Issuu on Google+

– Ano XVI – Nº 189 – Junho de 2011

JUN/2011 - Nº 189 - R$15,00

Revista

CirCulação NaCioNal


A Deus toda a honra e toda a glória pela realização desta revista

á um poema que diz: “Quero cantar como cantam os pássaros, sem me preocupar com os que estão ouvindo, nem com o que eles pensam”. Se você puder cantar sua canção sem se apegar à opinião alheia, nada poderá deter a força de suas intenções. Então, seja lá qual for o seu sonho, jamais sinta-se tolhida por causa dos julgamentos das outras pessoas. Aprenda a fazer valer a sua vontade. Sempre. Se quiserem criticá-la, que critiquem. Se quiserem elogiá-la, maravilha! Aprenda a dar ouvido apenas ao que interessa para o seu crescimento e sua realização. Esqueça o medo, a vergonha e as dificuldades. Acredite em sua capacidade e persista de cabeça erguida. Abandone seu apego ao conhecido, mergulhe no desconhecido e viva a alegria, o mistério e a magia do que pode acontecer nesse mundo infinito de possibilidades. O que podem pensar ou dizer disso? Pouco importa. O que vale é viver em paz, feliz e livre, como vivem os pássaros. Nesta edição vamos abordar: Mara Amaral comenta as belezas de Capri, uma das pérolas do turismo internacional; corridas de rua com a jornalista Camila Bocchino, que também escreveu sobre bullying; já Nathália Cardim foca o passo a passo sobre make-up; a jornalista Fernanda Caixeta escreve sobre sorvetes artesanais com gostinho de cerrado; Márcia Casali aborda o lar para idosos e o maestro que ensina música clássica para crianças carentes; Flávia Landim escreve sobre diabetes. A Foco ainda apresenta o pouco tempo que os pais hoje em dia têm para curtir os filhos; sustentabilidade é a palavra do momento; na matéria Paladar, fomos atrás do macaron, que ganhou sabores brasileiros, como cajá e cupuaçu; vendedores que são disputados a tapas pelas empresas; os novos homens do século XXI; Marlene Galeazzi aborda as férias de julho dos poderosos de nossa cidade; Pedro Gordilho foca Thelonious Monk, o gênio louco do piano; Marcelo Solmucci fez test drive com o Picasso C3 da Citroën; já o repórter fotográfico Clausen Bonifácio focaliza decoração. editorial

Amigos, até o próximo mês, com muitas outras novidades. Boas férias agora em julho. Beijos.

18


D-P

C B

consuelo@revistafoco.com.br D  A

R A

redacao@revistafoco.com.br

C A D, A T, C B, C C, C P, D K, J A, M G, D A, F L, F M, G A, J A M, L T, M C, P C B, P A, P G, R C , M C, M A  P P R C B, N C, C B  G S

120. Paladar

Da aristocracia à padaria

expediente

C E C B, A P P  V, A D, C C, F M, F M, J A M, M G, P C B, P G  R C 

R C C B, F C, F L, M C, M S  W S

E  A I P criacao@revistafoco.com.br G C L C D leonardo@revistafoco.com.br A C A C comercial@revistafoco.com.br D G R  S O anunciofoco@gmail.com

F C C C, C B, J T S, J C D, K O  P L I RR D C P-C D. F T L  S  W B  M J. financeiro@revistafoco.com.br

F R P, R L  L L

Sucursal São Paulo

Em primeira mão

36

Metade do ano

38 40

Márcio Cotrim Aristóteles Drummond O conceito de igualdade

42

Carlos Chagas Nos livramos de um ditador civil

44

Paulo Castelo Branco Quem quer casar?

46

José Alberto Couto Maciel Se eu pudesse falar com Deus

48

Wilson Granjeiro A boa e a má notícia

50 54

Mara Amaral Capa Life-Centro Integrado de Saúde

I M B

62

Pedro Gordilho Thelonious Monk

C: E

84

Esporte A nova mania nacional

D S P O C C B R R

Florian Madruga

Linda, linda, linda Capri

SH/Sul Quadra 06, Conjunto “A”, Bloco “E”, Sala 809 Edifício Business Center I - CEP: 70.322-915 – Brasília-DF (61) 3248-7868 / 3532-4436

D B M C mcirilo@inflightmidia telefone: (11) 4702-4630 mcirilo@inflightmidia

Consuêlo Badra

Estar no Rio Grande

         . A       M F E L,   ,  -    . Acesse www.revistafoco.com.br

P G B D

22

90

Saúde Quem devo consultar?

96

Cuidados Diabetes: um mal silencioso

104

Bullying Quando não sabemos

20


114

Cidadania

92. Criança

É possível ser feliz longe de casa

118

Não se divorcie dos seus filhos

Livros Literatura

126

Cultura Maestro ensina música

142

Maura Charlotte Miranda Castro

144

Novidades Foco nas novidades

154

Boas e novas Novidades da capital

156

Gente em Foco Destaques de Brasília

160

110. Etiqueta

Respostas aos leitores

Rangel Cavalcante Histórias miúdas

164

Século XXI Os novos homens do século XXI

172

Bom vendedor Como ser um bom vendedor

180

Gilberto Amaral A corte candanga

184

Pomona Politis Planeta diplomacia

196

Cenas em Foco Flashes

78. Centro-Oeste O cerrado e seus sabores

134. Passo a passo Make da estação

74. Test Drive Picasso C3

21


AS ELEGANTES de BRASÍLIA

Maria Guiomar Chaves de Mendonça Cida Monteiro

Consolação Collor

Angela Beatriz Sabag

Vandira Peixoto

Marilene Kern

CONSUÊLO BADRA

Monica Bernardinelli e sua mãe, Regina Maura

22

Rita Márcia Machado


Mara Alcamim

Wilma Peres

Raquel Pacini

Leila Chagas Graça Farias

Mirian Roriz, Marly Galego

Jane Godoy

Valdete Drummond

Amélia Godoy

CONSUÊLO BADRA

Angela Alves

23


restaurantes”, diz Carlos Bettencourt, dono do A Bela Sintra. Problema: com a falta de mão de obra qualificada, os “restauranteurs” tiveram de levar cozinheiros, maitres e garçons para treinamento nos salões de São Paulo. Passaram um mês em aulas práticas com os mais experientes e, já nos primeiros dias, os que não levam jeito são mandados embora. A previsão do La Tambouille é abrir a filial aqui na nossa Brasília, quando outubro chegar.

UNIFICAÇÃO A CCJ do Senado aprovou proposta que unifica o ano das eleições para vereadores, prefeitos, deputados estaduais e federais, senadores, governadores e presidente da República, em 2018. Na votação, foram mantidos a reeleição e o mandato de quatro anos para os chefes dos Executivos municipais, estaduais e federal. A proposta será apreciada pelo Plenário da Casa.

SEM DATA Fabiano Cunha Campos, o aniversariante do dia 14 de julho e sua bela mulher, Luciana

MUNDO MÁGICO Até o dia 10 de julho, não percam o parque temático que reproduz o cenário da série de sucesso do Discovery Kids, na praça central do Shopping Iguatemi Brasília. Um canguru carente, uma girafa otimista e um elefante carinhoso: esse trio de personagens é o destaque da série animada Meu Amigãozão. Trata-se do desenho que explora de maneira divertida a imaginação das crianças e chama a atenção para o valor da amizade. Sempre das 14h às 20h.

A novela da compra de 36 caças para a Força Aérea Brasileira, que começou no governo do ex-presidente Lula, diferentemente das novelas da Globo, não tem data para terminar. A presidente Dilma Rousseff zerou o jogo e adiou a decisão para 2012. Era dada como certa a compra dos caças Rafale, da França. Agora, os Gripen NG, da Suécia, estão na disputa. Destaque para André Alf, Gilberto Amaral e Hélio Nakanishi

AINDA A PEC também altera a data de posse dos candidatos eleitos para o Executivo. Prefeitos e vices tomarão posse no dia 5 de janeiro; os governadores, dia 10; e o presidente, dia 15. As novas datas passam a vigorar em janeiro de 2019. O mandato de cinco anos e o fim da reeleição foram derrubados.

consuêlo badra

EM CENA

24

Já tem sotaque paulistano nos salões do cerrado. Depois de experiência em parte bem sucedida no Rio de Janeiro, restaurantes consagrados de São Paulo abriram agora filiais em Brasília, quase todos ao mesmo tempo. Recém inaugurados: A Bela Sintra (na Quadra Comercial da 105 Sul), Due Cuochi (abertura prevista até dezembro no ParkShopping), Gero (aberto no Shopping Iguatemi), La Tambouille (abre em outubro no ParkShopping), Pobre Juan (Shopping Iguatemi) e Antiquarius.

NO CAPÍTULO A maioria segue o mesmo cardápio da matriz, mas a tendência é que os preços sejam menores para não fugir à média cobrada na cidade. “O mercado de Brasília é mais atraente e, ao mesmo tempo, carente de bons

BOLSAS DE ESTUDO

Márcia Zardo é a aniversariante do dia 6 de julho. Vamos abraçá-la?

RESTAURANTE WEEK A 5ª Edição do Brasília Restaurante Week já tem data marcada e promete movimentar a cidade entre os dias 18 e 31 de julho. Mais uma vez os clientes que possuem cartões Mastercard Platinum e Black contarão com uma semana de vantagens. De 11 a 17 de julho, eles poderão se antecipar e saborear as delícias que os restaurantes reservam para o festival.

O IMP (603 Sul) está com inscrições abertas, até o dia 13 de julho, para o 2º Concurso de Bolsas IMP, destinado ao curso de Bacharelado em Administração. Serão contemplados os 100 primeiros colocados classificados na prova aplicada pela instituição no dia 17 de julho. A graduação tem um caráter inovador. Sua grade curricular permite que o aluno se prepare tanto para o ingresso na carreira privada, quanto na pública, já que a instituição é referência em preparação para concursos públicos.

BOAS MANEIRAS Não convidem para a mesma mesa


a ex-senadora Serys Slhessarenko e o deputado Carlos Abicalil. Ambos são do PT de Mato Grosso. Abicalil queria o lugar de Serys no Senado e conseguiu afastá-la da reeleição. Ele candidatou-se sem o apoio dela e perdeu. O que um fala do outro não é recomendável ser ouvido em ambientes sociais. Mantê-los a distância é o que recomendam manuais de boas normas de convivência.

NOVA TECNOLOGIA No último Congresso Brasileiro de Catarata e Cirurgia Refrativa, no começo de junho, em Recife, foi lançado um novo tipo de lente acomodativa destinada às pessoas que têm catarata. Para o oftalmologista Celso Boianovsky, especialista em catarata e sempre atento às inovações tecnológicas, a nova lente acomodativa esférica é uma aliada para o tratamento da enfermidade, que atinge mais de 50% da população com mais de 60 anos.

novo projeto social: estuda lançar algo no setor de saneamento básico nos moldes do Minha Casa, Minha Vida. O esboço da ideia foi levado à presidente por Paulo Simão, da Câmara Brasileira da Indústria da Construção, durante sua recente viagem ao Uruguai. Simão fez parte da comitiva que acompanhou Dilma a Assunção. No que consiste essa proposta? Entre outros aspectos, ela visa criar linhas de funcionamento para que concessionárias do serviço público invistam pesadamente em gestão e tecnologia.

EXTRA CHIQUE Para quem não perde nenhuma edição do Bazar Extra Chique, uma boa notícia. Ele cresceu e em 2011 contará com uma edição a mais. Além das duas tradicionais que acontecem por ano, as organizadoras do evento, Rejane Castilho e Karla Rosa, da Empório R e K, promovem uma versão pocket entre os dias 22 e 25 de setembro próximo. Serão apenas 50 marcas e os estandes já estão sendo comercializados.

BOATE NO JOCKEY O projeto para uma sucursal da boate Pachá, de Ibiza, que será montada no Jockey Club do Rio de Janeiro pelos empresários Thor Batista e Mário Bulhões, terá que ser refeito. Este ano o Ministério Público ganhou uma ação pedindo que as fachadas do Jockey, que são tombadas, voltassem ao projeto original.

O querido fotógrafo Paulo Lima recebendo das mãos do governador Agnelo Queiroz o seu título de regulamentação das terras-rurais. Na foto, Paulo, Agnelo, o secretário de Agricultura, Lúcio Valadão, e o coordenador da Assessoria Internacional do Gabinete, Salviano Guimarães

PROMOÇÃO

CELULAR A BORDO Passageiros da ponte aérea Rio-São Paulo que voarem pela TAM já podem desfrutar de uma nova aeronave equipada com o sistema de telefonia celular a bordo. O voo inaugural se deu no último dia 22 de junho, de Congonhas em direção ao Santos Dumont. A companhia planeja ter 29 aviões com celulares liberados nos ares até dezembro.

MINHA ÁGUA, MINHA VIDA Dilma está entusiasmada com um

EM FOCO Crítico feroz do governo Lula, o senador Pedro Simon, do PMDB do Rio Grande do Sul, tem elogiado a presidente Dilma Rousseff pelas decisões que tem tomado. No caso do ex-ministro Palocci, Simon foi enfático: “Dilma fez o que Lula, uma vez na Presidência da República, não quis fazer com o então subchefe da Casa Civil, Valdomiro Diniz, envolvido em escândalos que contaminaram o governo”. O senador gaúcho elogiou, também, a escolha da senadora Gleisi Hoffmann para o lugar de Palocci.

Amigas queridíssimas: Ruth Taurisano, Pompeia Addario, Yara Curi e Suely Carneiro

ETNO Brasília continua mostrando que tem rock’n roll na veia. Exemplo disso é a banda ETNO, que no próximo dia 6 de julho faz show de lançamento na sala Martins Penna do Teatro Nacional, às 21 horas. O CD Setembro, mesmo nome do show, foi gravado no Midas Studios, em São Paulo, e tem produção de Paulo Anhaia. Com riffs carregados e pegadas acústicas, Setembro mostra a ETNO pronta pra encarar seu novo momento, dando a cara a tapa, sem medo de mostrar a que veio em sua jornada musical.

consuêlo badra

Os brilhantes empresários de nossa Brasília: José Carlos Daher, Antonio Matias e Fernando Queiroz

Diretora de Direitos Humanos do Itamaraty, Gláucia Gauch foi promovida ao posto de embaixadora. Ela ocupa uma das nove vagas que estavam disponíveis para o cargo.

25


EU POSSO? No momento em que volta à baila a questão da improbidade administrativa, com o caso do rápido enriquecimento do ex-ministro Antônio Palocci, o ex-presidente do STF, o jurista Célio Borja, que foi ministro da Justiça no governo Collor, quando a lei foi sancionada, mostra-se cético em relação a sua aplicação: “A lei não mudou a maneira pela qual a coisa pública vem sendo gerida. Não houve melhora dos padrões éticos do funcionalismo e dos demais agentes públicos. Tampouco ela atingiu os agentes políticos”. E lembrar que já são passados dezenove anos de vigência da lei.

ESTAMOS AGUARDANDO

FESTIVAL DE ÓPERA

Pela dica dada por Marcelo Chaves em sua coluna diária do Jornal de Brasília, que, com o sucesso do voo da TAP ligando Brasília a Lisboa, a Air France poderia lançar um voo ligando Brasília até Paris. Já imaginaram o sucesso que seria?

Cerca de 1,6 mil pessoas conferiram a estreia da ópera Pagliacci, dia 17 de junho, na sala Villa-Lobos do Teatro Nacional. O espetáculo fez parte do I Festival de Ópera de Brasília, que levou duas óperas e dois concertos aos palcos do Teatro Nacional. Na noite de estreia, a jornalista Marília Gabriela veio conferir de perto os figurinos criados pelo filho, Theodoro Crochrane, especialmente para Pagliacci e Cavalleria Rusticana. O Festival é uma realização da Secretaria de Cultura do Distrito Federal e será realizado, anualmente, sempre no mês de junho.

ELE FICA Ubiratan Aguiar fica morando em nossa Brasília. No dia 6 de julho, participará da sua última reunião no TCU, limpará as gavetas com os processos, entra de férias e deixa na mão de sua secretária o pedido de aposentadoria, que ela apresentará no dia 31 de julho. O ministro, poeta e compositor, permanece com seu escritório de advocacia em Brasília e Fortaleza. E, é claro, escrevendo livros e compondo para alegria dos amigos.

EXEMPLO Enquanto o Brasil se arrasta por rodovias esburacadas, a Colômbia vai duplicar mais de 500km da Rota do Sol, principal estrada do país. E para tanto escolheu a Odebrecht, na condição de concessionária federal. A obra, orçada em US$1 bilhão, está sendo feita em consórcio com duas empresas colombianas.

O médico Waldemar Lechtman e a esposa, Ana Lucidea

VIAGENS A presidente Dilma Rousseff irá à Venezuela dia 5 e voltará dia 6 de julho para retribuir a visita de Hugo Chaves. Já no dia 28 de julho estará em Lima, na posse do presidente eleito do Peru, Ollanta Humala.

João Pimenta da Veiga, aniversariante do dia 2 de julho, e sua Anna Paola

R$35 MILHÕES

consuêlo badra

É o custo de produção da Band para a realização do Miss Universo aqui no Brasil. O evento vai acontecer no dia 12 de setembro.

26

COISA SÉRIA

INVEJA MATA Fábio Barbosa, do Santander, é o mais novo conselheiro da Fundação das Nações Unidas. Fará companhia a gente de peso como Muhammad Yunus, Nobel da Paz; Kofi Annan, ex-Onu; Rainha Rania, da Jordânia; Ted Turner, da Time Warner, e outros 11 membros.

Janaína Abi-Ackel na doce-espera do primeiro filho, com o deputado Paulo Abi-Ackel

O ministro Cezar Peluso, presidente do Supremo Tribunal Federal, ao participar de audiência pública no Senado Federal, afirmou, do alto da autoridade de quem preside a mais alta Corte do país, o que todo brasileiro sabe, mas ninguém faz nada para mudar: “O sistema (judiciário) não é apenas custoso e ineficiente, ele é danoso e perverso”. A quem recorrer, então, excelência?


GASTRONOMIA A lista San Pellegrino, que elege os melhores restaurantes do mundo e colocou o D.O.M, de Alex Atala, em sétimo lugar, passou a prestar mais atenção na Ásia. Pela primeira vez, o continente – já consagrado pelo Michelin – teve quatro representantes entre os 50 nomes. O Les Creations de Narisawa, que oferece em Tóquio um fantástico cardápio inspirado na cozinha molecular, foi considerado o 12º melhor do mundo. O Nihonryori RyuGin, também na capital japonesa, ficou em 20º lugar. O Iggy’s, de Cingapura, e o Amber, de Hong Kong, completam a participação asiática na lista (respectivamente os números 27 e 37 da seleção). Não é uma performance ruim para uma região que foi totalmente ignorada quando a escolha da San Pellegrino começou, em 2007.

está sendo selecionado para interpretar Hitler, que contracenará com uma família judia também de atores.

CANNABIS Agora que o Supremo Tribunal Federal liberou as marchas pró-maconha – em Brasília foi um fracasso, não reuniu mais do que uma centena de simpatizantes –, o senador Eduardo Suplicy, do PT de São Paulo, quer aprofundar a discussão sobre a descriminalização da cannabis. Diz o petista: “Creio ser chegado o momento de o Parlamento discutir o assunto, numa série de audiências públicas, com especialistas contrários e favoráveis à descriminalização”. Como as audiências públicas são realizadas em ambientes fechados, é bom lembrar que é proibido fumar no recinto.

da empresária Ana Paula Ávilla e Silva, ela cedeu aos apelos da estilista para fotografar para a campanha de verão da grife brasiliense. O resultado foi uma beleza só! A coleção de verão, a propósito, está linda como sempre. Tem junco, phyton, avestruz, pelica, cristais Swarovski, artesanato trazido da Tailândia, pés no chão, saltos altíssimos, clutches preciosas, bolsas lindas e superpráticas. Bom, é a Confraria...

AGUARDADO Sendo esperado no Brasil o cineasta e diretor americano Ray Roman, ganhador do 19th Annual International WEVA Convention, e que figura na lista “Top 25 of EventDV Magazine’s” como um dos mais empolgantes e influentes do mundo, durante o PHOTOIMAGE BRAZIL 2011, que acontece de 16 a 18 de agosto, em São Paulo, no Expo Center Norte – Pavilhão Vermelho. Ray é conhecido por seu estilo de vídeo clips para casamentos – já fez vídeos para celebridades internacionais.

Esta jornalista foi presenteada no dia da festa de aniversário pela dupla Pedro Paulo e Matheus, levada por Cláudia Galdino

LANÇAMENTO O livro Assalto ao Banco Central, inspirado no caso real em Fortaleza, será lançado junto com o filme de Marcos Paulo. Sairá agora em julho, pela Editora Agir. Foi escrito por Renê Belmonte, roteirista do longa, e pelo policial federal J. Monteiro.

Marcos Lomanto é agora o diretor de Marketing da Embratur. Parabéns!

REGISTRO Denise Sganzerla tem recolhido depoimentos de sobreviventes do Holocausto que chegaram ao Brasil. O material, entre entrevistas e relatos das reconstruções das vidas, será compilado no filme Pessach. Além da parte documental, o longa contará com toques ficcionais. Um ator brasileiro

A franqueada da marca Mr. Cat do Pátio Brasil, Cláudia Cândida, ao lado do noivo, o empresário Cleiton Duarte

BELEzA AO QUADRADO Mais linda do que nunca, a designer Mireille Wendling vive dias de modelo como garota Confraria. Amicíssima

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, do PSDB, é conhecido pelo tom sempre conciliatório que emprega em suas declarações políticas. Questionado por esse comportamento, recorreu a seu genitor: “Meu pai sempre me recomendava: ‘Filho, lembre-se de Santo Antônio de Pádua. Quem não puder falar bem, não diga nada’”. Ele segue esse ensinamento à risca, mesmo quando se trata de adversários políticos.

COPA Quem esteve em Brasília recentemente foi Georgette Vidor, coordenadora

consuêlo badra

CALADO

27


da seleção brasileira de ginástica artística e supervisora da modalidade na academia A!Body Tech. Veio para a IV Copa A!Body Tech de Ginástica Artística que reuniu 165 crianças na arena da super academia que, diga-se de passagem, ganhará mais duas unidades na capital.

falar mal de outra pessoa a você, termine essa conversa na hora. Só de fazer isso, você estará gerando uma tremenda luz para si e para o mundo”. Sua fala está no livro sobre líderes espirituais que o jornalista Lauro Henriques acaba de lançar, Palavras de Poder (LeYa).

evento Luxo de Festa ao mesmo tempo em que lançam sua parceria no mercado. Além de divulgarem o próprio trabalho em um elegante espaço, elas assinam o stand da revista Hola! No lounge de Vivi & Virgínia Festas, mobiliário importado, tapeçaria antiga, projeto de paisagismo com direito a jardim pergolado num resultado super charmoso. Já no ambiente destinado à revista, uma atmosfera bem contemporânea, com peças do Vietnã e madeira ebanizada. As sócias também acertaram em cheio ao escolherem o evento para apresentar ao público uma das especialidades da empresa: louças personalizadas para casamentos.

Senador Marco Maciel aniversaria dia 21 de julho A querida e animada amiga Ciromar Amaral

BÚzIOS A fórmula do Festival Gastronômico de Búzios, que agora em julho chega à sua décima edição, é uma das mais felizes entre tantos eventos do gênero. Em primeiro lugar, porque participam os melhores restaurantes da cidade, vendendo porções a preços interessantes e, além disso, o evento incentiva a comunidade a recuperar receitas tradicionais, ao ar livre, com barraquinhas montadas na rua, na porta de cada um dos 45 restaurantes participantes.

consuêlo badra

Não é só o PT que tem uma profusão de candidatos à prefeitura de São Paulo no próximo ano. O PSDB, maior adversário dos petistas em São Paulo, também tem vários tucanos querendo bicar a maior prefeitura do país. José Anibal, Ricardo Trípoli, Bruno Covas, e, ninguém mais, ninguém menos que José Serra, são nomes ilustres de tucanos que pretendem suceder o atual prefeito, Gilberto Kassab.

CASA DO MICKEY

A padaria de Alex Atala, que abrirá no segundo semestre em São Paulo, na rua Barão de Capanema, se chamará Em Nome do Pão. Terá Rogério Shimura na panificação.

O cantor Luciano, da dupla com Zezé di Camargo, comprou uma mansão de seis quartos em um condomínio dentro da Disneyworld, em Orlando (EUA). Ele, que já havia passado férias no local em março, quando alugou o imóvel, brinca que vai ser “vizinho do Mickey”.

ANOTAÇÕES

VIVI & VIRGINIA FESTAS

Yehuda Berg, o guru de Madonna, recomenda que “Se alguém começar a

A decoradora Vivi Lemos e a arquiteta Virginia Moreira marcam presença no

O PÃO DO ATALA

28

CHOVE CANDIDATOS

Lucinha Itapary comemora nova idade dia 28 de julho

MAIS As sócias acertaram em cheio, apresentando as louças personalizadas para casamentos. Os desenhos são desenvolvidos pela marca e produzidos pela empresa Clarart, que é expert em pintura à mão e arte adesiva. A dupla conta que, entre as possibilidades a serem exploradas pelos noivos, há desde as lembrancinhas para os convidados, passando por presentes para os padrinhos, composição de mesas principais e até mesmo toda a parte de porcelana da festa. Para encomendas, os telefones: 7814-1909 ou 9975-5264.


para reduzir os gastos com entradas de museus e passeios é o New York City Pass (www.citypass.com/newyork).

TÁ DEMITIDO A ideia de líderes do DEM de sondarem o publicitário Roberto Justus para concorrer à prefeitura de São Paulo já sofreu bombardeio dentro da própria legenda. “A ideia é ridícula. E a chance de isso acontecer é zero”, diz Alexandre de Moraes, presidente do DEM paulista.

UNANIMIDADE

VIK MUNIz 3D Arte, cultura, sustentabilidade, cidadania. Todos esses temas são encontrados na exposição Vik Muniz 3D, que foi inaugurada no ECCO (Espaço Cultural Contemporâneo). Com patrocínio da JC Gontijo e curadoria de Karla Osorio e Ligia Canongia, o espaço dirigido por Diva Osorio Camargo recebeu cerca de 500 pessoas no vernissage. Arlete Sampaio, secretária de Desenvolvimento Social do GDF, esteve no local com representantes de entidades que atuam com coleta e reciclagem e também um grupo de catadores de materiais recicláveis.

Moda, gastronomia, entretenimento e entrevistas em um só espaço. É o que pretende o blog VAMOS DE, lançado em abril, pela advogada Wanessa Ferraz e jornalista Marcela Sá (foto abaixo). As jovens atualizam diariamente o endereço com dicas de moda, viagens, entrevistas com empresários e diversos outros assuntos. Voltado para mulheres e homens, o Vamos De já está no ar com muitas novidades e sorteios.

O senador Garibaldi Alves, do PMDB do Rio Grande do Norte, relatou, na Comissão de Educação do Senado, projeto de lei do ex-deputado Pompeu de Mattos, do Rio Grande do Sul, que declara o ator Paulo Autran patrono do teatro brasileiro. Aprovado por unanimidade, o projeto vai agora à sanção da presidente Dilma Rousseff.

SETEMBRO

INGRESSO MAIS CARO O Metropolitan Museum de Nova Iorque anunciou que a partir do dia 1º de julho o preço do ingresso subirá de US$20 para US$25. Segundo a administração do museu, mesmo com o aumento, ainda não serão cobertas as despesas da instituição por visitante, que chegam a US$40. O preço inclui, no mesmo dia, a visita ao Cloisters, a espetacular ala medieval do Metropolitan, exposta em um mosteiro francês transportado da Europa e reconstruído por obra de Nelson Rockefeller. Isolado em meio a belíssimos jardins, no extremo noroeste da ilha, o Cloisters é uma grande atração, mas é preciso organização germânica para dar conta do Metropolitan e do Cloisters no mesmo dia. Uma alternativa

VAMOS DE NOVIDADES

A médica-proprietária da clínica de dermatologia Mayanna Maia ao lado dos pais, Sânzia e deputado Agaciel Maia

Quando setembro chegar, Roberto Carlos lançará uma versão de luxo de sua biografia durante show em Jerusalém, no dia 7 de setembro. A obra, parte da Collector’s Books, será numerada, finalizada à mão e certificada por Roberto. Deverá custar entre R$6 e R$15 mil.

MAIS UM

NOVA ATUAÇÃO

Após criar a Ouvidoria, a Mesa do Senado abriu mais um canal de comunicação com a sociedade. O primeiro Ouvidor da Casa foi nomeado. É o senador Flexa Ribeiro, do PSDB do Pará, que já assumiu e tem como princípio responder a todos os questionamentos dos cidadãos. Flexa Ribeiro, na eleição do ano passado, teve uma grande votação, tendo se

Uma das mais preparadas, combativas e atuantes senadoras da República, a mato-grossense do Sul Marisa Serrano deixa o Senado para assumir o cargo de conselheira do Tribunal de Contas do seu estado. A senadora Marisa Serrano foi uma das estrelas do PSDB. Seu suplente, Antônio Bispo, é do Partido da República.

consuêlo badra

A deputada federal Iris de Araújo e Cláudia Cândida, a franqueada da Mr. Cat do Pátio Brasil

credenciado para disputar a eleição de governador do Pará em 2014.

29


CITROËN C3 A Citroën realizou o coquetel de lançamento do novo Citroën C3 Picasso, na concessionária Citroën Saint Moritz. Fabricado no Brasil, o C3 Picasso já é chamado de uma nova versão mais urbana dos Citroën Aircross (lançado no último ano).

um ou outro parlamentar quase se atracarem. É péssimo, mas não é contra a democracia. Contra a democracia é votar sem saber o que se vota. É votar coisas sérias em apenas duas horas”. O senador candango acha que os congressistas “são submissos por inoperância. E que são irrelevantes no processo brasileiro”. Ninguém contestou a fala do senador brasiliense.

PRÊMIO SEBRAE MULHER

Na foto, a gerente nacional de marketing da Citroën, Marlene Lopes, ladeada pelo diretor da concessionária Saint Moritz, Ronnie Mendonça, e o diretor regional da Citroën, Agnaldo Sanches

EXPOSIÇÃO Imperdível a mostra de Vik Muniz 3D, que foi inaugurada no ECCO, com patrocínio da JC Gontijo e curadoria de Karla Osório e Ligia Canongia. Com quatro exibições diárias gratuitas do documentário e os dois pisos da galeria repletos de arte de primeira qualidade, a mostra, que dura até o dia 14 de agosto, é programa para os brasilienses.

consuêlo badra

COPA DO MUNDO

30

Inimigo cordial de Ricardo Teixeira, o poderoso presidente da Confederação Brasileira de Futebol, o deputado Romário, do PSB do Rio de Janeiro, ex-craque da seleção brasileira, está descrente com a organização da Copa do Mundo de 2014. Para ele, “só se Jesus Cristo voltar, o Brasil fará a melhor Copa”.

MEA CULPA O senador Cristovam Buarque, do PDT do Distrito Federal, fez a mea culpa pela baixaria que tem acontecido em algumas votações no Congresso Nacional. O senador do PDT afirma que “o verdadeiro problema não foi

A empresária Sílvia Lobato, diretora da Boobambu Academia da Criança, foi premiada com o troféu prata no Prêmio Sebrae Mulher de Negócios, na categoria Pequenos Negócios. Sílvia concorreu com 17 finalistas, selecionadas entre mais de três mil mulheres no Brasil. A Academia, exclusiva para crianças, oferece atividades físicas, artísticas, trabalha valores socioeducativos e estímulos cognitivos, respeitando cada momento da criança.

vassa do Pontão do Lago Sul que os empresários responsáveis acabam de assinar protocolo junto à marca para abrir uma Devassa no Aeroporto Internacional de Brasília.

GIRO A arquiteta Ana Paula Barros (foto abaixo) está com a corda toda! Depois de levar o primeiro lugar na preferência do público em uma das categorias do 1º Prêmio Casa Cláudia, a profissional estreia o novo layout da seção Giro de Decoração, da prestigiada Casa Vogue. Ao lado de representantes da Vogue, ela oferece festa no dia 12 de julho no restaurante Zuu para mostrar o resultado. A escolha do espaço tem tudo a ver, já que a obra é assinada por Ana Paula ao lado de sua ex-sócia, a também super talentosa Valéria Gontijo.

SEM VOTOS Já com 11 suplentes ocupando a cadeira de titulares na atual legislatura, que começou há cinco meses, o Senado tenta mudar a regra atual, que prevê dois suplentes por titular. A Comissão de Constituição e Justiça aprovou a proposta que restringe a apenas um suplente, que não poderá exercer o cargo por mais de 120 dias, quando haverá nova eleição, nem que seja cônjuge ou parente do titular até o segundo grau. Querem mesmo acabar com a bancada dos sem votos.

PRÉ-CANDIDATOS

ALL DRINKS

O PMDB, maior aliado do PT em todo o país, pretende, na eleição do próximo ano, desgrudar do parceiro e lançar o maior número possível de candidatos a prefeito nas capitais. Pelo menos em sete capitais o PMDB já tem pré-candidatos: em São Paulo, Gabriel Chalita; em Porto Alegre, José Fogaça; em Salvador, Geddel Vieira Lima; em Curitiba, Rafael Greca; em Manaus, Eduardo Braga; em Belo Horizonte, Leonardo Quintão; e em Goiânia, Sandro Mabel.

A Mr. Cat do Shopping Pátio Brasil ofereceu a seus clientes um dia relaxante de drinques, espumante, petiscos, doces da cake designer Maria de Fátima e o melhor: horas e horas para poder experimentar e escolher algo entre os modelos de calçados e acessórios da loja. Cláudia Cândida é a franqueada da Mr. Cat do Pátio Brasil.

DEVASSA Vai indo tão bem a Cervejaria De-

NOVA CLÍNICA Foi inaugurada a Clínica Mayanna Maia Dermatologia, na 910/710 Sul, com um delicioso coquetel regado a muita champanhe, trufas da Stans,


castanhas e frutas. O consultório atende pacientes de todas as idades, com diversos tratamentos para a pele.

país. Estão no roteiro cidades como São Paulo, São Luís, Belém, Vitória, Belo Horizonte e Carajás (PA).

SUPER SIMPÁTICO

ORIGEM DA DEMOCRACIA

O deputado Olair Francisco tem conquistado a simpatia da imprensa que cobre a Câmara Legislativa. Ele é um dos poucos parlamentares que cumprimenta cada um dos profissionais da imprensa assim que chega ao Plenário.

A Rocco comprou os direitos de publicação no Brasil do novo livro do cientista político Francis Fukuyama, The origins of political order, que fala da origem da democracia e já é sucesso nos EUA, onde saiu em abril. Fukuyama ficou conhecido pelo polêmico livro O fim da história e o último homem.

VAI DORMIR, P##@! A Sextante lança agora em julho no Brasil o livro Go the f...k to sleep, do americano Adam Mansbach, fenômeno comercial mundo afora, primeiro na lista de mais vendidos do NY Times. O título aqui será Vai dormir, p*##@!. Aliás, o título do livro, espécie de literatura infantil para adultos, surgiu de uma piada do autor no Facebook, após perder a paciência com a filha de dois anos, que não queria dormir.

ano na nossa Brasília, anote na agenda: entre os dias 1º de julho e 1º de agosto, o Belini II Ristorante, que fica no piso superior da casa, e o restaurante Bhumi Cozinha Orgânica e Saudável, ambos localizados na 113 Sul, apresentam seu primeiro festival interno: o Festival de Sabores. Boa pedida!!!

MERCADO PERFUMADO O mercado da perfumaria no Brasil está mais aquecido do que nunca, atingindo o posto de número um no ranking, segundo a Consultoria Euromonitor. Em 2010, houve um aumento de 33% no faturamento e as cifras atingiram os 6 bilhões de dólares, ultrapassando os Estados Unidos. Reforçando esse mercado fértil, as empresárias Luciene e Alessandra Melo lançam uma linha própria e exclusiva de perfumes e cosméticos, na loja Mulher Chic, na 213 Norte. A marca, batizada de Vera Mello, está um show.

EXPANSÃO

EM MIAMI Fernando e Cristina Queiroz estão entre Brasília e Miami inspecionando o término das obras do apartamento que compraram em Sunny Island. May Moura assina a decoração do imóvel.

RETORNO O diretor da Unesco Luciano Fonseca volta a residir em Brasília, após anos morando na França. Para a alegria dos pais, o desembargador Hélio Fonseca e a procuradora Lenir Fonseca.

