Page 1

www.revistanegocios.net.br

10 anos da revista negócios.net empresas & empresários do RN Natal - RN | Ano X | Julho e agosto de 2017 | R$ 6,00

petróleo e Gás Petrobras leva A leilão campos terrestres do RN

Franquia Promissora Fala Síndico: franquia traz retorno rápido ao investidor

Microshopping Mais de 270 lojas a preço popular para comerciantes do rn

Oportunidade Após a crise, ECONOMIA VAI REAGIR. pREPARE-SE PARA VOLTAR A CRESCER

Ricardo amorim

eM ENTREVISTA EXCLUSIVA Com presença confirmada em Natal, economista analisa recuperação econômica SAVE THE DATE: 12 DE dezembro no RN


Editorial

Oportunidades pós crise Chegamos a mais uma edição da Revista Negócios.Net, abordando temas relevantes para a economia do Rio Grande do Norte e apresentando oportunidades de negócios. Há um Brasil inserido na crise. E há outro Brasil que produz. Numa entrevista exclusiva, o economista Ricardo Amorim, palestrante internacional que estará em Natal em dezembro para ministrar palestra, falou sobre as oportunidades que devem surgir após a crise. Para Amorim, quem estiver preparado vai poder surfar na recuperação da economia. No Brasil, as grandes crises são sucedidas por momentos econômicos propícios, analisa Ricardo Amorim. Outra notícia trazida nesta edição e que gerou amplo debate é a decisão da Petrobras de ceder seus direitos de exploração, desenvolvimento e produção nos campos terrestres do Rio Grande do Norte. A estatal vai privatizar a exploração de petróleo em terra, atividade que o Estado já exerceu liderança nacional, chegando a produzir, nos tempos áureos, mais de oitenta mil barris por dia. O anúncio foi elogiado por especialistas. O que Petrobras está colocando à venda neste momento, segundo estimativas, corresponde a menos de 15% da produção terrestre no Brasil.

Confira também, nesta edição, detalhes sobre franquia de mídia in door residencial, fundada por empreendedores potiguares, que dispensa royalties é excelente opção de investimento para franqueados e anunciantes de publicidade. Com baixo custo fixo e promissores resultados, o FALA SÍNDICO chegou a São Paulo e mais três Estados. Uma reportagem especial traz também tudo sobre o lançamento do Outlet 25 Demais, o "Shopping do Alecrim", e também sobre os “microshoppings”. O primeiro microshopping, denominado PONTOUM, contará com 271 espaços. Eles já estão sendo comercializados a preços populares. Oportunidade para o pequeno comerciante. Na coluna Negócios em Pauta, informações exclusivas e de bastidores sobre economia e negócios, tais como o movimento para valorizar democratizar as receitas com a população dos municípios que sediam parques eólicos, o lançamento da candidatura do empresário Flávio Rocha para presidente da República, a briga do Restaurante CocoBambu com o Camarões e a ABCC. Tem ainda os artigos sobre a previdência e as reformas que o país necessita.

Boa leitura! Jean Valério – Editor

expediente Direção Executiva Jean Valério

Fotografia

Reportagem e edição Jean Valério

Diagramação - Terceirize www.terceirize.com

Comercial (84) 98856-1662 (84) 99451-4577 Email: jeanvalerio@gmail.com

demis roussos

E-mail jeanvalerio@gmail.com jeanny.damasceno@gmail.com

4>

> julho/agosto de 2017

Unigráfica Tiragem 5 mil exemplares

As matérias assinadas não expressam necessariamente a opinião da Revista Negócios.Net

Endereço Av. Romualdo Galvão, 773, Sala 806 8º andar Edifício Sfax - Tirol - Natal-RN Fone: 84-3302-7212 - 988561662 Site: www.revistanegocios.net.br


Índice 8 Crise e

oportunidades A Inovar e aproveitar as oportunidades no cenário pós crise. Este é a mensagem de Ricardo Amorim, que estará em Natal ministrando a melhor palestra do Brasil sobre economia e empreendedorismo. E concedeu entrevista exclusiva.

16 Negócio

promissor Franquia de mídia in door residencial que dispensa royalties é excelente opção de investimento para franqueados e anunciantes de publicidade. O FALA SÍNDICO chega a São Paulo e prepara expansão nacional.

22 Empresa em 24 horas

14 Trabalho legislativo

POs vereadores da Câmara Municipal de Natal aprovaram Projeto de Emenda à Lei Orgânica nº 00004/2015, que reduz período de recesso para 45 dias. Anteriormente eram 92 dias. Foram 23 votos favoráveis dos vereadores à aprovação.

12 Negócios em Pauta

Iniciado movimento para valorizar democratizar receitas com a população dos municípios que sediam parques eólicos.

28 A reforma esquecida

O Brasil está em reformas. A maior crise moral, política e econômica da história não poderia ficar sem respostas.

30 ricardo Amorim

Uma proposta irrecusável para quem acha que o Brasil não precisa de Reforma da Previdência

O Governo do Estado, por meio da Junta Comercial do Rio Grande do Norte (Jucern), trabalha para agilizar o processo de registro e licenciamento de empresas usando a tecnologia como aliada. Imagine dar entrada ao processo de abertura e em até 24 horas já estar com o empreendimento devidamente legalizado. Isso já é possível aqui no Estado.

20 Oportunidade no comércio 24 Oportunidades do petróleo

Petrobras anuncia cessão da totalidade de seus direitos de exploração, desenvolvimento e produção de campos terrestres. O anúncio foi elogiado por especialistas do setor.

6>

> julho/agosto de 2017

Como preparação para o lançamento do Outlet 25 Demais, o "Shopping do Alecrim", o bairro ganhará, daqui a três meses, uma estrutura comercial inovadora pensada para micro e pequenos empreendedores. São os “microshoppings”. O primeiro microshopping, denominado PONTOUM, contará com 271 espaços comerciais. Eles já estão sendo comercializados a preços populares.


Ricardo Amorim - Economista, apresentador, palestrante

Chapéu

“Prepare-se. E aproveite para crescer após a crise” 8>

> julho/agosto de 2017


Entrevista Chapéu por Jean valério

O ano de 2017 vai terminando com a sensação de que batemos no fundo da crise e, lá embaixo, pegamos impulso para voltar a crescer. O desemprego desacelera aos poucos e o otimismo está renascendo. É hora de olhar para o cenário de recuperação, inovar e valorizar as oportunidades. No Brasil, todas as grandes crises são sucedidas por momentos econômicos propícios. É preciso estar preparado para surfar nessa onda. Esta é a mensagem central do principal palestrante de economia e negócios do Brasil hoje, o economista Ricardo

Amorim. Ricardo estará no Rio Grande do Norte no próximo dia 12 de dezembro, no Teatro Riachuelo, nos dez anos da Revista Negocios.Net, que lançará a edição especial AS EMPRESAS MAIS ADMIRADAS EM 2017. Ricardo Amorim falará aos empresários e empreendedores do Estado sobre como aproveitar o momento. Confira um resumo de como pensa o maior palestrante do Brasil, que estará no Rio Grande do Norte pata ministrar palestra exclusiva para empresários e empreendedores que valorizam informação de qualidade...

