Page 1

JUNHO/JULHO 2011

Faça a

coisa certa Ir. Alvanei Finamor ensina que viver a justiça no trabalho nada mais é que respeitar e valorizar as pessoas que estão ao seu lado. “Fazendo isso, todos teremos um ambiente muito melhor para viver”.


+ editorial Chegamos ao mês de junho, marcado pelo início do inverno. Quase metade de 2011 já se passou. É hora de fazermos uma retrospectiva sobre a nossa caminhada e avaliarmos o quão em dia estamos com o que planejamos e nos propusemos a fazer em 2011. Qualquer exercício de avaliação, independente do seu grau de dificuldade, deve ser calcado em um importante valor para a nossa organização: a justiça. Ao avaliarmos nossos comportamentos e atitudes, bem como o atendimento a objetivos e metas pré-estabelecidas, devemos ser justos e transparentes com nós mesmos. O exercício da auto-avaliação, que requer humildade e desprendimento, é fundamental para orientar os nossos esforços de desenvolvimento pessoal e profissional e acaba por beneficiar todos aqueles com quem nos relacionamos: colegas de trabalho, amigos e familiares, alunos, pacientes, ouvintes, etc. Enfim, um olhar justo sobre as nossas próprias ações e realizações pode contribuir significativamente para a concretização da missão de nossa Instituição em prol de um mundo melhor e mais solidário. Sugiro que avaliemos as metas traçadas para o ano e façamos as adequações de rumo necessárias para alcançá-las. Aproveito para desejar aos leitores um bom início de segundo semestre. Até a próxima edição. :: Marco Antônio Barbosa Cândido Superintendente Executivo da APC

expediente A Revista APC MAIS é uma publicação bimestral da Associação Paranaense de Cultura e faz parte do projeto APC Mais Mídia, que tem a coordenação do grupo Lumem de Comunicação. Estatuto registrado no 2º Oficio de Registro Civil das Pessoas Jurídicas – Registro de Títulos e Documentos. Sob n.º 973670 em 23 de abril de 2008. A APC fundada em 31 de Dezembro de 1950 em Curitiba - Paraná.

2

Com Ata da Assembleia Geral de eleição e posse do Conselho de Administração e do Conselho Fiscal da Associação Paranaense de Cultura – APC, para triênio de 1º de janeiro de 2009 a 31 de dezembro de 2011 – registrada sob o n.º 982300 – 2º Oficio de Registro Civil das Pessoas Jurídicas. Rua Imaculada Conceição, 1155 | 10º andar Prado Velho | Curitiba (PR) CEP: 83.215-901 Fone: (41) 3271-6500 Data de fechamento: 19/05/2011

Editor: Luís Fernando Carneiro Redação: Vanessa Cunha Editora de Arte: Mariane Esberard Foto: Kelly Knevels Rua Casemiro José Marques de Abreu, 706 | Ahú CEP: 82.200-130 | Curitiba (PR) 41.3018 8805 | www.editoraruah.com.br


números

Multiplicar é preciso

Entre os principais clientes atendidos, 66% pertencem a própria organização e 34% dividem-se entre as filiais da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Curitiba, alunos, e colaboradores.

João Borges

Que tal conhecer um pouco dos números da Gráfica APC? Localizada na PUCPR, Câmpus Curitiba, a gráfica possui uma área de aproximadamente 1.000 m². Em 2010, atendeu em média 312 solicitações de serviços por mês, desde folheteria até livros de grande porte, totalizando 15.067.389 impressões.

3


O diretor do curso de Agronomia da PUCPR, Câmpus Toledo, João Edson Kaefer, assumiu no dia 30 de abril a presidência da Associação dos Engenheiros Agrônomos de Toledo. O professor coloca como metas da nova diretoria promover a valorização do profissional engenheiro agrônomo, fortalecer a participação dos associados na entidade e ampliar a inserção da associação na sociedade toledense. Divulgação

você +

Agrônomo destaque

Professor recebe prêmio internacional

O coordenador do Programa de PósGraduação em Ciências da Saúde da PUCPR, o médico nefrologista Roberto Pecoits Filho, recebeu, durante o Congresso Mundial de Nefrologia, realizado de 7 a 13 de abril, em Vancouver, no Canadá, o “Young Nephrology Leader Award”, prêmio concedido pela Global Kidney Academy e International Nephrology Education Foundation (GKAiNEF). O médico foi escolhido por seu forte comprometimento com o treinamento e a educação de nefrologistas.

