Issuu on Google+

revista

ANO XVII | ABRIL 2014 | Nº170

Perpétuo Socorro DISTRIBUIÇÃO GRATUITA | VENDA PROIBIDA

R E D E N T O R I S T A S

NA PAIXÃO DE JESUS OS MOTIVOS DE NOSSA ESPERANÇA


í

ndice

03 CAMPANHA DA FRATERNIDADE 04 CATEQUESE 06 NOTAS E REGISTROS 07 PERPETÓLEO 08 PAPO COM A PSICÓLOGA 09 RELACIONAMENTO 10 IGREJA EM FOCO 12 ESPECIAL 14 ESPECIAL 16 CRAS 17 PAPO COM A PSICÓLOGA 18 OBRA SOCIAL 19 SAÚDE / COMO VAI SEU PORTUGUÊS? 20 PROMOÇÃO VOCE É QUEM FAZ / FAMÍLIA DO DEVOTO PERPÉTUO 21 PERGUNTE AO PADRE 22 FOLHINHA / FAMÍLIA

e

ditorial

Pe. Primo Aparecido Hipólito, C.Ss.R Reitor do Santuário

e

spaço do leitor

POLÍTICA “Como é ano de eleições, gostaria de saber mais sobre abuso de autoridade e a corrupção que assola o nosso país. E sobre a falta de alternativa que temos na hora de votar.” José Luiz Hadich, Juvevê/Curitiba

CHAGAS

E

scolhi esta frase dita pelo Papa Francisco nesta quaresma, pois acredito que expressa uma visão essencial da Festa da Páscoa e de tudo o que celebramos neste período Quaresma - Semana Santa Páscoa. Desejo, caro leitor, sinceramente que a cruz não seja para mim, para você e para todos os cristãos apenas um enfeite. Mas que ela seja um sinal de que salvação entrou no lugar onde ela está. Mais do que isso, que seja uma lembrança constante de que a salvação entrou em nossas vidas para nunca mais nos deixar. Que seja também uma lembrança de que “não existe cristão sem cruz”, como bem disse Francisco. Todos terão que passar por ela, e já estamos passando. A caminhada desta vida é cheia de cruzes. Mas não precisamos passar por isso sozinhos. Mais, não podemos passar sozinhos. Sofrer sozinho é tormento, mas sofrer com Cristo é lucro, pois o sofrimento nos aproxima de nosso Deus sofredor, o Cristo da Paixão, apaixonado, como dizia Santo Afonso. O sofrimento nos mostra rasgadamente nossas fraquezas e nos leva a abrir espaço para a ação de Jesus. Não podemos vencer nossos pecados e fraquezas sozinhos. Mas não precisamos. Cristo venceu todos eles na cruz. A Páscoa e Semana Santa é celebrar esta vitória, é reconhecer esta realidade humana e abraçar a graça divina, que vem em nosso auxílio cheia de misericórdia e perdão. Feliz Páscoa e boa leitura!

“Gostaria de saber mais sobre as Chagas de Cristo e sobre a manifestação de algumas pessoas, que dizem ter esse dom. Qual a posição da Igreja sobre isso? Desde já agradeço.” Luiz Carlos Aleixo, Alto Boqueirão/Curitiba

DE VOLTA “Faz tempo que não frequento a Igreja. Como me reaproximar de Deus?” Vivian Yumi Inoue Kuroda, Cajuru/Curitiba

CALENDÁRIO " O tema é sobre a Páscoa. Gostaria de saber como é definida a data da Páscoa de todo ano, já que não é fixa como o Natal por exemplo. É baseado em quê? Sei que são quarenta dias depois do carnaval, mas como é definida esta data. Muito agradecida!" Jaqueline Jess Boin, Pinhais/Paraná

DEPENDÊNCIA QUÍMICA “Gostaria de ler uma reportagem sobre: “Como perceber que um adolescente usa drogas?” Ana Conceição dos Santos Gayer, Xaxim/Curitiba

ito com a sua Este espaço é fe r. Mande sua ito e l ro ca o çã pa partici ra nós, com carta ou e-mail pa sugestões de ou s a tic crí s, comentário Revista. assuntos para a sa@uol.com.br en r p oim perpetuosocorr ostal 20.013 ou Caixa P 0 - Curitiba/PR Cep 80.062-98

A Revista Perpétuo Socorro é uma publicação do Santuário de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, sob a coordenação da Assessoria de Comunicação EXPEDIENTE Reitor: Pe. Primo Hipólito Conselho Editorial: Padre Primo Hipólito, Padre Gelson Mikuszka, Padre Lourenço Kearns, Padre Rodrigo Augusto, Irmão Adilson Schamne, Padre Alexandre de Castro, Padre Jaime Araújo Figueiredo, Giovani Ferreira e Ana Paula Rodrigues Ferreira. Jornalista responsável: Ana Paula Rodrigues Ferreira - MTB 4198/17/38. Proj. gráfico e diagramação: Identidade Design/ Amanda Mafioletti - iddesign@onda.com.br. Impressão: Nova Gráfica. Tiragem: 25 mil exemplares. Fotos: Assessoria de Comunicação do Santuário e colaboradores Essa produção conta com a participação da Pastoral da Comunicação. Contato e sugestões: perpetuosocorroimprensa@uol.com.br | 41 3253 2031 www.perpetuosocorro.org.br

02 . revista Perpétuo Socorro . abr/2014


c

ampanha da fraternidade

“Ao lado de homens e sociedades abastadas, dominados pelo consumismo e pelo prazer, não faltam, na mesma família humana, os indivíduos e os grupos sociais que passam fome, não faltam crianças que morrem de fome sob o olhar de suas mães” s vezes a Campanha de Fraternidade fica muito no plano intelectual e não chega a ser vida para nós. Esse ano somos convidados a refletir sobre o tráfico de pessoas, lembrando que Cristo nos libertou para a liberdade. Talvez nem acreditemos que tal tráfico ainda exista em nosso mundo, em nosso bairro, até em nossa comunidade cristã. Gostaria partilhar com vocês o choque que recebi lendo algo que sacudiu meu comodismo sobre esse assunto. Estou lendo o livro “Testemunhas da Esperança” do Cardeal Bispo François Van Thuan. Van Thuan foi Bispo Auxiliar de Saigon, Vietnam. Quando os comunistas tomaram o controle do Sul do Vietnam muitos católicos foram martirizados e outros presos numa perseguição religiosa. Van Thuan foi preso por treze anos e nove desses anos foi no silêncio absoluto. O Papa Beato João Paulo II convidou o bispo a pregar o retiro anual ao Papa e os Cardeais da Cúria Romana. E em uma de suas pregações ele cita fatos publicados pelo Banco Mundial que chocam e que provam que o tráfico e sofrimento de muitos continuam, porque falta a liberdade que Cristo quis para todos nós. Veja: › “um bilhão e trezentos milhões de pessoas vivem no limiar da pobreza absoluta” › “oitocentos e quarenta milhões de pessoas padecem de fome, das quais duzentos milhões são crianças” › “dentre essas pessoas, treze milhões por ano estão condenadas a morrer; quase trinta e seis mil por dia, mil e quinhentos a cada hora, vinte e cinco a cada minuto, um a cada três segundos” › “existem no mundo muitos “lázaros” que se alimentam nas ruas daquilo que sobra nos restaurantes. Algo inacreditável!” › “Cerca de um bilhão e meio da população mundial tem uma expectativa de vida inferior a sessenta anos, mais de oitocentos e oitenta milhões não tem nenhum acesso aos serviços de saúde e a 2,6 bilhões de pessoas faltam as mínimas estruturas elementares de higiene e saúde.

À

›“No período de 1990-1997, o número das pessoas portadoras de AIDS passou de menos de quinze milhões para trinta e três milhões”. ›“Apesar dos progressos registrados nesta época de globalização a distância entre ricos e pobres torna-se maior a cada dia que passa. É inacreditável, mas a fortuna das três pessoas mais ricas do mundo é igual ao produto nacional dos quarenta e oito países mais pobres. Um bilhão e trezentos milhões de pessoas vivem com menos de um dólar por dia”. › “É desconcertante saber que nos países industrializados vivem oitenta e oito por cento dos internautas, ao passo que dois bilhões de pessoas não usufruem de eletricidade; e que vinte por cento da população rica, em nível mundial, consomem oitenta e seis por centro de todos os bens”. O bispo esclarece que a pobreza gera outras chagas: a prostituição, que envolve quinhentas mil mulheres só na Europa Ocidental; o tráfico de drogas entre menores de idade; a violência e a criminalidade. “O desemprego é a causa de muitos suicídios de jovens desesperados”, conta. Van Thuan termina sua pregação citando uma colocação de Papa Beato João Paulo II: “Tudo isso se desenrola, tendo como pano de fundo o gigantesco remorso, constituído pelo fato de que, ao lado de homens e sociedades abastadas, dominados pelo consumismo e pelo prazer, não faltam, na mesma família humana, os indivíduos e os grupos sociais que passam fome, não faltam crianças que morrem de fome sob o olhar de suas mães”. Dou graças ao bispo François Van Thuan (cujo processo de canonização já iniciou-se) por abrir meus olhos para a realidade bruta da Campanha da Fraternidade. Cristo os libertou para a liberdade.

