Page 1


Editorial Caro Leitor! Para aqueles que ainda pensam que o período outono/inverno é o mais calmo no setor de água mineral, nossa edição 52 chega quentinha e recheada de assuntos e fornecedores, contrariando essa ideia e mostrando que também depende de nós mantermos esse setor aquecido o ano inteiro. Já há alguns anos, os períodos em que as temperaturas caem não são mais prenúncio de considerável baixa nas vendas de água mineral, se pensarmos que, com o tempo seco, a necessidade do consumo de água é indispensável para ajudar a prevenir doenças, além de manter o nosso corpo hidratado, independentemente da época, e os meios de comunicação têm ajudado, e muito, nessa conscientização. Nessa edição, falaremos sobre algumas marcas de água que deixaram de ser apenas água mineral natural, para ganhar o requinte do sobrenome Gourmet. Destacamos um projeto da cidade de Paranaguá (PR), que transforma garrafões retornáveis vencidos em lixeiras ecológicas; outra matéria interessante é sobre as Oficinas do Sebrae, que mudaram o rumo da distribuidora de Água Nascente, de Jacobina (BA), ajudando na capacitação dos proprietários; falaremos sobre o Parque das Águas de São Lourenço, que poderá virar patrimônio histórico e, também, sobre o Convênio ABNT e Sebrae, que beneficiará MPE na aquisição de normas técnicas, entre outros assuntos e novidades para o setor. Boa Leitura! Cláudia Queiroz Diretora

Sumário

Requinte Águas minerais com todo o requinte

10

4

Sustentabilidade Projeto transforma garrafões vencidos em lixeiras ecológicas

Internacional Legislação

8 16

Distribuição

18

Estâncias

20

Convênio

22

Lançamento

24

Notas

26


Requinte

Águas minerais com todo o requinte Essa bebida deixou de ser apenas água mineral natural, para ganhar o requinte do sobrenome Gourmet Por Sérgio Henrique Engana-se quem ainda hoje imagina que água mineral é somente aquele líquido insípido, cristalino e puro, o grande presente da natureza para saciarmos a sede e nos refrescarmos. Já há algum tempo, a água deixou de ser apenas a melhor pedida para auxiliar na hidratação diária e contribuir para o perfeito equilíbrio do nosso organismo. Devido à sua escassez ao longo dos anos, a importância da água passou a ser tamanha que, em alguns lugares do mundo, o seu valor chega a ser comparado ao petróleo. A água mineral, por suas propriedades naturais, é considerada ideal para a gastronomia. Sommeliers orientam que, para acompanhar os vinhos durante a degustação, recomenda-se apenas água mineral (com ou sem gás) e pão francês simples, que devem ser consumidos entre um vinho e outro. Essa bebida deixou de ser apenas água mineral natural, para ganhar nos mais badalados restaurantes e hotéis do mundo o requinte do sobrenome Gourmet, sendo a acompanhante certa de vinhos, champanhes e, também, do nosso cafezinho. As diversas composições das águas com suas sutilezas colaboram, e muito, para determinar qual a melhor harmonização, servindo tanto para limpar as papilas gustativas como digestivo natural em pratos mais incorporados como carnes, entre outros. Os amantes da boa mesa que o digam. Marcas como a norueguesa Voss, a americana Bling e, também, a francesa Perrier fazem a cabeça de celebridades como a cantora Madonna. Cada vez mais conhecidas, as águas gourmets fazem o maior sucesso entre os grandes chefs e sommeliers, que escolhem qual a melhor combinação para determinado prato ou bebida. Existem marcas que investem muito nesse mercado: é o caso da Bling, criada por um produtor de cinema de Hollywood, inspirado justamente no segmento de luxo. Suas garrafas são decoradas com cristais, sendo conhecida pela sua excentricidade. Outra marca é a Voss, fundada por dois jovens, amigos de infância. É considerada a água mais pura do mundo e envasada diretamente num aquífero do deserto gelado da Noruega. A japonesa Fillico tem suas garrafas todas decoradas com cristais, e 4

