Page 1

REVISTA

ipê REVISTA TRIMESTRAL - DISTRIBUIÇÃO CONTROLADA

ANO IV - Nº 11 - ABR/MAI/JUN 2016

VIAGENS Refúgio elegante na natureza.

EMPREENDIMENTOS Um condomínio no cartão postal da cidade.

DE 40M² PARA UM EMPÓRIO O olhar astuto para as demandas do mercado e a força de vontade levaram ao sucesso os irmãos e empreendedores Juliano e Joycimara Godinho

E MAIS: AIRSOFT: HONRA E ESTRATÉGIA MILITAR TRILHAS: SERRA DO FARIA A FAMÍLIA

PERFIL: DR. EVANDRO MENICUCCI, ARQUITETO

RECEITA DE INVERNO: FONDUE DE BACON E CEBOLA

UMA CASA PARA TODA

NOVA ONDA DOS FILMES DE TERROR.

O QUE É O COACHING EDUCACIONAL

SAÚDE


ipê

Nossa Capa

REVISTA

8

ANO IV - Nº 11 - ABR/MAI/JUN 2016

REVISTA TRIMESTRAL - DISTRIBUIÇÃO CONTROLADA

Foto: Cia da Foto Cidade: Lavras/MG

VIAGENS Refúgio elegante na natureza.

EMPREENDIMENTOS

EXPEDIENTE

Um condomínio no cartão postal da cidade.

DE 40M² PARA UM EMPÓRIO

11

O olhar astuto para as demandas do mercado e a força de vontade levaram ao sucesso os irmãos e empreendedores Juliano e Joycimara Godinho

E MAIS: AIRSOFT: HONRA E ESTRATÉGIA MILITAR TRILHAS: SERRA DO FARIA A FAMÍLIA

EDITORIAL

PERFIL: DR. EVANDRO MENICUCCI, ARQUITETO

RECEITA DE INVERNO: FONDUE DE BACON E CEBOLA

UMA CASA PARA TODA

NOVA ONDA DOS FILMES DE TERROR.

O QUE É O COACHING EDUCACIONAL

SAÚDE

PROJETO EDITORIAL Édison Marques Júnior DESIGN E PROJETO GRÁFICO Édison Marques Júnior JORNALISTA RESPONSÁVEL Marina Alvarenga Botelho JURÍDICO Édison Marques FOTÓGRAFOS - CIA DA FOTO José Henrique Daniel Rocha REVISÃO Pauline Freire Pimenta REDAÇÃO Ana Carolina Siqueira Abe-Sáber Derivan Ferreira de Souza José Márcio Faria Eduardo Braga Marina Alvarenga Botelho Rita de Cássia Oliveira COMERCIAL Édison Marques Júnior Contato: (35) 9143-4125 contato@revistaipe.com.br www.revistaipe.com.br EDIÇÕES AVULSAS E ESPECIAIS contato@revistaipe.com.br Edição nº 11. Distribuição controlada IMPRESSÃO: Editora Rona TIRAGEM: 2.000 exemplares SIGA A REVISTA IPÊ

@REVISTAIPÊ FB.COM/REVISTAIPÊ Artigos assinados são de responsabilidade dos respectivos autores. Autoriza-se a reprodução, desde que citada a fonte.

A Revista Ipê tem ganhado cada vez mais destaque em Lavras e região, como uma revista que preza pelo seu conteúdo e pelo interesse do leitor. Estamos na décima primeira edição – 11. Onze é considerado um número mestre, ou seja, que possui dois algarismos repetidos. De acordo com a numerologia, a repetição de um número potencializa as características do mesmo. É pensando nisso que, nessa décima primeira edição, apostamos nessa força e potencialidade da nossa revista, do empreendedorismo e da realização de sonhos. Na matéria da capa, conhecemos o Empório dos Metais e Acabamentos, um empreendimento que veio de uma pequena loja e hoje é um dos nomes de referência em construção na cidade. Ainda pensando em morar bem, apresentamos o Condomínio Montserrat, continuando a nossa matéria da edição passada sobre a Cidade da Serra. Na seção de esportes, uma matéria sobre o Airsoft, que simula estratégias militares, e quem gosta de trilhas e bike vai conhecer a Serra do Faria. Exaltando também a beleza da região, estivemos na Pousada Espelho D’água, um paraíso aqui no nosso quintal. Um dos nossos assuntos preferidos, a arquitetura, nessa edição é um dos pontos altos! Não só fizemos uma entrevista com o Dr. Evandro Menicucci, arquiteto renomado de Lavras, como também apresentamos um super projeto de casa para a família toda. Na coluna de cinema, a onda da vez é o cinema de terror e, na música, você conhecerá o novo projeto do mineiro Gustavo Drummond (Ex Udora). Para esquentar o inverno, uma receita deliciosa de fondue de bacon com cebola, e uma bebida quente – o Cashemiere, cocktail de inverno. Inaugurando novas editorias na Revista, na editoria de saúde falaremos sobre catarata, transtornos de ansiedade e depressão, além de dicas nutricionais. Tudo isso e muito mais, nessa edição que vem diversificada, pensando em você, nosso leitor e leitora. Édison Marques Júnior Diretor da Revista Ipê


REVISTA

ipê

Abr/Mai/Jun 2016 SUMÁRIO

CAPA O espírito empreendedor de Juliano Godinho e de sua irmã Joycimara garantiu o sucesso nos negócios: de uma pequena loja de 40m² a três grandes empresas ligadas ao ramo de construção.

30

EMPREENDIMENTOS

PERFIL

Condomínio Montserrat é destaques na Edge City Cidade da Serra, com a vista fantástica da Serra da Bocaina.

Apaixonado por Lavras, realizou o seu sonho e contribuiu com a arquitetura da cidade. Conheça a história do arquiteto Evandro Menicucci.

50

46 VIAGENS

ESPORTE

MÚSICA

À beira da Represa de Camargos, a Pousada Espelho D’água se destaca pelo seu charme, seu estilo pitoresco e pela natureza ao redor.

Honra, honestidade e diversão – essas são as regras desse jogo, que tem atraído, cada vez mais, amantes de estratégias e táticas militares.

Músico mineiro, Gustavo Drummond (ex-Udora), investe em novo projeto, o Oceania, resgatando sucessos e compondo novos.

62

14

58 SEÇÕES CARTAS

ESPAÇO GOURMET Super Fácil! Receita deliciosa de fondue de bacon com cebola, ideal para esse friozinho!

58

10

COLABORADORES

12

TRILHAS

20

SAÚDE

22

JURÍDICO

38

EDUCAÇÃO

40

ARQUITETURA

42

CINEMA

54

DESIGN, MARCA

56

ESPAÇO GOURMET

66


CARTAS

10

EDIÇÃO 10

Envie comentários, sugestões e opiniões para serem publicados nesta seção Revista Ipê contato@revistaipe.com.br www.revistaipe.com.br

Gostaríamos de parabenizar a equipe da Revista Ipê pela qualidade das informações disponibilizadas. Para nós, que estamos realizando um estudo sobre a região de Lavras, as edições da revista foram de grande ajuda para compreender a região, seus diferenciais, seus principais atrativos e particularidades da população. Desde o conteúdo até o layout, percebemos o empenho da equipe em divulgar e promover o desenvolvimento de Lavras e região. Parabéns pelo trabalho!

Flávia Lage

(Brain Brand Intelligence)

Meu primeiro contato com a revista IPÊ foi através do Facebook, onde a qualidade gráfica foi o primeiro atrativo. Entrei na versão digital para conhecer melhor o conteúdo e fiquei admirado com o seu altíssimo nível. Desde então me tornei leitor assíduo, o que vem contribuindo com as minhas atualizações diárias, tendo em vista a atuação profissional que tenho na região de circulação do veículo. Com assuntos variados, a leitura torna-se prazerosa pelo primor e equilíbrio de edição e informação. Parabéns, equipe. Desejo sucesso e vida longa à revista IPÊ.

Leonardo Patrick Araújo

REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016

Parabenizo a equipe da Revista Ipê pelo profissionalismo com que elabora suas matérias, buscando levar ao público leitor informações importantes que os levam a conhecer e a fazer melhor suas escolhas. Este trabalho de marketing de qualidade representa ajuda valiosa aos empresários na divulgação de seus produtos, proporcionando-lhes resultados imediatos.

Quero parabenizar a Revista Ipê que possui atualmente a melhor diagramação, layout e impressão de nossa região, além de um conteúdo de reportagens bem selecionadas e escritas. Aproveito para congratular também o idealizador da revista que, com talento e persistência, enfrentou e conquistou um nicho de mercado difícil.

Elizabeth de A. Simões Batista

Lucas Guida Soares

Empresária - Cafeteria e Livraria Sabor e Arte.

Olá! Queria destacar a importância do trabalho que vocês estão fazendo, mesclando informação e entretenimento em nossa cidade. Só uma ressalva: senti falta de um espaço dedicado a escritores locais (em gêneros variados, por exemplo). Já que é um veículo impresso, nada mais coerente. A cidade conta com a Academia Lavrense de Letras (ALL), que tem feito um trabalho interessante, inclusive em parceria com as escolas e a comunidade em geral. Além disso, há diversos movimentos independentes que tentam promover a cultura na cidade, nas mais diversas linguagens. Antes arte do que nunca, não é? Abraços e sucesso!

Igor Alves

Professor de Redação e Literatura

Engenheiro Florestal e proprietário da Taberna D’Omar

Moro na cidade há três anos. Achei a proposta de termos uma revista lavrense com matérias tão diversificadas muito interessante. Agradeço a Marina pela oportunidade de me apresentar a Ipê e parabenizo-a pelo excelente trabalho!

Larissa Lana Santiago de Rezende Tutora na Unilavras e UFLA, Conteudista na Easy To Learn


COLABORADORES

12

Derivan Ferreira de Souza Derivan Ferreira recebeu o Prêmio Barman do Ano – da Revista Veja São Paulo em 2004, e Prêmio Barman do Ano da Revista Gula em 2005, 2006 e 2007. Expert em drinks, tem quase quarenta anos de profissão. Mestre Derivan – como é conhecido, é uma das maiores referências sobre drinks no Brasil. É formado pela I.B.A –International Bartenders Association e pela Hostess Schol - Instituto de Hotelaria Ernesto Maggia –Stresa –Italia. Tem 8 livros publicado sobe bebidas e drinks.

Ana Carolina S. Abe-Sáber Nasceu em Lavras, formou-se em Turismo pela Newton Paiva em Belo Horizonte. Fez o curso de Cozinheiro Profissional do SENAC BH e Gastronomia Internacional pela escola de culinária Mausi Sebess de Buenos Aires. Foi chef da confeitaria do restaurante francês Alice Braserrie de Brasília, onde abriu seu restaurante.

SERVIÇOS Segue abaixo a relação das lojas e demais empreendimentos mencionados nesta edição, além das empresas que nos cederam locação ou material para fotos.