Pe. Lourenço Kearns, C.Ss.R | Missionário Redentorista

03

abr/2014 . revista Perpétuo Socorro .


c

atequese

A catequese deve ser litúrgica, celebrar por meio de gestos e símbolos o mistério pascal e promover o encontro com Deus. A liturgia deve ser catequética, ajudar a aprofundar o mistério pascal que a assembleia celebra.

S

e há algo no mundo da religião que parece não sair de moda é o ato litúrgico, a celebração. Todas as religiões têm seus cultos. Pessoas de fé, independente do credo professado, reúnem-se em oração para celebrar, dar glória, oferecer sacrifícios, pedir perdão, cantar louvores. O culto à divindade parece fazer parte da vida humana; poderíamos até dizer que ele é uma necessidade antropológica. Mesmo na religião católica, hoje tão ameaçada na sua hegemonia por causa do crescimento das Igrejas Evangélicas e de outras correntes religiosas, percebemos ainda a força da celebração litúrgica. Pessoas já desligadas da prática católica ainda conservam o velho costume de frequentar a missa, nem que seja de vez em quando! Mesmo os chamados católicos nãopraticantes vão a algumas celebrações especiais: o casamento de um amigo, as exéquias ou a missa de sétimo dia de um parente, o batizado de um afilhado. A velha e surrada missa continua ajuntado multidões, apesar do notável esvaziamento das igrejas. A adoração ao santíssimo ou as novenas e procissões continuam mobilizando grupos enormes. E as peregrinações? E os eventos em torno de nomes religiosos importantes como os santos? Nós teríamos um sem-fim de exemplos para lembrar como nossa gente gosta de se ajuntar para celebrar. A prática cotidiana não nos desmente!

04 . revista Perpétuo Socorro . abr/2014


E na catequese? Será que a celebração também tem sua importância, tem seu papel? Muita gente acha que catequese é aula de catecismo. Uma espécie de ensino religioso para crianças, com finalidade de prepará-las para receber a primeira comunhão ou a crisma. Nada mais equivocado! A catequese, como já dissemos anteriormente, não é aula. Nem seu fim é a recepção de um sacramento. A catequese é lugar de encontro com Deus e não de aprender religião. Certamente que, ao fazer nosso encontro com Deus, vamos conhecendo-o pouco a pouco, vamos entendendo melhor nossa religião, vamos mergulhando no mistério que professamos e nos tornamos capazes de dar as razões da nossa fé. Mas o objetivo da catequese não é ensinar religião. É dar às pessoas a oportunidade de conhecer Jesus e se apaixonar por ele, tornando-se de fato seu seguidor. Um bom exemplo desse conhecimento de Deus encontra-se no livro de Jó. O livro de Jó é uma novela, uma espécie de conto, escrito para combater uma teologia estranha daquela época, a teologia da retribuição - infelizmente não ausente de nossas igrejas! - que dizia que Deus premia os bons e castiga os maus. O autor, muito inteligente, criou uma novela cujo personagem principal é um homem muito justo e santo que só recebe castigos e sofrimentos como recompensa de sua vida reta. Jó ficou azedo com Deus, afinal haviam lhe ensinado que o sofrimento era castigo de Deus, e Jó quis uma satisfação. Os amigos de Jó tentaram explicar, mas explicações teológicas não foram suficientes. Um tal Eliú tentou intervir com enormes discursos, mas também não deu resultados. Até que Deus se manifestou a Jó. Foi no encontro com Deus que o coração de Jó se aquietou. Ele disse mais ou menos assim: “Ah, agora sim, Senhor, eu te vi face a face, porque antes eu te conhecia só de ouvir falar de ti”. Depois do encontro com Deus, Jó ficou em paz. Os sofrimentos da vida continuaram, mas Jó entendeu que a vida é sofrida mesmo e que, se estamos com Deus, todo sofrimento pode ser superado ou suportado, pois Deus é nossa força. Ele entendeu que Deus não castiga ninguém, nem fica premiando os bonzinhos. Deus simplesmente está conosco nos animando na caminhada, pois as pelejas da vida são muitas. Tomando o exemplo de Jó, podemos dizer que a catequese quer ajudar cada criança, jovem ou adulto a fazer seu encontro pessoal com Deus. Encontrar Deus, fazer sua experiência cristã de Deus, não é o mesmo que estudar os fundamentos da fé. O estudo não promove necessariamente o conhecimento de Deus, apesar de facilitá-lo. Toda teologia dos amigos de Jó e de Eliú não fizeram com que Jó se sentisse mais perto de Deus. É bem verdade que uma boa teologia tem seu lugar de destaque e não pode ser desprezada, assim como uma teologia distorcida só trará prejuízos para o conhecimento de Deus. Mas a experiência de Deus, o encontro pessoal com ele, não vem de raciocínios teológicos, mas da abertura sincera de coração para Deus, que se manifesta em nossa vida nas pequenas coisas. Promover esse encontro não é coisa fácil. Por isso a importância da celebração na catequese. O que é celebrar? Celebrar é fazer culto, ou seja, cultuar ou cultivar. O que é que a gente cultiva? A celebração é aquele

encontro no qual a gente cultiva nossa amizade com Deus. Se a gente vai a um culto e não cultiva essa amizade mas apenas cumpre rubricas (regras litúrgicas), então a celebração não cumpriu seu fim. Quando vamos a um ato litúrgico, devemos sair de lá mais perto de Deus do que quando chegamos, precisamos ter reforçado nossos laços de amizade e comunhão com ele, precisamos ter aprendido a confiar mais nele e a nos comprometer com o que ele nos ensina. O culto não é uma obrigação dominical como muitos entendem que é a missa. O culto não é para acalmar a cólera de Deus. O culto não uma obrigação chata que devemos cumprir por intransigência divina. Não! O culto é lugar do encontro com Deus, que se manifesta na ação litúrgica da comunidade reunida. Por isso, catequese e liturgia andam de mãos dadas. Não podem ser separadas de jeito nenhum. A catequese deve ser litúrgica, ou seja, celebrar por meio de gestos e símbolos o mistério pascal e promover o encontro com Deus. E a liturgia deve ser catequética, ou seja, ajudar a aprofundar por meio da escuta da Palavra de Deus o mistério pascal que a assembleia reunida celebra. Catequese e liturgia: uma coisa complementa a outra. Daí a importância das celebrações na catequese: momentos profundos, orantes, verdadeiras liturgias que ajudam a turma a fazer seu encontro com Deus. Devem, pois, os catequistas capricharem na preparação destes momentos celebrativos.

Solange Maria do Carmo Doutora em Teologia Belo Horizonte/MG www.fiquefirme.com.br

05

abr/2014 . revista Perpétuo Socorro .


n

otas & registros

NOVENÁRIO . ACOLHIDA DE PEREGRINOS Durante o Novenário da Padroeira, que acontece de 18 a 27 de junho, o Santuário irá receber a visita de peregrinos vindos de diversos estados e necessitaremos de famílias voluntárias para acolhê-los. Se você se sente chamado a esta importante missão, entre em contato conosco na secretaria do Santuário, deixando seu contato, ou ligue 32532031 para mais informações. Obrigado!

ESCOLA DE PAIS COMEMORA 50 ANOS A Escola de Pais do Brasil - Seccional de Curitiba comemorou na Câmara Municipal de Curitiba, em março 50 anos de trabalho voluntário, gratuito, ecumênico e apartidário. O Plenário esteve lotado com convidados, autoridades e voluntários. Entre eles Dom Macyr Vitti, arcebispo de Curitiba e Padre Primo Aparecido Hipólito, reitor do Santuário Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. A Escola de Pais presta um serviço gratuito de apoio à cidadania, incentivando, instruindo e dando apoio a pais, mães e responsáveis na criação de pessoas, contribuindo para uma realidade melhor. Parabéns! Conheça mais sobre a Escola de Pais: www.escoladepais.org.br; www.escoladepaisctb.blogspot.com. Na imagem, Lindamir Skonieski e Luiz Carlos de Oliveira, casal que coordenou e aplicou a Escola de Pais no Centro Redentorista de Ação Social, entre voluntários e participantes. FOTO: ERNANNI OGATA

SANTUÁRIO EM RENOVAÇÃO O Santuário, em constante renovação, promoveu adequações e restaurações neste primeiro trimestre, importantes para bom funcionamento desta Casa de Maria. Entre elas, a aquisição de um telão de alta definição para o altar, utilizado para as projeções de avisos, músicas e todo o roteiro das liturgias e celebrações, substituindo o antigo datashow. Também foi realizada a troca de toldos de proteção do Ícone externo, Capela de Velas e banheiros, e iniciada uma manutenção mais minuciosa nos aparelhos de ar condicionado. Agradecemos profundamente a todos os devotos que colaboram com este Santuário. Obrigado por sentir-se Igreja junto conosco. Que Deus te abençoe por sua generosidade!

HOMENAGEM PÚBLICA

PEREGRINAÇÃO NO RIO Peregrinos do Santuário percorreram três paróquias do Rio de Janeiro em março (São Tiago - Inhaúma/ Capela N. Sra. do Perpétuo Socorro - Campo Grande/ Nossa Sra. de Fátima - Olaria), levando o Ícone de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro e divulgando esta devoção. Na imagem, peregrinos de Curitiba com a família da Jordana Mendonça (ao centro), que tão bem os acolheu.

