Page 1

DECORAÇÃO - DIY - LIFESTYLE - FOTOGRAFIA - GASTRONOMIA - MODA - VIAGEM

vamos

! r a r b e l ce


foto: Luciana Colesanti


olá!

quando quiser compartilhar uma foto ou um texto, é só clicar no aqui no canto superior e selecionar a área desejada da página

Boa leitura!


carta das editoras

04_

foto: Luiza Florenzano - locação: Atelier Lá na Ladeira


Estamos TÃO felizes! Sabem por quê? Porque é tempo de festa aqui na Oca! Nossa querida e amada revista está completando seu primeiro aninho de vida! Yaaaaaay!!! Para comemorar, preparamos uma edição super especial e que está mais recheada do que nunca... Segura!!! A começar pela capa: repararam como está ma-ra-vi-lho-sa? Calma, lá na matéria que celebra o aniversário, vocês vão descobrir tudinho sobre esta linda ilustração! E arte é o que não falta nesta Oca! Ao longo desta edição, vamos apresentar a vocês o trabalho e a história de várias artistas incríveis ! Incríveis estão também as matérias daqueles que têm rodinhas nos pés e celebram a vida viajando pelo mundo... Seja para alegrar tanto aos olhos, quanto ao paladar! E por falar em paladar, quem é que não ama comemorar momentos especiais ao lado de pessoas queridas e ao redor de uma mesa gostosa? Claro, sempre com muito equilíbrio, como vai te mostrar o texto da vez da nossa nutricionista! Mas pera aí... Essa mesa tem que ser bem caprichada, né? Por isso, trazemos inspirações de décor para quem quer receber lá fora no terraço, para quem quer fazer uma festinha infantil com um tema bem diferente e divertido e também para quem só quer fazer o famoso "bolinho" para os íntimos - decorando com o que tem em casa mesmo. Ah, você é dessa turma que aproveita os bons momentos para botar a mão na massa e deixar a casa ainda mais a sua cara? Então, não deixe de conferir os projetos de "faça você mesmo" da edição! Tem passo-a-passo para dar vida nova a uma moldura antiga, para fazer uma casinha de arame fofíssima e super versátil e até para construir um par de mesinhas de canto totalmente do zero! E se o seu negócio é celebrar todo dia no conforto do seu lar, você tem que aproveitar as dicas para fazer com que sua decoração e seu estilo de vida andem sempre de mãos dadas! Vamos aprender a compor um quarto bem aconchegante; conhecer uma cozinha transformadora; visitar um apartamento que é uma explosão de cores e ainda mergulhar na poesia que só os móveis antigos carregam. Para nós, a melhor forma de celebrar o primeiro ano da Oca é agradecendo a vocês, nossos leitores queridos! Por isso, retribuímos simbolicamente todo o carinho que recebemos diariamente, presenteando de volta três pessoas lindas que participaram da nossa tag no Instagram: a #minhacasapop. O presente é tão especial... Foi escolhido e feito com muito, mas muito, amor - assim como cada página desta OcaPop comemorativa! Vem com a gente para a festa!

_05


Ă­n dice

14

28

64

72

84

119 124 134 152 166 176 184 196 200 06_


40

52 NA MINHA CASA COLORIDA_14 UMA CASINHA DE ARAME PARA CHAMAR DE SUA_28 LÁ FORA_40 7 ACERTOS PARA TER UM QUARTO ACONCHEGANTE_52 MESAS DE CANTO POP_64 O AMOR CONTINUA NOS DETALHES_72 VISITANDO A ISLÂNDIA_84 VAMOS CELEBRAR!_102 GARIMPO DA OCA_119 EMPREENDEDORISMO CRIATIVO E TRANSFORMAÇÃO_124 COMO UMA REFORMA DE COZINHA MUDOU A MINHA VIDA_134 UM PASSEIO PELA TERRINHA_152 FESTA DA OCA_166 EQUILÍBRIO É TUDO!_176 #MINHACASAPOP_184 O AMOR POR DECORAR_196

214

TEMPO REI_200 TRANSFORMANDO UMA MOLDURA ANTIGA_214

_07


celebra

conheça os colunistas desta edição

- DIYcore

Ma ch

ma

ri do

Valéria

vion Ro - L’a se o d a

Minha Vi - Na da s o r

Talit

aB ar

Kar

la

A

minha casa meu estilo de vida...

... com simplicidade e constante mutação. Em casa como na vida, as transformações atraem-me.

s ue

as -D

Coisin

ha s

... com toque de diversão e muitas cores, nunca me levando a sério. ll

Ve

... sendo meu refugio. Me pego sorrindo sozinha naqueles domingos ensolarados, com a mesa do jardim farta e com minha família em volta! 08_

o os

orma Plura -F l

Helka

... sendo um reino inteiro. O reino das coisinhas.

Ba

udio da Lu - St i nt

Fra n

Luciana Col es a

Zilah Ro dr i

g

... com criatividade. Adoro olhar para todos os cantinhos da casa e saber que tudo foi feito e pensado com muito amor!

Lá de Cas i a t a n g

... através das marcas de copo nos móveis de madeira, nas imperfeições que narram um bocado de histórias, no jardim que floresce o ano todo.

... com movimento! Minha casa é cheia de vida, porque é cheia de pessoas queridas sempre... Amigos e família são o meu melhor estilo de vida!


ilustração: Cristiana Ventura

ei

Vi s

Debora

h

To

r

a K a rp Erik uk

@homeswe et d r as aa

ia

... na sua simplicidade e aconchego. Simplicidade pra mim é tudo, é a minha identidade!

Bi

German L his if T e -

sg

... estando sempre em mutação! Eu faço tanta coisa e gosto de tanta coisa, que seria impossível ter a mesma casa por muito tempo. Mudo tudo o tempo todo e AMO ser assim!

Thaís

er

ci

utricionist -N a

... com comida boa, flores e pessoas queridas!

Decorviv n a i t en

Vivi

m Tha

... ela celebra minhas maiores riquezas, meus filhos. Seus desenhos espalhados em todas as paredes da casa me fazem feliz todos os dias.

... sendo o puro reflexo do que há dentro de mim. Aqui, a criatividade dá o tom da decoração e da nossa forma de viver.

Ana Schu ll

ra

inha do J oã o

Jõao Junq u

y r e z Ag ui a

r

Design St ud i o

a as C -

oz -C

... na minha cozinha! Com boas comidinhas e bons drinks. Sempre recebendo amigos para celebrar!

io Dekor . E úd Kt t u Es

be

... sendo colorida como eu! Além disso, em cada cantinho tem algo que fiz, pois o que mais amo nesta vida é um DIY! Cor e amor, que é tudo que quero para mim e o que desejo para todos!

-

Veronica Kra em

r ie

lém da Rua A -A te l er

... imprimindo nossa identidade em cada cantinho do lar, contando capítulos da nossa história por metro quadrado. _09


redescobrir-se para reinventar-se:

o poder da arte na vida da Cris fotos: Tatiana Aguena

10_


Artista, designer de moda, empreendedora, professora universitária, designer de superfície, viajante, taróloga, coolhunter. Abrimos esta edição apresentando a trajetória e as várias nuances de uma mulher que usa a arte como ferramenta de transformação e evolução. A moda, as cores, a arte e a natureza sempre estiveram presentes em sua vida desde pequenininha. Nascida e criada em Santos, a Cris adorava brincar no mar, cultivar plantinhas e tinha muito espaço para fazer arte. Foi ainda criança que começou a se aventurar pelas pinturas e, na época, estampava camisetas à mão, fazia silk screen e amava fazer tie dye. Já no final da adolescência, mudou-se para São Paulo, onde cursou moda. Terminada a faculdade, partiu para terras mais distantes e, numa nova aventura, foi

continuar seus estudos em Londres, na Central Saint Martin's - a única instituição no mundo que encara moda como arte. Viajar sempre foi um combustível criativo para a Cris que, durante anos, passou por diversas cidades na Europa e nas Américas e acabou por incorporar essas vivências ao seu trabalho criativo com moda. Em 2009, após uma notável bagagem cultural acumulada e já de volta ao Brasil, a Cris resolveu que era hora de criar sua própria marca, a Hoxton, uma das precursoras do movimento slowfashion e uma ode à cidade de Londres. Foram anos de muita badalação e, em parceria com a Jack Daniels (da qual é embaixadora) e a banda Vuvuvultures, promoveu festas em seu rooftop que foram eleitas, notem bem, as melhores de São Paulo na época!

_11


Em 2014, uma vigem à Índia sacudiu sua vida, seus referenciais e fez tudo mudar. Ela já vinha praticando meditação desde 2011 e estudando kabbalah desde 2012, mas foi durante sua reveladora temporada na Índia, que se conectou com seu eu, reencontrou sua essência. Voltou pra casa e resolveu mudar completamente seus rumos profissionais: "Me separei da minha sócia, fechei a minha loja e voltei a exercer a moda como ferramenta de expressão artística, que é o que sempre foi pra mim, mas por pressão do mercado precisei torná-la mais comercial, mesmo sempre carregando o ideal de slowfashion que desde sempre fez parte da minha vida." E foi trocando ideias com a amiga e futura sócia, Marina Pestana, que surgiu a Lojinha de Rua, um projeto lindo das duas, que usa a moda como ferramenta de transformação, resgatando a auto estima de moradores de rua e refugiados da Síria, África e Haiti. Desde então, foram quatro edições e mais de 4.500 itens doados. Esta foi apenas a primeira grande mudança na vida da Cris. A primeira grande iniciativa para contribuir com o universo ao seu redor, a primeira forma que encontrou de usar seu poço de criatividade para o bem coletivo. E foi ajudando na transformação do próximo que percebeu que ela também precisava se transformar. Precisava trabalhar com algo que a fizesse sentir-se realizada no dia a dia, algo com significado. E assim, no ano passado, decidiu aprender a ilustrar, abrindo um novo ciclo em sua vida, onde além de estudar desenho, começou também a dar aulas de moda ética e sustentável, comunicação em moda, tecnologia têxtil e pesquisa de tendências, usando sua vasta experiência na área para ajudar a formar profissionais conscientes e preparados. Ao mesmo tempo em que ia ajudando seus alunos a crescer, ela também ia crescendo nesse novo ciclo. "A arte começou a florescer dentro de mim, logo fui convidada a fazer parte do 12_

Efemmeras, um coletivo de artistas e grafiteiras mulheres na cidade de São Paulo. Passei a trabalhar em várias plataformas, sempre trazendo esse contato com a natureza da minha infância para as minhas ilustrações. Meu universo é o fundo do mar, os animais, a natureza, o tarô e o misticismo, que tornou-se ainda mais forte em minha vida após minha viagem à Índia. Tudo isso é muito presente em minhas ilustrações, telas e murais." Conforme ela foi crescendo em sua viagem interior, se aprofundando em sua essência, seus desenhos também foram saindo do formato A4 e passaram a ocupar superfícies de mesas, aparadores, cadeiras, paredes e ela encontrou nos murais sua grande paixão. Passou então a explorar materiais diferentes e inusitados, misturando as novidades ao velho conhecido universo da moda e transformando tudo em arte. Arte que a levou no final do ano passado à Ásia, numa viagem que fez sozinha pela Tailândia, Myanmar, Cambodia, Filipinas, Bali e Dubai, vivenciando a cultura e colhendo inspiração nos detalhes, nas cores, nos materiais. E como viajar é um combustível criativo para a Cris, hoje, grande parte do que a inspira em seu trabalho de estamparia vem dessa viagem. "A arte virou mais do que um trabalho, virou uma experiência de transformação pessoal. Considero a arte uma meditação. A arte me deixa no presente e me ensina a lidar com a ansiedade." A Cris recentemente virou coolhunter do site inglês Watch Me Think e venceu o concurso da capa de aniversário da Oca. Numa disputa dificílima, ela conseguiu representar com muita sensibilidade e suavidade a energia deste nosso ponto de encontro. Mal podemos esperar para saber quais serão as próximas conquistas da Cris! Estamos de olho, acompanhando tudo e compartilhando com vocês!


_13


Sempre fui encantada pelas cores. Quanto mais cor, melhor #soudessas. E acredito que viver no meio delas sempre traz mais alegria. Dá para perceber com a minha decoração, né? Decoração para mim é se expressar, mostrar nosso estilo de viver e modo de olhar a vida. O que torna nossa casa um lar é, principalmente, nossa união e amor, mas também ver nossa personalidade nos móveis e objetos. Adoro o estilo "faça você mesmo" de viver e acredito que todo objeto que tem uma história para contar é muito mais rico. Recentemente, me mudei para um apartamento que tem a metade do tamanho do anterior e confesso que sofri um pouco pela perda de espaço, mas com pouco tempo já fui amando os benefícios!

14_


na minha casa

CO LO RI DA

por Talita Barros, do Na Minha Vida

_15


16_


Nem preciso falar que fica muito mais fácil manter a casa organizada agora, não é mesmo? Hahaha! A parte mais complicada foi conseguir acomodar todas as coisas que tinha no novo apartamento, que claramente precisava de móveis feitos sob medida para funcionar melhor. Mas como amo um desafio, coloquei a cabeça para quebrar um pouquinho e...

