Page 1

REVISTA

ipê REVISTA TRIMESTRAL - DISTRIBUIÇÃO CONTROLADA

ANO V - Nº 16 - JUL/AGO/SET 2017

OSTEOPOROSE O desafio do envelhecimento saudável Tire todas as suas dúvidas com o ortopedista Ednaldo Bougleux da Silva Andrade e a ginecologista Karla Zanolla Dias de Souza

NOVIDADE Conheça a cervejaria do Funil, em Lavras

VIAGEM Casa dos Arandis no Caribe Baiano


Dos melhores momentos

o amor demonstrado


Aprenda mais dicas nas cafeitau redes sociais

fica só o essencial.

o cuidado partilhado Utilize a borra do Café Itaú, preparado sem açúcar, como fertilizante e para atrair minhocas. A cada 100g de Café Itaú misture 1 litro de água. Use essa mistura na sua horta ou jardim.

O sabor dos melhores momentos www.cafeitau.com.br


| EXPEDIENTE

REVISTA

ipê

NOVIDADE Conheça a cervejaria do Funil, em Lavras

VIAGEM Casa dos Arandis no Caribe Baiano

REVISTA TRIMESTRAL - DISTRIBUIÇÃO CONTROLADA

ANO V - Nº 16 - JUL/AGO/SET 2017

Nossa Capa Dr. Ednaldo e Dra. Karla Cidade: Lavras/mg Foto: Daniel Rocha

OSTEOPOROSE O desafio do envelhecimento saudável

EDITORIAL

Tire todas as suas dúvidas com o ortopedista Ednaldo Bougleux da Silva Andrade e a ginecologista Karla Zanolla Dias de Souza

PROJETO EDITORIAL Édison Marques Júnior DESIGN E PROJETO GRÁFICO Édison Marques Júnior JORNALISTA RESPONSÁVEL Camila Caetano JURÍDICO Édison Marques FOTÓGRAFOS Daniel Rocha Fotografias José Henrique (Cia da Foto) REVISÃO Pauline Freire Pimenta REDAÇÃO Ana Carolina Siqueira Abe-Sáber Boris Feldman Camila Caetano Ennemont Theyson Morel Flávia Ferreira Camila Corrêa P. Santa Cecília COMERCIAL Édison Marques Júnior Contato: (35) 99143-4125 contato@revistaipe.com.br www.revistaipe.com.br EDIÇÕES AVULSAS E ESPECIAIS contato@revistaipe.com.br Edição nº 16. Distribuição controlada Impressão: Editora Rona

SIGA A REVISTA IPÊ

@REVISTAIPÊ FB.COM/REVISTAIPÊ Artigos assinados são de responsabilidade dos respectivos autores. Autoriza-se a reprodução, desde que citada a fonte.

UMA EDIÇÃO COMPLETA Nesta edição, você poderá apreciar os mais diversos temas. Uma revista feita com muita dedicação de toda a equipe com um conteúdo ainda mais rico e completo. A osteoporose se caracteriza pela diminuição progressiva da densidade óssea. Esclareça suas dúvidas com o ortopedista Ednaldo Bougleux e a ginecologista Karla Zanolla, em nossa matéria de capa. Há ainda diversas outras matérias que envolvem a área da Saúde, com outros profissionais da Medicina, além da Nutrição e Educação Física. Um caderno especial em menção às datas comemorativas dessas áreas. Ainda sobre datas comemorativas, desta vez, fizemos uma homenagem especial a Lavras, e você poderá admirar as melhores fotografias da nossa cidade, todas realizadas pelos nossos leitores. Neste ano também foram comemorados os 50 anos do álbum The Piper at the Gates of Dawn primeiro trabalho autoral de Pink Floyd. Relembre esse ícone da música e conheça a nova banda lavrense Aurum Prisma, um tributo a Pink Floyd. Você também conhecerá um pouco mais sobre a nova Cervejaria do Funil, com produção em Lavras. Sua proposta é de fazer cervejas diferenciadas, respeitando os estilos e sugerindo inovações. Além disso, veja a história dos motociclistas lavrenses que atravessaram a Cordilheira dos Andes. E se apaixone pela Casa dos Arandis, uma joia escondida na Península de Maraú. Uma forma única de apreciar a beleza, culinária e cultura baiana. Contemple esses e diversos outros assuntos!!! Édison Marques Júnior Diretor da Revista Ipê


REVISTA

ipê

Jul/Ago/Set 2017 SUMÁRIO CAPA A osteoporose se caracteriza pela diminuição progressiva da densidade óssea. Esclareça suas dúvidas com o ortopedista Ednaldo Bougleux e a ginecologista Karla Zanolla.

32

VIAGENS

TIRADENTES

Uma forma única de apreciar a beleza, culinária e cultura baiana. Conheça a Casa dos Arandis, uma joia escondida na Península de Maraú.

Festival Cultura e Gastronomia de Tiradentes atraiu mais de 45 mil pessoas. O evento, que fez 20 anos de história em 2017, homenageou Minas Gerais.

70

80

CASA COR

NOVIDADE

A mostra da Casa Cor, neste ano, ocupa uma edificação histórica, cuja origem remonta ao início do século XX: um casarão que faz parte da extinta Rede Ferroviária Federal.

Conheça a Cervejaria do Funil, com produção em Lavras. Sua proposta é de fazer cervejas diferenciadas, respeitando os estilos e sugerindo inovações.

64

74

MÚSICA Neste ano foram comemorados os 50 anos do álbum The Piper at the Gates of Dawn, primeiro trabalho autoral de Pink Floyd.

56

SEÇÕES MEIO AMBIENTE

12

FOTÓGRAFOS AMADORES

14

AVENTURA

18

MODA

22

BELEZA

26

MATINÊ

28

LIFE FITNESS

30

TURISMO

48

AUTO PAPO

54

POLÍTICA

58

JURÍDICO

60

ESTATÉGIA E VENDAS

62

GASTRONOMIA

78

ESPAÇO GOURMET

82

LAVRAS

84

SOCIAL

86


| CARTAS

EDIÇÃO 15

Envie comentários, sugestões e opiniões para serem publicados nesta seção Revista Ipê contato@revistaipe.com.br www.revistaipe.com.br Participar da última edição da Revista Ipê e ter um retorno tão positivo nos faz acreditar no trabalho de toda a equipe, que por sinal foi de grande profissionalismo. E essa dedicação só poderia resultar em qualidade e futuras parcerias entre a nossa empresa e a Revista. Parabéns pelo trabalho desenvolvido com tanto carinho e zelo.

Fernanda Pierageli Fonseca Proprietária da Late Show

Acho a revista interessante e muito boa. Acompanho sempre. Toda a equipe está de parabéns.

Gilmar Francisco Dos Santos Funcionário Público Municipal

A Revista Ipê é atraente desde o título. O ipê é uma árvore que perde suas folhas no outono e ao final do inverno surge com flores brancas, amarelas, arroxeadas ou róseas anunciando a primeira era. A revista nº 15 trouxe assuntos diversificados e abrangentes com layout convidativo. O tema que mais me sensibilizou foi o da Reserva do Ibitipoca. Um projeto que deve servir de inspiração aos biólogos e ambientalistas. Vamos salvar nossos biomas! Parabéns a toda a equipe e que continue produzindo comunicação e informação saudáveis.

Terezinha Monteiro 8 | REVISTA IPÊ

A Revista Ipê é mais um veículo de comunicação que veio somar aos demais visando sempre levar à população de Lavras e região informações importantíssimas sobre os mais variados temas. São reportagens feitas com seriedade, eficiência, qualidade e respeito. Parabéns à equipe jornalística pela qualidade da revista e das reportagens!

Regina Pierangeli

Gosto de acompanhar a Revista Ipê. Aprecio a qualidade da revista como um todo. As matérias são diversificadas e muito bem produzidas, além de apresentar um belo trabalho gráfico e fotográfico de se encher os olhos. Parabenizo toda a equipe pelo belíssimo trabalho, pois não é fácil gerar uma revista com a qualidade que a Revista Ipê possui.

Heider Alvarenga de Jesus Diagramador UFLA

Belas imagens, reportagem de conteúdo, destaque para o que nossa região tem de melhor! Essas e outras coisas fizeram com que eu me encantasse pelo trabalho da Revista Ipê!

Carla Erilda Furtado Servidora Pública


| COLABORADORES

RAÍZES PIVOTANTES Os colunistas da Revista são como as raízes pivotantes dos ipês, imprescindíveis para o florescimento da nossa estrutura. Nutrem os leitores com conteúdos e informações de qualidade, constroem pontes e estabelecem novas conexões, permitindo a disseminação de mentes férteis e brilhantes.

ENNEMONT THEYSON MOREL Empresário, Consultor e Coach Formado em Comunicação Social, com pós-graduação em Comunicação Empresarial e Marketing, mais MBA em Gestão Estratégica de Negócios e mestrado em Gestão Empresarial e Auditoria. Fundador da Amplliare: Coaching, Consultoria e Treinamentos sob medida. Membro da Sociedade Brasileira de Coaching, possui ainda quatro certificações internacionais. Atualmente é professor de Negociação e Gestão de Vendas na pós Graduação FAE/ Ipecont – Itajubá e diretor na FRVendas, maior franqueadora em solução de vendas do Brasil. 10 | REVISTA IPÊ

FLÁVIA FERREIRA Maquiadora

BORIS FELDMAN Jornalista e Engenheiro

CAMILA CORRÊA P. SANTA CECÍLIA Fashion Image

ANA CAROLINA S. ABE-SÁBER Chef de Cozinha

Flávia Ferreira é maquiadora visagista, com ênfase em maquiagem social. Com formação nas grandes escolas de maquiagem e por grandes maquiadores, trabalha no seu Studio em Lavras com maquiagens airbrush e convencional. Ministra cursos profissionalizantes no Senac Lavras e no seu Studio. Também ajuda as mulheres a realçarem a sua beleza através dos cursos de automaquiagem.

Formado em Engenharia e com pós-graduação em Comunicação. Editor e colunista em cadernos de automóveis de diversos jornais. Produz o programa Auto Papo e integra 38 rádios. Criou e apresentou o programa Vrum. Foi piloto de competições em rallys e corridas e vice-presidente da Confederação Brasileira de Automobilismo. É diretor do Veteran Car Club de Minas Gerais. Produz o Blog do Boris no portal R7. Jurado do concurso “International Engine of the Year” e do “Carro do Ano” da revista AutoEsporte.

Formada em Fashion Image pelo Instituto Marangoni de Paris. Sócia no blog www. euphoriadeestilo.com.br Sócia e proprietária da loja Closet Lavras.

Nasceu em Lavras, formou-se em Turismo pela Newton Paiva em Belo Horizonte. Fez o curso de Cozinheiro Profissional do SENAC BH e Gastronomia Internacional pela escola de culinária Mausi Sebess de Buenos Aires. Foi chef da confeitaria do restaurante francês Alice Braserrie de Brasília, onde abriu seu restaurante.


| MEIO AMBIENTE

Plantadores de rios Aplicativo possibilita a recuperação das nascentes de Lavras Por Camila Caetano

O

aplicativo “Plantadores de Rios” tem âmbito nacional, mas para que Lavras seja um exemplo ambiental, a Universidade Federal de Lavras (UFLA) e a Prefeitura Municipal iniciaram uma forte campanha, com o objetivo de recuperar 766 nascentes que estão em situação crítica no município. Com o apoio de toda a população lavrense e empresários da região, será possível recompor a vegetação nativa de 169,91 hectares. O aplicativo permitirá a interação de proprietários de imóveis rurais cadastrados no Sistema de Cadastro Ambiental Rural (Sicar) com pessoas e instituições que queiram ajudar na proteção e recuperação

12 | REVISTA IPÊ

dessas áreas. Essa nova alternativa foi desenvolvida pelo Laboratório de Manejo Florestal do Departamento de Ciências Florestais (DCF/UFLA) e pelo Serviço Florestal Brasileiro. A iniciativa vai ao encontro do combate à crise hídrica no País. Em Lavras, inicialmente, será realizada a estratificação das nascentes por setores rurais e classificação dos setores por grau de degradação, além da estratificação por micro-bacias cadastrada no Cadastro Ambiental Rural (CAR). Toda a equipe técnica do projeto será capacitada para que seja realizado um trabalho de recuperação das nascentes junto ao produtor. O reitor da UFLA, professor José

Roberto Soares Scolforo, explica a importância de se fazer a revegetação das áreas de Lavras no combate à crise hídrica. “A vegetação nativa quebra a velocidade da água, cria condições de maior infiltração no solo, possibilitando o abastecimento do lençol freático. O que buscamos com esse projeto é ampliar a capacidade de produção de água, na medida em que um número muito significativo de nascentes está sem vegetação no seu entorno”, destaca o professor. O prefeito de Lavras, José Cherem, ressalta ainda a dimensão do projeto que será aplicado na cidade. “É um programa ambicioso, mas com um objetivo prático e por isso


tem tudo para ser concretizado. Mas, é necessário nos unir, para realmente ser executado. Será uma nova dinâmica para mudar essa situação em Lavras”. Para o diretor de Tecnologia da Informação do Lemaf, Samuel Campos, o programa vem para trabalhar e conscientizar a sociedade de que os rios precisam de árvores para sua preservação. “Quando pensamos em falta de água, só percebemos quando abrimos a torneira e não temos água disponível. É preciso evitar que cheguemos a esse ponto”, comenta Samuel. O reitor também enfatiza o engajamento social do programa, que permitirá a contribuição de toda a sociedade, principalmente em regiões mais precárias, com a presença de produtores menores. “Há nascentes que são para o consumo diário dos proprietários, mas temos uma infinidade que contribui para formar riachos e até mesmo rios maiores, sendo importante para toda a população. Essa adoção pode ser realizada de diversas formas, por meio de instruções técnicas, ensinando como fazer a revegetação, ou com a doação de mudas, adubos, cercas, entre outras iniciativas. A obrigação disso é do proprietário rural; no entanto, não é só ele que se beneficia da água das nascentes – por isso, é preciso essa mobilização social, visto que é um bem essencial a todos”, afirma o reitor.

O APLICATIVO

a nascente, o aplicativo sugere ao interessado quais são as melhores mudas e espécies para aquela região e ainda formas de plantio. Samuel ressalta que a UFLA, além de idealizadora, é uma das instituições patrocinadoras do projeto, atuando efetivamente na execução do programa, por meio da atual campanha em Lavras.

SAIBA MAIS SOBRE O APLICATIVO: www.car.gov.br/plantadores-rios

Disponível na

Disponível na

NO BRASIL Já foram mapeados 15 milhões de hectares de Áreas de Preservação Permanente (APP) no Brasil, das quais 6 milhões precisam ser recuperados. Além disso, o sistema já cadastrou 1,5 milhão de nascentes. O diretor do Serviço Florestal Brasileiro e responsável pela gestão e coordenação do CAR, Raimundo

Deusdará Filho, ressalta que 51% de proprietários e posseiros inscritos no CAR manifestaram interesse em aderir ao Programa de Regularização Ambiental (PRA) e 18% deles desejam fazer reflorestamentos para recuperar suas áreas. Deusdará Filho acredita que o número de nascentes no País seja ainda maior; contudo, ele ressalta a relevância dos dados já obtidos, visto que, até então, não havia nenhum registro. “Agora, por meio desse aplicativo, desenvolvido em parceria com a UFLA, será possível o envolvimento dos cidadãos, das empresas e universidades. Algo que permita que todos vejam as nascentes do Brasil e possam apadrinhá-las, auxiliando de diversas formas. Tudo isso é o resultado de muito esforço, sendo motivo de muito orgulho”. Para o reitor da UFLA, essa é uma contribuição tanto para o presente quanto para o futuro de todos, na linha do verdadeiro desenvolvimento sustentável do País. “A UFLA, através do Lemaf, contribuiu com o Serviço Florestal Brasileiro e com o Ministério do Meio Ambiente de maneira decisiva, para que o Sicar fosse viabilizado. Agora temos ainda um importante subproduto – o ‘Plantadores de Rios’, e muitos outros que ainda serão gerados pela nossa Universidade. É a UFLA marcando, mais uma vez, posição no cenário nacional, contribuindo decisivamente para que esse conceito seja cada vez mais difundido”, complementa o reitor.

