Issuu on Google+

www.maises.com.br | 11ª edição - Outubro de 2013 - R$ 5,00

Faculdade pioneira

completa aniversário Em 1º de setembro de 1965 nascia, em Cachoeiro, a instituição que faria história no ensino superior do Espírito Santo


Integração do Transporte Coletivo Urbano * O sistema integrado permite ao usuário embarcar em mais de um ônibus, de diferentes destinos, pagando apenas por uma passagem. O passageiro deve usar o cartão de bilhetagem eletrônica, implantado em 2010, para ter acesso ao benefício. * Embora contemple, nesta etapa inicial, duas regiões – Bela Vista e desde o dia 09/09, Novo Parque – o sistema beneficia todos os usuários com a possibilidade de utilizar as novas linhas de integração. * Atualmente, as linhas funcionam prioritariamente no modelo diametral: de bairro a bairro. Para adequar as linhas à integração, o modelo prioritário será o radial, com trajeto dos bairros ao centro. * Cada ponto de embarque e desembarque funciona como um terminal da integração. Os passageiros não ficam mais restritos aos itinerários das linhas que atendiam o seu bairro ou região. Estão ligados a todas as linhas do sistema de transporte municipal. * Os ônibus adequados ao sistema estão identificados com os dizeres “Linha Integrada”. Nesta fase inicial, para embarcar em dois ônibus e pagar só uma passagem, é obrigatório que o primeiro ou o segundo trajeto seja feito em um dos ônibus identificados.

Economia e Pontualidade Economia Durante os primeiros 30 dias da integração do transporte urbano em Cachoeiro de Itapemirim, apenas nas linhas da região do Bairro Bela Vista, os passageiros economizaram, juntos, mais de R$ 20 mil. Mais de 10 mil passagens deixaram de ser pagas pelos usuários do transporte coletivo na cidade. Até o final de dezembro todas as linhas de Cachoeiro de Itapemirim devem estar integradas. Pontualidade A pontualidade dos ônibus também marcou a fase de teste. A menor distância percorrida pelos ônibus que operam as novas linhas radiais trouxe regularidade para os horários. As mudanças viárias realizadas na região central da cidade, necessárias ao projeto de integração e que fazem parte do plano de mobilidade urbana "Cachoeiro em Movimento”, contribuíram para isso.

28 3511 - 7077 | 28 9917 - 3262 | 0800 283 4048 http://agersa.es.gov.br | agersa@agersa.es.gov.br


4

A Faculdade tem início quando, entendendo o desejo de vários segmentos da sociedade e atendendo as necessidades de um povo emergente, inserido num contexto de profundas transformações, a Prefeitura de Cachoeiro assumiu, em 1965, a responsabilidade histórica de concretizar este desejo: instituiu como Autarquia Municipal a Faculdade de Direito de Cachoeiro de Itapemirim, através da Lei Municipal Nº 971 de 01/09/1965. Ao longo dos anos, a Faculdade conquistou credibilidade e respeito. Prezando pela excelência na arte de ensinar Direito, conseguiu seu reconhecimento renovado pela avaliação institucional do MEC no ano de 2012, obtendo nota 4 dos 5 pontos possíveis. A FDCI tem firmado parcerias e proporcionado aos seus alunos e professores oportunidades para aliar o conhecimento teórico à prática, desmistificando a ideia de que os Tribunais Superiores e o direito aplicado em outros países estão distantes da realidade local. Com os professores que possuem titulação de Doutores, Mestres e Especialistas, 65% ex-alunos, a FDCI também é reconhecida pelo alto índice de aprovação no Exame da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil). É a faculdade que mais aprova no Sul do Estado. Parte dos alunos obtém aprovação antes mesmo do término de sua formação. A estrutura física, inaugurada em 2007, em Morro Grande, contribui para o sucesso. No local, construído de acordo com as normas de responsabilidade ambiental, a modernidade e conforto, aliados ao projeto pedagógico impulsionam a história de anos de sucesso da FDCI, que, aos 48 anos, continua a evoluir e assim se mantém, sempre, entre as referências em ensino superior no cenário capixaba.

educação

Um das mais tradicionais instituições de ensino superior do Espírito Santo completou 48 anos no dia 1º de setembro. A Faculdade de Direito de Cachoeiro de Itapemirim (FDCI), desde a década de 1960, forma renomados juristas de destaque local, estadual e até nacional.

saúde

Há 48 anos fazendo direito

contraponto

Ao longo dos anos, a Faculdade de Direito de Cachoeiro conquistou credibilidade e respeito

Política, cultura, economia e de tudo um pouco dos bastidores da notícia

A instituição, que completou 48 anos no dia1º de setembro, já formou mais de 4,3 mil advogados

6

8

Essa iniciativa também pretende contribuir na melhor qualidade do atendimento

12

Anúncio foi feito pela Milanez & Milaneze e o grupo italiano VeronaFiere durante a maior feira do setor de rochas ornamentais do mundo na Itália

14

Diretor

Wagner Santos wagnersantos25@hotmail.com Roney Moraes roneyamoraes@gmail.com

Contato da redação: (28) 3511-7481

Dep. Comercial:

Elenir Atalaia - (28) 9951 - 8687 Lília Argeu - (28) 9919-5558 liliaargeu@r7.com

economia

Editor

Contato comercial (28) 3511-7481 (28) 3301-0058

Editoração/Design/Web: Fotos:

