Issuu on Google+

2008 ANO II Nº 08

ISSN 1808-7337 008 9 771 8 0 8

7 3 3 7 11

Edição nº 8/2008


Edição nº 8/2008


ÍNDICE

PÁGINA 26 A 30

PROGRAME-SE Saia de casa para curtir o que a cidade tem a oferecer

EDIÇÃO ESPECIAL Suplemento do JORNAL DA BAIXADA

Bertioga teve participação na história de colonização de terras brasileiras

Página 5

Editado por: Jornal da Baixada Editora e Gráfica Ltda - EPP Av. Anchieta, 3.095, 1º andar, Vila Agaó 11.250-000 Bertioga/SP Pabx: (13) 3317-6000 www.jornaldabaixada.com.br Edição: Etieni Molon MTB/SP 26.534 redacao@jornaldabaixada.com.br Diretor Responsável: José Correa da Silva - MTB 255/SP comercial@jornaldabaixada.com.br Diagramação e Arte: Rodrigo Correa Fotos: Revista JB, Jornal da Baixada, Caio Scafuro e divulgação. Colaboradores: Fotolitos e impressão: GT Editora Tiragem: 3.000 exemplares Leia os textos desta edição em: www.jornaldabaixada.com.br Permitida a reprodução desde que citada a fonte. Edição nº 8/2008

3


EDITORIAL

Bertioga: um reduto de história e natureza A Revista JB em homenagem ao aniversário da cidade mostra as belezas naturais, conta um pouco da história e de seu povo, aponta as opções de lazer e a forte gastronomia.

gerações. O último reduto de praia virgem, o Itaguaré, está em nosso território. Se o crescimento é inevitável, a consciência é obrigatória. E para que

Bertioga completa 17 anos de emancipação político-administrati-

essa herança perdure, todos devem pensar na preservação ambiental

va, no próximo dia 19 de maio. Uma cidade repleta de belezas naturais,

- até mesmo porque este é o diferencial de Bertioga em relação aos

cercada pela Serra do Mar e pelo Oceano Atlântico, um patrimônio

demais municípios da Baixada Santista.

natural preservado, de 430 km de extensão com apenas, 7% de área livre e 3,5% podendo ser edificado num total de 15 milhões de metros

Boa leitura!

Etiene Molon

quadrados. Dentrodestarestriçãodeáreasdisponíveisnãotemcomonegarque dentro de pouco tempo o município será verticalizado, respeitando as

Esta edição é uma homenagem a três figuras expoentes

leis ambientais que são muitas, para delimitar o crescimento, além do

na divulgação de Bertioga: o empresário Paulo Sérgio

Plano Diretor que norteará as futuras construções.

Martinez, o fotógrafo Willie Kruse e Antônio de Almeida

Mas a área preservada, a bacia hidrográfica, a Mata Atlântica e a de encosta da Serra do Mar, serão patrimônios deixados paras as futuras

4

Edição nº 8/2008

ex-combatente da II Guerra Mundial, que serviu em Bertioga no Forte São João.


RELEVÂNCIA

HISTÓRIA Bertioga está inserida no cenário histórico nacional com grande importância, devido ao fato de alguns colonizadores partirem de suas mansas águas para a fundação dos povoados como São Vicente e Rio de Janeiro. A participação está registrada na história como é o caso de Martim Afonso de Souza, nomeado Governador Geral da Costa do Brasil, que atracou sua embarcação nas águas de Buriquioca – que significa “Morada dos Macacos” em tupi-guarani -, antes de prosseguir viagem para fundar oficialmente a Vila de São Vicente,cujopovoadoestavaocupadohámais de 20 anos, por um degredado português conhecido como Cosme dos Santos. TambémestiveramemBertioga,maisprecisamentenoForteSãoTiago(nomequerecebeu inicialmente o Forte São João, quando foi construído em paliçada de madeira) o Padre Jesuíta José de Anchieta e padre Manuel da Nóbrega, que vindos de São Vicente, fizeram

parada para descanso antes de seguirem para Ubatuba em busca de paz devido a Confederação dos Tamoios - índios que eram inimigos dos Tupiniquins - que habitavam nossa região e dos portugueses que aqui já estavam. Em 1565, um novo fato histórico aponta a participação de Bertioga colonização do Brasil. A esquadra de Estácio de Sá partiu da fortaleza para fundar a cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, atualmente Rio de Janeiro. Nos séculos 17 e 18, Bertioga ganhou destaque na economia brasileira por seu importante papel na iluminação pública com a extração de óleo de baleia.

Tempos depois... Bertioga foi até 1943, região livre e soberana. A história da dominação santista tem início em 1944, quando o então governador do EstadoAdemardeBarrosdecretouaanexação

A história de Bertioga faz parte da colonização do Brasil de todo litoral norte à Santos. Em 1946, a prefeitura de Santos elevou Bertioga à condição de subprefeitura. No fim dadécadade70,odesenvolvimentodaregião se intensificou devido à abertura das estradas Mogi-BertiogaeRio-Santos. No dia 19 de maio de 1991, realizou-se o plebiscito que confirmaria a autonomia do Distrito,transformando-onumdosmaisnovos municípios paulistas. Realizada a primeira eleição no dia 3 de outubro de 1992, Bertioga consolidava sua autonomia, elegendo seu primeiro prefeito. Em 19 de maio de 2008, o município completa 17 anos de emancipação político-administrativa. Edição nº 8/2008

5


PATRIMÔNIO

Forte São João

Forte foi o primeiro a ser construído no Brasil

A chegada dos portugueses às terras brasileiras despertou o interesse em navegantes de outras nacionalidades, principalmente franceses e holandeses em adentrarem as águas para conquistar terras em nosso País. A melhor maneira de efetuar a conquista era através do litoral. A construção de uma fortaleza no remanso de Bertioga devido sua localização geográfica foi à estratégia usada pelos portugueses para impedir que as terras do litoral paulista fossem invadidas. Edificou-se então em 1531, a primeira fortaleza feita em paliçada de madeira, para proteger o Canal de Bertioga e o mar que dava acesso a São Vicente, caminho mais próximo para se chegar à Vila de São Paulo de Piratininga, hoje São Paulo. Em 1545, a área de Bertioga foi doada a João Pires e dois anos após, em 1547, outra fortaleza foi levantada no mesmo local por cinco irmãos mamelucos, filhos de Diogo Braga, sendo eles: João, Diogo, Francisco, Domingos e André. Dessa vez, o forte foi construído em alvenaria de pedras e cal, recebendo o nome de Forte São Tiago. Pode-se se dizer que a estacada tenha sido a primeira colônia em nosso litoral, já que ali ficaram morando Diogo Braga e seus filhos além de outros companheiros deixados pelo Governador Geral do Brasil, Martim Afonso de Souza. Por volta de 1550, os Tamoios - índios do litoral norte - voltaram a atacar o forte e arrasaram o lugar. Segundo o historiador Frei Gaspar da Madre de Deus, relatos voltam a apontar o Forte São Tiago, em 1557, quando foi reconstruído, ampliado e reforçado, contando até com uma capela onde o padre Manuel da Nóbrega celebrou uma missa, antes da partida de José de Anchieta para o Rio de Janeiro, em 1565. Devido à invasão do Rio de Janeiro por franceses, em 1710, o forte de Bertioga foi novamente reconstituído e ficou melhor aparelhado. Entre os anos de 1760 e 1765 a fortaleza de Bertioga voltou a contar com novo armamento e teve sua capela restaurada em louvor a São João, passando a se chamar de Forte São João de Bertioga. Tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico, Artístico e Nacional IPHAN em 1940, o forte abrigou as instalações do Exército até 1945. A última ocupação militar foi como quartel de pelotões da vigilância do 4º e 6º Batalhões de Caçadores, defendendo a região da ameaça alemã durante a II Guerra Mundial.

A visita ao Forte Bem conservado, o Forte São João está cercado pelo Parque dos Tupiniquins, onde a beleza de árvores típicas da Mata Atlântica e a tranqüilidade do mar e do Canal de Bertioga fazem com que o local seja rota para um passeio movido pela história e pelo descanso. Atualmente o Forte abriga salas temáticas. Em uma delas, o visitante poderá conhecer os armamentos usados na época do descobrimento do Brasil; em outra, uma grande tela mostra a passagem de José de Anchieta por Bertioga. Em outras duas salas a cultura indígena se faz presente através de artefatos como cocares, arcos e flechas entre outras peças doadas pelas etnias participantes da Festa Nacional do Índio. Há também uma sala que conta a saga dos índios Tupinambás, que apreciavam carne 6

Ediçãonº nº8/2008 8/2008 Edição

humana, com peças em tamanho natural. O visitante pode observar através das muralhas do Forte, a beleza do mar e as ruínas da Capela de Santo Antônio de Guaibê e do Forte São Felipe - a margem do Canal, do lado de Guarujá. A visitação ao Forte pode ser feita diariamente, das 9 às 17 horas. Os ingressos custam R$ 1,00, com a renda revertida para o Fundo Social de Solidariedade.


