Issuu on Google+

MATCH DAY PROGRAMA OFICIAL Número 7 - Março de 2010

4/3/2010 - Quinta-Feira Campeonato Paulista

Vs

17h00 - Pacaembu São Paulo - SP


SALVE O CORINTHIANS, O CAMPEÃO DOS CAMPEÕES

EDITORIAL Salve, salve, nação corintiana! Após começarmos com o pé direito na estreia da Copa Libertadores, nós voltamos novamente para casa, o Pacaembu, em busca de mais uma vitória. A MATCH DAY serve de bandeja para você fiel torcedor alguns aperitivos para mais este grande jogo, agora pelo Campeonato Paulista. Nesta edição, o nosso garoto Dentinho é o personagem principal. Corintiano de nascimento, o atacante desde as categorias de base tem como principal característica o faro de artilheiro. Boa praça, ele nunca esquece o seu berço e, na comemoração dos seus gols, presta homenagens aos pais, cujos nomes estão tatuados nos seus braços. Além disso, Dentinho é um dos xodós do elenco. E o craque Ronaldo o “adotou” como filho.

EXPEDIENTE A MATCH DAY, Programa Oficial, é uma publicação da G8 Gestão Esportiva e Futebol Tour autorizada pelo Sport Clube CORINTHIANS Paulista.

Conselho Editorial: Diego Ragonha, Fernando Figueiredo Guilherme Figueiredo, Luis Fernando Dias e Paulo Sanches Textos: Alexandre de Aquino MTB 53110 Camila Goytacaz MTB 32222 Pesquisa de fotos: Alex Siriani

Fotografias: Futura Press Daniel Augusto Jr. e Renato Cordeiro Edição de Arte: Joh Stcheraws e Vitor Fontes Contatos Comerciais: Paulo Sanches (11) 7833-8063 Daniel Camillo (11) 4191-7949

É impossível esquecer que o Botafogo, o nosso adversário desta tarde, nos ajudou a ter um dos maiores jogadores do futebol mundial. Antes de brilhar e honrar a nossa camisa, o craque Sócrates, um dos idealizadores da Democracia Corintiana, deu os primeiros toques na bola atuando pelo clube de Ribeirão Preto que, mais uma vez, tem feito boa campanha no Paulista. A MATCH DAY vasculha o passado corintiano e mostra como superamos o longo período de seca e ressurgimos com conquistas que tanto nos orgulham e contribuíram para formar a imensa nação de torcedores apaixonados pelo time. Relembramos a invasão ao Maracanã em 1976, na semifinal do Brasileiro, contra o Fluminense. E rememoramos o inesquecível gol de Basílio, na final do Paulista de 1977, contra a Ponte Preta, imortalizado por nos ter tirado da fila de 22 anos sem títulos. Uma das últimas contratações deste ano, o zagueiro Leandro Castan demonstrou nas poucas vezes em que foi escalado por Mano Menezes que encarna o estilo que agrada o torcedor. Raçudo, forte na marcação, ele não brinca em serviço. É um verdadeiro xerife da defesa. É isso, torcedor. Ser corintiano, acima de tudo, é estar junto com o seu time e empurrá-lo do começo ao fim. Vai pra cima deles, TIMÃO!

Impressão: Gráfica Daleffi Tiragem: 10.000 exemplares

José Geraldo da Silva

Editor SOFREDOR FANÁTICO

4 PROGRAMA OFICIAL


eternamente dentro dos nossos corações

Fila? Que nada: é campeão! Na raça, TIMÃO conquista título paulista e coloca um ponto final na fila de 22 anos

Fim do jejum! É assim que todo o corintiano se lembra da década de 1970. O memorável gol de Basílio, marcado aos 36 minutos do segundo tempo na decisão do Paulista de 1977, contra a Ponte Preta, bastou para que a massa corintiana soltasse o grito de “campeão” preso na garganta. É verdade que antes disso, no entanto, o TIMÃO viveu traumatizado por vários fracassos. Exemplos claros foram a perda do Brasileiro de 1971, após liderar toda a primeira fase, e no ano seguinte a eliminação diante do Botafogo, nas semifinais. Houve também a decisão do Campeonato Paulista de 1974 em que encaramos o Palmeiras e não nos demos bem, mesmo com a nossa torcida em grande maioria no Morumbi. Ganhamos ao menos o Torneio do Povo em 1971 e o Laudo Natel em 1973. Mas quem disse que isso era título para um clube do porte do CORINTHIANS? As alegrias se resumiram a fatos isolados, vitórias em um ou outro clássico, como o histórico 4 a 3 sobre o Pal-

