Page 1

CHINA VIVE GRAVE PROBLEMA COM BIKES

interbuss ANO 9 • Nº 430 • 10 DE FEVEREIRO DE 2019

MOBILIDADE

&

TRANSPORTE

POLÊMICA NO DF Governo local quer acabar com as gratuidades para estudantes no transporte público e apresenta alternativas


8 ANOS 400 EDIÇÕES MAIS DE 10.000 PÁGINAS

SEMPRE EM

A Revista InterBuss completa mais um ano de vida e chega à 400ª edição, mais uma vez renovada. Sempre acompanhando as tendências do mercado, buscando as informações onde elas estão e levando aonde o público está. Por isso estamos sempre mudando, pois estamos em movimento, assim como o transporte e a mobilidade urbana.


MOVIMENTO

interbuss MOBILIDADE

&

TRANSPORTE


Edição 4 3 0

10 DE FEVEREIRO DE 2019

NESTA EDIÇÃO

NOSSOS CONTATOS 06 EDITORIAL A suspeita licitação de São Paulo, onde as interessadas são as mesmas /portalinterbuss

Uma publicação da InterBuss Comunicação Ltda. ARTE E DIAGRAMAÇÃO InterBuss Comunicação SOBRE A REVISTA INTERBUSS A Revista InterBuss é uma publicação semanal do site Portal InterBuss com distribuição on-line livre para todo o mundo. Todo o conteúdo da Revista InterBuss provenientes de fontes terceiras tem seu crédito dado sempre ao final de cada material. As fotos que ilustram todo o material da revista são de autoria própria e a reprodução também é autorizada apenas após um pedido formal via e-mail. As imagens de autoria terceira têm seu crédito disponibilizado na lateral da mesma e sua autorização de reprodução deve ser solicitada diretamente ao autor da foto, sem interferência da Revista InterBuss. A impressão da revista para fins particulares é previamente autorizada, sem necessidade de pedido. PARA ANUNCIAR Envie um e-mail para contato@portalinterbuss. com.br ou ligue para (19) 99483-2186 e converse com nosso setor de publicidade. Você poderá anunciar na Revista InterBuss, ou em qualquer um dos sites parceiros do grupo InterBuss, ou até em nosso site principal. CONTATO A Revista InterBuss é um espaço democrático onde todos têm voz ativa. Você pode enviar sua sugestão de pauta, ou até uma matéria completa, pode enviar também sua crítica, elogio, ou simplesmente conversar com qualquer pessoa de nossa equipe de colunistas ou de repórteres. Envie seu e-mail para revista@portalinterbuss. com.br ou contato@portalinterbuss.com.br. Procuramos atender a todos o mais rápido possível. A EQUIPE INTERBUSS A equipe do Portal InterBuss existe desde 2000, desde quando o primeiro site foi ao ar. De lá pra cá, tivemos grandes conquistas e conseguimos contatos com os mais importantes setores do transporte nacional, sempre para trazer tudo para você em primeira mão com responsabilidade e qualidade. Por conta disso, algumas pessoas usam de má fé, tentando ter acesso a pessoas e lugares utilizando o nome do Portal InterBuss, falando que é de nossa equipe. Por conta disso, instruímos a todos que os integrantes oficiais do Portal e Revista InterBuss são devidamente identificados com um crachá oficial, que informa o nome completo do integrante, mais o seu cargo dentro do site e da revista. Qualquer pessoa que disser ser da nossa equipe e não estiver devidamente identificada, não tem autorização para falar em nosso nome, e não nos responsabilizamos por informações passadas ou autorização de entradas dadas a essas pessoas. Qualquer dúvida, por favor entre em contato pelo e-mail contato@portalinterbuss. com.br ou pelo telefone (19) 99483.2186, sete dias por semana, vinte e quatro horas por dia.

empresas que já operam na cidade

07 A IMAGEM MARCANTE

Confiram a foto de transporte de maior destaque da semana

08 A GRANDE MATÉRIA

Governo do Distrito Federal quer acabar com a gratuidade para os estudantes no transporte público local

10 MOBILIDADE NO BRASIL

Cabify inaugura sala de descanso para seus motoristas na cidade de São Paulo

11 MOBILIDADE NO MUNDO

Com tantas bicicletas compartilhadas e vandalizadas, China vive um sério problema com os aplicativos de compartilhamento

