Page 1

GOVERNO DO CEARÁ PERFIL DOS CANDIDATOS Revista de informação ANO XIX — Nº 74 OMNI EDITORA

www.revistafale.com.br

TODOS OS NOMES PARA

PRESIDENTE

R$

9,00

I S S N 151 9 - 9 5 3 3

José Serra, Dilma Rousseff e Marina Silva conversam antes do início do debate nos estúdios da TV Bandeirantes, em São Paulo

A corrida presidencial no Brasil se intensifica num intervalo de 60 dias e coloca em cena oponentes competitivos como Dilma Rousseff, Marina Silva e José Serra


A edição 2011 abre votação na Internet já agora o nome de quem fora da lista. www.r

2.Profiss 3. Empresários&E 4.Artistas&I 5.Esportes OS 30 CEARENSES MAIS INFLUENTES 2011 _ PRÊMIO LUBBAD


dos 30 Cearenses Mais Influentes a, a partir de setembro. Indique m você acha que não pode ficar de revistafale.com.br

1.Políticos sionaisLiberais Empreendedores Intelectuais


REVISTA DE INFORMAÇÃO

EDITOR&PUBLISHER LUÍS-SÉRGIO SANTOS EDITOR SENIOR ISABELA MARTIN EDITOR ASSOCIADO Luís Carlos Martins EDITOR DE ARTE Jon Romano DESIGN GRÁFICO Bruno Aôr EDITORES DE ARTE ASSISTENTES Eduardo Vasconcelos, Cinara Sá e Lívia Pontes WEBDESIGNER Germano Hissa REDAÇÃO Adriano Queiroz COLABORADORES Fernando Maia, Roberto Martins Rodrigues e Roberto Costa IMAGEM Agência Brasil, AE, Reuters REDAÇÃO E PUBLICIDADE Omni Editora Associados Ltda. Rua Joaquim

Sá, 746 n Fones: (85) 3247.6101 n CEP 60.130-050, Aldeota, Fortaleza, Ceará n e-mail: fale@revistafale. com.br n home-page: www.revistafale.com.br Fale! é publicada pela Omni Editora Associados Ltda. Preço da assinatura anual no Brasil (12 edições): R$ 86,00 ou o preço com desconto anunciado em promoção. Exemplar em venda avulsa: R$ 9,00, exceto em promoção com preço menor. Números anteriores podem ser solicitados pelo correio ou fax. Reprintes podem ser adquiridos pelo telefone (85) 3247.6101. Os artigos assinados não refletem necessariamente o pensamento da revista. Fale! não se responsabiliza pela devolução de matérias editoriais não solicitadas. Sugestões e comentários sobre o conteúdo editorial de Fale! podem ser feitos por fax, telefone ou e-mail. Cartas e mensagens devem trazer o nome e endereço do autor. Fale! é marca registrada da Omni Editora Associados Ltda. Fale! é marca registrada no Instituto Nacional de Propriedade Industrial. Copyright © 2010 Omni Editora Associados Ltda. Todos os direitos reservados. IMPRESSÃO Gráfica Cearense n Impresso no Brasil/Printed in Brazil. Fale! is published monthly by Omni Editora Associados Ltda. A yearly subscription abroad costs US$ 99,00. To subscribe call (55+85) 3247.6101 or by e-mail: df@fortalnet.com.br

TIRAGEM DESTA EDIÇÃO: 28.000 EXEMPLARES

Vem aí O Livro do Ano 2009-2010. A história é de quem faz. O mais completo documento de 2009 e os cenários para 2010. Mais um lançamento da Omni Editora.

www.omnieditora.com.br


ArenaPolítica TalkingHeads Online BrasíliaOff Blogosfera

||Pause

14

10 perguntas

Um economista cearense tem enfrentado a corrente materialista, usando a razão e a pesquisa. Eduardo Bezerra Neto, superintendente do Centro Internacional de Negócios da Federação das Indústrias do Ceará, dedicou pelo menos 38 anos à tarefa da defesa racional e embasada da fé.

16

Eleições 2010

A cada quatro anos, o cenário político brasileiro se vê em volta de elementos típicos de um período eleitoral. Mas, diante das diversas transformações nas circunstâncias políticas, cada eleição é uma eleição.

26

ECONOMIA

Flores do Ceará

34

Exportar mais

Exportadores no Brasil têm agora uma nova modalidade de regime aduaneiro que facilita a compra de insumos empregados ou consumidos na fabricação de bens para exportação, o “drawback integrado.

SEÇÕES

8 Talking Heads 10 Arena Política

11 Online 12 Periscópio 43 Persona

CAPA: FOTO RICARDO STUCKERT

FOTO CACALOS GARRASTAZU

Sete em cada dez rosas exportadas pelo Brasil são cearenses. O Estado lidera com folga, em nível nacional, um segmento que até bem pouco tempo atrás era visto como inviável para ser desenvolvido no Nordeste.

VOTO À VISTA

No início do mês, o candidato tucano ao Palácio do Planalto, José Serra, embarcou num trem na Central do Brasil e foi até o bairro Bangu, no Rio de Janeiro, onde interagiu com eleitores. Na foto, posa ao lado de uma eleitora e de seu vice, Indio da Costa (DEM)

Vocês veem agora por que o Serra é chamado de hipocondríaco. Só fala de saúde

PLÍNIO DE ARRUDA SAMPAIO, candidato do Psol ao Palácio do Planalto, provocando o candidato tucano, José Serra, durante o debate entre os presidenciáveis promovido pela Tv Bandeirantes


||Pause

revistafale.com.br

Navegue no site da revista Fale! e acesse reportagens, entrevistas, vídeos, blogs, edições anteriores e suas versões digitais. Todo conteúdo é livre e na íntegra

VÍDEO

A corrida eleitoral

O candidato tucano à Presidência da República, José Serra, esteve em Fortaleza em maio. Na visita, Serra participou de uma palestra, que contou com a presença do senador Tasso Jereissati, e concedeu entrevista coletiva à imprensa local. Fale! acompanhou e registrou a vinda do presidenciável ao estado. Confira os vídeos no site. PRÊMIO

FALE! FM

Os 30 Cearenses Mais Influentes

O melhor dos anos 80 e jazz

Entre políticos, empresários, artistas e profissionais liberais, a revista Fale! elaborou, com a ajuda de seus leitores, a lista dos 30 cearenses mais influentes. No site, o internauta encontra a edição especial dedicada aos homenageados e acompanha a cobertura da cerimônia de entrega dos prêmios com fotos e vídeos.

 Toda a cobertura em vídeo da premiação está no site TWITTER

Fale! no Twitter

O site reserva um espaço para a rede social, onde cada tweet novo é exposto. As atualizações estão na página principal. Siga a revista em www.twitter.com/revistafale 6 | Fale!

| JULHO

DE 2010

www.revistafale.com.br

Além de se informar, que tal ouvir uma boa música? A Fale! FM oferece músicas dos anos 80 ao Jazz, incluindo clássicos e novidades do cenário musical. O internauta pode conferir a programação em www.revistafale.com.br/falefm EDIÇÕES ANTERIORES

Conteúdo livre As edições anteriores da Fale! podem ser consultadas no site. Todo conteúdo tem acesso livre e está disponibilizado na íntegra. Para conferir as matérias passadas, acesse o endereço www.revistafale. com.br/edicoesanteriores. No site, também podem ser encontradas as versões digitais da revista.


Uma revista com a cara de Brasília.

A revista de informação de Brasília. Toda grande cidade merece uma grande revista.

www.revistafale.com.br/brasilia

(61) 3468.5697

BSB e d i t o r a

ENDEREÇO SHIN CA 05 Bloco I Loja 112 Ed. Saint Regis — Lago Norte  CEP 71.503-505, Brasília, Distrito Federal


FOTO RICARDO STUCKERT_ PR

TalkingHeads

||Pause

O presidente Lula tem 62 anos. Lula vai descansar quatro anos, obrigatoriamente. Terá 66 anos, vai poder trabalhar por mais oito anos para o bem do Brasil e chegar na idade de 74 anos jovem e cheio de energia como eu. Porque eu tenho 74 e estou bem, não acham? primeiro-ministro da Itália, durante o Seminário Brasil-Itália Novas Parcerias Estratégicas realizado em São Paulo, em defesa da candidatura do presidente Lula nas eleições de 2014 SILVIO BERLUSCONI,

V I C E

T U C A N O

Dizem que o Indio não é conhecido, mas vivemos em uma sociedade midiática. Quem conhecia a Dilma há seis meses? Assim será também com o Indio. E ele não vai fugir do debate, vai se expor e em pouco tempo será um nome nacional. ARTHUR VIRGÍLIO, senador (PSDB-AL), sobre o vice de José Serra, Índio

da Costa

Eu não conheço, não tenho o prazer de conhecer o deputado Indio da Costa. DILMA ROUSSEFF, candidata

do PT à Presidência da República, quando provocada a comentar a vice candidatura do deputado Indio da Costa na chapa de José Serra.

FOTO JANINE MORAES

Estou tranquilo, eu tenho certeza que não vou ter problemas. PAULO MALUF, deputado

federal (PP-SP), destemido quanto à aplicação da Lei da Ficha Limpa, que poderia impedir a sua candidatura à reeleição

A minha ficha é a mais limpa do Brasil. IDEM

8 | Fale!

| JULHO

DE 2010

www.revistafale.com.br

Se a Europa inteira tivesse resolvido logo o problema da Grécia, ela [a crise] não teria chegado na Espanha, na Itália, em Portugal. E nós teríamos descoberto logo que o sistema financeiro estava um pouco apodrecido no chamado mundo rico. PRESIDENTE LULA, em crítica a atuação dos

países europeus na condução da crise que atingiu a Grécia e se alastrou pela Europa, apontando a demora na tomada de decisões


FOTO ANTONIO CRUZ_ABR

S

E

Ç

Ã

O

Patriotismo de brasileiro é = poodle de madame: só é solto de 4 em 4 anos e qndo sai na rua se porta como débil-mental. DANILO GENTILI,

repórter do programa CQC, da TV Bandeirantes, pelo endereço twitter/ danilogentili

GUARACY AGUIAR,

deputado estadual (PRB) e candidato a reeleição, pelo endereço twitter/guaracy_aguiar

“Algum dia o Estado

genocida de Israel será posto em seu lugar, o lugar que lhe cabe.”

Tenho certeza de que vou ganhar a eleição. Aguardem.

HUGO CHÁVEZ, presidente

da Venezuela, durante a visita do presidente da Síria, Bashar al-Assad, a Caracas, depois de classificar o país como “genocida” e braço assassino do governo norte-americano

D E R R O T A

deputado estadual e candidato a governador do Ceará pelo PSDB, em entrevista coletiva, mostrando-se otimista em relação à campanha estadual MARCOS CALS,

N A

C O P A

Ou nós formamos uma seleção nova ou nós formamos uma seleção nova. Não há outra opção. RICARDO TEIXEIRA, presidente

da CBF, em entrevista ao canal Sportv, sobre a seleção brasileira de futebol

Eu acho que se a CBF adotasse o que eu adotei quando era presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo, a cada oito anos a gente trocava a direção da CBF. PRESIDENTE LULA, sugerindo

a renovação da direção da CBF

A arrogância é a arma dos incompetentes e dos inseguros.

FAUSTÃO, apresentador

brasileira Dunga

da TV Globo, sobre o ex-técnico da seleção FOTO FABIO RODRIGUES-POZZEBOM_ABR

Será que não tem gol legítimo nesta Copa? Alemanha, Argentina. E a Fifa não toma providências. É uma roubalheira só.

Dilma fugiu do debate com Serra na CNA. Se ela preferir debater comigo, estou à disposição. INDIO DA COSTA,

deputado federal (DEM-RJ) e vicecandidato de José Serra, pelo endereço twitter/ depindiodacosta

TASSO JEREISSATI,

senador (PSDB-CE), explicando que a escolha de Marcos Cals para candidato é uma tentativa de mudar o cenário político cearense, que presenciou poucas alternâncias no poder

Nunca coloquei irmão meu para ser secretário.

em crítica direta ao governador Cid Gomes, que nomeou Ivo Gomes, seu irmão, para chefe de gabinete do seu governo IDEM,

ERIVELTO DE SOUSA, jornalista

e publicitário, pelo endereço twitter/ blogdoerivas

O Cid nasceu do Ciro e o Ciro nasceu do PSDB. É o mesmo DNA. É um ciclo cansado Gomes-Jereissati. É preciso renovar.

||Pause

Pior de tudo é a deslavada mentira de assumir ações que não são suas. Começa mal o candidato SERRA. Engana-se quem quiser.

E L E I Ç Õ E S E S T A D U A I S

“Negócios são negócios.”

ministro das Relações Exteriores, sobre a visita do presidente Lula à Guiné Equatorial, onde esteve ao lado do ditador Obiang Nguema Mbsogo CELSO AMORIM,

As grandes conquistas brasileiras dos últimos 15 anos são sua estabilidade política e econômica. Sob as presidências de Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva, o Brasil alcançou um Governo democrático estável. MARTIN WOLF, economista

“Financial Times”

e colunista do jornal britânico

www.revistafale.com.br

Foi falha minha. Mas vou pedir.

governador do Ceará (PSB) e candidato à reeleição, durante a convenção que oficializou sua candidatura, se desculpando por não ter pedido votos à candidata petista à Presidência, Dilma Rousseff CID GOMES,

Agora é oposição para valer. LÚCIO ALCÂNTARA,

ex-governador do Ceará e candidato do PR ao Governo do Estado JULHO DE 2010 | Fale

!

|

9


||Pause

ArenaPolítica

PATERNIDADE PRESUMIDA

O exame de DNA poderá deixar de ser determinante nos casos de recusa do homem em fazer o teste de DNA em processos de paternidade. Projeto de lei aprovado pelo Senado determina que a paternidade pode ser presumida e declarada de forma tácita se o exame não for realizado em função da negativa do possível pai. Para isso, o projeto determina que outras provas devem fundamentar a ação, de modo a convencer o juiz mesmo sem o teste de DNA. O pedido de reconhecimento da paternidade presumida, ou paternidade tácita, deve ser feito por quem tenha legítimo interesse na ação ou pelo Ministério Público. O projeto de lei agora vai à sanção presidencial.

FICHA LIMPA PARA TODOS

Um projeto de lei propondo estender as regras da Lei da Ficha Limpa aos Poderes Executivo, Judiciário e ao Tribunal de Contas da União (TCU) foi apresentado na Câmara pelo líder do DEM, deputado Jorge Bornhausen (SC). A proposta prevê limitações para nomeações e para o exercício de cargos em comissão e de direção em órgãos públicos. De acordo com o texto, que será analisado por comissões técnicas e posteriormente pelo plenário da Câmara, ficam proibidas nomeações e ocupação de cargos por pessoas condenadas pela Justiça Eleitoral, por abuso de poder econômico ou político, pessoas condenadas por crimes contra a administração pública, o meio ambiente, a saúde pública, entre outros. 10 | Fale!

| JULHO

DE 2010

Lula e o Mercosul

A

próxima Cúpula do Mercosul, que será realizada no fim deste ano em Foz do Iguaçu (PR), continuará avançando nos setores comercial e econômico mas, desta vez, também dará ênfase à integração social do bloco formado pela Argentina, pelo Brasil, pelo Paraguai e pelo Uruguai. Durante a reunião de chefes de Estado do Mercosul na cidade argentina de San Juan, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva assumiu o comando temporário do bloco e expressou o seu desejo de trabalhar ao longo de todo este semestre para aprofundar os mecanismos criados dentro do Mercosul a fim de tratar de assuntos ligados à migração, ao emprego, à educação, agricultura familiar, juventude, cultura, ao meio ambiente e modelos energéticos, entre outros, segundo o secretário-geral da Presidência da República, Luiz Dulci. O presidente Lula, segundo Dulci, deseja que, pela primeira vez, a Cúpula do Mercosul e a Cúpula Social do bloco aconteçam simultaneamente. A Cúpula Social - que reúne lideranças da sociedade civil dos países que integram o Mercosul - até agora sempre ocorreu em datas diferentes do encontro de chefes de Estado.

