Page 1


EDITORIAL

CENÁRIO DA PORFIA

A aliança entre o PSB do governador de Pernambuco, Eduardo Campos e a ex-senadora Marina Silva, estabeleceu um novo cenário na disputa política e de projeto para o Brasil, essa terceira junção de forças que se coloca como alternativa na disputa entre a candidatura da presidenta Dilma Rousseff à reeleição, liderando uma coalisão governista que tem levado o Brasil nesses quase 12 anos para grandes avanços, e a do senador Aécio Neves, à frente das forças lideradas pelo PSDB. O novo quadro político que se forma estabelece desde já um cenário de uma disputa muita acirrada para 2014.

Mais do que nunca, é necessário avançar no rumo do clamor das ruas por avanços sociais, políticos e éticos. Identificar qual das composições mais assegura esses avanços

será o grande desafio para a maioria dos 140 milhões de eleitores em todos os rincões do nosso imenso país. O quadro político provavelmente passará por muitas alterações, mas independentemente disso, há um confronto de fundo que faz com que o povo brasileiro e as forças políticas que lutam por efetivas transformações no país voltem a se defrontar com uma encruzilhada política. Ou o Brasil prossegue, e é fundamental ampliar o caminho aberto do desenvolvimento econômico e do progresso social, da ampliação da democracia e da afirmação da soberania, ou retrocederá. No DF, o cenário da porfia está muito mais indefinido, pois, o grande número de pré-candidatos ao governo, vários deles, embora com expressivos percentuais de votos

registrados em algumas consultas recentes, têm sérias restrições e indefinições a vencer, quer sejam políticas, jurídicas e ou éticas, estabelecendo assim no cenário atual a afirmação de ser a chapa Agnelo e Filipelli, PT/PMDB e aliados à única hoje, que estão apresentadas para a sociedade. A reeleição é colocada para avaliação dos eleitores a um ano das eleições e dependerá das finalizações das alianças nacionais com a devida repercussão local e do desempenho do governo nas áreas da educação, transporte, segurança, saúde, habitação e demais ações, programas e realizações durante os quatro anos, a comparação com os governos anteriores, como em toda eleição é inevitável e determinante para a definição dos eleitores da capital do país, em outubro de 2014.


SUMÁRIO Agnelo entrega 87 novos ônibus 08 12

Igreja de São Sebastião revitalizada

22

Fortalecimento da Democracia

14

a

Lideranças planaltineses em defesa da cidade

Outubro Rosa

31

20 26

Parque Maria Luiza vira referência em Vaquejada no DF

35 40

III Encontro de Mulheres de Terreiro do Centro-Oeste

inauguração do Clube do Vaqueiro em Ceilândia

Garra nordestina para vencer na capital do país

Parque Sucupira: Governo garante inauguração em menos de um ano

Planaltina realiza 1º Moto na Praça

17

33

38

Globalização e Exclusão social

41

Recuperar as perdas do FGTS


Expediente Diretor Executivo e Editor Vladimir Dantas / 8505-2775 Diretor Administrativo Antonio Adolfo Jornalistas Railde Nascimento Kelly de Deus Heridam Pimentel Comercial Vladimir Dantas Luiz Sérgio Projeto Gráfico e Diagramação Klaus Lins Fotografia Genilson Rodrigues Catielle Brandão Simone Cavalcante Jussielly Leal S. Pimentel Capa André Cirino Revisão Prof. Wilson Osmar de Jesus Distribuição Ricardo Augusto Nilton Vaz Colaboradores Conceição Brito Dantas Yuri Mattos Carvalho Rubem José Baff Wilson Osmar de Jesus Redação Quadra 10, Lote 18, Vila Vicentina, Loja 02 - CEP 73.330-060 - Planaltina/DF Fone: (61) 3049-7185 Tiragem 10.000 exemplares Gráfica Artecor

www.novaop.com.br

Distribuição Gratuita Em Planaltina-DF, Sobradinho, Paranoá, Lago Norte, Plano Piloto, Planaltina-GO e Formosa

A revista Nova Oportunidade não se responsabiliza pelos artigos e matérias assinadas. REVISTA NOVA OPORTUNIDADE. É UMA PUBLICAÇÃO MENSAL NOVAOP COMUNICAÇÃO E PUBLICIDADE LTDA - CNPJ 15.218.158/0001-00

oportunidade.revista@gmail.com


“Uma das coisas mais importantes que podemos aprender em termos de saúde e felicidade é que elas são a mesma coisa. Quando dizemos que ninguém infeliz é saudável e que ninguém sem saúde e feliz, só estamos declarando que uma coisa é igual à outra, só que em pontos diferentes. E, portanto, cuidar da saúde, é cuidar da felicidade e vice-versa!”

Quando o stress ataca, o corpo se prepara para agir, essa preparação faz com que os níveis hormonais cresçam muito. O efeito em cadeia aumenta os níveis de açúcar podendo gerar várias enfermidades. Por isso divirta-se e passe nos exames.

Artistas locais destacam-se no Café La Vie, tais como Cida Avelar, Daya Tomkelski, Chico Sá, Edmo Nogueira, Rui Alves e muitos outros. Trata-se do mais novo espaço dedicado ao lazer e à cultura de Planaltina. Com estrutura moderna e colonial possui uma decoração de duas épocas que agrada ao público mais refinado da cidade, assim como o público jovem local.


Jussielly Leal S. Pimentel

ECONOMIA E DESENVOLVIMENTO

AGNELO ENTREGA 87 NOVOS ÔNIBUS À PLANALTINA

Jussielly Leal S. Pimentel

Meta do governo é renovar toda a frota até o fim do ano

No sábado (19/10) o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, o vice-governador, Tadeu Filippelli, acompanhados por parlamentares e autoridades, estiveram em Planaltina para anunciar a entrega do primeiro lote de 87 novos ônibus da Viação Piracicabana. No começo de dezembro, o restante dos veículos deve ser entregue à população. A medida visa a renovação total da frota de ônibus em todo o DF.

8

Ganhadora da Bacia 1, a empresa paulistana entra em

operação substituindo toda a frota de transportes do Grupo Amaral, que circula na cidade e que estava sob o direito do GDF. Para a auxiliar administrativa, Edvirges Michelle, 21, que trabalha no Plano Piloto, essa mudança é significativa para os moradores. “O que a gente sempre precisou foi de um transporte de qualidade. Agora acredito que teremos mais segurança para chegar ao nosso destino.” A entrega dos ônibus em Planaltina concluiu a marca de 500 substituições nos trans-

portes públicos no DF. Para o governador, Agnelo Queiroz, a entrega de novos transportes públicos pode alargar dependendo da necessidade de cada região. “Inicialmente são 3 mil novos ônibus a circular no DF, mas, se a necessidade da população for maior, essa demanda pode aumentar.” A pretensão é que até o fim do ano, todas as cidades estejam atendidas com novos ônibus, chegando no total de quase 3 mil veículos que irão beneficiar os passageiros de Brasília, Cruzeiro, Sobradinho II, Lago Norte, Sudoeste, Octogonal, Varjão e Fercal. Revista Nova Oportunidade


ECONOMIA E DESENVOLVIMENTO

A luta pela renovação da frota O sucateamento da frota e a falta de ônibus no Distrito Federal não é nenhuma novidade, durante anos a população foi iludida por falsas promessas e medidas paliativas nas gestões anteriores. A atual gestão do Governo do Distrito Federal dá inicio à reforma do transporte público do DF. *A gestão anterior é acusada de obrigar as empresas a renovar a frota e, ao mesmo tempo, manter os ônibus velhos rodando.

*Muitos dos novos ônibus anunciados na gestão anterior são verdadeiras sucatas reformadas para circular em Planaltina, esses automóveis quebram diariamente no percurso até o Plano Piloto. *A empresa que operou, em Planaltina em 2012, ofereceu um serviço de má qualidade e abriu falência deixando a população abandonada.

*Moradores começam a se manifestar em protestos que fecham as principais vias de acesso à Planaltina pedindo mais ônibus, segurança e melhoria no transporte coletivo.

