Page 1

REVISTA

ipê

VIAGENS

A MAIOR FESTA DE NATAL DO PAÍS

NATAL LUZ, GRAMADO

ANO I - Nº 05 - Nov/Dez 2013

VEÍCULOS

ESPORTIVO COM SOFISTICAÇÃO:

O NOVO FUSCA

ESPAÇO GOURMET PRODUTOS SEM LACTOSE

REVISTA BIMESTRAL - DISTRIBUIÇÃO CONTROLADA

VERDE CAMPO

NA PISTA A 120KM/H Porta de entrada para os pilotos da Fórmula 1, o Kart tem uma das mais belas pistas do país em Perdões. Velocidade e uma belíssima vista da região.

E MAIS: GARDEN HILL RESORT: GOLFE E REQUINTE NOVAS TÉCNICAS CONSTRUTIVAS

JEITO CASEIRO CONQUISTA O PAÍS

DOS QUADRINHOS À TATTOO

DESIGN

ORQUESTRA OURO PRETO


www.vw.com.br/amarok

Amarok. A força da inteligência. Taxa zero e 1ª parcela só para 2014. Entrada de 50% e saldo em 24x.

ANOS DE INOVAÇÃO

Amarok Highline Automática, ano/modelo 2013/2013 (cód. 2HBC3A), à vista a partir de R$ 130.990,00 ou financiado pelo Banco Volkswagen com entrada de R$ 65.495,00 e mais 24 prestações mensais de R$ 2.794,11 com a primeira prestação com vencimento em 60 dias, taxa de juros: 0,00% a.m. e 0,00% a.a. Total da operação : R$ 132.553,61. CET para esta operação: 2,13% a.a. IOF, Cadastro e Despesas de Gravame inclusos nos cálculos das prestações e nos CETs. Condições válidas apenas para venda de varejo. Essa oferta não é valida para negócios realizados através de Vendas Corporativas. Para mais informações, consulte uma Concessionária Volkswagen autorizada. Crédito sujeito a aprovação. Promoção valida enquanto durar nosso estoque.


Respeite os limites de velocidade.

CACEL BR 265 Km 153, n° 390 - Gato Preto Lavras - MG - (35) 3821-6060 ABS off-road

Câmbio automático de 8 marchas

www.cacel.com.br


ipê REVISTA

6

EDITORIAL Nossa Capa VIAGENS

A MAIOR FESTA DE NATAL DO PAÍS

NATAL LUZ, GRAMADO

ANO I - Nº 05 - Nov/Dez 2013

VEÍCULOS

ESPORTIVO COM SOFISTICAÇÃO:

O NOVO FUSCA

ESPAÇO GOURMET PRODUTOS SEM LACTOSE

REVISTA BIMESTRAL - DISTRIBUIÇÃO CONTROLADA

VERDE CAMPO

EXPEDIENTE

NA PISTA A 120KM/H

Foto: Cia da Foto Lugar: LML Kartódromo Cidade: Perdões/MG

Porta de entrada para os pilotos da Fórmula 1, o Kart tem uma das mais belas pistas do país em Perdões. Velocidade e uma belíssima vista da região.

E MAIS: GARDEN HILL RESORT: GOLFE E REQUINTE NOVAS TÉCNICAS CONSTRUTIVAS

JEITO CASEIRO CONQUISTA O PAÍS

DOS QUADRINHOS À TATTOO

DESIGN

ORQUESTRA OURO PRETO

PROJETO EDITORIAL Édison Marques Júnior DESIGN E PROJETO GRÁFICO Édison Marques Júnior JORNALISTA RESPONSÁVEL Diter Stein - Mtb 12965-RJ JURÍDICO Édison Marques FOTÓGRAFOS - CIA DA FOTO José Henrique Daniel Rocha REVISÃO Pauline Freire Pimenta Marilia de Souza Lopes REDAÇÃO Diter Stein - Editor Andrea Fraguas Felipe Leroy Emílio Victtor Jairo Martins Rodrigo Salvador Antônio Alberto Júnior COMERCIAL Édison Marques Júnior Contato: (35) 9143-4125 contato@revistaipe.com.br www.revistaipe.com.br EDIÇÕES AVULSAS E ESPECIAIS contato@revistaipe.com.br Edição nº 5. Distribuição controlada IMPRESSÃO: Editora Rona TIRAGEM: 2.000 exemplares Curta a Revista Ipê no facebook

Artigos assinados são de responsabilidade dos respectivos autores. Autoriza-se a reprodução, desde que citada a fonte.

Um ano de Revista Ipê Há um ano, a Revista Ipê publicava sua primeira edição. Não queria pouco, queria muito. Queria trazer para Lavras a mesma qualidade editorial que existe nas boas revistas das grandes cidades. O sonho era publicar em Lavras uma revista com a qualidade que a cidade merece. Uma revista que tivesse um bom conteúdo, uma revista para ser lida. Boas reportagens, boas fotos e texto consistente. Uma leitura fácil e agradável. Tudo isso envolvido por um projeto visual bem feito e uma impressão extremamente bem cuidada. Que proporcionasse informação e lazer ao seu leitor. Que nos chamasse a atenção de como somos privilegiados por morar nesta região, de como nossa cidade oferece possibilidades que não aproveitamos. Que tivesse como objetivo fazer de Lavras e região um lugar cada vez melhor para se viver. Como todo projeto novo, a Revista Ipê encontrou resistências e, é claro, não foi a resistência e o ceticismo que ajudaram a criar o sucesso da revista. O sucesso aconteceu, entre outros, pelo apoio dos leitores e das empresas que acreditaram na ideia, e apoiaram a revista através de anúncios e assim ajudaram Lavras a ter finalmente uma revista com a qualidade gráfica e editorial como sonhávamos. Empresários como Vinicyus Martiniano Trindade, da Vimilk, a equipe da Cia da Foto que fizeram questão de participar da revista desde sua primeira edição, por acreditarem que, assim como a revista Ipê, seus produtos têm uma qualidade diferenciada que só tem a ganhar ao anunciar em uma revista confiável, e de conteúdo profissional, para um público que efetivamente lê sua revista e percebe cada anúncio veiculado. Foi um ano de muito trabalho, mas extremamente gratificante. A cada edição a revista recebeu novos elogios, e melhorou um pouco mais. A pedido dos leitores que não receberam a revista, a Ipê passou a ser distribuída também nas bancas e cada edição foi feita como se fosse a primeira. Hoje a Revista Ipê é um projeto consolidado, faz parte da cidade e da região. Um dos comentários que mais recebemos é que a revista tem a mesma qualidade das boas revistas das grandes cidades. Como o e-mail que recebemos recentemente do Lair Rennó do Programa da Fátima Bernardes da TV Globo, publicado na seção de cartas nesta edição. Comentários que indicam que a revista está no caminho que traçou. Muito obrigado pelo seu apoio e a todos que nos ajudaram a realizar nosso sonho, temos certeza que iremos comemorar mais muitos anos juntos. Um Feliz Natal para todos e que Deus nos dê em 2014 um ano de muita paz, felicidade e sucesso. Até a próxima edição. Édison Marques Júnior Diretor da Revista Ipê


REVISTA

ipê

Nov/Dez 2013 SUMÁRIO

VIAGENS Gramado comemora o maior espetáculo natalino do país. Uma festa com muita tradição e tecnologia, como as utilizadas em espetáculos da Disney.

48

GASTRONOMIA

MÚSICA

Receitas especiais para seu Natal: Tortinha Escondida. Salada cremosa de camarão. Flan Brazuca. Caipirinha e champangne convivendo numa boa.

The Beatles & Orquestra Ouro Preto: música erudita e música pop convivendo de maneira extremamente harmoniosa.

54

30 ESPAÇO GOURMET Laticínios Verde Campo inova com linha de produtos sem lactose e desperta interesse das grandes redes distribuidoras do Brasil.

60

PERFIL

ESPORTE Ayrton Senna, Michael Schumacher, Sebastian Vettel, entre outros pilotos, devem suas carreiras ao kart. A porta de entrada do automobilismo tem uma das mais belas pistas do estado em Perdões.

16

Aliando a tradição das receitas de família aos mais modernos processos industriais, a Jeito Caseiro Alimentos conquista consumidores em todo o país.

36

SEÇÕES CARTAS

VEÍCULOS Mais esportivo, mais agressivo, voltado ao prazer de dirigir e um desempenho arrebatador.

22

8

COLABORADORES

10

COMPORTAMENTO E MODA

12

ESTÉTICA

14

ARQUITETURA

26

ARTE E CULTURA

28

DESIGN, MARCA

32

DICAS CULTURAIS

34

ARTE DE EMPREENDER

40

VIAGENS HOTEL GARDEN HILL

42


ipê

MÚSICA

NA MORAL

WILSON SIDERAL

ANO I - Nº 04 - JUL/AGO 2013

VEÍCULOS

ARTE E CULTURA

30

REVISTA

8

EM TIRADENTES

MUSEU DO AUTOMÓVEL PERFIL

PERDÕES-MILÃO

Por Diter Stein Fotos: Daniel Rocha

O

“Wunderschön! Herrlich!”

“Wunderschön! Herrlich!”

“Maravilhoso! Deslumbrante! ”Assim reagiu Stephan Krier, então cônsul geral da Alemanha no Rio de Janeiro, enquanto apreciava a vista do Parque Ecológico Quedas do Rio Bonito, almoçando em seu restaurante.

E MAIS: UM HOTEL TODO FEITO DE GELO, DA CAMA AO COPO MODA, BELEZA, E BEM ESTAR

“Maravilhoso! Deslumbrante! ”Assim reagiu Stephan Krier, então cônsul geral da Alemanha no Rio de Janeiro, enquanto apreciava a vista do Parque Ecológico Quedas do Rio Bonito, almoçando em seu restaurante.

UM SHOW DE CIDADANIA EM LAVRAS

A IMPORTÂNCIA DO PLANO DE NEGÓCIOS

lavrense está parecido com o carioca, que se acostumou de tal forma com suas belezas naturais que somente quando alguém de fora se deslumbra com a beleza do Parque Ecológico Quedas do Rio Bonito, ou simplesmente Poço Bonito, é que ele percebe e se conscientiza da joia que tem bem ao seu lado. O cônsul e sua esposa ficaram encantados com a infraestrutura do parque e com seu projeto arquitetônico, mas não conseguiam entender como esse local que, além de um visual fascinan-

te, oferecia banheiros com torneiras de infravermelho, restaurante e bar perfeitos para eventos e congressos, como isso tudo era mantido. Somente entenderam quando ficaram sabendo que o parque era resultado do sonho de um empresário apaixonado por Lavras, pela natureza de Lavras, um sonhador chamado Abraham Kasinski. O Parque Quedas do Rio Bonito é mantido por sua fundação, para retribuir o carinho com que a cidade recebeu um outro grande sonho seu: a Cofap, hoje Magneti Mareli. O parque, juntamente com o

campus da UFLA, é um dos raros locais de lazer ao ar livre de Lavras. Um lugar onde se respira ar puríssimo, onde os pais conseguem se divertir com seus filhos, em profundo e seguro contato com a natureza, tendo diversas opções de lazer como arvorismo, tirolesa, mirante com visão completa do parque, trilhas para caminhadas e mountain bike, lagoa com pedalinhos, piscinas naturais com toboágua, cachoeira e a deliciosa possibilidade de almoçar sob um visual estonteante. Abraham Kasinski faz parte da história da indústria automo-

ESPAÇO GOURMET REVISTA IPÊ | JUL/AGO/2013

EDIÇÃO 04

Envie comentários, sugestões e opiniões para serem publicados nesta seção Revista Ipê contato@revistaipe.com.br www.revistaipe.com.br

REVISTA IPÊ | JUL/AGO/2013

Quero manifestar minha satisfação por termos em Lavras uma publicação com a qualidade da Revista Ipê. Não só qualidade gráfica mas, acima de tudo, qualidade do conteúdo, com diversidade de temas. Na última edição, destaco a excelente matéria sobre as bikes em Lavras, com depoimentos de vários adeptos do mountain bike. Deu a exata dimensão da importância e do crescimento desse esporte/ lazer em nossa cidade. Continuem assim, com esse alto nível da revista. Abraços!

