Page 1

09 de Março de 2014 - nº55 folhadoes.com

R$1,50

MIMOSO SECRETARIO É EXONERADO Maurício Paiva, ex-candidato a vice-prefeito de Mimoso e que foi afastado das Eleições/2012 por causa da Ficha Suja, passou a ocupar a chefia de Gabinete na prefeitura de Mimoso do Sul em maio de 2013.

LUIZ CARLOS OLIVEIRA

O MENTIROSO O presidente da AGERSA, Luiz Carlos, vem mentindo para a popula;áo sobre a concessáo da Flecha Branca que vai até 2030 pelo contrato. Quer utilizar debates com a comunidade como pano de fundo, por ordem do prefeito, para quebrar o contrato com a viação. O PT quer implantar uma empresa de transporte de seu controle para caixa dois.


02 > FOLHA,

09 de Marรงo de 2014


A edição atual recomenda o leitor refletir. Na campanha de 2012, para sua reeleição, o prefeito Carlos Casteglione (PT) utilizou como plataforma eleitoreira a implantação do sistema de transporte já nos primeiros meses de 2013. Mentiu. A FOLHA restabelece a verdade, narrando os fatos. Em debate que seu concorrente não foi, no auditório da Faculdade de Direito de Cachoeiro de Itapemirim (FDCI), gravado e promovido pelo Diretório Acadêmico, disse em som audível, quando questionado sobre a concessão da Flecha Branca, que contrato juridicamente perfeito não se quebra. Disse a verdade. Na televisão e nos horários gratuitos eleitorais, entretanto, continuou mentindo. Venceu as eleições, surpreendentemente, até janeiro deste ano promoveu uma série de ações em conjunto com a Flecha Branca. Então, quando em outubro pede para o presidente da Agersa mentir, para ganhar tempo, com audiên-

editorial

Porque a motivação não é dar voz ao povo, antes usálo, para continuar mentindo.” cias públicas, como estratégia, continua mentindo. Como até janeiro fazem campanha em conjunto com uma empresa que, agora, diz não atender aos critérios estabelecidos pelo contrário? Porque a motivação não é dar voz ao povo, antes usá-lo, para continuar mentindo. Como um prefeito manda o presidente da Agersa romper a renovação em outubro (ato premeditado e criminoso), sem comunicado de seis meses antes, quando o contrato vence em 25 de março de 2005?

Porque faz propaganda eleitoral antecipada de seus candidatos petistas em cima de uma base de promessas não cumpridas por ele próprio. Mentiroso. A Flecha Branca não pode continuar (o verbo está no gerúndio no contrato) se o prazo não expirou e se a clausula 2.1 (que se baseiam para interromper a renovação) for cumprida- caso não esteja – em tempo hábil? Que tipo usurpador de direito é este? Este editorial ainda faz um questionamento às autoridades competente, dentro do tema Transporte Urbano: como a empresa CoppeSerrana , que transporta alunos, consegue funcionar ano inteiro de 2013 sem licitação, envolvendo milhões? Esta revista não tem resposta, infelizmente, para dar aos seus leitores. A matéria não termina aqui sobre o mentiroso e todas as mentiras, podendo afirmar: a verdade não é esta sobre a concessão Flecha Branca que merecia um debate com ética, moralidade e legalidade.

Diretor Executivo Marcos Paulo Tristão (marcostristao@folhadoes.com)

35

37

24

esporte

economia

carnaval

Zezinho encara desafio no continente africano.

Sicoob Sul lucra R$ 29,7 milhões em 2013

Carnaval com muitas mortes no litoral sul

COLUNISTAS PEDRO VALLS FEU ROSA FERNANDO GUIMARÃES AILTON WELLER WILSON MÁRCIO DEPES CLEBEN GARCIA

MARCOS TRISTÃO

JACKSON RANGEL

Acompanha a FOLHA nas redes sociais | twitter.com/folhadoes | fb.com/folhaes.com.br

Conselho Executivo Marcos Tristão Conselho Editorial Ailton Weller Colunistas Pedro Valls Feu Rosa Julio Carlos Amorim Francisca Paris Wilson Márcio Depes Design Gráfico Tamyres Santos Periodicidade Semanal Litoral Sul Fernando Guimarães Tiragem 6.000 Contato contato@folhadoes.com redacao@folhadoes.com publicidade@folhadoes.com (28) 3521-8044 www.folhadoes.com 09 de Março de 2014 FOLHA

> 03


#opinião faleconosco@folhaes.com

1 - PRESO ACUSADO DE ASSASSINAR A TIROS O JOVEM MOTOBOY PAULO ARTHUR NO BAIRRO ZUMBI ValdenesBordoni :gloria a DEUS LUGAR DE BANDIDO E NA CADEIA Robertoeheleni Lopes : ESTUDOU PRA SER VAGABUNDO,VAI AMARGA UM POUCO NA CADEIA SEU ASSASSINO, LA E SEU LUGAR CRAPULA. Gemima Cabral da Silva : Meu Deus! Foi meu aluno. Maria Lucia Caetano : O coloca por engano na cadeira elétrica, Talvez assim muitos vão pensar duas vezes antes de matar por qualquer coisa.

2 - CACHOEIRENSE TRANSEX QUE TEVE AFFAIR COM ROMÁRIO BEIJA MISS BUMBUM EM PRAIA DO RIO Tania L Rezende Leal : não consigo entender mais nada, ela virou mulher ou ainda tem gosto de homem. tudo pelo sucesso na mídia. Larissa Costa : Quando a pessoa não tem como se manter na mídia, faz isso. Igual a Geyse Arruda com o negócio da couve-flor. Luciara Silva : um bando de gente preguiçosa que gosta de boa vida e não gosta de fazer nada. 04 > FOLHA,

09 de Março de 2014

Assuntos mais comentados *Foz do Brasil pratica tarifa mais cara do ES *Cachoeiro vive em situação de falência *Atendimentos no verão praticamente dobram

3 -JOVEM MORRE E CINCO FICAM FERIDOS EM TIROTEIO NA PRAIA DE IRIRI-ES Geise Louzada : Iriri no carnaval simplesmente é um inferno de gente, e infelizmente nem todos vão lá pra brincar. Triste fato, menino tão novo, já com a vida interrompida. Lamentável... Gilceny Rainha : Deus sabe de todas as coisas e a única certeza que nós temos é a morte. Neste momento, segurem na mão de Deus. Carlos Geraldo Carvalho : Fiquem com Deus Rosa Malena e Geraldo, Elzinha Regina e Atílio estamostristes. Podemos imaginar o que vocês estão sentindo. Éoo Candido : Molequeboom com o futuro interrompido... William Jose Santos : O conhecia, novo, novo, vai em paz! Fábio Marcolino de Lima : Ele já tinha sido preso ano passado por roubo. Morreu, mas não era santo! Renata Freire Guimarães :VELÓRIO ... REZEM PAIS, NOSSOS FILHOS PRECISAM MAIS DE DEUS! Eliane Duarte : Meu deus tenha misericórdia o jovem estão morrendo cada dia, mascedo.

