Cassimiro de Abreu-RJ, ocorreu a cerimônia de encerramento da 2ª Etapa do Campeonato Brasileiro de Orientação. Na ocasião foram feitas entregas das medalhas aos campeões de cada modalidade, infelizmente devido ao deslocado entre o local de prova e a cidade de Cassimiro de Abreu, como também o fato de ter atletas de estados distantes, a par cipação na cerimônia de encerramento ficou aquém do que o evento mereceu, mas para quem presenciou ficou a gra dão para com a organização pelo empenho e dedicação na realização desse evento.


30 Antes de encerrar oficialmente o evento o presidente da FORJ, o Sr. Marcelo Malato, fez entregas de troféus em agradecimento a todos que contribuiram para a possível realização do evento. Em destaque ao apoio da Marinha do Brasil e do Corpo de Fuzileiros Navais que gen lmente apoiaram o evento cedendo pessoal e material que foram de fundamental importância para o sucesso do evento. Muito importante, também, foi apoio das Prefeituras de Casimiro de Abreu, da Prefeitura de Rio das Ostras e o apoio da Cruz Vermelha que proporcionou o apoio médico com ambulância durante todo o evento. Como o empenho e dedicação dos proprietários e representantes da Estância Dois Irmãos, que cederam o local para realização das pistas. Ainda destacamos o trabalho de coordenação geral do Sr. Marcelo Tavares Malato, presidente da FORJ, do Sr. Lucas da Costa Silva, diretor operacional da prova, presidente do COARJ, e o trabalho abnegado dos presidentes dos clubes: Sr. Rubens da Igreja Ferreira, presidente da ADAAN, Sr. Roberto Melquiades de Andrade, presidente da Adventure Sports Orientação, Sr. Ronaldo André Castelo, presidente do Elite CO, Sr. Daniel Sampaio, presidente do COCAPRI, Sr. Geraldo Luciano Santos Junior, presidente do COCMRJ, Sr Ricardo de Faria Vieira, presidente do ASSOJAPE, Sr. José Maria, Dirigente do COUFRJ, e do Sr. Sergio Brito, dirigente do COMPASS. Além do trabalho do presidente da FORJ e dos presidentes de clubes, vale ressaltar o desempenho da equipe de montagem dos percursos coordenada pelo Sr. Everson Kauffmann (ADAAN) o serviço de locução e som coordenado pelo Sr. Junior Mesquita (Adventure Sports-O) e o serviço da equipe de apuração que fez um excelente trabalho. E o destaque principal fica para todos os atletas que par ciparam do evento, pois sem esses nada disso seria possível. Ao final ficou aquela sensação de dever cumprido e que venho Pipa-RN, para a 3ª e úl ma etapa do Campeonato Brasileiro de Orientação 2017.


CamBOr em foco...

Fotos: Jeremias AraĂşjo


38

4ª ETAPA DO I CIRCUITO SUL MINEIRO ORIENTAÇÃO - 2017

Fotos gen lmente cedido por Caio D'Ambrós de Oliveira Texto: CAIO D’AMBRÓS

Aos dias 03 e 04 do mês de junho de 2017, foi realizada na cidade serrana de Barbacena a IV Etapa do I Circuito Sul Mineiro de Orientação, promovida pelo Clube de Orientação da Escola Preparatória de Cadetes do Ar. Na ocasião, vemos 150 inscritos, mo vo de grande orgulho, visto que essa foi a primeira vez que este clube promoveu um campeonato na Escola. Ocorreram duas provas: o percurso Longo e o percurso Sprint, que foi uma novidade no Circuito. Contamos com a ilustre presença dos seguintes clubes: COESA, COCMBH COSELE, COVAR, COFERD, CODIV, Colégio Naval, COMIB, COMPASS e CMJF que contribuíram para a realização deste evento. A montagem da estrutura na semana que antecedeu ao evento, com a colaboração dos alunos pertencentes ao COEPCAR, que, mesmo com sua ro na pesada de estudos e obrigações militares, fizeram o máximo para que a compe ção ocorresse da melhor forma possível. Na Sexta-Feira, as delegações começaram a chegar, hospedando-se na região e algumas na própria Escola. SPRINT Pela primeira vez no Circuito, promovemos a modalidade SPRINT, com a finalidade de es mular a prá ca de Orientação e apresentar a EPCAr aos orien stas presentes na etapa. O percurso procurou explorar toda a área da Escola, nas suas mais variadas ruas e trilhas, passando por pontos marcantes, como sua fachada histórica, local de grande simbolismo para a cidade. Apesar de todo o esforço para que tudo ocorresse bem, houve alguns problemas que vemos que lidar, como a falta de tempo para a montagem do evento, devido à ro na dos alunos. No dia, vemos também algumas dificuldades que nos impossibilitaram de dar início à par da no horário previsto. Não houve premiação para essa modalidade, visto que nha cunho par cipa vo e finalidade de apenas promover o esporte e o aprimoramento técnico-profissional dos atletas. LONGO Logo após a desmontagem da estrutura e da pista do percurso Sprint, na noite de sábado, parte da equipe dirigiu-se à fazenda