O aplicativo “Plantadores de Rios” já está disponível na Play Store e App Store. Basta fazer o download para ser um apoiador. Com apenas um clique, todos podem mudar Lavras, Minas Gerais e o País. “O sistema funciona da seguinte forma: você faz o download do aplicativo no seu celular e, assim, visualiza quais as nascentes próximas a você que precisam de recomposição. Após localizar, você pode adotar uma nascente. Existem várias formas de colaborar, desde doar mudas, até ajudar no cercamento da nascente, na educação ambiental, mostrar tecnicamente ao produtor qual a melhor forma de restauração”, explica Samuel. Além de fornecer dados sobre REVISTA IPÊ | 13


| FOTÓGRAFOS AMADORES

Fotógrafos amadores de Lavras Apaixonados por fotografias se reúnem nas redes sociais Por Camila Caetano

H

á sete anos, apaixonados pela arte de fotografar se reúnem nas redes sociais com um mesmo objetivo: compartilhar olhares de Lavras e região. O grupo do facebook “Fotógrafos Amadores de Lavras”, criado em julho de 2010, é coordenado por Carlos Antoniassi (Lavras), Catarina Júlia (Lavras), Gilson Nogueira (Ingaí), José Luiz de Freitas (Bom Sucesso), Lúcia Spilotros (Lavras), Márcio Flávio V. Alvarenga (Lavras), Rogério Salgado (Lavras). “Pretendíamos reunir aqueles que curtem amadoramente a fotografia, disponibilizando um espaço virtual para mostrar suas fotos e desenvolver melhores técnicas.

14 | REVISTA IPÊ

Embora já se popularizando, a fotografia de qualidade ainda fica restrita a galerias e a publicações especializadas. Pensando nisso, tomamos também como metas a deselitização e a desmitificação dessa arte”, comentam. O grupo vai além das redes sociais, eles promovem exposições públicas anuais na Praça Dr. Augusto Silva, aos domingos, com significativa movimentação popular. Já chegaram a expor mais de 200 fotos. “Sempre é muito gratificante ver a interação e sentir o apoio de todos, o que trouxe grande estímulo ao grupo. Seguiram-se, então, diversas outras exposições em outras praças e na Casa da Cultura”, relatam.


Por do sol Panorâmica

Ingaí /MG

Cachoeira Do Cala Boca - SJDR

Represa do Funil

Além das exposições, também já foram realizados cursos de fotografias. “Percebemos também que, com a participação, os membros mais ativos vinham se aprimorando cada vez mais. Decidimos então desenvolver um curso básico de fotografia aberto a todos os membros e posteriormente fizemos alguns cursos, seminários e palestras abertos ao público em geral”, destacam. O último trabalho foi em parceria com o Centro de Desenvolvimento do Talento (Cedet). Após um curso básico preparatório, foi realizada uma excursão fotográfica ao Parque Quedas do Rio Bonito, que culminou em exposição das fotos selecionadas dos alunos em evento comemorativo do aniversário daquele centro. “Surgiu a necessidade de sair do virtual e passamos a promover passeios fotográficos em Lavras e região, trazendo ao grupo um enorme acervo fotográfico e um grande diferencial entre os demais na área de fotografia na internet. São importantes momentos de confraternização, companheirismo e de muita aprendizagem para os participantes. Todos os membros do grupo são sempre convidados para esses eventos”, contam. O grupo também estimula desafios fotográficos com temas específicos. As fotos vencedoras ganham destaque na mídia local. Além disso, com maior visibilidade em toda a região, o grupo já recebeu diversos convites para fotografar os municípios vizinhos, seguindo-se de exposições das melhores fotos em praça das cidades, integrando com as atividades de cultura. Em Lavras, neste último ano, a parceria com a Gerência de Cultura já rendeu vários convites para fotografar eventos na cidade. REVISTA IPÊ | 15


Conectada ao Futuro! A MinasNet atua como uma empresa de acesso Banda Larga desde 2006, trabalhando com profissionais experientes e treinados para garantir aos nossos clientes um atendimento de excelência, rápido e eficaz. Presente em 17 cidades da região do Sul de Minas, conta com grandes projetos de expansão para as demais cidades da região e zona rural. Infraestrutura com os melhores equipamentos para transmissão de rádio frequência, wireless e cabo. Não importa onde você esteja, a MinasNet chega até você! A MinasNet tem uma equipe de atendimento comprometida, treinada e sempre perto de você! Afinal, o hoje exige velocidade!


Internet a Cabo Oferece uma maior segurança em seu tráfego de informações, reduzindo problemas de transmissão de dados e interferência em sua conexão.

Internet Wireless Para usuários que precisam de flexibilidade, pois é rapidamente instalada, e pode ser acessada de maneira fácil e rápida por qualquer computador ou aparelho em sua área de cobertura.

Consultoria de infra e redes Planejamento de processos para que a rede ofereça condições ideais e de forma eficiente. Projetos de fibra óp tica em prédios e condomínios.

Venda de link dedicado Sua empresa tem a garantia de 100% de velocidade e estabilidade de conexão.

Fibra Óptica - Condomínios Temos o projeto ideal para condomínios, comerciais ou residenciais. Venha e conheça nossos planos. Para maiores informações! Acesse nosso QR Code! Ou nosso site!

www.minasnet.net Cidades Atendidas: • Bom Sucesso • Carmo da Cachoeira • Carrancas • Ibituruna • Ijaci • Itutinga • Lavras • Luminárias • Nazareno • Nepomuceno • Perdões • Ribeirão Vermelho • Santana do Jacaré • Santo A. do Amparo • São Bento Abade • São Tiago • São Tomé das Letras

Matriz em Perdões - MG Av. Régis Bittencourt, 390 - Centro (35) 3864-9300 / 99710-3511 98861-5710 Representante Lavras - MG R. Rui Barbosa, 260 - Centro (35) 3826-4291 / 99710-3511 98861-5710


| AVENTURA

Aventuras de moto Lavrenses percorrem quase 10.000 km pela América do Sul em 21 dias Por Camila Caetano

La Mano del Desierto

C

elso Ricardo, Alexandre Locha, Maurilio Lopes e José Henrique partiram em uma viagem inesquecível, com poucas bagagens e apenas suas grandes parceiras: as motos Harley Davidson, Fatboy 1600cc, BMW GS 1200, Honda Shadow 750, Triumph Thruxton 900cc, respectivamente. Foram 21 dias, passando por lugares memoráveis, como Corrientes, Posadas, Salta, San Salvador Jujuy, Paso Jama, Deserto do Atacama, São Pedro de Atacama, Calama, Antofagasta, descendo pela costa do oceano Pacífico até próximo a Santiago, entre outros, da Argentina ao Chile. O fotógrafo José Henrique conta que há muito tempo planejava essa viagem, o difícil era conciliar uma data e a disponibilidade de todos. “Depois que resolvemos ir, toda a preparação foi de aproximadamente oito meses. Fizemos o roteiro e decidimos onde iríamos parar. Tínhamos algumas cidades em mente, mas nenhuma reserva em hotéis anteriormente. Quase nunca entrávamos

18 | REVISTA IPÊ

nas cidades, seguíamos viagem o máximo possível, e parávamos somente para dormir, pois nosso objetivo era chegar ao Chile”, conta. Apesar dessas viagens aventureiras, por motociclistas, já serem mais comuns, eles relataram que muitas pessoas ainda se surpreendem. “Teve um momento muito divertido. Em Villa Maria (Argentina), fomos parados por policiais, mas eles não nos abordaram para fiscalizar, queriam ver como eram as motos, ficaram conversando conosco. Falamos nosso espanhol enrolado, mas conseguiram nos entender”, comenta José Henrique. Eles contam que foram bem recebidos em todos os locais que passaram. O que mais chamou a atenção deles foi que mesmo nas regiões mais pobres havia internet liberada e de qualidade. “Não precisei utilizar a minha rede móvel em nenhum momento”, relata. Mas, como contraste, ele comenta que ficou impressionado com a quantidade de veículos antigos na Argentina. “Muitos carros velhos,

mas muito velhos mesmo. Teve um que não acreditei, até filmei. Outro aspecto interessante é a quantidade de cabras, porcos, que ficam soltos pelas rodovias, principalmente nas regiões mais precárias”. E as aventuras, foram muitas. Com direito a ficar sem combustível. “Antes de chegar a Santiago Del Stero, paramos num local para saber onde tinha um posto mais próximo, e nos falaram que em 17 km. Mas, Maurílio já precisava abastecer, então diminuímos a velocidade para aumentar a autonomia. Quando chegamos ao posto, olhei para trás e não o avistei. A gasolina dele acabou 50 metros antes de chegar ao posto. A sorte é que era um local plano, pois, essas motos são muito pesadas, em morro não conseguiríamos empurrar os 50 metros restantes”. E não para por ai, tiveram quedas também, só que parados. “Teve uma hora que paramos para fazer uma foto, e veio uma rajada de vento tão forte que derrubou uma das motos. Precisamos de três para levantar a moto, pois estávamos a


4.000 metros de altitude, já sem ar e força”. Gasolina acabou, motociclista caiu e, para complementar, enfrentaram tempestade de areia e tremor de terra: “Antes de chegar a Copiapó vimos uma tempestade de areia, coisa de filme. Impressionante. Já em Copiapó, às 5h, a cama começou a tremer. Era terremoto. Forte, mas questão de segundos”. Os amigos comentam que em determinadas situações, no início, a tensão chega, mas, ao longo da viagem, tudo passa a ser corriqueiro. “Enfrentamos chuva, passamos muito frio, mas tudo valeu a pena. Quando chegamos à fronteira do Chile e mostramos a documentação, a funcionária da alfândega disse que estava tudo certo, mas que iria verificar as motos. Quando ela saiu estava ventando tão frio que acabou desistindo”, conta. Eles contam que antes de chegar a São Pedro de Atacama/Chile, enquanto cruzavam o deserto, com altitude de 4.300 metros, as motos praticamente não andavam, por conta do ar rarefeito que prejudica a mistura de ar e combustível. “Tivemos que tirar o filtro de ar de uma das motos e andar bem devagar, pois faltava força no motor. E a temperatura estava -7ºC. Tão frio, que as nossas mãos não esquentavam. Tínhamos que acelerar a moto com uma mão e deixar a outra próxima ao motor da moto”. Chegando a Los Andes, a intenção dos motociclistas era de apenas passar a noite e seguir direto para Mendonza, mas, devido à chuva e à neve, a passagem foi interditada. “Passamos muito frio no trajeto de Los Vilos a Los Andes (Chile). Nossa esperança ainda era dormir e seguir viagem, mas a fronteira de Paso Los Libertadores foi fechada, a mais importante entre o Chile e a Argentina. Sem previsão de abertura. Ficamos lá quinta e sexta. Somente no sábado que foi liberada. Acabamos perdendo o passeio em Mendonza. Mas, em compensação, a travessia foi fantástica, toda a paisagem branca pela neve”. Para o grupo de motociclistas, as dificuldades viram histórias, momentos épicos. E, para a próxima aventura, eles pretendem fazer uma incrível expedição no Ushuaia/Argentina. Claro, se as esposas permitirem, comentam em risos.

Salinas Grandes (Argentina)

Los caracoles (Chile)

REVISTA IPÊ | 19


| AVENTURA

Documentos para uma viagem de moto pela América do Sul Identidade: (com menos de cinco anos de emissão). Se possível o passaporte, que já possui todas as informações complementares exigidas. Caso não tenha passaporte, será necessário preencher alguns formulários, aumentando a burocracia. Carteira Nacional de Habilitação: A brasileira tem validade nos principais países vizinhos. Seguro Pessoal de Viagem: Não é obrigatório, mas é uma segurança em caso de necessidade. Oceano Pacifico Cidade de Antofagasta (Chile)

Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos Seguro Carta Verde: Para entrar em alguns países do Mercosul, com qualquer tipo de veículo, é preciso ter a carta verde, um seguro para cobrir danos contra terceiros. Só entra no país se portar esse documento. E para complementar, é interessante fazer uma extensão de perímetro do seu veículo, além do seguro viagem. No Chile, o seguro contra terceiros chama Soapex e é feito direto no site HDISeguros. OUTRAS INFORMAÇÕES

Vulcão Licancabur (Chile)

Partida: 29 de abril. Retorno: 19 de maio. Total: 21 dias. Média de gasto: R$300 por dia, com todas as despesas, incluindo gasolina e hotéis de qualidade.

Os vídeos da viagem podem ser acessados em vimeo.com (expedição moto 2017).

20 | REVISTA IPÊ


TRAJETÓRIA 1º DIA 29/04/17 Percurso: Lavras / Jaguariaíva Tempo 11h Distância: 761km 2º DIA 30/04/17 Percurso: Jaguariaíva / Dionísio Cerqueira Tempo 8h Distância: 582km 3º DIA 01/05/17 Percurso: Dionísio Cerqueira / Itatí (Argentina) Tempo 9h Distância: 583km

cama ro de Ata San Ped

11º DIA 09/05/17 Percurso: Antofagasta / Copiapó Tempo 11h Distância: 571 km 12º DIA 10/05/17 Percurso: Copiapó / Los Vilos Tempo 11h Distância: 587 km 13º DIA 11/05/17 Percurso: Los Vilos / Los Andes Tempo 3h Distância: 170 km 14º DIA 12/05/17 Estrada interditada pela neve

4º DIA 02/05/17 Percurso: Itatí / Villa Ángela Tempo 7h Distância: 339km

15º DIA 13/05/17 Percurso: Los Andes (Chile) / San Luis (Argentina) Tempo 10h:30m Distância: 530 km

5º DIA 03/05/17 Percurso:Villa Ángela / Santiago Del Estero Tempo 7h Distância: 394km

16º DIA 14/05/17 Percurso: San Luis / Santa Fé Tempo 8h Distância: 653 km

6º DIA 04/05/17 Percurso: Santiago Del Estero / Salta Tempo 7h Distância: 463km

17º DIA 15/05/17 Percurso: Santa Fé / São Borja (Brasil) Tempo 9h Distância: 648 km

7º DIA 05/05/17 Percurso: Salta / San Salvador de Jujuy Tempo 4h Distância: 93,1km

18º DIA 16/05/17 Percurso: São Borja / Vacaria Tempo 9h Distância: 556 km

8º DIA 06/05/17 Percurso: San Salvador de Jujuy / San Pedro de Atacama (Chile) Tempo 11h Distância: 476 km

19º DIA 17/05/17 Percurso: Vacaria / Garuva Tempo 12h30m Distância: 647 km

9º DIA 07/05/17 Descanso (Domingo) 10º DIA 08/05/17 Percurso: San Pedro de Atacama / Antofagasta Tempo 5h Distância: 309 km

20º DIA 18/05/17 Percurso: Garuva / Piedade Tempo 10h 30m Distância: 442 km 21º DIA 19/05/17 Percurso: Piedade / Lavras Tempo 8h Distância: 486 km Distância calculada pelo Google 9.200 km Distância real 9.740 km


| MODA

As cores do verão Fotos: Daniel Fotografias

M

uda a estação e já ficamos de olho nas próximas tendências querendo saber o que estará em alta e desfilando com as ditadoras de moda e fashionistas. Mas, quais serão as cores que prometem dominar as vitrines e as ruas da temporada mais quente do ano? A Pantone, maior autonomia em tendências de cores, já trouxe algumas apostas. Uma cartela que vai de tons vibrantes como laranja, azuis, amarelo e o pink yarrow (que é destaque), além dos tons neutros que garantem uma cartela harmoniosa e sofisticada. Tonalidades claras, como os tons pastéis em azul, amarelo e o rosa aparecem em coleções levando um toque de romantismo e delicadeza às produções. Em questão de estampas, as listras foram presença quase que obrigatória nas temporadas de moda internacionais, se firmando como o hit da estação. As clássicas e elegantes listras que foram eternizadas por Coco Chanel aparecem em versões coloridas com atenção especial para o estilo navy que agrada vários gostos, podendo ser facilmente combinadas com outras estampas criando um look cheio de estilo e moderno. Mas, lembre-se: o importante é sempre valorizar o que fica melhor em você e se sentir bem, pois assim passamos segurança e confiança do que estamos vestindo. Vou ficando por aqui e a gente se encontra nas próximas edições com mais novidades do verão.

