Page 1

interbuss

RELEMBREM AS FOTOS DA GALERIA DO INTERBUSS

PORQUE TRANSPORTE É VIDA | ANO 8 | N° 360 | 10 DE SETEMBRO DE 2017

TARIFA PAGA COM CARTÃO DE BANCO

Jundiaí amplia pagamento alternativo de tarifa diretamente na catraca com máquina de cartões ESTUDO DIZ QUE TARIFA CASA AFASTA USUÁRIOS


UMA REVISTA

PARA QUEM QUER

SABER TUDO SOBRE TRANSPORTE

NO BRASIL

E NO MUNDO. TODO DOMINGO,

UMA NOVA EDIÇÃO.

interbuss PORQUE TRANSPORTE É VIDA

CONTEÚDO DE QUALIDADE COM RESPONSABILIDADE


PEÇAS PARA

BUSSCAR CONFIRA NOSSAS PROMOÇÕES!

TORNEIRA SANITARIO BUSSCAR ESPELHO RETROVISOR EXTERNO LE BUSSCAR MARTE MANUAL R$

1309,73

LANTERNA PISCA AMARELA BUSSCAR >01 R$

37,23

R$

170,00

PORTA DIANTEIRA PANTOGRAFICA LD BUSSCAR JUMBUSS 360 R$

7419,00

Linha completa de peças de reposição Busscar. Confiram em nossa loja virtual. Compre pela internet! www.apolloonibus.com.br

RUA MÁRIO JUNQUEIRA DA SILVA, 1580 JARDIM EULINA - CAMPINAS/SP

FONE: (19) 3395-1668 NEXTEL: 55*113*14504


NESTA EDIÇÃO A GRANDE MATÉRIA

Jundiaí e o cartão de débito e

Pagamento de tarifa pode ser feito com cartão de banco diretame SUMÁRIO

6 NOSSA OPINIÃO

12 PÔSTER

7 A IMAGEM MARCANTE

14 DEU NA IMP

8 A GRANDE MATÉRIA

16 REDE SOCIA

11 ADAMO BAZANI

18 O MELHOR D

A má vontade da Transurc, em Campinas

A foto que marcou a semana no setor de transportes

Jundiaí implanta bilhetagem com cartão de banco

As mudanças no Refrota

Marcopolo Paradiso G7, p

As notas da imprensa espe

O seu espaço na InterBuss

As melhores fotos publica


ANO 8 | Nº 360 | DOMINGO, 10 DE SETEMBRO DE 2017 | 1ª EDIÇÃO | CONCLUÍDA ÀS 20h51 (S) EDIÇÃO COM 24 PÁGINAS

em ônibus

ente na catraca

por Chailander Borges

PRENSA ecializada

AL s

DA INTERBUSS

adas no Portal InterBuss

08

O MELHOR DA INTERBUSS

Confiram seleção de fotos que já foram publicadas na Galeria

Melhores fotos da Galeria do InterBuss estão de volta

18

ADAMO BAZANI

Conheça as mudanças no programa Refrota do governo

Plano para renovação de frota sofreu algumas alterações

10

DEU NA IMPRENSA

Estudo diz que tarifa mais cara afasta passageiro dos ônibus

Cada vez mais alta, passageiros deixam de usar ônibus

14

REDE SOCIAL

Confira as melhores fotos que foram publicadas no Facebook

As melhores fotos da semana saem aqui na Interbuss!

