Page 1


Editorial

Página 2 >>>>>>

Coluna de arte é sucesso A coluna “Arte e Cultura” foi

reuniões de planejamento, principalmente

criada para contar a história de grandes

nesse momento de instabilidade econômi-

artistas plásticos que dedicam sua vida a

ca. Sem inovar, não há saída. Pelo menos é

Cultura, que aqui residem e se tornaram

o que pensa muita gente.

referência naquilo que fazem. Este é o espaço onde mostramos nosso orgulho por ter pessoas tão brilhan-

Que tipo de líder você gostaria de ser? Que tipo de líder você gostaria de ter?

tes, com uma alma tão pura que contribui

Hugo Ferreira Braga Tadeu,

para tornar nosso mundo mais colorido e

professor e pesquisador da Fundação

agradável de se viver.

Dom Cabral, sugere que há uma neces-

Também por meio desta coluna podemos interagir com esses artistas que fazem fama e sucesso fora do país e na pátria mãe, são ilustres desconhecidos.

sidade de repensar a gestão e a adoção de práticas para a inovação. O Destaque nesta edição vai para o Grupo Martins, centro de distribui-

Nesta edição trouxemos os artis-

ção instalado em Poá, desde dezembro, o

ta plásticos Valmiro Peonório, Doralice

Grupo amplia a sua operação para as em-

Ramos, Joana D’arc C. Ferré e Eric Bax-

presas instaladas na região do Alto Tietê.

mann Carrupt.

Boa leitura.

A palavra inovação tem sido usa-

Márcio Junior,

da à exaustão. Ela soa como mantra em

publisher Exper News

Expediente Publisher: Márcio Junior MTB 59904-SP, Diagramação: Editora Off, Colunistas: Hugo Ferreira Braga Tadeu e Eric Baxmann Carrupt. Matéria de Capa: Vitor Cavalcanti, Distribuição: Gratuita Tiragem: 10 mil exemplares, Foto Capa: Arquivo Pessoal, E-mail: exper@expernews.com.br. Publicidade: 11 2819-4457 Exper News é distribuído nas Indústrias e Comércios do Alto Tietê e Vale do Paraíba. O jornal não se responsabiliza pelo conteúdo dos anúncios. As opiniões emitidas em artigos assinados são de responsabilidade dos autores.


Exper News

Página 3 >>>>>>

O que será da Quiksilver?

Havaianas prepara coleção de óculos

a companhia não conseguiu sustentar

um processo de reinvenção, iniciado em

leira, o acordo consiste na criação e dis-

2013. Na década de 1990, com a moda do

tribuição mundial de uma linha especial

surf, a Quiksilver apostou neste mercado

de óculos que leva a assinatura da marca

em um momento que surgiam concorren-

Havaianas.

tes como Billabong e Pacific. Atualmen-

te, um dos principais problemas com a

dentro do projeto de extensão de marca

De acordo com a empresa brasi-

O contrato vale até 2021 e está

Criada em 1969, na Austrália

marca foi o aumento da concorrência e

A Alpargatas, dona da marca

da Havaianas que inclui produtos “não

e, atualmente com sede na Califórnia,

as opções importadas e a dificuldade de

Havaianas, fechou um contrato de licen-

sandálias”. O primeiro lançamento da

a icônica marca Quiksilver entrou com

se competir com elas.

ciamento com a Safilo Group, que atua

coleção de óculos Havaianas acontecerá,

pedido de recuperação judicial e tem o

no mercado mundial de óculos de alto

no Brasil e do mundo, a partir do segun-

plano de entregar o controle a seus prin-

caíram 13% e o prejuízo subiu para US$

padrão.

do semestre de 2016.

cipais credores. De acordo com Andrew

309,4 milhões. A dívida total da Quiksil-

Bruenjes, diretor-financeiro da empresa,

ver é de US$ 826 milhões.

Em 2014, as vendas da empresa

O Brasil foi rebaixado, e agora?

Fox assume a National Geographic

de R$ 30,5 bilhões em lugar do supe-

rávit de 0,7% estimado anteriormente,

nário Rupert Murdoch, pagará US$ 725

influenciou a decisão do rebaixamento,

milhões por 73% do controle das opera-

o ministro da Fazenda está trabalhando

ções de mídia da National Geographic

para retomar a meta inicial de 0,7%.

Society, o que inclui a revista e o canal

de televisão homônimos.

Para aqueles que colocam di-

O Grupo Fox, criado pelo bilio-

nheiro no Brasil a classificação serve

como termômetro para saber se é seguro

graphic Society, o acordo permitirá que

grau de investimento, conferido a países

ou não o clima econômico do País.

ela aumente seus fundos a US$ 1 bilhão e

considerados bons pagadores e seguros

O rebaixamento eleva os custos

amplie seus trabalhos de ciência, pesqui-

para investir informou a agência de clas-

de financiamentos para empresas e go-

sa e educação. A nova empresa, batizada

sificação de riscos Standard & Poor’s.

vernos, além disso, reduz a entrada de

de National Geographic Partners, será

dólares elevando ainda mais a moeda que

comandada por Declan Moore, executi-

já acumula alta de mais de 40% no ano.

vo que está há 20 anos na National.