“O presidente já adiantou uma novidade”, afirmou Dulci. “Ele pretende que os chefes de Estado presentes à Cúpula de Foz do Iguaçu participem, em algum momento, da Cúpula Social. Isso, até hoje, nunca aconteceu. Normalmente, a Cúpula Social se reúne, aprova um documento e algumas lideranças da sociedade civil apresentam aos presidentes para aprovação”. De acordo com Dulci, Lula também pretende, ao longo de sua presidência temporária do Mercosul, incrementar o trabalho do Instituto Social do bloco, criado há dois anos com o objetivo de contribuir para a redução da pobreza e da desigualdade social, além de amparar a infância. O instituto começou a ser implantando no início deste ano e está sediado em Assunção, capital do Paraguai. A sede do Mercosul é em Montevidéu, capital uruguaia. A instalação da sede do Instituto Social do bloco no Paraguai, segundo o secretário-geral da Presidência da República, abre a possibilidade para que alguns órgãos do Mercosul sejam descentralizados, envolvendo em seu trabalho cotidiano as populações dos quatro países integrantes do bloco. n

Mais qualificação, mais estabilidade

O mercado de trabalho brasileiro está mostrando que quanto maior a qualificação e a escolaridade do trabalhador, mais chances ele tem de conseguir um emprego e ser melhor remunerado, disse o ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, com base nos dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais). “Quanto menor o nível de escolaridade, maiores foram as demissões. Os únicos índices negativos de contratação foram para quem tinha concluído a quarta série ou ensino médio incompleto”, explicou. O ministro destacou o maior crescimento regional, principalmente no Nordeste

www.revistafale.com.br

onde houve um aumento de 7,04% de postos de trabalho no ano passado em relação a 2008. “A gente comprova que há um crescimento regionalizado maior no Brasil, nas regiões mais carentes, e isso se deve basicamente ao salário mínimo que aumentou mais que a inflação”, disse o ministro. Lupi afirmou que as empresas privadas tem investido mais na Região Nordeste por causa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e do Minha Casa, Minha Vida. Segundo os dados da Rais, o Brasil contabilizou 41,2 milhões de empregos formais em 2009, um aumento de 1,766 milhão em relação ao ano anterior.


Online Alternativo

Após rumores pela Internet, a Motorola anunciou o lançamento do FlipOut, smartphone com o sistema operacional Android 2.1 e equipado com o “software social” MotoBlur. O aparelho é compatível com a tecnologia Flash e possui tela de 2,8 polegadas, com 320 por 240 pixels de resolução. Possui teclado QWERTY, GPS, Wi-Fi, 3G, Bluetooth, Rádio FM e câmera de 3MP com zoom digital. O celular tem 512 MB de memória interna e um cartão microSD de 2GB, mas com espaço expansível para até 32GB. O sistema MotoBlur sincroniza os contatos, os e-mails e as informações de redes sociais do usuário em uma interface única, fazendo o backup desses dados online. Seu formato quadrado e suas ferramentas “sociais” lembram outros dois aparelhos: o MotoCubo A45 ECO, também da Motorola, e o KIN, da Microsoft. Essas semelhanças

A Wikipédia é a solução para as dúvidas de muitos internautas. Mas se uma dúvida surgir e não tiver Internet ao seu alcance no momento? Foi pensando nisso que a Openmoko lançou o WikiReader, uma Wikipédia de bolso. O aparelho é leve, pequeno e funciona com duas pilhas AAA. Sua tela é sensível ao toque e legível mesmo contra a luz natural, o que permite uma boa leitura na praia, por exemplo. Pontos fracos: não exibe imagens nem vídeos, as cores são em preto e branco e as teclas virtuais são pequenas. Para atualizar o conteúdo, o usuário transfere as informações da Wikipédia para um cartão microSD e depois o conecta ao WikiReader. Armazenado no gadget, o conteúdo pode ser consultado a qualquer hora, no modo offline. O preço do leitor portátil é 99 dólares.

Simulador de chamada A Nokia desenvolveu uma ferramenta que permite ao usuário simular que está recebendo uma ligação e que o ajuda a fugir de situações indesejadas. Com o Desguiator instalado, o usuário configura o celular para que com gestos discretos – como uma batida leve – o aparelho comece a tocar. Na configuração, o usuário escolhe o gesto que ativará o aplicativo, o tempo entre o gesto e o toque e o som que será usado. O Desguiator é compatível com celulares que rodam o sistema operacional Symbian e pode ser baixado em http://store. ovi.com/content/40949.

VoIP do Google

O Google lançou mais uma nova ferramenta: O Google Voice. Concorrente direto do Skype, o serviço também oferece ligações para telefones fixos e móveis, correio de voz que pode funcionar como e-mail, ligações gratuitas para outros usuários, mensagens SMS e ligações internacionais mais baratas. O Google já vinha preparando terreno para o aplicativo, que até o ano passado funcionava integrado ao Gmail e era possível utilizar algumas de suas funções. A empresa aperfeiçoou e ajustou os recursos com a ajuda de sugestões de seus usuários. O Google Voice, inicialmente, funcionará somente nos EUA e no Canadá e será disponibilizado para outros países gradualmente.

O QUE É NOVO

Carro para videogame. Agora jogar o videogame Wii ficou, digamos, mais confortável. O Inflatable Racing Kart for Wii é um acessório inflável em formato de carro feito para acomodar quem gosta de jogos de corrida. Ele vem com um volante de plástico, onde o controle remoto do Wii – o Wiimote – se encaixa. O console custa US$39,99 na Amazon.com. www.revistafale.com.br

JULHO DE 2010 | Fale

!

|

11

||Pause

Wikipédia de bolso

apontam também para o possível mercado em comum: o público jovem. Focado em redes sociais e com um design alternativo, o aparelho virá em sete opções de cores - entre elas, azul, rosa, amarelo e branco. Ele é muito pequeno - cabe na palma da mão - quadradinho e com o teclado abrindo para o lado e girando até embaixo. Outra novidade é que o FlipOut será o primeiro smartphone Motorola com Android, no Ocidente, a trazer a loja de aplicativos da empresa, a SHOP4APPs, até então disponível somente na China. Lançado nesse mês no Brasil, o FlipOut custa cerca de 900 reais.


||Pause

PeriscópioFERNANDO MAIA PT SEM PERSPECTIVA

V CONSTRANGIMENTO

Não foi amistoso o encontro do senador Tasso com o deputado José Arnon na visita da caravana do PSDB à cidade de Crato, durante o período festivo da exposição agropecuária. O senador chamou o deputado de traidor, na presença de várias pessoas. Samuel Araripe, prefeito de Crato e coordenador da campanha tucana no Cariri, tinha compromisso de votar em Arnon, mas está em situação difícil para honrar a sua palavra. Sabe que o senador não perdoa e não irá decepcioná-lo.

EXCLUSÃO

Engana-se quem pensar que o PT deixou barato a sua exclusão do cargo de vice-governador na chapa oficial. Cid Gomes premiou o PMDB com a sua confiança, marginalizando um velho companheiro de outras batalhas. Luizianne Lins não compareceu, em sinal de protesto, à convenção conjunta que homologou a chapa da situação, onde José Pimentel figura como um dos candidatos ao Senado Federal. Silenciosamente guarda, na sua “pouchet”, o troco da ofensa.

POUCO EMPENHO

Antes do fim de setembro, segundo nos informa um deputado governista, estarão concluídas as medidas corretivas para assegurar ao governador Cid Gomes uma vitória nas urnas. Ao que se informa, alguns prefeitos estariam afrouxando a votação de governador cedendo às pressões de um certo candidato ao Senado Federal. 12 | Fale!

| JULHO

DE 2010

AI MUDAR TUDO. O PT

e o PSB se entenderam no útil e no agradável do presente, abrindo novas perspectivas para a história no futuro. Cid Gomes teve de engolir José Pimentel, um candidato que não queria, e o PT perdeu a vice-governadoria, cargo que queria. Mudou a correlação de forças da política estadual que ficará centrada, a partir de agora, com o PSB e PMDB. Pimentel poderá ser senador, mas o PT perdeu o tempo da virada do poder. Quando Cid Gomes se encaminhar para o Senado Federal quem ficará com o governo será Domingos filho, do PMDB. O presidente da Assembleia é infinitamente mais astuto, mais hábil e mais perigoso do que o presidente do seu partido, que gostaria de ser o vice. É um estrategista. Não dá um passo sem estudar a sua caminhada, enquanto que Eunício sempre foi um homem de negócios que não cuidou bem do espólio partidário e por isso mesmo sucumbiu à astúcia do correligionário mais presente no campo da luta. Os movimentos do governador foram também estratégicos. Não poderia dar a vice a um partido que tem por trás a cobertura da presidência da República. Perderia o seu poder de interlocução com o Planalto e se tornaria refém de uma agremiação mais organizada, e não fisiológica como o PMDB que se contenta em gravitar em torno do poder sem ameaçar tomá-lo. Cid Gomes recuperou-se do rompimento com Tasso, colocando na vice um político peso-pesado, experiente www.revistafale.com.br

e conhecido, passado na casca do alho. Os seus adversários buscaram para vice dois nomes que o Ceará não conhece. Pedro Fiúza (PSDB) e Cláudio Vale (PPS-PR) são marinheiros de primeira viagem, infantes valorosos que não mostraram qualidades que justificassem as escolhas. Ocuparam um espaço que parece continuar vazio, por falta de capacidade para arejar o debilitado organismo da política cearense. Ambos são “jabutis” em cima de árvores embarcados no bordo da política pela vertente financeira. As pesquisas mostraram que Cid Gomes sofre o desgaste natural do seu reinado. Caiu do patamar de 58% para 47% na primeira amostragem do DataFolha, mostrando-se sem gordura para resistir à intempérie do nebuloso inverno eleitoral que está apenas começando. Na disputa em que venceu Lúcio Alcântara, o governador de então tinha 44% e ele vinha atrás com 36%, mas conseguiu virar o jogo e vencer a eleição. O mesmo se deu na disputa que marcou a queda dos coronéis. Tasso iniciou a campanha com 4% e Adauto Bezerra tinha 54 %. O histórico mostra que o fato de liderar a primeira pesquisa não é garantia para a vitória final. A verificação da alma do eleitor não significa, forçosamente, uma ameaça ao governador em busca da reeleição. Ela significa que o corpo eleitoral do estado poderá ser mobilizado para mudanças com o desejo de renovação sobrepondo-se ao continuísmo, se levarmos em conta que 63% dos eleitores responderam à pesquisa de forma induzida.n


Periscópio FERNANDO MAIA

O ESPERTO

Para os que duvidam da competência do coordenador geral da campanha do governador Cid Gomes, é bom lembrar que o ex-secretário Arialdo Pinho é engenheiro e sempre foi o primeiro da sua turma, desde que entrou na faculdade. É um personagem obstinado, capaz de dar nó em pingo d’água. É esperto, até demais, para superar com a dedicação o seu pouco conhecimento de política. Falta-lhe, no entanto, um pouco de ternura, requisito indispensável para quem tem a missão de garimpar votos achando graça.

MESMO DNA

SÓ UM CHEGARÁ AO OLIMPO a segunda vaga de senador está embolada. Os dois candidatos fazem jogo de cena, mas nenhum deverá apoiar o outro. Tanto Eunício quanto Pimentel irão às urnas com a convicção de que o voto puro será a salvação. Nos dois partidos, essa diretriz vem sendo administrada em silêncio para ser dada no apagar das luzes da campanha eleitoral. n

RENOVAÇÃO

Experientes observadores fazem previsões nefastas para a renovação na Assembleia Legislativa do Ceará. Historicamente, a média de novos eleitos é da ordem de 45%, mas para as próximas eleições as previsões são pessimistas, acreditando-se que 60% dos atuais deputados perderão o bonde da história. Esse índice é considerado elevadíssimo, mas reflete o quadro atual da política cearense.

MÁGOAS

ELEIÇÃO NA FIEC

Sem perspectivas de governo em curto prazo, cresce no PT a tese de não apoiar nas urnas a reeleição do governador. Os petistas esperavam chegar ao poder no Ceará na esteira de Cid Gomes que vai sair antes de findar o mandato, se for reeleito. Mas Cid trocou de vice, entregando ao PMDB a ordem sucessória. A falange mais radical do partido quer votar só no senador, partindo do princípio de que a aliança entre eles não sobreviverá no pós-eleitoral. Se vai brigar depois, porque ser fiel agora a quem rompeu fecundos laços de fraternidade?

No dia 19 de agosto será a eleição da FIEC. Estão aptos a votar 1.255 associados representados por 29 sindicatos. Concorrem apenas duas chapas: uma de situação, liderada pelo atual presidente, Roberto Macêdo; e a da oposição, com Orlando Siqueira à frente. O cargo, de significativa importância por representar o pensamento do setor produtivo estadual, tem um outro atrativo muito especial: o titular tem à sua disposição cerca de US$ 3 milhões por mês para tocar a máquina do sistema educativo empresarial. O resultado poderá ser massacrante. Macêdo tem o apoio de 22 sindicatos, contra 4 do seu oponente. A Comissão Eleitoral, que tem à frente Nicole Barbosa, presidirá o pleito que começa dois dias antes, com a votação no dia 17, do pessoal do interior.

MÁGOAS

Se tivesse permanecido no PMDB o deputado Mauro Filho seria o candidato a vice-governador, é o que afirmam observadores dos fatos políticos. É comensal mais antigo na mesa dos Ferreira Gomes e teria prioridade na escolha. Como a chapa pura seria suicídio, só lhe resta aguardar a disputa pela prefeitura de Fortaleza, sonho que sempre alimentou. www.revistafale.com.br

JULHO DE 2010 | Fale

!

|

13

||Pause

E

M DUAS REUNIÕES DO PT em que a candidatura Cid Gomes poderia ser contestada, não se registrou quorum. Esse assunto ficou para mais adiante, mas o partido está consciente de que deve tomar uma posição a favor do seu candidato ao Senado. A disputa entre Eunício e Pimentel será vencida por cabeça. Tasso está disparado, mas

Mamãe Luiza, genitora da prefeita de Fortaleza, é candidata à Assembleia Legislativa com amplas perspectivas de eleger-se. Nunca subiu em um palanque eleitoral, mas se gerou uma fórmula de sucesso é porque tem o DNA da raça que fez de Luizianne Lins um fenômeno de urnas, elegendo-se por duas vezes, uma delas em primeiro turno.


10PERGUNTASPARA

EDUARDO BEZERRA NETO

D

ESDE A PUBLICAÇÃO DE “A ORIGEM DAS ESpé-

||Pause

cies”, por Charles Darwin, em 1859, a ideia da existência de Deus, bem como do céu e do inferno, defendidos pelas principais religiões monoteístas, tem sofrido investidas cada vez mais fortes dos racionalistas. Em oposição a essa perspectiva, um economista cearense tem enfrentado a corrente materialista, usando a razão e a pesquisa. Eduardo Bezerra Neto, superintendente do Centro Internacional de Negócios da Federação das Indústrias do Ceará, dedicou pelo menos 38 anos à tarefa da defesa racional e embasada da fé. Ele estudou profundamente os próprios escritos cristãos para construir uma nova visão sobre elementos caros à crença de mais de 1,5 bilhões de pessoas. De formação católica e ex-ministro de Eucaristia, o estudioso do cristianismo não aceitou, no entanto, as limitações impostas pelo credo romano. Bezerra Neto, ao contrário, decidiu mergulhar no universo das mais diferentes versões e traduções da Bíblia. Para isso, teve inclusive de aprender grego e hebraico. Em junho, lançou o livro “Inferno e Céu: Desafio à Inteligência — Refletindo sobre o Cristianismo no século XXI”, mesmo sabendo que geraria polêmica entre as principais denominações cristãs. Contudo, a vida do pensador não se resumiu ao seu interesse pelo cristianismo. Nascido em Fortaleza, bacharelou-se em Direito na Universidade Estadual do Rio de Janeiro e em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Ceará. Fez mestrado em Ciências pela Universidade do Arizona. O escritor é ainda Titular da Cadeira de Teoria e Prática de Pesquisa na UFC. Fale! conheceu um pouco mais do pensamento do intelectual.