Inovar e aproveitar as oportunidades no cenário pós crise. Este é a mensagem de Ricardo Amorim, que estará em Natal ministrando a melhor palestra do Brasil sobre economia e empreendedorismo NEGOCIOS.NET - O que os empreendedores e empresários do Rio Grande do Norte podem esperar da mensagem de Ricardo Amorim? A proposta é trazer uma perspectiva do que acontecerá na nossa economia. De como podemos nos comportar. Vamos fazer uma análise atual, mas também histórica, sobre o que aconteceu nos últimos 117 anos no Brasil, foram muitos altos e baixos. Vivemos muitas ondas de negativismo e muitas outras crises. Ao contrário que do que muita gente imagina, os períodos de crescimentos mais acelerados surgiam na sequência de grandes crises. Quem souber identificar isso e se preparar melhor, vai ganhar muito. NEGOCIOS.NET - Mas o senhor concorda que ainda estamos enfrentando dificuldades e que o desemprego, por exemplo, ainda amarga índices preocupantes no Brasil? Sim. Ainda estamos distantes do ideal. As taxas não estão boas. O número de desempregados é gigante. Mas estamos gerando empregos desde o início do ano, inclusive em lugares onde não imaginá-

vamos, em cidades do interior. Das vinte cidades que mais geraram empregos este ano, dezenove são do interior. Elas estão se beneficiando do agronegócio. Temos exemplos de várias cidades onde as indústrias iam mal e agora estão crescendo.

NEGOCIOS.NET - O senhor acredita mesmo que há uma tendência para a economia melhorar? As coisas vão melhorar. E vão melhorar mais do que as pessoas imaginam agora. Só vai conseguir aproveitar quem estiver preparado. Não dá, por exemplo, para cortar gastos agora e quando houver recuperação de demanda as empresas não mais poderem responder. Este é No Brasil, as o início do processo de recuperação. E o ganho das empresas ser muito maior. Na crise crises sempre são pode muita gente fecha as portas e a oferta diminui. Quando o crédito e o consumo voltam, tem mais sucedidas por gente querendo comprar e menos querendo vender. Com margens melhores e resultados maiores. bons momentos Conseguirá vencer quem estiver de fato preparado.

julho/agosto julho/agosto de 2017 <

<9


Ricardo Amorim

MAIS SOBRE RICARDO AMORIM

Ricardo Amorim é presidente da Ricam Consultoria, prestadora de serviços na área de negócios e economia global, em forma de palestras e consultoria. A empresa tem como missão assessorar clientes a antever tendências globais e brasileiras, por setores, e maximizar oportunidades. Economista, formado pela USP, é pós-graduado em Administração e Finanças Internacionais pela ESSEC de Paris. Atuando no mercado financeiro desde 1992, trabalhou em Nova York, Paris e São Paulo, sempre como economista e estrategista de investimentos. Único brasileiro incluído na lista dos mais importantes e melhores palestrantes mundiais do Speakers Corner, Ricardo Amorim profere, há anos, palestras sobre economia e tendências no Brasil e exterior. Ricardo Amorim é palestrante em eventos fechados de empresas de destaque, congressos, feiras de negócios, e universidades como Harvard e Columbia. Foi palestrante-âncora e dividiu painéis com figuras ilustres, de economistas ganhadores do Nobel a ministros de estado e presidentes de bancos centrais. Ricardo Amorim é um dos debatedores do programa Manhattan Connection da Globo News desde 2003. É também colunista na revista IstoÉ e apresentou a coluna Economia & Negócios na Rádio Eldorado. Visão global – Uma década nos Estados Unidos e Europa e duas investindo em países emergentes deram a Ricardo Amorim visão privilegiada das grandes transformações em curso na economia mundial e suas consequências em diversos setores e países. Temas relevantes e atuais abordados nas palestras de Ricardo Amorim - Como prosperar na crise? - Por que a economia deve melhorar e surpreender positivamente nos próximos anos? Como aproveitar as oportunidades da recuperação? - Empreendedorismo e oportunidades para micro e pequenas empresas - Tecnologia: construindo empresas melhores e mais rentáveis - Oportunidades e estratégias no varejo - Agronegócio: motor do Brasil - Educação: desafios e oportunidades - Como recuperar a competitividade da indústria? - Oportunidades no mercado imobiliário - Oportunidades de investimentos financeiros

10 >

> julho/agosto de 2017


Entrevista

"

Chapéu O QUE AS PESSOAS FALAM DAS PALESTRAS DE RICARDO AMORIM

Leonardo D'Adamo Empreendedor - Marketing Digital Palestra rica e motivadora. Fiquei pensando na dificuldade que temos para educar nossos filhos financeiramente, se nunca nos ensinaram a ter uma boa relação com o dinheiro. Mas essa "matéria" nas escolas está longe de acontecer, a saída, então, é procurar conhecimento em textos, palestras, vídeo-aulas, e livros, mas depende de nós pais começar essa jornada ao encontro da educação financeira. 12/08/2017 _____________________________ Julia Produzir Digital Sou empreendedora da cidade São Paulo e admiro seu trabalho e sua forma de se comunicar. Um grande abraço. 11/08/2017 _____________________________ Jota Baptista Fundador: Meualu.com Fantástico! Obrigado pelas geniais doses de economia e parabéns por transformar esse assunto tão complexo em algo divertido e de fácil entendimento! Grande abraço. 08/08/2017 _____________________________ Vitor Rodrigues Botega Imaxxima imobiliária - Marketing Ricardo, pra nós aqui de Floripa foi o ponto alto do evento. Você fechou com chave de ouro. Aumentou nossa confiança para continuar investindo no mercado imobiliário. Sem contar que a palestra foi divertidíssima, demos muitas risadas. Sou seu fã, vi sua palestra ano passado no RD Summit e espero encontrá-lo mais um

vez esse ano. 08/08/2017 _____________________________ Guilherme Fickerlscherer Diretor de marketing Kasanova Incorporadora Que palestra espetacular Ricardo! Que visão maravilhosa que nos passou, não pelo positivismo, mas sim, por ter sido tão esclarecedor e ter passado um conteúdo que vai de encontro ao que nós precisamos, a informação embasada sobre a economia e mais um belo argumento para se lidar com clientes. Achei muito bom também sobre a questão das parcerias que deveríamos desenvolver com mercado imobiliário. A cabeça está fritando aqui. Valeu Ricardo!! 08/08/2017 _____________________________ Augusto Lemos Gerente Geral - Mondelez Brasil Prezado Ricardo, Muito obrigado pela presença no nosso evento ontem. Sua palestra foi impactante e abriu os olhos dos nossos parceiros com relação às oportunidades no nosso país. Seguimos em contato e eu assistindo Manhattan Connection. Forte abraço. 08/08/2017 _____________________________ Gabriel Andrius Gerente - Bradesco Achei a palestra muito motivadora. Gostei da forma direta que a mensagem foi passada e, o mais interessante, nos faz refletir a todo momento. Mesmo acompanhando através de videoconferência, fiquei atento a todo momento. Saí confiante e com a certeza que depende de mim para que os negó-

