Page 1

AS MELHORES FOTOS DO PORTAL INTERBUSS, CONFIRA

interbuss PORQUE TRANSPORTE É VIDA | ANO 7 | N° 332 | 19 DE FEVEREIRO DE 2017

AMÉRICA LATINA SALVOU A VOLVO NO BRASIL

Montadora teve nos demais países da América Latina os resultados que não conseguiu no Brasil por conta da grave crise econômica do país MARCOPOLO VENDE 93 ÔNIBUS PARA SÃO LUÍS/MA


UMA REVISTA

PARA QUEM QUER

SABER TUDO SOBRE TRANSPORTE

NO BRASIL

E NO MUNDO. TODO DOMINGO,

UMA NOVA EDIÇÃO.

interbuss PORQUE TRANSPORTE É VIDA

CONTEÚDO DE QUALIDADE COM RESPONSABILIDADE


PEÇAS PARA

BUSSCAR CONFIRA NOSSAS PROMOÇÕES!

TORNEIRA SANITARIO BUSSCAR ESPELHO RETROVISOR EXTERNO LE BUSSCAR MARTE MANUAL R$

1309,73

LANTERNA PISCA AMARELA BUSSCAR >01 R$

37,23

R$

170,00

PORTA DIANTEIRA PANTOGRAFICA LD BUSSCAR JUMBUSS 360 R$

7419,00

Linha completa de peças de reposição Busscar. Confiram em nossa loja virtual. Compre pela internet! www.apolloonibus.com.br

RUA MÁRIO JUNQUEIRA DA SILVA, 1580 JARDIM EULINA - CAMPINAS/SP

FONE: (19) 3395-1668 NEXTEL: 55*113*14504


NESTA EDIÇÃO A GRANDE MATÉRIA

Volvo teve na AL o que faltou

Números da montadora na América Latina compensaram a crise e SUMÁRIO

6 NOSSA OPINIÃO

12 PÔSTER

7 A IMAGEM MARCANTE

14 DEU NA IMP

9 A GRANDE MATÉRIA

16 REDE SOCIA

Quando as prefeituras apóiam empresas ruins

A foto que marcou a semana no setor de transportes

A retomada da Volvo no Brasil

10 ADAMO BAZANI

Ônibus é o melhor modal, dizem especialistas

Marcopolo Paradiso G6, p

As notas da imprensa espe

O seu espaço na InterBuss

18 O MELHOR D

As melhores fotos publicad


ANO 7 | Nº 332 | DOMINGO, 19 DE FEVEREIRO DE 2017 | 1ª EDIÇÃO | CONCLUÍDA ÀS 21h04 (5ª) EDIÇÃO COM 24 PÁGINAS

u no Brasil

em todo o Brasil

por Sérgio Canuto

PRENSA ecializada

AL s

DA INTERBUSS das no Portal InterBuss

09

O MELHOR DA INTERBUSS

Confira o que já saiu de melhor nas galerias do Portal InterBuss

As melhores fotos já publicadas no antigo Portal InterBuss

18

A GRANDE MATÉRIA

Marcopolo vende 93 ônibus para as empresas de São Luís

Renovação da frota na capital maranhense é grande

08

DEU NA IMPRENSA

Financiamento de veículos tem queda de quase 10%

Em compensação cresceu número de compras à vista

14

REDE SOCIAL

Confira as melhores fotos que foram publicadas no Facebook

As melhores fotos da semana saem aqui na Interbuss!

