Page 1


Editorial

Página 2 >>>>>>

EAD no Brasil avança

É um quadro difícil, mas há um

Não estudar por falta de tempo, faz parte

hA preferência pelo Ensino Superior a

do passado. É a tecnologia a favor da evo-

Distância (EAD) a cada dia tem conquis-

lução pessoal.

tado mais adeptos e a confiança do mer-

cado. Uma ótima opção para quem tem

torial e nessa edição trago a matéria da

agenda apertada e interesse de progredir

Cacomex-AT, o Brasil precisa aproveitar

na carreira. Os estudantes que optam pelo

o câmbio favorável às exportações para

EAD, contam como as vantagens de mon-

fortalecer o setor e o anúncio do novo

tar a própria rotina de estudos; de se dedi-

plano do governo para tentar recuperar a

carem às aulas nos horários mais conve-

economia.

nientes; de economizar tempo ou dinheiro

com o deslocamento até a instituição de

tação de bens e serviços cresceu 6,1%,

ensino; de pagar um preço mais baixo, se

enquanto a importação recuou 14,3%. A

comparado aos cursos presenciais; e tudo

participação do Porto de Santos na balan-

isso com um diploma de um curso de gra-

ça comercial brasileira foi de US$ 6 bi-

duação igual ao da graduação presencial.

lhões.

O fortalecimento das instituições EAD

tem trazido diversas vantagens aos alunos

nem sempre é tão fácil quanto parece

e facilitado o ingresso no curso superior.

quando o projeto está no papel.

A quantidade de cursos ofertados pela

Boa leitura...

Unopar, por exemplo, aumentou e a flexi-

Márcio Junior

bilidade de horários para estudar também.

publisher Exper News

Na edição passada falei no edi-

Exportações: em 2015, a expor-

Abrir uma startup inovadora

Expediente Publisher: Márcio Junior MTB 59904-SP, Diagramação: Editora Off, Colunistas: Ana Carolina Cortez, Daniela Amorim, Idiana Tomazelli, Mariana Sallowicz e Vinicius Neder e Maurício Renner Matéria de Capa: Beth Cataldo, Distribuição: Gratuita Tiragem: 10 mil exemplares, Foto Capa: Arquivo Pessoal, E-mail: exper@expernews.com.br. Publicidade: 11 2819-4457. Exper News é distribuído nas Indústrias e Comércios do Alto Tietê. O jornal não se responsabiliza pelo conteúdo dos anúncios. As opiniões emitidas em artigos assinados são de responsabilidade dos autores.

500


Cacomex-AT

Página 3 >>>>>>

Alto Tietê ganhará Câmara do Comércio Exterior

A

Região do Alto Tietê, em breve,

rior elemento central da agenda de com-

poderá contar com sua própria

petitividade da região.

Câmara do Comércio Exterior.

Entre as ações, da Cacomex-AT,

A Cacomex-AT deu início de sua criação

estão convênios e missões comerciais a

em setembro de 2015, seu estatuto já está

princípio com os Estados Unidos, outros

criado e em breve será inaugurada oficial-

países e visitas internacionais estão sendo

mente. A Cacomex-AT será fundamental

estreitadas.

para apoiar as MPEs na prática do comér-

cio exterior, além de disponibilizar infor-

cipal exportador da região, respondendo

mações sobre logística, documentação,

por 68,7% (US$ 274,1 milhões) das ex-

impostos e outros processos necessários.

portações. Mogi das Cruzes ocupa a se-

O Brasil precisa aproveitar o câmbio favo-

gunda colocação, com US$ 85,3 milhões

rável às exportações para fortalecer o se-

(21,4% do total). Nas importações Suzano

tor e o anúncio do novo plano do governo

respondendo por 59,5%, com um volume

O município de Suzano é o prin-

para tentar recuperar a economia.

cessário que o importador e o exportador

e orientar a empresas para a realização de

de US$ 412,3 milhões em aquisições no

A Cacomex-AT é parte estraté-

conheçam os incentivos tributários bra-

negócios no exterior, inclusive marketing

mercado global. Mogi das Cruzes apare-

gica de um relacionamento que a cidade

sileiros, porque eles podem compensar a

internacional e propostas de redução de

ce em segundo lugar, US$ 184,5 milhões

de Suzano começou há alguns anos. Lau-

alta do dólar neste momento.

