Page 1

Revista Herbarium W W W. H E R B A R I U M . N E T • P E R I Ó D I C O | A N O I | A G O S T O 2 0 1 0 | N Ú M E R O 0 1

FITOTERAPIA

A vez dos fitoterápicos


Herbarium 25 anos a inovação como princípio ativo Neste ano, o Herbarium, maior e mais respeitada indústria de fitoterápicos do Brasil, comemora 25 anos. Contrariando a ação do tempo, a empresa está com um rosto mais jovem do que nunca: ganhou uma nova logomarca, novas embalagens, mais modernas, inspiradas em valores como o rigor científico, o respeito pela natureza e a busca constante pela inovação. Ao mesmo tempo em que valoriza a tradição, respeitando e preservando o conceito clássico de fitoterapia e a experiência acumulada em mais de duas décadas, o Herbarium investe em novas pesquisas e tecnologias. Como empresa inovadora, o Herbarium trouxe para o Brasil as principais tendências mundiais em fitoterápicos e mantém uma busca constante por novos produtos originados da flora brasileira.


O Herbarium é a indústria farmacêutica que possui a maior linha de fitomedicamentos do Brasil e também o maior número de fitoterápicos registrados na Anvisa. Um dos principais diferenciais dos produtos da marca é o rígido controle de qualidade pelo qual são submetidas as matérias-primas e a produção de cada medicamento. Herbarium, 25 anos. Inovação como princípio ativo.


EDITORIAL

“Estamos vivendo um momento no qual cada vez mais pessoas buscam uma vida mais natural. Mas, afinal, o que é viver de forma natural”? Marcelo Geraldi Presidente do Herbarium

Na minha visão, viver de forma natural é

E foi para se relacionar com esse

empresa sempre em renovação, mas

buscar o equilíbrio em todos os aspectos

consumidor mais exigente e esclarecido

que mantém intacta suas raízes. As

da nossa vida. No âmbito externo, por

que, em 1997, surgiu o Jornal Herbarium

novas embalagens, que visam dar

exemplo, o respeito ao meio-ambiente

Saúde. Desde então, temos procurado

ainda mais visibilidade no ponto de

e a busca de uma sociedade mais

entender as necessidades desse

venda para que o nosso consumidor

justa e ética. Mas, principalmente,

consumidor e contribuir para aumentar

saiba sempre diferenciar um produto

o equilíbrio da nossa fisiologia e o

o seu conhecimento em relação aos

original Herbarium. E ainda o nosso

respeito à individualidade do nosso

produtos para a saúde de origem natural

site, totalmente remodelado, para o

próprio organismo é o que realmente

e tudo que envolve esse universo. Com

qual convidamos você para uma visita.

determina uma vida mais natural e,

o tempo e a grande aceitação por parte

Entre e fique à vontade. Pessoalmente

consequentemente, uma saúde perfeita.

dos seus leitores, o informativo cresceu.

sinto-me extremamente realizado em

E agora, temos o prazer de apresentar

fazer parte de um time de profissionais

a primeira edição da Revista Herbarium.

como o do Herbarium, que ama aquilo

Com um novo formato, trazendo matérias

que faz. E por isso faz com muito amor. E

mais aprofundadas e sempre abordando

assim como eu, tem uma crença fiel aos

assuntos ligados à saúde e bem-estar de

benefícios de viver uma vida mais natural.

forma natural, a Revista Herbarium cresce

Pessoalmente, acredito e busco um

mas não perde a sua essência.

estilo de vida em que o respeito à minha

No Herbarium, acreditamos que é possível viver de forma mais natural. Por isso, assinamos hoje a linha mais completa do mercado de produtos para a saúde de origem natural. Justamente para que você possa escolher aqueles produtos que ajudem a trazer equilíbrio à sua fisiologia, que é única. Com cerca

E no momento histórico em que

própria natureza é tão importante quanto o respeito à natureza do nosso planeta.

de 100 produtos entre fitomedicamentos,

completa 25 anos, o Herbarium,

fitoterápicos tradicionais e suplementos

indústria líder e pioneira na produção de

para as mais variadas necessidades

fitoterápicos e suplementos nutricionais

nutricionais e de saúde, o Herbarium tem

no Brasil, apresenta muitas outras

uma missão: estar presente no dia a dia

novidades: a sua nova logomarca busca

daqueles que buscam o bem-estar de

traduzir o equilíbrio entre o tradicional

Um abraço e vida longa a todos!

forma natural e orgânica.

e o atual. Ou seja, a essência de uma

Marcelo

E valorizo tudo aquilo que é essencial e original. As boas coisas da vida são únicas, assim como os bons momentos. Que passam, mas duram para sempre.

EXPEDIENTE REVISTA HERBARIUM Direção Editorial: Andréa Barbieri e Célia Regina Dias von Linsingen. Conselho Editorial: Adriana Henemann, Andréa Barbieri, Célia Regina Dias von Linsingen, Karina Onishi e Rodrigo Dias. Projeto Gráfico: Karina Onishi e Rodrigo Dias. Diagramação: Karina Onishi. Produção Editorial - Projeto Editorial e Produção de Conteúdo: Tercetto Editorial. www.tercettoeditorial.com.br. Editoras: Liliana Negrello e Raquel Marçal. Colaboraram nesta edição: Aline Gonçalves, Débora Rubin, Márcia Luz e Renato Lemos (reportagem), Renata Chede (fotografia) e Christian Schwartz. (revisão). Jornalista Responsável: Andréa Barbieri MTB: 3720. Impressão: Maxi Gráfica. Tiragem: 70.000 exemplares. A Revista Herbarium é uma publicação do Herbarium Laboratório Botânico Ltda, coordenada pela equipe de Marketing, de distribuição gratuita e dirigida aos seus consumidores. Queremos saber a sua opinião, o seu comentário ou a sua sugestão através do e-mail: revista@herbarium.net, 0800 723 8383 ou para: Av: Santos Dumont, 1111, CEP: 83403 - 500, Colombo - PR. As informações contidas na Revista Herbarium possuem propósito educativo e não têm a intenção de substituir cuidados médicos apropriados, diagnóstico ou prescrição. Ignorar cuidados médicos adequados pode causar danos à saúde. Durante a gestação e lactação, até mesmo os fitoterápicos devem ser utilizados somente com supervisão médica.


ÍNDICE

06 FAÇO, LOGO EXISTO

Guardiã das letras Conheça Kauanna Batista, a universitária curitibana de 18 anos que comanda uma biblioteca comunitária

16

10

NUTRACÊUTICA

FITOTERAPIA

Alimentos de fibra

A vez dos fitoterápicos

A ciência descobriu que as fibras também podem proteger a saúde dos pulmões

As plantas medicinais têm tudo para conquistar seu lugar nas farmácias e nas receitas médicas

22 CLUBE DA TPM

Não, obrigada! Psicóloga canadense afirma que as mulheres só não vão mais longe na carreira porque não querem

34

28

LAZER

SER SUSTENTÁVEL

“I Love Santa Terrressa!” O bairro carioca com jeito de interior atrai turistas estrangeiros em busca de um outro Rio

Feitos para durar Na contramão dos artigos descartáveis, a indústria começa a fabricar produtos que podem ser usados por muitos anos


Foto: Renata Chede

FAÇO, LOGO EXISTO: GENTE QUE NÃO ESPERA ACONTECER

Guardiã das letras Aos 18 anos, Kauanna Batista comanda uma biblioteca montada com livros jogados no lixo e é prova viva de que vontade e iniciativa podem mudar qualquer realidade Aline Gonçalves, de Curitiba

Existem pessoas que parecem feitas de

primeira biblioteca comunitária da região,

uma matéria diferente. Na superfície, são de

cujo acervo é quase totalmente formado

carne e osso, como todo mundo, mas por

de livros tirados do lixo. O pequeno

dentro têm uma força transformadora que

espaço, que fica em uma das ruas mais

não se curva diante da realidade. Kauanna

movimentadas do local, abriga quase cinco

Batista, 18 anos, moradora do bairro

mil obras. Grande parte delas foi doada

de baixa renda Vila Torres, em Curitiba, certamente é feita dessa matéria misteriosa. Há quase um ano, a menina magrinha e morena de sorriso cativante comanda a 6 Revista Herbarium| Agosto 2010

ou vendida por catadores de materiais recicláveis que vivem na Vila, um local violento, onde pouca gente consegue prosperar.


Kauanna era ainda menor de idade

desenharem e lerem no espaço que

quando tomou a frente do projeto que

estava sendo criado. É isso que ela faz

leva os livros do lixo às estantes. A

há quase um ano: reúne a meninada para

biblioteca havia surgido do esforço de

atividades de reforço escolar, leitura e

um grupo de pessoas que se reuniu para

pintura, jogos e brincadeiras. O objetivo

organizar o primeiro Dia da Cultura Vila

é manter as crianças ocupadas com

Torres, em junho do ano passado. Entre

atividades educativas e artísticas, além

os empreendedores entusiasmados

de formar leitores.

estavam Carlos Roberto Teles, conhecido como o palhaço Chameguinho, a comunicadora Silvana Rausis Scachenco, coordenadora de projetos da Fundação de Ensino Técnico e Industrial (Fundacem), e Claudio dos Santos, que representava a associação Vila de Ofícios I. Kauanna foi convidada a integrar o grupo porque já mantinha um programa de rádio on-line – o Rádio Escola – que trazia, além de músicas, notícias sobre política, educação, lazer e mídia. Os primeiros livros da biblioteca foram comprados dos catadores por José Francisco Sanches, o Baleia. Na região, ele é conhecido como promotor cultural por diversas iniciativas. É dele a casa que abriga a biblioteca. “Ele ia alugar o espaço para o irmão, mas conversamos e eles acharam que a ideia de abrir a biblioteca era melhor”, explica Kauanna.

