Page 1


Sumário Edição número 02 - Outubro/2010

MeioAmbiente............................................................................................06 Entrevista....................................................................................................08 Exper News................................................................................................12 Matéria de Capa.........................................................................................14 Agronegócios.............................................................................................18 Empreendedorismo....................................................................................19 Liderança....................................................................................................20 Seguro........................................................................................................21 Tecnologia.................................................................................................22 Emprego.....................................................................................................23 Financeiro...................................................................................................24 Motivação...................................................................................................25 Direito........................................................................................................26 Theatro e Outras Cousas.............................................................................27 Comportamento..........................................................................................28 Turismo......................................................................................................29

4 Revista Exper


Editorial

Exper: uma revista inovadora e inquieta Reprodução

exper Expediente Publisher Márcio Junior Editor Cláudio Santos Direção de Arte Marcelo Santos Redação Estela Lobo MTB 43658-SP

Registro meu agradecimento aos amigos Cláudio Hori (foto), So-

uma nova percepção e trazer mudanças permanentes na sua vida.

ares Neto e Darwin Valente, por de-

Ivan Melo um empresário de-

dicarem um espaço em suas mídias

dicado e talentoso vai escrever sobre

para o lançamento da revista Exper.

Empreendedorismo, assunto que do-

A edição de setembro supe-

mina, haja vista a forma como adminis-

rou as expectativas. Estamos inovan-

tra e conduz seus empreendimentos.

do, para levar ao leitor uma revista

Para que problemas futuros

corporativa capaz de expressar a im-

não tirem o seu sono, convidei o Dr.

portância e o real valor deste universo.

Epaminondas Nogueira, especialista

Nesta edição foram realiza-

em Direito do Trabalho e Previdência

dos alguns ajustes no projeto gráfico,

Social para escrever sobre aciden-

a editoria Exper News passa a ter duas

tes, benefícios, indenizações, reajus-

páginas. O site também está de cara

tes, seguros e rescisão trabalhista.

nova. O grande número de acesso da

As sementes foram planta-

primeira edição, fez com que valori-

das, resta a cada um de nós, regá-las

zássemos ainda mais esta mídia.

com dedicação, coragem e disciplina,

Convidei o Marcelo Men-

para o nosso crescimento profissional e

des para escrever sobre Motivação e

pessoal, gerar frutos e novas sementes.

confesso que o Treinando Líderes I, vale à pena participar, mudou a minha

Márcio Junior

vida, e com certeza vai te possibilitar

Publisher

Assessoria Jurídica Marcelo Inocêncio Colunistas Ivan Melo, Dr. Epaminondas, Manoel Cavalcante e Nicolai Cursino Tiragem 8.000 exemplares Impressão Gráfica Obará Publicidade (11) 2819-4457 publicidade@revistaexper.com.br Foto Capa Global Village Partnerships A revista é distribuído em indústrias, universidades, shoppings, livrarias e bancas do Alto Tietê. Revista Exper é uma publicação mensal da Oriom Editora. A Oriom Editora não se responsabiliza pelo conteúdo dos anúncios e as opiniões emitidas em artigos assinados são de responsabilidade dos autores.


Meio Ambiente

Petrom é case no reuso da água Maior produtora de anidrido ftálico da América Latina, a Petrom – Petroquímica Mogi das Cruzes dá mais um importante passo dentro do seu Sistema de Gestão Ambiental.

Calcado nas diretrizes da

lo (Cetesb).

Petrom no tratamento de seus efluen-

ISO 14001, a Petrom se firma como

tes demonstram que o setor industrial,

uma das primeiras indústrias do Brasil

Tratamento de efluentes

de forma geral, pode obter melhorias

a atingir o patamar de Efluente Zero,

A tecnologia empregada tra-

significativas nos processos de sus-

com 100% de reuso da água.

ta os efluentes através dos processos

tentabilidade, contribuindo de forma

No setor químico, a empresa

físico-químicos e biológicos e, por

ativa para a preservação do meio am-

mogiana é a pioneira na tecnologia no

fim, por uma membrana de ultra filtra-

biente”, ressalta o diretor industrial da

território brasileiro entre as afiliadas

ção que possibilita, desde dezembro

Petrom, Milton Sobrosa Cordeiro.

à Associação Brasileira da Indústria

de 2009, a reutilização 100% de todos

Química (Abiquim).

os efluentes, o que significa que não

mais nenhum efluente nos rios, a tec-

existe mais nenhum descarte líquido

nologia empregada na ETE permite

“Além de não descartamos

Caminho sustentável

na Petrom.

redução de 22% no consumo de água,

Desde meados da década de

Provenientes do processo de

o que favorece a preservação desse re-

70, a empresa – na época Hooker Che-

produção de plastificantes, os efluen-

curso natural”, avalia o executivo, que

mical (Oxy) – conta com um sistema

tes industriais são tratados na ETE

também é diretor do Ciesp Alto Tietê.

de tratamento de efluentes domésticos

junto com os efluentes domésticos em

e industriais. Mas foi a partir do final

processo contínuo que permite, ao fi-

Mais novidades

dos anos 90, com o surgimento da

nal, a obtenção de uma água com qua-

A Petrom também possui um

Petrom e a disponibilidade de novas

lidade igual ou melhor do que a capta-

Centro de Desenvolvimento e Inova-

tecnologias, que a iniciativa ganhou

da para uso inicial, com reuso total na

ção (CDI), setor voltado para a pes-

destaque nas diretrizes da indústria.

planta industrial.

quisa de novas tecnologias e produtos.

Além dos parâmetros quími-

O CDI entrou em operação no final de

política de sustentabilidade ambien-

cos analisados, a qualidade da água

2008 e conta com um grupo de pro-

tal ocorreu em 1º de agosto de 2008,

obtida no sistema de reuso pode ser

fissionais com formação acadêmica e

com o funcionamento da Estação de

constatada num aquário de peixes que

tecnológica, que ao longo desses anos

Tratamento de Efluentes (ETE), que

recebe o “by pass” do efluente tratado

deu suporte para que a Petrom, ago-

tem um dos mais modernos sistemas

direto da bomba de saída da ETE, que

ra, se firme também como centro de

em operação no mundo e é utilizada

tem capacidade para tratar 240 metros

excelência e inovação industrial no

inclusive como modelo pela Compa-

cúbicos/dia.

segmento químico.

nhia Ambiental do Estado de São Pau-

O marco dessa mudança na

6 Revista Exper

“Os resultados obtidos pela

Agência Ciesp de Notícias


Do outro lado da linha

Leila Navarro Revista Exper - Para aqueles que não sabem, Leila Navarro é conferencista há mais de 11 anos e consolidou nesse tempo um forte nome no Brasil e no exterior. Conte-nos um pouco sobre sua trajetória profissional? Leila Navarro - Graduada na área

Palestrante há mais de 11 anos e consolidou nesse tempo um forte nome no Brasil e no exterior. Ao abordar temas Comportamentais, de Liderança, Gestão de Pessoas, Vendas e Empreendedorismo, já teve suas palestras assistidas por mais de um milhão de pessoas e hoje integra o ranking dos 20 maiores palestrantes do Brasil.

da Saúde pela Universidade de São

School, na Espanha, e Professora

vilhoso e decidir fazer a diferença,

Paulo (USP), e Especialista em Me-

Convidada da Universidade de Bar-

vai servir de exemplo para outros di-

dicina Comportamental (UNIFESP),

celona (UB). Ainda na Espanha,

rigentes. Esta pequena iniciativa vai

Habilitada na Metodologia CPS

habilitou-se em Gestão de Talentos

gerar grandes mudanças no futuro”.