Caros colegas da Ipê

José Marcio Faria

Maria Isabel Moreira

Conheci a revista em uma viagem recente a Minas. Gostei muito do que li e do que vi. Apreciei especialmente os artigos que apresentam as pessoas, os lugares, as atividades e a riqueza cultural da região. E sei que há muito mais a ser desvendado, tanto para os próprios mineiros como para os forasteiros que, como eu, não se cansam de admirar o que Lavras e seus arredores têm de melhor. Sucesso para vocês!

Jornalista-Editora Abril, São Paulo

Professor da UFLA e Vereador Caros amigos da revista Ipê

Gostaria de parabenizar toda a equipe da Revista Ipê pelo maravilhoso trabalho apresentado em seus diversos exemplares. É um material que apresenta diversos assuntos sobre lazer, negócios entre outros. Parabéns a toda a equipe!!!

Mila Lamounier Bibliotecária Lavras-MG

Obrigado pela matéria sobre minha carreira e os meus laços com a região! Me senti em Minas Gerais. Só faltou o fogão à lenha. Fiquei emocionado com o texto e pela edição muito bem feita, com ótimas fotos e texto fiel. Parabéns pela revista, ela tem uma qualidade nacional. Um grande abraço, sucesso a todos.

Quero parabenizar a Revista Ipê por surpreender o leitor a cada edição. Além de ter um excelente acabamento gráfico, a Revista Ipê chama a atenção pela forma de apresentação, em que se mescla com inteligência e bom gosto matérias de conteúdo e publicidade de qualidade, proporcionando uma leitura versátil, agradável e enriquecedora.

Lair Rennó

Elaine Souza Lucas

Jornalista TV Globo

Gerente Livraria Nobel

Um dos mais conhecidos locutores de futebol do país volta às origens. José Silvério abre as portas de sua casa no Condomínio das Palmeiras, para falar de sua carreira com a Revista Ipê. Uma carreira brilhante que começou de uma brincadeira, narrando jogo de futebol de botão. Hoje já são 10 copas do mundo, em quase 50 anos de carreira..

50 22

Quero parabenizá-lo pelo espetáculo de revista que conheci há pouco tempo: a Revista Ipê! Uma publicação interessante, leve, gostosa de ler, muito bem redigida, reunindo cultura, diversão e informações importantes. Fiquei encantada com o Club Hotel Casa Pueblo, hotel escultura feito a mão durante 30 anos! A Pousada Oratório... que lugar maravilhoso para se refugiar do stress diário! E o leitão do Luiz Ney? Um show à parte, vamos combinar! Enfim, a Revista Ipê é completa. E tenho dito!

Janifer Aparecida Adão

Consultora Comercial dos Correios

VEÍCULOS PERFIL

CARTAS

REVISTA BIMESTRAL - DISTRIBUIÇÃO CONTROLADA

AMÉRICA MÓVEIS

Por Diter Stein Fotos: José Henrique e Daniel Rocha

J

Museu do automóvel José Silvério em Tiradentes

Do futebol de botão para a Copa do Mundo

Aproximadamente 10 mil pessoas visitam por ano o único museu de automóveis de Minas Gerais. Carros raros, clássicos. Imperdível para quem quer viajar no tempo e aprender um pouco sobre esse ícone que modificou o mundo, sua história e seu design. Por Diter Stein Fotos: Daniel Rocha e José Henrique REVISTA IPÊ | JAN/FEV/2013 REVISTA IPÊ | JUL/AGO/2013

REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013

osé Silvério construiu em Lavras uma casa para receber amigos, familiares e descansar um pouco da roda viva do futebol. O locutor nasceu em Itumirim e passou a infância em Lavras. Como locutor, tem uma espécie de marca registrada, estender a pronúncia das últimas sílabas das palavras. Criou um estilo próprio, sendo reconhecido pelo Wikipédia, como o mais técnico de todos os locutores esportivos de rádio da história do futebol brasileiro. Em São Paulo, é o locutor preferido de todas as torcidas. Talvez pela característica de não ter um time de preferência e fazer uma narração totalmente imparcial. “Não tenho TV Globo quando precium time não torço sa de de coração, carros antigos e a por nenhum time,é acho que seria filmagem em Minas Geuma aos meus ouvintes” rais, traição é no Museu do Automóvel explica JoséReal, Silvério. da Estrada em Tiradentes, casa diretores foi feita sob queA seus de medida, arte os para receber amigos, mas, tamaluga. Para a minissérie Hilda bém, paraforam o trabalho. Alémpara do Furacão, 30 carros, espaço gourmet, de10 lazer e a minissérie JK, área foram carchurrasqueira em torno pisciros. Para a novela Almada Gêmea, na, tem 1939 um estúdio realizar o Ford ficou apara disposição narrações, quando algum impreno Projac, no Rio de Janeiro, duvisto não permitir sua presença rante toda a filmagem. O cinema no estádio onde assíduo estiver do sendo também é cliente murealizado jogo.o Como aconseu, filmesocomo Chico Xavier, teceu a doença de sua Uma durante Professora Maluquinha,

A

Amplo espaço e lazer, para receber amigos e familiares

entre outros, também utilizaram os carros do museu. Em perfeito esposa falecida. estado, recém os carros vão andando paradasLavras com ou a atéVoltou os locais filmagens, esposa, sua mãe já estava aqui aos eventos de colecionadores desde 85 eantigos, sua filhacomo também já de carros recenhavia retornado. Seu temente em Uruguai. plano era se aposentar em 2010 e em morar São cinquenta carros exem Lavras, quando encerraria posição, vinte aguardando resseu contrato Radio Band. tauração e 6com ema recuperação. Com a proposta irrecusável Apesar de uns mais antigos, da ou Bandeirantes seu mais novos, opara focorenovar da coleção contrato e com o falecimento de é basicamente os anos 40 e 50. sua esposa, seus planos ficaram O museu oferece também, para em suspenso. quem quer passear em um carJosé Silvério deve sua carro antigo, o passeio noturno por

Tiradentes em uma Jardineira de 1935, em parceria com um anireira futebol de botão. Na madoao guia que conta a história adolescência os amigos se dida cidade. vertiam faziade a Tudoenquanto começouSilvério na década narração dosSrjogos. Em 1964, no 70, quando Rodrigo Cerqueijogo Olímpico e Bragantino, em ra Moura, executivo da Copasa, comemoração ao aniversário de e atualmente aposentado, comLavras, no último momento o loprou o sítio Pau D`angu, na estracutor Radio Cultura da deda Tiradentes para sentiu-se Bichinho. mal e não encontraram ninguém Queria realizar um sonho antigo: para substituí-lo. Quem deu a criar um museu de automóveis. solução foi não Itamar Mazzochi, Sr Rodrigo é somente um que trabalhavadenaautos Radio Cultura,é colecionador antigos, frequentava a mesa de futebol de também o responsável pela resbotão e sedadivertia as nar-e tauração parte com mecânica REVISTA IPÊ | JAN/FEV/2013 REVISTA IPÊ | JUL/AGO/2013


Antônio Alberto Júnior

Antônio Alberto Júnior é empresário em Lavras, dirige as empresas Jeito Caseiro Alimentos e Top Empreendimentos. É palestrante, colunista e instrutor do Empretec (programa da ONU com foco no Empreendedorismo).

SERVIÇOS Jairo Martins

É um dos maiores especialistas em cachaça do País. Engenheiro formado pelo ITA, foi vicepresidente da Siemens na Alemanha. Autor do livro “Cachaça, o Mais Brasileiro dos Prazeres” é membro honorário do IBRAC-Instituto Brasileiro da Cachaça e participante da Câmara Setorial da Cachaça do Ministério da Agricultura. Ministra seminários sobre cachaça a cada seis meses em Munique, na Alemanha.

Foto: Diego Sá

COLABORADORES

10

Emílio Victtor

Compositor, cantor, violonista, produtor cultural e professor de canto. Iniciou seus estudos, ainda jovem, aprimorando seus conhecimentos em Belo Horizonte. Estudou violão clássico, violão popular, técnica vocal, canto lírico e está constantemente se aperfeiçoando na área. Atualmente, une sua carreira com a direção artística da Casa do Bosque (Perdões).

Segue abaixo a relação das lojas e demais empreendimentos mencionados nesta edição, além das empresas que nos cederam locação ou material para fotos. Body Club Academia

Juliana Melo

(35) 3821-0707

(35) 8875-5530

Cachola Comunicação

Rodrigo Salvador

(35) 3822-0784

(35) 8865-5393

Casa do Bosque Pub

Unilavras

(35) 8842-4855

(35) 3694-8170

Cia da Foto

Verde Campo

(35) 3821-6269

(35) 3829-3000

DSL Engenharia e Fundações Vimilk (35) 3864-1312 (35) 3822-0752 Esquadro

Vitali Estética

(35) 9913-5225

(35) 3821-4052

Felipe Leroy

VW Cacel

(31) 9178-2233

(35) 3821-6060

Garden Hill

Felipe Leroy

Formado em Ciências Contábeis é especializado em gestão financeira, cozinheiro profissional e docente na rede SENAC e Estácio de Sá para Pós Graduação e MBA no setor de Gastronomia e Hotelaria. Sócio da Leroy Treinamentos e Projetos, desenvolve ações em toda a cadeia produtiva de alimentos & bebidas e Hotelaria; Cursos, treinamentos e montagens de cozinhas.

Rodrigo Salvador

Apaixonado por artes culinárias, estudou na escola Mausi Sebess em Buenos Aires (Argentina), pós-graduando em cozinha de vanguarda. Após a conclusão de seus estudos, seguiu para a Europa para se aperfeiçoar profissionalmente e culturalmente, tendo seu regresso a Lavras em 2011.

Andréa Fráguas

Personal stylist, consultora de imagem certificada pelo Fashion Institute of Technology, FIT- Nova York, uma das melhores escolas de moda do mundo. Trabalhou em backstage de desfiles de moda do circuito fashion de NY, com estilistas como Oscar de La Renta.

REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013

(32) 3371-2551


unilavras.edu.br

www.


Dicas Para uma Boa Conversa

COMPORTAMENTO E MODA

12

U

ma maneira inteligente e educada de conversar pode ser uma das ferramentas para o sucesso. Ter uma boa conversação, principalmente em público, pode abrir muitas portas em sua vida. Fala a verdade: quem gosta de estar próximo a uma pessoa que só reclama da vida, que critica, fala mal e faz fofocas dos outros? Ou aquela outra, que só fala de doença? Apesar dos nossos problemas, os outros não são obrigados a escutar. Inicie seu dia com palavras que podem fazer o dia de uma pessoa brilhar: • • • • •

Como você está radiante! Eu estava pensando em você ainda ontem. Que boa surpresa te encontrar! Vê-la ( o) hoje fez o meu dia melhor. Tenha um ótimo dia!

Procure no seu dia a dia ter um tipo de conversa que traga bons fluídos, ou que tenha conteúdo. Evite falar de desgraças e da vida alheia. •

Andréa Fráguas

Personal Stylist e Personal Shopper

• • •

Converse sobre um lugar interessante para passar férias, viajar ou explorar. Discorra sobre um bom livro, filme, exposição de arte ou uma boa comida. Músicas, shows e os últimos lançamentos. Locais agradáveis para se passear ou fazer compras.

Aprenda algumas atitudes que devem ser evitadas para uma boa conversação: • • • • • • • •

Atenção ao seu hálito. A halitose pode afastar as pessoas de você. Evite falar muito alto. Conversar muito próximo ao interlocutor. Falar de sua conta bancária ou da virilidade de seu namorado e assuntos correlatos. Tocar ou cutucar a pessoa que te ouve. Sussurrar seus segredos mais obscuros. Falar em excesso sobre você mesmo, autopromoção. Dê espaço para que os outros também se expressem. Gargalhar de maneira exagerada. Bocejar.