Divulgação GRÁFICA E EDITORA

Críticas, comentários e sugestões: revistamais.es@gmail.com

WWW.JORNALFATO.COM.BR

Revista Mais ES (06.056.026/0001-38) Rua Bernardo Horta, 81, bairro Guandu Cachoeiro de Itapemirim – ES - Cep 29.300-795

cultura

Gil Velasco contato@gilvelasco.com

A programação finda as comemorações do centenário do “Sabiá da Crônica”

17


geral

5

Governo leva telefonia móvel e internet para áreas rurais do Espírito Santo

O

Governo do Espírito Santo vai contratar empresa especializada para instalar serviços de telefonia móvel e Internet 3G em mais 71 localidades rurais de 60 municípios de todas as regiões do Espírito Santo. A ação é da Secretaria de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag), dentro do programa ‘Comunicação no Campo’, com investimentos que podem chegar a R$ 21,3 milhões. Durante a solenidade, ocorrida neste mês, foi apresentado aos prefeitos e lideranças dos municípios beneficiados - as localidades rurais que serão contempladas e o cronograma prévio de instalação dos serviços. Cerca de 1000 participantes compareceram à atividade, dentre eles 51 prefeitos municipais, 14 deputados estaduais, quatro deputados federais, secretários de Estado entre outras autoridades. O governador Casagrande lembra que as estradas são fatores de integração, de desenvolvimento, e que, da mesma forma, a comunicação por telefone móvel e a internet são essenciais para garantir um futuro melhor para quem vive no campo. “Nosso desejo é levar sinal de internet e telefonia a todos os cantos do Espírito Santo, porque qualidade de vida é essencial para quem decide viver no campo, e a tecnologia também garante essa condição”, disse. De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de 145.466 pessoas vivem nas regiões das comunidades que serão beneficiadas. A expectativa da Seag é definir a empresa vencedora, de acordo com os prazos legais, e

iniciar a implantação das torres de telefonia móvel e Internet 3G no mês de novembro. “O Comunicação no Campo é um programa inédito no Brasil. Levamos o que há de melhor em sinais de telefone e internet existentes no país”, ressalta o secretário de Estado da Agricultura, Enio Bergoli. Claro, Oi, Tim e Vivo poderão participar do Chamamento Público para realizar os serviços, que estarão divididos em lotes. A vencedora será aquela que apresentar a melhor proposta. O Governo vai investir até R$ 300 mil para a implantação de cada torre e o pagamento não necessitará de desembolso antecipado. Os custos de implantação serão da operadora vencedora, que após a conclusão dos trabalhos terá o valor investido descontado do ICMS devido ao Estado. Esse modelo foi o adotado no Projeto Piloto que instalou recentemente telefonia móvel e Internet 3G nas localidades de Barra do Mangaraí (Santa Leopoldina), Garrafão (Santa Maria do Jetibá), São Jorge Tiradentes (Rio Bananal), Conceição do Muqui (Mimoso do Sul), Pacotuba (Cachoeiro de Itapemirim), Córrego Moacir (Governador Lindenberg), Laginha de Pancas e Vila Verde (Pancas), Pedra Menina (Dores do Rio Preto) e Vinhático (Montanha), beneficiando, aproximadamente, 36 mil pessoas, de acordo com o IBGE. “Para gerar oportunidades no interior, temos de fazer um forte investimento na agricultura. Este programa confirma os objetivos principais do Governo, que são o desenvolvimento regionalmente equilibrado e a atenção maior a quem mais precisa”, destaca o governador Renato Casagrande.

Município Afonso Cláudio Afonso Cláudio Águia Branca Água Doce do Norte Alegre Alegre Alfredo Chaves Alto Rio Novo Anchieta Apiacá Atílio Vivacqua Baixo Guandu Barra de São Francisco Barra de São Francisco Boa Esperança Brejetuba Cachoeiro de Itapemirim Castelo Castelo Colatina Colatina Colatina Conceição do Castelo Divino São Lourenço Domingos Martins Domingos Martins Ecoporanga Fundão Guaçuí Guarapari Ibatiba Ibiraçu Ibitirama Iconha Irupi Itaguaçu Itarana Iúna Iúna Jaguaré Jerônimo Monteiro João Neiva

Distrito Serra Pelada Pontões Córrego do Café Santo Agostinho Anutiba Café São Bento de Urânia Vila Palmerino Joeba Bonsucesso Praça do Oriente Alto Mutum Preto Paulista Monte Sinai São José do Sobradinho São Jorge São Vicente Estrela do Norte Limoeiro Ponte do Pancas Itapina Reta Grande Anghá Patrimônio da Penha Tijuco Preto Melgaço Imburana Encruzo São Pedro de Rates Baía Nova Santa Clara Rio Lampê Santa Marta Duas Barras Santa Cruz de Irupi Itaçu Alto Jatibocas São João do Príncipe Trindade Girau Gironda Barra do Triunfo

Edição

Outubro 2013

Campo se conecta ao mundo

11ª


6

contraponto .................................................................................................................

.......................................................................................

Política, cultura, economia e de tudo um pouco dos bastidores da notícia

11ª Edição

Outubro 2013

MP INSIStE O ex-prefeito de Cachoeiro, Roberto Valadão (PMDB), não teve tempo para comemorar a nulidade do processo de improbidade administrativa que acabou afastando-o do cargo no fim de 2008. O Ministério Público insiste e, como os mesmos argumentos, em recorrer da decisão da 3ª Vara Criminal de Cachoeiro de Itapemirim, que arquivou processo em desfavor do ex-prefeito da cidade. FErrAÇo NA ESPrEItA

JUDICIÁrIo EXECUtA O prefeito interino de Marataízes, Robertino da Silva (PT), o Tininho, anunciou que vai tomar providências “jurídicas e políticas” para garantir a realização de eventos no balneário. A juíza da Vara dos Feitos da Fazenda Pública Municipal, Claudia Cesana Sangali de Mello Miguel, proibiu os eventos por um ano após o cumprimento de termo de ajuste de conduta (TAC), por problemas em unidades de saúde e no posto da Barra. A medida inviabiliza, por dois anos seguidos, a programação de verão, o carnaval, e festejos tradicionais do município, como as festas das Canoas, de emancipação política e do Abacaxi.