Como teve mais chances do que a maior parte dos jovens da Vila Torres, Kauanna sabe bem que esse trabalho pode mudar a vida deles. Depois da escola, frequentava aulas de artes, esportes e línguas. “Queríamos estimulála e colocá-la em contato com outras crianças, mas também protegê-la da violência das ruas”, explica a mãe da jovem, Valdime Batista Ferreira, a Val, de 47 anos. “Kauanna foi uma menina tímida, mas que gostava de fazer teatro, balé, tirar fotos, e que procurava meios para se expressar”, completa. A disposição vem de família. A jovem, sua mãe Val e sua avó Sebastiana Batista, de 64 anos, formam uma trinca de mulheres fortes e decididas. A avó, migrante do norte do Paraná, chegou a Curitiba com os filhos e o que encontrou foi apenas um barraco de nove metros

Antes de o espaço ser criado, se

quadrados para morar. Aos sete anos de

alguém da Vila Torres quisesse pegar

idade, Val já trabalhava como doméstica,

um livro emprestado, teria que ir até o

e alguns dos irmãos mais velhos tinham

centro da cidade, onde fica a biblioteca

começado a catar lixo para ajudar a

pública mais próxima. Hoje, cerca de 50

sustentar os meninos mais novos.

pessoas têm ficha de empréstimo e a média de circulação é de 30 obras por mês. As obras mais procuradas são as de literatura infantil, as que figuram nas listas do ensino médio e também os livros de direito, autoajuda e administração. A biblioteca foi inaugurada em 7

A história é semelhante à de muitas pessoas que chegaram à Vila Torres há 40 anos. Mas a visão da avó de Kauanna – que sempre valorizou a educação – transformou o futuro da família. Hoje, praticamente todos os parentes vivem do comércio e têm uma situação financeira

de julho de 2009, mas antes disso

estável. Val conseguiu terminar a

Kauanna passava pelas ruas e chamava

faculdade e mantém uma mercearia, onde

as crianças para escutarem histórias,

trabalha com a ajuda do marido e da filha. 7 Revista Herbarium | Agosto 2010


Mesmo tendo uma situação familiar e

que serviria de exemplo para outros

financeira mais equilibrada que a maioria

adolescentes daqui”, revela Kauanna. A

dos moradores da região, todos os

repercussão da biblioteca comunitária na

parentes da jovem também já sofreram

mídia atraiu a atenção de muita gente. “O

com a violência. O irmão mais velho, de 28

projeto começou a ter reconhecimento,

anos, foi agredido por policiais e acabou no

curiosos vinham visitar e fazer doações”, diz

hospital com duas fraturas graves. “Quero

Kauanna. Os pais dela também entraram

sempre colaborar no desenvolvimento da

para a equipe. “Minha mãe cuida da parte

Vila e das pessoas daqui, mas também

burocrática e meu pai faz a manutenção

penso em me mudar porque não temos

da casa, busca doações e atua como

muita liberdade”, conta Kauanna. Mesmo que o futuro dela não esteja ali, a jovem não perde a vontade de mudar a realidade.

voluntário na parte de educação”. Kauanna está na faculdade, no primeiro ano de relações públicas na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR).

.

De tanto ver coisas erradas a sua volta, ela quis abraçar todas as oportunidades que teve,

Mas já fez curso técnico em administração,

conta José Francisco Sanches, o Baleia.

jogou em um time de futebol, criou um

Para Kauanna, participar do projeto foi uma

blog e recebeu o Prêmio Voluntariado

descoberta pessoal. “Fui percebendo o

Transformador 2009, do Centro de

meu potencial, entendendo o que poderia

Ação Voluntária da capital paranaense.

fazer pela comunidade e, principalmente,

Felizmente, a menina não para.

participou do projeto Pró-Jovem, trabalhou como aprendiz no Banco do Brasil, estudou locução, fez o programa de rádio virtual,

CONVÍVIO COM A VIOLÊNCIA A Vila Torres não é um bairro oficial de Curitiba. É uma região à margem do rio Belém, entre os bairros Prado Velho, Jardim Botânico e Rebouças. O dia a dia dos moradores do local, uma das ocupações mais próximas ao centro de Curitiba e também uma das mais antigas, está imerso na falta de estrutura urbana e na violência. O número de moradores não é oficial, mas segundo as lideranças locais chega a oito mil. São trabalhadores, seus filhos e netos, que convivem com grupos ligados ao tráfico de

drogas e suportam o risco de estar no meio de conflitos, muitas vezes, resolvidos à bala. O que não impede que no local haja muitas iniciativas de cunho social e cultural. São três associações de bairro, mais de dez organizações sociais, igrejas dos mais diferentes credos e uma cooperativa de catadores de papel. Muitos acadêmicos das universidades locais procuram analisar e compreender como grupos com propósitos tão distintos surgem nesse mesmo espaço.

SAIBA MAIS: Para acompanhar as atividades que Kauanna desenvolve, acesse: http://kauannasocial.blogspot.com

8 Revista Herbarium| Agosto 2010


Ação expectorante e broncodilatadora auxiliar no tratamento da tosse XAROPE DE GUACO - 120ml

GUACO EDULITO - 120ml

Mikania glomerata 0,1ml/ml

Mikania glomerata 81,5mg/ml

Possui ação broncodilatadora e expectorante. Produto indicado para o tratamento de tosses persistentes, tosses com expectoração e rouquidão.

Elaborado com o extrato de guaco, atua no tratamento de tosses, dilata os brônquios e facilita a eliminação das secreções respiratórias.

Contraindicações: gravidez, lactação, diabéticos e crianças menores de 2 anos.

Contraindicações: gravidez, lactação e crianças menores de 2 anos.

M.S.: 1.1860.0039.002-9

MS: 1.1860.0078.001-3

www.herbarium.net • 0800 723 8383 GUACO EDULITO E XAROPE DE GUACO HERBARIUM SÃO MEDICAMENTOS. SEUS USOS PODEM TRAZER RISCOS. PROCURE O MÉDICO E O FARMACÊUTICO. LEIA A BULA. ,

9 Revista Herbarium | Agosto 2010


FITOMEDICINA: SAÚDE DE RAIZ

A vez dos

fitoterápicos

Eles foram vistos com desconfiança por décadas, mas agora os medicamentos à base de plantas medicinais têm tudo para conquistar seu lugar nas farmácias – e nas receitas médicas Raquel Marçal, de Curitiba

As plantas medicinais fazem parte

Por que será? “O uso de plantas

da vida brasileira desde muito antes

medicinais na medicina ocidental foi

de Cabral aportar por aqui – afinal,

dilapidado na década de 1940 com

para os índios a farmácia sempre

as descobertas dos medicamentos

esteve ali no quintal da oca. Séculos sintéticos durante a Segunda Guerra

10 Revista Herbarium| Agosto 2010

mais tarde, esse hábito ancestral

Mundial”, explica a farmacêutica

de buscar a cura na horta persiste:

Tânia Fernandes, pesquisadora da

basta ver que todo mundo tem

Casa de Oswaldo Cruz, no Rio de

uma receita caseira tiro-e-queda

Janeiro, e autora do livro Plantas

para aquela gripe, tosse ou dor

Medicinais: memória da ciência no

de estômago. Mas ao comprar

Brasil (Editora Fiocruz, 230 págs.,

um medicamento na farmácia a

R$ 30). “O desenvolvimento da

história muda: poucas vezes a

medicina especializada e altamente

receita médica prescreve cápsulas,

tecnológica ignorou todo um saber

comprimidos, xaropes ou pomadas

que tinha as plantas medicinais e a

feitos de extratos de plantas.

fitoterapia como prática”, afirma.


Mas parece que daqui para frente os tempos serão outros. Uma boa medida são as vendas de fitoterápicos, que crescem 12% ao ano, segundo a Associação Brasileira das Empresas do Setor Fitoterápico, Suplemento Alimentar e de Promoção da Saúde (Abifisa). Em comparação, estima-se que o crescimento anual do mercado de drogas sintéticas seja de 3%. Às voltas com as perdas de patentes de moléculas químicas, até os laboratórios cujo forte são os medicamentos sintéticos já estão se voltando para o mercado promissor da fitoterapia. Outro sinal dos novos tempos foi a aprovação, há quatro anos, da primeira política governamental para o setor, a Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos. Sua elaboração vinha sendo discutida exaustivamente entre indústrias

implantação não é uma tarefa fácil”, avalia Elzo Velani, presidente da Abifisa. Até o aumento das exportações brasileiras, tanto de fitoterápicos quanto de matérias-primas, está previsto na Política. Seria uma virada e tanto, uma vez que hoje 80% dos extratos utilizados pela indústria na fabricação dos medicamentos são importados, sobretudo da Europa, mas também da China.

O Brasil não tem uma infraestrutura adequada de cultivo e processamento das plantas. Se a planta não foi bem cultivada e se o extrato não foi bem preparado, a indústria não pode usá-lo. A saída é importar,

e governo desde meados dos anos 1990,

afirma Anny Trentini, Gerente Técnica do

mas sua execução – que envolve vários

Herbarium Laboratório Botânico. Outro

ministérios, a Embrapa e a Fundação

grande problema é a falta de padronização

Oswaldo Cruz (Fiocruz) – promete ser ainda

da matéria-prima. “Há muitos produtos

mais complexa.

com nomes iguais mas que não são da

Para se ter uma ideia da extensão do desafio, o texto contém 17 diretrizes abrangendo um ciclo que começa no cultivo correto da planta e termina no paciente que fará uso do fitoterápico.

mesma espécie”, afirma Anny. “Como as composições químicas são diferentes, eles não possuem o mesmo efeito farmacológico”, explica. Buscar essa padronização é uma

Entre uma ponta e outra estão ações

missão que está nas mãos da Embrapa.

para fortalecer a cadeia produtiva das

Em fevereiro, a empresa assinou um

matérias-primas – com o uso sustentável

convênio com a Universidade do Mississipi,

da biodiversidade brasileira e a inclusão da

nos Estados Unidos, justamente para

agricultura familiar –, o fomento à pesquisa

padronizar os extratos de plantas, além

científica, a incorporação de tecnologias

de descobrir novos compostos químicos

em todo o processo, a capacitação técnica

e fármacos no Cerrado e na Caatinga. Até

de profissionais desde o ensino médio até

2013, as duas instituições farão pesquisas

a pós-graduação, a inclusão da fitoterapia

conjuntas dando ênfase a espécies da

nos currículos de medicina e das plantas

Relação Nacional de Plantas Medicinais

medicinais e fitoterápicos na lista de

de Interesse do SUS (Renisus). Hoje, há

medicamentos do Sistema Único de Saúde

72 espécies catalogadas. Todas já são

(SUS). “A Política é muito abrangente e

utilizadas pela população, mas a maioria

envolve aspectos sociais, econômicos

carece de estudos para confirmar sua

políticos e tecnológicos, por isso a sua

segurança e eficácia. 11 Revista Herbarium | Agosto 2010


O QUE É UM FITOTERÁPICO?

