Page 1

Petróleo, Gás Natural e Biodiesel

Ano VI - nº 17 - Especial melhores momentos 2010 (Jun/Dez)

O melhor do Brasil é o brasileiro!

Petrobras em 2010: recordes anual, mensal e diário de produção de petróleo

Agência

Apoio

Apoio Revista Petrogás, Ano VI - nº 17 - Especial melhores momentos 2010 - Jun/Dez 2010 - 1


Editorial Tudo novo... Novo ano... Novo Governo!

NESTA EDIÇÃO

Jorn. Juvenal Menezes DRT/CE 1945 (Editor-Chefe) juvenalferreira@hotmail.com

Tudo que é novo, traz motivos de novidades e curiosidades. Estamos com duas novidades, sendo uma novidade com curiosidade. A novidade é a chegada do novo ano, muito embora já corriqueira, a outra novidade com ares de curiosidade é o novo Governo que se instala no país. Todos os brasileiros devem sentir-se orgulhosos por esta espetacular lição de democracia que culminou com a posse de um novo presidente, para melhor explicitar uma Presidenta. A democracia no Brasil atingiu o seu apogeu histórico, o povo manifestou-se livremente, demonstrando para o mundo como deve ser exercitada a democracia. A liberdade de ir e vir e de se expressar, foram direitos assegurados e respeitados pelo poder dominante . Como fato histórico também, consideramos a eleição da Dilma Roussef, a primeira mulher a galgar a Presidência do Brasil. Ficamos entusiasmados com os primeiros passos do novo governo, pois considerou que a nossa Petrobras está no caminho certo e bem administrada. Manteve o atual o Presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli. Este ano promete gratas surpresas no mundo das energias renováveis e a PETROBRAS far-se-á presente com o fantástico PRÉ-SAL O ano que passou ficará na história da nação brasileira, como o ano da redenção de nossa antes falida Indústria Naval, produto de trabalho, amor e crença este verdadeiro milagre aconteceu, o Brasil voltou a fabricar navios e já é destaque na indústria náutica do mundo. Nós que fazemos a Revista Petrogás sentimos muito orgulho de a mais de 06 anos, virmos noticiando aos brasileiros e ao mundo que o melhor do Brasil é o Brasileiro.

Petrobras Petrobras tem tem elevada elevada capacidade capacidade financeira financeira Lançado ao mar o navio petroleiro "Sérgio Buarque de Holanda" no RJ 03 Panorama da Indústria naval brasileira em 2010 05 A barca da alegria 07 Quem é Leyla Nascimento? 08 Retrospectiva 2010: Biocombustível 09 P-51 uma plataforma 100% nacional 12 A Petrobras no ano de 2010 13 Petrobras bate recordes anual, mensal e diário de produção de petróleo 14 Poço Lula e o petróleo em alta 15 Petrobras no Ceará investe R$ 100 milhões em poços 16

"Arquivada e Catalogada na Biblioteca Central da Petrobras" Revista Petrogás, ano VI nº. 16, Especial melhores momentos 2010 (Jun-Dez). (Breve on line: www.revistapetrogas.com.br) O melhor do Brasil é o brasileiro! Uma publicação independente da Junah, viabilizada através dos amigos do Petróleo Brasileiro.

Editor-Responsável: Jornalista Juvenal Ferreira de Menezes (Reg. Prof. DRT/CE 1947), Diretora Adjunta e Fundadora: Nahimi Argollo Ferreira de Menezes, Publicitário: Josemar Argollo de Menezes, Comunicação Visual: J. Argollo Comunicação & Marketing - Cel.: (85) 9667.3827, Copy-Desk e Revisão: Plantão Gramatical, Relações Públicas: Josemar Argollo de Menezes, Jornalista Responsável: Paulo Afonso de Paiva Cavalcanti (Reg. Prof. 18.613 DRT RJ), Publicidades: Depto. Vendas Editora Junah, Repórter Fotográfico: João Justino, Rui Norões, Rdo. Araújo, Marcelo Holanda, Fernando Farias, Jeová Dourado e Banco de imagens da Petrobras. Fontes e Colaboradores: Arquivo de Entidades e Banco de Imagens da Petrobras, Portal Petrobras, Assessoria de Impresa da Petrobras, Assessorias de Imprensa CEGÁS, SEBRAE, Eng. Alcides Diniz (TermoCeará), Eng. Eribaldo Fernandes (Lubnor), Dr. Luiz Siqueira (BR-Distribuidora), Geraldo Maia (Petrobras Mossoró), Jornalista Zelito Magalhães, entre outros. Apoio: Governo Federal, Cegás, Petrobras, Br-Distribuidora, Lubnor, Transpetro, FCEPE (Federação de Clubes da Petrobras), CEPE´S (Clubes de Empregados da Petrobras), AASPECE, SINDIPETRO, entre outras.

2 - Revista Petrogás, Ano VI - nº 17 | Especial melhores momentos 2010 - Jun/Dez 2010

Redação/Administração: Junah Publicidades - Junah Publicidades & Comunicação Visual Ltda CNPJ: 69.715.563/0001-62 - Filiada à ACI (Associação Cearense de Imprensa) Rua Pedro Borges, 33 - Ed. Palácio Progresso - Sala 1022 - Centro - CEP: 60055-120 - Fortaleza - Ceará Fone: (85) 3088.2567 - Fax: 3198.9917 - Móvel: 9667.3827 E-mails: atendimento@jargollo.ppg.br - publicidade@junah.com.br - Editor-Chefe: juvenalferreira@hotmail.com Os artigos e opniões assinadas não correspondem necessáriamente ao pensamento dos editores da revista e são de responsabilidade dos seus autores.


Lançado ao mar o navio petroleiro “Sérgio Buarque de Holanda” no RJ

C

om a presença do ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, a Transpetro lançou ao mar no dia 19 de Dezembro passado, no Estaleiro Mauá, em Niterói (RJ), o terceiro navio do Programa de Modernização e Expansão da Frota (Promef). O navio se destina ao transporte de produtos derivados claros de petróleo: tem 183 metros de comprimento – o equivalente a dois campos de futebol – e capacidade para 48,3 mil toneladas de porte bruto. Batizado Sérgio Buarque de Holanda, em homenagem a um dos maiores pensadores brasileiros, autor do clássico “Raízes do Brasil”, o navio de produtos atingiu um índice de nacionalização de 68,8%, acima do patamar mínimo estabelecido para a primeira fase do Promef, que é de 65%. “Nós estamos colocando no mar um navio que presta uma importante homenagem. Sérgio Buarque de Holanda é um dos intelectuais mais importantes do país. Os outros dois navios também tiveram grandes nomes: Celso Furtado é o pai dos economistas e João Cândido foi personagem fundamental para a história da Marinha brasileira”, disse o presidente Lula. O Sérgio Buarque de Holanda teve como madrinha a biofarmacêutica cearense Maria da Penha Maia Fernandes, cuja luta para combater a violência doméstica contra as mulheres deu origem à lei que leva seu nome. No dia 25, foi celebrado o Dia Internacional