Orquestra Sinfônica do Paraná

O professor do curso de Música da PUCPR Márcio Steuernagel assumiu o cargo de maestro assistente da Orquestra Sinfônica do Paraná. Márcio também é regente da Orquestra Filarmônica da UFPR, onde desenvolve um trabalho que agrega a atividade de prática de orquestra com a divulgação de repertórios pouco conhecidos, dando ênfase à música de compositores brasileiros de todas as épocas.

4

Meguid El Nahas, presidente da Global Kidney Academy e diretor da International Nephrology Education Foundation, entrega o prêmio a Roberto Pecoits Filho.

Reconhecimento

O professor do curso de Farmácia da PUCPR, Câmpus Toledo, Paulo Roberto Merisio, foi convidado para participar do Congresso Nacional da Sociedade Brasileira de Análises Clínicas - ABAC, com palestra sobre Lâminas e seção interativa em Hematologia. Especialista em hematologia e biotecnologia, Merisio é autor de livros e diversos artigos científicos publicados em revistas da área. Também é professor convidado da Universidad Nacional del Este, do Paraguai. O evento será realizado em Curitiba, de 26 a 29 de junho.

Jesus vai ao McDonald’s O professor do curso de Teologia da

PUCPR, Câmpus Maringá, Luiz Alexandre Solano Rossi, lançou recentemente, pela Editora Champagnat, o livro “Jesus vai ao McDonald’s: teologia e sociedade de consumo”. A obra investiga o impacto do consumismo na igreja e na teologia, a partir de uma abordagem inovadora. O livro pode ser adquirido na Livraria Champagnat, térreo do Centro de Teologia e Ciências Humanas da PUCPR, Câmpus Curitiba, ou no site da Editora.


bas tido res

Livraria Champagnat A Livraria Champagnat fica no térreo do CTCH e funciona de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 21h, e aos sábados, das 8h30 às 12h30. A Livraria Champagnat oferece todo mês obras de uma Editora específica com 30% de desconto, além de inúmeras facilidades para que todos os docentes, discentes e colaboradores que possam adquirir livros, nas melhores condições.

Páginas de conhecimento

Uma de suas metas é publicar 20 obras anualmente. Além disso, é responsável pela publicação de 13 periódicos científicos. O constante aprimoramento e o rigor ao qual são submetidos em todas as etapas de sua elaboração (do autor que desenvolve os artigos à equipe responsável pela impressão) resultam na alta qualidade de seus produtos. Para isso, conta com uma equipe de trabalho especializada e competente.

João Borges

Ágil, dinâmica, sustentável e comprometida com a sociedade. Esse é o perfil que norteia os passos da Editora Universitária Champagnat em seus 28 anos de serviços à comunidade acadêmica interna e externa. Sua missão é contribuir para a divulgação do conhecimento, tornando possível, por meio de suas publicações, o acesso do público em geral aos resultados das atividades de ensino, pesquisa e extensão que a PUCPR desenvolve, sempre afinada com a Missão da Universidade.

Livraria Champagnat, térreo do CTCH, Câmpus Curitiba

5


Projeto Mais

Champagnat: exemplo do bem No dia 6 de junho, é comemorado o Dia de São Marcelino Champagnat, fundador do Instituto dos Irmãos Maristas. Um homem que na sua época se apaixonou por Deus e entregou seu carisma com entusiasmo a favor das crianças e jovens. Sensibilizado pelas necessidades pastorais de seu tempo, Champagnat concebeu o projeto de fundar um Instituto de Irmãos que se dedicassem à educação e à formação religiosa das crianças e dos jovens. Para reforçar esse carisma, a campanha de marketing deste ano do Dia de São Marcelino Champagnat convida os colaboradores a participarem do hotsite comemorativo (www.marista.org.br/champagnat) respondendo “Qual a importância do projeto de vida de Marcelino Champagnat nos dias de hoje?”. Além dessa ação, os cartazes e vídeos que estão disponíveis nos materiais de divulgação também trazem reflexões sobre o tema, com a participação de colaboradores, irmãos, alunos e educandos da obra Marista.

Por um mundo sustentável Preocupada com o futuro do planeta, a APC criou ações para incentivar o consumo consciente Conheça alguma delas:

+

6

=

Instalação de lixeiras seletivas em todas as salas da PUCPR.

Maior quantidade de resíduos enviados a reciclagem e consequentemente menor utilização de aterro sanitário.

Instalação de lixeiras seletivas feitas de material reciclado.

Mostrar a aplicabilidade de materiais reciclados.

