Page 1


ÍNDICE

16

DERMATOLOGIA O que você e o Ötzi têm em comum? • Dr. Leonardo Ravache

14

EDITORIAL Portal Saúde. Essa é a nossa marca • Luiz Marques • Franciele Marques

20

OFTALMOLOGIA Tratamento moderno do ceratocone • Dr. Rodrigo Cavalheiro

NUTRIÇÃO Gerenciamento da pele • Elaine Silva

22

ODONTOLOGIA Odontologia Estética do Futuro: Hoje • Susana Cipriani

24

18

GERIATRIA Um novo conceito de Residência Geriátrica • Dr. Marcos Antônio Curi Alcici

26

PERSONALIDADE Histórias de sucesso e uma trajetória de determinação. • Erika Januza

30

CIRURGIA PLÁSTICA Lipoaspiração x Lipoescultura • Dr. Henrique Riggenbach Müller


32

ESPECIAL CAPA Quando devemos nos preocupar com o desenvolvimento da criança? • Dra. Gabriela Casagrande Dagostim

33

O Melhor amigo das crianças • Dra. Denise e Dra. Ana Cristina

34

A Epidemia das Doenças Alérgicas • Dr. Gustavo Soldateli

35

A Homeopatia e a Pediatria • Dr. Rodrigo Aita Bittencourt

54

PSIQUIATRIA Ansiedade generalizada no dia a dia • Dr. Victor Raphael Corrêa Voss

37

Como saber se meu filho cresce bem? • Dr. Vinicius Rene Giombelli

38

Orelha de Abano: Saiba como tratar esse problema • Dra. Ana Amélia Torres

39

Óxido Nitroso na Odontopediatria Um recurso seguro em situações especiais • Dra. Ana Luiza Picolli

CURIOSIDADES Dicas infalíveis de como ter mais energia durante o dia! • Karina Peloi

ODONTOLOGIA Bruxismo • Dr. Rafael Mariano • Dra. Juliana M. Trajano

CIRURGIA DE MÃO Artrose de polegar • João Paulo Mussi Simões de Sousa

Amamentação e Apoio Dra. Amanda Ibagy

44

42

46

36

48

MASTOLOGIA Câncer de mama: diagnóstico e prevenção • Dr. Gustavo Frode Machado Vieira

50

TURISMO O antigo e fascinante Egito

56

ORTOPEDIA Fratura de fêmur no idoso. Da prevenção ao tratamento • Dr. João Victor da Silveira Moller


ÍNDICE

60

58

GASTRONOMIA Ostras • Chef Narbal de Souza Corrêa

ODONTOLOGIA Disfunção temporomandibular (DTM) • Dr. Daniel Lemos Abadie

64

62

COMPORTAMENTO Como ter autoconfiança? • Wendell Carvalho

TRANSPLANTE CAPILAR Queda de cabelo X receitas milagrosas • Dr. Gustavo Sartorato

66

GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA Candidíase Recorrente • Dra. Maisa Miranda Cascaes

70

MODA E BELEZA Moda e Beleza Sustentáveis • Danúbia Mendes

72

DIREITO MÉDICO A lei deve proteger os bons, sem criar precedentes para os maus • Raul Canal

74

CULTURA Dazaranha é uma das bandas mais conhecidas de Florianópolis


EXPEDIENTE Luiz Marques Diretor Comercial FRANQUEADOS

Franciele Marques Diretora Administrativa Henrique Attilio Diretor Comercial Conselho Editorial Junior Favoreto Diretor de Franchising

Rebeca Casal Diretora de Social Media

Larissa Veiga Diretora de Arte

Gabriella Sandim Gestora de Conteúdo

Revista Trimestral: Setembro/2018 | Ano 2 | Edição 05 Florianópolis - SC

Rafael França Gestor de Mídias Digitais Wanessa Merel Assessora de Franchising Suporte de Franquias

Capa: Medical Kids - Clínica Pediátrica Medicina para pequenos, com grandes benefícios

Karla Arguelho Suporte de Franquias

Diretora Técnica Médica Dra. Denise Aparecida Nogueira de Lima CRM/SC 15519

Michelle Nunes Administrativo

Foto da Capa: Rudi Bodanese

Thiago Britez Diretor de Criação

Vitor Obede Diretor de Arte

UMA NOVA EDIÇÃO, CRIADA ESPECIALMENTE PARA VOCÊ.

Fernando Cabral Diretor de Arte

Uimer Freire Diretor de Arte

Nilton Giuliano Turetta Departamento Jurídico

As matérias e imagens veiculadas são de responsabilidade dos seus autores. Artigos assinados não representam, necessariamente, a opinião da Revista Portal Saúde.

Ricardo Joerke Revisor


Fotógrafos: Cleber Valério Daniel Viana Dhiego Silveira Fabrício Sousa Faya L1nk Estúdio Criativo Priscilla Freitas Pedro Saad Raquel Cunha Rubens Koerich Varaschin Rudi Bodanese Shodo Yassunaga Jornalista Responsável: Eduardo Vieira Miranda - DRT/MS 1663 Circulação: Florianópolis e Grande Florianópolis Colaboraram com esta Edição: Chico Martins Dazaranha Danubia Mendes Fábio Marques Karina Peloi Narbal de Souza Corrêa Wendell Carvalho Banco de Imagens: Depositphotos Inc. iStockphoto LP. Shutterstock, Inc.

Atendimento ao Leitor florianopolis@revistaportalsaude.com.br Tel.: 48 99115.0777 | 99152.7778

Participe da Revista O que você gostaria de ler na próxima edição? florianopolis@revistaportalsaude.com.br portalsaudefloripa portalsaudefloripa revistaportalsaude.com.br Baixe nosso aplicativo:

Revista Portal Saúde Florianópolis Luiz Maurício de Sousa Marques CNPJ: 28.269.467/0001-50 Tel: 48 99115.0777 Matérias e anúncios: Luiz Marques | 48 99115.0777 | 99152.7778 florianopolis@revistaportalsaude.com.br revistaportalsaude.com.br Sede: • São Paulo - SP E-Tower - Rua Funchal, 418 - 35º andar Vila Olímpia - CEP: 04551-060 Tel: 11 3521.7318 Franquias: • Campo Grande - MS Diretor Comercial Henrique Attilio comercial@revistaportalsaude.com.br • Dourados - MS Diretor de Vendas Willian Rorato dourados@revistaportalsaude.com.br • Cuiabá - MT Franqueada Evelyn Kerr cuiaba@revistaportalsaude.com.br • Sinop - MT Franqueados Achilles Parma e Fernando Parma Timidati nortemt@revistaportalsaude.com.br • Sorriso e Lucas do Rio Verde - MT Franqueados Achilles Parma e Fernando Parma Timidati nortemt@revistaportalsaude.com.br • Cascavel - PR Diretor Comercial Joilson Lobato e Bryan Carvalho cascavel@revistaportalsaude.com.br • Toledo - PR Diretor Comercial Joilson Lobato e Bryan Carvalho toledo@revistaportalsaude.com.br • Umuarama - PR Franqueado Joilson Lobato umuarama@revistaportalsaude.com.br • Londrina - PR Franqueados Roberto Fogaça e Michele Martins londrina@revistaportalsaude.com.br • Ponta Grossa - PR Franqueados Claudinéia Donha e Alessandro Donha pontagrossa@revistaportalsaude.com.br • Florianópolis - SC Franqueados Luiz Marques e Franciele Marques florianopolis@revistaportalsaude.com.br • Mogi das Cruzes - SP Franqueados Samuel Lóia e Leandro Lóia mogidascruzes@revistaportalsaude.com.br


EDITORIAL

Luiz Marques Diretor

14

Portal SaĂşde

Franciele Marques Diretora


Portal Saúde Essa é a nossa marca.

Enfim, chegou setembro de 2018, e com ele a tão esperada 5ª edição da Revista Portal Saúde Florianópolis, completando, assim, nosso primeiro ano de atuação na grande Florianópolis, e viemos, através deste editorial, reforçar nosso conceito da marca e nossa proposta de trabalho. Somos um casal jovem, com dois filhos maravilhosos, em busca de um estilo de vida mais saudável e empreendedores por convicção. Há dois anos iniciamos esse projeto e resolvemos deixar a comodidade de lado e enfrentar um novo desafio. Que era trazer a Florianópolis algo diferente, com maior qualidade em relação às mídias impressas da região, tanto em material, quanto em seleção de parceiros e conteúdo disponibilizados. Alcançamos nosso primeiro objetivo, que seria nos consolidarmos no mercado apresentando nossas diferenças, estabelecendo limites editoriais para que todos tenham visibilidade, demonstrando que volume não é sinônimo de qualidade. Acreditamos que a diversidade de informação traz conhecimento, não acreditamos em empresas que dizem só existir uma no mercado. Na diversidade, podemos encontrar melhores soluções e resultados mais positivos. Sempre estejam atentos às novidades, em busca de novos conhecimentos, “não se deixem enganar, acreditem no novo”. Aos poucos ganhamos nosso espaço, sabendo que não somos a única, mas trabalhamos, sim, para ser a melhor. Hoje sabemos que acertamos, tivemos uma ótima adaptação, conhecemos pessoas incríveis e estabelecemos nossa marca no mercado de Florianópolis e região, mostrando aos nossos clientes a melhor forma de obter resultados, levando informação de forma concisa e simples, apresentando nossos parceiros de maneira ética.

Em nossas editorias trazemos uma personalidade em nível nacional e também convidamos profissionais da região, como o chef de cozinha Narbal Corrêa, a Banda Dazaranha, o especialista em comportamento Wendell Carvalho, a nutricionista Karina Peloi, a produtora de moda Danúbia Mendes, entre outros. Sempre em busca dos melhores profissionais, agregando qualidade ao nosso conteúdo. Como nossa marca remete, somos um “Portal” de comunicação que consegue unificar a força do impresso com a velocidade do on-line em nossas ferramentas, um veículo de comunicação completo e não somente mais um guia médico. Somos revista, site, Facebook, Instagram, Youtube. Uma empresa pronta para atender com excelência e resultados nossos leitores, clientes e parceiros. Credibilidade se conquista com responsabilidade e respeito, oferecemos soluções, e não sonhos,criamos relacionamentos com confiança. Somos uma empresa, uma família comprometida com a excelência, porque vocês merecem. Aproveitamos para agradecer às doutoras Ana Cristina e Denise por confiarem em nosso trabalho, parabenizamos as duas pela estrutura que oferecem aos pacientes, realmente um espaço completo na área de atendimento pediátrico em Florianópolis. Quem ainda não conhece a Medical Kids precisa conhecer. Um grande abraço a todos os amigos que fazem parte do nosso dia a dia, a todas as pessoas que nos ajudam de alguma forma, hoje Florianópolis já é nossa casa, nossa família agradece. Aproveitem, tenham uma boa leitura e até a próxima edição! Luiz Marques e Franciele Marques Diretores da Revista Portal Saúde Florianópolis

Portal Saúde

15


DERMATOLOGIA

O QUE VOCÊ E O ÖTZI TÊM EM COMUM? A relação atual da dermatologia com o laser e a remoção de tatuagens Encontrou-se há alguns anos atrás, nos Alpes italianos, um homem que tinha em seu corpo 57 tatuagens. Nada que nos tempos atuais seja impossível, para não dizer corriqueiro, mas o caso é que Ötzi, como foi batizado esse homem que foi encontrado em uma geleira, morreu há aproximadamente 5.300 anos. Pois é, a história da tatuagem e dos homens é antiga, e passou por diversas fases. O que antes, na época de nossos pais, já foi um tabu, tornou-se uma forma de expressão aceita e difundida entre praticamente todos os meios sociais. Jogadores de futebol, atores, personalidades exibem suas tatuagens nos campos e palcos, mostrando, além de muita personalidade, que os tempos são outros e que, quando se quer fazer uma, as barreiras são cada vez menores. A flexibilização desta forma milenar de marcar a pele trouxe de carona uma consequência que até algum tempo atrás não tinha reversão: o arrependimento. Seja porque enjoou do desenho, ou por ter tatuado um amor que não é mais correspondido,

o número de pessoas que têm uma tatuagem de que não gostam cresce praticamente no ritmo dos novos estúdios e vídeos no Youtube que mostram como é fácil ter uma. Entretanto, poucos falam o que é preciso fazer para apagar os desenhos. A remoção de tatuagens, que até pouco tempo atrás era muito complexa, dolorosa e não totalmente eficaz, pois existiam pigmentos que eram resistentes aos tratamentos de remoção disponíveis (como a cor vermelha), tornou-se uma prática de consultório com resultados excelentes. Lasers que removem os pigmentos em poucas sessões já são uma realidade em consultórios no Sul do Brasil e em cidades como Florianópolis. O colega Thiago Micieli, do Portal Derme, afirma que o aumento da busca por esse tipo de procedimento o incentivou a adquirir o primeiro equipamento deste tipo no Estado, e desde então a demanda só vem aumentando. O Laser Etherea MX, que conta com a ponteira Acroma, específica para a remoção de tatuagens, atua na camada da pele onde o pigmento está, deixando as partículas da tinta cada vez menores e, assim, absorvíveis pelo próprio corpo. Desta forma, a tinta é eliminada, deixando a pele com a coloração extremamente semelhante à que existia antes das agulhadas. Claro que o ideal é ter ponderação e assegurar-se antes de fazer uma tatuagem, mas isso não impede de se arrepender e, graças à tecnologia, poder contar com a Dermatologia moderna para apagar aquele risco que você sente não fazer parte da sua vida. Diferente do Ötzi, nossos contemporâneos têm total controle sobre o que pesquisadores do futuro vão achar gravado sobre sua pele.

Dr. Leonardo Ravache CRM/SC 12746 Dermatologista - RQE 10466

16

Portal Saúde


NUTRIÇÃO

Gerenciamento

Pele

da

Quem hoje não busca uma pele viçosa, iluminada e saudável? Mas o que muitos não sabem é que, para termos tal resultado, não basta (somente) usar bons produtos de beleza e filtro solar. A saúde da pele vai muito além disso, precisamos estar cientes de que a saúde vem de dentro para fora, e o resultado de uma pele jovem e saudável será consequência de uma boa nutrição e bons hábitos de vida. Para um bom gerenciamento da pele, é necessário nos mantermos sempre bem hidratados, bebendo a quantidade ideal de água ao dia (para você saber o ideal de água a ser ingerido ao dia, basta fazer o seguinte cálculo: multiplicar 30 ml por kg de peso). Ingerir alimentos fontes de vitamina C (laranja, limão, acerola...), vitamina A (cenoura, abóbora, manga, mamão, gema de ovo...), biotina (nozes, gema de ovo, cereais integrais, amendoim...), silício (amêndoas, nozes, cereais integrais, peixes...). Manter uma alimentação equilibrada, pobre em açúcares, farinhas refinadas e gorduras hidrogenadas. Consumo adequado de fibras para manter o intestino sempre funcionando. Consumir peptídeos específicos do colágeno (Verisol®), pois esse tipo bioativo do colágeno vai agir diretamente nos fibroblastos (nome das células que formam a pele), aumentando até 65% na produção de pró-colágeno na pele e consequentemente retendo mais água ali (pele hidratada). Age também nas elastinas (proteína de função estrutural que forma fibras elásticas na pele). Os produtos desenvolvidos com peptídeos bioativos de colágeno hidrolisado Verisol® são os mais indicados para evitar as estrias. Eles comprovadamente aumentam em 18% a elastina da pele, portanto aumentam a elasticidade. O consumo deve ser diário, na dose de 2,5 gramas. Além de todos esses pontos explanados aqui, importante também dormir bem, fazer atividade física, evitar substâncias tóxicas ao corpo, como o cigarro, por exemplo, e ter cuidados básicos diários, usando cosméticos específicos para seu tipo de pele e filtro solar.

