Page 87

do cálculo feito pelo Tribunal de Contas do Município (TCM), a gestão de João Henrique

te abandonada pela gestão de João Hen-

gerou prejuízo de R$ 172 milhões. A promotora do Ministério Público da Bahia (MP-BA),

rique Barradas Carneiro, que foi bastante

Rita Tourinho, acredita que é difícil se estabelecer quanto é que uma gestão gerou ou

criticada por não investir em melhorias

não de prejuízo efetivo à coletividade. “Tivemos oito anos de gestão durante os quais

na cidade. Agora, a capital baiana está

diversas medidas administrativas e políticas foram adotadas, não tendo como medir

tomada por obras em espaços e vias pú-

quais os efetivos ganhos e prejuízos”, comenta.

blicas. Uma corrida contra o tempo para

Em 2013, o Ministério Público do Estado ajuizou uma ação civil pública contra o ex

consertar o que passou oito anos sem

-prefeito, pedindo a indisponibilidade dos bens e o ressarcimento de danos causados ao

assistência. No entanto, na nova gestão,

patrimônio público no valor de R$ 12.240.179,29. O que foi feito até agora para puni-lo?

nem tudo são flores, muitas taxas au-

“O MP ingressou com três ações de improbidade administrativa contra João Henrique,

mentaram, causando insatisfação da po-

referentes às rejeições das contas pelo legislativo municipal. Além disso, existe inquéri-

pulação. “O IPTU foi uma das taxas com

to civil em andamento que visa responsabilizá-lo por pagamentos indevidos realizados

um dos aumentos mais absurdos. Todos

pela Secretaria de Educação”, explica.

nós fomos surpreendidos e agora perce-

As contas do gestor João Henrique de 2009 e 2010 já haviam sido negadas pelo

bo que os altos impostos só inviabilizam

Tribunal de Contas do Município. Em 2011 e 2012, as contas dele também foram re-

pequenos comércios e negócios”, afirma

jeitadas. Com a decisão, o ex-prefeito teria que pagar uma multa no valor máximo de

Denis Guimarães, diretor da Construtora

R$ 36 mil. Rita Tourinho enfatiza que a cobrança dessa multa não cabe ao Ministério

André Guimarães.

Público e sim ao TCM que é o órgão responsável por fiscalizar essa questão. Procu-

Para muitas pessoas, o aumento do IPTU é reflexo da gestão anterior. Segun-

ramos a instituição e foi informado que nada foi pago até o momento. Enfim, se ele não saldar a dívida, quem vai pagar por isso?

Cidadelle 87

foto tiaguinho pires

S

alvador passou muitos anos praticamen-

Revista Cidadelle - Ed.03  
Revista Cidadelle - Ed.03  

Publicação de luxo voltada para a classe A. 10.000 exemplares auditados são distribuídos em Ilhéus, Itabuna, Itacaré, Porto Seguro, Salvador...

Advertisement