CANTO DESSA CIDADE O Prêmio da Música Brasileira será itinerante neste ano. Além da cerimônia no Rio, dia 6 de julho, promoverá também show com Lenine e Zélia Ducan. Os dois vão fazer turnê que percorrerá algumas capitais do

ESTUDO SOCIOAMBIENTAL O Movimento CYAN, da Ambev, vai lançar no dia 8 de julho um amplo estudo de ecomapeamento e diagnóstico socioambiental da microbacia do córrego do Crispim, localizada na cidade-satélite do Gama (DF), onde a companhia possui uma unidade fabril. A pesquisa permitirá conhecer as características econômicas e culturais da população local e será base para as ações de recuperação do córrego. Entre os resultados do estudo está a identificação do grau de interesse da população em participar de um projeto para revitalizar o local de acordo com sua relação com aquele ambiente.

FÉRIAS EM BSB Quem for passar as férias do meio do

Elaine e Francisco Duda saboreando as delícias da ComChocolat

PARABÉNS O empresário e presidente da FIBRA, Antônio Rocha, está conectado à Internet. Toninho criou seu blog, onde escreve e posta quase que diariamente informações com o objetivo de divulgar os produtos e serviços da indústria do DF. Também comenta os principais acontecimentos que afetam a economia local e a qualidade de vida do brasiliense. Acesse: www. blogdoantoniorocha.com.br.

consuêlo badra

Marta Castiñeiras e esta jornalista. Marta circula em Brasília revendo amigos queridos

A Hertz Rent a Car, líder mundial em locação de veículos, anuncia a compra da franquia Rental Frota no Brasil e nos próximos meses amplia seus negócios para Brasília, Belém, Goiânia, Palmas e São Luis.

31


RECORDAR é

viver Fotos: Célio Costa e Henrique Guillen

Afraninho Nabuco e Ulysses Guimarães (1988)

CENAS EM FOCO

Raquel e Leopoldo Pacini (1988)

32

Luiz e Anabela Miranda (1986)

Eliana Starling (1987)

Jorge e Mônica Costa Neves (1989)

Fábio de Carvalho (1987)

Marília Salomão (1989)


Hailé José Kaufmann, Luiz Sebastião Sandoval, senador Albano Franco e Carlos Henrique Santos (1988)

Ademir Martins e Celia Câmara (1988)

Silvia Prisco Viana e Celia Câmara (1988)

Lenir Lampreia (1988)

Fernando Tupinambá Valente (1987)

CENASEM FOCO

Jack Correia, Ronaldo Naya e Sergio Naya (1989)

33


Kátia Kouzak e Victória Philomeno (1987)

Lino Martins, Roberto Cury e Coronel Danton Nogueira (1987)

José Luiz Roriz de Araújo e Márcio Salomão (1987)

CENAS EM FOCO

Celene Carvalho (1987)

34

Toninho Drummond (1987)

Amir Nasr (1988)

Zilda de Oliveira e Maria Tereza Perez de Almeida (1988)


Maria Inês Nogueira e Lygia Leite de Camargo (1988)

Pompéia Addario, Mércia Crema e Ana Maria Gontijo (1988)

Jorge Salomão, Paulo Perez e José Carlos Guimarães (1988)

May Moura (1987)

CENASEM FOCO

Maria Inês Pinheiro (1988)

Josani Gravia (1987) Hildegard Angel (1988)

35


Florian Madruga

Metade do ano

ARTIGOS

E

36

m janeiro, depois de ouvir madame Anastácia, presidente da ABC, Associação Brasileira das Ciganas, vaticinei: este vai ser o ano do balacobaco. Terminando o mês de junho, exatamente a metade do ano, a conclusão é uma só: o calendário gregoriano está pândego. Duvida? Vamos começar pela Educação. Houve um tempo em que os pais queriam os filhos doutores. Ia-se para a escola a fim de falar e escrever bem o idioma pátrio, “a última flor do Lácio”, como se dizia em relação ao Latim, a língua que deu origem ao Português. Na escola de antanho aprendia-se o Português com todas as concordâncias caprichadas na cartilha do bê-a-bá: “Ivo viu a uva”, quem não se lembra? Hoje, pelo que se vê por aí, o buraco é mais embaixo, diz o novo livro de Português: “Nóis pega o peixe...”, logo agora que tem um Ministério da Pesca... A tabuada onde aprendi a somar, subtrair, multiplicar e dividir não tinha erro: dois mais dois, quatro; três menos dois, um; quatro vezes dois, oito; oito dividido por dois, quatro. Agora, não. Diz o livro que dez menos sete, quatro. Quero ver quando chegar no livro de Ciências a explicação do cruzamento de animais que dá burro. Saindo da deseducação e adentrando o campo da Copa do Mundo, que vai ser realizada por aqui, em doze cidades, o comentário é um só: a construção dos estádios de futebol, que agora se chamam arenas, está atrasadíssima. E olhe

que só faltam três anos para o apito inicial da primeira partida. E o sistema de segurança para garantir a integridade dos turistas que virão de todo o mundo? E a rede hoteleira, decadente e cara, de norte a sul, sem leitos suficientes para atender à enorme demanda de hóspedes? E o sistema viário urbano, engarrafado, sem estacionamento, sem ônibus decentes, sem metrô e sem táxis suficientes? E os aeroportos? Péssimos, saturados, ultrapassados, onde mal decolam as aeronaves, pois os demais serviços funcionam a passos de cágado. Na pressa em que o tempo passa, vai ser difícil prever o que vai acontecer até a Copa, ainda mais porque ano que vem tem eleição municipal e, no ano da Copa, eleição para presidente, governadores, senadores e deputados. Deve ser por isso que madame Anastácia, após a última leitura de mão que me fez, foi tão objetiva: - Estou mudando de ramo. Estou deixando de lado os assuntos sentimentais. Nada de receitas para males físicos. Muito menos de previsões para o futuro. Não desato nós, nem desvendo segredos. Meu negócio agora é consultoria empresarial. Depois de anos de experiência profissional, estou apta a tratar das finanças alheias. Inclusive, estou reajustando o preço da consulta: a hora passa de 70 para 98 real. Enfim, é ou não é o ano do balacobaco? Até o Vasco foi campeão. DO COLUNISTA JOSÉ SIMÃO, DA FOLHA DE S. PAULO, USANDO A NOVA ORTOGRAFIA: “Nóis sofre, mas nóis goza”.


Márcio Cotrim

Estar no Rio Grande

ARTIGOS

P

38

ara mim, duas das melhores coisas da vida são desembarcar em Brasília e estar no Rio Grande do Sul. Acabo de vivê-las, ao retornar de Porto Alegre, onde participei de um seminário. Não vou fazer roteiro turístico nem vou falar de monumentos. É muito chato para mim e para você. Prefiro flagrantes que justifiquem o primeiro parágrafo. É sempre assim quando lidamos com as coisas gaúchas, preferencialmente in loco, é claro, mas também em redutos brasilienses como a Estância Gaúcha do Planalto, que preserva e cultiva o encantamento das tradições do Rio Grande. Tônico de vida, clima de hospitalidade de gente bonita e bem nutrida que recebe os forasteiros com um sorriso largo e cantado. Cantada, sim, tal é a fala gaúcha, o delicioso sotaque que torna melódica e contagiante a conversa. Talvez os ventos uruguaios e argentinos se unam num ar que se mistura aos do Rio Grande e as pessoas de lá se tornem melhores e mais civilizadas. Civilização e primeiro mundo, lugares comuns em Porto Alegre. Não propriamente o centro da cidade, que não é padrão de beleza, apenas guarda certo aspecto senhorial de outros tempos. Estagnou em termos de desenvolvimento urbano nos anos 60 e hoje parece, digamos, os recantos mais conservadores da Tijuca ou do Grajaú, no Rio de Janeiro. Os bairros residenciais assumem a fisionomia do lado belga da Belíndia. O progresso trouxe prédios imensos e condomínios sofisticados, mas tudo isso não subtraiu um tiquinho da índole gaúcha no que ela tem de mais precioso. Na abertura dos trabalhos do seminário, o então governador Alceu Collares pronunciou impressionante discurso, uma peça de improviso que historiou a tradição libertária da gente gaúcha, talvez seu maior patrimônio. Questão de afinidade que tem se consolidado pelos séculos afora, luta e pátria permanente que caldeou sangue e espírito muito especiais, absolutamente exclusivos no panorama brasileiro.

Outra exclusividade gaúcha: ao final da programação de TV do canal 10, ótima surpresa: uma grande orquestra e coral executam o hino do Rio Grande do Sul, hábito que não se conhece em nenhum outro estado do país. A melodia é trivial no gênero marcial; em compensação, que maravilha em sua vibrante execução, que competência dos instrumentistas! O conjunto ultrapassa em muito a dimensão do hino e faz o telespectador ir dormir gostando ainda mais do Rio Grande. Comemos fora – claro que carne. Mas carne com música e dança, e aí mergulharmos na alma gaúcha. Nada se compara à irresistível dobradinha churrasco/CTG. Pode haver chope/ pagode, “pastêis” paulistas/Demônios da Garoa, caranguejos/ frevo, acarajé/lambada em combinações brasileiríssimas de paladar e audição, todos os demais sentidos envolvidos, mas em nenhum lugar a mistura é mais saborosa e aromática que no Rio Grande. Enquanto a carne se desmancha na boca e a cerveja desce macia goela abaixo, no palco do galpão crioulo entra uma esplêndida garotada e durante mais de uma hora é sensacional o espetáculo folclórico, no mesmo nível ao que há de melhor na Polônia, no México, na Hungria e em outros países que, igualmente, valorizam através da música suas melhores tradições telúricas. Guapos rapazes e belíssimas moças, as prendas, evoluem no palco na chula, na chimarrita, na cana-verde, no pezinho, no balaio, no boleador, na canção nativista, um delírio de cores e suores, marcação perfeita, olhares ternos e lúbricos entre os casais e esgazeados para a plateia, saias em rodopio, esporas fortes no assoalho, ritmo alucinante, dentes alvíssimos, bocas sensuais, o conjunto causa arrepio. Em meio aos calorosos aplausos do público, orgulhamo-nos de mais esse tesouro brasileiro. No Rio Grande se festeja a vida, a terra e a beleza das gentes. Estar no Rio Grande é conviver com o que temos de melhor. Digo mais: passar uns dias lá é excelente receita para os céticos, os desanimados, os que não acreditam na força do trabalho para a construção de um grande país. Uma boa dose de Rio Grande faz revigorar a confiança no futuro do Brasil. Só dá pena é gaúcho vegetariano.


Aristóteles Drummond

O Conceito de Igualdade

ARTIGOS

F

40

ala-se muito em igualdade como um ideal a ser alcançado pela sociedade, na busca da justa distribuição de renda. A ideia é forte e não tem como ser questionada, mas é preciso definir qual a igualdade mais correta e que oferece maior motivação ao ser humano na luta de um lugar confortável ao sol, sem privilégios. Os defensores da utopia da igualdade na renda fracassaram, além de nunca a terem praticado nas ditaduras que impuseram a parte do mundo. Cuba é hoje o exemplo que sobreviveu, e quem anda por Havana v�� que existe uma classe dominante acima da escassez e do racionamento. A igualdade de renda é impossível de ser implantada por muitos e diferentes motivos. Nas democracias capitalistas, a igualdade que vem sendo praticada com sucesso, caso dos Estados Unidos e do Canadá, é a de oportunidades, o que faz dos dois países notáveis pela mobilidade social. E esta igualdade começa pelo ensino público de qualidade. A maioria dos seus milionários é de primeira geração, ao contrário da Europa, onde os ricos, em geral, são herdeiros com juízo. A proteção social, atendendo os de menor qualificação ou desempenho, fica por conta dos impostos para financiar os programas sociais. Mas com moderação, para não punir quem chega ao sucesso. As condições de se premiar o empreendedor, o cidadão de sucesso, fortalecem a democracia nas outras igualdades desejáveis, como a de Justiça, da segurança pública, a do emprego

digno. Uma pena que, em algumas sociedades, como infelizmente tem sido o caso da brasileira, ao invés de se louvar o vitorioso, pessoa física ou jurídica, cria-se entraves para dificultar seu sucesso – é a chamada “ética do ressentido”, a que se referia Nietzsche, filósofo alemão do século XIX. Logo, temos de acabar com essa bobagem de se impor um verdadeiro confisco a quem tem mérito, bafejado pelo destino, que emprega e paga impostos, que merece aplauso e reconhecimento, e não esta ação mesquinha de extorsão via impostos e fardo burocrático. Vivemos a era da informática, da simplificação, e temos de ter uma legislação tributária compatível com os tempos que vivemos e não com uma máquina de burocratas, que o histórico revela nem sempre exemplar na boa conduta. Nas empresas, menos impostos representam mais investimentos, já defendia Roberto Campos. Na pessoa física, estimular a poupança é não impor ao poupador sociedade espúria com o Erário. Roberto Campos, ao defender a candidatura de Paulo Maluf por duas vezes, alegava que, mais do que o bom executivo nos cargos públicos, confiava na experiência do empresário e líder de classe como presidente da Associação Comercial de São Paulo, que sabia o papel fundamental da iniciativa privada no processo de desenvolvimento nacional. E tinha razão. Só quem encosta a barriga no balcão para vender sabe o quanto é difícil vencer e ganhar.


Carlos Chagas

De como nos livramos de um ditador civil

ARTIGOS

D

42

e vez em quando é preciso mergulhar no passado, na tentativa de iluminar o presente, mesmo sem a pretensão de desvendar o futuro. Porque o passado, alguém já escreveu, não costuma mostrar o que fazer, mas aponta sempre o que devemos evitar. Cinqüenta anos atrás o então presidente Jânio Quadros empolgava o país com iniciativas de toda ordem. Inaugurara uma política externa dita independente, desvinculando o Brasil do alinhamento automático com as diretrizes dos Estados Unidos. Rejeitara qualquer sanção contra Cuba, tendo até visitado Havana durante a campanha, prometendo a Fidel Castro manter a promessa de jamais admitir interferência nos negócios internos de outros países. Restabelecera relações diplomáticas com a União Soviética, cortadas desde 1946, e inserira o Brasil no Terceiro Mundo, apoiando as ações de Tito, na Iugoslávia, Nehru, na Índia, e Nasser, no Egito. No plano interno, adotara uma política econômica recessiva, desvalorizando o cruzeiro diante do dólar, favorecendo as multinacionais e cortando fundo no orçamento. Interrompeu a estratégia desenvolvimentista de Juscelino Kubitschek. Também proibiu desfiles de maiôs, nas disputas de Miss Brasil, brigas de galo, em todo o território nacional, e corridas de cavalo durante a semana. Exigiu do funcionalismo público que trabalhasse em dois horários diários, e suspendeu por três dias as transmissões da Rádio Jornal do Brasil. Fulminou seus ministros com bilhetinhos que tornaram a “Hora do Brasil” o programa mais ouvido no rádio, impondo comissões de inquérito para investigar montes de denúncias de corrupção. Botou o Exército na rua, em Recife, com tanques e tropa embalada para reprimir estudantes revoltados com a proibição, pelo reitor da Universidade de Pernambuco, de permitir palestra da mãe de Che Guevara em suas instalações. Em vez de ganhar o apoio de cada segmento ou categoria, por

atender suas inclinações, Jânio obtinha o resultado oposto: os setores contrariados uniam-se contra ele. Talvez já tivesse a estratégia definida antes mesmo de assumir, pois como candidato renunciara uma vez, gerando a substituição de seu candidato a vice-presidente. Quando governador de São Paulo, duas vezes também renunciara, sendo contido por auxiliares. Admirador de Fidel Castro e de Gamal Abdel Nasser, prestara atenção na renúncia de ambos aos governos de Cuba e do Egito, meros golpes para retornarem logo depois nos braços do povo e como ditadores. Assim, imaginou passar o apagador no quadro negro e inaugurar um novo regime político, onde o Congresso não o incomodasse e a Constituição não o contivesse. Uma falsa renúncia, pensou, levaria ao paroxismo as massas e a classe média que o haviam elegido por seis milhões de votos, fazendo-o retornar em seguida com poderes especiais. Traduzindo, como ditador. Jânio programou o golpe em detalhes. Obrigou o vice-presidente João Goulart a transformar em oficial uma viagem particular à China Comunista, onde, conforme o mundo ocidental, se comiam criancinhas no café da manhã e velhinhas no jantar. Deixou para anunciar sua renúncia a 25 de agosto de 1961, uma sexta-feira, impossível de localizar o substituto e, mais ainda, dia em que até hoje fica difícil encontrar deputados e senadores em Brasília. A renúncia, entregue ao Congresso depois das três da tarde, geraria o caos no país inteiro, dando tempo a que as forças populares, até segunda-feira, o reinvestissem no governo com poderes absolutos. O resultado foi que naqueles dias os deuses estavam simpáticos ao Brasil, e boa parte dos parlamentares encontrava-se em Brasília, mesmo numa sexta-feira. Circulavam rumores de um golpe de estado, já que essas coisas jamais constituem segredo. Ainda mais porque o presidente do Senado, Auro de Moura Andrade, era adversário de Jânio e mandou fechar o aeroporto da capital federal. Ninguém sairia, deputados e senadores ouviram pelos alto-falantes que deveriam retornar ao Congresso. Quando anunciada a renúncia, ficou claro que o golpista havia sido péssimo aluno na Faculdade de Direito de São Paulo. Porque a renúncia é um ato unilateral que produz efeito assim que formalizada. Não tem que ser votada. Apenas conhecida. Resultado, enquanto voava para São Paulo, Jânio ouviu pelo rádio que o Congresso havia tomado conhecimento de seu gesto e empossado o presidente da Câmara, Ranieri Mazzilli, na presidência da República, tendo em vista a viagem do vice-presidente João Goulart ao exterior. O resto fica para outro dia, nessas lembranças do que aconteceu 50 anos atrás, e que deveríamos lembrar, no mínimo para que não se repita, 50 anos depois. Para quem pensa que o mundo mudou, vale lembrar a máxima popular de que nada de novo acontece sob o sol...


Paulo Castelo Branco

Quem quer casar?

ARTIGOS

N

44

o dia 13 de junho, uma multidão de mulheres compareceu à Igreja de Santo Antonio para fazer promessas ao santo casamenteiro. Umas, ajoelhadas, fazem preces para que, no ano que vem, estejam com suas famílias constituídas e felizes para sempre. Outras, já beneficiadas pela graça do santo, voltam para agradecer. Muitas chegam com os filhos nos braços, para oferecê-los ao apadrinhamento de Santo Antonio. Chamam-se Antonios e Antonias, simplesmente. Alguns inventam combinações como Antonio Jorge, em homenagem a Jorge, o Guerreiro, Maria Antonia, relembrando a Virgem, Antony, americanizado, ou Toni, uma maneira de buscar intimidade que o santo não oferece. Eles vão pela vida com os seus nomes que, de tempos em tempos, sabe-se lá por que, saem do circuito de nomes da moda. Nesses dias, não só como reverência ao Antonio, o Santo, mães batizam os seus rebentos em homenagem ao personagem robusto que domina as telas da televisão. O garoto, na verdade, não tem muito a ver com o santo, que sempre se manteve esbelto nas imagens que o representam. Mas isso não interessa muito, o que vale é a fé e o agradecimento pelo casamento que, como o amor, é eterno enquanto dura. No dia do santo, por curiosidade de escritor, fui ao seu templo. Sou casado há anos e nem sei se minha mulher alguma vez se ajoelhou à frente de Antonio, suplicando a minha existência ao seu lado. Acredito que vivemos um daqueles amores que surgem num único olhar e que não precisam de ajuda para se consolidar. Hoje, fazemos preces para que tenhamos, até o fim da vida, harmonia, amor, fidelidade e felicidade como a que vivemos desde sempre. Sentado e observando o vai-e-vem das mulheres orando, cantando e comungando, me surpreendi com uma mocinha de joelhos ao meu lado que, com palavras claras, conversava com o santo a quem chamava de Tunico. Olhei para a imagem no altar e percebi um leve sorriso nos lábios aparentemente inertes. A

menina dizia: “Meu Santo Antonio, tenho treze anos de idade, o número do dia a ti consagrado. Venho, de joelhos, suplicarlhe que olhe por minha querida mãe. Meu pai, desde que nasci, nos deixou. Minha mãe dedicou-se integralmente à minha vida. Trabalhou muito para manter-me no melhor colégio e nas melhores condições. Sou boa aluna e tenho a certeza de que, ao fim dos estudos, poderei dar à minha mãe o que ela merece. No entanto, numa noite, ouvi suas preces, quase silenciosas, pedindo-lhe um companheiro para acompanhá-la na velhice. Fiquei triste ao saber que minha mãe não era feliz em viver só comigo, mas a compreendi. Por isso, meu santo, peço-lhe que toque o coração do Dr. Seixas para que ele deixe de lado a mania de celibatário e se case com minha mãe. É um pedido que ela já deve ter-lhe feito muitas vezes e que, hoje, reforço com muita fé”. A menina levantou-se, foi até ao altar, tocou a imagem de Santo Antonio, acendeu uma vela e saiu sorrindo. Troquei de banco e sentei-me ao lado de um homem de uns 50 anos de idade. Ele balbuciava algumas palavras que eu não entendi perfeitamente. Fiquei atento e logo ele sussurrou: “Santo Antonio, eu sabia que um dia minha filha iria se casar, mas imaginei que estaria preparado para entregá-la ao seu príncipe encantado. Agora que o príncipe surgiu no seu cavalo branco, sinto-me desolado por romper os laços que nos unem. Sei que a vida é assim e que, com o tempo, os netos chegarão para alegrar nossa casa. No entanto, até lá, a sua falta irá desorganizar os meus pensamentos, e as minhas preocupações se multiplicarão. O casamento, acho, será realizado neste templo com as suas bênçãos. No altar, ao entregar a minha princesa ao seu noivo, sentirei a mesma emoção quando recebi minha companheira, com quem sou abençoado todos os dias com a sua proteção”. A missa e a peregrinação se encerraram. Já era tarde da noite. Coletei tantas histórias do santo casamenteiro que creio, no ano que vem, poderei contar dezenas de histórias com final feliz.


José Alberto Couto Maciel

Se eu pudesse falar com Deus

S

ARITGOS

ei que muitos religiosos dirão que eu posso falar com Deus, seja através de uma oração, ou mesmo de um pedido mais profundo, pois ele me ouvirá.

46

Mas não é isso que eu queria. O que eu gostaria mesmo era de falar com ele, nada de especial, mas comentar algumas coisas que no meu entender e pela minha experiência foram feitas de forma errada, e que ele, com todo seu poder, não deveria assim ter feito, ou poderá ainda corrigir. Diria a ele que, desde o princípio, criou no mundo a discriminação, dizendo ter feito o homem em primeiro lugar e a mulher, após, de sua costela, ou seja, a mulher vem sendo discriminada desde a criação, e o que é mais importante, nasceu aí o ato de discriminar as pessoas. Mas vamos ver o nosso corpo. Qual a razão de você, após passar por todas as dificuldades de uma vida e chegar à velhice, ganhar como prêmio o desgaste do corpo, doenças, neuroses e uma morte inevitável, quando seria o momento de ser premiado? Por que esse mistério de não dizer o que há depois da morte, a não ser umas ideias não comprovadas por ninguém, de céu, purgatório, inferno, ou vida após a morte com ressurreição, nova vida para pagar pecados anteriores etc? Então eu vivo 80, 90 anos e mereço como glória final um mistério deste? É em razão desse mistério que as religiões se dividem, as crenças são enormes e todo o mundo, como sabe que vai morrer mesmo, se adapta a alguma verdade sem qualquer garantia válida. Ah, mas o mistério faz com que você tenha de acreditar, caso contrário não será um bom cristão? Ora, então por que meu Deus Vossa Divindade deu-me uma mente que possibilita pensar e, se pensar bem, devo acreditar no que tenho certeza, ou no que, pelo menos, já aconteceu com outros? Perguntaria também a Deus qual a razão de existir o direito para punir as pessoas que não são direitas? Se ele é quem fez o

homem, por que não fez de uma vez ele direito e acabava com essa história de advogados, juízes etc? E estou advogando contra mim mesmo, pois sou advogado. Por que, meu Deus, e aqui vou localizar a situação no Brasil, por que o país tem de ter um presidente, cujos interesses têm de ser aprovados pelo Congresso Nacional e uns congressistas que só votam se o Governo agradá-los? Por que o sujeito é considerado corrupto por todos, há provas cabais, mas ele continua no Poder e ninguém muda? Não seria o caso de uma intervenção divina, uma vez que os interesses dos poderosos são defendidos por eles mesmos? Outra coisa que me preocupa, ainda quanto ao corpo, é a questão da saúde: tenho de fazer ginástica todos os dias para os músculos e os ossos continuarem funcionando; tenho de comer vegetais, pouca carne, reduzir os doces e tudo o mais que os nutricionista mandam, para viver mais. Bebo água, vou urinar, com a comida devo defecar. Não seria muito mais simples organizar isso de forma a que as pessoas comessem e bebessem o necessário e seus órgãos convivessem bem com a natureza, não precisando dessa ginástica obrigatória para viver um pouco melhor? E às vezes fico pensando e tenho vontade de perguntar a Vossa Divindade: eu ainda penso e até comprovo escrevendo este artigo, mas como vão ter fé e ganhar as benesses pós-mortem aqueles que nascem com defeitos mentais, que não conseguem raciocinar e, portanto, rezar, que são miseráveis e sem condições culturais até para seguir uma religião? Veja que o princípio de que todo ser é igual não se coaduna com essas diversificações e até a nossa Constituição, querendo segui-lo, colocou em seus fundamentos que todos são iguais perante a lei. Meu Deus, eu diria, não vou nem querer criar qualquer polêmica, mas conheço casos de ladrões que roubaram alimentos por necessidade, e que estão presos há anos, antes do trânsito em julgado de seus processos, e de outros ladrões, que roubaram o país em milhões e milhões de reais, e que só deverão ir para a cadeia, se forem, quando transitar em julgado seu último recurso, podendo, inclusive, nesse ínterim, atuar como congressistas ou executivos de relevantes poderes no Brasil. Não é estranho? Todos são iguais perante a lei? Finalmente, meu Deus, eu concluiria, para eu descer do muro e não ficar esperando a morte para depois seguir o que lá existir, não criando inimigos antecipadamente ao rezar para um Deus inexistente, dá uma dica real para mim do que existe na verdade, ou diz logo que nada existe, ok? Abraços.


Wilson Granjeiro

A boa e a má notícia para os concurseiros

ARTIGOS

D

48

uas das principais preocupações de quem faz concurso público são o direito à nomeação, após a aprovação em todas as etapas, e as especificações do edital sobre as matérias que serão cobradas na prova. Os dois temas sempre foram motivo de divergências entre concurseiros, promotores dos concursos e bancas examinadoras. Naturalmente, a polêmica acabou parando na justiça. Agora, duas decisões judiciais vêm resolver de vez a controvérsia, com consequências opostas no que concerne aos interesses dos concurseiros. Sem meias palavras: uma delas é boa, mas a outra é ruim. Vou comentar primeiro a boa. Você há de convir comigo que ela é um motivo de alento para quem se prepara para os concursos programados para o segundo semestre.  A notícia vem do Supremo Tribunal Federal (STF) e diz respeito a cadastro reserva e direito à nomeação. Reconhecendo a existência de direito subjetivo à nomeação, a Primeira Turma da mais alta Corte do país proveu recurso extraordinário para conceder a segurança impetrada pelos recorrentes e determinar que o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Santa Catarina procedesse à nomeação dos regularmente aprovados dentro do número de vagas existentes até o encerramento do prazo de validade de concurso. No caso examinado pelo STF, fora publicado edital para concurso público destinado ao provimento de cargos do quadro permanente de pessoal e formação de cadastro de reserva para preenchimento de vagas que surgissem até o prazo final de validade. Mais tarde, em 20 de fevereiro de 2004, foi editada a Lei 10.842, que criou novas vagas, com provimento autorizado para os anos de 2004, 2005 e 2006, de maneira escalonada. O prazo de validade do certame terminou em 6 de abril de 2004, sem prorrogação. Considero da maior importância a decisão da Primeira Turma do STF, que veio ratificar posição que sempre sustentei em defesa dos interesses dos candidatos e da moralidade dos concursos públicos. Estou certo de que não será mais possível aos responsáveis por concursos deixar que o prazo de validade expire, sem a nomeação dos aprovados, para nossa tristeza, prática muito comum em todos os níveis da Administração Pública no país. Fica o alerta aos concurseiros que se sentirem prejudicados: questionem a legalidade dos atos do órgão e exijam na justiça a nomeação. Agora vocês estão amparados pelo julgamento do Supremo.

Infelizmente, a segunda notícia que trago não é das melhores para os concurseiros. Trata-se de decisão proferida pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) no julgamento de mandado de segurança contra o Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJ/ES). A Quinta Turma do “Tribunal da Cidadania” entendeu que prova de concurso público pode cobrar alterações legislativas posteriores à publicação do edital. Na decisão, os ministros mantiveram duas questões de prova aplicada no concurso para provimento de cargos no tribunal capixaba, baseadas no conteúdo da Emenda Constitucional 45, de 2004, promulgada depois do lançamento do edital do certame. A decisão da Turma foi unânime.  A candidata Isaura Salvador recorreu ao STJ para tentar anular as questões 27 e 28 da prova objetiva do concurso para os cargos de oficial de justiça oficializado e de escrevente juramentado do TJ/ES. As questões testaram conhecimentos a respeito da Emenda Constitucional 45, de dezembro de 2004, promulgada após o lançamento do edital 13/04-TJ/ES do concurso, ato realizado em abril daquele ano. Segundo o relator do processo, ministro Arnaldo Esteves Lima, o conteúdo cobrado no concurso estava dentro do estabelecido no edital. Além disso, salientou o relator, “não foi estabelecido expressamente no edital prazo limite para que fossem incluídas nas provas modificações legislativas relacionadas ao conteúdo programático”.  O ministro Arnaldo Esteves Lima confirmou o entendimento do TJ/ES. Segundo o relator, no conteúdo programático do concurso estava prevista a exigência de conhecimentos sobre o Poder Judiciário e a organização do Estado, da Administração Pública e dos servidores públicos, entre outros. Com base nisso, o ministro salientou que “a exigência relativa à emenda constitucional que modificou o texto da Constituição no tocante ao Poder Judiciário não se desvinculou do edital”.  O ministro enfatizou não ter verificado “surpresa na exigência”, na medida em que o concurso público se destinava a provimento de cargos no Poder Judiciário. “Há uma vinculação direta entre as funções a serem exercidas e o conteúdo requerido. Competia ao candidato remanescer atento a quaisquer alterações, principalmente as de natureza constitucional”, ressaltou.  O ministro lembrou, ainda, que não constava do edital prazolimite para a inclusão de alterações legislativas relacionadas ao conteúdo programático do certame. Além disso, “entre a data da promulgação da Emenda Constitucional 45/2004 e a da realização das provas, em abril de 2005, decorreu um tempo razoável, superior a três meses, suficiente para que o candidato se preparasse adequadamente”, observou.  Com base nessa decisão, cabe o conselho: os candidatos a vagas ofertadas em concurso público precisam, a partir de agora, estar mais atentos do que nunca a mudanças na legislação posteriores à publicação do edital, com ou sem alterações em seu conteúdo por parte dos organizadores. Precedentes como esse do Espírito Santo podem inspirar as bancas a surpreender os concurseiros que não se atualizarem até o dia da prova. Em outras palavras, tal como os escoteiros, um candidato a concurso público tem de estar sempre alerta.


MARA AMARAL

Linda, linda, linda

50

Vista do Monte Solarium, com a estรกtua romana em Anacapri. Ao fundo as imponentes rochas, os Faraglioni

Capri


O centro da praça (Piazzetta) e o relógio, ponto de encontro dos turistas

Marina Grande Esse é o principal porto, grande porta de entrada. Nesse mesmo local, os romanos chegavam com seus navios; Tiberius

fortificou o porto durante a esplêndida era do Império Romano, quando a ilha já desempenhava importante papel. Hoje ele desperta a atenção de todos com seus terraços, suas casas pintadas de vermelho, balcões e galerias abertas. Durante a alta estação, o movimento entre o continente e a ilha fica intenso, com todos os tipos de embarcações lotadas de turistas. O teleférico é muito procurado pelos visitantes, que, quando chegam à Marina Grande, vão direto à Piazzetta (centro), onde todos se encontram. Ir de taxi é uma outra opção.

uMa das pérolas do turisMo internacional Essa é a cidade principal, localizada bem no centro da ilha, redescoberta pelo médico e escritor sueco Axel Munthe. Estrutura hoteleira requintada e fortes pontos turísticos contribuíram para tornar Capri a “Meca” do turismo internacional. Outro aspecto importante da economia é a indústria da pesca e têxtil e o artesanato (cerâmica, joias de coral, cestos, espadrilles etc). Os vinhedos são um capítulo à parte. Capri foi construída segundo um plano medieval, e as ruelas formam labirintos fascinantes. As casas seguem o estilo mediterrâneo de arquitetura, com terraços encantadores. A Piazza Umberto I, conhecida como “Piazzetta”, é o coração da cidade, e muitos a escolhem como ponto de partida para suas aventuras. Mesinhas com guarda sol colorido, gente famosa do mundo das artes, ambiente descontraído, ela fica exatamente onde as primeiras colônias gregas foram estabelecidas. Dominada pela Torre do Relógio, tem vista deslumbrante e bancos para sentar. A Igreja de St. Stephen (projeto do século XVII, do arquiteto Picchiatti) é maravilhosa. Entre e faça suas preces, após admirar o belíssimo piso romano do altar, trazido de Villa Jovis, a mais celebrada por Tiberius. Na Capela do Rosário fica o famoso quadro “Madona com a criança

MARA AMARAL

E

ntre todas as ilhas da Itália, Capri possui uma posição bastante privilegiada. A ilha toda tem características bem definidas e particularidades que contribuem para a formação de sua forte imagem turística. Na mais famosa ilha do Mediterrâneo, o perfume das flores e os limões sicilianos está por toda parte. O movimento turístico é enorme! Programe sua viagem de maneira correta, pois desde o final de outubro até abril, quase tudo fecha, como hotéis, restaurante e lojas. Na ilha, o comércio é tentador, as joalherias e as principais grifes do mundo estão lá. Para os que gostam de história, muitos locais testemunham a presença dos romanos e gregos, dando asas à imaginação. Com relação à culinária, há bares e cafés onde você pode comer muito bem massas e as famosas pizzas, e sofisticados restaurantes, saboreando pratos italianos e internacionais. O que agrada a gregos e troianos é o delicioso gelato. As descobertas arqueológicas extraordinárias vêm do tempo dos romanos (ossos de animais pré-históricos, ferramentas antigas e objetos de arte). Testes modernos de carbono fornecem a data exata de todos os objetos encontrados, muitos elaborados antes da era do bronze. Tiberius construiu seu próprio palácio (Villa Jovis), no Monte Tibério, com grande vista para o mar. De fato, foi Augustus quem se apaixonou pela ilha primeiro, e tomou-a para si. Após o seu falecimento (14 a.C.), seu sucessor, Tiberius, escolheu o lugar para seu exílio, nos últimos anos de sua vida. A presença grega em Capri foi comprovada por vários epígrafos gregos.

51


A mágica Gruta Azul À direita o grande Hotel Quisisana, onde a Via Camerelle e a Via F. Serena começam. Essas ruas são caracterizadas pelo elegante comércio

Marina Grande e os Santos Michael e Antonio”, particularmente venerado na cidade. O Belvedere, com suas colunas brancas dispostas em pedestais, proporciona vistas panorâmicas, principalmente ao pôr do sol. Não deixe de entrar no Palazzo Cerio, para grandes descobertas, e com amigos para poder compartilhar, se possível. A Igreja de Salvatore, construída por Dionisio Lazzari, e o Convento dos Terciários, formam uma unidade estrutural típica do século XVII.

Hotéis

MARA AMARAL

• Grand Hotel Quisisana, Via Camerelle, 2 – Capri; • La Palma, Via Victorio Emmanuele, 39; • Caesar Augustus (espetacular), Via G. Orlandi, 4 – Anacapri.

restaurantes • Il Riccio – via Gradola, 4/6, Grota Azzurra, tel. 39 081 837 1380, de frente para o mar, decoração toda em tons de azul e branco; • Da Paolino, Capri – Via Palazzo a Mare, 11, tel. 39 081 8376102 e 39 3404000304, decoração toda em amarelo e lindas árvores de limões sicilianos.