LAZER

Parque dos Tupiniquins Um reduto de tranqüilidade bem no centro da Cidade

Bertioga tem um dos mais belos refúgios de paz e tranqüilidade bem no centro da Cidade, o Parque dos Tupiniquins, inaugurado em 22 de abril de 2004. Com 15.536,72 metros quadrados, o parque envolve o Forte São João, o primeiro construído no Brasil. O parque tem área preservada com árvores seculares que proporcionam deliciosa sombra como jambo-rosa, abricó, fruta-pão, aroeiras, nogueiras e até palmeira imperial. Para ampliar a sombra e preservar espécies nativas da Mata Atlântica, o local recebeu outras 200 mudas que foram plantadas com a ajuda dos estudantes das escolas municipais. A localização é outro ponto positivo, pois está localizado às margens do Canal de Bertioga e tem lateralmente a Praia da Enseada. Para descrever a importância do Forte na história brasileira, o Parque dos Tupiniquins abriga estátuas de diversos personagens que passaram momentos neste reduto. São eles: o guerreiro Cunhambebe, líder da nação Tupinambá; os padres José de Anchieta e Manoel da Nóbrega catequizando os índios e, em abril de 2008, foi instalada a estátua do artilheiro alemão Hans Staden e o índio Carijó, ocupantes do Forte de São Felipe (ás margens do Canal, do lado do Guarujá) que ajudaram a defender o Canal dos invasores na época da colonização. As estátuas foram confeccionadas de resina texturizada em bronze pelo artista plástico Gilmar Ribeiro Munhoz. Hoje o local é visitado por milhares de pessoas que querem conhecer a história da Cidade ou buscam um reduto tranqüilo para observar o Canal e descansar. Outro atrativo é o “Projeto Conheça a Nossa História”, direcionado aos estudantes de todas as faixas etárias, que além da visita ao Forte São João e ao Parque dos Tupiniquins, também passa a conhecer a Ermida de Santo Antônio do Guaibê e as ruínas históricas do Forte São Felipe. Parte do trajeto é feito através do passeio de escuna e caso a condição do mar esteja favorável, a embarcação atraca e os estudantes conhecem as ruínas de perto. Este projeto é direcionado às escolas que 8

agendam antecipadamente. É necessário ter no mínimo 35 estudantes para a concretização do passeio, que além de total segurança é acompanhado por uma bióloga que explica aos alunos a preservação do manguezal e as espécies encontradas no ecossistema. O Parque dos Tupiniquins está aberto diariamente para a visitação do público das 8 às 22 horas. Informações sobre o “Projeto Conheça a Nossa História” pode ser obtida através do telefone (13) 3317-4128. Edição nº 8/2008

7


APROVEITE

Rios oferecem mais uma opção de lazer Com contornos sinuosos, os rios de Bertioga têm água cristalina

A bacia hidrográfica do município é outro atrativo para os turistas que buscam a prática esportiva através da pesca ou passeios de barcos e jet ski. Quatro rios cortam o município sendo eles o rio Guaratuba; Itaguaré; Itapanhaú e Jaguareguava. O rio Guaratuba deságua na praia que leva o mesmo nome. Com 14 quilômetros de extensão é excelente para a pesca amadora. É comum passar pela Rodovia Rio-Santos e verificar pescadores no barranco do rio, ou então, equipados com roupas especiais, pescando dentro da água. O rio Itaguaré é muito procurado pelos amantes da pesca, principalmente do robalo e da tainha. Também é o rio mais indicado para o passeio de canoa ou barco. O Itaguaré tem 12,5 quilômetros de extensão e parte de seu curso passa pela mata de encosta da Serra do Mar, indo à direção do mangue. O rio Itapanhaú é formado por várias nascentes da Serra do Mar que ao longo de seus 39 quilômetros vão formando corredeiras, cachoeiras e piscinas naturais dentro do Parque Estadual da Serra do Mar. É um rio bastante sinuoso, na parte mais plana e deságua no Canal de Bertioga. O trecho urbano do rio é o preferido para a prática de esqui, jet ski e pesca, devido a quantidade e variedade de peixes encontrados, principalmente próximo ao Canal. O rio Jaguareguava é afluente do Itapanhaú. Ele tem pequenas corredeiras e piscinas naturais com águas cristalinas além de riachos e praias de areias claras. A riqueza da fauna e a flora que cercam o Jaguareguava é um passeio à parte, devido a variedade de aves e plantas encontradas. Uma experiência agradável é tocar os grãos de areia que flutuam, ignorando as leis da física. A água da nascente do rio é tão limpa que é possível ver a argila e a areia depositada no fundo. Este rio é muito procurado pelos praticantes de canoagem. 8

Edição nº 8/2008

Jayr Favero

TRANQÜILIDADE O Itaguaré é um rio calmo e de água escura ideal para a pesca e canoagem

NATUREZA Trechos de mata realçam a bacia hidrográfica do Município


EVENTO

Festa do Índio

Festa resgata e divulga a cultura dos primeiros habitantes do Brasil

Desde que foi criada pelo prefeito Lairton Gomes Goulart, em 2001, com o objetivo de divulgar a cultura indígena, a Festa Nacional do Índio vem crescendo ano a ano, tanto no número de etnias participantes como também no público que assiste ao evento. Ao completar a oitava versão em 2008, a festa sempre teve como objetivo aproximar a riqueza cultural dos diferentes povos indígenas através de seus cantos, dança, artesanato, culinária e o dia a dia na aldeia, com o público que muitas vezes mora em grandes cidades ou até no exterior. A festa conta com uma grande arena montada na areia da praia da Enseada, onde as etnias participantes apresentam um pouco de suas danças típicas, práticas esportivas, rituais fúnebres entre tantos outros aspectos. Ao lado, na Praça dos Tupiniquins a diversidade do artesanato produzido por eles, pode ser adquirido pelos visitantes. Para quem tem curiosidade em experimentar e acompanhar de perto a elaboração dos pratos típicos, basta visitar o talk show, espaço onde cada etnia prepara alimentos da mesma forma como é feito na aldeia. O espaço ainda dá a oportunidade para o público sanar suas curiosidades sobre o cotidiano na aldeia. Em 2008, o público pode conhecer de perto o ritual de batizado de um bebê da etnia Bororo, do Mato Grosso. Com apenas dois meses, a menina recebeu

um tratamento especial de sua madrinha que espalhou sobre seu corpo uma resina e em seguida foi coberto de plumas brancas, que na tradição do povo, significa a purificação e proteção espiritual. O batizado que durou cerca de 20 minutos, foi cantado pelos integrantes da etnia. No final, a criança recebeu o cocar de penas e o nome indígena, Ogue Batituigue, sendo apresentada ao público pelo cacique. A valorização, integração e o resgate de tradições que já estavam esquecidas pelos próprios povos foi outro fator destacado pelos caciques. Exemplo disso foi o depoimento de Rony, da etnia Paresi do Mato Grosso que desde a primeira edição da festa marca presença. “Nosso povo fica

aguardando o convite. Além de conhecermos nossos parentes (como os índios se chamam entre si), estamos trabalhando para resgatar algumas tradições da nossa aldeia para mostrar no evento. A festa é uma demonstração de respeito entre todos os povos, índios e não-índios”. Desde a primeira versão realizada em 2001, mais de 40 etnias do Brasil e até do exterior já passaram pelo evento para mostrar um pouco de sua cultura. A festa ganhou boa visualização dentro do Estado sendo incluída no calendário de eventos do Estado e também em âmbito nacional, já que em 2008, o governo federal através do Ministério da Defesa, auxiliou com recursos para o transporte de algumas etnias. Edição nº 8/2008

9


BELEZA

Bertioga tem a nat Município tem 33 km de lindas praias e detém o último reduto de praia virgem do litoral

10

Edição nº 8/2008


tureza como aliada A viagem para o litoral tem como parada certa a visitação às praias para um refrescante banho de mar, ou então, para curtir de perto este legado da natureza. Bertioga consegue aliar a beleza natural e praias paradisíacas, tendo o último reduto de praia virgem do litoral paulista. O município tem 46.150 quilômetros de litoral, sendo 33,100 km de praia e o restante de costão rochoso. A praia da Enseada é a mais extensa com 12 quilômetros de extensão. Por ter início no centro de Bertioga é uma praia bem movimentada. A areia firme permite que as pessoas que gostam de caminhar a beira mar, percorram longo trajeto, assim como os amantes pela pesca, que encontram locais propícios para essa prática. Ao longo da praia da Enseada estão dispostos diversos quiosques que oferecem petiscos, lanches, cerveja e sucos deliciosos. A praia da Enseada vai recebendo o nome dos bairros que se formaram ao longo, como por exemplo: Sesc, por estar em frente à Colônia de Férias Ruy Fonseca, Vista Linda e Indaiá. O trecho em frente à Colônia de Férias é o preferido pelos praticantes de surf. Durante a temporada, o Sesc mantém atividades esportivas na praia e todos são convidados a fazer ginástica, jogar vôlei, bocha, entre outras atividades. A praia da Vista Linda e do Indaiá são outros redutos muito procurados pelos visitantes, por serem bem movimentados. Quem gosta de águas calmas e poucas ondas, um bom local para banho é o Cantão Indaiá. Em seguida vem a Praia de São Lourenço com 5,5 quilômetros de extensão. Reta, plana e com águas transparentes, essa praia às vezes se torna perigosa. As extremidades da praia são impróprias para banho devido a forte correnteza. Na praia de São Lourenço foi construído o empreendimento Riviera de São Lourenço. A praia de Itaguaré é um dos últimos redutos selvagens da região. Com apenas 2,9 km de extensão, ela tem o formato de semi-círculo. À frente, o visitante tem o mar aberto e em uma das extremidades, o rio Itaguaré, que desemboca no mar. A onda tem boa quebra e forte correnteza, tornandoa preferida dos surfistas. Esta praia não conta com comércio, mas para se refrescar, o visitante pode usar o serviço dos diversos quiosques instalados na Rodovia Rio-Santos, onde é possível saborear deliciosas ostras frescas e frutos do mar. Guaratuba é uma praia com 8 km de extensão e uma das últimas praias de planície de restinga litorânea. Tem areia clara e água limpa. Na ponta norte fica a barra do rio Guaratuba, ótimo local de pesca. O acesso pode ser através do condomínio fechado ou por trilha com cerca de 150 metros ao lado da ponte do rio Guaratuba. A praia de Boracéia é a última do município, sentido litoral Norte. Ela tem 4,7 km de extensão (na área de Bertioga), pois a parte central e norte estão no município de São Sebastião. Essa praia exige muita cautela por parte do

banhista por ser mar aberto. Extensa e com larga faixa de areia, a praia de Boracéia é uma das preferidas pelos turistas que gostam de passar o dia a beira-mar.