_17


18_


me virei ! a t n i r t nos Como minhas cadeiras da mesa tinham braços e ocupavam mais espaço, coloquei para vender e comprei novas (sem braços). Daí, já aproveitei para mudar a cartela de cores e as cadeiras, que antes eram todas vermelhas e agora são assim: cada uma de uma cor (se ficou curioso para saber como era, tem o tour no meu blog). Com a mudança das cadeiras, tive que repensar em como agregar as novas cores pelo resto da sala, para o todo ter uma certa harmonia - e fazer tudo isso sem gastar rios de dinheiro, claro. _19


Optei por adicionar o rosa nas almofadas - que por sinal, achei na Tok&Stok por apenas R$14,00. Mudei as artes dos quadros que tinha, adicionando a cartela de cores que queria e o melhor: fiz as artes com o resto dos papéis que utilizei para fazer os triângulos na parede da mesa. Isso mesmo, optei por decorar a parede com papel colorido e fita dupla face, pois como sou bastante inquieta com a decoração de casa, sempre gosto de ter algo prático, pois assim fica bem mais fácil de colocar e tirar quando bem entender, sem ter prejuízo ou muito trabalho - ótima dica para quem vive de aluguel e quer decorar gastando quase nada.

20_


_21


No quarto, quis manter os tons de amarelo, rosa e azul. Estou bem viciadinha nessa combinação no momento! E partindo do mesmo princípio da sala, queria algo que deixasse o ambiente colorido e com a nossa cara, mas que não desse muito trabalho para fazer e gastando praticamente nada de dinheiro. O que fiz? Reaproveitei o resto de tinta que foi utilizado na parede amarela da sala, para fazer a faixa no quarto e só tive que investir em uma prancha, que encomendei com meu marceneiro de confiança e que é bem barateiro.

( amo! )

22_


_23


24_


Fotografei nossos rostos (meu, do meu marido Jadir e da nossa baby @mundodaamelie) e coloquei em trĂŞs quadros usando o mesmo jogo de cores. Adicionei vĂĄrias plantinhas e pintei os vasinhos nas mesmas cores utilizadas no fundo dos quadrinhos.

_25


Pra concluir, fiz um suporte para planta em macramê, que é meu mais novo xodó aqui em casa - e, inclusive, já ensinei a fazer lá no meu blog! Confesso que amei o resultado! E ficar mais com a nossa cara (literalmente), seria impossível! Para conferir dicas e nossa rotina em família, é só acompanhar meu Instagram (@talitacbarros) e acessar o Na Minha Vida!

A Talita Barros é recifense, publicitária, fotógrafa, mãe da baby de quatro patas mais linda do mundo @mundodaamelie, casada com Jadir (consultor de TI) e tem um blog, o Na Minha Vida - onde compartilha algumas das suas “invencionices”, viagens, receitas e mostra tudo o que a inspira!

26_


a h n i s uma ca e m a r de a r a m a h c a r a p de sua por Francine Bagnati, do Lรก de Casa

28_


Ô, minha gente... Que alegria estar na edição de aniversário desta revista que já é tão casa da gente! É claro que a minha contribuição para esse parabéns tinha que vir em forma de passo-apasso, né? Nada mais justo do que simbolizar esse ponto de encontro que a OcaPop representa pra todos nós. Uma casa! Pra gente ir chegando, puxando uma cadeira e levando uma prosa boa, acompanhada de café quentinho. Né, não? Então vamos lá? Dá a mão aqui e vamos aprender juntos! Esse projeto é super fácil, pra todo mundo se animar a fazer em casa!

_29


30_


? s i a i r e t a m e A lista d : s n e t i 3 s a n e p a m e T ! a l u c s ú n i Ém tela arama da, alicate e tinta spray A tela aramada pode ser encontrada em lojas de material de construção ou lojas especializadas em telas mesmo. Escolha o tamanho que desejar, mas por experiência própria, se ela for muito rígida, vai ser difícil de dobrar! Escolha uma que você consiga dobrar sem usar o alicate.

_31


32_


vamos ver o ? o s s a p a o pass _33


1. Use o alicate para cortar a tela em um formato de T. Para esta casinha, eu cortei nestas dimensĂľes: (Com esses cortes, sua casinha ficarĂĄ com 23cm de altura)

2. Use um toquinho de madeira para ajudar a marcar as dobras, para que elas fiquem bem retinhas. O telhado ficou com 10cm em cada ĂĄgua.

34_


3. Com as dobras feitas, a casinha vai ficar assim, desmilinguida! Fique tranquilo - você está no caminho certo!

4. Agora é hora de unir as partes. Lá no recorte inicial não apareceu, mas você precisa deixar algumas pontinhas sobrando em um dos lados, para enrolar sobre o outro, unindo os dois.

_35


5. Repita o processo para unir as laterais e a parte de trĂĄs. Duas pontinhas em cada lateral sĂŁo suficientes.

6. Use o alicate novamente para cortar as sobras.

36_


7. Com isso feito, só falta pintar, usando a tinta spray. Eu escolhi a cor Rosa Fada, da Suvinil. Duas ou três demãos e pronto! Tudo feito!

_37


r e h l o c s e e d a r o h é a Agor a sua composição!

38_


Essa casinha pode ser usada de várias formas! Você pode pendurá-la na parede e colocar aquele brinquedinho especial do seu filho. Ainda na parede, pode receber um cordão de luzinhas e virar uma luminária linda! Pode acomodar vasinhos de flores, livros, um conjunto de velas, uma foto... Vai aí da sua imaginação! Como aqui em casa nada fica no lugar por muito tempo, eu também montei essas três opções usando objetos que circulam pela casa! Agora me diga aí... Qual é a sua preferida? O que você colocaria dentro da sua casinha? A minha dica? Deixe sua casa com a sua cara! E mantenha a porta aberta para os amigos!Assim como a nossa OcaPop!

A Fran é médica de formação e muito feliz com seu trabalho, entretanto, é também dona de uma “incompletude” constante, que a faz querer aprender sempre alguma coisa diferente – crafitagem, costurices, marcenaria, filme, fotografia… uma coisa de cada vez ou tudo ao mesmo tempo. É uma genuína aprendiz, que acredita fortemente que não precisamos ser uma pessoa só. Procura dar espaço em sua vida para as várias Frans, sempre dando o melhor de si em tudo o que faz.

_39


40_


a r o f por Valéria Machado, do L’avion Rose

Morar no centro da cidade, num apartamento com um amplo terraço, é um privilégio e tanto! Apesar de Lisboa não ter um inverno tão rigoroso, a verdade é que é impossível usufruir deste espaço os doze meses do ano. No entanto, quando as temperaturas sobem, o céu está absurdamente azul e reaparece aquela luz linda, típica desta cidade, a vontade de colocar o pé lá fora é tão grande que se torna urgente resgatar a varanda que hibernou durante o frio, tornando-a numa extensão da casa. Se a opção for relaxar lendo um bom livro, é lá, no banco lotado de almofadas, que o faremos. Se apetecer conversar até altas horas, será com as estrelas sobre nossas cabeças. E se a escolha for reunir os amigos para uma refeição descontraída, isso acontecerá também ao ar livre.

_41


No caso do terraço lá de casa, ele é de fato, um pequeno oásis, pessoal e intransmissível, que raramente conserva por muito tempo o mesmo look. Gosto de improvisar, de alterar, de experimentar e montar cenários. Isso estimula a minha criatividade e também a de quem chega e espanta-se com a cor beringela. Explico que o terraço já teve as paredes pintadas de várias cores, e que talvez numa próxima visita o ambiente já seja outro. Trazer os objetos de dentro de casa para o exterior, atribuindo-lhes ou não um novo uso, é algo a ser pensado com carinho, pois é nessa hora, que as fronteiras entre interior e exterior se esbatem de vez, a casa cresce e ganha definitivamente mais um cômodo. Os itens de cozinha podem virar vasos e nada impede que as cadeiras da sala de jantar migrem para a área externa.

42_


_43


Mas de vez em quando também gosto que o terraço ganhe ares de jardim e então, passo na casa da sogra e trago emprestadas as rebuscadas cadeiras de ferro. E já que foi promovido a jardim, por que não investir numa relva fake? Talvez não propriamente no piso, mas em cima das mesas. Uma mesa colorida, que surpreenda e transforme qualquer encontro em ocasião especial.

_45


Jardim que se preze pede lanternas, pendentes e guirlandas de luzes, que com o cair da noite, envolverĂŁo o todo numa nova atmosfera.

46_


_47


48_


E deixei para o fim o elemento mais óbvio: flores, muitas flores, de várias espécies e cores. São elas que trazem bem estar, enfeitam e emprestam um ar de festa a qualquer cantinho mais triste! Não existem regras ou tendências, lá fora, como dentro, são os detalhes que vão fazer a diferença e conferir aconchego. Para tornar sua varanda, terraço, quintal ou jardim a sua cara, misture materiais, cores, estilos, o novo e o velho. Ouse! _49


Um agradecimento especial à Lena, da @seeds_byhjm, que confeccionou os bolos e cupcakes.

Valéria de Assis Machado, portuguesa filha de brasileiros, arquiteta. Gosta do simples, despretensioso e insólito. De cores, padrões e tulipas. Do improvável, do plano B (que na maioria das vezes resulta melhor que o A) e das felizes coincidências. Do que é imperfeito e não combina. Entende-se e dialoga melhor com as casas do que com as pessoas. Adora as manhãs e gosta de sair de casa quando a cidade ainda mal acordou. Sua cabeça nunca para e a corrida de rua é seu equilíbrio. 50_


a r a p s o acert o t r a u q ter um e t n a g e h aconc

7

(digo, dos sonhos) por Vivi Visentin, do Decorviva

52_


Aqui a ideia definitivamente não é encontrar os 7 erros e sim os 7 acertos para ter um quarto aconchegante. Sabe aquele quarto que não te convida apenas para entrar, mas para FICAR? Sim, com apenas 7 dicas super fáceis é possível ter o quartos dos sonhos. Bem, pelo menos esse era o desejo de um casal de clientes, os donos desse quarto pra lá de aconchegante.

_53


o antes:

54_


reuso de objetos Quando estamos reformando ou decorando algum ambiente, dá muita vontade de trocar TUDO, não dá? No caso desse quarto a resposta foi "nananinanão". Fazemos sempre um trato com nossos clientes de tentarmos aproveitar ao máximo objetos que eles já possuem, dando um “trato” neles e deixando-os com outra cara. Foi o que fizemos com a cama do casal. A cama foi toda pintada e se a ideia era trazer aconchego, nada melhor do que optarmos por um tom de tinta que lembrasse madeira. Bingo! Eles adoraram e a cama “conversou” muito com o painel de madeira no padrão freijó.

1

_55


2 3 56_

optar por uma cor quente A ideia de sempre optar por cores claras e tranquilas para ambientes de dormir pode ser uma opção, é claro, para quem está a procura de ambientes calmos. Dá super certo! Mas se você quer de fato um quarto aconchegante, nesse caso “o vermelho é a cor mais quente”. Se joga se medo, relaxe e aproveite! Este vermelho lindo chama-se Vermelho Tapeçaria e é da Coral.

marcenaria descomplicada e a jato Combinamos que a cama do casal, que estava super bacana ainda, fosse reaproveitada no projeto. Eles toparam na hora! Em contrapartida ao nosso pedido, achamos que nada mais justo fosse acrescentar ao projeto um painel de madeira para adornar o objeto escolhido para “ficar”. Há quem pense que optar por marcenaria em projetos do tipo “express” é dor de cabeça. Engano total. Esse painel de madeira "tipo revisteiro" foi feito em apenas uma semana e montado em apenas uma tarde.


_57


luz direcionada e no lugar certo Todo mundo já ouviu falar da tal da “meia luz”, né? Essa é a luz preferida por 10 entre 10 casais apaixonado pra trazer aconchego e romantismo. Colocamos uma luminária do tipo "garra" na cabeceira da cama para fazer esse climinha tão desejado. Muuuuuito amor envolvido!Aluminária é da Tok&Stok (fora de linha).

58_

4


5

objetos que tenham memória afetiva O casal é apaixonado pelos desenhos do ilustrador Felipe Guga, então foi moleza atender ao item “traga memória afetiva para dentro do nosso quarto”. Aproveitamos o pocket livro do artista, que traz uma coletânea de suas melhores e mais conhecidas ilustrações e foi só escolher os que achamos que melhor traduzia o casal para emoldurá-las. Eles amaram!

_59


6 60_

tapete: a roupa do seu quarto Costumo dizer que o tapete “veste” o quarto. Então, fazendo uma alusão às peças de roupa que temos no nosso guardaroupa, o tapete é como se fosse o nosso “pretinho básico”, não pode faltar! Às vezes eles são um problema para os alérgicos? Sim, eu sei, mas existem opções mais fáceis para manter a limpeza em dia. Neste projeto usamos o de sisal, que remete bem à natureza por sua trama, é neutro e traz aconchego na medida certa. O tapete é da Leroy Merlin.


Se o espaço permitir, invista em um banco como suporte para objetos. No quarto do casal o móvel foi super útil para apoiar livros e também como local para o pitstop na hora calçar os sapatos. Eles adoraram! Outra questão resolvida e que achamos que adorna muito bem qualquer ambiente, trazendo essa atmosfera de aconchego e praticidade, é ter ganchos espalhados pela parede. É ou não é também uma forma de vestir seu quarto? O banco é da Tok&Stok e os ganchos, da HC Store.