E para terminar, não se esqueça das palavras mágicas: por favor, muito obrigada (o) e com licença. REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013


SHOW ROOM modafeminina

Praça Leonardo Venerando, 436, loja 105, Edifício Dr. João Lacerda - Centro - Lavras/MG


14

ESTÉTICA

Nutrição Funcional Foto: Debora Cunha / Cia da Foto

D

Mariana Villela

Nutricionista da Vitali Estética Especialista em Nutrição e Saúde

REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013

iversos fatores afetam a qualidade da vida moderna, de forma que a população deve conscientizar-se da importância de alimentos contendo substâncias que auxiliam a promoção da saúde, trazendo então uma melhora no estado nutricional. A Nutrição Funcional tem como objetivo abordar, prevenir e tratar desordens crônicas complexas por meio de detecção de desequilíbrios orgânicos, sinais e características relacionadas à carência ou excesso nutricional. O foco é a qualidade dos alimentos e a necessidade de cada indivíduo, restabelecendo o equilíbrio nutricional e o bem estar do organismo como um todo. Ela ainda preconiza a diminuição da inflamação e da formação de radicais livres. Trabalhos científicos comprovam cada vez mais a ocorrência de doenças crônicas relacionadas a uma dieta inadequada, suscetibilidade genética e exposição a agentes e poluentes ambientais. A Nutrição Funcional aplica a ciência dos nutrientes e a biodisponibilidades dos nutrientes, aumentando a defesa através dos alimentos antioxidantes, anti-inflamatórios, vitaminas e minerais. Entre os antioxidantes, podemos destacar o licopeno, presente em alimentos de cor vermelha, como tomate, melancia, beterraba, e os flavonoides, presentes no chá verde, brócolis, salsa e suco de uva. Algumas vitaminas e minerais também são considerados antioxidantes. São elas: Vitamina A, presente na gema de ovo, leite e folhas verde-escuras; Vitamina C, presente nas frutas cítricas, como kiwi, acerola e abacaxi; Vitamina E, presente nas oleaginosas e óleos vegetais; Selênio, presente em cereais integrais, aveia e salmão; Cobre, presente em nozes e leguminosas; e Zinco, presente nos queijos, carnes e leguminosas. O sucesso para o bem estar nutricional é o equilíbrio entre os nutrientes, porém, ressalte-se que cada indivíduo apresenta uma necessidade que deve ser respeitada, avaliada e adequada pelo profissional capacitado.


ESPORTE

16

REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013


Na pista a 120km/h Ayrton Senna, Alain Prost, Emerson Fittipaldi, Nelson Piquet, Michael Schumacher, Sebastian Vettel, entre outros pilotos, devem suas carreiras ao Kart. Porta de entrada de inúmeros pilotos de Fórmula 1, o Kart é reconhecido por moldar grandes pilotos do automobilismo. Por Diter Stein Fotos: José Henrique e Daniel Rocha

REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013


ESPORTE

18

O

Foto: LML Kartódromo

LML Katódromo de Perdões tem, entre seus frequentadores, tanto os pilotos que já correm profissionalmente, como pilotos iniciantes, que querem ser profissionais. É o local ideal para quem adquiriu seu Kart e busca um local para treinar. E, quem sabe, está formando os campeões do automobilismo de amanhã como Dan, de sete anos, que leva a sério seus treinos e que pela prate-

O jovem campeão Dan Lopes REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013

leira de troféus de seu quarto, parece que está no caminho certo. Localizado sobre um planalto a 1260 m de altitude, o kartódromo chama atenção pela vista deslumbrante. Cercada por uma belíssima área verde, da pista é possível avistar toda a região e, da torre, as cidades de Lavras, Perdões e Bom Sucesso, além da represa de Furnas. O kartódromo é particular, fica na propriedade de Luciano Lopes Mota, aficionado por Kart, e um dos maiores campeões regionais, que queria um local para treinar. A pista é bem cuidada, tem 682 metros de extensão e 6,5 metros de largura; com zebra pintada, área de escape gramado de aproximadamente 7 metros. Além de totalmente iluminada, oferece uma infraestrutura que proporciona conforto aos seus usuários, como a área para lazer dos familiares dos pilotos, brinquedos para crianças, bar, boxes e etc. É uma pista profissional e já sediou provas do campeonato mineiro de Kart, como a semifinal do Campeonato Minas Gerais de Kart de 2000 com a participação

de 40 pilotos. Para Luciano, o kartódromo não é um negócio, sua relação com Kart é de paixão que foi passada para seu filho Dan, que corre desde os 2 anos e 7 meses quando ainda nem sabia falar direito. “Comecei a correr com Kart aos 18 anos e a pista construí em 1998. Na sequência dos boxes, fiz a minha casa de fim de semana, que em dia de corrida vira restaurante. Aqui é o meu lazer, e de minha família” explica Luciano que passa seus finais de semana na pista e na oficina de seu kartódromo. A pista também é o ponto de encontro dos pilotos de Kart profissionais da região. No galpão coberto, estão 26 Karts dos pilotos que treinam na pista, a grande maioria de Lavras, como o Nailo Carvalho e seus filhos Gabriel e Bruno Murad, da Casa das Tintas, que é um dos patrocinadores do Kartódromo, Gustavo Bozete, Alessandro Naves e seu filho André, Carlos Vota, Gauchinho, e de Perdões Juliano Campos, Gabriel Campos, Paulo Henrique G. Lopes, Taciano Aguiar e Willian Soares, entre outros.


Foto: LML Kartódromo

Vista aérea LML Kartódromo de Perdões

maior e outras menores interrompidas com diversas curvas. “Um Kart de competição tem a mesma relação peso/potência dos carros da Fórmula 1, e bem ajustado pode atingir quase 200 km por hora, mas aqui, a velocidade máxima que já conseguimos atingir, pelo tamanho da reta foi de 120 km por hora. E o melhor tempo da pista, por volta, é hoje de 41,17 segundos (do piloto

Bruno Murad), o que dá uma velocidade média de aproximadamente 70 km por hora, mas que é constantemente quebrado por alguém”, comenta Luciano, que praticamente cada semana quebra o record da pista. Aos sábados, a pista é tomada por uma turma ruidosa, pilotos profissionais e amigos que se divertem no local.

Foto: LML Kartódromo

O Kart de quem já corre profissionalmente e o utilizado pelo iniciante são diferentes, explica Luciano “Existem duas categorias de motores, o motor de 4 tempos, de 400 cilindradas que pode ser envenenado até 30 cavalos e roda até 7.500 rpm, é um motor Honda, utilizado em diversos outros equipamentos, este motor é o utilizado nos Karts para os iniciantes. Já os Karts para competição, os “tops”, utilizam motor de dois tempos de 125 cilindradas, 35 cavalos, rodam até 22.000 rpm e possuem 1 marcha apenas, é o Kart oficial padrão para competições. Outra diferença também é o chassi. Os Karts de competição possuem um chassi mais flexível, mais leve, e que absorvem um pouco mais a trepidação, já os karts para lazer tem um chassi de aço mais duro. Os pneus são de quatro tipos, o vermelho mais duro, que pelo regulamento é o utilizado nas competições, amarelo pouco mais macio, o verde bem macio, e o pneu para chuva.” A pista foi desenhada para ser bastante técnica, uma reta

Na pista, o empresário Luciano Mota Lopes e seus troféus REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013


ESPORTE

20

CATEGORIAS Categorias - De acordo com regulamento desportivo do Regulamento Nacional de Kart, elaborado pela CBA - Confederação Brasileira de Automobilismo, para provas nacionais, regionais, estaduais ou locais, as categorias são: Piloto Cadete de Kart - PCK - De 7 anos completos até 10 anos incompletos. Piloto Júnior Menor de Kart PJMK - De 10 anos completos até 12 anos incompletos. Piloto Júnior de Kart - PJK - De 12 anos completos até 14 anos incompletos. Piloto de Kart - PK - Idade mínima de 14 anos completos (Novatos). Piloto Graduado de Kart “B” PGK “B” - Promovido das categoria PJK ou PK ou ainda aprovado por escola de pilotagem de kart reconhecida pela CBA, com idade mínima de 14 anos. Piloto Graduado de Kart “A” PGK “A” - Promovido da categoria PGK “B”. Piloto Sênior de Kart “B” - PSK “B” - Piloto acima de 25 anos completos. Piloto Sênior de Kart “A” - PSK “A” - Promovido da categoria PSK “B”.

FICHA TÉCNICA LML Katódromo Informações: - (35) 8802 3929 Equipamentos de segurança para piloto de competição: capacete, luvas, macacão, sapatilhas e protetores de costelas. Protetores de pescoço, cotoveleira do lado direito (para evitar que o piloto se queime no motor). www.lmlkartodromo.com.br

REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013


VEÍCULOS

22

Novo Fusca, esportivo com sofisticação Mais esportivo, desenho mais agressivo, interior aconchegante de puro luxo, voltado ao prazer de dirigir e com um desempenho arrebatador, o novo Fusca conquistou totalmente o público masculino. Um carro para fazer o mundo virar a cabeça para admirar, tanto os homens como as mulheres. Por Diter Stein Fotos: Daniel Rocha / Cia da Foto

REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013


O

antigo Fusca vendeu mais de 24 milhões de unidades. Um dos carros que mais vendeu no mundo se reinventou! Não é mais aquele carro popular que conhecemos. O Fusca chega agora a sua terceira geração. Um carro que fez história e que, apesar de ter sido lançado em 1941, ainda circula valentemente pelas ruas da cidade e estradas rurais, como o Fusca branco modelo 1976, completamente original, motor 1.300 L, com 59.000 km no velocímetro, daqui de Lavras, do Junior, empresário da JJunior Multimarcas de Lavras, utilizado na produção

das fotos ao lado do Novo Fusca, cedido pela VW Cacel. Nascido do antigo fusca, e de sua segunda geração, o New Beetle, o Novo Fusca apesar de remeter visualmente aos dois, é um carro totalmente diferente. O atual fusca é um carro esportivo, recheado de tecnologia automotiva de ponta e com um conforto especial para dirigir. Um diferencial que é possível observar em praticamente todos os detalhes e acabamentos. Segundo testes de publicações esportivas, o desempenho do Novo Fusca é arrebatador. Deixa tranquilamente para trás os modelos

esportivos de sua mesma faixa de preço e, até mesmo, os que são mais caros. Outro item que as revistas especializadas comentam é que é difícil encontrar um carro tão gostoso de dirigir quanto o novo Fusca. Da primeira geração, além das linhas do antigo design, sobraram apenas alguns detalhes, como a alça da coluna lateral. Assim como o velocímetro e sua posição central e um volante estiloso, um pouco mais fino, que remete ao do antigo Fusca. Beetle, Bug, Escarabajo, Coccinelle, Käfer, ou Fusca, – cada país deu um apelido local ao carREVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013


VEÍCULOS

24

ro, e todos, devido ao seu visual, utilizaram a tradução de Käfer, que quer dizer besouro, em alemão. Teve sua origem na Alemanha, nos anos 30, cujo governo tinha como objetivo utilizá-lo politicamente como um veículo barato. Daí o nome Volkswagen, ou seja, Carro do Povo. Na época só eram fabricados na Alemanha carros de luxo, impossíveis de serem adquiridos pela população. A primeira unidade foi entregue em 1941, um projeto de Ferdinad Porsche, conceituado projetista, onde ainda hoje é a sede da Porsche, que é juntamente com a Ferrari uma das principais marcas de automóveis esportivos do mundo. Um dos poucos países que não traduziu o nome besouro foi o Brasil. O apelido fusca é explicado como uma corruptela da abreviação de Volkswagen, VW, que em alemão se pronuncia fauvê, que no sul teria virado “fuca” e em São Paulo ganhou um “s” na palavra e acabou virou Fusca.” Em 1959, o Fusca passou a ser oficialmente produzido no Brasil, e em 1986 a Volkswagen parou de fabricá-lo, apesar de ser ainda um dos carros mais vendidos. Sua volta aconteceu depois através do New Beetle, quando em 1994 a filial americana da VW realizou um estudo que propunha a atualização do Fusca. O resultado foi o New BeREVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013

etle, que tornou-se um sucesso no mercado norte americano. Em 2010, a Volkswagen anunciou que 2011 seria o último ano de fabricação do New Beetle, e que uma nova geração estava a caminho. Assim nasceu o Novo Fusca recentemente lançado no Brasil, seguindo a orientação da matriz em dar o nome ao carro como é conhecido em cada país. O Novo Fusca com formas menos arredondadas que o New

Beetle, é mais próximo do modelo original. Ficou mais baixo e mais largo. O Novo Fusca agora, além de um carro esportivo masculino, tornou-se um carro mais luxuoso. Dois opcionais fazem a diferença e valem o investimento, um espetáculo a parte é o super som da Fender, com uma qualidade impressionante nos graves além de um som limpo, (não por acaso a guitarra da marca Fender era a preferida


Um carro de pura tecnologia, desenvolvido para o prazer de dirigir. Painel esportivo, câmbio de seis marchas, teto solar, e um interior que “abraça” o motorista.

de Jimi Hendrix e das grandes lendas do rock, pela qualidade de seu som). Outro opcional que faz toda a diferença é o câmbio DSG, que troca as marchas de forma suave, e rapidamente. Para tornar a experiência de dirigir o Novo Fusca ainda mais prazerosa e confortável, o Fusca recebeu alguns detalhes de puro luxo e tecnologia de ponta, como o volante multifuncional revestido de couro, bancos dianteiros aquecidos, bancos revestidos de couro nas cores de sua escolha, descansa-braço central dianteiro, iluminação nas portas com 3 opções de cor, a transmissão pode ser manual de 6 velocidades ou DSG Tiptronic de 6 velocidades. Emoção tem limite, e por acreditar nisso a VW desenvolveu um carro esportivo mas com a segurança em primeiro lugar. O Novo Fusca está repleto de ítens que tornam o prazer de dirigir preciso e mais seguro, como o sistema de airbags, controle ESC (controle eletrônico de estabilidade) que para maior es-

tabilidade em situações críticas, aciona automática e conjuntamente a intervenção no sistema de freios e motor, conservando o veículo em seu trajeto, direção Servotronic - uma direção hidráulica com sistema eletromecânico de sensibilidade – quanto maior a aceleração, maior a rigidez do volante, proporcionando mais conforto e segurança e diversos outros ítens que fazem do Fusca um carro muito mais seguro.

