Page 1

Revista

Ano 2

. N 9 . maio de 2012 . www.revistadigital.feuc.br 0

em foco BEM ESTAR Seguir dieta nutricional desde a infância melhora o desenvolvimento

9

MEIO AMBIENTE Sustentabilidade é preocupação mundial. Ser sustentável virou diferencial

profissões do futuro

Automação Industrial, Eletrônica e Informática estão entre as carreiras mais promissoras até 2020


2


Editorial

Índice

A tão desejada competência Os dicionários consideram competência a capacidade para fazer algo bem feito. Certamente, todo mundo deseja possuir tal atributo, porque ninguém gosta de ser taxado de incompetente. Em algumas profissões, a competência e sua antítese deixam evidências que podem levar aos pináculos da fama ou à degradação do fracasso. Há casos em que ambas, competência ou incompetência, deixam profundas marcas, impossíveis de o tempo apagar, marcando indelevelmente alguém, assim como existem situações em que tanto uma como outra passam desapercebidas, sem que sejam avaliadas. Frequentemente, afirmamos que a escola é uma das instituições responsáveis pela formação integral da pessoa, não se limitando, portanto, à pura e simples informação. E é aí que repousa a importância maior do educador, e dele há de se exigir que tenha competência para uma missão tão importante. Espera-se, por isso, que esse profissional seja altamente capaz técnica, humana e politicamente, contribuindo para existência de verdadeiros cidadãos. Determinadas organizações são reconhecidas por sua comprovada competência nos serviços que prestam e naquilo que produzem. Sem querer entrar no mérito da relevância do conteúdo, é difícil não reconhecer, por exemplo, que a Rede Globo seja um baluarte da competência, primando por recursos humanos de primeiríssima qualidade. A Fundação Educacional Unificada Campograndense (FEUC) procura, obstinadamente, ter competência no mister que abraçou, pois, acima de tudo, respeita o enorme contingente de pessoas que tem confiado, há mais de cinquenta anos, no seu modo especial de lidar com a arte do magistério. Faça a opção de tornar-se um profissional competente.Venha estudar numa das unidades mantidas pela FEUC, e trilhe o caminho do sucesso. Hélio Rosa de Araújo

03

Tecnologia Ex-aluno do CAEL participa da Febrace e garante participação na Intel Isef

Meio Ambiente Sustentabilidade é a maior preocupação do mundo moderno

Mercado de Trabalho Conheça as nove profissões do futuro que estarão e alta até 2020

20

12

08

Bem Estar Dieta nutricional a partir da infância melhora o desenvolvimento

CAEL Alunos do Ensino Médio passam para faculdades federais

25

Expediente Revista FEUC EM FOCO - Publicação da Fundação Educacional Unificada Campograndense - Estrada da Caroba, 685 - Campo Grande - Tel.: (21) 3408-8484. Tiragem: 5.000 - Presidente: Wilson Choeri. Diretora Administrativa: Profa Dieni da Costa Pimenta. Diretor de Ensino: Prof. Hélio Rosa de Araújo. Diretor Superintendente: Prof. Durval Neves da Silva. Diretor das FIC: Prof. Hélio Rosa de Araújo. Vice-Diretora: Profa Dieni da Costa Pimenta. Diretora do CAEL: Profa Regina Iápter. Gerência de Marketing: Bruno Rivéro. Diagramação, Fotografia e Reportagem: Thaís Cardoso. Revisão: Prof. Hélio Rosa de Araújo. Revista Digital: Keli Veloso. Colaboradores: Prof. Alzir Fourny, Prof. Flávio Silva, Amanda Cordeiro.


M

o d n u

Marcos Paulo, aluno do CAEL e sua mãe Érica Motta

Por Thaís Cardoso

Dia das Mães Profa Rita Gemino durante oficina

XXI Semana de Letras Saraus de poesias, peças teatrais, música, vídeos. Foram inúmeras as apresentações da XXI Semana de Letras, organizada pela coordenadora do curso de Letras, Arlene Fonseca. Profissionais da arte da escrita, da fala e da interpretação, aproveitaram nos dias 07, 08 e 09 de maio, para debater sobre ‘Língua, literatura e cultura: caminhos para novas práticas pedagógicas’.

Ação solidária Doar é sempre uma boa ação. Melhor ainda quando os nossos alunos e funcionários participam ativamente e abraçam com a Instituição esta causa. Através de uma campanha com troca de camisas institucionais, a FEUC arrecadou alimentos não perecíveis que foram doados, em março, para o Orfanato Minha Casa, em Campo Grande. Abrace você também uma causa e ajude quem precisa. 44

Emocionados com a homenagem da Educação Infantil e do Ensino Fundamental, as mães se encheram de orgulho dos seus pimpolhos, que preparam surpresas especiais no dia 12, em comemoração ao dia das mães. Ao som de ‘Fico assim sem você’, de Claudinho e Bochecha, as turmas do 1° ao 5° ano cantaram e dançaram. E os pequeninos da Educação Infantil encantaram com ‘Flor do Reggae’, de Ivete Sangalo. Para completar a surpresa, as crianças fizeram apresentação de balé e brincaram muito com as mamães nas dinâmicas feitas pelos professores.


Inclusão, faça você também! A igualdade do ser humano foi tema de debate do evento ‘Juventudes e Inclusão: direito à cidade pra quem?’, realizada em 12 de maio, organizado pela coordenadora do curso de Ciências Sociais, Célia Neves. Profissionais engajados na causa de inclusão para todos e portadores de deficiências falaram sobre suas experiências e a necessidade de se viver em um mundo consciente e livre de preconceito. O evento teve também a apresentação do grupo teatral ‘Os inclusos e os sisos’, que retrataram durante a encenação diversos casos de preconceitos e arrancaram risos da plateia com tiradas educativas e cômicas.