meiras, em jogo de turno do Paulistão de 1971, em que o ALVINEGRO chegou a estar em desvantagem no placar em 2 a 0 e 3 a 2, mas conseguiu a virada triunfal. As coisas começaram a tomar um novo rumo apenas em 1976. No histórico dia 5 de dezembro, mais de 70 mil CORINTIANOS pintaram o Maracanã de preto e branco e empurram o time para cima do Fluminense, na semifinal do Brasileiro, proporcionando um espetáculo inesquecível. De lá saímos vitoriosos, nos pênaltis. Mas na final, nós batemos na trave diante do Internacional-RS, do volante Falcão, na final do Brasileiro. É verdade que a conquista, mais uma vez, escorregou de nossas mãos. Porém, o belo futebol aliapresentado nos encheu de esperança. E no ano seguinte, enfim, saímos da fila de 22 anos do Paulista, diante da Ponte Preta, com o célebre gol de Basílio, que virou até filme. Dali pra frente reencontramos o caminho dos bons resultados. Em 1979, conquistamos outra vez em cima da Ponte o título do Paulistão. Os troféus voltaram a preencher nossas prateleiras.

Números do confronto em toda a história Total de jogos:

94

Vitórias: 49 Empates: 35 Derrotas: 10 Gols Pró: 173 Gols Contra: 88

Jogos por campeonato

Últimos confrontos

Campeonato Brasileiro 4 jogos 4 vitórias

27/5/2001 CORINTHIANS 0 x 0 Botafogo Campeonato Paulista

Campeonato Paulista 83 jogos 42 vitórias 31 empates 10 derrotas

8/8/2001 CORINTHIANS 3 x 2 Botafogo Campeonato Brasileiro

Amistosos: 8 jogos 4 vitórias 4 empates

1/2/2003 Botafogo 0 x 2 CORINTHIANS Campeonato Paulista 28/1/2009 CORINTHIANS 2 x 0 Botafogo Campeonato Paulista

Curiosidades O primeiro duelo aconteceu em 2/5/1954, um amistoso disputado no estádio Luís Pereira em Ribeirão Preto. O jogo acabou com uma goleada Corintiana: 5 a 1. Nardo do Corinthians foi o autor do primeiro gol do duelo. 6 PROGRAMA OFICIAL


nossa casa Dados oficiais Nome oficial: Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho Capacidade atual: 37.952 pessoas, segundo a FPF Inauguração: 27 de Abril de 1940 Curiosidades 1º jogo: 28 de Abril de 1940 Palestra 6 x 2 Coritiba Corinthians 4 x 2 Atletico-MG Obs.: Um dia após a finalização das obras do estádio, o mesmo foi inaugurado com uma rodada dupla. Numa época em que a rivalidade não era tão exacerbada.

CANTO POR TI “A maré tá cheia Tá, tá ,tá, tá, tá Cheia de sereia E o TIMÃO querendo golear Caiu na rede é peixe Le, lea O TIMÃO vai golear”

Quando a família corintiana está em festa, a experiência no estádio se torna memorável. O jogador se inflama, o time todo se empolga e a chance de vitória é maior. Faça sua parte: Compre seu ingresso de forma antecipada e/ou pela internet; Leve troco, caso vá adquirir a entrada nas bilheterias do Pacaembu; Respeite a fila e mantenha a ordem; Cante apenas em prol do time ou de seu ídolo. Evite provocações; Esqueça os rojões e sinalizadores. Eles podem provocar acidentes; Sente no lugar marcado previsto no ingresso; Se consumir alimentos, busque uma lixeira para dispensar papeis e plásticos; Quando usar o banheiro, colabore para a higiene do local. 7 PROGRAMA OFICIAL


SALVE O CORINTHIANS, DE TRADIÇÕES E GLÓRIAS MIL

Garoto família

Sempre que faz um gol, o atacante Dentinho beija os braços, onde fez uma homenagem e tatuou o nome dos seus pais, Adonias e Nice. “São as pessoas que eu mais amo no mundo e tive a vontade de homenageá-los”, conta o artilheiro. “Agora, a cada gol que fizer, eu vou dar um beijo em cada um deles”, brinca. 8 PROGRAMA OFICIAL


