Page 1

PUBLICIDADE

N.º49

4.º

ANIVER SÁRIO

OUTUBRO 2019 - 2€ PERIODICIDADE MENSAL

www.posvenda.pt

f revistaposvenda i company/revista-pos-venda l RevistaPOSVENDA

PUBLICIDADE

Lavagem auto Fomos tomar o pulso ao enxaguado negócio dos produtos químicos de lavagem automóvel

PUBLICIDADE

DOSSIER

COMO “FAST MOVERS” DO SETOR DAS PEÇAS, OS COMPONENTES DE TRAVAGEM ASSUMEM AINDA UM PAPEL CENTRAL NO PÓS-VENDA

PUB

PERSONALIDADE

FRANCISCO FERREIRA DA ZERO É UM RECONHECIDO ECOLOGISTA QUE ABORDA NESTA ENTREVISTA OS DESAFIOS DO SETOR AUTOMÓVEL

MERCADO

A AUTO DELTA APRESENTOU OFICIALMENTE A REDE OFICINAL CGA CAR SERVICE QUE ESTÁ A DINAMIZAR EM PORTUGAL


OFERTA EXCLUSIV A

REVISTA P

ÓS-VEND A

PANO DE L IM

PEZA

MEWA


PROPRIETÁRIA E EDITORA ORMP Pós-Venda Media, Lda Estrada de Polima Centro Industrial da Abóboda nº 1007 2º andar, Escritório I 2785-543 São Domingos de Rana Nº Contribuinte: 513 634 398 CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Paulo Homem Anabela Machado CAPITAL SOCIAL DA ORMP Bettencourt & Mendes, Lda - 50% Paulofimedia Unipessoal, Lda - 50% CONTACTOS Telefone: +351 218 068 949 Telemóvel: +351 939 995 128 E.mail: geral@posvenda.pt www.posvenda.pt f facebook.com/revistaposvenda i linkedin.com/company/ revista-pós-venda DIRETOR Paulo Homem paulo.homem@posvenda.pt

Sumário

3

REDAÇÃO Nádia Conceição nadia.conceicao@posvenda.pt COLABORADOR TÉCNICO Jorge Pereira DIRETORA COMERCIAL Anabela Machado anabela.machado@posvenda.pt COMERCIAL José Ferreira jose.ferreira@posvenda.pt ADMINISTRATIVA Anabela Rodrigues anabela.rodrigues@posvenda.pt FOTOGRAFIA António Silva, Micaela Neto PAGINAÇÃO Ricardo Santos SEDE DE REDAÇÃO Estrada de Polima Centro Industrial da Abóboda nº 1007 2º andar, Escritório I 2785-543 São Domingos de Rana TIRAGEM 10.000 Exemplares ISSN 2183-6647 Nº REGISTO ERC 126724 DEPÓSITO LEGAL 399246/15 PERIODICIDADE Mensal IMPRESSÃO DPS – Digital Printing Solutions MLP, Quinta do Grajal – Venda Seca, 2739-511 Agualva Cacém – Tel: 214337000 ESTATUTO EDITORIAL Disponível em www.posvenda.pt PUBLICIDADE

S N.º49 OUTUBRO 2019

www.posvenda.pt

6

DESTAQUE Utilinx.......................................................................................................................................................P.06

8 18

NOTÍCIAS................................................................................................................................................P.08

ESPECIAL Produtos de lavagem automóvel................................................................................................P.18

24

ATUALIDADE Salão Automóvel de Braga............................................................................................................P.24 Gravity Paint (Open Day)...............................................................................................................P.28 ACAP.........................................................................................................................................................P.30_

26

MERCADO Tab Batteries – Bateria 5G.............................................................................................................P.26 LuzDeAirbag..........................................................................................................................................P.34 CGA Car Service..................................................................................................................................P.36 Drivepeças..............................................................................................................................................P.38 Funchaldiesel / Turbodiesel...........................................................................................................P.40

42

MERCADO INTERNACIONAL Delphi........................................................................................................................................................P.42

44

FORMAÇÃO Ensiguarda..............................................................................................................................................P.44

46

OFICINA Paulcar.....................................................................................................................................................P.46

48

PERSONALIDADE Francisco Ferreira (Zero) ................................................................................................................P.48

54

DOSSIER Dossier componentes de travagem...........................................................................................P.54

72

TÉCNICA CEPRA (Pastilhas travão)..............................................................................................................P.72 Mecatrónica – Dados técnicos.....................................................................................................P.78

80

FORMAÇÃO Car Academy – Sensores (Cap.02)............................................................................................P.80

82

ABERTURAS.........................................................................................................................................P.82


Editorial

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

4

E PAULO HOMEM DIRETOR

paulo.homem@posvenda.pt

Parabéns a nós e a quem nos apoia!

N

esta edição que agora está a ler, comemoramos quatro anos de existência enquanto editora de conteúdos para o setor do pós-venda automóvel em Portugal. Uma editora que nasceu num tempo ultra-moderno e tecnológico e que por isso, quando foi pensada, desenvolveu-se desde o momento inicial como uma plataforma integrada de conteúdos editoriais em que o papel e o digital evoluíram de forma paralela. Por isso mesmo o nosso posicionamento é distinto face aos nossos concorrentes, pois sempre que dinamizamos conteúdos eles são pensados para as diferentes plataformas em que os editamos, mas também ajustados à forma como o nosso público alvo, as oficinas, os lê e os consome. Quer se queira quer não, a edição de conteúdos em revista (papel) ainda hoje faz todo o sentido, até porque temos a experiência de estar constantemente no terreno e percebemos a realidade da grande maioria das oficinas, algumas delas (poucas, felizmente) que ainda hoje utilizam como tecnologia de comunicação o FAX. Isto para dizer, que se trata de um leitor muito tradicionalista, que valoriza muito receber a revista em papel, sendo ainda essa a forma como dá mais atenção aos conteúdos que vamos publicando na revista. Claro que estamos muito atentos à revolução tecnológica que por aí vem, nomeadamente ao nível da digitalização do negócio pós-venda. O que temos visto e lido sobre o que se está a fazer a este nível, permite-nos pensar que irá ser muito diferente o negócio pós-venda do que é atualmente, e que as oficinas terão que obrigatoriamente acompanhar esta revo-

Não queria deixar passar a oportunidade de mais uma vez reforçar a grande importância das editoras ligadas ao setor do pós-venda

lução, pois não existe plano alternativo. A forma como se irá (ou está) aceder à informação técnica e a maneira como as oficinas se vão relacionar com o cliente, é já atualmente muito diferente do que era há 10 ou 20 anos, mas nos próximos 10 anos o tempo vai correr muito mais depressa do ponto de vista tecnológico. Nós orgulhamo-nos que através da revista Pós-Venda muitos dos nossos leitores saibam precisamente o que está a acontecer no seu setor e, por certo, que os mais atentos já perceberam que quanto mais rapidamente saírem da sua zona de conforto, mas rapidamente vão estar alinhados sobre a realidade presente e futura deste atrativo setor do pós-venda. Não queremos contudo entrar na corrente, um pouco histérica e muito usual nos dias de hoje, de estar a dinamizar conteúdos editoriais falando sobre uma realidade de negócio e de mercado que nada tem a ver com aquela que vivemos no dia-a-dia. As dezenas de conferências a que assistimos, dentro do nosso setor, são já demasiados repetitivas, pois a verdade é que não existe ninguém com certezas absolutas sobre o futuro do pós-venda associado à mobilidade, aos elétricos ou e muitos menos aos veículos autónomos. Por isso, vamos continuar a apostar em conteúdos impactantes para as oficinas, utilizando para isso a nossa revista, mas também os suportes digitais (site, newsletter´s e redes sociais, que são (gradual mas lentamente) cada vez mais consultados e lidos. Não queria deixar passar a oportunidade de mais uma vez reforçar a grande importância das editoras ligadas ao setor dos pós-venda, e o papel fundamental que têm tido para a dinamização, credibilização e divulgação do setor e das suas iniciativas, pois são empresas como a nossa que conseguem manter uma relação de aproximação entre as empresas do setor ao longo de todo o ano, e não apenas durante um evento de um, dois ou três dias realizado em qualquer altura do ano. Por último, obrigado a todas as empresas que nos têm vindo a apoiar do ponto de vista editorial e, de forma muito especial, comercialmente, sendo estas a quem devemos o nosso maior agradecimento e atenção pela confiança que depositaram no nosso trabalho.


Destaque

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

6

D

UTILINX

Serviço, produtos e equipamentos No tecnológico ramo da eletrónica automóvel, a UTILINX é uma empresa que desenvolveu um novo conceito para a comercialização de componentes nesta área, ao mesmo tempo que lançou dois novos equipamentos que vão ajudar as oficinas a poupar muito tempo no diagnóstico de avarias TEXTO PAULO HOMEM

C

ofinanciado pelo programa Portugal 2020, a UTILINX é uma empresa portuguesa, de Leiria, que se está a internacionalizar (vai marcar presença em diversos salões mundiais dentro e fora da Europa), através da comercialização de diversos componentes eletrónicos (via web), mas também pela comercialização de dois pequenos, mas muito úteis, equipamentos de diagnóstico, que permitem a quem está no ramo oficinal poupar muito tempo no diagnóstico de avarias eletrónicas. PROCAN + Um dos equipamentos comerciali-

zados pela UTILINX é o Procan +. Desenvolvido e testado pela própria empresa, o Procan + é um equipamento de auxílio à reparação de quadrantes e de colunas de direção. Trata-se de um equipamento destinado a profissionais do ramo automóvel, que funciona via Can-Bus, que com este equipamento podem fazer um wake-up do quadrante ou da coluna de direção, verificando se a mesma tem ou não alguma avaria. O Procan + vem carregado de série com uma base de dados com informação PSA mais uma outra marca à escolha do cliente, podendo depois o profissional solicitar informação de mais marcas (no total a UTILINX já tem informação de


7

10 marcas de automóveis: Audi, BMW, Mercedes, Opel, Volvo, Renault, Ford, Volkswagen, Fiat e PSA), em função das marcas e do tipo de veículo com que trabalhar. Para funcionar, este equipamento não precisa de estar ligado a qualquer computador, sendo apenas necessário ter alimentação e ligar os sinais (positivo e negativo) para se fazer o teste. A própria UTILINX fornece toda a informação necessária para a colocação dos pins, para cada modelo de quadrante e coluna de direção, de modo a que não existam quaisquer erros no envio do sinal. Este equipamento de bancada, permite verificar se o quadrante ou a coluna de direção ligam ou não ligam, e o que estará ou não a funcionar. Dessa forma existe agora uma certeza do que é que deve ser reparado, evitando que se tente efetuar a reparação por tentativa / erro, como muitas vezes acontece a quem faz reparação deste tipo de componentes auto. Dessa forma, as vantagens são óbvias, pois não só poupa muito tempo ao profissional no diagnóstico dos problemas dos quadrantes ou das colunas de direção, como permite logo caminhar para a resolução do problema, voltando logo a seguir a testar com o mesmo equipamento comprovando o trabalho realizado. Outras das vantagens é que se trata de um equipamento multimarca, que

UTILINX Liliana Fernandes WhatsApp - 921 405 840 geral@utilinx.pt www.utilinx.pt

estará constantemente a ser atualizado pela UTILINX. CAN BUS TESTER O Can Bus Tester é um outro equipamento (que nada tem a ver com a Procan +) que permite verificar a existência de comunicação na rede CAN de um automóvel e que realiza um diagnóstico de redes CAN mediante verificação de níveis de tensão. Trata-se portanto de um equipamento que facilita muito a vida a um eletricista ou outro profissional da área, já que permite testar a linha CAN (positivo e negativo) e sempre que encontra um erro emite um sinal sonoro (em caso de estar tudo correto indica OK). Se um carro tiver um problema nos piscas, no rádio, no conta quilómetros ou outro, pode existir a dúvida se será um problema elétrico ou na linha CAN. Este equipamento, através de análises sucessivas à linha CAN, permite detetar rapidamente se o problema é da linha CAN (quer na linha baixa quer na alta). Outra funcionalidade deste equipamento

de teste, é que o mesmo funciona sempre independentemente da velocidade da linha CAN (que varia muito de modelo para modelo de automóvel), podendo ser um excelente complemento a uma máquina de diagnóstico. Qualquer destes dois equipamentos são de fácil utilização e não requerem formação específica (partindo da ideia que o profissional tem conhecimentos técnicos nesta área e que sabe ler esquemas automóvel), embora a UTILINX forneça toda a informação necessária. INTERNET Uma das partes integrantes deste projeto UTILINX, é o website através do qual a empresa comercializa componentes eletrónicos para o setor automóvel. Através desta plataforma, disponível em www.utilinx.pt, a empresa comercializa centralinas, quadrantes, chaves, comutadores, módulos ABS, sensores, entre muitos outros produtos, novos e recondicionados. Ao todo são mais de 1.700 referências diferentes que estão disponíveis neste site, sendo que quase 99% estão em stock e prontas para entrega. Refira-se ainda que a empresa dispõe de uma linha técnica de apoio, que permite esclarecer qualquer dúvida sobre o produto que se está a adquirir.


Notícias

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

8

N

De olhos postos no futuro Os 53 anos de atividade da Veneporte foram celebrados em Águeda, com a inauguração das novas instalações da empresa, cada vez mais tecnológicas e viradas para o futuro TEXTO NÁDIA CONCEIÇÃO

A

Veneporte, especialista em sistemas de escape para automóveis, inaugurou as novas instalações, onde aproveitou para celebrar, o seu 53.º aniversário, junto de cerca de 300 convidados, entre eles colaboradores e parceiros. A banda Fanfarra Káustica assegurou a animação durante este evento, que contou com uma visita às novas instalações e uma apresentação da empresa – que conta atualmente com 180 funcionários –, seguindo-se um almoço de convívio, durante o qual António Cunha, membro do conselho de administração da empresa, premiou alguns os colaboradores com mais de 25 anos de casa, entre eles Abílio Cardoso, CEO da Veneporte. As novas instalações da Veneporte em Águeda contam agora com uma nova

área técnica e administrativa, que os convidados tiveram a oportunidade de conhecer durante este dia, numa visita guiada que deu a conhecer também todos os detalhes e especificidades da linha de produção da Veneporte, que realiza a conceção, desenvolvimento e produção dos vários componentes do sistema de escape dos veículos: catalisadores, coletores, filtros de partículas, SCRs e silenciosos. As novas instalações foram pensadas com o intuito de agilizar processos, utilizando a mais avançada tecnologia de produção, aumentando a eficiência, visando uma cada vez maior capacidade competitiva e um reforço permanente do seu nível de serviço a todos os clientes. A Veneporte pretende assim ter uma estrutura mais sólida e moderna, para se expandir ainda mais no mercado, acompanhando as tendências do setor automóvel.


9

DeVilbiss lança Clearcoat DV1 Arbitragem ou mediação obrigatória para as empresas O CASA, Centro de Arbitragem do Setor Automóvel, informa que, desde o dia 16 de setembro de 2019, todas as empresas estão obrigadas a sujeitar-se à arbitragem ou à mediação, nos conflitos de consumo até 5.000, nos termos da Lei 63/2019 de 16 de Agosto. Por força da Lei 144/2015, mesmo as empresas não aderentes, passam a ser obrigadas a informar os consumidores dos centros de arbitragem de conflitos de consumo que são competentes para a resolução dos litígios decorrentes dos serviços que prestam ou dos bens que vendem. PUBLICIDADE

A

Carlisle Fluid Technologies introduziu no mercado a novíssima pistola de pintura Clearcoat DV1 da DeVilbiss Automotive Refinishing.

Esta revolucionária pistola de pintura é projetada especificamente para fornecer consistência e otimização na pulverização das diversas linhas de vernizes líderes que estão hoje disponíveis no mercado. A pistola Clearcoat DV1 apresenta a novíssima tampa de ar Clearcoat DV1-C PLUS. Essa tampa de ar inovadora oferece desempenho superior de alta eficiência ao pulverizar o verniz, incluindo limpezas com alto teor de sólidos, limpezas de baixo a médio sólido e limpezas com baixo VOC (isento de solventes). Na Europa, a DV1 Clearcoat está disponível em 12 kits de pistola de pintura, com base nas necessidades e configurações do cliente. As opções do kit são construídas com a pistola de pintura Clearcoat DV1, montada com a tampa de ar Clearcoat DV1 C-PLUS e com bicos de 1.1, 1.2 ou de 1,3 mm. As variações do kit incluem manómetro ou sem manómetro, bem como com ou sem um copo de gravidade. Também inclui um kit de ferramentas.


N

NOTÍCIAS

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

10

Programa de fidelização ZF [pro] Points procura mais oficinas

O

programa de fidelização para oficinas da ZF Aftermarket – ZF [pro] Points – tem um total de 50.000 Pontos para oferecer aos novos membros do programa. As oficinas portuguesas que aderirem ao programa ZF [pro]Points, até 10 de dezembro de 2019 (ou até esgotar os pontos disponíveis para esta ação), conquistam a sua parte da oferta de 50.000 Pontos – 500 Pontos imediatamente creditados na sua

Bolas inaugura novo centro logístico

conta ZF [pro]Points. Para tal, basta que digitem o código promocional 3CBD8B (ou o que se encontra na publicidade) no respetivo campo do formulário de registo online ao submeterem seu registo. No programa ZF [pro]Points os Pontos são conquistados com as compras dos produtos das marcas da ZF Aftermarket: LEMFÖRDER, SACHS e TRW.

Magneti Marelli apresenta nova gama de válvulas EGR

A

Magneti Marelli acaba de apresentar uma nova linha de válvulas EGR (válvula de recirculação de gases de escape), com as quais continua a expandir sua oferta nas gamas de sensores, elétrica e eletrónica, para atender às necessidades do mercado de pós-venda. A gama é composta inicialmente por 146 referências e são esperados desenvolvimentos

importantes em breve. Entre as aplicações cobertas com a nova gama estão incluídos modelos de veículos com um grande número de unidades em circulação, tais como: modelos do grupo VW equipados com motores 1.9 TDI e 2.0 TDI , modelos PSA com motor 1.6 HDI, modelos FIAT com motor 1.6 D, modelos Ford com motor 1.6 TDCI, entre muitos outros modelos.

Lemförder disponibiliza apoios de motor comutáveis para Audi e Mercedes

A

ZF Aftermarket disponibiliza apoios de motor comutáveis da marca Lemförder, com a qualidade do equipamento original, para o mercado de pós-venda. Os apoios de motor comutáveis são utilizados principalmente em veículos de luxo, onde asseguram a menor vibração e o menor ruído possível, independen-

temente do veículo estar imobilizado ou em movimento, devido ao facto de serem comutáveis eletronicamente. Isto não é possível com os apoios de motor convencionais. A ZF Aftermarket disponibiliza apoios de motor comutáveis para diversos modelos de veículos Audi (A4, A5, A6, Q5 e Q7) e Mercedes-Benz (Class C e E, GLK e GLC).

No final do mês de setembro teve lugar em Évora um Seminário de Revendedores Telwin em que a Bolas, em conjunto com a sua representada, deram a conhecer ao mercado as novidades da marca. Simultaneamente a empresa eborense inaugurou um novo centro logístico que tem como principal objetivo reforçar a capacidade de armazenagem e stockagem dos equipamentos que comercializa em Portugal e nos PALOP´s, nomeadamente a nível de máquinas estacionárias para metalomecânica, garagem e madeira. Entre as novidades da Telwin apresentadas destaque para: - Linha de inverters de soldadura MMA/TIG EXTREME : o lado extremo da soldadura; - Linha Inverters de soldadura MMA/ TIG SUPERIOR : lançamento de novos modelos, como Superior 400 CE VRD e os MIG PACK 400 e 630 VRD, disponíveis com e sem refrigeração; - Inverters de soldadura MULTIPROCESSOS TECHNOMIC 240 WAVE e ELECTROMIG 430 WAVE: versão WAVE OS , um novo conceito de inteligência e eficiência aplicadas à soldadura; - D-ARC : sistema eletrónico, controlado por microprocessador, adequado para reparações em carroceria de alumínio, SEM GÁS; - PULLER 4000 : sistema eletrónico, controlado por microprocessador, adequado para reparações em carrocerias de chapa metálica; - Extensão da linha de carregadores de baterias inteligentes, T- CHARGE EV; Foi ainda apresentado o novo magazine promocional da marca, o novo catálogo geral e website em língua portuguesa, onde se pode aceder de forma fácil a toda a informação sobre novidades, fotos, fichas técnicas de produto, esquemas de peças, etc.

Num minuto... David Zapata Clemont juntou-se à Delphi Technologies Aftermarket como novo diretor para os mercados de Espanha e Portugal.

A Krautli Portugal acaba de introduzir no mercado do aftermarket, a nova gama de pastilhas de travão Brembro XTRA, reforçando a extensa oferta na marca Brembo e alargando, assim, a gama XTRA para além dos discos de travão.

A empresa de Oliveira de Frades Best Stock, especialista na comercialização de lubrificantes e aditivos auto, acaba de introduzir no seu já vasto portefólio de produtos a marca americana de aditivos Hot Shot´s Secret.


11

Continental adiciona turbos originais para o aftermarket

A Continental está a expandir a gama de produtos para o pós-venda, adicionando turbos ao seu catálogo de componentes e peças. Inicialmente, serão disponibilizadas duas versões para motores Ford: uma para motores EcoBoost de 100 CV e outro para motores EcoBoost com mais de 100 CV. Com esta recente incorporação, a empresa oferece, pela primera vez, um componente de reposiçao original para oficinas e distribuidores. A Continental também planeia disponibilizar formação neste âmbito, nos seus centros de formação. PUBLICIDADE

Facom apresenta gama de chaves dinamométricas… conetadas

A

Facom passou a disponibilizar ao mercado uma gama de três chaves dinamométricas conetadas, que permitem registar e guardar os apertos de uma forma mais célere, rápida e eficaz. Estas chaves possuem conexão Bluetooth, para que os dados possam ser passados facilmente para o computador ou outro dispositivo.

Com utiliza tecnologia táctil, estas ferramentas possuem etapas sensoriais (vibração suave no punho ao começar o aperto, médio ao aproximar-se do aperto final e um “clic” chegando ao aperto registado). Estas chaves possuem carregador integrado e o desenho das mesmas foi pensado para evitar que rolem em superfícies planas.

Nova versão da app para o catálogo Dayco já está disponível

A

Dayco APP 4.8, nova versão do catálogo da empresa já está disponível, com novos produtos, aplicações e recursos. É totalmente compatível com as mais recentes plataformas iOS e Android.

A app contém informações técnicas e detalhes sobre as peças Dayco disponíveis em todas as suas áreas de negócio, com a possibilidade de pesquisa por: veículos (fabricante, modelo, ano), aplicações, n.º de peça e código de barras.


N

NOTÍCIAS

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

12

O

Turbo Technics tem novo distribuidor para o mercado ibérico

A

Turbo Technics acaba de celebrar um novo acordo de distribuição, com a Turbo 3, para comercializar em Portugal e Espanha os seus equipamentos VSR e Flow Test. Sediada em Barcelona e com mais de 40 anos de experiência, a Turbo 3 é a principal especialista em turbocompressores na Espanha e distribui muitas das principais marcas de equipamentos a partir de Barcelona e Madrid. O diretor geral da Turbo Technics, Stephen

OPINIÃO Hynes, afirmou: “Estamos muito satisfeitos em receber a Turbo 3 na nossa rede de distribuidores. Ficámos impressionados com o seu profissionalismo, dedicação e energia, e certamente serão o parceiro ideal para ajudar a Turbo Technics a crescer em toda a Península Ibérica. Estamos ansiosos para desenvolver os mercados e estamos muito entusiasmados com as oportunidades que esta parceria apresenta”.

Grupo Trustauto reforça o serviço de assessoria técnica

D

ando seguimento ao objetivo de proximidade, capacidade de resposta e qualidade nos serviços prestados às empresas que fazem manutenção e reparação automóvel, o Grupo Trustauto e os seus parceiros de retalho passam a contar com Pedro Sousa, enquanto responsável da área técnica do grupo. A somar aos meios que atualmente disponibiliza às oficinas, no qual se destacam o Call-Center de apoio técnico, Webshop

integrada com HaynesPro, e um amplo programa de formação certificado, passa agora o grupo Trustauto a oferecer também a assessoria técnica. Contando com o seu know-how e elevadas credenciais quer nacionais, como internacionais, e compreendendo mais de 10 anos de assessoria e apoio técnico à reparação, Pedro Sousa será o elemento de ligação com a oficina, fortalecendo a imagem do grupo e da marca Trustauto.

Novo serviço Gamobar Peças chama-se “Expresso Distrigo”

O

“Expresso Distrigo” é o novo serviço da Gamobar Peças que vem acelerar a forma como é feita a entrega de peças. Este novo serviço assegura a entrega num período de tempo inferior a hora e meia.

Para já, o serviço (utilizando veículos de duas rodas) está disponível no Porto, Maia, Matosinhos e Vila Nova de Gaia, mas a ideia é alargar a outros concelhos. De forma a garantir a melhor prestação possível do “Expresso Distrigo” aos seus clientes e parceiros, a unidade de negócios do Grupo Gamobar passou a incluir na sua frota veículos exclusivos para o efeito. Brevemente vai ser possível arrancar com a viatura “Expresso Distrigo” para peças de maiores dimensões, designadamente os pneus.

Num minuto... A Sociedade Comercial C. Santos e a Petronas dinamizaram para os clientes uma visita à fábrica Petronas e ao seu centro de desenvolvimento em Turim.

A NGK Spark Plug Europe criou um novo cargo: o de Business Development Director, Aftermarket EMEA, para o qual conta com Lionel Vautrin já desde o passado mês de setembro.