Fale! O senhor teve uma educação basicamente católica. Como acredita que isso contribuiu para torná-lo um especialista em Bíblia e como faz hoje para 14 | Fale!

| JULHO

DE 2010

www.revistafale.com.br


tentar não misturar suas pesquisas com sua fé? Eduardo Bezerra Neto. Deus está acima das religiões institucionais. Nós, do mundo ocidental, somos herdeiros da herança judaico-cristã. Existe hoje uma edição interconfessional de evangélicos (alemães e americanos) e mais um católico e um ortodoxo, que é o melhor texto que concilia as versões mais antigas. É sobre esses textos que eu me apoio para refletir. Como decorrência, deixei de ser Católico Romano. Hoje reconheço ser cristão e católico na conotação própria do termo: católico = universal.

Fale! Porque caíram em declínio, nas últimas décadas, as concepções de purgatório e limbo na Igreja Católica? Influência do crescimento do evangelismo neopentecostal ou novos estudos feitos pelos teólogos do Vaticano? Eduardo Bezerra Neto. A falta de lógica levou ao desgaste de ambos. A Igreja Católica os foi escondendo devagarinho, para não despertar perguntas constrangedoras. Fale! Qual importância as diferentes traduções das Escrituras tive-

O ensino de Jesus quanto aos pecadores não foi bem entendido pelas primeiras gerações de cristãos. ram para moldar o Cristianismo tal como o conhecemos hoje? Eduardo Bezerra Neto. O Judaísmo, o Cristianismo e o Islamismo, as três principais religiões monoteístas, são “religiões do livro”. Seus princípios estão postos por escrito. Ocorre que copiar manuscritos na antiguidade não era tarefa fácil. As letras eram colocadas uma ao lado das outras, sem separação de palavras. Essa separação somente surgiu séculos depois. Consequentemente, dos 5.000 manuscritos do Novo Testamento, parcial ou integral, nenhum deles coincide com o outro. Foi daí que surgiu a ciência da Crítica Textual, que procura entender as diferenças e usar a lógica no esforço de tentar reconstituir o que poderia ter sido a redação original. Fale! O senhor acredita que houve trechos suprimidos ou acrescentados de forma proposital aos textos www.revistafale.com.br

sagrados do Cristianismo? Eduardo Bezerra Neto. Sem dúvida. Quando em uma mesma carta do apóstolo Paulo ele parece se contradizer, a razão é que um escriba posterior alterou a redação original de Paulo. A Crítica Textual tem incontáveis exemplos identificados de alterações, por distração do copista e outras introduzidas intencionalmente porque interessava à “ortodoxia” vigente na época. Fale! De que forma explica o fato histórico de o Vaticano ter desestimulado a consulta à Bíblia pelos fiéis, em detrimento da interpretação sacerdotal, durante tantos séculos? Eduardo Bezerra Neto. Eu próprio fui vítima dessa proibição. A primeira vez em que coloquei a Bíblia diante dos olhos estava desobedecendo ao religioso que era meu professor de catecismo. No Seminário de Fortaleza, os seminaristas somente podiam ler o que os Padres Mestres permitiam. Tinham medo de alguns episódios não muito edificantes que estão na Bíblia, inclusive prostituição e incesto. Ordenavam-se sacerdotes católicos sem terem lido integralmente a Bíblia. E se hoje essa mesma pergunta for feita aos seminaristas atuais, duvido que tenham lido a Bíblia do Gênesis ao Apocalipse. Fale! Está sendo travada por parte de certo grupo de cientistas, como Richard Dawkins, uma espécie de cruzada anti-religião. Como o senhor acredita que o cristianismo, de um modo geral, está preparado para lidar com as investidas do ateísmo? Eduardo Bezerra Neto. Não constitui fato novo o confronto entre ateísmo e teísmo. E creio que Deus não tem qualquer preocupação a esse respeito. Qualquer pessoa pode dizer que idéias não existem porque elas não podem ser pesadas, medidas, experimentadas ao paladar, cheiradas ou submetidas a teste por qualquer dos cinco sentidos físicos. Contudo, alguém admite que idéias não existem? Assim também é Deus. Quem quiser negá-lo poderá fazer sem impedimento algum. Mas que ele existe, existe mesmo; com os que crêem e os que não crêem. n JULHO DE 2010 | Fale

!

|

15

||Pause

Fale! As concepções sobre céu e inferno mudam muito entre o Antigo e o Novo Testamento? E na história do Cristianismo? Eduardo Bezerra Neto. Em primeiro lugar surge a pergunta: onde está Deus? Os povos mais antigos costumavam situá-los no alto das montanhas, que eles não conseguiam atingir. Quando os picos das montanhas foram alcançados e Deus não estava lá, então o situaram mais além. Deus então foi posto no céu, porque ali ninguém poderia chegar. Era somente isso, porque não havia a idéia de uma outra vida além da vida materialmente vivida. A evolução do pensamento levou a admitir que o corpo humano era animado por um princípio vital, distinto da matéria. Uma evolução posterior desenvolveu a idéia de um lugar para as almas das pessoas boas, diferente do lugar reservado às almas das pessoas más. Foi dessa raiz que o Cristianismo formulou a doutrina do céu e do inferno. Todavia, enquanto o céu é concebido como um conceito muito direto e único, o mesmo não ocorre com o “inferno”. O Novo Testamento distingue seis destinos para as almas das pessoas más. Percebe-se claramente que o ensino de Jesus quanto aos pecadores não foi bem entendido pelas primeiras gerações de cristãos. As igrejas cristãs reuniram tudo na imagem única do “inferno” e passaram a explorá-lo como instrumento de coação. Essa doutrina eclesiástica, absolutamente humana não corresponde à Palavra de Deus. Na visão dos profetas e na

mensagem pessoal de Jesus predominam o perdão e a salvação.


A CORRIDA RUMO AO

PLANALTO

De quatro em quatro anos, o cenário político brasileiro se vê em volta de elementos típicos de um período eleitoral: inaugurações, debates, escândalos e dossiês em proporções mais vistosas do que as normais. Mas, diante das diversas transformações nas circunstâncias políticas, cada eleição é uma eleição. Sobre a disputa presidencial desse ano pode-se dizer que está sendo embalada por fatos inéditos para a história política brasileira Por Cinara Sá e Lívia Pontes

P

ELA PRIMEIRA VEZ DESDE O RETORNO ÀS ELEIÇÕES diretas, em 1989, Luiz Inácio Lula da Silva não esta-

rá concorrendo ao Palácio do Planalto. É um desafio para o PT, que em 30 anos de história, enfrenta a primeira campanha presidencial sem o nome de Lula nas urnas. Desafio também para o sucessor de um dos presidentes mais populares da história do Brasil. A ausência de Lula nas urnas poderia ser vista pela oposição como um obstáculo a menos na campanha. Poderia, se não fosse o empenho do presidente em tentar eleger sua candidata quase pessoal, Dilma Rousseff. Apoiada na alta popularidade do presidente, Dilma conseguiu grande visibilidade e seu rosto tornou-se familiar para a população. Antes favorito com folga considerável, José Serra foi ultrapassado por Dilma nas últimas pesquisas de intenção de voto. Juntos, os candidatos petista e tucano representam uma eleição até agora polarizada. Porém, mesmo com o protagonismo dos dois, a disputa também cede espaço para Marina Silva, candidata pelo PV, que juntamente com Dilma insere mais

16 | Fale!

| JULHO

DE 2010

www.revistafale.com.br

um elemento inédito nas eleições de 2010: duas mulheres na disputa. Ivan Pinheiro (PCB), José Maria Eymael (PSDC), Levy Fidélix (PRTB), Oscar Silva (PHS) e Zé Maria (PSTU) figuram no grupo dos partidos “nanicos”, que são ignorados pelas pesquisas por receberem menos de 1% das intenções de voto e que, em geral, entraram na disputa com o intuito de tentar ampliar a discussão política — e outros, para fazer propaganda ideológica. Mas seus papéis nas eleições podem ir além disso, pois dependendo do desempenho deles nas urnas, juntos, podem até provocar um segundo turno. A seguir, o perfil de cada concorrente ao Palácio do Planalto. n


MARINA SILVA, candidata do PV à Presidência, destacando a importância da exposição do candidato para que o eleitor possa conhecê-lo

Vamos vencer o medo que eles tentam espalhar, com a competência, com o crescimento econômico, com o Bolsa Família. Vamos vencer as ameaças de terror porque temos hoje um patrimônio que é de toda a população brasileira, que é o governo Lula.

Tem de parar essa estória de que um candidato só vai nos lugares 100% seguros, com 100% de aplausos, 100% de votos e 100% de puxa-saquismo. Temos de fazer política sendo gente, indo a todos os lugares, onde nos votam, aplaudem ou não votam e vaiam. Isso mostra que candidato também é ser humano.

DILMA ROUSSEFF, candidata presidencial do PT, acusando a oposição tucana de fazer uso do que classificou como “tática do medo”

 Não se debatem temas. Hoje tem um mecanismo que é uma central de boatos, que espalha coisas, e uma atitude de ofendido quando você diz alguma coisa que todo mundo sabe que é verdade. JOSÉ SERRA, candidato do PSDB ao Palácio do Planalto, afirmando que há um dificuldade no Brasil de se debater temas de governo

www.revistafale.com.br

JULHO DE 2010 | Fale

!

|

17


DILMA ROUSSEFF

JOSÉ SERRA

MARINA SILVA

Apontada já em 2007 como a possível candidata do PT ao Palácio do Planalto, Dilma Vana Rousseff tem como padrinho político o presidente Lula que aposta na experiência administrativa da candidata para ser sua sucessora. Mineira de Belo Horizonte, Dilma, 63 anos, é filha de um engenheiro búlgaro naturalizado brasileiro e de uma professora mineira. Na época da ditadura militar, se envolveu em diversas organizações de esquerda – como o Comando de Libertação Nacional (Colina) - participando da luta contra o regime. Por conta da militância política ficou presa durante quase três anos, período em que foi torturada. Formada em economia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS – Dilma, apesar de nunca ter exercido cargos eletivos, é reconhecida por seus trabalhos na Secretaria de Minas, Energia e Comunicação em dois governos consecutivos no Rio Grande do Sul, em 93 e 99. Dilma é filiada ao PT desde 2001 e foi ministra de Minas e Energia no primeiro governo Lula, ocupando em 2005 o cargo de ministra-chefe da Casa Civil. Considerada a “mãe do PAC” – Programa de Aceleração do Crescimento – Dilma coordenou ainda outros programas estratégicos do governo, como o “Minha Casa, Minha Vida” e o Pré-Sal. Desligada do governo desde abril passado para poder entrar na disputa presidencial, a candidata petista tem como um dos principais elementos no seu discurso a comparação entre os governos Lula e FHC, além de pregar continuidade e aperfeiçoamento dos projetos de Lula — em especial os sociais.

O postulante pela segunda vez ao Palácio do Planalto, José Serra, acompanhou e esteve engajado nos movimentos políticos mais relevantes no Brasil nos últimos quarenta anos. O início da vida pública veio pela militância no movimento estudantil: o economista e ex-professor universitário chegou à presidência da União Estadual dos Estudantes-SP, posteriormente comandando a União Nacional dos Estudantes – UNE – época em que sofreu perseguição pós-golpe de 1964. A ameaça que o líder estudantil representava ao governo militar o obrigou a exilar-se do País, passando 13 anos de sua vida no Chile, França, EUA, e outros países da América do Sul. Com a anistia, Serra assumiu seu primeiro cargo no executivo, como deputado federal constituinte pelo antigo MDB, participando ativamente da formulação da Constituição de 1988. Após um segundo mandato como deputado e eleito senador, o candidato não chegou a assumir o cargo no Congresso Nacional para assumir a pasta de Planejamento e Orçamento, no primeiro governo de Fernando Henrique Cardoso. No segundo mandato de FHC, Serra esteve à frente do ministério da Saúde, onde foi reconhecido por projetos de melhorias no sistema de saúde público e em programas sociais. Primeiro presidente do PSDB paulista e um dos fundadores do partido, o tucano tornou-se uma das lideranças no partido. Além de ministro, Serra, 68, foi prefeito de São Paulo entre 2005 e 2006, cargo que deixou para concorrer ao governo do estado, onde permaneceu até abril deste ano para tornar-se elegível para presidente.

A acreana Marina Silva já ressalta em sua campanha à presidência sua proposta de uma nova política, que tem a preservação ambiental como peça-chave. Apesar do tema não tomar papel central em seu plano de governo, a ex-ministra do Meio Ambiente no governo Lula está intimamente ligada às lutas ambientais. Nascida em um seringal perto da capital Rio Branco, a segunda de onze filhos de seringueiros ficou órfã de mãe aos 15 anos, época em que se alfabetizou. Em quatro anos completou os supletivos e prestou vestibular para História da Universidade Federal do Acre, onde sua militância ambiental foi estimulada por seu mentor, Chico Mendes. Nessa aliança político-ideológica, os dois fundaram a Central Única dos Trabalhadores (CUT) do Acre em 1984 e no ano seguinte ela se filiou ao partido que lhe deu sustentação política por trinta anos, o PT. Eleita vereadora, depois deputada estadual, em 1994, Marina foi eleita a senadora mais jovem da República, cargo para qual foi reeleita e cumpre o segundo mandato. Em 2003, foi escolhida para comandar o ministério do Meio Ambiente até renunciar em 2008 por conta de divergências no governo. Em sua gestão, diminuiu a níveis históricos em mais da metade o desmatamento da floresta amazônica em três anos. No mesmo ano, saiu do PT para afiliar-se ao PV. Uma das quatro senadoras em um total de 81 hoje na Casa, Marina, 52 anos, pode vir a ser a primeira mulher negra a presidir o País. Seu vice-candidato é também engajado na preservação ambiental, o empresário Guilherme Leal, também do PV.

QUEM José Serra ÚLTIMO CARGO POLÍTICO Governador de São Paulo COLIGAÇÃO PSDB, DEM, PTB, PPS, PMN, PT do B “O Brasil Pode Mais” VICE Indio da Costa INTERNET www.joseserra.org.br

QUEM Maria Osmarina Marina Silva Vaz de Lima ÚLTIMO CARGO POLÍTICO Ministra do Meio Ambiente e Senadora da República COLIGAÇÃO PV “Juntos Pelo Brasil Que Queremos” VICE Guilherme Leal INTERNET www.minhamarina.org.br/

COM O APOIO DO LULA

QUEM Dilma Vana Rousseff ÚLTIMO CARGO POLÍTICO Ministra da Casa Civil COLIGAÇÃO PT, PMDB, PDT, PSB, PR, PC do B, PRB, PTN-PSC e PTC “Para o Brasil Seguir Mudando” VICE Michel Temer INTERNET www.dilma13.com.br

18 | Fale!

| JULHO

DE 2010

A VOLTA DO TUCANO

www.revistafale.com.br

DISSIDENTE DO PT


OS NANICOS ELES TAMBÉM QUEREM SEU VOTO

José Maria Eymael

Nascido em Porto Alegre, Eymael é graduado em Direito e em Filosofia, candidatando-se duas vezes à Presidência, em 1998 e 2006. É empresário das áreas de marketing e comunicação e foi um dos fundadores do PSDC. Candidatou-se à prefeito de São Paulo por duas vezes (1985 e 1992) e elegeu-se deputado federal em 1986, conseguindo se reeleger. Nesse período, foi considerado um dos parlamentares mais influentes e teve 145 propostas aprovadas, um dos maiores números da Casa. QUEM José Maria Eymael ÚLTIMO CARGO POLÍTICO Deputado Federal COLIGAÇÃO PSDC VICE José Paulo da Silva Neto

Plínio Sampaio

Rui Pimenta

Um dos fundadores do PT, Plínio foi deputado federal três vezes pelo partido e candidato ao governo de São Paulo em 1990. Em 2005, por conta de divergências políticas, desligou-se do PT e no ano seguinte filiou-se ao PSOL, quando se candidatou novamente ao governo paulista. Trabalhando para ONU em programas ligados à agricultura, tornou-se, em 1975, consultor do órgão. Atualmente, preside a Associação Brasileira de Reforma Agrária – ABRA – na gestão que encerrará ainda neste ano. Intitula-se “anticandidato”.

Formado em Jornalismo pela Faculdade de Comunicação Social Cásper Líbero, Rui Pimenta exerce a profissão como editor do jornal “Causa Operária”. Foi integrante do movimento estudantil, participou da fundação do Partido dos Trabalhadores e das lutas sindicais na década de 80. Por conta de divergências dentro do PT participou da fundação do Partido da Causa Operária – que se consolidou como partido em 1996. Atual presidente do PCO, Rui Pimenta já foi candidato a vereador, a deputado federal, a prefeito de São Paulo e, em 2002, a presidente da República pelo partido.