Com a redução, o Brasil perde o

A proposta orçamentária do país

para 2016, prevendo um déficit primário

De acordo com a National Geo-


Informe ACIP

Página 4 >>>>>>

ACIP marca presença na Expoá 2015

Fotos: Divulgaçao

A

tradicional e mais aguardada

versidade das premiadas orquídeas, aliado

de Dança e do Cantinho da Melhor Idade.

festa da cidade, a Exposição de

é claro, com o segmento musical, já que

A Associação Comercial e Industrial de

Orquídeas e Plantas Ornamen-

shows levaram aos munícipes muita diver-

Poá - ACIP, esteve presente com um stand,

tais – Expoá 2015, foi realizada de 4 a 7

são. Outra atração aguardada foi a Parada

na pessoa do presidente Francisco Quinti-

de setembro. O evento entrou em sua 43ª

das Orquídeas, sucesso de público e que

no, segue algumas imagens desta brilhante

edição e reservou momentos de encanto e

reuniu em torno de 600 participantes, entre

festa que contou com o apoio do comércio

surpresas, principalmente pela beleza e di-

alunos e professores do Centro Municipal

e da indústria local.


Homenagem

Página 5 >>>>>>

Polícia Militar cumpriu sua missão na Expoá 2015 Polícia Mililtar pela primeira

A

vez participou da Expoá 2015,

si, Auxiliar de Comunicação Social da 2ª

foi criado na parte interna da

Cia. “nos dias 4, 5, 6 e 7 o stand recebeu

praça de eventos, um stand que contou

a visita de aproximadamente 500 pessoas e

com exposições da Polícia Militar do Es-

foram feitas mais de 200 fotos de crianças,

tado de São Paulo e fotos de policiais em

jovens, idosos e autoridades como o Pre-

ação do: Regime da Cavalaria, Rota, Ca-

feito de Poá, Marcos Borges, o Secretário

nil, Bombeiro, Academia do Barro Bran-

da Cultura Douglas Aspásio, Presidente da

co, Choque, Ambiental, Força Tática entre

ACIP, Francisco Quintino entre outros, que

outros. No stand tinha manequins com os

abrilhantaram o stand.”

uniformes da Força Tática e Bombeiros,

onde famílias inteiras vieram apreciar a

de hora em hora fazia aparições e passava

exposição e tirar fotos com o uniforme da

sua mensagem sobre as drogas.

Polícia Militar, o capacete e o escudo. Vale

ressaltar que foi imprescindível a autoriza-

missão e contribuiu nesta Expoá 2015

ção do Tenente Coronel da PM Paulo Sér-

aproximando a sociedade ao policial mili-

gio Merino e do Comandante da 2ª Compa-

tar e também realizando sonhos de muitos

nhia PM Marco Aurélio para o evento ser

anônimos de se sentirem um representante

realizado.

da lei por alguns momentos.

Segundo a Cabo da PM Ros-

A mascote “DARE” do PROERD

Fotos: Arquivo da Polícia Militar

A Polícia Militar cumpriu sua

ERRATA

Na edição número 5, de agosto,

na matéria Vizinhança Solidária, o nome correto do comandante do 32º Batalhão é o Tenente Coronel da PM Paulo Sérgio Merino. Desculpe-nos o equivoco.


Matéria Capa

Página 6 >>>>>>

Mais que inovar, é preciso se adaptar por Vitor Cavalcanti

A

mber Mac, da Konnekt Digital Engagement, traz cinco dicas para encarar de maneira diferen-

te as transformações do mercado

A palavra inovação tem sido usa-

da à exaustão. Ela soa como mantra em reuniões de planejamento, principalmente nesse momento de instabilidade econômica. Sem inovar, não há saída. Pelo menos é o que pensa muita gente. Mas contrariando essa corrente, Amber Mac, presidente da agência Konneckt Digital Engagement, afirma que mais do que inovar, é preciso se adaptar ao novo tempo.

Com isso, ela traz uma mensagem

muito simples: pare de enlouquecer achando que só existe saída se criar algo novo e pense, enquanto o novo não aparece, em

muito bem em adaptar o modelo de negó-

empresariais deveriam investir tempo len-

como adaptar seus produtos para o momen-

cio para a nova economia. Mesmo porque,

do sobre empresas que falharam pela ina-

to atual. E, sim, isso é possível. Na verda-

se não o fazem, sofrem consequências sig-

bilidade de adaptação aos novos tempos.

1. Construa uma missão social

de, a especialista no mundo digital cita al-

nificantes”, pontua.