16


EXPEDIENTE

Uma publicação da InterBuss Comunicação Ltda. DIRETOR-PRESIDENTE / EDITOR-CHEFE Luciano de Angelo Roncolato JORNALISTA RESPONSÁVEL Luciano de Angelo Roncolato REVISÃO Luciano de Angelo Roncolato ARTE E DIAGRAMAÇÃO Luciano de Angelo Roncolato AGRADECIMENTOS DESTA EDIÇÃO Agradecemos à todos os colaboradores de todo o país pelas fotos enviadas esta semana para capa, matérias e pôster. SOBRE A REVISTA INTERBUSS A Revista InterBuss é uma publicação semanal do site Portal InterBuss com distribuição on-line livre para todo o mundo. Seu público-alvo são frotistas, empresários do setor de transportes, gerenciadores de trânsito e sistemas de transporte, poder público em geral e admiradores e entusiastas de ônibus de todo o Brasil e outros países. Todo o conteúdo da Revista InterBuss provenientes de fontes terceiras tem seu crédito dado sempre ao final de cada material. O material produzido pela nossa equipe é protegido pela lei de direitos autorais e sua reprodução é autorizada após um pedido feito por escrito, e enviado para o e-mail revista@ portalinterbuss.com.br. As fotos que ilustram todo o material da revista são de autoria própria e a reprodução também é autorizada apenas após um pedido formal via e-mail. As imagens de autoria terceira têm seu crédito disponibilizado na lateral da mesma e sua autorização de reprodução deve ser solicitada diretamente ao autor da foto, sem interferência da Revista InterBuss. A impressão da revista para fins particulares é previamente autorizada, sem necessidade de pedido. PARA ANUNCIAR Envie um e-mail para contato@portalinterbuss.com. br ou ligue para (19) 99483-2186 e converse com nosso setor de publicidade. Você poderá anunciar na Revista InterBuss, ou em qualquer um dos sites parceiros do grupo InterBuss, ou até em nosso site principal. Temos diversos planos e com certeza um deles se encaixa em seu orçamento. Consulte-nos! PARA ASSINAR Por enquanto, a Revista InterBuss está sendo disponibilizada livremente apenas pela internet, através do site www.revistainterbuss.com.br. Por esse motivo, não é possível fazer uma assinatura da mesma. Porém, você pode se inscrever para receber um alerta assim que a próxima edição sair. Basta enviar uma mensagem para revista@portalinterbuss.com.br e faremos o cadastro de seu e-mail ou telefone e você será avisado. CONTATO A Revista InterBuss é um espaço democrático onde todos têm voz ativa. Você pode enviar sua sugestão de pauta, ou até uma matéria completa, pode enviar também sua crítica, elogio, ou simplesmente conversar com qualquer pessoa de nossa equipe de colunistas ou de repórteres. Envie seu e-mail para revista@ portalinterbuss.com.br ou contato@portalinterbuss. com.br. Procuramos atender a todos o mais rápido possível. A EQUIPE INTERBUSS A equipe do Portal InterBuss existe desde 2000, desde quando o primeiro site foi ao ar. De lá pra cá, tivemos grandes conquistas e conseguimos contatos com os mais importantes setores do transporte nacional, sempre para trazer tudo para você em primeira mão com responsabilidade e qualidade. Por conta disso, algumas pessoas usam de má fé, tentando ter acesso a pessoas e lugares utilizando o nome do Portal InterBuss, falando que é de nossa equipe. Por conta disso, instruímos a todos que os integrantes oficiais do Portal e Revista InterBuss são devidamente identificados com um crachá oficial, que informa o nome completo do integrante, mais o seu cargo dentro do site e da revista. Qualquer pessoa que disser ser da nossa equipe e não estiver devidamente identificada, não tem autorização para falar em nosso nome, e não nos responsabilizamos por informações passadas ou autorização de entradas dadas a essas pessoas. Qualquer dúvida, por favor entre em contato pelo e-mail contato@portalinterbuss.com.br ou pelo telefone (19) 99483.2186, sete dias por semana, vinte e quatro horas por dia.

NOSSA OPINIÃO

Editorial

Transporte precário, e o poder público conivente Na semana passada publicamos uma matéria em nosso site que mostra a precariedade do transporte público da cidade de Franca, no interior de São Paulo. A empresa que atua lá é a Viação São José, que pertence ao mesmo grupo financeiro de outras grandes empresas muito conhecidas no Estado, como a Sambaíba e a VB Transportes. Franca sempre foi vista como uma das cidades que tinha o melhor sistema de transporte entre todas as atendidas pelo grupo, até porque sempre teve também a frota mais nova por exigência da prefeitura local. No ano passado a São José recebeu um enorme lote com 40 ônibus zero quilômetro, e seus ônibus desativados com o tempo passaram a ser distribuídos pelas outras cidades atendidas pelo mesmo grupo. Chamou muito a atenção a matéria, produzida pela EPTV Ribeirão, afiliada da Rede Globo na região, pois se Franca está com o transporte ruim, imaginem as demais cidades que já tinham um transporte mais relaxado. Pneus carecas e atrasos constantes foram as principais reclamações dos passageiros francanos. Mas afinal, o que está acontecendo com o grupo que ainda é um dos maiores do país em número de ônibus em circulação? Durante a semana passada nossa equipe fez pesquisas de processos judiciais e acabou encontrando alguns que dizem respeito à busca e apreensão de veículos desse grupo por falta de pagamento. Um grande lote de ônibus que está localizado na garagem de Avaré está sendo preparado para ser devolvido ao banco pois a empresa não conseguiu honrar com seus compromissos financeiros. Isso nunca havia acontecido em nenhuma empresa do grupo, que na semana retrasada já havia perdido um grande número de caminhões que faziam o transporte de combustíveis pelo mesmo motivo. Enquanto isso, as cidades que são atendidas pelas empresas desse grupo não recebem um ônibus novo sequer pelo menos desde 2015. A exceção é justamente Franca, e também a cidade de Guarulhos que recebeu um lote de dezenas de ônibus que deveriam ter ido para Campinas, mas acabou sendo redirecionado já que a prefeitura de lá fez uma exigência de renovação de frota, e como a legislação e a prefeitura campineiras são frouxas, por lá pode rodar frota caindo aos pedaços que o prefeito Jonas Donizette dá a bênção. O pior é que os ônibus desativados de Guarulhos, todos ano 2008, foram espalhados por várias cidades. São veículos sem elevador para cadeirantes e que estão em circulação com a pintura original ainda e que teve como objetivo enganar a população de Indaiatuba, por exemplo. O grupo assumiu a empresa que operava lá e prometeu vinte ônibus zero quilômetro para este mês. Os veículos não foram comprados, levaram um monte desses veículos que eram de Guarulhos e ainda enganaram a população dizendo que aquela pintura era pelo fato do ônibus ser “movido a biodiesel”. Oras, isso é um verdadeiro tapa na cara da população indaiatubana, que vai ficar sem ônibus zero e tudo ficará por isso mesmo. Vamos ver até quando essa situação se perdurará, se ainda haverá novas apreensões de veículos e até quando o poder público, agora recém-empossado, será conivente com essa situação que apenas prejudica o usuário do transporte coletivo. Uma verdadeira falta de respeito com o contribuinte usuário.