22 | REVISTA REVISTA IPÊIPÊ | JUL/AGO/SET/2017


Foto: Divulgação

Camila Corrêa Pereira Santa Cecília • Formada em Fashion Image pelo Instituto Marangoni de Paris. • Sócia no blog www.euphoriadeestilo.com.br • Sócia e proprietária da loja Closet Lavras

@camilasantacecilia @closet_lavras @euphoriadeestilo

REVISTA IPÊ | 23


Praรงa Leonardo Venerando Pereira, 400 Centro, Lavras - MG

(35) 3821-3716


| BELEZA

Como escolher e aplicar um batom vermelho? Veja todas as dicas com a maquiadora Flรกvia Ferreira Foto: Daniel Rocha Fotografias

26 | REVISTA IPรŠ


2

O batom vermelho vem sendo, ao longo das décadas, o queridinho das mulheres. Mostrando rebeldia, sensualidade ou até mesmo descontração, seus diversos tons têm passado a informação que as mulheres desejam para aquele momento. Mas, você sabe escolher o tom ideal de vermelho? Sabe como aplicá-lo, criando um efeito de lábios bem definidos?

ENTÃO, VAMOS ÀS DICAS! A escolha do tom correto está intimamente ligada à temperatura de pele de cada pessoa. Se sua pele é de fundo quente (subtom amarelado) os tons de vermelho que mais lhe favorecem são os vermelhos alaranjados e tons mais abertos (claros). Se a sua pele é de fundo frio (subtom rosado), seus tons são os vermelhos mais escuros e tons mais fechados. Nas peles neutras (mistura dos dois subtons), qualquer tom de vermelho lhe favorecerá. A escolha correta do vermelho irá lhe deixar mais vibrante e com a impressão de que seus dentes

estão mais claros. Uma dica importante quando for escolher o tom: as pessoas precisam notá-la por inteiro e não apenas a sua boca. Normalmente, elas dirão: “Como você está bonita!” e não: “Que batom bonito!” A maneira correta de aplicar o batom vermelho: Foto 1: Aplique um lápis labial no tom do batom, contornando seus lábios. Se você tiver linhas de expressão no lábio, este produto se torna item indispensável no nécessaire de maquiagem. Afinal, ele não deixará seu batom escorrer e entrar nas suas linhas. Foto 2: Para uma maior durabilidade de seu batom vermelho nos lábios, preencha toda a boca como se estivesse aplicando o batom. Foto 3: Preencha seus lábios com o batom. Para uma maior durabilidade e contorno mais definido, opte por aplicá-lo com um pincel para batom. Caso não tenha destreza, aplique o batom direto nos lábios, mas tome cuidado para não ficar manchado em alguns lugares.

Foto 4: Para corrigir os lábios que porventura estejam tortos, use um pincel fino e um corretivo ou base do seu tom de pele. Aplique por fora do lábio, redesenhando o lado que estiver torto. Esse truque, além de corrigir os lábios, também pode criar a impressão de lábios mais volumosos. Foto 5: Esfume com um cotonete o excesso de corretivo ou base que esteja em torno do lábio. Foto 6: Maquiagem pronta! Um delineado gatinho, uma pele bem preparada e um gloss são componentes que enriquecem o look do batom vermelho.

Flávia Ferreira Make Up Av. Dr. Sílvio Menicuci (perimetral), 863, loja 02 - Bairro Belo Horizonte. Lavras/MG

Contato: (35) 98802-1593 Flávia Ferreira @flaviaferreiramakeup REVISTA IPÊ | 27


| MATINE

Matinê moda jovem A

loja Matinê, especializada em vestir sonhos, traz charme, elegância e descontração para os irresistíveis recém-nascidos, assim como para a alegria das crianças, em sua explosão de vida, brilhando na irreverência, beleza e criatividade dos teens. Ela nasceu da concepção de unir a sofisticação da alta costura ao bom gosto dos pais, sem nunca perder a perspectiva de custo acessível. Veste desde os momentos descontraídos do cotidiano até produções mais elegantes. Com gostinho de Matinê, nós convidamos seus filhos para brilharem na passarela de um glamoroso desfile, no clube de Lavras dia 20/10/2017. Muita animação em uma balada com a presença da atriz teen Fernanda Concon. Nossos parceiros que fazem a festa ser inesquecível:

Rua. Santana, 233 - Centro, Lavras /MG Contato: (35) 3409-0600 Matine Infanto Juvenil @lojamatine

REVISTA IPÊ | JUL/AGO/SET/2017


Francisco Sales, 230 - Centro - Lavras - MG 35 3822-3170 / 35-99251-8080 www.grismodajovem.com.br


| LIFE FITNESS

Espaço Kids na academia Life Fitness Atividades pedagógicas para seu filho enquanto você se exercita

T

odos os dias você pensa em voltar à ativa e iniciar uma atividade física, mas, lembra que não tem com quem deixar seu filho e acaba desistindo? Agora, você não terá mais esse problema. A academia Life Fitness, em Lavras, tem agora uma novidade que promete ser a solução para todos os pais que desejam ter uma vida saudável. A academia permite que você deixe a criançada no Espaço Kids (bem próximo dos pais, ao lado da área de musculação). Uma área ampla, colorida, com muitos brinquedos pedagógicos e, claro, sempre

30 | REVISTA IPÊ

com a supervisão de monitores, que realizam diversas atividades recreativas para as crianças. “O Espaço Kids foi um verdadeiro presente para mim e minha filha. Antes de conhecer a Life Fitness não tinha com quem deixá-la para ir à academia, hoje posso malhar tranquila enquanto ela é bem assistida por uma profissional capacitada, divertindo e interagindo com outras crianças”, conta Aline de Souza Mansano Oliveira, mãe de Maitê Mansano de Oliveira, 2 anos. A ideia surgiu com a psicopedagoga Janaína Emereciana Rezende,

Por Camila Caetano

Foto: Daniel Rocha Fotografias

Aline de Souza Manson Oliveira, mãe de Maitê Mansano de Oliveira, 2 anos


proprietária da academia, juntamente com o seu marido Ricardo Deslandes Andrade, educador físico. O espaço infantil funciona no período da manhã e da noite, sendo ofertado como um benefício para os pais que utilizam os serviços da academia, ou seja, não é preciso pagar nenhum valor extra para poder deixar seu filho no local, basta ser cliente da academia.

Diversos pais já estão utilizando o espaço. Com uma rotina frenética e com pouco tempo disponível para as atividades físicas, eles relatam que essa foi a solução perfeita. Hoje, o Espaço Kids já conta com crianças entre 2 e 8 anos. “Uma excelente iniciativa, só consigo malhar porque tem esse espaço onde posso deixar minha filha! Ela adora!!!”, relata Lilieli Oliveira, mãe de Gabrielle Oliveira, 2 anos.

Agora você pode se exercitar tranquilamente enquanto o seu filho aprende da melhor forma: brincando. “O Espaço Kids da Academia Life Fitness vem pra ajudar ainda mais os pais que querem treinar e não tem com quem deixar seus filhos. Com o Espaço Kids, nós, pais, podemos treinar com tranquilidade, enquanto nossos filhos se divertem, aprendem e interagem”, comenta Glauco Vendramini, pai de Max Duarte Vandramini, 2 anos.

LIFE FITNESS R. Gil de Souza Andrade, 06 Jardim Bela Vista, Lavras

Contato: (35) 3013-1412 Life Fitness - Lavras Lilieli Oliveira, mãe de Gabrielle Oliveira, 2 anos

Glauco Vendramini, pai de Max Duarte Vandramini, 2 anos.

@ life_fitness_lavras REVISTA IPÊ | 31


| SAÚDE

OSTEOPOROSE O desafio do envelhecimento saudável Tire todas as suas dúvidas com o ortopedista Ednaldo Bougleux da Silva Andrade e com a ginecologista Karla Zanolla Dias de Souza 32 | REVISTA IPÊ


À

medida que envelhecemos ocorre uma perda natural e gradativa de massa óssea tanto em homens quanto em mulheres. Quando essa perda é tão significante a ponto de diminuir a densidade óssea abaixo de 2,5 desvios padrão em relação à densidade óssea média de um adulto jovem, é diagnosticada a osteoporose. Assim, a osteoporose é uma doença que se caracteriza pela diminuição progressiva da densidade óssea e aumento do risco de fraturas. Na maioria dos casos, está relacionada com o envelhecimento. Tire todas as suas dúvidas sobre essa doença com o ortopedista Ednaldo Bougleux da Silva Andrade e com a ginecologista Karla Zanolla Dias de Souza. Como diagnosticar a osteoporose? O melhor método para o diagnóstico da doença é a realização do rastreamento através da densitometria óssea, que permite avaliar o estágio da doença e serve como método de acompanhamento do tratamento. O exame preventivo está indicado para pessoas que se enquadrem nos seguintes grupos de risco:

• os que já sofreram múltiplas fraturas e mulheres que, na juventude, passaram períodos sem menstruar; • os que fumam, bebem muito, não praticam exercícios e que consumiram pouco leite e derivados (cálcio) na fase de crescimento; • os que utilizaram ou utilizam cortisona, hormônios da tireóide, anticonvulsivantes e imunossupressores depois de transplantes;

• as pessoas com diabetes, insuficiência renal, cirrose ou hipertireoidismo, crianças com raquitismo ou outras doenças ósseas; • pessoas em tratamento de osteo-

porose, reposição hormonal ou em fase de uso de medicamentos como o alendronato, calcitonina, ipriflavona, cálcio e vitamina D;

• mulheres na pós- menopausa; • pessoas com idade avançada.

Dr. Ednaldo Bougleux (Ortopedista) e Dra. Karla Zanolla (Ginecologista)

2 A osteoporose se instala silenciosamente? Sim, a osteoporose é uma doença silenciosa. O primeiro sinal pode ocorrer quando ela já está numa fase mais avançada, com alguma fratura espontânea ou fratura de fragilidade. Deve ser prevenida desde a infância? Erros nutricionais (baixa ingestão de cálcio, baixa ingestão de vitamina D3 ou baixa insolação para produção da mesma, situações para má absorção de alimentos), sedentarismo, algumas medicações (glicocorticoides, anticonvulsivantes) são fatores de risco importantes para osteoporose e, em sua maioria, controláveis. Hábitos saudáveis e controle adequados de doenças podem ter impacto positivo no controle da osteoporose no futuro. É considerada uma doença feminina? Na verdade, ela pode manifestar-se em mulheres e homens. Mas, atinge especialmente as mulheres

depois da menopausa por causa da queda na produção do estrógeno, hormônio que possui papel central na remodelação óssea. Devo me preocupar com a osteoporose somente após a menopausa? O pico de massa óssea é atingido ao final da adolescência e mantido até a quinta década pela ingestão alimentar adequada de cálcio e vitamina D e pela prática de exercício físico, portanto o risco é maior em pacientes após a menopausa. Entretanto, pacientes que possuem fatores de risco devem procurar avaliação médica antes mesmo da menopausa, pois também apresentam risco de desenvolver a doença. É uma doença genética? Durante os últimos anos, a genética molecular tem se tornado de extrema significância para a pesquisa médica. Por exemplo, variações alélicas no gene receptor da vitamina D (VDR) têm sido relatadas como responsáveis pela alteração da homeostase de cálcio, com efeitos REVISTA IPÊ | 33


| SAÚDE

Divulgação

Iliopsoas Músculo psoas Músculo iliaco

Osso esponjoso Osso esponjoso

Fêmur

Fêmur normal Fêmur osteoporótico fraturado Osso forte, espesso e compacto

Osso esponjoso normal

subsequentes sobre o tamanho e a densidade óssea, o receptor da calcitonina (CTR) na densidade mineral óssea, as mulheres com genótipo recessivo mostraram menor densidade mineral óssea na região lombar, em comparação ao genótipo heterozigoto, e o gene do colágeno tipo I alfa 1 (COLIA1) está associado com a massa óssea e propensão a fraturas. Sendo assim, não há dúvida sobre a evidente participação genética na densidade, forma, tamanho e modificação óssea. Em qualquer idade ou fase da vida, a herança genética contribui de modo significati34 | REVISTA IPÊ

Osso esponjoso fino e quebradiço

Osso fino, frágil e quebradiço

vo nesses processos, embora haja a interação do genótipo com fatores do ambiente, tais como a dieta e o estilo de vida. Quem não gosta de leite apresenta maior risco de ter osteoporose? O cálcio é fundamental na formação óssea. Sua obtenção a partir da ingestão de alimentos como brócolis, espinafre, peixes e derivados do leite é imprescindível para a prevenção.

Osso esponjoso

O sol previne a osteoporose? A vitamina D é produzida naturalmente por ação dos raios UVB do Sol sobre o 7-dihidrocolesterol circulante sob a pele irradiada, transformando-o no colicalciferol ou vitamina D3. Esta por sua vez atua na absorção intestinal do cálcio alimentar e na reabsorção tubular renal do cálcio urinário. Reduz os níveis de hormônios da paratireoide (PTH) e estimula a osteogênese pelos osteoblastos, células que participam da formação óssea. Logo a ação solar tem papel importante no metabolismo do cálcio e na gênese óssea.


Dra. Karla Zanolla Ginecologista - CRM 45571

Ginecologista, Obstetra Reprodução Humana • Especialista em ginecologia e obstetrícia pelo IPSEMG • Especialista em Reprodução Humana pela UFMG • Mestre em ginecologia pela UFMG • Professora do DSA da UFLA

Excesso de fumo e álcool pode causar osteoporose? O cigarro é considerado fator de risco moderado para a osteoporose, uma vez que os componentes químicos do cigarro, entre eles a nicotina, atuam deprimindo a atividade do osteoblasto, tanto diretamente como por via hormonal. É pertinente ressaltar que os efeitos deletérios do cigarro não ficam restritos apenas a indivíduos idosos. Há relatos de perda de massa óssea em homens jovens e saudáveis, considerados fumantes pesados (mais de 21 cigarros/dia). Relativo ao consumo de álcool, parece haver um efeito direto sobre os osteoblastos, determinando diminuição nos níveis de osteocalcina nos estágios iniciais, além de mudanças histomorfométricas em etapas posteriores. Há também relatos não somente da diminuição da formação óssea, bem como de aumento de reabsorção. Em alcoólatras crônicos, os ní-

veis séricos de vitamina D e seus metabolites diminuem, independentemente da presença de qualquer hepatopatia. O consumo de bebidas alcoólicas que excede a 200 ml por semana pode interferir nos níveis estrogênicos e isso estaria associado com o aparecimento da osteoporose.

de vida e aumento da mortalidade. Já as fraturas de quadril são as mais devastadoras uma vez que resultam em hospitalização podendo causar incapacidade grave e apresentam elevada taxa de mortalidade.