A Entrega – A confiança conquistada (III) Explicação da fatura - Sempre que possível a factura deve já estar emitida ou ser de rápida emissão, como por exemplo só faltar a impressão, para que o tempo de restituição do veículo seja reduzido. A fatura deve ser emitida com linhas separadas em relação aos diferentes trabalhos efetuados. Se tivermos, por exemplo, uma revisão e a substituição de um rolamento de roda isto deve corresponder a duas linhas de faturação onde cada uma delas deve conter a mão de obra e as peças substituídas. O tempo a faturar deve estar bem identificado (com os respetivos códigos) e de acordo com as tabelas de tempos aplicáveis às operações, caso existam, ou, em alternativa, com o tempo passado para a realização da operação. Os descontos devem estar perfeitamente identificados, separados por linhas e diferenciados entre mão de obra e peças. Só assim a fatura e a explicação se tornam transparentes para o cliente. Excepto para os clientes oficinais que tenham crédito ou algum regime especial de pagamentos, para todos os outros os veículos só devem sair após a emissão da fatura e do pagamento efetuado. Embora por razões financeiras nem todas as oficinas tenham os meios de pagamento mais cómodos para o cliente, e estamos a referir-nos a TPA’s para cartões de débito e crédito, financeiras que permitam o financiamento da reparação, outros meios de pagamento faseado, etc.., é de todo conveniente a sua disponibilidade sempre que os custos associados compensem. A comodidade para o cliente é um dos fatores de satisfação. No que se refere às empresas de financiamento de reparações, para a oficina o valor é integralmente pago à oficina e logo após a formalização do contrato com o proprietário do veículo. PAULO QUARESMA GTAVA.PT


13

GT Estimate com informação ainda mais completa

A GT Motive aprimorou a sua ferramenta de orçamentação GT Estimate. Através do NextGen, uma nova forma de documentar os veículos, é possível refinar as informações disponíveis dos modelos referenciados na sua base de dados. Dessa forma, os utilizadores do GT Estimate poderão aceder a informações ainda mais completas sobre cada modelo, evitando erros de identificação nas peças, equipamentos e sistemas de cada veículo. O NextGen é um desenvolvimento 100% GT Motive. Esta nova solução tecnológica pretende reduzir em até 30% o tempo médio de processamento e a incorporação de informações na base de dados. PUBLICIDADE

Osram expande gama LED de indicadores de direção de espelho lateral

A

Osram atualizou o seu extenso portefólio LED de indicadores de mudança de direção de espelho lateral. Os novos produtos estão disponíveis nas versões branca e preta, complementando as luzes de farol Osram LEDriving para o VW Golf VII e VW Touran II. Graças à tecnologia plug & play, os indicadores de mudança de direção são rápidos e fáceis de instalar. Os poderosos LEDs nos novos piscas de espelho lateral dinâmicos fornecem até 200% mais luz do que o requisito mínimo do ECE R6. Como resultado, eles oferecem um excelente desempenho na sua classe. O alto contraste da intensa luz LED amarela torna os piscas mais visíveis para os

condutores que se aproximam tanto à noite e durante o dia. Os indicadores de espelho dinâmicos LEDriving estão disponíveis para todos os modelos VW Golf VII 2012 e VW Touran II 05/2015 em branco e preto com vidro colorido. A edição preta é perfeita para qualquer design de veículo preto, enquanto a versão branca com o seu revestimento brilhante é ideal para veículos de qualquer cor. Além dos novos piscas LED para o VW Golf VII e Touran II, outras versões serão apresentadas para o VW Passat B8 / VW Arteon, BMW1/2/3/4/x1 e todas as versões do A4 8W, Audi A3 8V e Seat Leon III.


N

SOLUÇÃO

A LIQUI MOLY conta com duas colas diferentes para solucionar este problema. Uma para fixação de peças coaxiais e outra para vedação de flanges de transmissão, rolamentos, diferenciais e caixas. Garante-se assim um serviço profissional, sem falhas e com um funcionamento perfeito de todos os componentes. O Fixador de Rolamentos (Ref. 3807) é um líquido de vedação monocomponente de resistência média, sem solventes, de alta viscosidade e que endurece anaerobicamente (sem oxigénio) com base num éster dimetacrilato. Margem de temperatura de utilização: -60 °C até +150 °C. Para a fixação de peças coaxiais, como mancais, buchas, eixos e cubos, assim como para unir plásticos e borracha com metal ou superfícies de metal/metal. Vantagens >> Resistência elevada >> Excelente ação de preenchimento >> Resistente à gasolina e líquido de travões à temperatura ambiente, bem como a outros materiais >> Endurecimento sem oxigénio >> Baixa viscosidade O Selante de Superficies (Ref. 3810) garante a vedação de flanges de transmissão, coberturas de rolamentos e motores, tampas diferenciais e de caixas. Adere também sobre superfícies verticais. Campo de temperatura de + 60 °C até + 150 °C. Apropriado também para a vedação de abertura de 0,1 a 0,3 mm. Endurecimento lento (duro depois de 2 – 4 horas) e pode ser desmontado. Resistente ao stress e a vibrações. Vantagens >> Endurecimento sem entrada de oxigénio >> Endurecimento lento e controlado >> Boa aderência em superfícies verticais >> Resistente a tensões e vibrações >> Resistência média FICHAS TÉCNICAS E MODO DE UTILIZAÇÃO EM

www.liqui-moly.pt INFORMAÇÕES

comercial.iberia@liqui-moly.com

NOTÍCIAS

PROBLEMA

É muito comum a existência de componentes mecânicos que não podem recorrer a juntas de papel ou juntas metálicas para fazer a vedação dos cárteres.

Dica Ambiental by

Eco­‑Partner Resíduos nos Açores Ao longo dos últimos anos temonos deparado com várias questões relacionadas com a gestão de resíduos, necessidades de segregação e contentorização que têm sido colocadas por oficinas auto na Região Autónoma dos Açores. Os próximos dois artigos serão focados nas oficinas produtoras de resíduos e na aplicabilidade do Decreto Legislativo Regional nº 29/2011/A que implementa nos Açores o Plano Estratégico de Gestão de Resíduos da Região Autónoma dos Açores (PEGRA), transpondo as directivas europeias 2006/12/CE e 91/689/CEE. Os resíduos podem estar todos misturados, uma vez que tenho um contrato com uma empresa de Gestão de Resíduos? O Papel e cartão limpo pode ser misturado com o cartão contaminado? A não separação na origem, pelo produtor de resíduos, dos resíduos produzidos, de forma a promover a sua valorização por fluxos e fileiras, constitui uma contraordenação leve. Posso ter uma coima se não enviar o plano interno de prevenção e gestão de

resíduos à entidade competente? O incumprimento do envio do plano interno de prevenção e gestão de resíduos à entidade competente, conforme previsto nos n. 2 e 3 do artigo 38.º; constitui uma contraordenação leve. Posso colocar resíduos de oficina nos contentores da via publica? A deposição de resíduos não perigosos de oficina em espaço público por pessoas singulares ou colectivas, constitui uma contraordenação leve. Já a deposição de resíduos perigosos de oficina em instalações ou locais não licenciados para a realização de operações de gestão de resíduos perigosos, constitui uma contraordenação muito-grave. Posso vender os resíduos valorizáveis a qualquer entidade? Não! A entrega de resíduos a entidades ou operadores não licenciados ou não concessionados para a sua gestão; constitui uma contraordenação leve.

A Eco-Partner poderá ajudá-lo na gestão dos resíduos da sua oficina tornando-a mais organizada, eficiente e cumprindo todos os descritores legais aplicáveis. Eco-Partner, SA a Sua parceira no Ambiente…

Krautli disponibiliza nova gama de luzes de trabalho Scangrip LITE

A

Krautli Portugal passou a ter disponível a nova gama económica de luzes de trabalho Scangrip LITE, que se caracteriza pela sua simplicidade, funcionalidade e facilidade de uso. A gama Scangrip LITE é composta por três modelos distintos: Head LITE, Work

LITE e Stick LITE M. Neste modelos, todas as características desnecessárias são omitidas para o benefício de uma operação precisa e prática, proporcionando luzes de trabalho de boa qualidade e acima de tudo especificamente projetadas para trabalhar.

Num minuto... A Metalcaucho acaba de lançar 569 novas referências, entre as quais 222 mangueiras de água, 166 mangueiras de turbos, 63 kits de distribuição, 24 termostatos e 13 rolamentos.

A Neftali, empresa retalhista de peças na região de Braga, passou a ser o distribuidor oficial de peças RecOficial naquela região e, simultaneamente, passou a dinamizar o conceito de rede oficinal RecOficial Service.


Ajusa lança novo catálogo de retentores de distribuição

A Ajusa acaba de lançar um novo catálogo de retentores de distribuição, e disponibiliza um canal no YouTube, onde é possível aceder a vídeos de montagem destes componentes. A marca destaca a importância da substituição dos retentores de distribuição cada vez que for mudada a correia ou qualquer outra peça desta parte do motor. A Ajusa recomenda que se substituam os retentores de cada vez que se mude a correia de distribuição ou outro componente desta parte do motor. Para agilizar a pesquisa dos componentes corretos para cada veículo, a marca criou um catálogo específico que pode ser descarregado e consultado na seção catálogos em www.ajusa.es.

Bombóleo comercializa AdBlue Magneti Marelli A relação entre a Bombóleo e a Magneti Marelli continua a estenderse ao nível dos produtos, agora com a comercialização de AdBlube. Dessa forma a Bombóleo já tem disponível o AdBlube da Magneti Marelli, um produto desenvolvido para todo o tipo de veículos (diesel ligeiros, comerciais ligeiros e pesados), com as mais importantes certificações de qualidade, método de análise, manuseamento, transporte e armazenagem, como também de método de enchimento parametrizado. O AdBlube da Magneti Marelli é vendido em recipientes de 10 litros com aplicador universal.

60.000 espectrofotómetros vendidos pela Axalta

A

Axalta anunciou que vendeu o seu 60 000.º espectrofotómetro com 10.000 vendidos nos últimos 15 meses. O aumento rápido em vendas recentes deve-se principalmente a uma forte tendência de digitalização global. Estas ferramentas digitais portáteis cada vez mais populares são uma forma precisa e rápida de combinar cores o que aumenta a eficiência das oficinas. “Adotar uma abordagem digital na combinação e recuperação de cores é uma tendência global que teve início há 25 anos quando a Axalta foi uma das primeiras empresas de tintas a oferecer um dipositivo digital e software a clientes de repintura,” afirmou Dr. Martin Wulf, Colour e Technical Manager da Axalta para Refinish Systems na Europa, Médio Oriente e África. A utilização do espetrofotómetro de última geração e do software de cor baseado na Web é fácil. Os pintores só têm de tirar as leituras da cor da pintura de um veículo utilizando o espetrofotómetro, que em seguida, envia sem fios as leituras para a base de dados de cores global online da Axalta. O software de combinação de cores pesquisa mais de 200 000 fórmulas que são constantemente atualizadas e, quando necessário, ajusta automaticamente a fórmula mais próxima para fornecer aos pintores a melhor combinação possível, que pode ser posteriormente selecionada num smartphone ou num tablet através de Wi-Fi para uma balança IP para misturar a fórmula de cor. Este processo é mais preciso, mais eficaz e mais rentável.

ERRATA

No dossier sobre escovas, da edição nº48 (pág. 48), apareceu (por erro da revista Pós-Venda) incorretamente a marca Valeo, no texto da José G. Neto, em vez da marca “VISION & VISION PLUS”, que deveria ter constado do artigo. O endereço de email para contacto é o jose.g.neto@jgneto.com.


N

Grupo Metelli com informação mais digital NOTÍCIAS

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

16

O

Grupo Metelli decidiu eliminar os folhetos de instruções em papel incluídos nas embalagens das bombas de água das marcas Metelli, GRAF e KWP, substituindo-os por uma versão digital em formato PDF que pode ser consultada e transferível a partir do website www. metelligroup.it por um QR CODE. O instalador precisa apenas de usar o smartphone para ler o QR CODE no rótulo do produto e vai ser enviado imediatamente para a secção específica do código do produto no site. Como alternativa, as informações podem ser consultadas directamente na área de Suporte / Documentação Técnica do site.

Para além do folheto de instruções que pode ser transferido em formato PDF, o utilizador pode ter acesso a outras informações, como as aplicações, códigos OE, tutoriais em vídeo de instalação e ficha do produto. Para alguns códigos específicos, o folheto de papel será mantido dentro da embalagem, ilustrando fases particulares de montagem ou advertência. Esta decisão, que será alargada a outras famílias de produtos, faz parte de uma estratégia corporativa mais ampla, baseada no compromisso de minimizar o impacto no meio ambiente dos materiais utilizados nos produtos.

Expomecânica com quatro pavilhões em 2020

O

Ex p o m e c â n i c a , Sa l ã o d e Equipamentos, Serviços e Peças Auto irá acrescentar mais 8000 m2 de exposição, na sua 7.ª edição, em 2020, com 122 expositores já inscritos. Este evento, que se realiza de 17 a 19 abril, passa assim a incluir mais um pavilhão, o quatro, continuando desta forma o seu crescimento. O novo crescimento reflete o “dinamismo do aftermarket português e a aposta que o tecido empresarial faz na sua feira de negócios de referência”, diz José Manuel Costa, diretor-geral do evento. Já com 50% do espaço reservado, graças a 122 operadores económicos do pós-venda automóvel que já confirmaram a respetiva participação, Sónia Rodrigues, diretora comercial da Kikai (organizadora do evento) diz que “em termos homólogos, alocámos até esta altura cerca de 75% do espaço do Salão de 2019. E não

lançamos ainda o salão para potenciais novos expositores. Para além disso, é gratificante dizer que contamos já com os mais importantes “players” do setor, o que atesta(rá) a qualidade da edição de 2020”.

MEWA lança conceito “Sharing têxtil” Numa altura em que o tema da partilha está na ordem do dia no setor automóvel, a MEWA lança o conceito o “Sharing têxtil”, que significa proteção ativa do ambiente. O sistema de reutilização da MEWA Gestão Têxtil proporciona a oportunidade de transformar uma oficina, de um momento para outro, em amiga do ambiente. Isto faz sentir bem e torna a empresa mais atraente para colaboradores e clientes. O sistema de panos de limpeza da MEWA traz ainda outras vantagens: permite o cálculo exato dos custos, aumenta a segurança e garante que as máquinas, ferramentas e chãos são limpos com rigor e rapidez.

Baterias Energia com gama start-stop AGM e EFB reforçada A marca de baterias Energia, representada pela PBS-Portugal Bateria Serviço, acrescentou na sua oferta de baterias automóveis, uma gama completa de baterias com a tecnologia AGM e EFB para carros equipados com start-stop. São no total 10 novas referências, que permitem uma cobertura total do parque start-stop em Portugal. Estimase que 20% do parque automóvel atual já está equipado com a tecnologia star-stop. Numa projeção a 3 anos, 50% do parque automóvel português será equipado com start-stop. Em primeiro equipamento, atualmente, 70% dos veículos estão equipados com startstop. A marca Energia tem disponível para os profissionais, uma base de dados completa, com as aplicações por marcas de construtores automóveis e modelos, uma ferramenta essencial para identificar o produto certo entre as tecnologias AGM e EFB.

Num minuto... A +Baterias, rede de lojas especialista em baterias auto, alargou a sua presença nacional através da abertura de uma nova loja na margem Sul do Tejo.

A Alcides & Ferreiras é a primeira oficina da rede oficinal CGA Car Service na região de Leiria, tendo sido promovida e dinamizada pela Auto Delta.

A Peçamodovar, retalhista de peças com sede em Almodôvar realizou, no passado dia 14 de Setembro, a comemoração do seu 17.º aniversário.


Especial

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

18

E PRODUTOS DE LAVAGEM AUTOMÓVEL

Mais ecológicos e eficientes Os produtos de lavagem estão cada vez mais tecnológicos, tanto na eficácia como na preocupação com as questões ambientais TEXTO NÁDIA CONCEIÇÃO

O

setor dos produtos de lavagem auto tem acompanhado a crescente preocupação social com a proteção do meio ambiente. Dirigidos a estações de serviço, oficinas, concessionários ou empresas rent a car, estes produtos utilizam, cada vez mais, compostos biodegradáveis e que afetem o menos possível o meio ambiente, e com a melhor relação custo/benefício, baixo consumo de detergentes e de água, reduzindo o desperdício. Ao mesmo tempo, as em-

presas que os produzem tentam manter a competitividade, melhorando a qualidade e eficiência, por forma a manter a rentabilidade para os seus clientes e a proteção da pintura e dos restantes componentes do veículo. A oferta de assistência técnica permanente é também um aliado das empresas, para além da venda de produtos e equipamentos para este setor. A Pós-Venda consultou alguns dos principais players deste setor em Portugal, para dar a conhecer a realidade atual deste negócio.


19

QUESTÕES 1 – Que produtos de lavagem auto comercializam? De que marcas? 2 – Qual o tipo de cliente a que se destinam? Em que segmentos trabalham dentro do cliente profissional?

4 – Sim. 5 – O setor dos pesados de mercadorias. 6 – Não.

3 – Qual o tipo de produto mais procurado? 4 – Os produtos direcionados para profissionais/oficinas são semelhantes aos que comercializam para estações de serviço? 5 – Qual destes dois setores é mais representativo no vosso negócio? 6 – A marca/marcas que comercializam são recomendadas por algum fabricante de equipamentos de lavagem e estações de serviço?

Sangreen

Júnior Santos geral@sangreen.pt 919 387 394 www.sangreen.pt 1 – Comercializamos shampoos auto, desengordurantes, ceras auto, limpa vidros, limpa mosquitos, brilho pneus, etc., da marca “Nerta”. 2 – Transportes, estação de serviço, estação de lavagem, car wash e jet wash, indústria alimentar, agricultura, etc. 3 – Lavagem de jantes e shampoos. 4 – Sim. 5 – As oficinas com lavagem auto.

MovSoluções

Manuel Oliveira geral@movsolucoes.pt 262 918 301 www.movsolucoes.pt

6 – Não ainda, mas, no futuro, com certeza, ao conhecerem este produto certamente recomendariam, neste caso a maioria destas empresas trabalham com alguma marca e assim é esta marca que recomendam.

1 – Comercializamos as marcas Lava telli e Eco Rosa.

Original Colors

2 – Focamo-nos no ramo automóvel, ligeiros e pesados. 3 – A marca Lava Telli.

PUBLICIDADE

Miguel Ângelo Ferreira geral@originalcolors.pt 212 091 024 / 919 978 378 www.originalcolors.pt 1 - Comercializamos a marca Atas, pro-


E

PRODUTOS DE LAVAGEM AUTOMÓVEL

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

20

dutos químicos, marca essa que somos importadores exclusivos em Portugal e Angola. 2- Os nossos clientes são: Galp, empresas Rent a car, estações de serviço, oficinas e empresas que revendem os nossos produtos. 3 - Os produtos mais procurados são os Bi-componentes e produtos de lavagem e pré-lavagem. 4 - Normalmente comercializamos os mesmos produtos para todos os clientes, existe apenas a variante de preços, uns mais económicos que outros. (rentabilidade e custos) 5 - Estações de serviço e postos de abastecimento, derivado ao fluxo. 6 - Provavelmente no país de origem, que é Italia, devem ser recomendados, em Portugal, que tenhamos conhecimento, não.

2 – Lavagens de veículos ligeiros e pesados (sejam lavagens automáticas ou manuais), lavagem de cortesia (oficina) ou lavagem da frota de camiões. Como parceiro de confiança para os profissionais de transportes e cuidado de veículos, criámos um conceito completo e amigável para os ajudar a oferecer um programa de alta qualidade aos seus clientes. Pensamos junto com os nossos clientes, em encontrar as soluções que realmente precisam e que vão ao encontro das suas expectativas e custos. 3 – A qualidade! Nesta indústria, o cliente português negoceia, mas sabe o que quer, e tem uma bitola de qualidade. Dentro de cada nicho de mercado temos referências “estrela” e o fator preço é muito diferente do fator valor. O nosso cliente sabe a qualidade e o serviço que pretende e valoriza isso mesmo. 4 – Cada tipo de cliente tem necessidades e objetivos diferentes, a Kenotek desenvolve produtos e métodos específicos para cada aplicação de lavagem; lavagem automática com “roll-over” para veículos ligeiros e pesados, túneis de lavagem, lavagem em “Self-Service”, Jetwash, lavagem manual, lavagem de cortesia (nas oficinas), lavagem e cuidado ao detalhe, reacondicionamento de veículos usados, preparação de veículos novos e muito mais. 5 – Como volume; obviamente as estações de serviço automáticas (ligeiros e pesados), e com bastante menos referências que o mercado da oficina ou da lavagem manual exige. 6 – Vários, mas essa informação é classificada.

Kenotek

Valter Bernardes valter@kenotek.eu 965 263 766 www.kenotek.eu 1 – A Kenotek: desenvolvido pela Cid Lines NV, de origem Belga e com expressão mundial, temos já presença em 90 países. A Kenotek e os seus distribuidores oferecem hoje a mais completa gama do mercado para atender a todas as necessidades de lavagem e cuidado de veículos. Essas soluções são criadas para maximizar resultados e otimizar os custos de operação para todas as etapas. Além de produtos eficientes e de qualidade certificada (VDA), também nos concentramos numa lavagem sustentável, com o uso de produtos químicos corretos para minimizar o uso de água e suportados pelas unidades de reciclagem de água e biodegradabilidade no sistema de lavagem.

JMCS

João Saraiva geral@jmcs.pt 243 702 981 www.jmcs.pt 1 – Comercializamos todas as soluções para o setor automóvel na área de limpeza, lavagem e pós venda automóvel, como representantes exclusivos da marca Allegrini em Portugal: produtos técnicos, espumas, pré-lavagem, lavagem manual, limpeza de insetos, ceras e polimento, higienização de

ar condicionado, estofos, vidros e limpa para brisas, oficina e manutenção, jantes, motos, ambientadores auto e acessórios (papel, recipientes de lixo, escovas). Além disto, temos ainda as mais inovadoras soluções de equipamentos de lavagem auto e lavagem self-service com a qualidade das marcas líderes (MIX, Degama, Autoequip; Alberti), como pórticos, Jet Wash, aspiradores e lavadoras. 2 – Trabalhamos com toda a tipologia de clientes do setor pós-venda automóvel, tais como oficinas, estações de serviço, concessionários auto, pós-venda, lavagem de pesados, lavagens de ligeiros, etc., fornecendo soluções e assistência técnica na área de limpeza e lavagem com uma oferta alargada de produtos, equipamentos e acessórios. 3 – A procura é diversificada, mas, essencialmente, produtos de pré-lavagem e acabamento. 4 – Existem muitos produtos comuns aos diferentes operadores, mas, devido à sua especificidade, existem gamas muito direcionadas e desenvolvidas para necessidades muito específicas. Para oficinas, temos uma gama bastante desenvolvida tecnicamente e específica para a sua atividade (por exemplo: limpeza de travões, descarbonizante de motores, etc.). Para estações de serviço, a aposta é muito forte nas ceras de acabamento e espumas ativas. 5 – As estações de serviço e lavagens auto representam cerca de 70%. 6 – A marca Allegrini é recomendada pela Brembo, líder mundial em sistemas de travagem para automóveis, motos e veículos industriais. Além disso a Allegrini está presente de forma exclusiva em entidades internacionais tais como a Eni, VW Group Italia ou a Q8 Oils.

Vintages

Rui Ramalho rui@vintages.pt 916 177 600 www.vintages.pt 1 – Comercializamos produtos para lavagem automóvel, produtos de limpeza, ferramentas e equipamentos de lavagem, marca Vintages e Starkvill nos produtos de lavagem e Stak nos equipamentos. 2 – Destinam-se principalmente a clientes profissionais. Lavagens, oficinas, etc.


21

3 – É o shampoo e o produto para as jantes. 4 – Sim, é o mesmo tipo de produto. 5 – São os profissionais/oficinas. 6 – Não.

Vallux / Eva Química

Pedro Coelho / Rui Cruz comercial@vallux.pt / geral.evaquimica@ gmail.com 210 840 752 / 939 818 333 www.vallux.pt 1 – Representamos a marca Flowey, fabricada no Luxemburgo. Temos disponível PUBLICIDADE

diversas gamas de produto, como ACSPRO e Technic. 2 – A Flowey tem soluções para todo o tipo de cliente. Existem mais de 8 gamas de produto disponíveis que abrangem todo o tipo de cliente/atividade. Soluções para lavagem de alta pressão, rolos, túneis de lavagem, pesados e lavagem manual, entre outros. Também estão disponíveis produtos para a limpeza das próprias instalações e equipamentos. 3 – A Flowey oferece aos seus clientes produtos de elevada rentabilidade. Temos produtos altamente concentrados, em que a dosagem a usar é muito baixa. Temos uma elevada procura por shampoos, limpa jantes, ceras e desengordurantes. 4 – Cada setor tem a sua gama de produtos. A Flowey tem o cuidado de estudar o mercado e as necessidades dos seus clientes, por forma a encontrar a melhor solução para cada tipo de necessidade. 5 – Estamos presentes em todos os setores,

com soluções para qualquer necessidade. 6 – A Flowey está presente em mais de 50 países sendo utilizada por diversas marcas tais como. Repsol, Valcare, Avia, Prio, entre outras.

Macos

geral@macos.pt 228 347 140 www.macos.pt 1 – Comercializamos Champô, Limpa Tablier (Cockpit), Limpa Vidros, Limpa Jantes, Abrilhantador de Pneus, Limpeza de Motores e Chassis. Produtos da Marca Própria (Macos) e da Marca Turtle Wax.


E

PRODUTOS DE LAVAGEM AUTOMÓVEL

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

22

2 – Comercializamos produtos para o Cliente Profissional e para o Cliente Particular, sendo que a Macos não vende diretamente ao público, o nosso negócio é apenas B2B. Dentro do cliente profissional trabalhamos diversas tipologias de cliente, como Casas de Acessórios, Centros Auto, Centros de Lavagem, Postos de Abastecimento, Hiper e Supermercados. 3 – Champô, Limpa Tablier (Cockpit), Limpa Tecidos, Limpa Jantes, Limpa Vidros, Limpa Motores entre muito mais. 4 – Sim, tirando os produtos de autoconsumo que são comercializados em embalagens de maior capacidade. 5 – Todos. 6 – Não.

Berner

João Correia Joao.Correia@berner.pt 926 521 923 www.berner.pt 1 – Solução integral para a lavagem de veículos ligeiros. Shampoo para todas as etapas da lavagem auto: 363420-PRÉCleaner Premium 25 L: Forte poder de limpeza com elevada capacidade de remoção de sujidade; altamente concentrado: muito eficiente e económico. 363413-Agente Espumifero 25L: Elevado efeito de espuma com propriedades de limpeza intensivas; Produto com elevada capacidade de formação de espuma, para sistemas de pré-lavagem Autowash. 363412-Shampoo Autowash

Quais as principais oportunidades e desafios desta área de negócio?

materiais utilizados na indústria automóvel”.