VENHA REZAR NO SANTUÁRIO Grupo de Oração Fonte de Misericórdia - RCC: toda segunda-feira às 15 horas. Oração do Santo Rosário: toda terça, às 15 horas Hora Santa das Famílias: toda terceira sexta-feira do mês, às 15 horas Terço pelas Almas: segunda-feira às 19h00 Missa pelas Almas: segunda-feira às 19h30 Terço das Famílias: terça-feira às 19 horas Missa pelas Famílias: terça-feira às 19h30 Missa do Santíssimo: quinta-feira às 9, 15 e19h30 Missa da Misericórdia: sexta-feira às 19h30 Missa do meio-dia com bênção da saúde: todos os dias Ofício da Imaculada: todo primeiro sábado do mês às 11h30 Apostolado da Oração: Primeira sexta-feira de cada mês, Hora Santa às 15 horas, seguida de Missa do Sagrado Coração de Jesus, às 16 horas. Legião de Maria: toda terça às 15 horas. Vigília ao Santíssimo Sacramento: toda a primeira sextafeira do mês, após a Santa Missa das 19h30 Missa das Capelinhas: todo último sábado do mês às 12 horas

06 . revista Perpétuo Socorro . abr/2014

CARNAVAL NO SANTUÁRIO O novo formato do Carnaval 2014 no Santuário foi um sucesso. A combinação de um espaço exclusivo, com decoração especial, banda animadíssima - Samba e Canção - nova programação, oração e louvor foi uma receita que deu certo. Agradecemos a Deus por este momento maravilhoso e a todos os que participaram e se doaram no trabalho voluntário. Confira alguns momentos, com fotos de Andrea Bonatto.

FOTO: MARCOS MARINHO

A Revista Perpétuo Socorro recebeu uma homenagem em março da Câmara Municipal de Curitiba, “pela excelência de seus conteúdos de fé, amor, esperança, cidadania e qualidade de vida”. Nossos agradecimentos em nome dos Missionários Redentoristas, colaboradores e de todos os leitores e devotos, que desempenham papel fundamental nesta publicação, com os quais dividimos esta homenagem. Agradecimentos também ao vereador e devoto Tito Zeglin, que propôs esta homenagem.

PEREGRINAÇÃO Os peregrinos do Santuário levaram o Ícone de Nossa senhora do perpétuo Socorro em abril a Campinas, São Paulo. Participe também das peregrinações. Informe-se na secretaria do Santuário.


p

erpetóleo

Óleo usado na cozinha industrial da Casa do Trabalhador será destinado ao projeto social e ambiental do Santuário

Perpetóleo Óleo reciclado, planeta preservado

BANCO DE SANGUE DO HC PRECISA DE DOADORES! Nesta quaresma, doe Sangue e convide um amigo para um ato solidário! O Biobanco do HC/UFPR fica na Rua Agostinho de Leão Jr., 108, esquina com General Carneiro (prédio central do HC). Informações: (41) 3360-1875.

AÇÃO ENTRE AMIGOS O Movimento de Casais Jovens (MCJ) promove ação entre amigos, com renda revertida aos retiros para a família. Adquira seu bilhete nas saídas do Santuário.

O

Centro de Pesquisa e Apoio aos Trabalhadores (Cepat) – Casa do Trabalhador, situado no bairro Sítio Cercado em Curitiba, é o mais novo posto de coleta do Perpetóleo. A Casa do Trabalhador é uma residência histórica em Curitiba e grande referência para os movimentos sociais e eclesiais, é um verdadeiro espaço de encontro e acolhida. Sua infra-estrutura é simples, mas muito aconchegante e ampla, é excelente para aqueles que procuram um lugar silencioso. O local acolhe encontros, formações, retiros espirituais, reuniões em geral. Para atender essa demanda conta com uma ampla cozinha industrial, onde são produzidas todas as refeições de cada evento. Em uma nova parceria com o Santuário e suas obras sociais, esta cozinha agora irá destinar seu óleo de cozinha usado ao Projeto Perpetóleo. Esta adesão foi uma riqueza, um grande gesto de amor à natureza e à vida por

EM MAIO: RETIRO

PARTICIPE!

parte de todos que compõe o quadro de colaboradores do Cepat e sua coordenação. Muitas das atividades que acontecem na Casa do Trabalhador são de utilidade pública, promovendo a pessoa humana. Um dos projetos de 2014 é “Negritude e Branquitude, novos olhares”, que almeja: compreender o processo histórico de luta do negro(a) pelos direitos à cidadania; estudar o Estatuto da Igualdade Racial; debater o preconceito racial presen-te na sociedade brasileira; propiciar espaços de interação, vivência e estudo das culturas e religiões africanas e afro-brasileiras. Venha você também ampliar seus conhecimentos participando destes encontros que acontecem quinzenalmente. Informações pelos telefones (41) 3349-5343 e (41) 9192-5450.

Ana Rocha | Núcleo Perpetóleo

PARA JOVENS

O Santuário Nossa Senhora do Perpétuo Socorro convida a todos os jovens entre 14 e 30 anos para o maravilhoso Retiro para Jovens, que acontece nos dias 10 e 11 de maio. As inscrições já estão abertas, na secretaria do Santuário, mas antecipe-se, pois as vagas são limitadas. Pais, não deixem que seu filho passe a juventude e adolescência sem viver esta experiência com Cristo. Muitos são os testemunhos de adultos que tiveram sua juventude marcada positivamente por um retiro para jovens, e que hoje agradecem a oportunidade, pois foi decisiva para definir seu caminho e realizar suas escolhas. Famílias incentivem seus filhos e divulguem entre a juventude este Retiro, que está sendo preparado com muita dedicação pelas equipes pastorais do Santuário. Saiba mais, informe-se pelo telefone (41) 3253-2031.

07

abr/2014 . revista Perpétuo Socorro .


p

apo com a psicóloga

Tenho um casal de filhos que amo igualmente, mas que são completamente diferentes entre si. Quando o mais novo nasceu, minha filha mais velha demonstrou muito ciúme do bebê e começou a apresentar comportamentos de agressividade, baixo rendimento escolar, tristeza, etc. Até hoje sinto que a relação deles é de disputa da nossa atenção. Tem momentos incansáveis! Isto é normal de acontecer? Como agir para solucionar esta questão? Conrado, Curitiba

S

empre ouvimos comentários de parentes e amigos diante da dificuldade de ter e educar os filhos de uma maneira correta e saudável: “Filhos deveriam vir com manual de instruções!”. Parece brincadeira, mas é real! As crianças são sempre muito diferentes entre si, mesmo sendo irmãos, e o que acertamos com uma, não nos dá garantias de acertos com a outra. Mesmo porque, nós também não somos os mesmos em ambos os momentos. Cada filho nasce com suas particularidades e nos encontra em situações únicas de tempo, afeto, de posição financeira e de estabilidade emocional. Não os “criamos” da mesma forma porque também já nos transformamos. A vida é um eterno movimento! A chegada de um novo bebê na família, mesmo que planejado, requer habilidades no casal na preparação e motivação do irmãozinho e de toda a estrutura doméstica e familiar. É inevitável que o sentimento de ciúme seja despertado, pois não adianta a explicação que o bebê vai chegar para ser amigo e companheiro (se bem que não é bem assim nos primeiros tempos!), quando realmente a percepção da criança é no sentido de que o bebê chegou para dividir o amor dos pais, a atenção dos parentes, os seus brinquedos e às vezes até o quarto que era o espaço só seu. Portanto o ciúme nesta situação é normal e esperado: “Por que eles precisam de outro bebê para amar se eles já têm a mim?”. É um questionamento óbvio no universo infantil. O que não se pode permitir entretanto, é que este comportamento inicial cresça, se fortaleça e acarrete problemas para to-

08 . revista Perpétuo Socorro . abr/2014

da a família. O casal deve permanecer atento aos “sinais” que a criança demonstra a respeito desta rivalidade: agressividade, hostilidade, implicância, tristeza, regressões no desenvolvimento, inapetência, fracasso nos estudos, oposicionismo aos pais, etc. Outras vezes a criança usa de um mecanismo passivo e se anula deixando de ter relações amorosas, voltando a usar fraldas, chupeta, a falar e agir como bebê e procurar o isolamento. Todos os sintomas são sinalizadores do sofrimento infantil, e não se deve ignorar este momento. Deve-se sim, refletir e encontrar soluções que possam valorizar a fase desta criança, explorando suas potencialidades e fazendo-a perceber as vantagens de não ser mais um bebê: frequentar aulas de dança, de música, ganhar uma cama nova, escolher sua mochila escolar, ir passear no shopping, no restaurante, ir dormir na casa da vovó, enfim enfatizar as regalias e prêmios que pode usufruir por já não ser tão pequena. Evite as comparações, sempre serão nocivas. Dizer que um dos irmãos é mais inteligente, mais carinhoso ou mais caprichoso que o outro, nunca servirá de estímulo às melhoras, mas ao contrário, fará com que se sinta inferiorizado e humilhado. Mais tarde poderá tornar-se um adulto inseguro e com autoestima rebaixada. No caso específico de seus filhos Conrado, promova atividades interessantes que possam ser desfrutadas pelas duas crianças ao mesmo tempo, priorizando a participação e a alegria de estarem juntas e não a concorrência, disputa ou premiação. Envolva-se nas brincadeiras com eles valorizando as características individuais, as habilidades, estimulando a afetividade e o companheirismo. Faça elogios com equilíbrio! Evite repreender em público, e demonstre sempre com palavras e atitudes o seu carinho por cada um deles, apesar das diferenças. E esqueça o ditado popular que diz: “Filhos são todos iguais, só muda o endereço”. Você pode e deve fazer com que eles se sintam diferentes, amados, únicos e especiais! Que tal começar agora? Grande abraço.