A IMAGEM MARCANTE

Bataguassu, MS

Quinta-feira, 16 de Fevereiro de 2017

Um ônibus da Eucatur que saiu do Acre e teria como destino a cidade de Criciúma (SC) se envolveu em um acidente com um caminhão prancha que transportava uma colheitadeira, entre os municípios de Bataguassu e Casa Verde, no km 49 da BR-267. Dos 45 passageiros, somente o motorista ficou gravemente ferido. Ele foi socorrido e encaminhado para a Santa Casa de Bataguassu para atendimento médico. Outros passageiros apresentaram ferimentos leves. A foto é do site Cenário MS e as informações do Perfil News


A GRANDE MATÉRIA

Mercado

Marcopolo vende 93 ônibus para São Luís

Ônibus vão atender os passageiros da capital maranhense

Da Marcopolo | assessoria O sistema de transporte coletivo urbano de São Luís, no Maranhão, passa a contar com 93 novos ônibus da Marcopolo. Os veículos fazem parte do programa de renovação de frota da cidade e foram adquiridos pelas empresas Autoviária Matos Ltda., Expresso Rei de França Ltda., Expresso Rio Negro, Patrol Transporte Construção e Terraplenagem Ltda., Rio Anil Transporte e Logística Ltda. e Viação Abreu Ltda.. As empresas optaram por três modelos, com diferentes configurações e comprimento total: Torino convencional, Torino Articulado e o Senior Urbano. “Por terem diferentes características e tamanhos, os veículos atendem melhor as necessidades das linhas e trajetos de São Luís e proporcionam importantes benefícios e vantagens para os cidadãos, como mais conforto, segurança e rapidez”, explica Paulo Corso, diretor de operações comerciais e marketing da Marcopolo. A Expresso Rei de França adquiriu seis unidades do modelo Torino Articulado equipados com chassi Mercedes-Benz O500 MA 2836, três portas, elevador, sistema de ar-condicionado e com capacidade para transportar 54 passageiros sentados. A empresa também optou por 34 unidades do Torino convencional com chassi Mercedes-Benz OF 1721L, elevador, arcondicionado, três portas de acesso e capacidade para transportar 28 passageiros sentados. Para a Rio Anil Transporte e Logística a Marcopolo forneceu dois Torino Articulado, com chassi Mercedes-Benz O500 MA 2836, ar-condicionado, elevador, três portas de acesso e capacidade para transportar 54 passageiros em poltronas do tipo City; 12 unidades do Torino convencional, com chassi Mercedes-Benz OF 1724, três portas, elevador, ar-condicionado e 38 poltronas City; e três Senior Urbano com chassi Mercedes-Benz LO 9160, elevador, duas portas de acesso, ar-condicionado e 21 poltronas City Plus. A Expresso Rio Negro Ltda. ad-

08 interbuss | 19.02.2017

quiriu 17 unidades do Torino convencional com duas diferentes configurações com modelos com 12.200 e 12.750 mm de comprimento total. São cinco unidades com chassis Mercedes-Benz OF 1721 e 12 com chassi Volvo B270F. Todos os veículos contarão com três portas de acesso, elevador e capacidade para transportar 36 passageiros sentados em poltronas City. A Viação Abreu Ltda. optou por 13 Torino convencionais com chassi Mercedes-Benz OF 1724, três portas de acesso, elevador, ar-condicionado e capacidade para transportar 40 passageiros em poltronas City. As cinco unidades do modelo Torino adquiridos pela Patrol Transporte Construção e Terraplenagem Ltda. possuem chassi Volkswagen 17.230 OD, três portas, ar-condicionado, 38 lugares com poltronas City e elevador. Já a Autoviária Matos Ltda. adquiriu um Torino Articulado com chassi Volvo B340M, três portas de acesso, elevador, ar-condicionado e 59 poltronas City. Com grande experiência no for-