tarifas no comércio internacional; Editar

importados, o que corresponde a 26,6%

derhill, Flórida, USA e Suzano, São Pau-

A Cacomex-AT irá formular, ado-

de publicações impressas ou eletrônicas;

do total. “A Cacomex-AT confere papel

lo, Brasil são cidades irmãs e o programa

tar, implementar e coordenar as políticas e

Promover cursos, palestras, seminários,

estratégico e prioritário para a política co-

visa romper as barreiras comerciais entre

atividades relativas ao comércio exterior

congressos, workshops, eventos culturais,

mercial da região. Sem uma postura ativa,

os dois países, esse relacionamento vai be-

de bens e serviços, incluindo o agronegó-

inclusive programas de intercâmbio.

amparada em instrumentos que estimu-

neficiar o Alto Tietê e utilizar o que cada

cio e o turismo; Incentivar e proporcionar

Uma vez que a empresa atenda

lem o acesso a novos mercados, a região

município tem de melhor. É importante

condições que facilitem o intercâmbio de

as necessidades para exportar, começamos

não alcançará posição no cenário global”,

interligar as empresas e principalmente

tecnologia entre os países e contribuir para

o processo de abertura de mercado inter-

informa o presidente do Grupo Martins,

os empresários da região. Compartilhar

as relações culturais entre os países; Parti-

nacional.

Lourival Martins.

ideias e projetos e envolver Associações,

cipar em feiras internacionais; programas

Sindicatos e Entidades de Classe também

de fomento ao comércio internacional; Di-

a participação do Alto Tietê no comércio

Mendes, consultor no setor exportador, “a

faz parte do programa.

vulgar informações especializadas sobre

mundial. Com câmbio favorável às expor-

Cacomex-AT é importante para retomar a

Importante que o empresário

mercados internacionais, inclusive a aber-

tações e com ação comercial determinada,

competitividade e o crescimento econômi-

receba uma assessoria aduaneira. É ne-

tura de empresas no exterior; Aproximar

podemos vamos fazer do comércio exte-

co de nossa Região”.

A palavra de ordem é aumentar

Para o empresário Alexandre


Matéria Capa

Página 4 >>>>>>

O Brasil que aprende na tela por Ana Carolina Cortez

U

Os MOOCs nasceram como videoaulas gratuitas e abertas para quem quisesse

so de novas tecnologias e surgi-

acessá-las, gravadas por professores uni-

mento de startups de educação

versitários de renomadas instituições,

fazem ensino à distância dispa-

como Harvard e MIT, durante suas tradi-

rar no país

cionais aulas presenciais. O conteúdo era

Aprender inglês pelo celular no

disponibilizado no site das universidades

caminho de volta para casa, dentro do ôni-

e até no YouTube e viraram febre entre os

bus, ou probabilidade estatística na fila do

usuários de internet de todo o mundo.

banco pelo tablet. O avanço das tecnolo-

gias, somado às mudanças no perfil dos

nível online dessas universidades, muitas

O site conta com 300 cursos livres de 20

torna o aprendizado pior, pelo contrário. O

alunos, que já não aguentam mais ficar

startups lançaram sites que reuniam esse

instituições de ensino e mais de 800.000

aluno de ensino a distância se sai até me-

horas sentados recebendo informação dos

material e os transmitiam aos seus usuá-

alunos cadastrados. “Nos primeiros qua-

lhor no Exame Nacional de Desempenho

professores nas tradicionais salas de aula,

rios. A mais conhecida delas é a Coursera,

tro meses que ficamos no ar, recebemos

dos Estudantes (Enade). Acredito que isso

impulsionaram o crescimento do ensino a

fundada por professores da Universida-

50.000 usuários cadastrados e 270.000

ocorra porque ele pode acessar o mesmo

distância (EAD) no mundo todo. Somente

de de Stanford, nos Estados Unidos, em

visitas únicas”, conta um dos sócios-fun-

conteúdo diversas vezes, estudar nos horá-

no Brasil, o segmento apresentou um salto

2011, em parceria com outras 17 insti-

dadores, Marcelo Mejlachowicz. O cres-

rios em que ele está realmente livre e mais

significativo nos últimos cinco anos, com

tuições de ensino. O Brasil, contudo, é

cimento da startup chamou a atenção de

concentrado”, afirma Mejlachowicz. Os

o surgimento de diversas startups voltadas

hoje o quarto maior usuário do Coursera.

investidores e a empresa chegou a receber

cursos livres do Veduca, que vão de ciên-

para os mais variados níveis educacionais,

Dos 16,5 milhões de alunos cadastrados,

3,5 milhões de dólares de grandes fundos

cia política a bioenergética, também ser-

desde o ensino básico até a pós-graduação

700.000 são brasileiros. Por conta disso,

de investimento globais, como Bolt Ventu-

vem de material de apoio para quem faz

e o treinamento corporativo. Nesse perí-

a plataforma começou até a legendar seus

res e 500 stratups. Com o investimento, a

curso presencial. “As ferramentas online

odo, o número de matrículas em EAD

cursos em português.