Atualmente, há oito fitoterápicos

Esse sonho já é realidade na

disponíveis na rede pública – o que é

cidade do Rio de Janeiro, que

pouco, dado que a Agência Nacional

implantou seu programa de plantas

É um medicamento

de Vigilância Sanitária (Anvisa) já

medicinais em 1992. Os cariocas

de origem vegetal,

tem 512 registrados. Segundo o

contam com um curso permanente

Ministério da Saúde, a próxima leva

de cultivo básico e uso das espécies,

isto é, obtido a partir

de fitoterápicos a serem custeados

aberto a toda a população. Mas

de plantas medicinais

mas por enquanto não há previsão

secas ou recémcolhidas e de seus extratos naturais.

pelo SUS terá 30 medicamentos, de quando essa nova lista será divulgada. O Ministério também pretende realizar cálculos para saber se a prescrição dos fitoterápicos representa alguma economia para

o grande destaque do projeto é a produção de 25 medicamentos em sete laboratórios farmacêuticos municipais. No total, 21 espécies são utilizadas, entre elas arnica, confrey, erva baleeira e chapéu de couro. “As plantas são oriundas de mudas

Os fitoterápicos são

o governo. É possível que sim. “A

produzidos com

30%”, diz a farmacêutica Isanete

medicamentos ocorre com controle

a planta inteira e,

Bieski, fundadora do Fitoviva, um

de produção dos processos”,

projeto pessoal dela que acabou

afirma Helene Frangakis de Amorim,

portanto, contêm os

sendo adotado como programa

gerente do programa. Dois dos

municipal de fitoterapia pela

medicamentos prescritos nos

Secretaria de Saúde de Cuiabá (MT).

postos de saúde são comprados de

vários componentes ativos da espécie.

economia poderia ser em média de

O percentual citado por Isanete

Nisso, os fitoterápicos

é baseado em cálculos feitos

diferem dos

funciona desde 2004 na capital

fitofármacos, que são medicamentos fabricados com um

pela equipe do programa, que

indústrias farmacêuticas: o xarope de guaco e as cápsulas de espinheirasanta. “Há uma grande adesão por parte da população e dos médicos

matogrossense. Segundo ela, em

que possuem conhecimento na

cinco anos foram implantadas dez

área”, esclarece.

farmácias vivas nos postos de saúde, para distribuição de mudas, cultivadas a partir de sementes

princípio ativo que é

fornecidas pela Universidade

isolado e “copiado”

Hoje, as várias hortas medicinais da

Estadual de Campinas (Unicamp).

em laboratório.

cidade têm guaco, alfavaca, cidreira,

Normalmente, quando

e hortelã. “Também promovemos

a substância ativa é

certificadas e a manipulação dos

citronela, losna, ginseng, camomila sete cursos sobre plantas medicinais

Mas grande parte dos médicos ainda não tem esse conhecimento e, por isso, acaba não prescrevendo fitoterápicos. “Os profissionais têm dúvidas sobre os princípios terapêuticos e sobre sua efetividade”, afirma Antônio Amorim, diretor da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Federal do Mato

- inclusive um só para médicos -,

Grosso, que em 2010 implantou

isolada da planta, tem

dos quais participaram mais de mil

uma disciplina de fitoterapia no currículo do curso. A situação é bem

uma ação diferente

pessoas”, conta Isanete, que deixou a coordenação do programa no ano

diferente no país em que mais se

daquela apresentada

passado, mas ainda sonha implantar

consomem fitoterápicos no mundo,

uma farmácia de manipulação

a Alemanha. Lá, 50% das vendas de

na espécie inteira.

municipal.

medicamentos são de fitoterápicos.

12 Revista Herbarium| Agosto 2010


A fitoterapia faz parte do currículo dos

para o segundo semestre de 2010 um curso

cursos de medicina alemães desde 1993, é

de capacitação via internet para médicos da

considerada parte da medicina convencional,

rede pública – mas a participação não será

não da alternativa, e usada para tratar

obrigatória. O que deve ter realmente efeito é

várias doenças, incluindo cardiovasculares,

a inclusão futura de disciplinas de fitoterapia

respiratórias e digestivas. O mesmo acontece

nos currículos dos cursos de medicina de todo

no Japão, onde metade dos médicos prescreve

o país, outra ação prevista na política federal.

fitoterápicos. O Ministério da Saúde japonês

Os pacientes e a comunidade médica vão

aprovou o uso desses remédios em 1967 e,

agradecer. “O consumidor está mais aberto a

hoje, há 210 fórmulas disponíveis no sistema público de saúde do país.

utilizar os fitoterápicos, que são eficazes e têm menos efeitos colaterais. E os médicos estão

Por aqui, o governo sabe que, sem a adesão

mais interessados em estudar e prescrever

dos médicos, a política para o setor será

essa opção terapêutica”, afirma Anny Trentini,

inócua. Por isso, o Ministério da Saúde planeja

do Herbarium Laboratório Botânico.

FITOTERÁPICOS NO SUS

Alcachofra (Cynara scolymus) usada no tratamento de dores na região abdominal associadas a disfunções relacionadas ao fígado e à bile

A rede pública terá em breve mais de 30 medicamentos fitoterápicos disponíveis para a população. Veja os que já podem ser encontrados nos hospitais conveniados e postos de saúde de 13 Estados

Aroeira (Schinus terebenthifolius) usada em produtos ginecológicos antiinfecciosos

Espinheira Santa (Maytenus ilicifolia) indicada como auxiliar no tratamento de úlceras e gastrites

Unha de gato (Uncaria tomentosa) antiinflamatório (oral e tópico) para casos de artrite reumatóide, osteoartrite (artrose) e como imunoestimulante

Insoflavona da soja (Glycine max) age como coadjuvante no alívio dos sintomas do climatério

Cáscara sagrada (Rhamnus pushiana) usada no tratamento de constipação ocasional (prisão de ventre) Garra do diabo (Harpagophytum procumbens) é um anti-inflamatório (oral) indicado para dores lombares e osteoartrite (artrose)

Guaco (Mikania glomerata) indicada no tratamento de tosses e gripes

13 Revista Herbarium | Agosto 2010


PELE | Calêndula contra as rugas Ela tem propriedades bem conhecidas – deixa qualquer jardim mais colorido e alegre e é eficiente para tratar queimaduras na pele. Agora a calêndula (Calendula officinalis) está sendo apontada também como arma contra o envelhecimento da pele causado pela exposição ao sol. Isso é o que dizem as conclusões preliminares de um estudo feito por pesquisadores da Universidade de São Paulo, em Ribeirão Preto. Testes realizados com animais na Faculdade de Ciências Farmacêuticas comprovaram que o extrato da planta é capaz de recuperar a pele danificada pelos raios solares. Os ratinhos tratados no experimento apresentavam lesões induzidas por luz ultravioleta, como alterações na morfologia do tecido e das células e inflamação na pele. “As análises mostram que o extrato de calêndula, administrado por via oral ou

tópica, foi eficaz para prevenir o estresse oxidativo causado pela radiação solar”, conta a farmacêutica Yris Maria Fonseca, coordenadora do estudo. “O extrato também estimulou a síntese de colágeno, o que pode evitar os sinais característicos de pele envelhecida, como rugas e perda de elasticidade.” Segundo Yris, o extrato da calêndula é rico em flavonóides e polifenóis, substâncias conhecidas por inibir a ação dos radicais livres causadores do envelhecimento. Mas ela ressalta que o efeito não deve ser atribuído a nenhum composto isolado, e sim à interação de vários princípios ativos presentes na planta.

A hortelã (Hyptis crenata) pode virar remédio contra a dor no futuro. É o que indica a conclusão preliminar de um estudo da pesquisadora brasileira Graciela Silva Rocha, pósdoutoranda na Universidade de New Castle, na Inglaterra. Em um experimento feito com ratos, a cientista observou que uma dose de chá de hortelã teve o mesmo efeito da endometacina, um analgésico e anti-inflatório. Ainda falta descobrir qual composto químico da planta seria o responsável pelo alívio da dor. 14 Revista Herbarium| Agosto 2010


MS: 1.1860.0080.003-0

MS: 4.8697.0026

Novas Embalagens

Herbarium

Pioneiro em divulgar o conceito de Fitoterapia no Brasil, o Herbarium tornou-se referência em qualidade e inovação neste segmento. Uma das novidades que o Herbarium traz, no ano em que comemora 25 anos, é a modernização das embalagens das linhas de Fitoterápicos, Suplementos Nutricionais e Fitomedicamentos.

• CASTANHA DA ÍNDIA - Aesculus hippocastanum 100mg - Atua na prevenção e no tratamento de varizes. Indicada em casos de insuficiência venosa, incluindo varizes nas pernas e pés. Aumenta o tônus e a resistência das veias e diminui a fragilidade capilar. MS: 1.1860.0080.003-0. • BETA BRONZE - Suplemento de vitamina A à base Betacaroteno - MS: 4.8697.0026. Gestantes, nutrizes e crianças até 3 (três) anos, somente devem consumir este produto sob orientação de nutricionista ou médico. NÃO CONTÉM GLÚTEN.

CASTANHA DA ÍNDIA HERBARIUM É UM MEDICAMENTO. SEU USO PODE TRAZER RISCOS. PROCURE O MÉDICO E O FARMACÊUTICO. LEIA A BULA. , 15 Revista Herbarium | Agosto 2010


NUTRACÊUTICA: PARA COMER MELHOR

Alimentos de fibra Que elas são importantes para regular várias funções do corpo, ninguém discute. A novidade é que um estudo americano agora revela a possibilidade de as fibras contribuírem até mesmo para a saúde dos pulmões Márcia Luz, de Curitiba

A presença das fibras no cardápio diário

of Epidemiology afirma que quem consome

proporciona uma série de benefícios ao

grandes quantidades de fibra, especialmente

organismo: ajuda a emagrecer, garante

a partir de grãos integrais, tende a apresentar

o bom funcionamento intestinal, dá uma

um risco menor de desenvolver doença

mãozinha para equilibrar o colesterol...e pode pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), como fazer bem para os pulmões. Isso mesmo.

bronquite, enfisema e outros problemas que

Um estudo publicado no American Journal

afetam a capacidade de respiração.