- Creative Problem Solving (CPSI –

pelo ESADE, e graduou-se em Coach

Buffalo – USA), participei do Trai-

Especializada em Coaching Efectivo

Revista Exper - Atualmente uma das

ning Course of Solving Human &

com Modelado DBM pela AECOP

20 maiores palestrantes do Brasil.

Organizational Problems for Brazil,

(Associação Espanhola de Coaching

Além disso, já ganhou por duas vezes

no Japão. Possuo diversas certifica-

e Consultoria de Processos). Com

o Prêmio dos 100 Melhores Forne-

ções, estudos e experiência em Pro-

essa bagagem cultural que dica

cedores de RH – Categoria Pales-

gramação Neuro Lingüística e De-

você daria aos executivos da região,

trante do Ano em 2005 e 2009. Quais

velopmental Behavioural Modelling.

que desejam expandir os negócios?

foram os recursos que você utilizou

Nem parece que já se passaram 11

Leila Navarro - O mundo não tem

para acompanhar as tendências do

anos. É uma vida tão especial. Fico

fronteira, a região do Alto Tietê não

mercado e estar sempre inovando?

de dois a três meses na Espanha, re-

tem fronteiras, o Brasil está sendo

Leila Navarro - Sou muito curiosa,

alizo uma média de 120 palestras por

visto com outros olhos grandes na-

na Espanha temos o verbo “curo-

ano e tenho a possibilidade de viajar

ções. “Seremos em breve a 5ª Maior

siar”. “Você já reparou na expres-

bastante. “Conheço o Brasil inteiro, e

Potência Mundial em Economia, po-

são de uma pessoa curiosa. Os

é outra coisa poder ver o Brasil pesso-

rém na saúde, educação, alimenta-

olhos ficam bem abertos, pois está

almente. O Brasil é feliz, o brasileiro é

ção e questões humanas, o Brasil tem

mais atenta e com um leve sorriso

feliz porque tem esperança no futuro”.

muito para desenvolver. Se o execu-

na boca, o que denota que a pes-

tivo aproveitar esse momento mara-

soa está aberta para aprender”.

Revista Exper - Empresária, autora de 13 livros, e Conselheira do Business Professional Woman (BPW/ SP), Leila também é Colaboradora Acadêmica na ESADE Business

8 Revista Exper

“A diferença entre o brasileiro e o espanhol é que brasileiro não confia nas pessoas, é um povo muito desconfiado, mas confia no futuro, tem esperança ou fé se preferir. O espanhol confia no outro, mas não tem esperança no futuro”.


Do outro lado da linha prir o que promete. As empresas também precisam confiar nos colaboradores, ser claras em suas ações e não tratar as pessoas como um mero recurso. “Um estrategista não faz nada se não tiver pessoas para executar” Em 2007, em parceria com o Prof. José Maria Gasalla, criador do modelo de Gestão por Confiança (GpC), foi lançado o livro Confiança – A Chave Para o Sucesso Pessoal e Empresarial. Nessa obra, são inseridos cases de sucesso de empresas que adotaram o modelo da gestão por confiança em seu dia a dia. Se você deseja crescer não pode parar

Quanto mais cedo eu utilizar esta nova

de estudar. Faço de tudo um pouco e

ferramenta, mais adiantada estarei da-

Revista

Exper

aproveito a conectividade, mas sem me

queles que ainda relutam em utilizar.

ferencial

de

Qual

Leila

o

di-

Navarro?

Leila Navarro - Eu não tenho medo do

intoxicar, sem exageros e estou sempre atenta a minha qualidade de vida.

-

Revista Exper - Quais são os

ridículo, sou ousada e conhecida como

principais

você

o “Viagra Empresarial”. Eu provoco

desafios

que

Revista Exper - Já que o assun-

enfrenta

dia?

a atitude nas pessoas. “Eu sou única

to é inovação. Como a Leila Na-

Leila Navarro - O maior desa-

e faço toda a diferença, infelizmente

varro, encara as novas tecnolo-

fio são aqueles que eu mesmo co-

muitos se esquecem desta premissa”

gias, em especial a internet, para

loco para mim, que é estar sem-

a consolidação de seus negócios?

pre reciclando e inovando. “Sou

Revista Exper - Quais seus con-

Leila Navarro - Hoje não adianta na-

muito

selhos

em

exigente

seu

dia

comigo

a

mesma”

para

aqueles

jovem-exe-

cutivos que sonham em se tor-

dar contra a corrente, e dizer que não quero não uso e não gosto. As empre-

Revista Exper - Quando olhamos

nar presidente de suas empresas?

sas investem nessa nova mídia, para

o universo das empresas no Bra-

Leila Navarro - Tudo é possível, o so-

se relacionar com o cliente interno

sil, o que as empresas estão fazendo

nho é a maior riqueza que existe. So-

e externo, com os fornecedores, etc.

certo, o que pode ser melhorado?

nhe muito, seja patrocinador de seus

“É uma evolução e ninguém sabe onde

Leila Navarro – O principal é cum-

sonhos, esteja comprometido com ele.

isso vai acabar. A única coisa que sei que não tem como voltar atrás”. Ou seja, carta escrita de próprio punho e fax são coisas do passado.

10 Revista Exper

“O brasileiro gosta de levar vantagem em tudo. Devemos mudar essa cultura, não tem como vivermos com esta mentalidade. Vamos aderir a campanha: Vantagem só se for para todos”


Exper News

Erico Ribeiro

A Azul Linhas Aéreas come-

ça a vender passagens aéreas em 32 supermercados de São Paulo, Campi-

Allan Martins Antunes

Supermercados começam a vender passagens da Azul

nas, ABC, Vale do Paraíba e Baixada Santista. O objetivo da empresa é chegar ainda mais perto da classe C.