Manuel Oliveira

JCMS

MOVSOLUÇÕES

“Vimos como oportunidade para o desenvolvimento do nosso negócio a procura cada vez maior de produtos mais técnicos em detrimentos de produtos mais mainstream, o que conseguimos responder de uma forma efetiva, fruto da aposta em desenvolvimento que caracteriza a Allegrini, que, de uma forma constante, apresenta novidades cada vez mais adaptadas às necessidades do mercado. Outra oportunidade por nós identificada é o claro aumento que temos vindo a sentir na procura de serviços chave na mão (produtos + equipamentos de dosagem + assistência técnica), para os quais temos grande capacidade de resposta. Oferecemos segurança e a qualidade dos nossos produtos, mas também uma série de serviços a partir de uma única empresa – consultoria técnica, instalação de equipamentos, distribuição de produtos e assistência técnica. Acreditamos que hoje é essencial, não só ter à disposição equipamentos eficazes, mas também a sua assistência permanente e disponível sempre que necessário. Os principais desafios que identificamos na nossa área de negócio

“Mostrar aos clientes a elevada qualidade do produto, pois normalmente quem experimenta fica fiel ao produto”. Júnior Santos SANGREEN

“Ter um produto com extrema qualidade com um preço competitivo, desafio é nos tornar ainda mais conhecidos, tendo em vista que ainda só estamos com este produto no mercado há pouco mais de um ano”. Miguel Ângelo Ferreira ORIGINAL COLORS

“Os principais desafios estão nas rent a car e centros de lavagem, tal como empresas que fazem a limpeza em concessionários (qualidade e preço)”. Valter Bernardes KENOTEK

“O negócio está em franco crescimento, sustentado por mercados cada vez mais exigentes (tanto em ligeiros como pesados) e com especificações muito próprias, pelos

João Saraiva

25 L: Shampoo de limpeza intensivo com pH neutro para estações de lavagem; Garante uma limpeza completa, protegendo a superfície. 363414-Car Dryer 25 L: Desempenho de secagem elevado devido à separação imediata das partículas de água; 363415-Dryer & Wwax 2 em 1 Premium 25 L: Cria uma proteção duradoura contra as agressões do meio ambiente; Excelente acabamento com brilho profundo efeito de película duradouro contra água da chuva; Secagem extra-rápida. 2 – À limpeza profissional do exterior de automóveis, em que a qualidade dos produtos utilizados é essencial para obter um excelente resultado, havendo muito a considerar relativamente à utilização e manuseamento desses produtos. A nossa vasta gama de produtos de limpeza exterior de automóveis de alta qualidade garante uma elevada performance do início ao fim. O nosso portfólio de produtos permite que os nossos clientes façam aquilo que sabem fazer melhor, deixando que os produtos Berner os acompanhem no seu dia-a-dia.

são aqueles que de uma forma transversal acompanham a vontade da sociedade atual: inovação técnica dos produtos como resposta a necessidades cada vez mais especificas, a exigência por um nível de serviço cada vez maior, e o respeito pelo meio ambiente cada vez mais efetivo”. Rui Ramalho VINTAGES

“É conseguirmos ter produtos e equipamentos cada vez mais ecológicos e amigos do ambiente”. Pedro Coelho VALLUX

“O grande desafio que se avizinha é ecologia/ eficiência. O mundo está a mudar para uma maior preocupação ambiental. As principais oportunidades de negócio são oferecer aos clientes produtos que sejam “Eco-Friendly”, mas que, no entanto, mantenham a sua eficácia”. Macos “Apresentar produtos inovadores na performance, com menor pegada ecológica e mais sustentáveis”.


Atualidade

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

24

A

SALÃO AUTOMÓVEL DE BRAGA

Manutenção e reparação em destaque Já em quinta edição, realizou-se no passado mês de setembro o Salão Automóvel de Braga, que contou com alguns expositores do setor do pósvenda. Simultaneamente, no Altice Forum Braga, a ARAN realizou uma conferência onde debateu o futuro do setor automóvel TEXTO PAULO HOMEM

A

o longo de três dias, o Salão Automóvel de Braga reuniu no Altice Forum Braga uma série de empresas do setor automóvel, onde também estavam entidades que operaram especificamente no setor da manutenção e reparação automóvel. Este evento que contou também com alguns eventos, quer lúdicos, quer de trabalho, com destaque neste caso para o “Conversas com a ARAN”. Tudo para ler nas páginas seguintes.

SPARKES&SPARKES CAIXAS DE VELOCIDADES

Presença destacada mais uma vez para a Sparkes & Sparkes, que volta a este salão para dinamizar a venda de caixas de velocidades manuais, área de negócio em que é um dos maiores e melhores especialistas nacionais. Para além das caixas de velocidades manuais reconstruídas, os Kits de rolamentos e vedantes e as peças para caixas de velocidades também estão em exposição.

CONFIAUTO PEÇAS

A Confiauto também marcou presença neste evento, não só com automóveis, mas com o seu setor das peças. Para além das peças originais, Renault, Dacia e


25

Nissan, neste evento o principal destaque foi para as peças Motrio e para as suas diferentes linhas de produto, destinadas sobretudo a veículos multimarca. O conceito de rede oficinal Motrio também está a ser dinamizado, tendo a Confiauto já conseguido promover 12 oficinas independentes para este conceito. As tintas Ixell para automóveis fazem parte dos produtos que esta empresa promoveu neste evento.

também nos produtos da Liqui Moly. No mesmo stand foi também destacada a marca de peças e pneus Eurorepar.

da reparação. O foco principal neste evento são os turbos, onde apresentou várias soluções de turbos novos, reconstruídos e reparados. Destaque ainda para as soluções ao nível de injetores e bombas injetoras, assim como o serviço complementar a todos estes produtos: a montagem, onde entra ainda, a parte oficinal com a JRDiesel – Autocrew.

CARTAILOR FILINTO MOTA PEÇAS

A Filinto Mota mostrou também a sua extensa gama de peças para o setor do aftermarket, com especial incidência na marca Bosch, da qual é distribuidor, mas

PUBLICIDADE

OFICINA

JRDIESEL TURBOS

A JR Diesel Soluções Auto, é uma empresa que se dedica atualmente a diversas áreas de negócio, dentro do setor

Um dos grandes destaque deste evento foi a presença de um McLaren Senna em exposição, exemplar único em Portugal, avaliado em mais de um milhão de euros, que se encontrava no stand da Cartailor, uma oficina da Maia, especializada em


A

SALÃO AUTOMÓVEL DE BRAGA

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

26

detalhe automóvel e proteção de carroçaria, que nesta feira dinamizava os seus serviços.

SILVA & DOMINGUES LUBRIFICANTES

Entre os expositores do pós-venda, destaque para a presença da Silva & Domingues SA, uma empresa que está na área dos lubrificantes, sendo um dos distribuidores da conceituada marca Shell. Por isso, todos os mais recentes produtos da Shell estavam em exposição.

PROCURA ONLINE PEÇAS

A Procura Online é uma plataforma de “compra & venda“ na web dedicada sobretudo ao setor das peças reutilizadas e automóveis. Com um portal de fácil acesso pretende esta empresa facultar o melhor negócio realizado somente entre comprador e vendedor.

NEOPARTS FERRAMENTAS

Na zona exterior do evento, junto aos usados, marcou presença a Neoparts, tendo estado essencialmente a promover a sua recente representação das ferramentas Gedore, que a empresa tem vindo a dinamizar no último ano para o setor automóvel. Para tal, a empresa tinha duas carrinhas sendo dessa forma possível ver as ferramentas “in-loco”.

CONVERSAS COM A ARAN

Pós-venda a preparar-se para o futuro A ARAN organizou, como atividade paralela do Salão Automóvel de Braga, uma iniciativa designada por “Conversas com a ARAN”. Para tal convidou três profissionais do setor das vendas, pós-venda e peças, que falaram do presente e do futuro da atividade

A

ARAN, agora com o seu novo presidente da direção, Rodrigo Ferreira da Silva, está fortemente apostada em dinamizar cada vez mais e melhores eventos para os seus associados e para todos os interessados no fenómeno automóvel, nomeadamente a nível profissional. Pela primeira vez a ARAN dinamizou a iniciativa “Conversas com a ARAN”, através da qual pretendeu explicar o que está sendo feito em diversas áreas do setor do automóvel, nomeadamente nas peças e no pós-venda, evento que decorreu no piso 2 do Altice Forum Braga, no passado dia 21 de setembro. Este evento começou com uma apresentação por parte de Pedro Santos, diretor da Gamobar Peças, que falou essencialmente sobre a sua empresa. Como se sabe a Gamobar Peças é um distribuidor de peças multimarca há 15 anos, presente em Porto e Lisboa, que desde 2016 é uma das 130 placas PSA / Distrigo a nível europeu e uma das três em Portugal, passando a

comercializar peças aftermarket Eurorepar (para além das peças orginais das marcas PSA) e a dinamizar o conceito oficinal Eurorepar Car Service. Uma das novidades divulgadas nesta apresentação, foi que em 2020 as placas Distrigo vão passar a incluir na sua gama as peças da marca Opel (com distribuição nacional). Outra novidade foi o lançamento de um serviço expresso de entrega de peças, para já na região do Porto, permitindo que o cliente seja servido (no máximo) em 1h30m. Pedro Santos destacou, entre muitos outros aspetos, a importância do e-commerce dentro da Gamobar Peças, que atualmente representa 55% das vendas, sendo que em 2020, a empresa irá lançar uma nova versão 2.0 do seu portal de modo a melhorar a experiência do cliente. A Gamobar Peças vai ainda reforçar a sua equipa comercial (neste caso em Lisboa), como vai também lançar mais um canal de comunicação, neste caso via WhatsAPP (que neste momento já se encontra em teste). O responsável da Gamobar Peças falou ainda do conceito oficinal Eurorepar Car Service, tendo este distribuidor de peças já dinamizado cerca de 1/3 das oficinas que existem neste conceito. Para além da nova plataforma Service BOX a que os aderentes da Eurorepar Car Service têm acesso, Pedro Santos destacou ainda o reforço das campanhas promocionais para aderentes à rede, com todas as vantagens na dinâmica do negócio que isso irá trazer para a Gamobar Peças como para as oficinas desta rede.


27

O segundo orador deste evento foi Manuel Mota, atual diretor geral da Cardan, grupo de retalho automóvel com forte implementação no norte de Portugal e que representa diversas marcas de automóveis, estando ainda presente no negócio de oficinas e peças. Alertando para os desafios que a eletrificação do automóvel acarreta a um grupo de distribuição automóvel, Manuel Mota colocou muitas dúvidas sobre a capacidade que empresas como a sua têm para influenciar o decisor a comprar automóveis elétricos e híbridos, tendo em conta que as vendas ainda estão apoiadas nos benefícios fiscais. Quando abordou o pós-venda, Manuel Mota disse que o retorno da manutenção dos veículos elétricos é muito menor que os atuais carros a diesel ou gasolina. Porém, o mesmo responsável entende que a transição será muito lenta (renovação do parque para os elétricos), mas que irá exigir um processo gradual de preparação das oficinas. Neste processo, para compensar o menor retorno económico que os elétricos irão trazer ao nível da manutenção e reparação automóvel, refere Manuel Mota que as oficinas dos concessionários terão que ir “buscar” certos negócios que tradicionalmente lhes passam ao lado, como é o caso dos pneus, serviços rápidos, acessórios, etc. Manuel Mota deixou ainda a preocupação pelos investimentos elevadíssimos que têm de ser feitos para se assistir os veículos elétricos e que têm um retorno muito reduzido, tendo em conta que os concessionários têm que investir já (em equipamentos e formação) e não de forma gradual, pois os carros elétricos já estão a circular.

Todos estes investimentos, ainda de acordo com o diretor geral da Cardan, irão levar a uma profunda alteração do negócio associados às oficinas e aos concessionários. A terceira intervenção foi totalmente orientada para o futuro (leia-se presente) do pós-venda, associado a um concessionário de automóveis, neste caso a BMCar. José Moreira, diretor pós-venda da BMcar, fez uma excelente apresentação da evolução atualmente registada numa oficina BMW, que subordinou precisamente ao tema “Futuro Hoje”. Existem, para José Moreira, três áreas em que se deve olhar para o pós-venda no futuro. A primeira é o contato com o cliente, que será cada vez menos “cara a cara” com o cliente e cada vez mais será feito via digitalmente e em dispositivos móveis. Diz este responsável que os automóveis estão cada vez mais ligados ao fabricante, o que permitirá vender serviços remotamente (que já é uma realidade), como marcação de serviços on-line (também uma realidade). O Smart Glasses System é um sistema / software da BMW, que será o futuro muito próximo em termos do apoio técnico que a marca irá proporcionar às oficinas. Noutra área, explorando novos segmentos

PUBLICIDADE

em termos técnicos, José Moreira deu o exemplo da Câmara Acústica. Trata-se de um equipamento para diagnósticos não elétricos / eletrónicos, isto é, trata-se de um equipamento que permite detetar avarias (ruídos, por exemplo), que uma máquina de diagnóstico tradicional não deteta. No entender do responsável pós-venda da BMcar, o futuro pode também estar associado aos carros clássicos. Diz este profissional que pode parecer um contrassenso dizer isto, mas que no futuro será muito importante para muitos clientes recuperarem o prazer de conduzir que entretanto os elétricos e os autónomos irão “tirar”. É por isso, também, que a BMcar está aprovado pela BMW para ser uma oficina BMW Group Classic, isto é, está certificada para intervir em clássicos BMW. Na fase final da sua interessante apresentação, José Moreira falou que as perspetivas para os próximos anos ao nível do pós-venda passam pela redução significativa das necessidades de serviço das viaturas, pela redução dos acidentes e consequente redução das reparações de colisão e para as alterações do paradigma da prioridade automóvel (com grande impacto no pós-venda).


A

REPINTURA

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

28

“OPEN DAY” GRAVITYPAINT

Proximidade total ao cliente

A GravityPaint trouxe uma lufada de ar fresco ao setor de retalho dedicado à área da chapa e pintura. A sua dinâmica empresarial levou a empresa efetuar um “Open Day”, onde dinamizou as suas representações para os clientes e apresentou ainda novidades TEXTO PAULO HOMEM

D

esde que apareceu no mercado, há quase três anos, a GravityPaint tem pautado a atividade por uma forte proximidade ao seus clientes. Porém, nem sempre existe tempo para que essa relação possa ser prolongada em ambiente de trabalho, pelo que a GravityPaint apostou na presença em salões setoriais, mas também em eventos próprios como foram o “Experience Day”, a “Mega Feira” e desta fez o “Open Day”. Aproveitando o espaço exterior da Quinta Portal do Moinho, na Ervideira (Torres Vedras), a GravityPaint contou com a presença dos seus principais fornecedores de tintas, equipamentos, acessórios, ferramentas, consumíveis, etc, que na generalidade efetuaram diversas demonstrações e aplicações de produtos a muitos dos seus clientes (cerca de 200, dos quais 85% ligados ao setor automóvel). Paralelamente a GravityPaint desenvolveu uma ação comercial, que permitiu aos

clientes adquirir uma série de produtos e serviços com condições especiais, não só no próprio dia como nos dias seguintes a este evento. O “Open Day” serviu ainda para a GravityPaint dar a conhecer algumas novas representações, que a empresa passou a disponibilizar para os seus clientes, mas também pelas demonstrações de novos produtos por parte dos seus fornecedores. MARCAS Uma das mais recentes novidades da GravityPaint, que foi apresentada publicamente pela primeira vez neste evento, foi a representação das ferramentas alemãs da Wiha. Trata-se de ferramentas para trabalhar com automóveis elétricos e híbridos, sendo as únicas do mercado com certificação própria para operar neste tipo de veículos. A empresa disponibiliza o Trolley eMobility Competence Max, que possui uma enorme variedade de ferramentas isoladas, com

cinco gavetas onde se encontra ferramentas de fixação e brocas, ferramentas de torque e chaves, alicates, chaves de bocas e ainda acessórios diversos, num total de 115 peças. A Wiha ainda tem disponível o Case eMobility Competence XL, que mais não é do que uma mala, portátil, com as principais ferramentas, para efetuar trabalhos fora de portas. Estas ferramentas isoladas Wiha (já premiadas internacionalmente) foram testadas individualmente a 10.000 V e aprovadas para uso em 1.000 V. Refira-se que a Wiha vai apostar, juntamente com os seus distribuidores (no qual a Gravity Paint se inclui) em ações de formação e demonstração destas ferramentas. A marca “estrela” da GravityPaint é a Finixa. As soluções desta marca ao nível da reparação de plásticos auto começam a ser cada vez mais conhecidas no mercado. A empresa portuguesa contou com a presença de responsáveis internacionais desta marca para efetuar diversas demonstrações e explicações das vantagens de usar produtos Finixa para as reparações, por exemplo, em para-choques. Na Anesta Iwata, representação que a GravityPaint tem desde abril deste ano, o destaque foi para as modernas pistolas de pintura que permitem uma economia ao nível da utilização. A gama não inclui só pistolas, mas também uma série de componentes e acessórios que ajudam numa maior produtividade ao nível da pintura. Presente também neste evento estavam os técnicos da R-M, marca de tintas premium que a GravityPaint comercializa. A empresa aproveitou para dinamizar demonstrações do novíssimo aparelho R-M Light Filler Grey P2350, que é ultra rápido em termos de secagem com equipamento UV (ultra violeta). No espaço da SIA Abrasives, a grande aposta continua a ser a gama de lixagem SIAPRO, que permite aos pintores pouparem cerca de 20% do tempo investido no processo de lixagem. A Festool é um dos parceiros de referência da GravityPaint, que neste evento proporcionou uma série de demonstrações práticas dos seus equipamentos, embora não houvesse grandes novidades para o setor da repintura auto. Outra das mais recentes novidades da GravityPaint, foi a introdução de uma gama de spray´s, selantes e outros produtos, de aplicação profissional, das marcas Tetroseal, Carlube e T-Cut. Trata-se de um complemento à oferta tradicional da GravityPaint, que se situa nos produtos para repintura.


A

ACAP

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

30 ACAP/DPAI

Acompanhar as dinâmicas do setor A DPAI/ACAP iniciou a promoção de uma série de eventos para debater alguns dos principais temas do setor, para que as empresas do pós-venda estejam melhor preparadas para as mudanças atuais e futuras do seu negócio. TEXTO NÁDIA CONCEIÇÃO

O

1.° Encontro de Empresários do Pós-venda Automóvel Independente debateu, no passado mês de setembro, a qualificação do tecido empresarial e a captação de recursos humanos para este setor. Joaquim Candeias, Presidente da DPAI, abriu a sessão e destacou a importância do investimento nos recursos humanos por parte das empresas do setor automóvel, lembrando o objetivo da sessão: a partilha de informação e de sugestões e soluções para os problemas e necessidades das empresas neste domínio. Destacando as principais inovações que têm surgido e irão dominar o setor automóvel num futuro próximo, tais como as

novas motorizações, novas tecnologias de pintura, de chassis, de pneus e também as novas soluções de mobilidade, Dário Afonso (Autocoach Management) salientou a importância do investimento, por parte das empresas, na melhoria das competências técnicas e comportamentais dos seus recursos humanos, nomeadamente através da formação profissional. Destacou também a necessidade de capacitação dos gestores para as novas realidades tecnológicas do mercado, mas também para as diferenças culturais e de expectativas dos jovens que integram o mercado de trabalho, por forma a que as empresas consigam acompanhar todas estas mudanças. Por sua vez, o Professor Crespo de Carvalho, do ISCTE, apresentou a estru-

tura e o calendário do Programa Avançado de Gestão para Profissionais do Pós-Venda Automóvel, curso cuja 4.ª edição terá início durante este mês, no âmbito da parceria entre a DPAI e o ISCTE e que pretende ajudar os profissionais deste setor a acompanhar as tendências do pós-venda no mundo atual, percebendo de que forma podem preparar as suas organizações para as novas dinâmicas que estão a surgir no mercado. Estiveram também representados o IEFP (Instituto de Emprego e Formação Profissional) e a ANQEP (Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional), que demonstraram de que forma estes órgãos trabalham para estar em sintonia com as necessidades formativas atuais das empresas e dos jovens que preparam para integrar este mercado e debateram, em conjunto com os associados presentes, as necessidades no âmbito da formação automóvel em Portugal e especificamente nas suas empresas, assim como as possíveis soluções para as colmatar. Em evidência ficou a necessidade de maior interligação entre as empresas e as entidades formativas, tanto nos conteúdos formativos como nas expectativas dos jovens profissionais.


Mercado

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

32

M BATERIAS

TAB 5G NANOTEC

“5G” chega às baterias

A TAB Spain apresentou recentemente a nova bateria 5G Nanotec, que inclui uma série de predicados técnicos e de marketing, destacando-se a possibilidade de o consumidor final ter uma garantia extensível aos 7 anos

D

TEXTO PAULO HOMEM

etetando que o negócio das baterias de automóveis se está a deteriorar cada vez mais, concentrando-se demasiado no preço, o que faz com que a qualidade do produto seja preterida, a TAB Spain desenvolveu uma nova gama de baterias, que designou por 5G Nanotec, de modo a ir ao encontro às crescentes necessidades dos veículos com menos de 10 anos, que estão dotados de uma série de equipamento elétricos e eletrónicos. Esta nova gama de baterias possui apenas 8 referências, que permitem cobrir cerca de 85% das necessidades do parque circulante na Europa, mas também um novo desenho e um novo nome (mais tecnológico) que reflete o conjunto de inovações que a

mesma incorpora. Para Joan Alcaraz, diretor geral da TAB Spain, esta nova gama de baterias assenta em três fatores essenciais: imagem, prestações e garantia. TECNOLOGIA Para que esta fosse uma gama de baterias que correspondesse às atuais necessidades do parque automóvel com menos de 10 anos, a 5G Nanotec possui um conjunto de inovações técnicas. Em primeiro lugar o destaque vai para um conjunto adicional de placas que melhora o arranque em até 30%, o que representa cerca de 200 CCA (capacidade de arranque a frio) a mais que uma bateria convencional. Outra novidade é que esta bateria inclui


33

“O mercado português tem o problema dos preços baixos”

Joan Alcaraz DIRETOR GERAL DA TAB SPAIN

um novo expansor de carbono que aumenta exponencialmente a recarga e a recuperação, pois otimiza a superfície da placa ao máximo. Por fim, a bateria possui uma nova grade expandida (Fast Pass Through) que, juntamente com o conjunto adicional de placas, tem um impacto positivo na vida útil da bateria. “Com estas inovações tecnológicas, às quais se junta a nonatecnologia, conseguimos oferecer uma bateria de alto desempenho, duas vezes mais resistente a ciclos de carga e descarga que uma bateria convencional, com maior durabilidade, melhor condutividade e menor resistência interna”, explicou Joan Alcaraz, na apresentação desta nova bateria. No fundo, com a 5G Nanotec, uma bateria poderá ter uma descarga mais profunda, sem que exista qualquer perda de funcionalidade e assim ser mais durável, mais fiável e ter maior rendimento. “Estas prestações são alcançadas reduzindo até 10 vezes o tamanho dos cristais que se formam no material ativo, melhorando drasticamente a condutividade da bateria”, prossegue o diretor geral da TAP Spain. GARANTIA Juntamente com os argumentos tecnológicos, a nova gama 5G Nanotec, apresenta como argumento de marketing e comercial os 7 anos de garantia. Na verdade a garantia inicial da bateria 5G Nanotec é de três anos, mas através de um Programa de Extensão de Garantia, a mesma poderá

ser prolongada para 5 ou 7 anos. Cada bateria 5G Nanotec comercializada tem um código de fabrico único e exclusivo, que irá permitir fazer o rastreio da bateria ao longo dos anos, desde o distribuidor até ao cliente final. Caso seja ativado o Programa de Extensão de Garantia (feito através da plataforma online da TAB Spain em www.tabspain. com) por parte do distribuidor (no momento da venda da bateria), o cliente final deve ficar com a fatura e, em caso de reclamação, entregar a mesma na oficina, para assim voltar a ter uma nova bateria. “A tecnologia que integramos nesta bateria permite-nos ter uma total confiança no produto que estamos a propor aos clientes. Só por isso é possível sermos os únicos construtores até ao momento que oferecem uma garantia até sete anos”, assegura Joan Alcaraz. De modo a diferenciar melhor esta bateria no mercado, a TAB Spain comercializa a mesma com a cor vermelha e com uma imagem exterior que permite a sua fácil identificação. De momento a gama 5G Nanotec concentra-se apenas nos veículos ligeiros, mas a TAB Spain anunciou que a mesma será estendida em breve aos veículos pesados. Refira-se, ainda, que a nova bateria 5G Nanotec é construída na fábrica da TAB na Eslovénia (em Crna), sendo que a mesma está em comercialização desde setembro em Portugal (através da rede de distribuição) e Espanha, que foram os mercados pioneiros na introdução desta bateria.

A apresentação da nova gama de baterias 5G Nanotec foi feita por Joan Alcaraz, diretor geral da TAB Spain, que começou por comentar que o mercado português tem o mesmo problema do mercado espanhol, que “são os preços baixos ao nível das baterias. Para nós a guerra do preço está perdida, que está associada a produto de baixa qualidade, por isso tivemos que lançar outra estratégia”. Para combater esse “cada vez maior problema”, a TAB Spain lançou agora uma gama de baterias “que têm que ter preços competitivos, mas ao qual se juntam outros argumentos, como é o caso das altas prestações e da garantia”, refere o mesmo responsável que diz que no mercado português “existem poucas baterias com garantia de 2 anos, mas nós estamos a introduzir no mercado uma bateria que dá pelos menos 3 anos de garantia, mas que pode ser estendida a 5 ou 7 anos”. Joan Alcaraz considera que esta garantia “irá funcionar muito bem no mercado português, pois o distribuidor terá aqui uma importante ferramenta diferenciadora, que permite defender a sua venda, mas também para a oficina poder fidelizar o seu cliente”. Para terminar, o diretor geral da TAB Spain, assume que “poderemos vender menos baterias, mas queremos manter a nossa rentabilidade, como estamos a reestruturar a nossa atividade, para nos prepararmos para o futuro”.