*Em 2012, o governador Agnelo abre licitação emergencial para a contratação de 80 ônibus para Planaltina por causa da precariedade do transporte na região. Ano 3 - nº 9 - Outubro de 2013

*Em 2013 o GDF faz intervenção nas empresas do Grupo Amaral com o objetivo de fazer valer as obrigações descumpridas há meses, o grupo se torna campeão em reclamações de passageiros. *O GDF inicia a luta na justiça contra empresários para a renovação total da frota de ônibus derrotando 185 liminares, ações judiciais e administrativas no Tribunal de Contas. *O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, entrega novos ônibus à população de Planaltina.

Um marco na história de Planaltina

Para o administrador regional, Nilvan Vasconcellos, o dia foi histórico “É um marco na história de Planaltina, é um marco na história do DF”, as palavras do administrador deixaram claro que o transporte público de Planaltina era refém da ação de empre-

sários e das antigas gestões “É a primeira vez que nós temos um transporte que podemos, a partir de um contrato, ter como punir se for o caso, é licitado, não é coisa de favor. Portanto, a população do DF está protegida a partir dessa licitação e nossos trabalhadores passam a ser respeitados pelo sistema de transporte urbano do DF” afirmou o administrador de Planaltina.

O Secretário de Transportes do Distrito Federal afirmou que anteriormente o interesse da população era deixado de lado, “Foram anos e anos que o Governo do Distrito Federal deixou de cuidar do transporte, cada vez mais somente os interesses dos empresários contavam e o da população não contava.” destacou José Walter Vazquez Filho que ainda afirmou que a atual gestão é totalmente responsável pela mudança total do sistema de transporte urbano do DF. 9


ECONOMIA E DESENVOLVIMENTO

Os novos ônibus começam a circular imediatamente De acordo com Agnelo, o primeiro lote de Planaltina, já no domingo (20/10), começou a circular em 25 linhas dos bairros Vale do Amanhecer e Arapoangas. Para o DFTrans as duas localidades são as mais afetadas pela precariedade do transporte público e por isso o imediatismo, mais ônibus irão circular também na região do Setor Tradicional, Vila Buritis e Jardim Roriz. Para a usuária do transporte público de Planaltina de 60 anos Maria Francisca, “a medida é muito benéfica, ônibus novos são muito importantes para que se tenha um transporte público de qualidade, mas não adianta se não tivermos uma tabela de horários que funcione, sem buracos”, enfatizou a dona de casa.

Segundo o Diretor Técnico do DFTrans nessa fase não serão mudados os horários nem as linhas para não confundir o usuário de Planaltina “existe o que foi previamente definido no edital, as linhas e os horários são a base que nós temos, os técnicos do DFTrans farão os ajustes ouvindo a população e ajustando naquilo que melhor atender à população, é esse o nosso horizonte” disse Lúcio Lima.

Sistema de integração chega em Planaltina

A comitiva que estava presente no evento de entrega de ônibus deixou a população 10

eufórica ao anunciar o sistema de integração que já funciona com novos ônibus que poderá ser feita em qual

quer ponto do Distrito Federal, desde que as linhas se cruzem. O passageiro poderá por duas horas utilizar quantas linhas quiser pagando apenas uma passagem, melhorando assim a mobilidade e proporcionando maior economia aos usuários. Os veículos fazem integração com os ônibus da TCB, com os novos carros das demais bacias, além do metrô. Mais de 25 mil integrações foram realizadas desde o início da entrega dos novos veículos, em 28 de junho.

O Diretor Técnico do DFTrans deixou claro que a integração é o diferencial entre as medidas que estão sendo tomadas para a transformação do transporte público do Distrito Federal, “melhorar o ônibus é somente parte da melhoria, o ônibus novo não melhora os problemas de transporte, há uma série de medidas que serão tomadas a partir do momento da renovação da frota e a integração é uma delas, ou

seja, o grande lance da melhoria do transporte depois da renovação da frota é a integração”, afirmou Lúcio Lima.

Acessibilidade nos transportes públicos

Segundo a Comissão Jovem Gente Como a Gente, a questão da acessibilidade física no DF é ruim e em relação a nossa cidade não fica muito atrás. Foram realizadas algumas interseções em Planaltina e o que foi realizado não significa nem 5% do solicitado. “Saíram os novos ônibus, com qualidade, todavia peca na quantidade.” Sobre os itens que devem

beneficiar os portadores de necessidades especiais, Lucimar Malaquias, deixou claro que falta preparo por parte dos rodoviários “Um fator positivo é que todos os ônibus têm elevadores, todavia nem todos os motoristas sabem operar a exemplo de sábado que demoraram achar alguém que soubesse operar o elevador. Mesmo o DFTrans falando que os mesmos receberam treinamento” afirmou o reRevista Nova Oportunidade


ECONOMIA E DESENVOLVIMENTO

presentante da instituição.

Segundo informações da Assessoria de Comunicação do DFtrans, treinamento dos rodoviários para a operação dos novos elevadores é de responsabilidade vencedora da licitação.

O fato de 100% dos novos ônibus conterem elevadores de última geração para cadeirantes mostra a responsabilidade da atual gestão do GDF com a questão da acessibilidade. Tratando, devido aos últimos acontecimentos do Distrito Federal, com um foco maior sobre a questão do transporte público, não devemos nos ater somente aos portadores de deficiências, mas sim a todos aqueles que possuem necessidades especiais, sejam elas permanentes ou passageiras, tais como grávidas e idosos. As medidas adotadas pelo governo devem ser pontuais, sem lacunas qualquer brecha pode representar um regresso nos direitos já conquistados. Agnelo garante os direitos dos rodoviários.

Agnelo Queiroz finalizou a cerimônia confortando os rodoviários que trabalhavam nas empresas que foram derrotadas na licitação, “Os trabalhadores que trabalhavam nas empresas que não ganharam a licitação serão absorvidos pelas empresas que venceram e nós estamos garantindo o direito desses trabalhadores, as indenizações, os direitos trabalhistas, o GDF vai cobrar das empresas, não vamos deixar a corda arrebentar do lado mais fraco” finalizou o governador. Ano 3 - nº 9 - Outubro de 2013

Operação Asfalto Novo em Planaltina O Governo do Distrito Federal pretende recuperar as vias urbanas do DF até 2014. Com o programa Asfalto Novo, o investimento total será de mais de R$ 700 milhões e faz parte do Acelera DF, iniciativa adotada pela atual gestão e coordenada pela Casa Civil. “Não adianta trocar os ônibus e esses continuarem rodando em um asfalto de má qualidade” afirmou o governador Agnelo Queiroz.

A região administrativa de Planaltina-DF também integra esta ação. Segundo o governador, Agnelo Queiroz, o investimento na cidade chegará aos R$ 19 milhões, e as obras devem começar já em outubro, nas principais avenidas da cidade. Para o administrador da região, Nilvan Vasconcellos, essas ações serão divididas em duas etapas.

“Vão ser feitos novos asfaltos na Avenida Independência, Avenida Buritis do comércio, Avenida Contorno das Estâncias, no Vale do Amanhecer e Arapoangas que efetivará a primeira etapa. A segunda etapa o asfalto vai passar pelas entre quadras da cidade.” De acordo com a administração de Planaltina as áreas rurais também irão receber asfalto. Na DF-230 serão nove quilômetros, na DF-355 mais 14 quilômetros de asfalto. Além das DF-131 e 345 em que os editais já foram aprovados e as obras já estão em andamento. Pelo programa a pretensão é que 184 obras civis com orçamento do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) sejam feitas até o fim de 2014, em todo o DF.

Heridan Pimentel

11


Simone Cavalcante

ECONOMIA E DESENVOLVIMENTO

IGREJA DE SÃO SEBASTIÃO É ENTREGUE À POPULAÇÃO TOTALMENTE REVITALIZADA

O patrimônio da cidade estava com risco de desabamento e passava por reformas há um ano

História

A Igreja São Sebastião foi construída em meados dos anos 1890 por escravos a mando de um fazendeiro chamado José Gomes Rabelo. Na época a região passava por dificuldades com doenças que atingiam os animais e os moradores. Uma promessa foi feita para o padroeiro da cidade, São Sebastião, e se a graça fosse alcançada, no local seria construída uma igreja em homenagem ao Santo. Mais tarde em 1982, o templo seria tombado como patrimônio histórico e artístico.