A parceria com os supermer-

cados foi feita com a Yes Net, rede de cyber offices instalada em supermercados das redes Extra e Walmart. As passagens aéreas podem ser pagas em dinheiro e cheque à vista e parcelado, ou por meio de boleto bancário. Além disso, tanto nos supermercados, quanto no site da companhia, a compra de passagens pode ser parcelada

TAM também anunciou uma nova

passará a vender suas passagens em

em 60 vezes com o Banco do Brasil

estratégia para captar uma fatia maior

grandes lojas de varejo, como as Ca-

ou em 48 vezes com o Bradesco. A

de público da classe C. A companhia

sas Bahia.

Edital para TV Digital Pública

Facebook atrai mais publicidade

A diretora de operações do

Facebook, Sheryl Sandberg, informou

O governo brasileiro está

que a rede social que recentemente

em fase final da elaboração de um

rompeu a barreira dos 500 milhões de

edital para a construção da infraes-

usuários, aumentou em dez vezes o

aumentado seus gastos, a diretora ci-

trutura da rede pública de TV digital,

faturamento vindo de publicidade. Os

tou o exemplo de um estúdio de cine-

que deverá ser gerida pela Empresa

anunciantes multiplicaram seus gas-

ma no ano passado, esse estúdio pu-

Brasileira de Comunicação (EBC). A

tos por dez vezes e, em alguns casos,

blicou três filmes no Facebook e, este

ideia é que um leilão seja realizado

chegaram a destinar 20 vezes mais di-

ano, lançará 12 filmes e publicará dez

no mês de novembro para captar par-

nheiro para a publicidade na rede na

no Facebook. E uma outra empresa

ceiros e recursos da iniciativa priva-

comparação com o mesmo período do

que promoveu o lançamento de um de

da que serão responsáveis pela cons-

ano passado.

seus produtos no ano passado e fará

trução de 256 torres de transmissão

o mesmo este ano com a metade dos

de sinal digital.

nomes das grandes marcas que têm

12 Revista Exper

A despeito de não revelar os

lançamentos previstos.


Lula e Fortes sancionam Lei de Resíduos Sólidos A Lei de Resíduos Sólidos foi sanBates Littlehales

cionada, no Palácio do Itamaraty, em Brasília. Participou da solenidade o ministro das Cidades, Marcio Fortes de Almeida, o secretário Nacional

Movimento pela Biodiversidade

de Saneamento Ambiental (SNSA),

Com a aproximação da COP

do Meio Ambiente, Izabella Teixeira,

Leodegar Tiskoski. A lei institui a

10, que será realizada em outubro na

e dos líderes das empresas realizado-

Política Nacional de Resíduos Sóli-

cidade de Nagoya (Japão), a Alcoa,

ras, o encontro abriu espaço para a

dos (PNRS) que regulamenta a des-

CPFL, Natura, Vale e Walmart, em

construção conjunta de uma agenda

tinação final dos lixos produzidos.

parceria com Instituto Ethos e orga-

positiva para a conservação da bio-

Entre as diretrizes do PNRS está à

nizações parceiras, lançou no Salão

diversidade brasileira. No evento, foi

proibição do lançamento de resíduos

Nobre da FGV, em São Paulo, o Mo-

apresentada a versão inicial da Carta

sólidos em praias, rios e lagos, além

vimento Empresarial pela Proteção e

Empresarial pela Proteção e Uso Sus-

de queimadas de lixo a céu aberto.

Uso Sustentável da Biodiversidade,

tentável da Biodiversidade, e será en-

A política incentiva a reciclagem e

que pretende trazer o assunto às pau-

tregue ao presidente da República e a

compostagem,

tas política e econômica do Brasil.

todos os candidatos à presidência nas

lixo em adubo e proíbe a coleta de

eleições deste ano.

materiais recicláveis em lixões ou

Com a presença da ministra

do

aterros sanitários.

Fiat Mio desperta curiosidade

transformação

Lei Publicitária

O projeto Fiat Mio, que re-

despertaram a curiosidade dos fãs de

sultará em um carro conceito cons-

carros. Na verdade, o veículo não está

truído a partir de indicações dos

pronto. Ele fará sua grande estreia no

têm, agora, o prazo exato para come-

internautas, deu seu primeiro ar da

Salão do Automóvel, que acontece no

çar a inserir as frases educativas na

graça. Imagens do veículo em um ce-

final de outubro, em São Paulo. Para

publicidade de veículos e de outros

nário urbano surgiram na rede e logo

a criação desse veículo, que não será

produtos relacionados à indústria au-

As agências e anunciantes já

comercializado, os enge-

tomobilística.

nheiros e designers do

Centro Estilo Fiat Brasil,

5 de outubro, todo anúncio publicitá-

trabalharam com as con-

rio da indústria de veículos já deverá

tribuições das pessoas

conter as frases de alerta, tal como

que enviaram ideias ao

ocorre com a divulgação de bebidas

hotsite Fiat Mio.

alcoólicas, por exemplo.

Sendo assim, a partir do dia

Revista Exper 13


Matéria de Capa

Inovação requer confrontar a acom A inovação é estimulada por um conjunto de princípios que interagem equilibradamente: questionamento, disposição ao risco, abertura, paciência e confiança. Agrupados, esses valores determinam a capacidade de um indivíduo, organização ou nação para mudar.

dade de mudança, essencial ao flo-

As pessoas normalmente

dade reprimir a inovação. Confiança

inovadores perguntarem por que ou

superestimam o famoso ahá! Do pro-

sem questionamento é falta de bom

como algo deu errado ou se é possí-

cesso de invenção. Para iniciá-lo, o

senso. Paciência em excesso pode

vel fazer uma determinada coisa de

primeiro passo é criar um ambien-

criar um ambiente insosso e inerte.

maneira diferente. Essa curiosidade

te adequado. “O grande lance não

A disposição ao risco deve ser con-

é vicejada quando lhes damos espaço

é gerar idéias. É criar aquele caldo

trabalançada com o questionamento

para investigar.

em que inúmeras pessoas propõem

a fim de evitarmos a impulsividade.

suas idéias e ter um sistema que as

O questionamento sem confiança

transforme em algo efetivo”, afirma

pode dar lugar à intolerância. Quan-

Danny Hillis, antigo desenvolvedor

do todos esses cinco princípios es-

fácil, e em geral é caro, tanto para

de atrações da Disney e cofundador

t ã o

equilibrados ou

o bolso quanto para a reputação. As

da Applied Minds, empresa de con-

contrabalan-

pessoas têm dificuldade de renunciar

sultoria em pesquisa e desenvolvi-

çados,

eles

a uma ideia quando estão apaixona-

se inter-re-

das por ela. Mas tolerância e paciên-

Esse caldo começa com al-

lacionam

cia são essenciais quando queremos

guns ingredientes básicos, isto é, um

e cria a

que as pessoas assumam riscos cria-

conjunto de posturas e convicções

capa-

humanas extremamente decisivas,

ci-

mento.

rescimento da inovação. Questionamento

Faz parte da natureza dos

Risco Admitir um fracasso não é

tivos. Abertura

que Judy Estrin chama de os cinco princípios fundamentais da inova-

ção: questionamento, disposição ao

aberta e uma atmosfera que estimu-

risco, abertura, paciência e con-

le as pessoas a imaginar, alargar os

fiança.

horizontes, colaborar, captar seren-

Se levados

A inovação exige mente

dipidades e ter liberdade para criar.

a seu extremo,

A curiosidade precisa ser comple-

qualquer

mentada pela capacidade de avaliar

um desses

criticamente as informações, aceitar

valores

contribuições e estar preparado para

pode na ver-

se adaptar a mudanças.