7

praticidade e objetos sempre à mão

A Vivi é carioca, blogueira, publicitária por formação e decoradora por paixão. Sempre se achou criativa demais, até o dia em que precisou decorar a própria casa. Lotada de dúvidas, recorreu à internet buscando ajuda e, de tão inspirada que ficou, achou que poderia inspirar também. Como consultora de decoração, ajuda a levar mais beleza pra dentro da casa das pessoas. | O quarto mostrado nesta matéria foi planejado e desenvolvido por meio da consultoria Trato na Casa.

_61


publieditorial

2 dias!

sua casa do jeitinho que você sonhou, em

Você é do tipo que acompanha todos os blogs de decoração? Curte as fanpages, segue os perfis no Instagram, adora as ideias, mas não consegue aplicá-las em casa? Você adoraria repaginar um canto seu num piscar de olhos e sem gastar uma fortuna, como fazem nos reality shows de décor? Ah, então anota aí, porque a dica é quente! A SuperVivi, do Decorviva, em parceria com sua irmã, Vanessa, bolou um serviço 62_

que vai abalar o Ridijaneiro, fevereiro e março. Uma transformação incrível que promete deixar sua casa a sua cara, totalmente na beca com um investimento mínimo e em tempo recorde. Mágica? Quase. É o Trato na Casa, o mais novo serviço de décor instantânea da área e que já chegou arrasando o quarteirão! Além de ficar com a casa maravilhosa, você ainda vai tirar onda com os vizinhos: "Foi a Vivi Decorviva quem fez" :)


publieditorial

- você entra em contato com a equipe Trato na Casa por e-mail: tratonacada@gmail.com; - elas te enviam um formulário com perguntinhas sobre você, seus gostos, estilo de vida e tal; - de posse das respostas, a Vivi e a Vanessa vão até você pra bater um papo ao vivo, conhecer sua casa e coletar os detalhes que as guiarão no desenvolvimento da sua proposta. Você conta quais são seus desejos, seus sonhos, seus gostos e deixa o resto com elas; - uma semaninha depois, elas te entregam um relatório ilustrado com o que visualizaram/idealizaram para seu ambiente, o layout repensado, sugestão de paleta de cores e acessórios para dar aquele up no seu canto. - você ama tudo, aprova o projeto, providencia os itens especificados e permite que a mágica da transformação aconteça! Reaproveitando o que você já tem, sem bagunça, sem quebra-quebra, só no sapatinho e em DOIS dias!

Tá achando bom demais? Difícil de acreditar? Segura, porque tem mais: na entrega do seu canto pronto, repaginado e divo, você ainda ganha de presente uma cesta com objetos de decoração pensados especialmente para você e para seu novo ambiente. Ficou com a pulga atrás da orelha? Tá com siricutico pra dar um tapa na décor da sua casa? Corre, vai fazer seu Trato com a

Vivi. Se você contar pra ela que descobriu este serviço aqui na Oca, ela ainda te faz uma graça extra, pode apostar ;) Quem sabe seu canto até aparece aqui na revista? Para saber tudinho sobre o Trato na Casa, nos mínimos detalhes, basta fazer uma visitinha ao Decorviva. Ah, diz pra Vivi e pra Vanessa, que as OcaPoppers mandaram um beijo ;) _63


mesas de canto

POP por Karla Amadori, do DIYcore

64_


Eu vejo a sala de estar como um ambiente para relaxar depois de um dia cansativo de trabalho, para descontrair com um bom livro e até mesmo para jogar conversa fora na companhia da nossa família e amigos. Por isso, acredito que ela mereça uma decoração especial, com móveis alegres, objetos que nos trazem lembranças e aromas que nos remetem a coisas boas. E para essa edição especial da Oca, nada melhor do que trazer o DIY de um móvel Pop para vocês ;) Não somente pela lindeza ou cores vibrantes, mas também em homenagem a todos que fazem parte dessa revista, que é uma grande - e colorida - sala de estar, onde todos nos reunimos para contar histórias e compartilhar conteúdos incríveis. <3

_65


&

MATERIAIS FERRAMENTAS lixa para madeira 16 parafusos 6x70mm (para cada mesinha) parafusadeira (ou chave philips) cola de contato pincel tinta para madeira (pode ser em spray) verniz para madeira (tambĂŠm pode ser em spray)

66_


compensado naval (pode ser substituído por mdf) - 1 peça de 40 x 40cm

pinus (pontaletes de 4x4cm) - 4 peças de 50cm - 8 peças de 32cm

MESA MENOR

MESA MAIOR

especificações e medidas da madeira: compensado naval (pode ser substituído por mdf) - 1 peça de 35 x 35cm

pinus (pontaletes de 4x4cm) - 4 peças de 35cm - 8 peças de 27cm

_67


68_


PASSO-A-PASSO lado, com as peças de 50cm na vertical e as de 32cm na horizontal. Lembrando de, na peça de baixo, deixar 3cm de distância do final para criar um "pezinho".

4. Feitas as duas partes laterais, você as unirá como mostra a imagem: 1 lateral na parte de baixo, os 4 pedaços de 32cm que sobraram em cada uma das pontas e a outra lateral na parte de cima. Parafuse tudo. Na montagem das laterais você precisou parafusar de modo deslocado para um lado, pois agora você fará o mesmo, mas para o outro lado, para que os parafusos não se encontrem.

3.

5. Com sua estrutura já montada, é hora

1. Lixe bem todos os lados dos pedaços de pinus para um melhor acabamento.

2. Monte 2 laterais iguais à imagem ao

Para montar essa estrutura você precisa parafusar todos os cantos dela da seguinte maneira: fure a madeira com uma broca mais fina do que a espessura do seu parafuso (usei uma broca 4). Você pode utilizar a broca chamada "escareador" para adaptar seu furo à cabeça do parafuso e impedir que a madeira fique amassada após parafusar. Então, parafuse os 4 lados com a parafusadeira ou chave, lembrando que esse furo precisa ser posicionado deslocado abaixo do centro, para que haja espaço para parafusar do outro lado depois.

de pintá-la da cor de sua preferência. Escolha uma cor que te traga alegria :) Após seca a tinta, você pode, opcionalmente, utilizar um verniz incolor para garantir maior durabilidade da sua mesinha.

6. Depois de tudo já seco, passe cola de

contato no topo da estrutura e no tampo de compensado. Espere secar por aproximadamente 10 minutos, até que os dois lados já estejam secos, e junte as duas partes fazendo pressão.

_69


Agora a nossa sala já tem duas mesinhas super POP para deixar todo o ambiente ainda mais lindo e inspirador! E não poderia me esquecer...

Parabéns, OCA!!!

70_


A MESINHA MENOR é MONTADA EXATAMENTE da MESMA MANEIRA

A Karla é petlover, viciada em sushi, odeia cebola e tenta não cair do roller desde pequenininha. Já trabalhou como projetista de móveis planejados, depois em escritório de arquitetura e agora está se aventurando com a vida de youtuber e blogueira.

_71


o

amor

continua nos detalhes... E a Isabella faz dois anos, na Tailândia!

Olá, eu sou a Thaís, carioca, 20 e tantos anos e vim me meter na Tailândia! Lugar lindo, de comida apimentada, cheio de diversidade cultural, com praias e ilhas bonitonas, mas que não faz festinhas no capricho como nós, brasileiros!

por Thaís Bisgaard, do @homesweetasia

72_


_73


74_


Ano passado, a descolada OcaPopper Karen mostrou a festa de 1 ano que preparei para a minha filha, Isabella, na edição de estreia da Revista Oca Pop (vocês se lembram?!). Desta vez, mostro a festinha caseira e diy do segundo aniversário da Bella. Também conto como venho mantendo a tradição das nossas festinhas, driblando a dificuldade de decorar uma festa de aniversário num país que não oferece tantas opções de decoração, como no Brasil.

_75


Comecei a planejar a festinha me guiando por um tema e uma paleta de cores, sabendo que a regra número 1 para uma festa caseira é descomplicar e manter a decoração fofa, porém simples, com aquele charme especial que as festas comemoradas em casa têm. Esse ano, escolhi o tema de frutinhas sorridentes, juntando as frutas que a minha filha mais curte comer e usando cores super alegres. Bem diferente da decoração do ano anterior, que basicamente era composta por flores, diversos tons de rosa e detalhes em dourado.

76_


_77


A mesa do bolo foi decorada com quitutes feitos em casa ou comprados no supermercado: pipoca, brigadeiro, brownie com blueberries, torta de maçã com receita da sogra, marshmallow, saladinha de frutas, junto com limonada e suco de laranja. Também teve bolo de chocolate com coco, enfeitado com granulado colorido, docinhos e um cake topper com o número 2 recortado de papel cartolina. As garrafinhas de suco foram enfeitadas com retalhos de pano e fitas, acompanhados de desenhos de frutinhas feitos no computador. A pipoca foi colocada em copos descartáveis e ganhou um tchan especial com os pregadores de abacaxi que encontrei numa loja de material escolar.

78_


_79


Improvisei a decoração com brinquedos da Bella: a maletinha amarela de guardar brinquedos virou um suporte para o bolo e frutinhas de madeira foram expostas, tanto na mesa principal, como na estação criativa que montei para as crianças brincarem. Nesta estação, montada num cantinho da sala, as crianças podiam brincar de massinha, de carimbar frutinhas no papel, de colorir e de colar adesivos que criei com a identidade visual da festa, além de montarem suas próprias pulseirinhas de frutas e continhas coloridas para levar para casa. 80_


Essas atividades, assim como brincadeiras com bolinhas de sabão na piscina, foram suficientes para manter as crianças entretidas durante a festa inteira!

_81


O resultado de tudo isso, alÊm de ver o sorriso no rosto de minha Bella, foi que meu coração, mais uma vez, se encheu de amor! Eu, realmente, amo preparar cada detalhe, colocar meu amor em cada detalhe e levantar a bandeira das festas afetivas, feitas com amor, sabe? E tento inspirar e encorajar outras pessoas a fazerem o mesmo!

82_


A Thaís é formada em publicidade, metida a decoradora de interiores. Adora compartilhar sua paixão por design de interiores, festas infantis, viagens e o estilo de vida de uma família multicultural, expatriada no Sudoeste Asiático há mais de 6 anos.

_83


Escolher a Islândia como destino de viagem foi uma tarefa muito fácil. Meu esposo e eu estávamos em busca de uma aventura única, uma experiência que marcasse as nossas vidas e que nos trouxesse memórias inesquecíveis. Foram quinze dias percorrendo um total de 3500 quilômetros, vivenciando com muita emoção o que eu definiria como a viagem dos meus sonhos!

VISITANDO A

84_


a terra do gelo e do fogo por Ana Schuller, do This German Life

_85


86_


POR QUE

A ISLÂNDIA? Quem conhece e acompanha um pouco o meu blog já deve ter percebido a minha paixão pela natureza, pelas atividades ao ar livre e principalmente pelo hiking. Eu já paquerava fotos da Islândia há muito tempo pelo Instagram e alimentava constantemente o sonho de um dia conhecer o país. Viajar pela Islândia é também o sonho de qualquer um que ama fotografar. O país é, sem exageros, um verdadeiro paraíso fotográfico. A ideia que eu tinha sobre visitar a Islândia é que eu estaria indo na verdade visitar um outro planeta. Mas ao colocar os pés lá, percebi que conheceria não apenas um, mas vários outros planetas dentro de um único país. A Islândia é um dos poucos lugares do mundo que reúne tanta diversidade natural exótica e paisagens únicas em um só lugar.

_87


88_


Como a Islândia é um país muito caro, a nossa viagem teve que ser muito bem planejada, especialmente financeiramente. Escolher o meio de locomoção foi o ponto chave do nosso planejamento. Como viajaríamos a Ring Road inteira e mais as penínsulas, uma coisa ficou muito clara desde o princípio: queríamos independência. Ter alugado um motorhome nos ofereceu todo o conforto e praticidade de que precisávamos. Nosso veículo era equipado com banheiro, cama de casal e uma pequena cozinha. Foi sem dúvida uma decisão muito bem pensada e certeira, que de quebra nos fez viver momentos inesquecíveis. Imagine estacionar o seu veículo no meio do nada e ter como vista picos de montanhas nevados e um pasto verdinho. Você acorda cedinho e percebe que “o seu lar” está rodeado de cavalos selvagens! Acho que esta é a memória mais viva que tenho da nossa viagem.