necimento de veículos para sistemas de transporte coletivo urbano, a Marcopolo investe constantemente no desenvolvimento e fabricação de produtos específicos para as principais cidades brasileiras. “Cada município tem características topográficas e condições viárias distintas. Isso demanda que os fabricantes desenvolvam ônibus que atendam, ao mesmo tempo, essas particularidades, com elevados padrões de conforto, segurança e rapidez, e que façam com que o usuário opte pelo transporte coletivo e não pelo individual”, revela Paulo Corso. A Marcopolo A Marcopolo é uma das principais empresas do mundo dedicadas ao desenvolvimento de soluções para o transporte coletivo de passageiros. Oferece ao mercado o que existe de mais moderno em seus produtos, conquistando imagem de liderança e pioneirismo no mercado internacional com ônibus destinados aos segmentos urbano, rodoviário, turismo e fretamento.


Economia

Negócios da Volvo na AL deram equilíbrio no país

Montadora diz já estar pronta para a retomada do crescimento

Da Volvo | assessoria Num dos períodos mais difíceis do setor de transporte no Brasil, o Grupo Volvo manteve o equilíbrio de seus negócios na América Latina em 2016. A empresa compensou os efeitos da economia restritiva no país com as vendas na região hispânica da América Latina. Os negócios tiveram desempenho moderado, mas também com alguns resultados positivos. Em caminhões, por exemplo, a Volvo foi a marca que mais cresceu no continente. No Brasil, o FH foi líder de vendas no segmento de pesados. “Foi um ano difícil. Mas equilibramos nossos resultados na região, crescendo na América Latina e fazendo a lição de casa no Brasil”, declara Wilson Lirmann, presidente do Grupo Volvo América Latina. A Volvo Bus Latin America também

teve bons resultados, ganhando participação de mercado em ônibus rodoviários e urbanos no Brasil e ainda teve uma boa performance na exportação. No segmento de ônibus rodoviários e urbanos, a Volvo conseguiu aumentar seu market share, passando de 9,3% para 9,5%, uma ligeira mas importante expansão num mercado instável. As exportações, tradicionalmente muito importantes para a Volvo Bus, alcançaram mais da metade das vendas e contribuíram para sustentar os negócios como um todo. Braço financeiro do Grupo Volvo, a Volvo Financial Services Brasil bateu mais uma vez o recorde de vendas em consórcio, alcançando a casa de R$ 1,15 bilhão. O consórcio é um produto que vem ganhando importância, porque o transportador pode fazer a renovação de sua frota de forma planejada. Em 2016, a VFS ainda aumentou

sua participação dos financiamentos de produtos da marca no País, com aproximadamente 50% do total. A Volvo Penta também teve um bom desempenho, mantendo a liderança no segmento de motores marítimos de lazer. A empresa expandiu sua atuação em motores industriais para geração de energia, aumentando a participação nessa área, incluindo novos mercados e promovendo a nacionalização do motor de 13 litros. “Mantivemos em 2016 nossa posição de liderança em segmentos importantes, mesmo num ambiente econômico muito difícil e de forte retração. Mantemos nossa confiança no mercado e continuamos investindo em produtos e soluções que garantam eficiência de transporte e contribuam para o sucesso dos negócios dos nossos clientes”, afirma o presidente. 19.02.2017 |

interbuss 09


COLUNAS

NOSSO TRANSPORTE ADAMO BAZANI | adamobus@gmail.com

Ônibus é o sistema perfeito, mas há poucos bons exemplos de evolução, dizem especialistas

Você já percebeu que quando alguém fala em andar de ônibus urbano ou metropolitano, logo muitos associam esta forma de deslocamento a uma situação nada agradável. Isso porque, em boa parte dos sistemas, os serviços não são bons: veículos antigos ou mesmo novos, porém, pouco confortáveis, coletivos que ficam presos nos congestionamentos sem nenhuma prioridade no espaço urbano, motoristas e cobradores nem sempre com a educação mínima que deveria haver numa vida urbana e excesso de lotação são algumas das principais queixas dos cidadãos pagantes de uma tarifa cara para os passageiros, mas insuficiente para cobrir todos os custos. O problema, entretanto, não é o modal ônibus em si, mas sim, a falta de investimentos e a operação e gestão pouco adequadas dos serviços. O ônibus é considerado em todo o mundo um dos principais meios de transportes, inclusive nos países que têm grandes investimentos no setor metroferroviário. Especialistas e estudiosos em