18

Portal Saúde

Elaine Silva Nutricionista CRN10 4904 Nutricionista Pós-Graduada em Nutrição Clínica Funcional Foto: Rubens Koerich Varaschin


ODONTOLOGIA

ODONTOLOGIA

ESTÉTICA DO FUTURO:

HOJE Em tempos nos quais a aparência é fundamental, os cuidados com a beleza vão muito além da vaidade. A estética tornou-se um item essencial até na vida profissional e a chamada boa aparência, em muitos casos, passou a ser tão importante quanto um bom currículo. Nunca se buscou tanto a beleza como hoje em dia, mas, quando falamos na beleza como sinônimo de sucesso, a importância de um belo sorriso é tão antiga quanto a velha frase que diz: “Um belo sorriso abre portas!”. Falando em evolução e modernidade, podemos dizer sem medo que a odontologia estética deu seu maior salto evolutivo nas últimas décadas. As técnicas, materiais, equipamentos e até filosofias de trabalho que surgiram são entusiasmantes e, hoje, é possível arquitetar o futuro sorriso do paciente pelo computador e até usar sua personalidade como fomento para o design de cada dente. E ainda mais: os dentes podem ser concebidos em máquinas extremamente modernas, com impressoras 3D, em poucos minutos. Falando nessas técnicas, uma informação que impressiona muitos pacientes é que o Brasil se tornou o celeiro das mais sofisticadas técnicas da odontologia estética moderna: o Digital Smile Design e o Visagismo odontológico, ambos criados

20

Portal Saúde

por brasileiros. Em bom português, o Planejamento Digital do Sorriso é uma ferramenta fantástica, na qual o dentista pode planejar, junto com o paciente, o design de cada dente, criando uma relação de confiança entre o profissional e o paciente. Além das técnicas e tecnologias, outro fator importante que devemos ressaltar é a qualidade dos materiais usados para reabilitação odontológica. As porcelanas modernas são realmente impressionantes, pois chegaram a um nível em que se tornou difícil até para alguns profissionais diferenciar um dente natural de uma faceta, por exemplo. Dentre todos os avanços com relação aos materiais, destacamos as lentes de contato dentais, que são estruturas extremamente finas e delicadas que são cimentadas aos dentes naturais (sem nenhum desgaste dentário) e que possuem uma belíssima aparência. Com as lentes de contato dentais, em poucas sessões, é possível restaurar um sorriso completamente e com um nível de excelência nunca antes visto!

Susana Cipriani CRO/SC 9430 Especialista Prótese Dentária Odontologia Estética


GERIATRIA

Um novo conceito de Residência Geriátrica Há alguns anos atrás, quando se falava em um filho deixar o pai ou a mãe em uma casa de idosos, pensava-se, em primeiro lugar, em um asilo e depois vinha o comentário de abandono. Esse era o pensamento de todos. Hoje o conceito de casa de repouso ou lar geriátrico mudou completamente, o mundo moderno e os anos passaram, as necessidades mudaram e fica muito difícil cuidar do nosso idoso dentro da nossa casa, pois todos trabalham, ritmo de vida corrido, e fica complicado dar a atenção necessária para o idoso, e coloca-se a vida do idoso em risco, deixando-o sozinho em casa. Tendo um risco iminente de um tombo, escorregão em um tapete, na hora do banho, deixar uma torneira aberta, o gás ligado ou até mesmo ao atender a porta e deixar um estranho entrar. São riscos enormes e a família acaba indo atrás de soluções, primeiro tenta encontrar pessoa para cuidar em

casa, no horário em que você não está. Às vezes acaba causando mais um problema, pois o idoso geralmente é muito carente, acaba se apegando e fazendo coisas que não faria com familiar, justamente para não perder o vínculo afetivo. Além de problemas trabalhistas, judiciais. Acaba o familiar tentando, de várias formas, suprir essa necessidade, gastando muito e não tendo a estrutura de um lar especializado. Os novos residenciais geriátricos vêm ao encontro dessa necessidade familiar, pois têm estadia, meia estadia, diárias e ainda sistema de creches. Têm uma variedade de formas para contratação de serviços com uma equipe multidisciplinar para poder atender à necessidade desse idoso dentro do que a família precisa (podemos especificar cada modalidade). Esse novo conceito de lar geriátrico conta com equipe especializada (médico, nutricionista, psicóloga, fisioterapeuta, técnica de enfermagem, enfermeira, 24h de cuidados e toda uma equipe administrativa voltada para cuidar de forma adequada do idoso). Uma família para pagar isso de forma individual não teria como, então, é dividido esse serviço com qualidade grande e uma equipe multidisciplinar voltada para a necessidade do seu idoso, além das intercorrências que podem acontecer nesse período e serão tratadas com assistência imediata. No Residencial Geriátrico Alameda das Palmeiras, além de toda essa equipe, eles conseguiram fazer isso no centro da Palhoça em um local com muito verde, casa ampla e acolhedora. Esse novo conceito ajuda a família a cuidar de forma adequada do seu idoso. Hoje estamos com a população idosa crescendo, vivendo mais.

Dr. Marcos Antônio Curi Alcici CRM/SC 3255

22

Portal Saúde


OFTALMOLOGIA

TRATAMENTO MODERNO DO

CERATOCONE ........................................................... Ceratocone é um doença de córnea que distorce sua curvatura, provocando graus progressivos de miopia e/ou astigmatismo. É um doença muito prevalente em Santa Catarina, incidindo geralmente nos pacientes entre 10-20 anos, ou seja, nos muito jovens. Seu aparecimento está fortemente ligado aos processos alérgicos, principalmente naqueles que causam muito prurido ocular. Portanto, o ato de coçar os olhos de forma repetida e contínua por anos causa o afinamento da córnea, que é a lesão básica da doença. Também devem ser observados caracteres genéticos familiares da doença. Com o afinamento da córnea, ela perde sua curvatura normal, ficando abaulada e irregular. Inicialmente, pode-se tratar o grau resultante com uso de óculos, mas, à medida que evolui, os óculos não conseguem mais corrigir, mesmo aumentando o grau. Há pouco tempo tínhamos apenas lentes de contato duras ou transplante de córnea para tratar estes pacientes. As primeiras, difíceis de usar em pacientes alérgicos, na maioria, e os transplantes trazem uma série de riscos e limitações. Para os casos que estão evoluindo, mas ainda têm visão boa, existe o Crosslink, que é aplicação de Raios Ultravioleta associada ao uso de Riboflavina, ele promove um endurecimento da córnea, parando a progressão da doença. Entretanto, o Crosslink não arruma, não melhora a curvatura da córnea. Nos casos em que já houve perda de linhas de visão, independentemente do grau, fazemos implante de Anéis de Ferrara dentro do tecido da córnea. Esses anéis, em sua sexta geração, são feitos de acrílico e, após implantados, acomodam-se no meio da córnea, sem serem expostos na parte externa (não se sente sua presença nem com os olhos fechados), provocando um aplanamento da curva mais acentuada, tendo um efeito de cinta. Eles reduzem o grau tanto da miopia como do astigmatismo,

24

Portal Saúde

ficando estáveis para a vida toda. Em Florianópolis, dispomos de um equipamento a laser para implante dos anéis (Laser de Femtosegundo), que permite um preciso posicionamento dos anéis, de forma rápida e totalmente indolor. Anestesia apenas com gotas e procedimento completo em somente 5 minutos. Já para os casos muito avançados, que não permitam uso de Anéis de Ferrara ou nos intolerantes às lentes duras, o transplante de córnea também sofreu consideráveis avanços. Hoje, naqueles casos mais graves, fazemos o Transplante Lamelar da córnea, que consiste em retirar apenas a camada anterior da córnea sem abrir o olho realmente e sem expor o enxerto novo ao interior do olho do paciente. Isto permite uma cirurgia muito mais segura, com um risco de rejeição muito menor que um transplante convencional, acreditando que este Transplante Lamelar pode durar toda a vida do paciente. Por fim, a despeito dos incríveis avanços no tratamento do ceratocone, não podemos esquecer que o mais importante é o tratamento rigoroso da alergia na infância, evitando que o coçar crônico dos olhos cause a doença ou a faça progredir.

Dr. Rodrigo Cavalheiro CRM/SC 10726 Médico Oftalmologista - RQE 13796 Cirurgião Especialista em Córnea, Catarata e Refrativa Chefe da Equipe de Transplante de Córnea do HU - UFSC


Foto: Faya

PERSONALIDADE

26

Portal Saúde


Januza Histórias de sucesso e uma trajetória de determinação. Na TV, Erika Januza conquistou os telespectadores com seu talento. Nesta edição, convidamos a atriz para falar sobre os seus principais personagens, os desafios da carreira, como o sonho de atuar começou e muito mais.

Quando criança, você sonhava em ser atriz? Passava por sua cabeça o sucesso conquistado atualmente? Ser atriz não era algo que estava em meus planos. Achava muito distante da minha realidade. Tentava ser modelo, algo que nunca deu certo e com certeza, apesar das alegrias e experiências, me trouxe mais prejuízo que lucro. Já que gastei um dinheiro que não tinha para ir em busca do sonho. Suburbia surgiu e me mostrou minha verdadeira vocação e me apaixonei pelo ofício de atuar. A minissérie Suburbia (2012) foi transformadora em sua vida. Conte-nos como surgiu a oportunidade de fazê-la. Também conte-nos sobre o processo seletivo, do qual participaram mais de 2 mil candidatas. Suburbia chegou a mim através de um e-mail que uma amiga me enviou. Como um teste para campanha publicitária. Enviei duas fotos e me chamaram. Só soube realmente do que se tratava ao final do teste. Neste dia, acabei não vendo nenhuma das outras meninas que iriam fazer o teste, pois cheguei bem mais cedo. Me sinto abençoada e privilegiada, pois havia duas mil meninas cheias de sonhos como eu, eu nunca tinha atuado, não conhecia absolutamente ninguém. Foi realmente a hora certa. Ainda em Suburbia, existe alguma relação entre a personagem Conceição e a Erika Januza? Muitas. Quando li o roteiro pela primeira vez, me surpreendi. Conceição é a menina que, mesmo com medo, vai à luta. Vai atrás dos sonhos. Deixou Minas pra ir em busca de uma oportunidade no Rio de Janeiro... Já parte daí.

Sobre as personagens Conceição, Alice e Raquel, você considera que a divulgação da história delas é importante para alertar a sociedade sobre os desafios que vivemos no cotidiano? Com certeza. Todas elas tiveram um pouco disso. Novela, além de entretenimento, também é informação. Olha a importância, por exemplo, de se terminar um final de capítulo com um número de telefone disque-denúncia na tela. Pelo que tenho ouvido nas ruas, lido nas redes sociais, Raquel está atingindo este objetivo. Incentivando as pessoas a querer respeito e lutar por uma realidade melhor! Os personagens que você interpreta são pessoas com histórias de vida fortes e intensas. No caso de Alice, de Em Família, como foi o desafio de vivenciar a história de uma garota fruto de um estupro da mãe? Gosto muito disso. Minhas personagens até hoje são mulheres guerreiras, que enfrentam a vida, não são passivas. Alice sofreu um choque ao saber de sua verdadeira origem, mas, ao invés de ir se lamentar ou chorar pelos cantos, foi atrás de justiça e conseguiu. Foi uma personagem que também conseguiu mostrar ao telespectador mais que entretenimento, uma trama que incentivava a denúncia por estupro. Recebi muitas mensagens na época. Qual a sua relação com o Carnaval? Neste ano de 2018, foi destaque da Grande Rio. Mas também já viveu Xica da Silva pela Unidos da Tijuca... Carnaval pra mim é uma alegria sem tamanho. Fico numa atmosfera tão boa nesta época. Fui muito bem recebida pela Grande Rio. Estar nos ensaios era um prazer!

Portal Saúde

27


PERSONALIDADE

Pra mim, essa personagem (Raquel) é vitoriosa não só na trama, mas com o poder da representatividade. Quebrando os estereótipos...

E vejo o Carnaval além do que se entrega ali na Sapucaí, ou nos camarotes e trios elétricos de Salvador. Essa festa dá emprego a muitas pessoas ao longo do ano. Em um barracão de escola, por exemplo, quando você chega lá, tem serralheiros, pintores, costureiras, enfim... muita gente trabalhando. E nosso país precisa de emprego. Então o Carnaval vai muito além do brilho dos quatro dias, sim. Continuando com a intensidade dos personagens, conte-nos sobre a juíza Raquel, de “O Outro Lado do Paraíso”. Você entende que o preconceito racial e social que ela sofre é o mesmo que existe no mundo real? Com certeza é mais uma mulher forte que é o retrato de muitas cidadãs por aí. Pra mim essa personagem é vitoriosa não só na trama, mas com o poder da representatividade. Quebrando os estereótipos, ainda que ela tenha sido doméstica na primeira fase, foi uma fase que durou pouco tempo e ela venceu por esforço próprio. Pelo estudo. Tão importante mostrar isso na TV, mostrar que é possível. Incentivar a quem assiste. No cinema, já participou de “O Filme de Minha Vida”. Tem outros projetos? Para depois de “O outro lado do Paraíso”, quais são os planos? Mais TV? Teatro?

28

Portal Saúde

Sim. Foi linda minha primeira experiência e pelo olhar de Selton Mello. Tenho! Mas é cedo pra falar. Ainda estou totalmente focada em Raquel! Estamos juntas até maio! Falando em teatro, conte-nos sobre como foi interpretar Maria Madalena, em “Paixão de Cristo”. Foi emocionante, foi minha primeira experiência com teatro, fiquei bem nervosa, confesso. Um público enorme no Piauí e lá esse espetáculo é supertradicional, toda a cidade realmente vai pra lá para acompanhar. Deu tudo certo e foi incrível. O que faz para manter o corpo e a mente saudáveis? Tenho me dedicado bem mais ao corpo agora, a partir do Carnaval, e continuo cuidando. Corro um pouquinho, faço musculação. Engraçado como é só vencer o primeiro passo da preguiça. O corpo se acostuma e, quando a gente nem percebe, já está indo praticar uma atividade física por prazer. Então fica a dica, é vencer essa barreira. E a mente saudável, gosto muito de assistir a filmes... Me dá um grande prazer. Tem algum papel ou personagem que sonha fazer ou interpretar? Tenho! Elza Soares e Xica da Silva.


Sua origem é o Estado de Minas Gerais. Já está totalmente integrada ao Rio de Janeiro? Ou ainda “volta” à terra natal de vez em quando? Estou integrada ao Rio, sim, mas, sempre que posso, vou à minha casa em Minas. Volto renovada! A representatividade negra na teledramaturgia claramente aumentou. Ainda há espaço para mais? Aumentou, mas precisamos de mais. A população negra no Brasil é de mais de 54%, estas pessoas têm o direito de “se verem” na TV. Em tramas onde não só o racismo impere, não tenhamos apenas personagens estereotipados. Somos tudo e estamos em todos os lugares e profissões, torço pra que isso mude na TV também.

Foto: Globo/Raquel Cunha

Qual seu passatempo predileto? Assistir a filmes. Vários... Um atrás do outro. Ultimamente falta tempo, mas adoro fazer isso.

Portal Saúde

29


CIRURGIA PLÁSTICA

Lipo aspiração A lipoaspiração é um dos procedimentos mais realizados em cirurgia plástica e tem como objetivo remover os depósitos de gordura localizada no corpo. É muito importante salientar que a lipoaspiração não visa ao emagrecimento, mas à melhora do contorno e medidas corporais. Na mulher, devido a fatores genéticos e/ou hormonais, a gordura geralmente se acumula mais na região dos quadris e membros inferiores, e os homens geralmente apresentam este acúmulo na região abdominal. Para quem é indicado este procedimento? Os candidatos ideais para a lipoaspiração são aqueles pacientes que têm gordura localizada, mesmo praticando exercícios regularmente e mantendo uma dieta saudável. O bom resultado cirúrgico vai depender da técnica adequadamente realizada, da indicação correta para cada paciente e, principalmente, da capacidade de retração da pele no local lipoaspirado. Quanto maior a flacidez cutânea, menor é a chance de haver um bom resultado cirúrgico somente com a lipoaspiração, sendo, nestes casos, necessário associar a lipoaspiração com outros procedimentos, como a lipoabdominoplastia ou lipominiabdominoplastia. Lipoescultura É um procedimento do qual retiramos os excessos de gordura de uma região e colocamos em locais em que existe alguma deficiência. Com relação a enxertos de gordura, não existe rejeição, pois é do seu próprio organismo, mas a mesma pode sofrer um processo de reabsorção em quantidade variável para cada paciente, podendo chegar até 50%. Os lugares em que geralmente empregamos o enxerto de gordura são o glúteo para aumento e melhora da forma, as mamas e na face para uma harmonização facial.