Veduca conseguiu colocar no ar 15 cursos

são mais interativas, trazem infográficos,

cresceu 70%, passando de 2,2 milhões de

O sucesso do Coursera não de-

no formato MOOC e, mais recentemente,

podcasts, chats de discussão para tirar dú-

alunos em 2005 para mais de 3,8 milhões

morou a inspirar startups brasileiras a fa-

lançar seus dois primeiros MBA online,

vidas com os demais usuários. O apren-

em 2015. Os dados são da Associação

zerem o mesmo. Em 2012, por exemplo,

que são direito a certificado reconhecido

dizado é mais dinâmico, assim como é a

Brasileira de Ensino a Distância (Abed).

nasceu o Veduca, site que reúne MOOCs

pelo Ministério de Educação (MEC).

nova geração”, complementa. O executivo

Em um país de dimensões con-

de universidades internacionais e nacio-

destaca que 50% do público que acessa o

tinentais, onde o acesso à sala de aula em

nais de renome, como USP e Unicamp.

estudar como ele achar melhor. E isso não

Aproveitando o conteúdo dispo-

“O e-learning permite ao aluno

Veduca hoje tem menos de 24 anos.

regiões afastadas dos centros é bastante

dificultado, onde menos de 20% dos alu-

do da Veduca seja gratuito e livre, caso o

nos que concluem o ensino médio chegam

usuário queira um certificado, disponível

às universidades, onde a falta de flexibi-

hoje apenas para MBA, ele terá de pagar.

lidade do horário de trabalho inviabiliza

A Veduca gera receita também com treina-

que muitos profissionais dediquem o tem-

mento corporativo, serviço contratado por

po demandado por cursos tradicionais de

grandes empresas no país, como o Itaú e a

especialização, parece natural que o mo-

P&G.

delo de ensino a distância tenha crescido

exponencialmente nos últimos anos.

dos também tem sido a aposta de outra

São os cursos livres, que não

startup que opera no Brasil, a Eduk. Exis-

emitem certificação, no entanto, os que

tem modalidades gratuitas no site, mas a

mais contribuíram para a evolução do en-

maioria dos cursos são pagos e o plano

sino a distância, fator que está diretamente

mais barato é de 19,90 reais por mês. Os

ligado à popularização dos MOOCs (Ma-

cursos mais rentáveis da companhia são os

sive Open Online Courses) mundo afora.

profissionalizantes. A Eduk oferece módu-

Embora a maior parte do conteú-

Cursos livres, online e certifica-


Matéria Capa

Página 5 >>>>>> senvolveu uma ferramenta que permite

nhecida pelo Governo, que tem como uma

Hoje a instituição conta com

personalizar o estudo. “O conteúdo evolui

das metas do Plano Nacional de Educação

se, damos um plano B para as pessoas em

mais de 700 cursos gravados em vídeos,

com o aluno e se adapta à sua necessidade

elevar a taxa de matrícula na educação su-

momentos de incerteza”, afirma Eduardo

que foram assistidos por mais de 150.000

de aprendizado a medida que vai absor-

perior para 50% - o número hoje é de me-

Lima, um dos sócios fundadores.