4-HOMEM SOFRE ACIDENTE E PERDE SACO ESCROTAL NO BAIRRO VILAGE EM CACHOEIRO- ES Comentários: Geise Louzada : Sorte que não perdeu o resto. Marcelo Fraga Ignacio : Do jeito que as coisas vão, só capacete não vai ser suficiente pra andar de moto. Escolta Armada : Tipo....hã..... perdeu o batebeg ????? Alexsandra Victorio :esse vai sofrer Fabiano Caciano : Chega ai cara vamos trocar uma ideia. Não,estou sem saco pra isso. Jonathan Gremasco : cara como isso aconteceu!! Claudio Justiceiro :VAMOS ANDAR COM MAIS ATENÇÃO GENTE. Jean Francisco da Silva : Nus, que sacanagem

5 - RACHA DE MOTO FAZ VITIMA FATAL NA RODOVIA DO FRADE: Comentários: Elizabeth Cristina: Não foi divulgado nome ainda... Elizabeth Cristina Dos Santos Segundo eu soube, foi perto do Posto Dantas na Safra. Ele era de Rio Novo. Octavio Rodrigues na ES-488 (próximo ao Posto Dantas) em Cachoeiro-ES.


Zito está deixando a presidência da Selita//Vai tentar fazer sucessor em uma disputa épica com Rubens Moreira//Luizinho Terere tenta agora reaver seu mandato na justiça//Vereador Júlio Ferrari visto no MP na última quarta-feira//Devia estar delatando alguém///Luciano Cortez precisa domestica Rodrigo Enfermeiro//Prefeito de Itapemirim Dr. Luciano não está conseguindo administrar as questões politicas no município//Ferraço atacando o desembargador Feu Rosa// Tem um ditado que diz assim “quem com ferro fere, com ferro será ferido//Vargem Alta está dividida politicamente// Celso Costa///Marcos Carvalho//Mário///MP pediu a suspensão do aumento na tarifa de água e esgoto//Agersa e Foz pediram dez dias para provar que o aumento é legal///Flecha Branca fica até 2030//Bobo é que está indo nessas reuniões sobre transporte nos bairro//Vilson da Unes/// Cadê os alvarás??// Vereador Amaral virou um leão sem dente///Muitas mortes em Cachoeiro//Violência proliferando///Academias de Cachoeiro comercializando produtos proibidos pela Anvisa//Folha vai denunciar///Concurso Garota Folha é um sucesso//Acesse www.folhadoes.com//Tudo em tempo real///Clemente Sartório sumido///E o caso da fraude dos CPF`S na prefeitura//MP quieto//Tu és o meu Deus, e eu te louvarei; tu és o meu Deus, e eu te exaltarei. Salmos 118:28//Ruberval Rocha está deixando a presidência da Acisci//Pedrinho deve assumir//Vamos em frente!

Mario Eugenio

marioeugenio@folhadoes.com

Pobreza e saúde De boas intenções o inferno está cheio, não? As intenções, especialmente dos políticos, devem estar focadas em políticas públicas voltadas para as crianças, pois uma pesquisa da Universidade de Michigan encontrou evidências de que os hábitos na infância impactam a saúde do idoso. E muitos desses hábitos provavelmente causarão o diabetes, obesidade e doenças cardíacas. É o resultado prático do estudo feito por pesquisadores daquela universidade, que analisou dados históricos de quase 147 mil idosos, em 25 países, de diferentes níveis de renda, na África, Ásia, Caribe, Europa e América. As descobertas fornecem uma mensagem relevante para os políticos interessados em saúde pública. As pessoas nascidas em países em desenvolvimento na década de 1930 até os anos 1960 viveram suas infâncias em um momento singular da história humana, houve um rápido aumento da expectativa de vida, principalmente pelo desenvolvimento de antibióticos, vacinas e outras inovações médicas. Pelo mundo afora, encontram-se muitos bons programas que tentam melhorar a saúde das pessoas. As intervenções de saúde pública e os avanços na medicina têm aumentado a expectativa das pessoas sobreviverem a condições muito duras no início da vida, mas pouco adianta se a saúde no futuro ficar comprometida. E este futuro é uma preocu-

Ocrescimento da população de idosos é uma tendência mundial pação para quem é responsável pelas políticas públicas voltada para idosos. E o crescimento da população de idosos é uma tendência mundial. É preciso estar preparado, pois isso vem juntamente com aumentos previstos na diabetes e doençascardíacas. Assim, intervenções adequadas devem ser postas em prática e incluindo as crianças. Este estudo aparece no livro recém-lançado “Early Life Conditions and Rapid Demographic Changes in the Developing World: Consequences for Older Adult Health”, financiado pelo National Institute on Aging, do National Institutes of Health. É um livro que preenche as expectativas de interesse do povo americano e também útil para todos os cidadãos de outros países.

As pessoas nascidas em países em desenvolvimento na década de 1930 até os anos 1960 viveram suas infâncias em um momento singular da história humana 09 de Março de 2014 FOLHA

> 05


Sinopse POLITICA

Clima esquentou

O clima de campanha politica já começou na Assembléia Legislativa do Espirito Santo. Apesar de ainda faltarem quatro meses, deputados tentam aumentar seus redutos eleitorais e entram em conflito no Sul do Estado.O principal alvo é o deputado Glauber Coelho (PSB) que é acusado pelos demais deputados de obter informações privilegiadas e invadir o reduto eleitoral dos demais.

POLITICA

Morre o deputado Sérgio Guerra

As agremiações carnavalescas Unidos do Zumbi e Explosão do Novo Parque são as campeãs do desfile de Carnaval de Cachoeiro de Itapemirim. Em seguida, ficou a Independentes do Aquidabã. Elas empolgaram o público no desfile de sábado (1º), quando seis blocos se apresentaram na Linha Vermelha. POLITICA

O deputado federal pernambucano Sérgio Guerra, ex-presidente nacional do PSDB, morreu aos 66 anos em São Paulo, na manhã de quinta-feira (6), informou a assessoria do partido. Ele estava internado havia cerca de 15 dias no hospital Sírio-Libanês. Guerra tinha câncer de pulmão, e uma pneumonia agravou seu estado de saúde.

DEPUTADO QUER POLICIA 24H NOS HOSPITAIS

Com o objetivo de aumentar a segurança em instituições públicas de saúde do Estado, o deputado estadual Doutor Hércules (PMDB) apresentou a Indicação 59/2014. Por meio dela, solicita ao governador do Estado, Renato Casagrande (PSB), a presença da Polícia Militar (PMES) durante 24 horas nessas instituições. 06 > FOLHA,

09 de Março de 2014

“EU NÃO ESTOU PROPONDO REDUÇÃO PURA E SIMPLES DA MAIORIDADE. SOMENTE EM CASOS EXCEPCIONAIS, QUANDO O ADOLESCENTE COMETA CRIME HEDIONDO, O JUIZ DA INFÂNCIA E DA ADOLESCÊNCIA PODE APLICAR A LEI PENAL”, Senador Aloysio Nunes, sobre a proposta de redução da maioridade penal