QUEM Plínio Soares de Arruda Sampaio ÚLTIMO CARGO POLÍTICO Presidente da ABRA COLIGAÇÃO PSOL VICE Hamilton Assis

QUEM Rui Costa Pimenta ÚLTIMO CARGO POLÍTICO Presidente do PCO COLIGAÇÃO PCO “Salário, Trabalho e Terra” VICE Edson Dorta Silva

Ivan Pinheiro

Ivan Martins Pinheiro, 64 anos, iniciou sua carreira política ainda na adolescência. Formado em Direito pela antiga Universidade do Estado da Guanabara, Ivan foi membro do MR-8 que fazia oposição ao regime militar. Na década de 70, filiou-se ao PCB, do qual é hoje secretário- geral. Já se candidatou a deputado federal, a vereador e a prefeito do Rio de Janeiro. QUEM Ivan Martins Pinheiro ÚLTIMO CARGO POLÍTICO Secretário do PCB COLIGAÇÃO PCB VICE Edmilson Costa

Levy Fidélix

Um dos fundadores do Partido Liberal, esteve afiliado também ao PTR e fundou

Evolução da intenção de voto para Presidência FONTE

Datafolha

José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) estão tecnicamente empatados. A diferença entre os dois candidatos está dentro da margem de erro da pesquisa. Confira o desempenho dos candidatos que lideram as intenções de voto.

40

42

40

38

37 37

31

30

11

10

39 38

30

26

11 11 11

14 a 16 Dez09

10 10 24 e 25 Fev10

DILMA ROUSSEFF

11

12 8

9

JOSÉ SERRA

9 8

15 e16 Abr10

25 e 26 Mar10 MARINA SILVA

www.revistafale.com.br

12

5 20 e21 Mai10 BRANCOS | NULOS

10 8 4 30Jun e 01Jul10 NÃO OPINARAM

JULHO DE 2010 | Fale

!

|

19


Zé Maria

em 1992 o PRTB – Partido Renovador Trabalhista Brasileiro. Já disputou duas vezes o governo de São Paulo e também a prefeitura da capital. Em 1994, concorreu para presidente, sendo mais conhecido pelo seu projeto do Aerotrem no Brasil.

Um dos fundadores e atual presidente do PSTU, Zé Maria atuou movimento sindical, liderando greves, tendo participado da fundação do PT e da CUT. O ex-metalúrgico esteve preso com o presidente Lula durante greve na Ditadura. Já disputou a presidência duas outras vezes, em 1998 e 2002.

QUEM José Levy Fidélix da Cruz ÚLTIMO CARGO POLÍTICO Militante do PRTB COLIGAÇÃO PRTB VICE Luiz Eduardo Ayres Duarte

QUEM José Maria de Almeida ÚLTIMO CARGO POLÍTICO Presidente do PSTU COLIGAÇÃO PSTU VICE Cláudia Durans

Divisão do tempo no horário político presidencial FONTE

ZÉ MARIA (PSTU)

56 segundos RUI PIMENTA

Número de inserções diárias em rádios e televisões*

7

O

Senado Federal, uma das duas casas do Congresso Nacional, já prepara o evento que ocorrerá somente daqui a seis meses: a cerimônia de posse do novo presidente da República. A secretária-geral da Mesa do Senado, responsável pela organização, informa 20 | Fale!

| JULHO

DE 2010

LEVY FIDÉLIX (PRTB)

56 segundos

(PSOL)

1 minutos e 2 segundos MARINA SILVA (PV)

1 minutos e 25 segundos

10

Senado já prepara a posse

56 segundos

PLÍNIO SAMPAIO

Veiculadas como anúncios durante os intervalos comerciais, são consideradas cruciais para campanha. DILMA ROUSSEFF JOSÉ SERRA MARINA SILVA 1 JOSÉ EYMAEL 1 IVAN PINHEIRO 1 LEVY FIDÉLIX 1 PLÍNIO SAMPAIO 1 RUI PIMENTA 1 ZÉ MARIA 1

56 segundos

56 segundos

TSE

TSE

(PSDC)

(PCB)

(PCO)

Em blocos de 25 minutos cada, que irão ao ar duas vezes por dia, três dias por semana

FONTE

JOSÉ EYMAEL

IVAN PINHEIRO

JOSÉ SERRA

(PSDB, DEM, PTB, PPS, PTdoB e PMN)

7 minutos e 12 segundos

DILMA ROUSSEFF

(PT, PMDB, PR, PDT, PCdoB, PSB, PRB, PTN, PSC e PTC)

10 minutos e 39 segundos

*TEMPO CALCULADO COM BASE EM INSERÇÕES DE 15 SEGUNDOS

que muitos setores estão envolvidos na empreitada, que inclui desde pequenos detalhes, como a contratação de calígrafos e a impressão de convites, até a preparação jurídica da sessão que dará posse ao presidente eleito no pleito de outubro próximo. “São muitos detalhes, como a definição dos funcionários que estarão de plantão cuidando da luz, do ar-condicionado, dos computadores, dos médicos e policiais que irão trabalhar e até a preparação do livro

de posse. Desde Café Filho, há muitos anos, temos um mesmo livro de posse”, informa a secretária-geral da Mesa, Cláudia Lyra. No primeiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, foram emitidos mais de 1.700 convites para a posse. Não houve controle de presença e não se sabe quantos convidados compareceram. Agora um sistema de código de barras nos convites fará a contagem. No dia da posse, 1º de janeiro de 2011, os vence-

www.revistafale.com.br

dores da eleição de outubro próximo entrarão no plenário da Câmara dos Deputados como presidente e vice-presidente eleitos e sairão como presidente e vice-presidente da República. A sessão será aberta pelo presidente do Congresso Nacional, senador José Sarney (PMDB-AP), que deverá convidar o presidente eleito para fazer o juramento constitucional. Em seguida, Sarney o declarará empossado e começarão os discursos. n


Opinião

Cotas, a verdadeira discriminação

N

o ano retrasado, a estudante Tatiana Oliveira ingressou na Universidade Federal de Santa Maria - RS, através do sistema de vagas para afro-descendentes e teve sua matrícula cancelada no final de março de 2009 por uma comissão da Universidade que alegou que ela não preencheu as condições exigidas no programa de cotas. Ela é parda, as cotas são para negros e pardos, mas a comissão não a considerou merecedora do benefício, apesar de ser parda. No caso dos cotistas, deve ser entregue uma declaração onde o candidato se diz negro ou pardo. Ela é parda, filha de branca com pardo e neta de negros escravos. Reside numa vila pobre de Santa Maria, porém durante a entrevista disse que nunca foi discriminada. Esta não-discriminação assumida causou a perda de sua vaga por uma insana e discriminatória comissão avaliadora do sistema de cotas! Aliás, esta comissão tem representantes do movimento negro que discriminaram a Tatiana por ela não fazer parte destes movimentos e nem se julgar uma excluída! Se ela se sentisse excluída ou participasse de movimentos negros, a vaga seria dela. Como não foi o caso, julgaram que ela era uma branca querendo se aproveitar das cotas. O problema é que ela não é branca! A política de cotas por si é uma aberração, mas já que existe na lei, é para ser cumprida e não é uma comissão que vai agora começar a definir quem tem ou não direito baseado nos conceitos de ser ou não excluído! A Tatiana é parda e tem direito a sua cota. Sua advogada está entrando com ação na Justiça Federal com pedido de liminar para que Tatiana volte às aulas imediatamente. Voltando ao sistema de cotas, existem inúmeros juristas que afirmam que ela fere a Constituição Federal e está em desacordo com o princípio de isonomia e de igualdade. No caso das

Por Célio Pezza universidades, na verdade é o pobre, e não o negro, que tem dificuldades de acesso, pois ele não pode se preparar adequadamente e às vezes nem pagar uma taxa de inscrição. Parece

O Brasil é um país onde a miscigenação predomina e nos preocupa quando Estado classifica seus cidadãos segundo sua etnia ou cor. O trágico é que isto acontece justamente numa hora em que a sociedade vem tomando mais consciência dos males de todo tipo de discriminação e aprendendo a rechaçá-lo. O Brasil é uma mistura e querer separá-lo através de cotas é um erro que pode nos custar caro no futuro.

blico de São Paulo acusa a São Paulo Fashion Week de racista e quer instituir uma cota para modelos negras! O objetivo da promotoria é promover uma inclusão social e estabelecer um número mínimo de modelos negros a desfilar! Isso é preocupante! O Brasil é um país onde a miscigenação predomina e nos preocupa quando o Estado começa a inventar métodos de divisão entre brancos e negros. No fundo, estas leis induzem ao racismo. Vejam o caso da Tatiana, que se sentiu discriminada pela primeira vez na vida, justamente por uma comissão com ridículos poderes de definir quem é branco ou negro ou pardo, independente da origem. Se continuar desta forma, logo teremos sistemas de cotas raciais para presidentes, senadores, governadores, prefeitos, deputados, vereadores, médicos, professores, etc. Será a institucionalização da discriminação verdadeira, com o Estado classificando seus cidadãos segundo sua etnia ou cor. O trágico é que isto acontece justamente numa hora em que a sociedade vem tomando mais consciência dos males de todo tipo de discriminação e aprendendo a rechaçá-lo. O Brasil é uma mistura e querer separá-lo através de cotas é um erro que pode nos custar caro no futuro. Devemos, sim, combater a pobreza, a falta de educação, a falta de condições mínimas de saúde pública e promover a inclusão social, independente da cor. O Brasil só será um grande país quando tiver Educação, Saúde e Respeito pelos seus cidadãos. É disto que precisamos e não de cotas! n

mais correto prever um acesso ao pobre, seja ele branco, negro, pardo ou amarelo. Seguindo a onda das universidades, uma promotora do Ministério Pú-

Célio Pezza é escritor, mas tem sua formação acadêmica em Química e Administração de Empresas. Escreve artigos e crônicas sobre temas atuais da sociedade, assim como trata de assuntos polêmicos que vêm recebendo um bom espaço na mídia.

www.revistafale.com.br

JULHO DE 2010 | Fale

!

|

21


A CORRIDA RUMO AO

IRACEMA Na corrida ao Governo do Estado, o Ceará sofreu atraso na definição de coligações e candidatos. Decorrente também da situação nacional dos presidenciáveis e de pendências nessa esfera, temeu-se pela pobreza na eleição ao governo. Em certos momentos, a falta de candidatos aptos, tanto politicamente quanto no que diz respeito à administração pública, levou críticos a falarem sobre a ameaça de um processo democrático fragilizado e sem força popular no Estado. Por Cinara Sá e Lívia Pontes

M

alianças de última hora foram o foco nesses meses pré-eleitorais, onde articulações políticas eram costuradas e refeitas. Mesmo com a demora, o cenário político cearense nas eleições de 2010 acabou por firmar-se, com um leque de candidatos ideologicamente diversos e com projetos políticos igualmente variados. Os espectros de esquerda, centro e direita estão representados dentre os sete postulantes ao Palácio de Iracema. Por ordem alfabética, o eleitor tem a opção da continuidade com o atual governador Cid Gomes, o personagem do governo nos últimos quatro anos, que investiu em grandes obras, aproveitou apoio quase unânime nas diversas bases políticas e, em meio à divergências quanto às costuras eleitorais, teve de enfrentar o rompimento com o seu até então padrinho político, Tasso Jereissati. “Humildade tem que ser regada todos os dias porque poder é bicho que desengana”, disse Cid na convenção que homologou sua candidatura. “Poder é um bicho que desorienta”, reforça. “Eu peço a Deus, todos os dias, para me deixar consciente daquilo que eu realmente sou — eu sou um servidor.” Outro candidato é Francisco Gonzaga, com atuação no movimento sindical pelo PSTU, que pretende ampliar o foco na 22 | Fale!

| JULHO

DE 2010

UITA ESPECULAÇÃO e

www.revistafale.com.br

segurança pública.

Marcelo Silva é o atual presidente do Partido Verde no Ceará, ex-prefeito de Maranguape, ex-secretário da Prefeitura de Fortaleza, além de ter sido candidato à mesma prefeitura. O sociólogo Marcos Cals, candidato tucano e até pouco tempo secretário de Cid Gomes, vem coligado com o Democratas. “O Ceará está precisando de caras novas na política”, afirmou o senador Tasso Jereissati, entusiasta da candidatuta de Cals. “A política cearense está extremamente viciada”, reforça. “Infelizmente, nós voltamos ao passado.” A historiadora Maria da Natividade, candidata do PCB, partido em que compõe a diretoria, tem como principais bandeiras o combate à corrupção e o foco em programas sociais.


FOTO JARBAS OLIVEIRA

CID GOMES

LÚCIO ALCÂNTARA

Após quase quatro anos de governo marcados por grandes obras e programas na área da saúde e da segurança, o atual governador do Ceará, Cid Gomes, pleiteia a reeleição ao cargo, na esperança de ser tão bem-sucedido como foi na primeira eleição, quando chegou ao Palácio de Iracema no primeiro turno, com 62,38% dos votos. Com uma aliança partidária extensa, contendo 15 partidos coligados, o irmão do ex-presidenciável Ciro Gomes, oriundo de uma tradição política familiar no interior do Estado, pretende abusar das possibilidades eleitorais com uma coligação tão grande. Engenheiro Civil formado pela Universidade Federal do Ceará, o candidato iniciou a vida pública como deputado estadual eleito duas vezes ao cargo pelo PSDB, em 1991 e 1995, atuando na Assembleia Legislativa como 1º Secretário da Mesa Diretora e em seu segundo mandato, como presidente da Casa. Em 1996, deixa o partido tucano e se filia ao PPS, acompanhando o irmão, Ciro, e se candidatando à Prefeitura de Sobral, reduto político de sua família e cargo que seu pai havia exercido, para o qual foi vitorioso na reeleição em 2000. Em 2005, Cid, 47 anos, se desliga do PPS para filiar-se ao PSB, seu partido atual, no ano em que também se mudou para Washington D.C., EUA, para ser consultor do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). No ano seguinte, foi eleito governador e coordenou a campanha cearense do presidente Lula no segundo turno. O vice do candidato, o presidente da Assembleia Legislativa, Domingos Filho, advogado e deputado estadual pelo PMDB, também é nome de peso na política cearense atual e provém de forte tradição política.

Uma das maiores vozes oposicionistas à atual administração estadual, o ex-governador Lúcio Alcântara, após muitas especulações, entrou na disputa eleitoral mais uma vez concorrendo ao cargo que exercia quatro anos atrás. Nome tradicional na política cearense, Lúcio tem passagem por vários cargos políticos. Como secretário da saúde, deputado estadual e federal, prefeito de Fortaleza, vice-governador e senador, o médico formado pela Universidade Federal do Ceará entrou na disputa eleitoral concorrendo com o candidato que lhe tirou a reeleição do governo estadual nas acirradas últimas eleições. Presidente do PR no Ceará, Lúcio, durante o mandato como governador, pertencia ao PSDB, com passagem também pelo antigo PDS, PDT e PFL. Seu pai, Waldemar Alcântara, também já foi governador do estado. Além de médico e político, é membro da Academia Cearense de Letras, tendo publicado dezenas de livros. Como governador, teve atuações reconhecidas na área de desenvolvimento, na saúde e na capacitação de professores da rede pública. Destacado crítico e oposicionista durante os quatro anos da atual gestão, o ex-governador decidiu entrar na disputa para sanar o que considera falhas graves do governo, que, diz ele, foi um “fracasso”. O político também se opunha à situação da disputa estadual, quando o caminho do atual governador parecia livre de grandes adversários no caminho de sua reeleição, o que culminou na candidatura de Lúcio. O candidato tem como vice Cláudio Vale, jovem advogado, ex-diretor da secretaria do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-CE) e empresário.