M

ELETRÓNICA

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

34

LUZDEAIRBAG

Olhar pelo cliente No domínio da eletrónica automóvel, a LuzDeAirbag tem vindo a ganhar cada vez mais protagonismo no mercado português, apostando sobretudo no acompanhamento e aconselhamento técnico ao cliente, numa área de negócio cada vez mais procurada pelas oficinas e não só TEXTO PAULO HOMEM

A

recente mudança para umas novas instalações e a organização da primeira edição da Academia Autel (mês passado), são dois acontecimentos que de alguma forma caracterizam a atividade e a irreverência da LuzDeAirbag neste setor do pós-venda automóvel. A grande dinamização da atividade pelas redes sociais, sobretudo através do facebook, é também sinónimo disso e mostra que a empresa de Leiria não quer

ser apenas mais uma empresa a vender equipamentos e soluções de eletrónica automóvel, mas faz da proximidade e aconselhamento técnico ao cliente, uma das suas armas para se desmarcar da concorrência. Porém, tudo começou do nada há meia dúzia de anos, quando João Silva resolveu um problema num BMW que tinha a luz do airbag acesa (daí o nome da empresa). A partir de então, e com os conhecimentos que tinha na área da eletrónica, começou

a desenvolver um série de serviços que se tornaram negócio (em nome individual), para há dois anos a empresa LuzDeAirbag aparecer oficialmente constituída no mercado. Sempre com a premissa da “satisfação ao cliente”, a LuzDeAirbag “tem uma postura de mercado voltada para as necessidades do nosso cliente. O que fazemos são vendas consultivas, onde tentamos sempre perceber quais as necessidades que o cliente realmente tem”, refere João Silva, diretor de operações da LuzDeAirbag, dizendo que “apostamos sobretudo em manter com o cliente uma relação duradora, fazendo com que ele tire o máximo rendimento do equipamento que lhe vendemos. Por isso, a assistência técnica é fundamental na nossa operação”. A luz de LuzDeAirbag detém a exclusividade do equipamento Autel MaxiIM


A P R E S E N TA

LuzDeAirbag João Silva Leiria 244 238 014 info@luzdeairbag.com www.luzdeairbag.com

IM608 com Passthru J2534 (embora possa comercializar toda a gama de equipamentos Autel), que permite para além das funções de diagnóstico avançado fazer a programação de chaves para automóveis multimarca (numa grande variedade de marcas e modelos). De acordo com o responsável da LuzDeAirbag, juntamente com este equipamento a empresa fornece assistência ilimitada, mas também “potenciamos a utilização deste equipamento nas oficinas, pois para além do diagnóstico permite-lhes fazer chaves, o que para muitas oficinas é uma nova oportunidade de negócio”. A LuzDeAirbag irá potenciar este serviço nas oficinas clientes, ajudando-os também um pouco no marketing e na divulgação dos serviços que fazem para o cliente final. “A verdade é que também nos sentimos responsáveis, perante a oficina, que ele retire o máximo lucro

possível do investimento que fez num equipamento destes”, explica João Silva. Para além da representação exclusiva do Autel MaxiIM IM608, a LuzDeAirbag comercializa ainda outros equipamentos para a eletrónica automóvel, como é o caso da nova máquina da Autotuner (para programações de centralinas de carros recentes e com atualizações ilimitadas) que a empresa de Leiria passou a disponibilizar ao mercado muito recentemente. “Trata-se de um equipamento muito consistente e muito atual, que permite colmatar uma lacuna que tínhamos na nossa oferta”, explica João Silva. Para além de estabilizadores de correntes e equipamentos para soldar, a empresa pode também reparar e fornecer alguns componentes eletrónicos, como comercializa diretamente simuladores de esteira, um componente muito representativo nas vendas da empresa. Um dos recentes projetos da empresa é a Academia Autel, tendo já acontecido a primeira edição, nas instalações da LuzDeAirbag, estando outras já programadas. “Sentimos que os nossos clientes precisam de uma ajuda dentro deste setor da eletrónica, por exemplo, ao nível dos componentes e da soldadura. Precisamos também de desenvolver formação para melhorar as capacidades desses técnicos de acordo com os equipamentos que lhes vendemos” revela João Silva, explicando “que é um projeto que queremos continuar, trabalhando a formação de acordo com as necessidades que os nossos clientes nos vão fazendo sentir”. No domínio dos novos investimentos, destaque ainda para as novas instalações da empresa em Leiria, onde decorreu a primeira edição da Academia Autel, como está previsto o reforço da equipa de assistência técnica, pois “precisamos de ter mais capacidade técnica para poder acompanhar o nosso cliente”, conclui o responsável da LuzDeAirbag.

À CONVERSA COM AS OFICINAS

Não perca a reportagem na próxima edição da revista Pós-Venda P A R C E I R O

C O M

O

A P O I O


M

REDE OFICINAL

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

36

REDE CGA CAR SERVICE / AUTO DELTA

Rede pensada para todo o tipo de oficinas A entrada da Auto Delta para o Grupo CGA, já durante 2019, trouxe à empresa de Leiria algumas mais-valias do ponto de vista do negócio, mas também outras complementares à sua atividade. Nestas, o destaque vai para a dinamização da rede de oficinas, CGA Car Service, em Portugal TEXTO PAULO HOMEM

S

eguindo as tendências do mercado, estava a faltar no portfólio de serviços da Auto Delta a dinamização de uma rede oficinal. Uma das opções era desenvolver um conceito novo, a partir do zero, com meios e financiamento próprio, ou então aproveitar as sinergias que a recente integração do Grupo CGA trazia. Por diversas razões, que ao longo do texto serão explicadas, a Auto Delta optou por potenciar essas sinergias com o Grupo

CGA e abraçar de forma convicta o projeto CGA Car Service em Portugal, tanto mais que o mesmo já possui um imenso histórico em Espanha, sustentado por cerca de 1.300 oficinas que integram esta rede. Para dinamizar esta rede oficinal literalmente no terreno, a Auto Delta contratou Manuel Pena, profissional com larga experiência no setor oficinal, que depois de ter “bebido” toda a informação deste conceito, está há três meses a saltar de

oficina em oficina, para juntamente com os parceiros retalhistas da Auto Delta, o colocar em andamento. Nos cerca de três meses em que este conceito já está a ser dinamizado, passaram a integrar a rede CGA Car Service 24 oficinas, que progressivamente estão também a adotar a identidade visual deste conceito oficinal. “A rede CGA Car Service é um projeto que une a Auto Delta, o distribuidor, o Grupo CGA e as oficinas”, refere Manuel Pena, gestor da rede CGA Car Service. Para enquadrar esta rede oficinal, Manuel Pena referiu que a mesma pertence ao Grupo CGA, que fatura 470 milhões de euros/ano em peças, que por sua vez está integrado internacionalmente no Grupo ATR que tem compras acumuladas de 27.000 milhões de euros / ano. “Por estes números se consegue explicar alguma da dinâmica da rede CGA Car Service e da capacidade de a mesma se financiar e de poder fornecer verdadeiras ferramentas de suporte que possam ajudar as oficinas a serem mais rentáveis, num contexto de cada vez maior complexidade técnica do automóvel”, explica Manuel Pena. MEIOS Através desta parceria com o Grupo CGA,


37

CGA Car Service / Auto Delta Manuel Pena 244 830 070 cgacarservice@autodelta.pt www.autodelta.pt www.tallerescga.com

a Auto Delta e os seus parceiros de retalho vão poder fornecer às oficinas um conjunto de meios, que Manuel Pena considera irem ao encontro às necessidades das atuais oficinas independentes que integram ou possam vir a integrar esta rede. Um das áreas é apoio de marketing, como é o exemplo da imagem corporativa das oficinas oferecida pela integração na rede. “A entrada das oficinas para a rede não pode ser um estrangulamento financeiro, mas sim uma ajuda e um apoio ao seu negócio”, afirma Manuel Pena, dizendo ainda que “na fase em que a oficina adere à rede é lhe oferecido um kit de boas vindas, que incluem uma série de material de consumo diário na oficina. Para além disso ainda comparticipa no fardamento, PUBLICIDADE

de origem Wurth, que pode ser trocado anualmente”. Muito importante é o acesso a um software oficinal, oferecido pelo acesso à rede, reforçando o gestor da rede que “é importante que a oficina também possa evoluir ao nível da sua gestão interna. Por isso as oficinas têm acesso a um programa de gestão oficinal com faturação, desenvolvido especificamente para a atividade das oficinas”. Outras das ferramentas consideradas fundamentais por Manuel Pena é a formação técnica e comercial. Já foram dinamizados protocolos de formação com entidades nacionais, onde vão ser ministrados diversos cursos (com pelo menos dois dias). “Queremos que as oficinas possam complementar a sua formação técnica com outro nível de formação, por exemplo, em termos de atendimento ao cliente. Entendemos que a formação deverá ser integrada e complementar para que as oficinas possam crescer”, explica Manuel Pena. Um dos aspetos onde esta rede pode trazer uma imensa vantagem para as oficinas é a linha de apoio técnico, que engloba as 1.300 oficinas da rede na região ibérica, dizendo a este respeito o responsável da rede que “é uma ferramenta importantíssima, pois nesta plataforma estão todas as solicitações técnicas das oficinas e a resolução dessas solicitações. Isto permite às oficinas aderentes resolver muitos dos problemas mais complexos com um automóvel de uma forma mais rápida e rentável”, Através do website da rede (já em por-

tuguês) as oficinas podem aceder a mais de 400 boletins técnicos atualizados com erros crónicos das viaturas. As oficinas têm ainda as plataformas da Autodata e HaynesPro, podendo ainda recolher toda informação técnica que necessitam para reparar os automóveis. Outra funcionalidade comparticipada pela rede às oficinas, é a atualização do software de diagnóstico, independente da marca do equipamento. “Nesta rede existe uma grande preocupação pela componente técnica e, sobretudo, pela atualização da mesma. Para nós é fundamental que as oficinas da rede estejam sempre o mais atualizadas possível”, diz Manuel Pena. A rede CGA poderá ainda oferecer, ao cliente final, uma garantia ibérica, que funciona em toda a Espanha e Portugal, e que garante ao cliente a substituição da peça (em caso de estar com defeito), após uma reparação, em qualquer oficina, oferecendo a CGA o custo da mão-de-obra, caso a mesma tenha que ser substituída em qualquer oficina da rede. Simultaneamente a esta rede, está a ser introduzida pela Auto Delta a linha de peças CGA, que possui diversas gamas de produto (lubrificantes, baterias, amortecedores de mala, lâmpadas, alternadores, motores de arranque, etc.), que os parceiros de retalhistas poderão comercializar. “Tratam-se de linhas brancas de produto, mas fabricadas pelas principais marcas de peças, que nos garantem a qualidade do produto”, assegura Manuel Pena. Muito confiantes no desenvolvimento deste projeto, os responsáveis da Auto Delta pretendem que o mesmo tenho um grande crescimento a curto e médio prazo (cerca de 70 oficinas até maio de 2020), concluindo Manuel Pena que “se trata de um conceito pensado para que todo o tipo de oficinas possam aderir. Porém, a nossa ideia é desenvolver este projeto de forma coerente, estruturada, pensada e dinâmica”.


M

PEÇAS

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

38

DRIVEPEÇAS

Diferenciação pelo serviço A Drivepeças já está a fazer a diferença no retalho de peças na zona do Montijo, com foco num serviço de proximidade

F

TEXTO NÁDIA CONCEIÇÃO

ilial da Multipartes, retalhista de Setúbal, a Drivepeças chegou há quase três meses ao Montijo para dinamizar o negócio de José Santos, gerente da Multipartes, e do sócio Fernando Conduto, naquela zona. “Escolhemos esta localização porque já tínhamos vários clientes na zona e, em vez de enviarmos veículos para entregas todos os dias, optámos por abrir um espaço, o que acarreta menos custos, e assim podemos também rentabilizar mais a zona, angariando mais clientes. A ideia é, não indo para longe, reduzir os custos de transporte, que hoje em dia são muito representativos no negócio. E, assim, a partir do Montijo, podemos depois entregar noutros locais”, explica José Santos. A Drivepeças tem mais de 100m², com zona de balcão de atendimento, além de um espaço que serve de armazém. Mantendo a

parceria estratégica de fornecimento com a Auto Delta, que já existe na Multipartes, assim como a exclusividade de certos produtos, a Drivepeças chegou ao mercado com o foco na logística e na rápida distribuição aos clientes a nível local, com dois veículos para esse efeito. “Discutimos estratégias com o nosso parceiro Auto Delta, porque o mercado não é igual em todo o país: o parque e os clientes são diferentes em cada região, e por isso temos de nos adaptar. E apostamos sempre numa melhoria contínua da qualidade e do serviço que prestamos ao cliente. A Multipartes continua a ser a central que Drivepeças Montijo 210 532 528 drivepecas2019@gmail.com

dá apoio à Drivepeças. A maioria do stock está na loja de Setúbal e, no Montijo, temos o material de desgaste, onde temos dois veículos para entregas. Para qualquer outro tipo de componentes, enviamos a partir da loja de Setúbal”, explica José Santos. Os clientes da Drivepeças são, essencialmente, oficinas independentes, de pequena e grande dimensão, assim como algumas oficinas de marca daquela zona. A Drivepeças segue também a estratégia de campanhas mensais, tal como a Multipartes, assim como da formação contínua aos seus clientes. “Tentamos sempre aconselhar o cliente e, por isso, trabalhamos diretamente com os responsáveis das marcas, para que tudo seja mais rápido, incluindo a resolução de qualquer problema”. José Santos adianta ainda que, em breve, a estratégia será aumentar a equipa da Drivepeças.


M

OFICINA / CASA DE PEÇAS

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

40

FUNCHALDIESEL E TURBODIESEL

Novas perspetivas para o futuro A pensar no desenvolvimento futuro, a FunchalDiesel, especialista em sistemas de injeção diesel, inaugurou no Parque Industrial da Cancela na Madeira as suas novas instalações com cerca de 2.500 m2, espaço onde passou a funcionar também a segunda loja TurboDiesel TEXTO PAULO HOMEM

C

riada à sensivelmente duas décadas, a Funchaldiesel é, há mais de 10 anos uma referência no mercado regional no que à reparação de sistemas de injeção diesel diz respeito. Durante muitos anos a venda e reparação de peças diesel eram feitas num só espaço, pelo que Sancho Silva, sócio-gerente da empresa, sonhava um dia dividir estas duas áreas de negócio e oferecer um serviço de qualidade, adaptado a cada um dos seus clientes. Assim sendo, em 2018 fundou a Turbodiesel, um balcão inteiramente dedicado à consultoria e comercialização de turbos, bombas injetoras e de alta pressão, bem como de peças de reparação destes equipamentos. Devido a uma equipa de técnicos especializados, experientes e inovadores, conseguiu destacar a marca num mercado tão competitivo através de um serviço de excelência, sobretudo personalizado e

começou a vender todo o tipo de peças de reparação automóvel. “A Funchaldiesel é uma referência no mercado regional há mais de uma década, na área dos sistemas de injeção e sobrealimentação. As nossas antigas instalações acabaram por tornarem-se pequenas e careciam de algumas inovações e reestruturações de forma a poder dar continuidade ao trabalho que a nossa equipa foi desempenhando ao longo dos anos, pelo que, achamos que a mudança para um espaço maior e com melhor localização seria a solução”, começa por referir Sancho Silva. Ao efetuar este investimento com a Funchaldiesel, e tendo em conta a amplitude das novas instalações e o espaço disponível, a abertura de uma segunda loja Turbodiesel, acabou por vir por acréscimo e sem um planeamento muito demorado, explicando o mesmo responsável que “uma vez que, dispomos agora de um espaço suficientemente grande para acolher as

duas entidades num só endereço e conseguimos um serviço completo e 100% autónomo, abraçámos este desafio com o intuito acelerar a nossa capacidade de resposta e consequentemente o nosso volume de vendas”. Os principais serviços da Funchaldiesel são o diagnóstico e reparação de sistemas de injeção e a manutenção e montagem de sistemas de sobrealimentação, mas “devido à imensa procura e ambição de querer oferecer um serviço de excelência optamos por enveredar, também, pela manutenção e mecânica preventiva e serviços de pré-inspeção”, explica Sancho Silva, dizendo ainda que “procuramos, deste modo, ter técnicos especializados totalmente dedicados ao laboratório diesel e colaboradores na área mecânica que rentabilizem o tempo, através da montagem e desmontagem das peças, e que possibilitem um serviço de manutenção completo aos nossos clientes”. Atualmente, a Funchaldiesel / Turbodiesel dispõe de um total de 21 colaboradores, mas Sancho Silva preve que “dentro em breve serão precisas novas contratações para que, consigamos dar resposta a todas as exigências dos nossos clientes, parceiros e do mercado em geral”. TURBODIESEL Nestas novas instalações passa a existir a segunda loja da Turbodiesel, que espelha, de acordo com o responsável da empresa, “o trabalho intensivo que temos vindo a desenvolver, enquanto equipa, neste ano e meio de existência”. O novo espaço no Parque Empresarial da Cancela tem cerca de 2500m² e isso logicamente permite à Turbodiesel, armazenar


Funchaldiesel / Turbodiesel Madeira Sancho Silva 291 100 643 direcao@turbodiesel.pt www.turbodiesel.pt

um maior volume de artigos para comércio. À exceção dos lubrificantes, artigos de revisão, peças de suspensão e embraiagens, a Turbodiesel não aglomera quantidades exageradas em armazém, uma vez que, “trabalhamos diariamente com transitários expresso e em parceria com a MF Pinto, que dispõe de um espaço inteiramente reservado às nossas encomendas nas suas instalações. Desta forma, evitamos um empate de capital desnecessário em material automóvel e movimentamos os nossos recursos de uma maneira mais cautelosa”, esclarece Sancho Silva. Desde a abertura da Turbodiesel que a empresa representa a Liqui Moly, dispondo de cerca de uma centena de referências em óleos de motor, de caixas de velocidades e aditivos. “Há cerca de 6 meses ficamos com a representação exclusiva da marca Magneti Marelli, em parceria com a Bombóleo, ficando assim responsáveis pelo fornecimento de todas as oficinas da rede Checkstar na Madeira”, afirma o sócio-grente da Turbodiesel, acrescentando que “em breve teremos novidades mais vocacionadas para a área diesel e um preço bastante competitivo em lubrificantes Castrol, apesar de, não sermos representantes nem termos a mesmas condições institucionais que a Liqui Moly nos proporciona”. O crescimento destas empresas, num mercado tão competitivo e aguerrido como é o da Madeira, deve-se segundo o seu responsável “à nossa irreverência, quer no serviço, quer nos produtos que fornecemos, uma vez que, apostámos numa área que considerávamos pouco explorada na região. No decorrer de todo este percurso empresarial instauramos parcerias extremamente fortes e duradouras, procurando responder de uma forma simples mas eficaz às necessidades dos nossos principais clientes”. Para terminar, Sancho Silva refere ainda que “a ajuda e acompanhamento do Paulo Pinto (um dos sócios e representantes da MF Pinto) no desenvolvimento deste nicho de mercado têm sido fulcrais, bem como todo o trabalho de imagem contínuo das nossas empresas, marcas e representações de forma a estar em contacto saudável, mas permanente, com o cliente e com o mercado”.


Internacional

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

42

I

DELPHI TECHNOLOGIES

Soluções completas A Delphi está a preparar-se para as novas realidades de eletrificação dos veículos, através do lançamento de novos produtos e muita formação aos seus parceiros

C

TEXTO NÁDIA CONCEIÇÃO

om um portfólio OEM e outro para o aftermarket, a Delphi Technologies serve os segmentos de veículos ligeiros e pesados. No caso dos produtos direcionados ao aftermarket, foca-se em quatro áreas: sistemas de injeção de combustível, eletrónica de potência e gestão de motor, manutenção – incluindo travagem, direção e ar condicionado –, diagnóstico e apoio técnico. “Fornecemos uma solução de serviço completa, incluindo qualidade de equipamento original, capacidade avançada de diagnóstico e teste, serviço de excelência e também formação e apoio técnico especializados. Essa abordagem holística diferencia-nos dos nossos concorrentes. Outro aspeto diferenciador é a nossa qualidade: as peças para diesel, GDi, gestão de motor e ignição são montadas como equipamento original em milhões de veículos em todo o mundo”, explica María Tarazaga, do Departamento de

Comunicação da Delphi Technologies. PORTUGAL María Tarazaga indica que a empresa está satisfeita com a sua rede de distribuidores em Portugal, com os quais trabalha de forma muito próxima, para encontrar constantemente novas oportunidades de negócio e tornar a logística mais eficiente. “A Delphi Technologies está a ter um crescimento positivo no mercado português, devido à inovação contínua de produtos, ao nosso modelo de distribuição e ao apoio que proporcionamos aos nossos clientes através da formação, promoções e soluções personalizadas”. A responsável adianta que a empresa está comprometida em garantir que os clientes tenham acesso às peças de forma rápida e, para isso, “passámos, recentemente, de um armazém na Europa Central, para três centros de distribuição no Reino Unido, Polónia e França”. Além de aumentar a quantidade de produtos em


43 Novidades

stock, esta decisão estratégica permite-nos estar mais próximos dos clientes e reduzir os tempos de entrega. María Tarazaga acredita que a empresa tem espaço para expandir a sua presença no nosso país, principalmente nas gamas de manutenção e gestão de motor. FORMAÇÃO A Delphi Technologies disponibiliza programas de formação personalizados, em conjunto com os distribuidores, para corresponder às necessidades das oficinas. “Com o crescimento de sistemas de segurança ativos e das tecnologias de transmissão, o número de componentes que dependem da eletrificação vai continuar a aumentar. A formação tornou-se uma necessidade”. Os clientes também têm disponíveis várias plataformas online com informações técnicas, como o Direct Evolution ou o VTI, vinculado à linha de diagnóstico da empresa, para além de apoio técnico. “Para acompanhar as novas tecnologias é preciso saber fazer um diagnóstico preciso, com ferramentas e conhecimento adequados. Além das peças, fornecemos uma gama abrangente de equipamentos de diagnóstico e teste, PUBLICIDADE

informações técnicas e formação. A nossa formação abrange as mais recentes tecnologias, fornecendo aos técnicos o conhecimento para melhorarem a produtividade e rentabilidade da oficina. Juntamente com o equipamento e o suporte técnico, isso ajuda as oficinas a fornecer uma solução completa aos seus clientes”. E adianta: “O nosso programa de formação de veículos híbridos, por exemplo, ensina os fundamentos básicos, como a necessidade de Equipamento de Proteção Individual, identificação de componentes, segurança do sistema, conhecimento dos componentes magnéticos, uso de diagramas de fiação e dados técnicos e avaliação do sistema de alta tensão”.

A Delphi apresentou recentemente algumas novidades, como o sistema GDi de mais de 500 bar, que pode reduzir as emissões de partículas em até 50%, assim como a Excalibur GDi Master of Hartridge, capaz de testar sistemas GDi e PFi, juntamente com a gama de equipamentos de limpeza ultrassónica. “Além disso, somos o primeiro fabricante do setor a produzir em massa um inversor de carboneto de silício (SiC) de 800 V, um dos principais componentes de veículos elétricos e híbridos do futuro. A Delphi Technologies pretende, assim, a ajudar distribuidores e oficinas a estarem preparados para a manutenção de veículos com novas tecnologias. María Tarazaga indica que estas novas realidades representam “uma oportunidade para as empresas com o know-how adequado. Apoiamos as oficinas para poderem reparar estes veículos, cada vez mais complexos e controlados eletronicamente, e a tirarem proveito do volume de negócio que estes geram”, refere María Tarazaga.


Formação

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

44

F

ESCOLA PROFISSIONAL DA GUARDA

Qualidade técnica A Escola Profissional da Guarda pretende dotar os formandos de competências em mecânica que colmatem a necessidade técnica das empresas que operam naquela região do país

S

TEXTO NÁDIA CONCEIÇÃO

ituada a escassos metros da nobre zona histórica da cidade, a Escola Profissional da Guarda centra a sua atividade num ensino inovador, dinâmico e proativo, procurando dar aos seus alunos o conhecimento teórico e prático que corresponda às suas ambições de aprendizagem e às exigências do mercado de trabalho. “A Ensiguarda mantém-se atenta ao mundo empresarial e às necessidades da região em termos educativos, perseguindo sempre o aperfeiçoamento humano e profissional dos seus alunos”, explica João Marques, da Direção Pedagógica da Escola Profissional da Guarda, que adianta: “A aposta numa formação científica e técnica pautada pelos mais altos padrões de exigência, permite aos alunos, no final do curso, controlar, avaliar e assegurar a manutenção de diversos equipamentos mecânicos e industriais, bem como colaborar no desenvolvimento de estudos e projetos na área em causa”. A qualidade técnica e a adequação pedagógica são os princípios sobre os quais a Escola

Profissional da Guarda forma os seus alunos e, por isso, mantém-se atenta à realidade que tem marcado a evolução do setor automóvel, possibilitado aos seus alunos uma formação em automóveis híbridos e elétricos, de caráter opcional, proporcionando assim uma visão de futuro na área da mecânica. FORMAÇÃO

O curso de Técnico de Manutenção Industrial e Eletromecânica, desde o ano letivo de 2007-2008, tem vindo a apresentar-se como uma das primeiras escolhas de muitos jovens desta região. Este curso é dirigido a jovens que tenham terminado o 9.º ano. A par com a base teórica, ministrada por formadores com habilitações superiores e entrosados no contexto empresarial da sua área de intervenção, “a formação técnica, no domínio da mecânica, tem permitido o alargamento dos conhecimentos de um largo conjunto de alunos”, explica João Marques. A escola possui laboratórios e oficinas


45

Escola Profissional da Guarda João Marques 271 237 034 joaomarques@ensiguarda.pt www.ensiguarda.pt

dotadas de modernos equipamentos, por forma a proporcionar aos seus alunos um ensino técnico com qualidade. EMPREGABILIDADE

A abrangência deste curso tem permitido, conforme indica João Marques, “uma variedade de opções de carreira e o desempenho de inúmeras funções, decisivas para o crescimento da economia, promovendo a sustentabilidade e a evolução tecnológica, sobretudo num curso que projeta parte da sua formação nos laboratórios da Universidade da Beira Interior, instituição que assume uma relação protocolar com a escola. Desta forma, contribuímos para uma excelente formação técnica, não descurando a mensagem de uma aposta no ensino superior que, cada vez mais, é apanágio desta escola”, explica João Marques, que adianta que, depois de terminada a PUBLICIDADE

formação, os alunos facilmente seguem carreira nesta área. A escola acompanha o percurso dos seus alunos, orientando-os desde o seu primeiro contacto com as empresas. Criou, por isso, um espaço dedicado ao relacionamento institucional, para permitir às empresas um contacto mais facilitado com os formandos, para uma colaboração mais eficaz aquando da formação em contexto de trabalho. “As empresas do setor da reparação automóvel, que se afirmam em franca expansão a nível regional, continuam a promover uma absorção desta mão de obra qualificada, garantindo valores que se aproximam dos 100% de empregabilidade”. João Marques indica ainda que “os dados relativos à inserção no mercado de trabalho constituem um reconhecimento da sociedade em relação à qualidade do ensino ministrado na instituição, tornando o curso de Técnico de Manutenção Industrial e Eletromecânica uma referência que vai rompendo as fronteiras do interior, fazendo-se representar no tecido económico e empresarial de um considerável número de empresas a nível nacional”.