usuários do país todo e desenvolvidos

vendo novas informações”, conta. Estão

nos de 20%. “Não é possível ter uma taxa

A empresa produz os vídeos que

pelos professores da universidade. Se as

cadastrados no site mais de cinco milhões

de alunos compatível com nossos colegas

coloca no ar, em estúdios próprios, em

tecnologias forem bem empregadas, um

de alunos. Quem quiser pode acessar uma

da América Latina sem o EAD”, afirmou

São Paulo. Por mês, são filmados mais de

curso virtual pode ser bem melhor que um

versão gratuita dos módulos online. A fon-

o diretor de Política Regulatória do Minis-

300 horas em aulas. Ao todo, a Eduk conta

presencial. “ A escola precisa se adaptar

te de receita da startup é uma versão paga,

tério da Educação, João Paulo Bachur, du-

com 300 professores e, para cada um dos

ao novo perfil de aluno que está aí, que de-

vendida para mais de 5.000 escolas brasi-

rante palestra na Comissão de Educação

500 cursos, um tutor, que faz o intermédio

manda conhecimento em diferentes fontes

leiras, das quais 4.000 são públicas. Nesse

da Câmara dos Deputados, reunida em no-

entre o professor e o aluno, e dois ou três

e apreende o mundo de uma forma mais

caso, os cursos são voltados para estudan-

vembro deste ano para discutir um novo

convidados, ex-alunos, que ajudam os es-

dinâmica. A educação do futuro não exis-

tes que não fizeram um bom ensino mé-

marco regulatório para o ensino a distân-

tudantes com dúvidas.

tirá sem a tecnologia”, diz Klaus Schlün-

dio e precisam de um “nivelamento” no

cia, visto que a primeira regulamentação

Até as universidades mais tradi-

zen Junior, coordenador do Núcleo de

conhecimento para conseguir acompanhar

do setor data de 2005. O novo texto ainda

cionais do país estão atentas às demandas

Ensino a Distancia da Unesp. “Qualquer

o ritmo das aulas - um problema bastante

está em discussão no Congresso e não há

dos alunos brasileiros por cursos livres, de

jovem hoje, por mais carente que seja, tem

comum no Brasil, visto que a maior parte

data para sua implementação.

especialização. A Unesp, universidade pú-

um celular com acesso a internet, o que

da população não tem condições de pagar

blica entre as mais renomadas do país, que

torna os MOOCs uma ferramenta mais

o preço demandado por boas escolas.

que a principal virtude do marco regula-

oferece cursos presenciais de graduação

democrática de acesso a educação de qua-

Aliás, um dos fatores que mais

tório é a inclusão de novas ferramentas

e pós-graduação desde 1976, começou a

lidade”, complementa.

ajudam a entender essa evolução tão ace-

tecnológicas, principalmente as de com-

lerada do EAD no país, segundo o diretor

partilhamento de informações, como bi-

los que vão desde confeitaria e artesanato

tempo.

a publicação editorial. “Em épocas de cri-

Para chegar à universidade

desbravar o caminho do ensino a distância

Xanthopoylos, da Abed, destaca

há pouco tempo.

A ideia de que não é mais o aluno

da Abed, Stavros Xanthopoylos, é o pró-

bliotecas virtuais, além de regras mais

Nessa trilha, optou por tornar

que deve se adaptar ao método de ensino,

prio desenvolvimento social do Brasil nos

atuais e flexíveis para parcerias entre po-

abertos para toda a sociedade, e não ape-

mas sim o contrário, é defendida também

últimos anos. “O movimento de ascensão

los educacionais. “Há muito tempo o EAD

nas para os seus estudantes, módulos de

por Claudio Sassaki, cofundador da Ge-

de cerca de 40 milhões de pessoas à clas-

deixou se limitar a envio de materiais di-

diversas disciplinas oferecidas em sala de

ekie, uma plataforma de aprendizado para

se média impulsionou a demanda por di-

dáticos por correio. A tecnologia enquanto

aula. Desde 2009, publica em seu site cur-

estudantes em fase pré-vestibular que que-

versos serviços aos quais ela nunca teve

instrumento de integração entre alunos e

sos no formato MOOCs, como forma de

rem ser aprovados nas universidades pú-

acesso, entre eles a educação superior”,

de troca de conteúdo é fundamental hoje

democratizar o conhecimento para quem

blicas do país - a maioria utiliza um exame

explica.

para o processo de aprendizado e precisa

não tem como acessar a universidade, seja

nacional e único, o Enem.