sua fonte fica localizada na cidade de Kobe, no Japão. A San Pellegrino é mais uma dessas tradicionais águas. Engarrafada nas Termas de São Pelegrino, em Milão, é proveniente de três fontes distintas que emergem a 22 graus. A fonte Acqua Panna é a água mais bem cotada, localizada ao norte de Florença, nas Colinas da Toscana, na Itália. Outra tradicional e conhecida é a francesa Evian, extraída através das rochas glaciais dos Alpes franceses. Perrier é outra água mineral conhecida e procurada , que vem da pequena Vergéze, na França, sendo uma das primeiras a utilizarem o conceito da água mineral como bebida e para tratamento da saúde, em virtude das suas possibilidades terapêuticas. Essas águas não são colocadas apenas como águas gourmet, mas como obras de artes para encantarem o comprador. Várias outras marcas estrangeiras são encontradas no mercado para a escolha do consumidor. Existe, também, uma associação italiana fundada na Bolonha chamada de Degustatori Acque Minerali (ADAM), que reúne vários profissionais de várias áreas, sendo uma fonte valiosa de informação aos consumidores de águas minerais. Em seu site http://www.degustatoriacque.com, podem ser encontradas sugestões de harmonização, cursos e outras curiosidades. Mas não são apenas as águas internacionais que chamam a atenção, as marcas brasileiras também têm seu espaço. É o caso da FYS, da família Schincariol, que tem o apoio da ABS (Associação Brasileira de Sommeliers). A marca chega com a intenção de ser um produto de alta, fazendo frente às mais sofisticadas águas. É extraída originariamente do interior paulista, da fonte Nossa Senhora Aparecida. Sua embalagem é moderna e diferenciada, a fim de ser mais atrativa ao consumidor. Ainda podemos citar as águas minerais Caxambu e Cambuquira, vindas da região Sul de Minas Gerais, provenientes de fontes localizadas na região das Águas da Mantiqueira. A água Caxambu é considerada uma água gourmet por excelência, devido à sua capacidade natural de ampliar a sensibilidade ao gosto. Existe nas versões com e sem gás, sendo encontrada principalmente nas cidades de São Paulo,


Requinte Rio de Janeiro, Minas Gerais e Distrito Federal. Depois de algum tempo fora do mercado, as duas marcas voltaram com tudo. Foram destaque na Madrid Fusión 2013, evento criado em 2003, considerado referência da alta gastronomia mundial, que reúne as principais marcas de alimentos e bebidas, além dos melhores chefs e restaurantes do mundo. Nesse evento, foram as águas oficiais, sendo a culinária mineira a homenageada deste ano. Mais uma conhecida água brasileira é a Águas da Prata, da cidade com mesmo nome, no estado de São Paulo. Fundada em 1876, é extraída da Serra da Mantiqueira, e rica em sais minerais naturais. A exploração das fontes é feita de maneira sustentável, preservando os mananciais e o meio ambiente. São Lourenço é mais uma água nesse cardápio. Captada desde 1890, sua composição mineral revela um aroma intenso com um toque suavemente doce, sendo encontrada nas versões com e sem gás. A agua mineral Ouro Fino é mais uma brasileira nesse mercado de gourmets. Localizada na cidade de Campo Largo (PR), desde a sua criação, é controlada pela família Mocellin, que busca sempre 6

o equilíbrio com a extração de sua água mineral e a natureza, utilizando o máximo de qualidade e tecnologia. A água Ouro Fino pode ser encontrada nas versões com e sem gás, e sua embalagem já recebeu várias premiações pela sofisticação e design. Outra que podemos mostrar é a água Finésse, da empresa Serra da Graciosa, do município de Morretes (PR). Focada no mercado de restaurantes e hotéis, essa linha premium está na lista das águas mais puras no mundo, citada no site www.finewaters.com. Existem ainda outras águas minerais, nacionais e estrangeiras, com ótimas composições e extremamente atraentes, tanto pelo paladar quanto pela embalagem, pois as empresas têm investido muito para agradar os consumidores, cada vez mais exigentes. O mercado de águas premium é bem difundido no exterior, principalmente na Europa, que já tem a cultura de consumir esse tipo de produto. Aqui no Brasil, esse mercado vem atraindo a atenção de várias marcas de águas interessadas em aumentarem a sua linha de produtos e concorrerem, também, nesse segmento.