_89


90_


A Ring Road circula todo o país cobrindo cerca de 1300 km na Rota 1. Tecnicamente é possível fazer esse percurso em vinte e quatro horas, mas a realidade é que se recomenda pelo menos dez dias para que a viagem seja viável. E o motivo é muito óbvio: não tem como não parar a cada cinco minutos para fotografar! São tantas atracões, tantas paisagens novas com os quilômetros percorridos que realmente seria uma pena percorrer a Rota 1 em apenas um dia. A nossa viagem começou pelo roteiro turístico mais famoso da Islândia, o Golden Circle, uma viagem curta de apenas um dia. É um

ótimo ponto de partida, porque três grandes atrações do país (Parque Nacional Thingvellir – onde se pode caminhar entre as placas tectônicas da América e Europa, o Geysir e a impressionante cachoreira Gullfoss) estão por lá. O Golden Circle é também o destino para quem quer conhecer o país mas tem pouco tempo. Além dos lugares citados, os campos de lava, os vales geotérmicos e áreas de atividade vulcânica, as piscinas ou fontes naturais de água quente que brotam diretamente da terra presentes nessa região dão uma ideia de como a Islândia realmente é. _91


Depois de visitarmos as atrações do Golden Circle partimos em direção ao sul. O sul da Islândia é bem característico por suas praias de areia escura e, na minha opinião, pelas mais belas paisagens do país. Duas cachoeiras grandiosas ficam bem próximas da Ring Road e são consideradas verdadeiros colírios para os olhos de muitos fotógrafos. Em uma delas (Seljalandfoss) pode-se caminhar por detrás da queda d’água. Algo tão mágico e surreal que só estando lá mesmo para crer. A outra, não muito longe dessa (Skógafoss) é tão magnífica que me deixou completamente boquiaberta. Parada em frente dela eu parecia significantemente minúscula! Outro lugar imperdível é onde se encontra os destroços do avião americano DC-3 caído em 1973 na praia de Sólheimasandur. Este é provavelmente um dos pontos mais fotografados da Islândia. Mas sem dúvidas, o lugar que mais nos impressionou foi a lagoa Jökulsarlón ou lagoa dos icebergs (foto de capa da matéria). A geleira Vatnajökull está derretendo constantemente ao longo de muitos, fazendo com que icebergs gigantes flutuem sobre o lago. Alguns blocos de gelo derivam até o oceano através da correnteza e lá ficam encalhados. Assistir a ondas do mar se jogarem contra os icebergs e ter a chance de tocá-los é um espetáculo à parte. Esse lugar é definitivamente o meu favorito na Islândia e a paz que ele transmite é indescritível!

92_


_93


Passamos pelo leste da Islândia rapidamente. Estávamos oficialmente no meio do nada! O percurso se resume a entrar e sair dos fiordes através de estradas sinuosas, tendo de um lado picos de montanhas rochosas e do outro a costa de areia escura. A grande atração do leste é simplesmente o leste em si. As paisagens são simplesmente magníficas! Deixamos o leste ensolarado e entramos no norte frio e branco. Infelizmente aproveitamos muito pouco do

94_

norte da Islândia devido à neve excessiva. Felizmente conseguimos visitar a cachoeira Godafoss ou cachoeira dos deuses. De todas as cachoeiras que visitei essa foi a mais especial e o nome dela diz tudo. As quedas d’água são azul turquesa e de lá só se ouve o barulho de água caindo, nada mais. Foi um lugar onde senti muita conexão com a natureza e sentados de frente pra ela apreciamos aquele espetáculo silenciosos por horas.


_95


Claramente dirigimos muito mais que o dobro do percurso total da Ring Road. E isso se deve ao fato de termos visitado uma das áreas mais remotas da Islândia, os Westfjords. Nós fomos até lá para ver e fotografar de perto os puffins ou papagaios do mar. Chegamos aos penhascos de Latrabjarg onde vivem milhares de pássaros e por um certo período de tempo fomos as únicas pessoas a estar presentes no ponto mais ocidental da Islândia (ou da Europa se os Açores não são contados)! Os papagaios são especialmente mansos e adoram ser fotografados. A visita aos Westfjords foi também um dos highlights da nossa viagem. O último lugar por onde passamos foi a península Snaefellness, o meu segundo lugar favorito na Islândia. Essa ilha não fica muito longe de Reykjavík, capital do país. Para quem tem poucos dias disponíveis, incluir essa penísula ao tour pelo Golden Circle é uma opção boa e viável.

96_


_97


98_


Nossas duas semanas na Islândia passaram num piscar de olhos. A sensação de ter visto tanto, mas de saber que não vimos tudo deu um certo nó na garganta durante a partida. Eu definitivamente deixei meu coração naquele país e espero muito ter uma chance de voltar e explorar o que não exploramos. Afinal, ainda existem muitos outros planetas por lá para ser descobertos!

_99


Eu poderia escrever por horas, mas acredito que já me prolonguei bastante. O objetivo era fazer apenas um pequeno resumo dessa aventura fascinante nessas terras nórdicas. No entanto, alguns posts detalhados sobre cada região e com muitas fotos estarão disponíveis em breve no This German Life. Portanto, se você quiser saber um pouco mais sobre a nossa aventura e impressões que tivemos do país, eu te convido a visitar o meu blog e ficar ligado na programação!

A Ana nasceu em Fortaleza no Ceará, é doutora em química, beatlemaníaca, fotógrafa e blogueira. Foi para a Alemanha pela primeira vez há cinco anos atrás por causa da ciência e ficou de vez em nome do amor. Há dois anos é casada com um alemão que tem o espírito e o calor do povo brasileiro. É uma do-it-yourselfer, ama decoração e está sempre procurando aprender coisas novas. É adepta da simplicidade e do minimalismo na vida e procura sempre levar a vida de maneira positiva.

100_


HĂĄ um ano, abrĂ­amos as portas da nossa Oca...

! r a r b e cel

vamos 102_


Ainda pisando em terreno desconhecido, ainda sem saber direito quem era o nosso público, sem ter certeza de como transformaríamos a ideia em trabalho. Os meses que antecederam o lançamento foram de intenso planejamento, muitas suposições, grande expectativa e algumas incertezas. Mas o que é 100% garantido nesta vida, não é mesmo? Mergulhamos de cabeça, tentando sempre aplicar a máxima "antes feito do que perfeito" em nosso dia a dia, porque, vamos combinar, empreender não é moleza, não. Já são tantos os obstáculos, especialmente em tempos de crise, que se fôssemos nos prender a preciosismos talvez não estivéssemos aqui hoje. Mas aqui estamos nós, aqui está nossa OcaPop em sua quinta edição. Ainda mais linda e recheada do que as anteriores (sim, somos três corujas!), comemorando seu primeiro aniversário, crescendo lindamente a cada dia, recebendo de braços abertos mais e mais criativos. Concentrando neste ponto de encontro uma turma de tirar o chapéu, a qual celebramos, não apenas em nossas edições com matérias lindas, mas diariamente em nossas redes sociais. São tantas as mentes criativas, são tantas as ideias lindas, as inspirações para uma casa com mais personalidade, são tantas as maneiras de reaproveitar, de reinventar, de se conectar com seu entorno, com seu lar!

_103


O que há um ano era uma sementinha, hoje é uma árvore linda, frondosa, ao redor da qual germinam as ideias mais originais, as mais belas inspirações. Para nós, é um prazer gigante poder disseminar todas essas inspirações neste nosso espaço comum, do qual você faz parte ativamente, cada vez que curte uma foto, deixa um comentário, interage com a gente, cada vez que marca um cantinho seu com #minhacasapop e nos ajuda a te conhecer melhor. Pode ter certeza de que, assim como para ter sua casa ideal você precisa mergulhar no seu eu interior, para fazer nossa Oca ideal nós precisamos ficar íntimos de cada membro desta nossa crescente comunidade. É exatamente isso que a gente vem fazendo ao longo deste primeiro ano da Revista: conhecendo você, leitor, você que é o centro da nossa OcaPop, para quem fazemos nossa curadoria, em quem pensamos quando convidamos cada colaborador, quando sugerimos cada pauta, quando garimpamos cada produto. Hoje, a Oca não é um reflexo dos nossos gostos pessoais, ela tem vida própria e, cada vez mais, vem cumprindo seu papel de ponto de encontro criativo e, de quebra, vem nos proporcionando um aprendizado sem tamanho, nas mais diversas esferas.

104_


_105


106_


Mas nem só de aprendizados e desafios viveu nosso primeiro ano de OcaPop. Nos divertimos tanto durante esta caminhada! Nós três somos, sim, amiguinhas e, apesar da distância física que nos separa, temos uma conexão enorme, uma sintonia linda e, muito embora sejamos bem diferentes uma das outras e discordemos em vários momentos, o respeito e a admiração mútua nos mantém unidas e felizes por dividir o mesmo barco nesta empreitada que alia trabalho e amizade. Somos tão amiguinhas que temos dois grupos no Whatsapp: oficial e outros (para assuntos bestas) e ambos são movimentadíssimos. Tão movimentados que se uma passa um dia inteiro sem dar notícias, as outras vão checar se está tudo bem :) Hoje, estamos aqui, não apenas para celebrar o primeiro ano de vida da Oca, mas para celebrar você que está conosco nesta caminhada e já faz parte da nossa história, seja nos acompanhando, seja colaborando com lindas matérias para nossas edições, seja selando parcerias, seja aparecendo em nosso feed no Instagram. Somos pura gratidão!

_107


Pensando em enaltecer nossa essência colaborativa, a capa de aniversário é fruto de mais uma parceria, nascida através de um concurso especial, do qual diversos ilustradores talentosíssimos participaram nos enviando artes lindas que representam sua visão da OcaPop. Nós ficamos em êxtase e completamente emocionadas com cada trabalho, cada carinho, cada interpretação, cada ilustração linda e única que recebemos. Infelizmente, só uma arte pôde ir para a capa. Olha, foi uma tarefa dificílima decidir qual seria a ilustra vencedora! Cada arte que recebemos era tão única, tão diferente das demais, tão cheia de estilo e personalidade, que fez do processo de seleção uma mistura de deleite e tortura. Foram quatro as finalistas que nos enviaram as artes finais e que por terem estilos completamente diferentes tornaram a decisão ainda mais complicada. Por fim, decidimos por aquela que mais nos tocou, aquela que além de linda, mexeu com nossa imaginação e representou nossa Oca de maneira lúdica e suave. Mas, claro, não poderíamos deixar de destacar também as três outras finalistas que ficaram lindas de viver. É com muita alegria que, nas próximas páginas, apresentamos a Cris, a Dani, a Manuela e a Maria.

108_


As ilustrações a seguir são protegidas pela licença Creative Commons Attribution-NonCommercialNoDerivatives 4.0 International (CC BY-NC-ND 4.0): Esta licença permite download e compartilhamento dos trabalhos desde que atribuído crédito aos ilustradores e sem alterá-los ou utilizá-los para fins comerciais. _109


110_


CRISTIANA VENTURA

Designer, ilustradora e empreendedora. Partindo da forma e imagem como fundamento, estudou na Central Saint Martins e London College of Fashion; passou pela Basso & Brooke em Londres, Neon no Brasil e abriu sua marca HOXTON. É professora universitária, dá aulas de moda e comportamento e participa de diversos projetos, onde destacam-se as iniciativas sociais “Euxperimento” (sete dias de burca na cidade de SP) e a “Lojinha da Rua” - projeto próprio e de sua amiga Marina Pestana, idealizado por seu coletivo de voluntários para ajudar moradores de rua e que já conta com várias edições. Recentemente, passou dois meses viajando sozinha pela Ásia em busca de inspiração para seus trabalhos criativos na área de estamparia. Cristiana Ventura é assim: arte, moda, design, cultura, comportamento e curiosidade, buscando sempre o que acontece de novo no mundo.

_111


112_


DANI PURPER

Arquiteta e urbanista, paisagista e mestre em arquitetura paisagística. Fez cursos de estamparia e ilustração botânica e é facilitadora do Programa Pathwork de Transformação Pessoal. A arte sempre esteve presente em sua vida, área de trabalho também de seus pais. Ao acompanhá-los, foi aperfeiçoando seu olhar e fazendo da arte um de seus principais meios de expressão. Começou a desenhar quando criança e nunca parou. Do desenho dos edifícios, passou para o desenho da paisagem, para a ilustração botânica e as ilustrações que retratam seus sonhos. Para a Dani, a ilustração vai além da imagem, ela é um trabalho realizado com muita consciência, buscando transmitir uma mensagem positiva e construtiva. Suas ilustrações são impressas em diversos produtos e comercializadas em lojas como Urban Arts, Gocase, Studio Colab55, Stickeria, Society6 e Panólatras.

_113


114_


MANUELA GASTAL

Artista desde criança. Designer de moda por formação e figurinista por paixão. Ainda em busca de sua própria linguagem visual, está dando seus primeiros passos como designer visual, onde mistura técnicas de colagem, edição, costura e pintura com os materiais que encontra por aí em revistas, jornais, propagandas, durante suas viagens, em feiras de rua etc. Acredita que o nosso entorno pode ser super inspirador. Impossível compartilhar tudo o que vê, lê e gosta, mas reserva um tempo para compartilhar um pouco dessas inspirações em seu perfil no Instagram (@manugastal02). Movida a desafios, busca aprender coisas novas, adora viajar e está sempre mudando de cidade - culpa do destino, mas acabou aprendendo a apreciar estas mudanças. É gaúcha natural de Pelotas e atualmente mora em Lisboa, onde faz Doutoramento em Design.

_115


116_


MARIA CAROLINA SIMAS SIMÕES

Nasceu, cresceu, estudou e viveu, até seus 23 anos, em Santos/SP. Foi lá onde teve suas primeiras experiências com o apaixonante universo da arquitetura. Mas foi na grande e assustadora cidade de São Paulo, ao lado de seu "malukinho" (é como chama seu marido), que se firmou de fato na profissão. Lá, seus "traços" foram perdendo a ingenuidade e tomando forma. Foram seis anos de muitos projetos e aprendizado. Depois disso, se jogou em mais uma aventura com seu "malukinho": viver e aperfeiçoar seu lado ilustradora num outro país. A decisão não foi fácil, como era de se esperar. Deixou família, amigos queridos e sua vida estável só um pouquinho de lado e mergulhou nessa nova experiência. E lá está hoje, com seus quase 30 anos, se redescobrindo a cada dia em Lisboa e fazendo o que mais ama: desenhando... E aprendendo todo dia a ser feliz de uma maneira diferente.