por uma questão regional, seja por falta de

em cursos superiores a distância aumenta-

ram 44,3%. Segundo dados do Ministério

Universidade Estadual de Londrina e pes-

da Educação (MEC), os cursos a distân-

quisadora de ensino a distância no Brasil,

cia respondem atualmente por 17% das

pelo CNPq, defende maior colaboração

matrículas de graduação e pós-graduação

entre instituições de EAD para que o se-

do país, totalizando 1,3 milhão de alunos

tor cresça ainda mais. “A maior parte das

inscritos nessas modalidades. Atualmente,

instituições de ensino produz seu próprio

há cerca de 170 instituições credenciadas

material, terceirizando uma pequena par-

para EAD pelo MEC, que ofertam 1.365

te do processo. O desafio agora é pensar

cursos superiores a distância. “O e-lear-

modelos de ensino que escapem de plata-

ning é geralmente uma alternativa mais

formas restritivas, fruto de uma legislação

barata para estudo, e pode ser mais van-

e de um mercado editorial pouco afeitos

tajoso principalmente para uma parcela da

á colaboração”. Também é preciso melho-

população de jovens que precisa trabalhar

rar a distribuição dos cursos EAD, hoje

além de estudar”, analisa Xanthopoylos.

muito centrados na região Sudeste do país

(69%), e nas mãos de empresas de grande

Nascida em 2012, a Geekie de-

Entre 2010 e 2014, as matrículas

A importância do desenvolvi-

mento do ensino a distância no país é reco-

ser melhor aproveitada no ensino”, afirma. Renata Duran, professora da

porte (57%).


Comércio Exterior

Página 6 >>>>>>

10 anos para setor externo contribuir com PIB por Daniela Amorim, Idiana Tomazelli, Mariana Sallowicz e Vinicius Neder

E

coordenadora das Contas Nacionais no

to positivo, o PIB ainda recuou 3,8% no

quanto do petróleo. Como os preços des-

IBGE.

ano, por conta da demanda interna, que

pencaram, (a indústria extrativa) perdeu

contribuiu negativamente com 6,5 pontos

peso na economia”, explicou Rebeca Pa-

xportações: em 2015, a expor-

tação de bens e serviços cresceu

portações da indústria extrativa mineral

porcentuais.

lis. A extrativa mineral cresceu 4,9% em

6,1%, enquanto a importação re-

(petróleo e minério de ferro), agricultura

“A demanda interna contribuiu

2015, o melhor desempenho entre os sub-

cuou 14,3%

(soja e milho), siderurgia e veículos auto-

negativamente. Caiu o consumo do go-

setores da economia ante o ano anterior.

motores.

verno, das famílias e os investimentos”,

“Cresceu em volume”, justificou Rebeca.

lembrou Rebeca.

A alta do dólar ante o real em

Em 2015, aumentaram as ex-

2015 ajudou o setor externo a dar a pri-

meira contribuição positiva para o PIB

importação de máquinas e equipamentos,

O impacto da demanda inter-

distribuição de eletricidade, gás, água e

brasileiro em dez anos.

veículos automotores, petróleo e deriva-

na no PIB não era negativo desde 2003,

esgoto recuou 1,4% no ano passado, mas

dos, equipamentos eletrônicos e gastos de

quando ficou em -0,5 ponto porcentual. O

teve o maior aumento de participação no

porcentuais, segundo as Contas Nacio-

brasileiros com viagens no exterior.

resultado de 2015 foi ainda o mais negati-

PIB.

nais Trimestrais do Instituto Brasileiro de

vo da série histórica, iniciada em 1996.

Geografia e Estatística (IBGE). A última

setor externo não ocorria desde 2005,

vez que o comércio exterior ajudou o de-

quando foi de 0,6 ponto porcentual. De-

sempenho da atividade econômica foi em

pois só tivemos contribuições negativas.

e do minério de ferro em 2015 reduziram

energia elétrica.

2005, com impacto de 0,6 ponto porcen-

Ou seja, o volume da importação foi

o peso da indústria extrativa no PIB bra-

tual.

maior que o da exportação esse perío-

sileiro. A fatia do setor encolheu de 3,8%

e esgoto foi a (atividade) a que mais cres-

do todo”, acrescentou a pesquisadora do

em 2014 para 2,1% em 2015, segundo o

ceu no ano, por causa do aumento na ta-

desvalorização cambial de 42% no ano.

IBGE.