Normalmente, gostamos de estudar os ca-

gumas empresas que, mais que adaptar um

Questionada sobre outra obsessão

sos de sucessos, mas em muitas situações

empresas e comprar das empresas, mas des-

produto, adaptaram seu modelo de negócio

que tem gerado grandes discussões nas em-

se pode aprender muito mais com erros

de que sejam companhias que tenham uma

ao mundo atual. Um dos expoentes nesse

presas: a contratação de jovens a todo custo

monumentais”, ensina.

missão social. A GoldieBlox, por exemplo,

sentido é a Netflix que permaneceu em seu

por entender que isso gerará a transforma-

A seguir, confira cinco dicas pas-

criou como missão o fim da ditadura rosa,

habitat, mas deixou de negociar DVDs para

ção buscada, Amber é muito cética e con-

sadas por Amber para adaptar seu negócio/

da ditadura Barbie para as meninas a partir

comercializar um novo modelo de consu-

corda que não existe um milagre simples-

produto ao novo tempo.

de uma linha de bonecas com profissões

mo de conteúdo que ainda causa dores de

mente por atrair os talentos mais jovens.

cabeças às operadoras de TV paga.

Para a especialistas, o simples fato de trazer

Em conversa com o IT Forum

integrantes da nova geração não resolverá

365 após palestrar no KES - Knowledge

os problemas de adaptação que as empresas

Exchange Sessions, a executiva explicou

enfrentam. Ela diz que, embora eles consi-

que existem empresas realizando traba-

gam lidar melhor com mudanças, o ideal é

lhos interessantes, sobretudo em tecnolo-

a companhia realizar um bom trabalho de

gia. “Algumas grandes empresas estão se

recrutamento para atrair as pessoas corre-

adaptando melhor do que outras, mas essas

tas, independentemente da idade.

também têm necessidades específicas para

trilhar o próprio caminho. No mundo da

executivos a buscarem informações muito

tecnologia, a maioria das empresas se sai

além dos casos inspiradores. “Os líderes

Além disso, Amber aconselha os

Os jovens querem trabalhar para


Matéria Capa

Página 7 >>>>>>

não comuns às mulheres e também com

uma incursão muito forte no mundo digital.

trajes de cores diferentes, desmistificando o

velho ideal de que mulher se veste de rosa.

que o especialista Brian Solis chama de

Pegando um exemplo mais vol-

darwinismo digital, ou seja, a evolução

tado ao mundo da tecnologia, a executiva

do comportamento do consumidor em um

falou sobre a Slack, empresa que criou um

ambiente na qual tecnologia e sociedade

sistema de troca de mensagens corporativas

avançam mais rapidamente e as empresas

com o intuito de reduzir a quantidade de

não conseguem se adaptar na mesma velo-

e-mails e melhorar a produtividade. Hoje

cidade.

com valor de mercado em US$ 2,8 bilhões, a provedora coloca como missão não o desenvolvimento de novas ferramentas, mas sim a transformação organizacional, ou seja, mudar a forma como trabalhamos.

Assim, essas empresas caem no

4. Busque parceiros diferenciados

Na economia da colaboração e

dos aplicativos fechar-se no casulo e limitar

2. Siga os sinais da mudança

o tipo de parceria que pode ser feito porque

Talvez essa seja a regra mais bási-

morrer ou, pior, você como profissional

ca e também a mais importante. É preciso

cairá no ostracismo e se tornará irrelevante.

estar atento ao que acontece ao seu redor e

reconhecer quando seu produto já não aten-

sões que dão poder as pessoas e vocês pre-

de aos anseios daquele momento ou mes-

cisam fazer parcerias para propagar essa

mo que um concorrente passou a produzir

relação. A GoPro é um exemplo e se alia a

algo melhor que você.

diversos usuários para mostrar o poder que

Na visão da executiva, a Netflix

as pessoas têm em mãos a partir do uso de

é um dos melhores exemplos, alugavam

seus produtos. Isso é possível. Outro exem-

DVDs e revolucionaram o modelo de ne-

plo é o cantor de música country norte-

gócio. A diferença entre inovação e adapta-

americano Luke Bryan. Jovem e de olho

ção é pequena mas importante. A adaptação

nesse tipo de audiência, ele fechou parceria

tem processos mais lentos, pequenos, não

com o aplicativo Tinder. A audiência está lá

necessariamente de lançamentos constan-

e o objetivo foi atingido.

tes, mas de melhorias que adaptam seu produto ao novo tempo.