O sedentarismo pode provocar a doença?

Vale lembrar que o papel da reposição de cálcio e vitamina D é muito importante, mas de forma alguma substitui o tratamento da doença. O arsenal terapêutico disponível para quem tem osteoporose é vasto e inclui drogas orais ou injetáveis, com variados esquemas posológicos. Para as mulheres que já apresentam sintomas da osteoporose, o principal tratamento é a reposição hormonal, já que, com a redução do estrogênio na menopausa, acelera-se a perda óssea.

Sim. O exercício físico constitui um importante estímulo para a formação e o fortalecimento dos ossos. Grandes períodos de imobilização e a falta de exercícios podem levar à osteoporose. Algum medicamento pode causar a osteoporose? Alguns medicamentos como: glicocorticoides, anticonvulsivantes (fenobarbital, fenitoína e, em menor escala, carbamazepina e ácido valpróico), agentes imunossupressores (ciclosporina, tacrolimo, micofenolato), anticoagulantes (heparina não fracionada e, em menor escala, heparina de baixo peso molecular, a longo prazo), agentes hormonais e anti-hormonais (medroxiprogesterona de depósito, tamoxifeno nas mulheres na pré- menopausa, inibidores da aromatase nas mulheres na pós-menopausa, agonistas do GnRH, dose supressiva de hormônio tireoidiano, pioglitazona e rosiglitazona) favorecem a redução da massa óssea. Quem tem osteoporose pode praticar atividade física? Exercícios envolvendo treinamento de resistência (apropriada para a idade do indivíduo) e sua capacidade funcional e exercícios aeróbicos devem ser recomendados para pessoas com osteoporose. Quais os locais mais comuns atingidos pela osteoporose? As lesões mais frequentes são as fraturas vertebrais, que apresentam como consequência: dor lombar, perda de estatura, deformidades ósseas, redução da função pulmonar, diminuição da qualidade

Quais são as formas de tratamento?

Dr Ednaldo Bougleux

Ortopedia e Tramatologia - CRM/MG 47523 • Residência médica em ortopedia e traumatologia pelo hospital IPSEMG • Título de especialista em Ortopedia e Traumatologia pela SBOT • Residência médica em medicina e cirurgia do tornozelo e pé pelo hospital IPSEMG

Rua Dr. João Silva Pena, 88, Centro. (35) 3409-1004

(35) 99908-1004 REVISTA IPÊ | 35


REVISTA IPÊ | JUL/AGO/SET/2017


REVISTA IPÊ | JUL/AGO/SET/2017


| SAÚDE

Dr. Natanael L. Mota, Médico Neurologista Infantil

A importância do diagnóstico precoce As dificuldades neurológicas devem ser diagnosticadas o mais precocemente possível. Entenda o porquê

38 | REVISTA IPÊ

A

migo leitor, vamos fazer uma viagem ao nosso passado. Pense você que todos nós, sem exceção, fomos formados de uma única célula, um óvulo, que se dividiu em dois, quatro, oito, até formar uma enorme população da ordem de grandeza de trilhões de células. Somos, assim, uma imensa população celular. Esse óvulo microscópico e invisível a olho nu implanta-se no útero e ao final de uma gestação surge um novo ser,

Fotos: Daniel Rocha

que acolhemos em nossos braços. A velocidade de crescimento e desenvolvimento nesse primeiro ano de vida é maior do que em qualquer outro período. O mesmo pode ser aplicado para nosso cérebro, que deverá fazer crescer, multiplicar e gerenciar uma população de neurônios que pode chegar a 100 bilhões de células. Trata-se de um órgão extremamente complexo, com uma taxa de metabolismo altíssima. Glicose


e oxigênio devem ser ofertados em quantidade e qualidade suficiente para que esse órgão funcione, cresça e se organize perfeitamente. Essa característica faz com que nosso sistema nervoso seja ao mesmo tempo sensível, mas também prodigioso. Muitas características são variações normais do nosso desenvolvimento, outras nem tanto. Por exemplo, problemas na oferta para o cérebro de glicose e oxigênio em um momento tão delicado em que se está organizando sua intricada arquitetura podem acarretar complicações futuras no seu funcionamento. Algumas condições clínicas já se manifestarão no primeiro ano de vida, ainda que muitas vezes de uma maneira sutil. Várias terão início com sintomas comuns entre si, que progredirão e terão desfecho semelhante ou diferente conforme sua natureza. Existem também algumas condições clínicas que somente irão se manifestar em idades maiores, cada transtorno com sua característica específica. Em qualquer dos casos a intervenção o mais precoce possível pode fazer com que estímulos corretos auxiliem na formação e remodelamento do Sistema Nervoso.

Quando encontramos uma criança com alguma dificuldade em seu desenvolvimento não nos cabe ser juízes para determinar sua (in)capacidade de fazer algo, ou mesmo ignorar e fingir que o problema não existe.

“Se você pôde ler este texto, considere-se um privilegiado” Se você pôde ler este texto até aqui, considere-se um privilegiado. Sim! Você teve todas as oportunidades físicas e sociais para isto. Você nasceu com um cérebro capaz de decodificar a luz que os olhos captam e processar essas informações agindo em conjunto como uma fabulosa orquestra cuja sinfonia é o entendimento daquilo que está escrito. Superados esses prerrequisitos de “bom funcionamento” do sistema nervoso, você teve ainda de ter outras pessoas que direta ou indiretamente contribuíram para que você aprendesse tudo o que sabe. Assim, o processo de crescer e aprender envolve uma teia muito grande de fatores e oportunidades para que aconteça. Um ambiente que seja estimulante, pessoas aptas a trans-

Dr. Natanael L. Mota

Neurologia Infantil - CRM/MG 55.964 • Residência Médica em Pediatria pelo Hospital Regional João Penido - FHEMIG Juiz de Fora. • Residência Médica em Neurologia Infantil pelo Hospital Infantil João Paulo II - FHEMIG - BH. • Membro da Associação Brasileira de Neurologia e Psiquiatria Infantil ABENEPI.

mitir o conhecimento, todo um conjunto de políticas públicas que favoreçam o ensino. E quando algo não dá certo? Quantos não se desenvolvem por questões orgânicas ou por problemas neurológicos? Quantos desses casos poderiam ser evitados ou amenizados?

Esta é a importância do diagnóstico precoce: temos que intervir, com as ferramentas que estejam disponíveis para cada realidade, por menores que possam parecer nossos recursos. Isso tudo para permitir que aquele jovem ser tenha o máximo de oportunidade de se desenvolver. Se o resultado final algumas vezes não for o inicialmente sonhado, paciência, pois o futuro não nos pertence. Temos tão só o presente em nossas mãos e é nele que devemos cumprir nossa obrigação de dar oportunidades. Mas, acredite, as crianças costumam nos surpreender ao mostrar do que são capazes.

Rua Professor Azarias Ribeiro, 382 Rua. Jk, edificio JK - centro - Lavras / MG (35) 3826-2691

(35) 9 8810-7351 REVISTA IPÊ | 39


| SAÚDE Dr. Guilherme Ribeiro, chefe do Núcleo Corporal da Clínica Cló & Ribeiro: mais conforto para os pacientes.

Cuidado com a incisão cirúrgica:

Dermabond Prineo

®

Produto inovador auxilia em um pós-operatório confortável e na qualidade estética das cicatrizes

A

evolução na medicina chega a todos os setores e não seria diferente no arsenal de produtos para ajudar no tratamento das cicatrizes. A cicatriz resultante de uma plástica é fruto de uma mudança de formato, harmonia e autoestima, mas como fazer para que ela seja de qualidade? O primeiro passo é o histórico médico colhido na primeira consulta e a visualização direta de cicatrizes antigas da paciente. A técnica cirúrgica apurada e a sutura delicada são pontos impor40 | REVISTA IPÊ

tantes, assim como o respeito às orientações e restrições médicas no pós-operatório. O tempo de amadurecimento completo da cicatriz é variável de paciente para paciente e entre trechos diferentes da mesma cicatriz. Existem várias medidas utilizadas que têm se mostrado benéficas para as cicatrizes: placas de silicone, fitas e injeções de corticoide, gel, cremes diversos e alguns lasers. Dr. Guilherme usa na totalidade de suas cirurgias um produto ino-

vador que se chama Dermabond Prineo®, utilizado ainda na sala de cirurgia por cima da sutura com pontos absorvíveis. “Com um aplicador próprio, aplicamos uma tela adesiva sobre a incisão suturada e por cima da tela pincelamos a cola biológica, que vem em uma caneta pincel. Em poucos minutos, ela se polimeriza e fica aderida na incisão por três semanas”, afirma ele.


Divulgação

COMO VANTAGENS TEMOS:

O Dermabond Prineo® vem em embalagem estéril com rolo aplicador e caneta pincel: é de uso único, sendo descartado após a aplicação.

• Comodidade, pois a própria tela funciona como curativo e o que for usado sobre ela fica limpo.

Foto: Rê Ribeiro

• Não se visualiza completamente a cicatriz por debaixo da tela, fato que gera conforto em alguns pacientes. • Permite banho de forma mais precoce. • Índice de infecção reduzido, pois bloqueia a cicatriz ainda na sala de cirurgia, em ambiente estéril.

O aspecto da cicatriz quando da retirada do Prineo® surpreende cirurgião e paciente; a cicatriz parece mais madura em um prazo curto de tempo. O mesmo é comprovado com o acompanhamento da cicatriz nos meses seguintes. “Se o mesmo

produto é benéfico e cômodo para as cicatrizes grandes, não vemos motivo para não usá-lo de rotina, inclusive nas pequenas incisões”, completa Ribeiro. “Superinteressante, inovador, seguro e útil’’, diz o médico.

Dr. Guilherme Ribeiro

Chefe do Núcleo de Cirurgia Corporal CRM 35891 | RQE 12751 • Cirurgião Plástico com formação ao lado do Dr. Ticiano Cló, ex-assistente, atua de forma exclusiva em Cirurgia Corporal.

Rua República Argentina, 507 . Sion Belo Horizonte | MG (31) 3282-6698 - (31) 3287-4249

• Formado em Medicina pela UFMG em 2000, com especialização em Cirurgia Plástica no Hospital das Clínicas de Belo Horizonte. • Membro Especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

@cloeribeirocirurgiaplastica

/cloeribeirocirurgiaplastica REVISTA IPÊ | 41


| SAÚDE

Alergia Alimentar Os tipos mais comuns de alergias alimentares

R

Dr. Afonso Botrel Corrêa ALERGOLOGISTA - CRM: 10785 Médico Alergista e clínico geral Rua Firmino Sales, 242 Centro Atendimento: Clínica de Doenças Alérgicas Contato: 3821-1460

42 | REVISTA IPÊ

eações adversas aos alimentos é a denominação empregada para qualquer reação anormal à ingestão de alimentos ou aditivos alimentares, independente de sua causa. São classifcadas em tóxicas e não tóxicas. As reações tóxicas são as intoxicações alimentares e as não tóxicas dependem de uma suscetibilidade individual e são classificadas em não imunomediadas (intolerância alimentar) e imunomediadas (hipersensiblidade alimentar ou alergia alimentar). As alergias alimentares podem apresentar manifestações cutâneas, gastrointestinais e respiratórias, já as intolerâncias normalmente manifestam-se através de reações gastrointestinais. A maioria das crianças com alergia alimentar se torna tolerante com o passar do tempo quando se tem total comprometimento com a dieta, exceto nas alergias por amendoim, castanhas e frutos do mar. Os principais alimentos que causam alergia em crianças são leite de vaca e derivados, soja, trigo e amendoim e em adultos são amendoim, castanhas, peixes e frutos do mar. É importante averiguar as causas das intolerâncias e alergias para a obtenção de um diagnóstico preciso. Para isso, tem-se testes alérgicos, conjuntamente com exames bioquímicos , exames físicos, uma boa anamnese e se necessário ainda exames específicos (colonoscopia, ultrassom abdominal, entre outros) para só depois dar início ao tratamento. O tratamento consiste basicamente na exclusão do alimento desencadeante das manifestações clínicas, juntamente com um nutricionista que irá auxiliar na recomposição nutricional devido à retirada de alimentos essenciais da alimentação e ao tratamento da crise alérgica.


Alergias e Intolerâncias Diferença de intolerância a lactose e alergia à proteína do leite de vaca

A

Camila Beggiato Corrêa de Souza NUTRICIONISTA - CRN: 11845 Nutricionista Clínica, Esportiva, Materno Infantil, Alergias Alimentares em adultos e crianças.

RuaThomas Antonio Gonzaga, 277, centro Atendimento: Cardiolavras contato: 3822-7077 nutricardio

@ nutri_cardio

s alergias alimentares são frequentemente confundidas com intolerâncias, porém as causas são diferentes, assim como seus tratamentos. A alergia é uma reação do sistema imunológico (de defesa do organismo) contra algo (alérgeno) que ele julga estranho, em geral proteínas. No caso da alergia ao leite de vaca (APLV), principal causa de alergia alimentar na infância, os principais alérgenos são as proteínas caseína, alfalactoalbumina e beta-lactoglobulina. Em geral, os sintomas ocorrem logo após a ingestão do alimento, mesmo em quantidades mínimas e podem envolver diversos órgãos e sistemas causando cólicas, vômitos, diarreia, sangramento nas fezes, urticária, asma, entre outros sintomas. Já a Intolerância alimentar é definida como a dificuldade do organismo durante a digestão de determinado alimento, geralmente por falta de alguma substância, como por exemplo, as enzimas digestivas. No caso do leite de vaca, o principal responsável pela intolerância é a lactose, um açúcar presente em sua composição. Ela ocorre devido à ausência total ou parcial da lactase, enzima responsável pela sua digestão. Os sintomas são exclusivamente gastrointestinais (gases, diarreia, cólica, dor abdominal) podendo ocorrer em minutos ou horas após a ingestão do alimento. Diferentemente da alergia, o aparecimento dos sintomas normalmente é dependente da quantidade do alimento ingerida. Muitos indivíduos toleram inclusive a ingestão de derivados (laticínios, iogurtes etc.) que contêm menos lactose que o leite em si. Já na APLV, a exclusão total é obrigatória do leite, derivados e todos os produtos que os contenham em sua fabricação. O tratamento ideal tanto para APLV quanto para intolerância à lactose se baseia em mudança de alimentação sempre orientada por um nutricionista, para não excluir alimentos desnecessários, ou a não exclusão de alimentos extremamente causadores. De qualquer maneira, para o intolerante ou o alérgico a um ou mais alimentos, a leitura de rótulos passa a ser parte da sua rotina.