LUTA PELA REELEIÇÃO

O e x- go ver nador Lúcio Alcântara voltou às urnas pelo PR, partido o qual preside no Ceará, para combater o que ele condena como retrocessos no estado e anunciando forte oposição. Finalmente, a ambientalista Soraya Tupinambá, do PSOL, concorre em nome, principalmente, das minorias indígenas e da preservação ambiental, ao lado de um desenvolvimento responsável. Resta conferir se a pluralidade dessas personalidades, com suas propostas e prioridades, vai contribuir efetivamente para um debate mais rico e aprofundado das muitas agruras do Ceará, que, porém, como o resto do País, passa por um momento de desenvolvimento relevante. Confira a trajetória de cada um dos candidatos ao Palácio de Iracema. n

QUEM Cid Ferreira Gomes ÚLTIMO CARGO POLÍTICO Governador do Estado COLIGAÇÃO PMDB/PT/PC do B/PSDC/PHS/PDT/PTB/PRB/PRTB/ PSL/PSC/PT do B/PP/PTN/PMN “Por um Ceará Melhor para Todos” VICE Domingos Filho HOME PAGE www.cid40.com.br/

www.revistafale.com.br

DE NOVO NA DISPUTA

QUEM Lúcio Gonçalo de Alcântara ÚLTIMO CARGO POLÍTICO Governador do Ceará COLIGAÇÃO PR/PPS “Para fazer brilhar o Ceará” VICE Cláudio Vale JULHO DE 2010 | Fale

!

|

23


FOTO DIVULGAÇÃO

MARCOS CALS

MARIA DA NATIVIDADE

SORAYA TUPINAMBÁ

O candidato ao Governo do Estado pelo PSDB, Marcos Cals, carrega o nome de dois políticos de destaque na história cearense: seu avô e seu pai, ambos eleitos ao cargo que o deputado agora pleiteia. Cals, 46 anos, foi um dos fundadores do antigo Partido Social Democrático (PSD) no Ceará nos anos 80, época em que também foi candidato à Prefeitura de Fortaleza. Agora, apoiado pela maior figura tucana cearense, o senador Tasso Jereissati, Cals pretende mudar o rumo da administração do Estado. Formado em Sociologia pela Universidade de Fortaleza, ele está no sexto mandato como deputado estadual, para qual foi eleito pela primeira vez em 1986. Com passagem pelo cargo de primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, presidiu-a por dois biênios, quando foi criada a Tv Assembleia e o Comitê Cearense para a Eliminação do Analfabetismo Escolar. Em 2007, se licenciou do mandato de deputado para assumir o cargo de secretário da Justiça e Cidadania no atual governo estadual, onde permaneceu até março deste ano, implementando melhorias no sistema penitenciário e de reabilitação. Após embates internos partidários e entre coligações, o candidato tucano, escolhido pelo partido quase na data-limite de registro de candidatura, concorre ao Palácio de Iracema na chapa “puro-sangue” tendo como vice-candidato Pedro Fiúza, empresário e militante do PSDB há 15 anos. Com uma campanha que promete ser majoritariamente voltada para o social, na disputa acirrada, Cals, apesar de ter feito parte do atual governo por mais de três anos, também já anunciou que irá fazer oposição ao governo que, afirma o candidato, falhou em melhorar as condições de vida de muitos no interior do Estado.

Aos 61 anos e nascida no Ipu, interior do Ceará, Maria da Natividade é a candidata do Partido Comunista Brasileiro ao Governo do Estado. Aposentada pelo Banco do Brasil, foi presidente e secretária geral do Sindicato dos Bancários por quase 10 anos — de 1979 a 1988. Natividade já foi candidata a deputada estadual em 1986 e atualmente faz parte da direção estadual do PCB. Por ser filiada a um partido pequeno, Natividade - juntamente com a socióloga Violeta Maria, sua vice – deverá enfrentar dificuldades na campanha, mas garante que em quatro anos devolveria aos cearenses um “outro Ceará”.

Estreante nas disputas eleitorais majoritárias e pouco conhecida pelo público, Soraya Tupinambá, a candidata ao governo pelo Partido Socialismo e Liberdade, tem um histórico de lutas no movimento estudantil universitário, tendo sido diretora da União Nacional dos Estudantes (UNE), quando cursava a Universidade Federal do Ceará. Soraya filiou-se ao PSOL em 2005. Tendo como uma das marcas da campanha o ativismo e a preservação ambientais, a candidata tem histórico de luta nesse meio, participando da fundação do Instituto Terramar nos anos 90.

QUEM Natividade Pinho Belém Rocha ÚLTIMO CARGO POLÍTICO Militante do PCB COLIGAÇÃO PCB VICE Violeta Maria

QUEM Soraya Vanini Tupinambá ÚLTIMO CARGO POLÍTICO Militante do PSOL COLIGAÇÃO PSOL VICE Eronilton Buriti

FRANCISCO GONZAGA

MARCELO SILVA

O maranhese Francisco Gonzaga é candidato do Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU), filiado desde 1994, sendo um dos nomes mais fortes entre os dirigentes operários do partido. Candidatou-se a vereador em duas ocasiões (2000 e 2004), a deputado estadual em 2002 e nas últimas eleições municipais foi candidato a vice-prefeito na chapa de Renato Roseno. Segurança pública e geração de empregos são algumas de suas bandeiras.

Depois do impasse entre permanecer ou não na base aliada de Cid Gomes, o Partido Verde no Ceará anunciou a candidatura de Marcelo Silva. A decisão foi tomada com o objetivo de construir o palanque no estado para a presidenciável do partido, Marina Silva. Entre 1993 e 1996, Marcelo foi vereador em Maranguape e prefeito do mesmo município entre 1997 e 2004. Foi secretário executivo da Regional III de 2005 a 2008. É presidente do PV no Ceará.

QUEM Francisco da Chagas Gonzaga ÚLTIMO CARGO POLÍTICO Militante do PSTU COLIGAÇÃO PSTU VICE Nivânia Amâncio

QUEM Marcelo Silva ÚLTIMO CARGO POLÍTICO Secretário da Regional III COLIGAÇÃO PV “Juntos Pelo Ceará que Queremos” VICE Aristides Braga

FOCO NO SOCIAL

QUEM Marcos César Cals de Oliveira ÚLTIMO CARGO POLÍTICO Deputado Estadual COLIGAÇÃO PSDB/DEM “Por um Ceará moderno e forte” VICE Pedro Fiúza INTERNET www.marcoscals45.com.br

24 | Fale!

| JULHO

DE 2010

À ESQUERDA DA ESQUERDA

UM SUPERNANICO

www.revistafale.com.br

EM PAUTA, O MEIO AMBIENTE

PALANQUE PARA MARINA


UM APELO AO

ELEITOR

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Ricardo Lewandowski apela para que os eleitores brasileiros analisem a vida dos candidatos e verifique se eles já fizeram algo de bom em benefício da sociedade

E

M PRONUNCIAMENTO em cadeia nacional de rádio e televi-

são o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Ricardo Lewandowski, pediu aos eleitores que analisem a vida dos candidatos e verifique se eles já fizeram algo de bom em benefício da sociedade antes de votar no dia 3 de outubro, e que não se deixem iludir por promessas vazias ou publicidade enganosa. Lewandowski ressalta que a soberania, nos países democráticos, é exercida, exclusivamente pelo povo, e por isso, é grande a nossa responsabilidade no momento de votar. Com o pronunciamento, o presidente do TSE deu início à campanha de esclarecimento ao eleitor “Você pode escolher o seu destino”, veiculada diariamente até o dia das eleições, por dez minutos, distribuídos ao longo da programação das emissoras de rádio e televisão do país e também nas emissoras brasiletras que têm filiais no exterior.

Leia a íntegra do pronunciamento Eleitoras e eleitores do Brasil: Dentro de mais algumas semanas, no dia 3 de outubro, compareceremos às urnas para escolher aqueles que governarão o País, em nosso nome, pelos próximos anos. Vamos eleger as pessoas que ocuparão os cargos de Presidente e Vice-Presidente da República, Governador e Vice-Governador de Estado e do Distrito Federal, Senador, Deputado Federal, Deputado Estadual e Deputado Distrital. O ato de votar – direito fundamental que se renova periodicamente – é a oportunidade que

o cidadão tem de escolher os seus representantes no Governo e no Parlamento, sem nenhuma interferência, a não ser da própria razão e consciência, e assim ajudar a construir o próprio destino e o futuro do Brasil. Logo começará o período de propaganda eleitoral em que os partidos políticos e candidatos divulgarão suas ideias, programas e projetos. Discuta as propostas com os seus familiares, vizinhos, amigos, colegas e membros da comunidade. Faça comparações, examine tudo criticamente, preparando-se para votar naqueles que melhor irão representá-lo no Executivo e no Legislativo. Analise a vida dos candidatos, verifique se eles já fizeram algo de bom em benefício da sociedade. Não se deixe iludir por promessas vazias ou publicidade enganosa; não troque o seu sagrado direito de votar por alguma vantagem pessoal ou para alguém que lhe é próximo. O bem-estar da coletividade não tem preço. Lembre-se, ainda, de que aqueles que, no passado, usaram os cargos públicos apenas para enriquecer ou se perpetuar no poder poderão voltar a fazê-lo. Antigamente, o soberano, aquele que mandava, era o rei ou o monarca. Hoje, nos países democráticos, a soberania é exercida exclusivamente pelo povo, pelo conjunto dos cidadãos. É grande, portanto, a nossa responsabilidade no momento de votar. Vamos nos aprontar para escolher os candidatos com os melhores antecedentes e que estejam efetivamente comprometidos com o bem comum. n  A FORÇA DO

VOTO. O ministro Enrique Ricardo Lewandowski, presidente do TSE FOTO _ NELSON JR. _ ASICS _ TSE

www.revistafale.com.br

JULHO DE 2010 | Fale

!

|

25


Economia

ROSAS EM FLORES DO CEARÁ | Sete em

cada dez rosas exportadas pelo Brasil são cearenses. O Estado lidera com folga, em nível nacional, um segmento que até bem pouco tempo atrás era visto como inviável para ser desenvolvido no Nordeste. Na realidade, a floricultura como um todo vem crescendo de forma vertiginosa no Ceará, que já é o vice-líder brasileiro em exportações de flores e outros produtos correlacionados. No contexto geral da agropecuária cearense, a floricultura também vem ganhando cada vez mais destaque e já ocupa a oitava posição em nossa pauta de exportações. Por Adriano Queiroz | Fotos Jarbas Oliveira

26 | Fale!

| JULHO

DE 2010

www.revistafale.com.br


FOTOS JARBAS OLIVEIRA

M ESCALA GLOBAL

S

OL NA MAIOR PARTE DO ANO, MAS SEM ca-

lor – entre 16 e 28ºC – e com a dose certa de umidade. São poucos os lugares no mundo que reúnem tais condições, aparentemente contraditórias. Mas as regiões serranas do Ceará conciliam o que há de melhor nos trópicos e nas regiões temperadas, a apenas alguns quilômetros do semiárido. Aliando as características naturais com a intervenção integrada do poder público e da iniciativa privada, o resultado é o maior pólo exportador de rosas e o segundo maior pólo exportador de produtos de floricultura do Brasil. Em dez anos, o Estado deu um salto nas exportações dessa modalidade agropecuária. Cresceu estonteantes 6195%, passando de inexpressivos US$ 64 mil dólares exportados para respeitáveis US$ 4,03 milhões. Desse volume, 87,6% vem da exportação de bulbos, rizomas e tubérculos, 2,3% de mudas e 0,8% de folhagens. Cerca de 9% são das chamadas “flores cortadas”, dos quais dois terços são de rosas. E é exatamente a mais clássica das flores, a maior aposta da floricultura cearense. Nada menos que 69% das exportações brasileiras de rosas são oriundas do Ceará. O principal pólo produtor de rosáceas é a Serra da Ibiapaba, com destaque para o muwww.revistafale.com.br

JULHO DE 2010 | Fale

!

|

27


ECONOMIA

nicípio de São Benedito, a 360 km de Fortaleza e a mais de 800 metros de altitude. Fale! conheceu uma das maiores produtoras de rosas no Estado, a Reijers Rosas. A empresa se instalou no estado em 2000 e tem, hoje, no Ceará, a sua unidade mais produtiva — além de atuar no sul de Minas Gerais e no próprio estado de São Paulo, tendo matriz em Holambra. Sozinha, a Reijers Rosas produz quase 40% do volume de rosáceas produzidas no Brasil e é uma das únicas a conseguir exportar para o exigente mercado holandês. Um dos segredos é o trabalho de diversificação e experimentação das variedades do vegetal. São nada menos que 44 tipos diferentes de rosas comercializados pela empresa. O fundador, Roberto Guilherme Reijers, ressalta que esse amplo mix decorre do fato de a empresa ter “uma posição de liderança no mercado, até em termos de tendências e de costumes”. Reijers informa que faz pesquisa de mercado e constrói parcerias com empresas internacionais para testar e lançar variedades novas. 28 | Fale!

| JULHO

DE 2010

ALGUNS TIPOS DE ROSAS

OPERA COR vermelha

TAMANHO DA HASTE 80 cm a 1 mt TAMANHO DO BOTÃO 5 x 8 NÚMERO DE PÉTALAS 27 a 30 VIDA NO VASO 16 dias

JEIMMY (LEX +) COR mistura de tons de rosa TAMANHO DA HASTE 60 a 80 cm TAMANHO DO BOTÃO 3,5 x 5 NÚMERO DE PÉTALAS 25 a 30 VIDA NO VASO 10 a 12 dias

“A maioria das variedades lançadas no Brasil passa pela gente”, assegura. Ele garante ainda que as rosas cearenses são bem conceituadas, tanto no mercado nacional quanto no internacional. A empresa tem ainda uma das melhores taxas de produtividade do mercado. Na unidade de São Benedito, por exemplo, são colhidos entre 180 e 200 botões de rosa www.revistafale.com.br

HOT LADY — TANTAU COR rosa pink TAMANHO DA HASTE 50 a 80 TAMANHO DO BOTÃO 4,5 x 6 NÚMERO DE PÉTALAS 32 a 35 VIDA NO VASO 10 dias

por metro quadrado, em uma área de 25 hectares. Isso dá algo entre 45 e 50 milhões de botões por ano. E o melhor, com produção praticamente constante que garante competitividade para vender rosas ao sul do país e à Holanda, nas respectivas estações invernosas, quando as produções locais desabam em mais de 30%. O sucesso leva o grupo a projetar uma am-


CULTURA EM ESTUFA. A produção de rosas na região de Guaramiranga obedece a uma sofististicada tecnologia de cultura e manejo que incrementam a produtividade

pliação de quase 50% em sua área de cultivo, podendo chegar, nos próximos meses, a 37 hectares. Os principais mercados concorrentes internacionais são os do Quênia, Etiópia, Equador e Colômbia. “Eles têm muito apoio de seus governos e subsídios internacionais em virtude de serem países em desenvolvimento”, explica. Mas para chegar a esse nível

de qualidade não foi fácil. Que o diga o floricultor José Medeiros Júnior que trabalha há sete anos no manejo das flores cultivadas na empresa. Ele explica que apesar de serem parentes, geneticamente falando, há muitas diferenças entre as variedades de rosas. “Umas são mais resistentes à água, outras têm pouca resistência à água, outras adoecem facilmente. A maior www.revistafale.com.br

ameaça ao cultivo [e à produtividade] são as pragas. As principais ameaças vem dos ácaros e das cochonilhas”. Casado e pai de dois filhos, o agricultor Medeiros é testemunha ocular da transformação social que a floricultura trouxe para a região, principalmente junto à população de baixas renda e escolaridade. “Com certeza mudou para melhor porque muitas pessoas não tinham emprego e hoje em dia têm. Para mim é um orgulho trabalhar aqui”. Em todo o país, a Reijers Rosas emprega mais de 1300 funcionários, mas é mesmo no Ceará que a empresa consegue ter o maior impacto social, inclusive com projetos que vão além da mera questão trabalhista. O maior deles é o “Amiguinhos da Reijers” que atende 130 crianças de São Benedito com atividades físicas e educacionais promovidas sempre aos sábados pela manhã. Depois de JULHO DE 2010 | Fale

!

|

29


ECONOMIA

Exportações de rosas por estado (2009) FONTE Ministério

do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior

São Paulo - 1%

Minas - 30% Ceará - 69%

Exportações de produtos de floricultura por estado (2009) FONTE Ministério

do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior

Santa Catarina - 1% Outros - 3% Minas 5% Rio Grande do Sul - 9% Ceará - 13%

INVESTIMENTO. O empresário Roberto Guilherme Reijers numa de suas estufas de pr São Paulo - 69%

Exportações cearenses de flores FONTE Ministério

do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior

1999 US$ 64mil

2009 US$ 4,03mi

Evolução das exportações dos agronegócios cearenses (1999/2009) FONTE Ministério

do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior

Castanhas de Caju: 61,5% p Peles e couros: 399,7% p Frutas: 5338% p Lagostas: 22,4% p Cera de Carnaúba: 42,1% p Sucos de Frutas: 4402,5% p Mel de abelhas: 1437074,7% p

Flores: 6195,7% p

Extratos vegetais: 27%q Camarões: 49,2%q Peixes: 118,4% p Hortaliças: 98,3%q 30 | Fale!

| JULHO

DE 2010

tomar um café da manhã reforçado nas dependências da empresas, as crianças aprendem sobre meio ambiente, artesanato, saúde, cidadania, senso crítico, agricultura, capoeira, futebol de salão, basquete, vôlei, música e dança. Paralelamente, a Reijers Rosas estimula ainda programas de voluntariado que cooptam jovens da região e funcionários da empresa para dar suporte didático e afetivo às crianças atendidas no projeto “Amiguinhos”.