Sérgio Machado, presidente Transpetro

da Não-Violência contra as Mulheres. A embarcação é a 200ª construída pelo Mauá, o primeiro estaleiro brasileiro, erguido no Século XIX, na Ponta d’Areia, em Niterói. Com a crise da indústria naval, o estaleiro ficou 16 anos sem lançar ao mar um navio de grande porte, hiato

interrompido graças às encomendas do Promef. O evento marca também a entrada do programa da Transpetro em uma fase que se caracteriza por um ritmo intenso de lançamentos e entregas de navios. Em 2011, seis navios serão lançados

Revista Petrogás, Ano VI - nº 17 - Especial melhores momentos 2010 - Jun/Dez 2010 - 3


e cinco serão entregues pelos estaleiros à Transpetro para o início de operações. Nesse contexto, fez parte da cerimônia do dia 19/dez, o batimento de quilha (início da montagem) do terceiro navio de produtos construído para a Transpetro pelo Mauá. Até o início de 2015 estarão concluídos os 49 navios do programa. Com isso, a frota da empresa, hoje com 52 navios, superará o número de 100 embarcações, com um investimento de R$ 10 bilhões. “O Promef já mudou a face da indústria naval brasileira, que está sendo reconstruída em novas bases. Novos estaleiros são erguidos, modernizados ou ampliados. Não estamos fazendo navios a qualquer custo, mas criando uma indústria mundialmente competitiva, e por isso, sustentável e duradoura”, afirmou o presidente da Transpetro, Sergio Machado. O ano de 2010 marca o renascimento da indústria naval brasileira, após 13 anos sem lançar um único navio de grande porte. Este ano foram lançados ao mar o petroleiro tipo Suezmax João Cândido, no Estaleiro Atlântico Sul, em Pernambuco, e o Celso Furtado, no Estaleiro Mauá, que tem as mesmas características do Sérgio Buarque de Holanda. A partir do Promef, aumentou significativamente no País a demanda de armadores nacionais e estrangeiros, enquanto investimentos para a construção de novos estaleiros são anunciados em vários Estados. As necessidades e oportunidades criadas pela exploração das jazidas da camada de pré-sal vão acentuar a tendência de expansão sustentável do setor. “O setor naval viveu momentos difíceis e hoje temos a satisfação de ver a retomada da construção naval. Isso representa empregos, resultados positivos e a reconstrução da indústria”, disse o ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos. Berço da indústria naval brasileira, o Estado do Rio é também o principal polo do setor no país. O Promef encomendou 16 navios aos estaleiros fluminenses, que representam R$ 2,2 bilhões em investimentos, sendo 10 mil diretos e 40 mil indiretos. Apenas no Mauá, o programa propiciou a contratação de 3 mil trabalhadores. Além do Mauá, responsável pela construção de quatro navios de produtos, também farão navios para a Transpetro, 4 - Revista Petrogás, Ano VI - nº 17 | Especial melhores momentos 2010 - Jun/Dez 2010

LanÇamento navio sergio buarque de holanda

no Estado do Rio, os estaleiros Eisa (quatro petroleiros tipo Panamax), Superpesa (três navios de transporte de bunker – combustível para embarcações) e Rio Nave (cinco navios de produtos). “Vamos contratar centenas de navios para a indústria de petróleo nos próximos anos”, afirmou o presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli. Depois de ser a segunda maior fabricante mundial, nos anos 1970, a indústria naval brasileira viveu uma longa crise, até ressurgir, em razão do volume de encomendas da Transpetro. Os 1.900 empregos existentes no setor, em 2000, se transformaram, hoje, em 50 mil. O Brasil já possui a quarta maior carteira mundial de encomenda de navios petroleiros. O programa de construção naval da Transpetro, um dos principais projetos estruturantes do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), gerou mais de 15 mil empregos diretos. Ao longo do Promef este número chegará a 40 mil empregos diretos e 160 mil indiretos.

O ano de 2010 marca o renascimento da indústria naval brasileira ...

Dos 49 navios previstos no programa, 46 já foram contratados. Outros três navios de produtos estão em licitação. O Promef revitalizou a indústria naval brasileira. Por meio do volume de encomendas, o programa proporciona escala para que os estaleiros se modernizem, investindo em instalações, tecnologia e capacitação profissional. Fica, desta forma, viabilizada a “curva de aprendizado”, que enseja a construção dos navios em prazos cada vez menores e a preços mais baratos. Foi a escala de encomendas que permitiu o surgimento dos “estaleiros virtuais”. O Atlântico Sul, hoje o maior e mais moderno estaleiro do país, no Porto de Suape, em Pernambuco, foi viabilizado pelas encomendas do Promef. O estaleiro vai construir 22 petroleiros para o programa. Com as mesmas características, o Estaleiro Promar venceu a licitação para fazer oito navios gaseiros.


Panorama da Indústria naval brasileira em 2010

O

s estaleiros nacionais são protegidos pela reserva de mercado e os impostos de importação para navios novos ou usados chegam a 55% , inviabilizando a compra de embarcações do exterior . Por outro lado , o custo de construção de navios nos estaleiros brasileiros é alto, muito acima do de países como Coréia e Hong Kong. Para complementar os impostos que incidem sobre a operação, sobretudo nos combustíveis , somam 38,45% inviabilizando investimentos no setor . ( Exame , 26.09.2007 , p. 52) . Quando o presidente Lula assumiu , tornou obrigatória a compra de 80% de componentes nacionais em plataformas e navios pela Petrobrás . A indústria naval nacional renasce e em 2009 já é a sexta do mundo . Cerca de 25 estaleiros estão instalados no país e 5 estão em construção . O Brasil em 2009 tem cerca de 30 estaleiros grandes e médios e a quinta maior carteira de encomendas do mundo segundo o Sinaval . Em três anos o número de vagas criadas mais que dobrou, chegando a 45.470 postos em junho de 2009 , havendo demanda reprimida de pessoal qualificado . ( Você S A , setembro de 2009 ,p. 24) . Em 2.000 eram menos de 2.000 empregados . O BNDES estima investimentos de R$ 55 bilhões na indústria naval e de apoio à exploração marítima de petróleo de 2010 em diante . Serão construídos dois estaleiros no país , com investimentos de R$ 1 bilhão . ( F S P , 28.10.2009 , p. B-4) . Por conta das novas descobertas a Petrobrás vai encomendar prioritariamente à indústria nacional 230 embarcações de 2008 a 2017 e esta demanda irá revolucionar o setor . . Por meio de licitação serão contratados 146 barcos de apoio à exploração e produção marítima de petróleo até 2014 , com investimentos de US$ 5 bilhões . Nos editais haverá exigência de conteúdo nacional de peças e equipamentos de 80%. Com o mesmo modelo serão afretadas 40 sondas de perfuração até 2017 . Nesse caso o país não terá condições de atender toda a encomenda pois o Brasil nunca produziu sondas . Em 30 de maio a diretoria