14 Revista Exper


modação Paciência

A paciência é indis-

pensável ao sucesso de qualquer inovação. Isso não quer dizer, entretanto, que o processo de inovação tenha de ser passivo. Os inovadores precisam se sentir à vontade para conviver com ambiguidades durante um determinado tempo e, desse modo, não escolher logo de cara a primeira ideia ou solução que surgir. Confiança

Seja você empresário ou

avalista de uma empresa, deve confiar em sua equipe e no processo de inovação. Tanto os diretores quanto os funcionários só se sentem à vontade com a vulnerabilidade, só se dispõem a assumir riscos e só sentem liberdade para criar quando esse princípio está bem estabelecido na empresa.

No novo lançamento da

DVS Editora, “Estreitando a Lacuna da Inovação”, Judy Estrin apresenta um guia para injetar mudanças produtivas dentro de uma organização. A ex-diretora da Cisco Systems já foi por três vezes citada na lista da

A inovação sustentável não ocorre no vazio. Não é apenas um lampejo de genialidade de um único cientista isolado, nem produto de um grupo que se refugia em um algum lugar para praticar brainstorming, exercícios de formação e desenvolvimento de equipes. revista Fortune como uma das 50

conseguir um ganho de produtivida-

mulheres mais competentes da área

de? Segundo Judy Estrin, isso se dá

empresarial norte-americana.

porque boa parte dos dirigentes não

consegue ver que “a inovação não se

Por que a maioria das em-

presas sente tanta dificuldade em

resume a uma frase de efeito”.

reinventar suas práticas de modo a

Mais: www.revistaexper.com.br


Cover Story

Innovation requires confronting the acco Innovation is stimulated by a set of principles that interact evenly: questioning, willingness to risk, openness, patience and confidence. Combined, these values determine the ability of an individual, organization or nation to change.

People find it difficult to relinquish an idea when they’re in love with it. But tolerance and patience are essential when we want people to take creative risks.

People often overestima-

avoid impulsiveness. The questio-

te the famous aha! The process of

ning without trust can lead to intole-

invention. To start it, the first step

rance. When all these five principles

is to create an appropriate environ-

are balanced or balanced, they are in-

mind and an atmosphere that encou-

ment. “The great thing is not to ge-

terrelated and create the capacity for

rages people to imagine, to broaden

nerate ideas. You create that broth in

change is essential to the flourishing

horizons, to collaborate, capture se-

which many people have proposed

of innovation.

rendipity and have the freedom to

mented by the ability to critically

Questioning

turns into something effective, “said Danny Hillis, a former developer of

Disney attractions and cofounder of

vators to ask why or how something

Applied Minds, a consulting firm in

went wrong or if it is possible to do

research and development.

something differently. This curiosity

will thrive when we give them space

basic ingredients, a set of postures

It is the nature of the inno-

to investigate.

and human convictions extremely Risk

decisive, which Judy Estrin call the five principles of innovation: ques-

tioning, willingness to risk, open-

easy, and in general is expensive,

ness, patience and confidence. If

both for the pocket and

taken to its extreme, any of these

the reputation.

values can actually stifle innovation. Trust without question is nonsense. Patience in excess can create an environment tasteless and inert. The willingness to risk must be balanced with the questioning in order to 16 Revista Exper

Innovation requires an open

create. Curiosity must be comple-

their ideas and have a system that

This soup starts with some

Opening

Admitting failure is not for

evaluate the information, accept contribu-


ommodation tions and be prepared to adapt to change. Patience

Patience is essential to the

success of any innovation. This does not mean, however, that the innovation process has to be passive. Innovators need to feel comfortable to live with ambiguities over a given time and thus do not choose right away the first idea or solution that arise. Confidence

The sustainable innovation does not occur in emptiness. Not just a flash of genius of one scientist alone, nor the product of a group that takes refuge in a place to practice some brainstorming exercises, training and developing staff.

Whether you’re an entre-

former director of Cisco Systems

practices in order to achieve a pro-

preneur or a guarantor of a company

has already been cited three times

ductivity gain? According to Judy

must rely on his team and the

in Fortune magazine’s list of the 50

Estrin, this is because many of the

women more competent in American

leaders cannot see that “innovation

business.

is not just a soundbite.”

innovation

process.

Both

the directors as employees only feel comfortable with the vulnerability, only willing to take risks and just feel free to create when this principle is well established in the company.

In the new launch

of DVS Company, “Narrowing the Gap of Innovation”, Judy Estrin provides a guide to inject productive

change

within

an organization. The

Why do most companies

feel it so difficult to reinvent their

>> More: www.revistaexper.com.br


Agronegócios

Projeções do agronegócio brasileiro para 2010/2020

Gabriel Alves Maciel

Anualmente, o Ministério da

Os produtos mais dinâmicos do agronegócio brasileiro deverão ser a soja, carne de frango, açúcar, etanol, algodão, óleo de soja e celulose. Esses produtos indicam elevado potencial de crescimento da produção e das exportações para os próximos anos.

Agricultura, Pecuária e Abastecimensoria de Gestão Estratégica, faz uma análise minuciosa e precisa sobre as projeções do agronegócio brasileiro.

Embrapa

to - MAPA, por meio de sua Asses-

Deverá ser mantido um forte

crescimento da produtividade total, graças ao excelente trabalho de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação Tecnológica desenvolvido pela Embrapa. Os resultados mostram um maior acréscimo da produção do que o da área total cultivada.

