Page 1

Rota da Alegria no Ceará Entrevista

ANO XXIV - 2019 - Edição 200 - R$ 15,00 - www. revistafacil.net

Quem é larva? Quem é borboleta?

Eduardo Mielke fala de Turismo

A Transformação Digital e a sua evolução no Brasil

FÁCIL | Lazer e Negócios NE

1


Foto Capa: Foto Google - Divulgação

Expediente Presidente Fernando La Greca Diretora Negócios Nilza Guerra Diretora de Produção Ana Dias Editor Turismo Luiz Felipe Moua Colaboradores de Fotos Evaldo Parreira Ivaldo Régis Colaboradores Ana Paula Silva Carla Aymar Dr. Carlos Bayma Gilson B. Feitosa Horácio Abiahy Yluska Regina Quesado de Almeida Jaymar chedid Jefferson Victor José Artur Paes Vieira de Melo Leandro Ricardo Maria Nadir Severo Roberta Monteiro Silvio Romero Rogério Almeida Colaborador São Paulo Renato Cury Fone: 11 2864.1636 Administração Rua Bugre, 62 - Afogados Recife-PE - CEP 52011-110 Tel. 55 81 991061150 redacao@revistafacil.net Comercial Tel. 55 81 991061150 comercial@revistafacil.net Assinaturas Tel. 55 81 991061150 Auditada por Baker Tilly Brasil Ceará Sucursal Fortaleza Diretor Mario Pinho Rua Coronel Manuel Albano, 900, torre V, Sl. 405 Maraponga - Fortaleza - CE (11) 96031 2011 OI/SP Brasília Linkey Representações e Publicidades Ltda. (61) 3202-4710/ 61 9 8289-1188 linda@linkey.com.br São Paulo Maria Marquezini (11) 98288-1919 / 2718-9802 mmarquezini@linkey.com.br A Revista Fácil Nordeste Lazer e Negócios é publicada pela Origami Soluções em Mídia Opinião dos colunistas não reflete necessariamente a opinião da Revista. Proibida a reprodução total ou parcial de matérias ou fotos sem a autorização da Revista.

2

FÁCI L | Lazer e Negócios NE

Sumário Capa

04

Entrevista

08

Rota da Alegria

10

Carro & Cia

18

Coluna Cinema

22

Internacional

24

Coluna PB

30

04

ENTREVISTA

ROTA DA ALEGRIA

24

10

INTERNACIONAL

Edição 200 - Ano XXIV / 2019 www.revistafacil.net /FacilRevista

/RevistaFacilNE

/RevistaFacil


FรCIL | Lazer e Negรณcios NE 3


Capa

Por Daniel Domeneghetti*

Quem é larva? Quem é borboleta? A Transformação Digital e a sua evolução no Brasil

N

os últimos meses conversei, presencial e virtualmente com mais de 800 lideranças, especialmente CEOs, CMOs e CIOs, por conta do primeiro e mais amplo estudo multidimensional sobre Transformação Digital produzido no Brasil, que conduzimos com o time da E-Consulting Corp.. Indo além do consolidado cenário dos dados, o panorama permitiu a mim uma leitura reflexiva, possibilitando-me dar um contrapeso anacrônico à exacerbada condição da transformação digital dos negócios, no universo corporativo brasileiro. Antes de pormenorizar minhas impressões e análises, divido o artigo em duas partes, a serem publicadas separadamente: nesta primeira, vou abordar o atual momento do tema Digital no mercado corporativo no País. Escolhi problematizar a questão do termo Transformação Digital em si. Isso porque 4

FÁCI L | Lazer e Negócios NE

tenho me perguntado se todas as empresas, de todos os setores, PRECISAM EFETIVAMENTE SE TRANSFORMAR, em termos de modelo de negócio, proposta de valor, posição na cadeia e atuação no ecossistema de negócios, como dizem 10 em 10 livros, revistas, sites, analistas e consultores. E mais... se sim, pergunto-me se o CAMINHO DIGITAL É MESMO A RECEITA SANTA PARA QUALQUER DOENÇA! A resposta cria três grupos de empresas e setores com necessidades e padrões de adoção digital radicalmente diferentes. Será que a indústria de entretenimento (música, filmes e games), os bancos e uma empresa de aço estão sob a mesma perspectiva da transformação. Será que estes três modelos de negócios distintos estão sujeitos às mesmas pressões, finalidades e oportunidades? Porque consultorias, big techs e vendors dizem que transformar é irreversível e imediato na mesma proporção.


Senão, vejamos os fatos abaixo e as três classificações setoriais Setores Digitalmente Disruptados - Grupos de empresas que deixam de existir darwinisticamente com a dominância digital, dando luz a outros setores/atividades. O modelo de negócio do setor de entretenimento, com CDs e videotecas, não existe mais. A cadeia como existia até o final dos anos 90 morreu, o ecossistema mudou, o objeto a ser pago e a forma com que se paga mudaram. Os players são outros. A Netflix nasceu, a Sony mudou o que foi um dia, os produtos viraram digitais, “downloadáveis”, as a service, consumidos e trocados a toda hora. Sim, aqui houve/há/haverá transformação digital real, com finalidades nobres, como sobreviver, ser relevante, ser útil. O mesmo raciocínio vale para outras indústrias, como telecom, conteúdo, alguns modelos de educação, mídia, dentre outros. Setores Digitalmente Potencializados - São acelerados pelo digital, a partir do fortalecimento de sua origem e de seu core. Na outra ponta, pensemos numa empresa de aço ou de construção civil. Ora, a menos que moremos em casas de holograma ou que andemos em carros virtuais, a concretude dos produtos finais dessas indústrias jamais será substituída pelo digital como produto fim. Podemos trocar moléculas, fibras, mas ainda, sim, o produto final será físico. Até para bens de consumo isso valerá em grande monta, pois muitos de nós, especialmente os não yuvalianos, continuaremos a comer alface, requeijão e carne de verdade e não alimentos virtuais feitos de informação (aqui não confundir, por exemplo, com a informação genômica utilizada como elemento para a composição de drogas na indústria farmacêutica). O digital certamente será um enorme componente produtivo, de integração, de aceleração e apoio para essas empresas, mas não será ator de disrupção do produto final. Ainda que possa matar um outro elo da cadeia de suprimentos ou do ecossistema de negócios, propiciando o aparecimento de novos líderes, modelos e formatos. Setores Digitalmente Evoluídos - Evoluem com o digital, sem perder sua origem/core no meio do caminho, de forma híbrida. O exemplo está no setor financeiro. Se por um