Utilização de carro elétrico para coleta de resíduos do Câmpus Curitiba.

Emissão zero de Co2 na coleta de resíduos.

Resíduos vegetais enviados a compostagem.

Redução de emissão de Co2.

Destinação de resíduos pelos métodos ambientalmente corretos.

Ecologicamente correto

Limite de impressões na DSC; distribuição de canecas e copos maristas e utilização de torneiras com sensor.

Consumo consciente.


Arquivo pessoal

quem é você? Márcio o primeiro da esquerda para a direita, com a turma do 6º período de veterinária do Câmpus São José dos Pinhais da PUCPR

Enquanto isso, no laboratório... O auxiliar de laboratório do curso de Veterinária do Câmpus da PUCPR São José dos Pinhais, Márcio José Zukowski tem uma rotina inusitada. Alguns acham estranho, mas a maioria acha interessante. O colaborador que auxilia há três anos os professores na necropsia de animais e no laboratório de anatomia orgulha-se do que faz.

Como é a sua rotina? Trabalho em dois locais, no laboratório de anatomia e na necropsia. Quando chego, preparo todo o material para as aulas, a limpeza de ossos dos animais, separação dos órgãos e preparo os animais para dessecação. Já na necropsia, preparo a sala, esterilizo os instrumentos e ajudo os professores na abertura dos animais para descobrir a causa da morte.

Você gosta do que faz? Muito. Meu pai criava animais, por isso, cresci acompanhando esse processo. Esse trabalho é muito importante, pois só assim é possível saber as causas da morte dos animais. O único momento triste foi quando meu cachorro foi a óbito e auxiliei a professora durante a necropsia.

O que as pessoas falam do seu trabalho? As pessoas acham estranho, mas quando eu explico a importância, logo surge a curiosidade e começam a e perguntar como é a rotina. Eu gosto muito e me orgulho do que faço.

Alguma situação engraçada? Sim. No meu primeiro dia de trabalho na necropsia, a professora faria a análise de um equino. Como o animal é muito grande, eu e mais um colega ajudamos. O cavalo estava inchado e quando a professora rompeu a pele uma bolsa estourou e todo o líquido foi parar em mim. Todos rimos... afinal, isso faz parte do trabalho.

7


Ca pa

Ofereça

ao outro o

que

você tem

de melhor

Como o religioso Marista, Alvanei se dedica inteiramente e intensamente para perpetuar a missão proposta há quase 200 anos por Marcelino Champagnat e todos os dias acorda motivado para trabalhar por um futuro repleto de oportunidades para crianças e jovens. E você? Onde se encaixa nessa missão? “É preciso sempre encontrar a sua motivação, por que só assim será possível viver a justiça no seu dia a dia”, destaca. Confira trechos da conversa que a Revista MAIS teve com Ir. Alvanei. Elas podem ser uma boa inspiração para a construção de um ambiente cada vez melhor na APC.

8

Kelly Knevels

Você já foi desrespeitado alguma vez? E quantas vezes não se sentiu valorizado pelo que faz? Sem dúvida, no mundo corporativo essas situações são comuns e resultam em um ambiente de trabalho extremamente desagradável. Para o Ir. Alvanei Finamor, Diretor de Pastoral e Identidade Institucional da PUCPR, tudo isso poderia ser evitado se fossem aplicados princípios simples de valorização ao semelhante. Na obra “Nossos Valores, um estilo marista próprio”, essa visão está apresentada como JUSTIÇA e tem como importantes hábitos o reconhecimento e valorização da competência profissional das pessoas, o exercício da ética na condução das atividades, ser solidário e tratar todas as pessoas com respeito, entre outros.

Ir Alvanei: é preciso exercitar o olhar sensível e valorizar as outras pessoas


Justiça no trabalho? O que é isso? Se tem algo que me incomoda muito é quando as pessoas são tratadas de forma diferente por conta de suas funções. Para mim, a justiça está muito ligada com a equidade, acredito que todas as pessoas devem ser respeitadas de forma igual, independente do cargo que ocupam ou da função que exercem. A pessoa merece o respeito por ser pessoa, não está relacionado com o que ela tem ou que ela faz. Como viver a justiça no dia a dia? Simples. É preciso exercitar o olhar sensível e valorizar a pessoa que trabalha na mesma organização que você. Dar parabéns pelo trabalho, seja pela pesquisa, seja pelo chão que foi muito bem limpo. Não custa nada dizer: “Muito obrigado por esse chão que você limpou, o clima está ótimo, obrigado por deixar a minha sala arrumada”. Valorizar o próximo faz muito bem. Isso parece algo tão básico... É realmente básico, mas no correcorre das suas tarefas, muitas pessoas esquecem-se de agradecer e de perceber que só conseguem cumprir cada uma de suas metas diárias porque recebem a ajuda de muitas outras pessoas. É preciso que tenhamos a mínima sensibilidade de reconhecer o outro como pessoa que desenvolve um trabalho que vai me beneficiar e vai beneficiar tantas e tantas

