Page 1


2 - Revista Exper


Revista Exper - 3


Nesta Edição

>>>>>>

Editorial..................................................05

Entrevista

Entrevista...............................................06 Capa.......................................................10 Toque de Estilo......................................16 Case de Sucesso......................................18 Liderança......................................20 Destaque Empresarial.............................22 10 Anos de AMOA.................................24

Ivan Melo Diretor da ETM

Ponto de Vista........................................26

04 Capa

Exper News............................................28 Saúde....................................................30 Meio Ambiente.......................................32 Motivação.............................................34

Emoção e festa no WorldSkills 2011

08 Meio Ambiente

Para expressar sua opinião, dar sugestões, enviar releases e fazer contato com a nossa redação, escreva para: redacao@revistaexper.com.br e siga-nos nas redes sociais:

Sustentabilidade começa no lar 4 - Revista Exper

32


Editorial

>>>>>>

O mundo passa por mudanças com velocidade jamais vista, por isso é imprescindível que elas sejam, com urgên-

Foto Divulgação

Recriar um novo homem cia, assimiladas e decodificadas para que possamos recriar um novo homem, com prerrogativas muito mais complexas de cidadania, qualidade de vida, interdependência social, comprometido com o meio ambiente e com o futuro, com dimensões bem mais próximas do projeto inicial idealizado por Deus. O

desenvolvimento

humano,

preconizado para o século XXI engloba e ultrapassa todas as preocupações vivenciadas até o presente momento. Analisa todas as questões relativas à sociedade – crescimento econômico, troca de emprego,

Devem ser nítidas as intenções

espírito de trabalho em equipe, a autossufi-

liberdades políticas e valores culturais - na

de levar nossos alunos a buscar resulta-

ciência (sem perder de vista a interdepen-

perspectiva da pessoa humana. Concentra-

dos para além da vida escolar e de formar

dência), o perfil empreendedor, o apreço à

se, na ampliação das possibilidades de es-

profissionais capazes de fazer da atividade

tolerância, à solidariedade e à igualdade de

colha.

industrial sua atividade ocupacional eco-

oportunidade entre homens e mulheres.

Estas questões devem incitar to-

nômica, de modo que ela seja instrumento

Nossas ações também deverão

dos os educadores a uma Prática Pedagó-

de autorrealização, de desenvolvimento

mostrar que a diversidade de cultura é

gica que leve o aluno à iniciativa, ao traba-

pessoal e social, habilitando-os a enfrentar

um caminho para a construção pacífica da

lho em equipe, às sinergias, à proatividade

as numerosas exigências da vida.

harmonia entre grupos diferentes, e que a

humana, ao autoemprego, ao espírito em-

Deve ser intrínseca, a todos os

preendedor e essencialmente ao espírito

educadores, a consciência e o comprome-

fraterno do seu principal protagonista e

timento ético em desenvolver em nossos

Devemos, portanto, disseminar a

último destinatário: o próprio ser humano.

alunos, as bases do saber, a iniciativa, o

crença de que o tempo da multifuncionali-

Escola pode contribuir para diminuir os índices de violência.

dade veio para ficar, de que a competência Expediente Publisher: Márcio Junior MTB 59904-SP, Conselho Editorial: CIESP Alto Tietê, Editoração: Offmktweb, Colunistas: Leila Navarro, Epaminondas Nogueira, Wilson Toledo e Romildo Campello, Publicidade: 11 2819-4457 ou 11 9472-8104 / publicidade@revistaexper.com.br, Foto Capa: André Stefano, Fotógrafo: Diego Barbieri A revista é uma publicação da Editora OFF e distribuída aos associados do CIESP Alto Tietê, Fempi, SESI, SENAI, UMC, ACMC, ACE SUZANO, ACIDI, ACIFV, ACIP, Sebrae, Secretarias de Indústria e Comércio, Centros e Prédios Comerciais e algumas bancas. A revista não se responsabiliza pelo conteúdo dos anúncios e as opiniões emitidas em artigos assinados são de responsabilidade dos autores.

profissional é o capital do trabalhador e que só quem for capaz de aprender continuamente terá, no futuro, trabalho e remuneração.

Prof. Itamar Rodrigues Cruz Diretor da Escola SENAI “Nami Jafet” Mogi das Cruzes Revista Exper - 5


Entrevista

>>>>>>

Ivan Melo Exper - Para que nossos feitores possam saber quem é Ivan Melo, conte-nos um pouco sobre sua trajetória profissional? Ivan Melo - Eu comecei a trabalhar por

Formado em Engenharia Química, Administração de Empresas, MBA em Gestão Empresarial, Mestre em Semiótica, Tecnologia da Informação e Educação. Diretor-Presidente da ETM.

volta dos 16 anos, naquela época podia,

tem dificuldades para entrar no mesmo.

as exigências do mercado de trabalho?

e era muito saudável, numa empresa

É necessário que esses jovens enten-

Ivan Melo - Quanto a ETM, especia-

chamada Brasil Viscose, em Jundiapeba,

dam que eles se devem dar, cada vez

lizada em cursos técnicos, é obriga-

como mensageiro e estudava a noite. Sem-

mais, chances de o mercado absorvê-los.

ção dos gestores e da equipe de pro-

pre trabalhei paralelamente aos estudos.

Como? Estudando, se atualizando e se

fessores

Quando entrei na Universidade, eu já

capacitando. Só assim as empresas pode-

informações atualizadas sobre as ten-

trabalhava na Cia Suzano de Papel e

rão valorizar o “passe” desses jovens, ou

dências de mercado com a finalida-

Celulose como Auxiliar de Escritório,

seja, a ordem do dia é capacitar sempre.

de de adapta-las aos nossos cursos.

estarem

sempre

buscando

Isso ocorre por meio de cursos e experi-

na área de Recursos Humanos. Minha formação básica é Engenharia Química.

Exper - Qual é a porta de entrada, no se-

ências nacionais e internacionais, como

Minha vida profissional foi, pratica-

tor empresarial para os jovens que aca-

foi o caso de algumas visitas à esco-

mente, toda construída na Cia Suzano.

bam de sair do Ensino Médio e ainda não

la internacionais da Europa e Estados

Atuei na área de RH por alguns anos

contam com experiência profissional?

Unidos realizadas tempos atrás, o que

exercendo vários cargos até assumir

Ivan Melo - Muitos jovens que saem,

nos possibilita observar modelos e ten-

a Supervisão do Depto Pessoal, época

atualmente, do Ensino Médio, por di-

dências mundiais na área de educação

que me formei em Engenharia e pas-

versos fatores, não conseguem dar con-

e adapta-las às nossas necessidades.

sei atuar como estagiário, Engenhei-

tinuidade aos estudos, por exemplo, no

Experiências que, por meio de reu-

ro Trainee e, por fim, Engenheiro de

nível superior. Nos últimos dez anos, o

niões pedagógicas

Segurança do Trabalho até o ano de

governo vêm incentivando a formação

toda equipe de profissionais da ETM.

1998 quando me desliguei da empresa.

desses jovens no Ensino Técnico, haja

Em 1995, criei a Escola Técnica Mogiana

vista recente foi criado o programa

Exper - Sabemos que você tem um

- ETM, especializada em cursos técnicos.

Rede Ensino Médio Técnico, em par-

livro

Paralelamente à indústria eu sempre

ceria com as escolas técnicas particu-

preendedorismo

atuei como professor em escolas do

lares, aonde o governo custeará o en-

Aula”, fale-nos sobre esse projeto.

estado, particulares e universidades.

sino técnico para os alunos do 2º e 3º

Ivan Melo - Bem, o livro Empreendedo-

Atualmente,

tem-

anos do ensino médio da rede estadual.

rismo para a sala de aula, foi resultado

po integral, à ETM como gestor.

Esta fomentação do ensino técnico se dá

do meu mestrado em Semiótica, Tecno-

em função de várias oportunidades que o

logia da Informação e Educação. É um

Exper - Existe uma forma das empre-

jovem passa a ter como forma de entrar no

livro voltado para os professores, porém,

sas valorizarem os jovens que estão

mercado de trabalho mais rapidamente.

qualquer pessoa que lê-lo irá, com certe-

me

dedico,

ingressando no mercado de traba-

editado

são repassadas à

com

o

para

tema a

“Em-

Sala

de

za, encontrar alguma indicação valiosa

lho que se dedicam mais aos estudos?