cios aconteçam, tudo depende da nossa forma de olhar. Saí despido de ideias preconcebidas, não falarei mais em "crise" e sim em oportunidade. 26/07/2017 _____________________________ Lorrayne Casagrande Gerente de Relacionamento Prime - Banco Bradesco SA Ricardo, dia 25/07, tive mais uma vez a oportunidade de assistir uma palestra sua. Abrir nossos horizontes, principalmente em um setor , que hoje, não há quem não tenha um relacionamento , que seja diretamente ligado, o setor bancário. Agradeço mais uma vez por todo o conhecimento que tenha nos passado. Att. Lorrayne Casagrande 26/07/2017 _____________________________ Peter T. Knight Sócio-fundador do Instituto Fernand Braudel de Economia Mundial Sua palestra de ontem foi a melhor que já vi em 4 anos assistindo as convenções da ABRINT. Parabéns. 05/06/2017 _____________________________ Marcus Martins Engenheiro de Projetos de Telecomunicações - TV Globo Ricardo, ontem tive a oportunidade de assistir a palestra que deu no Integrity Forum. Posso resumi-la numa única palavra: SENSACIONAL!!!!!!!! Realmente você merece o prêmio de melhor palestrante. Um grande abraço e continue tendo muito sucesso. 05/06/2017

julho/agosto julho/agosto de 2017 <

"

< 11


Negócios em Pauta< jeanvalerio@gmail.com

Chapéu

ROYALTIES DA ENERGIA EÓLICA Foi iniciado um movimento importante para valorizar o segmento de geração de energia eólica e principalmente democratizar as receitas com a população dos municípios que sediam parques eólicos. Cerca de vinte cidades do Rio Grande do Norte já foram contempladas com investimentos do gênero e começam a desfrutar de receitas decorrentes do arrendamento de terrenos, que culminam com melhores vendas do comércio, empregos e utilização de mão de obra. As receitas públicas experimentam melhoria com cobranças como as Taxas de Licença de Construção e de Atividade Econômica e ISS - Imposto Sobre Serviços. Ainda assim, especialistas consideram que a remuneração aos municípios é injusta. Au-

Flávio Rocha Presidente

O presidente da Coteminas, Josué Gomes da Silva, filho do vice-presidente José Alencar, morto em 2011, reforça o coro de empresários que defendem o nome de Flávio Rocha (presidente do Grupo Guararapes, da rede Riachuelo) para uma candidatura presidencial. Chegou a cogitar aceitar uma candidatura a vice, desde que fosse companheiro de chapa de Flávio. "Se ele se lançar à Presidência, meu voto é dele e se me convidasse para a vice eu aceitaria, mas, fora isso, estou 100% focado nas nossas empresas", afirmou Josué, durante evento em São Paulo. Flávio Rocha não confirma, mas cumpre agenda nacional de candidato a candidato. Pode até não ser, mas terá o nome especulado até o prazo final.

12 >

> julho/agosto de 2017

ditor fiscal, advogado e especialista na matéria, Alcimar de Almeida informa que encontra-se em tramitação no Congresso Nacional a PEC - Proposta de Emenda à Constituição de n. 97/2015, de autoria do Deputado Heráclito Fortes, tendo por objetivo considerar os potenciais de energia eólica bens da União, cuja exploração autorizada, permitida ou concedida a particulares será objeto de compensação financeira ou royalties, à semelhança do que ocorre com a exploração de petróleo e gás. No Rio Grande do Norte, o tema começou a ser debatido pela FEMURN – Federação dos Municípios do RN, que pregará a união das Prefeituras, bancada federal e governador Robinson Faria em torno da causa.

Liquida moderno

Acontece de 1 a 10 de setembro de 2017, a nova edição do Liquida Natal, um dos momentos mais esperados por consumidores e comércio do Rio Grande do Norte. A expectativa é de que sejam movimentados R$ 120 milhões. A informação é do presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Natal, Augusto Vaz, que está otimista quanto à recuperação da economia. Este ano, a novidade do programa é automatização do modelo de disputa dos prêmios. Cupons em papel apenas para quem é do passado. Agora tudo funciona através de um aplicativo, onde o consumidor faz o seu cadastro pessoal e envia os cupons fiscais. O aplicativo está disponível como ‘Liquida Natal’ na PlayStore ou na Apple Store.

A força do Nordestão

Prestes a completar 45 anos, o Supermercado Nordestão confirmou, para o primeiro semestre de 2018, a inauguração de uma nova loja no bairro de Capim Macio, na zona Sul de Natal. O investimento na nova loja, com 3.200 metros quadrados para compras e estacionamento com 430 vagas cobertas, será da ordem de R$ 45 milhões. O Grupo Nordestão promete abrir 350 novas vagas de trabalho, que se somarão aos 3.750 funcionários que já prestam serviços à empresa. Será a maior loja do Grupo.


Chapéu

Erro de etiqueta Agronegócio

O Produto Interno Bruto (PIB) do setor agropecuário registrou crescimento de 14,9% no segundo trimestre deste ano. O presidente da Federação da Agricultura do Estado do Rio Grande do Norte (FAERN), José Álvares Vieira, destacou o sentimento de retomada que o setor tem vivido após a economia brasileira atingir níveis baixíssimos nos últimos anos. “A economia brasileira bateu no fundo do poço e, agora, há uma tendência inevitável de crescimento constante, sobretudo no setor agropecuário”, destacou Vieira.

O Procon do Rio Grande do Norte arquivou o processo que tratava da venda de smart TVs em um supermercado de Natal a um valor muito abaixo do preço. O órgão concluiu que o preço exposto na etiqueta, R$ 279, é muito discrepante do valor real do produto, R$ 2.999. O caso ganhou repercussão. Oito clientes tentaram adquirir as TVs pelo preço da etiqueta. A Delegacia do Consumidor instaurou inquérito. O Procon do RN concluiu que a divulgação do preço errado se tratou de falha humana de um funcionário, e não de uma publicidade enganosa do estabelecimento para induzir o consumidor ao erro.

Beleza e estética

Cocobambu X Camarões X Brasil

A rede de restaurantes Cocobambu, originária do Ceará e detentora de empreendimentos em todo o Brasil, resolveu importar camarões do Equador. A decisão dos controladores do empreendimento, baseada após autorização suspeita do Ministério da Agricultura liberando a importação do crustáceo (medida duramente combatida pela ABCC – Associação Brasileira de Criadores de Camarão), está gerando muita polêmica, inclusive judicial. Para quem não lembra, o Cocobambu se envolveu numa briga judicial com o Restaurante Camarões Potiguar, do Rio Grande do Norte, que alegava plágio do concorrente cearense. Na época, o Cocobambu se chamava Camarões Mucuripe e mudou de nome como estratégia.