Leitor se você tem alguma questão ou dúvida em relação à área da psicologia, escreva-nos através do e-mail: psicosouza@hotmail.com Marineide Coelho Martins de Souza Psicóloga Clínica | voluntária no CRAS


r

elacionamento

Procurar em seu passado motivos que explicam por que fazemos certas coisas, é absolutamente essencial para entender, avaliar e melhorar o relacionamento

V

ocê já se deparou fazendo as seguintes perguntas: “Por que meus relacionamentos começam alegres e livres de preocupações e depois se tornam pesados e carregados de dor e sofrimento? Porque determinados tipos de pessoas sempre me atraem?”. Estes questionamentos são feitos diariamente por inúmeras pessoas e geralmente não chegam a uma resposta satisfatória. Porém, o segredo para um relacionamento amoroso satisfatório é compreender a nossa complexidade emocional. Antes de nos relacionarmos com os outros, é melhor compreendermos bem a nós mesmos. Existem detalhes a nosso respeito que ninguém sabe, nem mesmo nós. Mas, não é porque você não conhece as coisas que existem dentro de você, em seu inconsciente, que você não pode reconhecê-las ou aprender muito com elas. A maioria das pessoas acredita ter feito suas escolhas amorosas, tanto das relações longas quanto das curtas, com base em características superficiais, como aparência, senso de

humor ou sociabilidade. Porém muito desta atração iniciou-se na parte mais profunda do seu inconsciente. Você irá reagir tanto a um belo rosto, mas também reagirá a questões dentro da personalidade do outro, que trazem à tona reações inconscientes de sua personalidade. São estas reações que podem ser tanto positivas como negativas, que podem levar uma pessoa a entrar em um relacionamento com muita rapidez e consequentemente, a destruir essa relação com o passar do tempo. Primeiramente vamos conhecer uma das partes mais importantes da nossa personalidade, o inconsciente. Podemos compará-lo a um porão, cujas portas foram bem lacradas e fechadas. Há muita informação guardada lá dentro como lembranças, imagens, pensamentos, sentimentos e modelos internalizados de relações com as pessoas, os quais são acionados por diferentes circunstâncias da vida. Compreender seu próprio mundo interior, procurar em seu passado motivos que explicam por que fazemos certas coisas, hoje é absolutamente essencial para entender, avaliar e melhorar o relacionamento com o seu parceiro. Seria muita ingenuidade de nossa parte não considerar que tudo o que fazemos ou pensamos é constantemente influenciado diretamente pelo inconsciente. O bom deste entendimento é que nos esclarece a respeito de uma parte que pouco entramos em contato, mas que, quando nos apoderamos dessas informações, poderemos nos aprofundar em nossa personalidade e começar a entender as características que nos tornam atraentes para determinadas pessoas e as características que não são as mais indicadas para nos relacionarmos; assim poderemos reconhecê-las e evitá-las ou fazer consciência que temos comportamentos que sabotam o que deveria ser um relacionamento amoroso, saudável, tranquilo e cheio de afinidades. Compreender como os conflitos começam e crescem dentro de um relacionamento é o segredo para reconhecê-los dentro das nossas relações e assim aprender a nos relacionarmos com eles.

Eliani Fátima Fabian CRP 08/04381 Psicóloga Clínica, voluntária do CRAS

09

abr/2014 . revista Perpétuo Socorro .


i

greja em foco

Em abril a Igreja confirma que dois de seus fiéis, papas João Paulo II e João XXIII, são dignos de culto público universal, através de seus exemplos de santidade 10 . revista Perpétuo Socorro . abr/2014

N

o dia 27 de abril de 2014 o Papa João Paulo II será elevado à condição de Santo da Igreja. Papa Francisco reconheceu oficialmente o segundo milagre do beato depois do parecer favorável da Congregação para as Causas dos Santos. Ele foi proclamado beato por Bento XVI em 01 de maio de 2011. Agora, a Igreja confirma que mais um de seus fiéis é digno de culto público universal, através de seu modelo de santidade. Sua memória é celebrada em 22 de outubro, a data de início do pontificado (1978). Karol Jozef Wojtyla nasceu em Wadowice, Polônia, em 18 de maio de 1920 e morreu em 2 de abril de 2005. Sua eleição ao papado se deu em 16 de outubro de 1978. Como homem viveu intensamente seu ministério e a sua missão à qual Deus lhe chamou. Incansável homem,


foi até o fim ofertando a sua vida no anúncio do Reino de Deus. Não viveu para si, mas se doou inteiramente aos outros. Ofertou seus dons, talentos, inteligência, corpo, esperanças, alegrias e sofrimentos. Sofreu até as últimas consequências para levar o amor de Deus ao coração dos homens. Seus ideais foram grandes, queria sim mudar o mundo, instaurar a paz, seu coração era entusiasmado, alegre, em intensa comunhão com Deus. Nós somos a geração de João Paulo II. Fomos influenciados pelos seus pensamentos e tivemos a graça de ouvi-lo. Os jovens foram agraciados por conhecê-lo, estes a quem o santo amava incondicionalmente e se dedicava. Teve uma forma rara de vida e foi ao encontro do coração dilacerado do homem. Teve uma forte experiência com a Misericórdia de Deus, e disse: “a causa da morte no mundo é a falta de Cristo. O caos em que se despenca a humanidade inquieta e cega é a falta de Cristo. Não são as drogas ou a mentalidade hedonista e descompromissada da geração Y que a faz apática e destroçada, é a falta de Cristo”. Viveu em grandes dificuldades, mas nem por isso paralisou nelas. Antes dos 21 anos já havia perdido toda a família, mas sempre se superou. Homem inteligente, de destaque. Falava muitas línguas. Jogava futebol, foi ator, roteirista e amante da natureza. Aos 26 anos se tornou padre, mesmo em meio às guerras e entraves que seu país enfrentava. Arcebispo aos 43 anos e Cardeal aos 46. Assumiu a Igreja como sua esposa, por amor a Cristo e a humanidade. Sem medir esforços, não impôs limites ao serviço. João Paulo II soube preparar a Igreja para a difícil caminhada do século XXI. Verdadeiro profeta, sábio e grande mestre. Quando se elegeu papa, enfrentou uma crise no catolicismo, na qual o homem estava vivendo como se Deus não existisse, mas soube traçar um novo rumo espiritual na sociedade. Foi propagador da paz. Trouxe o diálogo e a fé à sociedade. Soube falar ao mundo. Incansavelmente escreveu, viajou, rezou, acolheu peregrinos do mundo todo, socorreu os aflitos, confirmou os irmãos na fé e uniu a Igreja. Fomos guiados por um homem de Deus, que conquistou respeito para além de qualquer barreira humana. Acima de tudo, imitador de Jesus Cristo, soube amar tudo e a todos.

JOÃO XXIII, O PAPA DO CONCÍLIO VATICANO II

N

ão menos importante, celebramos também a Canonização de João XXIII, o Papa do Concílio Vaticano II. “João XXIII conquistou o mundo pela afabilidade de seus modos, dos quais transparecia a singular bondade de ânimo. Tinha um rosto sorridente e braços abertos ao mundo inteiro” (JP II). Muitas pessoas foram conquistadas pela sua simplicidade, mas com uma vasta experiência. Tinha um dom nato de expor a doutrina, tinha um novo estilo de falar e agir, com simpatia e um modo particular de se dirigir às pessoas e aos poderosos. Com este espírito que proclamou o Concílio Vaticano II, com o qual iniciou uma nova página na história da Igreja: os leigos sentiram o chamado a anunciar o Evangelho com renovada coragem e com uma atenção mais vigilantes aos sinais dos tempos. O Concílio foi uma intuição profética, o qual deu aos homens uma nova esperança. Antes de morrer disse: “O que tem mais valor na vida é Jesus Cristo bendito, a sua Santa Igreja, o seu Evangelho, a verdade e a bondade”. Nasceu em 25 de novembro de 1881, no vilarejo de Bruscio (Itália), batizado com o nome de Angelo Giuseppe. Foi ordenado padre em 10 de agosto de 1904, Bispo em 1925 e Cardeal em 1953. Aos 77 anos foi eleito papa, ainda em serena santidade e cordialidade pastoral. Iniciou uma profunda transformação na Igreja. O papa de uma nova época. Visitava prisões, hospitais, fazia peregrinações. Soube ser ousado e pela inspiração de Deus convocou o Concílio Vaticano II, porém morreu antes de sua conclusão, em 03 de junho de 1963. Conquistou o amor de uma multidão pelo seu testemunho. O Concílio Vaticano abriu as portas para uma nova primavera na Igreja. Hoje podemos contemplar os frutos que nos são dados através da atitude audaciosa desse santo homem. Bendito seja Deus porque nos deu a vida de João Paulo II e João XIII como testemunhas e intercessores, e assim podemos conhecer profundamente a face de Cristo.