IBGE.

rifa de energia elétrica. Aumentou o peso

E aí tivemos o volume da exportação de

bens e serviços que cresceu, e a importação diminuiu”, explicou Rebeca Palis,

O impacto foi de 2,7 pontos

“Claro que tivemos impacto da

Na direção oposta, encolheu a

“Essa contribuição positiva do

Em 2015, a exportação de bens

Indústria extrativa

A queda nos preços do petróleo

Por outro lado, a produção e

A fatia do setor aumentou de

1,9% em 2014 para 2,8% do PIB em 2015, a reboque da elevação da tarifa de “Produção de eletricidade, água

“Foi a atividade econômica que

da atividade dentro da economia, dentro

e serviços cresceu 6,1%, enquanto a im-

mais cresceu em 2015, mas perdeu peso

da indústria”, disse a coordenadora do

portação recuou 14,3%. Apesar do impac-

por causa dos preços, tanto do minério

IBGE.

Porto de Santos movimenta US$ 6 bilhões

A

participação do Porto de Santos

porto santista. O café superou US$ 319,0

Unidos e Reino Unido. Caixas de marcha

principais origens. Partes de aviões e heli-

na balança comercial brasileira

milhões, equivalente a 10,9% do total ex-

responderam por 1,24% do total importa-

cópteros alcançaram US$ 34,83 milhões,

foi de US$ 6 bilhões, registran-

portado, embarcado principalmente para

do, registrando US$ 38,33 milhões, tendo

1,12% das importações, vindas, priorita-

do aumento de 5,26% na participação so-

Estados Unidos, Alemanha e Itália. O

Japão, Indonésia e Coréia do Sul como

riamente, do Japão, EUA e Espanha.

bre o total brasileiro em relação a janeiro

milho chegou a US$ 274,3 milhões, 9,4%

do ano anterior. As operações realizadas

das exportações realizadas, com predomi-

pelo complexo santista responderam por

nância para Vietnã, Japão e Irã. O açúcar

28% dos US$ 21,6 bilhões movimenta-

de cana atingiu o valor de US$ 172,6 mi-

dos pelo comércio exterior do país. Se

lhões, 5,9% do total exportado.

considerado exclusivamente o comércio

exterior realizado através dos portos, a

51,66% do movimento geral, totalizando

participação de Santos fica em 37% sobre

US$ 3,1 bilhões, equivalente a 30,0% do

o total brasileiro.

total brasileiro de US$ 10,3 bilhões. Óleo

As exportações, com participa-

diesel, caixas de marcha e partes para avi-

ção de 48,33% sobre o geral, alcançaram

ões e helicóptero foram, respectivamente,

US$ 2,9 bilhões, equivalente a 26,1%

as cargas mais desembarcadas em Santos

do total brasileiro de US$ 11,2 bilhões.

quanto ao valor comercial.

Café em grãos, milho e açúcar de cana,

respectivamente, estabelecem o ranking

milhões, equivalente a 1,30% das im-

das cargas de maior valor embarcadas no

portações no período, vindo dos Estados

As importações responderam por

O diesel chegou a US$ 40,16


Exper News

Página 7 >>>>>>

Losango lança cartão internacional

Cerveja de graça nos voos da Azul A Azul lançou em parceria com

exclusivamente nos jatos Embraer 190

sango Premium e busca atrair seu públi-

a WBeer.com.br, o Happy Hour Azul,

e 195. “A ação permitirá à companhia

co com benefícios como o “proteção de

ação em que servirá cerveja gratuita-

incrementar o seu já consagrado serviço

preço”, ligado ao cartão “classic interna-

mente a bordo de suas aeronaves entre

de bordo, o que gerará uma experiência

cional compra garantida”, que permite,

outubro e dezembro. A marca informou

de voo diferente e exclusiva. Para com-

entre outras coisas, que o cliente receba

que clientes em mais de cinco mil voos

pletar, temos ao nosso lado um grande

Para incrementar sua atuação

a diferença, caso encontre preço menor

que partem de 12 aeroportos brasileiros

parceiro, que é a WBeer.com.br, respon-

no segmento de mais alta renda, o ban-

de um produto adquirido. O cartão pode

poderão degustar a cerveja dinamarquesa

sável por distribuir no Brasil produtos de

co de varejo Losango criou o Viva, seu

ser usado em compras internacionais on-

FAXE, famosa por suas embalagens de

qualidade”, afirma Claudia Fernandes,

primeiro cartão de crédito internacional,

line ou em viagens e é aceito, segundo a

um litro, na versão Witbier.

diretora de marketing e comunicação da

que chega ao mercado sob o slogan “Seu

empresa, em mais de 30 milhões de es-

A distribuição será feita em to-

passaporte para viver melhor todos os

tabelecimentos de 150 países. A Visa é

das as operações das 16h00 às 21h00,

dias”.Inicialmente, o produto será ofe-

parceira do projeto.