Da Paolino restaurante. Para ver o caramanchão de limões Sicilianos, só indo lá! e por nada no Mundo perca... • A Gruta Azul – o passeio de barco só pode ser feito se o tempo e as condições marítimas permitirem. Pela manhã é melhor; • Os Faraglioni – emergindo das profundezas do mar, essas rochas são o principal cartão postal de Capri. Foram formadas pela erosão da água e chegam a medir 105m de altura. São três rochas, de tamanhos diferentes. Suas grutas, cavidades e arcos naturais são o paraíso dos fotógrafos. Juntamente com o Arco Natural e a Gruta Matermania, são os locais mais frequentados; • Marina Piccola – atraente, graciosa, ficou famosa na época do “boom”, quando o fluxo turístico aumentou devido à presença de famosos nomes da indústria cinematográfica; • O Castelo de Castiglione – vistas espetaculares, a excursão é muito agradável! Foi reestruturado e reformado, para o delírio de todos. Aproveite o passeio para visitar a Vila Imperial, magnífica, descoberta pelo arqueólogo austríaco Norbert Hadrawa. email: maraamaral2002@hotmail.com

52


54

capa


Muito mais que um centro clínico

capa

A

Politec Incorporadora iniciou suas atividades no ramo da Incorporação em 2002. Em 2010, devido ao sucesso obtido nos anos anteriores, a empresa optou por aumentar e diversificar sua participação no mercado imobiliário. Para atingir esse objetivo, a Politec, neste ano, firmou sua primeira parceria, com a Brookfield, que resultou no lançamento do Residencial Apê, em Águas Claras, que foi inteiramente vendido em menos de um mês e se encontra em construção. Segundo o diretor executivo José Marques, nos próximos 18 meses a meta é lançar a mesma área entregue nos nove anos anteriores e expandir seus negócios para a área comercial. Visando esta expansão dos negócios, no último dia dois de junho, a Politec lançou o Life – Centro Integrado de Saúde, um empreendimento que integra localização perfeita, espaços inteligentes, paisagismo exuberante, bem-estar, tecnologia e conveniências. O Life fica localizado no centro da Asa Norte, a região com maior potencial de valorização de Brasília e, segundo a Dra. Janete Vaz, sócia proprietária do Sabin, que já está presente no empreendimento, a Asa Norte é a região número um de atendimento do laboratório no Distrito Federal. O desafio de criar um marco para a cidade foi passado a Rogério Markiewicz, sócio proprietário da MKZ Arquitetura, que através de uma arquitetura de vanguarda, aliando conforto, beleza e segurança, atingiu plenamente o objetivo. Complementando o projeto arquitetônico, a Dupla Arquitetura Estratégica realizou a decoração das áreas comuns, trazendo aos espaços muita descontração e elegância.

55


capa 56

O Life atenderá um público que busca não somente a saúde, mas também o bem-estar. O empreendimento não estaria completo sem um projeto paisagístico diferenciado, e ninguém melhor para isso do que Martha Gavião, que entendeu perfeitamente o conceito pretendido e com muita elegância criou ambientes, jardins e espelhos d’água, convidando ao acesso e valorizando ainda mais o ambiente de trabalho. Há ainda um terraço panorâmico com área de alimentação, um espaço de descanso privilegiado, com uma estética exuberante. A Politec não pensou somente na beleza estética do Life, preocupou-se muito com a sua funcionalidade, agregando ao projeto o conhecimento da Vasserman

Engenharia (conheça mais no quadro ao lado), que, através de seu sócio proprietário Charles Vasserman, possibilitou grande flexibilidade, adequando as instalações às mais diversas especialidades médicas e de medicina diagnóstica. Segundo Vasserman, “o Life traz todas as soluções para os mais diversos tipos de áreas, permitindo a acomodação das novas tecnologias que evoluem a cada dia na promoção da saúde. A associação de um Hospital com Corpo Clínico Aberto e de especialidades consolida os conceitos de resolutividade”. Pensando na utilização pós-entrega, participaram do projeto a gestora condominial Itambé, a empresa especializada em segurança High Link e a Alfa Park

Lançamento do Life No dia 2 de junho, a Politec realizou o lançamento do Life – Centro Integrado de Saúde. Para o lançamento, a Incorporadora se inspirou na maior empresa do grupo, a Politec S.A., apresentando o empreendimento de forma bem futurista e tecnológica, com o apoio da Adventure Tech. Não havia a tradicional maquete física, a visualização ocorreu através da mesa interativa Multitouch, onde era possível visualizar as imagens e plantas do empreendimento; dois sistemas de game onde o jogador, através de um controle, andava pela área externa e por um dos andares, podendo entrar em duas salas decoradas; uma maquete interativa com Radar Touch, equipamento onde as pessoas com as “mãos no ar” podiam deslocar e alterar o tamanho do empreendimento; e com o Sistema Projeção Integrada, mostrado pela primeira vez no Brasil, em que vídeos foram apresentados em duas telas, como se um projetor conversasse com o outro.


Hostess Center O Hostess Center será um serviço pay-per-use de atendimento para agendamento e confirmação de consultas, além de esclarecimento de dúvidas e encaminhamento de seu paciente até a porta do consultório. Veja como isto é possível:

2 – Chegada do paciente ao Life • Na chegada, o paciente irá dirigir-se à recepção central para efetuar seu cadastro e retirar seu crachá; • Após a retirada do crachá, o paciente será orientado e encaminhado ao “waiting room” mais próximo da clínica/consultório (serão oito no total); • No momento do cadastramento, a atendente do Hostess Center receberá a informação de que o paciente já se encontra no Life e através de sistema informatizado informará o profissional responsável; • No momento em que o profissional estiver disponível, irá comunicar o Hostess Center, que irá, através de painel eletrônico, informar que o paciente pode se dirigir ao local do atendimento; • Após a conclusão do atendimento, caso necessário, o profissional solicitará que o paciente entre em contato com o Hostess Center para marcação de retorno.

Vasserman Engenharia e Gerenciamento Com mais de 20 anos de atuação no mercado, a Vasserman está presente em todo o Brasil, participando de grandes projetos na área médico-hospitalar, tais como Hospital Albert Einstein (SP), Hospital do Câncer do CEPON (SC), Hospital Santa Tereza (RJ), Hospital Unimed Maringá (PR) e Hospital da Criança da ABRACE (DF). Para o Life, a Vasserman realizou consultoria nos projetos, adequando à modulação arquitetônica e flexibilizando as instalações, fazendo com que o empreendimento tenha realmente um consultório e não apenas uma sala comercial.

como gestora do estacionamento. Essa participação possibilitou um projeto adequado às necessidades futuras, onde os usuários terão um serviço de qualidade com redução nos custos na taxa condominial. Outro diferencial que a Politec desenvolveu e oferecerá em parceria com a Itambé é o Hostess Center, um serviço pay-per-use para atendimento, agendamento e confirmação de consultas, esclarecimento de dúvidas e encaminhamento do paciente até a porta do consultório (conheça mais no quadro abaixo). Esse serviço possibilitará a redução de custos fixos do profissional de saúde e o ganho de até 20% na área privativa. Conheça um pouco da tecnologia apresentada no lançamento com a Maquete Interativa do Life pelo site: www.lifeasanorte.com.br. Politec Incorporadora SEPN 509, Bloco D, N°50, Sala 110/112 – Edifício Ísis – Asa Norte Tel.: (61) 3447-8333 www.politecincorporadora.com.br

capa

1 – Atendimento inicial e agendamento • Através de um número de telefone único da clínica/consultório, o paciente entrará em contato com o Hostess Center; • Na contratação do serviço, será preenchido um formulário técnico com a saudação personalizada de sua clínica/consultório, que a atendente dirá prontamente; • Através de um sistema informatizado, via web, a atendente poderá efetuar o agendamento da consulta nas datas disponibilizadas; • Após o agendamento, o profissional, se solicitar, receberá uma mensagem via e-mail, confirmando-o; • A qualquer momento, via web, o profissional poderá liberar ou encerrar o horário de sua agenda. A inserção de dados na agenda é compartilhada entre o profissional e o Hostess Center; • A atendente terá a listagem de planos de saúde para esclarecimento durante o atendimento, caso necessário; • Com prazo pré-estabelecido em formulário, a atendente confirmará a consulta com o paciente, remarcando, caso necessário.

57


Na noite do dia 2 de junho, a Politec Incorporadora lançou o Life - Centro Integrado de Saúde. A festa que celebrou o lançamento do empreendimento com um novo conceito de centro clínico foi um verdadeiro sucesso. Confira!

Filipe Rizzo, Hélio Santos, José Marques e César Coelho

Fabrício Garzon e Felipe Pedroso

José Virgílio, Helen Souza, Leonardo Rizzo e Glaucio Camargos

LIFE - CENTRO DE SAúDE INTEgRADO

A Administração de Brasília esteve presente no lançamento

58

Marla, diretora administrativa da 2PH, a corretora Josy, Dr. Paulo Emilio e o gerente de vendas, Ranieri Queiroz

Aroldo Lettieri e Éricka Rolim

Tâmara Duarte, Ana De Nitto e Caroline Tracz

José Marques explicando os diferenciais do produto


Danielle Paiva, Felipe Pedroso, Tricia Meyer, Flavia Melo e Arnaldo Frattini

As imagens foram visualizadas com a Mesa Interativa Multi Touch

Game interativo divertiu aos convidados

As negociações ocorreram durante toda a noite

As imagens foram visualizadas com a Mesa Interativa Multi Touch

Vendas durante o  lançamento

César Coelho, Rondom da Silva e José Marques

LIFE - CENTRO DE SAúDE INTEgRADO

César Coelho e Larissa Sousa

59


O gênio em ação no seu instrumento

THELONIOUS O GÊNIO LOUCO pedro gordilho

MONK DO PIANO

62

S

olitário como Erik Satie, imprevisível como Glenn Gould, Monk foi um marginal e um rebelde. Mas foi igualmente um clochard celestial. Ele possuía esse bocado de loucura que faz os gênios autênticos. Apresentado frequentemente como o grande avatar do bop, ele é um caso à parte na história do jazz. Depois de sua morte, em 1982, todos os amantes do jazz e musicólogos do ocidente o consideram como um dos compositores essenciais do século XX, um gênio que criou um estilo de vida e um toucher singulares, sem os quais a história do jazz não estaria completa. Nascido em 1917, ele descobre a magia dos teclados desde sua

infância e, muito cedo, acompanha sua mãe, que canta na Igreja Batista de New York. Viveu sempre em New York, tendo assim o privilégio de morar na capital do jazz com Max Roach e Bud Powell. Os outros companheiros da aventura be bop, Gillespie, Miles Davis, Charlie Parker, Oscar Pettiford, Kenny Clarke, entre tantos, todos fizeram a grande viagem, todos chegaram à meca para fazer suas provas definitivas. Monk, não. Ele já estava lá, no centro da cidade. Ele viveu desde cedo no pequeno território de dignidade e de conforto modesto que o elevava acima da miséria, mais geralmente sentida pelos seus irmãos de pele. Espírito brilhante,


Toda a sua vida ele ensinou, a quem quisesse ouvi-lo, os mistérios dessa verdadeira orquestra com teclas negras e brancas. E Monk se impõe cada vez mais, naquele cenário de improvisadores e gênios, como o grande Papa do be bop, como ele será batizado naqueles anos quarenta e seis. Ele foi, de todos os seus contemporâneos, aquele cujo pensamento aparecia sob a sua forma mais brutal, a mais incontornável. Dizzy fala, Monk pensa. Com ele somos obrigados a refletir. Sua exuberância encanta até pelos excessos. Ele também traz a exuberância sobre sua cabeça, com seus chapéus, seus óculos ou em seus comentários saborosos. Mas ele não é um sedutor. Ele se diverte seduzindo a si próprio. É difícil imaginar agora, mas um tema musical como Round Midnight é de uma dificuldade invencível para um improvisador da época. Não no ponto de vista técnico, mas por causa do esforço que se deve empregar para, simplesmente, fazer soar a proposta de Monk. Ele inunda seus contemporâneos de peças atípicas, que obrigam o improvisador a se sentar e dizer: bom, vamos pensar um pouco antes de tocar. Como se descobre esse truque? A transformação começa com o contrabaixo e a bateria. Normalmente se tem a tendência a acreditar que um bom contrabaixista e um bom baterista devem fazer uma parceria de qualidade: sapato direito, sapato esquerdo e vamos em frente. Mas o mocassin italiano e um sapato de amarrar inglês não fazem um casamento feliz, mesmo se eles dão a impressão de calçar o pé. É preciso encontrar o par certo. Depois, o piano.

pedro gordilho

sempre bom aluno, particularmente em matemática e física, foi um dos raros estudantes negros a seguir seus estudos secundários. Sabe-se que ele aprendeu um pouco de trompete, trocando-o, depois, pelo piano mecânico. Era especial, descontraído, alegre e ligeiramente embriagado. A presença de Monk no Minton’s não passa de ganha pão e não um modo de relaxar e crescer. Ele é nessa época, com o quarteto de Kenny Clarke, o coração desse laboratório de pesquisas musicais. O toque ainda não tem a feição que o celebrizou. Na mão esquerda, o clássico, na mão direita, o moderno. Se retira a mão esquerda, ouve-se Monk vinte anos mais tarde. Se retira a mão direita, é o jazz de vinte anos antes. Um homem se prepara para encarnar a excelência da época: John Birks Dizzy Gillespie. A América está em Guerra por volta dos anos 40. Com o jazz etiquetado sob o nome de be bop, emerge um novo estilo no contrato social da época: os negros começam a falar, começam a ter um discurso próprio. Sob a égide de Dizzy, o grande porta voz dos negros, cuja oratória se assemelha ao seu brilho instrumental, surge uma multidão de negros, com pontos de vista próprios e inconformados. Monk e Charlie Parker serão, de todos os grandes do jazz da época, os únicos a não se filiarem ao discurso contestador de seus contemporâneos. A importância do piano é manifesta. O próprio trompetista Dizzy Gillespie insiste sobre a autoridade que confere ao piano o timbre do mais intelectual de todos os instrumentos musicais.

O jovem Monk

63


pedro gordilho 64

Uma mecânica complexa, uma caixa de surpresas. A orquestra sob os dedos, percussivo, melódico, harmônico, o rei dos instrumentos. Uma invasão diabólica que permite ultrapassar todos os outros instrumentos e que sozinho faz a festa. É o reino de Monk. As mulheres. Companheiras, musas, tesouros. Tais como Cosima Wagner, George Sand ou Anna Magdalena Bach. No caso de Thelonious: uma mãe, Bárbara, uma irmã, Marion. Uma esposa, Nellie, uma protetora, Pannonica, uma filha, também Bárbara. Nenhuma intimidade, nada de potins. A baronesa Pannonica de Koenigswarter é filha de um Lord Rothschild. Um belo casamento se impunha. O Barão Jules de Koenigswarter era um belo e jovem militar francês, de boa família, com um futuro brilhante. Nasceram para se amar. Ele rígido, sério, responsável. As artes não o interessavam, senão as artes marciais, e sua autoridade o dispensava do humor. Casou-se com Nica, envolvido num mundo que lhes parecia absolutamente familiar. Mas na verdade era estranho. Ela, sonhadora, artista, pianista e pintora de talento e indisposta a preencher as funções mundanas que sua educação parecia lhe ter destinado. Veio a Guerra, o jovem Jules responde ao apelo do General De Gaulle e faz a campanha da África, enquanto a lenda pretende que Nica acompanhou os Maquis, dirigiu ambulâncias, fez-se enfermeira, integrou a resistência. Depois da Guerra Jules decide abraçar a carreira diplomática. Nica lhe dá seis filhos e tudo parece prometer a esse casal uma vida brilhante. Ocupando o posto diplomático em New York, Jules vê sua mulher adotar o amor pela arte, livre, liberal, e os vícios daqueles que ele chama de negros. Não é, portanto, uma boa esposa para um diplomata aplicado. Jules deverá escolher entre sua mulher e sua carreira. A escolha é feita: ele deixará sua mulher e continuará sua carreira diplomática. Nica continuará morando em New York, onde ela haverá de aprimorar ainda mais sua grande paixão pelo jazz. Ela se deixa tocar pelo gênio de Monk, criando-se entre eles uma amizade de uma ternura e de um respeito infinitos.

Nenhuma rivalidade com a esposa Nellie. Nica lhe oferece sua disponibilidade, seu dinheiro, sua paciência, pois tinha grande capacidade de temperar as crises de agitação silenciosa que atacavam Monk. Recomenda médicos, hospitais, tratamentos, vela por ele, inquieta-se, aconselha. Ela não era uma santa, mas também não era uma perdida. Era uma personalidade flamejante que surpreendeu seus contemporâneos com uma paixão e uma generosidade excepcionais. Um pouco excêntrica mas sempre uma benfeitora, uma mecena. As composições geniais de Monk assombram. Além de transcendentais são muito bonitas: Little rootie Tootie, Bye-ya, Monk’s dream, Trinkle tinkle, Bemsha swing, Reflections, Let’s call this, Think of one, Friday the 13th, We see, Hackensack, Locomotive, Work, Nutty, Blue Monk. Além de suas composições, ele toca também standards que fazem grande sucesso, tais como Sweet and Lovely, These Foolish Things e, enfim, Just a Gigolo. Esta canção o acompanhará por toda sua carreira, ela é sua mascote. Sem falar da genial Smoke Gets in Your Eyes, que é, sem dúvida uma das mais belas melodias da música popular norte americana, obra do genial Jerome Kern. Em junho de 1954 Monk desembarca em Paris para ver o que se passava. E Paris pode ver o que se passava em sua cabeça e compreende o artista genial, celebrando-o notavelmente. Naquela época, a vedette americana não era Thelonious, mas Gerry Mulligan e seu quarteto, ironicamente sem piano. Essa viagem a Paris constituiu uma dura lição para Monk, que já sabia que ninguém é profeta em seu país. Ele constatava que ainda era menos profeta no estrangeiro. Seu único consolo foi, sem dúvida, reencontrar naquela ocasião aquela senhora estranha e apaixonada, que dizia ter voado de Londres para ouvi-lo, a Baronesa Pannonica de Koenigswarter. Sua genialidade tornou-se, pouco a pouco, conhecida por todos. Ele podia tocar em sua casa a mesma peça durante horas, sempre renovada, sempre reinventada. Quando ele aparecia em cena estava tão preparado quando se pode ser, como disse o grande pianista Barry

Duke Ellington

Charlie Parker - Parceiro e gênio

Miles Davis - Outro genial agente transformador


tem uma orquestra regular, com a qual vai tocar na Europa. É abril de 1961. Ele parte com seu quarteto, apresentando-se em Amsterdam, Paris, Milão, Roma, Zurich, Berna, Stockholmo, Copenhague. Já é uma estrela internacional. Vende muito. É um gênio e agora todo mundo sabe disso. As novas promessas ao piano são nomes dos pequenos terrores que se chamam Herbie Hancock, Mc Coy Tyner, Chick Corea. O jazz-rock está sendo cozinhado e a música, subitamente, vai mudar. Vai regredir, infortunadamente. Depois, o silêncio enigmático. O pianista, o artista genial, o inventor, o criador de uma linguagem musical se retira progressivamente do mundo. O silêncio do homem que vive e que observa o que se passa em volta dele e o silêncio do músico que fabrica música. É estranho. Ele passou a metade de sua vida batalhando para que seu talento fosse reconhecido. Então por que não aproveitar, quando floresciam enfim os frutos desses esforços? Freud escreveu que um artista é um neurótico que se imagina ele mesmo. Monk tinha uma história clinica. A primeira manifestação teve lugar em 59. Ele frequentou hospitais psiquiátricos. Mas era muito cuidadoso, pois durante os anos 50, que precedem seu sucesso, ele não deixava senão raramente New York, que lhe serve literalmente de garde-fou, sob o controle afetuoso de Nellie e de seus próximos. Enclausurado na casa da Baronesa, a morte demora a chegar. Imóvel, ficava sem sequer elevar um dedo, oferecer um sinal. Rarissimamente se escutava Monk ao piano. As poucas melodias que ainda foram apresentadas são What is this thing called Love e My ideal. Depois ele voltava ao silêncio sepulcral e clamava pelo silêncio em toda a casa. Morreu de uma hemorragia cerebral em 17 de fevereiro de 1982.

Bizarro mas genial

Referências bibliográficas Carlos Calado, Thelonius Monk, Coleção Folha Clássicos do Jazz, 2007; Laurent de Wilde, Monk, Ed. Gallimard, Imprimé en France, 2002; Thelonius Monk, CD Hors-la-loi du piano, Warner jazz, 1996. (MONK)

Louis Armstrong

pedro gordilho

Harris: na intimidade, os outros músicos praticavam seus instrumentos, enquanto Monk praticava a música. E não importa qual: praticava sua música, o piano, mas totalmente dedicado à sua própria ideia do jazz. Ele era singular. Não surpreende que tenha encontrado em suas apresentações poucas orelhas capazes de assimilá-lo: sem o universo de referências musicais, é difícil de julgar o que ele pretendia fazer. Sua música não apresenta nenhuma revolução formal. É na França que Thelonious haverá de registrar seus trabalhos solo. Ele já tem 36 e precisará esperar ainda três anos para que o produtor decida lhe dar toda a importância que merece a forma pianística praticamente criada por ele. O primeiro disco oficial em solo (Himsels, Riverside, 1957) será seguido de um grande número de outros até o último, que ele irá gravar em Londres no ano de 1971. Essas gravações realizarão o mesmo milagre: têm toda a música entre suas duas mãos. Tem quarenta anos e sua hora finalmente chegou. As coisas se apresentam muito bem, faz sucesso, é reconhecido. Como todas as pessoas determinadas, que oferecem a impressão de ter uma boa razão para tudo o que fazem, Monk eleva seu nome, usa seus chapéus com absoluta confiança. Ele apresenta, com aplausos, suas composições, Monk’s Mood, Monk’s Point, Blue Monk, Monk’s Dream ou ainda Thelonious. Veste-se muito bem, com gosto apurado. Desde que ele começou a ganhar algum dinheiro, Thelonious está sempre nos trinques. Belos ternos, sapatos de marca, belos mantôs, dir-se-ia que nasceu em berço de ouro. Para alguém que, como ele, nasceu em condições precárias, é ainda mais notável. Ele está sempre vestido com seus ternos, enquanto os outros se apresentam em mangas de camisa. Depois de dez anos, Thelonious viu todos os companheiros viajarem para a Europa e, na volta, descreverem com entusiasmo o continente onde eles eram recebidos como artistas e não como negros. E Monk consegue alguma coisa absolutamente impensável alguns anos antes: ele

65


Filial Invest DF no Brasil 21 Buscando oferecer o melhor atendimento e o máximo conforto aos seus clientes, a Invest DF inaugurou nova filial com instalações modernas e confortáveis no Brasil 21

R

IMOBILIÁRIO

ecém inaugurada na Asa Sul, a nova unidade da Invest DF oferece aos seus clientes, além do conforto e proximidade com o Plano Piloto, seu completo e diversificado portfólio de produtos, composto por apartamentos de 1 a 4 quartos, coberturas, duplex, flats, salas, kits, lojas e lotes em condomínios horizontais, localizados no Plano Piloto, Lago Sul, Noroeste, Park Sul, Guará, Águas Claras, Samambaia e Gama. A filial no Brasil 21 é um ponto estra-

66

tégico, de fácil acesso, que foi idealizado e projetado para dar suporte tanto a sua equipe de vendas como também a seus clientes, que agora dispõem, além da ampla sede da Invest DF em Águas Claras, de uma filial no centro do Plano Piloto, com a vantagem da proximidade com vários pontos de Brasília, de estacionamento rotativo e seguro, além da responsabilidade, seriedade e compromisso da Invest DF com todos aqueles que desejam comprar, vender ou investir no melhor negócio do mercado imobiliário do Distrito Federal.

A filial da Invest DF funciona de segunda a sexta-feira, das 8 às 19h; aos sábados, das 8 às 18h, e aos domingos, das 8 às 13h. Invest DF Águas Claras Ed. Márcia Correia Muniz - Rua 16 Lote 2 Loja 02 – Tel.: (61) 3966-1919 Brasil 21 SHS, Quadra 6, Bloco C, Salas 326 e 327 Tel.: (61) 3042-3600 www.investdf.com.br


ambiente

Unidades

68


decoradas Texto e fotos: Clausem Bonifácio

A

ambiente

s empreiteiras e construtoras apostam cada vez mais nos apartamentos decorados como ferramenta de marketing, contratando profissionais de renome para concebê-los. Nesta segunda matéria sobre o assunto, vamos mostrar três decorados de empreendimentos localizados em cidades satélites, todos muito bem produzidos, sempre com a intenção de encantar o cliente.

69


ambiente

Decorado 1

70

A Construtora Vilela e Carvalho convidou a arquiteta Marcia Bizzi para decorar seu lançamento na cidade satélite do Gama, o Gamaggiore. Localizado na entrada da cidade e com previsão para sete torres, o empreendimento conta com dois decorados, um de três quartos e outro de dois. No apartamento de três quartos, que tem 70m2, Marcia Bizzi escolheu tons terrosos tanto nas paredes quanto no mobiliário da D´core. Para quebrar os tons quase monocromáticos, a sala conta com uma Cadeira Swan (cisne), criação do gênio do design Arne Jacobsen, revestida com motivos florais. O destaque fica por conta da integração do mobiliário com o restante dos acabamentos. No quarto, por exemplo, a colcha da cama acompanha o listrado do painel de madeira que segue para o teto.


A arquiteta Barbara Paiva foi a escolhida para conceber os apartamentos decorados do empreendimento Dolce Vitta, da construtora Sol Tec, na cidade satélite do Guará. O decorado com três quartos tem 70m2. Para otimizar o espaço, Barbara integrou ambientes, como sala de jantar com sala de estar, e se valeu de espelhos para dar sensação de amplitude. Destaque para o mobiliário da Lider Interiores e da marcenaria, que é assinada pela Bomtempo.

ambiente

Decorado 2

71


Decorado 3

ambiente

O empreendimento Península, que fica entre Taguatinga e Águas Claras, é um consórcio entre as construtoras Paulo Octavio e Via Engenharia e é anunciado como um novo “Bairro”, dado as suas grandes proporções. O escritório de Cybele Barbosa foi convidado a decorar esse incrível apartamento de quatro quartos, que conta com três suítes e um quarto que Cybele converteu em escritório. A marcenaria é assina pela SCA, e o mobiliário foi escolhido na Saccaro e Quadra Interior. O destaque fica por conta da cozinha com um conceito inovador, misturando cozinha gourmet e americana.

72


O prazer de pedalar Por Glaicon Souza – Foto: Arquivo

P

edalar é uma modalidade das mais populares do esporte. Com forte apelo, se popularizou em todo o mundo, principalmente em tempos de congestionamentos intermináveis e estresse absoluto. A conquista desse título se deve por sua grande capacidade de gasto calórico, além de vários benefícios para todo o sistema cardiorrespiratório e de ser também um importante aliado no fortalecimento muscular. Para o farmacêutico José Felipe, praticante diário de esportes, “o maior benefício do ciclismo não é somente a melhoria do condicionamento físico, mas a liberdade de poder sair da academia e respirar um bom ar puro, ao lado de belas paisagens que Brasília proporciona”. Maria da Conceição é professora de educação física e afirma que a prática do ciclismo é boa não só para todo o corpo, mas para a mente também. “O ciclismo trabalha todos os músculos inferiores e superiores, como as pernas, glúteos, braços e ombros, além de deixá-los mais torneados, sem contar que o praticante fica menos estressado”, recomenda.

Além de todo o condicionamento físico que o ciclismo proporciona, vale a pena lembrar que é um dos esportes que causa menor dano para as articulações, pois não há impacto nas pernas. Mesmo com todas essas vantagens, ainda é um perigo pedalar em Brasília. Assim como em outras cidades do Brasil e do mundo, os ciclistas são desrespeitados a todo o momento, correndo, assim, em muitos casos, risco de vida. Uma saída para inibir os acidentes envolvendo os ciclistas é a construção de mais faixas especiais, as chamadas ciclovias. No DF, a quantidade de ciclovias ainda é baixa e justamente por isso os ciclistas se arriscam em vias com grande movimentação de carros. Por isso, ao sair para pedalar nas vias públicas, o ciclista deve estar preparado com todos os equipamentos de segurança necessários para preservação da sua vida. Capacetes, roupas adequadas, lanternas refletivas, luvas para as mãos e protetores para os joelhos são alguns dos instrumentos indicados para os ciclistas enfrentarem a prática do esporte com toda segurança necessária. Seja ciclista profissional ou somente esportista de final de semana, não importa: o que vale mesmo é manter o corpo e a mente saudáveis.

CICLISMO

Ao lado da corrida, uma das atividades que mais atraem os esportistas é o ciclismo

73


Picasso C 3

Por Marcelo Solmucci – Fotos: Divulgação

test drive

C

74

itroën é uma marca de automóveis francesa fundada em 1919 por André Citroën que, além de engenheiro, foi um dos gênios do marketing moderno ao usar a Torre Eiffel como maior cartaz de propaganda do mundo, o que lhe faz figurar até hoje no livro dos recordes. A marca começou a mostrar a que veio em 1934, quando revolucionou o mundo das 4 rodas ao lançar a famosa traction avant (tração dianteira), que hoje equipa a maioria dos carros produzidos no planeta e que, por ironia do destino, ajudou a levar a empresa à falência, devido ao seu elevado custo de desenvolvimento. A marca acabou comprada pela fábrica de pneus Michelin, principal credora na época, e hoje faz parte do grupo PSA Peugeot Citroën. Durante toda sua história, a Citroën sempre foi sinônimo de inovação, e o C3 Picasso é o produto final dessa história de sucesso,


test drive

que voltou a ter destaque entre as montadoras a partir da entrada do genial designer Jean Pierre Ploué, que, com suas pranchetas mágicas, liderou a grande virada da marca nos últimos tempos. O C3 Picasso é um carro feito para a família e nesse quesito é nota 10! O espaço interno é excelente, acomodando cinco passageiros com conforto. O banco do motorista tem regulagem de altura e a coluna de direção possui ajustes de altura e profundidade, o que faz com que seja fácil achar a melhor posição de guiar. Possui som MP3 com controles no volante, bandeja tipo “avião” no banco traseiro e diversos porta-trecos – o que sempre é bom. O painel de formas arredondadas está em perfeita sintonia com os instrumentos analógicos voltados para o motorista, hoje uma tendência mundial. Por fora o carro agrada bastante, seu design em forma de cubo é inovador. Na frente os chevrons estão em destaque, e todos os itens, como faróis de neblina, para-brisa panorâmico, que se divide em três partes, para-choques na cor do carro e faróis e faroletes que “rasgam” o capô, criam um formato bem harmônico. O design da traseira é marcante, o porta-placa fica do lado direito, criando um visual totalmente assimétrico, o

75


Dados Técnicos Motor Potência

gasolina 14,2 (nm) /5800 rpm Álcool 15,5 (nm)/ 5800 rpm

câMbio

Mecânico de 5 marchas

tração

Dianteira

Direção

Hidráulica

roDas

aro 16”

Pneus

195/55 r16 4,09m

altura

1,63m

largura

1,72m

entre-eixo

2,54m

Peso

1267kg

tanque Porta-Malas susPensão

test drive

110cv a 5800 rpm (gasolina) 113cv a 5800 rpm (álcool)

torque

coMPriMento

76

1.6 16v 4 cilindros

55 l 403/ 1500 l (bancos rebaixados) Dianteira: independente tipo McPherson; traseira: travessa deformável, molas helicoidais

Freios

Dianteiros: Discos ventilados traseiros: tambor

cores

blanc banquise, gris aluminium, rouge, Perla nera, gris cendré, gris grafito, bleu bourrasque

Preço

De r$48.570 a r$ 57.980

que remete ao grande artista espanhol Pablo Picasso, que além de pintor e escultor, foi um dos co-fundadores do cubismo. Dirigir o C3 Picasso é uma experiência bastante agradável; seu motor 1.6 16v flex oferece um bom desempenho para um carro com perfil família, graças ao torque de 15,5(Nm)/rpm e ao câmbio de 5 marchas, que tem engates precisos e suaves. A suspensão é um pouco dura, o que faz com que as imperfeições do asfalto sejam sentidas dentro do carro. A posição de dirigir é muito boa e a estabilidade é ótima para uma minivan. O ponto forte é a visibilidade, tanto no trânsito como ao estacionar. Testamos a versão GLX, intermediária, com câmbio manual, que custa aproximadamente R$50.000. Seus concorrentes são o Honda Fit, Idea, Meriva e Livina, e posso afirmar que quem comprar o C3 não vai se arrepender, pois possui excelente custo benefício. Outra grande facilidade é o Citroen Assistance, que atende 7 dias por semana, 24 horas por dia: qualquer pane que seu carro tiver e em qualquer lugar do Brasil... Legal, não? Então, passe na concessionária Citroën da Candangolândia (Brasília) e faça seu teste drive. Tenho certeza de que você vai gostar.


O cerrado

e seus sabores A aparência seca que marca a vegetação da região Centro-Oeste brasileira esconde um bioma que, além de rico, apresenta cores e formas exuberantes. Com uma área que se estende por mais de 2.000.000km², o cerrado abrange oito estados e é fonte de alimentos com sabores tão peculiares quanto nutritivos

Por Fernanda Caixeta – Fotos : Ricardo Padue

CENTRO-OESTE

C

78

Panelinha com o tradicional murici

onhecido como uma das “savanas brasileiras”, o cerrado é o segundo maior bioma do Brasil, estendendo-se por áreas dos estados de Minas Gerais, Goiás, Tocantins, Bahia, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Piauí e Distrito Federal. Ainda pouco conhecidas por boa parte da população brasileira, as frutas do cerrado destacam-se por serem ricas em nutrientes, substâncias antioxidantes e teor altíssimo de vitaminas, além do aspecto exótico de cores e texturas. O interesse na região, no entanto, é crescente e a iniciativa de incluir alimentos típicos no cotidiano parte, especialmente, de pessoas nascidas na própria região Centro-Oeste, como é o caso da empresária Martha Ferreira. Natural da cidade de Posse, no interior de Goiás, ela vive em Brasília há três décadas e procura colocar em sua mesa alimentos com origem no cerrado. “Procuro incluir na dieta da minha família alimentos ricos em nutrien-


Mesa pronta com pequi, murici, jatobá e sementes de baru e o sorvete dos quatro sabores

seguiu elaborar um projeto divertido e inédito, que alcança o público infantil, e ainda prezou por um aspecto decorativo e lúdico – o livro quase chega à qualidade de um livro-objeto – para o público adulto, com informações e curiosidades descritas e desenhadas de forma leve.

Engajamento pelo cerrado Em Brasília, outras iniciativas de incentivo ao consumo de alimentos típicos do cerrado têm ganhado espaço. É o caso do projeto “Gastronomia Sustentável”, do Instituto Universitas, que consistia em cursos de culinária cujos ingredientes eram, em sua maioria, da região. “A gastronomia sustentável foi direcionada para auxiliares de chefs de cozinha de Brasília. Pensamos nesses projetos inclusive para preparar nossos trabalhadores para a Copa e eventos que acontecem em Brasília. Afinal, qualquer turista que visita uma cidade procura pratos típicos que deseja conhecer”, explica Maria Deuzenir Serrão, presidente do Instituto. Na mesma direção está a Central do Cerrado, iniciativa sem fins lucrativos que surgiu em 2005 como uma articulação entre produtores da Região Centro-Oeste. Em 2010 tornou-se uma cooperativa e hoje é composta por 35 organizações co-

CENTRO-OESTE

tes importantes para a manutenção da nossa saúde. Entre os mais consumidos em casa estão frutas. como a mangaba e o araçá, e ainda bolos de mandioca, de arroz, a galinha caipira, a castanha de baru e a guariroba”, conta. E elege um prato favorito: “A galinhada com pequi é tudo de bom!”, diverte-se. Longe da gastronomia, e no ambiente acadêmico, o cerrado também já ganhou entusiastas. Em 2009, o então estudante brasiliense de Desenho Industrial Victor Irigonhê graduou-se na Universidade de Brasília (UnB) com o projeto “Querido campo cerrado”, um livro gráfico-ilustrativo, com caráter tanto informativo quanto estético sobre o cerrado. “A escolha desse tema surgiu, acima de tudo, da vontade de explorar as características do cerrado, de mostrar as riquezas da região e de colocar em evidência como uma parte tão grande do nosso país pode ser esquecida em meios de divulgação e cultura”, explica Victor. O designer con-

79


Bolas de sorvete de pequi, jatobá, juriti e vinagreira (tonalidade rosa)

munitárias que desenvolvem atividades produtivas a partir do uso sustentável da biodiversidade do cerrado. “A Central funciona como uma ponte entre produtores comunitários e os consumidores e oferece produtos de qualidade como pequi, baru, farinha de jatobá, farinha de babaçu, buriti, mel e as polpas de frutas, produtos coletados e processados por agricultores familiares e comunidades tradicionais no cerrado”, explica Luís Roberto Carrazza, secretário executivo da Cooperativa.

