Page 1

Revista Herbarium W W W. H E R B A R I U M . N E T • P E R I Ó D I C O | A N O I I I | J A N E I R O 2 0 1 2 | N Ú M E R O 0 5

FITOMEDICINA

Fitoterapia no dentista


Herbarium Herbarium Herbarium

aaHerbarium inovaçãocomo como princípio inovação princípio ativoativo

a inovação como princípio ativo a inovação como princípio ativo

O Herbarium é a indústria farmacêutica que possui a maior linha de fitomedicamentos do Brasil e também o maior

Onúmero Herbarium é a indústria farmacêutica de fitoterápicos registrados na Anvisa.que possui a maior linha de fitomedicamentos do Brasil e também o maior Um dos principais diferenciais dos produtos da marca é o

O Herbarium é a indústria farmacêutica que possui a maior número de fitoterápicos Anvisa. rígido controle de qualidaderegistrados pelo qual sãona submetidas as O Herbarium é a indústria farmacêutica que possui a maior linha de fitomedicamentos do Brasil e também o maior linha de de fitomedicamentos do Brasil na e também número fitoterápicos registrados Anvisa. o maior

matérias-primas e a produção de cada medicamento. Um dos principais diferenciais dano marca é oo Pioneiro em divulgar o conceitodos deprodutos Fitoterapia Brasil,

Herbarium, inovação como princípio ativo. rígido controle de qualidade peloem qual são submetidas as Herbarium tornou-se referência qualidade e inovação número de fitoterápicos registrados na Anvisa. matérias-primas e a diferenciais produção dedos cadaprodutos medicamento. Um principais da marca é o nestedos segmento.

Um dos principais diferenciais dos produtos da marca é o

rígido controle de qualidade pelo qual são submetidas as Herbarium, inovação como princípio ativo. Além de fitomedicamentos prescritos pelasão classe médica, as rígido controle dee qualidade pelo qual submetidas matérias-primas a produção de cada medicamento. o Herbarium também atua no mercado com fitoterápicos matérias-primas e a produção de cada medicamento. Herbarium, inovação como princípio ativo. tradicionais e suplementos nutricionais. Herbarium, inovação como princípio ativo.


CARTAS

Agradecimentos Agradeço-lhes pelo recebimento da Revista Herbarium Nº 3. Quero parabenizá-los pela qualidade das matérias: informativas, explicativas e escritas por profissionais competentes. Se possível, gostaria de continuar a receber a revista, pois quero colecioná-la assim como fazia com os Informes Herbarium. Obrigada por terem me incluído como leitora e espero receber as próximas edições. Elenice Ferreira Mota Frade – São Domingos da Prata – MG

Venho agradecer pela segunda Revista Herbarium que recebi. As edições são cheias de informações sobre produtos que nunca tínhamos ouvido falar e as matérias são simplesmente fantásticas! Toda a família lê a revista e com certeza vamos utilizar as informações nela contidas. Obrigada! Edição de Setembro de 2011 | Ano II | Número 04

Márcia Jeane Canovas – Taquaritinga – SP

Admiração

Parabéns

Estou escrevendo para expressar a minha admiração por essa empresa. Já uso os produtos do Herbarium há 5 anos e adoro. A minha família também usa e adora. Eu e minha filha usamos os Shakes, as Refeições e o Óleo de Rosa Mosqueta, entre outros produtos e amamos todos. Somos fãs de vocês. A revista é fantástica, o conteúdo é maravilhoso. Vocês estão de parabéns.

Recebo a revista do Herbarium há mais de 6 anos. Ela está cada vez melhor. A que recebi este mês me orientou muito falando das varizes. Sou Técnica de Enfermagem, preciso me manter bem informada sobre tudo e nada melhor do que receber este presente tão especial. Parabéns a todos e obrigada!

Iolanda Vieira de Brito –

Valença – RJ

Fiquei muito feliz ao receber a Revista Herbarium de setembro/2011 (Nº 4). Está magnífica, com mais conteúdos e matérias maravilhosas. Parabéns, Herbarium! A revista nos ajuda muito a mantermos uma vida mais saudável e alegre. E a partir de agora vamos acessar a revista também pela internet. Antonia Sampaio Leal – Ilhéus – BA

Parabenizo pela excelente qualidade da revista, com reportagens atuais e que vão ao encontro da nossa preocupação com a saúde.

Quero agradecer as maravilhosas e úteis revistas que recebo em minha casa. Confio, uso e indico para minhas amigas produtos Herbarium, pois acredito na seriedade dessa empresa. Estou lendo a revista de setembro, Nº 4, que está cada vez mais interessante. Obrigada! Muito sucesso a todos.

Lígia Ritter Willrich –

Eliane Pereira Machado –

Novo Hamburgo – RS

São José – SC

Acabei de receber a Revista Herbarium. É a primeira vez que recebo. Adorei! Quero dizer que em meu quintal tenho várias plantinhas de physalis. É uma delícia.

Adorei a publicação da número 4!

Deixe também sua mensagem

Malu Polato Malvestuto

na página da Revista Herbarium

Cremilda Maria Debarba

Alda Girdwood

Palmeira dos Índios – AL

Recebi a Revista Herbarium Nº 3. Fiquei encantada! Matérias atuais e completas! Vocês estão de parabéns! Linda revista e ótimas informações. Aguardo as próximas. Ana Paula Ramos Rota – São Paulo – SP

Berenice M. de Vasconcellos –

VIA FACEBOOK

no Facebook: É uma publicação imperdível.

www.facebook.com/revistaherbarium


EDITORIAL “O início de um novo ano sempre ganha várias promessas, desejos e resoluções que nos envolvem na aura do ‘este ano quero mudar em algumas coisas’... O caminho de cada um é diferente, assim como suas aspirações. Nesta 5ª edição da Revista Herbarium buscamos caprichar em conteúdos e exemplos inspiradores.”

Célia Regina Dias von Linsingen Gerente de Marketing do Herbarium

Gente que faz, como Marcus Vinícius do Rio de Janeiro, que coordena projetos magníficos de incentivo à cultura na periferia dessa grande cidade; gente corajosa, como Ana Gabriela que, quando vendedora bem sucedida, sentiu que a “vida pedia mais” e começou tudo do zero em um trabalho social porque, além de ganhar dinheiro, nutria o desejo de fazer a diferença. Gente que se preocupa com a vida deste planeta, difundindo a cultura do não desperdício e da permacultura. O que é permacultura? Um estilo de vida que busca a autossuficiência energética, alimentar e de água. Saiba mais sobre como você pode dar a sua contribuição para a “Mãe Terra” nas matérias da seção Ser Sustentável. Além da saúde do planeta, também precisamos pensar no nosso próprio bem-estar, concordam? Para esse cuidado, sempre podemos contar com a sábia fitoterapia: na odontologia, o cravo-da-índia, dono do famoso perfume do consultório do dentista, nunca teve tantos rivais fitoterápicos:

novas pesquisas indicam plantas com propriedades promissoras para o nosso sorriso. E para fechar em grande estilo a seção Fitomedicina, simplesmente o superpoderoso e milenar ginkgo. Saiba porque ele é considerando por muitos o símbolo da longevidade. Quem quer emagrecer levanta a mão! Pode correr os dedos para as páginas 24, 25 e 26 e na próxima edição você me conta! Já ouviu falar de Chia? Esse grão andino está dando o que falar: melhor fonte vegetal de ômega 3 é só a primeira vantagem... Cuidar do que é brasileiro: tradição, cultura e sabor das exóticas e nutritivas frutas da região Norte. Um dever que é um prazer: buriti, abricó, marimari, pupunha, physalis, tucumã e açaí, que virou celebridade mundial. Na seção Clube da TPM dois assuntos muito atuais e polêmicos para nossa reflexão:

2. (In)Fidelidade: por que homens e mulheres comprometidos traem seus parceiros? Lindo e charmoso como a cidade que o hospeda, o Jardim Botânico do Rio de Janeiro é um museu natural a céu aberto. Um arco-íris em tons de verde que enche nossos olhos e espírito. Em seu coração, um lugar para lá de especial: a coleção temática de plantas medicinais onde você pode conhecer pessoalmente as principais espécies da flora brasileira e mundial. A visita é inesquecível, eu garanto! Ah! Não posso me esquecer de pedir que vocês leiam nossa cartinha. Nela, sugerimos e explicamos o porquê da opção de leitura eletrônica das próximas edições da revista. Esperamos que vocês curtam (inclusive no Facebook)! Desejo uma ótima leitura e um excelente ano. Um grande abraço!

1. As mulheres estão “virando homens”, perdendo sua feminilidade?

EXPEDIENTE REVISTA HERBARIUM Direção Editorial: Andréa Barbieri e Célia Regina Dias von Linsingen. Conselho Editorial: Adriana Henemann, Ana Paula Vicentin, Andréa Barbieri, Célia Regina Dias von Linsingen e Rodrigo Dias. Projeto Gráfico: Ana Paula Vicentin. Diagramação: Ana Paula Vicentin, Fernanda C. Vicentini e Rodrigo Dias. Produção Editorial - Projeto Editorial e Produção de Conteúdo: Tercetto Editorial. www.tercettoeditorial.com.br. Editoras: Liliana Negrello e Raquel Marçal. Colaboraram nesta edição: Adriana Del Ré, Aline Gonçalves, Débora Rubin, Jan Schoenfelder, João Carlos Pedroso, Márcia Luz, Raquel Marçal, Regina Célia Pereira, Renato Lemos,Tatiana Ferreira, Thais Szegö (texto); Fábio Riesemberg (foto) e Christian Schwartz (revisão). Jornalista Responsável: Andréa Barbieri MTB: 3720. Impressão: Maxi Gráfica. Tiragem: 65.000 exemplares. Esta revista foi impressa em papel fabricado com madeira de reflorestamento certificado com o selo do FSC (Conselho de Manejo Florestal) e de outras fontes controladas. A Revista Herbarium é uma publicação do Herbarium Laboratório Botânico Ltda, coordenada pela equipe de Marketing, de distribuição gratuita e dirigida aos seus consumidores. Comentários e sugestões: revista@herbarium.net; 0800 723 8383 ou Av. Santos Dumont, 1111, CEP: 83403 - 500, Colombo/PR. As informações contidas na Revista Herbarium têm propósito informativo e não intencionam substituir cuidados médicos, diagnóstico ou prescrição. Ignorar cuidados médicos adequados pode causar danos à saúde. Durante a gestação e lactação, até mesmo os fitoterápicos devem ser utilizados com supervisão médica.


ÍNDICE FAÇO, LOGO EXISTO

06

A potência da periferia Carreira focada em valores

10

FITOMEDICINA

12

As boas da boca

Os poderes do ginkgo

16

NUTRACÊUTICA

18

Delícias do Norte Alternativas na balança

24

CLUBE DA TPM

28

Em busca da donzela perdida

Desejo, necessidade, vontade

32

SER SUSTENTÁVEL

36

Menos é mais

Um outro estilo de vida

40

LAZER

44

Jardim imperial Quinze minutos

48


Foto: Divulgação

FAÇO, LOGO EXISTO: GENTE QUE NÃO ESPERA ACONTECER

Faustini: projetos em cinema, teatro e literatura

A potência da

Periferia Marcus Vinícius Faustini cresceu em Santa Cruz, na zona oeste do Rio de Janeiro, e lembra, com uma série de projetos, que não é só a elite que pode produzir cultura da melhor qualidade João Carlos Pedroso, do Rio de Janeiro

6 Revista Herbarium|Janeiro 2012


“Pode fazer muito bem ao Brasil a gente

a Santa Cruz, mas à periferia de uma forma

parar de olhar a periferia como um local de

geral. A passagem do menino interessado

carência e ver todo potencial que ela tem.”

em muitas coisas para um adulto cheio de

Quem dá o puxão de orelha é Marcus Vinícius

projetos aconteceu a partir daí.

Faustini, 40 anos, o atual Superintendente de Cultura e Sociedade do Governo do Estado do Rio de Janeiro. Ele sabe bem do que está falando. Marcus é autor do Guia Afetivo da

Periferia (Editora Aeroplano, 188 págs), livro publicado em 2009 e que ganhará adaptações em diferentes linguagens – está virando peça de teatro, história em quadrinhos e filme –, e foi adotado no curso de mestrado em Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Uma obra que, para a professora Heloísa Buarque de Hollanda, inaugurou um novo gênero literário: “a literatura de memória do presente”. Quando escreveu o Guia Afetivo, Faustini estava colocando no papel uma espécie de manual prático de seu pensamento e de sua formação. Em capítulos curtos e linguagem informal, ele narra a descoberta da vida por um jovem ávido por Scott Fitzgerald, Ramones, jogos de Atari e leite condensado (leia trecho no final da reportagem). Mas só a obra não bastava. “Quando lancei esse livro, pensei na mesma hora: preciso fazer uma ação, algo onde as pessoas contem suas histórias. Então criei um projeto com Heloísa Buarque de Hollanda chamado ‘A Palavra da Periferia’, em que as pessoas podiam

Eu me transformei de consumidor em produtor de cultura quando percebi que a periferia só era retratada como um lugar de violência e pobreza, explica. Nessa passagem de consumidor para produtor cultural tentou várias frentes: foi líder estudantil, formou a ONG Reperiferia, dirigiu teatro e cinema, criou a Escola Livre de Teatro, a Escola Livre de Cinema e, em 2011, inaugurou a Escola Livre da Palavra. É na colorida e vibrante sede deste projeto caçula que ele recebe a reportagem. Localizada na Lapa, centro físico, boêmio e artístico do Rio, a escola inaugurou as primeiras oficinas literárias em junho de 2011 e já tem 400 alunos, a maioria vindos da periferia. Como em todos os cursos de todas as suas escolas, as aulas são gratuitas, condição primordial para Marcus se meter em qualquer projeto. A linha do novo trabalho segue a trilha dos outros: o próximo ciclo de estudos se concentra nas formas de usar a palavra nas criações urbanas dos jovens. Funk, punk, hip hop, pichações. Toda forma de expressão vale a pena. Marcus chega apressado, agitado,

contar suas memórias.” E aí, foi colocar a

mas feliz. Apesar da agitação,

mala nas costas e viajar pelo país: sertão de

inevitável em alguém que vive em

Pernambuco, Campos, Macaé, Cuiabá.