VII Ciclo de Monografias em Geografia

A apresentação da monografia pode ir além da defesa em sala de aula. O professor Luis Mendes, coordenador do curso de Geografia, abriu espaço para que os alunos pudessem apresentar suas monografias defendidas no ano passado, criando um ambiente de debate e oficinas sobre a elaboração das monografias. O ciclo reuniu alunos dos diferentes cursos da Instituição, no dia 25 de abril.

Parabéns, mulher! Todos os dias é dia da mulher, mas é em 08 de março que a comemoração se torna especial. A FEUC e o CAEL prepararam uma grande surpresa para as mulheres e distribuíram rosas vermelhas a suas alunas, funcionárias e visitantes. À noite, para emocionar ainda mais, o Coral Ecos Sonoros e a Banda Sinfônica da FEUC prestaram homenagem com um belíssimo repertório dedicado especialmente a elas: as mulheres do Brasil.

Alunas do Ensino Médio

55


tecnologia

Sucesso nas feiras tecnológicas Ex-aluno do CAEL participa da Febrace e fica como finalista na Intel Isef Por Thaís Cardoso

O projeto “Do lixo ao luxo” já rendeu muitos prêmios em feiras de tecnologia para Marcos Vinícius Silva Amorim, como a Mostratec e Fenecit, entre outras mostras científicas.

Marcos Vinícius Silva Amorim e Diógenes Rocha de Souza

P

articipar da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), e ainda ficar classificado em primeiro lugar na categoria Ciências Exatas e da Terra, é o desejo de muitos jovens. Esse sonho se tornou realidade para Marcos Vinícius Silva Amorim, ex-aluno do curso de Química do CAEL. O projeto “Do lixo ao luxo: síntese de materiais nanoestruturados (MOF-5) a partir de garrafas PET”, idealizado pelo aluno, participou da feira que acontece anualmente na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. “Não existe ainda uma experiência melhor que a da Febrace. Ela motiva e nos faz refletir o quanto é necessário mudar certos hábitos em relação a ciência e tecnologia”, orgulhou-se Marcos Vinícius. A feira rendeu ainda mais prêmios ao projeto. ‘Do lixo ao luxo’, que é finalista da INTEL ISEF (International Science and

Engineering Fair), em Pittsburgh, nos EUA, e é a maior feira de ciências e engenharia préuniversitária do planeta. O aluno foi acompanhado pelo coordenador do curso de Eletrotécnica do CAEL, Diógenes Rocha de Souza.

O projeto “O projeto propõe uma abordagem metodológica para síntese de peneiras moleculares híbridas nanoestruturadas a partir do ácido tereftálico, obtido das garrafas PET. As garrafas PET são de muito baixo custo e descartadas na natureza, ou seja, fáceis de se acharem. Em resumo, a metodologia sintética elaborada será usada na obtenção do ácido tereftálico (de uma hidrólise total) e, a partir deste, na construção de peneiras moleculares híbridas nanoestruturadas”, explicou o finalista.

Premiações do projeto: - Febrace – 1° lugar/ finalista INTEL ISEF (2012) - Mostratec – credencial Febrace (2011) - Fenecit -2° lugar (2011) - Prêmio jovem Cientista (2011) - Congresso da Sociedade Brasileira de Química- prêmio RVQ (2011) - Jornada de Iniciação Científica da UFRJ - 1° lugar (2011) - Jornada do Centro de Ciências Matemáticas e da Natureza - 2º lugar (2011) 6


7


mercado de trabalho

Conheça as nove profis

Automação industrial, Eletrônica e Informática estão entre Por Thaís Cardoso

O Mercado de trabalho está cada vez mais buscando mão de obra técnica. No entanto, a boa qualidade dos serviços prestados é uma exigência.

8

S

aber que carreira profissional seguir é a dúvida da maioria dos jovens e até mesmo de quem já atua no mercado de trabalho e pretende fazer uma especialização ou mudar de área. A procura de mão de obra qualificada tem aumentado de acordo com a demanda de trabalho. Algumas profissões já podem ser vislumbradas para o futuro, segundo pesquisa realizada pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan). A pesquisa foi realizada em 402 empresas e ressaltou

as nove profissões do futuro. Todas têm ligação com as áreas de engenharia, automação e informática. É por isso que os cursos técnicos estão em alta. As empresas estão apostando cada vez mais em mão de obra técnica, e quem ganha com isso é o profissional. Os cursos técnicos têm menor duração que as graduações e preparam com excelência o profissional. Os cursos técnicos podem ser feitos juntamente com o ensino médio, tendo duração de três anos, ou, como pósmédio, com duração de um a dois anos, variando de acordo com o segmento. “A educação profissional técnica de nível médio e pós-médio visa a desenvolver aptidões para a vida produtiva, de forma integrada ao trabalho, à ciência, à tecnologia e às diferentes formas de educação”, garante a diretora do CAEL, Regina Iápter. Toda essa projeção de crescimento das profissões e do mercado traçada pelas empresas deve se estender até 2020. No entanto, o mercado vai ficar ainda mais exigente. A coordenadora do Curso Técnico em Informática do CAEL aposta no contínuo crescimento das profissões relacionadas ao seu curso.


ssões do futuro

e as carreiras mais promissoras até 2020

Com a velocidade das inovações tecnológicas o técnico vai continuar sempre em alta

“Com a velocidade das inovações tecnológicas, tenho a certeza que o técnico em informática continuará sempre em alta para sobrevivência do setor de tecnologia da informação. A formação e informação são sempre imprescindíveis para atender as necessidades, cada vez mais exigentes, do consumidor final. O Curso Técnico em Informática do CAEL tem se voltado cada vez mais

para as necessidades desse mercado, e, na medida do possível, tenta acompanhar as inovações tecnológicas e estar atento ao novo perfil profissional que essas inovações requerem dos nossos técnicos”. Os profissionais de Eletrônica também estão comemorando a demanda do mercado e aproveitam para incentivar a fazer especializações técnicas e se inserir no mercado de trabalho com o sucesso proposto pela formação. “O mercado de trabalho é muito promissor. Devido ao crescimento da tecnologia e a automatização dos equipamentos, a necessidade de mão de obra qualificada aumentou as oportunidade para os técnicos”, conclui a coordenadora do Curso Técnico em Eletrônica do CAEL.