Por um lugar entre os onze Dentinho busca reconquistar o técnico Mano Menezes e reeditar ataque vitorioso com Ronaldo e Jorge Henrique Bruno Ferreira Bonfim, ou Dentinho como ficou conhecido no CORINTHIANS, luta para recuperar o seu espaço no TIMÃO. Titular absoluto no Campeonato Brasileiro da Série B e nos títulos do Campeonato Paulista e da Copa do Brasil no ano passado, o jovem atacante ficou em segundo plano após a chegada dos novos reforços para a disputa da Libertadores. O atacante Iarley e os meias Tcheco e Danilo, mais experientes, iniciaram a temporada em um patamar acima de Dentinho. O TIMÃO, que era acostumado a jogar com três atacantes, mudou a formação tática e passou do esquema 4-4-3 para o 4-4-2 para aproveitar melhor os seus dois meias. Quando a equipe é escalada com três atacantes, Iarley tem sido a primeira opção do técnico Mano Menezes. Esquecido, Dentinho não se abala, promete se dedicar ainda mais, usar o seu talento e habilidade para mudar este panorama e reconquistar o seu prestígio.

E as coisas nem sempre foram fáceis para o atacante. Basta recordar o começo de sua carreira. Nascido em São Paulo, o atleta foi revelado nas categorias de base do clube. E logo no seu primeiro ano como profissional, enfrentou um dos momentos mais conturbados da história do ALVINEGRO. Participou da trágica campanha que culminou com o rebaixamento para a Série B do Brasileiro em 2007. Por causa disso, ele correu o risco de ficar marcado pela queda, por ter sido um dos titulares naquela campanha. “A pressão era muito grande. Você não podia errar porque o time poderia cair. Chegava na cara do gol e a trave diminuía”, relembra. Corintiano assumido, ele prometeu tirar o nosso TIMÃO da segundona e ficou para a disputa da Série B no ano seguinte. Deu certo. Dentinho demonstrou grande qualidade e também faro de artilheiro. Foi de extrema importância ao longo de toda a temporada, virou dono absoluto da sua posição e xodó da Fiel. Em 2009, ganhou Ronaldo e Jorge Henrique como parceiros no ataque e ajudou a equipe a arrebentar nas conquistas da Copa do Brasil e do Paulistão. No final do ano passado, a diretoria o procurou para renovar o seu contrato. O atacante aceitou e estendeu o seu vínculo até o final de 2013. A multa rescisória no caso de uma negociação para o exterior ficou estipulada em 36 milhões de euros (R$ 93 milhões). Mas que Europa que nada, o atacante quer mesmo é recuperar a condição de titular e brilhar conosco na Copa Libertadores. “Agora a disputa é por uma posição na equipe titular. Tenho condições e vou batalhar por um lugar na equipe”, avisa.

9 PROGRAMA OFICIAL


TU ÉS ORGULHO DOS DESPORTISTAS DO BRASIL

MOSQUETINHO

Imagine que emoção deve ser jogar pelo CORINTHIANS! Entrar com nosso sagrado manto, tocando a bola, louco para arrasar em campo. Agora, imagine viver esta emoção não apenas uma, mas 800 vezes! Pois é, no Almanaque que ganhei do papai, que conta tudo do TIMÃO, aprendi que Wladimir, nosso querido lateral-esquerdo, atuou simplesmente em 803 partidas! Outros oito jogadores chegaram a participar de mais de 500 partidas, o que não é para qualquer um! Quando vi esses números, não pude evitar pensar no nosso querido Ronaldo, e pedi para o Papai do céu dar a ele muita saúde e muita força para que ele jogue mais de mil partidas pelo CORINGÃO! Sonhar não custa nada, e criança pode sonhar à vontade!

ANINHA FIEL

Gosto muito de bater perna e comprar roupinhas. Nesses dias, nas minhas andanças pelas lojas, eu tive uma grata surpresa. Descobri que lá, onde é o centro de compras de moda, o bairro do Bom Retiro, foi onde nasceu nosso CORINGÃO! A rua hoje tem o nome de José Paulino, mas naquela época se chamava avenida dos Imigrantes. Foi ali, em 1910, que alguns homens de vida humilde, entre eles dois pintores e um sapateiro, decidiram fundar o TIMÃO. O nome foi escolhido para homenagear o time inglês Corinthian Football Club. A elite que comandava o futebol da época achava que este time não teria vida longa. Para patrocinar o projeto, encontraram um alfaiate com poder aquisitivo, o Miguel Bataglia, que foi o primeiro presidente do TIMÃO.

