Revista INTS – Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde - 3ª Edição

Page 1

ANO I • Nº 03 • 2021 | WWW.INTS.ORG.BR

Saúde

Atendimento Humanizado

No Hospital Integrado Santo Amaro, pacientes se encantam com o atendimento de excelência, com o conforto e estrutura do ambiente

Especialistas contam sobre ações realizadas pelo INTS em prol da qualidade de vida dos seus colaboradores

Bem-estar feminino Hospital Dia Cidade Ademar realiza cirurgias ginecológicas prezando pela segurança e conforto das pacientes

MENTE SÃ, CORPO SÃO + MEU CORAÇÃO É INTS + LIDERANÇA HUMANIZADA + ENTREVISTA + ISO 9001




editorial

E

ra 17 de janeiro quando a enfermeira Mônica Calazans, de 54 anos, foi a primeira cidadã brasileira a receber o imunizante contra a Covid-19, no estado de São Paulo. O sopro de esperança chegou ao Brasil após quase 1 ano do início da pandemia, que já vitimou quase 500 mil pessoas. Entretanto, a chegada de novas cepas fez com que o nosso país sofresse mais uma onda do coronavírus. O que presenciamos ainda no primeiro trimestre de 2021 foi uma reprise de 2020, ano que tivemos vidas perdidas. Infelizmente, dessa vez, foi pior. O Brasil foi adquirindo doses e mais doses da vacina e, ao entrarmos no fim do primeiro semestre de 2021, a esperança por dias melhores está sendo retomada. Coronavac, Pfizer, Oxford/Astrazeneca, Jansen, dentre

"Buscamos a excelência em nossos processos, temos metas bem definidas e cuidar do próximo é uma das nossas grandes missões. Vacina sim, vacina para todos!" José Jorge Urpia Lima, Vice-Presidente

outras marcas de vacina, já são realidade em todo o mundo, inclusive no Brasil. De acordo com dados compartilhados pelas secretarias estaduais de saúde, o nosso país já aplicou a primeira dose em 49 milhões de pes-

4 Revista INTS | Instituto Instituto Nacional Nacional de de Tecnologia e Saúde

FOTO: DIVULGAÇÃO

Esperança tem nome: soas, sendo que mais de 23 milhões de brasileiros já tomaram as duas doses. Estamos cientes de que, além de tomar os devidos cuidados como o uso de máscara e isolamento social, quando possível, tomar vacina é o caminho mais assertivo para controlar a crise sanitária global. Diante desse cenário, o INTS atua firme no combate ao coronavírus, além de estar sempre de olhos atentos à humanização dos seus processos. O Instituto realiza regularmente ações nos contratos que estão sob a sua gestão, seja através do apoio às secretarias municipais e estaduais ou diante das inúmeras campanhas institucionais com o objetivo de conscientizar os públicos interno e externo sobre a gravidade da pandemia. Além da covid-19, temos o cuidado em discutir temas relevantes e que impactam na vida


dos nossos colaboradores. Ter a empatia como premissa faz com que a nossa Organização Social se destaque ainda mais. Buscamos a excelência em nossos processos, temos metas bem definidas e cuidar do próximo é uma das nossas grandes missões. Vacina sim, vacina para todos!

Até a próxima!

DIRETOR DE ARTE

Leandro Maia

14 Referência em saúde O Hospital de Urgências de Goiânia mostra como é ser o primeiro lugar em eficiência em meio à pandemia e servir de exemplo para os demais estados

18 Mente sã, corpo são

18 Meu coração é INTS Vice-Presidente

Jornalismo: Joseanne

Yêda Nunes - DRT/BA 4344

O especialista Dr. Murilo Marques alerta sobre a importância da Vitamina D, neste período de pandemia.

Confira, em uma matéria especial, como aconteceu a vacinação nas unidades geridas pelo INTS

COLABORARAM NESSA EDIÇÃO

DIRETORA DE REDAÇÃO

06 Liderança humanizada

18 Capa

Expediente

DUE CONTENT EDITORA www.duecontent.com

Sumário

Especialistas sinalizam como o investimento no bem-estar e na saúde dos colaboradores potencializa o ambiente de trabalho

FOTO: DIVULGAÇÃO

RESUMO DA REVISTA INTS E chegamos a mais uma edição da nossa Revista INTS. É um material criado com muito carinho e que só é realidade, pois os nossos colaboradores nos ajudam a construí-lo com muita dedicação. Nas próximas páginas você vai ter a oportunidade de acompanhar um pouco sobre a grande estrutura do Hospital Integrado Santo Amaro, popularmente conhecido como HISA, localizado no estado de São Paulo. Vocês já ouviram falar no Hospital Dia Cidade Ademar, também na capital paulista? Essa unidade de saúde vem prestando um grande apoio à autoestima feminina, através de cirurgias ginecológicas. Quando partimos para o estado de Goiás, o Hospital de Urgências (HUGO) se tornou referência quando o assunto é disponibilizar oxigênio para os pacientes. O tema foi abordado em uma interessante matéria. Também mostramos as inúmeras ações sociais desenvolvidas em nossos contratos, além do quadro “Meu

Coração é INTS”, espaço destinado aos colaboradores que têm questão de compartilhar o seu amor pelo Instituto. Se você gosta de ler boas histórias de pessoas que são exemplos de liderança e gostam de desafios, não pode deixar de acompanhar a entrevista com a Dra. Thayse Barreto, que saiu de Salvador e foi para a capital paulista assumir a direção do HISA. Por fim, também vamos mostrar as tradicionais colunas do diretor geral, Alan Kertzman, do diretor médico, Murilo Marques, e do superintendente do INTS, Ian Cunha. Desejo a todos vocês uma excelente leitura.

Guedes, Pedro Hijo e Luciana Costa Arte e Diagramação:

Daniela Souza Revisão: Carlos Amorim Fotos: Divulgação/ ShutterStock

Vice-Presidente

José Jorge Urpia Lima

Colaboradores expressam com muita emoção como é trabalhar no Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde

Superintendente de Planejamento

Diretor de Contratos

Allan Wailes de Holanda Cavalcanti

Diretor Financeiro

Superintendente de Relações Institucionais

Diretor De TIC

Geraldo Andrade Filho

Diretor Médico

Fabio Finamori Macedo Lucas Tanure Telles Luciano de Carvalho Lemos

Diretor Geral

Murilo dos Santos Marques

Tesoureiro

Alan Moreinos Stridelman Kertzman

Diretor Jurídico

Superintendência Geral

Diretor Administrativo Sandro Malheiros

Coordenação de Comunicação

Armando Siqueira Aguiar Ian dos Anjos Cunha

Rodrigo Soares Brandão Joana Maltez

www.ints.org.br 5


hospital integrado santo amaro

PACIENTE em primeiro lugar

FOTO: SHUTTERSTOCK

Hospital Integrado Santo Amaro se torna referência em consultas ambulatoriais no município e deve aumentar número de atendimentos ainda este ano por pedro hijo

6 Revista INTS | Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde


tura em lugar nenhum, entrei e fui atendida com muito cuidado e carinho”, disse. Sob a gestão do Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde (INTS), o HISA iniciou os atendimentos à população em novembro de 2020, e conta com 80 salas de consultas, exames e atendimentos públicos distribuídos em seis andares. Com cinco meses de atuação, se tornou referência no município paulista que mais promove atendi-

mento ambulatorial para a população. De acordo com a diretora geral do HISA, Thayse Barreto, estão nos planos a instalação de uma UTI, um centro cirúrgico e a estruturação de um Hospital Dia e de leitos de enfermaria ainda este ano. “O projeto tem um potencial enorme”, opina. SISTEMA INTEGRADO Segundo a diretora regional de implantação e acompanhamento de contratos do Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde (INTS), Luciana Peixoto, um dos diferenciais do pro-

O Hospital Integrado Santo Amaro (HISA) é referência no município paulista por promover execelente atendimento ambulatorial para a população

FOTOS: DIVULGAÇÃO

C

om suspeita de glaucoma, a moradora da Vila Brasilândia, Michelli Barros, precisava de uma consulta com um oftalmologista e, pelo aplicativo da Prefeitura Municipal de São Paulo, conseguiu uma vaga no Hospital Integrado Santo Amaro (HISA). Ao chegar lá, ficou encantada com o atendimento e com as instalações. "Nunca tinha visto essa estru-

www.ints.org.br 7


hospital integrado santo amaro

DESAFIOS O primeiro desafio encontrado pela equipe do Hospital Integrado Santo Amaro (HISA) foi enfrentar a fila de pessoas que deixaram de fazer exames ambulatoriais em 2020 por

"Temos um sistema que registra tudo, todas as informações são guardadas, o que ajuda a otimizar o atendimento e a diminuir o tempo de espera dos pacientes” Luciana Peixoto, diretora regional de implantação e acompanhamento de contratos do INTS

FOTOS: DIVULGAÇÃO

jeto é que o paciente é assistido da entrada até a saída do hospital. “Temos um sistema que registra tudo, todas as informações são guardadas, o que ajuda a otimizar o atendimento e a diminuir o tempo de espera dos pacientes”, afirma. Esse sistema de prontuário integrado permite que o médico solicite um laudo e consiga ver o resultado em tempo hábil e com qualidade de imagem. Foi esse sistema que possibilitou a Michelli Barros poupar tempo e sair do HISA com três exames realizados no mesmo dia. De acordo com a diretora regional de implantação e acompanhamento de contratos Luciana Peixoto, essa é uma estratégia para diminuir as idas e vindas dos pacientes e a alta taxa de pessoas que não voltam para buscar os resultados dos exames. São mais de 40% dos pacientes, segundo pesquisa do INTS. “Se uma mulher vai fazer mamografia, por exemplo, nós temos condições de realizar os outros exames que ela precisa pelo sistema, e já marcamos naquele mesmo dia.” Esse sistema também pretende integrar a unidade de atendimento com postos médicos. “Em médio prazo, o médico que pediu o exame no postinho vai conseguir ver o resultado pelo mesmo sistema do hospital”, disse Luciana Peixoto.

causa da pandemia. “Tivemos que optar pelo overbooking”, afirmou a diretora regional de implantação e acompanhamento de contratos. “De 30% a 35% das pessoas que marcam exames não vão, o que aumenta o tempo de espera por pacientes que desejam ser consultados.” A estratégia foi fazer uma agenda de consultas com uma taxa maior de marcações. “Ofertamos mais exames

de procedimentos em menos tempo e conseguimos zerar, por exemplo, a fila de ultrassom transvaginal em novembro e dezembro”, exemplifica. A implantação do serviço, de acordo com o diretor executivo do contrato INTS SACA Carlos Huerara, foi realizada em outubro de 2020, um mês antes do início dos atendimentos. “Recebemos um prédio com obras inacabadas, então foi um desafio fazer a adaptação estrutural, a instalação elétrica e hidráulica, toda a operação e treinar o pessoal em um

"Ofertamos mais exames de procedimentos em menos tempo e conseguimos zerar, por exemplo, a fila de ultrassom transvaginal em novembro e dezembro” Carlos Huerara, diretor executivo do contrato INTS SACA

8 Revista INTS | Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde


FOTOS: DIVULGAÇÃO

"O fluxo de pessoas é grande, então, temos uma meta de 50 minutos no máximo para realizar o atendimento de um paciente, o que é bastante satisfatório" Luiz Bot, diretor técnico do Hisa

mês. Tudo foi feito em tempo recorde”, aponta. Tanto a obra quanto a implantação do serviço estiveram sob a responsabilidade do INTS. JOGO DE CINTURA A pandemia apresentou uma nova realidade durante a implantação. Medidas criativas tiveram que ser tomadas para seguir todas as restrições, como, por exemplo, a montagem de estruturas externas para atendimento com maior circulação de ar.