30

Portal Saúde

Lipo escultura Como é o pós-operatório? O período médio de internação é de 24h, sendo que as pacientes saem do hospital com um modelador e a meia antitrombo. O retorno ao trabalho está relacionado à extensão da cirurgia, sendo uma média de 1 a 2 semanas. A dor pós-operatória é proporcional à quantidade de regiões tratadas, sendo controlada com analgésicos de rotina. O edema (inchaço) varia de acordo com o paciente, sendo observado um resultado interessante no 1º mês de pós-operatório e o resultado definitivo, após o 6º mês. É fundamental a realização de drenagem linfática para um melhor resultado, para ajudar a diminuir hematomas, edemas e acelerar o processo de cicatrização, pois previne a formação de fibroses (tecido de reparação) e irregularidades. A importância de escolher bem o cirurgião plástico Além do CRM, que é o registro no Conselho Regional de Medicina, o cirurgião plástico deve integrar a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Isso não é apenas um mero detalhe: é uma medida para a sua segurança. Além de ter uma garantia muito maior de que está nas mãos de um profissional capacitado, isso certamente impacta positivamente o resultado final do seu procedimento. Informe-se sobre se o cirurgião escolhido é especializado em técnicas específicas para a área do corpo que você pretende modificar, e também sobre a participação dele em congressos e palestras, apresentação de trabalhos, workshops, publicações.

Dr. Henrique Riggenbach Müller CRM/SC 9116 Cirurgião Plástico - RQE 6070


ESPECIAL CAPA

Quando devemos nos preocupar com o desenvolvimento da criança? Atualmente muito se discute sobre o desenvolvimento infantil e sobre as alterações do comportamento, que são cada vez mais conhecidas e difundidas. Dentre as principais preocupações, encontra-se diagnosticar, de forma precoce e correta, uma das alterações mais incidentes na infância e adolescência, que afeta aproximadamente 5% da população em idade escolar, que é a TDAH (Transtorno do Deficit de Atenção com Hiperatividade). Este transtorno, de caráter neurológico, funcional e genético, tem seu diagnóstico eminentemente clínico e, quanto mais precoce a sua abordagem, maiores serão as chances de tratá-lo de forma adequada. Algumas situações que ocorrem comumente com as crianças podem ser indícios de TDAH, como: dificuldade em focar um objeto, dificuldade em completar tarefas, facilidade para perder objetos, viver no “mundo da lua” ou ficar “alucinado” com algo podem, dependendo de sua incidência, ser indicativos desta patologia. Outra patologia bastante importante é o Autismo: cientificamente conhecido como Transtorno do Espectro Autista, é uma síndrome caracterizada por problemas na comunicação, socialização e no comportamento, geralmente diagnosticado entre os 2 e os 3 anos de idade. O diagnóstico é clínico, portanto depende da avaliação de profissionais muito qualificados – os sintomas podem ser leves e até passar despercebidos por um tempo, às vezes interpretados como timidez, falta de atenção ou mesmo excentricidade, ou podem se apresentar de forma moderada a grave, de mais fácil observação.

A melhor estrutura para acolhimento, diagnóstico e tratamento conta com uma equipe multidisciplinar – profissionais nas áreas de Psiquiatria Infantil, Neuropediatria, Psicopedagogia, Psicologia, Fonoaudiologia, Fisioterapia e Terapia Ocupacional, para garantir uma abordagem completa, integrada e preparada para a complexidade dos diagnósticos e o desafio do tratamento destas crianças. Para um direcionamento a pais e educadores, segue abaixo uma orientação bem objetiva: É importante observar os marcos do desenvolvimento – habilidades que devem ser adquiridas em cada idade. Caso haja atrasos, a criança deve ser avaliada e, principalmente, estimulada na área afetada. Fique atento e procure ajuda se: • a criança não fala próximo aos 18 meses de vida; • não caminha sozinha aos 18 meses de vida; • não se interessa por outras crianças com idade semelhante; • não aponta quando algo lhe chama a atenção; • não responde ao chamado do seu nome; • é muito irritada, agressiva ou difícil de consolar; • apresenta “manias” ou “tiques” que atrapalham as atividades do dia a dia; • não consegue se alfabetizar ou evoluir na aprendizagem. Não é necessário fechar um diagnóstico para iniciar a ajuda e a estimulação adequadas. O quanto antes a criança receber a ajuda necessária, mais rapidamente vai recuperar o atraso e desenvolver o seu potencial.

Dra. Gabriela Casagrande Dagostim CRM/SC 15657 Pediatria - RQE 12231 Pediatria - Neurologia Pediátrica - RQE 13166

32

Portal Saúde


O melhor amigo das crianças Atualmente, com todos os recursos disponíveis na Medicina, com o aparato técnico e as facilidades de acesso à informação e aos profissionais, cada vez mais percebemos a “emergencialização” dos atendimentos, por meio da qual aquela necessidade premente é sanada, porém, algumas vezes em detrimento do cuidado da saúde global das nossas pequenas crianças. Vamos resgatar um pouco da História... Em 1762 foi criado o termo Puericultura, originado do latim “Puer, Pueris” – juvenil, infantil -, referindo-se à área da saúde que se dedica aos estudos dos cuidados com o desenvolvimento do ser humano, mais especificamente das crianças e adolescentes. Fazem parte desta especialidade as ações pré-concepcionais e pré-natais, que afetam a vida do recém-nascido, como a orientação das gestantes e dos pais – sim, dos pais e da família, que precisam de informações e suporte para a grande responsabilidade que é cuidar de uma criança. Com tantas especializações na Medicina, e dentro da própria Pediatria, precisamos relembrar que a preocupação com o acompanhamento integral do processo de desenvolvimento da criança e a detecção precoce dos mais diferentes distúrbios das áreas do crescimento estatural, da nutrição e do desenvolvimento neuropsicomotor dependem do olhar atento do bom pediatra. Nos primeiros dias de vida, as dúvidas sobre amamentação, sobre aleitamento materno ou não,

Dra. Ana Cristina Torqui Duarte CRM/SC 21590 Pediatra - RQE 12613

para as mães que não têm esta condição, o melhor cuidado, os maiores riscos e as necessidades do bebê que devem ser atendidas ocupam a nossa atenção. Com o passar do tempo, acabam aparecendo outras dificuldades, como a organização do sono, seletividade na alimentação, desafios no início da escolarização, alergias e tantos outros. Tão importante como nos primeiros anos de vida é a periodicidade da avaliação clínica, calma, cuidadosa, com tempo, para detectar possíveis alterações que possam interferir no desenvolvimento físico, emocional e mental dos pequenos – não substituíveis por exames complementares, que, aliás, não devem ser rotinas frequentes nas crianças, salvo por necessidades focais, indicadas pelo pediatra. A supervisão dietética, orientação vacinal, acompanhamento pondero-estatural, supervisão dos primeiros sinais de amadurecimento sexual, a orientação sexual aos adolescentes, de forma cuidadosa e adequada, fazem parte da rotina do pediatra. Ao se conhecer, em detalhes, o paciente, sua história, sua herança genética, o ambiente em que vive, sua nutrição, suas aquisições e seu desenvolvimento, o pediatra é capaz de detectar doenças importantes de forma precoce, orientar, tratar e conduzir com segurança a criança e a família ao melhor da Medicina, criando adolescentes e adultos mais preparados para os desafios da vida. O melhor Pediatra é aquele que mais o conhece – o seu!

Dra. Denise Aparecida Nogueira de Lima CRM/SC 15519 Pediatra - RQE 10820 Oncologia Pediátrica - RQE 13152

Portal Saúde

33


ESPECIAL CAPA

A epidemia das doenças alérgicas A prevalência das doenças alérgicas tem aumentado muito nos últimos anos, bem como a complexidade e gravidade dessas doenças, especialmente em crianças e adultos jovens. Estimase que 30-35% da população possua alguma doença alérgica, com expectativa de, no futuro, 50% da população ter algum tipo de alergia. Esse aumento das alergias parece estar relacionado com as mudanças ambientais, dieta, estilo de vida e de comportamento individual. Por exemplo, controle e tratamento da água, diminuição da contaminação dos alimentos, uso de sapatos, evitar nadar em águas contaminadas, uso regular de antiparasitários, menor contato com animais de fazenda, menor contato com bactérias do solo, aumento do uso de antibióticos de amplo espectro. Com o processo de urbanização, as pessoas têm passado mais de 90% da vida em ambientes fechados, 60% dentro de casa e 40% dentro do quarto, com menor tempo para brincadeiras ao ar livre e atividade física com exposição a bactérias e outros germes. Mudanças dentro de casa para melhorar o conforto, com aumento de mobílias e carpetes, diminuição da ventilação e aumento do aquecimento interior têm levado a maior exposição a alérgenos, principalmente ácaros da poeira domiciliar e animais de estimação. Medidas simples e eficazes para prevenção de doenças alérgicas: manter a casa bem arejada e ventilada, limpar diariamente a casa com pano úmido, evitar acúmulo de objetos no quarto que dificultem

Dr. Gustavo Soldateli CRM/SC 18733 Pediatria - RQE 14654 Alergia e Imunologia Pediátrica - RQE 14767

34

Portal Saúde

sua limpeza, lavar roupas guardadas antes de usálas, controlar o mofo domiciliar, evitar fumaça de cigarros, manter uma alimentação saudável, praticar atividade física regularmente e viver mais ao ar livre. Entretanto, após o estabelecimento dos processos alérgicos, e principalmente se a alergia está impactando na qualidade de vida, é o momento crucial de buscar o olhar diferenciado do alergista, para o entendimento dos problemas e das doenças, realização dos testes alérgicos com objetivo de identificar a fundo a causa da alergia e ter a orientação da forma correta de prevenção e tratamento e, além do mais, evitar restrições alimentares e comportamentais muitas vezes desnecessárias. Não existe idade mínima para realização dos testes alérgicos. E existem diferentes tipos de testes alérgicos, como, por exemplo, os testes de puntura, os testes de contato com leitura tardia, a pesquisa de IgE sérica específica, os testes de provocação oral, dentre outros. Cada exame é direcionado conforme a idade e o tipo de manifestação alérgica que o paciente apresenta. Por isso a escolha ideal do exame depende de uma história clínica cuidadosa e um bom exame físico. Doenças Alérgicas: • Asma • Rinite • Conjuntivite • Alergia alimentar • Anafilaxia • Urticária e angioedema • Dermatite atópica • Dermatite de contato • Alergia a medicamentos • Alergia a insetos • Esofagite eosinofílica


A Homeopatia e a Pediatria A homeopatia nasceu há mais de dois séculos atrás, com as ideias e práticas do médico alemão Samuel Hahnemann, e é uma especialidade médica oficial no Brasil, desde 1980. Ela é uma medicina vitalista, que entende que o organismo físico-químico é regido e mantido por uma força energética vital, que anima todos os seres vivos. Admite-se que estaria próxima de outras manifestações energéticas do ser vivo, como a energia calórica e a bioelétrica. Tal força funcionaria como um sensor da inteligência espiritual, que dirige o ser como um todo. A natureza do corpo energético vital ainda não pôde ser comprovada, mas as experiências evidenciando a capacidade de memória do soluto, os registros Kirlian e as descobertas da física quântica estão nos aproximando desta realidade. A característica fundamental dessa medicina, aquilo mesmo que a define, é o emprego de medicamentos segundo o princípio de semelhança. Isto quer dizer que ela usa, para curar uma doença, uma substância capaz de provocar sintomas semelhantes. Esta característica é responsável pela denominação dessa ciência,

pois “homo” significa semelhante e o radical “patia” quer dizer doença. Assim, diante de uma insônia, enquanto o método alopático prescreve uma droga de efeitos soníferos, a homeopatia indicará uma substância que pode produzir a mesma insônia que o paciente sofre. Os medicamentos homeopáticos, oriundos da natureza, de fontes vegetais, animais ou minerais, são submetidos a uma série de diluições e agitações, processo chamado dinamização. Desta maneira perde a substância todo e qualquer efeito tóxico e passa a agir estimulando o organismo a reagir contra a sua própria enfermidade. Pode-se, assim, considerar o medicamento homeopático como um quantum de energia, uma “assinatura energética” da substância utilizada, que, agindo dentro dos princípios de ação e reação, irá interagir com a energia vital do indivíduo, estimulando-a ao seu equilíbrio. O pediatra homeopata, trabalhando o ser humano no início de seu desenvolvimento, de forma integral, vê a criança como um todo corpo-mente-espírito, e não como uma doença isolada. Adentrar no mundo emotivo e psíquico do pequeno indivíduo, ou seja, em sua alma, a procura das razões mais profundas da sua enfermidade, possibilita buscarmos uma cura muito mais profunda e verdadeira do ser, tornando o universo infanto-juvenil da pediatria infinitamente mais belo.

Dr. Rodrigo Aita Bittencourt CRM/SC 7830 Pediatria - RQE 3907

Portal Saúde

35


ESPECIAL CAPA

Amamentação e apoio Eu morei 2 anos num dos países mais pobres da África, o Malawi. Quando a mulher paria, era cuidada pelas mulheres mais velhas da vila, mãe, tias, anciãs. Elas ensinavam às mães como amamentar seus bebês. Todas amamentavam, inclusive as com AIDS (lá é liberado, pois a chance de morrer de desnutrição é maior do que a transmissão via leite materno). Eles não têm opção, pois uma lata de leite artificial custa mais que o salário do mês. Elas amamentam e pronto, apoiadas pelas mais velhas. Os bebês estão sempre juntos ao corpo. Muitas vezes chegam ao consultório bebês dos quais não fiz os primeiros atendimentos e nem consulta pré-natal. Parte destes bebês chega já usando leite artificial. E eu questiono o porquê do uso da fórmula. A resposta mais comum: porque o bebê chora, deve estar com fome. Por que a única relação que fazemos com o choro do bebê é fome? Os bebês acabaram de sair da proteção do útero, não enxergam nada, acham que vão morrer a qualquer momento e precisam de proteção. Qual a única forma de comunicação que eles têm? Choro! E eles choram para procurar a única pessoa que, no mundinho deles, pode protegê-los: a mãe. E eles buscam o seio. Mamar não é apenas alimento, é colo, é aconchego, é segurança. Estando no seio da mãe, eles estão protegidos do mundo. Nesta primeira fase de vida, bebê e mãe funcionam como um só. E este bebê pode chorar também as dores da mãe. O bebê chora o parto que não foi como o esperado. Chora a solidão materna. Chora o luto daquela mulher que renasce como mãe.