Conheça as nove profissões mais promissoras: - Supervisor de produção em indústria de transformação de plástico; - Engenheiro de petróleo; - Técnico em sistema de informação; - Trabalhador de superfície de metais; - Engenheiro de mobilidade; - Técnico em mecatrônica; - Biotecnologista; - Engenheiro ambiental e sanitário; - Desenhista técnico em eletricidade, eletrônica e eletromecânica. 9


10


ensino superior

XIV Encontro de Ciências Sociais Debateu o desenvolvimento sustentável e a mercantilização da natureza Por Thaís Cardoso

O discurso da sustentabilidade do planeta está em alta, principalmente devido ao evento que acontecerá em julho, o Rio +20, que discutirá o desenvolvimento sustentável. Aproveitando o momento político e social de preocupação com o meio ambiente, o XIV Encontro de Ciências Sociais debateu durante o encontro o “Rio +20 em Questão: Desenvolvimento Sustentável ou Mercantilização da Natureza”, baseado nas propostas divulgados para evento,

sediado no Rio de Janeiro. O Encontro de Ciências Sociais promoveu uma grande reflexão e aprofundamento em torno das questões ambientais levantadas pelo projeto, na tentativa de desmistificar a gênese e lógica da economia capitalista e as ideologias que a sustentam ao longo do tempo. Durante o encontro, que aconteceu de 23 a 26 de maio, alunos, professores e profissionais especializados na temática debateram também sobre as alternativas que

XIII Semana de Geografia

Rio +20 e Cúpula dos Povos foram temas do encontro Por Thaís Cardoso

O evento que promete movimentar a cidade do Rio de Janeiro nos próximos dias, Rio +20, virou tema de debate da XIII Semana de Geografia e Meio Ambiente. O desenvolvimento sustentável, assunto a ser discutido durante o evento, é preocupação internacional e atraiu os alunos do curso de Geografia a participarem da Semana. A temática ambiental tem revelado seu caráter de centralidade na produção e socialização do conhecimento e nas formas de pensar e fazer política. Para debater sobre o tema, profissionais especializados ofereceram palestras e oficinas entre os dias 28 de maio e 02 de junho. A representante da Cúpula dos Po-

vos, evento que acontecerá paralelamente ao Rio +20, esteve presente na Semana e retratou a Temática Ambiental e Direitos Humanos. Durante todo o evento, sob o tema “Rio + 20. Desenvolvimento e Sustentabilidades em Questão, embasado pelos respectivos Eixos Temáticos: Meio Ambiente, Sustentabilidades e Sociedade; Agenda 21 e Concepções de Desenvolvimento; Políticas Públicas, Território, Movimentos Sociais e Ambientais”, os alunos puderam estar mais próximos da realidade ambiental na qual vivemos, aprendendo as mudanças das quais podemos realizar, contribuindo para um mundo melhor e sustentável.

serão apresentadas pela Cúpula do Povos na Rio +20 por justiça social e ambiental.

Dia do Pedagogo Orientar, ensinar, educar vão além de casa e das salas de aula. É para isso que existem os pedagogos. Um profissional exemplar, não podia deixar de ter uma homenagem à sua altura. As coordenadoras do curso de Pedagogia, Janice Souza e Maria Lícia, prepararam uma super palestra com o tema ‘Pedagogia: impasses e perspectivas’ para homenagear os alunos no dia do pedagogo, em 21 de maio.

11


meio ambiente

Educar para a susten

É preciso a colaboração de todos para garantir o equilíbrio Por Thaís Cardoso

Não jogar lixo no chão, doar roupas, economizar energia e água são algumas ações sustentáveis que podem melhorar as condições de vida de todo o planeta.

12

V

iver em um mundo sustentável ainda não é uma realidade, mas é uma necessidade do planeta para que a população viva com mais qualidade. Ser sustentável é ter comprometimento com o meio ambiente, é viver de acordo com os benefícios oferecidos por ele. O termo sustentabilidade foi utilizado pela primeira vez no Relatório Brundtland, elaborado pela Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, em 1987, e dizia: é o desenvolvimento que procura satisfazer as necessidades da geração atual, sem comprometer a capacidade das gerações futuras de satisfazerem as suas próprias necessidades. “Simplificando a definição do termo, sustentabilidade é viver bem, de acordo com o que a natureza nos oferece, sem desperdício e sem degradar o ambiente”, explica a professora Vânia Costa, responsável pelo projeto Feuc Ecoeficiente. Há algumas décadas, as pessoas acreditavam que não seria possível manter a sustentabilidade com o desenvolvimento contínuo da população e das tecnologias. De acordo com Vânia Costa, é possível manter o desenvolvimento com sustentabilidade, devido