O que já mudou no mundo Digital

O que no mundo Digital não muda

lado, tem seus produtos e serviços (contas-corrente, cartões de crédito, seguros, etc) totalmente digitais (information-based), por outro, seu modelo de negócio, cadeias, players, padrão de liquidez ainda são os mesmos de décadas atrás. Ou seja, a menos que a universalização de novas tecnologias e modelos como open banking, blockchain e tokenização, dentre outras que ainda virão, se tornem padrão global com novas moedas não lastreadas em ouro, autorreguláveis, baseadas em outros padrões de valor, com liquidez, como hora x homem e reputação, pontos de saúde. Acredito que o Digital terá amplo campo de transformação nos “comos” da atividade, mas menor impacto nos “o quês” da atividade, ainda que aqui e ali se possa efetivamente testemunhar a disrupção de algum modelo prevalente. Ao classificar nestes três grupos, entendo que adotar o digital como meio e como mercado certamente é inexorável a todas as indústrias e segmentos, mas se transformar já não sei. Ainda mais se partimos do princípio que transformar presume sair de algo que não volta mais a ser para se tornar outro algo, como larvas e borboletas. *Daniel Domeneghetti é especialista em estratégia digital e CEO da consultoria E-Consulting Corp. FÁCIL | Lazer e Negócios NE 5


6

FรCI L | Lazer e Negรณcios NE


FรCIL | Lazer e Negรณcios NE 7


Entrevista

Por Fernando La Greca

Eduardo Mielke fala de Turismo Com um blog que com pouco mais de 3 anos de vida, tem chamado a atenção pela repercussão das suas ideias e sobretudo, pela qualidade das informações publicadas semanalmente. Mais de 160 municípios brasileiros já buscaram orientações sobre Turismo com Eduardo Mielke, Doutor em Turismo pela Universidade de Málaga na Espanha, que concedeu entrevista falando do Turismo no Brasil para a Revista Fácil Lazer & Negocios Nordeste direto do seu escritório em Jeddah, na Arábia Saudita. Revista Fácil Lazer & Negócios Nordeste: Dr. Eduardo Mielke, por que um Blog que fala de política e gestão de Turismo nos Municípios? Eduardo Mielke: Porque há uma necessidade enorme de informação por parte dos municípios e de seus gestores de como fazer com que o turismo realmente aconteça. E para que esse aconteça implica em quatro coisas: A) Geração de renda local que é dinheiro novo; B) Criação de emprego pelo aumento e manutenção do fluxo turístico; C) Aumento da atividade econômica do município através do turismo e eventos; D) Conservação dos valores e do modo de vida da população e do patrimônio material e cultural, que precisam e devem ser preservados, até porque, são o DNA, ou identidade do município. Mas, o que é preciso fazer para que o Turismo aconteça? Em primeiro lugar, é fundamental entender que turismo é uma atividade econômica. E como qualquer atividade o poder público, iniciativa privada e o terceiro setor, tem papeis 8

FÁCI L | Lazer e Negócios NE

muito bem definidos. O problema é que nem o governo Federal e nem o Estadual tem deixado isso muito claro. Então você tem uma verdadeira bagunça que toma tempo, dinheiro e não leva a lugar algum. Como assim bagunça? Basta ver vários exemplos. A gente vê vários gestores públicos ou Secretarias de Turismo, lançando roteiros ou rotas de turismo, o que são ações essencialmente de mercado. Ou seja, não é papel do poder público produzir produtos turísticos. Assim como, há uma grande dependência do empresariado que fica esperando que o Governo faça tudo. Turismo é comércio. Deve ser sempre tradado desta forma. Mas, o turismo não usa equipamentos públicos como praças, mirantes, etc? O poder público e empresários não deveriam dialogar? Sim, com certeza. É para isso que serve o COMTUR (Conselho Municipal de Turismo). É lá que os acordos, sobre