REVISTA IPÊ | 43


| SAÚDE

As atribuições do nutricionista Nutrição é coisa séria e como ciência que é, não admite modismos e achismos, não merece ser vulgarizada. Fotos: Daniel Rocha Fotografias

44 | REVISTA IPÊ


Divulgação

E

m tempos de muito se falar em alimentos, dietas, estratégias variadas para isso ou aquilo, em restrições ou exclusão de determinados grupos ou tipos de alimentos, em atingir a almejada forma física num piscar de olhos, ocorreu-me uma reflexão acerca da nossa atuação como profissionais de nutrição. A ciência da nutrição cresce a cada dia e o conhecimento está disponível para aqueles que o desejam e que o procuram. Refiro-me aqui ao conhecimento de fato, obtido pela ciência, com ética, critérios e seriedade. É natural que, com a expansão e o crescimento de uma área ou assunto, haja um bombardeio de informações potencializado pela acessibilidade, possibilitada pela tecnologia virtual. Sim, indiscutivelmente o resultado é muito positivo, uma vez que isso colabora para o engrandecimento da profissão, para o aumento da conscientização por parte da população e incentivo à busca por capacitação e atualização profissional. Entretanto, uma questão importante tem sido motivo de atenção e preocupação para nós como responsáveis legítimos pela aplicação da ciência da nutrição. Parece óbvio, mas na prática não tem sido tão óbvio assim! Se nosso carro tem problemas onde o levamos? Se nosso animalzinho não está bem a quem recorremos? Se algo nos incomoda na boca a quem procuramos? Se somos acometidos por uma doença por qual profissional optamos? Se desejamos fazer adequações alimentares para ter saúde, buscar complementação nu-

Rita de Cássia Oliveira Nutricionista - CRN 5316

• Pós-graduação em Nutrição Clínica Funcional e em Nutrição Esportiva Funcional pela VP/UNICSUL • Nível 1 ISAK para avaliação antropométrica. • Membro da Academia Brasileira de Nutrição Funcional

tricional para o tratamento de alguma patologia ou simplesmente mudar o corpo, que tipo de profissional deveríamos procurar? Nutrição é coisa séria e como ciência que é, não admite modismos e achismos, não merece ser vulgarizada. Praticar nutrição não é simplesmente retirar glúten, leite, tomar suco detox, adicionar whey protein no brigadeiro para poder “comer sem culpa”, consumir “8” ovos por dia, cápsulas de godiberry, de fibras, de

ômega 3, chás diuréticos e “termogênicos”, shakes disso ou daquilo, dietas low carb, paleolítica, cetogênica, suplementos esportivos com atribuições milagrosas, batata doce e peito de frango como únicas fontes de carboidrato e proteína saudáveis... entre várias outras comumente praticadas. O planejamento nutricional adequado ou ideal DEVE contemplar estratégias para promover a saúde permanentemente, sem ter prazo para acabar (salvo em casos especiais), adequado à rotina, às condições financeiras, ao ambiente geral e, principalmente, ao status físico, hormonal e nutricional do indivíduo. São muitas as variáveis que implicam e determinam as melhores estratégias a serem tomadas pelo nutricionista para o alcance dos objetivos desejados. Estar bem nutrido significa oferecer nutrientes necessários ao equilíbrio orgânico, traduzido na forma física ideal ao somatotipo (biotipo), ausência de doenças relacionadas à nutrição, ter energia vital, saúde emocional, sexual (sim, nutrição tem a ver com isso também!) e, assim, longevidade. A atenção aos micronutrientes – vitaminas e minerais e aos compostos bioativos – antioxidantes e antinflamatórios – são tão importantes quanto o consumo de carboidratos, proteínas e lipídios para o equilíbrio orgânico e isso não pode ser negligenciado nem desvalorizado! A complexidade do nosso organismo EXIGE uma ação conjunta entre os vários profissionais da saúde, cada qual com seu grau de importância e abrangência que cada especialidade permite! Assim sendo, é um privilégio podermos contar com todos os conhecimentos que as ciências da saúde nos proporcionam. Busque SEMPRE um profissional que preencha requisitos básicos de formação, aprimoramento e atualização. Seu corpo e mente merecem esse cuidado, com critério, bom senso e responsabilidade. Experimente os benefícios da Nutrição Funcional. Experimente NUTRIR-SE!! Av. Silvio Menicucci (Perimetral),1800, Lavras/MG (35) 3826-2889

(35) 98833-7388 REVISTA IPÊ | 45


Foto: Arquivo VLI

| TURISMO

Maria-Fumaça de São João del-Rei e Tiradentes:

Trem turístico que liga São João del-Rei a Tiradentes, administrado pela Ferrovia CentroAtlântica, é passeio imperdível para quem aprecia história e belas paisagens. 48 | REVISTA IPÊ

Por Camila Caetano e Assessoria VLI

Q

uem visita as históricas São João del-Rei e Tiradentes pode aproveitar a oportunidade para passear na Maria-Fumaça, trem turístico que liga as duas cidades e um dos principais atrativos da região. O passeio é um convite a viajar no tempo. O percurso entre os municípios dura cerca de 50 minutos, cruzando fazendas centenárias, rios, montanhas e estações que preservam a arquitetura do século XIX. O trajeto é feito por 12 quilômetros da antiga


Foto: Arquivo VLI Museu-ferroviario

Também são expostas a EFOM nº 1, primeira locomotiva da ferrovia, e um vagão de luxo utilizado para uso da administração, construído nas oficinas da EFOM em 1912. Em São João del-Rei, anexo à estação,

Estrada de Ferro Oeste de Minas (EFOM), inaugurada em 1881 por D. Pedro II. Uma das poucas locomotivas a vapor no mundo que ainda rodam em bitola de 76 cm, a Maria-Fumaça tem capacidade para transportar até 280 passageiros por viagem. Os trens funcionam de sexta-feira a domingo, com saídas de ambas as cidades pela manhã e à tarde. Nos períodos de férias e durante eventos especiais, como o Festival de Gastronomia de Tiradentes, a Ferrovia Centro-Atlântica (uma empresa da VLI, soluções logísticas que integram portos, ferrovias e terminais) disponibiliza horários extras aos milhares de turistas que visitam a região.

ESTAÇÃO E MUSEU A estação de São João del-Rei é uma atração à parte. O prédio, também construído no século XIX, mantém características da arquitetura britânica e suas paredes exalam história. Na estação, funciona o Museu Ferroviário, inaugurado em 1981, ano do centenário da Estrada de Ferro Oeste de Minas. O acervo reúne equipamentos, peças, painéis didáticos e fotografias que contam a história da ferrovia no Brasil e na região.

também existem oficinas de manutenção. Pela riqueza de materiais, o Complexo Ferroviário da Estrada de Ferro Oeste de Minas é um dos maiores do Brasil.

INFORMAÇÕES Estação São João del Rei Rua Hermilia Alvoes, 366, Centro São João Del-Rei/MG, Brasil (32) 3371-8485 (Atendimento de 4ª a sábado)

Horário de bilheteria SJDR QUINTA-FEIRA / SEXTA-FEIRA 9h às 11h e 13h às 16h SÁBADO 9h às 13h e 14h às 16h DOMINGO 9h às 13h

MUSEU FERROVIÁRIO DE SÃO JOÃO DEL-REI Funcionamento: QUARTA-FEIRA A SÁBADO

9h às 11h e 13h às 16h DOMINGOS

9h às 12h30m. Reservas

Para reservas entrar em contato: Marlene Neves E-mail: marlene.neves@vli-logistica.com.br (Apenas para grupos acima de 25 pessoas)

Estação Tiradentes Horário de bilheteria Tiradentes QUINTA-FEIRA

9h às 11h e 13h às 16h SEXTA-FEIRA

9h às 13h e 14h às 17h SÁBADO 9h às 12h e 13h às 17h DOMINGO 9h às 12h e 13h às 14h REVISTA IPÊ | 49


50 | REVISTA IPÊ


REVISTA IPÊ | 51


52 | REVISTA IPÊ


Divulgação

| AUTO PAPO

Sistema de Monitoramento da Pressão dos Pneus

Traduzindo as letrinhas do seu carro Dispositivos computadorizados tornam o carro mais seguro, confortável, econômico e interativo

A

eletrônica tomou o automóvel moderno de assalto... São dezenas de dispositivos computadorizados que tornaram o carro mais seguro, confortável, econômico e interativo. Cada um é identificado em inglês com letrinhas que ninguém entende. O motorista não sabe sequer o que significa ABS, apesar de este sistema de freios ser obrigatório no Brasil. E muito menos que TPM se refere ao monitor que verifica a pressão dos pneus. O controle eletrônico de estabilidade (ESC) já salvou muitas vidas, pois evita de o carro sair da pista numa curva mais fechada ou ao se desviar de um obstáculo. ABS Anti-lock Braking System - Sistema de Freio Antitravamento. Impede que as rodas travem e derrapem durante a frenagem de emergência, reduzindo a distância até parar o carro, e permite que o sistema de

54 | REVISTA IPÊ

direção obedeça aos comandos do motorista no volante. ACC Adaptive Cruise Control - Controle de Cruzeiro Adaptativo. Identifica a distância e a velocidade do automóvel à frente, sendo capaz de acompanhá-lo, freando e acelerando automaticamente. ASR Anti Slip Regulation - Controle de Tração. Serve para impedir que as rodas derrapem durante a arrancada ou em terrenos escorregadios. Quando detecta que alguma roda está girando em velocidade incompatível com a do veículo, interfere para regularizar e recuperar a tração. Auto-Hold Controla automaticamente os freios ABS para manter o veículo parado

numa subida mesmo que o motorista tire o pé do pedal. É desativado quando o acelerador ou a embreagem são acionados. BAS Brake Assist System - Assistente de Frenagem de Emergência. É ativado em situações de frenagem de emergência, aplicando automaticamente maior pressão no circuito hidráulico do freio. Reforça o esforço caso o motorista não aplique a pressão máxima no pedal. Pode também ser chamado de EBA (Emergency Brake Assist), BA (Brake Assist) ou AFU (em francês: Assistance au Frenage d’Urgence). BLIS Blind Spot Monitoring System - Sistema de monitoramento de ponto cego. O ponto cego é uma região que está fora do alcance da visão do motorista e dos retrovisores. O BLIS detecta veículos nessa área e avisa que estão lá com um sinal luminoso, geralmente no retrovisor lateral daquele lado. Cruise Control Definido erroneamente como “piloto automático”, o Cruise Control mantém a aceleração do veículo constante. O motorista aciona seu comando e a velocidade desejada é mantida automaticamente.


DCC Dynamic Chassis Control - Controle Dinâmico de Chassi. Oferece modos de condução diferentes (Sport, Normal, Eco, etc.). Regula diversos recursos do veículo de acordo com o modo escolhido, emulando um determinado comportamento e resposta à direção. Driver Alert O comportamento do motorista é monitorado constantemente. Caso sinais de fadiga sejam detectados, um sinal luminoso se acende no painel (pode até ser uma xícara de café...) indicando que pode ser uma boa hora para uma parada de descanso. DSG Direkt-Schalt-Getriebe no alemão, ou Direct-Shift-Gear no inglês. Transmissão automatizada de dupla embreagem, como se fossem duas caixas de marchas manuais acopladas, uma com as marchas pares, outra com as ímpares. Permite que a marcha seguinte já esteja engatada, trocando apenas de embreagem para cambiar. Pode ser chamada PDK (Porsche), Powershift (Ford), DSG (VW), etc. EBD Electronic Brakeforce Distribution - Distribuição Eletrônica de Frenagem. Controla a distribuição da força de frenagem para cada roda, individualmente. ESC Eletronic Stability Control - Controle Eletrônico de Estabilidade. Monitora constantemente a trajetória: se um

deslizamento lateral é detectado, ativa automaticamente o freio de determinada roda para recuperar o atrito. Também pode ser chamado de ESP ou DSC. ESS Emergency Signal System - Alerta de frenagem de emergência. Ativa o pisca-alerta automaticamente quando detecta frenagem repentina. Também pode ser chamado de: SISV, EBL (Emergency Brake Light). FWD Four-Wheel Drive - Tração Integral. Indica que o veículo possui tração nas quatro rodas. Também pode ser chamado de: AWD (All-Wheel Drive), 4WD (4-Wheel Drive). HDA Hill Descent Assist - Assistente de Descida. Auxilia em declives acentuados, controlando automaticamente a velocidade do motor e aplicando os freios ABS, se necessário. HSA Hill-Start Assist - Assistente de Partida em Rampa. Serve para facilitar arrancadas na subida. Mantém o veículo parado ao arrancar na subida por alguns segundos depois que o freio é liberado, evitando que o automóvel volte para trás. Keyless Substituto eletrônico da chave. Se o motorista o carrega, o sistema o detecta e destrava portas, permite a ignição por um botão no painel, etc.

Park Assist Estaciona automaticamente o veículo, utilizando radares de distância, numa vaga que pode ser perpendicular, paralela ou em ângulo. PCS Pre-crash Safety System - Sistema anticolisão. Monitora a área à frente do veículo e detecta colisões iminentes. Caso haja o risco, alguns sistemas emitem um sinal sonoro, enquanto outros freiam o veículo ou o desviam automaticamente. RSA Road Sign Assist - Assistente para sinais de trânsito. Reconhece, por exemplo, a indicação de velocidade máxima e a coloca no painel. SRS É o air bag ou bolsa inflável. As letras significam (em inglês) Sistema Suplementar de Retenção (Supplemental Restraint System), exatamente para destacar que sua atuação é suplementar à dos cintos de segurança e não o substituem. TPM Tyre Pressure Monitoring System Sistema de Monitoramento da Pressão dos Pneus. A calibragem dos pneus é constantemente avaliada e um alerta luminoso acende no painel quando a pressão de um ou mais pneus se reduz.

Divulgação

Driver Alert: Caso sinais de fadiga, pode até acender uma xícara de café

Boris Feldman Jornalista e Engenheiro www.autopapo.com.br REVISTA IPÊ | 55


| MÚSICA

Pink Floyd: 50 anos de música The Piper at the Gates of Dawn

E

m agosto de 2017, comemoram-se os 50 anos do álbum The Piper at the Gates of Dawn, primeiro trabalho autoral da banda Pink Floyd, lançado em 1967. Formada em meados da década de 70, sob o comando do “diamante louco”, Syd Barrett, rapidamente ganhou fama no cenário underground londrino. Aliados à psicodelia, e a efeitos visuais nunca antes pensados, ficaram conhecidos pelo experimentalismo de efeitos sonoros em suas músicas, e são aclamados mundialmente como os precursores do rock progressivo. Mas, foi com a entrada do guitarrista David Gilmour, ainda em 1967, substituindo Barrett, que as letras profundas de Roger Waters se juntaram às belas linhas harmônicas que

56 | REVISTA IPÊ

Fotos: Marcelo Goulart

conquistaram fãs por todo o mundo, em mais de 250 milhões de álbuns vendidos. Hoje, a banda britânica é reverenciada por seus maravilhosos e atemporais álbuns conceituais, e conhecida pelos shows megalomaníacos, de grandes produções.

AURUM PRISMA

Banda lavrense presta tributo ao Pink Floyd A Aurum Prisma é composta por integrantes de diversas vertentes musicais, unidos pelo senso comum em fazer um som de qualidade. A banda conta com: Ericsson Reis (vocais), Brunno F. Tinôco (guitarra), Adriano Nepomuceno (baixo), Lessandro Lucas (teclado, sintetizadores, programações) e Edison

Marques Jr. (bateria). Além da participação de diversos músicos do cenário sul mineiro, que complementam a complexidade de camadas que caracterizam as composições da banda britânica. “Orgulhosamente provenientes de Lavras/MG, cidade de maravilhosa cultura musical e excelentes músicos/bandas, buscamos fazer um minucioso e respeitoso tributo à que consideramos a maior banda de todos os tempos. O nosso objetivo é de chegar o mais próximo possível do original, em termos de detalhes, texturas, qualidade sonora, timbres e arranjos, mas contando com uma ‘liberdade poética’ de poder demonstrar nossas personalidades individuais no conjunto da execução das músicas”, comenta a banda.