as ações de uso mais racional dos recursos do planeta. É impossível frear o desenvolvimento econômico e tecnológico. A diferença do que ocorria há algumas décadas atrás para o que se desenvolve hoje é que cada vez mais há preocupação com os recursos, renováveis ou não, que têm sido utilizados mais racionalmente. O objetivo principal da sustentabilidade é manter estes recursos para as gerações futuras. A sustentabilidade existe para garantir que os recursos naturais do planeta possam ser utilizados pelas novas gerações. Há uma lei na Constituição Federal, no artigo 255, que declara que todos têm direito a um ambiente equilibrado ecologicamente. “Se eu tenho direito a um ambiente que possa me permitir boa qualidade de vida, eu preciso igualmente ter responsabilidade sobre ele, mantendo-o saudável”, ressaltou. O mais interessante da sustentabilidade é que todos podem contribuir, basta manter o respeito pela natureza, utilizando os recursos que ela lhe oferece sem desperdício. Utilizar água, energia, alimentos, combustíveis, roupa, papel com equilíbrio e sem exageros. “Todos nós precisaremos nos adequar à nova realidade que vem se impondo. Quanto mais


ntabilidade

o natural das gerações futuras cedo percebermos essa necessidade, mais perto estaremos de alcançar a tão sonhada sustentabilidade. Muitas vezes nos deixamos levar pelo modismo e compramos coisas que nem mesmo precisamos, assim elas se tornam obsoletas e vão engrossar o volume de resíduos a serem descartados”, acrescentou.

Projeto FEUC Ecoficiente “Atualmente, temos como desafio levar adiante o Projeto FEUC Ecoeficiente e, através dele, podermos observar mudanças de atitude em relação às questões ambientais. Por sermos uma instituição de ensino, esperamos que o projeto permita também a formação de multiplicado-

res de atitudes sustentáveis, e que os futuros professores formados em nossa instituição venham a desempenhar bem o papel a eles designado, de implantar nas escolas a educação ambiental, de forma interdisciplinar, permanente, contínua e articulada, como determina a lei 9 795 de 1999”, concluiu.

Veja dicas de como inserir a sustentabilidade no cotidiano

-Através de pequenos gestos como não jogar lixo no chão, nas praias ou nos rios; -Preocupando-se com o consumo racional de energia e água; -Controlando a quantidade de alimento que se coloca no prato; -Desenvolvendo a preciclagem, que é procurar comprar produtos que gerem menor quantidade de resíduo; -Separar os resíduos recicláveis; -Não “varrer” o chão com a mangueira d’água; -Não deixar aparelhos ligados em stand by; -Usar a máquina de lavar apenas quando estiver com a capacidade de roupa alcançada; -Evitar abrir a geladeira a todo instante e ficar vendo tudo que há dentro dela para depois decidir o que irá pegar; -Não queimar lixo ou folhas de árvores varridas no quintal; -Doar roupas, objetos e brinquedos que não sejam mais úteis a você.

13


comportamento

14

Foto: S Braswell


artigo

Prof. Flávio Silva

Marketing pessoal: das salas de aula para o ambiente profissional

Professor de Mercado de Trabalho e Empreendedorismo das FIC

J

á se foi o tempo em que para conseguir um bom emprego era necessário preparar um currículo com 20 páginas e apresentá-lo de porta em porta nas agências de emprego ou enviá-lo para as empresas que anunciam suas vagas nos classificados dos grandes jornais. A sociedade em que vivemos impõe padrões de competitividade em praticamente todas as áreas do conhecimento. Padrões que envolvem aspectos visuais, de comunicação e de conhecimento, onde pequenas diferenças podem determinar o sucesso ou o fracasso do indivíduo. Talvez seja um modelo injusto, mas é o que o mercado de trabalho vem praticando. Busca-se, ainda, o reconhecimento de competências e habilidades de cada um, tornando-se um fator fundamental para diferenciar um indivíduo no contexto social e profissional em que vive, posicionando-o para o sucesso profissional e pessoal. Todo indivíduo quando entra em uma sala de aula, na busca por uma qualificação profissional, seja a nível médio, técnico ou universitário, deveria se preocupar com o seu “Plano Pessoal e Profissional”, respondendo a 5 (cinco) perguntas básicas, dentro do seu contexto acadêmico: 1ª) Quem sou eu (como pessoa)? 2ª) O que eu faço hoje (vida acadêmica)? 3ª) Por que escolhi esta formação acadêmica? 4ª) Aonde eu quero chegar com ela (formação acadêmica)? 5ª) O que eu vou fazer para chegar lá (objetivo final: sucesso profissional). Se conseguirmos responder a essas perguntas no início da nossa formação, com certeza estaremos preparados para enfrentar este mercado de trabalho cada vez mais competitivo.

É importante frisar que nem todos os jovens estão preparados psicologicamente para esta longa e importante caminhada, pois somente os “MOTIVADOS, ENTUSIASMADOS e aqueles com ATITUDES E AUTOESTIMA ELEVADA” entrarão nesta batalha com grandes possibilidades de sucesso. É fato que nem todos os indivíduos possuem as mesmas competências e habilidades. Porém, muitos as possuem e, por uma série de fatores pessoais e sociais, elas não são facilmente reconhecíveis. Se o mercado de trabalho não reconhece, você não aparece e fica correndo atrás das oportunidades. A sala de aula é local de aprendizagem, e as informações sobre mercado de trabalho deveriam ser ministradas em todas as classes e em todas as instituições de ensino, preparando os jovens para a competição profissional e ensinando a investirem na sua imagem através de um planejamento eficiente de marketing pessoal. O marketing pessoal é um conjunto de estratégias individuais para atrair e desenvolver contatos e relacionamentos (NETWORKING) interessantes do ponto de vista pessoal e profissional, bem como para dar visibilidade às características, habilidades e competências pessoais relevantes para a aceitação e o reconhecimento por parte de outros. O marketing pessoal já foi visto como um instrumento político que visava apenas a uma conquista específica e individualizada. Hoje, ele vem se tornando uma ferramenta cada vez mais necessária para todos, onde uma simples indicação pode levar um indivíduo a conquistar um excelente posto de trabalho.