CENTRO OESTE

Sorvete com sabor de cerrado

80

Inspirada nas primeiras receitas de sorvetes artesanais, desenvolvidas por sorveteiros nos anos 30, na Itália, a Sorbê – Sorvetes Artesanais utiliza máquinas de modelos antigos para produzir seus gelatos, porém com um toque bem regionalista. Rita Medeiros, chef sorveteira à frente da Sorbê, acredita no mercado de sorvetes na cidade e investe em sabores típicos do cerrado justamente para destacar-se. “As receitas com frutas e alimentos típicos da região dão à sorveteria um espaço diferenciado na cena gastronômica brasiliense”, comenta. Na vitrine das lojas figuram sempre 37 sabores, renovados diariamente, e, segundo a empresária, a empresa trabalha com mais de 250, número que tende a aumentar à medida que Rita encontra novas combinações na flora do Centro-Oeste. O fato é que o brasiliense aprecia os sabores de sua

A chef e empresária Rita Medeiros à frente da Sorbê – Sorvetes Artesanais

região quando os experimenta, e entre os sabores que já estiveram na sorveteria estão os sorvetes de mangaba, baru, jatobá, buriti, macaúba, pitomba, araticum, cagaita, jenipapo, fruta–do-conde (conhecida também como pinha) e até o polêmico pequi já ganhou uma receita, para a sorte dos apaixonados pelo seu sabor forte. Para Rita, o importante é manter a qualidade de seus produtos e, assim, a satisfação de quem aprecia sorvete, uma boa opção especialmente para o clima seco de

Brasília. “O cerrado é muito rico, e unir essa diversidade ao sorvete é o melhor negócio para mim e para a cidade”, comenta a empresária e chef. E Rita tem, ainda, uma preocupação com o cerrado: as frutas são provenientes de coletadores agroextrativistas, uma atividade agrícola sustentável de baixo impacto e alto valor social, com a extração dos produtos nativos por pessoas comprometidas com a integridade do cerrado. “O importante é preservar o nosso valioso cerrado”, finaliza. AgrAdecimentos: thaíza dias sorbê: (61) 3447-4158, 3244-3164, 39676727 / central do cerrado: (61) 3327-8489 / instituto Universitas: (61) 3041-7158.

Livro do designer Victor Irigonhê, com ilustração e descrição do polêmico pequi


Novo escritório da M&M Imóveis é inaugurado em grande estilo A inauguração do novo escritório da M&M Imóveis aconteceu no dia 3 de junho e contou com a presença de mais de 100 convidados. A organização do evento ficou por conta da Primor Cerimonial Por Glaicon Souza – Fotos: Lorena

A

M&M Marketing Consultoria Imobiliária propõe um novo e moderno estilo de atuação no mercado imobiliário. Com uma parceria de sucesso entre a visionária Maria Luisa e Mauri Baiense, em setembro de 2005, nasceu o empreendimento que hoje já conta com mais de 10 prestadores de serviços e com uma grande cartela de clientes, estando em franco crescimento no mercado local. Especializada em alugar, comprar, vender e administrar imóveis em todo o DF, ainda presta consultorias para seus clientes, já tendo atuado inclusive em Tocantins e no Espírito Santo. Karla Renata do Nascimento, a sócia-gerente, conta que o

LANÇAMENTO

Maria Luisa e Karla Renata

82

Danielle, Maria Luisa e João

sucesso não veio do dia para a noite. Segundo ela, “o sucesso é fruto de muito trabalho de toda a equipe M&M Imóveis”. Após conquistarem o mercado local, os sócios da M&M já trabalham para ampliar ainda mais a empresa. Karla Renata informa que já atuam na Região dos Lagos, no Rio de Janeiro, e que o plano para os próximos anos é levar a M&M Imóveis para a Barra da Tijuca, na Cidade Maravilhosa. M&M Imóveis – Fone (61) 3361-3959 / 8471-3959 www.mmimobiliaria.com.br Primor Cerimonial – Fone 9979-4559 / 9613-0717 / 7816-0064 primor.cerimonial@gmail.com

Florian, Maria Luisa, Mônica, Marisa e Sérgio Protzek

Mauri Baiense, Maria Rodrigues, Anderson, Luiz Carlos Karla Renata e Maria Luisa


Danielle, João, Maria Luisa, Nádia, Wilson, Telma, Scott e Alfredo Wagner

Mauri Baiense, Wellington, Cristiana, Maria Luisa, Ana Lucia, Karla Renata, Ana Benício, Mônica, Nívea, Liliane e Luiz

Ivan e Maria Luisa

Maria Luisa, Mauri Baiense e Karla Renata

Maria Rodrigues, Karla Renata, Anderson, Luiz Carlos, Mauri Baiense e Maria Luisa

LANÇAMENTO

Wellington, Cristiana, Ana Lucia, Mônica, Nívea, Liliane, Luiz e Ana Benício

83


84

esporte


A nova

mania

nacional A corrida de rua já se tornou o segundo esporte mais praticado do Brasil

A

corrida é um esporte muito praticado no mundo inteiro e no Brasil, só perde para o futebol. Essa prática traz muitos benefícios e são raras as suas contraindicações. Para praticar só é preciso um par de tênis e uma pista, pode até ser a calçada da sua rua. Pronto. Já nasce aí um corredor. Ao todo, neste ano, estão programadas 46 corridas, podendo chegar a 49. É possível encontrar corredores profissionais e amadores por toda a cidade praticando. Um dos lugares preferidos por estes esportistas é o Parque da Cidade de Brasília Sarah Kubitschek. A qualquer hora do dia é possível encontrar alguém praticando algum tipo de esporte no Parque, desde caminhadas até a própria corrida. É nesse mesmo Parque que o advogado Kleber Gouveia pratica o esporte três vezes por semana com o clube de corrida Evo-

lua Multisports. “Corro desde os 13 anos de idade”, comenta. Além disso, ele aponta os benefícios que o esporte traz para a saúde. “Só carrega vantagens. Primeiro, por ser elemento socializador; segundo, por trabalhar praticamente todos os músculos do corpo; terceiro, quando praticada com regularidade, torna-se responsável pela redução da obesidade e de taxas; e quarto, diante de todas as vantagens já relacionadas, contribui com o aumento de sua autoestima”, comenta. Segundo a Federação de Atletismo do Distrito Federal, o bem estar proporcionado pela corrida é um dos fatores que contribui para o crescimento da prática na cidade e no Brasil em geral. A sua prática vem aumentando tanto nos últimos anos que, agora, a corrida só perde, em número de praticantes, para o nosso amado futebol. O aumento da qualidade de vida tem levado muitas pessoas a começarem a correr e, consequentemente, a participarem das corridas de rua.

esporte

Por Camila Bocchino – Fotos: Arquivo

85


Fotos: Lorena Lopes

A corrida se tornou o 2º esporte mais praticado no Brasil

esporte

“A corrida é uma habilidade fundamental básica”, explica a professora Rafaelly Araújo

86

No Brasil existem algumas corridas de rua famosas, como a Corrida de São Silvestre, que acontece anualmente em São Paulo, e a Maratona do Rio de Janeiro, na capital carioca. O apreço que essas corridas desperta nos corredores amadores é tão grande que, quando são mostradas imagens das chamadas “pipocas” (grupo dos corredores amadores nas corridas), elas chegam a chocar o público pelo seu tamanho. São milhares de pessoas correndo juntas só pelo prazer da corrida. “Ainda este ano quero completar a meia maratona do Rio e, para o próximo, finalizar uma maratona”, comenta Kleber. Assim como ele, outros brasileiros se

preparam para esse tipo de corrida. Uns sozinhos, outros com professores, como explica a professora de Educação Física da academia Cia Athlética Rafaelly Araújo. “Hoje existem dois tipos de aula de corrida nas academias: o Running Class e a Corrida Externa”, conta. A vantagem de se ter um profissional por perto é que o corredor vai sempre ter a segurança de que está praticando o esporte de uma maneira correta. “A corrida é uma habilidade fundamental básica e, portanto, é o resgate deste movimento para o qual o ser humano foi originalmente desenvolvido”, acrescenta Rafaelly. Mas nem só de benefícios é feita a cor-

rida. “Toda prática mal orientada oferece riscos. É uma atividade de alto impacto e estresse mecânico articular que requer um treinamento e uma educação de movimento para evitar as possíveis lesões no joelho, tornozelos, dores na coluna etc”, recomenda a professora. Com a liberação médica, não há nada a temer. Esse é um esporte democrático, que pode ser praticado por crianças e idosos. “No nosso grupo, temos corredores de 70, 60 anos que participam de provas em todo o país”, comenta Kleber. “Após ser liberado pelo médico e com a orientação de um profissional de educação física, qualquer pessoa pode correr”, acrescenta Rafaelly. O importante é estar em dia com a saúde e a corrida é um bom meio de conseguir isso. Cada vez mais praticada pelos brasileiros, a corrida de rua vem ganhando o seu espaço no país e marcando presença com um público crescente em todo o país. As corridas de rua estão virando mania nacional, conquistando cada vez mais praticantes e espectadores. Serviço: Companhia Athletica Telefone: (61) 3322-4000 www.companhiaathletica.com.br evolua Multisports www.evoluamultisports.com.br


Quem devo

consultar? Porque nem sempre é fácil descobrir o especialista mais indicado para cada situação, vamos informar aos leitores da Foco a quem devem recorrer nos casos mais frequentes Por Consuêlo Badra – Ilustração: Lázaro

saúde

Q

90

uando precisamos resolver um problema de saúde ou de estética, nem sempre sabemos quais os especialistas que nos podem ser úteis. Há muitos que se sobrepõem, e o aparecimento das medicinas alternativas complicou ainda mais o panorama. Procuramos as situações mais emblemáticas e vamos explicar em que caso deve consultar cada especialista.

Quanto melhor souber o que faz cada especialista, mais facilidade vai ter em escolher o mais adequado


DEVO RECORRER A... ...DENTISTA OU HIGIENISTA? O dentista esclarece: o higienista oral faz prevenção, enquanto o dentista está mais voltado para o tratamento. No caso, as pessoas deveriam consultar um higienista de seis em seis meses, mesmo sem queixas, para aferir o estado dos dentes e fazer tratamentos preventivos, como selantes, para evitar cáries, aplicações concentradas de flúor e destartizações. Problemas das gengivas também podem ser tratados pelo higienista. E se tem receio de que dividir-se por dois especialistas torne mais difícil a cada um seguir a sua história clínica, saiba que higienistas e dentistas trabalham em conjunto nas clínicas. A ideia é que o primeiro, além dos tratamentos preventivos, faça diagnósticos prévios, através de raio X, por exemplo, liberando o segundo para os tratamentos propriamente ditos. A vantagem? Se tudo correr bem, nem precisa enfrentar o temível motorzinho do dentista.

...PEDICURA OU PODOLOGISTA? Podologia: é uma disciplina que diagnostica e trata as patologias relacionadas aos pés, como verrugas, calosidade, unhas encravadas, deformações nos dedos ou alterações da morfologia do pé (pé chato, por exemplo). Essa especialidade requer uma licença especial (é considerada afim da Medicina) e também atua em campos mais específicos, como a podopediatria (em crianças), a podogeriatria (em idosos), a podologia desportiva (em esportistas) e mesmo o pé diabético. Os tratamentos de podologia também são sempre realizados com material esterilizado, o que nem sempre acontece em centros de estética.

...OSTEOPATA OU ORTOPEDISTA? Essas duas especialidades sobrepõem-se, mas uma faz parte da medicina convencional e a outra integra as chamadas “medicinas alternativas”. A primeira diferença a se ter em conta é que um ortopedista é um médico (tal como um reumatologista, outra especialidade que se costuma consultar neste caso), e um osteopata não. Ambos lidam com o sistema músculo-esquelético, mas o ortopedista é o único que pode tratar fraturas através de cirurgia e receitar medicamentos. O osteopata recorre a manipulações e massagens para fazer realinhamento dos ossos e músculos que estejam provocando perturbações. Dores ciáticas, lumbago, dores nas costas, de cabeça, lesões desportivas, artrites, entorses e luxações são problemas que a osteopatia pode tratar.

...OPTOMETRISTA OU OFTALMOLOGISTA? Para detectar defeitos visuais, como a miopia, o astigmatismo, a hipermetropia ou a presbiopia e prescrever lentes para corrigi-los, as pessoas podem consultar um técnico, um optometrista. Este não pode fazer diagnósticos e sempre que detectar doenças oculares (como cataratas ou glaucoma) deve encaminhar as pessoas para o oftalmologista, o único que pode tratar patologias dos olhos com medicamentos e cirurgia. As pessoas podem passar primeiro pelo optometrista e fazer uma avaliação da sua visão. Mas devem ir ao oftalmologista uma vez por ano, porque há doenças “silenciosas”, como o glaucoma, que não apresentam sintomas.

...NUTRICIONISTA, FISIOLOGISTA OU ENDOCRINOLOGISTA? O nutricionista está qualificado para elaborar planos alimentares a quem queira perder peso, enquanto o endocrinologista trata de desequilíbrios hormonais. É verdade que um endocrinologista também pode tratar questões ligadas à obesidade, se esta tiver causas hormonais, e receitar medicação para tratar o excesso de peso. Há até alguns que fazem planos alimentares, mas um nutricionista está mais habilitado nessa área. O mais importante é perceber a causa dos quilos a mais. Para isso, o ideal é consultar primeiro um fisiologista, que vai estudar o metabolismo. Havendo desequilíbrio hormonal, encaminha-se a pessoa para o endocrinologista; não havendo, ou estando já resolvido, faz-se um plano que pode incluir um nutricionista para modificar o regime alimentar e um plano de exercícios específico.

A especialidade médica que trata a pele, unhas e cabelos é a dermatologia. A sua atuação sobrepõe-se muitas vezes às clínicas de estética. Deve-se ter em conta que tudo o que seja do domínio da patologia cabe ao dermatologista. Isso inclui a acne, mas também qualquer alteração anormal da pele. Os peelings superficiais em peles saudáveis podem ser feitos por esteticistas, mas se atingirem a totalidade da epiderme e derme, já cabem ao dermatologista. Nas depilações definitivas passa-se algo semelhante: a luz pulsada pode ser manejada em clínicas de estética, mas o laser pode ter efeitos secundários e deve ser feito por um dermatologista ou por um técnico de saúde com controle médico.

saúde

...DERMATOLOGISTA OU ESTETICISTA?

91


Mesmo com pouco tempo,

não se divorcie dos seus filhos

criança

Por Consuêlo Badra – Foto: João Telles Sá

92

S

erá possível ser bom pai, ou mãe, com pouco tempo? A pergunta já vem do tempo dos nossos pais, quando se inventou a expressão “tempo de qualidade”. Mas, uma geração depois, continuamos longe de resolver o dilema. Afinal, de quanto tempo precisam as crianças? Com quantas horas se faz um pai ou uma mãe? E de que serviu falar-se tanto em “tempo de qualidade” se hoje em dia o pomos tão pouco em prática?

Os estudos que mostram o perigo do isolamento entre as famílias são cada vez mais numerosos. Uma investigação da Universidade de Harvard mostrou que a velocidade da rotina que nos isola cada vez mais uns dos outros produz o mesmo efeito psicológico que um divórcio. Os pais americanos já são os mais “divorciados” dos filhos e os que têm mais problemas psicológicos por conta desse afastamento. Tendo em conta que a América tende a mostrar como vai ser o nosso futuro, é razão para nos preocuparmos se o nosso presente já é tão parecido com o deles.


TORNE A CULPA UM ALIADO

BASTAM 30 MINUTOS DE QUALIDADE “É verdade que não passo horas inteiras com o meu filho todos os dias”, conta Patrícia, 38 anos, mãe de Guilherme, de 5, que vive em Brasília. “Mas ele sente mais a falta do pai. Não adianta nada explicarmos que ele está trabalhando: ele acha que o pai trabalha porque quer. Mas, no fim de semana, vamos sempre jogar futebol com ele no jardim da quadra, e eu não vejo muitas mães fazerem isso...”. Os amigos de Patrícia que moram no

“Passa cada vez menos tempo em casa, anda cada vez mais cansada e mal fala com os seus filhos? Tire maior partido do pouco tempo que tem” Lago Sul e Lago Norte gabam-se de mais qualidade de vida. “Um amigo meu afirma que passa mais tempo com os filhos nos finais de semana porque, morando em casa, recebem para churrascos e jogos, além de banhos de piscina. Mas fazer o quê?”. Então, quem tem razão: a Patrícia ou os seus amigos? E, em termos práticos, de quanto tempo precisam os filhos? “Hoje em dia defende-se que se deve dedicar aos filhos meia hora diária”, explica Leonor. Mas como é que se deve passar essa meia hora? “Não é brigando. É ajudando a fazer os exercícios de casa, conversando sobre temas que interessam aos dois e jogar juntos no computador. O tempo para educar deve ser outro, o tempo para falar da escola deve ser outro”. Ou seja: as crianças não precisam só da nossa

presença, precisam da nossa atenção. “É muito comum a mãe estar fazendo uma sopa e o filho ao lado dela fazendo os deveres de casa. Ora, esses não são os 30 minutos de que se fala”. Mas antigamente as mães passavam 12 horas por dia com os filhos... “Pois há quem passe 12 horas, mas não passe 30 minutos. E aí essas 12 horas são iguais a zero. Porque não é de uma presença física que estamos falando. São 30 minutos de alma e coração. Vejam bem: 30 minutos por dia não é nada. O que são três horas da nossa vida durante uma semana?”.

PAI E MÃE PODEM PARTICIPAR Agora um tabu de que nunca se fala: e quando ficar com as crianças aborrece

criança

“Não é possível ser pai ou mãe sem tempo”, defende Leonor Balancho, psicóloga educacional e autora do livro Ser Pai Hoje. Antigamente, tinha-se tempo, e isso não era uma preocupação. Hoje em dia, a nossa vida é muito mais acelerada, a competição é imensa e muitas vezes não se pode dar aos filhos o tempo que se quer. O que aconteceu? O fator tempo passou a ser visto como um luxo, substituído muitas vezes pelo consumo: tentamos substituir lacunas através de presentes. Nunca pensamos que a culpa pode ter um lado positivo, mas a verdade é que, neste caso, tem: significa que estamos mais atentos para a educação. O passo seguinte é transformar essa consciência em resultados práticos. Não acredite que dá trabalho: muitas vezes, só é preciso fazer as mesmas coisas... de outra maneira. “É verdade que as pessoas andam muito cansadas”, concorda Leonor Balancho. “Mas, se por exemplo, o pai chegar a casa e, em vez de dar alguma atenção ao filho, se instala na frente da TV para ver futebol ou o telejornal, o que é que podia fazer? Chamar o filho para junto dele e assistirem o futebol juntos”. Muitas vezes, os pais queixam-se de que as crianças não contam nada em casa, mas isso acontece porque não lhes dão atenção ou tempo para expor o que querem. Mesmo nós, adultos, se chegarmos a casa e nos perguntarem “Então, como foi o seu dia?”, o diálogo é quase mínimo, lembra a psicóloga. “Por isso, eles precisam mesmo de algum tempo”.

93


criança

“Antes, muitas mães podiam estar 12 horas com os filhos, mas havia quem, passando 12 horas, não passasse 30 minutos de alma e coração. O importante não é o tempo, é o que se faz com ele”

94

os pais? Quando chegamos a casa à noite e a última coisa que nos dá prazer é ir brincar com a Barbie... “Aí não resolve”, explica Leonor. “Têm que se sentir todos bem, pais e filhos. Sugiram brincadeiras novas, descubram em conjunto! É encantador acompanhar a evolução dos mais novos. Recusem-se a ser o tipo de pais que não conhecem os filhos!”. E é mais fácil do que parece, principalmente se pai e mãe partilharem este tempo de descoberta. “Uma coisa que o pai pode fazer é ser ele a levar para a cama seus filhos”, sugere Leonor. “Há uma diferença grande entre ambos: se for a mãe que leva os filhos para deitar na hora de dormir, escolhe com eles a roupa para o dia seguinte e ainda arruma as coisas espalhadas e depois agarra um livro e lê. Um homem nem vê alguma coisa fora do lugar, está focado nas crianças. E, normalmente, não pega num livro para ler uma história: inventa, recria um acontecimento do dia, ou conta qualquer coisa que lhe aconteceu quando eram pequenos”. E o tempo da história transforma-se em tempo de relaxamento, tanto para o pai como para o filho. “É verdade que algumas mães se queixam da ausência do marido, mas muitas vezes, por insegurança, não lhe dão espaço para estarem sozinhos com os filhos e criarem com eles uma ligação individual”, nota a psicóloga. Isso é importante se pensarmos que, apesar da enorme evolução do seu papel nos últimos anos, os homens continuam com mais dificuldade em mostrar afeto. “Hoje em dia, um homem já pode dizer aos filhos: te amo”. Mas não tem modelo! Porque são raros os pais hoje que já tiveram pais que lhe tivessem dito isso”. Outra forma simples de estar com as crianças é o jantar em família. “É cada vez mais importante que a família tome as refeições junta e, principalmente, com

O QUE FAZER COM ELES • Cozinhem juntos. Além de diversão, é instrutivo. • Uma vez por semana, leve-os para lanchar fora depois da escola. • Monte uma tenda na varanda ou no jardim (na sala também serve!) e acampem durante a noite, dormindo em colchonetes. • Vão a uma loja que vendam CDs e deixe-os mostrar-lhe a música que preferem. Mostre-lhes a sua. • Institua, uma vez por semana, a “noite em família”, quando vão juntos jantar e ao cinema. • Façam voluntariado juntos. a televisão desligada”, alerta Leonor. “Temos que estar sentados à mesa conversando. Cada vez se conversa menos e cada vez caminhamos para dar menos carinho e afeto uns aos outros, e isso é fácil de remediar...”.

DEIXE TEMPO LIVRE TAMBÉM PARA SEU FILHO Nem sempre são os pais que não têm tempo: quantas vezes não enchemos as crianças de atividades extras? “Depois ficam sem espaço para brincar e para estar com os pais”, defender Leonor. “Não devíamos pensar ‘o meu filho tem de ser o melhor’, mas ‘o meu filho tem de ser feliz’. Afinal, as crianças não precisam aprender tudo de uma vez só. Podem fazer uma atividade num ano e outra coisa no ano seguinte”, sugere a psicóloga. “Se não há tempo para nos encontrarmos conosco próprios, para que serve tudo o que aprendemos?”.


cuidados

Diabetes 96

um mal silencioso


Quase 5% da população mundial sofre de diabetes, mas metade dessas pessoas não tem conhecimento sobre o seu estado de saúde. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que cerca de 240 milhões de pessoas sejam diabéticas já diagnosticadas e, no Brasil, esse índice é de 12%, ou seja, 22 milhões de brasileiros convivem com a doença

A

diabetes é uma disfunção do metabolismo caracterizada por um aumento anormal do açúcar ou glicose no sangue, quando o pâncreas deixa de fabricar a insulina necessária para fazer a glicose entrar nas células e, assim, alimentá-las. A glicose é a principal fonte de energia do organismo, porém, quando aparece em excesso na corrente sanguínea, causa problemas à saúde, como infarto do miocárdio, derrame cerebral, insuficiência renal, lesões vasculares generalizadas, dificulta a cicatrização, e causa, ainda, problemas neurológicos, como neuropatia periférica e bexiga neurogênica, entre outros. Existem dois tipos diagnosticados de diabetes. Quando o pâncreas não produz insulina ou a produz em baixa quantidade, a glicose não entra nas células, permanecendo na corrente sanguínea. A essa situação denomina-se diabetes tipo 1, comum entre jovens. Já a forma tipo 2, mais recorrente entre a população, possui um fator hereditário maior do que no tipo 1. Está associada à obesidade e ao sedentarismo, entre outros elementos, e uma de suas peculiaridades é a contínua produção de insulina pelo pâncreas. O problema está na incapacidade de absorção das células musculares e adiposas. Por muitas razões, suas células não conseguem metabolizar o suficiente a glicose da corrente sanguínea. Essa é uma anomalia chamada de “resistência insulínica”. Segundo a endocrinologista com foco no envelhecimento saudável, Dra. Nely Queiroz, é indiscutível que houve uma grande evolução, nos últimos anos, no tratamento do diabético. “Passamos

inicialmente pela dieta sem açúcar e insulinas, que antes eram extraídas do boi e do porco e hoje evoluíram para as insulinas humanas produzidas em laboratórios por métodos biossintéticos”, lembra ela, que completa: “Atualmente estamos na era das incretinas e gliptinas, que têm um mecanismo de ação mais fisiológico e agem no pâncreas estimulando a liberação de insulina”. Atualmente tem-se falado em cirurgia, mas muitos profissionais já veem que com a perda de peso há uma melhora acentuada de sua condição. “A diabetes é uma doença crônica e não tem cura, mas pode ser controlada”, afirma a Dra. Nely Queiroz. E ainda alerta: “Há muitos anos vem se tentando o transplante de célula pancreática, bem como o transplante de pâncreas, mas ainda com muita dificuldade, pela rejeição do organismo e pelas dificuldades inerentes para obtenção de órgãos, como o alto custo e profissionais capacitados. Existem casos de sucesso, mas ainda são muito limitados, e a seleção de paciente é muito rigorosa”, ressalta. O não controle da diabetes leva os pacientes a um processo de envelhecimento rápido, com falência de órgãos importantes como rins, olhos e cérebro, já que o excesso de glicose na circulação promove lesão de pequenos vasos sanguíneos que podem ocorrer em qualquer órgão do corpo. A doença representa a terceira maior causa de morte entre brasileiros, depois das doenças cardiovasculares e do câncer. Mas, apesar dos dados alarmantes, é possível retardar as consequências desse mal silencioso por meio da adoção de hábitos de vida saudáveis e tratamentos médicos.

“O exercício aumenta a queima de açúcar e faz com que menos insulina seja exigida para manter a função”, diz Dra. Nely

cuidados

Por Flávia Landim - Fotos: Ricardo Padue

97


Os benefícios do exercício físico para diabéticos – A empresária e pro-

cuidados

fissional de educação física Cristina Calegaro, à frente da Vital Recor – Saúde e Reabilitação, acredita na manutenção da saúde de pacientes com diabetes com o auxílio de exercícios específicos. “A atividade física é primordial na obtenção de um bom controle do açúcar sanguíneo em diabéticos do tipo 1, especialmente quando o mesmo resultado pode ser conseguido com administração de insulina”, explica ela. A prática de exercícios aumenta a queima de açúcar pelos músculos e faz com que menos insulina seja exigida para manter a função, além de aumentar a eficiência cardíaca e respiratória. Na Vital Recor o paciente realiza uma entrevista bem completa, com a intenção de ser um ponto inicial no diagnóstico exato da doença. Por meio dessa conversa se constata se o aluno possui outra patologia ou até se é uma pessoa sedentária. Logo após a avaliação, uma série de exercícios é passada. “Começamos com alongamentos, vamos para a parte aeróbica, exercícios resistidos e passamos ao alongamento novamente. A familiarização do treino deve ocorrer no início do programa e o processo de progressão pode durar entre duas a quatro semanas. É um trabalho que deve ser realizado no mínimo três vezes por semana”, desenvolve Cristina. É importante que o aluno não altere a sua dieta nos dias de atividade física, a menos que seja absolutamente necessário,

98

“Atividade física pode aumentar a sensibilidade à insulina, sendo benéfica para o corpo”, diz Cristina

e Cristina chama atenção para outros fatores que devem ser levados em consideração, tais como: o horário do dia em que o exercício é realizado; a duração e a intensidade; o nível exato de glicose sanguínea antes e depois do exercício; o nível de condicionamento físico, independente do diabetes, e ainda o tipo e a dosagem da insulina injetada.

Diabetes e o Distrito Federal (XVIII Congresso da SBD) – Para a endocrinologista Hermelinda Cordeiro Pedrosa, a maior dificuldade enfrentada por pacientes de diabetes no Distrito Federal é o escasso número de especialistas e de clínicos com uma capacitação mais ade-

quada. “Na Europa e nos Estados Unidos, a Diabetologia é uma subespecialidade da Endocrinologia, mas ainda não é reconhecido pela Associação Médica Brasileira. Felizmente, a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD) tem procurado incentivar a área de atuação específica ao longo dos seus 40 anos de existência, por meio de 19 departamentos”, explica Dra. Hermelinda. E prova desse incentivo é a realização do XVIII Congresso da SBD 2011, evento que acontecerá em Brasília, entre os dias 19 e 22 de outubro, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães. Engajada, Hermelinda ocupa o cargo de presidente do Congresso, que está mais semelhante aos Congressos Europeu e dos Estados Unidos para o mesmo tema. “São mais de 62 atividades preparadas para os profissionais de saúde como médicos, nutricionistas, fisioterapeutas, enfermeiros, educadores físicos, psicólogos e assistentes sociais, além de um fórum gratuito para a população. Teremos também temas interligados a outras entidades – obesidade, metabolismo ósseo, geriatria, ginecologia e obstetrícia – que refletem a ampla variedade de discussão pretendida”, conclui. AgrAdecimentos: thaíza dias / Vital recor – saúde e reabilitação (61) 3242-2157 / consultório de endocrinologia nely Queiroz (61) 3245-1526 / dra. Hermelinda cordeiro Pedrosa: XViii congresso de diabetes 2011 http://www.diabetes2011.com.br/


Atitudes sustentáveis

Sustentabilidade é possível Sustentabilidade é a palavra do momento e é empregada a toda hora, principalmente quando se fala em ecologia e preservação do planeta. Mas nem todos sabem que, de forma simples, ela significa nada mais do que viver com aquilo que se tem à volta, procurando consumir e produzir o mínimo possível, reaproveitando ao máximo os produtos e materiais. Exemplo: o copo de requeijão para beber água

Por Consuêlo Badra - Fotos: João Telles Sá

SUSTENTABILIDADE

T

102

odos trabalhando por um mundo melhor. Não é só o cidadão que deve rever o comportamento diante do mundo. Para que a ideia do desenvolvimento sustentável seja praticada, é preciso que também seja assimilada pelos líderes empresariais, que devem encontrar uma nova forma de produzir sem destruir o meio ambiente. Quando o ser humano atua de forma irresponsável e queima os recursos naturais sem ao menos dar um tempo para que o planeta se recupere, só contribui para a diminuição da sobrevivência dele e de milhões de outras pessoas. Essas atitudes destrutivas estão presentes em pequenas ações diárias das quais os homens nem se dão conta, como ligar o ar-condicionado do carro indiscriminadamente, utilizar sacolas plásticas ao fazer compras, usar lâmpadas incandescentes no lugar de fluorescentes, deixar uma torneira pingando horas e horas, jogar comida fora, entre outras tantas. Em um mundo globalizado como o de hoje, não dá para não pensar nas consequências que as atitudes e decisões de cada pessoa acarretam na cidade onde mora, no país ou até mesmo no planeta. Então, analise as questões apresentadas a seguir e pense em quais situações você pode contribuir para o bem estar das futuras gerações.


ALIMENTAÇÃO NÃO ORGÂNICA X ORGÂNICA A maior parte da população brasileira vive em áreas urbanas, num total de 81,23%, segundo dados de 2000(CF) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Para alimentar todas essas pessoas, o setor agrícola teve de aumentar a produção de alimentos e, consequentemente, o uso de fertilizantes químicos. O resultado é que esses produtos trouxeram também danos ao meio ambiente, contaminando os solos e a saúde humana. É preciso saber que o amplo emprego de adubos químicos causa desequilíbrio no ecossistema, como o aumento de insetos e microorganismos nas plantações. Para exterminar o surgimento de doenças e pragas, a prática mais comum é a aplicação de agrotóxicos. Mas estas substâncias tóxicas acabam contaminando o solo, os rios e os lagos, além de interferir na vida animal aquática. Os metais pesados presentes nos fertilizantes contaminam alimentos ingeridos pelo ser humano, trazendo problemas sérios de saúde, como a osteoporose, câncer e doenças no sistema nervoso. Para tentar melhorar esta situação, a Agenda21 Brasileira recomenda criar políticas legais, educacionais e científicas de programas de monitoramento e de controle de presença de resíduos de agrotóxicos em alimentos e na natureza. Já a agricultura orgânica busca, mesmo com a necessidade do aumento da produção, usar técnicas naturais que, além de dispensar o uso de agrotóxico, também incentivam a conservação do solo e da água e a redução da poluição. O princípio básico desse sistema é a conservação dos recursos naturais sem o uso de fertilizantes sintéticos de alta solubilidade, agrotóxicos, antibióticos e hormônios. Mas, para que esta intenção tenha resultados, é necessária a participação de produtores e consumidores.

DEZ MANDAMENTOS PARA UM CONDOMÍNIO MAIS VERDE

Uma sociedade sustentável e ecologicamente correta precisa que seus cidadãos também sejam. E para isso, as pessoas têm que prestar atenção na necessidade do consumo consciente, que, junto com a reciclagem, com as atitudes diárias para evitar o desperdício e com outras responsabilidades individuais, reduzem consideravelmente a degradação do meio ambiente. Afinal, a Terra não é uma fonte inesgotável de matérias-primas e minerais. Quando compramos algo por impulsividade, sem pensar se precisamos realmente daquilo ou não, sem saber como foi feito e o destino que terá depois de usado, estamos inconscientemente ajudando a poluir o planeta. Da mesma maneira, se não nos preocuparmos em distinguir se aquela linda blusa foi feita com fibras e corantes naturais que não agridem a natureza, se aquele móvel utilizou trabalho escravo ou mão-de-obra infantil em sua produção, por exemplo, também estamos contribuindo para a destruição do meio ambiente. Isso também acontece com a água e a energia elétrica, que na maioria das vezes são desperdiçadas, pois muita gente usa de forma exagerada, e continuam pensando que nunca irão faltar. O pior de tudo é que consumo irresponsável ainda causa conflitos sociais, com roubo e violência, pois nem todas as pessoas têm ou terão acesso aos artigos e produtos disponíveis.