quem deve fazer o que, são firmados. O COMTUR porém, não pode ser uma extensão da Secretaria. Aliás, isso é um erro grave. A pergunta foi bem no ponto, pois Turismo é resultado de uma engrenagem que une forças. Mas, ela só funciona se cada um fizer seu papel. Aliás, este é o objetivo do Sistema Municipal de Turismo (SIMTUR), objeto do meu segundo livro que já vai para a 2° edição. O que é o SIMTUR? É uma engrenagem. Uma nova forma de organizar o Turismo no Município, a partir de uma lógica do conceito do Cooperar para Competir. O Turismo só vai dar certo se esta engrenagem entre o Poder Público + Iniciativa Privada e Terceiro Setor funcionar muito bem. E para isso, ela precisa do COMTUR, da Associação Comercial ou C&VB do Município e do empresariado local. Com um sistema que conta com leis fortes e estratégias de mercado para eventos, o SIMTUR traz um método pelo qual é possível fazer com que o Turismo aconteça dentro daqueles 4 objetivos citados anteriormente. E o Governo Bolsonaro, está acertando? A Embratur tem feito vários movimentos com uma perceptível vontade de acertar. Destaco dois pontos. O Primeiro é o esforço de dar mais visibilidade e abertura a destinos turísticos fora do eixo Rio, Foz e Salvador. É uma decisão muito acertada que já deveria ter sido feita faz muito tempo. O segundo, a articulação de mais linhas aéreas. Melhorar os acessos ajuda. Porém, vale lembrar também que Turismo é extremamente dependente da saúde do ambiente de negócios do país e da violência urbana. E ambas, sobretudo, a segunda é percebida negativamente pelo turista estrangeiro. Não é a toa que o Brasil, mesmo com Copa e Olimpíada segue patinando entre 5 a 6 milhões de turistas desde o início do século. A liberação de visto ajuda, mas é uma medida de curto prazo. Mas, ainda é muito cedo para ver no que isso vai dar. O que sinto falta mesmo é de mais clareza de como a Embratur irá lidar com o mercado internacional e o relacionamento com os intermediários, sobretudo com as grandes Operadoras, OTAS e etc. Onde precisa melhorar então? O que mais me preocupa é o Ministério do Turismo que segue com uma Política de Turismo focada ainda em velhas práticas que não funcionaram, não funcionam e não funcionarão. O que é um erro estratégico. Os atuais programas de fomento, inclusive seguem uma mesma cartilha que depende muito de uma saúde financeira dos municípios. Eles fazem barulho, mas não adianta alocar recursos se na ponta não há como realizá-los. Mas, sem dúvida alguma o que mais me deixa intrigado é a insistência equivocada em investir na Regionalização. Trata-se de uma política absolutamente obsoleta que está a mais de 15 anos no ar e não trouxe resultados contundentes. Urge a sua substituição. Como assim? O PRNT (Programa Nacional de Regionalização do Turismo) sempre foi o carro chefe de vários governos! Esta política não tem sentido e aqui, dentre outras, seguem três razões muito básicas. Primeiro: O Estado brasileiro não está organizado em regiões e sim em Estados e Municípios. Logo, se o Município precisa de recursos para desenvolver o Turismo vai a Brasília e não a sua região.

Segundo: O PRNT se sustenta em Instâncias Regionais de Governança que não conseguem atingir qualquer tipo de dinamismo, devido ao calendário eleitoral. Basta lembrar que a cada 2 anos novos governantes estão entrando e outros saindo. É impossível fazer qualquer coisa andar dentro deste contexto. Terceiro: Os Municípios são por essência competidores entre si. Ninguém irá querer ver o seu turista gastando dinheiro na Cidade vizinha. Nem os empresários, muito menos o secretario de turismo. O que ele irá explicar ao prefeito mesmo? Inclusive a regionalização só faz sentindo se eu tenho um grupo de municípios fortes. Então qual é a saída? Trabalhar para que os próprios Municípios sejam capazes de fazer o Turismo acontecer. É no Município que o Turismo acontece. O poder executivo dos Estados e da própria Federação não são responsáveis pelo sucesso do Município, senão ele próprio. Investir nos Municípios e em seus bairros, como Política Nacional de Turismo, é a única saída. Hoje há conhecimento, técnica e modelos mais do que suficientes para serem replicados e adaptados à realidade brasileira. Destinos Turísticos famosos e nem tão famosos assim, ao redor do mundo todo, estão indo nesta direção. E há muitas razões para isso e todas estão atreladas ao perfil do turista médio de hoje, e ao seu comportamento, tipo de consumo, seus gostos e preferências. Eu gosto de dizer que tudo, absolutamente tudo é turismável, e tenho plena convicção que com esta atual política a coisa não vai andar. Agora vamos falar do Blog. Qual é o diferencial dele? Como está a repercussão até agora, e quais são as principais dúvidas dos leitores? O Blog atingiu 1000 seguidores recentemente o que é um número expressivo dado aos assuntos que ele se propõe a comentar, não é? E até agora já são mais de 30 mil acessos aos textos com um retorno de outros mais. O trabalho não vai parar. O grande diferencial do Blog é que ele lida com a coisa prática. Com linguagem fácil, e direta, os textos dão dicas e orientações que devem ser usadas no dia-a-dia. A grande demanda dos leitores gira entorno de como organizar a oferta, sobretudo como organizar politicamente e institucionalmente o COMTUR e o FUMTUR; como envolver os empresários; como fazer um Plano Municipal de Turismo com poucos recursos para atrair investimentos e ações que visem fazer do Turismo uma máquina de fazer negócios. Na verdade não somente para os empresários do Turismo, mas para a Cidade como um todo, abrindo mercado para o pessoal da Indústria, da Agricultura e do Comércio local. Como o Sr. vê a Revista Fácil Lazer & Negócios NE no meio disso tudo? É um baita estímulo para mim, assim como uma grande responsabilidade. É excepcional poder contar com este importante canal de divulgação destas orientações, bem como também dúvidas, através dos textos. Fico muito feliz e honrado com o convite da Revista Fácil Lazer & Negócios NE e espero que esta parceria dure por muitas décadas. E desde já, se você que é Presidente de COMTUR e ou Secretário de Turismo e está lendo esta entrevista, pode sugerir um tema ou tirar sua dúvida. Os textos saem toda semana e você pode entrar em contato, pela fanpage do Blog no Facebook @politicadeturismo. E no próprio Blog há muito material atual e a sua total disposição. Basta acessar www. politicadeturismo.blog ou emielke@kau.edu.sa FÁCIL | Lazer e Negócios NE 9


AVENTURA

Por Mรกrio Pinho

Rota da Alegria no

Cearรก

Arvorismo

10 FรCI L | Lazer e Negรณcios NE


Escalada

Aerojump

A

ROTA DA ALEGRIA vem se consolidando dia-a-dia como um dos principais Roteiros Turísticos do Brasil e do Estado do Ceará.