Assim como as empresas, que investem um montante considerável de recursos nas principais estratégias de marketing com o objetivo de vender seus produtos, mercadorias e/ ou serviços, ou, simplesmente como estratégia de fixação de marca, os indivíduos deveriam investir no seu marketing pessoal, que é uma ferramenta eficiente para fazer com que seus pensamentos emocionais e atitudes, sua apresentação e comunicação interpessoal, seu posicionamento de imagem e sua rede de relacionamento trabalhem a seu favor no ambiente acadêmico e profissional. Alguns fatores são primordiais, tais como: ética, capacidade de liderança, habilidade de se automotivar e de motivar pessoas a sua volta. Esses atributos fazem com que a sua imagem seja bem vista pelos membros de sua rede de contato, não precisando assim de currículo de 20 páginas, de trilhar o caminho doloroso e cansativo das agências de emprego, como também, gastar quantias significativas na confecção e envio de currículos a empresas anunciantes de cadernos de classificados. É importantíssimo que a sua trajetória acadêmica seja completa, com foco na formação e qualificação profissional dentro da área de interesse junto ao mercado de trabalho. As empresas de hoje analisam muito mais o capital intelectual e a ética do que a experiência profissional, que é também indispensável, tornando-se elementos fundamentais na definição do perfil desejado para aqueles que serão seus futuros colaboradores. Investir no marketing pessoal é vender sempre a sua imagem. 15


ensino superior

X Jornada de Educação Educação Inclusiva foi pauta da 10ª edição do evento Por Amanda Cordeiro

Sociedade democrática começa na escola. Conduzir o conhecimento com consciência e respeito às diferenças é papel do professor. Prof Gabriela Brabosa a

A

Jornada de Educação da FEUC , realizada em 28 de abril, surgiu da necessidade de se ter mais um espaço voltado para a discussão e reflexão de questões ligadas à Educação. Este ano, a Jornada promoveu debate acerca da importância da formação docente e práticas inclusivas na Educação Básica. A palestra de abertura foi ministrada pela Profª Célia Neves que articulou o tema da inclusão sob três focos distintos, oriundos de experiências de três profissionais com atuações distintas:o Prof. Bruno Lemos nos trouxe a experiência de inclusão digital , Profª. Maria José sobre a Educação Inclusiva de portadores de necessidades especiais e a Profª Gabriela Barbosa, sobre o desafio da Educação Inclusiva sob a perspectiva cultural. O presidente do Centro Cultural em Vila Aliança,“ A História que eu Conto”,Jorge Cléber, ex-aluno do curso de Ci-

A inclusão depende de cada um de nós querermos ou não estar em contato com o outro

Profa Maria José

ências Sociais, marcou a palestra com o curta “ Memórias em 5 minutos”, e, logo após, pode discorrer sobre atuação do cidadão para a promoção da inclusão social. O segundo momento do evento foi voltado para o aprofundamento dos subtemas, através das sessões temáticas, e o fechamento foi realizado com uma entusiasmada plenária, onde participantes, puderam explorar o tema segundo suas experiências e perspectivas apresentadas ao longo do evento.

Veja as principais experiências relatadas pelos palestrantes: - Prof. Bruno Lemos: coordenador do projeto PROJOVEM, no município de Vassouras. O programa pro-

16

move a inclusão digital de jovens de 18 a 29 anos para a inserção no mercado de trabalho. Foi o primeiro palestrante da mesa-redonda e ressaltou que “ o desenvolvimento humano e social demanda reflexão individual e coletiva”. - Prof. Maria José: ex-aluna das FIC, atua com Educação Inclusiva com ênfase na surdez. Falou sobre as diferentes abordagens que as instituições de ensino adotam, de acordo com os diferentes tipos de deficiência. A mesma ressaltou em sua fala que “inclusão é a capacidade que cada um tem de enxergar o outro.” - Profª Gabriela Barbosa: Coordenadora da Pós-Graduação, defendeu a perspectiva multicultural na elaboração do currículo escolar nas instituições de ensino. A mesma relatou sua experiência numa tribo guarani, em Angra dos Reis/RJ, com objetivo de compreender o processo de construção do aprendizado, e ressaltou a importância dos profissionais de Educação respeitarem a história sócio-cultural de seus alunos, ensinando o respeito às diferentes etnias:” Não é tolerar, porque tolerância pressupõe soberania. É respeito, é a coexistência de culturas diferentes porque as instituições de ensino e os livros didáticos repassam o conhecimento de acordo com a cultura do macho, adulto e branco.”