Dra. Amanda Ibagy CRM/SC 12916 Pediatria - RQE 8317 Cancerologia Pediátrica - RQE 9942

36

Portal Saúde

E o que esta mãe pode fazer? Chorar também as suas dores. Falar sobre os seus sentimentos. Ter contato físico, abraço, colo dos seus familiares. Acreditar no seu corpo. Afinal, a natureza não faria um corpo que não funcionasse, que não produzisse leite. É incrível que, quando estas mães relaxam, tomam consciência do poder do seu corpo, o leite flui. Este bebê que chora tem uma necessidade intrínseca de contato. Ele precisa de pele a pele com sua mãe. E ele chora por isso. Mas por que eles se acalmam quando recebem uma fórmula? Porque é uma feijoada! O corpo leva muito tempo para digerir. Talvez em algum momento ele até possa precisar de uma fórmula, mas depois de esgotadas todas as possibilidades. Mas já notaram como eles se acalmam mais ainda ao seio? E o que fazer quando o bebê chora? Acolher! Dar o seio. Entrar em contato com a sombra desta mãe e trabalhar suas próprias dores. Ser um apoio desta mãe. Nosso papel como sociedade e como profissional é ser o apoio desta mãe. E ser o apoio não é apontar o caminho mais fácil. Não é sugerir uma chupeta ou uma mamadeira para acalmar o bebê. É segurar na mão da mãe que amamenta com mastite, com fissura e mostrar que não é simples, mas que, juntos, vocês podem conseguir. Ser apoio é não infantilizar a mãe. É chamá-la pelo nome. É mostrar que o corpo dela é capaz de produzir o alimento deste bebê. É entender o que é ser um recém-nascido e passar estas informações para a mãe. Sim, bebês choram. Bebês precisam estar no colo de suas mães. Os bebês já nascem sabendo: o toque de mãe tem poder de cura. Pode curar as dores do corpo e da alma.


Como saber se meu filho cresce bem? O crescimento infantil envolve fatores genéticos, metabólicos, ambientais e sociais. Uma boa avaliação da estatura depende de uma boa história sobre o nascimento, tempo de gestação, intercorrências médicas prévias, nutrição adequada, altura dos pais, além do acompanhamento constante para cálculo da velocidade de crescimento e do desenvolvimento puberal do paciente. O crescimento da criança inicia-se desde o útero materno e cessa após a puberdade. O crescimento infantil é constante, mas não é linear. No primeiro ano da criança, incríveis 25 cm em 1 ano, do segundo ao 4º ano, cresce 10 cm ao ano. A partir daí até a puberdade, cresce, em média, 5 cm por ano e na puberdade acontece o estirão de crescimento, em que a velocidade de crescimento volta a aumentar para cerca de 12 cm ao ano. Meninos são em média 13 cm maiores que as meninas, visto que seu estirão de crescimento é mais prolongado e com maior velocidade de crescimento.

A altura estimada de uma criança é calculada de acordo com a fórmula abaixo:

Meninas (Altura do Pai + Altura da mãe - 13)/2 Meninos (Altura do Pai + Altura da mãe + 13)/2 Por exemplo, irmãos gêmeos, Paulo e Juliana: mãe, 157 cm e pai com 180 cm: Paulo: (180 + 157 + 13)/2 = 175 A previsão da estatura final de Paulo é 175 cm Juliana: (180 + 157 - 13)/2 = 162 A previsão da estatura de Juliana é 162 cm Entretanto, diversos fatores podem contribuir ou atrapalhar o desenvolvimento estatural da criança. Inclusive, se os pais não alcançaram seu alvo genético, esse valor pode estar subestimado. Filhos de pais pequenos nem sempre serão pequenos. Precisam sempre ser avaliados por um médico qualificado. As principais causas de baixa estatura são: deficiência do hormônio do crescimento, alterações nutricionais, doenças crônicas, alterações da tireoide, puberdade precoce, ou simplesmente um atraso da puberdade e crescimento.

Dr. Vinicius Rene Giombelli CRM/SC 18440 Pediatria - RQE 14013 Endocrinologia Pediátrica - RQE 16167

Portal Saúde

37


ESPECIAL CAPA

Orelha de abano: saiba como tratar esse problema

Você sabia que a orelha de abano pode causar vários problemas para crianças e adultos? Muitas pessoas com esse problema sofrem com baixa de autoestima, gozações e bullying, chegando até mesmo a levar a baixo rendimento escolar ou dificuldades no trabalho. O que fazer? Geralmente é possível fazer uma correção cirúrgica chamada otoplastia. Quando fazer? A partir dos 5 a 7 anos, ela já pode ser feita, pois a orelha está completamente formada e com tamanho praticamente igual à do adulto. Adultos também podem fazer essa cirurgia. Como é feita a otoplastia? É feita uma incisão pequena atrás da orelha. São realizados pontos para moldar e fixar a orelha no tamanho desejado. Em alguns casos, é preciso remover um pedaço da concha, que é uma cartilagem da orelha. Isso proporciona uma dobra mais natural e aparência final mais harmônica. A cirurgia deixa cicatriz? A cicatriz é mínima e fica atrás da orelha, praticamente imperceptível. O que preciso cuidar após a cirurgia? Após a cirurgia, é preciso fazer curativos com limpeza local e usar uma faixa, para sustentar a nova posição da orelha durante o início da cicatrização.

ratória, planejamento adequado e cuidado pós-operatório correto. Entre as possíveis intercorrências e complicações, estão: hematoma, infecção, queloide, retrações, alterações de sensibilidade, assimetrias e pequenas imperfeições, reação alérgica, complicações relacionadas ao ato anestésico, necessidade de um novo procedimento cirúrgico para retoque. Quais os benefícios do procedimento? A otoplastia pode proporcionar uma aparência mais harmoniosa e natural do rosto, pois gera maior equilíbrio e proporção entre as orelhas e a face. Os benefícios da cirurgia vão muito além daqueles estéticos, pois melhora a autoestima do paciente, o que é muito importante, inclusive, no caso de crianças que se tornam alvo de brincadeiras e apelidos maldosos. E se meu bebê já nasceu com orelha de abano? Tenho que esperar até os 7 anos? Ou posso fazer alguma coisa antes? Atualmente a técnica de MOLDAGEM tem se tornado uma opção atraente. Essa técnica utiliza um molde aplicado na orelha do bebê com um adesivo para corrigir a orelha de abano. Não envolve cortes e pode ser feito em consultório. O uso do molde não provoca dor nem causa qualquer desconforto e deve ser usado por 4 a 6 semanas. Esse tratamento é recomentado nos primeiros 30 dias de vida do bebê e tem trazido resultados bastante satisfatórios.

Mas é preciso anestesia geral? Em adultos pode ser feita com anestesia local. Para crianças, o mais confortável é estar em sono profundo, sem sentir dores e nem se lembrar da cirurgia. Existe alguma preparação antes da cirurgia? É importante seguir o jejum pré-operatório, que costuma ser de 8 horas. O ideal também é conversar bastante com a criança, esclarecendo sobre o procedimento. Existe algum risco de complicação? Os riscos se tornam pequenos e são pouco frequentes se for feita uma correta avaliação pré-ope38

Portal Saúde

Dra. Ana Amélia Torres CRM/SC 11483 Otorrinolaringologista - RQE 9708


Óxido Nitroso na Odontopediatria Uma das principais habilidades que o odontopediatra desenvolve com a prática é a capacidade de transformar a visão estereotipada de ambiente odontológico com instrumental assustador e sensações desconfortáveis em uma experiência lúdica e agradável. As reações das crianças perante um cirurgião-dentista são as mais diversas, influenciadas por traços de personalidade, condicionamento educacional, peculiaridades da idade ou mesmo experiências odontológicas prévias favoráveis ou não. Essas características compõem uma rotina interessantemente surpreendente e desafiadora.

Seja qual for a reação durante o atendimento, felizmente a maioria absoluta dos casos respondem significativamente bem a abordagens conservadoras, de conversa, fortalecimento de vínculo, explicações pertinentes, apresentação dos instrumentais e ambientação lúdica. No entanto, é papel do odontopediatra realizar avaliações prognósticas em relação às chances de sucesso do seu tratamento e alinhar constantemente esta análise às expectativas dos progenitores. Há casos especiais, nos quais, mesmo esgotando-se os esforços costumeiros de abordagem, as chances de sucesso reduzem drasticamente perante comportamentos que dificultam o acesso à cavidade bucal e o tempo de atuação ininterrupta, ou até mesmo põem em risco a integridade física tanto do paciente quanto do profissional, ao aumentarem o risco de acidentes perfurocortantes. Normalmente os referidos casos remetem a pacientes com odontofobia grave ou até mesmo transtornos psicocomportamentais que constituem agitação psicomotora, como em alguns casos de agressividade do transtorno de espectro autista. Para estas situações, uso de óxido nitroso pode trazer benefícios reais, uma vez que bem indicado e aplicado com técnica adequada. A técnica consiste em sedação consciente com titulação gradual de dois gases, o óxido nitroso e o oxigênio, realizada por aparelho específico (fluxômetro). A proporção de oxigênio nunca é menor do que 30%, uma concentração acima inclusive do ar ambiente, o que garante maior segurança. Essas características contribuem para que este seja considerado o procedimento mais seguro de sedação farmacológica em odontologia, e é a abordagem mais fisiologicamente aproximada da conservadora, com uma impressionante taxa de sucesso para os casos especiais. Quando bem indicada, esta técnica é capaz de transformar um atendimento odontológico de complexidade elevada em uma experiência muito mais segura e agradável para todos os envolvidos.

Dra. Ana Luiza Piccoli CRO/SC - 13382 Habilitada em Sedação consciente com Óxido Nitroso pela ABO

Portal Saúde

39


Corpo Clínico

Dra. Ana Cristina Torqui Duarte CRM/SC 21590 Pediatria

Dra. Fernanda de Souza Nascimento CRM/SC 23852 Pediatria, Pneumologia Pediátrica

Sheila Mangoni CRP07/11887 Psicologia

Dra. Amanda Ibagy CRM/SC 12916 Pediatria, Oncologia Pediátrica

Dra. Gabriela Casagrande Dagostim CRM/SC 037640 Pediatria,Neurologia Pediátrica

Carla Caroline Santos CRP-12/11524 Psicologia

Dra. Carolina Teló Gehlen Branco CRM/SC 13569 Pediatria

Dra. Joyce Lisboa Freita CRM/SC 18106 Cirurgia Pediátrica

Anelise Delpino ABPpSC650/2018 Psicopedagogia

Dra. Denise Aparecida Nogueira de Lima CRM/SC 15519 Pediatria, Oncologia Pediátrica

Dra. Nyrla Yoshie Yano Gomes CRM/SC 019167 Cirurgia Pediátrica

Elza Maria Pedrosa Ruivo CRFa 3- 9847 Fonoaudiologia

Dr. Gustavo Soldateli CRM/SC 18733 Pediatria, Alergo Imunologia

Dra. Ana Luiza Piccoli CRO/SC 13382 Odonto Pediatria

Joicy Cordeiro dos Santos CRFa 3- 9992 Fonoaudiologia

Dra. Isabela de Carvalho Martins CRM/SC 20229 Pediatria, Medicina Intensiva

Dra. Ana Amelia Soares Torres CRM/SC 40587 Otorrinolaringologia

Carolina Ferreira Vaz CRN/SC 223710 Nutrição Infantil

Dr. Rodrigo Aita Bittencourt CRM/SC 7830 Pediatria

Dr. Ricardo Mauricio Favaretto CRM/SC 25766 Otorrinolaringologia

Thais Libertine Saad Crefito: 10/37128 Fisioterapia Infantil

Dr. Vinicius Rene Giombelli CRM/SC 018440 Pediatria, Endocrinogia Pediátrica

Dra. Andrea de Souza Noto CRM/SC 15059 Psiquiatria

Carina de Luca Janesch Coren 69614 Enfermagem


Fotos: Rudi Bodanese


ODONTOLOGIA

BRUXISMO Se você desperta com dor de cabeça e com os músculos da mandíbula doloridos, é possível que você esteja sofrendo de bruxismo, um ato involuntário de ranger ou apertar os dentes. Além de causar um desgaste anormal da superfície dos dentes, o bruxismo deixa os dentes doloridos e pode levar à disfunção temporomandibular - DTM, que afeta a articulação da mandíbula e a musculatura da mastigação. Por ser um ato inconsciente, a maioria dos pacientes que sofrem de bruxismo só se inteira da sua condição quando o rangido noturno é ouvido por outras pessoas ou durante um exame dentário de rotina, no qual o dentista nota um desgaste excessivo dos dentes e rachaduras no esmalte. Outros sinais e sintomas sugestivos de bruxismo incluem dor na face, na cabeça e no pescoço. O dentista é o profissional indicado para fazer um diagnóstico preciso e, se a origem da dor facial for o bruxismo, sugerir o tratamento adequado. O que é bruxismo? Bruxismo é o hábito de encostar, comprimir ou

Dra. Juliana M. Trajano Cirurgiã-Dentista - CRO 12809 Especialista em Implantes Especialista em Próteses Dentárias Pós-Graduada em Estética Dental

42

Portal Saúde

ranger os dentes involuntariamente. Então, quando alguém diz: “Eu não tenho bruxismo, eu só aperto dentes”, na verdade apresenta um tipo de bruxismo, caracterizado por apertamento. A forma mais recente de se classificar o bruxismo é pelo período em que ele ocorre: se durante o sono ou quando estamos acordados (vigília). Em muitos casos, a pessoa acometida pelo bruxismo nem sequer tem consciência de que pratica este hábito durante o sono. Ao examinar os seus dentes minuciosamente, o seu dentista poderá determinar qual é a fonte potencial do seu bruxismo e fazer as seguintes sugestões: • O uso de aparelhos orais removíveis (placas interoclusais) para dormir. Este aparelho é feito sob medida pelo seu dentista e impede que os dentes superiores se atritem com os dentes inferiores, evitando, assim, o desgaste dos mesmos. • Técnicas que visam a promover o relaxamento muscular e diminuir a tensão cotidiana, aplicação de toxina botulínica (botox), etc. • Correção do alinhamento dos dentes, de modo a igualar a mordida através da restauração da superfície dos dentes ou aparelhos ortodônticos.

Dr. Rafael Mariano Cirurgião-Dentista - CRO 6754 Especialista em Diagnóstico por Imagem Especialista em Ortodontia Pós-Graduado em Ortopedia Funcional dos Maxilares


CURIOSIDADES

DICAS INFALÍVEIS DE COMO TER MAIS ENERGIA DURANTE O DIA! Trabalho, estudos, prática de exercícios físicos… É tanta coisa que, às vezes, durante o dia, ficamos com a sensação de que nossa energia está acabando. Afinal, é preciso dar conta de tudo, e haja disposição! Então, qualquer tarefa passa a parecer mais difícil de ser completada, o que impacta inclusive na nossa produtividade. É bem chato quando isso acontece, não é mesmo? Mas tenha em mente que existe solução, são atitudes simples que podem ajudar você a recuperar aquele gás para chegar até o fim do dia sem a sensação de cansaço extremo. Quer saber quais são elas? Confira. Fique em silêncio Pode ter certeza de que esta é uma dica valiosa. Atualmente, a tecnologia nos faz ficar conectados o tempo todo. São vídeos, mensagens, áudios… Tudo isso deixa a cabeça a mil por hora. Então, sabe aquele momento só nosso, em que é possível “ouvir o silêncio”? Procure colocá-lo em prática. Ele é muito importante para que possamos recuperar nossas energias. Separe um tempinho, 15 minutos do dia já serão suficientes. Vá para um lugar calmo e silencioso e tente esvaziar a mente de problemas e tarefas. Respire fundo, escute seu corpo e suas emoções. Você vai ver que, no fim, estará mais relaxado e com mais energia. Escolha alimentos que dão mais energia Muitas vezes, não nos damos conta do que estamos comendo. No entanto, a escolha deve ser feita de maneira consciente, já que a comida é nossa principal fonte de energia. Aqui, não estamos falando só de quantidade, mas, também, de qualidade e periodicidade. Alimentos com carboidratos de baixo índice glicêmico são essenciais para dar mais energia, já que são de absorção mais lenta. Além disso, liberam menos açúcar no sangue, evitando que você engorde. São alguns deles: frutas, legumes, verduras e alimentos integrais.