SUSTENTABILIDADE

Todas as nossas ações, individuais ou não, podem ajudar ou prejudicar o meio ambiente

103


104

Bullying


Quando não

sabemos o que se

passa na escola Acontece nas escolas e pode traumatizar: foi com essas características que o bullying ganhou as páginas de jornais e revistas brasileiros

Q

uem nunca se sentiu sozinho ou mal por ter sido motivo de piadinhas na escola? É possível contar nos dedos o número de crianças que responderia “eu” para esse tipo de pergunta. O bullying é um fenômeno encontrado em muitas escolas brasileiras e do mundo, por isso se tornou um assunto tão comentado pela mídia de hoje. O caso da jornalista de São Paulo Marianna Mauerwerk Perri começou assim, na escola. Aos 13 anos, Marianna viu seu mundo virar de cabeça para baixo quando uma menina do seu colégio começou a contar histórias sobre ela logo após Marianna começar a namorar com um dos garotos mais populares da escola, o Thiago. “Ela começou virando a cara para nós dois e dizendo que não entendia como ele podia ter ficado comigo. Um dia, eu entrei no ICQ (uma espécie de bate-papo) e ela veio me zoar, dizendo que “a gorda tinha entrado” e começou a me xingar muito”, conta a jornalista. Os ataques continuaram até que Marianna, que havia estudado no mesmo colégio a vida inteira,

viu seus amigos lhe virarem as costas e começarem a ameaçá-la. “As minhas antigas amigas, um povo x da sala e o Thiago formaram uma rodinha e começaram a me empurrar e xingar, diziam que eu não deveria estar ali”, continua. A coisa continuou até que Marianna entrou em depressão, sem querer sair do quarto. Ela parou de comer, de assistir televisão, entrou em uma depressão profunda. O caso só terminou quando a coisa ficou tão feia que os pais de Marianna decidiram mudar de cidade. São muitos os casos como o de Marianna que acontecem todos os dias e agora chamam a atenção de especialistas. “O nome vem do inglês, bully, que significa valentão. É uma forma de violência contínua a uma pessoa ou grupo minoritário, com intenção de intimidar, humilhar e excluir. Pode ser praticado sob a forma física, mesmo quando não resultam em lesões mais graves ou psicológicas, como no caso das fofocas”, explica a psicóloga Maria Teresa Reginato. Esse tipo de agressão começou a ser estudado por acontecer muito entre crianças e adolescentes, mas hoje já se sabe que ele pode ocorrer entre adultos

Bullying

Por Camila Bocchino – Fotos: Divulgacão

105


também. “O fenômeno está na categoria de assédio, moral ou físico, que acontece em todos os segmentos da sociedade e hoje é considerado crime passível de processo judicial”, conta a psicóloga. Por ser um tipo de agressão, o bullying pode causar traumas para quem é agredido. “Uma porcentagem razoável dos traumas sociais vem de algum tipo de abuso como esse”, comenta a doutora. A

vítima pode desenvolver sentimento de inferioridade, fobias, pânico, dificuldades de convivência, problemas afetivos de toda ordem, além de doenças autoimunes, consequentes da contínua fragilidade que se vivencia nessas situações. O tratamento é feito com o acompanhamento de um psicólogo ou psicopedagogo, e deverá conter uma abordagem educativa. Psicoterapia individual, ou

Fotos: Lorena Lopes

O Colégio Maria Imaculada ofereceu uma palestra com o tema “Cyber bullying” para seus alunos

Bullying

“É preciso ter respeito, para ser respeitado”, ensina o palestrante André Quintão

106

em família, quase sempre é imprescindível tanto para aqueles que sofrem como para os que praticam a agressão. O agressor pode ser uma pessoa que também sofreu algum tipo de abuso na infância ou adolescência e desenvolveu alguma patologia afetiva que deve ser diagnosticada e tratada o mais urgente possível. Como a maior parte dos casos de bullying acontece em escolas, é preciso ajudar as crianças e adolescentes nessa fase. Em uma palestra sobre cyber bullying ministrada para alunos do CoInterface do programa que ajuda os pais a participar da vida online dos filhos


“O bullying pode acontecer entre empregados e um superior ou no próprio grupo de trabalho”, explica a dra Maria Teresa Reginato

légio Maria Imaculada, André Quintão, autor do site Web Segura, falou um pouco sobre como auxiliar na prevenção desse tipo de agressão. “O que você faz na Internet pode influenciar na vida real. Mantenham isso em mente”. Foi com essa frase que André

Serviço: Site Web Segura http://websegura.blog.br Maria Teresa reginato www.facaterapia.com.br http:// facaterapia.blogspot.com Kidux http://kidux.com.br/ Colégio Maria imaculada SHiS Qi 5 s/n Ch 72 – Brasília/DF Telefone: (61) 3248-4768 http://cmidf.com.br

Bullying

“A idéia surgiu em 2007 quando eu e meus sócios percebemos que os jovens passavam muito tempo na internet”, conta Leandro Cruz

começou a sua palestra. Segundo ele, o cyber bullying é muito comum entre os adolescentes e crianças de hoje, e foi daí que nasceu a ideia para o site. “Nele, nós ajudamos quem quer navegar pela Internet de forma mais segura e mostramos como evitar o bullying”, comenta. O bullying vinha acontecendo na sociedade há anos sem que ninguém se desse conta, mas o cyber bullying nasceu junto com a Internet, então, ainda dá tempo de ser controlado antes que vire algo maior. “As redes sociais nasceram para criar relacionamentos que influenciam na vida real. O problema está em usar essas redes para intimidar outras pessoas”, explica o palestrante. É aí que nasce o cyber bullying. Pra ajudar os pais nessa árdua missão de proteger os filhos desse tipo de agressão, o curitibano Leandro Cruz criou o Kidux, um software que auxilia na proteção de crianças ao usar a Internet. “Com o Kidux, os pais podem saber dos interesses das crianças e tomar as ações necessárias para educá-las no uso correto

da Internet. Sem saber o que as crianças fazem, não é possível educar”, explica. Para utilizar o software, o pai deve se cadastrar no site do Kidux e fazer o download e instalação do produto. Quando instalado, o programa coleta informações como sites acessados e conversas de MSN e faz o envio de maneira segura para o site da empresa. Assim, os pais podem acompanhar a atividade dos filhos e fazer os ajustes que acharem necessários para a segurança dos filhos. A dica é ficar atento ao que acontece com os filhos e a forma como eles reagem a certos assuntos. No ambiente de trabalho, a mesma coisa. Lembrando-se sempre que o bullying é um problema sério, mas tem como ser tratado de várias formas. A ajuda de especialistas é sempre bem vinda nessas horas, e quem sofre com isso não pode ter medo de se manifestar, se não a situação só piora.

107


ETIQUETA

Por Consuêlo Badra e Silvia Seabra

3

Numa entrevista de emprego, escolho que cor de esmalte?

Invista nas cores mais claras, bege ou rosinha. Evite unhas muito detalhadas: seja discreta! Experimente usar a cor Nude Clássico, da Impala.

4

Que pratos vão bem com vinho?

Olha, confesso que também sou viciada no Facebook e no MP3, mas na companhia de outras pessoas eu não uso, não. Acho falta de educação. Nessas ocasiões, desligue-se dos eletrônicos e aproveite para se conectar com as pessoas reais. Se você está em uma reunião profissional, não pega bem se distrair com apetrechos tecnológicos. Mas claro, dear, toda regra tem exceção: é possível usar o computador e o celular como ferramenta de trabalho caso o seu chefe permita e os aparelhos sejam realmente necessários naquele momento.

Vinhos brancos são servidos gelados e acompanham entradas, peixes e saladas. Os tintos combinam com queijos e carnes. Champanhe sempre é um grande sucesso e pode ser servido do começo ao fim do jantar, mas deve estar sempre gelado. Para uma comemoração romântica, arrume a mesa com o maior capricho, escolha um cardápio simples, que possa ser preparado com antecedência, e não esqueça da música. As velas podem ser acesas na hora do jantar, para que estimulem confidências...

etiqueta

Como devem ser as bodas de ouro?

O brilho e o valor do metal já definem a importância da celebração das bodas de ouro. Ela terá, com certeza, a participação de toda a família e dos amigos. A entrada deve ser solene como no casamento. O marido usará terno escuro e a esposa, o tom de sua preferência, evitando-se as cores escuras e sombrias. Não é necessário damas de honra. Em vez disso, netos e bisnetos poderão compor um bonito cortejo.

Acho o sous-plat chique, mas não sei em que ocasião ele deve ser usado. Em que tipo de evento devo colocá-lo?

2

110

6

7

Quais são as regras de etiqueta para quem está resfriado?

Adorei a pergunta! Já vou logo dizendo que as minhas dicas não são apenas de bons modos, mas sobretudo de higiene. Vamos lá: nunca aperte as mãos nem dê beijinhos na hora de cumprimentar alguém – explique à pessoa que você está doente e acene de longe. Não é elegante ficar espalhando o vírus da gripe por aí, certo? Quando tiver que assoar o nariz, vá ao banheiro ou, se não conseguir esperar, vire de lado e use um lencinho da forma mais discreta possível. Nada de ficar fungando – é irritante e nojento, ui!

personalidade e a expectativa da aniversariante. Tradicionalmente, essa festa significa a apresentação e o ingresso de uma menina na vida social, ocasião em que ela aparece de vestido longo e dança ao som de valsas. Há, porém, garotas que preferem uma reunião informal com a roda exclusiva de amigos, gostosos quitutes ao alcance da mão e música tipo discoteca para dançar. Há outras alternativas ainda, mas o melhor é você perguntar à sua filha o que a faria mais feliz.

5

Quero organizar uma festa para comemorar os 15 anos de minha filha e gostaria de obter alguma orientação.

A comemoração dos 15 anos de uma jovem deve ter como ponto de partida a

O sous-plat, que significa em francês sob prato e se pronuncia supla, é um acessório pouco usado atualmente. Uma espécie de prato maior, colocado sob o de jantar, ele compõe uma mesa sofisticada e pede serviço à francesa cada vez mais raro e sempre muito dispendioso. Alguns aparelhos de jantar incluem um prato maior, no mesmo padrão da louça, que tem uma função mais decorativa do que prática, sendo utilizado, algumas vezes, para saladas e frios.


solução moderna e simpática. Não se esqueça, no entanto, de informar a todos qual é o esquema e, se possível, qual a previsão básica de custo. Assim, participarão os que estiverem em condições de ter essa despesa.

11

Qual é o jeito mais correto de atender ao telefone? devo dizer o número ou o meu nome? O número do telefone é sempre mais seguro, evitando enganos e explicações desnecessárias.

12

Minha irmã quer batizar a filha com um nome exótico, para não dizer feio. Como aconseA maioria das pessoas possui caracte- lhá-la a mudar de ideia?

rísticas relacionadas a essa estação. Mulheres de pele creme-acinzentada, negra ou de traços orientais são as mais encontradas no grupo e ficam bem com cores claras e contrastes. Na hora das compras, pense em cores puras, azuladas, vibrantes, com tonalidades diferentes, claras e agudas. Vale lembrar que a mulher-inverno é pálida e geralmente se confunde com a mulher-outono. Para tirar a dúvida, experimente tons dourados. Se ficar ainda mais pálida, tenha certeza de que é uma mulher-inverno e que as cores frias são as mais recomendadas para esse caso. Só por curiosidade: Elizabeth Taylor, a cantora e atriz Cher, Sally Field e Diana Ross são do tipo inverno. Jacqueline Onassis também era.

Meu bem, nome é uma coisa muito pessoal. Portanto, só os pais da criança podem fazer a escolha. Bom, conselho de amiga: antes de dar qualquer palpite, analise se o desejo da sua querida irmã pode causar transtornos à pequena no futuro. Se você acredita que sim, expresse sua legítima preocupação (mas com toda a delicadeza, por favor!). Caso contrário, é melhor esquecer o assunto. Os apelidos servem para contornar essas situações...

14

Meu namorado tem o hábito de comer na cama. Depois ele vai embora e eu tenho de dormir entre migalhas. Como fazer para ele se mancar?

9

O que fazer quando falam mal de um amigo meu?

Falar mal de alguém é sempre um péssimo assunto. Tente introduzir um novo tema na conversa ou mostre, sem ser agressiva, sua discordância. Se nada disso resolver, mude de roda.

10

Vou comemorar o meu aniversário num restaurante com amigos. é indelicado sugerir que cada um pague a sua conta? Reunir os amigos em um restaurante para comemorar seu aniversário é uma

13

Qual é a melhor forma de comer lagosta? Devo usar as mãos ou talheres próprios para peixe?

Muitas vezes, a lagosta já vem cortada e é possível comê-la normalmente com garfo e faca próprios para peixe.

Um café da manhã na cama de vez em quando é uma delícia e um carinho insuperável. Mas deitar-se sobre eternas manchas de gordura, migalhas de bolacha ou restos de pipoca acaba com o romantismo de qualquer um. Uma dica “sutil” que vai fazê-lo se tocar: sempre que ele se deitar com alguma comida, ainda que seja um inofensivo saco de batatas fritas, levantese, vá à cozinha, pegue uma toalha de mesa e estenda-a sobre os lençóis. Se ele não entender sua sutileza, pode dar a maior bronca diretamente e sem rodeios. Francamente, sensibilidade não é o forte do seu namorado.

etiqueta

8

Mulher-inverno. O que usar?

Ela também pode ser servida dentro da casca, dividida ao meio. Assim, com o auxílio de um garfo e de uma faca, você retira a carne e come os pedaços. Quando a lagosta vier inteira, a solução é usar as mãos. Pegue a casca da lagosta com a mão esquerda e, com a direita, retire os tentáculos, partindo a lagosta ao meio. Retire a cauda do corpo, puxando com os dedos, e faça o mesmo com as patinhas. Em geral a lagosta vem acompanhada de um alicate, que é usado para destacar as articulações, e de um garfinho, que facilita a retirada da carne de dentro da casca. O uso de um guardanapo grande nesse caso é indispensável, assim como o de uma lavanda com água morna e limão para lavar os dedos.

111


Glória e Jorge: lúcidos e independentes

A ideia de abandono e tristeza em asilos é coisa do passado Por Márcia Casali – Fotos: Grua Fotografias

CIDADANIA

O

114

Estatuto do Idoso é uma conquista para o país, que passou a ter uma Política Nacional para milhares de idosos. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), há uma estimativa de que no Distrito Federal existam 127 mil idosos e, no Brasil, cerca de 19 milhões com mais de 60 anos. As políticas públicas voltadas para os idosos são novas e o envelhecimento tornou-se questão fundamental. Houve melhorias, mas muito ainda precisa ser feito. Um grande desafio no país é o controle e fiscalização das Instituições de Longa Permanência (ILPI), conhecidas pelo

trabalho de amparo e assistência a idosos abandonados ou sem família. No DF, apenas 13 instituições fazem parte do Conselho dos Direitos do Idoso (CDI), órgão responsável por acompanhar e fiscalizar todas as ações voltadas para o idoso na cidade. De acordo com o secretário-executivo do CDI, Luiz César Fiúza, a lei precisa ser cumprida e os idosos merecem tratamento digno. “Estar com a família é fundamental, mas presenciei casos onde a melhor solução era um abrigo”, diz Fiúza, que tem como proposta realizar visitas permanentes aos asilos, com cronograma independente de denúncias.


A assistente social Lis Alecrim, do Lar de Velhinhos Maria Madalena, reconhece a importância do Estatuto, além do desafio do serviço social, mas também diante da questão do idoso institucionalizado. Para ela, o asilo ainda é carregado de estigmas, que foram construídos no decorrer dos anos, como abandono e negligência. “Atualmente as Ilpi´s mudam esse paradigma de abandono, fazendo do abrigamento a melhor possibilidade de qualidade de vida para o idoso, onde atividades de integração, cultura, lazer, esporte, dentre outras, são desenvolvidas”, explica Lis. Ela reforça que o meio familiar deve ser a primeira opção por ser o ambiente a que o idoso está habituado. “A decisão não pode ser apenas dos familiares, mas também do próprio idoso, que muitas vezes se sente solitário”, afirma. Jorge da Silva, 66 anos, e Glória Nery, 67, são conhecidos no lar pela história que os envolvem. Ela está no lar há vinte e oito anos e Jorge há um. Para a técnica de enfermagem Ana Paula Neves, assim que Jorge chegou a casa, foi logo se engraçando por ela. Ficaram amigos, começaram a namorar, até que um dia resolveram casar. “Na época procurei o presidente da instituição, Nivaldo Torres Vieira, para tratar do assunto. Diante da situação, tendo em vista que são dois idosos lúcidos, o lar realizou o casamento em 17 de abril de 2010, com tudo o que os noivos tinham direito. Vestido de noiva, tapete vermelho, padrinhos e bolo. Para abrigar o casal, a direção aproveitou uma suíte ao lado do Departamento de Integração. “A casa foi mobiliada com geladeira, televisão, cama, sofá e banheiro. Menos fogão, para evitar acidentes”, explica Ana, enfatizando que a medida foi visando a segurança do casal, pois uma das regras da casa é usar o refeitório. Segundo Glória, estar no lar é uma grande felicidade. “Gosto de morar aqui. Além das atividades diárias, sempre temos algo para fazer, como sair para dançar e ir a clubes”, comenta. Dentre os moradores da casa, alguém que também se destaca é a primeira moradora da casa, Maria Irene Gomes, 81 anos. Ana explica que Maria chegou a casa com uma perna amputada. “Durante muito tempo ela usou uma prótese. Hoje está na cadeira de rodas, mas é totalmente independente”, comenta. Para Ana, ela é uma idosa que, mesmo estando em uma instituição, é alegre, participativa e tenta se inserir em tudo. “Mesmo não enxergando direito, ela ainda faz crochê, está na oficina de customização e estuda. Ela não faz da deficiência um empecilho”. Segundo Maria Irene, no lar ela encontrou amigos e é o lugar em que ela gosta de estar. “Aqui eu tenho tudo o que preciso, além dos meus amigos”, diz. Os idosos contam com uma programação diária que se inicia no café da manhã, às 7h15, e encerra com a ceia, às 20h. Todos os dias, eles participam de atividades recreativas e cognitivas, com quebra cabeça, dominó e xadrez, que requerem esforço mental. Eles ainda participam de musicoterapia, filmes, oficina da memória, customização de objetos, bordados, terapia ocupacional, massagens e alfabetização, por meio do projeto Luz das Letras. “O objetivo é encaixar atividades da melhor maneira possível, para que eles tenham sempre o que fazer”, diz Ana.

Maria Irene é a primeira moradora do Lar Maria Madalena

CIDADANIA

Atendimento e convívio com a sociedade

115


Ana Paula, considerada uma filha para muitos idosos, trabalha para que eles não percam o convívio com a sociedade

CIDADANIA

Lar se mantém com a ajuda da população

116

Fundado há 26 anos pela Renovação Carismática, o lar Comunidade de Renovação Esperança e Vida Nova (Crevin) abriga 33 idosos, sendo 17 mulheres e 16 homens. A instituição é mantida por doações e acaba de se inscrever para receber auxílio do GDF. Segundo o administrador, João Cardozo Souza, com a ajuda é possível construir outro andar com mais quartos. “A despesa com fraldas, remédios e roupas é alta. Por isso realizamos eventos para completar a renda”, conta. Ele reforça que a instituição não visa fins lucrativos e o governo só contribui com o pão e o leite diariamente. O abrigo tem dois andares com 18 quartos, além de salas de televisão, refeitório, enfermaria e sala de nutrição, além de um espaço reservado para pessoas da comunidade que realizam trabalhos manuais para contribuir com a casa. O quadro de funcionários do local é composto, também, por voluntários. O bombeiro aposentado Ivan Pereira dos Santos, 50 anos, colabora com a casa desde a fundação. “Antes eu ajudava na cozinha. Agora estou substituindo o motorista”, comemora Santos. Cerca de dez idosos da Crevin ou não têm família ou foram abandonados. Souza conta a história de uma senhora que tinha 13 filhos, mas só um dava a assistência necessária. “Bastava ligar no serviço que ele vinha na hora”, diz Souza.

Ele comenta que os outros filhos chegaram a ficar mais de três anos sem visitar a mãe. Segundo ele, nem todos recebem visitas com frequência. No lar há cinco anos, José Ferreira de Lima, 69, conta que era alcoólatra e precisou de ajuda para deixar o vício. Após cinco derrames, ele foi abandonado pela mulher. O único contato com a família são as visitas do filho. “Eu sabia que aquilo não era um meio de vida”, lembra José. Para o advogado aposentado Antônio Caruso, 79 anos, o lar oferece tudo o que ele precisa. Após longos anos na casa da irmã, chegou um momento em que ele precisava de cuidados especiais, algo que a irmã não tinha condições de fazer. Caruso passa grande parte do tempo lendo revistas e afirma que gosta de estar num abrigo. “Indicaram a Crevin para minha irmã, por ter boas referências. Aqui eu tenho tudo o que preciso”, afirma. Por meio da assessora, Sueli Rochedo, a Subsecretaria de Assuntos para a Terceira Idade do DF (Subati/DF) informou que na ausência da família ou de condições financeiras, o Estado custeia a permanência do idoso em algum asilo. “O Estado faz o encaminhamento para uma Ilpi e paga as diárias”, explica Sueli. Colaborou: Kécia Pereira


Literatura

NADA PROVA NADA!

A ideia de fazer um projeto a partir de artigos e crônicas de Gerald Thomas resultou numa obra que desafia os limites entre a literatura e o jornalismo. Antes, o autor tinha seus textos publicados num blog e lá eram reféns da vida corrida e da memória do leitor. Suas reflexões ficavam presas numa rede virtual e no tempo. Em Nada Prova Nada! há um rompimento com essa barreira temporal, a fim de eternizar a obra deste múltiplo artista. Este livro, inquieto como o autor, só nos trará uma certeza: impossível ficar indiferente a esse parangolé de ideias. Editora Record, com 238 páginas, ao preço de R$42,90. DE VOLTA AO VALE DAS BONECAS Que fim levaram Anne Welles, Neely O’Hara e Lyon Burke, personagens de O Vale das Bonecas, marco da literatura pop que retratou os conflitos da geração feminina que ousou criar um novo conceito de mulher? A escritora Rae Lawrence resgata as personagens criadas por Jacqueline Susann para dar sequência às suas histórias, com novas tramas que vão emocionar o leitor. Editora Record, com 333 páginas.

LIVROS

REDENÇÃO

118

Trata-se de uma sátira ferina à esquerda tradicional. Este é o primeiro romance político escrito por Tariq Ali. Redenção aborda a trajetória de um velho líder trotskista, cosmopolita e desenraizado que, em Paris, acompanha a queda do ditador romeno Nicolau Ceausescu, preso e executado no Natal de 1989. Chamado a reavaliar suas teorias com as mudanças que varreram o bloco comunista no inverno de 1989-1990, culminando com a queda do Muro de Berlim. Tariq Ali também escreveu O Confronto de Fundamentalismos e Sombras da Romãzeira. Editora Record, com 350 páginas.

PLANÍCIE DE PASSAGEM

Este livro, o quarto volume da saga Os Filhos da Terra, nos transporta ao passado remoto, até as origens de nossa espécie. Um grande sucesso que teve milhões de exemplares comercializados em todo o mundo e chegou às principais listas de mais vendidos. O escritor Jean M. Auel tem um poder extraordinário para contar histórias que mantêm os leitores hipnotizados. Imperdível. Editora Record, com 777 páginas.

TROPEÇOS NOS TRÓPICOS Um americano escrevendo sobre o Brasil? Ou um brasileiro escrevendo sobre os Estados Unidos? Michael Kepp transcendendo fronteiras. Fugiu da cidade natal, a claustrofóbica St. Louis, Missouri, em busca de mais ginga e malemolência. E veio parar no Rio de Janeiro de Tom Jobim, do carnaval, da descontração carioca. Suas experiências ganham cor em crônicas algumas vezes íntimas, outras comoventes, mas sempre confessionais. Um gringo brasileiro, suspenso na fronteira entre duas culturas. Mike não se encaixa em nenhuma categoria. Abraça a todas com a mesma generosidade com que divide suas ideias e aventuras com os leitores. Editora Record, com 272 páginas, ao preço de R$32,90. CANAS VERDE-AZULADAS Trata-se de um romance que nos põe diante das reconstruções dos desmandos sociais das primeiras décadas do milênio passado, sintetizando o comportamento da sociedade desigual, em que as disputas acirradas da nova sociedade emergente se chocam com os valores sociais e morais dos últimos coronéis. Um romance que enfoca também a ética e a moral da natureza simples do homem sertanejo, completamente dissociadas do sistema político vigente no país, em que as massas são meros espectadores. Editora Thesaurus, com 268 páginas, escrito por Marlene Henrique.


Da aristocracia

PALADAR

Ă  padaria

120


Por Consuêlo Badra – Fotos: Guí Teixeira

C

om forma de disco, crocante por fora e macio por dentro, o macaron (diz-se “macarrôn”) é uma criação da Veneza renascentista. Conhecido originalmente por “maccherone”, devido à sua massa fina, alcançou grande reputação na França, onde aportou com a comitiva de Catarina de Médicis. A receita, à base de farinha de amêndoas, açúcar e claras de ovos, permaneceu secreta e restrita à nobreza até ser descoberta por uma congregação de irmãs carmelitas na cidade de Nancy, no nordeste da França. Existem várias formas de preparar macaron e incontáveis opções de recheio. Segundo o pâtissier francês Fabrice Lenud, que se declara pioneiro na produção do doce em São Paulo, à frente da Pâtisserie Le Fournil, em 1997, em Nancy predomina o tipo Gerbet: liso, preparado com claras batidas. É o mais comum também por aqui. “Já em Bordeaux, as claras são cruas e ele é chamado de “craquelé”, devido à casquinha rachada. Sua massa é mais pesada”, explica. Independentemente dos sabores escolhidos, todos reconhecem que se trata de um doce difícil de preparar. “É importante trabalhar com ingredientes de primeira: usar farinha de castanha de caju, como fazem alguns, é falsidade ideológica”, afirma o chef Fabrice Lenud. Segundo ele, um dos segredos para obter um bom macaron é assá-lo em duas etapas. “Na primeira, forma-se a crosta; na segunda, a massa cresce como um cogumelo”. Ao voltar da França, onde estudou culinária, a própria Pati Piva teve dificuldades para reproduzir a receita. “A matériaprima e o clima são diferentes aqui, e o doce sofre com as alterações. É muito delicado”, diz. Tanto que não se conserva por mais que três dias na geladeira ou uma semana no freezer. Isto é, se durar tanto tempo.

PALADAR

Nascido na Itália e adotado pelos franceses no século XVI, o macaron chegou ao Brasil há somente uma década. Nos últimos tempos, começou a se espalhar por cafés, pâtisseries e padarias gourmet e vem ganhando sabores brasileiros, como cajá e cupuaçu

121


MACARON DE AVELÃ (Receita de Fabrice Lenud)

MACARON DE CUPUAÇU

Ingredientes para a massa 280g de açúcar de confeiteiro; 160g de farinha de amêndoa; 130g de claras de ovos; 30g de açúcar comum.

Ingredientes para a massa 150g de farinha de amêndoa; 125g de açúcar de confeiteiro; 100g de claras de ovos; 175g de açúcar comum; 55g de água; 1 colher (chá) de cacau em pó.

Modo de preparo Numa tigela, peneire o açúcar de confeiteiro e a farinha de amêndoas, bata as claras com o açúcar até obter um suspiro bem firme. Aos poucos, e com delicadeza, incorpore a mistura peneirada, coloque uma folha de silicone sobre uma assadeira e ponha-a dentro de outra assadeira, com um saco de confeitar e bico liso médio, pingue a massa com distância de 5cm entre os macarons. Leve imediatamente ao forno pré-aquecido, moderado (200°C), durante 10 minutos. Retire a assadeira de baixo e asse por mais 5 minutos. Retire do forno e deixe esfriar. Com uma espátula, retire os macarons da assadeira e recheie. Ingredientes do recheio de avelãs 200g de claras; 400g de açúcar; 600g de manteiga cortada em cubinhos; 100g de pasta de avelã (praliné ou Nutella); 150ml de água.

PALADAR

Modo de preparo Em uma panela, leve o açúcar e a água a ferver até 121°C (ponto de bala), enquanto isso, bata as claras e junte a calda aos poucos, continuando a bater até esfriar, batendo sempre, junte os pedacinhos de manteiga aos poucos. Por fim, misture a pasta de avelã.

122

Modo de preparo Numa tigela, peneire a farinha de amêndoa, o açúcar de confeiteiro e o cacau. Numa panela, ferva a água e o açúcar comum até 130° C, mais ou menos, derrame o açúcar cozido por cima das claras batendo até esfriar, incorpore as claras batidas à mistura de farinha, açúcar e cacau, delicadamente, até obter uma massa homogênea. Pré-aqueça o forno a 170° C/175° C, e, num saco de confeitar, coloque a massa e forme seus macarons em uma assadeira forrada com papel manteiga ou tapete de silicone. Asse no forno por sete ou oito minutos. Reserve até esfriar e retire da assadeira, passe o recheio em uma metade de macaron e grude a outra metade, formando um sanduíche. Ingredientes para o recheio de cupuaçu 500g de polpa de cupuaçu; 75g de açúcar; Suco de ½ limão. Modo de preparo Cozinhe a polpa de cupuaçu com o açúcar e o suco de limão em fogo brando por mais ou menos 45 minutos, até engrossar e parecer uma pasta. Reserve por 2h na geladeira e recheie os macarons. Agradecimento: Daniel Briand - Patissier & Chocolatier Tel: (61) 3326-1135


Maestro ensina música para crianças carentes

CULTURA

O projeto prevê a criação de uma orquestra sinfônica no Recanto das Emas e em Itapoã. Mas a iniciativa precisa de ajuda para ter continuidade

126


Por Márcia Casali – Fotos Rafael Lang e Divulgação

O

ção e canto e pós-graduado em Düsseldorf, na Alemanha, informa que a música estimula a criatividade e sensibilização das crianças. Além de auxiliar no aprendizado escolar, estimula a coordenação motora e a ampliação da percepção. “Sabemos que por meio deste trabalho, cada vez mais a criança se engaja na sociedade de uma forma positiva”, afirma De Cesar, que acredita no crescimento e inclusão das crianças na sociedade, sem a necessidade de tirá-las dos locais em que vivem.

OS INSTRUMENTOS O projeto que utiliza a arte como forma de recuperação da cidadania é um exemplo bem-sucedido de trabalho social com foco na educação. Mas para realizá-lo é preciso ter os instrumentos musicais, o que segundo Emílio é muito caro. Violoncelo e contrabaixo, por exemplo, custam em torno de 600 a 2000 mil reais. O maestro conta com a ajuda da comunidade e busca parceiros para que o trabalho ganhe força e mais crianças sejam alcançadas. “Ao saber do projeto, muitos amigos abraçaram a ideia e doaram instrumentos pessoais”, diz Emílio. Para ele, o desejo é resgatar as crianças das ruas dos maus caminhos e da péssima influência que infelizmente campeiam certos locais como o Itapoã. “Queremos que eles tenham oportunidades de descobrir que são capazes de fazer outras atividades”, comenta o maestro e frisa, ainda, que trabalho semelhante acontece na Venezuela com o “El Sistema”, da Orquestra

CULTURA

Centro de Integração Social da Família e da Criança (Cisfac) é uma organização não governamental (ONG) mantida por voluntários e que atua na comunidade do Itapoã, junto a crianças em situação de vulnerabilidade social. Atualmente atende 80 crianças em caráter social e educacional. O projeto visa promover o desenvolvimento humano, sócio-cultural e econômico. A sede abriga uma biblioteca comunitária que atende dezenas de estudantes por dia. Oferece reforço escolar, de segunda a sexta-feira, nos dois turnos, aula de informática, teatro, dança, além de assistência à saúde por meio de parceiros. A região do Itapoã começou como uma invasão irregular. Aproximadamente 100 mil habitantes convivem diariamente com os altos índices de violência, pobreza, desnutrição e analfabetismo. Uma região a menos de 30km de Brasília, a Capital Federal. Tão perto do poder e tão longe da dignidade. Foi nesta realidade que o Cisfac decidiu trabalhar. O projeto existe desde 2006 e visa contribuir para o desenvolvimento social das crianças e famílias. “Já estamos atuando na área de assistência social, educação e saúde”, comenta Ana Maria Costa, voluntária no projeto, que em parceria com o maestro Emílio De Cesar trabalha na estruturação de uma orquestra sinfônica no Itapoã. Com apenas 16 anos, Emílio já era regente de coral da Igreja Presbiteriana Independente Central de Brasília. Formado pela Universidade de Brasília (UnB) em regência, composi-

Crianças da orquestra sinfônica do Recanto das Emas

127


Simon Bolivar. Segundo ele, a sociedade se modifica sempre que um trabalho social é desenvolvido. “No futuro, muitos alunos poderão trabalhar em locais como igrejas, teatros, ou mesmo em casa, tocando os instrumentos”, afirma.

NOVO PROJETO

CULTURA

No mês de maio, o maestro Emílio foi convidado a fazer parte do “Batucadeiros: Crescendo com Música”. O responsável pelo projeto, Ricardo Amorim, explica que a ideia da parceria foi um encontro de anseios que se harmonizaram, entre o grupo e o maestro. Segundo ele, o objetivo era oferecer cursos de instrumentos variados, mas faltavam recursos e conhecimento. Por outro lado, maestro Emílio buscava iniciar um trabalho de música orquestral, em um contexto de projeto que já tivesse uma inserção e identidade cultural dentro de uma região com populações em vulnerabilidade. “Então, juntamos nossas experiências de dez anos de trabalho na inclusão sociocultural do grupo Batucadeiros com a vasta experiência musical do maestro Emílio no Brasil e no mundo”. Ricardo reforça que a meta é ampliar as oportunidades de cidadania e cultura de crianças, adolescentes e jovens

128

da periferia, além de gerar qualidade de vida e combater as desigualdades sociais tão latentes no DF. Para Rosangela Oliveira Campos, 33 anos, mãe de Pedro Henrique, 10, aprender música com o maestro Emílio é uma oportunidade ímpar. Desempregada, ela conta que o sonho do filho sempre foi tocar violão. Certa vez, por não ter R$20 reais, ela não pôde matricular Pedro em uma escola de música. Assim que mudou para o Recanto das Emas, Rosangela observou crianças andando na rua carregando instrumentos musicais. Foi quando conheceu o projeto Batucar, que atende moradores da comunidade e alunos da rede pública. Pedro Henrique foi contemplado e atualmente faz parte do projeto com dedicação, pois deseja tornar-se um grande músico. “Confesso que me sinto mais realizada que meu filho. É uma satisfação que não dá para externar”, comenta a mãe, que comemora, não apenas a vitória do filho, mas de cada criança de uma comunidade menos favorecida como é o caso do Recanto das Emas, que antes não tinha sonhos, mas hoje pode realizar algo diferente. Associação Missionária para Difusão do Evangelho (Amide) Tel.: (61) 3298-6700 Instituto Batucar Tel.: (61) 8419-9674

Maestro Emílio durante ensaio da ópera Il Pagliacci, de Leoncavallo, na Sala Villa-Lobos do Teatro Nacional

Com vasta experiência no Brasil e no mundo, maestro Emílio realiza trabalhos sociais por meio da música erudita

O projeto busca melhorias na qualidade de vida para as crianças


Make da estação

passo a passo 134

Beleza, tendência e novidades: aprenda passo a passo como fazer sua própria maquiagem e atualize seu look Por Nathália Cardim – Fotos: Ricardo Padue

Muitas novidades apareceram no mundo make para o inverno 2011. Alguns maquiadores apostam em makes leves e discretos, outros dão destaque aos olhos ou à boca, ou até mesmo aos dois, mas sempre com maquiagens que são facilmente levadas para as ruas sem erro. E o melhor, produções para serem usadas durante o dia ou até mesmo em uma festa à noite. O vermelho pinta as bocas da temporada inverno 2011, assim como os batons em tom de vinho, cereja e roxo, mas apesar de o vermelho ser eleito como a cor da estação, os lábios com cores nude, coral e até mesmo o gloss não ficaram de fora das apostas dos maquiadores. Nos olhos, cores intensas e escuras para pontuar o olhar das mulheres. O olho delinea-

do, no estilo cat eyes, também retorna à lista de tendências e prova que a beleza com ar de anos 60 está na moda. A sombra preta esfumada, já consagrada como a personagem principal de todos os invernos, não deixou de aparecer. A boa notícia para quem não curte o mundo maravilhoso do make up é que a imagem cara lavada neste ano também é hit. Olhos naturais, boca vermelho intenso, pele limpa, maçã do rosto corada e sobrancelhas em destaque são elementos que também evidenciam a estação. Muita gente ainda aposta no “olho tudo, boca nada”, mas a máxima foi desbancada nessa temporada. Neste inverno o look composto de olho e boca bem marcados está com tudo. Confira sugestões de maquiagens para a estação e fique ainda mais bela!


Rafalel Lang

MAKE 1 Recentemente a rede O Boticário lançou a Coleção Mate, da linha de maquiagem Intense. Os lançamentos com características mate, ou seja, sem brilho, são inspirados na beleza da natureza. Os produtos, que já estão à venda nas lojas da marca em todo o país, trazem itens para rosto, olhos e boca, em cores modernas, com mais cobertura e toque aveludado para deixar a pele com textura de pétala de rosa. Para a divulgação da nova linha Intense Efeito Mate, o maquiador e consultor estratégico de maquiagem de O Boticário há 12 anos, Sadi Consati, esteve em Brasília para dar dicas de makes para o dia a dia. Fique por dentro!

Passo 1

Comece uniformizando o tom da pele com a Base Líquida Intense Efeito Mate. Complemente com corretivo na região das olheiras e manchas, dando leves batidinhas com a ponta dos dedos.

Passo 2

Nos olhos, faça um traço com o Lápis Para Contorno dos Olhos Marrom na base dos cílios superiores. Depois, aplique a Sombra Intense Cor 10 (prata) em toda a pálpebra móvel e no côncavo das sobrancelhas para efeito iluminador.

Passo 3

Aplique a Sombra Intense Cor 38 (bordô) nos cantos externos dos olhos de fora para dentro até a metade dos olhos. No côncavo, avance para o canto interno e depois reaplique o lápis marrom. Faça o contorno na parte inferior dos olhos por baixo dos cílios (na pele) com as mesmas sombras. Cor 38 de fora para dentro e Cor 10 no contorno do canal lacrimal. Finalize com Máscara Para Cílios Preta.

Passo 4

passo a passo

Esfume o Blush Intense Efeito Mate Cor 5 (rosa boneca) na parte mais alta das maçãs do rosto fazendo movimentos circulares e em direção às têmporas. Na boca, use o Batom Intense Efeito Mate Cor 232 (rosa velho). A sua maquiagem está pronta. Arrase!

135


MAKE 2 Ney Lima, maquiador do salão Ricardo Maia Hair Make Up, começou a trabalhar no salão de beleza como assistente de Ricardo Maia há sete anos. Com o passar do tempo, foi se interessando pelo mundo Make e só de acompanhar as produções feitas pelos maquiadores do renomado salão, treinando e se preocupando em aprender com cada dica que eles lhe davam, desenvolveu suas próprias criações e teve seu potencial reconhecido, iniciando sua carreira como profissional. Nesta edição, Ney preparou para a Revista Foco uma excelente sugestão de maquiagem feita na modelo Gabriele Paraizo da agência Mega Model Brasília. Inspire-se no look criado pelo profissional!

Passo 1

Primeiramente você deve estar com o rosto muito bem limpo e tonificado. Utilize um pincel de fibra ótica com uma base que acompanhe o seu tom de pele e a espalhe pelo rosto e pescoço com movimentos circulares, deixando a pele com aparência aveludada.

Passo 2

Com a pele uniforme, aplique o corretivo apenas se necessário. Molhe a ponta do pincel e passe uma camada de sombra compacta na cor marrom em toda a pálpebra do olho. Faça com lápis preto um traço acompanhando a raiz dos cílios superiores.