alta voltagem, senta-se para contar

Dá para ver que Marcus é, antes de tudo, um inquieto. E isso vem desde moleque, quando morava em Santa Cruz, na zona oeste do Rio de Janeiro, e gostava tanto de funk quanto de punk – por mais distantes que os gêneros possam parecer em forma e conteúdo. Essa atração pela arte, a busca constante de informação e o amor por seu lugar de origem fizeram o garoto quebrar a cabeça até encontrar uma maneira de dar uma voz própria, ativa e criativa não apenas

sua trajetória. “Comecei com um grupo de teatro amador na escola. E o cinema veio depois”, lembra. “Na época, era inviável para um jovem de periferia fazer cinema, mesmo teatro. Eu tinha 16 anos e precisava me despencar pra longe em busca da informação que não tinha perto de casa”, conta. “Foi por isso que criei os projetos, porque conheço as dificuldades.” Apesar dos obstáculos, a carreira artística 7 Revista Herbarium | Janeiro 2012


de Marcus mostrou-se promissora. Como diretor

pelo conhecimento adquirido enquanto

de teatro, sua encenação de Dom Casmurro

estudantes.

ganhou prêmio da Academia Brasileira de Letras. Mas algo estava faltando. “Percebi que apenas dirigindo não conseguiria as transformações que pretendia”, conta. Então, vieram as escolas em série. A primeira foi a Escola Livre de Teatro, em Santa Cruz, em 2004. Por lá, passaram até hoje mais de mil alunos. Dois anos depois veio a Escola Livre de Cinema, em Nova Iguaçu, que ganhou reconhecimento de público e mídia e, no último ano, recebeu patrocínio da Petrobras. O projeto já formou mais de três mil jovens e crianças na Baixada Fluminense. E tem entre seus professores nomes consagrados como Fernanda Crispim, responsável pelas aulas de dublagem e uma das maiores profissionais da área no Brasil. É dela, por exemplo, a voz de Fiona em todos os filmes da série Shrek, papel que no original pertence à estrela Cameron Diaz. A escola também é responsável pela organização do Iguacine, único festival de

Depois de cinco anos à frente da Escola Livre de Cinema, Marcus, mais uma vez, passou o bastão para se dedicar à Escola da Palavra. Faz parte de sua filosofia erguer um projeto, estruturá-lo e, aí, partir para o próximo.

Acho que as coisas têm que caminhar com as próprias pernas. Me vejo como uma pessoa que identifica e desata nós. Aí, quando o nó está desatado, parto para outros projetos. Fico feliz com o que nossas redes e parcerias proporcionaram e de ver que agora, que estou saindo da escola (Livre de Cinema), ela continua crescendo e se desenvolvendo. A facilidade de circular entre Zona Norte

cinema da Baixada Fluminense, que tem como

e Zona Sul, entre a cultura da elite e a que

padrinhos alguns nomes emblemáticos do

vem da periferia, é uma arte carioca que

cinema nacional, como Cacá Diegues. O local

acabou esquecida com o passar do tempo.

é hoje referência nacional e impressionou até

Uma arte que Marcus domina por completo.

Carlos Saldanha, responsável pelos filmes

Sua missão, em resumo, é ir em busca

da série Era do Gelo e por Rio, que ficou

da malandragem perdida. Entendendo-se

emocionado ao se encontrar com os alunos e

malandragem por aquilo que Cazuza pedia

ver o quanto conheciam de animação. Vários

em uma velha canção: a capacidade de ser

profissionais da escola hoje atuam no mercado

maleável e ver o diferente como uma chance

cinematográfico e muitos deles se formaram

de enriquecimento. E o que será que esse

professores, numa forma de agradecimento

cara vai aprontar a seguir?

SOBRE OS PROJETOS: Escola Livre de Cinema: http://escolalivredecinema.blogspot.com/

Escola Livre de Teatro: http://escolalivredeteatro.blogspot.com/

Escola Livre da Palavra: http://apalpe.wordpress.com/ 8 Revista Herbarium|Janeiro 2012


TRECHO DO GUIA AFETIVO DA PERIFERIA

Os primeiros verões em Santa Cruz O barulho do ventilador lá de casa me

esta visão ao que fazia minha cabeça na

tirava o sono nas noites de verão em que

época: a cena pós-punk do leste europeu

era usado para espantar, além do calor, as

e o filme A classe operária vai ao paraíso.

muriçocas. Era um FAET de aço que meu

Quando subia no telhado, levava uma

padrasto comprou num ferro-velho, em

pequena vitrola portátil vermelha e

Paciência, e consertou pintando de azul

bege e escutava o vinil do Joy Division.

as hélices com tinta a óleo. Em dias mais

Enquanto o sol rachava, eu tentava

frescos, quando estava desligado, ocupava-

traduzir a letra com um minidicionário.

me em estourar as bolhas de tinta.

Foi um verdadeiro choque térmico em

Na escala do direito ao ventilador, quando eu não podia ficar com ele, tomava sacolé de Nescau durante a madrugada para aliviar a quentura. Essa minha estratégia

minha cabeça os primeiros verões passados em Santa Cruz. Minhas maiores sensações vinham dos dias de chuva e das ruas de barro, todas vividas na primeira infância,

só perdia para o desfile de sombrinhas

na Baixada Fluminense.

que coloriam o Cezarão no dia seguinte ao

Morávamos numa avenida de casas

meio-dia, sob sol a pino. As evangélicas,

construídas por um senhorio português

todas de cabelo grande, protegiam

em cima de um brejo, numa rua de barro.

orgulhosamente os cabelos soltos com as

Quando chovia, e quase sempre chovia,

sombrinhas. Era tão quente que saía vapor

gostava de tomar banho e deixar a cabeça

do asfalto, e as pessoas ficavam desfocadas a distância. Mesmo assim, eu subia no telhado para ver os jatos da aeronáutica cruzarem o céu de Santa Cruz antes de pousarem no hangar do Zeppelin.

em baixo de uma calha onde a água caía com força de cachoeira. Centrava a queda da água na moleira para testar se ela realmente estava dura. Ficava ali imóvel e sentia o nível da água subir nos meus pés.

Do telhado, era possível ouvir o barulho

Os sapos começavam a coaxar, a avenida

dos jatos e o do ventilador, que disputavam

de casas ia enchendo e, quando a água

entre si. Todos esses elementos eram

começava a mudar de cor, para o preto

organizados em minha cabeça como uma

ou para o barro, minha mãe mandava eu

sequência de um precário filme futurista,

sair para não pegar doenças. Obedecia,

ambientado num conjunto habitacional

mas ficava atento ao fim da chuva para

do terceiro mundo. Era a minha forma

correr e jogar bola na lama da rua. Dias de

de compreender o que os historiadores

chuva e de sol foram determinando minha

chamavam de “sertão carioca” e adaptar

percepção sobre as coisas.

LÁ NO SITE (www.revistaherbarium.com.br) Assista a dois curtas de animação inspirados no Guia Afetivo da Periferia e produzidos por alunos da Escola Livre de Cinema 9 Revista Herbarium | Janeiro 2012


Carreira focada em

Valores Entre ganhar dinheiro e fazer a diferença para diminuir as desigualdades sociais, é possível ficar com os dois

Foto: Fábio Riesemberg

Jan Schoenfelder, de Curitiba

Ana Gabriela: da iniciativa privada para o Terceiro Setor

Aos 24 anos, a vendedora Ana Gabriela

carros, mas ia me arrastando todo dia para

Simões Borges trocou o emprego numa

o serviço. A vida pedia mais. O preço da

concessionária de automóveis por um estágio

mudança foi começar do zero.

numa Oscip (Organização da Sociedade Civil

Hoje, dez anos depois, cursando

de Interesse Público). A decisão pegou a

mestrado em comunicação e com um

família de surpresa. Afinal, Ana despencaria

salário que nada deve ao anterior, Ana não

em termos de salário, de 5.000 para meros

esconde a empolgação: é coordenadora de

500 reais ao mês. Não fosse suficiente,

projetos, sente-se valorizada e reconhecida.

ela tinha recém-iniciado a faculdade de

Trabalha e vive feliz. Tudo porque conseguiu

Pedagogia, um curso “que não dá dinheiro”.

unir a necessidade de ganhar dinheiro com

Mas a motivação de Ana para a virada em sua

o desejo de fazer a diferença, ajudando a

vida explica tudo: “Ganhava bem vendendo

transformar o mundo.

10 Revista Herbarium|Janeiro 2012


Como Ana, cada vez mais gente acredita

também se seus interesses são coerentes

na possibilidade de fazer carreira e ao

com as necessidades da instituição”,

mesmo tempo contribuir para causas

completa Claudia.

sociais. Segundo o IBGE, trabalhar no Terceiro Setor já é uma realidade para 1,7 milhão de brasileiros. E a profissionalização aumenta em ritmo acelerado. Hoje, um emprego em uma organização com função social pode ser coisa bem séria. Grande parte das ofertas inclui planos de cargos e salários, benefícios, pagamento em dia e possibilidades de crescimento. Mas será que cair no caldeirão dos

Outro aspecto importante, este levantado por Rebecca Giese, coordenadora do Núcleo de Responsabilidade e Sustentabilidade do ISAE/FGV, é que, além de habilidades administrativas e de gestão, as pessoas que pretendem trabalhar no Terceiro Setor devem “fundamentalmente ter uma educação voltada a valores”, já que o objetivo maior do negócio não é acumular riqueza. “Nem todos estão preparados para

negócios sociais só com o diploma é

esse tipo de mercado, que não prioriza o

uma boa? O especialista em marketing e

lucro, mas as pessoas.”

conselheiro de várias ONGs, Eloi Zanetti, acredita que não.

Tocar uma ONG carece de saber montar e manter parcerias estratégicas, ser bom gestor, bom administrador e bom captador de recursos. Tem que acompanhar o timing da iniciativa privada, que é totalmente diferente, acelerado. Claudia Marcia Rodrigues Silva, 43,

Nesse ponto, vale uma ressalva: não é

Voluntária de Curitiba, alerta para um problema recorrente: o relacionamento interpessoal. “Muita gente deixa a iniciativa privada porque acha que no Terceiro Setor vai encontrar um ambiente mais agradável ou se livrar do chefe intolerante, mas nem sempre é assim.” Outro aspecto crítico

aprendizes no mercado de trabalho, é da

entidade fechar as portas em breve.

sucesso no emprego atual, garante.

• aliancaempreendedora.org.br;

área de comunicação do Centro de Ação

profissionalizada, é meio caminho para a

anterior que lhe deu condições para ter

• ideorg.org;

Andrade que o diga. Responsável pela

trabalhar no setor é a gestão. Se não for

bater às portas da ELO. Foi a experiência

• aoka.com.br;

• gife.org.br.

e imperfeições. A publicitária Alcione

objetivo a inclusão de adolescentes

acadêmico e só depois de muitos anos foi

• artemisia.org.br;

do Terceiro Setor estão imunes a vícios

que deve ser observado por quem quer

gigante estatal, migrou para o universo

• uniethos.org.br;

• choice.org.br;

não-governamental que tem como principal

uma peregrina. Começou a carreira numa

• abdl.org.br;

porque têm apelo social que as empresas

assistente pedagógica da ELO, organização

mesma opinião. Ela própria se considera

ONDE R: UISA PESQ

Driblar essas questões requer cuidados. Antes de assinar um termo de compromisso com a instituição, convém investigar a entidade, a forma de gestão, se a diretoria é participativa, com que frequência se reúne, conhecer a lista de projetos, de onde vêm as verbas e como são administradas. Por outro

Mas e se não der para acumular essa

lado, procurar capacitação é fundamental.

experiência? “Se não houver condições,

Já há inclusive cursos de pós-graduação

já é um bom caminho quando, ainda na

voltados para a gestão de empresas do

faculdade, a pessoa se interessa por fazer

Terceiro Setor (veja os cursos no site

um trabalho voluntário. Ela deve estagiar, e

www.uniethos.org.br). Eles podem ser o

em mais de um lugar, procurando descobrir

primeiro passo de uma carreira brilhante. 11 Revista Herbarium | Janeiro 2012


FITOMEDICINA: SAÚDE DE RAIZ

As boas da

Boca Na cadeira do dentista, várias plantas provam seu valor e ganham o aval da ciência para deixar nosso sorriso mais bonito Raquel Marçal, de Curitiba

Alho, aroeira, juá, barbatimão. Romã, cajueiro, hortelã, malva… Se fosse para fazer a relação completa, a lista das plantas medicinais amigas da saúde bucal passaria de 500 espécies. “Só no Nordeste, já foram identificadas mais de 260, com 19 indicações diferentes em odontologia”, conta o professor Fábio Correia Sampaio, coordenador do Grupo de Estudos de Fitoterapia aplicada à Odontologia (Gefao), da Universidade Federal da Paraíba. 12 Revista Herbarium|Janeiro 2012


As plantas mais usadas são as conhecidas pelas atividades analgésica, cicatrizante e antiinflamatória,

dentes e óssea”, explica a microbiologista

completa o pesquisador, que em 2009

interesse principal de Paula na fruta é o

publicou, junto com os colegas do Gefao,

seu potencial antimicrobiano no combate

um levantamento sobre o uso de plantas

aos fungos do gênero Candida, que está

medicinais para tratar problemas bucais

implicado no surgimento da candidíase

em João Pessoa.

oral, o popular “sapinho”. Em 2010, Paula

Paula Cristina Aníbal, que, há quase uma década, estuda a romã na Faculdade de Odontologia de Piracicaba, ligada à Universidade de Campinas (Unicamp). O

descobriu, em sua pesquisa de doutorado,

Na pesquisa, das várias espécies citadas pelos paraibanos, a romã (Punica

granatum) foi, de longe, a mais lembrada. A fruta é também uma das espécies mais investigadas na área acadêmica da odontologia. Na literatura científica, não faltam estudos in vitro comprovando que ela é capaz de eliminar diversas linhagens de

que também nessa frente a romã é boa de briga. “Os extratos da P. granatum promovem alterações nas células dos fungos, como má-formação da parede celular, inibição do crescimento e agregação celular”, explica. Tudo bem que a romã pode se destacar

bactérias e, assim, prevenir a formação do

na boca do povo e nos microscópios

biofilme dental, a famosa placa bacteriana.

dos cientistas, mas quem ainda reina

“Se não for tratado, o biofilme pode

absoluto nos consultórios é o cravo-

progredir para gengivite e até perda dos

da-índia (Eugenia caryophyllata). Suas

Romã (Punica granatum)