16


EXPEDIENTE

Uma publicação da InterBuss Comunicação Ltda. DIRETOR-PRESIDENTE / EDITOR-CHEFE Luciano de Angelo Roncolato JORNALISTA RESPONSÁVEL Luciano de Angelo Roncolato REVISÃO Luciano de Angelo Roncolato ARTE E DIAGRAMAÇÃO Luciano de Angelo Roncolato AGRADECIMENTOS DESTA EDIÇÃO Agradecemos à todos os colaboradores de todo o país pelas fotos enviadas esta semana para capa, matérias e pôster. SOBRE A REVISTA INTERBUSS A Revista InterBuss é uma publicação semanal do site Portal InterBuss com distribuição on-line livre para todo o mundo. Seu público-alvo são frotistas, empresários do setor de transportes, gerenciadores de trânsito e sistemas de transporte, poder público em geral e admiradores e entusiastas de ônibus de todo o Brasil e outros países. Todo o conteúdo da Revista InterBuss provenientes de fontes terceiras tem seu crédito dado sempre ao final de cada material. O material produzido pela nossa equipe é protegido pela lei de direitos autorais e sua reprodução é autorizada após um pedido feito por escrito, e enviado para o e-mail revista@ portalinterbuss.com.br. As fotos que ilustram todo o material da revista são de autoria própria e a reprodução também é autorizada apenas após um pedido formal via e-mail. As imagens de autoria terceira têm seu crédito disponibilizado na lateral da mesma e sua autorização de reprodução deve ser solicitada diretamente ao autor da foto, sem interferência da Revista InterBuss. A impressão da revista para fins particulares é previamente autorizada, sem necessidade de pedido. PARA ANUNCIAR Envie um e-mail para contato@portalinterbuss.com. br ou ligue para (19) 99483-2186 e converse com nosso setor de publicidade. Você poderá anunciar na Revista InterBuss, ou em qualquer um dos sites parceiros do grupo InterBuss, ou até em nosso site principal. Temos diversos planos e com certeza um deles se encaixa em seu orçamento. Consulte-nos! PARA ASSINAR Por enquanto, a Revista InterBuss está sendo disponibilizada livremente apenas pela internet, através do site www.revistainterbuss.com.br. Por esse motivo, não é possível fazer uma assinatura da mesma. Porém, você pode se inscrever para receber um alerta assim que a próxima edição sair. Basta enviar uma mensagem para revista@portalinterbuss.com.br e faremos o cadastro de seu e-mail ou telefone e você será avisado. CONTATO A Revista InterBuss é um espaço democrático onde todos têm voz ativa. Você pode enviar sua sugestão de pauta, ou até uma matéria completa, pode enviar também sua crítica, elogio, ou simplesmente conversar com qualquer pessoa de nossa equipe de colunistas ou de repórteres. Envie seu e-mail para revista@ portalinterbuss.com.br ou contato@portalinterbuss. com.br. Procuramos atender a todos o mais rápido possível. A EQUIPE INTERBUSS A equipe do Portal InterBuss existe desde 2000, desde quando o primeiro site foi ao ar. De lá pra cá, tivemos grandes conquistas e conseguimos contatos com os mais importantes setores do transporte nacional, sempre para trazer tudo para você em primeira mão com responsabilidade e qualidade. Por conta disso, algumas pessoas usam de má fé, tentando ter acesso a pessoas e lugares utilizando o nome do Portal InterBuss, falando que é de nossa equipe. Por conta disso, instruímos a todos que os integrantes oficiais do Portal e Revista InterBuss são devidamente identificados com um crachá oficial, que informa o nome completo do integrante, mais o seu cargo dentro do site e da revista. Qualquer pessoa que disser ser da nossa equipe e não estiver devidamente identificada, não tem autorização para falar em nosso nome, e não nos responsabilizamos por informações passadas ou autorização de entradas dadas a essas pessoas. Qualquer dúvida, por favor entre em contato pelo e-mail contato@portalinterbuss.com.br ou pelo telefone (19) 99483.2186, sete dias por semana, vinte e quatro horas por dia.

NOSSA OPINIÃO

Editorial

Campinas não quer tirar o dinheiro dos ônibus A cidade de Campinas mais uma vez mostra o quanto é ultrapassada no que diz respeito ao transporte público. Enquanto Jundiaí avança com o aceite de cartões de débito nas máquinas de validação de passagens, Campinas ainda testa um sistema ruim de QR Code, que sequer é amplamente vendido. Será que é tão difícil entender que o problema não está no sistema de bilhetagem, e sim no reduzido número de agentes credenciados? Em qualquer cidade decente compra-se bilhetes para o transporte coletivo em qualquer quitanda de esquina, e os motoristas não recebem pagamento de tarifa em dinheiro. Isso obriga o passageiro ou a ter o cartão do sistema local, ou comprar um bilhete unitário. Campinas já fez um teste há pouco tempo com dois cartões, um deles unitário e outro duplo. Esses cartões também não eram vendidos em qualquer lugar físico e no início era também vendido pelos motoristas, ou seja, dava na mesma pois o motorista além de dirigir tinha que receber o dinheiro desses cartões e dar o troco. O pior é que esses cartões eram mais caros mas mesmo assim a população não perdeu o costume de pagar a tarifa em dinheiro e a maior parte desses cartões era vendida justamente dentro dos ônibus. A Transurc acabou com esses cartões alegando que o sistema dava prejuízo, já que a maior parte dos bilhetes, que deveriam ser devolvidos mediante reembolso de R$ 2,00 cada, não eram entrgues de volta. Essa história dos cartões unitários está muito mal contada. Se o passageiro pagava dois reais a mais na tarifa para receber esse bilhete de plástico, era facultado à ele devolver ou não, além do que esse cartão estava sendo pago (dois reais), além do valor da tarifa, ou seja, a Transurc estava vendendo o cartão, e poderia muito bem produzir mais. Como que o cartão dava prejuízo se ele era praticamente vendido pelo valor de dois reais? Isso não tem o menor cabimento. A impressão que dá é que a Transurc, que representa os empresários do setor de transporte urbano de Campinas, não está nem um pouco interessada em novas tecnologias que tirem os dinheiros de dentro dos ônibus, e sabem por que? A tarifa recebida em dinheiro na catraca entra diretamente para o caixa das empresas, ao final de cada dia de expediente, enquanto os valores recebidos via bilhete eletrônico, ainda precisam passar pela EMDEC, que gerencia o sistema, e depois passam pelos cofres das empresas após uma distribuição proporcional ser feita já que tudo é feito via caixa único com uma câmara de compensação. Isso significa que as linhas que mais transportam passageiros transferem dinheiro para as linhas que dão prejuízo, com o objetivo de manter o equilíbrio financeiro do sistema. Isso tudo não importa para a empresas, se o motorista está correndo riscos recebendo dinheiro ao mesmo tempo em que dirige, se os passageiros também estão correndo risco, e a maioria dos motoristas gostariam que o atual sistema, com eles recebendo dinheiro, continuasse pois eles recebem um adicional no salário, o que para muitos faz a diferença no final do mês, além de ser muito mais barato do que manter um funcionário a mais dentro do ônibus, no caso, o cobrador, cargo extinto já há algum tempo. Quando não há vontade, nada anda, não adianta. Há muito tempo a Transurc está sendo cobrada para implantar um sistema que tire o dinheiro de dentro do ônibus mas nada é feito efetivamente, apenas situações fracas rapidamente extintas. E pelo jeito, isso vai continuar por algum tempo.