O presidente da Assembleia Legislativa, Theodorico de Assis Ferraço (DEM), está anaslisando o cenário político local e nacional para decidir o seu futuro. Ele diz que ainda não sabe que caminho vai seguir nas eleições do ano que vem. As possibilidades são tentar a reeleição ou se candidatar a deputado federal, mas ele atualmente diz que pode até não se candidatar a nada. Será? PALEStrA NA FDCI Palestra com Dr. Augusto Neto na 17ª Semana Nacional do Livro e da Biblioteca da FDCI (SNLB). Ele é Empresário, Psicólogo e Conferencista Internacional sobre Desenvolvimento Humano e Crescimento Pessoal com o tema “Princípios do Sucesso em uma Perspectiva Psico-Potencializadora” de 23 a 29 de outubro.

PV MIrA ELEIÇÕES

O Partido Verde (PV) de Cachoeiro de Itapemirim começa a escolher nomes de seus quadros para traçar metas que possam findar em resultados positivos nas urnas em 2014. Tanto o vice-prefeito de Cachoeiro, Abel Santana, como o presidente da Câmara Municipal, Júlio Ferrari, encampam a lista de pretensões.


educação

7

O Espaço Circular, do Detran-ES, foi a iniciativa que mais mobilizou as crianças

A

Semana do Trânsito de Cachoeiro de Itapemirim foi encerrada na última quarta-feira (25) com saldo positivo. Cerca de 1020 pessoas participaram das atividades realizadas na praça Jerônimo Monteiro, Centro, pela Secretaria Municipal de Defesa Social (Semdef), com apoio de parceiros. O objetivo foi conscientizar motoristas e pedestres sobre a importância de atitudes responsáveis nas ruas. Um dos destaques da programação, iniciada no último dia 18, foi a palestra do delegado Fabiano

Contarato, titular da Delegacia de Delitos de Trânsito do Estado, que atraiu cerca de 200 pessoas. “O delegado abordou de forma clara e incisiva a importância da mudança de comportamento para a redução dos índices de acidentes”, pontua o secretário de Defesa Social, José Maria Moulon. Ações de educação de trânsito envolveram cerca 520 alunos de escolas públicas e particulares. O Espaço Circular, do Detran-ES, foi a iniciativa que mais mobilizou as crianças, a partir de um jogo que

ensina de forma lúdica as leis e o respeito no trânsito.Outra ação de destaque foi a distribuição de 6 mil panfletos a pedestres e motoristas, realizada por servidores da Semdef, alunos da Faculdade de Ciências Contáveis e Administrativas (Faccaci) e escoteiros do município. Também foram parceiros nos eventos da Semana o Centro de Convivência Vida Ativa, o Tiro de Guerra, dois centros de formação de condutores do município (Renascer e Directran) e o Centro Oftalmológico Cachoeiro.

11ª Edição

Outubro 2013

Ações educativas para o Trânsito


8

educação

A instituição, que completou 48 anos no dia1º de setembro, já formou mais de 4,3 mil advogados

11ª Outubro 2013

Edição

Pioneirismo em excelência Beatriz Caliman

O

ano é 1965. Uma sala com cerca de cem alunos formava a primeira turma do curso de Direito, em Cachoeiro de Itapemirim – a Faculdade de Direito de Cachoeiro de Itapemirim (FDCI). Marco na educação do Sul do Estado, hoje colhe os frutos da busca pela excelência na formação jurídica. O diretor da instituição Humberto Dias Viana analisa os desafios e as perspectivas para quem escolhe atuar no campo do direito. Pioneira no ensino superior na região, a faculdade, hoje situada na localidade de Morro Grande, é também a instituição mais antiga do Estado, na formação de magistrados. Tímida de início, mas com grandes propósitos, foi incentivada pelo então prefeito Abel Santana. A FDCI foi instituída como Autarquia Municipal a Faculdade de Direito de Cachoeiro de Itapemirim, através de Lei Municipal, em 1965. Após décadas, o desenvolvimento no Estado impulsionou a abertura de novos cursos de direito, em diversas instituições de ensino superior – hoje mais de 30. A concorrência, porém, não fez com que a FDCI se enfraquecesse. É o que conta o diretor. Para Humberto Dias Viana, um dos pilares da instituição sempre foi primar pela excelência no ensino. E, isso, ele atribui à dedicação do corpo docente e funcionários da instituição. “O segredo está na simplicidade. Hoje, os funcionários vestem a camisa da empresa. 66,6% do setor pessoal é atualmente formado por ex-alunos da faculdade”, revela. A integração com a sociedade é outro ponto destacado pelo diretor. Hoje, o Escritório Modelo “Prof. Deusdedit Baptista” (quinto diretor da instituição entre 1979-1982) disponibiliza através de advogados contratados e acadêmicos da instituição advocacia gratuita à população carente da comunidade local e regional.