Exper - De que forma a ETM trabalha

para sua relação de trabalho. Procurei

Ivan Melo - Hoje o mercado de trabalho é

para melhorar a educação? O que vem

enfatizar a profissão de professor, por-

muito exigente e cada vez mais o o jovem

sendo feito pela Instituição para atender

que entendo que os professore além de

6 - Revista Exper


Revista Exper - 7


Entrevista

>>>>>>

suas habilidades didáticas-pedagógicas,

te: é o desafio de conciliar tudo isso

e por meio de reuniões pedagógicas

também devem agregar habilidades

e manter um padrão de vida de qua-

com os professores e com os alunos

gerenciais e comportamentais dentro

lidade saudável com a minha famí-

representantes de classes e possível

de uma sala de sala, o que os torna-

lia, isso sim é o meu grande desafio.

“falamos a mesma língua” buscan-

rão cada vez mais bons professores.

do o objetivo comum: o aprendizado. Exper - Quais os recursos que o Ivan

Exper -

O desafio de escrever o li-

Melo utiliza para se manter com-

Exper - Na ETM como se dá esse circui-

vro e administrar uma Instituição

petitivo

educacional?

to da aprendizagem? Qual o caminho

de ensino são seus maiores desa-

Ivan Melo - Sempre buscar informa-

que a informação dada em aula precisa

fios? Ou existem outros pela frente?

ções atualizadas e importantes por

percorrer para virar um aprendizado?

Ivan Melo - Tanto administrar uma

meio do estudo. Eu leio muito, e com

Ivan Melo - Como eu já falei, princi-

empresa como escreve um livro, en-

um detalhe, eu gosto muito da leitura.

palmente, por meio das reuniões com

no

mercado

tendo que são atividades sempre de-

os discente e docentes. Mas também

safiadoras. Porém, o desafio de ad-

Exper - Com a ETM administra a

existe uma tendência muito grande na

ministrar uma empresa e diferente de

relação professor X aluno no pro-

ETM dos professores trabalharem por

escrever um livro. O desafio de admi-

cesso

ensino-aprendizado?

projetos, envolvendo diversas discipli-

nistrar um empresa é algo constante, é

Ivan Melo - Eu tenho uma equipe que

nas, o que facilita muito o aprendizado.

diário, por que não dizer é a cada se-

me assessora, são pessoas que atuam

gundo. Quanto ao livro ele é pontual.

na técnica e na área pedagógica (Fi-

Exper - A revista é lida por diretores, pre-

Quanto a outros desafios, na minha

nanceiros, Coordenadores, Diretores e

sidentes e CEOs do Alto Tietê. Como for-

opinião, existe um desafio maior do

Assistentes) que participam ativamen-

mador de mão de obra qualificada, dese-

que esses dois citados anteriormen-

te do planejamento da ETM. Com eles

ja comentar algo que deixamos passar?

de

Fotos: Arquivo Pessoal

Ivan Melo - Eu leio muito, como já disse, e leio de tudo. Entendo que o profissional do mundo atual não deva ler apenas aquilo que está relacionado, diretamente, às suas técnicas, isto é o básico, mas também deve ler sobre assuntos variados, só assim ele terá condições de manter um bom discurso. Quanto a revista EXPER, entendo que seja uma revista que veio para atender um público diferenciado que estava carente de informações e dicas relevantes. É uma revista empreendedora. Está preocupada e sempre nos brinda com assuntos que vão desde motivação, comportamento, ética, gestão empresarial, legislação até saúde. Por isso, parabéns à toda equipe que Ivan Melo e alguns empresários em frente a casa de Anne Frank em Amesterdam 8 - Revista Exper

conseguiu idealiza-la e nos presentear.


Revista Exper - 9


Capa

>>>>>>

SENAI mostra ao mundo a excelência da educação profissional do Brasil. Talento do Bra-

competidores são avaliados e os melhores

sonha em chegar ao WorldSkills, repre-

sil que ultrapas-

colocados se classificam para representar

sentar nosso país no exterior e conquistar

sa fronteiras. A

seu estado no Torneio Nacional. São con-

experiência internacional. Para muitos, é

Olimpíada do Co-

feridas medalhas de Ouro, Prata e Bronze e

também uma grande vitrine profissional,

nhecimento

certificados de participação aos concorren-

onde os melhores colocados são disputa-

tes.

dos por empresas e obtêm excelentes colo-

co-

meça dentro das escolas do SENAI, ganha destaque estadu-

Etapa Nacional

cações no mercado de trabalho. WorldSkills

al e nacional, e os melhores representam

Esta fase é similar à anterior, po-

nosso país no WorldSkills, o maior torneio

rém com maior competitividade e respon-

Como uma Olimpíada esportiva,

mundial de competências profissionais.

sabilidade. Uma parceria com o SENAC

competidores de todo o mundo confrontam

(Serviço Nacional de Aprendizagem do

suas habilidades profissionais em busca de

Comércio) possibilitou a inclusão de três

uma medalha. O reflexo disso no apren-

áreas do setor de comércio e serviços.

dizado é que cada uma destas predisposi-

Como funciona cada fase da competição: Seleção (Etapa Escolar) Cada Centro de Formação do SENAI é responsável por escolher seus melhores alunos para a Etapa Estadual. Os competidores devem ter no mínimo 400 horas em cursos de aprendizagem ou qualificação industrial, ou formação técnica de nível médio na área. Podem ter no máximo 21 anos completos no ano da realização da Etapa Nacional, nunca terem participado da Olimpíada do Conhecimento e serem inscritos em apenas uma modalidade. Etapa Estadual Cada Unidade do SENAI que deseja competir deve elaborar propostas de provas para as ocupações, englobando planejamento, forma de execução e elaboração de produto final, que serão selecionadas para a aplicação na Etapa Estadual. Os 10 - Revista Exper

Esta fase é decisiva para quem

ções influencia no modo como cada pessoa


Revista Exper - 11


Capa

>>>>>> aprende. Se uma

de conteúdos preparados pelos professores

o todo o desenvolvimento de determina-

pessoa tem uma

- e até pelos próprios alunos ou seus pais.

das áreas do conhecimento, os caminhos

Inteligência

Vi-

A produção impecável da TV in-

percorridos pelos cientistas da época, a

sual diferenciada,

glesa, aliada ao primoroso texto de Micha-

destruição de antigas teorias para o apare-

aprenderá melhor

el Mosley, abordam temas com os quais

cimento das novas. O espectador participa

através de estí-

todos nós brigamos em nossos tempos de

da evolução das ideias, compartilhando as

escola.

dúvidas geradas e respondidas, num fluxo

mulos visuais - o mesmo se aplicando para as demais.

Mas quando Mosley nos mostra

estimulante e de contínua surpresa.

Ocorre que o sistema educacional

os primeiros motores a vapor construídos

Um grande exemplo no Brasil é

ocidental foi desenvolvido com o objetivo

por James Watt, fica fácil aprender as leis

o SENAI, que desenvolve em seus alunos

de atender ao maior número possível de

da termodinâmica. Quando o vemos re-

a criatividade, liderança e tomada de deci-

pessoas, numa época em que ainda não

petindo os experimentos de Lavoisier nos

sões. Conceitos que fazem parte do dia a

havia estudos mostrando as diferentes for-

castelos franceses, a explicação da lei da

dia no ensino do SENAI.

mas de aprendizado. Noutras palavras, as

conservação das massas parece simples.