44

Portal Saúde


Isso se explica pelo fato de que o corpo em moAlém do mais, fique atento à quantidade. Covimento é capaz de liberar mais oxigênio no sangue mer muito nem sempre é sinal de mais energia. Pelo e nos tecidos, o que proporciona o aumento da procontrário, quando comemos muitos alimentos com dução de hormônios como a endorfina, a adrenalina açúcar, por exemplo, pode acontecer o chamado e a dopamina. Por isso, procure se exercitar, mesmo pico glicêmico. Inicialmente, ele promove energia que seja caminhando. instantânea, mas é seguido por uma baixa repentina, levando à fadiga. Experimente dar intervalos de Beba bastante água cerca de 3 horas entre as refeições e Faça Você sabia que o corpo pode sinta a diferença na disposição durangastar muita energia para se manter atividades te o dia. hidratado quando a quantidade de que distraiam água ingerida não é suficiente? Pois a mente. é! E energia nós não queremos perTenha boas noites de sono der, concorda? A falta de energia pode ser cauEntão, carregue sempre com sada por noites maldormidas. Afinal, você uma garrafinha de água. Mas nosso corpo precisa descansar para que possamos não espere ter sede para tomá-la. A sede já é um acordar bem dispostos no dia seguinte. sinal de que o corpo está levemente desidratado. De acordo com a Fundasono (Fundação NacioPor isso, fique atento à quantidade de água a ser nal do Sono), é recomendado que um adulto durma ingerida: geralmente, o indicado é 2 litros por dia. No cerca de 8 horas por noite, sem interrupções, para entanto, isso é variável de pessoa para pessoa, pois que tenha um sono reparador. aquela que se exercita mais, por exemplo, necessaPor isso, é fundamental que você busque relaxar riamente precisará de maior quantidade de água. e descansar a mente quando se deitar. Evite pensar em problemas ou tarefas. Se for preciso, leia um livro, escute músicas de que goste e evite ao máximo o uso de aparelhos eletrônicos. Celular e televisão são grandes vilões, já que podem retardar a sensação de sonolência pela diminuição da melatonina: hormônio responsável por induzir ao sono. Mantenha-se em movimento Apesar de parecer contraditório, exercícios físicos são capazes de nos dar muito mais ânimo e disposição. Além de melhorarem o preparo físico, eles promovem sensação de bem-estar e melhora do nosso humor.

Karina Peloi Nutricionista Funcional Coach Comportamental Fenômeno nas redes sociais karinapeloinutricionista Foto: Fabrício Sousa

Portal Saúde

45


CIRURGIA DE MÃO

Artrose de polegar As dores no polegar podem ser ocasionadas por diversas patologias que variam de tendinites, sequelas de trauma ou mesmo pela artrose. A artrose na base do polegar, também chamada de Rizartrose, é uma doença comum que acomete cerca de 30% das mulheres no período pós-menopausa, podendo chegar a 91% dos indivíduos com mais de 80 anos de idade. Mas o que é exatamente a Rizartrose e quem está mais acometido? Na base do nosso polegar nós temos uma articulação, entre os ossos trapézio e primeiro metacarpo, que possibilita a nós, seres humanos, a realização do movimento de pinça e oposição. Contudo, essa mobilidade excessiva favorece o desgaste da articulação, o que provoca dor, limitação de alguns movimentos e até deformidade. As mulheres são quatro vezes mais afetadas pela doença, principalmente no período da menopausa, o que demonstra a influência hormonal sobre a região. A confirmação da doença, bem como do estágio da mesma, é feita através de uma radiografia do polegar, o que ajuda na escolha do seu tratamento. O tratamento da artrose na base do polegar é feito inicialmente com medidas conservadoras como imobilização da articulação, administração de analgésicos e orientação quanto a exercícios. Em caso de falha, é indicado tratamento cirúrgico. Existem diversas técnicas cirúrgicas para o tratamento, todas com indicações e principalmente contraindicações específicas, dependendo do caso. Em janeiro de 2018 foi autorizada, pela ANVISA, a prótese total da base do polegar. Apesar de recente no Brasil, essa prótese já é utilizada há anos na Europa com ótimos resultados. Dentre as vantagens da prótese, nós temos: • Melhora da dor; • Boa recuperação da força pela manutenção da altura do polegar; 46

Portal Saúde

• Correção de deformidades, principalmente nos casos mais avançados; • Melhora do movimento de oponência. No entanto, a principal vantagem da prótese em relação às demais técnicas utilizadas comumente no Brasil, sem dúvida, é a rapidez da recuperação da função do paciente nos primeiros 6 meses, o que proporciona uma independência para as atividades do dia a dia mais precoce, o que é fundamental nos dias de hoje. Contudo, não é toda artrose no polegar que possui indicação de colocação de prótese, devendo sua escolha ser precisa a fim de diminuir a possibilidade de complicações. Nesse mesmo sentido, o cirurgião de mão precisa estar bem familiarizado com a técnica para, assim, proporcionar o melhor resultado ao seu paciente, bem como saber tratar uma complicação, comum a todo procedimento cirúrgico, se esta vier a ocorrer.

João Paulo Mussi Simões de Sousa CRM/SC 23617 Cirurgia da Mão, Cotovelo e Microcirurgia - RQE 15666 Ortopedia e Traumatologia - RQE 14367 Foto: Priscilla Freitas


MASTOLOGIA

CÂNCER DE MAMA: DIAGNÓSTICO E PREVENÇÃO O câncer de mama é a neoplasia maligna de maior incidência na população feminina, representando um problema de saúde pública em escala global, e atinge tanto países desenvolvidos como em desenvolvimento. O número de casos diagnosticados em países desenvolvidos é maior, fato que pode ser explicado pelo maior acesso e facilidade da população em realizar os exames, sejam eles de rotina ou devido a algum sintoma apresentado pela paciente. Apesar do aumento de casos confirmados, a mortalidade vem diminuindo nos últimos anos, devido a melhorias e tratamentos mais eficazes, como também diagnóstico em estágios iniciais da doença. No Brasil, as regiões Sul e Sudeste apresentam maior número de casos diagnosticados, com menor número de casos na região Norte, fato também explicado pela maior dificuldade no acesso a exames de imagem na região Norte do país. A maior parte dos casos ainda acontecem acima dos 50 anos de idade, porém observa-se que o número de casos em pacientes mais jovens vem aumentando a cada ano.

48

Portal Saúde


Esse aumento na população jovem pode estar associado a uma série de fatores, entre eles, alterações no perfil reprodutivo da mulher, como citadas abaixo: - Primeira menstruação antes dos 12 anos de idade; - Menopausa após os 55 anos de idade; - Primeira gestação depois dos 30 anos de idade; - Nunca ter engravidado; - Uso de anticoncepcionais. É importante frisar que os fatores acima citados apresentam baixo risco para o desenvolvimento do câncer de mama quando isolados, deve-se considerar a somatória desses fatores, associados ao passado da paciente e história familiar; assim, podemos citar outras situações que podem ser consideradas de risco: - Parente de 1º grau (mãe, irmã ou filha) com câncer de mama abaixo dos 50 anos de idade; - Câncer de mama em homem na família; - Câncer de mama bilateral na família; - Alguns tumores podem ter associação ao câncer de mama: tireoide, pâncreas, ovário, intestino, estômago, entre outros. Nas mulheres na menopausa, a utilização de terapia de reposição hormonal e mamas densas são consideradas fatores de risco. De uma maneira geral, cerca de 80% dos casos são considerados esporádicos, ou seja, ocorrem em paciente sem histórico familiar ou fatores de risco identificados. Os outros 10% ocorrem em pacientes com histórico familiar e os outros 10%, em pacientes com mutação genética.

Pacientes de risco moderado devem iniciar o rastreamento com mamografia a partir dos 35 anos de idade ou antes, caso apresentem algum sintoma. Pacientes consideradas de alto risco devem iniciar o rastreamento a partir dos 25 anos de idade, associando mamografia, ressonância nuclear magnética de mamas, ultrassonografia e medidas redutoras de risco, como cirurgias ou medicamentos. Toda paciente que apresente sintomas como nódulo mamário ou axilar, descarga papilar, dor, alteração na pele ou mamilo, ou quaisquer outros que gerem dúvida, deve procurar seu médico para uma melhor avaliação e conduta. Alguns medidas podem estar associadas a diminuição do risco de desenvolvimento do câncer de mama. Tais medidas preventivas incluem: atividade física, alimentação balanceada e saudável, diminuir ingesta alcoólica, perda de peso e manter-se atualizada nos exames de rotina. Para se ter uma ideia da importância de tais medidas, estudos revelam que entre 4 a 7 horas semanais de atividade física podem reduzir em até 20% o aparecimento da doença, uma perda de peso de 10 quilos após a menopausa pode reduzir em até 57%, a amamentação por 12 meses reduz em aproximadamente 4,3% a chance de surgimento de câncer de mama e o consumo de frutas frescas, verduras e óleos vegetais está associado a redução em cerca de 30%. Assim como na maioria das doenças crônicas, a prevenção é um forte aliado da redução ou retardo no surgimento. Previna-se.

Com base nas características individuais de cada paciente, podem-se identificar 3 grupos distintos: 1. Pacientes de baixo risco; 2. Pacientes de risco moderado; 3. Pacientes de alto risco. A importância dessa identificação ajuda na adoção de estratégicas para identificar ou diminuir a probabilidade do desenvolvimento de câncer de mama. Pacientes consideradas de baixo risco devem iniciar o rastreamento com mamografia a partir dos 40 anos de idade ou antes, caso apresentem algum sintoma.

Dr. Gustavo Frode Machado Vieira CRM/SC 16834 Mastologia - RQE 14190 Mastologia - Hospital Pérola Byington - São Paulo - SP. Pós-Graduação em Cirurgia Reparadora da Mama e Oncoplastia Mamária Santa Casa - Belo Horizonte.

Portal Saúde

49


TURISMO

50

Portal Saúde


Um dos berços de nossa civilização, o Egito

não somente a rica história deste lugar, mas também

sempre despertou o fascínio dos ocidentais. Terra

para se encantar com a gastronomia local e com o

de tesouros arqueológicos, abundante em história,

charme caótico do Cairo, a maior cidade da África.

o país está na lista de desejos da maioria dos viajantes. Conhecer o país africano, próximo ao Oriente Médio, é uma experiência incrível, onde ocorre uma descoberta a cada dia. Embarque com a Revista Portal Saúde nesta aventura à Terra dos Faraós. O que visitar?

Como chegar Antes da viagem, contudo, é necessário preencher algumas formalidades. O Egito exige visto de entrada dos brasileiros. É necessário entrar em contato com a embaixada do País, em Brasília, ou com o único consulado fora da capital federal, localizado no Rio de Janeiro.

O primeiro passo para programar a viagem ao

O visto deve ser requerido com pelo menos 60

Egito é estabelecer o roteiro de visitação e, nele, de-

dias de antecedência. Para entrar no país africano, é

vem estar previstos todos aqueles monumentos que

necessário que o passaporte tenha pelo menos seis

conhecemos por fotos, ou mesmo nos livros de his-

meses de validade.

tória. Uma viagem de 10 dias pelo Vale do Rio Nilo, no eixo Cairo – Luxor – Aswan é suficiente para admirar

Várias companhias europeias têm voos para o Cairo, a partir de cidades como Paris, Londres, Amsterdã, Roma e Frankfurt. Também é possível chegar

Portal Saúde

51


TURISMO

com conexões em Casablanca, no Marrocos, e

Por isso recomendamos que os passeios ao Egito

com as companhias do Oriente Médio que têm voos

sejam feitos com guias locais, ou supervisionados

do Brasil para cidades como Dubai ou Doha.

por agências de turismo. Viagem por conta própria,

Apesar dos esforços do governo local em manter a segurança em aeroportos e regiões turísticas, no

Na capital egípcia tudo converge para a Praça

Egito, o turista deve adotar uma maior cautela que

Tahir. Foi lá que ocorreram as manifestações da Pri-

em países europeus, por exemplo. Uma dica: tenha a

mavera Árabe, mas também é lá que estão o Museu

mesma cautela que nos grandes centros brasileiros.

Nacional do Cairo e os melhores restaurantes da ci-

Cairo

dade. Falando no museu, ele é parada obrigatória,

A capital do Egito é, certamente, onde o turista

mesmo para os que não gostam deste tipo de atra-

deve passar a maior tempo da viagem. Pelo menos

ção. É lá que você vai se deparar com antigas mú-

quatro dias são necessários para conhecer todos os

mias, com a máscara mortuária de Tutancâmon e vai

encantos que ela proporciona.

conhecer a milenar história do povo egípcio.

Já adiantamos: a cidade tem um trânsito caótico, mas não se assuste com ele, apenas se prepare.

52

só para os mais experientes.

Portal Saúde

Uma boa experiência também é conhecer uma das muitas mesquitas do Cairo.


ainda visitar o Vale dos Reis. Lá estão dezenas de túmulos de faraós e outras autoridades do Antigo Egito – incluindo o túmulo de Tutancâmon –, além do Vale das Rainhas. Passeio imperdível em Luxor é fazer o sobrevoo de balão. Do alto é impossível não se encantar com a transição de paisagens entre o Vale do Nilo e o início do Deserto do Saara. Em Aswan, são necessários mais dois dias para visitar os templos de Abu Simbel. Os santuários, que datam de 1.280 a.C. e seriam inundados por uma represa, foram transferidos para uma montanha, após mobilização das Nações Unidas. Pirâmides Continuamos no Cairo, mas é perto da cidade que as atrações mais conhecidas do Egito estão disponíveis. A 28 quilômetros do centro da cidade está a cidade de Guiza: é lá onde ficam as pirâmides de Quéops (a maior de todas e mais conhecida), Quéfren e Miquerinos. Neste mesmo sítio arqueológico fica a famosa Esfinge. Elas são as únicas Maravilhas do Mundo Antigo que sobreviveram ao tempo, às guerras e às catástrofes naturais. E também são encantadoras e colossais. É impossível não imaginar como estes imponentes monumentos foram construídos há milhares de anos. O traslado do Cairo a Guiza pode ser feito por meio de vans para turistas e guias locais. Mas a dica mesmo é estar sempre amparado por uma agência de turismo brasileira. Nos arredores do Cairo também há dois outros pontos de visitação, igualmente imperdíveis. Saqqara e Mênfis podem ser conhecidas no terceiro dia no

Sharm-El-Sheikh Mas no Egito, um país onde a temperatura passa facilmente dos 40°C, também há lindos balneários. Uma dica é reservar uns dias em um resort em SharmEl-Sheikh, à beira do Mar Vermelho. As águas transparentes e os recifes de corais são as principais atrações.

Cairo, em um bate e volta. Já de volta à capital egípcia, não deixe de conhecer a Torre do Cairo. Do alto do monumento em forma de flor de lótus, cada fim de tarde é sensacional. Luxor e Aswan O trajeto entre o Cairo e Luxor poderá ser feito de duas maneiras, de trem ou avião. Em um período de dois dias, é possível conhecer os templos de Karnak, de Luxor e de Hatshepsut, e

Portal Saúde

53


PSIQUIATRIA

Ansiedade generalizada no dia a dia A ansiedade é uma reação normal que ocorre em situações que provocam medo, dúvida ou expectativa. Ela é normal em períodos em que passamos por situações diferentes da nossa rotina, como em uma entrevista de emprego, o nascimento de um filho, uma viagem, uma cirurgia ou em alguma dificuldade financeira. Ela prepara a pessoa para enfrentar situações adversas e favorece a adaptação às novas condições impostas. Porém, essa ansiedade pode passar do normal e prejudicar o dia a dia da pessoa quando estas preocupações se tornam excessivas e prejudicam a capacidade de fazer as coisas de forma rápida e eficiente nos seus diversos ambientes (casa, instituição de ensino, trabalho, social). Segundo o manual de classificação de doenças mentais, o DSM-V, o transtorno da ansiedade generalizada (TAG) é um distúrbio caracterizado pela ansiedade e preocupação excessivas que ocorrem na maioria dos dias por pelo menos seis meses, em diversos ambientes, como trabalho ou escola, e a ansiedade é associada com três ou mais dos se-

guintes sintomas: inquietação, fadiga, dificuldade de concentração, irritabilidade, tensão muscular, perturbação do sono. A pessoa também considera difícil controlar a preocupação e todo o quadro causa sofrimento ou prejuízo no seu funcionamento em áreas importantes da sua vida. A ansiedade generalizada tem idade média de início aos 30 anos, mas pode atingir qualquer faixa etária. Os sintomas têm remissões e recidivas, mas tendem a ser crônicos ao longo da vida. Há outros sintomas associados, como falta de ar, taquicardia, aumento da pressão arterial, sudorese excessiva, aperto no peito, dor de cabeça, alteração nos hábitos intestinais, náuseas e dores musculares. O diagnóstico é realizado através da história de vida da pessoa e avaliação de seu quadro clínico. As mulheres são um pouco mais acometidas que os homens. É importante estabelecer diagnóstico diferencial com outros transtornos ansiosos, como transtorno obsessivo-compulsivo, síndrome do pânico, fobia social, transtorno de adaptação, transtornos psicóticos e transtornos do humor. O tratamento geralmente necessita do uso de medicações e psicoterapia, além de mudanças de hábitos de vida como alimentação equilibrada, prática regular de exercícios físicos e higiene do sono. Se alguém apresenta esses sinais e sintomas descritos até aqui e sente que está tendo algum prejuízo em sua vida, é recomendável procurar um profissional qualificado. O diagnóstico e tratamento adequados melhoram muito a qualidade de vida.