Os serviços de cabeleireiros, manicure e pedicure têm atraído um número crescente de profissionais potiguares que decidem empreender e abrir negócio próprio. Atualmente, mais de 8 mil empreendimentos estão registrados no segmento dos serviços de beleza e estética, a maioria deles - 90% - é Microempreendedor Individual. Esse tipo de empresa tem registrado crescimento anual médio de 30,8%. Isso significa que, de cada dez empresas formalizadas no Estado como MEI na área de serviço durante o ano, pouco mais de três escolhe atuar com serviços prestados em salões de beleza. Os números são do Sebrae no Rio Grande do Norte julho/agosto de 2017 <

< 13


Gestão Pública

Câmara reduz recesso

parlamentar para 45 dias

Vereadores acabam com férias de 90 dias e ampliam os dias de trabalho Os vereadores da Câmara Municipal de Natal aprovaram o Projeto de Emenda à Lei Orgânica nº 00004/2015, que reduz o período de recesso para 45 dias. Anteriormente, eram 92 dias. O projeto do vereador Klaus Araújo (SD) foi subscrito por outros parlamentares e prevê 30 dias de férias no fim do ano e 15 dias 14 >

> julho/agosto de 2017

de recesso sem a realização das sessões no meio do ano. Foram 23 votos favoráveis dos vereadores à aprovação do Projeto. O presidente da Câmara, vereador Ney Lopes Júnior (PSD), disse que “a aprovação do projeto mostra o compromisso e a ética que a Câmara Municipal de Natal tem

com o povo da cidade Para o propositor do projeto, a aprovação representa um avanço e mostra a disposição em continuar as ações do parlamento junto à sociedade. “Foi uma grande vitória desta Casa. Os vereadores se uniram para a aprovação do projeto”, declarou Klaus Araújo.


Gestão Pública TV Câmara de Natal se renova e lança novos programa

Presidente Ney Jr: apoio à medida que amplia os dias de trabalho

A TV Câmara de Natal está renovando sua programação com novos programas e novos cenários, proporcionando maior cobertura do trabalho legislativo da Câmara Municipal da capital e mais interação deste trabalho com a sociedade. A TV legislativa opera no canal 10 (Cabo) e 51.4 (Aberto Digital) e ainda pela internet no seu canal do youtube ( w w w. y o u t u b e . c o m / TVCamaraNatal) ou no site do legislativo natalense (camaramunicipaldenatal.com.br). O Câmara Repórter, que é o jornal diário, está, além de novo cenário, com a sua segunda edição, que vai ao ar às 8h30min. A emissora continua com o "Plenário em Ação" em duas edições [antes e depois das sessões ordinárias] entrevistando os vereadores para fazer uma prévia do que será debatido na sessão. Além disso, o programa "Com a Palavra", exibido às 20h dos domingos e reprisado durante a semana às 19h, será mais longo com 20 minutos. Em horários aleatórios, dentro da grade, passa a ser exibido o "Questão de Ordem", que mostra o ponto e o contraponto dos temas mais polêmicos debatidos em plenário. A TV Câmara está renovando ainda o "Câmara Esportiva", que vai ao ar diariamente às 13h20min. Entre os novos programas há espaço para debate sobre o cotidiano de toda a região metropolitana no programa "Integração". O debate também está presente no

novo programa "Direito a Cidades", que contará com professores e estudantes dos cursos de Direito de universidades da capital tratando sobre temas relevantes para a população. Vai ao ar nas sextas-feiras às 14h30min. Pela cidade, a emissora vai percorrer feiras livres e mercados para o programa "Aqui Tem", com exibição aos sábados e domingos às 10h30min e reprises aleatórias. Enfatizará ainda o apoio à cultura e artistas locais com os programas "Talentos", às 20h30min dos sábados, entrevistando cantores e interpretes. Ainda no contexto cultural, os melhores curtas e longas produzidos em Natal passarão no programa "Cinema Câmara", às 17h dos domingos. Já o "Viva Cascudo", a ser exibido nos sábados (17h) e domingos (11h), está pronto para ir ao ar, valorizando o nome do maior folclorista potiguar. As sessões ordinárias, solenes e reuniões de comissões, audiências públicas e Frentes Parlamentares continuam sendo transmitidas ao vivo do plenário e permanecem na grade os programas "Câmara Verde", "Comitê de Imprensa", "Pensando Bem", "Viver com Saúde", "Agora e Sempre", bem como produções de órgãos e parceiros.

julho/agosto de 2017 <

< 15


Chapéu Oportunidade

Franquia de mídia in door residencial Com baixo custo fixo, promissores resultados financeiros, isenção de royalties e de taxa de publicidade, o FALA SÍNDICO chega a São Paulo e mais três Estados e prepara expansão nacional. Já é uma das franquias mais promissoras e líder no mercado de midia in door residencial.

16 >

> julho/agosto de 2017


Franquia de sucesso

André de Paula e Jean Valério querem chegar aos 27 Estados Com cinco franquias atuando em quatro Estados, e em cinco grandes cidades, a empresa FALA SÍNDICO já é a maior rede de mídia in door do Brasil no segmento de prédios residenciais. Atuando em elevadores e lobbys de condomínios de São Paulo (SP), Fortaleza (CE), João Pessoa (PB), Natal e Mossoró (RN), veiculando notícias, informações do síndico e publicidade. Com custo operacional baixíssimo (média 5 mil reais), o FALA SÍNDICO, que funciona no modelo franchising, é uma das franquias mais promissoras do Brasil. A empresa não cobra taxa de royalties e tem meta de chegar aos 27 Estados brasileiros nos próximos três anos. O sistema FALA SÍNDICO encantou milhares de síndicos e condôminos por ser simples, fácil e inteligente. As soluções tecnológicas exclusivas garantem eficiente penetração das mensagens junto ao público-alvo. Funciona assim: Por meio do Gerenciador

Web, o síndico publica informações nos murais digitais do lobby e dos elevadores sociais do condomínio. Em tempo real, as mensagens chegam também nos smartphones via notificação de push. Outra novidade são os templates personalizados onde o síndico pode publicar comunicados, informativos e normas dando mais visibilidade e abrangência a sua comunicação. O FALA SÍNDICO é ainda um eficiente canal de comunicação, veiculando nas telas notícias, informações, conteúdos diversos sobre a cidade, o Estado, o Brasil, o mundo e também mensagens publicitárias. A tecnologia aposenta o papel. O projeto é ecologicamente correto, moderno e dinâmico. O FALA SÍNDICO é a solução completa em comunicação para condomínios e tem uma outra grande vantagem: o custo zero. O investimento de licença e manutenção ficam por conta dos

parceiros institucionais que veiculam mídias no aplicativo e nos murais digitais instalados. Outro grande diferencial do sistema fala síndico é o aplicativo de smartphone disponível nas plataformas android e ios gratuitamente. No aplicativo o usuário poderá visualizar em tempo real todas as mensagens postadas pelo síndico, notícias e também as marcas e sites dos parceiros anunciantes, além de acompanhar promoções e campanhas de desconto promovidas pelos mesmos. Com apenas três anos de operação, a empresa Condor Franchising, mantenedora do produto FALA SÍNDICO, está em plena ascensão e confiante no mercado de franquias do brasil. "Já temos interessados em abrir franquias em todo o país", destacou André de Paula, sócio diretor de expansão da Condor Franchising. “Quando desenvolvemos a ferramenta nosso objetivo era tornar a comunicação entre síndico e condôminos mais simples e rápida, além de trazer um canal de comunicação altamente segmentado para as marcas e anunciantes. Conseguimos e estamos aperfeiçoando a cada dia. Estimamos até 2018 instalar o sistema, único no mercado, nas principais capitais do Brasil”, destaca. O diretor de Marketing, jornalista Jean Valério, informa que novas funcionalidades no sistema de comunicação deverão empolgar ainda mais usuários do produto. “Estamos realizando estudos e em breve teremos inovações que deixarão o produto ainda mais atrativo e conectado com o que o nosso público exige”, destacou. julho/agosto de 2017 <