E para estimular os alunos que se

escolas hoje buscam a melhor maneira de

Ao entrarmos nos subterrâneos de Paris,

destacam em seus cursos, a entidade criou

ensinar - que não necessariamente coinci-

onde os primeiros fósseis encontrados de-

em 2001 a Olimpíada do Conhecimento, a

de com a melhor maneira de aprender.

ram origem à Origem das Espécies, enten-

maior competição de educação profissio-

Esta padronização - que serviu

der a evolução torna-se um prazer. Ou en-

nal das Américas.

muito bem ao objetivo da inclusão - deixa

tão conhecer o caminho do estudo do peixe

A Olimpíada do Conhecimento

sérias lacunas no quesito efetividade. En-

elétrico, ao desenvolvimento da primeira

é uma das principais vitrines profissionais

quanto alguns alunos se destacam por se

pilha por Alessandro Volta - que, pasme,

do país, pois expõe o talento de jovens es-

adaptarem bem ao atual modelo, a maioria

não tinha nenhuma utilidade! A descober-

tudantes, incentiva o desenvolvimento de

fica para trás, passando de ano aos trancos

ta acidental do eletromagnetismo, ter um

competências e ensina os alunos a superar

e barrancos. Em Drive: The Surprising

déjà vu acadêmico é inevitável.

desafios, aproximando-os da realidade do

Truth About What Motivates Us, Daniel

Mais importante do que isso,

mercado de trabalho e do ambiente indus-

Pink deixa claro que passar na prova de

talvez seja o modo como Mosley mostra

trial. E os melhores colocados disputam

Francês é uma coisa e aprender o idioma é outra, completamente diferente. A solução apontada por Christensen e Horn apoia-se no aprendizado individualizado, possível através da informatização das salas de aula. Eles alertam, no entanto, que entupir as escolas de computadores está longe de ser a solução. Até porque a maioria das experiências neste sentido falhou no sentido de melhorar o nível do ensino, uma vez que continuavam reproduzindo o atual modelo de ensino. Na proposta dos autores, softwares específicos preparariam os planos de aulas mais adequados à forma como cada aluno melhor aprende, a partir de bancos 12 - Revista Exper


uma vaga no WorldSkills, o mais importante torneio internacional de educação profissional. Prova de qualidade do Brasil para o mundo.

Segundo o ex-presidente da CNI,

Armando Monteiro Neto, o evento ajuda a criar uma indústria brasileira mais capacitada, capaz de competir globalmente. Prova disso é o desempenho do Brasil no WorldSkills 2007, quando ficou em segundo lugar, à frente de países altamente industrializados como Alemanha, Estados Unidos e Japão. Para o diretor-geral do SENAI, José Manuel de Aguiar Martins, a Olimpíada do Conhecimento é mais que um torneio, é parte de um processo educacional que forma profissionais altamente

SESI como o Cozinha Brasil e a Biblioteca

de formação profissional do mundo, atrás

qualificados. Isso confere mais qualidade

Móvel entretêm os visitantes e oferecem

apenas da Coreia do Sul e à frente do Ja-

ao produto nacional.

cursos rápidos para a população. Trabalho

pão, da Suíça, de Singapura e outros pa-

Em segundo plano, a Olimpíada,

conjunto do Sistema Indústria pelo pleno

íses desenvolvidos. Os competidores bra-

aberta ao público, torna-se também um es-

desenvolvimento de toda a sociedade bra-

sileiros, alunos do SENAI, ganharam seis

paço de interação e troca de experiências

sileira.

medalhas de ouro, três de prata, duas de

entre a indústria, empresários, estudantes e

bronze e mais dez certificados de excelênWorldSkills 2011

a comunidade. Além das provas, palestras e exposições atraem mais de 80 mil alunos.

E na Praça da Cidadania, programas do

do no WorldSkills 2011, o maior torneio

O Brasil foi o segundo coloca-

cia. Esse foi o resultado da 41ª edição do WorldSkills, em Londres.

O Brasil é ouro em desenho me-

cânico em CAD, eletrônica industrial, joalheria, mecânica de refrigeração, mecatrônica e webdesign. Ganharam medalhas de prata os competidores de polimecânica, tecnologia da informação e design gráfico. O bronze foi para as ocupações de fresagem CNC e soldagem. (veja a lista dos estudantes premiados abaixo. Essa é a segunda vez que o país fica em segundo lugar no WorldSlkills. A primeira vez que o país alcançou essa colocação foi em 2007, quando o torneio foi realizado no Japão.

Os estudantes que representa-

ram o Brasil no WorldSkills estão entre os melhores do mundo em sua profissão. Revista Exper - 13


Capa

>>>>>> Para premiar o talento e o esforço de cada um, o SENAI oferecerá aos

competido-

res

brasileiros

emprego como instrutor, bolsas de estudo para um curso universitário e para cursos técnicos no exterior. Os prêmios foram anunciados pelo presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, em café da manhã com os estudantes brasileiros em Londres. “Vocês são um orgulho muito grande para o Brasil”, disse Andrade, cumprimentando os estudantes. Ele destacou que jovens profissionais bem preparados como os competidores do WorldSkills são decisivos para garantir o crescimento da economia brasileira. “Por isso, o SENAI

Os vencedores de 2011:

O Brasil poderá, em 2017, ser a sede do WorldSkills, o maior torneio de

continuará investindo na formação profisMedalha de ouro

formação profissional do mundo. A pré-

Guilherme Augusto Franco de Souza –

candidatura do país foi anunciada, pelo

o SENAI contratará os competidores como

desenho mecânico em CAD;

presidente da Confederação Nacional da

instrutores em suas escolas para que eles

Gabriel D’Espindula – eletrônica indus-

Indústria (CNI), Robson Braga de Andra-

ensinem tudo o que aprenderam para ou-

trial;

de. Segundo ele, a ideia é fazer o evento

tros jovens. Os que quiserem complemen-

Willian Ramon de Souza – mecânica de

no Rio de Janeiro. “Temos instalações e

tar a formação técnica no exterior serão

refrigeração;

disposição para ser a sede da competição

orientados na escolha da escola e do curso.

Christian Alessi e Maicon Carlos Pasin –

internacional que avalia a educação profis-

“Além da bolsa de estudos, eles terão aju-

mecatrônica;

sional no mundo”, disse Andrade, antes da

da de custo para se manterem fora do país

Natã Miccael Barbosa – webdesign;

cerimônia de encerramento da 41ª edição

no período do curso”, acrescentou Andra-

Rodrigo Ferreira da Silva – joalheria.

do WorldSkills.

de.

Medalha de prata

sional”, acrescentou. O presidente da CNI explicou que

A carta na qual o SENAI comuni-

Guilherme de Souza Vieira – desing grá-

ca a intenção de sediar o torneio em 2017

tado por 28 estudantes, que competiram

fico;

foi entregue por Andrade ao presidente do

em 25 ocupações. Realizadas de 5 a 8 de

Rodrigo da Silva Panifer – polimecânica;

WorldSkills International, Tjerk Dussel-

outubro no centro de convenções e expo-

Paolo Haji de Carvalho Bueno – tecnolo-

dorp.

sições, em Londres, a 41ª edição do Worl-

gia da informação.

dSkills reuniu 944 competidores, que são

Medalha de bronze

brasileiros e os dirigentes do WorldSkills

estudantes de cursos técnicos profissiona-

Thiago Guilherme de Carvalho – fresa-

International, a instituição que reúne en-

lizantes de 51 países. O evento recebeu

gem CNC;

tidades de educação profissional de todo o

mais de 150 mil visitantes.

Lucas Landriny Filgueira – soldagem.

mundo e organiza o torneio, ocorreu no

Neste ano, o Brasil foi represen-

14 - Revista Exper

O encontro entre os empresários


sábado, 8 de outubro, durante as provas finais do WorldSkills 2011.

Conforme o chefe da delegação

brasileira no WorldSkills 2011, José Luís Leitão, no próximo ano, o SENAI oficializará a candidatura do Brasil. A eleição da cidade-sede do torneio em 2017 será feita em julho de 2013, em Leipzig, na Alemanha, em 2013, durante o próximo WordSkills. Em 2015, o torneio ocorrerá em Madri, na Espanha.

“Será uma grande honra para o disso, o Brasil tem-se destacado no cená-

sileiros competiram em 25 ocupações pro-

rios pontos fortes que pesam na decisão

rio econômico internacional, e o SENAI

fissionais, como design gráfico, robótica,

dos organizadores do torneio”, contou

é referência mundial em formação profis-

mecatrônica, polimecânica, marcenaria,

José Luís Leitão. O primeiro, afirmou ele,

sional.

soldagem, confeitaria, eletricidade predial

é que o país nunca foi sede da competi-

O Brasil participou do torneio

e industrial, entre outras. As provas do tor-

ção e há uma tendência entre os dirigentes

com 28 estudantes, dois quais 23 são alu-

neio simulam desafios do dia do trabalho

de diversificar os locais do torneio. Além

nos do SENAI e cinco do SENAC. Os bra-

nas diversas profissões.