12

A igreja passava por reforma desde o ano passado. A estrutura do local estava comprometida e com risco de desabamento. A partir de um questionamento feito à comunidade, um laudo foi aprovado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) atestando a qualidade das obras realizadas. Essas revitalizações fazem par-

te do programa Recuperação de Patrimônios do atual governo. Segundo o subsecretário-adjunto de Cultura, Miguel Ribeiro, até 2014, aproximadamente R$ 200 milhões serão destinados à recuperação de patrimônios no DF. “Já entregamos o Cine Brasília, Catetinho, a Igreja de São Geraldo no Paranoá e ainda temos pela frente mais de 5 mil projetos sendo licitados.” De acordo com o governador, Agnelo Queiroz, a revitalização da igrejinha localizada no setor tradicional da cidade, garante a cultura local. “Uma cidade, ela vive da sua história, do seu passado, é isso que faz com que ela avance para o futuro”. Para o secretário de Habitação, Regularização e

Desenvolvimento Urbano (Sedhab), Geraldo Magela, a partir dos patrimônios históricos, Planaltina tem que ser um local de referência para turistas. “Nós queremos que venham para cá turistas de outros estados, de outros países. A nossa Igreja de São Sebastião deve estar no roteiro de pontos turísticos do DF”, ressalta. Segundo a Administração de Planaltina, depois da restauração da Igreja de São Sebastião novas obras estão previstas para a cidade. Os recursos são provenientes do Fundurb e preveem a construção da Vila Olímpica e do Centro Cultural, ainda sem data prevista. Kelly Silva

Simone Cavalcante

Recentemente a Igreja São Sebastião passou por uma reforma completa. Foram investidos cerca de R$ 500 mil pelo Fundo de Desenvolvimento Urbano do Distrito Federal (Fundurb). Na parte física as paredes de tijolos de barro foram recuperadas com terra vermelha, areia lavada e cal para evitar cupins. As janelas e portas de madeira e, os pilares do altar foram reforçados com barras de ferro. Assim como na versão original, do lado de fora o mesmo sino passou por consertos e foi colocado em colunas de madeira. Instalações hidráulicas e elétricas também foram substituídas. O acervo da igreja, como imagens, estão em laboratórios para serem recuperados e manterem a originalidade da época.

Revista Nova Oportunidade


VISITE A EXPOSIÇÃO DE PINTURAS

nexos urbanos

Plano Piloto Setor Gráfico Quadra 01 Lote 495 Sala 309 Ed. Barão do Rio Branco Águas Claras Av. Araucárias Rua 36 Sul Lote 16 Loja 04 Ed. Aquamarine


POLĂ?TICA

14

Revista Nova Oportunidade


POLรTICA

Ano 3 - nยบ 9 - Outubro de 2013

15


GÊNERO

III ENCONTRO DE MULHERES DE TERREIRO DO CENTRO-OESTE

Nos dias 27, 26 e 29 de setembro, foi realizado no Centro Espírita Caboclo Boiadeiro, em Sobradinho II, o III Encontro de Mulheres de Terreiros do Centro-Oeste. O evento contou com rodas de conversa, oficinas e conferências. Foram debatidas questões como a participação feminina no controle social de políticas públicas, direitos sexuais e reprodutivos, saúde,violência doméstica, estado laico e respeito à diversidade religiosa e cultural.

Em entrevista à Revista nova oportunidade o pai leleco falou da sua satisfação de sediar este encontro.

Pai Leleco: Foi com muita alegria e satisfação que recebi este pedido da Patrícia, não poderia deixar de abrir a casa para que ela pudesse realizar O Terceiro Encontro das Mulheres de Terreiro. Revista novaOP: Fale um pouco do ambiente que está acontecendo o evento. Pai Leleco: Esse aqui é o cenAno 3 - nº 9 - Outubro de 2013

tro espírita caboclo Boiadeiro, esse espaço existe há 40 anos, foi fundado dia 8 de dezembro de 1975. A casa de candomblé é como uma igreja, só que as igrejas fecham e o centro espírita é aberto 24h com atendimento ao público, quando começamos essas atividades, ainda não existia sobradinho . Revista novaOP: como é o funcionamento deste centro espírita?

Pai Leleco: A casa de candomblé é como uma igreja, só que a igreja fecha e o centro espírita é aberto 24 horas, e com atendimento ao público. palestras e conversas também fazemos cursos, sempre para não parar a casa, damos cestas básicas Estamos fazendo sopa , todas estas atividades sociais paralela são direcionadas à comunidade, moradores daqui. 17


GÊNERO

Patricia de Yiamonjá: A ideia do encontro surgiu em 2010, numa roda de conversa, com 15 mulheres em Planaltina, na Bica do DER, na casa de Neusa de Roiala. No segundo ano, já conseguimos crescer e fomos para o SIMPRO. E nesses terceiros anos com apoio da Petrobras a nos auxiliar com a vinda da sudeco e a secretária de Governo nós conseguimos alguns parceiros porque conseguimos ter visibilidade, então nós dicidimos trazer o povo para dentro da casa de axé, do ilé.

Revista nova oportunidade: Qual a importância deste encontro? Patricia de Yiamonjá: Esse evento serve para mostrar

às mulheres de terreiro que elas são cidadãs, e passar para o mundo que na nossa comunidade temos a igualdade de gênero, Uma mulher ou um homem pode ser líder dentro da nossa comunidade, temos também a intenção de promover a consciência e importância social, cultural e econômica das religiões de matriz africana. Revista novaOP: Descreva um pouco das atividades do encontro.

Patricia de Yiamonjá: Em três dias de atividades, tivemos cerca de 200 participantes, realizamos palestra sobre a sexualidade da mulher de terreiro, o empoderamento feminino, economia solidária, violência doméstica, estatuto da criança e do adolescente, e por fim um curso de coaching que é como se posicionar na sociedade, como ser mais cortês, como quebrar os paradigmas do preconceito.

18

Revista novaOP: Estamos aqui com dona Neuza ela é a presidente da afrocon, central organizada de matriz africana, na sua opinião qual é o legado, a contribuição desse encontro para a sociedade na questão da relação humana?

Dona Neuza: A iniciativa deste encontro vem contribuir para dar visibilidade e empoderamento às mulheres, porque ainda temos muitas mulheres que vivem no anonimato, a luta é para que ela saia do anonimato e conheça seus direitos e suas qualidades, e ponha isso para fora, e conheça o papel importante que ela tem diante de toda sociedade, porque a mulher é a base de tudo, é ela que gera, que cuida, e que dá conta dos seus afazeres de casa, filho e marido e muitas ainda proveem o sustento da família. Revista novaOP: Em relação a atividades em Planaltina, como funciona?

Mãe Neuza: Na minha casa que é a casa afro-cultural e assistencial tenda de oxalá, ela não tem porteira, porque eu digo pronto socorro não fecha a porta, e ela está

sempre aberta para os pacientes, todos os dias eu tenho movimento, que agora está suspenso pois estou fazendo reforma, mas eu tenho o atendimento sem ritual, é diário, seja de origem espiritual ou material, já no sábado é de 15 em 15 dias , e nas quintas um atendimento.

Revista novaOP:E os eventos quinzenais voltarão quando?

Mãe Neuza: Esses eventos na minha casa, que chamamos de trabalhos, uma festa, um toque, eu estou dependo da parte elétrica da casa, então obra todo mundo sabe como é lenta, mas a gente chega lá. Mas o trabalho do afrocon não depende da casa afro, ele é um trabalho individual, e esse trabalho é desenvolvido, e estamos encerrando o terceiro encontro e já estamos cavando em um outro projeto , para atender as crianças, jovens ou adultos. Revista novaOP: Diante da realidade do DF quantos centros estão em atividade atualmente?

Mãe Neuza: Um levantamento, que não tenho certeza porque eu não tive acesso, ficou a cargo da cepir-DF, que entre o DF e entorno existem 6.800 centros ou terreiros, contando também com quartos de consultas nas próprias residências. Conceição Brito Dantas

Revista Nova Oportunidade


GÊNERO

COMO SURGIU

Foi em 1997, nos Estados Unidos, cidades e entidades começaram a fomentar ações voltadas à recenção do Câncer de mama, denominado OUTUBRO ROSA. Todas as ações eram e são até hoje direcionadas à conscientização da prevenção e pelo diagnóstico precoce. Com o objetivo de sensibilizar a população, inicialmente, as cidades se enfeitavam com laços rosa, principalmente em locais públicos, depois surgiram outras ações como desfiles de moda com mulheres vítimas de câncer de mama, corridas, etc. A popularidade do Outubro Rosa alcançou o mundo, motivando e unindo diversos povos em torno de uma causa nobre.