Aliança Cerimonial

SAÚDE

& Assessoria (35) 99868-3405

Dr Marcelo Silva Murad

A Kaju

(Oftalmo)

(35) 99907-2217

(35) 3821-8565

BLZ S.A

Dra. Lilian Diniz Murad

(35) 3822-5822

(Dentista)

BR Construtora

(35) 3822-0661

(35) 3821-1690

Dr. Eduardo Menezes

Cia da Foto

(Dentista)

(35) 3821-6269

(35) 3822-4350

Cozinha Gourmet

Dra. Lina Nascimento

(35) 9229-5641

(Dentista)

Cristina Menezes

(35) 3826-2689

(31) 3291-5714

Dr Natanael L. Mota

CVC Viagens

(Neurologia Infantil)

(35) 3821-3115

(35) 3826-2691

E&G Cómercio - Airsoft

Dra. Francine Messia

(35) 99973-0892

(Cardiologia Pediatrica)

Empório das Tintas

(35) 3409-6866

(35) 3821-0001

Rodrigo Pablo de Oliveira

Empório dos Metais

Milene Campos Duarte

e Acabamentos

(Psicologos)

(35) 3822-4131

(35) 3013-4777

Marina Alvarenga Botelho

Heto Comunicação

Cirúrgica M.S.

(35) 3822-7877

(35) 3821-5251

É jornalista, formada pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Especialista em Cinema pela Estácio de Sá e Mestre em Educação pela Universidade Federal de Lavras (UFLA). Atualmente é professora dos cursos de Publicidade e Propaganda e Administração da Fadminas.

Matinê

Laboratório

(35) 3409-0600

Santa Cecília

José Marcio José Marcio Faria é engenheiro florestal, professor da UFLA e pedala por prazer.

PEMI Construtora

Nutrur-se

Pousada Espelho D’água

(35) 3821-8008

(31) 99801-1058 Show Room Moda Feminina (35) 3826-6028 Show Room Shoes (35) 3826-8520

Rita de C. Oliveira Nutricionista pelo UNILAVRAS, Pós graduada em Nutrição Clínica e Esportiva Funcional e pós graduanda em Fitoterapia Funcional pela VP CONSULTORIA / UNICSUL - SP. Associada ao Instituto Brasileiro de Nutrição Funcional. Atendimento em consultório nas diversas áreas da nutrição clínica e esportiva.

(35) 3821-6044

(35) 3829-9800

Tutor E All (35) 3821-0589 Unopar (35) 3694-2139


P r a รง a

L e o n a r d o

V e n e r a n d o

P e r e i r a ,

3 9 2

-

T e l . : 3 8 2 1 . 8 5 2 0


ESPORTE

14

HONRA E ESTRATÉGIA Conheça o Airsoft, um esporte que reúne apaixonados por treinamento militar Por Marina Alvarenga Botelho Fotos: Marcus Ribeiro

REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


CATEGORIAS DO AIRSOFT MILITAR SIMULATION (MILSIM) - Inspirado por simulação militar tática, une duas ou mais equipes, que devem realizar os objetivos definidos no início da partida. Alguns exemplos podem ser: eliminar a equipe adversária, capturar um objeto ou jogador, escolta, ataque/defesa de perímetro, entre outros. TIRO PRÁTICO Categoria individual e recente, que consiste em tiro ao alvo com armas Airsoft.

H

onra é a palavra chave para quem pratica o Airsoft, um esporte que simula táticas militares, utilizando armas de pressão que dispara bolinhas de plástico, de seis milímetros de diâmetro, mas sem o uso da tinta, como no paintball. Dessa forma, depende da honestidade e caráter de cada jogador, em uma partida, dizer que foi atingido e se retirar do jogo. A modalidade surgiu na década de 70 no Japão, mas logo passou a se popularizar pelo mundo todo. No Brasil, o esporte passou a ser difundido no início dos anos 2000, mas o uso de seus equipamentos só foi regulamentado pelo Exército Brasileiro em 2007. Em 2010, por meio de uma portaria, o órgão passou a exigir uma ponteira laranja ou vermelha nas armas, para regulamentá-las como armas de pressão. Atualmente, o site Eventos Airsoft Brasil reúne mais de 300 equipes por todo o país. O Airsoft é um esporte praticado por quem tem paixão por estratégias de combate militar. O técnico de informática lavrense, Ronan Simon Silva,

hoje coordenador de um grupo em Lavras, conta como passou a desenvolver essa paixão pela modalidade: “sempre gostei de jogos eletrônicos envolvendo situações militares e de guerra e também de armas, pois quando eu era criança, arminhas de brinquedo não eram proibidas. Há dois anos um amigo me chamou para uma partida, e eu já conhecia as armas, mas não sabia que existia um esporte assim. Depois disso, não parei mais”. AIRSOFT EM LAVRAS Lavras já possui vários grupos praticantes do esporte, dentre eles o coordenado por Ronan, que reúne hoje cerca de 55 jogadores e se reúne com uma frequência quinzenal. No início das atividades, Ronan conta que se reuniam em São João Del Rei, “A primeira vez que eu participei de uma partida foi um jogo nacional, em São João, com mais de 80 pessoas. Achei uma coisa muito doida, e não parei depois. Só depois conheci pessoas de Lavras e nos juntamos. Começamos a praticar aqui na cidade, no entanto, somente a partir de 2015”. Special Tactics and Rescue Team – STARS – é o nome do grupo, cujo número efetivo de jogadores é de 25 pessoas. Se reúnem sempre aos

TIRO DESPORTIVO Pode ser individual ou coletiva, combina o tiro com pressão com a prática de atividades atléticas. Outra modalidade semelhante é a Biatlo de Airsoft, uma versão do biatlo Olímpico (Olimpíadas de Verão). É feito um percurso composto por um circuito fechado com 1/2 km de distância, sendo que, ao longo do caminho, o praticante encontra pontos feitos para tiro ao alvo. TIRO DE PRECISÃO Categoria individual, que consiste na prática de tiro ao alvo com arma de Airsoft, exigindo concentração e disciplina do praticante. Esta é a categoria mais comum e praticada, embora não em nível de competição. BIATLO DE AIRSOFT - é uma versão adaptada do biatlo Olímpico (olimpíadas de Verão). O percurso é composto por um circuito fechado com 1/2 km de distância que, dependendo do tipo de prova, cada atleta terá de passar por uma ou mais vezes. Ao longo do caminho, o praticamente vai encontar muitos pontos feitos para tiro ao alvo. REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


ESPORTE

16

A equipe S.T.A.R.S Airsoft Team na operação Carry Package realizada no último dia 12 de junho

domingos, quinzenalmente. Suas partidas duram em média de quatro a cinco horas, mas “existem partidas que podem durar mais de 12 horas. Já fiquei sabendo de algumas que duram uma semana”, explica Ronan. O ESPORTE E A HONRA São diversas as modalidades do airsoft (veja no quadro no início da matéria) e as relações de honra, caráter e honestidade são fundamentais para a prática do esporte. É essencial que os jogadores compartilhem uma mesma visão de jogo. Ronan conta que antes participava de um outro grupo, mas por divergência nos pontos de vista, acabaram formando outro. “Aqui praticamos militar simulation. Vamos fazer seis meses com esse novo grupo. Muitos usam o airsoft como uma hierarquia, do tipo ‘eu cheguei primeiro, eu que mando’. E a gente divergia desse tipo de pensamento. Para nós, todos têm voz ativa”. Normalmente, em uma partida (na modalidade jogada pelos Stars), divide-se o grupo em duas equipes, em busca de realizar um objetivo, quase como um “rouba-bandeira”. Caso o jogador seja atingido, ele deve voltar ao ponto de respawn, e depois pode voltar para o jogo, pois para o grupo, como não há um sisteREVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


ma de vitória, o objetivo é se divertir. Já em competições, as relações podem ser diferentes. “Competição pode aumentar muito o ego de um jogador, pois ele quer ganhar e, se ganhar, acha que é o melhor. Você pode acabar atraindo pessoas que não tem honra, e para gente o fair play e a honra são os mais importantes. Pois como não tem tinta, as pessoas às vezes podem acabar ‘roubando’ e falando que não levaram o tiro, é onde está a honestidade do camarada”.

Capacete Óculos de proteção (uso Obrigatório) Máscara Rifle ICs Mk3 Luvas

SEGURANÇA EM PRIMEIRO LUGAR O airsfot pode machucar e, inclusive, cegar, se os jogadores não possuírem os equipamentos adequados. O óculos de proteção, por exemplo, não pode ser retirado em momento algum da partida. “Se não utilizar proteção pra boca também, por exemplo, já aconteceu com amigos nossos de perderem o dente”, diz Ronan. Para garantir a segurança, antes de cada partida é realizado um briefing, momento em que são reunidos todos os jogadores para que as regras sejam passadas e os equipamentos conferidos. Além disso, é importante que os jogadores prezem por dois princípios na hora de atirar, de acordo com Ronan: “Tem que saber onde está atirando, para evitar atirar nas regiões mais frágeis, como no rosto, e não é permitido o overshot, ou seja, atirar além da conta no companheiro”. Ainda pensando na segurança total da partida, caso apareça algum “civil” no ambiente, o jogo é imediatamente parado e a pessoa é escoltada até uma área de segurança. QUERO JOGAR AIRSOFT – E AÍ? Qualquer pessoa maior de 18 anos pode jogar airsoft, se tiver os equipamentos adequados. Normalmente, para fazer parte de uma equipe, são solicitados os documentos do requerente, como CPF e RG, bem como é retirado na Polícia Civil um comprovante de bons antecedentes. Como aponta Ronan, “a gente não quer uma pessoa com más intenções no nosso meio. Depois disso é passado um treinamen-

Colete Cinto Calça

Coldre

Joelheiras Botas

to para essa pessoa”. Como não existe uma modalidade mais recreativa do Airsoft, como no Paintball, o foco do airsoft é utilizar o treinamento militar como um lazer. Portanto, não é possível que seja realizado sem que cada jogador possua seus próprios equipamentos e uma correta preparação. É um esporte que requer muita disciplina, como explica Ronan, “Muitas vezes o cara chega no local, cru, sem saber o que ele está fazendo, e ele pode acabar machucando alguém com isso”. Para começar, portanto, o investimento é alto. As armas mais baratas podem ser compradas com

cerca de setecentos reais, mas é necessário também garantir o resto do equipamento – farda (é proibido o uso da farda do exército brasileiro), colete, óculos, protetor bucal. O gasto total inicial gira em torno de dois mil reais. Uma regra básica e que é essencial de ser seguida: a arma do airsoft, mesmo sendo de pressão, é tratada como uma arma – deve estar sem munição, deve estar sem sua bateria e ser levada dentro de um case, com a nota fiscal. Ronan explica: “É uma arma e não um brinquedo. O exército, por exemplo, também as usa em treinamento”.

REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


TRILHAS

20

SERRA A DO FARIA Poços, cachoeira, campo rupestre, biodiversidade. Bem-vindos à Serra do Faria!

REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016

Serra do Faria fica na zona rural de Lavras a 25 km do centro da cidade. É um lugar que esbanja beleza natural, com muita vegetação, pássaros, afloramentos rochosos e um curso d´água que forma poços não muito profundos e uma pequena cachoeira. Motivos mais que suficientes para irmos para lá de bike! Pedalamos em direção à zona sul da cidade, deixamos o asfalto e pegamos a estrada para a Serra da Bocaina (a conhecida Serrinha). Desse ponto até a Comunidade do Faria são 17 km por uma estrada de terra bem conservada e com algumas placas indicativas com os nomes das comunidades rurais e distâncias até elas. Não tem erro, é só seguir em direção ao Faria. Na primeira metade do passeio, pedalamos tendo à nossa frente a majestosa Serrinha. Na segunda metade, o visual à nossa direita já é da própria Serra do Faria. Essa estrada tem poucos morros fortes, por isso, apesar da distância total (ida e volta) ser de 50 km, não é um

pedal muito difícil. Ao chegarmos à Comunidade do Faria, algumas coisas nos chamam a atenção: uma grande fazenda de café, uma igreja (Capela São Sebastião) e o que um dia já foi uma estação de trem. Até a década de 70 muitas pessoas em Lavras tinham o hábito, nos finais de semana, de pegar o trem na Estação Costa Pinto, juntamente com amigos e familiares, e ir até a Estação do Faria, de onde seguiam caminhando até a cachoeira, para passar o dia nadando e fazendo piquenique. O retorno, claro, também


era de trem. Bons tempos do trem de passageiros! Pois bem, cruzamos a linha de trem e seguimos pedalando pela estrada. Faltam apenas 2 km para chegarmos à cachoeira! Passamos por um eucaliptal e o último trecho, de 600 m, é só descida. Vamos descendo e admirando a riqueza da flora local, ali representada por belos exemplares de pequizeiro, barbatimão, araticum, saco-de-carneiro, jacarandá-do-cerrado, óleo-copaíba, entre outros. Muitas espécies de aves também podem ser vistas, como canários, tucanos e maritacas. Nas partes mais altas, dominadas pelo Campo Rupestre, as plantas que mais se destacam, pela beleza de suas flores, são as veloziáceas, popularmente conhecidas como canela-de-ema, e as candeias. Ao chegarmos ao riacho, o que mais chama a atenção é a transparência da água, permitindo ver as pedras no fundo do leito. Dois poços dão as boas-vindas. Nas margens de pedra, se olharmos com atenção,

encontraremos uma pequena planta carnívora, chamada Drosera. Subindo por uma trilha que acompanha o curso d’água, pedalamos mais 400 m, passando por outro belo poço e finalmente chegamos à cachoeira. O local também atrai praticantes de escalada, que ali podem conciliar a prática desse esporte de aventura com o belíssimo visual da Serra do Faria.

SERRA DO FARIA 50km

Percurso (ida e volta)

03:30:00

LEGENDAS 01 - Visual do alto da Serra do Faria 02 - Ruínas da Estação do Faria 03 - Cachoeira 04 - Um dos poços com água cristalina 05 - Drosera, uma planta carnívora

José Márcio Faria Professor da UFLA

REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


SAÚDE

22

O QUE É CATARATA? Catarata é a opacificação (embaçamento) da lente natural que temos dentro dos olhos, o cristalino.

O que causa a catarata? Na maioria dos casos ocorre devido ao próprio processo natural do envelhecimento, mas também pode ser causada por medicamentos, traumatismos, choques elétricos, radiações, infecções oculares etc.

Qual é o tratamento da catarata? O tratamento é com cirurgia retirando a catarata por aspiração e implantando uma lente artificial no lugar.

Dr. Marcelo Silva Murad OFTALMOLOGISTA Uniclínicas Rua: Rua Dra Dâmina, 21, Centro, sala 204, Lavras/MG (35) 3821 - 8565

REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016

A cirurgia é simples? Não! A cirurgia não é simples, porém, com a evolução das técnicas e equipamentos, se tornou um procedimento rápido, seguro, eficaz, indolor e realizada com anestesia local sem necessidade de internação.


REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


24

SAÚDE

A IMPORTÂNCIA DA ENDODONTIA O que é a endodontia?

A

endodontia é a especialidade odontológica que visa o tratamento de alterações que afetam os canais dos dentes.

Quando está indicado o tratamento endodôntico?

Está indicado em várias situações tais como: dor excessiva e inchaço, cárie extensa, traumatismos, finalidades protéticas (reabilitação oral, adaptação de coroas e peças) e outros.

O tratamento é rápido? Com a evolução da tecnologia e da técnica, tratamentos que antes demoravam várias sessões, é possível realizá-los em apenas uma sessão de aproximadamente 1 hora e com grande diminuição da dor e do tempo de recuperação do paciente. Obviamente dependendo da gravidade de cada caso específico.

Quais cuidados devemos tomar após o tratamento endodôntico? Dra. Lilian Diniz Murad Especialista em endondontia, radiologia e imaginologia diagnóstica. CONSULTÓRIO: Av. Comandante Soares Júnior, 462, sala 101, Centro - Lavras / MG (35) 3822-0661

REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016

Devemos evitar a mastigação de alimentos de consistência dura com o intuito de diminuir a dor após o tratamento, evitar a fratura do dente e preservar o curativo evitando assim nova contaminação do dente. O tratamento de canal é de grande importância para a saúde bucal pois, além de proporcionar alívio dos sintomas, evita casos de infecções dentárias que podem comprometer a saúde geral do paciente.


REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


SONO, INFLAMAÇÃO E RESISTÊNCIA IMUNOLÓGICA

Q

SAÚDE

26

Rita de Cássia Oliveira Nutricionista Pós graduada em Nutrição Clínica Funcional e Esportiva Funcional Av. Silvio Menicucci (Perimetral),1800, Lavras/MG (35) 3826-2889 / 98833-7388

REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016

uem poderia dizer que o sono poderia interferir na nossa resposta imunológica e no processo inflamatório? Um sono adequado e reparador pode ser um privilégio para muitos. A má qualidade e a privação de horas de sono podem causar alterações fisiológicas consideradas gatilhos para a instalação de algumas doenças. Durante o sono, a consolidação das informações adquiridas ao longo do dia acontece e sua privação pode implicar em falhas na aprendizagem e na memória, que podem evoluir para doenças neurodegenerativas. A modulação de hormônios também ocorre nesse momento. A redução da melatonina – hormônio do sono produzido a partir da serotonina - essencial para a fase do sono profundo, também pode desencadear resistência à insulina por fazer parte da cascata para ação desse hormônio. Concomitante a ela, ocorre a secreção do hormônio do crescimento (GH), responsável pelas vias de anabolismo – síntese proteica – essencial ao processo de crescimento e desenvolvimento de crianças e adolescentes e recuperação e crescimento muscular em adultos. Os níveis de cortisol aumentados nessas situações causam distúrbios de humor, depressão, cansaço, falta de concentração, problemas intestinais, inflamação sistêmica, imunossupressão e compulsão alimentar. Como se não bastassem todas essas consequências, os distúrbios do sono podem resultar em problemas imunológicos, aumentando a vulnerabilidade a doenças. Um estudo de 2015, realizado na Universidade de Tuebingen na Alemanha, mostrou que o sono profundo foi responsável por equilibrar a diferenciação das células T, importantes componentes do nosso sistema imunológico, favorecendo a memória imunológica. Isso sugere que o sono profundo reforça a resposta imune frente às doenças e previne a imunossupressão. Um outro estudo também publicado em 2015, desenvolvido por pesquisadores do Arizona, que contemplou 1400 indivíduos por 20 anos, investigou a relação entre insônia – crônica ou intermitente – inflamação e risco de mortalidade. Foram verificados casos de óbito por desfechos cardiorrespiratórios correlacionados positivamente com insônia crônica. Os dados foram relacionados também com a proteína C reativa, parâmetro bioquímico associado com processo inflamatório, concluindo que os estados de insônia crônica predispõem ao seu aumento. Nesse cenário, dá para imaginar como a qualidade do sono pode ser um importante desencadeador da obesidade e outras doenças crônicas e inflamatórias. Fundamental se faz lembrar que esse impacto pode ser ainda maior e mais devastador se associado a outros fatores ambientais como o sedentarismo e a má alimentação. O adequado aporte de nutrientes, avaliado e prescrito por profissional habilitado, contemplando vitaminas do complexo B, vitamina D, minerais como o magnésio e o aminoácido triptofano mais particularmente, promovem o equilíbrio metabólico necessário à síntese da melatonina, favorecendo assim diretamente a qualidade do sono e, consequentemente, reduzindo ou evitando todas as alterações nocivas à nossa saúde. Mais uma vez constatamos a importância da nutrição influenciando todo o nosso bem estar e saúde positiva!! Experimente os resultados da boa nutrição e bons sonhos!!


REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


28

SAÚDE

TRANSTORNO MISTO DE ANSIEDADE - DEPRESSÃO Principal causa de afastamento pelo INSS por motivos psiquiátricos

O

Psicólogos

Rodrigo Pablo de Oliveira Milene Campos Duarte Vaz Clínico Centro Médico Rua: Costa Pereira, 108, Centro, Lavras/MG (35) 3013-4777

REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016

transtorno misto de ansiedade e depressão trata-se de condição caracterizada pela associação de sintomas depressivos e ansiosos. A base para o diagnóstico é a associação de sintomas depressivos com sintomas de estados ansiosos. A pessoa passa a apresentar uma angústia intensa, agitação, tremores, cansaço fácil, sensação de falta de ar, coração acelerado, suor excessivo, mãos frias, boca seca, tonteira, ânsia de vômitos, diarréia, desconforto abdominal, calafrios, dificuldade para engolir, dentre outros. As manifestações depressivas mais frequentes são a tristeza excessiva, choro fácil, apatia, irritabilidade, insônia ou sono excessivo, redução ou aumento do apetite, redução do apetite sexual. Também surgem baixa auto-estima, falta de esperança, pessimismo, ideias de arrependimento e culpa, ruminações, ideias de morte. A prevalência, ou seja, o número total de casos existentes é de até 10% da população geral. Muitas vezes não é reconhecido como um problema de saúde e por esta razão as pessoas que sofrem deste transtorno não procuram tratamento. Nota-se prejuízo nas atividades cotidianas, devido principalmente ao déficit de atenção e concentração, com significativo prejuízo nas atividades laborativas. A Terapia Cognitivo Comportamental é indicada para o tratamento dos casos de Transtorno Misto, tendo como o foco a reestruturação cognitiva, que ampliará o campo de percepção, mudando a forma como o indivíduo lida com o futuro e com problemas cotidianos. Desenvolve-se no processo terapêutico a capacidade de reflexão, reavaliação de crenças disfuncionais, ideias centrais negativas sobre si mesmo, buscando reverter esse padrão de pensamentos e interpretações equivocadas, geradoras de emoções negativas e comportamentos disfuncionais. A partir dessa conscientização, amplia-se repertório de respostas cognitivas e emocionais, flexibilizando interpretações a respeito de si, dos outros e sobre o mundo, em consequência, obtém a amenização dos sintomas, maior rendimento nas atividades laborais e também uma melhor qualidade de vida.