As projeções indicam que,

de 2010 a 2020, a taxa média anual de crescimento da produção das lavouras deve ser de 2,67%, enquanto que a área deverá se expandir em apenas 0,45%. As estimativas realizadas

cimo de apenas 9,6 milhões de hecta-

lhões, o milho com mais um milhão e

até 2019/2020 são de que a área total

res.

as demais culturas, basicamente sem

plantadas com lavouras deve passar

Essa expansão de área está

alteração ou mesmo com uma redução

de 60 milhões de hectares em 2010

concentrada em soja, com 4,7 milhões

de área, a exemplo do café, arroz, la-

para 69,7 milhões em 2020, um acrés-

de hectares, cana-de-açúcar, 4,3 mi-

ranja, entre outras.

Grande potencial de produção

na, suína e de frango deverá aumen-

cado mundial. A relação entre as

tar em 8,4 milhões de toneladas. Isso

exportações brasileiras e o comércio

A produção soja, milho,

representa um acréscimo de 37,8%

mundial, mostra que em 2018/2019,

trigo, arroz e feijão deverá passar de

em relação à produção atual. Outros

as exportações de carne bovina brasi-

129,8 em 2009 para 177,5 milhões

produtos com crescimento previsto

leira representarão 50,6% do comér-

de toneladas em 2020. Isso indica

são o açúcar, com mais 15,2 milhões

cio mundial; a carne suína, 16%, e a

um acréscimo de 47,7 milhões de

de toneladas, etanol, com mais 35,2

de frango, 70%. O Brasil continuará

toneladas à produção atual do Bra-

bilhões de litros e o leite, com mais

a ser o primeiro exportador mundial

sil, e em valores relativos, 36,7%.

7,4 bilhões de litros.

de carne bovina e de carne de frango.

18 Revista Exper

A produção de carnes bovi-

Haverá mudanças no mer-


Empreendedorismo

Aprenda a inovar urgentemente

Habilidade de dar vida aos

tolerância a riscos.

próprios projetos, tirando-os do papel

e transformando-os em novos produ-

Hashimoto, consultor e coordenador

tos, processos ou serviços é, atual-

do Centro de Empreendedorismo

mente, uma das qualidades mais va-

do Insper, em geral o empreendedor

lorizada pelo mercado de trabalho nos

apresenta de dois a três perfis mais de-

indivíduos empreendedores.

senvolvidos, segundo a classificação:

criativo, administrador, realizador, in-

De fato os profissionais que

Segundo o professor Marcos

apresentam essas qualidades têm

tegrador e promotor.

maior probabilidade de se colocarem

no mercado de trabalho e terem su-

organizações entendam que precisam

Por fim, é necessário que as

cesso. Entretanto, eles não são empre-

presas, um processo de mudança com

aprender a inovar, urgentemente, caso

endedores típicos. Ninguém é. Não

novos projetos e nichos de atuação,

contrário, não sobreviverão. Isso sig-

existe um “verdadeiro perfil empresa-

dando perenidade ao negócio.

nifica que elas têm de reinventar a si

rial”. Os empreendedores provêm de

Empreender é estar sempre

mesma. Mas inovar também significa

experiências educacionais, situações

de olho em oportunidades, ter idéias,

mudar seus produtos e serviços para

familiares e vivências profissionais

conseguir planejá-las, mesmo que ins-

acompanhar os mercados, que estão

variadas. O empreendedor em poten-

pirando e mobilizando outros profis-

mudando com uma rapidez inédita.

cial pode ser hoje, enfermeiro, profes-

sionais.

sor, secretária, vendedor, mecânico,

É preciso lembrar mesmo

possam acontecer, as empresas con-

dona de casa, gerente ou engenheiro.

que não seja típico o perfil de uma

tam apenas com o jovem empreende-

Porém, com um mercado de

pessoa empreendedora, algumas ati-

dor, que obrigado pela necessidade de

trabalho cada vez acirrado e competi-

tudes básicas são perceptíveis, por

sobreviver e incentivado pelo desejo

tivo, a busca pelo Ser empreendedor

exemplo: visão entusiástica com no-

de vencer é capaz de desenvolver no-

corporativo, pelas empresas, acontece

vas idéias e propostas, visão global,

vos projetos considerando a perma-

por maior necessidade de inovar e se

flexível e evolutiva, promoção da sua

nência ou crescimento da mesma no

diferenciar num mercado global.

visão com entusiasmo e paixão, pen-

mercado de trabalho.

samento positivo e assumir responsa-

As necessidades constantes

E para que essas mudanças

e cada vez mais urgentes das empre-

bilidades.

sas inovarem e mudarem o seu core

Também, são consideradas

___________________________

business, sua atividade principal, para

essenciais para um empreendedor,

MBA Executivo – Gestão Empresa-

sobreviverem neste mercado competi-

pessoas que apresentam habilidades

rial Estratégica. Mestre em Semi-

tivo, faz com que elas procurem pro-

como: capacidade de superação, cria-

ótica, Tecnologia da Informação e

fissionais com o perfil empreendedor,

tividade, iniciativa, motivação, agre-

Educação. Autor do Livro: Empreen-

pois serão eles que iniciarão, nas em-

ga valor, tem compromisso e possui

dedorismo para a Sala de Aula

Ivan Melo

Revista Exper 19


Liderança

À beira do precipício Como escreveu o poeta francês Guillaume Apollinaire “Venham para a beira.” “Não podemos. Temos medo.” “Venham para a beira.” “Não podemos. Vamos cair!” “Venham para a beira.” E eles foram. E ele os empurrou. E eles voaram. Venham. Vamos, voar juntos.” Há algum tempo que me inspiro nos versos acima nos momentos de indecisão. Tenho passado por muitas situações onde as perguntas “Devo arriscar? Devemos dar esse passo?” se colocam à minha frente, e cada uma das vezes, a mesma sensação de escuridão aparece, e a cabeça recua. E em um instante outras centenas de perguntas: “Como posso ter certeza de que isso vai dar certo? Não estamos arriscando tudo que já conseguimos? E se perdermos dinheiro, e nossa vida ficar mais difícil? E se o buraco for grande demais? Poderá nos engolir? E mesmo que a cabeça recue, o coração avança. Agir pelo coração, coragem (coeur = coração, age = ação), é também não ouvir seus próprios pensamentos, 20 Revista Exper

quando não te levam ao caminho mais alto. É preciso saber distinguir a voz interna que critica e paralisa (inner critic) da voz interna que orienta e encoraja (inner coach). E então eu me lembro que a beira do precipício é também o melhor lugar para começar um grande vôo. E é onde a vista é mais bonita. Essa é uma visão que costumo compartilhar incessantemente com meus clientes de Coaching. Todos eles, em vários momentos do processo de transformarem suas vidas, suas profissões, seus relacionamentos, se vêem à beira de seus próprios precipícios. Todos nós nascemos para voar, sem exceção, mas só descobrem isso aqueles que se jogam no ar. Tenho acompanhado pessoas que estão há muitos anos sentadas à beira, pensando, lendo, conversando, medindo o tamanho do buraco, a velocidade do vento, e simplesmente não voam. Outros novatos vieram correndo e se atiraram, sem mesmo esperar suas asas crescerem, e fizeram um grande estrago. Alguns até hoje pensam que voar é impossível, pois somos mais pesados que o ar. Quais são os pre-

cipícios da sua vida hoje? Uma mudança de carreira, de empresa, de país? Um novo relacionamento amoroso, uma nova amizade? Um novo estilo de vida, um novo compromisso, um filho? Você o consegue ver? Está ainda no pé da montanha, parado pensando ou no alto, preparado para voar? Seja como estiver, preste bastante atenção ao seu redor. Fique atento se alguém se aproximar de você. Pois se eu estiver passando por aí, eu vou te empurrar. E depois não diga que eu não avisei! Nicolai Cursino ___________________________ Consultor, treinador, palestrante e sócio-diretor da Iluminatta Brasil Desenvolvimento Humano. www.iluminattabrasil.com.br