_117


foto: Luiza Florenzano

Agora que já estamos íntimos, que tal nos apresentar para aquele seu amigo que curte decoração, que vive inventando moda, que adora DIY, que reaproveita palete, lata de leite Ninho, vidro de molho de tomate... Que tal ficar cada vez mais ativo na Oca, mostrando suas invenções, suas soluções e contando pra gente o que você quer ver ao longo deste segundo ano que se inicia? Nós temos muitos planos, mas nenhum deles faz sentido sem você. Então, conta pra gente: o que está faltando para que nossa Oca fique ainda mais Pop?

118_


garimpo da Esta edição celebra a vida, a casa e também o primeiro aniversário da Oca. Inspiradas neste momento de grande alegria, selecionamos cuidadosamente cada item deste Garimpo para que você possa celebrar a sua Oca com presentinhos que são a cerejinha do bolo. Nossa curadoria conta com pequenos mimos que vão abrilhantar sua casa com irrevência, permitindo que sua decoração saia do lugar comum e arranque sorrisos seus e de suas visitas!

_119


CASA_cerejinha do bolo

clique e acesse os links

2

1

3

120_

4


1 - Ma Folie almofada Cactus Veludo - 28x8cm $85,00 2 - Toda Coisinha redoma Mundo Cor de Rosa - 15x13cm $359,00 3 - Forma Plural divino azul - 18x22cm R$ 85,00 4 - Peixe Boi de Bicicleta boneca feita à mão em tecido 100% algodão e enchimento antialérgico, pensada para estimular o desenvolvimento saudável infantil - aprox. 45cm R$ 95,00 5 - Oru Origamis luminária pendente preço sob consulta encomendas oruorigamis@gmail.com

5

_121


CASA_cerejinha do bolo

6

clique e acesse os links

8

122_

7

9


6 - Phosfato receba todos os meses fotos surpresas do seu Instagram, Facebook ou enviadas do seu celular ou computador! planos a partir de R$15,90 por mês (6 fotos) 7 - Izabel Pariz garrafa Xodó - 30x8cm R$180,00 8 - Na Casa da Joana pôster Ananas com moldura - tamanho A3 R$ 150,00 9 - Além da Rua Atelier espelho Coração pequeno R$ 28,00 10 - Dona Zicota apoio para copos em crochê preço sob consulta encomendas dona_zicota@hotmail.com ou WhatsApp (82) 99156-5739

10

_123


o v i t a i cr & EMPREENDEDORISMO

transformação por Zilah Rodrigues, do das Coisinhas

124_


EMPREENDER É, SEM DÚVIDAS, A MELHOR MANEIRA DE TRANSFORMAR A REALIDADE. SEJA A NOSSA PRÓPRIA REALIDADE, A REALIDADE DE ALGUÉM OU ATÉ MESMO A DO MUNDO. EMPREENDEDORISMO, CRIATIVIDADE E TRANSFORMAÇÃO SÃO PALAVRAS QUE TÊM CAMINHADO JUNTAS NOS ÚLTIMOS TEMPOS, NÃO SÓ PARA MIM, MAS PARA MUITA GENTE. Para adentrar um pouquinho mais neste assunto, não vejo maneira melhor do que compartilhar a minha trajetória nessa jornada e falar sobre os melhores aprendizados e transformações que vivenciei nesses últimos três anos de Toda Coisinha, de empreendedorismo solo, criativo e com muito amor. Empreender é por vezes um processo solitário, que exige esforço e dedicação, mas quando encontramos histórias inspiradoras, feedbacks abarrotados de satisfação e trocas sinceras, encontramos também uma fonte de motivação e de energia.

_125


126_


deixe as ideias fluírem e o coração vibrar O pensamento criativo e organizado é uma das maiores dádivas do ser humano. Claro que nem sempre esse ato é muito organizado, por isso sempre ando com papel e caneta à mão, para não deixar passar nenhuma ideia que possa ser usada agora ou mais à frente. Busco referências de forma incansável: em livros, revistas, blogs, no dia a dia, viagens, em pessoas que admiro e, claro, no Pinterest. Qualquer coisinha é fonte de inspiração e ela sempre vem quando a gente menos espera, basta estar atento. Estou sempre com a mão na massa, pois isso me faz um bem danado e guardo com carinho em pastas e caderninhos aquilo que faz meu coração vibrar. Quando isso acontece, o próximo passo é sempre enfrentar o medo, planejar e partir para a ação.

_127


128_


Planejar foi um passo muito importante na minha jornada empreendedora, talvez o mais importante deles. Cerca de um ano antes de sair de um emprego fixo para começar a me dedicar exclusivamente ao meu trabalho com a Toda Coisinha e com o blog Das Coisinhas, comecei a traçar meu plano de negócios sem formalidade demais. Passei a calcular os investimentos necessários, o tempo que precisaria e a determinar as ofertas. Juntei uma graninha para os primeiros meses, até que o retorno com a loja de fato começasse a vir. Uma coisa de grande valia nesse processo foi toda a mudança que esse planejamento trouxe para a minha rotina. Aprendi a traçar planos e seguí-los, mas sem deixar de ser flexível e recalcular a rota quando necessário. Aprendi que as coisas vão se ajustando quando temos clareza dos nossos objetivos e que não é preciso ter medo, as coisas são mais simples do que imaginamos e muitas delas dependem só de nós mesmos e de uma boa dose de disciplina.

planeje-se comece antes

de estar pronto

Essa foi uma máxima que aprendi com a minha mentora, Rafa Cappai. Começar antes de estar pronto não é sair fazendo as coisas “pelos cocos”, como dizem por aí. Mas não adiar os planos, não deixar o medo interferir nas suas ações. Rafa também diz algo muito importante: “O medo morre de medo da ação”, ou seja, agir é sempre a melhor alternativa em qualquer que seja a situação. Não deixe para depois aquele esboço de como vai caminhar o seu negócio, aquela ideia de produto ou a sessão de fotos atrasada. OK, às vezes a gente procrastina, trava e se atrasa. A vida não fica perfeita depois que começamos a empreender, mas fica muito mais interessante e cheia de vida, se é que me entendem.

_129


Acredito que é aí onde está a maior chave de toda essa transformação que uma jornada empreendedora promete. Precisamos estar bem para que estejamos à frente de um negócio que vai bem. Hoje, não consigo enxergar meu estado físico e emocional separado de como anda o meu trabalho. O mais legal é perceber que esse processo de cuidar da gente e cuidar do negócio é um processo bilateral e interligado, onde um beneficia o outro. Fiz muitas escolhas pensando que afetariam somente um dos lados, mas elas sempre acabam se misturando de uma forma bonita e sinérgica. Uma dessas transformações começou logo quando decidi que trabalharia de casa. Assim, poderia

130_

cuidar mais de perto da rotina da casa e da minha filha. Eu organizo tudo, preparo almoço, levo e busco no colégio e ainda trabalho... Pra caramba. A rotina na cozinha me despertou para a questão do alimento que comemos e desde então, tenho optado por uma alimentação com o mínimo de crueldade possível (tanto para os outros animais, quanto para nós mesmos). Isso me conecta com o mundo, com a natureza, com outros seres e acaba refletindo numa admiração profunda por animais, árvores, as mais diversas plantas, fungos (leia-se: cogumelos <3) e tudo isso acaba virando matéria prima e inspiração para o meu trabalho.


ê c o v e d e d i u c

_131


ESSE É UM CAMINHO BONITO E TRANSFORMADOR E QUE SÓ DEPENDE DE NÓS MESMOS E DA NOSSA MOTIVAÇÃO PARA DAR CERTO.

A Zizi tem 30 anos e é mãe de uma mocinha linda de 15. Acredita que as melhores coisas da vida estão nos pequenos detalhes do dia a dia, nas coisas feitas de coração e em outras muitas coisinhas que não têm preço. Aprendeu cedo que o melhor da vida é o amor e não consegue separar suas paixões do seu trabalho. É artesã, publicitária, blogueira, empreendedora criativa, dona de casa, fotógrafa e multi apaixonada. Deu pra perceber, né?

132_


COMO UMA REFORMA

DE COZINHA MUDOU A MINHA

Desde meus primeiros estágios na área de arquitetura, sempre tive meu All Star sujo de cimento. Confesso que gerenciar quebraquebra nunca foi minha paixão, e sempre considerei as reformas como parte de um processo, para que minhas criações ganhassem vida. E como é bom! 134_


VIDA foto: Estúdio Dekor®

por Erika Karpuk, do Estúdio Dekor | EKtube

_135


136_

foto: Estúdio Dekor®


Ver um projeto concretizado é a maior satisfação de um designer. Então sempre existiu uma compensação de prazeres sabe? Tem que passar por isso para chegar naquilo… Com os projetos online acabei me afastando bastante dessa etapa, ficando com a “cereja do bolo”: o projeto! Foram dois anos me dedicando exclusivamente ao sistema online. Não tinha saudades especificamente de obras, mas sentia muita falta de acompanhar o processo, ver pronto, colocar o vaso de flores sobre a mesa. Mas acredito muito que o universo conspira para que os caminhos de cada indivíduo seja trilhado da forma que tem que ser. E esse universo estava preparando uma surpresinha pra mim… Surgiu a oportunidade da minha familia mudar para um apartamento maior e tínhamos restrições de orçamento. Então a solução foi pensar numa reforma simples, que pudesse atualizar as instalações e valorizar o imóvel, com pequenas intervenções. Mas a cozinha… era muito ruim! Da iluminação aos revestimentos, tudo era muito antiquado e maldimensionado. Como a cozinha é um ambiente muito importante para a rotina da familia, decidimos investir um pouco mais. Mas esse pouco mais era “menos”! Tradicionalmente para atualizar uma cozinha é necessário trocar revestimentos, colocar uma pedra bacana na bancada da pia, trocar os antigos armários por novos e modernos, e por que não, já aproveitar e trocar os eletrodomesticos não é mesmo? Então a planilha para reformar uma cozinha se torna quase infinita, e os custos também!

_137


E foi aí que a minha transformação interna começou. Primeiro, por que não podia gastar, então comecei a pensar em alternativas para fazer uma cozinha incrível investindo o mínimo possível. Segundo que, em paralelo à reforma, comecei um estudo sobre obra limpa.

138_


_139

foto: Estúdio Dekor®


140_


obra limpa

foto: Estúdio Dekor®

é um termo usado na Construção Civil para gerenciar os resíduos de uma construção. Mas quando comecei a pesquisar sobre resíduos, me deparei com um universo de lixo sendo depositado de forma irregular, proveniente não só das grandes construções, mas de pequenas reformas e, principalmente, do lixo comum, aquele que sai da nossa casa e vai para não sei onde…

_141


Questionar o consumo foi o próximo passo. Porque o que descartamos é consequência do que consumimos. E comecei a reparar na embalagens que embalam os alimentos e fui a fundo nos recursos naturais que são brutalmente retirados da nossa natureza para suprir nossas milhões de embalagens de plástico, vidro, papel, isopor e tantos outros. Todo esse turbilhão de informações se apresentando pra mim, enquanto minha reforma estava a pleno vapor. É lógico que o processo de criação sofreu um grande impacto. Porque foi como se toda a experiência em projetos e reformas que eu havia adquirido até então, tivesse perdido o seu valor junto com as montanhas de entulho que eu, como cidadã e designer, havia contribuído para gerar. No processo da reforma, tentei usar o que podia do existente, reduzir a geração de entulho e o consumo de novos materiais. Optei pelo concreto e pelo cimento, que apesar de causarem impactos na extração dos recursos para seus processamentos, me possibilitaram não usar tinta, nem granito, nem nenhum outro revestimento. Além do quê, o concreto é reciclável e, no caso de uma futura demolição, ele pode ser comercializado e voltar a ser utilizado em outras construções. Usei o mínimo de marcenaria possível, utilizando apenas o necessário, optando pela velha cortininha sob a bancada e assumindo mostrar meus eletros na minha estante de concreto. Como não faço frituras, não sinto falta de uma coifa e o espaço que havia sido destinado a uma lava-louças, hoje abriga uma adega desligada.

142_


_143

foto: Estúdio Dekor®


144_

foto: Estúdio Dekor®


Minha bancada próxima à janela foi se transformando, aos poucos, na minha área de horta. Comecei a comprar maço de cebolinha com raiz. Separava a parte verde para uso e deixava o restante na água. No dia seguinte, as novas cebolinhas já começavam a brotar! Essa experiência foi maravilhosa e libertadora! Porque percebi o quanto de alimento vivo e perfeito eu joguei fora durante tantos anos. Comecei a plantar o caroço de abacate e brotou. Plantei cebola, jaca, gengibre, tomate, atemoia, manjericão, sálvia, abacaxi, e tenho mais dezenas de sementes que vou juntando com a intenção de plantar num pedaço de terra, nem que seja num vaso da varanda.