Apesar de o Hospital Integrado Santo Amaro (HISA) ser uma unidade integrada, as consultas estão num formato modular. “Tivemos que organizar o serviço numa estrutura vertical com acessibilidade por meio de elevador. Isso foi complicado por termos, em média, mil pacientes sendo atendidos por dia. Sem dúvida que o fluxo de pessoas foi um grande desafio”, contou a diretora regional de

implantação e acompanhamento de contratos Luciana Peixoto. FORÇA-TAREFA O diretor técnico do Hospital Integrado Santo Amaro (HISA), Luiz Bot, credita o sucesso da implantação a uma equipe unida e centrada num mesmo objetivo. “O fluxo de pessoas é grande, então temos uma meta de 50 minutos no máximo para realizar o atendimento de um paciente, o que é bastante satisfatório.” www.ints.org.br 9


PLANOS Para 2021, a expectativa é que o Hospital Integrado Santo Amaro (HISA) opere em sua totalidade: nos 13 andares com 90 leitos para internação e 463 profissionais contratados, sendo 240 médicos. A pretensão é que o hospital disponibilize atendimento em 15 especialidades clínicas: endocrinologia, reumatologia, oftalmologia, cardiologia, mastologia, otorrinolaringologia, urologia, vascular, ortopedia, proctologia, gastroenterologia, neurologia, dermatologia, pneumologia e hematologia. Nesse momento, dois pequenos centros cirúrgicos estão prontos para atender pacientes com necessidades de baixa complexidade em especialidades, como oftalmologia cirúrgica, cirurgia ginecológica, cirurgia ortopédica, cirurgia geral e cirurgia pediátrica.

A pretensão é que o hospital disponibilize atendimento em

15 especialidades:

•oftalmologia •cardiologia, •mastologia •otorrinolaringologia •urologia •vascular •ortopedia •proctologia, gastroenterologia •neurologia •dermatologia •pneumologia •hematologia O hospital conta com 15 especialidades, além de ter dois pequenos centros cirúrgicos para atender pacientes com baixa complexidade

10 Revista INTS | Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde

FOTOS: DIVULGAÇÃO

O desgaste das equipes médica e de enfermagem por causa da pandemia foram outros desafios. “Nosso time não pode parar, o colaborador deve ficar à disposição porque temos que fazer o que é mais benéfico para o paciente, e para isso estimulamos a equipe a todo momento para que a gente consiga uma contínua readaptação”, completa. Segundo Luciana Peixoto, a implantação do HISA foi um dos maiores desafios da história do Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde (INTS), que conta com 11 anos de fundação, uma matriz baiana com atuação em São Paulo e Goiás. Em todo corpo de colaboradores de todas as unidades há sempre lideranças vindas da Bahia, fator primordial para o desenvolvimento dos processos, de acordo com a diretora. “Buscamos colocar pelo menos uma pessoa com o DNA baiano para que ela possa qualificar a equipe dentro dos propósitos do INTS.”

FOTOS: DIVULGAÇÃO

hospital integrado santo amaro


gestão por ian cunha *

INTS: crescendo e avançando a cada dia Na última edição da nossa revista comentava sobre a responsabilidade em fazer parte da Superintendência do Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde (INTS). Ocupo um cargo que influencia a vida de milhares de pessoas, sejam os próprios colaboradores ou a população atendida nas nossas unidades de saúde, localizadas em várias cidades ao redor do país. Aproveito este espaço para ressaltar o quanto o Instituto está focado na melhoria contínua e, consequentemente, no crescimento sólido

N

os últimos três meses conseguimos concluir processos que norteiam positivamente o caminho que o INTS vai percorrer ao longo dos próximos anos. Conseguimos a recertificação da ISO 9001:2015, o que reforça a nossa conformidade com o compromisso de prestar serviço de excelência, sempre buscando a satisfação dos contratantes, pacientes e demais partes interessadas. Diante de um período tão desafiador, em virtude do enfrentamento à covid-19, iniciamos a gestão de 131 leitos no Hospital das Clínicas, na Grande São Paulo, sendo 75 leitos de enfermaria e 56 leitos de UTI. Os pacientes serão atendidos por mais de 380 colaboradores que agora fazem parte da nossa família. Esse novo contrato soma-se à nossa atuação em outros locais do estado, a exemplo da região de Santo Amaro e Cidade Ademar, Mogi das Cruzes, Suzano e Bertioga. Definitivamente, ter uma forte atuação em São Paulo foi uma decisão estratégica de toda a diretoria executiva, e é de fundamental importância para a evolução da organização.

CRESCIMENTO O nosso Instituto está crescendo muito rápido e para que essa evolução seja planejada e com processos bem definidos é sempre importante ressaltar que estamos buscando uma estrutura cada vez maior para a nossa sede em Salvador. É previsto para 2022 fazermos uma mudança de endereço com o intuito de proporcionar um espaço mais confortável e laboral para todos os colaboradores. Afinal, são vocês que ajudam o Instituto a alcançar posições de relevância. Ainda não posso passar detalhes, mas estamos procurando fazer tudo com muito carinho e atenção. Iniciamos uma escuta ativa com o objetivo de listar todos os itens essenciais para uma rotina produtiva de trabalho. Por fim, gostaria de ressaltar a dedicação de todos os colaboradores do INTS, desde o setor administrativo, linha de frente contra o coronavírus, até os diretores em geral. Todos respondem

positivamente às nossas determinações, que estão com um nível de exigência cada vez maior. Vamos seguir em frente, pois temos um futuro brilhante para conquistarmos. Continuo contando com você.

“Definitivamente, ter uma forte atuação em São Paulo foi uma decisão estratégica de toda a diretoria executiva, e é de fundamental importância para a evolução da organização” *Ian Cunha é superintendente do INTS


RENOVAÇÃO DA

ISO 9001 O INTS renovou seu certificado que garante a manutenção do Sistema de Gestão da Qualidade ISO 9001, com validade de fevereiro de 2024 por yêda nunes e larissa faria

M

ais uma conquista no INTS em um momento de muitos desafios e trabalho. O Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde – INTS recebeu, em janeiro, o Certificado que garante a manutenção do Sistema de Gestão da Qualidade ISO 9001, versão 2015. A renovação valida as atividades do Instituto junto à gestão dos contratos com órgãos públicos relativos à prestação de serviços nas áreas de saúde, educação e assistência social. “O processo foi profícuo devido à cooperação e engajamento de todos os colaboradores, embora o Sistema de Gestão

da Qualidade seja algo já fortalecido na Cultura Organizacional do INTS. É um sentimento de reconhecimento, pois atesta todo trabalho desenvolvido não só pela equipe de Qualidade, mas também pelos colaboradores, assim como todo suporte da alta direção”, afirma Taneide Alves, coordenadora de Qualidade do INTS. Para o superintendente do Instituto de Tecnologia e Saúde (INTS), Ian Cunha, o momento é de alegria e só fortalece as ações e estratégias durante toda caminhada nesses 11 anos de INTS. "A recertificação da ISO 9001, versão 2015, reforça a nossa conformidade com o compromisso de prestar serviço de excelência e qualidade, sempre buscando a satisfação dos contratantes, pacientes e demais partes interessadas. O certificado agora tem validade de fevereiro de 2024, com auditorias de manutenção anual”, conta Ian Cunha.

A CERTIFICADORA O certificado foi emitido pela

Certificadora Brasileira de Gestão – CBG, entidade credenciada a conceder a certificação do Sistema de Qualidade ISO no Brasil. O documento comprova a aderência do Sistema de Gestão da Qualidade do INTS aos requisitos da ISO 9001:2015 e comprometimento em prestar um serviço de excelência com foco na melhoria contínua. 12 Revista INTS | Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde

FOTO: DIVULGAÇÃO

gestão


www.ints.org.br 13


CAPA

UMA DOSE DE A emoção tomou conta dos heróis da saúde após receberem a vacina contra a covid-19. Confira como aconteceu a vacinação em algumas unidades sob a gestão do INTS e o que dizem os colaboradores por joseanne guedes

14 Revista INTS | Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde


FOTO: SHUTTERSTOCK

www.ints.org.br 15


CAPA

Hospital Espanhol

cia Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para uso emergencial no país. Para o Instituto, que prioriza a gestão participativa e o atendimento humanizado, cada dose da vacina representa um recomeço com mais leveza, resiliência e esperança de dias melhores, sobretudo quando o Brasil ultrapassa a triste marca de 468 mil mortos pela covid e mais de 16 milhões de infectados em meio à crescente necessidade de enfrentar a desinformação que coloca em risco o reconhecido Programa Nacional de Imunização (PNI). “O sentimento em geral foi de alívio e gratidão. Houve grande adesão à vacina”, afirma o diretor geral do Hospital Espanhol, Rômulo Cury. De acordo com o administrador hospitalar, que acumula 20 anos de experiência na área de saúde, 725 colaboradores foram imunizados no Espanhol. Em um ano de funcionamento e muito trabalho dos seus quase 1.200 funcionários, a unidade

"No período anterior à vacina, teve muita ansiedade para a imunização e preocupação com o cenário desafiador. Mas, utilizando todas as medidas preventivas e boas práticas, o sentimento de insegurança foi sendo superado” Rômulo Cury, diretor geral do Hospital Espanhol