Para os leitores e turistas que acreditavam que o Ceará é apenas SOL&PRAIA e que seus atrativos se resumem à Aquaparques e passeios pela Avenida Beira Mar, o Engenhoca Ecoparque e Museu é uma grande surpresa e um passeio inesquecível e mais que agradável para aqueles mais informados ou antenados nas tendências do turismo nacional. Situado em Aquiraz a apenas 20 minutos de Fortaleza, o Engenhoca Ecoparque e Museu surpreende os visitantes por suas características de Fazenda e uma volta ao tempo colonial. Aliás, Colonial é também o nome do Engenho e da Aguardente produzida na antiga fazenda. O Parque foi construído em um local histórico que já foi sede da fábrica da Cachaça Colonial, por isso, tem um museu equipado com

FÁCIL | Lazer e Negócios NE 11


Tirolesa

relíquias do engenho da década de 1.920, como peças de maquinaria, documentos, moedas e cédulas, maquinas de calcular, telefones e produtos que contam a história desta época. Hoje o Engenhoca Parque é referência de Aventura e Diversão para o turismo no Ceará. No parque há atividades para todas as idades. São mais de 30 atrações incríveis distribuídas ao longo dos 40.000m² de natureza exuberante. A equipe de colaboradores é capacitada para proporcionar o máximo de diversão e aventura a quem visita o Parque. Todos, sem exceção, são educados, sensíveis e prestativos, além de profissionais na área de segurança 12 FÁCI L | Lazer e Negócios NE

infantil e na educação, gentileza e no modo como tratam os pequenos... Além das atrações, o Parque tem um espaço gastronômico que oferece pratos da culinária contemporânea com um toque regional: o Moenda Restô. O restaurante é aberto ao público para almoço - a entrada não é cobrada para quem permanece até duas horas e aos domingos oferece uma deliciosa feijoada ao som de um conjunto de pagode ao vivo...

ATRAÇÕES ARVORISMO: Esta atração vai exigir de você muito empenho e coragem para encarar os 193 metros do maior

e mais completo arvorismo do Ceará. Se ficar cansado, você pode aproveitar a descida da tirolesa de 60m para relaxar ao final do percurso. TIROLESA VOADORA: A Tirolesa Voadora é para quem adora sentir aquela adrenalina no corpo todo. Você vai deitado, voando como o Superman, apreciando uma vista linda ao longo do percurso de 280m de comprimento. AEROJUNP: O Aerojunp é para quem gosta de se sentir no céu. O Aero Jump é uma cama-elástica equipada com um suporte que impulsiona seus saltos, fazendo você ir muito mais alto. Os mais radicais


FรCIL | Lazer e Negรณcios NE 13


Museu do Engenho Colonial

14 FรCI L | Lazer e Negรณcios NE


podem até arriscar fazer algumas piruetas no ar. O Engenhoca Parque possui atividades para toda a família. Crianças e adultos contam com diversas opções para se divertir e liberar a adrenalina, como os pedalinhos, tirolesa infantil, tirolesa com skate, as pistas de bicicletas, charretes ou cavalos pela trilha ecológica, passeio de Jardineira pela fazenda, pesca esportiva e muito mais. São mais de 20 atrações. Os mais pequenininhos têm a opção divertida e aconchegante do Espaço Infantil com toda a estrutura de atrações em um local adaptado para eles. MUSEU DO ENGENHO COLONIAL Inaugurado em 2012, o Museu do Engenho Colonial conta a história do engenho que deu origem a Cachaça Colonial. Em 1923 o Engenhoca Parque funcionava como uma fábrica que plantava e colhia cana para produzir cachaça e açúcar. Muitas das peças que compunham este processo estão conservadas no Museu. A exposição tem cerca de 1.000 objetos pertencentes ao primeiro engenho do Sítio Colégio (antigo nome do Engenhoca Parque). São peças de maquinaria, documentos, ferramentas e outras relíquias que ajudam a contar a história do engenho no Brasil e da cidade de Aquiraz. Os tipos de engenhos expostos mostram as fases do processo produtivo dos derivados da cana-de-açúcar, em especial, da cachaça. É possível conhecer cada etapa do trabalho artesanal desde as primeiras máquinas, de tração animal, até a utilização de peças à vapor.

Vem brincar com a gente!

Aqui você encontra um parque incrível, localizado em meio ao que há de mais belo na natureza cearense: praia, manguezal e sertão. E no centro disso, fica a sua diversão. Melhor ainda: a diversão de toda a família. O Engenhoca reúne atrações para todas as idades e gostos. Tudo pensado para garantir um dia completo de aventuras e muita alegria.

www.parqueengenhoca.com.br

/engenhocaparque

@engenhocaparque

Mais informações: (85) 3361.1010. Endereço: Rua: Raimundo Coelho, 200 - Aquiraz/CE.

FÁCIL | Lazer e Negócios NE 15


16 FรCI L | Lazer e Negรณcios NE


FรCIL | Lazer e Negรณcios NE 17


Carro & Cia

Por Mario Pinho

SUV mais vendido do Brasil recebe mais equipamentos para continuar na trilha do sucesso, após mais de 200 mil unidades

JEEP® LANÇA RENEGADE 2020 18 FÁCI L | Lazer e Negócios NE


Versão Sport tem novo pacote Uconnect, com tela de 7 polegadas, ar-condicionado digital dual zone e sensores traseiros de estacionamento

Maior novidade são as inéditas lanternas traseiras de LED já a partir da versão Longitude Flex, que também ganha os faróis full LED de série

O

Novo Jeep® Renegade foi lançado em outubro passado e dois meses depois já assumia a liderança de vendas em SUVs, ocupada em 2017 e 2018 pelo Jeep Compass. O utilitário-esportivo compacto da Jeep continua na ponta do mercado e fechou o primeiro semestre deste ano com 33.048 emplacamentos, fazendo-o ultrapassar a marca de 200 mil unidades comercializadas no Brasil. Para manter esse bom momento, o Renegade traz boas novidades para a linha 2020.