Biazinho para montar o percurso Longo que aconteceria no dia seguinte. E foi dessa maneira, durante a madrugada, que o clube montou e tornou possível a realização do percurso longo na manhã de domingo. A alvorada do COEPCAR foi muito cedo no domingo, para que pudéssemos nos deslocar à fazenda para a montagem final das estruturas e c o n fe rê n c i a d o s p e rc u rs o s m o n ta d o s . O deslocamento dos atletas até a fazenda deu-se por meios próprios, com a devida explicação de como chegar constante no Bole m Informa vo n° 2. Às 9:15h começou a par da dos primeiros atletas. O Percurso Longo foi bastante desafiador, apresentando um terreno de vegetação variada, onde predominam campos abertos (Vegetação 403.0) e vegetações de corrida fácil, tendo em sua composição matas densas (Vegetações 408.0 e 410.0) e charcos em al tudes que variam em torno de 1050m acima do nível do mar. Apresenta também alguns córregos e lagos em sua composição, sendo o terreno pouco acentuado com talvegues e algumas trilhas. Quanto aos resultados, os atletas Ronaldo Almeida e Camila Cardi (CMJF) se destacaram em suas respec vas categorias, sendo essas as mais técnicas de seu respeci vo segmento. Após a compe ção, para os que quiseram uma experiência culinária mais reforçada, a cidade de Barbacena é famosa na região por sua culinária picamente mineira, com seu centro, à distância de 6 km do local da prova, repleto de restaurantes, lanchonetes e padarias, onde era possível comer bem pagando em torno de R$ 20,00.


42

1ª Etapa do Campeonato de Goiano de Orientação Foto gen lmente cedido por Valteir Divino Texto: VALTEIR DIVINO, Presidente do COER

A Primeira Etapa do Campeonato Goiano de Orientação 2017, iniciou em 26 de novembro de 2016, na Assembleia Geral da Federação de Orientação de Goiás (FOG), quando foi decidido o calendário de Eventos da Federação para o ano de 2017. Com obje vo de proporcionar o evento em mapa inédito, em dezembro de 2016 em a busca de local para mapeamento, em conversa com o Coordenador Municipal de Projetos da Secretaria Municipal do Agronegócio Profº Waldivino Gomes Firmino, visualizamos a possibilidade de mapeamento e realização no Assentamento Olga Benário, assim, após contatos com todas as autoridades municipais e da Associação dos Pequenos Produtores do Assentamento Olga Benário e proprietários, o mapeamento de aproximadamente 200 hectares foi iniciado em 3 de janeiro de 2017, haja vista que inicialmente a data da Etapa seria 19 de março (data livre na região), por mo vo de anúncio da Assembleia da Confederação para essa data, a Federação e Clube Organizador da primeira Etapa decidiram adiar a data da Etapa a fim de possibilitar a par cipação de Dirigentes dos Clubes e do Presidente da Federação na Assembleia da Confederação Brasileira de Orientação, com o obje vo de estar presente e par cipar das atualizações concernentes ao esporte. O apoio da Prefeitura Municipal de Ipameri através da Secretaria Municipal de Esportes e Cidadania desde o início foi fundamental. A maior dificuldade no Estado de Goiás ainda é o pequeno número de mapeadores, durante a realização do Evento os Clubes com números ainda pouco expressivos de atletas encontra dificuldades em colocar um número significa vo de atletas par cipando.