MErCADo A instituição, que completou 48 anos no dia1º de setembro, já formou mais de 4,3 mil advogados. Muitos, de acordo com o diretor, hoje são

renomados juízes e desembargadores pelo país. “É isso que nos dá orgulho e nos motiva a continuar evoluindo. Nossos egressos são também exemplo e estímulo aos novos alunos”, conta. Porém, diante do número de profissionais que emergem no mercado, todos os anos, Humberto Dias Viana

aconselha aos novos advogados que ‘é preciso ser versátil e reciclar-se’. “Sempre haverá espaço para os bons profissionais, com ética e responsabilidade. Especializações são importantes, mas ele deve ser humano, sempre chamar para si o problema do outro. Este é o primeiro passo”.


Histórico

DÉCADA DE 70 Reconhecimento A década de 70 é marcada pelo reconhecimento da Instituição, através do Decreto Federal no 68.142 de 29/01/71. O ensino fortalece-se. DÉCADA DE 80 Crescimento Na década de 80, na FDCI cresce, a cada ano o número de inscritos no vestibular, o que forçou encaminhamentos legais para o aumento do número de vagas na Faculdade. Década de 90 Transformações A Lei de Diretrizes e Bases traz novas demandas e a Instituição enfrenta desafios e adequar-se aos novos tempos e as

novas exigências. Associação à Emes Em 1995, associa-se a Emes (Escola da Magistratura do Estado do Espírito Santo) e dá início a primeira turma de alunos em suas instalações, evitando que egresso do Sul do Estado se desloque para a Capital em busca de aperfeiçoamento. Utilidade pública Em 1997, com o trabalho prestado pela Instituição junto a comunidade, é reconhecida de utilidade pública pela Lei Municipal n° 4.384 de 17/09/97. Lato Senu Em 1997, integrando graduação e pós-graduação, a Universidade Gama Filho amplia a sua extensão a FDCI, dando início, com sucesso, o curso de Pós Graduação “lato Sensu” na área cível. Escritório modelo A FDCI cria o seu Escritório Modelo. O aluno, ao realizar o Estágio Supervisionado, presta assistência jurídica as pessoas carentes de recursos financeiros, permitindo-lhes acesso a justiça. Curso matutino Diante de novas demanda, e com

base na rica experiência do curso noturno, também em 1999, a Faculdade amplia a sua atuação, instituindo o curso matutino. Década de 2000 Fundação educacional A instituição passa, em 2000, da condição de Autarquia a Fundação. Integrada as Faculdades de Ciências Contábeis e Administrativas, juntas, formam a Fundação Educacional Vale do Itapemirim ( Fevit). Juizado especial Em 2001, inaugura o Juizado Especial Cível Adjunto, extensão do Fórum “Desembargador Horta de Araújo” que, junto com o Escritório Modelo, permite a articulação entre a teoria e a prática efetiva, constituindo-se, ambos, dessa forma, em um laboratório de direito processual por excelência. Pedra fundamental Em 2003, a FDCI lança a pedra fundamental da sua nova sede, na localidade de Morro Grande. Nova sede No dia 12 de fevereiro de 2007, a Instituição recebe os seus alunos em sua nova sede localizada em Morro Grande.

11ª Edição

Outubro 2013

Década de 60 Nasce a FDCI Em primeiro de setembro de 1965 a Prefeitura de Cachoeiro instituiu como Autarquia Municipal a Faculdade de Direito de Cachoeiro de Itapemirim. O ensino superior ganha nova opção. Com o tempo, pela sua qualidade de ensino, ganha projeção, e recebe alunos oriundos da Capital do Estado, Vitória, do leste de Minas Gerais e de todo o Norte Fluminense.

9


10 10

11ª Outubro 2013

Edição

PREOCUPAÇÃO COM O MEIO AMBIENTE O prédio onde funciona a FDCI foi planejado observando a sustentabilidade e consciência ambiental. Existe captação de água da chuva que é utilizada nos jardins, limpeza e sanitários. O esgoto é tratado antes de ser lançado na rede pública, existem caixas para coleta seletiva de lixo, iluminação de policarbonato nos corredores centrais, arborização e climatização adequada. Algumas ações socioambientais são desenvolvidas como o projeto “Reciclar” (que envolve a coleta seletiva do lixo), o projeto “Colabore com a Limpeza” (Trabalha a conscientização para o uso correto dos materiais higiênicos) o projeto “Preservando o Meio Ambiente” (com distribuição de sacolas oxibiodegradáveis pela Biblioteca e Livraria para o transporte de livros), o “Jus Social” (com atendimento gratuito a população menos favorecida), a “Semana Nacional do Livro e da Biblioteca” (que integra a comunidade acadêmica com a sociedade através da arte e da cultura), dentre outras.


11

A FDCI EM NÚMEROS Nos seus 48 anos de funcionamento, a Faculdade de Direito de Cachoeiro de Itapemirim (FDCI) formou, entre 1970 e 2012, exatos 4.837. A instituição, desde 2007 funciona às margens da Rodovia ES 482, Cachoeiro x Alegre, em Morro Grande. Tem 6,5 mil m2 de área construída, com modernas instalações: 20 salas de aula com 80 m2 cada, laboratório de informática com 54 computadores instalados e com acesso a internet em banda larga, biblioteca com 440m2 e acervo de mais de 50 mil exemplares registrados, salão de júri e escritório modelo (para a prática jurídica dos alunos), auditório com capacidade para 500 pessoas, acessibilidade aos portadores de necessidades especiais, estacionamento com capacidade para mais de 350 veículos, diversos equipamentos de comunicação e audiovisuais, livraria, copiadora e praça de alimentação.