AÇAÍ: DA TIGELA PARA O DENTISTA Gostoso e energético, o açaí (Euterpe oleracea) agora

confirmou a suspeita e ainda teve uma boa surpresa.

virou “evidenciador de placa bacteriana” – aquele corante

“O açaí consegue detectar as áreas comprometidas já

que aponta a aglomeração de bactérias no esmalte dos

a partir do momento em que o biofilme começa a se

dentes. A dentista Danielle Emmi, da Universidade

formar, algo que os corantes hoje disponíveis no mercado

Federal do Pará (UFPA), foi quem teve o insight para

não fazem”, diz Danielle. “A eficácia do corante natural

desenvolver o corante natural, ao observar que a fruta

chegou a ser 90% superior à dos corantes sintéticos

deixa a boca e os dentes coloridos de vermelho. Obra

em uso hoje.” O concentrado, que está patenteado, foi

da antocianina, a mesma substância que dá cor às uvas

desenvolvido para consultórios, mas, segundo Danielle,

rubras. Ao testar

nada impede que ele entre na composição de produtos

um concentrado

acessíveis à população. “É possível desenvolver produtos

do corante de açaí,

baratos, como enxaguantes e pastas de dentes.” Aí,

a pesquisadora

bastará um bochecho na frente do espelho para flagar a placa. Danielle segue apostando na biodiversidade da Amazônia e agora investiga outras espécies, como a castanha-do-pará, o bacuri, a pupunha e o tucumã. “Eles podem ter efeito protetor contra as cáries”, desconfia. Já o uxi tem ação antiinflamatória e potencial para inibir o crescimento das bactérias formadoras da placa. 13 Revista Herbarium | Janeiro 2012


Camelia sinensis

propriedades antissépticas, aromáticas,

seja adotado como símbolo universal da

analgésicas, cicatrizantes e antifúngicas

odontologia. “Ele é a planta mais largamente

são conhecidas, literalmente, há séculos.

empregada pelos dentistas do mundo

Em 1728, o francês Pierre Fauchard,

inteiro”, justifica.

considerado o pai da odontologia moderna, já indicava o óleo do cravo para o tratamento da dor de dente e da cárie dentária. Seu princípio ativo mais importante, o eugenol, é usado em Cravo-da-índia

restaurações desde o final do século 19. É ele, aliás, o responsável pelo cheiro típico dos consultórios de dentista.

Em seu consultório em Curitiba, a dentista Beatriz de Bittencourt Grotzner, também habilitada em fitoterapia, receita outras plantas. Uma delas é a zedoária (Curcuma

zedoaria), cujo extrato trata inflamações nas gengivas. “Ela tem ação antibacteriana, antifúngica e analgésica, mas seu uso é contraindicado para grávidas e mães que

O óleo de cravo, embebido em pelota de algodão, pode ser aplicado diretamente no dente cariado dolorido,

estão amamentando”, conta Beatriz, que

diz Rogério Cavalcante, de Rio Branco (AC),

antiinflamatória e antioxidante”, completa.

cirurgião dentista habilitado em Fitoterapia

Beatriz também lança mão, com frequência,

pelo Conselho Federal de Odontologia (CFO).

do extrato de própolis. “Ele é coadjuvante

E tem mais: “O chá pode ser usado contra

no tratamento das enfermidades gengivais,

a dor e também para halitoses, estomatites

estomatites, aftas, úlceras bucais, candidíase

e gengivites”, afirma Cavalcante. Autor dos

bucal, boca seca e halitoses”, lista.

livros As Plantas na Odontologia (Edição do

Tanta versatilidade deve-se às atividades

autor, 265 págs.) e Plantas da Amazônia na

antimicrobiana, antifúngica, antiinflamatória

Saúde Bucal (Edição do autor, 76 págs.),

e cicatrizante da substância. Ou seja, tudo o

o cirurgião defende que o cravo-da-índia

que nosso sorriso mais precisa.

ainda receita bochechos com chá verde (Camelia sinensis). “Ele inibe o crescimento da Streptococcus mutans, uma das bactérias causadoras da cárie, além de ter ação

O PODER DA COPAÍBA Nativa da Amazônia, a copaíba (Copaifera langsdorffii) já ganhou fama por sua ação antibacteriana e analgésica. Agora, o óleo dessa

a polpa, limpar e preencher o espaço vazio com uma massa. “Hoje, não existe um produto que cumpra esse papel dentro dos padrões físicos e biológicos ideais”, diz a professora Angela

árvore faz parte da composição

Garrido, que desenvolveu o novo cimento. “O produto ideal não

de um cimento odontológico

pode escoar ou se retrair, deve preencher o canal sem falhas para

desenvolvido na Universidade

não entrar umidade e ainda possuir atividade antimicrobiana,

Federal da Amazônia (UFAM) e

pois fica em contato com as células do paciente”, esclarece. “O

usado para preencher o canal

cimento à base do óleo de copaiba cumpre tudo isso e ainda

radicular – o espaço dentro

custará cinco vezes menos do que os produtos tradicionais.”

do dente onde fica a polpa.

Outra vantagem: o óleo natural não irrita os tecidos e não

Quem já fez tratamento de

causa inflamações, um efeito colateral comum dos cimentos

canal sabe: é preciso tirar

já utilizados. O produto foi patenteado e aguarda liberação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária para chegar ao mercado.

14 Revista Herbarium|Janeiro 2012


SAI PRA LÁ, MOTORZINHO As plantas medicinais que ajudam a manter a boca saudável ROMANZEIRA (Punica granatum)

no tratamento de estomatites. Além disso,

As propriedades antimicrobianas

Sua tintura pode ser usada para esterilizar

são atribuídas aos taninos, substâncias concentradas principalmente na casca do caule e do fruto. É dotada ainda de poderes antiinflamatórios e antibacterianos, além de conter substâncias capazes de estancar hemorragias. O suco é usado contra úlceras na boca. Já as flores entram em ação no tratamento das gengivas, prevenindo a perda dentária. Em experimentos, o extrato da casca de romã mostrou-se tão eficaz no combate à placa bacteriana quanto a clorexidina, composto muito usado em antissépticos bucais

apresenta atividade bactericida e antifúngica. escovas dentais contaminadas com a bactéria

Streptococcus mutans, a principal causadora da cárie.

CAJUEIRO ROXO (Anacardium occidentale) Essa árvore tipicamente nordestina é rica em taninos, que lhe conferem poderes antiinflamatórios e anti-hemorrágicos. Tem ação antisséptica, antifúngica e antiviral. O chá da casca da árvore combate feridas, estomatites, aftas, cáries e queimaduras bucais.

e assepsias pré-cirúrgicas.

O óleo é indicado para dor de dente.

MALVA (Malva sylvestris)

HORTELÃ (Mentha spicata)

Possui propriedades antiinflamatórias,

A ação antimicrobiana dessa erva acaba de ser

antibacterianas, antimicrobianas, antifúngicas e cicatrizantes. A infusão ou tintura das folhas secas, flores e raízes ajuda a tratar gengivites e dor de dente. “Pode ser utilizada sob a forma de bochecho para inflamações na boca, mas em doses excessivas pode ter efeito laxativo”, alerta a dentista Beatriz de Bittencourt

comprovada pela cirurgiã dentista Iza Teixeira Alves Peixoto, em sua tese de doutorado na Faculdade de Odontologia de Piracicaba. Ela descobriu que o óleo essencial da hortelã combate o fungo causador do “sapinho”. E o melhor é que a Mentha não afetou o metabolismo das células epiteliais, agindo

Grotzner.

apenas no fungo. O estudo é importante

JUÁ (Zizyphys joazeiro)

que a eficácia dos agentes antifúngicos

Tem ação antimicrobiana e antisséptica. Seu

usados atualmente, como o fluconazol, vem

pó pode ser usado como creme dental, pois

porque várias pesquisas já demonstraram

diminuindo devido à resistência microbiana.

desestabiliza o biofilme (a placa bacteriana), ajudando em sua remoção.

AROEIRA (Schinus terenithiofolius) Possui ação antimicrobiana, antiinflamatória e antiulcerogênica, sendo utilizada como antisséptico e

Romã

Hortelã

Malva

15 Revista Herbarium | Janeiro 2012


Os poderes do

Ginkgo Ele turbina a memória, combate vertigens e zumbidos nos ouvidos, ameniza as dores de cabeça, protege a pele e é investigado no tratamento de alguns tipos de câncer Thais Szegö, de São Paulo

No Japão, a árvore do Ginkgo biloba é símbolo de longevidade. Graças a sua capacidade de suportar infecções e substâncias tóxicas, ela pode viver até 4.000 anos. Por causa dessa senhora resistência, ela foi a primeira espécie a brotar após o ataque atômico sobre a cidade de Hiroshima, em 1945. E a ciência tem encontrado indícios de que seus predicados podem ajudar a garantir uma vida mais longa e saudável também para os seres humanos. Os chineses lançam mão do seu extrato há milhares de anos para tratar problemas que vão de ansiedade a cegueira, passando por doenças vasculares e incontinência urinária. Hoje, cada vez mais gente aposta nos seus efeitos terapêuticos, fazendo com que a planta seja a base de um dos fitoterápicos mais vendidos no mundo. Toda essa fama não é à toa, dada a longa lista de benefícios do ginkgo. “Ele dilata os 16 Revista Herbarium|Janeiro 2012

vasos sanguíneos e deixa o sangue menos viscoso”, conta a fitoterapeuta Vanderlí Marchiori, de São Paulo. E isso repercute em todo o organismo, pois a circulação flui com mais facilidade e rapidez pelo corpo, irrigando e oxigenando melhor os tecidos e alcançando lugares mais distantes do coração. No cérebro, esse aumento no afluxo de sangue diminui a pressão arterial, melhorando as dores de cabeça e evitando coágulos, o que pode reduzir o risco de derrames oclusivos, aqueles provocados pelo entupimento de um vaso cerebral. “O ouvido é outro beneficiado, já que esses ganhos atingem o labirinto, diminuindo tonturas e zumbidos”, conta Vanderlí.


Até mesmo as dores nas

Departamento de Ciências

pernas e nos braços, quando

Biológicas da Universidade

provocadas por problemas na

Federal de São Paulo, foi a

circulação, são amenizadas.

responsável por um desses

Além da sua ação sobre o sangue, o vegetal melhora a absorção da glicose, o combustível básico para o organismo, e da ATP, uma molécula que armazena energia nas células vivas, acrescenta a fitoterapeuta. Como se não bastassem todas essas propriedades, seu extrato ainda tem ação antiinflamatória e antioxidante, o que significa que o ginkgo combate a ação dos radicais livres, que provocam o envelhecimento precoce e a morte celular e podem desencadear doenças

vegetal no cérebro de ratos idosos que haviam sofrido com estresse oxidativo, ou seja, provocado pela ação dos radicais livres. “Notamos que ele protegeu as células do córtex pré-frontal dos animais, uma parte da frente do encéfalo que está envolvida com a atenção e com o comportamento necessário para a tomada de decisões”, conta. “Essa região também está relacionada à

“A resposta foi bastante positiva no caso dos voluntários que ingeriram o extrato da planta em vez do placebo”, conta Marinez. “Isso acontece graças ao componente antiinflamatório da planta, que evita e minimiza as crises.”

Pesquisadores da Georgetown University Medical Center, nos Estados Unidos, testaram a

abstrato e para o raciocínio”,

ação do vegetal sobre o câncer de mama. Para

acrescenta Suzete.

isso, deram o seu extrato para as cobaias antes

Esse efeito também foi testado

de até 20% no desempenho

tem até mesmo efeito sobre o

em testes cognitivos. Apesar

Mas, de todas as qualidades

sobre a qualidade de vida de asmáticos.

é a base para o pensamento

a ingestão dos comprimidos

reduz o estresse e a ansiedade.

Hillebrand avaliou a influência do ginkgo

que usamos rotineiramente e

que apresentaram uma melhora

sensação de bem-estar que

A cardiologista Marinez Domeneghini

memória, em especial aquela

especialistas afirmam ainda que

neurotransmissor ligado à

...diminui as crises de asma

...ajuda no combate ao câncer de mama

formação de alguns tipos de

em pacientes com Alzheimer,

a ação da serotonina, um

Novos estudos têm apontado que o Ginkgo biloba também...

trabalhos: avaliou a ação do

degenerativas. Muitos

humor, já que eles favoreceriam

OUTROS BENEFÍCIOS

dos resultados satisfatórios obtidos nessas investigações, os especialistas acreditam que ainda é cedo para se definir se os comprimidos do vegetal podem ser benéficos quando o

e depois de implantarem células cancerosas nos ratinhos. E o resultado foi muito animador: houve uma diminuição de 80% no crescimento do tumor.

...protege a pele Na Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto, da Universidade de São Paulo, o extrato do vegetal foi avaliado como protetor solar. “Ele se mostrou eficiente na prevenção dos danos provocados na pele pelos raios UV e na redução da vermelhidão provocada pela

da planta, de longe, a mais

estrago nas células do cérebro

conhecida é a de dar um gás

já está muito avançado. Outra

nas funções cognitivas, ou

questão que ainda não tem

seja, melhorar a memória, o

resposta é se o medicamento

aprendizado e a vigilância. E

também é indicado de maneira

muitos estudos já comprovaram

preventiva, ou seja, para evitar

que realmente funciona. A

perdas de memória em pessoas

bióloga Suzete Maria Cerutti,

saudáveis. “É isso que estamos

professora do Laboratório de

tentando entender e o que deve

que também participou

Farmacologia Comportamental

ser esclarecido com pesquisas

do estudo.

e Etnofarmacologia do

futuras”, diz Suzete.

exposição ao sol”, conta Patrícia Maia Campos, farmacêutica-bioquímica que coordenou a pesquisa. “Além disso, alguns trabalhos indicam que a sua ação antioxidante pode reduzir os efeitos prejudiciais dos radicais livres produzidos na pele pela radiação solar”, acrescenta a professora Lorena Gaspar Cordeiro,

17 Revista Herbarium | Janeiro 2012


CÚRCUMA | Aliada contra inflamações A cúrcuma, planta também

os mecanismos que deflagram as

conhecida como açafrão, pode dar

terríveis inflamações nos tendões.

origem a um medicamento para

“A única alternativa hoje para

tratar a tendinite. A descoberta veio

tratar tendinite e artrite são os

de um estudo feito em conjunto

antiinflamatórios não esteroides,

por pesquisadores das universidades

que são associados a efeitos

de Nottingham, na Inglaterra, e

colaterais como náusea, vômitos,

Ludwig Maximilians, na Alemanha.

dores de cabeça e fatiga”, diz

Eles perceberam que a mesma

Ali Mobasheri, coordenador da

substância que dá ao tempero a

pesquisa. “A necessidade de novas

cor amarela, a curcumina, inibe

alternativas é grande”, afirma.