Internacional

Edição especial da água mineral Evian chega ao Brasil Estilista belga Diane Von Furstenberg cria edição limitada da garrafa A conhecida marca francesa de água mineral Evian mais uma vez faz uma edição especial e limitada com a assinatura e criação de um estilista. Desta vez a escolhida foi a belga Diane Von Furstenberg, considerada o maior sucesso financeiro no mundo da moda depois de Chanel, e tendo como clientes figuras famosas, como Madonna, Jennifer Lopez, Michelle Obama, entre outras celebridades. Diane transformou a marca DVF em um verdadeiro ícone no segmento de produtos de luxo. A estilista utilizou no rótulo da garrafa seu

8

Foto: Divulgação

Por Camila Silva

clássico coração vermelho e também escreveu a frase “Water is life is love is life is water” – (“A água é vida é o amor é a vida é a água”). A água mineral Evian é engarrafada desde 1826, sendo uma das principais águas premiuns do mundo. A ação de garrafas comemorativas teve início em 1992, com homenagem aos Jogos Olímpicos. Em 2008, a marca iniciou essa série fashion nas garrafas, com assinatura e criação de Christian Lacroix; em 2009, foi a vez de Jean Paul Gaultier; em 2010, Paul Smith; em 2011, Issey Miyake, e 2012, André Courrèges, que na oportunidade homenageou as mulheres. A edição limitada by DVF pode ser encontrada em selecionadas delis, restaurantes e hotéis de São Paulo, Brasília e Rio de Janeiro.


Sustentabilidade

Projeto transforma garrafões vencidos em lixeiras ecológicas Hoje são entregues cerca de 250 lixeiras por mês com palestras de conscientização ambiental Desde 2009 está em vigor a lei que determina o prazo de três anos de validade, a partir da data de fabricação, para os garrafões de água mineral. No período de transição da lei, muitas foram as dúvidas sobre qual seria a forma mais adequada para se fazer o descarte ou reaproveitamento dessas embalagens. Nos últimos anos, não só as empresas envolvidas diretamente na fabricação, mas empresas que utilizam embalagens para acondicionar os seus produtos, e a população de um modo geral, vêm 10

Foto: Divulgação

Por Cláudia Queiroz


Foto: Divulgação

obtendo informações e se preocupando mais com o meio ambiente. A palavra sustentabilidade passou a fazer parte da vida de todos os cidadãos que querem um mundo melhor, para si e para as futuras gerações. Hoje em dia é comum encontrarmos vários objetos feitos de embalagens descartadas, como: lustres feitos de garrafões, vasos para plantas, brinquedos, entre outros. Uma dessas criações que mais nos chamaram a atenção e nos motivaram a fazer essa matéria foi o Projeto Lixeiras Ecológicas, da cidade de Paranaguá (PR), onde os garrafões com o prazo de validade vencido são transformados em lixeiras. O projeto teve início em 2010, quando seu idealizador, o empresário e proprietário da distribuidora União Gás e Água, Márcio Freitas, vendo a necessidade da população local por lixeiras, começou a armazenar os garrafões que não seriam mais utilizados para o transporte de água. Com a ajuda de alguns colaboradores, teve início então a etapa da construção das lixeiras que, de forma artesanal, têm a sua parte superior cortada e colocada como fundo. Depois são pintadas e identificadas com um rótulo do proje-

to. A escola municipal APAE (PR), de crianças especiais, foi a primeira a ser beneficiada pelo projeto. Segundo Márcio, essa é uma iniciativa totalmente independente, sem fins lucrativos ou ajuda de nenhum órgão público, apenas de alguns parceiros, que colaboram para a sua continuidade e expansão. Uma das metas do projeto é a conscientização das pessoas e, principalmente, das crianças, sobre a importância de se preservar o meio ambiente, criando esse vínculo com a reciclagem de materiais. Não são apenas as escolas que ganham essas lixeiras, já foram feitas outras para ruas e praças, com suportes de ferro, assim mais resistentes, nas cores verde e amarela, pensando na copa do mundo 11