< 17


Franquia de sucesso DIFERENCIAS PARA O CONDOMÍNIO E SÍNDICOS - Ferramenta de comunicação digital integrada com aplicativo smartphone focado na melhoria da informação interna do condomínio; - Comunicação aos condôminos e informação em tempo real; - Economia de papel; - Facilidade para o síndico em postar comuni-

cados, atas, regimento interno, etc; - Modernização das instalações físicas do condomínio; - Atualização de tempo, notícias locais, do Brasil e do mundo; - Usufruir de descontos especiais ofertados pelos parceiros;

DIFERENCIAIS PARA O ANUNCIANTE

Mídia altamente segmentada para público alvo desejado a mídia dentro da casa do público-alvo, no momento de descanso

Publicidade do anunciante a looping a cada 5 minutos, 24 horas por dia, 2.016 inserções por semana, 8.064 inserções por mês

VANTAGENS AO FRANQUEADO Alta rentabilidade Sem pagamento de royalties Sem pagamento de taxa de propaganda Treinamentos com foco comercial Parcerias de conteúdo nacional Condições especiais com fornecedores Sistema completo e próprio

18 >

> julho/agosto de 2017

Preços competitivos

ONDE ESTAMOS Mossoró – 50 telas Natal – 150 telas Fortaleza – 260 telas João Pessoa – 50 telas São Paulo – 110 telas (+500 em instalação)


Chapéu INVESTIMENTO E RETORNO Taxa de software – R$ 40 mil Deslocamento para treinamentos – R$ 5 mil Faturamento Médio – R$ 80 mil (100 telas) Lucrativiade média – 70% Payback – 11 meses Investimento total – R$ 45 mil (Mais 130mil para aquisição de 100 telas instaladas financiada em até 60X pelo Banco IBM) Royalties – ISENTO

Marketing one to one

Flexibilização de campanhas na grade

Alcance nacional e geolocalizado

MISSÃO Propagar canais de comunicação que, por meio de uma rede tecnológica bem conceituada, transmitam informações em mídia digital sobre notícias locais e nacionais, propagandas corporativas ou assuntos residenciais.

VISÃO Estar presente em todos os estados do Brasil como um agente tecnológico de comunicação até o término de 2018.

Mais informações Acarta Comunicação -Assessoria de Imprensa – 84 3201 6613 André de Paula – Diretor de Expansão Sócio Fundador – 84988661212

julho/agosto de 2017 <

< 19


Loja popular

1º Microshopping do Alecrim vende espaços a preços populares

Pequenos empreendedores, ambulantes, camelôs, artesãos devem correr para adquirir seu espaço no primeiro microshopping do Alecrim Como preparação para o lançamento do Outlet 25 Demais, o "Shopping do Alecrim", o bairro ganhará, daqui a três meses, ao redor do empreendimento, uma estrutura comercial inovadora pensada para micro e pequenos empreendedores. São os “microshoppings”. O primeiro microshopping, denominado PONTOUM, contará com 271 espaços comerciais. Eles já estão sendo comercializados a preços populares. É uma oportunidade para o pequeno 20 >

> julho/agosto de 2017

comerciante, artesão, ambulante adquirir seu espaço no maior centro comercial do RN. Os interessados devem procurar informações no Sindicato do Comércio Varejista do RN, no telefone 84 3221-5277, ou direto no fone-whattsapp (84) 9114 0193. A implantação de microshoppings faz parte de uma estratégia global do G 25, um grupo empresarial que deseja investir no Alecrim, potencializando o que o bairro tem de melhor: clientes

prontos para consumir produtos. "Os espaços já estão sendo passados aos interessados, a preço popular e acessível a qualquer um. A procura é intensa. É um projeto inclusivo que vai estimular a formalidade dos pequenos empresários", destacou Minás Aravanis, diretor do G25 grupo de investimentos, que também é detentor do Outlet 25 Demais. O empresário informa que o projeto visa valorizar o centro comercial Alecrim, criando oportunidades e promo-


Loja popular vendo grandes mudanças estruturais no bairro. A localização do Micro Shopping PONTOUM, o pioneiro, é estratégica por estar a 100 metros do Outlet 25. O PONTOUM ocupará prédio na Avenida 1, continuidade da rua Presidente Quaresma, no coração do bairro do Alecrim. A abertura do microshopping PONTOUM faz parte do planejamento antes da inauguração do Outlet. O G25 quer estimular a formalização de pequenos negócios, contando com a orientação do Sebrae-RN, FECOMERCIO e SINCOM. A ideia é inspirada nos grandes centros comerciais de São Paulo, como Bras, Bom Retiro, 25 de março e bairros comerciais paulistas. Os empreendedores querem aproveitar o potencial já existente do bairro do Alecrim. "As pessoas só vão ao Alecrim pra comprar. É uma chance para quem quer ter seu próprio negócio. Vamos gerar emprego e melhorar o bairro", destacou.

Minás Aravanis, diretor do G 25, quer revolucionar Alecrim

MAIS SOBRE O OUTLET 25 DEMAIS Bairro mais comercial de Natal, o Alecrim ganhará melhorias na infraestrutura com a chegada do Outlet 25 Demais, empreendimento de dez pavimentos a ser construído na Av. Presidente Bandeira (antiga avenida 02), entre o tradicional relógio do Alecrim e Avenida 9. O G25 trabalha no licenciamento dos projetos e em seguida iniciará obras. Reservas dos pontos comerciais foram abertas e restam poucas vagas nas 280 lojas. O novo centro comercial será feito em estrutura metálica, cli-

matizado, dentro do conceito de sustentabilidade. Diretor do G25 – grupo com atuação na capital paulista –, Minás Aravanis informa que foram realizados estudos que indicaram o Alecrim como local de potencial para novos negócios. “É um bairro que tem vida comercial plena. As pessoas vão ao Alecrim para comprar. E merecem um shopping como o que estamos propondo. Será bom para os clientes, melhor ainda para os comerciantes”, destacou o empreendedor. Grandes marcas já reservaram

espaço e confirmaram participação no empreendimento, como Óticas Diniz, Rio Center, PittsBurg, entre outras que ainda não podem ser reveladas. A praça de alimentação é atração à parte e contará com as principais operações de fast food do país, vista panorâmica da cidade e capacidade para 800 lugares. O Outlet terá 35 mil m² e mil vagas de estacionamento. A expectativa é que o fluxo inicial seja de 45 mil pessoas por dia só na área comercial e, no bairro, 250 mil pessoas. O investimento total é de R$ 55 milhões. julho/agosto de 2017 <