Tecnologia

Anatel prevê telefonia 4G para 2013

A diretoria da Agência Na-

Leitor de livro fica livre de impostos

O turista brasileiro que qui-

de celular.

ser trazer um leitor eletrônico de li-

cional de Telecomunicações (Anatel)

Atualmente, a frequência vi-

vros digitais do exterior, sem pagar

aprovou o cronograma que prevê as

nha sendo utilizada por prestadoras de

imposto e sem precisar recorrer à

mudanças na destinação da faixa de

TV por assinatura que usam a tecnolo-

Justiça, poderá fazê-lo a partir de 1º

2,5 GHz em benefício das operadoras

gia de transmissão sem fio (MMDs), e

de outubro.

passará a ser utilizada pelas grandes

operadoras de telefonia móvel para a

publicou recentemente a Instrução

prestação do serviço de quarta gera-

Normativa 1.059 para detalhar a

ção de telefonia móvel.

Portaria 440 que mudou as regras

O 4G pode ser considerado

sobre os procedimentos de controle

uma evolução dos padrões de tele-

aduaneiro e o tratamento tributário

fonia e as tecnologias que são mais

aplicável aos bens de viajante.

O Diário Oficial da União

exploradas na indústria são WiMax e LTE (Long Term Evolution).

PCs em alta

Neste semestre foram ven-

Sharp prepara celular com tela 3D A Sharp anunciou que utili-

novo smartphone também virá com

didos 6,2 milhões de unidades contra

zará uma tela com suporte para uma

uma câmera 3D que permitirá que os

5,1 milhões no ano passado. As infor-

tecnologia 3D estereoscópica, e que

usuários tirem fotos e gravem vídeos

mações foram divulgadas pela Asso-

não requer o uso de óculos especiais,

em 3D que poderão ser visualizados

ciação Brasileira da Indústria Elétrica

em um novo smartphone com lança-

em aparelhos compatíveis. Para po-

e Eletrônica (Abinee).

mento mundial previsto para 2011.

der visualizar o conteúdo em 3D sem

Do total de PCs, foram co-

O aparelho utilizará a mesma tecno-

o uso dos óculos especiais, é preciso

mercializados 3,2 milhões de unida-

logia usada pela Nintendo no console

segurar o aparelho no ângulo correto

des de desktops, uma redução de 1%

portátil Nintendo 3DS. Além disso, o

e também na distância correta.

em relação aos seis primeiros meses de 2009. Por sua vez, os notebooks/ netbooks apresentaram crescimento de 54%, chegando a três milhões de unidades no semestre. Já para 2011, a previsão é de que a venda de PCs chegue a 15,8 milhões de unidades. Os desktops responderão por 45% do mercado e os notebooks/netbooks por 55%. 22 Revista Exper


Emprego

No momento de iniciar sua

vida profissional, a pessoa deve ter determinação e escolher quais as alternativas para conquistar sempre as melhores oportunidades. Com a inau-

Fotos Evertow Sanclair

Município de Suzano Inaugura Central do Trabalhador

guração da Central do Trabalhador, a população de Suzano passa a contar com uma completa estrutura voltada ao encaminhamento profissional. O fato de o equipamento reunir em um único local grande diversidade de serviços, inclusive voltados à qualificação. Essa ferramenta de prestação de servi-

José Roberto de Melo, Mauro Vaz, Walter Bio e Edna R. Teixeira

ços visa exatamente auxiliar a pessoa

(PAT), garantirá um serviço público

gunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

neste momento decisivo de sua vida.

de qualidade na unidade. A Central do

O superintendente regional

Trabalhador vai disponibilizar os se-

às pessoas com deficiência, garante a

no Estado de São Paulo do Ministério

guintes serviços: Programa Nacional

inclusão no mercado de trabalho, de

do Trabalho e Emprego, José Roberto

de Inclusão de Jovens (Pro Jovem);

forma digna, respeitando às suas limi-

de Melo afirmou que: “a ferramenta

Jovem Cidadão – Meu Primeiro Tra-

tações” destacou a Diretora Técnica

promove a intermediação entre em-

balho; Jovem Aprendiz; Iniciação

Regional Grande Leste Edna Teixeira.

presas que precisam de mão de obra

Profissional e Formação para o Tra-

qualificada”.

balho; Programa de Apoio à Pessoa

pal de Desenvolvimento Econômico,

A Central do Trabalhador

com Deficiência (Padef); Programa

Trabalho, Negócios e Turismo, Mau-

é um convênio entre o Governo do

de Apoio ao Trabalhador Artesanal

ro Vaz, “a Central do Trabalhador vai

Estado, o Município de Suzano, e o

e Qualificação Profissional. O aten-

cadastrar e treinar, pois existe uma de-

Posto de Atendimento ao Trabalhador

dimento ao público será feito de se-

manda nas empresas de Telamarketing

“A oferta de oportunidades

Segundo o secretário munici-

e vamos qualificar e inserir os jovens nesse mercado” ressalta o secretário.

Todos os serviços pres-

tados são gratuitos e a expectativa é atender 300 pessoas por dia. ter

O Bio,

vice-prefeito representou

o

Walprefei-

to Marcelo Candido e valorizou a

diversidade

do

atendimento.

ver fotos no www.revistaexper.com.br Revista Exper 23


Financeiro

Inflação 2010 mantida em 5,61%, está dentro da meta

Analistas do mercado finan-

plo (IPCA) em 5,61%, neste ano.

rada com base em projeções para os

ceiro consultados pelo Banco Central

principais indicadores da economia.