FOTOS: DIVULGAÇÃO

Com a caderneta de vacinação na mão, Reginaldo Araújo, de 52 anos, tentava conter a emoção enquanto recebia o imunizante contra a covid-19. O técnico de enfermagem da UTI 2 do Hospital Espanhol, referência no tratamento da doença na Bahia, foi a primeira pessoa da unidade a se vacinar. Em 21 anos de profissão, ele jamais imaginou que fosse enfrentar uma pandemia, nem a proporção que o coronavírus tomaria no Brasil. Agora Reginaldo divide com outros heróis da saúde a alegria em poder atuar com mais segurança, distante do clima de incerteza instalado desde o início da crise sanitária. Reginaldo faz parte dos mais de cinco mil colaboradores do Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde (INTS) que foram vacinados, entre as unidades de saúde, com as vacinas CoronaVac/Butantan e Oxford/ AstraZeneca – aprovadas pela Agên-

16 Revista INTS | Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde

já contabilizou mais de quatro mil internações e cerca de 2,4 mil altas de pacientes que venceram a luta contra o coronavírus. “No período anterior à vacina, teve muita ansiedade para a imunização e preocupação com o cenário desafiador. Mas, utilizando todas as medidas preventivas e boas práticas, o sentimento de insegurança foi sendo superado”, ressalta o gestor com confiança e otimismo. O Espanhol opera atualmente com 253 leitos (159 de UTI e 94 de enfermaria) e uma taxa de ocupação que se mantém em 80%. “Realizamos uma série de ações de acolhimento do colaborador com ações de humanização e retenção de talentos”, detalha Rômulo Cury. Já são 3.528.578 imunizados com a primeira dose da vacina contra covid-19 na Bahia, de acordo com dados da Secretaria Estadual de Saúde (Sesab). *Dados atualizados no dia 03/06/2021


Esse sentimento otimista é compartilhado pela recepcionista Jamile Reis, uma das colaboradoras imunizadas contra o coronavírus na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Feira de Santana, na Bahia. Ela foi uma das contempladas pela campanha de vacinação interna. “Para mim foi um dia de muita emoção e esperança. Vivemos momentos de tensão e tristeza, mas agora, com a chegada da vacina, nos dá esperança de que vamos voltar à normalidade e diminuir a mortalidade que vem crescendo no país pela covid-19”, celebra. Segundo a diretora da UPA Feira de Santana, Silvia Herranz, a vacinação representa um marco histórico para a sociedade. “A trajetória no combate contra a covid-19 ainda é extensa, porém a vacina nos traz a resiliência necessária para não baixarmos a guarda, continuarmos com as medidas protetivas e unidos vencermos”, ressalta. Silvia lembra a força-tarefa para realizar a primeira dose da vacinação na unidade, ainda em janeiro. “Tínhamos o objetivo de conseguir em tempo recorde a montagem da estrutura física da sala de vacinação atendendo a todos os critérios necessários. A ansiedade tomou conta de todos os envolvidos nesse processo até que no dia 21 de janeiro a unidade

FOTOS: DIVULGAÇÃO

Upa Feira

recebeu as doses para todos os seus profissionais.” A aplicação da segunda dose ocorreu após 28 dias, em 18 de fevereiro, prazo de acordo com as instruções técnicas para administração da CoronaVac, vacina produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac. “A aplicação da segunda dose ocorreu com o mesmo nível de praticidade e segurança adotada na aplicação da primeira dose”, relata Silvia Herranz. “Se iniciou um ciclo de renovação de todas as esperanças. Passa um filme de tudo o que a gente viveu. É emocionalmente exaustivo para todo mundo”, afirmou o enfermeiro da UPA Feira de Santana, Almir Oliveira. “A vacinação é um início, um pequeno passo. Quem sabe até o final do ano possamos estar num momento diferente”, complementou Isabella Souza de Sá, enfermeira da UPA de Feira de Santana. Ambos fizeram parte da equipe de vacinadores. Para a gerente de enfermagem da UPA Feira de Santana, Ana Paula França, que aplicou a primeira dose administrada

"A trajetória no combate contra a Covid-19 ainda é extensa, porém, a vacina nos traz a resiliência necessária para não baixarmos a guarda, continuarmos com as medidas protetivas e unidos vencermos" Silvia Herranz, diretora da UPA Feira de Santana

na unidade, "foi um momento de extrema felicidade e o sentimento agora é de gratidão a Deus por estarmos vivos e poder ganhar essa dose de esperança que nos foi proporcionada”, vibra. Segundo a diretora, ao todo 185 profissionais da saúde receberam a imunização na unidade. www.ints.org.br 17


CAPA

Quem conhece bem a realidade da UPA Feira é a enfermeira e atual diretora-administrativa da UPA 24h de Brotas, Priscila Souza. Com 14 anos de atuação na área da saúde, sendo dez no Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde (INTS), ela também liderou a UPA de Feira por 11 meses. A diretora explica a estratégia de sua unidade atual e exalta a parceria com a Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal da Saúde de Salvador. “Houve a convocação e aplicação da primeira dose para todos os profissionais em um único dia (20 de janeiro) com muita organização e controle por nossa equipe”, comemora orgulhosa. A segunda dose foi administrada nos postos de vacinação descentralizados e disponibilizados pela Rede Municipal de Saúde. “Eles estavam muito ansiosos e felizes por esse momento tão esperado. O meu sentimento foi de esperança por dias melhores, pois sabemos que, com a vacinação, estamos protegendo toda a população. Em nossa unidade, 190 profissionais foram imunizados nesse dia”, conta a diretora da UPA de Brotas. Priscila Souza observa que a pandemia provocou a reorganização de fluxos e rotinas, impondo desafios à gestão. Valdiméia Santana dos Santos é técnica em enfermagem da UPA de Brotas há quase dois anos. Ela já passou por diversas unidades de saúde de Salvador e garante que usou toda a sua experiência na área para enfrentar

FOTOS: DIVULGAÇÃO

Upa 24h Brotas

"Eles estavam muito ansiosos e felizes por esse momento tão esperado. O meu sentimento foi de esperança por dias melhores, pois sabemos que, com a vacinação, estamos protegendo toda a população" Priscila Souza, diretora da UPA de Brotas

esse momento. A chegada da vacina trouxe um sentimento de alívio. “A vacinação na unidade foi tranquila, sem aglomeração. Para nós, que estávamos ali envolvidos em imunizar nossos colegas com uma vacina tão esperada, foi um misto de sensações. Era uma alegria misturada com uma espécie de força que vinha de dentro como se estivéssemos dizendo para essa doença ‘vamos acabar com você’’’, brinca. A profissional viveu muitos momentos de dor por causa da covid-19. Ela perdeu o pai e um irmão para a doença. “Eu também contraí junto com minha mãe e outro irmão. Ficamos muito debilitados na época e quase perco minha mãe também, mas graças a Deus estamos aqui, e eu me sinto ainda mais na obrigação de

18 Revista INTS | Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde

cuidar das pessoas”, afirma. “O que recebemos dos pacientes são elogios pelo bom atendimento e pelo carinho como são tratados, além da agilidade”, destaca. A enfermeira administrativa, Isa Carla Alves Aragão, também ressaltou a vacinação na UPA de Brotas como um momento muito esperado pelos funcionários. “Todos nós estávamos ansiosos. É bom passar para nossos familiares a tranquilidade de estarmos protegidos e que necessitamos continuar na linha de frente fazendo o nosso trabalho. A rotina da unidade em meio à pandemia da covid-19 não é nada fácil. A vacina veio para dar conforto à equipe. Os funcionários estão mais confiantes para enfrentar os novos desafios”, assegura. Na unidade foram vacinados 221 colaboradores com a primeira dose e 128 com a segunda dose.


FOTOS: DIVULGAÇÃO

A rotina não tem sido diferente no Hospital Municipal Guarapiranga, localizado no distrito de Jardim São Luís, na zona sul de São Paulo. “Exaustiva e difícil”, descreve a administradora Simone Araújo, diretora geral da unidade. De acordo com a gestora, também em janeiro aconteceu a vacinação dos colaboradores que atuam na linha de frente, posteriormente se estendendo ao administrativo e às áreas de apoio, totalizando 667 profissionais vacinados com a primeira dose e 369 com a segunda dose. “Estruturamos uma sala exclusiva para imunização. A vacina traz uma luz para todos nós, uma esperança de que a pandemia terá um fim em breve.” Mas ela faz um alerta sobre a necessidade de seguir com os protocolos de segurança. “Não podemos deixar de utilizar constantemente os equipamentos de proteção. Infelizmente a vacina ainda está longe de chegar para todos”, adverte. “Senti que estava recebendo uma dose de esperança”, afirma a supervisora de enfermagem do HMG, Fernanda Demichili Pitombo. “Nossa rotina tem sido bem intensa e árdua principalmente nos últimos dias em que o número de casos tem crescido absurdamente e a gravidade dos casos também. Com a chegada da vacina buscamos um fôlego que nos enche de esperança e fé que tudo isso logo vai acabar”, completa a enfermeira. Mãe de três filhos, Regiane Dias respirou mais aliviada ao receber o imunizante. “O sentimento foi de esperança, felicidade, alegria e desejo de um mundo melhor para todos”, afirma a enfermeira da Vigilância Epidemiológica. Ela atua na saúde há mais de 20 anos e agora encarou um dos maiores desafios de sua trajetória profissional: foi a responsável pela logística da vacinação na unidade. “A vacinação foi um marco tanto para o HMG quanto para mim, pois foi a primeira campanha que coordenei. Todos contribuíram para o sucesso e a repercussão da nossa ação”, reconhece.

FOTO: SHUTTERSTOCK

Hospital Municipal Guarapiranga

www.ints.org.br 19


CAPA 6.733 colaboradores já foram vacinados com a 1ª dose nas unidades geridas pelo Instituto

FOTO: SHUTTERSTOCK

Escaneie o QR Code abaixo e confira a atualização diária do vacinômetro

20 Revista INTS | Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde


“Fizemos parte de um marco histórico para o município: transformamos uma área que era dividida em auditório e CAF em leitos de UTI Ana Patrícia Barreto Palma, diretora administrativa do Hospital Municipal de Bertioga

Hospital Regional de Itumbiara São Marcos A CoronaVac foi o imunizante que primeiro chegou ao Estado de Goiás. No hospital de campanha de Itumbiara a vacinação ocorreu nos dias 2 e 3 de janeiro, como informa a enfermeira assistencial Emilly Mesquita. Na unidade, 385 colaboradores foram vacinados com a primeira dose em janeiro, e já receberam a segunda dose nos dias 19 e 20 do mesmo mês. As vacinas aplicadas foram Coronavac e AstraZeneca. “Foi gratificante sermos os primeiros. Um sentimento de esperança. Nossa equipe multiprofissional tem sede de conhecimento e aprendizado e trabalham o lado humano.”

a gestora, que tem mais de uma década atuando na área hospitalar. Na unidade, a vacinação foi feita de forma equitativa e tranquila entre todos os profissionais, de acordo com Ana Paula Martins, enfermeira e coordenadora do Serviço de Atendimento Médico (Samu). “A vacinação inspira sentimento de alívio principalmente para quem sofreu a perda de familiares como eu, que perdi minha mãe e de vários que perderam amigos e conhecidos. A vacina se torna um alento ao coração sofrido de todos”, comemora.