Essa “liberdade” nas execuções é uma das características que diferenciam as bandas cover - com reprodução fiel do original, inclusive em termos de vestimentas, trejeitos, etc. - das bandas de tributo - também preocupadas com a reprodução fiel dos ídolos, mas deixando espaço para adição de elementos, improvisações, pout pourris, etc. É exatamente a qualidade desses acréscimos que distingue e enaltece a Aurum Prisma. A banda lavrense está em processo de finalização de seu novo show, inspirado no lendário álbum duplo “Pulse” (gravado em 1994, na Earls Court, em Londres). O repertório englobará todos os clássicos consagrados do Pink Floyd, com uma passagem completa pelos álbuns The Dark Side of the Moon e

Wish You Were Here. E trarão na manga, ainda, vários hinos conhecidos pelos fãs mais fanáticos, contemplando desde Meddle a The Division Bell até aos discos Animals, Ummagumma e The Wall, com especial atenção. O propósito, apesar de ambicioso, é bastante direto: reproduzir, de forma rica e elaborada, as nuances que descrevem o complexo som do Pink Floyd. E sem a pretensão de copiar, nota por nota, as músicas dos ídolos. Mas, de forma a imprimir a interpretação individual de cada músico no conjunto da obra, adicionando personalidade própria. Com essa proposta, apesar da busca incansável por fidelidade de timbres e execuções, e a atenção às passagens marcantes das músicas

originais, consagradas nos álbuns de estúdio, os shows ao vivo da Aurum Prisma abrem espaço para improvisações e interações com o público, tornando-se uma experiência muito agradável para os fãs do rock’n roll, e principalmente para os fanáticos Floydianos!

Aurum Prisma Tributo ao Pink Floyd

(35) 98403-6123 Aurum Prisma @aurumprisma REVISTA IPÊ | 57


| POLÍTICA

A relevância da política municipal Será que tudo se responde a partir de Brasília?

M

uito salutar a análise das diversas dinâmicas da política municipal do Brasil, há que se buscar lançar mão à criação de agendas de pesquisa específicas, que contribuam de modo teórico-metodológico, alertando, assim, para o fato de que nem tudo se responde a partir de Brasília, aplicando automaticamente modelos de análise que respondem insatisfatoriamente ao que tende a ocorrer nos mais diversos municípios. Pesquisas sobre partidos políticos, eleições locais, padrões de votação do eleitorado, produção legislativa, entre outros temas, configuram o que tem despertado os cientistas políticos a buscar um olhar diferenciado sobre o que acontece nos municípios. Assim, é necessário que a prática siga a teoria, que a conjuntura política atual caminhe para o mesmo sentido, ou seja, que se pare de apenas buscar modelos preconcebidos de políticas públicas federais e que cada município busque criatividade para desenvolver suas próprias políticas públicas. Em um cenário de aumento das mobilizações da sociedade civil no qual paira um sentimento difuso de mudança e de críticas às instituições políticas brasileiras, percebe-se a escassez de debates mais profundos sobre as agendas municipais, em consonância com as responsabilidades conferidas pela Constituição de 1988 ao papel das instâncias subnacionais, inclusive, na formulação e implementação de políticas públicas. Há uma tendência de se “nacionalizar” os debates e, assim, pouco se discute de políticas públicas locais. Com o avanço da crise do sistema político na percepção dos cidadãos comuns, os parlamentos municipais precisam se empenhar em gerar uma representação política mais próxima dos eleitores. A produção legislativa nas pequenas e médias cidades se mostra incapaz de mobilizar a sociedade e promover um debate mais fecundo de enfrentamento aos problemas cotidianos. O enfraquecimento das atribuições do legislativo municipal – com os vereadores sendo para a população uma espécie de “despachante” do Poder Executivo – interfere nos indicadores de qualidade da democracia e da representação política. O que são, efetivamente, os vereadores na dinâmica política municipal? A resposta a essa pergunta é essencial para que se altere a dinâmica política municipal de boa parte dos municípios brasileiros. E, a resposta é constitucional: legislar com independência e fiscalizar o executivo e os serviços públicos.

58 | REVISTA IPÊ

Carlos Lindomar de Sousa Professor universitário de Direito, pós-graduado em direito administrativo municipal, advogado militante OAB/ MG 80.520 e vereador em Lavras.


REVISTA IPÊ | JUL/AGO/SET/2017


Foto: José Henrique

| JURÍDICO

A importância da advocacia nas relações humanas

A

profissão do advogado surge no início das experiências comunitárias, fruto da própria convivência social: inicialmente, como a figura de um conselheiro, mesmo nos regimes tribais mais simples, evoluindo, a seguir, para os grandes impérios. No princípio, o exercício da advocacia era uma honra e não podia ser remunerado. Com o tempo, o patrocínio da causa foi sendo gratificado pelos beneficiados, que, vendo a honrada atuação de seus causídicos, a eles ofereciam uma recompensa pelo trabalho realizado, que passou a ser chamada de “honorarium”, palavra que vem de honor, honra, surgindo então os honorários, os “tributos de honra”. A Constituição Federal brasileira de 1988, em seu artigo 133, dispõe que “o advogado é indispensável à administração da justiça, sendo inviolável por seus atos e manifestações no exercício da profissão, nos limites da lei”. Por consequência, pode-se afirmar que nenhum cidadão pode prescindir do auxílio de um advogado nos assuntos a que é pertinente, pois somente este está efetivamente preparado para tal fim. Atualmente a advocacia é uma profissão mundialmente conhecida

60 | REVISTA IPÊ

e sua atuação permeia quase todas as áreas das relações humanas, tendo sido necessária sua ampliação e desmembramento em ramos e especialidades. Conforme mencionado, a evolução social fez com que o direito se ramificasse nas mais diversas áreas, exigindo uma crescente especialização do profissional atuante na advocacia. A velha máxima na qual a profissão de advogado era constantemente relacionada à malandragem, e até mesmo à desonestidade, há muito foi desmistificada. É patente que, para o advogado se firmar no mercado de trabalho, é necessário o estudo e atualização constantes, sendo indispensável ainda a sua inteira subordinação às normas de ética e disciplina estatuídas pela Ordem dos Advogados do Brasil, bem como ao mais amplo respeito às regras de moral e probidade que norteiam nossa sociedade. Constantemente o advogado se depara com inovações legislativas, com novas relações interpessoais, novos métodos de formalização de acordos, novos meios de cometimento de delitos, novos tipos de provas, novas formas de declaração de vontades, além de a sociedade estar em contínua mutação, o que deman-

da do profissional preparação para entender, orientar, descrever e, de alguma forma, obrar para que as relações, as normas e o direto assegurem, sempre, a primazia da justiça. A promulgação do Novo Código de Processo Civil e a implantação do processo eletrônico em diversas cidades, inclusive no interior do país, como é o caso de Lavras/MG, somente nos conduz à conclusão de que a permanente atualização do advogado deixou de ser uma opção para se tornar uma necessidade e condição prioritária dentro do exercício da profissão, pois a cada dia o mercado se torna mais seletivo e o cliente mais exigente e bem informado, surgindo daí a necessidade da constante evolução do profissional do direito. Seja por intermédio do tradicional e experiente advogado, que, com seu conhecimento adquirido ao longo do tempo, traz segurança e credibilidade ao seu cliente, seja por meio do jovem e inovador profissional, que é dedicado e atencioso com cada um de seus novos casos, a advocacia deve ser valorizada e reconhecida, pois somente mediante a atuação de um advogado é possível se fazer vigorar a verdadeira justiça.

Dr. Antônio Carlos Salgado Veiga Nascido em 08/12/1931 Formado na Faculdade de Direito do Triângulo Mineiro em 04/10/1959

ESCRITÓRIO DE ADVOCACIA SALGADO VEIGA Dr. Antônio Carlos Salgado Veiga OAB/MG 6.146 Dra. Taísa Corrêa Silva OAB/MG 125.759 Dra. Amanda Costa Vilela OAB/MG 143.544 R. Raul Soares, nº 76, sl. 110, Centro – Lavras/MG (35)3821-2419


Um bom plano de consórcio é tudo o que você precisa para realizar um grande sonho.

CONSÓRCIO DE IMÓVEIS

• Imóveis residenciais • Comérciais • Novos e usados • Terreno ou em construção CONSÓRCIO DE SERVIÇOS

• Crédito para viagens • Formaturas • Intercâmbios • Estudos • Reformas • Cirurgias Plásticas CONSÓRCIO DE AUTOMÓVEIS

• Veículos nacionais e importados CONSÓRCIO DE MOTOS

Juliana Costa CONSULTORA DE VENDAS 35

98848 9998 / 35 3822 1128

LJS

Consórcios

Rua Francisco Sales, 747. Sala 24. Centro Lavras MG /ljsconsorcios www

representante.rodobens.com.br/julianacosta

Central de Relacionamento: 0800 701 0212 Ouvidoria: 0800 701 8606 | ouvidoria@rodobens.com.br


| ESTRATÉGIA E VENDAS

E

Ennemont Theyson Morel Empresário, Consultor, Coach, Especialista em Vendas e Alta Performance atendimento@amplliare.com.br (35) 99163-6030

Perca uma venda, jamais um cliente Como fazer uma venda consultiva?

62 | REVISTA IPÊ

sse é o nome que damos para a venda consultiva, é atuar como consultor e atender as demandas do consumidor. Quando você pergunta o que é venda consultiva, deve entender que é quando o vendedor atua como aliado do consumidor. Ele tem que ter esta percepção de que está recebendo uma consultoria, que vai lhe ajudar de forma sincera. Que o vendedor é um grande especialista no assunto e ele, cliente, precisa deste especialista. As melhores técnicas de vendas permitem aumentar o ticket médio, através de maior quantidade do mesmo produto ou compra de outros itens, ou mesmo aumento do mix. O vendedor precisa desenvolver um maior envolvimento na negociação, onde o vendedor/consultor buscará identificar a necessidade do consumidor e apresentar o seu produto ou serviço como a solução. O objetivo do vendedor é aumentar as vendas, por isso tem que entender as melhores técnicas de vendas e usá-las no dia-a-dia. Geralmente aparecem em casos de maior valor agregado e/ou em produtos ou serviços de maior complexidade, onde o consumidor precisa desembolsar valores maiores e os serviços afetam questões que podem ser mais complexas Pode aparecer também em negociações no atacado, com muitos itens. Este processo de vendas costuma ser bem mais demorada e racional por conta de custo x benefício. Neste caso, além do cliente final, existe a venda de uma empresa para outra empresa que ajustará o que comprou, para que se transforme em um item ou pedaço do produto ou serviço que venderá para o cliente final. A busca pela maior e melhor satisfação das necessidades do consumidor deve ser a meta do vendedor consultivo. Ele deve direcionar sua abordagem para identificar as reais necessidades do consumidor, explorá-las ao máximo e depois apresentar a melhor solução possível, na percepção do consumidor. Muitas vezes é possível e necessário que o vendedor realize pesquisas para que possa entender melhor o universo do consumidor, suas principais necessidades, as soluções esperadas e a forma como os seus concorrentes atuam. O profissional de vendas consultiva deve se posicionar como um aliado do consumidor na pesquisa sobre a melhor forma de solucionar o problema. Se o consumidor identificar que o vendedor está forçando a compra de um serviço ou produto que não atende ou não soluciona o problema, perderá a credibilidade no processo e acabou a confiança, que é o elo mais difícil de ser conquistado. A base deste processo de vendas é a conquista de bom relacionamento e confiança entre as partes. Por isso digo: “Faça de tudo para atender o cliente, se não vender não se preocupe, perca uma venda, mas não perca um cliente.”


| CASACOR 2017

CASA COR Minas Gerais Em momento histórico, 23ª edição faz elo entre passado, presente e futuro

64 | REVISTA IPÊ

E

m sua 23ª edição, a Casa Cor Minas Gerais rompe mais um desafio. Fruto de muito trabalho e de uma obra gigantesca, a mostra ocupa, em 2017, uma edificação histórica, cuja origem remonta do início do século XX. O casarão, parte do acervo imóvel da extinta Rede Ferroviária Federal (RFFSA), teve seus espaços recuperados sob a supervisão do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN/MG) e ressignificados por um time de profissionais e empresas que, durante os últimos meses, foram envolvidos pela mesma pai-

xão: dar visibilidade e mostrar uma construção histórica em todo o seu potencial. Com o tema “Foco no Essencial”, a Casa Cor Minas buscou novas conexões para oferecer uma mostra interativa, em que a novidade está por toda parte, como no modelo radical do Guaja Sapucaí, um convite à intervenção do público e na proposta de manter um Makerspace, espaço que se abre a trabalhos e experiências colaborativas. E também no Ginger Bar, que traduz uma tendência europeia para apresentar não só o primeiro bar de gim


Foto: Jomar Bragança

COZINHA FUNCIONAL

Por Gabriela Azeredo e Patrícia Pires

Foto: Jomar Bragança

Não é uma cozinha com cara de cozinha, embora ela esteja preparada para funcionar a pleno vapor. Projetada para que renomados chefs possam ensinar nela alguns de seus segredos gastronômicos durante a programação do projeto Cozinha Inusitada, ela é inspirada no conceito slow living, focado em pilares como equilíbrio, leveza e funcionalidade. A proposta foi deixar espaço humanizado, incluindo nele dois sofás e uma TV que pode ser vista de todos os ângulos. A grande bancada em porcelanato inclui cooktop e é cercada por bancos, finalizada com uma ampla mesa em madeira. Prateleiras e estantes abrigam plantas, objetos e livros. A iluminação, assinada pela light designer Ana Paula Lucchesi. A ideia de espaço despojado reforçou a opção de deixar o teto aparente, as janelas em sua cor natural e o piso original, em madeira. A única ressalva, nesse sentido, foi a instalação de um tablado, estrategicamente colocado para destacar o chef em sua função durante a preparação dos pratos.

da cidade, mas o primeiro a oferecer o gim da casa, com uma inédita destilaria funcionando dentro dele. Está, por fim, no universo que agrega os lançamentos mais importantes do setor da arquitetura, design e tecnologia de ponta. O trabalho apresentado nesta edição é assinado por profissionais que, imersos no conceito de recuperação de um imóvel histórico e na sua conexão a uma linguagem contemporânea, fazem parte de um time de altíssimo quilate. Comece agora a explorar essa mostra histórica da Casa Cor Minas: REVISTA IPÊ | 65


Foto: Jomar Bragança

| CASACOR 2017

ESPAÇO GAMES Por Renata Ferreira Inspirado no famoso canal do YouTube Authentic Games, comandado pelo jovem mineiro Marco Túlio, o quarto traz toda a atmosfera do famoso jogo Minecraft e seu universo construído por blocos. O conceito aparece em diversos detalhes, como o pinel ripado com doze luminárias fixas em formato do boneco Steve, e o painel recortado a laser, que simula um circuito de computador. Revestimento e tapete ganharam quadriculado característico dos jogos. Uma cadeira ergonômica e mesa com tampo regulável complementam o projeto que agradará crianças e adolescentes.

HOME OFFICE Por Cláudia Martins

Um ambiente que oferece outras possibilidades além do trabalho e é pautado pelo conforto. O cômodo conta com uma adega climatizada, sofá em chaise em couro caramelo e um painel de aço com espelho bronze, que proporciona a sensação de amplitude. Uma estante vazada funciona como divisória de dois momentos: o da entrada, com móveis contemporâneos, TV e adega e, o segundo, com bancada de trabalho em gofrato - pintura de microtextura. A iluminação, feita por spots de luz em trilho, e o teto preto implicam em profundidade no ambiente.