Durante a realização do Evento contamos com as presenças autoridades do meio espor vo da Orientação, autoridades militares, autoridades do Assentamento Olga Benário, representando as mais de 80 famílias ali assentadas, e dentre autoridades Municipais, representando o Prefeita Daniela Vaz Carneiro, esteve presente o Sr Dr José Roberto Costa Marot, Vice-Prefeito e a Secretária Municipal de Esportes e Cidadania, Drª Fernanda Mariano Marot e mais de 60 (sessenta) inscritos de Goiás, Minas Gerais e Distrito Federal, na organização contamos com 23 (vinte e três) pessoas, uma excelente cobertura realizada pela TV Pirapi nga (afiliada da Rede Globo), da cidade de Catalão, GO, apoio na área da saúde, nossos agradecimentos à 23ª Companhia de Engenharia de Combate, ao Corpo de Bombeiros Militar de Goiás e à Prefeitura Municipal, Graças a Deus não foi necessário o trabalho das equipes. Cabe salientar a brilhante parceria entre os laboratórios Alto Padrão juntamente do Hermes Pardini, e o esporte Orientação através do Clube de Orientação Entre Rios – COER e o Profº Aníbal Monteiro de Magalhães Ph. D, em uma PESQUISA CIENTÍFICA, com atletas do esporte Orientação, realizando coletas antes e após os percursos, nossos agradecimentos ao Sr Edson Luís Ribeiro Júnior – Diretor do Laboratório Alto Padrão, Mirelly C. de Souza Gestora da Unidade Alto Padrão em Ipameri e a Biomédica Aline. A Cerimônia de premiação iniciou com 1º minutos de antecedência e a premiação, foi sa sfatória conforme ques onário de sa sfação respondido pela maioria dos atletas par cipantes. Agradeço a Deus por tudo, à minha família, pela ajuda e compreensão, ao Addler, Alvim, Andrey, Breno, Carla, Eloane, Prof Franciso, Hugo, Mário, Pedro, Rafael e Renan que doaram horas de lazer em prol do Esporte Orientação.


44

I

CAMPEONATO CENTRO-OESTE MINEIRO DE ORIENTAÇÃO

Texto: LAURO MANSUR Fotos re radas do site oficial do CODIV

No dia 7 de maio de 2017 foi realizada pelo Clube de Orientação de Divinópolis (Codiv), com o apoio da Prefeitura Municipal de Bom Despacho e Ipê Campestre, a primeira etapa do Campeonato Centro Oeste Mineiro de Orientação (CCOMOr). O evento, que na verdade começou a ser realizado há várias semanas, teve sua etapa de planejamento feita pelo presidente do Codiv, senhor Luiz Antonio Castro de Mello. Mapeamento, traçado de percurso, confecção de medalhas, publicação de bole ns, preparação de água e frutas são apenas algumas das muitas tarefas realizadas antes do dia D, e que determinaram em grande parte o seu sucesso. No dia da compe ção, os atletas inscritos de diversas cidades da região chegaram cedo. Após um rápido congresso técnico deu-se início à prova na modalidade sprint, que envolveu a ó ma estrutura do Ipê Campestre Clube e bairros arredores. Para finalizar com chave de ouro, além de poder contar com os mapas de orientação (que representam a maior sa sfação de concluir uma prova), cada atleta recebeu uma premiação referente à par cipação nesta primeira etapa. Os atletas melhores classificados ao longo do Campeonato, farão jus também à premiação final do CCOMOr. O CCOMOr é um campeonato promovido pelo Codiv para fomentar a Orientação na região Centro Oeste de Minas Gerais, e consiste em quatro etapas ao longo do ano. As próximas três etapas ocorrerão em Carmo do Cajuru (11 de junho), Divinópolis (27 de agosto) e novamente em Bom Despacho (2 e 3 de dezembro). O Codiv agradece aos que par ciparam deste evento e convida a todos para par cipar das próximas etapas de 2017!


46

IV

CIRCUITO DE ORIENTAÇÃO LAGOA DO JIRAU

2ª ETAPA GRAÇA ELLERT

Texto: MARDEN SOUZA

Dia 1º de abril, deu-se início aos trabalhos de mapeamento Fotos cedidas por Marden Souza da 2ª Etapa do IV Circuito de Orientação Lagoa do Jirau Graça Ellert, foram mais de 400 hectares de área mapeada, onde a Fauna e a Flora foram um espetáculo aparte, apresentando uma grande diversidade de animais e plantas na região, onde encontramos porcos do mato, veado campeiro, raposas, cabras, além dos bovinos e equinos da região, apresentando uma vegetação de mata na va em piso de área solta e grande área de carnaúbas sobre um piso de massapê, entrecortado de lagoas, braços de rios, barrancos e charcos, sem notórias curvas de nível. Foi um trabalho de muitas descobertas e muito prazer, sendo finalizada no dia 27 de maio, com a colocação das tarjetas de iden ficação dos Pontos de Controles, no sábado anterior a prova foi reservado para a montagem da arena e todo o prepara vo para o grande dia. No dia 04 de junho, por volta das 07:00 começaram a chegar os primeiros atletas, às 08:10, deuse início ao hasteamento das bandeiras do Brasil, do Estado do Ceará e do Grupo de Orien sta Lagoa do Jirau, sendo seguido pelo briefing e às 08:30 deu-se a largada dos primeiros atletas. Os mapas foram confeccionados em escalas de 1:10000 e 1:7500, com percursos que variavam de 9,1 km a 1,4 km. Tivemos 155 atletas inscritos em diversas categorias, dentre elas dupla familiar, dupla feminina e duplas masculina, onde os clubes tornaram a área de prova um verdadeiro arco-íris, dentre a vasta vegetação apresentado. O Grupo Orien sta Lagoa do Jirau como sempre, conseguiu reunir a família orien sta, em um clima de muita descontração e alegria, além de exigir dos atletas Força, Determinação, Técnica, Navegação, acima de tudo muita superação em concluir os percursos, marca registrada do Circuito de Orientação Lagoa do Jirau e para finalizar todo esse belo trabalho, fechamos com a tão esperada feijoada do Jirau.