O que podemos aprender: ajustar

problemas rapidamente, abraçar o mercado inventivo e criativo, desenvolver poucas regras para amplificar a adaptação.

historicamente sempre foi assim é assumir que, em algum momento, seu negócio vai

Algumas companhias têm mis-

5. Continue relevante, não se desespere

O desespero em ser relevante ou

se manter relevante pode te expor ao ridículo. Um exemplo não muito comum é a

3. Combate ao darwinismo digital

cantora pop Madonna. Ela está tentando

Muitas empresas falam do digital,

feito coisas que exemplificam pessoas com

mas não querem se adaptar. E isso é uma

muito poder, mas que não sabem como usá-

verdade em qualquer lugar do mundo. A

lo.

culpa está em parte com executivos que

usam palavras da moda para dizerem que

contrário da rainha do pop é um exemplo

estão trabalhando nesse sentido e parte com

de como se tornar relevante por meio de

o líder máximo que não patrocina ou teme

parcerias, inclusive com jovens.

manter-se relevante por meio de parcerias e outras atitudes que não têm colado. Ela tem

Outra cantora, Annie Lenox, ao


Destaque

Página 8 >>>>>>

Grupo Martins opera Centro de Distribuição no Alto Tietê Com moderno centro de distribuição instalado em Poá, desde dezembro do ano passado, o Grupo Martins amplia a sua operação para as empresas instaladas na região do Alto Tietê.

exterior”, afirma Lourival Martins, funda-

8°C. Contamos ainda com capacidade e

dor e presidente do Grupo. O galpão con-

tecnologia para armazenar produtos que

ta com 7,5 mil metros quadrados de área

precisam de ambiente congelados, que

construída. Só para a armazenagem foram

chegam a -30°C ou até -45°C”, pontua

destinados 6,5 mil metros quadrados. Poá

Lourival Martins. O presidente do Grupo

foi escolhida porque fica bem próxima ao

Martins destacou também todo o investi-

ação no comércio exterior aqui na

O CD de Poá é um dos mais mo-

Rodoanel, por onde a Martins pode dar va-

mento em modernos sistemas de contro-

região, seja na exportação ou na

dernos do País. Instalado em uma área

zão rapidamente a distribuição das merca-

le e gerenciamento que será utilizado no

importação. O objetivo é oferecer nossa

total de 11 mil metros quadrados, 12 me-

dorias para todo o País e América Latina.

centro de distribuição. “Esses sistemas fo-

expertise em logística internacional, arma-

tros de pé direto, climatizada entre 15°C

A área está estruturada para

ram desenvolvidos especificamente para a

zenagem e transporte, agilizando proces-

e 25°C, modernos portas pallets de dupla-

12.350 posições de pallets, 18 docas para

operação do armazém em Poá”, ressalva

sos e reduzindo custos”, explica Lourival

profundidade e empilhadeiras automati-

descarregamento de mercadorias e mais

Martins.

Martins, presidente do Grupo.

zadas. Além de armazenar, faz picking,

três mil posições (que podem chegar a

As empresas no Alto Tietê expor-

packing, etiquetagem e paletização. Fo-

quatro mil) destinadas a produtos refrige-

ceber com uma área alfandegada, que o

taram no ano passado quase US 1 bilhão

ram R$ 13 milhões de investimento em

rados. O espaço ainda abriga um prédio de

transformará em porto seco. “Já estamos

e importaram US 1, 5 bilhão, segundo le-

infraestrutura e tecnologia. “Com sistema

quatro andares, onde está instalado todo o

com esse processo em análise na Receita

vantamento do CIESP da região. Lourival

de armazenagem de Poá, o Grupo Martins

departamento de gerenciamento do centro

Federal”, afirma o presidente.

Martins vê nas exportações um viés im-

passa a atender os seus clientes com mais

de distribuição.

portante de crescimento, principalmente

excelência e qualidade em todos os servi-

nesse momento de crise. “Exportar não e

ços compreendidos na cadeia do comércio

trução de uma área refrigerada de 2°C a

ARMAZENAGEM

tão difícil quanto parece. A Martins está apta a prestar toda consultoria logística e mostrar os caminhos mais eficientes para a exportação”, garante.

Lourival destaca que embora a

economia viva um momento de alta do dólar, existem meios de minimizar esse impacto nas importações com um bom

“Em breve terminaremos a cons-

O CD de Poá irá futuramente re-

ASSESSORIA ADUANEIRA

O Grupo Martins foi criado em

2008, com a Martins Despachos, e atuava somente no segmento de desembara-

Foto: Ana Lima - Jornal A Semana

Existe um grande potencial de atu-

ço aduaneiro. Desde então, o Grupo vem crescendo suas operações; conta dois armazéns, além do de Poá, um outro menor, de 2 mil metros quadrados, em Vila Maria (SP), filiais em Viracopos, Guarulhos e Santos, frota própria de 100 caminhões, e investiu em tecnologia de gerenciamen-

planejamento logístico e conhecimento

to e gestão. “Acima de tudo conseguimos

dos incentivos ou benefícios tributários e

montar uma equipe de excelentes profis-

fiscais. “Oferecemos um serviço door to

sionais capacitados a atender nossos clien-

door, com agilidade e redução de custos,

tes em todas as questões relacionadas ao

just in time. Isso permite às empresas di-

comércio exterior”, salienta Lourival.

minuírem gastos em processos e etapas,

compensando a alta cambial”, afirma o

de Poá, devemos contratar 150 novos fun-

presidente. Lourival Martins ressalta ain-

cionários. “Vamos contratar 400 funcio-

da consultoria fiscal que o Grupo fornece

nários quando estivermos em capacidade

aos seus clientes. “Podemos indicar boas

total da operação desse centro de distribui-

oportunidades pois muitas empresas não

ção”, prevê o presidente. O Grupo Martins

sabem que podem se beneficiar desses le-

recebeu cinco vezes consecutivo o prêmio

gítimos incentivos na hora de exportar ou

da Infraero por excelência logística no Ae-

importar”, salienta.