Bruno André Souza Colodel Postulante da Comunidade Católica Shalom

11

abr/2014 . revista Perpétuo Socorro .


e

special

“Te peço a olhar todo dia para a Paixão de Jesus. Ali encontrarás todos os motivos para esperar a vida eterna e para amar a Deus”

12 . revista Perpétuo Socorro . abr/2014


N

o primeiro livro que Santo Afonso escreveu sobre a paixão de Jesus Cristo – O Amor da Alma, publicado em 1751, ele expõe ao leitor o seguinte texto: “Te peço a olhar todo dia para a Paixão de Jesus. Ali encontrarás todos os motivos para esperar a vida eterna e para amar a Deus”. Nesse convite para meditar cotidianamente o mistério da cruz, Santo Afonso revela um aspecto característico de sua espiritualidade e de todos os seus escritos que é o seu amor pela cruz e o amor que Deus tem por nós. Na verdade, desde a sua infância, ele começou a refletir sobre o sofrimento do Redentor. Nessa atmosfera do sofrimento de Jesus ele amadureceu a sua vocação. Num exercício espiritual, em 1722, debruçado sobre o crucifixo, ele se comprometeu em viver o celibato e a ser padre, entregando definitivamente a sua vida ao trabalho pelo e com o povo. Ordenado presbítero, em 1726, passou a focar o seu ministério na pregação da Paixão de Jesus e manteve o seu amor ao crucifixo e ao crucificado com a meditação diária do Evangelho e fazendo a via-sacra diariamente.

A PAIXÃO DE CRISTO NA PASTORAL DE SANTO AFONSO Com o passar do tempo, Afonso aprofundou sua devoção a Jesus crucificado. Em suas pregações sobre a cruz, ele se transfigurava totalmente e comunicava com tanta força e emoção que era impossível resistir à força da sua palavra. Sua fé e contemplação no sofrimento do Redentor eram tão profundos que podia dizer como disse São Paulo: “Eu estou crucificado com Cristo e não sou mais eu quem vivo, é o Cristo quem vive em mim” (Gl 2,20). Ao fundar a Congregação do Santíssimo Redentor, em 1732, assegurou como modelo Jesus Redentor e estabeleceu como programa a imitação o amor a Deus e ao ser humano no sacrifício e no anúncio do Reino de Deus. Numa carta endereçada aos missionários redentoristas, ele disse: “Todas as meditações são boas, mas a da Paixão de Jesus Cristo é a mais útil”. O empenho de todo pregador é ajudar o povo a entender o amor que Jesus tem pelo ser humano, especialmente em sua Paixão. Seus escritos sobre a Paixão de

Jesus são profundamente pastorais. Ele quer ajudar o ser humano a crer e a perseverar na prática do amor a Deus. Como pastor, Afonso quis atingir o ser humano pelo sofrimento de Deus em nome do amor. O sofrimento é um dos elementos mais difíceis de ser enfrentado em nossa vida e todo mundo tem os seus momentos de sofrer.

A TEOLOGIA DE SANTO AFONSO Santo Afonso ressalta em sua meditação sobre a cruz o tema do amor de Jesus. O amor foi o motivo principal que levou Jesus a morrer na cruz. A morte de Jesus na cruz, ou sua paixão, foi um culto de amor. O desejo de Jesus, desde a encarnação, expressa o amor que ele tem por nós. Foi o desejo, o esforço e a demonstração de Jesus em amar tanto a humanidade que tocou tão profundamente Santo Afonso para se dedicar a amar imensamente a Jesus. Isso foi tão forte, que Santo Afonso não teve medo de chamá-lo de “Deus louco de amor”. A liberdade é o outro aspecto do amor de Jesus. Ao expressar seu amor e sofrimento, Jesus foi totalmente livre. O sofrimento cruel que Jesus passou, expressa a maneira livre e amorosa com que Deus Pai nos ama. Deus Pai não quis o sofrimento do Filho, mas deixou que o Filho, livremente, se entregasse à morte. Esse gesto livre de Jesus mostra o tamanho do seu amor à humanidade, mesmo que seja um ato de injustiça. Deus Pai não impôs nenhum castigo sobre o mundo devido a morte de Jesus. Nisso se expressa o tamanho do seu amor pelo ser humano, mesmo pecador e assassino do seu Filho. Santo Afonso não se cansa de sublinhar a fineza deste tão grande amor de Deus. A experiência de Santo Afonso diante do crucifixo e da Paixão de Jesus, nos chama à santidade, mas é preciso, necessariamente, contemplar nisso a esperança do amor mais alto de Deus ao ser humano. Essa contemplação se apresenta quando seguimos Jesus de modo autêntico, desde o Evangelho e sem murmurações. Amar a Jesus e reconhecer o seu amor por nós e por toda a humanidade é segui-lo fazendo o que ele mesmo fez por todos, para tanto, precisamos observar no Evangelho o que Jesus fez.

Pe. Gelson Luiz Mikuszka, C.Ss.R Missionário Redentorista

13

abr/2014 . revista Perpétuo Socorro .


e

special

A ação de Deus no seu Filho presente no Espírito introduz o mundo em uma nova realidade, na experiência atual da páscoa, porque o Espírito é quem produz hoje os frutos da ressurreição. E seu maior fruto é a própria vida da comunidade

N

ão é Jesus que ressuscita a si mesmo. Ele é objeto da ação de Deus-Pai. A fé pascal nos pede para crer na ação de Deus-Pai em Jesus. Uma ação criadora que se manifesta na sua vida e morte, introduzindo-a em um novo modo de existir. É um novo começo. A ressurreição não pode ser só uma interpretação da morte de Jesus ou mesmo a continuação de sua causa. Ao ressuscitá-lo, Deus antecipou na história humana algo que se manifestará no fim: a vitória da justiça, a fraternidade universal, a realização plena do Reino. Deus agiu em Jesus, não de maneira milagrosa, mas fazendo Jesus passar da morte à vida, dando-lhe outro modo de existir. A ressurreição revela, portanto, algo decisivo acerca de Deus. A ressurreição postula que Deus confirmou a verdade da vida de Jesus, deu-lhe definitividade e para sempre o exaltou, fazendo-o Senhor da história. A ressurreição de Jesus, vítima

14 . revista Perpétuo Socorro . abr/2014

inocente, expressa não somente o poder de Deus sobre a morte, mas também o poder de Deus sobre a injustiça que existe no mundo e mata os inocentes, que propagam o sonho da paz, da igualdade e da liberdade. A ressurreição de Jesus revela e manifesta a realidade de Deus, que toma partido pelos crucificados da história e não compactua com a injustiça.

A RESSURREIÇÃO DE JESUS: PLENITUDE DE SUA VIDA Ao ressuscitar Jesus, Deus o arranca do absurdo e leva à plenitude que Ele pretendeu com sua vida e morte. Em Deus ele reencontra a identidade definitiva de seu ser humano e a realização plena de sua história terrena. O próprio sentido da vida e morte de Jesus é dado pela ressurreição, que lhes confere uma validade definitiva. A prática de Jesus foi considerada suspeita e sua morte o desacreditou publicamente. Ao ressuscitá-lo, Deus dá razão ao crucificado e mostra que sua solidariedade com os pecadores e os que sofrem coincide com a vontade de Deus. Jesus não estava, de fato, sozinho. Deus esteve com Ele, em todos os momentos de sua vida, até a morte. Em Jesus Deus atuou realmente, ele é de fato o salvador de Deus, aquele que, de verdade, expressou Deus na história. Quanto à ressurreição do corpo, de acordo com a antropologia bíblica, trata-se da ressurreição do homem como pessoa, ou seja, do homem na integridade de suas relações pessoais e cósmicas, na sua totalidade. A ressurreição não pode ser vista como “sobrevivência da alma”, o que a tornaria algo desvinculado da real experiência humana. Não é, pois, a “alma” de Jesus que ressuscita, mas Jesus mesmo, na totalidade do seu ser e da sua vida. A ressurreição também não se entende como “rematerialização” de um cadáver. A ressurreição de Jesus diz respeito a tudo o que ele foi e realizou na sua vida, na sua identidade mais profunda, e não ao destino de um cadáver que simplesmente sobrevive à morte.