17


artigo

Prof. Alzir Fourny

Coordenador do curso de Matemática

M

Como é difícil ser um professor de matemática

inistramos as disciplinas de Estágio Orientado e Didática do Ensino de Matemática e, no transcurso das aulas, sempre surge a pergunta: “ Como ser um bom Professor de Matemática?” Como é difícil responder a esta pergunta! Como é difícil ser observado como bom Professor de Matemática! Você, leitor, pode estar perguntando: “ Será que não podemos ser um bom Professor de Matemática? Será que podemos, então, estar próximos de ser um bom Professor de Matemática? Responderemos buscando retratos das nossas aulas de Estágio Orientado e Didática do Ensino de Matemática. Procuramos mostrar que o aluno é um contínuo observador do Professor e que o Professor deve fazer com que seja percebido seu amplo conhecimento do que está explanando em suas aulas. Quando o Professor, ao desenvolver os conteúdos no quadro, sem o acompanhamento de anotações, busca, junto com os alunos, de forma simultânea, escrever, explicar e fazer-se entender, estará, ao meu ver, mais próximo de ser observado como um bom Professor de Matemática. Procuramos mostrar quando o Professor, ao desenvolver seus conteúdos, for capaz de fazer transposição didática, que consiste em transferir uma linguagem científica para a linguagem do aluno, estará fazendo-se entender e, consequentemente, promovendo o entendimento de um conteúdo numa linguagem descodificada e acessível. Fazer transposição didática é ser capaz de apresentar, simultâneamente, várias formas de ensinar para que se alcance o entendimendo de um de18

terminado conceito matemático. As representações geométricas, muitas vezes de melhor entendimento, são exemplos da transposição didática de conceitos puramente algébricos que, por si só, tornam-se mais difíceis. Este Professor, ao meu ver, estará mais próximo de ser observado como um bom Professor de Matemática. Procuramos mostrar quando o Professor for capaz de lidar com situações adversas em sala de aula, como desatenções por conversas paralelas à sua, e conseguir com que a sua fala prevaleça em relação à conversação de outros assuntos entre alunos, que naquele momento está sendo mais valorizada, estará, ao meu ver, mais próximo de ser observado como um bom Professor de Matemática. Procuramos mostrar quando o Professor de Matemática, pela História da Matemática, sabe que o conceito matemático a ser ensinado levou anos ou até séculos para ser desenvolvido e entendido, ficando a percepção que as dificuldades dos alunos são normais e que, em questão de horas ou dias, aquele conceito de difícil entendimento pelos gênios da Matemática e por grandes civilizações não pode ser entendido tão facilmente pelos alunos, estará, ao meu ver, mais próximo de ser observado como bom Professor de Matemática. Procuramos mostrar quando o Professor de Matemática, com suas turmas heterogêneas, de alunos com mais ou menos competências e habilidades matemáticas, for capaz de encontrar uma linha mestra de ensino para que alcance todos sem que haja prejuízo nos ensinamentos da Matemática, estará, ao meu ver, mais próximo de ser observado como bom Professor de Matemática.

Procuramos mostrar quando o Professor de Matemática for capaz de fazer com que os alunos percebam a importância do aprendizado da Matemática, através da contextualização e interdisciplinaridade, podendo ser conseguido por todos, e que este aprendizado vem de estudo continuado, levando a prática do estudo para fora da Escola, estará, ao meu ver, mais próximo de ser observado como bom Professor de Matemática. Procuramos mostrar quando o Professor for capaz de usar as mídias e tecnologias no Ensino da Matemática favorecendo o aprendizado, estará, ao meu ver, mais próximo de ser observado como bom Professor de Matemática. Procuramos mostrar quando o Professor de Matemática avalia o que foi ensinado em sala entendendo que a avaliação está conectada com o que foi proposto durante as aulas, estará, ao meu ver, mais próximo de ser observado como bom Professor de Matemática. Procuramos mostrar quando o Professor é querido pelos seus alunos, estará, ao meu ver, mais próximo de ser observado como bom Professor de Matemática. Procuramos mostrar quando o Professor fez reflexões sobre as qualidades e defeitos de todos os professores de sua vida e buscou ser aquele que tenha o conjunto de qualidades que foram destacadas em cada professor, estará, ao meu ver, mais próximo de ser observado como bom Professor de Matemática. Procuramos mostrar que se o Professor buscar a perfeição, mesmo sabendo que não vai alcançá-la, será um bom Professor de Matemática.


cael

19


bem estar

Alimentação equilib

Seguir uma dieta nutricional desde a infância pode preveni Por Thaís Cardoso

Doenças na adolescência ou na fase adulta podem ser evitadas com alimentação balanceada desde a infância. Ingerir a quantidade adequada de cada nutriente é o segredo.

20

A

boa alimentação é essencial desde cedo. Ao nascer começa o primeiro passo, a amamentação, exclusiva nos primeiros seis meses de vida da criança. É importante, que esses cuidados com a alimentação e com a saúde sejam tomados também na infância. Manter uma alimentação equilibrada pode evitar doenças futuras e manter a criança forte e saudável. “Nesta fase, a velocidade de crescimento é elevada, e os erros e deficiências na alimentação podem causar danos reversíveis ou não

à saúde”, explica a nutricionista da Educação Infantil do CAEL, Fernanda Rosa. Durante a infância, deve-se manter uma alimentação balanceada com os nutrientes essenciais para um bom desenvolvimento que, de acordo com a nutricionista, são: carboidratos, gorduras, proteínas, água, vitaminas e minerais. Os pais são as maiores influências nesta fase. Seguir uma alimentação saudável nesta idade depende exclusivamente do conhecimento dos pais em relação aos bons hábitos na alimentação. A nutricionista explica que a oferta de alimentos deve satisfazer as necessidades psíquicas e orgânicas para garantir um bom crescimento e minimizar os riscos de doenças. “A oferta de alimentos deve satisfazer a sua vontade


brada, vida saudável

ir riscos de doenças no futuro e garantir qualidade de vida de se alimentar (necessidade psíquica) e que lhe assegure bom crescimento e desenvolvimento (necessidade orgânica). Se a necessidade orgânica é menor que a psíquica, teremos como consequência a obesidade em idades posteriores; no inverso, teremos a desnutrição e o quadro de anorexia propriamente dito.” Os hábitos alimentares são adquiridos durante a vida, mas é na infância que começa a se estabelecer a prática da boa alimentação.