OLIVEIRA | A folha também tem poder O azeite não é o único motivo para

dos joelhos,

celebrar a oliveira (Olea europaea).

eles observaram

Os cientistas não param de descobrir

que os tecidos se regeneraram

benefícios escondidos também nas

mais depressa no grupo que

folhas dessa árvore mediterrânea: elas

recebeu o extrato por três semanas

têm poderes antibióticos e estimulam o

do que no grupo que tomou apenas

sistema imunológico, além de ter o dobro

água. A descoberta deixou a equipe

do poder antioxidante do chá verde e

bastante otimista. “O extrato das folhas

quatro vezes o da vitamina C. Agora,

da oliveira pode ter efeito benéfico

pesquisadores chineses encontraram,

também em doenças das articulações em

no extrato dessas folhas, propriedades

humanos”, escreveram os estudiosos no

cicatrizantes. Em um experimento feito

artigo publicado no Journal of Medical

em coelhos com lesões nas cartilagens

Food.

ERVA-DOCE | Remédio contra vírus A Pimpinella anisum, vulgo erva-

infecciosas. Ao isolar três proteínas

doce, pode ser muito mais do que

de um extrato das sementes, eles

um chazinho para aliviar cólicas

identificaram nelas o poder de

de bebês. Cientistas japoneses

estimular o sistema imunológico e

descobriram que a planta também

combater os vírus da herpes e do

tem potencial para tratar doenças

sarampo.

18 Revista Herbarium|Janeiro 2012


Atua na prevenção e no tratamento de varizes. Indicada em casos de insuficiência venosa, incluindo varizes nas pernas e pés. Aumenta o tônus e a resistência das veias e diminui a fragilidade capilar.

Central de Relacionamento Herbarium 0800 723 8383 • www.herbarium.net CASTANHA DA ÍNDIA – Aesculus hippocastanum 100 mg - 45 comprimidos. Contraindicações: Gravidez, lactação, lesão na mucosa digestiva e pacientes com doença renal ou hepática. Reações adversas: Raramente pode ocorrer coceira, náusea, vômito e irritação gástrica. Advertências: Em caso de hipersensibilidade ao produto, recomenda-se descontinuar o uso e consultar o médico. Posologia: Ingerir 1(um) comprimido, 3 (três) vezes ao dia. M.S.: 1.1860.0080. HERBARIUM LABORATÓRIO BOTÂNICO LTDA. Av. Santos Dumont, 1111 Colombo - PR. CNPJ 78.950.011/0001-20. Indústria Brasileira. Farmacêutica Resp.: Dra. Anny M. Trentini CRF-PR nº 4081 - Central de Relacionamento Herbarium: 0800 723 8383. Janeiro/2012.

CASTANHA DA ÍNDIA HERBARIUM É UM MEDICAMENTO. SEU USO PODE TRAZER RISCOS. PROCURE O MÉDICO E O FARMACÊUTICO. LEIA A BULA. ,


NUTRACÊUTICA: PARA COMER MELHOR

Delícias do

Norte

Pesquisas revelam que algumas frutas da Amazônia, ainda consideradas exóticas em grande parte do Brasil, são saborosas aliadas para quem quer manter uma dieta saudável Tatiana Ferreira, de Belém

20 Revista Herbarium|Janeiro 2012


Mais de três mil espécies de frutas

A poderosa constituição química do açaí

tropicais já foram identificadas pela

foi verificada pela primeira vez em pesquisas

ciência. No Brasil, são cerca de 500. Só

do engenheiro químico belga Hervé Rogez,

na região amazônica, há 220 espécies

professor da Universidade Federal do Pará

catalogadas e muito trabalho esperando

(UFPA). Foi Rogez quem comprovou que o

pelos pesquisadores. E olha que as delícias

açaí possui elevado teor de antocianinas,

do Norte vêm atraindo paladares há muito

pigmentos benéficos à circulação sanguínea

tempo. A castanha-do-Pará, por exemplo,

que podem ajudar a prevenir a aterosclerose

é mundialmente conhecida e apreciada

(o entupimento de artérias). Esses resultados

desde o século 18, quando era exportada

foram corroborados por vários outros

para a Europa em navios.

estudos dedicados ao fruto desde então.

Hoje em dia, a fruta amazônica mais

Um exemplo é a pesquisa do médico

conhecida no país – e também no exterior

cardiologista Eduardo Costa, professor da

– é o açaí, que se popularizou graças a

Faculdade de Medicina da UFPA. Ele vem

atletas e celebridades que o incluíram

estudando a relação entre a alimentação

na rotina diária para incrementar seus

amazônica e os fatores de risco para

estoques de energia durante a prática de

doenças coronarianas. Atualmente, o

atividades físicas. Mas enquanto na maior

médico coordena uma pesquisa com 1.070

parte do Brasil o açaí é consumido como

moradores de Igarapé-Miri (PA), um dos

bebida energética, misturado com xarope

maiores produtores de açaí da região. Os

de guaraná, granola e frutas, na região Norte sua polpa é servida com farinha de

moradores do município consomem a polpa da fruta nas principais refeições, em média

mandioca, peixe, camarão e até carne.

meio litro por dia. Em exames realizados com

Para a população amazônica, a fruta também é fonte de força e saúde, mas seu consumo, em muitos casos, é questão de sobrevivência e envolve uma tradição cultural que vem passando de pais para filhos.

índices de HDL, o colesterol bom, que ajuda

essa população foram encontrados altos

PARA EXPERIMENTAR A CULINÁRIA AMAZÔNICA EM BELÉM REMANSO DO PEIXE: Travessa Barão do Triunfo, 2590 – casa 64 Telefone: (91) 3228-2477 LÁ EM CASA: Av. Boulevard Castilho França, Estação das Docas, Galpão 2, Loja 4 Telefone: (91) 3212-5588

a prevenir doenças cardíacas. “Estamos agora em uma segunda etapa do estudo, com pessoas desse mesmo município, mas que não bebem açaí, para comparar os dois grupos. Dessa forma poderemos verificar mais precisamente como ocorrem os benefícios da fruta”, explica o pesquisador. A popularização do açaí mundo afora

E é por conta desse fascínio pelo açaí

encareceu o produto na região

que as classes mais baixas, que não

amazônica, já que não

têm acesso a um cardápio variado, vêm

há oferta suficiente

conseguindo se manter saudáveis – apesar

para atender à

das questões socioeconômicas da região. Isso acontece porque o açaí, além de ser ótima fonte de calorias, também é rico em proteínas, fibras, lipídios, vitamina E e em minerais como manganês, boro e cromo.

21 Revista Herbarium | Janeiro 2012


demanda. Mas há boas notícias a caminho.

saudável é o bacuri, fruta de sabor leve

“Depois de vários anos de estudos, o açaí

e sofisticado que costuma dar origem a

está finalmente sendo plantado em áreas de

refrescos, cremes e doces. Ele é rico em

terra firme,” diz o pesquisador da Embrapa

potássio, fósforo e cálcio, e suas folhas

Amazônia Oriental, José Urano de Carvalho.

e ramos possuem xantonas, compostos

Anteriormente, a coleta dependia apenas das

orgânicos com função antioxidante que, ao

palmeiras nativas das áreas de várzea.

combater os radicais livres do corpo, podem

Há frutos menos famosos do que o açaí, mas também bastante promissores, como Frutos da Pupunheira (Bactis gasipaes)

ajudar a prevenir o envelhecimento precoce e fortalecer o sistema imunológico.

o palmito de pupunha (Bactis gasipaes).

Com tanta qualidade e variedade, é de

A palmeira da pupunha, ou pupunheira,

se perguntar por que as frutas amazônicas

é encontrada em toda a Amazônia, em

continuam pouco conhecidas fora da

muitas variedades. Dependendo do tipo

região. “Muitas dessas frutas têm ótima

do fruto, suas características químicas e nutritivas podem mudar. As variedades de cor vermelha ou alaranjada são ricas em carotenoides (pró-vitamina A) e vitaminas B, C e E. E geralmente são as mais valorizadas, por serem as mais macias.

aceitação nos mercados interno e externo, mas a oferta nem sempre é suficiente para atender às solicitações”, afirma Carvalho. “Por isso, as pesquisas são tão importantes. O aumento da produtividade beneficia o mercado e também os produtores da região,

Outra opção amazônica apetitosa e

que podem aumentar sua renda.”

SABOR E SAÚDE Quando todo mundo achava que os campeões

(FEA) da Unicamp trouxe novidades. E adivinha

em carotenoides – aqueles pigmentos presentes

quais os alimentos que se destacaram? As frutas

em alimentos que vão do amarelo ao vermelho e

da Amazônia. O buriti, por exemplo, surpreendeu

que podem se transformar em vitamina A – eram

os pesquisadores por apresentar quantidades bem

a cenoura, a abóbora e o pimentão, um estudo

superiores aos demais frutos estudados e às fontes

realizado na Faculdade de Engenharia de Alimentos

tradicionais de carotenoides.

Confira os campeões em teores de β-caroteno nas frutas da região Amazônica β-CAROTENO (mg/100g)

VALOR DE VITAMINA A (μg EAR/100g)

Mauritia vinifera

37,2

3640

Abricó

Mammea americana

2,0

340

Marimari

Geoffrola striata

2,3

300

Pupunha

Bactrys gasipaes

5,6

750

Physalis

Physalis angulata

6,2

550

Tucumã

Astrocaryum aculeatum

4,7

430

NOME COMUM

NOME CIENTÍFICO

Buriti

Fonte: De Rosso & Mercadante, 2007

22 Revista Herbarium|Janeiro 2012


À MESA Para quem ficou com água na boca e não sabe como inserir as frutas da Amazônia no cardápio, aí vão algumas dicas. “As melhores frutas são aquelas que têm polpa firme e, por isso, são mais versáteis na cozinha”, explica a gourmet e jornalista Lorena

Filgueiras, autora do blog Tomato & Potato (http://tomatoepotato.blogspot.com). Lorena revelou à Revista Herbarium alguns segredos especiais. “Posso dizer seguramente que substituir a batata pela pupunha é uma excelente opção. A textura não é igual, mas o resultado final pode ficar até melhor”, diz. Outras dicas: o leite da castanha-do-Pará deixa os pratos que levam leite-de-coco mais leves; castanhas no arroz deixam o prato mais saboroso; e molhos encorpados de bacuri são fantásticos para combinar com filés de carne.

Musse de bacuri

Macarrão de Pupunha ao pesto de manjericão

Ingredientes • 1 lata de leite

condensado • 1 lata de creme

de leite • 3 claras • 1 sachê de gelatina sem sabor • 2 latas de gomos de bacuri in natura

(mesma medida da lata de leite condensado)

Modo de fazer

Ingredientes • 300 g de palmito de pupunha

(antes de comprar, vale checar se vem de uma propriedade orgânica, certificada, que tenha projetos de replantio)

Modo de fazer Leve ao fogo dois litros de água, com um fio de azeite de oliva e sal a gosto. Rale os palmitos em tiras e ponha na água

Inicialmente, bata as três claras em neve e

quente. Deixe cozinhar em água fervente por 10 minutos

reserve. No liquidificador, coloque o leite

(não mais do que isso) e, em seguida, escorra. Reserve.

condensado, o creme de leite, uma lata de gomos de bacuri, o sachê de gelatina

Ingredientes do molho pesto

dissolvida em duas colheres de água quente

• 2 maços grandes de manjericão

e bata até obter uma mistura homogênea.

• 100 gramas de parmesão ralado

Em seguida, em uma vasilha, misture as

• 1 colher (de sopa) de pinoli (se não encontrar, use

claras em neve, o conteúdo batido no liquidificador e a lata com os gomos de bacuri que não foram utilizados (sem

castanhas-do-Pará ou amendoim) • 100 ml de azeite de oliva (vá colocando aos poucos) • sal a gosto

amassá-los para que permaneçam inteiros

O ideal é levar todos os ingredientes para um pilão, até

no musse). Conserve na geladeira até que

obter uma mistura homogênea. Se quiser, pode fazer no

fique consistente.

liquidificador, utilizando a função “pulsar”.

23 Revista Herbarium | Janeiro 2012


Alternativas na

Balança

Quando cortar calorias e fazer ginástica já não bastam, uma saída é lançar mão de substâncias vindas de plantas e de alimentos, que podem ajudar na perda de peso – e com saúde! Regina Célia Pereira, de São Paulo

O mundo anda cada vez mais rechonchudo. Cientistas estimam que o número de obesos duplicou em 30 anos nos quatro cantos do planeta, inclusive no Brasil. Uma realidade preocupante, já que vai longe o tempo em que a obesidade era apenas uma questão estética. Estudos mostram que, quanto mais a barriga escapa da calça, maiores são os riscos de doenças nas articulações, diabetes e males cardiovasculares, entre outros problemas.

24 Revista Herbarium|Janeiro 2012


Você já deve saber, mas vamos

fitoterápicos que contam com

repetir: é preciso cortar calorias do

uma boa quantidade de estudos

cardápio e exercitar o corpo para

comprovamdo sua eficácia.

ganhar o embate contra os pneus. Pesquisas recentes colocam ainda uma boa noite de sono como aliada nessa luta. Para completar, está comprovado que dar um chega-pra-lá

Vale salientar, porém, que não há poção mágica. As opções mais naturais, assim como as sintéticas, só têm eficácia dentro de um contexto saudável.

CHÁ VERDE A bebida de sabor levemente adstringente é feita com uma erva chamada Camelia sinensis. Essa espécie asiática é riquíssima em compostos que atuam no combate à obesidade. Um

Se não houver mudança no estilo de vida – a adoção de dieta equilibrada e a prática de atividade física – de nada vai adiantar,

dos destaques é conhecido

algumas das drogas inibidoras

alerta Marcella Garcez Duarte,

benefício. “Observamos a redução

de apetite foram proibidas, em

médica nutróloga da Associação

de 5,7 quilos, em média, entre as

outubro, pela Agência Nacional de

Brasileira de Nutrologia (Abran). A

voluntárias que consumiram chá

Vigilância Sanitária (Anvisa). Mas

seguir, destacamos algumas das

verde e praticaram musculação

quem está acima do peso pode

alternativas disponíveis. Na dose

por dois meses”, resume a autora

encontrar alternativas seguras

adequada, elas são grandes aliadas

do estudo, Gabrielle Cardoso, que

em complementos naturais e

na luta contra a obesidade.