entrevista

ROMÁRIO DE SOUZA FARIA – DEPUTADO FEDERAL (PSB) Se resta uma analogia entre o deputado federal e o jogador de futebol é a que Romário fala como jogava. Mexe-se pouco na cadeira. Olha para baixo, para os lados, parece não estar prestando atenção na pergunta do interlocutor. Mas cada resposta é um chute certeiro. As boladas atingem parlamentares, o próprio partido, a Fifa, a CBF e até a Presidência da República. Ele jura não saber escalar nem mesmo os 11 titulares da Seleção de Luiz Felipe Scolari, mas não se priva de opinar sobre o líder do Brasileirão, a mobilização dos jogadores por calendário mais justo e, claro, sobre os gastos bilionários na Copa do Mundo. O QUE O SENHOR CONSIDERA SUA PRINCIPAL CONQUISTA? A maior foi uma conquista pessoal. Foi ter credibilidade como parlamentar. No começo, as pessoas duvidavam. Perguntavam-se o que eu vim fazer aqui. Achavam que eu seria mais uma dessas personalidadezinhas que vêm aqui para fazer número,cumprir o mandato e ir embora. Quando eu tomei essa decisão de concorrer a Deputado Federal,eu sabia que ia ter algumas dificuldades. Aí eu me elejo como o mais votado do partido no Rio e entro em um mundo 100% novo. Mas eu sempre superei dificuldades na vida e tinha consciência de que, na política, não seria diferente. JÁ É POSSÍVEL PERCEBER MUDANÇA? Sim, é o mais legal disso. Perceber que, de uns três anos para cá, as pessoas estão levando os seus irmãos, seus primos com deficiência para a rua. É uma mudança de mentalidade. Ao longo dos anos, fui acumulando outras bandeiras: a das pessoas com doenças raras, o combate a essa praga que

convidou a assumir. SERIA POSSÍVEL REALIZAR UMA COPA NO BRASIL GASTANDO MENOS? Tenho certeza que sim. Com menos da metade do que se gasta hoje seria possível fazer uma excelente Copa e deixar o brasileiro feliz com um evento dessa magnitude. E esse 60% de sobrepreçoaí ?que infelizmente a gente sabe que aí entra o roubo do dinheiro público ? poderia melhorar hospitais, escolas, a acessibilidade. Os problemas serão até maiores depois dos eventos, porque, para gastar bilhões, você tem de deixar legado. Na minha concepção, são 12 arenas novas e pouquíssimas melhorias em aeroportos. tomou conta do país que é o crack e essa minha postura bastante combativa contra os gastos exorbitantes em grandes eventos: Copa do Mundo, Copa das Confederações, Olimpíada e Paraolimpíada. O SENHOR ENSAIOU UMA SAÍDA DO PSB E VOLTOU. O QUE ACONTECEU? A minha situação no PSB do Rio era muito complexa. Nós estávamos engessados por um acordo do partido até 2020. Eu teria de concorrer, para sempre, a deputado federal. E a minha comunicação com a presidência nacional do partido era... Na verdade não era nada. Nunca existiu. Eu não sabia o por quê. O líder do partido, lá do teu Estado, o Beto Albuquerque, foi um cara importante para a minha volta. Por meio do Beto e de outros deputados eu acabei conversando com o Eduardo Campos (governador de Pernambuco) aqui em Brasília. Ele tirou o presidente do partido lá do Rio e, no dia seguinte, me

COMO O SENHOR AVALIOU A ALIANÇA EDUARDO CAMPOS E MARINA SILVA? Eu achei bastante positiva. Apesar de serem pessoas bem diferentes até na forma de fazer política, o que eles têm em comum de bom: são dois políticos do bem. Duas pessoas que querem fazer uma política nova e não esse roubo que tem acontecido no governo atual. O SENHOR NÃO SE PREOCUPA EM PASSAR IMAGEM NEGATIVISTA, DE QUEM TORCE CONTRA A COPA? Não, pelo contrário. Ninguém mais do que eu desejou essa Copa e ninguém mais do que eu deseja que seja um sucesso. Estou na mesma torcida de todos. Mas se alguém disser que o que está acontecendo em relação à Copa no Brasil é positivo para o país, eu vou chamar de mentiroso. Ou pode ser ignorância. Eu vivo todo dia a Copa. Meu gabinete aqui está sempre em cima de TCU, CGU, TCE, Polícia Federal, Ministério Público... A gente quer saber! Outros, por não ter essa bandeira, não acompanham. Agora, se alguém me vê como corneteiro, eu só lamento. 09 de Março de 2014 FOLHA

> 07


artigo Pedro Valls Feu Rosa

Rabo abanando o cachorro

J

osé foi assaltado. Levaram o carro dele. Ao chegar em casa de táxi, ele imediatamente assumiu a culpa pelo roubo: “eu dei bobeira, não deveria ter parado naquele semáforo”. Maria foi estuprada, e quase morreu. Ao prestar depoimento, ela deixou bem clara sua responsabilidade pelo episódio: “eu vacilei, não deveria ter ido comprar pão sozinha”. Um ladrão arrancou o telefone celular das mãos de João enquanto ele atendia uma ligação. Ele – o João, e não o ladrão – assumiu total culpa pelo crime: “eu não sei onde estava com a cabeça quando fui atender uma ligação no meio da rua”. Maria foi morta durante um assalto. Ela gritou e acabou levando um tiro. Por ocasião de seu enterro, Maria foi condenada por todos os presentes: “que estupidez dela ter gritado, todo mundo sabe que durante um assalto o melhor é ficar em silêncio”. Mário, um dedicado Policial Militar, foi morto a tiros por traficantes do morro no qual morava. Seus familiares, entrevistados por um jornalista, o recriminaram duramente: “ele sempre foi cabeça-dura, nunca quis esconder a farda quando voltava para casa”. No mesmo morro Paulo, um líder comunitário, foi esfaqueado até a morte pelos mesmos traficantes. Seus amigos o criticaram ferozmente: “que falta de juízo, procurar a Polícia para denunciar que o crime estava dominando o morro”. Marcos teve sua loja assaltada, e quase levou um tiro. Seus empregados reclamaram dele: “que estupidez, deixar aquele monte de mercadoria exposta na vitrina”. Marcos passou a deixar tudo trancado em um cofre. Mas a loja foi assaltada de novo, e um de seus funcionários, após quase levar um tiro por ter demorado a abrir o cofre, 08 > FOLHA,

09 de Março de 2014

agrediu-o violentamente: “seu miserável, fica trancando tudo, mais preocupado com as mercadorias do que com a gente, e quase levamos um tiro por sua causa”. Carlos estava jantando com sua namorada em um movimentado restaurante quando uma quadrilha armada saqueou todos os clientes. Seu futuro sogro não gostou: “este rapaz é um irresponsável, ele sabe muito bem que não estamos em época de ficar bestando por aí, jantando fora, e acabou passando por um assalto e traumatizando minha filha”. Joel entrou em um subúrbio com o caminhão da empresa para entregar pacotes de biscoito nos bares de lá. Após ter tido os produtos e o caminhão roubados, e quase ter sido morto, foi despedido por seu chefe: “que sujeito burro, ir com o caminhão lá naquele bairro sem pedir licença para o líder do tráfico local”. Patrícia viajou a negócios. Desembarcou no aeroporto com seu “notebook” e tomou um táxi. Não conseguiu andar dois quarteirões – foi assaltada em um semáforo. Na empresa, foi imediatamente repreendida: “você não poderia ter desembarcado sem antes esconder o “notebook”, deste jeito você pediu para ser assaltada”. E é assim, de exemplo em exemplo, todos já parte do nosso cotidiano, que vamos chegando a uma verdadeira “rotina do absurdo”. Aqui no Brasil é tão normal um cidadão ter medo de andar pelas ruas, é tão comum um policial ter que esconder sua profissão para não morrer, é tão usual pessoas terem que pedir permissão a traficantes para subir em morros e é tão rotineiro abrir-se mão da cidadania mais básica que já não causa surpresa as vítimas estarem se transformando em culpadas pelos crimes. Diante desta tenebrosa realidade, patrocinada pela fraqueza e falta de firmeza das nossas instituições, talvez já não nos cause surpresa ver um rabo abanando um cachorro... *O autor é presidente do Tribunal de Justiça do ES