Dr. Victor Raphael Corrêa Voss CRM/SC 20096 Psiquiatria - RQE 11934 Graduação pela Faculdade de Medicina de Marília - FAMEMA - SP. Residência de Psiquiatria pela Faculdade de Medicina de Marília - FAMEMA - SP. Membro da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) e da Associação Catarinense de Psiquiatria (ACP). Foto: Daniel Viana

54

Portal Saúde


ORTOPEDIA

Fratura de fêmur no idoso. Da prevenção ao tratamento

Estamos diante de uma epidemia. A população tem vivido por mais tempo e de maneira mais ativa. Tivemos pacientes com 100 anos que faziam pilates e academia, eram lúcidos. A osteoporose, quase uma regra no sexo feminino após a menopausa, facilita consideravelmente o risco de fratura. Diversos são os fatores que adicionam o risco de queda. A fraqueza muscular, a dificuldade visual, a falta de equilíbrio, os medicamentos que podem causar tonteiras e quedas de pressão são exemplos. O acompanhamento clínico é extremamente importante para evitarmos essas alterações. A fratura da parte de cima do fêmur inclui as fraturas do colo do fêmur e as fraturas trocantereanas. Ambas na região proximal do fêmur, possuem tratamentos distintos. Nas fraturas do colo, o tratamento é com parafuso ou prótese de quadril e o tipo de prótese utilizada é dependente da demanda e expectativa de vida do paciente. Nas fraturas trocantereanas, o tratamento, geralmente, ocorre com o uso de uma haste de fêmur. Na prática, é como um tubo que vai dentro do osso no intuito de fixar a fratura. Em todos os tratamentos, o objetivo principal é que o paciente volte a caminhar no primeiro dia de pós-operatório. Muitas vezes, as doenças que estavam controladas antes da fratura descompensam. Descompensa a hipertensão, o diabetes e algumas vezes os idosos cursam com episódios de delírio. Não sabem onde estão nem o que está acontecen-

56

Portal Saúde

do. A abordagem multidisciplinar é importante para um bom desfecho. Trabalhos mostram taxas de óbito com menos de 30 dias em torno de 5%. Quanto mais cedo o paciente voltar a caminhar, maiores são as chances de sucesso no tratamento. É preciso prevenir esta fratura. A mudança do estilo de vida, o exercício físico, o tratamento da osteoporose e os cuidados com o ambiente em que o idoso vive são determinantes na prevenção da fratura. Procure um ortopedista antes que isso aconteça. E, se acontecer, procure um traumatologista.

Dr. João Victor da Silveira Moller CRM/SC 17892 Ortopedia e Traumatologia: RQE: 15230 Área de Atuação: Traumas Foto: Rudi Bodanese


ODONTOLOGIA

DISFUNÇÃO

TEMPOROMANDIBULAR (DTM) A participação do indivíduo na sociedade atual mudou significativamente seu estilo de vida e afetou sua saúde devido ao aumento da preocupação em relação à eficácia e ao sucesso do seu trabalho associado à velocidade nas informações. Algumas doenças se tornaram mais comuns na vida moderna, principalmente aquelas relacionadas a alterações comportamentais, como o estresse, a ansiedade e a própria DTM. A Disfunção Temporomandibular, segundo a Academia Americana de Dor Orofacial (2005), é definida como um conjunto de problemas musculoesqueléticos do sistema mastigatório com etiologia (causa) multifatorial resultante da ação muscular anormal e desalinhamento de várias partes do sistema mastigatório, com exceção do trauma. A ATM é a articulação que une a mandíbula ao osso temporal, situado no crânio. Esta articulação está localizada à frente do ouvido nos dois lados do rosto, portanto é uma articulação dupla ou bilateral e deve fazer movimentos simultâneos e harmônicos durante os movimentos de abertura, fechamento e lateralidade da boca. Quando existe alguma alteração no funcionamento da articulação, músculos ou estruturas relacionadas, podemos dizer que a ATM está sofrendo uma disfunção, ou DTM.

As alterações funcionais percebidas pelos pacientes portadores de DTM são comumente caracterizadas por alguns dos seguintes sinais e sintomas: • Dor, rigidez ou fadiga nos músculos mastigatórios, mandíbula, ATM e face; • Dor do tipo tensional na cabeça, pescoço, ombros e costas; • Dificuldade, desconforto ou dor ao abrir e fechar a boca, mastigar, cortar alimentos ou bocejar; • Limitação dos movimentos mandibulares com desvios na abertura e/ou fechamento da boca e sensação de que a mordida não se encaixa corretamente; • Ruídos articulares, como estalos ou crepitação (sensação de areia dentro da ATM); • Luxação ou subluxação da ATM, percebidos através de travamentos durante os movimentos de abertura e fechamento; • Dor no ouvido e/ou sensação de ouvido tampado, como se houvesse água dentro dele; • Vertigem ou zumbido. Diferentes fatores conjugados podem desencadear a DTM. O tempo e a frequência de repetição desses tendem a agravar a sintomatologia. As causas que levam o paciente a desenvolver a DTM são variadas: • Traumas, como acidentes, quedas ou impactos, nos quais o paciente tenha sofrido injúrias no rosto/ATM; • Hábitos bucais nocivos, como o bruxismo, morder objetos, onicofagia (roer unhas), etc; • Fatores locais relacionados à dentição devido à má posição dentária ou dos ossos maxilares; • Fatores comportamentais, como estresse, ansiedade, etc; • Fatores sistêmicos, como artrite, artrose, reumatismo, doenças autoimunes, etc.

Áreas normalmente afetadas por sintomatologia dolorosa na DTM.

58

Portal Saúde


Bruxismo O bruxismo é uma desordem complexa de causas múltiplas. Trata-se da ação de cerrar ou ranger os dentes em atividades não funcionais do sistema mastigatório. É um hábito geralmente inconsciente, diurno e/ou noturno, que, eventualmente, produz sons audíveis e desgaste dentário. O bruxismo pode ser considerado o principal fator causal da DTM, já que pode ser iniciador ou mantenedor dessa disfunção. Ele afeta uma grande porcentagem da população em todas as faixas etárias. Durante o bruxismo ocorre hiperatividade muscular com aumento do grau de contração das fibras, isso desencadeia maior compressão dos vasos sanguíneos e nervos da região afetada, causando dores. O aumento da atividade muscular na região de cabeça e pescoço desempenha um papel importante na etiologia das dores de cabeça do tipo tensional. Tratamento da DTM O tratamento da DTM é determinado pelo cirurgião-dentista capacitado a partir da avaliação de cada caso individualmente, para realização do diagnóstico, identificação das causas e definição do plano de tratamento. Um tratamento multidisciplinar, na maioria dos casos, é indicado por se tratar de uma doença com etiologia multifatorial. Na equipe, normalmente encontram-se, além do dentista, fisioterapeuta, psicólogo ou terapeuta integrativo. Normalmente, o odontólogo utiliza-se de algumas terapias para encaminhar o tratamento, entre elas: aparelhos ortopédicos funcionais, medicações, sessões de acupuntura e laserterapia, exercícios terapêuticos, além da termoterapia (uso local de calor ou frio através de compressas). Tratamento comportamental Os fatores comportamentais relacionados a ansiedade e estresse potencializam o grau de bruxismo e o perpetuam, consequentemente aumentando a DTM. Assim sendo, a psicoterapia, o autoconhecimento, a terapia floral, a homeopatia, entre outros podem acelerar o processo de melhora. O uso do Aparelho Ortopédico Funcional tem grande eficácia no controle do bruxismo e suas consequências, pois diminui o estímulo dos mecanorreceptores que promovem a contração muscular. Com isso, o músculo recebe uma resposta de relaxamento e ocorre diminuição das cargas sobre a ATM, levando ao alívio da sintomatologia dolorosa do paciente. A procura pelo tratamento adequado deve ser realizada assim que os primeiros sintomas forem percebidos, dessa forma, menos estruturas serão envolvidas na DTM e a possibilidade de melhora é mais rápida e eficaz para que ocorra controle da sintomatologia dolorosa do paciente e retorno à condição de saúde física e emocional.

Dr. Daniel Lemos Abadie Cirurgião-Dentista - UFRGS CRO/SC 15298 Especialista em Ortopedia Funcional dos Maxilares Especialista em Ortodontia e Ortopedia Facial Pós-Graduado em DTM e Dor Orofacial Rua José Henrique Veras, 305 - Lagoa da Conceição - Florianópolis - SC Rua Felipe Schmidt, 649, Sala 1.002, Centro - Florianópolis - SC 48 3338.7682 48 99910.1015 51 98144.1410

Portal Saúde

59


GASTRONOMIA

Ostra é o nome comum usado para designar um número de grupos diferentes de moluscos que crescem, em sua maioria, em águas marinhas ou salobras. As ostras têm um corpo mole, protegido dentro de uma concha altamente calcificada, fechada por fortes músculos adutores. De todos os bivalves, as ostras são os mais apreciados. São os frutos mais macios do oceano, o equivalente marinho da vitela ou do frango. Seu músculo adutor representa somente um décimo do peso corporal; as lâminas finas e delicadas do manto e das guelras representam mais da metade, ao passo que a massa visceral soma um terço. A ostra é uma iguaria especial quando consumida crua. É grande o suficiente para encher a boca, tem sabor pleno e complexo e uma umidade sugestivamente escorregadia. É um alimento rico em minerais, vitaminas e compostos orgânicos. São vários os benefícios obtidos por meio do consumo deste bivalve, tais como: saúde dos ossos, coração, sistema imunológico, circulação sanguínea e outros. Maricultura Os registros das primeiras fazendas marinhas de ostras datam de 350 a.C. na Grécia e 100 a.C. na Itália. Já entre as fazendas que conhecemos nos moldes atuais, as mais antigas datam do ano de 1624 no Japão. As águas em que as ostras vivem. O sabor das ostras também depende das águas onde elas vivem. Quanto maior a salinidade da água, mais suas células terão de produzir aminoácidos que ativam o paladar, os quais contrabalançam os sais

60

Portal Saúde

dissolvidos no exterior; e mais intenso será o sabor do molusco. O plâncton local e os minerais dissolvidos na água deixarão vestígios nítidos no animal; e os predadores, as correntes e a exposição à mudança das marés tornam maior e mais forte o seu músculo adutor. A temperatura da água determina a velocidade de crescimento da ostra e até mesmo o seu sexo: o calor e a abundância de alimentos geralmente acarretam a transformação da ostra numa polpuda fêmea cujos milhões de ovos lhe dão consistência cremosa; a água fria acarreta crescimento lento, adiamento indefinido da maturidade sexual e uma textura mais magra e crocante. Ostras em Florianópolis. Até o início dos anos 80 só era possível consu-


mir ostras ligadas a rochas submersas ou das zonas entremarés de Florianópolis capturadas por meio do extrativismo. Eram coletadas ostras nas baías, lagos e rios da região. Atualmente 100% das ostras comercializadas nesta cidade são oriundas da Maricultura, que compreende a atividade humana de produzir nos mares seres aquáticos, e Santa Catarina é responsável por 95% da produção nacional de moluscos bivalves (ostras, mexilhões, berbigões e vieiras). Em Florianópolis, pescadores iniciaram as primeiras criações a partir do ano de 1983. Os produtores cultivam basicamente a ostra-gigante, que aqui é conhecida como ostra-do-pacífico, porém alguns produtores estão introduzindo a gazar, que é uma espécie endêmica da costa brasileira. Como manipular e preparar ostras. As ostras vivas podem sobreviver por uma semana ou mais na geladeira, envolvidas em pano molhado e com a concha curva para baixo. Porém o fornecedor irá marcar prazo de validade de 5 dias, para maior segurança. Até a hora da preparação, as ostras não devem ser lavadas com água doce sob o risco de morte do molusco. Recomendo lavá-las em água do mar ou em uma concentração de 30 gramas de sal para 1 litro de água doce fria. Na hora de abri-las, deve-se tomar o cuidado de utilizar faca apropriada e um pano, papel ou silicone para proteger a mão de ferimentos.

Abrindo ostras. Por meio das imagens abaixo, é possível acompanhar o processo de abertura de ostras, porém é a prática que torna um bom abridor de ostras. Narbal de Souza Corrêa Chef

Passo a passo:

1

Revestir a ostra com um pano para proteção da mão. Inserir a ponta da faca no ligamento localizado no vértice (umbo) da ostra. Tem-se que ter sensibilidade para combinar força e cuidado para não quebrar a concha (valva). O objetivo nesta etapa é separar o bivalve;

2

Quando sentir a ruptura do ligamento, posicionar a lâmina da faca, correr a parte interna da concha superior até cortar inteiramente o músculo adutor. Esta etapa tem que ser realizada com cuidado para manter a água na ostra;

Receita Ostras Gratinadas (sem queijo) Ingredientes 6 ostras abertas (descartar tampa superior); 2 colheres (sopa) de manteiga derretida; 1 colher (sobremesa) de ervas frescas (tomilho, salsa, manjericão, alecrim) bem picadas; Migalhas de pão ou farinha japonesa (Panko).

3

Verificar se a ostra foi aberta com perfeição sem a presença de resíduos da casca. Recortar a parte de baixo do músculo adutor e a ostra estará pronta para servir ou utilizar em outra preparação.

Modo de preparo Distribuir as ervas sobre as ostras. Cobrir com as migalhas de pão e regar com manteiga, cobrindo toda a superfície. Levar ao forno, mantendo até dourar. Servir com limão cortado em gomos.

Portal Saúde

61


TRANSPLANTE CAPILAR

QUEDA DE CABELO

X

RECEITAS MILAGROSAS Quando a perda capilar começa a incomodar, a primeira atitude normalmente é buscar formas simples e “imediatas” para combater o problema. Entram nessa lista as chamadas “receitas milagrosas”, que são: os xampus antiqueda, tônicos capilares, complexos vitamínicos prontos, além de chás, ervas e outros truques e misturas caseiras que são muitas vezes indicados por familiares e amigos. Mas será que tudo isso funciona? Em alguns casos, a situação pode até ser aparentemente atenuada, todavia, quando o paciente se dá conta, conclui que precisa tomar medidas mais assertivas, como a necessidade de buscar ajuda profissional. De fato, alguns dos componentes que constituem essas formulações prontas, assim como as ervas usadas nas misturas caseiras, por exemplo, têm coerência e aplicabilidade no âmbito capilar, porém necessitam ser utilizados na apresentação e dosagem corretas, para que possam suprir a demanda do paciente. Vamos citar dois exemplos: a) Determinados ativos para queda capilar usados em xampu não têm como ultrapassar a barreira cutânea e adentrar o folículo piloso, pois o xampu é feito para a superfície do couro cabeludo, ou seja, para atuar na epiderme com objetivo de limpeza e tratamento de afecções como dermatites, eczemas, entre outros transtornos que acometem a pele; b) No caso de formulações prontas para uso oral, todos os componentes costumam ser bastante interessantes para o tratamento, entretanto, as concentrações dos ativos muitas vezes são relativamente pequenas ou inadequadas, o que pode não atender as carências dos pacientes ou até mesmo prejudicá-los, já que se trata de uma

62

Portal Saúde

suplementação às cegas, ou seja, sem conhecer suas reais necessidades. Felizmente, em que pese essa situação, a comunidade médico-científica tem se aprofundado na área de estudo da Dermatologia devotada aos cabelos (tricologia) e muitas pesquisas têm sido realizadas a fim de buscar o que pode ser feito para combater, de maneira realmente eficaz, a perda capilar nas suas mais variadas formas e com suas mais diversas causas. Um caminho muito promissor no âmbito do tratamento clínico para as alopecias está sendo desenhado e muito sucesso se tem alcançado, mas com investigação acurada do caso clínico e critério para se chegar a um tratamento adequado e que sempre varia de pessoa para pessoa. Como se pode observar, não existe milagre para tratar a queda de cabelo, mas, sim, ajuda profissional especializada.