16 Revista Herbarium| Agosto 2010


Os pesquisadores responsáveis pela

o que fortaleceria o organismo e ajudaria na

novidade surpreendente acompanharam

imunização em qualquer circunstância, mas

111 mil adultos americanos entre 1984 e

não descarta a possibilidade de que as fibras

2000. As análises consideraram fatores de

tenham mesmo o poder de prevenir DPOC.

risco como idade, peso, nível de atividade

“Ainda é cedo para afirmar isso, mas a

física e tabagismo, e apontaram que os

possibilidade não deve ser descartada, já que

indivíduos que consumiam mais fibras tinham as fibras se mostraram eficazes na prevenção um terço a menos de risco de acabarem

de outras doenças, como o câncer de cólon

incluídos no grupo de portadores da doença.

e diabetes, por exemplo.”Outros profissionais

O grupo de pesquisados que mais ingeriu

da área de nutrição fazem coro: “É preciso

fibras consumia uma média de 28 gramas

mais investigação prática, mas a revista em

por dia (os especialistas recomendam que

que o estudo foi publicado é bastante séria, o

os homens se alimentem com 30 gramas

que faz com que a pesquisa deva ser levada

a 38 gramas do nutriente por dia, e as

em consideração”, ressalta a nutricionista

mulheres, com 21 gramas a 25 gramas).

Luciana Humphreys Alberge.

O resultado da pesquisa revelou que a quantidade testada pode ser suficiente para diminuir o risco de desenvolver DPOC. A explicação dos especialistas é de que as fibras teriam propriedades antioxidantes e antiinflamatórias. Não que elas tenham o poder milagroso de garantir que uma pessoa nunca vá ter doença pulmonar, mas ajudam a diminuir o risco. Como todos os novos estudos, também

O que por enquanto está acima de qualquer suspeita é o fato de que as fibras são fundamentais para a saúde de maneira geral, e que seu consumo adequado traz uma série de benefícios inestimáveis. Um exemplo é a ajuda que esses nutrientes emprestam à luta pela perda de peso. “As fibras proporcionam saciedade e, consequentemente, diminuem a fome”, explica o médico Ismael Lago, membro

esse ainda causa alguma desconfiança

da Associação Brasileira para Estudos

inicial. Para Ana Cristina Miguez, professora

da Obesidade. “Alimentos ricos em fibras

do curso de Nutrição da Pontifícia

exigem maior tempo de mastigação, e isso

Universidade Católica do Paraná (PUC-PR),

leva à redução da quantidade de comida e

ainda é cedo para tirar conclusões, já que

do consumo calórico da dieta”, completa.

muitos fatores envolvidos no aparecimento de DPOC extrapolam o terreno da dieta alimentar. “É difícil ter certeza de que um único nutriente isolado seja responsável pela prevenção de uma doença. Afinal, a dieta alimentar envolve muitos outros elementos – vitaminas, proteínas e afins. Então, como saber que foi a fibra que diminuiu o risco de adquirir DPOC e não a presença de vitamina C, por exemplo?”, questiona. A professora considera que os indivíduos

Outro aspecto importante relacionado ao consumo de fibras diz respeito ao controle do colesterol. Devido a fatores fisiológicos, as fibras têm a capacidade de equilibrar os níveis de colesterol (redução do LDL, o ruim, e aumento do HDL, o bom) e contribuem na metabolização de carboidratos, prevenindo doenças coronarianas e cardiovasculares. “As fibras solúveis são as mais recomendadas para esse fim”, afirma a professora Ana Cristina. “A pectina, presente na casca da

pesquisados que apresentaram menor

maçã, por exemplo, é um tipo de fibra que

risco de desenvolver a doença tinham

forma um gel que adere à parede do intestino,

certamente uma dieta geral mais saudável,

impedindo a absorção de colesterol”, explica. 17 Revista Herbarium | Agosto 2010


é baixo”, constata Luciana

NA MEDIDA

as fibras têm ação no controle

Humphreys Alberge. Segundo

do açúcar no sangue. “Elas

dados do Estudo Nacional

auxiliam na prevenção ou

de Despesa Familiar (Endef),

Confira abaixo uma lista de ingredientes que, incluídos no cardápio diário, fornecem a quantidade ideal de fibras

estabilização do diabetes,

do IBGE, de 60% a 85 % da

pois retardam a absorção da

população brasileira apresenta

glicose, vinda dos alimentos

um consumo de fibras menor

fontes de carboidratos”, explica

do que 20 gramas por dia. A

o médico Ismael Lago.

nutricionista Priscila Conyvolic

E, como se não bastasse,

Os brasileiros parecem estar cada vez mais convencidos de que as fibras são de fato imprescindíveis. Segundo dados do Euromonitor International, o setor de produtos do gênero cresceu 852% no país nos últimos 5 anos. Uma outra

emenda: “Isso ocorre pelo frequente consumo de alimentos refinados em contrapartida ao consumo de alimentos integrais. Muitas pessoas não chegam a consumir nem uma porção de fruta ou verdura ao dia”, afirma. Os produtos industrializados

pesquisa, encomendada pela

que prometem ser ricos em

multinacional inglesa Tate

fibras ajudam, mas não são

& Lyle, revela que 33% dos

suficientes para garantir uma

brasileiros ingerem regulamente

dieta saudável. É importante

alimentos e bebidas com fibras. O estudo apontou ainda que 67% dos consumidores do país passaram a pensar mais sobre alimentação saudável nos últimos dois anos. Os números são positivos,

• Goiaba (01 unidade – 189g)

10,02g

• Granola (1/2 xícara – 30g)

3g

• Lentilha cozida (01 concha – 60g)

3g

• Mamão papaia (1/2 unidade – 142g)

2,41g

• Arroz integral cozido (01 escumadeira – 112g)

2,41g

• Banana (01 unidade pequena)

2,40g

• Tomate (01 unidade – 109g)

1,91g

• Acelga crua (01 xícara – 52g)

0,73g

prestar atenção às informações

HOMENS (30 a 38g)

do rótulo. Segundo Ana Cristina

• Goiaba (01 unidade – 189g)

10,02g

• Feijão cozido (01 concha – 59g)

4,51g

• Maçã (01 unidade – 130g)

4,03g

• Cenoura crua (01 xícara – 109 g)

3,06g

• Aveia em flocos (02 colheres de sopa – 24g)

3,06g

• Arroz integral cozido (01 escumadeira – 112g)

2,41g

• Banana (01 unidade pequena)

2,40g

• Mamão papaia (1/2 unidade – 142g)

2,41g

• Tomate (01 unidade – 109g)

1,91g

• Pão de forma com centeio (01 fatia – 25g)

1,91g

• Acelga crua (01 xícara – 52g)

0,73g

Miguez, não adianta consumir 10 barrinhas de cereais e achar que é suficiente. “É preciso ter equilíbrio e prestar atenção no conjunto da alimentação, que deve conter

mas nada de cantar vitória

carne magra, frutas, hortaliças,

antes da hora. A educação

legumes, cereais integrais e

alimentar ainda é necessária

muito líquido”, destaca. Mas

para que o hábito de ingerir

o médico Ismael Lago alerta:

fibras atinja a maior parte da

quem não tem o costume de

população. Em sua prática

ingerir fibras deve começar

diária, os nutricionistas

a consumir aos poucos para

reconhecem o desafio: “Com

atingir os níveis recomendados

base na prática clínica e na

gradualmente. “Além de

análise de recordatórios ou

provocar desconforto intestinal,

diários alimentares, é possível

o consumo exagerado pode

perceber que o consumo de

resultar na eliminação de

fibras pela população – que

alguns nutrientes e interferir na

deveria estar entre 25 gramas

absorção do zinco e do cálcio”,

e 30 gramas ao dia – ainda

explica.

18 Revista Herbarium| Agosto 2010

MULHERES (21 a 25g)


OS CAMPEÕES Encha o prato de fibras escolhendo os alimentos certos

FRUTAS: Goiaba (01 unidade – 189g)

10,02g

Maçã (01 unidade – 130g)

4,03g

Pera (01 unidade – 133g)

3,99g

VERDURAS: Espinafre cozido (01 xícara – 166g)

5,31g

Cenoura crua (01 xícara – 109 g)

3,06g

Vagem (01 xícara – 111g)

2,78g

GRÃOS: Feijão cozido (01 concha – 59g)

4,51g

Lentilha cozida (01 concha – 60g)

3g

Grão de bico cozido (01 concha – 55g)

2,91g

CEREAIS: Cereal à base de trigo (1/2 xícara – 25g)

8g

Farelo de aveia (02 colheres de sopa – 22g)

3,30g

Granola (1/2 xícara – 30g)

3g

COMBATE À PRISÃO DE VENTRE Os problemas que surgem na hora de ir ao banheiro parecem ter virado uma espécie de “preocupação nacional”. No terreno da propaganda, proliferam anúncios que prometem resolver os horrores da prisão de ventre. Mas será que esses produtos realmente funcionam? Segundo a nutricionista Luciana Alberge, a constipação é uma queixa muito comum que ocorre, na maioria das vezes, por maus hábitos alimentares.

E as pessoas tendem a procurar a maneira mais fácil para resolver a questão. “Na maioria das vezes, esses produtos realmente funcionam, porém, no caso dos iogurtes, não é a fibra o principal responsável por sua eficácia. Esses iogurtes possuem bactérias, geralmente lactobacilos e bifidobactérias que naturalmente habitam intestinos de pessoas saudáveis, auxiliando no seu funcionamento”, explica. A forma não tão imediata,

porém duradoura de resolver o problema seria fazer uma reeducação alimentar. Uma nutrição baseada no consumo de fibras ajuda diretamente nos problemas da constipação. “Elas têm a capacidade de fazer com que o bolo alimentar fique menos tempo parado no intestino, estimulando o movimento peristáltico”, conta Luciana. Então, nada de ficar só nas soluções fáceis. A dica é apostar mesmo numa alimentação saudável e equilibrada.