Empresa planeja explorar o potencial da região, explica Lourival Martins, presidente do Grupo

No novo centro de distribuição

roporto de Viracopos, Campinas.


Comportamento

Página 9 >>>>>>

Entretenimento

Que líder gostaria de ser? Dom Bosco Music Hall

C

hegar ao topo é fácil, difícil é

pecífica, formada por uma série de outras

conquistar o respeito do grupo.

competências menores, não menos im-

Os líderes conseguem o com-

portantes, difíceis de serem dominadas

portamento que demonstram e toleram,

ao mesmo tempo por uma única pessoa.

portanto, comece por você.

“Os líderes conseguem o com-

de ser? Que tipo de líder você gostaria

portamento que demonstram e toleram”,

de ter? Quais as razões para o desânimo

afirma Ram Charam, em seu livro Exe-

ou a desconfiança em relação aos líderes

cução. Existem outros mais abrangentes

de hoje? Como o líder deve tratar seus

como Liderança de Alto Nível, de Ken

liderados? Quais são suas crenças sobre

Blanchard, Liderança Ética, de Emilia-

liderança? Por que alguém deveria ser li-

no Gomez e Metamanagement, de Fredy

derado por você?

Kofman.

Que tipo de líder você gostaria

Não existem fórmulas prontas

A

o entrar terá uma experiência

se Apega, Pura Magia e Os Birutas, que

nova e diferente, pois o bar

proporcionam bons agitos e muito entre-

tem a proposta de oferecer um

tenimento aos frequentadores, cheio de

Na prática, quando um líder to-

nem respostas para todas as dúvidas,

ambiente exclusivo, com personalida-

lera a deslealdade, a sacanagem, a cons-

charme, personalidade e longe do em-

porém existem insights, exemplos e ex-

de e estilo. O Dom Bosco Music Hall é

piração no corredor, a discórdia e o corpo

purra-empurra.

periências compartilhadas com base na

um charmoso bar que desperta a gostosa

mole, não pode exigir muito da equipe,

experiência de quem já conviveu com

sensação de estar em um local descontra-

isso é fato, e não adianta transferir a cul-

bar abre suas portas as 22h, somente as

centenas de líderes e já exerceu o cargo

ído, bater um bom papo, beber deliciosos

pa para as pessoas. Nesse aspecto, Cha-

sextas e sábados, mas já existe projeto

em diferentes níveis hierárquicos.

drinks ou escolher os diferentes rótulos

ram foi mais incisivo: “os líderes conse-

para funcionar aos domingos.

de cervejas nacionais e importados.

guem o comportamento que demonstram

dero fundamentais para a construção do

Considerada a única balada de

e toleram”.

na e agradável na Rua Duarte de Frei-

seu estilo de liderança. Ser líder requer

pagode e sertanejo na cidade, O Dom

Você já leu e ouviu de tudo so-

tas, 44 - Parque Monte Libano, Mogi das

aprendizado, dedicação ao extremo e

Bosco Music Hall trás bandas consagra-

bre liderança, até mesmo os conselhos

Cruzes - SP, 08780-240, o telefone para

uma vontade inabalável de ser uma pes-

das como Samprazer, Na hora H, Nem

utópicos de James Hunter, em O Monge

contato é o (11) 4726-3742.

soa melhor para se transformar num líder

e o Executivo, difíceis de serem pratica-

melhor.

dos no mundo competitivo que vivemos.

Vejamos:

Defina o seu próprio estilo de

Liderança exige uma qualidade

Deixo alguns pontos que consi-

fundamental que poucos se dispõem a

liderança: esclareça as expectativas,

aperfeiçoar: a arte de lidar com pessoas,

imponha o seu próprio ritmo, delegue,

algo tão complexo que não se aprende da

monitore os resultados, confie, avalie e

noite para o dia. Contudo, todo mundo

reposicione as pessoas sempre que ne-

tem um conselho para dar a respeito.

cessário; você é o maestro, quem dita o

ritmo é você.