Esses três equipamentos ainda se destacam nos outros packs da versão Sport: Night Eagle e WSL, esta uma edição limitada a 500 unidades. O primeiro sai por R$ 7 mil e inclui ainda pintura metálica, acompanhando o acabamento preto em vários itens como rodas, teto, logotipos e molduras internas. Por sua vez, o segundo custa R$ 9,6 mil, englobando pintura perolizada Branco Polar, bancos de couro, os mesmos detalhes escuros do Night Eagle, além de adesivo de capô, emblemas da WSL, barras transversais de teto e rodas do Trailhawk.

A principal é a chegada das lanternas traseiras de LED, que passam a ser item de série desde a versão Longitude Flex. Elas dão um toque mais moderno ao design, mas sem perder as referências à história da Jeep, graças ao formato quadrado – herança aplicada também no Wrangler – e ao “X” estilizado, que remete aos traços dos galões de combustível dos antigos Jeep Willys militares, chamados de “jerry can”. As novas lanternas de LED equipam ainda as versões Limited, Longitude diesel e Trailhawk.

Nas versões Longitude e Limited, o comprador ganhou mais uma opção para a cabine, com a entrada da cor marrom para os bancos de couro. O novo tom é opcional de R$ 1.200. O revestimento de couro preto continua de série nessas configurações, bem como na Trailhawk.

Todas as unidades Longitude (flex e diesel) agora brilham mais com o conjunto ótico dianteiro de LED, formado pelos faróis principais e de neblina. Com fluxo luminoso 50% mais eficiente que as lâmpadas halógenas, esse sistema de iluminação havia entrado na linha 2019 do Jeep Renegade como opcional nas versões Longitude e equipamento de série nas configurações de topo Limited (flex) e Trailhawk (diesel).

Sport com Uconnect 7 O Renegade Sport 2020 recebeu alarme perimétrico de série e um novo pacote opcional muito atraente. Chamado de Uconnect, ele é formado por central multimídia de 7 polegadas compatível com Android Auto e Apple CarPlay, ar-condicionado digital dual zone (com opção de controle na tela) e sensores traseiros de estacionamento. Tudo por competitivos R$ 4 mil.

Verdadeiro SUV O Jeep Renegade é o verdadeiro SUV compacto, sendo o único a não derivar de carro de passeio. Projetado desde o início para ser um utilitário-esportivo, sua carroceria robusta o permite receber outras exclusividades no segmento, como motor turbo diesel, câmbio automático de nove marchas, tração 4x4 com reduzida, controle de descida e seletor de terrenos, além da suspensão independente nas quatro rodas em todas as versões. O modelo ainda também se destaca na categoria por ter a maior tela multimídia do segmento, de 8,4 polegadas, já a partir da versão Longitude Flex, e a roda com maior diâmetro – aro 19” na configuração Limited. O Jeep Renegade também foi o primeiro veículo nacional a obter cinco estrelas para proteção de adultos e crianças nos testes do programa independente Latin NCAP. FÁCIL | Lazer e Negócios NE 19


Cinema

Por Jefferson Victor / Colaboração: Espaço Z / Fotos: Divulgação e Google - E-mail: jeffersonvictor@revistafacil.net

éticos e morais. Como alguém nascido em uma terra sem lei – a Gotham City de 1980, uma clara referência à Nova York do mesmo período – ele surge como o mal necessário, o mártir de uma cidade cujas instituições e sistemas não mais funcionam e são críveis. E onde não há ordem, o caos sempre impera. E é assim que nasce o palhaço por trás do singelo homem de ombros caídos e corpo esguio.

CRÍTICA

Dilacerado e honesto, “Coringa” é o filme que o mundo precisa assistir O longa em cartaz conta a história de dos vilões mais famosos do cinema

A

o som das notícias vindas de um rádio antigo, seus traços começam a ser formados. Cores quentes como o vermelho e o azul desenham o seu rosto pálido de pintura circense, que gradativamente ganha às feições de um palhaço. Ainda sem o seu sorriso largo e colorido que extrapola os limites de seus lábios, Joaquin Phoenix tenta fazer surgir um sorriso verdadeiro. Estica o rosto e se depara com seu conflitante olhar tristonho no espelho. Se rir é um santo remédio, no caso de Arthur Fleck, é uma grave doença. Mas ainda insistindo em uma alegria plástica, ele se esforça, mas é incapaz de controlar as lágrimas que escapam pelo canto dos olhos, criando um rastro de tinta azul em sua face esguia. Coringa é fruto de uma tristeza inimaginável na alma de um homem. Como uma figura nascida sem lar e trazida para um seio familiar doentio, ele é o reflexo de uma vida de alienação parental, abusos e abandono. Acostumado a isso, o personagem – até então um homem consciente de sua complexidade mental e plenamente medicado a fim de controlá-la – constrói uma fortaleza de isolamento ao seu redor. Ele até que se esforça, quer ser sociável, gentil e compassivo. Tem uma fala mansa, olhos confusos e perdidos e uma tristeza inexplicável, que poderiam facilmente compreender aspectos de uma personalidade borderline ou de alguém que sofre de depressão. E aqui, Phoenix entrega esse emaranhando febril de uma mente calejada, que queria ser saudável, mas parece que ninguém está disposto a ajudá-lo a chegar nisso. Essa construção complexa de Arthur Fleck é um dos aspectos mais fascinantes da história de origem de um dos maiores e mais consagrados vilões das histórias em quadrinhos. Como um agente do caos, ele é introduzido em seu filme solo como um fruto desse mesmo caos, um homem comum que tinha sonhos e ambições saudáveis, mas viu todas elas se desvanecerem no vento em virtude da mais completa sensação de abandono. E o cineasta Todd Phillips nos mostra exatamente isso. Coringa não é uma figura insana sem propósito. Ele é uma criação do colapso da sociedade contemporânea, em meio à ruptura de princípios 20 FÁCI L | Lazer e Negócios NE