19 Revista Herbarium | Agosto 2010


m en ta r a li es me da e| nt pop o ulaç om 18 ão d , úde 9% o país da Sa co em o i r , é s t e s i c g undo Min p ns ons um elo o o r men mem a o eg quan u l a s um tidade a ve rd indicada pela OMS z po es s r sema es p na | 42% dos jovens tomam rodu tos em comparação ao ano passado

HÁBITOS | Falta saúde no prato Embora o Brasil seja um país conhecido por sua abundância de frutas e verduras, a maioria da população não tem o hábito de incluir esses itens em seu cardápio diário. Isso é o que revela uma pesquisa apresentada pelo Ministério da Saúde neste ano. As frutas e hortaliças estariam presentes com regularidade – mais de cinco vezes na semana – no prato de apenas 30,4% dos brasileiros. E somente 18,9% da população consumiria as cinco porções diárias – equivalentes a 400 gramas – recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Segundo os autores da pesquisa, os resultados acompanham uma tendência mundial. Como as pessoas estão sempre correndo, acabam optando por alimentos mais práticos, como os pré-cozidos ou enlatados. O levantamento de dados apresentado pelo Ministério foi feito a i al s partir 54.367 entrevistas. de i to O

b o ad há tip rid ns os e a l s m BR es egu s co do ela AS r o od rev ã ILE e m dult ento u m IRO sq co m o a r e e À ME um em os abr SA: Conheça alguns núm ão om % d i o a n c % fo ,4% s: 76 s: 33 • Carnes gorda i : 30 4% s a , i a ç c i 3 fi 1 tal arti dia | • Verduras e hor cos r u s o e p z • Refrigerantes a ve se um essas bebidas qua

| Papaia contra o câncer O cientista Nam Dang, da Universidade da Flórida – em conjunto com colegas da Universidade de Tóquio, no Japão – descobriu que o chá de folhas de papaia secas tem grande poder no combate a inúmeras variedades de câncer, como os de mama, fígado, pulmão e pâncreas. Os pesquisadores trabalharam com culturas de diferentes células cancerosas, deixando-as expostas ao extrato da folha de papaia, e mediram os resultados por 24 horas. O crescimento das células doentes diminuiu em todos os casos. Os efeitos curativos foram ainda mais fortes nas células que receberam doses extras do chá. O estudo também revela que o extrato da fruta aumenta a produção de moléculas que regulam o sistema imunológico – justamente aquele mais penalizado por doenças como o câncer. Os testes com o chá de papaia não registraram efeitos colaterais, o que representaria uma vantagem adicional em relação às terapias tradicionais empregadas para frear a doença. O trabalho agora é identificar e separar os componentes específicos que atuam para combater o câncer. 20 Revista Herbarium| Agosto 2010


Linhaça:

aqui tem muito ômega-3 Volta e meia cientistas do mundo todo fazem novas

nutricionista Vanderli Marchiori, membro da Associação

descobertas sobre os benefícios do ômega-3, uma

Brasileira de Nutrição Esportiva e da Associação Paulista

gordura importante não apenas por ter um papel na

de Nutrição.

produção de hormônios e no transporte de vitaminas, mas também por desempenhar funções protetoras no organismo: ajuda a combater a obesidade, a prevenir a oesteoporose, algumas doenças nos olhos e certos tipos

E há outra razão para a linhaça ser ainda mais recomendada. A sementinha tem a proporção ideal de ômega-3 e de seu primo, o ômega-6, que está presente nos óleos de milho, de soja e na margarina. Os dois

de câncer.

“parentes” devem estar em equilíbrio para evitar

Como se vê, a lista de motivos para incluir fontes de

encrencas. “Quando em excesso, o ômega-6 facilita o

ômega-3 na dieta é longa. Por isso, é bom nunca deixar

aparecimento de inflamações”, acrescenta Vanderli.

faltar no prato os alimentos mais ricos nesse nutriente: a

A proporção ideal, diz a Organização Mundial de Saúde, é

linhaça e os peixes de água fria, como salmão e sardinha.

de 4 a 10 gramas de ômega-6 para 1 grama de ômega-3.

A recomendação é consumir 1 grama de ômega-3 por

A linhaça ajuda a manter tudo nos conformes, já que nela

dia. Para isso, basta ingerir diariamente 40 gramas de

tem muito mais ômega-3. Na conta de gorduras totais, a

semente de linhaça triturada e, três vezes por semana,

semente apresenta 16% de ômega-6 e 57% de ômega-3.

250 gramas de sardinha, cavala ou salmão, explica a

Ponto para a linhaça!

21 Revista Herbarium | Agosto 2010


CLUBE DA TPM: E OUTRAS COISAS DE MULHER

Não, obrigada! Psicóloga canadense afirma que esta é a resposta de grande parte das mulheres dos países ricos a ofertas de promoção no trabalho. Ou seja, elas ocupam cargos inferiores e ganham menos porque querem Débora Rubin, de São Paulo

22 Revista Herbarium| Agosto 2010


A americana Kim era uma das poucas

Considerando que os meninos têm

mulheres de sua turma no curso de

de quatro a dez vezes mais chances de

engenharia nos anos 1970. Após duas

desenvolver problemas de aprendizagem

décadas de uma carreira promissora

do que as meninas, Pinker estava

como engenheira química, jogou tudo

especialmente curiosa para saber o que

para o alto e virou personal trainner. Elaine

seus pacientes do sexo masculino tinham

quase chegou ao segundo posto mais

feito de suas vidas. No geral, estavam

importante de uma multinacional. Mas

muito bem, obrigado. Um tinha virado

disse não à oferta para seguir como uma

chef de cozinha. Outro, superempresário.

simples executiva. Se aceitasse, teria de

Por outro lado, as meninas, que eram

mudar de cidade, o que prejudicaria o

minoria em seu consultório, não estavam

marido e os filhos. Chegar aonde havia

em funções de grande destaque.

chegado era suficiente. As histórias de Kim e Elaine são apenas

A partir do microcosmo dos pacientes, Pinker ampliou sua pesquisa para o

uma amostra dos inúmeros casos

universo geral. Sua conclusão é a de

relatados pela psicóloga canadense

que a biologia de cada sexo define as

Susan Pinker no livro O Paradoxo Sexual

escolhas profissionais. A exposição à

– Hormônios, genes e carreira, lançado

testosterona faz com que os homens

no começo do ano pela editora Record

sejam menos sociáveis, mais ousados

(406 páginas, R$ 42,90). O objetivo

e mais dispostos a correr riscos (veja

de Pinker, ao começar a escrever a

quadro na página seguinte). Daí buscarem

obra, foi responder a uma pergunta

trabalhos mais ambiciosos nos quais

que muito a intrigava: se as meninas

se sintam desafiados. Já as mulheres

se saem, em média, bem melhor que

crescem sob a influência da ocitocina –

os meninos durante os anos escolares,

hormônio responsável pelas contrações

por que os meninos tendem a se tornar

do parto e pela amamentação. Com

chefes, executivos, gênios da ciência

isso, tendem a dar mais atenção ao

ou superempreendedores? Onde estão

próximo. Ajudar alguém

as meninas brilhantes da escola no

ou simplesmente interagir

mercado de trabalho?

com outras pessoas

Atrás de respostas, Pinker foi longe.

ativa o mecanismo de

Entrevistou mulheres que abandonaram

recompensa do cérebro e

carreiras brilhantes – como Kim –, outras

faz com que elas sintam

que recusaram salários estratosféricos –

um prazer enorme em

como Elaine –, e ainda mergulhou fundo

ser solidárias. Essas

em dezenas de estudos científicos sobre

características entrariam

gêneros. Também conversou com ex-

em conflito com a postura

pacientes de sua clínica. Especialista em

agressiva, combativa e

crianças com problemas como Transtorno

autocentrada exigida por

de Déficit de Atenção (TDA), autismo

um mercado de trabalho

e dislexia, foi atrás dos pacientes que

essencialmente masculino.

atendeu quando crianças para descobrir

Isso explicaria o alto

como estavam se saindo como adultos.

número de desertoras.

23 Revista Herbarium | Agosto 2010


“As mulheres precisam sentir que fazem

humano – como medicina – a trabalhar em

alguma diferença no mundo”, resume

laboratórios ou pesquisas acadêmicas.

Pinker. Enquanto os homens se sentem

Pinker faz uma ressalva importante. Sua

mais confortáveis criando produtos ou se dedicando com afinco a um único assunto, as mulheres querem ter uma vida composta de vários fatores, dando peso igual para

teoria foi baseada na realidade dos países desenvolvidos. Afinal, somente com uma poderosa rede de seguridade social é que alguém pode se dar ao luxo de escolher

cada um deles: trabalho, família, lazer etc.

trabalhar menos. Por aqui, segundo o

Os homens não se importam em colocar

IBGE, 34,9% das famílias são chefiadas

100% de sua energia no trabalho.

por mulheres. De forma que são poucas as

Por causa dessa biologia mais “amorosa”,

brasileiras que têm opção. “Muitas, quando

as mulheres tendem a escolher profissões

querem diminuir a carga horária ou serem

que propiciem essa interação com o outro

donas do próprio tempo, pedem demissão

e que, historicamente, pagam menos. É

e optam por uma destas três coisas: abrir

o caso das áreas de educação e saúde.

um negócio, virar consultora ou dar aulas”,

Mesmo as alunas que vão muito bem

afirma Eliane Figueiredo, da consultoria em

nas ciências biológicas e exatas preferem

Recursos Humanos Projeto RH e membro

carreiras que permitam o contato com o ser

do Grupo de Mulheres Líderes Empresárias.

OS SEXOS FRÁGEIS

Homens

Meninos tendem a olhar mais para objetos, máquinas e engenhocas. São mais hábeis em calcular distâncias. São mais agressivos desde pequenos. Têm mais chances de ter problemas como dislexia, transtorno de déficit de atenção e autismo. Tendem a abandonar mais os estudos.