A IMAGEM MARCANTE

Maringá, PR

Sábado, 2 de Setembro de 2017

Em 2009, a freada brusca de um motorista de ônibus aproximou Jéssica e Maickel que, em gratidão à circunstância que se conheceram, casaram dentro do próprio transporte coletivo em Maringá. Os dois costumavam pegar a mesma linha de ônibus pela manhã. Foram sete anos de namoro. A ideia de fazer o casamento no ônibus foi dele, que se impôs o desafio de surpreender a futura esposa. O veículo foi adesivado e recebeu uma decoração especial, repleta de detalhes. A celebração no ônibus foi apenas parte do casamento, que também teve cerimônia na igreja e festa. As informação são do RIC Mais.


A GRANDE MATÉRIA

Inovação

Jundiaí é pioneira em aceitar cartão de débito para pagar passagem Da Autopass | assessoria

Jundiaí se tornará pioneira ao oferecer aos cidadãos novas formas de pagamento de passagens de ônibus em toda a sua frota. Na terça-feira, 29/08, o prefeito Luiz Fernando Machado, a direção da Transurb, e o CEO da Autopass, Rubens Gil Filho, anunciaram a implantação do pagamento da passagem com cartões ou celulares com função de débito e crédito com tecnologia contactless, solução desenvolvida pela Autopass e Mastercard. As vantagens dos cartões “sem contato” são a facilidade do uso, visto que não precisam de senha, e o tempo de validação mais rápido, já que o plástico não necessita ser inserido, somente encostado no validador. O projeto conta ainda com a participação da Prodata, Banco Santander e Samsung Pay. “Este serviço agiliza o processo de pagamento e embarque, além da conveniência para o passageiro, já que não será necessário que o cliente digite a senha. É uma inovação a favor da mobilidade urbana e do cidadão”, afirma o CEO da Autopass. “Gradativamente estamos deixando a administração pública analógica para avançarmos para uma cidade digital e inteligente. Com este projeto trazemos qualidade, rapidez e segurança no transporte de Jundiaí e queremos ser referência na eficiência da gestão pública”, disse o prefeito de Jundiaí, Luiz Fernando Machado. Estimativas apontam que cerca de 1 milhão de passagens são pagas por esta forma todos os dias, o que representa mais de 25% das viagens na capital da Inglaterra. O que se pretende, especialmente numa cidade muito movimentada como Londres, é que os cidadãos não tenham que fazer fila para comprar ou carregar o bilhete de transporte e que possam usar o cartão com que pagam as suas compras para entrarem, diretamente, no metrô ou nos ônibus. Com isso, a capital da Inglaterra está constantemente no topo do ranking de pesquisas como uma

08 interbuss | 10.09.2017

das cidades melhor avaliadas, pois o investimento em tecnologia de pagamentos com cartão sem contato torna o dia a dia na cidade seguro e eficiente. A solução de pagamento sem contato por meio do cartão de crédito, débito, pré-pago e celulares já é utilizada nos principais sistemas de transporte do mundo. O modelo de Londres, inspirou o desenvolvido pela Mastercard no Brasil e faz parte da estratégia global da companhia em fomentar o uso da tecnologias para tornar as ci-

dades mais inteligentes e a experiência dos cidadãos mais simples, seguras e eficientes”, explica Fernanda Braz, diretora de desenvolvimento de negócios da Mastercard. Gil Filho sinaliza que a Autopass é pioneira na implantação desse sistema na América Latina e que a empresa está pronta para ampliar as cidades atendidas com essa mesma tecnologia. “Oferecemos soluções e serviços para a mobilidade urbana pensando em melhorar a vida das pessoas”, concluiu o CEO da Autopass.