10 PROGRAMA OFICIAL

10 PROGRAMA OFICIAL

E assim começou a vida dessa equipe cheia de garra e que hoje tanto se orgulha de ter a maior torcida do Brasil. Achei emocionante perceber que as ruas da nossa cidade se encontram e se misturam com a história do nosso futebol corintiano! Quem quiser conferir, vai até lá e observe. Tem até um marco em homenagem a esse grande momento, que se torna ainda mais especial neste ano do centenário! Até a próxima!


TEU PASSADO É UMA BANDEIRA, TEU PRESENTE UMA LIÇÃO

Estou na área Zagueiro ágil e técnico, Leandro Castan tenta impressionar Mano Menezes com seu futebol

No CORINTHIANS é assim: quem chega tem que mostrar serviço para conseguir uma vaga no time titular. Com o zagueiro Leandro Castán não é diferente. É difícil acreditar que William e Chicão perderão seus postos, mas, com o revezamento feito na equipe, partidas como esta contra o Botafogo são essenciais para que o nosso novo contratado mostre seu futebol e adquira a confiança do técnico Mano Menezes. Ciente disso, o defensor não pode dar bobeira. E todas as oportunidades que tem procura deixar uma boa impressão. Foi assim diante da Portuguesa, quando a sua atuação arrancou elogios do comandante ALVINEGRO. “Ele vestiu a camisa de um time grande e teve muita personalidade”, analisou o técnico corintiano. O diretor de futebol Mário Gobbi também enalteceu o novo defensor. “É um zagueiro canhoto de qualidade. Nós procurávamos alguém com o perfil dele para o nosso elenco”, afirma o dirigente. Nascido em Jaú, interior de São Paulo, Leandro Castan começou a carreira no Atlético-MG, onde ga-

nhou grande destaque ao conquistar o Campeonato Brasileiro da Série B, em 2006. No ano seguinte, foi campeão mineiro. Ainda em 2007, o boleiro teve sua única passagem pela Europa, onde defendeu o Helsingborg, na Suécia. Mas em 2008, ele já estava de volta ao Brasil para jogar pelo Barueri. As suas boas atuações ajudaram a abrir as portas do TIMÃO. “Ele fez um bom Brasileiro. Participou de uma das melhores defesas do Nacional. Eu o vejo como um bom jogador e de muito potencial”, avalia Mano. “É complicado falar de si mesmo. O principal do zagueiro é evitar o gol. Tenho de melhor a técnica e a velocidade”, analisa o zagueirão. O fato é que Castan estava quase certo com o Grêmio, mas o defensor pensou melhor e resolveu vir para o Parque São Jorge. Mesmo sabendo da dura concorrência que iria enfrentar, ele arriscou. É por isso que acreditamos e torcemos para que ele possa melhorar a cada dia com a camisa do nosso ALVINEGRO. Força Leandro, não dá mole para o rival não!

Números que chamaram a atenção do CORINTHIANS 51 jogos fez pelo Barueri, sendo 22 vitórias, 15 empates e 14 derrotas Marcou 3 gols e tomou 22 cartões amarelos e nenhum vermelho

Pelo Paulistão

Pelo Brasileirão

Pelo CORINTHIANS

18 Jogos 8 Vitórias 4 Empates 6 Derrotas 8 Cartões Amarelos 2 Gols

33 Jogos 14 Vitórias 11 Empates 8 Derrotas 14 Cartões Amarelos 1 Gol

2 jogos 2 empates Nenhum cartão Nenhum gol

Jogos que particiou no TIMÃO CORINTHIANS 0 x 0 Rio Branco Portuguesa 1 x 1 CORINTHIANS

12 PROGRAMA OFICIAL


13 PROGRAMA OFICIAL


FIGURAS ENTRE OS PRIMEIROS DO NOSSO ESPORTE BRETÃO

PLANTEL

Felipe

Alessandro

Posição: Goleiro Nome: Luís Felipe V. dos Santos Natural: Rio de Janeiro-RJ Nascimento: 22/2/84 Altura: 1,90m