ESTAÇÃO LAZER Por Gislene Lopes Ambiente dinâmico, o projeto apresenta ao visitante um local de lazer em sintonia com a construção histórica. O vagão, que já existia no local, virou espaço lúdico e ganhou cobertura inspirada nos trilhos do trem. A área de lazer, com espaço gourmet multiuso projetado com materiais inovadores, tem cobertura em renda de ferro, em interessante jogo de luz e sombra. Sobre a piscina, uma deliciosa daybed (sofá-cama em tradução livre), fixada no pergolado – estrutura de madeira - pensado especialmente para esse projeto, reforça a proposta de descanso.

66 | REVISTA IPÊ


LOFT

Foto: Jomar Bragança

Por Cássio Gontijo Praticidade é a palavra de ordem neste espaço. A cozinha e a suíte máster, integrada ao banho, recebeu um pórtico, que funciona como biombo, e separa a área íntima da social, que dispensa a necessidade de uma parede. A solução valoriza ainda mais o ambiente. Telas de arte de grandes proporções se misturam com peças barrocas. Um projeto audacioso que explora os tons de cinza, preto, off white e toques de verde e bordô em um mesmo ambiente.

Foto: Gustavo Chavier

SALA DE VESTIR Por Diversa Arquitetura Mariana Nogueira

Foto: Jomar Bragança

Um ambiente íntimo e de transformação da mulher, onde os elementos também refletem a evolução dos espaços residenciais nos últimos 100 anos. Essa é a proposta deste projeto. Móveis, memórias, vestidos e outros objetos femininos compõem o ambiente cênico, que conjuga a área de estar com o local de transformação feminina, em uma espécie de camarim pessoal. Um dos destaques do espaço são as telas do artista plástico Rogério Fernandes, que retratam o feminino contemporâneo. O ambiente traz várias peças garimpadas em antiquário, num ambiente com tapete vermelho e luz indireta. Um pórtico demarca a iluminação e divide o espaço.

LOFT ITINERANTE Por Caio Prates Instalado dentro de um ônibus, o loft itinerante poderia facilmente ser utilizado como moradia ou hospedagem temporária para um casal. O projeto inclui vários ambientes: sala de estar e TV integrada, quarto, cozinha, área de banho com uma confortável banheira e lavabo. A proposta é apresentar um novo modo de percepção e experimentação do espaço urbano.

REVISTA IPÊ | 67


Foto: Henrique Queiroga

| CASACOR 2017

QUARTO DO BEBÊ Por Marcos Dias Reis

No lugar de muitos enfeites e babados, a sensibilidade de explorar o espaço tendo como base a maneira como a criança enxerga o mundo. Com um conceito atemporal, o quarto pode servir crianças de diversas faixas etárias. O cômodo ganhou um tablado, onde foi inserida a cama. O berço tem pegada retrô, mais enxuto, trabalhado em palhinha em contraponto com a cor petróleo. A base é toda em madeira freijó. Detalhe para o trocador em porcelanato esculpido, com banheira para o bebê.

COZINHA DE QUINTAL Por Ana Paula Rohlfs

Foto: Jomar Bragança

Com ares de antigas fazendas, o ambiente fisga o visitante por sua memória afetiva. Elementos de três espaços como cozinha, pomar e horta estão presentes no projeto, e a transição entre eles foi criada por meio de um painel feito com chapas de sucata. Revisitado, o “fogão a lenha” vem com cooktop e está rodeado de poltronas e banquinhos de época. Uma queijeira antiga também está de cara nova no ambiente, e recebeu cuba, torneira e escorredor. O espaço conta ainda com uma mesa desenhada pela arquiteta e várias obras de arte chamam a atenção do público para os detalhes.

GINGER BAR

Foto: Jomar Bragança

Por Ângela Roldão

68 | REVISTA IPÊ

Descolado e atual, o Ginger Bar ocupa um pequeno espaço interno e charmoso que se estende à área externa do casarão. Com mobiliário contemporâneo espalhado pelo jardim, ele foi inspirado nos museus da Europa com seus ombrelones e mobiliário em alumínio e vidro, tudo bem leve. Na parte interna, um antigo porão foi transformado em uma cozinha aberta, onde o clássico e o moderno se encontram e são valorizados pela parede com textura em pó de ouro.


Polo Lavras (35)3694-2139

Unopar- PoloLavras REVISTA IPÊ | JUL/AGO/SET/2017


| VIAGEM

Casa dos Arandis no Caribe baiano Uma forma única de conhecer a beleza, culinária e a cultura baiana

70 | REVISTA IPÊ

Por Camila Caetano e Assessoria Casa dos Arandis Fotos: Sidney Block

U

ma joia escondida na Península de Maraú, considerada como o Caribe baiano. A Casa dos Arandis possui apenas quatro bangalôs e serviço exclusivo e operado diretamente pelos proprietários, que escolhem o cardápio diariamente, dão aula de surf, planejam experiências especiais e tudo isso com extrema privacidade, bom gosto e o isolamento prazeroso de quase 40 km de praias semideser-

tas com piscinas naturais. A Casa dos Arandis surgiu de um sonho do casal Nanana e Cacau, entusiastas pela arte do bem receber, da sustentabilidade e da vida bem vivida, de forma natural, espiritualizada e em contato com a natureza. Optando por uma qualidade de vida melhor, o casal carioca se apaixonou pela Península e, em 2011, adquiriram um pedacinho de paraíso na Área de Preservação


Quarto Bangalôs

A Casa dos Arandis, na Bahia, surgiu do sonho de Nanana e Cacau, apreciadores da sustentabilidade e da vida espiritualizada em contato com a natureza. Um casal entusiasta pela arte do bem receber.

Ambiental em Algodões. Assim, o hotel nasceu de uma ideia de unir sustentabilidade, conforto e prazer aos hóspedes. E a viabilidade se deu através da construção de bangalôs todos de madeira de demolição. Dentro desse clima, o sonho se realizou e a Casa dos Arandis surgiu para acolher amigos e convidados que compartilhem dessa filosofia: conforto e sustentabilidade sem esquecer a qualidade de serviço.

ESTRUTURA E ACOMODAÇÕES São quatro bangalôs bem amplos e próximos à praia, construídos dentro da vegetação natural da praia. Com quartos de banho amplos e banheira de rocha vulcânica, o conforto supera as expectativas de famílias ou casais apaixonados que procuram conforto, descanso e

contato com a natureza. Cada bangalô é equipado com TV, ar condicionado, quarto com banheiras, secador de cabelos, chuveiro interno e externo, frigobar e amenities brasileiros com aroma de Capim Limão. As diárias nos bangalôs se iniciam a partir de *R$1200 na baixa temporada para o casal com café e um leve jantar inclusos. Há também a Casa Jardim, uma opção de hospedagem mais simples, ideal para famílias que procuram uma opção mais independente, já que nesse caso, apenas o café da manhã é incluso. As diárias se iniciam a partir de *R$950 para quatro pessoas. Além das acomodações, a Casa dos Arandis oferece um restaurante com Lounge onde há músicas típicas aos sábados, redes para descanso, SPA e área de massagem e meditação. *Preço sujeito a alteração

ATIVIDADES São oferecidos diariamente os serviços de yoga e massagens para os hóspedes que se interessam. Há REVISTA IPÊ | 71


| VIAGEM também a possibilidade de contratar diversos passeios pela região. Além dos típicos da Península de Maraú que incluem o passeio de lancha pelas ilhas da região, com destaque para a Pedra Furada e Goió, a Lagoa de Camumu e Taipu de Fora, é possível também fazer um inesquecível passeio a cavalo pelas praias da Península ou ainda, de stand up pelo belo e, ainda pouco conhecido, manguezal, além de uma visita guiada à Fazenda Santa Rita, produtora de flores tropicais, cacau e seringal, além da Floresta de Bromélias Gigantes e da Mata Atlântica. Outro destaque na região é a observação de baleias que ocorre entre julho e outubro, quando as baleias que visitam as costas brasileiras têm grandes chances de serem avistadas com seus cerca de 16m de comprimento acompanhadas por seus filhotes.

GASTRONOMIA A comida simples é de origem 100% baiana, seja pela querida cozinheira Zeninha ou pelos ingredientes locais que são adquiridos de produtores da região. No café, frutas e cereais, pães artesanais sem glúten, cuscuz, banana da terra assada, ovo no ninho, água de coco e açaí são algumas das iguarias que ali podem ser apreciadas, sempre, com um toque especial. O almoço é servido em fogão à lenha mais uma vez privilegiando a culinária local com moqueca, bobó de camarão, pirão, etc além de uma opção extra de carne, arroz comum e integral e saladas e vegetais locais. Ao longo do dia, são servidos petiscos na praia ou nos arredores do hotel. À noite, entre 19h e 21h, é servido um leve jantar com caldos, pães e queijos ou, simplesmente, o hóspede é convidado a montar sua própria pizza.

DAY USE O restaurante tem capacidade para até 16 pessoas e está aberto também ao público externo. É possível usufruir da sauna, piscina, estrutura de praia, com espreguiçadeiras e toalhas, além de solicitar petiscos, bebidas, serviços de SPA e restaurante sob um custo extra. 72 | REVISTA IPÊ

Piscina Lounge


PENÍNSULA DE MARAÚ Entre a Costa do Dendê e a Costa do Cacau, a Península de Maraú possui localização e riquezas privilegiadas no Sul da Bahia, uma joia rara, ainda com muito a ser descoberto. São aproximadamente 50 km de praias interruptas e semidesertas de areias douradas, coqueiros, piscinas naturais e ondas para os amantes de surf, além de ilhas para os velejadores, mata atlântica, manguezais, bromélias gigantes, néctar do cacau e muitos outros tesouros endêmicos da Península.

ALGODÕES E PRAIA DOS ARANDIS Um cantinho ainda mais especial nesse paraíso é a comunidade e a praia homônima dos Algodões que se une em seus mais de 20 km de praias quase desertas com a Praia dos Arandis e do Cassange. Pela costa baiana se estendem quilômetros de praias semidesertas banhadas por uma maré agradável para os amantes do surf, mas também calma, formadora de piscinas naturais, como são as famosas piscinas de Taipu de Fora. Enquanto de um lado é o belo mar, de outro são os incontáveis coqueiros que compõem a paisagem. Na maré baixa, um passeio delicioso de bicicleta ou a pé fica ainda mais especial com os espelhos d’água formados nas areias douradas e planas que nos acompanha ao longo de horas a fio praticamente sem encontrar ninguém.

Casa Jardim, uma opção de hospedagem mais simples, ideal para famílias que procuram uma opção mais independente.

CASA DOS ARANDIS Acomodações • Bangalôs 2 pessoas, incluindo welcome drink, café da manhã e almoço • Casa Jardim 4 pessoas, incluindo café da manhã Contato: (21) 99927-8519 reservas@casadosarandis.com Casa dos Arandis

São quatro bangalôs bem amplos e próximos à praia, construídos dentro da vegetação natural da praia.

@ casadosarandisbahia REVISTA IPÊ | 73


| NOVIDADE

Foto: Daniel Rocha

A Cervejaria do Funil fica no bairro Distrito Industrial III, em Lavras. Ela obteve seu registro em julho deste ano, e sua proposta é de fazer cervejas diferenciadas, respeitando os estilos e sugerindo inovações. A proposta da marca Funil é valorizar e resgatar a cultura de Lavras ou como dizia-se antigamente das Lavras do Funil, por isso, a escolha do nome. A Ponte do Funil foi uma ponte inglesa construída em 1844, que contribuiu para o desenvolvimento de Lavras e região, na época dos tropeiros.

Cerveja:

Lamartini Silva Martins Téc. Cervejaria Senai 2016, Sommelier de Cervejas, ICB 2017 e Engr. Agrônomo/UFLA, 1997

Um símbolo mundial, uma paixão mineira!

A

cerveja tem seus primeiros relatos em 9.000 a.C. Acredita-se que tenha sido descoberta, por acaso, na antiga Mesopotâmia, cujos países, atualmente, são a Síria, Iraque e Turquia. Como essa região tinha terras muito férteis, sempre havia batalhas de dominação que ajudaram a espalhar a fabricação da cerveja pelo mundo. As mulheres tiveram papel importantíssimo na evolução da cerveja pelo mundo, pois durante muito tempo eram elas as responsáveis pela fabricação e pelo cuidado de manter o fermento. A cerveja é um produto alimentar, isto é, ela contém vitaminas, minerais, proteínas e antioxidantes, produzida com infinitas combinações de maltes, cereais, dezenas de lúpulos e inúmeros tipos de leve-

74 | REVISTA IPÊ

Renata de Carvalho Foureaux Sommelier de Cervejas, ICB/2017

duras, e seu resultado depende do brilho e inspiração do cervejeiro. Escolas Cervejeiras: ao longo do tempo, as cervejas foram sendo produzidas com características específicas, permitindo separá-las em quatro escolas cervejeiras, começando pela Alemanha, Bélgica, Grã Bretanha / Reino Unido (Inglaterra, Irlanda, País de Gales e Escócia) e a mais nova escola dos Estados Unidos. Estilos de cerveja: cada escola cervejeira tem inúmeros tipos ou estilos de cervejas, que são estudados pelos sommeliers em degustações de cervejas, concursos e na elaboração de cartas cervejeiras. Matérias-Primas: a cerveja pode ser fabricada por inúmeros ingre-

dientes, no entanto, nos atentaremos aos ingredientes da lei de pureza Alemã “reinheitsgebot” de 1516 que são malte, lúpulo, água e levedura.

• O malte é a cevada cervejeira que

teve sua germinação interrompida para iniciar a formação de enzimas que irão quebrar o amido do grão de malte em açúcares fermentescíveis na brassagem/mostura. O Brasil produz 60% do malte pilsen que consome. Porém, os maltes especiais são 99% importados, esses maltes recebem diferentes tipos e intensidade de torras que proporcionam variações de sabores e aromas à cerveja, como caramelo, café, chocolate, defumados etc.


Foto: Daniel Rocha

O lúpulo é uma planta trepadeira com propriedades bacteriostáticas. Dessa planta usa-se a inflorescência feminina que transfere sabor, amargor e aromas variados à cerveja. O lúpulo é adicionado em diferentes etapas ao mosto cervejeiro durante a fabricação da cerveja ou à cerveja já pronta “dray hop”.

• A água é um importante ingrediente

• As leveduras/fermentos são fungos, unicelulares, usados para fermentar ou produzir diferentes cervejas. As leveduras são responsáveis em transformar os açúcares fermentescíveis em álcool (etanol), gás carbônico (CO2) e outros subprodutos das cervejas. Uma brincadeira que se faz é que na verdade uma das funções do cervejeiro é produzir alimento para as leveduras que em função da temperatura, ingredientes e outros fatores irão produzir as características específicas de cada cerveja. COPOS, TAÇAS OU CANECAS: São importantes para realçar cada estilo de cerveja. Os belgas são referência em uso de copos para os diferentes estilos de cervejas. Apesar de parecer um detalhe ou até mesmo frescura, um copo errado pode alterar os aromas e sabores de uma cerveja. Um dos princípios de uma boa fábrica de cerveja é manter a expectativa de quem irá degustar sua cerveja, ou seja, não

Divulgação

e pode compor até 96% da cerveja. Uma água para ser cervejeira deve, “primeiro”, ser potável antes de ser das montanhas ou de qualquer lugar de palavras bonitas. Deve-se conhecer a química da água, principalmente, dureza e alcalinidade, teor de cálcio e magnésio e etc. Cada estilo de cerveja requer variações da água mais ou menos dura ou alcalina e, etc. Uma cerveja estilo Pilsen requer uma água de baixa dureza e baixa alcalinidade e teor adequado de cálcio. Nesse ponto, a água fornecida em Lavras é de excelente qualidade para esse estilo alemão que é o mais consumido no mundo.