pessoas. Quando se fala em justiça nesse mundo corporativo, acho que é exatamente isso: valorizar o trabalho do outro. A palavra ética tem o seu significado muito desgastado. Afinal, o que é ser ético no trabalho? Respeitar o outro na sua integridade, respeitar a opinião e, mais do que isso, não sair depois falando mal. Posso discordar, porque você tem direito a pensar diferente de mim, mas o que não posso é depois sair e denegrir a sua imagem. Pronto, aí já faltei com o respeito, faltei com a ética. O que lhe faz acordar todas as manhãs e ir trabalhar motivado?

13 caminhos para vivermos a JUSTIÇA no trabalho

É a certeza de que o trabalho que a gente faz é um trabalho bonito, que satisfaz pessoalmente e vem ao encontro do que sempre sonhei. É dar espaço ao jovem para que se desenvolva, que cresça e que tenha um futuro melhor. E o colaborador deve pensar assim, deve tentar encontrar essa motivação para que tenha prazer em vir trabalhar, pois só quem tem esse sentido de missão muito bem claro é capaz de ser justo, solidário, ético e tornar o seu ambiente um lugar melhor para se viver.

1.

Utilizar de forma responsável os recursos que estão à disposição.

2.

Adotar postura que evita desperdícios e gastos supérfluos.

3.

Reconhecer e valorizar a competência profissional das pessoas.

4.

Decidir de maneira íntegra sem se valer de simpatias ou antipatias.

5.

Ser ético na condução das atividades.

6.

Organizar o tempo de forma adequada.

7.

Ter consciência do impacto de nossas ações no meio ambiente.

8.

Pautar as ações no princípio da equidade.

9.

Ser solidário.

Minha maior alegria é saber que o trabalho que estou fazendo vai refletir na vida de muitas pessoas. É a certeza de que a gente pode ser um testemunho autêntico. E de que isso vale muito a pena.

11. Zelar pelos bens materiais.

10. Tratar todas as pessoas com respeito. 12. Colocar os talentos pessoais a serviço do bem comum. 13. Promover a garantia dos direitos de maneira plena e estendida a todos.

9


Cleonice dos Santos Pavão, telefonista do HMAM

Arquivo pessoal

Arquivo pessoal

Arquivo pessoal

Gen te

Sandra Mara Heringer Nogueira, telefonista do HMAM

Dilamar Aparecida Alves do Carmo, telefonista do HUC

Teresa da Silva Barreiros, telefonista da PUCPR, Câmpus Londrina

10

Silvia Regina Damiani, Central de Relacionamento com o Cliente da Diretoria de Serviços Compartilhados da PUCPR, Câmpus Curitiba.

Arquivo pessoal

APC, bom dia!

Claudiana Aparecida Garcia Castro, telefonista da PUCPR, Câmpus Maringá João Borges

Rosimara Martins, telefonista da PUCPR, Câmpus São José dos Pinhais Arquivo pessoal

Silvana Potarolo, telefonista do Hospital Santa Casa Arquivo pessoal

Arquivo pessoal

Andrea Rosa, telefonista do Grupo Lumen Comunicação / Rádio Clube FM

Arquivo pessoal

Arquivo pessoal

Arquivo pessoal

Atendimento telefônico de qualidade é fundamental. Por isso, nada mais justo que conhecer e reconhecer o trabalho de algumas telefonistas que fazem a diferença, sendo o primeiro contato da organização com as pessoas.

Joseane Lourdes Schiavao, Central de Relacionamento com o Cliente da Diretoria de Serviços Compartilhados da PUCPR, Câmpus Curitiba

Inês Zeve Jordão, telefonista do HNSL


Entre versos e projetos

Arquivo pessoal

Ninguém imagina, mas o professor do TECPUCPR, Welington Bueno de Oliveira tem a poesia como uma de suas paixões. Desde os 15 anos ele escreve poesias, em sua maioria sonetos, tendo o amor e a amizade como inspiração. Para provar seu talento, Welington está concluindo seu primeiro livro, o “Madrigal Amoroso”, que significa cantor de amor antigo com mais de 100 poesias. Para fazer a obra o professor pesquisou grandes clássicos da poesia portuguesa.“Considero a poesia um canto. Tenho a minha esposa como uma das minhas fontes de inspiração”, diz.