APOSTA NO INTERCÂMBIO A FDCI tem firmado parcerias e proporcionado aos seus alunos e professores oportunidades para aliar o conhecimento teórico à prática, desmistificando a idéia de que os Tribunais Superiores e o direito aplicado em outros países estão distantes da realidade local. Visitas ao Conselho Federal da OAB, ao Superior Tribunal de Justiça, ao Supremo Tribunal Federal, ao Congresso Nacional e parcerias como a firmada com a Faculdade de Direito “Robert H. MacKinney” da Indiana University School of Law, no Estado de Indiana, Estados Unidos da América são algumas oportunidades dadas à comunidade acadêmica. Nesta última, alguns alunos e professores, participaram em 2012, de um intercâmbio com a finalidade de conhecer o sistema jurídico norte-americano e realizar visitas técnicas a Escritórios de Advocacia, Senado Estadual, Corte Suprema Estadual e afins.

FACULDADE QUE MAIS APROVA NO SUL NA OAB A FDCI, conhecida por sua tradição é uma Faculdade que conquistou credibilidade e respeito. Prezando pela excelência na arte de ensinar Direito, conseguiu seu reconhecimento renovado pela avaliação institucional do MEC no ano de 2012, obtendo nota 4 dos 5 pontos possíveis. Também reconhecida como a Instituição com alto índice de aprovação no Exame da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), a FDCI é a faculdade que mais aprova no Sul do Estado, sendo que parte de seus alunos obtêm aprovação estando ainda como alunos, no 5º ano. Isso ocorre, segundo o diretor Humberto Dias Viana, devido à qualidade do ensino, já que os professores possuem titulação de Doutores, Mestres e Especialistas, sendo que 65% são ex-alunos. “Como se observa, dotado de infraestrutura moderna, com tecnologia de ponta, oferece aos alunos e professores todo o conforto e segurança necessários para o excelente desempenho das funções de ensino e aprendizagem”, analisa o diretor.


12

saúde

Essa iniciativa também pretende contribuir na melhor qualidade do atendimento

11ª Outubro 2013

Edição

Cultura itinerante no HIFA

O

departamento de Psicologia, com o apoio do Serviço Social do Hifa, desenvolveu o projeto Hifa Cultura Itinerante até você, que visa levar através do lúdico, com um acervo de livros e revistas, brinquedos educativos, desenhos para pinturas e desenhos livre momentos de descontração e interação para as crianças internadas e seus acompanhantes. “Esse serviço vem colaborar para um processo de internação menos doloroso e estressante, na contribuição da cura e na

recuperação de pacientes internados a fim de minimizar a ansiedade desse período de internação” esclarece a psicóloga do Hifa e idealizadora do projeto Marcela Baptista. Essa iniciativa também pretende contribuir na melhor qualidade do atendimento e levar um tratamento humanizado, aos pacientes e suas famílias. A metodologia é muito simples: Os departamentos de psicologia e assistência social vão circular com carrinho que leva o nome do projeto, com todo o acervo disponível, pelas enfermarias e

apartamentos todos os dias, entregando o material emprestado ao paciente e acompanhante pela manhã e recolhendo à tarde. Essa atividade ainda conta com a orientação sobre a importância da conservação do material para que o acesso também beneficie outras famílias. Ainda de acordo com a psicóloga do Hifa, “O preenchimento do tempo ocioso com atividades lúdicas contribui significativamente para melhoria do estado psicológico dos pacientes e acompanhantes.” Comenta.


geral

13

Distrito de Cachoeiro recebe investimentos da Foz para nova ETE e redes

Em Burarama a ETE está em funcionamento

M

ais um distrito de Cachoeiro de Itapemirim, no sul do estado do Espírito Santo vai passar a contar, em breve, com o serviço de esgotamento sanitário: é Conduru, que até o início de 2014 vai dispor de Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) mais 3.000 metros de novos interceptores (que vão conduzir o esgoto dos imóveis até a ETE). As obras tiveram início em agosto, com a construção da ETE. Ela já tem sua base pronta, e as paredes começaram a ser montadas. Ainda neste ano começam a ser construídos os interceptores que, com apoio de uma bomba elevatória, vão permitir

o início do funcionamento desse novo serviço que vai garantir mais saúde e qualidade de vida para a comunidade. “Em paralelo, realizamos outras frentes de obras de água e esgotamento sanitário na sede e em outros distritos de Cachoeiro de Itapemirim, como Itaóca e Soturno, que também vão ter esgotamento sanitário até o início de 2014”, acrescenta o Gerente Operacional da Foz, Bruno Ravaglia. Burarama e Córrego dos Monos são outros distritos que, por terem recebido investimentos da Foz nos últimos meses, passaram a contar com serviço de esgotamento sanitário, que também já é prestado para 94% dos imóveis da sede de Cachoeiro de

Itapemirim. Esses investimentos fazem parte dos R$ 65 milhões aplicados pela Foz em Cachoeiro entre 2012 e 2016, com o objetivo principal de levar os serviços de água e esgotamento sanitário a comunidades distantes da sede do município. Já conta com serviço de esgotamento sanitário 94% dos imóveis da área urbana de Cachoeiro (inclusive a sede dos distritos). No Brasil, são só 35%. Em relação ao abastecimento de água, chega regular e de qualidade a mais de 99,5% dos imóveis de todo o município de Cachoeiro de Itapemirim.