Edição nº 8/2008

11 11


AVENTURE-SE

Ecoturismo Descubra mais este prazer em Bertioga Trilha D´Água Jayr Favero

Bertioga tem em seu território 88% de áreas preservadas. Com um ecossistema variado, os amantes da natureza encontram no município diversas opções de lazer. Um ótimo passeio para ser feito em Bertioga é apreciar a fauna e flora na Mata Atlântica através das trilhas. Conheça alguns destaques:

Rio Jaguareguava

Trilha Torre 47 Jayr Favero

Esse percurso de 5 km (ida e volta) é de dificuldade leve e tem duração média de 4 horas. Após a travessia do Rio Itapanhaú, começa a caminhada de 700 metros por uma trilha seca no meio do mangue, onde se pode observar sua rica biodiversidade. O passeio conta com parada para banho nas águas límpidas do Rio Guachinduva, de onde a caminhada continua dentro da água. O passeio é feio em terras da colônia de férias do Sesc Bertioga. A trilha é riquíssima em ecossistemas: rio, mangue, matas ciliares, restinga e ombrófila (vegetação em área com grande índice de umidade provocada pela chuva).

Trilha histórica da Prainha Branca Essa trilha tem grau de dificuldade médio e leva à piscinas naturais e cachoeira, com visita a ecossistemas e mata de encosta. O passeio começa pela travessia da Ponte da Banana, no Rio Jaguareguava, que era local de escoagem das plantações de bananas para o Porto de Santos. À frente seguindo pelo linhão de energia, cerca de 2km em uma trilha aberta, chega-se na torre 47, que serve de referência para a entrada na mata de encosta até uma piscina natural com uma pequena cachoeira. Caminhando mais 30 minutos, o turista encontra um paredão de pedra com acentuada queda d´água. Local ideal para se tomar um banho de cachoeira, inesquecível.

12

Edição nº 8/2008

leia para uso da iluminação das vias públicas e para construção civil. Subindo o morro até o topo é possível observar o mar aberto. Andando mais um pouco, chega-se a Prainha Branca - reduto de pescadores, muito apreciado pelos visitantes. Caminhando pelas pedras na encosta do morro, chega-se à Prainha Preta, que devido à estreita faixa de areia não é habitada. A Prainha Branca conta com restaurantes e camping.

O passeio começa com a travessia do canal de Bertioga, seguindo em caminhada ao lado do canal até as ruínas da Ermida de Santo Antonio do Guaibê, uma capela de 1550 construída a pedido de José de Anchieta. Em seguida, encontrase as ruínas da Armação das Baleias - local onde era feita a extração do óleo da ba-

O passeio começa pelo Rio Itapanhaú, visitando o manguezal. Depois é necessário seguir de barco até chegar ao Rio Jaguareguava, um dos principais afluentes do Rio Itapanhaú, observando a exuberante paisagem da Mata Atlântica e do manguezal. Em determinado trecho é possível descer do barco nas águas rasas que formam prainhas e piscinas naturais. Existem agências locais que realizam a caminhada por mata fechada e costeando a margem do rio, onde é possível observar a diversidade de peixes, além de bromélias e samambaias-açu que estão espalhadas pelo trajeto. Para quem prefere percorrer o trajeto em canoa, o Center Jaguareguava faz a locação de equipamentos (canoas havaianas, canadenses e caiaques). No local também há cursos de canoagem.

Vila de Itatinga Nesse lugar passado e presente se misturam: história e desenvolvimento andam juntos. Na Vila de Itatinga funciona uma das mais antigas usinas do País, a Usina Hidrelétrica de Itatinga que desde 1910, abastece de energia o Porto de Santos. A Vila construída pelos ingleses tinha como finalidade abrigar os trabalhadores da usina. Ela é formada por casas no mesmo estilo arquitetônico. Para chegar lá é necessário atravessar o Rio Itapanhaú por uma balsa. Chegando do outro lado é preciso embarcar num bondinho e percorrer cerca de 7 km até chegar à Usina. Para visitar a represa e as cachoeiras são necessários mais alguns quilômetros de caminhada por trilhas locais. A visita é restrita e feita por agências locais credenciadas que acontecem no 1º domingo e no 3º sábado de cada mês.


Atividade Náutica

Os amantes da pesca esportiva encontram várias opções na Cidade. No centro de Bertioga, ao longo da Avenida Vicente de Carvalho, estão estabelecidas diversas empresas náuticas, onde é possível alugar um barco com motor e marinheiro para pescar no Canal de Bertioga e até, comprar material de pesca e isca. Quem prefere pescaria em alto mar, uma boa opção é procurar as empresas que mantém barcos com capacidade para até 13 pessoas no Píer Licurgo Manzoni (Avenida Vicente de Carvalho), próximo ao Forte São João. Outra opção de turismo náutico é o passeio de escuna, onde o visitante apre-

cia as belezas de Bertioga vista do mar. Um dos trajetos preferidos é o percorrido entre o Canal de Bertioga, passando pela Prainha Branca e indo até a praia de Iporanga (Guarujá), onde é possível dar um refrescante mergulho em águas cristalinas. Para escolher o roteiro e contratar o serviço, oferecido pela Escuna Galapagos (de quarta-feira a domingo com saídas programadas às 10, 12, 14 e 16 horas), o visitante pode ir ao trailer ao lado do Forte São João, ou através do telefone (13) 33171848 ou (13) 9737-8733 ou em empresas que mantém o serviço no Píer Licurgo Manzoni.

Durante a temporada de verão, outra opção de passeio aéreo é o de helicóptero. Para maiores informações sobre os vôos, contate o comandante José Godinho, através dos telefones (13) 3317- 1223 ou 9109-5624. Agências de Ecoturismo – Informações sobre roteiros e a contratação de serviços podem ser obtidas através das agências que operam em Bertioga. Seiva Tur (13) 3316-6070, Atlântica Turismo (13) 3317-4955, Rota (13) 3316-2535 e Center Jaguareguava (13) 9758-5090.

Vista Aérea Para gosta da arte de fotografar, uma boa opção é fazer um vôo fotográfico de ultraleve. Se o dia estiver ensolarado, o contraste da Mata Atlântica e do mar enche os olhos com tanta beleza. É neste momento que se descobre o verdadeiro valor que é dado à Cidade: “Bertioga, naturalmente bela”.

Edição nº 8/2008

13


Uma Câmara realmente Cidadã PARTICIPAÇÃO

DIVULGAÇÃO

Iniciativas querem aproximar o Legislativo da população

Câmara Cidadã. Desde que tomou posse da presidência da Câmara de Bertioga, em 2007, o vereador Jurandyr José Teixeira das Neves (PT) tem ressaltado esse slogan que, vai muito além de uma simples marca. Em sua gestão, diversos projetos foram criados, com o apoio de todos os vereadores, visando garantir ao cidadão um maior acesso a tudo o que está relacionado com o Poder Legislativo. “Temos o compromisso de abrir as portas da Câmara Municipal para que as pessoas possam sentir que se trata, realmente, da sua casa, da Casa do Povo”, ressalta o vereador formado em medicina em 1974 e que há 10 anos atende a população do município. A Comissão de Legislação Participativa (Colepa), a Tribuna Livre e a Câmara Itinerante foram algumas das iniciativas aprovadas sob sua presidência. No caso da Colepa, a sociedade organizada tem a chance de apresentar projetos de Lei para atendimento de alguma necessidade específica da comunidade. “Essa proposta é apresentada na Comissão que, por meio dos vereadores que a representam, pode receber o mesmo trâmite que os projetos de iniciativa parlamentar”, explica Dr. Jurandyr, como é popularmente conhecido. A Tribuna Livre também permite a participação popular no processo legislativo, porém de uma forma muito mais direta, já que a pessoa pode utilizar-se do plenário para apresentar sua idéia. Para isso, basta que ela se inscreva na secretaria da Câmara, atendendo às especificações da norma que rege a utiliza14

Edição nº 8/2008

JURANDYR NEVES “Muita gente desconhece quais são as funções dos vereadores...”

ção da Tribuna. “O interessado se apresenta depois da sessão ordinária e tem dez minutos para expor sua idéia, que, dependendo do teor, é encaminhada para o Executivo Municipal ou recebe os trâmites do próprio Legislativo”. Sobre a Câmara Itinerante, o presidente comenta que pretende colocá-la em prática ainda sob sua gestão, mas confessa que, por se tratar de um ano eleitoral, acredita ser um pouco complicado. “A lei eleitoral é bastante rígida e precisamos estar atentos a qualquer inici-

ativa que configure propaganda política”, argumenta um tanto contrariado, já que acredita que a Câmara Itinerante é a melhor maneira do povo conhecer o trabalho do Legislativo e o papel do vereador no município. “Muita gente desconhece quais são as funções do vereador, o que ele pode fazer e o que ele não pode. Ir até os bairros e trabalhar junto às comunidades seria uma boa chance de mudar a mentalidade de que vereador não trabalha o suficiente na fiscalização do uso do dinheiro público”, defende Dr. Jurandyr.


Memória

Outra iniciativa da qual o presidente se orgulha muito é a criação do Centro de Documentação Histórica da Câmara. Ainda em estágio embrionário, principalmente pelo fato da atual sede do Legislativo não comportar tudo o que prevê o projeto – como acervo fotográfico e documental, biblioteca, infocentro e área para exposições – o “Projeto Memória”, como foi batizado, já conta com algumas doações da comunidade, que cedeu fotos, documentos históricos e até entrevistas, que contam um pouco da história de Bertioga. “Nossa intenção é criar um espaço onde possamos organizar todo o material existente sobre a nossa história e colocá-lo à disposição da comunidade para pesquisas e até para que as pessoas possam conhecer um pouco mais sobre elas mesmas; afinal, somente quando se conhece o passado é possível construir um futuro promissor”, acredita o vereador que diz estar preparando na Câmara uma programação especial para o mês de aniversário da Cidade. “É muito importante valorizar nossa história e, principalmente, valorizar aqueles que fizeram parte dela, em todos os seus períodos”, defende Dr. Jurandyr, sem adiantar muito sobre as atividades que serão desenvolvidas. Já foi divulgada, para a semana da Emancipação, a inauguração da galeria de ex-presidentes da Câmara, mas o presidente garante que outros eventos estão previstos.