Fotos: Divulgação

país sediar este evento. O Brasil tem vá-

Revista Exper - 15


Toque de estilo

>>>>>>

Design de peças consagradas

P

ara se fazer um bom design é necessário conhecer muito bem o produto que se está trabalhando, domi-

nar técnicas, ter bom senso para aplicar o seu conhecimento, usar e abusar de toda a sua sensibilidade na hora de expressar suas ideias. Um bom designer está ligado neste

planeta, sabe escutar, observar e destacar coisas que pessoas comuns geralmente não percebem. Um bom design expressa nossas ideias e conceitos em formas e cores. Saber conjugar de forma inovaFotos: Diego Barbieri

dora a performance, qualidade, durabilidade, aparência com um custo acessível é a fórmula certa para garantir o lucro de qualquer empresa. Garanto que foi pensando nisso que o famoso arquiteto finlandês, nascido em Helsink, Eero Saarinem filho do tam-

guarda em design. Eero em 1937 em par-

pode-se dizer que é um talento do profis-

bém arquiteto Eliel Saarinem desenvolveu

ceria com Charles Eames, deu início a uma

sional de arquitetura e interiores mas saber

móveis dos mais disputados e comentados

nova era de móveis modernos e muitas ve-

colocar uma peça consagrada e prestigiada

e famosos da arquitetura de interiores,

zes premiados no MOMA - Museu de Arte

é uma questão de pura sensibilidade.

como a cadeira Tulipa da sua coleção pe-

Moderna de Nova York.

destal que é até hoje um símbolo de van-

Saber colocar uma peça de design

Alguns famosos criadores do design que nunca morrem são: Mies Van Der Rohe, Verner Panton, Charles e Ray Eames, Eero Saarinen, Le Corbusier, Eero Aarnio, Arne Jacobsen, Isamu Noguchi, e outros, são os principais nomes que vêm à cabeça quando se fala em “clássicos do design”. No Brasil podemos acrescentar Oscar Niemeyer, Sérgio Rodrigues, Joaquim Tenreiro e José Zanine Caldas, que também representam os primeiros nomes que nos vem à mente. O fato é que as peças criadas por esses designers transcendem quaisquer obstáculos, inclusive temporais. Quem não gostaria de ter em casa

Womb Chair de Eero Saarinem 16 - Revista Exper

Cadeira Tulipa de Eliel Saarinem

uma peça assinada por um deles?


Raquel

Miyatake Arquiteta formada pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - USP, há 25 anos no mercado (sendo os últimos 12 anos em Mogi das Cruzes e Região) atua nas áreas de arquitetura, construção e design de interiores. Desde 1990 mantém escritório com seu parceiro e marido, Eduardo Miyatake, onde desenvolvem projetos comerciais, prediais e residenciais, buscando sempre atender as espectativas e sonhos dos clientes. Uma cidade: Paris é uma cidade com todos os encantos, desde as pequenas e charmosas boulangeries, às ruas arborizadas e movimentadas das Champs Élysées, à vida cultural com todos os seus museus, à arquitetura europeia e os diversos pontos turísticos fazem de Paris uma cidade única. Um designer: Patrícia Urquiola é destaque entre as designers da atualidade, e não está presa a nenhum estilo em particular, pois procura despertar a emoção das pessoas através da mistura de estilos, formas, detalhes e texturas. Uma peça de design: Poltrona Crinole de Patrícia Urquiola. Uma obra arquitetônica: Museu de Arte Moderna de Paris (Georges Pompidou) um exemplo de estilo arquitetônico dos anos 70 (high tech), concebido pelo arquiteto italiano Renzo Piano. Uma construção inovadora para os padrões parisienses da época, e totalmente inserido na paisagem da cidade, com a integração dos eventos com o espaço externo. Um estilo: Contemporâneo, porém com detalhes pessoais que remetam a um ambiente acolhedor e único. Um filme: Sempre ao seu lado (Hachico, A DOG’S STORY) uma verdadeira história de amizade e lealdade. Revista Exper - 17


Case de Sucesso

>>>>>>

Grupo Padrão 20 Anos de História Fotos: Divulgação

ras. “E não pretendemos parar por aqui. Já estamos planejando expandir nossas atividades para o Norte e Nordeste do País, já a partir do ano que vem”, ressalta Sidemir Carlos Inácio, diretor presidente do grupo. Outro grande diferencial é a valorização do capital humano da empresa e sua gestão, orientadas por princípios modernos de governança corporativa. Sabemos que, dentro das empresas do Grupo (Padrão Segurança, Support, Mogiforte, Proteka e Copalco), são os profissionais qualificados que permitem a criação de projetos que agregam inteligência, estratégia e soluções integradas. “Por isso, não temos a

Sidemir Carlos Inácio , diretor-presidente do Grupo

O

menor dúvida de que os colaboradores são alto investimento em tecnolo-

- capital, Guarulhos, Grande São Paulo,

o nosso maior ativo”, reforça Silas Odilon

gia, na valorização e qualifi-

Osasco, Vale do Paraíba, Penapolis, Lito-

Ignácio, diretor adjunto do Grupo”. Quere-

cação dos colaboradores e em

ral Norte e nos mais de mil clientes aten-

mos desenvolver colaboradores altamente

comprometimento social são as bases que

didos, nos segmentos de varejo, indústria,

motivados, instruídos e treinados em suas

dão sustentação ao crescimento do Grupo

instituições financeiras, redes de ensino,

áreas de atuação, que possam sustentar

Padrão nestes 20 anos de existência. Para

condomínios residenciais e redes hotelei-

as melhorias necessárias no processo de

se ter uma idéia de como levamos a sério o nosso trabalho, um comitê de gestores é responsável por avaliar e garantir a qualidade dos processos e serviços propostos aos clientes. Trabalhamos com indicadores e medição de qualidade, treinamento voltado para cada segmento de mercado e estudos técnicos para a formulação de propostas personalizadas, o que projeta a empresa para um crescimento e qualidade contínuos. Essa diferenciação é importante em um mercado altamente competitivo. Prova do reconhecimento desta linha de atuação está nas unidades operacionais espalhadas por Mogi das Cruzes, região do alto Tietê, região do ABC, São Paulo 18 - Revista Exper

Silas Odilon Ignácio, diretor adjunto do Grupo


atingir as metas corporativas. Queremos

no dia a dia, defendendo a saúde do meio

sua política interna. “O Grupo Padrão tem

alcançar vantagem competitiva por meio

ambiente e o progresso social. Quando a

realizado ações que vão ao encontro dos

da agilidade, qualidade e comportamento

empresa investe em projetos so-

anseios da comunidade, seja através de

ciais que beneficiam

campanhas de mobilização solidária, seja

inovador. Tudo isso, agindo de forma ética, como bons

comunidade,

através de ações contínuas que se susten-

ela está lhe

tem ao longo do tempo. Estas ações sem-

vos, em todas as

devolvendo

pre estão calcadas no tripé da sustentabili-

comunidades

uma

con-

dade – social, ambiental e econômica – de

nas quais atua-

trapartida

forma a fomentar a igualdade de gênero, o

mos”, ressalta

justa,

além

desenvolvimento da sociedade, o respeito

de reverter os

ao meio ambiente, o estabelecimento de

ganhos para o

parcerias e, por fim um mundo melhor para

cidadãos

corporati-

Silas.

E

completando

, o

nosso tripé, estamos cada vez mais envolvi-

a

ambiente

interno

e na percepção que os

se viver”, completa Sidemir.

Foi justamente por seguir essas

clientes têm da própria empre-

diretrizes que o Grupo Padrão conquistou

dos com a responsabilidade social, em ser

sa. É necessário ter em mente que quando

lugar de destaque, em um mercado alta-

uma empresa com capacidade de ouvir os

a empresa investe em projetos sociais, ela

mente competitivo. A construção de uma

interesses das diferentes partes envolvidas

deve primeiramente respeitar os costumes,

marca sólida é um desafio árduo e contí-

com o Grupo Padrão e incorporá-los no

valores e cultura locais, disseminando es-

nuo, mas estamos dispostos a seguir essa

planejamento e na execução das atividades

tes valores para que eles façam parte da

trajetória. Que venham outros 20 anos!

Revista Exper - 19


Liderança

>>>>>>

Você vive a vida que merece? Marcio Junior Publicitário, jornalista, publisher da revista Exper, palestrante, diretor de marketing e autor do livro “Um dia Maravilhoso”. Saiba mais no www.marciojunior.com.br.