11


artigo

Coração de estudante Desenvolvida pela PUCPR, tecnologia de descelularização de válvulas é referência mundial

Arquivo pessoal

Francisco Diniz Affonso da Costa

Francisco Diniz Affonso da Costa é cirurgião cardíaco e coordenador do Núcleo de Enxertos Cardiovasculares do Laboratório de Engenharia de Tecidos e Cultivo Celular da PUCPR

12

Está em fase final de patente a criopreservada, que contém as célutecnologia de descelularização de las do doador. válvulas cardíacas humanas para No mundo, o mercado de válvulas substituição de válvulas do coração, cardíacas movimenta mais de US$ 1 desenvolvida pela PUCPR. A tecnobilhão. As válvulas cardíacas humalogia brasileira consiste na retirada nas ou homoenxertos são utilizadas de todas as células da válvula do como substitutos doador, por meio valvares desde 1962 de um tratamene são considerados to enzimático e Dos transplantes superiores a qualquer químico, o que realizados no outro tipo de substiaumenta a duramundo, apenas tuto. Por ano, 20 mil bilidade do enxercerca de 3% brasileiros submetemto, beneficiando utilizam o -se à cirurgia de subsprincipalmente homoenxerto tituição das válvulas pacientes infantis aórtica e/ou pulmoe jovens. Mais nar. Dos transplantes de 300 pacientes realizados no mundo, apenas cerca receberam a válvula no Brasil, sendo de 3% utilizam o homoenxerto, em 140 deles na Santa Casa de Curitiba, função da maior dificuldade técnica hospital referência em cirurgia de da cirurgia e da disponibilidade do substituição de válvula cardíaca. homoenxerto, que depende do voEntre os pacientes operados na lume de doações. O restante utiliza Santa Casa de Curitiba, constatou-se próteses mecânicas e biológicas, que as válvulas descelularizadas não feitas a partir de tecidos de animais, apresentam calcificação no período que têm menor durabilidade e de cinco anos, em comparação com exigem o uso de anticoagulantes por pacientes que receberam a válvula toda a vida.


rede marista de solidariedade

Boa nova Em que mundo você deseja viver? A partir do que indica a Missão Educativa Marista, educa-se na e para a solidariedade, pois essa missão apresenta a Boa Nova, não apenas em termos pessoais, mas também a partir de uma visão comunitária. Tal visão segue a lógica de Jesus Cristo, alcançando os mais empobrecidos, buscando o bem comum e assumindo a responsabilidade pelo presente e o futuro da humanidade, assim como por toda a Criação.

MAIS: Conheça o trabalho da Rede Marista de Solidariedade www.solmarista.org.br/

Marista nos convida a fazer parte da cultura da solidariedade Mais que caridade, o comprometimento de todos com a construção de uma sociedade mais justa é que define a cultura da solidariedade, tão discutida e desenvolvida em cada uma das unidades maristas. Afinal, se você é incentivado a pensar e agir por um mundo melhor, sua posição sobre a vida e as demais pessoas será diferente daquela de alguém que aprendeu apenas a buscar o primeiro lugar num mundo competitivo. Essa maneira de pensar vai além da postura de ajuda ao outro e busca uma interação de pessoas de realidade sociais distintas numa via de mão dupla onde todos ganham. É como afirmava João Paulo II: ser solidário implica uma “determinação firme e perseverante de se empenhar pelo bem comum” em busca da justiça social e da fraternidade.

“Um mundo melhor é o que todos nós queremos para nossos filhos e para todas as crianças e adolescentes. Um mundo digno, que respeite nossa liberdade e a diversidade ideológica, religiosa, étnica e de gênero, e que respeite também nossa integridade humana. E é por esse mundo que devemos trabalhar”, afirma Jimena Djauara N. C. Grignani, assessora da Rede Marista de Solidariedade. A cultura da solidariedade vem para inverter a lógica de um mundo regido pela competição. “Só quando nos aproximamos de outras realidades sociais e econômicas é que podemos exercitar a cooperação. Este é um movimento complexo, uma nova maneira de ver as coisas, mas à medida que essa cultura for sendo compreendida e vivenciada pelas pessoas, naturalmente a realidade do país se transformará”, finaliza Jimena.