Edição

Outubro 2013

Esgotamento sanitário chega a CONDURU

11ª


economia

14

11ª Outubro 2013

Edição

Vitória Stone Fair Ganha

Anúncio foi feito pela Milanez & Milaneze e o grupo italiano VeronaFiere durante a maior feira do setor de rochas ornamentais do mundo na Itália

A

Vitória Stone Fair, maior feira de mármore e granito da América Latina, ganha nova dimensão a partir da edição de 2014, que será realizada no período de 18 a 21 de fevereiro, em Vitória. As novidades começam pelo novo posicionamento: Vitória Stone Fair-Marmomacc Latin America. Além disso, integrada à rede Marmomacc de eventos internacionais, a feira, além de ser a primeira edição feita sob nova parceria entre a Milanez & Milanez (Brasil) e o Grupo Veronafiere

(Itália), vai incrementar a capacidade de negócios e investir em ações para fomento e a ampliação do uso de rochas ornamentais nos mais diversos projetos de decoração e construção civil. O anúncio foi feito durante a abertura da Marmomacc 2013, considerada a mais importante feira do setor no mundo, em sua 48ª edição, que começou nesta quarta-feira (25) e vai até sexta-feira (28) em Verona, na Itália. O evento reúne mais de 1,4 mil expositores de 58 países, com previsão de receber mais de 56 mil

visitantes de 147 países. As novidades foram divulgadas pelo presidente da VeronaFiere, Ettore Riello; pela diretora da Milanez & Milaneze, Cecília Milaneze; pelo diretor-geral da VeronaFiere, Giovanni Mantovani; e pelo representante da VeronaFiere na América Latina, Andrea Batazzi. Para alcançar os objetivos traçados na parceria, entre outras ações, a Vitória Stone Fair-Marmomacc Latin America contará com uma forte presença de arquitetos e designers internacionais que participarão de cursos realizados pela Marmomacc

Alexandre Roberto dos Santos, Dias D’Ávila/BA

Drª Beatriz Preissler, Dias D’Ávila/BA

Acompanhamento de diabetes e pressão.

Médica do programa Mais Médicos para o Brasil.

TEMPO DE SAÚDE.

MAIS MÉDICOS PARA O BRASIL É MAIS SAÚDE PARA VOCÊ, SUA FAMÍLIA E PARA TODOS OS BRASILEIROS. /minsaude

/minsaude

Os novos médicos já estão chegando às Unidades Básicas de Saúde de municípios do interior e periferias das grandes cidades. E esse é só o começo, pois ainda mais médicos virão para garantir mais acesso à saúde para todos os brasileiros. • 3.511 municípios aderiram ao programa. • Mais de 38 milhões de brasileiros serão beneficiados. • 1,2 mil Unidades Básicas de Saúde foram concluídas e mais de 1,3 mil estão em construção, melhorando a infraestrutura em todo o país.

Para mais informações, ligue 136 ou acesse: maismedicos.saude.gov.br.

MELHORAR SUA VIDA, NOSSO COMPROMISSO


15

11ª Outubro 2013

Edição

Stone Academy, em parceria com o AIA (American Institute of Architets). “A agregação da marca Marmomacc Latin America à Vitória Stone Fair vai representar o surgimento de uma feira maior e mais arrojada. Este novo capítulo de uma rica história da Vitória Stone Fair representa mais oportunidades de negócios no mercado global de rochas ornamentais”, considera Cecília Milaneze, diretora da Milanez & Milaneze. Segundo Cecília Milaneze, “a parceria com o Grupo Veronafiere também vai incrementar os negócios de outras feiras que tradicionalmente já realizamos: a Cachoeiro Stone Fair e Mec Show, dedicada à metalmecânica, energia e automação”. Em 2013, Vitória Stone Fair contou com uma área de exposição de 32 mil metros quadrados. Foram 420 expositores, dos quais 39% eram do exterior (Argentina, China, Estados Unidos, França, Grécia, Índia, Itália, Coréia, Líbano, Holanda, Paquistão, Palestina, Portugal, Espanha e Turquia. Dez Estados brasileiros participaram. A feira recebeu mais 24 mil visitantes, dos quais 12% vieram de 56 países estrangeiros. Sobre o setor de rochas

– A cadeia produtiva de rochas naturais representa 8% do PIB brasilei-

ro. São 1.400 pedreiras ativas, 12 mil empresas e mais do que 1,2 milhão de variedades de pedra e granito. O Brasil é o terceiro maior exportador de blocos de pedras ornamentais e quinto no produto acabado. – Existem no Brasil 1.250 teares em funcionamento, dos quais 142 multifio, uma tecnologia de ponta, cujo uso mostra o investimento do país nessa área. Até dezembro próximo, devem chegar mais 35 teares multifio, aumentando a capacidade de serrada em 35%. A maioria desses equipamentos é de fabricação italiana. – O país tem 240 politrizes instaladas, com previsão de mais 11 até dezembro 2013. Vale registrar que a maioria máquinas importadas vêm da Itália. Em 2012 e 2013, o Brasil lidera a ranking dos importadores de máquinas italianas. Os maiores compradores do país são os Estados Unidos (chapas polidas, com 78% dos negócios) e a China (blocos, com 56% das transações). – No Brasil, o Espírito Santo é o Estado de referência para a extração e processamento de rochas ornamentais. Constitui 80% do mercado nacional e é responsável por 78 % das exportações. De janeiro a agosto de 2013, as exportações superaram 1,2 milhão de toneladas, totalizando