Violência

Cinco dicas para evitar o roubo de seu carro

São dicas básicas que parecem óbvias mas ajudam muito na hora

Da 3S Tecnologia | assessoria Algumas dicas costumam ser batidas e óbvias, mas quando o assunto é segurança, o melhor a fazer é ouvir. Além do mais, sempre existe alguma coisa que deixamos de lado por conta da correria do dia a dia, mas que pode ser importante de ser lembrada para evitar um assalto ou furto. Para termos uma ideia, de acordo com a Confederação Nacional de Seguros (CNSeg), são roubados, por hora, 57 veículos no Brasil. Se multiplicarmos este número por 24 (horas), chegaremos a 1368 carros roubados em um único dia. Anderson Bochoglonian, diretor da 3S Tecnologia, empresa que desenvolve soluções de rastreamento e monitoramento para carros e caminhões, listou algumas dicas para te ajudar a não ter o carro roubado ou furtado. Confira: Saiba por onde anda Claro que isso nem sempre é possível, mas procure levantar informações sobre o lugar. Existem locais com alto ín-

dice de roubos e você consegue descobrir se a área é segura ou não antes mesmo de chegar. Nesses casos, pagar R$10 ou R$20 de estacionamento é investimento. Embarque e desembarque Muitos pais e mães não prestam atenção. Antes de estacionar o carro, repare no entorno. Mesmo que as vagas sejam poucas, dê uma volta no quarteirão, se possível, ou pare em um estacionamento. Quando estão com crianças, os pais ficam de costas para a rua e perdem contato com o que está acontecendo em volta. Antes mesmo de descer do veículo, olhe em volta e se certifique de que o local é seguro. Rastreadores sempre ajudam Pode parecer algo batido, mas não é! Muitos carros hoje em dia são recuperados por conta dos rastreadores. Com eles, no momento de um assalto ou furto, você consegue manter a calma, pois é muito provável que o seu bem seja recuperado. No momento de assalto, não reaja. Entregue as chaves e, assim que possível, entre em contato com a central da empresa contratada

para o serviço. Não deixe objetos dentro do carro Em muitos casos, os vidros dos carros são estourados por conta de objetos deixados no interior dos veículos. Evite isso. Procure guardar as coisas que não podem ser carregadas no porta malas do automóvel. Muitas vezes, os furtos acontecem por conta de itens que não valem o preço do vidro quebrado. Tenha atenção. Certifique-se de que o carro está trancado Na hora da pressa, muitas pessoas costumam pegar os pertences do carro e depois saem em disparada para chegar ao destino. Cuidado! Nesses momentos, podemos deixar objetos e documentos importantes no interior do veículo e, pior: com as portas abertas. Mesmo em momentos assim, procure fazer as coisas com calma. Saia de casa com antecedência, inclusive para encontrar um bom lugar para estacionar. Se não for possível, o mais indicado é ter calma e antes de sair de perto do veículo, se certifique de que as portas estão realmente trancadas e se não há objetos nos bancos. 10.09.2017 |

interbuss 09


COLUNAS

NOSSO TRANSPORTE ADAMO BAZANI | adamobus@gmail.com

Governo Federal altera Refrota e financiamento para infraestrutura de transportes

O Ministério das Cidades fez alterações no Refrota, que é o programa que financia ônibus urbanos novos com recursos do FGTS – Fundo de Garantia por Tempo de Serviço. Pela instrução normativa 34, de 6 de setembro de 2017, assinada pelo ministro Bruno Araújo e publicada no Diário Oficial de hoje, os agentes operadores do financiamento, ou seja, os bancos conveniados com o Ministério das Cidades, terão mais liberdade e poder de decisão sobre as propostas apresentadas pelas empresas de ônibus. O Gestor da Aplicação, que é o Ministério das Cidades, vai dar o aval sobre a liberação dos recursos com base na palavra final do banco. O Gestor da Aplicação efetuará a seleção da proposta, com base na manifestação conclusiva do Agente Financeiro, verificando as disponibilidades orçamentárias do exercício e procederá à publicação no Diário Oficial da União das propostas selecionadas Os bancos também vão determinar a carência e o prazo para pagamento por parte das empresas de ônibus. Os prazos de carência e amortização serão definidos pelo Agente Operador Os financiamentos, mesmo como os bancos privados, devem ter anuência de estados e prefeituras que concedem os serviços de transportes. A apresentação do Termo de Compromisso (Anexo II – item VIII) com anuência do responsável pelo Poder Concedente/Permissionário. O Refrota 17 foi anunciado em dezembro do ano passado e oficializado em janeiro deste ano com recursos de R$ 3 bilhões, oriundo do FGTS. Apesar das pompas do anúncio pelo presidente Michel Temer e pelo o Ministério das Cidades, o primeiro financiamento só saiu nove meses depois. Isso porque, pela inexperiência da Caixa Econômica Federal neste tipo de linha, houve diversos problemas e desencontros como a exigência de um seguro para cobertura destes veículos, que não existe no mercado de ônibus urbanos. Além disso, mesmo que esse seguro fosse criado, não seria vantajoso nos termos das Caixa porque na prática, só cobriria 25% do valor ônibus em caso de perda total em aciden-