Fotos: Divulgação

recido aos mais de cem mil clientes Lo-

Twitter lança botão para criar enquetes dias uma ferramenta para a construção de

Instagram lança app para animar fotos

Azul. A cerveja será servida somente aos clientes com mais de 18 anos.

Cervejas importadas em alta

O Instagram lançou, nesta quin-

Essa é a conclusão de um estudo

Por meio de um botão, o usuá-

ta-feira, 22, o Boomerang, aplicativo que

da Product Audit que aponta que o até

rio poderá criar uma pergunta com duas

transforma fotos sequência em pequenas

o final de agosto deste ano, 978 rótulos

alternativas de respostas, que ficará dis-

animações.

foram trazidos ao País – crescimento de

enquetes.

Os usuários podem criar os

ponível para voto por 24 horas.

5,6% em relação ao ano passado.

O novo recurso facilitará essa

GIFs no aplicativo em alta resolução e

Ainda que o número de marcas

forma de comunicação, que era feita por

depois reproduzir em loop de trás para

tenha triplicado entre 2010 e 2014, das

meio do uso de hastags, retuítes ou ras-

frente.

2.206 opções que estiveram disponíveis

treamento de respostas. O voto não será

É a terceira funcionalidade lan-

no mercado local, 892 deixaram de ser

compartilhado publicamente e pode am-

çada pelo Instagram. Já foram criadas o

importadas. Entre rótulos que chegam

pliar o contato de usuários com um gran-

Layout para montagens e o Hyperlapse

e os que não voltam, crescer num ritmo

Com o objetivo de oferecer mais

de número de seguidores. A ferramenta

que permite a montagem de vídeos em

mais moderado – mas ainda assim as no-

uma forma de comunicação com o públi-

estará disponível para iOS, Android e

time lapse. O Boomerang está disponível

vidades são mais numerosas. Foi o que

co, o Twitter vai habilitar nos próximos

desktop.

para Android e iOS.

aconteceu no primeiro semestre.


Startup

Página 8 >>>>>>

5 dicas para não começar com o pé esquerdo mos muita coisa sobre ela depois de pron-

desde então, mas agora podemos garantir

se tornará viral, e você, de um dia para o

ta. Falamos para os nossos clientes algo

que temos uma nova admiração pelo pro-

outro, terá milhares de clientes e, mesmo

brir uma startup inovadora

como: “aqui está uma API, agora é com

fissional de vendas.

assim, estará em bootstrap e manterá os

nem sempre é tão fácil quanto

vocês”. Rapidamente repensamos a nossa

parece quando o projeto está

abordagem e adotamos o modelo transa-

3. Não subestime o marketing:

no papel. Há coisas que você só percebe

cional, mais tradicional (leia-se: menos

ele não é só blábláblá

vavelmente serão inversas: você vende

quando já está inserido no turbilhão de

startup).

No final de 2014, encerramos a

menos do que esperava, e os seus custos

decisões que devem ser tomadas e, com

Certamente daremos uma segun-

fase de beta e oficialmente colocamos a

aumentam porque a economia entrou em

tudo isso na cabeça, você pode cometer

da chance ao modelo self-service, mas o

companhia no ar. Tivemos um lançamen-

crise e o valor do dólar subiu ao telhado.

erros. Alguns são mais comuns e simples

modelo comercial transacional nos ensi-

to legal no mercado brasileiro, e rapida-

de sobrepujar, mas outros podem compro-

nou muita coisa sobre as necessidades dos

mente os leads começaram a aparecer.

tos no pior cenário e nunca nos iludimos

meter o futuro da sua empresa.

nossos clientes e nos deu a oportunidade

Fazíamos postagens semanais em nosso

já contando com um contrato gordo com

Pensando em iniciantes no mer-

de praticar diferentes discursos de venda.

blog que atraíam ainda mais leads. “Bele-

aquela empresa gigantesca que acabou

cado, Tom Canabarro resolveu comparti-

Isso foi ótimo, pois precisávamos muito

za, aqui vamos nós”!

de solicitar um orçamento. É um cenário

lhar suas experiências no mercado brasi-

aprender a vender.

desconfortável, mas necessário.

por Maurício Renner

A

leiro que adquiriu à frente da sua startup Konduto. A empresa foca seus serviços

custos lá em baixo.