12 PÔSTER

Marcopolo Torino, por Gabriel Dias

14 DEU NA IMPRENSA

As notícias que foram destaque na grande imprensa especializada em transportes na semana passada

16 ACERVO PORTAL INTERBUSS

Confiram fotos que foram enviadas desde 2006 para o Portal InterBuss e foram publicadas na antiga Galeria de Imagens do site

20 REDES SOCIAIS

As melhores fotos de ônibus publicadas em redes sociais na última semana, com destaque para o movimento do feriado

22 VIAGENS & MEMÓRIA

Confira a coluna quinzenal de Marisa Vanessa N. Cruz


interbuss MOBILIDADE

&

TRANSPORTE

Estudantes não querem o fim da gratuidade no transporte público do Distrito Federal

08 11

14


Editorial

A licitação do transporte urbano de São Paulo O transporte público brasileiro continua sendo uma grande rede que interessa a poucos, mesmo dependendo do dinheiro de muitos para sobreviver. Na semana passada a prefeitura de São Paulo abriu os envelopes da licitação do transporte local para saber que empresas estavam interessadas em continuar no certame. “Curiosamente” está na disputa apenas uma empresa por lote, e são empresas que já operam na cidade mas que em sua maioria trocaram seus nomes para dar a impressão que são novas companhias. Isso também é uma conhecidíssima manobra para não pagar encargos trabalhistas. Se cada contrato de dez anos for desse jeito, em 30 anos um funcionário pode perder muito dinheiro perdendo esses direitos quando passam para a “nova” empresa. A Receita Federal havia determinado o pagamento de R$ 6 bilhões em débitos trabalhistas que estão começando a ficar para trás com a saída das “antigas” empresas do sistema de transporte paulistano. O pior em toda essa história é que houve tantos cancelamentos, dúvidas, suspeitas e suspensões por conta do Tribunal

de Contas do Município para que? Para absolutamente nada, pois tudo vai continuar como está: os mesmos empresários que já circulam na cidade vão continuar operando com os mesmos veículos, só com uma nova pintura ou apenas trocando o adesivo do nome da empresa, e vão continuar ganhando vultuosas quantias que saem dos cofres públicos para operarem as linhas de qualquer jeito. Os moradores da zona norte de São Paulo convivem com um transporte de baixa qualidade já que a empresa que opera por lá sequer cumpre os horários de forma adequada, isso quando há o cumprimento do horário, e essa empresa vai continuar na cidade. Quem tem a perder com isso? Quase todo mundo, pois menos os empresários do setor e a prefeitura perdem com essa licitação. A população vai continuar sofrendo com a baixa qualidade do serviço prestado. Não podemos desmerecer que nos últimos anos São Paulo teve uma vultuosa renovação de sua frota, com a aquisição de vários veículos equipados com ar condicionado, superarticulados e o principal: grande parte dos veículos em circula-

ção são dotados de piso baixo na entrada e motorização traseira, algo incomum para um país como o Brasil que cada vez mais desenvolve chassis de caminhão adaptados para o transporte de passageiros com a conivência dos poderes públicos. Obviamente que o dinheiro para a compra desses veículos vem do bolso do contribuinte, já que bilhões de reais são pagos anualmente às empresas de ônibus como complemento da diferença no valor da tarifa cobrada do passageiro e da tarifa técnica, que contempla os custos e a margem de lucro do empresário. Agora, a pergunta que não quer calar: por que outros empresários não se interessaram pela licitação paulistana? Se é tão ruim assim operar lá, por que os empresários que já estão na cidade querem tanto continuar, tanto que se organizaram de forma a continuarem exatamente nas mesmas áreas onde já operam, ou muito próximo delas. Em resumo: tudo vai continuar como está, serão mais anos e anos com as mesmas empresas e o mesmo serviço prestado. Uma licitação tão enrolada como essa, tudo isso para não mudar nada. Lamentável.


A imagem marcante

Rio de Janeiro, RJ

Quinta-feira, 07 de fevereiro de 2019

Após fortes chuvas na capital carioca, um barranco caiu na Avenida Niemeyer e atingiu um ônibus executivo da Viação Jabour que passava pelo local no momento. Dois passageiros que estavam no ônibus morreram. O veículo foi retirado da avenida horas depois, todo destruído.