(BC) mantiveram a estimativa para o

ve alteração (4,80%), segundo o bole-

Índice de Preços ao Consumidor Am-

tim Focus, publicação semanal elabo-

estão acima do centro da meta de in-

Para 2011, também não hou-

As expectativas para o IPCA

flação para este ano e 2011, de 4,5%. Essa meta tem margem de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Cabe ao Banco Central perseguir a meta de inflação e, para isso, a instituição usa como instrumento a taxa básica de juros, a Selic. Quando considera que a economia está aquecida e a trajetória e a perspectiva de inflação são de alta, o BC aumenta os juros básicos.

A projeção para a Selic ao

final de 2010 passou de 11,75% para 12% ao ano. Para o fim de 2011, foi mantida em 11,75% ao ano.

Brasil cai em ranking de competitividade

Robinson dos Santos

Anual de Novos Campeões 2010, em

a única a melhorar sua posição no

O Brasil caiu duas posições

Tianjin (China). A reunião, que é cha-

ranking, subindo duas posições para o

no ranking de competitividade elabo-

mada de “Davos de verão”, teve início

27.º lugar (4,84 pontos). A Índia caiu

rado pelo Fórum Econômico Mundial,

em setembro.

duas posições, de 49.º para 51.º, mas

ficando acima do Chile e do México e

Os Primeiros

com uma pequena melhoria na pon-

abaixo da China e da Índia. O estudo

O primeiro lugar do ranking

tuação (4,33). A Rússia, por sua vez,

foi divulgado no mês de setembro.

de competitividade é da Suíça, com

ficou em 63.º lugar, com 4,24 pontos.

Do 56.º, o País caiu para o

5,63 pontos. Em seguida vêm Sué-

58.º, com 4,28 pontos. Para o Fórum,

cia (5,56), Cingapura (5,48), Estados

íses da América Latina, o País aparece

no entanto, o país permaneceu estável

Unidos (5,43), Alemanha (5,39) e Ja-

atrás do Chile, que ficou em 30.º lu-

por causa da queda de 0,02 pontos na

pão (5,37). O último do ranking dos

gar, com 4,69 pontos, mas à frente do

nota, que foi considerada leve.

139 países avaliados foi o Chade, com

México, em 66.º (4,19). A Argentina

2,73 pontos.

ficou em 87.º lugar (3,95) e a Vene-

zuela, em 122.º (3,48).

A divulgação do ranking é

feita quatro dias antes da Reunião 24 Revista Exper

Entre os Brics, a China foi

Já na comparação com os pa-


Motivação

Como você deseja ser visto e ouvido?

Imagina você como uma

Posicionamento de Mercado

o processo de comunicação será fun-

marca, em uma gôndola de supermer-

é a posição relativa que ocupam mar-

damental, para uma boa estratégia de

cado. Além de você, existem outros

cas, produtos e serviços nas mentes

posicionamento.

produtos de marcas concorrentes. O

dos seus respectivos consumidores.

que faz acreditar, que as pessoas irão

Ocupar os melhores Posicio-

em excesso, nos tornamos uma so-

comprar você e não os outros. Hoje o

namentos de Mercado é uma das tare-

ciedade super comunicativa e muitas

mercado está cada vez mais competi-

fas fundamentais em qualquer esforço

pessoas não entendem bem o papel

tivo e disputado, milhares de pessoas

de marketing. A forma como você vai

atual da comunicação. Uma nova

ou empresas oferecem as mesmas coi-

se posicionar será a forma de como

abordagem de comunicação é papel

sas que você.

você vai ocupar um espaço na mente

fundamental para se posicionar de

do consumidor.

forma eficiente.

empresas oferecem produtos e servi-

ços muito parecidos. E como ser visto

o que você faz com um produto. Po-

nicação tem se tornado fatores deter-

e ouvido em um mercado tão compe-

sicionamento é o que você faz com

minantes para um posicionamento

titivo?

a mente de seu potencial cliente. Ou

perfeito.

Se você observar, todas as

O que define a compra é o

Porém posicionamento não é

O mundo hoje se comunica

Novas abordagens de comu-

seja, você posiciona o produto na

seu posicionamento. Como você se

mente do potencial consumidor.

apresenta e como você ocupa seu es-

paço perante os concorrentes. Agora

municativa, posicionamento é um sis-

me responda: Como você deseja ser

tema de pensamento que dá conta das

visto e ouvido?

dificuldades de se fazer ouvir. Assim

Em uma sociedade super co-

Marcelo Mendes ___________________________ Conhecedor em Liderança, Marketing e Comunicação. Revista Exper 25


Direito

Responsabilidade Civil dos Bancos

O surgimento do Código de

rem os empregadores que, não raras

Defesa do Consumidor trouxe uma

vezes, engolem gatos por lebres, ou

cheque, o crime é contra o banco e

nova visão sobre a atividade empre-

melhor, raposas por lebres.

não contra o cliente correntista e a

sarial em geral e quanto aos bancos de

O crédito oferecido nos em-

responsabilidade do banco decorre do

modo muito especial.

préstimos consignados, por exemplo,

seu dever de zelar pela sua proprieda-

No manejo do crédito, por

tem que ser contratado com extremo

de, já que o dinheiro depositado passa

exemplo, deve o banco agora ser mui-

cuidado porque os tomadores têm re-

a ser dele e ao cliente deverá entregar

to mais criterioso.

cursos muito limitados e comprometi-

outro na mesma quantidade e espécie

dos com a sua própria subsistência.

como contrato mútuo.

de credito pode gerar prejuízos gra-

víssimos não só aos seus acionistas,

nheiro que você deposita no banco, o

eximir da obrigação de reembolsar o

mas aos próprios clientes creditados e

mesmo empresta em nome próprio.

seu cliente sob a alegação de ter pa-

à sociedade, como vimos na crise das

Como ele só tem a obrigação

gado um cheque falsificado se puder

hipotecas dos Estados Unidos.

de lhe entregar o valor depositado e

provar que o próprio correntista de

Lá os preços dos imóveis

para tanto deve ser, rigorosamente,

qualquer forma concorreu para a prá-

caíram e ultrapassaram em inúmeros

seletivo na concessão do credito, pois,

tica do falso, i.e., do estelionato.

casos os saldos devedores das hipo-

não pode se eximir desse encargo.

tecas de tal forma que nem mesmo

Mas, se isso se espera do

de segurança, por exemplo, é o banco

entregando o bem o sujeito se livra

banco, obviamente, dele se pode exi-

responsável pelo conteúdo do mesmo

da dívida. E o que para o creditado

gir que redija seus contratos em letras

se o cliente tiver dado a ele conheci-

parecia um ótimo negócio, de moço

legíveis que explique com clareza to-

mento do mesmo ou puder provar o

muito esperto, acabou se tornando um

das as condições e ônus do negócio

que estava guardado lá e, subsidia-

desastre generalizado.