Matéria gentilmente cedida pela Revista Em Família, publicação da Rede Marista de Colégios

13


dia a dia

Investimentos na Santa Casa

Semana da Enfermagem Em comemoração ao dia do Enfermeiro (12 de maio), O HUC e a Santa Casa organizaram a Semana de Enfermagem. A ação contou com palestras, debates, exibição de filmes e outras atividades relacionadas à saúde.

Revitalização no Hospital Nossa Senhora da Luz

Conhecer Marista Ampliar o conhecimento dos colaboradores sobre a Organização e suas mantenedoras é um dos objetivos do “Projeto Conhecer Marista”, que oferece a oportunidade de visitar os colégios e centros sociais maristas. “Tive a oportunidade de participar de visitar o Centro Marista no Fazendinha, lá, percebi alegria dos jovens em construir uma nova realidade de inclusão em todos os aspectos de suas vidas, sem medo de demonstrar carinho e agradecimento aos seus professores e educadores que os acompanham. Desejo que cada um também tenha a oportunidade de conhecer, na prática, a verdadeira razão de ser desta Organização, através do “Projeto Conhecer Marista”. Depoimento de Clayton Fernandes de Carvalho, colaborador da Assessoria Jurídica da APC.

14

Arquivo pessoal

O Hospital Nossa Senhora da Luz está reformulando o seu jardim. A primeira ação foi no dia 6 de maio, quando foram plantadas mudas de “amor perfeito” em comemoração ao Dia das Mães. O objetivo do projeto é envolver a parte terapêutica dos pacientes, oferecendo-os um belo espaço para o convívio.

A Santa Casa de Curitiba inaugurou recentemente uma nova sala cirúrgica para procedimentos de pequeno e médio porte. Com investimentos de cerca de R$ 30 mil em infraestrutura e equipamentos, o espaço será uma extensão do Centro Cirúrgico do Hospital, que possui nove salas, sendo três voltadas para cirurgia cardiovascular e seis para cirurgia geral. Outra área que recebeu investimentos foi o Centro de Endoscopia Digestiva de Curitiba, que investiu cerca de R$ 100 mil na melhoria da infraestrutura física do serviço. Além de reparos na parte elétrica e hidráulica, o Centro ganhou três novos banheiros e uma recepção maior, oferecendo mais conforto aos pacientes.

Congresso Brasileiro de Cirurgia Dermatológica A Santa Casa de Curitiba foi uma das sedes do XXIII Congresso Brasileiro de Cirurgia Dermatológica, que aconteceu em abril. Os cursos práticos, programados para o primeiro dia do evento, aconteceram nas instalações da Santa Casa, instituição referência em dermatologia.


Divulgação

João Borges

UNIICA

Voltada exclusivamente para pacientes particulares e convênios médicos, a Aliança Saúde inaugura, em julho, a UNIICA - Unidade Intermediária de Crise e Apoio à Vida. A unidade oferecerá atendimento psiquiátrico especializado em situações de urgência, equipe médica treinada e infraestrutura específica. A UNIICA está localizada na Av. Marechal Floriano Peixoto, nº 2509, Rebouças.

Alimentação nota 10

Com inauguração prevista para outubro de 2011, o Hospital Marcelino Champagnat (HMC) abriu as negociações de locação dos seus 72 consultórios médicos, distribuídos em três dos 10 andares do empreendimento. Saiba mais sobre o credenciamento do Corpo Médico do HMC no site: www.hospitalmarcelino.com.br João Borges

A Diretoria de Serviços Compartilhados, responsável pelos serviços de Hotelaria Hospitalar dos hospitais da Aliança Saúde, promoveu, no dia 5 de maio, a degustação do cardápio que será oferecido na UNIICA. O evento contou com a participação de representantes da Instituição e mostrou a preocupação da DSC em oferecer o melhor aos seus pacientes.

Hospital Marcelino Champagnat

I Espaço Hotelaria Hospitalar Com o objetivo de trocar experiências sobre a área hospitalar, o setor de Hotelaria da DSC promoveu o I Espaço Hotelaria Hospitalar, no dia 25 de março. O encontro reuniu hospitais de Curitiba e Região Metropolitana para discutir assuntos relacionados à hotelaria hospitalar. Um dos convidados foi o chef Celso Freire, que falou sobre gastronomia hospitalar.

15


João Borges

Pergamum Aconteceu em maio o XI Encontro Nacional de Usuários da Rede Pergamum, na PUCPR, Câmpus Curitiba. O encontro teve como objetivo reforçar a necessidade da tecnologia em conjunto com as aptidões dos bibliotecários em utilizar, nas suas rotinas diárias, métodos que forneçam resultados práticos, objetivos e organizados, em prol do atendimento aos seus usuários internos e externos.