da Petrobrás aprovou o aluguel no exterior dos 12 primeiros navios-sonda. As 12 unidades serão construídas fora do país por falta de capacidade técnica dos estaleiros brasileiros . Dez sondas serão montadas por empreiteiras brasileiras em estaleiros no exterior . Para as outras duas , a estatal fará a encomenda a empresas estrangeiras . As próximas poderão ser construídas no Brasil , o que demandará grandes investimentos em infra-estrutura . Segundo o Sinaval ,os estaleiros brasileiros precisam de pelo menos quatro anos para gerar a capacidade e dominar procedimentos e tecnologia de construção . ( F S P , 31.05.2008 , p. B-5) . Cada plataforma de produção de petróleo pode custar mais de US$ 2 bilhões e consumir até dois anos de trabalho . Uma sonda de perfuração – usada na exploração dos campos marítimos - não sai por menos de US$ 1 bilhão . Um petroleiro varia de US$ 60 a US$ 100 milhões , de acordo com o porte da embarcação e leva pelo menos oito meses para ficar pronto. ( F S P , 29.11.2009, p. B-9) . A Transpetro encomendou em 2006 26 navios por licitação , contratando os chamados estaleiros virtuais , que não possuíam ainda instalações montadas . Dois deles – o Rio Naval ( grupos MPE, Iesa e Sermetal) e Atlântico Sul ( Camargo Corrêa e Queiroz Galvão ) venceram a maior parte dos contratos e vão construir , ao todo, 19 embarcações . O Atlântico começa a funcionar em julho de 2008 e o Rio Naval ainda negocia com os proprietários do antigo estaleiro Ishibrás , na região do

CONSTRUÇÃO NAVAL Foi criado em setembro de 2008 . Pela lei de criação , a União poderá aportar até R$ 1 bilhão no FGCN , que terá por objetivo garantir o risco de crédito das operações . A indústria naval é financiada com recursos do Fundo da Marinha Mercante ( FMM) , que é abastecido com uma taxa cobrada nas operações de frete . Para conseguir os empréstimos no FMM, no entanto, os estaleiros tem que apresentar garantias . Com isso, os

porto do Rio . Em julho de 2008 a Transpetro anunciou a licitação de mais 22 navios , a um custo estimado de R$ 2 bilhões . Os navios terão que ser feitos obrigatoriamente no Brasil. ( F S P , 8.7.2008 , p. B-4) . FUNDO DE GARANTIA PARA A Revista Petrogás, Ano VI - nº 17 - Especial melhores momentos 2010 - Jun/Dez 2010 - 5


recursos do FGCN poderão garantir até 50% do valor do financiamento de cada encomenda . ( F s p , 27.09.2008 , P. b-16). A exploração do pré-sal pode produzir uma revolução na indústria de construção naval brasileira . Segundo cálculos do Sinaval ( Sindicato Nacional da Indústria da Construção e Reparação Naval e Offshore) , estão previstos 338 empreendimentos nos próximos oito ano , o que inclui entre outros , 49 navios petroleiros encomendados pela Transpetro no Promef 1 e 2 , 146 navios de apoio marítimo a plataformas de produção de petróleo , 6 plataformas de produção de petróleo e 28 navios sonda de perfuração . O país tem 26 estaleiros de grande e médio porte com capacidade de processamento de aço de 630 mil toneladas por ano e já voltou ao patamar de 40 mil empregos, o mesmo da década de 1970 e deve chegar a 70 mil até 2013 . O número de encomendas pode dobrar ou triplicar com o pré-sal . Ainda é impossível mensurar o impacto que ele terá para o setor . ( F s P , 30.08.2008, p. B-11) . A cadeia de produção do setor ficou tão desarticulada que atualmente nem âncoras se fabricam no Brasil para navios de grande porte , bem como luminárias específicas para navios , armários, fogões e até equipamentos mais sofisticados . Com o crescimento das encomendas , este setor irá deslanchar e os grandes fornecedores internacionais terão que se instalar no país ou firmar parcerias . NAVIOS SONDA A Petrobrás recebeu em 26 de maio os documentos de nove empresas e consórcios para a compra de 28 navios sonda no valor de R$ 50 bilhões . Entregaram os documentos as empresas : Andrade Gutierrez, Engevix, Jurong, Eisa, Keppel Fells, Atlântico Sul ,a coreana STX , a Alusa e Galvão Engenharia e a Odebrecht , OAS e UTC

6 - Revista Petrogás, Ano VI - nº 17 | Especial melhores momentos 2010 - Jun/Dez 2010

Engenharia . A licitação foi dividida em de processar 160 mil toneladas de aço por ano quatro lotes com sete navios cada uma, . ( F S P , 17.08.2008, p.B-13) . que terão de ser construídos no Brasil . ( O Estaleiro Atlântico Sul , instalado F S P , 27.05.2010, p. B-1) . junto ao porto de Suape em Pernambuco está a todo vapor . Em 2009 a empresa ALIANÇA dobrará o número de funcionários O BNDES aprovou financiamento de passando de 1.500 para 3.000 para atender US$ 745,9 milhões para a aquisição de às encomendas de 15 navios petroleiros 19 embarcações pela CBO ( Companhia da Transpetro . A cada dois meses e Brasileira de Offshore), que atua no apoio meio entram 300 novos funcionários a plataformas de petróleo e tem garantida no estaleiro , que recebem seis meses a contratação de quatro navios para de cursos de qualificação .(Exame , prestação de serviços à Petrobrás . Os 11.02.2009, p. 88-93) . navios serão construídos pelo estaleiro No início de 2010, a empresa foi buscar Aliança , do grupo Fischer , em Niterói, no Japão 200 soldadores brasileiros de até 2016 ( F S P, 18.06.2010, p. B-3) . ascendência oriental , os decasséguis . ALUSA Está finalizando negociações com o STX Corporation , um dos maiores grupos econômicos da Coréia do Sul, para construir um estaleiro no Brasil para produzir sondas de perfuração para a Petrobrás . ( F s P , 16.11.2008, p. B-2) . ATLÂNTICO SUL O Atlântico Sul, maior estaleiro do Hemisfério Sul entrou em operação em 08 de agosto de 2008 no complexo portuário de Suape , em Ipojuca . A empresa iniciou o processamento de 39 mil toneladas de aço para a construção de parte de uma plataforma de petróleo e de um navio petroleiro , encomendas feitas pela Petrobrás e pela Transpetro , que serão entregues em 2.010, parte de um contrato de US$ 2,5 bilhões para a compra de 26 navios de vários estaleiros , do qual o estaleiro irá produzir dez navios . As obras estarão totalmente concluídas em 2009 , em uma área de 162 há , com área industrial coberta de 130 milm2 e investimento de US$ 1,4 bilhão . O estaleiro tem como sócios os grupos Camargo Corrêa

MAC LAREN OIL Com o formidável aumento de encomendas por parte da Petrobrás os estaleiros nacionais estão se modernizando . O Mac Laren Oil associou-se ao Jurong Shipyard , de Cingapura, um dos maiores estaleiros do mundo , com faturamento de US$ 3,3 bilhões . Pelo acordo , o Juron fornece a tecnologia e o Mac Laren entra com as instalações , para as obras de um dique seco em Niterói , que ficará pronto até 2.009 e poderá contar com até 5.000 empregados e capacidade de construir plataformas semi-submersíveis e equipar navios plataforma . O Mac Lren construiu os módulos de geração de energia das plataformas P-51, P-52, P-53 , e os módulos de compressão da plataforma P-53 . ( Exame , 4.6.2008 , p. 64-66) .