A grande matéria

Governo do Distrito Federal quer acabar com gratuidade para estudantes no transporte para reduzir dívidas do sistema • Do Correio Braziliense <correiobraziliense.com.br>

Após a divulgação da ideia de acabar com o Passe Livre Estudantil e diante da polêmica decorrente da proposta, os técnicos do governo do Distrito Federal analisam três possibilidades para reduzir o deficit no sistema de transporte local. A decisão devia ser tomada ainda na quinta-feira (7/2) para que o projeto de lei seja protocolado na Câmara Legislativa na sexta-feira. Uma saída é acabar completamente com as gratuidades, mantendo um abatimento social para que estudantes da rede pública ou bolsistas da rede particular paguem um terço da passagem. A medida reduziria o rombo no sistema em R$ 170 milhões por ano. Outras duas medidas em discussão são a manutenção do benefício apenas para a rede pública, o que representaria economia de R$ 113 milhões, ou a cobrança de um terço do valor da passagem para todos os estudantes do DF, garantindo um corte de R$ 100 milhões ao ano nas despesas. A proposta final escolhida pelo GDF será debatida por meio de audiências públicas na Câmara Legislativa, onde os estudantes também poderão apresentar ideias. Na quarta-feira (6/2) à tarde, o governador Ibaneis Rocha (MDB) defen-

08 | www.portalinterbuss.com.br

deu alterações na legislação. “A ideia é dar gratuidade a quem precisa. Mesmo na rede pública, existem pessoas com condições de arcar com o passe. Em todas as gratuidades, alguém está pagando a conta”, argumentou Ibaneis. “É injusto dar passagem livre a quem tem condições de pagar”. As três propostas estão em análise por representantes e técnicos da Secretaria de Mobilidade, da Casa Civil e da Corregedoria-Geral do DF. Outra determinação do governo é alterar as regras do passe estudantil para introduzir uma série de restrições às viagens realizadas com o cartão. O GDF quer definir um limitador para que os estudantes usem apenas 54 passagens por mês. Outra ideia é restringir as linhas para evitar que o estudante use o transporte para viajar a destinos diferentes dos da escola. “Muitos usam para ir trabalhar. Essa viagem é gratuita para ele, mas tem um custo para o sistema”, alerta o secretário de Mobilidade, Valter Casimiro. “Brasília é a única cidade do Brasil onde a lei prevê a gratuidade irrestrita. Quem paga por isso é a sociedade.” O corregedor-geral do DF, Aldemário Araújo, cita os exemplos de outras cidades para defender a definição de limites à utilização do benefício. “Em

REVISÃ PAR

Goiânia, o estudante tem isenção em, no máximo, 48 viagens por mês. Em São Paulo, ele pode fazer duas viagens diárias, com até quatro embarques. Aqui, não há restrições”, critica. O detalhamento de horários e linhas que podem ser usadas não deve ser incluído no projeto de lei do GDF. A ideia é estabelecer diretrizes gerais para fazer essas restrições e, a partir da aprovação da iniciativa, definir o detalhamento por meio de decreto e portarias. Além de citar os exemplos de outras grandes cidades brasileiras onde há restrições ao uso do passe estudantil, o governo vai apresentar dados do impacto orçamentário do benefício para tentar convencer os deputados distritais e a sociedade. Em 2010, quando houve a instituição da catraca livre para estudantes, o custo do passe aos cofres públicos era de R$ 45 milhões por ano. Em 2018, essa despesa alcançou R$ 300 milhões. As passagens liberadas para alunos representam metade de todas as gratuidades do sistema — idosos acima de 60 anos e deficientes também podem recorrer ao transporte público da capital sem pagar. O governo alega, ainda, ter herdado uma dívida de R$ 300 milhões da gestão anterior, só na área da bilhetagem. “Para