Dr. Eduardo Menezes

Dra. Lina Nascimento

Dr. Natanael L. Mota

• Implantodontia • Reabilitação Oral

• Ortodontia • Ortopedia Facial

• Distúrbio de aprendizado • Clinica neurologica pediatrica em geral

• Pediatria • Cardiologia Pediatrica • Ecocardiografia Pediatrica e Fetal

(35) 3822-4350

(35) 3826-2689

(35) 3826-2691

(35) 3409-6866

Cirurgião Dentista

Cirurgiã Dentista

Neurologia Infantil

Dra. Francine A. Messia Cardiologia Pediatrica

Rua Professor Azarias Ribeiro, 382 / Av. JK, Edifício JK - Centro - Lavras/MG


30

Esta linda cozinha gourmet teve produtos fornecidos pela loja Empório dos metais e acabamentos

CAPA

Projetado Por:

DE 40M² PARA UM EMPÓRIO O olhar astuto para as demandas do mercado e a força de vontade levaram ao sucesso dos irmãos e empreendedores Juliano e Joycimara Godinho Por Marina Alvarenga Botelho Fotos: Daniel Rocha / Cia da Foto

REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


D

e uma pequena loja, com apenas 40m², o empreendedor Juliano César Godinho e sua irmã e parceira Joycimara Priscila Godinho Laurente construíram seu empório, hoje uma das principais lojas de material de acabamento de Lavras: A Empório dos Metais e Acabamentos. Tudo começou em 2008, quando Juliano e Joycimara começaram a trabalhar com acabamentos em um pequeno estabelecimento familiar. Observando astutamente o mercado lavrense, perceberam uma demanda na cidade: a mão de obra no setor de construção e acabamentos estava escassa. Vislumbraram, então, uma possibilidade de crescimento e começaram a fazer parcerias com construtores. Durante os seis anos que administraram o Empório dos Metais e Acabamentos, na rua José dos Reis Vilela, os dois irmãos acompanharam o sucesso crescente da empresa. Foram, aos poucos, conquistando o mercado, não só com as vendas dos produtos, mas também com a prestação de serviço na área da construção civil. Foi então que perceberam a possibilidade de abertura da Empório Empreendimentos, uma construtora que solidificou mais uma etapa do crescimento dos negócios. Desde então, inúmeras casas e prédios, em Lavras, são construídos com a mão de obra e o acabamento do grupo Empório.

Os irmãos e empreendedores Juliano e Joycimara

A FAMÍLIA VAI FICANDO MAIOR Há dois anos, a loja mudou-se para a Av. Silvio Menicucci (Perimetral) e se expandiu. Daquele pequeno espaço que marcou o início da vida dos empreendedores Juliano e Joycimara construíram um estabelecimento completo de 420m², com depósito próprio, estacionamento para clientes, dentre outras comodidades. As conquistas aumentavam e mais uma vez o empresário vislumbrou uma chance no mercado. Em 2015 inaugurou, com seu sócio,

Bruno Laurente Carvalho, o Empório das Tintas, uma loja de grande porte que traz para Lavras e região a marca de tinta “número um” nos grandes centros urbanos, a Sherwin-Williams. Em 2016, com a comemoração dos seus 40 anos e o sucesso das três empresas, Juliano tem mais um motivo de felicidade: a chegada de seu primeiro filho, Luís Felipe, que nasceu no final de maio, com sua esposa Pâmela Bozetti. Em momentos de crise no país, o Empório não se abalou e a busca por alternativas no mercado, por REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


CAPA

32

meio de parcerias e investimentos, foi essencial para chegarem onde estão hoje. “Estamos prosperando”, comenta Juliano. A Empório hoje se dedica às principais marcas de acabamentos – desde pisos e revestimentos a louças e metais sanitários, trazendo à cidade os melhores conceitos e produtos, que aliam sofisticação à qualidade. Ademais, são vendedores em Lavras e região de várias marcas que trazem um acabamento fino: Docol, Lorenzetti, Durafloor, Biancogres, Portinari e etc. Os sócios-proprietários da Empório seguem inspirando quem está construindo:

“Nós nos empolgamos junto com o cliente, damos dicas, temos parcerias com arquitetos, designers de interiores, construtores e engenheiros. Queremos o melhor para nossos clientes”, comenta Joycimara.

Foto: Julia Guerra

REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016

Todos esses produtos, de altíssima qualidade, necessitam de uma mão de obra especializada para aplicação. Nessa etapa da construção, que pode ser mais lenta, já que muitas vezes as aplicações exigem padronagens e detalhes especiais, um profissional qualificado faz toda a diferença. Afinal, a mão de obra de acabamento é tão importante quanto o material a ser usado e atua de forma direta na estética e no resultado final do serviço.


EMPÓRIO EMPREENDIMENTOS A Empório Empreendimentos está realizando uma importante conquista, a construção do Residencial Michelângelo, projetado pelo arquiteto Mateus Monteiro e o Engenheiro civil Ivan Lima Borges. Localizado no centro de Lavras, o empreendimento chega com um conceito diferenciado no mercado: a possibilidade de customizar seu apartamento. O nome do prédio é inspirado em um dos grandes mestres das artes, o que serviu também de inspiração para o projeto que integra conforto, requinte e bom gosto: “a arte de viver bem”. São oito andares construídos com as melhores marcas. A rua Bernardino Macieira ficará mais bonita e valorizada. Cada apartamento possui 122m², com três dormitórios, sendo uma suíte com closet e com direito a duas vagas na garagem. O destaque vai para a varanda gourmet – ideal para quem procura um lugar aconchegante e acolhedor para receber a família e os amigos. O design inteligente e pensado de forma a valorizar o ambiente social dos apartamentos, integra sala de estar e jantar à varanda gourmet. Os quartos, por sua vez, ficam reservados, o que garante a funcionalidade e a privacidade dos moradores. A cozinha, também integrada à varanda, é planejada e leva a marca Todeschini. As coberturas duplex serão customizadas, com 235m² de área útil e ainda três vagas disponíveis na garagem. Além disso, os moradores do Michelângelo contarão com dois elevadores à disposição. Para o Residencial, estão previstos também um sistema de sonorização de ambientes para os apartamentos e as áreas sociais, predisposição para a instalação de ar condicionado e sistema coletivo de TV, além de câmera em todos os interfones. Não bastasse todo o luxo de sua área particular, o Michelângelo oferece charmosos espaços coletivos de lazer. Sauna com espaço zen, piscina com raia fitness, e espaço gourmet. Tudo com os melhores acabamentos, pensando em garantir a praticidade de se morar no centro da cidade, mas com a sensação e o bem estar de se morar fora dele. O empreendimento conta com uma equipe especializada, supervisionada pelo mestre de obras Ivan Francisco Gaspar, trabalhando de forma a garantir a eficiência do projeto.

Obras do Residencial Michelângelo

Cerca de 40 trabalhadores são responsáveis pelas obras da construtora REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


CAPA

34

EMPÓRIO DAS TINTAS Juliano Godinho e Bruno Laurente Carvalho são os nomes à frente de uma das lojas que mais cresce em Lavras. Revendedores exclusivos Sherwin-Willians, a marca de tinta que mais cresce no país e a maior do mundo, os dois apostam nos produtos reconhecidos mundialmente pela durabilidade, qualidade e inovação. A marca foi criada nos Estados Unidos, em 1886, mas só chegou ao Brasil há 60 anos. Focada em trazer ao mercado as melhores opções em revestimento e proteção, é conhecida por inovar constantemente com tintas especializadas para cada finalidade. Os grandes destaques são as tintas acrílicas super-laváveis, e a tinta para ambientes hospitalares, ou Paint Shield (Tinta Escudo), uma nova arma de combate a infecções hospitalares, por ser capaz de matar até 90% das bactérias. Dentre as qualidades da marca, destaca-se a quantidade de cores disponíveis: quase o dobro em rela-

REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


ção a outras marcas. Uma novidade divertida para quem é mamãe e papai é a “Risque e Rabisque”, que permite a liberdade para os pequenos rabiscarem a parede e deixarem a criatividade solta. Outra prova do peso da marca é a linha “eco”, com produtos à base de água, para quem se preocupa com o meio ambiente. O Empório das Tintas, em Lavras, não só possui uma grande variedade dos produtos da marca, mas também se destaca como uma das três maiores revendedoras da Sherwin-Williams no interior de Minas Gerais.

Espaço de festa todo pintado com Sherwin-Williams

NOVIDADES COLOR MIX PARA 2016 O blog Sherwin-Williams Color Mix traz dicas para você ambientar sua casa de acordo com a vibe de cada cor. A palheta de cores para 2016 está incrível! São quatro linhas - “Nova Narrativa”, “Pura Vida”, “Mais Amor Por Favor”, e “Trajetória”. Confira!

Nova Narrativa

Pura Vida Os empresários Juliano Godinho e Bruno Laurente Carvalho

FICHA TÉCNICA Mais Amor Por Você

• Empório dos Metais e Acabamentos Endereço: Avenida Silvio Menicucci 2007 loja 1, Lavras, MG Contato: (35) 3822-4131 • Empório das Tintas

Trajetória

Endereço: Rua Chagas Dória, 421 Lavras, MG Contato: (35) 3821-0001 • Empório Empreendimentos Endereço: Avenida Silvio Menicucci 2007 loja 1, Lavras, MG Contato: (35) 3822-4131 REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


JURÍDICO

38

GRAVAÇÕES, ESCUTAS E INTERCEPTAÇÕES TELEFÔNICAS Entenda as diferenças e como elas podem ser decisivas nas questões do dia a dia.

R

ecentemente, tem se falado sobre gravações e interceptações telefônicas nos cadernos de política em nosso país. Mas você sabe o que caracteriza tais tipos de captação de conversa? Este informativo tem como objetivo facilitar a compreensão dos referidos temas, através de uma linguagem não técnica, para que você possa conhecer e saber utilizá-las em algumas situações cotidianas. Quantas vezes você já pensou: E se eu tivesse realizado a gravação daquela conversa, será que ajudaria? Se eu precisar recorrer às vias judiciais, será que meu advogado poderia usá-las como prova? Para entender estes questionaREVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016

mentos, vamos diferenciar e caracterizar as modalidades, gravações, escutas e interceptações. Se necessário, você poderá, sem problema algum, gravar uma conversa mesmo sem a autorização e sem o conhecimento daquele com quem se fala, essa é a chamada gravação, podendo ser telefônica ou gravada através de algum dispositivo para gravações de conversas presenciais. Mas é importante você se atentar para o fato de que é necessário que tal conversa tenha você como participante, para que se torne uma prova lícita admitida na legislação brasileira. O que não é permitido é a gravação de conversa alheia que

você não seja participante ou não esteja presente, pois assim essa gravação se tornará uma escuta e esta será considerada uma prova ilícita. Porém, na mesma situação acima, se um dos interlocutores tem o prévio conhecimento de que seria gravado, a escuta é permitida, pois a gravação fora consentida, ainda que levando em consideração o conhecimento de apenas umas das partes. Para fins de prova em processo de investigação criminal, mesmo sem a ciência e autorização de quaisquer pessoas envolvidas na conversa, a mesma poderá ser gravada desde que autorizada judicialmente, essa é a chamada interceptação telefônica. É semelhante à escuta porém esta forma é lícita devido à autorização judicial. A gravação revela-se como o meio que mais poderá ser utilizado no dia a dia e poderá ser levada a juízo e resguardar seus direitos, inclusive no direito do consumidor, por exemplo, na contratação dos mais variados serviços e aquisição de produtos, para que, carecendo posteriormente de utilizar das vias judiciais, você possa estar munido de provas que venham a garantir o êxito e a efetivação da justiça.