As “raízes” do sucesso da floricultura cearense

O cenário das exportações na floricultura cearense até 1999 era desolador. Menos de US$ 100 mil era o volume vendido para o exterior e praticamente só havia pequenos produtores nas quatro regiões com potencial florífero. Foi quando o então secretário da Agricultura Irrigada do Ceará, Carlos Matos, acreditou no potencial da região e contratou uma série de estudos de viabilidade econômica e de qualidade do solo e do clima. Com o sinal www.revistafale.com.br

positivo dos técnicos e agrônomos, levou o plano de ação para o governador Tasso Jereissati. Tasso comprou a ideia da viabilidade do plano e deu carta branca ao secretário. O passo seguinte foi atrair investidores. Em consequência, nos anos seguintes foram implantadas no Ceará, a Cearosa, do empresário Paulo Selbach, e a Reijers Rosas, de Roberto Reijers. O resultado foi quase imediato. Em 2003, as exportações cresceram onze vezes em relação a 2001, chegando a US$ 1,1 milhão. Em 2007, as exportações de rosas atingiram seu pico na década, chegando a US$ 5 milhões. Isso é mais de cinquenta vezes superior ao volume exportado em 1999. Após a crise econômica de 2008-2009, houve uma queda de 20% nas exportações do vegetal, que fecharam o ano passado em pouco mais de US$ 4 milhões. Contudo, a expectativa dos produtores é de que essa redução tenha sido ocasional e que haja nova aceleração até 2015. Carlos Matos, um dos mentores dessa par-


Ranking das exportações dos agronegócios cearenses (2009) FONTE Ministério

do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior

1 Castanha de caju: US$ 187 mi

(80,6% das exportações brasileiras; o Ceará ocupa a liderança nacional)

2 Couros e Peles: US$ 118,8 mi

(10,2% das exportações brasileiras; o Ceará ocupa a 3ª posição nacional)

3 Melão: US$ 74,1 mi

(60,7% das exportações brasileiras; o Ceará ocupa a liderança nacional)

4 Lagosta US$ 36,2 mi

(70,2% das exportações brasileiras; o Ceará ocupa a liderança nacional)

4 Cera de carnaúba US$ 26,2 mi

(43,4% das exportações brasileiras; o Ceará ocupa a 2ª posição nacional)

6 Mel US$ 14,3 mi

(21,8% das exportações brasileiras; o Ceará ocupa a 2ª posição nacional)

rodução de rosas recebe a visita do ex-secretário Carlos Matos ceria entre poder público e iniciativa privada, diretor presidente da Trainer DG e também ex-secretário de Agricultura e Pecuária, do governo Lúcio Alcântara, afirma que “hoje, nós somos referência na produção nacional e internacional de rosas e acho que só começou, pois temos um novo segmento econômico que já está entre os dez setores de maior renda dentro do agronegócio”. De fato os principais indicadores técnico-econômicos situam o segmento de flores — e por consequência o de rosas, que responde por dois terços das exportações floríferas – entre os principais agronegócios no Ceará. Em termos de exportações, esse é o oitavo agronegócio mais bem sucedido, à frente de extratos vegetais, camarões, peixes e hortaliças, por exemplo. Em valores brutos de produção – VBP – o desempenho é ainda melhor: sétima posição, com crescimento de 4086% de 1999 a 2009. Se olharmos apenas para a agricultura irrigada esse já é o segundo maior mercado e o que mais cresceu nesse período. Em geração

de empregos, embora a demanda seja menor do que em outras culturas, ainda assim aparece na décima sexta posição, pouco abaixo da carcinicultura – cultivo de camarão – mas bem à frente da apicultura – produção de mel. Hoje, o segmento emprega no estado cerca de 3500 profissionais, atingindo várias faixas de escolaridade. Como os grandes empreendimentos estão situados em municípios do interior do estado, especialmente no caso do cultivo de rosáceas, essa expansão tem como outro efeito benéfico além da geração de emprego: a fixação do homem no campo. Para Matos, essa questão é essencial. “A grande necessidade para nós nos considerarmos um estado desenvolvido é a capacidade de desenvolver o interior, porque senão não adianta. Por mais que nós possamos desenvolver Fortaleza, se nós não desenvolvermos o interior do Ceará, seremos eternamente um estado pobre”, avalia. Nesse sentido, ele destaca a criação da TecFlores – Escola de Floricultura do Ceará. “É www.revistafale.com.br

7 Melancia US$ 10,3 mi

(65,9% das exportações brasileiras; o Ceará ocupa a liderança nacional)

8 Abacaxi US$ 8,3 mi

(79% das exportações brasileiras; o Ceará ocupa a liderança nacional)

9 Banana US$ 8,2 mi

(21% das exportações brasileiras; o Ceará ocupa a 3ª posição nacional)

10 Floricultura US$ 4 mi

(12,8% das exportações brasileiras; o Ceará ocupa a 2ª posição nacional)

11 Extrato vegetal US$ 3,8 mi (6,1% das exportações brasileiras; o Ceará ocupa a 3ª posição nacional) 12 Camarão US$ 3,1 mi

(10,7 das exportações brasileiras; o Ceará ocupa a 3ª posição nacional)

13 Rosas US$ 243 mil

(68,7% das exportações brasileiras; o Ceará ocupa a liderança nacional) JULHO DE 2010 | Fale

!

|

31


ECONOMIA um centro de qualificação para o setor, mas também de experimentação das variedades mais modernas no mundo, de tecnologias modernas. Só o Ceará tem”, realça. Em fevereiro deste ano, a escola formou, em seu curso básico de floricultura, 19 alunos da região, cinco dos quais foram contratados imediatamente pela Reijers Rosas. No mês seguinte, duas novas turmas, uma pela manhã e outra pela tarde, foram iniciadas, totalizando 50 novos alunos. Carlos Matos acredita que esse é um exemplo de que realmente o Ceará se preparou. “Nós estamos colhendo as rosas e os frutos de uma política bem articulada somada à habilidade de conquistar grandes talentos.” Além de investimento em qualificação e em relacionamento com o investidor, foi preciso mudar o marco legal que regulava o mercado de rosas no país. Carlos Matos lembra que o Ceará teve uma decisiva participação para que o Brasil reconhecesse a necessidade do pagamento de royalties para a produção das rosas. “Isso nos permitiu ter acesso às variedades internacionais de maior viabilidade econômica”. Carlos Matos assegura que o fator mais importante para a expansão acentuada da floricultura do Ceará foi a quebra de paradigmas junto a empresários e gestores públicos. O maior tabu era o de que muitas culturas não eram viáveis em um estado com 92% de seu território inserido no semiárido. “Eu não aceitava a tese de que o Ceará não tinha potencial para o desenvolvimento da agricultura”. A partir de então foi construída uma infraestrutura hídrica no Ceará e introduzida a prática de gestão das águas. “Nós transformamos água em riqueza. Nosso clima — que sempre foi visto como algo desfavorável e nos condenava ao atraso — passou a ser nosso aliado”, afirma Carlos Matos. Ele se refere à irrigação combinada com a luminosidade natural do Ceará como principal base para o êxito do nosso agronegócio. A partir daí, o cultivo de rosas se expandiu impactando a floricultura de um modo geral. Hoje Carlos Matos defende maior arrojo no setor ampliando as opções de cultivo. “A produção de rosas embora seja já significativa, tem enorme potencial de crescimento”, reforça. Sobre o que pode ser ampliado, 32 | Fale!

| JULHO

DE 2010

ele lista a produção de gérberas e lírios. Em palestra apresentada no final de maio denominada “Retrospectiva e Perspectiva da Agricultura no Ceará”, com dados de instituições locais e nacionais ligadas à atividade econômica, Carlos Matos apostou também que o valor bruto de produção (VBP) tem potencial para triplicar até 2015.

Mas “nem tudo são flores” na floricultura cearense e brasileira

Se a floricultura, e especificamente o cultivo de rosas, vão de vento em popa no Ceará, provavelmente poderiam ir muito melhor se não fosse a questão logística. Essa é a constatação do empresário Roberto Reijers. O Aeroporto Regional de São Benedito está em reforma, o que dificulta bastante o escoamento da produção, e força os produtores a escolherem outros aeroportos ou pistas de vôo. Quando estiver pronto, em meados de outubro, o aeroporto terá 1500 metros de extensão por 30 de largura. “O cliente quer ter a confiança de que toda semana ou todo dia ele receba a flor dele e nós temos alguns problemas em termos de disponibilidade de vôos aqui na área onde produzimos. Isso dificulta um pouco. O cliente perde confiança no cumprimento de prazos. A gente pode tentar justificar, mas não adianta,” lamenta Reijers. Outro problema apontado pelo produtor é a falta de articulação do setor. Isso prejudica até mesmo uma empresa líder de mercado, segundo Reijers. Ele diz que sua empresa tem “muita influência nos preços e nas decisões que o setor toma”, mas admite que “um trabalho nesse nível ajudaria muito o setor, porque ele emprega muita gente e investe muito. É um setor que realmente pode fazer a diferenwww.revistafale.com.br

ça e realmente tem muito pouco apoio. Não existe praticamente nenhuma organização que dê apoio aos produtores”. A afirmação crítica de Reijers, no entanto, pode ser interpretada como a falta de representatividade, junto aos produtores, das associações hoje existentes, tais como a Associação dos Produtores de Flores e Plantas Ornamentais e a Associação de Floricultores, Oleicultores e Fruticultores da Serra da Ibiapaba. O mercado também sofre muito com as oscilações econômicas globais, apesar de o consumo interno estar em ascensão. Mesmo assim, tanto em 2008 e 2009, durante os meses duros da crise que afetou a economia mundial, quanto mais recentemente com a crise européia do início deste ano, o empresário afirma ter conseguido “colocar nossos produtos no mercado sem sofrer prejuízos grandes”. Em nível nacional, a Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Flores e Plantas Ornamentais também avalia que o setor já está se recuperando das crises econômicas internacionais e espera crescimento de 10% este ano no faturamento bruto desse mercado, chegando a R$ 825 milhões. Mesmo assim, o presidente da entidade, Renato Optiz, ainda acredita que as principais molas propulsoras desse crescimento serão internas. “Isso acontece, em grande parte, pelo aumento da oferta em supermercados e grandes redes comerciais”, analisa. Para continuar aumentando a participação das exportações no volume de negócios da floricultura, não só cearense como também brasileira, o empresário Carlos Matos defende mais envolvimento dos parlamentares e critica o viés político-ideológico das discussões sobre os temas associados ao setor. “Às vezes, por falta de uma visão estratégica e na defesa de um nacionalismo cego, acaba-se atrapalhando determinados setores em vez de gerar desenvolvimento. Hoje, há uma falta muito grande de sintonia entre os parlamentares e a real necessidade de uma nova economia, mais justa e que possa gerar desenvolvimento para os mais pobres, e novas leis precisam surgir. Até as leis que são criadas, às vezes, não são levadas a termo porque não são pensadas de uma forma sistêmica, de uma forma que elas possam ter aplicabilidade”, constata. n


AGROPOLOS PRODUTORES NO CEARÁ FONTE

Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará

Com uma área total de 352,6 hectares Estado do Ceará exportou US$ 4,9mi em 2008. Conheça os principais centros de produção.

METROPOLITANO OESTE Municípios

6

Área Plantada

216ha Produtores

52

Principais Produtos

Tango Áster Sansevieira Girassol Samanbaia Palmeiras Bulbos

METROPOLITANO LESTE Municípios

7

Principais Produtos

Lacre Minilacre Crisântemo Gérbera Bromélia Gypsophila Girassol

Área Plantada

216ha

IBIAPINA Municípios

5

Área Plantada

77,4ha Produtores

24

Produtores

52

Principais Produtos

Rosas Gérbera Curcuma Callas Girassol Folhagens tropicais

RANKING DE EMPREGOS DIRETOS DA AGROPECUÁRIA CEARENSE (2008) Fontes: IBGE, SEAGRI-SDA, EMATERCE, INSTITUTO AGROPOLOS, PERÍMETROS PÚBLICOS, ADECE

Milho: 74.313 Feijão: 64.951 Bovino: 29.240 Castanha de caju: 27.922 Mandioca: 19.066 Hortaliças: 12.262 Mamona: 7.757 Cana de açúcar: 7.226 Arroz: 7.226 Aves: 4.635 Algodão: 4.615 Camarão: 4.303

BATURITÉ Municípios

Principais Produtos

5

Área Plantada

46,6ha Produtores

35

Flores: 3.504

Rosas Gérbera Tango Gypsopuila Strelitzia Aspargos Áster

Mel de abelha: 852 Piscicultura (tilápia): 721

EVOLUÇÃO DO VBP DA AGRICULTURA CEARENSE (1999/2009)

CARIRI

Fontes: IBGE, SEAGRI-SDA, EMATERCE, INSTITUTO AGROPOLOS, PERÍMETROS PÚBLICOS, ADECE

Municípios

5

Área Plantada

Frutas: 697,2% p

12,6ha

Flores: 4086,2% p

Hortaliças: 646,6% p Outros produtos: 110,8% p

Principais Produtos

Rosas Flores e Folhagens tropicais

Produtores

48

www.revistafale.com.br

JULHO DE 2010 | Fale

!

|

33


ECONOMIA

MAIS FERRAMENTAS PARA

EXPORTAR MAIS

Exportadores no Brasil têm agora uma nova modalidade de regime aduaneiro que facilita a compra de insumos empregados ou consumidos na fabricação de bens para exportação, o “drawback integrado”. Mas esse não é o único estímulo que os exportadores recebem do poder público. Em Fortaleza, no último dia 8 de junho, o Banco do Brasil promoveu a II Jornada de Comércio Exterior, para apresentar aos pequenos, médios e microempresários as opções disponíveis para quem quer se aventurar no mercado internacional pela primeira vez

A

PENAS UMA EM CADA 83 empresas brasileiras que

exportam pode ser classificada como pequena ou média. Os dados, publicados na revista “Comércio Exterior Informe BB”, são da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos – Apex Brasil – e, embora sejam referentes ao ano de 2008, mostram bem as dificuldades do pequeno e médio empresariado em ingressar no mercado internacional. As maiores são a falta de profissionais especializados em comércio exterior – problema apontado por 88,9% desse 34 | Fale!

| JULHO

DE 2010

www.revistafale.com.br

segmento econômico – e a falta de parceiro estrangeiro para apoiar as vendas no exterior – queixa de 56,2% dos empresários de pequeno e médio porte. Mas se essas dificuldades parecem exigir um trabalho em longo prazo, outros dois entraves, a falta de crédito e a carga tributária, podem ser minimizados, desde que o potencial exportador conheça algumas ferramentas disponíveis no mercado.


RAIO-X DAS EXPORTAÇÕES NO BRASIL

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, 2009 FONTE

1. São Paulo

US$ 42,463 b

2. Minas Gerais 3. Rio Grande do Sul

US$ 19,518 bi

US$ 15,236 bi

5. Paraná

4. Rio de Janeiro US$ 13,519 bi

US$ 11,222 bi

6.