ÃO DE GRATUIDADES RA REDUZIR O DÉFICIT este ano, tenho um orçamento de R$ 500 milhões, mas o sistema custa R$ 600 milhões. É preciso fazer ajustes para poder reduzir essa carga”, argumenta Valter Casimiro. Ele acrescenta que o sistema do transporte público ganhou mecanismos importantes para combater fraudes no uso do passe estudantil, como os equipamentos de biometria facial instalados nos ônibus. O mecanismo começou a ser adotado em maio/18. Valter Casimiro comentou também a decisão do governo de transferir do DFTrans para o BRB a gestão da bilhetagem eletrônica para que as vendas de créditos sejam realizadas pelo banco. “Isso aumenta a capilaridade e tira o dinheiro do ônibus, aumentando a segurança e reduzindo as chances de roubos. Aumenta também a agilidade”, comenta Valter. Hoje, cerca de 60% das passagens são pagas com cartão e 40%, em dinheiro. O objetivo do governo é ampliar os pagamentos eletrônicos. Em assembleia convocada pelo Movimento Passe Livre (MPL), cerca de 300 pessoas se reuniram na praça Zumbi dos Palmares, no Conic, na quarta-feira (6/2). Foi aprovada a criação de um projeto de lei — por iniciativa popular ou com o auxílio de um deputado distrital — para a ampliação da gratuidade aos

estudantes. A ideia é possibilitar que os alunos possam pegar ônibus e metrô de graça para ir a outros locais que não sejam a escola ou a universidade. Presente na assembleia, o deputado distrital Leandro Grass (Rede) disse que está disposto a apresentar o projeto do MPL. “O Ibaneis apresenta a proposta numa tentativa de reduzir os gastos do governo. Mas, ao mesmo tempo, entrega projeto à Câmara para reduzir o valor do IPVA. É uma medida que vai totalmente contra a tendência da mobilidade urbana”, avalia. Propostas em análise no governo para alterar o Passe Livre Estudantil: » Fim do Passe Livre e cobrança de um terço da passagem para estudantes da rede pública ou carentes: por essa proposta, alunos de escolas públicas e aqueles matriculados em escolas privadas que comprovarem renda de até três salários mínimos pagam um terço do valor da passagem. O restante paga tarifa cheia. Alunos da rede particular matriculados com bolsa de estudos também têm o mesmo desconto. A adoção desse modelo representaria uma economia de R$ 170 milhões aos cofres públicos, mas traria um desgaste político maior para o governo. » Passe livre para a rede pública: outra proposta em debate pelos técnicos do

governo é a manutenção da catraca livre para os matriculados na rede pública, e para os alunos da rede privada que comprovarem renda de até três salários mínimos ou forem bolsistas. Os outros estudantes pagam tarifa cheia. A medida traria uma economia de R$ 113 milhões. » Um terço da passagem para todos: a terceira proposta cogitada pelos representantes do GDF é a cobrança de um terço do valor da passagem para todos os estudantes, como determinava a lei que vigorou no Distrito Federal até 2010. O desconto valeria, independentemente do critério de renda. Essas regras reduziriam o deficit do sistema em R$ 100 milhões. Outras mudanças no Passe Livre Estudantil: O governo quer impor limitações no número de viagens para que os estudantes façam, no máximo, 54 embarques por mês no sistema. » Outra proposta é a imposição de limites de horários para uso do Passe Livre Estudantil. A ideia é evitar que os alunos usem o cartão nos horários em que não têm aulas. O GDF pretende restringir as linhas de ônibus usadas pelos alunos. O objetivo é de que eles só possam usar o cartão nas linhas que circulam entre a residência do jovem cadastrado e a escola onde ele está matriculado.

www.portalinterbuss.com.br | 09


Mobilidade no Brasil

DESCANSO AO MOTORISTA

Cabify inaugura em São Paulo espaço para motoristas descansarem • Do Época Negócios <epocanegocios.globo.com> A Cabify inaugurou na segundafeira (4) um espaço de atendimento para motoristas em Pinheiros, bairro de São Paulo. Com 276 m², a Cabify Home possui banheiros e lounge com TV para descanso dos profissionais. Além disso, o espaço tem como objetivo servir como posto de atendimento para novos motoristas que desejam se cadastrar na plataforma ou tenham dúvidas sobre os procedimentos e funcionalidades do aplicativo. Segundo Carolinne Iglesias, diretora de operações da Cabify, o local vai oferecer serviços de empresas parceiras, como seguro de automóveis, telefonia e aluguel de veículos. “Percebemos a necessidade de ampliar o espaço e o tempo de atendimento do motorista parceiro”, afirmou, em nota. A Cabify Home vai funcionar de terça a sexta-feira, das 09h às 12h e das 13h30 às 17h. Integração concluída Em janeiro (23/01), a Cabify anunciou a conclusão da intergração de operação e equipes com a brasilei-

10 | www.portalinterbuss.com.br

ra Easy Taxi. Segundo a marca espanhola, as empresas vão continuar existindo de forma separada,

mas a Easy Taxi vai manter o foco em táxis, enquanto a Cabify seguirá operando com carros particulares.