10 interbuss | 19.02.2017

transportes defendem a modernização dos sistemas de ônibus no Brasil om quanto antes. “O ônibus é um sistema perfeito porque usa as ruas e as estruturas que já existem. É muito flexível…vai para a direita, vai para a esquerda, muda de rota” – afirma o consultor em mobilidade, Eduardo Vasconcellos num bate-papo com o Canal Mova-se Mobilidade Urbana Sustentável. Se muitas pessoas reclamam dos serviços de ônibus no Brasil, e com razão, também existem bons exemplos citados pelos especialistas que mostram que com um pouquinho a mais de investimento, o ônibus pode ter qualidade semelhante à do metrô. Também consultor em mobilidade, Cláudio de Senna Frederico, lista alguns exemplos positivos de transporte por ônibus no Brasil, mas lamenta por serem minorias. “Na área dos ônibus pouca coisa foi feita. Alguns BRT, a Metra aqui mesmo em São Paulo, no ABC, são exemplos que foram emulados de um processo do metrô. Mas é muito pouco de resto … e os trens que agora recentemente estão começando a fazer

a mesma emulação” – disse Frederico. No entanto, ele destaca que o segredo não está na estrutura de obras civis e na tecnologia e sim na boa operação, caso contrário, todo investimento pode ser um desperdício. “Qualquer projeto, de qualquer tecnologia de mobilidade tem [no Brasil] a ‘capacidade’ de ser pessimamente operado. Se isso acontecer é a pior hipótese de todas, porque você gastou um dinheirão naquilo e aquele ‘troço’ não vai produzir nenhum bom serviço.” Eduardo Vasconcellos defende outros modais além do ônibus, mas diz que o transporte sobre pneus ainda será dominante. “Nas áreas centrais tende a ser locais apropriados para os VLTs, em grandes cidades, mas o ônibus será dominante. Inclusive o Metrô também tem limite, com as exceções, na média os sistemas de Metrô no mundo têm 7 ou 8 linhas” Antes que as reclamações comecem a surgir, nenhum dos especialistas defende que o ônibus seja o único modal ou que o sistema metroferroviário seja abandonado – mais do que ele já é, infelizmente.


BRTs recentemente instalados e o sistema da Metra, no Corredor ABD, na Grande São Paulo, são apontados como soluções que deveriam ser expandidas. Intermodalidade também é destacada

Muito pelo contrário, a expansão de linhas de metrô de fato é essencial para as cidades e o presidente da ANTP – Associação Nacional de Transportes Públicos, Ailton Brasiliense, diz que é justamente no uso de diversos modais que está o caminho para a solução da mobilidade urbana e a redução no tempo de deslocamento dos cidadãos. “O sistema mais equilibrado do mundo é aquele que as pessoas usam o transporte público por muito pouco tempo: 10 minutos, 15 minutos, 20 minutos … mas não uma hora. Hoje o passageiro da CPTM [Companhia Paulista de Trens Metropolitanos] sobe e não desce mais. Então a intermodalidade é fundamental. São Paulo só não vive pior porque pratica de alguma forma a intermodalidade” – disse Brasiliense. Cláudio de Senna Frederico complementa dizendo que o importante é deixar as atuais estruturas eficientes e humanizar os deslocamentos com o incremento da gentileza, o que é impossível pelo transporte individual. “Uma das coisas que está precisando é um certo grau de incremento de gentilezas, o transporte individual não ajuda no

processo da gentileza. A gentileza tem de ser buscada no transporte coletivo, onde as pessoas convivem de fato. O motorista não convive. O que mais está faltando para melhorar a mobilidade no Brasil é usar o sistema de transporte existente de uma forma gentil e eficiente, ou seja, arrumação de casa” Os especialistas também conversaram sobre mobilidade a pé e bicicletas. Segundo o presidente da ANTP, Ailton Brasiliense, só 10% das calçadas em São Paulo têm condições minimamente ideais e que o quadro precisa ser mudado. Os estudiosos também defenderam a ampliação do uso de bicicletas. Segundo Eduardo Vasconcellos, a bicicleta existe há mais de 100 anos nos deslocamentos diários em São Paulo e região metropolitana, mas é ignorada. Entretanto, pelas proporções de cidades como São Paulo, Cláudio de Senna Frederico diz que a bicicleta não é o grande elemento de solução para o problema de mobilidade urbana, mas as administrações têm o dever de respeitar o direito desse tipo de deslocamento. Sobre o transporte individual, os