Técnico de Manutenção Industrial e Eletromecânica Tipo de curso Nível IV – Dirigido a jovens que terminem o 9.º ano. Objetivos Preparar jovens com competências técnicas na área de metalurgia e metalomecânica. Duração 3 anos letivos, com um número total de 3100 horas, repartidas pelos 3 anos. Saídas Profissionais Fabrico de componentes automóveis; Desempenho de funções ao nível da avaliação, controlo e manutenção de equipamentos em empresas de Metalomecânica; Fabrico de máquinas e ferramentas; Empresas de venda de máquinas e equipamentos e ainda empresas com serviço de assistência pós-venda.

Estágios No website da Escola Profissional da Guarda – www.ensiguarda.pt – é possível as empresas enviarem uma proposta, por forma a receberem alunos para estágio.


Oficina

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

46

O

PAULCAR

Serviços complementares A Paulcar dedicou-se inicialmente à venda de automóveis usados, mas em certo momento passou a ter também uma oficina, que se tornou um complemento do negócio e simultaneamente uma ferramenta de confiança perante o cliente TEXTO PAULO HOMEM

Q

uando chegamos à porta das instalações principais da Paulcar, na Estrada Nacional 109, em Vieirinhos, junto ao Carriço, não conseguimos ficar indiferentes relativamente ao parque automóvel que vemos. Porsche, Audi e BMW são apenas algumas das marcas dos carros topo de gama que por lá estão à venda, embora a empresa tenha outro stand próximo, onde existem carros de segmentos inferiores assim como veículos comerciais e ainda diversas retomas. Quem está a frente da empresa é Paulo Carvalheiro, um profissional dedicado e muito atento ao seu negócio, que tem por automóveis (rápidos) uma imensa paixão. Curiosamente, começou como

mecânico aprendiz, ainda menor, para mais tarde começar a vender automóveis e em 2007 estabelecer-se onde ainda hoje se encontra. Logicamente, nessa época, as instalações não são o que são hoje, até porque o desenvolvimento do negócio levou a que a meio do caminho a empresa fosse associando outras valências, como é o caso de uma oficina. “A ideia de ter uma oficina era que pudéssemos dar ao cliente uma resposta rápida a qualquer eventual avaria de um carro por nós comercializado, deixando de depender do funcionamento de outras oficinas” começa por afirmar Paulo Carvalheiro, para o qual a questão da fidelização do cliente é fundamental. A diversificação de serviços permitia também que a Paulcar começasse


47

a fazer serviços de mecânica para qualquer cliente, podendo dessa forma trazê-los e posteriormente proporcionar-lhes a aquisição de um automóvel. “Ao longo dos anos veio-se a provar que tínhamos feito a aposta correta, existindo uma grande complementariedade entre as vendas de automóveis e os serviços oficinais e vice-versa”, explica Paulo Carvalheiro, dizendo até que “são negócios que se potenciam um ao outro”. Muitas vezes a relação com o cliente começa na venda da viatura usada, mas depois, “como sabemos o histórico desse carro, o cliente sabe que numa primeira revisão não terá uma surpresa, pois conhecemos a viatura que lhe vendemos”, diz o gerente da Paulcar. Tendo em conta que muitos dos carros que comercializa e que assiste são de gama mais alta, a oficina da Paulcar começa a ter algumas credenciais relativamente ao seu nível do serviço. “Somos oficina parceiro de nível 4 da BMW, o que quer dizer que podemos fazer revisões em garantia para PUBLICIDADE

Paulcar Paulo Carvalheiro Carriço 233 959 689 standpaulcar@gmail.com http://paulcar.com

clientes desta marca”, afirma com orgulho Paulo Carvalheiro, dizendo que “somos um dos principais clientes de peças da BMW na região. Temos por política trabalhar com peças de origem, até porque trabalhamos sobretudo em carros até 3 anos de idade. Por outro lado, o cliente fica mais confiante quando lhe dizemos que na manutenção foram usadas peças de origem”. Porém, em cerca de 40% dos serviços são também usadas peças de qualidade equivalente, normalmente fornecidas pela Rodapeças, parceiro que geograficamente está muito próximo desta oficina. A oficina da Paulcar é multimarca e isso gera uma responsabilidade acrescida na venda de automóveis usados, reconhecendo

Paulo Carvalheiro que o cliente “exige” mais da qualidade dos veículos (por ter oficina), mas diz também que “assim que tive a oficina, consigo mais facilmente vender automóveis. O cliente também sente mais confiança em nós”. Nesta oficina são feitos quase todo o tipo de serviços oficinais, incluindo reparações de motores e caixas de velocidades, tendo parcerias nas áreas da chapa e pintura, como também dos pneus. Ao todo trabalham na Paulcar 14 profissionais, sendo que quatro são mecânicos que regularmente vão a ações de formações, como forma “de estarmos sempre preparados tecnicamente, sendo este um aspeto muito importante para quem trabalha com carros tão recentes como nós”, refere Paulo Carvalheiro, que aposta também em equipamentos, dispondo de diversos aparelhos de diagnósticos que dão resposta a praticamente todas as solicitações. Em média, a Paulcar abre 90 folhas de obra por mês na oficina, sendo que 50% são serviços de clientes externos. “Quando compramos um carro para venda, abrimos sempre uma folha de obra, para verificar tudo de mecânica e pintura e fazer uma revisão ao mesmo, para depois ser colocado à venda. O cliente que nos compra automóveis normalmente quer sempre o carro para ontem, e este procedimento que temos acelera as vendas. Daí a importância da oficina”, conta o responsável da Paulcar. Outra área onde a Paulcar tem vindo a apostar é na competição automóvel, possuindo não só uma equipa própria, mas também dando assistência a outros carros. “Gostaríamos de apostar um pouco mais neste projeto, sendo que a competição foi também um meio de dar a conhecer a Paulcar um pouco por todo o lado”, revela Paulo Carvalheiro. Para terminar, um dos projetos da Paulcar, a médio prazo, é a mudança de instalações, a construir no futuro, e próximas das atuais, que permitirão uma outra organização quer do stand, quer da oficina e dos serviços associados, como permitirá ter novas valências oficinais, por exemplo, ao nível da pintura e dos pneus.


Personalidade

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

48

P

É vital que exista nova legislação nos centros de inspeção FRANCISCO FERREIRA

PRESIDENTE DA ZERO – ASSOCIAÇÃO SISTEMA TERRESTRE SUSTENTÁVEL

Entusiasta das questões ligadas ao ambiente, Francisco Ferreira, Presidente da ZERO, ambiciona um futuro com zero emissões e zero desperdício no setor automóvel.

A

ENTREVISTA NÁDIA CONCEIÇÃO FOTOS MICAELA NETO

Z E RO – Associação Sistema Te r r e s t r e Sustentável, fundada em 2015, assume o compromisso de defender e intervir nas questões ambientais em Portugal e o setor automóvel é uma das áreas onde mais atua. Em entrevista à Pós-Venda, Francisco Ferreira, Presidente da associação para o triénio 2019-2021, revela o que tem sido feito no setor automóvel e quais as principais preocupações da ZERO para o futuro. Em primeiro lugar, faça-nos um enquadramento do que é a Associação ZERO? A ZERO surge no final de 2015, e é uma organização não-governamental, onde o grande objetivo é o foco nos aspetos do desenvolvimento sustentável em todas as suas vertentes, e não apenas no ambiente, ou seja, é garantir que a nossa análise dos problemas e aquilo que reivindicamos se enquadre na defesa dos princípios da melhoria da qualidade de vida em termos de ambiente, mas integrando também questões sociais e económicas, bem como a boa governança. E, portanto, procuramos ter uma visão equilibrada e de futuro em relação a todos os problemas. A nossa preocupação é garantir que a qualidade de vida melhore, sem prejuízo para o

ambiente, e que garantimos às próximas gerações um futuro melhor do que aquele que temos agora. Quais são os temas, dentro do setor automóvel, que a ZERO mais tem defendido do ponto de vista ambiental? Para nós o setor automóvel é uma área em que temos um enfoque muito grande. Quer do ponto de vista dos problemas, quer das soluções. A ZERO é membro da Federação Europeia dos Transportes e Ambiente, com a qual coordenamos muitas ações, focando-nos em várias vertentes do automóvel. A primeira tem que ver com o facto de os transportes, em Portugal e como um todo, pesarem cerca de ¼ do total das emissões de gases com efeito de estufa, que causam as alterações climáticas. E o transporte rodoviário representa a maior percentagem. A segunda tem que ver com o querermos assegurar a mobilidade de todos os cidadãos, o que passa por olhar numa lógica de mobilidade sustentável para o transporte coletivo, individual, para os veículos partilhados, para os modos suaves – as bicicletas, trotinetes, etc. Procuramos ter uma visão integrada daquilo que cada vez mais se fala: a mobilidade como um serviço. E esse serviço deve ser providenciado tendo em conta as implicações ambientais que temos, ao utilizar determinados tipos de mobilidade, e aqui, o automóvel é uma peça importante. Para além das alterações climáticas, um veículo traduz-se num elevado consumo de recursos, onde é preciso garantir que, no


49


P

PERSONALIDADE

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

50

final de vida, todos os materiais são bem encaminhados, por forma a minimizar os seus custos iniciais para o ambiente. Na operação, o automóvel é uma fonte de vários poluentes do ar, para além dos gases com efeito de estufa e, por isso, estamos muito atentos às necessidades de garantir que a qualidade do ar se mantém abaixo dos valores limite, que o ruído associado é minimizado, ou seja, que a proteção da saúde e do ambiente, que a construção e utilização do automóvel encaixe na nossa sociedade da forma mais sustentável possível. E estamos assim atentos a tudo o que é o ciclo de vida do automóvel, da produção, passando pelo uso, os combustíveis utilizados, os veículos elétricos, os serviços de mobilidade partilhada, etc. O automóvel acaba por ser um dos temas aos quais damos mais atenção na nossa atividade. A ZERO disse, em 2016, que pretendia ver proibida a venda de veículos a gasolina e a diesel em 2030. Acha que é algo exequível? Já vários países disseram que vão cumprir essa meta: a Dinamarca, a Suécia, a Irlanda, a Holanda. E a França e o Reino Unido estão a apontar para 2040. Penso que essa decisão vai ser inevitável. Vamos ter veículos elétricos, sejam a hidrogénio, ou a baterias, que vão ter um peso cada vez maior. Prevê-se que o custo desses veículos venha a ser igual aos dos veículos a combustão em 2022 ou 2023. E com autonomias bem superiores do que as que temos agora. As infraestruturas não são um problema limitador? Obviamente que temos de resolver o problema das infraestruturas, que começa a ser cada vez maior. Neste momento, uma empresa comprar um veículo elétrico é um bom negócio, com os incentivos que estão em vigor, é a melhor escolha ambiental e económica. Desde que tenham onde os carregar. Quem tem garagem, é simples, mas, para quem não tem, não é algo fácil, hoje em dia. Mas daqui a uns anos, o veículo elétrico vai ser de massas. Daqui a uns anos vai dominar as vendas. É uma tendência crescente e em Portugal não está a dar resposta. Porque é que o motor de combustão é problemático? Porque, mesmo que se substituam os combustíveis, mesmo que se tenham biocombustíveis ou combustíveis sintéticos, que se conse-

gue gerar sem ser a partir do petróleo. Vou ter sempre emissões de óxidos de azoto, emissões de partículas. Podemos não ter emissões de dióxido de carbono, mas vamos ter sempre emissões de outros gases, mesmo num país que está a “explodir” em termos de eletricidade de fontes renováveis. Não tenho dúvidas que é inevitável esta transição para os veículos elétricos, por razões climáticas e por razões de qualidade do ar.

tão grande, porque a produção de eletricidade ainda depende muito do carvão, e, por isso, não é relevante em termos de redução de co2. Mas a poluição que é feita, está a ser lançada longe da cidade, numa fábrica, e não na cidade, como é o caso de um veículo a combustão. A bateria do carro é a sua primeira vida, mas depois tem uma segunda, uma terceira, etc. E a quantidade de baterias que efetivamente existe em fim de vida é muito pouca. Os veículos elétricos perdem na construção, em relação a um veículo a combustão, mas durante a operação, a sua pegada é muito melhor do que a de um veículo a combustão, principalmente se tivermos eletricidade de fontes renováveis. E aí compensa, de longe, essa perda inicial. Mas é bom que se perceba que todas estas opções têm um custo ambiental e material. Procura-se a melhor solução, mas nenhuma representa uma solução ideal, sem pegada ambiental.

Diz-se que o veículo elétrico polui mais que um veículo a combustão, desde o início da produção até ao final do seu ciclo de vida. Qual a sua opinião? A Federação Europeia dos Transportes e Ambiente, através de um estudo que foi adjudicado a uma equipa de investigação holandesa, mostra que não é assim. Tal, em alguns países, pode não ter um ganho

Qual a posição da ZERO face, por exemplo, a remoção dos filtros de partículas e catalisadores dos veículos a diesel? Pedimos recentemente uma reunião ao Ministro das Infraestruturas e da Habitação e pretendemos uma conversa mais técnica com o IMT. Queremos envolver o Ministério e o IMT nesta discussão porque a questão dos filtros de partículas é

O automóvel é um dos temas aos quais damos mais atenção


51

urbanos e especiais. E, na parte dos resíduos especiais, temos um protocolo com a ECOLUB, a entidade responsável pela recolha e tratamento dos óleos lubrificantes usados em Portugal, para acompanharmos esses problemas, denúncias, situações como, por exemplo, a dos veículos em fim de vida, que deveriam ser desmantelados apropriadamente, e isto é algo bastante dramático em Portugal. O veículo tem o óleo do motor, tem gases fluorados que estão no sistema de ar condicionado, tem resíduos perigosos associados às pastilhas de travão, etc. Portanto, é uma quantidade de resíduos ainda muito expressiva, para os quais existe tratamento adequado. É preciso garantir que esse tratamento é feito.

Perguntas rápidas Qual foi o seu primeiro carro? Foi um Peugeot 403, de 1954, que era do meu avô. Quantos quilómetros faz por ano? Cerca de 20 000 km por ano. O que mais gosta no setor do ambiente? O desafio. É termos muita coisa para resolver e ter de encontrar soluções. E isso obriga-nos a discutir, a aprender. E o que menos gosta? É que, em 10 ideias que colocamos e justificamos, com sorte, uma é posta em prática. É importante ir ao terreno ver eventos, conferências, etc.? Sim. Tenho a vantagem de ter uma profissão ligada ao ambiente, o que me faz beneficiar muito. É um benefício como docente o trabalho na ZERO e vice-versa. O que gosta de fazer nos tempos livres? Gosto muito de caminhar e de estar com a família.

absolutamente crucial. Estarmos a classificar zonas de emissão reduzida em que só se quer que lá passem veículos mais recentes, como acontece em Lisboa, mas depois, se alguns desses mais recentes não tiverem filtro de partículas, todo o esforço que se faz é em vão. Isso irá fazer-se através de melhorias nas Inspeções Automóvel? É absolutamente vital que exista nova legislação nos centros de inspeção, assim como instrumentação que permita avaliar se existe ou não filtro de partículas no veículo. Pode recorrer-se àquilo que já é utilizado, o opacímetro, e, portanto, ter um nível de exigência muito baixo, ou então utilizar outros equipamentos que permitem aferir ainda com maior rigor, se o veículo tem ou não instalado o filtro de partículas. Para a ZERO, esta é uma luta fundamental para atingirmos os objetivos europeus de redução de emissões. O que pensa a ZERO da venda indiscriminada de lubrificantes auto nos hipermercados, não se sabendo depois o destino final do lubrificante usado que saiu do automóvel? Esse é um grande problema. Temos um trabalho já de há alguns anos, uma das áreas que seguimos é a área dos resíduos

As oficinas geram grandes quantidades destes resíduos, mas nem sempre são bem encaminhados… A Inspeção-Geral da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território tem feito um bom trabalho a esse nível. Numa oficina, se tudo funcionar da forma como deveria, todos os aspetos do tratamento dos resíduos estão devidamente acautelados. Ou seja, nas oficinas, de marca e independentes, os resíduos estão identificados. Mas há, realmente, muitas oficinas em que não existe essa estrutura, que tem custos, mas que é fundamental garantir. Há responsabilidade, por parte de quem coloca um veículo no mercado, de recolher depois os seus diferentes componentes. Nos pneus, temos a Valorpneu, nas baterias temos também recolhas que são feitas, nos gases fluorados também, etc. Se o sistema funcionasse bem, era garantido que o impacto ambiental seria muito menor. E, em muitos casos, há materiais que se podem aproveitar. Como analisa a ZERO o trabalho desenvolvido por essas entidades gestoras de resíduos? Temos vindo a acompanhar o trabalho destas entidades, como o da Valorpneu. Em muitos casos, sentimos que há soluções que gostaríamos que fossem melhor implementadas. Por exemplo, o encaminhamento de pneus para incineração: queremos garantir que só vão para incineração os pneus que realmente não têm a possibilidade de ser extraída a borracha para ser depois transformada em piso, ou para outros aproveitamentos. Por vezes, não há a noção da quantidade de mate-


Perfil

P

Licenciado em Engenharia do Ambiente pela FCT-NOVA, Mestre pela Virginia Tech, nos EUA, Doutorado pela Universidade Nova de Lisboa e desde sempre um entusiasta das questões ligadas ao ambiente e à sustentabilidade, Francisco Ferreira é professor no Departamento de Ciências e Engenharia do Ambiente da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa (FCTNOVA) e a sua área de investigação é a qualidade do ar. Paralelamente, foi Presidente da Quercus, de 1996 a 2001, e Vice-Presidente, entre 2007 e 2011. Foi membro do Conselho Nacional da Água e do Conselho Nacional de Ambiente e Desenvolvimento Sustentável. É, atualmente, Presidente da ZERO.

PERSONALIDADE

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

52

riais diferentes que um automóvel tem, desde têxteis a componentes de carbono, são materiais que depois se tornam resíduos perigosos. Não existe essa noção por parte das oficinas? Falta ainda alguma sensibilização e envolvimento pela positiva nas oficinas. Se houver perfeita noção do impacto que determinadas negligências acabam por ter, se calhar as oficinas não se importariam de suportar mais alguns custos para lidar com as questões ambientais. A penalização existe, as inspeções devem ser feitas, mas, acima de tudo, tem de haver uma dupla ação. Por um lado, o envolvimento, e, por outro, a fiscalização. Cada vez mais se fala no fim do diesel, e a ZERO defende a penalização dos veículos a combustão. Considera que serão estas as tendências a curto prazo? Um carro a gasóleo emite, regra geral, o dobro de óxidos de azoto de um carro a gasolina, num veículo equivalente. E, por exemplo, no caso de Lisboa, o problema é que, em algumas zonas da cidade se ultrapassam os valores limite de óxidos de azoto. O protocolo anterior para avaliar as emissões, nomeadamente de CO2, o NEDC, foi substituído pelo WLTP, que está mais próximo da realidade, mas a ideia é que se utilizem as real-time emissions, ou seja, não em banco de ensaio, mas em condução real. Há várias vertentes: uma é as cidades conseguirem garantir os valores limite. O diesel, mesmo com as novas tecnologias, consegue reduzir as emissões, mas não o suficiente. Depois existe o problema das partículas, que estaria resolvido se todos cumprissem com a utilização do filtro de partículas. E o problema do ruído também

O nosso objetivo é tentar apostar numa mobilidade elétrica é algo que se coloca, porque os veículos a diesel são mais barulhentos. E, por isso, a tendência é começarmos a falar de áreas urbanas sem emissões, não apenas zonas de emissões reduzidas, mas zonas de zero emissões, onde só existem elétricos. Os veículos mais importantes para serem elétricos são os transportes públicos, todos os que circulam muito. E essa deverá ser a prioridade. Estamos convencidos que os objetivos da União Europeia, que impõem um limite de emissão média por marca automóvel de 95 gramas de CO2 para 2021 aplicando depois uma meta de redução entre 2020 e 2025 para mais tarde tornar o continente europeu neutro em carbono em 2050 vai tornar a vida para os veículos a combustão cada vez mais complicada. Tem a ZERO algumas propostas para este setor, do ponto de vista ambiental? Uma das coisas que para nós é fundamental é o Estado continuar, pelo menos durante mais um ou dois anos, com os incentivos aos veículos elétricos. Há uma fase em que se deve criar economias de escala e dar seguimento à solução, mas depois não se pode continuar a financiar. Achamos que, neste momento, não devem existir quotas. O Estado deve fazer um esforço para garantir que todas as compras de veículos elétricos têm esses incentivos. Depois, há

a diferença entre empresas e particulares, e essa diferença faz sentido, porque as empresas têm hipótese de beneficiar mais com estas aquisições. Em relação aos biocombustíveis, achamos que sempre foram muito complicados: por exemplo, para nós é fundamental que não tenham óleo de palma. É uma campanha à escala mundial, porque o óleo de palma sustentável deve, no máximo, ir para alimentação. E o que acontece na Europa é que o óleo de palma é mais utilizado no biocombustível do que na alimentação. Em alguns biocombustíveis, feitas as contas, não se beneficia assim tanto. E, portanto, o nosso objetivo é tentar apostar numa mobilidade elétrica. O que mudaria a ZERO em relação às oficinas? Na ZERO, defendemos que é muito importante existir um trabalho das associações ligadas às oficinas e ao setor automóvel, no sentido de garantir, até por questões de mercado, que todos cumprem as mesmas obrigações. Porque, como é evidente, se temos duas oficinas concorrentes, e uma cumpre e outra não, uma terá custos que a outra não terá. Há que fazer esse esforço. A Inspeção-Geral da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território deveria também atuar mais nesta área, mas os meios são limitados e há cada vez mais oficinas. E as oficinas têm de começar também a adaptar-se à mobilidade elétrica. O que notamos, em alguns casos, mesmo nas próprias marcas, é que, como ainda não têm economia de escala, por vezes o veículo tem de ir realizar a reparação ou manutenção noutro país. Ou seja, mesmo para além dos outros problemas, nesta parte da mobilidade elétrica, ainda não se está a dar a resposta que se deveria. E é algo que também é preciso corrigir.


Dossier

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

54

D COMPONENTES DE TRAVAGEM

Um futuro de oportunidades e ameaças Os discos e pastilhas de travão têm cada vez mais tecnologia integrada e amiga do ambiente e enfrentam agora os sistemas de travagem autónoma e os veículos híbridos e elétricos, que trazem novos desafios no sentido de minimizar o ruído e a ferrugem TEXTO NÁDIA CONCEIÇÃO

O

sistema de travagem é o primeiro sistema de segurança ativa dos veículos. Com a evolução dos sistemas de ajuda à condução, é fundamental manter todos os componentes de travagem em bom estado, tal como indica Paulo Nunes Santos, da Motrio: “O condutor deve de ter a consciência da necessidade de ter componentes de qualidade no seu veículo, de forma a parar sempre em segurança. Desta forma, deverá evitar componentes de fornecedores sem standards de qualidade”. Num setor automóvel em constante mudança,

o mercado de componentes de travagem está a crescer, e a tecnologia faz parte, cada vez mais, deste tipo de produtos. Com um grande número de players a oferecer peças a um mercado de distribuição que exige preço e um serviço logístico eficiente, Bruno Pires Peres, da RecOficial, indica que é importante, neste contexto de mercado, “o desenvolvimento de um produto de qualidade reconhecida, amigo do ambiente e a um preço adequado”. Vítor Maia, da TMD, refere que as oportunidades no negócio de componentes de travagem se prendem com a introdução dos sistemas de


55

travagem autónoma, que vão aumentar o desgaste” e, em relação às ameaças, indica o aumento dos veículos híbridos e elétricos. Por sua vez, Darja Bronsvoort, da Kavo, acrescenta: “A ameaça mais importante é a mesma para todos os outros produtos; recessão mundial, migrar para o transporte público, políticas industriais e aumentar as legislações ambientais”. Tiago Domingos, da Auto Delta, evidencia a competitividade no preço e a falsificação como duas questões preocupantes neste negócio: “Os discos e pastilhas de travão de qualidade reconhecida sofrem bastante com a “ofensiva” de marcas e fornecedores quanto ao fator preço. Muitos desses produtos que se focam exclusivamente no preço descuram a qualidade, o que, quando falamos de produtos com influência na segurança, se torna especialmente gravoso. Também se têm verificado problemas quanto à falsificação de produtos, fenómeno que tem sido colmatado pela eficiente ação das marcas na proteção legal dos seus produtos”. No futuro, Clara Torres, da Road House, defende que a profissionalização, digitalização e gestão eficiente de recursos e stocks serão fundamentais para a sobrevivência das empresas neste setor.

PUBLICIDADE


D

COMPONENTES DE TRAVAGEM

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

56

QUESTÕES 1 - Quais foram as mais recentes novidades de produtos introduzidas pela vossa marca ao nível dos discos e pastilhas de travão? 2 - Qual a cobertura do parque circulante das marcas que representam em termos de discos/pastilhas de travão ao nível do parque europeu e parque asiático? 3 - Qual o número total de referências disponíveis em termos de discos/pastilhas de travão? 4 – Para além da venda de discos / pastilhas de travão, que suportes de apoio disponibilizam às oficinas: informação técnica, formação, sites técnicos, catálogo online, etc.? 5 - Tirando a qualidade, que fatores diferenciadores existem na vossa marca de discos /pastilhas? 6 - Que outra marca/marcas de pastilhas comercializam?