FICHA TÉCNICA Simone Marques OAB/MG 143.622 Nayara Marques OAB/MG 143.625 Mayra Nunes OAB/MG 168.795


COACHING EDUCACIONAL

40

E aí, vamos fazer? EDUCAÇÃO

A

jude os pais de Pedrinho a encontrar uma solução para resolver a seguinte historinha:

Pedrinho é um garoto de 7 anos, que gosta muito de brincar, mas não gosta de estudar. Quando chega em casa ele vai brincar. Na hora do dever, papai João e mamãe Maria têm sempre que mandar: - Pedrinho, por favor, vai estudar! Ao ouvir a ordem, Pedrinho pode fazer o que seus pais mandaram e o problema estará resolvido, ou, ele pode fingir que não escutou e não ir estudar. Então, papai João e mamãe Maria resolvem mandar de novo, dessa vez falando mais alto: - Pedrinho, não escutou? Pelo amor de Deus, guarde agora suas coisas! Como da outra vez, Pedrinho pode resolver o problema guardando os brinquedos, ou pode fingir que nada aconteceu, e que ele nem ouviu. Quando isso acontece, papai João resolve ameaçar: - Pedrinho, se você não for estudar vai apanhar!!!!!

Coordenador Pedagógico Bruno Gomes Piscóloga Aracelly Galvino Alvarenga Tutor&All Educação Complementar Telefone (35) 3821-0589 Coaching Educacional

Ih! Parece que a coisa ficou séria... se Pedrinho resolver atender desta vez, pode escapar da surra. Mas, e se ele não obedecer?... O que os pais de Pedrinho devem fazer? a) Cumprir a ameaça e dar uma surra. b) Desistir de pedir, deixar pra lá e guardar os brinquedos para ele. Parece que o problema está no final da história, mas na verdade ele está bem no início. Se papai João e mamãe Maria soubessem disso, talvez não tivessem tido tantos problemas em decidir o que fazer. Aqui na Tutor&all, propomos uma “alternativa C”, procurando descobrir onde estão os problemas e tentando solucioná-los passo a passo. Esses passos devem ser aplicados um a um, semana a semana, sendo sempre os passos novos acrescentados aos anteriores, respeitando sempre a sequência estabelecida. O trabalho de Coaching com estudantes segue algumas estruturas como: definição de uma meta em relação aos estudos; identificação dos obstáculos para o cumprimento da meta; levantamento de estratégias comportamentais que precisam ser adquiridas e aplicação de um treinamento específico para cada uma delas, com avaliação periódica dos resultados alcançados.

REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


ARQUITETURA

42

UMA CASA PARA TODA A FAMÍLIA Mais um projeto da arquiteta Cristina Menezes, que visa conforto e praticidade

Por Marina Alvarenga Botelho Fotos: Jomar Bragança REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


D

Arquiteta Cristina Menezes

ez mil metros quadrados de terreno, um sonho e uma grande família. A arquiteta Cristina Menezes foi a escolhida para fazer o projeto de uma residência para um casal passar os finais de semana e feriados com seus filhos, netos e amigos, com conforto e praticidade. Os dez anos de convivência da arquiteta com o casal, trabalhando juntos em outros projetos, foram uma grande vantagem em seu favor. Dentre os concorrentes que poderiam ser os escolhidos para desenhar esse sonho da família, Cristina tinha o grande desafio e a grande responsabilidade de não errar. E foi justamente essa “intimidade” dos anos passados que a ajudaram a ser a escolhida. Para ela, “o projeto final agradou o casal de tal forma que, hoje, eles pensam em fazer desta casa, para fins de semana, a sua residência fixa”. REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


ARQUITETURA

44

ÍNTIMO E FAMILIAR Cristina conta que desde o momento em que foram conhecer o terreno, se encantaram com a vegetação existente e o entorno. Por isso, 90% da mata natural foi preservada, indo ao encontro à proposta da área, já que o lote vizinho é uma grande área de preservação verde. Ainda nesse feeling de intimidade, Cristina se reuniu com toda a família, e ali cada um foi dando seus “palpites” e expressando seus sonhos. “Com tantos dedos o projeto foi pensado nos seus mínimos detalhes, o estilo, bem atual, da arquitetura mineira, traduziu o gosto do modo de viver e de lazer do nosso cliente”, comenta Cristina. LAR E LAZER Ao projeto da casa, foi incorporada toda uma estrutura de lazer, com pista de cooper (500m), piscina com água aquecida (300 m3), quadra poliesportiva, quadra de tênis de saibro, quiosque, viveiros, horta, pequenas praças de descanso e prosas, sauna, churrasqueira REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016

com salão, SPA, home theater, etc. E, para atender a religiosidade da família, uma pequena capela em bambu foi construída junto à casa. Visando a praticidade solicitada pelo cliente, (quase) toda a casa foi feita em um pavimento, com um projeto arquitetônico que integra a área interna com a área externa. Para garantir a privacidade do casal, o segundo pavimento foi desenvolvido para eles – apenas a suíte master, com quarto, sala de televisão, copa, banho e closet. O pé direito duplo em toda a construção veio garantir a boa ventilação natural, criando ainda volume e dando imponência à casa e à proporcionalidade do grande lote. Outro elemento que veio integrar o conceito é o telhado “chapéu” da casa, que faz um jogo enriquecendo a arquitetura da residência. PRATICIDADE E CONFORTO EM PRIMEIRO LUGAR Para garantir a segurança e a privacidade da família, bem como a facilidade na manutenção, todas as esquadrias são de PVC com vidro du-

plo, com exceção da área social, que, por sua vez, foi vedada com vidro temperado e laminado, para não perder a integração com a área externa. A cozinha e os banheiros receberam granito e mármore, respectivamente, enquanto toda a casa foi revestida com cerâmica. Já na área externa, os materiais escolhidos foram os naturais, como o bambu, para melhor unidade com a área verde. Os móveis, tapetes, adornos, telas e estantes (desenhadas pelas profissionais) são de uma linguagem atual e práticos. Para completar o conceito, varandas circulando a casa convidam ao relaxamento com uma bela paisagem.

FICHA TÉCNICA Cristina Menezes Contato: (31) 3291-5714 www.cristinamenezes.com.br cristina@cristinamenezes.com.br


Foi com o bom gosto de “consumidora”, que a proprietária Luiza Franco da Rosa, inaugurou a mais nova e linda loja de moda feminina em lavras, A Kaju!

Reconhecida por suas peças de estilos diferentes, modernas, elegantes e de alta qualidade. A Kaju oferece um mix de produtos, atendendo à diversos públicos. Moda jovem, adultos, jovens senhoras e plus size. Além disso, A Kaju oferece os mais variados tipos de acessórios, como; bolsas, cintos, colares, brincos, anéis e pulseiras. Tudo de muito bom pulsei gosto e para todos os gostos!

Venham conferir o que é tendência atual!

A Kaju, sua mais nova loja em Lavras Rua Barbosa Lima, 352-A | Centro | Lavras/MG

AKajuAkaju @AKaju 35 99727 2217 e 99907 2217 Email: a.kaju@hotmail.com


46

EVANDRO MENICUCCI PERFIL

Por Marina Alvarenga Botelho Fotos: Daniel Rocha / Cia da Foto

P

ara uma das matérias da edição passada da Revista Ipê, procuramos o Evandro Menicucci, um dos arquitetos mais conceituados de Lavras. Por ser uma cidade média, podemos dizer que, em Lavras, todo mundo conhece todo mundo, ou pelos menos os pais e os avós. Fomos à casa do Dr. Evandro, como é conhecido, e, feitas as devidas apresentações e passado aquele momento de uma estranha familiaridade, justamente por já ter sido professor da minha mãe na Universidade Federal de Lavras (UFLA), eu me dei conta de que aquele arquiteto, que até então era apenas um nome famoso para mim e que sentava ao meu lado, tinha muita história para contar. E foi nesse momento que eu me perguntei – quem é esse senhor simpático, cheio de história e de histórias? Como jornalista adora causos, pensei que seria de uma riqueza enorme registrar um pouco da história desse arquiteto que ama sua profissão, música clássica e um bom vinho. Para essa entrevista de perfil, voltamos à casa dele, em uma manhã de uma quinta-feira. O Dr. Evandro nos recebeu em sua sala, um cômodo arejado e naturalmente iluminado, com os móveis bem pensados e vista para o charmoso espaço cheio de verde do jardim. Comecei com uma pergunta bem clássica, e até um pouco clichê: afinal, quem é o Dr. Evandro? “Essa pergunta é difícil. Eu sou um cidadão que procura fazer da minha meta um sonho. Ser responsável e respeitar o próximo e fazer da minha profissão uma missão”, disse ele. Filho de uma família de médicos, o Evandro descobriu que queria ser arquiteto em 1954. Era estudante in-

REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


terno no Colégio Marista, em Varginha, na terceira série do ginásio. “Eu sempre tive sensibilidade e organização espacial. Eu sonhava com estruturas montadas. Eu via uma residência, uma edificação e queria saber porque era assim. Sempre tive facilidade de conceber as coisas no espaço, sentir aquilo no espaço e transportar para o papel, e para a obra em si. Porque arquitetura nada mais é do que a concepção de coisas no espaço”. E, desde esse momento, nunca mais desistiu desse sonho. O arquiteto, que conseguiu realizar o seu sonho, logo completa: “entre gostar de ser arquiteto, conceber as coisas no espaço, existe uma coisa principal, que é o cliente”. Para ele, o cliente é o foco de tudo, e por isso sua preferência em trabalhar com residências, pois é o momento de realizar o sonho de uma família. “Projetar uma fábrica, um prédio de apartamento, um banco, um hospital, é uma coisa. Quando você projeta uma residência, você pega no interior, no âmago, no íntimo da família. Você tem que conhecer todos, enxergar e conversar,

totalmente descontraído, para você conseguir fazer um trabalho coerente. Porque não adianta o arquiteto fazer só o que ele quer, o arquiteto tem que fazer a sua personalidade se transformar num conforto para aquela família.” Reforçando novamente, portanto, que o cliente é a razão e o porquê das coisas, de ser um arquiteto, o simpático senhor conta, com um saudosismo tenro, o caminho que trilhou para chegar até aqui. Ingressou na Faculdade de Arquitetura da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) em 1961, e se formou em 1966. Sempre sonhando com seu futuro, hoje muito bem realizado. “A gente quando está na faculdade fica meio inseguro, não vai ter sucesso na vida, não vai ter condição de trabalho, como todo jovem da época e de hoje e amanhã, sente essa insegurança. Mas, felizmente, eu lutei muito e o meu sonho, que não era ser um arquiteto em cidade grande, mas um arquiteto em Lavras, na cidade em que eu nasci, foi realizado”. Por um tempo, montou um escritório com alguns colegas na capital mineira, que era mais uma sala de

estudos. Mas logo respondeu ao seu chamado e “eu falo com muita satisfação que eu consegui me instalar em Lavras”, comenta, com muito orgulho ao falar de sua cidade natal. “Sou lavrense nascido e filho de lavrense, e criado aqui. Estudei fora, mas nunca desliguei de Lavras. Lavras é minha cidade do coração. Isso não tem dúvida, é minha terra, eu nasci aqui.” Foi professor da antiga Escola Superior de Agricultura da Lavras (ESAL), atual UFLA, prefeito do campus, secretário de obras do município, secretário de meio ambiente e regulação urbana, continuou fazendo seu trabalho de arquiteto regional, com trabalhos dentro e fora do estado. Com todo esse carinho, Lavras recebeu o Dr. Evandro de braços abertos. Aqui batalhou para construir o seu nome, e a cidade retribuiu. “Gosto de Lavras até hoje, voltei para Lavras por opção, porque quis. Pela vontade de voltar. Quando voltei eu senti aquela felicidade de estar chegando de novo na minha terra e procurei, não sei se consegui, isso o cliente e a população é que vão falar, fazer arquitetura na minha região e dar àquilo o máximo que eu podia fazer na época, que é o meu sonho”. Nesse momento, o relógio antigo de pêndulo toca as dez badaladas, indicando que já estávamos conversando há algum tempo. O Dr. Evandro me explicava que dos trabalhos mais recompensadores que havia feito eram, justamente, as residências especiais. “Foi na época em que eu mais militei na profissão. O cliente chegava e queria uma casa com todos os detalhes e todos os sonhos da época”. No entanto, uma das obras que mais lhe toca é a Capela Ecumênica da UFLA.