Hoje a ação de iluminar de Rosa Monumentos, prédios públicos, pontes, etc, surgiram muito depois e não há uma informação inicial, de quando e onde foi feita a primeira iluminação. O importante é que foi uma forma prática para que esta campanha tivesse uma expansão cada vez maior. Este movimento dura o mês inteiro buscando alertar sobre os riscos e a necessidade de diagnóstico precoce deste tipo de câncer, que é o segundo mais recorrente no mundo, perdendo apenas para o de pele. A primeira iniciativa vista no Bra-

20

sil em relação ao Outubro Rosa, foi a iluminação em rosa do monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista (mais conhecido como o Obelisco do Ibirapuera), situado em São Paulo, em 2002. Em outubro de 2008, diversas

entidades relacionadas ao câncer de mama iluminaram de rosa monumentos e prédios em suas respectivas cidades. Aos poucos, o Brasil foi ficando iluminado em rosa.

Com objetivo de ampliar a participação popular nas ações de alerta sobre a prevenção do câncer de mama o Governo do Distrito Federal lançou na quinta feira (17) a “Corrida das Mulheres” o evento contou com a participação de mulheres que foram vítimas do

câncer de mama e conseguiram combater a doença. Também estiveram presentes o ministro do Esporte, Aldo Rebelo; a secretária da Mulher no DF, Olgamir Amancia; e o secretário-adjunto de Esporte, Élio Rene, a ex-corredora Carmem de Oliveira, primeira brasileira a vencer a prova feminina da Corrida de São Silvestre

No DF, o “Outubro Rosa” é uma realização das secretarias da Mulher, da saúde, de Cultura, de Esporte e de Publicidade Institucional; da Coordenadoria das Cidades e da Companhia Energética de Brasília (CEB). A Câmara Legislativa do Distrito Federal, assim como outros monumentos de Brasília, também ganhou iluminação especial em sua fachada no período noturno, e também está colorida de rosa. Conceição Brito Dantas

Revista Nova Oportunidade


CAPA

FORTALECIMENTO DA DEMOCRACIA A inesperada decisão da ex-senadora, Marina Silva, em apoiar o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), deu gás ao cenário político-eleitoral do país, e promete embaralhar as disputas. O reflexo desta aliança também chegou à capital federal.

Alguns parlamentares da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) têm evitado dar declarações sobre o assunto. Em entrevista à Nova Oportunidade, os deputados Dr. Michel (PP) e Cláudio Abrantes (PT) concordam ser um avanço na democracia, a iniciativa da ex-senadora. Abrantes, no entanto, ressalta que isso pode evoluir. “Acho que a democracia está estabelecida, mas precisa avançar, assim como os movimentos e manifestações, que são um direito do cidadão”, alerta. Sobre este assunto, o parlamentar esclarece que aprova a cobrança pelos direitos, mas com moderação, sem vandalismos e depredação do patrimônio público.

22

Outra questão é o possível aumento de candidatos, ponto que o deputado Dr. Michel não encara como ameaça. “Essa quantidade de candidatos é a democracia imperando, direito de o povo escolher o que foi melhor”, explica.

Para ele, todos têm legitimidade de se eleger. “Não podemos deixar uma candidatura de um candidato só”, completa.

O cenário político local ainda está em desenvolvimento. Recentes mudanças de partido (ver quadro) por parte de alguns dos distritais da CLDF confirmam que até

2014 tudo pode acontecer, o que também deixa um mar de dúvidas sobre as alianças futuras. “Um recado para muitos parlamentares é que a política praticada até agora não é agradável à população”, reflete Cláudio Abrantes sobre o comportamento da sociedade nas cobranças políticas a partir dos recentes movimentos. Revista Nova Oportunidade


CAPA

Enquanto isso, na corrida pelo Buriti... Agnelo e Filippelli confirmam candidatura em 2014 Agnelo Queiroz e o vice Tadeu Filippelli (PMDB) voltam a concorrer ao Buriti, sendo a única candidatura confirmada até o momento. Na cerimônia que o oficializou como candidato, Agnelo garantiu prioridade na saúde do DF, caso seja reeleito. Ausente, o ex-presidente Lula enviou uma carta de apoio em referencia à crise no governo na capital. “O que vocês estão começando a construir é um momento histórico. Vocês estão ajudando a pavimentar uma história para uma nova Brasília”, dizia o texto. Embora não confirmados, o senador Rodrigo Rollemberg (PSB) e o deputado federal Antonio Reguffe (PDT) poderão ser alguns dos adversários do atual governador.

Pouco menos de um ano para as eleições de 2014, a corrida pelo Governo do Distrito Federal começa a esquentar, tanto com fortalecimento de Ano 3 - nº 9 - Outubro de 2013

algumas candidaturas, como também com possíveis novos nomes para o cargo, sem muitas surpresas, como é o caso do deputado federal Antonio

Reguffe (PDT). Embora esteja sondando outros partidos para alavancar sua decisão, o futuro do parlamentar na política local ainda é incerto. Outro ponto que também fortalece o mistério seria sua pretensão em filiar-se ao pré-candidato ao GDF Rodrigo Rollemberg - caminho este a ser analisado, uma vez que o PDT de Reguffe apóia a presidenta Dilma Rousseff. “Vamos discutir ainda qual será o melhor caminho”, declara. Além de Rollembeg, outros candidatos prometem pulverizar a corrida ao Palácio do Buriti. O então governador Agnelo Queiroz (PT) pretende investir na campanha, mais uma vez, ao lado do seu vice, Tadeu Filipelli (PMDB), com o intuito de aproximar outras siglas. Ao contrário, Joaquim Roriz (PRTB) tem participação ainda indefinida na política devido a sua situação jurídica, como também é o caso do governador cassado José Roberto Arruda. Luiz Pitman (PSDB) e Toninho do PSOL completam possíveis nomes para formação deste quadro de adversários.

23


CAPA

OTIMISMO E PERSISTÊNCIA Mesmo com os sinais de alerta, após o anúncio da aliança, o que se sabe nos bastidores é que o impacto poderia ter sido bem maior se o Rede Sustentabilidade, de Marina, tivesse sido aprovado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Ainda assim, a ex-senadora garante que esta decisão não significa derrota para a criação da sigla. “Mesmo que matém milhares de flores não poderão impedir a chegada da primavera”, afirmou ela em seu microblog.

Antes de o pedido da Rede ser julgado pelo TSE, Marina já havia sido procurada por outros partidos, como o PPS e o PEN. Segura e direta, ela respondeu que não trabalhava com “plano B”.

http://datafolha.folha.uol.com.br/://datafolha.folha.uol.com.br/

SE AS ELEIÇÕES PARA PRESIDENTES FOSSEM HOJE

Última pesquisa Data folha, na situação A, Dilma Rousseff aparece à frente dos outros candidatos, com 42% das intenções de voto. Em segundo, o tucano Aécio Neves, com 21%. Eduardo Campos (PSB) vem em terceiro com 15% das intenções de voto. Em uma segunda situação, com a entrada de Marina Silva, aumentam as intenções para a oposição, ela, com 29% dos votos. Dilma, por sua vez, cai três pontos percentuais na pesquisa. Neste segmento, Aécio aparece com 17% das intenções. Railde Nascimento

fonte: G1 http://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/2013/10/quase-metade-dos-deputados-do-df-trocou-de-partido-desde-eleicao.html

24

Revista Nova Oportunidade


CULTURA

Poucos sabem, mas a Vaquejada é um dos únicos esportes genuinamente brasileiros junto com os mais conhecidos, Futebol de areia ou Futebol de Praia e Capoeira.