< 21


Empresas

Empresas já podem ser

abertas em até 24h no RN

Através da Junta Comercial, poder público agiliza processo para formalizar negócios e ainda incentiva o empreendedorismo Quem vai abrir uma empresa sabe que cada minuto é importante. Afinal, economizar tempo é também reduzir gastos. Por isso o Governo do Estado, por meio da Junta Comercial do Rio Grande do Norte (Jucern), vem trabalhando para agilizar o processo de registro e licenciamento de empresas usando a tecnologia como aliada. Imagine dar entrada ao processo de abertura e em até 24 horas já estar com o empreendimento devidamente legalizado? Isso já é possível aqui no Estado. O processo funciona de maneira simples. Tudo começa no Portal Redesim, espaço virtual que integra os dados cadastrais da Receita 22 >

> setembro de 2017

Federal e dos demais órgãos presentes – tanto para abertura, quanto para alteração ou baixa de empresas. É possível consultar e cadastrar as informações e documentos necessários. Após ser protocolado, o processo é digitalizado e aguarda o parecer da equipe técnica. Enquanto isso, o empreendedor pode acompanhar o andamento no portal Redesim RN. Quem esperava passar muito tempo em filas é surpreendido pelas facilidades do procedimento. O empresário Wanderson Henrique, da Métodos Contabilidade, descobriu que registrar uma empresa é muito mais fácil do que imaginava. “A análise foi tão rápida que supe-

rou as expectativas, fiquei muito satisfeito com o andamento após a entrada do processo na Jucern”, conta. Entre as juntas comerciais do Brasil que utilizam a Redesim, a Jucern registrou o segundo menor tempo de abertura de empresas: até 24 horas. Para a presidente da Junta, Sâmya Bastos, esse resultado mostra que o trabalho vem sendo feito de maneira planejada. “O passo a passo é muito simples. Em um só lugar, você pode agilizar todo o processo burocrático – das consultas de nome e localização, até a liberação dos licenciamentos municipais e estaduais necessários. Tudo está integrado e conectado, ficou ainda


JUCERN Chapéu

Passo a passo para a legalização de uma empresa

Sâmia, presidente da Jucern, comemora resultado mais fácil através do Sistema Sim", finaliza Sâmya Bastos. Um dos objetivos da Jucern é incentivar a legalidade das empresas, pois, para fugir da burocracia, muitos empreendedores permanecem na informalidade. O que eles não imaginam é que isso pode gerar ainda mais custos. Por exemplo, um negócio informal tem mais chances de sofrer multas e menos oportunidades de obtenção de crédito junto a parceiros. Bom exemplo de incentivo à formalidade das empresas é o Escritório do Empreendedor. Localizado no shopping Via Direta, a iniciativa reúne diversos órgãos, como a Receita Federal, a Vigilância Sanitária de Natal (Covisa), a Agência de Fomento do RN e o Corpo de Bombeiros. O projeto foi idealizado pelo governador Robinson Faria com a ideia de agrupar em um único setor a maior parte dos serviços necessários para o licenciamento de empresas. Quando o Escritório do Empreendedor foi inaugurado no segundo semestre de 2016, diminuir o tempo médio para formalizar um negócio era uma meta urgente. Se atualmente o prazo médio para regularização de uma empresa classificada como baixo risco é de cinco dias, antes o mesmo processo demorava cerca de 200 dias. Isso mostra o esforço conjunto que vem sendo feito para incentivar o empreendedorismo no RN.

1ª Fase: Registro, Inscrições Fiscais e alvará de localização para as atividades de baixo risco 1- Consultar nome e localização da empresa; 2- Preenchimento do Documento Básico de Entrada (DBE); 3- Preenchimento da FCN/RE; 4- Elaboração do instrumento jurídico de constituição; 5- Pagar taxas da constituição; 6- Arquivamento do ato constitutivo, emissão do CNPJ, Inscrição Estadual, Inscrição Municipal e Alvará Provisório para as atividades de baixo risco; 2ª Fase: Licenciamento 7- Emissão de alvarás e inscrição municipal pelas prefeituras; 8- Emissão da Inscrição Estadual pela Secretaria da Fazenda; 9- Emissão do Auto de Conformidade pelo Corpo de Bombeiros Militares; 10- Emissão do Alvará Sanitário pela Vigilância Sanitária Estadual; 11- Licença Ambiental; 12- Obtenção do INSS; 13- Cadastro do FGTS; 14- Cadastro do PIS; 15- Certificado digital. julho/agosto de 2017 <

< 23


Chapéu e gás Petróleo

Oportunidades do petróleo à vista nos campos terrestres do RN

Petrobras terceiriza exploração no rn e abre debate sobre a decisão Jean Valério A Petrobras anunciou com pompa o que chama de início da “etapa de divulgação das oportunidades (Teasers), referentes à cessão da totalidade de seus direitos de exploração, desenvolvimento e produção em três conjuntos de campos terrestres (totalizando 50 concessões), localizados nos estados do Rio Grande do Norte e Bahia”. Em resumo, a estatal vai privatizar a exploração de petróleo

24 >

> julho/agosto de 2017

em terra, atividade que o Rio Grande do Norte já exerceu a liderança nacional, chegando a produzir, nos tempos áureos, mais de oitenta mil barris por dia. Os campos anunciados pela Petrobras para leilão junto à iniciativa privada representaram produção média de petróleo e gás natural, no ano de 2016, de 20,4 mil barris de óleo por dia. A Petrobras é operadora de todas estas concessões, com 100% de participação, à exceção dos cam-

pos de Cardeal e Colibri, onde a companhia detém 50% e a operadora é a PARTEX com 50%, e dos campos de Sabiá da Mata e Sabiá Bico-de-Osso, onde a companhia detém 70% e a operadora é a SONANGOL com 30%. O anúncio foi elogiado por especialistas do setor. O engenheiro mecânico Adolpho Souza, especialista na área de petróleo e gás e diretor da Schlumberger, avalia que com o sucesso econômico dos projetos do pré-sal e a


Petróleo Chapéu e gás

Deputado Beto Rosado: lei incentiva as pequenas empresas

Adolpho Souza avalia decisão da Petrobras como positiva restrição de caixa devido à grande dívida da Petrobras, a estatal acerta ao adotar a alternativa de desinvestir. Ele diz esperar inclusive que aconteçam mais vendas no futuro próximo, dentro da decisão estratégica de negócios. “O desinvestimento é uma alternativa fundamental para a retomada da atividade e produção das bacias terrestres”, avalia Adolpho.