24 Revista Herbarium| Agosto 2010

De acordo com os estudos citados por Susan Pinker, a combinação do DNA com os hormônios determina muitos comportamentos típicos de cada sexo, que podem ser ou não ressaltados pela cultura e a educação

Mulheres

Meninas fixam mais nos rostos das pessoas. Deslocam-se a partir de pontos de referência (igreja, pracinha, casa amarela). São mais empáticas, solidárias e cooperativas. Tendem a sofrer mais com depressão e ansiedade. Tendem a abandonar mais as carreiras.


A própria consultora é um exemplo:

da revista Forbes. A cada década, cresce

quando virou mãe, há 18 anos, deixou

o número de empresas comandadas por

a carreira em um banco para abrir sua

mulheres. Talvez muitas delas ainda se

consultoria, mesmo tendo recebido a

submetam ao esquema masculino para

contraproposta de viajar menos e assumir

prosperar. No entanto, mais mulheres em

uma função mais tranquila na instituição.

cargos diretivos é um possível indicador

Ao afirmar que a biologia pode determinar o destino profissional de cada pessoa, Pinker ouviu reações nervosas no lado de cima do Equador. Em especial das feministas que tanto brigaram pela igualdade

de que o estilo de liderança cooperativo – tipicamente feminino – é benéfico para as companhias. “A revista Fortune uma vez publicou um estudo mostrando que empresas que têm mulheres no corpo

de gêneros. Surpreendentemente, uma

diretivo dão mais retorno aos acionistas”,

das feministas mais notórias do Brasil,

completa a consultora Eliane Figueiredo.

Rose Marie Muraro, faz mais elogios que

Ao final de seu polêmico livro, Pinker

críticas à tese de Pinker. “A mulher quer,

afirma que o sistema é que pode estar

sim, um trabalho mais humano”, diz. “Basta

equivocado – e que sua teoria, para alívio

que as empresas valorizem as qualidades tipicamente femininas.” Muraro lembra que aquelas que tentaram mudar sua natureza para se equiparar aos homens – as “mulheres bigodudas”, como ela define – se tornaram frustradas na vida pessoal. “Foi uma catástrofe. Não é a mulher que tem que mudar, mas o universo corporativo.” Para a escritora e feminista, isso está

geral, está longe de mandar as mulheres de volta ao tanque. Não se pode mais, argumenta ela, nem obrigá-las a buscar carreiras de que não gostam só para atingir a igualdade no mercado de trabalho, nem aceitar o modelo corporativo existente. “Nos dias de hoje, os locais de trabalho e os planos de carreira para um homem médio solteiro, inclinado à competitividade

acontecendo, ainda que lentamente. Ela cita

e à luta pelo sucesso, desencorajam muitas

como exemplo a lista das maiores empresas

mulheres”, ressalta a autora. 25 Revista Herbarium | Agosto 2010


PSICOLOGIA | O ciúme também é cego Psicólogos da Universidade de Delaware, nos Estados Unidos, comprovaram que o ciúme afeta a visão. Pelo menos nas mulheres. Os pesquisadores pediram a casais que observassem imagens em um computador. As mulheres deveriam identificar fotos de paisagens misturadas a imagens desagradáveis. Aos homens foi dito para organizarem as paisagens em ordem de beleza. Na metade do experimento, veio a pegadinha. O cientista anunciou que, dali em diante, os homens teriam de opinar sobre a beleza feminina. Ao final do teste, a parceira teve de responder como se sentiu com o fato de o namorado ou marido estar ranqueando moças bonitas. As mais incomodadas foram as mais distraídas pelas imagens ruins, a ponto de não verem as fotos que deveriam. A “cegueira” não havia se manifestado na primeira parte do teste.

FILHOS | Desobediência seletiva Tirar seu pimpolho do parquinho é uma batalha? Ele teima em escolher a própria roupa? Depois de analisar o comportamento de 60 crianças, entre quatro e sete anos, psicólogos americanos e canadenses encontraram uma possível explicação para esses típicos comportamentos infantis. Segundo eles, há três áreas que as crianças consideram como sendo o pedaço delas – roupas, amizades e lazer – e, por isso, fazem tanta questão de ter a última palavra nesses domínios.

26 Revista Herbarium| Agosto 2010

pediram aos pequenos para adivinhar como os personagens de uma história – também crianças – iam se comportar quando os pais fictícios os proibissem de roubar, brincar com um amigo ou usar determinada roupa. Todas as crianças previram que os personagens iam desobedecer aos pais nos dois últimos casos, mas que seguiriam a regra de não roubar. “Essa descoberta sugere que as crianças fazem distinções importantes entre diferentes tipos de regras quando tomam decisões e sabem o limite da desobediência”, diz

Para testar a

Kristin Hansen Lagattuta,

turminha, eles

coordenadora do estudo.

A internet pesa mais nas decisões de compra das brasileiras do que a televisão. Foi o que constatou um levantamento da empresa de pesquisa de mercado Sophia Mind, especializada no segmento feminino, feito com 6 mil mulheres em todo o país. Para 36% delas, visitas a sites e redes sociais são obrigatórias antes de decidir o que comprar. E 42% disseram ficar sabendo das novidades sobre produtos de beleza via web. Já para 35% ainda é a tevê a influência mais poderosa.


Novo site do Clube da TPM Com o novo site do Clube da TPM,

desnecessariamente, como enfrentar

você fica sabendo tudo sobre a

os temidos sintomas, além de

TPM, pesadelo das mulheres e

consultar as principais novidades nas

dos homens. No site, você terá

áreas de beleza, saúde, nutrição,

acesso às dicas para não sofrer

família, moda e outros assuntos.

27 Revista Herbarium | Agosto 2010


SER SUSTENTÁVEL: PELO BEM ESTAR DO PLANETA

Feitos para

durar Na contramão da oferta de produtos descartáveis que estimulam o consumo, algumas empresas lançam tendência ao apostar em bens que podem ser usados anos e anos Márcia Luz, de Curitiba

O consumismo exacerbado – que estimula a compra desnecessária e a multiplicação de lixo – ainda dá as cartas na sociedade ocidental. Mas essa compulsão quase global já mostrou seus maus efeitos na vida do planeta, o que fez surgir uma nova categoria de consumidor: o consumidor consciente. A nova tendência, que dá mostras de ter vindo para ficar, tem motivado algumas empresas a apostar em produtos mais duráveis, feitos para agradar a essa clientela mais preocupada com o meio ambiente.

28 Revista Herbarium| Agosto 2010


Um bom exemplo é a inovadora

composta principalmente por famílias ativas,

Wishbone Bike, uma bicicleta que

com orientação para uma vida sustentável.

acompanha o crescimento das crianças

Para Jenny Mclver, a procura por produtos

do primeiro até o quinto ano de idade.

duráveis é uma tendência crescente entre

Criada por um casal de neozelandeses,

o público consumidor e o mercado deve se

donos do estúdio de design Wishbone

orientar cada vez mais nessa direção.

(www.wishbonedesign.com), a bicicleta é feita de madeira certificada, não tem pedais e funciona com a propulsão dos pés, no estilo Flintstones. O mesmo brinquedo pode ser convertido de triciclo – adequado às crianças menores – em uma bicicleta que serve para pequenos de até 5 anos. Segundo Jenny Mclver, diretora da Wishbone, a grande vantagem

“Precisamos aceitar a responsabilidade pelo nosso futuro. Nossa filosofia é fazer o possível na produção de itens para toda a vida, e não há nenhum componente em nossos produtos que não possa ser mais tarde reutilizado, reciclado ou decomposto”, declara. A Wishbone já comercializa a bicicleta em inúmeros países e, no momento, está em busca de parceiros

da bicicleta é se adaptar às necessidades

interessados em importar os produtos e a

de quem está em fase de crescimento.

marca para o Brasil.

“Queríamos fazer um brinquedo com o qual pudessem se divertir nos seus primeiros anos, até que estivessem prontas para uma bicicleta tradicional.” Para isso, a peça tinha de ser resistente o bastante para durar e, ao mesmo tempo, leve e fácil de ser manuseada. O projeto já recebeu grande reconhecimento. Em 2009, a wishbone bike foi incluída na seleção de top 100 de Estilo & Design da revista americana Time. A bicicleta concretiza uma das principais

Seguindo a mesma tendência, outro exemplo de produto durável é o tênis que se expande de acordo com o crescimento dos pés das crianças, à disposição em lojas britânicas. Batizado de Inchworm (www. inchwormshoes.com), o calçado pode variar em até três tamanhos, graças a um botão que, ao ser pressionado, permite que o tênis estique. A empresa Fat Shoes Day, responsável pela distribuição do produto na Grã-Bretanha, acredita estar possibilitando

metas da empresa: oferecer produtos que

aos pais uma economia de ao menos um

passem de pai a filho, ou de irmão para

par de tênis por ano. O Inchworm foi criado

irmão, despertando a consciência da família

nos Estados Unidos pelo americano Hank

para a importância de adquirir bens mais

Miller e pode ser encontrado em países da

duráveis. Hoje, a clientela da Wishbone é

Europa, Ásia e Oriente Médio.

Abaixo, a bicicleta ecológica e o tênis que “crescem” com as crianças

29 Revista Herbarium | Agosto 2010


De bebê a teen: o berço com trocador vira cama, estante e gaveteiro

No Brasil, o mercado de produtos sustentáveis também começa a aquecer e

num primeiro estágio, pode ser montado

já há iniciativas em prol da economia e da

como mini-berço, facilmente transportável.

durabilidade. É o caso da Divicar

Depois, deve ser remontado como berço

(www.divicar.com.br), empresa fabricante

normal, com as duas laterais móveis. E

de móveis e acessórios para crianças, com

ainda pode virar mini-cama ou, finalmente,

distribuição em todo o país. A preocupação

um sofazinho. “Um grande benefício desse

de possibilitar um uso prolongado dos

produto é que o bebê se acostuma a dormir

produtos motivou a criação de uma linha

no berço desde os primeiros dias de vida”,

de móveis que se transformam: berços

ressalta Carvalho. Segundo o diretor, o

que viram caminhas, cômodas que viram

custo desses móveis é um pouco superior

escrivaninhas. Tudo para garantir que os

à média do mercado, mas o investimento

pais possam utilizar os móveis por mais

vale a pena pela durabilidade. “Os produtos

tempo e consumam menos. “Outro fator

vendem muito bem e, a cada novidade que

importante é que utilizamos matéria-prima

lançamos, a aceitação aumenta.”

de excelente qualidade que pode durar por muitos e muitos anos e, assim, os produtos acompanham o crescimento das crianças”, explica Carlos Carvalho, diretor da Divicar. Versatilidade é a principal característica

30 Revista Herbarium| Agosto 2010

uma novidade que está fazendo sucesso:

Mas não adianta ter uma oferta de produtos sustentáveis se não há consumidores conscientes. Por isso, ensinar a consumir é um trabalho urgente e que precisa começar cedo. De acordo

desses móveis. Entre eles, destaca-se

com Daniela Carla Prestes, coordenadora

o Sol e Mar, um berço que é também

de serviço de psicologia do Hospital Infantil

cômoda e trocador e ainda dispõe de uma

Pequeno Príncipe em Curitiba, o maior

bicama auxiliar. Todo o conjunto pode

hospital exclusivamente pediátrico do Sul

mais tarde se transformar em uma cama

do Brasil, o consumismo, assim como

de solteiro com cama auxiliar e estante

outros problemas que atingem as crianças,

ou escrivaninha. Já o berço Spazio é

são um reflexo da atitude dos pais.