A Vaquejada teve início no Rio Grande do Norte, mas não como uma prática esportiva. Na época dos coronéis, os bois eram soltos na mata e depois de meses os peões (vaqueiros) se reuniam para juntar novamente o gado. Montados em seus cavalos, vestidos com gibões de couro eles se embrenhavam na mata em busca dos animais em meio aos espinhos e pontas de galhos secos, como cada um mostrava suas habilidades e malabarismos, surgiu a idéia da realização das disputas. A primeira vaquejada aconteceu em Morada Nova, no Ceará, mas o Rio Grande do Norte é apontado como o estado que deu o primeiro passo para o esporte como é hoje. Currais Novos é conhecida como a cidade berço da vaquejada e mantém a tradição até os dias atuais. Em 1874 apareceu o primeiro registro sobre a vaquejada. O escritor, José de Alencar, escreveu sobre a “puxada de rabo de boi” no Ceará, mas não como algo novo, o que deixou claro que a prática já ocorria anteriormente, ficou claro para pesquisadores que muito antes de 1870 já se praticava a vaquejada.

As disputas são entre várias duplas, que montados em seus cavalos perseguem pela pista e tentam derrubar o boi na faixa apropriada para a queda, com dez metros de largura, desenhada na areia da pista com cal. Cada vaqueiro tem uma função, um é o batedor de esteira e o outro é o puxador. E temos assim as vaquejadas.


CULTURA

VAQUEJADA DE PRIMEIRA LINHA MARCA A INAUGURAÇÃO DO CLUBE DO VAQUEIRO EM CEILÂNDIA Como Brasília foi construída por trabalhadores de todas as partes do país, coube à Ceilândia abrigar a maioria dos nordestinos que vieram trabalhar na construção da capital, o que lhe rendeu o tí-

tulo de maior cidade nordestina fora do nordeste. De acordo com o presidente do Instituto Orgulho de Ser Nordestino, Afonso Gomes, que é natural do Maranhão os nordestinos trazem em si as tradições e cada vez mais a prática da vaquejada no Distrito Federal se faz como uma forma de se lembrarem da sua terra. Para a inauguração da sede, Parque Clube do Vaqueiro, foram convidados vaqueiros do Distrito Federal e entorno para participarem de uma vaquejada válida pela etapa final do Circuito de Vaquejada da República no Incra 7 nos dias 6, 7 e 8.

Foi oferecida a premiação de R$ 40.000,00 durante os dias de evenAno 3 - nº 9 - Outubro de 2013

to e ainda uma moto extra para o campeão, que foi oferecido por um patrocinador da cidade de Ceilândia. De acordo com a organização do evento, inscreveram-se 184 cavaleiros , um total de 92 duplas de

vaqueiros, foram quinze vagas e dos quase duzentos vaqueiros que buscaram a classificação, oitenta se classificaram ficando somente quinze duplas para o dia final. No último dia foi feito um rodízio de 82 pessoas incluindo crianças, iniciantes e os tratadores que geralmente não concorrem nas competições e a esses foi oferecida uma premiação simples de R$ 100. De acordo com, José Beni Monteiro Oliveira, diretor do Clube do Vaqueiro, “o clube do vaqueiro é um projeto que vem sendo debatido há aproximadamente uns quatro ou cinco anos e nasce da existência de um grupo de associados do Ceilândia Esporte Clube, de conselheiros que eram alojados do CEC, mas que não tinham mais

aquela paixão pelo futebol, e por serem nordestinos o esporte que eles mais gostam nesse momento é a vaquejada. Em uma área de 100 mil metros quadrados, em 60 mil metros quadrados funciona o treinamento do CEF e nos outros 40 mil metros a sede do clube do Vaqueiro” informou o diretor do clube.

Segundo Beni, a vaquejada é apenas um dos elementos culturais do nordeste do Brasil além de outros, e o Clube do Vaqueiro tem o objetivo de resgatar todo o aspecto cultural relacionado à vaquejada que já teve um momento bom no Distrito Federal. A tentativa é resgatar e recolocar o esporte em um padrão aceitável para a comunidade. Beni ainda afirmou que o esporte é muito bem aceito e com muitos praticantes e no DF há em torno de 150 vaqueiros assumidos que praticam o esporte com regularidade, fora os esporádicos, montadores, aprendizes e o próprio público que assiste.

27


CULTURA

O Administrador de Ceilândia, Ari de Almeida, deixou claro que a ajuda do Governo do Distrito Federal é fundamental para a cidade, por ser a maior do DF e possuir o maior número de nordestinos, é necessária uma maior ação do estado para trazer a cultura para a população “O estado tem que reconhecer os movimentos organizados, nós estamos aqui na Ceilândia, a maior cidade do Distrito Federal e por ser a maior cidade também tem o maior número de nordestinos e trazer a vaquejada e a cultura nordestina para dentro da Ceilândia é reconhecer uma parcela da população que está aqui” concluiu o administrador. O Deputado federal e presidente do PT-DF, Roberto Policarpo, parabenizou a organização do evento “Eu quero parabenizar o nosso amigo Beni que se juntou com o Ari que também é um companheiro que tem nos ajudado bastante, nos reunimos nessa linha do Clube do Vaqueiro para fazer a construção do circuito de vaquejada em Brasília e na região metropolitana. Mas é também um compromisso nosso de não apenas fazer a vaquejada em si, mas de ajudar também na estruturação dos nossos parques”. 28

Para os competidores dos Vaqueiros do Aras Ana Virgínia, que fica em Barreiras, no interior da Bahia e já participaram de vaquejadas no Piauí, Maranhão, Tocantins, Goiás, Bahia e Sergipe, tirando a poeira, o evento estava muito bom, a vaquejada estava boa, a boiada de boa qualidade e foi muito bom virem a Brasília, mas o frio que estava grande incomodou bastante.

O vaqueiro, Wagner Feitosa, da equipe Superfaz de Samambaia colocou o DF entre os estados que mais desenvolveram a vaquejada em todo o Brasil “Brasília cresceu muito nesses últimos cinco anos, todos engajados em brincar, patrocinar e investir no esporte. Hoje nós vemos um

parque como o Clube do Vaqueiro com uma grande estrutura que é vista nos lugares grandes onde se tem vaquejada. A estrutura que tem o Parque do Vaqueiro não deixa a desejar a nenhum parque do país”.

O vaqueiro Erlan Uales Novaes de Carvalho, de Uruaçu, Goiás, que disse já ter andado em praticamente todos os estados da federação correndo vaquejada, disse estar satisfeito com o evento “Está sim atendendo as expectativas. Nós estamos vendo isso como um crescimento do esporte, não só no Distrito Federal, mas em todos os estados”. Para Erlan o Distrito Federal saiu na frente do estado de Goiás na questão do apoio à vaquejada .

Revista Nova Oportunidade


CULTURA

“Falta o incentivo do governo estadual e federal para que possa crescer mais, ao contrário do DF que já tem a sua oportunidade, as pessoas se dedicam mais, os deputados estão empenhados em desenvolver o esporte no estado” concluiu o vaqueiro.

A organização e a maioria dos competidores disseram estar muito satisfeitos com o evento, para Beni o resultado foi extremamente positivo “todos os nossos visitantes ficaram extremamente satisfeitos, embora ainda esteja muito carente de algumas correções que faremos para o próximo ano”. Já o presidente do Instituto Orgulho de ser Nordestino, Afonso Gomes, disse ter admirado os três dias de evento “Ver a vaquejada nesse estilo é difícil, o Beni teve essa maravilhosa ideia, o balanço que eu tenho é positivo, a vaquejada está dando certo”.

Ano 3 - nº 9 - Outubro de 2013

Para o Administrador de Ceilândia, Ari de Almeida “O Clube do Vaqueiro veio para ser um dos maiores clubes do país então não tenho dúvida que depois das obras ele vai estar entre os melhores, não há dúvidas de que o Clube do Vaqueiro está no caminho certo”.

O vice-presidente do Clube do Vaqueiro, Tadeu Monteiro, apontou que a presença de vaqueiros vindos de estados do nordeste e outros estados demonstrou o sucesso do evento “Muito positivo porque nós temos a presença maciça de vaqueiros de todas as partes do nordeste e outros estados próximos ao DF como da Bahia, Minas Gerais e de várias cidades de Goiás. Está sendo um sucesso”. Para o deputado federal, Roberto Policarpo a ação e a união entre os organizadores foi o diferencial para o sucesso do evento “Estou vendo de perto o sucesso que é o Beni, onde ele bota a mão funcio-

na e só precisa de ajuda, fica muito mais fácil quando há pessoas com capacidade de produzir” o deputado ainda informou que existe a necessidade de ser construído um parque público, mas não deixou de parabenizar o Clube do Vaqueiro.