especialistas concordaram que hoje há uma ocupação desproporcional pelos carros se forem levados em conta os benefícios e os custos deste tipo de veículo. Segundo Eduardo Vasconcellos, hoje as cidades brasileiras não cobram o custo que os carros provocam. Os veículos de passeio ocupam 10% mais de espaço do que o usuário do transporte público e causam mais poluição. Aliás, o nome carro de passeio não é à toa. “O carro nasceu e era claramente identificado como um esporte. Era com o ter um barco. Ninguém tem um barco para se transportar, as pessoa têm um barco para se divertir [referindo-se aos modelos de lazer]. O automóvel também era assim. Havia antigamente o conceito de ‘vamos dar uma volta de carro?’ Você já viu alguém hoje em dia fazer um convite desse? Só se for para um inimigo” Eduardo Vasconcellos defende que se a frota circulante para as viagens cotidianas fosse reduzida em 30%, haveria mais espaço para conforto e eficiência do transporte público. A cidade seria todos os dias como a circulação de um sábado, por exemplo. 19.02.2017 |

interbuss 11


interbuss

SÉRGIO CANUTO

Marcopolo Paradiso G6 1550LD UTIL, em Conselheiro Lafaiete/MG


DEU NA IMPRENSA

Transpo Online

RESUMO DAS PRINCIPAIS NOTÍCIAS DA IMPRENSA ESPECIALIZADA

Financiamento de veículos tem queda de 9,9% em 2016

Do site | notícias O financiamento de veículos novos registrou o seu mais fraco desempenho no ano passado. O total de recursos liberados foi R$ 80,2 bilhões, o que representa uma queda de 9,9% em doze meses. De acordo com levantamento da ANEF (Associação Nacional das Empresas Financeiras de Montadoras), até então o menor volume era de R$ 88,9 bilhões, alcançado em 2015. “O fraco desempenho da economia impactou fortemente na concessão de crédito ao consumidor. Ao mesmo tempo em que os bancos, em razão do aumento dos riscos, foram mais rigorosos, muitos consumidores optaram por adiar suas compras com medo de não quitar sua dívida. O ano de 2016 foi de muita cautela, tanto por parte das pessoas, como por parte das instituições financeiras”, avalia o presidente da entidade, Gilson Carvalho. O financiamento mantém a preferência do consumidor na hora de fechar a compra de um zero quilômetro. No ano passado, 49% dos negócios envolveram operações de CDC. As compras à vista registraram o melhor resultado desde 2008 e corresponderam por 44%

14 interbuss | 19.02.2017

das vendas efetuadas em 2016. O consórcio respondeu por 5% dos contratos e o leasing, por 2%. No segmento dos veículos pesados, o Finame foi responsável por 62% das negociações, seguido pelo CDC (17%), compras à vista (14%), consórcio (5%) e leasing (2%). “Em veículos comerciais o financiamento via Finame sofreu retração de quatro pontos percentuais no ano passado, em relação ao mesmo período de 2015. Isso pode ser atribuído, em grande parte, à migração para modalidades de financiamento, como o consórcio e o CDC, e também para as vendas à vista”, afirma o vice-presidente setorial de veículos comerciais da ANEF, Bernd Barth. “Um dos prováveis fatores para essa mudança pode ser atribuído às condições pós-fixadas do Finame, que não se mostraram tão atrativas em relação às demais modalidades pré-fixadas, sinalizando preferência dos clientes por alternativas mais seguras e previsíveis de financiamento frente a um cenário econômico considerado ainda instável”, conclui. Na avaliação do executivo, 2017 deverá ser um pouco melhor. A expectativa é de que o saldo de financiamentos

para a compra de veículos em geral e motocicletas registre um pequeno aumento de 2,5% e alcance a marca de R$ 166,7 bilhões. Já o total de recursos liberados poderá crescer um pouco mais e somar R$ 86,7 bilhões, o que representa uma alta de 5,5%. “No primeiro semestre, o mercado deverá manter o ritmo, pois o nível de confiança da população ainda continua baixo e ninguém quer comprometer sua renda ou ficar inadimplente. Depois, nossa expectativa é de crescimento no volume de negócios, mas ainda muito inferior aos anos anteriores”, avalia Carvalho. Inadimplência – Em 2016, a taxa de inadimplência nas operações de financiamento registrou aumento de 0,4 ponto percentual tanto para pessoas físicas como para jurídicas. Para o primeiro grupo, a taxa foi de 4,6%, enquanto para o outro, foi de 5.0%. Na carteira de leasing, o índice de não pagadores foi um pouco menor: 3,8% para as pessoas físicas e de 3,6% para as empresas. “Os índices de inadimplência ficaram abaixo da expectativa, o que é muito bom, mas estão crescendo. Em 2014, a taxa para as pessoas físicas era 3,9% e em 2015, foi de 4,2%”, explica o presidente da ANEF.