16

Orientação Profissional do TECPUCPR Quer fazer um curso técnico e não sabe qual escolher? Então participe do serviço de Orientação Profissional oferecido gratuitamente pelo TECPUCPR. Os encontros são coletivos com duração de uma hora (das 18h às 19h) e abertos à comunidade em geral, inclusive para escolas e empresas com o objetivo de facilitar a escolha consciente das atividades profissionais. Inscrições: www.pucpr.br/tecnico/orientacao.php

Corrida do bem Até o dia 31 de julho, a Rádio Táxi Capital promove uma campanha em prol da Santa Casa de Curitiba. A cada corrida chamada pelo número 41 3088 8844, a empresa destinará R$ 1,00 para o hospital. A doação só vale para as corridas chamadas por este número. Toda a renda arrecadada com a campanha será destinada a obras de melhoria da Santa Casa de Curitiba. Divulgação

João Borges

O curso de Enfermagem do Câmpus Toledo da PUCPR realizou em abril ações em comemoração ao Dia Mundial da Saúde. Os alunos promoveram atividades de educação em saúde, orientações de primeiros socorros, agendamento de preventivos contra o câncer de colo do útero, além de orientações nutricionais. O evento aconteceu na Praça Willy Barth e contou com a parceria da empresa Prati Donaduzzi.

Microsoft na PUCPR O gerente geral da divisão de Produtividade da Microsoft Brasil, Eduardo Campos, esteve na semana PUC Talentos, que aconteceu de 25 a 29 de abril, para conversar com os colaboradores da APC sobre “o impacto da tecnologia no mercado de trabalho”. A PUCPR utiliza o sistema de comunicação Live@Edu, servidor de e-mails da Instituição que possui capacidade de 10GB de armazenamento e funciona como HD online com 25GB de espaço, o que também permite o compartilhamento de programas do pacote Office on-line. “Com o Live@edu, estudantes, colaboradores e professores podem usar uma plataforma tecnológica atual, que incentiva a comunicação e colaboração entre as pessoas”, destaca Eduardo.

Dia Mundial da Saúde


O Núcleo de Práticas Jurídicas (NPJ) da PUCPR, Câmpus Maringá, está funcionando em nova sede a partir deste ano. A inauguração do novo espaço, localizado ao lado do Fórum da Comarca de Maringá, aconteceu no dia 29 de abril e participaram da cerimônia o reitor da PUCPR, Clemente Ivo Juliatto, a diretora do Câmpus Maringá, Silvia Christiane Goya, o diretor do curso de Direito da PUCPR Câmpus Maringá, Geandré Nakano Ramiro, a coordenadora do NPJ, Fernanda Correa, o prefeito de Maringá, Silvio Barros, o Arcebispo de Maringá, Dom Anuar Batistti, entre outras autoridades. O NPJ atende gratuitamente as especialidades de direto de família, vara de infância e juventude e cível.

João Borges

Câmpus Maringá inaugura nova sede do Núcleo de Práticas Jurídicas

Solenidade de inauguração da nova sede do NPJ, Câmpus Maringá, com o arcebispo Dom Anuar Battisti, o prefeito de Maringá, Sílvio Barros, e o reitor da PUCPR, Clemente Ivo Juliatto

João Borges

Nova UTI O Hospital Universitário Cajuru inaugurou, em abril, uma nova Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Com dez leitos exclusivos para pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), a Unidade ampliou para 30 o número de leitos de UTI oferecidos pelo Hospital, garantindo maior cobertura e assistência. A nova UTI recebeu investimentos de R$ 230 mil em infraestrutura e conta com cinco monitores, dez respiradores e dez camas cedidos pela Secretaria Estadual de Saúde (SESA) do Paraná.

Certificação Ouro O HUC acaba de conquistar a certificação Ouro no Programa de Monitorização da Esterilização da 3M do Brasil. Esta certificação é dada aos hospitais que utilizam as melhores práticas em central de materiais, desde a limpeza, desinfecção, esterilização e armazenamento de materiais cirúrgicos.

Participaram da inauguração o secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto, a secretária municipal de Saúde de Curitiba, Eliane Chomatas, além de autoridades do Hospital Universitário Cajuru e de sua mantenedora, a Associação Paranaense de Cultura (APC).

