Page 10

8

Destaque: «O Norte da Saúde»

“Temos, sobretudo, que defender a qualidade do ensino. É essa qualidade que está posta em causa quando temos um numerus clausus tão elevado. Quem dá aulas sabe o quão difícil é colocar quatro ou cinco alunos à frente de um doente”. António Araújo

“Muitas das nossas escolas não têm uma única sala para estarem os alunos todos. (…) A qualidade formativa está intimamente relacionada com o número de formandos que nós temos”. Nuno Sousa

sim, e sendo a perceção das populações a de que não há médicos suficientes, o professor universitário nomeou o verdadeiro problema: “Há uma distribuição errada por regiões e especialidades”. O consenso da mesa, após aberta a discussão, foi de que a resposta “nim” era a mais acertada para a questão inicialmente colocada. Rui Cernadas, “ciente das assimetrias dos serviços de saúde em Portugal”, questionou se vale real-

mente a pena “estar a formar tantos miúdos” quando os relatórios do Instituto Nacional de Estatística indicam que, “em 2050, a população portuguesa vai diminuir em 40%”. Por outro lado, mas com uma mesma preocupação, Pratas Balhau disse não acreditar que “seja possível fazer uma boa formação [de especialidade] com um tão grande número de colegas”, uma vez que “os serviços não podem dar formação contínua a tantos

Nortemedico 72  
Nortemedico 72  
Advertisement