artigo

Ricardo Ferraço Afronta ao Parlamento e à Constituição

I

ndependência e harmonia. Essa é a relação básica entre os três poderes da República, consagrada por Montesquieu em O Espírito das Leis e reafirmada como princípio fundamental da República Federativa do Brasil no segundo artigo da Constituição. O equilíbrio entre intervenção e autonomia é garantido pelo sistema de freios e contrapesos, de forma a evitar possíveis abusos ou autoritarismo por parte de qualquer um dos três poderes. A teoria política dá razões de sobra para frear, na prática, o abuso cometido pelo Tribunal Superior Eleitoral ao editar a resolução 23.396/2013, no final do ano passado. A resolução, que retira do Ministério Público e da Polícia Federal a possibilidade de requerer, sem autorização da Justiça Eleitoral, a instauração de inquérito para apuração de crimes eleitorais, é flagrantemente ilegal e inconstitucional. Ultrapassa, em muito, as atribuições normativas do tribunal. Qual é a justificativa para, justo agora, às vésperas das eleições, alterar resoluções anteriores e limitar os poderes de investigação da Polícia Federal e do Ministério Público em matéria eleitoral? Mais que isso: como podem os ministros do TSE se julgar no direito de limitar os poderes da Polícia Federal e do Ministério Público, a despeito da Constituição e do Congresso Nacional? Uma resolução vale mais do que a

Isso inclui, evidentemente, questões eleitorais

lei? Mais do que a Constituição? Não cabe ao TSE, nessa matéria ou em qualquer outra, substituir o Parlamento. Vale ressaltar que, ao rejeitar a PEC 37, meses atrás, o Congresso já havia deixado bastante claro que o Ministério Público tem a função institucional de investigar irregularidades qualquer que seja a área de investigação. Isso inclui, evidentemente, questões eleitorais. Além de ser uma afronta à competência legislativa do Parlamento e à Constituição, a resolução 23.396/2013 representa um retrocesso democrático sem tamanho. Um retrocesso que o Congresso por certo haverá de evitar, aprovando projeto de decreto legislativo por mim apresentado para suspender a resolução do TSE. As eleições são o instrumento mais importante da democracia brasileira. Por isso mesmo, a fiscalização do processo eleitoral deve ser feita da maneira mais independente possível. Nunca é demais lembrar que o Ministério Público atua justamente como fiscal da aplicação da lei e precisa de liberdade para poder agir. Como legítimos representantes do povo brasileiro, deputados e senadores não podem se curvar a decisões arbitrárias de outros Poderes. Montesquieu, com seu sistema de pesos e contrapesos do século XVIII, continua mais atual do que nunca. *Ricardo Ferraço é senador pelo PMDB/ES e presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional. 09 de Março de 2014 FOLHA

> 09


artigo Wilson Márcio Depes Cachoeiro, um ponto de interrogação?

Q

uem acompanha de perto – e faz uma comparação – entre Cachoeiro da década de 70 e de hoje – sabe quanto seria importante um Governador que pudesse olhar de perto e com compreensão técnica e histórica nosso município. Tenho lido declarações do prefeito Casteglione sobre o estágio que chegou nossas finanças e, sobretudo, a nossa participação no bolo tributário. É de estarrecer. Não é admissível, em hipótese alguma, que em condições normais a Prefeitura feche suas portas uma parte do dia com apenas um expediente. Passo ali pelo “Palácio da Cidade” e vejo a que ponto chegou a situação. Todas as portas e janelas fechadas na parte da tarde, enquanto os contribuintes trabalhando de sol a sol. Não quero aqui escrever uma crônica aprofundada. Pelo contrário. Estou transitando apenas na superficialidade dos fatos. Mas, mesmo assim, não posso fugir de uma lógica irrefutável: a candidatura do senador Ricardo Ferraço seria muito importante para nosso município. Independente de qualquer conjectura política, Ricardo, com atuação brilhante no Senado, há de ter uma visão mais profunda – e mesmo comparativa – dos problemas de Cachoeiro. Aliás, um município com uma economia bem sólida que se deixou abater por falta de um planejamento estratégico de médio e longo prazo. Não sei – porque não tenho acom10 > FOLHA,

09 de Março de 2014

“O fato é que não podemos ficar esperando oscilantes “ajudas”

panhado de perto as injunções políticas - mas acredito que o cachoeirense teria que cerrar fileiras, como diria o professor Deusdedit Baptista, em torno de eventual candidatura de Ricardo ou, sei lá, outro candidato, não sei. O fato é que não podemos ficar esperando oscilantes “ajudas” financeiras dos poderes maiores. Há que se apresentar um projeto com caminhos definidos, sem improvisação. Os tempos já não permitem soluções sem respaldo técnico. O trânsito, por exemplo, alguém se contentará apenas com algumas mudanças ocasionais? Elas duraram apenas alguns meses, mas logo estaremos enfrentando o caos. Mas qual é o foro desse debate? Eu não sei. E você, leitor, sabe? Entendo, e falo isso como cachoeirense que já atuou na administração pública, que a candidatura de Ricardo deve ser defendida por nós, a não ser que o caro leitor, democraticamente, vislumbre uma alternativa melhor. O momento é propício para uma reflexão. As coisas acontecem e a espera é perda de tempo, pois não representa paciência, mas sim o irreversível passar do tempo. O tema, superficialmente tratado, exige que seja absorvido não só como um momento político precioso, mas, sobretudo, como a necessidade de traçar caminhos futuros para um município que vive sob a tutela de um ponto de interrogação.

*A autor é advogado


artigo Luiz Flávio Gomes Magistratura oprimida

P

rimeiro foi o presidente do STF, Joaquim Barbosa, que disse que os juízes são tendencialmente adeptos da impunidade (o que, evidentemente, não é verdade – daí a reação das associações de juízes). Em palestra proferida no curso Iniciação Funcional de Magistrados, o delegado Josélio Azevedo de Souza, do Serviço de Repressão a Desvios Públicos do Departamento da Polícia Federal (PF), pediu uma atuação “mais firme” da magistratura para diminuir a impunidade nos casos de corrupção no Brasil. Esses discursos políticos opressivos contra os juízes (a pena é um ato político, dizia Tobias Barreto) estão se tornando unanimidade no nosso país (mas toda unanidade é burra, dizia Nelson Rodrigues). Uma das mais nefastas consequências do populismo penal consiste na pressão que se faz contra a magistratura para que haja maior rigor penal, sob a crença mágica de que isso resolve o problema da criminalidade (veja nosso livro Populismo penal midiático, Gomes e Souza, Saraiva, 2013). Nada mais incorreto. Desde 1940 o legislador brasileiro tornou-se adepto do rigorismo penal (Luís W. Gazoto). A criminalidade, até hoje, com essa equivocada política criminal, só aumentou. A política puramente repressiva é enganosa. Aliás, é um engodo do regime democrático. Há um grande equívoco discursivo sobre o papel do juiz no Estado Democrático de Direito. Quem conta com o poder punitivo (quem o exerce verdadeiramente) são os órgãos do executivo (polícia, sobretudo). O discurso jurídico-formal (nos livros e nas academias) afirma algo

“A impunidade é inerente ao poder punitivo.”