Márcio Freitas em uma palestra de entrega das lixeiras

Foto: Divulgação

Sustentabilidade

que está chegando. As lixeiras são doadas principalmente para escolas públicas, mas outras entidades e escolas particulares também são agraciadas pelo projeto, que conta ainda com uma palestra de conscientização sobre o meio ambiente e preservação. Para que as escolas tenham essas lixeiras, a diretora deve enviar um pedido por escrito para o Projeto, e assim que for escolhida será avisada, para que, dias antes da entrega, organize uma gincana, em que seus 12

alunos devem levar um quilo de material reciclável, que será recolhido e dado destino pelo projeto. Lembrando que, por se tratar de um projeto independente, poderá demorar um pouco para a entrega. Hoje são entregues cerca de 250 lixeiras por mês e as pessoas podem também ganhar uma camiseta do Projeto, juntando 10 kg de material reciclável e trocando por ela. A patente desse produto foi requerida em 2010, mas Márcio enfatizou: “Quem tiver interesse em implantar o projeto em sua cidade, deve nos comunicar, pois nossos produtos estão registrados e patenteados, não podendo, assim, serem copiados, mas terei o maior prazer em autorizar, pois meu maior interesse é ajudar a proteger o meio ambiente, para tentar garantir um futuro melhor para nossas crianças”. A Revista Mercado de Águas pretende colaborar publicando novas matérias, informações e notícias que envolvam a distribuição das lixeiras e a realização das palestras, com a intenção de divulgar o projeto aos nossos leitores, possíveis futuros colaboradores. Quem quiser colaborar ou obter mais informações à respeito do projeto, pode visitar o site www.lixeirasecologicas.com.br - (41) 3424-1111.


Legislação

Governo envia ao Congresso projeto de novo Código Mineral Fonte: Agência Câmara de Notícias O governo federal anunciou, no dia 18 de junho, o envio ao Congresso de um projeto de lei que estabelece um novo marco regulatório para o setor mineral no País. Durante a cerimônia no Planalto, a presidenta Dilma Rousseff informou que a proposta tem como meta criar condições para que a pesquisa, a exploração e a comercialização de bens minerais sejam atividades mais eficientes, rentáveis e competitivas, além de assegurarem retorno maior à sociedade. “O Brasil tem as maiores reservas de minério do mundo, somos um grande produtor e um grande exportador, mas o setor ainda convive com uma legislação fraca e burocrática”, disse a presidenta, destacando que o atual Código Mineral (Decreto-Lei 227) é de 1967. O projeto de lei será encaminhado em regime de urgência constitucional, o que obriga a Câmara e o Senado a se pronunciarem em até 45 dias cada. Após esse prazo, terão a pauta do Plenário trancada. Uma das principais alterações da proposta é o aumento da alíquota da Contribuição Financeira sobre Exploração Mineral (Cfem), que é paga pelas empresas que atuam no setor a título de royalties pela exploração dos recursos. Pelo novo texto, a alíquota máxima passará dos atuais 2% para 4%, incidindo sobre a renda bruta das empresas e não mais sobre o faturamento líquido. Segundo Dilma, no entanto, os percentuais exatos das alíquotas de cada bem mineral serão definidos posteriormente por decreto. Os atuais percentuais de distribuição dos recursos da Cfem foram mantidos: 12% para a União, 23% para os estados e 65% para os municípios onde ocorre a lavra. Conforme a presidenta, a expectativa é de que a mudança contribua para praticamente dobrar a arrecadação obtida hoje com os chamados royalties da mineração. O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, também destacou a necessidade de atualizar a legislação para permitir um melhor aproveitamento das potencialidades do País. “Entre agentes do setor e do governo existia um consenso de que, apesar do nosso vasto território e da imensa riqueza a ser explorada, aproveitamos muito pouco nosso potencial”, declarou 16

Lobão, acrescentando que a mineração representa 25% das exportações brasileiras, porém participa apenas com 4% do PIB. O novo modelo também tem como foco a produção de minérios com maior valor agregado, a partir do processo de transformação mineral, e o combate à especulação financeira de jazidas, uma vez que obriga as concessionárias a fazerem investimentos mínimos na área. Modelo de exploração - Na opinião de Lobão, a nova legislação não trará prejuízos aos operadores que já atuam no setor. Pelo modelo proposto, a concessão dos direitos de exploração de minérios será precedida de licitação e envolverá um único título para pesquisa e lavra. Atualmente, o aproveitamento das jazidas depende de alvará de autorização de pesquisa, por parte do diretor-geral do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), e de concessão de lavra, outorgada pelo ministro da pasta. O projeto estabelece ainda dispensa de licitação para exploração de minérios destinados à construção civil, tais como: argilas para fabricação de tijolos, telhas, rochas ornamentais, água mineral e minérios empregados como corretivos de solo na agricultura. A autorização terá prazo de 10 anos, renováveis por igual período. Em áreas não classificadas pelo órgão responsável como de licitação obrigatória, o texto prevê a realização de chamada pública, com processo de seleção simplificado, a fim de identificar possíveis interessados na obtenção de concessão. Novos órgãos - O texto cria ainda o Conselho Nacional de Política Mineral (CNPM), órgão de assessoramento superior da Presidência da República, responsável por formular políticas públicas e incentivar investimentos privados no setor mineral. O novo marco regulatório também transforma o DNPM na Agência Nacional de Mineração, uma autarquia especial, vinculada ao Ministério de Minas e Energia, dotada de autonomia administrativa e financeira. A agência será responsável por regular, fazer a gestão das informações e fiscalizar o setor mineral. As novas estruturas seguirão o modelo já empregado em outros segmentos, como o elétrico.