Passo 3

Aplique uma camada de delineador rente aos cílios superiores e esfumace-o com a ajuda de um pincel. Passe o lápis preto por fora do olho, somente no canto externo na raiz dos cílios inferiores. Com a mesma sombra marrom usada anteriormente, esfumace o preto do olho, deixando-o marcado com um tom suave. Passe o rímel preto várias vezes de cima para baixo para marcar bem o olhar e depois de baixo para cima para alinhar.

passo a passo

Passo 4

136

Marque as maçãs do rosto com um tom de blush que deixe sua pele levemente corada. Nas sobrancelhas, passe um lápis bege acinzentado para dar uma textura natural. Contorne a boca com lápis labial e finalize com batom vermelho Chanel. Vale a pena!


MAKE 3 Que tal suavizar o aspecto cansado do rosto, eliminar o inchaço sob os olhos e ainda amenizar os efeitos do tempo? A profissional Cleia Kanashiro, do salão Hélio Diff, oferece às clientes, antes de começar a fazer a maquiagem, a famosa massagem facial rejuvenescedora. Através dessa massagem a pele é preparada, ficando firme para poder utilizar maquiagem e ainda atenua marcas de expressão. A maquiadora e visagista Nádia El Chariti, depois de morar 25 anos no Líbano e ter aprendido a fazer maquiagem desde os seus 13 anos de idade, voltou ao Brasil há quatro anos para embelezar as brasilienses no salão Hélio Diff. Confira passo a passo a maquiagem feita pela maquiadora na estudante de jornalismo Marcella Sâmella e faça você mesma essa produção!

Passo 1

Comece com a massagem facial e depois aplique o corretivo para encobrir as olheiras e imperfeições da pele. Passe a base uniformemente de acordo com o formato do rosto, iluminando as laterais e escurecendo levemente com um pó facial a região do queixo.

Passo 2

Nos olhos, passe com a ponta do pincel molhada uma camada de sombra vinho Aquacolor Kryolan em toda a pálpebra móvel. Por cima desta primeira camada, aplique uma sombra cor marrom terra e esfumace com um pincel.

Passo 3

Ilumine com uma sombra de tom perolado o canto interno dos olhos e a pálpebra fixa embaixo da sobrancelha. Com a mesma sombra cor marrom terra, esfumace a parte inferior dos olhos. Em direção ao final da sobrancelha, reforce com um puxadinho o fim da sombra da pálpebra móvel, para deixar o olho com efeito gatinho. Passe um delineador rente ao cílio superior e aplique a máscara para cílios preta.

Passo 4

AGRADECIMENTOS: O Boticário Ricardo Maia Hair & Make up www.ricardomaia.com www.oboticario.com.br Maquiador e consultor estratégico Sadi Consati Hélio Diffusion des Coiffeur www.sadiconsati.com www.heliodiff.com.br

passo a passo

Espalhe com um pincel uma camada fina de pó, iluminando a área dos olhos e o lábio superior. Use um blush em tom de pêssego ou terracota, apenas para dar um ar de saúde à pele. Na boca, passe um batom cor nude com gloss para realçar. Look impecável!

137


Um julho i n O mês, marcado pelas férias mais curtas, também pode se transformar num tempo de belas recordações

E

stamos no meio do ano, período em que a maioria das pessoas aproveita para conhecer outros lugares ou voltar para aqueles que deixaram saudades. Passear, simplesmente passear, aproveitar a vida em sua total plenitude ou

conhecer a terra dos antepassados também é o objetivo de muitos, no Brasil ou em qualquer outro lugar do mundo, acima ou abaixo da linha do Equador, como mostram alguns personagens de nossa sociedade.

TARCILA GUIMARÃES IBIAPINA  Em julho do ano passado, a psicóloga Tarcila Guimarães Ibiapina, que costuma viajar pela Europa e Estados Unidos, ganhou uma viagem inesquecível de seus pais, o médico José Portela e Maria Helena Guimarães Ibiapina: um passeio a Buenos Aires para visitar o MALBA (Museo de Arte Latino Americano de Buenos Aires), onde se encontra exposta a obra Abaporu, da artista brasileira Tarsila do Amaral. “Tornou-se uma viagem admirável, por eu ser apreciadora da sua obra. Frente a tamanha genialidade, fiquei perplexa. Uma emoção difícil de descrever”, conta Tarcila, que teve seu nome em homenagem a sua avó materna e também inspirado na famosa artista. Este ano ela reviu o quadro no Palácio do Planalto. “Graças à Presidenta Dilma Roussef, que nos proporcionou a oportunidade de apreciá-la aqui no Brasil, se empenhando pessoalmente em trazê-la para a Exposição Mulheres e Artistas Brasileiras, no mês dedicado às mulheres”, conta ela.

 ANTÔNIO MATHIAS E MARIA LUIZA Juiz, ele já foi ministro do STJ e é renomado professor de Direito. Ela é médica e presidente do Clube Internacional. Um casal que adora viajar e conhece praticamente o mundo inteiro. Para eles, o mês de julho é quase que universalmente um mês fadado para férias. E férias lembra lazer, alegria, prazer, enfim, vida vivida. “O ser humano retém suas experiências, boas ou más, em sua memória. Para nós, entre tantos julhos que merecem entrar em um rol dos inesquecíveis, está o que passamos em 2010, em Barcelona. Eis-nos inseridos na paisagem da bela cidade da Catalunha, digna da comemoração de nossos 35 anos de casados. E, como nem só de pão vive o homem (e a mulher também), não poderia faltar a ‘paella à marinera’ no restaurante Siete Puertas”, lembra, com seu jeito muito próprio de falar, o juiz Mathias.

Marlene Galeazzi

NICOLAS ARANTES AMARAL

138

Como a maioria dos jovens de sua idade, Nicolas adora o sol, o mar e aventura. Depois de estudar alguns anos no exterior, já de volta a Brasília, todo mês de julho costuma acompanhar os pais, os empresários Valmir e Lúcia Amaral, nas férias em Maceió, Alagoas. E, desde que começou o namoro com Ana Cláudia Dias Melo, ele divide com ela os belos e descontraídos dias. “Não dá para esquecer as férias de julho do ano passado. Os passeios de jipe, as praias do Gunga, do Francês, são muito legais. Além das delícias dos restaurantes Maria Antonieta e Wanchako, nós nos ligamos muito a uma barraca de praia chamada Ibiscus. Fica distante, mas como vale a pena, a gente ia muito por lá. Apesar do inverno, no litoral nordestino sempre é verão, uma das vantagens do Brasil”, comenta Nicolas, que já deixou marcado nas belas recordações de sua vida o mês de julho em Maceió.


i nesquecível WANZENIR CHAVES EDLER Odontóloga, gaúcha, vive em Brasília há 30 anos com o marido Paulo Edler, consultor organizacional. O casal tem duas filhas, a geóloga Elizabeth, que mora no Canadá, e Elenara, administradora de empresas, que vive aqui na companhia do marido, o advogado Jairo Almeida, e dos filhos gêmeos Pedro e Laura, de 12 anos, xodós da vovó Wanzenir. “Quando soube que ganharíamos netos gêmeos, eu estava na França realizando um curso. Feliz, fui à Capela de Nossa Senhora da Medalha Milagrosa, pedir muito a Maria Mãe de Deus e a Catarina Labouré saúde às crianças e à minha filha, prometendo levá-los futuramente àquele lugar”, conta Wanzenir, que cumpriu a promessa em julho do ano passado. “Foi durante a viagem com toda a família pela França, Portugal e Espanha. Foi emocionante ver os olhinhos brilhantes e entusiasmados de nossos netos apreciando e identificando os monumentos, igrejas, quadros e esculturas que eles só conheciam por fotos e ilustrações em livros”, lembra.

VANESSA CRISTINE MORAIS RODOPOULOS Com sangue grego nas veias, na pré-adolescência ela foi conhecer Atenas. Uma viagem que marcou a sua vida, pois viu de perto a terra de seu avô paterno e a da família de sua avó, pioneiros cujo sobrenome faz parte da história de Brasília. Falando inglês e francês, Vanessa, de lá para cá, com seu estilo delicado mas determinado, tem procurado conhecer de perto as culturas do mundo. Por isso, costuma viajar nas férias de julho e nas de final de ano. E uma de suas viagens inesquecíveis foi a que fez para a Austrália. “Um lugar maravilhoso, cheio de atrações, como a ponte de Sydney, de novas oportunidades  e com gente do mundo inteiro, inclusive jovens de Brasília. Ficar alguns dias por lá é viver uma experiência única, que nada tem a ver com os outros países”, afirma Vanessa, estudante de Direito que está trocando de curso. Agora ela quer cursar a faculdade de moda.

Acostumada a viagens internacionais, esta brasiliense ainda se comove com as novas paisagens e novas situações vividas nos dias em que costuma passear em lugares diferentes do mundo. Depois de se extasiar com a beleza das Ilhas Maldivas, onde esteve de férias com a mãe, a estilista Gláudia Galdina, e o pai, Raul Leão, Ana Cláudia, no ano passado, teve um julho inesquecível. Foi quando embarcou com o irmão, João Matheus Lourenço Leão, para visitar os parques temáticos de Orlando, Flórida. “A saudade daquele lugar é grande. Foi fantástico, nos divertimos muito e colocamos nossas conversas em dia. Tudo por lá é muito interessante. Do Busch Gardens, passando pelo Sea World e Universal Orlando, procuramos conhecer tudo. Fizemos um verdadeiro álbum de fotografias. Nunca tinha vivido um julho tão divertido como aquele. Vai ser muito difícil ter outras férias de julho iguais àquela”, afirma Ana Cláudia.

Marlene Galeazzi

ANA CLÁUDIA LEÃO

139


Segurança a seus pés Por Consuêlo Badra – Fotos: João Telles Sá

A pedicure da esquina talvez não seja a figura mais indicada para cuidar de seus pés. Um alicate voraz, agindo em mãos inábeis, pode causar infecção. Identifique os riscos de um serviçozinho sujo e escute os conselhos de quem leva seus pés a sério

PODOLOGIA X PEDICURE

Podóloga é um nome estranho. Mas, por questão de segurança, vale a pena descobrir o seu significado. As podólogas são profissionais que cuidam da higiene e da saúde dos pés. Ao contrário das pedicures, elas são formadas em cursos profissionalizantes, cujo currículo inclui noções de anatomia e doenças superficiais da pele.

140

As podólogas não usam esmalte, que pode bloquear a respiração das unhas – e sem respirar, elas concentram umidade nos sulcos, criando ambiente para a proliferação de fungos, causa da maioria das micoses.

O que a boa podóloga precisa saber

• Identificar pés insensíveis que não reagem diante de um gesto mais agressivo. A insensibilidade pode levar a cortes e machucados; • Diferenciar os vários tipos de calos, pois cada um exige um tratamento diferente. Mal cuidados, podem infeccionar; • Diferenciar irritações superficiais, que ela mesma pode tratar, de doenças de pele, que são da alçada exclusiva do dermatologista.

CUIDADO, PERIGO!

Todo o material envolvido nos procedimentos de pedicure deve ser esterilizado. A estufa por calor seco é um sistema eficiente, mas água corrente e sabão também funcionam. A desinfecção por aparelhos de ultravioleta é precária. Sem uma perfeita esterilização, alicates, bisturis e outros equipamentos podem transmitir doenças como hepatite e Aids.

3

1 2

Aquela história de usar bacia com água foi eliminada nos bons salões. A água morna é perfeita para fungos e bactérias.

Eliminar drasticamente os cantos das unhas cria calosidades que tendem a prejudicar o crescimento normal. O corte certo é quadrado, respeitando o formato das unhas de cada pessoa.

3

A cutícula é uma proteção. Cortá-la expõe o colo das unhas e pode levar a infecções. Quando a operação tiracutícula é violenta, a nova unha pode nascer defeituosa. Certo é afastá-la, usando espátula especial.

4 5

5

Fuja da lâmina de barbear: os podólogos a consideram instrumento de tortura, que retira a pele muito além da calosidade e pode infeccionar os pés. Na eliminação das calosidades, a aplicação de um líquido emoliente delimita a área a ser cortada com o bisturi – a calosidade. Tecido morto fica esbranquiçado sob a ação do produto. Retirar além da conta é cortar tecido vivo.

6 7

Exija a troca de lixa, outro elemento que transmite doenças de um pé para outro. Lixas grossas, aliás, estão proibidas: chegam a fazer sangrar a sola dos pés.

Uma boa massagem, aplicada com o aparelho elétrico, trabalha a sola e o peito dos pés, tonifica todo o tecido e energiza os músculos e terminações nervosas.

6


Miranda Castro

maura charlotte

O

142

uro amarelo, negro, rosa, rubis, esmeraldas, pedras brasileiras, safiras, diamantes... Todos esses elementos brilham aos olhos da empresária Miranda Castro. Para ela, porém, não há joia mais preciosa que o trabalho. “Acordo cedo todos os dias para trabalhar feliz. Amo o que faço e faria tudo de novo”, conta ela, que desde os nove anos já acompanhava a lida do pai no comando do secos & molhados da família, em Abaeté, interior de Minas Gerais. Vitoriosa, Miranda dá valor a tudo o que conquistou justamente por ter consciência de cada passo dado. “Aos 17 anos de idade, eu terminava o 2º grau quando entrei na German Interiores como auxiliar de escritório. Nunca tive medo de trabalho, mas aquilo não era para mim. Foi quando tive a oportunidade de começar a trabalhar com joias. Me agarrei àquela chance e comecei a vender na escola para colegas e professores e me encontrei naquele ofício. Eu tinha tino comercial e sempre adorei lidar com as pessoas. Foi assim que começou a Miranda Castro”, relembra ela, hoje uma das maiores joalheiras da cidade, dona de uma sofisticada loja no Lago Sul. Entre sua clientela, filhos, genros e até netos das pessoas que compraram com Miranda na época em que ela ia até a cliente em sua casa, no Congresso Nacional, nos ministérios, nos tribunais... “Quando fazemos algo em que acreditamos, com amor e responsabilidade, não tem erro”, argumenta. Mãe de Priscila, Bruna, Vanieri e de Sophia, ela passa aos filhos os valores aprendidos desde muito cedo. “Nasci para ser vencedora e tenho muito orgulho da minha trajetória e de tudo o que conquistei. Não admito fazer algo que não dê resultado, porque eu me envolvo, me esforço, e estou sempre aberta para aprender e fazer cada vez melhor. Essa é uma das importantes lições que se aprende lá em casa”, conta ela, que tem as duas filhas mais velhas seguindo os seus passos na empresa. A caçula Sophia também já está inteiradíssima sobre o mundo da joalheria e não vê a hora de crescer e se unir às irmãs e à mãe. O esforço que empenha em tudo o que faz foi fundamental para inserir a marca Miranda Castro também no ramo das joias autorais. “Trabalho com joias desde menina, praticamente. Conheço muito, convivo com quem entende, gosto, sei de perfis, necessidades, desejos, mercado. Então, por que não investir numa marca própria, inspirada no que vejo, no que gosto, no que é tendência e, principalmente, no que sei que as minhas clientes, que conheço tão bem, querem usar? Comecei aos poucos e a resposta tem sido excelente. Há cinco anos criei a minha primeira linha e nunca mais parei. E vou te contar uma coisa. É uma sensação maravilhosa ver uma mulher usando minhas peças. Foi mais um presente que a joalheria me deu”.


Priscila e Bruna, filhas queridas e grandes parceiras no dia-a-dia de Miranda Castro

Ao se casar com Gilvan Máximo, Miranda experimentou a alegria de ser mãe novamente. Como Miranda já tinha operado, a gestação da caçula é tida como um milagre e Sophia tornou-se a alegria da família. O marido também assumiu o marketing da empresa, consolidando-a em Brasília e apresentando-a ao mercado nacional. Gilvan foi o maior incentivador para que Miranda acreditasse no próprio talento e investisse na criação de joias

A religião é parte importantíssima na vida da empresária e de sua família. Ela, que sempre lê a Bíblia, gosta de citar a passagem “Tudo posso Naquele que me fortalece (Fl 4:13)

CINCO SENTIDOS Visão: De um mundo melhor. Paladar: A simplicidade de um arroz e feijão bem temperado. Audição: Acho vital saber filtrar o que se ouve. Tato: Gosto de cumprimentar a pessoa com um abraço. Olfato: O cheirinho da minha pequena Sophia.

O brinco Sophia, em homenagem à sua caçula, trabalhado em ouro amarelo, ônix e madrepérola foi uma das primeiras peças assinadas por Miranda, há cerca de cinco anos. De lá para cá suas peças estão sempre nos figurinos de atrizes globais e também nos looks de celebridades como Luiza Brunet, Ana Maria Braga, Lavínia Vlasak, Mayana Moura, Ana Furtado, Natália Guimarães e Suzana Werner, para citar algumas

maura charlotte

A exuberância das peças de Cullinan, a última coleção lançada pela joalheria. Recentemente, Cullinan e a coleção Divas foram apresentadas no evento Fashion Tea, no Copacana Palace. Miranda Castro também sempre participa das edições do Capital Fashion Week, além de estar presente nas maiores feiras de joalheria realizadas ao redor do mundo

Ela gosta de bolsas grandes, com muitas divisórias, como o modelo Dolce & Gabbana. Carrega o “mundo” na bolsa: Bíblia, papéis, os óculos de sol preferidos, como o clássico RayBan, e a maquiagem, já que está sempre impecável no atendimento aos clientes

143


nas novidades Por Consuêlo Badra – Fotos: Divulgação

SAPATOS

Chegaram os bicolores, uma aposta para sempre: um sapato branco e preto (é um dos clássicos nos arquivos históricos da Chanel). Laços aparecem nos sapatos Louis Vuitton, Prada, Miu Miu, Isabel Marant, Giambattista Valli, Céline e Rochas.

BRACELETES

Se deseja seduzir, use peças rígidas, contundentes em metais envelhecidos com pedras e pérolas extralarge. Agora voltou à moda os braceletes dos anos 30, lembrando os desenhados com muita inspiração por Chanel. O modelo da foto é de Oscar de la Renta.

RASTEIRINHA

Foi-se o tempo em que a aristocracia só usava esses sapatos em casa ou em clubes privados. Extravagantes, são o acessório ideal para tirar a caretice de qualquer produção. Super fashion e conhecida pelas tradicionais sapatilhas de veludo com monograma, a Stubes & Wootton apresenta sua nova coleção. www.stubbsandwootton.com: US$395.

novidades

DESENHO EM TRÊS RODAS

144

O modelo da foto é o Piaggio MP3 Hybrind, o primeiro scooter híbrido do mundo que funciona na eletricidade e com combustível ao mesmo tempo. Virou hit em Paris e Roma. São as motos de três rodas, duas na frente e uma atrás, ligeiras, coquetes e agora super procuradas porque dão mais segurança aos condutores, além de serem maiores.


FLOWER POWER

Abra bem os olhos e deixese seduzir pelos estampados que inundam os acessórios de todo o mundo. Um éden de flores de todas as cores e tamanhos inspira os tecidos e complementos da próxima temporada nos acessórios, nos tecidos dos vestidos e blusas, na decoração, papéis de parede. Tomem nota: as flores marcam a nova tendência: a volta da natureza.

DISTRITO TRENDY

O distrito de Lower East Side de Nova Iorque virou a grande sensação. Visitem a Katz’s Delicatessen, o Museu Tenement, o Max Fish (que parece uma loja de coisas usadas com sofás velhos, ventiladores antigos e tem um bar perfeito para conviver com pessoas do bairro); On Rivington, um Hotel Boutique muito bom; entre outros locais fascinantes.

iPAD

Óculos da Max Mara e capa para seu iPad de couro Giorgio Armani, bem chique para as elegantes.

DOLCE VITA

Neste verão europeu, Tom Ford passeia pela mágica Portofino para criar a nova fragrância Neroli Portofino. Cítrica e fresca, promete agradar tanto no Mediterrâneo quanto em Ipanema. www.tomford.com.

novidades

A ESCOLHA DO NYT

Para muitos europeus e brasileiros, a gastronomia norte-americana resume-se aos hambúrgers do McDonald’s ou do Burger King ou ao frango frito da cadeia KFC – mas isso está longe de ser verdade. Um país tão grande e distinto como os EUA tem muito mais a mostrar. Amanda Hesser, colunista gastronômica do New York Times, compilou na obra The Essential New York Times Cookbook as melhores receitas publicadas por este diário novaiorquino nos últimos 150 anos. No total são 1000 receitas agora divulgadas, todas antecedidas de pequenas introduções onde nem falta o humor.

145


NA COLA Para comemorar 125 anos da bebida mais famosa do mundo, a Coca-Cola lançou um livro com 169 imagens de anúncios clássicos da marca, que contam a evolução da cultura de consumo no mundo. Aprecie com gelo e limão.

DOCE DE LEITE DIET

Você torce o nariz para alimentos diet? Eu não. Por isso experimentei o Doce de Leite Diet (Delakasa, R$7,30, tel.: 0800-7226510) sem medo. Logo percebi que ele não tinha gosto de doce apenas no nome, mas a prova de fogo seria com uma amiga, que não prova nada com açúcar de mentira. Para minha surpresa, ela comeu e pediu bis! O produto não contém gordura trans e a porção de 20g tem 31 calorias.

novidades

AS ABELHAS MAIS CARAS DO MUNDO

146

Símbolos da Casa Guerlain, as abelhas tiveram tratamento especial: transformadas em frasco de perfume, em cristal Baccarat, pertencem a uma edição especial de 47 exemplares numerados. No início do ano, a abelha transformou-se em pendente e clip, em diamante, cristal de rocha e platina!

Movido apenas a água, o relógio Bedol dispensa bateria ou eletricidade. Disponível na popshoponline.net, por 96 reais.


EXPLOSÃO DE COR Saudades do Verão? Entre já na nova estação sem esperar pelo calendário oficial. A Hermès aposta em cores intensas para a próxima Primavera/Verão. Para usar isoladamente ou em jogos de sobreposição.

A SEU FAVOR

O look Marinière da Chanel brinca com as listras. Reparem no modelo Sonia Rykiel, da Daslu e da DVF. Assim como abalam a certeza das nossas concepções visuais, as listras servem para contestar o absolutismo. Ou defender a liberdade. Por isso caiu tão bem a bandeira de três listras adotada pela Revolução Francesa. Idem para a bandeira listrada dos Estados Unidos.

LIMPEZA A VÁCUO

Desde que você comprou um aspirador de pó, acabou a sujeira completa pela casa, disse Cleide, minha faxineira. O aspirador tradicional é, de fato, nota 10 para tapetes, estofados e cortinas. Mas para coisas pontuais, como migalhas que caem da mesa, dá preguiça de pegar o trambolho, encaixar os canos e puxar fio para lá e para cá. Nesses momentos o Spot (Brastemp, R$299, tel.: 30030099), que funciona à bateria, é ideal. Com design bacana e iluminação na base, vira objeto de decoração.

novidades

EM PRIMEIRA MÃO

A Claro trouxe, em primeira mão, o novo Sony Ericsson Xperia™ arc, o primeiro Android™ 2.3 do mercado. De design fino e curvo, que se adapta confortavelmente às mãos, o aparelho conta com uma câmera de 8.1MP e tecnologia Exmor R™, que garante fotos e vídeos em HD muito mais claros e nítidos, mesmo em condições de baixa luminosidade. A novidade pode ser encontrada nas lojas da operadora com uma oferta de R$349, a partir do Plano Sob Medida 270.

147


Botas Menswear

O “quente” nos acessórios

Por Consuêlo Badra Fotos: Divulgação

Para este inverno, convém se inteirar do que há de mais luxuoso e over-the-top em acessórios

moda

Usar cores

148


Bolsas

Beleza em Bijouterias

moda

Sapatos

149


Fotos: FotoForum Corrida e pipoca o esporte à cultura, o ParkShopping teve uma agenda movimentada nesses últimos tempos. Primeiro, a tradicional cor-

D

rida Track&Field Run Series ParkShopping recebeu cerca de 1500 pessoas em sua sexta edição. Com percursos de 5km e 10km, a prova fez os corredores suarem a camisa. Convidados do shopping para o evento, a atriz Bárbara Borges e o campeão olímpico de vôlei Nalbert também participaram da Run Series – adeptos do esporte de rua, ambos correram 5km e aprovaram a organização da iniciativa. Já a pré-estreia de “Qualquer gato vira-lata”, superprodução nacional estrelada por Cléo Pires, Malvino Salvador e Dudu Azevedo, reuniu público seleto e VIP no cinema do ParkShopping. A fita embalou os casais, que aproveitaram a comédia romântica para namorar e dar boas risadas. Quem foi à prémiere ganhou pipoca, bombons, corações feitos de balão e outros brindes especiais.

Benigna Venâncio e Francisco Martins Reis

Edna Casimiro e Cris Lins

PARKSHOPPING

Juliana Pinheiro e Sérgio Paiva

152

? Ricardo Souza, Nalbert e Daniel Suassuna

Cilene Vieira, Nalbert, Marcelo Martins e Bárbara Borges

Henrique e Sônia Cartaxo

Cilene Vieira, gerente de marketing do ParkShopping

Jucilene Oliveira, Ana Cláudia Moura, Félix Dias e Lívia Klein

Marconi Franca e Fabiano Archer

Pedro Albuquerque e Sann Marcuccy

Rosana Targino

Simone ? Teixeira e Cristiane Maruyama?


Boas

e Conforto e qualidade com design Inaugurada recentemente, a Mr. Cat do Pátio Brasil Shopping é a terceira loja da franquia em Brasília, com 60m2 de puro estilo. A marca comemora, em 2011, 30 anos, e a empresária franqueada Cláudia Cândida dos Santos, à frente da nova loja, coloca à disposição dos brasilienses coleções de calçados masculinos e femininos que refletem essa tradição. A Mr. Cat se destaca pelo design exclusivo de suas peças que, além da estética, prezam pela qualidade, pelos preços competitivos e pelo conforto. Além dos calçados, a marca trabalha com linhas de acessórios e camisas e blusas polos para homens. Um luxo! Funciona de segunda-feira a sábado, das 10h às 22h, e domingo, de 14h às 20h.

Tel.: (61) 3041-8888

Delícia de café com doces! Brasília ganha mais um delicioso café, o Maria de Fátima Café Designer, com delícias feitas todos os dias pela cake designer Maria de Fátima. Com uma cartela variada de sabores, o carro chefe da casa são as tortas produzidas pela designer, uma verdadeira tentação gastronômica de chocolate, morango, doce de leite, coco, bicho de pé e muitas outras variedades. Tem ainda o menu chocolate quente, com cafés e drinques de café e chocolate, e duas especialidades da casa: os biscoitos amanteigados e as casquinhas de laranja, produzidos na própria loja e perfeitos para acompanhar um cappuccino ou um expresso. O Maria de Fátima Café Designer funciona de segunda-feira a sábado, das 10h às 19h.

Tel.: (61) 3368-9321 e 3034-6777

Novo endereço, novos horizontes! A Via Bambini está de cara nova! Depois de quatro anos de muito sucesso no Sudoeste, as novas proprietárias, as irmãs Milena e Michelle Marrara, resolveram inovar! Além de marcas famosas para crianças de 0 a 12 anos, como a Pituchinhu’s e a grife argentina Mimo&Co, o atual espaço oferecerá diversão e cultura aos pequenos, com um cantinho recheado de livros infantis! Papais e mamães poderão comprar à vontade, enquanto seus filhos mergulham no mundo da leitura.

Tel.: (61) 3346-7896

154


SUCESSO NA DERMATOLOGIA A médica Mayanna Maia, especialista em dermatologia pela Fundação da Pele Saudável, em São Paulo, e pelo Hospital Universitário de Cadiz e pelo Centro Dermatológico e Estético de Alicante, ambos na Espanha, faz parte da equipe do dermatologista Gilvan Alves. Mas Mayanna tem o seu próprio consultório, no Edifício Via Brasil em Brasília, e atende pacientes de todas as idades. Além disso, ela possui um vasto conhecimento sobre diversos assuntos, como câncer de pele, psoríase, vitiligo, dermatite gestacional e vários outros. Em sua clínica, a médica utiliza tecnologias como o laser de CO², faz uso da toxina botulínica e ainda realiza peelings para a renovação da pele. Assim, ela faz de sua clínica um verdadeiro centro de saúde. Casada há três anos com o empresário Rodrigo Cruz, ela vive ainda em lua de mel e já planeja um herdeiro para os próximos anos. Enquanto isso, relata que adora curtir a vida de casada.

APOSTANDO NA CAPITAL Formado em Ciências Contábeis, Filipe Azevedo já trabalhou como auditor para o Ministério da Fazenda e, durante algum tempo, foi professor universitário. Em agosto de 2008, o capixaba, que veio para Brasília aos cinco anos, abriu a primeira loja da Crocs no Brasil, aqui em Brasília. E não parou por aí. Agora, o empresário acaba de investir na primeira franquia da My Place na capital. O novo empreendimento possui espaço amplo e projeto arquitetônico requintado. A escolha da marca se deu pela confecção de peças únicas que traduzem a feminilidade da mulher. A loja está localizada no Boulevard Shopping. As expectativas em relação ao novo empreendimento são as melhores, visto o crescimento da região, a credibilidade e a transparência da loja, cuja missão é tornar as compras das clientes inesquecíveis.

PROGRESSO MAIS QUE MERECIDO O administrador de empresas Fábio Nunes, graduado em Administração e com MBA em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria pela Fundação Getúlio Vargas, é dono da Michelline Jóias. Suas lojas, localizadas em Taguatinga Sul e no Setor Comercial Sul, comercializam joias e semi-joias de altíssima qualidade, para todos os públicos. Antes de abrir a primeira loja, trabalhou como camelô. Em 1996, surgiu a oportunidade de comprar um ponto comercial em Taguatinga e, tendo apenas 19 anos, aceitou o desafio, por estar realizando um sonho. Com uma filha de apenas três meses, Ana Lara, o empresário adora praticar esportes e estar com a família e os amigos. Atualmente, além de administrar suas lojas, Fábio e sua equipe de gerentes desenvolvem o e-commerce da empresa e já vendem os produtos pela Internet, no endereço: www.mjoias.com.br.

156


PEDOFILIA Mais que um movimento, uma ação em defesa da vida O QUE É?

E A JUSTIÇA?

A pedofilia é a perversão sexual na qual a atração sexual de um indivíduo adulto ou adolescente está dirigida primariamente para crianças antes da puberdade ou em seu início. Ela também é caracterizada como uma desordem mental e de personalidade do adulto. A OMS (Organização Mundial de Saúde) classifica os pedófilos como pessoas que possuem um desvio sexual.

Em alguns países, o assédio sexual a crianças por meio da Internet também constitui crime. Outras práticas correlatas, como divulgar a pornografia infantil ou fazer apologia a esta, também configuram atos ilícitos, classificados por muitos países como crime. No código penal brasileiro não existe classificação específica para o crime de pedofilia. Atualmente, a pedofilia como contato sexual entre crianças e adultos se enquadra juridicamente no crime de estupro de vulnerável (art. 217-A do Código Penal), com pena de oito a 15 anos de reclusão e considerado crime hediondo. Já a pornografia infantil é crime no Brasil, passível de pena de prisão de dois a seis anos e multa pelo Estatuto da Criança e Adolescente. Em novembro de 2003, a abrangência da lei aumentou, para incluir também a divulgação de links para endereços contendo pornografia.

comportamento

NO DF

158

No Distrito Federal, as Polícias Civil e Federal têm atuado com bastante eficácia no combate à pedofilia, com o auxílio do Ministério Público do DF e da sociedade civil. Porém, mesmo com o combate intensificado, o número de casos de pedofilia na capital da República, segundo a Coordenação Nacional do Disque 100, alcançou o 2º lugar no Brasil. Por isso, a sociedade civil organizou o Movimento Brasília Contra Pedofilia, com o objetivo principal de conscientizar, informar e servir de ponte entre as vítimas de abusos e o poder público. Segundo o coordenador-geral do Movimento Brasília Contra Pedofilia, Rodrigo Delmasso, uma das principais ações do grupo é a conscientização da população sobre a importância de denunciar os casos, que é feita através de palestras, seminários e do site do movimento. “O verdadeiro combate à pedofilia só pode ser efetivado quando existe a denúncia, por isso criamos o Movimento Brasília Contra Pedofilia, que serve como um muro de proteção para aqueles que não têm coragem de denunciar”, diz Rodrigo Delmasso.

Saiba mais, lute, transforme SINAIS DE ABUSO Mudanças bruscas, aparentemente inexplicáveis, de comportamento da criança/adolescente; Mudanças súbitas de humor; Comportamentos regressivos e/ou agressivos; Sonolência excessiva; Perda ou excesso de apetite; Baixa autoestima; Insegurança; Comportamentos sexuais inadequados para a idade; Busca de isolamento; Lesões, hematomas e outros machucados sem uma explicação clara para terem ocorrido; Gravidez precoce; Doenças sexualmente transmissíveis; Fugas de casa e evasão escolar; Medo de adultos estranhos, de escuro, de ficar sozinho e de ser deixado próximo ao potencial agressor.

MUDE O QUADRO Se você tem informações sobre crimes de pedofilia, disque 100 ou entre em contato com o movimento Brasília Contra Pedofilia e ajude a mudar esse quadro de horror, denunciando os casos. A denúncia realizada através de qualquer destes meios será encaminhada à Polícia Federal, que prosseguirá a investigação, preservando a identidade de quem realizou a denúncia. Para conhecer melhor o movimento, marcar uma palestra ou tornar-se um auxiliar na luta contra a pedofilia no DF, entre em contato através do site www.brasiliacontrapedofilia. com.br ou no twitter: www.twitter.com/ BSBxPedofilia.

Rodrigo Delmasso fala aos alunos do CEM 09 de Ceilândia sobre como combater a pedofilia


rangelcavalcante@uol.com.br

É alcoólatra? Em um dos muitos congressos e conferências de que participou, o advogado Reginaldo de Castro, ex-presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, ouviu de um colega de outro estado um relato que reproduziu numa roda de amigos durante almoço no Piantela, em Brasília. Contou-lhe o colega que certa vez foi procurado por um importante figurão de sua cidade, um rico empresário, que pretendia contratar os seus serviços para processar um desafeto. O tal sujeito o estava difamando por toda a comunidade, espalhando que ele era homossexual. O causídico ouviu as razões do pretenso constituinte e foi aberto: – Tudo bem. Posso patrocinar a sua causa. Mas antes precisamos por os pontos nos is. Você sabe, advogado é como um sacerdote. Entre ele e o cliente não pode haver segredos. Nós temos que entrar para ganhar. Você tem certeza de que esse seu desafeto não tem algum trunfo, alguma carta na manga, algum indício ou prova, talvez até forjada, que possa induzir as pessoas a acreditarem no que ele diz? Devo adverti-lo de que a sua reputação estará muito mais abalada se você processar o homem e perder a causa do que por essas fofocas de rua. O candidato a cliente coçou o queixo, pensou um pouco. E com a voz abafada perguntou: – Doutor, me diga uma coisa. O sujeito que de vez em quando toma uma cervejinha é alcoólatra?

Não houve processo.

Pela Pátria

rangel cavalcante

Era 1970 e o Brasil vivia os chamados anos de chumbo, que foram os do governo do general Emílio Garrastazu Médici. Estávamos em Quito, no Equador, fazendo especialização em jornalismo no CIESPAL. E lá encontramos como adido militar junto à nossa embaixada o coronel Hélio Ibiapina. Isso mesmo, o famoso coronel Ibiapina, aquele da prisão do Gregório Bezerra no Recife. Não gozava das simpatias do medicismo e por isso estava “exilado” nos Andes. O homem era um patriota, honesto, bem intencionado e linha dura de primeira. Daqueles que acreditava piamente que a ditadura militar salvara o Brasil do comunismo. Fizemos uma boa amizade, embora ele nunca escondesse suas restrições às nossas posições contrárias ao regime castrense no Brasil. Muitas vezes tomávamos bons uísques na casa dele, burlando o frio intenso das noites equatorianas, quase sempre com os termômetros marcando menos de zero grau. O coronel respirava patriotismo. No Sete de Setembro, usávamos a data como pretexto para alguns drinques na casa dele – a Embaixada estava fechada porque Médici cancelara todas as festividades alusivas ao Dia da Independência por causa do sequestro do cônsul Gomide pelos “tupamaros”, no Uruguai. A certa altura, contamos a ele do medo que tivemos no Ceará, quando um coronel encarregado de um dos famosos IPM nos ameaçou de uma temporada em Fernando de Noronha. Ibiapina interrompeu: – Não sei de quê você teve medo. Aquele coronel é um dos mais honrados e brilhantes oficiais no nosso Exército. Se mandou prendê-lo é porque estava cumprindo com o seu dever, coisa que ele faz nem que isso importe em dar a própria vida pela Pátria. Não gostou nada da nossa resposta regada a um Black Label: - Pois aí é que estava o meu medo, coronel. Se o sujeito nem titubeia em dar a vida dele pela Pátria, avalie a minha?