é professora de educação física

no estresse e tomar um belo café da manhã também contribuem para manter a linha. Para muita gente, porém, essas estratégias são insuficientes. E, aí, é preciso contar com o reforço de medicamentos. É verdade que

como EGCG (Epigalocatequina galato). “A substância tem ação termogênica, isto é, estimula o gasto energético”, conta Marcella Garcez Duarte. Agora, mais um trabalho, que acaba de ser concluído na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, da Universidade de São Paulo, a USP, comprova esse

e pós-graduanda em Ciência e Tecnologia dos Alimentos da USP. Para chegar a essa conclusão, a

QUITOSANA

pesquisadora contou com a ajuda

Esse suplemento alimentar elaborado

o que beneficia as artérias. Mas,

de 40 mulheres, sendo que para

a partir de cascas de crustáceos,

vale destacar que só atua em meio

algumas foi servido placebo.

como o camarão e a lagosta, oferece

engordurado, justamente porque

“Outro dado é que o chá verde

fibras aos montes. “Ela interfere com

a quitosana se liga à gordura e a

mantém a massa magra, já que

uma enzima digestiva, a lipase, o

impede de ser absorvida. Como há

promove a queima de gordura

que diminui a absorção da gordura”,

essa espécie de afinidade, o consumo

durante a atividade física”, diz.

explica a nutróloga Marcella Garcez

deve ser feito durante as refeições.

Duarte. A quitosana consegue

“É importante frisar que não é

arrastar moléculas gordurosas

indicada para quem tem alergia a

para fora do organismo, o que

peixes e crustáceos”, afirma Vanderlí

dificulta o estoque em forma de

Marchiori. Essa observação só reforça

pneus. Há ainda evidências de que

a importância de buscar orientação

colabore na redução de colesterol,

antes de começar a usar. 25 Revista Herbarium | Janeiro 2012


ÔMEGA 3: UMA FONTE VEGETAL SUSTENTÁVEL - CHIA Eis o mais novo auxiliar na luta contra a

Congresso Internacional de Nutrição

barriguinha. “Para começar o ômega-3

Clínica Funcional, que aconteceu em

combate inflamações”, diz Vanderlí

setembro, na capital paulista.

Marchiori. E muitos estudos demonstram

A nutricionista Carolina Chica,

que a perda de peso está diretamente

da Pontifícia Universidade

relacionada a uma melhora no perfil

Católica do Chile, explicou,

inflamatório. “Também há comprovação

durante o evento, que a chia ajuda a

de que aumenta a saciedade”, completa a

equilibrar os níveis de insulina,

nutricionista.

um hormônio que tem tudo

Aliás, a semente que desponta em

a ver com o acúmulo

pesquisas mundo afora pela grande

de gordura na região

quantidade de ômega e por ajudar na

abdominal. Além de esbanjar

eliminação de quilos extras, é a chia

ômega, a chia oferece altas doses de

ou Salvia hispanica, como preferem

fibras que também ajudam a explicar sua

os cientistas. Ela foi enaltecida no VII

atuação em prol da saciedade.

100g de chia equivalem a: Quer saber mais sobre essa maravilha dos Andes? Acesse o nosso site e veja também como adicioná-la ao cardápio

177 g

213 g

1045 g

453 ml

1045 g

do dia a dia:

de banana como fonte de potássio

de nozes como fonte de magnésio

de espinafre como fonte de ferro

de leite como fonte de cálcio

de aveia como fonte de fibras totais

www.revistaherbarium.com.br ou www.essenchia.com.br

Fonte: Tabela brasileira de composição de alimentos / NEPA-UNICAMP. 2ed. Campinas, SP, 2006.

Receita de Arroz com chia Ingredientes • 2 copos de arroz branco • 2 colheres de chia • sal, pimenta e azeite a gosto

Modo de fazer Prepare o arroz de modo usual. Quando pronto, adicione os

26 Revista Herbarium|Janeiro 2012

grãos de chia, o azeite de oliva, o sal e a pimenta.

Sirva acompanhado de carnes e peixes.


BOLO | Gostoso e sem glúten A novidade vem da Faculdade de Engenharia de Alimentos da Unicamp. Depois de testar 45 versões de uma mistura de farinha de arroz, fécula de batata, amido de milho e fubá, a nutricionista Angélica Aparecida Maurício chegou à receita de um bolo de cenoura livre de glúten (proteína presente no trigo, na aveia, no centeio e no malte) e de sacarose. Rica em vitamina A, a receita poderá ser consumida tanto por quem tem resistência ao glúten quanto por diabéticos. Como não leva leite, a delícia também é liberada para os intolerantes à lactose. O novo bolo de cenoura já foi aprovado nos testes. “A avaliação foi muito positiva, principalmente quanto a maciez, doçura e aparência”, diz Angélica. “As pessoas destacaram que ficou muito parecido com os bolos convencionais.” Agora só faltam alguns ajustes para a receita poder ser fabricada em escala industrial.

COMIDA | Americanos preferem comer fora Pilotar o fogão é uma tarefa totalmente fora da rotina de boa parte dos americanos, segundo uma pesquisa realizada com 1.087 pessoas nos Estados Unidos. Os dados mostram que 28% dos entrevistados ficavam longe da cozinha por não saberem cozinhar, 25% não querem limpar a bagunça depois de preparar a refeição e 21% alegaram não fazerem comida por falta de tempo. Do total, 66% disseram que comer fora de casa é mais rápido e prático. Será que, se a pesquisa fosse no Brasil, o resultado seria semelhante? “Provavelmente, sim”, diz a nutricionista Bianca Araújo de Oliveira, da NutriSaúde Consultoria, de Curitiba. “Também aqui, mesmo quem sabe cozinhar diz que não tem tempo pra isso. E quem não sabe acaba nem aprendendo.” De acordo com a nutricionista, ainda não dá para afirmar que comer em casa é, necessariamente, mais saudável. “Em tese é, desde que você não prepare apenas massa ao molho quatro queijos”, diz. “Quando você faz a comida, sabe que tempero está colocando, controla a quantidade de gordura e a qualidade dos alimentos”, frisa.

AZEITE | Na lata é melhor Pense duas vezes antes de comprar azeite em garrafa de plástico ou de vidro. O alerta é da cientista de alimentos Simone Faria Silva, que avaliou as embalagens e concluiu: as latas de folha de flandres são a melhor forma de conservar o azeite de oliva extra-virgem, já que preservam os antioxidantes desse óleo vegetal contra a ação da luz. “Ao comprar o azeite extra-virgem, prefira o envasado em latas ou vidro escuro. Quanto mais escuro, melhor”, aconselha. 27 Revista Herbarium | Janeiro 2012


CLUBE DA TPM: E OUTRAS COISAS DE MULHER

Em busca da

Donzela perdida Cursos, livros e terapias pretendem ensinar as mulheres a ser... mulheres. Será que precisa? Débora Rubin, de São Paulo

28 Revista Herbarium|Janeiro 2012


Cinco mil mulheres já passaram pelo treinamento intensivo “Deusa Divina”. O nome do workshop da empresária Cláudya Toledo, dona da agência de matrimônios A2 Encontros, que também é conhecida como “a maior cupido do Brasil” ou ainda “terapeuta do amor”, dá uma pista do conteúdo dos três dias de treinamento. Internadas em um sítio, sem presença masculina, guiadas pela própria Cláudya, elas aprendem a buscar, em si mesmas, a deusa que existe dentro de cada ser do sexo feminino. “Ensino rituais para retomarmos a nossa essência”, sintetiza a mestra. São três dias de trabalhos. No primeiro, elimina-se o lixo emocional, como os rancores e as mágoas. No segundo, aprende-se, ou melhor, reaprende-se a andar, a se vestir e até a se maquiar. No terceiro, as alunas percebem que já existe um outro grau de

As mulheres estão muito yang (energia masculina, segundo a filosofia chinesa), fortes, ricas, mentais, e morrem de medo de ser fêmeas, conclui. É preciso que elas também sejam amorosas, confiáveis e sociáveis – características que os homens buscam nas mulheres.

Mas isso não quer dizer que eu defenda que a mulher deva ser burra e submissa, longe disso, esclarece Cláudya. Com suas teorias, a empresária-terapeuta ganhou algumas inimigas feministas pela internet. Ela é criticada por estar propondo um retrocesso após anos de conquistas árduas. O mesmo tem acontecido com a socióloga britânica Catherine Hakim, autora do recém-lançado

Honey Money: the Power of Capital Erotic

consciência e, voilá!, uma nova mulher

(algo como Doce Dinheiro: o Poder do

surge. O workshop, que custa R$ 1800,

Capital Erótico), que será traduzido no

não é o único do gênero. Surgem cada

Brasil em 2012 pela editora Record.

vez mais cursos, palestras, especialistas

Ao pregar que existe uma demanda de

e livros ensinando as mulheres a serem...

sexo muito maior por parte dos homens

mulheres. E, em geral, com um objetivo

que das mulheres, e que estas deveriam

claro: conquistar homens.

tirar maior proveito disso investindo no

E por que as mulheres estariam investindo tempo e dinheiro para descobrir como ser aquilo que já são? Porque elas “viraram homens”, segundo a mentora do workshop acima. Com 20 anos de experiência em juntar pares, Cláudya

capital erótico, Catherine foi tachada de sexista e retrógrada. Para ela, o capital erótico – uma equação perfeita de beleza, sensualidade, vivacidade, sexualidade, vaidade e habilidades sociais – é tão importante quanto os outros três capitais disseminados intensamente

começou a perceber que a mulher, ao se

hoje em dia: o econômico, o social

masculinizar para conseguir espaço no

e o humano. O primeiro tem

mercado de trabalho, acaba levando esse

a ver com o dinheiro que se

mesmo comportamento para o campo

ganha, o segundo com o

das afetividades, assustando os homens

famoso networking, ou

que, a despeito de anos de evolução e

seja, a rede social que

revolução sexual, continuam preferindo as

cada um constrói. E o

mulheres mais frágeis – segundo a teoria

último, com tudo aquilo

da terapeuta do amor.

que aprendemos ao longo 29 Revista Herbarium | Janeiro 2012


da vida. “O retorno financeiro do capital

não sabe usar bem seu capital erótico. Ao

erótico é tão grande ou até maior que os

menos em solo nacional.

dos demais”, argumenta em seu livro. Para a inglesa, o capital erótico deve ser usado no trabalho. Para a empresária brasileira Cláudya, na conquista de um par. Há quem discorde completamente da teoria de que a mulher morreu ou de que

Em 23 anos de pesquisas sobre mulheres brasileiras, não encontrei essa mulher que se masculinizou ou virou homem, contra-argumenta a antropóloga Mirian Goldenberg, autora de O Corpo como

Capital e do recém-lançado Corpo, Envelhecimento e Felicidade.

Pelo contrário, o que percebo é que, apesar da entrada da mulher no mercado de trabalho, a brasileira sempre investiu muitíssimo no corpo, na sexualidade e na feminilidade. E fica frustradíssima quando não atrai os homens, complementa a antropóloga. Afinal, como é essa mulher brasileira atual? Sexy ou masculina? Dócil ou dominadora? O fato é que a mulher, quando adulta, quer passar a imagem oposta àquela que lhe ensinaram ser a correta quando criança – a de frágil e compreensiva. Como se fosse um demérito ser mais sensível que os homens. Apesar das divergências entre as teóricas, uma coisa é certa: o sexo feminino está tentando achar seu novo papel, que são vários em um. E o homem, por tabela, também. “Acredito, sim, que as mulheres se masculinizaram para competir no mercado de trabalho, e isso acaba refletindo na vida em geral”, opina o analista de sistemas Emílio Yamane, de 32 anos. “Mas também acho que os homens estão meio perdidos com essa ascensão das mulheres. Antes, era 30 Revista Herbarium|Janeiro 2012


tudo mais claro, o homem era provedor e a mulher cuidava da família.” O principal problema, para Yamane, não é a mulher estar menos feminina, mais bruta, mas continuar sofrendo da “síndrome da princesa”: quer príncipes em vez de homens. Ter que ser o soldado que o mundo corporativo exige e a princesa que a sociedade ainda quer é de dar nó em qualquer alma de mulherzinha. Não é à toa que o gênero tem, agora, buscado os cursos e livros pró-feminino, dando de ombros aos preceitos já meio amarrotados do feminismo. “Acho uma grande bobagem essa história de ficar em pé de igualdade com os homens”, acredita a operária santista Giselle Motta, de 26 anos. “Não quero dizer com isso que sou contra a mulher trabalhar e ser bem sucedida profissionalmente, mas o feminismo exagerado faz com que a mulher perca um pouco da sua feminilidade sem perceber, e ainda fica sobrecarregada.” Ela reconhece

O mundo precisa do feminino, as empresas estão doentes, as famílias estão abaladas e os ambientes estão embrutecidos, diz Fernanda. “Só que estamos no meio do caos, da transição, e tudo está meio turvo. As mulheres estão rompendo com padrões, quebrando estruturas para descobrir seu novo lugar.” Por que não, por exemplo, levar delicadeza às reuniões de trabalho? Por que não, questiona Fernanda, falar macio numa convenção de líderes do mundo todo? O que a mulher tem de melhor vai começar a aparecer também nos ambientes masculinizados, acredita ela. A diferença é que não é preciso retroceder para avançar. “Não precisamos voltar ao passado de submissão”, ressalta. Outra ressalva feita pela psicóloga é que nada disso precisa ser feito com a finalidade de buscar um par, mas, sim, para benefício próprio. “Relacionamentos são caminhos maravilhosos de autoconhecimento, mas,

que há coisas gostosas de se receber de

se entrar na condição do ‘tenho que ter’,

um homem e que acabam sendo perdidas,

significa que estamos reproduzindo os

como proteção, ajuda, cavalheirismo e

padrões antigos.” O que também configura

segurança. “É possível ser independente e,

um retrocesso.

ao mesmo tempo, se permitir ser cuidada e amada como todas nós merecemos ser.” Nem Amélia, nem Madonna. Uma

A boa notícia é que estamos caminhando na direção certa. E talvez pagar caro – literalmente – para reaprender a ser mulher,

nova mulher, bem mais equilibrada, está

faça parte dessa jornada. Afinal, como

para surgir. É o que acredita a terapeuta

resume Fernanda:

junguiana Fernanda Tonon. Para ela, tudo o que foi dito acima faz sentido: elas estão muito mais yang e, portanto, desequilibradas. E o homem, ao mesmo tempo que admira essa nova mulher forte, ainda espera aquela dócil e sensível. Para a terapeuta, recuperar a “face oculta da

Não é fácil ser menina nos tempos de hoje. Tarefa de mulherão. Mas vai valer a pena para todas nós.

deusa” que há dentro de cada mulher traz uma sabedoria ancestral que pode ser fundamental para a busca desse equilíbrio. 31 Revista Herbarium | Janeiro 2012


Desejo, necessidade,

Vontade

O que leva homens e mulheres comprometidos a trair seus parceiros? Pesquisadores se debruçam sobre a questão e confirmam que, embora ambos os sexos cometam infidelidades, as motivações podem ser bem diferentes Márcia Luz, de Curitiba

32 Revista Herbarium|Janeiro 2012


A traição não escolhe sexo, idade ou classe

Talvez por isso, a traição parece de certa

social. Não liga para o número de anos de

forma ter virado senso comum. Está até

um casamento, ou para o número de filhos

na moda. Pelo menos é o que sugere a

envolvidos, ou para qualquer outra circunstância

chegada, em 2011, de sites especializados

impeditiva. Ela simplesmente acontece. Quem

em facilitar encontros extraconjugais de gente

já sofreu com a infidelidade de um parceiro se

comprometida. O canadense Ashley Madison

vê diante de uma única pergunta, simples e

(www.ashleymadison.com) aportou em agosto e

angustiante: por quê?