irreal. Ele diz: “Os legisladores manipulam o poder punitivo (em razão doprincípio da legalidade penal), os juízes aplicam a lei penal e os policiais fazem o que os juízes ordenam” (Zaffaroni, 2012, p. 433). Nada mais enganoso. A dinâmica do real poder punitivo é exatamente o contrário, ou seja, os legisladores procuram demarcar o poder punitivo sem ter a mínima ideia sobre quem ele irá recair (e quando), porque é a polícia que faz a seleção criminalizadora. Quem exerce efetivamente o poder punitivo é a polícia (primordialmente). Quem escolhe a clientela (pobre ou rica) da Justiça criminal é a polícia. O juiz, que não tem o poder de seleção dos casos, fica sempre subordinado ao que lhe é posto sobre a mesa. Julga pouquíssimos casos criminais, porque são pouquíssimos os casos investigados (com sucesso) e denunciados (algo que não passa de 3 ou 4% de todos os crimes cometidos). A impunidade é inerente ao poder punitivo. Não existe poder punitivo no mundo que alcance 100% dos casos. O tolerância zero é uma utopia reacionária (Ferrajoli) que faz parte do engodo do populismo penal. O poder punitivo só consegue alcançar (seja rico ou pobre o criminoso, mas sempre maior é a última categoria) alguns casos esparsos. São amostras. O criminoso já conta antecipadamente com essa impunidade generalizada. Falta no nosso país uma política de prevenção, que é a única solução correta para o problema da criminalidade. *O autor é Jurista 09 de Março de 2014 FOLHA

> 11


Moda & Consultoria por Cláudia Manhães

VESTIDOS SENSUAIS DESFILADOS EM MILÃO

A latente sensualidade italiana fez as passarelas transbordarem de vestidos cheio de sex appeal, recortes estratégicos, transparências e bordados. ELLE selecionou o melhor da temporada.

BAFTA: os melhores looks do tapete vermelho!

12 > FOLHA,

09 de Março de 2014

Angelina Jolie veste Saint Laurent e joias Tiffany & Co. Uma Thurman veste Atelier Versace e joias Chopard.


As bolsasdesejo da semana de moda londrina

Estilo Praia na Vogue

TETO E PISO REFRESCAM CASA DE VERANEIO Cansados de procurar em vão a casa dos sonhos, Marie Wåhlin e Kenth Kembe compraram um terreno baldio em Gotland, a maior ilha sueca no mar Báltico, e decidiram erguer ali um imóvel ecológico. Do zero. Quer dizer, a partir de uma cadeira de balanço Eames e da arquitetura típica da cidadezinha à beira-mar. Inspirado pelo desenho geométrico das construções do balneário e da primeira peça comprada para a casa, antes mesmo dos sacos de cimento, o arquiteto (e amigo pessoal) Torbjörn Hoeg colocou no papel as ideias do casal e projetou uma casa de veraneio moderna e inteligente. 09 de Março de 2014 FOLHA

> 13


PRIZ

imagemprizazeredo@hotmail.com (28) 3036-2157/ 8113-6848/ 3522-7710

Adequação do Leitor

Poliana Neri 20 anos. Essa linda jovem solteira, esta numa fase de mudança e se inscreveu para participar do Adequação Folha Es para selar essa mudança também na sua imagem pessoal. Se preparando para ter o seu próprio atelier de beleza, Poliana desejava transmitir mais profissionalismo e credibilidadepara suas clientes e, assim, obter ainda mais clientes.

Depois da consultoria de visagismo, me reuni com a minha equipe (Cabelo:Palloma Prazeres, Maquiagem e consultoria de visagismo:Priz Azeredo,Fotografia: Rafael Ramos) para definir os próximos passos. 14 > FOLHA,

09 de Março de 2014


Na maquiagem usamos duas tonalidades de base para fazer a valorização do rosto criando profundidade abaixo da linha do zigomático com uma tonalidade de base mais escura e base natural na maior parte do rosto. Usamos um blush bem suave na cartela dos apessegados só para dar um ar bem leve de saúde. Nos olhosusamos efeito de jogo e luz. As cores escolhidas foram branco e preto em alguns pontos marrom com fundo avermelhado, para acentuar a demarcação da pálpebra criando um aumento dos formato dos olhos, dando mais harmonia ao seu lindo rosto. Colocamos bastanterímel nos cílios. O resultado foi uma make suave, corretiva e harmoniosa, dando lhe uma imagem de uma mulher sofisticada e elegante. Você também pode participar do próximo adequação aqui no Folha Es. Entre na minha página no facebooke se inscreva. Acompanhe uma parte dos bastidores dessa consultoria no facebook.

A execução do corte do cabelo foi assinada por Palloma Prazeres. Cortamoso cabelo no cumprimento caído aos ombros com mechas intercaladas mais compridas. O cabelo foi todo desbastado para criar volume no lugar correto e tirar o volume natural dele. A convidada já tinha uma franja pequena e pesada. Foi criado um balanço na franja para dar leveza e se juntar com as mechas do cabelo. A ideia do novo corte é transmitir credibilidade de uma mulher fashion e, ao mesmo tempo, jovem, com pitadas de sensualidade e feminilidade em evidencia, provocada com as ondas médias, volume na frente do rosto e o comprimento caindo por cima do ombro.

09 de Março de 2014 FOLHA

> 15


Destaques da semana por Wesley Bandeira

16 > FOLHA,

09 de Marรงo de 2014


09 de Marรงo de 2014 FOLHA

> 17


CELSO MELLO DÁ AU AOS JUÍZES DE PRI co“Nenhum meio de alista rn jo municação ou por deve ser sancionado criticar difundir a verdade, contra ou fazer denúncias” o poder público.

N

a última sexta-feira (21), uma decisão do ministro Celso de Mello, envolvendo a Editora Abril e o ex-governador do DF e ex-senador Joa18 > FOLHA,

09 de Março de 2014

justiça quim Roriz, pôs os pingos nos is ao repudiar ações que tentam coibir a liberdade de expressão. A decisão de Mello deveria ser lida e relida por estes juízes que seguem acolhendo indiscriminadamente ações que ferem

uma das mais relevantes franquias constitucionais: a liberdade de manifestação do pensamento, que representa um dos fundamentos em que se apoia a própria noção de Estado democrático de direito.


AULA DE LIBERDADE IMEIRA INSTÂNCIA

Mello, para sustentar que a ação de Roriz era vazia, recorreu à Declaração de Chapultepec, que só pode ser uma ilustre desconhecida dos juízes que têm julgado com parcimônia essas ações. A Declaração enfatiza que uma imprensa livre é condição fundamental para que as sociedades resolvam seus conflitos, promovam o bem-estar e protejam sua liberdade, não devendo existir, por isso mesmo, nenhuma lei ou ato de poder que restrinja a liberdade de expressão ou de imprensa, seja qual for o meio de comunicação. Um dos postulados da Declaração assegura: “Nenhum meio de comunicação ou jornalista deve ser sancionado por difundir a verdade, criticar ou fazer denúncias contra o poder público.” Que fique bem claro. Celso de Mello fez questão de destacar que o jornalista não deve escrever se sen-

tido preso a uma camisa de força, sobretudo quando o alvo da notícia é um agente público. “(...) não caracterizará hipótese de responsabilidade civil a publicação de matéria jornalística cujo conteúdo divulgar observações em caráter mordaz ou irônico ou, então, veicular opiniões em tom de crítica severa, dura ou, até, impiedosa, ainda mais se a pessoa a quem tais observações forem dirigidas ostentar a condição de figura pública, investida, ou não, de autoridade governamental, pois, em tal contexto, a liberdade de crítica qualifica-se como verdadeira excludente anímica, apta a afastar o intuito doloso de ofender”. A decisão de Mello joga por terra os argumentos dos que querem a qualquer custo suprimir a liberdade de expressão, porque temem conviver com a crítica, com o contraditório, com a verdade dos fatos.