“Foi gratificante sermos os primeiros. Um sentimento de esperança. Nossa equipe multiprofissional tem sede de conhecimento e aprendizado, e trabalham o lado humano” Emilly Mesquita, enfermeira assistencial

FOTOS: DIVULGAÇÃO

“A vacinação foi realizada com grande êxito e tranquilidade. Meu sentimento foi de gratidão”, ressalta Marta Monteiro, auxiliar de higienização do Hospital Municipal de Bertioga. No dia 1º de maio a unidade, situada Litoral Norte de São Paulo, completou dois anos sob a gestão do Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde (INTS). Na unidade, a implantação da primeira UTI veio através da pandemia. Quem conta é Ana Patrícia Barreto Palma, diretora administrativa. “Fizemos parte de um marco histórico para o município: transformamos uma área que era dividida em auditório e CAF em leitos de UTI”, destaca

FOTOS: DIVULGAÇÃO

Hospital Municipal de Bertioga

www.ints.org.br 21


Hospital Estadual de Urgências de Goiânia Dr. Valdemiro Cruz (Hugo)

ministrativa e terceirizados) e 1.079 receberam a segunda dose. A enfermeira, Luzia Oliveira, do Núcleo de Vigilância Epidemiológica do Hugo está entre esses profissionais. Sua experiência em vigilância, prevenção e controle das ISTs, HIV/Aids e hepatites virais está sendo fundamental para superar a atual situação. “A cada dia percebo o quanto nós, profissionais da saúde, somos importantes para a sociedade”, reflete. “O sentimento maior foi a emoção em ter a oportunidade de ser imunizada, esperança por dias melhores para a nossa população e esperança de vida para nós profissionais da saúde, que perdemos tantas vidas para a covid. E gratidão porque mesmo estando exposta ao vírus não fui contaminada com a doença”, revela. Mãe de Alessandra, de 22 anos, e de Samuel, de 12, Mônica Lelis afirma que seu sentimento é de ser cuidada e poder dar mais segurança para a família. Ela atua como psicóloga hospitalar no Hugo. “A rotina

FOTO: SHUTTERSTOCK

Os colaboradores do Hospital Estadual de Urgências de Goiânia Dr. Valdemiro Cruz (Hugo) também já tiveram a segunda dose aplicada. “Os profissionais de saúde estão cansados? Estão. Mas a gente não pode perder a conscientização de que o trabalho continua, porque o número de casos no país ainda não diminuiu”, alerta a enfermeira Janine Oliveira de Paula, gerente assistencial do Hugo. “O sentimento é de satisfação e gratidão de forma geral. A chegada da vacina traz um sentimento de esperança que a pandemia acabe logo e que as vidas perdidas não sejam esquecidas”, pondera. No total, foram vacinados com a primeira dose da vacina CoronaVac 1.468 colaboradores das diversas áreas do hospital (assistenciais, ad-

FOTOS: DIVULGAÇÃO

CAPA

22 Revista INTS | Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde

"O sentimento é de satisfação e gratidão de forma geral. A chegada da vacina traz um sentimento de esperança que a pandemia acabe logo e que as vidas perdidas não sejam esquecidas" Janine Oliveira de Paula, gerente assistencial do Hugo

da unidade nesses meses de pandemia tem sido muito cansativa, tudo muito novo, aprendendo a cada dia. Os colaboradores uns apoiando os outros. Ficamos mais unidos”, afirma. Durante o ano foi desenvolvido um projeto chamado “Fortalecer”, onde colaboradores, usuários e familiares cantam e oram juntos, todos unidos para superar a crise do momento. “O nosso diferencial é ter uma equipe responsável, dedicada e prestativa sempre tentando se colocar no lugar do outro”, elogia Mônica Lelis. Dados atualizados no dia 11/05/2021


Renovam as esperanças por dias melhores, os mais de cinco mil colaboradores do Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde (INTS), que foram vacinados nas unidades geridas pelo Instituto.

Hospital Estadual de Urgências de Goiânia - GO

Hospital Municipal de Bertioga - SP

SAMU - Suzano - SP

Hospital Municipal Guarapiranga - SP

FOTOS: DIVULGAÇÃO

Esperança renovada

Hospital Regional de Itumbiara - SP

Hospital Espanhol - Salvador - BA

Upa Brotas - Salvador - BA

Upa Feira de Santana - BA

Hospital Espanhol - Salvador - BA

www.ints.org.br 23


depoimentos

Colaboradores falam com gratidão e afeto como é trabalhar diariamente no Instituto. Confira!

"Fazer parte do INTS me faz refletir

"Sou grata por fazer parte desse time chamado INTS, pois é uma excelente empresa para trabalhar. Carrego meu coração cheio de gratidão pelos desafios, aprendizados e crescimento profissional. Gostaria de agradecer também à diretora Ana Patrícia Palma por acreditar e confiar no meu trabalho. Meu muito obrigada!" Gladys Celestino (Coordenadora de qualidade do Hospital Municipal de Bertioga-SP) 24 Revista INTS | Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde

estar dos colaboradores, e isso me faz entender que meu coração é INTS, e nisso me realizo como pessoa e profissional" Cibele Vasconcelos (Analista administrativo Jr. da Região SACA-SP)

"O INTS tem me proporcionado vivenciar novas experiências e que continuam dialogando com a saúde com as políticas do SUS bem como o olhar atento sobre as necessidades daqueles que utilizam nossos serviços. Vivenciar o processo que antecede à execução das nossas unidades (licitações) reforça a importância das nossas implantações que são pautadas no trabalho coletivo, respeitoso e colaborativo!" Anne Maia (Coordenadora de Projetos e Licitações da SEDE-BA)

FOTOS: DIVULGAÇÃO

e reafirmar o que cultivo em meu coração: “justiça social na saúde”. Aqui encontro a oportunidade de executar o que tem de mais precioso em mim, o meu acolhimento humanizado e direcionamento dos pacientes, transformando a realidade local e diminuindo os impactos dos que estão expostos aos mais diversos tipos de vulnerabilidade. Isso só é possível porque o INTS tem em sua missão ações sociais, educação e promoção à saúde, buscando sempre a satisfação de nossos pacientes e o bem-


"É a primeira vez que trabalho na área da saúde diretamente, e aqui no Hospital Municipal Guarapiranga o ambiente é incrível, arborizado e com diversos pássaros no qual chamamos carinhosamente de “nosso vale encantado”. Todos os dias eu aprendo algo novo e me encanta muito essa dinâmica e luta dos colaboradores que são realmente soldados, e nesse momento delicado que o mundo se encontra devido à pandemia trabalham com dedicação e amor. E nós que não trabalhamos diretamente com os pacientes, mas auxiliamos os nossos heróis da saúde com ações que tornam os dias deles mais confortáveis, demonstram o quanto eles são especiais. Refletindo em nossos pacientes, chegamos a marca de duas mil famílias com seus lares completos, e fazer parte disso tudo é ressignificante e gratificante como profissional e ser humano" Vanda Hellman (Secretária executiva do HMG-SP)

"Trabalhar no INTS é fazer parte de um time que nos desenvolve e aprimora todos os dias enquanto profissional e enquanto pessoa. É fazer parte de um time que preza pela qualidade e humanidade em todos os seus processos, buscando sempre oferecer um atendimento cada vez melhor. É fazer parte de um time do qual me orgulho e quero sempre colaborar para que ele cresça e se desenvolva continuamente." Karine Araújo Rodrigues (Coordenadora multiprofissional do Hospital de Campanha de Itumbiara-GO)

"Sou enfermeiro do Núcleo Educação Permanente (NEP), unidade SAMU 192 regional Mogi das Cruzes. Estou no Instituto desde setembro de 2019, era enfermeiro intervencionista e fui promovido enfermeiro NEP. Hoje desenvolvo trabalho junto aos colaboradores do SAMU, transmitindo conhecimentos através de cursos, ações e capacitações. Por isso digo, meu coração é INTS" Fábio Caxico (Enfermeiro de Mogi das Cruzes-SP) www.ints.org.br 25


depoimentos

"O Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde (INTS) não é somente a empresa a qual eu realizo minhas atividades profissionais. Esses três anos de empresa têm sido maravilhosos, motivadores e únicos, pois aqui aprendo um pouco mais todos os dias sobre a vida, sobre como é bom acolher e ser acolhida, e juntos entendemos que além de equipe somos uma família, e como uma boa família aprendemos a ser melhores, a dar e receber amor. A troca de vivências que tenho aqui me torna uma pessoa mais feliz e realizada. Sem dúvida, o meu coração é INTS. Gratidão por fazer parte dessa Sabrina Santana Martins (Auxiliar de saúde bucal – ESF Eduardo Nakamura)

“Experiências de trabalhos podem ser vividas em

"Para mim é muito fácil falar do INTS,

qualquer instituição, mas

sou nutricionista. Há quatro anos faço parte dessa família, e digo com

estabelecer laços de

total convicção: MEU CORAÇÃO É INTS!"

admiração e respeito é

pois foi a empresa que me deu oportunidade para trabalhar na minha área de formação. Comecei como auxiliar de operações e hoje

Jamile Renata (Nutricionista da UPA – Feira de Santana-BA)

uma oportunidade rara. O INTS me faz viver essa experiência a cada novo dia. Meu crescimento profissional é proporcional às oportunidades e incentivos que recebo na Instituição. Com o INTS, sempre vou além!” Lorena Melo (Farmacêutica do Hospital Espanhol-BA)

26 Revista INTS | Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde

FOTOS: DIVULGAÇÃO

história de competência e amor ao próximo."