Acessibilidade

suas funções. No entanto, essa iniciativa demonstra a vontade que os vereadores têm em trabalhar a coisa pública da maneira mais transparente possível. Isso, para mim, foi realmente a maior conquista da minha gestão”, afirma, orgulhoso.

Frente Parlamentar de Apoio à Agenda 21 Um dos atos mais recentes da Câmara Cidadã foi a criação da Frente Parlamentar de Apoio à Agenda 21, pioneira no país, de acordo com a coordenadora do processo Agenda 21 Bertioga, Marie Murakami. Segundo ela, apenas nos níveis estadual e federal de governo há registro de frentes parlamentares voltadas a essa temática. Defensor da participação popular nas decisões administrativas, o vereador e presidente da Câmara vê com bons olhos a criação dessa frente, mas admite que o ideal seria ter uma legislação específica para a Agenda 21 local. “Infelizmente, a lei aprovada pela Câmara nesse sentido foi barrada pelo prefeito que entrou com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade Nosso apoio agora é no sentido de auxiliar as ações da Agenda no que for possível”.

Para saber mais: Câmara Municipal de Bertioga Praça Vicente Molinari, s/nº Tel.: 3319-9000 / e-mail: cmbertig@bignet.com.br www.camarabertioga.sp.gov.br

A reformulação do sítio eletrônico da Câmara, feito pelo próprio departamento de Tecnologia da Informação da Casa, também é um item que o presidente faz questão de ressaltar. Para ele, é essencial que a população tenha um canal aberto com a Câmara, de modo que ela possa ter acesso a todos os gastos, às leis e demais ações propostas pelo Legislativo. “Na nossa página, na Internet, o munícipe pode obter informações sobre nossa contabilidade, sobre as atividades que estão sendo desenvolvidas aqui na Câmara, sobre os trabalhos dos vereadores. É claro que fazemos questão que a população prestigie as sessões, que acontecem todas as terças, a partir das 19 horas, mas, se a pessoa não puder vir, basta que ela acesse nossa página e ela terá informações recentes sobre tudo o que fazemos por aqui”, garante. O pregão eletrônico, que possibilitará a participação de pessoas de todo o país em compras e licitações do Legislativo, também já é uma realidade. Os técnicos já foram capacitados e falta pouco, segundo Dr. Jurandyr, para colocar a iniciativa em prática.

Nepotismo Como maior conquista da Câmara Cidadã, Dr. Jurandyr ressalta a aprovação, por unanimidade, da lei contra o nepotismo. Através dela, Câmara e Prefeitura ficam proibidas de contratar parentes em até terceiro grau de vereadores, prefeito, viceprefeito e outros cargos do alto escalão. “Para nós, isso representa um grande avanço para a administração pública. Sabemos que muitos desses parentes que ocupavam cargos de confiança tinham competência para exercer

Edição nº 8/2008

15


Edição nº 8/2008


Edição nº 8/2008


INVESTIMENTO MATÉRIA ESPECIAL

RIVIERA de São Lourenço

Emp desen

Empreendimento alia glamour e preservação ambiental no seu desenvolvimento Muito se fala sobre preservação ambiental e com as novas legislações fica cada vez mais difícil conseguir licenciamento para a construção de grandes empreendimentos. Algumas empresas e entre elas a Sobloco Construtora S.A., desde 1979, já pensavam em aliar desenvolvimento e sustentabilidade. Prova disso é a Riviera de São Lourenço, em Bertioga, onde desde início o teve como prisma a preservação do meio ambiente. O empreendimento possui programa de estação de tratamento de água e esgoto, central de triagem de lixo reciclável, laboratório de controle ambiental e até viveiro de mudas. Só para se ter uma idéia, mensalmente, é reciclado na Riviera, 12 toneladas de lixo. Em 2007, foram coletadas, triadas e vendidas 2,5 mil toneladas. Luiz Augusto Pereira de Almeida – diretor de Marketing da Sobloco, conta como foi feito o projeto e a preocupação com a preservação até a conquista da ISO 14.001, elevando a Riviera como o primeiro empreendimento do mundo a ter a certificação. Revista JB - Como surgiu a idéia de fazer um projeto urbanístico com a preocupação de preservação do meio ambiente, se em 1979, quando foi iniciado o loteamento pouco se falava sobre o assunto? Luiz Augusto Pereira de Almeida - O início da Riviera de São Lourenço se deu através de um casamento de Praias Paulistas S/A e Cia Fazenda Acaraú com a Sobloco. Um projeto da malha viária feito pelos arquitetos Benno Perelmutter e Oswaldo Correa Gonçalves já se encontrava na prefeitura de Santos, em fase de 18

Edição nº 8/2008

aprovação. No entanto, a Sobloco entendeu que o Plano Urbanístico que estava nascendo deveria sofrer várias modificações. Então, mantendo basicamente a malha viária, a empresa propôs um novo disciplinamento do uso e ocupação do solo, nas taxas de ocupação, enfim, no planejamento como um todo. Certamente não se tratava de mais um loteamento, mas um empreendimento de desenvolvimento urbano completo. Mais do que construir prédios, a empresa resolveu fazer empreendimentos com características de respeito ao meio ambiente e de entrosamento maior com a comunidade. RJB - Qual é a metragem de área livre que pertence a Sobloco e que ainda pode receber edificações? Luiz Augusto - A Riviera tem hoje cerca de 65% de sua área urbanizada. A zona turística destinada à prédios, que corresponde à região mais adensada do empreendimento, já está praticamente toda implantada. Assim, o restante a ser realizado na Riviera destina-se basicamente a residências unifamiliares e alguns estabelecimentos comerciais. RJB - Para a conquista da ISO 14001 muitas exigências são feitas. Quais foram elas e há quanto tempo o empreendimento foi certificado? Luiz Augusto - A conquista da cer-

tificação ISO 14001 em dezembro de 2000, significa para a Riviera de São Lourenço o reconhecimento internacional de que o empreendimento é desenvolvido de forma ordenada e com alto respeito ao meio ambiente. O certificado foi expedido pelo órgão certificador ABS Quality Evaluations, tornando a Riviera o primeiro projeto de desenvolvimento urbano a receber este reconhecimento em todo o mundo. Para o uso e ocupação do solo, normas rígidas foram estabelecidas. Para atender às necessidades de infra-estrutura de saneamento básico, foi implantado um sistema de captação, tratamento e distribuição de água, bem como um sistema de captação, recalque e tratamento de esgotos. O lixo também foi alvo de grande preocupação. Para administrá-lo, a Sobloco montou um programa integrado de gerenciamento de resíduos sólidos. Um Laboratório de Controle Ambiental foi criado, com equipamentos de última geração, para verificar a qualidade das águas (mar, água tratada, efluentes de esgoto e canais de drenagem). Bolsões de áreas verdes foram previstos, tendo sido destinado mais de 2,6 milhões de m² para áreas verdes e institucionais, equivalente a 1,5 vezes o Parque do Ibirapuera. As adaptações para conquistar a certificação ambiental foram poucas, já que a Riviera vinha, desde o início de sua


implantação, administrando um sistema de gestão ambiental, mas de forma particular, sem nenhum reconhecimento oficial de sua existência. Sabíamos, desde o início, que o desafio de certificar a Riviera seria grande, primeiro porque não tínhamos qualquer modelo de experiência anterior que pudesse orientar-nos e segundo, pela complexidade do empreendimento. Assim que tomamos conhecimento da norma ISO 14001, entendemos que tínhamos uma grande oportunidade diante de nós: atestarmos nosso sistema com um selo de qualidade, reconhecido internacionalmente. E melhor ainda, poderíamos demonstrar que o crescimento econômico pode e deve ocorrer de forma associada à preservação e à conservação do meio ambiente. RJB - A Certificação garante a Riviera de São Lourenço como o único empreendimento de desenvolvimento urbano a possuir? Luiz Augusto - A Certificação 14001 conquistada pela Riviera foi a primeira conferida a um empreendimento de desenvolvimento urbano em todo o mundo. Não temos conhecimento de outro projeto que possua tal certificação, compreendendo seus vários campos de atuação (água, esgoto, lixo, gerenciamento de resíduos sólidos, balneabilidade da praia, e outros). RJB - Quais são os próximos projetos para a Riviera? A ampliação do shopping seria uma delas? Luiz Augusto - Estamos desenvolvendo a área atrás do shopping, que inclui um campo de golfe. Este deverá ficar pronto ainda este ano...A ampliação do shopping também está sendo estudada, não há previsão para sua realização. Estamos também ampliando a área onde está localizado o novo supermercado, criando um novo centro comercial e de serviços. RJB - Atualmente a lei de compensação ambiental atrasa o andamento das obras dentro do loteamento? Luiz Augusto - As obras do empreendimento estão sendo feitas dentro da legislação ambiental e aí se incluem as compensações exigidas. Aliás, um dos requisitos da norma da ISO 14001 é o atendimento à legislação. Hoje a Riviera como um todo, atende a mais de 150 normas legais. RJB - Ao possuir uma área no loteamento, quais restrições são impostas por parte da Sobloco, no momento da edificação? Luiz Augusto - Ao adquirir um terreno na Riviera, o novo proprietário está sujeito, além das restrições impostas pela Prefeitura Municipal, também às normas específicas do memorial da Riviera de São Lourenço. Estas estão disponíveis no Manual Construindo na Riviera, especialmente preparado pela Sobloco para instruir os novos construtores. A Associação dos Amigos da Riviera tem papel importante na fiscalização das novas obras, para o cumprimento das normas exigidas pelo empreendimento. RJB - Qual é a metragem da área de preservação permanente e existe o interesse em transformá-la em um parque ecológico

DIVULGAÇÃO

RIVIERA

preendimento nasceu e se volve de forma organizada

Luiz Augusto Diretor de Marketing da Sobloco

para a visitação pública, ou algum outro projeto de preservação é desenvolvido no local? Luiz Augusto - A Riviera de São Lourenço possui 2.600.000 m² de áreas verdes e institucionais, o que equivale a quase um terço de sua área total. Além de ruas, praças e jardins, as áreas verdes públicas são áreas de preservação permanente, ou seja, não são passíveis de uso urbano, devendo permanecer intocáveis.