_145


146_

foto: Estúdio Dekor®


Percebendo a riqueza que havia nos alimentos, comecei a transformar as cascas de legumes em delícias como patês e caldos para enriquecer vários pratos. Mas ainda não estava satisfeita… Muita comida “boa” ia pro lixo. Foi então que descobri a composteira doméstica. No início, tive muito receio com as minhocas. Como criar minhocas no apartamento? E o cheiro? Eram muitas perguntas e pré-conceitos. Hoje, passados alguns meses, só tenho certeza que foi mais uma decisão acertada na minha vida. É maravilhoso poder contar com nossas amiguinhas para reduzir um pouco mais o descarte aqui de casa. E as crianças adoram olhar o minhocário e ver, não só as minhocas, mas a quantidade imensa de vida que acontece por ali. São muitos bichinhos vivos e... Calma! Eles não saem da caixa! Vivem ali muito felizes! E nós, do lado de fora, também!

_147


148_

foto: Estúdio Dekor®


E aí, perceberam como este texto foi mudando? Em poucos trechos, ele saiu de cimento e reformas para minhocas e crianças. Para minha surpresa, o universo me mandou um presente, a consciência sustentável. E veio através do meu trabalho e das minhas experiências profissionais. Hoje, vivo o mais sustentável que consigo e confesso que ainda tenho muito trabalho pela frente, porque a todo momento percebo alguma coisa que posso melhorar. Voltei a trabalhar com reforma de um jeito que adoro fazer, unindo economia e sustentabilidade.

_149


foto: Estúdio Dekor®

Minha mensagem neste texto é não ter mensagem. Sabe por quê? Porque o caminho trilhado por cada um é como uma digital, individual e intransferível! A consciência, quando adquirida, é sua e de mais ninguém. O máximo que você consegue fazer é passar isso para as crianças, que são puras de alma e coração. Um indivíduo adulto, que já tem seus costumes, só muda se quiser mudar. E o universo dá pra gente, todos os dias, algumas chances de enxergar diferente. Por isso, meus amigos e amigas, não se pressionem para a mudança, porque ela será natural e vai acontecer com cada ser desse mundão. Pesquisar e se informar é muito importante. Aos poucos a gente vai percebendo que viver em sociedade colaborativa e responsável é o futuro, nosso e das próximas gerações.

150_


A Erika Karpuk é designer de interiores e diretora do Estúdio Dekor®, especialista em Projeto de Decoração Sustentável e autora do conceito da Obra Limpa Dekor, também é criadora de conteúdo do EKtube, com ideias de Design DIY para decorar a casa. youtube.com/erikakarpuk Projetos e Imagens: Erika Karpuk | Estúdio Dekor®

_151


152_


um passeio pela

terrinha

por JoĂŁo Junqueira, do Cozinha do JoĂŁo

Em uma deliciosa viagem para Portugal, celebramos nossas origens lusitanas com uma volta pelas cidades de Lisboa e Porto. E para os amantes do bom vinho, ainda falamos sobre Ă&#x2030;vora, a cidade conhecida por suas vinĂ­colas. Ah! E como sempre depois de uma boa viagem bate aquela saudade, no final, temos duas receitas tradicionais portuguesas para juntar os companheiros de viagem e relembrar tudo.

_153


Não tem como fugir da história na super receptiva Lisboa. Mas há muito mais além disso na cidade. O boom da gastronomia mundial certamente não deixou as margens do Tejo de fora. Entre alguns pontos turísticos imperdíveis, temos o Elevador de Santa Justa, o Castelo de São Jorge, o moderno LX Factory e a histórica Torre de Belém. Entre os bairros mais 2 badalados, temos o Chiado, a Alfama e o Príncipe Real. Mas vamos ao que nos interessa: comida! O chefe do momento lá é o José Avillez. Ele tem várias casas, que variam de coisas descoladas até restaurantes com estrela Michelin. O top dele é o Belcanto, o mais conhecido é o Cantinho do Avillez e sua mais nova empreitada é o Mini Bar, uma casa com um menu degustação bem interessante. O Mercado da Ribeira, é um must-go: tem diversos restaurantes e lugares para se comprar comidinhas. Não deixe de ir ao Tartar-ia. Um local imperdível que serve deliciosos tartares. Um lugar para um jantar mais arrumadinho, é o 100 Maneiras bistrô, que vale reservar, a casa é bem disputada. Um bem tradicional, é o Martinho da Arcada. Quem gosta de vinho, tem que ir: eles têm uma mega adega e servem vinhos envelhecidos por eles próprios . A Cervejaria Ramiro é outro point bacana. Serve frutos do mar super frescos. Ali perto, tem o Largo do Intendente, que vale uma visita.

154_

1

3


Subindo ladeiras e ladeiras pelo bairro da Alfama, no caminho do Castelo de SĂŁo Jorge, uma parada para descanso ao som de um belo fado ĂŠ essencial.

L isboa

_155


p

A simpática Ponte Luís I, cartão postal da cidade. Ela faz ligação entre Porto e Vila Nova de Gaia, uma cidade vizinha.

orto

156_


É outra cidade imperdível. Localizada na foz do Douro, é tranquila e muito bonita. Super pequena, dá pra conhecer tudo em poucos dias. Mas se rolar, vale a pena ficar mais tempo para curtir o clima da cidade. Lá, não deixe de ir à Cozinha dos Loios e no La Ricotta. O Café Majestic, super tradicional, vale uma visita também.

_157


158_


e

vora

É uma cidade que fica a três horas de carro de Lisboa. Murada, pode ser conhecida em um dia, mas o bacana é visitar as vinícolas que ficam nos seus arredores. Entre as mais famosas temos a Adega Cartuxa e a Herdade do Esporão. Se for lá, não deixe de comer no Fialho.

A visita na Adega Cartuxa é um programa super bacana. A Adega não é mais local de produção de fato, mas foi lá que tudo começou. Alguns vinhedos ainda restam, onde as uvas são colhidas e transportadas para outros locais de produção do vinho. No final, claro, rola uma degustação de três rótulos da vinícola.

_159


bacalhau à

lagareiro

Quem não é fã de uma bela posta bacalhau ao forno com um bom vinho tinto? Mais português do que isso, impossível. Ensino aqui uma receita bem tradicional, onde primeiro fritamos o peixe e em seguida levamos ele ao forno. O resultado é incrível, pode confiar.

160_


SERVE: 4 PESSOAS TEMPO DE PREPARO: 40MIN

ingredientes 4 postas de bacalhau, com mais ou menos 300 gramas cada 2 cebolas cortadas em fatias grossas 6 tomates cortados em quatro, sem a pele e sem os caroços 8 talos de brócolis 8 dentes de alho fatiados 6 batatas 12 azeitonas verdes 2 xícaras de farinha de trigo 2 ovos azeite de oliva sal e pimenta-do-reino a gosto

preparo Para começar, tempere o bacalhau com pimenta-do-reino e sal. Em seguida, passe ele nos ovos, que foram misturados em um prato fundo. Na sequência, passe o peixe na farinha. Frite em azeite de oliva. Reserve. Faça isso com as quatro postas. No final, reserve o azeite da fritura. Coloque as quatro postas em uma assadeira com as batatas, que já foram pré-cozidas (antes, dê um murro de leve nelas). Adicione as cebolas em fatias, o brócolis e regue tudo com o azeite que foi utilizado para fritar o peixe. Leve ao forno por 25 minutos. Enquanto isso, frite o alho fatiado em azeite de oliva. Reserve ele na frigideira junto com o azeite. Agora vamos tirar a pele dos tomates. Para isso, faça um corte em X na parte de cima, cortando apenas a casca. Coloque em água fervente por 2 minutos e em seguida dê um banho de água fria. Então, fica fácil tirar a pele com a mão. Em seguida, tire os caroços e corte eles em quatro partes cada. Quando o bacalhau estiver no ponto, retire do forno e adicione os tomates e as azeitonas. Para finalizar, regue tudo com o alho frito e o azeite em que ele foi feito. Vale dar uma aquecida de um minutinho antes. E aí temos nosso bacalhau à lagareiro!

_161


sardinhas

portuguesas na brasa Que delícia! As sardinhas podem ser servidas como prato principal ou como entrada, é só escolher. As sardinhas portuguesas são muito saborosas, porém podem ser complicadas de se encontrar. Aqui em São Paulo, compro as minhas congeladas no Mercadão de Pinheiros. Este prato é super simples e muito gostoso, além das sardinhas fazerem um bem danado à saúde. Se você acha o cheiro e gosto delas muito forte, esta receita é para você. Trago aqui alguns truques para as sardinhas ficarem mais suaves. Primeiro, tiro a barrigada. Em seguida, deixo elas marinarem por uma hora em azeite de ervas. Essas duas etapas vão fazer com que elas fiquem mais suaves e saborosas!

162_


SERVE: 4 PESSOAS TEMPO DE PREPARO: 10MIN (+ 1 HORA ANTES PARA A MARINADA)

ingredientes 1kg de sardinhas portuguesas azeite de oliva alguns ramos de alecrim alguns ramos de tomilho sal grosso e pimenta-do-reino a gosto

preparo Primeiro limpe as sardinhas. Com a parte não cortante da face, tire as escamas. Em seguida, tire sua barrigada. Para isso, faca um corte na extensão inteira de sua barriga e com a mão, tire os miúdos. Com as sardinhas limpas, tempere-as com sal grosso e pimenta-do-reino a gosto. Em um recipiente, misture o azeite de oliva com as ervas. Mergulhe as sardinhas nesse azeite. Deixe marinar na geladeira por 1 hora. Acenda o fogo da churrasqueira 30 minutos antes de botar as sardinhas. Queremos um fogo de brasa e não chamas altas. Então, basta colocá-las em um grelha fechada, para não correr risco delas caírem no fogo. Cerca de 5 minutos de cada lado devem bastar. Porém, dependendo da intensidade do fogo, o tempo pode variar.

_163


alguns

vinhos

Portugal produz um dos vinhos mais saboroso do mundo e tem como suas mais importantes regiões, do Sul para o Norte: Alentejo (Évora), Estremadura (Lisboa), Dão (Viseu) e Douro (Porto). A variedade de rótulos é interminável, e não é minha meta aqui fazer uma lista completa. Vou dar algumas dicas de rótulos que fazem meu paladar. Primeiro, aos tintos. O PêraManca é o rótulo português mais famoso. O seu tinto é tido com um dos melhores e não é produzido todo ano, apenas quando a safra é excepcional. Como você já deve imaginar, o seu preço é bem salgado, então se quiser algo mais acessível, prove o Cartuxa Reserva, da mesma vinícola, a Cartuxa. Outro bem conhecido é o Esporão Reserva, que como

164_

todo bom vinho, varia de acordo com a safra. Um Alentejo DOC que me surpreendeu é o Herdade do Sobroso Barrique Select. O Quinta da Bacalhôa também dispensa apresentações. Outro rótulos que valem ser mencionados são o alentejano Monte da Peceguina , da Herdade da Malhadinha Nova, o Mariana, outro alentejano da Herdade do Rocim e o Porca de Murça Reserva, produzido no Douro. Falando de brancos, prove o Pêra-Manca, que é bem mais acessível que o seu irmão tinto. Um rosé super refrescante que me encantou foi o Vinha da Defesa, da Herdade do Esporão. Para terminar, um Porto que me deixou de queixo caído foi o Kopke Colheita 1989. Saúde!


João Junqueira trabalha como editor de arte no mercado editorial. Apaixonado por fotografia, boa comida e bons drinks, comanda os fogões aos finais de semana. O Cozinha do João é justamente a junção dessas suas paixões. Com muita irreverência, apresenta receitas fáceis de serem executadas, mas que não deixam de apresentar muito sabor. No Cozinha também há espaço para resenhas de restaurantes ao redor do mundo, afinal, de vez em quando, todo chef tem que descansar.

_165


Com

alegria recebi o convite pra fazer a mesa e o bolo de aniversĂĄrio do primeiro ano da Oca! Adoro o conceito da revista: alegre e descontraĂ­do! Por isso, resolvi que faria tudo com o que jĂĄ tivesse em casa!

166_


festa da por Luciana Colesanti, do Studio da Lu

_167


Sousplats de vime serviram de enfeites para parede, vasinhos de terracota com lavandas, suculentas e até um escorredor de macarrão, que virou mini jardim, fizeram bonito de arranjos para mesa. Velinhas com aromas de café e canela arremataram o parabéns!

168_


_169


170_


As flores

comestĂ­veis, recĂŠm colhidas, foram para o topo do bolo e deram a cor que a mesa precisava!

_171


O bolo

foi um pão de ló branco (receita antiiiiiga de mamãe) que até hoje é figura carimbada por aqui! Super versátil, essa massa vai bem com qualquer recheio e cobertura! Anote esta dica/receita, você não vai se arrepender!

172_


A receita é uma sequência de 1 a 6. Faça nesta ordem, batendo na batedeira e acrescentando os ingredientes um a um, que você vai ter um bolo fofinho e sem erros:

1. 2. 3. 4. 5. 6.

5 claras em ponto neve 300g de açúcar 5 gemas 180ml de água 300g de farinha de trigo 2 colheres de sopa rasas de fermento em pó

Como disse, essa massa é muito versátil! No lugar da água, você pode usar suco de laranja e terá um novo bolo, por exemplo! Unte a forma com manteiga e farinha e leve a massa ao forno pré-aquecido a 200ºC até que fique dourada - o teste do palito também é infalível! Aqui, recheamos com uma mistura de doce de leite com um pouco de creme de leite e canela. Para a cobertura: ganache de chocolate amargo (70%).