FOTOS: DIVULGAÇÃO

“Trabalhar com o INTS é se sentir acolhido o tempo inteiro. E nesse período em que estamos, temos ainda mais necessidade de acolhimento emocional. Ter esse sentimento vindo da empresa que nos contrata é se sentir abraçado em tempos que esse afeto é um luxo. Aqui o trabalho é desempenhado com satisfação, porque cuidamos do

"O INTS proporciona todos

amor de alguém com o mesmo zelo

os elementos para eu ser um recrutador

que queremos ser tratados. Por

de grande sucesso. A metodologia,

isso é sem sombra de dúvida que

a tecnologia, os sistemas, a

reafirmo: ‘Meu Coração é INTS!’”

meritocracia e os valores fazem com

Kárita Garbin de Morais (Assistente

que nós colaboradores tenhamos

do Departamento de Relacionamento e Ouvidoria do HUGO-GO)

um alto desempenho e destaque no meu setor. Orgulho-me de fazer parte desse time, e o reconhecimento vem à altura, e isso me deixa cada vez mais motivado e com prazer em trabalhar em algo que inspira, ajuda e me realiza" Rafael Silva (Técnico de enfermagem da UPA Brotas-BA)

"O INTS para mim está sendo maravilhoso, pois o Instituto abriu portas, novos caminhos para o conhecimento e novos desafios profissionais. Fui auxiliar de higienização e hoje sou líder do Serviço de Higiene e Limpeza (SHL). Agradeço muito!" Alexsandro Biagio Rosaboni (Líder do Serviço de Higiene e Limpeza da UPA Oropó-SP) www.ints.org.br 27


ILUSTRAÇÃO: SHUTTERSTOCK

hospital de urgências de goiânia

Referência

em saúde Hospital goiano gerenciado pelo INTS tem usinas geradoras de oxigênio que servem como modelo para o Amazonas por pedro hijo

28 Revista INTS | Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde


FOTOS: DIVULGAÇÃO

O

O Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) é referência para o Amazonas, estado que enfrentou um colapso no sistema de saúde em meio à pandemia de coronavírus, em janeiro deste ano. A unidade de saúde possui duas usinas de oxigênio próprias e, com isso, tem autonomia do insumo, sem depender de uso externo. O diretor administrativo do Hugo, Luciano Fingergut, foi o responsável para orientar sobre a instalação, capacidade e autonomia de consumo. “A Defesa Civil do Amazonas nos procurou para receber orientações para implantação das usinas, e coordenadores e engenheiros clínicos do Hugo mostraram como elas funcionam”, afirmou. Os profissionais do Amazonas ficaram seguros e agradeceram a ajuda dos colegas goianos. “A sua colabo-

ração é de grande norte para nossa equipe do Comitê de Crise”, agradeceu o sargento Hipólito, da Defesa Civil do Amazonas. Ele faz parte do grupo que gerencia a crise pelo desabastecimento de oxigênio do estado. Segundo o diretor administrativo Luciano Fingergut, o Hugo tem uma produção maior do que a quantida-

de necessária. As duas usinas têm capacidade de produzir, juntas, 60 metros cúbicos de oxigênio por hora enquanto o Hugo utiliza, no máximo, 52 metros cúbicos. “Esse ano dobramos o número de pacientes infectados pelo vírus e em uso de oxigênio, e estamos atendendo a esta demanda com folga”, disse.

www.ints.org.br 29


hospital de urgências de goiânia

PANDEMIA Com o avanço da pandemia, um comitê de crise no hospital foi montado para gerenciar os atendimentos

"A instalação das usinas durou 15 dias, um tempo considerado rápido. Foram três meses, entre a solicitação de investimentos para aquisição até o início dos trabalhos”

Com as Usinas o oxigênio armazenado chega a uma pureza de concentração de até 98%, isso ocorre porque o ar é captado pela usina, e compressores e tanques separam as moléculas como uma grande peneira

Lidiany Leite, gerente de engenharia clínica do Hugo

a pacientes infectados pelo novo coronavírus, de acordo com o diretor geral Flamarion Lucas. Um grupo que envolveu diretores técnicos e administrativos, enfermagem e médicos se reuniu diariamente para acompanhar a evolução da doença e discutir os rumos dos processos no Hugo. “A nossa primeira preocupação foi com os colaboradores”, afirmou o diretor. “Se eles se contaminassem perderíamos a nossa força de trabalho.” Por isso a equipe instituiu protocolos de segurança para uso de equipamentos de proteção, treinamentos em vídeo de instrumentalização e de cuidados durante a pandemia. Algumas metas foram relaxadas para que o hospital pudesse focar no que era emergencial, segundo o diretor geral Flamarion Lucas. “Revertemos os insumos para atender pacientes que tinham urgência e precisamos

30 Revista INTS | Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde

economizar anestésicos, por exemplo, para centralizar o material e os medicamentos para pacientes que precisavam de atendimento rápido”, disse o diretor, que temia também pela falta de abastecimento de insumos durante o ano passado. SUMA IMPORTÂNCIA O coronavír us Sars-CoV-2, que causa a covid-19, inflama o pulmão. Isso faz com que o órgão não consiga transferir de forma eficaz o oxigênio que a pessoa respira para as células. Quando isso acontece, a concen-

FOTOS: DIVULGAÇÃO

FUNCIONAMENTO De acordo com a gerente de engenharia clínica do Hugo, Lidiany Leite, o ar é captado pela usina, e compressores e tanques separam as moléculas como uma grande peneira, o que faz com que o oxigênio armazenado chegue a uma pureza de concentração de até 98%. "A partir daí, ele é enviado por meio das tubulações que saem da central de gases e é distribuído na unidade hospitalar", explica. A instalação das usinas durou 15 dias, um tempo considerado rápido pela especialista. “Foram três meses entre a solicitação de investimentos para aquisição até o início dos trabalhos”, comenta. Após a instalação, as usinas ficaram ligadas por dois dias para que a equipe pudesse acompanhar a contingência e para que elas produzissem oxigênio suficiente para suportar a troca de sistemas de fornecimento. “Essa inversão de ligações foi o nosso maior desafio”, disse a gerente de engenharia Lidiany Leite. Durante a troca, o tanque antigo foi mantido com 15% da capacidade e serviu como uma fonte extra de oxigênio. A instalação das usinas rendeu ao hospital uma economia de 60% em comparação ao tanque, segundo o diretor geral do hospital, Flamarion Lucas. Esse foi um dos motivos da troca dos aparelhos.


FOTO: SHUTTERSTOCK FOTO: DIVULGAÇÃO

O HOSPITAL

● Inaugurado em 1991, o Hugo é o segundo maior hospital de urgência e emergência de Goiás; ● É também um hospital de ensino, pesquisa e extensão universitária; ● O Hugo possui 381 leitos para internação e centro cirúrgico com dez salas em funcionamento;

● Oferece instalações e equipamentos adequados para a execução de exames laboratoriais e serviços de imagem, incluindo tomografias; ● Oferece também atendimentos nas especialidades de clínica médica, ortopedia, neurologia, terapia intensiva, cardiologia, geriatria e cirurgias geral e do trauma;

www.ints.org.br 31


hospital de urgências de goiânia

Especialidades ● Ortopedia;

● Neurologia; ● Terapia intensiva; ● Cardiologia; ● Geriatria; ● Cirurgias gerais; ● Cirurgias do trauma; FOTOS: DIVULGAÇÃO

● Exames laboratoriais; ● Serviços de imagem; ● Tomografias.

Situação no Amazonas O Estado do Amazonas foi o primeiro do Brasil a ver seu sistema de saúde entrar em colapso em abril de 2020. Desde junho, quando Manaus registrou queda no número de novos casos, o Amazonas anunciou planos de reabertura econômica que foram seguidos de um aumento de 193% nos sepultamentos de dezembro para janeiro. O prefeito de Manaus, David Almeida, decretou estado de emergência. A crise culminou no fim do estoque de oxigênio em unidades hospitalares, o que levou pacientes internados à morte por asfixia. Em quase três meses, desde janeiro, o Amazonas enfrentou as fases roxa e vermelha da pandemia, que, respectiva-

tração da substância no sangue começa a cair. O paciente desenvolve uma insuficiência respiratória, que pode ser moderada, grave ou gravíssima. “Nesse momento, lançamos mão da oxigenoterapia, que vai variar dependendo da necessidade do paciente e pode ser o uso de um cateter, máscara ou ventilação artificial”, disse a médica infectologista e coordenadora da CPIH do Hugo, Sheila de Almeida. A escassez do oxigênio, como vista no começo do ano no Amazonas, se

deu de acordo com a médica infectologista Sheila de Almeida, especialmente pelo aumento de casos mais graves da doença e do número de pacientes com necessidade de oxigenação. “Nessa segunda onda, temos uma taxa maior de internação e um número superior de pacientes em situação mais grave, o que leva ao caos. Se não há oxigênio disponível faltará oxigênio para o pulmão do paciente."

32 Revista INTS | Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde

mente, significam situação gravíssima e grave. O total de vidas perdidas, desde o começo da pandemia, ultrapassa 13 mil, de acordo com dados do boletim epidemiológico da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM). Só em Manaus, há o registro de *8.993 óbitos confirmados em decorrência do novo coronavírus. Atualmente, o estado se mantém na fase laranja, que corresponde à classificação de risco moderado para transmissão de covid-19. *Dado atualizado em 03/06/2021.


dg com você por alan kertzman *

A luta Mais uma edição da nossa revista e ainda não chegamos ao final da pandemia. Pelo contrário, o número de casos e mortes aumentaram no país. E aqui no Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde (INTS) continuamos em busca de atender os pacientes diariamente, com muito trabalho e cuidado alcançamos o objetivo de curá-los

N

a última edição, estávamos fechando hospitais de campanha e com baixa ocupação, mas agora estamos reabrindo hospitais e aumentando o número de leitos para covid-19, não só nas nossas unidades que são exclusivas covid-19 bem como em unidades que até então não estavam destinadas a essa finalidade. Passamos a atuar em novos contratos, como o Hospital das Clínicas de São Paulo, um dos maiores da América Latina. Isso mostra como o INTS tem sido reconhecido pelo trabalho sério e eficiente. Em meio a esse cenário de escassez de mão de obra e insumos, temos conseguido dar um apoio substancial à gestão pública de

continua uma forma geral, seja em velocidade de contratação ou eficiência de suprimentos e ajuste de protocolos. A boa notícia é que a grande maioria dos nossos colaboradores já foi vacinada. E apesar de no Brasil a vacinação ainda não estar no ritmo desejado, já vemos países mais adiantados nesse aspecto voltando às suas rotinas de maneira gradual, mostrando uma luz no fim do túnel, e que em breve também chegaremos lá.