FICHA TÉCNICA Volkswagen Novo Fusca Preço: R$ 77.890,00 sem opcionais. R$ 105.000,00, com todos os opcionais. Transmissão: Câmbio automático de seis velocidades. Potência máxima: 211 cv Velocidade máxima: 223 km/h. Suspensão: Dianteira independente. Oferece controle eletrônico de estabilidade. Capacidade do porta-malas: 310 litros. Tanque de combustível: 55 litros.

REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013


Foto: Dênio Siqueira

ARQUITETURA

26

Momento da execução da escavação pela perfuratriz no solo com presença de água.

Novas técnicas construtivas Até a completa definição do projeto devem-se prever soluções que contribuam com o baixo impacto ambiental e maior agilidade construtiva.

N

o momento da decisão do terreno e implantação do projeto devem ser observados diversos fatores que interferem na escolha de técnicas construtivas que agilizem o processo e tenham um menor impacto ambiental. Os aspectos ambientais, físicos, econômicos e culturais devem ser levados em consideração. O clima, o movimento solar, o regime das chuvas e a direção dos ventos define o posicionamento ideal dos ambientes e aberturas para garantir melhor aproveitamento e o conforto térmico das edificações. Deve-se ficar atento também às normas de ocupação do solo e à volumetria do edifício com o objetivo de reduzir as movimentações de terra, reduzindo, REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013

assim, os custos na obra e causando menores danos ao meio ambiente. As estratégias de implantação dos edifícios marcam o início do processo construtivo, que são anteriores aos estudos volumétricos e a escolha dos materiais. Até a completa definição do projeto devem-se prever soluções que contribuam com o baixo impacto ambiental e maior agilidade construtiva. Foi nesse sentido que, para a implantação de um projeto na cidade de Lavras, optou-se pela substituição da fundação feita com sapata, comum em edificações residenciais, por fundações feitas por estacas escavadas por perfuratriz de trado helicoidal, executada pela empresa DSL Engenharia e Fun-

Foto: Juliana Melo

Por Juliana Melo


Foto: Juliana Melo

Foto: Juliana Melo

Foto: Juliana Melo

Aplicação da Massa Dun Dun no blocos cerâmicos. É possível ver a facilidade tanto na aplicação como no assentamento dos blocos.

dações, com sede em Lavras. Essa substituição foi realizada em função da rapidez, segurança e baixo custo do serviço. Esse tipo de fundação pode ser utilizado em obras prediais de pequeno e grande porte, obras industriais e obras de contenção de encostas. O método de escavação por rotação consiste no emprego de perfuratriz de esteira com reduzidas dimensões, capaz de executar serviços em terrenos com pouco espaço para movimentações e de solo mole, que escavam até 14,00m e com diâmetros variando entre 30 e 60cm. Esses trados, em formato de parafuso cilíndrico, são introduzidos no terreno e são extraídos com a coluna de terreno aderido a eles. Com isso, temos maior agilidade na execução da fundação, economia na mão de obra, armaduras, concreto e ausência

de vibrações nas edificações vizinhas. Quando executado em solo livre de água, todos os furos da fundação de uma edificação residencial podem ser executados em até 3 dias. Outra solução adotada para reduzir impactos ambientais e garantir agilidade construtiva foi a escolha pela utilização de argamassa pronta para assentamento de blocos. Fornecida pela empresa Esquadro, localizada em Varginha, a argamassa pronta Massa Dun Dun apresenta diversas vantagens em relação à argamassa comum. A produtividade da mão de obra pode aumentar em até três vezes para profissionais com experiência no método construtivo. O rendimento pode variar dependendo da prática e experiência da equipe, do tipo de bloco e aplicador utilizados, chegando à execução de até 30m² de alve-

naria por dia. Além de não gerar desperdício, não precisa acrescentar água, permite a execução de reboco mais fino (já que os blocos ficam emparelhados), por se tratar de um produto polimérico, resulta em menor peso estrutural na obra, respeita as normas de segurança e resistência exigidas pela NBR/ABNT, é fácil de aplicar e mantém a obra limpa. Tais soluções adotadas contribuem para a redução dos impactos ambientais e garantem maior agilidade construtiva, além de reduzir consideravelmente os custos da obra.

Juliana Melo Arquiteta - AUA Urbanistas Associadas

REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013


Foto: Rogério de Souza

ARTE E CULTURA

28

Dos quadrinhos a tattoo Carina Alok é formada em design gráfico. Chegou a ser selecionada por um caça talentos do estúdio Glass House Graphics, que agencia ilustradores para grandes editoras de quadrinhos nos EUA, como a Marvel Comics. Mas, durante o processo, desistiu. Queria mesmo era trabalhar com tatuagem e música.

REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013


“uma tatuagem bem feita custa caro. Não existe uma tattoo legal, feita por um bom profissional, por um preço simbólico. A tatuagem, por ser irreversível, precisa ser muito bem administrada, para que o resultado final agrade 100% o cliente. Importante também são os cuidados com a parte de higiene e esterilização, pois se não houver assepsia adequada dos materias existe o risco de contaminação. Por isso, escolha o tatuador pela qualidade profissional, com base em trabalhos que ele já tenha realizado e na infraestrutura do local, nunca pelo preço”.

“Freddy Krueger”, treinamento em pele sintética

Por Diter Stein

S

empre desenhou, mas a carreira de Carina como ilustradora teve início aos 18 anos quando descobriu o mundo da tatuagem e começou a vender seus desenhos para tatuadores, e a ilustrar capas de CD, como dos álbuns “Orange Seven” e “Tianastácia no País das Maravilhas”, da banda Tianastácia. Nos estúdios, vendo os profissionais tatuarem, sentiu que era aquilo que queria fazer. Mas como não encontrou apoio, foi fazer design gráfico. Em 2000, um talent agent da Glass House Graphics se interessou por seus desenhos e Carina quase se tornou uma desenhista de quadrinhos, mas desistiu para seguir seu sonho, tatuar e tocar em sua banda de metal pesado, quando achou um professor para ensinar a arte de tatuar. “Com Fred Stefani aprendi tudo que precisava para iniciar minha carreira como tatuadora. Técnicas, materiais e assepsia. Dei minhas primeiras “agulhadas” em pele sintética, mas por pouco tempo, pois logo apareceram muitas pessoas que se candidataram a serem tatuadas no meu

treinamento. No início foi difícil, era tudo novo pra mim. Como tipo de máquinas, de agulhas, biqueiras... Cada pessoa que eu tatuava descobria algo diferente, mas hoje em dia estou mais adaptada com a carreira de tatuadora.” O professor reconheceu o talento da discípula e, após 6 meses de aprendizado, Fred e Carina criaram o Original Dragão Tattoo Studio em sociedade, um dos mais respeitados estúdios de tatuagem de BH, com dois andares em um prédio na Savassi. Hoje Carina se tornou uma conhecedora da arte da tatuagem e de sua história “Há vários estilos de tatuagem, como o Old School, New School, Neo Tradicional, Bold Line, Realista, Portrait, Oriental, Maori, Pontilhismo, Biomecânico, entre outros. Dentro de cada estilo podem haver desenhos parecidos, porém cada profissional desenvolve sua própria técnica. Alguns usam um estilo de traço mais grosso,outros um estilo sem traço, e por aí vai.. Para quem está pensando em fazer uma tatuagem, Carina dá algumas dicas importantes:

Fechamento de braço em andamento no estilo oriental

Capa do CD da banda Mineira Tianastácia

FICHA TÉCNICA Original Dragão Tattoo Studio (31) 3463-1466 (31) 9905-5585 (Fred) (31) 9105-5227 (Carina) rina.alok@gmail.com Rua Antônio de Albuquerque, n° 749, loja 13 - Savassi Belo Horizonte - MG

REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013


MÚSICA

30

The Beatles & Orquestra Ouro Preto Por Diter Stein Fotos: Rafael Motta

Lavras teve uma série de shows inesquecíveis nos últimos meses. Shows de Gilberto Gil, de Paralamas do Sucesso, Osvaldo Montenegro, trazidos pela Ufla, e Zeca Baleiro, presente do Sesc para a cidade. Finalizando, aconteceu agora em novembro a apresentação da Orquesta Ouro Preto com seus 26 jovens músicos, interpretando The Beatles em uma fusão de música pop e erudita, mais um presente da Ufla para a cidade.

REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013

M

úsica erudita e música pop geralmente são dois universos que, como água e óleo, não se misturam. No entanto, quem esteve presente ao show “The Beatles”, da Orquestra Ouro Preto, realizado no Salão de Convenções da UFLA, assistiu a um show maravilhoso, em que a música popular e erudita conviveram de maneira extremamente harmoniosa, resultando em um super show. Com certeza um dos motivos da fusão pop e erudito ter se saído tão bem foi a participação de uma banda de rock completa na apresentação, e assim não perder o aspecto visceral do rock’n’roll. Outro acerto foi utilizar os instrumentos eruditos

como violino, violoncelo, violas e contrabaixo na linha melódica, substituindo a palavra cantada. “A gente está abrindo mão da palavra, fazemos um Beatles instrumental, e a grande força dos arranjos é essa. As pessoas que assistem à orquestra acabam cantando mentalmente enquanto a orquestra executa”, acredita o maestro e diretor artístico da Orquestra Ouro Preto, Rodrigo Toffolo. A orquestra mineira fez um grande sucesso de crítica e público com a série The Beatles, percorrendo diversas cidades no país e no exterior, incluindo participação na última edição da International Beatle Week – tradicional evento dedicado à obra


Maestro Rodrigo Toffolo

dos Beatles, em Liverpool, onde se destacou em três elogiados concertos, como no Philharmonic Hall de Liverpool, uma das salas mais importantes da Inglaterra. “A gente sabe que o público do festival não apenas cultua a música dos Beatles, mas também é especialista nelas. E quando você quebra essa barreira do antigo para mostrar uma coisa nova, dá esse frio na barriga”, conta Rodrigo Toffolo. Em Lavras, foram apresentadas diferentes fases da banda inglesa, desde sucessos como “Help”, “Eleanor Rigby”, “She Loves You”, “Blackbird” e “Hey Jude” assim como peças mais sofisticadas como “Because” e uma releitura de “With a Little

Help From My Friends”. Entre uma música e outra o maestro conta um pouco sobre cada música, o que traz um sabor especial ao show. Segundo Tiago Mendonça, publicitário e fã dos Beatles, o show surpreendeu: “Foi um concerto maravilhoso, inesquecível! A música clássica tem esse poder, de tocar a nossa alma, transpondo nossa mente para outro patamar. Imagine só quando executada em formato de canções dos Beatles. Foi uma apresentação que mexeu muito com o público presente. A Orquestra Ouro Preto veio nos provar mais uma vez que, assim como a música clássica, as canções dos Beatles são eternas e sempre passíveis de releituras

das mais fantásticas.” A relação da orquestra com a banda britânica começou em 2009. “Não queremos ser uma orquestra que não ousa, sabemos que se não encantarmos o público, ele vai embora”, diz o maestro. Para ele, até agora, a resposta das pessoas tem sido salas de concertos cada vez mais cheias.