A RESSURREIÇÃO DE JESUS, O ESPÍRITO SANTO E OS CRISTÃOS A ação de Deus em Jesus não é uma ação a favor de Jesus tão somente. A ressurreição provocou uma mudança radical no relacionamento de Deus com os homens. Para o cristão, o que importa é realizar na vida o que aconteceu na ressurreição de Jesus. E a ação particular de Deus em Jesus se torna universal no Espírito, porque a salvação que nos trouxe o Crucificado e Ressuscitado atua em nós através do Espírito. Por isto, atualizar o acontecido na ressurreição na força do Espírito é a tarefa dos cristãos de todos os tempos, porque diz respeito ao futuro da humanidade. A história caminha na direção da manifestação total e cósmica da ressurreição. A ação do Pai no Filho continua presente no Espírito. O Espírito havia atuado já na vida do Jesus terreno, de modo que sua ressurreição é ação de Deus mediante o Espírito. O Senhor elevado entrou na vida pneumática de Deus de maneira plena e participa da capacidade de vida, presença e ação de Deus no Espírito e dispõe dele e o envia. A ação de Deus no seu Filho presente no Espírito introduz o mundo em uma nova realidade, na experiência atual da páscoa, porque o Espírito é quem produz hoje os frutos da ressurreição. E seu maior fruto é a própria vida da comunidade dos que crêem. A vida da comunidade é o sinal irrevogável da presença do ressuscitado no mundo através do Espírito. Sua ação remete sempre a Cristo, na vida, morte e ressurreição. É o Espírito que torna a ação de Cristo presente no mundo. Os cristãos, no seu batismo, são introduzidos no mistério pascal de Cristo, feito de morte e ressurreição. Participam da vitória de Cristo sobre a morte e já estão ressuscitados com Cristo. Ao longo de sua vida, são chamados a atuar a vitória de Jesus e o melhor modo de fazê-lo é assumindo “a causa de Jesus”, o seu “sonho” para a humanidade, que se chama “Reino de Deus”, feito de paz, justiça e fraternidade. A adesão intimista a Jesus Ressuscitado, embora válida, permanece incompleta se não inclui os irmãos, sobretudo os mais pobres e abandonados. A ressurreição de Jesus não é um fato subjetivo na sua vida, mas tomada de posição de Deus sobre o sentido do mundo, que se realiza na pessoa do Filho, inclui todos os homens e se atua no poder do Espírito. A ação do Espírito continua no mundo a ação de Deus-Pai sobre Jesus através dos cristãos, feitos seus filhos e filhas no batismo. Viver como ressuscitados exige, pois, compromisso sério com a transformação do mundo em “Reino de Deus”. Pe. Paulo Carrara, C.Ss.R. Belo Horizonte/MG | pecarraracssr@gmail.com

15

abr/2014 . revista Perpétuo Socorro .


c

entro redentorista de ação social

Você já conhece tudo o que a obra social do Santuário oferece?

16 . revista Perpétuo Socorro . abr/2014

V

ocê sabia que o Centro Redentorista de Ação Social, o CRAS, oferece terapias e serviços gratuitos para famílias com baixa renda, que podem mudar a sua vida? É isso mesmo. Graças à boa vontade de muitos voluntários, à doação e generosidade de muitos devotos, ao trabalho dos missionários redentoristas, graças à Igreja Católica, graças a Jesus Cristo, sua Palavra e Ele próprio na Eucaristia, graças à doação de Maria, Nossa Mãe Santíssima, temos aqui, pertinho do Santuário, um centro de cidadania, uma oportunidade de viver o amor ao próximo. Mas como isso pode mudar sua vida? Veja só: aqui no CRAS você pode aprender a falar Inglês e isso pode ajudar sua qualificação, tornando você um profissional diferenciado. Você pode também aprender informática, ajudando na busca pelo primeiro emprego, ou quem sabe, ajudando a


» você idoso a ingressar neste novo mundo virtual, rompendo de vez esta barreira. Mas se você é pai, mãe ou avós, que estão encontrando dificuldades na educação dos filhos, ou passa por inúmeros problemas na família, seja depressão, seja filhos com dificuldades na escola, autoestima baixa, relacionamento do casal, dependência química, o CRAS oferece para você terapia com psicólogos e psiquiatra voluntários. São diversos grupos temáticos ou também atendimento individual. Os advogados voluntários do CRAS também podem ajudar a sua família, dando orientações quanto a questões jurídicas que envolvem nosso cotidiano. Agora se você percebeu que precisa urgente de uma reeducação alimentar para você ou seus filhos, aqui no CRAS uma nutricionista te ensina como avaliar e reconhecer o que é bom alimento e o que vai fazer mal à sua saúde. Esses encontros irão te ajudar a criar um cardápio saudável e balanceado para toda a família! O CRAS possui ainda Estimulação Cognitiva para Idosos, ou seja, um exercício para o cérebro, estimulando-o para que permaneça mais atento e ativo, favorecendo a vivacidade e proporcionado uma terceira idade mais saudável e feliz. E se você, como muitos brasileiros, não teve a oportunidade de aprender a ler e escrever, o CRAS possui a Alfabetização de Adultos. Tudo isso sem falar na Fonoaudiologia, Reforço Escolar, Bazar Beneficente, Comunidade Terapêutica para Dependentes Químicos e os Alcoólicos Anônimos. Sobre estes você pode conhecer mais nas próximas edições. Procure o CRAS para saber mais sobre este lindo projeto social que nasceu da boa vontade dos devotos, aqui nas Novenas a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. Confira os horários e mais detalhes aqui ao lado. E lembre-se, sempre teremos algo a aprender ou melhorar em nossas vidas. Só depende de você dar um passo em direção a isso!

Dependência ília química e fam rsa com Rodas de conve artaqu da to psiquiatra, 22h30 feira, das 19 às horas.

atuitas Terapias gr ual Terapia individ , os og ól c i s p com gnitiva Estimulação Co po) e ru g ( s so do I ra pa Acupuntura.

ara Autoestima p mulheres o com Terapia em grup arta qu psicóloga, toda 0, no das 10 às 11h3 CRAS.

Alcoólicos Anônimos Toda quarta-feira, às 19h45, no CRAS.

Voluntários parte Gostaria de fazer do an atu , to oje pr deste ional como um profiss me-se: voluntário? Infor 6. 21 -6 52 33 ) (41

MAIS INFORMAÇÕES: Centro Redentorista de Ação Social Rua Amâncio Moro, 135 (41) 3352-6216 centroredentorista@gmail.com

Serviços , Orientação jurídica Fonoaudióloga, Nutricionista.

Projetos sociais nto Reforço escolar, Atendime ar com Assistente Social, Baz , Beneficente (toda quarta) a utic apê Ter e dad Comuni Perpétuo Socorro (para entes químicos), doações end dep se de alimentos para família instituições cadastradas.

s Doe roupa o ad e calç os a Doe roupas do e t en ic f ne Bazar Be renda é Santuário. A sociais. as r ob a a id revert ação no Entre sua do tuário. n Sa CRAS ou no Obrigado!

Cursos Inglês, Informática, o, Artesanat e od Alfabetizaçã ô. ic Tr , s Adulto

Missionários Redentoristas Núcleo Social

17

abr/2014 . revista Perpétuo Socorro .


o

FOTO: ANDREA BONATTO

bra social

A

Comunidade Terapêutica Perpétuo Socorro comemorou em março dois anos de existência, tempo em que o Espírito Santo soprou muitas bênçãos e amor sob as pessoas que nela fizeram a experiência de Deus, em busca de uma nova vida. Nesses dois anos foram muitos os restaurados, muitas histórias contadas e vividas neste solo santo onde o provedor de todas as bênçãos é o próprio Deus. Foram dois anos de muitas lutas e conquistas, inúmeras situações positivas e também casos que com certeza poderiam ter sido diferentes, como o de residentes que não concluíram seu tempo de internamento e tratamento na comunidade. Mas para Deus esse foi o tempo suficiente para que a sementinha de seu amor fosse replantada e regada no coração destas pessoas que sofrem com essa doença, trabalho que requer muitos esforços daqueles que se doam na construção de um mundo novo. Essa Comunidade tem sido uma riqueza para as famílias, que com muita esperança entregam seus entes queridos. A Comunidade se mantém com o desejo de diversas pessoas unidas, que lutam pelo resgate humano, muitas delas também dependentes químicos em recuperação, que dão seu sim a cada dia para a sobriedade e seu não à dependência.

18 . revista Perpétuo Socorro . abr/2014

A alegria de viver sob a graça de Deus é imensa, vale a pena você fazer essa experiência em sua família ou até mesmo com os desconhecidos, pois é aí que Deus se manifesta com seu poder e glória. A chácara nesse período de dois anos passou por muitas adequações e melhorias, e tudo isso só foi possível porque você acreditou nesta obra de amor e depositou nas mãos de Deus e de nossa Mãe Maria toda confiança e esperança para um mundo melhor. O nosso muito obrigado a todos que contribuem para o crescimento deste trabalho, colocando a mão no arado e se esforçando nesse projeto que tem reestruturado muitas famílias do reino de Deus. Venha fazer a experiência deste amor que tem levado tantas pessoas a viver na paz, na unidade, renovando seus compromissos de vida todos os dias. Parabéns a você caro colaborador! E você que deseja contribuir com esta obra de amor, procurenos na secretaria do santuário.