Para essa iniciação, aconselha-se que sejam definidos horários regulares para as refeições e sempre criar um ambiente agradável onde a criança se sinta a vontade. “O CAEL prioriza esses hábitos e mantém um cardápio equilibrado montado de acordo com a idade e necessidade nutricional de cada criança. Observando-se sempre a aceitabilidade e a safra dos alimentos”, garante Fernanda Rosa. Para garantir ainda mais o interesse da criançada

na hora das refeições, o CAEL desenvolve atividades de culinária com a turminha da Educação Infantil. A equipe de nutrição do CAEL realiza a avaliação nutricional das crianças com orientação aos responsáveis, quando necessário. Desenvolve a anamnese alimentar de cada uma delas para avaliar a necessidade de uma dieta especial, e aproveita para realizar palestras para os responsáveis e funcionários da Educação Infantil.

Conheça a importância de alguns minerais e vitaminas: - Cálcio: formação dos ossos e dentes. Fonte de Cálcio: Leite e derivados. - Ferro: formação de hemoglobina e prevenção da anemia. Fonte de Ferro: Carnes, leguminosas e vegetais verdes escuros. - Zinco: crescimento e desenvolvimento. Fonte de Zinco: Carnes. - Vitamina A: crescimento, visão e proteção imunológica (contra infecções). Fonte de Vitamina A: Carnes, fígado, gema, vegetais verdes e amarelos e frutas. - Vitamina C: responsável pela melhor absorção de ferro e proteção imunológica. Fonte de Vitamina C: Frutas cítricas e hortaliças. 21


tecnologia

Educação a distância: um Com as tecnologias tornou-se possível estudar Por Thaís Cardoso

Na educação a distância o aluno monta a sua grade de horários, estudando nos momentos em que achar mais conveniente. E o melhor, ainda pode acessar a sala virtual direto do seu ambiente familiar.

A

tualmente, ouve-se muito falar sobre educação a distância, uma maneira eficiente de adquirir conhecimento sem precisar sair de casa. A educação a distância permite que o aluno conclua um curso, graduação ou até mesmo pós-graduação, sem precisar estar fisicamente em um ambiente de ensino, podendo estudar de forma autônoma e em horários distintos. As aulas a distância são sempre muito dinâmicas, buscando prender a atenção do aluno e explicar o conteúdo da melhor maneira possível, usando recursos de comunicação. Os responsáveis pelo Núcleo Integrado de Educação a Distância (NIEAD) das

FIC, Rafael Neves e Tatiane Prevato, garantem que o conteúdo disponibilizado na ambiente virtual da educação a distância é o mesmo dos cursos presenciais, o que muda é a maneira como é ministrado. No caso das disciplinas a distância, o conteúdo é bastante dinâmico, com áudios, vídeos, textos movimentados,

O conteúdo da educação a distância é o mesmo da presencial, só muda a forma de ensino

Conheça os pontos positivos de aderir à educação a distância: - Combinação entre estudo e trabalho; - Facilidade de estudar em seu ambiente familiar; - Menor custo; - Materiais didáticos já incluídos no valor; - Interação entre alunos, professores e técnicos de apoio; - Conteúdos digitais adicionais; - Conteúdos desenvolvidos com orientação de aplicabilidade.

22


jeito novo de aprender através da internet e com maior autonomia além de ambientes de debate entre alunos e professores, simulando uma sala de aula onde cada um expõe as suas opiniões e ideias. A educação a distância permite que o aluno se torne ativo à sua formação, e faz com que o processo de aprendizagem seja desenvolvido em uma combinação entre estudo e trabalho, alcançando uma formação entre a teoria e a prática ligada à experiência. Diferente da educação presencial, na educação a distância é o aluno quem decide quando e como estudar. Essa autonomia muitas vezes desperta ainda mais o interesse dos alunos, que podem estudar além do

que estudariam em sala de aula, ou encurtar o estudo. A frequência com que o aluno vai acessar a disciplina varia de acordo com as necessidades e o tempo de cada um, criando responsabilidades, já que os cursos têm data de conclusão. Atualmente, a educação a distância está sendo muito bem vista pelo mercado de trabalho quando relacionada à capacitação profissional ou à educação continuada. As empresas que atuam nesse segmento têm feito grande investimentos com o objetivo de ampliar e melhorar a qualidade do serviço oferecido, como é o caso do NIEAD, que atua no mercado há oito anos.

NIEAD

Cursos oferecidos pelo NIEAD - Alfabetização e Letramento; - Curso Online sobre Bullying; - Curso de Formação em Libras; - Conheça a Linguagem dos Sinais; - Curso Jogos, recreação e Lazer; - Atividades Recreativas na Escola; - Intervenção Psicopedagógica na Escola; - Curso de Educação Inclusiva; - Curso de Gestão e Organização Escolar; - Curso Didático das Ciências Naturais; - Fundamentos Econômicos da Educação; - Curso Educação Infantil; - Gestão Escolar; - Curso de Distúrbios de Aprendizagem como Identificar, Lidar e Tratar Distúrbios e Dificuldades; - Educação Ambiental; - Curso de Educação de Jovens e Adultos (EJA); - Curso Prática Educativa na Educação Infantil; - Diferentes Técnicas para Trabalhar com Crianças; - Curso Direito Ambiental; - Curso Ensino de Artes; - Curso Fundamentos Teóricos da Língua Portuguesa; - Curso Sociologia da Acessibilidade; - Deficientes merecem acesso à Educação Especial; - Educação, Corpo e Movimento; - Desenvolva Coordenação Motora; - Curso de Didática do Ensino Superior Jurídico; - Curso de produção de Material Didático; - Curso de História Contemporânea; - Gestão da EAD; - Mediação e Avaliação em EAD; - Escola e Sociedade / Didática da Organização do trabalho; - Psicologia das Organizações; - História Contemporânea; - Produção de Material Didático em EAD; - Organização do Trabalho Pedagógico.