Mobilidade no Mundo

PROBLEMA CHINÊS

Bicicletas compartilhadas acabam empilhadas em vários lugares espalhados por toda a China • Do Mundo Conectado <mundoconectado.com.br> Algumas cidades do Brasil ainda não tiveram a possibilidade de conhecer as bicicletas compartilhadas, as bikes dockless (sem estação) que podem ser utilizadas com pagamento através de aplicativo. Yellow, Grin e Scoo, são exemplos de empresas que atuam aqui no país com essa solução para mobilidade urbana que é uma novidade para nós. Se aqui a gente ainda está se adaptando e conhecendo o modelo, na China a moda já passou. Os chineses passaram por um início feliz no recebimento das bikes, mas logo surgiram os problemas. As bicicletas sem estação (dockless) e compartilhadas surgiram na China em 2016, muito antes que no Brasil. Lá a moda se espalhou tão rápido que as ruas se encheram de Bikes. Administrar esse tipo de solução de transporte em um país com quase 1 bilhão e meio de pessoas não é fácil. Em pouco tempo, diversas empresas passaram a competir fabricando muitas bicicletas e colocando uma em cada esquina para as pessoas utilizarem. Com muitas startups e o crescimento

desenfreado do número delas, não demorou muito para surgirem as pilhas de bicicletas. Algumas com defeito, outras ilegais e ainda aquelas que foram vandalizadas. O governo chinês está com leis mais rigorosas agora, muitas startups fecharam ou se fundiram às maiores empresas do segmento. Com a diminuição de empresas e o aumento de restrições, é provável que a quantidade de bicicletas descartáveis diminua.

De qualquer forma, a tendência de bicicletas compartilhadas continua forte lá e não faz muito tempo que chegou aqui no Brasil. Esperamos que o governo brasileiro saiba regulamentar e que a população possa usufruir dessa opção com muitas vantagens. Algumas pessoas questionam se elas são realmente uma solução viável para mobilidade. Assim surgiu o perfil no Twitter Dockless Bike Fail, que reúne foto de bicicletas abandonadas ou atrapalhando o trânsito.

www.portalinterbuss.com.br | 11


interbuss MOBILIDADE

&

TRANSPORTE

GABRIEL DIAS

Guarulhos Transportes, em Guarulhos/SP


Deu na imprensa

Transportadora Brasil Central inclui grande lote de Mercedes-Benz em sua frota

DA VOLVO PARA A MERCEDES

• Da Transporte Mundial <www.transportemunidial.com.br>

As fabricantes de caminhões pesados devem prestar a atenção porque os frotistas estão escolhendo o Mercedes-Benz Actros 2651 para renovação e ampliação de frota em vez de modelos tradicionais na atividade de transporte do agronegócio. Agora, conheça as razões da Transportadora Brasil Central, da mesma região, que fez uma aquisição programada de 100 unidades do Actros 2651 Megaspace (topo de linha da marca) para serem entregues no decorrer de 2019. As razões explicam o crescimento de 202% das vendas da família Actros em 2018 e a vice-liderança do 2651 em janeiro deste ano. Segundo o diretor geral da transportadora, Glorivan Parreira França, a sua empresa possui uma frota de quase 200 caminhões, e a presença de Mercedes-Benz era algo raro, não chegando a duas unidades. Depois de um ano de teste com o Actros 2651, a empresa decidiu adquirir 100 unidades, 70 para