Sobre o evento, o Diretor do Clube do Vaqueiro, José Beni Oliveira Monteiro, afirmou ainda que o público de vaquejada do DF é 2.500 pessoas na média por dia, pessoas vão com chuva, com sol, tendo comida ou não, tendo água ou não tendo. Quando se coloca shows artísticos são atraídas as pessoas que vão somente para o show, pessoas que passam na vaquejada e só olham, não acompanham e não se relacionam com o esporte, por isso não houve shows nos três dias de evento. A organização do evento, na pessoa do vice-presidente do Clube do Vaqueiro, Tadeu Monteiro, informou que o clube está sendo o ponto de convergência de uma discussão para centralizar um grande evento no próximo ano. Um circuito envolvendo provavelmente nove grandes festas no DF, com a participação dos parlamentares da Câmara Federal e Distrital. O Clube do Vaqueiro pretende se tornar um importante ponto da vaquejada dentro da capital do país e no cenário nacional. Heridan Pimentel

29


CULTURA

PARQUE MARIA LUIZA VIRA REFERÊNCIA EM VAQUEJADA NO DF O evento vai para a sétima edição e já chegou a receber por dia dez mil pessoas O Parque Maria Luiza, localizado em Planaltina-DF, desde a inauguração em janeiro de 2005, tornou-se ponto de encontro para vaqueiros de vários estados brasileiros. O motivo, é que todo ano, acontece no local, a Vaquejada. Este esporte tipicamente nordestino vem ganhando força no Distrito Federal e no ano que vem chega à sétima edição.

Este ano foram realizadas no parque duas vaquejadas. A primeira em maio e a segunda em outubro. Cem duplas participaram do último evento. O prêmio para o primeiro ganhador chegou ao valor de R$ dez mil. A festa dura três dias e chega a receber cerca de dez mil pessoas que prestigiam a competição e também aproveitam os shows das bandas de forró. Para o organizador do evento, Leomar Barbosa, para a próxima edição,

Ano 3 - nº 9 - Outubro de 2013

a espera é que o público aumente. “No ano que vem acredito que venha o dobro de vaqueiros e visitantes”, argumenta.

Outra novidade foi a chegada do voo panorâmico pelo evento. No Distrito federal é a primeira vez que isso acontece. Quem optou pelo passeio prestigiou a visão de cima do Parque e a pretensão é que no ano que vem, a mesma ideia se repita. Para garantir a segurança de todos, os idealizadores também fizeram parcerias com as Polícias Militar e Civil do DF junto a outros órgãos de segurança. A proposta atual dos organizadores é a criação da Associação de Vaquejada e do Centro Cultural do Vaqueiro. Para isso, foram recolhidos nos dias de eventos, assinaturas dos visitantes para agilizar o início das obras. O organizador da proposta, Rogério Arapoanga,

relata que o esporte deve ser integrado cada vez mais na cultura do DF. “Brasília é uma cidade mística e precisa também agregar este esporte tipicamente nordestino. Com o Centro Cultural, cada vaqueiro vai ter sua história marcada aqui no Parque Maria Luiza.” O objetivo é que o espaço também sirva para filmar e fotografar cada evento no local. A próxima Vaquejada está prevista para o dia sete de maio de 2014. Segundo um dos organizadores, Vicente Salgueiro, a prioridade é favorecer as pessoas que gostam da festa. “A previsão é que tenha mais estacionamentos, segurança, bares e mais bandas para agradar ainda mais os cidadãos.” A premiação deve chegar aos R$ 80 mil e deve beneficiar vaqueiros e também visitantes. O Parque Maria Luiza fica, na DF-345, Km-18 Próximo ao Arapoanga.

31


CULTURA

C U R I O S I DA D E

A vaquejada é uma atividade competitiva que surgiu no Nordeste. Consiste em fazer dois vaqueiros, a cavalo, perseguirem um boi, emparelhá-lo com os cavalos e conduzi-lo a uma área-objetivo, entre duas linhas paralelas de cal, onde o derrubam. A perseguição e derrubada se dão numa pista-arena de areia, tendo a área demarcada pelas faixas de cal com 10 metros de comprimento. Após a derrubada, um juiz arbitra sobre o resultado da derrubada do boi. Se este, enquanto tombava, ficou por um instante com as quatro

32

patas voltadas para o céu, o juiz declara ao público “Valeu boi!”, sinal de que a dupla de vaqueiros ganhou pontos. Se o boi não jogou as patas para cima, ele declara “Zero boi!”, e a dupla não pontua. Cada evento dura três dias. Cada dupla persegue e derruba três bois por dia, sendo explorados geralmente bois de tamanho e peso quase iguais para que a disputa entre as duplas não seja desigual. Kelly Silva

Revista Nova Oportunidade


CULTURA

GARRA NORDESTINA PARA VENCER NA CAPITAL DO PAÍS A história dos nordestinos muitas vezes se assemelha de tal forma que chega a confundir quem a ouve. Geralmente muitos pobres sofrem com a seca, escassez de recursos, falta de atenção dos governantes e assim acabam por deixar a sua terra para tentar a sorte país adentro.

O Brasil, ao longo da história, conheceu várias personalidades nordestinas que conseguiram o sucesso fugindo da seca. O político, estadista e jurista, Rui Barbosa, o jornalista e empresário, Assis Chateaubriand, o literato, Castro Alves, o religioso, Padre Cícero, o cantor e compositor, Luiz Gonzaga, e a figura histórica, Zumbi dos Palmares são algumas das personalidades mais marcantes.

Uma das mais importantes figuras da história do Brasil é o mineiro, ex-presidente da República, Juscelino Kubitschek, um dos responsáveis, se não o maior responsável pelo êxodo rural do nordeste em direção ao centro-oeste brasileiro. O ex-presidente revolucionou a história nacional com a afirmação de que poderia fazer o país crescer cinquenta anos em cinco e assim transformou o Distrito Federal em um imenso canteiro de obras. Com a nova política, uma verdadeira marcha nordestina iniciou-se em direção ao centro-oeste. Muitos com a bagagem repleta de sonhos de um futuro melhor na capital que estava nascendo, mas Ano 3 - nº 9 - Outubro de 2013

sempre sem esquecer suas raízes. Entre esses estava o paraibano, Severino Pereira Barbosa (63), que juntamente com sua esposa, Maria de Fátima Aguiar Barbosa, e o filho Ailton chegou ao Distrito Federal atraído pela perspectiva de um futuro melhor.

Já na capital federal, senhor “Biu”, como é conhecido, trabalhou em importantes obras da construção de Brasília, entre elas estão o Hotel Fenícia, Bradesco na 511, obras em Taguatinga Centro, no Cruzeiro, Aeroporto de Brasília, Centro de Convenções e no Anexo do Ministério do Exército. A Senhora Maria de Fátima levava sempre uma cantina, vendendo refeições nas obras em que seu Biu trabalhou. “A cantina acompanhava as obras em que eu trabalhava e meus filhos foram todos criados nelas.”

Após o período da construção de Brasília, senhor Biu se aventurou no comércio de padaria no P.Sul, morando lá por 15 anos. Período um tanto quanto complicado por

ter assumido parte de uma sociedade, antes do cunhado, João, no comércio. Nesse período foi preciso muita garra, que muitas vezes só o paraibano teria capacidade para driblar a desonestidade do sócio e após uma série de divergências conseguiu comprar a outra parte da parceria.

Os anos se passaram, o comércio foi modificando e se moldando ao desenvolvimento tecnológico, mas senhor Biu estacionou no tempo e não acompanhou tal evolução e acabou não tendo mais condições de competir com a concorrência. Isso ocorreu porque ele, como nordestino nato, não conseguia ficar parado muito tempo, enjoou da padaria e a vendeu.

Logo após desfazer do comércio, comprou uma propriedade na BR-020, km 35 próximo à Formosa (GO) e lá construiu o Parque Cristo redentor. Faz 10 anos que ele, a esposa e os cinco filhos vivem no Haras, hoje nem todos os filhos, mas sempre que podem, estão presentes.