10 interbuss | 10.09.2017

tes. O seguro também não cobriria incêndios e ataques, que hoje são os principais problemas que geram perda total em ônibus urbanos. Quando o primeiro financiamento do Refrota pela Caixa Econômica Federal, com assinado em junho, houve mais um problema. O financiamento só saiu do papel em stembro. Por causa da demora da análise e adaptação pela CEF -Caixa Econômica Federal, no período transcorrido entre o recebimento do pedido feito pela empresa Suzantur, de Mauá, e a liberação do recurso pela CEF, houve aumento de preço do chassis e carrocerias. Ocorre que o Refrota apenas se baseia na quantidade de veículos prevista em contrato e não há previsão sobre eventual variação de valores de mercado. Como houve esse reajuste de preço, os recursos liberados pela Caixa não foram suficientes para comprar o total de 100 ônibus estipulados no contrato assinado. Sendo assim, a empresa de ônibus Suzantur teve de usar recursos próprios para cumprir a quantidade firmada. FINANCIAMENTOS DE OBRAS: Também nesta sexta-feira, 8 de setembro de 2017, o Ministério das Cidades publicou a portaria 532, assinada em 6 de

setembro, que regulamenta a aprovação dos projetos de investimentos considerados prioritários pelo Governo Federal na área de infraestrutura para o setor de mobilidade urbana. Foi ampliada a possibilidade da participação de empresas de ônibus e outros operadores de transporte público para conseguirem recursos e serem responsáveis por obras como de corredores de ônibus, terminais e estações. Os projetos de investimento em infraestrutura do setor de mobilidade urbana deverão ser submetidos ao Ministério das Cidades para obtenção da aprovação como prioritários, por pessoas jurídicas constituídas como sociedade por ações, concessionárias, permissionárias, autorizatárias ou arrendatárias de serviços de transporte público coletivo urbano, de modo a se enquadrarem nos benefícios previstos Além disso, a norma prevê o financiamento de obras que não sejam exatamente de transporte coletivo, mas relacionadas, como estacionamentos, ciclovias, paraciclos, ruas e avenidas. Bilhetagem eletrônica e sistemas de informação, desde que em conjunto com as obras, também poderão ser financiados. Os valores de outorgas de concessões pagos ao poder público também poderão ser incluídos nos financiamentos.


Agentes financeiros terão mais liberdade para definirem liberação de recursos para ônibus novos. Quanto às obras, mudança prevê participação de empresas de ônibus na construção de corredores e terminais com financiamentos pelo Ministério das Cidades. Até bilhetagem eletrônica pode ser incluída, desde que junto com as obras

Para efeito desta Portaria, as modalidades do setor de mobilidade urbana passíveis de enquadramento dos projetos como prioritários serão restritas aos projetos de investimento na área de infraestrutura que visem à implantação, ampliação, adequação ou modernização de sistemas de transporte público coletivo urbano e/ ou transporte público coletivo intermunicipal de caráter urbano: a)sobre pneus (BRT – Bus Rapid Transit, VLP – Veículo Leve sobre Pneus); b)sobre trilhos (Metrô, Trem Urbano, Monotrilho, VLT – Veículo Leve sobre Trilhos, APM – Automated People Mover); e c) hidroviário. 3.1. Em caráter excepcional, o Ministério das Cidades poderá analisar propostas de outros tipos de sistemas de transporte público coletivo urbano e/ou transporte público coletivo intermunicipal de caráter urbano não previstos nas alíneas do item anterior. 3.2. Os projetos de investimento podem conter as seguintes infraestruturas de mobilidade urbana, desde que façam parte do sistema de transporte coletivo proposto: a) vias e demais logradouros públicos, inclusive metroferrovias, hidrovias e ciclovias; b) estacionamentos; c) terminais, estações e demais conexões; d) pontos para embarque e desembarque de passageiros; e) sinalização viária e de trânsito; f ) equipamentos e instalações, inclusive destinados à segurança de pessoas e