Dr. Gustavo Sartorato CRM/SC 12.506 Foto: Rudi Bodanese


COMPORTAMENTO

COMO TER AUTOCONFIANÇA? Dicas essenciais para começar a praticar! A autoconfiança é uma característica essencial para nosso desenvolvimento pessoal e profissional. A partir dela, damos os passos necessários para crescer em direção ao que almejamos. Porém, é necessário termos uma visão madura sobre quem somos, nossos potenciais, habilidades e limitações. Mais do que um fator inato, a autoconfiança é uma habilidade que construímos em nós mesmos o tempo todo, sabia disso? Pensando nessa possibilidade de mudança, descrevi aqui para você dicas práticas de como ter autoconfiança, vamos lá? Desenvolva o autoconhecimento Aqueles que não se conhecem muito bem são fadados a cometer os mesmos erros indefinidamente. Aqueles que são alheios a si mesmos têm muito mais dificuldades em construir confiança. A falta desse saber costuma nos colocar em posição de vítimas, pois passamos a culpar o mundo por aquilo que dá errado em nossa história. Você costuma voltar o olhar para si mesmo? Não é uma tarefa fácil, mas, ao longo da vida, devemos buscar cada vez mais entender quem realmente somos e o que desejamos. Pode-se dizer que esse é um dos grandes objetivos na trajetória de qualquer um. A partir dessas compreensões, sabemos aquilo que podemos aprimorar, quais são as limitações mais agudas e também conseguimos explorar as habilidades em que temos mais aptidão. Aprenda a tolerar as frustrações Somos educados em uma cultura que tem baixa tolerância a erros e fracassos. Aprendemos que apenas o sucesso deve ser valorizado, enquanto as derrotas devem ser varridas para debaixo do tapete. O medo de errar é uma consequência desse pensamento, pois preferimos nem tentar assumir o risco do fracasso. Ainda assim, é possível rever esse

64

Portal Saúde

ponto de vista e criar outros sentidos para essas situações. A forma como nos relacionamos com as falhas é muito mais importante do que as conquistas que alcançamos. Entenda isso, qualquer trajetória de sucesso conta com inúmeras falhas, momentos de retrocesso, crises. Tudo depende da capacidade do indivíduo em ultrapassar essas barreiras e seguir em frente. É necessário ter sabedoria para pensar racionalmente nos momentos de crise e encontrar saídas criativas. Cultive a autoestima Da mesma forma, cuidado com os excessos em relação à confiança. Aqueles que têm uma autoimagem muito engrandecida também têm problemas por isso, sendo desacreditados como profissionais confiáveis ou desejáveis para trabalhar em equipe. Saber das limitações e reconhecer suas vulnerabilidades é tão importante quanto saber se valorizar. A humildade, nesse sentido, é uma virtude. Mais do que dizer e expor ao mundo suas qualidades, mostre-as por meio de suas próprias ações!

Wendell Carvalho Inteligência Emocional Reprogramação de Crenças Controle de Pensamentos Foto: Fabrício Sousa


GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA

CANDIDÍASE RECORRENTE Você já sofreu com episódios repetidos de candidíase? Esta é uma situação vivenciada por algumas mulheres e bastante indesejada. A candidíase vulvovaginal é uma infecção causada por fungo da família Cândida, mais comumente a Candida Albicans, porém, espécies como Candida Glabatra, Candida Krusei, entre outras, podem causar a infecção. A candidíase de repetição ou recorrente acomete 5 a 8% das mulheres; é definida como como quatro ou mais episódios sintomáticos de candidíase em um ano. Os principais sintomas são coceira e ardência na região da vulva, desconforto ao urinar e no momento da relação sexual, fissuras, vermelhidão, inchaço e secreção vaginal com odor característico com aspecto de talco molhado. A Cândida habita a flora vaginal de maneira equilibrada com os demais micro-organismos que lá vivem, os lactobacilos. Situações de estresse do organismo, baixa imunidade, doenças como Diabetes Mellitus, HIV, uso frequente de antibióticos, corticoides, hábitos relacionados com vestimentas apertadas, tecidos sintéticos, alimentação rica em carboidratos, leite e derivados, exposição ao estrogênio (reposição hormonal, usuárias de pílulas anticoncepcionais), gestação, entre outros fatores, contribuem para proliferação excessiva da Cândida e causam inflamação vulvovaginal. O diagnóstico é feito através dos sintomas e exame físico característico; nos casos recorrentes, a identificação do patógeno através de culturas específicas da secreção vaginal é importante para o melhor tratamento. Exames laboratoriais adicionais podem ser considerados. Fique atenta, nem toda coceira vaginal é sinônimo de candidíase! Muitas mulheres fazem o seu próprio diagnóstico e tratam os sintomas de maneira equivocada. Dermatites, reações alérgicas, líquen escleroso, herpes genital primário, vulvites químicas, etc. confundem-se com sintomas de candidíase, por isso, procure seu ginecologista. 66

Portal Saúde

Tratamento Tratar a candidíase de repetição nem sempre é fácil. Existe uma grande variedade de opções terapêuticas entre comprimidos, cremes e óvulos vaginais. Algumas mulheres apresentam resistência a medicamentos já utilizados e, em casos recorrentes, tratamentos prolongados com antifúngicos podem ser necessários. Mudanças de hábitos são importantes no tratamento. Cuidados em relação a higiene íntima, como sabonetes e cremes vaginais que respeitem o pH vaginal, não realizar duchas vaginais, evitar uso de roupas apertadas, calcinhas que não sejam de algodão, não usar protetores diários, cuidados com alimentação, evitar dietas ricas em carboidratos, açúcares e laticínios. Rever terapias hormonais e o uso de corticoides e antibióticos. A candidíase de repetição altera a qualidade de vida e leva a consequências como perda de libido, disfunções sexuais, perda de confiança e autoestima, algumas mulheres deixam suas atividades diárias por se sentirem incomodadas com coceira e secreção vaginal, além de outros malefícios. É uma condição bastante delicada que requer atenção com o diagnóstico e tratamento correto. Procure ajuda médica e cuide-se!

Dra. Maisa Miranda Cascaes CRM/SC 20743 - RQE 15923 Ginecologista e Obstetra Graduada em Medicina pela Universidade do Sul de Santa Catarina - UNISUL e Residência Médica em Ginecologia e Obstetrícia na Maternidade Carmela Dutra - Florianópolis


Outubro Rosa A luta contra o câncer de mama não pode parar! Confira a programação AMUCC do Outubro Rosa no site: www.amucc.org.br

Conectando e empoderando pessoas para vencer o cancer

• O câncer de mama tem 95% de chance de cura quando diagnosticado cedo. • A mamografia, no SUS, partir dos 40 anos, é garantida pela Lei 11.664/2008.

Avenida Hercílio Luz 639 - Ed. Alpha Centauri 11º andar - sala 1111 - Centro - Florianópolis - SC Fone: +55 (48) 3025 7185 outubrorosaflorianópolis amucc-associacao-brasileira-de-portadores-de-cancer

• Todo paciente com câncer tem direito a iniciar o tratamento gratuitamente no SUS até 60 dias, contados a partir do diagnóstico - Lei 12.732/2012. • Lutamos por qualidade nos exames de diagnóstico e pelo acesso às tecnologias de ponta no tratamento do câncer de mama metastático. • O câncer de mama é o de maior incidência, com previsão de 57.000 novos casos para 2018.


MODA & BELEZA

MODA E BELEZA SUSTENTÁVEIS Você deixaria de comprar uma roupa que vestiu muito bem e estava com aquele precinho de promoção superatraente, mas a etiqueta continha a célebre frase “Produzido na China”? Um número cada vez maior de pessoas responderia que Sim. As novas demandas do consumidor contemporâneo, que busca produtos de baixo impacto ambiental produzidos de forma consciente, que respeitem o meio ambiente com uma valorização justa da mão de obra e utilização de fibras e produtos orgânicos, ganham cada dia mais espaço no mercado da moda. Com o crescimento substancial nos últimos anos, a moda “verde” tem atraído grandes marcas, como: Osklen, Valentino, À la Garçonne, Stella McCartney e Reserva/Eva. Recentemente, o estilista brasileiro radicado em Londres Pedro Lourenço lançou a marca Zilver, que sugere a sustentabilidade como valor-chave. No texto de lançamento, ele escreveu: “Encontrando soluções, mesmo quando a resposta está distante. Constantemente evoluindo. Sabendo que ser melhor é melhor do que perseguir a perfeição. É um compromisso para melhorar a sustentabilidade, a busca de matérias-primas e a responsabilidade

70

Portal Saúde

social da moda. Um chamado por mudança. Um entendimento das limitações nossas e do mundo”. Ter o tão desejado “armário verde”, como se diz, não é tão simples ainda, devido ao alto custo das peças. Mas, como alternativa, podemos sempre recorrer aos brechós, às trocas e às doações de peças para fazermos parte de uma moda mais consciente. O Estado de Santa Catarina é considerado polo têxtil e tem se destacado com as iniciativas de marcas tradicionais em trazer a consciência ambiental como parte importante na fabricação de peças de vestuário e calçados.

Danubia Mendes Estilista Figurinista Produtora de Moda 48 98819.5775 danubiamendes danubiamends Foto: Rudi Bodanese


DIREITO MÉDICO

A LEI DEVE PROTEGER OS BONS, SEM CRIAR PRECEDENTES PARA OS MAUS Tramita, perante a Câmara dos Deputados, o Projeto de Lei (PL) nº 2.865/2015, de autoria do deputado Lucio Mosquini (MDB/RO), que altera o artigo 188 do Código Civil e o artigo 25-A do Código Penal Brasileiro. A rigor, no que se refere ao Código Civil, o PL determina que não sejam considerados atos ilícitos os erros praticados por profissionais da saúde em emergências às quais não tenham dado causa. Na esfera penal, o projeto acrescenta o parágrafo segundo ao artigo 25-A da lei repressiva para determinar que não será considerada culpável a imperícia, a negligência ou a imprudência, quando praticadas por profissionais da saúde em intervenções necessárias, quando decorrentes de emergências às quais não tenham dado causa. Na prática, o PL legitima e dá respaldo ao erro profissional, desde que tenha sido praticado em emergência, para cuja deflagração o mesmo não tenha concorrido. Submetido à Comissão Temática Permanente de Seguridade Social e Família, sob a relatoria do deputado Henrique Mandetta (DEM/MS), que é médico, o projeto foi rejeitado e seguiu para apreciação da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania. Não duvidamos da extrema boa intenção do deputado autor do projeto. Todavia, o mesmo denota desconhecimento pragmático da realidade fática e interpretação equivocada dos dispositivos legais. Uma emergência é, de per si, uma situação de anormalidade e exige, portanto, atitudes e ações também anormais. O que afasta a culpabilidade em ato médico praticado em tais circunstâncias não é a ausência de negligência, imperícia ou imprudência, mas sim a inexigibilidade de conduta diversa daquela que praticou.

Aprovar o Projeto de Lei na forma proposta pelo autor não protegeria os bons profissionais, mas poderia vir a acobertar os atos dos maus profissionais e, inclusive, tornar impunes erros grosseiros com graves consequências aos pacientes. A emergência não autoriza que se negligenciem regras, protocolos e ritualísticas cientificamente comprovadas e exigíveis do profissional mediano. Melhor seria se o legislador se preocupasse em criar e aprovar leis que propiciem e garantam aos profissionais de saúde, sobretudo no serviço público, condições mais dignas e recursos materiais suficientes para exercerem eticamente a sua profissão, cuidando realmente da saúde da população. Já é o momento de se preocupar mais com a qualidade em saúde e com a segurança do paciente e dos profissionais, que tanto se expõem a mínguas dos mínimos recursos materiais, tecnológicos e farmacológicos.

Raul Canal Advogado, presidente da Anadem (Sociedade Brasileira de Direito Médico e Bioética) Autor das obras “O pensamento jurisprudencial brasileiro no terceiro milênio sobre erro médico” e “Erro médico e judicialização da medicina”. Foto: Shodo Yassunaga

72

Portal Saúde


CULTURA

DAZARANHA Dazaranha é uma das bandas mais conhecidas de Florianópolis. O Daza, como é chamado pelo público, completa os seus 26 anos de carreira, e o músico integrante Chico Martins falou um pouco para a Revista Portal Saúde sobre a história da banda. Chico Martins - O Dazaranha começou em 1992, numa época em que a cena catarinense estava envolvida na produção de covers, principalmente covers de bandas americanas e inglesas, e alguns covers brasileiros também. Surgimos neste momento num certo hiato da música autoral catarinense, e me parece que várias circunstâncias convergiram para que o Daza acontecesse. Uma foi a necessidade do público de ter uma banda que representasse mais o povo da ilha ou o povo de cultura açoriana. Em princípio, quem mais se identificou com o nosso som foi a galera da ilha, que estava com uma certa carência. A gente veio com o sotaque, com uma linguagem comum, falando de coisas da ilha, remetendo a outras coisas que acontecem no mundo inteiro também.

74

Portal Saúde

O Dazaranha fez algumas parcerias durante estes anos de estrada e elas são muito bem-vindas. O primeiro disco contou com a parceria de Murilo Valente (diretor, músico e produtor musical). Mas as parcerias diretamente na música relativas ao cantar e ao tocar começaram no disco que o Carlini produziu, que foi o “Tribo da Lua” - trabalho que ganhou disco de ouro. Carlini produziu e tocou neste nosso disco, isso fez o Dazaranha dar um passo grande em termos de produção musical. Neste disco também houve a participação do Jorge Ben Jor, que estava gravando no mesmo estúdio que a gente. O nosso horário neste dia era às três da tarde, quando nós chegamos lá, o Jorge Ben Jor estava ocupando a nossa sala, ele estava terminando a mixagem de um disco dele que havia sido gravado ali também.