O que a Petrobras está colocando à venda neste momento, segundo estimativas dos especialistas, corresponde a menos de 15% da produção terrestre no Brasil. Em uma comparação da magnitude entre pré-sal e campos terrestres, o somatório da produção das 50 concessões à venda produz cerca da metade do que produz apenas um poço bom do pré-sal. Mas isso

não quer dizer que os poços terrestres não sejam um bom negócio. “A chegada de novos operadores com estrutura mais enxuta e principalmente foco na otimização da produção trará investimento, e por consequência a volta do emprego e o aumento da arrecadação”, analiza Adolpho Souza. Para o engenheiro , que é potiguar e fez carreira nacional e internacional acumulando experiência no mercado petrolífero, tendo residido por vários anos na Europa, a venda destas concessões representa uma “janela de oportunidade que não podemos perder”. “Como parte da indústria e filho da região petroleira do nosso Estado advogo por esta causa - para o bem do nosso Rio Grande do Norte e da própria Petrobras”, conclui o especialista. BRASIL O uso de tecnologias avançadas para recuperar a produção de petróleo em campos antigos, que estão em declínio natural, em todo o Brasil, pode gerar investimentos significativos e aumentar as reservas a curto prazo. De acordo com cálculos da Agência Nacional do Petróleo (ANP), cada 1% a mais no fator de recuperação — que mede quanto é possível extrair do reservatório — nos campos antigos, em operação há quase 40 anos, pode gerar investimentos de R$ 26 bilhões, o que resultaria em um aumento das reservas de um bilhão de barris de óleo equivalente (incluindo gás natural). A ANP estima que, em todo o país, cada 1% de fator de recuperação pode resultar em aumento nas reservas da ordem de 2,2 bilhões de barris de petróleo equivalente, gerando investimentos de R$ 56,7 bilhões. julho/agosto de 2017 <

< 25


Chapéu gás Petróleo Pequenas e médias empresas estão de de olho no negócio O repasse de 104 campos terrestres maduros – 38 deles no Rio Grande do Norte – da Petrobras para a iniciativa privada representa uma oportunidade de negócios para pequenas e médias petrolíferas independentes e poderá aquecer esse setor. A concessão dos poços em estágio avançado de exploração foi o principal debatida recentemente no Fórum Onshore Potiguar, promovido pelo Sebrae no Rio Grande do Norte em parceria com a Redepetro-RN e Associação Brasileira dos Produtores Independentes de Petróleo e Gás (ABPIP). Estima-se que no Brasil existam 49 produtoras independentes, sendo 20 delas ligadas à ABPIP, que operam nesse

26 >

> julho/agosto de 2017

setor. Essas empresas já investiram mais de US$ 2 bilhões em tecnologia para a exploração desses campos. De acordo com o secretário executivo da Associação Brasileira dos Produtores Independentes de Petróleo e Gás (ABPIP), Anabal Santos Júnior, há uma necessidade imediata para que se criem as condições favoráveis junto às empresas de pequeno e médio portes, visando à exploração dos campos terrestres maduros. “Isso geraria a retomada de produção desses poços e o retorno da geração de emprego e renda a partir do setor petrolífero”, defende Anabal Santos. Dentro desta retomada buscada pelo setor, o deputado Federal Beto Rosado apresentou Projeto de Lei 4.663/16 que

propõe que as grandes empresas ou consórcios que são titulares da exploração de petróleo e gás natural possam abrir licitações para pequenas e médias empresas, para que assim as terras que estão paradas ou com pouca produção possam ter um incentivo e maior rendimento. Beto Rosado acrescentou que a redução drástica da atividade nos campos terrestres da estatal vem acarretando um prejuízo socioeconômico para o país, e mais ainda para a região Nordeste, onde estão localizadas as bacias mais maduras do país. “É preciso agirmos rápido, pois estamos amargando uma grave crise socioeconômica, especialmente na nossa região, que depende da produção de petróleo”.


Artigo

Ricardo Amorim *

Uma proposta irrecusável para quem acha que o Brasil não precisa de Reforma da Previdência 1. a Previdência não tem déficit, ela tem superávit; 2. os problemas são a corrupção nas dívidas das empresas e a DRU; 3. os servidores públicos da União, Estados e Municípios merecem se aposentar muito mais cedo e receber benefícios muito maiores do que os trabalhadores da iniciativa privada porque suas contribuições para a Previdência são maiores do que a dos outros. 4. O único problema são as megaaposentadorias e pensões de políticos, juízes e do Ministério Público. Tenho uma proposta irrecusável para quem acredita nos argumentos acima.

Primeiro, cobramos cada centavo devido pelas empresas. Depois, acabamos com a DRU. Em seguida, acabamos com as megaaposentadorias de políticos, juízes e do Ministério Público às do INSS, igualando-as às regras do INSS. Aí, somamos todas as receitas e verificamos o total da arrecadação. Por fim, já que supostamente a Previdência teria um superávit e que as contribuições seriam compatíveis com os benefícios, redefinimos o benefício de cada um, dividindo o total arrecadado proporcionalmente pelo que cada um contribuiu. Assim, haveria justiça – cada um receberia de acordo com quanto contribuiu – os benefícios supostamente cresceriam – pois o tal superávit da Previdência seria transformado em aumento

* Autor do bestseller Depois da Tempestade, apresentador do Manhattan Connection da Globonews, o economista mais influente do Brasil segundo a revista Forbes, o brasileiro mais influente no LinkedIn, único brasileiro entre os melhores palestrantes mundiais do Speakers Corner e ganhador do prêmio Os + Admirados da Imprensa de Economia, Negócios e Finanças de 2016.

28


Artigo de benefícios – e as contas da Previdência estariam absolutamente equilibradas. Topa? Se você realmente acredita nos 4 argumentos acima, não há como não topar. Só haveria ganhos… Caso contrário, você tem de reconhecer que os 4 argumentos são falsos. Não há problema nenhum em ser contra a Reforma da Previdência e reconhecer que, na realidade, a Previdência tem um déficit que não para de crescer e que só neste ano será próximo a R$400 bilhões; que a cobrança do pagamento integral da dívida das empresas e municípios tem de acontecer, mas não fará cócegas no déficit; que a DRU não só não tira recursos da Previdência, mas financia o déficit da Previdência; que a contribuição de servidores civis e militares não chega nem perto de bancar os benefícios excessivamente generosos que eles recebem e que o buraco da Previdência do setor público vai muito além de juízes, políticos e do MP. A única coisa é que, neste caso, você precisa também admitir que acha justo que anualmente mais de R$400 bilhões que deveriam ir para Saúde, Educação, etc sejam redirecionados para a Previdência para garantir que os benefícios atuais sejam mantidos, complementando a parte que as contribuições cobrem. Não há nada errado nisso – apesar de eu discordar completamente. O que não dá é para basear a discussão em mentiras. Para quem topou esta reforma e ficou curioso com o que realmente aconteceria com os benefícios, vamos aos números. O primeiro regime de Previdência no Brasil data de 1.888, mas o Regulamento Geral da Previdência Social só foi aprovado em 1960. Nos 57 anos de lá para cá, foi acumulada uma dívida total de empresas com a Previdência, incluindo multas, correção monetária e juros de R$433 bilhões. Se toda esta dívida tivesse sido paga ao longo dos últimos 57 anos, a arrecadação anual teria aumentado em