M

aslow procurou compreen-

inovar, inventar e criar. Abre um negócio

que você é especial, que você foi cria-

der e explicar o que ener-

que não vinga, muda de profissão acredi-

do para fazer a diferença. Que você tem

giza, dirige e sustenta o

tando que a atribuição que realizava não

uma tarefa suprema para realizar. Não

comportamento humano. Para ele, o

era ideal, muda de emprego a vida intei-

deixe para amanhã o que você já deveria

comportamento é motivado por neces-

ra e termina sua carreira sem descobrir

ter feito. Tome a decisão mais importan-

sidades a que ele deu o nome de neces-

seu verdadeiro talento. Fique sabendo

te de sua vida. Tome a decisão de mudar

sidades fundamentais. Tais necessidades

que você vive uma vida que não é sua.

e de fazer DIFERENTE. Aprenda a fazer

são baseadas em dois agrupamentos: de-

Vive uma vida que já não te pertence

as perguntas corretas. Mas saiba que as

ficiência e crescimento. As necessidades

mais. Vive uma vida que já deveria ter

respostas estão dentro de você. Cabe so-

de deficiência são as fisiológicas, as de

cedido espaço para grandes realizações,

mente a você decidir abandonar esta vida

segurança, de afeto e as de estima, en-

valiosas conquistas e uma independência

de limitações e privações e viver uma

quanto as necessidades de crescimento

financeira. Agora eu te pergunto: Você

vida de sucesso.

são aquelas relacionadas ao autodesen-

vive a vida que você merece?

volvimento e autorrealização. Poucas crescimento, acredito que por assistir e presenciar a miséria, a violência, o descaso e a ausência de fé. Milhões de seres humanos são lançados para um labirin-

Foto: Reprodução

pessoas trabalham as necessidades de

Claro que não, você esquece

Desperte sua coragem interior, afaste o medo e traga você de volta ao mundo. Sua família espera mais de você, a empresa onde você trabalha acredita e sabe do seu potencial. O universo está seu a favor, o momento é agora, seu dia é hoje. Levante a sua cabeça e saiba que

to chamado “rotina do dia a dia” e neste

os pequenos serão grandes e os grandes

lugar permanece grande parte da vida.

serão maiores ainda. Esperamos demais

Devemos estar sempre atentos, não fa-

para fazer o que precisa ser feito, num

zendo de nosso dia a dia como um ato

mundo que só nos dá um dia de cada vez,

impensado, que possa gerar uma atitude

sem nenhuma garantia do amanhã. Você

contrária, um desconforto à nós e as pes-

pode conseguir qualquer coisa que quei-

soas que convivem conosco.

ra na vida, desde que comece a trabalhar

Existem pessoas que passam

agora, as mudanças externas só come-

grande parte da vida tentando realizar

çam a ser visíveis quando as mudanças

um monte de coisas, tenta a todo custo

internas se concretizam.

20 - Revista Exper


Revista Exper - 21


Destaque Empresarial

>>>>>>

A

WRP Comercial Ltda, foi fundada em 1988 no Bairro da Mooca, como uma pequena montadora

de bicicletas e já no ano seguinte, começou a comercializar móveis de aço e mó-

Fotos: Divulgação

A WRP tem orgulho em dizer que é uma empresa diferente...

veis para escritório. Com falta de abastecimento no mercado local de componentes para bicicletas em 1994, a WRP começou a fabricar quadros e acessórios de bicicletas para o seu próprio uso, desde então passou a comercializá-los, além de fabricá-los. Logo em seguida, deixou de ser montadora de bicicletas e passou a ser somente fabricante de quadros e acessórios para bicicletas. Em 1996 mudou-se para a Rua do

aço, já tendo como diferencial para estes

“que somos uma empresa diferente, todo

Alumínio em Itaquaquecetuba onde está

novos negócios a mesma qualidade que já

o processo produtivo é realizado dentro de

localizada e instalada até os dias de hoje.

a consolidara no mercado de montagem e

nosso parque fabril, garantindo qualidade

Também em 1996 a, WRP começou a pro-

fabricação de quadros e acessórios para bi-

técnica, confiabilidade e acabamento esté-

duzir móveis para escritórios e aproveitan-

cicletas.

tico na produção de nossos produtos.

do seu parque fabril em Itaquaquecetuba

Euclides Raia diretor da WRP

A WRP é a primeira fabricante

começou também a fabricar móveis de

tem orgulho de dizer, em alto e bom-tom,

de quadros e acessórios para bicicletas a possuir o certificado de aprovação emitido pelo Organismo de Certificação de Produto - INOR, após ensaios realizados conforme a NBR 14.714, essa diferença é visível na qualidade dos produtos, no carinho e dedicação empregados em cada detalhe. Quando dizemos que a qualidade está nos detalhes, temos o orgulho de mostrar não apenas os detalhes, mas todos os diferenciais que juntos formam o DNA da WRP. Isso significa que qualidade e diferencial estão em nossa essência, no nosso jeito de pensar e de trabalhar, estão em nossas

Euclides Raia, Paulo Skaf e Lairson Pacheco 22 - Revista Exper

equipes e em nossos produtos.


Na 6ª Edição da Bike Expo a em-

conquistas, tais como:

mo que de pequeno porte, enquanto pontos

presa lançou três novos produtos: Fastness

A sede do Corpo de Bombei-

comercias de grande porte, que utilizam

MTB Aro 26”, com movimento central

ros, que foi construída com o empenho e

muito mais a iluminação pública, pagam

34,7 mm disponível em cores foscas e ade-

comprometimento da comunidade empre-

apenas R$ 38,00.

sivos inovadores valorizando o visual dife-

sarial, coordenados pela FEMPI – Frente

renciado, a Mágala Kids , aro 20” e a Má-

Empresarial Pró-Itaquá, o prédio de 750

ta, a rotatória do Caiuby e a Base da Polí-

gala Teen, aro 24”, nas versões da Mágala

metros quadrados teve seu gerenciamento

cia Militar são algumas conquistas que lhe

aro 26”, confiamos tanto na qualidade e em

financeiro e sua construção integralmente

renderam o título de cidadão de Itaquaque-

nossos diferenciais, que podemos afirmar:

realizada com recursos financeiros dos em-

cetuba, sem nunca ao menos ter residido

“Com a WRP, você vai mais longe!”

presários, totalizando cerca de R$ 300 mil

na cidade.

reais. A unidade funciona com 12 soldados

com a de pai, marido e cidadão. Euclides

de plantão 24 horas.

pela cidade, pelos munícipes e pelos em-

Raia sempre preocupado em expandir seus

A CIP (Contribuição de Ilumi-

presários, qualquer outro teria feito no meu

negócios, nunca deixou de lado as ques-

nação Pública), Raia que na época atuava

lugar, não tenho mérito algum, foi trabalho

tões sociais que envolviam a cidade de

como presidente da FEMPI entregou uma

de uma equipe envolvida e disposta a co-

Itaquaquecetuba. Com um grupo de ou-

proposta absolutamente viável à Prefeitu-

laborar pelo bem comum. Uma das coisas

tros empresários altamente determinados

ra, na existente equivalência de custos para

que sinto orgulho em ter participado, foi da

a oferecer melhores condições para seus

todo comércio e indústria do município,

APAE, ali qualquer ajuda tornava-se uma

funcionários e para a cidade no qual esta-

restabelecendo um equívoco que impunha

grande obra. Aprendi muito com aquelas

vam instalados. Obtiveram uma dezena de

mais de R$ 400,00 para as indústrias, mes-

crianças.

A história do diretor se confunde

A rotatória da Quinta da Boa Vis-

Segundo Raia, “tudo o que fiz

Revista Exper - 23


10 anos de AMOA

>>>>>>

Uma década de muito trabalho profissional. O projeto, que é financiado pelas empresas que contratam os aprendizes, compreende um treinamento de três meses nas instalações da AMOA, onde o jovem aprende a desenvolver as suas potencialidades, e depois um contrato de trabalho por dois anos nas empresas parceiras, onde, pela prática trabalhista orientada pelos empreendedores, com a supervisão dos profissionais da AMOA, ele se inicia na vida profissional. Esse prêmio vem coroar uma dé-

N

cada de muito trabalho e dedicação. Nesse o dia 23 de setembro, em uma

ONG há mais de dez anos.

período, os adolescentes foram orientados

cerimônia realizada no auditó-

Esse projeto, que tem o amparo

e assistidos pela AMOA “Associação Mo-

rio do SESI- BRAZ CUBAS,

na Lei 10.097 de 2000(Lei do Aprendiz),

giana Oficina dos Aprendizes” que é uma

a AMOA recebeu o prêmio Chevrolet –

promove a educação para o trabalho e o

entidade filantrópica, sem fins lucrativos,

Mogi News de Responsabilidade Social.