instalações; e g) instrumentos de controle, fiscalização, arrecadação de taxas e tarifas e difusão de informações. 3.3. As propostas apresentadas poderão prever a alocação dos recursos captados para pagamento futuro ou reembolso de gastos, despesas, inclusive as decorrentes do pagamento de outorga, ou dívidas relacionados aos projetos de investimento prioritários, nos termos da Lei nº 12.431/2011. 3.3.1. Os gastos, despesas ou dívidas passíveis de reembolso deverão ter ocorrido em prazo igual ou inferior a 24 (vinte e quatro) meses da data do encerramento da oferta pública O Ministério das Cidades faz as seguintes classificações sobre autorizatárias, concessionárias, permissionárias e Sociedade de Propósito Específico – SPE para fins de liberação de recursos. 2.5. Concessionárias: são as empresas públicas, empresas privadas ou as sociedades de economia mista, prestadoras de serviços públicos de transporte público coletivo urbano e/ou transporte público coletivo intermunicipal de caráter urbano, organizadas ou não na forma de Sociedade de Propósito Específico – SPE, para a prestação destes serviços públicos, desde que na vigência de instrumento de delegação, em conformidade com a Lei nº 8.987, de 13 de fevereiro de 1995, a Lei nº 11.107, de 06 de abril de 2005 e a Lei nº

11.445,de 05 de janeiro de 2007, incluindo as concessões em regime de Parceria Público-Privada – PPP, celebradas em conformidade com os dispositivos da Lei nº 11.079, de 30 de dezembro de 2004. 2.6. Sociedade de Propósito Específico – SPE: pessoa jurídica, de direito privado, constituída com a finalidade de promover a gestão e a implementação de empreendimentos de mobilidade urbana. 2.7. Permissionárias: pessoa jurídica, a quem foi delegada, a título precário e mediante licitação, a prestação de serviços públicos de transporte público coletivo urbano e/ou transporte público coletivo intermunicipal de caráter urbano, desde que na vigência de instrumento de delegação, em conformidade com a Lei nº 8.987, de 13 de fevereiro de 1995. 2.8. Autorizatárias: pessoa jurídica, a quem foi delegada, a título precário, a prestação de serviços públicos de transporte público coletivo urbano e/ou transporte público coletivo intermunicipal de caráter urbano, desde que na vigência de instrumento de delegação. 2.9. Arrendatárias: pessoa jurídica, de direito privado, a quem foi cedida área e infraestrutura pública para exploração de serviços relacionados a transporte público coletivo urbano e/ou transporte público coletivo intermunicipal de caráter urbano, desde que na vigência do contrato de cessão. 10.09.2017 |

interbuss 11


interbuss

CHAILANDER BORGES Marcopolo Paradiso G7 1200 Viação Cometa, em São Paulo/SP


DEU NA IMPRENSA

Transpo Online

RESUMO DAS PRINCIPAIS NOTÍCIAS DA IMPRENSA ESPECIALIZADA

Estudo diz que valores das tarifas afastam passageiros Do site | notícias A redução do valor das tarifas é o principal desafio do setor rodoviário para a retomada dos passageiros dos ônibus urbanos, que vem perdendo usuários anualmente. Mas, para que isso ocorra, é necessária a criação de mecanismos que reduzam os custos das empresas, dando prioridade ao transporte público nas cidades. A informação consta da pesquisa Mobilidade da População Urbana 2017, realizada pela CNT (Confederação Nacional do Transporte) e pela NTU (Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos), apresentada na última quarta-feira (30/8), durante o Seminário Nacional NTU 2017, em São Paulo. Segundo o estudo, as principais necessidades para que os passageiros retornem ao sistema são redução do preço das tarifas (34,5%), maior rapidez das viagens (25,4%), flexibilidade dos serviços (24,6%), maior conforto (22,1%), pontualidade (15,4%) e maior segurança (14,1%). O presidente da CNT, Clésio Andrade, afirma que é preciso criar um círculo virtuoso. “A única forma de desafogar o sistema é a desoneração tarifária, com a retirada dos impostos do diesel e das peças, por exemplo.” O estudo foi realizado a fim de se conhecer os principais problemas enfrentados pelos usuários e descobrir os motivos que provocaram a substituição dos modos de transporte coletivos por outras modalidades. Para o presidente da NTU, Otávio Cunha, os dados demonstram claramente que as tarifas são caras para o bolso dos usuários. Ele acredita que uma das soluções para baixar os valores é o custeio de parte do sistema, como as gratuidades, pelo poder público. Atualmente, o benefício é pago exclusivamente pelos usuários. “Além disso, as viagens são demoradas e os usuários gostariam de ter maior flexibilidade na hora de decidirem sobre seus deslocamentos. As redes não estão atendendo às necessidades da população. Para resolver a questão, é fundamental o investimento em infraestrutura, com prioridade ao transporte público”, disse. A pesquisa revela que é preciso ha-