Só que passou da hora dele e ele estava ali, então o Carlini foi lá e falou com ele, os dois se abraçaram, como é comume entre pessoas que se conhecem há tanto tempo, e a partir daí começamos a conversar. O Carlini fez o convite pro Jorge Ben Jor participar do disco, e ele aceitou! Mandamos três músicas para ele e ele escolheu a música “Te liga”. Essa foi uma parceria bem importante. Depois, no disco “Paralisa”, nós gravamos com o Vidal, que produziu os últimos discos do Rappa. Neste disco, tivemos a participação de artistas catarinenses. A música “O Mané” teve a participação de Guilherme Ribeiro, da banda John Bala Jones, de Rô Conceição, da banda Iriê, e do Valdir Agostinho, que é um cara bem emblemático aqui em Florianópolis. Esta é uma música que é um clássico até hoje, não sai do repertório. Já a parceria com o Lenine pintou através do trabalho que a gente tem com o Projeto Tamar, há 10 anos. Existem vários artistas que representam o Projeto Tamar, o Lenine representa lá no Recife. Eu acabei fazendo uma música chamada “Bichos do Mar” e o Lenine gravou junto, inclusive fomos para Fernando de Noronha e gravamos um clip com ele nesta música. Isto foi nos aproximando. Depois, nos encontramos em um evento no Rio de Janeiro, e o Lenine foi ficando amigo nosso. E agora, neste disco de 25 anos, a gente convidou o Lenine para participar, e ele topou. Ele não escolheu a música que queria gravar, ele falou: - Eu quero gravar o que vocês querem que eu grave. E a gente escolheu uma música que tem bem o nosso sotaque, chama-se “Se Tu Diz”. Foi muito boa a troca. Eu considero o Lenine uma das melhores coisas da música brasileira, pelo menos dos últimos tempos. Ele é um cara fantástico como pessoa, como artista. Todos nós aqui somos muito fãs. É muito importante haver todas estas parcerias para o Dazaranha. Agora recentemente gravamos com o Digão dos Raimundos, sendo este o próximo single que iremos lançar. Single que faz parte deste próximo disco que estamos gravando. É um disco em que a gente está tentando juntar algumas parcerias, existem alguns nomes que a gente gostaria que estivessem presentes, que seriam um presentão para nós e para o nosso público. Entrevista cedida por Chico Martins, integrante da Banda Dazaranha - Florianópolis, Santa Catarina - 15/07/2018 - Reportagem: Faugus 8 Soma: Jornalista n˚: 0063798SP

Portal Saúde

75


BREVES

Dr. Daniel Abadie e Joseane Melo, em Farellones no Chile.

Dr. Henrique Müller participando de mais um curso para médicos escolhidos pela Allergan com o Dr. Maurício de Maio.

Dr. Henrique Müller e Anna Maria, juntos com as filhas Vitória e Theodora comemorando uma década da primogênita.

Dr. Leonardo Ravache no Congresso de Cirurgia Dermatológica 2018

78

Portal Saúde


BREVES

Dra. Susana Cipriani e o Dr. Felipe Bitencourt durante férias na maravilhosa cidade de Paris.

Evento beneficiente Best trick de skate com as vovós do Asilo da SEOVE (entidade filantrópica de amparo à velhice e de trabalho com a comunidade) realizado na Casa Flutuar Floripa, Rio Tavares.

Inauguração do novo ponto de encontro para os amantes da culinária Japonesa em Florianópolis o Seu Miyagi Sushi Lounge, unidade Santa Mônica.

Thiago Micieli da Conceito Estética Avançada juntamente com esposa Aline Gomes.

80

Portal Saúde


PORTAL SOCIAL

O Laboratório Trindade agora faz parte do Grupo Sabin. A aquisição, realizada em janeiro, traz a ampliação dos serviços oferecidos com a inauguração do novo Núcleo Técnico Operacional. Com o investimento, além de oito unidades do Laboratório Trindade, os catarinenses passarão a contar com duas novas unidades do Sabin que serão inauguradas no Centro e no Kobrasol. As unidades contam com um desjejum diferenciado, salas de coleta especiais, espaço kids e sistema eletrônico integrado. Fotos: Dhiego Silveira

82

Portal Saúde


PORTAL MÉDICO

Dra. Aline Prata

Dra. Carolina Telo Gehlen Branco

CRM/SC 16834 Dermatologia - RQE 16397 Conceito Estética Avançada: Rodovia Dr. Antônio Luiz Moura Gonzaga, 3339 - Bloco B - Sala 205 Rio Tavares - Florianópolis - SC 48 99167.4272 | 3879.0725

CRM/SC 13569 Pediatria - RQE 8954 Atuação em Alergologia Medical Kids: Rua Nossa Senhora da Conceição, 223 Lagoa da Conceição - Florianópolis - SC 48 3224.1111 | 3365.1655 98409.6933 pág. 40

pág. 04

Dra. Amanda Ibagy CRM/SC 12916 Pediatria - RQE 8317 Cancerologia Pediátrica - RQE 9942 Medical Kids: Rua Nossa Senhora da Conceição, 223 Lagoa da Conceição - Florianópolis - SC 48 3365.1655 | 48 98409.6933

Dr. Cesar Antonio de Quadros Martins Ortopedia e Traumatologia CRM/SC 20789 - RQE 11941 Área de Atuação: Joelho e Traumatologia do Esporte Centro de Tratamento Ortopédico Florianópolis: Rua Capitão Amaro Seixas Ribeiro, 58 Santa Mônica - Florianópolis - SC 48 3364.0800 pág. 56

pág. 36

Dra. Ana Amélia Torres CRM/SC 11483 Otorrinolaringologista - RQE 9708 Medical Kids: Rua Nossa Senhora da Conceição, 223 Lagoa da Conceição - Florianópolis - SC 48 3365.1655 | 98409.6933 CDO: 48 3224.1111

Dra. Denise Aparecida Nogueira de Lima CRM/SC 15519 Pediatria - RQE 10820 Oncologia Pediátrica - RQE 13152 Medical Kids: Rua Nossa Senhora da Conceição, 223 Lagoa da Conceição - Florianópolis - SC 48 3365.1655 | 48 98409.6933

pág. 38

pág. 33

Dra. Ana Cristina Torqui Duarte

Dra. Gabriela Casagrande Dagostim

CRM/SC 21590 Pediatria - RQE 12613

CRM/SC 15657 Pediatria - RQE 12231 Neurologia Pediátrica - RQE 13166

Medical Kids: Rua Nossa Senhora da Conceição, 223 Lagoa da Conceição - Florianópolis - SC 48 3365.1655 | 48 98409.6933

Medical Kids: Rua Nossa Senhora da Conceição, 223 Lagoa da Conceição - Florianópolis - SC 48 3365.1655 | 48 98409.6933

pág. 33

Dr. Breno Calgaro de Carvalho

Dr. Gustavo Frode Machado Vieira

Ortopedia e Traumatologia CRM/SC 8783 - RQE 4708 Área de Atuação: Ombro

CRM/SC 16834 Mastologia - RQE 14190

Centro de Tratamento Ortopédico Florianópolis: Rua Capitão Amaro Seixas Ribeiro, 58 Santa Mônica - Florianópolis - SC 48 3364.0800 pág. 56

84

Portal Saúde

pág. 32

Climama: Rua Madalena Barbi, 125 Centro - Florianópolis - SC 48 3322.0000

pág. 48


Dr. Gustavo Sartorato

Dra. Joyce Lisboa Freita

CRM/SC 12.506

CRM/SC 18106 Cirurgia Pediátrica - RQE 13674

CMC - Centro de Medicina Capilar: Avenida Trompowsky, 291 Salas 801 e 802 - Torre 1 - Medical Tower - Trompowsky Corporate Centro - Florianópolis - SC 48 3333.2804 | 99993.5301

Medical Kids: Rua Nossa Senhora da Conceição, 223 Lagoa da Conceição - Florianópolis - SC 48 3365.1655 | 48 98409.6933

pág. 40

pág. 62

Dr. Gustavo Soldateli

Dr. Leonardo Ravache

CRM/SC 18733 Pediatria - RQE 14654 Alergia e Imunologia Pediátrica - RQE 14767

CRM/SC 12746 Dermatologia - RQE 10466

Medical Kids: Rua Nossa Senhora da Conceição, 223 Lagoa da Conceição - Florianópolis - SC 48 3365.1655 | 48 98409.6933

Conceito Estética Avançada: 48 3879.0725 | 99167.4272

Ravache Dermatologia: 48 3879.4820

pág. 34

pág. 16

Dr. Henrique Riggenbach Müller

Dr. Luciano Manoel Martins Kroth

CRM/SC 9116 Cirurgião Plástico - RQE 6070

Ortopedia e Traumatologia CRM/SC 8377 - RQE 3831 Área de Atuação: Pé e Tornozelo

Clínica Müller: Av. Rio Branco, 691 sala 402 - Executivo Atlantis Centro Florianópolis - SC

Centro de Tratamento Ortopédico Florianópolis: Rua Capitão Amaro Seixas Ribeiro, 58 Santa Mônica - Florianópolis - SC 48 3364.0800

48 3225.2758 | 48 99145.2758 pág. 30

pág. 56

João Paulo Mussi Simões de Sousa

Dra. Maisa Miranda Cascaes

CRM/SC 23617 RQE 15666

CRM/SC 20743 - RQE 15923 Ginecologista e Obstetra

IF - Instituto de Fraturas - Ortopedista cirurgião de mão e cotovelo e microcirurgia reconstrutiva Baia Sul Medical Center - Rua Menino Deus 63 - Bloco A - Sala 411 48 3012.3424 | 48 99125.8585

Florianópolis - Clinefemina 48 3091 4450 Florianópolis - Clínica Bella Ilha Telefone 48 3024.1519

pág. 46

pág. 66

Dr. João Victor da Silveira Moller

Dra. Nyrla Yoshie Yano Gomes

CRM/SC 17892 - RQE 15230 Ortopedia e Traumatologia Área de Atuação: Traumas

CRM/SC: 19167 Cirurgia Geral - RQE 13348 Cirurgia Pediátrica - RQE 13349

Centro de Tratamento Ortopédico Florianópolis: Rua Capitão Amaro Seixas Ribeiro, 58 Santa Mônica - Florianópolis - SC 48 3364.0800

Medical Kids: Rua Nossa Senhora da Conceição, 223 Lagoa da Conceição - Florianópolis - SC 48 3365.1655 | 48 98409.6933

pág. 56

pág. 40

Portal Saúde

85


PORTAL MÉDICO

Dr. Rafael Carvalho de Souza Rodrigues CRM/SC 15343 - RQE 10032 Ortopedia e Traumatologia Área de Atuação: Pé e Tornozelo Centro de Tratamento Ortopédico Florianópolis: Rua Capitão Amaro Seixas Ribeiro, 58 Santa Mônica - Florianópolis - SC 48 3364.0800

Dra. Saada Avila Chidiac Clínica Geral e Geriatria CRM/SC 11063 - RQE 5383 Centro de Tratamento Ortopédico Florianópolis: Rua Capitão Amaro Seixas Ribeiro, 58 Santa Mônica - Florianópolis - SC 48 3364.0800

pág. 56

pág. 56

Dr. Renato Locks

Dr. Stefan Dias Zolin

Ortopedia e Traumatologia CRM/SC 16227 - RQE 8418 Área de Atuação: Quadril

Ortopedia e Traumatologia CRM/SC 19352 - RQE 15192 Área de Atuação: Mão e Punho

Centro de Tratamento Ortopédico Florianópolis: Rua Capitão Amaro Seixas Ribeiro, 58 Santa Mônica - Florianópolis - SC 48 3364.0800

Centro de Tratamento Ortopédico Florianópolis: Rua Capitão Amaro Seixas Ribeiro, 58 Santa Mônica - Florianópolis - SC 48 3364.0800 pág. 56

pág. 56

Dr. Ricardo Mauricio Favaretto

Dr. Victor Raphael Corrêa Voss

CRM/SC 25766 Otorrinolaringologia - RQE 16218

CRM/SC 20096 Psiquiatria - RQE 11934

Medical Kids: Rua Nossa Senhora da Conceição, 223 Lagoa da Conceição - Florianópolis - SC 48 3365.1655 | 48 98409.6933

Clínica Becker e Bender: Av. Rio Branco, 380 - Sala 1008 Ed. Barra Sul - Centro Florianópolis - SC 48 3207.6732 | 48 99171.8354

pág. 40

pág. 54

Dr. Rodrigo Aita Bittencourt

Dr. Vinicius Rene Giombelli

CRM/SC 7830 Pediatria - RQE 3907

CRM/SC 18440 Pediatria - RQE 14013 Endocrinologia Pediátrica - RQE 16167

Medical Kids: Rua Nossa Senhora da Conceição, 223 Lagoa da Conceição - Florianópolis - SC 48 3365.1655 | 48 98409.6933

Medical Kids: Rua Nossa Senhora da Conceição, 223 Lagoa da Conceição - Florianópolis - SC 48 3365.1655 | 48 98409.6933

pág. 35

Dr. Rodrigo Cavalheiro CRM/SC 10726 Médico Oftalmologista RQE 13796

48 3025.4848 pág. 24

Portal Saúde

Dr. Williann Kenny Hendges Ortopedia e Traumatologia CRM/SC 14796 - RQE 10878 Área de Atuação: Coluna

Prime Oftalmologia: Rua Irmã Benwarda, 83 - Centro Edifício Hs - Prime 3º Andar Florianópolis - SC

86

pág. 37

Centro de Tratamento Ortopédico Florianópolis: Rua Capitão Amaro Seixas Ribeiro, 58 Santa Mônica - Florianópolis - SC 48 3364.0800 pág. 56


PORTAL DOS PROFISSIONAIS

ENFERMAGEM Carina de Luca Janesch Rua Nossa Senhora da Conceição, 223 Lagoa da Conceição - Florianópolis - SC

ODONTOLOGIA

48 3365.1655

Daniel Lemos Abadie Rua José Henrique Veras, 305 - Lagoa da Conceição - Florianópolis - SC Rua Felipe Schmidt, 649 - Sala 1002 Centro - Florianópolis - SC

ESTETICISTA Cristina Porto Júlia da Veiga Rod. Dr. Antônio Luiz Moura Gonzaga, 3339 Bloco B - Sala 205 - Rio Tavares Florianópolis - SC

48 3879.0725

FARMÁCIA DE MANIPULAÇÃO Farmácia Vita Essência Rua João Pio Duarte Silva, 403 Córrego Grande - Florianópolis - SC

Ana Luiza Piccoli Rua Nossa Senhora da Conceição, 223 Lagoa da Conceição - Florianópolis - SC

48 3025.4400

Juliana M. Trajano Rafael Mariano Avenida Professor Othon Gama D’eça, 677 The Office Avenida - Sala 407 -  Centro Florianópolis - SC Susana Cipriani Rua Paulino Pedro Hermes, 2440 - Centro Comercial Portal do Bosque - São José - SC Rua Leopoldina Brasil, 17 - Sala 01 São João Batista - SC

48 3365.1655

48 3338.7682 48 99975.7993

48 3025.7034

48 3257.9736 48 3265.4703

PERSONAL TRAINER / PILATES FISIOTERAPIA Beatriz Buss Cruz Rua Capitão Amaro Seixas Ribeiro, 58 Santa Mônica - Florianópolis - SC Thais Libertine Saad Rua Nossa Senhora da Conceição, 223 Lagoa da Conceição - Florianópolis - SC

48 3364.0800

48 3365.1655

Elaine Silva Rua Cônego Bernardo, 57- Trindade Florianópolis - SC Edifício Koerich Beiramar Office Av. Mauro Ramos, 1970 - Sala 505 - Centro Florianópolis - SC

88

Portal Saúde

48 3365.1655

48 3365.1655 PSICOTERAPEUTA REENCARNACIONISTA Joseane Melo Rua José Henrique Veras, 305 - Lagoa da Conceição - Florianópolis - SC

NUTRIÇÃO Carolina Ferreira Vaz Rua Nossa Senhora da Conceição, 223 Lagoa da Conceição - Florianópolis - SC

48 99138.8918

PSICOLOGIA Anelise Delpino Carla Caroline Santos Sheila Mangoni Rua Nossa Senhora da Conceição, 223 Lagoa da Conceição - Florianópolis - SC

FONOAUDIOLOGIA Elza Maria Pedrosa Ruivo Joicy Cordeiro dos Santos Rua Nossa Senhora da Conceição, 223 Lagoa da Conceição - Florianópolis - SC

Camila Dalolli Guaselli Rodovia Dr. Antonio Luiz Moura Gonzaga, 979 - Rio Tavares - Florianópolis - SC

48 3338.7682

48 3365.1655 RADIOLOGIA 48 3307.2043 48 3333.9157

Emiliano Luiz da Silva Rua Capitão Amaro Seixas Ribeiro, 58 Santa Mônica - Florianópolis - SC

48 3364.0800


Profile for Revista Portal Saúde

05- REVISTA PORTAL SAÚDE FLORIANÓPOLIS  

05- REVISTA PORTAL SAÚDE FLORIANÓPOLIS  

Advertisement