23


24


ensino médio

Alcançando seus sonhos Jovens reforçam rotina de estudos para passar em universidades federais Por Thaís Cardoso

Se preparar para o vestibular durante o ensino médio, realizando provas como o ENEM, pode ser o grande segredo para uma boa colocação.

Ana Caryne de Oliveira Daris

P

assar para uma universidade pública é o sonho da maioria dos adolescentes, e o preparo é fundamental para uma boa colocação. O Ensino Médio é a base mais recente que o aluno tem do estudo, seja ele normal ou técnico. O importante é se dedicar desde o início às aulas e não perder a oportunidade de realizar as provas de vestibular e do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), ainda com o Ensino Médio em curso. Conhecer a forma como as questões são abordadas nas provas, pode ser um grande diferencial na hora de conseguir a vaga. Há quem diga que é necessário fazer cursos de pré-vestibular, outros acreditam que a escola pode passar ensinamento suficiente para garantir a coloca-

ção. “O CAEL me deu toda a base. Tudo o que tenho devo ao Colégio. Sempre estudei no CAEL e nunca fiz pré-vestibular”, orgulhou-se a ex-aluna do ensino médio Técnico em Química, Gabriela Figueiredo Gomes Lima, que passou para a Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) para o curso de Química. Os cursos de pré-vestibular podem auxiliar ainda mais a chance de garantir o seu espaço na universidade. “Tivemos estrutura nas disciplinas suficiente para passar no vestibular, principalmente português. Fiz curso de pré-vestibular, mas ele só me relembrou o que foi ensinado durante o Ensino Médio”, garantiu Ana Caryne de Oliveira Daris, ex-aluna do curso de Formação Geral, e atualmente estudante de Jornalismo na UFRRJ.

Listagem preliminar dos aprovados Daniela Daltro Xavier - UFRRJ Priscila Gomes Maia - UFRRJ Ana Caryne de Oliveira Daris - UFRRJ Caio Sant’Anna da Rosa - UFF Leticia Maria dos Santos Matos - UERJ Daiane Festraests de Oliveira - IFRJ Gabriela Figueiredo Gomes Lima - UFRRJ Marcio Felipe Silva Freitas - IFRJ Caio Teles Correa - UEZO Max Alex Pinto Maroun - UFRJ Michelle da Assumpção Pinheiro - UNIRIO Rafaela Dias - UEZO Elaine da Costa Vasconcelos - IFRJ Fernando Monteiro de Souza - UFMT Felipe Freitas - IFRJ Rômulo Paixão - IFRJ Andressa dos Santos Oliveira - UFRJ Carlos Henrique Neves da Silva Junior - UEMS Rafaela Ferreira Tavares de Abreu - UFRJ Caroline de Araújo Batista - UNIRIO Renata Claudino Fernandes da Silva - UFF Roberta Claudino Fernandes da Silva - UFF

Gabriela Figueiredo Gomes Lima

25


literatura

Acervo de áudio literário Projeto auxilia portadores de deficiência visual na leitura de obras literárias Por Thaís Cardoso

Ideia surgiu dos próprios alunos para auxiliar e inserir colega de classe, portador da deficiência, no mundo da literatura.

26

H

á aproximadamente dois anos nasceu o projeto de Produção de Acervo em Áudio (PAA), idealizado pelo Núcleo de Estudos da Linguagem (NEL) do curso de Letras. A ideia surgiu a partir do convívio dos alunos de Letras e de Pedagogia que cursaram disciplinas juntos, dentre eles havia um aluno portador de deficiência visual, que foi o motivador do projeto. Percebendo suas necessidades, os alunos do curso de Letras se manifestaram para produzir um CD artesanal com leituras de obras literárias para oferecer ao aluno. A partir daí surgiu a Produção de Acervo em Áudio. “O Projeto promove atividades de leitura oral de obras em domínio público e obras autorizadas pelos autores para constituir acervo disponível a portadores de necessidades especiais no campo da visão, adultos não alfabetizados, alunos dos ensinos médio e fundamental e sociedade em geral”, explicou a coordenadora do curso de Letras, Arlene Fonseca.

O Projeto

O acervo consiste em desenvolver pesquisas sobre diferentes linguagens e seu ensino, que vai desde o estudo dos fenômenos linguísticos e literários até as estratégias e ferramentas de ensino e aprendizagem da nossa língua. O projeto não só beneficia os usuários como os alunos do NEL, que tendem a se manter atualizados e em constante pesquisa sobre o mundo literário. A PAA funciona através de meios eletrônicos digitais com leitura oral de clássicos da literatura, tornando o material acessível aos portadores de deficiência visual, bem como adultos não alfabetizados e alunos dos ensinos médio e fundamental. O primeiro CD foi lançado em maio de 2011, durante a edição da XIX Semana de Letras das FIC, e contém textos do poeta Primitivo Paes. Agora é só esperarmos ansiosos pelo próximo lançamento.


27


28

Revista FEUC em Foco - Edição 9 (maio/2012)  

Fundação Educacional Unificada Campograndense - FEUC, Rio de Janeiro - RJ http://www.site.feuc.br/

Revista FEUC em Foco - Edição 9 (maio/2012)  

Fundação Educacional Unificada Campograndense - FEUC, Rio de Janeiro - RJ http://www.site.feuc.br/

Advertisement