O ministro dá um basta no argumento que povoa esse tipo de ação, que tenta enquadrar o veículo de comunicação e o jornalista no famigerado animus injuriandi vel diffamandi (intenção de injuriar e difamar). O ministro ensina, citando o ministro Jorge Scartezzini, “que se a matéria jornalística se ateve a tecer críticas prudentes (animus criticandi) ou a narrar fatos de interesse coletivo (animus narrandi), está sob o pálio das ‘excludentes de ilicitude’ (...), não se falando em responsabilização civil por ofensa à honra, mas em exercício regular do direito de informação.” O ministro foi claro e transparente, não deixando repousar sombra de dúvida sobre o direito à liberdade de expressão. Quem insistir em errar, o faz por dois motivos: tem dificuldade de aprendizado ou é mal-intencionado mesmo. 09 de Março de 2014 FOLHA

> 19


JUSTIÇA DETERMINA CHEFE DE GABINETE u ineMaurício Paiva ficoso de lo legível por ato do istratiimprobidade adminador e va quando era vere ara presidente da Câm

M

aurício Paiva, ex-candidato a vice-prefeito de Mimoso e que foi afastado das Eleições/2012 por causa da Ficha Suja, passou a ocupar a 20 > FOLHA,

09 de Março de 2014

politica chefia de Gabinete na prefeitura de Mimoso do Sul em maio de 2013. Questionados na época, a prefeita Flávia Cysne e ele alegaram que estavam na legalidade, porque entrou com um pedido de liminar para suspender os efeitos

das sanções do Tribunal de Contas do Estado do ES, que já tinha sido julgado em última instância pelo Tribunal Superior eleitoral (TSE) em 2012. Ele havia conseguido a liminar apenas para garantir o direito ao contraditório


A AFASTAMENTO DO E DE FLÁVIA CYSNE e à ampla defesa, com novo julgamento do acordão. De lá para cá, o processo teve decisões desfavoráveis a Maurício Paiva, tanto na 1ª Instância como no Tribunal de Justiça, mas ele vinha entrando com vários recursos, até que no dia 27 de fevereiro a justiça determinou o seu afastamento, após negar todos os recursos impetrados por ele. Maurício Paiva é filho da atual vice-prefeita de Mimoso do Sul, Leone Paiva da Rocha, que entrou no seu lugar na chapa de Flávia Cysne há três dias antes das eleições 2012, quando Maurício não pode concorrer devido à Ficha Suja. PROCESSO DE MAURÍCIO PAIVA Maurício Paiva ficou inelegível por ato doloso de improbidade administrativa quando era vereador e presidente da Câmara, cujo processo foi julgado até a última instância pelo TSE em 2012. Quando o seu processo já estava em fase de execução fiscal (ressarcimento ao erário), Maurício Paiva entrou com pedido de tutela, através de liminar, em fevereiro de 2013, na Comarca de Mimoso do Sul, solicitando que “desconstitua as penalidades que lhe foram imputadas pelo Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo (TJEES) nos autos do processo administrativo nº 2.704/2009, sanções estas materializadas no v. Acórdão 588/2008, por terem sido julgadas irregulares as contas apresentadas quando ocupava a titularidade de Chefe do Poder Legislativo”. Ele pediu concessão de defesa oral,

TRECHOS DA SENTENÇA PROCESSO Nº 0000134-78.2013.8.08.0032 AÇÃO : Procedimento Ordinário Requerente: HERCULES MAURICIO PAIVA DA ROCHA Requerido: O ESTADO DO ESPIRITO SANTO e MUNICIPIO DE MIMOSO DO SUL- ES Fundamentação - De logo, saliento que a sociedade contemporânea reclama uma resposta jurisdicional célere, de maneira que adotei uma nova construção sentencial: objetiva e curta, sem quebrantar princípios constitucionais garantísticos. Dito isto, volto os olhos para o presente processo nele verificando que a única questão processual suscitada na resposta contestacional, tal seja a litisconsorciação passiva necessária, já foi sanada, haja vista que o Município de Mimoso do Sul já foi citado e ofertou a sua contestação, não havendo outras questões processuais a serem analisadas, razão pela qual me dirijo ao punctumsaliens da situação que se fez conflitada. Mercê da sucumbência, condeno o Requerente no pagamento das custas processuais, bem como em honorários advocatícios, os quais, atendidos os critérios legais, grau de zelo do profissional, lugar de prestação do serviço, complexidade da causa etc. Arbitro, por equidade, em R$ 5.000,00 (cinco mil reais). Diligencie-se, intimando-se todos. Oficie-se o Egrégio Tribunal de Justiça Capixaba para informar a perda superveniente de interesse recursal com relação ao agravo de instrumento interposto. Torno sem efeito as decisões judiciais proferidas neste caderno processual, contrárias a este ato sentencial. MIMOSO DO SUL, 07/10/2013. JUIZ ÉZIO LUIZ

uma vez que “não foi intimado pessoalmente na data do julgamento”, apesar de ter entrado com recursos – e perdido - em todas as instâncias. O juiz de direito da Comarca de Mimoso, José AlvanirRozendo do Nascimento, deferiu o pedido de liminar em 18 de abril de 2013. Maurício Paiva havia conseguido a liminar apenas para garantir o direito

ao contraditório e à ampla defesa, com novo julgamento do acordão, mas após essa data, o processo continuou e a liminar foi suspensa pelo Tribunal de Justiça do ES. Maurício Paiva continuou entrando com diversos recursos, até que a decisão final foi pelo seu afastamento, uma vez que não poderia estar ocupando cargo público devido à lei da Ficha Limpa. 09 de Março de 2014 FOLHA

> 21


22 > FOLHA,

09 de Marรงo de 2014


Garota FOLHA Thaís Lessa

09 de Março de 2014 FOLHA

> 23


CARNAVAL SANGRENTO

s Foram 31 homicídio(01) do dolosos de sába ntra à terça-feira (04) co 13, 21 registrados em 20s de acordo com dado sp. repassados pela Se

O

carnaval capixaba foi sangrento. Ao todo 41 pessoas morreram, seja por assassinato, acidentes da estrada ou afogamentos. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (06) pelas Secretaria de Segurança Pública (Sesp) e Polícia Rodoviária Federal – juntamente com a concessionária que administra a BR 101 no Espírito Santo, ECO 101. O número de assassinatos no feriadão de Carnaval este ano aumentou 48% em relação ao mesmo período do ano passado. Foram 31 homicídios dolosos de sábado (01) à terça24 > FOLHA,

09 de Março de 2014

litoral -feira (04) contra 21 registrados em 2013, de acordo com dados repassados pela Sesp. Dos 31 homicídios (sendo 17 na Grande Vitória e 14 no interior), seis ocorreram em locais de folia. Três dessas vítimas eram egressas do sistema carcerário. Outras 13 vítimas identificadas possuíam algum tipo de registro criminal. Segundo informações do secretário Segurança, André Albuquerque Garcia, grande parte dos assassinatos foram motivados por proximidade, intolerância e vingança. “Apesar do aumento de efetivo e plantões da Polícia Civil esse tipo de crime é difícil de ser evita-

do”, admitiu o secretário. Ainda de acordo com Garcia, os crimes que ocorreram em locais de folia, como Iriri, foram de autoria de grupos criminosos que migraram da Grande Vitória para o interior. André Garcia disse lamentar o aumento no número de homicídios e apontou a cultura de violência capixaba, a migração da criminalidade, a grande quantidade de armas de fogo circulando e a profusão de blocos carnavalescos fora da programação oficial como os principais fatores para as taxas de crescimento da violência durante o feriado de Carnaval.