FICHA TÉCNICA A Orquestra Ouro Preto recebeu indicação ao prêmio Grammy Latino na categoria melhor disco instrumental, pelo álbum Latinidade. Gravou DVD com Alceu Valença. Realizou uma série de apresentações, em Portugal e na Galícia, em um projeto que prevê ainda concertos em Cabo Verde, Açores, Moçambique, Angola, Macau e Timor Leste. www.orquestraouropreto.com.br REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013


32

Foto: Daniel Mansur

DESIGN, MARCA

Uma marca, marca e meia, meia marca, o que marca?

Eduardo Braga

Designer gráfico pela FUMA - 1992. Tem uma atuação intensa na área de design, gestão e co­municação pela Pessoas Comunicação de Marcas como Diretor de Estratégias Criativas. www.fb.com/pessoasmarcam

Todos temos DNA, identidade, origem, família e impressão. Impressão digital e real. Impressão a primeira, resolução a última. DNA que interliga origem e identidade. Aparência, fertilidade e imagem. Identidade e imagem são desejadas que sejam únicas. Autênticas. • • •

Empresas são pessoas que desenvolvem processos para produtos e/ou serviços que precisam marcar. Precisam de marca para conversar com públicos de interesse, todos que buscam identidade, unicidade para terem imagem, relevância, atitude e competência que marcam. A marca é o resultado das ações de todos os plexos internos e externos empresariais orientados para distinguir, nomear e identificar serviços, produtos e principalmente relações tangíveis e intangíveis entre modelos de comportamento, praças, mercados e pessoas via processo de design estratégico e criativo orientado para a conquista, crescimento, estabilidade e inovação dirigida às pessoas de uma ou várias órbitas de mercado. Toda conquista tem marca, uma marca, a marca. Uma narrativa medida em sucesso e/ou fracasso, cicatrizes. Metas e diretrizes, intenção, ação e revelação. Estratégia, plano estratégico. Desejo e sonho. Realização e implantação. Toda empresa tem público, pessoas, concorrência, uma marca. Deveria ser a marca. Marca se constrói de dentro para fora. Processo de inspiração, aspiração, ação, revelação, rotação. Novos rumos, conceitos, determinação de seu DNA, origem para ponto de partida e chegada. De A a B por C, talvez D. Tudo tem seu tempo. Marcas, pessoas, processos, negócios e empresas envelhecem, mudam de faixa, perdem a referência, deixam de ser tendência. Cada dia mais rápido. Marca, não se constrói, anuncia e vende. Não só se desenha, tipo, letra, símbolo, monograma, ilustração, mascote e manual. Marca é um organismo vivo que deve se adaptar diariamente ao seu terreno, expandir olhares e raízes em novos solos, novos horizontes. Marca não se aprisiona na identidade e imagem do seu criador, seja ele o designer, criador, gestor e/ou empresário. Marca pertence a quem entende o fluxo contínuo das inovações e não os ciclos de adaptação, saturação e exploração de modelos. • • •

REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013

Família são pessoas, marcam. Empresas são processos, marcam. Família é conjunto de valores, marcam.

Marcas valem cada dia mais. Pessoas desejam pessoas. Pessoas que marcam.


VERSÕES A PARTIR DE R$ 114.950,00*

DRIVING EXPERIENCE CONTROL COM ECO PRO MODE

FARÓIS BI-XENON

CÂMBIO DE 8 MARCHAS

BMW SÉRIE 3. O BMW MAIS VENDIDO NO MUNDO. AGORA COM PREÇO E TAXA ESPECIAIS. APROVEITE. A PARTIR DE R$ 114.950,00* E TAXA ZERO. PLANOS COM 50% DE ENTRADA E SALDO EM 10 VEZES.*

EUROVILLE BELO HORIZONTE Av. Raja Gabaglia, 3055. Telefax: (31) 3304-4100

*Condição de financiamento válida para todos os modelos BMW Série 3 – 0 km. Plano de financiamento oferecido pela BMW Serviços Financeiros. Sujeito a aprovação de crédito. Modalidade CDC. Taxa de juros de 0% a.m. (sem imposto) com entrada mínima de 50% e saldo remanescente em 10 parcelas mensais fixas. Para o BMW 316i (ano/modelo 2013/ 2014 – 0 km, pintura sólida): preço sugerido de R$ 114.950,00 à vista ou entrada de R$ 57.475,00 mais 10 parcelas mensais fixas de R$ 5.870,88. Valor final do bem a prazo: R$ 116.183,80. Custo Efetivo Total (CET) máximo da operação: 4,78% a.a.. Taxa de Cadastro (R$ 550,00), Taxa do DETRAN/MG (R$ 74,89) e IOF estão inclusos nas parcelas e no CET. Condições válidas de 29/11/2013 a 20/12/ 2013 ou até o término do estoque de 5 unidades. Ouvidoria Corporativa BMW SF: 0800 772 2369. Atendimento ao Cliente BMW SF: 0800 019 9797.

Cinto de segurança salva vidas.


DICAS CULTURAIS

34

Música Milton Nascimento Uma Travessia - 50 Anos de Carreira ao Vivo (DVD)

U

m dos maiores cantores e compositores da música brasileira, o cidadão do mundo por nome Milton Nascimento, mais conhecido como “Bituca”. Aquele menino nascido no Rio de Janeiro, que ficou órfão aos 2 anos. Foi adotado por seu Josino e dona Lilia, um casal da cidade de Três Pontas – MG. Começou cedo na música, juntamente com o amigo de infância Wagner Tiso. Apresentavam-se em bailes por cidades do sul de Minas, ainda menores de idade. Escondiam-se na cozinha dos clubes, quando aparecia a fiscalização do juizado de menores, “nós íamos para a cozinha e nos empanturrávamos de batatas fritas” comenta Bituca. No início dos anos 60, Milton foi para Belo Horizonte onde trabalhou como datilógrafo no escritório da então Furnas Centrais Elétricas. Pouco tempo depois conheceu a família Borges, dos irmãos Márcio e Lô que, juntamente com Fernando Brant, tornaram-se parceiros mais constantes. Dando origem ao que ficou conhecido como “Clube da Esquina”, um movimento musical que ficou REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013

conhecido internacionalmente. Desde então, Milton Nascimento se tornou o mais mineiro dos mineiros, o símbolo de Minas Gerais e do Brasil, levando a música brasileira para todos os continentes através das inúmeras turnês internacionais. Completando 71 anos de vida e consequentemente 50 de carreira, Bituca acaba de lançar “Uma Travessia - 50 Anos de Carreira ao Vivo” (Universal Music). No repertório, 23 canções que marcaram este meio século de palco, intercalando composições menos conhecidas do grande público como, por exemplo: “Sofro Calado” (Milton / Régis Faria), “Lágrimas do sul” (Milton / Marco Antônio Guimarães), “Cais” (Milton / Ronaldo Bastos), como, também, os clássicos “Coração de Estudante” (Milton /Wagner Tiso) (canção emblemática que marcou toda uma geração no episódio Tancredo Neves em 1985.), “Canção da América” (Milton / Fernando Brant), ainda a linda releitura de “Amor de Índio” (Beto Guedes / Ronaldo Bastos). Não posso deixar de citar, é claro, uma das músicas mais importantes de sua carreira “Travessia” (Milton/ Fernando Brant), que foi a primeira música composta pela dupla há 45 anos e virou até nome de uma praça na cidade de Três Pontas – MG. Produzido por Régis Faria, o DVD também é uma homenagem aos 40 anos do disco Clube da Esquina. O show foi gravado no Rio de Janeiro e conta com as participações especialíssimas de Lô Borges e Wagner Tiso. Acompanhado por uma super banda: Gastão Villeroy (baixo), Kiko Continentino (piano e teclado), Wilson Lopes (guitarra e violão) e Lincoln Cheib (bateria), além dos sopros de Widor Santiago (sax e flauta). O show é rico em detalhes cenográficos e uma captação de áudio e vídeo de altíssima qualidade! Um

registro histórico deste ícone da nossa música. Também foi lançada a versão do show em CD. Preço médio: R$ 42.90

Livro

São Bernardo, (Graciliano Ramos, 1934) São Bernardo é um romance de redenção, o narrador-protagonista, Paulo Honório, apresenta sua ascensão e também derrocada em um relato pungente e amargo. A complexidade da obra faz-nos questionar sobre o anulamento ético e afetivo na luta pela vida. Uma das mais belas obras literárias brasileiras. [...] Aqui sentado à mesa da sala de jantar, fumando cachimbo, bebendo café, suspendo às vezes o trabalho moroso, olho a folhagem das laranjeiras que a noite enegrece, digo a mim mesmo que esta pena é um objeto pesado. Não estou acostumado a pensar, levanto-me, chego à janela que deita para a horta. [...] Preço médio: R$ 28,00

Emilio Victtor Cantor e compositor Produtor cultural da Casa do Bosque

Foto: Diego Sá


Bem-vindos à

Na Casa Do Bosque Pub, a cultura tem seu espaço reservado preenchendo os seus sentidos e a gastronomia tem o seu destaque satisfazendo o seu paladar.

Shows: Janeiro - Dia 31 e 1 Fevereiro Chico Lobo (música regional) Fevereiro - Dias 14 e 15 Vlad Magalhães (vocalista do Hocus Pocus) “Beatles”

Casa do Bosque pub - Perdões-MG.

Horário de funcionamento: sextas e sábados de 19h à 1h.

Reservas e informações: (35) 8842 - 4855 Casadobosque@gmail.com www.facebook.com/casadobosque

www.casadobosque.com.br


PERFIL

36

REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013


Foto: Daniel Rocha / Cia da Foto

Sabor de sucesso Aliando a tradição das receitas de família aos mais modernos processos industriais, a Jeito Caseiro Alimentos conquista consumidores em todo o país Por Diter Stein Fotos: Pedro Vilela / LL Comunicação

B

iscoitinhos de leite, com gotas de chocolate ou recheados com goiabada fresquinha. Pão francês, croissants de diversos sabores e pão de queijo com o gostinho da casa da vovó. As delícias da Jeito Caseiro já são tradição para os moradores de Lavras. Há quase três décadas, a empresa nascia sob o cuidado de dona Durcila Rios, que criava as receitas dos biscoitos e depois os vendia no Mercado Municipal da cidade. De lá para cá, o que era apenas uma fonte de renda extra se tornou um negócio consolidado e promissor, hoje presente no mercado de alimentos de todo o Brasil. A tradição de família passou para o filho caçula Antônio Alberto de Carvalho Júnior, atual

sócio-diretor da Jeito Caseiro. Com a mudança dos hábitos e a maior exigência do consumidor, ele viu potencial para expandir o negócio, mantendo-se competitivo no mercado, mas sem perder de vista o cuidado e o sabor mineiro. “No início, produzíamos apenas biscoitos. No entanto, em 2006, quando eu ainda trabalhava no Sebrae Minas, em Belo Horizonte, desenvolvi um projeto para uma rede de padarias com foco em panificação de massa congelada. Percebi ali um mercado com enorme potencial”, conta Antônio Alberto. Logo depois, ele se desligou do Sebrae Minas e viajou para a França, país referência em panificação congelada. “Visitei empresas, me capacitei e consegui

criar um produto com a tradição francesa secular misturada ao jeitinho caseiro das receitas da minha família.” De volta ao Brasil, o empresário investiu no planejamento, na qualificação e na estrutura da nova empresa que, além de biscoitos, passou a produzir pães congelados. Os resultados foram a implementação de técnicas de fabricação modernas, de maquinários de última geração, do controle rigoroso da segurança alimentar e a constituição de uma equipe formada em engenharia de alimentos, nutrição, panificação, confeitaria e administração de empresas. “Contratamos um padeiro francês para analisar nossos processos e sugerir melhorias. Com a consultoria, aprendemos a ciência da massa congelada, e o retorno foram pães com muita qualidade”, afirma Antônio Alberto. Com o acerto dos processos e a aceitação do mercado, ele também reformulou a estrutura societária do negócio, que passou a ser dividida com o empresário e amigo, Daniel Fachetti. Hoje, a empresa, que passou a se chamar Jeito Caseiro Alimentos, fornece 60 tipos diferentes de pães congelados, para todos os gostos: o tradicional, o de forma integral, o croissant, o com recheio, o de milho, além dos conhecidos como o pão a metro. “Tudo o que envolve o prazer gourmet passou a ter um status especial. As pessoas se tornaram mais exigentes, o pão ganhou um encanto extra e as redes de supermercado, que, no início, utilizavam suas padarias apenas para atraírem novos clientes, perceberam que esse alimento pode ser também uma fonte de renda”, observa Daniel Fachetti. DE LAVRAS PARA O MUNDO Atualmente, os principais clientes atendidos pela Jeito Caseiro Alimentos são as redes de supermercados direcionadas REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013