Muitas vezes, os pais são consumistas e, mesmo que tentem orientar os filhos a não sê-lo, acabam parecendo contraditórios em suas atitudes,

relação ao consumo é o que vai servir de exemplo aos filhos. Para Carla, crianças que não aprendem em casa, e na escola, a discernir o supérfluo do necessário, passam a exigir desde cedo a ”maçã da fulaninha”, ”a bolacha do sicrano”,

explica. Na mesma linha, Carla Diz, coordenadora da Mais Criança (empresa especializada em promoção da família, prevenção e combate ao abuso e à violência contra crianças e adolescentes), enfatiza que a criança se desenvolve a partir dos referenciais que são mostrados e afirmados. “Como os pais trabalham o assunto? Eles valorizam as pessoas e suas atitudes positivas, como generosidade, solidariedade, ou fazem distinções entre quem tem ou não tem dinheiro?”, questiona. Em suma, a atitude dos pais em

o “sanduíche do beltrano”. Pronto: está dado o primeiro passo em direção ao consumismo. Felizmente, muitas escolas já começam a trabalhar a consciência ambiental dos alunos. “Hoje as crianças aprendem a se preocupar com questões que antigamente eram ignoradas, como a reciclagem e a economia de água, e chegam a ensinar os pais sobre o assunto”, conta Daniela. Como as crianças aprendem tudo muito rápido, basta incentivá-las para que se tornem cidadãs mais preocupadas com o planeta – e menos com o brinquedo da moda.

NADA SE PERDE, TUDO SE TRANSFORMA! Na busca por uma alternativa de consumo sustentável, há quem resgate itens que iriam para o lixo, como o empresário Ugo Gutierrez Filho. Tudo começou quando Ugo comprou uma casa e percebeu que não ia ter dinheiro para mobiliá-la. Pediu a amigos e familiares doações de móveis usados, que seriam restaurados por ele e seu filho. A necessidade virou hobbie e, em pouco tempo, a casa ficou pequena para a quantidade de móveis e objetos renovados pela dupla. Assim surgiu a Boulle – Móveis de Fundamento (www.boulle.com. br), um negócio inusitado cujo principal mérito é aproveitar todo tipo de material para a

confecção de móveis e acessórios para casa – janelas antigas, rodas de carroça, arados, pilões, vidros, grades e até canoas. Ugo busca sua matéria-prima em sítios e fazendas do interior do Paraná e do Rio Grande do Sul e até no Uruguai. “Percorremos de caminhão as estradas rurais e paramos nas propriedades, comprando objetos que as pessoas não usam mais”, explica. A madeira, por exemplo, vem de casas que seriam demolidas. Uma roda de carroça vira mesa de centro, arames de cerca viram luminárias. “Além de serem duráveis, esses materiais guardam histórias”, enfatiza Ugo. 31 Revista Herbarium | Agosto 2010


NA PRÁTICA | Dica para o consumidor responsável Quem já não ouviu falar em lâmpadas que gastam menos energia, mecanismos que ajudam a reaproveitar a água da chuva, utilização de energia solar? Se você é dos que acham tudo isso muito interessante, mas não tem a menor ideia de como trazer essas possibilidades para o seu dia a dia, a dica é dar uma olhada na loja virtual Produtos Sustentáveis. Você vai encontrar luminárias fabricadas a partir de tubos de papelão, painéis simples de geração de energia solar e todo tipo de acessórios para colocar em prática uma rotina de harmonia com o meio ambiente.

Saiba mais no site www.produtossustentaveis.com.br

BIOINSETICIDA | Sem dengue, com saúde A Fiocruz/Farmanguinhos desenvolveu uma arma contra o mosquito da dengue (Aedes aegypti) que não faz mal à saúde ou ao meio ambiente. O novo bioinseticida atua nas larvas do mosquito, impedindo que elas consigam se alimentar e causando infecções nos bichinhos. As formulações são diferentes para atacar os vários focos onde os mosquitos se reproduzem. Nas caixas d’água, por exemplo, deverão ser usadas pastilhas – cada uma com poder de limpar até 50 litros. Em 48 horas, o produto acaba com as larvas e protege o ambiente por até 21 dias. Para locais maiores – como piscinas, lagos, reservatórios – o bioinseticida é usado em forma de comprimido hidrossolúvel. A descoberta deverá ser produzida em breve e lançada junto com outros seis inseticidas desenvolvidos pelo instituto. Mas, enquanto isso, o melhor ainda é manter limpos vasos de plantas, pneus e garrafas que ficam a céu aberto.

32 Revista Herbarium| Agosto 2010


33 Revista Herbarium | Agosto 2010


LAZER: ÓCIO CRIATIVO

“I

Love Santa Terrressa!”

Com seu ar de cidade do interior e jeito alternativo de viver, o bairro carioca roubou as atenções – e os turistas gringos – do circuito Ipanema-Leblon Por Renato Lemos, do Rio de Janeiro

A francesa Sophie Lohaine, 23 anos,

ali chama sua atenção – e não apenas

garimpa em um balcão do Ateliê Maria

dentro da lojinha. Hospedada por uma

Rendeira, no Largo dos Guimarães,

semana em uma casa de Santa Teresa,

para escolher o suvenir que levará

a turista acaba de chegar de um banho

para casa: está entre uma miniatura

de cachoeira nas Paineiras, que fica na

do bondinho e uma boneca vestida de

estrada entre Santa Teresa e a Floresta

porta-bandeira da Mangueira. Depois

da Tijuca, e tenta resumir – numa mistura

pega uma blusa amarela com um

de inglês e, va lá, português – como têm

desenho estilizado dos Arcos da Lapa.

sido seus dias por ali: “It’s a wonderful

Coça a cabeça. Está indecisa. Tudo

place. Beleza. I love Santa Terrressa!”

34 Revista Herbarium| Agosto 2010


Sophie não está só. Qualquer

que cota os estabelecimentos que

pessoa que circular pelas ladeiras

unem charme e conforto no mundo

de Santa Teresa poderá ouvir gente

inteiro. “Eu mesmo me mudei para

se referindo ao lugar daquele jeito:

o bairro no ano passado. É um lugar

“Santa Terrresssa”. Um monte de

como nenhum outro no Rio.”

erres e um monte de esses. É que o bairro carioca, conhecido como refúgio de artistas, intelectuais e adeptos do estilo de vida alternativo em geral, está cada vez mais ocupado por estrangeiros, principalmente franceses. Não por acaso, o lugar é conhecido como Montmartre carioca, em referência ao bairro de Paris. Eles andam pelas ruas, abrem

O Hotel Santa Teresa foi construído a partir da reforma do antigo Hotel dos Descasados, um lugar que, como o nome sugere, servia ao povo saído dos casamentos que queria morar só. Foi comprado por franceses e ficou quatro anos em reforma. Agora tem suítes de 120 metros quadrados, um ótimo bar com vista para o centro da cidade, um restaurante quatro

lojas no comércio, se penduram

estrelas e decoração feita de peças

nos históricos bondinhos, montam

de demolição, azulejos portugueses,

ateliês, ensinam técnicas de

objetos de arte garimpados no país

reciclagem de lixo, cozinham

inteiro – além de um tremendo bom

em restaurantes, investem em

gosto. É a cereja do bolo de um

hotéis e pousadas – e falam sua

bairro que a cada dia investe mais

mistura de erres e esses. Tomam “caipirrinha” no Bar do Mineiro, tocam “tamborrim” no Bloco das Carmelitas, comem “carrurru” no bar do Arnaudo. Esse movimento estrangeiro – somado ao burburinho dos blocos no carnaval, à proximidade com a boemia da

na hospedagem. De todos os tipos e preços. Há hotéis, albergues e  pousadas. Foi ali, por exemplo, que surgiu o primeiro esquema Cama & Café (versão do conhecido Bed & Breakfast) no Brasil.      “O turista que visita Santa Teresa

Lapa, à natureza exuberante da

não é o mesmo que vai para

Floresta da Tijuca (a maior floresta

Copacabana ou Ipanema. Ele

urbana do mundo), ao vaivém calmo

vem sabendo exatamente o que

dos moradores e a uma arquitetura

encontrar: uma maneira alternativa

de encher os olhos – devolveu

de viver”, diz Carlos Magno, um dos

ao bairro um lugar de destaque

sócios do Cama e Café, rede que

na geografia e na cultura carioca.

disponibiliza casas de moradores

Santa Teresa está de volta ao topo

para turistas a preços mais baixos.

das atrações de quem visita o Rio.

“Estamos há sete anos no circuito

“Daqui a uns três ou quatro anos,

e só de franceses já trouxemos uns

Santa Teresa será o principal bairro

1500. Em Santa Teresa a gente

do Rio de Janeiro”, afirma o francês

passa nas ruas ouvindo um “bom

Damien Montecer, gerente do Hotel

dia”, um “ó de casa”. É como estar

Santa Teresa, o primeiro no Rio a

no interior a cinco minutos do centro

fazer parte do Relais & Châteaux,

da cidade e das praias.”