Mas antes de chegar em sua eclosão máxima, no nascimento de seu lado vilanesco, Coringa apresenta à audiência um Arthur Fleck identificável. Tratado a vida inteira como uma piada, um homem sem lar, o conhecemos como alguém que sofreu demais pelos traumas da vida. Nesse contexto, o diretor Todd Phillips nos presenteia com uma percepção apurada e precisa do vilão antes de receber esse título. E impactados por sua sofrida trajetória, nos compadecemos de Fleck, que se transforma em uma visão da própria sociedade mundial, se tornando um fragmento de tantas histórias reais. Suas dores, seu pesar e seus anseios representam muitos de nós, fazendo com que a linha de distanciamento que nos separa da loucura ensandecida do personagem suma, nos levando a dar um passo em direção a ele.

Essa construção tão simbólica e complexa do Coringa faz com que o filme cruze as fronteiras do gênero de adaptação de quadrinhos, se tornando de fato uma obra-prima da sétima arte. Abordando a psique humana de Arthur Fleck com precisão, o cineasta – cujas origens remetem à trilogia Se Beber Não Case – presenteia um o público com um filme espetacular, roteirizado de maneira estratégica e dirigido com delicadeza e profundidade. Esse trabalho técnico é ainda mais hipnotizante ao contemplarmos a caracterização de Joaquin Phoenix como o vilão. Com 23 quilos a menos, conhecemos uma versão completamente diferente da atuação do ator. Cadavérico, seus ossos estão aparentes e saltados moldando uma figura assustadora do personagem. Com sua coluna reclinada, evidenciando a fragilidade de sua forma física, ele ainda insiste em alguns passos de dança, cria uma platéia cativante ao seu redor e contorce seu corpo com uma antagônica leveza, de quem busca se encontrar em uma arte na qual ele não parece dominar. Em um constante contraste entre quem Arthur Fleck gostaria de ser – um comediante stand-up – e quem de fato ele acaba se tornando, a nova versão do Coringa enche olhos com as lágrimas mais genuínas, justamente por transformar a essência de uma das figuras mais conhecidas da cultura POP em um símbolo do cinema contemporâneo do mais alto escalão. Visualmente belo, o longa ainda conta com uma fotografia urbana cativante, que faz uso de elementos como fogos de artifício e a sombriedade das sujas ruas de Gotham, além de explorar a excepcional linguagem corpora de Phoenix para construir sua beleza plástica. Com uma trilha sonora adaptada que resgata clássicas canções de musicais dos anos 30 e 40, a adaptação dos quadrinhos ainda traz referências a Fred Astaire e contempla os fãs da Era de Ouro do cinema com a música Smile, de Charles Chaplin, do filme Tempos Modernos. Fazendo da sua trilha o guia das emoções e das sensações de Coringa, Todd Phillips usa a música como um maestro para conduzir o nível de intensidade da narrativa, nos fazendo ainda ouvir o hit Laughing, de The Guess Who, pela própria e pesada voz de Joaquin Phoenix. Dramático, visceral, voraz e violento, a nova versão do vilão inaugura um novo momento na história da Warner/DC, representando o zeitgeist de maneira brilhante, à medida que abre o caminho para que mais novas adaptações de quadrinhos entrem para o hall de grandes produções da história do cinema. Dilacerado e honesto, Coringa é o filme que o mundo precisa assistir e é o cumprimento de uma antiga promessa feita aos fãs da DC. Preparem-se para o melhor filme de 2019.


RAPIDINHAS

Sony Pictures divulga cartaz oficial de “As Panteras”

Com o outono em destaque, Disney divulga o novo cartaz de “Frozen 2”

Foi divulgado pela Sony Pictures, o novo cartaz de “As Panteras”. Com direção de Elizabeth Banks e estrelado por Kristen Stewart, Naomi Scott e Ella Balinska, o filme estreia nos cinemas do Brasil no dia 14 de novembro.

A Walt Disney Brasil divulgou um novo e belo cartaz nacional da aguardada animação ‘Frozen 2’. O material traz os personagens principais em destaque e convida Elsa e sua turma a enfrentarem o futuro, em um visual bem colorido.

As Panteras sempre proveram segurança e suas habilidades de investigação para clientes particulares, e agora a agência Townsend tem atuação internacional: as mais espertas, destemidas e altamente treinadas agentes em todo o globo formam múltiplos times de Panteras guiados por múltiplos Bosleys e estão prontas para atuar nos trabalhos mais díiceis ao redor do mundo. Quando um jovem engenheiro de sistemas soa o alarme a respeito de uma perigosa tecnologia; as Panteras são chamadas à ação, e colocam suas vidas em risco para nos proteger a todos.

“Por que Elsa nasceu com os poderes mágicos? A resposta está a chamando e ameaçando o seu reinado. Ao lado de Anna, Kristoff, Olaf e Sven, ela embarcará em uma perigosa, mas inesquecível jornada. Em Frozen, Elsa temia que os seus poderes eram muito para o mundo lidar. Em Frozen 2, ela deve torcer que eles sejam o suficiente”, diz a sinopse de divulgação. O elenco de Frozen 2 conta ainda com os retornos de Kristen Bell e Josh Gad, enquanto Evan Rachel Wood (Westworld) é mais uma novidade. “Frozen 2” estreia nos cinemas brasileiros no dia 2 de janeiro de 2020.