PERFIL

38

Biscoito de Polvilho Tridicional

à classe A, entre elas, a Rede Zona Sul, que possui 33 lojas no Rio de Janeiro, a Rede Hortifruti, com 29 estabelecimentos no estado fluminense e também em São Paulo e a rede de franquias AM/PM dos postos Ipiranga, presentes em mais de 1.300 pontos em todo o país. Para atender a essa demanda, são usados 200 sacos de farinha por dia, para produzir 250 toneladas de massa congelada por mês. Apesar dos números grandiosos e das boas perspectivas, comparado com o mercado de panificação congelado europeu, o Brasil ainda está dando seus primeiros passos. “Apenas 30% das redes de supermercado trabalham com massa congelada e talvez 10% das 65 mil padarias brasileiras. É um mercado que pode crescer muito ainda”, revela Daniel Fachetti. Apostando nesse crescimento, está sendo construída uma nova fábrica no Centro Empresarial de Lavras. O objetivo é unificar a produção de biscoitos e massas congeladas no mesmo local, fortalecendo a marca e padronizando a qualidade em todas as etapas de fabricação. “Nesse novo espaço, vamos criar também a Escola do Pão, para formar profissionais na área de panificação capacitados e preparados para atuar no merREVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013

cado”, afirma Antônio Júnior. GOSTINHO DE TRADIÇÃO Mas se hoje a menina dos olhos da Jeito Caseiro Alimentos é a panificação congelada, os biscoitos de dona Durcila ainda têm uma presença importante no negócio da empresa – são 25 tipos diferentes assados, prontos para o consumo. Por mês, são fabricadas 15 toneladas vendidas a fornecedores como a Rede AM/PM (lojas de conveniência dos Postos Ipiranga), presentes em todo mercado nacional. Além disso, os produtos podem ser degustados nas lojas Jeito Caseiro Cafeteria e Jeito Caseiro Express, no centro comercial de Lavras. Apostando no diferencial de seus produtos, os sócios também investiram em uma franquia nacional de padarias, a Atelier do Trigo, que teve sua primeira loja inaugurada com sucesso no Rio de Janeiro, no começo deste ano. No espaço, os clientes podem usufruir do requinte e do conforto da estrutura enquanto se deliciam com sanduíches e o café Unique. Localizada próxima à avenida Rio Branco, ponto de encontro entre a cultura e a tradição da capital fluminense, a loja foi destaque na edição de 8 de maio de 2013 da revista Veja Rio, como

novo point do centro da cidade para refeições ligeiras. “Uma padaria tem movimento de clientes forte durante a manhã e à tarde, mas no restante do dia a circulação de pessoas é menor. Por isso, criamos um conceito de lanche rápido de qualidade, que traz movimento para a loja durante o dia inteiro”, detalha Daniel Fachetti. “O nosso objetivo é continuar investindo no crescimento da empresa, levando a Jeito Caseiro Alimentos a diferentes partes do país, mas sem perder a tradição e o gostinho das terras mineiras, em especial de Lavras, onde a minha família começou essa história”, acrescenta Antônio Alberto.

Biscoito de Nata

FICHA TÉCNICA Lojas: 1. Jeito Caseiro Cafeteria: Rua Doutor Jorge, 185 A, Centro - Lavras (MG) (35) 3826-3640 2. Jeito Caseiro Express: Rua Santana, 179 Lj. 101, Centro - Lavras (MG) (35) 3822-2169 3. Atelier do Trigo: Rua Mayrink Veiga, 6, loja A, Centro - Rio de Janeiro (RJ) (21) 3173-8971 Fábrica (Nova Unidade): Jeito Caseiro Alimentos: Av. Vereador José Santana, 860, Dona Julieta – Lavras (MG) | (35) 3821-3500 E-mail: contato@jeitocaseiro.com.br Site: www.jeitocaseiro.com.br


O Cenário dos Sonhos

Reserve sua data para 2015 Infraestrutura • • • • • • •

Salão amplo para eventos, com palco e varanda. Área de 10.000 m2, entre gramado e pátio. Churrasqueira de grande porte. Trilha ecológica de 1.100 m, em volta do lago. Pier, prainha e ducha. Estacionamento. Casa com acomodação para até 20 pessoas. Horário de funcionamento: Segunda a sexta das 07:30 as 17:00. End.: Estrada Lavras-Luminárias, km 1, Lavras - MG. Contato: 35-8831-2545 / 35- 9979-7830 - contato@camua.com.br / www.camua.com.br


ARTE DE EMPREENDER

40

A quem se destina um Plano de Negócios?

N

a edição passada falamos da importância de um Plano de Negócios para o sucesso de um novo empreendimento ou projeto. Nesta, iremos apresentar os vários públicos para seu plano. Muitos pensam que ele se destina apenas a bancos, mas isso é um engano. O primeiro público é a própria empresa. Ele é uma excelente ferramenta para tomada de decisão, comunicação da gerência com os diretores (ou conselho) e com seus funcionários, onde todos terão uma visão clara de onde estão indo, seus riscos e oportunidades;

Sócios: como forma de convencimento para iniciar uma nova sociedade e formalização da mesma; Fornecedores: para negociação de compra de matéria prima, mercadoria e prazo de pagamento; Clientes: para venda do projeto, produto ou serviço e negociações com condições especiais, como por exemplo, adiantamento de pagamento. Para este, o plano serve para a publicidade da empresa;

Antônio Alberto Júnior

empreendedor, instrutor do Empretec (Sebrae), palestrante e diretor das empresas Jeito Caseiro e Top Empreendimentos.

Mantenedores de Incubadoras: (Universidades, prefeituras, governo, etc) o plano serve como forma de convencimento da viabilidade de sua ida e possível entrada para esta incubadora; Bancos: para solicitar financiamento para equipamentos, capital de giro, imóveis, expansão da empresa, etc; Investidores: bancos de investimento, angels, BNDES, governo, empresas de capital de risco, etc. Parceiros: para discussão e definição de estratégias para alcançar os objetivos do plano; O que devemos concluir é que, independente de qual seja o público alvo de seu Plano de Negócios, ele é hoje a principal ferramenta para se demonstrar suas intenções com o novo projeto ou empreendimento e a melhor forma de provar que sua ideia é viável e trará bons frutos. Nos vemos na próxima edição. Tenham todos um final de ano de muito sucesso!!!

REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013


VIAGENS

42

Garden Hill, golfe e requinte O único hotel de Minas Gerais que oferece um campo de golfe, considerado um esporte de elite, está localizado em São João Del Rei. Com uma divulgação discreta, feita entre frequentadores e, claro, através da internet, o Garden Hill oferece, além do campo de golfe, conforto e sofisticação para um público especial. Por Diter Stein Fotos: Jomar Bragança

REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013


I

naugurado em 2006, por um grupo de empresários de São João Del Rei, o Garden Hill Small Resort, a pouco mais de 1 hora de Lavras, chama atenção pelo requinte e ambiente exclusivo. Pelo fascínio e paz que a beleza de um campo de golfe transmite. Segundo explica Antônio Romulo, do Garden Hill: “O campo de golfe já existia, mas era de uso exclusivo de seus proprietários, que tiveram a ideia de construir um hotel em uma área anexa ao campo e ofere-

cer aos hóspedes o acesso ao campo de golfe antes privativo”. Uma vez que um campo de golfe oficial tem nove ou dezoito buracos, os empreendedores ampliaram o antigo campo, de 6 para 9 buracos e deram início ao empreendimento. Criado pela paixão ao golfe, frequentado por jogadores principalmente de Belo Horizonte, o Garden Hill, a 7 Km de São João del Rei e 14 km de Tiradentes, é procurado, hoje em dia, basicamente por um público sofisticado

que, pela sua proximidade das cidades históricas e instalações do hotel, quer unir turismo, conforto e o belo visual do seu campo de golfe. Hoje o foco do hotel é o turismo gerado por São João del Rei e Tiradentes, talvez este seja o motivo do Garden Hill ter deixado de realizar, nos últimos três anos, o seu torneio de golfe. O hotel, através de seu projeto arquitetônico e decoração contemporânea, oferece um ambiente discreto e aconchegante. São 19 apartamentos luxo e 2

REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013


VIAGENS

44

premium. Os quartos possuem ar-condicionado e uma decoração elegante em madeira. Todos contam com aquecimento central, cofre, varanda com banheira de hidromassagem e vista para o campo de golfe. O restaurante Albatroz, do hotel, oferece culinária internacional e especialidades mineiras. A propriedade dispõe ainda de quadra de tênis, campo de futebol society, espaço fitness, com academia, sala de terapia e massagens, além de piscinas ao ar livre e aquecida, e hidromassagem. Além de oferecer uma boa estrutura aos seus hóspedes, o hotel é também bastante procurado para eventos particulares e de empresas, realizando em média 15 eventos por ano, como festas de casamento, de 15 anos, formaturas e eventos de empresas do ramo farmacêutico, fertilizantes, comunicação e automobilístico. Para quem chega pela primeira vez, não há como negar que o charme do Garden Hill é o REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013


seu campo de golfe. Para quem se interessar, por R$ 60 a aula, é possível aprender o esporte com um instrutor que o hotel disponibiliza e, quem sabe, despertar no aluno a paixão pelo esporte. Uns demoram mais pra aprender, outros menos. Importante é levar em conta que o aprendizado não é imediato, como explica Antônio Romulo Jr.: “O golfe é um esporte com alto grau de dificuldade”. Um campo de golfe oficial tem nove ou dezoito buracos. Não há um campo de golfe igual a outro. Um campo de golfe com nove buracos necessita de uma área aproximada de 25 a 30 hectares e, o de 18 buracos, de 40 a 50

hectares. O percurso total de 18 buracos, geralmente, tem cerca de seis quilômetros de extensão, e demora perto de quatro horas e meia para ser concluído. Com 9 buracos, 4.876 jardas, par 66 para o percurso de 18 buracos, o campo de golfe do Garden Hill é classificado como um campo altamente atrativo para diversos níveis de jogadores. O Garden Hill, avaliado como excelente pelo tripAdvisor e nota 8,8 pelo ‘booking.com’, tem, entre seus clientes, jogadores de futebol, políticos e artistas, e é perfeito para quem quer elegância e conforto em sua visita a São João del Rei e Tiradentes, e ainda por cima jogar uma parti-

da de golfe ou aprender um pouco sobre o esporte, que a partir deste ano, nas Olimpíadas de 2016, do Rio de Janeiro, volta a ser um esporte olímpico. Para quem quer saber um pouco mais sobre o esporte, o golfe possui uma série de termos e expressões comumente utilizados em suas partidas como: Green: área com superfície de grama bem aparada, em volta do buraco em que a bola deverá ser colocada. Fairway: Corredor do campo de golfe entre o Tee e o Green. Ou seja, um campo com nove ou dezoito buracos, tem nove ou dezoiREVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013


VIAGENS

46

to Fairways. Cada Fairway tem de 25 a 30 metros de largura e 300 a 500 metros de comprimento. Par: O “par” é o número de tacadas necessárias para colocar a bola no buraco. Por exemplo, um fairway com par de três, quer dizer que são necessárias três tacadas para colocar a bola no buraco. Handicap: É a maneira utilizada para que jogadores de diferentes níveis de habilidade possam jogar uma partida entre si. O handicap são tacadas de bonificação dadas ao jogador menos experiente para serem descontadas ao término do jogo. Quanto menor o handicap, melhor o jogador. Caddie: nome que recebe o carregador da bolsa com os tacos do golfista. Tee: Local da primeira tacada. Tee também é o nome dado ao pino que pode ser usado sob a bola apenas na tacada inicial ou em condições extraordinárias de jogo. Birdie: como é chamada a jogada onde coloca-se a bola no buraco com uma tacada menor que o respectivo par. Bogey: Quando se faz uma tacada acima do par. Se o buraco, por exemplo, é de par 4 e o jogador faz 5 tacadas, diz-se que ele fez um bogey. Bandeira (flagstick): haste com ou sem um pano de bandeira, centrada no buraco para mostrar a sua posição.