Mato Grosso 7 Pará US$ 8,345 bi 8 Bahia US$ 7,010 bi 9 Espírito Santo US$ 6,510 bi 10 Santa Catarina US$ 6,427 bi 11 Goiás US$ 3,614 bi 12 Mato Grosso do Sul US$ 1,785 bi 13 Maranhão US$ 1,232 bi 14 Ceará US$ 1,080 bi 15 Amapá US$ 883,865 mi 16 Alagoas US$ 824,053 mi 17 Pernambuco US$ 823,971 mi

A mais nova delas é o regime aduaneiro de “Drawback Integrado”, estabelecido pela Receita Federal e pela Secretaria de Comércio Exterior, que entrou em vigor no último dia 27 de abril. Em 2009, cerca de 2500 empresas brasileiras – ou 25% das exportadoras – já utilizavam versões anteriores de drawback, movimentando US$ 5,3 bilhões em importações, US$ 1,9 bilhão em compras no mercado interno e re-

alizando US$ 38 bilhões em exportações. No novo regime, o futuro exportador tem isenção de um ano, prorrogável por igual período, de tributos federais empregados na compra de insumos empregados ou consumidos no processo de fabricação de bens exportáveis. Os principais tributos sujeitos à isenção, nessa modalidade aduaneira, são: o Imposto de Importação; o Imposto sobre Produtos Industrializados, www.revistafale.com.br

US$ 8,495 bi

18 Rondônia US$ 391,236 milhões 19 Rio Grande do Norte US$ 258,103 mi 20 Amazonas US$ 182,838 mi 21 Piauí US$ 67,466 milhões 22 Paraíba US$ 158,200 milhões 23 Distrito Federal US$ 130,080 mi 24 Sergipe US$ 60,729 mi 25 Acre US$ 16 mi 26 Roraima US$ 13mi

ou IPI; a Contribuição para o PIS/ Pasep; a Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social, ou Cofins; além das variações “Importação” de cada um dos dois últimos. O regime “Drawback Integrado” vai unificar as facilidades das versões preexistentes: “Verde-Amarelo” e “Importação”. O primeiro foi automaticamente extinto e convertido; e o segundo está sendo mantido para alterações, baixas de compromissos JULHO DE 2010 | Fale

!

|

35


ECONOMIA

MAIS SOBRE DRAWBACK O que é o Drawback Eletrônico? O Regime de Drawback, criado pelo DecretoLei 37/66, é a desoneração de impostos na importação vinculada a um compromisso de exportação. A Secretaria de Comércio Exterior concebeu sistemática informatizada para controle dessas operações denominada Sistema Drawback Eletrônico, implantada no dia 01.11.2001, que opera em módulo próprio integrado ao SISCOMEX, para permitir o controle ágil e simplificado daquelas operações. O que é o Drawback Web? Em 12 de maio de 2008, entrou no ar o Sistema Drawback Web, no qual todos os AC criados no sistema antigo migraram para a plataforma web.

anteriores, além das submodalidades “embarcação” e “máquinas e equipamentos para fornecimento ao mercado interno”, que possuem legislação própria. Além da simplificação e dos benefícios fiscais, no novo regime de drawback também foram incluídas mercadorias utilizadas em reparo, criação, cultivo ou atividade extrativista de produto exportável. Também serão beneficiadas as empresas optantes pelo Sistema Integrado de Pagamentos de Impostos e Contribuições das Microempresas e das Empresas de Pequeno Porte (Simples), além das que optarem pelo lucro presumido ou arbitrado do Imposto de Renda. O “Drawback Integrado” pode ser acessado pelo Sistema Integrado de Comércio Exterior – Siscomex – no site da Receita Federal.

Jornadas.

O regime “Drawback Integrado” é subdividido em cinco tipos de operações: “comum”, “sem cobertura cambial”, “intermediário”, “genérico” e “para produtos agrícolas ou criação de animais”. De acordo com a Mestra em Negócios Internacionais, Rosana Mattos, as mais utilizadas são “o drawback comum, no qual o titular do ato concessório importa, 36 | Fale!

| JULHO

DE 2010

Objetivo do Projeto O novo Sistema Drawback Web constitui mais um avanço na operacionalização do regime, integrando-se ao SISCOMEX nas vertentes de importação e exportação de forma on-line. Além de agilizar e modernizar o sistema, a nova sistemática facilita o acesso ao regime, conferindo maior segurança ao controle dessas operações. Quais são as normas de drawback? No âmbito da Secex, as normas vinculadas às operações drawback estão reproduzidas na Portaria Secex nº 10, de 24/05/2010. Sugerimos consultar a Consolidação das Portarias Secex (Drawback). Esta consolidação tem por base o Capítulo II da Portaria Secex nº 10, de 24/05/2010, que abrange os artigos 59 a 175, com as alterações efetuadas por Portarias Secex posteriores (indicadas entre parênteses).

e/ou compra no mercado interno e exporta a mercadoria. Pode ele mesmo fabricar/embalar ou encomendar a terceiros. O intermediário, no qual o titular importa e/ou compra, no mercado interno, matéria-prima que comporá ou embalará produto intermediário a ser fornecido a outro fabricante, que o incluirá no produto final de exportação. O genérico, que é especial para autopeças. Neste ato concessório, o detalhamento das mercadorias NCM – Nomenclatura Comum do Mercosul – e das quantidades importadas é dispensado, admitindo-se apenas uma descrição genérica, com seu respectivo valor, e a comprovação com registros de exportação do titular”. Em Fortaleza, no último dia 8 de junho, o Banco do Brasil, em parceria com o Sebrae – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – promoveu a “II Jornada de Comércio Exterior” para tirar dúvidas de micros, pequenos e médios empresários cearenses, bem como de profissionais que lidam com exportação, sobre o novo regime de drawback. Também foram apresentados — e detalhadas informações – sobre os www.revistafale.com.br

principais produtos ofertados pela instituição financeira para quem deseja exportar. O evento teve ainda o objetivo de estimular a inserção de mais empresas cearenses no mercado internacional. No caso específico do “Drawback Integrado”, o banco público apresentou uma nova solução em software de gestão que permite ao exportador acompanhar todo o processo operacional, incluindo registro de dados, confecção, pedido e gerenciamento. Além disso, a instituição presta assessoria na condução de processos junto a órgãos reguladores do comércio exterior. Em todo o Brasil, desde 2009, o Banco do Brasil, vem promovendo as “Jornadas de Comércio Exterior”. O know-how da instituição em mais de 60 anos de atuação no segmento de câmbio e comércio exterior tem sido a tônica do projeto. No ano passado, foram dezesseis eventos com público estimado de 1300 participantes. Este ano, foram realizados dezessete encontros, com público de mais de dois mil espectadores. No Ceará, o Banco do Brasil foi responsável, em 2009, por 25% do volume de exportações e 17% das importações. n


Financeiro

Crédito consignado é forma de endividamento

H

oje muitas empresas já permitem que seus colaboradores realizem o chamado crédito consignado. Isso se intensifica no fim de ano, mas será que essa é uma boa alternativa? Com certeza esse é um ótimo benefício, contudo, deve ser seguido de alguns cuidados. Ao oferecer esse produto, tem que ser grande o cuidado para que não se esteja combatendo apenas o efeito do problema do endividamento, e sim também ferramentas para combater a causa que é a falta de educação financeira. Caso contrário, esse benefício fará com que o problema possa se tornar uma “bola de neve”. É fundamental que os profissionais de recursos humanos se atentem para o papel primordial da capacitação de seus colaboradores em relação à reeducação financeira, pois isso com certeza fará com que eles se endividem menos e melhorem sua produtividade. Mas o que é o crédito consignado? É uma forma dos trabalhadores terem acesso à empréstimos com juros bem mais baixos que o usualmente cobrado no cheque especial, cartão de crédito e crédito pessoal. Com a garantia de este ser realizado com desconto de prestações em folha de pagamento (crédito consignado), ou seja, o trabalhador receberá seu salário já deduzido da prestação devida ao banco. O valor máximo das prestações é de até 30% do salário líquido mensal. Assim, essa é a melhor forma das pessoas endividadas ajustarem suas contas. Retomando o caminho da segurança financeira. As empresas devem assim incentivar essas práticas em alguns casos, mas antes a área de RH deve conversar francamente com os colaboradores que necessitam

Por Reinaldo Domingos

Com a reeducação financeira, os colaboradores quebrarão paradigmas estabelecidos em nossa sociedade sobre a utilização do dinheiro de forma irresponsável e consumista, vendo que o que gastam deve se adaptar ao que ganham, incluindo nisso uma quantia para os objetivos. do benefício. Mostrando que tomar um empréstimo deve ser um ato responsável, com a avaliação dos reflexos que ele terá. Senão estará apenas criando um problema a mais para o futuro. Com esses entrando no ciclo vicioso do endividamento. Isso provavelmente gerará, no futuro, insatisfação dos colaboradores ao constatarem que o que a empresa paga não é suficiente para eles sobreviverem. Também recomendo que quando a empresa utilizar esse tipo de benefício, que seja acompanhado por cursos de reeducação financeira dos colaboradores. Onde eles verão que é possível utilizar os salários de forma adequada, até mesmo guardando uma parte deste para www.revistafale.com.br

a realização de objetivos (sonhos futuros). Com a reeducação financeira, os colaboradores quebrarão paradigmas estabelecidos em nossa sociedade sobre a utilização do dinheiro de forma irresponsável e consumista, vendo que o que gastam deve se adaptar ao que ganham, incluindo nisso uma quantia para os objetivos. A empresa, oferecendo isso aos colaboradores, além de melhorar a qualidade de vida deles e de suas famílias, com certeza também observará melhorias na produtividade, já que pessoas com menos problemas se dedicam mais aos seus afazeres profissionais. Por fim, a empresa também deve mostrar que esses créditos são bons em alguns casos, principalmente para quem está pendurado no cheque especial ou cartão de crédito, sendo uma ótima opção para sair do sufoco, pelos juros menores e prazos maiores. Para quem está no crédito pessoal parcelado ou no carnê da loja, até no penhor da CEF, tem que analisar o desconto que será dado pelo pagamento antecipado da dívida. Se a taxa de juros do desconto for maior que a do empréstimo consignado, recomendo a troca. Antes de oferecer benefícios aos colaboradores, é importante dar a percepção de onde as ações corretivas e preventivas serão de melhor desempenho e eficácia. Pois, como diz o velho ditado “prevenir é melhor que remediar”. n Reinaldo Domingos é educador e terapeuta financeiro. Também é autor do livro “Terapia Financeira” e criador da Metodologia DiSOP — Educação Financeira. Presidente do DiSOP Instituto de Educação Financeira — www.disop.com.br JULHO DE 2010 | Fale

!

|

37


Autos&Máquinas Por Roberto Costa

1

2

3

4

5

6 HISTÓRICO. 1. 147 2. 147 Pick-up 3. Doblo 4. Palio,5. Linea 6. Strada

FIAT AUTOMÓVEIS

34 ANOS DE BRASIL

A

FIAT AUTOMÓVEIS ACABA DE COMPLETAR 34 ANOS DE pro-

dução no Brasil onde chegou para disputar um mercado fechado composto por Volkswagen, então líder absoluta, Ford e General Motors e onde os percentuais praticamente eram repetidos ano a ano. Depois do Lançamento do modelo 147 que, prometia ser o mais barato do mercado, e trabalhar para sanar algumas dificuldades técnicas naturais a uma montadora estreante em um mercado praticamente desconhecido a Fiat iniciou um longo processo de adaptação não somente ao gosto do brasileiro mas também dos produtos que foram gradativamente invadindo os mais diferentes nichos e abrindo fogo contra a concorrência culminando por assumir a liderança que perdeu apenas uma vez nos últimos nove anos. Cledorvino Belini, presidente da Fiat na América Latina, considera que tal trajetória sempre foi pautada pela inovação, produtos de alta qualidade e trabalho em parceria com os fornecedores, rede de concessionários e os milhares de colaboradores de uma das maiores fábricas de automóveis do mundo e nesta data comemorativa renova o seu compromisso de continuar inovando sempre, visando a sustentabilidade do negócio e a 38 | Fale!

| JULHO

DE 2010

liderança de resultados.Belini afirmou ainda que em 2010 a empresa completa um dos seus maiores ciclos de investimentos no País, com um total de R$ 5 bilhões iniciado em 2008. Tais investimentos foram destinados à ampliação da capacidade produtiva, desenvolvimento de novos processos, tecnologias e produtos, entre os quais o Novo Uno que é a demonstração mais expressiva do pleno entendimento dos anseios dos consuwww.revistafale.com.br

midores — um carro que criou um novo conceito no mercado brasileiro a partir da recriação de um ícone da indústria automobilística nacional, em bases totalmente inovadoras. Ao agradecer a confiança com que os consumidores tem valorizado a Fiat Belini afirmou “Estamos prontos para desafios cada vez maiores. Desde 1976, quando foi inaugurada a fábrica de Betim, em Minas, a Fiat já produziu cerca de 11,8 milhões de unidades, dos quais três milhões foram exportados para todos os continentes do mundo. Em 2009, a Fiat obteve um novo recorde de vendas e foi novamente líder no mercado brasileiro de veículos, com um total 737 mil veículos emplacados com uma participação de 24,5% ou uma em cada quatro unidades.Hoje a unidade mineira está apta a produzir 800 mil veículos por ano graças a incorporação de modernas tecnologias nos seus processos de prensas, funilaria, pintura e montagem afim de transformar em realidade os projetos elaborados em seu Polo de Desenvolvimento Giovanni Agnelli, plenamente capacitado para a execução de todas as etapas de construção de um automóvel, desde o design até os mais sofisticados


“ Saímos de uma estratégia cujo foco era fazer volume de vendas, mesmo com perda de margens. Nossa meta passou a ser a liderança de resultados. Para fazer isso chegamos à conclusão que tínhamos que trabalhar muito em novos produtos.” CLEDORVINO BELINI, presidente

Fiat América Latina

testes de experimentação. Hoje, a gama da Fiat inclui 14 modelos e mais de 250 versões, incluindo as destinadas à exportação.Entre os mais recentes sucessos de mercado que foram projetados neste complexo de engenharia automotiva e talento humano, estão o Novo Uno, o Fiat Punto, a picape Strada Cabine Dupla e a ampla gama da família Palio, além da sofisticação do sedan Linea. O Polo de Desenvolvimento também projeta o futuro.O próximo carro conceito da Fiat, o FCC III, já está sendo concebido no Centro Estilo da Fiat em Betim, como resultado de mais de 10 mil idéias que foram postadas no site www.fiatmio. cc , uma plataforma colaborativa na internet que recebeu nada menos de 1,5 milhão de visitas de internautas de todo o mundo. O novo carro – um veículo compacto, urbano, com convergência de mídias e infotainment, fácil de estacionar e com zero emissão – será apresentado no Salão Internacional do Automóvel de São Paulo, em outubro.O compromisso com a sustentabilidade ambiental não é apenas uma promessa para o futuro. Atualmente, 99% dos veículos vendidos pela Fiat no mercado brasileiro são equipados com motores flex além de nos últimos 20 anos terem sido investidos US$

da

120 milhões no desenvolvimento de processos mais inteligentes e adoção de posturas mais firmes em relação à conservação ambiental e melhoria do meio ambiente. A Fiat também desenvolve ações que confirmam seu compromisso com a sociedade. Entre elas os programas destinados à inclusão social de crianças e jovens através de ações sócio-educativas e de capacitação profissional entre eles o Programa Arvore da Vida em parceria com a Rede de Concessionárias e o Serviço Nacional da Indústria (Senai), que garante a qualificação dos jovens de 18 a 24 anos e possibilita a contratação ao final do curso. Outro Programa implantado é o Cooperárvore que trabalha com o conceito de produzir materiais de qualidade, com foco no design diferenciado, além da utilização — sempre que possível — de materiais reciclados provenientes da Ilha Ecológica da Fiat ou da doação direta de fornecedores da empresa. Ainda este ano a Fiat colocará no mercado diversos lançamentos entre inéditos e versões atualizadas dos modelos atuais mostrando que a liderança de mercado não é um objetivo absoluto e sim uma conseqüência do trabalho competente em prol do mercado e dos consumidores. n www.revistafale.com.br