Edição nº 8/2008

19


BERTPREV

Previdência

Instituto de Previdência Social dos Servidores Públicos de Bertioga quer garantir a segurança do funcionalismo na aposentadoria

A cada dia que passa fica mais explicita a questão previdenciária, quer seja particular, através dos institutos de previdência, ou pública, como no caso do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS). As perdas com a aposentadoria por tempo de serviço- 35 anos de contribuição para homens e 30 anos para mulheres, é inevitável, no sistema público, já que muitos trabalhadores contribuíram com um teto máximo e no momento da aposentadoria, após diversos cálculos, a média reduz o rendimento a ser recebido. Isso sem contar a aposentadoria proporcional, onde a redução é maior ainda. Muito se fala sobre o INSS, mas Bertioga tem grande número pessoas que atuam na administração municipal e a contribuição do funcionalismo público é feita através do Instituto de Previdência Social dos Servidores Públicos do Município de Bertioga – Bertprev. Segundo o presidente do Bertprev, Miguel Seaid Bichir, 57 anos, em fevereiro de 2008, o caixa do instituto contabilizou R$ 54.268.479,13 que estão aplicados em títulos públicos e fundos de investimentos de renda fixa. A receita para as aplicações provém da contribuição de entes patronais – Prefeitura Municipal, Câmara e também cinco funcionários públicos efetivos do Bertprev. A contribuição mensal é feita através da seguinte arrecadação- 15,80% por parte das patronais e 11% por parte dos funcionários perfazendo o total de 26,80% sobre a folha de pagamento. O Bertprev faz o gerenciamento da receita para garantir os rendimentos para a aposentadoria e também de outros benefícios como pensão por morte, salário maternidade, auxílio doença e salário família e auxílio reclusão. Para poder efetuar a aplicação destes recursos, segundo o presidente, a entidade conta com serviço de consultoria especializada, que aponta os melhores investimentos, 20

Edição nº 8/2008

parte dos recursos estão alocados no Santander Banespa, além de títulos públicos que serão resgatados em longo prazo. Hoje o Bertprev tem 1.295 contribuintes ativos; 34 aposentados e 31 pensionistas. Há a estimativa, que até o final deste ano, 13 funcionários venham a engrossar o quadro da aposentadoria do instituto de previdência.

Aposentadoria X Queda nos Rendimentos

MIGUEL BICHIR Presidente disse que entre 2019 e 2020 entidade terá o maior índice de aposentados

com baixo risco de perda. “Eles fazem à análise de risco e, somente após este estudo é que levamos as probabilidades ao Conselho Administrativo do Instituto, que votar a melhor forma de fazer a aplicação”, frisa Bichir. Mas não é tão simples assim. Todos os institutos de previdência privada ainda devem seguir a Resolução 3506 do Banco Central, além de uma nova determinação, editada em outubro de 2007, onde estão impostas as regras para as aplicações financeiras. Hoje o Bertprev tem a maior parte de seu investimento na Caixa Econômica Federal (CEF) devido a produtos oferecidos ao mercado de regime previdenciário. Em janeiro de 2008, a CEF criou fundo de renda fixa voltado para regime previdenciário. Segundo Bichir, outra

O presidente acredita que a aposentadoria, desde que respeitadas as regras mínimas para o benefício – como 35 anos de contribuição para homens, 30 para mulheres – mínimo de 20 anos no serviço público entre outras determinantes, garantam 100% da última remuneração, acrescido de anuênios e títulos educacionais. “Ao se aposentar o servidor só não terá os valores agregados referente aos benefícios, como alimentação e vale transporte, porque não são incorporados ao salário”.

No futuro Desde que o instituto foi fundado em 1998 - há estimativa que entre os anos de 2019 e 2020 terá o maior número de aposentados. Porém ele acredita que mesmo com esse aumento de pagamentos, não haverá déficit no caixa. “Sempre existe a hipótese de aumento da alíquota de contribuição, mas acredito que isso nem seja preciso se conseguirmos manter a arrecadação em 26,80% ao mês”. Quanto ao montante de R$ 1.129.710,00 aplicado no Banco Santos, que decretou falência em 2006, Bichir explica que a ação é objeto de demanda judicial. “Eles estão devolvendo o dinheiro em uma ou duas parcelas por ano. A dívida está sendo amortizada devagar. Do total aplicado, ainda temos a receber, R$1.009.319,00”.


LEMBRANÇAS

O orgulho de ser caiçara Dona Carmem: uma caiçara que diz ter nascido no paraíso primeira escola do Indaiá foi chamada de Archimedes Bava”. Anos mais tarde foi transferida de lugar e o antigo prédio da escola abriga há algum tempo a escola Senai, fundada por Antônio Ermírio de Moraes. Segundo Carmem a questão da energia elétrica no bairro só foi resolvida parcialmente por volta de 1960. “Meu marido era o responsável pelo funcionamento do gerador de energia da casa do doutor Moraes. Só anos mais tarde, por volta de 1960, é que chegou energia elétrica até o sítio. Foi doutor Moraes quem pagou pelo serviço”, revive. Carmem e Mauro tiveram quatro filhos: Lourival, Valter, Maria Aparecida e Maria Regina. Tempos mais tarde, já viúva, a caseira pensou até em deixar o serviço, já que não tinha uma pessoa para cuidar do jardim. Mas a família não aceitou a decisão de Carmem, que continuou trabalhando na residência. Para ela seus patrões são mais que uma família. “Já estou acompanhando a quarta geração da família Moraes e quero chegar à quinta”. Apesar de estar aposentada, Carmem continua trabalhando. “Não sei ficar parada. Estou bem de saúde, faço o que gosto e o melhor, moro em um lugar maravilhoso”, finaliza.

Maria do Carmo Quirino dos Santos, 78 anos, conhecida como Carmem, é bertioguense com muito orgulho, como ela mesma define. “Nasci, cresci e formei minha família aqui em Bertioga, no bairro do Indaiá, que é um paraíso”. Com muitas histórias para contar ela relembra que foi criada em uma comunidade de pescadores, já que seu pai e seu avô exerciam a função e anos mais tarde, seu marido Gonçalves Laurindo, conhecido como Mauro dos Santos e seu sogro Benedito Laurindo dos Santos (Pacheco), também viviam da pesca, principalmente de tainha. “Naquele tempo dava gosto de ver a quantidade de peixes que pescavam. Teve um ano que meu sogro pegou nove mil quilos de peixe”. Segundo Carmem, a quantidade de pescados foi tão grande que toda a comunidade teve que ajudar a puxar a rede e tirá-la do mar. “Aquele dia foi uma grande festa”, relembra. Como a comunidade não contava com energia elétrica, o excesso dos peixes que não eram comercializados, eram limpos, salgados e secos ao sol. Carmem lembra que aos 20 anos, Mauro foi trabalhar como caseiro na residência da família de José Ermírio de Moraes. “Ele cuidava do jardim do sítio e eu da faxina”. Nem a dificuldade de acesso ao sítio, que pertenceu ao poeta Vicente de Carvalho, fez com que o empresário desistisse do percurso. Segundo Carmem, doutor Moraes, como ela se refere, vinha de carro até Santos, pegava a barca da Santanse, descia em Bertioga e ia até o Indaiá em charrete puxada por burro. “A vida era sacrificada. Não tinha transporte, quando precisávamos ir à Vila, íamos a pé. Para morar e criar os filhos o Indaiá era ideal porque todos se conheciam. Não existia violência”. Devido à quantidade de crianças no reduto caiçara, o empresário José Ermírio de Moraes construiu dentro de sua propriedade uma escola para que as crianças tivessem acesso à educação. “A Edição nº 8/2008

21


SOLIDARIEDADE

Trabalho voluntário ajuda

Cada vez mais pessoas aderem ao trabalho voluntário como forma de passar seus pela aprendizagem, perdem a oportunidade de desenvolver o talento e adquirir as situações negativas que rondam a sociedade é através da formação de uma gr horas de seus dias para desenvolver essas atividades. O resultado é su Incentivo à prática esportiva O boxeador aposentado Ariovaldo Rodrigues, 54 anos, há nove está mudando a vida de muitos jovens da cidade através do trabalho voluntário que desenvolve na escola de Boxe da Prefeitura Municipal de Bertioga. Dos mais de 2 mil alunos que já passaram pela sua preparação técnica, três estão competindo profissionalmente. Didi, como é conhecido, começou a treinar boxe aos 18 anos na academia da empresa Petro Química, de Antônio Ermírio de Moraes, em São Miguel Paulista. E foi através desse incentivo, que aos 22 anos, disputou o Campeonato Brasileiro Amador, sendo campeão. A conquista lhe valeu uma vaga no Campeonato Brasileiro Profissional em 1977, classificando-o para disputar o Sul-americano em 1979, em Caracas, na Venezuela, onde também foi bem sucedido. Devido o apoio do empresário, Didi, permaneceu por 10 anos fora do Brasil e competiu em diversos países como Estados Unidos da América, Argentina, República Dominicana entre outros. Anos mais tarde quando se mudou para Bertioga em busca de melhor qualidade de vida, a monotonia tomou conta do boxeador que decidiu passar seus conhecimentos á outras gerações. Para tanto, foi buscar apoio junto à administração municipal para montar a escola. Para Didi, é através da ‘Escolinha de Boxe’, como ele define, que tem a oportunidade de tirar os jovens que ficavam ociosos na rua. “Quando vejo a garra e a força de vontade que eles demonstram no treinamento, fico feliz. E minha felicidade se completa, quando eles conquistam títulos”. E são justamente essas conquistas que dão destaque ao trabalho desenvolvido pelo treinador. Só para citar uma dos últimos dois anos, a atleta 22

Edição nº 8/2008

Viviane Gonçalves conquistou o primeiro lugar no Campeonato Brasileiro de Boxe, na categoria Mosca Ligeiro e, esta vitória, lhe rendeu a participação no Pan-americano em junho na Iugoslávia.