Basta olhar para dentro de si

mesmo e avaliar o quanto torna as coisas difíceis, por mais simples que pareçam,

o quanto é intransigente e, por vezes,

pensar estrategicamente faz toda diferen-

individualista ao extremo, afinal, somos

ça em termos de produtividade. O que é

humanos, carregados de imperfeições.

isso? Arranjar tempo para planejar, pen-

Qual é a fórmula da boa lideran-

sar na estrutura organizacional, estabe-

ça? Quando alguém descobrir, pode estar

lecer uma boa matriz de responsabilida-

certo de que nunca lhe faltará trabalho,

des, definir processos, prestar feedback

mas a realidade é outra, trata-se de uma

realista e positivo, monitorar resultados,

eterna busca.

treinar funcionários e ter um mínimo de

planejamento. Quanto mais operacional,

Liderança é um conceito miste-

rioso e ilusório. É uma competência es-

Pense estrategicamente: saber

menos estratégico e vice-versa.

Com um público alternativo, o

Instalado em uma área moder-


Arte e Cultura

Página 10 >>>>>>

A arte no período Clássico Grego vamos nos aprofundar no futuro, vamos

se grandioso projeto, mas as esculturas

volume. Lísipo trabalhou no século IV a.

ver o Período Helenístico Grego até o seu

feitas por Fídias só foram finalizadas em

C. no período Helenístico Grego, esse pe-

fim na batalha de Áccio em 31 a. C. quan-

432 a.C.,nesse momento nós temos o pe-

ríodo veremos posteriormente, em outros

do o Egito se torna província romana.

ríodo Clássico Grego. Depois de finalizar

textos.

o Partenon, Fídias foi trabalhar na grande

a.C. estavam em guerra contra os Persas,

estátua de Zeus em Olímpia.

lizmente não temos nenhuma referência

nas chamadas guerras Médicas, essa guer-

Policleto que foi um dos mais

visual, de nenhum período, somente te-

ra faz com que as cidades-estados unam-

importantes escultores bronzistas e que

mos referências textuais que nos deixam

se vencendo os Persas, com isso os gregos

escreveu o “Kanon” (Cânone), que trata-

alguns nomes: os artistas dos séculos V a.

criam a liga de Delos que posteriormente

va da proporção humana, com isso pode

C. são Polignoto, Parrasio, Zêuxis e Prá-

passa sua sede para Atenas, que nesse pe-

dar mais equilíbrio e movimento aos seus

xeias, esses manuscritos dão alguma ideia

C

ríodo se torna uma grande potência polí-

trabalhos, a proporção de Policleto foi

de como seria essa arte e de como esses

om o nascimento do pensamen-

tica, econômica, militar e artística. Com

usada como modelo por vários artistas

artistas tinham um conceito de simetria,

to filosófico, político e artístico

a vitória, eles começam a reconstrução

posteriores, só sendo superado um século

de luz e sombra e de ilusões óticas que

Grego Clássico, nesse momento

de suas cidades que foram atingidas pela

depois por Lísipo que também foi escultor

esses artistas conseguiram alcançar com

nasce a base do pensamento cultural, ar-

guerra. Péricles em honra à deusa Ate-

bronzista e o único escultor a representar

maestria nesse período.

tístico, político e filosófico atual, por isso

nas, matriarca da cidade, e para afirmar a

Alexandre o Grande. Lísipo criou uma

é importante começar pela arte grega.

supremacia da cidade de Atenas, manda

nova proporção para retratar o ser huma-

dades-estados voltam a ter conflitos entre

Vou apresenta-lhes esse grande

construir o Partenon, no local dos escom-

no, diminuindo o tamanho da cabeça e tra-

elas gerando a guerra do Peloponeso, a

momento da história, porém nesse pri-

bros do antigo templo; trabalho este que

balhando o corpo para deixá-lo mais fle-

guerra entre Esparta e Atenas, que traz a

meiro momento vou fazer um pequeno

começa em 447 a.C. e termina em 438 a.

xível e esbelto, deu importância também

decadência desse período e abrindo o ca-

resumo sobre o período Clássico Grego e

C. Calícrates e Ictinos são arquitetos des-

para os cabelos criando-lhes movimento e

minho para o Período Helenístico.

por Eric Baxmann Carrupt

Os gregos no início do século V

Bozer se realiza no Grafite e na Tatuagem

F

abrício Cruz, mais conhecido

O jovem da periferia não tem oportunidade

como Bozer, nasceu em Mogi das

de se expressar e encontra na pichação o

Cruzes, na década de 90 morou

melhor custo benefício para se manifestar.

por 5 anos no Brás e encontrou na picha-

Por isso levar condições para essa garotada

ção o seu caminho para a arte. De volta

se aproximar da arte sem cometer infração

para a cidade natal, continuou a pichar

é muito importante. O grafite é uma arte

muros. Em meados de 2000 conheceu o

de rua que oferece a oportunidade de levar

grafite e de lá para cá vem desenvolvendo

arte para aquele que não tem condição de

sua técnica neste estilo. Em 2002 começou

visitar um museu ou uma galeria.

a trabalhar na Fundação Casa, antiga FE-

BEM, onde ficou por 10 anos como arte

cebe a dificuldade dos alunos para comprar

educador. “Encontrei muito pichador nes-

o material, nem todos têm condições finan-

ses encontros e ali consegui desenvolver a

ceiras de adquirir as tintas, se o setor públi-

arte nesses garotos, que até então viviam

co ou privado desenvolver projetos sociais

de delitos e pichações” comenta Bozer.

nesse segmento artístico, encontraríamos

grandes talentos escondidos.