FICHA TÉCNICA Valor diárias casal: R$ 451,00 com café da manhã e um Green Fee (partida de golfe) Tipos de apartamentos: Luxo - 18 Unidades, Premium - 02 Unidades Reservas: (32) 3371 2551 Site: http://www.gardenhillgolf.com.br

REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013


REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013


VIAGENS

48

O maior espetáculo natalino do país

Por Diter Stein Fotos Cleiton Thiele / Serra Press

A Gramadotur investiu cerca de R$ 4 milhões em luzes, pessoas e tecnologias como as utilizadas em espetáculos da Disney, Universal Studios e no Sea World, para surpreender as 1,6 milhões de pessoas que visitam Gramado no Natal Luz. 360 mil pessoas compraram ingresso para os quatro grandes espetáculos do Natal Luz.

REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013


REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013


Grande Desfile de Natal: O desfile se caracteriza pelo show de som, luz, arte, tecnologia. Mais de 370 integrantes entre atores, bailarinos, patinadores, acrobatas, crianças e a comunidade se reúnem em ensaios durante meses com o único objetivo: revelar a beleza e magia do Natal.

VIAGENS

50

S

e o mais espetacular carnaval do país é o do Rio de Janeiro, a maior festa de natal do país é o da Serra Gaúcha em Gramado no Rio Grande do Sul. Uma festa realizada com a tradição dos imigrantes europeus e muita tecnologia, luzes e enfeites. Apesar do verão no hemisfério sul, na serra de Gramado, mesmo no verão, a temperatura é amena, o que combina com as festividades natalinas. Cada ano, o show ganha uma proporção maior em relação ao do ano passado. E o deste ano promete ser o maior espetáculo natalino já realizado em Gramado. O Presidente da Gramadotur, Rogério Poloni, juntamente com o prefeito de Gramado, Nestor Tissot, e os diretores artísticos REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013

do evento, apresentaram as novidades para esta 28ª edição. Cuidamos das questões de engenharia, segurança e principalmente na revitalização de todos os espetáculos”, disse o Presidente da Gramadotur. Trabalharam no evento cerca de duas mil pessoas, para quatro grandes espetáculos natalinos que integram o Natal Luz. Cada espetáculo tem o seu diretor, o que mostra a grandiosidade do espetáculo. De um total de 360 mil ingressos colocados à venda, cerca de 200 mil foram vendidos no início de dezembro, “um crescimento de quase 55% em relação ao do ano passado no mesmo periodo”, destacou Rogério Poloni. O Diretor Artístico do Natal Luz, Luciano Alabar-

se, confirmou a renovação dos espetáculos e o acréscimo em roteiro e visual que as atrações terão. “Os espetáculos foram renovados para surpreender o público”, confirma Alabarse. O Natal Luz este ano ganhou uma atração extra, o “Natalis”, no Lago Joaquina Rita Bier. Com a direção de Sérgio Korsakoff, o “Natalis” apresenta uma tecnologia recente no Brasil que são projeções em telas gigantes chamadas de “water screen”, a mesma empregada em espetáculos da Disney, Universal Studios e no Sea World, nos Estados Unidos. A projeção das imagens chega a 200 metros quadrados com uma qualidade impressionante, garante o Diretor. “O “Natalis” reúne efeitos sonoros e luminosos com águas dançantes e fogos sincronizados, é um show 100% tecnológico”, explica Sérgio Korsakoff. Além dos espetáculos, a cidade toda foi decorada com motivos natalinos e este ano a decoração do Natal Luz foi renovada. “Trouxemos um formato inovador de decoração para as vias públicas de Gramado, a comunidade e os visitantes estão se surpreendendo”, destacou o dirigente da Gramadotur. A Milleluci, empresa que conduziu as instalações desta nova decoração, tem larga experiência em projetos urbanos


Natalis: Um show que conta a história da celebração do nascimento de Jesus Cristo, através da voz de Cid Moreira e gigantescas telas de água com dimensões de até 200 mts² de área de projeção, efeitos sonoros, luminosos, com águas dançantes e fogos sincronizados.

Show de Acendimento e Show da Virada: Este ano o espetáculo acontece em frente à Igreja Matriz São Pedro.

Nativitaten: Uma ópera a céu aberto, fogos de artifícios saem de dentro do lago e costuram os temas do início ao fim.


52

VIAGENS

Fantástica Fábrica de Natal: Conta como uma menina é encantada por histórias e com elas viaja para um mundo de imaginação e fantasia. Em seu sonho, é levada por um anjo para a mágica Fábrica de Natal, percebe que a força de sua crença promove a mágica do Natal: bonecas ganham vida, soldadinhos dançam, trenzinhos correm, duendes andam– a magia acontece.

FICHA TÉCNICA e de grandes empreendimentos pela Europa e Brasil. O natal em Gramado é uma experiência única, que empolga pessoas de todas as idades. O 28º Natal Luz de Gramado iniciou-se em 1º de Novembro de 2013 e se estende até 12 de Janeiro de 2014 e tem patrocínios Master Bradesco e Stemac. O evento tem como co-patrocinadores a Liquigás, Petrobrás, Tickets For Fun, RGE e Benoit. Estão como apoiadores do 28º Natal Luz a Caracol Chocolates, CVC, Famastil, Pepsi, Real Wood e Miolo. 20 diferentes atrações somarão mais de 500 exibições em uma temporada de 73 dias. A realização do Natal Luz é da REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013

Gramadotur com promoção da Prefeitura de Gramado. Além da festa, a região tem uma excelente rede hoteleira e restaurantes fantásticos, para atender a todos os gostos e orçamentos. Um bom momento para relaxar e aprofundar o relacionamento com a família, passear pelas ruas da cidade e conhecer a natureza exuberante da região. Para quem quer aproveitar o final do ano na serra gaúcha e brindar o novo ano com os vinhos e champanhas da região, a Gramadotur preparou uma grande festa na cidade, o “show da virada” no dia 31 de dezembro a meia-noite.

Serão 20 diferentes atrações que somarão mais de 500 exibições em uma temporada de 73 dias. A realização do Natal Luz é da Gramadotur com promoção da Prefeitura de Gramado. O evento está dividido em diversos shows, como: • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • •

Corrida e caminhada de Natal Nativitaten Grande desfile de Natal Fantástica Fábrica de Natal Natalis Árvore Cantante Au Au, Uma Aventura de Natal Concertos de Natal Corais Exposição de Renas Decoradas Folia de Reis Fritz: o Chapéu do Papai Noel Happy Hour Christmas Natal Sul Parada de Natal Quinteto de Natal Rua dos Quebra-Nozes Show de Acendimento das Luzes Tannenbaumfest Teatro de Bonecos Vila de Natal

www.natalluzdegramado.com.br


ESPAÇO GOURMET

54

Tortinha Escondida 15 porções Fotos: Daniel Rocha / Cia da Foto

C

hegamos mais um fim de ano, quando tiramos aquele tempinho especial para curtir cada momento ao lado de quem nos faz o bem! Tempo de Festas, momentos raros, reencontros familiares, muita conversa, presentes e risadas... Mas chega a hora de preparar a ceia, é uma correria, pois o tempo é escasso. Nesta edição especial de fim de ano, irei apresentar a vocês a receita de uma torta especialmente pensada para este tipo de ocasião, onde cada ingrediente é encontrado facilmente em qualquer supermercado. Sua preparação bastante básica requer quase nenhuma técnica especial, podendo qualquer um prepará-la “de olhos fechados” e harmonizá-la de acordo com seu paladar. REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013

INGREDIENTES: • 500 ml de creme de leite fresco • 1 colher (chá) de essência de baunilha. • 50 g de açúcar refinado • Frutos secos (amêndoas, castanhas, nozes, uva passa e etc) a gosto. • Biscoito estilo Maria (maisena) • Pêssego cortado em cubos, quantidade a gosto. MODO DE PREPARO: Para o creme chantilly iremos bater na batedeira o creme de leite fresco, a essência de baunilha e o açúcar, até ponto neve (estilo claras em neve). Dica: O creme de leite tem que estar gelado. Dica 2: Cuidado para não bater muito, pois rápido o creme de leite irá passar de chantilly para manteiga. Cortamos os frutos secos para que fiquem em pedaços pequenos, se quiser pode passar pelo multiprocessador, por no máximo 2 segundos. Interessante é para que forme pequenos pedaços e não um pó.

Cortamos também o pêssego em calda, em cubinhos. MONTAGEM: Com um auxílio de uma colher, colocamos um pouco de creme chantilly no fundo da taça, frutos secos, pêssego, bolacha Maria, chantilly, pêssego e chantilly. E assim sucessivamente até chegar a ¾ da taça. Decoramos e servimos. Dica 3: pode dar forma de torta caso queira uma apresentação familiar à mesa da ceia.

Chef Rodrigo Salvador rodrigopsalvador@gmail.com (35) 8865-5393


Salada cremosa de camarão Fotos: Daniel Rocha / Cia da Foto

INGREDIENTES: • 400 g de camarão sem casca • 20 ml de azeite • 50 g de salsão em cubos pequenos • 50 g de pimentão vermelho em cubos pequenos • 40 ml de suco de limão • 250 ml de creme de leite fresco • 02 un mamão papaya boleado MODO DE PREPARO: Temperar os camarões com sal e pimenta e salteá-los com o azeite em uma frigideira. Reservar. Quando estiverem frios, juntar ao pimentão, salsão e bolinhas de mamão, temperando com o limão. Em uma batedeira bater o creme de leite fresco até ponto de chantilly. Juntar o creme aos demais ingredientes misturando delicadamente. Ajustar o tempero se necessário. MONTAGEM: Essa é uma salada muito versátil, que tem uma linda apresentação se servida individualmente em taças de martini. Outra opção é colocá-la dentro de folhas de endívia. Caso queira fazer canapés, corte os camarões em pequenos pedaços e sirva sobre torradinhas.

Ana Carolina Siqueira Abe-Sáber Adega Gourmet (35) 3013-2828 REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013


INGREDIENTES: Flan • 01 cx. Leite condensado 395 gr. • 01 cx. Creme de leite • 200 gr. polpa cupuaçu • 10 gr. gelatina incolor

ESPAÇO GOURMET

56

Ganache • 150 gr. chocolate meio amargo • 50 ml. Leite • 01 cx. Creme de leite MODO DE PREPARO: 1 Flan: Bata no liquidificador o creme de leite, o leite condensado, as polpas de cupuaçu e a gelatina já dissolvida. Bata por dois minutos e disponha essa mistura em uma forma. 2 Pegue caramelos Embaré, parta-os em quatro pedacinhos e acrescente a esta mistura.