Além de muitos títulos, Didi inscreveu 40 alunos-atletas para diversos campeonatos entre eles: Luva de Ouro, Kid Jofre, Paulista, Brasileiro e Jogos Abertos na Juventude.


a mudar a história de vida

s conhecimentos aos outros, que muitas vezes, por não terem condições de pagar r novos conhecimentos. Esses voluntários apostam que a melhor forma de mudar ande teia. Em Bertioga a situação não é diferente já que muitas pessoas dedicam per-positivo: a gratidão de quem aprende e a alegria de quem ensina.

Através das correntes do crochê, novas amizades Stela D Sanctis Figueiredo Terra, é o que se pode chamar de uma mulher de fibra. Aos 79 anos, faz todo o serviço de casa e não vê a hora de encontrar suas alunas no curso de crochê que ministra na Casa da Cultura em Bertioga. Voluntária há mais de 15 anos e moradora de Bertioga desde 1981, ela encontrou no voluntariado uma forma de preencher seu tempo, fugir da solidão e ser útil ao próximo, como ela mesma define. Ela passa seus conhecimentos a cerca de 200 alunas por ano. “Já perdi a conta de quanta gente ensinei, mas tenho um caderno com o nome de todas elas. Tenho alunas de todas as idades, desde mocinhas até senhoras como eu. Fazer esse trabalho me mantém viva e útil”. Dona Stela iniciou seu trabalho na Fundação 10 de Agosto, para preencher o tempo e ajudar a melhorar a renda das caseiras que moravam no empreendimento. “Foi muito gratificante porque as caseiras não se conheciam. Ali começaram a fazer novas amizades. Acho que ajudei muito”. A geração de renda através de trabalhos manuais é outro fator ressalto pela professora. “Eu sei que muitas das alunas mantêm a casa com a confecção e venda das peças que produzem. Isso é maravilhoso”, conclui a simpática professora.

Edição nº 8/2008

23


MOTIVAÇÃO

Ensino e trabalho assistencial p

Grupo confecciona enxovais de bebê Duas agulhas, novelo de lã e muita vontade de trabalhar pelo próximo. Estes são os requisitos necessários para o grupo formado por 10 voluntárias, coordenadas pela professora de tricô Maria Conceição Amparo Marciano, que há 18 anos tricotam roupinhas de bebês que são doadas as futuras mamães carentes. Segundo Maria, que há mais de 30 anos dá aulas de tricô e já exerceu trabalho voluntário em diversas instituições de Bertioga, o trabalho que vem desenvolvendo atualmente, é fruto de uma promessa. “Eu não consegui a graça que tanto precisava, mas ajudar as pessoas era um objetivo meu e do meu falecido marido. Então mesmo não conseguindo almejar o que pedi, resolvi fazer as roupinhas de bebê e doá-las. Com o tempo foram chegando mais pessoas, algumas já sabiam um pouco de tricô, outras aprenderam com o intuito de ajudar a fazer os casaquinhos. Hoje já somos 10 e queremos que o grupo aumente. Assim poderemos atender mais mãezinhas”, confessa. As voluntárias se encontram semanalmente na residência de Maria e das 14 às 17 horas, tricotam as peças. “Com o tempo veio à idéia de ampliarmos o enxoval doado. Hoje 24

Edição nº 8/2008

colocamos fraldas descartáveis e de pano, pagãozinho, bolero, sapatinhos e, as vezes, produtos de higiene pessoal e até banheirinha”. A doação dos enxovais no início acontecia em junho, no dia de Santo Antônio, mas como a procura pelos enxovais aumentou, as voluntárias preparam as peças para serem entregues também em dezembro. O kit é entregue às mães carentes atendidas por diversas entidades, ou mesmo pela indicação de conhecidos que vêem a necessidade. A primeira amiga a aderir ao trabalho feito por Maria foi Lurdes Casemiro Firmino. “Eu tinha problemas como depressão. Depois que passei as tardes tricotando, estou ótima. E o melhor, estou ajudando quem realmente precisa”, conta a dona de casa. Maria da Conceição já perdeu as contas do número de enxovais doados, mas todos estão registrados em um caderno que ela apresenta ao grupo. O grupo aceita novas voluntárias. As interessadas podem entrar em contato através do telefone (13) 3317-3657, tanto para o trabalho voluntário como também para a doação lã.


preenchem o vazio da solidão

Pincéis e tintas dão cor especial à vida das pessoas A pintora Maria Olívia Rodrigues da Silva, 65 anos, que ministra aulas de pintura em tela na Casa da Cultura de Bertioga, está dando novos nuances a vida de seus 30 alunos. Há 40 anos morando em Bertioga, nos últimos quatro, vem desenvolvendo esse trabalho. “Dar aula é minha realização pessoal. Fico feliz em ver meus alunos felizes”, comenta. Duas horas de aula semanal é a terapia necessária para que Dora B. Russo, 54 anos, esqueça os problemas pessoais. “Nunca tive oportunidade de pintar, há dois anos freqüento a aula e passo tardes maravilhosas”, frisa. Dora afirma que já perdeu a conta das telas que produziu. “A pintura preenche minha vida, assim como os desenhos”. O depoimento é do estudante Marcelo Nascimento dos Santos, 16 anos. Ele diz que uma pessoa viu sua facilidade com o desenho e resolveu inscrevê-lo no curso. “Não teria condições de pagar por um curso de pintura. Quando cheguei não tinha nenhuma noção da técnica e a Olívia me ensinou tudo, agora já estou até vendendo minhas telas”. Marcelo afirma ter vontade de desenvolver algum tipo de trabalho no futuro. “É muito gratificante poder ajudar. Também quero fazer trabalho voluntário, ser útil a alguém”. Edição nº 8/2008

25


Onde ir: SAIA DE CASA

Escolha o lugar que você mais gosta

Bertioga tem restaurantes, lanchonetes e bares para todos os gostos e bolsos. Aqui é possível saborear uma das iguarias mais procuradas pelos visitantes, o pastel, ou se preferir uma refeição completa, os frutos do mar recebem um destaque especial. Se a proposta é se divertir, também existem as dicas de lanchonetes e barzinhos. Para facilitar a escolha, selecionamos por especialidade.

Cafeteria Ponto da Cultura

Pastelaria Rio da Praia

que além de ter um tamanho especial é recheada de frango com catupiry.

Pastel Express Trailer do Chiquinho

Avenida da Riviera, 1256 – Riviera Shopping Center. Riviera de São Lourenço – (13) 3316-7373 Funciona de 2ª a 5ª feira das 7h30 às 20h30; de 6ª a domingo das 7 às 23 horas. Uma boa dica é se deliciar com um capuccino bem quentinho. Já as pessoas que gostam de saborear uma bebida gelada preparada com café, vale a pena experimentar o cajuzinho, café riviera ou o capuccino gelado. A casa oferece bons serviços, além de espaço para livros jornais, revistas e charutaria, tendo inclusive sala climatizada para armazenar os charutos.

Pastel O pastel de Bertioga é o mais famoso do Estado. A variedade de tamanho e recheios faz a diferença. É impossível passar pela cidade sem experimentar essa delícia. 26

Edição nº 8/2008

Rua Pastor Djalma da Silva Coimbra, 195 – Jd. Rio da Praia, próximo à portaria do Sesc. (13) 3317-5680 – funciona diariamente das 14 às 24 horas Os deliciosos pastéis salgados como de carne seca, frango com catupiry ou de palmito são algumas das muitas especialidades do trailer. Vale a pena guardar um pouco do apetite para experimentar os doces, como o brigadeiro, chocolate e prestígio. Neste local as crianças e adultos se divertem com os pastéis artísticos produzidos pelo proprietário Genaro, que adora transformar a massa em obra de arte recheada. O caldo de cana e os lanches também são especiais.

Pastel do Trevo Avenida 19 de Maio s/nº - Jardim Albatroz – (13) 3317-2263 – funciona 24 horas Rodovia Rio/ Santos – km 226 – Sítio São João – (13) 3317-2429 – segunda à quinta das 9 às 18 horas sexta a domingo, até as 20 horas. O trailer instalado na entrada da cidade é bem movimentado. Nos dois estabelecimentos uma boa pedida são os pastéis de palmito, camarão ou frango catupiry. Outro destaque é para a coxinha,

Avenida 19 de Maio, 600 – Jardim Albatroz, - (13) 3317-6694 – funciona 24 horas. Avenida 19 de Maio, 950 – Jardim Albatroz – 3317-4747 ou 33177918 – das 8 às 2 horas. Além de deliciosos pastéis como de palmito e carne, o trailer também serve sanduíche e o mais procurado, “três quarteirões”, preparado com hambúrguer de picanha e servido com delicioso molho rosê, entre outros ingredientes. Na lanchonete uma boa dica são os pratos rápidos à base de picanha, filé mignon, contrafilé ou de peixe, que são servidos no almoço (das 11 às 17 horas) e vem acompanhado de arroz, feijão, fritas e salada. A casa também oferece pastéis e sanduíches.

Trailer da Libaneza Avenida 19 de Maio, 379 - Jardim Albatroz- (13) 3317-0542- funciona 24 horas. O pastel libanês tem um destaque especial no trailer. Preparado com palmito, catupiry, calabresa, cebola, molho e orégano é uma boa pedida. O trailer também serve sanduíches e porções.

Sorveterias Um refrescante sorvete sempre é bem vindo. Bertioga tem diversas sorveterias que oferecem além dos sorvetes de massa, picolé, diet, sobremesas e bebidas preparadas com essa delícia.