_173


ra-tim-bum!

174_


Festa pronta! E com alegria, desejo muitos anos de inspirações, ideias, cor e sabor para a nossa querida, e sempre tão receptiva, OcaPop!

A Lu é decoradora e adoradora de plantas e flores. Vira e mexe vai pra sua cozinha de estar, e lá, inventa moda também, pilotando seu fogão. Nas horas vagas, é com sua câmera fotográfica que se entende, e noutras fica com as tintas e lápis de cor. É tão apaixonada por antiquários e feirinhas de antiguidade, que tem certeza que viveu muitas vidas passadas.

_175


o i r b í l i equé tudo! por Deborah Torci, nutricionista

176_

fotos: Luiza Florenzano locação: Prosa na Cozinha


Quem nunca passou pela desagradável situação de tomar um café com uma amiga cheia de restrições? A pessoa sai para bater um papo no lugar mais bacana da cidade, olha o cardápio inteiro, interroga o garçom sobre cada item e, por fim, consegue apenas beber uma água e olhe lá - porque até o pH da bebida mais simples do mundo precisa hoje ser levado em conta! O café não toma porque não tem o adoçante “x” que ela prefere usar... Não pode comer um docinho porque vive de dieta, bolo nem pensar porque tem glúten, não pode sair para comer uma pizza mais tarde porque cortou carboidratos, não come comida japonesa porque tem muito sódio... E cada vez mais essa pessoa é excluída do convívio social.

_177


A ortorexia é um tipo de transtorno alimentar recentemente diagnosticado, que surge quando a pessoa se torna obsessiva quanto aos padrões daquilo que come. São aquelas pessoas neuróticas com alimentação, seja pela busca constante pelo corpo perfeito ou pela obsessão de manter a saúde intacta. Além de não ser um comportamento saudável, as pessoas tendem a se afastar daqueles com esse tipo de comportamento! Nada mais chato do que alguém que leva sua própria comida para uma festa. O que as pessoas precisam entender é que não são as exceções que vão formar quem somos. Os nossos hábitos cotidianos são os responsáveis pela nossa saúde física e mental. Portanto, é completamente aceitável comer uma coisa ou outra fora da “dieta” às vezes! O que não pode acontecer é tornar as exceções parte da nossa rotina.

178_


_179


precisamos

aprender o que faz bem para o nosso organismo e procurar consumir ao máximo esses alimentos. Comida de verdade é aquela que, além de nutritiva, integra e reúne as pessoas ao redor de uma mesa para celebrar os bons momentos.

180_


_181


182_


Ser ativo, praticar alguma atividade física que dê prazer, meditar, aprender a manter a mente limpa, cozinhar, se alimentar de forma consciente e equilibrada, ter tempo para fazer o que mais gosta, estar perto dos amigos e blindar o corpo contra energias negativas são essenciais para uma vida saudável. Sair com as amigas e tomar uma taça de vinho pode ser uma ótima terapia depois de um longo dia estressante de trabalho - você não precisa se culpar por isso! Quanto mais nos julgamos pelos “erros” cometidos, mais força damos a eles dentro de nós. Permita-se mais! Não se cobre tanto por não ter o corpo da modelo, atriz ou blogueira fitness! Respeite seu biotipo e busque apenas o que está ao seu alcance. Atitudes radicais demais não são sustentáveis. Não tenha medo da comida! O equilíbrio está entre comer o que te faz bem e o que te faz feliz! Comer sem culpa te deixa mais leve.

A Deborah é nutricionista clínica funcional, respeita a individualidade bioquímica, preferências e estilo de vida de cada paciente. Apaixonada por comida de verdade e preocupada com a educação alimentar com ênfase em saúde com vitalidade positiva.

_183


a h n i m # p o p a s a c

Imagine uma pessoa feliz. Imaginou? Agora multiplique o número de pessoas e a intensidade da felicidade por três. Somos nós! Ai, gente, é muita alegria para três coraçõezinhos de mãe. Nossa filhota virtual só nos dá alegrias! Vejam vocês que neste primeiro aninho de vida, nossa tag no Instagram já conta com mais de 4.5 mil imagens inspiradoras, ambientes lindos e ideias criativas. Sério, orgulho define! Orgulho de vocês, nossos leitores/seguidores que compartilham diariamente suas soluções para uma casa mais feliz. Orgulho desse nosso ponto de encontro que reúne tanta gente fina, elegante e sincera :) E o melhor é que o céu é o limite e nós continuamos a acumular muitas inspirações na #minhacasapop. É tanta coisa linda que, nesta edição de aniversário, resolvemos dar uma remexida no modelo de premiação e ao invés de um

184_

cantinho vencedor, teremos três cada qual escolhido por uma de nós. E o prêmio… Ah, o prêmio nada mais é do que uma arte maravilhosa da talentosíssima Lúcia Goulart: três pratinhos exclusivos, únicos, ilustrados com cada um dos ambientes vencedores. É ou não é para morrer de amores e ressuscitar só pra morrer novamente? A dificuldade para selecionar nossos cantinhos favoritos é tão grande que fica impossível ter menos do que nove finalistas - ainda com nove foi difícil, viu? Adoraríamos destacar cada um de vocês que vem contribuindo para este crescimento lindo, mas para isso teríamos que criar uma edição especial inteirinha só para a #minhacasapop - o que nem seria uma má ideia, hein? Bora mergulhar em nossa galeria de finalistas e descobrir quais foram os três cantinhos vencedores?


as finalistas :

@apto.29

@valentina_curbelo_vera

@morandocomamor

@simplichique

@davennecosta

@crisarruda13

@lardossilvas

@apartamento_203

@maria_meira_

_175 _185


foto: Luiza Florenzano - arte no muro: brunobig

A sala de jantar da Kelly tem tudo a ver comigo. Mistura cores, estilos e não é nada minimalista. Gosto de casa assim: plena, intensa, com vida própria. Na minha casa, mais é mais :) Cada objeto tem uma história e um lugar, não só nas prateleiras, mesas e estantes, mas no meu coração. Cada quadro tem um motivo, cada álbum pertence a um momento, cada foto é um pedaço da minha trajetória. Minha casa externaliza minha essência, minhas experiências, mostra por onde passei, conta a minha história e, como eu sou do tipo prolixa, que escreve longos textos, longos e-mails e como eu me prendo aos detalhes, minha casa não poderia ser diferente. Além disso, gosto de tantos estilos diferentes e até contrastantes que, para mim, é simplesmente impossível ser feliz obedecendo regrinhas de decoração e aplico esta desobediência não só a minha casa, como aos meus projetos - meus clientes que o digam :) Por isso, pela desobediência aos padrões, pela liberdade estética, pela decoração sincera, pela casa real, não só esta foto, como todo o perfil @cenourasfrescas arrebatou meu coração.

186_


a d a h l o c s e a Erica @cenourasfrescas _187


foto: Luiza Florenzano - arte no muro: brunobig

A cozinha da Tânia é do jeito que eu gosto: tem cara de cozinha de estar (peguei o termo emprestado da querida Lu, do Studio da Lu) e não parece ter saído de um showroom (zZzZZz). Amo este móvel com os puxadores de cerâmica! Sou a maluca dos puxadores trocados e fujo de armário planejado todo “duro”. Agora, a estrela do ambiente: a parede florida! Adoro estampas grandonas, seja no papel de parede ou nos tecidos que revestem a casa. Este floral deu um ar romântico ao ambiente e conversa tão bem com as cadeiras de modelos e cores diferentes… Aiai. Sem contar que toda decoração que tem um toque antiguinho faz meus olhos brilharem! Para arrematar, os objetos menores e plantinhas parecem estar dispostos daquela maneira “improvisada, mas pensada”, sabe? Lindo demais! Eu nem conheço a Tânia, mas vendo sua cozinha, consigo dizer que um pedacinho de sua personalidade está aí. E não dá a sensação de que daqui a pouco ela vai servir um bolinho com café nesta mesa? Me chama, Tâniaaa!!!

188_


a d a h l o c s e a Carla @apto_branco_azul

_189


foto: Luiza Florenzano - arte no muro: brunobig

Minha escolha foi este cantinho lindo da Silvânia, pela mistura de referências que ele apresenta. Me identifiquei muito. Também tenho um corner aqui em casa cheio de quadros, pôsteres e projetos diy, incluindo uma luminária que eu mesma fiz. Sem falar que adoro “agrupamentos” de objetos. Tenho objetos brancos agrupados sobre a mesa de jantar, relógios agrupados na cozinha, garrafas garimpadas sobre o buffet, uma bandeja cheia de

190_

pequenos vasinhos de suculentas, uma coleção de divinos aguardando o melhor lugar pra se instalar juntinha… E por aí vai. Há quem diga que eu sou um verdadeiro pot-pourri. :) Também adorei o cacto e a mistura de dureza e graciosidade que ele representa. Mas o que me fez amar mesmo este canto, é que ele tá super gracinha, arrumadinho, perfeitinho, mas ainda assim passa uma sensação de não estar pronto, de que, a qualquer momento, pode chegar um elemento novo aí e mudar tudo, sabe? Você também consegue perceber isso e se encantar?


a d a h l o c s e a Karen @silvanialoprete _191


192_

arte: LĂşcia Goulart


os presentes! Parabéns, Kelly (@cenourasfrescas), Tânia (@apto_branco_azul) e Silvânia (@silvanialoprete)! Os cantinhos de vocês roubaram os corações das OcaPoppers! Vem participar você também, é fácil! Basta, toda vez que postar uma foto da sua casinha, marcar com a nossa tag #minhacasapop. Quem sabe sua casa sai na próxima edição da Oca, hein? Deixamos aqui nosso agradecimento a todos vocês que, diariamente, usam nossa tag e à nossa parceira incrível, a Lúcia Goulart, pelo presentão!

_193


Para deixar a galeria #minhacasapop desta edição ainda mais especial, convidamos a talentosíssima Lúcia Goulart, dona de uma sensibilidade ímpar, para produzir os presentes mais encantadores: pratinhos de porcelana lindos, pintados artesanalmente.

194_


conheça a

i

Lucia Goulart Esbarramos com a Lúcia no Instagram, muito por acaso, e foi paixão à primeira vista. Desde então, não paramos mais de acompanhar seu trabalho que carrega um misto de delicadeza e alegria. A Lúcia nasceu em São Paulo, estudou jornalismo na USP e trabalha com design e comunicação corporativa. Casada com um ilustrador e designer gráfico, divide com ele o amor pela arte. Desde os tempos de namoro, os dois trabalham juntos e compartilham o gosto por tudo o que envolve criação, seja um projeto em artes gráficas, a decoração de um cantinho ou a restauração de uma peça garimpada nas ruas. Mas seu amor e interesse pela arte vem de longe. É apaixonada desde criança por tintas, pigmentos, papéis, livros, revistas, tudo o que envolve representação artística. O exercício do olhar e as experimentações de materiais começaram quando, ainda bem pequena, teve a sorte de ter Clemência Pizzigatti com sua arte-educadora. Sua inspiração vem das pequenas coisas do dia a dia, daquelas que despertam emoção. Mas nem só o cotidiano alimenta a criatividade da Lúcia. Sua vida itinerante, de quem já viveu em diversos cantos do Brasil, é uma fonte profunda de memórias que despertam sob forma de uma arte intuitiva e espontânea. "Eu preciso me “alimentar” de cores, formas, detalhes… De tudo o que é belo, do que me surpreende, me fascina. É isso que me dá equilíbrio e energia no dia a dia. E essa “nutrição” pode acontecer numa visita a um museu ou num camelô da esquina, ao folhear uma revista ou navegar nas redes sociais. " A porcelana entrou na vida da Lúcia ainda

nos anos 90, quando foi convidada a participar do desenvolvimento de uma linha de utilitários para o mercado nacional. "Foi aí que tive contato com todo o processo de produção, materiais, tipos de porcelana, técnicas de decoração, pintura e queima. Aprendi muito e fiquei apaixonada pelo segmento. Mas os tempos eram difíceis e, embora com enorme sucesso de vendas, a produção foi interrompida e voltei a trabalhar na área de comunicação." Porém, o acaso ou o destino se encarregou de trazer de volta esta paixão para a vida da Lúcia e, em 2013, desenvolvendo um trabalho para clientes, ela redescobriu a pintura em porcelanas - agora muito mais acessível por conta do desenvolvimento tecnológico. Daí, até começar a postar a postar suas peças em seu perfil no Instagram, foi um pulo. "Não imaginava que faria tanto sucesso. Não parei mais e as encomendas crescem a cada dia. Ainda estou aprendendo e descobrindo minha linguagem. Tem sido muito bom." Hoje, a pintura em porcelana é muito mais do que um hobby e, além de render bons momentos de relaxamento fora do circuito online, tem rendido também novas amizades, trocas de experiências e histórias compartilhadas. "É gratificante ver minha arte se espalhando por aí. Fico emocionada." Seja obra do acaso ou destino, ficamos muito felizes com este nosso encontro virtual com a Lúcia. Vida longa às porcelanas mais lindas, vida eterna às memórias e momentos registrados no fundo de cada pratinho que leva um pedaço desta artista nata. _195