14 | www.portalinterbuss.com.br

renovação de parte da frota e 30 para ampliação. “Com essa aquisição, a nossa frota passa a ser de cerca de 60% da marca Mercedes-Benz”, comenta Glorivan. As negociações foram no início do segundo semestre do ano passado e as entregas serão este ano. Não há um motivo, mas um conjunto Alguns fatores foram apontados pelo empresário para a escolha do Actros 2651 sem se referir em ordem de importância: Facilidade de troca (entrega dos seminovos para a SelecTrucks, rede própria da Mercedes-Benz para compra e venda de caminhões usados) Cabine Megaspace: “Essa cabine é ampla, confortável e muito macia, com piso plano, ar-condicionado e geladeira, tudo que os nossos motoristas se sintam em casa. Afinal, eles praticamente moram no caminhão, devido aos longos percursos rodoviários até portos graneleiros como os de Paranaguá, no Paraná, ou Miritituba, no Pará”, elogia. Consumo similar ao da concorrência e robustez par uso misto, o

que aumenta a disponibilidade do caminhão, principal característica que um veículo de carga deve ter: “O Mercedes-Benz Actros melhorou muito nos últimos anos e hoje disputa de igual para igual com Volvo e Scania”, opina Glorivan, que conta com modelos das marcas suecas em sua frota. “A Mercedes ouviu nossas opiniões e está entregando um novo extrapesado”, acrescenta. A EMPRESA Com matriz em Rio Verde e 39 anos de mercado, a Transportadora Brasil Central conta com 40 filiais em nove estados de todas as regiões do País e transporta cerca de 3 milhões de toneladas por ano de produtos como soja, milho, sorgo, girassol, insumos agrícolas, fertilizantes, semestre, caroço de algodão, açúcar, areia, cimento, calcário e gesso agrícola. Para dar conta de tudo isso, ela ainda contrata outras transportadoras e caminheiros terceirizados. A Brasil Central oferece fretes em um classificado em seu site, com origem/ destino, produto e valor.


Com perda de função, Correios querem exclusividade também em entregas expressas

ELES QUEREM TUDO • Da Transporte Mundial <www.transportemunidial.com.br> Desde o surgimento e crescimento da internet, Os Correios (Empresa de Correios e Telégrafos) perderam algumas das suas funções sociais e, consequentemente, faturamento. A estatal tem o monopólio da entrega de correspondências pessoais e comerciais garantido pela Constituição Federal, mas, por meio de milhares de ações na Justiça contra transportadoras, a empresa do governo tentou forçar que o monopólio fosse estendido para a entrega de cargas expressas e praticava a “litigância predatória de má-fé”, um termo jurídica para ações indevidas contra alguém com fins de prejudicar o outro. Setcesp Esses processos eram muito custosos para as transportadoras e encareciam suas operações. Os prejuízos causados pelos Correios à sociedade com tais processos em todo o País são estimados em R$ 766 milhões, segundo

a Fundação Getúlio Vargas. Diante disso, o Setcesp (Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas de São Paulo e Região) entrou com um processo administrativo contra Os Correios em 2013 por práticas anticompetitivas no Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica). STF já havia entendido que encomendas não é monopólio dos Correios O Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) fez um acordo para que Os Correios pare imediatamente as práticas anticompetitivas. Além de ter que pagar uma multa de R$ 21,9 milhões, a estatal deverá criar um programa de compliance (conjunto de disciplinas para fazer cumprir

as normas legais e regulamentares) concorrencial com procedimentos preventivos e de monitoramento para evitar a prática de condutas lesivas a concorrências. Há nove anos, o Plenário do STF (Supremo Tribunal Federal), por seis votos a quatro, manteve o monopólio restrito à Lei 6.538/78. Com isso, cartas pessoais e comerciais, cartõespostais, correspondências agrupadas (malotes) só poderão ser transportadas e entregues pela empresa pública, além da fabricação de selos. Por outro lado, o Plenário entendeu que as transportadoras privadas não cometem crime ao entregar outros tipos de correspondências e encomendas.

www.portalinterbuss.com.br | 15


Acervo Portal InterBuss

As fotos publicadas na antiga Galeri

Tiago de Grande

Thiago Sione Silva

SĂŠrgio Carvalho

Reginaldo Vieira

Busscar Urbanuss Pluss Mercedes-Benz OF-1722M Belo Horizonte

Marcopolo Paradiso G7 1200 Scania K340 Vale do TietĂŞ

16 | www.portalinterbuss.com.br

Caio Apache Vip Mercedes-Benz OF-1418 Miramar

Ciferal Citmax Mercedes-Benz OF-1721 Viatur


ia de Imagens do Portal InterBuss

Raphael Malacarne

Marcopolo Paradiso G6 1200 Mercedes-Benz O-400RSE Expresso Brasileiro

Lucas Nunes

Comil Campione 3.25 Mercedes-Benz OF-1418 BPA Transportes www.portalinterbuss.com.br | 17