EISA O Eisa , estaleiro especializado na construção de navios petroleiros , com base no Rio de janeiro , de propriedade de German Efromovich ,fechou uma parceria com o Dianca, estaleiro estatal da Venezuela e construirá plataformas de petróleo e navios para a PDVSA e usará e Queiroz Galvão , a as instalações do estaleiro venezuelano sul coreana Samsung para atender a pedidos de outros países . ( Heavy Industries e a Exame , 16.07.2008 , p. 20 .) empresa PJMR . Além JURONG do casco da P-55 e de No início de 2009 deve ter início a dez navios petroleiros , o Atlântico Sul fabricará construção de um estaleiro em Aracruz , no duas embarcações Espírito Santo . Será da companhia Jurong de transporte de óleo , de Cingapura e dedicado à fabricação de cru para o armados plataformas de petróleo. Construído pela norueguês Noroil Engevix, deverá entrar em operação em Navegação . Em 2011, gerando 5.000 empregos. ( Você S A , operação plena , o novembro de 2008 , p. 28) . estaleiro terá capacidade


A barca da alegria

O

s trabalhadores do GASODUTO URUCU MANAUS, são felizes com a chegada da embarcação especial, que os visita na segunda quinzena do mês, sempre trazendo novidades que geram benefícios por isto esta embarcação é chamada de BARCA DA ALEGRIA. O sucesso da BARCA DA ALEGRIA é o resultado do projeto idealizado pela equipe de comunicação social do consórcio GASAM (Gasômetro Amazonas) A caravana da BARCA DA ALEGRIA percorre o trecho URUCUCOARI, do gasoduto Urucu-Manaus A caravana QSMSC faz o percurso que liga o terminal aquaviário de Coari, Base de Operação Geólogo Pedro Moura (BOPM) distante 650km de

Manaus. Durante 09 dias a caravana percorre pelas curvas entre rios e igarapés, enfrentando as intempéries da região, em pleno coração da floresta Amazônica. O objetivo da caravana é ir onde os trabalhadores estão, em balsas, barcos, canteiros, clareiras, alojamentos, fazendo então um mutirão de trabalho. A bordo da BARCA DA ALEGRIA, estão profissionais das áreas de qualidade, segurança, meio ambiente, saúde e comunicação social. Com estes profissionais são promovidos entre os trabalhadores, treinamento, atualização de informações em murais adredemente preparados, verificações em máquinas e equipamentos de uso, auditorias comportamentais, checagens de atendimentos aos aspectos de meio

ambiente, rodas de conversas sobre o código de conduta e sobre direitos e deveres, vacinação, coleta de sangue para exame de malária, medição de pressão arterial, teste de glicemia e atendimentos médicos. P or meio do teatro e da música, os profissionais transmitem mensagens relacionadas a segurança, como cuidados com as mãos, saúde, como a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis e malária. Na ecologia como proceder para a preservação do meio ambiente e a coleta de resíduos r a convivência com as comunidades nativas do entorno da obra. O que é importante é que todo este trabalho é feito com muito amor, dedicação e desprendimento pela equipe de profissionais.

Petrobras vende volume recorde em leilão de gás

A

Petrobras informou que vendeu 9,18 milhões de metros cúbicos por dia de gás natural em leilão eletrônico, caracterizando o maior volume desde abril de 2009, quando iniciou a venda por essa modalidade. Segundo a estatal, foram adquiridos 61% do total de 15 milhões de m³/dia ofertados. “Nesse leilão foi oferecida parte do volume disponível para as termelétricas que não será demandada até março de 2011 em função do despacho termelétrico esperado para o período e das atuais condições dos reservatórios das hidrelétricas”, apontou em nota. As quantidades comercializadas nesse leilão não afetam o atendimento aos compromissos assumidos pela Petrobras com o mercado termelétrico. O deságio foi de 49% em relação ao preço médio dos contratos de longo prazo - maior desconto no preço do gás natural obtido pelas distribuidoras nos onze leilões já realizados. Como consequência, 62% da demanda das distribuidoras por gás natural, para atendimento ao mercado não termelétrico, terá um preço médio global inferior ao do gás de origem boliviana.

Planta de gás natural em San Alberto, Bolívia

...foram adquiridos 61% do total de 15 milhões de m³/dia ofertados. Revista Petrogás, Ano VI - nº 17 - Especial melhores momentos 2010 - Jun/Dez 2010 - 7


Quem é Leyla Nascimento?

É

muito gratificante escrever sobre pessoas que integram o quadro de funcionários da PETROBRAS e exercem suas funções com amor e dedicação que se aliam a competência para desenvolverem as atividades que o seu cargo exige. Registramos flagrantes da vida profissional de LEYLA NASCIMENTO que vê dotada de uma energia vital que a faz crescer. LEYLA é especialista em recursos humanos e é solidária com o tema de que VIVEMOS A ERA DA COMUNICAÇÃO E DA CONSTRUÇÃO DE RELACIONAMENTOS. A arte de se relacionar com as pessoas torna-se cada vez mais imprescindível para a sobrevivência no mercado de recursos humanos nas empresas. trabalho. Na gestão de pessoas temos uma Coletamos em publicações da PETROBRAS opiniões da LEYLA, que síntese do seu pensamento, vejamos: A gestão tem que envolver,mobilizar em seu conhecimento e versatilidade, navega por vários assuntos correlatos a e sensibilizar as pessoas,fazer uma gestão

Rede Petro-Ce, um sucesso sem limites!

C

riada em Março de 2007, a Rede Petro-Ce, que congrega empresas do Projeto da Cadeia Produtiva de Energia, Petróleo e Gás do Estado, foi desenvolvido pelo convênio SEBRAE/PETROBRAS. Teve início com 20 micro e pequenas empresas das áreas de manutenção e montagem industrial, instrumentação, automação, automação, geradores de energia, locações de máquinas e equipamentos. Hoje, três anos depois, a Rede PetroCe vive uma nova fase, dentro de uma realidade que é produzir ações voltadas principalmente para a concretização de negócios junto a Petrobras. É nossa nova etapa a Rede PetroCe comemora o bom êxito de uma de suas principais iniciativas a Rodada de Negócios.

8 - Revista Petrogás, Ano VI - nº 17 | Especial melhores momentos 2010 - Jun/Dez 2010

O SEBRAE, na pessoa do Sr. Wellington tem dado todo apoio e assim as Rodadas de Negócios oferecido resultados alviçareiros com o fechamento de negócios entre várias parceiras comerciais. Que os empresários continuem com esta união para que a participação das empresas cearenses junto a Petrobras vá para outro patamar.

Hoje, três anos depois, a Rede PetroCe vive uma nova fase...

com pessoas e não uma gestão de pessoas. No decorrer dos anos o que era mais importante em uma empresa, sofreu mutações caindo na realidade. Tudo é importante em uma empresa, patrimônio,tecnologia e outros.Hoje, entretanto, todo o conceito anterior, para o bem das empresas foi relegado a segundo plano. Hoje o grande diferencial, é a gestão com pessoas, como você administra sua equipe para gerar resultados efetivos. Fazer uma gestão com pessoas implica em estar com elas, desde a formação das equipes até o acompanhamento das carreiras profissionais. As pessoas é quem vão fazer a diferença FDA organização, sem esta participação não se chega a lugar nenhum. Muita coisa ainda poderia ser dita sobre os pensamentos de LEILA NASCIMENTO, mas o nosso espaço é exíguo.