é, até o momento, o mais badalado deles. Seu

Um estudo feito na Universidade de Guelph, no Canadá, e recém-divulgado tenta lançar mais luz sobre o assunto. A análise foi feita a partir de entrevistas com 500 homens (média de idade de 36 anos) e 410 mulheres (idade média de 27 anos), em relações monogâmicas com duração entre 3 meses e 43 anos. A conclusão – diga-se de passagem, esperada – foi de que eles e elas traem por motivos distintos. Entre os homens, a infidelidade floresceria com mais força durante períodos de carência afetiva – quando muitos têm a tendência a se envolver sexualmente e depois se arrepender – ou caso haja um estímulo ou brecha. Entre as mulheres, as características que impulsionam à infidelidade seriam a insatisfação com o casamento – fator que pode dobrar as chances de traição – e a falta de química sexual com o marido. Para Ana Luisa Testa, especialista em

slogan é bem direto: “A vida é curta... curta um caso”. O site contabiliza 10 milhões de usuários no mundo – mais de 500.000 no Brasil. Já o Ohhotel tem 1,6 milhão de clientes pelo mundo e já passou dos 150.000 aqui. Por último vem o holandês SecondLove (www.secondlove. com.br) com 200.000 infiéis seguidores, 50.000 deles brasileiros. Como regra geral, o objetivo dos sites é ajudar o internauta a concretizar a traição com o máximo de discrição. Nos três, os homens são maioria entre os cadastrados. Tudo leva a crer que o negócio da traição só tende a crescer. A psiquiatra Carmita Abdo, pesquisadora da Universidade de São Paulo e autora de diversos estudos sobre o comportamento sexual do brasileiro, descobriu um dado espantoso: segundo ela, no país, apenas 25% dos comprometidos realmente esperam fidelidade dos parceiros. Será então que para os outros 75% a escapadinha já vem

psicoterapia corporal e em psicologia analítica,

no pacote? “Parece que ter um relacionamento

os homens parecem ser realmente mais

extraconjugal é um fato já incorporado pela

propensos a traições de oportunidade. E

nossa cultura, mesmo que não seja isso que as

dificilmente perdem a chance quando acham

pessoas almejam”, observa.

que não serão descobertos. Já as mulheres são mais inclinadas a trair com quem se ligam emocionalmente, como um ex-namorado ou um colega de trabalho. E no universo feminino a traição é mais velada. “A mulher que tem um caso, no máximo, confessa o ocorrido para uma amiga, explica a psicóloga. E tem ainda os

O único problema é que essa aparente tolerância não evita danos às relações quando a traição ocorre. Para Débora Trindade Lanna, especialista em terapia cognitiva e comportamental, a descoberta de uma traição muitas vezes vem acompanhada

fatores culturais.

de um sentimento de humilhação, de

O contexto social atual é um incentivo à busca da felicidade e do prazer,

confiança. E ainda tem a dificuldade em

diz Ana Luisa.

real ou virtual, melhor pensar mil vezes.

prejuízo à autoestima, além da quebra da aceitar o fracasso de uma relação na qual cada um se imaginava capaz de completar o outro. Conclusão: antes de qualquer escapada,

33 Revista Herbarium | Janeiro 2012


PÍLULA | Amiga, pero no mucho!

TIM TIM | Um brinde à saúde!

Elas ajudaram a tornar possível a revolução feminina e mudaram a vida de milhares de mulheres em todo o planeta. Mas as pílulas anticoncepcionais nunca foram consideradas 100% seguras, já que possuem hormônios em sua composição. “Ao mexer com os níveis de hormônios, a pílula pode afetar os sistemas do corpo. Portanto, há riscos associados, principalmente de doenças cardiovasculares”, afirma o pesquisador Jon Hennebold, da Oregon Health & Science University, nos Estados Unidos. A boa notícia é que o próprio Hennebold, junto com alguns outros cientistas, está desenvolvendo uma técnica diferente para o controle da natalidade. Os novos

Todo mundo reclama que o que

“anticoncepcionais” propostos por eles usariam enzimas

é bom “é imoral, é ilegal ou

no lugar dos hormônios. Os primeiros testes, feitos

engorda”. Mas um novo estudo

em macacos, mostraram que as enzimas foram capazes

desenvolvido na Harvard School of

de impedir os óvulos de

Public Health, em conjunto com

saírem dos ovários.

o hospital Brigham and Women’s

“Acreditamos que é

de Boston, Estados Unidos, mostra

possível chegar a um

que algumas indulgências podem,

contraceptivo melhor e

sim, fazer bem à saúde. A pesquisa,

mais seguro”, afirmou

realizada com mais de 120 mil

o pesquisador. O

pessoas, mostra que a ingestão de

estudo foi publicado

uma dose de álcool por dia pode

no Journal of

melhorar a saúde de mulheres

Endocrinology.

de meia idade e aumentar suas chances de longevidade. Mas não vale exagerar. O segredo parece ser mesmo o equilíbrio, já que as participantes que tomavam ao menos uma taça por dia, mostraram-se mais saudáveis no quadro geral do que as que bebiam muito ou as que não bebiam nada. O estudo foi publicado no Journal

PLoS Medicine.


Lançamento

Viva a vida com Essenchia.

Essenchia é composto por grãos de chia (Salvia hispanica), que é um alimento andino. É uma das principais fontes vegetais de ômega 3* conhecidas até hoje. É rico em fibras e além de proteínas, possui outros nutrientes importantes como: cálcio, magnésio, ferro e potássio. Você pode deixar os seus alimentos ainda mais saudáveis se adicionar 1 colher de sopa diária de Essenchia no suco, na salada, na sopa, nas frutas, no iogurte, inclusive no preparo de pães ou qualquer outra receita culinária, com a vantagem que não precisa triturá-la.

Central de Relacionamento Herbarium • 0800 723 83 83 • www. essenchia.com.br

JANEIRO/2012

*Como todo produto à base de Chia. Produto dispensado da obrigatoriedade de registro conforme RDC 27/10. NÃO CONTÉM GLÚTEN.


SER SUSTENTÁVEL: PELO BEM-ESTAR DO PLANETA

Menos é

Mais Conheça as lojas onde todos os produtos vêm de fornecedores locais, o consumo consciente é levado a sério e embalagem descartável simplesmente não existe Aline Gonçalves, de Curitiba

36 Revista Herbarium|Janeiro 2012


Imagine um mercadinho em que todos

Há quem duvide que negócios assim,

(todos!) os produtos são vendidos a granel

que levam a sério o conceito de consumo

e não há sacolas plásticas para colocar as

consciente, possam ser economicamente

compras. Cada cliente traz de casa seus

viáveis. Mas, no caso da Unpackaged,

potes e garrafas – ou adquire no caixa

as evidências falam mais alto. Durante o

embalagens retornáveis. Essa loja existe –

fechamento desta edição, Catherine andava

e não é em algum lugar do passado, não.

com os dias cheios. “Estamos em processo

Em pleno século 21, a inglesa Unpackaged

de mudança para uma loja maior”, afirmou

(“sem embalagem”, em português)

a empreendedora, dando uma ideia do

resgatou conceitos há muito esquecidos na

quanto o negócio tem dado certo.

economia do descartável. Tudo começou porque a comerciante

Do outro lado do Atlântico, um trio de irmãos norte-americanos, que vive em

Catherine Conway, dona da Unpackaged,

Austin (Texas), arregaçou as mangas para

queria fazer suas compras em um lugar

colocar em pé uma iniciativa semelhante.

que vendesse frutas e verduras orgânicas

Joseph, Christian e Patrick Lane devem

da estação, fornecidas exclusivamente por

lançar em 2012 a In.gredients, primeira loja

produtores da região.

livre de embalagens dos Estados Unidos.

Assim, além de promover a economia

Nela, também serão vendidos produtos

local, a loja venderia produtos que

orgânicos produzidos localmente, desde

não precisariam ser transportados por

vegetais, frutas, farinhas, laticínios e vinhos

longas distâncias – de caminhão, avião

até produtos de limpeza. E, podendo

ou navio –, aumentando as emissões

levar sua própria embalagem retornável, o

de gás carbônico. Como Catherine não

cliente compra exatamente a quantidade

encontrava essa loja ideal, resolveu abrir a

de que precisa, evitando desperdícios.

sua. Inaugurada em 2006, a Unpackaged começou como uma barraca de feira e, um ano depois, ganhou endereço próprio no descolado bairro de Islington, em Londres.

A loja inglesa parece ser a pioneira de uma nova (ou seria velha?) tendência, em alta na Europa e nos Estados Unidos, que prega a reutilização de embalagens e a consequente redução de descartáveis. Para quem tem mais de 30 anos, não

O conceito da In.gredients foi desenvolvido com a contribuição da comunidade local, que ajudou os irmãos Lane a definir os princípios éticos do empreendimento e contribuiu financeiramente. Como não tinham todo o dinheiro de que precisavam para abrir a loja, os irmãos lançaram uma campanha pela internet, via site IndieGoGo, para obter os 15 mil dólares necessários para financiar a iniciativa. Qualquer pessoa que se interessasse pela proposta poderia contribuir com doações de no mínimo

chega a ser nada inovador, apenas o

25 dólares, que davam

resgate de velhos hábitos, como o de ir

direito a um pote retornável.

comprar refrigerante levando o “casco”.

Em três meses de campanha os

37 Revista Herbarium | Janeiro 2012


O LUXO DE FAZER EM CASA

fundadores conseguiram arrecadar

explica o pedagogo Eduardo

455 dólares a mais do que haviam

Seniman, coordenador do grupo.

pedido. O valor arrecadado está sendo usado para reformar o prédio,

RECEITA DE REQUEIJÃO CREMOSO

Ingrediente s • 3 litros de leite de saquinho • 1 tablete

com sal

de manteig a

• 3 xícara s (de cafezin ho)

de vinagre

• sal a go sto

instalar coletores de água da chuva e criar uma horta comunitária. A In.gredients, assim como a Unpackaged, também irá desenvolver ações comunitárias, sociais e educativas, visando envolver mais pessoas no objetivo de reduzir o desperdício de materiais e preservar o ambiente. “Ficamos entusiasmados com a resposta à campanha de angariação de fundos. Acreditamos que os americanos estão prontos para a nossa loja

Modo de preparo

livre de embalagens e resíduos e para um modelo de supermercado

Ferva o leite e reserve três copos.

sustentável”, diz um entusiasmado

No leite restante, ainda quente, acrescente o vinagre e deixe talhar. Depois de um tempo o leite vai se transformar em uma ricota; ela deve ser peneirada e lavada, caso queira que o sabor do requeijão seja suave (não muito ácido).

Christian Lane.

Coloque no liquidificador a ricota, a manteiga e o leite reservado. Bata até obter uma mistura homogênea e cremosa. Quanto mais tempo bater, mais cremoso o requeijão irá ficar.

gente já colocando em prática

Um mercadinho de bairro como esses dois é o sonho também de consumidores brasileiros preocupados em diminuir a quantidade de embalagens e o volume do lixo doméstico. E tem estratégias nesse sentido. Um exemplo é o coletivo Casa da Videira, em Curitiba, que reúne famílias que fazem as compras em conjunto.

Damos preferência para produtos vendidos a granel e, quando não há essa alternativa, compramos em embalagens grandes e dividimos para reduzir o consumo de plástico,

38 Revista Herbarium|Janeiro 2012

Essa é uma prática que chamamos de preciclagem. É a redução do consumo, um passo antes da reciclagem, diz Eduardo. Quando há um produto que as famílias gostam muito, mas só é vendido em pequenas embalagens descartáveis, o grupo curitibano busca alternativas caseiras. “Isso aconteceu com o requeijão cremoso. Deixamos de comprar porque a maioria das marcas adotou as embalagens plásticas. Mas aí conseguimos uma receita para fazer o requeijão em casa”, conta Eduardo (veja a receita do requeijão de

Eduardo ao lado). O grupo também produz outros alimentos, além de plantar hortaliças e criar galinhas – algo raro até em muitas cidades do interior. “As casas hoje são centros de consumo e não de produção, como era no tempo de nossos avós”, lamenta Eduardo. Mas os velhos hábitos, aos poucos, estão voltando. Só faltam os antigos armazéns de secos e molhados ressurgirem para atender a demanda.


Janeiro/2012

Produzido a partir do óleo das sementes do Carthamus tinctorius, Biocártamo contém ácidos graxos monoinsaturados e poli-insaturados tais como o ácido linoleico (ômega 6) e ácido oleico (ômega 9). À venda nas melhores farmácias, drogarias e lojas de suplementos.