TRW

ZF Aftermarket Carlos Gomes marketing.portugal@zf.com 214 228 300 trwaftermarket.com 1 – A mais recente novidade dentro da marca TRW foi o lançamento das pastilhas Electric Blue, as primeiras, e

até agora únicas, pastilhas de travão do mercado de pós-venda específicas para veículos elétricos e híbridos. A introdução destas novas pastilhas, que reduzem o ruído e a vibração, vão ao encontro das necessidades dos condutores dos veículos elétricos. Também lançámos recentemente discos para os veículos elétricos, nomeadamente para Tesla S. 2 – As nossas pastilhas e discos cobrem 98% do parque europeu, em que destacamos a nova gama de pastilhas Electric Blue que, apesar do seu recente lançamento, já cobre 97% dos veículos elétricos do continente europeu. 3 – Temos atualmente ativas cerca de 2000 referências de pastilhas e 1400 referências de discos. 4 – Ao nível de marketing temos folhetos e posters que destacam as principais vantagens das pastilhas e discos TRW, nomeadamente das nossas últimas inovações Cotec, DTEC e Electric Blue. Para além do nosso site, que também dispõe de informação relativa a estas gamas. Outra ferramenta de marketing em que apostamos bastante é o nosso catálogo online, que permite a pesquisa por matrícula. Temos igualmente uma app gratuita, a “ZF Part Finder”, que permite identificar as peças em qualquer lugar de forma rápida e fácil. Dispomos também de um programa de fidelização, o ZF [Pro]Points, que oferece uma extensa lista de prémios para as oficinas que comprem as nossas marcas. Temos também um técnico especializado, que dá apoio à nossa rede de distribuição, e que também dá formações técnicas de travagem às oficinas. Além disso, disponibilizamos ainda uma secção técnica no nosso site, direcionada às oficinas, onde disponibilizamos informação relativa aos produtos. 5 - Para além da qualidade dos nossos produtos, a nossa diferença assenta numa forte presença em primeiro equipamento, que é depois complementada com o nosso apoio de marketing e técnico a nível local, através dos suportes referidos anteriormente. O que faz com que disponibilizemos bastante apoio na montagem dos nossos produtos, dando maior confiança às oficinas.

6 – Apenas comercializamos a nossa marca, TRW.

Alea

AS Parts José Tor Jervell jojervell@nors.com 933 355 550 www.asparts.pt www.civiparts.com www.nors.com 1 – Introduzimos, recentemente, a gama de travagem ALEA. Começámos com 12 referências de discos de travão e 40 referências de pastilhas de travão para as principais marcas de veículos no mercado português. Em veículos pesados, introduzimos recentemente novas referências em discos e pastilhas que totalizam já 46 e 24, respetivamente, para as principais marcas de veículos pesados em Portugal. Todos os discos e pastilhas de travão ALEA têm certificação ECE R90. São produtos que, para além dos materiais de produção que seguem especificações OE, passaram por uma série de testes e apresentam níveis de desempenho semelhantes aos referidos do Equipamento Original. 2 – Nos ligeiros e pesados temos uma cobertura de gama de cerca de 40% e 90%, respetivamente. Note-se que, nos pesados, esta gama foi introduzida há vários anos. 3 – Nos ligeiros, existem 12 referências de discos e 40 referências de pastilhas de travão. Nos pesados, existem 46 referências de discos e 24 referências de pastilhas de travão. 4 – Disponibilizamos toda a informação técnica necessária dos produtos ALEA, tal como catálogos físicos e digitais. Além disso temos um serviço ao cliente personalizado e dedicado ALEA.


D

COMPONENTES DE TRAVAGEM

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

58

5 – A relação preço/qualidade é, de facto, o maior fator diferenciador. 6 –Nos ligeiros, trabalhamos principalmente com a Mintex, Ferodo, Blue Print e SWAG. Nos pesados trabalhamos com a Textar, Knorr, Ferodo e Fras-le.

Brembo

Benito Tesier comercial@brembo.es +34 976 144 656 www.bremboparts.com 1 – Na Brembo, realizamos um exercício permanente de atualização das gamas e marcas de produtos, aumentando a cobertura de nossa oferta ao mercado. Assim, durante 2019, foram expandidas mais de 900 referências de travagem. Recentemente, apresentámos a gama “X”, com os discos Max e Xtra, juntamente com as pastilhas Xtra, a síntese de desempenho, conforto e durabilidade. Estes produtos são pensados para uma condução desportiva. O desafio foi desenvolver um material de atrito que garantisse um alto nível de desempenho, além de menor ruído e maior durabilidade; as pastilhas de travão Brembo Xtra foram desenvolvidas para aprimorar as vantagens da linha aftermarket Brembo de discos perfurados e ranhurados. Estas pastilhas são a solução ideal para os entusiastas da condução desportiva, sem comprometer o conforto ou a durabilidade; o disco co-fundido foi fabricado para substituir, no aftermarket, os discos compostos pelas mais recentes aplicações premium da Mercedes, respeitando as características técnicas e seu desempenho. A nova linha de discos de travão Brembo é uma solução inovadora, que combina leveza e resistência. 2 – A Brembo possui uma variedade de pastilhas e discos que cobrem 98% do parque europeu e oferece uma ampla gama de produtos, com mais de 12000

códigos da gama aftermarket para o mercado europeu e 3000 referências para o mercado asiático. 3 – A Brembo oferece uma gama completa de discos e pastilhas, com mais de 1400 itens. O catálogo é atualizado regularmente e está disponível na versão digital online e para smartphones. 4 – A Brembo sempre viu o seu know-how como um valor a partilhar com os profissionais do sistema de travagem. É por isso que a nossa oferta para o aftermarket nunca negligenciou a necessidade de formação e atualização técnica. Para aprimorar o programa tradicional de formação, a Brembo oferece, desde 2011, aos seus membros a oportunidade de aproveitar a formação digital da Brake System Academy: um DVD, disponível em mais de 20 idiomas, que examina os detalhes mais técnicos dos componentes do sistema de travagem, juntamente com a sua operação e manutenção. Existe também no site www.bremboparts.com o catálogo digital que é atualizado regularmente pelos técnicos da Brembo. 5 – Além dos mais altos padrões de qualidade, a Brembo está comprometida em melhorar o tempo de comercialização de todas as peças novas da linha, com atenção especial às peças que fornece como primeiro equipamento. Nesses casos, a Brembo esforça-se para disponibilizar os mesmos produtos que fornece aos fabricantes dentro de um período não superior a 3/6 meses após o lançamento do veículo no mercado. A sua linha de produtos aftermarket para sistemas de travagem é cada vez mais completa e abrangente. Inclui produtos de fricção, como discos UV, discos compostos e flutuantes, discos desportivos (Brembo Max e Xtra), pastilhas, tambores e componentes hidráulicos, como cilindros de travão, mangueiras e cilindros. E adicionámos fluidos de travão à linha de produtos de aftermarket. 6 – Brembo: produtos para automóveis, veículos comerciais ligeiros e pesados; Villar: produtos para ligeiros e comerciais ligeiros; AP: produtos para ligeiros e comerciais ligeiros. Breco: produtos para ligeiros e comerciais ligeiros.

Motrio

Paulo Nunes Santos info_motrio@renault.pt www.motrio.com/pt-pt 1 – No último ano, foi incrementada a qualidade das pastilhas de travão Motrio, nomeadamente quanto à eficiência em travagem, ruído e desgaste, para responder aos padrões de utilização mais exigentes. No que concerne os discos de travão, a gama foi revista com a homogeneização da qualidade da liga de aço. 2 – Atualmente, a gama Motrio cobre 296 modelos de 24 fabricantes de automóveis, sendo transversal a todas as marcas comercializadas na Europa. A evolução e expansão da gama de travagem é constante com a introdução de novas referências, dependendo do mercado e das suas exigências a continuidade e celeridade deste crescimento. 3 – Contamos com a disponibilidade de mais de 700 referências de pastilhas e de mais de 400 nos discos. 4 – Devemos considerar aqui dois tipos de clientes: as Oficinas Motrio e as oficinas que ainda o não são. Para as Oficinas da Rede Motrio, disponibilizamos a ferramenta Motelio, um portal digital que disponibiliza métodos de trabalho dados técnicos, identificação de peças e preços de catálogo. Para os restantes clientes disponibilizamos o catálogo online no site da Motrio. Todos os clientes podem ainda contar com a Renaultp@rts, portal de encomendas online, e com os delegados comerciais. 5 – Com a Motrio, temos a garantia de que todas as referências comercializadas respeitam os standards de qualidade dos cadernos de encargos da Renault, em aspetos que vão da qualidade do produto ao respeito pelas leis ambientais e de


59

trabalho, fazendo da Motrio a melhor alternativa às marcas de origem. 6 – Comercializamos as Peças de Origem Renault, que incluem as pastilhas de travão.

Kavo Parts

Solucas Darja Bronsvoort darja@kavoparts.com +31 55 539 39 67 www.kavoparts.com PUBLICIDADE

1 – Todos os nossos discos são revestidos. Fornecem algumas vantagens substanciais. Os discos revestidos são cinco vezes mais resistentes à ferrugem do que os comuns. Além disso, têm uma aparência melhorada, o que também prolonga a vida útil. Outra vantagem é o facto de os discos revestidos serem mais fáceis de montar. Como não há camada de óleo que precise de ser removida, os discos revestidos podem ser montados imediatamente, economizando tempo.

Europa e América, e é por isso que os disponibilizamos também para esses modelos.

2 – Com nossas peças de travão, cobrimos 99% de todo o parque asiático.

5 – Todos os nossos discos são revestidos. Todos os nossos discos e almofadas são certificados pela ECE R90, garantindo o mesmo desempenho dos originais.

3 – A nossa gama é composta por mais de 2400 discos e pastilhas. Como especialista em carros asiáticos, focamos em veículos japoneses, coreanos e chineses. No entanto, os nossos discos e pastilhas também se encaixam perfeitamente em carros com plataforma partilhada na

4 – A importância da catalogação online é evidente. Todas as nossas peças estão disponíveis nos catálogos online mais importantes, facilitando a consultoria e o pedido para os nossos clientes. Além do Tecdoc e do Teccom, existem peças que podem ser encontradas em vários catálogos online nacionais.

6 – Além das pastilhas Kavo Parts de marca própria, também comercializamos pastilhas MK Kashiyama.


D

COMPONENTES DE TRAVAGEM

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

60

2 – Se analisarmos apenas o parque automóvel em Portugal, a cobertura das 3 marcas em discos e pastilhas de travão é de 96,8% no total das 3 marcas: febi, SWAG e Blue Print. Se analisarmos o parque automóvel europeu relativamente a construtores Europeus e Asiáticos, a cobertura das 3 marcas é de 92,1%.

Blue Print, febi, SWAG Ferdinand Bilstein Joana Santo joana.santo@bilsteingroup.com 219 663 720 www.bilsteingroup.com

1 – Os discos e pastilhas de travão das marcas do bilstein group fornecem um desempenho equivalente aos discos e pastilhas de origem a três níveis: funcionalidade, segurança e eficiência. Ao nível das pastilhas, todas têm aprovação ECE R90. O teste R90 inclui processo de desgaste, verificação de desempenho, testes de travagem, equivalência de desempenho a frio e testes de sensibilidade de velocidade. Além deste teste, são efetuadas outras análises, para garantirmos que medimos e controlamos o ruído na travagem, vibração, desgaste excessivo, sensação no pedal e inclusivamente o nível de resíduo de travagem. Nos discos de travão, efetuámos uma alteração na extremidade do disco e no cubo do disco, que evita a corrosão nos discos mesmo depois de aplicados nos veículos, assim como garantem que todos os discos do bilstein group têm uma apresentação uniforme. Apenas os discos com rolamento de roda integrado não estão abrangidos por esta proteção. Todos os discos do bilstein group sofreram também uma alteração ao nível do acabamento da superfície de fricção, de forma a atingir a máxima performance nas primeiras travagens. Estas são características importantes e de relevo a referir e podemos mencionar ainda que vamos muito em breve destacar uma grande novidade ao nível da travagem. É também de salientar que o bilstein group tem sempre presente a importância da expansão da gama e a introdução de novos produtos. Só desta forma é possível a cobertura do maior número de veículos, quer ao nível da adição de novas referências quer ao nível das equivalências OE em referências existentes no nosso portefólio.

3 – O número total de referências em discos de travão é de 4078 referências para as 3 marcas. Relativamente a pastilhas de travão, o total de referências nas 3 marcas é 3353 referências. 4 – O bilstein group disponibiliza apoio técnico e pós-venda em qualquer uma das gamas que comercializa de qualquer uma das marcas. O Centro de Suporte ao Cliente, assim como a equipa de Technical Consultant do bilstein group, estão sempre disponíveis para esclarecer qualquer dúvida técnica. As marcas têm vindo a apostar cada vez mais na disponibilização de artigos técnicos com dicas úteis para os profissionais e que estão disponíveis no nosso catálogo partsfinder, assim como uma grande aposta na produção de vídeos técnicos em Português. Desta forma permite-nos apoiar o melhor possível os clientes, assim como estabelecer uma relação de proximidade com as oficinas. 5 – O bilstein group diferencia-se de outras marcas por vários motivos, nomeadamente a partilha de competências e serviços que oferecemos aos nossos clientes. A disponibilização de stock local é um fator diferenciador e uma grande mais valia para os clientes, para além de uma cadeia de distribuição bem estruturada. O bilstein group está em constante pesquisa e desenvolvimento, para garantir ao mercado a rápida disponibilização de novas referências e maior número de aplicações. Ao nível da travagem por exemplo, a equipa de desenvolvimento desta gama tinha previsto criar 400 novas referências até ao final do ano e até junho, já foram pesquisadas 318 novas referências, o que poderá indicar que até ao final do ano provavelmente vamos superar o número inicial previsto. Também no primeiro semestre, foram pesquisadas 213 referências OE que permitiram completar a gama de travagem já existente. 6 - O bilstein group em Portugal comercializa pastilhas de travão das suas 3 marcas: febi, SWAG e Blue Print.

Raicam, RecOficial Atlantic Parts Bruno Pires Peres geral@recoficial.pt 21 910 69 80 / 912 532 220 www.atlantic-parts.com www.recoficial.pt

1 – A RecOficial aposta na abrangência da gama e na adaptação rápida e eficiente às crescentes tendências do mercado. Neste âmbito, estamos a trabalhar numa nova tecnologia de pastilhas de travão ecológicas para veículos elétricos. 2 – A gama de pastilhas e discos de travão RecOficial tem uma cobertura superior a 98% do parque circulante ibérico. 3 – Atualmente, mais de 1500 referências de pastilhas e mais de 800 referências de discos de travão. 4 – Informação técnica com fichas detalhadas de montagem. Formação específica para as oficinas da rede RecOficial com disponibilização de portal técnico. 5 – Uma excelente relação qualidade/ preço (posicionamento de PVP e custo médio muito apelativo para a oficina) bem como uma larga abrangência da gama e uma apresentação do produto diferenciadora no mercado. 6 – TRW e Raicam.

Motaquip

Euro Tyre João Madeira Joao.madeira@eurotyre.pt 231 419 190 www.eurotyre.pt 1 / 5 – Com acesso a tecnologia exclusiva e infraestruturas de fabrico a nível mundial, a última geração da gama


61

de travagem é verdadeiramente única. Construída para complementar e proteger o Equipamento Original do veículo, a gama de travagem Motaquip inclui materiais de fricção com desenvolvimento exclusivo, e um vasto leque de componentes de desgaste com elevada robustez. A utilização de materiais premium combinados com tecnologia de ponta de fabrico, fazem com que a Motaquip garanta um processo superior de encaixe na aplicação dos componentes, performance consistente durante a vida útil dos mesmos, e força de travagem suave e silenciosa. Discos resistentes até ao extremo, revestidos com um compósito à base de zinco e infundido com grafite lamelar, os discos heavy-duty são construídos para dispersar eficientemente as temperaturas extremas, inevitáveis nos sistemas de travagem modernos. Benchmark da performance aftermarket redefinida em termos de resistência térmica, rigidez PUBLICIDADE

e integração, os discos Motaquip são construídos com engenharia de precisão para um equilíbrio perfeito no eixo de rotação. Os discos providenciam um poder de travagem forte e silencioso a partir do momento de instalação. A travagem nos veículos modernos pode rapidamente criar temperaturas de centenas de graus celsius nas superfícies, mas nem toda essa energia térmica é distribuída de maneira uniforme. As propriedades químicas garantem uma rigidez uniforme mesmo sob stress térmico e mecânico intenso durante toda a vida útil dos discos. Isto acontece graças ao design de auto-ventilação, permitindo que os discos dissipem à volta de 85% do calor proveniente da fricção da pastilha para a atmosfera circundante. Uma vez que são forjados a partir de uma liga à base de ferro, têm a capacidade extraordinária de elevar a temperatura a centenas de graus sem empenar ou partir, tornando-se um

risco, mesmo em veículos de alta performance. As pastilhas de travão Motaquip combinam várias tecnologias melhoradas para criar a geração mais recente de pastilhas que garante um elevado poder de travagem em silêncio. O segredo para a performance das pastilhas é o mais recente composto M100, especialmente desenvolvido pela Motaquip para elevada fricção, baixo desgaste, e resistência à corrosão. Formulado e aperfeiçoado para possuir um alto coeficiente de fricção sem ser demasiado agressivo nos discos, os indicadores de performance mantêm-se relativamente constantes mesmo quando testados em condições de água, exposição ao sal, e variações de temperatura extremas. O investimento da Motaquip nestes materiais permite que os sistemas de travagem cumpram os padrões OE na performance e características físicas e químicas. A tecnologia Noise Control da Motaquip garante que as pastilhas atuem


D

COMPONENTES DE TRAVAGEM

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

62

de forma silenciosa durante toda a sua vida útil, mesmo nas condições mais exigentes, mantendo máxima fricção com o mínimo ruído. Desenhadas para absorver e prevenir um abrangente espectro de frequências audíveis, insula as vibrações graças a uma placa de aço pré-pressionada, soldada entre duas camadas de um composto de borracha texturada à prova de temperatura. Fixada à base endurecida de aço com um adesivo à prova de temperatura, o sistema de anti-vibração dos calços também serve para insular termicamente a pinça e reduzir o risco de o sistema hidráulico sobreaquecer. As pastilhas Motaquip não foram apenas desenhadas para ter uma performance e longevidade excecionais, mas também para causar um impacto instantâneo nos seus utilizadores. O composto que tem o contacto até acamar foi desenvolvido para prestar uma sensação suave no pedal a partir do momento que é instalado. Este composto também ajuda a assegurar que toda a pastilha é ajustada à superfície do disco para proteger contra desgaste prematuro. O compromisso do programa de testes exaustivos garante que cada conjunto de pastilhas Motaquip assegura poder de travagem avançado. O regulamento ECE R90 submete todas as pastilhas a uma série de testes de série, mas para verdadeiramente alcançar a performance, a Motaquip eleva estes parâmetros R90 mais além com uma série de procedimentos de testes adicionais. 3 – Dispomos de cerca de 30 000 referências em stock disponíveis para entrega imediata, conseguimos dar resposta a mais de 98% do parque automóvel circulante, europeu e asiático. 4 – A Motaquip tem à disposição dos seus clientes um conjunto de ferramentas que ajudam na venda e comunicação tais como um catálogo eletrónico na sua página web onde pode identificar por viatura ou referência, e dispõe de outros catálogos que podem ser descarregados na sua página web, não esquecendo que está presente no TecDoc e TecCat. Mais recentemente a Motaquip fortaleceu ainda mais sua oferta de serviços aos clientes com o lançamento de seu novo sistema eCAT, que é uma plataforma de peças e dados técnicos que oferece referências cruzadas OE completas e concorrentes (em todas as marcas), construída sobre

uma enorme base de dados, validada por uma classificação TecDoc ‘A’. Projetado para fornecer uma experiência simples e flexível ao cliente, o sistema funciona perfeitamente em dispositivos móveis, tablets e computadores. Fornecendo funcionalidade excecional, os mecânicos têm acesso a várias opções de pesquisa em critérios como: número de peça, marca e modelo, bem como referência cruzada OE e concorrente. 6 – A marca Remsa.

pastilhas, catálogos em papel e online. Ferramentas de pesquisa de referências, como o nosso Data Surf e o nosso catálogo web, nas quais é possível identificar as nossas referências através de uma aplicação específica do parque. Realizamos promoções para a distribuição, para a nossa rede de oficinas Checkstar e para o automobilista. Temos estado presentes nas principais feiras do mercado. 5 – As nossas gamas de travagem foram lançadas para responder à necessidade da nossa rede de oficinas Checkstar de oferecer este produto com as melhores garantias de qualidade e competitividade. Sob esses requisitos, lançámos a nossa linha de discos e pastilhas, atendendo aos mais altos padrões de qualidade com a marca Magneti Marelli, tanto no produto como na embalagem. 6 – Apenas a marca Magneti Marelli.

Magneti Marelli

Sergi Cañellas sergi.canellas@marelli.com +34 938 413 530 www.magnetimarelli-aftermarket.pt 1 – As gamas estão em expansão contínua. Recentemente, ampliámos a linha de pastilhas e lançámos novas referências de acessórios da linha de travagem Magneti Marelli. 2 – Pastilhas: 92% de cobertura do parque europeu, incluindo uma ampla oferta para marcas japonesas e coreanas. Discos: 89% de cobertura do parque europeu, incluindo uma ampla oferta para marcas japonesas e coreanas. 3 – Pastilhas de travão: 753 referências. Discos: 400 referências. 4 – Somos fornecedores oficiais de dados do Tecdoc e todas as nossas referências estão disponíveis nesta plataforma. Atualizamos catálogos, de discos e

Textar, Mintex TMD Vítor Maia tmd.maia@gmail.com 912 222 750 textar.com mintex.com

1 – As mais recentes novidades de produtos da TMD Friction são a introdução pela Marca Textar, ao nível de discos, o PRO+, um disco que se distingue pelo seu revestimento com uma percentagem de carbono mais elevada que o disco regular, maquinação de torno precisa com as mesmas tolerâncias do OE para um encaixe perfeito, moldes especiais no processo de fabrico que provocam uma homogeneidade extrema na face de fricção, bem como canais internos da ventilação que forçam o ar, dando uma maior capacidade de arrefecimento ao disco, e, consequentemente, maior capacidade de travagem. Também dis-


D

COMPONENTES DE TRAVAGEM

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

64

pomos de outra inovação, são discos de construção leve em que o centro do disco é de alumínio sendo de 15% a 20% mais leves, provocando uma melhoria do conforto de condução e a redução de emissões poluentes (BMW). Ao nível de pastilhas de travão a Textar inicia agora, com a nova geração de pastilhas Epad, uma iniciativa a pensar no futuro para maior conforto e segurança na condução. Utilizando materiais de fricção, que já foram testados no equipamento original. Na Epad da Textar é utilizada a mais moderna tecnologia de fricção e uma mistura única de materiais de fricção. Estas asseguram que jantes de liga leve e jantes cromadas permaneçam limpas durante muito tempo, mantendo o seu radiante brilho. Os carros equipados com pastilhas Epad da Textar imobilizam-se praticamente em silêncio. Graças a um engenhoso chanfro na pastilha o período de rodagem é bastante mais curto que o normal. Desta forma é possível desfrutar das vantagens praticamente após a montagem. As vantagens das pastilhas Epad são: abrasão reduzida, maior potência de travagem; menos sujidade nas jantes, os resíduos são facilmente lavados, o período de rodagem é bastante mais curto que o normal, ausência completa de ruído para um conforto ótimo e desgaste reduzido. (Produto apenas disponível para veículos premium, ex: Mercedes, Bmw, Audi, Volvo, etc.). 2 – A cobertura do parque circulante é de 99% em europeus e 98% em asiáticos. 3 – O número total de referências disponíveis em termos de discos é 2000. O número total de referências disponíveis em termos de pastilhas é 1700. 4 – Nos nossos sites podem encontrar-se, além de um catálogo de identificação de todos os nossos produtos, também um espaço dedicado a profissionais com fichas técnicas de todos os produtos com cotas de desgaste procedimentos de montagem etc. A TMD Friction tem em Portugal, permanentemente um responsável técnico que garante apoio aos aplicadores dos nossos materiais. Nos anos de 2018 e 2019 fizemos dezenas de formações técnicas onde estiveram presentes 1728 aplicadores. Temos um plano de visitas regulares a oficinas, para nos inteirarmos do grau de satisfação

dos clientes e esclarecimento de alguma questão técnica. 5 – Os fatores diferenciadores poderão ser o facto de a TMD Friction ser uma empresa em que o seu volume de faturação é 63% feito com vendas para 1.º equipamento e apenas 37% da faturação ser no aftermarket. Esse facto dá-nos uma grande experiência no desenvolvimento técnico de novos produtos. 6 – As marcas de pastilhas e discos comercializadas pela TMD Friction são: Textar, Mintex e DON.

ATE

Continental PR Department ate.hotline@continental-corporation. com +49 1805-221242 www.ate-brakes.com/catalogues/ online-catalogues 1 – Há mais de 100 anos que a nossa marca premium ATE fornece componentes de alta qualidade como peças de desgaste de travões, componentes hidráulicos, sensores ABS, ferramentas especiais e dispositivos de teste. Alargámos uma vez mais a gama de discos de travões ATE para a Mercedes no aftermarket, para a Classe C e E, de modo a podermos oferecer uma gama abrangente de discos de travões de uma e duas peças. Os últimos foram concebidos para potências de motor maiores. Ao longo do próximo ano, expandiremos a gama ainda mais com novos números de referência. Além disso, em 2020 comercializaremos um novo líquido de travões. Com a marca Galfer fornecemos um programa de produtos de calços e discos de travões que oferece uma qualidade elevada a preços económicos, completando de forma ideal a nossa marca premium ATE. Os nossos especialistas da Galfer possuem experiência de várias décadas nos setores

OE e After Sales, bem como uma gama de produtos abrangente para muitos modelos e marcas de veículos. 2 – Com a marca ATE, atualmente atingimos uma cobertura do mercado europeu de mais de 95% de todos os veículos. Alargámos o nosso programa continuamente, no início de 2020 alargaremos a cobertura ainda mais com modelos adicionais. 3 – Para os calços de travões, está disponível um total de 2050 números de referência, para os discos de travões contamos com 1850 números de referência. 4 – As oficinas portuguesas têm a possibilidade de se tornarem num Centro de Travões ATE. O conceito de oficina da Continental oferece aos parceiros todas as competências e o know-how da ATE. Com este conceito apoiamos os nossos parceiros no desenvolvimento dos serviços de assistência, na aquisição do know-how em travões. O conceito inclui formações e também treinos regulares e, por exemplo, assegura padrões elevados e uniformes na reparação de travões. O catálogo de peças está disponível no formato TecDoc e também na nossa página web. Através do endereço de e-mail, também os nossos clientes portugueses podem obter ajuda técnica para os produtos de travões da ATE. 5 – A qualidade é a nossa característica de destaque – com a marca ATE fornecemos peças comparáveis à qualidade OE. Conforme a marca, a cobertura situa-se no intervalo médio até alto de 90%. Temos uma muito alta capacidade de entrega, o nosso nível de serviços de entrega situa-se perto dos 96%, o objetivo é atingir 97%. A ATE é um fornecedor de sistemas de travões, por isso, os clientes recebem todas as peças do travão a partir de um único fabricante. 6 – Fabricamos e comercializamos sob as marcas ATE e Galfer. 