Retrospectiva 2010: Biocombustível

N

este ano, a Petrobras aumentou sua presença no mercado de etanol, ampliou investimentos na área de biocombustíveis e duplicou a planta da usina de Candeias, a primeira das três unidades de produção de biodiesel da Petrobras, na Bahia.

Inaugurada em julho de 2008 com capacidade de produzir 57 milhões de litros/ano, a usina foi ampliada em 90% em novembro de 2009, e alcançou 108,6 milhões de litros/ano. Com a conclusão da duplicação, em que foram investidos R$ 66 milhões, a capacidade chegou

a 217,2 milhões de litros/ano. Também na Bahia, a Petrobras Biocombustível adquiriu 50% do capital social da empresa Bioóleo Industrial e Comercial, empresa de extração de óleos vegetais, localizada em Feira de Santana. A unidade tem capacidade de processar 130 mil

Revista Petrogás, Ano VI - nº 17 - Especial melhores momentos 2010 - Jun/Dez 2010 - 9


toneladas de grãos de várias espécies de oleaginosas, anualmente. No Sul do país, a Petrobras Biocombustível marcou sua atuação com ainauguração, em maio, da usina de biodiesel BSBIOS Marialva, em parceria com a BSBIOS, ao norte do Paraná. A unidade tem capacidade de produzir 127 milhões de litros de biodiesel por ano e permite uma logística mais eficiente no atendimento aos mercados do Sul e de São Paulo. Dois projetos de biodiesel a partir de óleo de palma (dendê) merecem destaque: uma usina de biodiesel própria, o Projeto Pará, e um projeto em Portugal em parceria com a Galp Energia, denominado Projeto Belém. Avanços na produção e na pesquisa de etanol Ainda neste ano, a Petrobras assinou um contrato para desenvolvimento conjuntocom a KL Energy Corporation. A parceria tem o objetivo de otimizar a tecnologia de processamento de etanol celulósico da KLE, que utiliza resíduos de madeira como matéria-prima, e aplicá-la ao bagaço de cana-de-açúcar. Petrobras e a KLE desenvolverão um projeto de usina de etanol celulósico em escala industrial, prevista para 2013, que deverá ser totalmente integrado a uma usina de cana-de-açúcar

10 - Revista Petrogás, Ano VI - nº 17 | Especial melhores momentos 2010 - Jun/Dez 2010


pertencente ao Grupo Petrobras, no Brasil. Outra parceria de destaque foi firmada com a Novozymes. Por este acordo, estipulouse o desenvolvimento conjunto de enzimas para produção de biocombustíveis de segunda geração, utilizando bagaço de cana-de-açúcar para produção de etanol celulósico. Estima-se que essa tecnologia possa expandir a produção de etanol no país em cerca de 40%, sem aumentar as áreas de cultura. Outro grande avanço foi o ingresso a Petrobras, por meio da subsidiária Petrobras Biocombustível, no capital social da Açúcar Guarani S.A. (Guarani), subsidiária do grupo Tereos, e uma das maiores processadoras de canade-açúcar do Brasil. A Companhia investirá R$ 1,6 bilhão, em etapas, cujo foco, além da produção de etanol, serão os investimentos em tecnologia e programas de pesquisa e desenvolvimento de novas gerações de biocombustíveis. O Grupo São Martinho S.A. também uniu esforços com a Petrobras para aumentar a produção de etanol na região Centro-Oeste do Brasil, no Estado de Goiás, selados no acordo que prevê a constituição de uma sociedade denominada Nova Fronteira Bioenergia S.A.

Revista Petrogás, Ano VI - nº 17 - Especial melhores momentos 2010 - Jun/Dez 2010 - 11


P-51 uma plataforma 100% nacional

A

P51 é a primeira plataforma semi submersível totalmente construída no Brasil, no estaleiro BRASFELS em ANGRA DOS REIS RJ, com a operação de “deck mating” para unir o casco \á parte superior da unidade foi realizado em um dia, comprovando a capacidade da engenharia naval brasileira e a tecnologia da PETROBRAS para projetos de produção em águas profundas. A unidade tem capacidade para processar e tratar 180 mil barris de petróleo e 6.000.000 (seis milhões de metros cúbicos de gás por dia. A P51 foi construída pelo consórcio FSTP (KEPPEL FELLS ETECHNIP) passando por 04 (quatro) cidades fluminenses, incluindo NITERÓI, ANGRA DOS REIS E ITAGUAI.

TRABALHADORES DA P-51

Petrobras inicia operações no Norte do Chile

U

m ano e meio após sua chegada ao país, a Petrobras Chile deu início, oficialmente, às suas operações no extremo Norte com a abertura de um dos seis postos da área de Antofagasta, um dos nove que existem na região. Em seu discurso, o presidente da empresa, Vilson Reichemback, afirmou que o empreendimento integra o plano da companhia de estar presente em todas as regiões do país, “queremos colocar à disposição dos consumidores e empresas toda a nossa experiência global de serviços”. Com a estação de serviço inaugurada na última terça-feira (11/01), a Petrobras Chile completa uma rede de nove estações na região de Antofagasta, sendo seis na capital regional e três em Calama. A empresa também informou que este ano pretende construir novos postos nessas cidades. Todos eles comercializam os combustíveis de maior consumo no país e a linha de lubrificantes Lubrax. Para garantir um serviço personalizado e flexível, os trabalhadores foram treinados para os mais altos padrões de qualidade, segurança, saúde, preser12 - Revista Petrogás, Ano VI - nº 17 | Especial melhores momentos 2010 - Jun/Dez 2010

vação ambiental e de responsabilidade, seguindo o padrão da Petrobras em outros países. Além disso, a petroleira fornece óleo a uma série de mineradoras da região e, no segundo semestre, começará a operar, em conjunto com a Companhia de Petroleos de Chile (Copec), o terminal de descargas combustíveis Mejillones, o que garantirá o fornecimento de energia da área por via marítima, a partir dos centros de refino de petróleo. No Chile, a Petrobras possui uma rede de 230 estações de serviço, negócios de vendas e distribuição de combustíveis em onze aeroportos e opera em seis terminais de distribuição de combustível, com uma quota de 16% do mercado varejista chileno, além de 7% no setor industrial. A consolidação da Petrobras no Chile está em consonância com o Plano Estratégico da empresa brasileira, que prevê a expansão da empresa em regiões como a América Latina. O crescimento integrado e rentabilidade da empresa estão em consonância com seu desempenho na gestão de seus negócios, contribuindo para o cres-

cimento sustentável nos países onde atua. A Petrobras tem uma rede de 8.315 pontos de venda em seis países da América do Sul. O poço de CAMPO DE TIMBAÚ na Bacia de Santos é recordista em profundidade e extensão de trecho horizontal com 1.437 metros e a sua profundidade já atingiu a extraordinária marca de6.227 metros. O referido poço faz parte do projeto estratégico URUGUÁ TAMBAÚ com perspectivas de produção estimada em 10.000.000 (dez milhões) de metros cúbicos de gás por dia.