09 de Marรงo de 2014 FOLHA

> 25


As mentiras:

- As reuniões comunitárias não são para determinar licitações de trasnporte. - Reuniões são propagandas antecipadas eleitorais em favor de candidatos petistas - O contrato não pode ser rompido em caso de cumprimento da cláusula 2.1 - O prefeito já determinou em outubro de 2013 o rompimento com a Flecha Branca, logo os debates são factóides. - A real motivação de produção de debates sobre o temas não tem a ver com os usuários. A intenção é “caixa dois”.

EXTORSÃO É O REAL

A

s mentiras do prefeito Carlos Casteglione (PT) não têm limites sobre a concessão da Flecha Branca, transporte coletivo urbano de Cachoeiro de Itapemirim-ES. O contrato, ato jurídico, acabado e perfeito, vence no dia 27 de março de 2015, renovável automaticamente por mais 15 anos, em caso de cumprimento da cláusula 2.1, logo até o ano de 2030. Cumprindo todos os critérios em contrato, como vem fazendo desde 1970, somente a concessionária tem a prefe26 > FOLHA,

09 de Março de 2014

rência de abdicar da renovação antes do prazo, conforme contrato assinado pelo então prefeito Theodorico Ferraço (DEM), hoje, presidente da Assembleia Legislativa. O prefeito desde à eleição prometeu o fim do monopólio para o ano passado, iludindo os eleitores. Golpe O presidente da Agersa, Luiz Carlos Oliveira, foi comissinado pelo prefeito em outubro de 2013 para romper o contrato. Ofício criminoso mais de 1 ano de antecedência.,Prefeitura de Cachoeiro-ES vem gastando

uma fortuna em publicidade nos meios de comunicação para propagar debates com comunidades sobre o tema, mentindo quanto ao contrato. No pano de fundo, em curso a propaganda eleitoral antecipada e a preparação de golpe para implantar empresa de ônibus ligado ao Partido dos Trabalhadores. Motivação A verdadeira motivação para ação abrupta e atabalhoada foi a negativa da Empresa e4m aceitar propota ofensiva de extorsão em R$ 1 milhão por um cardeal do PT. (a revista re-


L MOTIVO DO ‘DEBATE’ vela em justiça o protagonista). Pelo Brasil afora, o PT mantém empresas concessionárias ao seu serviço para alimentar caixa dois, quando não pratica extorsão às empresas como a própria Flecha Branca com invasão ilegal de fiscalização fiscal e bancária, não obstante requerendo 20% do líquido da empresa. O partido pretende obter aval popular, de forma manipuladora e não transparente, para tomar de assalto o contrato vigente e preparar o edital induzindo a empresas que nem precisariam ter garagem

no Município ou logística indispensável, numa trama semelhante à realizada pela empresa Impacto, de manutenção de Veículos, que utilizava toda estrutura da Prefeitura com o vínculo de manter caixa dois para os políticos em época de eleições e fora delas. A verdade é que a empresa pode sim perder a concessão sob critério subjetivo forjado nas audiência públicas para suposto respaldo ao Ministério Público e à Justiça da Fazenda Pública. Agersa mente quando espalha que está nas mãos do prefeito o direito de renovar ou não o

contrato. Casteglione, na véspera das eleições para sua reeleição, na Faculdade de Direito de Cachoeiro de Itapemirim – está gravado pelo Diretório Acadêmico - disse em alto e bom som para os formandos que “contrato não se quebra, por isso não poderia prometer o fim do monopólio, mas melhorar os serviços ou criar algumas linhas”. O caso lembra o de Santo André (SP), em que o prefeito Celso Daniel (PT) foi morto por uma quadrilha ligada ao seu próprio partido por conta das relações difícieis com empresas de ônibus do Município. 09 de Março de 2014 FOLHA

> 27


DOCUM

O Contrato de Concessão, na Cláusula 2.1 possui interpretação que dá direito a Flecha Branca de renovação automática

28 > FOLHA,

09 de Março de 2014


MENTOS O ofício emitido pelo Prefeito Carlos Casteglione mostra a intenção de romper o contrato com a empresa de. transporte urbano

09 de Março de 2014 FOLHA

> 29


tecno

CLIENTE PODERÁ CANCELAR

A

Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) aprovou, no último dia 20, a determinação de que o cliente não precisará mais passar por um atendente para fazer o cancelamento de serviços de telefonia, banda larga 30 > FOLHA,

09 de Março de 2014

ou TV por assinatura. Ele poderá realizá-lo de forma eletrônica, por telefone, internet ou terminais de autoatendimento. A medida faz parte de um novo e amplo regulamento que detalha direitos e garantias dos consumidores e deverá ser seguido por to-

das as empresas do setor. A maioria das medidas, como a do cancelamento automático, deverá entrar em vigor em 120 dias, a partir da data de publicação. Se as regras forem publicadas neste mês, valerão a partir de junho. A lei dos call centers, de


ologia

R SERVIÇOS SEM ATENDENTE 2008, já determina que o cancelamento de serviços possa ser feito de forma rápida pelo consumidor. No ano passado, a Anatel mencionou a ideia de que ele pudesse ser feito sem que o cliente tivesse que conversar com um atendente. A nova regra diz que,

quando o cliente optar pelo cancelamento automático, a operadora terá um prazo máximo de 2 dias úteis para efetivar a decisão. Nesse período, o serviço continua em vigor e consumidor pode desistir do encerrá-lo. Nesses 2 dias de prazo, qualquer gasto feito

pelo cliente será cobrado mas, ao fim dele, a operadora não poderá mais fazer qualquer tido de cobrança. Continua valendo a opção de o cliente fazer o cancelamento junto a um atendente: nesse caso, o serviço deve ser encerrado imediatamente. 09 de Março de 2014 FOLHA

> 31


Notas por Marcos Tristão

HECI

Litoral

Moradores do litoral e veranistas elogiando o atendimento prestado pelo Hospital Santa Helena, hoje administrado pelo HECI. Ponto positivo para o reprovado sistema de saúde capixaba. SUPLENTE

Câmara

Leitores ligando para a coluna dizendo que o suplente de vereador Elias de Souza, o Elias do PT não tem condições de falar em moralidade pública ao votar pela cassação de Terere, pois está condenado pelo STF. IATE

Marataízes

O antigo Iate Club em Marataízes hoje em ruinas poderá servir de espaço para abrigar uma escola técnica. A Secretaria Estadual da Educação precisa ir de encontro ao anseio da população de Piúma a Kennedy

32 > FOLHA,

09 de Março de 2014

Na noite de quarta-feira (12), o Deputado Estadual Hércules Silveira (PMDB) foi homenageado pelo Conselho Regional de Farmácia com a medalha do Mérito Farmacêutico Gastão Roubach. A solenidade aconteceu no Itamaraty Hall, em Vitória.

REGISTRO O publicitário Vanderson Liberatore durante a edição 2014 da Vitória Stone Fair.


DER

Obras

O DER está devendo uma explicação sobre o andamento das obras de duplicação da estrada BNH\Coutinho pelo monumental desmonte de terra e agressão ambiental. Qual será o custo final da faraônica construção. SALGADA

Apresentação

A orquestra que se apresentou no último dia 20 no Mercado Municipal recebeu nada mais nada menos que R$ 28.000,00. O palhaço Beleza recebeu R$ 4.000,00 para se apresentar. E o prefeito tem coragem de dizer que a prefeitura está sem recurso. No mínimo uma contradição!