“Não é uma capela para grandes eventos, mas um espaço para meditação, e ali, com vários materiais, eu procurei representar as várias crenças. Por ser um espaço de sonho, de meditação, é um espaço que me toca muito”. REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


PERFIL

48

O CANTINHO “Eu vivo num espaço que eu sonhei. Eu realmente gosto de ficar aqui. Sinto bem dentro da minha casa. Gosto da minha sala, que dá para meu jardim. Eu curto a casa... eu gosto de plantar meus antúrios aqui”. Evandro mora hoje na casa em que um dia funcionou o consultório do pai. Como parte de suas atividades do cotidiano, Evandro trabalha com sua empresa – da área de imóveis e loteamentos, que é dele e de seus irmãos. “Eu estou sempre me cuidando, tenho meu dia a dia ocupado. Não desliguei da arquitetura totalmente, mas estou sempre trabalhando com consultoria, na área profissional”. SUA MARCA EM LAVRAS O Dr. Evandro, que recentemente foi convidado para dar a aula magna no curso de arquitetura do Unilavras, mantém suas lembranças vivas, em diversas obras pela cidade. Para ele, “os tempos mudaram muito. Hoje o pessoal quer muito morar em apartamento, e eu fui de uma fase de residência unifamiliar”. É só passear pela rua Bernardino Macieira, que é possível ver várias casas que possuem sua assinatura. A “avenida da rodoviária” é também uma de suas principais obras na cidade. O “Ouro Preto” foi o primeiro loteamento que Dr. Evandro e seus irmãos fizeram, ali na região da rodoviária. Quando abri a avenida, há mais de 40 anos, as pessoas falaram ‘você está louco, vai fazer uma avenida dessa largura, dando terreno para prefeitura?’, e eu respondia, ‘eu não estou louco não, eu estou pensando no futuro da cidade”. Ao longo da conversa, vai ficando evidente o carinho e o conhecimento histórico que Evandro guarda REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016

Capela Ecumênica da UFLA

de Lavras. Para ele, a nossa terra tem uma característica diferente por ser sempre uma cidade de jovens. A cidade, que nasceu sobre uma colina no cale do Rio Grande, foi criada por um expedição de bandeirantes, pouco antes da época do Império no Brasil. “Quando falam que Lavras é uma rua só, é justamente por ter sido desenvolvida pelas expedições de bandeiras. Mas, com o crescimento da UFLA, o surto de progresso foi descendo pela rua Santana. Hoje nós temos muitos outros bairros, que tiraram esse perfil de cidade de uma rua só. Lavras, hoje, é uma cidade de prestação de serviços, uma microrregião”. Parece que o nosso encontro com o Dr. Evandro foi daqueles que ficam marcados. Jornalista adora aquelas “frases de efeito”, que parecem já vir prontas para o mundo ler. E nossa entrevista terminou com uma dessas: “Todo profissional tem que ter responsabilidade naquilo que faz. Tem que ter certeza de que está realizando um sonho. Toda profissão tem que ser feita com seriedade, com carinho e com responsabilidade, para que você alcance a qualidade do serviço prestado”.

“Todo arquiteto, se não for um sonhador, não tem jeito”.

Perguntas que não podiam faltar! Bebida preferida: um vinho é sempre agradável. Um prato: varia muito, um bom peixe, uma boa carne. Cômodo da casa preferido: a sala com a televisão, de onde posso ver o jardim. Um livro: leio muita coisa de arquitetura, mas específico, li um agora muito interessante, 1808, sobre a vinda da família real para o brasil. Um filme: cinema Paradiso. Um hobby: viagem. Viagem é o seguinte. É você adquirir lazer e cultura ao mesmo tempo. Você aprende com muito mais facilidade do que você ler um livro. Um lugar que visitou: Itália – sou descendente de italiano, já fui várias vezes. Lucca, cidade do meu avô, na região da Toscana. Influências na arquitetura: Frank Lloyd Wright, Le Corbusier e Oscar Niemeyer. Música: gosto de ópera, música clássica e erudita, Richard Wagner, Giacomo Puccini, Giuseppe Verdi.


REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


EMPREENDIMENTOS

50

MONTSERRAT Um condomínio no cartão postal da cidade. Por Marina Alvarenga Botelho Fotos: Daniel Rocha

REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


N

a última edição da Revista Ipê, apresentamos um empreendimento inovador e de grande porte que já teve início em Lavras: a edge city Cidade da Serra. Preparada para receber o equivalente à população atual de Lavras, totalmente planejada para o futuro e com os pilares de sustentabilidade e qualidade de vida, o Cidade da Serra engloba diversos bairros residenciais e está apto a receber grandes empreendimentos, como hotéis, hospitais, escolas, Clínicas,

escritórios, restaurantes, empresas de pequeno e grande porte. Um espaço completo como esse, com toda a infraestrutura e mobilidade urbana, possui o mais belo cartão postal da cidade: a Serra da Bocaina, ou como é carinhosamente conhecida, “Serrinha”. O residente do Cidade da Serra terá, logo ali no seu quintal, essa vista estonteante. É aliando todos esses diferenciais, conforto e lazer, que um dos espaços da Cidade da Serra se torna um destaque para quem busca qualidade

de vida: o Condomínio Montserrat. MONS SERRATUS O nome Montserrat remete à uma região da Catalunha, na Espanha, onde se encontra um monte muito alto e todo chanfrado, que abriga uma Abadia da Ordem de São Bento, fundada no século X. Do latim, mons serratus, a definição é de “monte serrado/denteado”. A inspiração para o nome do Condomínio fica clara, sendo vizinho da REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


EMPREENDIMENTOS

52

nossa Serrinha. O Condomínio Montserrat é um dos grandes destaques da Cidade da Serra. Com arborização interna, visando maior contato com a natureza, excelente topografia e lotes a partir de 600 m², os condôminos terão absoluto conforto, privacidade e segurança. Isso porque contarão com monitoramento 24h, uma portaria diferenciada e uma faixa de segurança ao redor de toda a área. Essa faixa de segurança também se torna uma pista de caminhada, que contorna todo o condomínio, com aproximadamente 1,5km de extensão, e com as ruas completamente sinalizadas com faixas horizontais, sempre com foco no pedestre e nas situações cotidianas: crianças brincando nas ruas, famílias passeando e esportistas realizando suas atividades.

REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


PALAVRA-CHAVE: L-A-Z-E-R! Mas, afinal, o que um condomínio pode oferecer que uma casa em um bairro comum não possa? É claro, temos todos aqueles benefícios supracitados (segurança, privacidade, conforto...). Mas a palavra-chave aqui é: lazer! O condômino que adquirir o seu lote no Montserrat, desde o momento da compra, já contará com uma super área de lazer, no Clube do condomínio. Entregue aos condô-

minos no dia 12 de maio de 2016, possui aproximadamente 16mil m², totalmente aproveitados para a prática de esportes, lazer e diversão com a família e amigos. Com estacionamento privativo, o Clube possui um campo society, duas quadras de peteca, uma quadra de vôlei de areia, uma quadra poliesportiva e, ainda, é o único condomínio de Lavras que possui uma quadra de tênis. São duas piscinas: a infantil e a adulto, ambas com iluminação. Além disso, conta também

com playgrounds para a criançada, jardins privativos e um complexo de lazer todo iluminado, composto por árvores e muita Natureza, o que realmente o torna muito agradável e prazeroso o ambiente. Para os momentos de confraternização, o condômino tem a sua disposição um amplo salão de festas panorâmico, com estrutura diferenciada e área gourmet. E tudo isso somente na parte superior do clube! Confira também os outros destaques:

DESTAQUES: Condomínio

Clube parte superior

Clube parte inferior

• Lotes a partir de 600m²

• Área de lazer completa

• Bar privativo

• Monitoramento 24h

• Estacionamento privativo

• Sauna

• Pista de caminhada de 1,5 km

• Salão de festas panorâmico

• Área de jogos

• Iluminação Subterrânea

• Área gourmet

• Vestiários • Espaço multiuso

FICHA TÉCNICA Incorporação Construtora Lasper Condomínio Montserrat PEMI Construtora

Plantões de Venda: (35) 3829-9800 www.construtorapemi.com.br www.cidadedaserra.com.br REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


CINEMA

54

Cena do filme The Babadook

A BELEZA DO HORROR Uma nova onda de filmes de terror subverte regras clássicas do gênero e mexem no nosso núcleo mais íntimo: a família. Por Marina Alvarenga Botelho / Jornalista e especialista em cinema Fotos: Divulgação