Distribuição

Oficinas do Sebrae mudam rumo de distribuidora de água Fonte: Agência Sebrae de Notícias Construir um negócio do nada. Esse foi o grande desafio para Silvani Soares da Silva. Ela teve por muito tempo uma lanchonete e lembra que tinha pouca clientela e não obtinha lucro. Há cinco meses, em sociedade com o marido, decidiu abrir uma pequena empresa de água mineral em Jacobina (BA). Foi nesse momento que começou sua história de sucesso. Segundo a empreendedora, ela resolveu seguir os conselhos de uma vizinha e procurar os cursos do Sebrae na Bahia para conseguir ser bem-sucedida. Inscreveu-se nas Oficinas Sei Planejar, Sei Controlar meu Dinheiro e Sei Vender, e recebeu as consultorias do programa Negócio a Negócio. “As oficinas nos ensinam como estruturar uma operação, uma empresa como um todo. Mostram também como deve ser feito um plano de negócios, apresentando de forma muito clara o planejamento financeiro e de vendas, e o atendimento ao cliente”, afirma Silvani. A empresa fornecedora de água mineral passou por diversas melhorias, a começar pelo espaço físico. Os empresários reformaram o local e ainda passaram a vender outros produtos para aumentar o lucro. O ambiente mudou e os clientes ficaram mais satisfeitos.

18

“As oficinas, com certeza, nos trouxeram profissionalismo. Além de pagar funcionários e despesas, o lucro ainda é bom”, confessa Silvani. Depois de colocar em prática os ensinamentos do Sebrae, a Distribuidora Água Nascente passou a disponibilizar, no estabelecimento, 700 galões de água mineral. Antes das capacitações, eram oferecidos apenas 50 galões. A expectativa da empreendedora é de que até o final do ano a empresa esteja comercializando 1.500 galões. Para o coordenador interino do Sebrae em Jacobina, Osório Rebouças, o empreendedor capacitado consegue gerir seus negócios. “O maior problema que leva as empresas à falência é a falta de capital de giro. Os empreendedores gastam mais dinheiro do que têm e acham que vão chover clientes na porta do negócio, e nem sempre é isso que acontece. Por esse motivo, quando se capacitam, sabem gerir o comércio e logo alcançam sucesso”. Para Silvani, o curso ajudou a empresa a ter lucro. “Nós trocamos de estabelecimento, mas continuamos no mesmo bairro. Hoje, meu marido, com seu próprio caminhão, é quem viaja para trazer os galões de água diretamente da distribuidora”, conta.


Estâncias

Parque das Águas de São Lourenço pode virar patrimônio histórico O local possui cerca de 490 mil metros quadrados, sendo um grande atrativo turístico dessa região, e conta com oito fontes de águas minerais Por Camila Silva Em março deste ano, o Ministério Público estadual de Minas Gerais enviou ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha) uma recomendação para que o Parque das Águas de São Lourenço, situado no Sul do estado, fosse tombado como Patrimônio Histórico, pelo importante valor cultural para o município e também para o estado. O local possui cerca de 490 mil metros quadrados, sendo um grande atrativo turístico dessa região, e conta com oito fontes de águas minerais, gasosa, sulfurosa, alcalina, ferruginosa, magnesiana, entre outras, consideradas únicas e cotadas entre as melhores do mundo. Criado em 1935, possui uma ótima infraestrutura, oferecendo ao visitante variadas opções de lazer. O parque está dividido em duas partes, sendo a primeira as fontes para degustação, o balneário, as alamedas, os jardins e um lago de 90 mil metros quadrados, e a segunda parte, chamada de Parque II, com quadras para diversas modalidades de esportes, lanchonete e uma ducha de água mineral sulfurosa. Existem ainda os serviços hidroterápicos que incluem duchas escocesas, aparelhagem de fisioterapia, banho turco, etc. Além da recomendação, o Ministério Público solicitou, ainda, o registro do uso das águas minerais como patrimônio imaterial, pedido esse inédito no país, em se tratando de recurso natural. 20