Ana Rocha | Núcleo Social


s

aúde

“Agradeço a Deus a grande satisfação que tive de aliviar em mim o terrível sofrimento de ser um escravo do álcool”

J

oão é um excelente jovem católico e participa do Grupo de Jovens da sua Paróquia. Mas João pensou em matar seu pai, porque não aguentava mais suas bebedeiras. No desespero, achou ser esta a única maneira de aliviar o sofrimento da sua mãe e dar à família um pouco de paz e alegria. Felizmente existem outras maneiras de aliviar o sofrimento da mãe e da família: conseguir que ele faça um bom tratamento. A Comunidade VIDA NOVA recupera e salva a vida de doentes-alcoólatras que estão se matando com excesso da droga álcool. Pessoas interessadas em conhecer a Comunidade podem ligar e agendar horário para visitar este local onde Deus faz os milagres da recuperação para os doentes e suas sofridas famílias. Há pessoas que chegam tarde demais para o tratamento. Um leigo de Ponta Grossa chegou com o fígado tão agredido pelo abuso do álcool que não conseguia levantar da cama. Teve de ir para o hospital a fim de recuperar o fígado e somente assim começar a tratar o alcoolismo. Outro alcoólatra, um padre, chegou com uma úlcera de 4 centímetros, resultado de beber demais. Este também teve de ir para o hospital, passando pela recuperação física para não morrer do alcoolismo. Feliz o alcoólatra que tem alguém que o ama o suficiente para

c

conseguir que ele se trate antes do álcool causar tantos estragos. Falo uma palavra amiga para João, esse excelente jovem católico - e para outros filhos de bebedores-problema: na lojinha do Santuário de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro você pode encontrar dois livrinhos, escritos da minha experiência com meu pai alcoólatra e com muitas outras famílias que acompanhei. São eles: “Meu pai bebia demais; hoje sou um adulto que sofre” e “Se você ama alguém que bebe demais”. Nós da Comunidade Vida Nova estamos às ordens. Pelos meus mais de 60 anos como Missionário Redentorista e quase 60 anos como sacerdote, agradeço a Deus a grande satisfação que tive de aliviar em mim o terrível sofrimento de ser um escravo do álcool. Agradeço também porque hoje posso ajudar a salvar a vida dos que bebem demais. Serviço: Comunidade Vida Nova. Rua Desembargador Otávio de Amaral, 1929, Mercês, Curitiba - Paraná. Telefone: (41) 3335-8991.

Pe. Guilherme Tracy, C.Ss.R Missionário Redentorista Fundador da Comunidade Vida Nova

omo vai o seu português?

OS ÚLTIMOS DETALHES DO USO DO HÍFEN: a) Deve-se usar o hífen com os sufixos de origem tupiguarani: açu, guaçu, mirim. Ex.: amoré-açu, anajá-mirim, capim-açu. b) Usa-se o hífen para ligar duas palavras que se combinam ocasionalmente. Ex.: Ponte Rio-Niterói, eixo CuritibaMaringá. c) Não se deve usar o hífen em palavras que perderam a noção de composição. Ex.: girassol, mandachuva, paraquedas, pontapé.

d) Observação: Apenas para clareza gráfica, se no final da linha a separação de uma palavra coincidir com a colocação do hífen, ele deve ser repetido na linha seguinte. Ex.: __________________Todos eram muito unidos, conta-se que criaram uma associação. ____________O diretor recebeu a todos, inclusive aos ex-alunos.

“A boca do justo medita a sabedoria e sua língua fala o direito.” Sl 36, 30 Elisabet M. M. Bonafini | Psicomotricidade/Licenciatura Português-Inglês

19

abr/2014 . revista Perpétuo Socorro .


promoção

Estampa da Divina Misericórdia e de JP II Dois presentes para os leitores em abril

M

uito obrigado pela sua participação no mês de março. Recebemos muitas cartinhas, com várias sugestões de temas para a RPS. Neste mês da Páscoa participe também, enviando sua sugestão e concorra a uma linda imagem de Jesus Misericordioso, uma bela e frutuosa devoção em nossa Igreja! E outra do Beato João Paulo II. Comemoramos a festa da Divina Misericórdia sempre no primeiro domingo após a Páscoa, este ano será no dia 27, dia em que João Paulo II será declarado santo pela Igreja. A vencedora do mês de fevereiro da Agenda 2014 foi Olinda Campelo, da paróquia Nossa Senhora do Bom Sucesso, em Guaratuba, Paraná. Parabéns!

Janete Cecon Araújo, Atuba/Curitiba

MORTE “Olá amigos, gostaria de ler uma reportagem sobre o sentimento de culpa que fica quando perdemos um ente querido.” Maria Almeri Valaski, São José dos Pinhais/PR

É FÁCIL PARTICIPAR: 1. Responda a pergunta: “Qual tema você gostaria de ler na Revista Perpétuo Socorro?”; 2. Envie por e-mail para: perpetuosocorroimprensa@uol.com.br, com o assunto: Promoção Você é quem faz; 3. Inclua no e-mail seu nome, endereço completo e telefone, para receber a lembrança em sua casa. * Atenção leitores, as mensagens enviadas podem ser publicadas tanto neste espaço da Promoção, quanto na coluna “Espaço do leitor”, da página 2. Já os assuntos podem ser abordados nos artigos da RPS de maneira geral em diversas edições. Por isso fique atento!

f

amília do devoto perpétuo

“NO MUNDO TEREIS TRIBULAÇÕES, MAS TENDE CORAGEM: EU VENCI O MUNDO!” (JO 16,33)

N

Neste mês surge na vida da Igreja um novo tempo litúrgico e com isso, como católicos, somos envolvidos nesta mesma fé. É o Tempo da Páscoa. Este tempo serve como um período de ressurreição em nossa vida. Pense em quantas coisas boas Deus tem feito na sua vida pessoal, na vida de sua família, na vida dos vocacionados, pense em quantas experiências de superação você tem para partilhar, motivando outras pessoas para a fé em Deus. Por isso este tempo de Páscoa é o momento para a oração pessoal; ela nos serve de ponte para promovermos tudo aquilo que anima

e renasce. É o tempo onde as comunidades cristãs se preparam e se organizam, é tempo de escuta atenta da voz de Deus, pois reunidos em comunidade e oração temos a presença viva de Jesus entre nós. Desejo a você e sua família uma feliz e Santa Páscoa. Quero também agradecer a sua generosa doação, que tem nos ajudado na formação de futuros Missionários Redentoristas. Que a Mãe do Perpetuo Socorro interceda por você e toda sua família! Pe. Joaquim Parron, C.Ss.R. Provincial dos Redentoristas no PR e MS Núcleo Família do Devoto Perpétuo www.redentoristas.org.br

Faça parte da nossa família, torne-se um Devoto Perpétuo! Ligue: 41

3363 7427 | devotoperpetuo@gmail.com

SACRAMENTOS “Gostaria de saber se a Igreja Católica concede os sacramentos do Batismo e Crisma ainda quando criança, em uma única celebração. E para a Catequese, o que isso implicaria?”

c

HOMOSSEXUALIDADE “Olá. Sou leitor da Revista Perpétuo Socorro. Gostaria de ler para tentar entender a homossexualidade dentro da Igreja Católica. Como é abordado esse tema, como lidar com essa escolha, que não é tão simples assim. Agradeço e aguardo ler sobre esse tema.” Peter Abudi, Cristo Rei/ Curitiba

arta de agradecimento

"Senhores Missionários Redentoristas e queridos devotos!

E

u sentia que meu marido andava distante e desinteressado de nossos sonhos, então, nas novenas, supliquei a Nossa Senhora que me mostrasse o que estava errado em meu casamento. E bem logo recebi sinais do que acontecia. Mesmo com toda a dor por estar sendo enganada, não desanimei, pois acredito no plano de Deus para nossa família e sabia que a querida Mãe me mostraria o caminho. Meu marido e eu chegamos a ficar separados por um tempo, mas, ainda assim, não perdi a fé. Sofri muito e quase não via esperanças, mas acreditava que Deus poderia curar todas as feridas e reconstruir nosso matrimônio. Então comecei a perceber sinais favoráveis a essa restauração. Exatamente um mês depois de terminar uma série de novenas, meu marido voltou para casa e tudo está sendo resolvido e encaminhado com a força da intercessão de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. Muito obrigada, meu Deus e minha Mãe querida!” Uma devota eternamente agradecida

20 . revista Perpétuo Socorro . abr/2014


p

ergunte ao padre

Gostaria de ler mais esclarecimentos sobre o JEJUM. Vera Lúcia Ribeiro

J

ejum como nós conhecemos não é um produto exclusivo da Igreja Católica. A prática do jejum já existia com vários sentidos no Antigo Testamento e na maioria das religiões. Os Budistas praticam jejum como um meio de chegar até a purificação de tudo o que é carnal. Os Judeus celebram todos os anos a festa de Yom Kippur, onde jejuam um dia, não comem e não bebem nada, nem água; um dia inteiro em penitência de seus pecados. Os Muçulmanos celebram o mês de Ramadão, quando não comem ou bebem nada até o pôr-do-sol para manterem-se concentrados em suas orações, feitas cinco vezes por dia. No Antigo Testamento a finalidade do jejum é a purificação dos pecados. Foi um sinal externo do que estava acontecendo dentro da pessoa, isto é o arrependimento e a conversão. O profeta Joel descreve bem o sentido do jejum: arrependimento e busca do perdão de Deus. “Rasgai o coração (interno) e não as vestes (externo); e voltai para o Senhor vosso Deus; Ele é benigno e compassivo, paciente e cheio de misericórdia, inclinado a perdoar o castigo” (Joel 2, 12-18). O grande exemplo foi que o próprio filho encarnado de Deus precisou de jejum, mas por outro sentido. O jejum ajudou Jesus a buscar a vontade do Pai e a ter coragem para assumir essa vontade. “O Espírito conduziu Jesus ao deserto para ser tentado pelo diabo e Jesus jejuou durante quarenta dias e noites” (Mt 4, 1-11). Na Igreja tradicionalmente o jejum teve um rosto específico: falava de jejum de comida. A Igreja indica que se tome o café da manhã normalmente e depois faça apenas uma refeição durante o dia, seja almoço ou jantar. “A outra refeição, a que você não vai fazer, será substituída por um lanche simples,

de acordo com as suas necessidades” (cfr. Catecismo Católico). Antes do Vaticano II essa foi a norma para os Cristãos, durante os quarenta dias da quaresma. Agora o jejum obrigatório foi reduzido para somente dois dias: Quarta-feira das Cinzas e Sexta-feira Santa. Depois do Concílio a ênfase está mais no jejum interior. A penitência interior do cristão pode ter expressões bem variadas. A escritura e os padres insistem principalmente em três formas: o jejum, a oração e a esmola, que exprimem a conversão com relação a si mesmo, a Deus e aos outros. Ao lado da purificação como meio de obter o

perdão dos pecados, os esforços agora são direcionados para reconciliar-se com Deus, com o próximo e consigo mesmo e tal prática de caridade "cobre uma multidão de pecados". Eis então o verdadeiro jejum: a prática da caridade para endireitar nossos relacionamentos com Deus (oração e liturgia), com nosso próximo (perdão e reconciliação) e conosco mesmos (acolher nossas fraquezas e buscar o perdão incondicional de Deus no confessionário). “Rasgai seu coração (jejum)... e Deus será benigno e compassivo, paciente e cheio de misericórdia, inclinado a perdoar o castigo” (Joel 2, 12-18).