A Petrobras no ano de 2010

A

capitalização realizada pela Petrobras ficou marcada no calendário de 2010. A maior operação de aumento de capital na história mundial levantou R$ 120 bilhões com a emissão de mais de 4 bilhões de ações, se destacando entre as grandes realizações da Companhia no ano. Outro dos principais eventos do período foi o início da produção comercial de petróleo no pré-sal no mar do Espírito Santo (Campo de Baleia Azul) e na Bacia de Santos, com a entrada em operação do navio-plataforma Cidade de Angra dos Reis, o primeiro sistema definitivo de produção na área de Tupi. Também na Bacia de Santos foi iniciado o teste de longa duração na acumulação de Tiro e Sidom. No Brasil foram realizadas novas descobertas no pós e no pré-sal na Bacia de Campos, de petróleo leve no pós-sal da Bacia de Sergipe/Alagoas e na Bacia de Santos. Ainda na Bacia de Sergipe/Alagoas foi identificada a presença de petróleo em uma nova fronteira petrolífera em águas ultraprofundas. Foi confirmada também nova acumulação de petróleo leve na Amazônia, no município de Tefé, com a realização de teste de longa duração. No mês de julho as refinarias da Companhia no País processaram o recorde histórico de 2.020.000 barris por dia. Já no mês de abril foi batido o recorde de exportação de petróleo, com um volume mensal de 22,7 milhões de barris, correspondendo a 733 mil barris por dia. Foi realizada a contratação de projetos básicos paras as duas refinarias Premium (Maranhão e Ceará) e iniciadas as obras do Sistema Integrado de Transporte de Etanol, destinado a movimentar 21 bilhões de litros por ano do combustível, passando por 45 municípios dos estados de São Paulo, Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso. A Petrobras passou, em 2010, do 9º para o 4º lugar entre as empresas de energia do mundo; conquistou, pelo quinto ano consecutivo, o direito de participar da composição do índice Dow Jones, o mais importante em sustentabilidade do mundo, e foi destacada como uma das cinco empresas mais transparentes do Brasil.

Presidente da Petrobras - Sérgio Grabielli

O apoio à indústria nacional foi intensificado durante o ano, como demonstra o aumento de 400% no conteúdo mínimo nacional, que era de 57% em 2003 e chegou a 77,34% em 2010. O Plano de Negócios para o período 2010 – 2014, aprovado no ano, estabeleceu investimentos de US$224 bilhões, indicando um aumento de 20%, em relação ao planejamento anterior. Ao longo do ano, foram lançados os primeiros três navios do Programa de Modernização e Expansão da Frota da Transpetro (Promef), e contratadas as construções de outras embarcações do programa e de 20 comboios de empurradores e barcaças para operação no Rio Tietê (Promef Hidroviário). Para a

serviços. Em 2010, foram inaugurados usinas termelétricas e dutos, entre os quais se destaca o Gasoduto de Integração Sudeste Nordeste – Gasene – e o Polo Naval de Rio Grande (RS) que permite a construção simultânea de dois navios ou duas plataformas. No Paraná foi inaugurada a Usina de Biodisel BSBIOS, em Marialva, com capacidade para 127 milhões de litros/ano. Com a aquisição de 50% de participação em um bloco na Austrália, a Petrobras passou a marcar presença em todos os continentes. Entre as atividades no exterior, o marco foi a descoberta de petróleo em terra na Colômbia e no mar de Angola.

atividade de produção foram contratadas as construções de oito cascos de plataformas para o pré-sal da Bacia de Santos que acrescentarão 900 mil barris à produção nacional e de uma plataforma para Tupi Nordeste, além de diversas encomendas de materiais, equipamentos e Revista Petrogás, Ano VI - nº 17 - Especial melhores momentos 2010 - Jun/Dez 2010 - 13


Petrobras bate recordes anual, mensal e diário de produção de petróleo

P

etrobras alcançou em dezembro três novos recordes de produção de petróleo no Brasil: média mensal, anual e diária. A média mensal recorde de dezembro deverá ficar em torno de 2 milhões 120 mil barris por dia (bpd). O recorde anterior, obtido em abril deste ano, foi de 2 milhões 33 mil bpd. Confirmado esse resultado, o volume produzido no mês será 6,7% superior à produção de dezembro de 2009 e 4,4% acima da produção de novembro deste ano (2 milhões 30 mil bpd). Além do recorde mensal a empresa registrou mais um recorde diário. No dia 27 de dezembro a produção de petróleo chegou a 2 milhões 256 mil barris. Com esses resultados, a Companhia fecha 2010 com um patamar de produção superior a 2 milhões de barris por dia (2 milhões 3 mil bpd), o que configura, também, um novo recorde anual. Ao longo do mês de dezembro a Petrobras bateu sucessivos recordes diários de produção: no dia 4 foram extraídos, dos campos nacionais, 2.088.560 barris de petróleo diários (bpd); no dia 5 a produção foi de 2.117.321 bpd; em 13/12 chegou a 2.154.518 bpd e no dia 24 atingiu 2.166.504 bpd. Esse desempenho decorreu, principalmente, da entrada em operação, ao longo de dezembro, de cinco novos poços na Bacia de Campos: CHT-9 e BFR-3, nos campos

14 - Revista Petrogás, Ano VI - nº 17 | Especial melhores momentos 2010 - Jun/Dez 2010

FPSO Capixaba

de Cachalote e Baleia Franca, ambos interligados ao FPSO-Capixaba; JUB-9 e JUB-14, que produzem interligados à plataforma P-57, instalada recentemente no campo de Jubarte; CRT-43, batizado provisoriamente de Carimbé, que é um poço produtor do pré-sal do campo de Caratinga, conectado à plataforma P-48. Com a contribuição desses cinco poços foi possível acrescentar mais de 100 mil barris por dia à produção da Petrobras no Brasil. É importante destacar também o elevado nível de eficiência operacional alcançado no mês pelas plataformas de produção de todas as Unidades Operacionais.

O bom desempenho dos campos localizados em áreas maduras das regiões Norte, Nordeste e do Estado do Espírito Santo também contribuiu para os resultados recordes. Graças ao esforço de revitalização realizado pela Petrobras, estes campos, que vinham apresentando produção declinante, conseguiram manter médias diárias de produção em torno de 213 mil barris de petróleo, durante o ano de 2010. Outro destaque foi a entrada em produção do poço SPS-55, que deu início recentemente ao Teste de Longa Duração da área de Guará, no pré-sal da Bacia de Santos, com utilização da plataforma Dynamic Producer.