D

COMPONENTES DE TRAVAGEM

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

66

EBC

Pedro Ribeiro Auto Vítor Costa info@pedroribeiroauto.com 252 907 210 pedroribeiroauto.com 1 – A criação do novo departamento EBC Brakes Racing, veio trazer várias novidades. Destacamos o lançamento dos kits de travagem Apollo (Big Brake Kits), discos flutuantes, e as novas pastilhas RP-1 que após 2 anos de testes vêem colocar definitivamente o nome deste fabricante como uma referência na travagem de performance. Este tipo de produtos obrigou a uma revolução tecnológica das unidades de produção e aprimoramento das técnicas de fabrico. Estas inovações acabam por abranger todos os produtos, desde a pastilha de substituição do original até ao material de competição. 2 – A abrangência é muito grande uma vez que este fabricante disponibiliza discos e pastilhas de travão para os mais recentes modelos de automóveis Europeus, Asiáticos e Americanos. A EBC Brakes conta também com gamas de produto especialmente concebidas para veículos desportivos, Todo o Terreno / SUV, comerciais, clássicos e competição automóvel. 3 – Nos produtos da área automóvel, neste momento são 30721 referências. 4 – O conhecimento dos produtos é essencial para a venda e posterior satisfação pós-venda por isso o suporte é disponibilizado através de vários meios. Quer pelos meios oficiais da EBC Brakes, onde se encontra informação ao nível dos vários produtos de travagem disponibilizados, catálogos e boletins técnicos. Através da nossa plataforma online os clientes podem identificar o material de

travagem com base nas características do automóvel. Encontra-se igualmente informação em português sobre todos os produtos disponibilizados pela EBC Brakes. Todos os nossos clientes podem solicitar a qualquer momento tabelas de aplicação offline bem como catálogos físicos e boletins de apoio à venda. De salientar que recentemente a EBC Brakes aderiu ao TecDoc e os produtos podem ser identificados nesta ferramenta usada pela maioria dos profissionais do setor. 5 – Porquê simplesmente substituir quando se pode melhorar? Este é um dos lemas comerciais desta marca e define o grande fator diferenciador face a outras marcas. A existência de 7 tipos de pastilhas de travão e 5 tipos de discos permite fazer combinações para adequar o material aos vários estilos de condução ou adequar o material a usos mais específicos sem comprometer no preço de venda. 6 – Não comercializamos mais nenhuma marca de travagem.

Delphi

David Zapata comunicacion.dpss.es@delphi.com www.delphiautoparts.com 1 – O nosso objetivo é trazer as peças certas para o mercado, para a melhor cobertura, no menor prazo possível. Para pastilhas, normalmente significa 6 meses após o lançamento do veículo e 12 a 18 meses para os discos. Como exemplo, lançámos recentemente pastilhas para as séries BMW 7 (03/2019>), Mercedes B-class (01/2019>) e pastilhas e discos para Skoda Scala (02/2019>) e Karoq (04/2019>) incluindo aplicações para Audi Q8, Ford Focus e Fiesta ST. Isso significa que o aftermarket pode ter oportunidade de reparar esses veículos mais rapidamente. Para corresponder à crescente necessidade de peças para

marcas asiáticas, recentemente ampliámos a nossa linha de travagem para aplicações japonesas e coreanas com mais de 98,7% de cobertura em pastilhas e 97,1% em discos. Isso inclui aplicações como Mazda 3 (01/2019>), Kia Pro Cee’d (10/2018>) e Hyundai Tucson (06/2018>). 2 – No mercado europeu, a cobertura da nossa principal linha é: pastilhas frontais: 98,02%, pastilhas traseiras: 92,2%, discos dianteiros: 98,06%, discos traseiros: 90,08%. 3 – Oferecemos uma extensa linha de travagem, incluindo pastilhas, discos, maxilas, mangueiras, cilindros, fluidos de travões e sensores ABS - todos projetados para trabalhar juntos para um sistema de travagem poderoso e eficaz. 4 – Além das peças, também oferecemos recursos avançados de diagnóstico, apoio técnico e formação, garantindo que os técnicos tenham tudo o que precisam para corresponder aos sistemas de travagem atuais, cada vez mais complexos. 5 – As diferenças da gama Delphi em comparação com outros players do mercado são: o nosso produto é fabricado para desempenho OE, consistência e longevidade; temos uma extensa gama de componentes de fricção e hidráulicos; apresentamos os mais recentes desenvolvimentos na tecnologia de pastilhas e discos; acessórios essenciais, de acordo com o OE, para uma instalação mais rápida; testes em laboratório e em estrada; material de fricção ecológico e isento de cobre; peças disponíveis no mercado para veículos ainda em garantia; 6 – Apenas comercializamos a nossa marca: Delphi Technologies.

Klaxcar

Caetano Parts info@caetanoauto.pt 226 190 620 www.caetanoparts.pt 1 – Sendo a Klaxcar uma marca de origem Francesa, cedo focou o desenvolvimento das suas linhas de produto no parque circulante Francês. Com a internacionalização, rapidamente surgiram diferentes


67

necessidades e, por isso, a Klaxcar tem vindo a alargar a sua cobertura mundial. Para Portugal, já disponibilizamos discos e pastilhas de travão para viaturas Alemãs e começaremos brevemente a introduzir produto para o parque Asiático.

única marca que disponibilizamos como alternativa, pela confiança na elevada qualidade do produto.

2 - A Klaxcar tem uma cobertura do parque Europeu que ascende a 85%, sendo que no parque Francês atinge os 95%. No caso do parque Asiático, conta já com uma cobertura de 50%.

5 – A segurança é a nossa prioridade. Os requisitos de qualidade são verificados continuamente em toda a linha de produção. Os produtos passam por um rigoroso processo de inspeção e estão em conformidade com os regulamentos aplicáveis. A qualidade certificada, as distâncias de travagem reduzidas, o ótimo desempenho e as verificações rigorosas tornam o foco da Klaxcar na oferta de qualidade, equivalente à original, a um preço muito competitivo. 6 – Neste momento, comercializamos a grande maioria das marcas de pastilhas originais (OEM), sendo a Klaxcar a PUBLICIDADE

2 – Atualmente, contamos com 98% de cobertura na totalidade do parque, seja de viaturas de origem europeia, asiática ou americana. 3 – A Auto Delta conta com mais de oito mil referências disponíveis de discos e pastilhas de travão. 4 – O nosso catálogo online, desenvolvido em parceria com a TecDoc, conta com uma grande amplitude de informações técnicas que permitem a correcta identificação. Por outro lado, no site da Meyle poderá encontrar um catálogo com todas as informações pertinentes disponibilizadas pelo fabricante, bem como todas as instruções de montagem e vídeos exemplificativos que também poderão ser encontrados no canal MeyleTV no YouTube.

3 - Neste momento, a Klaxcar disponibiliza aproximadamente 700 referências de pastilhas de travão, e 350 referências de discos. 4 – A Caetano Parts disponibiliza todas as ferramentas técnicas disponíveis, sejam desenvolvidas por nós ou pelos fabricantes de forma a suportar a atividade dos nossos parceiros. Caminharemos sempre em direção à digitalização de todas as ferramentas de suporte técnico e não técnico. No caso da formação de produto, continuaremos a apostar em ações presenciais em complemento aos conteúdos digitais.

de testes independentes da qualidade e fiabilidade dos mesmos.

Meyle

Auto Delta Tiago Domingos tdomingos@autodelta.pt 244 830 070 www.autodelta.pt 1 – A mais recente novidade de produto tem sido o contínuo alargamento da gama PD. A Meyle tem sido reconhecida pelo desenvolvimento de produtos que superam as características do produto original e a gama de discos e pastilhas de travão a isso não é alheia, através da gama específica PD. A combinação entre qualidade do desempenho de travagem e a protecção anti corrosão de longa duração é simplesmente imbatível juntando-se-lhe a minimização de ruídos através da especial composição dos produtos e o reconhecimento através

5 – Podemos sempre referir que a relação qualidade/preço é um dos fatores diferenciadores da Meyle nesta gama de produto, conseguindo com a gama PD disponibilizar um excelente produto a um preço bastante competitivo. Ainda podemos salientar a diversidade de gama com este fabricante a disponibilizar uma variedade de produtos que cobre a maioria do parque automóvel europeu. 6 - A Auto Delta também disponibiliza pastilhas de travão das marcas ATE, Ferodo e Japanparts.


D

COMPONENTES DE TRAVAGEM

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

68

5 – A marca tem feito apostas certeiras na última década, expandindo as suas gamas e mantendo os seus padrões de qualidade. O facto de a produção continuar 100% alemã, contrariando a tendência de outros nomes fortes do mercado, marca a sua visão estratégica e os resultados obtidos.

Zimmermann

6 - A Zimmermann é a única linha comercializada.

Pacec Luís Trindade 262 832 243 geral@pacec.pt www.pacec.pt

1 – Para a Zimmermann, o último ano e meio foi preenchido com vários lançamentos importantes. Começou com o lançamento da linha de pastilhas de travão com reduzida emissão de pó, cuja concepção técnica inovadora permite praticamente duplicar o tempo de utilização, bem como suavizar a acção de travagem. A oferta Zimmermann foi ampliada com a nova gama de pinças de travão, com reconstrução própria, na linha da qualidade a que a marca habituou. A finalizar a sequência de novidades, destaque para a reconhecida gama de discos de travão, com a introdução da linha desportiva Black Series e correspondente optimização dos tempos e distância de travagem em todos os pisos, e das linhas Fusion Z, de discos compostos, com patentes próprias para Mercedes-Benz, BMW e Audi. 2 – A gama Zimmermann cobre praticamente todo o parque automóvel existente, com novidades frequentes e introdução de referências para os novos modelos em circulação. 3 – De momento, a marca possui cerca de 4000 ref. em produção, sendo a mesma realizada exclusivamente na Alemanha. Expansões e modernizações recentes levaram a que cerca de um milhão de peças de travagem estejam disponíveis para entrega imediata. 4 – A Zimmermann tem aprimorado a informação e o acompanhamento dos seus parceiros, com aposta em informação técnica, também disponível online, tutoriais em vídeo, e manuais de resolução de problemas.

Road House

Eurofren Clara Torres torres.clara@fmg-eu.com 1 - Lançámos 130 novas referências de pastilhas e 30 de maxilas de travão. Apresentámos um novo revestimento anti-corrosão em toda a gama de maxilas; a nossa empresa foi a 1.ª do setor a lançar uma gama completa de materiais de fricção ecológica até 1998; desenvolvemos uma nova linha de estojos e caixas para as pastilhas de travão, para facilitar o transporte, armazenamento e identificação do produto. 2 – Nos ligeiros a nossa cobertura é de 99% do parque europeu e no caso dos pesados é de cerca de 95%. 3 – A Road House está na vanguarda no número de referências de componentes de fricção, com mais de 4000 referências. Em termos de veículos pesados, temos mais de 400 referências. 4 – Disponibilizamos uma equipa técnica para apoiar os clientes, solucionando problemas e fornecendo informações necessárias. Isto também permite uma melhoria contínua dos processos de investigação e desenvolvimento para poder dar ao cliente o produto certo: eficiente e sem incidências. Além disso, dispomos de um catálogo online que permite encontrar produtos por dife-

rentes critérios, como marca e modelo, referência de equipamento original, etc. Por outro lado, disponibilizar formação é uma forma de as oficinas terem melhor conhecimento dos produtos. Fazemos quase 40 visitas à fábrica por ano, onde os nossos distribuidores acompanham as oficinas para que, em primeira mão, conheçam todo o processo de produção. 5 – A nossa filosofia sempre foi estar ao lado do distribuidor, dando-lhe o apoio necessário para poder vender os nossos produtos. Isso traduz-se, fundamentalmente, além da boa relação qualidade/preço e de continuar a oferecer os melhores produtos, num forte suporte em diferentes ações de marketing, com campanhas personalizadas e ajustadas às necessidades dos clientes. Além disso, a empresa aposta no marketing digital e na grande quantidade de recursos que oferece para alcançar cada vez melhor o nosso canal e o utilizador final. 6 – As marcas Remsa e Woking.

Open Parts

Exo Automotive info@exoautomotive.com +39 049 744 99 70 www.exoautomotive.eu/en/open-parts 1 – Como é um produto aftermarket que deve corresponder às características da peça de reposição original (OES), o nosso departamento de P&D concentrou-se em refinar constantemente os processos que podem melhorar o desempenho e o conforto da travagem. Por exemplo, para pastilhas, melhorámos a abrasão, inserindo o sistema de alta pressão. Também, não menos importante, o aspeto ecológico: o composto das nossas pastilhas está em conformidade com os regulamentos ambientais em vigor. Em vez disso, no que diz respeito aos discos, implementámos o tratamento


69

Qual será o futuro da travagem no automóvel, atendendo ao desenvolvimento do mercado de veículos híbridos e elétricos? Paulo Nunes Santos Motrio “Pela sua própria especificidade um automóvel elétrico tem um comportamento (pronunciado efeito de “travão-motor”) que reduz algumas necessidades de travagem. Mas seja qual for o tipo de propulsão, o sistema de travagem é inerente – por absolutamente indispensável – a um automóvel”. João Madeira Euro Tyre “Os sistemas de travagem serão sempre necessários e não vão desaparecer, serão sim cada vez mais eficientes, com menos elementos a serem libertados para a atmosfera e menos contacto entre componentes de fricção através da travagem regenerativa, tornando a mecânica mais simples, mas não evitando a manutenção”. Vítor Maia TMD “O futuro da travagem no automóvel, atendendo ao desenvolvimento do mercado de veículos híbridos e elétricos será incerto como o são os veículos híbridos e elétricos. As vendas para o 1.º equipamento serão iguais pois, por questões de segurança, o sistema de travagem continuará a ser de ação mecânica. O mesmo não acontecerá no aftermarket, pois o desgaste dos componentes será inferior, uma vez que parte da desaceleração é feita através do atrito criado na geração de corrente elétrica”. Silvia Cano Continental “A nossa principal motivação é evitar o mais possível partículas em suspensão. Uma medida para reduzir a abrasão é o desenvolvimento de calços e discos de emissão reduzida. A longo prazo espera-se que, devido ao aumento de veículos híbridos e elétricos, a travagem recuperativa aumente claramente, o que reduz as partículas em suspensão até 80%. Para as solicitações especiais de veículos elétricos, a Continental desenvolveu o chamado New Wheel Concept. Neste conceito, a jante consiste em duas peças de alumínio (Al), na estrela de suporte Al interior, bem como no disco de travão AI e no leito de jante exterior AI com o pneu. Ao contrário dos travões de roda tradicionais, no New Wheel Concept, o travão engrena no interior do disco Al“.

Bruno Pires Peres RecOficial “É uma evidência que os veículos elétricos e híbridos utilizam menos os travões que os veículos de combustão convencionais. Contudo, o facto de se “carregar menos no pedal” poderá originar que as pastilhas e demais componentes de travagem sejam mais suscetíveis à corrosão e oxidação. Nesse sentido, o futuro da travagem passa por inovar em tecnologia amiga do ambiente, minimizando o ruído e o desenvolvimento de ferrugem, para garantir a solução mais eficiente que dê resposta ao mercado dos veículos híbridos e elétricos”. Darja Bronsvoort Kavo “Por enquanto, num futuro próximo, ainda serão necessários discos e pastilhas de travão. No entanto, a tecnologia irá mudar para discos mais leves e pró-ambientais, para reduzir o peso total dos veículos”. José Tor Jervell Alea “Creio que não haverá mudanças num futuro próximo. Os veículos híbridos e elétricos, à semelhança dos veículos a combustão terão de utilizar travões para as quatro rodas e um sistema de travagem completo. É uma gama de produtos independente do tipo de motor que se tem no carro”. Benito Tesier Brembo “Nos últimos anos, a Brembo já se preparou para a eletrificação de veículos com inovações de ponta, como o desenvolvimento de sistemas de travão BbW (Brake by Wire). De acordo com a tendência atual dos fabricantes de automóveis, a Brembo está pronta para aplicações futuras. A eletrificação dos veículos pode afetar o mercado de reposição de várias maneiras. Um dos fatores decisivos será a linha de produtos da empresa. A Brembo, como fornecedora de componentes de freio para o aftermarket, está otimista com o futuro em mudança, pois abrirá novos gruposalvo”.

David Zapata Delphi “O crescimento de veículos híbridos e elétricos (HEVs) apresentará novos desafios para os fabricantes de sistemas de travagem. Por exemplo, ruído, vibração e dureza (NVH) estão a tornar-se uma área de crescente preocupação, já que a perda do som do motor está a expor o de outros sistemas, ou seja, travagem, direcção e suspensão. Da mesma forma, as pastilhas de travão também são menos usadas nos HEVs, devido à travagem regenerativa. No entanto, ainda têm de funcionar quando necessário, mesmo quando estão frios. Por esse motivo, será cada vez mais importante escolher uma marca com tecnologia de travagem comprovada, especialmente formulada para o veículo”. Tiago Domingos Auto Delta “O desenvolvimento do mercado de veículos híbridos e elétricos tem fortes repercussões em todo o espectro do mercado de peças para automóveis e a travagem a isso não é alheia. Não sendo totalmente substituída ou tornada obsoleta como outro tipo de componentes, os sistemas de travagem já têm vindo a ser alvo de evoluções tecnológicas sempre com o objetivo de uma maior eficiência”. Clara Torres Road House “Isto não terá um efeito imediato, irá passar algum tempo até que se vejam efeitos significativos no mercado. À medida que esse parque crescer, o efeito será haver menos rotação nas trocas de pastilhas, que serão substituídas mais por oxidação do que por desgaste. Nesse sentido, as empresas que se antecipem, estiverem mais especializadas e melhor preparadas para corresponder à diversidade do parque, vão estar em vantagem”. Ivan Foria Exo Automotive “Estamos a começar a ter uma noção clara de quão duráveis são os veículos movidos a motor elétrico. Mas, embora a travagem regenerativa possa ser a forma principal de diminuir a velocidade num veículo plug-in ou híbrido, isso pode significar que os travões tradicionais não são utilizados tantas vezes como deveriam. Num veículo tradicional, os travões são utilizados com tanta frequência que normalmente mantém-se livres de ferrugem e continuam a funcionar bem”.


D

COMPONENTES DE TRAVAGEM

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

70

de pintura, inserindo o tratamento DAP (Disc Antioxidant Process), que consiste numa tinta de silicone resistente a altas temperaturas, corrosão e ferrugem. 2 – No que diz respeito à cobertura, a EXO Automotive analisa constantemente a frota europeia, identificando novos códigos para implementar a gama existente para cobrir os veículos mais recentes. Atualmente, a nossa cobertura abrange mais de 96% do parque europeu, e cobrimos 95% dos carros em circulação em Portugal. 3 – Estão divididas aproximadamente da seguinte forma: 1062pastilhas e 1431 discos (versão tradicional e revestida). 4 – Fornecemos um catálogo online onde podem encontrar: aplicações, informações técnicas completas, desenhos e medidas técnicas, imagens a 360 graus, referências cruzadas com as principais marcas AM e OE. Além disso, com a colaboração dos nossos distribuidores, realizamos cursos técnicos específicos. 5 – Performance e conforto - performance, podendo contar com uma travagem segura em quaisquer condições e conforto, porque está garantida a ausência de ruído e vibração.

Eurorepar

Gamobar Jorge Teixeira antonioj.teixeira@gamobar.pt 226 152 700 www.gamobarpecas.pt 1 – Estamos a falar de uma gama que foi completamente renovada, integrando um sistema antirruído e de material de atrito otimizado. Uma das novidades que merece destaque vai, efetivamente, para o lançamento dos discos com rolamentos e anéis ABS pré-montados, garantindo um tempo de montagem reduzido. Trata-se, pois, de uma gama que contém 22 referências, sem metais

pesados e produzidos mediante planos de produção com certificação ISO. 2 – Atualmente, a gama de discos e pastilhas cobre mais de 90% do parque circulante, tendo como principal preocupação a de oferecer a melhor relação qualidade/desempenho e preço.

gama de discos e pastilhas de travão das várias marcas que representa: Peugeot, Citroen, DS, Fiat, Abarth, Alfa Romeo, Lancia, Opel, Chevrolet, BMW, Mini e SsangYong.

3 – O número total de referências disponíveis da gama de discos e pastilhas de travão é de 1416. De salientar ainda que 459 são discos dianteiros, 266 de discos traseiros e 691 de pastilhas de travão. 4 – Contamos com vários suportes de apoio que facilitam a comercialização da gama. A Eurorepar dispõe de ferramentas de marketing de lançamento, tais como folhetos de apresentação destinados aos profissionais. Disponibiliza ainda aos seus aderentes e clientes o portal Eurorepar, bastando para tal aceder a www.eurorepar.pt. Assim, à distância de um clique podem consultar toda a gama Eurorepar, obter informação técnica e ficar a par de todas as ações que estão a decorrer sobre determinado produto. Têm, inclusive, ao seu dispor várias ações de formação à distância, evitando custos e interrupções na sua atividade. A Gamobar Peças promove várias ações de campanha que dá a conhecer aos seus clientes através dos comerciais ou do nosso portal. 5 – Os discos e as pastilhas de travão Eurorepar têm uma eficácia muito próxima das peças de origem, pois os testes realizados pelo fornecedor nestas peças foram aprovados pela equipa de engenheiros do grupo PSA. Os discos respeitam os critérios dimensionais e materiais da regulamentação ECE90-02 para garantir as prestações de segurança, desempenho e conforto. As pastilhas têm também uma eficácia muito similar à da peça de origem sejam quais forem as condições de utilização, pois os materiais de atrito são otimizados para cada aplicação do veículo. São ainda equipadas com um sistema antirruído efetivo, constituídos por calços anti-vibração específicos. O desempenho acústico dos calços é verificado no momento do projeto e em diferentes testes de laboratório. De referir ainda que a eficácia das pastilhas de travão foi testada entre os -30ºC e os +500ºC, com meios de validação equivalentes aos das peças de origem. 6 – Para além da gama Eurorepar, a Gamobar Peças dispõe de uma vasta

Hella

Juan Diego López Muñoz www.hella-pagid.com 1 – Os discos de duas peças de Hella Pagid são compostos de dois elementos. Enquanto a câmara do disco é feita de alumínio ultraleve, a superfície de atrito é feita de ferro fundido cinza com uma alta percentagem de carbono: a junta ideal para as necessidades mais exigentes. Ambos os elementos são unidos por rebites de aço inoxidável de grande firmeza. Os seus benefícios são: melhores propriedades de amortecimento de ruído graças a uma percentagem maior de carbono e a um material fundido “macio”; melhor capacidade de condução térmica, o que reduz deformações. O resultado: sem vibrações. Promove uma travagem mais suave; proporciona potência de travagem ideal, sem deterioração, mesmo em situações extremas. 2 – A Hella Pagid Brake Systems oferece uma completa gama de produtos, proporcionando em pastilhas uma cobertura de 98% do parque europeu. 3 – A Hella Pagid oferece uma ampla gama em pastilhas e discos, com mais de 3100 referências fabricadas em qualidade de primeiro equipamento. 4 – Para a oficina: hellatechworld; informação específica: www.brakeguide.com 5 – A Hella Pagid oferece uma das gamas mais completas do mercado, desde o disco standard ao disco PRO revestido com uma tinta de água especial, discos de alto teor de carbono e discos de dois componentes. 6 – Apenas comercializamos Hella Pagid.


Técnica

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

72

T 2.ª PARTE

1.ª PARTE

Pastilhas de travão PARCERIA CEPRA / PÓS-VENDA WWW.CEPRA.PT

O

sistema de travagem é um dos sistemas mais importantes e indispensável em qualquer veículo automóvel. Desde que os veículos deixaram de ser tracionados por animais e passaram a ter propulsão própria, ou seja, se tornaram veículos automóveis, o sistema de travagem tornou-se imprescindível. A evolução nos veículos automóveis foi sempre acompanhada pela evolução em paralelo dos sistemas de travagem. Na prática, o sistema de travagem do automóvel deve ter capacidade de travagem para parar o veículo em todos os momentos. Deve desacelerar ou parar o veículo em condições seguras, na menor distância possível, em todas as condições de carga permitidas, em todas as condições da superfície da estrada e em todas as condições ambientais ou meteorológicas. Deve também garantir um processo de travagem do veículo gradual e garantir um processo de travagem confortável, que não exija esforço ao condutor do veículo. O princípio de funcionamento de um sistema de travagem de um veículo automóvel, assenta na redução da energia cinética, com a sua conversão em energia térmica. Toda a energia possuída pelo veículo num determinado momento deve ser convertida durante o processo de travagem até que o veículo pare completamente, se necessário. A conversão da energia do veículo é realizada durante o processo de travagem

por meio dos diferentes componentes do sistema de travagem. Esta conversão de energia provoca a redução da velocidade do veículo, mas a energia que foi transformada em energia térmica deve ser rapidamente dissipada pelo sistema de travagem, pelo que o sistema deve estar adequadamente projetado e dimensionado. A distribuição de carga nos eixos de um veículo quando estacionado é de aproximadamente 60% do peso total no eixo dianteiro e 40% no eixo traseiro. Esta distribuição de carga estática é modificada em condições dinâmicas de acordo com a aceleração ou desaceleração a que o veículo está sujeito. Durante o processo de travagem, a distribuição de carga pode alterar-se para cerca de 75% no eixo dianteiro e 25% no eixo traseiro. Esta situação significa que os travões dianteiros e traseiros, bem como as características do material de atrito ou material de fricção das pastilhas de travão, devem ter dimensões e/ou coeficientes de atrito diferentes, para impedir o bloqueamento das rodas traseiras. A engenharia automóvel desenvolveu ao longo do tempo, dois sistemas de travagem que se vieram a tornar os dois principais sistemas utilizados: O sistema de travão de tambor e o sistema de travão de disco. Atualmente, quase todos os automóveis saem da fábrica com travões de disco tanto no eixo dianteiro como no eixo traseiro. O sistema de travão de tambor já só aparece em eixos traseiros e em muito poucos auto-


73

móveis, normalmente ligeiros de pequena dimensão. Num sistema de travagem de travão de disco, os componentes principais são a pinça de travão, o disco de travão e as pastilhas de travão. O disco de travão, está instalado no cubo da roda e roda à medida que o veículo se move. Na travagem, a pressão hidráulica na pinça de travão é convertida em força de aplicação mecânica. Esta força pressiona, através de êmbolos, as pastilhas de travão contra o disco de travão, criando atrito que faz desacelerar o disco fazendo por sua vez desacelerar a roda do veículo. O atrito entre o disco e as pastilhas converte a energia cinética do veículo em energia térmica, permitindo assim a redução da velocidade. Pretende-se que o veículo desacelere de forma segura e confortável para os seus ocupantes, em todos os momentos, ou se imobilize totalmente quando necessário.