Kibon D´Laurent Avenida Anchieta, 651 – Centro –


(13) 3317-1214- Funciona das 11 às 19 horas - sábados e domingos até 24 horas. Este espaço é um misto de sorveteria e cafeteria. Além dos sabores clássicos, 40 no total para os de massa, também se encontra sorvetes diet e preparados com soja. A sorveteria também oferece salgados, sanduíches naturais e açaí na tigela, além de taças especiais.

Sorvetes Rocha Avenida Vicente de Carvalho, 491 – Centro – (13) 3317-3089 – das 11 às 22 horas, na baixa temporada e das 10 até o último cliente na alta estação. A tradição das receitas preparadas com frutas naturais e de forma artesanal desde 1947 - quando foi aberta a primeira loja da rede - se perpetua até hoje. A casa oferece 40 sabores de sorvete de massa, 16 no palito e quatro diet. O sorvete de coco no palito é o mais pedido e o sabor é delicioso, pois aos poucos, pedaços da fruta vão sendo descobertos. Já na elaboração dos de massa que vai desde jaca até o chocolate suíço é difícil eleger o melhor. Aproveite o tempo e o visual do local que está estabelecido em frente ao Canal de Bertioga e saboreie as taças preparadas pela casa como o banana split, sundae ou um refrescante milk shake.

transformam em pontos de encontro dos moradores e visitantes. Se quiser se divertir e fazer amigos, aproveite!

Blue Lion

Avenida Tomé de Souza, 1631 – Praia da Enseada – (13) 3317-4550. Funciona de quinta a domingo - lanchonete das 12 a 1 hora e o restaurante das 11 às 22 horas. De frente para a praia da Enseada este é o mais novo ponto de encontro de Bertioga. O local abriga a lanchonete que tem música ao vivo (MPB, pagode e forró universitário) de sexta a domingo e o restaurante Costa Azul que tem como especialidade a elaboração de pratos com frutos do mar. Entre as dicas estão a paella valenciana e a caldeirada caiçara que servem fartamente quatro pessoas. A consumação mínima na lanchonete é de R$10,00 para homem e R$5,00 mulher.

Para Curtir Light My Fire Rock Bar Rodovia Rio-Santos, km 209, Shopping Praia Mix. Jardim São Lourenço – (13) 3316-9999 Este local é ideal para quem curte rock’n roll das décadas de 50 a 70. Logo na entrada o visitante se depara com a escultura de uma guitarra e pôsteres de Elvis Presley, Jim Morrison, Beatles, Janes Joplin, entre outros. Idealizado pelo arquiteto Aldo Fazioli, o bar tem programação especial, inclusive com a apresentação de bandas cover.

Porto do Forte

Napoli Sorvetes Artesanais Avenida Anchieta, 89 – Centro – (13) 3317-7208. Funciona diariamente a partir das 12 horas até o último cliente A Napoli tem 33 opções de sabores nos sorvetes de massa, entre eles o tiramissu, banana com nozes, além de três diet e 12 no palito. A sorveteria também possui vasta linha de tortas geladas preparadas com sorvete.

Bares A cidade também tem redutos que se

Avenida Vicente de Carvalho, 320 – Centro – (13) 3317-5822 Funciona de quinta a sábado a partir das 22 horas até o último cliente O Porto do Forte é um dos points mais requisitados da Cidade. As quintas e sextasfeiras a animação é feita por DJ‘s e nos sábados, a música fica por conta de bandas que animam o público. O espaço também abriga noites especiais. A casa tem capacidade para 350 pessoas.

Itaguaré: um o reduto para comer frutos do mar Durante o dia ou à noite, as barracas que oferecem frutos do mar na Praia do Itaguaré (Rodovia Rio-Santos, quilômetro 205) tem deliciosos pratos. Neste local é possível encontrar de ostras frescas ou no

bafo, caranguejo, marisco, porções de lula, peixes, camarões, além de muitas outras iguarias como o famoso arroz lam-

be-lambe (arroz com marisco). Confira, você não vai se arrepender!

Índia Ostras Funciona das 8 horas até o último cliente (13) 9712- 0718. A variedade de pratos oferecidos neste quiosque é incrível. São mais de 30 pratos preparados com frutos do mar. Aproveite e saboreie o filé de pescada ou badejo com molho de camarão ou então o risoto à moda da índia - preparado com peixe, lula e camarão. Se o apetite for grande delicie-se com as porções de peixe, caranguejo ao molho, casquinha de siri, lula e camarão. As ostras frescas ou no bafo também são muito apreciadas, assim como o arroz lambelambe, feito com marisco.

Bill Ostras Funciona diariamente das 8 às 22 horas Telefone (13) 9783-1533

Capitania das Ostras Funciona de segunda à sexta-feira das 8 às 20 horas; sábados e domingos até a meia-noite - (13) 9739-4637 Além da gastronomia, o visitante também pode alugar um caiaque para passear pelo Rio Itaguaré.

Catarino Ostras Funciona das 9 às 18 horas (13) 3317-6572

Quirino Ostras Funciona das 9 às 20 horas. Sexta e sábado até a meia noite (13) 9744-4015

Restaurantes Bertioga tem muitas opções de restaurantes que vão desde os mais requintados Edição nº 8/2008

27


DIVIRTA-SE MATÉRIA ESPECIAL até estabelecimentos que oferecem deliciosos pratos rápidos. Para facilitar a escolha selecionamos pelo tipo de alimentação que oferecem.

farofa e vinagrete. Por ser uma casa especializada, existem outras opções de acompanhamento. Há pratos individuais e para duas pessoas. Para acompanhar a dica é o chopp Brahma bem geladinho.

São Lourenço. Funciona de sexta a domingo. Sábado a partir das 12 horas. Especializado em culinária oriental, não deixe de experimentar a lula recheada com shimeji, além do sushi e sashimi.

Italiano

Peixe & Cia

Mare Monti – Ristorante e Pizzeria

Restaurante e Pizzaria Borghese

Largo dos Coqueiros s/nº, Riveira de São Lourenço – (13) 3316-7508. Funciona de sexta (18h à 1 hora); sábado a partir das 12h30 e domingo até as 23 horas. O cardápio divide espaço entre as pizzas de massa crocante com 30 opções de recheio e as massas frescas preparadas na própria cozinha. O ravióli de vitelo é divino.

Orientais Por quilo Brilho do Sol Avenida Tomé de Souza, 1915 – ou pela Rua João Ramalho, 1760 - Camping Humaitá (13) 3317-3552. Funciona diariamente das 12 às 15 horas – sábados, domingos e feriados das 12 às 16 horas. A casa oferece a opção de refeições a quilo com 16 pratos quentes e 18 frios, todos com delicioso tempero caseiro, como gostam de frisar as proprietárias Angélica e Sueli. No final de semana aproveite para experimentar o bobó de camarão e a caldeirada. Aprecie as sobremesas, principalmente, a torta holandesa (preparada com passas ao rum) e o pavê de amendoim.

Estrela do Mar Restaurante Avenida Anchieta, 175 – Centro - (13) 3317-2285. Funciona de terça a domingo das 11h30 às 15 horas. O restaurante trabalha com o sistema de refeições selfservice por quilo. A variedade gastronômica é o forte da casa que oferece pratos da culinária italiana, chinesa, brasileira além de muitas opções de frutos do mar.

Restaurante Caravelas Praça Vicente Molinari, 158 – (13) 3317-2441. Funciona de segunda a sexta-feira no almoço (11h30 às 15h30) e jantar (19 horas às 21h30) Especializado em comida a quilo, a variedade de pratos acompanhado de batata ou polenta frita, 28 20

Edição nº 8/2008

Cantinho Oriental Avenida Thomé de Souza, 1413 – (13)3317-3264. Funciona na alta temporada, diariamente das 11 às 23 horas. Baixa temporada de quarta a sexta-feira das 11 às 15 horas e das 18 às 22 horas; sábados e domingos das 11 às 23 horas. Este recanto de frente para o mar é especialista em culinária japonesa. Delicie-se com os teppam yaki (grelhados na chapa) de salmão, picanha e frango. Outra boa escolha é o sushi.

Keiko Sushi Bar

Avenida Anchieta, 455 – Centro – (13) 3317-2133. Funciona de terça a domingo a partir das 11h30. O filé de badejo com molho de amêndoas é uma boa pedida. Entre as diversas opções oferecidas pelo restaurante estão: a moqueca, caldeirada, camarão, salmão e a tainha assada. O restaurante também é tradicional nos pratos com massa. À noite é possível saborear deliciosas pizzas.

Sandy Restaurante Avenida Vicente de Carvalho, 58 – Centro –(13) 33173496. Funciona diariamente a partir das 11 horas até o último cliente. A boa localização - de frente para o Canal de Bertioga - e a variedade de pratos preparados à base de frutos do mar faz desta casa uma das mais freqüentadas por turistas e moradores. Experimente uma comida típica caiçara, o peixe azul marinho, preparado com postas de badejo ou garoupa ou o camarão à moda. À noite, outra boa opção é a pizza de massa crocante.

Vinã Del Mar

Rodovia Rio/Santos km 229,5 – (13) 9713-0114. Funciona de sexta–feira e sábado das 11 às 23 horas; domingo das 11 às 18 horas. É uma boa opção para quem aprecia a culinária oriental. Entre as especialidades oferecidas estão o yakisoba, yakimeshi e o teppam yaki, além do sushi e sashimi. Este restaurante foi eleito com um dos melhores pelo Guia Quatro Rodas.

Avenida Vicente de Carvalho, 52 – Centro (13) 3317-1550. Prepare-se para uma viagem de sabores e delícias oferecidas por este restaurante. Se sua opção for pelos frutos do mar, experimente o camarão à saint jacks (empanado e recheado com catupiry) ou badejo à moda da casa que recebe um toque de vinho e ervas.

Kayomix

Restaurante Thobias

Avenida da Riviera, 1256 – Riviera Shopping Center, loja H - (13) 97578496. Funciona de sexta e sábado até meia noite e domingo até 21 horas. A especialidade é a culinária japonesa tendo como opção sushi, sashimi e uma boa pedida é o shimeji com lula.