R$7,5 bilhões por ano. Na prática, não há a menor chance de que esta dívida seja integralmente honrada porque R$251 bilhões referem-se a dívidas de empresas falidas, mas se supuséssemos que a dívida será integralmente paga ao longo do mesmo período em que foi contraída, a arrecadação anual do INSS daqui para frente seria R$7,5 bilhões maior. A DRU, por sua vez, não só não retirou recursos da Previdência, mas redirecionou R$167 bilhões do Orçamento Federal para a Previdência. Alguns exemplos de cortes de investimentos que aconteceram em 2017 para cobrir os benefícios previdenciários maiores do que as contribuições: menos R$11 bilhões para infraestrutura, menos R$6 bilhões para Saúde, menos R$5 bilhões para Educação e menos R$6 bilhões para Transportes. Sem a DRU, estes recursos deixariam de ir para a Previdência e voltariam para de onde vieram. A partir daí, a Previdência só poderia efetivamente pagar o que arrecada. O déficit teria de ser eliminado através de redução imediata dos benefícios de quem já está aposentado e de todos que se aposentarem de agora em diante, já que não haveria recursos para bancá-los. No caso do INSS, a arrecadação neste ano será de R$372 bilhões. Somando–se o aumento de arrecadação com o pagamento da dívida das empresas, ela chegaria a R$ 380 bilhões. Os gastos projetados são de R$561 bilhões. Para reduzi-los a R$380 bilhões, os benefícios do INSS teriam de cair em média 32%. No caso dos servidores, a queda de benefícios seria muito maior. No caso dos servidores federais civis, a arrecadação neste ano será de R$36 bilhões e os gastos de R$71 bilhões. Sem os recursos da DRU, os benefícios teriam de ser cortados pela metade. Dos R$35 bilhões de déficit, R$3,6 bilhões vêm do Legislativo, R$8,6 bilhões do Judiciário, R$ 0,6 bilhão do Ministério Público e mais

de R$22 bilhões dos demais funcionários públicos. Portanto, adequar as regras de aposentadoria de políticos, juízes e do MP é fundamental, mas não vai poupar os demais funcionários públicos de terem suas regras também adequadas à realidade das receitas. No caso dos militares, a arrecadação é de R$2 bilhões e os gastos de R$40 bilhões. Sem a DRU, os benefícios cairiam 95%. No caso de servidores de Estados e Municípios, o déficit deste ano deve se aproximar de R$ 100 bilhões. Limitando-se os gastos às receitas, os valores dos benefícios cairiam em média 43%, mas as disparidades são enormes. Em alguns estados, como Minas Gerais, Rio Grande Do Sul e Rio de Janeiro, as reduções de benefícios seriam muito superiores a 50%. A assistência social – aqueles que recebem sem nunca ter contribuído – gera um gasto anual de R$53 bilhões, mas sem os recursos da DRU, teria de ser extinta, pois ela não tem nenhuma fonte de recursos próprios. Em todos os casos, sem mudanças de regras de tempo ou valor das contribuições, os valores dos benefícios cairiam ano a ano porque, por razões demográficas – crescimento da expectativa de vida e queda da taxa de natalidade – o número de aposentados cresce muito mais rapidamente do que o de trabalhadores contribuindo para a Previdência. Portanto, o crescimento da receita da Previdência será menor do que o do número de beneficiários, causando uma persistente redução dos benefícios da Previdência. Em resumo, você pode ser contra reformar a Previdência – aumentando prazos de contribuição e reduzindo um pouco as distorções das regras de contribuição e benefícios – mas aí você tem de admitir que acha justo tirar mais de R$400 bilhões por ano de Saúde, Educação, Infraestrutura, Segurança etc para bancar aposentadorias e pensões acima do que os recursos da própria Previdência conseguem bancar.

julho/agosto de 2017 <

< 29


Artigo

Ricardo Amorim

A Reforma Esquecida O Brasil está em reformas. Razões não faltam. A maior crise moral, política e econômica da história não poderia ficar sem respostas. A qualidade das respostas varia muito. As reformas Trabalhista, Previdenciária e Tributária, o Teto de Gastos Públicos e o programa de privatizações e concessões estão aquém do desejado, mas fortalecem a geração de empregos e riqueza e o potencial de crescimento do país. Por outro lado, as 10 Medidas Contra a Corrupção e a Reforma Política foram desfiguradas pelos congressistas. Com medo de perderem a proteção do foro privilegiado, os políticos estão empenhados em intimidar quem os investiga e julga e aumentar suas chances de reeleição mudando as regras eleitorais. Outra reforma fundamental sequer entrou em discussão até agora: a Reforma do Judiciário. A maior demanda da população hoje é o combate à corrupção. O atual modelo de organização do Judiciário não tem sido capaz de responder a ela. As instâncias inferiores do Judiciário têm, em geral, cumprido seu papel de investigar e tentar punir os corruptos, mas as instâncias superiores têm frequentemente impedido que isto aconteça – por letargia ou ingerência política. Urge tornar a Justiça mais ágil e livrá-la das pressões políticas. Não há no mundo, que eu saiba, outro país onde a Justiça tenha quatro instâncias, como aqui. Uma infinidade de recursos protelatórios beneficiam culpados, paralisando nossa Justiça por acúmulo de processos. Isso tem que mudar. Ainda mais importante é garantir a independência entre os poderes, que é enfraquecida com o Procurador Geral da

República, os ministros do STF e os ministros dos tribunais de contas de municípios, estados e da União sendo indicados pelos líderes do Poder Executivo. Todos deveriam ser escolhidos pelos seus próprios pares, garantindo a independência efetiva do Poder Judiciário. Além disso, o foro privilegiado tem de ser severamente limitado, ou talvez até extinto, para impedir que o STF seja sobrecarregado, e garantir que a impunidade termine. Além disso, o Judiciário tem prerrogativas abusivas. Ninguém pode julgar casos que lhe afetam diretamente. Infelizmente, isto acontece quando juízes decidem, por exemplo, que o teto de remuneração dos servidores públicos não inclui remunerações pagas em dinheiro, mas não denominadas “salário”. Juízes inflam seus próprios rendimentos e o de seus pares. Em Minas Gerais, por exemplo, 98% dos juízes ganham mais do que o teto legal. Como pode o cidadão comum confiar na Justiça, quando aqueles que deveriam zelar pelo seu cumprimento são os primeiros a abusá-la em benefício próprio?Temos de criar mecanismos objetivos para que juízes não possam julgar causas que lhes impactam diretamente, ou quando não são isentos. Por corporativismo, isso não acontece atualmente. Nenhum dos 80 pedidos de impedimento ou suspeição que chegaram ao STF nos últimos 10 anos sequer foi apreciado pelo colegiado. Todos foram rejeitados pelos vários presidentes do STF. Em vários deles, as relações entre o juiz e os réus tornava a falta de isenção flagrante.

* Ricardo Amorim, autor do bestseller Depois da Tempestade, apresentador do Manhattan Connection da Globonews, o economista mais influente do Brasil segundo a revista Forbes, o brasileiro mais influente no LinkedIn, único brasileiro entre os melhores palestrantes mundiais do Speakers Corner e ganhador do prêmio Os + Admirados da Imprensa de Economia, Negócios e Finanças.

30 30 >

> julho/agosto de 2017


Revista Negócios 69