Poço Lula e o petróleo em alta

À

véspera do ano novo de 2011, a Petrobras proclamou a descoberta de 6,5 bilhões de barris de óleo e gás natural para a exploração comercial. Desta forma, as reservas brasileiras do pré-sal alcançariam 8,3 bilhões de barris, com a nova denominação de área Lula, em homenagem ao ex-presidente da República. A quantidade divulgada pela nossa principal estatal, se concretizada, fará com que o Brasil tenha 22 bilhões de barris viáveis de extração, superando a China e ficando bem perto do Qatar. A Arábia Saudita possui a maior reserva provada do universo (265 bilhões de barris), e em seguida temos Venezuela (172), Irã (137), Iraque (115), Kwait (101) e Emirados Árabes (98). O resto da produção mundial provém das regiões dispersas, com pequena quantidade. Desde o ano de 1859, quando foi aberto nos EUA o 1º poço produtivo, e em 1860, com a 1ª refinaria, deu-se origem a uma indústria, talvez, ainda, a mais importante do universo. Existe quem assevere que com a petroquímica, utilizando matérias primas derivadas do petróleo, deu-se início a uma segunda Revolução Industrial. Nos dias atuais, a partir desses hidrocarbonetos se fabricam produtos artificiais, que progressivamente substituíram os similares, e materiais moldáveis, em substituição a papel, louça, madeira, metal, lã, seda, algodão, couro, tintas, fertilizantes e tantos outros, com expansão vertiginosa em todo o mundo e desempenham um papel decisivo na economia das nações mais industrializadas. Quase todo o petróleo brasileiro encontra-se em áreas a mais de 8 mil metros abaixo do leito do mar, as quais terão características inéditas, seja pela grande distância da costa terrestre ou pela profundidade do reservatório. Alguns técnicos da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) afirmam que o somatório da reserva alcançaria até 80 bilhões de barris, o que conduziria a Nação à invejável condição de sexto maior produtor mundial. Outros especialistas, mais conservadores, preferem aguardar as avaliações completas para a definição do volume efetivo das reservas do óleo.

Ex-Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva

A crise financeira global de 2008 elevou o barril (160 litros) a US$ 147, e as cotações, no encerramento de 2010, já estão perto de US$ 94 por barril. Nos últimos doze meses, a elevação foi de 20%, e em 2009/2010 a valorização excedeu 117%. Analistasconceituados já mencionam a hipótese de que a commodity supere a marca dos US$ 100 por barril em 2011. O ano novo começa com a demanda mundial de 85 bilhões de barris diários, com crescente consumo dos povos emergentes, e com pequena diminuição dos desenvolvidos economicamente. A produção brasileira é de 2 milhões de barris por dia para um consumo que já supera o total extraído. Para a Agência Internacional de Energia (AIE) poderá suplantar 2,4 milhões de barris diários

nafta, GLP, diesel e outros derivados, eis que a economia permanece aquecida. Desta forma, serão aumentadas as importações, pois a capacidade de refino da Petrobras está esgotada e os novos poços do petróleo do pré-sal somente serão utilizados, possivelmente, na próxima década, se confirmadas as estimativas. Muitos países aprovaram, sem sucesso, programas de substituição do combustível fóssil por energia renovável e limpa, sem êxito, com exceção do Brasil. O País já produz nas indústrias canavieiras mais de 31 bilhões de etanol (álcool) por ano-safra, e foram exportados 3,4 bilhões de litros em 2009. Com o etanol e o petróleo brasileiro, a Nação poderá alcançar a independência energética, o que significa, cada vez mais, a soberania nacional.

em 2011. Continuará o petróleo a ser a principal fonte de energia em todo o mundo. A tendência é prosseguir aumentando, dado que a utilização de outros recursos começa a estacionar. Em relação ao Brasil, haverá maior uso do petróleo bruto, gás natural, Revista Petrogás, Ano VI - nº 17 - Especial melhores momentos 2010 - Jun/Dez 2010 - 15


Petrobras no Ceará investe R$ 100 milhões em poços Fonte: Jornal O POVO/Teresa Fernandes

O

potencial de petróleo do Ceará será incrementado este ano. A partir do segundo semestre, a estatal Petrobras começará a perfurar dois poços de petróleo no Estado. A empresa pretende investir pelo menos R$ 100 milhões na perfuração dos poços. “O investimento total para perfuração dos poços depende das condições operacionais e dos testes a serem realizados, mas devem ser superiores a R$ 100 milhões”, segundo nota enviada pela empresa estatal a O POVO. O cronograma inicial que prevê as perfurações para o segundo semestre ainda pode ser alterado, conforme a estatal. “O cronograma de perfuração de poços é bastante dinâmico. No cronograma atual, está previsto o início das atividade de perfuração na Bacia do Ceará a partir do segundo semestre deste ano”. Os poços previstos para serem perfurados este ano estão localizados nos blocos BM-CE-1 e BM-CE-2, todos em lâmina d’água acima de 1.300m. As concessões na bacia cearense foram recebidas em 2001 por um prazo de oito anos e depois prorrogadas ate 2013. Serão cinco poços no total perfurados até 2013. O bloco BM-CE-1 tem permissão para exploração até 30 de abril de 2013 e o BM-CE-2 até 31 de agosto de 2012. A área do BM-CE-1, em águas profundas, no Estado do Ceará, é de 1281 km². O BM-CE-2, também em águas profundas, tem 1153 km² de área total. Investimento O Ceará tem R$ 1 bilhão programado para o período de 2010 a 2014, segundo o Plano de Negócios divulgado pela Petrobras. A Unidade de Negócio de Exploração e Produção do Rio Grande do Norte e Ceará (UN-RNCE) da Petrobras prevê que em média 30% (R$ 300 milhões) do montante deve ser aplicados na

16 - Revista Petrogás, Ano VI - nº 17 | Especial melhores momentos 2010 - Jun/Dez 2010

Curimã Ceará

exploração de novas reservas e na investido no Estado ampliação das já existentes. Hoje, o Entre 2010 e 2017 a expectativa é Estado produz mais de 10 mil barris de de que uma campanha de perfuração petróleo por dia. de poços seja feita no campo da fazenda Belém, entre os municípios de Aracati Onde e Icapuí ENTENDA A NOTÍCIA A estatal tem adquirido poços O Ceará não é um dos estados exploratórios desde 2004 em Sergipe, na beneficiados com a presença da camada Bahia e em outras regiões do Nordeste. pré-sal (entre 5 e 7 mil metros de Segundo a empresa, a atividade na profundidade). No entanto, o Estado tem margem equatorial continua e vários possibilidades de se desenvolver na área poços serão perfurados a partir deste ano. na camada pós-sal. SAIBA MAIS A perfuração dos poços de petróleo foi anunciada em outubro do ano passado em coletiva à imprensa realizada no Rio de Janeiro. No entanto, na época a estatal não estabeleceu um cronograma e nem o montante que será


Do Maranhão para o mundo

N

a trilha do desenvolvimento sustentável e da busca por energias limpas a equipe do CENTRO DE PESQUISAS E DESENVOLVIMENTO LEOPOLDO AMÉRICO MIGUEZ DE MELO (CENPES), desenvolve uma nova tecnologia para produção de normal-parafina(n-parafina) a partir do hidrotratamento do óleo vegetal de babaçu.Como é utilizado na perfuração de poços, a n-parafina tem a demanda crescente e produção limitada no país.O estudo para o desenvolvimento da nova tecnologia começou em 2006, com a realização do primeiro teste em 2007, nas plantas piloto do CENPES e foi um sucesso. A redução de oferta de N-PARAFINAS utilizada também na produção de detergentes biodegradáveis é mundial e ocorre por causa do declínio na produção de petróleo parafínicos que são as tradicionais cargas para esse produto. A Consultora Técnica que coordena a equipe de pesquisa ANITA ELEONORA, diz que o CENPES não para de pesquisar, fazendo jus ao premio recebido vem 2007 PREMIO PETROBRAS INVENTOR. Segundo a

consultora Técnica, o reconhecimento superando os desafios no a seu caminhar nacional e internacional dos serviços para concretizar internacionalmente o realizados pelo CENPES é motivo de BRASIL como potencia emergente. alegria,orgulho e vontade de continuar trabalhando. E assim a PETROBRAS vai