Destaque

Arthur Wernersbach (C), secretário de comunicação de Anchieta, recebeu amigos e familiares para comemorar nova idade. Na foto, com o senador Ricardo Ferraço (PMDB) e Hedjaz Giurzatto.

AVIÃO

Camilo Cola

O Deputado Federal Camilo Cola dizer que não há sucessor para o mandato não caiu bem. Utilizar do artificio que possui um avião particular para ir a Brasília e que isso facilita, foi uma péssima estratégia de marketing do Alberto Moreira e Alexandre Gasparini.

O lindo sorriso do pequeno Pedro Henrique.

LUCIANO CORTEZ

PSB

O presidente do PSB de Cachoeiro Luciano Cortez está perdendo os poucos cabelos que ainda tem na cabeça com o vereador Rodrigo Enfermeiro (PSB). É que o parlamentar está andando na contramão do partido na cidade e se abrigou debaixo da asa do prefeito para obter as regalias palacianas. Enquanto isso, o outro vereador, Alexandre Bastos, vai sobrevivendo com as migalhas que cai da mesa.

09 de Março de 2014 FOLHA

> 33


34 > FOLHA,

09 de Marรงo de 2014


esporte

ZEZINHO ENCARA DESAFIO NO CONTINENTE AFRICANO

D

epois de passagens por grandes clubes de minas, tais como, América e Cruzeiro o cachoeirense Alexandre Grasseli como é conhecido no futebol aceitou o desafio de treinar uma equipe angolana. O convite partiu do Atlético Petróleos de Luanda, equipe da primeira divisão do campeonato angolano sediada na capital, cidade com aproximadamente 5 milhões de habitantes. Petro de Luanda é a equipe que mais conquistou o Girabola, como é chamado o campeonato nacional é o tricolor em azul, amarelo e vermelho e ainda con-

ta com a maior torcida da angola. Alexandre Grasseli assinou contrato de dois anos com o Petro para as temporadas 2014/2015 tendo a missão de levar a escola brasileira de futebol angolano. Por lá passaram vários treinadores brasileiros de destaque como Antônio Clemente, bem conhecido dos botafoguenses e bi campeão do Girabola. Grasseli acredita ser uma oportunidade de expandir sua experiência em se tratar de um clube internacional e de projeção no continente africano “o Petro de Luanda conta com uma estrutura muito boa, é um clube revelador de talentos, na verdade o maior de angola, além

de ser um clube vencedor e isso me fez aceitar esse desafio na angola, tenho a certeza de que com minha experiência chegaremos a muitas conquistas”. Os trabalhos já iniciaram, o Petro de Luanda está a disputar o Girabola e a Copa Nelson Mandela e no segundo semestre conta na agenda á disputa da Taça da Angola. Com o treinador Alexandre Grasseli também assinou contrato de dois anos o brasileiro Maurício Marques na função de preparador físico. Maurício que já acumula algumas temporadas em parceria com o cachoeirense em vários clubes do país.

Abandono de emprego CTRCI-CENTRAL DE TRAT. DE RES. CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM LTDA., localizada à Praça Jerônimo Monteiro, 45 – Sala 04 – Bairro Centro – Cachoeiro de Itapemirim/ES, solicita o comparecimento do Sr. MARIO JORGE SILVA ANTUNES, portador da CTPS nº 55.621 série 0055-ES, no prazo de 48 horas, sob pena de, não o fazendo, ser enquadrado no art. 482, letra I da CLT, que caracteriza abandono de emprego. Cachoeiro de Itapemirim/ES, 05 de Março de 2014 09 de Março de 2014 FOLHA

> 35


36 > FOLHA,

09 de Marรงo de 2014


De acordo com o diretor-presidente do Sicoob Sul, Rubens Moreira, esse desempenho permitirá a distribuição de R$ 13,8 milhões entre os clientes.

economia

SICOOB SUL LUCRA R$ 29,7 MILHÕES EM 2013

O

Sicoob Sul encerrou o exercício de 2013 com lucro de R$ 29,7 milhões, um crescimento de 31,3% em relação a 2012. O destino desse montante será decidido no dia 8 próximo (sábado), às 9 horas, no Cerimonial Belas Artes, em Cachoeiro de Itapemirim, onde vai ser realizada a assembleia geral da instituição financeira. Estarão na reunião cerca de 150 pessoas, entre presidentes de outras cooperativas do sistema, gerentes de agências e os delegados, que são

representantes de cada agência eleitos pelos associados para mandatos de três anos. O resultado alcançado pelo Sicoob Sul possibilitou o pagamento aos clientes de R$ 4 milhões referentes aos juros sobre o capital social, valor já depositado no fim do ano passado. Outro destaque foi a evolução dos ativos totais da cooperativa, que passaram de R$ 342,2 milhões em 2012 para R$ 438 milhões este ano, um aumento de R$ 95,8 milhões. DESEMPENHO De acordo com o diretor-presidente do Sicoob Sul, Rubens Morei-

ra, esse desempenho permitirá a distribuição de R$ 13,8 milhões entre os clientes. “Alcançamos 21 mil associados e realizamos R$ 516 milhões em operações de crédito. Os resultados contribuíram para um acréscimo de 30,5% no lucro que será dividido, se comparado a 2012”, afirmou. Esses e outros números foram apresentados nas 14 pré-assembleias realizadas pelo Sicoob entre os últimos dias 3 e 20 de fevereiro, das quais participaram cerca de 5.300 pessoas. Durante os eventos, foi feita a prestação de contas da instituição e houve sorteios de televisores entre os associados presentes. 09 de Março de 2014 FOLHA

> 37


folha de ocorrência

Acidente com vitima fatal

Um acidente aconteceu na tarde da última quinta-feira (6), na localidade de independência, no quilômetro 417, ás margens do BR101. Três pessoas foram atingidas por um caminhão e socorridas em estado grave para Santa Casa de Cachoeiro-ES. Duas pessoas não tiveram a mesma sorte, foram atropeladas e morreram no local.

PM prende traficantes O Grupo de Apoio Operacional (GAO) prendeu na madrugada de domingo (2), Elielson da Silva Matias, 25 anos, Leonardo Lopes Ferreira, 20, conhecido como ‘Japinha’, na rua Aguilar Ferreira de Athaide, no bairro Monte Belo, em Cachoeiro-ES. Na ação foram apreendidos drogas e dinheiro proveniente do tráfico.

Preso em Vargem Alta A equipe de militares do Grupo de Apoio Operacional (GAO) de Vargem Alta-ES prenderammais um envolvido com o tráfico de drogas na localidade de Jaciguá, distrito de Vargem Alta-ES. A prisão de Fabricio Costa de Almeida, 19 anos, ocorreu no final de semana do carnaval. 38 > FOLHA,

09 de Março de 2014

“Racha” termina em morte Um homem morador de Rio Novo morreu em acidente na tarde de quinta-feira (6), na ES488 (próximo ao Posto Dantas) em Cachoeiro-ES. A vítima colidiu de frente com um caminhão que trafegava sentido Posto Dantas.

Serrador é esmagado

O cortador de pedras Wagner Rubi, 42, morreu na manhã de hoje (6), após ser atingido por chapas de granito, na localidade de Santa Luzia em Conceição do Castelo-ES. Segundo informações, o trabalhador estava sozinho quando ocorreu o acidente.


REVISTA FOLHA  

Nº 55

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you