160

Festa no enterro No aeroporto do Galeão, prestes a embarcar para os Estados Unidos acompanhando o seu grande amigo Flávio Marcílio, então presidente da Câmara dos Deputados, o nosso senador Vieira decidiu fazer um desses seguros de vida para viajantes vendidos pelas agências de turismo. A mocinha no balcão dava conta das diversas opções e insistia para que contratasse um cujo prêmio – valor a ser pago aos beneficiários no caso de o avião cair e ele morrer – era de um milhão de dólares. Mas o senador preferiu algo mais modesto, um seguro de 50 mil dólares. Já no avião, mostrava a apólice aos companheiros de viagem e aproveitou para explicar por que não aceitara o seguro de um milhão de dólares: – Ora, se eu fizesse um seguro desses, o avião caísse e eu morresse, no meu enterro, ao invés de choro e vela, ia ter era Carnaval.


centenário Carlos Alberto Arruda, o “Carrim”, foi um empresário de sucesso e político na zona norte do Ceará, que morreu sem realizar o seu maior sonho: o de ser prefeito de sua terra, Sobral, um dos municípios mais importantes do estado. Em 1954 era deputado estadual e foi um dos políticos cearenses convidados para as festividades comemorativas do quarto centenário da cidade de São Paulo. Durante uma semana desfrutou de todas as honrarias e mordomias do governo paulistano. Bebeu, comeu e dançou como nunca. Voltou empolgado para Fortaleza e não perdia ocasião de contar das maravilhas da maior cidade do país. O jornalista Newton Pedrosa, ex-presidente do Comitê de Imprensa da Assembleia Legislativa do Estado, nos conta que num discurso em plenário, relatando as excelências da viagem, o Carrim empolgou-se: – Foi uma das coisas mais bonitas que já vi em toda a minha vida. Juro que nunca mais perderei uma festa de centenário de São Paulo. Não vai poder cumprir a promessa. Morreu em 2009, quando faltavam ainda 45 anos para a próxima comemoração de centenário da maior metrópole do país.

Joio e trigo Jarbas Passarinho era ministro da Justiça no governo de Fernando Collor. Ficou menos de dois anos no cargo, não conseguindo adaptar-se e nem mesmo conviver com os métodos da chamada “República de Alagoas”, que terminou com a renúncia do presidente para escapar do impeachment. Deixou o governo em abril de 1992. Logo após ser exonerado, viajou para Belém. No aeroporto, recebido por grande numero de amigos, um repórter perguntou sobre aquilo que todo o país já sabia: porque ele deixara o Ministério. Passarinho apenas riu e deu a resposta: – O presidente Collor quis separar o joio do trigo. Eu sou trigo!

o genro José de Figueiredo Correia era deputado estadual no Ceará. Homem valente, daqueles que não levam desaforo para casa, foi visitar um genro preso pela ditadura militar em um quartel de Fortaleza. Revoltado com a prisão, que considerava injusta, mera perseguição política, prometeu ao rapaz que lhe daria um revólver para que ele, tão pronto saísse da prisão, desse um tiro no coronel que o prendeu. – Assim que você sair vai dar um tiro naquele coronel. Se não o fizer, não será mais meu genro. Dias depois, inocentado, o jovem foi solto. Recebeu o revólver de presente do sogro. Guardou-o em casa e nunca deu um tiro. Coincidência ou não, o casamento dele acabou.

Ministro da Justiça de Geisel, Armando Falcão tinha uma habilidade extraordinária no trato com os jornalistas. Sempre afável, conversava com eles, não dava informação alguma que resultasse em notícias. Tinha sempre pronto o seu “nada a declarar”. O Fernando César Mesquita, que era chefe de redação da sucursal do Estadão em Brasília, decidiu designar o repórter Dário Macedo para a cobertura no Ministério da Justiça. Tinha certeza de que o Dário, por ser muito amigo do ministro, iria romper a barreira do silêncio dele e produzir grandes “furos” para o jornal. O Dário chegou confiante ao Ministério. Logo no primeiro dia, na sala de imprensa, surpreendeu os colegas concorrentes. Lá estavam a Leda Flora, a Hebe Guimarães, o Pedrinho Castello Branco, o Vanderley Pereira e outros encarregados da cobertura diária do bunker de Falcão. – Pessoal, falei com o ministro e ele vai nos conceder uma entrevista. Pediu que enviasse as perguntas por escrito, ainda hoje. Vamos redigi-las agora! Em poucos minutos estava feita a lista. Eram 20 perguntas sobre os mais diversos assuntos, daquelas que a ditadura detestava ouvir. Na hora de encaminhar o papel ao ministro – quem levava era um dos dois filhos dele, Fernando, oficial de gabinete –, o Vanderley, do Jornal do Brasil, pediu para incluir mais uma pergunta, a 21ª. A indagação era: – Senhor ministro, como vai a sua Fazenda “Massapê Grande”, em Quixeramobim? Na manhã seguinte, o eufórico Dário recebeu de volta o questionário. Armando Falcão só respondeu à pergunta 21. Em todas as demais, “nada a declarar”.

rangel cavalcante

a 21ª

161


Fotos: Bento Viana

O futuro da nova civilização Por Luiza Mascarin Machado

LUIS FELIPE BELMONTE E ADVOGADOS ASSOCIADOS

M

162

arco Zero. Essa é a origem da cidade de Brasília, capital idealizada por Juscelino Kubitscheck. Do projeto urbanístico de Lúcio Costa para cá muita coisa mudou. Na última década, em especial, vários novos setores habitacionais foram criados, onde o preço do metro quadrado pode ser comparado ao de Nova York e Paris. Nesse cenário de valorização imobiliária e de grande disputa por parcelas privilegiadas de terra, existe o PDOT, Plano Diretor de Ordenação Territorial, que, uma vez aprovado, deve ser seguido e cumprido com precisão, sob risco de perecimento do grande avanço econômico da capital. Eventuais mudanças só devem surgir quando da aprovação de novo Plano, sem gerar prejuízo ao direito adquirido daquelas empresas que estão aptas a construir. Isto porque é preciso dar segurança para o forte grupo dos empreendedores na área da construção civil, que tem sido o setor de maior destaque no aquecimento econômico brasileiro, aumentando o número de empregos, de circulação de riquezas e investimentos. Assim, a participação do Estado na regulamentação da sua política urbanística de desenvolvimento econômico deve encontrar fino amparo com o Estado Democrático de Direito, garantindo o desenvolvimento nacional, para dar impulso ao setor da construção civil, que tem alavancado o crescimento do país de forma impressionante, sendo o responsável por 12,6% do PIB no ano de 2010 (FIESP). O Construbussines 2010, IX Congresso da Construção no Brasil, promovido pela FIESP, teve como objetivo discutir e elaborar metas para 2022, ano do bicentenário da Independência do nosso País. O encontro se propôs a elaborar propostas que venham a ser adotadas como política de Estado, visando colocar o Brasil daqui a 12 anos entre os cinco países de infraestrutura mais eficiente no ranking do Fórum Econômico Mundial. Nesse panorama, foi apontada a situação crítica do déficit habitacional no Brasil, cujo indicativo numérico chegou a 24 milhões de novas moradias. É preciso metas de crescimento e que devem fazer parte de uma política de Estado e não de um dado governo; são objetivos nacionais.

Brasília é uma cidade nova e plural, que acolheu o Brasil todo para a construção da nova capital, inaugurada em 21 de abril de 1960, há apenas 51 anos. Ainda temos algumas gerações por vir e muitas novas famílias vão se formar debaixo deste céu. A construção de moradias deve se dar de forma virtuosa, para prosperar nos próximos anos, pois é esse crescimento controlado e sustentável, com segurança para as empresas que estão investindo na cidade, que vem contribuir para uma melhoria nas necessidades urbanas. Quer dizer, setores que surjam de forma pensada e coordenada, com estratégias de habitação, considerando necessidades de transporte, lazer, ambiente saudável e área verde.

Dom Bosco, bispo italiano nascido em 1815, deixou uma profecia que está guardada no coração de Brasília: Entre os paralelos de 15º e 20º havia uma depressão bastante larga e comprida, partindo de um ponto onde se formava um lago. Então, repetidamente, uma voz assim falou: “... quando vierem escavar as minas ocultas, no meio destas montanhas, surgirá aqui a terra prometida, vertendo leite e mel. Será uma riqueza inconcebível”. Para quem inicia a vida por aqui e sonha com essa nova civilização que é Brasília, tudo indica um futuro próspero, no que depender da vontade desse forte grupo da construção civil. Para que esse sonho se torne realidade é preciso empenho enérgico do Governo do Distrito Federal, que deve comandar esse crescimento, fortalecendo a segurança para quem constrói, incentivando esse setor a investir e garantindo a assistência para quem compra e realiza aqui em Brasília a concretização de um sonho.

Luiza Marcarin Machado é advogada da Luis Felipe Belmonte Advogados Associados. Tel/Fax: 55 (61) 3224-3556


Os novos homens do

Século XXI

SÉCULO XXI

Cada vez há mais prefixos para o termo sexual: metro, retro, urbano, tecno, verde, amarelo e a riscassexual. No século XXI as mulheres não podem se queixar: há homens para todos os gostos

164


É

difícil acompanhar os tempos. Se antigamente havia um estereótipo masculino do homem de barba rija, que usava o mesmo after shave desde a adolescência, bebia cerveja e acompanhava todos os times de futebol internacionais, hoje as coisas não são assim tão simples. O século XX foi prolífero em ajudar o individualismo a ganhar terreno, mas no século XXI o fenômeno intensificou-se e homens e mulheres esqueceram o preconceito e saíram do armário com as suas manias e os seus fetiches. Para isso, muito contribuiu o mundo do espetáculo e da publicidade, ao divulgar imagens de homens como até então nunca se tinha visto. Primeiro, foi o fenômeno das boys bands, em que grupos de rapazes com pouca barba na cara e, aparentemente, heterossexuais, se apresentavam vestidos a rigor, coordenados entre si e carregados de acessórios como brincos, colares e pulseiras, camisas abertas até ao umbigo, tatuagens cuidadosamente localizadas e cabelos longos com tiara. Acompanhando esses novos tempos, as revistas femininas começaram a dizer que as mulheres estavam fartas da insensibilidade masculina, que os homens precisavam entrar em contato com as suas emoções para conseguirem compreender as namoradas e companheiras, e que conter o choro, como os paizinhos lhes tinham ensinado, era bloqueador do espírito. Se era isso que elas queriam, foi exatamente o que elas tiveram. Um novo tipo de homem, mais feminino por dentro e também por fora. Finalmente, os homens poderiam dividir com as namoradas truques de maquiagem, raspar os pelos das pernas e do peito, furar as orelhas e ver desfiles de moda, sem que lhes chamassem nomes menos bonitos. Assumido o movimento, metrossexuais em todo o mundo procuraram um representante máximo, alguém que os fizesse sentirem-se masculinos, apesar de tanta mania feminina. A escolha não poderia ter sido mais certeira. David Beckham, além de dar chutes na bola, um esporte indiscutivelmente masculino, pintava as unhas, usava lingerie feminina, brincos, elásticos e tiaras no cabelo, adorava vestir qualquer coisa assinada por Dolce & Gabbana, calças

Metrossexual Uma espécie que terá começado a ganhar adeptos com a moda das boys bands e cujo exemplo máximo é o futebolista David Beckham. Ao contrário do que se pensou no início, este exemplar não faz as delícias da maior parte das mulheres, que rapidamente se aborrecem de ter de emprestar as suas máscaras de beleza aos namorados, as suas pinças para eles arquearem as sobrancelhas e, acima de tudo, o fenômeno mais temido, de terem de partilhar experiências sobre depilação definitiva. Sim, porque metrossexual que se preze tem a pele mais lisa do que uma galinha depenada. Verdadeiramente assustador. É que quando as mulheres gritavam em alto e bom som que queriam que os homens entrassem mais em contato com o seu lado emocional, ou feminino, não estavam lhe dizendo para se tornarem travestis. Ou seja, o fenômeno da metrossexualidade não passa de mais um exemplo da falta de comunicação entre os gêneros, sustentado recentemente por um estudo da Universidade de Sheffield, no norte da Inglaterra, que concluiu que os homens têm dificuldade em processar a voz feminina. Mesmo não compreendendo exatamente o que nós lhe pedíamos, não precisavam ir tão longe. Na verdade, o homem metrossexual, além de ser mais vaidoso do que um pavão, está em plena conexão com as suas emoções, e por isso não partilha da máxima “boys don’t cry”, aliás, não tem vergonha de dizer que chorou como uma Madalena arrependida quando foi transmitido o último episódio de “Sex and the city”. Mas, afinal, quem é que se lembrou de catalogar o novo homem do século XXI? O termo metrossexual ouviu-se pela primeira vez em 1994, num artigo escrito pelo jornalista Mark Simpson. Mas foi só depois

SÉCULO XXI

METROSSEXUAL – Estereótipo: David Beckham – Gadget: iPod com capa em couro Louis Vuitton – Filme favorito: “Prêt-à-Porter”, de Robert Altman – Peça de roupa: Qualquer uma de Dolce & Gabbana – Bebida: Cocktails e água com gás Perrier – Hobby: Fazer compras – Manias irritantes: Andar sempre com a pinça para tirar os supérfluos e conta as calorias de cada refeição Por Consuêlo Badra – Fotos: Divulgação

rasgadas e nunca deixava os seus óculos espelhados em casa. Não se sabe ao certo por que, mas nos últimos anos as mulheres cansaram-se desses bonecos espevitados. Talvez estivessem fartas de os ouvirem dizer que não podiam consertar um cano porque estragava as unhas. Aos poucos, a revolução retrossexual ganhou terreno e em 2004 já não se falava de outra coisa. Aproveitando artigos satíricos nas revistas femininas, que diziam que as mulheres não suportavam mais namorar homens afeminados, exemplares masculinos em todo o mundo tomaram a dianteira do movimento e inundaram a Internet com códigos de conduta e palavras de ordem. O homem de barba rija estava de volta, e com força total. Mas como o mais importante nestas coisas é encher páginas de revistas, nos últimos meses novos prefixos para a palavra sexual ganharam forma e conteúdo. Por exemplo, o urbanossexual e o tecnossexual, duas espécies masculinas que vivem em grandes cidades, gostam de se vestir bem, como os metrossexuais, choram de vez em quando, só mesmo quando um filme é muito, mas muito emotivo, e gastam rios de dinheiro em novidades tecnológicas. É um gênero que há muito vinha ganhando forma. Desde a revolução tecnológica que milhares de homens em todo o mundo viviam obcecados com as novas tecnologias. Quando entraram no mercado de trabalho e começaram a ganhar rios de dinheiro com os conhecimentos que só eles tinham, o útil juntou-se ao agradável e nasceu o tecnossexual.

165


de 2002, quando voltou a escrever o artigo “Meet the Metrosexual” no site www.salon.com, que nunca mais se falou em outra coisa. Na última escreveu: “O típico metrossexual é jovem, tem dinheiro para gastar, vive em grandes cidades, pertos das melhores academias, lojas e discotecas. O metrossexual pode ser gay, hetero ou bissexual, mas isso tem pouca importância porque ele se considera o seu próprio objeto de amor e prazer. A metrossexualidade ganhou adeptos com o boom das revistas masculinas, como a GQ, a Men’s Health, a Esquire ou a Arena. Nestes espaços editoriais, a nova espécie masculina encontrou campo fértil para desenvolver o seu lado narcisista e vaidoso.

Retrossexual É o homem do momento. É por ele que as mulheres suspiram. A revolução retrossexual terá começado, provavelmente, com o filme Closer (Perto Demais), no qual o másculo e imperfeito Clive Owen foi mais comentado pelo público feminino do que o seu rival, o franzino e mais-que-perfeito Jude Law. Não se tratou de um debate sobre níveis de beleza. O que as mulheres defendiam é que a sensualidade rude do primeiro ofuscava a beleza etérea do segundo. Ou seja, que estavam fartas de aturar as manias femininas dos novos homens e que preferiam a falta de gosto do homem típico aos artefatos dos novos exemplares. Ressuscitava o retrossexual. Como o nome indica, é retrógrado, antigo, pouco permeável a modernices, gosta mesmo é de ver jogos de futebol, falar de mulheres, desculpem, corpos de mulheres, e de carros com os amigos. É aquilo a que se chama um homem à moda antiga. O retrossexual acha que o metrossexual é um homem disfarçado. A moda é um mundo obscuro que não entende nem pro-

URBANOSSEXUAL/TECNOSSEXUAL – Estereótipo: P. Diddy, segundo o site tecnosexual.org – Gadget: Tela plasma tipo sala de cinema, iPod, último modelo, computador portátil com câmara de vídeo, máquina fotográfica digital do tamanho do dedo mindinho do pé – Filme Favorito: “Matrix” – Peça de roupa: Prada Sport – Bebida: Vodka Skyy com água tônica – Hobby: Fazer downloads da Internet – Mania mais irritante: Passar horas em fóruns online sobre novas tecnologias

cura perceber, exceto os desfiles da Fashion TV, mas só mesmo por causa das manequins. Não sabe coordenar cores, padrões nem texturas e, simplesmente, odeia marcas. Dolce & Gabbana é para ele um prato italiano, talvez uma massa fresca com doce de goiaba. E para que não restem dúvidas sobre a forma como se comporta e pensa, até já há um código retrossexual que diz, por exemplo, que homem que se preze paga sempre a conta do jantar, abre e segura a porta a uma mulher, sabe mudar pneus e arrombar uma casa. Come carne vermelha, não usa produtos para o cabelo ou para a pele e só chora em situações limite, ou seja, pela morte de alguém chegado e nunca, mas nunca, vendo um filme ou uma série televisiva.

SÉCULO XXI

Urbanossexual/Tecnossexual

166

RETROSSEXUAL - Estereótipo: Russel Crowe – Gadget: O controle da televisão – Filme favorito: “Blade Runner, “Rocky I, II, III, IV”, “O Gladiador, “Fight Club” – Peça de roupa: Qualquer coisa que aqueça quando faz frio e refresque quando faz calor – Bebida: Cerveja, cerveja e mais cerveja – Hobby: Falar sobre corpos de mulheres, carros e futebol – Mania mais irritante: Atirar a roupa suja no chão

É provável que as mulheres o achem um tipo um pouco enfadonho. É que este homem vive nas grandes cidades e é obcecado por tecnologia. A definição oficial do termo diz que estes homens são narcisistas e dândis, vivem apaixonados não só por si próprios, como os metrossexuais, mas pelo estilo de vida urbano e por gadgets. Apesar de ser heterossexual, está em contato com o seu lado feminino, mas mantém, paralelamente, uma obsessão por elementos eletrônicos, como celulares, computadores, software e Internet. O movimento tem cada vez mais adeptos e até tem uma página na Internet com toda a informação que lhes interessa: www.techosexual.org. Depois de aberta a página, muda para geekandchic.com, mais ou menos em português “ochatochique.com”. Lá dentro, uma viagem alucinante a um mundo um pouco assustador, que mistura gadgets eletrônicos, últimos modelos de objetos tecnológicos, guia de restaurantes da moda e informações sobre lifestyle metropolitano.


Um poeta de verdade Por João Henrique Serra Azul

Serra azul

S

170

urpreendeu-me o livro de poesia MUITO AMOR & OUTRAS POESIAS, de José Lins, com prefácio de Rangel Cavalcante (Centro Empresarial/Thesaurus, Brasília 2011), que acabo de ler. O crítico de arte deve ser uma pessoa receptiva quanto à estética, mas inquisitorial, curioso e tolerante quanto ao conteúdo da obra de arte, quanto à inspiração, ao estilo. Isto é, o crítico deve estar despido de ideias preconcebidas, livre de qualquer preconceito, preparado para apreciar a beleza onde ela se encontrar, para se beneficiar mais da obra de arte, gozando a vida e demonstrando esse benefício para os outros que se encontram despreparados. O crítico, ao ler, ver, ouvir uma obra de arte, empreende uma viagem mágica num mundo de descobrimento onde conversa com o artista sobre o seu período histórico, os acontecimentos de sua época, com outros artistas seus contemporâneos, vendo as diferenças e semelhanças. A obra de arte é um amigo e companheiro nessa viagem encantada que você descobre ao conhecê-la. O ex-parlamentar José Lins, político de grande importância no Brasil, do alto dos seus quase 85 anos de idade, olhou para a planície e nos apresenta agora a sua bela poesia. Inicia a 1ª parte dela COM MUITO AMOR, dedicado a sua esposa,

D. Maria Nise, cujo 1º poema, “Canto por ti Maria”, assim se inicia: “Na primavera cantam seus amores/ lindos rebentos de botões de flores,” (p. 9). Após este expressivo dístico decassílabo (com versos heróicos ou sáficos, como no poema inteiro), prossegue o poema, em quintilhas, que, na verdade, são dissílabos decassílabos encadeados entre si, antecedidos de dísticos separados. Vejamos a seguinte estrutura rimada e metrificada da quintilha que sucede ao dístico já citado: “Deus empina no céu um sol imenso e vai puxando-o pelo azul, suspenso/ em mil raios de luz, até que o disco,/ como

um cordeiro volte para o aprisco/ e esconda-se no abismo do poente” e se encadeia ao 1º verso da quintilha seguinte: “A noite então chega suavemente”. Como se vê, este é um poema parnasiano, movimento literário (realismo poético) que sucedeu ao Romantismo. No Brasil, o Parnasianismo nunca prevaleceu puro, pois sempre pendeu para o lirismo amoroso ou religioso, para uma estética também subjetiva e não somente objetiva. É o que ocorre com José Lins, que numa parnasiana conta e canta seu amor com sua amada. O livro todo me encantou com seus sonetos e poemas. Desfrutem-no.

Vemos o Ministro Ari Pargendler (Presidente do STJ) e Leon

Raimunda Serra Azul

Solenidade do lançamento do livro em homenagem a Leon Szklarowsky


Como ser... Um bom vendedor

O vendedor disputado a tapas pelas empresas é bem formado, capaz de negociar parcerias e de gerar lucro para o cliente Por Consuêlo Badra - Fotos: João Telles Sá

V

endas sempre foram, na maioria das empresas, o primo pobre do marketing. Mas essa imagem mudou. Especialmente nas empresas maiores e mais competitivas. Finalmente, vendas passaram a ser vistas como devem ser: o setor que leva dinheiro para dentro da empresa. Por isso, as companhias estão, de um lado, prestigiando cada vez mais o vendedor. E de outro, creiam, não querem mais saber do vendedor. Pelo menos, não daquele velho e incômodo vendedor, o que tira pedidos. Os novos vendedores, em muitos casos, precisam ter curso superior, fluência num segundo idioma, ser letrado em informática. Opa! A vida de vendedor ficou mais complexa? Sim, sim, sim. Tão complexa quanto a de qualquer outro profissional que ganha a vida no mundo corporativo nesta era de pós-reengenharia, pós-downsizings. Não adianta ter um ótimo produto, um controle de qualidade nota 10, a produção impecável, uma tiragem maravilhosa como é o caso da Foco. Se a área de vendas não estiver tinindo, não há empresa de sucesso.

ESTRELAS DE VENDAS

BOM VENDEDOR

O assunto “vendas” interessa a todo mundo. Pense bem: todos nós estamos sempre vendendo alguma coisa. Se não é um produto, é uma ideia, um serviço, um projeto, um contrato ou, por que não, nós mesmos. Saber vender é, hoje em dia, uma qualidade valorizada em qualquer profissional. Portanto, para ser uma estrela de vendas, em qualquer área, você vai precisar de:

172

1

Aptidão para vender. Sim, continua sendo fundamental. Você tem de ser o cara que produz receita para a empresa. E não vai conseguir isso reclamando do tempo, da crise, do trânsito e de outros itens. Assim, não vende nem mel para abelha. Lembrese: mais do que um produto, você vende um sonho, uma solução. Conhecer bem o produto. O seu e também o dos concorrentes. Terá de saber quais as vantagens e desvantagens de cada um, a ponto de poder discorrer sobre as particularidades e tendências do setor. Assim, você se torna uma peça valiosa, um consultor do cliente na tomada de decisões.

2


Conhecer o cliente. Coloque-se no lugar dele. Saiba o que dá lucro e o que agrega valor para o comprador. Para isso, você precisa saber quais são as suas reais necessidades. Ser parceiro do cliente. Faça um teste com cada transação: se o negócio for bom para você e para o cliente, é um bom negócio. Se não for bom para um dos dois, esqueça. Preocupe-se mais com o relacionamento do que com a venda propriamente dita. O resultado disso é que você ganhará a confiança do cliente e consequentemente o terá como parceiro no longo prazo. Facilitar a vida do cliente. Como? Seja parte da solução e não dos problemas dele. Cumpra os prazos prometidos, apareça na hora marcada, tenha sempre um novo produto que agregue valor ao negócio do cliente. Vender valores. Mais do que vender apenas um valor, é preciso vender um conjunto de qualidades. Para isso, o vendedor tem de agir com honestidade, responsabilidade e boa educação. Não se comporte como alguém que deseja fechar o negócio o mais rápido possível. Esse comportamento é inimigo da honestidade. Fale a verdade sempre. A estrutura da casa está corroída pelo cupim? O motor do carro está engasgando? É melhor falar já. Melhor perder a venda e construir uma relação de confiança com o cliente.

5

6

CONCEITOS ULTRAPASSADOS Apesar de toda evolução, ainda há muitas ideias antigas e erradas associadas à área comercial. No entanto, nos últimos anos, três mitos associados ao vendedor foram caindo por terra. O vendedor que é amigo do cliente. Durante muito tempo cultivou-se a ideia de que um chopinho e um futebol após o expediente podiam gerar negócios. É claro que os relacionamentos continuam sendo importantes e podem abrir portas com o cliente. Mas não bastam para garantir a venda. O cliente pode ser amigo, mas não se esquece da rentabilidade. Vender a mãe e não entregar. Nenhuma profissão está livre de ter integrantes de caráter duvidoso. Mas como a de vendas ainda está para surgir. Isso se deve, em grande parte, a um mau hábito dos vendedores, principalmente os do varejo: tratar o cliente como se nunca mais fosse precisar dele. Por isso, vale o ensinamento de um tipo especial de vendedor: o propagandista de laboratório. Ele é proibido por lei de tirar pedido, entretanto são suas visitas aos médicos que resultam em vendas do laboratório numa determinada região. Estão sempre muito bem informados sobre todos os medicamentos, conhecem as doenças e são capazes de discutir com os médicos sobre elas. Em cada visita, levam uma novidade – uma pesquisa e, é claro, novos lançamentos. Mas eis o fundamental: os propagandistas são responsáveis por apenas uma região. E o médico não é cliente de uma vez só. Vender só é alternativa para quem não sabe fazer outra coisa na vida. Foi assim por muito tempo. Mas a desqualificação profissional nessa área está com os dias contados. Vender deixou de ser um “último recurso” para se transformar numa

profissão. O que se espera desse novo vendedor é que saiba negociar parcerias e que seja capaz de sentar-se com o cliente e fazer as contas de quanto ele vai lucrar.

QUALIDADES FUNDAMENTAIS Apesar das teorias e dos modismos de gestão, das reestruturações e de todas as complicações que inventaram, vendas continua sendo o oxigênio das empresas. Se você é um vendedor que traz dinheiro todo dia, você é essencial. Se traz mais do que os outros, é indispensável. E como trazer mais do que os outros? Grandes estrelas de vendas consultadas por Foco resumem suas características pessoais (não se esqueça das exigências ligadas às formações acadêmica e profissional) na seguinte receita: 1. Saiba fazer relacionamentos. Goste de pessoas, de estar com elas, de conhecê-las. 2. Ame o desafio, seja movido por metas. Não volte para casa antes de cumprir sua meta do dia. 3. Admire, goste e tenha paixão pelo produto que vende. 4. Seja fiel ao seu cliente. Não atrase a entrega e, quando possível, não deixe de lhe agradar. 5. Considere-se o dono do negócio. 6. Mantenha-se antenado. 7. Tenha visão do negócio. Saiba o que gera lucro para a empresa. Essas receitinhas parecem velhas? Sim, parecem. Mas, por mais que surjam novas teorias, novas técnicas e novos equipamentos de venda, todas elas, sem exceção, continuam valendo. Segui-las – segui-las de verdade – significa fazer a diferença, destacar-se na multidão, galgar postos cada vez mais rapidamente. E fechar negócios. Muitos negócios.

BOM VENDEDOR

3 4

173


A

Via Bambini conquista Brasília

inauguração do novo espaço Via Bambini foi um verdadeiro sucesso! As proprietárias Milena e Michelle Marrara receberam os convidados com champagne e doces de Juliana Inglês. As crianças se divertiram com os livros do Cantinho da Leitura. Todos brindaram o sucesso da loja. A VB traz a Brasília o melhor da moda infantil, além de ser a única da capital a oferecer marcas como a Pituchinhu’s, considerada a grife das princesas. O novo endereço é CLS 312, Bl. B, As proprietárias Michelle e Milena Marrara loja 22. Mais informações: (61) 3346-7896.

Michelle, Milena e seu pai Galileu Marrara

Giuseppe Marrara com seu filho Giuseppe e Milena

Milena, Michelle e sua mãe Maria do Carmo

Alexandre, Valda, Michelle e Milena

O casal Michelle e Alexandre, o engenheiro Marcio Zaidan e Daniela e o arquiteto Rafael Martins e Renata e Milena

Milena e Sofia Marrara, vestida com a grife Pituchinhu’s

Milena, Larissa, Luciana, Michelle e Vânia

Sofia e sua avó no cantinho da leitura

Pedro, Sofia, Felipe e Manuela


Foco na política E nquanto alguns políticos buscam respeito, apresentadores/comediantes de TV encenam seriedade em clima de brincadeiras. E faturam alto por isso. São brincadeiras que rendem comissões polpudas sobre os valores de tabela cobrados pelas respectivas emissoras, em ações de merchandising. As atrações dos programas tentam transmitir a imagem da comédia feita com uma visão crítica do mundo. Nesse aspecto, o CQC se diferencia de qualquer outro humorístico, propondo-se desmascarar as mazelas da classe política. “A questão é o rabo preso. Acho extremamente contraditório o artista posar como paladino da cidadania e depois abrir uma lata de refrigeran-

FOCO NO CONGRESSO

aluízio torrecillas

A cidade de Natal-RN está cumprindo os prazos pré-determinados e garante ter tudo pronto para a Copa de 2014, cumprindo todas as exigências do caderno de encargos da FIFA. A afirmação otimista foi feita pelo secretário estadual extraordinário para assuntos relativos à Copa do Mundo, durante audiência pública da Subcomissão Permanente da Copa de 2014 e das Olimpíadas de 2016. “Todas as obras, incluindo o estádio Arena das Dunas, estarão prontas e entregues em dezembro de 2013”, garantiu. O governador Eduardo Campos (PSBPE) é o grande vencedor das últimas jornadas junto ao Poder Central. Conseguiu com que seus aliados vetassem o texto da MP aprovada pelo Congresso que permitia incentivos fiscais diferenciados. Com isso, leva para Pernambuco a fábrica da Fiat que era disputada também pelo senador Aécio Neves (PSDB-MG). O governador de Pernambuco, em sua última aparição na propaganda política do PSB, expôs toda a ambição que lhe é atribuída como destaque de personalidade. Fez-se cercar do adjetivo “novo” em várias passagens de sua aparição nas telas nacionais, com uma câmara propositadamente fechada sobre seu rosto álveo, olhos verdes, cabelo extremamente bem penteado, em suma, uma visão agradável de candidato do “novo” para 2014.

176

UM ADVOGADO BRASILIENSE EM HAIA O julgamento do italiano Cesare Battisti, pelo Supremo Tribunal Federal, apenas encerrou a parte brasileira do processo. O Estado italiano, não conformado com a decisão do STF, que aprovou a soltura de Battisti, irá agora recorrer à Corte Internacional de Haia para obter a extradição do crimi-

te atestando uma bebida x ou mesmo fazer propaganda de um produto de informática. A credibilidade vai para o brejo”, comentou um famoso comediante, que preferiu não se identificar. Aliás, neste particular, a credibilidade não vai só para o brejo, mas por água abaixo. A piada é o que conta, aliás, uma inversão da lógica jornalística. O mais importante não é a resposta recebida e sim a pergunta feita. Os apresentadores, ou melhor, os “comediantes” costumam dizer que praticam um “jornalismo moleque”, mais descompromissado. A ordem é sempre criar situações de confronto e constrangimento. Isso, quando dá certo, é comemorado na classe artística. Enquanto isso, na classe política...

noso, sentenciado à prisão perpétua em seu país. Da equipe de advogados da Itália, que atuou em todo o processo, pontifica ao lado de Nabor Bulhões o conhecido titular da causa, o jovem brasilense Ricardo Freire Vasconcellos (foto), que se notabilizou pela pesquisa de todos os dados de Direito Internacional necessários ao processo e pela defesa feita em nome da Itália no Conselho Nacional de Refugiados (CONARE), do Ministério da Justiça, que resultou em denegação da concessão do status de refugiado a Cesare Battisti. Parabéns a Brasília por ter um advogado brilhando em causa internacional.

Presidente do diálogo Tem causado ótima impressão por onde passa o novo presidente da Infraero, Gustavo do Vale. Há três meses no cargo, Gustavo, que deixou o Banco Central, já tem plateia garantida entre jornalistas que cobrem economia em Brasília. Seja no Congresso Nacional, onde neste mês acompanhou o novo secretário de Aviação Civil, Wagner Bittencourt, seja na conversa com empregados da empresa sobre o futuro dos aeroportos, Gustavo mostra capacidade de diálogo, transparência e simpatia. Não há quem diga um “senão” contra o novo comandante dos aeroportos. Ponto para ele, que tem um desafio grande pela frente com o crescimento da demanda pelo transporte aéreo e com a concessão de três importantes aeroportos à iniciativa privada: Guarulhos, Brasília e Viracopos. Esses aeroportos serão administrados por meio de Sociedades de Propósito Específico (SPEs), em que as empresas privadas deterão 51% e a Infraero até 49% das ações. Segundo o presidente da Infraero, mesmo com as concessões, os investimentos da Infraero não vão parar, principalmente nos aeroportos relacionados com a Copa de 2014. “Aceita a vida laboriosa que Deus te concedeu, reconhecendo que a fortuna estará em tuas mãos quando souberes dirigi-la, sem permitir que ela te escravize” (Emmanuel) foconapolitica@revistafoco.com.br aluiziotorrecillas@blogspot.com


Dê Férias para a Celulite Com 52 unidades em 14 estados, a Rede Onodera se consolida como a maior rede de clínicas de estética do Brasil, comemorando, em 2011, 30 anos de história e a marca de mais de 500 mil mulheres atendidas. A Onodera oferece uma extensa gama de tratamentos faciais e corporais, bem como massagens, limpeza de pele, peeling e aplicação de Botox.

Onodera Unidade Brasília Endereço: CLSW 102 Bloco A - Loja 80 Tel.: 3046-8240

comportamento

N

o mês de julho, dê férias para a celulite, flacidez e gordura localizada. A Onodera Brasília possui o Powershape, um equipamento de última geração para o tratamento desses males que afligem tantas mulheres. O aparelho utiliza radiofrequência combinada com laser de baixa energia, que aquece o tecido numa profundidade de 5 a 10mm com o objetivo de aumentar o metabolismo da gordura e estimular o colágeno, melhorando assim a aparência da pele e contorno corporal. O sistema de sucção associado à drenagem por roletes tornam a pele lisa para maior penetração da energia do laser e aumento da circulação sanguínea. Isso reduz o volume da célula de gordura na hipoderme (camada de gordura) e faz a pele ficar mais uniforme. O tratamento pode ser realizado nos braços, abdômen, glúteos e nas partes posterior, anterior e interna das coxas. Outra vantagem do Powershape é que ele pode ser aplicado em corpos que ainda estejam bronzeados. A Clínica Onodera preza pela saúde e bem estar de suas clientes. Por isso, antes de iniciar qualquer tratamento, as clientes passam por uma avaliação com especialistas em estética, além de ter acompanhamento de uma médica e de uma nutricionista durante todo o tratamento.

177


De A a Z MARCONI PERILLO, governador de Goiás, tem sido realmente exceção, mostrando-se interessado numa aproximação maior com o Distrito Federal. Até então, os governadores goianos deixavam o Entorno de Brasília entregue à própria sorte, vivendo das sobras da Capital Federal. Esperamos que Perillo continue assim.

RODRIGO DE SOUZA, jovem empresário, inaugurou um novo espaço no Lago Sul, que vai se transformar em point. Trata-se do Delícia Bistrô e Café, ao lado da tradicional padaria da sua família, a Delícia. Além de deliciosos cafés da manhã, os moradores da região encontram por lá uma ótima opção de almoço.