A Menina Que Matou os Pais: História de Suzane Von Richthofen será contada em dois filmes A história de Suzane von Richthofen, jovem que planejou o assassinato dos pais em outubro de 2002 com seu namorado, será contada em dois filmes diferentes. Antigamente previsto para ser lançado ainda este ano, A menina que Matou os Pais chegará aos cinemas em 2020, acompanhado do longa O Menino que Matou meus Pais – que mostra a perspectiva de Daniel Cravinhos. Ambos serão lançados no mesmo dia e têm apresentações em sessões alternadas nas mesmas salas. “[Essa produção] é um caso único no cinema mundial”, afirma Gabriel Gurman, CEO da Galeria Distribuidora. “É uma oportunidade para o público analisar e chegar à sua própria conclusão sobre os fatos”, completa. Quem vive na pele de Suzana será a atriz Carla Diaz, e Leonardo Bittencourt ficou com o papel de Daniel.

Coringa arrecada mais de R$ 31MI e se torna a maior abertura de bilheteria em Outubro Mais de 1,8 milhões de pessoas foram conferir Coringa, filme dirigido por Todd Phillips e estrelado pelo indicado ao Oscar Joaquin Phoenix no papel-título ao lado do vencedor do Oscar Robert De Niro, Zazie Beetz e Frances Conroy, em seu final de semana de abertura nos cinemas brasileiros, incluindo também as pré-estréias antecipadas. O longa ultrapassou os R$ 31,7 milhões de arrecadação nas bilheterias do Brasil e se tornou a maior abertura em um mês de outubro de todos os tempos. A estreia foi também a maior arrecadação da Warner Bros. Pictures em um final de semana de abertura em 2019, com destaque também para as sessões antecipadas, que atraíram mais de 120 mil pessoas, somando um lucro de R$2,1 milhões. FÁCIL | Lazer e Negócios NE 21


22 FรCI L | Lazer e Negรณcios NE


FรCIL | Lazer e Negรณcios NE 23


Internacional

Texto: Rogério Almeida / Fotos: Rogério Almeida, Visit Anaheim e Disneyland

Agora é hora de expe Anaheim, Califórnia

Disneylandia (Foto: Disney)

A

naheim é uma cidade no condado de Orange, na Califórnia (US), fundada em 1857 e que desde o início ficou mundialmente conhecida com a inauguração da Disneylândia original e também foi aqui onde surgiu o “fast food”, a comida rápida americana. Ano passado a cidade recebeu 24 milhões de visitantes que vieram aproveitar as maravilhas da Califórnia. 24 FÁCI L | Lazer e Negócios NE

Sede da Disneyland Resort, com a Disneyland Park e Disney Califórnia Adventure Park, Anaheim continua em crescimento e atraindo visitantes para os eventos nas artes, culinária, esportes e recreação. Um das atrações de Anaheim é o Garden Walk- dedicado a atividades de arte em outdoor e vida noturna, onde fica a casa do House of Blues, com música ao vivo, restaurante e bar, e eventos especiais.

Anaheim possui um excelente meio de transporte, como o ARTIC- Anaheim Regional Transportation Intermodal Center, que conecta trens, ônibus, taxis, e o Anaheim Resort Transportation (ART). Anaheim é uma cidade para os amantes dos esportes e a única no Orange County a sediar dois dos maiores times de beisebol, o Los Angeles Angels, do Angel Stadium e o de hóquei sobre o gelo, Anaheim Ducks no Honda Center.


erimentar

Knott´s Berry Farm (Foto: Knott´s Berry Farm)

FÁCIL | Lazer e Negócios NE 25


Há 10 minutos da cidade se encontra o Knott´s Berry Farm, um parque temático com quatro áreas inspiradas na história e na cultura da Califórnia. (knotts.com) Outro parque muito procurado é o Universal Studios Hollywood, que oferece um Studio Tour explorando locais de filmagem e o DreamWorks Teatro que apresenta o Kung Fu Panda. Destaque para o Harry Potter and the Forbidden Journey no The Wizard World of Harry Potter, incluindo o Hogsmeade village e o castelo de Hogwarts. E este ano a novidade é o Jurassic World, com uma “ride”7 baseada no filme do mesmo nome. As praias próximas como Sunset Beach (23 milhas de Anaheim), Huntington Beach (21 milhas), Newport (20 milhas), Laguna (26 milhas) e San Clemente (37 milhas), com uma imensa beira mar são as atrações no verão. Em Dana Point, próximo de Anaheim está o Laguna Cliffs Marriott Resort & Spa que ofereceu uma série de tratamentos de spa, entre eles o face life da Hydrafacial. O resort também dispõe de 3 áreas ao ar livre com vista para o mar, ideal para recepções e cerimônias de casamento, ou reuniões de grupos, além de pátios à beira-mar, gramados e terraços e salas para pequenas reuniões. Todos os 378 quartos do hotel passaram por reformas de US$ 25 milhões, incluindo todas as suítes. Todos os quartos têm piso de madeira, chuveiros com efeito de chuva, TV 55´, roupões de banho e lençóis personalizados. A diretora do SPA, Mona Pershcon e a Diretora de Vendas e Marketing do Laguna Cliffs, recebem à todos com muita distinção. A culinária de Anaheim se destaca pelos melhores restaurantes, desde o Center City, com o Packing District, Good Food Hall, e West Cecnter Street Promenade. Destaque para o Little Arábia e o Little Saigon, em Westminster com o melhor da cozinha árabe e vietnamita (ctrcityanaheim.com, littlearabiadistrict.com). Quem gosta de arte, Anaheim possui muitos museus, como o Muzeo Museum and Cultural Center, The Hilbert Museum of Califórnia Art e o Bowers Museum 26 FÁCI L | Lazer e Negócios NE