O grafite é arte, mas desde os anos

Bozer ministra workshops, e per-

50 e 60 é visto como uma arte da contra

cultura, este estilo revelou alguns nomes

minho da tatuagem, é uma forma de eu

como Jean-Michel Basquiat. passa a viver

eternizar os meus trabalhos, o grafite é efê-

nas ruas e a grafitar paredes, portas de casas

mero hoje pode existir e no futuro não, já a

e metrôs de Nova York.

tatuagem é duradoura”, salienta Bozer.

“Hoje a arte me levou para o ca-

Sobre a pintura na Grécia infe-

No final do século V a.C. as ci-


Arte e Cultura

Página 11 >>>>>>

Doralice Ramos revela seu talento Fotos: Divulgação

cisou fazer uma cirurgia nos pés. Como o processo de recuperação era longo ouvia

Valmiro artista plástico e publicitário

sua irmã e o genro Marceliano, falarem, pinta que relaxa. Com essa evolução e dedicação começou a comercializar obras na Galeria do Maksoud Plaza, na Galeria da Célia Gomes e na Galeria de Artes Brasileiras. Vendeu muitos trabalhos para os EUA, Portugal, Espanha e Finlândia. Além de telas pinta caixas de joias e es-

R

creve poesias. Morou em Portugal e na Espa-

V

eside na rua Barão de Jaceguai,

educação artística, quando vai começa a

casa onde dedica parte do tem-

pintar? Nessa época eu pintava santinhos,

nha, mas com a idade avançada da mãe

po a pintura, aos animais de es-

e com o incentivo dela comecei a evoluir

retornou para o Brasil, deixando para trás

timação e ao seu companheiro.

minha técnica. Lembro da sua orientação

sua irmã.

“Já desenhava no ginásio e só

de como misturar tintas”, salienta a ar-

comecei a pintar em 1977, diferente da

tista. Com uma jornada dupla dedicada a

figurando entre os grandes artistas do es-

mora em Itaquaquecetuba, desenha des-

minha irmã que viveu da pintura, eu tra-

carreira profissional, de secretaria bilín-

tilo Naïf. Para conhecer o trabalho desta

de os 8 anos de idade, na mesma época

balhava e pintava. Minha irmã, Wilma

güe, em grandes empresas multinacionais

brilhante artista, não deixe de acompa-

que começou a ser alfabetizado já utili-

Ramos, em uma exposição na Praça da

tais como: Engevix, Caterpillar, Celanese,

nhar o lançamento do Centro Cultural de

zava o caderno e o lápis para desenhar,

República disse: Você desenha tão bem,

Faber Intercoil, Alcoa Alumínio e a arte,

Mogi das Cruzes e de uma exposição em

tudo aconteceu de maneira espontânea e

sempre com boas notas nas matérias de

só conseguiu dedicação total quando pre-

São José dos Campos, com data a definir.

natural. Sua primeira pintura a óleo foi

Não demora para Doralice estar

Joana D’arc Ferré: A arte de amar

J

oana D’arc C. Ferré é mãe, esposa,

almiro Peonório filho de Waldemar e Gonçala Peonório, nasceu e morou por 27 anos

em Ferraz de Vasconcelos, há 20 anos

em 1993, mas desenhou no látex, sempre estive envolvido com arte, chegou a cogitar viver da arte, mas infelizmente é um mercado altamente competitivo, falta

amiga e artista. Desenha e pinta des-

uma consciência do brasileiro de inves-

de criança, mas pelas tradições cul-

tir em arte, e as prioridades de consumo

turais a mãe nunca incentivou. De uma fa-

nunca priorizaram a arte. “Nunca desisti

mília humilde, passou a infância próxima

penso que ainda posso quem sabe viver

das irmãs e das amigas, gostava de brincar

da arte sim, salienta o artista.

no caulim, um barro colorida, que utilizava

Atualmente dedica grande parte do tem-

para pintar desenhos. “Na escola o profes-

po para sua mãe, com 85 anos, a mesma

sor Lara, foi um grande incentivador, che-

sofre de alzheimer, e sobra pouco tempo

gou a oferecer uma bolsa de estudo, com

para dedicar a pintura. Faz 6 anos que

a permissão da mãe teria aulas de arte, foi quando minha mãe me tirou da escola, ale-

Atualmente se realiza na APAE

não me sinto trabalhando, é muito gostoso.

gando que se estava boa para aprender arte

de Mogi das Cruzes, neste ambiente a

Encontrei minha realização profissional

eu poderia trabalhar, e comecei a trabalhar

vontade de cada um é uma superação, ver

na APAE. Amo de paixão dar aula, ensino

aos 13 anos de idade”, lembra a artista.

