Page 119

INFORME PUBLICITÁRIO

EVENTO MOSTRA TENDÊNCIAS DO SETOR A computação na nuvem e o uso da mobilidade nos negócios serão algumas das tendências tecnológicas em foco no Autocom 2012 – 14ª Exposição e Congresso de Automação Comercial, Serviços e Soluções para o Comércio, que será realizado em São Paulo (no Expo Center Norte), entre os dias 26 e 28 de junho. Além de apresentar as principais novidades lançadas no mercado mundial de automação comercial, o evento – que é promovido pela Afrac e pelo Ideti – tem o objetivo de apontar as tendências e tecnologias que podem ser usadas para dar mais eficiência aos negócios do comércio em geral, em toda a sua cadeia. Assim, a programação do congresso deste ano inclui a discussão de temas como Redes Sociais no Varejo – A experiência do Magazine Luiza, cloud computing e mobilidade como tendência dos consumidores. Outro assunto que promete esquentar os debates refere-se ao Sistema Público de Escrituração Fiscal (SPED), que terá um painel com o tema “Softwares até falam entre si, mas não se entendem”. Também fazem parte da programação do evento palestras e painéis sobre fatura eletrônica e a automação comercial no cenário mundial. Entre as novas tecnologias adotadas no setor, o congresso abordará a etiqueta eletrônica – que permite fazer a identificação de produtos por radiofrequência (RFID) – e o uso de celulares com o sistema de comunicação sem fio NFC (Near Field Communication) como meio de pagamento.

do seu respectivo software de controle (o Programa Aplicativo Fiscal – PAF). Em boa parte dos casos, o PAF-ECF tem sido a porta de entrada da automação no estabelecimento comercial. Apesar dessas limitações, de acordo com Pagotto, o mercado de automação movimentou 2,5 bilhões de reais em 2011, valor que representa crescimento de 10% a 12% em relação ao ano anterior. E a expectativa é que, em 2012, o crescimento se repita, mantendo ao menos esse patamar. “Eventos como a Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada de 2016 vão incentivar a abertura de novos estabelecimentos comerciais e, com isso, gerar mais negócios para o setor de automação”, diz o presidente da Afrac.

NUVEM E MOBILIDADE A redução do custo dos equipamentos e novos recursos tecnológicos, como a computação na nuvem (cloud computing) e a banda larga, deverão facilitar e estimular a adoção da automação comercial pelos estabelecimentos. “A tendência, com a computação na nuvem, é apressar a expansão da automação no país”, afirma Pagotto. “O estabelecimento pode colocar um computador

CADERNO I 0203.indd 121

mais simples, de custo mais baixo, na ponta e usar a infraestrutura da nuvem.” Além disso, essa tecnologia permite utilizar diversos aplicativos disponíveis na modalidade de software as a service (SaaS), que dispensa o investimento na compra de licenças de programas – o pagamento é feito de acordo com o uso do aplicativo. A mobilidade e as redes sociais – que hoje chegam a abrigar diversas lojas virtuais – também deverão dar um impulso importante à disseminação da automação comercial no Brasil. Afinal, se cresce o movimento das vendas feitas pelo celular e pela internet em geral, aumenta a necessidade de se ter sistemas automatizados para processar essas transações e enviar as informações para o Fisco. Mais do que isso, tecnologias como a mobilidade, por exemplo, têm um papel cada vez mais importante para o controle e gerenciamento do negócio, além de ser um instrumento valioso de contato com o cliente. “Por meio do celular, é possível controlar a distância como estão as vendas, os níveis de estoque e, com o auxílio de câmeras de monitoramento, até visualizar o movimento na loja. Sem dúvida, essa é uma ferramenta que vai fazer com que os negócios cresçam”, diz Pagotto.

23/04/2012 17:44:57

MAI-316  

Revista INFO 316, de MAIO de 2012

MAI-316  

Revista INFO 316, de MAIO de 2012

Advertisement