BOAS NOTÍCIAS Em relação ao Programa de Vacinação, o INTS tem feito um excelente trabalho, não só nas nossas unidades, mas também no serviço de Drive-Thru em São Paulo, que foi absorvido pelo contrato da região SACA em 3 mega drives, onde chegamos a vacinar cerca de 2.500 pessoas por dia. Ainda em São Paulo inauguramos um novo hospital – o HISA – que vinha adiando sua inauguração há cerca de um ano, e quando o INTS assumiu a sua gestão conseguiu abrir as portas em tempo recorde. Atualmente o INTS administra cerca de 1.200 leitos e nosso objetivo é conti-

"Atualmente o INTS administra cerca de 1.200 leitos e nosso objetivo é continuar crescendo e contribuindo para a saúde no país”

nuar crescendo e contribuindo para a saúde no país. Com esse crescimento da organização vem junto o crescimento dos profissionais, seja por promoção, transferência, intercâmbio com outras unidades ou regiões, e oportunidades de aprendizado. Queremos oferecer um serviço de saúde de excelência, e para isso contamos com uma equipe altamente capacitada que possui uma determinação incrível, e vem superando todas as dificuldades em prol de salvar vidas. Temos muito orgulho da nossa equipe, pois é ela que torna o INTS grande. *Alan Kertzman é diretor geral do INTS

www.ints.org.br 33


entrevista

Liderança humanizada Em frente à direção do Hospital Integrado Santo Amaro (HISA), a médica baiana, Thayse Barreto, tem uma meta pessoal: realizar um trabalho de excelência e humanizado. Com passagens em instituições de saúde em Salvador, Thayse mudou-se este ano para São Paulo a fim de encarar o desafio de dirigir um novo hospital no pior momento da pandemia até agora. “Esse projeto é o meu novo filho”, disse. por pedro hijo

34 Revista INTS | Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde


"Para mim, gerenciar não é fazer do meu jeito, é unir pessoas diferentes, de culturas diferentes, com experiências distintas em torno de um mesmo objetivo" Revista INTS - Em 2020, você assumiu a direção do Hospital Espanhol, em Salvador, em meio à pandemia que apresentou uma nova realidade para o setor da Saúde no país. Quais foram os desafios e as mudanças de postura necessárias para comandar uma equipe nesse contexto? Thayse Barreto - Quando assumi o Hospital Espanhol, nosso primeiro desafio foi a implantação. O Espanhol estava fechado há seis anos, e foi um desafio adequar a estrutura física, selecionar toda a equipe, e construir do zero os fluxos e rotinas operacionais em tão pouco tempo. Eu já tinha passado por outros hospitais, mas é completamente diferente assumir uma instituição no meio da pandemia de um vírus que, à época, tínhamos tão pouco conhecimento. Lidar com o medo do desconhecido foi, sem dúvida, um obstáculo. Mas considero que nossa trajetória foi um sucesso, o qual atribuo ao time de colaboradores extremamente qualificados do Espanhol, que sempre prezou pela humanização nos milhares de atendimentos realizados, e que hoje, mesmo com minha saída, tenho certeza que continuará realizando um trabalho com maestria.

Revista INTS - Como se deu a mudança para o HISA?

Thayse Barreto - A migração do Espanhol para o HISA já estava em planejamento dentro do Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde (INTS), e ocorreu no melhor momento para dar seguimento aos meus objetivos profissionais e pessoais. Encaro novamente um contexto muito parecido com o qual eu enfrentei no ano passado. O HISA está no começo de sua história e já é uma referência na cidade, sendo a unidade que mais promove

atendimentos ambulatoriais à população de São Paulo. Nosso desafio agora é estruturar o Hospital Dia e a Unidade Hospitalar com leitos de enfermaria, UTI, centro cirúrgico, e, para mim, é fundamental participar desse processo de construção.

Revista INTS - Como a sua passagem pelo Espanhol ajuda na atuação no HISA? Thayse Barreto - São desafios semelhantes. Eu exercitei a estruturação de um serviço do zero. Coloquei em prática a construção de rotinas e promoção das interações entre as equipes. Para mim, gerenciar não é fazer do meu jeito, é unir pessoas diferentes, de culturas diferentes, com experiências distintas em torno de um mesmo objetivo.

Revista INTS - Acredita que a sua gestão se diferencia por ser uma liderança mais próxima do colaborador? Thayse Barreto - Sim. Meu grande desafio é ser uma diretora que não fica atrás da mesa. Exerço uma gestão de portas abertas, que permite a participação ativa de todos os colaboradores, sendo eles os maiores protagonistas da instituição. Ter o INTS por trás disso tudo é fundamental, é um facilitador, e motiva o nosso trabalho. Cada unidade que gerencio traz expectativas muito particulares. O Espanhol no começo da pandemia, com todas as dificuldades enfrentadas, foi um case de sucesso no tratamento de covid no estado. Já o Hospital Integrado Santo Amaro (HISA) vem com outro propósito, mas com a mesma necessidade de uma dedicação exclusiva e responsável para desenvolver todo seu potencial. Como mãe de três meninas, e apaixonada pelo trabalho que faço, posso dizer que o HISA é o meu novo filho. www.ints.org.br 35


hospital dia cidade ademar

Mulher em pauta Hospital Dia Cidade Ademar realiza o sonho de diversas mulheres através de cirurgias ginecológicas, prezando sempre pela segurança e conforto da paciente por luciana costa

FOTO: DIVULGAÇÃO

P

ara cada mulher, a cirurgia ginecológica é uma experiência vivenciada de maneira particular. As sensações, experiências e percepções que ocorrem após cada procedimento cirúrgico, realizado no Hospital Dia Cidade Ademar, em São Paulo, são amostra de que um ambiente amigável, qualificado e seguro faz toda a diferença para que as pacientes sintam-se acolhidas e possam assim cuidar da saúde e

reconquistar a qualidade de vida. “O Hospital Dia Cidade Ademar apresentou, nos últimos seis meses, um acréscimo de produção cirúrgica da ordem de 300%. Toda essa transformação só foi possível graças à implantação de conceitos como o cuidado centrado na experiência do paciente, quebrando modelos mentais existentes, sempre com foco na qualidade e segurança”, disse o gerente médico da unidade, Dr. Ronald Maia Filho. Especificamente na especialidade de ginecologia, entre os procedimentos mais procurados no Hospital

36 Revista INTS | Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde


FOTO: SHUTTERSTOCK

www.ints.org.br 37


Dia, está a ninfoplastia. E não é só lá que a cirurgia íntima é recordista. De acordo com levantamento realizado pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS), o Brasil registra 21 mil cirurgias desse tipo por ano, o que coloca o país em primeiro lugar no ranking mundial. A ninfoplastia é uma cirurgia realizada na genitália externa feminina com a finalidade de corrigir assimetrias presentes nos pequenos lábios. O procedimento é realizado no Hospital Dia com o objetivo de resolver problemas que afetam a qualidade de vida de muitas mulheres, como, por exemplo, pacientes com pequenos lábios muito volumosos sentem dor, incômodo ao usar determinadas roupas ou até

mesmo desconforto na prática de atividade física. A cirurgia também evita infecções urinárias de repetição, além de constrangimentos que podem desencadear problemas psicológicos e afetar a vida sexual da paciente. “O maior interesse das pacientes deve-se, seguramente, ao aumento de informação que a tecnologia disponibiliza. Atualmente, temos a internet que dá acesso livre às informações sobre como o procedimento devolve a autoestima feminina, e os famosos 'antes e depois'. Existem também muitos grupos de WhatsApp, Facebook e Instagram com farta troca de informações entre as pacientes, ou mulheres que desejam realizar a cirurgia”’, conta o ginecologista do Hospital Dia Cidade Ademar, Cássio Hayashi. Para pacientes como Adriana Lopes Rolim, a busca pelo amor-próprio e por uma melhor qualidade de vida contribuem para uma maior procura pela ninfoplastia. No hospital as pacientes são acolhidas através de uma escuta afetiva, antes, durante e depois do procedimento. No pós-operatório do procedimento, que dura em média 60 minutos,

FOTOS: DIVULGAÇÃO

hospital dia cidade ademar

O Hospital Dia Cidade Ademar realizou nos últimos seis meses um aumento 300% em cirurgias ginecológicas

Para quem é indicada? A ninfoplastia é recomendada para mulheres que desejam a redução dos pequenos lábios vaginais, e pode ser realizada no Hospital Dia Cidade Ademar nas seguintes circunstâncias: ● Quando os pequenos lábios vaginais são grandes e causam dores; ● Provocam desconforto e dor ao vestir determinado tipo de roupa; ● Causam desconforto, vergonha ou baixa autoestima; ● Desconforto e dor na relação sexual;

38 Revista INTS | Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde


FOTO: DIVULGAÇÃO (TIRADA ANTES DA PANDEMIA)

Mulheres são acolhidas no Hospital Dia Cidade Ademar através de Atendimento Humanizado. *Foto tirada antes da pandemia

elas são orientadas a evitar o uso de roupas apertadas por pelo menos uma semana, e atividades físicas e relação sexual por, aproximadamente, um mês. A higiene local também é crucial para uma boa recuperação. "As técnicas de anestesia e cirurgia se modernizaram tornando o procedimento cada vez mais seguro, e isso influencia para que a paciente tenha um pós-operatório tranquilo”, conclui o ginecologista. Outra demanda recorrente no Hospital Dia Cidade Ademar é a Cirurgia de Alta Frequência (CAF). “No procedimento cirúrgico é utilizado um bisturi elétrico especial que pode ser usado em diversas cirurgias, mas na ginecologia utilizamos para realizar a cirurgia de conização do colo uterino, que nada mais é do que a amputação de um pedaço significativo do colo uterino, região esta que fornece o temido câncer de colo uterino. A grande vantagem é que o bisturi não destrói tecidos adjacentes próximos, e para a

paciente é ótimo, pois requer menor tempo para cicatrização e há menos riscos de intercorrências”, explica o Dr. Cássio Hayashi. O Instituto Nacional de Câncer (INCA) estima que, para cada ano do triênio 2020/2022, sejam diagnosticados 16.590 novos casos de câncer de colo do útero no Brasil, com um risco estimado de 15,43 casos a cada 100 mil mulheres. A Cirurgia de Alta Frequência, extremamente importante para o diagnóstico e tratamento do câncer uterino, vem sendo empregada pelas vantagens de baixo custo, possibilidade de realização em nível de consultório/ ambulatório, nenhuma repercussão sobre gestações futuras e grande proporção de sucessos igual à dos tratamentos tradicionais. MAIS SAÚDE Atuando como referência na área, o Hospital Dia Cidade Ademar segue aumentando o seu alcance nos cuidados

da saúde da mulher. “Realizamos uma cirurgia pioneira no mês de maio, que habitualmente só é realizada em regime de internação hospitalar e não em hospitais dia para incontinência urinária, denominada cirurgia de Sling. Isso quebra um paradigma, democratizando o acesso dessa importante cirurgia para as pacientes do Hospital Dia Cidade Ademar”, revela o gerente médico Ronald Maia.