Posição: Lateral-direito Nome: Alessandro Mori Nunes Natural: Assis Chateaubriand-PR Nascimento: 10/1/79 Altura: 1,78m

Julio César

Balbuena

Posição: Goleiro Nome: Julio Cesar de Souza Santos Natural: São Paulo-SP Nascimento: 27/10/84 Altura: 1,84m

Posição: Lateral-direito Nome: Edgar Gabriel Balbuena Natural: Capiatá (PAR) Nascimento: 20/11/80 Altura: 1,80m

Rafael Santos

Moacir

Posição: Goleiro Nome: Rafael de Carvalho Santos Natural: Barretos-SP Nascimento: 14/3/89 Altura: 1,89m

Posições: Lateral-direito e Volante Nome: Moacir Costa da Silva Natural: Recife-PE Nascimento: 14/2/86 Altura: 1,84m

Chicão

Roberto Carlos

Posição: Zagueiro Nome: Anderson S. Cardoso Natural: Mogi Guaçu-SP Nascimento: 03/6/81 Altura: 1,82m

Posição: Lateral-esquerdo Nome: Roberto Carlos da Silva Natural: Garça-SP Nascimento: 10/4/73 Altura: 1,68m

William

Escudero

Posição: Zagueiro Nome: William M. de Oliveira Natural: 24/8/76 Nascimento: Ipatinga-MG Altura: 1,91m

Posição: Lateral-esquerdo Nome: Sergio Escudero Natural: Punta Alta (ARG) Nascimento: 12/4/83 Altura: 1,93m

Paulo André

Marcelo Mattos

Posição: Zagueiro Nome: Paulo André Cren Benini Natural: Campinas-SP Nascimento: 20/8/1983 Altura: 1,88m

Posição: Volante Nome: Marcelo de Mattos Terra Natural: Indiaporã-SP Nascimento: 10/2/84 Altura: 1,79m

Leandro Castan

Jucilei

Posição: Zagueiro Nome: Leandro Castan da Silva Natural: Jaú-SP Nascimento: 5/11/86 Altura: 1,84m

14 PROGRAMA OFICIAL

Posição: Volante Nome: Jucilei da Silva Natural: São Gonçalo-RJ Nascimento: 6/4/88 Altura: 1,85m

Obs.: COMPÕEM O ELENCO AINDA O ZAGUEIRO RENATO, o lateral-esquerdo dodô. Dados OFICIAIS DO CLUBE


Legenda titular ou reserva

P

10

nota na partida

Interaja com a MATCH DAY: assinale os titulares dessa partida e atribua notas para cada um deles. Mande as notas para: www.twitter.com/matchdaytimao

Ralf

Danilo

Posição: Volante Nome: Ralf de Souza Teles Natural: São Paulo–SP Nascimento: 9/6/84 Altura: 1,82m

Posição: Meia Nome: Danilo Gabriel de Andrade Natural: São Gotardo-MG Nascimento: 11/6/79 Altura: 1,86m

Edu Gaspar

Ronaldo

Posições: Volante e Meia Nome: Eduardo Cesar D. Gaspar Natural: São Paulo-SP Nascimento: 16/5/78 Altura: 1,89m

Posição: Atacante Nome: Ronaldo Luís N. de Lima Natural: Rio de Janeiro-RJ Nascimento: 22/9/76 Altura: 1,83m

Elias

Jorge Henrique

Posições: Volante e Meia Nome: Elias Mendes Trindade Natural: São Paulo-SP Nascimento: 16/5/85 Altura: 1,72m

Posição: Atacante Nome: Jorge Henrique de Souza Natural: Resende-RJ Nascimento: 23/4/82 Altura: 1,69m

Morais

Dentinho

Posição: Meia Nome: Manoel Morais Amorim Natural: Maceió-AL Nascimento: 17/7/84 Altura: 1,75m

Posição: Atacante Nome: Bruno Ferreira Bonfim Natural: São Paulo-SP Nascimento: 19/1/89 Altura: 1,76m

Boquita

Souza

Posição: Meia Nome: Rafael Aparecido Silva Natural: São Paulo-SP Nascimento: 7/4/90 Altura: 1,79m

Posição: Atacante Nome: Rodrigo de Souza Cardoso Natural: Rio de Janeiro-RJ Nascimento: 4/3/82 Altura: 1,83m