Central de Relacionamento Herbarium: 0800 723 8383 • www.herbarium.net O Ministério da Saúde adverte: não existem evidências científicas comprovadas de que este alimento previna, trate ou cure doenças. NÃO CONTÉM GLÚTEN. MS: 4.8697.0095.


Um outro

Estilo de vida Já ouviu falar da permacultura? Trata-se de um método que visa garantir água, energia e comida para toda a humanidade – sem sacrificar o planeta Raquel Marçal, de Curitiba

Ir ao supermercado com a sacola de pano

Brasil –, dá para fazer muito mais. Criada nos

a tiracolo é super válido. Aproveitar a água

anos 1970 pelos australianos Bill Mollison e

da máquina de lavar para jogar no quintal?

David Holmgren, a permacultura (do inglês

Ótimo. Ficar menos tempo no banho é, sim,

permanent culture) nasceu como um método

prova de consciência. Claro que qualquer um

para planejar o uso de uma propriedade

desses gestos de boa vontade para poupar os recursos do planeta são bem-vindos, mas, segundo os adeptos da permacultura – um movimento que começa a ficar conhecido no 40 Revista Herbarium|Janeiro 2012

familiar de modo a conquistar a autossuficiência energética, alimentar e de água. A ideia é reduzir ao mínimo possível nossa


“pegada” ambiental. Por exemplo: ter

de que forma, afinal, é possível resolver

uma bela horta em casa, criar um par de

esse dilema ambiental de nossos tempos.

galinhas e fabricar o próprio sabão com

Todo ano, a propriedade serve de

óleo de cozinha reciclado são atitudes

laboratório para o Curso de Design em

que diminuem o impacto ambiental de

Permacultura (PDC, na sigla em inglês),

sua lista de compras. Já captar a água

uma imersão de nove dias comandada

da chuva para usar na casa toda –

pelo biólogo argentino radicado no Brasil

inclusive para beber – reduziria pra valer

Jorge Roberto Timmerman e pela mulher

o risco desse recurso faltar um dia. E, se

dele, a educadora Suzana Maringoni.

mais gente instalasse placas solares no

Ambos são permacultores há dez anos.

telhado para aquecer a água do chuveiro,

No programa teórico, o casal ensina os

talvez não fosse necessário construir

princípios da permacultura e conceitos

novas hidrelétricas.

para “desenhar” (isto é, planejar) um sítio,

Desde seu início, a permacultura prega o cuidado com as pessoas e com o planeta – dois de seus princípios fundamentais –, chamando a atenção para a necessidade de preservar o solo e as florestas, evitar o uso de agrotóxicos, diminuir o consumo, a produção de lixo e o desperdício. Mas, em tempos de “verdades inconvenientes”, a prática

fazenda, casa ou bairro inteiro segundo variáveis como clima, posição do sol, direção dos ventos e recursos naturais disponíveis. Nas aulas práticas, entram

POR ONDE

COMEÇAR

em cena técnicas para montar hortas orgânicas, fazer compostagem, construir casas com barro e tratar o esgoto com um círculo de bananeiras. Os cursos, que acontecem por

Na internet: • permacultureprinciples.com/pt

Nos livros:

deixou de ser vista como coisa de

todo o Brasil, são abertos a qualquer

ecologista ou de hippie e virou alternativa

interessado, mas são apenas um ponto

para qualquer cidadão em busca de um

de partida. “Ninguém sai de um PDC

de Rosemary Morrow (Editora

estilo de vida mais sustentável.

sendo permacultor”, disse Timmerman à

Mais Calango)

turma que se reuniu na chácara de Karen

Com a permacultura, o que queremos é resolver o problema das nossas necessidades básicas sem acabar com o planeta, diz a engenheira agrônoma e permacultora Karen Sprenger, que vive em uma chácara em Campo Largo, na Região Metropolitana de Curitiba. Na chácara de sete hectares, Karen

em 2011. É preciso, para isso, colocar a mão na massa. Entre os dez aspirantes

Permacultura Passo-a-passo,

O design básico em permacultura, de Ross Mars.

a permacultores do curso ministrado na chácara, não havia um único morador de comunidade alternativa ou ativista do Greenpeace. Eram funcionários públicos, autônomos, uma estudante,

Cursos de Design em Permacultura (PDC): • permear.org.br

um iogue e a jornalista aqui. Com

• permacultura-bahia.org.br

exceção da estudante, os demais são

• permacultura.org.br

moradores de cidades – incluindo duas capitais: São Paulo e Curitiba. E dá para ser permacultor numa metrópole? “A

não apenas produz parte dos alimentos

permacultura pode ser praticada numa

da família (leite e derivados, ovos e

fazenda ou numa quitinete”, diz Karen.

hortaliças) como também costuma

Afinal, pelo menos um canteirinho de

receber gente interessada em aprender

temperos dá pra ter.

41 Revista Herbarium | Janeiro 2012


AUTOMÓVEIS | Direção mais verde Para poupar o planeta, o ideal seria

dicas que permitem ter uma atitude

que todo mundo fizesse um esforço

ambientalmente correta mesmo se

e deixasse o carro na garagem,

você não puder abrir mão do carro.

privilegiando formas alternativas

O site britânico The Ecologist (www.

de locomoção: transporte público,

theecologist.org) elencou sete atitudes

bicicleta, andar a pé. Só que isso

para ajudar os motoristas a dirigirem

nem sempre é possível. Mas existem

de forma mais sustentável.

1 Acelere suavemente: dirigindo de maneira menos agressiva e com menor aceleração, você vai economizar dinheiro e reduzir a quantidade de combustível gasto, o que ajuda o planeta. 2 Atenha-se ao limite de velocidade: é claro que por obrigação você já deve respeitar os limites de velocidade definidos por lei. E fazendo isso você estará reduzindo suas emissões de gás carbônico também. O Energy Saving Trust estima que, viajando a 130 quilômetros por hora, você usa 25 por cento mais combustível do que a 110 quilômetros por hora. 3 Não é preciso esquentar o carro: algum tempo atrás, era comum ver as pessoas deixarem seus veículos com o motor ligado por um tempo antes de arrancar. Mas os carros novos não precisam disso. Deixar os carros esquentando não leva a nada e só gasta combustível. 4 Não deixe o ar-condicionado ligado o tempo todo: se não estiver muito frio, ou quente demais, não ligue o ar condicionado. Ele usa uma grande quantidade de combustível. 5 Remova as racks de teto: tudo o que piora a aerodinâmica de um carro faz com que ele gaste mais combustível. Instrumentos como bagageiros externos, racks de bicicletas e barras de proteção frontal devem ser dispensados. 6 Reduza o peso do seu carro: não estamos sugerindo que você arranque os bancos do veículo. É só tirar lá de dentro coisas que você não usa sempre. Por exemplo, se só joga golfe uma vez por semana, não precisa deixar os tacos no carro a semana inteira. 7 Verifique a pressão dos pneus: quando não estão bem calibrados eles podem gerar um enorme impacto na quantidade de gasolina ou diesel que você usa. Mantenha a calibragem ideal em dia.

42 Revista Herbarium|Janeiro 2012


O verão está com t�do, intensificar os cuidados com a pele, garante um bronzeado mais saudável.

Além do protetor solar diário, alg�ns alimentos podem

r ajudar a preparar a pele, cabelo e unhas para enfrenta

ag�essões nat�rais, tais como o sol, o vento, a praia e a piscina.

Para conhecer a linha completa dos Produtos Herbarium, acesse o site. www.herbarium.net • Central de Relacionamento Herbarium 0800 723 8383 BETABRONZE - Suplemento de vitamina A à base de Betacaroteno - 30 cápsulas. O betacaroteno é o precursor da formação da vitamina A e a sua grande vantagem é poder ser armazenado facilmente em nosso organismo. MS: 4.8697.0026. NÃO CONTÉM GLÚTEN. Gestantes, nutrizes e crianças até 3 (três) anos, somente devem consumir este produto sob orientação de nutricionista ou médico. COLAGENAN - Gelatina pura - 45 cápsulas. Colagenan é constituído de gelatina pura, portanto é um produto com alto percentual de proteínas que fornece ampla variedade de aminoácidos. MS: 4.8697.0024. NÃO CONTÉM GLÚTEN. O Ministério da Saúde adverte: não existem evidências científicas comprovadas de que este alimento previna, trate ou cure doenças. Janeiro/2012.


LAZER: ÓCIO CRIATIVO

Jardim

Imperial

Fundado pelo rei D. João VI, o Jardim Botânico do Rio de Janeiro guarda mais de 9.000 espécies vegetais, entre elas uma respeitável coleção de plantas medicinais Renato Lemos, do Rio de Janeiro

44 Revista Herbarium|Janeiro 2012


Não dá pra ignorar. Quem chega ao Jardim

mares, escapou ileso de

Botânico pela entrada principal, topa logo

um naufrágio, foi preso por

com uma alameda comprida e espetacular,

soldados franceses, fugiu da

ladeada por palmeiras imperiais dos dois

prisão, comeu o pão que o

lados. É como uma saudação. São mais ou

diabo amassou, sobreviveu

menos 200 árvores, algumas delas com 50

a isso tudo e passou a se

metros de altura, o equivalente a um prédio

dedicar a um comércio mais

de 15 andares. As árvores não estão ali

ou menos clandestino. Entre

por acaso: as palmeiras foram os primeiros

outras cositas trazidas em

exemplares do jardim e, desde sempre, seu

seus baús, estava a palma

maior símbolo. Mas é sempre bom saber que

mater, uma plantinha doada

debaixo das árvores – misturadas ao chão de

ao imperador. Era um presente

terra, às orquídeas, às bromélias, às jaqueiras

raro com um nome científico

O Pescador, monumento do Jardim Botânico

carregadas, aos micos e esquilos, às centenas

complicado à beça: Roystonea oleracea.

Foto: Lourdes de Fátima

de visitantes a cada fim de semana – o Jardim

Por isso mesmo, quando floresceu pela

Botânico guarda também muitas histórias.

primeira vez, em 1829, o povo já a chamava

Histórias que tiveram início quando, em 1808, a

simplesmente de palmeira imperial. Ficou.

corte portuguesa, apavorada com o anunciado ataque de Napoleão Bonaparte a Lisboa, se mandou de mala e cuia para o Brasil.

A ideia, a princípio, era manter a palma mater como filha única. Suas sementes eram sistematicamente destruídas para que não

O Jardim Botânico do Rio de Janeiro foi criado em 3 de outubro de 1808, logo depois da chegada de D. João VI ao país.

florescessem em outro lugar, mas alguns

O lugar escolhido (que funcionaria como estufa

do Jardim Botânico até 1979, quando foi

para as valiosas especiarias orientais) revelava

ao chão, atingida por um raio – mas, na

as contradições entre a visão idílica do paraíso

ocasião, já estava cercada de milhares de

tropical e os tremores de uma guerra que

outras árvores. O Jardim Botânico foi aberto

ainda não tinha ficado totalmente para trás:

ao público em 1822 e está espalhado por

nas cercanias havia uma fábrica de pólvora

137 hectares. A casa principal, datada de

(que até hoje está por lá, aberta à visitação),

1576, é a mais antiga da Zona Sul do Rio de

na beira da Lagoa Rodrigo de Freitas.

Janeiro. Não é só. Andar por suas alamedas

Diziam também – nas bodegas, legítimas

– mais que um programa de fim de semana

antecedentes dos botequins cariocas – que

– é como estar num museu a céu aberto e

o lugar foi escolhido por ser longe de tudo,

sentir que a comunhão entre homem e

perfeito para que Dom João VI se dedicasse

natureza pode dar muito certo.

à fina arte de comer coxinhas de frango (que levava guardadas no bolso) sem ser importunado pelos paparazzi daquele tempo. A primeira planta cravada no lugar foi trazida

Penne Guimarães

escravos driblaram as ordens e conseguiram vendê-las, o que gerou o aparecimento de palmeiras do mesmo tipo em várias partes da cidade. A matriz, porém, reinou no centro

São 9.000 espécimes de vegetais trazidas de toda parte do mundo. Quem entra pela alameda principal pode ser recepcionado

clandestinamente das Ilhas Maurício por Luiz

por micos-estrelas que circulam

de Abreu Vieira e Silva, um capitão de fragata

livremente pelo lugar. Os

daqueles que parecem saídos dos livros

animais – originários do

de aventura. Vieira e Silva viajou pelos sete

nordeste brasileiro, mas que,

Chafariz Iluminado Foto: Daniel Behr


entre os ipês roxos e as pitangueiras

manhã ou conversava com os

do lugar, se sentem em casa – foram

pássaros. “Passarim” possivelmente

trazidos para a Floresta da Tijuca, a

foi composta após uma dessas

imensa área verde que cerca o jardim

conversas. A paixão de Tom Jobim

e vai até os pés do Cristo Redentor.

pelo Jardim Botânico também está

São numerosos e populares, os

impressa nas páginas de “Meu

micos. Rivalizam em fama com os

Querido Jardim Botânico” (Jobim

exemplares de pau-brasil, pau mulato

Music, 2005), livro feito em parceria

e com as vitórias-régias. E – para

com o fotógrafo ZeKa Araújo.

os românticos, especialmente – com os caramanchões. “Venho para ler e pensar, mas quando chego aqui, a única coisa que eu penso é como isso tudo é lindo”, deslumbra-se a psicóloga mineira Mariana Lyra, 26 anos, sentada sob um caramanchão de uns trinta metros de comprimento, coberto de buganvílias vermelhas. “Se tem um lugar onde a gente sente paz é esse aqui”, completa. É mais ou menos essa razão – a tal busca pela paz – que faz com que 600 mil pessoas (metade delas, cariocas) visitem o jardim a cada ano. É gente de todo tipo – ainda que a instituição proíba corrida, instrumentos musicais e piqueniques. São famosos, como o matemático Albert Einstein ou a Rainha Elizabeth, da Inglaterra. Anônimos. Namorados. Artistas, noivas em fotos de casamento,

Orquidáreo - Foto: Daniel Behr

De transcedental meditação Quantas vezes experimentei o pé Na areia grossa de suas quietas alamedas De manhãzinha, cedo, o tempo enfarruscado Manhã inteira, ao longo dos riachos Ainda que não abra mão de sua vocação turística, o Jardim Botânico é um lugar de pesquisa. “Nosso foco prioritário é a pesquisa, é nossa atribuição básica. Mas temos que conciliar as vocações do jardim, que também deve ser um espaço de meditação e lazer da população”,

debutantes, fotógrafos, turistas

explica o diretor de Ambiente e

de todos os cantos do mundo,

Tecnologia do JB, Guido Gelli. O

aposentados, crianças, estudiosos e

orquidário é um exemplo de como se

músicos. Como Tom Jobim.

pode conciliar as vocações do lugar.