Fala paciente A paciente Daiana da Conceição Santos, de 21 anos, que precisou se submeter à cirurgia em decorrência de uma lesão no útero causada pelo papilomavírus humano (HPV) não esconde a satisfação da realização do procedimento no Hospital Dia Cidade Ademar: “A lesão já estava no NIC grau 3, mas eu fui muito bem atendida em todas as consultas pré e pós-operatórias, e o procedimento foi bem-sucedido”.

www.ints.org.br 39


saúde e bem-estar

MENTE SÃ, CORPO SÃO Investir no bem-estar, no ambiente de trabalho saudável, na saúde física e mental e na satisfação de seus colaboradores é um catalisador de resultados positivos

FOTO: DIVULGAÇÃO

M

ais de um ano de pandemia, de empenho à profissão, horas expostas diretamente aos pacientes infectados, muita dedicação aos pacientes em estado grave, saudade de familiares, exaustão. E tantas outras palavras descreveriam um pouco do dia a dia do profissional da saúde que constitui um grupo de risco para a covid-19. Por isso, nesse cenário de muito cansaço, trabalho e incertezas, valorizar a saúde e o bem-estar desses profissionais é de grande importância não só para o próprio profissional, mas também para a instituição, e ainda mais para o paciente. Mas como promover um local de trabalho mais saudável? Uma resposta para essa pergunta é o Projeto

do Instituto de Tecnologia e Saúde (INTS) criado em 2020 e nomeado como “Projeto Saúde e Bem-Estar”. “Esse Projeto foi construído com o objetivo de incentivar o colaborador a buscar sua melhor versão através de um estilo de vida saudável. Ações como essas proporcionam aos colaboradores do INTS conhecerem a si mesmo através de sua composição corporal, recebendo um planejamento e acompanhamento nutricional, além de orientações sobre prevenção e comportamento saudável. Isso dá oportunidade de melhorar a qualidade de vida desses colaboradores, impactando diretamente em seu dia a dia, combatendo fatores que desencadeiam baixo rendimento, desmotivação e cansaço”, explica Fabiana Leite, coordenadora do “Projeto Saúde e Bem-Estar”.

40 Revista INTS | Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde

FOTO: SHUTTERSTOCK

por yêda nunes e larissa faria


"Esse Projeto foi construído com o objetivo de incentivar o colaborador a buscar sua melhor versão através de um estilo de vida saudável" Fabiana Leite, coordenadora do “Projeto Saúde e Bem-Estar

Emagrecimento saudável Uma prática que traz grandes benefícios é o atendimento com o nutricionista, além de incentivar uma alimentação mais saudável que perpetua melhores hábitos alimentares. Como resultado dessa reeducação alimentar, há o aumento do tempo de concentração e melhoria da memória e do raciocínio, deixando o profissional mais focado e mais produtivo, e os ganhos são evidentes em motivação e satisfação da equipe. “O Projeto Saúde e Bem-Estar” é fundamental para os colaboradores da saúde nesse momento de esgotamento físico e mental da equipe. A ação abrange consulta com nutricionista, bioimpedância, massagens, e se torna um momento de reflexão acerca dos cuidados necessários com a alimentação, e também um instante de relaxamento”, diz a nutricionista Aline Luniqui. Matheus Souza, técnico de informática do Hospital Espanhol, foi um dos profissionais que sentiram a diferença com o começo desse Projeto desde que começou a seguir as orientações recebidas. “Perdi 3 kg, comecei a beber bastante água porque quase não bebia, e mudei meus hábitos alimentares. Estou satisfeito com a minha evolução. A hora da ação é um momento nosso para relaxar da tensão que vivemos na rotina hospitalar.”’

DICAS

“Estamos vivendo um momento muito delicado onde a busca por alimentos mais calóricos são mais recorrentes por conta da ansiedade; esses alimentos são pobres em micronutrientes (vitaminas e minerais). O ideal é evitar salgados, doces, frituras, refrigerantes e uma alimentação que não supre as necessidades nutricionais, evitando também um possível adoecimento”, recomenda a nutricionista Aline. "Uma dica valiosa para este período que estamos vivendo é o aumento da ingestão de fibras para maior saciedade, como por exemplo: aveia, linhaça, chia, verduras e legumes. É essencial ingerir uma maior quantidade de água para ajudar na hidratação e na diminuição da retenção de líquidos. E evitar também o consumo excessivo de carboidratos simples como pães, bolos e açúcares", alerta a nutricionista Tiana Coutinho.

www.ints.org.br 41


Corpo em movimento Se exercitar regularmente pode ser a melhor maneira para enfrentar a rotina intensa do dia a dia. Especialistas afirmam que a prática de atividade física, é uma forma de o corpo liberar cortisol, o hormônio do estresse, e a endorfina. Consequentemente, aumenta os níveis de energia e melhora o bem-estar físico e mental, beneficiando um maior índice de produtividade. A colaboradora do setor de gestão de pessoas e operações, Ângela Paixão, relatou como o “Projeto Saúde e Bem-Estar” proporcionou uma maior produtividade com suas ações “com a rotina corrida que temos durante a pandemia. Eu não tinha muito tempo de olhar para mim mesma,

e hoje eu sei como preciso disso. Prestar atenção na minha saúde, no meu cronograma de exercícios, para que eu cuide de mim mesma, e lembrar todos os dias que nosso corpo é uma máquina e como uma máquina ela precisa estar em bom funcionamento”’. A fisioterapeuta, Rebecca Santana, destaca como é imprescindível a importância de um Projeto voltado para a saúde e qualidade de vida dos colaboradores, principalmente nesse cenário epidêmico. "O Projeto visa proporcionar através da massoterapia conforto físico e mental; aumento da circulação sanguínea e linfática; alívio da dor; redução do estresse e da ansiedade, preservando assim as pessoas mais ativas; diminuindo as debilidades que podem aparecer com o avanço da idade; promovendo

FOTOS: DIVULGAÇÃO

saúde e bem-estar

qualidade de vida e melhorando o funcionamento de todo corpo, reequilibrando-o”, explica a fisioterapeuta que realiza massagem terapêutica nos colaboradores.

FOTO: SHUTTERSTOCK

DICAS: Fala, DOC “A retomada das atividades físicas deve acontecer com carga reduzida e sempre com orientação de um profissional. A prática sem supervisão ou orientação pode ocasionar diversas lesões físicas, desde dores articulares, musculares até as temidas fraturas por estresse, que ocorrem quando o indivíduo não respeita os limites do seu corpo e promovem uma sobrecarga de atividades físicas tão intensa que provocam a fadiga e a consequente fratura dos ossos”, alerta o ortopedista e diretor médico do INTS, Murilo Marques.

42 Revista INTS | Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde


O INTS CUIDA!

Cuidando da mente

INTS realiza diversas ações em prol da saúde dos seus colaboradores.

FOTOS: DIVULGAÇÃO

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), em média 86% dos brasileiros sofrem com algum transtorno mental, como, por exemplo, ansiedade, depressão e estresse. Um ambiente profissional negativo ou tóxico pode gerar ainda mais problemas e desgastes cognitivos aos profissionais. Entretanto, todas essas aflições podem ser amenizadas se o espaço de trabalho fornecer as condições necessárias para a saúde mental de cada colaborador. “Pensando na importância do bem-estar do colaborador, o Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde (INTS) proporciona ofertas à saúde assim como promoção de atendimento psicológico. A saúde mental é parte essencial para que o indivíduo tenha capacidade necessária de executar suas habilidades no campo pessoal e profissional. Momentos como esse do Projeto já são ações que revigoram a energia para o trabalho”, comenta a psicóloga Vanessa Matos.

“Fruto da preocupação do Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde (INTS) com a saúde de seus colaboradores, o “Projeto Saúde e Bem-Estar” foi criado em duas etapas bem-sucedidas: a primeira etapa é a verificação da condição corporal atual por bioimpedância e a segunda é a consulta com nutricionista, realizando o planejamento e acompanhamento nutricional e orientando sobre prevenção e comportamentos saudáveis. E, finalmente, a realização de uma atividade terapêutica à sua escolha, como quick massage, reflexoterapia, auriculoterapia ou calatonia. Ao participar desse evento, pude comprovar e desfrutar de cada minuto", finaliza o gerente do núcleo de promoção e saúde Mateus Pinho. O gerente conta que, ao final da sua experiência, ele saiu com o compromisso de melhorar a sua saúde e na expectativa de que no próximo evento, que acontece a cada dois meses, já possa ver a evolução. Ele reforça também que apostar em programas de bem-estar no ambiente de trabalho pode melhorar o estado físico e emocional dos colaboradores e trazer vantagens que podem beneficiar a realidade já estabelecida na organização.

www.ints.org.br 43


acontece

Ações QUE MOVEM

a esperança A cada mês, o INTS promove novas ações para seus colaboradores e pacientes. Novas ideias nascem com o objetivo de promover a saúde, bem-estar, lazer e levar fé e confiança de que dias melhores virão

Páscoa no INTS

UPA FEIRA DE SANTANA: Yuri Albino (assistente de faturamento), Milena Soa-

O Instituto de Tecnologia e Saúde (INTS)

res (auxiliar administrativo), Daniela Car-

realizou ações para celebrar a Páscoa 2021

mo (assistente financeiro), Lucas Ferreira

com o objetivo de trazer um momento de

(almoxarife), Valeria Costa (auxiliar de

mais doçura e ternura entre os colabora-

farmácia) e Thais Ferreira (farmacêutica).

dores. Ao redor do país, equipes administrativas e assistenciais foram acolhidas com a entrega de chocolates. Além disso, o Instituto realizou a campanha Páscoa Misteriosa. A iniciativa reuniu seis perguntas que deveriam ser respondidas pelos colaboradores. "Os primeiros que enviarem as respostas corretamente, ganharam um ovo de páscoa especial." Conheça alguns colaboradores que ganharam o brinde. NA SEDE: Gilberto Barros (analista de sistemas) e Ana Carolina Barros (analista jurídico); 44 Revista INTS | Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde


Concurso de carnaval Os colaboradores do INTS que ficam na região de Santo Amaro e Cidade Ademar, em São Paulo; no Hospital Espanhol, em Salvador;