33


CULTURA

Senhor Biu e esposa em pé ,na mesa em confraternização com nordestinos da Paraiba , Ceará e de Pernambuco.

Atualmente o Parque Redentor sedia por ano uma competição de vaquejada. “Compramos a terra desse jeito, a única coisa que fizemos foi uma pista de vaquejada, nós fazemos uma festa por ano, ano passado nós fizemos uma com a premiação de 20 motos e um carro zero.” A festa que sempre conta com pequenos shows faz parte do circuito nacional do esporte.

A festa do Parque Redentor

ª

acontece geralmente nos dias 5,6 e 7 de julho, e em 2012 recebeu 600 duplas, ou seja, 1.200 cavalos e vaqueiros. A área para abrigo dos cavaleiros e realização da festa é grande. “Fica tudo lá encima, não desce ninguém para cá embaixo, parece uma cidade, lá tem espaço para todos eles, cavalos e vaqueiros.” De acordo com Severino, a construção do Parque ajuda conter a saudade da Paraíba. “Antes eram

pelo menos duas viagens anualmente para a Paraíba, mas ainda vou lá para assistir às vaquejadas.” Concluiu o nordestino que afirmou que sempre que pode visita a amada Paraíba porque as raízes nunca vão deixar de sustentar o coração nordestino. Heridan Pimentel


MEIO AMBIENTE

PA R Q U E S U C U P I R A Governo garante inauguração em menos de um ano

Planaltina é uma das regiões do Distrito Federal com ampla área verde, claramente observada tanto nas paisagens ao redor como no centro. Desde o século passado, quando este cenário era mais abrangente devido a poucos espaços urbanos, a comunidade faz reivindicações pela preservação e criação de espaços de lazer.

O tempo passou, as exigências continuam, mas, somente agora algumas áreas serão revitalizadas, como é o caso do Parque Recreativo Sucupira, localizado entre o Setor Norte e a Vila Nossa Senhora de Fátima. A previsão é de seis meses, contados a partir do dia 17 de agosto, firmada pelo governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, durante o evento que comemorou os 154 anos de Planaltina. “A população será a grande beneficiada pelo empreendimento, que é uma reivindicação histórica na cidade”, declarou.

Ao todo serão revertidos R$ 2,4 milhões em construções que incluem quadras, pista de skate, pista de cooper e ciclovia. O projeto também prevê a instalação de guarita, sede administrativa, estacionamento, sanitários públicos e de espaAno 3 - nº 9 - Outubro de 2013

ços para a prática de atividades de educação ambiental, quadra poliesportiva, campo de vôlei de areia, além de duchas, circuito de ginástica, e parque infantil.

Morador da região e especialista em representações sociais do cerrado pela Universidade de Brasília, Felipe Cardia, reconhece a importância do parque para o lazer e sensibilização das pessoas para com o meio ambiente. No entanto, ele alerta: “O bem estar do Parque Sucupira interfere diretamente no bem estar da estação ecológica de Águas Emendadas, já que os dois ambientes estão diretamente separados por uma pista que biologicamente chamamos de área de tampão”. Assim como Sucupira, para se ter ideia da importância da Estação Ecológica de Águas Emendadas, ela é considera-

da uma importante unidade de conservação, na qual abriga uma trilha, com aproximadamente 6km de extensão de onde despejam águas que correm para o norte, contribuindo para a formação da bacia Araguaia, Tocantins e, ao sul, para a bacia do Prata.

Quanto à preservação destes espaços, os governantes estão confiantes, assim garante o secretário de Meio Ambiente, Eduardo Brandão. “Este parque será um ´tampão´, porque vai parar o avanço urbano e garantir área verde, melhorando a qualidade de vida da população”. Ele afirma ainda que o objetivo é implantar e revitalizar todos os parques da capital e outros de Planaltina. “Outra prioridade será próximo ao Vale do Amanhecer que tem urgência de ser implantado. Estamos com projeto básico”, acrescenta.

35


MEIO AMBIENTE

parques terá seu primeiro parque literalmente implantado.”, declarou ele durante a cerimônia de lançamento das obras. Juntamente com o Governo do Distrito Federal, o parlamentar afirma que existem outros projetos para criação de parques recreativos para Planaltina.

A reconstrução do Parque Sucupira e de outros do DF fazem parte do programa “Brasília, Cidade Parque”, que visa implantar e revitalizar os 72 parques da capital de maneira sustentável, com recursos de compensação ambiental e florestal. O projeto foi apresentado durante a C-40, conferência que reuniu os prefeitos das principais metrópoles do mundo, durante a Rio + 20, em 2012, no Rio de Janeiro. 1996 - nasce o Parque Sucupira.

Considerado o único parque urbano da região, o Parque Recreativo Sucupira foi criado em 1996 pela Lei distrital n.º 1.318. A área possui 250.000 m² com vegetação constituí36

da por cerrado, mata ciliar do Ribeirão Mestre D’armas, do córrego Fumal e da nascente do córrego Buritizinhos, com árvores frutíferas nativas do cerrado como pequi, jatobá, araticum, cagaita e outras. BOX: Um pouco de história

- Devido à posição geográfica estratégica (área de nascentes), inevitavelmente essa região passou a ser ponto de passagem do colonizador português desde o século XVII, quando vagavam inúmeras bandeiras e desbravadores à procura de ouro e do índio. - Primeiros registros datam de 1590-93.

“Através desse salitre, em 1675, pela primeira vez, a cartografia portuguesa apresenta a região Planaltina ao escasso novo mundo conhecido à época” (Paulo Bertran). - Duas expedições tiveram uma significativa importância para a região, onde se situa Planaltina: a de André Fernandes e a de Urbano do Couto Menezes.

- Século XVIII – Fundação do Arraial de Mestre D’Armas (1770) próximos a córregos e ribeirões da região. - Na primeira metade do século XIX, o Arraial ganhou registro nos mapas da região, e é citado como referência devido sua posição geográfica estratégica: estava localizado no centro divisor de bacias; passagem quase que obrigatória para os viajantes do sertão planaltino.

- Um desses documentos é o mapa produzido por José Raimundo da Cunha Mattos (Governador das Armas de Goiás, na época), resultado das visitas que fez aos povoados da região, em 1824.

- Em 1910, a Vila de Mestre D’Armas teve seu nome alterado para Vila de Altamir, que significa “boa miragem” e, só a partir de 14 de julho de 1917, passou a chamar-se Planaltina. Railde Nascimento www.parquesucupira.com.br Revista Nova Oportunidade


EDUCAÇÃO

GLOBALIZAÇÃO E EXCLUSÃO SOCIAL

Globalização é o processo de integração mundial que vem se intensificando a cada dia, principalmente a partir da década de 1990. A globalização baseia-se na liberalização econômica e no abandono das barreiras tarifárias que protegem a produção da concorrência estrangeira e se abrem ao fluxo internacional de bens, serviços e capitais. A revolução nas tecnologias da informação contribui decisivamente para essa abertura, proporcionando uma crescente homogeneização cultural, além de agilizar o comércio, o fluxo de investimentos e a atuação das organizações transnacionais. Por outro lado, está gerando consequências desastrosas relacionadas com as relações de trabalho, principalmente nos países em desenvolvimento, ocasionando o aumento das desigualdades sociais. A globalização apresenta um lado bom na evolução e no desenvolvimento da humanidade. Alguns setores, como o das telecomunicações e o do turismo continuam obtendo bons resultados em função do vasto mercado a explorar, facilitando o intercâmbio social. Os blocos econômicos estabelecem relações econômicas privilegiadas entre si, aumentando seu poder de negociação e gerando imensa riqueza. O avanço da ciência facilita a vida do homem e contribui para o aumento da expectativa de vida.

38

A globalização financeira estimula o crescimento econômico porque viabiliza o financiamento veloz de projetos de investimento. A queda de fronteiras, que acompanha o processo da globalização também contribui para a diversificação do mercado de trabalho, surgindo oportunidades de emprego em países vizinhos, e a procura por trabalhadores torna-se mais ágil.

sas. Vários fatores, como a poluição, o desmatamento, a erosão, o uso de combustíveis fósseis para a produção de energia, geram grandes impactos sobre a qualidade de vida, aumentando cada vez mais as diferenças sociais. Este ambiente competitivo gera hostilidade às organizações, e essas por sua vez transferem tais agruras de forma direta à sociedade.