exercício da cidadania através da partici-

fundada em 18 de outubro de 2001 pelo

Esse prêmio é conferido anualmente às

pação comunitária. Atualmente são mais

Lions Clube Mogi-Estância, em substitui-

empresas e Organizações Não Governa-

3000 aprendizes treinados pela AMOA,

ção à antiga Guarda Mirim Feminina de

mentais que desenvolvem projetos de in-

que já encontraram seu caminho na vida

Mogi das Cruzes. Com anos de existên-

teresse comunitário e de responsabilidade social, que visam melhorar a vida das comunidades onde essas empresas e organizações atuam. A AMOA foi lembrada pelo seu projeto de qualificação e inserção de aprendizes no mercado formal de trabalho, trabalho esse que é desenvolvido pela

Aprendiz totalmente preparado para o mercado 24 - Revista Exper

Sala de aula onde os aprendizes recebem as instruções


Fotos: Divulgação

AMOA recebe o prêmio Chevrolet - Mogi News de Responsabilidade Social

Atividades complementares

cia, acumula experiência e responsabili-

Sadao Sakai juntamente com uma equipe

partir de novos conceitos de igualdade so-

dade em qualificar 300 a 450 adolescentes

de profissionais e voluntários. Segundo o

cial, baseados no respeito na confiança e

por ano. Além de registrá-los, ainda lhes

presidente Sadao, “O foco de atendimento

na valorização dos adolescentes. Nossos

proporciona seguro de vida, e apoio da

da Amoa está em jovens de 15 anos, ma-

adolescentes após concluírem o curso, es-

equipe técnica composta por assistente

triculados no ensino regular. A AMOA

tarão aptos para concorrerem no processo

social e psicóloga. O programa educativo

prioriza o atendimento aos adolescentes

seletivo do Programa de Aprendizagem

da AMOA é orientado e fiscalizado pelo

oriundos de famílias em situação de vulne-

para o seu primeiro emprego com registro

Ministério do Trabalho e Emprego, e pelo

rabilidade social. Oferece um curso de qua-

em carteira e todos os direitos trabalhistas

(CMDCA) Conselho Municipal dos Direi-

lificação profissional gratuitamente, com

garantidos. Hoje a AMOA tem como presi-

tos da Criança e do Adolescente.

duração de 40 dias ou 10 semanas, que tem

dente, em um período de dois anos Rinaldo

Hoje a AMOA tem como presi-

como objetivo desenvolver capacidades e

Sadao Sakai juntamente com uma equipe

dente, em um período de dois anos Rinaldo

habilidades técnicas e comportamentais a

de profissionais e voluntários”.

Formatura de aprendizes realizada em 2011

Atividades complementares Revista Exper - 25


Ponto de Vista

>>>>>>

Educar é criar entusiasmo Dr. Epaminondas Nogueira Mogi das Cruzes - Av. Narciso Yague Guimarães, 664, Centro Cívico – Tel: (11) 4799-1510 São Paulo – Barra Funda Rua do Bosque, 1589 – Ed. Capitolium, Bl. II,

A

Conj. 1207 - Tel: (11) 3392-3229

educação se define como o pro-

Do que foi falado já se pode com-

cesso de desenvolvimento da

preender que educar alguém é construir

capacidade física, intelectual e

uma civilização.

moral da pessoa.

mo como verdadeiros pais e mães de um número cada vez maior de brasileiros. Brasileiros para quem o Brasil já

Neste passo devemos olhar para

não é o país do futuro, de um futuro lon-

Em Roma, o EDUCATOR – o

o SESI, o SENAI e o SENAC instituições

gínquo situado apenas no dia da esperança,

educador era o que criava, alimentava, era

que têm realizado um trabalho de nível

mas de um Brasil realidade que se engran-

pai e preceptor e a EDUCATRIX – a edu-

excelente na formação técnica, cultural e

dece com seu povo em tudo o que se pro-

cadora a que nutria, amava era preceptora

moral de muitas gerações.

põe fazer.

e mãe.

Trabalho este que a passagem do

Educar é criar entusiasmo, criar

Como se vê o educador profissio-

tempo e a realidade do nosso papel no con-

a certeza que no amanhã o país e o mun-

nal como conhecemos, o professor, hoje

certo das nações só tem ressaltado a impor-

do terão sua face mais humana, uma nova

é uma das especializações das funções de

tância.

gente, uma nova civilização.

pai e mãe.

Nada disso teria sido possível

Neste contexto, a mão que afaga,

Bem por isso, lá na entrada do

sem o empenho dos empresários que sus-

o peito que amamenta e o mestre que ensi-

Grupo Escolar Pedro II, em Belo Horizon-

tentam econômica e financeiramente tais

na se equivalem.

te, há uma placa com a frase do eminente

entidades e sem a notável contribuição dos

A educação é tudo.

professor Fernando de Mello Vianna que

professores e demais educadores que cons-

É o princípio e o fim, nada pode

reza:

cientes da importância da obra civilizatória

ser pensado sem ela, tudo tem que ser feito

a ela se têm lançado com amor e entusias-

a partir dela.

“A escola actual é a escola da vida. Os professores e os pais devem conjugar o pensamento de tal maneira que a creança, em casa, encontre um mestre e, na escola, tenha um pae.” Está escrita deste jeito mesmo, na Quem dá a instrução técnica, também, está se associando à obra maior de formar uma nova pessoa mais apta e capaz. 26 - Revista Exper

Foto: Divulgação

velha ortografia etimológica.


Revista Exper - 27


Exper News

>>>>>>

CIESP Alto Tietê participou de debate no Colégio Gutenberg O vice-prefeito de Mogi das

A iniciativa do colégio foi elogia-

Cruzes, José Antônio Cuco Pereira, a se-

da pelo vice-prefeito. As abordagens a esta

cretaria de Educação Maria Geny Borges

temática estiveram sobretudo direcionadas

Penso que uma visita de estudo

Avila Horle, e representantes de diferentes

para a desflorestação, reciclagem, e polui-

deste genero poderia ser útil para incutir

segmentos participaram no Colégio Gu-

ção. Centrando-se essencialmente em tópi-

nos alunos a ideia de que existe de fato so-

temberg de um debate sobre “Educação

cos de educação ambiental.

luções sustentáveis de desenvolvimento e

e Sustentabilidade”, o debate foi mediado

Participaram

da

mesa Tânia

Guilherme Matos, arquiteto e o professor Vagner Zaramello, da Unisuz.

de que estas estão já em marcha, e não se

pelo coordenador pedagógico do colégio,

Fukusen, presidente-interina da Associa-

Ricardo Feital Brito.

ção Comercial de Mogi das Cruzes, Ro-

Romildo alertou os alunos que a

Cuco afirmou que o tema susten-

mildo Campelo, diretor de meio ambiente

sustentabilidade começa em casa, “deve-

tabilidade é um assunto frequente em dife-

da FIESP e Conselheiro do CIESP Alto

mos separar o que é reciclável e não jogar

rentes setores da administração municipal.

Tietê, Patrícia Matsuo, da ONG Bio-Bras,

tudo dentro de um saco de lixo”.

cingem apenas a especulações de futuro.

Foto: Diego Barbieri

Komatsu recebe Prêmio “Empresa Cidadã”

Pacotes da Claro, Embratel e Net Pela primeira vez desde que passaram a ser controladas (parcial ou totalmente) pelo Grupo Telmex, do empresário mexicano Carlos Slim, a Claro (móvel), Embratel (fixa, TV por satélite) e Net (TV a cabo, telefonia e banda larga), anunciaram um pacote convergente em que unem seus serviços em quatro diferentes pacotes chamados “combo multi” que abrangem tanto o transporte (redes móveis e fixas) quanto a distribuição (banda larga fixa e móvel) e o conteúdo do que é trafegado nas respectivas redes (pacotes HD da Net).