17


João Borges

Café com o reitor Com o objetivo de aproximar os professores da PUCPR e a reitoria e mostrar um pouco mais sobre a Instituição, mensalmente é realizado um café com o reitor em unidades da Universidade. Até agora, os Câmpus de Toledo, Curitiba, Londrina e Maringá já receberam a visita.

Ecologia da ação Com o objetivo de debater a atual crise ecológica, a Pastoral da PUCPR, Câmpus Curitiba, promove durante os meses de maio e junho uma série de encontros com exibições de filmes e debates sobre Crise Ecológica e Cinema 2011. Os encontros são gratuitos e acontecem sempre aos sábados das 8h30 às 12h no Auditório Alceu Amoroso Lima (Tristão de Athayde) - CTCH, Câmpus Curitiba. Inscrições: pastoral.ctba@pucpr.br

18

João Borges

acon tece

Poty Lazzarotto A PUCPR, Câmpus Curitiba, apresenta a exposição “A PUCPR sob o olhar de Poty Lazzarotto”, que traz os desenhos do artista paranaense inspirados na Universidade. A mostra está disponível na Sala Aleijadinho Antonio Francisco Lisboa, localizada no Prédio Administrativo. Também será exibido o acervo da “Coleção do Reitor”, contemplando telas de renomados artistas que retratam a PUCPR sob diferentes aspectos. Estas obras podem ser visitadas na Sala Michelangelo Buonarrotti, no Museu Universitário. Horário de visitação: das 9h às 21h até o dia 02 de julho.

painel do

colaborador

Correspondência Quer continuar recebendo a revista Mais? Mantenha seu endereço atualizado. Já está disponível no painel do colaborador a opção de atualização de dados cadastrais e contatos de trabalho.

Catálogo de Treinamentos Também está disponível na DRH, no Painel do Colaborador e na Intranet, o Catálogo de Treinamentos dos meses de maio/junho/julho. Faça sua inscrição e participe!


in ter câm bio

Tiago Sales, colaborador da DSC.

Fotos: Arquivo pessoal/ Divulgação

Vale a pena curtir a música ‘Sinal Fechado’, de Paulinho da Viola. Composta em 1969, a canção, interpretada por Chico Buarque e Maria Betânia, é uma mistura que retrata a realidade da vida contemporânea e a agitação da vida moderna. Trata-se de uma canção histórica e de grande peso político, além de propor uma reflexão sobre a conturbada falta de tempo para se estabelecer as relações humanas”. Marcos Roger Ribeiro, Auxiliar Técnico Administrativo do Núcleo de Projeto Comunitário de Londrina.

S

O!

!!

RE EG D

SEG

RE

DO!!

!

Divulgação

Minha sugestão de leitura é o livro ‘Discurso do Método’ de René Descartes. Uma obra muito interessante que mostra a relação da ciência e da existência de Deus”.

Sempre me pedem essa receita quando levo as sfihas para o trabalho, portanto, aqui vai o meu segredo para os leitores da Revista Mais.

Arlete do Vale Bicalho,

Gestora de Serviço de Nutrição e Dietética do HMAM.

Sfiha de frios Ingredientes:

Modo de preparo:

Massa

Dissolva o fermento em um copo de leite morno. Em um recipiente juntar os outros ingredientes e adicionar o leite com o fermento já diluído e o restante do leite. Amassar até desgrudar das mãos e ficar uma massa homogênea. Sove bastante em uma superfície levemente enfarinhada. Em seguida, faça bolinhas do tamanho da mão em concha. Coloque-as numa superfície polvilhada com farinha de trigo e deixe descansar por 30 minutos. Depois que as bolinhas dobrarem de volume, abra a massa com as próprias mãos dentro de um prato raso, como se fossem fazer pastéis (o formato deve ficar redondo). Misture os ingredientes do recheio e coloque no centro dos discos de massa. Feche formando um triângulo. Coloque as sfihas em uma assadeira e pincele com as gemas. Deixe descansar por mais 5 minutos e leve ao forno, pré-aquecido, até dourar.

250ml leite morno; 1 colher sopa fermento biológico; 1 ovo; 1colher chá sal; 150ml óleo; 1 colher sobremesa açúcar; Farinha de trigo até dar ponto; Recheio 200g queijo mussarela; 200g presunto; 1 colher café sal; 1 cebola picada; ½ pimentão vermelho picado; 1 tomate sem pele e sem sementes picado; ½ xícara chá cheiro verde picado; 1 colher sopa orégano;

19


Revista Mais ed 03  

Edição de junho/julho 2011 da revista Mais - Faça a coisa certa

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you