um valor acima de US$ 676 milhões, um amento de 20% se comparado ao mesmo período de 2012. Grupo VeronaFiere A VeronaFiere é líder mundial em eventos de rochas ornamentais e atua em cinco setores da economia (agrícola, alimentação, transporte, construção civil, turismo de luxo e lazer). – 50 feiras, sendo 38 na Itália e 12 no exterior (oito países diferentes) – € 84 milhões em faturamento – 790 mil metros quadrados de área comercializada – Mais de 14.000 expositores, dos quais 19% são internacionais – Mais de 1,2 milhão de visitantes, dos quais 14% do exterior – 20 escritórios ao redor do mundo, atingindo 60 países dos cinco continentes Milanez & Milaneze A Milanez & Milaneze atua há mais de 20 anos com feiras de negócios nos setores de rochas, metalmecânica e energia. – Três feiras (Vitória Stone Fair, Cachoeiro Stone Fair e MEC SHOW) – Mais de 820 expositores ao ano, sendo 20% internacionais – Mais de 70.000 visitantes ao ano, de 65 países.


11ª Outubro 2013

Edição

artigo

16

Teoria das Janelas partidas

Não é tolerância zero em relação à pessoa que comete o delito, mas tolerância zero em relação ao próprio delito

Em 1969, na Universidade de Stanford (EUA), o Prof. Phillip Zimbardo realizou uma experiência de psicologia social. Deixou duas viaturas abandonadas na via pública, duas viaturas idênticas, da mesma marca, modelo e até cor. Uma deixou em Bronx, na altura uma zona pobre e conflituosa de Nova York e a outra em Palo Alto, uma zona rica e tranquila da Califórnia. Duas viaturas idênticas abandonadas, dois bairros com populações muito diferentes e uma equipe de especialistas em psicologia social estudando as condutas das pessoas em cada local. Resultou que a viatura abandonada em Bronx começou a ser vandalizada em poucas horas. Perdeu as rodas, o motor, os espelhos, o rádio, etc. Levaram tudo o que fosse aproveitável e aquilo que não puderam levar, destruíram. Contrariamente, a viatura abandonada em Palo Alto manteve-se intacta. É comum atribuir à pobreza as causas de delito. Atribuição em que coincidem as posições ideológicas mais conservadoras, (da direita e da esquerda). Contudo, a experiência em questão não terminou aí. Quando a viatura abandonada em Bronx já estava desfeita e a de Palo Alto estava há uma semana impecável, os investigadores partiram um vidro do automóvel de Palo Alto. O resultado foi que se desencadeou o mesmo processo que o de Bronx, e o roubo, a violência e o vandalismo reduziram o veículo ao mesmo estado que o do bairro pobre. Por quê que o vidro partido na viatura abandonada num bairro supostamente seguro, é capaz de disparar todo um processo delituoso? Não se trata de pobreza. Evidentemente é algo que tem que ver com a psicologia humana e com as relações sociais. Um vidro partido numa viatura abandonada transmite uma ideia de deterioração, de desinteresse, de despreocupação que vai quebrar os códigos de convivência, como de ausência de lei, de normas, de regras, como o “vale tudo”. Cada novo ataque que a viatura sofre reafirma e multiplica essa ideia, até que a escalada de atos cada vez piores, se torna incontrolável, desembocando numa violência irracional. Em experiências posteriores (James Q. Wilson e George Kelling), desenvolveram a ‘Teoria das Janelas Partidas’, a mesma que de um ponto de vista criminalístico conclui que o delito é maior nas zonas onde o descuido, a sujeira, a desordem e o maltrato são maiores. Se se parte um vidro de uma janela de um edifício e ninguém o repara, muito rapidamente estarão partidos todos os demais. Se uma comunidade exibe sinais de deterioração e isto parece não importar a ninguém, então ali se gerará o delito. Se se cometem ‘pequenas faltas’ (estacionar em lugar proibido, exceder o limite de velocidade ou passar-se um semáforo vermelho) e as mesmas não são sancionadas, então começam as faltas maiores e logo delitos cada vez mais graves. Se se permitem atitudes violentas como algo normal no

desenvolvimento das crianças, o padrão de desenvolvimento será de maior violência quando estas pessoas forem adultas. Se os parques e outros espaços públicos deteriorados são progressivamente abandonados pela maioria das pessoas (que deixa de sair das suas casas por temor a criminalidade) , estes mesmos espaços abandonados pelas pessoas são progressivamente ocupados pelos delinquentes. A Teoria das Janelas Partidas foi aplicada pela primeira vez em meados da década de 80 no metrô de Nova York, o qual se havia convertido no ponto mais perigoso da cidade. Começou-se por combater as pequenas transgressões: graffitis deteriorando o lugar, sujeira das estacões, alcoolismo entre o público, evasões ao pagamento de passagem, pequenos roubos e desordens. Os resultados foram evidentes. Começando pelo pequeno conseguiu-se fazer do metrô um lugar seguro. Posteriormente, em 1994, Rudolph Giuliani, prefeito de Nova York, baseado na Teoria das Janelas Partidas e na experiência do metrô, impulsionou uma política de ‘Tolerância Zero’. A estratégia consistia em criar comunidades limpas e ordenadas, não permitindo transgressões à Lei e às normas de convivência urbana. O resultado prático foi uma enorme redução de todos os índices criminais da cidade de Nova York. A expressão ‘Tolerância Zero’ soa a uma espécie de solução autoritária e repressiva, mas o seu conceito principal é muito mais a prevenção e promoção de condições sociais de segurança. Não se trata de linchar o delinquente, nem da prepotência da polícia, de fato, a respeito dos abusos de autoridade deve também aplicar-se a tolerância zero. Não é tolerância zero em relação à pessoa que comete o delito, mas tolerância zero em relação ao próprio delito. Trata-se de criar comunidades limpas, ordenadas, respeitosas da lei e dos códigos básicos da convivência social humana. Essa é uma teoria interessante e pode ser comprovada em nossa vida diária, seja em nosso bairro, na vila ou condomínio onde vivemos, não só em cidades grandes. A tolerância zero colocou Nova York na lista das cidades seguras. Esta teoria pode também explicar o que acontece aqui no Brasil com corrupção, impunidade, amoralidade, criminalidade, vandalismo, etc. Pense nisso! *Membro pesquisadora da Associação Psicanalítica do Estado do ES (APEES). Artigo utilizado como fonte de pesquisa para o do Núcleo de Estudos.