Ação de mamografia em Salvador

e na sede, também da capital baiana, foram os três primeiros O bairro de Periperi, em Salvador, foi o local contempla-

colocados do primeiro concurso

do pela Ação de Mamografia do Núcleo de Promoção à

de carnaval do Instituto. A premia-

Saúde (NPS) do INTS no começo do mês de março. Ao

ção foi entregue no final do mês de março. “Mesmo em tempos tão

todo, 167 mulheres foram beneficiadas com o exame

difíceis vocês conseguiram trazer

preventivo. A iniciativa tem o objetivo de levar saúde

alegria. Isso nos causa possibili-

pública à população carente da capital baiana.

dade de reproduzir esse clima em outros setores e de servir como espelho e inspiração”, externou com emoção a gerente, Fabiana Daltro, durante a premiação que aconteceu na balaustrada superior interna do Hospital Espanhol. Já a colaboradora Fabíola Center, atendente do call center do Hospital Espanhol, foi quem idealizou e motivou a participação do grupo no concurso: “A gente está vivendo uma época muito estressante. Lidar com o acolhimento familiar, num Centro de Tratamento para a covid-19, é uma tarefa que demanda muito do nosso

Em virtude da pandemia, a atividade conta com

equilíbrio emocional. A

a distribuição prévia de senhas para evitar aglo-

intenção em participar do

meração, além de adotar uma série de medidas de

Concurso do Carnaval foi

prevenção para garantir a segurança de todos, como o

trazer leveza e alegria ao nosso setor, e deu certo”, celebrou. “A gente gostaria de agradecer a iniciativa, é um momento muito delicado que a gente está vivendo, e foi uma forma de descontrair não só a nossa equipe, mas também a unidade como um todo. Foi muito divertido participar”, festejou Cesar Augusto Dourado, integrante da Unidade Básica de Saúde Mata Virgem, na capital paulista.

uso obrigatório de máscara, aferição de temperatura, espaçamento entre as cadeiras, o uso dos equipamentos de proteção individual recomendado para os profissionais atuantes na ação, disponibilização de álcool em gel 70% e higienização frequente das mesas, cadeiras, canetas e equipamentos.

www.ints.org.br 45


acontece

Ação de Oftalmologia No final do mês de março, 267 pessoas que residem no bairro de São Cristóvão, em Salvador na Bahia, foram beneficiadas com mais uma Ação de Oftalmologia do Núcleo de FOTOS: DIVULGAÇÃO

Promoção à Saúde (NPS) do INTS. A iniciativa foi realizada na Escola Municipal do Parque São Cristóvão Professor João Fernandes da Cunha, onde 31 pacientes foram triados para a cirurgia de catarata.

Projeto Saúde e Bem-Estar na UPA Feira A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Feira de Santana, na Bahia, recebeu mais uma edição da Ação de Saúde e Bem-Estar promovida pelo Núcleo de Promoção à Saúde do Instituto de Tecnologia e Saúde (INTS). A atividade contou com a participação de 73 colaboradores FOTOS: DIVULGAÇÃO

da unidade, que realizaram o exame de bioimpedância, consulta com nutricionista, massoterapia ou auriculoterapia. Além disso, os participantes ganharam lanches e participaram do sorteio de brindes.

46 Revista INTS | Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde


Dia das Mães no INTS Mãe, figura que simboliza amor incondicional, carinho, garra e respeito, não poderia ser esquecida no INTS. Para celebrar o Dia das Mães, que aconteceu no dia 08 de maio, o Instituto distribuiu um kit de pincéis para maquiagem e produziu um vídeo institucional com colaboradoras de diferentes perfis. Mãe de primeira viagem, mãe de uma criança de 9 anos e mãe que precisou inverter os papéis e cuida atualmente da própria mãe. De acordo com a analista de Recursos Humanos do Hugo, Danize Campos, “foi gratificante ver a alegria das

FOTOS: DIVULGAÇÃO

colaboradoras com a surpresa. Foi tudo preparado com muito carinho”, disse.

Suzano recebe Ação de Nutrição A Ação de Nutrição também acontece no município de Suzano, em São Paulo. A ação acontece uma vez por mês e realiza o acompanhamento nutricional das famílias cadastradas nas unidades de Saúde da Família. Nesse evento ocorre a avaliação nutricional e bioimpedância, além da entrega de cestas de alimentos bem como orientação sobre alimentação saudável com o intuito de prevenir obesidade e demais doenças, reparar a desnutrição e instruir sobre reeducação alimentar, entre outros. Confira!

Aponte a câmera do seu celular para o QR Code e assista o vídeo da ação www.ints.org.br 47


acontece

Ação "Dias melhores Virão" No final do mês de janeiro foi iniciada a Ação "Dias Melhores Virão", quando um totem fotográfico foi instalado nas unidades de

FOTOS: DIVULGAÇÃO

INTS promove ação para celebrar o Dia Mundial da Arte em Bertioga

saúde geridas pelo INTS com o objetivo de fazer um registro de esperança. A iniciativa foi realizada exatamente no mesmo período em que centenas de colaboradores, que atuam na linha de frente do combate à covid-19, estão sendo vacinados contra o coronavírus. Para a assistente de comunicação do INTS, Karen Evellyn, Promover um momento de relaxamento e

a iniciativa é uma

estimular a expectativa de melhora e de alta.

forma de juntar os

Foi com essa finalidade que o INTS entregou

amigos de trabalho

um kit com livro de colorir e lápis de cor aos

e eternizar esse mo-

pacientes internados com covid-19, nos esta-

mento de esperança

dos de Goiás, São Paulo e Bahia. No Hospital

por dias melhores.

Municipal de Bertioga, no interior de São

“Sabemos que ainda

Paulo, não foi diferente. A iniciativa envolveu

estamos passando

pacientes e colaboradores da unidade de

por uma pandemia,

saúde que festejaram a iniciativa. “O nosso objetivo é propiciar um momento diferente na vida daqueles que estão na luta contra o coronavírus. E o simples fato de colorir um livro pode contribuir para a alta hospitalar”, afirma a diretora do HMB, Ana Patrícia Palma.

mas creio que, realmente, os melhores dias ainda estão por vir”, disse. “Depois de um 2020 tão difícil, achei muito legal a ação de registrarmos um início de 2021 na esperança de que “dias melhores virão’”. A ação foi realizada em todos os contratos do INTS, a exemplo das UPAs Brotas e Feira de Santana na Bahia, Hospital Municipal de Bertioga e Região SACA em São Paulo e Hospital Regional São Marcos Itumbiara em Goiás.

48 Revista INTS | Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde


Hospital Espanhol, um ano salvando vidas 22 de abril de 2020, 19h, sete ambulâncias chegam ao Hospital Espanhol (HE), no bairro da Barra, em Salvador-BA, transportando sete pacientes infectados pelo Coronavírus. Começa a funcionar o primeiro Centro de Tratamento Covid-19, 100% SUS, do Estado, no início da maior pandemia já enfrentada pela humanidade. Um ano depois, 4.013 internações, 2.474 vidas curadas, 1.084 óbitos e um hospital referência na Covid-19 e em humanização. Todo o trabalho desenvolvido, incansavelmente, por cerca de 1.200 heróis da saúde que dão conta de 240 leitos, merece reconhecimento e celebração. E assim foi feito. Uma solenidade de celebração por um ano do Hospital Espanhol foi realizada no dia 22 de abril, com emoção, gratidão, espontaneidade e espírito de união em equipe. “Nosso agradecimento a todos os profissionais que se doam e se dedicam a cuidar do paciente infectado que pode transmitir-lhe a doença. Muito mais do que oferecer ao doente condições estruturais para o seu tratamento, este Hospital oferece humanização”, ressaltou o diretor médico do HE, Roberto Badaró.

RENOVAÇÃO No dia 27 de abril o INTS ganhou a licitação para gerir o Hospital Espanhol por mais seis meses.

www.ints.org.br 49


gestão por dr. murilo dos santos marques *

Fala,doc

Olá amigos, vamos abordar nesta coluna um tema muito importante e sensível para a gestão moderna voltada para as melhores práticas assistenciais e com maior capilaridade e governança

A

A padronização de processos, fluxos e protocolos nas nossas unidades têm sido uma ação importante da diretoria e do Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde (INTS). Esse modelo de gestão proporciona uma melhoria contínua na assistência aos nossos usuários, que são os nossos clientes finais, e estamos atuando em conjunto com a equipe de qualidade do coorporativo com todas as diretorias, principalmente a diretoria de Infraestrutura e TI, contratos e apoio da diretoria geral. A padronização da placa de identificação beira leito foi um avanço dos nossos processos, pois todas as unidades terão as mesmas informações necessárias para identificação segura dos pacientes. Constam informações na placa, como alergia, número do prontuário, gerenciamento de riscos, dor, mudança de decúbito e equipe assistencial. Essa ferramenta nos ajudará nos indicadores e na melhoria contínua da assistência. PADRONIZAÇÃO A padronização da pulseira de identificação foi iniciada nas unidades da Bahia com o objetivo de alinhar as informações contidas, fortalecer a cultura de segurança e futuramente permitir a rastreabilidade e maior controle das medicações administradas através da leitura do código de barras

“A padronização da placa de identificação beira leito foi um avanço dos nossos processos, pois todas as unidades terão as mesmas informações necessárias para identificação segura dos pacientes” que está contida na pulseira. Também foi padronizado nas unidades o rótulo de soluções, que tem como objetivo principal uniformizar as informações pertinentes às soluções e medicações que serão administradas no paciente com foco nas melhores práticas assistenciais. Algumas ações estão em desenvolvimento e implantação, tais como a implantação de protocolos assistenciais (queda, identificação segura e prevenção de lesão por pressão) e a aquisição de um sistema para realização da notificação de incidentes para a equipe das unidades, que possibilitará a implantação em todas as unidades do INTS e

50 Revista INTS | Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde

acompanhamento desses incidentes. Diante da pandemia da covid-19, que insiste em continuar com níveis cada vez mais elevados e assustadores, o INTS assumiu a gestão de unidades especializadas em atendimento e tratamento aos pacientes acometidos por essa doença. Para otimizar custos e uniformizar fluxos e processos, foi criado o manual do manejo ao paciente covid-19, que tem como objetivo principal a padronização do tratamento humanizado em todas unidades, desde o paciente com perfil de enfermaria, como o paciente em estado crítico. Esse manual possui tratamento medicamentoso, uniformização de sedativos e apoio diagnóstico, visando sempre as melhores práticas assistenciais. Também possibilita uma economicidade importante num momento onde o aumento do custo dessas medicações chega até a 500%.

**Dr. Murilo Marques é médico graduado pela Escola Bahiana de Medicina. Pós-graduado em ortopedia pelo Hospital Santa Izabel – Santa Casa de Misericórdia – BA. MBA em excelência na gestão operacional – Hospital Albert Einstein