MARCO MAIA, o jovem presidente da Câmara Federal, pegou logo de saída um projeto com a complexidade do Código Florestal, que desperta ressalvas em todas as áreas da nação. Para completar, passará por suas mãos, também, a reforma política (eleitoral, partidária), ainda mais polêmica. Em alguns momentos, Marco Maia tem vontade de pegar um disco-voador e sumir por aí. Êta Brasil complicado!

RUTH JARDIM, conhecida publicitária de Brasília, comemora os dez anos da Digital, a agência da qual é diretora de relacionamento, com trabalho de vanguarda em comunicação para clientes dos setores estatal e privado. Ela dá destaque às redes sociais e ao crescimento do comércio virtual, abrindo novos caminhos para quem deseja sair da acomodação, fugindo da publicidade tradicional.

PADRE ABDON está de volta à Paróquia de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, no Lago Sul, para satisfação da comunidade, que se habituou à sua fala clara e comunicativa nas missas dominicais. Ele andou uns tempos longe de Brasília, mas parece que voltou para ficar. PAULO TADEU, o secretário de Governo do DF, passa a ser mais cobrado ao acumular a pasta da Casa Civil. Nesse início de governo, o governador Agnelo Queiroz está fixado no setor de Saúde e na questão da Copa do Mundo, deixando a coordenação política com Paulo Tadeu, em ação conjunta com o vice-governador Tadeu Filippelli.

renato riella

RENÉ SAMPAIO, jovem cineasta brasiliense, teve a coragem de produzir o longa-metragem Faroeste Caboclo, a ser lançado em 2012, contando a história narrada por Renato Russo na sua música mais longa (nove minutos). O Distrito Federal, com destaque para a Ceilândia, está focalizado na realidade dos anos 80, inclusive reeditando a inacreditável festa da Rockonha. Vai ser legal!

178

RODRIGO ROLLEMBERG, senador brasiliense, luta pelo sucesso da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente, a Rio+20, a realizar-se em 2012. E afirma: “Quase 20 anos após a Eco 92, o mundo, tão frágil e ameaçado, volta a olhar para o Rio de Janeiro”. Segundo o Relatório Stern, o custo econômico do aquecimento global deverá ser de, no mínimo, 5% do produto mundial bruto, podendo atingir até 20% desse total. O Rio será testado na sua segurança.

SANN MARCUCCY é um estilista do Distrito Federal descoberto pelo concurso Novos Talentos do Capital Fashion Week. Ele está fazendo sucesso no Brasil. Além de obter o terceiro lugar no concurso nacional da Casa dos Criadores, de São Paulo, foi selecionado para apresentar suas criações no Rio Moda Hype. É estrada aberta para o futuro. SÍLVIA DE SOUZA trouxe para Brasília, desde a década passada, um padrão de qualidade excepcional, com os leilões de arte da sua Casa Amarela, que tradicionalmente funcionava na Academia de Tênis. Paulista, ela seleciona quadros e esculturas de alto valor para apresentar no DF. Agora, a Casa Amarela está instalada no Brasil XXI, com o mesmo nível de excelência. THERESA TEIXEIRA faz sucesso em Brasília com a empresa Florativa, especializada em orquídeas, prestando serviços diversos, principalmente em eventos. Um dos atendimentos mais procurados é o de aluguel de orquídeas, permitindo ornamentação imponente e sofisticada em qualquer ambiente. Theresa facilita a vida da clientela com o serviço de entrega e busca de arranjos florais. É uma novidade interessante na cidade. WILON WANDER é um advogado e jornalista de Taguatinga que tem constante atuação na defesa dessa cidade e também da Ceilândia. Produziu livros sobre essas duas áreas, resgatando a memória do Distrito Federal. Wilon comemora 45 anos de distribuição ininterrupta do Jornal Satélite, que ele faz circular em Taguatinga mensalmente, com grande esforço.


Fotos: Paulo Lima

O casamentO de a a Z, de nOrte a sul, de leste a Oeste Em cerimônia anglicana, celebrada pelo pastor Sérgio, de Recife, Heloísa, herdeira de Mariana e do senador Heráclito Fortes, uniu-se pelos laços do matrimônio com Flavio, filho de Ângela e Rogério Marques (sempre presente). A noiva usou um belíssimo vestido assinado pelo estilista Elie Saab. Já Fernando Torquatto cuidou da produção de Heloísa, da mãe e de suas irmãs, lindas, lindas. O espaço, construído especialmente para o enlace, estava impecável, com decoração de Patrícia Guimarães e flores de Olga, de Belo Horizonte, assim como o cardápio assinado por Adriana Buffet. Entre os muitos convidados que vieram de fora, estavam os médicos Raul Cutait e Silvano Raya; Carlos Santiago; o presidente do Banco ABC, Tito Henrique. Todos de São Paulo. Do Rio, Paulo Niemeyer Filho e Jonas Barcellos. Michelle Magalhães e o filho Dudu, da Bahia. E dos States, o embaixador do Brasil em Washington, Mauro Vieira, e Carlito Guimarães. Uma noite que ficará registrada com letras de ouro no livro dos grandes acontecimentos sociais da corte.

A noiva era só felicidade ao lado de Flavio, dos pais e de suas irmãs, Mariana e Camila

gilberto amaral

Senador Fernando Collor e Caroline

180

Os poderosos Luiz Estevão e Cleucy

Dona Marli, uma das mais elegantes da noite, o senador José Sarney e a bonita neta Bia

Jorge Jardim e Celina

Dulce e Jorge Bornhausen com o ministro Nelson Jobim, padrinho da noiva


Mãe do noivo Ângela Maria Pires Marques da Silva e Cornélio Brennand

Anita Maia, José Serra, governadora do RN Rosalba Ciarlini, senador José Agripino Maia e deputado Carlos Augusto Rosado

Pimenta da Veiga e sua Ana Paola

Pedro Rogério, Deliane e Marco Aurélio Costa

Desembargador presidente Dácio Vieira e sua bonita e elegante Ângela

Irmãs da noiva, Mariana e Camila Fortes

Henrique Ellery e Kátia de Souza

Evanise Santos e José Dirceu

Minsitra Ellen Gracie, desembargador Carlos Fernando Mathias e sua Maria Luísa

gilberto amaral

Deputado Átila Lins e Rita

181


david kreimer david kreimer david kreimer david kreimer david kreimer david kreimer

No Rio de Janeiro, Comandante Castro Vieira, aniversariante de 9 de junho

No RJ, o charme de Everilde Davena

No SPFW, Gloria Kalil, Miguel Krigsner e Costanza Pascolato

No RJ , a beleza de Sibelle Martins

No Rio de janeiro, Comandante Oscar, Comandante Castro Vieira e Almirante Davena

No SPFW, Fernando Torquatto, Andrej Pejic – modelo sérvia, Andrea Mota, diretora de marketing de O Boticario, Sr. Miguel Krigsner, dono de O Boticário, e Katya Hochleitner, diretora de comunicação de O Boticário

EMPRESARIAL

O Boticário traz os atores globais Mariana Rios e Gustavo Leão a Brasília

Em Brasília, o governador do Distrito Federal Agnelo Queiroz com o empresário Fábio Padilha rumo ao Capital Fitness 2011

Os proprietários do Le Jardin Du Golf, Christine e Carlos Augusto Veloso

Em Brasília, o empresário Dalmo Ribeiro em ótima fase

david kreimer david kreimer david kreimer david kreimer david kreimer david kreimer 182


Pomona Politis OPINIÃO

Edileuza Reis foi à Ásia mostrar que a FAO

DESTAQUE

O Brasil tem que reverenciar um de

Ollanto Humala, novo presidente do

seus filhos pelo que ele elabora através

Peru, marca um novo tempo na América

do seu talento e preparo.

Latina. É oposicionista retórico.

Diga-se mais com paixão: Rio Branco era duro ao selecionar quem aprovaria para se alçar à carrière. Era exigente, minucioso na escolha. Por esse motivo, Antonio de Abreu Patriota merece saudação do ídolo maior da nossa admirável diplomacia.

DÓ, RÉ, MI

Em Nova York, Antonio Patriota se reu-

em Paris, José Bustani, após jantares em

niu com seu colega do Burundi, com o pre-

homenagens a ilustres figuras, senta-se

sidente de Palau, com o presidente de Ru-

ao piano exibindo seu talento musical

anda e com o primeiro-ministro do Djibutí.

aos convidados.

MERECIDO

A BELA

Reconhecer o valor do Patriota é confe-

Por iniciativa do senador Paulo Paim, a

Todo mundo encantado com a nova in-

rir um fato real e verdadeiro da história

Comissão de Direitos Humanos do Senado

tegrante da cena política federal. Gleisi

da Sagrada Família: lá no Céu onde se

Federal, cujo comando lhe cabe, prestou

Hoffman é o glamour em pessoa.

encontra Rio Branco, ele olha com cari-

homenagem ao poeta Thiago de Mello.

instituição absolutamente íntegra, de re-

diplomacia

brasileiro professor José Graziano.

Pianista apreciado, nosso embaixador

ATUANTE

nho e amor o seu Itamaraty, que é uma

184

teria excelente comando na pessoa do

ELAS APELAM

ELE FOI Dominique Strauss-Khan, poucos sa-

levo para a sustentação de suas posições,

Christine Lagarde, ministra do Comér-

bem, passou o último carnaval no Rio.

pois não há choque de competitividade

cio da França, corre pelos cinco continen-

Hóspede do hotel Sofitel, curtiu a Sa-

pela exatidão com que se porta, vide a do

tes em busca de ter seu nome aprovado

pucaí onde foi ver mulher pelada, o que

maior paladino das nossas fronteiras.

para o comando do FMI. A embaixadora

mais o encanta na vida.

O presidente da Bulgária, Boyco Borissou, e a diplomacia búlgara fazem planos para que a visita oficial de Dilma se transforme em acontecimento histórico. l Verdadeira aula a conferência do diplomata e poeta Luiz Felipe Fortuna na ABL sobre o Brasil na selva. l Vários diplomatas atuarão na organização da Olimpíada de 2016. l Pela primeira vez, Dilma assinará promoções de diplomatas. l Paulo Sérgio Traballi Boggi, atualmente na chefia da representação do Itamaraty em São Paulo, será o novo embaixador do Brasil em Trinidad e Tobago. l Janine-Monique Bustani, embaizatriz e diplomata,

deixou o posto junto à embaixada em Paris, removida para a Unesco. Ela é casada com o nosso embaixador na capital francesa, José Mauricio Bustani. l Antonio Patriota recebeu o ministro do Comércio da China, Chen Deming, expressandose em mandarim, que fala corretamente. l Em Roma temos cônsul-geral: trata-se de Leonardo Mourão. l Hillary Clinton e Antonio Patriota mantêm forte relacionamento. l Além de Gleisi Hoffmann, linda, a mulher de Michel Temer é outro destaque de beleza. l Os americanos – Obama – mostram-se atentos com o que pode acontecer no dia 11 de setembro, depois do assassinato


SABEDORIA

presentou o governo brasileiro na ceri-

O embaixador Afonso Arinos de Mello Franco segue mais uma vez os passos de seu ilustre pai: depois de ser membro da ABL, será eleito imortal estadual da academia Mineira de Letras na vaga de Murilo Madaró.

mônia de comemoração dos 150 anos da

Obama confidenciou a um diplomata brasileiro o desejo de escrever suas iniciais memórias, quando deixar o comando da Casa Branca, reeleito ou não.

ANIVERSÁRIO O cirurgião plástico e acadêmico Ivo Pitanguy completa 85 anos dia 2 de julho.

VISITA DESEJADA Governo de Cuba insiste na ida da presidente Dilma ao país caribenho.

CENA ABERTA Como de praxe, cabe ao Brasil abrir a conferência anual da ONU, em setembro. Assim sendo, a presidente Dilma estará com a palavra, seguida por Obama.

HISTÓRICO Antonio Patriota esteve em Roma e re-

Portugal tem um novo primeiro-mi-

unificação italiana.

nistro, Pedro Passos Coelho, do PSD. Ele

OUTRO TEMPOS

obteve grande nível de abstenções, com

Palavrões ditos por políticos divulgados por jornais de alta categoria são a via de expressão do novo paradigma da civilização emergente.

eleitores apáticos.

ENCONTRO Visitou São Paulo Michel Bloomberg, prefeito de Nova York. Com ele participa-

ESTRANGEIRISMO Dilma Rousseff é de origem búlgara. Michel Temer é de origem libanesa. Gleisi Hoffmann é de origem alemã. Tem mais: Guido Mantega e Ideli Salvati são de origem italiana.

ram de reuniões seus colegas das principais cidades do mundo.

BRASIL NA ROTA O presidente da Assembleia Geral da ONU, Joseph Deiss, também esteve no Brasil, após a vinda do secretário-geral

BOA ESCOLHA

da Organização, Ban Ki-moon. Deiss teve

O embaixador Evandro de Sampaio Didonet será o novo representante do Brasil junto à Agência Internacional de Energia Atômica, com sede em Viena.

longa audiência com Antonio Patriota e fez palestra no Instituto Rio Branco.

TODOS OPTAM A rainha Silvia da Suécia esteve no

EXPANSÃO

congresso de seu país, onde Sua Majes-

Sérgio Costa e Silva esteve em Recife,

tade participou do seminário sobre a le-

uma das capitais nordestinas nas quais

gislação contra os castigos corporais em

será implantado o programa Música nos

crianças. Presentes: o embaixador Ruy

Museus, uma realização criada por Sérgio

Nogueira, secretário-geral do Itamaraty,

no Rio e agora prestes a se tornar nacional.

Xuxa, entre outros.

de Osama Bin Laden. l Faro, beleza geográfica de Portugal, terá o nosso diplomata Manuel Inocêncio Lacerda Santos como cônsul-geral. l Integrará a equipe de nossa embaixada em Teerã a diplomata Patrícia Chiarello. l Para o Catar, vai chefiar nossa missão o embaixador Hildebrando Tadeu Nascimento Valadares. l E Irene Vida Gala já designada embaixadora em Gana. l E para a Geórgia? O embaixador será Carlos Alberto Asfora. l Antonio Patriota teve reunião na ONU com o tema especial: AIDS. l O embaixador dos Estados Unidos que completa 2 anos no posto, em Brasília, em breve deixará a missão. A Casa Branca o aguarda

para outra função. l Sucesso livros escritos por diplomatas. O Brasil e os ventos do mundo bate recorde de venda e, claro, leitura. O autor, grande figura do Itamaraty, é Luiz Felipe Lampreia. l Durante 8 anos à frente do Governo Federal, Lula jamais compareceu à Academia Brasileira de Letras. l Destaque da nova geração do Itamaraty: Luiz Henrique de Abreu atuando no Departamento dos EUA, Canadá e Assuntos Americanos, de primeiríssima qualificação. Patrick Luna se destaca com unanimidade na Assessoria de Imprensa do Itamaraty. São verdadeiras maravilhas.

diplomacia

OLHO NO MANDO

EXPECTATIVA

185


Jantar celebra a despedida d Ana Cristina e Estenio Campelo ofereceram um jantar em homenagem ao ministro Ubiratan Aguiar e sua esposa Terezita, que se despedem do Tribunal de Contas da União e estão com as malas prontas para ir morar em Fortaleza. Várias personalidades do mundo jurídico compareceram ao prestigiado evento. Fotos: Paulo Lima

celebração

Ana Crisatina Mendes e Estenio Campelo

186

Ana Cristina Mendes, Estenio Campelo, Terezita, ministro Ubiratan e Neyara Aguiar

Estenio Campelo, min. Ubiratan Aguiar, Tereza Campelo e desembargador Lecir Manoel da Luz

Ministro Ubiratan Aguiar entre o conselheiro do CNJ José Adônis Sá e sua esposa Scherezad Sá

Desembargador Lecir Manoel da Luz, min. Ubiratan Aguiar e o ex-advogado geral da União Álvaro Costa

Guilherme Campelo, Carol Frota, Andréa Campelo e Marcelo Feitosa

Estenio Campelo, Ana Crisatina Mendes, min. Ubiratan e Terezita Aguiar, Eliene Bastos e min. Claúdio Santos

Min. Ubiratan e Terezita Aguiar, Geraldo e Maria Vasconcelos


a do ministro Ubiratan Aguiar

Ministros Walton e Maria Isabel Rodrigues, Marizalva e min. Valmir Campelo, Ana Cristina e Estenio Campelo

Álvaro Costa, Carlos Motta, Sigmaringa Seixas, Marcelo Feitosa, Estenio Campelo e Geraldo Vasconcelos

Maria Helena e Carlos Motta

Estenio Campelo, dep. Raimundo Gomes de Matos, min. Ubiratan Aguiar e José Adonis Sá

Leila Rejane e min. Brito Pereira, Terezita e min. Ubiratan Aguiar, Ana Critsina e Estenio Campelo

Marcelo Feitosa, Andréa Campelo e min. Brito Pereira

Estenio Campelo, min. Ubiratan Aguiar, min. Raul Araújo e dep. Raimundo Gomes de Matos

celebração

Luciano Noronha entre Neiryane e Neyara Aguiar

187


Requinte e luxo em uma belíssima comemoração A Jump Joy mostra como é possível aliar luxo e requinte a uma festa intimista

N

LUXO

o último mês, a renomada casa de festas Jump Joy abriu as portas para a majestosa Bodas de Turquesa do casal de empresários André e Anayara Ataide, uma das proprietárias da casa. Para comemorar os 18 anos de união, cada detalhe foi pensado com extremo carinho e bom gosto. Estavam presentes grandes empresários e políticos de Brasília, além de convidados que vieram de outros estados especialmente para a festa. Entre eles, os padrinhos do casamento, familiares do casal e amigos. O luxo estava presente desde a recepção, onde os convidados eram recebidos por um casal vestindo máscaras venezianas e uma taça de prosecco. A sofisticada decoração se confirmava em cada detalhe que ficou a cargo da competente Mabel Manzi. As cadeiras continham frases de amor, representando o sentimento do casal. Para dar um clima mais intimista, a iluminação contou com castiçais espalhados pelas mesas do salão e arranjos de flores naturais não foram poupados.

188

O requinte e a magnificência também estavam presentes no cardápio oferecido pela casa, com bebidas e pratos pensados especialmente para a data. O casal brindou os parabéns na mesa do bolo e doces finos com um show de fogos surpreendente e um pequeno discurso para agradecer a presença de todos. Em seguida o casal abriu uma das pistas de dança com uma música romântica e todos se juntaram para se divertir. Após o jantar, foi oferecida uma belíssima mesa com fotos do casamento, recheada de trufas, bem-casados, petit four e capuccino. A partir dali, os convidados se despediam envaidecidos e faziam questão de demonstrar sua satisfação e surpresa desde o início da comemoração. Todos foram presenteados com uma lembrancinha do casal, o momento foi registrado pelas lentes da equipe do Marcos Araújo. Sofisticação não faltou na festa e isso consagrou a Jump Joy como uma das maiores do ramo de celebrações em Brasília. Conhecida pelas belas e luxuosas festas infantis, a casa mostra que também dá lugar a festas cheias de requinte para a família inteira.


Anayara e André com os filhos Pedro Miguel e Frederico

Anayara e André no hall de entrada

André e sua mãe Terezinha Ataide

Anayara e seus pais, Eduino e Possy

Anayara e André com o empresário Juno Veloso e esposa e deputado Pedro

As empresárias Anayara, Mabel Manzi e Ana Carolina

Anayara e André com o empresário Arnaldo Moralles e sua esposa

Anayara com primos e amigos

André e Anayara

André e o empresário Silvio Pereira

Anayara e André com casal recepcionista

Davidson e esposa, Marcelo Aguiar e Daniela Aguiar, Ana Carolina, Anayara e André, Kalley e esposa, Márcio e esposa

André e Anayara com o executivo Reinaldo e esposa

André e Anayara com Dione e o artista plástico AlexAndré Liah

Anayara e André com empresários Leandro Beck e Marcia

Anayara e André com o empresário Denilton e família

Anayara e André com o dentista e empresário Rogério Sabat e Priscilla e o filho do casal Victor

Anayara e André com Victor Felipes e família

Anayara e André com o empresário Marcelo e família

Anayara e André com o empresário Anisio e família

André e Anayara com o empresário Junior e esposa

LUXO

Anayara e André com o empresário Jose Andrade e esposa

189


F

Pela paz em Israel

Fotos: Marcelo Guimarães

oi durante um culto especial que a Igreja Batista Central comemorou os 63 anos da Independência de Israel, no último dia 22 de maio. O momento de oração contou com a presença do embaixador de Israel no Brasil, Giora Becher. Depois do culto, sob comando dos renomados chefs de cozinha Lucas Fernandez Arteaga, Mariel Marti e com o toque pernambucano de Cidma Marinho, os convidados participaram também de degustação de pratos especialmente criados para o momento. Durante o evento, o pastor Ricardo Espindola lembrou aos presentes a importância do momento para o mundo, uma vez que Israel sofreu durante séculos com ataques, invasões e escravidão. Para o pastor, a oração é uma forma de atender à ordenança de Deus de orar pela paz de Jerusalém. O momento foi de emoção. A cantora israelense Monica Manaker cantou em homenagem à sua terra natal. “É um momento que unimos nossos pensamentos pela paz de um povo tão sofrido, mas que mostrou ao mundo o valor do amor verdadeiro”, resumiu o pastor Ricardo Espindola, recém-chegado de uma viagem à Terra Santa.

Pr. Vilarindo, Giora Becher e Pr. Ricardo Espindola

Pr. Vilarindo, General Marconi e Sra.

Pr. Ricardo, Takane e Elieti Nascimento

Marcontoni Montezuma e Sra. e Pr. Ricardo

juliana albuquerque

Pr. Ricardo, desembargador Fagundes e Sra.

Pr. Ricardo, Sandra Dorman e Simone Cristina Santos Leite

Benigna Venâncio, Francisco Reis, Pr. Ricardo, Maria Victoria e amiga 190

Os chefs de cozinha Lucas Fernandez Arteaga, Mariel Marti e Cidma Marinho


Rafael Albuquerque e Patrícia He r N

a noite do dia quatro de junho, casaram-se em grande estilo Rafael Albuquerque e Patrícia Hernandes. A cerimônia religiosa aconteceu na Igreja Dom Bosco. Com festa pra lá de animada, no Porto Vittoria, localizado no Setor de Clubes Sul, às margens do Lago Paranoá, os noivos receberam mais de 500 convidados para brindar com eles o momento especial. A bela noiva Patrícia trajava um lindo vestido da grife espanhola Pronovias e joias de diamantes da família. Cabelo e maquiagem foram feitos por Ricardo Maia.

Os pais do noivo, Luis Carlos e Julieta Albuquerque, os noivos Rafael e Patrícia e os pais da noiva, José Ferreira e Nicia

cerimônia

Os noivos com o casal Francisco Caputo e Janaina

192

Sebastião de Carvalho e Denise, Osvaldo Montes e Sílvia, Beth e Juarez Cançado

A noiva com suas daminhas Isabela, Maria Eduarda e Isabela


e rnandes se casam e comemoram a união O tio do noivo, Eduardo Albuquerque, e Patrícia

Os noivos com o padrinho Fausto Bermeo

Maurício Leite com sua noiva Erica Hernandes e o enteado Eduardo

Ministra Eliana Calmon , Dr. Geraldo Brindeiro com sua esposa Paula e Dr. Henrique Serra Azul

Os padrinhos Ivan Mattos e Carlos Fernando Moreira

Tereza Neiva com suas filhas Maria Tereza e Renata

O casal com a desembargadora Consuelo e Rubens Yoshida

Taís e Alexandre Espinosa, Bradley e Raquel Dodge, Álvaro Ribeiro e Fátima

As madrinhas Sellene Ghenov e Camila Alvim

Os padrinhos Cláudio Fruet e Isabel

Carlos Eduardo Moreira Alves e Heloisa

Os irmãos dos noivos, Márcia e Guilherme

cerimônia

Ministro Vicente Leal, ministra Eliana Calmon, a mãe do noivo com sua outra filha, a advogada Márcia Albuquerque

Carlos Fernando Mathias e Maria Luiza

Paulo Zuba e Denise com Ueliton Caetano e Eltair 193


LUXO

miranda castro

A sofisticação dos salões Nobre e Golden Room do Copacabana Palace casou perfeitamente com a riqueza das joias Miranda Castro, exibidas em mais uma edição do Fashion Tea. Para desfilar a coleção Divas, trabalhada com diamantes, esmeraldas, rubis, rubilitas, safiras e ouro em vários tons, a design contou com um trio de grandes celebridades: Mayana Moura, Mayana Neiva e Lavínia Vlasak. O pocket show de Marina Elali foi um sucesso!

194

“Eu amo as joias da Miranda”, disse Lavínia Vlasak “As joias da Miranda são um luxo”, disse Marina Elali


O TOTAL

“As joias da Miranda estão sempre sendo comentandas nos corredos da Globo”, disse Mayana Neiva

“As joias da Miranda me encantaram”, disse Mayana Moura

miranda castro

Mayana Moura, Lavínia Vlasak, Miranda Castro, Marina Elali e Mayana Neiva

195


cenas em

Fotos: Paulo Lima, Vinícios Santa Rosa, Neide Costa, Eduardo Mulford, Telmo Ximenes, L. Silva, James Rodrigues, Luiz Roberto, Tico Fonseca, Lincoln Iff, Ademir Rodrigues, Lula Lopes, Antônio Leal, Daniel Cardoso, Pedro Teixeira, Rogério Coelho, Marri Nogueira, Anderson Corcino

FO CO

Na comemoração da Data Nacional do Dia de Portugal, em uma bela solenidade.

Embaixador de Portugal Júlio Salgueiro e sua esposa Isabel

Sheyla e Comandante Júlio Soares de Moura Neto

Ministro Marco Aurélio de Mello, Núncio Apostólico Dom Lorenzo Baldisseri e o senador Fernando Collor

Deputado Paes Landim, Heitor Gurgulino, embaixadora Tatjana Gjonaj e ministro Carlos Fernando Mathias

Pompéia Addário homenageou a amiga Mércia Crema, pela nova idade, com um encontro no final da tarde, bem agradável.

Mércia Crema e Pompéia Addário e as amigas convidadas: Ana Maria Gontijo, Moema Leão, Abadia Teixeira, Lúcia Toller, Adriana Colela e Suely Carneiro

Ticiana Monteiro e Marcela Bastos Spadigener

flashes

Gylwander Peres comemorou seu aniversário no Restaurante Dudu Camargo.

Gylwander e Cristiane Peres, Gylwania e Fabiano Silveira 196

Laudecy e dep. Júnior Coimbra


dos que Sul, para receberem convida go La no ia, nc idê res a su rinho Junior abriram Aldir Passarinho. Lúcia e ministro Aldir Passa do sogro e pai do ministro rio rsá ive an o o oç alm um foram comemorar com

sarinho

Yesis e ministro Aldir Pas istro Aldir Passarinho Junior,

Lúcia e min

z Carlos Madeira

Ministros Cristina Peduzzi e Lui

njeiro

eado por Ivonete e Wilson Gra

Bia Luciano e desembargador federal José Amilcar Machado

Ministro Aldir Passarinho lad

nte da República Marco Maciel

ia

Ministro Roberto Rosas e Cél

Ministro Célio Silva e Teresa

flashes

Anna Maria e o ex-vice-preside

José Perdiz de Jesus e Iane

197


cenas em

FO CO

No prestigiado aniversário da elegantérrima Gitana Lira, em sua residência do Lago Sul, as presenças de:

Caroline Collor, Elcy Meirelles, Gitana Lira, Cleucy de Oliveira e Maria Luiza Mathias

Augusta Lobo, Yara Curi, Márcia Lima, Lúcia Itapary e Iracema Torres

Terezinha Galvão, Eunice Carvalhido, Ludmila Carvalho, Clarisse Lavocat e Deborah Carvalhido

flashes

Iza Mathias, Carla Amorim e Gláucia Ferrer

198

Candice Jobim e Ilca Lira

Vânia Carvalho, Isabela e Janete Collares e Simonetta Santelli

Lúcia Itapary, Regina e Gláucia Benevides

Ana Maria e Melissa Gontijo


Prestigiadíssima a inauguração do Restau

rante Soho, no Pontão Sul.

José Alberto Faria, Simone Novaes, Cláudia e Cláudio Melo ao lado do querido Guilherme Siqueira

Afrísio e Tatiana Lima

Deputado Arlindo Chinaglia

Karina Curi Rosso, Cláudia Endress, Fernanda

José Wilson e Ana Maria Corrêa ao

Sônia e In Loom

Adriano e Ana Cláudia Santos

lado do casal Vânia Carvalho e José

Maciel

Rúbio e Mônica de Souza

flashes

Márcio e Claudia Salomão

199


cenas em

FO CO

Um dos casamentos que mais me tocou o coração foi o de Cesar Canhedo e Claudia Tolentino. Os dois, que já se amavam há 22 anos, só agora concretizaram o sonho de se casar.

Luiz Estevão de Oliveira e Cleucy

Os noivos Cesar Canhedo e Claudinha Tolentino

flashes

Lutero Leme e Paulo Almeida

200

Senador Gim Argello e sua Cristina

Consuêlo Brada, Rodolfo e Solete Canhedo

Isaura e Wagner Canhedo, pais do noivo, cercando a jornalista Consuêlo Badra

Os noivos com o senador Aécio Neves e a namorada Letícia Wender

Lilian e Roberto Lima


Continuando a mostrar os convidados da bela festa do casamento de César Canhedo e Cláudia Tolentino. Toda a decoração ficou por conta da talentosa Valéria Leão Bittar.

Helder Zebraleana e Paula Gonçalves

Soraia Debs ao lado do casal Gláucia Benevides e Esteves Colnago

João Pimenta da Veiga e a sua bela Anna Paola

Márcia Lima e Renato Riella

Os noivos ao lado de Consuêlo Badra

Guilherme Lima e Rosângela Lacerda

Silvana Curió

flashes

Vera e Wagner Canhedo Filho

201


cenas em

FO CO

Nazareth Tunholi reuniu um grupo de amigos, no restaurante Coco Bambu do Brasília Shopping, para comemorar seu aniversário com delicioso almoço.

Valdete Drummond e Meireluce Fernandes

Danielli Maciel, Nazareth Tunholi, Lídia Neves e Izabel Breckenfeld

Rita Márcia Machado, Elaine Caldas e Marlene de Souza

Letícia, Rogério e Nazareth Tunholi

A escritora Gracia Cantanhede proferiu uma palestra com o tema “Joaquim Nabuco – Um Cidadão de Primeira Classe”, no Auditório do Bonaparte Hotel.

flashes

Valdete Drummond, Odaiza Rodrigues Alves e Lenir Fonseca

202

Thamis Peres, Teresinha Baldoni, Gracia Cantanhede, Francesca Amaral e Nathanry Ibiapina

Lúcia Alasmar e Nelma Goulart


nte Libanês ofereceu um elega ioSír l ita sp Ho as or nh Se A Sociedade Beneficente de cologia. idade Brasília-Centro de On Un da nto me ça lan de tar jan

de Alexandre Ivette Rizkallah, ministro da Saú roccolo Filho Ma ulo Rom e Padilha

Ericson Blun e Mariliz

Janete Vaz e Sandra Costa

Aguiar Barbosa, O secretário de Saúde, Rafaelia e o secretário de deputado Agaciel Ma Nascimento Planejamento, Edson Reinaldo

dre

e André Alexan Paulino Shiger, Antonio Lira

asília promoveu um O Clube Soroptimista de Br urante Grand Cru. almoço beneficente no Resta

Ana Márcia, Suzuki e Mauro

Filomena Abreu, Clotilde Chapa

Machado rro, Marly Galego e Rita Márcia

Gracia Cantanhede, Deise de

rol Azevedo

Lima, Kátia Kouzak e Jane Ca

flashes

Gabriela Cosete Gebrim, embaixadoraza Mathias Lui ria Garcia e Ma

203


Manuella Peixoto comemorou seu aniversário na residência de sua mãe, Vandira Peixoto.

Manuella Peixoto, Sofia Rocha, Maria Luiza Peixoto, Vandira Peixoto e Marianna Peixoto

Daniela Dias, Pablo Santiago e Ana Paula Calhau

Daniela Prieto e Manuella Peixoto

Sandra Aquino e Ana Sofia Peixoto

O advogado Estenio Campelo foi agraciado com a outorga de Mérito Profissional em Ciências Jurídicas. A solenidade aconteceu no Palácio do Buriti.

flashes

Estenio Campelo, Ana Cristina Mendes, Carolina Frota e Guilherme Campelo

204

Ana Cristina Menes, Estenio Campelo e José Luiz Vidal Bezerra

Tereza Campelo e o desembargador Lecir Manoel da Luz

Cleonice, Jennifer e André Luiz Vidal


tejar as Bodas de Ouro.

sua residência, para fes niu amigos e familiares, em

ey reu

Cesar e Elvira Barney

o de Jacqueline Rocha

João e Simonetta Santelli ao lad

Christian Eser Seabra, Silvana, Astrid e

Célia e Roberto Rosas

Barney

a Baracat

No aniversário de Lucyann Rezek, as presenças de:

esa ao Ministro Célio Silva e sua Ter Aleixo nd Bra lado do Padre José

Edmond e Ionny Baracat

na e Tarik Rezek

Rosana, José Eduardo, Lucyan

mide

vanna Miranda e Isadora Go

Patrícia Freitas, Dandara, Gio

flashes

O casal Elvira e Cesar Barn

205


cenas em

FO CO

O embaixador da Itália Gherardo La Francesca e sua Antonella ofereceram, na residência oficial, uma recepção em torno da Data Nacional de seu País.

Ministro Ricardo Lewandowski e Yara e o casal embaixador Gherardo e Antonella

Desembargador Souza Prudente e Juracy

Ministro Dias Toffoli e o Adido de Defesa da Itália Giuseppe Crispino

Estenio Campelo e Ana Cristina Mendes ao lado do Comandante da Aeronáutica Juniti Saito

Rita Márcia e Henrique Machado

O casal Laura e embaixador Martin Mbeng

flashes

O ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves Filho, foi homenageado com um café da manhã, por ocasião da aposição de sua foto na Galeria da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal.

206

Senador Garibaldi Alves, ministro Garibaldi Alves Filho, governadora do Rio Grande do Norte Rosalba Ciarlini e o senador Delcídio do Amaral

Senador Paulo Paim, ministro Garibaldi Alves Filho e Florian Madruga


Fotos: Paulo LIma

Inúmeras amigas se reuniram em torno de Consuêlo Badra para comemorar sua nova idade, na residência da grande dama da nossa sociedade, Yara Curi. Noite de muita alegria, amizade, companheirismo e gratidão.

Janete Collares, Marly Nogueira, Jacqueline Magalhães e Rita Lins

Benigna Venâncio, Lúcia Alasmar, Carlinhos Beauty e Cláudia Galdina

Sandra Costa e Laís do Amaral

Marly Nogueira, Eliana Pimentel, Bertha Pellegrino e Clotilde Chaparro

Maria José (Zeza), Cleire Paniago e Darcy Bicalho

Tatiana e Adriana Cardoso ao lado de Raquel Mocellin

O grupo que animou a festa e presenteou Consuêlo: Márcio Montenegro, Leila e Arnaldo Chagas

flashes

Augusta Lobo, chef Gutemberg, Yara Curi, a aniversariante Consuêlo, Lúcia Itapary e Márcia Lima

207


Dando continuidade ao aniversário da de: jornalista Consuêlo Badra, as presenças

e Elizabeth Naoum, Juliana Galego, Soraia Debs

Eunícia Guimarães e Guiomar Chaves de Mendonça

Márcia Lima e Claudia Tolentino

Mônica Oliveira

Karina Curi Rosso, chef Gutemberg, Sandra

ia Teixeira

flashes

Zely Ornellas, Celina Jardim, Consuêlo e Abad

208

Gracia Cantanhede, Benigna Venâncio, Ana Helena Rangel e Graci Franco

Costa e Lígia Azevedo

Iza Matias e Cleire Paniago

ria Bittar e Moema Leão

Cleucy Oliveira, Tereza Neves, Bia Koffes, Valé


Na noite em comemoração ao aniversário de Consuêlo Badra, com movim entado coquetel/ jantar na residência da ch armosa e sempre elegante Yara Curi

Wanderval Calaça, Consuêlo

e Bernadete Alves

Elizabet Campos e Teresa Ca

mpelo

Os anfitriões Roberto Cu assistindo ao show dos cantor ri e Yara ao lado da aniversariante es sertanejos Pedro Paulo e Ma theus

Guida Carvalho, Carmem Min

uzzi e Maria Reis

Jaira Coca, Valdete Drummond e

Vanda Landim

Ana Rosa Sabóia e Lisane Buf quin

flashes

Marcelo Chaves

Lúcia Garófalo

209



Foco 189