@ Participe!

Mande sua pergunta: perpetuosocorroimprensa@uol.com.br

Pe. Lourenço Kearns, C.Ss.R. | Missionário Redentorista

21

abr/2014 . revista Perpétuo Socorro .


f

f

olhinha

amília

ALEGRIA E FELIZ PÁSCOA!

O

LÁ QUERIDAS CRIANÇAS! A PÁSCOA É UMA FESTA BONITA DE NOSSA IGREJA, ISSO VOCÊ JÁ SABE. VAMOS VER O QUE MAIS SABE SOBRE ELA?

P

1. A PÁSCOA É A FESTA DA ______________________________ DE JESUS. 2. JESUS FOI _________________________ NA CRUZ, E DEPOIS ELE RESSUSCITOU. 3. A SEMANA QUE ANTECEDE A PÁSCOA CHAMA-SE _____________________________________________. 4. NA SEXTA-FEIRA SANTA LEMBRAMOS DA ___________________ DE JESUS. 5. AOS PÉS DA CRUZ DE CRISTO FICARAM SUA MÃE MARIA E SEU AMIGO ___________________________. 6. OS CRISTÃOS COMEMORAM A PÁSCOA POIS ELA NOS LEMBRA QUE DEPOIS DA MORTE TEMOS A ESPERANÇA DA _____________________________________________. RESPOSTAS: 1. RESSURREIÇÃO/ 2. MORTO/ 3. SEMANA SANTA/ 4. MORTE/ 5. JOÃO/ 6. VIDA ETERNA.

CARNAVAL DAS CRIANÇAS AS CRIANÇAS TAMBÉM CURTIRAM O CARNAVAL DO SANTUÁRIO 2014 COM MUITA ANIMAÇÃO, DANDO AO DIA UM BRILHO ESPECIAL. JESUS AMA TODAS AS CRIANÇAS.

ara os católicos a Semana Santa é um tempo forte de oração e espiritualidade. Em cada celebração nela realizada as famílias buscam Deus. O silêncio, recolhimento pessoal e a Palavra de Deus, que é a força da nossa fé, pela semana santa, nos conduzem à Páscoa do Senhor. Recolher-se em oração e escutar a Palavra precisa ser um ato diário. Mas, na Semana Santa as leituras são especiais. A liturgia mostra que Jesus morreu na cruz e possibilitou a nossa liberdade. A liberdade consiste em viver a fé e, a partir disso, viver a vida de modo verdadeiro e abundante, como diz a Palavra de Deus. Celebrar a Semana Santa é celebrar a Misericórdia com a qual Deus nos beneficiou pela pessoa divina de Jesus. Portanto, neste ano, faça o propósito de transformá-la na semana da sua família, vivendo-a como "Família Santa”. Venha a este Santuário e participe com toda a sua família das celebrações. Faça dessa a semana da sua família com Deus. Convide também outras pessoas: vizinhos, amigos, e faça deste Santuário a sua casa. Desligue-se de todo o barulho que tira a paz, silencie o coração e busque ouvir a voz de Deus, que está dentro de você. Contemple mais, sorria mais. Se entregue inteiramente nas mãos de Deus, e ouça o que Ele tem a lhe dizer. Certamente que você e sua família encontrarão as respostas que têm procurado. Faça da Semana Santa uma verdadeira experiência de fé em sua família e um verdadeiro encontro da “Família Santa” com Deus. Uma Semana Santa abençoada e uma Feliz Páscoa para você! Ana Rocha Serviço de Animação Vocacional

HORÁRIOS DO SANTUÁRIO NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO Novenas » Quarta-feira: 6h, 7h, 8h, 9h, 10h, 11h, 12h, 13h, 14h, 15h, 16h, 17h, 18h, 19h, 20h, 21h, 22h. Missas » Domingo: 8h30, 10h30, 12h e 19h » Segunda-feira: 12h e 19h30 (Missa das Almas) » Terça-feira: 7h, 12h e 19h30 » Quarta-feira: 7h, 12h e 21h » Quinta-feira: 9h, 12h, 15h e 19h30 » Sexta-feira: 7h, 12h e 19h30 » Sábado: 7h, 12h e 19h30

Missas do Santíssimo » Todas as quintas-feiras às 9h, 15h e 19h30 Missas da Misericórdia » Todas as sextas-feiras às 19h30 Bênção da Saúde » Nas missas das 12h e nas novenas de quarta Confissões » Das 6h às 22h nas quartas-feiras » Nos demais dias, meia hora antes das missas, ou marcar hora na secretaria. Batizados » Todo primeiro e terceiro sábado do mês às 10h

22 . revista Perpétuo Socorro . abr/2014

SANTUÁRIO NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO Praça Portugal, s/n - Alto da Glória - 80030-170 Cx Postal 20013 - Curitiba/PR Fone/Fax: 41 3253 2031 perpetuosocorroimprensa@uol.com.br www.perpetuosocorro.org.br Expediente da Secretaria: Segunda a sexta das 8h às 18h Sábado das 8h às 12h

CAMPANHA DO DEVOTO PERPÉTUO Fone: 41 3363 7427 - devotoperpetuo@gmail.com CCSA - CENTRO COMUNITÁRIO SANTO AFONSO Rua Ubaldino do Amaral, 204 - Alto da Glória 80060-190 - Curitiba/PR - Fone: 41 3264 4848 Agendamento e atendimento às pastorais na secretaria do santuário. Fone: 41 3253 2031 CENTRO REDENTORISTA DE AÇÃO SOCIAL Rua Amâncio Moro, 135 - Alto da Glória - 80.030-220 Curitiba/PR - Fone: 41 3352 6216 centroredentorista@gmail.com


23

abr/2014 . revista PerpĂŠtuo Socorro .


Semana Santa2014

VENHA REVIVER OS MOMENTOS ESSENCIAIS DA FÉ CATÓLICA!

Programação

. Santuário Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

Sexta . 11/04

20h00 › Via-sacra pelas ruas do bairro / saída do Santuário

Sábado . 12/04

19h30 › Missa de Ramos (com início na Cruz Redentorista, aos fundos)

Domingo de Ramos . 13/04

08h30, 10h30, 12h00 e 19h00 Missas com Procissão de Ramos (com início na Cruz Redentorista, aos fundos)

Segunda-feira Santa 14/04

07h00 12h00 15h00 19h30

› › › ›

Missa Missa com Bênção da Saúde Terço da Misericórdia e Via-Sacra Celebração da Reconciliação

Terça-feira Santa . 15/04

07h00 › 12h00 › 15h00 › 19h00 › 19h30 ›

Missa Missa com Bênção da Saúde Terço da Misericórdia e Via-Sacra Via-Sacra Missa das Famílias

Quarta-feira Santa . 16/04

Novenas/Confissões o dia todo 7, 12 e 21 horas › Missas

Quinta-feira Santa . 17/04

09h00 › Missa dos Santos Óleos e Renovação das Promessas Sacerdotais na Catedral 19h30 › Missa do Lava-pés 21h00 › Hora Santa 22h00 › Hora Santa 23h00 › Hora Santa * Não haverá missas às 9, 12 e 15 horas no Santuário

Sexta-feira Santa . 18/04

07h00 › Via-Sacra Horas Santas das 7 às 13 horas 14h30 › Celebração da Paixão e Morte de Nosso Senhor Jesus Cristo

15h45 › Saída da Procissão do Senhor Morto (Setor Centro), rumo à Catedral

Sábado Santo . 19/04

19h30 › Missa do Fogo Novo

Domingo de Páscoa . 20/04

07h00 › Alvorada da Ressurreição com Café da Manhã (trazer um lanche para partilha)

08h30, 10h30, 12h00 e 19h00 › Missas da Páscoa com bênção dos ovos de chocolate. INFORMAÇÕES:

Santuário Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

Praça Portugal, s/n . Alto da Glória . Curitiba/PR . Fone/Fax: 41 . 3253.2031 www.perpetuosocorro.org.br . twitter.com/santuarionsps

Missionários Redentoristas


Revista perpetuo socorro abril 2014