a emoção da criança ao pegar um pincel

pelo prazer de ver a pessoa aprender, quem

Com 40 anos, foi estudar Artes

não tem preço. Fazer o aluno segurar o

não veio para ensinar não aprendeu nada,

Plásticas e participar de algumas exposi-

pincel e sentir o contato no papel, é ines-

então sou a favor de dividir o conhecimen-

ções como artista. Na faculdade conheceu

quecível, mesmo ajudando a finalizarem

to. Outra paixão são meus gatos” afirma

mais sobre arte e esse conhecimento des-

seus trabalhos, o sentimento de satisfação

Joana. A Natureza é uma arte. Deus é o

pertou a vontade de ensinar para aqueles

e realização brota a todo instante. “A mi-

maior criador, e os artistas tentam copiar o

que não tem estímulo.

nha importância na vida deles me realiza,

criador.

não pinta uma tela. Seus últimos trabalhos foram algumas caricaturas do seu amigo Nerival Rodrigues. “Gosto muito de pintar carros de formula 1, carros de corrida, sempre tive paixão por esses tipos de carro, mas também pinto paisagens e animais. Sempre me dediquei a desenhos publicitários, trabalhei por quase 10 anos em grandes agencias de publicidade fazendo caricaturas, explica Valmiro.


Gestão Empresarial

Dicas para uma boa gestão de pessoas

Página 12 >>>>>>

Repensar Gestão: Como inovar? negócio podem ser a chave para o cresci-

ce nem entre as dez mais, segundo o cri-

mento sustentado, deveríamos pensar em

tério de retorno sobre o investimento para

como criar um ambiente favorável e esti-

desenvolvimento de produtos. A relevân-

mulante para as pessoas. No contato diário

cia do seu crescimento pode ser explica-

com as empresas, está cada vez mais claro

da por um ambiente favorável à criação,

que a pressão por resultados financeiros

processos bem estruturados e a busca por

contribui para a falta de alinhamento dos

novas tecnologias. Estudos no campo da

processos, dada a alta competição por

psicologia proporcionam análises como

números. Mais do que isso, a busca por

a de que o crescimento empresarial so-

faturamento crescente vem derrubando a

mente seria possível quando as relações

capacidade inovadora organizacional.

humanas e entre as unidades de negócio

Os líderes relevantes estimulam

apresentem confiança mútua. Quando as

valores como autonomia, relacionamento

relações são de autoridade e poder, há

troca de experiências com em-

constante com clientes e ambientes em

uma clara deterioração do ambiente e dos

presas relevantes no cenário

que a pressão por resultados seja equili-

resultados. Conclui-se que a chave para a

brasileiro sugere que há uma

brada. A Apple é uma das empresas mais

melhoria das práticas de gestão e inova-

necessidade de repensar a gestão e a ado-

inovadoras do mundo? Não. Na lista das

ção deve passar pelo repensar dos relacio-

ção de práticas para a inovação. Pesquisas

mais inovadoras do mundo ela não apare-

namentos empresariais e pessoais.

Hugo Ferreira Braga Tadeu, professor e pesquisador da Fundação Dom Cabral

A

recentes indicam que as maiores taxas de retorno sobre o investimento acontecem quando a estratégia não está centrada em processos ou produtos, mas em modelos de negócios. Muitos entendem por modelos de negócios a área do conhecimento da inovação. Engano. Trata-se de um desdobramento dos estudos de estratégia competitiva, pelo entendimento da capacidade operacional e planos de ação.

Ao compreender que modelos de

Conheça a sua equipe: o primeiro passo é saber quais são os pontos fracos e fortes das pessoas que trabalham com você. Assim, você poderá atribuir tarefas específicas de acordo com as habilidades de cada um e elevar o desempenho do time como um todo. Tenha confiança nos seus funcionários: ter fé no trabalho da sua equipe é fundamental. A confiança faz com que as habilidades e talentos apareçam. Saiba delegar: você não precisa se envolver em cada detalhe dos projetos. Se todos estiverem bem alinhados com os objetivos a ser alcançados e bem preparados para exercer suas funções, os resultados serão alcançados. Estimule a participação: essa postura fará com que ideias inovadoras surjam e problemas possam ser resolvidos mais facilmente. Premie as melhores ideias, para aumentar o engajamento. Esteja presente: você nunca deve se isolar de sua equipe. É importante para o funcionário ter uma troca constante com o líder. Seja acessível, retornando as sugestões e críticas levantadas. Aposte nos feedbacks: você deve ser franco com os seus funcionários. Reúnase com cada um deles para mostrar o que você está pensando. Elogie o desempenho satisfatório e mostre os pontos que ainda devem ser melhorados. Comemore as conquistas: se a sua equipe alcançou uma meta ou solucionou aquele problema que parecia impossível, é preciso celebrar.

Jornal Exper News  
Jornal Exper News  

Edição Número 06

Advertisement