Defederico

Iarley

Posições: Meia e Atacante Nome: Matias Adrian Defederico Natural: Buenos Aires (ARG) Nascimento: 23/8/89 Altura: 1,71m

Posição: Atacante Nome: Pedro Iarley Lima Dantas Natural: Quixeramobim-CE Nascimento: 28/3/74 Altura: 1,70m

Tcheco

Mano Menezes

Posição: Meia Nome: Anderson Simas Luciano Natural: Curitiba-PR Nascimento: 11/4/76 Altura: 1,80m

Técnico Nome: Luis Antônio V. de Menezes Natural: Passo do Sobrado-RS Nascimento: 11/6/62 Último Clube: Grêmio

15 PROGRAMA OFICIAL


CORINTHIANS GRANDE, SEMPRE ALTANEIRO

Novato Na área Com jogadores rodados e experientes, Botafogo tenta beliscar uma vaga nas semifinais

O Botafogo, de Ribeirão Preto, faz uma campanha surpreendente neste Paulistão. A equipe tenta aproveitar a irregularidade dos grandes e nossos rivais Palmeiras e São Paulo para beliscar uma vaguinha entre os quatro semifinalistas. Para isso, conta com a qualidade do meia Xuxa, que iniciou a carreira no Flamengo (SP) e já rodou por vários clubes paulistas, tais como Portuguesa, São Caetano e Barueri. Outro destaque que costuma não perdoar em frente ao gol é o atacante André Neles, que esteve no grupo do Palmeiras campeão do Brasileiro da Série B, em 2003. No meio-campo, Augusto Recife, que já teve passagens por Cruzeiro, Flamengo e Internacional, completa o time e dá um toque de qualidade. Além disso, ele protege a defesa do tricolor de Ribeirão. Clube que ficou famoso por revelar jogadores, casos dos irmãos Sócrates, que brilhou com a camisa do Corinthians, e Raí, que fez sucesso no São Paulo, o Botafogo não chega na segunda fase do torneio desde 2001. Naquele ano, aliás, a equipe não só sagrouse vice-campeã - perdeu a final para o Corinthians-, como despontaram excelentes jogadores para o futebol brasileiro. São os casos do goleiro Doni, atualmente na Roma e reserva de Júlio César na Seleção Brasileira, e o atacante Leandro, que atuou pelo São Paulo e hoje defende o Grêmio. Em 2005, no entanto, o clube viveu um drama e escalou um atleta sem registro na Federação Paulista. Resultado: acabou sendo penalizado com o rebaixamento para a Série A-3 do Paulista. Não tardou a subir. Em 2008, já estava de volta à elite. Neste ano, o clube pensa grande e está no páreo para brigar pelo título. Eles merecem ser tratados com atenção.

16 PROGRAMA OFICIAL


PLANTEL DO ADVERSÁRIO Botafogo futebol clube

Volantes

Goleiros Weverton Cléber Jamílton

Zagueiros

Freire Walter Leandro Amaro Cleiton Mattos

Ademir Sopa Augusto Recife Radamés Rodrigo Pontes Bruno Vinícius

Técnico Roberto Fonseca Atacantes Malaquias André Neles Willian Ricardinho Adriano

Meias

Xuxa Washington Fillipi Carlos Alberto João Henrique

Laterais-direitos Jackson Cássio Jonas

Laterais-esquerdos Vando Andrezinho

17 PROGRAMA OFICIAL


ÉS DO BRASIL, O CLUBE MAIS BRASILEIRO

TABELA DE jogos

paulistão 1ª rodada

3ª rodada

27/1 - 21h50

4ª rodada

5ª rodada

Oeste x corinthians

corinthians x Mirassol

corinthians x Palmeiras

20/1 - 21h50

Monte Azul x corinthians corinthians x Bragantino PLACAR

1

24/1- 17h

2ª rodada

17/1 - 17h

PLACAR

1

2

PLACAR

1

1

31/1 - 17h

PLACAR

2

1

PLACAR

1

1

0

Santa Cruz

Pacaembu

Fonte Luminosa

Pacaembu

Pacaembu

6ª rodada 3/2 - 21h50

7ª rodada 6/2 - 17h

8ª rodada 13/2 - 17h

9ª rodada 17/2 - 21h50

10ª rodada 20/2 - 19h30

Ponte Preta x corinthians corinthians x Sertãozinho Portuguesa x corinthians Mogi Mirim x corinthians corinthians x Rio Branco PLACAR