Transpo Online

Nova borracha chega aos pneus da Continental

Do site | notícias A Continental, uma das maiores fabricantes de pneus e integrante de um dos maiores grupos automotivos do mundo, anuncia que está levando a tecnologia Taraxagu, nome derivado da definição botânica da planta dente-de-leão, para a sua linha de pneus comerciais para caminhões e ônibus. O primeiro protótipo produzido a partir dessa inovadora e sustentável matéria-prima é o modelo Conti EcoPlus HD3. O cultivo do dente-de-leão tem potencial para se tornar uma fonte alternativa e ambientalmente amigável, ajudando a reduzir a dependência pela borracha natural tradicional. Além disso, essa planta pode ser cultivada nas regiões Norte e Oeste da Europa, o que encurta as distâncias de trans-

porte para as fábricas da Continental no continente e reduz a emissão de CO2. Há cinco anos, a Continental começou a trabalhar no desenvolvimento do Taraxagum. O dente-de-leão russo pode ser produzido em maiores quantidades por hectare do que a tradicional borracha “hevea brasiliensis”, derivada das árvores tropicais. A empresa alemã também desenvolveu novos processos e métodos produtivos para obter a borracha para emprego não apenas na fabricação de pneus, mas também de outros produtos a partir da seiva de látex da raiz da planta. Em 2014, a Continental apresentou seu primeiro pneu de inverno premium com banda de rodagem feita da borracha de dente-de-leão. No mesmo ano, foram iniciados os planos para a produção do primeiro pneu para veículos comerciais, que

necessita de um volume de borracha natural significativamente maior (20 kg a 25 kg) em relação a um pneu de passeio (1 kg a 3 kg). Os testes de desempenho com os pneus comerciais utilizando Taraxagum conduzidos pela companhia são extremamente promissores, demonstrando que a alternativa à borracha natural de origem tradicional é ideal para o setor de veículos comerciais e cumpre os mais rigorosos requisitos do segmento de transporte. A nova borracha de dente-de-leão deve entrar em produção em larga escala nos próximos cinco a dez anos. No final do ano passado, a Continental anunciou a construção de um centro de pesquisas em Anklam, na Alemanha, para a produção de borracha de dente-deleão e planeja investir cerca de € 35 milhões nesse novo local até 2021. 19.02.2017 |