PUBLICIDADE

Quando um veículo trava, a conversão de energia cinética em energia térmica é alcançada por meio do atrito existente entre dois materiais, com coeficientes de atrito correspondentes. Esta conversão de energia produz um aumento na temperatura geral do sistema como um todo, em especial nos materiais em contacto. A conversão da energia ocorre devido ao contacto entre uma parte fixa, que são as pastilhas de travão que se encontram na pinça de travão, e uma parte móvel que é o disco de travão, que gira à mesma velocidade angular da roda do veículo. Quando o condutor pressiona o pedal de travão, o circuito hidráulico do sistema é pressurizado e os êmbolos da pinça empurram as pastilhas de travão (elemento fixo) contra o disco de travão (elemento móvel). É no contato entre as pastilhas e o disco de travão, que ocorre a conversão da energia. De facto, ambos os elementos têm que possuir características muito distintas entre si, pois devem ser capazes de suportar altas temperaturas sem se desgastarem excessivamente, mas também ter um bom coeficiente de atrito para conseguir desacelerar o veículo.

O coeficiente de atrito do material de atrito também deve ser o mais estável possível em diferentes velocidades e pressões diferentes do sistema de travagem, para que o condutor saiba o que esperar quando precisa que o veículo desacelere. Quando há interação entre duas superfícies, neste caso a pastilha e o disco de travão, podem acontecer fundamentalmente três situações: >> Atrito, que é o efeito causado pela existência de forças tangenciais que aparecem entre duas superfícies sólidas em contacto, quando essas superfícies são unidas pela existência de forças normais (forças na perpendicular às superfícies). O atrito é a resistência ao movimento que existe quando um objeto sólido se move tangencialmente em relação à superfície de outro objeto sólido com o qual está em


T

CEPRA

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

74

movimento. >> Desgaste, que consiste no desaparecimento de material da superfície de um corpo como consequência da interação com outro corpo. >> Adesão, que é a capacidade de gerar forças normais entre duas superfícies após serem mantidas juntas. Os requisitos básicos do material de atrito, também conhecido por material de fricção, das pastilhas de travão, são estabelecidos pelo fabricante em função da sua aplicação e do veículo para que se destinam. Os mais importantes são os seguintes: >> Um coeficiente de atrito adequado e estável em qualquer faixa de temperatura e pressão. >> Manutenção de um equilíbrio entre a abrasão e a resistência ao desgaste. >> Uma certa compressibilidade, a frio e a quente, que faz com que o material absorva vibrações e irregularidades da superfície com a qual está em contato. >> Boa resistência a colisões e a tensões de cisalhamento ou de corte. Para cumprir todos estes requisitos, cada fabricante de pastilhas de travão desenvolve e implementa as suas próprias formulações de materiais. O cenário ideal para um bom material de atrito seria o coeficiente de atrito permanecer constante em cerca de μ=0,4 para qualquer faixa de utilização, em relação à temperatura, pressão ou qualquer outro parâmetro. O material de atrito também deve ter muito pouco desgaste e não danificar a outra superfície com a qual entra em contato. No entanto, este é um cenário pouco realista, pois o material de atrito está sujeito a muitas alterações. Por outro lado, o material de atrito não é apenas caracterizado pelo coeficiente de atrito, mas também por outras propriedades intrínsecas ao material. Essas propriedades devem ser mantidas dentro de certos limites para garantir que o material cumpra a sua função principal. Uma das propriedades é a densidade. A densidade do material das pastilhas de travão é a relação entre a massa do material de atrito dividido pelo volume que ocupa. É uma propriedade importante para os fabricantes, pois pode dar uma expectativa do que vai ser a vida útil da pastilha em serviço. Outra propriedade é a porosidade. A porosidade pode ser entendida como o volume relativo da proporção de cavidades no material. Isso inclui poros, bolsas de ar e qualquer cavidade no material. A proporção de cavidades deve ser inferior a cerca de 5% da superfície da pastilha de travão e não deve afetar o seu perfil, caso contrário a pastilha deverá ser rejeitada pelo fabricante. Uma alta porosidade pode

causar desgaste prematuro na pastilha e uma baixa porosidade pode levar a ruídos. A resistência a forças de cisalhamento é a resistência do material de atrito a separar-se do suporte metálico (placa traseira) quando uma força tangencial atua sobre ele. Esta propriedade é importante, pois, na travagem, as pastilhas de travão estão sujeitas não apenas a forças normais (na perpendicular) contra o disco de travão, mas também a grandes deformações tangenciais que são geradas pelo disco de travão, quando este tenta arrastar as pastilhas na direção em que está a rodar. A compressibilidade tem a ver com a mudança na espessura das pastilhas de travão devido à aplicação de uma força normal na superfície das mesmas. A compressibilidade das pastilhas de travão é uma das suas características fundamentais, pois, com um certo nível de compressibilidade, elas absorvem vibrações entre o disco de travão e a pastilha, reduzindo assim os efeitos danosos das vibrações no sistema de travagem, que normalmente resultam em ruido. Por outro lado, uma compressibilidade excessivamente alta pode levar ao excesso de curso do pedal de travão. A condutividade térmica é outra propriedade importante. No caso das pastilhas de travão, é muito importante que a condutividade térmica do material seja capaz de expelir o calor para o exterior da pastilha. Mas deve ser controlada, porque se esse calor passar pelo suporte metálico até à pinça de travão e a partir daí para o fluido de travagem, pode haver perda de eficiência da travagem devido ao sobreaquecimento do fluido. Os valores de condutividade térmica variam significativamente na formulação do material de atrito. Se as pastilhas forem semi-metálicas a sua condutividade térmica será maior, pois os metais são melhor condutores de temperatura. Em formulações semi-metálicas, é, portanto, muito importante instalar uma camada inferior que impeça a transferência de calor para o fluido de travagem para garantir que o fluido não sobreaquece. Nos materiais de atrito com suporte metálico orgânico, a condutividade térmica será menor e, na maioria dos casos, não haverá necessidade de usar uma camada inferior. Os fatores descritos acima podem até contradizer-se, pelo que, o sucesso no desenvolvimento de uma pastilha de travão de qualidade depende, portanto, dos critérios do fabricante no que diz respeito a como avaliar e considerar os efeitos desses fatores, a fim de oferecer ao mercado o melhor produto possível de acordo com as suas expectativas. A Europa, ciente da enorme importância da qualidade dos componentes do sistema de travagem, no panorama da segurança rodo-

viária, regulamentou sobre os standards de performance e qualidade dos componentes. Os fabricantes de pastilhas de travão têm que cumprir o regulamento europeu ECE R-90, que é aplicável na União Europeia desde 31 de março de 2001, que define os requisitos de qualidade e performance das pastilhas de travão. Apenas deverão ser comercializadas e instaladas nos veículos, pastilhas que cumpram os requisitos do regulamento ECE R-90

Uma pastilha de travão é um componente multicamada, composto por várias camadas de elementos e materiais, cada um dos quais com funções muito específicas. Em função da qualidade pretendida e da aplicação pretendida para a pastilha, esta pode ser mais ou menos complexa. Entre estes elementos, destacam-se como principais, o material de atrito, o suporte metálico (placa traseira), a camada inferior e a placa anti-vibração. MATERIAL DE ATRITO CAMADA INFERIOR

MATERIAL DE ATRITO SUPORTE METÁLICO (PLACA TRASEIRA)

PLACA ANTI-VIBRAÇÃO

A pastilha de travão pode ter uma camada inferior, conhecida em inglês por underlayer, entre o material de atrito e o suporte metálico. A camada inferior é uma camada de material cuja função é fixar o material de atrito ao suporte metálico da pastilha de travão, bem como reduzir a temperatura alcançada pela pinça de travão. Esta camada de material tem uma formulação própria, pois os seus requisitos são os esperados para um material de atrito, mas a sua função é unir a camada de material de


atrito ao suporte metálico. Também varia a condutividade térmica do material de atrito para que o calor não passe por ele e o fluido de travões não sobreaqueça no caso de materiais de atrito de alta condutividade térmica. MATERIAL DE ATRITO CAMADA INFERIOR

SUPORTE METÁLICO

O suporte metálico ou placa traseira da pastilha de travão, conhecido em inglês por back-plate, é uma placa metálica e praticamente plana, cuja função é reter o material de atrito no suporte da pinça.

Os suportes metálicos podem ser pintados com um verniz de alta resistência, com o objetivo de evitar fenómenos de corrosão ao longo do tempo. A preparação do suporte metálico, de forma a garantir a aderência adequada do material de atrito, é uma fase crítica do processo de fabricação duma pastilha de travão. O suporte metálico pode aderir ao material de atrito por diferentes maneiras, tais como, por processo de colagem ou processo de prensagem mecânica. Os suportes metálicos que aderem ao material de atrito através de prensagem mecânica, são em geral galvanizados. Este tipo de suporte metálico possui picos rugosos metálicos em toda a sua superfície, para garantir a ligação mecânica ao material de atrito na prensagem.

As placas ou lâminas anti-vibração, conhecidas em inglês por anti-noise shims,


T

CEPRA

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

76

são componentes cuja principal função é absorver as vibrações que possam ocorrer no contato entre a pastilha e o disco de travão, impedindo assim a ocorrência de ruídos.

Nas placas anti-vibração, são utilizados materiais diferentes, como lâminas de fibra de vidro, lâminas de metal, lâminas de borracha, etc. Existe um tipo diferente de placa especificado para cada aplicação, dependendo do tipo de veículo no qual a pastilha de travão será instalada. O método de acoplar a placa anti-vibração ao suporte metálico (placa traseira) tende a variar, dependendo do tipo de material usado na placa anti-vibração. Existem placas anti-vibração presas por meio de uma resina fenólica que deve ser comprimida contra o suporte metálico (placa traseira), sendo toda a unidade submetida a uma temperatura de aproximadamente 150ºC. Outras placas anti-vibração são rebitadas na placa traseira. Outra possibilidade é a placa anti-vibração ser fixada no suporte metálico por meio de pinos ou encaixes. As placas anti-vibração podem também apresentar-se como lâminas que aderem ao suporte metálico através de sistemas autocolantes.

elementos de metal do tipo mola. Estes tipos de elementos dependem da geometria da pastilha de travão no sistema de fixação. Existem outros tipos de mola situadas na própria pinça de travão, mas cuja função é a mesma que as situadas nas pastilhas de travão. Em resumo, elas permitem um leve movimento das pastilhas ao travar, o que causa a absorção das vibrações. As pastilhas de travão podem possuir diferentes tipos de sensores de desgaste. A função destes elementos é avisar o condutor do veículo que as pastilhas estão prestes a chegar ao fim da sua vida útil e devem ser substituídas. Um tipo de sensores de desgaste, são os sensores acústicos de desgaste. Este tipo de sensores de desgaste, podem ser pequenos anéis ou aros que estão alojados nas laterais da placa traseira, sobressaindo aproximadamente cerca de 2 milímetros da superfície de atrito. Quando a pastilha de travão estiver desgastada e restar apenas cerca de 2 mm de espessura de material de atrito, o pequeno anel fricciona contra o disco de travão, dando origem a um ruido constante que avisa o condutor que as suas pastilhas de travão devem ser substituídas. Outro tipo de sensores são sensores eléctricos ou eletrónicos. Estes sensores podem ser constituídos por um cabo condutor com uma cabeça que fricciona contra o disco de travão, quando restam apenas cerca de 2 mm de espessura de superfície de atrito, e se desgasta até ao contato com o disco de travão, criando uma massa que completa o circuito. O que faz com que se acenda uma luz de aviso no painel de instrumentos, informando o condutor que está na altura da substituição das pastilhas.

força aplicada pelo(s) êmbolos(s) da pinça de travão. Além disso, o material de atrito geraria o mesmo coeficiente de atrito em toda a superfície. No entanto, na realidade, o disco de travão pode não estar paralelo à pastilha devido a diferentes razões: Devido por exemplo, às forças geradas nas curvas e à flexão do cubo da roda. Também, o estado e formato da pastilha de travão pode não estar ideal devido a diferentes razões. Além disso, a pinça de travão, e outros componentes do veículo podem já não se encontrar nas melhores condições. Quando a superfície de atrito da pastilha de travão não está em harmonia com a pinça e disco de travão, o resultado é geralmente vibração e consequentemente ruído. Porém, os fabricantes de pastilhas de travão têm algumas soluções para estes problemas, como é o caso dos chanfros que desenvolvem nas pastilhas. Os chanfros são cortes angulares no material de atrito da pastilha de travão. Com o chanfro, controla-se a forma como a borda da pastilha entra em contacto com o disco de travão, ajudando a evitar vibrações e ruídos. Com o chanfro, a pastilha entra mais facilmente em contacto com o disco de travão, porque entra em ângulo, e consegue-se também que a maior borda possível da pastilha entre em contato com o disco. O chanfro pode também compensar a flexão da pastilha de travão, no caso de sistemas com pastilhas grandes. Existem vários tipos de chanfros. Podemos ter chanfros apenas numa borda da pastilha, podemos ter chanfros nas duas bordas, podemos ter chanfros simétricos, chanfros assimétricos, chanfros em V, etc..

As placas anti-vibração permitem que a compressibilidade da pastilha de travão seja aumentada quando em frio, com o efeito positivo resultante no ruido, sem aumentar significativamente a compressibilidade da pastilha de travão quando em quente, o que poderia levar a uma excessiva folga no pedal do travão.

Para absorver as vibrações às quais as pastilhas de travão são submetidas na pinça de travão sob travagem, elas podem possuir

A aplicação ou contacto perfeito da pastilha de travão no disco de travão, deveria acontecer, entre duas superfícies paralelas. A face do material de atrito da pastilha aplicaria a mesma quantidade de força em toda a superfície e a pastilha não flexionaria, sob a

Há pastilhas que não precisam de chanfros, devido ao tipo de material de atrito que possuem ou a particularidades do próprio sistema de travagem. Não se devem criar chanfros nestas pastilhas. CONTINUA NA PRÓXIMA EDIÇÃO


T

MECATRONICA

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2018

78

Como resolver os problemas mais comuns nos automóveis? BY MECATRONICAONLINE

Desaperte aproximadamente 1/2 volta Purgue o sistema de embraiagem hidráulica Pressione e mantenha pressionado o pedal da embraiagem Aperte os pernos de fixação do motor/da caixa de velocidades Solte o pedal da embraiagem Volte a montar todas as outras peças em ordem inversa da remoção Tempo de reparação Ajuste o mecanismo da mudança de velocidades Ateste o óleo se necessário Tempo total: (OE: 99F20A) 2.2 # Retire a transmissão manual Substitua a embraiagem Substitua os pinos de centragem Volte a montar a transmissão manual Purgue o sistema de embraiagem hidráulica Tempo total: (OE: 99F82A) 8.4 # Peças necessárias Cavilha central 6968 36 x2 Tampa: 2207.A8

Peugeot 208

SINTOMA 2

(A90, A91) 1.6 8V HDi (DV6C (9HD)) 2012 - ...

SINTOMA 1 Mudança de velocidades difícil para a primeria e/ou segunda velocidade Mudança de velocidades difícil ou impossível ao engatar a marcha atrás Condições quando os sintomas ocorrem: Motor frio Causa Causa possível: Conjunto da embraiagem defeituoso Solução Retire a roda dianteira esquerda Retire a protecção contra salpicos dianteira esquerda Retire a tampa

Arranque o motor Ponto morto seleccionado Pressione o pedal da embraiagem até ao fundo Se o tempo de paragem do eixo de entrada for inferior a 3 segundos, proceda da seguinte forma: Ajuste o mecanismo da mudança de velocidades Volte a montar todas as outras peças em ordem inversa da remoção Ateste o óleo da caixa de velocidades Se o tempo de paragem do eixo de entrada for mais de 3 segundos, proceda da seguinte forma: Retire a transmissão manual Substitua a embraiagem Substitua os pinos de centragem do motor/caixa de velocidades Aplique lubrificante nas linguetas do eixo de entrada da caixa de velocidades G14 Limpe o excesso de lubrificante Volte a montar a transmissão manual Pernos de fixação do motor/da caixa de velocidades: Aperte os pernos à mão

Ruído de pancada proveniente do eixo dianteiro Condições em que o sintoma ocorre: Ao arrancar em marcha atrás Ao acelerar ou desacelerar A velocidades baixas Causa Movimento do rolamento da roda no interior do cubo da roda Solução Execute um teste de condução reduzido Retire o rolamento da roda defeituoso Substitua o rolamento Aplique lubrificante na área indicada


79

Sensor de velocidade da roda: Limpe se necessário Execute um teste de condução Tempo de reparação Tempo total: (OE: 99F26A) 2.8 # Peças necessárias Lubrificante: 1610277180

SINTOMA 3 A luz de aviso ESP acende-se Possíveis códigos de falha: C1135 C1136 C1638 Condições em que o sintoma ocorre: Ao conduzir

Causa Sensor de ângulo de direcção incorrectamente calibrado Solução Ligue a ferramenta de diagnóstico Leia os códigos de falha Siga o procedimento descrito abaixo, se estiverem presentes um ou mais dos seguintes códigos de falha: C1135 C1136 C1638 Verifique as rodas e os pneus para danos ou desgaste Verifique/ajuste o alinhamento das rodas Bloquie o volante de direcção para a posição central

Utilize a ferramenta especial Utilizando a ferramenta de diagnóstico: Calibre o sensor de ângulo de direcção Tempo de reparação Tempo total: (OE: 99F15A) 1.7 # Ferramentas especiais Inclinómetro:

NOTA OS DADOS TÉCNICOS, DA RESPONSABILIDADE DA MECATRÓNICAONLINE (DIREITOS DE AUTOR HAYNESPRO B.V.), EMPRESA DE REFERÊNCIA AO NÍVEL DA INFORMAÇÃO TÉCNICA, SERÃO PUBLICADOS EM TODOS OS NÚMEROS DA REVISTA PÓS-VENDA. SE PRETENDER MAIS ESCLARECIMENTOS SOBRE ESTES DADOS TÉCNICOS, OU CASO TENHA UMA DÚVIDA TÉCNICA QUE PRETENDA VER ESCLARECIDA, ENVIE-NOS UM EMAIL PARA GERAL@POSVENDA.PT

PUBLICIDADE


Formação

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

80

F

N.º

2

NOVO CURSO - SENSORES

Conceitos de Multiplexagem

N

o artigo anterior falámos-lhe sobre as unidades de comando eletrónicas. Estudámos a sua constituição, funcionamento, e a forma como interagem com inputs e outputs. Nesta edição iremos conhecer a interligação entre as dezenas de unidades de comando que constituem a arquitetura elétrica do automóvel. Com o aumento das exigências técnicas de funcionamento, a partir do aumento de funcionalidades e unidades de comando, tornou-se inviável a continuidade da utilização dos estados analógicos. A Multiplexagem consiste numa rede que tem por fim transmitir uma ou mais mensagens por via de um só canal de comunicação, em formato digital. A transmissão de dados entre unidades comando é feita a partir de código binário (estados de 0 ou 1) que, de acordo com o tipo de comunicação, corresponderá a uma ou mais mensagens que desenvolvem análise e/ou ação por parte das unidades de comando. Ao comunicar em linguagem digital, são transmitidas informações de forma rápida, fácil e viável para uma optimização e melhoria do funcionamento dos sistemas. Ao longo dos anos têm sido desenvolvidos vários protocolos de comunicação, ora impulsionados pelos grandes construtores do setor, como a Bosch, ora pelos próprios fabricantes de automóveis, que pretendem dotar os seus modelos com equipamento e funcionalidades específicas. CAN-Bus (Controller Area Network) – É a rede mais utilizada pela maioria dos fabricantes de veículos dada à sua rapidez de comunicação, surgiu no mercado em 1987 e até há poucos anos era a comunicação mais rápida no automóvel.

LIN-Bus (Local Interconnect Network) – Também bastante utilizada para comunicações de baixa velocidade e com baixa importância ao nível de prioridade de informação, como por exemplo os sistemas de infotainment ou comunicações privadas entre unidades de comando do mesmo sistema. VAN-Bus (Vehicle Area Network) – É um protocolo desenvolvido por marcas automóveis francesas. Não teve enorme expansão dado às suas equivalências ao nível da velocidade de comunicação com a CAN-Bus de baixa velocidade. MOST (Media Oriented Systems Transport) - É também uma rede de muita alta velocidade que tem por base de funcionamento a fibra óptica. Por limitações físicas do sistema, a implementação no automóvel é limitada a aplicações como por exemplo o infotainment. FlexRay – Surgiu em 2006 com uma velocidade dez vezes superior à da comunicação CAN, com a vantagem de utilizar cabos elétricos para ligação convencionais, tal como no sistema CAN. Assim se permitiu uma vantagem de implementação face à MOST, daí ser preferencialmente utilizada em sistemas Drive by Wire, Cruise Control Adaptativo, etc. Ethernet – Implementada recentemente nos automóveis, esta tecnologia é proveniente da informática, e permite uma velocidade de transferência de dados 10x superior ao Flexray. Byteflight – Foi desenvolvido pela BMW, para satisfazer os altos requisitos de velocidade requeridos pelos sistemas de segurança. A sua rede ponto a ponto permite isolar as comunicações entre unidades.


Aberturas

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2019

82

A

Atlas Bus abre armazém em Portugal

D

edicada ao comércio de peças e componentes para autocarros, a Atlas Bus está presente em Portugal desde 2016 através de uma parceria comercial com a empresa portuguesa PFG. Agora, em 2019, a empresa passou a ter um armazém, na região de Coimbra. A PFG é uma empresa com sede em Vila Nova de Poiares, Coimbra, que se dedica a diversos negócios dentro da área dos autocarros quer na área do comércio, reparação e peças. Fruto do desenvolvimento do negócio no mercado português (onde cresceu 16%

em 2108), a PFG passou a ter uma armazém físico no distrito de Coimbra, mas concretamente em Miranda do Corvo, de modo a poder servir os seus clientes o mais rapidamente possível.

Multitrucks com filial em Sintra

A

Multitrucks, empresa de peças para o setor dos veículos pesados, abriu a sua primeira filial em Sintra, dando continuidade à expansão da sua atividade.

Auto Deu La Deu é a primeira oficina Nexus Auto em Portugal

A

oficina Auto Deu la Deu, de Monção, é a primeira oficina em Portugal a integrar a rede Nexus Auto, passando assim a integrar este conceito mundial, desenvolvido pela Nexus Automotive. A vontade de evoluir, inovar e estar na linha da frente na reparação automóvel foi o principal motivo que levou esta oficina a integrar recentemente o conceito Nexus Auto, revelou fonte da Auto Deu La Deu, que explicou ainda que “o mercado exige cada vez mais oficinas que se enquadrem dentro de certos padrões de processos de organização, formacão e dinâmica e que, por isso, este é futuro das oficinas e esta é vontade de estar unidos a um grupo de elite a nível mundial”. Localizada em Monção, junto à Km3 da estrada que liga Monção / Valença, a Auto Deu La Deu presta diversos serviços na área automóvel, da mecânica até à colisão.

Presente em São Julião do Tojal, onde tem a sua sede, a Multitrucks deu mais um passo na expansão da sua atividade no setor das peças para veículos pesados, ao abrir novas instalações em Lourel / Sintra (Centro empresarial AMOET). Nestas instalações, onde existem um enorme armazém e um balcão de peças, no qual trabalham cinco profissionais com larga experiência na área, permite à Multitrucks aproximar-se de alguns clientes, mas também poder potenciar a conquista de novos clientes.

Multishop Auto amplia a sua rede oficinal

A

Multishop Auto Lda., com sede em Carnaxide decidiu apostar na expansão da sua actividade para estar mais perto dos seus clientes com instalações de maiores dimensões, diversidade de produtos e serviços. Com um área de actividade de 2.200 m2 interior onde se disponibilizam serviços de pneus ligeiros, comerciais, 4×4, pesados e moto, os clientes poderão também encontrar uma zona específica de mecânica e serviços rápidos. Uma zona exterior com 1.800 m2 estará igualmente disponível para serviço de lavagens e ainda estacionamento com avença mensal. Estas instalações contam ainda com loja especializada de serviço de motos. A Multishop Auto Lda. passa a ter uma rede de oficinas com instalações em Carnaxide, Olivais e Cacém o que representa por si só um investimento considerável da empresa em termos de recursos humanos e equipamentos.


Profile for Revista Pós-Venda

REVISTA PÓS-VENDA 49  

Na edição de outubro da REVISTA PÓS-VENDA, o destaque vai para o dossier de componentes de travagem e para o especial lavagem auto. Em evidê...

REVISTA PÓS-VENDA 49  

Na edição de outubro da REVISTA PÓS-VENDA, o destaque vai para o dossier de componentes de travagem e para o especial lavagem auto. Em evidê...

Advertisement