E

u me lembro de um episódio quando era criança, minhas primas de fora, alguns anos mais velhas do que eu, vieram passar as férias de natal. À tarde ficávamos sozinhas na casa dos meus pais, onde havia uma televisão por assinatura, daquelas em que é possível comprar o filme por pay-per-view. Nos lançamentos, o novo filme com o Freddy Krueger. Como boas transgressoras de regra, compramos o filme escondido dos meus pais (como se eles não fossem descobrir quando chegasse a conta). Fiquei várias noites sem dormir. Uma das maravilhas do terror, para mim, é essa capacidade de mexer com a gente. Quem odeia o gênero acha que já há coisas horríveis demais no mundo para nos submetermos, voluntariamente, a mais. Quem ama, anseia por essa injeção de adrenalina no efeito cinematográfico da antecipação do REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016

horror. É nesse suspense, nos planos nos quais a gente acha que vai acontecer alguma coisa, antes mesmo de acontecer, que reside um momento mágico, sinestésico e corporal, que uma imagem em movimento é capaz de nos fazer sentir. Vampiros, zumbis, lobisomens, alienígenas, crianças bizarras, bruxas, demônios, fantasmas, mascarados sanguinários, monstros mutantes e fenômenos inexplicáveis. São diversos os personagens que permeiam o universo dos filmes de terror, brincando com os nossos medos mais profundos. Mas, no final das contas, não importa qual é o mal da vez. O gênero age no susto, e é bem sucedido muito mais pelo que ele esconde do espectador, do que pelo que ele mostra. Atualmente um dos mais clássicos gêneros do cinema de narrativa clássica, o terror surge já nos primórdios do cinema. Passou por per-

sonagens clássicos da literatura, foi sucesso entre as produções “lado B”, inovou com inúmeras técnicas cinematográficas, e se consolidou nos anos 1970 e 1980 com alguns dos mais renomados filmes de terror que até hoje inundam o mundo da indústria cultural, até chegar a uma recente onda de remakes. Mas é de uma nova geração de filmes a que eu me dedico nessa coluna. Após anos se acostumando com as estratégias utilizadas pelos diretores para nos fazer arrepiar, gritar ou pular do sofá, o espectador começou a ficar entediado – ou os realizadores ficaram sem criatividade? Demorou um pouco, mas cineastas de uma nova geração responderam, com muita quebra de expectativa e subversão de regras clássicas. E é nessa hora que o medo (re)aparece de uma maneira intensa, lúdica e de forma a nos fazer questionar o porquê de nos submetermos a isso: “eu


sei que vai acontecer alguma coisa, ou não, não vai, ou vai”. Ficam, portanto, minhas indicações de três filmes que brincam com o espectador nessa “nova onda” do terror e mais algumas dicas que não poderiam ficar de fora: um clássico do terror e um trash brasileiro. Só após fazer a lista percebi: a família é um núcleo central em quase todos eles, e um fio condutor que os conecta, chamando a atenção para onde realmente reside o horror – em algo maligno ou na expressão dos nossos comportamentos mais reprimidos?

de horror, Stephen King, são diversas as teorias de fãs por trás das significações do filme. Um dos meus filmes preferidos, um clássico dirigido por um dos melhores diretores da história do cinema, não podia ficar de fora. Um casal e seu filho passarão a temporada de inverno (e muita neve) tomando conta de um hotel.

MINHAS INDICAÇÕES: The Babadook (2014, Dir. Jennifer Kent, Australia)

The Witch (A Bruxa) (2015, Dir. Robert Eggers) Sabe aqueles filmes que quando acabam você acha que odiou, mas fica pensando nele durante dias e chega à conclusão de que na verdade ele é genial e você amou? Então. É esse. Um filme que encanta pela direção de arte e de fotografia e que nada tem de semelhante aos filmes de bruxa aos quais estamos acostumados. Em 1630, nos EUA, uma família religiosa se muda para um lugar afastado. Após o recém-nascido sumir misteriosamente, eles tentam encontrar quem é a bruxa que o levou.

Uma mãe solteira luta para criar sozinha o filho, que tem, constantemente, medo de monstros. Após ler um livro chamado “O Babadook”, sobre um monstro que se esconde nas partes escuras da casa, o medo passa a ter sentido. Após assistir ao filme, fiquei dias olhando de forma suspeita para os cantos da minha casa.

A Noite do Chupacabras (2011, Dir. Rodrigo Aragão) Considerado um dos “herdeiros” de José Mojica, o Zé do Caixão, o diretor brasileiro Rodrigo Aragão é adepto do trash, um estilo cinematográfico que brinca com as regras clássicas e preza pelo “mal feito”. Muito sangue, vísceras e mortes bizarras compõem as cenas de uma rixa entre duas famílias no interior do Brasil, que acaba em tragédia e perseguição, por algo que até então era somente uma lenda – o Chupacabras.

It Follows (Corrente do Mal) (2014, Dir. David Robert Mitchell) O filme brinca com um dos jargões de filmes de terror, que é a punição/ morte para aqueles adolescentes que fazem sexo. Uma garota, após ter relações com um jovem, passa a ser perseguida por uma força sobrenatural e seus amigos tentam livrá-la desse mal.

The Shining (O Iluminado) (1980, Dir. Stanley Kubrick) Uma adaptação de uma história de mesmo nome do mestre da literatura

Marina Alvarenga Botelho Jornalista e especialista em cinema REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


56

DESIGN, MARCA

®©™ QUEM É VOCÊ?!

Foto: Daniel Mansur

Quem precisa saber?! Quem vai ser marca?!

E

ntão, depois de ter feito tudo que era padrão para estar na minha classe IBGE® e que poderia virar post em minhas redes sociais Facebook®, Instagram®, Pinterst®, como ir a Disney® com a família, jantar romântico em Paris® só para nóix, foto ao lado da escultura I Love You® em New York City®, selfie com o leão zumbi® em Buenos Aires®. Morar em um 4 quartos de grife® e 156 m² assinado por um designer®, jantar naqueles restaurantes dos chefs®, experimentar um ou outro food truck®, passar uns verões em Miami Beach® e outros em resorts® da Bahia. Ano novo em Trancoso®. Finais de semana em Sampa® e no Rio® em hotéis boutique®, ter comprado o SUV® e a HD®, o sedan que é BMW®, colocado lenço de caveira na cabeça®, uma porção de botox®, fios de ouro e couro®, ter me arriscado em uma KTM® a pisar na terra com minha bota branca de marca® que ficou marcada de minério, Vale®. Acompanhar a evolução dos iPhones® sem entender pra que serve o S® ou o Plus® e agora o SE® que não é para o meu porte.

Eduardo Braga

Designer gráfico pela FUMA - 1992. Tem uma atuação intensa na área de design, gestão e co­municação pela Pessoas Comunicação de Marcas como Diretor de Estratégias Criativas. www.fb.com/pessoasmarcam O mundo muda e algumas Pessoas continuam mudas.

Me dispus a pensar: a qual classe pertenço®?! Qual marca® me consome?! Sou autêntico® ou um replicante®?! Tenho DNA ou espelho um autêntico projeto de DNA corporativo® em bases sólidas de guidelines e taglines?! Sou marcado® para estampar posicionamento ou sou pessoa® verdadeira que marca o uso das marcas® com meu estilo e personalidade, agregando a qualidade, competência e posicionamento das marcas® a minha legítima marca® que é ser uma Pessoa® única?! Pessoas marcam® ou marcas® marcam Pessoas?!

E na próxima coluna vou abordar o que é marca pessoal®,

marketing pessoal e personal branding®.

Pessoas marcam® ou marcas® marcam Pessoas?!

REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


58

OCEANIA MÚSICA

Gustavo Drummond (ex-Udora) lança novo projeto

Por Marina Alvarenga Botelho Fotos: Fernando Lutterbach

REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


A

s influências musicais vem desde clássicos brasileiros, como Antônio Carlos Jobim e Gilberto Gil, a grandes nomes do rock mundial, como Beatles, Van Halen, Nirvana e o rei do pop, Michael Jackson. Até desenvolver sua musicalidade própria, o músico Gustavo Drummond trilhou um longo caminho pelo Brasil e pelos Estados Unidos. “A música é a principal força motriz da minha trajetória”, comenta Drummond. Já são duas décadas de dedicação no processo de sintetizar impressões e experiências pessoais em letras, melodias e estruturas harmônicas. Sua carreira teve início em 1997, com a formação da banda “Diesel” . O primeiro álbum, de mesmo nome, levou a banda a se apresentar no seu épico show no Palco Mundo da edição de 2001 do Rock in Rio, para um público de 300 mil pessoas, ao lado de bandas de renome internacional, como Red Hot Chilli Peppers e Deftones. Com uma multidão de fãs e o sucesso do show, Gustavo se mudou com a banda para Los Angeles, vivendo o sonho americano de viver em uma van Plymouth de 1978, viajando e fazendo shows em famosos circuitos, como da Sunset Strip. A banda logo foi contratada pelo lendário diretor artístico e empreendedor da indústria musical americana, Clive Davis, com o selo da J Records/BMG. Foi um conflito com a grife italiana, Diesel, que fez a banda mudar seu nome para “Udora”, que posteriormente abriu shows para grandes nomes da música grunge, como Alice in Chains, o que gerou um grande número de fãs estadunidenses. Seguiram carreira com o apoio de importantes nomes de gravadoras, produtores, chegando a ser destaque em programas de TV também norte-americanos, como em campanhas do canal esportivo ESPN durante a Copa do Mundo Fifa, de 2006, com a canção “The Beautiful Game”. Mudando um pouco os ares, a Udora se mudou novamente para o Brasil após essa etapa, com a vontade de lançar novo álbum, mas dessa vez, com letras em português, como uma forma de mostrar gratidão aos seus fãs brasileiros por

todo o apoio demonstrado ao longo dos anos. Um dos destaques na época foi a participação da trilha sonora da novela teen da Rede Globo, Malhação, com a música “Quero te ver bem”, em 2008. A música é parte também do álbum lançado no mesmo ano, “Goodbye Alô”, com a gravadora Som Livre. Mais uma época de inúmeros shows, festivais e turnês pelo Brasil. O último álbum da banda foi lançado em 2012. O “Belle Époque” gerou críticas favoráveis pela mídia especializada, com canções autorais em português. Após o lançamento, resolveram “dar um tempo”, para que Gustavo Drummond pudesse se dedicar a projetos pessoais acadêmicos.

Oceania é esse novo projeto, cujo nome que se dá pela alusão à imensidão e amplitude próprias de uma experiência de duas décadas com a música. Em 2016, com mais de 200 músicas compostas, o músico decide retomar sua vocação original para a música e escreve novas canções, dessa vez em inglês, retomando o “rock visceral dos tempos de Diesel e a sofisticação harmônica do Udora, com letras que expressam, à sua maneira, as idiossincrasias e peculiaridades da vida”, explica Drummond. Com a participação de Daniel Debarry no baixo e Tiago Eiras na bateria, a expectativa é que o novo álbum seja lançado em breve, estabelecendo uma ponte com o legado até então construído, e a perspectiva futura de criar uma nova história, ainda mais rica e abrangente.

Cds Diesel (Diesel), Udora (Liberty Square, Good Bye Alô e Belle Époque).