AMOR por decorar

o

por Thamyrez Aguiar, do Casa Design Studio Me senti muito honrada de poder participar da edição do primeiro aniversário da Revista OcaPop, meu estômago encheu de borboletas coloridas e uma felicidade repentina me tomou. Admiro muito toda a ideia do projeto e as três mulheres incríveis que atraem e cativam uma legião de pessoas que têm o mesmo interesse: o amor por decorar. Decorar uma casa não é apenas deixá-la mais bonita, é muito mais do que o mero desejo de que nossos convidados pensem que temos bom gosto e dinheiro suficiente para a tal coisa. Decorar tem a capacidade de nos ajudar a entender nós mesmos e transmitir aos outros quem somos. Os objetos que escolhemos comunicam nossa identidade ao mundo e, sendo assim, é muito insensível quando analisam a decoração como puro exibicionismo. Confesso que ao decorar quero, sim, me exibir e me expor, pois tudo o que me rodeia e até o que visto, é reflexo daquilo que carrego dentro de mim, que tenho vibrado e acreditado. Aprendi muito desde quando comecei a decorar a minha morada e, claro, ao compartilhar mundão afora quem sou a partir do que crio - principalmente quando se tratam das tão temidas críticas negativas, as singelas opiniões e as 196_

percepções de outrem. Compreendi que o que dizem sobre nós, não é de fato um problema nosso, mas um problema de desconexão com a outra pessoa. E te digo que saber disso enaltece a nossa vida, pois passamos a ter mais confiança em quem somos. Em outras palavras, o mundo, as pessoas, a vida… Para cada um, é reflexo e expressão de quem somos, ou melhor, de quem temos escolhido ser a partir do que vibramos. É simples assim! Isso é mágico, pois é transformador. É transformador porque nos liberta das amarras do “pode isso e não pode aquilo”. Temos casas irreverentes, coloridas, criativas, minimalistas, do artesanal ao industrial. Casas que contam nossa história desde as boas-vindas penduradas na porta, até um pequeno detalhe escondido na cabeceira. Ali é revelado nosso ser mais íntimo e belo, que criou todo nosso lar, que é nosso amparo, nossa compreensão e nosso amor. A Revista OcaPop surgiu exatamente nesse novo tempo para a decoração, em que as pessoas estão fugindo das regras e das tendências, pois já compreendem que cuidar do astral da casa vai ao encontro com o seu EU, com a sua essência mais pura e com a sua vibração.


Isso muda a VIDA! O bem viver em decorar, é tão interessante e humano, que cativa a todos, e não deve ser à toa que é um dos assuntos mais procurados no Instagram, a rede queridinha de nós que somos loucos por decoração, capaz até de criar amizades a distância.

produção e foto: Lápiz Decor

Isso muda muita coisa!

_197


produção e foto: Lápiz Decor

Numa troca permanente, um enxerga no outro o seu melhor reflexo. Somamos experiências, vivências e torcemos para que a luz de todos brilhem, pois sabemos que juntos somos capazes de espalhar o que há de melhor em nós e que todos temos a mesma luz, pronta para brilhar. Como a OcaPoper Karen sempre costuma dizer, somos todos estrelinhas brilhantes em uma constelação. Sinto que cumpri a missão que me foi dada, as borboletas coloridas não habitam mais o meu estômago. Não se espante de vê-las por aí, voando em alguma parede de minha casa.

A Thamyrez é Designer de produto por formação, na decoração por amor, trabalha há 5 anos com o design em várias esferas, o que lhe trouxe um senso de estética bem diversificado. Hoje trabalha como freelancer em projetos exclusivos na área de visual merchandising para grandes marcas de moda, atuando também no design gráfico. Há um ano descobriu que ama ensinar a prática milenar do Yoga, começando com a sua jornada como professora.

198_


_179


tempo

REI Helka Velloso, do Forma Plural

200_


O tempo amadurece, muda, recria conceitos. E com móveis não é diferente: faz o ontem virar contemporâneo outra vez, faz um trabalho bonito de se ver nas imperfeições cravadas em madeiras que já não existem mais. E, em tempos onde tanto se fala em sustentabilidade, decoração afetiva e resgate, honestamente não consigo enxergar nada tão significativo quanto móveis de belas épocas habitando uma casa.

_201


202_


Claro que tomar um móvel com marcas do tempo nas mãos, com o objetivo de lhe dar um fino trato, de início não é uma das tarefas mais confortáveis. Batem diversas incertezas, rola o receio de errar grandão, até mesmo aquela dorzinha de barriga ameaça dar as caras. Mas, conforme deixamos a intimidade acontecer, todo e qualquer medo bate em retirada. E sabe por quê? Porque eles são encorajadores por natureza, não precisam provar mais nada pra ninguém, são verdadeiros figurões com um tremendo espírito livre, que curtem uma vida cigana e vão ao delírio com a possibilidade de habitar diferentes cômodos de uma casa.

_203


204_


E é justamente aí que aprendemos com eles, nesse processo intenso de desconstruir, entendendo que o conceito de definitivo é uma mera questão de interpretação. Para lidar com eles, é preciso soltar a imaginação e chegar muitas vezes onde os olhos não conseguem ver.

_205


É necessário acreditar que inspiração é um troço que pode vir de qualquer lugar, desde que se esteja aberto: está no vestido de laise usado na tarde de verão, nas rendas e flores da casa de campo, no desenho maroto pixado no muro da rua, nas ranhuras da terra que não vê chuva há anos.

206_ 68_


_207


Móveis antigos nos permitem tudo, desde técnicas batidas até as inventadas. Uns a gente pinta, outros a gente descasca; uns preferem ser vestidos com tecido, outros preferem adornos bem festivos; e tem aqueles que são casca, que fazem nossos miolos ferver porque simplesmente mudam de ideia no meio do percurso.

208_


_209


210_


Para os acompanhar nessa jornada, é essencial compreender e aceitar as suas marcas, que são a prova de que já viveram uma vida longa e larga e, afinal, é isso que os torna tão especiais assim.

_211


Eles não precisam de uma cura, apenas desejam novas fantasias e adereços para que continuem desfrutando de muitos carnavais.

Produtora executiva de projetos audiovisuais e mãe de duas figurinhas carimbadas, Helka cultiva grande admiração por cores, estampas e móveis cheios de história pra contar. Em seus momentos de folga, conversa com eles por horas a fio, até encontrar uma roupagem que julgue à altura de seus anos de vida. Inquieta que é, sempre está pronta a trocá-los de lugar e lhes arranjar novas companhias, pois acredita que uma casa é um organismo vivo, dotado do espírito daqueles que moram nela.

212_


214_

MOLDURA


Oi, pessoal! É com muita alegria que estou aqui, comemorando com vocês um ano de Revista OcaPop, a revista mais linda e badalada do momento! Quando as meninas pediram que eu fizesse uma reutilização, dei um tempinho, pois não queria algo comum ou que já tivesse feito. Um belo dia, olhei para uma prateleira da minha oficina e a avistei: uma moldura antiga, rachada, que eu ganhei do meu querido amigo Ademir, que toda semana passa com sua carroça. Ademir viu esta moldura jogada, lembrou-se de mim e me deu de presente! Eu sabia que faria algo bacana, mas nunca pensei que ficaria tão legal! Espero que vocês gostem e que se inspirem muito!

ANTIGA

!

por Veronica Kraemer, do Além da Rua Atelier _215


216_


Vamos ao passo-a-passo?

_217


218_


1 2 3 4 5 6

Lixei a moldura com lixa 60 para madeira, sempre no mesmo sentido. Depois, limpei tudo com um pano úmido, e esperei secar. Como a moldura estava rachada, tive que restaurála. Colei a moldura com cola instantânea e esperei secar. Foi bem rapidinho! Lixei, para tirar a cola sobressalente, e apliquei massa corrida pra nivelar tudo. Esperei secar e lixei o pedaço colado, para retirar a massa corrida que ficou em excesso na moldura. A massa corrida deve preencher somente a fenda, ok? E, algumas vezes, é necessário aplicar de duas a três camadas de massa corrida, para que tudo fique perfeito. Apliquei o fundo preparatório (base) para a pintura: sempre uso tinta PVA (látex) branca. Aqui, apliquei duas demãos de branco e utilizei o rolinho pequeno de espuma, porque a moldura é lisa. Escolhi a tinta restauro amarela, da True Colors, para a pintura e apliquei três demãos com o mesmo rolinho. A pintura ficou super uniforme, perfeita! Peguei um pedaço de Eucatex perfurado. Nessas horas dou graças a Deus por guardar materiais! Medi o Eucatex pela parte interna da moldura, risquei com uma caneta e cortei com a serra ticotico. Esta parte não foi muito fácil, porque o corte é oval. Se você tiver dificuldades, ou se não tiver a tico-tico, peça a um marceneiro para cortar. Pintei o Eucatex de branco, com o mesmo rolinho. Usei a tinta restauro, mas vocês podem usar qualquer tinta à base de água. Apliquei três demãos, para ficar bem branquinho. Fixei o Eucatex no rebaixo da moldura, com pequenos pregos. Como vocês podem observar na foto, eu encaixei o Eucatex no rebaixo da moldura. Se ela não este rebaixo, você pode colar o Eucatex na parte de trás da moldura. Para poder pendurar a moldura na parede, coloquei um gancho triangular atrás.

_219


A moldura está linda, mas muito basiquinha pro meu gosto! Vamos dar um up nela? Decidi fazer minhas amadas formiguinhas, pois achei que tem tudo a ver com a moldura oval! Ahhh... E tem surpresa!!! Agora tem vídeo onde ensino vocês a fazerem as formiguetes mais amadas do Brasil! É só clicar aqui e assistir! Vocês podem desenhar o que quiserem, escrever palavras ou o que sua imaginação mandar! Se vocês não têm habilidade para desenhar, podem usar stêncil ou colar adesivos. Só não vale desistir, tá?

Pensam que terminou? Nananinanao!

220_


usem a ividad criat

aos a obra! eem A Vero tem um atelier em Perdizes, um lindo bairro de São Paulo, onde ministra cursos e trabalha com mosaicos, pintura em vasos e telas, pintura e customização de móveis e objetos de decoração. Adora reutilizar objetos que iriam para o lixo, transformando-os em peças decorativas. Adora fazer passo a passo e tentar ensinar um pouco de seu conhecimento.

_221


Ano II - setembro/2016 - Edição 05 Concepção, execução e edição: Erica Palmeira (erica@revistaocapop.com), Carla Torci (carla@revistaocapop.com) e Karen Rampon (karen@revistaocapop.com)

Fotos carta das editoras e “vem pra oca também”: Fotógrafa: Luiza Florenzano Locação:Atelier Lá na Ladeira (Rua Maria Eugênia, 123 - Humaitá - Rio de Janeiro-RJ) Ilustração de capa: Cristiana Ventura Ilustrações (de capa e da matéria “Vamos celebrar!”) protegidas pela licença Creative Commons Attribution-NonCommercialNoDerivatives 4.0 International (CC BY-NC-ND 4.0): Esta licença permite download e compartilhamento dos trabalhos desde que atribuído crédito aos ilustradores e sem alterá-los ou utilizá-los para fins comerciais. Demais conteúdo sob licenciamento Creative Commons Attribution-NonCommercialShareAlike 4.0 International (CC BY-NC-SA 4.0): Esta licença permite que remixem, adaptem e criem a partir do nosso trabalho para fins não comerciais, desde que atribuam à Revista OcaPop e ao blogueiro/fotógrafo colaborador os devidos créditos e que licenciem as novas criações sob termos idênticos. Fale conosco: Para sugestões, elogios, críticas e blábláblá: contato@revistaocapop.com Para colaboração: colabore@revistaocapop.com Para publicidade: anuncie@revistaocapop.com Se preferir à moda antiga: Cx Postal 34022 CEP 22460-970 - Rio de Janeiro/RJ http://revistaocapop.com http://facebook.com/revistaocapop http://instagram.com/revistaocapop http://twitter.com/revistaocapop https://pinterest.com/revistaocapop Snapchat: revistaocapop

222_

foto: Luiza Florenzano - locação: Atelier Lá na Ladeira

Colaboradores desta edição: Ana Schuller (This German Life), Deborah Torci, Erika Karpuk (Estúdio Dekor e EKTube), Francine Bagnati (Lá de Casa), Helka Velloso (Forma: Plural,) João Junqueira (Cozinha do João), Karla Amadori (DIYcore), Luciana Colesanti (Studio da Lu), Talita Barros (Na Minha Vida), Thaís Bisgaard (@homesweetasia), Thamyrez Aguiar (Casa Design Studio), Valéria Machado (L'avion Rose), Vero Kraemer (Além da Rua Atelier), Vivi Visentin (Decorviva), Zilah Rodrigues (Das Coisinhas)


Vem pra TambĂŠm! curte a proposta da Oca? quer fazer parte do nosso ponto de encontro criativo?

entre em contato com a gente!

i u q a e u q cli


nĂŁo perca nada do que rola neste ponto

de encontro criativo!

siga a

no Instagram! @revistaocapop

Profile for Revista OcaPop

Revista OcaPop - Edição 05  

A edição que celebra você, a sua casa, o seu estilo de vida e o nosso primeiro aniversário!

Revista OcaPop - Edição 05  

A edição que celebra você, a sua casa, o seu estilo de vida e o nosso primeiro aniversário!

Advertisement