14 interbuss | 10.09.2017

ver a redução no valor das tarifas para que os usuários retornem ao sistema. Para 28,3% dos entrevistados, a queda precisa ser de mais de R$ 1. Já para 19,2%, a redução pode ser menor que esse valor. Entretanto, 24,9% dos passageiros afirmaram que não retornariam ao sistema, mesmo com a redução dos valores. Segundo os dados, 45,2% de todos os deslocamentos são realizados por meio de ônibus urbanos. Porém, o modal deixou de ser utilizado como meio de transporte público por 38,2% dos entrevistados. Desses, 16,1% o abandonaram totalmente, e outros 22,1% diminuíram o uso. Após deixarem os coletivos, 35,8% dos entrevista-

dos migraram para o carro próprio; 29,1% passaram a andar a pé; 7,9% mudaram para as bicicletas; 7,8%, para as motos; e 3,5%, para os metrôs. Outros modos, como táxis, serviços de carona e de aplicativos de celulares, correspondem juntos a cerca de 10% dessa substituição. A pesquisa foi realizada com a população residente em 35 cidades brasileiras com mais de 100 mil habitantes. Os questionários foram respondidos pelos responsáveis pelos domicílios, que prestaram informações detalhadas sobre os seus deslocamentos diários. No total, foram realizadas 3.100 entrevistas entre os dias 12 e 23 de junho.


Transpo Online

Exército Brasileiro compra compactador de solo Volvo

Do site | notícias O Exército brasileiro adquiriu recentemente um compactador de solo da Volvo Construction Equipment. O modelo, um SD105, foi produzido na fábrica brasileira de Pederneiras, no interior de São Paulo, e comercializado pela Tecnoeste, distribuidor da Volvo CE nos Estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. O compactador de solo SD105 foi customizado na Tecnoeste com uma pintura especial e a padronagem camuflada, desenvolvidas especialmente para atender ao padrão de cores do Exército. O Exército brasileiro conta com os Batalhões de Engenharia de Construção (BEC) para atuar em obras de cooperação, conveniadas com organismos públicos federais, estaduais e municipais na construção de ferrovias, rodovias, viadutos,

pontes, açudes e portos, além de barragens e poços artesianos. Cada BEC também atua como formador de profissionais – de pedreiros a engenheiros -, ajudando na qualificação da mão de obra da construção civil. O equipamento – O compactador SD105 da Volvo possui visibilidade de 360º, detalhe que otimiza a segurança. A estrutura e o capô da máquina foram projetados para oferecer uma visão traseira superior com visibilidade de 1×1 metro a partir do assento do operador. Os controles e o console do operador ergonomicamente projetados oferecem maior conforto e produtividade. As principais funções estão mais acessíveis e localizadas próximas aos controles. A alavanca de controle de propulsão possibilita controlar a velocidade de forma precisa e suave, apresentando ativação de vibração integrada e uma posição

neutra fácil de encontrar. O assento do operador é ajustável e pode ser girado a 15 graus para a esquerda e a 45 graus para a direita. Essa função melhora a visibilidade e a segurança ao operar em marcha a ré, aumentando também o conforto do operador. O SD105 fornece forças de impacto do tambor elevadas ao operar em alta e baixa amplitudes. “A combinação de força centrífuga elevada com o maior peso do tambor facilita a excelente compactação, permitindo que o usuário atinja o grau de compactação desejado em poucas passadas”, afirma Boris Sanchez, gerente de suporte a vendas e aplicações da Volvo CE Latin America. A máquina possui ainda o sistema de tração da Volvo, que proporciona excelente tração em inclinações íngremes, superfícies deslizantes e durante carregamento para transporte. 10.09.2017 |