Convênio

Convênio ABNT e Sebrae beneficia micro e pequenas empresas Por Cláudia Queiroz A ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) e o Sebrae firmaram o convênio de cooperação técnica e financeira, que vai facilitar muito a aquisição de normas técnicas pelas micro e pequenas empresas. O objetivo é promover a competitividade das micro e pequenas empresas e incentivar o uso dessas normas, além da capacitação profissional, em que serão estabelecidos mecanismos de informação e divulgação das normas. Com essa parceria, as micro e pequenas empresas passarão a pagar 1/3 do valor para adquirirem uma normatização. O convênio disponibiliza uma coleção setorial de normas técnicas plásticas, composta por 22 normas, incluindo a ABNT NBR 14222:2013 – Embalagem plástica para água mineral e potável de mesa – Garrafão retornável – Requisitos e métodos de ensaio, que vem revisar a norma ABNT NBR 14222:2011, elaborada pelo Organismo de Normalização Setorial de Embalagem e Acondicionamento Plásticos. Esta norma estabelece os requisitos mínimos de fabricação, desempenho e, também, os métodos de ensaio para o garrafão plástico destinado à água mineral e potável de mesa, sendo para uso retornável, intercambiável ou exclusivo. A parceria vai permitir ainda o acesso das empresas à elaboração de normas, refletindo diretamente as necessidades delas, além de possibilitar o acesso gratuito para as micro e pequenas empresas, por meio de um rápido cadastro no endereço http://abntcatalogo.com.br/sebrae/setorial/. Para mais informações sobre o convênio - ABNT Sebrae ou dúvidas sobre normas técnicas, entre em contato pelo telefone (11) 3017-3646.

22


Lançamento

Bioleve lança água com colágeno A empresa está investindo muito na pesquisa e desenvolvimento da água Por Sérgio Henrique A fabricante de bebidas Bioleve, de Lindóia (SP), está preparando o lançamento de uma água com propriedades funcionais, a Água Bioleve Colágeno 10, produzida com água mineral, colágeno, fibras e vitaminas B3, B6, B12, C e E. O produto será distribuído em garrafas PET de 360 ml, nos sabores frutas vermelhas e lima-limão, e possui em sua composição zero de açúcar e de gordura, uma quantidade equivalente a 10 gramas de colágeno, fibras alimentares e vitaminas. A empresa está investindo R$ 1 milhão na pesquisa e desenvolvimento da nova água, que deve chegar ao varejo em três meses, e, para isso, estão negociando com o mercado varejista de farmácias, lojas de produtos naturais, acade-

24

mias e outros pontos de venda que atuam com bebidas funcionais. Sobre colágeno - Quando se pensa em consumir colágeno, as pessoas logo imaginam os benefícios que essa substância pode trazer à pele, mas essa proteína tem outras funcionalidades no nosso corpo, sendo responsável pela estrutura dos tecidos, desde tendões, músculos, cartilagens, etc. Na verdade, ela é produzida pelo nosso organismo, e tem a sua produção diminuída naturalmente, a partir do 30 anos, causando uma redução da elasticidade e hidratação da pele. Por esse motivo, alguns médicos sugerem o consumo da substância a pacientes depois dos 30 anos. O colágeno é extraído do osso e da cartilagem do boi, passando pelo processo de quebra das moléculas para que sejam absorvidas com mais facilidade pelo corpo humano. Pode ser encontrado em lojas de produtos naturais, orgânicos ou mesmo farmácias. Hoje em dia é encontrado em barras de cereais, iogurtes, sorvetes, shakes, chocolates e também na gelatina, porém, por conter açúcar, conservantes, adoçantes e corantes artificiais, a quantidade é bem reduzida, não sendo o suficiente para suprir as necessidades do corpo.