para que o tomador do dinheiro bem

riamente, pode ser responsabilizada

possa, por sua vez, estar consciente do

a empresa encarregada da segurança

ou melhor, dizendo investigar, as con-

que está fazendo.

do local e até mesmo o fabricante do

dições de quem receberá o crédito e as

próprio cofre.

circunstâncias em que será aplicado,

se as novas obrigações cabem dentro

Epaminondas Nogueira

para limitar e na medida do possível

do seu orçamento, seja qual for o ta-

___________________________

prevenir que a ruína do seu cliente ar-

manho do dito orçamento.

raste terceiros e leve à desorganização

Se espera é o máximo de cui-

Av. Narciso Yague Guimarães, 664,

da vida social.

dado na propaganda das instituições

Centro Cívico – Tel: (11) 4799-1510

Não custa observar que os

financeiras, pois, a cada dia mais se

São Paulo – Barra Funda

funcionários dos bancos ganham co-

conscientiza a sociedade que os ban-

Rua do Bosque, 1589 –

missões, sobre o giro dos seus negó-

cos têm responsabilidade pelo risco

Ed. Capitolium, Bl. II, Conj. 1207

cios e no afã de faturarem e agrada-

da concessão de crédito.

A concessão prodigalizada

Deve, pois, o banco verificar,

26 Revista Exper

Vale ainda lembrar que o di-

Em uma palavra para avaliar

No caso da falsificação de

Assim, o banco só pode se

Quanto à locação de cofres

Mogi das Cruzes

Tel: (11) 3392-3229


Theatro e Outras Cousas...

A peça vai começar...

A platéia já está descontrai-

Rio de Janeiro e, principalmente, no

versificado de peças e performances,

damente acomodada nos sofás e almo-

exterior, isso já se tornou uma tendên-

alguns incluindo dança e música ao

fadas espalhadas pela sala. A ocasião

cia. Cada vez mais pessoas contratam

vivo. Outra possibilidade é a criação

pode ser um aniversário de nascimen-

companhias para eventos reservados

de performances temáticas que po-

to, de casamento, ou uma reunião de

em casa, condomínios, sítios ou qual-

dem ser complementadas com Buffet

amigos que gostam de teatro. A ino-

quer outro espaço.

típico.

vação é assistir o espetáculo em um

ambiente íntimo, aconchegante, com

a intimidade e a exclusividade são

é requerida para as apresentações. Ilu-

um grupo de familiares e amigos.

valores importantes. Até mesmo em

minação e cenários são improvisados

O teatro em casa é uma for-

termos econômicos é uma vantagem,

com o que estiver disponível, e até a

ma muito interessante e prática de

pois o valor da contratação da compa-

cozinha ou o banheiro podem servir

usufruir arte e cultura. Como o pró-

nhia de teatro pode ser dividido entre

de coxia.

prio nome já diz, a companhia leva a

um grupo, que ainda economiza em

peça para a casa das pessoas. Embora

transporte e em estacionamento. A

Serviço: Tel.: (11) 4790-2956 e

em Mogi das Cruzes seja novidade,

Cia. Radiophônica de Theatro e Ou-

(11) 9828-0280 ou pelo nosso site:

nos grandes centros, como São Paulo,

tras Cousas... tem um repertório di-

w w w. c i a r a d i o p h o n i c a . c o m . b r

A comodidade, a segurança,

Nenhuma estrutura especial


Comportamento

Inovação: Sabemos realmente a sua importância?

Muito se fala, hoje, sobre

É a mudança que melhor

Deus! E a empresa sua obra acabada e

inovação, empreendedorismo, moti-

atende as necessidades de mercado.

perfeita. Tudo está em transformação

vação, liderança...

Essas mudanças podem ser: geren-

e movimento, tem gente nascendo,

ciais, tecnológicas, de processos e

morrendo, empresa surgindo, empre-

são dos significados desses termos?

de serviços. Portanto, estamos falan-

sa fechando. Nesse mundo dinâmico

O que é uma empresa ino-

do em novos conhecimentos, novas

não há como ficar parado!

vadora? O que é um profissional

visões, novos conteúdos e principal-

criativo? Qual o perfil de profissional

mente criatividade.

perfis, características e habilidades.

“inovador” que a empresa busca no

Como é a mente que cria te-

Isso é função da mente racional e para

mercado?

mos que investigar, conjuntamente,

sermos inovadores e criativos temos

Vivemos numa época de

que tipo de entidade mental é a em-

que desenvolver a mente intuitiva que

muita competitividade. O nosso con-

presa inovadora e o profissional ino-

possui um “novo olhar”, chamado

corrente pode estar em qualquer lugar

vador.

também de “o terceiro olho”.

do planeta. Vivemos numa aldeia glo-

bal, portanto, a questão é: qual a nossa

das de livros teorizando sobre o tema

para o século XXI – Empresas e Pro-

capacidade de competir nesse merca-

listando as características principais

fissionais intuitivos.

do e sobreviver?

de líderes e empreendedores, do perfil

de empresas de sucesso, bem como a

Mas, temos a real compreen-

O nosso negócio, ou ativida-

As livrarias estão abarrota-

de pode estar com os dias contados...

filosofia de seus pioneiros.

e não sabemos disso!

O perigo reside exatamente

go à conclusão que para reunir todas

neste termo inovação. O que é inova-

aquelas habilidades mencionadas o

ção?

sujeito deixou de ser humano. Ele é

28 Revista Exper

Numa análise, bem fria, che-

Não vou fazer novas listas de

Esse é o novo paradigma

Manoel Cavalcante Filho ___________________________ Psicólogo, Editor e Escritor www.oriomeditora.com.br


Turismo

Fernando de Noronha

Com seu mar em tons de azul e verde, suas areias dou-

radas, este é o verdadeiro cenário do paraíso. A ilha de Fernando de Noronha pode ser explorada a pé, a cavalo ou de barco. Certamente este é um destino que não pode faltar no roteiro de um verdadeiro aventureiro.

Repleta de praias paradisíacas, flora e fauna riquíssi-

mas e paisagens sem igual, Fernando de Noronha está no topo da lista dos locais mais visitados e admirados por turistas do Brasil e do mundo.

A ilha principal oferece aos visitantes dezesseis praias,

sendo doze no mar de dentro (lado da ilha voltado ao continente americano) e quatro no mar de fora (lado da ilha voltado ao continente africano). Fernando de Noronha oferece aos visitantes um contato íntimo com a natureza.

As atividades e passeios auxiliam os turistas na explo-

ração do espaço, todavia tudo é feito em cima de um planejamento onde se busca desenvolver um turismo sustentável a partir da preservação do ambiente. Revista Exper 29


Revista Exper  
Revista Exper  

Edição Número 02