FICHA TÉCNICA Gustavo Drummond Grupos Musicais: • • •

Diesel - 1997 a 2002 Udora - 2002 a 2012 Oceania - 2016 -

@gustavodrummondlc Não confundir com a banda de rock clássico dos anos 1980, com o mesmo nome.

fb.com/oceaniabh

REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


SHOW ROOM MODAFEMININA & MASCULINA

Praça Leonardo Venerando, 436, loja 105, Edifício Dr. João Lacerda - Centro - Lavras/MG - (35) 3826-6028


Rua Santana, 233 Centro, Lavras / MG

(35) 3409-0600

• Ogochi • Pituchinhus • Lilica e Tigor • Ninali • Malwee • Pura Mania • Grow up • G Baby


VIAGENS

62

POUSADA ESPELHO D’ÁGUA Refúgio elegante na natureza

REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


Por Marina Alvarenga Botelho Fotos: Daniel Rocha / Cia da Foto

E

m área nobre da Represa de Camargos e com uma arquitetura dedicada à natureza e ao bem estar, a Pousada Espelho D’água oferece charme e conforto em pleno paraíso. O aconchego do interior de Minas Gerais, com sua conhecida hospitalidade e suas deliciosas quitandas, se uniu à beleza natural para fazer, desse lugar de pouso, um lugar especial. Em meio a uma mata intocada, os chalés - que receberam nomes de árvores nativas da região - se esparramam por um jardim exuberante, cheio de canarinhos da terra e muita água. Este refúgio sustentável fica entre as cidades históricas de São João del Rei e Tiradentes, próximo às cachoeiras de Carrancas e à cidade de Lavras, na região sul do estado. Em sua hospedagem na Pousada, a diretora do Circuito Elegante, Priscila Bentes, destacou a beleza do local: “apenas sete chalés, distribuídos de forma equilibrada pelo jardim. Uns maiores, outros menores, mas todos com vista para a represa. De lá, independentemente de onde você esteja, até durante o banho, se avista o espelho d’água: lugar que recebe pelas manhãs o sol, e também onde a lua, à noite, se espelha. E se for lua cheia – como o que ocorreu em nossa passagem por lá – se prepare, pois o espetáculo é de tirar o fôlego”. O salão da Pousada é o lugar ideal para a realização de pequenos e íntimos eventos, como aniversários, festas de 15 anos, noivados, batizados e outras comemorações. O jantar do Dia dos Namorados e o já famoso Réveillon fazem parte de eventos badalados da região, e fazem com que as reservas sejam feitas com meses de antecedência. O lazer fica por conta dos esportes aquáticos, como wakeboard, REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


VIAGENS

64

standup paddle, velas e caiaques. Trilhas para caminhadas, piscina aquecida, uma quadra de beach tênis e vôlei completam as opções. Todos os chalés possuem ar condicionado quente e frio, camas box, cozinha americana, varandas e ainda televisores LCD e DVD. “As roupas de cama e os amenities [shampoo, condicionador e sabonete] são da famosa marca Trousseau. Conforto e elegância, coisas que adoro!” chama a atenção a experiente e exigente viajante, Priscila, que deixa em seu blog um fiel relato sobre a Pousada: “O carinho e cuidado com o espaço, adicionados à preocupação com o meio ambiente, fazem deste um lugar mais que especial”. Além dos chalés, a pousada oferece uma simpática prática de interior: um serviço “confiance”, que funciona 24 horas por dia. Cada hóspede pega o que precisa na geladeira e na cozinha e marca em sua ficha, para que, ao final, faça o acerto. Uma curiosidade é que os vizinhos também frequentam a Pousada. Estes chegam por água, atracam suas embarcações no deck, trocam um pouco de prosa, tomam uma cerveja com tira gosto e anotam na caderneta para um acerto no final de cada temporada. Coisa de interior!

REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


UM POUQUINHO SOBRE A REPRESA DE CAMARGOS A Represa de Camargos é um lago verde, de águas tranquilas. Em frente à Pousada, ele se transforma num verdadeiro espelho d’água. É formada pelas águas doces dos rios Grande e Airuoca, e banha diversos municípios mineiros como São João del Rei, Nazareno, Itutinga, Carrancas e Madre de Deus de Minas. Cachoeiras e matas nativas completam este cenário onde o tempo corre devagar e sem pressa. Um convite perfeito para os que fogem da agitação e apreciam programas simples, como ouvir os pássaros e ver a lua nascer na represa. O Circuito Elegante® é uma associação de viajantes exigentes que contam com um conjunto de serviços especiais e de qualidade, estejam eles em busca de lazer, em viagens com a família, momentos românticos, bem estar, descanso ou mesmo em viagens de negócios, focado no tripé da Diversidade, Qualidade e Exclusividade.

FICHA TÉCNICA Pousada Espelho D’água Endereço: BR 265 km 302 - Nazareno - MG Contato: (31) 9801-1058 / 9779-4455 www.pousadaecoespelhodagua.com.br

REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


ESPAÇO GOURMET

66

NOVO NATURAL WHEY DA VERDE CAMPO “A inovação está em nosso DNA” Por Rede Comunicação de Resultado

C

om espírito empreendedor e inovador, a Verde Campo, empresa de Lavras (MG), especializada em alimentação saudável, enxergou o momento de investir em uma nova oportunidade diante de um cenário economicamente cauteloso. Após o lançamento da linha LACFREE (sem lactose), a marca aposta agora no novo produto: Natural Whey, produto que combina iogurte zero lactose com whey protein natural. “Essa é a essência que REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016

nos move. A aceitação dos produtos e a credibilidade que transmitimos aos profissionais farão com que a empresa se desenvolva nos próximos anos”, acredita Álvaro Gazolla, Diretor Comercial da Verde Campo. Pioneira no desenvolvimento de produtos sem lactose no Brasil, a Verde Campo é conhecida por investir em inovações na indústria alimentícia, criando diferenciais competitivos e novos nichos mercadológicos. Por meio de frequentes

análises de mercado para identificar tendências mundiais de consumo, a empresa aposta em novas descobertas para despontar e ser pioneira no lançamento de produtos diferenciados e saudáveis no Brasil. “A inovação está no nosso DNA. A linha LACFREE (sem lactose) foi vanguardista no mercado de lácteos especiais e, agora, o Natural Whey chega para completar o nosso mix de produtos”, afirma Álvaro. Grande lançamento da Verde


eína t o r p + ia + energ + saúde

Campo para 2016, o Natural Whey é um produto inovador. Combina whey protein natural com o iogurte LACFREE da marca, tornando-se uma importante fonte de proteínas nobres para os adeptos de atividades físicas. Segundo o Diretor Comercial, a Verde Campo vem desenvolvendo o Natural Whey já há algum tempo. O produto tem como objetivo levar os benefícios do whey protein para os atletas profissionais e amadores, e qualquer pessoa que pratique atividades físicas regularmente. “Hoje, o consumo de whey protein é fortemente relacionado aos atletas de alto rendimento e ao público fitness, enquanto seus benefícios são quase desconhecidos pelas pessoas que praticam atividades físicas regularmente e mantêm hábitos de vida saudáveis”, completa Gazolla. O Natural Whey combina o whey

protein com a caseína, que auxiliam na reparação dos músculos que sofreram microlesões devido à prática de exercícios, promovendo, assim, o fortalecimento e o ganho de massa muscular. O produto já vem pronto para beber, contém 250 ml, e cada porção possui 14 gramas de proteína. O design da embalagem é especial, pois tem as dimensões de uma squeeze, podendo ser transportado com facilidade, antes, durante e após a atividade física. O Natural Whey chega para revo-lucionar o mercado lácteo no que se refere ao beneficiamento do soro do leite (origem do whey protein). “Debruçamo-nos sobre esse produto e desenvolvemos uma tecnologia especial para garantir a combinação perfeita entre o sabor e a otimização dos benefícios funcionais e nutricionais dessa proteína. Por isso, o Natural Whey é uma opção para quem

busca uma suplementação proteica de alta qualidade em uma dieta balanceada. Ele também é zero lactose, zero gordura, adoçado com Stevia [adoçante natural] e contém corantes e aromatizantes naturais”, comentou Álvaro Gazolla. O produto poderá ser encontrado em supermercados de todo o Brasil, nas versões banana, baunilha e morango.

FICHA TÉCNICA Verde Campo Natural Whey • Banana • Baunilha • Morango Para mais informações: www.verdecampo.com.br

REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


ESPAÇO GOURMET

68

FONDUE DE CEBOLA E BACON Foto: Daniel Rocha / Cia da Foto

INGREDIENTES: • • • • • •

150 g de bacon picado 1 dente de alho amassado 1 pacote de creme de cebola 4 xícaras de leite 200 g de cream cheese 150 g de queijo parmesão ralado grosso.

MODO DE PREPARO: Em uma panela, frite o bacon e retire o excesso de gordura. Junte o REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016

alho e deixe dourar. Acrescente o leite e logo em seguida o creme de cebola, mexendo sem parar para não empelotar. Junte o cream cheese e o queijo, misturando até ficar homogênio e cremoso. Leve a um recipiente próprio para fondue, ou até mesmo dentro de um pão italiano. Sirva com tomate cereja, queijos, pães, carnes e um bom vinho!

Ana Carolina Abe-Saber Cozinha Gourmet


CASHEMIERE INGREDIENTES • 50 ml de Yaguara Ouro • 20 ml de Amaretto Cream • 15 ml de St.Remy • 80 ml de chocolate quente - Cobertura de espuma de cupuaçu • 1 canela em rama

Foto: Wellington Nemeth

• Cacau em pó

CASHEMIERE COCKTAIL DE INVERNO

E

m meados de abril e início de maio, as folhas caem, o vento sopra e o nosso corpo nos pede providências quanto ao que vestir, o que comer e o que beber. Inúmeros endereços são buscados: quanto mais frios, melhor. Desde as Serras Gaúchas e da Mantiqueira e suas cidades, a lugares na América do Sul, onde se possa, além de ver a neve, praticar um pouco de Ski. Para nós, bartenders, as coisas mudam, pois acompanhamos toda esta atmosfera. Somos convidados a participar com o nosso trabalho de criação e interpretação de vários cocktails aclamados nesta época de baixas temperaturas. Alguns dos mais pedidos são os sempre cultuados, Grogs, Egg-Nogg, Irish Coffee e até mesmo os nossos vinhos quentes e quentões, que nunca saem de moda. Seguindo essas tendências de

inverno, criei para vocês, leitores da Revista Ipê, algo muito especial. Utilizo como base alcoólica uma cachaça Yaguara envelhecida de ótima qualidade, junto ao sabor de um creme de amêndoas, com sua textura aveludada e sabor único. Um toque sutil de St. Remy, de sabor marcante da maçã, e, para aquecer, chocolate amargo quente, soberbo - que vai ao imaginário de todos os mortais, nesta época de inverno. Afinal, quem sobrevive sem uma caneca de chocolate quente nestes dias frios?! Em uma caneca charmosa de ágata, despejo todas estas preciosidades e experiências marcantes, e cubro com uma espuma de cupuaçu, com o seu sabor e perfume ricos do norte do Brasil. Este é o “Cashemiere”! Espero que vocês apreciem, juntem os amigos e levantem as canecas. Saúde!

MODO DE PREPARO Em uma caneca de Ágata previamente aquecida, coloque a Yaguara, o amaretto cream, o St. Remy e o chocolate quente, misture bem, acrescente a espuma de cupuaçu, a canela e o cacau em pó.

Derivan Ferreira de Souza Barman

REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


A melhor seleção de cosméticos ao seu alcance Cabelos - Corpo - Unhas - Makeup - Presentes - Marcas Nacionais e Importados

(35) 3822-5822

@instadablzsa

/facedablzsa


REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


REVISTA IPÊ | ABR/MAI/JUN/2016


Todo

o ç r o esftem a sua

recompensa.

eína t o r +p rgia e n e + e + saúd

NATURAL WHEY PROTEIN No delicioso iogurte Verde Campo.

A Verde Campo acaba de lançar mais um produto inovador. O Natural Whey auxilia no ganho de massa muscular, repõe energia após atividade física e garante ainda mais saúde. É uma recompensa para quem quer superar desafios. Todos os dias. 14 g de proteína

pronto para beber

ZERO gordura

sem adição de açúcar

Adoçado com Stevia

Corante e aromas naturais

zero lactose

Revista Ipê 11 Edição  
Revista Ipê 11 Edição  

DE 40M2 PARA UM EMPÓRIO

Advertisement