De cima para baixo: Hotel Santa Teresa (Lobby, Bar dos Descasados e Suite Júnior) e Casa da Renata (Suite)

35 Revista Herbarium | Agosto 2010


Para entrar no Cama e Café, a casa tem

carro da garagem para levá-lo lá. Diz que

que oferecer no máximo três quartos. Os

conviver com gente de diferentes lugares

preços são tabelados entre R$ 100 e R$

tem tornado sua vida muito melhor.

220 e o dono tem que estar morando lá. Atualmente são 40 casas funcionando, a maior parte delas centenária. A Casa da Renata é uma delas. São três quartos disponíveis, internet comunitária, recepção

Nós desenvolvemos uma ideia de turismo sustentável que poderia ser modelo. O morador é parte atuante nisso, não está apenas cedendo sua casa,

afetuosa e a chance de tomar o café da

diz Renata, que foi morar no bairro há 17

manhã no jardim, acompanhado dos micos

anos, depois de vender um apartamento

que visitam o lugar.

no Leblon. “Não é só no transporte. Nós

A dona é uma jornalista que, nas horas vagas, planeja programas para os seus hóspedes. Renata Bernandes indica visitas ao Parque das Ruínas e ao Museu da Chácara do Céu e, claro, uma circulada

já desenvolvemos hortas nos nossos quintais que forneciam ervas medicinais para o posto de saúde pública. É cidadania. O morador de Santa Teresa leva isso muito em conta.”

pelos botequins, como o Bar do Gomes,

Esse morador de Santa Teresa é uma

o Bar do Mineiro e a Adega do Pimenta.

mistura de artistas plásticos, funcionários

Quando o hóspede quer ir à praia ou

públicos aposentados, hippies de várias

conhecer pontos turísticos como o

espécies, músicos, gringos de toda a parte

Corcovado (a poucos quilômetros dali) ou

do mundo e, fundamentalmente, pessoas

o Maracanã, ela é capaz de tirar o próprio

que adoram morar ali.

GUIA TURÍSTICO DE SANTA TERESA

Onde ficar • HOTEL SANTA TERESA O prédio é uma antiga fazenda colonial reformada para receber um spa, um bar sofisticado, um restaurante francês e obras de arte recolhidas em várias partes do Brasil. Rua Almirante Alexandrino, 660, tel. (21) 3380-0200, www.santa-teresahotel.com. Preços entre R$ 750 (Superior Room) e R$ 2.900 (Loft Suíte)

36 Revista Herbarium| Agosto 2010

tel. (21) 2507-6007, www.casadarenata.com. br. Preços entre R$ 100 (solteiro no quarto simples) e R$ 190 (casal em suíte com arcondicionado).

Onde comer • APRAZÍVEL Restaurante que junta bom gosto, um visual privilegiado da cidade e uma cozinha de alto nível, com variações criativas da culinária brasileira. As mesas ficam espalhadas nos jardins, pátios, varanda e gazebos. Madonna, quando esteve no Rio em janeiro, jantou (e tomou muita caipirinha!) por lá, antes de descer as ladeiras para assistir a um show no Circo Voador. Um lugar para deixar o tempo passar. Ah!, os preços não são baixos, não.

• CASA DA RENATA Hospedaria que funciona dentro do programa Cama e Café (www.camaecafe. com.br), criado no bairro há sete anos. É uma casa antiga e charmosa, com três quartos disponíveis, um deles com arcondicionado e banheiro privativo. Para quem quer um lugar com o astral do bairro a preços mais em conta. É mais ou menos como ficar na casa de amigos.

www.aprazivel.com.br. Aberto de terça a

Rua Almirante Alexandrino, 1086,

domingo.

Rua Aprazível, 62 , tel. (21) 2508-9174,


O lugar foi um dos primeiros pontos de ocupação dos portugueses que, espertos, trataram de subir os morros para, dali, ter uma visão completa da Baía de Guanabara e dos possíveis ataques de estrangeiros. A vida do carioca, desde então, sofreu muitas mudanças, mas o espírito do bairro permanece o mesmo.

Os chamados “pés-sujos” também. O único cinema do bairro abriga, às vezes, reunião da associação de moradores, como a que, em março, juntou gente para organizar um plano de socorro às vítimas das enchentes e deslizamentos que afetaram gravemente o lugar. A coleta de lixo para reciclagem

Andar por suas ruas de paralelepípedos

foi pioneira em toda a cidade e, segundo

– muitas delas cortadas pelos trilhos do

a Comlurb, que cuida da limpeza urbana

bonde – é estar em contato com um

no Rio, é onde se tem os melhores

outro Rio de Janeiro. As casas têm as janelas escancaradas para a curiosidade do passante, os ateliês se abrem ao visitante (anualmente, em julho, acontece o Santa Teresa de Portas Abertas), as rodas de samba e de choro se multiplicam

resultados. A própria Comlurb fez outra descoberta sobre o bairro baseada no que viu no lixo: os moradores de lá são os que menos consomem remédios na cidade – e preferem chás e fitoterápicos. Santa Teresa está tinindo para agradar a

e o sobe e desce das ladeiras sugere uma caminhada lenta. Restaurantes

gente como Sophie que, apesar do pouco

sofisticados como o Aprazível (que

tempo ali, já sabe se expressar quase

recebeu Madonna em sua última visita

como uma carioca da gema: “Carrraca!

à cidade) e o Espírito Santa vivem cheios.

Bom demais aqui.”

• ESPÍRITO SANTA A chef manauara Natacha Fink serve receitas de todas as regiões do Brasil. Só de arroz há quatro pratos diferentes no cardápio, que também tem opções de peixes e frutos do mar, frango e saladas.

carioca, com mesas de madeira e mármore, balcão comprido e frequência animada. A boa é experimentar o famoso pastel de feijão – ou então investir na clássica dobradinha prato do dia e cerveja gelada.

Rua Almirante Alexandrino, 264, Largo dos

tel. (21) 2221-9227.

Guimarães, tel. (21) 2508-7095, www.espiritosanta.com.br.

• BAR DO GOMES É um típico armazém, com suas estantes de madeira e vidro forradas de garrafas de diversas procedências. Um ótimo lugar para tomar um chope gelado ou cerveja de garrafa e comer um dos famosos sanduíches da casa. Tem uma carta de cachaças respeitável. Rua Áurea, 26 (esquina com Rua Monte Alegre), tel. (21) 2232-0822.

• BAR DO MINEIRO É, possivelmente, o mais concorrido de todos os botecos do bairro. E é um típico botequim

Rua Paschoal Carlos Magno, 99,

• BAR DO ARNAUDO A especialidade é a cozinha nordestina, com clássicos como carne de sol, feijão de corda, aipim cozido ou frito e farofa de abóbora. Rua Almirante Alexandrino, 316,  loja B, tel. (21) 2210-0817.

O que fazer • BONDE É inevitável: o turista que estiver em Santa Teresa em algum momento terá que pegar o bondinho, o único em funcionamento na cidade. O bonde dá ao turista a chance de

passear por todos os recantos do bairro – dos Arcos da Lapa ao charmoso Largo das Neves. Estação na Rua Lélio Gama, s/n.   Passagem: R$ 0,60. 

• MUSEU DA CHÁCARA DO CÉU Uma construção de 1954, abriga obras de Miró, Matisse, Guignard, Di Cavalcanti e Iberê Camargo, entre outros. Além de conferir o acervo, o visitante pode circular pelos belos jardins do museu, que permitem uma visão de 360º  da Baía de Guanabara.  Rua Murtinho Nobre, 93, tel. (21) 2224-8981. Entrada: R$ 2. Grátis para menores de 12 e maiores que 65 anos. Fecha às terças-feiras. 

• PARQUE DAS RUÍNAS O parque é o que restou do Palacete Murtinho Nobre. Do deque onde está o café tem-se uma vista espetacular de toda a cidade. Só por isso já vale a visita. Rua Murtinho Nobre, 169, tel. (21) 2252-1039. Grátis.

37 Revista Herbarium | Agosto 2010


ARTE | Keith Haring para maiores e menores Talvez você não ligue o nome à pessoa, ou melhor, à obra. Mas certamente as figuras coloridas e suingadas acima lhe são bastante familiares. Elas são trabalhos do artista plástico americano Keith Haring, morto há 20 anos em consequência de aids. Para lembrar a data, a Fundação Keith Haring traz ao Brasil uma mostra com 94 obras – incluindo gravuras, litografias e desenhos – que serão expostas nas galerias da Caixa

Cultural (www.caixacultural. com.br). A exposição começa a percorrer o país por São Paulo (de 31/7 a 4/9), segue para o Rio de Janeiro (27/9 a 27/10) e depois deve chegar a Belo Horizonte, Salvador, Curitiba, Porto Alegre e Brasília, em datas a serem confirmadas. Paralelamente, haverá oficinas de arte específicas para crianças (com a participação de artistas amigos de Haring), além de palestras, vídeos e animações

sobre prevenção da aids dirigidos também a jovens e adultos. Arte com preocupação social era uma das bandeiras do artista, que morreu aos 31 anos. Ele sempre fez questão de levar suas obras às ruas – sua fama começou a crescer com os desenhos a giz feitos no metrô de Nova York nos anos 1980. As figuras deixadas por ele no Muro de Berlim, assim como um painel na Avenida Sumaré, em São Paulo, não existem mais.

À Nina (e a todas as crianças) Keith Haring era um artista que valorizava um público em especial: o infantil. Em 1988, ele presentou sua amiguinha Nina Clemente – a filha de sete anos do pintor italiano Francesco Clemente – com um livro escrito e ilustrado por ele. O Livro da Nina Para Guardar Pequenas Coisas seria lançado nos Estados Unidos quatro anos mais tarde. A ideia da obra era tornarse um objeto pessoal de Nina, para desenhar, pintar, colar adesivos, fotos dos amigos, lembranças de um dia no circo e até pensamentos – desde que fossem pequenas coisas. O livro ganhou uma tradução brasileira da editora Cosac Naify, que lançou também “Ah, se a gente não precisasse dormir”, uma introdução da obra de Haring para as crianças.

38 Revista Herbarium| Agosto 2010


39 Revista Herbarium | Agosto 2010


1985 - 2010

A partir de 2010

Revista Herbarium Edicao 01  

Revista Herbarium

Advertisement