Por outro lado, o crescimento econômico acelerado e o aumento populacional sobre o meio ambiente são visíveis em todo o mundo, acarretando consequências diver-

Prof. Dr. Rubem José Boff

A excelência em negócios e os recursos econômicos vêm fazendo parte das tendências do moderno cenário econômico mundial. Produtividade, flexibilidade e diversificação parecem ser a tônica para o sucesso no mundo dos negócios. O modelo econômico existente força as organizações a estabelecerem estratégias com o intuito de obterem vantagem em relação à concorrência e rivalidade entre os competidores. A abertura da economia ao capital externo leva as empresas a diminuir custos para sobreviver à concorrência. A liberalização incentiva a migração de fábricas para regiões onde a mão-de-obra é mais barata, o que vem eliminando postos de trabalho e contribuindo para a elevação do desemprego.

O desemprego entre jovens é um dos problemas crescentes do mercado de trabalho, pois a maior dificuldade é encontrar o primeiro emprego. A falta de postos de trabalho é um dos principais desafios de governos de todo o mundo. A situação tem-se agravado nos últimos anos em razão das crises econômicas e dos períodos de recessão que afetam a economia global, aumentando o crescimento da pobreza e das desigualdades e elevando o grau de exclusão social. Essas desigualdades preocupam não só os organismos internacionais, mas a sociedade em geral. Os governos precisam estabelecer políticas públicas de proteção social com urgência e fazer alguma coisa no sentido de garantir os direitos de cidadania e proporcionar dignidade humana a ricos e pobres, de forma a superar as barreiras do capitalismo e da globalização. Revista Nova Oportunidade


PLANALTINA REALIZA O 1º MOTO NA PRAÇA “Irmandade, companheirismo, humildade e nunca deixar um irmão para trás” o grupo que possui integrantes em vários estados levanta a bandeira da solidariedade como foco de eventos iguais ao do Empório da Praça “O nosso grupo é filantrópico, ou seja, sem fins lucrativos.Nãoenvolvedinheiro, não envolve política a gente só visa como fins o retorno às pessoas carentes com a arrecadação de alimentos e agasalhos. Fazemos disso um meio de ajudar pessoas carentes e necessitadas“. De acordo com um dos organizadores do evento, Luis Sérgio, que é representante comercial da revista Nova

To Ch do d op ia p d pro a mo Br ah ção ma

No dia 16 de novembro às dez da manhã na Praça Silvano Monteiro Guimarães, mais conhecida como “Pracinha do Museu” recebe o 1º Moto na Praça. O Evento é uma parceria entre a revista Nova Oportunidade, o gabinete do deputado distrital, Claudio Abrantes, a revendedora de motos Honda em Planaltina, Pollux Motos, e o empresário Manoel Patrício Neto, proprietário do Empório da Praça e do Rei do Caldo. Um dos grupos que estarão presente no evento é o, Espartanos de Ferro Motoclube do Brasil, que tem como presidente o motociclista, Rony Oliveira. Com o lema

Oportunidade possivelmente o 1ª Moto na Praça será somente o primeiro evento cultural na Pracinha do Museu organizado pelo grupo. “Se esse evento for de sucesso com certeza a Praça terá investimentos porque ela realmente precisa. Na realidade estamos tentando puxar pelo lado cultural para haver outros como de carros antigos, de esporte e até mesmo uma pequena maratona”. Segundo a organização o evento não tem previamente hora para terminar e ainda anunciou que o deputado distrital, Claudio Abrantes, receberá um blusão de couro representando o 1º Moto na Praça.

Musica ao Vivo 3ª Forró pé de Serra 4ª Sertaneja 5ª Pop Rock 6ª MPB Sábado Pagode Domingo Rock Anos 80

CHOPP, CHOPP DE VINHO,CALDOS, SELF-SERVICE,CARNE DE SOL, ISCA DE PEIXE E PICANHA

Praça Salviano Monteiro -Qd.56 Lote 04 Ao lado do Museu - Planaltina-DF - 8577-0515


DIREITO

COMO PROCEDER NA TENTATIVA DE RECUPERAR AS PERDAS DO FGTS Em decorrência de recentes julgados no STJ e STF, abriu-se o precedente para a cobrança de diferenças oriundas da aplicação do índice da TR na atualização da conta do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço - FGTS, autorizando a recuperação de eventual defasagem correspondente a quase 90% no saldo da conta vinculada do FGTS o que possivelmente ocasionará uma verdadeira “corrida” à Justiça nos próximos meses. Todos os trabalhadores que tiveram e/ou tenham algum saldo em seu FGTS entre 1999 e 2013, aposentados ou não, têm o direito de reaver as perdas do benefício.

Aqueles que têm ou já tiveram a carteira de trabalho assinada podem pleitear a revisão do saldo do FGTS na Justiça, substituindo-se a TR, considerada inconstitucional, pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor – INPC o qual reflete com maior exatidão a correção monetária.

Para tanto é necessário retirar junto à Caixa Econômica Federal - CEF um extrato analítico das contas vinculadas desde o ano de 1999 em diante e recalcular os depósitos e saldos trocando a TR pelo INPC apurando-se, assim, os prejuízos causados. Ano 3 - nº 9 - Outubro de 2013

Os valores a receber dependem de caso a caso, de acordo com o período em que o trabalhador possuiu valores depositados no FGTS. Nos casos em que os valores não ultrapassem 60 salários mínimos podem ser pleiteados no Juizado Especial Federal onde o resultado da ação não deve sair antes de 36 meses. Os trabalhadores que poderão possuir o direito de saque imediato destes recursos são aqueles que já adquiriram esse direito, como os demitidos sem justa causa e os aposentados. Em outros casos, a vitória na Justiça significará o aumento do valor do fundo, para quando o trabalhador puder sacá-lo. Para ingressar com a ação basta contratar um advogado de sua confiança e entregar a cópia dos seguintes documentos para o manejo da ação: a) Cédula de Identidade; b) comprovante de endereço; c) PIS/PASEP (cópia da CTPS); d) Extrato do FGTS (Caixa Econômica Federal); e) Carta de Concessão do Benefício (no caso dos aposentados). A título de maior interação

e controle dos valores depositados no FGTS, o trabalhador poderá calcular quanto deixou de embolsar de rendimentos do FGTS acessando o site www.fgtsdevido. com.br, do instituto FGTS Fácil, abrindo uma conta, cadastrando login e senha e usando o serviço gratuito. A página é interativa e deve ser alimentada mensalmente pelo próprio trabalhador, com os lançamentos da conta do FGTS ou do contracheque. Desta feita, não perca a oportunidade de garantir seus direitos pleiteando junto ao judiciário a reparação de suas perdas, pois as diferenças são extremamente relevantes e certamente farão grande diferença no futuro. A Justiça não acolhe aquele que dorme. Yuri Mattos Carvalho ADVOGADO Fone: (61) 9328-9939 E-mail:yumaca@ibest.com.br www.yurimattoscarvalho.jur.adv.br

41


CHARGE DO MÊS

ESPiONAGEM AMERiCANA tenho a impressão de QUE TEM ALGUÉM DE OLHO NO MEU COFRiNHO!

OH, MY GOD!

www.caricaturasonline.com.br


redução do icms sobre o combustível da aviação. Pista livre Para o desenvolvimento do dF. o GdF reduziu o icms sobre o querosene da aviação de 25% para 12% e isso deu um novo gás ao desenvolvimento do dF. Graças à medida, brasília conta com mais de 50 novos voos, entre eles dois internacionais para França e argentina. desde agosto deste ano, o aeroporto conta com voos diários diretos para buenos aires. e, a partir de março do ano que vem, teremos voos diretos de brasília para Paris saindo todas as segundas, quartas e sextas-feiras. destinos que se somam aos já existentes para a cidade do Panamá, lisboa, atlanta e miami. são conquistas que consolidam a capital Federal como um importante hub do turismo internacional, impulsionando o crescimento de toda a região. O DF quer mais, e o compromisso com o desenvolvimento econômico continua.

Revista digital nº 9  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you