Universidade da Petrobras no Rio de Janeiro Em um prédio construído especialmente para ser a sede da Universidade da Petrobras, já está em pleno funcionamento no Rio de Janeiro, no bairro Cidade Nova. É um dos primeiros edifícios Ecosustentáveis do Rio de Janeiro. São 09 (nove) andares, 52 mil metros quadrados de área construída, com capacidade de operar com cerca de 4.000 (quatro mil) pessoas. O edifício seguiu os mais modernos conceitos de sustentabilidade quanto ao uso de material de sua construção que priorizou o ecossistema em toda a sua trajetória construtiva. A modernidade do edifício atingiu todos os segmentos de funcionamento, como a aplicação de um sistema de reuso hidráulico, coletando águas da chuva e da condensação do ar condicionado, para aproveitamento na irrigação dos

jardins, lavagens e nas descargas de vasos sanitários. Com torneiras temporizadas contribuem para a redução no consumo de água, já calculado em 40% do consumo diário previsto. Assim na nova sede da Universidade da Petrobras o ensinamento começou em casa.

É um dos primeiros edifícios Ecosustentáveis do Rio de Janeiro. Revista Petrogás, Ano VI - nº 17 - Especial melhores momentos 2010 - Jun/Dez 2010 - 17


Petrobras tem elevada capacidade financeira

A

o contrário do que foi divulgado na imprensa esta semana, a percepção em relação aos indicadores de endividamento da Petrobras melhorou nos últimos meses. A empresa avalia seu grau de alavancagem por meio do acompanhamento de dois índices: Dívida Líquida/Capitalização Líquida e Dívida Líquida/EBITDA. Ao término do 3º trimestre de 2010, os números relativos a estes indicadores mostram, primeiro, que a estrutura financeira da Companhia estava em patamar bastante saudável.Em segundo lugar, demonstram a elevada capacidade financeira da Petrobras. A empresa fez a maior operação de capitalização da história em final de setembro (há apenas 3 meses), os preços dos títulos aumentaram em função de maior demanda e os spreads reduziram em relação ao ativo de referência no mercado (Título do Tesouro Americano). Os dados relativos a preços e prêmios no mercado de renda fixa mostram que o risco de crédito da Companhia diminuiu. Associar, portanto, o risco da Petrobras a uma possível aquisição de um determinado ativo (no caso a participação da ENI na GALP) não faz sentido. Além disso, existem inúmeras variáveis influenciando esse spread de risco, fato que não deve ser creditado a um único evento, tanto interno como externo à Companhia. Indicadores A saúde financeira da Petrobras e a melhora da percepção dos agentes econômicos podem ser validadas pela evolução dos indicadores. O primeiro índice – Dívida Líquida/Capitalização Líquida – fechou setembro de 2010 em 16%, bem abaixo do “teto” da meta da Companhia, que é 35%. A forte redução ocorrida entre final de junho de 2010 (índice atingiu 34%) e setembro teve como principal variável explicativa a capitalização da Companhia, em que 18 - Revista Petrogás, Ano VI - nº 17 | Especial melhores momentos 2010 - Jun/Dez 2010

foram captados R$ 120,2 bilhões na maior operação do gênero no mercado financeiro global. Entre o 2º e o 3º trimestres, este indicador reduziu em 53%. O segundo índice – Dívida Líquida/ EBITDA – mensura a capacidade de a Petrobras pagar sua Dívida Líquida através da geração de caixa operacional. Em final de junho de 2010, a Dívida Líquida era 1,52 vezes maior que o EBITDA. No final do 3º trimestre, esta relação caiu para 0,94x, bem inferior ao teto de 2,5x. Ou seja, o EBITDA superou o valor da Dívida Líquida, mostrando efetiva capacidade de pagamento. A comparação feita em reportagem da agência internacional Bloomberg se baseia nos valores dos CDS (“Credit Default Swaps”) da Petrobras e da PEMEX. Este instrumento financeiro é usual no mercado de renda fixa e pode ser usado tanto para a finalidade de hedging (proteção), como para objetivo especulativo. É um risco entre o vendedor e o comprador do CDS, sem a obrigação de assunção de riscos pelas Empresas. Trata-se de um mercado significativamente volátil, em que preços podem variar 10% para cima ou para baixo em apenas um dia. Nos últimos 6 meses (contados de início de julho de 2010 a início de janeiro de 2011), o spread dos CDS Petrobras-PEMEX ficou, na média, em 22,5 pontos base. No último dia 7 de janeiro, ficou em 9,9, bem abaixo deste valor. Em 7 de julho, o preço do CDS da Petrobras era de 187, enquanto que em 7 de janeiro de 2011 foi de 148, o que mostra, de fato, melhora de percepção em relação aos títulos da Petrobras no mercado nos últimos meses. Pelo histórico, nota-se que esse

spread não pode ser creditado a um único evento. Inúmeras variáveis (endógenas e exógenas) influenciam esse spread, o que gera volatilidade das curvas de preços e rendimentos. Fato é que o diferencial do CDS melhorou em horizonte de médio prazo. A melhor percepção de risco em relação à solvência da Petrobras também pode ser medida pelo spread entre os rendimentos (“yields”) dos títulos corporativos da Petrobras (“bonds”) e os rendimentos dos Títulos do Tesouro Americano para prazos semelhantes. Em início de 2010, o Bond da Petrobras com vencimento em 2019 apresentava rendimento anual de 5,79% enquanto o US Treasury com vencimento no mesmo ano tinha retorno de 3,71%, sendo o spread de 2,08%. Em início de 2011, o Bond da Petrobras pagava rendimento de 4,91%, o US Treasury 2019, 2,95%, sendo o spread de 1,96%. Ou seja, houve apreciação tanto do valor do Título da Petrobras, como foi reduzido o “prêmio” em relação ao referencial de mercado. Em relação à reportagem da Bloomberg, as demonstrações financeiras da Petrobras, em USGAAP, mostram que a dívida líquida era, no final do 3T10, de US$ 33.155 milhões. A diferença para os dados da Bloomberg (US$ 39.766 milhões) pode ser creditada à metodologia de cálculo. A principal variável explicativa é a não consideração, pela Bloomberg, da conta ‘Títulos do Tesouro’, por isso a dívida líquida calculada pela agência fica acima do valor da Petrobras. Apesar de estes títulos serem de longo prazo, eles podem ser convertidos em caixa a qualquer momento. Portanto, a Petrobras entende que o mais adequado é considerar esses títulos no cálculo do endividamento líquido.


Revista Petrogรกs, Ano VI - nยบ 17 - Especial melhores momentos 2010 - Jun/Dez 2010 - 19


( ) O cenário perfeito para um grande resort. ( ) A localização é ideal para uma loja de moda praia. ( ) Um lugar perfeito para abrir um posto com loja de conveniência.

Banco do Nordeste Financiamentos.

Onde você vê Nordeste, a gente enxerga mais oportunidades.

SAC Banco do Nordeste • Ouvidoria: 0800 728 3030 20 - Revista Petrogás, Ano VI - nº 17 | Especial melhores momentos 2010 - Jun/Dez 2010

Revista petrogás 17  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you