Flan Brazuca 10 porções

O

utro dia, em uma aula prática, me perguntaram qual é a diferença entre flan, pudim e mousse. Claro, não soube a resposta de bate e pronto; todavia usei de meus conhecimentos físico-químicos e construí uma resposta plausível; mesmo não estando totalmente seguro de minhas afirmações. Então cheguei em casa e fui procurar definições em uns livros e comprar os conceitos, assim eu cheguei nas seguintes definições e diferenças: Flan e Pudim são preparos a base de leite e/ou creme de leite, gemas e/ou ovos inteiros com ou sem espessante como o amido, são modelados em formas ou ramequins e geralmente cozidos em forno em banho-maria. O nosso tradicional pudim de leite condensado é chamado no exterior de Brazilian flan que na versão tradicional francesa se denomina crème caramel e o leite condensado não está entre REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013

seus ingredientes. No Brasil é comum chamarmos de flan um creme cozido na panela ou com gelatina que é colocado em formas, que após resfriar é desenformado e servido com diversos tipos de calda. Mousse significa espuma e é o termo em francês para um creme aerado, sua base pode ser um purê de frutas, chocolate derretido, etc. Para lhe dar a textura aerada lhe é adicionado claras de ovos batidos e/ou creme chantilly (creme de leite batido com açúcar). É bom lembrar que esses preparos podem também ser salgados. Segue uma deliciosa receita de um “Flan brazuca” para ser preparada no natal. Fácil, barata, funcional e afrodisíaca. Você vai surpreender a família e amigos com esta dica. Flan de Cupuaçu com Caramelos surpresas, Ganache de Chocolate e Castanhas do Pará

3 Cubra com filme plástico e leve à geladeira por duas horas ou mais. 4 Para fazer o ganache, derreta o chocolate em banho Maria; assim que estiver derretido, acrescente o creme de leite até atingir a cor e a textura desejadas. 5 Desenforme o flan; derrame sobre ele o ganache e as castanhas picadas. Sirva!

Chef Felipe Leroy Felipeleroy@gmail.com (31) 9178-2233


Lombinho com duo de lentilhas INGREDIENTES: • 1 peça de lombinho suíno • Tomilho • 400 grs Arroz cozido • 150 grs Lentilhas • 4 cravos • Salsinha • 4 cebolas • Farinha • Tomate • Azeite • Sal MODO DE PREPARO: Arroz de lentilhas: Cozinhar as lentilhas com uma cebola inteira descascada, cravo e sal a gosto, misturar no arroz e salsinha. Lombinho: Temperar com sal, pimenta e os galhos de tomilho, assar no forno a 180 graus por 25 a 35 minutos Salada de lentilha: Lavar a lentilha misturar com o tomate cortado em cubo e temperar a gosto Cebola Frita: Cortar a cebola em rodelas, passar na farinha e fritar. Decoração: Laminar uma beterraba e cortar em círculos.

Rafael Justino Pacco & Bacco (Tiradentes) (32) 3355-1136 REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013


ESPAÇO GOURMET

58

Convivência sadia na ceia de Natal Fotos: Divulgação

REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013

Caipirinha & Champagne: A preciada mundialmente, a Caipirinha – Tradição e Sabor do Brasil – é um dos ícones da cultura e da gastronomia brasileira que mais simboliza o espírito hospitaleiro, espontâneo e descontraído do seu povo. Feita exclusivamente com cachaça, limão, açúcar e gelo, ou seja, de origem simples, mas de estrutura forte e personalidade dócil, como o próprio brasileiro, a Caipirinha, que veio ao mundo, no início do Século XX, como “Medicamento”, durante a Gripe Espanhola, chega ao Século XXI com todos os predicados para

se tornar o “Drinque do Século”. Poucos coquetéis têm ingredientes que se harmonizam tão bem, sem que um predomine sobre os outros, como é a caipirinha. O álcool da cachaça, a acidez do limão, a doçura do açúcar e o frescor do gelo formam um perfeito conjunto harmônico e incomparável de aromas e sabores. Por outro lado, as cores e matizes dos ingredientes – cachaça, limão, açúcar e gelo – estimulam o sentido da visão, fazendo com que o apreciador da caipirinha a ”beba com os olhos”, como diz o ditado popular.


Poucos coquetéis têm ingredientes que se harmonizam tão bem, sem que um predomine sobre os outros, como a caipirinha.

Sendo um drinque com características sensoriais peculiares, obtida do perfeito casamento dos seus ingredientes, a apreciação da caipirinha, analisando atentamente as suas características, seguindo alguns princípios e regras, interpretando todas as sensações provocadas nos órgãos dos sentidos, além de matar a sede, torna o ato de beber mais prazeroso. Devido ao seu conteúdo alcoólico, oriundo da cachaça, que varia de 16 a 36%, a acidez do limão, a doçura do açúcar e o frescor do gelo, a maioria das

combinações caipirinha - comida é perfeitamente agradável. Diz-se que o conjunto Caipirinha-Comida está harmonizado quando apresenta estruturas em equilíbrio e sensações ajustadas de tal forma que a Comida e a Caipirinha tenham as suas virtudes mutuamente realçadas. Em linhas gerais pode-se dizer que um prato leve pede uma caipirinha leve, isto é, com teor alcoólico mais baixo, isto é, com menos cachaça ou mais gelo, enquanto que um prato pesado exige uma caipirinha encorpada, com mais cachaça ou com uma cachaça mais encorpada. Uma vez equilibrados o corpo da caipirinha e o peso da comida, devem ser observadas as sensações provenientes da caipirinha e as sensações da comida, buscando encontrar a complementaridade entre os dois. Comidas condimentadas requerem caipirinhas aromáticas, com maior equilíbrio entre o aroma da cachaça, do limão e do açúcar; pratos gordurosos exigem caipirinhas mais ácidas, o que pode ser obtido com o uso de cachaças de maior acidez ou adicionando-se menos açúcar; comidas suculentas e untuosas pedem caipirinhas mais secas, isto é, com menos açúcar. E comidas adocicadas, como sobremesas, pedem caipirinhas mais suaves, com maior teor de açúcar. Por fim, a caipirinha e a comida devem se realçar mutuamente, ou seja, a caipirinha ganha na comunhão com a comida e esta se torna ainda mais apetecível na companhia da caipirinha. Assim, é perfeitamente possível, do começo ao fim de uma refeição, se beber caipirinha, pois com a correta dosagem dos ingredientes poderá se preparar a bebida que fará o melhor casamento com a comida escolhi-

da, sejam petiscos, tira-gostos, pratos principais ou mesmo sobremesas. Seguindo as simples regras para o serviço da caipirinha, sempre da mais leve para a mais encorpada, e para o prato, sempre do mais leve para o mais pesado, pouco se erra. Em suma, pode-se concluir que a maior parte dos pratos permite ser acompanhada por uma caipirinha, demonstrando o seu ecletismo com “abrideira”, para iniciar; “companheira”, para acompanhar; e “saideira”, para de despedir, permitindo múltiplas combinações. Com a chegada das confraternizações do final de ano, a caipirinha não pode faltar à mesa dos brasileiros, seja na Ceia e Almoço de Natal, bem como no Reveillon e Almoço do Ano Novo, convivendo, de forma harmônica, com a tradicional champagne. Numa sequência lógica, pode se iniciar os festejos com uma refrescante caipirinha, acompanhar o prato principal com um vinho e, para seguir o ritual, fazer o brinde de Feliz Natal e Feliz Ano Novo com champanhe, tudo com moderação e sempre acompanhado de água.

Jairo Martins Especialista em cachaça é autor do Livro “Cachaça, o mais brasileiro dos prazeres”. REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013


ESPAÇO GOURMET

60

Verde Campo desperta interesse dos gigantes do varejo Laticínios Verde Campo inova com linha de produtos sem lactose e desperta interesse das grandes redes distribuidoras do Brasil como Carrefour, Pão de Açúcar e Walmart. Empresa também se destaca nas redes sociais. Por Diter Stein Foto: Daniel Rocha / Cia da Foto Ilustração: Obah Design

D

esde sua criação, há 14 anos, o Laticínios Verde Campo tem se destacado por meio de uma postura pioneira e inovadora, produzindo produtos reconhecidos como saudáveis, leves e de fácil digestão. Só no último ano, a empresa investiu R$ 5 milhões no desenvolvimento de produtos para sua linha sem lactose, a LACFREE. A qualidade Verde Campo começa com o leite utilizado. Por dia, são processados 60mil litros de leite, vindos dos mais de 160 produtores locais, parceiros do laticínio o material passa por uma bateria de exames em que REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013

só o melhor é aceito. Um controle contínuo é realizado pela equipe de qualidade e veterinários do Verde Campo. O investimento em qualidade e inovação, como os recém-produtos da linha LACFREE - queijo minas padrão e coalhada - tem despertado o interesse de grandes redes varejistas, como Pão de Açúcar, Carrefour e Walmart. Até o fim do ano, a empresa, que já atua nas regiões Sudeste e Sul, pretende fortalecer sua presença, também, no Centro-Oeste e no Nordeste do Brasil, com a comercialização nestes grandes conglomerados. A expectativa do laticí-

nio é ganhar o mercado nacional, se tornando referência na produção de alimentos diferenciados e saudáveis, até o ano de 2017. Carro-chefe da empresa, na linha de produtos especiais, a LACFREE foi desenvolvida para que as pessoas com intolerância à lactose possam manter uma dieta equilibrada, rica em sabor e nutrientes. No Brasil, segundo a EBC- Empresa Brasileira de Comunicação, 40% da população tem algum grau de resistência a lactose, o que pode gerar náuseas, diarréia, excesso de gases, dor de estômago, entre outros incômodos. Para elimi-


Organismo de indivíduo Organismo de indivíduo com Organismo de indivíduo com sem intolerância à lactose. intolerância à lactose consu- intolerância à lactose consumindo produto com lactose. mindo produto LACFREE.

nar o mau-estar causado por esta deficiência na digestão, o Verde Campo realizou diversos estudos e chegou à fórmula ideal para o produto, que, além de benéfico à saúde, é seguro para o consumidor. “Por meio de uma tecnologia exclusiva, conseguimos reproduzir industrialmente a mesma função da Lactose enzima do organismo humano que transforma a lactose (açúcar do leite) em dois açúcares simples: a galactose e a glicose - disponibilizando no mercado um produto livre da lactose e de fácil digestão”, explica Karolina Crepaldi, coordenadora de qualidade do lacticínio. Hoje, a linha é composta por iogurtes nos sabores natural, morango e ameixa; o queijo cottage, a coalhada natural e o queijo minas padrão. Nas redes sociais, a Linha LACFREE tem feito grande sucesso. Além das páginas oficiais da Verde Campo, que sempre trazem novidades ligadas à saúde, gastronomia e aos seus produtos, consumidores também repercutem a preferência pelos itens da linha Light com posta-

gem de fotos e comentários positivos sobre a marca. Além das pessoas com necessidades de dietas especiais, os produtos LACFREE conquistaram, também, àqueles que buscam a redução de medidas, pois tem zero açúcar e baixo teor de gordura, proporcionando uma melhor digestão. O laticínio também possui uma linha especial para outras necessidades dos consumidores, como os produtos à base de soja, destinado às pessoas com alergia à proteína do leite. Com um consumo cada vez mais crescente de produtos saudáveis e a busca das pessoas por melhores condições de vida, o Verde Campo caminha para atender à necessidade desse mercado. Os investimentos em produtos cada vez mais saudáveis são a chave do sucesso da empresa. BENEFÍCIOS DO LACFREE • • •

Reduz produção de gases intestinais. Reduz inchaço abdominal. Proporciona melhor digestão.

FICHA TÉCNICA Linha Diet: Iogurte Morango Diet,Iogurte Natural Diet,Iogurte Natural sem açúcar Linha Light: Iogurte Ameixa Light,Iogurte Banana Mamão e Maçã Light, Iogurte Morango Light, Iogurte Natural Light, Queijo Minas Frescal Light, Queijo Minas Padrão Light, Queijo Mussarela Light, Queijo Prato Light, Ricota Light, Requeijão Light Linha Soja: Iogurte Soja Banana, Mamão e Maçã, Iogurte Soja Morango Linha LACFREE: Coalhada sem lactose LACFREE, Cottage LACFREE, Iogurte Ameixa LACFREE, Iogurte Morango LACFREE, Iogurte Natural LACFREE, Queijo Minas Padrão LACFREE Linha Tradicional: Queijo Tipo Cottage, Creme de Leite, Creme de Leite Leve, Queijo Minas Frescal Tradicional, Queijo Prato (Cobocó). www.verdecampo.com.br REVISTA IPÊ | NOV/DEZ/2013


Revista ipê 5 edição  

NA PISTA A 120KM/H

Advertisement