50

3ª ETAPA DO CAMPEONATO FORTALEZA DE ORIENTAÇÃO

Texto: WLADIMIR CHAGAS DE S’ANTANNA

Assim como previsto em regulamento, o “Campeonato Fortaleza de Orientação” – CFO 2017 foi realizado em três etapas sendo finalizado no úl mo dia 28 de maio de 2017 com a etapa do “Clube do Vaqueiro”, localizado em Fortaleza - CE. A etapa, assim como as outras duas iniciais, foi disputada nas seguintes classes: Feminino “D” (Damas) e Masculino “H” (Homes), distribuídas nas seguintes categorias:

Infantil HJuvenil HJunior HAdulto HMaster HSenior HVeterano HVip HElite

DInfantil DJuvenil DJunior DAdulto DMaster DSenior DVeterano DVip DElite

N B A até 12 anos N B A de 13 a 16 anos N B A de 17 a 20 anos N B A de 21 a 34 anos N B A de 35 a 44 anos N B A de 45 a 54 anos N B A de 55 a 64 anos N B A acima de 64 anos a partir de 15 anos de idade

Os par cipantes das categorias de grau de dificuldade “N” realizaram seus percursos com o obje vo de aprendizado sem dis nção de classificação e veram a possibilidade serem acompanhados por atletas experientes, componentes de seus clubes, proporcionando aos mesmos, dicas e ensinamentos sobre os fundamentos básicos da orientação. Ao todo, par ciparam do evento cinqüenta e oito atletas dos diversos clubes cearenses, cada um com suas caracterís cas próprias. Na área de compe ção foram lançados 30 Pontos de controle oferecendo condições técnicas para sete traçados diferentes de percursos, sendo dividido pelos graus de dificuldade estabelecidos para a prova. Um dos quais devidamente preparado para os par cipantes do Projeto COFORTINHO criado para estabelecer os primeiros contatos das crianças de até dez anos com o esporte orientação. Com a realização desta úl ma etapa, ficaram definidos, os Campeões e Campeãs, do primeiro Campeonato Municipal de Fortaleza. As maiores dificuldades encontradas pelos par cipantes, foram descritas pelos atletas e se estabeleceram pelo grande volume de chuva que inundou 70% da área de prova, tornando o deslocamento mais di cil e desafiador. Ao final todos cumpriram seus percursos dentro dos tempos previstos.


AGENENDTOAS

DE EV Julho

53

JULHO 2017

dias15 a 16 dia 16

3ª Etapa do I CIRCUITO GUARAPUAVANO DE ORIENTAÇÃO

COLB

Local: Campo Grande - MS

Julho

FOMS

2ª Etapa do XVI CAMPEONATO SUL MATOGROSSENSE DE ORIENTAÇÃO

Local: Guarapuava - PR

Julho

dia 16

Local: Fortaleza - CE

Julho

dia 22

3ª Etapa do CAMPEONATO MUNICIPAL DE ORIENTAÇÃO DE SANTA MARIA - Sprint

COSM

FECORI

2ª Etapa do CIRCUITO PIAU DE PISTAS DE ORIENTAÇÃO

Local: Santa Maria- RS

Julho

dia 22 dia 30

VI TROFÉU CERRADO DE ORIENTAÇÃO

FODF

Local: Coronel Vivida - PR

Maio

ACORPATO

3ª Etapa do XXIV CAMPEONATO PARANAENSE DE ORIENTAÇÃO

Local: Brazlândia - DF

dia 30

Local: Brazlândia - DF

Julho

dia 30

4ª Etapa do XIII CAMPEONATO CEARENSE DE ORIENTAÇÃO Local: Cumbuco - CE

Informações retiradas do portal oficial da CBO: www.cbo.org.br

COFORT

3ª Etapa do CAMPEONATO DE ORIENTAÇÃO DO DISTRITO FEDERAL

FODF

Julho


Revista PrisMagazine Nº 020 Ano II – Maio/Junho 2017  

Enfim a espera acabou, estamos de volta. Primeiramente gostaríamos de nos desculpar novamente pela demora na publicação desta edição, mes es...

Advertisement