Alguns tipos de copos que podem ser utilizados para apreciar cada estilo de cerveja.

se deve ter surpresas positivas ou negativas. Deve-se sempre encontrar o que se espera ao abrir e degustar uma cerveja. É dessa forma que se cria uma identidade sensorial respeitando cada estilo, podendo é claro sempre inovar e criar novas cervejas. Existem diferentes e tradicionais tipos de copos: tipo Lager; cilindro (Stange); Tulipa; Snifter; Goblet; Weizen; Flute; Pint; Bierkrug; copo Samuel Adams; Bota Cervejeira; Kwak e outros. Uma regra simples que pode ajudar é copos de boca larga, exemplo Goblet, que são para cervejas mais alcoólicas e copos retos como Lager ou cilindros por fim para cervejas menos alcoólicas e mais refrescantes. Já um copo tipo Tulipa é muito versátil e atende a vários estilos.

HARMONIZAÇÃO Harmonizar alimentos com cervejas é sempre um grande desafio. Uma excelente harmonização deve combinar o alimento e a cerveja na boca juntos, proporcionando um terceiro sabor ainda melhor. As harmonizações têm diretrizes importantes que auxiliam nas combinações com base nas intensidades da cerveja e do alimento. A primeira diretriz é “Equilíbrio de Forças”, em seguida “Semelhança”, “Contraste” e finalmente “Complementação”. Para uma boa harmonização observamos no alimento teor de gordura, dulçor, método de cocção (assado, frito, cozido) temperos e condimentos e na cerveja observa-se o amargor, teor alcoólico, caráter do malte, tosta, dulçor, corpo e acidez. REVISTA IPÊ | 75


| NOVIDADE

Você sabe harmonizar cerveja com queijo? Algumas sugestões:

Cerveja do Funil

Queijo PJ

Pilsen

Bel Paese A leveza da cerveja ao combinar com a suavidade do queijo Bel Paese proporcionará um terceiro sabor excelente.

Malte Amargor Teor Alcoólico

Blond Ale

Fontina

Malte Amargor Teor Alcoólico

Tripel

Cerveja com força alcóolica e sabor frutado combina perfeitamente com queijo Emmental, cujo aroma é doce e muito frutado.

Malte Teor Alcoólico

IPA

Parmesão A força do lúpulo, presente nessa cerveja, complementa o sabor forte, picante e agradável do Parmesão.

Malte Amargor Teor Alcoólico

Porter Malte Teor Alcoólico

76 | REVISTA IPÊ

Cerveja de sabor leve de malte, seguida de notas condimentadas e notas fenólicas, combina com queijo seco de massa amanteigada e quebradiça caracteristica do queijo Fontina.

Emmental

Amargor

Amargor

Harmonização

Gouda Os sabores do caramelo, café e chocolate da cerveja Porter contrastam muito bem com o sabor macio e cremoso do queijo Gouda.


REVISTA IPÊ | 77


| GASTRONOMIA

DICAS GASTRONÔMICAS CONFIRA NOSSAS DICAS GASTRONÔMICAS DE LAVRAS

King Combo (1250g)

KING’S PUB O King´s Pub é um bar versátil, e mescla características dos pubs ingleses - ambiente mais reservado e acolhedor - à proposta de prestar atendimento de qualidade, e ao mesmo tempo descontraído, para que todos possam se sentir muito à vontade. Variedade de cervejas e drinks, chopp artesanal, vinhos importados...e para harmonizar, deliciosas porções com carnes nobres e temperos customizados. #VemReinarNoKings Rua Santana, 65 - Centro (35) 99277-1987 @KingsPubLavras

Hot Mix, o campeão de vendas

CLUB DO SUSHI O Clube do Sushi é uma empresa lavrense especializada em culinária japonesa que vem conquistando cada vez mais espaço no mercado local devido à qualidade de seus produtos. Felipe Vilela e Enrico Pereira estão à frente deste empreendimento, cuidando de cada detalhe para oferecer o melhor para seus amigos e clientes. Av. Jucelino Kubitscheck, 713 - Santa Teresinha. (35) 3826-6322 e 99186-2878 (whatsapp) @clubedosushioficial

Hamburguer de Angus Kids

LAVRAS APART HOTEL O restaurante do Lavras Apart Hotel anda badalado com seu menu variado: de polvo à linguiça de receita basca, falafel à hambúrguer de Angus (da foto, o kids), vinhos biodinâmicos à suco verde. Aberto ao público à noite todos os dias da semana. Melhor reservar antes de ir.

R. Misseno de Pádua, 151 - Centro (35) 3821-1413 @lavrasapart 78 | REVISTA IPÊ


| TIRADENTES

Festival Cultura e Gastronomia de Tiradentes 20 anos de história

O

Festival Cultura e Gastronomia de Tiradentes realizou, neste ano, a sua vigésima edição. O evento, que prestou homenagem ao estado de Minas Gerais, atraiu mais de 45 mil pessoas, que visitaram a cidade histórica mineira em busca das mais de 200 atividades apresentadas. O público aproveitou aulas, jantares especiais, cozinha ao vivo, palestras, degustações, shows, peças de teatro, apresentações interativas, experiências e tours gastronômicos. Ao longo dos dez dias do Festival (18 a 27/8), foram cerca de 150 profissionais envolvidos na produção, mais

80 | REVISTA IPÊ

Por Fartura Brasil de 25 mil pratos vendidos, mais de seis toneladas de comida preparada e mais de 10 toneladas de resíduos destinados para reciclagem. A cidade se dividiu em três espaços para que todos pudessem aproveitar da melhor forma a programação. A tradicional Praça da Rodoviária ganhou novos ares e recebeu shows, Cozinha ao Vivo e estandes com representantes dos mais importantes restaurantes mineiros. O Largo das Forras, chamado de Praça Senac do Conhecimento, foi o núcleo em que se concentraram aulas teóricas e interativas com grandes nomes da gas-

tronomia, além de produtores que mostraram o melhor que Minas tem a oferecer de produtos artesanais. Este ano, um novo espaço agregou as atividades, a Praça Sesc Campo das Vertentes, que valorizou a gastronomia local da região, com mais chefs e atrações musicais para que o público vivesse inteiramente a experiência do festival. Grandes nomes da gastronomia mineira estiveram presentes, como Ilmar de Jesus, do Casa Cheia (Belo Horizonte – MG), Rodrigo Zarife , do Ro.Za Bistrô (Belo Horizonte – MG) e Caetano Sobrinho, do A Favorita (Belo Horizonte – MG), que serviram


pratos nos Restaurantes, na Praça. Mais de 70 profissionais ligados à gastronomia realizaram aulas interativas, teóricas e práticas, compartilhando receitas, sabores e experiências com o público. No Espaço Cozinha ao Vivo na Praça da Rodoviária, Flávio Trombino, do Xapuri (Belo Horizonte – MG), ensinou a preparar uma Língua ao Pé; Fred Trindade, do Trindade (Tiradentes – MG), mostrou seu Arroz de Leitão; João Lombardi, do Ora Pro Nobis (Tiradentes – MG), fez um Bobó de Camarão com Milho Verde; Bernadete Guimarães (Montes Claros – MG) fez seu famoso risoto de carnes do Norte de Minas, e muito outros chefs mostraram a tradição do Estado. Na Pousada Escola SENAC, a jornalista Juliana Perdigão conversou com João Dutra, produtor do queijo Catauá, iguaria mineira com tradição de mais de 250 anos, e Manuelle Ferraz falou sobre a cozinha do Vale do Jequitinhonha, região situada no norte do estado. Já no Espaço Interativo, o público pôde acompanhar o passo a passo para fazer Balas de Mel, junto à chef Iara Rodrigues, do Quitand’arte, e conhecer ingredientes típicos do cerrado com o chef Cassio Avelino, do Néctar do Cerrado (Belo Horizonte – MG). Houve ainda a oportunidade de experimentar queijos e cervejas mineiros, durante a aula de Eduardo Girão, saber sobre o papel do afinador de queijos com Gabriel Valadão, da Queijaria Bem Mineiro (Casa Branca – MG), no Espaço Degustação. No novo espaço Praça SESC Campo das Vertentes foi possível comer delícias como o sanduba de pernil do restaurante Conto dos Réis (Tiradentes – MG) e adquirir produtos como a Cachaça Prosa Mineira, de Santa Rita de Caldas, os azeites e azeitonas do Olivais Gamarra de Baependi, e as Geleias Du Elvas, de Tiradentes. O chef Felipe Oliveira, do Tragaluz (Tiradentes – MG), ensinou a fazer um Ragu de Galinha D’Angola e Ronie Peterson, do Hotel SENAC Grogotó (Barbacena – MG) preparou uma Barriga de Porco crocante com PANCs. Houve ainda eventos especiais e tours gastronômicos, com menus degustação preparados especialmente para o Festival em restaurantes como Pacco & Bacco, do chef Rafael Pires,

Angatu, de Rodolfo Mayer, e Conto de Réis, de Eliza Rodrigues. O Festival se espalhou por toda a região através do projeto Experiências Comidas do Brasil, que levou o público a visitar produtores do Campo das Vertentes, in loco, como o Restaurante da Filó, em São João Del Rey, e a fazenda do Queijo Catauá, em Coronel Xavier Chaves. No Festival, aconteceu também a final do tradicional Concurso Queijo Minas Artesanal. A competição, que chegou a sua 10ª edição, elegeu os melhores queijos das sete regiões produtoras do estado: Araxá, Campo das Vertentes, Canastra, Cerrado, Serra do Salitre, Serro e Triângulo Mineiro. Para animar ainda mais a festa, a cidade se encheu de apresentações, peças de teatro, atividades para as crianças, filmes e shows de artistas como Fernanda Takai, Aline Calixto, Wilson Sideral, Marcos Ruffato, Quar-

teto e a banda Pedacinho de Céu. O Festival Cultura e Gastronomia de Tiradentes faz parte do calendário do Fartura – Comidas do Brasil, um dos principais projetos de pesquisa de gastronomia do País. Ainda em 2017, a plataforma promove festivais em Belo Horizonte, Fortaleza, Porto Alegre e Belém.

SOBRE O FARTURA COMIDAS DO BRASIL O Fartura – Comidas do Brasil é um dos principais projetos de gastronomia do País. Nascida a partir do Festival de Tiradentes, que em 2017 completa 20 anos, a plataforma tem como objetivo a valorização da gastronomia nacional, criando conexões entre ingredientes, receitas, produtores, chefs e restaurantes através de pesquisas e viagens pelo país.

REVISTA IPÊ | 81


| ESPAÇO GOURMET

Ana Carolina Abe-Saber Cozinha Gourmet (35) 99168.5895

82 | REVISTA REVISTA IPÊIPÊ | JUL/AGO/SET/2017


CINNAMON ROLL Foto: Daniel Rocha Fotografias

Recheio de morango e cobertura de cream cheese

CREME DE MORANGO: • 500 g de morangos • 1 xícara de açúcar • 1 colher (sopa) de farinha de trigo dissolvida em água

PREPARO:

Cortar os morangos em cubos pequenos e levar ao fogo com o açúcar. Quando levantar fervura e soltar bastante água, colocar a farinha de trigo dissolvida em um pouco de água e misturar por cerca de cinco minutos. Reserve para rechear a massa.

MASSA: • 500 g de farinha de trigo (aproximadamente) • 10 g de fermento biológico seco • ½ xícara de açúcar • 1 xícara de leite morno • 1 ovo • 1/3 xícara de manteiga derretida • 1 pitada de sal

PREPARO:

Misturar o fermento com o açúcar e o leite morno. Deixar descansar por cinco minutos. Acrescentar o ovo levemente batido, a manteiga derretida, o sal e a farinha até dar o ponto de soltar das mãos. Sovar bem e deixar crescer até dobrar de volume. Abrir em formato retangular, espalhar o creme de morango por toda a massa, enrolar como um rocambole e cortar os rolinhos de mais ou menos 4 cm de largura. Colocar os rolinhos em uma assadeira untada, de modo que ao crescer novamente um encoste no outro. Levar ao forno a 180°C até ficarem bem dourados.

CREME DE CREAM CHEESE: • 200 g de cream cheese • 1 xícara de açúcar de confeiteiro • 3 a 4 colheres (sopa) de leite

PREPARO:

Em uma batedeira ou com o fuex misturar bem o cream cheese com o açúcar até formar um creme. Acrescentar o leite (colher por colher) até ficar com uma textura mais fluída. Assim que o pão sair do forno, regar com esse creme de cream cheese.

REVISTA IPÊ | JUL/AGO/SET/2017


| LAVRAS

Lavras

A

Revista Ipê resolveu homenagear Lavras de uma maneira diferenciada. Nossos leitores enviaram fotografias de vários lugares da nossa cidade, são inúmeros olhares da “Terra dos Ipês”. O aniversário da cidade é tradicionalmente comemorado em 13 de outubro, data em que foi conquistada a posição de vila, em 1831. Um marco na sua emancipação política. Mas, é válido lembrar que a lei municipal nº 3.845 (2012) estabeleceu uma nova data de fundação de Lavras: 26 de julho de 1720. Assim, neste ano, alguns comemoram os 186 anos de Lavras, mas, de fato, nossa cidade completa seus 297 anos.

84 | REVISTA IPÊ


REVISTA IPÊ | 85


| SOCIAL

FLÁVIA FERREIRA Fotos: Gilney Botelho

A

conteceu no dia 17/8 a inauguração do novo espaço Flávia Ferreira Make Up Studio. Em um coquetel rodeada por amigos, clientes, sua equipe e família, Flávia comemorou a realização de mais um projeto. Um Studio preparado para atender desde a noiva que busca privacidade até quem busca um atendimento com a família e madrinhas. Em um ambiente lindo e aconchegante, clientes contarão com uma equipe preparada para atender à produção personalizada de maquiagem, penteado e unhas.

86 | REVISTA IPÊ


COOL KIDS Fotos: Aline Tomaz

A

Única Kids e a Villa de Oz se reuniram para realizar o Cool Kids, maior evento infantil da região. A estrela mirim da novela Carinha de Anjo, Lorena Queiroz, esteve presente no desfile e encantou tanto as crianças quanto os pais que prestigiaram o evento. Com o apoio de vários parceiros, o desfile foi um sucesso. Totalmente voltada para o público infantil, a Única Kids é o novo projeto de Camila Laurente, proprietária da já renomada Única Feminina. Esse novo espaço deu vida ao Cool Kids, projeto que traz novidades e muita diversão à família lavrense.

REVISTA IPÊ | 87


| SOCIAL

CERVEJARIA DO FUNIL Fotos: Daniel Rocha

F

oi realizado na Cervejaria do Funil, no dia 13 de setembro, um evento de harmonização de cervejas e queijos com o apoio da Revista Ipê, Laticínio PJ e Buffet Sarandi. Houve uma degustação de vários estilos de cervejas elaboradas pelo mestre cervejeiro Lamartini Silva Martins, tendo como acompanhamento os queijos do Laticínio PJ. Os convidados puderam conhecer os vários sabores das cervejas de origem alemã, inglesa, belga e americana (todas produzidas pela Cervejaria do Funil) com a combinação de distintos queijos nobres. Os participantes ficaram impressionados com uma surpresa final: a combinação perfeita entre cerveja e sobremesa, aguçando o paladar de todos.

88 | REVISTA IPÊ


Parceiros:

REVISTA

ipê REVISTA IPÊ | 89


Revista Ipê 16 Edição  
Revista Ipê 16 Edição  
Advertisement