No dia 7 de outubro a Komatsu do

gião. O representante da Komatsu, o Dire-

Brasil foi homenageada na Câmara Muni-

tor Presidente Naoyuki Sakurai, apresentou

O anúncio de integração das redes

cipal de Suzano, com o título de Empresa

seu discurso, onde agradeceu o título de

que possibilita esse tipo de oferta foi feito

Cidadã. A sessão solene contou com a pre-

empresa cidadã, principalmente ao mentor

pelos presidentes das três empresas: José

sença de alguns vereadores e autoridades

vereador Zaqueu Rangel atual presidente da

Antônio Félix, da Net; José Formoso Marti-

da cidade, bem como de alguns diretores,

Câmara Municipal de Suzano. “Reforço a

nez, da Embratel; e Carlos Zenteno, da Cla-

funcionários e amigos da empresa.

nossa proposta, de sempre colaborar para

ro. Isso significa que ainda não é desta vez

A sessão apresentou o vereador

o progresso do município, não só na gera-

que as três marcas serão agrupadas numa

Zaqueu Rangel, que oficializou a abertura

ção de recursos via rebate de ICMS, mas

só.

e em seguida o vereador Kazuhiro Mori, o

principalmente através do desenvolvimento

Os novos pacotes estarão dispo-

qual falou da história da Komatsu na região,

dos nossos colaboradores aqui residentes,

níveis a partir do próximo dia 15 em todas

desde a doação da área e da importância que

salientou Sakurai”. Em seguida o vereador

as cidades atendidas pelas redes da Claro,

a empresa teve no desenvolvimento da re-

Zaqueu finalizou a cerimônia.

Embratel e Net.

28 - Revista Exper


RJ tem a 2ª diária mais cara do mundo Nova York, Rio de Janeiro e Zuri-

433,22. Em Zurique, a terceira mais cara,

que, na Suíça, encabeçam a lista das cida-

o acréscimo foi de 29,91%, com diárias

des com as diárias mais caras do mundo.

passando de R$ 321,70 para R$ 417,95.

Publicidade Fatura: R$ 12,86 bi no semestre

De acordo com estudo realizado pelo site

A cidade de Tóquio, no Japão,

Fechados os números do Projeto

hotel.info, a maior elevação foi encontrada

ocupa o quarto lugar, com alta de 15,97%,

Inter-Meios relativos ao primeiro semestre

na “Cidade Maravilhosa”, onde as diárias

seguida por Moscou (22,99%), Londres

de 2011, o resultado mostra que a mídia

saltaram de R$ 315,89 em agosto de 2010

(17,92%,), Singapura (12,93%,), Sidney

brasileira faturou R$ 12,86 bilhões no pe-

para R$ 419,90 no mesmo mês de 2011,

(15,06%,), Seul (10,08%) e Hong Kong

ríodo com a venda de espaços comerciais.

alta de 32,93%.

(31,86%). A cidade de Xangai, que ocupa

O montante é 2,7% superior ao registrado

Já o aumento na líder do ranking,

a 15ª posição, foi a única que apresentou

nos seis primeiros meses de 2010, ano de

a cidade de Nova York, foi de 12,84% no

queda no valor das diárias, com uma redu-

Copa do Mundo, que sempre impulsiona

mesmo período, de R$ 383,92 para R$

ção de 1,74%.

os investimentos em comunicação. Esse valor não desconta a inflação. O índice

A Siemens Enterprise Communications anunciou a chegada de José Furst (ex- Cisco Systems) como novo vice-presidente de marketing para a América Latina. O executivo vai trabalhar no planejamento

Fotos: Divulgação

Siemens tem novo VP de Marketing

é modesto, mas é preciso observar que o primeiro semestre de 2010 foi bom para o mercado publicitário que, na ocasião, obteve faturamento quase 30% acima do resultado do mesmo período de 2009. Diante disso, ampliar os valores por volta de 3% é considerado um desempenho

estratégico na região e no lançamento de

positivo pelos veículos. E a aposta é que a

produtos de forma global, transformando

tradição vai se confirmar, com o segundo

produtos e soluções regionais em ofertas

semestre mais aquecido que o primeiro.

globais.

Porque Relações Públicas quer mais espaço Muito já foi conquistado, mas há

a visão sobre este mercado tem a ver com

muito caminho ainda a ser trilhado para que

as redes sociais. Com experiência em criar

as Relações Públicas tenham um papel estra-

relacionamentos, as empresas de RP podem

tégico dentro do processo de comunicação.

assumir este papel de liderar a comunica-

“Ainda há empresas que chamam a gente

ção e o monitoramento. Mas o digital, de

só no fim”, afirma Andrew Greenlees, vice-

modo geral, ainda é considerado uma zona

presidente da CDN, (foto ao lado).

cinzenta, na qual todos os tipos de agências

“Antes não havia tanta preocupa-

querem participar. “O RP sempre criou rela-

ção com a reputação, mas hoje as empre-

cionamentos e pode assumir uma liderança

sas perceberam que ela pesa no bolso e isso

natural”, afirma Kiki. “O que acontece é que

acelerou o processo de valorização do nosso

e há empresas globais mais interessadas no

a digital virou denominador comum, porque

segmento”, afirma Kiki Moreti, diretora-

Brasil. Sem contar que as empresas já tem o

todo mundo está fazendo. Mas dou um reca-

presidente da InPressPNI. Ronald Minche-

líder da área de relações públicas em contato

do para os clientes que querem ter uma co-

ff, presidente da Edelman Significa, aponta

direto com o CEO.

municação digital: atrelar isso a assessoria de

que o mercado vem crescendo a dois dígitos

Um dos fatores que têm ampliado

imprensa vale a pena”, diz Mincheff. Revista Exper - 29


Saúde

>>>>>>

Parceria AMA/SEISA completa 2 anos com excelentes resultados ciente necessita. Os resultados dessas me-

ção aos seus inúmeros centros próprios de

didas foram gratificantes e demonstrados

atendimento médico espalhados por toda

pela grande procura que o Hospital AMA

Região, inclusive na cidade de São Paulo

passou a ter dos clientes operadoras de pla-

e mesmo Arujá, onde está presente há 10

nos de saúde que atende, principalmente

anos;um recurso estratégico ao seu objeti-

da própria SEISA.

vo de chegar ao Vale do Paraíba até 2014,

Foto: Divulgação

Ampliou o pronto-socorro e dividiu

quando a associação completará 5 anos.

o espaço para atender adultos e crianças

Ciente das suas responsabilida-

com mais conforto e qualidade. É o único

des sociais o novo AMA passou também

hospital geral da cidade com prestação de

a desenvolver programas comunitários de

serviços médicos e hospitalares, atenden-

higiene e saúde destinados à população

do pacientes particulares e conveniados,

em geral, apresentando em seu auditório

Hospital AMA completa em ou-

fazendo mais de 20 mil atendimentos por

assuntos como Prevenção de Tabagismo,

tubro 41 anos de atividades em

mês em todas as especialidades. Possui

Planejamento Familiar, Depressão - do-

Arujá e busca ser referência em

7.000m2 de área

atendimento hospitalar na Região do Alto

construída, distri-

Tietê que inclui as cidades de Mogi das

buídos em: Pronto

Cruzes, Suzano, Poá, Ferraz de Vasconce-

Atendimento

los, Itaquaquecetuba, Santa Isabel, Sale-

horas - Adulto e

sópolis, Biritiba Mirim e Guararema que

Infantil.

juntas, somam uma população aproximada

ção em Pediatria,

de 1,5 milhões de pessoas.

Clínica

O

24

Interna-

ença da modernidade, Com os pés no presente e olhos voltados para o futuro, o novo AMA com a participação acionária da SEISA busca ser referência em atendimento médicohospitalar na Região do Alto Tietê.

Médica,

e ainda, reuniões clínicas abertas aos médicos da Região com temas relevantes como Trabalho de Parto Prematuro:

terapêutica

atual e Dor Pélvica

Em 2009 a SEISA Assistência

Clínica Cirúrgica, Ortopedia, Obstetrícia

Médica tornou-se acionista majoritária

e Ginecologia, UTI e Heliponto, amplian-

O curso destinado às gestantes

do AMA, hoje uma sociedade anônima,

do significativamente a sua capacidade de

preparando a mãe e a família para o con-

e propiciou o investimento em pessoal,

atendimento à população da Região, agre-

vívio com o recém-nascido teve em suas

equipamentos e métodos gerenciais, além

gando agilidade e qualidade nos procedi-

inúmeras edições a presença das gestantes

de implantar um modelo de educação per-

mentos médicos.

e suas famílias com participação ativa nos

Aguda: orientações.

manente através de cursos e palestras de

Com toda capacitação e infraestru-

presença obrigatória para o seu corpo de

tura no atendimento, o Hospital AMA re-

Assim, a diretoria do Hospital

colaboradores.

aliza internações em várias especialidades

AMA está empenhada em promover, além

Nesses cursos e palestras além das

médicas, contando com equipes de médi-

do atendimento com técnicas modernas e

noções técnicas básicas do atendimento ao

cos que revezam o atendimento diurno e

atualizadas, a humanização deste atendi-

doente, são transmitidas novas técnicas e

noturno.

mento que deverá abranger não somente

procedimentos com especial atenção ao

Para a operadora a associação com

tratamento humanizado do qual todo o pa-

o Hospital AMA resultou na incorpora-

30 - Revista Exper

assuntos apresentados.

seus clientes como também a comunidade na qual atua.