Notas

Expediente

Água Schin doa garrafas PET A Água Mineral Schin, do Grupo Brasil Kirin, doou para uma cooperativa da Vila Leopoldina, na cidade de São Paulo, mais de uma tonelada de garrafas PET. Famosa por patrocinar circuitos de corrida, a empresa arrecadou esses materiais na VII Meia Maratona Internacional de São Paulo, na Corrida Autismo e Realidade e na Corrida do Trabalhador, todas promovidas pela Yescom. O valor da venda foi revertido para a própria cooperativa. Desde 2003 a cooperativa atua no segmento de reciclagem, empregando aproximadamente 300 catadores na cidade de São Paulo e beneficiando, indiretamente, cerca de 900 pessoas. Hoje, coleta mensalmente cerca de 140 toneladas de materiais recicláveis, contribuindo para a diminuição dos problemas ambientais gerados por esses resíduos. Ano passado, a Água Schin esteve presente como patrocinador de mais de 50 competições esportivas, como a Volta da Pampulha, Corrida Contra o Câncer de Mama e também a São Silvestre.

Conferência Internacional da Indústria do PET Acontecerá nos dias 26 e 27 de junho, em São Paulo, a segunda edição da Conferência Internacional da Indústria do PET, realizada pela Associação Brasileira da Indústria do PET (Abipet), com o objetivo de reunir as mais importantes indústrias do setor. Nos dois dias de evento serão apresentadas palestras de conteúdo técnico e informativo, novos números do mercado de reciclagem e novidades em tecnologia que aumentam a produtividade para a indústria das embalagens de PET e o respeito com o meio ambiente. Um bloco inicial irá tratar da Política Nacional de Resíduos Sólidos, e o trabalho do setor para o cumprimento da lei e como serão afetadas as indústrias do PET. A conferência reunirá os principais players do setor mundial com vários nomes importantes já confirmados.

Drinktec 2013 em Munique Considerada o maior evento para o segmento de bebidas e alimentos líquidos, a Drinktec 2013, organizada pela Messe München Internacional, será realizada de 16 a 20 de setembro, no New Munich Trade Fair Centre, em Munique, na Alemanha. São esperados cerca de 60 mil visitantes, de 170 países, que irão encontrar nos 12 pavilhões do evento cerca de 1.500 expositores. Aproximadamente dois terços desses mostrarão tecnologias específicas para a fabricação, acondicionamento e enchimento de água, suco e refrigerantes, dando ênfase a como reduzir os custos da embalagem, consumo de material, design, etc. Do total de visitantes, cerca de 45% estão ligados ao segmento de bebidas, sendo que aproximadamente 800 deles são brasileiros. O evento é realizado a cada quatro anos desde 1951, e na última edição, em 2009, foram mais de 1.300 expositores, de 72 países, com 591 expositores da Alemanha e 797 de países diversos, e mais de 58.000 visitantes. 26

Diretoria Cláudia Queiroz claudia@revistamercadodeaguas.com.br Sérgio Henrique sergio@revistamercadodeaguas.com.br Jornalista Responsável Edna Simão - MTB 27073 redacao@revistamercadodeaguas.com.br Revisão Cidnei Soares Publicidade publicidade@revistamercadodeaguas.com.br (11) 2918-2280 Diagramação Arte Ativa Comunicação Assinatura assinatura@revistamercadodeaguas.com.br

A Revista é uma publicação da Ativa Comunicação, com periodicidade trimestral e circulação nacional. Dirigida à engarrafadoras de água e bebidas, distribuidoras de água e gás, fornecedores de embalagens, máquinas, equipamentos, aço inox, aromas e essências, acessórios para distribuidoras, veículos, triciclos, sidecars, semirreboques, laboratórios de análises, prestadores de serviço em informática, geologia e consultoria, estâncias hidrominerais, e demais profissionais e empresas ligados ao setor de água mineral. *O conteúdo dos anúncios, artigos e informes publicados é de responsabilidade dos autores e não refletem necessariamente a opinião da Editora.

Fone/fax: (11) 2918-2280

ativa@revistamercadodeaguas.com.br www.revistamercadodeaguas.com.br www.guiamercadodeaguas.com.br


Revista Mercado de Águas - Edição 52  

Publicação dirigida ao setor de águas minerais, desde o ano de 2000. O verdadeiro canal de informação e negócios.

Advertisement