interbuss 15


REDE SOCIAL

AS MELHORES FOTOS DA SEMANA NO FACEBOOK

Rafael Delazari | Neobus Mega

Rafael Delazari | Mascarello Gran Via

Caio César | Neobus Spectrum

Paulo Henrique Pereira Borges | Busscar Urbanuss Pluss

Tôni Cristian | Rodoviário Artesanal

Tôni Cristian | Comil Svelto

16 interbuss | 19.02.2017


J C Barboza | Marcopolo Viale

Thiago M. de Souza | Caio VitĂłria

Rodrigo Gomes | Neobus Mega

Rodrigo Gomes | Caio Millennium BRS

Rodrigo Gomes | Marcopoolo Torino

Silvano Prado JanjĂŁo | Marcopolo Paradiso G7 1800DD 19.02.2017 |

interbuss 17


O MELHOR DA INTERBUSS

UMA SELEÇÃO DAS MELHORES FOTOS PUBLICADAS NAS GALERIAS DO PORTA

Rainer Abreu Monobloco MBB O-371U | Viação N. S. Carmo

Rodrigo Ramos Busscar Urbanuss MBB OF-1721 | Urubupungá

Raphael da Costa Bezerra Marcopolo Paradiso G6 1200 MBB O-500RS | Sampaio

Raphael Malacarne Busscar Jum Buss 380 Scania K124IB | Pluma

Raphael Ruiz Marcopolo Paradiso G6 1200 Volvo B9R | Viação Cometa

Reginaldo Vieira Caio Vitória MBB OF-1318 | Rural

18 interbuss | 19.02.2017


S JÁ TAL INTERBUSS

Robson Santana Irizar New Century Scania K380 | Princesa do Ivaí

Robson Santana Marcopolo Paradiso G6 1200 Scania K310 | VB Transportes

Ricardo Milani Marcopolo Torino GV Trólebus | Himalaia

Ricardo Zambianco Busscar Urbanus MBB OF-1620 | São João

Renan Sefrin Irizar New Century Scania K380 | Viação Garcia

Renan Bortolanza Busscar Panorâmico DD Scania K380 | Julsa

19.02.2017 |

interbuss 19


O MELHOR DA INTERBUSS

Rafael Santos Marcopolo Paradiso G6 1800DD MBB O-500RSD | Plusmar

Rafael Santos Marcopolo Paradiso G6 1800DD MBB O-500RSD | Plusmar

Rafael dos Reis Silva Marcopolo Paradiso G7 1200 MBB O-500RS | Real Expresso

Rafael dos Reis Silva Marcopolo Paradiso G7 1050 Scania K340 | Expresso União

Rafael dos Reis Silva Comil Campione MBB O-400RSD | Real Expresso

Rafael dos Reis Silva Marcopolo Paradiso G6 1200 MBB O-400RSD | Águia Branca

20 interbuss | 19.02.2017


Rafael Santos Monobloco MBB O-371U | Escolar

Rafael Santos Caio Mondego HA MBB O-500UA | VIP Guarapiranga

Rafael Nunes Pereira Busscar Vissta Buss MBB O-400RSE | Rápido D’Oeste

Rafael Nunes Pereira Busscar Vissta Buss MBB O-400RSE | Rápido D’Oeste

Rafael Nunes Pereira Ciferal Urbano MBB LPO-1113 | Particular

Rafael Nunes Pereira Marcopolo Torino MBB OF-1418 | Transpratur 19.02.2017 |

interbuss 21


COLUNAS

VIAGENS & MEMÓRIA

MARISA VANESSA N. CRUZ | ideiaselembrancas@gmail.com

Os 10 anos do Expresso Tiradentes – parte I O Expresso Tiradentes é um sistema de transporte de média capacidade que liga o centro da cidade e os bairros de Sacomã e Vila Prudente, com extensão via faixa compartilhada de ônibus até São Mateus, e é operada pela Via Sul desde o início. A Via Sul foi fundada em 2001, a partir de união entre três empresas de ônibus: Taboão, Bristol e Tânia, e sua área de atuação fica na área 5 (verde escura), localizada na zona sudeste da cidade de São Paulo. No começo, a Via Sul teve de ampliar sua área de atuação, assumindo linhas deixadas por algumas empresas extintas, como as radiais 3141 e 3390, ambas São Mateus – Terminal Pq. D. Pedro II, e outras na região da Avenida Sapopemba. Hoje, uma de suas maiores receitas da empresa é a operação do Expresso Tiradentes. No dia 7 de março de 2007 foi inaugurado o Expresso Tiradentes, que liga o centro da cidade (Terminal Mercado, do lado do Terminal Parque Dom Pedro II) ao Terminal Sacomã por meio de corredores BRT exclusivos, e a Via Sul utilizou inicialmente veículos híbridos na linha 5105 (Terminal Mercado – Terminal Sacomã) como testes. Em 8 de março de 2007, foi o dia do início das operações daquele sistema. No início desses dias, vieram também os ônibus articulados (Caio Mondego HA encarroçado de MBB O-500 UA) e a velocidade máxima naquela época era de 40 km/h, ampliado para 50 km/h semanas após. Com a inauguração do Terminal Sacomã, diversas linhas radiais operadas por ônibus convencionais foram seccionadas a este terminal. Assim, o trajeto de ônibus é complementado até hoje com ônibus do Expresso Tiradentes, ligando Sacomã ao centro da cidade. Anos depois, um novo trecho do corredor Expresso Tiradentes foi inaugurado, ligando também o bairro da Vila Prudente em bifurcação com o trajeto existente até o Terminal Sacomã, com a inauguração da linha até o Terminal Vila Prudente, em 2009. Era a linha 5109. Já no final daquele ano, foi criada a linha 5109/51 que liga Terminal Mercado até o bairro de São Mateus, em horário de pico, rodando em faixas exclusivas de ônibus diferente do modelo de corredores BRT. Percebe-se que até os dias atuais, a reconstrução do Terminal Vila Prudente (in-

22 interbuss | 19.02.2017

augurado em 1980) ainda não foi concluída, e seus pontos finais estão distribuídos ao longo de duas quadras próximo à estação de metrô. Em 2013, com a reorganização das linhas de ônibus na região de São Mateus e Cidade Tiradentes, a linha 5109/51 passou a chamar-se 5110/10, com direito a entrar no Terminal de São Mateus. Hoje, suas três

linhas do Expresso (5105, 5109 e 5110) são operadas por ônibus articulados e superarticulados de 23 metros. Hoje a linha 5110 é uma das três linhas de ônibus mais movimentadas da cidade. Daqui a duas edições farei uma análise mais profunda do que eu vi e vivi nesses dez anos do Expresso Tiradentes... e como passou rápido de lá pra cá.


ANUNCIE NA

INTERBUSS E FIQUE PERTO DO SEU PÚBLICO E DOS SEUS POTENCIAIS

CLIENTES CONTACTE-NOS E FAÇA UM BOM NEGÓCIO

revista@portalinterbuss.com.br

interbuss PORQUE TRANSPORTE É VIDA


NOVA INTERBUSS. NOVO CONTEÚDO

NOVA VISÃO TUDO NOVO TUDO POR VOCÊ interbuss PORQUE TRANSPORTE É VIDA

Revista InterBuss | Edição 332 | 19.02.2017  

Edição com 24 páginas | Concluída na quinta, 16/02 | Confira as melhores fotos de ônibus da semana e também mais um lote de fotos já publica...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you