Tom – que dá nome ao belo teatro

O orquidário está instalado em uma

inaugurado em 2009 no interior do

enorme estufa e é o destino certo

Jardim – era um apaixonado pelo

de boa parte dos turistas, que se

lugar, que sempre funcionou como

encantam com o festival de cores e

uma extensão da casa onde morava,

formatos das flores. É comum ver

no mesmo bairro. Era ali

46 Revista Herbarium|Janeiro 2012

Meu querido Jardim Botânico

estudantes de artes, papel e lápis,

que marcava entrevistas,

tentando reproduzir os desenhos que

chamava os amigos

a natureza caprichosamente traçou

para conversar, fumava

em cada exemplar. Mas, quando é

seu charuto, caminhava de

para apontar seu cantinho especial


do Jardim, Guido Gelli se volta para a mistura entre arte e natureza e aponta o Pavilhão do

UM CANTEIRO MUITO ESPECIAL

Mestre Valentim.

Numa época em que as

O espaço foi criado em 1980

Nós temos as primeiras esculturas de ferro fundido do país, as Aves Penaltas e as estátuas de Eco e Narciso. Isso tudo cercado pelas plantas e tudo mais,

drogarias cada vez mais

e, desde então, vive tomado

tomam o lugar das quitandas

por excursões de estudantes

de esquina, visitar a Coleção

e passeios de curiosos em

Temática de Plantas Medicinais

busca de informações que vão

do Jardim Botânico,

muito além do que está escrito

patrocinada pelo Herbarium,

nas bulas dos remédios. Ali,

explica Guido. É ali, exatamente no tudo

faz qualquer um se sentir

é possível ver a planta, sentir

em um shopping center de

o cheiro e entender como

produtos naturais. À primeira

são feitos os testes sobre o

mais, que está o charme do Jardim Botânico. Nos rios que correm paralelos às suas alamedas. Nas casas tombadas pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Nas plantas – alguns arbustos aparentemente sem valor – com mais de 150 anos. Nos

vista, é mais ou menos como o quintal da casa da avó: uma casa de paredes abertas

micos engraçados. Nos macacos pregos que

e canteiros espalhados em

entram para comer frutas no pé. No vai e vem

torno, cada um deles com uma

dos turistas. No ventinho bom. Na imponência

plaquetinha identificando o

das palmeiras imperiais que tomam conta da

que está plantado. E o que

paisagem. Um programão.

está lá dentro é uma mistura formidável de

Espaço Coleção Temática de Plantas Medicinais. Fotos: Jaqueline Machado

uso terapêutico de cada uma. De quebra, aprende-se que mesmo aquelas que a gente só imaginava servidas como salada ou emprestando seu perfume para a indústria dos cosméticos têm outras mil e uma utilidades. O Patchuli, por exemplo, é,

investigação científica,

desde os tempos de paz e

beleza natural e

amor, associado à indústria dos

sabedoria popular.

perfumes. Ali, aprende-se que

O interior da casa, que é parte da construção que abrigava a antiga fábrica de pólvora,

as folhas achatadas daquela plantinha magrela servem como sedativo e tranquilizante. Do mesmo jeito, a raiz da curiosa Paratudo serve como

mostra o caminho

estimulante de atividades físicas

percorrido pela

e mentais. Mesmo a popular

planta, desde sua

batata-doce é mostrada como

descoberta até sua utilização

um santo remédio para feridas

final, passando por toda a

na boca e na garganta. Uma

investigação científica quanto

simples aplicação no local do

às propriedades químicas de

ferimento e – é impossível fugir

cada espécime.

do trocadilho – é batata!

SERVIÇO ENDEREÇO: Rua Jardim Botânico, 1008 – Rio de Janeiro. INFORMAÇÕES: (21)3874-1808 (Centro de Visitantes); www.jbrj.gov.br. 47 Revista Herbarium | Janeiro 2012


Minutos Um estudo publicado na revista científica The Lancet cronometrou: esse é o tempo que você precisa se exercitar todos os dias para viver mais e melhor Adriana Del Ré, de São Paulo

Quanto tempo de atividade física por dia

incluindo homens e mulheres, acompanhados

é necessário para ter corpo e mente sãos?

ao longo de 13 anos, entre 1996 e 2008. O

Precisa ficar horas enfurnado numa academia?

objetivo era verificar se a prática de exercícios

A resposta é não. Pelo menos segundo

por período menor do que 150 minutos por

um estudo, feito no Instituto Nacional de

semana – o recomendado pelos médicos –

Pesquisa da Saúde de Taiwan – e publicado

ainda poderia trazer benefícios à saúde. Para

na prestigiada revista científica The Lancet –,

tanto, os participantes foram divididos em

15 minutos diários de exercícios moderados,

cinco categorias, de acordo com o nível de

como uma caminhada mais intensa, já são

exercícios praticados: inativos ou de atividade

suficientes para diminuir o risco de morte em 14% e aumentar a expectativa de vida em três anos. Não é preciso muito suor se a intenção for apenas manter a saúde.

baixa, média, alta ou muito alta. A turma que se mexeu só um pouquinho teve de fazer 15 minutos de exercício por dia. E só esse quarto de hora bastou para que, em relação aos

O estudo foi robusto: contou com uma

sedentários, o grupo registrasse um risco de

amostragem de mais de 400 mil pessoas,

mortalidade por qualquer causa 14% menor.

48 Revista Herbarium|Janeiro 2012


Os cientistas descobriram também que a cada adicional de 15 minutos diários – além da quantidade mínima de 15 minutos por dia – o risco de morte diminuía ainda mais (em 4%). Ou seja, prolongar a atividade para meia hora por dia resulta em um risco de morte 19% menor em relação a uma pessoa inativa. E isso independentemente de idade, sexo ou predisposição a doenças cardíacas. Já os

exercício. De qualquer forma, Santos ressalta a importância de sair da estaca zero.

O indivíduo sedentário tem uma adaptação muito rápida a qualquer atividade física. Isso, claro, depende de cada um, mas, de maneira geral, ele vê aumento de força em duas ou três semanas,

participantes que não praticaram nenhuma atividade tiveram 17% a mais de risco de

afirma o professor, que é co-autor do livro

mortalidade, comparados ao pessoal do grupo

Cardiologia do Exercício (Editora Manole).

de baixa atividade. O professor de educação física Marcelo Rodrigues dos Santos, especializado em fisiologia do exercício, considera a pesquisa tawainesa importante, mas chama a atenção para o fato de ela não ter especificado mais detalhadamente quais os benefícios trazidos por esses 15 minutos diários. Santos cita outra pesquisa, esta conduzida por seu grupo de estudos no Instituto do Coração, em São

Para Paulo Roberto Correia, do Departamento de Fisiologia do Exercício da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), quem começa com o tempo proposto pela pesquisa, gradativamente, estende a duração do treino.

Faça esses 15 minutos e logo seu corpo vai pedir mais e serão 30 minutos,

Paulo, em 2002. Nesse estudo constatou-se

garante o fisiologista. Segundo Correia,

que, em uma única sessão de bicicleta, por

com uma semana de atividade, como uma

45 minutos, em baixa intensidade, indivíduos

caminhada, o ex-sedentário já percebe

hipertensos, com idade média de 68 anos

melhoras na parte circulatória, além de

e que não usavam medicamentos, tiveram

sentir mais disposição. E aí, já fez seus 15

redução na pressão em até 22 horas após o

minutos hoje?

SÓ PARA MULHERES Nos anos 1990, apareceram os primeiros

academia todos os dias vê os resultados mais

estudos exibindo os benefícios da atividade

depressa: entre 45 dias e três meses. Por lá,

física moderada e curta. Meia hora por

70% da alunas buscam perder peso.

dia já dá resultado, diziam os cientistas. Foi aí que nasceram as redes de academia com circuitos expressos de 30 minutos – e

Já na Curves, rede com mais de 200 unidades no país, o treino dura 30 minutos, tempo

voltadas, sobretudo, para o público feminino.

suficiente para colher benefícios. “Além

“As pessoas não têm tempo de ficar dentro

da perda de peso, há ganho muscular,

de uma academia”, constata Regina Bento

melhora na parte circulatória, aumento de

Oliveira, coordenadora técnica da Contours

disposição...”, enumera Carolina Baghin,

Campo Belo, em São Paulo. Segundo Regina,

proprietária da Curves Casa Verde,

quem faz o circuito de 45 minutos da

também em São Paulo. 49 Revista Herbarium | Janeiro 2012


ESPETÁCULO | Uma terra chamada Varekai De repente, a calmaria de uma misteriosa floresta, povoada por criaturas fantásticas, é afetada pela chegada de um estranho. Com suas asas de cera derretidas pelo sol, Ícaro cai do céu nessa terra chamada Varekai. Mas tranquilize-se: o jovem não morre, como na mitologia grega, afinal, ele é a atração principal do novo espetáculo do Cirque du Soleil, que está excursionando pelo Brasil. O grupo já passou por São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Depois, segue para Brasília (23/2), Recife (30/3), Salvador (3/5), Curitiba (8/6) e Porto Alegre (12/7).

Modelo de circo moderno, o espetáculo da companhia canadense se apropria de ingredientes do circo tradicional. Vemos lá uma releitura atualizada do mágico, do palhaço e dos trapezistas. Mas, apesar de essas figuras serem diversão garantida, o público empolga-se mesmo quando os artistas exibem toda sua habilidade físico-acrobática acumulada em cerca de cinco horas diárias de treinamento. Há números no ar e no solo, muita movimentação cênica e trilha sonora executada ao vivo. O preço dos ingressos varia de R$ 140 a R$ 395.

LIVRO | Poeta punk Mais conhecida como cantora, compositora e ícone do punk rock, a americana Patti Smith, hoje com 64 anos, é também uma poetisa de mão cheia. Prova disso está nas 254 páginas bem escritas (e, por aqui, bem traduzidas) de seu premiado livro Só Garotos (Companhia das Letras; R$ 39), em que narra, de forma emocionante, sua relação com o fotógrafo Robert Mapplethorpe, antes de ambos conhecerem a fama. Munida de memórias afetivas, Patti faz o recorte de uma fase determinante de sua vida, em que amadureceu como mulher e construiu sua identidade como artista, tendo como cenário a Nova York dos anos 60 e 70. Nesse processo, Mapplethorpe foi seu grande companheiro nos bons e maus momentos. E é a Mapplethorpe, morto em consequência da Aids em 1989, que ela dedica sua obra, que deve virar também filme. 50 Revista Herbarium|Janeiro 2012

DVD | Adorável mau humor Dr. Gregory House já é uma figura icônica da televisão. Graças, sobretudo, ao roteiro bem amarrado da série que protagoniza e ao talento do ator inglês Hugh Laurie. Na 7ª temporada de House, que acaba de ser lançada em DVD, pela Universal Pictures (R$ 129,90 o box com 6 DVDs), ele encara novas reviravoltas. O médico mal humorado terminou a temporada anterior cedendo ao amor da Dra. Lisa Cuddy (Lisa Edelstein), sua chefe no hospital, com quem vivia, até então, um relacionamento mal resolvido. Mas Dr. House é um homem, digamos, de grosso trato. E essa nova relação faz com que ele entre num processo de auto-questionamento. Será que Dr. House vai virar um ser sociável? E mais: será que os fãs do seriado querem isso?


LINHA BIOSLIM A linha bioslim oferece produtos especialmente desenvolvidos para auxiliar no controle do peso e no processo de reeducação alimentar. Além da preocupação estética, manter o peso saudável traz muitos benefícios à saúde. Vários estudos e pesquisas já foram realizados sobre excesso de peso e suas consequências, fundamentando o desenvolvimento de produtos voltados para as necessidades dos consumidores preocupados com o bem-estar, a beleza e, principalmente, com a saúde. Bioslim é referência em programas de emagrecimento no Brasil. Destaca-se pela variedade, qualidade e inovação dos seus produtos, seguindo os desejos dos consumidores e as

Atendimento Nutricional 0800 723 8383 • www.linhabioslim.com.br

Refeição Salgada sabor Carne & Legumes com Croutons e Bioslim Shake Diet sabor Chocolate*: Dispensados da obrigatoriedade de registro conforme RDC 27/10. CONTÊM GLÚTEN. BIOSLIM REFEIÇÃO SALGADA E BIOSLIM SHAKE DIET SABOR CHOCOLATE CONTÊM MUITO SÓDIO E AÇÚCAR, E SE CONSUMIDOS EM GRANDE QUANTIDADE AUMENTAM O RISCO DE OBESIDADE E DE DOENÇAS DO CORAÇÃO. *Estes produtos não devem ser usados na gestação, amamentação e por lactentes, crianças, adolescentes e idosos, exceto sob indicação de médico ou nutricionista. Bioslim Chá Verde & Branco: Dispensado da obrigatoriedade de registro conforme RDC 27/10.NÃO CONTÉM GLÚTEN. BIOSLIM CHÁ VERDE & BRANCO CONTÉM MUITO SÓDIO E, SE CONSUMIDO EM GRANDE QUANTIDADE, AUMENTA O RISCO DE PRESSÃO ALTA E DE DOENÇAS DO CORAÇÃO. Bioslim Quitosana M.S.: 4.8697.0063. Pessoas alérgicas a peixes e crustáceos devem evitar o consumo deste produto. NÃO CONTÉM GLÚTEN.

Janeiro/2012

tendências em nutrição.


LEIA A REVISTA HERBARIUM TAMBÉM NA INTERNET

Acesse www.revistaherbarium.com.br e saiba mais sobre saúde, fitomedicina, nutrição e qualidade de vida. A equipe da Revista Herbarium preparou muitas novidades. Acesse a Revista Herbarium e compartilhe também o conteúdo pelo Facebook e pelo Twitter. Curta nossa página no Facebook (@revistaherbarium) e acesse matérias exclusivas e conheça muito mais sobre o Herbarium.

www.revistaherbarium.com.br


Revista Herbarium Edição 5  

Revista Herbarium

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you