cultura

17

Marilia Vilela de Medeiros Mignoni e Salmo Calazans fazem lançamentos de suas obras em Outubro

O

s membros da Academia Cachoeirense de Letras (ACL), Marilia Vilela de Medeiros Mignoni e Salmo Calazans fazem lançamentos de suas obras no mês de outubro, nos dias 15 e 29 respectivamente. O livro “A Sétima Conquista”, de Marília, que será lançado no dia 15 de outubro, às 19h30, no restaurante Bistrô, em Cachoeiro de Itapemirim-ES, terá toda renda revertida ao asilo “Adelson Rebello”. Segundo Bruno Torres Paraiso, um dos fundadores da ACL, “a Marília me concedeu a honra de ler ‘A Sétima Conquista’, ainda nos originais, e fiquei muito emocionado com a qualidade do trabalho que ela fez. Não é apenas uma coletânea. Existe um elo de ligação profundo entre as crônicas, um toque de grande humanidade”. Salmo Calazans fará o lançamento de sua obra “Eu Sou”, na FDCI, no Dia Nacional do Livro, 29 de outubro, em comemoração à 17ª Semana Nacional do Livro e da Biblioteca (SNLB). Na oportunidade dará autógrafos.

Edição

Outubro 2013

Acadêmicos lançam obras INÉDITAS

11ª

A programação finda as comemorações do centenário do “Sabiá da Crônica”

BIENAL: ACL na programação

A

equipe da Secretaria Municipal de Cultura vem reunindo-se com representantes das entidades culturais cachoeirenses para definir a programação da V Bienal Rubem Braga que será realizada entre os dias 13 e 18 de maio de 2014.

No dia 26, representantes do Conselho Municipal de Cultura e da Academia Cachoeirense de Letras (ACL) discutiram sugestões para a programação da Bienal, que deverá ser apresentada ao público em meados do mês de dezembro. Estiveram reunidos os acadêmicos Rosângela Venturi e Roney Argeu Moraes, o professor Sérgio Lima Lopes e os representantes da Secretaria Municipal de Cultura, Villinevy Koppe Robbi, Ancleber Júnior e Lucimar Costa. A ACL definiu sua participação com a tradicional sessão solene e

entrega de homenagens, além de lançamentos de obras dos acadêmicos, bem como a participação em algumas mesas e debates. Escolhida para abrigar o evento, a Praça de Fátima, na Avenida Beira Rio, propicia um ambiente no qual, segundo os organizadores, é o ideal para os moldes da Bienal. A praça é arborizada, próxima ao Rio Itapemirim e, com isso, simbolicamente, pertencente ao universo das crônicas de Rubem. O local poderá receber cerca de 1.100 pessoas simultaneamente. Na pauta de todas as reuniões, além da apresentação do projeto de montagem dos auditórios, feira de livros e oficinas, a vantagem está na redução de recursos para implementação da Bienal no espaço.


18

cultura

Evento será promovido pela Associação Psicanalítica do ES

11ª Outubro 2013

Edição

Café psicanalítico

Cafezinho e um bom papo é receita infalível para unir pessoas que pensam sobre o mesmo assunto. Imaginem temas profundos da psicanálise sendo debatidos de modo didático e acessível num evento descontraído e aconchegante? É o que o Núcleo de Estudos e Pesquisa da Associação Psicanalítica do Estado do Espírito Santo (APEES) pretende fazer no próximo dia 23 de outubro, no espaço Bookafé, em Cachoeiro de Itapemirim-ES. Dois temas serão abordados pelos analistas membros da APEES, Carlos Roberto Almeida, que falará sobre o “Inconsciente Coletivo”, e José Gomes da Silva Neto abordará o tema “Psicanálise no Mercado de Trabalho”. Este ano, os psicanalistas de Cachoeiro de Itapemirim e demais municípios do estado fundaram a associação que visa o estudo e a troca de experiência entre analistas e pesquisadores. O Café Psicanalítico é o resultado dos estudos debatidos todos os meses nos encontros do Núcleo de Estudos e Pesquisas da APEES que são realizados na sede do Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Saúde do Sul do Espírito Santo (Sitesci), que fica na rua 25 de Março, em Cachoeiro. Neste primeiro “Café”, convidados experientes, como Carlos Roberto Almeida, que é psicanalista e presidente do Sindicato da Saúde, e José Gomes da Silva Neto, psicanalista e presidente do Conselho Brasileiro de Psicanálise, conversarão sobre o olhar analítico relacionando teorias psicanalíticas com temas contemporâeos. A entrada será franca. Quem desejar participar do Café Psicanalítico deve entrar em contato com a APEES e fazer a pré-inscrição por meio dos endereços sitesci.saude@gmail.com.



Revista Mais ES - Nº 11