Acervo Portal InterBuss

As fotos publicadas na antiga Galeria

Rodrigo Emanuel

Josenilton Cavalcante

Maicon Igor Barbosa

Sandro Alves

Comil Campione Mercedes-Benz OF-1722M Viação Santos

Marcopolo Paradiso G7 1200 Mercedes-Benz O-500RSD Expresso Itamarati

18 | www.portalinterbuss.com.br

Marcopolo Torino Mercedes-Benz OF-1722M Vera Cruz

Caio Apache Vip Mercedes-Benz OF-1418 Expresso Regional


a de Imagens do Portal InterBuss

e da Cruz

Kelvin Caovila

Marcopolo Paradiso G6 1200 Scania K310 Danubio Azul

JosÊ Geyvson da Silva Caio Apache Vip Volksbus 17 230 EOD Nova Aliança

www.portalinterbuss.com.br | 19


Rede Social

As melhores fotos de ônibus publicadas nas redes sociais

Adriano Minervino

Fernando Martins

Wallace Barcellos

Rava Ogawa

Ciferal Padron Cidade Dom Bosco OCD Holding

Irizar i6 Reitur Turismo OCD Holding

20 | www.portalinterbuss.com.br

Busscar Urbanuss Pluss Viação Boa Vista OCD Holding

Marcopolo Torino Cidade Verde OCD Holding


Bruno Viajante Fla

Marcopolo Paradiso G7 1800DD Viação Garcia OCD Holding

Thiago Vinicius

Marcopolo Paradiso G7 1200 Princesa OCD Holding www.portalinterbuss.com.br | 21


Viagens & Memória

MARISA VANESSA N. CRUZ Guarujá merece!!

A Translitoral operava na cidade de Guarujá há cerca de 40 anos, sendo a única municipal da cidade. Inicialmente, operava com o nome de Viação Guarujá. A partir da licitação efetuada por volta de 2002, é que mudou a razão social para Translitoral.

metropolitanas na baixada santista até 2016, mas por nova licitação ocorrida na região, a BR Mobilidade assumiu suas linhas e detém praticamente toda a exclusividade em todas as linhas intermunicipais da baixada.

Para os entusiastas, foi uma empresa marcante na cidade, permanecendo agora no segmento de fretamento e turismo. É claro que quando acaba o contrato, obrigatoriamente (ou não, dependendo do prefeito) deverá passar por uma nova licitação.

Licitação é assim: Há a inscrição das empresas interessadas, e a análise jurídica de cada proponente. Quem provar o melhor valor e o melhor custo-benefício, leva. Quem tem propostas melhores, leva. Por isso que para manter-se no mercado, é preciso programar e preparar financeiramente para continuar a oferecer sempre a melhor proposta

Translitoral já operou algumas linhas

22 | www.portalinterbuss.com.br

e a melhor qualidade. Normalmente, quando há perto de terminar a vigência de um contrato, na maioria das vezes há um acordo entre empresas vizinhas para que nenhuma viação seja prejudicada, como ocorreu recentemente com a licitação na cidade de São Paulo. Mas mesmo assim pode aparecer uma empresa, vinda de tão longe, para concorrer com o negócio. Aí é inevitável e há riscos da empresa ter sua atividade encerrada, substituída pela vencedora. Desejo à nova empresa operadora, a City, muito êxito nas novas operações na cidade.


A MOBILIDADE DEVE SER PARA TODOS. PARA QUEM ANDA NA RUA E NA CALÃ&#x2021;ADA.

interbuss MOBILIDADE

&

TRANSPORTE


A INTEGRAÇÃO DOS MODAIS NÃO É UMA UTOPIA. CIDADE SUSTENTÁVEL É CIDADE INTEGRADA.

interbuss MOBILIDADE

&

TRANSPORTE

Profile for Revista InterBuss

Revista InterBuss | Edição 430 | 10.02.2019  

Edição com 24 páginas | Confira nesta edição matéria sobre os novos planos do governo do Distrito Federal para as gratuidades estudantis. Ve...

Revista InterBuss | Edição 430 | 10.02.2019  

Edição com 24 páginas | Confira nesta edição matéria sobre os novos planos do governo do Distrito Federal para as gratuidades estudantis. Ve...

Advertisement