Yayoi Rodovia Rio-Santos, km 209 – Shopping Praia Mix - (11) 9725-4997. Jardim

Avenida Anchieta, 835 – Centro – (13) 3316-4544. Funciona de segunda, terça e quinta-feira das 12 às 17 horas; sextafeira, sábado, domingo e feriado das 12 às 24 horas. Com 35 anos de experiência no preparo de frutos do mar, o cozinheiro é o proprietário do estabelecimento. Uma boa dica é o prato à thobias - preparado com lula, camarão e polvo (entre outros ingredientes)- servido ao molho e acompanhado com arroz branco.


Cantinho do Faninho

Lanchonete

Avenida Vicente de Carvalho, 491 – Centro -(13) 3317-3089. Funciona diariamente das 11 às 22 horas na baixa temporada e das 10 horas até o último cliente na temporada. Nos finais de semana e feriados a casa alia o sistema à la carte e a opção de refeições por quilo. Aproveite a linda vista para o Canal de Bertioga e saboreie lentamente a tainha grelhada, que é uma verdadeira delícia. Coberta com alho dourado, o pescado é acompanhado por farofa, fritas e arroz branco que serve fartamente três pessoas. Para as pessoas que adoram carne vermelha, a dica é o contrafilé à faninho (contrafilé recheado com presunto e queijo) que vem acompanhado de arroz à grega e fritas.

Quando a fome bate e a opção é saborear um delicioso sanduíche, Bertioga tem bons redutos.

Restaurante Ribadávia Avenida Vicente de Carvalho, 665 – Centro – (13) 3317-5988. Funciona de segunda a quinta-feira das 11 às 22 horas; finais de semana e feriados das 11 à zero hora. Com vista para o mar, a especialidade deste tradicional restaurante são os pratos preparados com frutos do mar. Se delicie com a caldeirada completa que é servida com pirão e arroz branco. O prato serve fartamente quatro pessoas. À noite a casa também oferece a opção de pizza, assada em forno à lenha. São mais de 35 sabores de recheio. A de rúcula com tomate seco é imperdível.

+ Será o Benedito Avenida Anchieta, 639 – (13) 33171214. Funciona de sexta a segunda-feira das 11 às 22 horas. A especialidade deste espaço são os frutos do mar e panquecas. O filé de badejo grelhado com legumes é uma ótima dica. Se a preferência for por panqueca, a casa oferece seis tipos de recheio. A mais pedida é a de carne com queijo.

Gordão Lanches

Avenida Anchieta, 951 – Centro – (13) 3317-7932. Funciona de segunda a quinta-feira das 11 às 24 horas; sextas e sábados das 11 às 5 horas e domingo das 11 ao último cliente. Este é o paraíso pelos aficionados por hambúrgueres. A variedade é tanta que cria certa dificuldade na hora da escolha. Tem hambúrguer de angus (carne de novilho), picanha, avestruz e frango. O lanche mais pedido é o big preparado com dois hambúrgueres, presunto, queijo, ovo, picles, salada e bacon. Também existe a opção de beirute ou lanches em mini-baguete. Para quem gosta de petiscar vale a pena experimentar a tábua de grelhados (picanha ou lingüiça) ou de frios que serve quatro pessoas. Se ainda houver apetite experimente o sorvete e o milk shake.

Refeições Rápidas Quem não abre mão de uma refeição completa e tem pressa, alguns restaurantes da Cidade oferecem refeições rápidas e com qualidade.

Restaurante e Lanchonete Primeira Impressão Avenida Anchieta, 581 – Centro - 33177002. Funciona de segunda a sábado das 8 às 22 horas. Na temporada e finais de semana prolongados abre aos domingos. Especializado em pratos rápidos, este restaurante oferece 16 opções de refeição, que vão desde panqueca de carne, frango ou palmito, até chuleta, bisteca suína, contrafilé e filé de frango acompanhado

por arroz, feijão, salada, pão e farofa. Ainda existe a opção de escolher pelo prato do dia ou uma das 35 opções de lanche oferecidas pelo estabelecimento.

Maurão Restaurante e Lanchonete Rua Humberto da Silva Piques, 90 – Jardim Rio da Praia (ao lado do Sesc)(13)3317-6838. Funciona diariamente das 10 às 16 horas. Este delicioso restaurante trabalha com sistema à la carte. Experimente a feijoada que é servida as quartas e sábados ou então, a dobradinha preparada com feijão branco às sextas-feiras. A casa oferece variedade na opção de pratos que são servidos acompanhados de arroz, feijão e salada. Já que está no litoral, se delicie com a pescada ao molho de camarão.

Culinária Mineira Cantinho Mineiro Avenida Luiz Pereira de Campos, 364 – (13) 3317-6402. Funciona de segunda a sábado das 11h30 às 15h30. Uma das culinárias mais apreciadas no Brasil também tem espaço em Bertioga. Com serviço à la carte, este restaurante tem um tempero delicioso. A proprietária Vanda é quem comanda o fogão. O prato mais pedido é o tutu à mineira que vem acompanhado de torresmo, couve, banana frita e costelinha de porco. Além deste, ainda há mais 20 opções de refeição.

Churrascaria Mesmo estando no Litoral, onde se encontra variedade nos pratos preparados com pescados, há quem não abra mão de um delicioso churrasco. Bertioga possui bons restaurantes neste setor. Confira!

Churrascaria Gaúcha Rua Luiz Pereira de Campos, 1078 – Vila Itapanhaú – (13) 3317-6712. Funciona de segunda a sábado das 11 às 6 horas. A casa trabalha com o sistema selfservice com 12 opções de pratos quentes e a mesma quantidade de frios, além do tradicional rodízio gaúcho, onde além do buffet, o cliente pode saborear 10 tipos de carne (picanha, alcatra, maminha, tender, entre outros).

Edição nº 8/2008

29 21


PROGRAME-SE

Churrascaria Boi Gordo Avenida 19 de Maio, 551 – Jardim Albatroz - (13) 3317-2442. Funciona diariamente das 11 às 16 horas e sábado e domingo até as 23 horas. Esta tradicional churrascaria da cidade oferece buffet com 12 tipos de salada onde o cliente se serve a vontade e no rodízio entre a variedade de carnes está picanha, costela, alcatra, tender e cupim.

Espeto Santo Avenida Anchieta, 3.213 – Vila Agaó (13) 3317-5329. Funciona de terça a sextafeira 10h30 às 15 horas e de quarta a sexta-feira, das 17h30 às 22 horas. Sábados, domingos e feriados das 11 até o último cliente. A casa oferece espetos individuais com 12 variedades de carne bovina, frango e suína ou pratos à la carte (no almoço) que servem até três pessoas, podendo-se optar por contrafilé, picanha ou alcatra acompanhado de arroz, feijão, salada, farofa e ovo. A novidade é o pastel no espeto, onde o quitute (frito) tem três opções de recheio: mussarela, pizza e bauru.

de três variedades de calzone (pizza fechada). Entre as preferidas estão: a fratello (escarola, aliche, ervilha, palmito, cebola, mussarela, alho frito e tomate), a camarão – onde o crustáceo é coberto com catupiry e mussarela, ou ainda à moda, onde a massa é preenchida com presunto, cebola, ovos, palmito, catupiry e mussarela. Aproveite e aprecie o calzone catupresunto, uma verdadeira delícia.

Colibri Pizza Bar

Bambina Avenida Anchieta, 2040 – Parque Estoril – (13) 3317-1974, 3317-3975 ou através do disk pizza 0800-7701974. Um misto de pizzaria e esfiharia, a casa oferece grande variedade de recheios para as pizzas (59 salgados e três doce). Experimente a moda do chefe (presunto, palmito, bacon, mussarela e milho verde), a de berinjela ou brócolis cobertas com queijo. Para quem aprecia esfiha aberta há 21 opções de recheios salgados e seis doces, sendo a maioria à base de

Pizzarias Crocante, de massa grossa ou fina, com bordas recheadas ou apenas salpicadas com gergelim, a pizza além de um prato rápido é o preferido nos encontros noturnos. Bertioga conta com boas pizzarias que nos finais de semana e feriado ficam repletas devido à qualidade desta delícia.

Pizzaria Fratello Avenida Anchieta, 2989 – Vila Agaó ou Avenida 19 de Maio, 1022 – Jardim Albatroz Disk pizza (13) 3317-3357, 3317-6247 e 3317-3535. Funciona diariamente a partir das 18 horas. Além de ter confortável espaço, a Fratello oferece grande variedade de pizzas, sendo 52 sabores salgados, quatro doces, além 30

Edição nº 8/2008

Avenida Anchieta 1363 – Centro – (13) 3317-2520 ou disk pizza 08007722520. Na baixa estação funciona de terça a domingo e na temporada, diariamente, a partir das 18 horas até o último cliente. Para quem aprecia pizza este local é um paraíso. A casa trabalha com o sistema pizza por metro. A massa retangular - com 30x50 centímetros - pode receber até três variedades das 55 opções de recheios salgados ou 10 doces. Os sabores mais pedidos são a de filé mignon com champignon ou de frutos do mar (lula, camarão e marisco). Experimente também a de morango com chocolate.

frutas. A esfiha de banana é deliciosa.

Pizza Place Avenida da Riviera, 1256 – Riviera Shopping Center, loja F, Riviera de São Lourenço –(13) 3316-8031. Funciona de quarta a domingo das 17 às 22 horas; sexta e sábado até a zero hora e domingo até as 23 horas. Além de poder desfrutar do ambiente do restaurante, o cliente também pode saborear a deliciosa pizza de massa crocante (com 54 sabores de recheio), no deque do shopping. Aproveite e se delicie com a pizza capri que tem entre os ingredientes do recheio mussarela de búfala, catupiry e alcachofra.


Edição nº 8/2008


32

Edição nº 8/2008


Revista JB nº 008