2. Vender é difícil

Porém, com mais leads e clien-

Mas, na vida real, as coisas pro-

Projetamos todos os nossos cus-

tes, vinha também mais trabalho em ven-

Você precisa fazer bootstrap até

das e suporte. Dessa forma, nos sobrava

conseguir clientes pagantes e saber qual o

em prevenir fraudes no e-commerce, ofe-

Ninguém no nosso time tinha

menos tempo para escrever conteúdos

seu tempo de vida. Mesmo no pior cená-

recendo tecnologia inovadora. Ela já está

experiência em vendas. O mais perto que

interessantes e gerenciar o Adwords. Nos-

rio, isso vai ajudar a manter o foco. Não

no mercado há dois anos e tem chamado

chegávamos era o nível de “engenheiro de

sos posts de blog, que antes eram sema-

ache que tudo correrá perfeitamente bem.

atenção pelo seu sucesso.

vendas”, e isso definitivamente não confi-

nais, passaram a ser quinzenais, depois

Por quanto tempo o seu negócio vai so-

gura um profissional comercial.

mensais até que “não é possível que já faz

breviver se você não conseguir fechar ne-

duto conseguiu chegar aos seus dois anos

tanto tempo assim que a gente não posta

nhum contrato novo e gastar tanto quanto

de atividade como uma empresa saudá-

trabalho árduo que a área de vendas exi-

no blog”.

planeja? A sua empresa por padrão é viva

vel, confira as dicas de Canabarro:

ge: os processos, a persistência, os (mui-

ou morta?

Se você quer saber como a Kon-

Não tínhamos a menor ideia do

Não tínhamos mais tempo para

tos) follow-ups e a rapidez. Isso porque

marketing e deixamos de lado esta ativi-

1. Fluxo self-service não é tão simples

havíamos lido o artigo “Se os produtos

dade para focar em clientes e novos leads.

5. Invista tempo para montar

quanto parece

SaaS se vendem sozinhos, por que preci-

Só que esses leads foram se tornando cada

um ótimo time

“Integração” é uma das maiores barreiras

samos de uma área comercial?” (If SaaS

vez mais murchos e mirradinhos, pois não

que uma empresa enfrenta na hora de tro-

Products Sell Themselves, Why Do We

estávamos mais realizando nenhuma ati-

portante de qualquer startup: são elas

car de fornecedor de TI. Realizar alguma

Need Sales?)”, de Mark Cranney!

vidade capaz de reconquistá-los e nutri-

quem escrevem o código, colocam o site

alteração no processo de check-out de um

los.

no ar, debugam, vendem e dão suporte

e-commerce não é o maior sonho de ge-

nhamos o nosso primeiro funil de vendas.

Assim que percebemos o erro

aos clientes. E também são elas que esta-

rentes e diretores, então decidimos fazer

O funil sofreu modificações várias vezes

grave que estávamos cometendo, decidi-

rão ao seu lado quando você conquistar a

a nossa API muito simples para qualquer

mos corrigi-lo. No final de 2015, quase

sua primeira grande conta e quando pas-

um integrar.

um ano depois do lançamento do nosso

sar pela primeira grande crise.

Passamos um bom tempo escre-

produto, contratamos nossos primeiros

vendo a documentação da nossa API e

profissionais de marketing e de suporte ao

cionário somente porque você precisa

desenvolvendo nossos SDKs e o módulo

cliente. Desde então, eles vêm mostrando

preencher aquela posição e determina-

Magento. Logo que encerramos o beta,

um enorme valor recolocando estas ativi-

do candidato é a opção “menos pior”.

lançamos o fluxo self-service e ficamos

dades nos trilhos e fazendo com que atinja

Se após uma entrevista você não pensar

esperando uma enxurrada de devs visita-

novos patamares.

automaticamente “SIM”, então é um

Nós estudamos muito e dese-

rem o nosso site para realizar integrações. Apesar de termos criado a nossa

API com extremo carinho, não explica-

Portanto, não escolha um fun-

“NÃO”. Felizmente, acertamos em cheio

Mas não foi isso que aconteceu.

As pessoas são o bem mais im-

4. Faça projeções realistas

É muito fácil pensar que tudo

funcionará perfeitamente: o seu aplicativo

neste ponto. Todos os nossos “SIM” foram ótimas contratações e estão conosco em todos os momentos.

Jornal Exper News  
Jornal Exper News  

Edição Número 10

Advertisement