2

PLACAR

1

4

PLACAR

0

1

PLACAR

1

0

Moisés Lucarelli

Pacaembu

Canindé

Papa João Paulo II

11ª rodada* 28/2 - 17h

12ª rodada 4/3 - 17h

13ª rodada 7/3 - 16h

14ª rodada 13/3 - 16h

Santos x corinthians

PLACAR

3

0

corinthians x Botafogo São Caetano x corinthians corinthians x Santo André

PLACAR

0

Arena Barueri 15ª rodada 21/3 - 16h Barueri x corinthians

PLACAR

PLACAR

PLACAR

PLACAR

Vila Belmiro

Pacaembu

Anacleto Campanella

Arena Barueri

Eduardo José Farah

16ª rodada 24/3 ou 25/3 - A definir

17ª rodada 27/3 ou 28/3 - A definir

18ª rodada 3/4 ou 4/4 - A definir

19ª rodada 7/4 - 21h50

corinthians x Paulista

corinthians x São Paulo

Ituano x corinthians

corinthians x Rio Claro

PLACAR

PLACAR

PLACAR

PLACAR

Arena Barueri

Pacaembu

Novelli Jr.

Pacaembu

Obs.: Só jogos da primeira fase do Campeonato Paulista. * Partida realizada após o fechamento da revista

libertadores primeira fase 28/1 - 17h10

A.Júnior x Racing Montevideo PLACAR

2

2

SEGUNDA fase 1ª rodada 24/2 - 21h50 corinthians x Racing

2ª rodada 10/3 - 19h50

3ª rodada 17/3 - 20h50

I. Medellín x corinthians

PLACAR

PLACAR

Cerro Porteño x corinthians PLACAR

2

1

M. Roberto Meléndez

Pacaembu

Atanasio Girardot

La Olla

4/2 - 20h10

4ª rodada 1/4 - 19h15

5ª rodada 14/4 - A definir

6ª rodada 22/4 - 21h50

corinthians x Cerro Porteño

Racing x corinthians PLACAR

corinthians x I. Medellín

PLACAR

Pacaembu

A definir

Pacaembu

Racing Montevideo x A.Júnior PLACAR

2

0

Parque Osvaldo Roberto

18 PROGRAMA OFICIAL

PLACAR


Chega de violência RCEDOR

ESTATUTO TO

O futebol é o grande entretenimento do brasileiro. O Estatuto do Torcedor prevê as responsabilidades de dirigentes quanto à segurança e conforto nos estádios. Confira os principais artigos. Saiba que o clube colocadisposição o serviço de Ouvidoria. Além disso, foi recém criado o Juizado do Torcedor, no Fórum da Barra Funda, mais um órgão disponível para suas reclamações.

segusabilidade pela Art. 14 - A respon vo é rti po or em evento es ntorança do torced te de a tiv ática despor tes, da entidade de pr en rig di us se jogo e de ra do mando de que deverão: der Público com I – solicitar ao Po de s ico bl pú s ça de agente petente a presen dos, remente identifica da vi segurança, de rcedores segurança dos to sponsáveis pela s locais ai s estádios e dem dentro e fora do s; vo rti eventos espo de realização de

TRÉGUA, JUIZÃO Se você pudesse estar no gramado, qual função escolheria? Certamente não seria a de juiz ou bandeirinha. Além de suas profissões formais, as pessoas nesses "cargos" se dedicam a legitimar o resultado da partida, embora às vezes errem. Se você vai reclamar, faça isso dentro dos limites da desportividade, e com conhecimento da regra do jogo.

Realidade

só No tiro de meta, a bola ir sa do an qu o jog entra em a. áre e da grand a de Correto. Ela será chutad a área, qualquer ponto da pequen permanecer e os adversários devem da fora dela. Caso ela não saia etido grande área, o tiro será rep pela equipe defensora.

Mito

Todo toque de mão de um jogador de linha merece cartão amarelo.

Mentira. O cartão amarelo deve ser mostrado a um jog ador quando ele toca acintosam ente a bola com a mão para im pedir que um adversário a receb a, especialmente em lances de contr a-ataque ou em zonas de risco, e qu ando tenta marcar um gol. Não se ndo uma atitude deliberada, em reg iões intermediárias do camp o, o cartão deve permenecer no bo lso do árbitro.

19 PROGRAMA OFICIAL



Corinthians x Botafogo SP