Star Wars Galaxy Edge in Anaheim (Foto: Rogério Almeida)


FรCIL | Lazer e Negรณcios NE 27


Disneylandia (Foto:Disney)

Anaheim (Foto: Visit Anaheim)

Laguna Cliffs Resort & Spa (Foto: Rogerio Almeida)

Sandy Chiu e Mona Pershon, do Laguna Cliffs Resort & Spa (Foto: Rogério Almeida)

28 FÁCI L | Lazer e Negócios NE


Anaheim (Foto: Visit Anaheim)

Honda Center do hóquei no gelo (Foto: Visit Anaheim)

SERVIÇO Onde comer: 18 Folds. Ocupando uma casa de fazenda no famoso Packing District, com uma grande variedade de cervejas. 430 S. Anaheim Blvd, Fone 714- 386-5768 Onde se divertir: House of Blues Anaheim Abre diariamente e com capacidade para 2.200 pessoas, possui o VIP Foundation Room. 400 W. Disney Way at Anaheim Gardenwalk. Fone: 714-778-2583.

Onde passear: Explore o Center City com o FRAN, Free Rides Around the Neighborhood. Um pequeno veículo que percorre___ os principais lugares no centro da cidade e é inteiramente grátis. Onde ficar: Marriott Laguna Cliffs Resort & SPA (25135 Park Lantern, Dana Point, California 92629. USA) Fone: + 1 949-661-5000. Maiores informações: CtrCityAnaheim.com

FÁCIL | Lazer e Negócios NE 29


Coluna/PB

Por Rogério Almeida

E-mail: rogerioalmeidaturismo@yahoo.com.br

Buega Gadelha (FIEPPB), Governador da PB, João Azevedo e Secretário de Articulação Política, dep. João Gonçalves (Foto: FIEPPB)

Elvira, Socorro, Buega e Eugênia, Senador Marcondes Gadelha e Dr. Renato Gadelha (Foto: FIEPPB)

Adauto Fernandes, Governador João Azevedo, senadora Katia Abreu, Deusdete Queiroga e Veneziano Vital do Rego (Foto: Divulgação)

Brasília O governador da Paraíba João Azevedo se reuniu em Brasília, com a senadora e relatora setorial de Turismo na Comissão Mista de Orçamento (CMO) do Congresso Nacional, Kátia Abreu, ocasião em que apresentou os principais projetos da Paraíba para impulsionar o setor turístico do Estado, como o Centro de Convenções de Campina Grande e o Polo Turístico Cabo Branco e o Porto de Cabedelo. Presenças do senador paraibano Veneziano Vital do Rego, do secretário da Infraestrutura, dos Recursos Hídricos e do Meio Ambiente, Desdente Queiroga, e do secretário executivo da Representação Institucional, Adauto Fernande

Amaro Sales (presidente da FIERN), representando o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, Buega Gadelha e Everaldo Miranda, dir. secretário FIEPPB (Foto: FIEPPB)

Rodolfo e Paula Freire, Elvira Gadelha, Letícia Carneiro, Joana e Guilherme (Foto: FIEPPB)

Posse Francisco Buega Gadelha, foi reconduzido e tomou posse para mais um mandado como presidente da Federação das Indústrias do Estado da Paraíba (Fiep). A solenidade de posse aconteceu na sede da entidade, em Campina Grande (PB) e contou com as presenças do governador do Estado da Paraíba, João Azevedo e do presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, Adriano Galdino, entre outros. A nova diretoria é composta também por três vice-presidentes executivos, representando cada uma das regiões da Paraíba, e o mandato vai até 2023.

Estande da Paraíba na Abav Expo 2019 (Foto: Rogério Almeida)

Espaço Pernambuco

Joana Lira e o Secretário de Turismo, Esportes e Lazer de Pernambuco, Rodrigo Novaes

O Ministro do Turismo do Brasil, Marcelo Antônio, visitou o Espaço Pernambuco, montado pelo Governo de Pernambuco, na ABAV Expo Internacional, no Expo Center Norte em SP. Considerado o estande mais criativo da feira, o lounge de 70 m² foi construído em madeira de reflorestamento, pela designer pernambucana, radicada em SP, Joana Lira. O estande apresentou temáticas diferentes: Sol e Mar, Recife e Olinda, Porto de Galinhas e um compilado da Zona da Mata, Agreste e Sertão.

Foto: Rogério Almeida

Gilson Machado (Presidente da Embratur), Rodrigo Novaes (Secretário de turismo de Pernambuco), Magda Nassar (Abav Nacional), Ministro do Turismo Marcelo Antonio e Mario Pilar (Secretário de turismo de Ipojuca) Foto: divulgação

30 FÁCI L | Lazer e Negócios NE

Paraíba na ABAV A Paraíba, através da Empresa Paraibana de Turismo (PBTUR), participou em São Paulo, da 47ª Abav Expo Internacional de Turismo & 52º Encontro Comercial Braztoa, no ExpoCenter Norte. O estande da Paraíba fez parte do “Destinos do Brasil”, numa área do Ministério do Turismo. Ruth Avelino, presidente da PBtur fez a divulgação dos atrativos turísticos e representando o secretário de turismo da PB, no Encontro dos Secretários Estaduais de todo o país.

Ruth Avelino (PBTur), Rômulo Polari (Superintendente da CINEP-PB) e Manuelina Hardman (ABIH-PB)

secretários de Turismo do Nordeste Foto: Guga Matos


FรCIL | Lazer e Negรณcios NE 31


32 FรCI L | Lazer e Negรณcios NE

Profile for Revista Fácil

Revista Fácil - Edição 200  

A Transformação Digital e a sua evolução no Brasil

Revista Fácil - Edição 200  

A Transformação Digital e a sua evolução no Brasil

Advertisement