 CBR 600RR A Honda CBR 600RR está entre as motocicletas esportivas de média cilindrada que une potência e leveza, alto desempenho e segurança. Este último benefício foi reforçado no modelo 2010 que chega às concessionárias em versão com freios C-ABS (Combined Anti-Lock Brake System). A nova versão estará disponível apenas na cor preta, ao preço público sugerido de R$ 50.000,00. O freio C-ABS da CBR 600RR 2010 evita o travamento das rodas, oferecendo total segurança mesmo em situações de frenagens bruscas, tanto em retas quanto em curvas. A tecnologia possibilita manter a estabilidade e o controle da motocicleta, evitando o mergulho da suspensão dianteira, perda da estabilidade e levantamento da roda traseira em frenagens mais fortes.  AUDI A4 FLEX O Audi A4 deverá ser o primeiro automóvel da marca alemã a receber o motor flex fuel. O veículo será comercializado no Brasil a partir do 2º semestre de 2011, já estando em fase de testes, outros modelos da marca também serão oferecidos na versão Flex. Ao dar tais informações Paulo Kakinoff, presidente da Audi do Brasil, deixou claro que a chegada de modelos Flex não deverão aumentar as vendas mas ajudar a integrar a marca no Brasil. PRÊMIO FORD O Prêmio Ford de Conservação Ambiental foi lançado em 1996 e tem como principal objetivo reconhecer os projetos e ações que se destacam na conservação da biodiversidade e promoção do desenvolvimento sustentável. A 15ª edição do Prêmio traz uma nova categoria que irá destacar o trabalho de treinamento e conscientização voltado à preservação do meio ambiente dos distribuidores da marca no País. Com o apoio da Abradif (Associação dos Distribuidores Ford), cerca de 500 revendas de automóveis e caminhões da Ford poderão, a partir deste ano, concorrer ao Prêmio, que é considerado um dos reconhecimentos de maior prestígio do setor. O foco do projeto será atender às necessidades dos distribuidores Ford em termos de adequação e conformidade legal para a implementação de um sistema de gestão ambiental, buscando atender às particularidades de cada distribuidor, não importando seu porte. No total, deverão passar pelo treinamento cerca de 15.000 pessoas até o final de 2011. JULHO DE 2010 | Fale

!

|

39


GESTÃO, ECONOMIA, NEGÓCIOS, EXPERIÊNCIA DE VIDA E ESPÍRITO EMPREENDEDOR. Um livro sobre ousadia, coragem e determinação. Adquira o seu exemplar na Livraria SaraivaMegaStore, do Shopping Iguatemi expansão

40 | Fale!

| JULHO

DE 2010

www.omniedi tora.com.br www.revistafale.com.br e -m a i l : d f@ fo r ta ln et.c om.br


Saúde

Segurança em cirurgia plástica

A

Por George Régis Barroso

cirurgia plástica alcançou um alto grau de qualidade e previsibilidade dos resultados. Ninguém discute os benefícios dela para homens e mulheres nas mais diversas áreas do corpo e rosto, mas a questão que ainda aflige quem pretende fazer uma cirurgia plástica é a segurança. De fato, esta é uma preocupação de toda a equipe médica, pois existem riscos inerentes a todo ato operatório. Agora, a boa notícia é que os hospitais deram um salto de qualidade ao começar a utilizar sistemas de certificações chamados: acreditação – que monitora a cadeia de cuidados com o paciente, minimizando a possibilidade de falhas ou erros. A acreditação é uma metodologia de avaliação que abrange todas as atividades do hospital, desde o registro do paciente na admissão hospitalar, cuidados na administração de medicamentos, cuidados com equipamentos elétricos e de anestesia, medidas de controle da infecção hospitalar (na nômina atual, é infecção relacionada com a saúde) e outros protocolos. Tudo isso controlado por indicadores que podem ser comparados aos melhores hospitais do Brasil e do exterior. Portanto, quando seu médico sugerir este ou aquele hospital para realizar sua cirurgia, escute um pouco as razões antes de questionar somente o preço. Atualmente, em Fortaleza, os bons hospitais ainda não cobram muito mais caro por um serviço de qualidade, como já ocorre em outras capitais. A segurança, portanto, depende muito mais da gestão hospitalar que propriamente de recursos. É fundamental oferecer o tratamento correto e um relacionamento respeitoso e digno em um ambiente acolhedor e confortável. Os cuidados

com o paciente de cirurgia plástica se iniciam, na realidade, bem antes, durante a consulta, quando se procura detectar particularidades, como alergias e medicações de uso contínuo, pois algumas devem ser suspensas e outras mantidas. Com as pacientes menores de idade, acompanhadas dos pais, precisamos ter a habilidade de escolher o momento de perguntar se a paciente faz uso de drogas, hormônios ou anabolizantes, sem gerar constrangimento, e sem permitir a omissão de uma informação que se sonegada pode trazer consequências nefastas. No hospital, após a cirurgia, a paciente só deve levantar sob a supervisão da enfermagem e deve ser orientada a chamar com antecedência, porque nem sempre há pessoal disponível no exato momento em situações em que a paciente precisa urgentemente dela, mesmo que em atividades como ir ao banheiro, por exemplo. Após a cirurgia, nós cirurgiões, disponibilizamos o nosso número de telefone celular para que a paciente tenha acesso durante 24h – no primeiro mês – para comunicar qualquer alteração. Nas cirurgias de grande porte a paciente recebe uma visita domiciliar de um membro da equipe, mesmo antes do primeiro retorno ao consultório. E, por último, adiamos ou contra-indicamos uma cirurgia que apresente riscos maiores que os inevitáveis, mesmo que implique em menor ganho financeiro. n

www.revistafale.com.br

George Régis Barroso é médico e cirurgião plástico

JULHO DE 2010 | Fale

!

|

41


[ PERSONA ] Celebridade na Copa

A

o lado do polvo Paul - que ficou conhecido por prever os resultados dos jogos da Copa do Mundo — a paraguaia Larissa Riquelme foi uma das celebridades que a competição ajudou a construir. A modelo de 25 anos chamou a atenção dos fotógrafos durante os jogos do Paraguai, em meio à multidão de torcedores no centro de Assunção, capital do país. Larissa teve suas fotos divulgadas na Internet, tornando-se a “namoradinha do Mundial” sem sequer ter ido à África do Sul. Como seu sucesso deve-se — e muito - às ferramentas virtuais, Larissa faz sucesso também em redes sociais. Tudo isso por sua forma sensual de comemorar, sua beleza e seu decote usado como porta-celular. Não precisou nem a seleção paraguaia chegar às semifinais para Larissa posar nua - promessa feita pela modelo durante os jogos. n

O melhor dos anos 80, com uma pitada de jazz.

www.revistafale.com.br/falefm www.revistafale.com.br

JULHO DE 2010 | Fale

!

|

43


[ PERSONA | Luiz Carlos Martins ]

DUPLA COMEMORAÇÃO. Norma e Humberto Bezerra anfitrionaram festa por conta dos aniversários do filho Sérgio e da neta Mila. Fotos Auston

Mila, Norma e Sérgio Bezerra e Grace Caribe

Silvana e Adauto Bezerra

Norma e Mila Bezerra

Binho e Luciana Bezerra

Alysson e Alessandra Aragão

Humberto e Sérgio Bezerra

Adauto Jr. e Virgínia

Diogo e Creuza Cruz

Show de Preta Gil

Pompeu Vasconcelos e Gil Santos

Marcela Romcy e Cléa Petrelli

44 | Fale!

| JULHO

DE 2010

www.revistafale.com.br


[ PERSONA | Luiz Carlos Martins ]

Tatiana, Tiago e Ana Luíza Barreira

Marciane Dias e Glaura Férrer

Juliana Cordeiro, Bianca e Pedro Meneleu e Joana Salle

Luís Alberto e Lia Alcoforado

Rossana e Rui Câmara

João Batista e Rejane Fujita

Rafael Bezerra e Camila Castanho

Márcio e Márcia Távora com Gil Santos

www.revistafale.com.br

JULHO DE 2010 | Fale

!

|

45


[ PERSONA | Luiz Carlos Martins ]

Autografando para Alcimor e Fabíola Rocha

Arnaldo Santos saudando o autor da obra entre convidados nos salões do Ideal

Djalma e Carmem Pinto com Anastácio Jorge

Silvio e Paula Frota

Ricardo Barcelar e Roberto Martins Rodrigues

Carmem Pinto e Paulo Matta 46 | Fale!

| JULHO

DE 2010

EM DIA COM A POLÍTICA. Advogado Djalma Pinto autografou seu livro “Marketing: Política e Sociedade”, no Ideal Clube. Fotos Auston

Carlos Matos, Carmem Pinto e Assis Machado

Julinha Gurjão, Bia Costa, Carmem Pinto, Gisela Nunes e Sarinha Philomeno

Nereu e Rojane Gentil

Tomás Figueiredo www.revistafale.com.br

Totonho Laprovítera e Djalma Pinto

Josué de Castro e Chiquinho Cavalcante


OBRA LITERÁRIA. Advogado e escritor Seridião Montenegro lançou seu livro “Expresso do Passado”, no Centro Cultural Oboé. Fotos Auston

Ubiratan Aguiar e Seridião Montenegro

Mauro Benevides e Seridião Montenegro

[ PERSONA | Luiz Carlos Martins ]

Autografando para Mauro Benevides

Irapuan Nobre e Antonio Marques Cavalcante

Renato Barroso

Ubiratan Aguiar discursou sobre o autor da obra

Aramicy Pinto

Romeu Prado

Eliardo e Lurdinha Rodrigues

José Cláudio Carneiro e Seridião

Eymard Amoreira

Thiago, Camila e Daniel Montenegro

Cristiane Cavalcante, Luiziana Esteves e Maria Amoreira www.revistafale.com.br

Maria de Jesus Frota e Islay Rangel JULHO DE 2010 | Fale

!

|

47


[ PERSONA | Luiz Carlos Martins ]

NOVA GESTÃO. Os desembargadores Cláudio Soares Pires e Arízio de Castro foram empossados, respectivamente, como presidente e vice do TRT/CE. Fotos Auston

Cláudio Soares e Nazaré Pires

Novo gestor do Tribunal Regional do Trabalho ao lado de autoridades

Maria Roseli Alencar, Cláudio Soares Pires e Antonio Parente da Silva

Xxxxxxxxxxxxxxxxxx Manoel de Castro e Ernani xxxx Barreira

Cristiane e Antonio Marques Cavalcante 48 | Fale!

| JULHO

DE 2010

Nazaré Pires com as filhas Ana Cláudia e Beatriz e a neta Bruna

Arízio e Gabriela de Castro

Salmito Filho, Cláudio Soares Pires e Valdetário Monteiro

Maria César e Renato Barroso www.revistafale.com.br

Paulo Régis Botelho

Emmanuel Furtado

Dulcina Palhano


RESGATE HISTÓRICO. O jornalista Rodolfo Espíndola lançou durante coquetel no Ideal Clube seu livro “Caravelas, Jangadas e Navios-Histórias”. Fotos Iratuã Freitas

[ PERSONA | Luiz Carlos Martins ]

Rodolfo Espíndola, Ednilo Soarez, James Clarck e Roberto Gaspar

Teodoro Soares, Roberto Farias e Paulo André Holanda

Expedito Machado e Mário Lima

Luiziana Esteves e Kilvia Montenegro

Humberto Cavalcante, Eliomar de Lima e Ednardo Rodrigues

José Telles, Sâmia, Amarílio e Holandina Cavalcante

Nelson Montenegro, Humberto Antonio, Edilmo Cunha, Humberto Mendonça e Silvio Augusto www.revistafale.com.br

JULHO DE 2010 | Fale

!

|

49


ÚltimaPágina

A lei dos dois terços Por Juan Pablo Fernandéz, Ph.D

H

á alguns anos vi uma pesquisa de gerentes de negócios nos Estados Unidos na qual ela os indagava porque seus clientes os abandonavam. A primeira resposta foi “preços”. A segunda, “porque não precisam mais do que eu ofereço.” Estas razões parecem bastante comuns, e não chamam atenção. Replicamos o mesmo estudo no Uruguai, e encontrei exatamente o mesmo resultado! Imagino que se o fizéssemos com a Universidade Americana no Paraguai também veríamos as mesmas respostas. Até aí, nada muito chamativo. A coisa interessante é quando se estuda esses “abandonos” propriamente ditos. Ou seja, em vez de reunir as percepções dos gestores, examinam-se diretamente os clientes dissidentes e as razões que os levaram a fazê-lo. Aqui é onde começam as surpresas. Na MarketingTech, a empresa que gerencio, fazemos uma grande quantidade de pesquisas de satisfação e ‘abandono’. A experiência de muitos estudos deste tipo já nos permite tirar algumas conclusões que parecem ser verdadeiras para a grande maioria das empresas. Tenho certeza de que, para aqueles como eu que lêem essa revista, tais conclusões serão de seu interesse. Todos os gerentes (especialmente aqueles em áreas comerciais) estão preocupados e, muitas vezes, obcecados, com a concorrência. Isso não é ruim. No entanto, quando você analisa por que os clientes deixam uma empresa, dois terços o fazem por estarem insatisfeitos com a própria, e somente um terço em decorrência de ações da concorrência. Portanto, não é tanto com a competição que temos que nos preocupar, mas sim com nossa própria incompetência. Nossa incapacidade de gerar clientes satisfeitos que preferem continuar com nossos serviços em vez de procurar alternativas melhores. É verdade, isso nos incomoda um pouco. É mais fácil culpar fora e dizer que os clientes se vão pela agressividade da concorrência ou coisas parecidas. Mas se pensarmos por alguns minutos, veremos que na realidade isso é uma coisa boa, pois isso coloca o problema em um lugar onde podemos agir. Eu não posso fazer nada sobre o que a minha concorrência faz, no entanto, posso fazer muitas coisas

para assegurar que meus clientes permaneçam em minha empresa. Agora que vimos que a causa do abandono está muitas vezes em nosso próprio negócio e não fora dele, vejamos quais os aspectos de nossa empresa explicam a maioria das decisões de abandono da clientela. Aqui, novamente, as aparências enganam. As empresas querem ter um bom produto a um bom preço. No entanto, de acordo com nossas pesquisas, este não é geralmente o principal motivo para o abandono. A causa principal para a decisão de abandono na maioria das empresas são problemas no serviço. Não é o que nós damos, mas como nós damos. O que descobrimos é que, em geral, dois terços dos clientes que abandonam por insatisfação, o fazem por problemas de serviço. O terço restante é dividido entre problemas no produto ou no preço. Vimos que a maioria dos clientes sai por insatisfação com seu atual fornecedor (e não por “agressividade” da concorrência) e que esta decisão é mais associada a problemas de serviço, ou seja: tratamento, cortesia, pontualidade, conforto, acessibilidade, entre outros. A questão agora é: quais os aspectos do serviço têm maior impacto sobre a satisfação ou insatisfação dos clientes. A resposta: os dois terços dos casos de insatisfação são devido a problemas na interação pessoal. Não são os locais de trabalho, os computadores, os folhetos. É a pessoa que interage com o cliente que determina o resultado. É a interação pessoal. Existem muitos aspectos na interação. No entanto, dois terços do feedback dos clientes sobre os elementos que geram satisfação ou insatisfação no tratamento pessoal não se referem à capacidade, mas à atitude. O desafio para as empresas é que desenvolver atitude em seus funcionários é muito mais difícil que desenvolver capacidade, conhecimento ou habilidades específicas. Portanto, a velha recomendação “recrute atitude e desenvolva capacidade” parece certa. n

O desafio para as empresas é que desenvolver atitude em seus funcionários é muito mais difícil que desenvolver capacidade, conhecimento ou habilidades específicas.

50 | Fale!

| JULHO

DE 2010

Juan Pablo Fernandéz é doutor em Marketing pela Cornell University, EUA

www.revistafale.com.br


A revista de informação do Ceará.

CEARÁ: MODA PRAIA E SURF, UM SUCESSO Revista de informação ANO VI — Nº 69 OMNI EDITORA

www.revistafale.com.br R$ 9,00

9 771519 953002 00068>

Francisco Pinheiro, vice-governador do Ceará

O HOMEM DO PT NO GOVERNO CID

Os leitores da revista Fale! são decisores, pessoas que não abrem mão de informação de qualidade. Política e Economia são os principais temas da revista de informação. Fale! Quem decide, lê.

w w w.revistafale.com.br

Fale 74  

Edição de número 74 da revista Fale!, publicada pela Omni Editora.