Revista Exper - 31


Meio Ambiente

>>>>>>

Sustentabilidade começa no lar

Romildo Campelo

C

Diretor do Meio Ambiente da FIESP

abe a mim como represente do

um dos nossos moradores. Mogi das Cru-

muito feliz se atinge a tonelagem máxima

CIESP do Alto Tietê, tentar tra-

zes, por exemplo, desde o último governo

de seu caminhão no menor trecho percor-

zer uma luz para este assunto e

criou uma situação que não pode continuar

rido. E a destinação é feita em um Aterro

mostrar que sustentabilidade é uma coisa

os munícipes não pagam para ter recolhido

particular que é pago pela tonelagem de

simples, mas de uma importância funda-

o lixo que é gerado em sua casa, criando

lixo que lhe é entregue. Montamos o pior

mental para que possamos continuar vi-

uma situação no mínimo interessante.

dos processos, pois todas as partes envol-

vendo neste planeta e permitindo que as

O comércio na busca de aumentar

vidas têm interesse em gerar cada vez mais

próximas gerações também vivam no mí-

suas vendas solicita a indústria embala-

lixo, enquanto individualidade. Nós aten-

nimo com o padrão de vida que nós alcan-

gens cada vez mais bonitas e que encantem

demos ao trabalho da mídia e consumimos

çamos. Então vejamos: Antoine Lavoisier

o comprador levando-o a chamada compro

até além da nossa capacidade financeira, o

já tinha dito que “na natureza nada se cria,

por impulso, fazendo com que na maioria

transportador que recolhe o lixo em nos-

nada se perde, tudo se transforma”, escla-

dos casos o grande vo-

s a s

recendo que as matérias-primas contidas

bem comprado é de

na natureza são finitas e que não teremos

embalagem que

minerais novos e que todos os seres vivos

são

são compostos dos mesmos materiais. Daí

no lixo, cuja

a necessidade de tomarmos muito cuidado,

destinação

pois segundo a ONU, atingimos a cifra de

final não

07 (sete) bilhões de seres humanos neste

é cobrado

mês de novembro, e que se não entender-

pela Pre-

mos o que é sustentabilidade teremos es-

feitura.

cassez de matérias-primas num espaço de

A em-

tempo muito menor do que imaginamos.

presa

Para que tenhamos uma ideia do

colocadas

que faz

que estamos fazendo vamos olhar a situ-

a coleta por

ação do lixo doméstico nas cidades que

sua vez é para

compõem o Alto Tietê, e teremos uma

é

visão muito clara da importância de levar-

volume de lixo

mos o conceito de Sustentabilidade a cada

coletado, ficando

32 - Revista Exper

paga

pelo

lume do

casa tem seu contrato maximizado gerando o maior lucro


possível juntamente com o dono Aterro

gritou com filho, “acaba com este banho

guém interessado em recolhê-lo e em al-

destino final do mesmo.

pelo amor de Deus, desliga este telefone

guns casos até pagar para ter acesso a ele.

Quem perde?

ou porque esta luz está acesa quando nin-

Como é o caso da lata de alumínio, e o pa-

Nós sabemos que não há almo-

guém está no cômodo”. Com o lixo seria

pel de jornal, só para ficar em dois exem-

ço grátis, alguém está pagando a conta, e

a mesma coisa pois, quando chegasse a

plos. A indústria já se conscientizou de

quem paga pelo nosso desperdício?

conta cada vez maior pela geração de lixo

que “lixo” decorre de erro de processo ou

cada um iria procurar formas e maneiras,

desperdício de material, e cada vez mais é

mais pobre de nossa cidade, pois é obriga-

de diminuir esta conta.

buscado a grande meta do Resíduo Zero,

da a suportar um custo que ela não causou,

Basta separa e classificar o lixo

em todo chão de fábrica, porque gerar lixo

pois a Prefeitura paga esta despesas com o

de sua casa e você descobrirá que tudo ou

além de estarmos privando as futuras gera-

dinheiro dos impostos recolhidos por todos

quase tudo é reciclável e tem sempre al-

ções de um bem finito é muito caro.

Em primeiro lugar a população

nos, e que deveria ser destinado à educação, saúde, segurança etc.

E porque a Prefeitura faz isto?

Simplesmente porque “é difícil implantar a cobrança.

O que fazer? Como podemos mu-

dar um hábito que está inserido em nossa consciência de forma tão forte? Sofremos influência de todos os órgãos de comunicação e consequentemente de nossa família que deseja cada vez mais produtos em caras e bonitas embalagens. Induzindo a população a pensar em sustentabilidade.

E como fazer isto? É relativamen-

te simples, mas não é fácil, principalmente ao se aproximar as eleições municipais, onde todo governante não deseja fazer nada que venha a contrariar a vontade popular. E nada contraria mais do que ser forçado a mudar um hábito. E ainda ter de pagar por isto. Como já disse é relativamente fácil basta aplicar o Código Tributário Nacional, e efetuar a cobrança da geração de lixo da forma correta, que é uma Taxa. Você então deve está se perguntando o que é Taxa? Segundo o texto legar é o “preço cobrado por um serviço público específico e divisível”, como já é feito com a água, luz e telefone, o prestador do serviço mede o consumo e cobra de acordo com uso feito do referido serviço. Quem de nos já não Revista Exper - 33


Motivação

>>>>>>

Assertividade e a Lei de Gerson Leila Navarro Palestrante motivacional no Brasil e no exterior, autora de 13 livros, entre eles, Talento para ser feliz, Confiança, Qual é o seu lugar no mundo?, Talento à prova de crise. Saiba mais

P

no www.leilanavarro.com.br.

oucas atitudes humanas são tão va-

cidadania, responsabilidade social, soli-

pensamentos, crenças e desejos. A as-

lorizadas nos dias de hoje como a

dariedade, respeito ao próximo e no fim

sertividade facilita as relações humanas,

assertividade, que significa sermos

do “jeitinho”, da “mentirinha” e da cor-

tornando-as transparente. Deve ser com-

éticos, honestos, respeitosos e adequados

rupção. Tem sido creditado a ela o suces-

preendida como uma atitude ética e de

na hora de expor nossos sentimentos, pen-

so de algumas empresas, tornou-se uma

respeito, para a qual precisamos nos pre-

samentos, crenças e desejos

exigência clara do mercado de trabalho e

parar interiormente, revendo e mudando

Para crescermos como seres hu-

expande-se cada vez mais o conceito (e,

nossos valores. Sua importância pode

manos, cidadãos e profissionais de uma

em consequência, a prática) de que não

ser sentida principalmente nas nações

nação em desenvolvimento é necessário

há caminho certo para se fazer a coisa

desenvolvidas – nos Estados Unidos e

encararmos algumas verdades. Uma delas

errada. Sem ética não há negociação, tra-

no Canadá, por exemplo, existem cur-

é a mania de “levar vantagem em tudo”,

balho, respeito nem conhecimento.

sos específicos e muito procurados sobre

a Lei de Gerson – expressão que sempre

Poucas atitudes humanas são

de assertividade. No Brasil, felizmente,

esconde alguma gambiarra nada legal. A

tão valorizadas nos dias de hoje como a

começa a ser mais bem compreendida e

outra é o uso e abuso da “mentirinha”,

assertividade, que significa sermos éti-

certamente nos ajudará a acabar com as

desculpa esfarrapada, socialmente aceita

cos, honestos, respeitosos e adequados

“mentirinhas” sociais e o “jeitinho” na-

e até estimulada: “Se você falar a verda-

na hora de expor nossos sentimentos,

cional.

de, ela pode ficar chateada... diz que ficou doente e ninguém vai desconfiar é uma mentira piedosa, não vai prejudicar ninguém”. Mas isso já está mudando. É evidente o desejo de organizações, governos e povos de resgatar a ética, valor humano de inquestionável importância, tão complexo que tem sido tema de reflexão e de estudos de filósofos e pensadores desde a Antiguidade. Hoje, a postura ética se manifesta nas relações transparentes e honestas, na assertividade, 34 - Revista Exper


Revista Exper - 35


36 - Revista Exper

Revista Exper  
Revista Exper  

Edição Número 13

Advertisement