interbuss 15


REDE SOCIAL

AS MELHORES FOTOS DA SEMANA NO FACEBOOK

Rafael Xarão | Marcopolo Viale

Caio César | Mascarello Roma

Rafael Xarão | Neobus New Road N10

Wanderson Amorim | Busscar Jum Buss 360

Rafael Xarão | Marcopolo Paradiso G7 1200

Caio César | Marcopolo Paradiso G6 1200

16 interbuss | 10.09.2017


Rayllander Almeida | Irizar i6

Caio CĂŠsar | Marcopolo Viale

Diego Almeida Araujo | Marcopolo Paradiso G7 1050

Rodrigo Gomes | Neobus Spectrum City

Danilo Vitorino | Neobus New Road N10

TĂ´ni Cristian | Marcopolo Paradiso G6 1550LD 10.09.2017 |

interbuss 17


O MELHOR DA INTERBUSS

UMA SELEÇÃO DAS MELHORES FOTOS PUBLICADAS NAS GALERIAS DO PORTA

Tiago de Grande Caio Apache Vip MBB OF-1417 | Cidade Natureza

Sérgio Carvalho Comil Svelto Scania K270 | Consórcio Sorocaba

Thiago Vinicius Marcopolo Paradiso G6 1800DD Scania K124IB | Aparecida

Anderson Ribeiro Marcopolo Viaggio GV 1000 Volvo B10M | AVA

Anderson Ribeiro Marcopolo Paradiso G6 1200 Scania K380 | Expresso Gardenia

Igor Drumond Soares Busscar Vissta Buss MBB O-400RSD | Riodoce

18 interbuss | 10.09.2017


S JÁ TAL INTERBUSS

Janderson Miguel Busscar Urbanus LD MBB OF-1620 | Auto Viação Ouro Verde

Victor Hugo Guedes Pereira Marcopolo Paradiso G7 1800DD Volvo B12R | Eucatur

Raphael Malacarne Marcopolo Torino MBB OF-1418 | Piracicabana Santos

Adriano Minervino Marcopolo Paradiso G7 1200 MBB O-500RS | Real Expresso

Luiz Fernando Máximo Caio Millennium | Viação Santa Brígida

Igor Drumond Soares Marcopolo Paradiso G6 1200 MBB O-500RSD | Salutaris 10.09.2017 |

interbuss 19


O MELHOR DA INTERBUSS

Thiago Vibnicius Marcopolo Paradiso G6 1200 MBB O-500RSD | Itapemirim

Sérgio Carvalho Busscar Urbanuss Scania F94HB | Vila Elvio

Anderson Ribeiro CMA Estrelão Scania K124IB | Viação Cometa

Victor Hugo Guedes Pereira Marcopolo Viale MBB OF-1722 | Viação Garcia

Artur Velter Medeiros Marcopolo Paradiso G7 1200 Scania K380 | Santo Anjo

Luiz Fernando Máximo Caio Millennium MBB O-500M | Urubupungá

20 interbuss | 10.09.2017


Tiago de Grande Comil Svelto MBB OF-1722M | CS Brasil

Adriano Minervino Busscar Jum Buss 360 Scania K420 | Viação Nacional

Tiago de Grande Caio Apache Vip MBB OF-1722M | Vip Itaim Paulista

Anderson Ribeiro Tecnobus Tribus III | Viação Itapemirim

Raphael Malacarne Busscar Jum Buss 360 Scania K124IB | São Geraldo

Victor Hugo Guedes Pereira Marcopolo Paradiso G7 1200 Scania K340 | Princesa do Ivaí 10.09.2017 |

interbuss 21


COLUNAS

VIAGENS & MEMÓRIA

MARISA VANESSA N. CRUZ | ideiaselembrancas@gmail.com

Curiosidades: Terminal de Ônibus da Estação Vila Matilde A Estação Vila Matilde é uma estação de metrô da linha 3-Vermelha, que liga Palmeiras-Barra Funda a CorinthiansItaquera, inaugurada em 27 de agosto de 1988. No lado norte, encontra-se o Terminal Urbano, onde partem diversas linhas para vários bairros. O Terminal Norte é composto de duas plataformas, sendo que a plataforma A partem as linhas: - 2706/10 – Cemitério da Saudade (Transunião) - 273N/10 – Cidade Kemel II (VIP) - 2770/10 – CPTM José Bonifácio (VIP) - 2719/10 – Ermelino Matarazzo (Allibus) Na plataforma B, partem outras linhas: - 2714/10 – Vila Rui Barbosa (Allibus) - 3731/10 – Shopping Aricanduva (Allibus) Na saída sentido bairro, na rua Coronel Pedro Dias de Campos, partem duas linhas de ônibus a seguir: - 3725/10 – Vila Dalila (Allibus) - 3725/41 – Vila Aricanduva (Allibus) Seguem algumas fotos que eu tirei no Terminal de Ônibus da estação em 2016.

22 interbuss | 10.09.2017


ANUNCIE NA

INTERBUSS E FIQUE PERTO DO SEU PÚBLICO E DOS SEUS POTENCIAIS

CLIENTES CONTACTE-NOS E FAÇA UM BOM NEGÓCIO

revista@portalinterbuss.com.br

interbuss PORQUE TRANSPORTE É VIDA


NOVA INTERBUSS. NOVO CONTEÚDO

NOVA VISÃO TUDO NOVO TUDO POR VOCÊ interbuss PORQUE TRANSPORTE É VIDA

Revista InterBuss | Edição 360 | 10.09.2017  

Edição com 24 páginas | Concluída ontem | Confira nesta edição matéria sobre a ampliação do uso do cartão de banco para pagamento de tarifa...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you